ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Força Aérea Portuguesa => Tópico iniciado por: typhonman em Julho 02, 2011, 04:23:52 pm

Título: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Julho 02, 2011, 04:23:52 pm
Citar
Ministro da Defesa sublinha aposta
Governo empenhado no projecto do avião KC-390
O ministro da Defesa revelou este sábado que o Governo está empenhado no desenvolvimento do avião de transporte militar KC-390 que vai substituir os C-130, dando assim continuidade a um projecto que surgiu na anterior legislatura.
14h42Nº de votos (3) Comentários (0)
 

 
O ministro da Defesa participou na comemoração do 59.º aniversário da Força Aérea, na Base Aérea 1, em Sintra, onde referiu ter assinado no início da semana "um despacho que afirma o empenhamento e a vontade do governo português no desenvolvimento em Évora do novo KC-390".  
"O projecto em si é bastante importante. Resolvemos dar continuidade ao mesmo, pois permite potenciar um 'cluster' todo à volta da aeronáutica  e, portanto, contribuir para a melhoria das competências tecnológicas de formação e de qualificação", disse Aguiar Branco aos jornalistas.  
Sem adiantar datas para o seu inicio, Aguiar Branco adiantou que o projecto "é muito importante para a Força Aérea portuguesa", uma vez que permite criar uma "oportunidade de desenvolvimento das qualificações a nível de um cluster" em Évora, onde a empresa dinamizadora do projecto, a Embraer, está a construir duas fábricas.  
Em Setembro, o anterior Governo português e a fabricante anunciaram a participação de Portugal no programa de desenvolvimento do jacto de transporte militar KC-390. O acordo assinalou o início das negociações para a entrada de empresas portuguesas no projecto e no fabrico do novo avião.  
Durante a iniciativa que decorreu esta manhã, o ministro anunciou também que solicitou ao Chefe de Estado-Maior para que desenvolva um estudo no sentido da Força Aérea portuguesa "poder assumir um papel determinante no combate aéreo aos incêndios florestais".

in correiodamanha



Com que meios? C-130 + MAFFS (novos ?)

Merlins ? (dúvido muito)...

Compra de Canadairs ? Duvido ainda mais...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 02, 2011, 04:31:25 pm
OPSAS? Alouette?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Julho 02, 2011, 05:47:22 pm
C130 só no Alentejo e pouco mais, e grande demais  No Geres por exemplo nao ia atingir  o alvo no meio das escarpas
A descarga tem que ser feita o mais baixo possível que a segurança do voo premita, senão a água pulveriza-se,  evapora-se  e nem metade chega ao chao!
Um C130 ia reabastecer onde? regressava á base depois de cada descarga? isso é trabalho inútil  e desperdicio de recursos!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Julho 02, 2011, 06:43:40 pm
Antigamente abastecia nas bases da FAP, e largava calda retardante e nao agua.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: xenical_ em Julho 02, 2011, 11:01:53 pm
Boa noite,
Será que iremos assistir a uma incorporação dos kamovs e ecureils na FAP, prevendo assim uma futura extinção da EMA?
Criando-se uma unidade mais "civilista" na força aerea para operações de ambito de Proteção Civil?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Julho 02, 2011, 11:17:02 pm
Citação de: "xenical_"
Boa noite,
Será que iremos assistir a uma incorporação dos kamovs e ecureils na FAP, prevendo assim uma futura extinção da EMA?
Criando-se uma unidade mais "civilista" na força aerea para operações de ambito de Proteção Civil?

Também aposta uns euros nesse cavalo...Não se esqueçam que o programa do governo inclui a passagem da Protecção Civil para a Defesa.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: LuisC em Julho 03, 2011, 03:14:56 am
Seria certamente uma maneira de melhor rentabilizar esses meios…sempre que não fossem necessários no combate a fogos florestais poderiam ser empregues pela FAP noutras missões.
Até porque a EMA soma prejuízos atrás de prejuízos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Luxo em Julho 03, 2011, 08:02:59 am
Para mim era para a GNR para tambem participar no controlo das estradas, das fronteiras... alem das missoes deproteccao civil com GIPS
Sendo a formaçao inicial dos pilotos feita na FAP
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Julho 03, 2011, 12:20:57 pm
por mim passavam para o exército e fora da temporada de fogos  os kamov davam uma perninha ao GALE  :mrgreen:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: GI Jorge em Julho 03, 2011, 12:58:04 pm
Ou então os pilotos da UALE ficavam já colocados para operar os Kamov. Assim, eles não só continuavam a treinar de forma mais barata, como também se  eliminava a necessidade de pagar dois salários.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Julho 03, 2011, 08:04:50 pm
O truque está na prevenção e não no combate aos fogos, o desenvolvimento de UAV's é essencial para Portugal, em vários campos e um deles é mesmo a prevenção de fogos florestais. Ninguém fala nisto mas é preciso começar a bater neste ponto, a prevenção resulta melhor do que o combate a incendios que por norma são muito dispendiosos e levam imenso tempo apagar.
Por outro lado há décadas que sofremos com incêndios ainda não houve um grupo de estudos que desse sugestões como minimizar este problema? Logo nós que gostamos tanto de andar com grupos de estudo por tudo e por nada (sendo que no final acaba tudo na gaveta e alguém enche os bolsos).
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Julho 03, 2011, 09:05:26 pm
A soluçao e muito simples e nao precisa de estudos nenhuns!

É por os RSI de enchada na mão a limpar! a nossa floresta arde assim porque está abandonada!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Julho 03, 2011, 09:37:28 pm
Estamos a discutir meios de combate a fogos na FAP........

Pensem nisto, a ser feito o combate será pelos C-130 e kit´s MAFFS, não temos neste momentos esses KIt´s e se se confirmar que vem os KC-390, se esses kits irão servir nesse avião....
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: GI Jorge em Julho 03, 2011, 10:20:44 pm
Citação de: "chaimites"
É por os RSI de enchada na mão a limpar!

 :lol: Isso era bonito era.
Mal essa medida fosse anunciada, lá vinham os comunas todos para a rua defender os pobres coitados que teriam de trabalhar para merecerem o que lhes é dado.

Citação de: "typhonman"
Pensem nisto, a ser feito o combate será pelos C-130 e kit´s MAFFS, não temos neste momentos esses KIt´s e se se confirmar que vem os KC-390, se esses kits irão servir nesse avião....

Sim, se os C-130 estiverem em boas condições e se a sua utilização for possível de uma forma eficiente (gasto de combustível e área operacional vs quantidade de água ou retardante largada, comparando com outros aviões), parece-me uma boa ideia colocar 3 ou 4 (parece-me que 6 é mais do que é possível manter neste momento), com os kits ao serviço da entidade que existir na altura.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Julho 04, 2011, 03:51:13 am
Citação de: "typhonman"
Estamos a discutir meios de combate a fogos na FAP........

Pensem nisto, a ser feito o combate será pelos C-130 e kit´s MAFFS, não temos neste momentos esses KIt´s e se se confirmar que vem os KC-390, se esses kits irão servir nesse avião....


Não sei se o Ministro fez o trabalho de casa, mas já está mais que provado que os C130 são ineficases  devido a questões logisticas.
 Do apoio logístico em termos de abastecimento de água e combustível depende muito o rendimento dos meios aéreos. O número de descargas que se consegue realizar em determinado tempo depende em grande medida da distância a que se encontra o ponto de água de abastecimento do incêndio.
 
O meios actualmente existentes:
 
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg204.imageshack.us%2Fimg204%2F6563%2Fhelis.png&hash=208b9b140f71f6ca7602f2f9824d73f2)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg269.imageshack.us%2Fimg269%2F5708%2Fhelis2.png&hash=d5c725adb0a55e962f52350f37905e3c)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg215.imageshack.us%2Fimg215%2F6784%2Fcombatep.png&hash=22878a34aa844f3c76865597439a8d7d)

Tendo em conta a capacidade de carga do C130 ,    11 000 litros  e do kamov 5000 litros  podemos ver facilmente que em todo territorio nacional  o kamov  teria  larga vantagem  no numero de descargas e litros por hora, o mesmo acontece  relartivamente ao canadair que transporta 6000 litros
na maior parte do terrritorio Nacional.
Quantas pistas temos que podem suportar um C130?  uma vez que ele nao reabastece por scooping teria que voltar a base depois de cada descarga
 
Imaginemos que a viagem de ida e volta para abastecer  demorava meia hora, numa hora o C 130 tinha efectuado duas descargas  22 000 litros, na mesma hora um kamov pode efectuar mais de 20   descargas 100 000 litros /+
é só fazer contas , nao tenho mapas para o uso do C130

Vamos ver se me consigo explicar:

Os meios aereos de grande porte como o C130 devido ás suas caracteristicas: velocidade minima de sustentaçao , capacidade de manobra  altitude minima de voo,,  etc,, etc. sao utilizados no combate indirecto a um incendio.
O combate aos incêndios pode ser realizado por método directo, indirecto ou combinado. O método indirecto destina-se a travar a propagação das chamas é utilizado quando o ataque directo não é possível (embora se possam utilizar os dois métodos de forma combinada) tentando circunscrever o incêndio a uma determinada área. Esta poderá ser delimitada por faixas de contenção, isto é, por zonas previamente tratadas para retardar a propagação ou mesmo extinguir as chamas.

As faixas de contenção são realizadas com trabalho de sapador realizando faixas de contenção livres de combustível de forma a impedir o avanço do fogo,  e, ou com os meios aereos atravez das caldas  retardantes Os meios aéreos podem ser helicópteros bombardeiros ou aviões que realizam descargas de água ou retardantes de fogo não directamente nos incêndios mas em zonas adjacentes de forma a evitar o seu avanço.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg33.imageshack.us%2Fimg33%2F6963%2Fcombateindirecto3.png&hash=6bc92c86d5b5120adc5ba5a61b83f2a9)  
Esquema de combate indirecto por meios aereos
As descargas das caldas retardantes  nao sao feitas directamente sobre as chamas  

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg11.imageshack.us%2Fimg11%2F4260%2Fcombateindirecto.png&hash=95e0a28163dd063c8c23f6334e7b610e)
A cor avermelhada da calda e obtida com a adição de oxido de ferro  para que seja visivel no terreno.

Para consolidar  uma faixa de contenção  sao necessarias inumeras descargas até que o incendio se extinga por falta de combustivel ou premita a intervenção dos homens no terreno  
O método indirecto de combate a incêndios exige mais recursos humanos e maior eficiência no sistema de comunicações. Este método tende a ser utilizado quando não é possível utilizar o ataque directo, tende a ser mais eficaz em incêndios de propagação rápida, incêndios difíceis de controlar, incêndios de propagação pelas copas e se há a possibilidade de aproveitar estruturas existentes como faixa de contenção. Não deve ser escolhido quando não existem condições de realizar faixas de contenção adequadamente

Como desvantagens pode referir-se o facto de aumentar a área queimada e aumenta também o perímetro de fogo a vigiar. Existe a dificuldade em realizar faixas de contenção com a largura necessária nalguns tipos de incêndios (a largura deve ser de aproximadamente 1,5 vezes a altura das chamas) o que pode levar o fogo a cruzar a faixa de contenção, exigência de um número maior de meios humanos e respectiva coordenação. O facto de os bombeiros trabalharem sem estarem a observar as chamas também pode levar a situações de perigo, a monitorização do incêndio é muito importante neste tipo de combate.


O combate directo á frente  de incendio,  quando possivel é realizada por meios mais leves e mais ágeis e  com capacidade de manobra que um C130 não tem  

Na FAP  alem do C130 tambem o P3 Oriom pode ser equipado com o kit de 11 000 litros

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg814.imageshack.us%2Fimg814%2F2228%2Fp3orion.png&hash=249d4a78ba6d537655f14c37c2df29c9)

Os C130 para complementar os meios existentes sao bemvindos para os substituir não!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Julho 04, 2011, 03:44:52 pm
Um dos motivos para a sua nao utilizaçao  no combate directo são as descargas demasiado maciças que se tornam perigosas para os homens no terreno

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg641.imageshack.us%2Fimg641%2F4945%2Fs320x240p.jpg&hash=2c1589fe66b3555d6cb6699336a415d8)
viatura dos bombeiros de Penafiel  destruida pela descarga mal calculada  de um Canadair,
Imaginem o efeito  provocado por um erro de um C130
 Estes  erros de calculo acontecem muitas vezes, com descargas fora do alvo, devido  á falta de visibiliade provocada pelo fumo, perícia do Piloto e deficientes comunicaçoes.

Exemplo de uso de C130 para consolidação de uma faixa de contenção aberta por bombeiros sapadores:

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Julho 04, 2011, 04:19:34 pm
Não comparar a pericia das tripulações dos nossos C-130H com a dos Canadair...
Bom mas alguém ouviu o ministro a falar na utilização dos C-130H? é que eu não ouvi! não há por aí uns 03 SA-330 Puma ainda com potencial de vôo? As equipas OPSAS não têm viaturas capazes de intervir em situações que ocorram próximas das Unidades? A BA5 pelo menos tem...
O ALIII além da busca e salvamento também não poderá fazer missões de vigilância do tecido florestal em zonas menos acessiveis por terra?
Eventualmente até pode passar pela utilização dos pilotos militares para operarem aeronaves da EMA, independentemente do custo da hora de voo...bom o piloto militar já está pago recebe o ordenado do Ramo a que pertence...no extra!
A ver vamos se se concretiza algo para este ano.
Não digo que não se use os MAFF's no C-130H, mas tendo em conta que é a nossa única aeronave para transporte estratégico...bom é arriscado! :twisted:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Julho 04, 2011, 05:17:02 pm
Citar
Não comparar a pericia das tripulações dos nossos C-130H com a dos Canadair...

De onde pensas que vem  os pilotos de combate a incendios ?

Quem pilota no combate a incêndios ganha 5000 a 7500 euros por mês! 3 vezes mais que na FAP

Combater incêndios florestais é tarefa complexa para aeronaves, o que exige muita experiência dos pilotos e um elevado número de horas de voo", Pilotos vem ma maior parte dos casos  das escolas militares, com experiência em helicópteros e aviões,  Há ainda pilotos militares que aproveitam as férias para compor o salário. E isto porque em Portugal o combate é feito por pilotos aliciados pelos altos salários, 7500 euros em helicópteros e 5000 em aviões. Um salário que é qualquer coisa como três vezes o que se aufere na Força Aérea Portuguesa (FAP).

 A Tarefa  é arriscada e obriga a largar entre os 5 a 15 metros acima da copa das árvores.
 Os pilotos tem que ter  cursos de firefighting
 Em Portugal a  "tribo" dos pilotos é multinacional: espanhóis, australianos, canadianos, portugueses, polacos, ucranianos e ingleses
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Julho 04, 2011, 11:08:13 pm
Citação de: "raphael"
O ALIII além da busca e salvamento também não poderá fazer missões de vigilância do tecido florestal em zonas menos acessiveis por terra?

E por os Alouette a fazer/reforçar o transporte aéreo táctico de equipas GIPS e Canarinhos... Desse modo libertava-se ou aliviava-se os Kamov dessa função.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Julho 05, 2011, 03:53:35 pm
Não sei como 16 ? Helis, poderão ser dispersos pelo país para se proceder a esse transporte...

Se ajudarem os C-130 acho que é melhor...Mas penso que não vai passar de um "sound byte"..
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 05, 2011, 05:29:52 pm
Os Alouette por norma servem para coordenar os outros meios aéreos no TO e não para transportar os Canarinhos ou os seus "primos" da GNR.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Julho 05, 2011, 06:56:49 pm
Se querem fazer as coisas façam-nas bem, criem um genero de unidade como a UME, 2 batalhoes (ex), com meios, treino,helis etc e extingam os GIPS, como diz o Duarte Caldeira e bem, recebem como se tivessem a apagar incendios 12 meses por ano, mas so actuam 3...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Julho 06, 2011, 06:21:09 pm
Actualmente, e a curto prazo, não estou a ver como a FAP poderá fazer mais no combate aos fogos do que aquilo que faz. É preciso relembrar que o "esforço" para retirar este ramo dessa função, começado há um pouco mais de 15 anos no Governo do então Primeiro-Ministro António Guterres, fez com que se perdesse toda a máquina, o know-how, o treino existente para o cabal cumprimento dessa missão.

A extinção da EMA e a passagem dos seus meios para a Força Aérea levanta outras questões um pouco difíceis de responder no contexto actual de contenção orçamental. A reutilização do Hércules na função também levanta uma outra série de questões, a todos os níveis (logístico, técnico, estado real dos 2 kits MAFFS, etc), enfim, está tudo muito confuso. Como já foi aqui dito, espero sinceramente que as declarações do Sr. Ministro Aguiar Branco tenham sido feitas com fundamento, com reais intenções, e que não passem apenas de um mero sound byte para alegrar a malta em dia de aniversário porque, a terem sido, foram no mínimo levianas e uma das razões pelas quais as pessoas cada vez mais olham de lado os titulares de cargos políticos. Aguardemos, portanto.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Instrutor em Julho 07, 2011, 10:05:49 am
Eu defendo a total passagem das aeronaves da EMA para a Força Aérea, e a activação de 1 Esquadra vocacionada para Vigilância e Combate a Fogos Florestais, desde já proponho o nome de Fénix para essa esquadra, poderia estar subdividida e sediada em duas zonas afectas à FAP uma poderia ser o Aeródromo de Manobra de Maceda/Ovar e outro na Base Aérea nº 11 em Beja. Os meios ao seus dispor seriam:
- Canadair
- Kamovºs 32
- Eurocopter AS-350B3 Ecureuil

Neste parametro de vigilancia poderiamos usar caso se verifique a compra do novo Helicoptero ligeiro para a FAP, a reutilização de 12 Allouettes III, ficando cerca de 6 unidades para reposição e susbstituição das peças.

Os Pilavs da FAP receberiam somente os vencimentos do ramo, e não os exorbitantes ordenados dos pilotos contratados pela EMA que rondam os cerca de 7/8 mil euros mês.
Uma racionalização de custos, equipavamos a FAP com mais meios aéreos e valências, e esses meios aéreos poderiam ser usados também noutras missões, e poupavamos aos contribuintes milhoes de euros em despezismos com esta empresa pública.

É somente uma opinião vale o que vale, o que achão?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 07, 2011, 12:34:37 pm
Acho que se calhar não há pilotos para isso, mas se lhes oferecerem um salário mais convidativo, talvez.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Julho 07, 2011, 02:10:13 pm
O negócio dos fogos tem de acabar. Não se pode permitir que empresas civis e pilotos continuem  a mamar à custa do crime que são os incêndios.

Citação de: "Cabeça de Martelo"
Acho que se calhar não há pilotos para isso, mas se lhes oferecerem um salário mais convidativo, talvez.
Já ganham pouco! Ponham os Sargentos a voar se for preciso. E os pilotos do Exército e Marinha.
Menos um negócio de aviação civil é menos uma oportunidade de saída.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Instrutor em Julho 07, 2011, 02:27:45 pm
Existem pilotos sim, nem que ponham os PILavs do UALE a pilotar as máquinas em mobilidade na FAP enquanto não chegam os NH90.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 07, 2011, 02:28:38 pm
No Exército salvo erro também formou-se sargentos para pilotos de helicóptero, não foi?!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Julho 07, 2011, 04:14:57 pm
Não se esqueçam que boa parte dos pilotos que estavam na EMA eram precisamente os pilotos da UALE, que entretanto sairam para iniciar o treino/reconversão para os NH90.

Os seguintes louvores começam todos das mesma maneira: «Por proposta do conselho de administração da EMA — Empresa de Meios Aéreos, S. A., louvo o militar do Exército Português abaixo indicado (...)»

Citar
Gabinete do Secretário de Estado da Protecção Civil:
Louvor n.º 353/2010:
Concessão de louvor ao capitão/piloto-aviador Venâncio José Couto Leitão

Louvor n.º 354/2010:
Concessão de louvor ao capitão/piloto-aviador José Manuel dos Santos Guilherme

Louvor n.º 355/2010:
Concessão de louvor ao sargento piloto-aviador António José Ferreira de Oliveira  

Louvor n.º 356/2010:
Concessão de louvor ao major piloto aviador Paulo Jorge Catarina de Carvalho

Louvor n.º 357/2010:
Concessão de louvor ao sargento/piloto-aviador Nuno Duarte Gonçalves Rodrigues

Louvor n.º 358/2010:
Concessão de louvor ao sargento piloto-aviador Pedro Silva Santos

Louvor n.º 359/2010:
Concessão de louvor ao sargento/piloto-aviador Mário José Carolino Mineiro

Louvor n.º 360/2010:
Concessão de louvor ao sargento piloto-aviador Luís Filipe André de Carvalho

Louvor n.º 361/2010:
Concessão de louvor ao capitão piloto-aviador Henrique Rogério Gonçalves Martins

Louvor n.º 362/2010:
Concessão de louvor ao capitão/piloto aviador Gilberto Henrique Pires Lopes

http://dre.pt/pdfgratis2s/2010/07/2S146A0000S00.pdf (http://dre.pt/pdfgratis2s/2010/07/2S146A0000S00.pdf)

As soluções óbvias já foram pensadas e...descartadas!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Julho 07, 2011, 04:30:06 pm
Citar
Neste sentido solicitei hoje, mesmo, ao Senhor Chefe de Estado Maior que desenvolva
um  estudo
 no  sentido  da  Força  Aérea  Portuguesa  poder  assumir,  um  papel
determinante no combate aéreo aos incêndios florestais.  

http://www.mdn.gov.pt/NR/rdonlyres/C0DE ... _aerea.pdf (http://www.mdn.gov.pt/NR/rdonlyres/C0DEB1F0-6A83-459F-BD81-790AF2DFD7C8/0/20110705_MDN_dia_forca_aerea.pdf)

Então tanta conversa e afinal é só um estudo...O pessoal ilude-se com pouco  :mrgreen:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Julho 09, 2011, 12:42:55 pm
Exacto Pereira Marques. O pessoal deste fórum demorou mais tempo a pensar como a Força Aérea poderia ajudar no combate aos incêndios do que o Ministro.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Julho 30, 2011, 03:17:03 pm
Segundo o Expresso, a compra de meios novos ou o uso dos PUMA são opções para o combate aos fogos pela FAP..
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Julho 30, 2011, 03:39:26 pm
Pumas com tempo de vida útil existem 03...e os acessórios? Bom e os Kamov são para quê? um Heli é um heli!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Julho 30, 2011, 09:03:33 pm
Citação de: "typhonman"
Segundo o Expresso, a compra de meios novos ou o uso dos PUMA são opções para o combate aos fogos pela FAP..
Meios de combate aos fogos para a FAP? Excelente. Canadair ou dentro desse tipo? Maravilha. Mas e a falta de pilotos? Tem de se começar a tratar disso hoje mesmo antes de pensar em comprar o quer que seja. Ingressar mais pilotos contratados ou até mesmo ex-pilotos da FAP e pilotos civis para voar meios da força aérea? Não sei se será uma solução credível.
Tantas pessoas, quer nas unidades, quer nas academias, quer nos institutos, já escreveram propostas e relatórios sobre o assunto e até hoje é o que se vê. Por isso custa-me a crer que nos próximos quatro anos se veja alguma coisa concreta feita.

Mais depressa se ganha pontos nas relações públicas com estes "estudos" do que se mete a FAP a combater directamente os incêndios no próximo ano.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: junger em Agosto 02, 2011, 11:19:42 pm
Citação de: "chaimites"
C130 só no Alentejo e pouco mais, e grande demais  No Geres por exemplo nao ia atingir  o alvo no meio das escarpas
A descarga tem que ser feita o mais baixo possível que a segurança do voo premita, senão a água pulveriza-se,  evapora-se  e nem metade chega ao chao!
Um C130 ia reabastecer onde? regressava á base depois de cada descarga? isso é trabalho inútil  e desperdicio de recursos!

Os C-130 largam calda retardante e a evaporação da água é um exagero. Na realidade a baixa altitude tem mais a ver com precisão.
De qualquer modo os C-130 seriam uma excelente adição à capacidade de combate a fogos florestais. Tanto mais que não temos $$$ para altos vôos.
Quanto ao reabastecimento do C-130, é feito por militares especializados que não tem outra função no combae a incendios logo não seria desperdício, pelo contrário, seria um aproveitamento de pessoal altamente qualificado e caro, numa tarefa de enorme interesse público.

A minha única questão é saber se os nossos C-130 estão em condições, dado que para a missão exige-se alta robustez das células. As nossas tem a melhor manutenção do mundo (OGMA) mas já acusam a idade
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Agosto 02, 2011, 11:30:52 pm
Os nossos C-130H no combate aos fogos?...bom adia-se a modernização por falta de verbas e agora iamos colocá-los a combater fogos... Não se esqueçam que é o nosso único meio aéreo militar para transporte estratégico, para projecção de forças no estrangeiro!
Calma...mas quem falou em C-130 não vi isso escrito em lado nenhum de fonte oficial, até porque o ministro falou em "estudo para...". Além de que implica treino especifico das tripulações mais aquisição dos kits Maffs!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: junger em Agosto 03, 2011, 12:04:36 am
Citação de: "chaimites"
Citação de: "typhonman"
Estamos a discutir meios de combate a fogos na FAP........
Pensem nisto, a ser feito o combate será pelos C-130 e kit´s MAFFS, não temos neste momentos esses KIt´s e se se confirmar que vem os KC-390, se esses kits irão servir nesse avião....

falar em KC-390 que ainda nem sequer existem parece-me prematuro!


Citar
Não sei se o Ministro fez o trabalho de casa, mas já está mais que provado que os C130 são ineficases  devido a questões logisticas.
 Do apoio logístico em termos de abastecimento de água e combustível depende muito o rendimento dos meios aéreos. O número de descargas que se consegue realizar em determinado tempo depende em grande medida da distância a que se encontra o ponto de água de abastecimento do incêndio.
 
E nas velocidades, capacidades de carga e autonomias dos aparelhos.
O C-130 é 40% mais rápido que os Canadair.
Os Canadair, alias Bombardier, tem autonomia de espuma para 3 largadas. mas o C-130 tem mais 50% de autonomia em combustível pelo que pode efectuar mais missões sem reabastecer.
E cada missão do C-130 equivale a quase duas dum Canadair (11.000 contra 6.000 litros), pelo que é fácil ver que a vantagem operacional do canadair (scooping) se dilui substancialmente nas maiores prestações do C-130.


Citar
Tendo em conta a capacidade de carga do C130 ,    11 000 litros  e do kamov 5000 litros  podemos ver facilmente que em todo territorio nacional  o kamov  teria  larga vantagem  no numero de descargas e litros por hora, o mesmo acontece  relartivamente ao canadair que transporta 6000 litros
na maior parte do terrritorio Nacional.
Quantas pistas temos que podem suportar um C130?  uma vez que ele nao reabastece por scooping teria que voltar a base depois de cada descarga
 
Não nos estaremos a esquecer da vantagem em velocidade e autonomia do C-130 frente a uma Kamov?
Pistas que suportam o C-130????  Com o MAFFS um C-130 precisa de apenas 427 metros e pode aterrar e descolar a partir de pistas de terra batida.
Isso inclui muitas pistas usadas por aviões agrícolas.


Citar
Imaginemos que a viagem de ida e volta para abastecer  demorava meia hora, numa hora o C 130 tinha efectuado duas descargas  22 000 litros, na mesma hora um kamov pode efectuar mais de 20   descargas 100 000 litros /+
é só fazer contas , nao tenho mapas para o uso do C130
20 descargas numa hora? Isso implicaria que o reabastecimento de água demoraria 3 minutos incluindo vôo até ao ponto de água, infelizmente isto não são os desenhos animados e só o processo de reabastecimento leva 8 minutos ou mais, fora o tempo do vôo, limitado em velocidade, devido ao reservatório, a 60 Km/h, supondo uma distancia mínima de 6 km(muito optimista) são mais 6 minutos, total = 14 minutos.
Enquanto isso o C-130 voaria a 600 km/h.

Logo ao fim de 1 hora o C-130 fez 2 descargas e o Kamov fez 4. Vitória para o senhor quadrimotor.

Citar
Na FAP  alem do C130 tambem o P3 Oriom pode ser equipado com o kit de 11 000 litros
Não, não pode. O MAFFS foi desenhado para uso do C-130, só pode ser operado por aparelhos com rampa de carga na traseira.

Se alguma dúvida subsistir basta saber que o Brasil usa os seus C-130, quipados com MAFFS no combate aos grandes fogos na Amazónia.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Malagueta em Agosto 08, 2011, 02:24:33 pm
O recurso aos militares no combate aos fogos seria uma opção mais barata, conclui um estudo da Força Aérea que está a ser avaliado pelos ministérios da Defesa e da Administração Interna.
Um dos argumentos fortes para entregar o combate aos incêndios à Força Aérea (FA) pode ser a poupança de dinheiro nas contas públicas.

Apesar do investimento inicial, o documento conclui que esta seria rapidamente uma solução mais barata do que a actual, em que helicópteros e aviões são geridos por uma empresa pública.

A TSF sabe que, o estudo apresentado pela Força Aérea ao Ministério da Defesa conclui que esta tem capacidade para assumir o combate aos incêndios já no próximo ano.

Para isso é preciso extinguir a EMA - Empresa de Meios Aéreos, numa solução que baixaria os custos das operações já em 2012.

Os meios desta empresa pública passariam para a tutela da Força Aérea. Entre eles, os helicópteros pesados, Khamov, mas também outras aeronaves mais pequenas.

Nota: A EMA possui nove aeronaves próprias e permanentes, seis Kamov Ka32A11BC e três Eurocopter AS-350B3 Ecureuil
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 08, 2011, 03:01:42 pm
Nada de novo portanto, era o que se esperava, agora quero ver é aonde vão arranjar os pilotos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 08, 2011, 03:02:49 pm
Ainda vamos ver os 3 Ecureuil a "substituir" a dúzia de Alouette III da Esquadra 552 "Zangões" !!!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Malagueta em Agosto 08, 2011, 03:06:48 pm
A algo de novo, para já haver estas reacçoes...
vou ver se publicaram o estudo em algum lado.

" Bombeiros concordam com ajuda da Força Aérea no combate aos fogos
14h46m
Profissionais concorda que os meios da Força Aérea sejam utilizados no combate aos incêndios, mas critica a proposta de extinção da Empresa de Meios Aéreos, como defende um estudo pedido pelo Governo.

 
foto Global Imagens
 
 

 A reacção ao estudo, encomendado pelo Ministério da Defesa à Força Aérea Portuguesa foi dada esta segunda-feira por Fernando Curto, presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), à saída de uma reunião com o ministro da Administração Interna e com o secretário de Estado da tutela, Filipe Lobo d'Ávila.

"Desde 2005 que a ANBP tem um projecto nesse sentido e temos vindo a defender que deveria haver um aproveitamento dos meios do Estado, através das Forças Armadas, que permitisse rentabilizar os meios", afirmou.

Contudo, Fernando Curto discorda da extinção da EMA, "porque mesmo com os meios aéreos da Força Aérea ao dispor dos bombeiros, pode haver necessidade de se recorrer aos meios privados", lembrando as "catástrofes" dos incêndios florestais em 2003 e 2005.

"Podemos pensar num redimensionamento da EMA para ser utilizada para um fim específico, pontual", acrescentou.

Assim, para o presidente da ANBP, "a organização através da protecção civil dos meios aéreos das Forças Armamdas, com devida adaptação desses equipamentos trarão uma mais-valia ao país e vêm reforçar o dispositivo e trazer uma maior vantagem e operacionalidade".
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Agosto 08, 2011, 03:30:15 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Ainda vamos ver os 3 Ecureuil a "substituir" a dúzia de Alouette III da Esquadra 552 "Zangões" !!!

e os kamov a substituir os NH90 :twisted:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Malagueta em Agosto 08, 2011, 03:54:36 pm
boas novamente

consegui mais isto, mas tem que ser sujeito a confirmação dado que não vem de vonte oficial, mas do site dos bombeiros.

alem de outros investimentos não identificados consta isto.

" Para assumir o combate aos incêndios, a Força Aérea admite, no entanto, que precisa de readaptar os velhos helicópteros Puma, desactivados desde o ano passado, quando a Defesa comprou helicópteros mais modernos.

De início seria preciso fazer modificações em três helicópteros Puma em 2012, outros três seriam recuperados até 2015"
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 08, 2011, 04:35:25 pm
Vamos ter um misto de KA-32+PUMA+Ecureuil, quanto a substituição dos alouette, está aí o seu substituto, talvez se adquiram mais unidades para complementar a frota, seria uma forma de aumentar os helis da esquadra, com a desculpa que agora também se iriam usar os helis para o combate a fogos e 3 são insuficientes como é obvio..
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 08, 2011, 04:50:11 pm
Continuo só a ler estudos e mais estudos, e ainda por cima nada que já não sabíamos há quase uma década atrás. Alguém acredita mesmo que, digamos, nos próximos três anos será possível a) arranjar fundos para equipar a FAP com meios de combate aos incêndios (a FAP faz milagres, mas também não os pode fazer para sempre), b) acabar com o monopólio que as empresas privadas têm no combate aéreo aos incêndios de forma a permitir que a FAP faça essas missões, e c a FAP resolva o problema da falta e pilotos?

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Instrutor em Agosto 09, 2011, 12:15:36 pm
Que meios vão se integrados na FAP

Kamov-32 - 6 meios aéreos;
Ecureuil - 3 meios aéreos;

Reactivação de 3/4 Pumas;

Portugal não possui nenhum Canadair?

Vai-se constituir uma nova Esquadra, ou depois das épocas de incêndios vão ser integrados na esquadra 552 Zangões e 751 Pumas?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Agosto 09, 2011, 02:39:17 pm
...e tripulações para operar essas aeronaves todas? A FAP não tem pilotos qualificados em número suficiente para os meios da EMA..e dos Puma neste momento só três estarão em condições de vôo. Também nenhuma fonte governamental falou em integrar os meios da EMA na FAP!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Agosto 09, 2011, 04:44:16 pm
Citação de: "raphael"
...e tripulações para operar essas aeronaves todas? A FAP não tem pilotos qualificados em número suficiente para os meios da EMA..e dos Puma neste momento só três estarão em condições de vôo. Também nenhuma fonte governamental falou em integrar os meios da EMA na FAP!

que eu me lembre existem 12 pilotos do exercito. Penso que o numero é suficiente para pilotar essas aeronaves.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Instrutor em Agosto 09, 2011, 05:26:25 pm
Uma coisa que me está a escapar.....se actualmente Portugal tem cerca de 30 e tal aeronaves a combater os fogos florestais e dentro destes 9 pertencem a EMA e os restantes através de locação dos meios.... ora se os meios da EMA vão para a FAP, vai-se futuramente a continuar a fazer a locação de meios aéreos, algumas fontes referem que actualmente esses meios aéreos são escassos, futuramente só com os meios da FAP muito pior vamos estar.
Agora pergunto, futuramente teremos a FAP a combater os incencios com os meios da futura ex-EMA, juntamente com meios aéreos locados?
Vamos so ter a FAP sozinha a combater os fogos florestais?


Grande trapalhada.... eu defendo que futuramente seja somente a FAP a combater os fogos florestais devidamente apretechada de meios aéreos...... com 4 Canadairs, 6 Kamovs -32, 6 Ecureuil, 12 EC-635 ou A109 (substituir os All III), os Pilotos que os formem e que abram mais vagas aos candidatos, e acabar definitivamente com a fuga de PILAvs para as companhias civis.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 09, 2011, 05:49:59 pm
Forget about canadair...Não são uteis em Portugal, ponto final.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 09, 2011, 07:20:24 pm
A fuga de pilotos resolve-se fazendo o que normalmente os lobbies odeiam: aumentar as vagas em grosso modo e baixar ligeiramente os critérios de acesso. Em poucos anos inunda-se o mercado com pilotos e os salários nas companhias privadas tornam-se menos atractivos pois passa haver mais oferta de mão-de-obra.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 09, 2011, 09:49:42 pm
Ha pouco passava em rodapé na sic noticias

"Força Aérea pretende substituir helis KAMOV que custaram 43 milhoes de euros".

Pelos PUMA ?

Ou serão helis novos ? (Não me cheira)...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 09, 2011, 09:57:43 pm
Pelos vistos sim:
Citar
Força Aérea quer recuperar seis Puma para combater fogos
Por Mariana Oliveira
Seis helicópteros Kamov, comprados pelo Estado por cerca de 40 milhões, podem vir a ficar parados devido aos custos de manutenção

in publico.pt (edição para assinantes)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 10, 2011, 10:38:22 am
E quem estará interessado em 6 Kamov?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Malagueta em Agosto 10, 2011, 10:51:10 am
" A perda da capacidade e a sua causa foi confirmada ao CM pelo Estado-Maior da Força Aérea, que, no entanto, não quis adiantar mais pormenores.
A decisão, soube o CM, foi tomada por um dos executivos de António Guterres, que na altura entendeu que o recurso ao aluguer de aviões privados seria melhor solução que aquela que era oferecida pela FAP, e desde então a situação não foi alterada – inclusive pelo Governo de Durão Barroso.
Mas a verdade é que ainda ontem chegaram a Portugal cinco C-130 da Força Aérea marroquina trazendo equipamentos similares aos que antes eram operados pelos C-130 da FAP, agora esquecidos na Base Aérea do Montijo. E, no entanto, a Força Aérea marroquina, assim como os Canadair da Força Aérea italiana e da Força Aérea espanhola foram chamados depois de o Ministério da Administração Interna chegar à conclusão de que os meios aéreos de aluguer existentes no nosso país não eram suficientes para combater as chamas.
Mas mesmo que os equipamentos esquecidos na Base Aérea do Montijo estivessem operacionais, não haveria tripulações para os C-130, uma vez que a decisão governamental de afastar a FAP do combate aos fogos florestais conduziu à perca de qualificação das tripulações para operar neste género de missões.
O que significa que actualmente ninguém da Força Aérea Portuguesa tem treino suficiente para combater fogos florestais, o que obriga a recorer a meios estrangeiros.
MANOBRAS DA NATO FORAM ESQUECIDAS
Até 1996, a Força Aérea tinha, durante a época de fogos, um ou dois C-130 prontos a voar, além de helicópteros em vários pontos do País para o transporte de equipas de bombeiros, mas actualmente é o ‘zero’. Resta o Exército, que entrou no mais alto nível de alerta, o ‘negro’, no âmbito do plano ‘Lira’, mas o Estado-Maior salientou que os militares “apenas podem ser requisitados para situações de rescaldo ou de patrulhamento”, pois “não temos nem nunca tivemos treino para o combate aos incêndios”. Mas a verdade é que a Defesa Nacional – face aos meios humanos existentes – parece estar longe dos incêndios florestais. Ainda em Maio do ano passado Portugal nem sequer quis estar presente num exercício da NATO realizado na Croácia que versava o tema fogos florestais e que congregava militares e civis. No exercício ‘Taiming de Dragon’ participaram 23 países, entre os quais a Espanha, EUA, Reino Unido e Alemanha, mas nada de Portugal."


Boas,

Nesta altura falar sem sabermos o que foi proposto pela FA, no Estudo efectuado, é estar a falar em suposiçoes e em noticias de jornais que as vezes tem pouca credibilidade.

De qualquer das formas, continuo achar que deve ser a FA a combater os fogos, o modelo actual, só serve para alimentar um negocio de milhões de euros, que só interessa ao privados (ninguém me tira da cabeça que muitos fogos são provocados por privados, dado que cada hora de voo de um desses meios aéreos cobram entre 5000 mil a 9000 mil euros)

Tal como na marinha, este também é uma ramo que é de duplo uso ( dado que é a FA que faz salvamentos.. etc ),
pelo que, juntar mais esta valência é uma mais valia, tanto melhor se conseguirem juntar meios, que sirvam para varias funções.

Sobre os meios, pelo que li ( não oficial ), já em 1996 a força área, pretendia ter 6 aviões de combate a fogos, que teriam outras funções fora da época ( não sei quais ).

Como é óbvio, a FA não iria assumir logo a totalidade de operações de combate a fogos, mas penso que um plano, as permitiria a FA assumir gradualmente o combate aos mesmos pelo menos dentro de 5 anos.

Para termos um ideia, só na contracção de  2 Aerotanques anfíbios, 4 heli médios, 7 heli ligeiros e mais dois  helis médios h24, foram gastos 13.450 milhões ( fonte relatório de contas da EMA ), contrato para voarem 2345 horas.
Acrescido que a EMA tem custos operacionais no valor de 33647 milhões., alem que o estado tem estado a pagar por serviços o valor de 28 milhoes e euros por serviços, tem injectado tambem todos os anos cerca de 20 milhoes como accionista.

Em 2011 contam-se 30 meios privados a combater fogos, o dinheiro que é gasto nisto todos os anos.

Pelo que, com o pensamento de utilizarem os meios para varias missões, formarem pilotos etc. só os valores anos aqui mencionados dão para equipar a cada ano a força aérea com uma aeronave no mínimo.

acrescento ainda as funçoes da EMA, por despacho do ministro da Admnistração interna.

Empresa de Meios Aéreos: Primeiras aeronaves declaradas “do Estado”
 
A Empresa de Meios Aéreos (EMA) criada legalmente em Abril de 2007 mas tendo adquirido ainda em 2006 10 helicópteros, sendo 6 Kamov‑32 de fabrico russo e 4 Ecureuil AS350B3 de fabrico francês viu agora declarados oficial­mente “aeronaves do Estado” estes últimos. Segundo o despacho dos Ministros da Administração Interna e Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, n.º 24 413/2007 de 12 de Outubro, “...a declaração como aeronaves do Estado dos referidos helicópteros cria as condições para que as mesmas comecem a operar de imediato e permite ainda que as aeronaves desempenhem um conjunto de missões de interesse nacional … …as seguintes…:
a) Missão de combate a incêndios florestais, que integra, designadamente, as seguintes operações:
  i) Lançamento de produtos de extinção directamente sobre os in­cêndios;
  ii)    Reconhecimento aéreo, vigilância e detecção de incêndios;
  iii)   Transporte de grupos especiais de intervenção;
  iv)    Coordenação aérea;
b) Missão de socorro e assistência aos cidadãos, que integra, designada­mente, as seguintes operações:
  i) Transporte de equipas de socorro e assistência;
  ii)    Transporte de carga da protecção civil, interna ou em suspensão;
  iii)   Evacuações de emergência de vítimas de catástrofes ou sinistros;
  iv)    Busca de pessoas em terra ou em meio aquático;
c) Missões no âmbito da segurança interna, incluindo, designadamente:
  i) Transporte de elementos das forças e serviços de segurança;
  ii)    Coordenação, controlo e desempenho de operações das forças e serviços de segurança;
  iii)   Patrulhamento rodoviário.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 10, 2011, 11:15:27 am
https://www.youtube.com/watch?v=U1eSUeCpJJA (https://www.youtube.com/watch?v=U1eSUeCpJJA)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Malagueta em Agosto 10, 2011, 01:12:54 pm
Só um exemplo

" A Força Aérea Israelense (IAF) recebeu três novos aviões Air Tractor F-802 para combate a incêndios, durante cerimônia na Base da Força Aérea de Sde Dov, os quais farão parte de uma nova unidades de aeronaves bombeiras.



As aeronaves tiveram as insígnias colocadas após a chegada na base em Israel. (Foto: IDF)
O Air Tractor F-802 possui um motor turbohélice, podendo voar por até três horas sem reabastecer, e é capaz de transportar até 3.000 litros de água.

O Chefe do Estado Maior da IAF, Brigadeiro-General Nimrod Sheffer, disse que a aeronave irá melhorar significativamente a capacidade de Israel nos combates a incêndios.

“Espero que estas aeronaves só saiam em missões de treinamento e que não tenhamos que precisar delas para missões operacionais”, acrescentou.

"
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Desertas em Agosto 12, 2011, 12:52:28 pm
Encontrei isto num blog sobre aviação.

Citar
Withrawn from active duty twice (last time, this year), looks like the Portuguese Air Force Pumas are again on the first line to return, for the second time, to active duty.
This time with the fire fighting and Civil Protection missions.

The Air Force just published a report stating that the Kamov's currently beeing used by EMA (Public Compay that operates the civilian helicopters that operate to the Civil Protection) are of expensive maintenance rather than having these helicopters beeing operated by PoAF, it would be better to sell them and return the Pumas back to operation....

Let's see how it will turn....

http://planesandstuff.blogspot.com/2011/08/portuguese-pumas-back-to-bussiness.html

Um Abraço
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 14, 2011, 07:26:42 pm
Citar
MDN, MAI, INCÊNDIOS E ASNEIRAS ESCUSADAS

Helicóptero Kamov 32
Uma das primeiras intervenções do novel Ministro da Defesa (MDN), efectuada numa visita à Força Aérea (FA), foi a de perspectivar o regresso daquele Ramo militar ao combate aos incêndios florestais (IF).

A ideia é boa, apesar de requentada, e mereceu desde logo – e bem – um alerta do respectivo Chefe de Estado Maior, lembrando que tal desiderato não seria viável de um dia para o outro.

Como as pessoas em Portugal têm a memória curta por esquecimento ou conveniência, vamos tentar dilucidar, sucintamente, todo este imbróglio. Porque de um imbróglio se trata, apesar da aparente candura das palavras ministeriais.

O Governo tinha adquirido, em 1982, equipamentos com o acrónimo “MAFFS”, que foram adaptados aos aviões C-130, e que permitiam largar sobre os incêndios uma quantidade apreciável de uma calda retardante. Custaram, na altura, cerca de 200.000 contos.

Para além disto, na “época dos fogos” distribuíam-se pelo país meia dúzia de helicópteros AL III, que ficavam em alerta aos incêndios. Estes helicópteros tinham uma capacidade muito reduzida de actuação, pois apenas podiam transportar equipas até cinco elementos e largar um pequeno balde de água sobre o fogo.

Com o agravamento anual do número de fogos e área ardida, cada vez foi necessário alugar mais hélis e aviões a empresas privadas, o que gerou um negócio de muitos milhões.

Em 1997, durante o governo do Eng. Guterres, o Secretário de Estado da Administração Interna, Armando Vara, decidiu (presume-se que com o assentimento do MDN), retirar a FA do combate e prevenção aos IF. Tal decisão abriu o caminho para se vir a adquirir, mais tarde, meios aéreos para esta missão, que foram colocados na dependência do MAI.

A fundamentação para tudo baseou-se – como se encontra descrito em vários documentos – na pouca capacidade que a FA possuía para atacar os IF, já que as poucas aeronaves C-130 existentes (cinco, mais tarde seis), o reduzido número de tripulações e o número substancial de outras missões cometidas à esquadra, nunca ter permitido o uso simultâneo dos dois equipamentos MAFFS existentes, a que acrescia as limitações do AL III (para o fim a FA já tinha muitas dificuldades em comprar a calda, pois esta já estava adjudicada a terceiros).

Para além disto, referia-se, o Estado gastava muitos milhões de contos a alugar, sazonalmente, aviões e hélis, não era dono de nenhum e estava sujeito ao mercado.

Salvo melhor opinião, as principais razões que levaram à alteração da política governamental não têm nada a ver com a argumentação aduzida, ou tem pouco a ver. As razões, creio, radicam-se na “luta de capelinhas”; na proeminência que o MAI passou a ter sobre a Defesa; na paranóia em querer afastar os militares de tudo o que não tivesse exclusivamente a ver com a vida nos quartéis, substituindo-os por “boys e girls” – uma pecha insaciável dos partidos – e, também porque nos negócios a efectuar, a FA a Armada e o Exército não terem por hábito pagar comissões ou horas extraordinárias. Senão não teriam feito o disparate que fizeram que é sempre pago pelo contribuinte.

Tudo, aliás, tem resultado num desastre: os fogos não param, a legislação não é adequada, não há prevenção, há muitos acidentes com os bombeiros (os poucos que se apresentam dos cerca de 30.000 inscritos…), etc. Não se sabendo o que fazer com o que restava dos Guardas Florestais, nem como os enquadrar, resolveu-se incorporá-los na GNR que, por ser um corpo militar, é pau para toda a obra; e até se inventou um grupo especial de intervenção contra os fogos, dentro daquela corporação, cuja missão nada tem a ver com isto.

Em contrapartida nada se fez para reforçar os sapadores bombeiros que são os únicos profissionais em apagar fogos, em todo este âmbito…

Ora se tivesse havido boa mente na apreciação da situação, o que deveria ter sido feito era ter aumentado os meios da FA (já que eram insuficientes…) e, ou, dotá-la de meios apropriados que pudessem ser aproveitados noutro tipo de missões, de modo a rentabilizá-los todo o ano. Manter-se-ia, deste modo, os meios aéreos sob comando e controle centralizado (sem embargo da descentralização da execução), a serem operados por quem sabe e tem experiência e capacidade de os operar e manter.

Mas não, decidiu-se pegar no dinheiro – que pelos vistos nunca faltou no MAI – e ir-se inventar a pólvora, pois no nosso desgraçado país os últimos 30 anos têm sido um farró! E o “negócio dos Incêndios” lá continuou de vento em popa.

Constituiu-se mais um dos inúmeros grupos de trabalho (GT), que pulularam no país, como cogumelos, para se equacionar a coisa. As conclusões deste GT foram entregues, em 6 de Setembro de 2005 e daqui surgiu a EMA, Empresa de Meios Aéreos (de capitais públicos), na dependência do MAI.

Do plano inicial fazia parte a compra de hélis ligeiros (quatro) e pesados (seis) e aviões pesados (quatro). Mas continuava a advogar-se o aluguer de 20 (!) hélis e 14 (!) aviões ligeiros e médios. Afinal…

Só para se ter uma ideia da insanidade em que se caiu, em 2010 chegaram a operar, em simultâneo, 56 meios aéreos, o que representa 40% da totalidade das aeronaves do inventário da FA!

Acabou-se por só se adquirir os helicópteros, um negócio atribulado com a Rússia (os Kamov) e, ainda os AS350B3, da Eurocopter (tudo cerca de 54-56 Milhões de euros), e já não se adquiriram os aviões por não haver dinheiro. Os hélis chegaram entre Junho de 2007 e Março de 2008.

O intermediário foi a empresa Heli Portugal, a quem foi adjudicado, também, por cinco anos, a manutenção das aeronaves, o que vale 16 M euros/ano.

A chefia da FA ainda fez uma proposta, em finais de 2004, avançando com a ideia de uma esquadra de aviões tipo Canadair (oito a 10), de multiuso. Este avião tem a vantagem de já ter dado boas provas e ser operado por Marrocos, Espanha, França, Itália e Grécia, podendo-se equacionar uma futura “poole“ destes meios. Ficou, ainda, em aberto a hipótese de reconfiguração dos 10 SA 330 Puma existentes e em desactivação, mas aproveitáveis, apesar de não serem os ideais. Hoje estão à venda e não se lhes encontra comprador.

Não deixa de ser curioso notar, contudo, que a chefia da FA, entre 1997 e 2000, não se ter mostrado nada interessada na questão dos IF, nem nos “Canadair”.

A FA, com realismo militar, mas com falta de “perspicácia” política, sempre foi dizendo que necessitava de cinco anos para tudo estar operacional, o que logo foi aproveitado pelos políticos, como óbice pela falta de celeridade. Menos, certamente, por preocupação com os fogos, mas por estarem sempre de olho nas próximas eleições e no papelinho do voto…

É claro que a proposta ficou na gaveta da política e só não temos a certeza do grau de assertividade com que esta dama foi defendida. E devia tê-lo sido, não só pela FA mas pelo Conselho de Chefes.

E, assim, se avançou para a organização de uma empresa para operar helicópteros num organismo que sabia rigorosamente nada sobre tal “negócio”. O Estado Português tem destas coisas e é, como se sabe, rico.

Faltava agora decidir sobre o dispositivo, isto é, onde estacionar os meios. A Autoridade Nacional de Protecção Civil pretendia meios colocados em Loulé e S. Comba Dão (e outros locais) mas, para além disto, era necessária uma base central.

O MAI António Costa, ainda tentou colocá-los na antiga base de Tancos (que tem todas as infra-estruturas, espaço e está despido de meios aéreos, e para isso reuniu com os Chefes do Exército e da FA. A reunião correu mal (para variar), e nenhum acordo foi atingido.

Resultado, foi-se gastar uma nota gorda (cerca de 15M euros), a fazer uma “base” no aeródromo municipal de Ponte de Sor (a 50 km de Tancos…), que foi completamente remodelado.

Como houve dificuldades, no inicio, em recrutar pilotos para os “Kamov”, a EMA foi generosa e passou a oferecer 6000 euros/mês a um comandante, fora as alcavalas. Afinal só não há dinheiro é para os hélis dos Ramos, nem para aumentar o risco de voo dos pilotos militares… Para já não falar nos diferentes pesos e medidas, que o mesmo patrão (o Estado), usa para com os seus servidores.

Como ninguém, aparentemente, explicou com algum detalhe aos senhores do MAI, que operar meios aéreos não é propriamente o mesmo que colocar uma asa num carro de bombeiros, os custos da empresa não mais pararam de derrapar e o passivo já ultrapassa os 40 milhões, se é que se podem acreditar nas contas que por aí correm. Tentou-se,” in extremis” impor quotas de horas de voo à GNR, PSP, ANPC, SEF, IMTT, etc., o que tem gerado uma apreciável confusão.

E agora ninguém sabe o que fazer. Daí o anzol lançado pelo MDN.

A desintonia e os desencontros, entre MDN, MAI, bem como entre as principais entidades que têm andado ligadas a esta problemática, têm sido a regra

Os incêndios, esses, continuam a surgir por geração espontânea e fazem o seu percurso placidamente.

Deve ser das alterações climáticas.

T.Cor Brandão Ferreira (R).
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 16, 2011, 12:46:56 pm
Citação de: "typhonman"
Ha pouco passava em rodapé na sic noticias

"Força Aérea pretende substituir helis KAMOV que custaram 43 milhoes de euros".

Pelos PUMA ?

Ou serão helis novos ? (Não me cheira)...

Citação de: "HSMW"
E quem estará interessado em 6 Kamov?

Seria um grande disparate substituir o Kamov-32 pelos pumas!
Sao precisos 3 Pumas para fazer o serviço de 1 kamov-32

O Kamov é o melhor meio aereo para combate a incendios, teria mais lógica substituir os canadair por kamov`s

Combater incêndios florestais é das tarefas mais complexas que há para helicópteros,
E nenhum Helicoptero  aguenta  como o kamov-32 as condições de voo exigentes de combate a um incendio florestal
 
O Kamov tem como tudo que e Russo o seus defeitos:  E barulhento, desconfortavel e consome muito,  mas aguenta tudo o que se possa imaginar,  soporta como nenhum as grandes colunas de ar ascendente dos incendios, cinzas, detritos resultantes da combutão da floresta,
voa por onde mais nenhum se atreve  
é conhecido por quem o pilota como a "kalashnivov dos helicopteros"


Ter Air trator´s e nao ter nada, e a mesma coisa, nao valem de nada!
Eu so espero que quem esta a organizar a nova estrutura de combate  aero a incendios  florestais saiba o que está a fazer.............

Citação de: "nelson38899"
Citação de: "raphael"
...e tripulações para operar essas aeronaves todas? A FAP não tem pilotos qualificados em número suficiente para os meios da EMA..e dos Puma neste momento só três estarão em condições de vôo. Também nenhuma fonte governamental falou em integrar os meios da EMA na FAP!

que eu me lembre existem 12 pilotos do exercito. Penso que o numero é suficiente para pilotar essas aeronaves.

Os pilotos do exercito que estavam ao servio da EMA foram retirados ja em Agosto de 2010 devido ao inicio do pograma de qualificação operacional para os novos NH90
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 21, 2011, 01:01:25 am
http://www.strategypage.com/gallery/ima ... bucket.jpg (http://www.strategypage.com/gallery/images/bambi-bucket.jpg)

Seria a opção mais sensata ( embora mais cara)....Adquirir 9 UH-60L ou M para a F.A.P(novos ou em 2º mão), para combater fogos, e durante o resto do ano seria usados como helis MED-EVAC, substituindo o INEM. Seriam também uma boa opção para S.A.R de médio alcance (aeronave a colocar no A.M 1).

Just my 2 cents.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 21, 2011, 02:25:38 am
Blackhawk na FAP e NH90 no Exército ?   :mrgreen:  ), ou seja, operar um heli ligeiro, barato de manter e mono-turbina...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 21, 2011, 05:27:54 am
Citação de: "typhonman"
http://www.strategypage.com/gallery/images/bambi-bucket.jpg

Seria a opção mais sensata ( embora mais cara)....Adquirir 9 UH-60L ou M para a F.A.P(novos ou em 2º mão), para combater fogos, e durante o resto do ano seria usados como helis MED-EVAC, substituindo o INEM. Seriam também uma boa opção para S.A.R de médio alcance (aeronave a colocar no A.M 1).

Just my 2 cents.
Citação de: "PereiraMarques"
Blackhawk na FAP e NH90 no Exército ?   :mrgreen:  ), ou seja, operar um heli ligeiro, barato de manter e mono-turbina...
50 pontos para quem referir a diferença de capacidade de entre um bambi-bucket num UH-60 e num A-109. Pesquisei no Google por "bambi-bucket UH-60 water capacity" e obtive resultados que referem valores de 600 gallons (~2271 litros / ~18 toneladas), 780 galões (~2952 litros / ~24 toneladas) e 1000 galões (~3785 litros / ~31 toneladas). Não encontrei nada específico ao A-109.

Seja como for, com base na ideia do typhoonman e do comentário do PereiraMarques os meus dois cêntimos seriam adquirir A-109 para a FAP e o Exército (de preferência num comando conjunto e a partilhar a logística e o pessoal). Podiam ser helicópteros de ambos os serviços utilizados para combater fogos e durante o resto do ano seriam utilizados principalmente no treino dos pilotos da FAP, Marinha e Exército e também para as missões de reconhecimento armado do Exército. Aqui, dependendo do custo da hora de voo, o SAR médio alcance seria também feito pelo A-109 ou seria antes feito pelos NH-90 com tripulações de voo do Exército (voa forma para preparar mais pilotos para CSAR) em conjunto com recuperadores-salvadores da FAP. No futuro, podia-se aumentar a frota e também as tripulações dos dois ramos para abranger as missões MEDEVAC do INEM.

Há que notar que sou a favor da fusão da GNR com a PSP, mas utopias à parte, mantendo a mesma ideia de uma frota partilha pelas forças armadas tal como os recursos, talvez até podia-se tentar injectar mais pilotos contratados através da GNR, ficando encarregues de combate aos incêndio (dependendo da experiência dos pilotos contratados), das missões de segurança pública e das de MEDEVAC. Ficando cada ramo com as missões que actualmente já são da sua competência, com a excepção da instrução e do combate aos incêndios que também seriam partilhadas.

Há que notar que seja UH-60 ou A-109 num destes cenários, o principal papel destes helicópteros no combate aos incêndios seria a actual dos Ecureuil, que é a de operar em conjunto com pequenas equipas de bombeiros. Por isso quanto aos Kamov se são realmente caros de manter ou um pesadelo para inserir na logística da FAP então que se os venda e contrate-se meios privados para essa missão. Operadores privados de Ka-32 não faltam por aí e ser roubado (porque deixamos que elas formem monopólios) por essas empresas ou ter a EMA para os operar vai dar ao mesmo...

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 22, 2011, 05:18:50 pm
Citação de: "Get_It"
Citação de: "typhonman"
http://www.strategypage.com/gallery/images/bambi-bucket.jpg

Seria a opção mais sensata ( embora mais cara)....Adquirir 9 UH-60L ou M para a F.A.P(novos ou em 2º mão), para combater fogos, e durante o resto do ano seria usados como helis MED-EVAC, substituindo o INEM. Seriam também uma boa opção para S.A.R de médio alcance (aeronave a colocar no A.M 1).

Just my 2 cents.
Citação de: "PereiraMarques"
Blackhawk na FAP e NH90 no Exército ?   :mrgreen:  ), ou seja, operar um heli ligeiro, barato de manter e mono-turbina...
50 pontos para quem referir a diferença de capacidade de entre um bambi-bucket num UH-60 e num A-109. Pesquisei no Google por "bambi-bucket UH-60 water capacity" e obtive resultados que referem valores de 600 gallons (~2271 litros / ~18 toneladas), 780 galões (~2952 litros / ~24 toneladas) e 1000 galões (~3785 litros / ~31 toneladas). Não encontrei nada específico ao A-109.

Seja como for, com base na ideia do typhoonman e do comentário do PereiraMarques os meus dois cêntimos seriam adquirir A-109 para a FAP e o Exército (de preferência num comando conjunto e a partilhar a logística e o pessoal). Podiam ser helicópteros de ambos os serviços utilizados para combater fogos e durante o resto do ano seriam utilizados principalmente no treino dos pilotos da FAP, Marinha e Exército e também para as missões de reconhecimento armado do Exército. Aqui, dependendo do custo da hora de voo, o SAR médio alcance seria também feito pelo A-109 ou seria antes feito pelos NH-90 com tripulações de voo do Exército (voa forma para preparar mais pilotos para CSAR) em conjunto com recuperadores-salvadores da FAP. No futuro, podia-se aumentar a frota e também as tripulações dos dois ramos para abranger as missões MEDEVAC do INEM.

Há que notar que sou a favor da fusão da GNR com a PSP, mas utopias à parte, mantendo a mesma ideia de uma frota partilha pelas forças armadas tal como os recursos, talvez até podia-se tentar injectar mais pilotos contratados através da GNR, ficando encarregues de combate aos incêndio (dependendo da experiência dos pilotos contratados), das missões de segurança pública e das de MEDEVAC. Ficando cada ramo com as missões que actualmente já são da sua competência, com a excepção da instrução e do combate aos incêndios que também seriam partilhadas.

Há que notar que seja UH-60 ou A-109 num destes cenários, o principal papel destes helicópteros no combate aos incêndios seria a actual dos Ecureuil, que é a de operar em conjunto com pequenas equipas de bombeiros. Por isso quanto aos Kamov se são realmente caros de manter ou um pesadelo para inserir na logística da FAP então que se os venda e contrate-se meios privados para essa missão. Operadores privados de Ka-32 não faltam por aí e ser roubado (porque deixamos que elas formem monopólios) por essas empresas ou ter a EMA para os operar vai dar ao mesmo...

Cumprimentos,

 O  A 109 ja foi substituido pelo A 119 koala

weigths: empty  1570Kg  
 
Max takeoff with an internal load 2600kg (5732lb), max takeoff with a sling load 2850kg (6283lb)

Pode carregar pouco mais de 1200 litros de agua

http://www.airliners.net/aircraft-data/stats.main?id=16

 1 kamov32  transporta 5000  

estamos a comparar helicopteros de segmentos diferentes

utilizar 5  A109 fica mais barato que apenas  1 kamov para efectuar a descarga da mesma quantidade de agua?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 22, 2011, 05:25:08 pm
Citação de: "chaimites"
O A 109 ja foi substituido pelo A 119 koala
Não exactamente. O Koala é uma versão mono-motor do A109.

Citação de: "chaimites"
1 kamov32  transporta 5000  

estamos a comparar helicopteros de segmentos diferentes

utilizar 5  A109 fica mais barato que apenas  1 kamov para efectuar a descarga da mesma quantidade de agua?
Não estou a comparar o Ka-32 com o A-109. Estou sim a comparar a comparar o A-109 com o UH-60, e por sua vez estes dois com os Ecureuil.

No meu cenário anterior os Ka-32 continuariam a ser contratados, vistos que as empresas privadas conseguem tirar maior proveito deles durante o resto do tempo enquanto as FA tiram maior proveito do Ecureuil/A-109/UH-60 fora da época de incêndios.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 22, 2011, 05:31:57 pm
Citação de: "Get_It"
Citação de: "chaimites"
O A 109 ja foi substituido pelo A 119 koala
Não exactamente. O Koala é uma versão mono-motor do A109.

Citação de: "chaimites"
1 kamov32 transporta 5000

estamos a comparar helicopteros de segmentos diferentes

utilizar 5 A109 fica mais barato que apenas 1 kamov para efectuar a descarga da mesma quantidade de agua?
Não estou a comparar o Ka-32 com o A-109. Estou sim a comparar a comparar o A-109 com o UH-60, e por sua vez estes dois com os Ecureuil.

No meu cenário anterior os Ka-32 continuariam a ser contratados, vistos que as empresas privadas conseguem tirar maior proveito deles durante o resto do tempo enquanto as FA tiram maior proveito do Ecureuil/A-109/UH-60 fora da época de incêndios.

Cumprimentos,

Sim eu entendi o que querias dizer! eu é que quiz meter o kamov ao barulho pois quem ja andou no terreno sabe  bem a diferença entre 5000 litros e 1500
Retira-los seria reduzir em muito a capacidade de combate aereo aos incendios florestais
 
E os meus 50 pontos....  pelos 1200 litros do A-109 ? :G-beer2:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 22, 2011, 05:50:09 pm
Citação de: "chaimites"
E os meus 50 pontos....  pelos 1200 litros do A-109 ? :mrgreen:

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 23, 2011, 04:42:13 pm
Esta é mais uma novela à portuguesa para lavar e durar. Daqui a pouco está aí o Outono (e o OE 2012) e esfriam-se logo os ânimos, as intenções, palavras bonitas e fundos.  :|

Como disse num post mais atrás, há demasiadas incógnitas nesta equação para se conseguir descortinar claramente o resultado final. Vai-se pegar em esfregões de palha de aço e tirar a ferrugem aos MAFFS? Vão-se pôr os Puma a combater incêndios? As "batedeiras amarelas" e os Ecureil vão passar para a FAP? Os Alouette III sempre alcançarão 50 anos ao serviço da FAP? Muitas questões e poucas respostas, no entanto uma coisa é certa: compras para já nem pensar!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: João Oliveira Silva em Agosto 23, 2011, 06:37:01 pm
Citação de: "Charlie Jaguar"
Esta é mais uma novela à portuguesa para lavar e durar. Daqui a pouco está aí o Outono (e o OE 2012) e esfriam-se logo os ânimos, as intenções, palavras bonitas e fundos. :|

Como disse num post mais atrás, há demasiadas incógnitas nesta equação para se conseguir descortinar claramente o resultado final. Vai-se pegar em esfregões de palha de aço e tirar a ferrugem aos MAFFS? Vão-se pôr os Puma a combater incêndios? As "batedeiras amarelas" e os Ecureil vão passar para a FAP? Os Alouette III sempre alcançarão 50 anos ao serviço da FAP? Muitas questões e poucas respostas, no entanto uma coisa é certa: compras para já nem pensar!


Daqui a pouco está aí o Outono ( e o OE 2012 ) e a novela deixa de ter enrredo.

É por demais óbvio que a é intenção extinguir a EMA ( que, aliás, nunca deveria ter sido criada... ) tão breve quanto possível.

Numa coisa tem toda a razão: compras para já nem pensar.  Mas ( e nestas coisas há sempre um prolongado maaaasssss.... ) exceto se se vender os kamov's. Aí essa massa vai direitinha para compras.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 23, 2011, 08:06:20 pm
Mas a capacidade de FA terá de ser superior à da actual EMA pois assim que começar a nova época de incêndios quem perdeu o negócio...

Toca de pegar fogo à floresta.
A FA não tem capacidade suficiente.
Volta-se a criar a EMA....   :twisted:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 23, 2011, 08:14:56 pm
Citação de: "João Oliveira Silva"
Daqui a pouco está aí o Outono ( e o OE 2012 ) e a novela deixa de ter enrredo.

É por demais óbvio que a é intenção extinguir a EMA ( que, aliás, nunca deveria ter sido criada... ) tão breve quanto possível.

Numa coisa tem toda a razão: compras para já nem pensar. Mas ( e nestas coisas há sempre um prolongado maaaasssss.... ) exceto se se vender os kamov's. Aí essa massa vai direitinha para compras.

A EMA foi mais um elefante branco, para ser simpático, por isso a sua extinção só peca por tardia.

Quanto aos meios aéreos da dita EMA, não vejo sinceramente porque não poderão ser agregados à FAP. Estados como a Grécia, Espanha e Croácia, por exemplo, possuem na sua Força Aérea esquadras dedicadas ao combate a incêndios equipadas com meios de asa fixa e rotativa que se no Verão ajudam no ataque às chamas, nos "meses mortos", por assim dizer, efectuam missões que vão da busca e salvamento à vigilância marítima. Penso que é um bocado por causa dessas vistas curtas dos governantes que passam, e até um pouco de certas pessoas dentro da FAP, que não temos desde os anos 80 uma esquadra desse género ao serviço. Mas pronto, isto é só a minha opinião e vale o que vale.  :wink:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: João Oliveira Silva em Agosto 23, 2011, 11:09:01 pm
Citação de: "HSMW"
Mas a capacidade de FA terá de ser superior à da actual EMA pois assim que começar a nova época de incêndios quem perdeu o negócio...

Toca de pegar fogo à floresta.
A FA não tem capacidade suficiente.
Volta-se a criar a EMA...
. :twisted:


Nem mais. Bingo, na mouche...

Vamos ser honestos:

Portugal tem condições naturais propícias para os incêndios florestais ( temperaturas altas no verão e pouca humidade no ar, grande área de resinosas, desordenamento dos plantios, desertificação do interior, blá, blá, blá, blá... ), tal como todos os países de características mediterrânicas ( incluindo uma extensa faixa do Canadá e vai daí que a bombardier se aventurou no sucesso que são os aviões canadair ).

À parte disso há uma " industria " que come do fogo e que os telejornais ( agosto, época baixa de notícias políticas... ) tanto gostam, ou seja, também comem.

A choramingueira de quem lhe ardeu o trator lá para os confins do interior é vendida até ao tutano no telejornal das 20 horas, quando se o jornalista fosse sério não explorava essa desgraça mas perguntava o porquê do lesado não ter limpo o mato e as arvores num raio razoável em volta da arrecadação onde estava o trator?

O fogo, as chamas, a desgraça e o carpir das velhinhas é garantia de bom share para o telejornal. Ora se o telejornal tem audiência, os anúncios no intervalo também são vendidos mais caros. Isto é a indústria, todos comem...

Isto é um ciclo fechado em que até os bombeiros comem ( comem pouco, muito pouco mesmo, na maior parte dos casos e ao inverso de outros que comem muito, mesmo glutões,  mas todos comem... ) e isto para não falar das empresas que existem pelo fogo.

O melhor exemplo destas são as empresas relacionadas com os meios aéreos.

É o velhor ditado do comércio:   se vendes a cêntimos, ganhas euros, se vendes a milhares de euros ( e as horas de voo contratadas são a milhares de euros ), ganhas milhões.

Logo, o que está em causa são milhões de euros de lucro por época ( que parvoice chamar época de incêndios à desgraça de gentes, do ambiente e do país mas o " Diário da República " define temporalmente a época de incêndios ).

Se eu estivesse do lado de lá, isto é, do lado dos milhões e me tiressem a gamela onde estão tantos euros podem ter a certeza que nas 24 horas do dia outra coisa não faria senão demonstar que " no tempo em que eu comia da gamela é que era bom ".

Isto, na minha opinião, quer dizer o seguinte:

a ) a FAP vai ter a partir de 1 de Janeiro a responsabilidade de combate a incêndios e também num âmbito mais vasto de proteção civil, em substituição da EMA, que será extinta. Ressalvo que esta é a minha opinião e não estou por dentro desta matéria, ou seja, apenas sou um cidadão atento;

b) quando se chegar à fase crítica, do lado de lá estarão interesses muito fortes;

c) Ao aceitar a responsabilidade em a) a FAP, todos, mas mesmo todos ( incluindo o ministro, a GNR via GIPS, a ANPC e o exército e a marinha enquanto forças armadas ), vestem a camisola e vão de caras para os cornos do bicho b) e retraçam-no e saem a sangrar mas vitoriosos ou então são cilindrados pela força dos interesses aglutinados nesse b) e, aí, terão razão aqueles que dizem que as FA's são incompetentes, gulosas,e um peso morto para a nação e cujo único interesse é fazer comissões no Líbano ou cenários semelhantes, com praças a ganhar uns milhares de euros por mês,  enquanto que a FAP se destina apenas a dar treino a futuros pilotos da TAP, óbviamente pago com impostos do contribuinte.

Se a EMA,  num futuro próximo, por força da incompetência de quem a irá substituir, tiver que ser reactivada,  a FAP, tal como a conhecemos hoje, não terá razão para existir.

Uma força aérea com 10 caças, 2 em QRA, e 5 transportadores é mais que suficiente. 500 militares chegam. Asa rotativa para a estrutura futura, naturalmente. Os militares em excesso deverão ter o caminho dos empregados da EMA, isto é, a extinção do vinculo ao estado.

Senão façam uma nova revolução já que a última foi uma mer#%(%da.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 24, 2011, 12:03:29 am
Joao Oliveira silva

 Tens muita razão..... os incendios florestais são um negocio rentavel para muita gente.

E nos vetores que inumeraste tens tambem que  incluir os pilotos da FAP que aproveitam as férias e as folgas para ganharem uns cobres extra a pilotarem meios de combate a incendios florestais!
Tambem eles vao perder entre 7500  e 15000 euros no seu orçamento familiar, é o ordenao mensal de um piloto de combate a incendios florestais.
Quando a EMA for extinta e for a FAP a conbater os incendios  os pilotos vao perder esse extra e ficar  com o seu magro salário na FAP,
 Ou entao recebem complemento de risco.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: LuisC em Agosto 24, 2011, 02:14:55 am
Citação de: "chaimites"
E nos vetores que inumeraste tens tambem que  incluir os pilotos da FAP que aproveitam as férias e as folgas para ganharem uns cobres extra a pilotarem meios de combate a incendios florestais!

Desconhecia e até tenho alguma relutância em acreditar que pilotos da FAP durante o período de férias pilotem aeronaves civis de combate a incêndios.

É mesmo? :shock:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 24, 2011, 09:47:33 am
Sim é verdade. Licença sem vencimento.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Malagueta em Agosto 24, 2011, 11:15:21 am
Se isso é verdade, então cai por terra, o argumento, que os pilotos  da fap, não tem formação para combate a fogos.

Para conhecer melhor o disposito criado para combate a fogos, que inclui também os militares
ver aqui este documento http://www.bombeiros.pt/DON_2_DECIF_2011.pdf (http://www.bombeiros.pt/DON_2_DECIF_2011.pdf)

O Resumo do dispositivo  aéros da fase Charlie,  entre 01 de Julho e 30 de Setembro. (de 2011)

è constituido por 41 meios aéreos, construídos por 34 helicópteros médios e ligeiros para ataque inicial, cinco helicópteros pesados e dois aviões médios anfíbios para ataque ampliado, segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).

Apesar de não estar referido ainda existem avioes ligeiros, que são dois aviões Air Tractor
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 24, 2011, 04:09:58 pm
Citação de: "Malagueta"
Se isso é verdade, então cai por terra, o argumento, que os pilotos  da fap, não tem formação para combate a fogos.

Oficialmente não têm, isto é, dada pela FAP não. Agora que há casos de quem faça uma "perninha" no Verão, isso não deixa de ser verdade.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 24, 2011, 04:26:25 pm
Citação de: "Malagueta"
Se isso é verdade, então cai por terra, o argumento, que os pilotos  da fap, não tem formação para combate a fogos.

Para conhecer melhor o disposito criado para combate a fogos, que inclui também os militares
ver aqui este documento http://www.bombeiros.pt/DON_2_DECIF_2011.pdf (http://www.bombeiros.pt/DON_2_DECIF_2011.pdf)

O Resumo do dispositivo  aéros da fase Charlie,  entre 01 de Julho e 30 de Setembro. (de 2011)

è constituido por 41 meios aéreos, construídos por 34 helicópteros médios e ligeiros para ataque inicial, cinco helicópteros pesados e dois aviões médios anfíbios para ataque ampliado, segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).

Apesar de não estar referido ainda existem avioes ligeiros, que são dois aviões Air Tractor

a lista oficial e esta ja com os 2 AT

Alfa 01 - AT8T/M - EC - KRF - Seia (Avialsa)
Alfa 02 - AT8T/M - EC - JLC - Seia (Avialsa)
HESA 01 - KA27/_ - CS-HMK - S. Comba Dão (EMA)
HESA 02 - KA27/_ - CS-HMN - Beja/BA11 (EMA)
Hotel 03 - KA27/_ - CS-HML - BA6/Montijo (EMA)
Hotel 04 - KA27/_ - CS-HMO - Ferreira do Zêzere (EMA)
Hotel 05 - KA27/_ - CS-HMM - Braga (EMA)
Hotel 06 - KA27/_ - CS-HMP - Reserva (EMA)
Hotel 07 - AS50/_ - CS-HMH - Arcos de Valdevez (EMA)
Hotel 08 - AS50/_ - CS-HMJ - Arcos de Valdevez (EMA)
Hotel 09 - AS50/_ - CS-HMI - Baltar (EMA)
Hotel 11 - B205/_ - D-HAFH - Lousã (Helisul)
Hotel 12 - B205/_ - D-HAFR - Vidago (Helisul)
Hotel 13 - B205/_ - CS-HFJ - Pombal (Helisul)
Hotel 14 - AS50/_ - CS-HHN - Monchique (HTA)
Hotel 15 - B212/_ - D-HEPP - Viseu (Helisul)
Hotel 16 - B205/_ - D-HAFO - Seia (Helisul)
Hotel 17 - AS50/_ - CS-HGM - Cernache (HTA)
Hotel 18 - B212/_ - D-HOOK - Vale de Cambra (Helisul)
Hotel 19 - B212/_ - CS-HEZ - Castelo Branco (Helisul)
Hotel 20 - B205/_ - D-HAFL - Sardoal (Helisul)
Hotel 21 - AS50/_ - D-CLAN - Nogueira (Helibravo)
Hotel 22 - AS50/_ - CS-HEY - S. Comba Dão (HTA)
Hotel 23 - AS50/_ - CS-HFR - Bornes (HTA)
Hotel 24 - AS50/_ - CS-HGO - Pampilhosa (Heliportugal)
Hotel 25 - AS50/_ - CS-HHA - Braga (Heliportugal)
Hotel 26 - AS50/_ - F-GYSD - Ribeira de Pena (Heliportugal)
Hotel 27 - AS50/_ - CS-HGG - Águeda (Heliportugal)
Hotel 28 - AS50/_ - CS-HED - Ourique (Helibravo)
Hotel 29 - AS50/_ - D-HAUR - Meda (Heliportugal)
Hotel 30 - AS50/_ - CS-HFO - Guarda (Heliportugal)
Hotel 31 - AS50/_ - D-HAUP - Baltar (Heliportugal)
Hotel 32 - AS50/_ - D-HAUF - Vila Real (Helibravo)
Hotel 33 - AS50/_ - CS-HFZ - Figueiró dos Vinhos (HTA)
Hotel 34 - AS50/_ - D - HAUO - Covilhã (Helibravo)
Hotel 35 - AS50/_ - D - HERI - Proença-a-Nova (Helibravo)
Hotel 36 - AS50/_ - D-HELI - Pernes (CB) (Heliportugal)
Hotel 37 - AS50/_ - D-HMMW - Grândola (Heliportugal)
Hotel 38 - AS50/_ - D-HCOL - Portalegre (Heliportugal)
Hotel 39 - AS50/_ - CS-HFT - Évora (Helibravo)
Hotel 40 - AS50/_ - D-HAUU - Armamar (Helibravo)
Hotel 41 - AS50/_ - D-HDAN - Fafe (Helibravo)
Hotel 42 - AS50/_ - D-HAUA - Ferreira do Zêzere (Helibravo)
Hotel 43 - AS50/_ - CS-HHB - Cachopo (HTA)

É só uma referência  os meios estao sempre a mudar de base va-se la saber porquê!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 24, 2011, 10:19:53 pm
Pelo que me disseram, há um piloto estrangeiro, que opera um dos helis nessa lista, que em vez de largar a água na frente de fogo, a maior parte das vezes é fora dela... Deveria de haver alguem que certificasse os pilotos de combate a incêndios antes de cada época...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Smoke Trails em Agosto 25, 2011, 12:14:32 pm
Boa tarde,

Porque é que o Canadair não serve para Portugal?

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Malagueta em Agosto 25, 2011, 01:22:51 pm
boa tarde,

Sinceramente não sei, mas se não servem por algum motivo, eles continuam a ser alugados.

Mas deixo aqui a proposta que as FA fez em 2004, que para eles servem até mais do que para apagar fogos.

" A chefia da FA ainda fez uma proposta, em finais de 2004, avançando com a ideia de uma esquadra de aviões tipo Canadair (oito a 10), de multiuso. Este avião tem a vantagem de já ter dado boas provas e ser operado por Marrocos, Espanha, França, Itália e Grécia, podendo-se equacionar uma futura “poole“ destes meios. Ficou, ainda, em aberto a hipótese de reconfiguração dos 10 SA 330 Puma existentes e em desactivação"
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 25, 2011, 01:44:01 pm
A eficiencia de um meio aereo no combate a um incendio florestal esta dependente no numero de desccargas  litros/hora  que consegue efectuar

De nada vale um avião que descarrega 6000 litros de agua,  mas que depois demora  15 ou 20 minutos  a efectuar nova descarga, quando volta ao local do incendio ja  a frente de fogo contornou o local de descarga, tornando o trabalho inútil!
O numero de locais de scooping é reduzido  tornando o canadair eficiente numa faxa territoial relativamente reduzida  

Um heli como o Kamov tornou-se muito eficiente porque consegue efectuar uma descarga de 5000 litos e consegue reabastecer em apenas  30 segundos em espaços apertados devido ao pequeno diametro das pas
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 25, 2011, 04:03:38 pm
Citação de: "typhonman"
Pelo que me disseram, há um piloto estrangeiro, que opera um dos helis nessa lista, que em vez de largar a água na frente de fogo, a maior parte das vezes é fora dela... Deveria de haver alguem que certificasse os pilotos de combate a incêndios antes de cada época...


As descargas fora do alvo são mais comuns do que parece, a tarefa nao é fácil,  depende muito da pericia do piloto, é preciso ter "maozinhas" para segurar o heli por cima de uma frente de fogo, as correntes de ar sao muito fortes, a visibilidade é reduzida e há altas temperaturas.

O INAC apenas exige uma licença de trabalho aereo, ja as companhias de seguros exigem que os pilotos tenham no minimo 2500 horas de voo para efectuarem os respectivos seguros.

A formação em commbate a incendios florestais e da responsabilidade das empresas operadoras dos meios aereos, e o INAC recomenda que ela seja feita para pilotos inexperientes na tarefa, tal como a formção para voo em montanha  e com carga suspença.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 25, 2011, 05:43:28 pm
Essa história do Canadair não servir para Portugal, desculpem-me a expressão, mas é treta. E da grossa. O que serve, e bem, para os restantes congéneres europeus não serve para nós porque carga de água? Eles são mais estúpidos ou inteligentes que nós? Infelizmente é uma história que muito tem dado que falar já que os Canadair de Verão atacariam incêndios florestais e de Inverno poderiam fazer vigilância e salvamento costeiro dado se tratarem de hidroaviões, mas uma vez mais onde aqueles que pouco sabem metem o bedelho dá sempre tudo para o torto e é por isso que não possuímos ainda hoje na FAP uma esquadra deste tipo.

Os CL-215/215T/415 não servem, mas já servia o Be-200? Pois...  :roll:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 25, 2011, 07:06:58 pm
O Be200 pior ainda!

Pegunta isso a quem ja levou com a calda de um C130 Marroquino em cima, ou com a "chapada" de um canadair!  

Sao meios que nao sao eficientes!  nao apagam coisa nenhuma! descarregam o dia todo e não apagam nada!  principalmente em terrenos acidentados e com ventos!
Descarregam, vao abastecer e quando voltam ja o fogo avançou por cima da descarga
Evidentemente as empresas que os fretam tem sempre alguem a quem vender os seus serviços!

E mais um negócio!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 25, 2011, 07:44:26 pm
Eu gostava mais do que bitaites era ver um estudo sobre a eficiência dos meios aéreos no combate a incêndios, onde diferentes veículos e configurações fossem testadas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 25, 2011, 09:33:28 pm
Essse estudo ja foi feito e não são bitaites:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg109.imageshack.us%2Fimg109%2F6563%2Fhelis.png&hash=6077180acda353c04b6cf372afb4ffab)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg828.imageshack.us%2Fimg828%2F5708%2Fhelis2.png&hash=4014df0787dabc23879f273e5eb11869)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg225.imageshack.us%2Fimg225%2F9591%2Fpistas.png&hash=6a504516aa3dd541f0515c804e60f4fa)

O incendios apagam-se em terra!
Os meios aereos são um complemento

Os meios aereos ligeiros e médios sao utilizados pela sua agilidade  no combate directo ao fogo e os pesados como o canadair 415 e usado para consolidadar aceiros e faixas de contenção abertas por sapadores, ou para ações de rescaldo usa-lo noutras acções é desperdício de meios

É no terreno que se está a falhar! sem homens e equipamento no terreno não há meios aereos que apaguem fogos florestais, mas aí voltamos a conversa do abandono da floresta, é completamene impossivel progredir no terreno em muita da nossa floresta devido ao denso matagal provocado pelo abandono, aos bombeiros muitas das vezes so lhes resta esperar que o fogo chegue a algum caminho, estrada ou obstáculo natural como um rio!
claro está que nesse ponto muitas das vezes  já o incendio tomou dimenções gigantescas e incontroláveis.

OS "REDIMENTOS MINIMOS" A LIMPAR A FLORESTA FAZIAM O TRABALHO DE TODA  A FROTA DESTACADA PARA A ÉPOCA DE FOGOS FLORESTAIS
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: AC em Agosto 26, 2011, 01:16:59 am
Citação de: "chaimites"
OS "REDIMENTOS MINIMOS" A LIMPAR A FLORESTA FAZIAM O TRABALHO DE TODA  A FROTA DESTACADA PARA A ÉPOCA DE FOGOS FLORESTAIS

Isso não é assim tão simples.
A floresta em Portugal está dividida, por processos de herança sucessiva, numa manta de retalhos do tamanho de um postal.
Primeiro, você não pode simplesmente pôr-se a limpar terrenos privados sem autorização. E vai-se ver e desejar só para descobrir quem são os donos.
Depois, a floresta precisa de ser ordenada. Ie, alargar caminhos, fazer aceiros, etc. Mas com propriedades tão pequenas, alargar um caminho vai "roubar" uma parte substancial de terreno; um aceiro será ele próprio maior que a maior parte dos terrenos.

Só para você ter uma ideia, a minha avó tem uma meia dúzia de pinhais. São todos minusculos e alguns deles, ela já não sabe onde são. Ando a ver quem é que na familia sabe...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: GI Jorge em Agosto 26, 2011, 12:36:08 pm
Citação de: "AC"
Citação de: "chaimites"
OS "REDIMENTOS MINIMOS" A LIMPAR A FLORESTA FAZIAM O TRABALHO DE TODA  A FROTA DESTACADA PARA A ÉPOCA DE FOGOS FLORESTAIS

Isso não é assim tão simples.
A floresta em Portugal está dividida, por processos de herança sucessiva, numa manta de retalhos do tamanho de um postal.
Primeiro, você não pode simplesmente pôr-se a limpar terrenos privados sem autorização. E vai-se ver e desejar só para descobrir quem são os donos.
Depois, a floresta precisa de ser ordenada. Ie, alargar caminhos, fazer aceiros, etc. Mas com propriedades tão pequenas, alargar um caminho vai "roubar" uma parte substancial de terreno; um aceiro será ele próprio maior que a maior parte dos terrenos.

Só para você ter uma ideia, a minha avó tem uma meia dúzia de pinhais. São todos minusculos e alguns deles, ela já não sabe onde são. Ando a ver quem é que na familia sabe...

Então AC, mas não acha que encontrando ou não os donos, se deve limpar tudo do inicio ao fim? É que até estavam a fazer um favor: ao serem limpos, não corriam tanto risco de incêndio ou de destruir casas ou matar pessoas e animais.  E no caso dos donos levantarem problemas por o estado estar a fazer um trabalho que é deles, a solução é simples: expropriação.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: AC em Agosto 26, 2011, 03:33:57 pm
Isso são contas do rosário de cada um. Você pode acabar a limpar coisas que os proprietários tinham intenção de limpar e dar uso aos residios...

Mas, mais que isso, o problema vai para lá de uma simples limpeza.
A floresta (ou mais especificamente, os pinhais e eucaliptais) sofrem de vários problemas que tornam a propagção de fogos mais rápida e o combate mais díficil.
- Árvores plantadas com elevada densidade, o que torna os incêndios mais intensos.
- Falta de aceiros para cortar a propagação dos incêncios.
- Falta de acessos para que os bombeiros possam ir aonde precisam.

Na minha opinião, a solução não passa por ser o Estado a limpar floresta privada.
A solução passa, basicamente, por impôr ordenamento de floresta aos privados e "forçar" os pequenos proprietários que não estão interessados em explorar a vender os seus terrenos a quem esteja, unindo propriedades.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 26, 2011, 05:26:26 pm
Citar
Primeiro, você não pode simplesmente pôr-se a limpar terrenos privados sem autorização.

Pode e no final apresenta-lhe a conta para pagar!

Esta previsto no ecreto lei 156/2004 de 30 de junho

mas em potugal como de costume as leis sao para se fazerem nao para se cumprirem!

Se a lei fosse aplicada nao teriamos todos os anos situações de povoações ameaçadas e casas e instalaçoes agriculas  ardidas
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: AC em Agosto 26, 2011, 06:15:31 pm
Na verdade, o decreto apenas impõe incondicionalmente limpeza para a envolvente de habitações, infraestruturas e etc.

O resto está dependente de planos de ordenamento. O que nos leva ao problema original: o ordenamento é inexequível com propriedades tão pequenas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Agosto 30, 2011, 05:26:08 am
Citação de: "AC"
Na verdade, o decreto apenas impõe incondicionalmente limpeza para a envolvente de habitações, infraestruturas e etc.

O resto está dependente de planos de ordenamento. O que nos leva ao problema original: o ordenamento é inexequível com propriedades tão pequenas.


O resto? o resto "deixa arder que o meu pai e bombeiro"

O problema esta aí, os meios são quase sempre todos destacados para defender habitações,, povoações, instalações etc etc , nao sobrando nada para inpedir que o incendeo alastre para outras zonas!

Se o decreto/lei fosse aplicado nao havia habitações em perigo nem povoações cercadas pelas chamas e os meios poderiam ser utilizados de outra forma.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Instrutor em Setembro 11, 2011, 07:09:10 pm
Quando não há dinheiro não à vicios... é o que eu defendo. Ou se compra material e treinam-se devidamente os pilotos para essas missões ou vamos daqui a uns tempos ter dissabores muito grandes. Os Senhores Políticos e os Generais que não andem a brincar ao faz de conta dizendo que a FAP tem condições de de poder combater incendios. è mentira nem temos aeronaves capazes nem pilotos em excesso. Por isso ou investem nesta valência ou nada feito.
Falasse muito em vender os Kamov devido aos custos elevados de manutenção mas este é o principal meio de combate a incendios que temos, e vamos substítuilos pelo que? Pelos PUMA... um helicoptero retirado ao serviço devido à sua idade e velhice, ou vamos mais uma vez canabalizar uns quantos para poder por no ar 3 ou 4, isso meus senhores é mau e quem pode sofrer sdao os Pilotos. A FAP tem a obrigação de garantir a segurança por excelência das suas aeronáves e pilotos. Ou se compram aeronaves vocacionadas para este fim ou entao mais vale estar quieto. :G-bigun:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 11, 2011, 10:32:25 pm
Tens toda a razao Instrutor

 Avioes velhos matam pilotos!
O cambate aereo a fogos e exigentissimo e desgastante  para aeronaves

Quando se fala na utilizaçao de C130 no combate a incendios florestais, eu gostava de saber: quantas horas de voo tem os nossos C130?
ja tem os refoços estruturais nas asas?

Ja devem ter lido em agum post editado por mim, As correntes de ar subreaquecido, ascendentes, sobre um incendio sao violentissimas para as asas de aviões. Depois de efectuada a descarga as variações de pressão pode ser Tragica!

Nos EUA 20 000 horas de voo é o limite para um aviao poder combater incendios, depois é reformado!

Seria muito triste ver um C130 Portugues acabar assim:

http://youtu.be/4bDNCac2N1o (http://youtu.be/4bDNCac2N1o)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 15, 2011, 10:26:29 am
Citar
Governo extingue EMA e Força Aérea assume socorros e combate a incêndios
por Isabel Tavares, Publicado em 15 de Setembro de 2011  |  Actualizado há 11 horas

O ex-ministro António Costa, que criou a Empresa de Meios Aéreos, diz que FAP era a sua primeira opção

O governo vai extinguir a EMA - Empresa de Meios Aéreos, e as funções que lhe estão atribuídas, protecção e socorro, passarão a ser desempenhadas pela Força Aérea já a partir de 2012. Este assunto está a ser estudado conjuntamente pelo Ministério da Defesa, que tutela a Força Aérea, e pelo Ministério da Administração Interna, que tutela a EMA, e a decisão deverá ser comunicada no final da época de incêndios, para evitar constrangimentos maiores. O Ministério da Defesa apenas confirmou que o estudo pedido à Força Aérea sobre a sua capacidade para assumir as funções da EMA, e que foi entregue no início do Verão, reconhece essa competência, em termos técnicos e humanos, a partir do próximo ano.

A Empresa de Meios Aéreos foi criada em 2007 pelo então ministro da Administração Interna, António Costa, "como instrumento fundamental na execução de uma estratégia de profunda reforma estrutural na política de segurança interna". À EMA passou a estar atribuído, por decreto-lei, o direito exclusivo para missões públicas no âmbito do Ministério da Administração Interna: prevenção e combate a incêndios, vigilância de fronteiras, recuperação de sinistrados, segurança rodoviária, apoio a forças e serviços de segurança e protecção e socorro. Quando foi criada, o objectivo da empresa era garantir uma política mais eficaz em termos de segurança interna e também poupar dinheiro ao Estado, o que não se veio a verificar. Em quatro anos poucas foram as missões requisitadas à EMA. Isso não impediu que o Estado gastasse perto de 100 milhões de euros com a empresa desde a sua constituição.

Confrontado com a actual situação da empresa e com a decisão tomada na altura, António Costa, agora à frente da Câmara Municipal de Lisboa, diz que desde 2007 que não acompanha a EMA, pelo que não dispõe de informação que lhe permita responder. No entanto, o autarca do PS explica: "Preferi contar com a Força Aérea e diligenciei nesse sentido, o que infelizmente não se revelou possível, tendo sido necessário adoptar uma solução alternativa."O que António Costa não explica é porque "não se revelou possível" à data atribuir estas funções à Força Aérea. Sabe-se porém que a decisão do governo Sócrates foi tomada "na sequência das conclusões apresentadas por uma comissão especial para o estudo de meios aéreos de combate aos incêndios florestais".

As contas da EMA não são fáceis de perceber. E quer o presidente da empresa, Rogério Pinheiro, quer o Ministério da Administração Interna mostraram- -se indisponíveis para esclarecer algumas questões. No site da EMA, por exemplo, é impossível encontrar informação suficiente e coerente sobre a situação económico-financeira da empresa. O mesmo relativamente às missões de socorro e protecção em que participou desde a sua criação. Apenas é perceptível que este ano, em Agosto, participou numa missão de resgate ao serviço da Autoridade Nacional de Protecção Civil e que, em Julho, terá participado numa missão de combate a incêndios florestais realizada a partir do Centro de Meios Aéreos de Proença-a-Nova.

A passagem dos serviços da EMA, e também a integração de alguns dos seus meios, para a esfera da Força Aérea irá gerar uma forte poupança, a começar pelos custos de manutenção, uma vez que grande parte deste serviço é prestado nas bases, passando pelos seguros e pelos ordenados dos pilotos, que na Força Aérea não ultrapassam, em média, os 3 mil euros brutos, enquanto um piloto civil raramente ganha menos de 5 mil euros. Desde o início do ano a Força Aérea Portuguesa já participou em 461 missões, de evacuações humanitárias a operações de busca e salvamento.

 :arrow: http://www.ionline.pt/conteudo/149523-g ... -incendios (http://www.ionline.pt/conteudo/149523-governo-extingue-ema-e-forca-aerea-assume-socorros-e-combate-incendios)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Jorge Pereira em Setembro 15, 2011, 10:54:33 am
Citação de: "Charlie Jaguar"
Citar
Governo extingue EMA e Força Aérea assume socorros e combate a incêndios
por Isabel Tavares, Publicado em 15 de Setembro de 2011  |  Actualizado há 11 horas

O ex-ministro António Costa, que criou a Empresa de Meios Aéreos, diz que FAP era a sua primeira opção

O governo vai extinguir a EMA - Empresa de Meios Aéreos, e as funções que lhe estão atribuídas, protecção e socorro, passarão a ser desempenhadas pela Força Aérea já a partir de 2012. Este assunto está a ser estudado conjuntamente pelo Ministério da Defesa, que tutela a Força Aérea, e pelo Ministério da Administração Interna, que tutela a EMA, e a decisão deverá ser comunicada no final da época de incêndios, para evitar constrangimentos maiores. O Ministério da Defesa apenas confirmou que o estudo pedido à Força Aérea sobre a sua capacidade para assumir as funções da EMA, e que foi entregue no início do Verão, reconhece essa competência, em termos técnicos e humanos, a partir do próximo ano.

A Empresa de Meios Aéreos foi criada em 2007 pelo então ministro da Administração Interna, António Costa, "como instrumento fundamental na execução de uma estratégia de profunda reforma estrutural na política de segurança interna". À EMA passou a estar atribuído, por decreto-lei, o direito exclusivo para missões públicas no âmbito do Ministério da Administração Interna: prevenção e combate a incêndios, vigilância de fronteiras, recuperação de sinistrados, segurança rodoviária, apoio a forças e serviços de segurança e protecção e socorro. Quando foi criada, o objectivo da empresa era garantir uma política mais eficaz em termos de segurança interna e também poupar dinheiro ao Estado, o que não se veio a verificar. Em quatro anos poucas foram as missões requisitadas à EMA. Isso não impediu que o Estado gastasse perto de 100 milhões de euros com a empresa desde a sua constituição.

Confrontado com a actual situação da empresa e com a decisão tomada na altura, António Costa, agora à frente da Câmara Municipal de Lisboa, diz que desde 2007 que não acompanha a EMA, pelo que não dispõe de informação que lhe permita responder. No entanto, o autarca do PS explica: "Preferi contar com a Força Aérea e diligenciei nesse sentido, o que infelizmente não se revelou possível, tendo sido necessário adoptar uma solução alternativa."O que António Costa não explica é porque "não se revelou possível" à data atribuir estas funções à Força Aérea. Sabe-se porém que a decisão do governo Sócrates foi tomada "na sequência das conclusões apresentadas por uma comissão especial para o estudo de meios aéreos de combate aos incêndios florestais".


As contas da EMA não são fáceis de perceber. E quer o presidente da empresa, Rogério Pinheiro, quer o Ministério da Administração Interna mostraram- -se indisponíveis para esclarecer algumas questões. No site da EMA, por exemplo, é impossível encontrar informação suficiente e coerente sobre a situação económico-financeira da empresa. O mesmo relativamente às missões de socorro e protecção em que participou desde a sua criação. Apenas é perceptível que este ano, em Agosto, participou numa missão de resgate ao serviço da Autoridade Nacional de Protecção Civil e que, em Julho, terá participado numa missão de combate a incêndios florestais realizada a partir do Centro de Meios Aéreos de Proença-a-Nova.

A passagem dos serviços da EMA, e também a integração de alguns dos seus meios, para a esfera da Força Aérea irá gerar uma forte poupança, a começar pelos custos de manutenção, uma vez que grande parte deste serviço é prestado nas bases, passando pelos seguros e pelos ordenados dos pilotos, que na Força Aérea não ultrapassam, em média, os 3 mil euros brutos, enquanto um piloto civil raramente ganha menos de 5 mil euros. Desde o início do ano a Força Aérea Portuguesa já participou em 461 missões, de evacuações humanitárias a operações de busca e salvamento.

 :arrow: http://www.ionline.pt/conteudo/149523-g ... -incendios (http://www.ionline.pt/conteudo/149523-governo-extingue-ema-e-forca-aerea-assume-socorros-e-combate-incendios)

Acabou um dos grandes escândalos que vivia à custa do erário público. Vamos no bom caminho.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 15, 2011, 01:34:31 pm
Ainda a propósito do salário dos pilotos da EMA, lembro-me de em 2007, numa altura em que estava à procura de emprego, ter esbarrado com as ofertas para os ditos e lamentado profundamente a minha escolha pelas Relações Internacionais em detrimento de Piloto Comercial. O salário-base oferecido era de 5000 euros, mas com todos os outros benefícios agregados ao mesmo (seguro de saúde, etc, etc, etc), ascendia a perto de 6250 euros.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mcalberto em Setembro 15, 2011, 03:10:33 pm
Boa tarde,

De forma a podermos todos, ou pelo menos quase todos, estar de acordo que a EMA é menos um, a confirmar-se o seu encerramento, escândalo nacional, gostava que algém ajudasse a responder ao seguinte:

Quanto custava ao erário público, i.e. a todos os que pagam os impostos, o combate aos incêndios com meios aéreos antes da EMA  ter assumido operacionalmente esse combate? E quais os custos conjugados entre a EMA e as contratações sazonais que o estado a partir dessa data passou a ter?

Se é ou não verdade, que os estudos efectuados com representantes dos ministérios da administração interna, Defesa, Agricultura e Força Aérea Portuguesa, em momento anterior à criação da EMA, apontaram, entre outros para o seguinte:
Inviabilidade da utilização dos PUMAS portugueses, por custos elevados de manutenção/recuperação da frota e ausência de meios humanos em quantidade que permitisse a sua utilização e ainda o potencial de horas disponível da frota;
Inviabilidade da utilização dos PUMAS, disponibilizados pela Alemanha, por incompatibilidades de sistemas de navegação/comunicação, motores diferentes dos Pumas portugueses e igual problema quanto aos pilotos;
Custos excessivos para o erário público com a afectação de uma frota especializada no combate aos fogos integrada na Força Aérea Portuguesa;
Custos mais reduzidos se a gestão da frota fosse entrega à GNR, embora obrigasse à existência de pilotos, até então não disponíveis.

Já agora, para quem fala sobre os custos de manutenção da frota KAMOV, talvez seja de recordar, que um dos motivos que levou à aquisição destes aparelhos esteve ligado ao custo muito mais baixo de aquisição dos mesmos, comparados com os outros aparelhos então equacionados, embora se soubesse que a manutenção seria mais cara. No entanto feitas as contas às duas situações tendo em conta uma dada utilização expectável terão chegado à conclusão que os KAMOV seriam a melhor opção.

Certamente que estas e outras questões serão respondidas por aqueles que estão sempre disponíveis para criticar ou até elogiar, mas, quase sempre, sem a fundamentação necessária para ajuizar em causa alheia.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: João Oliveira Silva em Setembro 15, 2011, 04:07:28 pm
Citação de: "mcalberto"


Já agora, para quem fala sobre os custos de manutenção da frota KAMOV, talvez seja de recordar, que um dos motivos que levou à aquisição destes aparelhos esteve ligado ao custo muito mais baixo de aquisição dos mesmos, comparados com os outros aparelhos então equacionados, embora se soubesse que a manutenção seria mais cara. No entanto feitas as contas às duas situações tendo em conta uma dada utilização expectável terão chegado à conclusão que os KAMOV seriam a melhor opção.




Creio que a razão que levou à aquisição dos kamov's foi o facto do estado Russo ter uma dívida jeitosa para com Portugal e acordou-se que essa dívida seria saldada com a entrega de material russo. Até aviões beriev estiveram na lista e foram testados durante um verão.

Não se chegou a abrir concurso ou a fazer lists ordenadas. Não se chegou a ver a concorrência nem, sequer, a fazer essa contabilidade, creio eu. Importava era " limpar " a dívida e foi o que se fez.

Depois, com calma, vou vasculhar porque isto é a ideia que retive.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 15, 2011, 08:40:51 pm
Para comparar custos temos que saber que outros helis há no mercado com a mesma capacidade de trabalho!

Algum emtendido me sabe dizer que helis há no mercado com a mesma capaciade dos Kamov? (5000 kg de carga suspença)

Nao podemos dizer que um fiat punto e melhor que um  ferrari so porque "bebe"  menos e tem revisões mais baratas!

E nao voltem a falar de Pumas com 40 anos em fogos florestais!

Entao ja nao tinham capacidade SAR e vão coloca-los num cenario violento como os incendios lorestais?

É um disparate de todo tamanho, a nao ser que contatem kamikazes para pilotos!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Jorge Pereira em Setembro 15, 2011, 10:30:33 pm
Para quem não sabia ou já não se lembra:

 2010/10/08

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 16, 2011, 12:59:23 am
Acho muito bem que se corte nas gorduras do estado!!!

Apoiado a 100%, agora resta saber se o que vem aí ficará mais barato!

Os meios a EMA vao ser integrados na FAP?
A FAP tem pilotos soficientes? vao ser precisos umas dezenas  de pilotos
A FAP tem 20 ou 30 pilotos para voarem 8 horas por dia, durante 4 meses so dedicados ao combate a incendios florestais?

Para terminar: os bombeiros  voluntarios (70% do total de efectivos) dos quarteis que integram o dispositivo de combate a incendios florestais  ganham 1.70€/hora  e muitas vezes combatem 24 horas seguidas, com uma sandes e um sumo!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mcalberto em Setembro 16, 2011, 10:43:50 am
Caro Jorge Pereira,

Em que é a intervenção do ex-político Marques Mendes e agora comentador isento !!!, responde às questões que coloquei?

Onde estão os grandes números, os tais que permitiram com o início de operação de meios aéreos do estado acabar com o regabofe que era até ao momento a contratação sem controlo de meios aéreos anos a fio, em concursos cinzentos e especulativos nos quais o estado, você e eu, eramos sistematicamente espoliados?

Prove-me que a EMA e a actual contratação sazonal de meios aéreos complementares custa mais a todos nós que aquilo que pagavámos antes de existir a EMA, e eu não terei duvidas em embarcar no cortejo dos que acham que é uma boa decisão a sua extinção.

Até lá, lamento, mas não dou para peditórios do tipo de que tudo o que o Estado faz é mau e por isso deve acabar.

É que por este andar, muito daquilo que defende, vai ser extinto por incomportável por onerosidade comparada. Deve ficar mais barato a segurança interna ser feita por empresas privadas e não pelas policias. É de certeza mais barata a gestão das prisões ser feita por privados e não pelo Ministério da Justiça. E já agora, porque não a Defesa Nacional também passar para as mãos dos privados. O que se pouparia em vencimentos, reformas e outros encargos. Certamente a Caixa Geral de Aposentações agradeceria.

E isto não é ficção. Certamente você, já teve conhecimento de algumas destas situações serem assim tratadas, em países onde a sanha liberal procura a poupança onde não a pode encontrar. O tempo, esse malfadado tempo, acaba por vir a corrigir os dislates, mas até lá muita asneira é feita.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Setembro 16, 2011, 11:33:53 am
Eu não vou dizer que o EMA tenha sido um mau negócio, o que digo é que não percebo a razão da existência de tantas quintinhas a fazer o mesmo. Por exemplo não percebo porque razão tem que haver duas entidades publicas a efetuar SAR (EMA e FAP)? ou porque razão a marinha e a GNR fazem ambas  patrulhamento marítimo. Continuo a não perceber a razão da existência Instituto Socorros a Náufragos sobre o domínio da marinha, não deviam eles estar sobre o domínio das câmaras ou proteção civil, afinal quem contrata os nadadores salvadores são as câmaras e os concessionários das praias. Nem compreendo a razão de existência da policia marítima e da policia municipal, porque razão as tarefas realizadas por elas não são entregues à PSP e GNR?

Ficaria aqui o dia todo, mas para não me alongar ficam aqui as minhas questões.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 16, 2011, 02:20:31 pm
Eu so posso dizer que a parte operacional da EMA funcionava a 100% e quando era preciso uma aeronave, ele estava la e operacional!

No ultimo ano 100% de operacionalidade 85% dos dias do ano. a FAP vai manter os níveis? e julgar pelo numero de EH101 que conseguem manter no ar e para desconfiar!

A questão dos ordenados dos pilotos e outra pretinemte! as forças armadas vao pagar menos a um piloto qur arrisca a vida a apagar incendios florestais do que pagam a um soldado que vai de "ferias " para o Kozovo? nao me parece!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Jorge Pereira em Setembro 16, 2011, 03:26:43 pm
Citação de: "mcalberto"
Caro Jorge Pereira,

Em que é a intervenção do ex-político Marques Mendes e agora comentador isento !!!, responde às questões que coloquei?

Onde estão os grandes números, os tais que permitiram com o início de operação de meios aéreos do estado acabar com o regabofe que era até ao momento a contratação sem controlo de meios aéreos anos a fio, em concursos cinzentos e especulativos nos quais o estado, você e eu, eramos sistematicamente espoliados?

Prove-me que a EMA e a actual contratação sazonal de meios aéreos complementares custa mais a todos nós que aquilo que pagavámos antes de existir a EMA, e eu não terei duvidas em embarcar no cortejo dos que acham que é uma boa decisão a sua extinção.

Até lá, lamento, mas não dou para peditórios do tipo de que tudo o que o Estado faz é mau e por isso deve acabar.

É que por este andar, muito daquilo que defende, vai ser extinto por incomportável por onerosidade comparada. Deve ficar mais barato a segurança interna ser feita por empresas privadas e não pelas policias. É de certeza mais barata a gestão das prisões ser feita por privados e não pelo Ministério da Justiça. E já agora, porque não a Defesa Nacional também passar para as mãos dos privados. O que se pouparia em vencimentos, reformas e outros encargos. Certamente a Caixa Geral de Aposentações agradeceria.

E isto não é ficção. Certamente você, já teve conhecimento de algumas destas situações serem assim tratadas, em países onde a sanha liberal procura a poupança onde não a pode encontrar. O tempo, esse malfadado tempo, acaba por vir a corrigir os dislates, mas até lá muita asneira é feita.

Caro mcalberto:

Não podemos tentar acabar com os erros cometendo outros. Veja a estrutura da EMA e veja os ordenados pagos:

 http://www.ema-sa.pt/index.php?option=c ... &Itemid=16 (http://www.ema-sa.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=13:governo-da-sociedade&catid=5&Itemid=16)  

Parece-lhe bem? Ordenados muitíssimo superiores ao do Presidente da República! Tudo isto para gerir uma frota de 9 helicópteros! É mais um exemplo daquilo em que se transformaram os inúmeros institutos e empresas públicas que funcionaram e ainda funcionam à sombra do Estado, na maior parte das vezes em sobreposição de funções em relação a outros serviços desse mesmo Estado e que poderiam perfeitamente fazer o mesmo trabalho. Também, muitas das vezes são meros instrumentos que servem para alimentar clientelas partidárias (não sei se é o caso da EMA, mas tenho as minhas suspeitas).

Não percebo também é a questão que colocou de atribuir aos privados funções que devem ser desempenhadas pelo Estado.

O que aqui se está a fazer é precisamente o contrário. Trata-se de tirar da esfera empresarial (embora do Estado) e atribuir essas funções à Força Aérea. Esta já possui a organização, humana e material (mesmo que tenha de ser reformulada e reforçada para estas funções específicas) que evitará os custos absurdos e “outras coisas” de que antes já falamos. Para já não falar do impacto positivo perante a opinião pública de ver as suas Forças Armadas a ajudar a combater um flagelo que quase todos os anos nos assolam. É uma forma inteligente de combater a demagogia de quem critica a utilidade das Forças Armadas e até de justificar reforços de verbas para as mesmas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 16, 2011, 06:57:01 pm
Ainda ninguem respondeu a minha pergunta;  que meios vai usar a FAP?

Por amor de Deus nao me falem em Pumas!

A contratação a privados vai continuar?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: GI Jorge em Setembro 16, 2011, 07:21:40 pm
Citação de: "chaimites"
Ainda ninguem respondeu a minha pergunta;  que meios vai usar a FAP?

Por este andar, pistolas de água.  :roll:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 16, 2011, 09:37:51 pm
Agora que façam uma linpeza na ANPC, que acabem com os Comanos Distritais de Operaçôes de Socorro GIPS, FEB , Canarinhos e afins!

O maior problema no combate a incendios Florestais está no terreno! É uma bandalheira e  uma descoordenaçao total!


Entanto uns combatem 24 horas seguidas, com uma sandes e um sumo a ganharem 1.70€/H outros andam a passear de helicoptero e abandonam os camaradas na frente de fogo as 19H,  canarinos nao trabalham de noite!!! isso e para os parentes pobres , os voluntarios!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 17, 2011, 04:08:45 pm
Citação de: "chaimites"
e julgar pelo numero de EH101 que conseguem manter no ar e para desconfiar!

Desculpe, não percebi esta sua frase, importa-se de me elucidar? É que se se está a referir ao facto de a FAP ser a responsável pela suposta falta de operacionalidade dos EH-101 Merlin digo-lhe já que está redondamente enganado.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 17, 2011, 05:24:18 pm
Citação de: "Charlie Jaguar"
Citação de: "chaimites"
e julgar pelo numero de EH101 que conseguem manter no ar e para desconfiar!

Desculpe, não percebi esta sua frase, importa-se de me elucidar? É que se se está a referir ao facto de a FAP ser a responsável pela suposta falta de operacionalidade dos EH-101 Merlin digo-lhe já que está redondamente enganado.


se nao me fiz entender eu explico: estando os meios de combate a FF sob a mesma alçada, não vão ser vítimas dos mesmos "esquecimentos"?

Quanto ás capacidades dos mecânicos da FAP nada a apontar.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 17, 2011, 06:25:04 pm
Chaimites os problemas de falta de operacionalidade dos Merlim é motivado por haver falta de peças. Isso é um problema geral de todos os países que têm esse aparelho e não só da FAP.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 17, 2011, 06:30:16 pm
Citação de: "chaimites"
se nao me fiz entender eu explico: estando os meios de combate a FF sob a mesma alçada, não vão ser vítimas dos mesmos "esquecimentos"?
Chaimites que raio?! Há anos que temos a FAP a operar meios de combate, transporte e busca e salvamento. Ouviu alguma vez alguma coisa sobre se esquecerem de fazer busca e salvamento por causa dos A-7 ou dos F-16? Ou alguma vez leu alguma coisa sobre a FAP se esquecer de fazer MEDEVAC ou transporte de material humanitário por causa dos transportes VIP ou de largada de pára-quedistas?

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Trafaria em Setembro 17, 2011, 06:31:50 pm
Não sou nadissimo nada a favor da transferência deste serviço para a FAP.

A menos que seja criado um departamento nessa com autonomia administrativa e financeira. Caso contrário ainda vamos ver dinheiro para o combate a incêndios a pagar o aprontamento de tropas para o afeganistão e a pagar comida para os cães da PA. ... e depois ainda vêm gozar connosco dizendo que os militares nao cometem ilegalidades.

Alguem se lembra dos milhões que foram gastos nos kits de c130 para combate a incêndios?
Eu vi aqui há tempos um abandonado na rua e a apodrecer na base do Montijo!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 17, 2011, 07:15:47 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Chaimites os problemas de falta de operacionalidade dos Merlim é motivado por haver falta de peças. Isso é um problema geral de todos os países que têm esse aparelho e não só da FAP.


Citação de: "Get_It"
Citação de: "chaimites"
se nao me fiz entender eu explico: estando os meios de combate a FF sob a mesma alçada, não vão ser vítimas dos mesmos "esquecimentos"?
Chaimites que raio?! Há anos que temos a FAP a operar meios de combate, transporte e busca e salvamento. Ouviu alguma vez alguma coisa sobre se esquecerem de fazer busca e salvamento por causa dos A-7 ou dos F-16? Ou alguma vez leu alguma coisa sobre a FAP se esquecer de fazer MEDEVAC ou transporte de material humanitário por causa dos transportes VIP ou de largada de pára-quedistas?

Cumprimentos,


Nao me estou a fazer entender!!

E ninguem se lembrou disso, antes de fazer a compra?  é que os aparelhos fazem falta no ar!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 18, 2011, 12:48:58 am
Citação de: "Trafaria"
A menos que seja criado um departamento nessa com autonomia administrativa e financeira. Caso contrário ainda vamos ver dinheiro para o combate a incêndios a pagar o aprontamento de tropas para o afeganistão e a pagar comida para os cães da PA. ... e depois ainda vêm gozar connosco dizendo que os militares nao cometem ilegalidades.
Trafaria que raio?! Mais departamentos? É fácil de resolver essa sua preocupação, investe-se o dinheiro para ajudar a pagar os meios aéreos novos necessários e a partir daí o resto do dinheiro através das verbas para o combate aos incêndios é pago por cada hora de voo efectuada.

Citação de: "Trafaria"
Alguem se lembra dos milhões que foram gastos nos kits de c130 para combate a incêndios?
Eu vi aqui há tempos um abandonado na rua e a apodrecer na base do Montijo!
Já foi mais discutido aqui e até se mostraram links para entrevistas e artigos em que se parou de usar os kits por decisão política.

Citação de: "chaimites"
Nao me estou a fazer entender!!

E ninguem se lembrou disso, antes de fazer a compra?  é que os aparelhos fazem falta no ar!
Mais uma vez não foi a FAP, foram os políticos que não assinaram o contrato para a manutenção dos aparelhos e depois o uso intensivo pelos britânicos no Afeganistão e Iraque com os seus Merlins também fez com que a produção de peças não fosse suficiente, mas isso já se resolveu entretanto.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 18, 2011, 01:03:04 pm
Citar
Mais uma vez não foi a FAP, foram os políticos que não assinaram o contrato para a manutenção dos aparelhos

Get it :

Era aqui que eu queria chegar!  

Citar

É fácil de resolver essa sua preocupação, investe-se o dinheiro para ajudar a pagar os meios aéreos novos necessários e a partir daí o resto do dinheiro através das verbas para o combate aos incêndios é pago por cada hora de voo efectuada.


os Kamov sao mesmo para vender'?
 
com 40 milhões o  que compram com a mesma capacidade? NADA!!!
Para quem nao sabe o Kamov tem mais  capacidade de carga suspensa que um Merlin EH101

Para mim a melhor opção seria manter os meios da EMA, os pilotos e demais pessoal da logistica,  continuariam mas como civis ao seviço da FAP
Acaba-se com a Empresa Pública e os taxos a ela  associados e mantinha-se a parte que de facto funciona bem, que ficaria ainda  melhor gerida operacionalmente!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Setembro 26, 2011, 08:06:07 pm
Concordo contigo chainmites!

Quem fala de vender kamovs e troca-los por Pumas nao sabe o que esta a falar!
Um prefeito disparate! uma autentica anedota!
Quem fala disto esta completamente alheio á realidade do que é o combate a incendios florestais!

Helis de 40 anos a voar 8  horas por dia em carga maxima num ambiente ostil como são os Incendios florestais, com uma mijinha de 1200 litros de agua?

Se querem os pumas que os coloquem a fazer vigilancia ou a coordenar os outros meios,  para isso servem, para mais não dá.

No meu entender isto é so uma forma de enganar a Troika  e financiar helicopteros novos para a FAP!
Tudo bem, desde que coloquem no ar helis com a mesma capacidade!  

Caso contrario daqui a uns tempos vamos ver o Estado a alugar kamovs a qualquer empresa privada que os compre!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 27, 2011, 02:20:03 pm
Citar
No meu entender isto é so uma forma de enganar a Troika e financiar helicopteros novos para a FAP!

No meu...também!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Outubro 16, 2011, 01:01:16 am
Nada disso amigos, vamos ter, PASMEM-SE,12  ALOUETTE III.....Helicópeteros com 40 anos a combater fogos !!

PORTUGAL no seu melhor !!!  :N-icon-Axe:


Já agora, e os meios da EMA, vão encostar a um canto, como o atlântida ?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Outubro 16, 2011, 12:45:29 pm
De certeza que não foram os políticos que escolheram os meios técnicos para operar, mas ninguém é capaz de chamar os bois pelos nomes.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: GI Jorge em Outubro 16, 2011, 06:06:09 pm
Citação de: "typhonman"
Nada disso amigos, vamos ter, PASMEM-SE,12  ALOUETTE III.....Helicópeteros com 40 anos a combater fogos !!

Só porque ainda ninguém se lembrou de atirar baldes de água pela porta de um Falcon.  :roll:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Outubro 16, 2011, 07:26:54 pm
Citação de: "GI Jorge"
Citação de: "typhonman"
Nada disso amigos, vamos ter, PASMEM-SE,12  ALOUETTE III.....Helicópeteros com 40 anos a combater fogos !!

Só porque ainda ninguém se lembrou de atirar baldes de água pela porta de um Falcon.  :lol:  :lol:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Outubro 16, 2011, 07:31:29 pm
Citação de: "Camuflage"
Citação de: "GI Jorge"
Citação de: "typhonman"
Nada disso amigos, vamos ter, PASMEM-SE,12  ALOUETTE III.....Helicópeteros com 40 anos a combater fogos !!

Só porque ainda ninguém se lembrou de atirar baldes de água pela porta de um Falcon.  :lol:  :roll: ) no fogo  :mrgreen: .
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Outubro 17, 2011, 01:50:30 am
Os AlouetteIII servem para desempenhar a função para aqual estavam destacados   até aqui e bem:

 Coordenação aérea, apoio de permanência, abastecimento e transporte de equipas helitransportadas de 5 elementos para ataque inicial.

Ninguem vai ser soficientemente estúpido para colocar um balde de 700 litros num AlouetteIII   :roll:

digo eu....
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Outubro 17, 2011, 02:04:24 am
Não sei, se virem que se poupam uns trocos !!

E o como vai ser a doutrina de uso ??

Temos 12 aparelhos operacionais, vão destacar quantos ? Quantos ficam em Beja ? O de Ovar sai de cena para destacamento nos fogos ?

Isto cheira-me a "esturro".
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Outubro 17, 2011, 02:15:34 am
O que me deixa preocupado e mesmo o problema da logistica

 Atualmente as equipas  helitransportadas  e os helicopteros ligeiros de ataque inicial sao colocadas e intervem num raio de 35Km da sua base de apoio,
 Esta distancia foi calculada tendo em conta as capacidades dos helis usados actualmente,  para que,  em carga maxima,  tenham capacidade de voo  estacionário, fora do efeito solo,  a 1000 pés de altutide com temperatura de 35Cº , durante 90 minutos, (mantendo a reserva de segurança),   no teatro de operações.
Os helis pesados e médios,  actualmete usados, operam nun raio de 50Km da base de apoio.

A FAP vai tranferir logistica, mecánicos, etc   pelas pistas que são actualmente usadas?

Nao vais enviar um AlouetteIII de Ovar apagar um incendio em Bragança pois nao?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Outubro 17, 2011, 04:19:45 pm
Citação de: "chaimites"
O que me deixa preocupado e mesmo o problema da logistica

 Atualmente as equipas  helitransportadas  e os helicopteros ligeiros de ataque inicial sao colocadas e intervem num raio de 35Km da sua base de apoio,
 Esta distancia foi calculada tendo em conta as capacidades dos helis usados actualmente,  para que,  em carga maxima,  tenham capacidade de voo  estacionário, fora do efeito solo,  a 1000 pés de altutide com temperatura de 35Cº , durante 90 minutos, (mantendo a reserva de segurança),   no teatro de operações.
Os helis pesados e médios,  actualmete usados, operam nun raio de 50Km da base de apoio.

A FAP vai tranferir logistica, mecánicos, etc   pelas pistas que são actualmente usadas?

Nao vais enviar um AlouetteIII de Ovar apagar um incendio em Bragança pois nao?

Claramente que se quizerem manter este modelo, terão de usar os meios privados na mesma, a não ser que amanha decidam comprar 35 AS-350E. :mrgreen: Já não dá para cancelar..


Há sempre a hipótese dos 17 Cougar holandeses em 2º mão...


Mas isto são especulações minhas, aposto que os Alouette III e PUMA vão estar aí a render até dizer "chega". :)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Outubro 17, 2011, 09:39:57 pm
Citação de: "typhonman"
Mas isto são especulações minhas, aposto que os Alouette III e PUMA vão estar aí a render até dizer "chega". :)
Não sei se é até dizer chega mas de certeza que é até um cair durante um incêndio com toda a gente lá dentro...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Outubro 17, 2011, 10:02:05 pm
Pois, eu estava a pensar nisso mas não quis dizer... :?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Outubro 17, 2011, 10:16:30 pm
Compreendo... Eu também fico hesitante e dizer a coisa desta maneira mas é realidade.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Outubro 17, 2011, 10:29:45 pm
Na altura que isso acontecer, o ministro do MAI demite-se e fica tudo igual... é preciso apurar responsabilidades na parte de quem escolhe meios técnicos e não nos que dão a cara como relações públicas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Outubro 18, 2011, 12:14:42 am
Neste caso seria o M.D.N...Lá no fundo, acabo por perceber que a intenção é meter alguns meios da F.A.P para dar visibilidade, para o povinho ver que foi este governo que meteu a FA a combater fogos....Pois nos meios "populares" ouve-se dizer " Não entendo porque os tropas nao apagam os fogos com os helicopeteros" :mrgreen:

Já agora, vejam o departamento de relações públicas da EMA, a fazer o diário de operações.

http://www.ema-sa.pt/ (http://www.ema-sa.pt/)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Outubro 18, 2011, 04:55:21 am
Citar
Por um lado justificar-se-ia que o estado assumisse esta despesa, pois seria visto como dinheiro "bem gasto", por outro, equipava-se a FAP, ou o comando conjunto de helis (a a criar...). Como já defendi o helicópetero que defendo para esta função é o UH-60A BlackHawk. http://militarynuts.com/index.php?showtopic=1460 (http://militarynuts.com/index.php?showtopic=1460), o custo por hora de voo ronda os 1900 dolares, a volta de 1500  euros.

XIIIU!!!!   Se queres enganar a Troika tens que lhe chamar: Sikorsky S70  Firehawk  :mrgreen:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg9.imageshack.us%2Fimg9%2F9330%2Fafirehawk.jpg&hash=400f4829916fd6b6d999e63ead6c2fac)
http://www.airliners.net/photo/USA---Army/Sikorsky-UH-60L-Firehawk/1646592/

Eu nao duvido que a FAP possa trazer melhor gestao dos recursos nos TO....... tem é que ter os recursos apropriados
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 18, 2011, 11:30:29 am
Citação de: "chaimites"
Os AlouetteIII servem para desempenhar a função para aqual estavam destacados   até aqui e bem:

 Coordenação aérea, apoio de permanência, abastecimento e transporte de equipas helitransportadas de 5 elementos para ataque inicial.

Ninguem vai ser soficientemente estúpido para colocar um balde de 700 litros num AlouetteIII   :roll:

digo eu....

Afirmativo. Na verdade dúvido que usem o AlouetteIII para algo mais do que Coordenação aérea.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Outubro 18, 2011, 11:47:45 am
Cabeça de Martelo
A EMA esta a despedir-se em "grande"

No passado Domingo foram colocadas equipas Helitransportadas no Parque Nacional da Peneda Geres numa zona de dificil acesso
a 4 horas a pé da aldeia mais proxima, ao fim da tarde não havia heli para os retirar de lá......
Ao fim de 12 horas de combate sairam de la a pé  palmilhando mato

O EMA H7 andava a passear o CODIS por cima do incendio e ao final da tarde foi leva-lo a Villa Real.................
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Outubro 18, 2011, 10:31:36 pm
Citação de: "chaimites"
Citar
Por um lado justificar-se-ia que o estado assumisse esta despesa, pois seria visto como dinheiro "bem gasto", por outro, equipava-se a FAP, ou o comando conjunto de helis (a a criar...). Como já defendi o helicópetero que defendo para esta função é o UH-60A BlackHawk. http://militarynuts.com/index.php?showtopic=1460 (http://militarynuts.com/index.php?showtopic=1460), o custo por hora de voo ronda os 1900 dolares, a volta de 1500  euros.

XIIIU!!!!   Se queres enganar a Troika tens que lhe chamar: Sikorsky S70  Firehawk  :mrgreen:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg9.imageshack.us%2Fimg9%2F9330%2Fafirehawk.jpg&hash=400f4829916fd6b6d999e63ead6c2fac)
http://www.airliners.net/photo/USA---Army/Sikorsky-UH-60L-Firehawk/1646592/

Eu nao duvido que a FAP possa trazer melhor gestao dos recursos nos TO....... tem é que ter os recursos apropriados

Este heli num comando conjunto, poderia servir para a FAP e Exercito, e numa versão naval substituir os Lynx, o SH-60F Seahawk.

Em muitos países é o estado e as propias FA´s que tratam do combate aéreo aos fogos, até os EUA que "nadam" em dinheiro..
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: LuisC em Outubro 19, 2011, 01:01:03 am
Não tivessem adiado a entrega dos NH-90 e anulado a compra dos helicópteros ligeiros para a UALE, e já as FAs (FAP e EX) teriam meios aéreos para combater incêndios...agora assim, não me parece.

Quanto à EMA, não foi surpresa para mim e julgo que para ninguém, que os prejuízos se acumulassem…não me lembro de nenhuma empresa do Estado em que tal não aconteça. Talvez tivesse sido preferível atribuir os meios aéreos directamente ao MAI, criando um serviço especifico e com um orçamento próprio.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Outubro 21, 2011, 07:32:59 pm
Citação de: "mt007"
Queda de helicóptero de combate a incêndios da Helisul na zona de Trancoso ontem (18Out2011) ao serviço da ANPC.
Codigo H13 matricula CS-HFJ (bem conhecido nosso).
O mesmo com tripulação e brigada FEB (canarinhos) regressavam de um incêndio na zona de Celorico da Beira com destino ao CMA Meda quando se despenharam.
Felizmente não houve mortos mas infelizmente 1 ferido ligeiro.
Desconhece-se causa do acidente, mas suspeita-se falha de motores.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Flh6.googleusercontent.com%2F-5b-QMkp9w4Y%2FTp89VRPJDNI%2FAAAAAAAAAQI%2F_-YAnoJWO90%2Fs640%2FCS-HFJ.jpg&hash=ab8b90c24bb077fd34cc91895590ea27)
(https://lh3.googleusercontent.com/-6_JP4C5Uft8/Tp89lOY3LQI/AAAAAAAAAQQ/IL2REaeGP2o/s640/CS-HFJ_b.jpg)

As melhoras aos tripulantes e brigada helitransportada.
Abraço
Fonte 9G's
Não será mais recomendável a utilização de helicópteros bimotor?
Se bem que acho que esta também o é...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Outubro 21, 2011, 11:21:18 pm
http://www.moptc.pt/tempfiles/20111019160048moptc.pdf
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: AC em Outubro 30, 2011, 06:42:28 pm
Citação de: "João Oliveira Silva"
Creio que a razão que levou à aquisição dos kamov's foi o facto do estado Russo ter uma dívida jeitosa para com Portugal e acordou-se que essa dívida seria saldada com a entrega de material russo. Até aviões beriev estiveram na lista e foram testados durante um verão.

Não se chegou a abrir concurso ou a fazer lists ordenadas. Não se chegou a ver a concorrência nem, sequer, a fazer essa contabilidade, creio eu. Importava era " limpar " a dívida e foi o que se fez.

Falou-se muito nisso na comunicação e talvez houvesse mesmo intenção por parte da Rússia.
Mas não foi isso que aconteceu.
Lançou-se um concurso público internacional para 6 helicópteros "pesados" e 4 helicópteros "ligeiros".  Houve várias empresas concorrer, com vários modelos. Os escolhidos foram os 6 Kamov Ka-32 e 4 Eurocopter AS350.

Os Beriev Be-200 foram testados durante 2 verões.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Novembro 22, 2011, 02:55:34 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg714.imageshack.us%2Fimg714%2F4818%2F20111119091819.jpg&hash=cfc420e0cf80bfe00c8341a637f35de7)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg834.imageshack.us%2Fimg834%2F2540%2F20111119103953.jpg&hash=9544ee2d9835572d343d88023716fd6d)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg687.imageshack.us%2Fimg687%2F6002%2F20111119112822.jpg&hash=dca9c10c8a51d806f11374c71e3162fb)
Na Áustria.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Novembro 22, 2011, 06:07:12 pm
Citação de: "HSMW"
Citação de: "mt007"
Queda de helicóptero de combate a incêndios da Helisul na zona de Trancoso ontem (18Out2011) ao serviço da ANPC.
Codigo H13 matricula CS-HFJ (bem conhecido nosso).
O mesmo com tripulação e brigada FEB (canarinhos) regressavam de um incêndio na zona de Celorico da Beira com destino ao CMA Meda quando se despenharam.
Felizmente não houve mortos mas infelizmente 1 ferido ligeiro.
Desconhece-se causa do acidente, mas suspeita-se falha de motores.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Flh6.googleusercontent.com%2F-5b-QMkp9w4Y%2FTp89VRPJDNI%2FAAAAAAAAAQI%2F_-YAnoJWO90%2Fs640%2FCS-HFJ.jpg&hash=ab8b90c24bb077fd34cc91895590ea27)
(https://lh3.googleusercontent.com/-6_JP4C5Uft8/Tp89lOY3LQI/AAAAAAAAAQQ/IL2REaeGP2o/s640/CS-HFJ_b.jpg)

As melhoras aos tripulantes e brigada helitransportada.
Abraço
Fonte 9G's
Não será mais recomendável a utilização de helicópteros bimotor?
Se bem que acho que esta também o é...

Bem já que aqui ninguém sabe quem sou posso dizer que sei de fonte bastante segura que foi falta de combustível... logo, erro humano...

E mais não convém dizer.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Novembro 30, 2011, 03:32:20 pm
Pois, o Hotel 13 é um Bell 212 bimotor.   :)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Abril 25, 2012, 12:31:28 pm
Um ministro com juizo:
http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=519036&tm=8&layout=123&visual=61

Os kamov vão continuar por aí!!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2012, 04:54:14 pm
Citação de: "Malagueta"
Boas,

Caro  Ricardo Nunes,

Se puder, e se me permitir, faço-lhe umas perguntas sobre esses e outros helicópteros operados pela Esquadra 751:

EH-101 Merlin -  Sendo um helicóptero de medio de transporte, poderia albergar algum KIT de combate a fogos?
ou "balde"? se sim, qual seria a possibilidade de os utilizar nessa missão? questiono tanto a nível técnico como operacional e custos/benefícios.


SA-330 Puma - Sabendo eu simplesmente por noticias que este helicóptero foi retirado de serviço, se o mesmo pode ser reaproveitado para o combate a fogos e em caso de resposta sim, faço a mesmas perguntas.

Desde já um obrigado.

PS: Peço desculpa o Off-Topic
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2012, 04:56:16 pm
Citação de: "Ricardo Nunes"
Bom dia Malagueta,

O EH-101 possui uma capacidade de carga suspensa de aproximadamente 4.5 toneladas. Não existe no entanto nenhum "kit" no mercado que tenha sido certificado para o EH-101 e que seja, ou não, compatível com o mesmo ( acredito que fosse relativamente fácil uma adaptação ).  No entanto a certificação de uma qualquer aeronave para uma determinada função e/ou equipamento é um processo moroso e bastante caro - geralmente comportado pelo fabricante, quando existe interesse de vender a aeronave com essa capacidade. Algo que a AgustaWestland não fez para o EH-101.

O SA-330 é possível, poderá ser reaproveitado e, salvo erro em 2004 ou 2005 tivemos em Portugal 4 PUMAS alemães no combate a incêndios. No entanto a reactivação para condição de voo dos SA-330 Puma portugueses seria algo cara dado a idade e estado das células.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2012, 04:57:46 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Pois é, o pessoal pensa que é comprar uma coisa e já está...mas não é assim. Para tudo é preciso uma certificação, certificação que não há nos kits, nem na utilização dos EH-101 no NRP Bérrio. Falar é fácil, quando não é o nosso bolso.

E usar os EH-101 para apagar fogos quando sabemos o custo da manutenção e de utilização destes helicópteros é quase criminoso para as finanças públicas. Há outros aparelhos que podem cumprir essas funções e são bem mais baratos. O EH-101 é um helicóptero de topo e deve ser usado em missões de topo, sendo o SAR a primeira prioridade.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2012, 04:58:50 pm
Citação de: "Malagueta"
Caro cabeça de martelo,

Não defendi a utilização dos EH-101, nos fogos florestais, questionei as possibilidades dos mesmos, tecnicamente, operacional/custos, a quem me parece saber algo sobre o assunto.

Isto porque, se cada equipamento poder ser utilizado em mais e diversas situações o seu custo final diminui. Alem de outras vantagens que podemos tirar para as nossas Forças Armadas.

Uma observação: ( fontes não oficias )

A manutenção dos 6 Kamov Ka32A11BC e dos 3/4 Eurocopter AS-350B3 Ecureuil, custa a EMA - 105.5 milloes em 5 anos
( ou seja 20.1 milhoes ano )

O contracto de manutenção dos EH-101 ( 12 unidades  penso eu ) de Acordo com o Site da Área Militar.net,  o contrato de manutenção custa 11 milhões ano.

Algumas questões técnicas os Kamov KA32A11BC - tem um peso de descolagem máximo de 11.000 kg, podendo transportar até 5.000 kg de carga ( Fonte Site da EMA )

O EH-101 - Peso máx. descolagem..... 15.600 Kg  Peso máx. de carga......... 4.535 Kg  ( Site da FA )

Acrescido ( nota fontes não oficias )

Custo de voo hora  EH-101 Ronda 1600 a 1800 euros ( Informação relativa aos helis operados no Canada ) sem especificação de tipo de missão.

Custo Hora dos Kamov KA32A11BC  - 2500 Euros/Hora Transporte de Pessoas, 4500 Euros/hora Op. Fogos Forestais.

Nota: Se alguem me poder dar valores oficias e correctos agradeço.

Caro Ricardo Nunes, obrigado pela sua resposta.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2012, 04:59:51 pm
Citação de: "chaimites"
Colocar EH101 a apagar fogos?
tarefa demasiado violenta e desgastante, para a tecnologia embarcada na aeronave.
 
O contrato de manutençao dos Kamov apesar de parcer caro
 inclui tudo,  absolutamente tudo!  inclusive a colocação de equipas tecnicas no campo,  ja os vi reparar um kamov debaixo de uma oliveira!    eles deslocam-se pelo  País, onde está um kamov eles vão com ele.  e as taxas de disponibilidade dos referidos helis é extraordinária.
Quanto aos consumos e preciso saber quanto gastaria um EH101 a operar em carga maxima 12 horas por dia  com temperaturas que ás vezes excedem os 50 graus, com violentas colunas  de ar quente  e oxigeneo rarefeito.

o kamov é  um helicoptero rudimentar. sem extras,  um helicoptero para trabalho preparado para   transportar cargas. E é extraordinario a apagar incendios, o único ate ao dia de hoje  que vi  a atacar as chamas de frente

Gostaria de saber quanto custaria a manutençao diária de um EH101, depois de 12 horas a bombar em condições limite
gostaria de saber,  quanto se gastaria só para coloccar as equipas tecnicas  por esse país fora.

Quem diz que 20 milhões é muito caro . não sabe nem imagina o desgaste que um incendio florestal provoca num heli.
Se a manutençao dos   EH101 custa  11 milhões,  a voar na brisa do mar,  nem o triplo chegava para pagar a manutençao dele a apagar incendios florestais.
Quanto custaria uma equipa técnica a acompanhar cada um dos EH101 , por esse pais fora  para onde ele se deslocasse?  cada kamov tem uma equipa de 5 mecánicos em premanencia. que o acompanha.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2012, 05:00:43 pm
Citação de: "Malagueta"
Boas caro chaimites

Não coloco nada do que disse em questão, dado que não tenho qualquer conhecimento técnico para o efeito.
E não defendi a utilização dos mesmos, só quis saber quais as condições técnicas.

Mas este assunto nem se coloca em causa, dado que não existe qualquer condição técnica/certificação ou equipamentos para o EH-101 para terem tal valência.

A minha nota: não é referir se um é mais caro que outro, ambos tem as suas missões, fiz apenas uma comparação mais  sobre os custos de manutenção dos mesmos, porque muito se coloca em causa referente aos custos do EH-101 merlim
e em termos de comparação dei o exemplo de 9 Helis das quais 6 são Kamov. em comparação ao custo de manutenção de 12 EH-101.

Deixo outras notas em jeito de perguntas

È de notar que o custo para a manutenção dos EH-101 Merlin refere-se a versões militares, quando é o custo de manutenção de uma EH-101 Merlim versão civil ( Sim existe um vendido ao Japão nestas circunstâncias )

Se o custo de kamov versão civil de ataque aos fogos? Não será melhor pensarmos outras alternativas, pelo preço da manutenção de uma Kamov, não podíamos ter outros equipamentos tais como outros helis, aviões etc? que poderiam ter outro tipo de utilizações alem das especificadas?

Uma simples conta por unidade numa utilização de 20 Anos.

EH-101 - Versão Militar

Compra       – 37.1 M         
Manutenção       - 0.9 m      
total                          - 55.1 m

Kamov - Versão Civil
Compra       - 7 M
Manuteção                    - 3 M  
total      67 m

PS1: Não estou afirmar qualquer posição estou simples a tentar saber mais um pouquinho :)

PS2: Se calhar é melhor passar estes post para o tópico do EH-101 que existente.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 27, 2012, 05:10:03 pm
Eu tenho alguma dificuldade em acreditar em alguns desses dados.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2012, 05:11:42 pm
Em relação a este assunto até pode ser que haja helicopteros mais baratos para utilizar no combate a incêndios do que o Kamov, mas esse helicoptero não é o EH101. As capacidades exelentes que o EH101 tem referentes a autonomia e capacidade de transporte de pessoas não interessam para o combate a incêncios, a não ser que se queira transportar pelotões inteiros do GIPS porque na caracteristica referente à carga suspensa o Kamov tem até capacidade superior.

E em relação a EH101 versão militar e EH101 versão civil, o civil deve ser mais barato, mas não é o helicopero em si, é os sistemas que o militar tem que o civil não necessita, isto é, o helicoptero militar tem um radar XPTO, o civil não, o militar tem sistema de comunicações XPTO, o civil não, o militiar tem sistema de guerra electrónica, o civil não, o militar tem vários sistemas de navegação, o civil se tiver um GPS já é muito bom, o militar tem vários sistemas redundantes hidraulicos, eléctricos, etc, o civil ou não tem ou não tem tantos, etc.

É uma comparação exagerada mas é imaginem como comparar um carro do stand com um carro da mesma marca e modelo de rally :mrgreen: , por fora é igual, mas por dentro não.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Malagueta em Abril 27, 2012, 06:22:01 pm
Boas novamente.

Caro cabeça de martelo,

Relativamente as contas as mesmas foram feitas com dados de noticias nos jornais e alguns dados retirados dos sites Ema, e Área Militar, mas como é óbvio não posso ter a certeza que os valores são os correctos, porque são os publicados não vi os contratos. Se alguém poder me corrigir agradeço.

Fiz menção aos valores porque alguns reclamam sobre o facto dos custos de manutenção e de compra dos EH-101 Merlim ser altos. Mas os investimentos em equipamentos deste género tem que ser analisados no custo total durante a o seu tempo de "vida" alem dos seus beneficios.

Sobre a minha questão da existência ou não de kit, como não sabia, nem vi em lado nenhum menção a esse facto perguntei a quem parecia saber.
Até porque se houve-se, se calhar podíamos ter EH-101 SAR com a valência combate a incêndios e menos militar mas operado pelas FAP, e pelo que percebi se calhar depende mais do construtor do que qualquer outra coisa.

Sobre este assunto, eu sou a favor do combate a fogos ser efectuado pela Força Area Portuguesa, não de uma forma repentina, mas sim aos poucos.

Os valores gastos pela EMA nestes anos, davam para a FAP ter um disposto de duplo uso, provavelmente mais eficaz e com menos desperdício de dinheiro.

Sobre os kamov ( de acordo com o Area Militar ) as primeiras versões também foram pensadas para o mesmo uso dado aos EH-101 e não para combate a fogos, tal como os Pumas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Abril 28, 2012, 01:57:52 am
Digam o que disserem do Kamov: é feio, é Russo, é barulhento, e desconfortavel, é caro ..........  

 Ele é o melhor helicoptero para incendios florestais  e quem o afirma são os pilotos e quem anda no terreno a combater fogos florestais. nas situações mais adversas ele e sempre o ultimo a abandonar o cenario.
O Kamov 32 voa onde outros nem se atrevem a levantar voo,  nunca vi um Kamov a abandonar uma frente por não aguentar mais,  ao contrário de outros.



qualquer troca seria, desculpem-me a expressão:    "andar de cavalo para burro"
no que diz respeito e incendios florestais.
 Quantidade  de agua transportada,  precisão nas descargas, capacidade de voo nas condções mais adversas  e fiabilidade.
Nenhum helicoptero enfrenta as chamas como o Kamov 32
Quando me apresentarem um helicoptero que faça melhor que o kamov 32 eu apoiarei a sua substituição


A verdade e  que quando os Kamov32 foram comprados por Portugal ainda nem sertificados para voar estavam na maioria dos paises
 fomos quase pioneiros e fizemos  a escolha certa.  
Agora que o Kamov 32 esta A SER RECONHECIDO EM TODO MUNDO como o melhor heli de combate a incendios florestais e ja tem certificaçao.. ...Em Portugal surgem os inteligentes do costume que se querem desfazer deles.
Sabe-se la porquê....

Citar

The Russian multi-role Ka-32A11BC has been certified in a number of major regions – America, Asia, and Europe. It is the firefighting modification of the Ka-32A helicopter and is regarded by experts as the best in its category. The Ka-32A11BC is unequalled in firefighting, especially in mountainous terrain and for the top floors of tall buildings.


September 2009 saw the certification of the Ka-32A11BC by the European Aviation Safety Agency (EASA). The helicopter was given type certificate EASA.IM.R.133. It allows any company to commercially operate the helicopter. Before that it was used by some EU state authorities for firefighting and mountain powerline construction pursuant to Specific Airworthiness Specification (SAS).


In 2010 Ka-32A11BC was certified in India by the DGCA. At the Farnborough International 2010 air show Russian Helicopters signed a contract with the Indian company Global Vectra Helicorp for 2 units of Ka-32A11BCs, with delivery in 2011.


In 2008 the Ka-32A11BC was certified by China, Indonesia, and South Korea. It received a Mexican type certificate in 2005. Canada issued a supplement to the certificate allowing administrative passenger transportation in 2006 (the certificate itself was issued back in 1998).


The world’s leading countries and regions have thus confirmed the outstanding performance and operation capabilities of this Russian helicopter. In Canada, for example, the Ka-32A11BC has long been the machine of choice for logging in difficult and mountainous terrain. In a number of conditions this helicopter has no rivals. Its reliability is confirmed by operations in Canada, where these helicopters have logged tens of thousands hours without overhaul. In 2000 these helicopters were employed in firefighting operations outside of Canada and were deployed to Idaho in the USA.


On the South American market firefighting Ka-32A11BC first appeared in Chile in 2007. Then two multi-role Ka-32A11BC operated by the Spanish Helicopteros del Sureste were used to combat forest fires. According to company specialists, the helicopters were as effective here as they had been in Europe. Spanish companies often send crews and rotorcraft to Chile because forest fires are seasonal and do not coincide in the Northern and Southern hemispheres.


Besides Chile, the Ka-32A11BC has been successfully fighting fires in Mexico during several seasons.


Coaxial rotors are particularly useful in firefighting in highly turbulent conditions. Global experience is proving light tail rotor controlled helicopters to be inefficient in firefighting operations. The Ka-32A11BC offers over 40 equipment options, including various Bambi-bucket and Simplex systems, water cannons for horizontal firefighting, foldable rescue cabins of different capacity, and other equipment.


Various modifications of the Ka-32 are successfully operated in Spain, Portugal, Switzerland, Canada, South Korea, Chile, Mexico, Japan, China, and other countries. In South Korea the fleet of Ka-32s exceeds 60 – these helicopters are top scorers in the Forestry Service (firefighting) and Coast Guard. After 9/11 attacks, the firefighting capabilities of the helicopter in high-rise buildings have sparked interest in US customers.


http://www.defencereviewasia.com/articles/80/Ka-family-helicopters-suited-for-the-Asian-market

Bom de mais para esta especie  de Pais chamada Portugal
Deixa arder que o meu pai e bomnbeiro.....
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 28, 2012, 02:44:56 am
Citação de: "chaimites"
qualquer troca seria, desculpem-me a expressão:    "andar de cavalo para burro"
no que diz respeito e incendios florestais.
 Quantidade  de agua transportada,  precisão nas descargas, capacidade de voo nas condções mais adversas  e fiabilidade.
Nenhum helicoptero enfrenta as chamas como o Kamov 32
Quando me apresentarem um helicoptero que faça melhor que o kamov 32 eu apoiarei a sua substituição

Se não há melhor, apoio a continuação do Kamov, a necessidade principal a nivel de helicopteros da protecção civil é o combate a incendios, e é nisso que eles tem que ser excelentes, depois há outras missões que os Kamov fazem mais por pertencerem ao MAI do que por serem bons nisso como seja SAR, o apoio as forças de segurança, etc, mas ai já não é tão importante ser excelente, basta bom ou suficiente.

Os EH101, Pumas e Alouette III nunca seriam excelentes no combate a incêndios, o que podem fazer é apoiar, como fazem os Aloutte ao serem usados como postos de comando e de observação voadores, aliviando os Kamov para o combate directo as chamas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Abril 28, 2012, 04:30:51 am
Provavelmente já me vou repetir. Já discutimos várias vezes neste tópico e já pouco me lembro do que postei para aqui.

Só sei que estamos lixados nisto dos meios aéreos. Escrevo isto porque devido às necessidades específicas em Portugal tornasse quase impossível aproveitar os meios aéreos fora da época de incêndios.
No caso do Canadair, um avião que tem uma excelente reputação por este mundo fora e que é operado por várias forças aéreas, poderia ser utilizado também para SAR e até fiscalização marítima. Contudo, devido aos factores que já apresentaram, no combate a incêndios no território nacional tem limitações e o chaimites até diz que acaba por não ter qualquer impacto no terreno.
Depois temos os helicópteros pesados como o Kamov, que idealmente seriam utilizados fora da época dos incêndios para transporte de cargas. Neste caso a logística, por serem poucas unidades e ser equipamento russo, coloca algumas dificuldades para ser introduzido na FAP e depois para ser explorado por uma empresa do Estado, como a EMA não é possível confiar numa empresa dessas porque todos os administradores que acabam lá dentro são uns corruptos...
No caso dos helicópteros ligeiros ao serem operados pelo Estado poderiam ser aproveitados para missões de segurança pública quando fora da época de incêndios. Contudo, não seria fácil por exemplo aproveitar os mesmo também para reforçar a frota de helicópteros do INEM porque já iriam necessitar de uma configuração nesse sentido. E neste caso já não sei quanto viável seria utilizar no combate aos incêndios e também íamos estar a colocar em risco um aparelho que tem um custo superior.

Uma opção talvez fosse colocar a mesma frota de helicópteros (mesmo modelo) nas configurações para combate aos incêndios/transporte de equipas de primeira intervenção e MEDEVAC a ser operada pela FAP. E no caso dos helicópteros pesados, os Kamov, colocá-los na GNR a serem tripulados por pessoal contratado e com uma manutenção 100% outsourced.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Maio 01, 2012, 11:58:55 pm
Os canadairs para alem de serem muito mais caros por hora de voo,  50 % das descargas são para dar banho a quem esta no terreno  e depois demoram muito tempo a reabastecer, quando voltam esta tudo igual como quando efectuaram a descarga anterior.


Ainda bem que se esquecerem dos Beriev senão iamos ler noticias destas mais vezes:

Citar

CANADAIR DESTRUIU VCOT DOS BV PENAFIEL

Uma viatura de comando dos Bombeiros Voluntários de Penafiel ficou destruído quando foi atingido pela descarga de água de um dos três aviões Canadair que ontem prestavam socorro num incêndio florestal ocorrido na zona de Perafita, Boelhe, a confinar com a freguesia de Rio de Moinhos, naquele concelho.
O segundo comandante da corporação, Fernado Campos, disse, ontem, ao JN, que o veículo dirigia-se para o incêndio, cerca das 17 horas, quando, talvez por erro de cálculo, o avião largou a água e atingiu o jipe, esmagando-o


Citar

Descarga de avião parte vidro dos Sapadores

A descarga de um avião, que participava ontem no combate a um incêndio florestal em Rios Frios, destruiu o pára-brisas de uma viatura dos Bombeiros Sapadores.
Segundo uma fonte da corporação, o acidente não causou feridos, nem outros danos na viatura pesada pertencente aos Bombeiros Sapadores de Coimbra (BSC). Tudo porque a calda retardante caiu “muito concentrada” sobre o carro, quebrando o pára-brisas


Para alem da ineficacia.  todos os anos temos casos de viaturas destruidas bombeiros feridos telhados arrancados ....

Os aviões sâo para serem usados em locais remotos onde os meios humanos nao chegam  ou para retardar o fogo ate a chegada dos outros meios!
mas parece que ninguem quer saber disso,   importa é ter o canadair a voar á hora do telejornal  para dizer que se tem muitos meios a apagar o fogo, contra todas as normas de segurança , com homens no terreno,   casas,  viaturas etc..      
São só 5 toneladas a cair do ceu    :twisted:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Julho 03, 2012, 07:10:42 pm
Citar
Aguiar-Branco lamenta que Força Aérea ainda não esteja no combate a incêndios

O ministro da Defesa lamentou hoje que a participação da Força Aérea no combate a incêndios não tenha avançado ao fim de um ano e garantiu que irá "persistir" numa "gestão integrada das aeronaves do Estado".

Perante os oficiais que compõem o comando da Força Aérea e várias centenas de militares, nas cerimónias de comemoração do 60.º aniversário da Força Aérea Portuguesa, no Montijo, Aguiar-Branco disse que "quando se fazem balanços não se pode esconder os aspetos menos positivos" e considerou que "o Ministério devia uma palavra" ao ramo sobre o processo iniciado no ano passado para a sua participação no combate aos incêndios.

"Há um ano falei-vos do reforço da missão de serviço público da Força Aérea, nomeadamente no combate aos incêndios florestais, um ano depois isso ainda não se verificou. Há muitas justificações para isso, mas vou poupar-vos, nem quero desculpar-me, a verdade é que um ano depois continuamos com o mesmo sistema aéreo de combate aos incêndios", afirmou.

Já em declarações aos jornalistas, Aguiar-Branco referiu que "a Força Aérea desenvolveu todos os estudos necessários para que pudesse participar também nesse tipo de operações", mas "não foi possível até agora a conjugação com as outras instituições".

Questionado se existe "má vontade" entre os diversos intervenientes neste processo, o ministro da Defesa rejeitou esta visão, adiantando apenas que o impedimento para esta colaboração no combate aos incêndios se prende com motivos "logísticos e financeiros".

"Não é uma questão de má vontade, é uma questão de que as conjugações entre as diversas forças que devem operar nesse combate, neste momento, ainda não estão no ponto de permitir a participação da Força Aérea", disse.

No seu discurso, José Pedro Aguiar-Branco disse ser "persistente" e continuar "a acreditar numa gestão integrada das aeronaves do Estado, como se faz em vários países europeus".

"Acredito que, tal como se tem evoluído na NATO ou na União Europeia, seremos capazes de, também nós, dentro de portas, aprofundar o conceito de 'pool and sharing' e 'smart defense', tão discutido nas instâncias internacionais, sem olhar a preconceitos ou vaidades que tantos recursos têm consumido e tanta ineficiência têm gerado", declarou.

Num "desabafo" feito "mais para dentro do que para fora", Aguiar-Branco apelou depois a que todos olhem "além da rivalidade entre instituições, das vaidades, dos confortos e pequenos poderes".

"Temos que saber discutir recursos e competências, pensar em quem estamos a servir, no que é melhor para os outros e não apenas no que é melhor para nós", continuou.

Questionado pelos jornalistas sobre as condições inscritas no caderno de encargos para a reprivatização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), já concluído, Aguiar-Branco não quis adiantar qualquer informação.

"Eu tinha dito que até ao final do mês de junho ficava concluído o trabalho de assessoria técnica e financeira, neste momento está a ser feita uma malha fina entre a instituição financeira, o ministério das Finanças e da Defesa e a breve trecho haverá a apresentação da resolução em Conselho de Ministros e aí será satisfeita a resposta à sua pergunta", disse.

http://www.dn.pt/politica/interior.aspx ... 44&page=-1 (http://www.dn.pt/politica/interior.aspx?content_id=2644244&page=-1)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 04, 2012, 02:41:00 pm
Eu às vezes fico aparvalhado como em Portugal brinca-se com matérias tão importantes para o país. Se umas vezes parece que os militares são uns meros empregados de mesa, noutras parece que até podem mandar um ministro dar uma volta. Mas em que ficamos?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Julho 04, 2012, 07:18:04 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Eu às vezes fico aparvalhado como em Portugal brinca-se com matérias tão importantes para o país. Se umas vezes parece que os militares são uns meros empregados de mesa, noutras parece que até podem mandar um ministro dar uma volta. Mas em que ficamos?

Eu não sei se é isso ou se é precisamente o oposto, isto é, não sei se é a FAP que não quer combater incendios, ou se é, quem actualmente tem essa responsabilidade que não quer que a FAP "meta o nariz" no assunto.

Eu sei que estou a defender a minha quinta mas não me parece que seja a Força Aérea que esteja a "meter areia na engrenagem."
Citar
Aguiar-Branco referiu que "a Força Aérea desenvolveu todos os estudos necessários para que pudesse participar também nesse tipo de operações", mas "não foi possível até agora a conjugação com as outras instituições".
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Julho 05, 2012, 05:38:23 pm
A questão é sempre a mesma, com que meios ? Os alouette e Pumas?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Julho 05, 2012, 06:01:14 pm
Citação de: "typhonman"
A questão é sempre a mesma, com que meios ? Os alouette e Pumas?

Eu quero primeiro salientar que não faço ideia de quais foram os estudos que a Força Aérea andou a fazer, mas da realidade que conheço acho dificil ser essa situação, pois são máquinas já com muitos anos em cima, e tal como o chaimites várias vezes afirmou, o Kamov é uma máquina excelente nessa função, logo no terreno, ia-se ficar a perder.

Acho que é mais na questão de controlo de aeronaves, da logistica, dos destacamentos ficarem (na medida do possivel) em bases militares em vez de em aerodromos municipais (não sei se tem que pagar o espaço, os aviões comerciais pagam quando estacionam nos aeroportos), o pessoal também comer e dormir nas bases em vez de ficarem em outros sitios onde se tem que pagar, isto é, se for a Força Aérea a "controlar os cordelinhos" talvez haja um menor desperdicio de dinheiros publicos do que com EMA, ANPC, e coisas assim...

Isto é só uma ideia da minha cabeça, pode não ser nada disto.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Julho 05, 2012, 11:13:43 pm
Este Sr Ministro entrou no cargo cheio de boas intenções e infelizmente a dar palpiltes sobre assustos dos quais nao tinha o minimo conhecimento!
Só ele e que não viu que era impossível , no actual quadro de meios,  no espaço de um ano, colocar a Força Aerea no combate a incendios.

 As vezes, Aguiar Branco,  se estivesse calado ficava melhor na fotografia.

  Pelo menos tem o bom senço de se infomar melhor antes de cometer disparates, mas depois tem que andar a dar justificações, sobre os delirios que  lhe sairam, sem pensar. pela boca fora.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Julho 07, 2012, 12:08:11 pm
Esqueci de ferir no post anterior

PARABEMS a quem arrumou de vez com os Canadir cl215 e os Dromadair/air trator.

A tripla prefeita de "cangalhos" seria juntar: Pumas/Canadair cl215/ Dromader .

Meios que desempanharam a sua missão , mas que actualmente o lugar deles é no museu. com os seus "maravilhosos" motores  radiais de pistom de 46 litros que bebiam mais oleo que  combustivel, tambem ele em extinção no mundo da aeronautica: Avgas 100ll

Na ultima epoca contra todos os padrões minimos de segurança, em algumas pistas  andaram a ser abastecidos diretamente de tambores de 200 litros, uma vez que só no aerodromo de Seia e que existe  tanques de AVGAS 100LL em quantidade soficiente
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: CASMURRO em Julho 09, 2012, 12:19:03 am
a minha foi na aviaçao:
como voluntario na força aeria, mecanico de material aerio, 1º cabo, na basae do montijo, onde aprendi  para a vida.
o aviao velho P2v5 de luta antisubmarina,que voa 24 horas com dois dry baytankes no porta bomba, voava com um motor.
qual aviao que venha deste que venha para portugal,ja tem muito uso,normalmente a remodelaçao e muito cara.com os Pe orion
deve ter sido igual, custaram 309 milhoes.
os c130, um belo aviao,mas voa
falam no Kc390,se for o da airbus e mais caro do que o novo hercules,onde vão arranjar dinheiro
paulo portas comprou dois submarinos,para que?   para fazer a vontade a almirantes
normalmente nestas aquisiçoes,anda dinheiro de luvas,um milhao ja fala para onde caiu,parece que faltam 35milhoes.
na alenanha ja foram condenados os da ferretal, na grecia parece que a justiça vai avançada, em portugal esta tudo em banho maria.
alguem pode explicar.
o segredo de justiça so serve para empatar,deixar que prescreva.
com os F16 e a mesmas historia, compram usados,depois o retrofit  sai mais caro.
com os helicopteros Merlin, não compraram manutençao,ficaram sem spares.
sai da força aeria, um ano depois entrei na Tap, manutençao de linha, aquilo que sou, devo a minha vida na aviaçao
depois de passar a reforma, trabalhei em lookedd tristar, dois anos, pena que ainda tenha a receber vencimentos, este e o pais que temos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Julho 21, 2012, 05:28:15 pm
Citar
Apoio no combate aos incêndios

ALOUETTE III e C-130 em ações de coordenação e transporte


Um ALOUETTE III esteve hoje empenhado em missões de apoio ao combate aos incêndios na região do Algarve, efetuando várias ações de reconhecimento visual da área afetada.

No dia anterior duas destas aeronaves descolaram da Base Aérea Nº11 (BA11), em Beja, para apoiar as ações de coordenação das forças no terreno, que combatiam os incêndios no concelho de Tavira. Uma destas aeronaves foi empenhada no resgate do piloto de uma aeronave que combatia os incêndios e que terá amarado na Barragem do Roxo. O piloto foi recuperado, transportado para a BA11, e posteriormente observado por uma equipa médica da unidade.

Para além destas missões, um C-130 transportou, durante a manhã de quinta-feira, 83 homens para a Madeira, para apoiar no combate aos incêndios que deflagram na ilha. Destes elementos 8 fazem parte do Grupo de Comando da Associação Nacional da Proteção Civil e os restantes, divididos em 3 pelotões com 25 homens, constituem as forças do Grupo de Intervenção e Proteção e Socorro da GNR (GIPS), da Força Especial de Bombeiros e de  Bombeiros Voluntários de várias Corporações.

http://www.emfa.pt/www/noticia-107-apoi ... -incendios (http://www.emfa.pt/www/noticia-107-apoio-no-combate-aos-incendios)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 08, 2012, 02:22:26 am
Citar
Meios aéreos e terrestres participam nas operações

ALIII, C-295, Bases Aéreas e máquinas de rasto empenhados


No dia 3 de setembro, a pedido da Autoridade Nacional de Protecção Civil, a Força Aérea empenhou o helicóptero ALOUETTE III (ALIII), pertencente à Esquadra 552 sediada na Base Aérea Nº11 – Beja, e o avião C-295M, pertencente à Esquadra 502 sediada na Base Aérea Nº6 – Montijo, para apoiar as operações de combate aos fogos florestais nas regiões de Ferreira do Zêzere e Águeda.

A missão das aeronaves da Força Aérea consistiu na realização de ações de reconhecimento visual, avaliação, coordenação aérea e apoio à decisão dos Comandantes de Operações de Socorro, dos referidos locais, para um emprego mais eficiente dos meios terrestres.

A participação do helicóptero ALIII prolongou-se para o dia 4 de setembro, sendo necessário a sua presença na região de Viseu para o apoio às operações em curso naquele distrito.

No âmbito destas missões foram totalizadas 16 horas de voo, a maioria perfeitas pelo ALIII.

Com a finalidade de apoiar o dispositivo nacional de combate a incêndios, também as Bases Aéreas Nº1 (Sintra), Nº5 (Monte Real) e Nº11 (Beja) estão a contribuir para o reabastecimento dos aviões da Protecção Civil. Os dois aviões Canadair franceses que vieram reforçar o dispositivo nacional encontram-se sediados na Base Aérea Nº5 e operam a partir desta Unidade para a zona de operações.

Ao nível de meios terrestres também foram empregues, para a região de Ourém e para a região de Viseu, 2 máquinas de rasto da Direção de Infra-Estruturas, operadas por uma equipa de 5 pessoas, que tiveram como missão criar aceiros.

http://www.emfa.pt/www/noticia-127-meio ... -operacoes (http://www.emfa.pt/www/noticia-127-meios-aereos-e-terrestres-participam-nas-operacoes)
(com video)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Maio 03, 2013, 12:30:29 am
Não tem a ver com combate a incêndios florestais, mas tem a ver com combate a fogos pela FAP :wink: .

Vídeo do curso OPSAS (bombeiros da Força Aérea) ...e bombeiros do Exército que estão em Tancos e foram à Força Aérea receber esta formação.

PS: Imagens chocantes para os amantes de Fiat G91 :mrgreen:

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Maio 16, 2013, 05:11:35 pm
Um exemplo de utilização do C-130.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Maio 17, 2013, 12:05:01 am
Citação de: "HSMW"
Um exemplo de utilização do C-130.

Um video interessante...mas nos EUA C-130 é algo que não lhes falta e que eles usam para transporte aéreo tático além de outras missões, no nosso caso os velhotes são empregues em transporte aéreo estrategico, por serem escassos têm outra importância e certos riscos não se podem correr..
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Maio 28, 2013, 09:23:13 am
Para que C130 se um heli pesado descarrega mais agua em menos tempo? e pode estar hora e meia a efectuar descargas continuas!

 Bem......compravamos um reabastecedor  e faziam a recarga em voo  :mrgreen:
 
 em vez de combustivel abasteciam. calda retrdante  :mrgreen:
 
  depois os nossos são tão velhinhos que o provavel  era......

 
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Maio 28, 2013, 05:29:24 pm
Citação de: "chaimites"
depois os nossos são tão velhinhos que o provavel  era......

Não deve ser só a idade o factor essencial, os C-130 são de 1977, há muito avião a combater incêndios mais velho que isso, como os Catalinas e DC-6.
http://en.wikipedia.org/wiki/Aerial_fir ... Airtankers (http://en.wikipedia.org/wiki/Aerial_firefighting#Airtankers)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Maio 28, 2013, 05:32:45 pm
Citação de: "chaimites"
Para que C130 se um heli pesado descarrega mais agua em menos tempo? e pode estar hora e meia a efectuar descargas continuas!

Chaimites, os países não são todos iguais, há países (EUA, Russia), que a floresta é tão extensa e sem nenhum aeródromo de apoio para os helicópteros operarem, tem que ser de avião e até tem bombeiros com treino de para-quedismo para serem lançados perto dos incêndios.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 10, 2013, 08:56:12 pm
Este ano, para além dos já costumeiros Alouette III, a FAP participará na fase Charlie com um C-295M. Pelo que o texto dá a entender será uma aeronave da versão PG03.

 :arrow: http://www.emfa.pt/www/noticia-323 (http://www.emfa.pt/www/noticia-323)


(Diferenças entre a versão PG02, de vigilância marítima, e PG03 de reconhecimento fotográfico, cartografia, etc:
http://www.emfa.pt/www/po/esquadra/link ... nhecimento (http://www.emfa.pt/www/po/esquadra/link-502-005.002.003.004-vigilancia-e-reconhecimento))
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Junho 10, 2013, 10:53:25 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "chaimites"
Para que C130 se um heli pesado descarrega mais agua em menos tempo? e pode estar hora e meia a efectuar descargas continuas!

Chaimites, os países não são todos iguais, há países (EUA, Russia), que a floresta é tão extensa e sem nenhum aeródromo de apoio para os helicópteros operarem, tem que ser de avião e até tem bombeiros com treino de para-quedismo para serem lançados perto dos incêndios.

 
  100% de acordo!
 são avioes desadequados para a nossa realidade geografica, tal como o Beriev200 que andou ai á experiencia em 2006
 neste caso foi devido ao numero reduzido de pontos de scooping, grande altitude  e velocidade da descarga que pulverizava a agua que por vezes nem atingia o solo etc etc...

 Este video é promocional e foi realizado pela Beriev
 
 so para acrecentar mais um ponto
Os aviões bombardeiros pesados são utilizados preferencialmente onde não ha homens no terreno
a descarga  de agua  ou passagem a baixa altitude de um avião pesado sobre um incendeo pode ter efeitos contrarios ao pretendido
 A deslocação de uma grande massa de ar provocada pelo avião vai oxigenar o incendeo provocando efeitos muito violentos  e imprevisiveis na frente de fogo  inutilizando a propria descarga, tornndo-se muito perigoso para quem esta no terreno
 
Ha um video no youtube, muito bom, desse efeito provocado por um Beriev 200 em Mação

 reparem ... depois da passagem do avião e da descarga  a partir do minuto 0:40
 as chamas intensificam-se, tornando aquela descarga completamente inutil. e perigosa para quem esta no terreno. o fogo e alimentado pela grande massa de ar fresco (oxigeneo) arrastado pelo avião.

.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 29, 2013, 02:16:27 pm
Citação de: "armando30"
Citação de: "Charlie Jaguar"
há-que racionalizar ainda mais porque o OE 2014 será de contenção, e tivemos uma vez mais de estender a mão e pedir auxílio a Espanha e França para nos cederem alguns Canadair, caso contrário o cenário seria ainda mais preocupante por esta altura. Enfim...

o que é de tão extraordinário de Portugal pedir alguns meios aéreos emprestados para combater os incêndios? quando é óbvio que não há dinheiro para os adquirir nós mesmos
Num pais que tem os Aviocar e os Pumas armazenados e em que a FAP de momento não faz combate activo a fogos? Absolutamente nada, aliás à dinheiro para isto tudo (http://www.parlamento.pt/oar/Documents/2013/OAR2013.pdf (http://www.parlamento.pt/oar/Documents/2013/OAR2013.pdf)), agora para o combate a fogos e outras necessidades do pais ainda por cima quando há tantos privados no negócio do combate a incêndios... :shock:
Citação de: "armando30"
ainda houve um ano em que o governo alugou um número recorde de meios aéreos de combate a incêndios e mesmo assim tiveram que vir canadair de espanha e Itália para ajudar a apagar incêndios no nosso país
Nunca existiram nem existem meios suficientes para o combate a incêndios em POrtugal, tanto aéreos como terrestres. Se em vez de neste pais tudo ser uma prespectiva de negócio, fossem em caso de urgência os meios aéreos alugados colmatados com meios existentes seja na protecção civil ou na FAP em vez de se "pedir" (e pagar por esses pedidos, evidentemente) é que era. Mas quando não à interesse em formar pessoal e modificar ou adquirir meios é porque é demais evidente que quem ganha dinheiro com a desgraça dos outros o quer continuar a fazer.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-eFfpA1yoRfg%2FTnG01nBpnoI%2FAAAAAAAAIzM%2FCEN5DbKVUfk%2Fs320%2FKamov%2BKA32A-11BC%2B-%2B101.jpg&hash=5383cc245453c5b64dae36d3807fa122)  
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aereo.jor.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F2008%2F11%2Fc-130-maffs-treinamento-set06-fotosfab.jpg&hash=1906c4b31e177d478355b7feaaed5756)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcavok.com.br%2Fblog%2Fwp-contents%2Fuploads%2F2011%2F10%2F4dcc242e11f0c_large.jpg&hash=0ac7e32028f49d07eb83bbebd02fe25c)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 29, 2013, 05:40:54 pm
Convém é não esquecer que os Aviocar e os Pumas são sucata com mais de 35 anos em cima...Só para os por a funcionar "minimamente" durante mais uns 4 ou 5 anos tinha de se injectar mais uns milhões de euros...e se aos Pumas ainda podia ser acoplado um balde para apagar incêndios, para que é que serviriam os Aviocar? Conseguem lançar água ou calda retardente como esse C-130 da imagem? Não me parece...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 29, 2013, 06:18:43 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Convém é não esquecer que os Aviocar e os Pumas são sucata com mais de 35 anos em cima...Só para os por a funcionar "minimamente" durante mais uns 4 ou 5 anos tinha de se injectar mais uns milhões de euros...e se aos Pumas ainda podia ser acoplado um balde para apagar incêndios, para que é que serviriam os Aviocar? Conseguem lançar água ou calda retardente como esse C-130 da imagem? Não me parece...

A titulo de exemplo na marinha portuguesa reparam-se corvetas e patrulhas com 40 anos a 45 milhões de euros... :wink:
Os Puma (que ao contrario da foto nunca foram usados em Portugal no combate a incendios) quando sairam de serviço tinham capacidade ao nivel da celula e da motorização para mais uns bons anos de serviço. Tanto mais que se falou em irem para o exercito ou mesmo para à protecção civil (esta postado o video que me fez referir os puma). Alguem não quis, talvez os mesmos que afastaram os C-130 do combate ao incêndios em prol dos meios privados mais eficazes que agora não chegam...
Quanto a "sucata voadora" e as capacidades de a adaptar ao combate a incêndios, é questão de perguntar aos americanos pois eles é que são especialistas nessa área. Transformam os novissimos Trackers, P-2, C-54,etc.
 
Citar
The Forest Service uses planes of all types and sizes—not just airtankers— to manage wildland fire. When fire activity is high, planes transport skilled fire crews—sometimes across the country—or deliver smokejumpers over fires in remote locations. Specially-equipped planes gather infrared imagery to help map fires. Fire managers in planes conduct “aerial supervision” over fires to safely guide and direct other aircraft responding to the fire.

In 1956, World War II bombers were converted to airtankers for wildland firefighting. Airtankers are fitted with tanks that carry large volumes of fire retardant to drop on a fire. Airtankers do not suppress fires, but they help firefighters on the ground by laying a line of retardant along the sides of a wildfire. The retardant temporarily cools the fire and slows it down. This gives firefighters time to construct a fireline to contain the fire. Airtanker pilots can vary the amount of retardant dropped on a fire to adjust to current fire behavior and the kinds of fuels that are burning. Airtankers normally carry up to 2550 gallons of retardant.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fl.yimg.com%2Fbt%2Fapi%2Fres%2F1.2%2FhFqlG2ouzIHph_iI2m3V0g--%2FYXBwaWQ9eW5ld3M7Zmk9ZmlsbDtoPTQyMTtweG9mZj01MDtweW9mZj0wO3E9ODU7dz03NDk-%2Fhttp%3A%2F%2Fmedia.zenfs.com%2Fen_us%2FNews%2Fap_webfeeds%2F66b3a7e0b56ac012330f6a7067002a57.jpg&hash=095234728be9d20edf4dcbe0a1332206)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aviation-photographer.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fgalleries%2Fpost-61%2Ffull%2FWWCAirshow_5641.jpg&hash=ae368b2f3ef25e988e97affb42d3dcaa)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fbloximages.chicago2.vip.townnews.com%2Fbillingsgazette.com%2Fcontent%2Ftncms%2Fassets%2Fv3%2Feditorial%2Fe%2F90%2Fe90a732b-3bd3-582b-89d6-642685ed6dc8%2F4fccb02b79144.preview-620.jpg&hash=33f79719ec5c90d9c3bfe19e81d59101)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Frlch.org%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fimages-news%2Fwaldman32007t-22.jpg%3F1369332023&hash=bbf9e4f088d7f8f26d40cf2ccbffccc2)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.pwnhc.ca%2Fresearch%2Fphotogallery%2FGalleries%2FBusiness%2520and%2520Economy%2FTransportation%2FAviation%2520Gallery%2Fn-1979-003-0557.jpg&hash=f450844d5a7411ed6111cc61e96931cb)

http://www.fs.fed.us/fire/aviation/airplanes/INDEX.HTML
http://www.fs.fed.us/fire/aviation/helicopters/index.html
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 29, 2013, 09:46:03 pm
Comparar o aviocar com esses aviões é no mínimo de loucos ( em termos de capacidade efectiva de combate a fogos).

Na altura o fabricante do C-27J, turbo-prop, falou em adoptar um sistema de palete, para usar no C-27J, de modo a poder combater incêndios, a ideia morreu por aí.

Já defendi várias vezes:

A Força Aérea deve entrar no combate ampliado a incêndios florestais, o ataque inicial deve ser deixado aos privados.

Deviam adquirir-se novos kits MAFFS II, usar 1 ou 2 C-130H, comprar uns 10 a 14 AT-802 Air-Tractor (também para ataque inicial), mais KA-32 Kamov (

Meios de Combate Ampliado:

-1 a 2 C-130H com o kit MAFFS II, para ataque indirecto ou directo.

-14 AT-802 Air-Tractor, colocados em:

  -2 em Vila Real

  -2 Viseu

  -2 Coimbra

  -2 Lousã

  -2 Seia

  -2 Fátima

  -2 Castelo Branco

-6 KA-32 (existentes) + 6 KA-32


Quanto ºa defesa do Sócrates... com esses gráficos feitos pela JS, não venha para aqui com isso que não vale a pena.

O tema é "Combate pela FAP a fogos florestais"
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 29, 2013, 10:47:44 pm
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 29, 2013, 11:01:20 pm
Citação de: "typhonman"
Quanto ºa defesa do Sócrates... com esses gráficos feitos pela JS, não venha para aqui com isso que não vale a pena.

O tema é "Combate pela FAP a fogos florestais"

Em diversos posts por esse forum fora expresso bem minha opinião sobre TODA a classe politica e a sua consequente CULPA na situação Portuguesa. Se considera por exemplo gráficos que definem o aumento de divida publica subscrito a TODOS os partidos politicos como defesa deste ou daquele  ou qualquer ex-primeiro ministro o problema também não é meu. Mas se tem duvidas nos gráficos procure e publique os do INE, verá que os da divida publica ou do desemprego coincidem na perfeição.
Não tenho quaisquer problemas em dizer que não sou filiado no PS, PSD, CDS, BE, PEV e CDU  ou em qualquer outro partido politico (nem faço tensões de o ser pois considero-os sem exepções um bando de corruptos, vigaristas, aldrabões, traidores e "emprendedores) mas como não fala nada de filiações obrigatórias no T&C do forum, resolvi aqui abrir uma conta. Ou será que se for da opinião que o Socrates e o seu governo são apenas um dos muitos culpados da situação do pais já não posso participar? Terei que estar de acordo com as ideias do CDS/PSD e seus filiados e simpatizantes quanto ao Portugal passado, presente e futuro que por aí circulam?

Citação de: "typhonman"
Comparar o aviocar com esses aviões é no mínimo de loucos ( em termos de capacidade efectiva de combate a fogos).

Na altura o fabricante do C-27J, turbo-prop, falou em adoptar um sistema de palete, para usar no C-27J, de modo a poder combater incêndios, a ideia morreu por aí.

Não comparei. Apenas referi o Aviocar pois é um meio que tivemos/temos e porque nos EUA praticamente tudo é adaptado para combate a incêndios (até aparelhos da II guerra Mundial) e porque não me parece que por exemplo o Tracker seja mais capaz ao Aviocar nessa situação.
No que diz respeito à ideia do fabricante do C-27 só prova que poderia ser possivel. Se não foi para a frente porque não existiu interessados ou porque existem outros meios mais eficazes já são outras questões (pelo que sei a ideia ainda está em estudo).
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Frichard-seaman.com%2FAircraft%2FMisc%2FFireFighters%2FS2WaterDrop.jpg&hash=46b24a80511d01540f899af34ca3073a)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.howtoandroid.com%2FGallery%2Fmartin_mars_water_bomber_2.jpg&hash=0025d92652016a5f988311b3577d93d8)  

Citação de: "typhonman"
Já defendi várias vezes:

A Força Aérea deve entrar no combate ampliado a incêndios florestais, o ataque inicial deve ser deixado aos privados.

Deviam adquirir-se novos kits MAFFS II, usar 1 ou 2 C-130H, comprar uns 10 a 14 AT-802 Air-Tractor (também para ataque inicial), mais KA-32 Kamov (

Meios de Combate Ampliado:

-1 a 2 C-130H com o kit MAFFS II, para ataque indirecto ou directo.

-14 AT-802 Air-Tractor, colocados em:

  -2 em Vila Real

  -2 Viseu

  -2 Coimbra

  -2 Lousã

  -2 Seia

  -2 Fátima

  -2 Castelo Branco

-6 KA-32 (existentes) + 6 KA-32

Vem na continuidade do que tenho dito. Os meios aéreos (sejam antigos ou novos) nunca são demais e a FAP deve participar no combate aos fogos florestais e constituir um suporte cada vez maior aos bombeiros e à protecção civil, sobretudo em allturas complicadas em que quase todos os dias morrem homens no terreno. Não estou é a ver é por exemplo onde se vai adquirir kits MAFFS depois de se ter deixado "apodrecer" os que existiam, mas isso já á a minha tradicional falta de fé em TODA a classe politica no que diz respeito a fazer o que é certo para o pais.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fsanddollaradventures.files.wordpress.com%2F2008%2F06%2Fmaffs-pipes1.jpg&hash=4aef6fd916e4a6fcdf706da5b0596db1)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 29, 2013, 11:13:49 pm
Citação de: "typhonman"
Os meios aéreos ajudam a combater fogos, para as equipas de terra consolidarem, além de serem importantes para ataque a fogos em áreas de montanha.

Num grande incêndio como o do Caramulo o C-130H poderia ter sido eficaz, largando calda retardante, podendo abastecer em Monte Real, sendo o ataque directo efectuado por Air-Tractor e Kamov´s.

É o que defendem bombeiros e protecção civil em privado e o praticamente o que tenho defendido neste forum. Quem anda no terreno e defende a floresta sem interesses, corporativismos e politiquices sabe que o Estado dono de mais de 80% das matas, raramente as limpa ou faz acessos para facilitar os combates  a incêndios florestais. E quando as temperaturas são altas não existem meios a mais mas sim a menos para evitar grande extensões de mata ardida e operacionais mortos no terreno.
Além disso, combate a incêndios apenas nas mãos de privados não é uma boa ideia por um conjunto de razões que por aqui já foram faladas.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F_914gXPAnJMo%2FSFZymF1cZOI%2FAAAAAAAAAvs%2Fml0J9lbV4mc%2Fs400%2Fdromadair01gp0.jpg&hash=2682d287c8186b542570f9727b334178)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-gpBGJJ-LdPw%2FTkostTIa5NI%2FAAAAAAAAIns%2FhGixSLTuTxE%2Fs640%2FDSC_0048.JPG&hash=00027343c099d34014ba6d03c27eb058)
Citação de: "typhonman"
Também concordo que a FAP deveria ter meios próprios de ataque ampliado, mas esses muitos que refere, trazem consigo problemas, nomeadamente onde arranjar os pilotos para os operar.

Isso é a "ponta do iceberg". Mesmo aos pilotos que existem e restante pessoal precisa de formação. Aliás, um certo ministro da defesa um dia exigiu que a FAP participasse na linha da frente no combate aos incêndios. Quando o CEMFA lhe perguntou onde estava a verba para a formação, engasgou-se e deixou-se logo de exigências. MAS já referi que o facto de acreditar que por exemplo os 333 milhões de euros das Fundações (em 2013 desceu para os 180 milhões) poderiam ser canalizados para a aquisição de meios, tripulações e para a formação de operacionais da FAP qualificados no combate a incêndios pelo poder politico é um problema pessoal meu... :mrgreen: ). Imagino só os meios que se poderia adquirir e os aeródromos que se poderiam melhorar e ampliar com um terço apenas dessa verba... :shock:

http://www.parlamento.pt/Paginas/XIIL2sl_OAR2013.aspx
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 29, 2013, 11:16:51 pm
Os meios aéreos ajudam a combater fogos, para as equipas de terra consolidarem, além de serem importantes para ataque a fogos em áreas de montanha.

Também concordo que a FAP deveria ter meios próprios de ataque ampliado, mas esses muitos que refere, trazem consigo problemas, nomeadamente onde arranjar os pilotos para os operar.

Num grande incêndio como o do Caramulo o C-130H poderia ter sido eficaz, largando calda retardante, podendo abastecer em Monte Real, sendo o ataque directo efectuado por Air-Tractor e Kamov´s.

Os Kamov podem ser caros de operar, mas não há meio melhor (heli) para ataque ampliado.


Quanto aos C-27J, nos EUA já estudam a sua adaptação para combater fogos.


http://fireaviation.com/tag/c-27j/ (http://fireaviation.com/tag/c-27j/)


Deveria-se também investir na ampliação de aérodromos e melhoramento dos mesmos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 30, 2013, 10:01:02 am

http://fireaviation.com/
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 30, 2013, 06:56:40 pm
Citação de: "typhonman"
Os meios aéreos ajudam a combater fogos, para as equipas de terra consolidarem, além de serem importantes para ataque a fogos em áreas de montanha.

Também concordo que a FAP deveria ter meios próprios de ataque ampliado, mas esses muitos que refere, trazem consigo problemas, nomeadamente onde arranjar os pilotos para os operar.

Num grande incêndio como o do Caramulo o C-130H poderia ter sido eficaz, largando calda retardante, podendo abastecer em Monte Real, sendo o ataque directo efectuado por Air-Tractor e Kamov´s.

Os Kamov podem ser caros de operar, mas não há meio melhor (heli) para ataque ampliado.


Quanto aos C-27J, nos EUA já estudam a sua adaptação para combater fogos.


http://fireaviation.com/tag/c-27j/ (http://fireaviation.com/tag/c-27j/)


Deveria-se também investir na ampliação de aérodromos e melhoramento dos mesmos.

A calda retardante não é eficaz, os únicos estudos que demonstram a sua eficacia são os dos próprios fabricantes, já estudos independentes realizados há mais de 20 anos, apontam diversas conclusões quanto à eficacia. Por outro lado a calda deposita-se no terreno criando potenciais problemas ambientais a medio e longo prazo, bem como traz problemas de saúde à população e a quem esteja exposto à mesma quer directa ou indirectamente. É um dos motivos pelos quais foi abandonada em Portugal.

Por outro lado a água largada sobre incendios é em grande pulverizada não chegando a cair no chão, sendo que para ter uma maior eficiencia a aeronave tem de voar bastante baixo.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 30, 2013, 09:12:25 pm
Sobre as caldas retardantes e o seu uso encontrei pouca coisa... :?  

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-67622006000600018

http://www.isa.utl.pt/pndfci/relatorio_intercalar/docs/10_3.pdf

http://www.cm-mira.pt/www/output_efile.aspx?sid=3f574b43-ad65-43d7-84eb-d9327121e258&cntx=imSWPVhBRYnpgCVIzc8FtYEbg2uhGpYcZCmEfXWkxbkqsDi1cld0CJqFaKv5IyNh9UQe8yIkUJpQi6j0evQE5g%3D%3D&idf=5080

http://www.bombeiros.pt/wp-content/uploads/2013/07/13.CombateaIncendiosFlorestais.pdf

Deixo também e por mera curiosidade um video de um Curso de Combate Aéreo a incêndios Florestais ministrado no Brasil.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Nuno Bento em Agosto 31, 2013, 12:06:01 am
Citação de: "typhonman"
Os Kamov podem ser caros de operar, mas não há meio melhor (heli) para ataque ampliado.
É inegavel e inquestionavel a utilidade dos KAmov (é chocante que de quando em vez se fale em os retirar de serviço pelos custos operacionais ou quiça para colocar o combate a fogos florestais ainda mais na mão de privados). Porem tradicionalmente os helicópteros russos são mais baratos de adquirir em comparação aos seus congeneres ocidentais pelo que não me parece que a diferênça seja significativa no total de gastos. Mas se o problema é custos operacionais poderia-se estudar outras opções como o Mi-8/17 ou mi-26.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.diariodigitalcastelobranco.pt%2Fficheiros%2Fnoticias%2F1372244751_0.jpg&hash=bca761285c041344344c92a8fd98b6b2)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.acig.org%2Fartman%2Fuploads%2Fvvipvo_mi-8_unid.jpg&hash=cbebf0fde3ca9d2b8687989fa730e618)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fthumb%2F3%2F3d%2FMil_Mi-26TC.jpg%2F220px-Mil_Mi-26TC.jpg&hash=cc05d2fa893b88539eb35f27919e3c7e)

Citação de: "typhonman"
Quanto aos C-27J, nos EUA já estudam a sua adaptação para combater fogos.

http://fireaviation.com/tag/c-27j/ (http://fireaviation.com/tag/c-27j/)

http://wildfiretoday.com/documents/C-27J_Report.pdf

Os EUA praticamente estudam e modificam tudo seja em serviço ou à posteriori para o combate a incêndios o que mostra que essa possibilidade existe quase sempre na prática (como disso o c-27J está em estudo tendo o mesmo sido liberado como consta no link). Mas mesmo fazendo o paralelismo entre o modelo e o c-295 da FAP para uma modificação similar o caminho poderia ser parecido mas teria sempre que ter em consideração as diferenças entre os 2 modelos.

http://www.areamilitar.net/analise/analise.aspx?NrMateria=16


Citação de: "typhonman"
Deveria-se também investir na ampliação de aérodromos e melhoramento dos mesmos.
Concerteza. Existindo vontade politica para proceder a uma planificação rigorosa e sem interesses partidários do que é necessário para combater eficazmente os fogos florestais, teria sempre que passar por aí. A questão é um pais de tanga cortar onde é necessário (como por exemplo nas mordomias politicas) de forma a ter dinheiro para o que realmente interessa. No tal "post politico" publiquei o orçamento de 2013 para a AR (aprovado por unanimidade... :shock:

http://www.parlamento.pt/Paginas/XIIL2sl_OAR2013.aspx[/quote]

E porque não um erickson air crane? Não ficam atras dos Kamov em capacidade, é utilizado pela Grécia.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.ericksonaircrane.com%2Fimg%2Findex_images%2Fhp_10.jpg&hash=fcc6458b95dfc6592e5aab78f4c438ef)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 31, 2013, 01:24:02 am
Pois pois, problemas ambientais graves são os causados pelas cinzas, depois do FOGO assasino levar tudo a frente, pelos vistos nos EUA e em outros países não há problema, só cá é que somos ILUMINADOS.  :|
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 31, 2013, 09:44:04 am
É só ler e partir daqui para pesquisar os estudos: http://en.wikipedia.org/wiki/Flame_retardant (http://en.wikipedia.org/wiki/Flame_retardant)

Quanto a meios aéreos tem que haver uma resposta de uma instituição independente, porque os estudos feitos pela FAP são contra a utilização de aparelhos que não sejam da NATO basicamente, pelos motivos óbvios, para o povo esse estudo não interessa, interessa são estudos objectivos e independentes.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Igor em Setembro 01, 2013, 01:54:45 pm
É inegavél mais uma vez a falta de meios aereos para ataque ampliado do DECIF 2013, verifica-se um razoavél numero de aeronaves para ataque inicial, contudo no ataque ampliado os meios são manifestamente insuficientes. Como é que é possivel um país como Portugal que anualmente é fostigado por incendios de grandes dimensões não dispor de meios próprios tipo canadair, veja-se que nos últimos 10 anos, Portugal tem solicitado  todos os anos apoio deste tipo de aeronaves a países da união europeia, só neste momento temos em território nacional a operar 8 aparelhos canadair. Todos os países da Europa mediterrânica dispôe deste tipo de aeronaves como meios próprios, até países com condições menos propicias a incendios florestais como é o caso da Croàcia. Ainda na semana passada só metade da frota de helicopteros kamov da EMA se encontrava operacional, isto numa altura em que o país é fostigado por incendios e se recorre a ajuda externa, que país sem planeamento e cheio de incompetentes.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 01, 2013, 03:31:28 pm
Citação de: "Igor"
É inegavél mais uma vez a falta de meios aereos para ataque ampliado do DECIF 2013, verifica-se um razoavél numero de aeronaves para ataque inicial, contudo no ataque ampliado os meios são manifestamente insuficientes. Como é que é possivel um país como Portugal que anualmente é fostigado por incendios de grandes dimensões não dispor de meios próprios tipo canadair, veja-se que nos últimos 10 anos, Portugal tem solicitado  todos os anos apoio deste tipo de aeronaves a países da união europeia, só neste momento temos em território nacional a operar 8 aparelhos canadair. Todos os países da Europa mediterrânica dispôe deste tipo de aeronaves como meios próprios, até países com condições menos propicias a incendios florestais como é o caso da Croàcia. Ainda na semana passada só metade da frota de helicopteros kamov da EMA se encontrava operacional, isto numa altura em que o país é fostigado por incendios e se recorre a ajuda externa, que país sem planeamento e cheio de incompetentes.

Falando em Croácia... :mrgreen:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fphotos.plane-mad.com%2F7%2Flarge%2F7458.jpg&hash=2fb385d16cff2bbfa8a92347bd70217d)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fplanewatcher.com%2Fdata%2Fmedia%2F8%2FIMG_0817.jpg&hash=0b2f6d6365bb99b5bd7e6cb54f1f7bd5)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.nato.int%2Fpictures%2F2002%2F020521b%2Fb020521w.jpg&hash=99c9d302c1746e35a4ea1ac91d85ed8b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.nato.int%2Fpictures%2F2002%2F020521b%2Fb020521aa.jpg&hash=14eb782515f64766d1000990c815a55e)



http://en.wikipedia.org/wiki/Croatian_Air_Force_and_Air_Defence

http://www.nato.int/multi/photos/2002/m020521a.htm
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 01, 2013, 05:03:53 pm
Citação de: "Igor"
É inegavél mais uma vez a falta de meios aereos para ataque ampliado do DECIF 2013, verifica-se um razoavél numero de aeronaves para ataque inicial, contudo no ataque ampliado os meios são manifestamente insuficientes. Como é que é possivel um país como Portugal que anualmente é fostigado por incendios de grandes dimensões não dispor de meios próprios tipo canadair, veja-se que nos últimos 10 anos, Portugal tem solicitado  todos os anos apoio deste tipo de aeronaves a países da união europeia, só neste momento temos em território nacional a operar 8 aparelhos canadair. Todos os países da Europa mediterrânica dispôe deste tipo de aeronaves como meios próprios, até países com condições menos propicias a incendios florestais como é o caso da Croàcia. Ainda na semana passada só metade da frota de helicopteros kamov da EMA se encontrava operacional, isto numa altura em que o país é fostigado por incendios e se recorre a ajuda externa, que país sem planeamento e cheio de incompetentes.

só 4 FIRE-BOSS para fazer ataque ampliado, é claramente pouco. E ainda por cima sabendo-se que acontece esta tragédia todos os anos.

Eu defendo a comprar de 10 a 14 AT-802 Air-Tractor (sendo alguns Fire-Boss) e aumentar o numero de KA-32 + C-130H com MAFFS II.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 01, 2013, 06:02:25 pm
Citação de: "Camuflage"
Quanto a meios aéreos tem que haver uma resposta de uma instituição independente, porque os estudos feitos pela FAP são contra a utilização de aparelhos que não sejam da NATO basicamente, pelos motivos óbvios, para o povo esse estudo não interessa, interessa são estudos objectivos e independentes.
Já não existe um tabu tão forte como antigamente sobre equipamento não-NATO, especialmente helicópteros. O problema da FAP em receber os Kamov quando houveram aqueles rumores todos foi devido à logística e ao medo das pessoas pensarem: «ah, agora têm os Kamov já não precisam de um helicóptero para substituir os Alouette».

Contudo também há outras formas de dar a volta ao problema, os Kamov que fiquem sobre a tutela da ANPC, que seja assinado um contrato de manutenção para os aparelhos, e depois que sejam pilotos do UALE (até deixarem de haver) e da FAP para os operar. Conforme necessário contrata-se pilotos civis. E quem fala em Kamov fala noutros aparelhos.

Se quiserem também podia-se criar uma unidade aérea na GNR (elá! O Get_It a sugerir a criação de mais uma quinta, especialmente quando ele é a favor da união da PSP/GNR?!) para operar unicamente os Kamov.

Eu cá sou contra a EMA. Acho que aquilo é mais tachos e jobs for the boys and girls que outra coisa. E afinal de contas quantos trabalhos civis durante o resto do ano é que eles já fizeram? Até agora tem sido tudo basicamente trabalhos para a Protecção Civil e governo: combate a incêndios, polícia, busca e salvamento. E agora vamos ver os meios deles:
- helicópteros ligeiros ainda que lá vá para estas missões, mas isso também a FAP podia fazer se investíssemos dinheiro no FDP de um substituto do Alouette e mais pilotos;
- helicópteros pesados, são excelentes para o combate a incêndios e transporte de cargas pesadas, mas as outras missões podiam ser muito bem efectuadas por um aparelho com horas de voo mais baratas (tais helicópteros ligeiros para a FAP).

Também podiam vir uns Canadair (eu sei que estamos fartos de ver aqui escrito que eles não são bons para a nossa realidade mas continuamos a fartar-nos de ir pedir Canadairs espanhóis, gregos, etc, emprestados...) para a FAP que podiam ser depois utilizados para patrulha marítima/SAR e ninguém morria (excepto talvez alguns políticos à fome).

E mais uma vez quem tem que tomar decisões e acções são os políticos... Pelo menos podemos sempre discutir isto porque isto nunca vai mudar.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Setembro 01, 2013, 09:53:20 pm
Mas entidades privadas como a EMA têm uma vantagem, contratam-se quando são precisos e depois descartam-se o resto do tempo. Meter os fogos como responsabilidade da FAP significa que se tem que pagar empregos e estruturas para a vida (sim para a vida, os pilotos até podem ir embora cedo, mas a estrutura não desaparece, o comando e as chefias ficam por lá muito tempo, fora os abutres na periferia da coisa) quer haja fogos ou não, esse é o maior problema de qualquer instituição pública, fora os vícios associados, pois enquanto no privado vai havendo concurso público para escolher a empresa, no público é aquela gente anos a fio e são quase intocáveis. É por isso que cada vez mais se recorre a meios privados, fora a questão das negociatas (porque corrupção já existia antes), os quintais são um forte problema que não se consegue combater, pois é uma máfia muito maior e protegida pela Constituição.

Não concordo que outras forças façam papel de bombeiros, qualquer dia só falta dar poder aos bombeiros para serem policias e à GNR para andar com os carros do INEM. É ridículo.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 02, 2013, 03:49:45 pm
Citação de: "Camuflage"
Mas entidades privadas como a EMA têm uma vantagem

A EMA é uma empresa pública  :roll:

http://www.ema-sa.pt/index.php?option=c ... &Itemid=17 (http://www.ema-sa.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=23%3Aestrutura-accionista&catid=10&Itemid=17)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 02, 2013, 04:38:16 pm
Citação de: "Camuflage"
Mas entidades privadas como a EMA têm uma vantagem, contratam-se quando são precisos e depois descartam-se o resto do tempo.
Mas se nós acabamos por precisar dos meios o resto do ano... Afinal de contas é o que acontece actualmente com a EMA, ela como não consegue competir com as outras empresas privadas no resto do ano acaba por precisar da mama do MAI para fazer outros serviços. Lindo concurso público nesse caso. Sem falar que antes disso existia (e há) um monopólio por parte das restantes empresas privadas.

E havendo meios na FAP/GNR/whatever é depois só uma questão de reforçar os meios na época dos incêndios. E atenção que eu escrevi reforçar, não é como actualmente que basicamente andamos desesperados a alugar meios em cima da hora e só mesmo para o mínimo dos mínimos. Grande diferença.

Citação de: "Camuflage"
Meter os fogos como responsabilidade da FAP significa que se tem que pagar empregos e estruturas para a vida (sim para a vida, os pilotos até podem ir embora cedo, mas a estrutura não desaparece, o comando e as chefias ficam por lá muito tempo, fora os abutres na periferia da coisa) quer haja fogos ou não,
A estrutura não desaparece? Ainda bem, porque estas missões de interesse público também não desaparecem: transporte de órgãos, evacuações médicas, combate a incêndios, busca e salvamento, apoio às autoridades, auxílio à população em eventuais catástrofes naturais, treino de pilotos, e as restantes missões militares (reconhecimento, suporte, transporte de soldados e equipamento, etc.).

Citação de: "Camuflage"
esse é o maior problema de qualquer instituição pública, fora os vícios associados, pois enquanto no privado vai havendo concurso público para escolher a empresa, no público é aquela gente anos a fio e são quase intocáveis. É por isso que cada vez mais se recorre a meios privados, fora a questão das negociatas (porque corrupção já existia antes), os quintais são um forte problema que não se consegue combater, pois é uma máfia muito maior e protegida pela Constituição.
Então que se acabe com a FAP! Privatizamos a busca e salvamento (a EMA pode ainda ficar com os EH-101 e com o contrato), mesma coisa com o transporte táctico e patrulha marítima (como os Australianos fazem) e ainda pagamos a outro país para fazer a defesa do espaço aéreo!

Os vícios nos concursos públicos e nas empresas privadas ligadas ao Estado são piores que os vícios nas Forças Armadas. É muito mais fácil manipular estes contratos de ano para ano e de governo para governo para ajudar os interesses próprios dos políticos e portanto facilmente se desfaz as estratégias e todo o trabalho feito só mesmo para ganharem uns tostões. Se este país não fosse tão corrupto ainda diria que sim, mas enquanto existirem monopólios...

Citação de: "Camuflage"
Meter os fogos como responsabilidade da FAP significa que se tem que pagar empregos e estruturas para a vida (sim para a vida, os pilotos até podem ir embora cedo, mas a estrutura não desaparece, o comando e as chefias ficam por lá muito tempo, fora os abutres na periferia da coisa) quer haja fogos ou não, esse é o maior problema de qualquer instituição pública, fora os vícios associados, pois enquanto no privado vai havendo concurso público para escolher a empresa, no público é aquela gente anos a fio e são quase intocáveis.
Segundo isto então também cortava-se em metade da força da ANPC e dos bombeiros, porque o resto do tempo não são precisos dado que nem sempre à catástrofes naturais nem incêndios florestais. Quando houver que se criem concursos públicos para lidar com a situação...

Citação de: "Camuflage"
Não concordo que outras forças façam papel de bombeiros, qualquer dia só falta dar poder aos bombeiros para serem policias e à GNR para andar com os carros do INEM. É ridículo.
Eu estava só a mostrar opções na realidade actual. Não nos podemos esquecer que existe uma coisa chamada GIPS.
EDITADO: Porque aliás -- e isto já seria um assunto para outro tópico --, na minha opinião até já se tinha acabado com a GNR na sua forma actual. Isto da Gendarmerie na teoria é bonito mas também tem as suas desvantagens. Tinha-se era juntado a PSP e GNR, passado algumas responsabilidades e meios para outras instituições (ASAE, PJ, AAT, SEF, ANPC, etc.) e para as Forças Armadas e já estava.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 02, 2013, 09:54:24 pm
Queria chamar a atenção para a parte sublinhada desta noticia.

Citar
FAP no apoio ao combate a incêndios florestais

Vários meios e unidades militares da Força Aérea encontram-se empenhadas, a pedido da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), no apoio às operações de combate a incêndios florestais na zona norte e centro do país.

Este dispositivo desempenhou e encontra-se a efetuar várias missões de apoio à ANPC, desde 21 de agosto, com recurso a aeronaves (ALOUETTE III e C-295M) com características, capacidades e sistemas que possibilitam a observação aérea e visualização estratégica da zona de operações para ações de reconhecimento e de monitorização de zonas de operação, recolha de informação, avaliação de situações e coordenação de meios no terreno, bem como com o empenhamento de uma máquina de rasto, para abertura de aceiros em zonas de díficil acesso.

Também as bases aéreas localizadas em Beja, Sintra, Montijo e Monte Real e o Aeródromo de Manobra Nº1 - Ovar - encontram-se a prestar apoio no reabastecimento e parqueamento de aeronaves nacionais e estrangeiras, como os Canadair franceses, que vieram reforçar o dispositivo da ANPC, bem como na cedência de instalações para descanso das respetivas tripulações.

Para além da ação destas aeronaves e do apoio prestado por estas unidades militares, um helicóptero EH-101 MERLIN efetuou, no dia 29 de agosto, a evacuação médica urgente de um bombeiro ferido, transportado de Vila Nova de Foz Côa para o Regimento de Artilharia Nº5, no Porto, de onde foi encaminhado para o Hospital da Prelada.

http://www.emfa.pt/www/noticia-376-fap- ... florestais (http://www.emfa.pt/www/noticia-376-fap-no-apoio-ao-combate-a-incendios-florestais)

As evacuações médicas dentro de Portugal continental são feitas pelos helicópteros do INEM, acho que tem um helicóptero em Vila Real, porque é que foi um EH101 do MONTIJO!!! fazer esse transporte? Talvez o helicóptero do INEM já estivesse ocupado, ou tivesse avariado, só me chamou a atenção pois é muito raro os helicópteros da FAP fazerem estas evacuações, é quase 100% os helicópteros do INEM, algo se passou para ter que ser a FAP, mas o principal claro é o bombeiro ter chegado o mais rápido possível ao hospital no Porto, este parece-me mais um caso em que as Forças Armadas são uma "reserva" para quando as coisas não correm normalmente.

PS: Para quem não saiba, o EH101 foi para o quartel do exército porque é demasiado grande para aterrar no heliporto do hospital, o sitio mais perto onde pode aterrar é a parada do Regimento de Artilharia nº5, em Gaia.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 02, 2013, 11:26:55 pm
O heli do inem está em Macedo de Cavaleiros e é um A-109.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 03, 2013, 11:44:51 am
Aparte toda esta discussão, que está muito informativa e elucidativa, gostava de saber o que é que certos membros que por aqui andam têm contra os aviões Canadair, quer seja o velhinho CL-215 ou o mais moderno CL-415. Andam por cá aparelhos franceses, italianos, agora até croatas, não têm tido problemas alguns em achar albufeiras, rios ou outros locais onde possam abastecer os seus tanques de água, e acima de tudo têm sido vitais no combate às chamas e auxílio a bombeiros e populações. É por isso que não percebo quando ouço dizer que o Canadair não serve para Portugal... será que somos mais inteligentes que os restantes países que os empregam? Custa-me a crer...  :?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 03, 2013, 02:10:04 pm
Caro Charlie Jaguar,

O problema dos Canadair a meu ver, é o facto de a sua acção ser mais eficaz aonde existem pontos de scooping, relativamente próximos da zona de incêndio.

Já os AT-802, possuem maior versatlidade (3500 Litros de água), transportando o CL-415 (5000 Litros), no entanto, o AT-802, é mais barato de operar, usando também um só piloto, possuindo também uma versatilidade que consiste em poder ser abastecido em pista ou fazendo scooping, na sua versão "Fire-Boss". Já o Canadair só pode fazer scooping, e não o pode fazer em albufeiras mais pequenas.

Os AT-802 andaram por cá no final da década passada:

Reportando-nos apenas às aeronaves de ataque inicial, registou-se uma taxa de sucesso de cerca de 85%,
com excepção dos aviões ligeiros que tiveram uma taxa de sucesso abaixo de 80%. Os aviões médios
(Airtractor AT-802, de 3.500 litros de capacidade de descarga) foram aqueles que tiveram a maior
percentagem de sucesso (85,3%).

Tipo de aeronave Missões com sucesso Missões com insucesso % Sucesso :

Helicópteros Ligeiros 1224 218 84,9%
Helicópteros Médios 773 144 84,3%
Aviões Ligeiros 422 123 77,4%
Aviões Médios 581 100 85,3%  (AT-802)


Portugal, principalmente a zona Norte (Vila Real, Viana do Castelo, Braga) e Centro (Viseu, Guarda,Coimbra e Castelo Branco) precisam de meios ágeis e dispersos em número suficiente, para acudir a vários focos de incêndio que exigam meios de ataque ampliado, ao comprar Canadair (face ao actual cenário económico) nunca serão mais do que 4.


Estes meios podem ser espalhados pelo território, aproveitando os aeródromos existentes.


Na minha opinião, os ataques ampliados deveriam ser feitos com o uso de contenção indirecta (calda retardante) e meios em "carroucel" (AT-802+KAMOV).


Durante o resto do ano, a frota poderia ser empregue em cooperação com o AFN (autoridade florestal) em tarefas de reflorestação por exemplo, bem como treino e reciclagem de pilotos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 03, 2013, 03:39:09 pm
Citação de: "typhonman"
Já os AT-802, possuem maior versatlidade (3500 Litros de água), transportando o CL-415 (5000 Litros), no entanto, o AT-802, é mais barato de operar, usando também um só piloto, possuindo também uma versatilidade que consiste em poder ser abastecido em pista ou fazendo scooping, na sua versão "Fire-Boss". Já o Canadair só pode fazer scooping, e não o pode fazer em albufeiras mais pequenas.

Deixa-me só rectificar-te os números:


AT-802F Fire Boss - 3360L de água (3100L de calda retardante);
CL-215/215T - 5350L de água (6100L de calda retardante);
Bombardier 415 (ex-CL-415): 6140L de água ou calda retardante.

(Quanto a preços nada a dizer, o Fire Boss custa uma fracção do 415, por exemplo)


Concordo contigo que a opção Fire Boss também não é má, mas, por exemplo, os Canadair, como hidroaviões que são, podiam operar na missão de busca e salvamento costeiro fora da época de incêndios, complementando ou auxiliando assim outros meios da FAP. Uma coisa é indesmentível: apesar da crise em que nos encontramos, ou melhor, nos colocaram, é necessário rapidamente dotar o Estado, e desta feita deixemo-nos de palhaçadas, a Força Aérea, de meios próprios de combate a incêndios. Isto, claro, se continuarmos a querer que a floresta exista e contribua para a nossa economia já que é perceptível que 20 milhões de euros gastos em prevenção e quase 90 por esta altura em combate a incêndios denuncia uma grande negociata que se encontra também por detrás disto tudo, sem que frustados, depressivos, atrasados mentais ou alcoólicos fascinados por chamas sejam também eles somente os culpados pela desgraça que sucessivamente se repete todos os Verões.  :|
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 03, 2013, 06:11:06 pm
Citação de: "typhonman"
O heli do inem está em Macedo de Cavaleiros e é um A-109.

Pensei que esse helicóptero tinha ido para Vila Real, então ainda estava mais perto de Vila Nova de Foz Coa...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 03, 2013, 07:00:36 pm
Face às capacidades, aos valores de aquisição e custo operacional de qualquer um destes aviões, bem como tendo em conta o dinheiro que se gastou em outros programas (de que são exemplos os já referidos programas de desenvolvimento do A-400 e Nh-90) é escandaloso que Portugal não tenha nenhum seu... :shock:  :shock:

http://www.deagel.com/Turboprop-Airliners/Bombardier-415_a000081001.aspx

http://www.firebossllc.com/news.php#macedonia

http://www.what2fly.com/operating_cost/air_tractor/at-802a.php

http://airtractor.com/sites/default/files/brochures/Air-Tractor-AT-802F-Brochure.pdf

http://www.wipaire.com/pdf/service_manuals/1002545.pdf
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 03, 2013, 10:17:35 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "typhonman"
O heli do inem está em Macedo de Cavaleiros e é um A-109.

Pensei que esse helicóptero tinha ido para Vila Real, então ainda estava mais perto de Vila Nova de Foz Coa...

Negativo, esse A-109 foi para o Caramulo, daí ter ido lá o EH-101.


Os AT-802 e e Fire-Boss são uma mais valia, tanto em ataque inicial como ampliado, possuem um computador de bordo, que permite adequar a descarga em função do tipo de fogo existente, bem como dosear a água a despejar. Possuem ainda uma autonomia de 4 horas sobre o T.O o que é muito bom.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Ricardo Nunes em Setembro 04, 2013, 07:36:52 pm
Citação de: "typhonman"
Citação de: "Lightning"
Citação de: "typhonman"
O heli do inem está em Macedo de Cavaleiros e é um A-109.

Pensei que esse helicóptero tinha ido para Vila Real, então ainda estava mais perto de Vila Nova de Foz Coa...

Negativo, esse A-109 foi para o Caramulo, daí ter ido lá o EH-101.


Os AT-802 e e Fire-Boss são uma mais valia, tanto em ataque inicial como ampliado, possuem um computador de bordo, que permite adequar a descarga em função do tipo de fogo existente, bem como dosear a água a despejar. Possuem ainda uma autonomia de 4 horas sobre o T.O o que é muito bom.

Ora viva.

O EH-101 efectuou esta missão pois todos os outros meios aéreos existentes (INEM e ANPC) estavam já ocupados em outras missões e evacuações primárias (nesse dia pelo menos 5 bombeiros ficaram feridos em estado grave). Era simplesmente o único meio aéreo disponível.

O EH-101 não aterrou no heliporto do hospital do Porto não por questões de dimensão mas sim por questões de certificação do mesmo (o peso do EH-101 é bastante mais elevado do que de um A109).

Grande abraço,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 04, 2013, 09:48:54 pm
Citação de: "Ricardo Nunes"
Ora viva.

O EH-101 não aterrou no heliporto do hospital do Porto não por questões de dimensão mas sim por questões de certificação do mesmo (o peso do EH-101 é bastante mais elevado do que de um A109).

Grande abraço,

Obrigado pela resposta, pois realmente eu sabia que o EH101 não podia aterrar no heliporto do hospital, mas escrevi de cor ter sido por causa do tamanho e afinal estava errado, quem sabe, sabe :mrgreen: .
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 04, 2013, 10:04:52 pm
Citação de: "Ricardo Nunes"
Citação de: "typhonman"
Citação de: "Lightning"
Citação de: "typhonman"
O heli do inem está em Macedo de Cavaleiros e é um A-109.

Pensei que esse helicóptero tinha ido para Vila Real, então ainda estava mais perto de Vila Nova de Foz Coa...

Negativo, esse A-109 foi para o Caramulo, daí ter ido lá o EH-101.


Os AT-802 e e Fire-Boss são uma mais valia, tanto em ataque inicial como ampliado, possuem um computador de bordo, que permite adequar a descarga em função do tipo de fogo existente, bem como dosear a água a despejar. Possuem ainda uma autonomia de 4 horas sobre o T.O o que é muito bom.

Ora viva.

O EH-101 efectuou esta missão pois todos os outros meios aéreos existentes (INEM e ANPC) estavam já ocupados em outras missões e evacuações primárias (nesse dia pelo menos 5 bombeiros ficaram feridos em estado grave). Era simplesmente o único meio aéreo disponível.

O EH-101 não aterrou no heliporto do hospital do Porto não por questões de dimensão mas sim por questões de certificação do mesmo (o peso do EH-101 é bastante mais elevado do que de um A109).

Grande abraço,


Pergunto eu como é que o heliporto de um nos maiores hospitais nacionais, não está dimensionado para a classe de helicópeteros com o maior peso, (é especificamente dito nos Eurocódigos, que os helis acima de uma determinada tonelagem, necessitam de uma estrutura reforçada.


Um dia se houver uma tragédia, e o heli precise de levar para o hospital vários feridos urgentes como se faz?


Transferem-se para um PUMA ?  :mrgreen:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 04, 2013, 11:27:00 pm
Citação de: "typhonman"
Pergunto eu como é que o heliporto de um nos maiores hospitais nacionais, não está dimensionado para a classe de helicópeteros com o maior peso, (é especificamente dito nos Eurocódigos, que os helis acima de uma determinada tonelagem, necessitam de uma estrutura reforçada.


Um dia se houver uma tragédia, e o heli precise de levar para o hospital vários feridos urgentes como se faz?


Transferem-se para um PUMA ?  :roll:

Voltando um pouco atrás, andava à procura de informação acerca da aquisição dos 2 kits MAFFS em 1982 (200 mil contos à altura, 100 mil cada um), e deparei-me com um post bem interessante neste blog:
 :arrow: http://diogenesdobarreiro.blogspot.pt/ (http://diogenesdobarreiro.blogspot.pt/)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Bravo Two Zero em Setembro 05, 2013, 12:30:41 am
Citação de: "typhonman"
Citação de: "Ricardo Nunes"
Citação de: "typhonman"
Citação de: "Lightning"
Citação de: "typhonman"
O heli do inem está em Macedo de Cavaleiros e é um A-109.

Pensei que esse helicóptero tinha ido para Vila Real, então ainda estava mais perto de Vila Nova de Foz Coa...

Negativo, esse A-109 foi para o Caramulo, daí ter ido lá o EH-101.


Os AT-802 e e Fire-Boss são uma mais valia, tanto em ataque inicial como ampliado, possuem um computador de bordo, que permite adequar a descarga em função do tipo de fogo existente, bem como dosear a água a despejar. Possuem ainda uma autonomia de 4 horas sobre o T.O o que é muito bom.

Ora viva.

O EH-101 efectuou esta missão pois todos os outros meios aéreos existentes (INEM e ANPC) estavam já ocupados em outras missões e evacuações primárias (nesse dia pelo menos 5 bombeiros ficaram feridos em estado grave). Era simplesmente o único meio aéreo disponível.

O EH-101 não aterrou no heliporto do hospital do Porto não por questões de dimensão mas sim por questões de certificação do mesmo (o peso do EH-101 é bastante mais elevado do que de um A109).

Grande abraço,


Pergunto eu como é que o heliporto de um nos maiores hospitais nacionais, não está dimensionado para a classe de helicópeteros com o maior peso, (é especificamente dito nos Eurocódigos, que os helis acima de uma determinada tonelagem, necessitam de uma estrutura reforçada.


Um dia se houver uma tragédia, e o heli precise de levar para o hospital vários feridos urgentes como se faz?


Transferem-se para um PUMA ?  :mrgreen:

Quer um exemplo trágico-cómico ?
O heliporto do Hospital Dr Nélio Mendonça, no Funchal foi inaugurado em 2005, ano em que entraram em serviço os EH-101. Depois das primeira evacuações médicas, veio-se a observar que a estrutura do heliporto não reunia todas as condições de segurança para operar este aparelho, tendo-se recorrido ao campo de futebol ou parada do quartel do RG3, a aproximadamente 3 km
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 05, 2013, 09:06:36 am
De loucos.... :N-icon-Axe:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 05, 2013, 09:41:32 am
Nada bate o  "Helicampo" do H.S. Bernardo em Setúbal... :twisted:

Além de o referido campo permitir até a aterragem de um Chinook o seu uso serviu também para aumentar o estacionamento no interior do Hospital com a conversão do referido heliporto (que apesar das obras nunca mudou de sitio, possivelmente porque não adiantaria grande coisa já que a área está praticamente toda rodeada por prédios altos) em parque de estacionamento... :D

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.mun-setubal.pt%2Ftemps%2Fnoticias%2Foriginal_04_10_13_02_setubal_vista_aerea_01.jpg&hash=3edbd7cdbd73304cc6c51ef86860c9fc)
Cá está a panorâmica. O hospital é edificio azul.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 05, 2013, 10:38:32 am
Nem de propósito...


https://dspace.ist.utl.pt/bitstream/229 ... A-1061.pdf (https://dspace.ist.utl.pt/bitstream/2295/218822/1/Luis%20Pereira%20AFA-1061.pdf)


 :G-beer2:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 05, 2013, 06:50:43 pm
De volta aos Canadair/Bombardier dos "outros" em Portugal... :mrgreen:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-KttE4QIe6hI%2FUiZFYtFKZsI%2FAAAAAAAAM3M%2F5zupx5zfORU%2Fs1600%2F20130830_Aguieira-573s.jpg&hash=2fbaa739bb90a77a166ef9fcd84c153f)
Citar
Canadair CL-415 da Securité Civile francesa em Monte Real de onde operaram no combate aos incêndios florestais em 2013
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-dHnpefNcOS8%2FUiSDV4PwsTI%2FAAAAAAAAM2k%2FPAJhXK2Cmcs%2Fs1600%2F20130830_Aguieira-235s.jpg&hash=07583416919d4c38c46ed466c740fbe4)
Citar
Um Canadair CL-215 espanhol enche os tanques com água na albufeira da barragem da Aguieira

http://www.ironbirdphotos.com/2013/07/blog-post_14.html
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 05, 2013, 11:43:19 pm
Como sempre lindas as imagens do Paulo Mata, sobretudo a primeira onde se pode ver os 3 aparelhos franceses a reabastecer em simultâneo. E chamem-me chato ou lá o que quiserem, mas o que serve para os outros não serve para nós?  :roll:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 06, 2013, 09:00:45 am
Citação de: "Charlie Jaguar"
Como sempre lindas as imagens do Paulo Mata, sobretudo a primeira onde se pode ver os 3 aparelhos franceses a reabastecer em simultâneo. E chamem-me chato ou lá o que quiserem, mas o que serve para os outros não serve para nós?  :roll:

Realmente são bonitos... Mas voltamos a velha questão "eficiência no Portugal interior" aonde existem (por enquanto) grandes manchas florestais.

Andava por aí um artigo, que falava e explicava isto, mas não o consigo encontrar...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 06, 2013, 10:51:42 am
Vejam aqui na página 70, os avisos e limitações de scooping para aerotanques pesados anfíbios..


http://www.rep.pt/scera/docs/POD%20DEFI ... astelo.pdf (http://www.rep.pt/scera/docs/POD%20DEFIC_09_CDOS_Viana_Castelo.pdf)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 06, 2013, 10:59:27 am
Alguns links de interesse sobre as temáticas em debate.

http://naturlink.sapo.pt/Natureza-e-Ambiente/Agricultura-e-Floresta/content/O-abastecimento-de-agua-em-combate-a-incendios-e-o-planeamento-da-Rede-de-Pontos-de-agua?bl=1&viewall=true

http://www.cm-evora.pt/NR/rdonlyres/0A2952A2-268C-4E58-A48C-D985E965B42F/38487/ManualOperacionalempregodeMeiosAereosemopera%C3%A7%C3%B5esde.pdf

http://www.isa.utl.pt/pndfci/relatorio_intercalar/docs/10_3.pdf

http://www.floresta.ufpr.br/firelab/tecnicas.html

http://www.congressosindag.com.br/Palestras%202013/IEF%20PREVENCAO%20E%20COMBATE%20A%20INCENDIOS%20MG.pdf

http://cbbraganca.blogspot.pt/2013/07/meios-aereos-espanhois-para-incendios.html

http://www.rand.org/pubs/monographs/MG1234.html
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 06, 2013, 12:24:02 pm
http://naturlink.sapo.pt/Natureza-e-Amb ... ewall=true (http://naturlink.sapo.pt/Natureza-e-Ambiente/Agricultura-e-Floresta/content/O-abastecimento-de-agua-em-combate-a-incendios-e-o-planeamento-da-Rede-de-Pontos-de-agua?bl=1&viewall=true)

Era mesmo esse link...  :wink:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Nuno Bento em Setembro 09, 2013, 12:52:36 pm
O Ministro Miguel Macedo disse ontem  em entrevista que o governo vai adquirir aviões próprios de combate a incêndios. Contudo não especificou o modelo nem a quantidade.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: miguelbud em Setembro 09, 2013, 10:02:24 pm
Citação de: "typhonman"

Durante o resto do ano, a frota poderia ser empregue em cooperação com o AFN (autoridade florestal) em tarefas de reflorestação por exemplo, bem como treino e reciclagem de pilotos.

Caro typhonman, o que quer dizer com reciclagem de pilotos?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 09, 2013, 10:18:37 pm
A ver se são os Fire-Boss.... :G-beer2:

Quanto a reciclagem de pilotos, pode-se dizer que é uma actualização para combater fogos florestais, uma qualificação.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 09, 2013, 11:22:06 pm
Citação de: "Nuno Bento"
O Ministro Miguel Macedo disse ontem  em entrevista que o governo vai adquirir aviões próprios de combate a incêndios. Contudo não especificou o modelo nem a quantidade.
Não sei não. Simplesmente já não consigo acreditar ou ser optimista em relação a isso quando é um político ou administrador público a dizer tal coisa. Se forem mesmo a adquirir-se aviões próprios de combate a incêndios para o Estado então o mais provável é serem comprados para, e operados pela, EMA.

Agora, se seguirmos o mesmo caminho que Espanha, Grécia, Croácia, ou qualquer outra país europeu que opere Canadair ou AT na sua força aérea, até sou capaz de considerar ir a Fátima a pé. Talvez nem a Fátima mas a um local mais apropriado, como ir a pé até às instalações do MDN, CEMFA ou à base onde estiver colocada a esquadra que ficar com tais aeronaves.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 09, 2013, 11:51:52 pm
Citação de: "Get_It"
Citação de: "Nuno Bento"
O Ministro Miguel Macedo disse ontem em entrevista que o governo vai adquirir aviões próprios de combate a incêndios. Contudo não especificou o modelo nem a quantidade.
Não sei não. Simplesmente já não consigo acreditar ou ser optimista em relação a isso quando é um político ou administrador público a dizer tal coisa. Se forem mesmo a adquirir-se aviões próprios de combate a incêndios para o Estado então o mais provável é serem comprados para, e operados pela, EMA.

Agora, se seguirmos o mesmo caminho que Espanha, Grécia, Croácia, ou qualquer outra país europeu que opere Canadair ou AT na sua força aérea, até sou capaz de considerar ir a Fátima a pé. Talvez nem a Fátima mas a um local mais apropriado, como ir a pé até às instalações do MDN, CEMFA ou à base onde estiver colocada a esquadra que ficar com tais aeronaves.

Cumprimentos,

Já somos dois, primeiro na descrença daquilo que o Ministro disse, e depois, caso aconteça um novo milagre de Fátima, na peregrinação à base onde eles estiverem colocados.  :mrgreen:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Setembro 10, 2013, 10:23:03 am
Eu tenho uma opinião diferente deste ministro. E tenho um feeling que esses aviões virão para portugal, mas só para o EMA
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 10, 2013, 09:50:11 pm
Por falar em EMA, tinha-me passado completamente ao lado que tinha 3 "esquilos" destes... :mrgreen:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.tvi24.iol.pt%2Fmultimedia%2Foratvi%2Fmultimedia%2Fimagem%2Fid%2F13135723%2F550&hash=27d964b30c823c3ee3404a1a84429ffb)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-YxcBM7M2vk4%2FT1_Jw9G-4sI%2FAAAAAAAAKxM%2F8U7Yw75yvxY%2Fs640%2FIMG_5617.JPG&hash=ebb09ae6fedc814875de68a83ccfddba)


http://www.ema-sa.pt/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=6&Itemid=23
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 10, 2013, 11:08:33 pm
Citação de: "nelson38899"
Eu tenho uma opinião diferente deste ministro. E tenho um feeling que esses aviões virão para portugal, mas só para o EMA

Mas a EMA não vai ser extinta?  :arrow: http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Int ... t_id=84217 (http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=84217)[/quote]
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 10, 2013, 11:31:27 pm
Isso é que é notícia. Ainda não tinha visto. Mas com todas as minhas críticas à EMA não posso dizer que fico contente. Só ficaria contente se fosse feito um investimento na FAP e fossem dadas garantias (cacau) que a FAP passaria a executar todas ou parte das missões da EMA. Agora, simplesmente assim, fico mais uma vez à espera que simplesmente sejam é dados mais contratos às empresas privadas e que continue o resto na mesma...

É esperar para ver se isso é mais um erro jornalístico, do ministro ou em que é que isso vai resultar. Contudo, também não ficaria surpreendido se chegando agora a meio de Setembro todos se esqueçam do combate aos incêndios e que só para a época dos incêndios no próximo ano é que se lembrem de voltar a falar em fazer alguma coisa.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 10, 2013, 11:41:17 pm
O mais provável é transitarem os meios directamente para a ANPC, "extinguindo-se" apenas os "mamões" do Conselho de Administração da EMA.

Citar
Ora, a extinção da EMA, bem como a transferência das respetivas funções para a ANPC, encontrava -se intimamente ligada [...]

Fonte: http://dre.pt/pdf1sdip/2013/08/16201/0000200003.pdf (http://dre.pt/pdf1sdip/2013/08/16201/0000200003.pdf)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 11, 2013, 09:23:21 pm
A  EMA não foi extinta ainda porque ninguem concorreu ao concurso publico para oprar os  kamov´s e demais meios da EMA.
 
Um dica para debate dos especialistas:
 Nos ultimos dias de Agosto estiveram em operação 56 aeronaves em simultáneo.  

Alguma entidade Publica  ou a FAP  tem capacidade para deter uma frota destas?
Acho que não!!   meios alugados vai ter que existir sempre!
 Os Cannadairs fazem as delicias dos Spooters,  mas quem faz a diferença na linha da frente  são os kamov.        
 Perguntem a quem anda la em baixo no terreno o que prefere: 3 cannadair ou tres kamov´s.

 Imagens do avião C295 ao serviço da proteção civil    :G-beer2:

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 10:42:43 pm
Citação de: "chaimites"
A  EMA não foi extinta ainda porque ninguem concorreu ao concurso publico para oprar os  kamov´s e demais meios da EMA.
 
Um dica para debate dos especialistas:
 Nos ultimos dias de Agosto estiveram em operação 56 aeronaves em simultáneo.  

Alguma entidade Publica  ou a FAP  tem capacidade para deter uma frota destas?

A Força Aérea deve ter mais de 100 aeronaves, só F-16 tem quase 40 (é certo que 12 vão ser vendidos mas ainda não foram), o real problema na FAP seria os pilotos, pois a FAP não vai arranjar 56 pilotos a mais de um dia para o outro, só se parassem outras frotas para desviar pilotos...

Citar
Perguntem a quem anda la em baixo no terreno o que prefere: 3 cannadair ou tres kamov´s.

Eu acredito que o Kamov seja com toda a certeza o melhor aparelho para o combate aos fogos. Mas acho que só existem uns 6, (se estiver enganado agradeço que corrijam), no meio desses 56 aeronaves, temos 6 Kamov, e 50 de outros tipos, a minha questão é? Faz o Kamov assim tanta diferença no meio dessas 50 e tal aeronaves?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 11:59:01 pm
Voltando ao assunto dos 50 e tal meios aéreos no combate aos fogos, decidi ir ver os Espanhóis, eles não tem tantos meios, tem 17 Canadairs, 4 helicópteros pequenos EC-135 (penso que não leva balde, o site só refere transporte de pessoas) e 6 helicópteros Super Puma/Cougar com balde de capacidade útil de 2100 litros.

http://www.defensa.gob.es/ume/medios/aereos/index.html (http://www.defensa.gob.es/ume/medios/aereos/index.html)

Por isso ou eles também alugam helicópteros como nós, ou de alguma maneira operam de maneira diferente de nós e estes meios são suficientes para eles.

Ao ver os meios dos Espanhóis pensei num mundo utópico onde podíamos ter os Kamov que já temos, vinham mais 3 para o Chaimites :(
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 12, 2013, 12:32:59 am
Citação de: "chaimites"
A  EMA não foi extinta ainda porque ninguem concorreu ao concurso publico para oprar os  kamov´s e demais meios da EMA.
 
Um dica para debate dos especialistas:
 Nos ultimos dias de Agosto estiveram em operação 56 aeronaves em simultáneo.  

Alguma entidade Publica  ou a FAP  tem capacidade para deter uma frota destas?
Acho que não!!   meios alugados vai ter que existir sempre!
Nós não estamos (pelo menos eu não estou) a dizer que devíamos colocar todos os meios numa instituição governamental (FAP ou outro afim) e acabar com qualquer contratação de meios privados. A minha opinião é que não devíamos estar a permitir estes monopólios no combate aos incêndios por parte das empresas privadas e, acima de tudo, devíamos era estar a optimizar os meios que são utilizados pelo estado todos os anos e que acabam por também ser necessários durante o resto do ano.

A FAP tem mais que capacidade para deter uma frota dessas. Afinal de contas eles são quem treina um grande número de pilotos que depois vão para o sector privado/civil e também têm uma estrutura completa desde a AFA às esquadras de treino.

No ponto de vista de aeronaves dedicadas ao combate aos incêndios o único senão é a falta de verbas (é fácil, é só reduzir o número de contratos aos privados e aumentar o orçamento da FAP) e a falta de pilotos (é fácil, que tivessem mais cedo colocado a FAP a combater os incêndios que hoje já tínhamos mais pilotos nos quadros). E depois claro: a corrupção-- perdão, a falta de vontade política.

Agora, no ponto de vista de número de aeronaves (essas tais 56) já é mais difícil, mas a FAP teria capacidade de pelo menos de aumentar o seu número actual de aeronaves nos incêndios (mesmo aeronaves com capacidade de descarga de água e transporte de equipas) de 0 para talvez uns 20. Depois os restantes (pelo menos os Kamovs) poderiam ser operados por outra entidade governamental (seja ANPC, força de bombeiros profissional, etc.) e por contratos públicos.

Nesses 56 meios aéreos também estão incluídos os meios não-privados enviados por outros países. Certo?

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 12, 2013, 02:34:03 am
Caro  Lightning
 
 Num Portugal utópico eu compraria 12 helicopteros medios/ pesados para o Exercito e  no verão eles davam uma "asinha"  nos incendios florestais  
 matava-se dois coelhos com uma cajadada.  
Compraria 12 helis medios  para a FAP  para substituir os allouete  e que pudessem carregar um balde  durante o verão.
 Os  Kamov´s e os fire boss  ficavam sob alçada da proteção civil.
 
 O resto das necessidades ficariam a cargo de empresas privadas, mediante concurso publico claro e sem artimanhas.

  Os 56 meios aereos incluiam  os  5 canadairs  tres Franceses e dois Croatas,  o All3 e o C295 da FAP que estiveram a fazer control aereo.
 
  PS1: ja devem ter reparado,  sou  fã incondicional dos Kamov32,  mas não quero  com isso tirar valor  aos Cannadairs. são meios diferentes pensados para actuar em meios diferentes  e na nossa geografia os kamov adaptam-se melhor.
  PS 2: um autentico disparate e desperdicio de dinheiro  colocar meios aereos a combater chamas em mato,   ou a fazer rescaldos...como muitas vezes se vê
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 12, 2013, 10:15:01 am
Sabem, no fundo, eu so lamento uma coisa: que os militares , neste caso  a Força Aerea não tenha a frontalidade ,talvez não o faça por respeito institucional,
 de dizer ao Ministro da Defesa ou ao Minisro da Administração interna:  Nâo! nao combatemos incendios florestais  porque não temos meios ; nao temos orçamento, as nossas   aeronaves não foram pensadas para isso.  
  estamos disponíveis mas precisamos de XXX milhões  xxx aeronaves,  contratar mais N pessoal etc etc!
 
 O Ministro cada vez que fala na FAP para combater incendios florestais  ou esta a gozar com os militares ou não entende patavina do assunto!  
 Pior que tudo é que o povinho com as sucessivas declarações do Ministro  continua a acreditar que as bases estão cheias de aviões parados e militares a dormir á sua sombra.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 12, 2013, 12:34:37 pm
Citação de: "chaimites"
Sabem, no fundo, eu so lamento uma coisa: que os militares , neste caso a Força Aerea não tenha a frontalidade ,talvez não o faça por respeito institucional,
de dizer ao Ministro da Defesa ou ao Minisro da Administração interna: Nâo! nao combatemos incendios florestais porque não temos meios ; nao temos orçamento, as nossas aeronaves não foram pensadas para isso.
estamos disponíveis mas precisamos de XXX milhões xxx aeronaves, contratar mais N pessoal etc etc!

O Ministro cada vez que fala na FAP para combater incendios florestais ou esta a gozar com os militares ou não entende patavina do assunto!
Pior que tudo é que o povinho com as sucessivas declarações do Ministro continua a acreditar que as bases estão cheias de aviões parados e militares a dormir á sua sombra.

Subscrevo na íntegra, infelizmente.


Entretanto, e a respeito deste assunto, retirado do site da FAP.

Citar
No âmbito do apoio à ANPC também a Esquadra 552, que opera o helicóptero ALOUETTE III, efetuou quatro missões de reconhecimento, avaliação e coordenação aérea nos distritos onde deflagraram incêndios, auxiliando o Comando Nacional de Operações de Socorro na tomada de decisão.

Vários meios e unidades militares da Força Aérea encontram-se empenhadas, a pedido da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), no apoio às operações de combate a incêndios florestais na zona norte e centro do país. Este dispositivo desempenhou e encontra-se a efetuar várias missões de apoio à ANPC, desde 21 de agosto, com recurso a aeronaves (ALOUETTE III e C-295M) com características, capacidades e sistemas que possibilitam a observação aérea e visualização estratégica da zona de operações para ações de reconhecimento e de monitorização de zonas de operação, recolha de informação, avaliação de situações e coordenação de meios no terreno, bem como com o empenhamento de uma máquina de rasto, para abertura de aceiros em zonas de díficil acesso.

Também as bases aéreas localizadas em Beja, Sintra, Montijo e Monte Real e o Aeródromo de Manobra Nº1 - Ovar - encontram-se a prestar apoio no reabastecimento e parqueamento de aeronaves nacionais e estrangeiras, como os Canadair franceses, que vieram reforçar o dispositivo da ANPC, bem como na cedência de instalações para descanso das respetivas tripulações.

Para além da ação destas aeronaves e do apoio prestado por estas unidades militares, um helicóptero EH-101 MERLIN efetuou, no dia 29 de agosto, a evacuação médica urgente de um bombeiro ferido, transportado de Vila Nova de Foz Côa para o Regimento de Artilharia Nº5, no Porto, de onde foi encaminhado para o Hospital da Prelada

Alouette III
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emfa.pt%2Fwww%2Fconteudos%2Fgaleria%2Fnoticias%2F2013%2Fagosto%2Fa-mais-pequena-solicitacao%2Faliii-incendios-custom_2988.jpg&hash=1b1eb47407054ddc061b03a5bab46f23)

Alouette III
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emfa.pt%2Fwww%2Fconteudos%2Fgaleria%2Fnoticias%2F2013%2Fagosto%2Ffap-no-apoio-ao-combate-aos-incendios%2Faloue_2296.JPG&hash=435b9f22d178e89c8b44abcd7a5bfc85)

Evacuação médica EH-101 Merlin
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emfa.pt%2Fwww%2Fconteudos%2Fgaleria%2Fnoticias%2F2013%2Fagosto%2Ffap-no-apoio-ao-combate-aos-incendios%2Feh_1827.jpg&hash=8555b6297df4fbd024f92f66a4bf1b1a)

Imagem nocturna registada pelos sistemas do C-295M
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emfa.pt%2Fwww%2Fconteudos%2Fgaleria%2Fnoticias%2F2013%2Fagosto%2Ffap-no-apoio-ao-combate-aos-incendios%2Fc295sistemas_1215.jpg&hash=847e582174435ce8236cd2a0350a10c1)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 13, 2013, 12:53:40 pm
Tecnica não utilizada em Portugal:
construção de linhas de contenção e aceiros com recurso a explosivos
mais rapido que buldozers ou sapadores com ferramentas manuais.

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 14, 2013, 01:44:45 pm
Assunto um pouco diferente, todavia relacionado com a temática que se discute neste tópico.

Citar
Governo Sócrates responsabilizado por aeródromo de 8 milhões

Por Filipe Morais
publicado em 14 Set 2013 - 05:00

Autarquia candidatou-se à instalação da base da Protecção Civil. Caderno de encargos exigia pista com capacidade para aviões pesados

Foram 8 milhões de euros para aumentar o aeródromo de Ponte de Sor, mas o investimento teve em conta a candidatura à instalação da base aérea da EMA, com os meios aéreos da Protecção Civil, ainda em 2007. O presidente da Câmara de Ponte de Sor, João Taveira Pinto, disse ontem ao i que a dimensão da pista, que pode receber aviões da dimensão do Airbus A320, se devia "ao caderno de encargos, que pedia uma pista com capacidade para receber os aviões pesados de combate a incêndios". "O nosso objectivo não é ter cá passageiros", mas o "governo acabou por não os comprar. O concurso foi lançado ainda com António Costa como ministro da Administração Interna, mas depois ele saiu e o ministro seguinte (Rui Pereira) deixou cair a compra dos aviões. O governo não cumpriu no que respeitava aos aviões de carga, só que as obras da pista já estavam a ser feitas", justifica o autarca, negando que tenha sido uma má despesa pública, apesar de ser explicada no livro "Má Despesa Pública nas Autarquias", que o i referiu ontem.

No concurso de 2007, a avaliação às instalações refere que foi tida em conta a capacidade da pista para a "operação das aeronaves já adquiridas e a adquirir pelo Estado, designadamente os helicópteros médios e ligeiros e os aviões pesados anfíbios". A avaliação procurou ainda "disponibilidade de espaço para a instalação dos serviços de operação e manutenção das aeronaves [...] com os diversos apoios considerados mínimos e indispensáveis a uma operação aérea para seis helicópteros médios, quatro helicópteros ligeiros e dois a quatro aviões pesados". Para isso, o concurso pedia uma placa de estacionamento mínima de 8 mil m2, uma pista com um mínimo de 1500 metros e "infra-estruturas de aeródromo de classe 2C, aprovado pelo INAC". O mesmo documento refere que a pista já tinha então mil metros "onde seria fácil acolher uma extensão até aos 1500 metros e respectiva electrificação".

Portugal tinha comprado, em 2006, seis helicópteros pesados Kamov Ka-32, que entraram ao serviço em 2008. Entretanto, o governo decidiu extinguir a EMA, passando o Estado a alugar helicópteros para combate a incêndios. Este ano, a Autoridade Nacional de Protecção Civil assinou num contrato de aluguer de 25 helicópteros ligeiros com a empresa Everjets, num negócio de cerca de 40 milhões de euros.

João Taveira Pinto garante que, apesar da dimensão, as instalações do aeródromo estão a ser dinamizadas: "Temos de vender o que cá temos. Evoluímos e queremos que aquele seja um espaço-âncora. Já lá temos a base da EMA (Empresa de Meios Aéreos, criada em 2007), a escola de formação e certificação de pilotos e estamos a preparar um campus universitário, que terá cursos relacionados com a Aeronáutica" para cerca de 200 alunos, garantiu. O autarca, em fim de mandato, acrescenta ainda que a Força Aérea já usou aquele aeródromo como campo de treino e que os aviões C-130 já estiveram baseados naquela pista.

 :arrow: http://www.ionline.pt/artigos/portugal/ ... -8-milhoes (http://www.ionline.pt/artigos/portugal/governo-socrates-responsabilizado-aerodromo-8-milhoes)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Nuno Bento em Setembro 14, 2013, 03:21:18 pm
Citação de: "Charlie Jaguar"
Assunto um pouco diferente, todavia relacionado com a temática que se discute neste tópico.

Citar
Governo Sócrates responsabilizado por aeródromo de 8 milhões

Por Filipe Morais
publicado em 14 Set 2013 - 05:00

Autarquia candidatou-se à instalação da base da Protecção Civil. Caderno de encargos exigia pista com capacidade para aviões pesados

Foram 8 milhões de euros para aumentar o aeródromo de Ponte de Sor, mas o investimento teve em conta a candidatura à instalação da base aérea da EMA, com os meios aéreos da Protecção Civil, ainda em 2007. O presidente da Câmara de Ponte de Sor, João Taveira Pinto, disse ontem ao i que a dimensão da pista, que pode receber aviões da dimensão do Airbus A320, se devia "ao caderno de encargos, que pedia uma pista com capacidade para receber os aviões pesados de combate a incêndios". "O nosso objectivo não é ter cá passageiros", mas o "governo acabou por não os comprar. O concurso foi lançado ainda com António Costa como ministro da Administração Interna, mas depois ele saiu e o ministro seguinte (Rui Pereira) deixou cair a compra dos aviões. O governo não cumpriu no que respeitava aos aviões de carga, só que as obras da pista já estavam a ser feitas", justifica o autarca, negando que tenha sido uma má despesa pública, apesar de ser explicada no livro "Má Despesa Pública nas Autarquias", que o i referiu ontem.

No concurso de 2007, a avaliação às instalações refere que foi tida em conta a capacidade da pista para a "operação das aeronaves já adquiridas e a adquirir pelo Estado, designadamente os helicópteros médios e ligeiros e os aviões pesados anfíbios". A avaliação procurou ainda "disponibilidade de espaço para a instalação dos serviços de operação e manutenção das aeronaves [...] com os diversos apoios considerados mínimos e indispensáveis a uma operação aérea para seis helicópteros médios, quatro helicópteros ligeiros e dois a quatro aviões pesados". Para isso, o concurso pedia uma placa de estacionamento mínima de 8 mil m2, uma pista com um mínimo de 1500 metros e "infra-estruturas de aeródromo de classe 2C, aprovado pelo INAC". O mesmo documento refere que a pista já tinha então mil metros "onde seria fácil acolher uma extensão até aos 1500 metros e respectiva electrificação".

Portugal tinha comprado, em 2006, seis helicópteros pesados Kamov Ka-32, que entraram ao serviço em 2008. Entretanto, o governo decidiu extinguir a EMA, passando o Estado a alugar helicópteros para combate a incêndios. Este ano, a Autoridade Nacional de Protecção Civil assinou num contrato de aluguer de 25 helicópteros ligeiros com a empresa Everjets, num negócio de cerca de 40 milhões de euros.

João Taveira Pinto garante que, apesar da dimensão, as instalações do aeródromo estão a ser dinamizadas: "Temos de vender o que cá temos. Evoluímos e queremos que aquele seja um espaço-âncora. Já lá temos a base da EMA (Empresa de Meios Aéreos, criada em 2007), a escola de formação e certificação de pilotos e estamos a preparar um campus universitário, que terá cursos relacionados com a Aeronáutica" para cerca de 200 alunos, garantiu. O autarca, em fim de mandato, acrescenta ainda que a Força Aérea já usou aquele aeródromo como campo de treino e que os aviões C-130 já estiveram baseados naquela pista.

 :arrow: http://www.ionline.pt/artigos/portugal/ ... -8-milhoes (http://www.ionline.pt/artigos/portugal/governo-socrates-responsabilizado-aerodromo-8-milhoes)

Tretas de politico.

O Aeródromo está ás moscas mas as obras continuam! A forca aérea não precisa dele, tem Tancos muito perto  com infraestruturas militares com muito  mais capacidade (5 mnt de voo). A realidade foi que o aeródromo foi um lóbi.

Desperdício de $ mais nada não tem qualquer utilidade.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 15, 2013, 10:39:57 pm

Os AT802 Fire Boss são de facto dos aviões mais eficazes no TO muito melhores que os cannadair  e por uma fração do custo.

Se o ministro descobre isto............a força aerea fica reduzida a  AT 802

http://www.802u.com/sites/default/files/AT-802U_Brochure_07_10.pdf

 Não deixava de ser uma boa opção para patrulhamento aereo....
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Setembro 15, 2013, 10:52:15 pm
Excelente video!
E que é feito destes PZL?

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 16, 2013, 02:50:30 am
Desmontados e devolvidos a Polonia de camião.
 eram 8  actuaram ate 2010

Grandes maquinas, mas o tempo delas  passou, o lugar deles agora é o museu.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Nuno Bento em Setembro 16, 2013, 11:52:07 am
Citação de: "chaimites"

Os AT802 Fire Boss são de facto dos aviões mais eficazes no TO muito melhores que os cannadair  e por uma fração do custo.

 Não deixava de ser uma boa opção para patrulhamento aereo....

Mas qual é a diferença de preço para os Canadair? Sei que um canadair anda pelos 31 milhões de USD (pelo menos foi o que vi no seguinte  http://planes.findthebest.com/ (http://planes.findthebest.com/).

agora quanto ao preço dum AT802 não faço a mínima ideia
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: miguelbud em Setembro 16, 2013, 12:02:19 pm
A Macedonia comparou 3 por 10.3M USD, preço que inclui entre outras coisas o treino dos pilotos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 16, 2013, 01:51:56 pm
Custo   por hora de voo.

 Os helicópteros Kamov -  gastam 1000 euros só para levantar voo e depois 1600 euros por hora,
  Os aviões cannadair  gastam 1250€/hora
  Os "helis" ligeiros 600€ para levantar e 1000€/hora
 Um AT802 Fire Boss 400 € hora  
 e segundo o ultimo relatório da Força Aerea cada descarga de um C130 custaria 4000€
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: miguelbud em Setembro 16, 2013, 02:53:38 pm
Uma perfunta um pouco off-topic.
Se a FAP adquirisse AT-802F  ou Fire Bosses, faria sentido adquirir também a versao militar doa Air tractor (AT-802U) para interceptar os teco tecos vindos do norte de Africa?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 16, 2013, 06:09:25 pm
Citação de: "chaimites"
Se o ministro descobre isto............a força aerea fica reduzida a  AT 802

Qual ministro? O MAI? Ele não manda na Força Aérea :wink: , que paises é que usam esse avião nessa função?

Seria uma boa opção para patrulhamento aéreo se não existissem aviões com velocidade superior a 200 nós :lol: .
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Setembro 16, 2013, 07:33:05 pm
Há sempre esta opção:  :D
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 17, 2013, 09:51:07 am
Lightning
 
 Eu estava a gozar!
 esqueci o smilie verde  :mrgreen:

 que eu saiba so venderam 10 aos Emiraos Arabes Unidos com a designação.
"The counter-insurgency aircraft"
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 17, 2013, 12:37:13 pm
[Off-Topic On]

Citação de: "chaimites"
que eu saiba so venderam 10 aos Emiraos Arabes Unidos com a designação.
"The counter-insurgency aircraft"

O AT-802U é uma aeronave anti-guerrilha, como se dizia antigamente, ou COIN como agora se diz usando o acrónimo de COunter-INsurgency. Faria pouco sentido a sua aquisição. Se a intenção fosse andar atrás das avionetas que vêm sob a cobertura radar do Norte de África e Espanha carregadas de estupefacientes, voando baixo o suficiente para apanhar rede das torres de difusão de sinal de telemóvel e aterrar em aeródromos improvisados, então que se adquirisse o Super Tucano embora os F-16 façam o seu devido trabalho de interceptores, mesmo quando os pilotos por vezes não possam fazer mais do que observar e avisar as autoridades enquanto os Cessna aterram e começam a descarregar. Temos cá a Embraer, tanto em Alverca como em Évora, que já não sei quantas vezes pessoas que lá trabalham me perguntam porque não substituímos os Epsilon e Alpha-Jet A por Super Tucanos e os Falcon 50 por ERJ 135/145/Legacy. Mas isso é assunto para outros tópicos, desculpem.

[Off-Topic Off]


Citação de: "Lightning"
Qual ministro? O MAI? Ele não manda na Força Aérea  , a Força Aérea tem outras responsabilidades que esse avião não consegue fazer, consegue recuperar pessoas no mar como um helicoptero? consegue fazer patrulhamento maritimo como um P-3? consegue largar pára-quedistas como um C-130 ou C-295? Ele se quiser que crie a sua Força Aérea dentro do MAI, que distração a minha, já existe chama-se EMA lol.

A força aérea particular do MAI, a EMA, tem os dias contados e, pelos vistos, não parece haver grande vontade do poder político em deslocar as aeronaves da ex-EMA para a FAP, por muitos processos de intenções e declarações que dêem a entender o contrário. Deverá tudo passar para a ANPC, como se adivinha. Quanto a aeronaves, força com os Fire Boss, mas se viessem também 2 ou 4 Canadair/Bombardier não se perdia nada.  :?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 17, 2013, 01:13:33 pm
Neste momento A EMA tem 4 operacionais 1 em manutenção
o normal seria 5 operacionais e 1 em manutenção  
O que foi acidentado esta no hangar,  a heliportugal responsavel pela manutenção das aeronaves da EMA  entregou  um orçamento para reparação na ordem dos 83 mil euros,  (substituição das pas) não foi reparado  porque a EMA não aprovou  o orçamento. :mrgreen:  :N-icon-Axe:

Citar
Autorizar a realização da despesa relativa à locação
de um helicóptero pesado para a prossecução das missões
públicas de combate aos incêndios florestais atribuídas ao
Ministério da Administração Interna (MAI), para o período
compreendido entre 1 de agosto e 31 de outubro de 2013,
no montante de 1 295 000,00 EUR, ao qual acresce o IVA
à taxa legal em vigor.

 
A 1 de Setembro o conselho de ministros autoriza o aluguer de dois helis ligeiros  por 600 mil euros em substituição do pesado.
O MAI  anuncia  pomposamente de poupou meio milão de  euros!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 20, 2013, 01:06:31 am
Citação de: "chaimites"
Lightning
 
 Eu estava a gozar!
 esqueci o smilie verde  :mrgreen:

Eu percebi que era a gozar a parte da Força Aérea trocar os aparelhos que tem pelos AT-802 :wink: .

A parte de fazerem patrulhamento aéreo é que não achei que fosse a gozar, há pessoal que fala nos Tucano, este podia ser mais um hipótese semelhante... :G-beer2:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 20, 2013, 12:10:39 pm
Comvem realçar que a FAP sempre teve uma visão realista face ás investidas dos politicos.
Os relatórios dos estudos feitos pela FA e entregues ao MAI no que diz respeito á sua participação nos incendios florestais são claros:
São precisos 5 anos para que um dispositivo da  FA esteja operacional a 100% para combate a incendios florestais.  
Compra das aeronaves, formação e Qualificação  de pilotos,  mecanicos, equipas de logistica. etc etc
(A não ser que a FA contratasse civis para cumprir esta missão)

No que diz respeito a incendios florestais tudo o que é planeamento  e estrategia a curto prazo, é para encher jornais.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 20, 2013, 01:17:26 pm
Incendio Viana do Castelo

Ás 3 horas  da tarde fez-se noite e o sol escondeu-se atraz de  uma forte coluna de fumo negro  
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg802%2F2319%2F4u41.jpg&hash=5686559ff647657ba5dafa3f79a320f6)

O inferno descia á terra
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg580.imageshack.us%2Fimg580%2F4144%2F9jf6.jpg&hash=04a7ac2460eb378eda3bdfdf1679edbe)

A impotencia perante o monstro.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg513.imageshack.us%2Fimg513%2F340%2Fru2e.jpg&hash=ab2464e3811d0c947aacacb44f66cba7)

 Do ceu os Anjos da guarda trouxeram a esperança. sob a forma de um arco Iris

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg90.imageshack.us%2Fimg90%2F6536%2Fg4pg.jpg&hash=863642e2ee825cca831fbb09ae914936)
 
"Anjos sob os nossos ombros"
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg194%2F5853%2Fip0p.jpg&hash=2099fd2c093141d67b63ab4923a9a4d2)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg547%2F7826%2Fcfbq.jpg&hash=112b521bb1ff9f9176a7d12671c8c7d1)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg842%2F1926%2Fk6ht.jpg&hash=3eb4e0e672f24eda698619a6a27c9b22)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg801%2F457%2F1gt5.jpg&hash=fe93b67afd729369c398fe4cd2ce4a12)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Setembro 20, 2013, 02:52:27 pm
I LOVE FIRE-BOSS.  c34x
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: chaimites em Setembro 20, 2013, 04:27:35 pm
Citação de: "typhonman"
I LOVE FIRE-BOSS.  c34x

Tambem eu..............................
 e impressionante a forma  como eles picam para a frente de fogo, para fazer descargas certeiras,  e depois manobram para sair de la!
Mais algumas:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg593%2F3718%2Fu7rf.jpg&hash=591b24c7f2661a2e06c6cce23afbf9b2)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg844%2F5303%2Fkir6.jpg&hash=d42fd190d95517c2f4bf133406a05322)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg10%2F9946%2Fp8lz.jpg&hash=ee7999be73d3c4e5eed4852a9deda6d0)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg33%2F4473%2Foxr7.jpg&hash=35354f20fdde0bdc4914f5e5964ea777)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 21, 2013, 09:49:33 am
Fireboss in action... :G-beer2:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 21, 2013, 03:38:15 pm
Go Fire Boss... e 2 ou 4 Bombardier 415!  c34x
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 22, 2013, 01:05:38 am
Meus amigos vamos lá ficar por aqui com as fotos ai dos "tratores" e "Bosses", quando isso estiver na Força Aérea muito bem, mas ainda não está.

PS: Vai um gajo da aldeia para a Tropa para ver se larga a enxada e vem para aqui estes gajos falar em tratores para a Força Aérea, até me dá pesadelos :mrgreen: .
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Outubro 21, 2013, 01:47:08 pm
!!Ya hay kit!!.... :D

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-X1793xkmfWA%2FUmTk8KN8gPI%2FAAAAAAAADik%2FqhhLunMaM6k%2Fs1600%2Fimage002-719181.png&hash=43ee5722f39e6700d63bff6534f9ad64)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-7Ux1SAUG8gA%2FUmTk8yvVbyI%2FAAAAAAAADiw%2F2IvcJ3ti4ZM%2Fs1600%2Fimage003-722506.png&hash=2b54a50d50b3dd23653390e0828a27aa)

http://blog.sandglasspatrol.com/index.p ... irefighter (http://blog.sandglasspatrol.com/index.php/noticias/40-militar/1255-fotophoto-c295-apagafuegos--firefighter)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Outubro 22, 2013, 04:55:22 pm
Citação de: "Menacho"
!!Ya hay kit!!.... :mrgreen:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Outubro 23, 2013, 09:11:18 am
Sem dúvida.... :mrgreen:

Malvados, que nem para lançar água servem... :mrgreen:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Outubro 23, 2013, 10:51:46 am
Não fazia ideia que existia um kit de combate a incêndios para o C-295, mas havendo bem que se podiam comprar dois extra só para o combate a incêndio e ficarem a cargo da força aérea. Em termos de manutenção e suporte não haveria assim nenhum problema pois é uma aeronave já em si operada pela FAP.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Novembro 09, 2013, 12:59:48 am
OPSAS, os bombeiros da Força Aérea

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Dezembro 13, 2013, 09:48:54 pm
http://www.passarodeferro.com/2013/12/ema-oficialmente-extinta-m1319-384pm2013.html

OU muito me engano ou os Kamov são os próximos a "ir de vela"... :(

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Dezembro 16, 2013, 06:36:08 pm
AIRBUS MILITARY TESTA VERSÃO DE COMBATE A INCÊNDIOS DO C295

http://www.passarodeferro.com/2013/12/a ... mbate.html (http://www.passarodeferro.com/2013/12/airbus-military-testa-versao-de-combate.html)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Dezembro 25, 2013, 03:11:27 pm
E como vai chovendo, ventando e nevando, afinal estamos no Inverno, o assunto à volta das aeronaves de combate a incêndios literalmente congelou. Enquanto isso os nossos vizinhos marroquinos e espanhóis vão adquirindo mais meios, neste caso Bombardiers 415, e preparando-se e precavendo-se para o próximo Verão. Por cá...  :roll:


Air International Janeiro 2014
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg842.imageshack.us%2Fimg842%2F6851%2F8kgz.jpg&hash=b105baead08e4cf31d9e8224b78aa3c5)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Janeiro 01, 2014, 09:56:50 pm
Só faltam 5 meses, para recomeçar o inferno... :roll:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 01, 2014, 10:21:50 pm
Citação de: "typhonman"
Só faltam 5 meses, para recomeçar o inferno... :roll:

Infelizmente as coisas vão se manter, a empresa responsável pelos meios aéreos foi extinta e solução não há, mais cedo ou mais tarde abrirá o concurso para contratar meios privados e no pico do inferno vamos andar a pedir ajuda a meio mundo. Os políticos vão dizer que as soluções continuam a ser estudadas e que vão investir mais uns milhões de euros em gabinetes de advogados e de empresas de consultadoria.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Janeiro 02, 2014, 10:48:44 am
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "typhonman"
Só faltam 5 meses, para recomeçar o inferno... :roll:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 03, 2014, 03:11:10 pm
Citação de: "typhonman"
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "typhonman"
Só faltam 5 meses, para recomeçar o inferno... :roll:

Dentro do mesmo tema, mesmo sendo um pouquinho lateral, quanto à questão da prevenção este Governo está a ser um completo desastre ao autorizar o plantio indiscriminado do eucalipto. Segundo dados recentes, neste momento já 60% da floresta portuguesa é constituída por eucaliptos, uma praga vinda da Austrália que suga a água toda dos terrenos, é altamente combustível, mas infelizmente de rápido crescimento e por isso muito rentável para as empresas de celulose e a indústria da pasta de papel.

As áreas que ficaram desmatadas devido aos incêndios deviam ser repovoadas com árvores autóctones e da nossa fauna como o carvalho, o sobreiro, a azinheira e o castanheiro, mesmo que levassem várias décadas até essas áreas ficarem arborizadas novamente. É um crime permitir a expansão indiscriminada do eucalipto só por causa de aspectos económicos, algo que os bombeiros se cansam de referir mas que a tutela faz ouvidos de mercador. E assim, com isto, a indefinição quanto aos meios, a questão da preparação adequada dos bombeiros, o facto de 85% da nossa floresta pertencer a privados, etc, torna-se numa bomba-relógio. Mas afinal está frio, chove, e pode ser que o Portas reze a outra Nossa Senhora quando começarem de novo os grandes fogos florestais, tal e qual como aquando do "Préstige".  :roll:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 17, 2014, 09:38:42 am
Para encerrar o tópico de vez...

Decreto-Lei n.º 8/2014. D.R. n.º 12, Série I de 2014-01-17
Ministério da Administração Interna
Define o processo de extinção da EMA - Empresa de Meios Aéreos, S. A.

http://dre.pt/pdf1sdip/2014/01/01200/0038900391.pdf (http://dre.pt/pdf1sdip/2014/01/01200/0038900391.pdf)

Citar
Artigo 4.º
Meios aéreos
1 — Sem prejuízo de determinação diversa mediante deliberação do acionista Estado, a ANPC assume a gestão
dos meios aéreos que integram o património da EMA
, no termo do processo de liquidação desta sociedade.

2 — Os meios aéreos referidos no número anterior mantêm o estatuto de aeronaves de Estado, desde que permaneçam afetos à prossecução de missões públicas que incluem, para além da prevenção e combate de incêndios
florestais, a vigilância de fronteiras, a recuperação de sinistrados, a segurança rodoviária, o apoio às forças
e serviços de segurança, proteção e missões de socorro e assistência aos cidadãos, em articulação com a Autoridade
Aeronáutica Nacional, sempre que tal se revele necessário.

3 — Os meios aéreos referidos no n.º 1 mantêm ainda o estatuto de aeronaves de Estado quando desempenhem
missões públicas para além das referidas no número anterior, desde que assim seja determinado por despacho
dos membros do Governo responsáveis pelas áreas da administração interna e dos transportes [nota: MDN não dá uma para a caixa], que especifica a natureza das missões em causa, após parecer prévio da Autoridade Aeronáutica Nacional.

4 — Os meios aéreos referidos no n.º 1 qualificados como aeronaves de Estado, após a transmissão da respetiva
propriedade para a ANPC
, são inscritos no Registo Aeronáutico Nacional, em nome desta Autoridade.

5 — A utilização dos meios aéreos referidos no número anterior depende da atribuição de título de navegabilidade
emitido pelo Instituto Nacional de Aviação Civil, I. P. (INAC, I. P.)
, nos termos da legislação aplicável às aeronaves civis, em função da respetiva tipologia e com as necessárias adaptações, designadamente as que se
encontram previstas no Regulamento n.º 216/2008, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de fevereiro de 2008, relativo a regras comuns no domínio da aviação civil e que cria a Agência Europeia para a Segurança da Aviação, e que revoga a Diretiva 91/670/CEE do Conselho, o Regulamento (CE) n.º 1592/2002 e a Diretiva 2004/36/CE.

6 — O INAC, I. P., supervisiona a operação e a manutenção dos meios aéreos referidos no n.º 1 qualificados como aeronaves de Estado, nos termos definidos pelo detentor do certificado tipo emitido pela autoridade primária de certificação, e supervisiona a respetiva aeronavegabilidade permanente através das ações de controlo, inspeção e fiscalização necessárias para o efeito.

7 — A ANPC adota as medidas necessárias para assegurar a gestão dos meios aéreos, nos termos do disposto
no n.º 1 do presente artigo, no artigo 15.º do Decreto -Lei n.º 73/2013, de 31 de maio, e na demais legislação aplicável.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 25, 2014, 05:28:32 pm
Citação de: "Charlie Jaguar"
Citação de: "typhonman"
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "typhonman"
Só faltam 5 meses, para recomeçar o inferno... :roll:

Dentro do mesmo tema, mesmo sendo um pouquinho lateral, quanto à questão da prevenção este Governo está a ser um completo desastre ao autorizar o plantio indiscriminado do eucalipto. Segundo dados recentes, neste momento já 60% da floresta portuguesa é constituída por eucaliptos, uma praga vinda da Austrália que suga a água toda dos terrenos, é altamente combustível, mas infelizmente de rápido crescimento e por isso muito rentável para as empresas de celulose e a indústria da pasta de papel.

As áreas que ficaram desmatadas devido aos incêndios deviam ser repovoadas com árvores autóctones e da nossa fauna como o carvalho, o sobreiro, a azinheira e o castanheiro, mesmo que levassem várias décadas até essas áreas ficarem arborizadas novamente. É um crime permitir a expansão indiscriminada do eucalipto só por causa de aspectos económicos, algo que os bombeiros se cansam de referir mas que a tutela faz ouvidos de mercador. E assim, com isto, a indefinição quanto aos meios, a questão da preparação adequada dos bombeiros, o facto de 85% da nossa floresta pertencer a privados, etc, torna-se numa bomba-relógio. Mas afinal está frio, chove, e pode ser que o Portas reze a outra Nossa Senhora quando começarem de novo os grandes fogos florestais, tal e qual como aquando do "Préstige".  :?

Citar
Eucaliptos dominam pedidos ao abrigo da nova lei de arborização
Ricardo Garcia   25/01/2014 - 09:25

Nos três primeiros meses da polémica legislação, 92% da área de novas florestas ou reflorestações refere-se a esta espécie.

Os eucaliptos estão a dominar plantação ou replantação de florestas ao abrigo de uma nova legislação que organizações ambientalistas e alguns académicos querem ver revogada.


O novo regime legal, publicado em Julho passado e em vigor desde Outubro, passou a considerar os eucaliptos como qualquer outra espécie florestal, deixando de estar sujeito à regulamentação própria que existia desde 1988. Segundo a lei, a plantação de novas áreas florestais (arborização) ou a replantação de áreas degradadas, cortadas ou ardidas (rearborização) está sujeita a uma autorização quando a superfície ocupada for superior a dois hectares. Abaixo deste limite, basta uma comunicação prévia. A regra vale para todas as espécies.

Entre 17 de Outubro e 31 de Dezembro, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) recebeu 193 pedidos de autorização e 175 comunicações prévias, para acções que cobrem, no total, 2626 hectares. A esmagadora maioria desta área refere-se a intenções de plantar eucaliptos (92%). Do restante, metade refere-se a áreas de pinheiro-manso e o resto está repartido entre diversas outras espécies.

Os números confirmam uma tendência que vem sendo observada na floresta portuguesa há pelo menos duas décadas. A área de eucalipto tem vindo a aumentar continuamente, pelo seu rendimento económico a curto prazo. Segundo os dados mais recentes do Inventário Florestal Nacional, os eucaliptos tiveram um crescimento de 13% entre 1995 e 2010 e são hoje a espécie dominante na floresta portuguesa, com 812 mil hectares plantados.

Em sentido contrário caminha o pinheiro-bravo, que está a ser dizimado pelos fogos, por uma praga florestal (o nemátodo) e pelo consequente desinteresse na sua exploração. A área ocupada caiu 27% entre 1995 e 2010 e a espécie, que antes era dominante, está agora na terceira posição, abaixo dos eucaliptos e colada aos sobreiros. A falta de interesse pelo pinheiro-bravo revela-se nos números da aplicação da nova lei. Apenas 0,7% da área das arborizações ou rearborizações entre Outubro e Dezembro são daquela espécie. Mais sucesso está a ter o pinheiro-manso, a segunda espécie mais importante nos pedidos de autorização ou comunicações prévias – 4% da área total. O interesse crescente pelo pinheiro-manso já estava identificado no Inventário Florestal, que regista uma subida de 54% na área ocupada, entre 1995 e 2010.

A nova lei sobre arborização e rearborização tem sido fortemente contestada, por alegadamente facilitar a expansão dos eucaliptos. Há mais de duas décadas que a espécie é vista por muitos como um perigo, pelos riscos de elevado consumo de água, de erosão dos solos e da aposta numa monocultura florestal com pouco potencial em termos de biodiversidade. Segundo a legislação que foi agora revogada, as plantações que completassem áreas contínuas com mais de 50 hectares estavam sujeitas a uma autorização prévia da autoridade florestal. Abaixo disto, estavam condicionadas à aprovação das câmaras municipais, ao abrigo de um decreto-lei sobre alterações no relevo e no coberto vegetal.

Esta semana, organizações não-governamentais e personalidades do mundo académico juntaram-se numa Plataforma pela Floresta, que exige a revogação da nova lei. Os subscritores da plataforma dizem, num comunicado, que o diploma “é um incentivo à perpetuação da situação de descontrolo e desordenamento existente neste momento na floresta portuguesa”. A possibilidade de se plantar floresta sem autorização abaixo dos dois hectares é um dos aspectos que preocupam os críticos da legislação. Esta possibilidade está a revelar-se pouco expressiva, segundo os números agora divulgados pelo ICNF. Embora quase metade (48% ) de todos os processos entrados no ICNF refiram-se a comunicações prévias, a área representada é de apenas 8% da superfície referente a todos os pedidos. A área média de cada comunicação é de 1,3 hectares. Já as autorizações somam 52% dos pedidos e 92% da área, com uma superfície média de 12,5 hectares.

A área de nova floresta – 446 hectares em pedidos de arborização – é praticamente insignificante em comparação com a superfície florestal existente no país, que é de 3,2 milhões de hectares. O ICNF chama a atenção para o facto de estes dados referirem-se a pedidos e comunicações, e não a acções já aprovadas.

 :arrow: http://www.publico.pt/economia/noticia/ ... ao-1620997 (http://www.publico.pt/economia/noticia/eucaliptos-dominam-pedidos-ao-abrigo-da-nova-lei-de-arborizacao-1620997)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 20, 2014, 12:45:56 pm
:arrow: http://www.ionline.pt/artigos/portugal/ ... ios-aereos (http://www.ionline.pt/artigos/portugal/kamov-adjudicar-governo-atrasa-fim-da-empresa-meios-aereos)
[/quote]
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Instrutor em Fevereiro 26, 2014, 02:12:12 pm
O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, anunciou esta quarta-feira que o Governo pretende adquirir dois aviões canadair de combate a incêndios florestais através do recurso a fundos comunitários.
No grupo de trabalho para Análise da Problemática dos Incêndios Florestais, constituído no âmbito da Assembleia da República, Miguel Macedo adiantou que está a decorrer um processo para aquisição de dois aviões, no valor de cerca de 37 milhões de dólares cada um, com recurso a fundos comunitários.
O ministro afirmou que, no final do mês de Março, o Governo terá "uma resposta mais conclusiva sobre este processo", mas manifestou esperança que a aquisição de meios aéreos pela via dos fundos comunitários "corra bem".
Segundo Miguel Macedo, o país precisa de ter no dispositivo mais meios aéreos próprios, uma vez que o actual não tem capacidade para resolver o problema de combate a incêndios florestais.
O ministro sublinhou que, no passado, foi feita a opção em não se comprar este tipo de aviões, mas, agora, "há um consenso" que Portugal "precisa de ter, pelo menos, um aparelho Canadair".
Actualmente, os meios aéreos próprios do Estado são compostos por seis helicópteros pesados Kamov e três helicópteros de transporte e utilitário, sendo a primeira vez que vai adquirir para sua frota aviões Canadair.
O ministro disse também que poderá "demorar mais de um ano" para que Portugal tenha disponíveis os dois aviões Canadair.
Justificando a aquisição destes aviões, o ministro afirmou que é difícil encontrar no mercado estes meios a preços razoáveis para alugar. "Estes meios não abundam, não tem sido nada fácil", referiu, acrescentando que Portugal "não pode, por sistema, em cada Verão, recorrer à generosidade de outros países".

Estes meios serão utilizados pela FAP ou mais uma vez uma empresa privada vai "alugar" depois estes meios ao Governo.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Fevereiro 26, 2014, 04:14:18 pm
Presumo que seja a ANPC, visto que eles também vão ficar com os Kamov. É uma questão de ver o que vai acontecer daqui para a frente com os Kamov para ficar com uma ideia. Visto até que se eles estiverem mesmo a falar a sério vai demorar um ou mais anos até os aviões serem adquiridos.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Fevereiro 26, 2014, 05:01:48 pm
Vão ficar na Protecção Civil, o que apesar de parecer lógico, é quanto a mim um erro, pois incorporados na força aerea traria quanto a mim muito menores custos a nivel de operação.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 26, 2014, 05:09:22 pm
Citação de: "Edu"
Vão ficar na Protecção Civil, o que apesar de parecer lógico, é quanto a mim um erro, pois incorporados na força aerea traria quanto a mim muito menores custos a nivel de operação.

independente de tudo, finalmente se faz uma compra racional.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 26, 2014, 05:19:56 pm
Dois aparelhos é relativamente pouco, basta um estar em manutenção e outro avariado e não há aviões para ninguém, mas apesar de tudo é já um princípio. E sim, se colocássemos agora a encomenda só daqui a 14/16 meses é que os Bombardier (suponho eu que sejam CL-415 novos de fábrica) estariam prontos para entrega.

Quanto a quem os deverá operar, já que a Protecção Civil vai ficar com a responsabilidade sobre os restantes meios aéreos, tem lógica que estes dois aviões de combate pesados também façam parte do seu contingente como acontece, por exemplo, em França e Itália. Todavia seria preferível que fosse a FAP a detê-los, mas embora o artigo fale na Força Aérea - e convém lembrar as pretensões deste Governo desde que subiu ao poder de voltar a envolver directamente a FAP no combate a incêndios - creio sinceramente que o seu destino é a ANPC.

Citar
Governo vai comprar dois Canadair e equipamento de 11 milhões para bombeiros

Pedro Sales Dias   26/02/2014 - 13:50

Ministro Miguel Macedo, ouvido no Parlamento sobre incêndios florestais, diz que as condições de treino dos bombeiros são más.

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, anunciou nesta quarta-feira que Portugal irá comprar dois aviões Canadair de combate a fogos florestais com recurso a fundos comunitários.“O país precisa de ter no seu dispositivo dois Canadair. É difícil encontrar esses meios para alugar e a preços razoáveis. Como país decidimos não comprar Canadairs e comprámos helicópteros pesados. A verdade é que seis anos depois há um consenso entre todos de que precisamos de uma parelha de Canadairs”, disse Miguel Macedo, no grupo de trabalho para a Análise da Problemática dos Incêndios Florestais constituído na Assembleia da República.

A aquisição de cada avião obrigará a um investimento de 37 milhões de dólares, de acordo com Macedo, que salientou ainda que poderá “demorar mais de um ano” até que Portugal tenha os aparelhos disponíveis no combate a fogos florestais. Miguel Macedo alertou ainda para os concursos internacionais em marcha no valor total de 11 milhões de euros – tanto das comunidades intermunicipais como da administração central –  para a aquisição do equipamento individual para os bombeiros.“Temos uma parte enorme do dispositivo que não tem os equipamentos para fogos florestais. Temos nisso atrasos enormes”, apontou o ministro que espera também ter concluído “até ao Verão” o investimento para a aquisição de um “lote grande de rádios SIRESP” para as corporações.

"Longe das condições adequadas"

Durante a audição, o ministro deixou bem claro que o treino que actualmente é ministrado aos bombeiros é insuficiente. “Estamos muito longe de ter as condições adequadas, enquanto país. Isto para não dizer mais. Na parte do treino temos um mundo todo para fazer e isso não pode deixar de ter consequências no terreno. Não investimos nisto como país nas últimas décadas como devíamos."Neste ponto, por isso, Macedo salientou o processo de “reconfiguração” da formação na Escola Nacional de Bombeiros e defendeu a aproximação física da formação que é dada às corporações de bombeiros. “Temos 22 delegações [da escola] que estão subaproveitadas. Temos de levar a escola para junto dos bombeiros”, disse.

Quanto ao financiamento das corporações de bombeiros, Macedo salientou a necessidade de mudar o paradigma actual, insistindo, por exemplo, na critica às concessionárias de auto-estradas, responsáveis pelo pagamento do socorro nas suas vias, que “pagam pouco aos bombeiros”. O ministro alertou ainda para a necessidade do “reforço dos mecanismos de fiscalização dos dinheiros públicos” nas corporações de bombeiros. “Em alguns casos”, disse, “houve má gestão ou mesmo crime”.

 :arrow: http://www.publico.pt/sociedade/noticia ... os-1626259 (http://www.publico.pt/sociedade/noticia/governo-vai-comprar-dois-canadair-e-equipamento-de-11-milhoes-para-bombeiros-1626259)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 06, 2014, 10:05:33 pm
Embora lá a por "gosto" nos OPSAS  :D

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash3/t1.0-9/10173661_606480779446189_1823427535706170349_n.jpg)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Abril 07, 2014, 10:48:18 am
Citação de: "Lightning"
Embora lá a por "gosto" nos OPSAS  :D

(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash3/t1.0-9/10173661_606480779446189_1823427535706170349_n.jpg)

Olha que na imagem no canto superior direito o nº 25 está a modos que sobreposto na palavra ANOS....
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Abril 07, 2014, 03:58:48 pm
:twisted:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 07, 2014, 05:25:01 pm
Vocês tem é uma mente conspurcada, acho que não há grande perigo de se confundir anos com anus...  :mrgreen:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Abril 07, 2014, 11:33:18 pm
Citação de: "Lightning"
Vocês tem é uma mente conspurcada, acho que não há grande perigo de se confundir anos com anus...  :mrgreen:

Aproveitaram e meteram os maçaricos de fato? A paisagem até está bonita, a da escada de eletricista às costas é que não me soa lá muito bem, ficava melhor ao pé de um dos carros laranjinhas (aqueles que parecem patrocinados pela NIKE).
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 08, 2014, 01:50:51 am
Citação de: "raphael"
Citação de: "Lightning"
Vocês tem é uma mente conspurcada, acho que não há grande perigo de se confundir anos com anus...  :mrgreen:

a da escada de eletricista às costas é que não me soa lá muito bem.

Mas para tirar um piloto inconsciente de dentro de um jacto os opsas precisam de uma escada.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Abril 08, 2014, 01:25:15 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "raphael"
Citação de: "Lightning"
Vocês tem é uma mente conspurcada, acho que não há grande perigo de se confundir anos com anus...  :mrgreen:

a da escada de eletricista às costas é que não me soa lá muito bem.

Mas para tirar um piloto inconsciente de dentro de um jacto os opsas precisam de uma escada.

Até precisam de mais que uma, é um trabalho de equipa! Mas isso a suceder é mau sinal para o pessoal dos equipamentos de vôo!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Abril 08, 2014, 02:31:50 pm
Citação de: "raphael"
Até precisam de mais que uma, é um trabalho de equipa!

É um trabalho de equipa mas, nos exercicios com o F-16, só vejo uma escada, claro que os procedimentos variam com o tipo de aeronave. Afinal a escada sempre dá jeito :G-beer2: .
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: miguelbud em Julho 14, 2014, 10:45:29 pm
Citar
@ Diário Económico

Os aviões C-295 da Força Aérea Portuguesa poderão ser reconvertidos para participar no combate aos incêndios.

A ideia foi discutida hoje entre o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, e o vice presidente da Airbus Indústria e Defesa, Rodriguez Barberan, na feira de aviação de Farnborough, no Reino Unido.

"Esta conversa que tivemos hoje, exploratória, é para que este avião tenha também essa capacidade de combate a incêndios", afirmou aos jornalistas, após a reunião.

Há várias possibilidades em cima da mesa, com o objectivo de reforçar o papel da Força Aérea Portuguesa no combate aos incêndios e seria mais um passo para que esta intenção se concretize. Um dos C-295 já colabora com a vigilância e prevenção dos fogos florestais.
http://economico.sapo.pt/noticias/avioe ... 97570.html (http://economico.sapo.pt/noticias/avioes-da-forca-aerea-podem-ser-reconvertidos-para-combate-a-incendios_197570.html)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 19, 2014, 09:57:30 am
Mais um dinheirinho que de certeza não vai para a FAP...

Despacho n.º 10666/2014. D.R. n.º 158, Série II de 2014-08-19
Ministério da Administração Interna - Gabinete do Ministro
Autoriza a realização da despesa e determina que a ANPC proceda ao lançamento de um procedimento concursal para a aquisição dos serviços de manutenção e operação dos meios aéreos

http://dre.pt/util/getpdf.asp?s=diad&se ... 2014027274 (http://dre.pt/util/getpdf.asp?s=diad&serie=2&iddr=158.2014&iddip=2014027274)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Abril 18, 2015, 11:20:41 pm

C-130J com MAFFS

Dá para colocar no KC-390?
 :mrgreen:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Bravo Two Zero em Abril 18, 2015, 11:47:22 pm
Citar
C-130J com MAFFS

Dá para colocar no KC-390?
:mrgreen:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aereo.jor.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F%2F2013%2F04%2FKC390_DR4_Jan2013_FireFighting-imagem-Embraer-580x369.jpg&hash=5d476f6c7bd48fa4d7aba1908e28d841)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 10, 2015, 07:35:12 pm
(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-prn2/v/t1.0-9/s720x720/625494_4669879949054_283573354_n.jpg?oh=9015437bcca0d0bcb7826ad26407e4a7&oe=56808D6A)

Citar
Para todos aqueles que desconhecem a verdade, a prova está nesta foto que mostra o sistema MAFFS sendo montado num C-130... Nos anos 80 e 90 a Força Aérea Portuguesa. combatia os incêndios com o C-130 Hercules, o sistema MAFFS e o Helicóptero AL III. A FAP foi forçada pelos governos a desistir de apoiar as populações... em deterimento de privados e outros interesses obscuros...
Mais informação em: http://www.google.pt/url (http://www.google.pt/url)…. Petição Publica para que a FAP volte aos incêndios desta vez com Canadair e Skycrane:http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70630

 :arrow: https://www.facebook.com/photo.php?fbid ... 275&type=1 (https://www.facebook.com/photo.php?fbid=4669879949054&set=a.4669864548669.2157160.1355268275&type=1)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Luso em Agosto 11, 2015, 01:54:45 pm
Citação de: "HSMW"
Citar
Para todos aqueles que desconhecem a verdade, a prova está nesta foto que mostra o sistema MAFFS sendo montado num C-130... Nos anos 80 e 90 a Força Aérea Portuguesa. combatia os incêndios com o C-130 Hercules, o sistema MAFFS e o Helicóptero AL III. A FAP foi forçada pelos governos a desistir de apoiar as populações... em detrimento de privados e outros interesses obscuros...
Mais informação em: http://www.google.pt/url (http://www.google.pt/url)…. Petição Publica para que a FAP volte aos incêndios desta vez com Canadair e Skycrane:http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70630

 :arrow: https://www.facebook.com/photo.php?fbid ... 275&type=1 (https://www.facebook.com/photo.php?fbid=4669879949054&set=a.4669864548669.2157160.1355268275&type=1)


Quando o sistema político é uma partidocracia, assistir-se-á à constante degradação do Estado - que se reduzirá progressivamente a uma "casca" apenas para manter aparências necessárias. A manutenção dos partidos, das suas estruturas e máquinas DEPENDEM das ineficiências do Estado. Portanto, quanto mais o Estado for ineficiente mais fortes os partidos políticos serão.
E não se poderá esperar outra coisa com um sistema destes.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 11, 2015, 03:45:09 pm
Uma petição sobre o tema.

 :arrow: viewtopic.php?f=21&t=9102&p=261531#p261531 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=21&t=9102&p=261531#p261531)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Setembro 12, 2015, 12:39:17 pm
Instalação do sistema no C-130.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 10, 2016, 12:33:51 pm
Pergunta inocente: o que é feito do suposto par de Canadairs, novos ou comprados usados a Espanha, que o anterior Governo, na figura do impoluto MAI Miguel Macedo, queria comprar?  ::)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Maio 10, 2016, 12:59:06 pm
Pergunta inocente: o que é feito do suposto par de Canadairs, novos ou comprados usados a Espanha, que o anterior Governo, na figura do impoluto MAI Miguel Macedo, queria comprar?  ::)
Em 2015 o mesmo governo aprovava até 2017 uma dotação de 17 Milhões e 145 mil euros sem Iva para o aluguer de meios aéreos de combate a incêndio. E com este contrato/valor face ao preço dos Canadairs, lá caiu de novo a intenção...  :P ;

https://dre.tretas.org/dre/319960/ (https://dre.tretas.org/dre/319960/)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 10, 2016, 01:12:55 pm
Pergunta inocente: o que é feito do suposto par de Canadairs, novos ou comprados usados a Espanha, que o anterior Governo, na figura do impoluto MAI Miguel Macedo, queria comprar?  ::)
Em 2015 o mesmo governo aprovava até 2017 uma dotação de 17 Milhões e 145 mil euros sem Iva para o aluguer de meios aéreos de combate a incêndio. E com este contrato/valor face ao preço dos Canadairs, lá caiu de novo a intenção...  :P ;

https://dre.tretas.org/dre/319960/ (https://dre.tretas.org/dre/319960/)

Cumprimentos

Como têm demonstrado nas sucessivas Comissões Parlamentares de Inquérito, são todos pessoas muito esquecidas...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Junho 09, 2016, 11:18:53 am
Citar
O Ministério da Administração Interna chumbou a concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica, uma medida que tinha sido preparada pelo anterior Executivo, soube o JN.

A Força Aérea (FAP) estava disponível para receber os meios, mas com reforço dos recursos humanos e materiais, uma vez que as despesas iriam aumentar. A titular do Ministério, Constança Cunha de Sousa, recusou, não obstante a transferência representar uma redução de custos para o ministério e continuar sem se saber quando estará a frota de Kamov toda pronta para operar. Dos cinco hélis pesados apenas voam três, o que já obrigou o MAI, em 2015, a recorrer ao aluguer de aeronaves a privados para suprir a lacuna.



Leia mais: Governo tira Força Aérea do combate a fogos http://www.jn.pt/nacional/interior/governo-tira-forca-aerea-do-combate-a-fogos-5218740.html#ixzz4B4mkhI1Z
Follow us: jornalnoticias on Facebook
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 09, 2016, 11:37:34 am
Citar
O Ministério da Administração Interna chumbou a concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica, uma medida que tinha sido preparada pelo anterior Executivo, soube o JN.

A Força Aérea (FAP) estava disponível para receber os meios, mas com reforço dos recursos humanos e materiais, uma vez que as despesas iriam aumentar. A titular do Ministério, Constança Cunha de Sousa, recusou, não obstante a transferência representar uma redução de custos para o ministério e continuar sem se saber quando estará a frota de Kamov toda pronta para operar. Dos cinco hélis pesados apenas voam três, o que já obrigou o MAI, em 2015, a recorrer ao aluguer de aeronaves a privados para suprir a lacuna.



Leia mais: Governo tira Força Aérea do combate a fogos http://www.jn.pt/nacional/interior/governo-tira-forca-aerea-do-combate-a-fogos-5218740.html#ixzz4B4mkhI1Z
Follow us: jornalnoticias on Facebook

Para complementar a tua informação Nélson, a notícia completa no JN de hoje.  ;)


Citar
Governo Tira Força Aérea do Combate a Fogos
JN
Por Sofia Resende - Junho 9, 2016
 
MAI rejeita pagar despesas com frota à Força Aérea. Estado obrigado a contratar aeronaves privadas para suprir falhas dos Kamov.

O Ministério da Administração Interna chumbou a concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica, uma medida que tinha sido preparada pelo anterior Executivo, soube o JN. A Força Aérea (FAP) estava disponível para receber os meios, mas com reforço dos recursos humanos e materiais, uma vez que as despesas iriam aumentar. A titular do Ministério, Constança Cunha de Sousa, recusou, não obstante a transferência representar uma redução de custos para o ministério e continuar sem se saber quando estará a frota de Kamov toda pronta para operar. Dos cinco hélis pesados apenas voam três, o que já obrigou o MAI, em 2015, a recorrer ao aluguer de aeronaves a privados para suprir a lacuna.

Este ano, voltou a acontecer o mesmo. E a situação poderá repetir-se no próximo ano, pois as previsões governamentais apontam apenas para mais um Kamov pronto em 2017. Os cursos não são conhecidos, mas a hora de voo de uma aeronave similar ao Kamov não será inferior a 4 mil euros e a reparação dos dois hélis avariados custa oito milhões.

A concentração tinha sido pensada pelo anterior Governo para conseguir uma melhor gestão financeira das frotas, maior transparência, fazer subir a taxa de utilização e evitar novos processos judiciais, alguns a decorrerem como processos-crime, outros civis, envolvendo milhões em indemnizações. A conclusão tinha surgido também com a extinção da EMA, criada por António Costa, depois de se verificar que a gestão da frota tinha sido deficiente.

Uma vez que a frota de combate aos fogos é apenas usada de junho a setembro, ficando o restante do tempo praticamente parada, com a passagem da gestão e operação para a FAP poderia ser dado mais uso às aeronaves, os caros e problemáticos Kamov e os três ligeiros Ecureuil B3.

O projeto não seria de aplicação imediata, uma vez que há contratos a decorrer com a Everjets, que ganhou a gestão e operação da frota dos Kamov, até 2019, por 48 milhões. Mas a junção formal seria um primeiro passo, uma vez que são necessários pelo menos dois anos para treino e certificação e pilotos e mecânicos, segundo salientaram fontes militares.

O processo foi lançado pelo anterior ministro da Defesa, Aguiar Branco, que mandou fazer um estudo de viabilização à Força Aérea, em acordo com a anterior ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues. Foi nomeado um grupo de trabalho, onde entravam elementos da FAP, do MAI e Proteção Civil e do Ministério da Saúde. O estudo ficou pronto em setembro, mas a nova ministra Constança Cunha de Sousa quis manter a atual situação. Contactado pelo JN, o MAI justificou que “atendendo à posição da Força Aérea Portuguesa”, que não considera a hipótese de assumir a operação e manutenção dos Kamov, “não pretende alterar o atual modelo de gestão de meios aéreos.”


Enfim...  ::)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Junho 09, 2016, 02:15:34 pm
Citar
O Ministério da Administração Interna chumbou a concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica, uma medida que tinha sido preparada pelo anterior Executivo, soube o JN.

A Força Aérea (FAP) estava disponível para receber os meios, mas com reforço dos recursos humanos e materiais, uma vez que as despesas iriam aumentar. A titular do Ministério, Constança Cunha de Sousa, recusou, não obstante a transferência representar uma redução de custos para o ministério e continuar sem se saber quando estará a frota de Kamov toda pronta para operar. Dos cinco hélis pesados apenas voam três, o que já obrigou o MAI, em 2015, a recorrer ao aluguer de aeronaves a privados para suprir a lacuna.



Leia mais: Governo tira Força Aérea do combate a fogos http://www.jn.pt/nacional/interior/governo-tira-forca-aerea-do-combate-a-fogos-5218740.html#ixzz4B4mkhI1Z
Follow us: jornalnoticias on Facebook

Para complementar a tua informação Nélson, a notícia completa no JN de hoje.  ;)


Citar
Governo Tira Força Aérea do Combate a Fogos
JN
Por Sofia Resende - Junho 9, 2016
 
MAI rejeita pagar despesas com frota à Força Aérea. Estado obrigado a contratar aeronaves privadas para suprir falhas dos Kamov.

O Ministério da Administração Interna chumbou a concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica, uma medida que tinha sido preparada pelo anterior Executivo, soube o JN. A Força Aérea (FAP) estava disponível para receber os meios, mas com reforço dos recursos humanos e materiais, uma vez que as despesas iriam aumentar. A titular do Ministério, Constança Cunha de Sousa, recusou, não obstante a transferência representar uma redução de custos para o ministério e continuar sem se saber quando estará a frota de Kamov toda pronta para operar. Dos cinco hélis pesados apenas voam três, o que já obrigou o MAI, em 2015, a recorrer ao aluguer de aeronaves a privados para suprir a lacuna.

Este ano, voltou a acontecer o mesmo. E a situação poderá repetir-se no próximo ano, pois as previsões governamentais apontam apenas para mais um Kamov pronto em 2017. Os cursos não são conhecidos, mas a hora de voo de uma aeronave similar ao Kamov não será inferior a 4 mil euros e a reparação dos dois hélis avariados custa oito milhões.

A concentração tinha sido pensada pelo anterior Governo para conseguir uma melhor gestão financeira das frotas, maior transparência, fazer subir a taxa de utilização e evitar novos processos judiciais, alguns a decorrerem como processos-crime, outros civis, envolvendo milhões em indemnizações. A conclusão tinha surgido também com a extinção da EMA, criada por António Costa, depois de se verificar que a gestão da frota tinha sido deficiente.

Uma vez que a frota de combate aos fogos é apenas usada de junho a setembro, ficando o restante do tempo praticamente parada, com a passagem da gestão e operação para a FAP poderia ser dado mais uso às aeronaves, os caros e problemáticos Kamov e os três ligeiros Ecureuil B3.

O projeto não seria de aplicação imediata, uma vez que há contratos a decorrer com a Everjets, que ganhou a gestão e operação da frota dos Kamov, até 2019, por 48 milhões. Mas a junção formal seria um primeiro passo, uma vez que são necessários pelo menos dois anos para treino e certificação e pilotos e mecânicos, segundo salientaram fontes militares.

O processo foi lançado pelo anterior ministro da Defesa, Aguiar Branco, que mandou fazer um estudo de viabilização à Força Aérea, em acordo com a anterior ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues. Foi nomeado um grupo de trabalho, onde entravam elementos da FAP, do MAI e Proteção Civil e do Ministério da Saúde. O estudo ficou pronto em setembro, mas a nova ministra Constança Cunha de Sousa quis manter a atual situação. Contactado pelo JN, o MAI justificou que “atendendo à posição da Força Aérea Portuguesa”, que não considera a hipótese de assumir a operação e manutenção dos Kamov, “não pretende alterar o atual modelo de gestão de meios aéreos.”


Enfim...  ::)
E o que eu chamo de jornalismo criativo.  Ou seja se o  anterior governo adjudicou um contrato de 46 milhões para a manutenção dos meios aéreos da ANPC, nomeadamente os Kamov em 2015 à everjets à um ano e por um período de 4 anos como é que estava a preparar a transferência dos meios para a FAP?
Citar
http://www.segurancaonline.com/noticias/detalhes.php?id=2927  http://portocanal.sapo.pt/noticia/51143/ (http://www.segurancaonline.com/noticias/detalhes.php?id=2927  http://portocanal.sapo.pt/noticia/51143/)
Mas já agora, a denuncia de contrato do PSD/CDS com a anterior heliportugal, já vai em 22 milhões a mais do valor contratualizado e pode não ficar por aqui. É que dá denunciar contratos blindados e agora pelos vistos deveria-se continuar  ::)
Citar
http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2015-12-05-Presidente-da-Heliportugal-exige-177-milhoes-de-euros-a-Miguel-Macedo-e-ao-Estado (http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2015-12-05-Presidente-da-Heliportugal-exige-177-milhoes-de-euros-a-Miguel-Macedo-e-ao-Estado)
E já assim deixo as recomendações do TC (a partir da pag. 75) sobre os meios aéreos da ANPC, que pelos vistos face ao contrato de 4 anos celebrado com a erverjets, pessou ao lado (o tal que está a ser investigado por suspeitas de corrupção http://observador.pt/2015/11/05/miguel-macedo-investigado-devido-concurso-milionario-helicopteros-do-estado/ (http://observador.pt/2015/11/05/miguel-macedo-investigado-devido-concurso-milionario-helicopteros-do-estado/)    ...  :P
Citar
http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2015/2s/audit-dgtc-rel010-2015-2s.pdf (http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2015/2s/audit-dgtc-rel010-2015-2s.pdf)
E por fim, quantos foram governos que deixaram por exemplo apodrecer os MAFFs dos C130 no Montijo, sem sequer os colocar no dispositivo nem que fosse em altura de emergência?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-xvJv7rXqGUE%2FUhs19WeB7KI%2FAAAAAAAABdI%2FPphbOFwgL74%2Fs1600%2Fimage006.jpg&hash=fafa4645eea94771b37b53274c820ce2)
Não iam também ser adquiridos mais meios aéreos?  Ai, este jornalismo português. Só fala de um terço do que deve ( se fosse mauzinho até dizia que existia aqui um naco de política   ::) )... ;)
Citar
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/governo_autoriza_compra_de_meios_aereos_para_combate_a_fogos_no_valor_de_1714_milhoes.html (http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/governo_autoriza_compra_de_meios_aereos_para_combate_a_fogos_no_valor_de_1714_milhoes.html)
Acho bem que se equaciona a FAP num papel mais activo no combate a incêndios, mas sem contratos denunciados que lesem o contribuinte e dotando a Força Aérea de capacidade real não virtual. Esta brincadeira só de contratos de manutenção ascende a qualquer coisa como 120 milhões de euros com a Heliportugal a pedir  mais 177 milhões. E a FAP tem a modernização dos C130, substituição dos Al III e Alpha para 2018, além de falta de meios físicos e humanos num orçamento que anda sempre a baixar. Presentes envenenados nesta altura não.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emfa.pt%2Fwww%2Fconteudos%2Fgaleria%2Fnoticias%2F2013%2Fagosto%2Ffap-no-apoio-ao-combate-aos-incendios%2Faloue_2296.JPG&hash=435b9f22d178e89c8b44abcd7a5bfc85)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-ua3SUI5q8bE%2FUhs18KrA_6I%2FAAAAAAAABco%2FfE-SoDzMPwQ%2Fs1600%2F179915_10200194020197285_2015018243_n.jpg&hash=a9ac51b568d590043e7e353a1d837a20)

Cumprimentos

P.S. Não deixa de ser curioso o estudo do Tio Aguiar e o timming da encomenda do referido estudo. O mesmo MD que após assumir a pasta da defesa sondou o na altura o CEMFA sobre o assunto, sendo-lhe referido a necessidade de mais meios e obviamente formação. Durante os 3 anos seguintes "esqueceu-se", por que será que em 2015 voltou a carga, até num ano em que o amigo do MAI assinou novo contrato por 4 anos?  :P ;D
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Junho 09, 2016, 04:10:33 pm
Citar
O Ministério da Administração Interna chumbou a concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica, uma medida que tinha sido preparada pelo anterior Executivo, soube o JN.

A Força Aérea (FAP) estava disponível para receber os meios, mas com reforço dos recursos humanos e materiais, uma vez que as despesas iriam aumentar. A titular do Ministério, Constança Cunha de Sousa, recusou, não obstante a transferência representar uma redução de custos para o ministério e continuar sem se saber quando estará a frota de Kamov toda pronta para operar. Dos cinco hélis pesados apenas voam três, o que já obrigou o MAI, em 2015, a recorrer ao aluguer de aeronaves a privados para suprir a lacuna.



Leia mais: Governo tira Força Aérea do combate a fogos http://www.jn.pt/nacional/interior/governo-tira-forca-aerea-do-combate-a-fogos-5218740.html#ixzz4B4mkhI1Z
Follow us: jornalnoticias on Facebook

Para complementar a tua informação Nélson, a notícia completa no JN de hoje.  ;)


Citar
Governo Tira Força Aérea do Combate a Fogos
JN
Por Sofia Resende - Junho 9, 2016
 
MAI rejeita pagar despesas com frota à Força Aérea. Estado obrigado a contratar aeronaves privadas para suprir falhas dos Kamov.

O Ministério da Administração Interna chumbou a concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica, uma medida que tinha sido preparada pelo anterior Executivo, soube o JN. A Força Aérea (FAP) estava disponível para receber os meios, mas com reforço dos recursos humanos e materiais, uma vez que as despesas iriam aumentar. A titular do Ministério, Constança Cunha de Sousa, recusou, não obstante a transferência representar uma redução de custos para o ministério e continuar sem se saber quando estará a frota de Kamov toda pronta para operar. Dos cinco hélis pesados apenas voam três, o que já obrigou o MAI, em 2015, a recorrer ao aluguer de aeronaves a privados para suprir a lacuna.

Este ano, voltou a acontecer o mesmo. E a situação poderá repetir-se no próximo ano, pois as previsões governamentais apontam apenas para mais um Kamov pronto em 2017. Os cursos não são conhecidos, mas a hora de voo de uma aeronave similar ao Kamov não será inferior a 4 mil euros e a reparação dos dois hélis avariados custa oito milhões.

A concentração tinha sido pensada pelo anterior Governo para conseguir uma melhor gestão financeira das frotas, maior transparência, fazer subir a taxa de utilização e evitar novos processos judiciais, alguns a decorrerem como processos-crime, outros civis, envolvendo milhões em indemnizações. A conclusão tinha surgido também com a extinção da EMA, criada por António Costa, depois de se verificar que a gestão da frota tinha sido deficiente.

Uma vez que a frota de combate aos fogos é apenas usada de junho a setembro, ficando o restante do tempo praticamente parada, com a passagem da gestão e operação para a FAP poderia ser dado mais uso às aeronaves, os caros e problemáticos Kamov e os três ligeiros Ecureuil B3.

O projeto não seria de aplicação imediata, uma vez que há contratos a decorrer com a Everjets, que ganhou a gestão e operação da frota dos Kamov, até 2019, por 48 milhões. Mas a junção formal seria um primeiro passo, uma vez que são necessários pelo menos dois anos para treino e certificação e pilotos e mecânicos, segundo salientaram fontes militares.

O processo foi lançado pelo anterior ministro da Defesa, Aguiar Branco, que mandou fazer um estudo de viabilização à Força Aérea, em acordo com a anterior ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues. Foi nomeado um grupo de trabalho, onde entravam elementos da FAP, do MAI e Proteção Civil e do Ministério da Saúde. O estudo ficou pronto em setembro, mas a nova ministra Constança Cunha de Sousa quis manter a atual situação. Contactado pelo JN, o MAI justificou que “atendendo à posição da Força Aérea Portuguesa”, que não considera a hipótese de assumir a operação e manutenção dos Kamov, “não pretende alterar o atual modelo de gestão de meios aéreos.”


Enfim...  ::)
E o que eu chamo de jornalismo criativo.  Ou seja se o  anterior governo adjudicou um contrato de 46 milhões para a manutenção dos meios aéreos da ANPC, nomeadamente os Kamov em 2015 à everjets à um ano e por um período de 4 anos como é que estava a preparar a transferência dos meios para a FAP?
Citar
http://www.segurancaonline.com/noticias/detalhes.php?id=2927  http://portocanal.sapo.pt/noticia/51143/ (http://www.segurancaonline.com/noticias/detalhes.php?id=2927  http://portocanal.sapo.pt/noticia/51143/)
Mas já agora, a denuncia de contrato do PSD/CDS com a anterior heliportugal, já vai em 22 milhões a mais do valor contratualizado e pode não ficar por aqui. É que dá denunciar contratos blindados e agora pelos vistos deveria-se continuar  ::)
Citar
http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2015-12-05-Presidente-da-Heliportugal-exige-177-milhoes-de-euros-a-Miguel-Macedo-e-ao-Estado (http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2015-12-05-Presidente-da-Heliportugal-exige-177-milhoes-de-euros-a-Miguel-Macedo-e-ao-Estado)
E já assim deixo as recomendações do TC (a partir da pag. 75) sobre os meios aéreos da ANPC, que pelos vistos face ao contrato de 4 anos celebrado com a erverjets, pessou ao lado (o tal que está a ser investigado por suspeitas de corrupção http://observador.pt/2015/11/05/miguel-macedo-investigado-devido-concurso-milionario-helicopteros-do-estado/ (http://observador.pt/2015/11/05/miguel-macedo-investigado-devido-concurso-milionario-helicopteros-do-estado/)    ...  :P
Citar
http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2015/2s/audit-dgtc-rel010-2015-2s.pdf (http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2015/2s/audit-dgtc-rel010-2015-2s.pdf)
E por fim, quantos foram governos que deixaram por exemplo apodrecer os MAFFs dos C130 no Montijo, sem sequer os colocar no dispositivo nem que fosse em altura de emergência?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-xvJv7rXqGUE%2FUhs19WeB7KI%2FAAAAAAAABdI%2FPphbOFwgL74%2Fs1600%2Fimage006.jpg&hash=fafa4645eea94771b37b53274c820ce2)
Não iam também ser adquiridos mais meios aéreos?  Ai, este jornalismo português. Só fala de um terço do que deve ( se fosse mauzinho até dizia que existia aqui um naco de política   ::) )... ;)
Citar
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/governo_autoriza_compra_de_meios_aereos_para_combate_a_fogos_no_valor_de_1714_milhoes.html (http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/governo_autoriza_compra_de_meios_aereos_para_combate_a_fogos_no_valor_de_1714_milhoes.html)
Acho bem que se equaciona a FAP num papel mais activo no combate a incêndios, mas sem contratos denunciados que lesem o contribuinte e dotando a Força Aérea de capacidade real não virtual. Esta brincadeira só de contratos de manutenção ascende a qualquer coisa como 120 milhões de euros com a Heliportugal a pedir  mais 177 milhões. E a FAP tem a modernização dos C130, substituição dos Al III e Alpha para 2018, além de falta de meios físicos e humanos num orçamento que anda sempre a baixar. Presentes envenenados nesta altura não.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emfa.pt%2Fwww%2Fconteudos%2Fgaleria%2Fnoticias%2F2013%2Fagosto%2Ffap-no-apoio-ao-combate-aos-incendios%2Faloue_2296.JPG&hash=435b9f22d178e89c8b44abcd7a5bfc85)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-ua3SUI5q8bE%2FUhs18KrA_6I%2FAAAAAAAABco%2FfE-SoDzMPwQ%2Fs1600%2F179915_10200194020197285_2015018243_n.jpg&hash=a9ac51b568d590043e7e353a1d837a20)

Cumprimentos

P.S. Não deixa de ser curioso o estudo do Tio Aguiar e o timming da encomenda do referido estudo. O mesmo MD que após assumir a pasta da defesa sondou o na altura o CEMFA sobre o assunto, sendo-lhe referido a necessidade de mais meios e obviamente formação. Durante os 3 anos seguintes "esqueceu-se", por que será que em 2015 voltou a carga, até num ano em que o amigo do MAI assinou novo contrato por 4 anos?  :P ;D

E já agora mais uma acha para a fogueira onde andam o raio dos dois CL215/415, que estariam operacionais, o ano passado, para o combate dos incêndios  florestais ????? :conf: :conf:

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/governo-vai-comprar-dois-canadair-e-equipamento-de-11-milhoes-para-bombeiros-1626259

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150928_zpsqpf5djve.jpg&hash=e4a7e78a046a8ca74c4bc1aaf7f8d3bd) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150928_zpsqpf5djve.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150923_zpsymlujhn2.jpg&hash=e4893ea118d561ab9ce4109150194c20) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150923_zpsymlujhn2.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150929_zpsonvtwbbx.jpg&hash=eb7cb20079992d6e784fd96bb3840dfd) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150929_zpsonvtwbbx.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150922_zpshqr1e6lb.jpg&hash=d762ba3987b7abc13f822c16e17699f0) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150922_zpshqr1e6lb.jpg.html)
Estas fotos foram tiradas por mim, na antiga plataforma DELTA,  já há uns anos quando tivemos em LIS um CL215 para demonstração de capacidades, mas, pelo que sucedeu, deu em NADA !!!


Este país anda mesmo a ser desgovernado por uma cambada de politicozecos de pacotilha !!!!  :2gunsfiring: :2gunsfiring: :2gunsfiring: :N-icon-Gun: :N-icon-Gun: :N-icon-Gun:

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Junho 09, 2016, 07:12:49 pm
Mais depressa vamos ver a busca e salvamento a ser privatizada do que a FAP a executar combate aos incêndios ou o MAI a ter Canadair.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Junho 09, 2016, 07:44:01 pm
Os Kamov afinal que têm? Foram sabotados? Há muito que geram celeuma, é por executarem bem demais as suas funções?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Junho 09, 2016, 09:31:27 pm
Os Kamov afinal que têm? Foram sabotados? Há muito que geram celeuma, é por executarem bem demais as suas funções?
Os Kamov têm em parte o mesmo problema dos Eh101 no inicio, ou seja: os contratos de manutenção, motorização e peças com os fornecedores não foram assinados ( http://www.passarodeferro.com/2013/09/frota-portuguesa-eh101-de-novo-com.html (http://www.passarodeferro.com/2013/09/frota-portuguesa-eh101-de-novo-com.html) ) para poupar uns cobres (também houve problemas com a certificação, já para não falar de toda a novela EMA  http://veraoverdeorg.blogspot.pt/2007/08/s-ontem-ema-pediu-cerificao-junto-do.html (http://veraoverdeorg.blogspot.pt/2007/08/s-ontem-ema-pediu-cerificao-junto-do.html)) e tentou-se remediar com uma situação tipicamente portuguesa: O desenrasca (que neste caso também permitiu a muita gente meter dinheiro ao bolso com a manutenção e concursos para a mesma). Deu buraco. Fossem os devidos contratos assinados e passa-se para uma instituição mais idónea e haveriam de voar tão bem como agora os Merlin (ou outros Kamov um pouco por todo o lado).  ;)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/90/KamowK32A.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.ainonline.com%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fuploads%2F2013%2F06%2F115-AA.jpg&hash=2c350e2e01ad28bcc261ccad8de41991)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Junho 10, 2016, 03:39:32 pm
Os Kamov afinal que têm? Foram sabotados? Há muito que geram celeuma, é por executarem bem demais as suas funções?

Penso que ninguém põe em causa a capacidade dos Kamov no combate à incêndios, são melhores que qualquer aparelho que a FAP adaptasse.

O problema é o esbanjar de dinheiro na gestão e manutenção dos aparelhos pela EMA/Proteccao Civil e empresas privadas e ser a Força Aérea e fazer essa parte.

Mas a Força Aérea não pode obrigar o MAI a aceitar a sua proposta, mesmo sendo mais barata lolol, não querem, não querem.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Junho 11, 2016, 02:59:36 pm
Apesar de ser de 2011,  está plenamente actualizado à realidade de 2016 (mais coisa menos coisa, exepto com mais de cerca de 100 milhões gastos entretanto e mais 177 milhões pedidos em tribunal e que nós ainda podemos ter de vir a pagar...  ;D ;) ::) :P
Citar
Uma das primeiras intervenções do novel Ministro da Defesa (MDN), efectuada numa visita à Força Aérea (FA), foi a de perspectivar o regresso daquele Ramo militar ao combate aos incêndios florestais (IF).

A ideia é boa, apesar de requentada, e mereceu desde logo – e bem – um alerta do respectivo Chefe de Estado Maior, lembrando que tal desiderato não seria viável de um dia para o outro.


Como as pessoas em Portugal têm a memória curta por esquecimento ou conveniência, vamos tentar dilucidar, sucintamente, todo este imbróglio. Porque de um imbróglio se trata, apesar da aparente candura das palavras ministeriais.

O Governo tinha adquirido, em 1982, equipamentos com o acrónimo “MAFFS”, que foram adaptados aos aviões C-130, e que permitiam largar sobre os incêndios uma quantidade apreciável de uma calda retardante. Custaram, na altura, cerca de 200.000 contos.

Para além disto, na “época dos fogos” distribuíam-se pelo país meia dúzia de helicópteros AL III, que ficavam em alerta aos incêndios. Estes helicópteros tinham uma capacidade muito reduzida de actuação, pois apenas podiam transportar equipas até cinco elementos e largar um pequeno balde de água sobre o fogo.

Com o agravamento anual do número de fogos e área ardida, cada vez foi necessário alugar mais hélis e aviões a empresas privadas, o que gerou um negócio de muitos milhões.

Em 1997, durante o governo do Eng. Guterres, o Secretário de Estado da Administração Interna, Armando Vara, decidiu (presume-se que com o assentimento do MDN), retirar a FA do combate e prevenção aos IF. Tal decisão abriu o caminho para se vir a adquirir, mais tarde, meios aéreos para esta missão, que foram colocados na dependência do MAI.

Salvo melhor opinião, as principais razões que levaram à alteração da política governamental não têm nada a ver com a argumentação aduzida, ou tem pouco a ver. As razões, creio, radicam-se na “luta de capelinhas”; na proeminência que o MAI passou a ter sobre a Defesa; na paranóia em querer afastar os militares de tudo o que não tivesse exclusivamente a ver com a vida nos quartéis, substituindo-os por “boys e girls” – uma pecha insaciável dos partidos – e, também porque nos negócios a efectuar, a FA a Armada e o Exército não terem por hábito pagar comissões ou horas extraordinárias. Senão não teriam feito o disparate que fizeram que é sempre pago pelo contribuinte.

Tudo, aliás, tem resultado num desastre: os fogos não param, a legislação não é adequada, não há prevenção, há muitos acidentes com os bombeiros (os poucos que se apresentam dos cerca de 30.000 inscritos…), etc. Não se sabendo o que fazer com o que restava dos Guardas Florestais, nem como os enquadrar, resolveu-se incorporá-los na GNR que, por ser um corpo militar, é pau para toda a obra; e até se inventou um grupo especial de intervenção contra os fogos, dentro daquela corporação, cuja missão nada tem a ver com isto.

Em contrapartida nada se fez para reforçar os sapadores bombeiros que são os únicos profissionais em apagar fogos, em todo este âmbito…

Ora se tivesse havido boa mente na apreciação da situação, o que deveria ter sido feito era ter aumentado os meios da FA (já que eram insuficientes…) e, ou, dotá-la de meios apropriados que pudessem ser aproveitados noutro tipo de missões, de modo a rentabilizá-los todo o ano. Manter-se-ia, deste modo, os meios aéreos sob comando e controle centralizado (sem embargo da descentralização da execução), a serem operados por quem sabe e tem experiência e capacidade de os operar e manter.

Mas não, decidiu-se pegar no dinheiro – que pelos vistos nunca faltou no MAI – e ir-se inventar a pólvora, pois no nosso desgraçado país os últimos 30 anos têm sido um farró! E o “negócio dos Incêndios” lá continuou de vento em popa.

Constituiu-se mais um dos inúmeros grupos de trabalho (GT), que pulularam no país, como cogumelos, para se equacionar a coisa. As conclusões deste GT foram entregues, em 6 de Setembro de 2005 e daqui surgiu a EMA, Empresa de Meios Aéreos (de capitais públicos), na dependência do MAI.

Do plano inicial fazia parte a compra de hélis ligeiros (quatro) e pesados (seis) e aviões pesados (quatro). Mas continuava a advogar-se o aluguer de 20 (!) hélis e 14 (!) aviões ligeiros e médios. Afinal…

Só para se ter uma ideia da insanidade em que se caiu, em 2010 chegaram a operar, em simultâneo, 56 meios aéreos, o que representa 40% da totalidade das aeronaves do inventário da FA!

Acabou-se por só se adquirir os helicópteros, um negócio atribulado com a Rússia (os Kamov) e, ainda os AS350B3, da Eurocopter (tudo cerca de 54-56 Milhões de euros), e já não se adquiriram os aviões por não haver dinheiro. Os hélis chegaram entre Junho de 2007 e Março de 2008.

O intermediário foi a empresa Heli Portugal, a quem foi adjudicado, também, por cinco anos, a manutenção das aeronaves, o que vale 16 M euros/ano.

A chefia da FA ainda fez uma proposta, em finais de 2004, avançando com a ideia de uma esquadra de aviões tipo Canadair (oito a 10), de multiuso. Este avião tem a vantagem de já ter dado boas provas e ser operado por Marrocos, Espanha, França, Itália e Grécia, podendo-se equacionar uma futura “poole“ destes meios. Ficou, ainda, em aberto a hipótese de reconfiguração dos 10 SA 330 Puma existentes e em desactivação, mas aproveitáveis, apesar de não serem os ideais. Hoje estão à venda e não se lhes encontra comprador.

Não deixa de ser curioso notar, contudo, que a chefia da FA, entre 1997 e 2000, não se ter mostrado nada interessada na questão dos IF, nem nos “Canadair”.

A FA, com realismo militar, mas com falta de “perspicácia” política, sempre foi dizendo que necessitava de cinco anos para tudo estar operacional, o que logo foi aproveitado pelos políticos, como óbice pela falta de celeridade. Menos, certamente, por preocupação com os fogos, mas por estarem sempre de olho nas próximas eleições e no papelinho do voto…


É claro que a proposta ficou na gaveta da política e só não temos a certeza do grau de assertividade com que esta dama foi defendida. E devia tê-lo sido, não só pela FA mas pelo Conselho de Chefes.

E, assim, se avançou para a organização de uma empresa para operar helicópteros num organismo que sabia rigorosamente nada sobre tal “negócio”. O Estado Português tem destas coisas e é, como se sabe, rico.


Faltava agora decidir sobre o dispositivo, isto é, onde estacionar os meios. A Autoridade Nacional de Protecção Civil pretendia meios colocados em Loulé e S. Comba Dão (e outros locais) mas, para além disto, era necessária uma base central.

O MAI António Costa, ainda tentou colocá-los na antiga base de Tancos (que tem todas as infra-estruturas, espaço e está despido de meios aéreos, e para isso reuniu com os Chefes do Exército e da FA. A reunião correu mal (para variar), e nenhum acordo foi atingido.

Resultado, foi-se gastar uma nota gorda (cerca de 15M euros), a fazer uma “base” no aeródromo municipal de Ponte de Sor (a 50 km de Tancos…), que foi completamente remodelado.

Como houve dificuldades, no inicio, em recrutar pilotos para os “Kamov”, a EMA foi generosa e passou a oferecer 6000 euros/mês a um comandante, fora as alcavalas. Afinal só não há dinheiro é para os hélis dos Ramos, nem para aumentar o risco de voo dos pilotos militares… Para já não falar nos diferentes pesos e medidas, que o mesmo patrão (o Estado), usa para com os seus servidores.

Como ninguém, aparentemente, explicou com algum detalhe aos senhores do MAI, que operar meios aéreos não é propriamente o mesmo que colocar uma asa num carro de bombeiros, os custos da empresa não mais pararam de derrapar e o passivo já ultrapassa os 40 milhões, se é que se podem acreditar nas contas que por aí correm. Tentou-se,” in extremis” impor quotas de horas de voo à GNR, PSP, ANPC, SEF, IMTT, etc., o que tem gerado uma apreciável confusão.

E agora ninguém sabe o que fazer. Daí o anzol lançado pelo MDN.

A desintonia e os desencontros, entre MDN, MAI, bem como entre as principais entidades que têm andado ligadas a esta problemática, têm sido a regra

Os incêndios, esses, continuam a surgir por geração espontânea e fazem o seu percurso placidamente.

Deve ser das alterações climáticas.

http://novoadamastor.blogspot.pt/2011/08/mdn-mai-incendios-e-asneiras-escusadas.html (http://novoadamastor.blogspot.pt/2011/08/mdn-mai-incendios-e-asneiras-escusadas.html)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Junho 12, 2016, 03:04:46 am
Como diz o mafets, e muito bem, o artigo é de 2011 mas está super actualizado, como se tivesse sido escrito hoje. Esta estória dos incêndios é uma palhaçada completa — aliás, sempre foi assim no pós 25 de Abril!

Não se compram meios porque existe sempre a eterna desculpa de que a prevenção é mais eficaz e barata (uma evidência de La Palice), mas depois nem se investe na prevenção nem se adquirem meios. Fica tudo no limbo, alugam-se meios temporários, os amigos fazem uns cobres e 'tá-se' bem.

Os países vizinhos, com características geográficas e climáticas semelhantes dispõem dos tais meios mas, obviamente, que estão todos errados, porque a malta é que sabe. Desde o início dos anos 80 — há mais de 40 anos, portanto — que ouço falar na aquisição dos famosos Canadair (porra, a empresa fabricante até já mudou de nome!) mas, por enquanto, nada.

Que se lixe tudo com um F muito grande, porque o que interessa é a bola. Viva a Selecção Nacional!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: miguelbud em Junho 14, 2016, 12:12:35 pm
Está uma petiçao a decorrer para a FAP tornar a combater fogos.

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70630
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Junho 16, 2016, 03:32:18 am
A questão dos C130 e pertinente e deve fazer confusão a muita gente.
A questão que se deve colocar não deve ser, porque nao se usam se ate foram comprados os kit's?
mas sim: Porque gastaram dinheiro nisso se todo o planeamento operacional de combate a incendeos em Portugal esta feito de forma a que o uso do C130 seja inutil ou impossível?

Em portugal combate-se incendeos florestais principalmente  atacando diretamente a frente de fogo  o C130 não pode fazer isso!
O C130 tal como outros meios pesados são usados para combate indireto, para  proteger  e consolidar linhas de contenção abertas ou limpas de vegetação pelos homens e maquinas no terreno!  algo que por varias razões não é feito em Portugal .
primeiro porque a geografia e complicada,  com exceçao do alentejo não vejo nenhum local onde isso podesse ser realizado e depois porque nao ha equipamento.
Combater um incendeo no modelo atual e incluir um C130 pra "despejar agua em cima do fogo,  era a mesma coisa que fazer carpet bomming a uma cidade, com os nossos soldados la em baixo a lutar rua a rua , casa a casa, não dá!
Se ate os canadair fazem estragos imaginem um C130.
Para o seu uso teriamos que reformular toda a estrategia de combate a incendeos, algo que não foi feito, muito pelo contrário, continuou-se a investir no combate direto. 
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Junho 16, 2016, 12:29:50 pm
A questão dos C130 e pertinente e deve fazer confusão a muita gente.
A questão que se deve colocar não deve ser, porque nao se usam se ate foram comprados os kit's?
mas sim: Porque gastaram dinheiro nisso se todo o planeamento operacional de combate a incendeos em Portugal esta feito de forma a que o uso do C130 seja inutil ou impossível?

Em portugal combate-se incendeos florestais principalmente  atacando diretamente a frente de fogo  o C130 não pode fazer isso!
O C130 tal como outros meios pesados são usados para combate indireto, para  proteger  e consolidar linhas de contenção abertas ou limpas de vegetação pelos homens e maquinas no terreno!  algo que por varias razões não é feito em Portugal .
primeiro porque a geografia e complicada,  com exceçao do alentejo não vejo nenhum local onde isso podesse ser realizado e depois porque nao ha equipamento.
Combater um incendeo no modelo atual e incluir um C130 pra "despejar agua em cima do fogo,  era a mesma coisa que fazer carpet bomming a uma cidade, com os nossos soldados la em baixo a lutar rua a rua , casa a casa, não dá!
Se ate os canadair fazem estragos imaginem um C130.
Para o seu uso teriamos que reformular toda a estrategia de combate a incendeos, algo que não foi feito, muito pelo contrário, continuou-se a investir no combate direto.
Até faz sentido face não apenas ao que está aqui exposto mas também ao número de Aeronaves e tripulações que para a realidade portuguesa é claramente reduzido (embora a partir do momento que foram adquiridos considero um crime que tenham sido deixados apodrecer pelo poder político já que a FAP foi mantendo os MAFFS até poder). Agora, Portugal  teve/tem o AL II, Puma e Al III, e foram mais unidades que 5/6 C130H.  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.airventure.de%2FBGS05%2FBGS_05_Alouette_II_Landung_LKW.jpg&hash=57c0effeb6cd5b68960eec394f6d2ca6)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.digitaljournal.com%2Fimg%2F7%2F4%2F6%2F4%2F4%2F7%2Fi%2F7%2F5%2F6%2Fp-large%2FDJ_bambismall.jpg&hash=eb8a1826b4773472765119f85da9ad67)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.swissheli.com%2Fhistory%2Fv-232a.jpg&hash=0f24fc4c4bea2c3d1577ee4f710b4749)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Junho 16, 2016, 03:47:43 pm
Está uma petiçao a decorrer para a FAP tornar a combater fogos.

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70630

Com que meios?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Junho 16, 2016, 03:53:16 pm

Até faz sentido face não apenas ao que está aqui exposto mas também ao número de Aeronaves e tripulações que para a realidade portuguesa é claramente reduzido (embora a partir do momento que foram adquiridos considero um crime que tenham sido deixados apodrecer pelo poder político já que a FAP foi mantendo os MAFFS até poder). Agora, Portugal  teve/tem o AL II, Puma e Al III, e foram mais unidades que 5/6 C130H.  ;)

Cumprimentos

O problema atual é que essas frotas referidas já não equacionáveis para esse fim.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Junho 16, 2016, 08:39:03 pm

Até faz sentido face não apenas ao que está aqui exposto mas também ao número de Aeronaves e tripulações que para a realidade portuguesa é claramente reduzido (embora a partir do momento que foram adquiridos considero um crime que tenham sido deixados apodrecer pelo poder político já que a FAP foi mantendo os MAFFS até poder). Agora, Portugal  teve/tem o AL II, Puma e Al III, e foram mais unidades que 5/6 C130H.  ;)

Cumprimentos

O problema atual é que essas frotas referidas já não equacionáveis para esse fim.
Correcto, agora não faz sentido. Mas estou a referir-me à  altura que os MAFFS foram adquiridos para os C130H, quantos destes helicópteros estavam em serviço? Inclusive um lote de Al II que vieram da Alemanha (da BGS, a qual sempre fez combate a incêndios com os seus helicopteros)  em 1984 para a GNR (e rapidamente foram vendidos), e porque nunca entraram no combate efectivo aos Incêndios?

http://altimagem.blogspot.pt/2014/01/93-sud-aviation-se-3130-alouette-ii.html (http://altimagem.blogspot.pt/2014/01/93-sud-aviation-se-3130-alouette-ii.html)

Citar
Fire fighting - Portugal 2005

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-Upw9XNEn2Zs%2FUN4EZHXY3OI%2FAAAAAAAAAWQ%2Fqk4i5qtpIjc%2Fs1600%2F20111119_113223.jpg&hash=903dd0d734496eb86454e645e2d690aa)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F-lwYtNwV5jo0%2FTWRKuW_7MUI%2FAAAAAAAAELI%2FwpNHEhMdjBg%2Fs1600%2FAL2.2.jpg&hash=5bba5780afdcd55aae53481736b9002e)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.swissheli.com%2Fhistory%2Fhb-xpy05.jpg&hash=f592b41f089ef744fd1e9e8f70540318)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: night_runner em Junho 17, 2016, 12:31:25 am
Agora por falar nos Alouette da GNR... Então não é que uma conhecida e prestigiada empresa na área do estudo e análise de Forças Armadas e de Segurança mantém os "7 SA315B Lama" em serviço na GNR em 2015!  :N-icon-Axe:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Junho 17, 2016, 09:08:34 pm
Agora por falar nos Alouette da GNR... Então não é que uma conhecida e prestigiada empresa na área do estudo e análise de Forças Armadas e de Segurança mantém os "7 SA315B Lama" em serviço na GNR em 2015!  :N-icon-Axe:

Ao tempo que já tinha reparado nisso
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: miguelbud em Junho 25, 2016, 06:46:25 pm
Está uma petiçao a decorrer para a FAP tornar a combater fogos.

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70630

Com que meios?
Inicialmente com os KAmov e a curto prazo adquiririam-se Air Tractors ou Canadairs dependendo do rendimento que a FAP pudesse tirar das aeronaves durante o periodo onde nao há fogos.

Com o dinheiro gasto anualmente a alugar meios, eapidamente se amortiza estes investimentos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 09, 2016, 12:06:18 pm
Não querendo ser provocador mas antes incentivador da discussão, temos as regiões Centro e Norte de Portugal Continental a arder juntamente com a Região Autónoma da Madeira e pouco se tem aqui debatido acerca disso.  :P

Populações e bombeiros queixam-se da falta de meios aéreos, um assunto sempre recorrente nesta altura todos os anos e que depois "congela" no Outono, Inverno e Primavera, havendo mesmo um diário sensacionalista que hoje afirma na sua capa que o Governo estará supostamente a poupar os meios aéreos.

Soube-se também esta manhã que dois Canadair da Força Aérea Espanhola são aguardados no Minho para ajudar no combate às chamas, essa "mítica" aeronave sempre tão falada - e desejada - em Portugal mas que por mais vezes que seja apresentada pelo fabricante em Figo Maduro nunca consegue assegurar uma encomenda em terras lusas. Até porque segundo alguns pseudo-analistas será um aparelho desadequado à realidade portuguesa, porém serve com distinção em países congéneres europeus (e não só) como são os casos de Espanha, França, Itália, Croácia, Grécia, Marrocos e Turquia.

Mais subsídios e contribuições para esta cíclica discussão, alguém?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 09, 2016, 01:05:18 pm
Não querendo ser provocador mas antes incentivador da discussão, temos as regiões Centro e Norte de Portugal Continental a arder juntamente com a Região Autónoma da Madeira e pouco se tem aqui debatido acerca disso.  :P

Populações e bombeiros queixam-se da falta de meios aéreos, um assunto sempre recorrente nesta altura todos os anos e que depois "congela" no Outono, Inverno e Primavera, havendo mesmo um diário sensacionalista que hoje afirma na sua capa que o Governo estará supostamente a poupar os meios aéreos.

Soube-se também esta manhã que dois Canadair da Força Aérea Espanhola são aguardados no Minho para ajudar no combate às chamas, essa "mítica" aeronave sempre tão falada - e desejada - em Portugal mas que por mais vezes que seja apresentada pelo fabricante em Figo Maduro nunca consegue assegurar uma encomenda em terras lusas. Até porque segundo alguns pseudo-analistas será um aparelho desadequado à realidade portuguesa, porém serve com distinção em países congéneres europeus (e não só) como são os casos de Espanha, França, Itália, Croácia, Grécia, Marrocos e Turquia.

Mais subsídios e contribuições para esta cíclica discussão, alguém?

Meu caro, bastavam uns 5 Fireboss (para juntar aos Ecureuil e Kamov que restam) que a 3 milhões e meio de euros cada, com contratos, peças e mais uns extras ficavam com preço total à volta dos 25/27 milhões de euros, não se colocando uma serie de questões por exemplo quanto ao abastecimento e outros preciosismos tão apontados pelos "experts de serviço". O Bombardier 415 tem o seu valor mas está para cima dos 30 milhões a unidade. Quanto ao resto "cada cabeça sua sentença" mas pessoalmente considero essenciais meios aéreos próprios de combate a incêndios em serviço numa entidade credível e não no Carnaval que foi a EMA e afins... ;) :P
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Faero-spray.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F04%2FAT-802-Fire-Boss.png&hash=d0e4b4946e50606bc05735e63777ea29)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimage.slidesharecdn.com%2Fscoopers-firebossnwaviationconference-130226074233-phpapp01%2F95%2Fscoopers-fireboss-nw-aviation-conference-32-638.jpg%3Fcb%3D1361864660&hash=44b3f9ad0f2efb2eeba88ca2a8fbd389)

 
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Agosto 09, 2016, 01:08:58 pm
Não querendo ser provocador mas antes incentivador da discussão, temos as regiões Centro e Norte de Portugal Continental a arder juntamente com a Região Autónoma da Madeira e pouco se tem aqui debatido acerca disso.  :P

Populações e bombeiros queixam-se da falta de meios aéreos, um assunto sempre recorrente nesta altura todos os anos e que depois "congela" no Outono, Inverno e Primavera, havendo mesmo um diário sensacionalista que hoje afirma na sua capa que o Governo estará supostamente a poupar os meios aéreos.

Soube-se também esta manhã que dois Canadair da Força Aérea Espanhola são aguardados no Minho para ajudar no combate às chamas, essa "mítica" aeronave sempre tão falada - e desejada - em Portugal mas que por mais vezes que seja apresentada pelo fabricante em Figo Maduro nunca consegue assegurar uma encomenda em terras lusas. Até porque segundo alguns pseudo-analistas será um aparelho desadequado à realidade portuguesa, porém serve com distinção em países congéneres europeus (e não só) como são os casos de Espanha, França, Itália, Croácia, Grécia, Marrocos e Turquia.

Mais subsídios e contribuições para esta cíclica discussão, alguém?

O problema não está nem na aeronave, nem na entidade que a quer pilotar, que neste caso é a FAP. O problema baseia-se sempre na mesma coisa a corrupção, os interesses que os governantes tem nessas empresas que fornecem um serviço que ao que parece o estado não consegue fazer. 

Mais uma vez digo as aeronaves do estado deveriam estar sobre o domínio da FAP e não divididas como acontece hoje.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Agosto 09, 2016, 02:55:03 pm
É muito mais fácil comprar uma frota automóvel nova em folha de 2 em 2 ou mesmo de 4 em 4 anos para quem nos governa :)
E é engraçado que raramente é notícia, talvez pelo facto das viaturas serem sempre muito semelhantes e muito recentes (um Mercedes SL é trocado por outro SL), que os tugas nem dão conta que as matrículas mudam :)

Por acaso foi uma coisa que nunca percebi no estado, haver uma centralização de recursos e manutenção, não só de aeronaves, como edifícios (porque é que em cada cidade e vila nacional, tem de haver um edifício para a Segurança Social, outro para as Finanças, para a sede do Município, para a PSP/GNR, para os tribunais, para uma conservatória/Registo, etc..... não podiam logo construir de raiz um edifício único que albergasse todas essas instituições? Poupavam muitos milhões de euros pelo país a fora! E o cidadão escusava de fazer um rallye papper pela localidade para tratar..... de uma venda de um terreno, por exemplo!

Sem dúvida que os meios aéreos deveriam estar na FAP, bem como a manutenção das aeronaves, no que é possível fazer cá. Mas os políticos nacionais estão dispostos a abdicar das suas comissõeszitas!?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 09, 2016, 03:18:53 pm
Não querendo ser provocador mas antes incentivador da discussão, temos as regiões Centro e Norte de Portugal Continental a arder juntamente com a Região Autónoma da Madeira e pouco se tem aqui debatido acerca disso.  :P

Populações e bombeiros queixam-se da falta de meios aéreos, um assunto sempre recorrente nesta altura todos os anos e que depois "congela" no Outono, Inverno e Primavera, havendo mesmo um diário sensacionalista que hoje afirma na sua capa que o Governo estará supostamente a poupar os meios aéreos.

Soube-se também esta manhã que dois Canadair da Força Aérea Espanhola são aguardados no Minho para ajudar no combate às chamas, essa "mítica" aeronave sempre tão falada - e desejada - em Portugal mas que por mais vezes que seja apresentada pelo fabricante em Figo Maduro nunca consegue assegurar uma encomenda em terras lusas. Até porque segundo alguns pseudo-analistas será um aparelho desadequado à realidade portuguesa, porém serve com distinção em países congéneres europeus (e não só) como são os casos de Espanha, França, Itália, Croácia, Grécia, Marrocos e Turquia.

Mais subsídios e contribuições para esta cíclica discussão, alguém?

O problema não está nem na aeronave, nem na entidade que a quer pilotar, que neste caso é a FAP. O problema baseia-se sempre na mesma coisa a corrupção, os interesses que os governantes tem nessas empresas que fornecem um serviço que ao que parece o estado não consegue fazer. 

Mais uma vez digo as aeronaves do estado deveriam estar sobre o domínio da FAP e não divididas como acontece hoje.

Claro que é uma aeronave desadequada, quando for comprada, apenas por uma vez dará luvas a alguns, enquanto que os alugueres anuais meus srs são outra ESTÒRIA................................................

https://www.noticiasaominuto.com/pais/635870/dois-avioes-canadair-espanhois-esperados-em-viana-do-castelo

E eu voto a favor.

O CL215 que anexo fotos quando esteve há uns anos, não no Figo Maduro, que de aeródromo só tem mesmo o nome, pois não é mais que uma simples placa de estacionamento de aeronaves, mas no antigo parque Delta, onde aproveitei e depois de falar com a tripulação, saquei umas fotos do bicho.

É uma excelente aeronave de combate a incêndios que não só já deveria ter sido adquirida pelos nossos corruptos e incapazes governantes, para que durante o período de incêndios os combatesse, mas e também como poderiam, á imagem do que acontece em Espanha, ser alugados a outros países, como nós, para combater os referidos incêndios, e, tendo a capacidade no caso do 415, de efectuar patrulhamento marítimo e até SAR durante as épocas ditas baixas, dos incêndios claro, mas----------------------- Outros valores mais altos se ALevantam, como LVC nos Lusíadas bem cantou !!!

Ainda estou para descobrir onde andam os dois CL215/415 comprados pelos governos anteriores deste país e tão apregoados por essa comunicação social !!!! blx2x1

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/governo-vai-comprar-dois-canadair-e-equipamento-de-11-milhoes-para-bombeiros-1626259

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=29&did=143306

https://www.noticiasaominuto.com/pais/180393/portugal-quer-comprar-dois-avioes-canadair-para-combate-a-incendios

http://www.bps.pt/2015/01/03/fundos-europeus-pagam-dois-avioes-de-combate-a-incendios/

http://www.segurancaonline.com/noticias/detalhes.php?id=2836


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150929_zpsonvtwbbx.jpg&hash=eb7cb20079992d6e784fd96bb3840dfd) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150929_zpsonvtwbbx.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150928_zpsqpf5djve.jpg&hash=e4a7e78a046a8ca74c4bc1aaf7f8d3bd) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150928_zpsqpf5djve.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150922_zpshqr1e6lb.jpg&hash=d762ba3987b7abc13f822c16e17699f0) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150922_zpshqr1e6lb.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150923_zpsymlujhn2.jpg&hash=e4893ea118d561ab9ce4109150194c20) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150923_zpsymlujhn2.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150925_zpsynbxckbt.jpg&hash=eace22fbf1c0d96a7b321d8a5cfefc14) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150925_zpsynbxckbt.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150926_zps4ddlsoir.jpg&hash=82a81049be13fac8884465bb3409ca7f) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150926_zps4ddlsoir.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150927_zps05krqqg8.jpg&hash=ebab938e37a8b08a00cd785b6f69f13c) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150927_zps05krqqg8.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150924_zps2qlcv73n.jpg&hash=48c3c4f31db66384bf94c08811ac8571) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150924_zps2qlcv73n.jpg.html)

Portugal continua no seu melhor, a ser desgovernado por esta cambada de politicozecos de pacotilha !!!!
DEIXA ARDER !!!!!!

Desculpem a qualidade das fotos

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 09, 2016, 04:31:49 pm
Para mim, uma mistura de CL415 e AT-802 seria o ideal. Não acho que as duas aeronaves sejam incompatíveis. Aliás, alguns dos países mediterrânicos citados possuem ambos os tipos, como Espanha, Itália e Croácia.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 09, 2016, 05:21:56 pm
Amigo Tenente, as suas fotos do CL-215 são de que ano exactamente? Pelo menos podiam ter apresentado um CL-215T...  ::)

Quando mencionei Figo Maduro estava a referir-me a uma ocasião, salvo erro em 2005, em que a Bombardier apresentou sim ao Estado Português o CL-415 Superscooper. Sinceramente não me recordo de mais dados.

Os aparelhos anfíbios da hoje Bombardier estarão pelo menos a ser avaliados pelo Estado Português há mais de vinte anos, o que só vem sustentar o que muitos aqui escrevem sobre negociatas de bastidores que em muito prejudicam o superior interesse do país. Isto, claro, para além de outras questões ligadas à política florestal e que não são menos importantes.

Citar
Canadair prepares CL-415 upgrades

20 September, 1995

Graham Warwick/ATLANTA

CANADAIR IS PLANNING a series of improvements to the CL-415, which will increase the fire fighting aircraft's utility and provide the basis for the development of planned special-mission variants.

The Bombardier subsidiary says that upgrades now being defined include tail anti-icing and cabin air-conditioning, allowing year-round operations, and a larger aft cargo-door. Canadair sees a market with fire fighting customers for an enhanced aircraft and is considering offering the upgrades for retrofit. The improved aircraft would form the basis for special-mission variants being discussed with countries such as the Philippines and Turkey.

Bombardier has sold two used CL-215 fire fighting aircraft to the Newfoundland provincial government, which already operates four of the piston-powered water bombers. The aircraft were formerly operated by the Quebec government, which is returning its CL-215s as it takes delivery of turboprop-powered CL-415s.

The CL-215s are now in Portugal, where they are on short-term lease for evaluation by the country's fire fighting agency. A third aircraft, which was on lease to Sweden for evaluation of its performance on fire fighting and coast guard missions, is now also based in Portugal. The Portuguese evaluation is scheduled to end in October, and Canadair is hopeful of leasing CL-415s to the southern-European nation in 1996.

https://www.flightglobal.com/news/articles/canadair-prepares-cl-415-upgrades-24173/
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 09, 2016, 05:47:55 pm
Amigo Tenente, as suas fotos do CL-215 são de que ano exactamente? Pelo menos podiam ter apresentado um CL-215T...  ::)

Quando mencionei Figo Maduro estava a referir-me a uma ocasião, salvo erro em 2005, em que a Bombardier apresentou sim ao Estado Português o CL-415 Superscooper. Sinceramente não me recordo de mais dados.

Os aparelhos anfíbios da hoje Bombardier estarão pelo menos a ser avaliados pelo Estado Português há mais de vinte anos, o que só vem sustentar o que muitos aqui escrevem sobre negociatas de bastidores que em muito prejudicam o superior interesse do país. Isto, claro, para além de outras questões ligadas à política florestal e que não são menos importantes.

Citar
Canadair prepares CL-415 upgrades

20 September, 1995

Graham Warwick/ATLANTA

CANADAIR IS PLANNING a series of improvements to the CL-415, which will increase the fire fighting aircraft's utility and provide the basis for the development of planned special-mission variants.

The Bombardier subsidiary says that upgrades now being defined include tail anti-icing and cabin air-conditioning, allowing year-round operations, and a larger aft cargo-door. Canadair sees a market with fire fighting customers for an enhanced aircraft and is considering offering the upgrades for retrofit. The improved aircraft would form the basis for special-mission variants being discussed with countries such as the Philippines and Turkey.

Bombardier has sold two used CL-215 fire fighting aircraft to the Newfoundland provincial government, which already operates four of the piston-powered water bombers. The aircraft were formerly operated by the Quebec government, which is returning its CL-215s as it takes delivery of turboprop-powered CL-415s.

The CL-215s are now in Portugal, where they are on short-term lease for evaluation by the country's fire fighting agency. A third aircraft, which was on lease to Sweden for evaluation of its performance on fire fighting and coast guard missions, is now also based in Portugal. The Portuguese evaluation is scheduled to end in October, and Canadair is hopeful of leasing CL-415s to the southern-European nation in 1996.

https://www.flightglobal.com/news/articles/canadair-prepares-cl-415-upgrades-24173/

Charlie Jaguar, penso que a versão Turboprop não estava disponível, ou que o nosso estado tenha optado pelo 215, já não tenho a certeza, agora já não estou no trabalho mas na sexta vou verificar pela matricula, pois já não me lembro muito ao certo do ano, o que posso afirmar é que é uma aeronave extremamente manobrável e com um payload, leia-se mistura ou mesmo água para combater os FF muito apreciável, cerca de 6000 Lts ainda voamos cerca de uma hora e fora efectuadas amaragens e aproximações/ataques a fogos simulados e, nas saídas dos ataques o acft, demonstrava uma capacidade ascensional muito jeitosa mesmo, nem quero imaginar o que um 415 consegue fazer.
Só nós mesmo para colocar entraves á aquisição de uma meia dúzia destes aparelhos em conjunto com uma dúzia de aeronaves monomotoras, tipo Airtractor ou similares e uma dúzia de Helis e tínhamos o nosso dispositivo aéreo montado e provavelmente se não estivessse pago para lá caminharia.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fud13-21-fuerza-aerea-espaola-spanish-air-force-canadair-cl-215t_PlanespottersNet_538257_zps7hhhc2hd.jpg&hash=c29a60f110a794c5c1f4cee5035ec6c5) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/ud13-21-fuerza-aerea-espaola-spanish-air-force-canadair-cl-215t_PlanespottersNet_538257_zps7hhhc2hd.jpg.html)

Durante muitos anos alguns pilotos nossos, da defunta, Aerocondor, iam para Espanha durante o período mais critico, e pilotavam alguns 215 Espanhóis, enquanto que em Portugal, houve anos que até catalinas chilenos tivemos no dispositivo aéreo de combate aos incêndios Florestais, vá-se lá saber porquê.

Abraços

 
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 09, 2016, 06:03:01 pm
Para mim, uma mistura de CL415 e AT-802 seria o ideal. Não acho que as duas aeronaves sejam incompatíveis. Aliás, alguns dos países mediterrânicos citados possuem ambos os tipos, como Espanha, Itália e Croácia.

Porque é que seriam incompatíveis, quanto a mim complementar-se-iam nada mais.

http://www.environment.gov.sk.ca/adx/aspx/adxGetMedia.aspx?DocID=06f4df9e-a7a4-4923-9e51-d50031e9dca1&MediaID=1455&Filename=Specifications+of+the+Canadair+CL-215.pdf&l=English

http://www.environment.gov.sk.ca/adx/aspx/adxGetMedia.aspx?DocID=2abfbf66-9034-44da-9237-91e11de1b899&MediaID=1453&Filename=Information+on+the+CL-215T.pdf&l=English

O que nos tem vindo a faltar é meios médio/pesados em quantidade suficiente para ao destacados para as frentes mais perigosas, possam com uma meia dúzia de descargas, número muito menor que o número necessários com os AT-802 e afins, e,  consequentemente, em muito menos tempo, logo, libertando mais meios aéreos para outras frentes, resolver ou mitigar em muitos as consequências de um incêndio Florestal.
Os nossos excelentes Bombeiros agradeceriam e de que maneira !!!!

Além da competência que falta aos decisores políticos o que lhes falta é coragem para irem para o terreno e in loco se aperceberem das limitações, e capacidades dos meios terrestres e aéreos que a protecção civil possui, e melhorias que poderiam ser implementadas tanto no dispositivo como na prevenção dos FF, mas quando digo que deveriam ir para o terreno não era para estarem lá uma hora ou duas mas uns dois dias e ouvirem os operacionais no terreno, sentirem o que lhes vai na alma, as suas dificuldades e mais valias, não os especialistas de pacotilha, a botar faladura nas conferências de imprensa.

A liderança á séria é feita a partir da frente, em contacto com a besta, pelo menos foi como eu aprendi, e é mesmo verdade, o exemplo, o bom exemplo vem deste tipo de gente, que sabe que a ordem que deu é executável, pois já esteve na 1ª linha, e já as executou  !!!!

Se os nossos decisores políticos tivessem ao menos um pouco de respeito pelos nossos valorosos Bombeiros......tinham a minha consideração, mas NÃO TEM, NEM O RESPEITO PELAS MULHERES E HOMENS QUE NOS TEM VINDO A PROTEGER, ANO APÓS ANO, NEM A MINHA CONSIDERAÇÃO !!!!!

Abraços 
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 09, 2016, 07:29:22 pm
Ora então, quem não tem Cão-nadair apaga os fogos com um C295........


https://airbusdefenceandspace.com/newsroom/news-and-features/airbus-military-reveals-more-details-of-c295-firefighter-programme/

http://fireaviation.com/tag/c295/

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FTank-unload-012a_2_zpso6m59mpz.jpg&hash=143496f0c7f58464322706e6408fa730) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Tank-unload-012a_2_zpso6m59mpz.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FC295-924-gallon-tank_zps0qttvjba.jpg&hash=2e9f24c0376235a8a118032127007170) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/C295-924-gallon-tank_zps0qttvjba.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F9_-c295-water-bomber_zpsn1e5shqo.jpg&hash=fdeb94e38002f552784b003e02d1a6d7) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/9_-c295-water-bomber_zpsn1e5shqo.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FC295-dropping_zpsed9ffqn0.jpg&hash=97121d96e38a4a0cc5111a22bc99ba27) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/C295-dropping_zpsed9ffqn0.jpg.html)

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Crypter em Agosto 09, 2016, 07:38:00 pm
Vale o que vale..

Anda a circular esta petição:

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N70630
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 09, 2016, 10:34:53 pm
A Força Aérea vai transportar bombeiros e INEM para a Madeira.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 10, 2016, 02:38:26 pm
Vi no face que já transportaram 120 bombeiros.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: overlord em Agosto 10, 2016, 02:46:04 pm
Sem ser um grande estrategista como há aqui no forum mas acho ser nestas situações que a FAP precisava de um transportadores aéreos de grande capacidade com os C-17 para transportar viaturas de combate a incêndios para a Madeira já que os hércules não possuem essa capacidade em termos de espaço(larguraXcomprimentoXprofundidade).

Mas pronto somos um pais vendido aos interesses económicos e corruptos onde gastamos o dinheiro equivalente em dois anos que dava para se calhar termos uma enorme frota de helicópteros e aviões de combate a incêndios.

E digo mais o dia que a pressão publica torne insustentável a aluguer de meios vai ser o dia que vamos comprar meios próprios para depois recorrer-mos a empresas privadas para fornecerem homens e manutenção dos aparelhos a preço de ouro. Enfim é o pais que temos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Tino em Agosto 10, 2016, 03:31:16 pm

E digo mais o dia que a pressão publica torne insustentável a aluguer de meios vai ser o dia que vamos comprar meios próprios para depois recorrer-mos a empresas privadas para fornecerem homens e manutenção dos aparelhos a preço de ouro. Enfim é o pais que temos

Não é assim que temos os kamov? E é bem verdade que ficam ao preço do ouro, quando deveriam ser relativamente baratos de operar para as capacidades que possuem. Dá que pensar, não dá! Interesses escondidos é a única justificação para que isto continue assim.
Passar estes e outros meios novos para a FAP é fundamental. Ao mesmo tempo reforçar o orçamento da FAP para fazer frente as estas despesas. Tenho a certeza que se poupava muito dinheiro.
Não deveria ser difícil, digo eu, preparar uma esquadra de uma ano para o outro. Porque só vejo uma complicação no meio desta transição / aumento da capacidade que é o pessoal qualificado da FAP para tomar conta disso tudo.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 10, 2016, 04:16:18 pm
Sem ser um grande estrategista como há aqui no forum mas acho ser nestas situações que a FAP precisava de um transportadores aéreos de grande capacidade com os C-17 para transportar viaturas de combate a incêndios para a Madeira já que os hércules não possuem essa capacidade em termos de espaço(larguraXcomprimentoXprofundidade).

Mas pronto somos um pais vendido aos interesses económicos e corruptos onde gastamos o dinheiro equivalente em dois anos que dava para se calhar termos uma enorme frota de helicópteros e aviões de combate a incêndios.

E digo mais o dia que a pressão publica torne insustentável a aluguer de meios vai ser o dia que vamos comprar meios próprios para depois recorrer-mos a empresas privadas para fornecerem homens e manutenção dos aparelhos a preço de ouro. Enfim é o pais que temos

Se houvesse vontade não eram só Bombeiros que iam para lá, mas também alguns meios. Se houvesse vontade... E não é preciso C17 para isso.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Agosto 10, 2016, 04:19:20 pm
España envía un avión desde Talavera para combatir los fuegos que asedian Portugal

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.hoy.es%2Fnoticias%2F201608%2F10%2Fmedia%2Fcortadas%2FCpcrJ85WEAAJvag-kA5G-U202132081299voF-575x323%40Hoy.jpg&hash=77f9316ef8571786cdc7b81691889a8e)

Citar
El gobierno español ha enviado hoy un avión anfibio, que ha partido de la base de Talavera la Real (Badajoz) como refuerzo para sofocar el incendio de Viana do Castelo (Portugal) según fuentes del Ministerio de Agricultura, Alimentación y Medio Ambiente (Magrama), consultadas hoy por Efe.

PUBLICIDAD

inRead invented by Teads

MÁS INFOMRACIÓN
Tres muertos en el grave incendio que azota la capital de Madeira

Sin embargo, el país luso no ha solicitado hasta la fecha ayuda española para el siniestro que asedia Funchal, capital del archipiélago de Madeira, que ha provocado al menos 3 fallecidos de la misma familia así como 300 heridos.

La escarpada orografía de la zona, la limitada cantidad de agua dulce disponible y la presencia de miles de turistas están dificultando la extinción de este incendio.

El avión anfibio enviado por España es del tipo "grande", con 6.100 litros de capacidad de descarga, y apoyará a los tres medios aéreos portugueses que tratan de extinguir el fuego en Viana do Castelo.

Existen también aviones de tipo "mediano", que pueden transportar 3.100 litros, mientras que los helicópteros se diferencian entre los "grandes", de 4.500 litros, y los "pequeños", de 1.200, aunque éstos últimos también trasladan a las brigadas que colaboran en la lucha contra el fuego.

Las ayudas destinadas a otros países en estos casos son aeronaves capaces de descargar agua, mientras que si la ayuda es solicitada desde un gobierno autonómico se amplía a otros aviones con capacidad para captar imágenes infrarrojas que detectan los puntos principales de calor, además de unidades terrestres con especialistas en la lucha antiincendios y unidades móviles de toma de meteorología y transmisiones.

Las aeronaves con equipamiento infrarrojo no sólo determinan el perímetro pese a la dificultad de visión que provoca el humo sino que registran los puntos de mayor temperatura y con llamas más amenazantes: estas imágenes son analizadas por expertos que después orientan a las brigadas que operan sobre el terreno.

Las peticiones de ayuda al Magrama suelen cursarse durante las horas centrales del día, que son las de más calor, aunque también depende de las condiciones que presente cada fuego, según las fuentes.

El Magrama facilita, además, mapas de riesgo para comprobar la posible influencia de los vientos y evaluar el avance de las llamas, recomendando la intervención de los medios terrestres y aéreos.

El incendio de Viana do Castelo forma parte de la decena de grandes fuegos que continúan activos en Portugal en las últimas horas junto a los que han afectado a las localidades de Castanheira de Pera, Gondomar, Viseu, Arcos de Valdevez, Gouveia, Vilanova de Cerveira, Barcelos y Arouca.

http://www.hoy.es/extremadura/201608/10/espana-envia-avion-desde-20160810163407.html
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Crypter em Agosto 10, 2016, 04:24:17 pm
Entretanto tem sido os C-295M a transportar as ajudas do Continente

(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13938630_1066050183430690_755224260788933280_n.jpg?oh=787a7a76f2e0447388bf483f4137e439&oe=58183962)

Mais no facebook da esquadra 502: https://www.facebook.com/Esquadra502/posts/1066050516763990

P.S. - Agora um LPD até dava jeito......
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Agosto 10, 2016, 04:49:00 pm
Animo!, entre todos los apagaremos...

Controlan en Portugal un grave incendio con ayuda de aviones españoles

Citar
Portugal recibió este miércoles la ayuda de España para controlar un grave incendio declarado en la localidad de Góis, en la zona centro del país, que arrasó más de un millar de hectáreas y en el que trabajaron más de medio centenar de personas.
Según informaron fuentes del Gobierno luso, se solicitó la colaboración de España y Francia -con las que existe un acuerdo de cooperación en materia de incendios- debido al creciente número de fuegos forestales declarados en el país durante los últimos días.
Del otro lado de la frontera, llegaron dos aviones Canadair que trabajaron desde la madrugada junto al dispositivo de emergencias luso para controlar definitivamente las llamas en Góis, en el distrito de Coimbra.
Posteriormente, estas mismas aeronaves españolas se desplazaron hasta el norte, a Viseu, donde los bomberos lusos trabajan en varios focos.
Está previsto que Portugal reciba la ayuda de otros dos aviones del mismo tipo pero pertenecientes a los servicios de emergencia franceses la próxima semana.
El ayuntamiento de Góis, que gestiona una pequeña localidad de unos 4.000 habitantes, cifró en más de un millar las hectáreas de una zona boscosa de la localidad quemadas por el fuego, que comenzó ayer y no fue controlado hasta el mediodía de hoy.
Éste se ha convertido ya en uno de los más graves incendios del verano en Portugal, aunque por el momento las cifras son mejores que las del año pasado, uno de los peores de la última década en materia de incendios.
Un operario de la empresa Energías de Portugal (EDP) falleció de madrugada de una descarga eléctrica precisamente cuando intentaba reparar una línea afectada por las llamas, según informaron medios lusos.
En las últimas semanas, también perdieron la vida al menos dos bomberos en la extinción de fuegos.
Las elevadas temperaturas registradas durante los últimos días por todo el país han disparado el número de incendios, aunque la mayoría son de poca relevancia.
Solo en la jornada de ayer, los servicios de emergencias lusos registraron 350 fuegos, lo que obligó a movilizar un dispositivo de extinción formado en total por más de 8.000 personas y cerca de 2.000 vehículos.

(https://pbs.twimg.com/media/Cpbtx1vWAAAgNDS.jpg)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.atlantico.net%2Fmedia%2Fatlantico%2Fimages%2F2016%2F08%2F10%2F2016081007385725351.jpg&hash=c9fd66149ce36ad7bae4bb31080faa6b)

http://www.lavozdegalicia.es/noticia/internacional/2013/08/21/controlan-portugal-grave-incendio-ayuda-aviones-espanoles/00031377109334538730702.htm
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Major Alvega em Agosto 10, 2016, 05:13:13 pm
Portugal o único país do sul da Europa que não tem Bombardier's CL415 (vulgo Canadairs). De Espanha até à Grécia, passando pela França, Itália e Croácia, todos possuem estas aeronaves que são de uma eficácia extraordinária, operados directamente pelas Forças Aéreas e organismos estatais.
Esta pandilha que dirige o regime gosta é de Ecureuils a lançar baldinhos de água e de Kamov's explorados por outras entidades de amigos a custarem fortunas aos contribuintes. Enquanto tivermos à frente dos destinos do país esta seita, além das bancarrotas consecutivas, isto só vai acabar quando o território estiver todo calcinado.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 10, 2016, 07:25:46 pm
Entretanto tem sido os C-295M a transportar as ajudas do Continente

(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13938630_1066050183430690_755224260788933280_n.jpg?oh=787a7a76f2e0447388bf483f4137e439&oe=58183962)

Pensava que seria pelo menos um C-130 mas afinal parece que só tem sido usados os C-295M, e parece que estão a fazer "carrocel" com a quantidade de voos que já fizeram.

Citar
A Força Aérea, recorrendo a aeronaves C-295M da Esquadra 502 – “Elefantes”, realizou entre a noite de ontem e a manhã de hoje, dia 10 de agosto, quatro voos de apoio à Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), no âmbito dos incêndios que assolam a Ilha da Madeira.
 
Foram transportados nas aeronaves da Força Aérea, entre a Base Aérea Nº6 – Montijo – e o Funchal, 127 meios humanos e equipamento diverso de combate a incêndios, tendo sido realizadas na totalidade mais de 20 horas de voo.

http://www.emfa.pt/www/noticia-1155-forca-aerea-apoia-autoridade-nacional-de-protecao-civil
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 10, 2016, 08:26:28 pm
O PAN apoia: Concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica. Colocou perguntas que nunca foram respondidas: http://app.parlamento.pt/webutils/docs/doc.pdf?path=6148523063446f764c3246795a5868774d546f334e7a67774c336470626e4a6c635639775a584a6e6457353059584d7657456c4a535339775a7a49354d6a4d7465476c70615330784c6e426b5a673d3d&fich=pg2923-xiii-1.pdf&Inline=true

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 10, 2016, 08:28:30 pm
Portugal o único país do sul da Europa que não tem Bombardier's CL415 (vulgo Canadairs). De Espanha até à Grécia, passando pela França, Itália e Croácia, todos possuem estas aeronaves que são de uma eficácia extraordinária, operados directamente pelas Forças Aéreas e organismos estatais.
Esta pandilha que dirige o regime gosta é de Ecureuils a lançar baldinhos de água e de Kamov's explorados por outras entidades de amigos a custarem fortunas aos contribuintes. Enquanto tivermos à frente dos destinos do país esta seita, além das bancarrotas consecutivas, isto só vai acabar quando o território estiver todo calcinado.

Mas que mau feitio, isso é lá verdade, estes meninos do COIRO o que querem é taxos e enfardamentos novos......era " MAKOF " para cima deles e pô-los a trabalhar no duro, sempre tiveram grandes vidas agarrados aos partidos políticos, para estes a Nação que se FO...A o que interessa é os seus interesses, assim tipo Cherne e outros do BCE, por exemplo.
Eu dava-lhes a boa vida ó se dava !!!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 10, 2016, 08:29:56 pm
Entretanto tem sido os C-295M a transportar as ajudas do Continente

(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13938630_1066050183430690_755224260788933280_n.jpg?oh=787a7a76f2e0447388bf483f4137e439&oe=58183962)

Pensava que seria pelo menos um C-130 mas afinal parece que só tem sido usados os C-295M, e parece que estão a fazer "carrocel" com a quantidade de voos que já fizeram.

Citar
A Força Aérea, recorrendo a aeronaves C-295M da Esquadra 502 – “Elefantes”, realizou entre a noite de ontem e a manhã de hoje, dia 10 de agosto, quatro voos de apoio à Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), no âmbito dos incêndios que assolam a Ilha da Madeira.
 
Foram transportados nas aeronaves da Força Aérea, entre a Base Aérea Nº6 – Montijo – e o Funchal, 127 meios humanos e equipamento diverso de combate a incêndios, tendo sido realizadas na totalidade mais de 20 horas de voo.

http://www.emfa.pt/www/noticia-1155-forca-aerea-apoia-autoridade-nacional-de-protecao-civil

Chama-lhe antes ponte aérea, é o termo correcto. ;)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: lexivia em Agosto 10, 2016, 09:45:16 pm
O PAN apoia: Concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica. Colocou perguntas que nunca foram respondidas: http://app.parlamento.pt/webutils/docs/doc.pdf?path=6148523063446f764c3246795a5868774d546f334e7a67774c336470626e4a6c635639775a584a6e6457353059584d7657456c4a535339775a7a49354d6a4d7465476c70615330784c6e426b5a673d3d&fich=pg2923-xiii-1.pdf&Inline=true

O problema do combate a incêndios florestais não é quantidade de meios aéreos nem quem os gere (não estou a dizer que funcionam bem ou mal, nem sei o suficiente para dizer bem ou mal).
O correto combate a incêndios florestais combate-se com prevenção e organização, isto é, cumprir com a legislação em vigor, como manter um perímetro limpo em volta das habitações (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.multas.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2014%2F03%2Fimage2.jpg&hash=7569ae9d3725659891e629c1a1e28e21)
Se quiserem saber mais:http://www.multas.pt/ate-15-de-abril-limpe-faixa-de-protecao-de-edificios-contra-incendios (http://www.multas.pt/ate-15-de-abril-limpe-faixa-de-protecao-de-edificios-contra-incendios)
Ter casa ou outras infraestruturas no meio da floresta é muito bonito mas há riscos elevados e cumprir com as regras de ordenamento já impostas. Há que ter os matos limpos, asseiros criados e mantidos. O fogo é algo natural! Num território como o nosso, com este clima, não é possível combater fogos florestais como fogos em áreas urbanas.
Claro está que os problemas de ordenamento, cadastro e gestão da propriedade florestal são complexos pelas questões sentimentais ligadas à "terra" e falta de identificação dos limites cadastrais e dos proprietários e só com muita vontade política é que se consegue avançar com um projeto que trate destas situações. Actualmente não é passível o contínuo fraccionamento da propriedade, e como costumo dizer, não conheço ninguém que não seja dono de um pinheiro ou eucalipto. Já agora, como algumas almas já voltaram a escrever em colunas de jornais, a culpa não é dos eucaliptos. Vejam lá se as empresas com milhões de hectares de eucaliptos sofrem com incêndios.
As pessoas tem de compreender que quando recebem uma propriedade é um activo, é como herdar um negócio, uma fábrica ou até um carro. Ou vendemos ou usamos mas temos sempre de cumprir com os deveres e responsabilidades.
Quanto ao combate de fogos pela F.A.P. (não tenho nada contra) vê-se os problemas que existem quando se cruzam militares com civis em organizações como Proteção Civil.
Temos é de insistir em prevenção e gestão do território! Sai muito mais barato ao País!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 10, 2016, 10:05:21 pm
O PAN apoia: Concentração na Força Aérea de meios aéreos do Estado para o combate aos fogos e emergência médica. Colocou perguntas que nunca foram respondidas: http://app.parlamento.pt/webutils/docs/doc.pdf?path=6148523063446f764c3246795a5868774d546f334e7a67774c336470626e4a6c635639775a584a6e6457353059584d7657456c4a535339775a7a49354d6a4d7465476c70615330784c6e426b5a673d3d&fich=pg2923-xiii-1.pdf&Inline=true
O PAN apoia como grande parte dos portugueses também apoia, agora espero para bem da democracia que o Sr. Deputado do Pan apenas pretenda as questões respondidas formalmente e por escrito. É que se tem dúvidas reais é porque não percebe patavina do que anda a fazer relativamente a esta temática, nomeadamente ler e compilar informação que é pública e que deveria ir na carta, tal como:
1- Contrato denunciado pelo ex MAI Miguel MAcedo com a Heliportugal, a qual pede 143 milhões de euros em tribunal;
2 - Assinatura de novo contrato com a Everjets em 2015, até 2018 para o uso dos meios aéreos do estado, manutenção, pessoal e aluguer dos restantes meios aéreos de combate a incêndios;
3 - Contrato a ser investigado pela PJ por indícios de Fraude;
4 - Um dos Kamov caiu quando ainda na EMA e como não tinha seguro não foi substituído;
5 - Esquece os Ecureuil, um dos quais foi acidentado também sem seguro;
6 - Não contabiliza quando custaria ao contribuinte mais um contrato denunciado ou modificado, pois até 2018 altura em que a FAP estaria totalmente operacional no combate aos incêndios, alguém teria que o fazer em parceria ou em regime de totalidade até lá;
7 - Ignora ou não sabe que os meios aéreos alugados são praticamente os mesmos do ano passado (o tal contrato assim o diz) , não existindo um reforço dos KAMOV por motivos de verbas, já que o MAI anterior e actual dizem que o preço exigido pelo aluguer do aparelho "por fora" é muito alto;
8 - Nem refere que a FAP anteriormente chegou a realizar combate directo aos fogos e foi retirada deste papel pelos sucessivos governos PSD/PS e CDS;
9 - Reforço adicional de meios para FAP implica pessoal, formação e aparelhos: Quais? Bombardier Cl415. Fireboss, airtractor, mais KAMOV ou novos helicópteros para substituir os ALIII com capacidade de usar "bucket";
10 - Assinatura dos devidos contratos de manutenção dos KAMOV, com o fabricante, fornecedor de motores, peças, etc, uma situação nunca contratualizada e que é o principal problema dos gastos astronómicos e da pouca prontidão da frota. Se isto fosse feito duvido que a FAP dissesse algo contra.

É fazer bem o trabalho de casa, questões específicas e minimamente capazes, já que como deputado deve honrar o ordenado que ganha tem tempo para fazer pesquisa e não apenas mandar umas alambardas de ocasião, com base em noticias que querem responsabilizar apenas um dos vários partidos pois a bem das negociatas todos tem culpa no cartório. Aliás, já vi o sr.  deputado fazer bem melhor na defesa dos animais e dos copos menstruais para as senhoras...  ::) 8)
Citação de: lexivia
Ter casa ou outras infraestruturas no meio da floresta é muito bonito mas há riscos elevados e cumprir com as regras de ordenamento já impostas. Há que ter os matos limpos, asseiros criados e mantidos. O fogo é algo natural! Num território como o nosso, com este clima, não é possível combater fogos florestais como fogos em áreas urbanas.
Claro está que os problemas de ordenamento, cadastro e gestão da propriedade florestal são complexos pelas questões sentimentais ligadas à "terra" e falta de identificação dos limites cadastrais e dos proprietários e só com muita vontade política é que se consegue avançar com um projeto que trate destas situações. Actualmente não é passível o contínuo fraccionamento da propriedade, e como costumo dizer, não conheço ninguém que não seja dono de um pinheiro ou eucalipto. Já agora, como algumas almas já voltaram a escrever em colunas de jornais, a culpa não é dos eucaliptos. Vejam lá se as empresas com milhões de hectares de eucaliptos sofrem com incêndios.
As pessoas tem de compreender que quando recebem uma propriedade é um activo, é como herdar um negócio, uma fábrica ou até um carro. Ou vendemos ou usamos mas temos sempre de cumprir com os deveres e responsabilidades.

O Estado é dono de 82% da mata portuguesa, mas já agora a prevenção por exemplo no Parque da Arrábida faz-se como? Muitas das casas já lá estavam antes de ser parque, para fazer a limpeza só com autorização da direcção do parque, que nem sempre responde e quer saber. Se qualquer particular a ver a vida a andar para trás decide agir é multado com coimas que vão a milhares de euros. Muito menos o Estado cumpre a própria legislação e também em determinadas zonas não pode pois havia de ser bonito maquinaria a abrir carradas de acessos num parque natural a lixar espécies que só existem no mediterrâneo (tinham logo o PAN, Verdes, Quercus e toda essa cambada à perna, mas que pouco falam do facto de ter uma empresa a fabricar cimento e mais umas quantas a extrair pedra em pleno parque natural)). Já para não falar de escarpas e zonas de rocha onde só de helicóptero  ou a  escalar lá se chega. Não é a toa  que o parque foi vítima de pelo menos dois grandes incêndios em 20 anos. No ultimo, ainda havia os MAFFS no Montijo a 10 minutos de voo. Os meios aéreos alugados chegaram ao final da tarde. Mais uma vez, temos legislação que aplica-se a 18% do território e quanto muito no citado caso à parte agrícola, o resto é deixar arder?Até porque o estado é o primeiro e principal incumpridor e quando existe uma lei que choca por exemplo com a dos parques naturais, não existe tanto a fazer como se julga a não ser patrulhar e instalar postos de vigia. Portugal é um pais assim: "Nem tudo o que reluz é ouro", algo que é uma grande verdade principalmente com os políticos que temos os quais adoram sacudir "agua do capote" .E por muita prevenção que exista, limpeza, etc, etc, existem sempre incêndios, quer por causas naturais mas também, se não a maioria, por mão criminosa, pelo que são necessários meios para combater um e outro flagelo.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.multas.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2014%2F03%2Fimage2.jpg&hash=7569ae9d3725659891e629c1a1e28e21)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Crypter em Agosto 11, 2016, 11:40:46 am
Agora foi a vez dos C-130
Citar
A Força Aérea continua empenhada no apoio à Autoridade Nacional de Proteção Civil.
Um C-130H transportou para a Madeira mais de cinco toneladas de equipamento de combate a incêndios e uma máquina de rasto com dois operadores militares foi empenhada nas operações de combate e rescaldo de incêndios, na zona de Arouca.
A Força Aérea encontra-se em estreita cooperação com a Autoridade Nacional de Proteção Civil, tendo os seus meios em prontidão para qualquer solicitação.
Saiba mais em: http://goo.gl/ZfhKqd
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/t31.0-8/13913731_778170898989403_3583633433549811701_o.jpg)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/l/t1.0-0/s480x480/13882698_778170955656064_8968272640952598608_n.jpg?oh=2780e3740255001f4cb87cc14d2773e4&oe=581F650F)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Agosto 11, 2016, 12:52:08 pm
Ora, nem de propósito :)

"
Porque não há meios da Força Aérea no combate aos fogos?


As chamas não dão tréguas aos bombeiros. Nos últimos dias, o número de fogos registados ultrapassou sempre as 300 ocorrências, mobilizando milhares de operacionais e centenas de meios.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmediaserver4.rr.pt%2Fnewrr%2Fmissao-portuguesa-afeganisato-forca-aerea-novembro20141700a003.jpg&hash=cee5536e7773e73c04d11941b43e790f)

A vaga de fogos trouxe à actualidade o debate sobre a utilização de meios da Força Aérea no combate aos incêndios. Houve tempos em que eram utilizados aviões militares, mas foi prática que desapareceu no final dos anos 1990 por decisão política.

Actualmente, a Força Aérea não tem condições para participar no combate directo às chamas, mesmo que fosse essa a vontade do Governo.

Os aviões C-130 equipados com kits de combate aos fogos foram descontinuados por decisão política em finais dos anos 1990. Na altura, considerou-se que a participação da Força Aérea não era necessária.

Desde então estes kits ( um sistema que embarca e confere à aeronave a capacidade de combate directo aos incêndios, através da libertação de cerca de dez mil litros de produtos retardantes) não sofreram manutenção e, por isso, estão obsoletos. A opção seria a utilização dos helicópteros Puma, que estão em Beja mas que têm primeiro e ser requalificados, assim como a tripulação e pessoal de manutenção com ajuda de uma força aérea estrangeira.

Fontes nesta área, contactadas pela Renascença, dizem que esta seria a melhor opção.

Um documento com esta sugestão foi entregue pela Força Aérea e Protecção Civil ao anterior Governo a 15 de Setembro de 2015.

O relatório MAMIP - meios aéreos empregues em missões de interesse público – elaborado por um grupo de trabalho composto por elementos da Força Aérea Portuguesa e da Protecção Civil, sugeria várias soluções de intervenção.

Este texto surge a pedido do executivo de Passos Coelho que solicitou à Força Aérea que estudasse a melhor maneira deste ramo participar no combate aos fogos.

O actual Governo já deu conta que esta é uma hipótese pouco provável, porque a Força Aérea teria de receber os aviões Kamov para manutenção. A Força Aérea não quer pois teria custos muitos elevados, não só a manutenção como a própria utilização: cada hora de voo custa 35 mil euros.

As chamas não dão tréguas aos bombeiros. Nos últimos dias, o número de fogos registados ultrapassou sempre as 300 ocorrências, mobilizando milhares de operacionais e centenas de meios."

Fonte: http://rr.sapo.pt/noticia/61184/porque_nao_ha_meios_da_forca_aerea_no_combate_aos_fogos?utm_source=rss
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 11, 2016, 02:43:23 pm
Ora, nem de propósito :)

"
Porque não há meios da Força Aérea no combate aos fogos?


As chamas não dão tréguas aos bombeiros. Nos últimos dias, o número de fogos registados ultrapassou sempre as 300 ocorrências, mobilizando milhares de operacionais e centenas de meios.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmediaserver4.rr.pt%2Fnewrr%2Fmissao-portuguesa-afeganisato-forca-aerea-novembro20141700a003.jpg&hash=cee5536e7773e73c04d11941b43e790f)

A vaga de fogos trouxe à actualidade o debate sobre a utilização de meios da Força Aérea no combate aos incêndios. Houve tempos em que eram utilizados aviões militares, mas foi prática que desapareceu no final dos anos 1990 por decisão política.

Actualmente, a Força Aérea não tem condições para participar no combate directo às chamas, mesmo que fosse essa a vontade do Governo.

Os aviões C-130 equipados com kits de combate aos fogos foram descontinuados por decisão política em finais dos anos 1990. Na altura, considerou-se que a participação da Força Aérea não era necessária.

Desde então estes kits ( um sistema que embarca e confere à aeronave a capacidade de combate directo aos incêndios, através da libertação de cerca de dez mil litros de produtos retardantes) não sofreram manutenção e, por isso, estão obsoletos. A opção seria a utilização dos helicópteros Puma, que estão em Beja mas que têm primeiro e ser requalificados, assim como a tripulação e pessoal de manutenção com ajuda de uma força aérea estrangeira.

Fontes nesta área, contactadas pela Renascença, dizem que esta seria a melhor opção.

Um documento com esta sugestão foi entregue pela Força Aérea e Protecção Civil ao anterior Governo a 15 de Setembro de 2015.

O relatório MAMIP - meios aéreos empregues em missões de interesse público – elaborado por um grupo de trabalho composto por elementos da Força Aérea Portuguesa e da Protecção Civil, sugeria várias soluções de intervenção.

Este texto surge a pedido do executivo de Passos Coelho que solicitou à Força Aérea que estudasse a melhor maneira deste ramo participar no combate aos fogos.

O actual Governo já deu conta que esta é uma hipótese pouco provável, porque a Força Aérea teria de receber os aviões Kamov para manutenção. A Força Aérea não quer pois teria custos muitos elevados, não só a manutenção como a própria utilização: cada hora de voo custa 35 mil euros.

As chamas não dão tréguas aos bombeiros. Nos últimos dias, o número de fogos registados ultrapassou sempre as 300 ocorrências, mobilizando milhares de operacionais e centenas de meios."

Fonte: http://rr.sapo.pt/noticia/61184/porque_nao_ha_meios_da_forca_aerea_no_combate_aos_fogos?utm_source=rss
No geral concordo mas faço alguns reparos:
1- Se os Puma em 2006 custariam 26 milhões para serem re-qualificados para o combate a incêndios, 10 anos depois não custariam perto do dobro ou mais? E por valores a rondar os 50 milhões não existiram opções mais baratas e de equipamento com menos uso, desde helicópteros aos fireboss/airtractor?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Flowvelder.co.za%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F46%2F2013%2F09%2FIMG_342511.jpg&hash=17f603cec5cb51b7b15c98913d21b860)
2- Se a FAP tem para substituir o ALIII até 2018/2020 a aquisição dum helicóptero que pudesse fazer alem das missões militares combate a incêndios (por exemplo o Black Hawk) em vez de voltar aos PUMA com tudo o que acarreta em termos de pessoal, formação, logistica, etc,  não era mais viável?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmedia.defense.gov%2F2015%2FJan%2F21%2F2001004862%2F-1%2F-1%2F0%2F100510-A-YG824-033.JPG&hash=cb5f59c0349ea451cf8ff14f0bf47e51)
3 -  A história dos MAFFS não é assim: A FAP manteve um dos sistemas operacional canibalizando o outro. Foi por decisão meramente política que não foram usados para lá dos anos 90. Recentemente é que foram para a sucata (segundo consta);
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.theaviationzone.com%2Fimages%2Fother%2Fvarious%2Ftransports%2Fc130_maffs.jpg&hash=d49c0f648e9533b61858068193e0e8c6)
4- Os KAMOV que são usados por todo o lado, com os devidos contratos de manutenção assinados com o fabricante e operados de forma responsável para FAP não ficariam mais baratos de operar e com uma disponibilidade superior?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fpreviews.123rf.com%2Fimages%2Fcanaryluc%2Fcanaryluc1308%2Fcanaryluc130800002%2F21673566-SANTA-CRUZ-DE-TENERIFE-AUGUST-3-Fire-fighting-Helicopter-Kamov-KA-32a-11BC-with-bambi-basket-during--Stock-Photo.jpg&hash=92440e76409cf5c49428625f0f5e4f93)
5- E os Ecureuil? Seriam descontinuados? Não servem? São ineficazes ou caros de operar também?
(https://c1.staticflickr.com/1/334/18876017844_91fd0745b0_b.jpg)
6 - Na realidade a FAP foi abordada pelo anterior executivo nomeadamente o MD logo no inicio da legislatura. Aparentemente foi mais um estudo que levou 4 anos a fazer, tendo entretanto o anterior MAI rescindido o contrato com a Heliportugal em 2015 e assinado um outro com a Everjets.... até 2018. Em 2013 a mesma empresa já havia ganho outro contrato para concurso de aluguer de 25 helicópteros ligeiros de combate a incêndios florestais por um período de cinco anos.  ::)
Citar
Em comunicado, a Proteção Civil refere que foi hoje assinado, entre a ANPC e a Empresa Everjets, o contrato para a aquisição dos serviços de operação dos meios aéreos pesados para missões do Ministério da Administração Interna, envolvendo os seis helicópteros kamov.

Apesar de o contrato prever a operação e manutenção dos seis kamov, neste momento estão três operacionais, estando dois em manutenção e um acidentado desde o verão de 2012, segundo informações prestadas anteriormente à Lusa pela ANPC.

A Proteção Civil garante estar "a desenvolver todos os esforços" para que fiquem operacionais cinco kamov.

Além da operação e manutenção dos seis helicópteros kamov, a Everjets vai também ficar com a responsabilidade dos 25 trabalhadores da extinta Empresa de Meios Aéreos (EMA), dos quais cinco são pilotos e três copilotos.

Em 2013, a Everjets ganhou também o concurso de aluguer de 25 helicópteros ligeiros de combate a incêndios florestais por um período de cinco anos.

http://www.rtp.pt/noticias/pais/protecao-civil-e-everjets-assinam-contrato-para-operacao-e-manutencao-dos-kamov-do-estado_n802880 (http://www.rtp.pt/noticias/pais/protecao-civil-e-everjets-assinam-contrato-para-operacao-e-manutencao-dos-kamov-do-estado_n802880)


Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 11, 2016, 03:39:36 pm
2- Se a FAP tem para substituir o ALIII até 2018/2020 a aquisição dum helicóptero que pudesse fazer alem das missões militares combate a incêndios (por exemplo o Black Hawk) em vez de voltar aos PUMA com tudo o que acarreta em termos de pessoal, formação, logistica, etc,  não era mais viável?

O Black Hawk é demasiado grande para as funções de helicoptero de instrução que a Força Aérea precisa, mas existem helicopteros mais ligeiros que podem servir ambas as situações instrução e combate aos fogos, como deve ser o caso dos Ecureuil, outros modelos poderão existir. Se a Força Aérea tivesse uma esquadra de helicopteros ligeiros que também pudesse fazer combate aos fogos e 2 Canadair na Esquadra 502 (aviões bimotor turbo-hélice), isso já era um grande passo, por exemplo permitia agora divergir meios aéreos para a Madeira se fosse necessário, ao contrário dos meios privados que disseram logo "ir para a Madeira? Isso não vem no contracto!".
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Srgdoido em Agosto 11, 2016, 05:25:29 pm
"A TVI teve acesso, em exclusivo, a um relatório que defende uma maior intervenção da Força Aérea no combate aos fogos e que conclui que o país precisa de 10 helicópteros ligeiros monomotores, seis helicópteros médios bimotores e duas aeronaves anfíbias de combate a incêndios. E com custos mais baixos para o Estado"
http://www.tvi24.iol.pt/politica/forca-aerea/incendios-governo-pos-na-gaveta-relatorio-para-mais-meios-aereos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 11, 2016, 05:56:33 pm
2- Se a FAP tem para substituir o ALIII até 2018/2020 a aquisição dum helicóptero que pudesse fazer alem das missões militares combate a incêndios (por exemplo o Black Hawk) em vez de voltar aos PUMA com tudo o que acarreta em termos de pessoal, formação, logistica, etc,  não era mais viável?

O Black Hawk é demasiado grande para as funções de helicoptero de instrução que a Força Aérea precisa, mas existem helicopteros mais ligeiros que podem servir ambas as situações instrução e combate aos fogos, como deve ser o caso dos Ecureuil, outros modelos poderão existir. Se a Força Aérea tivesse uma esquadra de helicopteros ligeiros que também pudesse fazer combate aos fogos e 2 Canadair na Esquadra 502 (aviões bimotor turbo-hélice), isso já era um grande passo, por exemplo permitia agora divergir meios aéreos para a Madeira se fosse necessário, ao contrário dos meios privados que disseram logo "ir para a Madeira? Isso não vem no contracto!".
Tinha pensado em mais do que instrução daí o Black Hawk. O resto de acordo, sendo que por exemplo o Ecureuil até faz esse conjunto de funções bem como outras, por exemplo no Brasil.  ;)
(https://cdn1.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2014/12/HU-4-65.jpg)
(https://cdn.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2013/07/HA-1-Fennec_FLIR.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.avexvirtual.com.br%2Fimagem%2F1618738.jpg&hash=1e773a7b7977e62dee2eb1d65e0afd09)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com%2Fdefesanet%2Fsite%2Fupload%2Fnews_image%2F2011%2F09%2F3088.jpg&hash=9ac76157a533c59109ab4f0c8689db2b)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 11, 2016, 06:09:57 pm
Alguns dados técnicos de helis ligeiros e médios


https://www.airbushelicopters.com/website/docs_wsw/RUB_29/tile_2658/CIVILRange-02-2016.pdf

https://www.airbushelicopters.com/website/docs_wsw/RUB_47/tile_3075/MilitaryRange_2016.pdf

A minha escolha para o novo heli ligeiro, seria o H145M.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 11, 2016, 06:55:08 pm
O tal estudo de início da legislatura anterior: https://www.publico.pt/portugal/jornal/forca-aerea-quer-recuperar-seis-puma-para-combater-fogos-22656855 (https://www.publico.pt/portugal/jornal/forca-aerea-quer-recuperar-seis-puma-para-combater-fogos-22656855)
Citar
Seis helicópteros Kamov, comprados pelo Estado por cerca de 40 milhões, podem vir a ficar parados devido aos custos de manutenção

A Força Aérea (FA) acredita que está em condições de assegurar o combate aos incêndios florestais já a partir do próximo ano, sugerindo a recuperação até 2015 de seis helicópteros Puma, aeronaves com mais de 30 anos, que estiveram a voar até Maio passado, na sequência de problemas na manutenção dos modernos Merlin, comprados para os substituir. A informação foi adiantada ao PÚBLICO por uma fonte ligada à Defesa, que explicou que no dispositivo aéreo de combate aos fogos sugerido para o próximo ano pela FA não entrariam os seis helicópteros pesados Kamov, que o Estado comprou e começaram a operar em 2008.

O objectivo da mudança de estratégia seria poupar dinheiro, já que, exemplifica a fonte, o custo de manutenção dos Kamov, que está pago até ao final do próximo ano, é considerado muito elevado. Esta solução implicaria a extinção da Empresa de Meios Aéreos (EMA), uma sociedade de capitais públicos criada em 2007 para operar os dez helicópteros comprados pelo Estado (um dos aparelhos despenhou logo nesse ano).

O dispositivo do próximo ano, segundo o estudo da FA solicitado pelo ministro da Defesa, Aguiar-Branco, em início de Julho, contaria com três Pumas, ficando os restantes três aparelhos disponíveis gradualmente entre 2013 e 2015 (um por ano). Para suprir a sua falta, a FA propõe alugar três helicópteros médios para o ano, um número que iria diminuindo à medida que os restantes Puma ficassem prontos. Fariam ainda parte do dispositivo de 2012 os três helicópteros ligeiros Ecureuil SA350 B3, actuamente a ser operados pela EMA, e três Alouette da FA, que permitem transportar equipas de combate, mas não fazem descargas de água.

A FA propõe estabilizar o dispositivo de combate a fogos até 2015, altura em que passaria a contar com os seis Puma e oito Ecureuil. Tal implicaria vender os seis Kamov que o Estado comprou e, com essa verba, adquirir os restantes Ecureuil. Os quatro helicópteros ligeiros e os seis médios e a respectiva manutenção durante cinco anos custaram ao Estado perto de 105,5 milhões de euros. A esmagadora maioria da verba foi para pagar as despesas dos Kamov.

Outras funções apontadas

A recuperação e adaptação dos Puma terá um custo estimado pela FA em poucos milhões de euros, um investimento que, sustenta-se, poderá ser rentabilizado com o facto dos helicópteros poderem ser também usados para fazer emergência médica, um serviço actualmente contratado pelo Instituto Nacional de Emergência Médica a uma empresa privada que disponibiliza cinco aparelhos.

A frota que a FA considera satisfatória para combater os incêndios, composta por 14 helicópteros, é substancialmente inferior ao dispositivo que tem estado a operar nos últimos anos. Este ano estão disponíveis 41 meios aéreos durante a fase mais crítica dos incêndios florestais, menos 15 aeronaves que nos dois anos anteriores. Talvez, por isso, a FA admite a utilização de aviões C-130 no combate aos fogos.

O Ministério da Defesa recusa-se a adiantar pormenores sobre o estudo da FA, e o assessor de imprensa, Nuno Maia, confirma apenas que já recebeu o documento. "Estamos a analisá-lo em conjunto com o Ministério da Administração Interna [que tutela a EMA e a Autoridade Nacional de Protecção Civil]". A FA remete explicações para a tutela e a Administração Interna não quis fazer comentários.

O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, Fernando Curto, afirmou ontem que concorda que os meios da Força Aérea colaborem no combate aos incêndios, mas critica a extinção da EMA, argumentando que pode ser necessário alugar aeronaves privadas

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 11, 2016, 07:19:05 pm
Não entendo esta panca da FAP se desfazer dos Kamov, mais valia dizer a verdade: não temos pessoal especializado para os pilotar e não cremos material não-nato.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 11, 2016, 08:54:21 pm
Tinha pensado em mais do que instrução daí o Black Hawk. O resto de acordo, sendo que por exemplo o Ecureuil até faz esse conjunto de funções bem como outras, por exemplo no Brasil.  ;)

Mas o Black Hawk não cumpre as necessidades da Força Aérea, por isso eles iam ter que arranjar um outro helicóptero para instrução e a minha ideia seria conciliar ambas as tarefas num mesmo helicóptero.

Mas se queres mesmo um helicóptero com mais capacidade como o Black Hawk, bem isso basta reactivar a UALE no Exército, eles é que queriam um helicóptero táctico, o Black Hawk era ideal para eles, era aplicar a mesma ideia da Força Aérea também à UALE, a Força Aérea ficava com os Kamov e os helis ligeiros e a UALE com os helis médios.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 11, 2016, 09:50:56 pm
Tinha pensado em mais do que instrução daí o Black Hawk. O resto de acordo, sendo que por exemplo o Ecureuil até faz esse conjunto de funções bem como outras, por exemplo no Brasil.  ;)

Mas o Black Hawk não cumpre as necessidades da Força Aérea, por isso eles iam ter que arranjar um outro helicóptero para instrução e a minha ideia seria conciliar ambas as tarefas num mesmo helicóptero.

Mas se queres mesmo um helicóptero com mais capacidade como o Black Hawk, bem isso basta reactivar a UALE no Exército, eles é que queriam um helicóptero táctico, o Black Hawk era ideal para eles, era aplicar a mesma ideia da Força Aérea também à UALE, a Força Aérea ficava com os Kamov e os helis ligeiros e a UALE com os helis médios.
Na minha perspectiva a lógica seria ter um helicóptero que fizesse no mínimo o mesmo que o AL III, o qual desde sar, a missões armadas com o helicanhão e rockets, passando por movimentação de cargas e transporte mesmo de um grupo reduzido de tropas. Não percebo esta cena de ter apenas helicópteros de instrução para forma pessoal para os Eh101, o que significa que em qualquer outra missão terá de se empregar o Merlim que é assim seria o único helicóptero no verdadeiro sentido da palavra disponível na FAP. No mínimo o Ecureuil ou um helicóptero equivalente, mas ou muito me engano ou esta história  "de só para instrução" tão badalada por aí acaba numas  caranguejolas que só darão para passeio e instrução, tipo Sikorsky S333.  >:( 
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.flugzeuginfo.net%2Facimages%2Fschweizer333_wimsonneveld.jpg&hash=3409933b91f8112fbf0dcbb99dd6173c)
A UALE na minha perspectiva só fazia sentido se assumisse os KAMOV (e possivelmente os Ecureuil) do MAI, que pelos vistos a FAP não quer. Mesmo que se recuperassem 5 Kamov com mais 3 Ecureuil fariam 8, que com mais talvez meia dúzia de helis médios já poderia ter um conjunto de meios minimamente operacionais. E isto no caso da FAP optar apenas por helicópteros de instrução e de continuar a não ver com bons olhos a integração dos Ka32, até porque para mim Helicópteros é na FAP e chega.  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-30zEDGB669k%2FUEpegc6ianI%2FAAAAAAAAFIY%2F_3aaXgSfnf8%2Fs1600%2Fkamov.jpg&hash=0cb22209fc4b7dc80c52a747fb0e6cc6)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 11, 2016, 10:14:45 pm
Na minha perspectiva a lógica seria ter um helicóptero que fizesse no mínimo o mesmo que o AL III, o qual desde sar, a missões armadas com o helicanhão e rockets, passando por movimentação de cargas e transporte mesmo de um grupo reduzido de tropas. Não percebo esta cena de ter apenas helicópteros de instrução para forma pessoal para os Eh101.

Claro, concordo que o futuro helicóptero ligeiro faça no mínimo, tudo o que o Alouette III consegue fazer, eu não referi as outras missões só para não encher o texto, quando existia a UALE o futuro helicóptero ligeiro ia ser o mesmo modelo para a Força Aérea e para o Exército e tinha que fazer missões de cada ramo, eu referi a missão de instrução pois é algo que o Black Hawk não serve e por isso não pode substituir o Alouette III.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: night_runner em Agosto 12, 2016, 03:34:55 am
quando existia a UALE o futuro helicóptero ligeiro ia ser o mesmo modelo para a Força Aérea e para o Exército e tinha que fazer missões de cada ramo
E é também por isso que o Alouette ainda voa por cá
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 12, 2016, 10:06:10 am
Não entendo esta panca da FAP se desfazer dos Kamov, mais valia dizer a verdade: não temos pessoal especializado para os pilotar e não cremos material não-nato.

A FAP já percebeu que um "bom esquema" para financiar o heli ligeiro substituto do Alouette III é convencer o governo a vender os Kamov e depois "dizer" que os substitutos vão servir para o combate às chamas...A Marinha também conseguiu convencer aqui muito gente no FD que os submarinos são bons para combate ao contrabando e vigilância marítima  :o
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: miguelbud em Agosto 12, 2016, 10:23:18 am
Em relaçao ao sistema MAFFS, um amigo meu que esteve na FAP na altura em que estes existiram colocou isto no FB.

Citar
Quando o sistema MAFFS foi abandonado há mais de 20 anos, além das negociatas de agora, houve dois factores decisivos: A calda retardante era altamente corrosiva e estava a fazer mossa nos C-130 que a largavam e os aparelhos (conjuntos de skid, depósitos, válvulas, tubagens e controlos) estavam velhos e no fim da vida útil. O custo de substituição era, na altura, muito elevado. O custo de manutenção acrescido aos C-130 - além da óbvia ameaça à integridade estrutural a médio prazo - era também importante.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 12, 2016, 12:06:00 pm
A dita calda retardante foi proibida, por isso seria menos um ponto negativo e até os C-295M podiam fazer isso desde que se comprassem os kits.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 12, 2016, 02:21:11 pm
Citação de: miguelbud
Em relaçao ao sistema MAFFS, um amigo meu que esteve na FAP na altura em que estes existiram colocou isto no FB.

Citar
Quando o sistema MAFFS foi abandonado há mais de 20 anos, além das negociatas de agora, houve dois factores decisivos: A calda retardante era altamente corrosiva e estava a fazer mossa nos C-130 que a largavam e os aparelhos (conjuntos de skid, depósitos, válvulas, tubagens e controlos) estavam velhos e no fim da vida útil. O custo de substituição era, na altura, muito elevado. O custo de manutenção acrescido aos C-130 - além da óbvia ameaça à integridade estrutural a médio prazo - era também importante.
Dos estados unidos ao Brasil vejo os MAFFS tanto a serem empregues com calda retardante como com água.
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/44/C-130E_MAFFS_dropping_fire_retardant_Simi_Fire_Southern_California_DF-SD-05-14857.jpg)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/5e/C-130_Waterdrop.jpg)
Não entendo esta panca da FAP se desfazer dos Kamov, mais valia dizer a verdade: não temos pessoal especializado para os pilotar e não cremos material não-nato.

A FAP já percebeu que um "bom esquema" para financiar o heli ligeiro substituto do Alouette III é convencer o governo a vender os Kamov e depois "dizer" que os substitutos vão servir para o combate às chamas...A Marinha também conseguiu convencer aqui muito gente no FD que os submarinos são bons para combate ao contrabando e vigilância marítima  :o
E os submarinos não são bons para combate ao contrabando e vigilância marítima porque, já agora?
Citar
Dois Beriev russos chegam na próxima madrugada a Monte Real para combaterem incêndios.

Os aparelhos são disponibilizados ao abrigo de um protocolo de proteção civil assinado entre os dois países em 1998.

O primeiro avião chega às 4:00 da madrugada e o seguinte uma hora depois. Ambos aterram em Monte Real e estarão operacionais amanhã.

O Be-200 Altair é um avião anfíbio que abastece em rio e barragens em pleno voo. Tem capacidade para 12 mil litros de água, mais do dobro do Canadair.

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2016-08-12-Avioes-russos-a-caminho-de-Portugal (http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2016-08-12-Avioes-russos-a-caminho-de-Portugal)
Aparentemente o Beriev que para cá não servia por uma carradas de razões apontada pelos "experts" agora já serve. Vêm dois a Caminho de Portugal... ::)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.beriev.com%2Fimages%2Fitaly%2F2006%2F0870.jpg&hash=bbc5eeda5b025794b3af15e1c12f90b6)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fsicnot%2F2016-08-12-RTR2O1Z2.jpg%2Foriginal%2Fmw-680&hash=cc3f01367839fcf256ab30384c669741)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 12, 2016, 06:56:00 pm
Em relaçao ao sistema MAFFS, um amigo meu que esteve na FAP na altura em que estes existiram colocou isto no FB.

Citar
Quando o sistema MAFFS foi abandonado há mais de 20 anos, além das negociatas de agora, houve dois factores decisivos: A calda retardante era altamente corrosiva e estava a fazer mossa nos C-130 que a largavam e os aparelhos (conjuntos de skid, depósitos, válvulas, tubagens e controlos) estavam velhos e no fim da vida útil. O custo de substituição era, na altura, muito elevado. O custo de manutenção acrescido aos C-130 - além da óbvia ameaça à integridade estrutural a médio prazo - era também importante.

Estão a ver?! Se a FAP tivesse continuado no combate aos incêndios florestais, a esta hora já tínhamos C-130J ou A400M!

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 12, 2016, 07:32:06 pm
Citação de: miguelbud
Em relaçao ao sistema MAFFS, um amigo meu que esteve na FAP na altura em que estes existiram colocou isto no
Citar
Dois Beriev russos chegam na próxima madrugada a Monte Real para combaterem incêndios.

Os aparelhos são disponibilizados ao abrigo de um protocolo de proteção civil assinado entre os dois países em 1998.

O primeiro avião chega às 4:00 da madrugada e o seguinte uma hora depois. Ambos aterram em Monte Real e estarão operacionais amanhã.

O Be-200 Altair é um avião anfíbio que abastece em rio e barragens em pleno voo. Tem capacidade para 12 mil litros de água, mais do dobro do Canadair.

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2016-08-12-Avioes-russos-a-caminho-de-Portugal (http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2016-08-12-Avioes-russos-a-caminho-de-Portugal)
Aparentemente o Beriev que para cá não servia por uma carradas de razões apontada pelos "experts" agora já serve. Vêm dois a Caminho de Portugal... ::)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.beriev.com%2Fimages%2Fitaly%2F2006%2F0870.jpg&hash=bbc5eeda5b025794b3af15e1c12f90b6)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fsicnot%2F2016-08-12-RTR2O1Z2.jpg%2Foriginal%2Fmw-680&hash=cc3f01367839fcf256ab30384c669741)

Saudações

Bem abastecer em rios e barragens em pleno voo essa para mim é nova........ se a aeronave não amarar não enche os tanques de agua, isso é certo, é mais uma dos nossos especialistas em aeronáutica, a não ser que tenham sistemas para reabastecimento aéreo, mas só o possam efectuar sobre rios ou barragens, pois podem sofrer algum incidente/acidente.....estas infos só mesmo lidas porque contadas ninguém acredita. :conf: :conf: :conf: :conf: :rir: :rir: :rir: :rir:

http://www.harpiadefense.com.br/beriev-200_38.html

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F194_zpsb00lqjxy.jpg&hash=9d6c005cd3175fe167a6af760f9c6932) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/194_zpsb00lqjxy.jpg.html)

http://wildfiretoday.com/tag/be-200/page/2/

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FBE-200_air_tanker_zps71s3n5gw.jpg&hash=38793deb7d0213ff5c9b8204ab1dc33f) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/BE-200_air_tanker_zps71s3n5gw.jpg.html)


Abraços e cuidado com os rios e barragens nos próximos dias....... ;)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Agosto 12, 2016, 09:22:51 pm
Citar
Aparentemente o Beriev que para cá não servia por uma carradas de razões apontada pelos "experts" agora já serve. Vêm dois a Caminho de Portugal...

E os "experts" têm toda a razão, e digo mais, não serve por razões económicas....

... do bolso dos "experts"

E digo mais, haverão alguns pilotos da força aérea para os quais não será muito interessante se o governo adquirir meios para a FAP.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Crypter em Agosto 12, 2016, 11:16:26 pm
Houve uma entrevista muito interessante no Jornal da noite na RTP2 onde o MD fala de praticamente todos os assuntos que mais se discutem aqui no fórum.

Substituição dos C-130
Substituição da esquadrilha de helicópteros
Combate aos incêndios pela Fap
Limitações do exército devido aos poucos efectivos (8000..)

Se alguém encontrar online pff coloque aqui. Eu infelizmente onde estou não o consigo fazer
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Agosto 12, 2016, 11:53:48 pm
Houve uma entrevista muito interessante no Jornal da noite na RTP2 onde o MD fala de praticamente todos os assuntos que mais se discutem aqui no fórum.

Substituição dos C-130
Substituição da esquadrilha de helicópteros
Combate aos incêndios pela Fap
Limitações do exército devido aos poucos efectivos (8000..)

Se alguém encontrar online pff coloque aqui. Eu infelizmente onde estou não o consigo fazer

http://www.rtp.pt/play/p2243/e246669/jornal-2

Para variar o entrevistador não faz a mínima ideia do que está a falar.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 13, 2016, 12:00:26 am
http://www.rtp.pt/play/p2243/e246669/jornal-2

Para variar o entrevistador não faz a mínima ideia do que é está a falar.
(Ainda não acabei de ver totalmente a reportagem/entrevista.) É o problema deste país. O Zé Povinho está completamente desactualizado e desinformado em relação às forças armadas.

EDIT: LOL. O entrevistador a falar no 390... O mafets que envie ao homem as fotos e os vídeos do sistema MAFFS para os C-295.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Agosto 13, 2016, 12:38:12 am
Só aqui uma questão, o sistema maffs para os C-295 já está no "mercado" ou apenas ainda em testes? Caso esteja operacional seria muito bom se se comprassem 4 sistemas desses, melhor ainda se cada um desses sistemas trouxesse um avião novo à volta.

Quanto ao KC-390 para combate de incêndios, infelizmente não o vejo a ter grande sucesso em Portugal com o tipo de orografia que temos, qualquer critica que se aponte ao Beriev pode também ser apontada ao KC-390.

Não seria muito mais interessante investir de vez (como até já esteve planeado) em Canadairs como fazem todos ou outros países?
2 Canadairs e 4 C-295 com maffs resolviam muitos dos nossos problemas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 06:28:51 am
Só aqui uma questão, o sistema maffs para os C-295 já está no "mercado" ou apenas ainda em testes? Caso esteja operacional seria muito bom se se comprassem 4 sistemas desses, melhor ainda se cada um desses sistemas trouxesse um avião novo à volta.

Quanto ao KC-390 para combate de incêndios, infelizmente não o vejo a ter grande sucesso em Portugal com o tipo de orografia que temos, qualquer critica que se aponte ao Beriev pode também ser apontada ao KC-390.

Não seria muito mais interessante investir de vez (como até já esteve planeado) em Canadairs como fazem todos ou outros países?
2 Canadairs e 4 C-295 com maffs resolviam muitos dos nossos problemas.

Eu gostaria de saber qual é o problema da orografia em Portugal que impede que aeronaves como o C390 de utilizar um sistema de combate aos FF.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F5127f486995b4_image_zpsu1bapcsu.jpg&hash=d9eb1ea554b7a2c37fcfe3f247ddff5f) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/5127f486995b4_image_zpsu1bapcsu.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fmaxresdefault_zps6zlxousp.jpg&hash=20eec0997dec15167b9a629d2e682217) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/maxresdefault_zps6zlxousp.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fdc10-enfield1_zpsskctpsbp.jpg&hash=0804684b91e42cd29b77d8032a3735e5) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/dc10-enfield1_zpsskctpsbp.jpg.html)

É que se um DC10-30 Avião pesado Bombardeiro com trinta e mais anos, com um payload de 45 tons, sim 45 Tons, e com um PMD de 260 tons, consegue executar estas missões com a orografia e aos niveis de voo que vemos nos Estados Unidos, como é que um C390, acft médio, de 70 Tons, com um quarto do peso do DC10-30, aeronave nova, desenhada e construida, com a última tecnologia, está limitada pela nossa orografia ???
Tenham dó e não digam asneiras, como não devem ter amigos para concretizar os negócios com essses modelos de aeronaves o mais fácil é dizer burrices como essas, a ignorância, a aldrabice e a chico-espertice, no seu melhor !!!

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 06:53:13 am
Houve uma entrevista muito interessante no Jornal da noite na RTP2 onde o MD fala de praticamente todos os assuntos que mais se discutem aqui no fórum.

Substituição dos C-130
Substituição da esquadrilha de helicópteros
Combate aos incêndios pela Fap
Limitações do exército devido aos poucos efectivos (8000..)

Se alguém encontrar online pff coloque aqui. Eu infelizmente onde estou não o consigo fazer

Pois, pois, é mais do mesmo a que já estamos habituados faz muitos anos !!!!!
Deve ser do calor que os FF provocam, anda tudo muito quente, daqui a umas semanas já nada desse equipamento é necessário ou importante, a ver vamos como diz o ceguinho !!!!

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 13, 2016, 10:00:29 am
Só aqui uma questão, o sistema maffs para os C-295 já está no "mercado" ou apenas ainda em testes? Caso esteja operacional seria muito bom se se comprassem 4 sistemas desses, melhor ainda se cada um desses sistemas trouxesse um avião novo à volta.
Em Dezembro do ano passado ainda andava em testes. Talvez já esteja a ser certificado.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi.imgur.com%2FlZg1my3.jpg&hash=fd8820d0e708ae83e2d8e1c2a6e7e98d)

Os romenos nos últimos anos têm andado a trabalhar com a Caylum para equipar os C-27J deles com um MAFFS.

Quanto ao KC-390 para combate de incêndios, infelizmente não o vejo a ter grande sucesso em Portugal com o tipo de orografia que temos, qualquer critica que se aponte ao Beriev pode também ser apontada ao KC-390.
C-130J, 390, A400M... qualquer destas aeronaves consegue utilizar um sistema MAFFS. Mas entretanto o C-130J é o único que tem vários sistemas no mercado há muitos anos.

Não seria muito mais interessante investir de vez (como até já esteve planeado) em Canadairs como fazem todos ou outros países?
2 Canadairs e 4 C-295 com maffs resolviam muitos dos nossos problemas.
Como o tenente escreveu, terminando a época dos incêndios florestais volta tudo ao normal e já não é preciso nada de meios aéreos. Este é um problema que muito facilmente se resolvia, bastava andar para aí a gastar dinheiro em contratos com amigalhaços para haver dinheiro para isto tudo.

Existindo capacidade de combate aos incêndios na FAP (fosse apenas helicópteros ligeiros ou também aviões) acaba-se com o monopólio das empresas privadas.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Agosto 13, 2016, 10:58:07 am
Só aqui uma questão, o sistema maffs para os C-295 já está no "mercado" ou apenas ainda em testes? Caso esteja operacional seria muito bom se se comprassem 4 sistemas desses, melhor ainda se cada um desses sistemas trouxesse um avião novo à volta.

Quanto ao KC-390 para combate de incêndios, infelizmente não o vejo a ter grande sucesso em Portugal com o tipo de orografia que temos, qualquer critica que se aponte ao Beriev pode também ser apontada ao KC-390.

Não seria muito mais interessante investir de vez (como até já esteve planeado) em Canadairs como fazem todos ou outros países?
2 Canadairs e 4 C-295 com maffs resolviam muitos dos nossos problemas.

É que se um DC10-30 Avião pesado Bombardeiro com trinta e mais anos, com um payload de 45 tons, sim 45 Tons, e com um PMD de 260 tons, consegue executar estas missões com a orografia e aos niveis de voo que vemos nos Estados Unidos, como é que um C390, acft médio, de 70 Tons, com um quarto do peso do DC10-30, aeronave nova, desenhada e construida, com a última tecnologia, está limitada pela nossa orografia ???
Tenham dó e não digam asneiras, como não devem ter amigos para concretizar os negócios com essses modelos de aeronaves o mais fácil é dizer burrices como essas, a ignorância, a aldrabice e a chico-espertice, no seu melhor !!!

Mas se juntar a essa orografia que diz ser igual (e eu não sei se é) umas aldeolas lá pelo meio se calhar o caso muda um pouco de figura. Depois talvez ainda não se tenha dado conta que a filosofia de emprego de meios aéreos em Portugal é diferente daquela que se vê nas fotografias que postou.

Nas fotografias que postou faz-se um combate de contenção com calda retardante, o objectivo é deitar calda nas zonas circundantes do incêndio por forma a atrasar a sua progressão.
Em Portugal maioritariamente faz-se um ataque directo com água ao foco das chamas.

Em que é que isto influência no tipo de utilização da aeronave? Bem enquanto no primeiro caso a aeronave segue um trajecto em linha recta e altitude relativamente mais elevada, visto que a calda retardante mais dificilmente se dissipa no ar. No segundo caso o ataque com água tem de ser muito mais localizado, e a menor altitude para a água não se dissipar (evaporar) até chegar ao foco do incêndio. Assim requer-se uma superior manobrabilidade das aeronaves que fazem ataque directo.

Compara-se um pouco com bombardeamento táctico de precisão ou bombardeamentos estratégicos (carpet bomb) como faz um B-52.

A pergunta que se coloca é se o primeiro tipo de combate a incêndio se poderia utilizar em Portugal. Talvez pudesse, mas daquilo que me recordo no passado chegou-se a utilizar calda retardante e havia à posteriori muitas queixas de agricultores e população.

A outra pergunta que se coloca é se há a necessidade de me classificar as minha opiniões como "burrices como essas, a ignorância, a aldrabice e a chico-espertice, no seu melhor !!!" ?. Eu diria que não, mas se o senhor acha que isto eleva a discussão, esteja à vontade.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 11:01:52 am
Só aqui uma questão, o sistema maffs para os C-295 já está no "mercado" ou apenas ainda em testes? Caso esteja operacional seria muito bom se se comprassem 4 sistemas desses, melhor ainda se cada um desses sistemas trouxesse um avião novo à volta.

Quanto ao KC-390 para combate de incêndios, infelizmente não o vejo a ter grande sucesso em Portugal com o tipo de orografia que temos, qualquer critica que se aponte ao Beriev pode também ser apontada ao KC-390.

Não seria muito mais interessante investir de vez (como até já esteve planeado) em Canadairs como fazem todos ou outros países?
2 Canadairs e 4 C-295 com maffs resolviam muitos dos nossos problemas.

É que se um DC10-30 Avião pesado Bombardeiro com trinta e mais anos, com um payload de 45 tons, sim 45 Tons, e com um PMD de 260 tons, consegue executar estas missões com a orografia e aos niveis de voo que vemos nos Estados Unidos, como é que um C390, acft médio, de 70 Tons, com um quarto do peso do DC10-30, aeronave nova, desenhada e construida, com a última tecnologia, está limitada pela nossa orografia ???
Tenham dó e não digam asneiras, como não devem ter amigos para concretizar os negócios com essses modelos de aeronaves o mais fácil é dizer burrices como essas, a ignorância, a aldrabice e a chico-espertice, no seu melhor !!!

Mas se juntar a essa orografia que diz ser igual (e eu não sei se é) umas aldeolas lá pelo meio se calhar o caso muda um pouco de figura. Depois talvez ainda não se tenha dado conta que a filosofia de emprego de meios aéreos em Portugal é diferente daquela que se vê nas fotografias que postou.

Nas fotografias que postou faz-se um combate de contenção com calda retardante, o objectivo é deitar calda nas zonas circundantes do incêndio por forma a atrasar a sua progressão.
Em Portugal maioritariamente faz-se um ataque directo com água ao foco das chamas.

Em que é que isto influência no tipo de utilização da aeronave? Bem enquanto no primeiro caso a aeronave segue um trajecto em linha recta e altitude relativamente mais elevada, visto que a calda retardante mais dificilmente se dissipa no ar. No segundo caso o ataque com água tem de ser muito mais localizado, e a menor altitude para a água não se dissipar (evaporar) até chegar ao foco do incêndio. Assim requer-se uma superior manobrabilidade das aeronaves que fazem ataque directo.

Compara-se um pouco com bombardeamento táctico de precisão ou bombardeamentos estratégicos (carpet bomb) como faz um B-52.

A pergunta que se coloca é se o primeiro tipo de combate a incêndio se poderia utilizar em Portugal. Talvez pudesse, mas daquilo que me recordo no passado chegou-se a utilizar calda retardante e havia à posteriori muitas queixas de agricultores e população.

A outra pergunta que se coloca é se há a necessidade de me classificar as minha opiniões como "burrices como essas, a ignorância, a aldrabice e a chico-espertice, no seu melhor !!!" ?. Eu diria que não, mas se o senhor acha que isto eleva a discussão, esteja à vontade.

Penso, e digo penso que o Sr Edu, não faz parte do lote dos chicos espertos e ignorantes que decidem e assinam os contratos de aquisição de meios aéreos para o combate aos FF, como tal os adjectivos proferidos não lhe são dirigidos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 11:15:49 am
Quanto ao KC-390 para combate de incêndios, infelizmente não o vejo a ter grande sucesso em Portugal com o tipo de orografia que temos, qualquer critica que se aponte ao Beriev pode também ser apontada ao KC-390.

Não seria muito mais interessante investir de vez (como até já esteve planeado) em Canadairs como fazem todos ou outros países?
2 Canadairs e 4 C-295 com maffs resolviam muitos dos nossos problemas.


É que se um DC10-30 Avião pesado Bombardeiro com trinta e mais anos, com um payload de 45 tons, sim 45 Tons, e com um PMD de 260 tons, consegue executar estas missões com a orografia e aos niveis de voo que vemos nos Estados Unidos, como é que um C390, acft médio, de 70 Tons, com um quarto do peso do DC10-30, aeronave nova, desenhada e construida, com a última tecnologia, está limitada pela nossa orografia ???
Tenham dó e não digam asneiras, como não devem ter amigos para concretizar os negócios com essses modelos de aeronaves o mais fácil é dizer burrices como essas, a ignorância, a aldrabice e a chico-espertice, no seu melhor !!!



Mas se juntar a essa orografia que diz ser igual (e eu não sei se é) umas aldeolas lá pelo meio se calhar o caso muda um pouco de figura. Depois talvez ainda não se tenha dado conta que a filosofia de emprego de meios aéreos em Portugal é diferente daquela que se vê nas fotografias que postou.

Ora bem o que muda onde quer que seja é o método de combate aos incêndios pelos meios aéreos se são de ataque localizado ou á zona caro Edu.

Citar
Nas fotografias que postou faz-se um combate de contenção com calda retardante, o objectivo é deitar calda nas zonas circundantes do incêndio por forma a atrasar a sua progressão.
Em Portugal maioritariamente faz-se um ataque directo com água ao foco das chamas.

Claro em Portugal os meios aéreos já são escassos para o combate reativo quanto mais para acções preventivas !

Citar
Em que é que isto influência no tipo de utilização da aeronave? Bem enquanto no primeiro caso a aeronave segue um trajecto em linha recta e altitude relativamente mais elevada, visto que a calda retardante mais dificilmente se dissipa no ar. No segundo caso o ataque com água tem de ser muito mais localizado, e a menor altitude para a água não se dissipar (evaporar) até chegar ao foco do incêndio. Assim requer-se uma superior manobrabilidade das aeronaves que fazem ataque directo.

O combate á zona, quando os FF são de enormes proporções, e, os seu combate é executado por acfts pesados como este DC10-30, o melhor método é manter a aeronave em voo perpendicularmente ao eixo do FF e efectuar a(s) descarga(s) sobre esse eixo. A maior altitude, nem sempre grande suficiente para deixar de colocar em risco acft/crew, ao comparar-mos com os combates das aeronaves ligeiras, é compensada pela quantidade da descarga, logo este tipo de acft, mais pesado pode ser, não quer dizer que o seja, menos manobravel que os meios médios, já não comparo com os ligeiros por motivos óbvios.
O DC-10-30 das fotos faz algumas passagens a menos de 50/100 ft do solo que para esta classe de acfts é muitíssimo arriscado, daí eu não ter a certeza que as descargas de calda não são para o combate directo ao FF, pois se fosse uma missão preventiva, com retardante a altitude poderia ser um pouco maior na casa dos 200/300 ft logo o risco muito menor.

Citar
Compara-se um pouco com bombardeamento táctico de precisão ou bombardeamentos estratégicos (carpet bomb) como faz um B-52.
A pergunta que se coloca é se o primeiro tipo de combate a incêndio se poderia utilizar em Portugal. Talvez pudesse, mas daquilo que me recordo no passado chegou-se a utilizar calda retardante e havia à posteriori muitas queixas de agricultores e população.


O ataque dos meios pesados pode ser comparado com o " carpetbombing ", mas a altitudes muito mais baixas, claro.
Claro que sim ambos podem e devem ser utilizados em Portugal, haja meios para tal !!!
Usando a calda ou água, sem problema algum mas para o combate ter efeito no FF as descargas tem de ser de alguma toneladas de água/calda nada de baldes com 1400 lts.

Citar
A outra pergunta que se coloca é se há a necessidade de me classificar as minha opiniões como "burrices como essas, a ignorância, a aldrabice e a chico-espertice, no seu melhor !!!" ?. Eu diria que não, mas se o senhor acha que isto eleva a discussão, esteja à vontade.

Tomei a liberdade de já ter respondido á sua quetão, a intenção nunca foi insultá-lo com os adjectivos empregues mas sim um desabafo para os que com poder de decisão fazem merdas atrás de merdas no que concerne ás aquisições/alugueres dos meios aéreos que, neste Páis, anualmente, fazem os combates oas FF, se assim não pensou ou tomou com a si dirigidos as minhas desculpas.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Agosto 13, 2016, 11:17:42 am
Penso, e digo penso que o Sr Edu, não faz parte do lote dos chicos espertos e ignorantes que decidem e assinam os contratos de aquisição de meios aéreos para o combate aos FF, como tal os adjectivo proferido não lhe são dirigidos.

Mas as opiniões eu proferi não são do governo ou de quem faz os negócios. Na entrevista o ministro até acha que o KC-390 é uma boa hipotese.
As opiniões são mesmo da minha autoria. Eu pessoalmente partilho da opinião de que um KC-390 não vai ser a aeronave mais adaptada ao tipo de combate aéreo que se faz em Portugal.  O que não quer dizer que o tipo de combate não possa ser alterado.

E mais, se estamos à espera de ter o KC-390 a combater incêndios em Portugal bem podemos deixar as florestas arderem por mais 10 anos. Porque até o KC-390 estar operacional, a gente se decidir a comprar, depois ser desenvolvida a capacidade de combate a incêndios, e finalmente nós adquirirmos essa capacidade em particular facilmente passam 10 anos, senão mais...

Para mim falar-se neste momento em KC-390 para combate aos incêndios é continuar a empurrar o problema com a barriga.

Citar
Bem se a aeronave em questão conseguir voar mais baixo do que vemos, que mesmo assim quase toca nas copas das arvores, para mim será uma primeira vez mas como tudo na vida sempre a aprender.

Será que o conceito de perspectiva não terá aqui alguma influência? Acredita mesmo que a aeronave está mesmo ao nível das árvores?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fthumb7.shutterstock.com%2Fdisplay_pic_with_logo%2F1711129%2F377504515%2Fstock-photo-tropical-paradise-holiday-airplane-flying-over-palmtrees-377504515.jpg&hash=b4fa462ced22c45caeeb31752a03aac9)
Olhe este acho que vai bater com a asa na palmeira...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 11:52:33 am
Penso, e digo penso que o Sr Edu, não faz parte do lote dos chicos espertos e ignorantes que decidem e assinam os contratos de aquisição de meios aéreos para o combate aos FF, como tal os adjectivo proferido não lhe são dirigidos.

Mas as opiniões eu proferi não são do governo ou de quem faz os negócios. Na entrevista o ministro até acha que o KC-390 é uma boa hipotese.
As opiniões são mesmo da minha autoria. Eu pessoalmente partilho da opinião de que um KC-390 não vai ser a aeronave mais adaptada ao tipo de combate aéreo que se faz em Portugal.  O que não quer dizer que o tipo de combate não possa ser alterado.

E mais, se estamos à espera de ter o KC-390 a combater incêndios em Portugal bem podemos deixar as florestas arderem por mais 10 anos. Porque até o KC-390 estar operacional, a gente se decidir a comprar, depois ser desenvolvida a capacidade de combate a incêndios, e finalmente nós adquirirmos essa capacidade em particular facilmente passam 10 anos, senão mais...

Para mim falar-se neste momento em KC-390 para combate aos incêndios é continuar a empurrar o problema com a barriga.

Citar
Bem se a aeronave em questão conseguir voar mais baixo do que vemos, que mesmo assim quase toca nas copas das arvores, para mim será uma primeira vez mas como tudo na vida sempre a aprender.

Será que o conceito de perspectiva não terá aqui alguma influência? Acredita mesmo que a aeronave está mesmo ao nível das árvores?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fthumb7.shutterstock.com%2Fdisplay_pic_with_logo%2F1711129%2F377504515%2Fstock-photo-tropical-paradise-holiday-airplane-flying-over-palmtrees-377504515.jpg&hash=b4fa462ced22c45caeeb31752a03aac9)
Olhe este acho que vai bater com a asa na palmeira...

Nós não precisamos de porra nenhuma de Berievs, Antonovs, C-390 o que precisamos é de:

a) reforçar a limpeza das matas e terrenos reforçando as equipas de cinco homens que nas épocas baixas estão no terreno, precisamos de mais equipas, o que se dispender com eles poupar-se-á e muito, nos custos dos FF, não tenham dúvidas, precisamos de os motivar pagando-lhes mais;

b) Centralizar todos os meios Aéreos na FAP, quer alguns pilotos gostem ou não;

c) Adquirir meios aéreos quer sejam Helis ligeiros/médios canadairs, kits para os C295, o que quer que seja mas já, para que as coisas mexam e os que são contra, a favor da inércia, incompetência dos interesses instalados, que remam contra a maré, vejam que o seu reinado está a terminar, ontem era tarde;

d) A adquirir os meios pensem no seu duplo uso, como nos NPO's, no verão combatem os FF e no inverno, epoca baixa são usados na patrulha marítima, porque não ??

e) Rentabilizem os meios financeiramente, alugando-os a terceiros como os outros fazem, se pensamos que os meios aéreos de reforço que aí estão vem á borla desenganem-se, vamos pagar e bem, Ninguém dá nada a ninguém e, o meu melhor amigo, SOU EU.


Sr Edu, o seu avião voa muito mais alto, mas muito mesmo, que a palmeira que apresenta....... são trinta anos de trabalho directo com aeronaves, Placa, Coordenação, LC, Operações de voo que dão muita experiência e tarimba, no terreno aprende-se muito, muito mesmo, assim aprendessem os nossos decisores com os nossos Bombeiros, mas falta-lhes o melhor, a Humildade, abnegação e CORAGEM, daqueles Homens e Mulheres que combatem por todos NÓS.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fdc10-enfield1_zpsskctpsbp.jpg&hash=0804684b91e42cd29b77d8032a3735e5) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/dc10-enfield1_zpsskctpsbp.jpg.html)

Acha que a prespectiva desta foto é parecida com a que apresenta, a sua foi tirada do solo mas esta foi de outra aeronave, logo, um pouquinho mais alto e mais longe, e não se esqueça que o seu B737 é um pouco/muito mais pequeno que o meu DC-10-30. :nice: :nice: :nice:

PS uma vez mais as minhas desculpa pelo mal entendido, e deixe lá o C390 que ainda não tem provas dadas quanto mais kits para os FF, é bem preferível, e mais importante MUITO MAIS BARATO, o nosso C295.
Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Agosto 13, 2016, 12:17:30 pm
Nós não precisamos de porra nenhuma de Berievs, Antonovs, C-390 o que precisamos é de:

a) reforçar a limpeza das matas e terrenos reforçando as equipas de cinco homens que nas épocas baixas estão no terreno, precisamos de mais equipas, o que se dispender com eles poupar-se-á e muito, nos custos dos FF, não tenham dúvidas, precisamos de os motivar pagando-lhes mais;
b) Centralizar todos os meios Aéreos na FAP, quer alguns pilotos gostem ou não;
c) Adquirir meios aéreos quer sejam Helis ligeiros/médios canadairs, kits para os C295, o que quer que seja mas já, para que as coisas mexam e os que são contra, a favor da inércia, incompetência dos interesses instalados, que remam contra a maré, vejam que o seu reinado está a terminar, ontem era tarde;
d) A adquirir os meios pensem no seu duplo uso, como nos NPO's, no verão combatem os FF e no inverno, epoca baixa são usados na patrulha marítima, porque não ??
e) Rentabilizem os meios financeiramente, alugando-os a terceiros como os outros fazem, se pensamos que os meios aéreos de reforço que aí estão vem á borla desenganem-se, vamos pagar e bem, Ninguém dá nada a ninguém e, o meu melhor amigo, SOU EU.

Concordo a 100%

Quanto à imagem obviamente que eu pús um exemplo extremo e obvio em como o avião está muito longe da palmeira apesar de a asa se sobrepor à mesma. Quanto à imagem que postou, o DC-10 é um avião enorme, não sei exactamente que tipo de arvores são aquelas, mas na foto o avião aprece pequeno comparativamente à arvores, noutra foto onde se vê que o DC-10 está exactamente por cima de arvores (que podem não ser da mesma especie) as arvores são proporcionalmente muito menores. Se reparar a sobra da asa que aparentemente está a obscurecer a calda retardante não está sob a arvore, o que indica que na realidade o DC-10 está bastante longe daquelas arvores que quase parece tocar.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 12:52:47 pm
Algumas fotos demonstrativas de altitudes de largadas, 30 a 100 pés, e, como a calda pode ser usada directamente no combate ao FF e FU.
A terceira foto o DC10-30 está a menos de 30 pés e com flaps a 35º


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F1f27f53b61c28ba6163695b0be7b85b7_zpszgw7h3dq.jpg&hash=d4f1bceebd4f5ad1b223e96a04efab90) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/1f27f53b61c28ba6163695b0be7b85b7_zpszgw7h3dq.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fdc-10-fire-bomber_zpsevkcxz1j.jpg&hash=9a0e60b8f0ded74eb335531fb90ffea3) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/dc-10-fire-bomber_zpsevkcxz1j.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FT-910-Soberanes-Fire-FF-Brett-Gainey-for-Santa-Clara-FC-1200x1200_zpsxzvwsmys.jpg&hash=c2d4ad89705bd0813c8ccb44021737e3) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/T-910-Soberanes-Fire-FF-Brett-Gainey-for-Santa-Clara-FC-1200x1200_zpsxzvwsmys.jpg.html)

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 13, 2016, 02:41:07 pm
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14021646_779356255537534_6635208683631268884_n.jpg?oh=a3ff005d40b7b7ac0b0b3cc2b656f823&oe=58519203)

(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/13924875_779356345537525_6287789940714585475_n.jpg?oh=b72c5666c2710bd6f0f1a1717dcfd04e&oe=584E3D3C)

(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/13902677_779356758870817_8888077267220055716_n.jpg?oh=74eb274b5e6f2e02b6dfd232433f1433&oe=5820F953)

A Força Aérea está, desde 10 de agosto, a prestar apoio logístico às aeronaves de combate a incêndios disponibilizadas por parceiros internacionais.
Saiba mais em : http://goo.gl/QQLfyQ
Fotos: Emanuel Fonseca
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2016, 03:32:05 pm
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14021646_779356255537534_6635208683631268884_n.jpg?oh=a3ff005d40b7b7ac0b0b3cc2b656f823&oe=58519203)

(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/13924875_779356345537525_6287789940714585475_n.jpg?oh=b72c5666c2710bd6f0f1a1717dcfd04e&oe=584E3D3C)

(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/13902677_779356758870817_8888077267220055716_n.jpg?oh=74eb274b5e6f2e02b6dfd232433f1433&oe=5820F953)

A Força Aérea está, desde 10 de agosto, a prestar apoio logístico às aeronaves de combate a incêndios disponibilizadas por parceiros internacionais.
Saiba mais em : http://goo.gl/QQLfyQ
Fotos: Emanuel Fonseca

Belos CL415, para mim são só a melhor aeronave média nos combates a FF, que venham eles mas na versão MP, multi purpose, que permite a configuração interna para SAR, isso é que era dinheiro bem empregue.
Obrigado por divulgares esta foto.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 13, 2016, 05:37:23 pm
Vejam este vídeo em Espanha:

https://www.noticiasaominuto.com/mundo/638131/espanha-jovens-filmam-grupo-a-atear-fogos-video-torna-se-viral

Impressionante! >:(
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: junjun em Agosto 14, 2016, 09:25:07 am
Video - The C295 Firefighter !

http://www.aeronewstv.com/en/industry/military-aviation/1561-the-c295-firefighter.html
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 14, 2016, 02:45:52 pm
Mas porque é que só aparecem fotos do Dc10 a lançar calda retardante? Também lança água...  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defencetalk.com%2Fpictures%2Fdata%2F4865%2Fmedium%2F1-March_08_DC-10_28a.jpg&hash=012c30e41c6fd4f51c5be3f7f1e0f917)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi.imgur.com%2FSkbb2Cf.jpg&hash=4860932e9e3febf6fd0103241b62f9b2)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.smh.com.au%2Fcqstatic%2Fgjzfma%2Ffireforweb.jpg&hash=730cfa68e18d078594904170ebb39d08)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffireaviation.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2016%2F02%2FLATs-in-Australia.jpg&hash=121428fd2e9bd2306e3d257333cd5a5b)
Interessante estudo. É uma boa maneira de justificar a aquisição de uns dois C17... ;D
Citar
https://www.researchgate.net/publication/273124144_Aerial_Bushfire_Quencher_C-17_Conversion_for_Fire_Fighting_Operations (https://www.researchgate.net/publication/273124144_Aerial_Bushfire_Quencher_C-17_Conversion_for_Fire_Fighting_Operations)

A feasibility study into the conversion of a RAAF C-17 Globemaster III to a fire fighting role has been conducted. Although this paper only presents a small subset of the results, the study shows that a conversion water/retardant storage and drop system is technically feasible and would give the C-17 significant support capability as a water drop platform, an aerial refill  station  and  a  reconnaissance,  command  and  communications  centre  for  overall operations. The installation does not compromise the airframe structure and the aircraft can be returned to military operation status. The aircraft can carry up to 50,000 litres of water/fire retardant contained across 10 smaller tanks that are loaded separately and then interconnected. The required pumps and piping system have been sized and selected. The total mass of the installation, including water/retardant, is approximately 60,000 kg; hence weighing less than the  aircraft’s  maximum  payload  limit  and  no  structural  modification  is  required  with  the exception of replacing the removable door to install the IR system. The estimated cost for each  set  of  a  fire  fighting  conversion  systems  is  about  $1.1  million  AUD,  excluding installation and operation. In conclusion, the study shows that the proposed proof concept is feasible  and  it  is  recommended  for  further  detailed  investigation;  as  the  C-17  have  been known for their role support capabilities from med bays to  heavy payload drops. Being a conceptual proof of concept, further research on this design could be to perform FEA analysis on the flight profile to detailed feasibility studies with consultancy. Without the need to design a  new  airtanker,  it  would  offer  the  Australian  firefighting  authorities  an  additional,  cost effective and powerful capability in combating bushfires across the country. 
(https://www.researchgate.net/profile/Anil_Raj_Ravindran/publication/273124144/viewer/AS:203444666277888@1425516396119/background/2.png)
(https://www.researchgate.net/profile/Anil_Raj_Ravindran/publication/273124144/viewer/AS:203444666277888@1425516396119/background/4.png)
Citar
http://fireaviation.com/tag/maffs/ (http://fireaviation.com/tag/maffs/)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 14, 2016, 04:48:58 pm
Em Espanha, a maior parte dos Canadair/Bombardier são propriedade do Ministério da Agricultura, mas operados pelo EdA. Existe algum impedimento legislativo para fazer algo semelhante por cá? O orçamento de aquisição e parte dos custos de operação vinham dos Ministérios da Agricultura e de Ambiente e a FAP operava os aparelhos e arcava com parte dos custos de operação, justificando assim a sua utilização noutras missões que não o combate a incêndios.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 14, 2016, 10:15:48 pm
Já falaram algures a FAP não ter interesse nos Kamov e Airtraktors e preferir os Puma. Acho que a questão aqui é que a FAP visualiza os seus meios sempre para operações militares, mas que tenham capacidade de outras operações de apoio a população.

Precisam do EH101 para resgatar os seus pilotos num teatro de guerra, transporte de tropas, mas  enquanto isso não acontece fazem SAR por cá.

Precisam dos P-3 para encontrar navios e submarinos inimigos, mas enquanto isso não acontece vão procurando navios perdidos.

Os Alouette III já operaram o balde contra fogos, e o seu substituto era inteligente se tivesse essa capacidade.

Os Puma, ou outro helicóptero táctico, a operar na FAP ou no exercíto, também deveriam ter essa capacidade.

A FAP não vê uma missão militar para atribuir aos Kamov ou Airtracktor.

Os Canadairs espero que aceitem, dá para fazer SAR.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 14, 2016, 10:29:15 pm
Um pouco na brincadeira: Metam os Kamov no Exército, pois já dão pelo menos para fazer o transporte de artilharia e de outro material.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Crypter em Agosto 14, 2016, 10:58:03 pm
Comunicado da Força Aérea Portuguesa sobre o "Combate a Incêndios" com ponto da situação sobre os apoios até agora prestados:
«14 de agosto de 2016

Participação da Força Aérea no combate a incêndios

Face às várias notícias, declarações e comentários, recentemente tornados públicos, relativos à participação da Força Aérea Portuguesa no combate aos incêndios que têm vindo a assolar o país, cumpre esclarecer o seguinte:
Atualmente, a Força Aérea não possui meios aéreos que permitam a realização de missões de combate a incêndios. Não é igualmente praticável proceder a adaptações que possibilitem a qualquer das frotas em operação, a execução desse tipo de missões.
A partir de 1982, a Força Aérea operou um sistema modular aplicável à frota C-130H Hércules, denominado MAFFS (Modular Airborne Fire-Fighting System), equipamento que permitia adaptar aquelas aeronaves à realização de missões de combate direto (largada de água) e indireto (largada de calda retardante) a incêndios. Porém, fruto da reorganização de meios de combate a incêndios, sob a tutela da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), esse sistema foi descontinuado há cerca de 20 anos e, atualmente, é inexistente.
A capacidade para realização de missões de combate direto a incêndios, que implica, naturalmente, a qualificação de tripulações e de pessoal de manutenção, para além da definição do respetivo conceito de operações, poderá, no entanto, vir a materializar-se faseadamente, num futuro próximo, no âmbito dos vários projetos de reequipamento em curso, designadamente, ao nível da substituição do C-130H Hércules e da renovação da frota de helicópteros ligeiros.
Todavia, realça-se que, na última semana, a Força Aérea colocou à disposição da ANPC todos os meios e recursos disponíveis, no sentido de apoiar ativamente, o combate ao flagelo dos incêndios. Essa colaboração concretizou-se até à data como se segue:
Madrugada de 10AGO16 - Ponte aérea para o Funchal. Quatro voos de C-295M Montijo-Funchal-Montijo. Transportados 127 passageiros (ANPC, GNR, Bombeiros e INEM) e 3,5 toneladas de carga. Efetuadas 20:40 horas de voo;
Tarde de 10AGO16 – Voo de C-130H Montijo-Funchal-Montijo. Transportadas 5,2 toneladas de carga. Efetuadas 04:35 horas de voo;
11AGO16 – Voo de reconhecimento do teatro de operações da Calheta, realizado por helicóptero EH-101 Merlin do Destacamento Aéreo da Madeira a partir de Porto Santo;
11AGO16 – Cedência de um equipamento pesado (Máquina de Rasto) e respetivos operadores, empregue no teatro de operações de Arouca;
Apoio logístico aos meios aéreos disponibilizados por parceiros internacionais: dois Canadair Marroquinos (chegada em 10AGO16), um Canadair Italiano (chegada em 11AGO16), dois Beriev da Federação Russa (chegada em 13AGO16). Esse apoio logístico traduz-se no Parqueamento e reabastecimento das aeronaves e sustentação das tripulações na Base Aérea nº 5, em Monte Real e também no reabastecimento alternativo às aeronaves, no Aeródromo de Manobra Nº 1, em Ovar;
Já hoje, a Força Aérea empregará, adicionalmente, três meios aéreos: 1 C-130H e 1 C-295M que executarão a retração para o Continente do dispositivo de pessoal e material transportado para a Madeira no dia 10, e um voo adicional de C-295M que sairá da Base Aérea Nº 4, Lajes – Açores, para retrair igualmente bombeiros e material que projetaram dos Açores para a Madeira em reforço ao combate aos incêndios naquela ilha.
Os meios e recursos da Força Aérea permanecerão em prontidão, no sentido de continuar a responder a qualquer solicitação da ANPC.»
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Major Alvega em Agosto 15, 2016, 04:03:47 am
 O comunicado é inteligente e para quem quiser perceber, uma FAP indigente que faz aquilo que pode, com os meios que tem. Pois se não tem meios para combater os fogos, logicamente não o pode fazer.

 Assistimos nos últimos dias a um proliferar de opiniões sobre os meios aéreos que é de uma pessoa fugir de susto. É ver quem é que diz o maior disparate. De repente apareceram nas TVs, jornais e redes sociais centenas de especialistas em meios aéreos de combate aos fogos.
Na na RTP3 numa entrevista ao MD, o jornalista completamente excitado já tinha o veredicto, compra-se já o KC390 que é fabricado em Portugal (tosse) e dá para apagar fogos. E depois mostrava uma foto ao ministro de uma imagem feita em computador que anda aí a circular na net há 5 anos do Embraer a apagar incêndios.

Depois o Rogeiro na SIC antes de ir dar a entrevista da ordem, parece que foi a correr à Wikipédia ver o que era o MAFFS (porque tudo o que ele disse está lá exactamente igual). Também deu ali logo o seu "veredicto" de cor, dizendo que o sistema era o melhor e que estava na linha da frente no combate aéreo aos fogos. (Isto é um país de malucos)

Outro tipo (coitado) duma Associação de Oficiais andou a mandar uns bitaites nos jornais e teve direito ir à SIC N falar sobre o assunto. E teve o azar de apanhar pela frente um jornalista bom (o que é raro). O pivot perguntou-lhe o que era necessário então fazer e ele disse (a gaguejar e completamente atrapalhado) que era preciso fazer um organograma em vez de dizer cronograma. E quais eram aeronaves ideais para a FA e porque é que os puma estavam armazenados? (o gajo não soube responder a nenhuma pergunta). Um autêntico nº de palhaço de circo em directo na televisão.

E é isto! Mas o que vai acontecer é que daqui a 2 semanas já ninguém fala nisto, para o próximo ano arde o resto da floresta que ainda falta arder. E não vai haver aquisição de meios nenhuns, porque o Costa já disse que se tinha de apostar na prevenção (conversa com 40 anos, desde que começaram os incêndios em Portugal) e que esse dinheiro faz falta é nas esquadras. Uma forma airosa de dizer que não há dinheiro para adquirir meios aéreos, mesmo que o país arda todo. Ele também já tinha dito que não havia solução para as cheias de Lisboa e ninguém o levou preso.

 
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 15, 2016, 10:19:16 am
Parece-me bastante mais versatil do que aparenta sobretudo na versão militarizada. Desde SAR a vigilância passando por treino e  desfolhante, inclusive usando o espaço interno para fazer transporte de pequenas cargas.
Citar
AT-802U

Presentation

Air Tractor has created a surveillance platform that delivers more capability for less money than anything else in the world. The AT-802U combines an 8,000 pounds (3,629 kg) payload and 10-hour ISR mission capability with the flexibility and responsiveness of a manned weapon system for a fraction of the cost of unmanned aerial vehicle systems.

The cavernous internal space of the 802U permits adding virtually any missionized E0/IR, SIGINT or SAR payload. An optional retractable L3 Wescam MX-15Di sensor targeting pod and ROVER video downlink lets ground commanders, other aircraft and forward air controllers see the battle space in real time.

When equipped with state-of-the-art sensors, real time encrypted video downlink, SatCom, and encrypted software defined voice and data radios, the 802U is a cost-effective communications gateway for instant command and control.

Detailed Description

Precision Strike

The 802U can deliver an impressive payload to the fight. With 11 hard points on the wings and fuselage, the 802U has the flexibility to employ a large arsenal of weaponry.

The aircraft’s speed and maneuverability exceeds that of most helicopters, UAVs and cargo aircraft. There’s no need to fly supersonic to hot zones when the 802U can be overhead providing quiet surveillance and the deterrent of over 2,900 rounds of .50 cal, four Hellfire missiles, sixteen DAGR laser guided rockets, and two 250 lb. laser-guided bombs.

Survivability

In combat, the 802U protects aircrews with robust cockpit and engine armor. Fuel tanks and lines are self-sealing. Ballistic glass windshields and side windows have defeated bullets during counterdrug operations.

Dirt Strip Utility

Operating from unimproved airstrips and dirt roads, the 802U can carry out forward arming and refueling point missions to provide unparalleled direct support and overwatch for ground troops. It can deliver fuel and supplies to remote forces.

Multi-Mission Capability

With its tandem seat cockpit and dual controls, the AT-802U also makes an ideal training aircraft for flight and weapons training to develop weapons tactics, techniques and procedures.

http://www.airtractoreurope.com/aviones/ficha/general/19 (http://www.airtractoreurope.com/aviones/ficha/general/19)

The AT-802 has also been used in counter-drug operations in the USSOUTHCOM AOR by the U.S. Department of State as a delivery vehicle for herbicides and defoliants over narcotics production facilities.

Ten AT-802U were converted by Iomax into an armed configuration with Roketsan Cirit 2.75" rockets and guided bombs [8] for the UAE Air Force. The UAE operated them until November 2015[8] when they were replaced by the first three of 24 Archangels on order from Iomax.[9] The Archangel is based on a similar cropduster airframe, that of the Thrush Model 660,[10] however to create the Archangel the basic Model 660 undergoes a much more extensive rebuild in the course of its militarization. Six of the UAE AT-802Us were transferred to the Jordanian Air Force.[11] with a further three being transferred to the Yemeni Government Forces where they have been used in the 2015 Yemeni Civil War.

https://en.wikipedia.org/wiki/Air_Tractor_AT-802 (https://en.wikipedia.org/wiki/Air_Tractor_AT-802)

http://wildfiretoday.com/2009/06/18/air-tractor-converts-air-tankercrop-duster-into-armed-tactical-attack-plane/ (http://wildfiretoday.com/2009/06/18/air-tractor-converts-air-tankercrop-duster-into-armed-tactical-attack-plane/)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fairheadsfly.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2014%2F08%2Fairtractorat802u_airtractor.jpg&hash=c2578adafddc2ae710e54980c1215b07)
(https://thaimilitaryandasianregion.files.wordpress.com/2015/11/at-802u_cockpit.jpg?w=625&h=443)

Aparentemente na Força Aérea Sul Coreana arranjaram missões para os Kamov. Até foram modificados para combater fogos à noite...  8) ::)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/81/05-004_Ka-32T_(HH-32)_RoK_(3097668829).jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn.airplane-pictures.net%2Fimages%2Fuploaded-images%2F2013%2F10%2F28%2F330957.jpg&hash=d8255b775f1649f4e7363a81848ac55b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi107.photobucket.com%2Falbums%2Fm309%2FChernayaAkula%2FSouth%2520Korean%2520Ka-32%2FKA2005126190256.jpg&hash=e013ea1379a0dae0985a00eee41bad73)
(https://uploads.aircraftsalesandparts.com/aircraft_images/5028/original/2016-turbine-helicopter-airframe-kamov-ka32.jpg)
Citar
First Civil Kamov Ka-32 NVG Modification, 04-Feb-16 : Texas-based REBTECH announced approval by the Korean Office of Civil Aviation (KOCA) for a night vision (NVG) modification to Russian made KA-32 helicopter to perform night fire suppression operations

http://rebtechnvg.com/wp-content/uploads/2016/02/REBTECH-Performs-First-Civit-Kamov-KA-32-Modification.pdf (http://rebtechnvg.com/wp-content/uploads/2016/02/REBTECH-Performs-First-Civit-Kamov-KA-32-Modification.pdf)
Já agora, por lá a manutenção faz-se assim: http://www.helis.com/database/model/1030/ (http://www.helis.com/database/model/1030/)
Citar
Russian Support for South Korea KA-32 Engines, 08-Oct-15 : South Korea's Civil Aviation Authority and Heli Korea visited Russian Helicopters Aviation Repair ...

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 15, 2016, 11:08:05 am
Já falaram algures a FAP não ter interesse nos Kamov e Airtraktors e preferir os Puma. Acho que a questão aqui é que a FAP visualiza os seus meios sempre para operações militares, mas que tenham capacidade de outras operações de apoio a população.

Precisam do EH101 para resgatar os seus pilotos num teatro de guerra, transporte de tropas, mas  enquanto isso não acontece fazem SAR por cá.

Precisam dos P-3 para encontrar navios e submarinos inimigos, mas enquanto isso não acontece vão procurando navios perdidos.

Os Alouette III já operaram o balde contra fogos, e o seu substituto era inteligente se tivesse essa capacidade.

Os Puma, ou outro helicóptero táctico, a operar na FAP ou no exercíto, também deveriam ter essa capacidade.

A FAP não vê uma missão militar para atribuir aos Kamov ou Airtracktor.

Os Canadairs espero que aceitem, dá para fazer SAR.

Bem,  se o problema é esse, pelo lados dos air tractor esta resolvido.
Instrução basica de voo, ataque ligeiro ao solo contra insurgentes altamente blindado.
uma oportunidade única para comprar uma dúzia deles!
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi64.tinypic.com%2F1z30wau.jpg&hash=e0f5d4de15369e3177423a20e1dea021)
http://www.802u.com/ (http://www.802u.com/)
 ;D  ;D ;D
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 15, 2016, 11:13:03 am
Já falaram algures a FAP não ter interesse nos Kamov e Airtraktors e preferir os Puma. Acho que a questão aqui é que a FAP visualiza os seus meios sempre para operações militares, mas que tenham capacidade de outras operações de apoio a população.

Precisam do EH101 para resgatar os seus pilotos num teatro de guerra, transporte de tropas, mas  enquanto isso não acontece fazem SAR por cá.

Precisam dos P-3 para encontrar navios e submarinos inimigos, mas enquanto isso não acontece vão procurando navios perdidos.

Os Alouette III já operaram o balde contra fogos, e o seu substituto era inteligente se tivesse essa capacidade.

Os Puma, ou outro helicóptero táctico, a operar na FAP ou no exercíto, também deveriam ter essa capacidade.

A FAP não vê uma missão militar para atribuir aos Kamov ou Airtracktor.

Os Canadairs espero que aceitem, dá para fazer SAR.

Bem,  se o problema é esse, pelo lados dos air tractor esta resolvido.
Instrução basica de voo, ataque ligeiro ao solo contra insurgentes altamente blindado.
uma oportunidade única para comprar uma dúzia deles!
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi64.tinypic.com%2F1z30wau.jpg&hash=e0f5d4de15369e3177423a20e1dea021)
http://www.802u.com/ (http://www.802u.com/)
 ;D  ;D ;D
Esqueceste a Vigilância, Sar e como Desfolhante e largada de herbicidas. Segundo o fabricante e espaço interno até permite algum transporte de combustível e munições para pistas semi-preparadas no campo de batalha.  ;)
Citar
http://www.airtractoreurope.com/aviones/ficha/general/19 (http://www.airtractoreurope.com/aviones/ficha/general/19)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 15, 2016, 11:37:18 am
http://www.ainonline.com/aviation-news/defense/2013-06-16/archangel-comes-paris (http://www.ainonline.com/aviation-news/defense/2013-06-16/archangel-comes-paris)

Um payload impressionante!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 15, 2016, 11:53:03 am

AT-802U

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FCockpit_zpsteiwszpl.jpg&hash=cc7f23b39c1a75620d73f055d58739a4) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Cockpit_zpsteiwszpl.jpg.html)

Specifications

Engine type: Pratt & Whitney: PT6A-67F
Engine takeoff shp - Uninstalled: 1,600 @ 40.3º C, 1,700 rpm
Engine maximum continuous, Shaft Horsepower - Uninstalled 1,600 @ 27.5º C, 1,700 rpm
Propeller: 118 in (300 cm) diameter, aluminun Hartzell
Propeller ground clearance: 39 in (0.99 m)
Gross weight - Landing & takeoff: 16,000 lbs (7,257 kg)
Empty weight,with armor,no weapons: 7,836 lbs (3,703 kg)
Useful Load with ballistic armor: 8,164 lbs (4,000 kg)
Fuel capacity - wings: 380 US gal (1,438 L)
Auxiliary fuel capacity - Fuselage: 360 US gal (1,363 L)
Wingspan: 59.2 ft (18.04 m)
Wing area: 401 ft² (37.25 m²)
Main wheel size: 32.0 in (81.28 cm)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FphpThumb_generated_thumbnailjpg_zpsyuanztg7.jpg&hash=7cebd6b0be66e8730d6e58e08709da0e) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/phpThumb_generated_thumbnailjpg_zpsyuanztg7.jpg.html)

Performance

Maximum speed,no weapons at 10,000 ft (3,048m): 213 knots (394 kph)
Patrolling speed at 10,000 ft; 71 US gal per hour (3,048 m; 268 l per hour): 180 knots (333 kph)
Stall speed, flaps down at max gross weight 91 knots (169 kph)
Stall speed, at 12,500 lbs (5,670 kg): 70 knots (130 kph)
Range with auxiliary fuselage fuel economy cruise at 8,000 ft (2,438 m): 1,303 nm (2,414 km)

Landing run: 1,200 ft (366 m)

Gross weight Takeoff roll Rate of climb
Full fuel load, 10,000 lbs (4,500 kg) 680 ft (207 m) 3,000 fpm (914 mpm)
Surveillance load, 12,500 lbs (5,700 kg) 1,100 ft (335 m) 2,200 fpm (670 mpm)
Surveillance and weapons load, 14,500 lbs (6,600 kg) 1,400 ft (426 m) 1,700 fpm (518 mpm)

Standard features
Ballistic glass cockpit/engine armor
Self-sealing fuel tanks and emergency tank shut-off
AMSAFE Inflatable Restraint system integrated with 5-point harness
Air conditioner
Large and reconfigurable fuel system
Rough strip, off-airfield landing gear
High dust environment air induction system


E só necessita de 330 a 450 mts para descolagem consoante o payload/missão é mesmo um stol puro sangue.
Pensem só nestes aparelhos durante a guerra colonial a operar no apoio ao solo em vez dos T6 Texan tinha sido muito bonito de ver, com estes payloads era uma festa.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 15, 2016, 12:10:50 pm
Vejam bem o bicho com maior pormenor.

Até faz impressão tanta potência numa fuselagem tão pequena, forte e feio e uma aeronave que está mesmo a pedi-las para integrar a nossa FAP, uma aeronave para duplo uso sem dúvida, os TB-30 que se cuidem !!!!

Archangel can locate, identify, track, report, strike, neutralize threat, and assess damage
Carries the heaviest payload in the aircraft category and has the longest endurance
Carries a significant weapon payload of air-to-ground precision guided munitions with an 8 hour endurance
Capable of performing surgical strike missions with lowcollateral damage
Effective precision strike platform against moving, fixed or maritime targets

Operates from unimproved strips for Forward Arming and Refuel (FARP) Operations
Flies at speeds and altitudes optimized for target identification and precision strike in support of Land Forces
Has minimal audible signature at loiter airspeeds
IOMAX offers maintenance support packages for Archangel
2 Place aircrew (Dual Controls) for reconnaissance, targeting and
direct attack
Night vision goggle compatible Precision navigation and day/night targeting sensors with laser ranging and designation capabilities
Has a fully integrated mission control system with automatic aircraft guidance to the objective point of interest, enter an orbit, and initiate a weapon release profile
Weapons systems have automated target data transfer and updates, auto-inventory, Constantly Computed Impact Point, Constantly Computed Release Point modes and precision weapon
initialization and targeting capabilities
Weapons capability includes Laser Guided Bombs, Hellfire II Missiles, 2.75 inch Cirit Laser Guided Missiles
Provides networked tactical communication, Military Control Tower, Air Traffic Control, ground force direct communications,
and full motion video with voice
Is IFR Capable
OPERATIONAL CAPABILITIES
Basic Marketing Material IAW 22 CFR 120.10(b)
Archangel performs long-range Intelligence, Surveillance and Reconnaissance (ISR) and standoff precision strike missions
while maintaining a Common Operating Picture (COP) in support of land or maritime operations.
Medium Intensity Conict
Counterdrug
Low Intensity Conict
Counter Piracy Operations
Border Security
Law Enforcement
Counterterrorism
Disaster Operations


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fhome_top_thumb_zpsukx6yojx.jpg&hash=834d58730c0dabc01dc89e96daf6401b) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/home_top_thumb_zpsukx6yojx.jpg.html)

http://www.iomax.net/pdf/IOMAX_Archangel_Brochure.pdf

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fexterior_gallery_0061_zpsb7mqtzkw.jpg&hash=e38c3d4cb7f32170a9aa6effd2b6da4a) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/exterior_gallery_0061_zpsb7mqtzkw.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Funtitled_zpska5pk0aa.png&hash=62844cae50b68db4dcdf081adaa9e13b) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/untitled_zpska5pk0aa.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F01_zpszbta0uav.png&hash=d62370c90483960329f01537ea8059a7) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/01_zpszbta0uav.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FAT802_zpskrehuano.png&hash=064c90de5ea0f5354368eec4196748da) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/AT802_zpskrehuano.png.html)


Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 15, 2016, 04:23:46 pm
Em relação aos meios aéreos...

Visto o historial de ignições ... e os incêndios que se tornam violentos, acho completamente PORNOGRÁFICO, a nível de combate ampliado termos somente 6 FIRE BOSS E 2 Canadair...

Penso que teria de se pensar de outra forma, nomeadamente:

-Ataque inicial com heli ligeiro, e se ao fim de 20 minutos o incêndio não estivesse dominado, fazer avançar logo 1 parelha de Fire-Boss.

-Aumentar as parelhas de FB,  em vez de 6 aeronaves, possuir-mos no mínimo 14, para o país inteiro.

-A nível de combate ampliado, no mínimo 6 Canadair ou Beriev, conjuntamente com o uso de combate indirecto, com MAFFS em C-130...

Penso que a FAP e o Exército, teriam a ganhar se:

-FAP introduzisse uma esquadra de Combate a Incêndios/SAR, com 6 a 8 CL-415.

-Substituisse os A-III, por AS-350 (uns 30), para garantir na época alta o combate a incêndios nascentes, fazendo tarefas militares o resto do ano.

-Adquirir 2 novos kits MAFFS, para C-130H ou J, no futuro.... (não acredito na vinda do KC-390)...

-No Exército, adquirir uns 14 Black Hawk, que fariam ataque ampliado no verão, sendo espalhados pelo país, conforme as necessidades.

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: xenical_ em Agosto 15, 2016, 05:08:31 pm
Caro typhonman, olhe que o atual dispositivo de combate a incêndios (DECIF) no que aos meios aéreos e seu emprego diz respeito, não está muito longe do que propõe.
 O ATI (ataque inicial) passa a Ataque Ampliado, ao fim de 90 minutos. O ataque ampliado, pressupõe o emprego de meios aéreos pesados (Kamov, Canadair e Fire Boss (este, classificado como médio)).
De qualquer forma, em ataque inicial, para alem da mobilização dos bombeiros do local do sinistro, são mobilizadas mais 2 equipas de corpos de bombeiros próximos em apoio: a chamada triangulação. Paralelamente, são despachados meios aéreos de ATI, um (o mais próximo) e outro de apoio, estes meios aéreos de ATI são no grosso do DECIF compostos por um heli ligeiro, Ecureil com balde, e respetiva equipa helitransportada.
O despacho destes meios e feito a partir dos CDOS (comandos distritais de operações de socorro) os quais estão em estreita comunicação com os postos de vigia florestais e nalguns CDOS, um conjunto de camaras de videovigilância para apoio a decisão operacional.

Cumprimentos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 15, 2016, 06:24:12 pm
Caro typhonman, olhe que o atual dispositivo de combate a incêndios (DECIF) no que aos meios aéreos e seu emprego diz respeito, não está muito longe do que propõe.
 O ATI (ataque inicial) passa a Ataque Ampliado, ao fim de 90 minutos. O ataque ampliado, pressupõe o emprego de meios aéreos pesados (Kamov, Canadair e Fire Boss (este, classificado como médio)).
De qualquer forma, em ataque inicial, para alem da mobilização dos bombeiros do local do sinistro, são mobilizadas mais 2 equipas de corpos de bombeiros próximos em apoio: a chamada triangulação. Paralelamente, são despachados meios aéreos de ATI, um (o mais próximo) e outro de apoio, estes meios aéreos de ATI são no grosso do DECIF compostos por um heli ligeiro, Ecureil com balde, e respetiva equipa helitransportada.
O despacho destes meios e feito a partir dos CDOS (comandos distritais de operações de socorro) os quais estão em estreita comunicação com os postos de vigia florestais e nalguns CDOS, um conjunto de camaras de videovigilância para apoio a decisão operacional.

Cumprimentos.

Xenical apenas uma pergunta,
O ATI passa a ATAM, não a designação de actual time of arrival ATA, ao fim de 90 min durante todo o dia de operação ou se estivermos a menos de 90 min do por do sol, os meios médios são accionados antes daquele período, porque depois de anoitecer kaput de meios aéreos ???
Como nestes TO's voamos em VFR daí a minha questão.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: xenical_ em Agosto 15, 2016, 07:27:12 pm


Xenical apenas uma pergunta,
O ATI passa a ATAM, não a designação de actual acft arrival ATA, ao fim de 90 min durante todo o dia de operação ou se estivermos a menos de 90 min do por do sol, os meios médios são accionados antes daquele período, porque depois de anoitecer kaput de meios aéreos ???

Abraços
[/quote]


Passa a ataque ampliado apos os 90 min de duração da ocorrência, independentemente da hora da mesma. Sabemos de antemão que após o por do sol não há meios aéreos para minguem, nem em ATI nem em ATA.

A decisão de mobilizar meios em ATA, ou passar de meios de ATI a ATA, depende do Comando Nacional de Operações de Socorro, nomeadamente do Comandante Nacional. Há zonas do Pais em que o emprego de meios de ATA, se justifica mais do que outras, nomeadamente a norte do Tejo, consubstanciado pelo tipo de orografia do terreno e tambem, pela ocupação do solo. Uma floresta a arder, não é bem a mesma coisa do que uma seara, ou uma zona de matos incultos.

Uma coisa é certa, os meios em ATA são escassos, efetivamente 2 CL 215 e 3 parelhas de Fire Boss, mais os 2 Kamov (!!) são de facto poucos, e requerem uma mobilização criteriosa e muito objetiva.


Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 15, 2016, 07:37:28 pm

Passa a ataque ampliado apos os 90 min de duração da ocorrência, independentemente da hora da mesma. Sabemos de antemão que após o por do sol não há meios aéreos para minguem, nem em ATI nem em ATA.

A decisão de mobilizar meios em ATA, ou passar de meios de ATI a ATA, depende do Comando Nacional de Operações de Socorro, nomeadamente do Comandante Nacional. Há zonas do Pais em que o emprego de meios de ATA, se justifica mais do que outras, nomeadamente a norte do Tejo, consubstanciado pelo tipo de orografia do terreno e tambem, pela ocupação do solo. Uma floresta a arder, não é bem a mesma coisa do que uma seara, ou uma zona de matos incultos.

Uma coisa é certa, os meios em ATA são escassos, efetivamente 2 CL 215 e 3 parelhas de Fire Boss, mais os 2 Kamov (!!) são de facto poucos, e requerem uma mobilização criteriosa e muito objetiva.


Cumprimentos

Fazendo contas uma capacidade de 38 tons de água acumulada, nos 10 meios aéreos que refere, é pouco muito pouco mesmo !!!!
Deveriamos ter mais meios médios a adicionar aos 10 mencionados se possuíssemos outros quatro CL215/415 a coisa estaria muito mais composta, um aumento de 40% no número mas 63% no aumento de capacidade de descarga passávamos de 38 para 62 Tons, muito mais confortável para quem decide e não me parece assim um numero de meios tão exagerado, 14 aeronaves !!! yu23x1

Claro escassos como são para os empenhar é necessário ter uma certeza muito grande quanto á sua utilidade, apenas acho que os 90 min são uma janela temporal muito grande, pois no caso da coisa se complicar e a luz do dia estiver a terminar lá se vai mais uma oportunidade de debelar um FF, e mais grave, se torna a passar a batata quente para os nossos Bombeiros no terreno.

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: night_runner em Agosto 16, 2016, 03:34:13 am
Citar
Esta será a primeira e ultima vez que me pronunciarei sobre os C-130 equipados com o kit MAFFS (que voei).
1. A decisao de solicitar o C130 para intervir num determinado incendio era sempre da responsabilidade dos Bombeiros.
2. As solicitações eram sempre feitas em última instancia, quando as dimensões do incendio eram já enormes;
3. Essas solitações foram sendo cada vez menos com a desculpa que o tempo entre descargas era demasiado, até ao ponto que deixaram de existir.
4. A utilização do C130 MAFFS nunca foi apreciada pelos dirigentes dos Bombeiros (nem sequer existia) a Proteção Civil.
5. Não existia coordenação entre os vários elementos que combatiam os incendios (ainda hoje não há). Os comandantes dos bombeiros não tinham, nem têm comunicações eficazes com as aeronaves.
6. O C130 que deveria ser usado como o último nível da cadeia do ataque a incendios, era deficientemente usado pelos "dirigentes" bombeiros, como primeiro nível quando o incendio já tinha tomado proporções muito grandes.
7. A utilização do C130 MAFFS implicava o uso de uma aeronave de controlo onde devia estar um responsável de coordenação do incendio (meios aéreos). Os comandantes dos bombeiros resistiram sempre a voar nestes "lead planes". Não sei se tinham "risco de voo"
8. Os C130 não estavam sobre o comando operacional dos bombeiros. Facto que não agradava a muita gente.
9. A aquisição da calda retardante era da responsabilidade da Força Aérea.
10. O uso do C130 MAFFS devia ser feito de modo a criar linhas corta fogo e não em ataque directo ás chamas como frequente e incorrectamente se fazia por instruções dos coordenadores de incendio.
11. As horas de voo deviam ser pagas por entidades que não a FAP. Isto era muito inconveniente para alguns. Não era possível controlar o C130 MAFFS como se controlava e controla a aquisição, configuração, manutenção e comsumíveis das viaturas terrestres dos bombeiros.
12. O C130 MAFFS acabou MUITO antes das operações militares referidas.
13. Dos dois kits existentes um permanecia sempre como backup do outro. Não tinha nada a ver com prontidão de aeronaves nem tripulantes que, na altura era excelente.
14. O C130 MAFFS FOI SEMPRE UM ENTE INDESEJÁVEL PARA OS DIRIGENTES DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE BOMBEIROS. OS FACTOS REFERIDOS SOBRE O C130 SÃO INVERDADES PARA NÃO DIZER QUE SÃO MENTIRA.
15. Finalmente, porque este assunto daria muito para falar, é muito fácil a qualquer dirigente dos bombeiros ou da Proteção Civil vir a público falar de assuntos da Força Aérea. Falar de pilotos, prontidões operacionais, qualificações, custos de operação com a total ignorancia do conhecimento ou a manipulação de pseudo dados pois essa capacidade está legalmente vedada a TODA A FORÇA AÉREA e a tutela da Defesa não o faz porque é politicamente incorrecto é muito fácil. Melhor teria sido, ter feito melhor quando se podia e se estava na posição para o fazer.
16. Para concluir, as lutas de influencias políticas e tendências partidárias dentro dos vários governos incentivou as guerras de interesses entre os dois ministérios envolvidos (Administração Interna e Defesa). Obviamente a Defesa tem vindo a perder e vai continuar enquanto os seus elementos estiverem (cobardemente) impedidos de se se defender publicamente, tendo assim de suportar estoicamente as aleivosias que se escrevem. Tenho dito e não digo mais nada.
https://www.facebook.com/groups/302435560172/permalink/10157319363365173/
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Agosto 16, 2016, 07:06:11 am
(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-0/s480x480/13882410_10154070050418369_3174657975215566919_n.jpg?oh=832d50884164a92dbaedc133946f5131&oe=585D5223)

Creo que si han mandado Canadairs Francia e Italia...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 16, 2016, 08:22:33 am
Já agora ontem foi um festim nas redes sociais. Apareceram os senhores das empresas privadas... a defender os meios privados de combate a incêndios. Na petição então que por aí circula até insultos houve. Entretanto já vai nas 31.110 mil assinaturas, deve ser por isso que quem até agora quem pouco falou "saiu da toca"... :P ::)
Citar
http://peticaopublica.com/viewsignatures.aspx?pi=P2013N70630 (http://peticaopublica.com/viewsignatures.aspx?pi=P2013N70630)

 
Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 16, 2016, 08:51:00 am
31000 assinaturas não chega para nadar para a frente?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 16, 2016, 09:10:14 am
31000 assinaturas não chega para nadar para a frente?
Chega. Vai ser entregue para a semana. Entretanto começam os amuos nas redes sociais. Alguns privados já não comentam mais. Fica por responder algumas perguntas como: Se somos tão bons, a nossa realidade é que é a correcta e os outros tão maus e hipócritas porque só fazem determinados preâmbulos para demonstrações e festivais aéreos, porque é que nós temos a maior área ardida da Europa com o verão praticamente ainda a meio e os tais outros não? Mas é o costume, ofendem-se com as perguntas, porque acham que fazendo A ou B ninguém pode questionar nada e tem que gramar com a pastilha (é a velha máxima de que em Portugal a maioria da população só serve para pagar os impostos que pagam parte dos ordenados a estes senhores, para decidir estão cá os iluminados. Entretanto ano após ano as florestas continuam a arder)...  :P ::)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Agosto 16, 2016, 10:24:48 am
(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-0/s480x480/13882410_10154070050418369_3174657975215566919_n.jpg?oh=832d50884164a92dbaedc133946f5131&oe=585D5223)

Creo que si han mandado Canadairs Francia e Italia...

É o que nos sujeitamos a que aconteça, quando não temos meios próprios para nos socorrer....... ficarmos com as calças nas mãos!!!!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Agosto 16, 2016, 11:32:51 am
(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-0/s480x480/13882410_10154070050418369_3174657975215566919_n.jpg?oh=832d50884164a92dbaedc133946f5131&oe=585D5223)

Creo que si han mandado Canadairs Francia e Italia...

É o que nos sujeitamos a que aconteça, quando não temos meios próprios para nos socorrer....... ficarmos com as calças nas mãos!!!!

Concordo plenamente!

Todos os anos é sempre a mesma coisa e os políticos não aprendem.

Com o fim dos incêndios vem as cheias e vai ser um ver se te avias e a responsabilizar a Europa como é o costume.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 16, 2016, 11:56:19 am
(https://scontent.fmad3-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-0/s480x480/13882410_10154070050418369_3174657975215566919_n.jpg?oh=832d50884164a92dbaedc133946f5131&oe=585D5223)

Creo que si han mandado Canadairs Francia e Italia...

É o que nos sujeitamos a que aconteça, quando não temos meios próprios para nos socorrer....... ficarmos com as calças nas mãos!!!!

Concordo plenamente!

Todos os anos é sempre a mesma coisa e os políticos não aprendem.

Com o fim dos incêndios vem as cheias e vai ser um ver se te avias e a responsabilizar a Europa como é o costume.
Só os Políticos? Os pilotos de combate aos fogos florestais de repente parece que têm molas nos pés e saltaram pelo menos uns 4 para o FB. Bem, mais vale tarde do que nunca.  ;D 8)   O que faz "a  filosofia de contratos de milhões e o resto que se lixe"... :o ::)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Agosto 17, 2016, 02:01:12 pm
Uno dos Beriev de FA rusa, basados en Monte Real, ha sido dañado en la operación de toma de agua al rozar unos árboles:

(https://static.life.ru/posts/2016/08/890942/ac18827daec413374b8e41d5cde80c87__1920x.jpg)

Cargando agua en el Minho:

http://www.lavanguardia.com/vida/20160816/403966842824/avion-amfibio-ruso-galicia-mino.html
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 17, 2016, 02:39:48 pm
Uno dos Beriev de FA rusa, basados en Monte Real, ha sido dañado en la operación de toma de agua al rozar unos árboles:

(https://static.life.ru/posts/2016/08/890942/ac18827daec413374b8e41d5cde80c87__1920x.jpg)

Cargando agua en el Minho:

http://www.lavanguardia.com/vida/20160816/403966842824/avion-amfibio-ruso-galicia-mino.html

Uma bela superfície do flap com buracos até mais não, mas que grande trancada o gajo deu nas arvores !!!!!!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 17, 2016, 02:59:29 pm
Essa foto podia ser de um bombardeiro russo que sofreu danos de combate na Siria. ;D

É melhor rir agora, porque quando vir a conta até choramos. Será que a factura da reparação vai ser para Portugal pagar?

Não acham curioso que os F-16 estão na Lituânia para impedir o acesso de aeronaves russas à europa, e depois vamos convidar aeronaves russas para o combate aos fogos em Portugal e ficam estacionais na BA5, casa dos F-16.

Ó ironia do destino.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 17, 2016, 03:23:01 pm
Essa foto podia ser de um bombardeiro russo que sofreu danos de combate na Siria. ;D

É melhor rir agora, porque quando vir a conta até choramos. Será que a factura da reparação vai ser para Portugal pagar?

Não acham curioso que os F-16 estão na Lituânia para impedir o acesso de aeronaves russas à europa, e depois vamos convidar aeronaves russas para o combate aos fogos em Portugal e ficam estacionais na BA5, casa dos F-16.

Ó ironia do destino.

Lá isso é verdade, também sou da tua opinião, e, temos de concordar que bem ou mal foram dos poucos que se chegaram á frente, essa é que é a verdade, mas se aproveitaram a vinda destas duas aeronaves para outros fins,  isso já é outra história que não me admirava nada se se confirmasse mais tarde.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 17, 2016, 04:51:06 pm
mas se aproveitaram a vinda destas duas aeronaves para outros fins,  isso já é outra história que não me admirava nada se se confirmasse mais tarde.

Abraços


Nem tudo na BA5 é secreto, vão lá os miudos do Dia da Defesa Nacional, ver mais do que isso já é culpa da Força Aérea, e se tinham alguma suspeita por eles serem russos podiam muito bem operar a partir do AM1 Ovar, lá não há aviões.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 17, 2016, 05:32:48 pm
mas se aproveitaram a vinda destas duas aeronaves para outros fins,  isso já é outra história que não me admirava nada se se confirmasse mais tarde.

Abraços


Nem tudo na BA5 é secreto, vão lá os miudos do Dia da Defesa Nacional, ver mais do que isso já é culpa da Força Aérea, e se tinham alguma suspeita por eles serem russos podiam muito bem operar a partir do AM1 Ovar, lá não há aviões.

E........... terão lá equipamento de placa, por exemplo GPU's e afins para assistirem estas aeronaves ??
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 17, 2016, 08:16:36 pm
Uno dos Beriev de FA rusa, basados en Monte Real, ha sido dañado en la operación de toma de agua al rozar unos árboles:

(https://static.life.ru/posts/2016/08/890942/ac18827daec413374b8e41d5cde80c87__1920x.jpg)

Cargando agua en el Minho:

http://www.lavanguardia.com/vida/20160816/403966842824/avion-amfibio-ruso-galicia-mino.html
Se fosse só esse (vejam as outras que vale a pena)...  ;D :P
(https://external.flis3-1.fna.fbcdn.net/safe_image.php?d=AQCT1mORdXbv04HY&w=487&h=365&url=https%3A%2F%2Fc1.staticflickr.com%2F9%2F8771%2F28718111480_e779fed662_b.jpg)

Citar
https://www.flickr.com/photos/podpolkovnikvvs/sets/72157669401237644 (https://www.flickr.com/photos/podpolkovnikvvs/sets/72157669401237644)

Saudações

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 17, 2016, 09:32:28 pm
Uno dos Beriev de FA rusa, basados en Monte Real, ha sido dañado en la operación de toma de agua al rozar unos árboles:

(https://static.life.ru/posts/2016/08/890942/ac18827daec413374b8e41d5cde80c87__1920x.jpg)

Cargando agua en el Minho:

http://www.lavanguardia.com/vida/20160816/403966842824/avion-amfibio-ruso-galicia-mino.html
Se fosse só esse (vejam as outras que vale a pena)...  ;D :P
(https://external.flis3-1.fna.fbcdn.net/safe_image.php?d=AQCT1mORdXbv04HY&w=487&h=365&url=https%3A%2F%2Fc1.staticflickr.com%2F9%2F8771%2F28718111480_e779fed662_b.jpg)

Citar
https://www.flickr.com/photos/podpolkovnikvvs/sets/72157669401237644 (https://www.flickr.com/photos/podpolkovnikvvs/sets/72157669401237644)

Saudações

pelas fotos a aeronave parece um passador........ vai ser preciso um balúrdio para remendar as zonas afectadas, bordos de ataque, flutuador, flaps etc.... ficou bem esburacado.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 17, 2016, 09:51:20 pm
E........... terão lá equipamento de placa, por exemplo GPU's e afins para assistirem estas aeronaves ??

Alguma coisa devem ter, pois às vezes aeronaves estrangeiras param lá em transito, por exemplo, aeronaves britânicas para Gibraltar, aeronaves da FAP que vão operar mais a norte como o EH101.

Acho que foram para a BA5, mais para melhor coordenação com os Canadairs e com o pessoal da Protecção Civil, senão tinham que dividir esse pessoal por dois locais.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 18, 2016, 07:48:18 am
Uno dos Beriev de FA rusa, basados en Monte Real, ha sido dañado en la operación de toma de agua al rozar unos árboles:

(https://static.life.ru/posts/2016/08/890942/ac18827daec413374b8e41d5cde80c87__1920x.jpg)

Cargando agua en el Minho:

http://www.lavanguardia.com/vida/20160816/403966842824/avion-amfibio-ruso-galicia-mino.html
Se fosse só esse (vejam as outras que vale a pena)...  ;D :P
(https://external.flis3-1.fna.fbcdn.net/safe_image.php?d=AQCT1mORdXbv04HY&w=487&h=365&url=https%3A%2F%2Fc1.staticflickr.com%2F9%2F8771%2F28718111480_e779fed662_b.jpg)

Citar
https://www.flickr.com/photos/podpolkovnikvvs/sets/72157669401237644 (https://www.flickr.com/photos/podpolkovnikvvs/sets/72157669401237644)

Saudações

pelas fotos a aeronave parece um passador........ vai ser preciso um balúrdio para remendar as zonas afectadas, bordos de ataque, flutuador, flaps etc.... ficou bem esburacado.

Abraços

Em 2006, um, aterrou pior que isso! e so com um motor danificado a trabalhar.
resistentes são.
Desta vez foi uma sorte  se os motores nao  ingeriram  nada

Jesus!! !estou a pensar..... um acidente destes,  se a aeronave fosse de uma EMA ja nao tinhamos avião para 2 anos!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 18, 2016, 10:01:56 pm
 ;D

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Agosto 18, 2016, 11:59:04 pm


E........... terão lá equipamento de placa, por exemplo GPU's e afins para assistirem estas aeronaves ??

Têm concerteza...se têm para Ilyushin 78 e C-17 também têm para os Beriev.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 19, 2016, 12:34:41 am
Em Espanha:


Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 21, 2016, 01:51:49 pm
Excerto da entrevista concedida pelo Ministro da Defesa ao diário Jornal de Notícias onde refere ser inevitável no futuro o regresso da Força Aérea ao combate aos incêndios.

http://www.jn.pt/nacional/videos/interior/e-inevitavel-o-regresso-da-forca-aerea-aos-fogos-5346818.html

Citar
Regresso das Forças Armadas ao combate aos fogos é "inevitável"
21 DE AGOSTO DE 2016
Lusa

Azeredo Lopes explica que será necessário fazer a substituição dos helicópteros

O ministro da Defesa, José Alberto Azeredo Lopes, disse que considera inevitável o regresso da Força Aérea (FAP) ao combate aos incêndios florestais, numa entrevista publicada hoje pelo Jornal de Notícias."A Força Aérea não dispõe, neste momento, de capacidades instaladas para participar ativamente no combate aos incêndios. E essa descontinuação do papel da FAP é já antiga. Mas tenho como inevitável que a FAP venha a ser dotada dessa capacidade e o primeiro-ministro [António Costa] coincide nessa abordagem", afirmou Azeredo Lopes ao diário.

Para o ministro, o regresso da FAP é inevitável porque se está agora num "momento crítico de reequipamento"."Através da Lei de Programação Militar (LPM) ou de outros meios, estamos perante dois desafios categóricos -- mais em relação ao combate aos incêndios", sublinhou. Segundo o ministro, é necessário, em primeiro lugar, fazer a substituição dos helicópteros Alouette III da FAP, que desempenham funções de treinamento para a FAP e a Marinha e que serão descontinuados em 2018."Há uma necessidade imperiosa e que passará, com toda a certeza, pela antecipação da substituição. Tanto mais que o tempo de entrega de um novo helicóptero é no mínimo de 12 meses", avaliou."Uma das características desses helicópteros é poderem ser dotados de meios para combate a incêndios. Ou seja, com um custo suplementar mínimo, dota-se o novo helicóptero de uma capacidade que lhe permitirá matar dois coelhos de uma cajadada. E é esse pensamento estratégico que tenho pena que já não tenha sido validado nos últimos anos", acrescentou. Sobre as estimativas de custos para os aparelhos, Azeredo Lopes afirmou, que "para os helicópteros, há uma estimativa que resulta da LPM: 20 milhões de euros, mais IVA".

Questionado sobre se haveria uma esquadra específica para esta participação no combate aos incêndios, o ministro da Defesa declarou que "não é um modelo organizacional específico"."Há, sim, meios da Força Aérea e esses meios, na gestão da FAP, implicam um patamar de utilização e eficiência muito superiores", comentou. Azeredo Lopes indicou que será preciso "otimizar a utilização dos pilotos", com a devida capacitação e, se for preciso, colocá-los "diretamente no combate aos incêndios". Sobre os custos dessa operação da FAP nos fogos, o ministro disse que serão "custos públicos".

Já a eventual utilização dos helicópteros do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) "é uma questão que pode vir a colocar-se"."Ao contrário do que se pensa, não é revolução nenhuma. As forças armadas já têm um papel importantíssimo nas missões de interessa público, na busca e salvamento, no transporte de doentes [...]", referiu ainda. A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, também já demonstrou o seu apoio à possibilidade de a Força Aérea vir a ter capacidade para fazer o combate a incêndios. No dia 13 de agosto, a ministra sublinhou que será preciso formar os pilotos e também equipar os meios aéreos.

A 14 de agosto, a Força Aérea esclareceu que "não possui meios aéreos que permitam a realização de missões de combate a incêndios", mas admitiu que a capacidade para realização destas missões poderá "vir a materializar-se faseadamente, num futuro próximo".

http://www.dn.pt/portugal/interior/regresso-das-forcas-armadas-ao-combate-aos-fogos-e-inevitavel-5349418.html

Com 20 milhões de euros disponíveis (mais IVA), e caso se queira comprar uma frota mais do que meramente simbólica, terão forçosamente de ser helicópteros monomotores de pequeno porte.  :P
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 21, 2016, 02:20:41 pm
Excerto da entrevista concedida pelo Ministro da Defesa ao diário Jornal de Notícias onde refere ser inevitável no futuro o regresso da Força Aérea ao combate aos incêndios.

(...)

Com 20 milhões de euros disponíveis (mais IVA), e caso se queira comprar uma frota mais do que meramente simbólica, terão forçosamente de ser helicópteros monomotores de pequeno porte.  :P

Conclusão: Vamos ter helicópteros novos, antes mesmo de 2018, para substituír os Alouette, que servirão tb para combater incêndios e que vão custar 20 milhões de euros + IVA. É fazer as contas....

Não conheço o homem por isso não sei se ele está a ser muito inocente nesta questão toda ou se está a atirar areia para os olhos até sair do cargo. Entretanto o PM veio dizer à dias que a questão dos fogos florestais ia voltar a ser debatida em Outubro... (quando já ninguém se lembrar do assunto - escrevo eu).

Seja como for, a questão não é apenas colocar a FAP a combater fogos florestais mas sim também o monopólio na contratação dos meios aéreos. Existindo uma alternativa (FAP) que já tenha bases (meios e um núcleo inicial de pilotos) para depois expandir as suas operações, as empresas deixam de ter a faca e o queijo na mão para andar a combinar preços e a fazer negociatas à vontade.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 22, 2016, 04:53:10 am
Mas ele quer fazer alguem de parvo???
com 20 milhoes que e que ele vai comprar? meia duzia de helis para apagar incendios  com o
baldinho da praia?
 queriam a força aerea no combate aos incendeos? ok agora vamos ficar com os privados com a ema e com a força arrea com uma estrondosa frota de 20 milhoes!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Agosto 22, 2016, 10:02:55 am
Mas ele quer fazer alguem de parvo???
com 20 milhoes que e que ele vai comprar? meia duzia de helis para apagar incendios  com o
baldinho da praia?
 queriam a força aerea no combate aos incendeos? ok agora vamos ficar com os privados com a ema e com a força arrea com uma estrondosa frota de 20 milhoes!

Quem apoiou a criação da EMA não foi o atual 1º Ministro?
Ele pretende comprar (porque se for como o EC635...se demorar muito desistem) algo para substituir o ALIII...quantidade infinitamente reduzida e sim há-de adaptar-lhes o baldinho de praia, como pode fazer atualmente aos do INEM e siga.
Enquanto não pensarem em grande, em frotas de maior capacidade...não saímos da cepa torta...e se algo correr mal podem sempre culpar o elo mais fraco...A Força Aérea e os militares.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 22, 2016, 11:08:31 am
No tal relatório que fala na Força Aérea voltar ao combate aos fogos refere 10 helicopteros ligeiros 6 médios e 2 aviões anfibios, por isso não seriam 30 e tal helicopteros como a ANPC aluga todos os anos.

http://www.tvi24.iol.pt/politica/forca-aerea/incendios-governo-pos-na-gaveta-relatorio-para-mais-meios-aereos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 22, 2016, 11:41:17 am
com 20 milhoes sempre  podem comprar 10 "esquilos"  com capacidade de 1000 litros de agua e transporte de equipas de 6 homens para  o terreno
fazer ATI

depois pronto,  ja sabem,  todos  os grandes  incendeos vai ser culpa da FAP que não os controlou na fase  inicial!

So se ouve falar nos grandes incendeos e todos os dias essas equipas apagam dezenas de ignições na sua fase  inicial! sem o seu trabalho ia ser lindo  ia!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 22, 2016, 12:43:58 pm
A necessidade imperiosa, os tais 12 meses para entrega de um heli novo, mais o orçamento reduzido  que o ministro fala não cheram que vamos ao mercado de usados?

Que  alternativas temos de helis ate 2,5 milhões  a unidade??
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 22, 2016, 02:10:24 pm
Não faço ideia do preço de um heli desses novo, mas se agora não estivessemos com a ideia do combate a fogos, e só falassemos em substituir o Alouette III nas suas funções militares o valor ia ser diferente?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 22, 2016, 02:12:56 pm
A necessidade imperiosa, os tais 12 meses para entrega de um heli novo, mais o orçamento reduzido  que o ministro fala não cheram que vamos ao mercado de usados?

Que  alternativas temos de helis ate 2,5 milhões  a unidade??
Será que o MDN "descobriu" a AMARG?  ;D :P :o ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-YI7wQyhMb84%2FUkR6SKHCS9I%2FAAAAAAAAC4c%2FCo9HGVHBPHM%2Fs1600%2FIMG_3953.JPG&hash=7bac169f1e541950f523fb66d19dd89c)
(https://deanoinamerica.files.wordpress.com/2012/02/davis-monthan-19.jpg)
(https://i.ytimg.com/vi/yfq2RREcqqo/hqdefault.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.airplaneboneyards.com%2Fimages%2Fdavis-monthan%2Fhelicopters-in-storage-davis-monthan-afb-amarg.jpg&hash=8891a35fe219884da45d8704788acfda)

Cumprimentos  ;D ;)

P.S. Já agora e para quem procura preços de helicópteros (e alguém aproveite e mande ao ministro pois por 20 milenas apagar fogos  só virtuais  :D  ):  http://www.aircraftcompare.com/category/helicopters/2 (http://www.aircraftcompare.com/category/helicopters/2)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Agosto 22, 2016, 02:45:02 pm
A necessidade imperiosa, os tais 12 meses para entrega de um heli novo, mais o orçamento reduzido  que o ministro fala não cheram que vamos ao mercado de usados?

Que  alternativas temos de helis ate 2,5 milhões  a unidade??
Será que o MDN "descobriu" a AMARG?  ;D :P :o ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-YI7wQyhMb84%2FUkR6SKHCS9I%2FAAAAAAAAC4c%2FCo9HGVHBPHM%2Fs1600%2FIMG_3953.JPG&hash=7bac169f1e541950f523fb66d19dd89c)
(https://deanoinamerica.files.wordpress.com/2012/02/davis-monthan-19.jpg)
(https://i.ytimg.com/vi/yfq2RREcqqo/hqdefault.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.airplaneboneyards.com%2Fimages%2Fdavis-monthan%2Fhelicopters-in-storage-davis-monthan-afb-amarg.jpg&hash=8891a35fe219884da45d8704788acfda)

Cumprimentos  ;D ;)

P.S. Já agora e para quem procura preços de helicópteros (e alguém aproveite e mande ao ministro pois por 20 milenas apagar fogos  só virtuais  :D  ):  http://www.aircraftcompare.com/category/helicopters/2 (http://www.aircraftcompare.com/category/helicopters/2)

Não metas aqui a lista, senão ainda fazem como eu quando fui comprar o carro para a Maria conduzir :)

Vêem logo que 20 milhões dá para comprar 60 helicópteros Enstrom 280FX Shark, ainda cortam a verba e já com o balde da praia incluído! :)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 22, 2016, 02:56:22 pm
A necessidade imperiosa, os tais 12 meses para entrega de um heli novo, mais o orçamento reduzido  que o ministro fala não cheram que vamos ao mercado de usados?

Que  alternativas temos de helis ate 2,5 milhões  a unidade??
Será que o MDN "descobriu" a AMARG?  ;D :P :o ;)

Cumprimentos  ;D ;)

P.S. Já agora e para quem procura preços de helicópteros (e alguém aproveite e mande ao ministro pois por 20 milenas apagar fogos  só virtuais  :D  ):  http://www.aircraftcompare.com/category/helicopters/2 (http://www.aircraftcompare.com/category/helicopters/2)

Não metas aqui a lista, senão ainda fazem como eu quando fui comprar o carro para a Maria conduzir :)

Vêem logo que 20 milhões dá para comprar 60 helicópteros Enstrom 280FX Shark, ainda cortam a verba e já com o balde da praia incluído! :)
Antes dos "fogos" era exactamente um desses ou equivalente de que se falava. E o "balde da praia" nem dos para os "juniores"  ;D :o 8) :P
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aircraftcompare.com%2Faircraft_images%2F376.jpg&hash=d0b6095e37a6b854a73637d24c4e6760)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aircraftcompare.com%2Faircraft_images%2F548.jpg&hash=be6e66b79ed86ef05105e8e4ae1a8de8)

Saudações

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 22, 2016, 03:28:51 pm
Não brinquem com isto!
qualquer coisa abaixo do EC135 ou do AS 550 que é a versão militar dos nossos esquilos é uma imbecilidade!!
Se tem que ter duplo uso tem que ter no minimo dos minimos capacidade para uma equipa de 6 sapadores florestais e o seu equipamento e capacidade de carga suspença de mais de 1000 litros menos que isso é
um tapar o sol com a peneira. 
É insultar a inteligência dos contribuintes!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 22, 2016, 03:47:50 pm
Não brinquem com isto!
qualquer coisa abaixo do EC135 ou do AS 550 que é a versão militar dos nossos esquilos é uma imbecilidade!!
Se tem que ter duplo uso tem que ter no minimo dos minimos capacidade para uma equipa de 6 sapadores florestais e o seu equipamento e capacidade de carga suspença de mais de 1000 litros menos que isso é
um tapar o sol com a peneira. 
É insultar a inteligência dos contribuintes!
Pois é. Mas se repararem na entrevista o MDN o que diz é "substituto do AL III que faz treino para a FAP e MP". Ora exactamente o que qualquer destas "carangejolas" efectua (alem dos passeios turísticos  ;) ) , depois juntem os "20 milhões mais IVA" e "voila"  ;D :D
 (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fphilip.greenspun.com%2Fimages%2F20030731-oshkosh%2Fschweizer-333.jpg%3F&hash=f5688d327a1744197a38d24360f47673)
O negócio dos meios aéreos no combate aos fogos é muito rentável "para não se gozar com os contribuintes". Não é à toa que bastou falar-se levemente no assunto para as "movimentações" começarem. Nas redes sociais apareceram logo às dezenas a defender o emprego...  ::) 8)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcomps.canstockphoto.com.br%2Fcan-stock-photo_csp12296977.jpg&hash=299211a741b3ef86da3ba25f338b5208)
E já agora, Cl415 ou Fireboss, chapéu. As declarações do MDN não deixam dúvidas...  ??? :-\
(https://bringmethenews.files.wordpress.com/2015/04/fireboss-wildfire-plane.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 22, 2016, 04:20:15 pm
Cuidado com a terceira opção nisto tudo: alugar aeronaves a privados para a FAP e subcontratar a manutenção dos mesmos, ficando a FAP apenas a operar os aparelhos.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 22, 2016, 05:06:27 pm
Pelo preço referido pelo MDN como estando alocado na LPM as opções são de facto algumas, se bem que bastante ligeiras:

http://www.aircraftcompare.com/subcategory/Military-Helicopters/22
http://www.aircraftcompare.com/subcategory/Military-Helicopters/23
http://www.aircraftcompare.com/subcategory/Military-Helicopters/20


Só se optarmos pelo EC120 Colibri (em tempos falado para substituto dos ALIII, depois suplantado na "wishlist" pelo AW109), ou então pelo Écureil/Fennec como fizeram há uns anos os dinamarqueses.  :-\

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.army-technology.com%2Fprojects%2Fas550_fennec%2Fimages%2Fas550fennec_1.jpg&hash=fdfaa85c372e9c281f455b28600e2bff)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Agosto 22, 2016, 11:26:28 pm
Pelo preço referido pelo MDN como estando alocado na LPM as opções são de facto algumas, se bem que bastante ligeiras:

http://www.aircraftcompare.com/subcategory/Military-Helicopters/22
http://www.aircraftcompare.com/subcategory/Military-Helicopters/23
http://www.aircraftcompare.com/subcategory/Military-Helicopters/20


Só se optarmos pelo EC120 Colibri (em tempos falado para substituto dos ALIII, depois suplantado na "wishlist" pelo AW109), ou então pelo Écureil/Fennec como fizeram há uns anos os dinamarqueses.  :-\

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.army-technology.com%2Fprojects%2Fas550_fennec%2Fimages%2Fas550fennec_1.jpg&hash=fdfaa85c372e9c281f455b28600e2bff)

tantas opiniões e esquecem-se de um heli que anda a ser dado.

Bell 206 Jet Ranger

(https://www.aviationsmilitaires.net/media/pictures/Bell_206B_Jet_Ranger_helicopters.jpg)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Agosto 22, 2016, 11:34:43 pm
E os Bell aguentam 50 anos? Estamos a falar de Portugal.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: paraquedista em Agosto 22, 2016, 11:38:21 pm
O que tambem se estao a esquecer e que pagamos 35 ou 37 Milhoes de Euros de indeminizacao pelo cancelamento dos NH90 mas que podem reverter...pelo menos em parte, senao na totalidade...para a aquisicao dos helicopteros se forem Airbus (Eurocopter) ou AgustaWestland ;)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 23, 2016, 11:53:28 am
O que tambem se estao a esquecer e que pagamos 35 ou 37 Milhoes de Euros de indeminizacao pelo cancelamento dos NH90 mas que podem reverter...pelo menos em parte, senao na totalidade...para a aquisicao dos helicopteros se forem Airbus (Eurocopter) ou AgustaWestland ;)

E isso ainda está de pé? É que com os constantes escândalos em torno dos negócios envolvendo aquisições militares, a dado ponto já não se sabe bem a quantas se anda.  ::)


tantas opiniões e esquecem-se de um heli que anda a ser dado.

Bell 206 Jet Ranger

(https://www.aviationsmilitaires.net/media/pictures/Bell_206B_Jet_Ranger_helicopters.jpg)

Se ainda fosse o 407...

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.ainonline.com%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fuploads%2F2013%2F06%2FB407.jpg&hash=cb08d333072c0a415f61beb7df519141)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 23, 2016, 12:10:10 pm
O que tambem se estao a esquecer e que pagamos 35 ou 37 Milhoes de Euros de indeminizacao pelo cancelamento dos NH90 mas que podem reverter...pelo menos em parte, senao na totalidade...para a aquisicao dos helicopteros se forem Airbus (Eurocopter) ou AgustaWestland ;)
Segundo consta a factura total já ultrapassou os 100 milhões...  ::) http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/os-milhoes-que-voaram=f806357 (http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/os-milhoes-que-voaram=f806357)
Citar
Portugal já gastou mais de 120 milhões com helicópteros que nunca receberá. Saiba tudo sobre este tema e conheça a história com 24 anos atribulados
Já agora ninguém acha estranho que nem sequer uns dois Agusta Westland Lynx se tenham adquirido para a Marinha que chega a ter 2 a 3  sem voar, existindo a tal indemnização da reversão do négócio dos nh90?  :P
(https://cdn1.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2015/02/Super-Lynx-Mk951-600x406.jpg)
Ou que será que o valor a indemenizar envolve apenas helicópteros para a UALE?  ;D
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d9/Agusta_A109CM,_Italy_-_Army_JP6942424.jpg)

Saudações

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 23, 2016, 05:11:45 pm
Não sei se isto será (ainda) de facto para acreditar depois de tudo o que se viu durante o período de vigência do Governo anterior.

Citar
TSF - 30 de Junho de 2012

(...) Sobretudo depois da chegada dos helicópteros, o negócio continuaria a piorar com o pagamento de 420 milhões de euros até 2020, 120 milhões a pagar já em 2013. O ministro da Defesa adiantou ainda que «é possível fazer a conversão» dos 50 milhões de euros de indemnização «em outros programas que permitam adquirir outro tipo de equipamentos». (...)

http://www.tsf.pt/portugal/interior/estado-conta-poupar-420-milhoes-com-saida-de-programa-da-nato-2640639.html

"Outro tipo de equipamento" que não o NH90 propriamente dito?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 23, 2016, 07:43:50 pm
Tinha ficado com a ideia de que esse montante só poderia ser empregue na eventual aquisição de helis da Airbus/Eurocpter. A razão porque alguém mencionou a Agusta Westland escapa-me totalmente.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Rvsantinho em Agosto 23, 2016, 07:49:39 pm
Boas

Em Relação a esta situação de a FAP não ter meios de combate a Incêndios eu não penso assim.
O que eu penso é que falta vontade politica neste Pais...

Alouette III é uma solução, enquanto muitos andarem a encher os bolsos com os incêndios isto nunca vai acabar é como uma roda.
As outras soluções EH por exemplo ou para H-130, C-295, Lynx, voltar activar Pumas Etc.
Eu pergunto afinal qual o maior inimigo do povo português que ano após ano ameaça aldeias, mata???

Não digo que não devemos ter uma FAP bem preparada para entrar em Acção nas fronteiras da EU ou em outros teatros onde os nossos Aliados nos necessitam, mas este é o nosso maior inimigo O FOGO!!

Investimentos como estes são mínimos e podem dotar a força aérea de Equipamento necessários ao combate a incêndios, comparando com a compra de helicópteros, que dura e dura a anos....
O investimento de qualificação de pilotos de todas as maneiras se teria que fazer.
Aqui um Exemplo:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.bundesheer.at%2Fpool%2Fimg%2F20130823_164705.jpg&hash=b4127683c40aa5f27bf51c2163366893)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.bundesheer.at%2Fpool%2Fimg%2F20130823_170054.jpg&hash=eee250b718cc96161e09c7973ed9c2a0)

Saudações

Rvsantinho

Um pouco mais de atenção ao português, obrigado
A Moderação
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 23, 2016, 08:21:47 pm
Tinha ficado com a ideia de que esse montante só poderia ser empregue na eventual aquisição de helis da Airbus/Eurocpter. A razão porque alguém mencionou a Agusta Westland escapa-me totalmente.
A nossa compra dos NH-90 foi através da NAHEMA com a NHIndustries, que tem como membros a Airbus, AgustaWestland/Leonardo e a Fokker.

E se a memória não me falha, os nossos NH-90 estavam a ser montados nas instalações da AgustaWestland em Itália.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: OPCOM em Agosto 24, 2016, 11:02:01 am
Boas


O que eu penso é que falta vontade politica neste Pais...

Alouette III é uma solução, enquanto muitos andarem a encher os bolsos com os incêndios isto nunca vai acabar é como uma roda.
As outras soluções EH por exemplo ou para H-130, C-295, Lynx, voltar activar Pumas Etc.

Não me levem a mal, mas que comentario mais absurdo.
C295?????
Lynx (tem noção que além de os 5 Lynx serem organicos das Fragatas, têm já o desgaste que têm? apagar incendios com os Lynx da marinha, bateu tudo o que ja ouvi em relação a este assunto).
Activar os Puma ou usar os Alouette III, com 50 anos e quantos é que ainda voam?
Porque não reactivar os Alouette II ou requesitar os helis da TV, do transito ou aqueles novos que andam a passear turistas no tejo?
Melhor ainda, andam agora uns tipos nos shoppings a vender uns helis telecomandados, pordemos comprar umas duzias destes.

Ou por os airbus da TAP a apagar incendios, enquanto transportam as pessoas e passam por cima de algum incendio.
Isto dizer mal por dizer e achar que é tudo facil. E que a culpa é sempre de alguém estar a encher os bolsos... por tudo e por nada....

Por os Lynx a combater incêndios...... nem sei o que mais diga

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 24, 2016, 12:27:18 pm
Boas


O que eu penso é que falta vontade politica neste Pais...

Alouette III é uma solução, enquanto muitos andarem a encher os bolsos com os incêndios isto nunca vai acabar é como uma roda.
As outras soluções EH por exemplo ou para H-130, C-295, Lynx, voltar activar Pumas Etc.

Não me levem a mal, mas que comentario mais absurdo.
C295?????
Lynx (tem noção que além de os 5 Lynx serem organicos das Fragatas, têm já o desgaste que têm? apagar incendios com os Lynx da marinha, bateu tudo o que ja ouvi em relação a este assunto).
Activar os Puma ou usar os Alouette III, com 50 anos e quantos é que ainda voam?
Porque não reactivar os Alouette II ou requesitar os helis da TV, do transito ou aqueles novos que andam a passear turistas no tejo?
Melhor ainda, andam agora uns tipos nos shoppings a vender uns helis telecomandados, pordemos comprar umas duzias destes.

Ou por os airbus da TAP a apagar incendios, enquanto transportam as pessoas e passam por cima de algum incendio.
Isto dizer mal por dizer e achar que é tudo facil. E que a culpa é sempre de alguém estar a encher os bolsos... por tudo e por nada....

Por os Lynx a combater incêndios...... nem sei o que mais diga

Porque é que é absurdo colocar o C295 a combater os FF, se existem sistemas que são adptados á aeronave para esse fim ???

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F9_-c295-water-bomber_zpsco5pm8pp.jpg&hash=c86cd37981f3a41d6098ae10f99daf83) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/9_-c295-water-bomber_zpsco5pm8pp.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FC295-dropping_zpsed9ffqn0.jpg&hash=97121d96e38a4a0cc5111a22bc99ba27) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/C295-dropping_zpsed9ffqn0.jpg.html)


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FC295-924-gallon-tank_zps0qttvjba.jpg&hash=2e9f24c0376235a8a118032127007170) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/C295-924-gallon-tank_zps0qttvjba.jpg.html)

também é e foi absurdo usar os C para esse fim ?????
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 24, 2016, 12:40:33 pm
A questão dos Puma é também ela uma não questão, por assim dizer. Quer estes antigos helis da FAP, como a grande maioria dos Aviocar, não vão a lado nenhum a não ser para instrução em terra, treino dos OPSAS ou sucata. Há um empresário que espera (e desespera) que a FAP "desmilitarize" dois C-212-100 para poder utilizá-los nos Açores como avião de transporte inter-ilhas e viagens turísticas, mas mais nada há quanto a estas duas frotas.

Com o perdão da palavra, a palhaçada proferida pelo anterior MDN Aguiar-Branco, um autêntico analfabeto no que à Defesa dizia respeito, que tanto os Puma como os Aviocares iam ser vendidos a países terceiros e render alguns milhões jeitosos ao erário público foi só isso mesmo, uma palhaçada. Vendeu-se o par de -300 para o Uruguai, de idade mais recente, mas nem a Guiné-Bissau e o Senegal quiseram ficar com os Puma.

Os nossos muito estimados SA-330S1 podem estar "guardadinhos" em Beja, porém a sua reactivação é algo praticamente fora de questão pelos custos envolvidos, idade e estado das células (sei de histórias de Pumas nos Açores aquando da sua última "reencarnação" que tinham problemas dia sim, dia não da mais variada ordem), e já não existirem tripulações de voo e de terra formadas para os operar. O mais certo é daqui a uns anos, e para grande mágoa de todos, os vermos ser transportados para o DGMFA à espera de serem desmantelados e vendidos aos sucateiros.

Ainda hoje não compreendo porque o Exército os recusou na UALE, numa altura em que a estrutura para os manter ainda existia, e hoje nem drones de brinquedo têm em Tancos. Só posso atribuir isso àquelas estúpidas guerrinhas inter-ramos que também nada de bom nos trazem. Agora uma coisa é certa: seja por necessidades operacionais, para missões de cariz estritamente militar ou de âmbito civil, as Forças Armadas Portuguesas não podem continuar a ter tão poucos meios aéreos de asa rotativa. Doze EH-101, 6 Alouette III e 5(4) Super Lynx, que são como bem foi dito exclusivamente para uso naval, é muito, mas muito pouco.

A crer nas palavras do actual MDN aquando da sua entrevista que os Alouette III serão retirados de serviço em 2018, e caso até lá não tenham começado a chegar os primeiros exemplares do seu substituto, não sei sinceramente como será. Mas sei, isso sim, que tanto a Força Aérea como a Marinha sabem isso melhor que ninguém e não estão parados. Agora a vertente política é como São Tomé, ver para crer.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: night_runner em Agosto 24, 2016, 02:57:46 pm
A fim de evitar surpresas (e desilusões) futuras, espero que os camaradas estejam conscientes de que o retorno da capacidade de combate a incêndios para a FAP tal como ela está hoje será um verdadeiro presente envenenado. Querer fazer mais missões (e logo uma tão exigente como essa) com o mesmo nº de pilotos, de H/V por piloto, com a mesma gestão de frotas que se pratica actualmente, etc.... Não vai ser possível pelo que algo teria de ficar para trás. E não deve ser difícil adivinhar o que seria...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Agosto 25, 2016, 11:20:26 am
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fscontent.flis5-1.fna.fbcdn.net%2Fv%2Ft1.0-9%2F419882_4669877348989_1792022544_n.jpg%3Foh%3D8bfec8f4b94982be1122a3939ae01d54%26amp%3Boe%3D585DD7FF&hash=99d5ed7a81755c236eb33e4432cf7794)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Johnnie em Agosto 25, 2016, 02:59:46 pm
É engraçado, ou melhor, é triste, todos os anos por esta altura este assunto volta á baila e sempre pelas piores razões, mas depois de muito falatório, fica sempre tudo praticamente na mesma...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: OPCOM em Agosto 25, 2016, 03:41:17 pm

Boas


O que eu penso é que falta vontade politica neste Pais...

Alouette III é uma solução, enquanto muitos andarem a encher os bolsos com os incêndios isto nunca vai acabar é como uma roda.
As outras soluções EH por exemplo ou para H-130, C-295, Lynx, voltar activar Pumas Etc.

Não me levem a mal, mas que comentario mais absurdo.
C295?????
Lynx (tem noção que além de os 5 Lynx serem organicos das Fragatas, têm já o desgaste que têm? apagar incendios com os Lynx da marinha, bateu tudo o que ja ouvi em relação a este assunto).
Activar os Puma ou usar os Alouette III, com 50 anos e quantos é que ainda voam?
Porque não reactivar os Alouette II ou requesitar os helis da TV, do transito ou aqueles novos que andam a passear turistas no tejo?
Melhor ainda, andam agora uns tipos nos shoppings a vender uns helis telecomandados, pordemos comprar umas duzias destes.

Ou por os airbus da TAP a apagar incendios, enquanto transportam as pessoas e passam por cima de algum incendio.
Isto dizer mal por dizer e achar que é tudo facil. E que a culpa é sempre de alguém estar a encher os bolsos... por tudo e por nada....

Por os Lynx a combater incêndios...... nem sei o que mais diga

Porque é que é absurdo colocar o C295 a combater os FF, se existem sistemas que são adptados á aeronave para esse fim ???

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F9_-c295-water-bomber_zpsco5pm8pp.jpg&hash=c86cd37981f3a41d6098ae10f99daf83) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/9_-c295-water-bomber_zpsco5pm8pp.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FC295-dropping_zpsed9ffqn0.jpg&hash=97121d96e38a4a0cc5111a22bc99ba27) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/C295-dropping_zpsed9ffqn0.jpg.html)


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FC295-924-gallon-tank_zps0qttvjba.jpg&hash=2e9f24c0376235a8a118032127007170) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/C295-924-gallon-tank_zps0qttvjba.jpg.html)

também é e foi absurdo usar os C para esse fim ?????


Certo?
Um E3 sentry também é na realidade um Boing 707, mas nem todos os Boing 707 podem servir ou ser adaptados como E3.
sabe se os nossos C 295M foram adquiridos a pensar nessa possibilidade? Se os Kits que identificou se adaptam aos nossos C 295M?
Se o desgaste causado face ao numero de aeronaves que temos justificaria este meio? não se esqueça que 2 das aeronaves estão permanentemente no SIFICAP.
Não estou com isto a dizer que não é possivel o C 295M ter esta valencia, pergunto se antes de dizer que tudo faz tudo, se isto é possivel?
Se o aumento de horas de voo e desgaste será comportável, face ao numero de aeronaves que dispomos? se continuariam a cumprir todas as missões que lhe estão sujeitas adicionando esta missão x o numero de aeronaves disponíveis.
Ou disse que é possível só porque sim?
Tal como por Lynx Puma e AL III a apagar incêndios.
Sabe que bem recentemente a FAP tinha menos 100 pilotos do que necessário face as esquadrilhas e missões da sua responsabilidade.
Volto a repetir: menos 100 pilotos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 26, 2016, 09:45:43 am
O caro VSANTINHO de certo deu a sua opinião com boa intenção, mas esta muito mal informado.

Dar à FAP a exclusividade do combate aos incendeos florestais envolveria muito mais de 50 pilotos..... aumentar exponencialmente o numero de horas de voo.........ja nem falo da logistica. 
Não!!  a FAP nos atuais moldes não tem meios
Nem humanos nem materiais.

Al III não é solução, não serve!
ele chegou a ser experimentado
ja viu as capacidades do helicoptero?
capacidade de carga,  autonomia etc, etc, etc
 ja para nao falar na vetusta idade do mesmo. 

PS: Apagar incendeos em Portugal não é a mesma coisa que na França  ou na Alemanha.
Geografia, clima, vegetação, velocidade de propagação.

Eu explico-te um incendeo que se propaga lentamente  que demora uma hora ou mais a percorrer 100 metros  tu ate o podes combater , com um ramo de giesta a bater. um AL III  ate dava uma ajudinha com os seus 500 litros de agua! andar a bater com a giesta cansa!
O que se passa em portugal é que nós temos incendeos cada vez mais intensos  e com uma velocidade de propagação verdadeiramente estonteante! percorre quilometros  numa hora
nesse caso meu caro amigo não ha c130  ou boing 747 que o apague! é uma inutilidade,  um desperdīcio de meios e de dinheiro!
Os meios aereos  perante esta realidade a maior parte do tempo andam a protejer casas,  uma a uma!

Por isso o lema tem que ser
Limpar! Limpar Limpar!!!!
 
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 26, 2016, 10:14:07 am
Seja Maffs ou qualquer outro sistema a usar por aviões e helicópteros (no caso da FAP a adquirir futuramente, pois os actuais têm idade avançada, mal dão para as missões actuais e evidentemente precisam do já citado reforço de meios humanos e treino específico, referido quer pela Força Aérea quer pelos políticos, sendo que uma frota específica com por exemplo Cl415/Fireboss parece estar fora de hipótese).  ;)   
http://www.fs.fed.us/fire/aviation/airplanes/maffs.HTML (http://www.fs.fed.us/fire/aviation/airplanes/maffs.HTML)
Citar
Modular Airborne Fire Fighting Systems (MAFFS)

    
The U.S. Forest Service contracts with private companies to provide airtankers to drop fire retardant as part of wildfire suppression efforts.  But during periods of high wildfire activity, often, there aren’t enough contracted airtankers to meet demands.  That’s where Modular Airborne Fire Fighting Systems (MAFFS) come in.

MAFFS are portable fire retardant delivery systems that can be inserted into military C-130 aircraft without major structural modifications to convert them into airtankers when needed.

The MAFFS program, created by Congress in the early 1970s, is a joint effort between the U.S. Forest Service and Department of Defense (DoD).  The U.S. Forest Service owns the MAFFS equipment and supplies the retardant, while the DoD provides the C-130 H and J model aircraft, flight crews, and maintenance and support personnel to fly the missions.

There are a total of 8 MAFFS ready for operational use.  The C-130s to fly MAFFS missions are provided by the

153rd Airlift Wing, Wyoming Air National Guard, Cheyenne
145th Airlift Wing, North Carolina Air National Guard, Charlotte
146th Airlift Wing, California Air National Guard, Port Hueneme and the
302nd Airlift Wing, Air Force Reserve, Peterson Air Force Base, Colorado
MAFFS are important because they provide a “surge” capability that can be used to boost wildfire suppression efforts when commercial airtankers are fully committed or not readily available.  They can discharge their entire load of up to 3,000 gallons of retardant in less than five seconds, covering an area one-quarter of a mile long by 100 feet wide, or make variable drops.  Once the load is discharged, it can be refilled in less than 12 minutes. 
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.146aw.ang.af.mil%2Fshared%2Fmedia%2Fphotodb%2Fphotos%2F2016%2F05%2F160503-Z-QY689-008.jpg&hash=b5ed0a91bb76067c0f198b71834fec06)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmedia.defense.gov%2F2015%2FJan%2F21%2F2001004862%2F-1%2F-1%2F0%2F100510-A-YG824-033.JPG&hash=cb5f59c0349ea451cf8ff14f0bf47e51)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fl7.alamy.com%2Fzooms%2F2ec0cdba25d6411ebf2d39254c9d8b3b%2Fa-marine-ch-53-sea-stallion-uses-a-bambi-bucket-to-carry-water-to-dh59na.jpg&hash=7ee8bed80e8ef7b6d09bf9fa3a523d87)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navair.navy.mil%2Fimg%2Fuploads%2Fbambi_bucket.JPG&hash=5a07ac12fc5f5e9912a872378993e75a)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 26, 2016, 11:24:04 am

Boas


O que eu penso é que falta vontade politica neste Pais...

Alouette III é uma solução, enquanto muitos andarem a encher os bolsos com os incêndios isto nunca vai acabar é como uma roda.
As outras soluções EH por exemplo ou para H-130, C-295, Lynx, voltar activar Pumas Etc.

Não me levem a mal, mas que comentario mais absurdo.
C295?????
Lynx (tem noção que além de os 5 Lynx serem organicos das Fragatas, têm já o desgaste que têm? apagar incendios com os Lynx da marinha, bateu tudo o que ja ouvi em relação a este assunto).
Activar os Puma ou usar os Alouette III, com 50 anos e quantos é que ainda voam?
Porque não reactivar os Alouette II ou requesitar os helis da TV, do transito ou aqueles novos que andam a passear turistas no tejo?
Melhor ainda, andam agora uns tipos nos shoppings a vender uns helis telecomandados, pordemos comprar umas duzias destes.

Ou por os airbus da TAP a apagar incendios, enquanto transportam as pessoas e passam por cima de algum incendio.
Isto dizer mal por dizer e achar que é tudo facil. E que a culpa é sempre de alguém estar a encher os bolsos... por tudo e por nada....

Por os Lynx a combater incêndios...... nem sei o que mais diga

Porque é que é absurdo colocar o C295 a combater os FF, se existem sistemas que são adptados á aeronave para esse fim ???

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F9_-c295-water-bomber_zpsco5pm8pp.jpg&hash=c86cd37981f3a41d6098ae10f99daf83) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/9_-c295-water-bomber_zpsco5pm8pp.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FC295-dropping_zpsed9ffqn0.jpg&hash=97121d96e38a4a0cc5111a22bc99ba27) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/C295-dropping_zpsed9ffqn0.jpg.html)


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FC295-924-gallon-tank_zps0qttvjba.jpg&hash=2e9f24c0376235a8a118032127007170) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/C295-924-gallon-tank_zps0qttvjba.jpg.html)

também é e foi absurdo usar os C para esse fim ?????


Certo?
Um E3 sentry também é na realidade um Boing 707, mas nem todos os Boing 707 podem servir ou ser adaptados como E3.
sabe se os nossos C 295M foram adquiridos a pensar nessa possibilidade? Se os Kits que identificou se adaptam aos nossos C 295M?
Se o desgaste causado face ao numero de aeronaves que temos justificaria este meio? não se esqueça que 2 das aeronaves estão permanentemente no SIFICAP.
Não estou com isto a dizer que não é possivel o C 295M ter esta valencia, pergunto se antes de dizer que tudo faz tudo, se isto é possivel?
Se o aumento de horas de voo e desgaste será comportável, face ao numero de aeronaves que dispomos? se continuariam a cumprir todas as missões que lhe estão sujeitas adicionando esta missão x o numero de aeronaves disponíveis.
Ou disse que é possível só porque sim?
Tal como por Lynx Puma e AL III a apagar incêndios.
Sabe que bem recentemente a FAP tinha menos 100 pilotos do que necessário face as esquadrilhas e missões da sua responsabilidade.
Volto a repetir: menos 100 pilotos.

Opcom, vou repetir o que escrevi :
Porque é que é absurdo colocar o C295 a combater os FF, se existem sistemas que são adptados á aeronave para esse fim ???
também é e foi absurdo usar os C para esse fim ?????

Nem mencionei o estado da FAP no que concerne aos meios Humanos e materiais, ou não estará implícito que a haver combate aos FF pela FAP haja aumento de efectivos, tripulações para as aeronaves dedicadas a esse combate ??
Nem valia a pena referir, como não o fiz, quando há especialistas que sabem bem o estado dos efectivos dos respectivos Ramos das FFAA, limito-me a guardar que a info chegue aos leigos como eu.
Agora para que aconteça tal reforço de meios humanos, bem sabemos que não depende da FAP mas sim do poder político.

O sr refere que : Um E3 sentry também é na realidade um Boeing 707, mas nem todos os Boeing 707 podem servir ou ser adaptados como E3. comparando com o que disse sobre a capacidade do C295 combater os FF com sistemas que podem ser adaptados á aeronave, o que tem a bota a ver com a perdigota ????
Não atingi, de certeza que não foi sobre nada do que escrevi, mas deve ser defeito meu .

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 27, 2016, 09:48:26 pm
Alguem tem acesso ao jornal ou ao artigo online?

Portugal rejeita ajuda da UE  de 50 milhoes para comprar avioes

http://leitor.expresso.pt/#library/expresso/semanario2287/expresso-2287/sociedade/portugal-recusou-50-milhoes-da-ue-para-compra-de-avioes (http://leitor.expresso.pt/#library/expresso/semanario2287/expresso-2287/sociedade/portugal-recusou-50-milhoes-da-ue-para-compra-de-avioes)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 28, 2016, 03:13:59 pm
Alguem tem acesso ao jornal ou ao artigo online?

Portugal rejeita ajuda da UE  de 50 milhoes para comprar avioes

http://leitor.expresso.pt/#library/expresso/semanario2287/expresso-2287/sociedade/portugal-recusou-50-milhoes-da-ue-para-compra-de-avioes (http://leitor.expresso.pt/#library/expresso/semanario2287/expresso-2287/sociedade/portugal-recusou-50-milhoes-da-ue-para-compra-de-avioes)
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-28-Portugal-recusou-50-milhoes-da-UE-para-compra-de-avioes (http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-28-Portugal-recusou-50-milhoes-da-UE-para-compra-de-avioes)
Citar
Governo alega altos custos de manutenção para fazer borregar a operação ‘low cost’

JOANA NUNES MATEUS

PAULO PAIXÃO

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) não aceitou a disponibilidade dos fundos europeus do Portugal 2020 para a compra de dois aviões pesados anfíbios de combate a incêndios com um “desconto” que podia chegar aos 85%.

O convite esteve aberto até 29 de fevereiro de 2016, mas a ANPC optou por não apresentar qualquer candidatura. Em causa estavam €50 milhões, a fundo perdido, para comparticipar, até 85%, a compra das duas aeronaves.

A decisão do atual Governo causou estranheza na ‘máquina’ que trata dos fundos comunitários, até porque não foi nada fácil, durante o anterior Executivo, convencer a Comissão Europeia a aceitar desembolsar dinheiro para Portugal adquirir aviões.
Ao que o Expresso apurou, Bruxelas evita subsidiar meios de transporte e, no âmbito das negociações do Portugal 2020, Lisboa teve de justificar quão decisivo era este investimento.

Portugal “é o único país do sul da Europa que ainda não dispõe deste tipo de meios”, ficando “dependente do mercado internacional de locação durante a época mais crítica de combate a incêndios florestais, mercado esse cada vez mais exíguo e oneroso”, lê-se no convite do Portugal 2020 que a ANPC recusou.

ALUGAR EM VEZ DE COMPRAR
O gabinete do secretário de Estado da Administração Interna (SEAI), Jorge Gomes, explicou ao Expresso as razões da recusa: “Não basta comprar os aviões. É preciso garantir a operação e manutenção, os voos de treino, os salários dos pilotos e mecânicos, a substituição de peças e os combustíveis, entre outros aspetos”.
O Governo está agora a reavaliar a questão: “A sustentabilidade da operação e manutenção dos meios deve ser um fator decisivo na decisão de aquisição. É essa avaliação que, com transparência e rigor, iremos realizar”.

Segundo o SEAI, atualmente, no período crítico de incêndios florestais, Portugal aluga dois aviões pesados anfíbios, que atuam em parelha. Para garantir a plena operacionalidade desses dois meios (ou seja, para acautelar as paragens para manutenções ou reparações), a empresa fornecedora tem três aviões em permanência. O Estado paga anualmente pela disponibilidade, manutenção e operação destes meios €4,7 milhões. Sem mais despesas ou custos de investimento.

Para o membro do Governo, comprar sai mais caro do que alugar. Primeiro, a aquisição de três aeronaves idênticas às usadas atualmente teria um custo aproximado para o Estado de €140 milhões. Depois, os encargos com a manutenção de dois aviões pesados anfíbios, para um ciclo de vida de 25 anos, foram estimados em €15 milhões.

Além disso, os €50 milhões davam apenas para comprar um avião e não dois. Quando o atual Governo iniciou funções, tomou conhecimento de que o modelo de avião previsto (Canadair) foi descontinuado pelo fabricante, que encerrou a linha de produção. Esse facto limitou, desde logo, a elaboração do estudo económico e financeiro (análise custo-benefício da operação), obrigatório em candidaturas deste montante.

João Almeida, secretário de Estado da Administração Interna do Executivo PSD/CDS, membro do Governo que se empenhou para que Bruxelas abrisse os cordões à bolsa para a compra de aviões pesados, mostrou-se prudente, quando instado a comentar a situação.

“Não conheço a decisão”, disse o deputado do CDS, justificando assim ausência de qualquer juízo sobre a opção do Governo socialista. O ex-secretário de Estado acrescenta desconhecer também qualquer resultado da “análise custo-benefício” da operação, em vias de ser iniciada quando cessou funções governativas. Por outro lado, João Almeida ressalva que a compra dos dois aviões se “enquadrava num projeto mais vasto, em que a Força Aérea participaria no combate aos fogos a partir de 2018”.

Abandonada a compra dos Canadair, o SEAI quer agora inverter as prioridades do Portugal 2020 no que respeita ao combate a incêndios. Jorge Gomes acusa o anterior Governo de ter destinado €50 milhões para meios aéreos e apenas €7 milhões para o restante investimento na proteção civil: “Durante seis anos, não haveria fundos comunitários para requalificar o parque automóvel das forças que integram o dispositivo operacional de combate aos incêndios. Não haveria dinheiro para equipamentos de proteção individual, nem para a reabilitação de quartéis de bombeiros e de outras infraestruturas de proteção e socorro”.

UMA RARA UNANIMIDADE
O deputado CDS salienta, no entanto, que “todos os outros países mediterrânicos [com condições climáticas idênticas às de Portugal] possuem aeronaves com este perfil”. João Almeida acrescenta que a iniciativa do Governo de que fez parte surgiu “na sequência dos relatório de um grupo de trabalho da Assembleia da República que definiu a compra dos aviões pesados como uma prioridade. E a deliberação do Parlamento acabou por ser aprovada por unanimidade”, sublinha.

Com efeito, em 2014, o Parlamento, na sequência das conclusões do grupo de trabalho para o acompanhamento da problemática dos incêndios florestais, recomendou ao Governo para “avaliar a possibilidade de aquisição por parte do Estado de aviões pesados anfíbios (Canadair) recorrendo a fundos comunitários”.

Afinal, ao contrário da solidez política do processo no Parlamento, aos olhos do Governo a engenharia financeira é incapaz de suportar a compra de aviões pesados.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fexpresso%2F2016-08-26-fogo%2Foriginal%2Fmw-860&hash=34d6753492b3cbaf322e8f365d7e9cd6)
Citar
RUI DUARTE SILVA

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 28, 2016, 05:38:32 pm
Desde quando a Bombardier descontinuou o fabrico dos 415? Mais uma vez desculpas da treta como no caso do Siroco. Mas segundo os dados do artigo e recorrendo a umas rápidas contas de merceeiro:

2 aeronaves: 140 milhões
Comparticipação UE: 50 milhões
Custo: 90 milhões
Manutenção a 25 anos: 15 milhões
Contas de merceeiro: 140 - 50 + 15 = 105 milhões
Custo anual a 25 anos: 105 : 25 = 4,2 milhões
Custo aluguer anual: 4,7 milhões
4,2 < 4,7
Que vão todos mamar um grande das caldas! Peço desculpa pelo vernáculo, mas isto é de mais!
 
 
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 28, 2016, 06:04:35 pm
Desde quando a Bombardier descontinuou o fabrico dos 415? Mais uma vez desculpas da treta como no caso do Siroco. Mas segundo os dados do artigo e recorrendo a umas rápidas contas de merceeiro:

2 aeronaves: 140 milhões
Comparticipação UE: 50 milhões
Custo: 90 milhões
Manutenção a 25 anos: 15 milhões
Contas de merceeiro: 140 - 50 + 15 = 105 milhões
Custo anual a 25 anos: 105 : 25 = 4,2 milhões
Custo aluguer anual: 4,7 milhões
4,2 < 4,7
Que vão todos mamar um grande das caldas! Peço desculpa pelo vernáculo, mas isto é de mais!
 
 

Com que então os CL415 já não são fabricados ?????
Muito bom mesmo, além de incompetentes e ignorantes, também são aldrabões de primeiríssima qualidade, é que não há um sequer dos que habitam o Nosso Parlamento, que se diga benza-te DEUS, não valem um tostão furado !!!!!!!
Desculpas para quê, são artistas Portugueses, esses que sabem fazer contas e não de merceeiro, para os respectivos bolsos e dos capangas, e assim esses meninos do Coiro e especialistas da treta, nos vão mandando areia para os olhos essa cambada de incompetentes, energúmenos e chulécozitos da trampa....que não valem nada de nada, não prestam para nada, até foste muito simpático NVF !!!!!
Temos que os pôr a trabalhar nas limpezas das matas, para amortizarem os custos dos alugueres das aeronaves dos combates aos FF !!!!

Abraços
Título: Sr Deputados olhem que os CL415 ainda se fabricam
Enviado por: tenente em Agosto 28, 2016, 06:22:57 pm
Caros Deputados da Assembleia Nacional,

É com muito agrado que lhes comunico que a Bombardier ainda fabrica a excelente aeronave média de combate a incêndios CL415.

http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-28-Portugal-recusou-50-milhoes-da-UE-para-compra-de-avioes

Mais informo V.Exas que a versão CL415MP seria a indicada a ser adquirida pelo nosso País pois, a dita versão, que segundo alguns de vós afirma já não é fabricada, pode ser convertida para SAR e patrulha marítima, podendo também, á semelhança do que acontece com as Nações que nos auxiliam, com meios aéreos nos FF, ser alugadas a terceiros e assim podermos amortizar os custos de aquisição.
deixo-vos o link da Bombardier, a tal empresa que não produz o CL415.

http://www.bombardier.com/en/aerospace.html

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150922_zpshqr1e6lb.jpg&hash=d762ba3987b7abc13f822c16e17699f0) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150922_zpshqr1e6lb.jpg.html)
Uma foto de um CL215 em Lisboa

Sempre ao dispor para qualquer esclarecimento e desde já informo que não possuo quaisquer interesses na referida companhia.

Melhores Cumprimentos

JLMM AKA tenente
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: miguelbud em Agosto 28, 2016, 07:06:06 pm
Lembro-me que quando o anterior governo falou na aquisiçao das aeronaves foi de 2 a Espanha, nomeadamente 2 CL 215.

Nao terao sido estas que foram descontinuadas?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 28, 2016, 09:32:42 pm
Os 215 já foram descontinuados há uns 20 anos. A desculpa utilizada deve ser baseada nesta notícia de 2015, em que se anuncia o encerramento de uma fábrica onde onde se efectuava a montagem final das aeronaves:

http://www.theglobeandmail.com/report-on-business/bombardier-halts-super-scooper-aircraft-production-in-north-bay/article26816813/ (http://www.theglobeandmail.com/report-on-business/bombardier-halts-super-scooper-aircraft-production-in-north-bay/article26816813/)

Mas segundo a própria notícia:

Citar
Bombardier built two of the fire-fighting aircraft this year but has failed to win any new orders for the plane in several months. A third plane is nearing completion and will be delivered by year-end, Ms. Gauthier said. Bombardier will continue trying to sell the 415 aircraft and build them in Montreal as warranted, she said. A team of about 60 customer-support people will remain in place to respond to any issues for existing operators.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 29, 2016, 12:13:45 am
Acho que a lógica é a seguinte, eu preciso de me deslocar do ponto A para o ponto B, e o melhor meio é o carro, preciso de comprar um carro, perder tempo a saber que carro se enquadra melhor nas minhas necessidades e no valor que posso pagar por ele, ter que pagar o seguro, pagar a inspecção, levar o carro à oficina (da marca) fazer revisões e manutenção, como também não tenho carta vou ter que gastar dinheiro e tempo a tirar a carta, é pá é mais rápido e sem chatices, ir de taxi todos os dias ;D.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 29, 2016, 03:05:16 pm
Citar
Para o membro do Governo, comprar sai mais caro do que alugar. Primeiro, a aquisição de três aeronaves idênticas às usadas atualmente teria um custo aproximado para o Estado de €140 milhões...
Um aparelho que por norma custa à volta de 36 milhões de euros, tem agora um custo unitário inflacionado para 46,6 milhões de euros por cada Cl-415 (mais 10,6 milhões de euros por aparelho)? Além da Formação, contratos de manutenção de motores e fornecimento de peças, Já inclui as "normais comissões", presumo ?  ::) ;D :D :P
Citar
Bombardier 415
Price - Current Price $ 37 million U.S.*
Most Proven Amphibious Aircraft at a Price The Bombardier 415 MP...

Manufactured from -
1994 - Present

http://www.aircraftcompare.com/helicopter-airplane/Bombardier-415/87 (http://www.aircraftcompare.com/helicopter-airplane/Bombardier-415/87)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aircraftcompare.com%2Faircraft_images%2F844.jpg&hash=d678dbb71dd51ea8f412c202e6aa7377)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aircraftcompare.com%2Faircraft_images%2F847.jpg&hash=44625664f915bddbe4e2c74921d45a80)

 Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 29, 2016, 04:13:52 pm
Parece que, há cerca de dois meses, a Bombardier vendeu os direitos dos 215 e 415 a uma outra companhia canadiana.

http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program (http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program)

Citar
Viking Air Limited Acquires Worldwide CL-415 Water Bomber Program from Bombardier
Jun 20, 2016
Continues Canadian Heritage of an iconic Canadian-designed aircraft
World's leading firefighting aircraft to be supported and serviced from Calgary


Victoria, British Columbia, June 20th, 2016: Viking Air Limited ("Viking"), a global leader of utility aircraft, support and services and manufacturer of the world-renowned Twin Otter, today announced the acquisition of the worldwide amphibious aircraft program from Bombardier (TSX: BBD.A) (TSX: BBD.B) (OTCQX: BDRBF). The amphibious aircraft program includes the Bombardier CL-415 water bomber and its variants, as well as the earlier CL-215 and CL-215T versions. The Bombardier 415 is the aviation industry's benchmark amphibious aircraft and the backbone of firefighting missions around the globe. Designed and built in Canada with a heritage that dates back almost 50 years, it is the only western aircraft purpose-built for firefighting.

The transaction will see Viking acquire the Type Certificates (manufacturing rights) for all variants of Bombardier's amphibious aircraft, and assume responsibility for product support, parts and service for the fleet of some 170 water bombers in service with 21 operations in 11 countries around the world. This follows Viking's successful model of acquiring, supporting and sustaining utility aircraft programs, including manufacturing the world-renowned Twin Otter Series 400 aircraft. Viking will support the worldwide amphibious aircraft program from a newly acquired and specially repurposed 50,000 square foot facility in Calgary. Terms of the transaction were not disclosed.

"This acquisition expands Viking's capabilities in product support and parts into another vital niche aviation segment, and ensures that a unique and important Canadian innovation stays in Canada," said David Curtis, President and Chief Executive Officer of Viking. "We are proud to add another iconic Canadian aircraft program to Viking's stable - our aim is to take the 415 to its highest potential and keep these aircraft in service for decades to come. This transaction builds on our presence in British Columbia and Alberta and expands on the existing strengths of the western Canadian aerospace industry. At the same time, we will continue to rely on an extensive supply chain in Quebec and Ontario to support both the amphibious aircraft and Twin Otter programs."

Today, Viking employs approximately 88 people in Calgary and more than 330 at its headquarters and facilities in Victoria. With this new program Viking expects to add up to 40 people to its workforce in Victoria and Calgary.

Viking's new facility located near Calgary International Airport (CYYC) is in addition to the company's existing 70,000 square foot facility at CYYC. Viking's existing facilities in Calgary will be repurposed to accommodate existing Twin Otter activities, as well as the addition of the amphibious aircraft program.

Western Canada is today home to a number of Canadian aerospace companies and Viking is proud to support and participate in the growth of the industry in the region. Viking sells its products and services internationally, making an important contribution to Canadian exports and contributing Canadian innovation to the world.

The Bombardier 415 Amphibious Water Bomber

The world-renowned Bombardier 415 water bomber is a key part of Canada's rich aerospace heritage. The amphibious water bomber was originally developed by Canadair in the 1960s, and has its origins in flying boats used in World War II. The original version, the CL-215, had its maiden flight in 1967 and went into production in 1969. The aircraft was later advanced by Bombardier into the 415 which was introduced in 1994.

Recognized as the best aerial firefighting aircraft in the world, the Bombardier 415 - also known as the SuperScooper - needs only 12 seconds to scoop its 6,137-litre load while skimming at high speed over water. The aircraft is a key strategic asset for government and community firefighting efforts in Canada and around the world. While primarily a firefighting aircraft, these have multi-mission capabilities, including for uses like maritime patrol, and search and rescue.

The Bombardier 415 is a dependable aircraft, capable of remaining in service for decades with proper maintenance and support. As with Viking's successful business supporting, servicing, and manufacturing the Twin Otter and other utility aircraft, there is a long-term opportunity to manufacture parts and provide ongoing support to the in-service fleet.

Viking is part of the portfolio of a prominent Canadian family office investment firm which maintains a long-term investment horizon and is one of the leading investors in the Canadian aviation industry.

Additional Background

Viking's acquisition of the amphibious aircraft program from Bombardier builds on a long history between the two companies. Viking's collaborative relationship with Bombardier began with spare parts manufacturing for the Beaver and Otter aircraft, growing until Viking became a key supplier of structural sheet metal parts and assemblies for the Twin Otter as well. Bombardier's Customer Service Centre for out-of-production de Havilland aircraft was transferred to Viking in 2005, allowing Viking to work directly with operators for supply of new parts and technical support, and in 2006 Viking acquired the Type Certificates (manufacturing rights) from Bombardier for the Twin Otter and all out-of-production de Havilland aircraft. In 2007, Viking brought the Twin Otter Series 400 into production. Viking has booked sales of more than 150 new aircraft, and its 100th aircraft is scheduled for delivery in July 2016.

The acquisition of the amphibious aircraft program is subject to customary regulatory approval by Transport Canada and the Competition Bureau.

Viking's legal advisor is Davies Ward Phillips & Vineberg LLP. Viking was also advised by KPMG, which provided transaction and financial advice.

About Viking:

Headquartered in Victoria, BC, Viking is the global leader of utility aircraft, support and services, and manufacturer of the world-renowned Twin Otter. Incorporated in 1970, Viking initially focused on flying boats before developing a repair and modification business in 1983 when de Havilland Inc. selected Viking as its exclusive spare part manufacturer and distributor for the de Havilland DHC-2 Mk I Beaver, Mk III Turbo Beaver, and DHC-3 Single Otter aircraft. This transformation culminated in 2006, when Viking acquired the Original Type Certificates (manufacturing rights) for all out-of-production de Havilland aircraft from the DHC-1 Chipmunk through the DASH-7 50 passenger STOL regional airliner.

In 2007 Viking launched the Twin Otter Series 400 production program, and to date over 150 new aircraft have been sold to 29 countries worldwide. With a current production rate averaging one new aircraft delivered every 15 business days, the Twin Otter Series 400 is the best-selling next generation 19-passenger aircraft available today.
- See more at: http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program#sthash.Fag89Dm8.dpuf

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 29, 2016, 04:31:33 pm
Mais informação relacionada com a venda dos direitos dos CL2-215/415 à Viking.

Agora se houvesse gente inteligente à frente deste país, as OGMA teriam feito esta aquisição (recomprava-se as OGMA à Embraer se fosse preciso), construíam-se cá uns quantos aparelhos para a FAP, ou para a Administração Interna e passávamos a ter o exclusivo da manutenção destes aparelhos a nível mundial, mais as eventuais encomendas de novos aparelhos. Mas gente inteligente à frente dos destinos de Portugal é algo inexistente para aí desde D. João II.
 
https://www.flightglobal.com/news/articles/farnborough-vikings-plans-for-the-cl-415-426939/ (https://www.flightglobal.com/news/articles/farnborough-vikings-plans-for-the-cl-415-426939/)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 29, 2016, 06:16:30 pm
Parece que, há cerca de dois meses, a Bombardier vendeu os direitos dos 215 e 415 a uma outra companhia canadiana.

http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program (http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program)

Citar
Viking Air Limited Acquires Worldwide CL-415 Water Bomber Program from Bombardier
Jun 20, 2016
Continues Canadian Heritage of an iconic Canadian-designed aircraft
World's leading firefighting aircraft to be supported and serviced from Calgary


Victoria, British Columbia, June 20th, 2016: Viking Air Limited ("Viking"), a global leader of utility aircraft, support and services and manufacturer of the world-renowned Twin Otter, today announced the acquisition of the worldwide amphibious aircraft program from Bombardier (TSX: BBD.A) (TSX: BBD.B) (OTCQX: BDRBF). The amphibious aircraft program includes the Bombardier CL-415 water bomber and its variants, as well as the earlier CL-215 and CL-215T versions. The Bombardier 415 is the aviation industry's benchmark amphibious aircraft and the backbone of firefighting missions around the globe. Designed and built in Canada with a heritage that dates back almost 50 years, it is the only western aircraft purpose-built for firefighting.

The transaction will see Viking acquire the Type Certificates (manufacturing rights) for all variants of Bombardier's amphibious aircraft, and assume responsibility for product support, parts and service for the fleet of some 170 water bombers in service with 21 operations in 11 countries around the world. This follows Viking's successful model of acquiring, supporting and sustaining utility aircraft programs, including manufacturing the world-renowned Twin Otter Series 400 aircraft. Viking will support the worldwide amphibious aircraft program from a newly acquired and specially repurposed 50,000 square foot facility in Calgary. Terms of the transaction were not disclosed.

"This acquisition expands Viking's capabilities in product support and parts into another vital niche aviation segment, and ensures that a unique and important Canadian innovation stays in Canada," said David Curtis, President and Chief Executive Officer of Viking. "We are proud to add another iconic Canadian aircraft program to Viking's stable - our aim is to take the 415 to its highest potential and keep these aircraft in service for decades to come. This transaction builds on our presence in British Columbia and Alberta and expands on the existing strengths of the western Canadian aerospace industry. At the same time, we will continue to rely on an extensive supply chain in Quebec and Ontario to support both the amphibious aircraft and Twin Otter programs."

Today, Viking employs approximately 88 people in Calgary and more than 330 at its headquarters and facilities in Victoria. With this new program Viking expects to add up to 40 people to its workforce in Victoria and Calgary.

Viking's new facility located near Calgary International Airport (CYYC) is in addition to the company's existing 70,000 square foot facility at CYYC. Viking's existing facilities in Calgary will be repurposed to accommodate existing Twin Otter activities, as well as the addition of the amphibious aircraft program.

Western Canada is today home to a number of Canadian aerospace companies and Viking is proud to support and participate in the growth of the industry in the region. Viking sells its products and services internationally, making an important contribution to Canadian exports and contributing Canadian innovation to the world.

The Bombardier 415 Amphibious Water Bomber

The world-renowned Bombardier 415 water bomber is a key part of Canada's rich aerospace heritage. The amphibious water bomber was originally developed by Canadair in the 1960s, and has its origins in flying boats used in World War II. The original version, the CL-215, had its maiden flight in 1967 and went into production in 1969. The aircraft was later advanced by Bombardier into the 415 which was introduced in 1994.

Recognized as the best aerial firefighting aircraft in the world, the Bombardier 415 - also known as the SuperScooper - needs only 12 seconds to scoop its 6,137-litre load while skimming at high speed over water. The aircraft is a key strategic asset for government and community firefighting efforts in Canada and around the world. While primarily a firefighting aircraft, these have multi-mission capabilities, including for uses like maritime patrol, and search and rescue.

The Bombardier 415 is a dependable aircraft, capable of remaining in service for decades with proper maintenance and support. As with Viking's successful business supporting, servicing, and manufacturing the Twin Otter and other utility aircraft, there is a long-term opportunity to manufacture parts and provide ongoing support to the in-service fleet.

Viking is part of the portfolio of a prominent Canadian family office investment firm which maintains a long-term investment horizon and is one of the leading investors in the Canadian aviation industry.

Additional Background

Viking's acquisition of the amphibious aircraft program from Bombardier builds on a long history between the two companies. Viking's collaborative relationship with Bombardier began with spare parts manufacturing for the Beaver and Otter aircraft, growing until Viking became a key supplier of structural sheet metal parts and assemblies for the Twin Otter as well. Bombardier's Customer Service Centre for out-of-production de Havilland aircraft was transferred to Viking in 2005, allowing Viking to work directly with operators for supply of new parts and technical support, and in 2006 Viking acquired the Type Certificates (manufacturing rights) from Bombardier for the Twin Otter and all out-of-production de Havilland aircraft. In 2007, Viking brought the Twin Otter Series 400 into production. Viking has booked sales of more than 150 new aircraft, and its 100th aircraft is scheduled for delivery in July 2016.

The acquisition of the amphibious aircraft program is subject to customary regulatory approval by Transport Canada and the Competition Bureau.

Viking's legal advisor is Davies Ward Phillips & Vineberg LLP. Viking was also advised by KPMG, which provided transaction and financial advice.

About Viking:

Headquartered in Victoria, BC, Viking is the global leader of utility aircraft, support and services, and manufacturer of the world-renowned Twin Otter. Incorporated in 1970, Viking initially focused on flying boats before developing a repair and modification business in 1983 when de Havilland Inc. selected Viking as its exclusive spare part manufacturer and distributor for the de Havilland DHC-2 Mk I Beaver, Mk III Turbo Beaver, and DHC-3 Single Otter aircraft. This transformation culminated in 2006, when Viking acquired the Original Type Certificates (manufacturing rights) for all out-of-production de Havilland aircraft from the DHC-1 Chipmunk through the DASH-7 50 passenger STOL regional airliner.

In 2007 Viking launched the Twin Otter Series 400 production program, and to date over 150 new aircraft have been sold to 29 countries worldwide. With a current production rate averaging one new aircraft delivered every 15 business days, the Twin Otter Series 400 is the best-selling next generation 19-passenger aircraft available today.
- See more at: http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program#sthash.Fag89Dm8.dpuf


Antecipaste-te eu ia postar esse post sobre o CL415, para esfregar a noticia a alguns iluminados dos nossos políticos e especialistas de pacotilha, obrigado.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 29, 2016, 06:19:59 pm
Mais informação relacionada com a venda dos direitos dos CL2-215/415 à Viking.

Agora se houvesse gente inteligente à frente deste país, as OGMA teriam feito esta aquisição (recomprava-se as OGMA à Embraer se fosse preciso), construíam-se cá uns quantos aparelhos para a FAP, ou para a Administração Interna e passávamos a ter o exclusivo da manutenção destes aparelhos a nível mundial, mais as eventuais encomendas de novos aparelhos. Mas gente inteligente à frente dos destinos de Portugal é algo inexistente para aí desde D. João II.
 
https://www.flightglobal.com/news/articles/farnborough-vikings-plans-for-the-cl-415-426939/ (https://www.flightglobal.com/news/articles/farnborough-vikings-plans-for-the-cl-415-426939/)

Ninguém pensa e actua desse modo, e se as OGMA, tem capacidade para tal e muito mais, mas o que os (ir)responsáveis querem é abotoar-se aos dinheiros do erário público, deveríamos ter feito o mesmo com os pandur e até adquirir o VCI(l) Ulano para reequipar a nossa infantaria blindada/mec mas é melhor andarmos a esbanjar o pouco pilim que temos em alugueres e aquisições de Merda !!!!!
Haja dinheiro, CARAGO !!!!

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 29, 2016, 06:58:08 pm
Já agora: http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/29-08-2016/forca-aerea-no-combate-a-incendios-peticao-ja-tem-assinaturas (http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/29-08-2016/forca-aerea-no-combate-a-incendios-peticao-ja-tem-assinaturas)

Citar
Força Aérea no combate a incêndios: petição já tem 32 mil assinaturas

Petição, que vai dar entrada na Assembleia da República, surge no rescaldo dos incêndios que assolaram Portugal no mês de agosto
2016-08-29 11:49   Redação / CF

Uma petição pública com quase 32.000 assinaturas vai ser entregue no Parlamento, na terça-feira, defendendo que a Força Aérea Portuguesa (FAP) volte a dispor de meios para combater incêndios, informou o promotor da iniciativa.

“Sempre achei estranho, desde os meus tempos de adolescente, este ramo das Forças Armadas não estar envolvido no combate aos incêndios, como estão as outras forças aéreas de Espanha, Grécia, Croácia e Marrocos”, disse à Lusa Jorge Pereira, autor da petição “Queremos a nossa Força Aérea Portuguesa novamente no combate aos incêndios!”.

A petição pública, que hoje registava na internet 31.853 subscritores, vai ser entregue no dia 30 de agosto a um dos vice-presidentes da Assembleia da República, Jorge Lacão (PS).

“Foi muito difícil conseguir assinaturas para um tema quase desconhecido da população portuguesa”, admitiu Jorge Pereira, 49 anos, que nas últimas semanas viu aumentar de apenas 9.000 adesões à petição para as três dezenas de milhares.

No documento, o desempregado, residente em Odivelas, recorda que “a FAP chegou mesmo a operar o C-130 Hércules com o sistema MAFFS [Modular Airborne Fire-Fighting System, na sigla em inglês], de combate a incêndios”, nos anos de 1980 e 1990.

Além do desejo de a FAP voltar “a combater diretamente o flagelo dos incêndios”, a petição acrescenta que o país “não pode nem deve dar-se ao luxo de não envolver de forma mais direta tão importante instituição ao serviço de Portugal”.

“Temos cá a Força Aérea Real de Marrocos e a Força Aérea de Espanha, que estão a operar os aviões Canadair”, apontou Jorge Pereira.

O cidadão considerou que, “se não existem meios, é porque estão a descapitalizar a Força Aérea e porque foram investir fundos” noutras áreas que podiam servir para este tipo de missão.

“A Força Aérea é o sítio certo para estar o combate aos incêndios, porque têm know how, têm bases aéreas, têm pilotos. Se eles neste momento não estão preparados deem-lhes os meios que eles vão estar”, defendeu.

O promotor da petição reconheceu que a FAP “precisa de quatro a cinco anos para pôr um sistema viável a funcionar” e notou que “é preciso escolher um meio aéreo que seja polivalente”.

O problema dos incêndios “não se resolve só com o meio aéreo”, concedeu Jorge Pereira, que procura contribuir para o debate, “uma vez que se está a investir em meios de empresas privadas, se criou a Empresa de Meios Aéreos e se utilizaram os ‘kits’ MAFFS”.

Para já, quer a ministra da Administração Interna, quer o ministro da Defesa, admitiram avaliar um maior envolvimento da FAP no combate aos incêndios florestais.

Em comunicado, a FAP esclareceu que, a partir de 1982, operou os MAFFS na frota C-130H Hércules, “equipamento que permitia adaptar aquelas aeronaves à realização de missões de combate direto (largada de água) e indireto (largada de calda retardante) a incêndios”.

“Porém, fruto da reorganização de meios de combate a incêndios, sob a tutela da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), esse sistema foi descontinuado há cerca de 20 anos e, atualmente, é inexistente”, explica a FAP.

Na mesma nota, de 14 de agosto, acrescenta-se que “a capacidade para realização de missões de combate direto a incêndios, que implica, naturalmente, a qualificação de tripulações e de pessoal de manutenção, para além da definição do respetivo conceito de operações, poderá, no entanto, vir a materializar-se faseadamente, num futuro próximo”.

Uma alteração que poderá acontecer “no âmbito dos vários projetos de reequipamento em curso, designadamente, ao nível da substituição do C-130H Hércules e da renovação da frota de helicópteros ligeiros”, lê-se no documento.

A petição só pretende “contribuir para a discussão” de uma solução para um flagelo que afeta o país, reiterou Jorge Pereira, que quer também entregá-la ao Presidente da República e ao Governo.

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 30, 2016, 12:23:01 pm
Citar
Para já, quer a ministra da Administração Interna, quer o ministro da Defesa, admitiram avaliar um maior envolvimento da FAP no combate aos incêndios florestais.

Esta frase da peça anterior resume tudo. Mais um pouco e supostamente deverão começar as chuvas de Outono e tudo será varrido para debaixo do tapete até à próxima Primavera...  ::)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 30, 2016, 02:26:47 pm
Já tem uns anos mas não deixa de ser interessante: http://www.areamilitar.net/analise/analise.aspx?NrMateria=18 (http://www.areamilitar.net/analise/analise.aspx?NrMateria=18)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.areamilitar.net%2Fanalise%2Fimages%255CTO_Be200Cl415.jpg&hash=2f0940d0dc7d1d3052d2cdabb1b48250)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aircraftinformation.info%2FImages%2FBe-200_03.jpg&hash=3bcaa07440b850c4ebb01f5354a54387)
(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/b3/9c/b1/b39cb1c201b394b86fc728e75f7e53a9.jpg)
(https://thaimilitaryandasianregion.files.wordpress.com/2015/11/be-200-microcutaway.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seawings.co.uk%2Fimages%2FCut-Away%2520Drawings%2FCanadairCL-415cutaway.jpg&hash=4d1b62f5a3ded60c0b9eb53572c7e425)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Menacho em Agosto 31, 2016, 11:57:42 am
Caros amigos, aunque es una noticia de la FA espanhola, la pongo aquí para que vean las magníficas capacidades y el rendimiento de este avión:

Citar
Tras 37 años de servicio un hidroavión del Grupo 43 supera las 10,000 horas de vuelo


El UD.13-17, con indicativo radio Foca 17A, ha cumplido 10.000 horas de vuelo durante un vuelo de instrucción. Es el primer avión del 43 Grupo de Fuerzas Aéreas en superar este hito.
Fabricado en 1979, hace 37 años, se dio de alta en el Ejército del Aire en julio de ese año como modelo CL215-1A10, y motores de pistón (Pratt & Whitney R-2800 Double Wasp).
En noviembre de 1990, con mas de 4.000 horas de vuelo, fue enviado a las instalaciones de Bombardier (Canadair Group) para su remotorización y modernización integral.

(https://3.bp.blogspot.com/-sjScuE7JAng/V8FnAJgbniI/AAAAAAAAOMg/CnqADPUgacE8bBDdpicQd51o6azVJoVFgCK4B/s400/612BB704279A56B2C125801A00398163T00.jpg)

En junio de 1992 fue devuelto al Ejército del Aire reconvertido en la versión CL-215-6B11, también conocido como CL-215 T, montando dos motores turbo hélice Pratt & Whitney 123AF.
Desde entonces ha pasado 19 veces por la Maestranza Aérea de Albacete para la realización de sus inspecciones periódicas.
El día en el que ha cumplido las 10.000 horas llevaba más de 5.000 aterrizajes y más de 150.000 toneladas de agua lanzadas sobre las llamas.

Imagínensé los incendios que habrá apagado sus 150.000 toneladas de agua lanzadas!!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 31, 2016, 12:44:03 pm
Caros amigos, aunque es una noticia de la FA espanhola, la pongo aquí para que vean las magníficas capacidades y el rendimiento de este avión:

Citar
Tras 37 años de servicio un hidroavión del Grupo 43 supera las 10,000 horas de vuelo


El UD.13-17, con indicativo radio Foca 17A, ha cumplido 10.000 horas de vuelo durante un vuelo de instrucción. Es el primer avión del 43 Grupo de Fuerzas Aéreas en superar este hito.
Fabricado en 1979, hace 37 años, se dio de alta en el Ejército del Aire en julio de ese año como modelo CL215-1A10, y motores de pistón (Pratt & Whitney R-2800 Double Wasp).
En noviembre de 1990, con mas de 4.000 horas de vuelo, fue enviado a las instalaciones de Bombardier (Canadair Group) para su remotorización y modernización integral.

(https://3.bp.blogspot.com/-sjScuE7JAng/V8FnAJgbniI/AAAAAAAAOMg/CnqADPUgacE8bBDdpicQd51o6azVJoVFgCK4B/s400/612BB704279A56B2C125801A00398163T00.jpg)

En junio de 1992 fue devuelto al Ejército del Aire reconvertido en la versión CL-215-6B11, también conocido como CL-215 T, montando dos motores turbo hélice Pratt & Whitney 123AF.
Desde entonces ha pasado 19 veces por la Maestranza Aérea de Albacete para la realización de sus inspecciones periódicas.
El día en el que ha cumplido las 10.000 horas llevaba más de 5.000 aterrizajes y más de 150.000 toneladas de agua lanzadas sobre las llamas.

Imagínensé los incendios que habrá apagado sus 150.000 toneladas de agua lanzadas!!

Menacho, conheço bem a aeronave e tive muitos relatos das tripulações Portuguesas, da defunta Aerocondor de Tires, que eram destacadas para operarem um ou dois acfts durante a época dos FF. Invariavelmente a opinião dos utilizadores era unanime, O ACFT É ALTAMENTE MANOBRAVEL, EXTREMAMENTE FIÁVEL, E COM EXCELENTES CAPACIDADES DE CARGA/PAYLOAD, alguém RESPONSÁVEL, precisa de melhor contributo para tomar uma decisão quanto ao que escolher, do que as opiniões das tripulações/mnt  ??????

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150927_zps05krqqg8.jpg&hash=ebab938e37a8b08a00cd785b6f69f13c) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150927_zps05krqqg8.jpg.html)

É melhor continuarmos a alugar e, quando não temos meios aéreos, suficientes como este e, anos anteriores, pedinchar a outrém, revelando incompetência ano após ano, que adquirir meios próprios de Combate aos FF, pois desse modo, há mais hipóteses de meter algum, PILIM, nos bolsos, e lá vamos lesando o ESTADO, leia-se todos os Portugueses com desperdício de dinheiros públicos, que deveriam ser gastos em Hospitais, Escolas, creches, lares, Forças de segurança etc, etc !!!!!

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FP1150924_zps2qlcv73n.jpg&hash=48c3c4f31db66384bf94c08811ac8571) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/P1150924_zps2qlcv73n.jpg.html)

Muito bem fizeram vocês quando adquiriram os CL215T/415 para o combate aéreo aos FF, tiro-vos o meu chapéu, pois foi uma decisão extremamente acertada, mas para os nossos decisores só deverá ser uma boa aeronave quando as vossas chegarem aos 50 anos, é como os Navios na nossa MdG, só mesmo para rir !!!

Grande Saludo
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: OPCOM em Setembro 01, 2016, 05:47:36 pm
Mais informação relacionada com a venda dos direitos dos CL2-215/415 à Viking.

Agora se houvesse gente inteligente à frente deste país, as OGMA teriam feito esta aquisição (recomprava-se as OGMA à Embraer se fosse preciso), construíam-se cá uns quantos aparelhos para a FAP, ou para a Administração Interna e passávamos a ter o exclusivo da manutenção destes aparelhos a nível mundial, mais as eventuais encomendas de novos aparelhos. Mas gente inteligente à frente dos destinos de Portugal é algo inexistente para aí desde D. João II.
 
https://www.flightglobal.com/news/articles/farnborough-vikings-plans-for-the-cl-415-426939/ (https://www.flightglobal.com/news/articles/farnborough-vikings-plans-for-the-cl-415-426939/)

Ninguém pensa e actua desse modo, e se as OGMA, tem capacidade para tal e muito mais, mas o que os (ir)responsáveis querem é abotoar-se aos dinheiros do erário público, deveríamos ter feito o mesmo com os pandur e até adquirir o VCI(l) Ulano para reequipar a nossa infantaria blindada/mec mas é melhor andarmos a esbanjar o pouco pilim que temos em alugueres e aquisições de Merda !!!!!
Haja dinheiro, CARAGO !!!!

Abraços

Comprar Ulan, recomprar as Ogma (grande prova de confiança para os possíveis investidores no nosso país no futuro: quando tiver mau voces compram depois quando estiver bom nós compramos de novo).
Comprar os Canadair (por alguma razão a Bombardier alienou os modelos em questão).
E pronto ficamos todos ricos..... isto tem alguma logica?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Setembro 01, 2016, 05:59:59 pm
Mais informação relacionada com a venda dos direitos dos CL2-215/415 à Viking.

Agora se houvesse gente inteligente à frente deste país, as OGMA teriam feito esta aquisição (recomprava-se as OGMA à Embraer se fosse preciso), construíam-se cá uns quantos aparelhos para a FAP, ou para a Administração Interna e passávamos a ter o exclusivo da manutenção destes aparelhos a nível mundial, mais as eventuais encomendas de novos aparelhos. Mas gente inteligente à frente dos destinos de Portugal é algo inexistente para aí desde D. João II.
 
https://www.flightglobal.com/news/articles/farnborough-vikings-plans-for-the-cl-415-426939/ (https://www.flightglobal.com/news/articles/farnborough-vikings-plans-for-the-cl-415-426939/)

Ninguém pensa e actua desse modo, e se as OGMA, tem capacidade para tal e muito mais, mas o que os (ir)responsáveis querem é abotoar-se aos dinheiros do erário público, deveríamos ter feito o mesmo com os pandur e até adquirir o VCI(l) Ulano para reequipar a nossa infantaria blindada/mec mas é melhor andarmos a esbanjar o pouco pilim que temos em alugueres e aquisições de Merda !!!!!
Haja dinheiro, CARAGO !!!!

Abraços

Comprar Ulan, recomprar as Ogma (grande prova de confiança para os possíveis investidores no nosso país no futuro: quando tiver mau voces compram depois quando estiver bom nós compramos de novo).
Comprar os Canadair (por alguma razão a Bombardier alienou os modelos em questão).
E pronto ficamos todos ricos..... isto tem alguma logica?

Eu diria que não é necessário comprar as OGMA para ter os direitos de construção e manutenção de Canadairs.

Sempre vi com maus olhos, o estado ter empresas de áreas não essenciais, não faz sentido algum, o estado utilizar os meus impostos para pagar 50 mil euros a um piloto da TAP ou ter  empresas que construam navios ou aviões ou até mesmo preservativos. O estado serve exclusivamente para prestar os serviços, ditos essenciais, como é a área da educação, saúde e protecção. As restantes áreas deixem nas para o privado.

Voltando ao tema não faltam aí aeronaves com capacidade para realizar missões de cariz militar e civil e pelas minhas contas o dinheiro que já demos a privados para combater incêndios daria para ter um frota de aviões com essa capacidade.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 03, 2016, 07:25:13 pm
Este debate parece-se muito com as Universidades de Verão organizadas pelos diversos partidos na silly season (em que há que "fazer" notícias faz à escassez das mesmas).  8) ::) É sempre igual e independente de agora até ser moda convidar oradores dos outros partidos com alguma diferença ideológica no sentido de dar a ideia de algum discurso contrário e maior abertura às ideias diferentes, o formato e o teor basicamente nunca muda. E na silly season seguinte, volta a repetir-se praticamente sem mudanças quase sempre com os mesmo intervenientes e assuntos, pois as notícias são poucas...  :D ;D

Saudações
Título: Meios aéreos no combate a incêndios florestais
Enviado por: Get_It em Setembro 05, 2016, 07:46:42 pm
Meios aéreos no combate a incêndios florestais
(5 de Setembro de 2016)
Citação de: António Seabra, Miguel Machado / Operacional
Este ano, infelizmente um dos mais fustigados pela tragédia dos incêndios florestais (IF), a discussão na praça pública estendeu-se, de uma forma mais contundente, à questão do regresso da Força Aérea ao combate aos mesmos, tornando-se rapidamente num tópico de relevo quer na agenda política, como na agenda mediática. Contudo, esta discussão, acalorada como as chamas, foi por diversas vezes inquinada com mitos e falsidades, cujas motivações só podemos atribuir a interesses instalados ou ao desconhecimento do enquadramento da questão. Importa, por isso, e com serenidade, fazer um ponto de situação sobre o assunto, em múltiplas vertentes, para uma melhor abordagem ao tema: é unicamente o que nos move com este modesto contributo.

Quem assina esta introdução e o artigo que agora publicamos é António Seabra, Coronel Técnico de Operações de Detecção e Conduta de Intercepção da Força Aérea Portuguesa na situação de Reserva, desligado do serviço, que a nosso pedido, porque sabíamos dos seus conhecimentos nesta área e do seu descomprometimento pessoal com as envolventes a esta temática. Estamos perante um importante contributo para o conhecimento de muitas particularidades dos meios aéreos no combate a incêndios, que habitualmente não estão disponíveis na imprensa generalista, algumas “esquecidas” pelos protagonistas que têm vindo a público. António Seabra faz perguntas às quais quase e nunca se vêm respostas, recorda números, investimentos, originalidades nacionais – como a Empresa de Meios Aéreos –  escreve porque sabe do que fala. Sendo oficial da Força Aérea, não está neste trabalho, como facilmente se verá da sua leitura, a defender esta ou outra qualquer instituição onde tenha trabalhado, como a Protecção Civil. Está a dar a sua opinião, informada, documentada, sobre o tema e levanta possibilidades que podem (deviam!) ser seguidas em nome do interesse nacional.

[continua] (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Fonte: http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/ (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Título: Re: Meios aéreos no combate a incêndios florestais
Enviado por: mafets em Setembro 05, 2016, 10:42:48 pm
Meios aéreos no combate a incêndios florestais
(5 de Setembro de 2016)
Citação de: António Seabra, Miguel Machado / Operacional
Este ano, infelizmente um dos mais fustigados pela tragédia dos incêndios florestais (IF), a discussão na praça pública estendeu-se, de uma forma mais contundente, à questão do regresso da Força Aérea ao combate aos mesmos, tornando-se rapidamente num tópico de relevo quer na agenda política, como na agenda mediática. Contudo, esta discussão, acalorada como as chamas, foi por diversas vezes inquinada com mitos e falsidades, cujas motivações só podemos atribuir a interesses instalados ou ao desconhecimento do enquadramento da questão. Importa, por isso, e com serenidade, fazer um ponto de situação sobre o assunto, em múltiplas vertentes, para uma melhor abordagem ao tema: é unicamente o que nos move com este modesto contributo.

Quem assina esta introdução e o artigo que agora publicamos é António Seabra, Coronel Técnico de Operações de Detecção e Conduta de Intercepção da Força Aérea Portuguesa na situação de Reserva, desligado do serviço, que a nosso pedido, porque sabíamos dos seus conhecimentos nesta área e do seu descomprometimento pessoal com as envolventes a esta temática. Estamos perante um importante contributo para o conhecimento de muitas particularidades dos meios aéreos no combate a incêndios, que habitualmente não estão disponíveis na imprensa generalista, algumas “esquecidas” pelos protagonistas que têm vindo a público. António Seabra faz perguntas às quais quase e nunca se vêm respostas, recorda números, investimentos, originalidades nacionais – como a Empresa de Meios Aéreos –  escreve porque sabe do que fala. Sendo oficial da Força Aérea, não está neste trabalho, como facilmente se verá da sua leitura, a defender esta ou outra qualquer instituição onde tenha trabalhado, como a Protecção Civil. Está a dar a sua opinião, informada, documentada, sobre o tema e levanta possibilidades que podem (deviam!) ser seguidas em nome do interesse nacional.

[continua] (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Fonte: http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-/ (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Atenção ao seguinte: Os meios aéreos não actuam exclusivamente de dia. Recentemente publiquei uma noticia que dava conta da conversão dos Kamov Ka32 da Força Aérea Koreana para combater incêndios à noite: http://www.helis.com/database/model/1030/?filc=KR (http://www.helis.com/database/model/1030/?filc=KR)
Citar
First Civil Kamov Ka-32 NVG Modification, 04-Feb-16 : Texas-based REBTECH announced approval by the Korean Office of Civil Aviation (KOCA) for a night vision (NVG) modification to Russian made KA-32 helicopter to perform night fire suppression operations
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Frostec.ru%2Fcontent%2Ffiles%2Fka-32.jpg&hash=5e940f369403db8d18b92442fd85f6bc)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.justhelicopters.com%2FPortals%2F5%2F2016PressReleases_Jan_June%2FRebtech.JPG&hash=cf680b07655f28e87e2c0c346726c0bd)
Relativamente aos MAFFS nos EUA tinha a ideia dos Serviços Florestais americanos protocolarem com a USAF, já que o sistema é apenas usado quando não existem mais meios privados disponíveis aos contratados originalmente pelo USFS, e pelo facto dos MAFFS serem do US Forest Service. Aliás a USAF fornece os aparelhos, tripulações e manutenção.
Citar
The U.S. Forest Service contracts with private companies to provide airtankers to drop fire retardant as part of wildfire suppression efforts.  But during periods of high wildfire activity, often, there aren’t enough contracted airtankers to meet demands.  That’s where Modular Airborne Fire Fighting Systems (MAFFS) come in.

MAFFS are portable fire retardant delivery systems that can be inserted into military C-130 aircraft without major structural modifications to convert them into airtankers when needed.

The MAFFS program, created by Congress in the early 1970s, is a joint effort between the U.S. Forest Service and Department of Defense (DoD).  The U.S. Forest Service owns the MAFFS equipment and supplies the retardant, while the DoD provides the C-130 H and J model aircraft, flight crews, and maintenance and support personnel to fly the missions.

There are a total of 8 MAFFS ready for operational use.

MAFFS are important because they provide a “surge” capability that can be used to boost wildfire suppression efforts when commercial airtankers are fully committed or not readily available.  They can discharge their entire load of up to 3,000 gallons of retardant in less than five seconds, covering an area one-quarter of a mile long by 100 feet wide, or make variable drops.  Once the load is discharged, it can be refilled in less than 12 minutes.

http://www.fs.fed.us/fire/aviation/airplanes/maffs.HTML (http://www.fs.fed.us/fire/aviation/airplanes/maffs.HTML)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 07, 2016, 10:15:00 am
Por aqui percebe-se o porque de não ser a FAP (ou outra entidade como a UALE ou GNR) a operar os meios aéreos de combate a fogos florestais do estado: http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/2016-09-06-Negocio-dos-Kamov-custou-348-milhoes-de-euros-e-uma-cabeca (http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/2016-09-06-Negocio-dos-Kamov-custou-348-milhoes-de-euros-e-uma-cabeca)
Citar
Foi uma das decisões mais polémicas de Miguel Macedo enquanto comandou os destinos da Administração Interna: com o argumento da poupança, o então ministro decidiu extinguir a Empresa de Meios Aéreos (EMA), a empresa de capitais públicos responsável pela gestão e operação de seis Kamov e três helicópteros ligeiros. Consequentemente, houve um novo concurso público e a operação e manutenção das aeronaves passou para uma empresa privada comprada pelo empresário Domingos Névoa, a Everjets. No tempo da extinta EMA, a parte da manutenção estava a cargo de outra empresa: a Heliportugal.

Só que a nova empresa responsável por operar e manter os helicópteros concluiu que aqueles meios não estavam em condições de voar. Os problemas começaram aqui. Uma auditoria conjunta entre a Everjets e a ANPC detetou mais de 200 desconformidades: como a VISÃO relatou em Abril, havia falhas de segurança resolvidas com remendos, paus ou fita-cola. Nalguns casos, foram mesmo relatadas “falhas graves de manutenção”.

Consequentemente, depois de pagar mais de 67,2 milhões de euros pela manutenção dos helicópteros, e de investir cerca de 20 milhões de euros em peças (extracontrato de manutenção), o Estado foi obrigado a gastar mais 2,7 milhões de euros na reparação de helicópteros para que nem todos estivessem parados na época de incêndios.

Em abril deste ano, por exemplo, dos seis Kamov do Estado, só três estavam operacionais. Recuperar outros dois tinha um custo extra de 8 milhões de euros.

Ninguém obrigou a Heliportugal a pagar as reparações. E a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) assinou um documento, dando a garantia de que, dado o mau estado das aeronaves, a Everjets também não teria penalidades. A fatura foi toda directamente para o Estado. Com que fundamentos? Em Abril, a VISÃO colocou essa questão à ANPC, que adiou respostas por estar em curso um inquérito, entretanto aberto pela Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI).

Em Junho de 2015, a ANPC anunciou que apenas um dos cinco helicópteros do Estado estava operacional e não dava garantias de que outras aeronaves estivessem disponíveis para combater os incêndios desse ano, porque duas pediam “intervenções mais profundas”

A situação, dizia a ANPC, explicava-se por durante o processo de transferência dos Kamov, iniciado em Março, terem sido detetadas “não conformidades graves no estado das aeronaves” que ditaram “a impossibilidade de os helicópteros estarem em plenas condições de serem operados”.

A ministra da Administração Interna não gostou do que ouviu e determinou à IGAI a abertura de um inquérito, devido à “gravidade de tais factos” e as suas consequências “em termos financeiros”. Uns meses depois, suspeitas de corrupção na contratação de meios aéreos, entre outros crimes, levaram uma equipa da Polícia Judiciária e do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa a uma série de buscas. Um dos alvos foi a sede da Proteção-Civil.

Nunca se percebeu se a ANPC, entidade responsável pela aeronavegabilidade quando a manutenção estava nas mãos da Heliportugal, tinha ou não conhecimento dos defeitos nas aeronaves, se alertou para esses defeitos e se exigiu reparações para que pudessem estar aptos a voar. E se tinha conhecimento porque razão não informou a tutela e permitiu que se avançasse um novo concurso público.

Agora, mais de um ano depois da abertura do inquérito, as conclusões do relatório da IGAI - classificado de reservado pelo MAI e já enviado ao Ministério Público - tiveram consequências imediatas: o major-general Francisco Grave Pereira, presidente da ANPC, apresentou a demissão.

Segundo avançou o Público, o relatório concluiu que a Proteção Civil não terá acautelado os interesses do Estado no processo de transferência dos Kamov. Mais: teria violado gravemente o seu dever de zelo, razão pela qual o seu presidente deveria ser alvo de um processo disciplinar. Ao que a VISÃO apurou, o relatório não se concentra apenas na transferência das competências de uma empresa para outra. Há também indicação de terem sido cometidas falhas no processo de extinção da EMA.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fvisao%2F2016-04-06-Kamov.jpg%2Foriginal%2Fmw-860&hash=e1e885ee1e946de4ad0b126f1897676e)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Setembro 09, 2016, 06:50:21 pm
Isto é válido para o tópico?  8)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Rvsantinho em Setembro 10, 2016, 11:15:42 am
Bom Dia

Peço desculpas pelo meu Português no meu ultimo post.
Por favor encontrem aqui uma reportagem acerca do combate a incêndios pela Força Aérea Portuguesa no Sexta as 9 da RTP1.

http://www.rtp.pt/noticias/pais/pilotos-militares-em-lucrativa-actividade-de-combate-aos-fogos-florestais_v946231 (http://www.rtp.pt/noticias/pais/pilotos-militares-em-lucrativa-actividade-de-combate-aos-fogos-florestais_v946231)

Cumprimentos e a todos um bom fim de semana

Rvsantinho
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 10, 2016, 02:50:39 pm
Nada de novo. Já alguém (ou mais que uma pessoa) tinha colocado aqui ou no outro tópico um post sobre o envolvimento dos pilotos militares no combate aos incêndios nas empresas privadas e que portanto também não iriam querer a FAP no combate aos incêndios.

Devo dizer que estou surpreendido pelo número avançado de pilotos militares no activo ser menor do que pensava.
Portanto, a Marinha teve a lata de autorizar aqueles pilotos a trabalharem no privado durante as férias quando pelos vistos é ilegal. A FAP decidiu olhar para o lado porque lhes dá jeito ter os pilotos a fazer horas de voo durante as férias e também dá jeito aos amigos deles. E o Exército andou a gastar dinheiro público a formar pilotos para as empresas privadas. São três pilotos do Exército que estão no activo; e os restantes?

Não consigo é decidir qual é a verdadeira pérola nessa reportagem: o dono da sucata a passar-se da cabeça por causa da equipa de reportagem ter ido lá falar com ele; se o Secretário a dar aquele resposta de treta; ou se o antigo piloto da FAP - agora da Everjets - a mandar f0d3r os pilotos privados e a dizer que eles tivessem ido para a FAP para estarem bem na vida. Será que é o equivalente dos boys das juventudes partidárias gabarem-se de terem seguido uma vida na política?

Esperemos que este assunto não seja esquecido e que se acabe de vez com estas negociatas e estes esquemas.

Cumprimentos,

Bom Dia

Peço desculpas pelo meu Português no meu ultimo post.
Por favor encontrem aqui uma reportagem acerca do combate a incêndios pela Força Aérea Portuguesa no Sexta as 9 da RTP1.

http://www.rtp.pt/noticias/pais/pilotos-militares-em-lucrativa-actividade-de-combate-aos-fogos-florestais_v946231 (http://www.rtp.pt/noticias/pais/pilotos-militares-em-lucrativa-actividade-de-combate-aos-fogos-florestais_v946231)

Cumprimentos e a todos um bom fim de semana

Rvsantinho
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Setembro 10, 2016, 04:56:08 pm
Em breve iremos saber que alguns desses pilotos militares são também responsáveis por atear alguns fogos.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Setembro 10, 2016, 05:28:32 pm
Mas pensavam o que? Que a corrupção em Portugal era prática exclusiva dos partidos políticos?

A existência dos fogos florestais interessa a muita gente. Muita gente bem colocada em instituições governamentais.

Infelizmente a instituição militar em Portugal é uma das mais fortemente minadas pela corrupção. Desde a compra de equipamento a empresas de militares na reserva, armas de guerra que desaparecem dos quartéis sem vir à tona um único responsável que seja, pilotos de Aluettes bebados em serviço e a usar as aeronaves para fins próprios... É uma bandalheira autentica, não há já qualquer tipo de brio ou orgulho, é simplesmente uma competição para ver quem chupa mais o estado.

Triste no meio disto tudo, é quem trabalha 40 anos a ganhar o salário mínimo ou pouco mais que isso, e depois se calhar no verão ainda tem a casa ardida num incêndio ateado às ordens de quem lhe fica com os impostos.
Pobre de quem realmente trabalha neste país...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 11, 2016, 03:14:48 pm
A instituição militar reflecte o pais que temos. E nem é mais nem menos que o restante Portugal. Existe corrupção e negócios como existe em qualquer CM ou SM, incompetência como no Partido Politico A e B e escolhas com base em critérios que nada têm a ver com a capacidade ou mérito, como nos média estatais ou no Hospital xpto. Agora se uma força tem x indivíduos as "maletas" são proporcionais ao seu tamanho e tendo em questão que outros serviços têm muita mais gente, certamente a incompetência e a corrupção será maior, independentemente de desde à algum tempo atrás estar na moda "bater nos militares" por dá cá aquela palha.  ::)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F09%2Fdiapositivo1.jpg&hash=13c2c45eb967febd3207d7b878cccf5e)   
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F09%2Fdiapositivo2.jpg&hash=c601e202c2107852b71c818a337b711c)   
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F09%2Fdiapositivo-3.jpg&hash=80163b19a5f3f1ed66b9b5dbaee403b0)
Basta verificar que militares são à volta de 36 000 enquanto que por exemplo docentes são 151 000 e assistentes operacionais são 141 000. Certamente que a maioria não são preguiçosos, corruptos, lambe-botas, incapazes, etc, existido em qualquer lado os maus e bons trabalhadores, sérios e que honram a camisola em vez de só "chuparem" o estado (que diga-se de passagem muitas vezes se mete a jeito para ser chupado). E estou à vontade para o dizer pois nem tão pouco sou funcionário público.  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-z7tYEvLzbMk%2FUNGYLk_Fa8I%2FAAAAAAAAlMI%2F7Uy-weNsCbI%2Fs640%2FFuncion%25C3%25A1rios%2BPublicos%2B-%2Bo%2Bque%2Bfazem.JPG&hash=c6f61241d6fd1b2f337968be22ae5763) 
Já agora, existe muita coisa triste no meio disto tudo. E começa no tal português que até pode trabalhar e ganhar o miserável salário mínimo, mas que prefere por exemplo lixar o transito e estacionar mal o carro para estar 10 minutos na conversa à porta da escola do filho, ou critica o MDN, o qual até é nomeado pelo o partido mais votado e quem vota é a população, porque tem mau aspecto e não porque toma decisões ridículas ou porque quer comprar helicópteros e um reabastecedor da frota, cada por 20 milhões. Até porque as instituições reflectem a população do pais, mas existem aspectos desta nação que nunca percebi quando 58% está na classe baixa e média baixa, como conseguem a segunda maior frota de popós de uma marca de gama alta alemã da UE a um dos países europeus que mais habitantes com casa própria tem.  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-0rN3jCYvXO0%2FVdyV7QubOzI%2FAAAAAAAEY-4%2FFYjIKRDZDIw%2Fs1600%2FDSC02108.JPG&hash=067c49152f42275e22d98324a135ca5d)
Terminado é curioso duas situações que espelham a tal problemática não institucional: Recordo o caso de um dado operacional que usava o heli para dar umas voltinhas e até alugar a particulares, o qual teve desde jantares de apoio a abaixo-assinados, a darem-lhes o amen, pois era um bom homem e não fez por mal.  ;D
(https://i.ytimg.com/vi/XykskSlXG8Y/hqdefault.jpg)
E quando já à anos se fala dos meios aéreos no combate a fogos florestais, desde privados, passando pela EMA, aos ex pilotos, pilotos, etc, que ganham bem acima do OMN, o que os políticos fizeram? Melhor, mesmo depois da reportagem da RTP o que as instituições fizeram? E a população, quando os interessados que durante anos se borrifaram para os coitados que perdem as casas, para o dinheiro que gasta o estado e de onde vêm os seus ordenados, mas que agora tanto se movimentam fizeram o que? (tirando assinarem o tal abaixo assinado com 30 mil assinaturas)? Mais depressa ofendem o tipo do outro clube de futebol, mas ainda existe quem ache o o mal não é geral...  ::)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-kpoitX3laPc%2FVhD_JGQdrFI%2FAAAAAAAAUhs%2F6Wi15izPd-o%2Fs1600%2Fvotar%252Babsten%2525C3%2525A7%2525C3%2525A3o0144.jpg&hash=4c78ea4c2bbcc31f44e722709e683398) 

Saudações
   
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 11, 2016, 03:32:28 pm
Num país política, ética e moralmente correcto, os militares no activo apanhados a trabalhar "por fora" eram sumariamente despedidos, em conjunto com as chefias que activa ou passivamente autorizaram isso. Veja-se o que se passa em Espanha e mencionado na peça.

Num país política, ética e moralmente correcto, note-se...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Setembro 11, 2016, 05:20:47 pm
Infelizmente, é normal estas situações só serem corrigidas quando são apanhados em flagrante com a boca na botija.

Agora resta esperar para ver se alguma acção vai realmente ser tomada ou se o país bateu mesmo no fundo ao ponto destes esquemas e negócios serem aceites pelos políticos, pelas chefias e pelo Zé Povinho.

Vemos nessa reportagem como a EMA e a sucessiva transferência dos meios aéreos para a Protecção Civil não foram mais nada que uma grande fantochada. Foi só mesmo para encobrir o monopólio por parte das empresas privadas e criar mais alguns jobs for the boys&girls. Onde já se viu uma organização onde os pilotos são contratados a partir de uma empresa privada, a manutenção é feita por uma empresa privada e todo o sistema é gerido também pela mesma empresa privada? Que adianta então os meios aéreos serem do Estado? Isto quando estamos a falar de meios aéreos de carácter civil e que facilmente são adquiridos pelas empresas.

Mas pronto, do que estávamos à espera num país onde é normal os polícias trabalharem os seus tempos livres como seguranças privados ou nas polícias municipais e onde uma instituição pública até tem a lata de gozar com a situação do país ao ter intitulada uma secção «Jobs 4 the Boys & Girls (http://bip.inesctec.pt/173/jobs.html)» num dos seus meios de comunicação?

Entretanto, visto que afinal já temos pilotos na FAP com experiência e horas de voo no combate aos incêndios florestais :N-icon-Axe: e que o Exército ainda deve ter uns tantos pilotos certificados nos Kamov Ka-32, então que se avance com aquela ideia que já foi discutida aqui pelo fórum, de criar um Comando Conjunto de Helicópteros ao estilo do modelo britânico. Que se transfiram os Ka-32 para as forças armadas, que se contratem uns ucranianos civis para realizar a manutenção, que se adquira alguns helicópteros ligeiros mono-motor para os três ramos os operarem e que seja a FAP a gerir todo o sistema.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Edu em Setembro 11, 2016, 06:32:29 pm
A instituição militar reflecte o pais que temos. E nem é mais nem menos que o restante Portugal. Existe corrupção e negócios como existe em qualquer CM ou SM, incompetência como no Partido Politico A e B e escolhas com base em critérios que nada têm a ver com a capacidade ou mérito, como nos média estatais ou no Hospital xpto. Agora se uma força tem x indivíduos as "maletas" são proporcionais ao seu tamanho e tendo em questão que outros serviços têm muita mais gente, certamente a incompetência e a corrupção será maior, independentemente de desde à algum tempo atrás estar na moda "bater nos militares" por dá cá aquela palha.  ::)

Tem toda a razão quando diz que a instituição militar reflecte o país que temos, sem dúvida.

Não entanto não concordo com a parte em que diz que a corrupção é proporcional ao número de membros da instituição. A corrupção depende do poder para a levar a cabo.
Como exemplo simples dou o da comparação entre oficiais e praças, haverá, penso eu (ou pelo menos deveria haver) muito mais praças nas forças armadas que oficiais. No entanto a corrupção que todos os praças juntos podem fazer é muito inferior à que pode fazer um só oficial general. Da mesma maneira embora existam muito mais professores, o potencial que estes têm para a corrupção é bastante inferior que os oficiais das forças armadas. Não quero que isto dizer que dando o mesmo poder aos professores não fariam o mesmo nível de corrupção.

A questão aqui é que o nível de confiança que a a sociedade deposita num oficial das forças armadas, mas também num das forças de segurança ou num juiz é muito superior à colocada noutros funcionários públicos. O poder que eles detêm é enorme, o processo de admissão é também muito mais rigoroso, por isso é perfeitamente normal que o nível de exigência deva ser superior. Por esse motivo é muito mais grave um oficial militar ou da policia corrupto que um outro funcionário público.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 12, 2016, 10:25:02 am
Que adianta então os meios aéreos serem do Estado? Isto quando estamos a falar de meios aéreos de carácter civil e que facilmente são adquiridos pelas empresas.

Poupas dinheiro à empresa privada, são menos alguns helicópteros que eles tem que comprar, mas estes helicópteros estavam disponíveis todo o ano e não apenas durante o verão, lembro-me de ver reportagens dos Kamov fazerem treinos de SAR em montanha e exercícios com a GNR, talvez fosse só para o show off.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 12, 2016, 10:41:29 am
A instituição militar reflecte o pais que temos. E nem é mais nem menos que o restante Portugal. Existe corrupção e negócios como existe em qualquer CM ou SM, incompetência como no Partido Politico A e B e escolhas com base em critérios que nada têm a ver com a capacidade ou mérito, como nos média estatais ou no Hospital xpto. Agora se uma força tem x indivíduos as "maletas" são proporcionais ao seu tamanho e tendo em questão que outros serviços têm muita mais gente, certamente a incompetência e a corrupção será maior, independentemente de desde à algum tempo atrás estar na moda "bater nos militares" por dá cá aquela palha.  ::)

Tem toda a razão quando diz que a instituição militar reflecte o país que temos, sem dúvida.

Não entanto não concordo com a parte em que diz que a corrupção é proporcional ao número de membros da instituição. A corrupção depende do poder para a levar a cabo.
Como exemplo simples dou o da comparação entre oficiais e praças, haverá, penso eu (ou pelo menos deveria haver) muito mais praças nas forças armadas que oficiais. No entanto a corrupção que todos os praças juntos podem fazer é muito inferior à que pode fazer um só oficial general. Da mesma maneira embora existam muito mais professores, o potencial que estes têm para a corrupção é bastante inferior que os oficiais das forças armadas. Não quero que isto dizer que dando o mesmo poder aos professores não fariam o mesmo nível de corrupção.

A questão aqui é que o nível de confiança que a a sociedade deposita num oficial das forças armadas, mas também num das forças de segurança ou num juiz é muito superior à colocada noutros funcionários públicos. O poder que eles detêm é enorme, o processo de admissão é também muito mais rigoroso, por isso é perfeitamente normal que o nível de exigência deva ser superior. Por esse motivo é muito mais grave um oficial militar ou da policia corrupto que um outro funcionário público.
Mas não existe muitos mais praças. Em Portugal as F.A. tem muitos mais oficiais e sargentos que praças, basta ver os quadros. Embora para o caso como tenho dito considero o nível de corrupção das F.A. igual à das outras instituições, tendo em conta este quadro os praças são 4000, os sargentos 9 000 e os oficiais 5 000.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F09%2Fdiapositivo2.jpg&hash=c601e202c2107852b71c818a337b711c)
Percebo o raciocínio mas é preciso ter atenção a um conjunto de aspectos, nomeadamente quando se realizam investigações nestas temáticas: Por exemplo na educação esta a esquecer-se dos professores que estão por exemplo à frente das escolas, agrupamentos, direcções regionais, etc. responsáveis por aquisição de material que já não é apenas o quadro preto e o giz, mas desde Computadores a quadros interactivos, passando por data show ou o respectivo software e licenças para tudo isto. Com certeza que a a instituição material também adquire equipamento deste tipo mas atenção que as quantidades são muito diferentes. Só para ter uma noção os gastos com a educação estão à volta de 3,8 % do PIB, os gastos militares é 1,1%.
Citar
http://www.pordata.pt/Portugal/Despesas+do+Estado+em+educa%C3%A7%C3%A3o+execu%C3%A7%C3%A3o+or%C3%A7amental+em+percentagem+do+PIB-867 (http://www.pordata.pt/Portugal/Despesas+do+Estado+em+educa%C3%A7%C3%A3o+execu%C3%A7%C3%A3o+or%C3%A7amental+em+percentagem+do+PIB-867)
Citar
http://www.operacional.pt/quanto-gastam-os-portugueses-com-a-defesa/ (http://www.operacional.pt/quanto-gastam-os-portugueses-com-a-defesa/)
É certo que aquisições como dos submarinos ou blindados são diferentes das da educação, com valores muitos mais altos só que as mesmas ocorrem ocasionalmente. Se estivéssemos num pais que regularmente compra meios militares, sem dúvida o potencial seria maior, mas não estamos e duvido que algumas vez estejamos.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimage.slidesharecdn.com%2Feconomiapolticadacorrupo-130215120639-phpapp01%2F95%2Feconomia-poltica-da-corrupo-prof-doutor-rui-teixeira-santos-2009-42-638.jpg%3Fcb%3D1392243406&hash=0912cc6d35b503ac0eeb10d6919efb33)
Existem diversos bons trabalhos sobre a corrupção em Portugal. Este por exemplo do Dr. Rui Teixeira Santos, os inquiridos colocam nos primeiros 2 lugares a classe política, e nos dois seguintes a desportiva e a da saúde. Nem tão pouco aparecem juízes, forças de segurança ou militares.
Citar
http://pt.slideshare.net/Ruiteixeirasantos/economia-poltica-da-corrupo-prof-doutor-rui-teixeira-santos-2009 (http://pt.slideshare.net/Ruiteixeirasantos/economia-poltica-da-corrupo-prof-doutor-rui-teixeira-santos-2009)
 
E num outro estudo mais antigo vejamos a percepção dos cidadãos sobre os sectores mais afectados pela corrupção:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fphotos1.blogger.com%2Fblogger%2F223%2F1179%2F1600%2FTI%25202005%2520PT-EO.jpg&hash=34eba460cc6d94d309806d2136fadaf5)
Sem dúvida que a população aqui revê nas forças de segurança, judiciais, bem como de educação ou médicas um nível de corrupção   significativo, mas veja relativamente aos militares. Ou seja:  a percepção pessoal que por vezes temos de sectores versus a corrupção é diferente  de quando se estuda os mesmos, quer em número mas também em formas de ver o fenómeno. E certo que para a maioria das pessoas corrupção é ganhar dinheiro ilícito. mas a percepção do que o tráfico de influências e da forma como juntos prejudicam o estado, são indicadores ao que tenho dito: As pessoa tem perfeitamente noção do fenómeno da corrupção, dos piores sectores e dos resultados para o pais. Mas também muito pouco ou nada fazem para acabar com o mesmo (tendo em conta a consideração que são os políticos os mais corruptos), sendo a questão dos meios aéreos no combate aos fogos florestais um de muitos exemplos, mesmo quando os média publicam sobre os mesmos.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimage.slidesharecdn.com%2Feconomiapolticadacorrupo-130215120639-phpapp01%2F95%2Feconomia-poltica-da-corrupo-prof-doutor-rui-teixeira-santos-2009-37-638.jpg%3Fcb%3D1392243406&hash=364578646a9d6eadcb8517efcb0f7be4)   

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 12, 2016, 10:51:11 am
Depois de ver a reportagem resumia tudo a isto.

Espanha, 7x maior que Portugal arde 3x menos que em Portugal, por isso não é preciso inventar a roda, os senhores do governo deviam ir ou mandar alguém que saiba, a Espanha ver como é que os vizinhos fizeram para ter essa área ardida tão inferior à nossa, como é que eles tem a floresta organizada, como é que eles fazem para ter as matas limpas, como é que eles tem a Protecção Civil organizada, os bombeiros, os meios aéreos, etc.

Como disse o Sócrates: Espanha, Espanha, Espanha.

Em relação à reportagem também acho muito suspeito, o ANAC colocar como condição de piloto de combate a fogos florestais, ter horas feitas em combate no ano anterior, isto é, quem faz parte do grupo está safo, quem nunca fez também nunca vai entrar, a única hipótese hipotética seria ir para um pais que não tenha essa imposição fazer pelo menos 1 ano de combate a fogos e depois regressar a Portugal com o papel a dizer que fez x horas em combate a fogos.

Acho um bocado estranho aquele piloto civil queixar-se de falta de emprego por os pilotos militares fazerem esses voos, e depois quando lhe pergunta quantos pilotos há desempregados, são 2 ou 3 (que numero grande lol), e como muito bem disse o Presidente da Associação de Oficiais, vemos pilotos civis Espanhóis a voar cá, por isso pode haver outros factores.

A tal situação do homem da sucata é muito suspeita, qual é o problema de dizer que pagou 1950€ para comprar uns equipamentos velhos (sucata) para derreter à Força Aérea? Seria uma situação muito normal, mas o comportamento dele é tudo menos normal.

E a entrevistadora a achar estranho o Exército dizer que desconhece ter pilotos a voar nas férias no combate a incêndios, deviam ter explicado há senhora que uma coisa é uma pessoa saber algo por conversa, outra coisa é saber formalmente num documento escrito, quem trabalha numa secretaria não interessa o que sabe numa conversa, interessa é os documentos que lhe chegam à mão, essa é que é a maneira correcta de informar uma situação, eu quando vou de férias não me basta dizer ao meu chefe verbalmente, tenho que lhe fazer chegar um documento a dizer que eu vou de férias x dias, a começar na data A e a acabar na data B e ele tem que autorizar, esta situação é a mesma, não faço ideia se o Estado-Maior do Exército, o comandante da unidade, etc, sabia ou não oficiosamente que estes militares participavam no combate a incêndios, o que o Exército afirma é que o pedido para o fazer (o tal pedido que os pilotos da Marinha fizeram), os pilotos do Exército não fizeram.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 12, 2016, 10:55:42 am
Mas não existe muitos mais praças. Em Portugal as F.A. tem muitos mais oficiais e sargentos que praças, basta ver os quadros. Embora para o caso como tenho dito considero o nível de corrupção das F.A. igual à das outras instituições, tendo em conta este quadro os praças são 4000, os sargentos 9 000 e os oficiais 5 000.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F09%2Fdiapositivo2.jpg&hash=c601e202c2107852b71c818a337b711c)

Atenção que esse quadro apenas mostra o pessoal QP (Quadro Permanente), falta ai todos os RC (Regime de Contrato), por isso é que os praças da Força Aérea e Exército estão a 0.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 12, 2016, 11:12:34 am
Mas não existe muitos mais praças. Em Portugal as F.A. tem muitos mais oficiais e sargentos que praças, basta ver os quadros. Embora para o caso como tenho dito considero o nível de corrupção das F.A. igual à das outras instituições, tendo em conta este quadro os praças são 4000, os sargentos 9 000 e os oficiais 5 000.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F09%2Fdiapositivo2.jpg&hash=c601e202c2107852b71c818a337b711c)

Atenção que esse quadro apenas mostra o pessoal QP (Quadro Permanente), falta ai todos os RC (Regime de Contrato), por isso é que os praças da Força Aérea e Exército estão a 0.
Correcto. O próprio Operacional refere essa questão e atesta apenas como números aproximados.
Citar
http://www.operacional.pt/efectivos-militares-das-forcas-armadas-em-31dez2013/ (http://www.operacional.pt/efectivos-militares-das-forcas-armadas-em-31dez2013/)


Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 12, 2016, 11:32:49 am
Artigo presente hoje no diário "Público".

Citar
Quase 100 falhas no controlo da manutenção dos Kamov imputadas a três militares

Mariana Oliveira   
12/09/2016 - 07:14
 
Inspecção detectou “falhas notórias” no cumprimento dos procedimentos que asseguram que os helicópteros Kamov respeitam os requisitos para operar em segurança.

A Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) responsabiliza três altos dirigentes da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), incluindo o presidente que se demitiu na passada segunda-feira, por 99 deficiências — tecnicamente chamadas de “situações de não conformidade” — no controlo da manutenção de cinco helicópteros Kamov, detidos pelo Estado português.

A análise técnica da documentação das aeronaves foi feita pela Inspecção-Geral da Força Aérea, que prestou apoio técnico aos instrutores da IGAI. Estes, com base nessa avaliação, concluem que existiram “falhas notórias na esfera da gestão da aeronavegabilidade” por parte da ANPC, num documento do processo a que o PÚBLICO teve acesso.

A gestão da aeronavegabilidade é o conjunto de procedimentos que garante que durante a vida de uma aeronave esta cumpre os requisitos para operar em segurança. Desde a extinção da Empresa de Meios Aéreos (EMA), criada para gerir a frota de helicópteros do Estado, em Outubro de 2014, até que a operação dos Kamov passou para as mãos da Everjets, em final de Maio do ano passado, essa responsabilidade esteve a cargo da ANPC.

Entre Janeiro e Outubro de 2014, coube ao então director nacional de Recursos de Protecção Civil, nomeado para a comissão liquidatária da EMA, ser o administrador responsável pela frota dos Kamov perante a ANPC. Por isso, é um dos visados neste caso. Sucedeu-lhe nessa posição o então presidente da autoridade, o major-general Grave Pereira, um dos três militares a quem a IGAI propõe a instauração de um processo disciplinar por violação do dever de zelo. O terceiro responsável é o director de serviços de Meios Aéreos, gestor da aeronavegabilidade na ANPC.

Segurança em causa

As deficiências que a Força Aérea imputa aos responsáveis da autoridade foram divididas em categorias. A maioria das “situações de não conformidade”, 64 de 99, diz respeito a falhas no controlo do tempo de vida dos componentes instalados nos helicópteros, o que implica que pode ter havido peças usadas depois de esgotado o seu tempo de vida útil. Tal pode, dizem os instrutores num excerto do relatório a que o PÚBLICO teve acesso, “conduzir a situações em que as aeronaves se encontrem a operar sem reunirem as necessárias condições de aeronavegabilidade, ficando desde logo comprometida a segurança do voo”.

Outra das anomalias mais detectadas (16 vezes) diz respeito ao “controlo ineficaz do processo de manutenção”, o que pode ter levado à instalação nos Kamov de componentes que não cumpriam os requisitos exigidos. Foram detectados ainda problemas na configuração do programa informático que regista ao pormenor todas as acções de manutenção e no preenchimento do mesmo. Os instrutores realçam que este sistema é fundamental para se conhecer a situação real e actualizada dos aparelhos em termos de manutenção e operação.

Fala-se também em falhas no controlo das ordens de reparação dadas à empresa que fazia a manutenção dos helicópteros pesados, a Helisuporte, uma subsidiária da Heliportugal, a empresa que vendeu os Kamov ao Estado. Os inspectores notam ainda que não foi cumprido o plano de auditorias para o ano de 2014, que previa uma inspecção à aeronavegabilidade e outra à manutenção, e destacam que não foi realizada qualquer auditoria de qualidade entre Fevereiro de 2014 e Maio de 2015. A IGAI conclui que existem “falhas relevantes no sistema de qualidade”, obrigatório em todas as entidades que operam aeronaves, e que os três militares mostraram “alheamento total” relativamente a estas questões. Este sistema garante, através da monitorização contínua, que são respeitadas as condições mínimas para um meio aéreo operar.

As deficiências detectadas pela Força Aérea após analisar toda a documentação dos Kamov (e não fisicamente os aparelhos) não visaram apenas responsáveis da autoridade, mas também a empresa que fazia a manutenção dos Kamov, a Helisuporte. A Força Aérea imputa 121 “situações de não conformidade” à “entidade responsável pela manutenção”, deixando implícito que se trata da Helisuporte. Mas os inspectores não aprofundam a análise destas deficiências, justificando que o inquérito pretendia averiguar a existência de responsabilidades disciplinares de elementos da administração pública e as entidades privadas são insusceptíveis de qualquer acção disciplinar.

Helicópteros em terra

Refere-se, contudo, que uma outra inspecção feita pela Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC), em Junho de 2015, a quatro dos Kamov detectou 86 “não conformidades”, 69 físicas e 17 documentais. Nessa altura foram impostas restrições à operação dos Kamov — só três estão actualmente a operar, estando dois à espera de reparação desde essa altura — e aberto um processo de contra-ordenações à Helisuporte, um processo que a ANAC confirma que ainda não está terminado. “O processo está em fase de conclusão”, diz esta autoridade, através da assessoria de imprensa.

Contactado pelo PÚBLICO, o presidente da Heliportugal, Pedro Silveira, garante que, destas deficiências detectadas pela ANAC, só quatro foram imputadas à Helisuporte e todas foram rapidamente resolvidas. Sobre a avaliação feita pela Força Aérea, diz desconhecê-la e nunca ter sido confrontado com a mesma. Insiste que antes de a Everjets fazer a inspecção aos Kamov, todas as ordens de reparação dadas pela Protecção Civil foram cumpridas e não havia qualquer deficiência registada nos relatórios técnicos de bordo, onde é obrigatório os pilotos reportarem falhas detectadas.

“A direcção da manutenção dos Kamov sempre pertenceu ao Estado. A Helisuporte só recebia ordens de reparação, tendo cumprido todas”, sustenta Pedro Silveira, que admite, no entanto, que podem ter havido erros da sua empresa ao longo dos oito anos em que fez a manutenção dos Kamov.

As 280 “situações de não conformidade” detectadas pela Força Aérea que analisou a documentação de cinco Kamov são muito superiores às 17 deficiências documentais detectadas pela ANAC em três dessas aeronaves (uma não tinha documentos). O número está mais perto das 222 deficiências documentais detectadas pela Everjets quando se preparava para receber os helicópteros. Ao todo, esta empresa que opera actualmente os Kamov contabilizou 554 incumprimentos das regras aplicáveis (332 na inspecção física às aeronaves).

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/quase-100-falhas-no-controlo-da-manutencao-dos-kamov-imputadas-a-tres-militares-1743597
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Setembro 12, 2016, 12:04:03 pm
Mafets? Há uma frase com mais de 2000 anos que nos define na perfeição:
"Há, na parte mais ocidental da Ibéria, um povo muito estranho: não se governa nem se deixa governar!", isto dito por um General Romano no século III antes de Cristo!

Há um outro sintoma errado entre nós, que é a ignorância com que aplicam o "Carpe Diem" na nossa vida, e que os portugueses gostam muito de aplicar, ao contrário do que queria dizer o poeta Horácio, nós interpretamos como aproveita o momento, sem nos preocuparmos com o amanhã (levou-nos à bancarrota), quando na realidade o que escreveu o poeta foi precisamente o contrário!!!!!!!

carpe diem quam minimum credula postero, significa: colhe o dia, quanto menos confia no de amanhã. Ou poderíamos dizer ainda, aproveita o dia, mas desconfia do amanhã! Como somos preguiçosos, focar-nos apenas no Carpe Diem e esquecemos ou ignoramos o resto da frase!!!!!!! Só significam coisas totalmente diferentes :)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Setembro 12, 2016, 02:03:40 pm
Offtopic
Essa frase muito provavelmente é mito.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Setembro 12, 2016, 03:36:34 pm
Offtopic
Essa frase muito provavelmente é mito.

Muito provavelmente foi criada por nós próprios sobre nós. Normalmente nós criticamos muito nos cafés, mas se tivéssemos oportunidade de estarmos cara-a-cara com algum político, estávamos calados a cumprimentar o fulano e a recolher o cromo/autocolante para a caderneta!

Abraço
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Setembro 12, 2016, 04:31:51 pm
O tal general romano era, supostamente, Júlio César. Em inglês, a citação refere "na Ibéria profunda", que parece ter sido  adaptada para a "parte ocidental". Mas em qualquer dos casos, não encontro qualquer referência credível.

Há, no entanto, outra citação de Júlio César relativamente à Ibéria (que ele conhecia bem); diz algo do género: "Antes número um numa pequena vila ibérica do que número dois em Roma". Também deve ser de credibilidade duvidosa.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Setembro 13, 2016, 01:59:10 am
Não façam muito barulho senåo os pilotos ainda fogem para espanha! um piloto de combate a incendeos florestais ganha em espanha o dobro do que ganha um em Portugal 13 mil euros.

Interessante e verificar que o piloto ganha o dobro mas o kamov voa muito mais baratinho que em Portugal,  6000 euros/h
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Setembro 13, 2016, 09:52:11 am
Não façam muito barulho senåo os pilotos ainda fogem para espanha! um piloto de combate a incendeos florestais ganha em espanha o dobro do que ganha um em Portugal 13 mil euros.

Interessante e verificar que o piloto ganha o dobro mas o kamov voa muito mais baratinho que em Portugal,  6000 euros/h

As trafulhices são tantas que é mesmo só para rir, não é ICE ???????? :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :conf: :conf: :conf: :conf: :conf: :conf: :conf: :conf: :conf:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Raul Neto em Setembro 13, 2016, 04:10:21 pm
Vejam este sistema Sul-Coreano para operação nocturna com o Kamov Ka-32: https://www.youtube.com/watch?v=SGbjTYvvIXo (https://www.youtube.com/watch?v=SGbjTYvvIXo)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 14, 2016, 10:46:17 am
Offtopic
Essa frase muito provavelmente é mito.

Muito provavelmente foi criada por nós próprios sobre nós. Normalmente nós criticamos muito nos cafés, mas se tivéssemos oportunidade de estarmos cara-a-cara com algum político, estávamos calados a cumprimentar o fulano e a recolher o cromo/autocolante para a caderneta!

Abraço
Pior. Se calhar basta teres um tipo com um inquérito à frente e o discurso muda logo ou então influências da "política de massas do café" como o Kurt Lewin bem explica com as suas teorias sobre o efeito das multidões sobre o individuo.  ;D.  Não é à toa que muita gente critica tudo e mais alguma coisa, desde as finanças aos militares e depois realizam-se estudos de investigação e os dados  pintam uma realidade muito diferente.  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimage.slidesharecdn.com%2Feconomiapolticadacorrupo-130215120639-phpapp01%2F95%2Feconomia-poltica-da-corrupo-prof-doutor-rui-teixeira-santos-2009-42-638.jpg%3Fcb%3D1392243406&hash=0912cc6d35b503ac0eeb10d6919efb33)
Agora, não sei se a tal frase do general romano é mito ou não (existe referência a ter sido o General Galba http://alvorecer-escriba.blogspot.pt/2011/04/um-povo-que-nao-se-governa-nem-se-deixa.html (http://alvorecer-escriba.blogspot.pt/2011/04/um-povo-que-nao-se-governa-nem-se-deixa.html), mas no que diz respeito à Banca Rota a mesma é tão ancestral como Portugal. Desde o tempo do povoamento do pais que se fala das péssimas contas do reino e desde que é contabilizado estatisticamente que por exemplo a dívida pública cresce, com um ou outro período de interrupção. O mais curioso é que pouco ou nada muda em 800 anos e a historia repete-se com uma frequência assustadora, e as razões são sobejamente conhecidas. As negociatas sobre os meios aéreos de combate aos fogos florestais é apenas uma gota que engrossa o caudal do rio.    ;)
(https://oinsurgente.files.wordpress.com/2012/07/publicdebtgdp.png)
Já agora, farto-me do ouvir dizer inclusive por quem está no ramo, que os Puma não servem para combater incêndios. Na Coreia que até tem os Kamov: 

Cumprimentos



Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Setembro 14, 2016, 12:07:53 pm
Sem dúvida :)

Mas eu acrescentaria o livro do médico francês Gustave Le Bon que na minha opinião, explica na perfeição o que é a política e como esta influencia as multidões, mesmo mais de 100 anos depois de escrito!!! (Gustave Le Bon: A psicologia das multidões). É divinal.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: ICE 1A+ em Setembro 14, 2016, 03:34:00 pm
Citar
mafets
Já agora, farto-me do ouvir dizer inclusive por quem está no ramo, que os Puma não servem para combater incêndios. Na Coreia que até tem os Kamov: 

Cumprimentos

Boas!
caro mafets acho que nao tem a ver com os pumas em geral ,  mas sim em específico com os nossos velhinhos e gastos pumas

Convem  esclarecer uma coisa:
ninguem correu com a FAP dos incendeos florestais , foi a FAP , que dada a falta de meios,  se foi excluindo.
Mesmo  quando havia 2 kits para os C130, nunca o dispositivo funcionou com os dois aparelhos em simultáneo devido a falta de disponibilidade de C130 pela FAP que os tinha ocupados  noutras missões, com o inicio das missões no exterior , Bosnia, kosovo etc etc cada vez menos a FAP tinha avioes disponíveis , ate que lentamente deixou de os disponibilizar e o sistema foi desativado.
Quando se falou na compra de Canadairs a FAP recusou operar outra frota  de avioes diferentes, e informou que precisava de avioes de transporte e nao Canadair, e so encarava o uso de uma frota diferente se fosse para substituir outra ja  existente na sua totalidade.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 15, 2016, 01:41:51 pm
Citar
mafets
Já agora, farto-me do ouvir dizer inclusive por quem está no ramo, que os Puma não servem para combater incêndios. Na Coreia que até tem os Kamov: 

Cumprimentos

Boas!
caro mafets acho que nao tem a ver com os pumas em geral ,  mas sim em específico com os nossos velhinhos e gastos pumas

Convem  esclarecer uma coisa:
ninguem correu com a FAP dos incendeos florestais , foi a FAP , que dada a falta de meios,  se foi excluindo.
Mesmo  quando havia 2 kits para os C130, nunca o dispositivo funcionou com os dois aparelhos em simultáneo devido a falta de disponibilidade de C130 pela FAP que os tinha ocupados  noutras missões, com o inicio das missões no exterior , Bosnia, kosovo etc etc cada vez menos a FAP tinha avioes disponíveis , ate que lentamente deixou de os disponibilizar e o sistema foi desativado.
Quando se falou na compra de Canadairs a FAP recusou operar outra frota  de avioes diferentes, e informou que precisava de avioes de transporte e nao Canadair, e so encarava o uso de uma frota diferente se fosse para substituir outra ja  existente na sua totalidade.
Não Ice. A questão dos Puma teve a ver com os usados pelos suíços (super puma), nomeadamente vistos nesta foto. Desde o facto de "não servirem", à "excepcional" frase de que "os suíços não tem fogos florestais", passando pelo "é para a fotografia", tudo foi dito por essas redes sociais fora. Já agora, os únicos Puma sobejamente criticados foram os da Policia de Fronteira alemã que cá estiveram, segundo quem anda no ramo "a não fazer nada"(segunda foto). 
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F_ntmC4gow1j4%2FTLhEydkgS6I%2FAAAAAAAAB78%2FChLtdwDhrU4%2Fs1600%2FSchweizer%2BLuftwaffe%2B-%2BEurocopter%2BTH89%2BAS332M-1%2BSuper%2BPuma%2B-%2BT-325%2B-%2B5611%2BNET.jpg&hash=86a6efeea86eae0f78a83a3c3d780330)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fc8.alamy.com%2Fcomp%2FFGDNT9%2Fa-german-puma-helicopter-flies-to-the-fire-that-is-striking-the-penela-FGDNT9.jpg&hash=4abfc9fd6d816ee1655d4b48b3824464)
A questão dos MAFFS na FAP não foi assim. Os dispositivos eram dois, um quando funcionava o outro estava de reserva. Segundo um piloto, quando o sistema era usado chegou a fazer 30 descargas num dia. Quem activava o sistema não era a FAP mas sim, pelo que percebi, os Bombeiros via MAI, algo que deixou de acontecer no inicio dos anos 90, sendo a FAP retirada do dispositivo de combate a incêndios. Apesar disso a FAP manteve um sistema a funcionar canibalizando outro até meio dos anos 90 e só com a obsolescência do sistema e face ao que o poder político fez, é que foi desactivado.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-Ti8WoYxexrU%2FUhs18jxDBZI%2FAAAAAAAABdE%2FSsIIeUervs8%2Fs1600%2Fimage004.jpg&hash=c3bf3996b0e7e1d2bd4fc1e8ac858169)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F-mT8qd2dFi04%2FUhs18JY5tFI%2FAAAAAAAABcs%2Fn-lGvSHcRE4%2Fs1600%2Fimage002.jpg&hash=73f55652caf24d509dd0f7762a94b06c)
Existem diversos sistemas organizacionais possíveis que não tem de passar obrigatoriamente por meios como Cl415 ou Fire Boss. Nos EUA nenhum dos ramos possui meios específicos para combater incêndios e todos o fazem, desde os Marines à Marinha,  passando pela USAF e Exercito, também por uma questão de organização. Nenhum MAFF ou inclusive a calda é da USAF (ou da guarda costeira, que também usa os seus C130 para combater incêndios), mas sim do US Forest Service, o qual apenas contrata meios privados para o dispositivo regular, mas quando estes não estão disponíveis ou são impossíveis de alugar, activa os meios das Forças Armadas com quem estabelece protocolos (paga os sistemas, horas de voo e fornecimento da calda, se for o caso, enquanto que os ramos fornecem os meios, pessoal e fazem a manutenção). Com a FAP poderia ser algo do género o que eliminava a necessidade de ter aparelhos mais específicos como os Cl415 ou Fire Boss/Air Tractor. Portanto é uma questão de ter um modelo que sirva tanto a FAP como o MAI/Bombeiros/ANPC, e que possa simplesmente disponibilizar meios quando estes não existem ou são caros de alugar, de forma a  que o aluguer de meios aéreos de combate aos fogos florestais não esteja dependente de qualquer "cartel do fogo".
(https://www.strategypage.com/gallery/images/bambi-bucket.jpg)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/88/CH-46E_refilling_a_Bambi_bucket_20071026.jpg)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/59/Chief_Petty_Officer_Jay_Okonek,_left,_and_Petty_Officer_1st_Class_Jason_Blase_help_guide_the_helicopter_pilots_as_they_fill_a_360-gallon_Bambi_bucket_to_help_extinguish_wildfires_130503-N-VN372-098.jpg)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3d/US_Navy_031029-N-8590B-016_Two_UH-3H_Sea_King_helicopters_assigned_to_the_Golden_Gaters_of_Helicopter_Combat_Support_Squadron_Eighty_Five_(HC-85)_dip_their_Bambi_bucket_into_a_lake_to_aid_in_the_firefighting_effort.jpg)
É certo que na Espanha ou na Croácia por exemplo a organização sub-entende os tais Anfíbios. Mas em Portugal não tem obrigatoriamente de ser assim.
(https://img.planespotters.net/photo/713000/original/ud14-02-43-32-fuerza-aerea-espaola-spanish-air-force-canadair-cl-415_PlanespottersNet_713490.jpg)
(https://i.ytimg.com/vi/AxyqEwekbsU/maxresdefault.jpg)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Setembro 15, 2016, 11:52:30 pm
Esta noticia já se falou, mas é só para salientar a participação da Força Aérea.

Citar
IGAI encontrou “falhas notórias” no controlo dos Kamov

Segundo o Público, a análise técnica da documentação das aeronaves foi feita pela Inspeção Geral da Força Aérea, que prestou apoio técnico aos instrutores da IGAI e que, com base nessa avaliação, conclui que existiram “falhas notórias na esfera da gestão da aeronavegabilidade” por parte da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

https://www.dinheirovivo.pt/economia/igai-encontrou-falhas-notorias-no-controlo-dos-kamov/
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Setembro 16, 2016, 09:25:46 pm
Seria possível o financiamento, por parte da UE, quase total dos meios aéreos desde que eles fossem principalmente utilizados em missões de âmbito civil?

CL-415/Be 200 como meios anfíbios pesados de combate a incêndios e Busca e salvamento, Patrulha e Fiscalização marítima, combate à poluição.

Kamov - Heli pesado combate a incêndios, busca e salvamento.

Heli Ligeiro - Combate a incêndios, instrução de pilotos da FA.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Setembro 19, 2016, 03:27:56 pm
Seria possível o financiamento, por parte da UE, quase total dos meios aéreos desde que eles fossem principalmente utilizados em missões de âmbito civil?

CL-415/Be 200 como meios anfíbios pesados de combate a incêndios e Busca e salvamento, Patrulha e Fiscalização marítima, combate à poluição.

Kamov - Heli pesado combate a incêndios, busca e salvamento.

Heli Ligeiro - Combate a incêndios, instrução de pilotos da FA.
A noticia original falava de 50 milhões num negócio de duas aeronaves por possivelmente um máximo de 80 milhões (apesar de cada C415 custar abaixo dos 40 milhões e não perto dos 50 milhões a unidade, de que falava um governante anónimo actual ao subir o total do negócio para 3 aparelhos por 140 milhões http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-28-Portugal-recusou-50-milhoes-da-UE-para-compra-de-avioes (http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-28-Portugal-recusou-50-milhoes-da-UE-para-compra-de-avioes) ). Na continuidade da tal notícia, de facto era dito que o financiamento poderia ir até aos 85%.
Citar
O convite esteve aberto até 29 de fevereiro de 2016, mas o estado português optou por não apresentar qualquer candidatura. Em causa estavam €50 milhões, a fundo perdido, para comparticipar, até 85%, a compra das duas aeronaves.

Saudações

Saudações
Título: P-3 Orion - Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Outubro 02, 2016, 11:37:25 am
Vou aproveitar que ainda tem estado calor para "reanimar" este tópico.

Outra opção, embora seja uma aeronave não tão flexível como o Canadair, seria obter uns P-3 em segunda-mão e os converter para combate aos incêndios ou até mesmo ver se ainda existem P-3 water bombers da Aero Union que faliu ainda à venda.

Pode até não ser um avião anfíbio, com as mesmas capacidades e possibilidade de locais de reabastecimento como o Canadair e o Beriev Be-200, mas já temos uma logística e pessoal formado visto que já operamos os P-3C. Seria uma questão de aumentar o número de horas de voo para formar mais tripulações na esquadra 601 e as formar para o combate aos incêndios.

Estes P-3 também parecem ter uma capacidade de água ou calda retardante (~11356 litros) ligeiramente superior aos Beriev. Fora da época de incêndios poderiam ser utilizados para treino das tripulações de P-3, vigilância marítima e para transporte de passageiros.

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/4/45/Fox-firebase-aero_union-N920AU-070904-02-24.jpg/800px-Fox-firebase-aero_union-N920AU-070904-02-24.jpg)

Obviamente que os CL-415 continuam a ser uma opção mais sensata em termos de capacidade de reabastecimento anfíbio no nosso território e em termos de custo de aquisição.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Novembro 10, 2016, 12:25:05 pm
http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/governo-vai-avaliar-viabilidade-da-forca-aerea-operar-meios-para-combater-incendios (http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/governo-vai-avaliar-viabilidade-da-forca-aerea-operar-meios-para-combater-incendios)
Citar
Numa resposta enviada à agência Lusa, o gabinete do secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, adianta que estão previstas alterações ao nível dos meios aéreos de combate a incêndios.

Uma das alterações passa por avaliar a viabilidade da Força Aérea Portuguesa (FAP) em garantir a operação dos meios aéreos do Estado, sendo esta avaliação feita após a cessação dos atuais contratos com os operadores privados.

De acordo com o gabinete de Jorge Gomes, nas decisões de aquisição de aeronaves pela FAP vai pesar a capacidade de combate a incêndios florestais.

O gabinete do secretário de Estado da Administração Interna avança também que vai ser feito um estudo comparativo, incluindo análise custo-benefício, entre aquisição e locação de meios aéreos dedicados ao combate a incêndios florestais, a operar pela FAP, que discrimine os custos do período crítico dos incêndios.


Em 2006, o Estado português adquiriu dez meios aéreos – seis helicópteros pesados Kamov e quatro helicópteros ligeiros B3-Ecureuil -, mas atualmente apenas estão operacionais três Kamov e três B3.

A frota começou a ficar mais pequena logo em 2007, quando um B3 se despenhou no Gerês e o piloto morreu.

Dos seis Kamov do Estado, apenas três estão atualmente aptos para voar, estando dois inoperacionais e outro acidentado, desde 2012. O Orçamento do Estado para 2017 tem uma verba prevista para a reparação dos dois helicópteros pesados inoperacionais.

Com a extinção da Empresa de Meios Aéreos, em outubro de 2014, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) ficou responsável pela gestão dos contratos de operação e manutenção dos meios aéreos próprios do Estado.

Em fevereiro de 2015, a empresa Everjets ganhou o concurso público internacional de operação e manutenção dos helicópteros Kamov do Estado para quatro anos, num valor superior a 46 milhões de euros.

Anteriormente era a Heliportugal a empresa responsável.

Durante o processo de transferência, verificou-se “uma série de não conformidades graves no estado das aeronaves”, estando apenas operacionais, na altura, um dos seis helicópteros.

Saudações

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Dezembro 08, 2016, 04:04:45 pm
Este senhor doutor tanto diz umas coisas sensatas como depois diz outras coisas a mostrar o seu verdadeiro ADN de político.

Citação de: SAPO 24
Falou no combate aos incêndios, há quem defenda que o financiamento devia ser feito pela prevenção e não por fogo apagado, caso contrário está-se a estimular uma indústria que vive deste negócio. Concorda?

Que haja uma dimensão económica do combate a incêndio, naturalmente que sim, basta a circunstância da contratualização com privados que, não tendo de ser bons samaritanos, presume-se que querem ter um lucro razoável. Isso nem sequer me constrange particularmente. Quanto ao modelo, a estratégia de combate aos incêndios, é essencialmente pensada e executada pela Administração Interna, portanto não quero pronunciar-me sobre isso. Pronunciei-me quando fui perguntado e o primeiro-ministro, numa intervenção que fez quando fomos visitar as delegações de países estrangeiros que vieram ajudar no combate aos incêndios, expôs em 20 ou 25 minutos porque é que se esperava que as Forças Armadas, em particular a Força Aérea, tivessem um papel mais significativo aí.

Vai ser a Força Aérea a combater incêndios?

Isto envolve questões, uma delas é o equipamento. Sem prejuízo de não ter que me preocupar com qual o equipamento para combate a incêndios, sei que tenho in-house pilotos do melhor que há, sei que algum equipamento está previsto com o duplo uso neste sentido, civil e militar, e seria desperdício deixar de lado. Depois, há a circunstância de a Força Aérea desempenhar já inúmeras missões que têm um carácter civil, no sentido não estritamente militar ou bélico, como o transporte de doentes, o salvamento de pessoas ou missões de fiscalização e vigilância da nossa costa, das nossas águas. A questão que se coloca é a do modelo. O modelo está a ser pensado, mas não é extraordinariamente urgente, porque o governo anterior prolongou até 2017 o contrato com privados e isso dá-nos o tempo para, de uma vez por todas, enfrentarmos a questão: quem está mais vocacionado, quem tem mais capacidade de planeamento, mais capacidade operacional.

António Costa defendeu, enquanto ministro de Estado e da Administração Interna, que devia ser a Força Aérea a combater os incêndios. A criação da EMA, na altura, foi uma escolha condicionada.

É impensável, é uma doença portuguesa, falarmos sempre do que aconteceu no passado para explicar porque não acontece no presente ou não vai acontecer no futuro. Não tenho a certeza que as Forças Armadas estivessem vocacionadas ou tivessem especial vontade nessa altura. Há circunstâncias em que é difícil uma visão completa do que aconteceu.

Mas a Força Aérea já se mostrou disponível.

Quando?

No governo anterior.

Isso, felizmente, já parece a pré-história. A situação a que se refere mudou. A questão principal colocou-se em 1999. Agora vamos estudar o modelo.

Não existem já estudos feitos?

Não, isso é outro mito. O estudo mais recente ficou a meio. Não só ficou a meio, como as partes que o elaboraram colocaram uma nota em que declararam não concordar com a interpretação dos termos fundamentais utilizados, como operações, empenhamento. E apontavam para a possibilidade ou a vantagem do maior envolvimento da Força Aérea, mas faltava a segunda parte, uma coisa que as pessoas esquecem, que é dizer como seria esse envolvimento. Se ler o relatório, que eu li de fio a pavio, não está lá. Ora, demorou dois anos a fazer um relatório que, no fundo, não passa da sopa. Agora mal passou um ano e já se avançou muito, já se consensualizou que a Força Aérea pode e deve ter um papel no combate aos incêndios e nas missões de interesse público e já se está a falar, não de estudos, mas de algo no plano executivo.

Qual será o próximo passo?

Vão ser lançados concursos públicos para a aquisição dos helicópteros (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=1630.msg280551#msg280551) que vêm substituir os que deixam de poder voar no início de 2018, o que quer dizer que temos de andar com celeridade.

Vão comprar mais Kamov?

Nunca comprei Kamov. Eu sou muito aborrecido, porque repito sempre a mesma coisa, pareço a grafonola do Eça. Também existe a questão do avião de transporte, mais tarde ou mais cedo vai ter de ser enfrentada a substituição dos C-130 (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=5598.0). A questão não é dramática, o Ministério da Defesa lançou já um concurso para a modernização dos novos C-130, infelizmente menos um por causa da tragédia do 11 de Julho, um momento terrível. Temos um modelo, que é o KC390, de que tanto se fala, porque tem uma componente nacional forte, quer através da investigação e concepção, quer através da produção, uma vez que a parte exterior da fuselagem, mais de 50%, é produzida em Portugal. O primeiro-ministro anunciou a decisão para breve e vamos ver se assim será. Se assim for, esse tipo de aeronave tem possibilidade de adaptação de um kit contra incêndio - deixando eu claro que é óbvio que não é com estes kits que vamos ter capacidade para enfrentar os incêndios, mas também com os nossos pilotos.
Fonte: http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/azeredo-lopes-e-possivel-fazer-diferente-esta-e-outra-licao-extraordinaria-que-a-esquerda-da (http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/azeredo-lopes-e-possivel-fazer-diferente-esta-e-outra-licao-extraordinaria-que-a-esquerda-da)

Então acha que não é urgente por causa do contrato com privados até 2017. Até parece que vai ser de um instante para o outro que se vai treinar os pilotos necessários para a FAP executar as missões e para adquirir o equipamento necessário.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Dezembro 08, 2016, 06:08:49 pm
Este senhor doutor tanto diz umas coisas sensatas como depois diz outras coisas a mostrar o seu verdadeiro ADN de político.

Citação de: SAPO 24
Falou no combate aos incêndios, há quem defenda que o financiamento devia ser feito pela prevenção e não por fogo apagado, caso contrário está-se a estimular uma indústria que vive deste negócio. Concorda?

Que haja uma dimensão económica do combate a incêndio, naturalmente que sim, basta a circunstância da contratualização com privados que, não tendo de ser bons samaritanos, presume-se que querem ter um lucro razoável. Isso nem sequer me constrange particularmente. Quanto ao modelo, a estratégia de combate aos incêndios, é essencialmente pensada e executada pela Administração Interna, portanto não quero pronunciar-me sobre isso. Pronunciei-me quando fui perguntado e o primeiro-ministro, numa intervenção que fez quando fomos visitar as delegações de países estrangeiros que vieram ajudar no combate aos incêndios, expôs em 20 ou 25 minutos porque é que se esperava que as Forças Armadas, em particular a Força Aérea, tivessem um papel mais significativo aí.

Vai ser a Força Aérea a combater incêndios?

Isto envolve questões, uma delas é o equipamento. Sem prejuízo de não ter que me preocupar com qual o equipamento para combate a incêndios, sei que tenho in-house pilotos do melhor que há, sei que algum equipamento está previsto com o duplo uso neste sentido, civil e militar, e seria desperdício deixar de lado. Depois, há a circunstância de a Força Aérea desempenhar já inúmeras missões que têm um carácter civil, no sentido não estritamente militar ou bélico, como o transporte de doentes, o salvamento de pessoas ou missões de fiscalização e vigilância da nossa costa, das nossas águas. A questão que se coloca é a do modelo. O modelo está a ser pensado, mas não é extraordinariamente urgente, porque o governo anterior prolongou até 2017 o contrato com privados e isso dá-nos o tempo para, de uma vez por todas, enfrentarmos a questão: quem está mais vocacionado, quem tem mais capacidade de planeamento, mais capacidade operacional.

António Costa defendeu, enquanto ministro de Estado e da Administração Interna, que devia ser a Força Aérea a combater os incêndios. A criação da EMA, na altura, foi uma escolha condicionada.

É impensável, é uma doença portuguesa, falarmos sempre do que aconteceu no passado para explicar porque não acontece no presente ou não vai acontecer no futuro. Não tenho a certeza que as Forças Armadas estivessem vocacionadas ou tivessem especial vontade nessa altura. Há circunstâncias em que é difícil uma visão completa do que aconteceu.

Mas a Força Aérea já se mostrou disponível.

Quando?

No governo anterior.

Isso, felizmente, já parece a pré-história. A situação a que se refere mudou. A questão principal colocou-se em 1999. Agora vamos estudar o modelo.

Não existem já estudos feitos?

Não, isso é outro mito. O estudo mais recente ficou a meio. Não só ficou a meio, como as partes que o elaboraram colocaram uma nota em que declararam não concordar com a interpretação dos termos fundamentais utilizados, como operações, empenhamento. E apontavam para a possibilidade ou a vantagem do maior envolvimento da Força Aérea, mas faltava a segunda parte, uma coisa que as pessoas esquecem, que é dizer como seria esse envolvimento. Se ler o relatório, que eu li de fio a pavio, não está lá. Ora, demorou dois anos a fazer um relatório que, no fundo, não passa da sopa. Agora mal passou um ano e já se avançou muito, já se consensualizou que a Força Aérea pode e deve ter um papel no combate aos incêndios e nas missões de interesse público e já se está a falar, não de estudos, mas de algo no plano executivo.

Qual será o próximo passo?

Vão ser lançados concursos públicos para a aquisição dos helicópteros (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=1630.msg280551#msg280551) que vêm substituir os que deixam de poder voar no início de 2018, o que quer dizer que temos de andar com celeridade.

Vão comprar mais Kamov?

Nunca comprei Kamov. Eu sou muito aborrecido, porque repito sempre a mesma coisa, pareço a grafonola do Eça. Também existe a questão do avião de transporte, mais tarde ou mais cedo vai ter de ser enfrentada a substituição dos C-130 (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=5598.0). A questão não é dramática, o Ministério da Defesa lançou já um concurso para a modernização dos novos C-130, infelizmente menos um por causa da tragédia do 11 de Julho, um momento terrível. Temos um modelo, que é o KC390, de que tanto se fala, porque tem uma componente nacional forte, quer através da investigação e concepção, quer através da produção, uma vez que a parte exterior da fuselagem, mais de 50%, é produzida em Portugal. O primeiro-ministro anunciou a decisão para breve e vamos ver se assim será. Se assim for, esse tipo de aeronave tem possibilidade de adaptação de um kit contra incêndio - deixando eu claro que é óbvio que não é com estes kits que vamos ter capacidade para enfrentar os incêndios, mas também com os nossos pilotos.
Fonte: http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/azeredo-lopes-e-possivel-fazer-diferente-esta-e-outra-licao-extraordinaria-que-a-esquerda-da (http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/azeredo-lopes-e-possivel-fazer-diferente-esta-e-outra-licao-extraordinaria-que-a-esquerda-da)

Então acha que não é urgente por causa do contrato com privados até 2017. Até parece que vai ser de um instante para o outro que se vai treinar os pilotos necessários para a FAP executar as missões e para adquirir o equipamento necessário.

Cumprimentos,

Estou á espera mas sentado.......quando tivermos de suportar mais uma sobretaxa de IRS para pagar os 3.000 milhões que o (des)governo vai ter que colocar o ano que vem na CGD, então depois falamos.
Estes politicozecos de pacotilha nunca perceberam o que quer que fosse de equipamento militar, e não só......... o que todos estes especialistas iluminados,  fazem é mandar uns papos valentes para queimar tempo, neste caso esse tempo é até ás autárquicas do ano que vem, e vai empurrando o problema com barriga até dia de S. Nunca, aliás como todos fazem, mai nada, e assim lá vamos cantando e rindo.....  :G-clever: :G-clever: :G-clever: :G-clever: :G-deal: :G-deal: :G-deal: :conf: :conf: :conf:

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 18, 2017, 03:19:42 pm
Aprovada por unanimidade em comissão parlamentar, quatro anos após ter sido lançada, a petição que defende o regresso da Força Aérea Portuguesa ao combate aos incêndios nas florestas portuguesas vai mesmo ser apreciada no plenário da Assembleia da República.

Citar
Cidadãos obrigam deputados a debater Força Aérea no combate a incêndios
2017-01-17 16:22

Petição com mais de 32 mil subscritores exige que Força Aérea Portuguesa volte a atuar no combate aos fogos florestais. Documento esperou quatro anos até conseguir ser avaliado pelo Parlamento
 
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/parlamento/cidadaos-obrigam-deputados-a-debater-forca-aerea-no-combate-a-incendios
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Janeiro 18, 2017, 05:40:07 pm
E 4/5 meses para terem tudo operacional?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Janeiro 18, 2017, 06:10:01 pm
E 4/5 meses para terem tudo operacional?

Vai tudo dizer que acha muito bem e depois não acontece nada.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Janeiro 18, 2017, 07:59:32 pm
E 4/5 meses para terem tudo operacional?

Lool, só se for colocar militares da Força Aérea ao lado dos do Exército, talvez 1 pelotão. ;D

Em termos de aeronaves, acho que vai ficar pelo que o governo tem dito, o MAI diz que até 2019 (acho que é), há contracto com empresas privadas.

O MDN diz que o futuro substituto do Alouette III deve ter capacidade de combate aos fogos, e o substituto do C-130 (KC-390?) também deverá ter, isto é, a Força Aérea tem até 2019 para preparar alguma coisa que se veja nessa área, mas na realidade a FAP nunca poderá colocar no terreno 30 e tal helicópteros mais Kamovs e Canadairs que é o numero de meios aéreos que constituem o dispositivo aéreo de combate aos fogos, penso que a FAP além de algum papel na organização, logística, comando e controlo desses meios, na componente operacional poderá fornecer alguns helicópteros (2, 4, por ai) para reforço dos meios alugados nas regiões mais afectadas pelo fogo ou para colocar em regiões que não estejam cobertas pelos meios civis, como por exemplo, a Madeira.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Janeiro 18, 2017, 08:28:35 pm
Se houvesse vontad€ até podia, mas não estou a ver o estado a fazer um investimento de tal escala.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Janeiro 18, 2017, 10:12:25 pm
Havendo vontade claro,

Bastava adquirir não 5 ou 6 helis para substituir os A-III, e comprar de uma assentada, 30, AS-350B3 ( por exemplo) e adquirir hélis médios UH-60M ou L Black  Hawk ou Cougar para o Exército (uns 15).


Estes meios poderiam ser uns 80 % dos meios disponíveis, e alugar só uma pequena parte, e fazer a instrução de pilotagem na FAP, busca e salvamento (ter 1 ou 2 Blackhawk destacados em Ovar), MEDEVAC e transporte táctico no Exército.


Mas temos de pagar as PPP ruinosas e os estádios do EURO 2004, isso é mais premente !
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 02, 2017, 10:55:40 am
Esperemos que tudo seja feito correctamente e com o devido reforço de verbas e meios...  ;)

http://www.dn.pt/portugal/interior/forca-aerea-entra-no-combate-aos-incendios-5643347.html (http://www.dn.pt/portugal/interior/forca-aerea-entra-no-combate-aos-incendios-5643347.html)
Citar
Passagem dos helicópteros da Autoridade Nacional de Proteção Civil para a Força Aérea reuniu consenso

A Força Aérea vai passar a combater os incêndios florestais e a operar os meios aéreos que estão sob a alçada da Autoridade Nacional de Proteção Civil, avança hoje o Jornal de Notícias. O ministro da Agricultura, Capoulas santos, adiantou ao jornal que a proposta que esteve para consulta pública no âmbito da reforma das florestas reuniu consenso.

De acordo com Capoulas Santos, apesar de ser esta a orientação do Governo, o contrato que existe atualmente com a Everjets será cumprido até ao fim, ou seja, até ao início de 2019. Durante esse período, haverá portunidade para preparar a transição apara a Força Aérea.

Com a extinção da Empresa de Meios Aéreos, em outubro de 2014, a Autoridade Nacional de Proteção Civil ficou responsável pela gestão dos contratos de operação e manutenção dos meios aéreos próprios do Estado.

Em fevereiro de 2015, a empresa Everjets ganhou o concurso público internacional de operação e manutenção dos helicópteros Kamov do Estado para quatro anos, num valor superior a 46 milhões de euros.

Anteriormente era a Heliportugal a empresa responsável. Durante o processo de transferência, verificou-se "uma série de não conformidades graves no estado das aeronaves", estando apenas operacionais, na altura, um dos seis helicópteros.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fstatic.globalnoticias.pt%2Fdn%2Fimage.aspx%3Ftype%3Dgenerate%26amp%3Bname%3Doriginal%26amp%3Bid%3D5643347%26amp%3Bw%3D579%26amp%3Bh%3D371%26amp%3Bt%3D20170202091500&hash=eeb5ec5bb312ed68f126c5ac11c85196)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Fevereiro 02, 2017, 11:23:01 am
Esperemos que tudo seja feito correctamente e com o devido reforço de verbas e meios...  ;)

Deve ser... Quando foi a ultima vez que vimos isso acontecer por cá? Pois...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 02, 2017, 12:09:20 pm
Esperemos que tudo seja feito correctamente e com o devido reforço de verbas e meios...  ;)
Citar
Deve ser... Quando foi a ultima vez que vimos isso acontecer por cá? Pois...

Haja fé...  ;) Entretanto será que vão camuflar os Kamov como os da Força Aérea Sul Koreana?  ;D
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn-www.airliners.net%2Fphotos%2Fairliners%2F8%2F8%2F5%2F1919588.jpg%3Fv%3Dv40&hash=bbf65421318c12b89b5f57cf4d7101b5)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Fevereiro 02, 2017, 01:56:30 pm
Haja fé...  ;) Entretanto será que vão camuflar os Kamov como os da Força Aérea Sul Koreana?  ;D

Saudações

Não acredito, porque até 2019 a Força Aérea vai é substituir a ANPC como entidade gestora da frota Kamov, tudo o resto fica igual, depois não sei.

Deve ser um maquinão é a fazer carga suspensa, como os Light Gun do Exército.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 02, 2017, 02:49:35 pm
Haja fé...  ;) Entretanto será que vão camuflar os Kamov como os da Força Aérea Sul Koreana?  ;D

Saudações

Não acredito, porque até 2019 a Força Aérea vai é substituir a ANPC como entidade gestora da frota Kamov, tudo o resto fica igual, depois não sei.

Deve ser um maquinão é a fazer carga suspensa, como os Light Gun do Exército.
Ao que parece os dos Coreanos além de apagarem fogos  são usados noutros preâmbulos...  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi107.photobucket.com%2Falbums%2Fm309%2FChernayaAkula%2FSouth%2520Korean%2520Ka-32%2FKA2005126185155.jpg&hash=8b56f74997c1c0df1307ae05cab034c5)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi107.photobucket.com%2Falbums%2Fm309%2FChernayaAkula%2FSouth%2520Korean%2520Ka-32%2FKA2005126190549.jpg&hash=5c71c762a40be604cdd5c7667fed2755)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi107.photobucket.com%2Falbums%2Fm309%2FChernayaAkula%2FSouth%2520Korean%2520Ka-32%2FKA2005126190720.jpg&hash=8646fda5cc2d64011ec5ec447a8a245b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi107.photobucket.com%2Falbums%2Fm309%2FChernayaAkula%2FSouth%2520Korean%2520Ka-32%2FKA2005126190256.jpg&hash=e013ea1379a0dae0985a00eee41bad73)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi107.photobucket.com%2Falbums%2Fm309%2FChernayaAkula%2FSouth%2520Korean%2520Ka-32%2FKA2005126185912.jpg&hash=7bd3763db218751c3c764bede9d8ff61)

Citar
http://www.arcforums.com/forums/air/index.php?/topic/142300-south-korean-ka-32s/ (http://www.arcforums.com/forums/air/index.php?/topic/142300-south-korean-ka-32s/)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 02, 2017, 03:02:54 pm
São "6" Ka-32 e 3 AS350?

Se a substituição dos Alouettes for por AS350 já se ficam com uma frota interessante de 8/10 unidades, mesmo tendo com os encargos de combate a incêndios e transporte de doentes.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Fevereiro 02, 2017, 03:09:49 pm
Ao que parece os dos Coreanos além de apagarem fogos  são usados noutros preâmbulos...  ;)

Mas o pessoal asiático é baixinho  ;D.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 02, 2017, 03:19:57 pm
Ao que parece os dos Coreanos além de apagarem fogos  são usados noutros preâmbulos...  ;)

Mas o pessoal asiático é baixinho  ;D.

Sim, são sobretudo usados para operações especiais e CSAR. Daí a sua designação na Coreia do Sul de HH-32A.  ;)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcfile2.uf.tistory.com%2Fimage%2F17688E284C15D0204D816C&hash=194ce52f15b227e68274db3cdf55f825)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 03, 2017, 11:35:31 am
Ao que parece os dos Coreanos além de apagarem fogos  são usados noutros preâmbulos...  ;)

Mas o pessoal asiático é baixinho  ;D.

A média de alturas dos Sul-Coreanos é superior à Portuguesa.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 03, 2017, 11:55:40 am
E, com isto noticiado ontem, é questão para nos indagarmos se a passagem dos Kamov e Écureil para a FAP em 2019 não implicará que se tornem nos "novos" meios de asa rotativa que substituirão os Alouette III. Para os políticos isto seria ouro sobre azul pois matavam-se dois coelhos com uma cajadada só...  ::)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Fevereiro 03, 2017, 12:23:33 pm
A média de alturas dos Sul-Coreanos é superior à Portuguesa.

Então o estereótipo não se confirma? Pior para os Sul-Coreanos que tem que ir enfiados ali dentro tipo sardinha, até para entrar e sair deve ser complicado, imaginem numa situação de combate, com feridos, etc. É que não me parece um bom aparelho para esse tipo de missões.

Penso que os nossos militares se puderem escolher, devem preferir as características do EH101, cabine grande, com rampa de acesso.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 03, 2017, 12:59:06 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fatt.x2.hiapk.com%2Fforum%2Fmonth_1010%2F10102402188e442039c0209652.jpg&hash=48b4c949a1b93e9ebb2aff904803f362)

Um helicóptero como o Merlim é excelente para inserir um PelAt, mas será que os Kamov são assim tão apertados?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Fevereiro 03, 2017, 01:08:32 pm
A média de alturas dos Sul-Coreanos é superior à Portuguesa.

Então o estereótipo não se confirma? Pior para os Sul-Coreanos que tem que ir enfiados ali dentro tipo sardinha, até para entrar e sair deve ser complicado, imaginem numa situação de combate, com feridos, etc. É que não me parece um bom aparelho para esse tipo de missões.

Penso que os nossos militares se puderem escolher, devem preferir as características do EH101, cabine grande, com rampa de acesso.

Isso são problemas de pobre que não afectam os coreanos. Quando necessitarem de mais espaço podem utilizar as dezenas Chinook que possuem, distribuídos entre a FA e o Exército.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 03, 2017, 02:08:15 pm
Epá, a malta dos Al III se calhar até acha espaçoso...  ;D :D

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi216.photobucket.com%2Falbums%2Fcc166%2Fflemister60%2FPicture097.jpg&hash=4a06c6ec168c1d0bd0e6e521c228f8b5)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi216.photobucket.com%2Falbums%2Fcc166%2Fflemister60%2FPicture098.jpg&hash=8b15e2b8fec18ea2d597d9acf0cb29de)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi216.photobucket.com%2Falbums%2Fcc166%2Fflemister60%2FPicture096.jpg&hash=426efa87bdda496110e8a24689f844b7)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi216.photobucket.com%2Falbums%2Fcc166%2Fflemister60%2FPicture094.jpg&hash=70beb522f1f9d9a4bc671f8b8e7c24ef)

http://www.arcforums.com/forums/air/index.php?/topic/142300-south-korean-ka-32s/ (http://www.arcforums.com/forums/air/index.php?/topic/142300-south-korean-ka-32s/)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 03, 2017, 03:18:39 pm
E, com isto noticiado ontem, é questão para nos indagarmos se a passagem dos Kamov e Écureil para a FAP em 2019 não implicará que se tornem nos "novos" meios de asa rotativa que substituirão os Alouette III. Para os políticos isto seria ouro sobre azul pois matavam-se dois coelhos com uma cajadada só...  ::)

Não vai acontecer porque os Alouette devem ser retirados já no próximo ano e pelo que foi falado a escolha dos substitutos já deve ir relativamente avançada.
Admito é que se esses novos meios poderão influenciar a escolha do substituto.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 03, 2017, 03:37:27 pm
E, com isto noticiado ontem, é questão para nos indagarmos se a passagem dos Kamov e Écureil para a FAP em 2019 não implicará que se tornem nos "novos" meios de asa rotativa que substituirão os Alouette III. Para os políticos isto seria ouro sobre azul pois matavam-se dois coelhos com uma cajadada só...  ::)

Não vai acontecer porque os Alouette devem ser retirados já no próximo ano e pelo que foi falado a escolha dos substitutos já deve ir relativamente avançada.
Admito é que se esses novos meios poderão influenciar a escolha do substituto.

Eu também fiquei com a ideia, que os eroceil será o substituto dos AL3 e esse substituto virá da administação interna.

Sera que a FAP não poderá utilizar os helis, mesmo sabendo que o contrato de manutenção é privado?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 03, 2017, 04:00:17 pm
E, com isto noticiado ontem, é questão para nos indagarmos se a passagem dos Kamov e Écureil para a FAP em 2019 não implicará que se tornem nos "novos" meios de asa rotativa que substituirão os Alouette III. Para os políticos isto seria ouro sobre azul pois matavam-se dois coelhos com uma cajadada só...  ::)

Não vai acontecer porque os Alouette devem ser retirados já no próximo ano e pelo que foi falado a escolha dos substitutos já deve ir relativamente avançada.
Admito é que se esses novos meios poderão influenciar a escolha do substituto.

Eu também fiquei com a ideia, que os eroceil será o substituto dos AL3 e esse substituto virá da administação interna.

Sera que a FAP não poderá utilizar os helis, mesmo sabendo que o contrato de manutenção é privado?

Na última comissão de defesa a informação que passou foi que já existe uma lista de candidatos propostos pela Força Aérea e a compra de 5 unidades foi antecipada para se poder retirar os Alouettes já em 2018.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Fevereiro 03, 2017, 07:09:14 pm
Isso são problemas de pobre que não afectam os coreanos. Quando necessitarem de mais espaço podem utilizar as dezenas Chinook que possuem, distribuídos entre a FA e o Exército.

Certo, percebo se for uma situação como a das fotos, um piloto de caça abatido, que não está ferido, e precisa de ser retirado. Mas se imaginarmos que ele está ferido e tem que ser transportado em maca, ou que foi uma aeronave com tripulação maior (ex: C-130) que fez uma aterragem forçada e é preciso retirar 6 ou mais pessoas, ai ou se usa mais aparelhos ou se usa um com outras capacidades, se eles tem várias soluções melhor.

Eu por acaso estava a pensar noutro helicóptero, um que eles construíram com apoio da Eurocopter, o Surion, mas após pesquisa descobri que só o Exército é que o usa, não é a Força Aérea.

(https://c2.staticflickr.com/6/5472/12200827685_887db7e51a_b.jpg)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Fevereiro 03, 2017, 07:20:18 pm
Epá, a malta dos Al III se calhar até acha espaçoso...  ;D :D

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi216.photobucket.com%2Falbums%2Fcc166%2Fflemister60%2FPicture098.jpg&hash=8b15e2b8fec18ea2d597d9acf0cb29de)

Tenho ideia que a altura da cabine é 1.40m, mas para uma pessoa sentada deve ser suficiente, mas para se movimentarem lá dentro já deve atrapalhar.

O EH101 já tem umas dimensões mais generosas, 1.83m internamente, 1.95m na rampa.

(https://www.the-blueprints.com/blueprints-depot-restricted/helicopters/agusta/agustawestland_aw101_helicopter_interior-42941.jpg)

Mas vai tudo do que se quer fazer com eles. Quantos militares transportam os Kamov nas missões CSAR? nas fotos vejo 3. Se um EH101 transportar uma força de 20 ou mais militares mais equipamento e eles tiverem que sair do heli de joelhos, por aquela espécie de janela a 1m do solo, não dá jeito nenhum.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 03, 2017, 10:33:28 pm
Não me parece que a ROK air force tenha grandes problemas de helicópteros. Literalmente escolhas não faltam (isto só ao nível do Csar, além do Kamov)...  ;)

https://en.wikipedia.org/wiki/Republic_of_Korea_Air_Force (https://en.wikipedia.org/wiki/Republic_of_Korea_Air_Force)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmedia.gettyimages.com%2Fphotos%2Fsouth-korea-special-warfare-command-troops-load-onto-a-ch47-chinook-picture-id88715745%3Fs%3D594x594&hash=fe615b2b27b3237045ad348bf4e1556f)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn-www.airliners.net%2Fphotos%2Fairliners%2F9%2F2%2F2%2F1362229.jpg%3Fv%3Dv40&hash=67e3198355b47a9226b4f9d593926b20)

Saudações

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: pedropassoscoelho em Fevereiro 04, 2017, 01:20:40 am
E, com isto noticiado ontem, é questão para nos indagarmos se a passagem dos Kamov e Écureil para a FAP em 2019 não implicará que se tornem nos "novos" meios de asa rotativa que substituirão os Alouette III. Para os políticos isto seria ouro sobre azul pois matavam-se dois coelhos com uma cajadada só...  ::)


...meus Senhores, já que falam em coelhos, ou levantam a lebre:

Onde leram que os meios irão passar a ser OPERADOS pela F.A.P. ?

... tudo me leva a acreditar que serão GERIDOS pela F.A.P. ... algo substancialmente diferente. Pode ser que me engane... mas tal como o meu tio, raramente tenho dúvidas.

 :G-beer2:
Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 04, 2017, 10:32:28 am
É possível, mas a parte "Durante esse período, haverá oportunidade para preparar a transição apara a Força Aérea"  pode indicar outra coisa.

De qualquer maneira muita coisa acontece até 2019 e pode acontecer que o governo seja outro e o plano seja riscado completamente.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 04, 2017, 11:13:55 am
E, com isto noticiado ontem, é questão para nos indagarmos se a passagem dos Kamov e Écureil para a FAP em 2019 não implicará que se tornem nos "novos" meios de asa rotativa que substituirão os Alouette III. Para os políticos isto seria ouro sobre azul pois matavam-se dois coelhos com uma cajadada só...  ::)


...meus Senhores, já que falam em coelhos, ou levantam a lebre:

Onde leram que os meios irão passar a ser OPERADOS pela F.A.P. ?

... tudo me leva a acreditar que serão GERIDOS pela F.A.P. ... algo substancialmente diferente. Pode ser que me engane... mas tal como o meu tio, raramente tenho dúvidas.

 :G-beer2:
Abraços
Mesmo sendo só geridos pela FAP é bem melhor que a actual situação que já lesou os contribuintes em milhões de euros, tanto na situação dos Kamov, como na perda total de um Ecureuil (pois não tinha seguro e assim não foi substituído), passando pelo buraco deixado pela EMA, etc etc.

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: perdadetempo em Fevereiro 04, 2017, 06:29:35 pm
Quando da aquisição dos Kamov e dos Ecureil, bastava ter criado uma organização dentro da defesa civil, para aí com um director, um responsável pelas operações aéreas, um responsável pela manutenção, mecânicos e pilotos e alguns administrativos, mas isso era demasiado simples para as entidades da altura, e também para as actuais diga-se de passagem.

Estou curioso em saber qual a organização da futura "gerência" das operações mas do mal o menos já devem estar a ser pagos de maneira que sempre se poupa num presidente, vice, vogais, secretariado, motoristas etc...

Assim já devem ter dinheiro para contratar pilotos a 40000/70000€/ano para pilotarem os Kamov (é o preço no mercado internacional a não ser que aluguem russos), e deve sair mais barato que o custo de um piloto da Força Aérea.

Nota: Por custo do piloto da FAP estou-me a referir ao custo de treinar um novo piloto do quadro permanente  para as operações em causa e não ao ordenado que ele recebe.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 06, 2017, 11:03:42 am
Entre as já diversas versões do que se vai de facto passar relativo a esta questão, uma delas é que os Kamov não transitarão da alçada ANPC nem serão usados pela FAP...  ;)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fstatic.globalnoticias.pt%2Ftsf%2Fimage.aspx%3Ftype%3Dgenerate%26amp%3Bname%3Dsectionbig%26amp%3Bid%3D5132172%26amp%3Bsource%3Dng6529436%26amp%3Bw%3D700%26amp%3Bt%3D20160418190100&hash=fca843d2023be99afd8c851dd0713deb)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn1.ionline.pt%2Fmedia%2F2015%2F11%2F22%2Ffb%2F502550.jpg&hash=c78f24fd75b548a46a7edb9c6189bdef)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: perdadetempo em Fevereiro 06, 2017, 03:06:56 pm
Entre as já diversas versões do que se vai de facto passar relativo a esta questão, uma delas é que os Kamov não transitarão da alçada ANPC nem serão usados pela FAP...  ;)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fstatic.globalnoticias.pt%2Ftsf%2Fimage.aspx%3Ftype%3Dgenerate%26amp%3Bname%3Dsectionbig%26amp%3Bid%3D5132172%26amp%3Bsource%3Dng6529436%26amp%3Bw%3D700%26amp%3Bt%3D20160418190100&hash=fca843d2023be99afd8c851dd0713deb)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn1.ionline.pt%2Fmedia%2F2015%2F11%2F22%2Ffb%2F502550.jpg&hash=c78f24fd75b548a46a7edb9c6189bdef)

Saudações

Provavelmente os Kamov devem ter sido ao longo destes anos os mais mal amados da história da aviação em Portugal, de tal maneira que ainda à uns anos ouve umas alminhas, penso que com asas, que tentaram vender a ideia de os substituir pelos Puma  ,que já não serviam para o SAR porque estavam velhinhos, mas que para apagar fogos a carregarem baldes de 4000l pelos vistos estavam pelas curvas ::)

A ultima fotografia mostra claramente o que se deseja para os Kamov em Portugal.

PS: E a Bombardier já não fabrica os CL-415
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 06, 2017, 03:32:34 pm
Citação de: perdadetempo

PS: E a Bombardier já não fabrica os CL-415

Passou para a Viking Air.  https://en.wikipedia.org/wiki/Viking_Air (https://en.wikipedia.org/wiki/Viking_Air)

Citar
On June 20, 2016, Viking announced the acquisition of the worldwide amphibious aircraft program from Bombardier, including the type certificates for the CL-215, CL215T and CL-415 Waterbombers.[7][8] The acquisition was finalised on 3 October.[9]
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Faiac.ca%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F10%2Fviking_logo_tagline-1.jpg&hash=8654aa6502d49791056dad44e0fb1ba1)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.airlinereporter.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2013%2F04%2FViking-3-Fuselage-Assembly.jpg&hash=114f8d6f2f025fbf725721514020817c)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.dhc-2.com%2F3550358b0.jpg&hash=dc4c6eb6d335253ec1708f52d1906d70)
(https://i.ytimg.com/vi/rRIBxy5OErg/hqdefault.jpg)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: perdadetempo em Fevereiro 06, 2017, 03:58:20 pm
Citação de: perdadetempo

PS: E a Bombardier já não fabrica os CL-415

Passou para a Viking Air.  https://en.wikipedia.org/wiki/Viking_Air (https://en.wikipedia.org/wiki/Viking_Air)

Citar
On June 20, 2016, Viking announced the acquisition of the worldwide amphibious aircraft program from Bombardier, including the type certificates for the CL-215, CL215T and CL-415 Waterbombers.[7][8] The acquisition was finalised on 3 October.[9]
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Faiac.ca%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F10%2Fviking_logo_tagline-1.jpg&hash=8654aa6502d49791056dad44e0fb1ba1)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.airlinereporter.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2013%2F04%2FViking-3-Fuselage-Assembly.jpg&hash=114f8d6f2f025fbf725721514020817c)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.dhc-2.com%2F3550358b0.jpg&hash=dc4c6eb6d335253ec1708f52d1906d70)
(https://i.ytimg.com/vi/rRIBxy5OErg/hqdefault.jpg)

Saudações

Correcto, mas neste momento o que isso significa é que é OEM para peças sobressalentes, manutenção etc... Podem fabricar os aviões se quiserem, ou seja se acharem que é economicamente viável...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Fevereiro 06, 2017, 04:06:57 pm
Fala-se em fabrico de novas unidades. Tanto mais que a Viking Air adquiriu uma nova unidade de 50 000 m2 em Cagliary falando estritamente em expandir ainda mais o Cl 415. http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program (http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program)
Citar
The transaction will see Viking acquire the Type Certificates (manufacturing rights) for all variants of Bombardier's amphibious aircraft, and assume responsibility for product support, parts and service for the fleet of some 170 water bombers in service with 21 operations in 11 countries around the world. This follows Viking's successful model of acquiring, supporting and sustaining utility aircraft programs, including manufacturing the world-renowned Twin Otter Series 400 aircraft. Viking will support the worldwide amphibious aircraft program from a newly acquired and specially repurposed 50,000 square foot facility in Calgary. Terms of the transaction were not disclosed.
"This acquisition expands Viking's capabilities in product support and parts into another vital niche aviation segment, and ensures that a unique and important Canadian innovation stays in Canada," said David Curtis, President and Chief Executive Officer of Viking. "We are proud to add another iconic Canadian aircraft program to Viking's stable - our aim is to take the 415 to its highest potential and keep these aircraft in service for decades to come. This transaction builds on our presence in British Columbia and Alberta and expands on the existing strengths of the western Canadian aerospace industry. At the same time, we will continue to rely on an extensive supply chain in Quebec and Ontario to support both the amphibious aircraft and Twin Otter programs."
- See more at: http://www.vikingair.com/viking-news/media-centre/viking-air-limited-acquires-worldwide-cl-415-water-bomber-program#sthash.jqVrPFTj.dpuf
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.vikingair.com%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fdocuments%2FBombing%2520fire.jpg&hash=4c5cee83abc63a9f15076d1911e2f6ec)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: rbp em Março 02, 2017, 06:01:37 pm
https://www.bps.pt/2017/03/01/forcas-armadas-vao-integrar-o-decif/
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: perdadetempo em Março 02, 2017, 06:48:26 pm
https://www.bps.pt/2017/03/01/forcas-armadas-vao-integrar-o-decif/

Confirma-se vão tratar da gerência
Citar
orça Aérea vai gerir meios aéreos de combate a incêndios

As Forças Armadas Portuguesas estão divididas em três: Marinha, Exército e Força Aérea. E, a partir deste mês de março, a Força Aérea passa a integrar, dentro da Autoridade Nacional de Proteção Civil, a área da gestão dos recursos e meios aéreos que operam na Proteção Civil no âmbito do combate a incêndios florestais. “Vamos ter a Força Aérea a integrar a gestão dos meios aéreos, ou seja, passam a estar dentro da sala de comando, para ajudar a Proteção Civil com os recursos dos meios aéreos, que chegam quase a 50 no período máximo”, explicou Jorge Gomes aos jornalistas. Assim, ainda de acordo com o Secretário de Estado, opera-se uma “grande mudança na Proteção Civil, desejada há alguns anos, e que se vem consubstanciar” em 2017.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Março 31, 2017, 12:04:44 pm
15 OPSAS em curso de combate a incêncios florestais

http://www.emfa.pt/www/noticia-1367

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emfa.pt%2Fwww%2Fconteudos%2Fgaleria%2Fnoticias%2F2017%2Fmarco%2Fimg-6701-1-1_1266.JPG&hash=57b64fb463fe3f2478407d9f9be37c77)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 22, 2017, 05:35:07 pm
Não tendo directamente a ver com a FAP, é no entanto ligada à temática do combate a incêndios.

Citar
Regulador culpa Proteção Civil por degradação dos hélis Kamov
ROSA RAMOS - 22/5/2017
Hoje às 00:41

ANAC inspecionou helicópteros e concluiu que a Proteção Civil deveria ter verificado e acompanhado o seu estado.

A Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) concluiu que a responsabilidade pela degradação dos cinco helicópteros Kamov do Estado - que, numa auditoria de 2015, apresentaram cerca de uma centena de falhas que estão a ser investigadas judicialmente - é da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), a dona das aeronaves.

http://www.jn.pt/nacional/interior/regulador-culpa-protecao-civil-por-degradacao-dos-helis-kamov-8494395.html
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Junho 20, 2017, 11:03:05 am
Avança outra. http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT85971 (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT85971)
Citar
Depois do sucesso com mais de 32 000 assinaturas na Petição Publica “Queremos a nossa Força Aérea Portuguesa novamente no combate aos incêndios”, e enquanto cidadãos activos é nosso imperativo máximo continuar a manifestar ao poder político a importância de envolver mais uma vez a Força Aérea Portuguesa (FAP) no combate directo ao flagelo dos incêndios florestais. Para esse fim é necessário adquirir meios aéreos anfíbios do tipo Canadair tal como as Forças Aéreas da Espanha, Grécia, Croácia e Marrocos possuem desde há décadas. Para quê continuar a entregar enormes somas de dinheiro dos contribuintes a empresas privadas de combate aéreo a incêndios e não investir na nossa FAP? Até porque estes mesmos privados alugam os mesmos Canadair ao Estado Português. Recolocar a Força Aérea nesta luta poderá também contribuir para uma maior transparência na “negociata” dos incêndios. E qual a razão da recusa de montantes europeus a fundo perdido de 85% para aquisição de duas aeronaves anfíbias baseada na decisão da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC)? E também não foi ainda explicado o porquê de a FAP ter sido supostamente afastada pelo poder político do combate directo aos incêndios?
Sempre que o Mecanismo Europeu de Protecção Civil é accionado lá aparecem os Canadair de Espanha, França, Itália, Croácia, Grécia e até mesmo de Marrocos!
Portugal é dos únicos países da Europa do Sul a não ter meios aéreos pesados anfíbios de combate a incêndios florestais... e metade da área ardida na EU em 2016 foi em Portugal...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fpeticaopublica.com%2Fimagespet%2Fpt%2F85971_1.jpg&hash=3538b5fe91b8b78b1330a7ca92bc5da6)

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 20, 2017, 04:37:55 pm
Avança outra. http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT85971 (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT85971)
Citar
Depois do sucesso com mais de 32 000 assinaturas na Petição Publica “Queremos a nossa Força Aérea Portuguesa novamente no combate aos incêndios”, e enquanto cidadãos activos é nosso imperativo máximo continuar a manifestar ao poder político a importância de envolver mais uma vez a Força Aérea Portuguesa (FAP) no combate directo ao flagelo dos incêndios florestais. Para esse fim é necessário adquirir meios aéreos anfíbios do tipo Canadair tal como as Forças Aéreas da Espanha, Grécia, Croácia e Marrocos possuem desde há décadas. Para quê continuar a entregar enormes somas de dinheiro dos contribuintes a empresas privadas de combate aéreo a incêndios e não investir na nossa FAP? Até porque estes mesmos privados alugam os mesmos Canadair ao Estado Português. Recolocar a Força Aérea nesta luta poderá também contribuir para uma maior transparência na “negociata” dos incêndios. E qual a razão da recusa de montantes europeus a fundo perdido de 85% para aquisição de duas aeronaves anfíbias baseada na decisão da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC)? E também não foi ainda explicado o porquê de a FAP ter sido supostamente afastada pelo poder político do combate directo aos incêndios?
Sempre que o Mecanismo Europeu de Protecção Civil é accionado lá aparecem os Canadair de Espanha, França, Itália, Croácia, Grécia e até mesmo de Marrocos!
Portugal é dos únicos países da Europa do Sul a não ter meios aéreos pesados anfíbios de combate a incêndios florestais... e metade da área ardida na EU em 2016 foi em Portugal...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fpeticaopublica.com%2Fimagespet%2Fpt%2F85971_1.jpg&hash=3538b5fe91b8b78b1330a7ca92bc5da6)

Cumprimentos

A tragédia de Sábado em Pedrógão Grande teve vários factores associados para criar o cenário perfeito para um fogo de grandes proporções e violência, estaria a chover no molhado se enumerasse aqui todos eles e as óbvias falhas que agora vão sendo gradualmente enumeradas. No que diz respeito ao que aqui nos interessa, os meios aéreos, não podia estar mais de acordo com o texto desta nova petição.

Das duas umas: ou somos mais inteligentes que meia Europa por continuar a não querer adquirir uma aeronave como o Canadair - alguém explique de uma vez aos políticos que o Canadair não serve só para combater incêndios, tem mais valências, e com as alterações climáticas e aquecimento global o mais certo será termos cada vez mais fogos fora da época oficial de incêndios -, ou então somos uns chicos-espertos, encostando-nos ao mecanismo europeu de auxílio quando tragédias destas acontecem, para não ter de gastar mais arda o que tiver de arder, que depois decreta-se luto nacional e lançam-se várias iniciativas de solidariedade. Aposto, como é óbvio, nesta segunda hipótese.

Os resultados económicos podem estar a melhorar, mas só se pode apostar na contenção da despesa até certo ponto senão a coisa desanda novamente. A abertura de Bruxelas para que os gastos decorrentes do combate a incêndios não sejam tidos em conta para o défice é de louvar, que assim se concretize de facto, assim como devia ser ressuscitada a ideia dos gastos na Defesa não contarem igualmente para esse efeito.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Luso em Junho 20, 2017, 04:53:16 pm
E qual a razão da recusa de montantes europeus a fundo perdido de 85% para aquisição de duas aeronaves anfíbias baseada na decisão da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC)?

Como?
Quem?
Quando?
NOMES!!!!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 20, 2017, 05:15:19 pm
A SIC Notícias está a avançar em última hora que um Canadair da Real Força Aérea Marroquina estará a caminho, e principalmente que outro aparelho idêntico da Força Aérea Espanhola se terá despenhado há pouco no decurso do combate ao fogo em Pedrógão Grande.  :'(
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lusitano89 em Junho 20, 2017, 08:23:34 pm
e principalmente que outro aparelho idêntico da Força Aérea Espanhola se terá despenhado há pouco no decurso do combate ao fogo em Pedrógão Grande.  :'(


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.pixady.com%2F2017%2F06%2F187006_177959231323095541116040796368597870349837n.jpg&hash=673c86fb24be5061d577f6f4e4022dcb)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 20, 2017, 10:35:17 pm
e principalmente que outro aparelho idêntico da Força Aérea Espanhola se terá despenhado há pouco no decurso do combate ao fogo em Pedrógão Grande.  :'(


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.pixady.com%2F2017%2F06%2F187006_177959231323095541116040796368597870349837n.jpg&hash=673c86fb24be5061d577f6f4e4022dcb)


Tanto melhor. também era só o que faltava para a tragédia ser ainda maior. A "fonte" da ANPC que adiantou isso aos jornalistas deve ter-se divertido à brava.  :-\
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Junho 21, 2017, 02:14:56 am
Recebi um alerta do DN e, obviamente, pensei que fosse verdade. Mas que merda de jornalismo é este? Ao menos não houve mais vítimas...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 21, 2017, 11:43:23 am
Recebi um alerta do DN e, obviamente, pensei que fosse verdade. Mas que merda de jornalismo é este? Ao menos não houve mais vítimas...

O jornalismo, e remetendo apenas a este caso específico, tem andado pelas ruas da amargura. Não é só o profundo desconhecimento e analfabetismo de termos técnicos e situações (por exemplo, a nível de equipamentos e meteorologia a coisa tem chegado quase à pura incompetência por parte de profissionais que deviam estar mais bem preparados), mas também a tentação generalizada de quase todos os meios de comunicação social em seguir a via sensacionalista típica de tabloides como o Correio da Manhã.

E como o CM é ainda hoje o diário mais vendido em Portugal, e as audiências do seu canal de televisão continuam a subir, nada como seguir essa escola para ter mais uns pózinhos de atenção. E com isso o verdadeiro jornalismo informativo e assertivo vai por água abaixo.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Junho 21, 2017, 12:51:50 pm
Já agora, enquanto se debatia de quem era a culpa de afinal não ter caído um CL215/415, este triste cenário com imagens e tudo passou ao lado. Já agora, onde andam as autoridades, a ANPC, os jornalistas, críticos e a "malta das multas". Aqui que se justifica ao que parece tardam a aparecer (se depois algum aparelho bater numa destas embarcações, se calhar não se calam depois... ). Prevenção... nem de acidentes quanto mais incêndios... Miséria de país que começa em idiotas barqueiros como estes...   ::) http://tomarnarede.blogspot.pt/2017/06/perigo-na-albufeira-de-castelo-do-bode.html (http://tomarnarede.blogspot.pt/2017/06/perigo-na-albufeira-de-castelo-do-bode.html)
Citar
Apesar de todos os alertas, continuam a verificar-se situações de perigo na albufeira de Castelo do Bode durante as operações de abastecimento de água dos aviões Canadair para combate aos incêndios.

Artur Matos, praticante de canoagem, registou neste domingo (18) uma dessas situações na zona da Bairrada, Bairradinha.
Enquanto um avião Canadair se aproximava da água da albufeira para se abastecer, alguns barcos permaneciam quase no meio do lago dificultando a operação e criando uma situação de perigo.
As imagens falam por si.
(https://3.bp.blogspot.com/-XLL_GGkKVBg/WUfiW1Nc2GI/AAAAAAAAi_8/V1O-YC-pEaMSQFsPCcl3eAx7k_StlAdyQCEwYBhgL/s1600/avi%25C3%25A3o%2BArtur%2BMatos%2B93_3866668618608147766_n.jpg)(https://3.bp.blogspot.com/-HgEe0HzaZYM/WUfiRJdysBI/AAAAAAAAi_o/LSONZcYghpM5_95yEiRp81bItuCWpbPewCEwYBhgL/s1600/cast%2Bbode%2B53_4548227072400960784_n.jpg)

Saudações



Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Julho 27, 2017, 10:38:08 pm
Não os comprem que não vale a pena quando não houver floresta...............

http://sicnoticias.sapo.pt/pequenas-grandes-historias/2017-06-21-Como-funcionam-os-Canadair-
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: raphael em Julho 28, 2017, 11:42:00 am
Não os comprem que não vale a pena quando não houver floresta...............

http://sicnoticias.sapo.pt/pequenas-grandes-historias/2017-06-21-Como-funcionam-os-Canadair-

Na Madeira o ano passado enormes incêndios...este ano como colocaram já três hélis alugados...nem se ouve falar em incêndios na Madeira (ainda bem).

Hão-de comprar qualquer coisa mas nas contas de alguém aviões eficazes para combate a incêndios permamentemente disponíveis não interessam mesmo nada.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Julho 28, 2017, 11:47:43 am
Não os comprem que não vale a pena quando não houver floresta...............

http://sicnoticias.sapo.pt/pequenas-grandes-historias/2017-06-21-Como-funcionam-os-Canadair-

É mais fácil activar o mecanismo europeu ou apelar à solidariedade dos nossos vizinhos e ficar de mão estendida à espera dos CL-415 das Forças Aéreas Espanhola e Marroquina...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Julho 28, 2017, 12:53:21 pm
Não os comprem que não vale a pena quando não houver floresta...............

http://sicnoticias.sapo.pt/pequenas-grandes-historias/2017-06-21-Como-funcionam-os-Canadair-

É mais fácil activar o mecanismo europeu ou apelar à solidariedade dos nossos vizinhos e ficar de mão estendida à espera dos CL-415 das Forças Aéreas Espanhola e Marroquina...

Pois é CJ, dá um aspecto da trampa ser o mesmo fandango ano após ano, mas como dizes é mais fácil e poupa-se algum guito para os amigos, aqueles que tem bancos falidos e afins, e para os outros aqueles que gerem as empresas e fazem os seus negócios com o Estado, e cujo Estado, NÓS, saímos sempre a PERDER E PAGAR !!!!!!

Abraços e deixa arder !!!!!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Julho 30, 2017, 11:55:08 am
Só se fala aqui na remediação do problema, ainda não vi aqui ninguém a postar sequer imagens de aquisições de drones para prevenção, dado a sua capacidade para detecção do problema e permanecer no ar longas horas quer de dia ou de noite, isso reduziria em muito o problema!
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Julho 30, 2017, 12:04:52 pm
Já aqui foi falado e postado. Pelo menos 3 artigos mas deixo aqui alguns exemplo.

http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-06-25-Como-a-tecnologia-pode-ajudar-no-combate-aos-incendios-florestais (http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-06-25-Como-a-tecnologia-pode-ajudar-no-combate-aos-incendios-florestais)

http://blog.mercadrone.com.br/index.php/2016/10/26/cientistas-criam-sistema-de-deteccao-de-incendios-por-drones/ (http://blog.mercadrone.com.br/index.php/2016/10/26/cientistas-criam-sistema-de-deteccao-de-incendios-por-drones/)

https://www.noticiasaominuto.com/pais/295865/gnr-testa-drones-na-prevencao-de-incendios (https://www.noticiasaominuto.com/pais/295865/gnr-testa-drones-na-prevencao-de-incendios)

http://www.cmjornal.pt/portugal/cidades/detalhe/drones-apoiam-combate-contra-fogos-florestais (http://www.cmjornal.pt/portugal/cidades/detalhe/drones-apoiam-combate-contra-fogos-florestais)
Citar
O dispositivo de combate a fogos florestais foi reforçado este ano no concelho de Portimão. As principais novidades prendem-se com a utilização de drones e o recurso a guias para ajudar os bombeiros. No ano passado, Portimão foi atingido por um grande fogo florestal, que consumiu uma área de quase 2 mil hectares. Os drones serão usados em missões de reconhecimento, avaliação e apoio à decisão. Alguns elementos da corporação já receberam formação para operar estes equipamentos. Entretanto, em cooperação com as juntas de freguesia e associação de caçadores, foram identificados guias conhecedores do terreno, que, se necessário, ajudarão os bombeiros.
(https://www.bombeiros.pt/wp-content/uploads/2017/06/drones-3-660x550-552x414.jpg)
Citar
https://www.bombeiros.pt/tecnologia/drones-apoiam-combate-fogos-florestais.html/ (https://www.bombeiros.pt/tecnologia/drones-apoiam-combate-fogos-florestais.html/)
(https://imagens.publicocdn.com/imagens.aspx/909434?tp=UH&db=IMAGENS&w=823)
Citar
https://www.publico.pt/2015/03/15/sociedade/noticia/falcoes-e-aguias-da-gnr-em-testes-finais-para-cacar-incendios-nos-ceus-dos-geres-1689184 (https://www.publico.pt/2015/03/15/sociedade/noticia/falcoes-e-aguias-da-gnr-em-testes-finais-para-cacar-incendios-nos-ceus-dos-geres-1689184)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Julho 30, 2017, 08:58:40 pm
Refiro-me a drones para reconhecimento e vigilância terrestre de longo alcance, com sensores meteorológicos e capacidade para detectar lançamento de dispositivos pirotécnicos, sim estes drones existem e a tecnologia também!

A importância de um drone no céu é a mesma que a de um submarino no mar! É tempo de deixar de comprar os meios aéreos do costume e investir naquilo que pode minimizar ao máximo o risco de incêndio.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Julho 30, 2017, 09:47:09 pm
Mas achas que toda esta palhaçada é para levar a sério? Uns drones manhosos para o povinho ver, uns helis mono-motor civis por 20 milhões e com 'capacidade' para fazer tudo, aviões de transporte 'estratégico' com capacidade de reabastecimento aéreo (que eu saiba nunca foi um requisito da FAP) e, o mais importante, Merc's, Audi's e BM's para as chefias ficarem caladinhas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Julho 31, 2017, 09:49:58 am
Quando a FAP vai fazer vigilância com UAV no mediterrâneo com um concurso da UE ganho a uma serie de concorrentes, está tudo dito. Quem faz uma faz outra, falta é o Estado Português lançar o tal concurso em vez de querer apagar fogos com Kc390 e R44.

https://pplware.sapo.pt/informacao/fora-area-portuguesa-vai-vigiar-mediterrneo-com-drones/ (https://pplware.sapo.pt/informacao/fora-area-portuguesa-vai-vigiar-mediterrneo-com-drones/)
Citar
Com o objectivo de controlar a imigração clandestina, a força aérea portuguesa ganhou recentemente um concurso europeu cujo o objectivo é usar drones para vigiar o Mediterrâneo.

Esta será a primeira experiência europeia, com recurso a drones, que começará já em Março de 2017.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2016/12/drones_00_thumb.jpg)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Julho 31, 2017, 08:27:01 pm
Eu falo em drones e tu a dar-lhe com brinquedos! No mínimo há que investir em alguns MQ-1 Predator valor bastante acessível a um país como o nosso.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Julho 31, 2017, 10:06:23 pm
Eu falo em drones e tu a dar-lhe com brinquedos! No mínimo há que investir em alguns MQ-1 Predator valor bastante acessível a um país como o nosso.
MQ-1 Predator é um UAV de combate. A não ser que a táctica seja lançar misseis Hellfire para o incêndios quanto muito o ideal seria o RQ-1.
Citar
RQ-1 Predator is a long-endurance, medium-altitude unmanned aircraft system for surveillance and reconnaissance missions. Surveillance imagery from synthetic aperture radar, video cameras and a forward-looking infrared (FLIR) can be distributed in real-time both to the front line soldier and to the operational commander, or worldwide in real-time via satellite communication links. MQ-1, armed with AGM-114 Hellfire missiles, is the multi-role version which is used for armed reconnaissance and interdiction.

http://www.airforce-technology.com/projects/predator-uav/ (http://www.airforce-technology.com/projects/predator-uav/)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.fi-aeroweb.com%2FNQT%2FWS%2FPhotos%2FMQ-1C.jpg&hash=10e0e2dd82b339fa8151cd4f39735a6b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.kgwings.com%2Frq1_predator%2Frq1_predator_01.jpg&hash=d439c7e1e98b34efca3ed9e29bbd8742)
Se me vier dizer que a FAP deveria ter RQ1 e MQ1, usando-os em missões civis e de utilidade pública além das militares, até percebo, agora pagar 4 milhões USD para só vigiar incêndios, quando os tais "brinquedos" fazem a mesma coisa por um terço do preço (a aprendizagem da FAP a fazer "brinquedos" vem da contrapartida da modernização dos P3Cub, e foram "contrapartidas" no valor de mais de 100 milhões de euros por parte da LM), não me parece ser o melhor (a não ser que sejam para encostar, como parte da frota de FAP por falta de dinheiro, pilotos, manutenção, etc). É que colocar FLIR, LLTV e sensores térmicos num UAV, até num PITVAN pode ser feito, permitindo assim não apenas à FAP usar como entidades várias tipo a GNR ou a ANPC.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-m0SZz4biMa4%2FVHoViSWQe5I%2FAAAAAAAACHM%2FA0asPTo7YAE%2Fs1600%2F8_2872.JPG&hash=bc3e6c0486537b52cce4c58cf315cc42) 

Saudações

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Julho 31, 2017, 10:37:57 pm
É um UAV para observação e reconhecimento aéreo, a adição de misseis é apenas uma das várias configurações que pode ter. Este é o melhor drone que um país como o nosso pode adquirir para configurar com sensores adequados, uma pequena esquadra destas e pouparia milhões em diversas missões.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Julho 31, 2017, 10:40:25 pm
Eu falo em drones e tu a dar-lhe com brinquedos! No mínimo há que investir em alguns MQ-1 Predator valor bastante acessível a um país como o nosso.
MQ-1 Predator é um UAV de combate. A não ser que a táctica seja lançar misseis Hellfire para o incêndios quanto muito o ideal seria o RQ-1.
Citar
RQ-1 Predator is a long-endurance, medium-altitude unmanned aircraft system for surveillance and reconnaissance missions. Surveillance imagery from synthetic aperture radar, video cameras and a forward-looking infrared (FLIR) can be distributed in real-time both to the front line soldier and to the operational commander, or worldwide in real-time via satellite communication links. MQ-1, armed with AGM-114 Hellfire missiles, is the multi-role version which is used for armed reconnaissance and interdiction.

http://www.airforce-technology.com/projects/predator-uav/ (http://www.airforce-technology.com/projects/predator-uav/)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.fi-aeroweb.com%2FNQT%2FWS%2FPhotos%2FMQ-1C.jpg&hash=10e0e2dd82b339fa8151cd4f39735a6b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.kgwings.com%2Frq1_predator%2Frq1_predator_01.jpg&hash=d439c7e1e98b34efca3ed9e29bbd8742)
Se me vier dizer que a FAP deveria ter RQ1 e MQ1, usando-os em missões civis e de utilidade pública além das militares, até percebo, agora pagar 4 milhões USD para só vigiar incêndios, quando os tais "brinquedos" fazem a mesma coisa por um terço do preço (a aprendizagem da FAP a fazer "brinquedos" vem da contrapartida da modernização dos P3Cub, e foram "contrapartidas" no valor de mais de 100 milhões de euros por parte da LM), não me parece ser o melhor (a não ser que sejam para encostar, como parte da frota de FAP por falta de dinheiro, pilotos, manutenção, etc). É que colocar FLIR, LLTV e sensores térmicos num UAV, até num PITVAN pode ser feito, permitindo assim não apenas à FAP usar como entidades várias tipo a GNR ou a ANPC.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-m0SZz4biMa4%2FVHoViSWQe5I%2FAAAAAAAACHM%2FA0asPTo7YAE%2Fs1600%2F8_2872.JPG&hash=bc3e6c0486537b52cce4c58cf315cc42) 

Saudações

Ó Mafets,  se o Mister 20 milhões lê o teu Post, ainda troca os novos cinco Helis por Drones e vai daí, usa-os para combater os FF !!!!  :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Julho 31, 2017, 10:53:28 pm
Entretanto em Marrocos:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ftimesofsandiego.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2014%2F07%2FPredator-XP.jpg&hash=2cade9256bfc561035e069d93077f53c)

O problema com a operação de apenas UAVs no estilo do PITVANT é que não temos um UAV devidamente testado operacionalmente, com uma cadeia de logística devidamente preparada e com um fabricante para dar apoio. O ideal, parece-me, é que seria ter um pequeno número de UAVs desenvolvidos pela FAP e fazer também o leasing de um X número de UAVs a um fabricante e depois após uns anos trocá-los conforme surgem outras aeronaves com mais capacidades e melhor tecnologia. Algo ao estilo do que os canadianos e franceses fazem.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 01, 2017, 09:15:54 am
É um UAV para observação e reconhecimento aéreo, a adição de misseis é apenas uma das várias configurações que pode ter. Este é o melhor drone que um país como o nosso pode adquirir para configurar com sensores adequados, uma pequena esquadra destas e pouparia milhões em diversas missões.
O MQ é a versão militar e armada do RQ, que é de reconhecimento e não leva armas. É como comparar um F4 com um RF4.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.coldwarstudies.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2013%2F04%2FIslamic-Republic-of-Iran-Air-Force-IRIAF-F-4-Phantom-II-interceptor-fighter-bomber-United-States-Navy-airforce-AIM-9-Sidewinder-aIM-7-Sparrow-AIM-120-AMRAAM-AGM-65-Maverick-AGM-88-HARM-6.jpg&hash=caf83dd3170bcbfbcdf7b7135e9715ee)
(https://i0.wp.com/www.cavok.com.br/blog/wp-content/uploads/2016/07/F-4-Espanha.jpg?fit=747%2C601)
Não está em causa a capacidade do drone nem as missões que faz. Ter o Mq e o Rq seria sempre positivo numa FAP que os pudesse operar sem limitações. Agora a FAP que temos tem tripulações para 2 C130H e P3cub armazenados e estar a adquirir UAV por 4 milhões cada para acabarem em armazém, até quando existe trabalho feito nesta área e investimento ao longo de mais de uma década, não parece ser o melhor caminho.  Até porque existem parcerias com empresas portuguesas como a Tekever que fazem igualmente bons drones de vigilância os quais são apenas alugados pela FAP (de combate quando não existe sequer uma esquadra de UAV de vigilância é colocar "a carroça  à frente dos bois").
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.techenet.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2014%2F07%2FAR5-Life-Ray-Evolution-770x472.jpg&hash=1bfd541b9b8e092e2886245d5eb81ecd)
(https://assets.shephardmedia.com/live/shephard/media/images/article/ar5.jpg)
Citar
http://www.techenet.com/2014/07/ar5-life-ray-evolution-um-drone-com-tecnologia-100-portuguesa/ (http://www.techenet.com/2014/07/ar5-life-ray-evolution-um-drone-com-tecnologia-100-portuguesa/)

https://www.shephardmedia.com/news/uv-online/tekever-reveals-new-ar5-life-ray-tuav/ (https://www.shephardmedia.com/news/uv-online/tekever-reveals-new-ar5-life-ray-tuav/)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 01, 2017, 02:12:47 pm
A Tekever não tem drones com provas dadas e os brinquedos que têm não passam disso, brinquedos com pouca capacidade, alias, claramente não sabes o que estás a defender nem estudaste o caso, nem preciso que me postes imagens como justificativos de argumentação.

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 01, 2017, 02:41:39 pm
A Tekever vai fornecer os "Brinquedos" para a FAP patrulhar o mediterrâneo, pagos pela UE ( Quanto ao resto, é me indiferente a opinião de v.exma, aliás, quem não gosta não leia nem veja). https://twitter.com/tekever (https://twitter.com/tekever)

Tenha a continuação de bom dia.

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 01, 2017, 09:28:23 pm
O melhor UAV que a Tekever tem para oferecer:

PAIC Imperio SP1

Duração: 2,1 m;.
Envergadura: 2,4 m;.
Altura: 0,65 m;.
peso máximo de decolagem: 80 kg;.
Velocidade de cruzeiro de voo: 120 km \ h;.
velocidade de voo máxima: 150 km \ h;.
distância de voo máxima: km 120;.
altura de voo máxima: 4500 m;.
Tipo de motor de avião: um pistão;
Powerplant: desconhecido;
Potência: 22 hp

MQ-1 Predator
Length: 27 ft (8.22 m)
Wingspan: 48.7 ft (14.8 m); MQ-1B Block 10/15: 55.25 ft (16.84 m))
Height: 6.9 ft (2.1 m)
Wing area: 123.3 sq ft[118] (11.5 m2)
Aspect ratio: 19.0
Empty weight: 1,130 lb[117] (512 kg)
Loaded weight: 2,250 lb (1,020 kg)
Max. takeoff weight: 2,250 lb[117] (1,020 kg)
Powerplant: 1 × Rotax 914F turbocharged four-cylinder engine, 115 hp[117] (86 kW) (4.8 kW redundant/6.4hp)
Maximum speed: 135 mph (117 knots, 217 km/h)
Cruise speed: 81–103 mph (70–90 knots, 130–165 km/h)
Stall speed: 62 mph (54 knots, 100 km/h) dependent on aircraft weight
Range: 675 nmi (675 mi or 1,100 km) [119]
Endurance: 24 hours[1]
Service ceiling: 25,000 ft[117] (7,620 m)


Está tudo dito em relação custo/qualidade, prefiro pagar mais por algo que funciona e me baixa custos a médio-longo prazo, do que pagar para desenvolver 10x mais por uma empresa que está a desenvolver o que já existe e não traz nada de novo ao mercado.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: night_runner em Agosto 02, 2017, 01:37:21 am
A FAP está há mais de 20 anos a desenvolver o PITVANT que, julgo, era suposto já ter terminado. Por outro lado, a Lockheed, como contrapartida da modernização dos P-3, investiu cerca de 74 milhões no PAIC (um consórcio de várias empresas e entidades) para desenvolver um produto seu já existente para o mercado civil e militar. Era suposto ter terminado em 2012 mas em 2014 ainda recebia fundos da LM, sendo na altura já um projecto de UAV apenas para missões civis.

De inicio estava bastante optimista mas depois de tanto tempo e dinheiro (e apesar do envolvimento de boa e capaz gente das Esquadras, do GO61, etc!) parece-me que isto é mais do mesmo. E ou muito me engano ou os "UAV na FAP" ainda vão dar azo a muitas "estórias"! Esperemos que não...
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 02, 2017, 09:11:29 pm
A FAP está há mais de 20 anos a desenvolver o PITVANT que, julgo, era suposto já ter terminado. Por outro lado, a Lockheed, como contrapartida da modernização dos P-3, investiu cerca de 74 milhões no PAIC (um consórcio de várias empresas e entidades) para desenvolver um produto seu já existente para o mercado civil e militar. Era suposto ter terminado em 2012 mas em 2014 ainda recebia fundos da LM, sendo na altura já um projecto de UAV apenas para missões civis.

De inicio estava bastante optimista mas depois de tanto tempo e dinheiro (e apesar do envolvimento de boa e capaz gente das Esquadras, do GO61, etc!) parece-me que isto é mais do mesmo. E ou muito me engano ou os "UAV na FAP" ainda vão dar azo a muitas "estórias"! Esperemos que não...

Basta ter dois dedos de testa e pensar: qual é a vantagem para a Lockheed estar ajudar países europeus a "desenvolver" drones, estupidamente fracos, quando tem os seus próprios drones bastante superiores (eg: RQ-170 Sentinel)? Eu só vejo razões como: espionagem industrial, sabotagem e mamar uns fundos comunitários pois esse programa estar a receber fundos do programa 2020.

O programa do PITVANT e qualquer outro vindo da Tekever são burlas por completo, 20 anos a desenvolver algo e na prática possuem apenas equipamentos ultrapassados tecnologicamente.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Agosto 02, 2017, 09:49:31 pm
Re: “PITVANT”: PRIMEIRO PASSO PARA UM UAV PORTUGUÊS? (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9913.msg239495#msg239495)
Re: “PITVANT”: PRIMEIRO PASSO PARA UM UAV PORTUGUÊS? (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9913.msg239498#msg239498)

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: typhonman em Agosto 02, 2017, 11:14:39 pm
Essa dos UAVs nos incendios... :o

Deviamos era ter cada vez mais meios de ataque ampliado, pois os fogos são cada vez mais violentos, ou seja, Canadairs, Fire-Boss, Kamov e meios pesados de ataque indireto, C-130 com MAFFS, por exemplo.

Os UAV nada acrescentam !
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 03, 2017, 12:05:46 am
Os UAV's poderiam ser uma enorme mais valia na detecção antecipada e como relay/nó de comunicações (especialmente com o SIRESP a falhar quando é mais necessário). Claro que para isso teriam que ser UAV's de dimensão razoável de forma a poderem voar alto (e por muito tempo) e transportar os sensores adequados.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 03, 2017, 12:16:45 am
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20545164_10156451829578662_4799877816662485700_o.jpg?oh=f4b6ed305b8f2d9b0283e347d2b6d181&oe=5A2CE7BE)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20507335_10156451830848662_7017964565515368788_o.jpg?oh=12cdc65c61937ad5e8bbc8f24f0354a4&oe=5A2FF481)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20543667_10156451830953662_4127039889758545058_o.jpg?oh=81a0141a3d950428312d537494d2a568&oe=5A016BA2)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20507570_10156451831118662_7120749648948968459_o.jpg?oh=eace9bf018cc9dc0dbdcc2309faf7a26&oe=59F62B27)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20617144_10156451831733662_1611825669630252427_o.jpg?oh=9d59d0a5a45e9fdca0ff19551e6c09cf&oe=59FA4E25)

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10156451831733662&set=pcb.1984227838527757&type=3&theater
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 03, 2017, 12:37:40 am
O global hawk está a 131 milhões usd. Força nisso ( isso de depois ter dinheiro para adquirir e capacidade mais vontade de o operar e não acabar encaixotado, é como o outro diz: peanuts).  ;D ::)

http://www.northropgrumman.com/Capabilities/GlobalHawk/Pages/default.aspx (http://www.northropgrumman.com/Capabilities/GlobalHawk/Pages/default.aspx)

Já agora, o p3c cub apareceu um dia depois do incêndio em Pedrogão Grande, apesar de se saber que meteorologicamente existiam condições adversas que poderiam dar em incêndio, porquê?

Cumprimentos

Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 03, 2017, 10:55:40 am
Os UAV's poderiam ser uma enorme mais valia na detecção antecipada e como relay/nó de comunicações (especialmente com o SIRESP a falhar quando é mais necessário). Claro que para isso teriam que ser UAV's de dimensão razoável de forma a poderem voar alto (e por muito tempo) e transportar os sensores adequados.

E se tiver uma camera de alta difinição, até são capazes de apanhar umas pessoas a fazer brincadeiras com isqueiros, ou as matriculas dos carros deles.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: pedropassoscoelho em Agosto 03, 2017, 01:36:05 pm
E se tiver uma camera de alta difinição, até são capazes de apanhar umas pessoas a fazer brincadeiras com isqueiros, ou as matriculas dos carros deles.

Mais uma vez tenho de ser o desmancha-prazeres de serviço:  ;D

 http://www.sabado.pt/portugal/seguranca/detalhe/psp-266-mil-euros-em-drones-que-nao-podem-ser-usados (http://www.sabado.pt/portugal/seguranca/detalhe/psp-266-mil-euros-em-drones-que-nao-podem-ser-usados)

 :o

Lembrem-se do sacro-santo direito da privacidade... todos temos o direito de prevaricar sem ser espiados!  :G-beer2:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 03, 2017, 03:02:05 pm
Lembrem-se do sacro-santo direito da privacidade... todos temos o direito de prevaricar sem ser espiados!  :G-beer2:

Pois é, não se apanham os incendiários, mas também não há perigo de um qualquer senhor muito importante ser apanhado com a amante num passeio pela natureza ;D.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: NVF em Agosto 03, 2017, 03:49:06 pm
O global hawk está a 131 milhões usd. Força nisso ( isso de depois ter dinheiro para adquirir e capacidade mais vontade de o operar e não acabar encaixotado, é como o outro diz: peanuts).  ;D ::)

http://www.northropgrumman.com/Capabilities/GlobalHawk/Pages/default.aspx (http://www.northropgrumman.com/Capabilities/GlobalHawk/Pages/default.aspx)

Já agora, o p3c cub apareceu um dia depois do incêndio em Pedrogão Grande, apesar de se saber que meteorologicamente existiam condições adversas que poderiam dar em incêndio, porquê?

Cumprimentos

Oh mafets, mas porque é que o GH é sempre metido ao barulho? O Heron ou o Super Heron, por exemplo, custam entre 10 e 20 milhões de USD (bom para o actual MDN) e podem voar por mais de 48 horas a altitudes superiores a 30,000 pés.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Camuflage em Agosto 03, 2017, 10:16:08 pm
Essa dos UAVs nos incendios... :o

Deviamos era ter cada vez mais meios de ataque ampliado, pois os fogos são cada vez mais violentos, ou seja, Canadairs, Fire-Boss, Kamov e meios pesados de ataque indireto, C-130 com MAFFS, por exemplo.

Os UAV nada acrescentam !

O UAV bom tem a capacidade de detecção precoce de pontos de ignição quer de dia ou de noite com um raio de vigilância enorme. Não só detecta onde começou o ponto de ignição podendo assim a protecção civil accionar meios apropriados rapidamente, como pode ainda indicar se o fogo se deu devido a condições climatéricas ou se por engenho pirotécnico. E finalmente pode perseguir o criminoso, quer ele esteja apeado ou num veículo,
Obviamente só não vê isto quem desconhece as tecnologias que actualmente bons UAV's já possuem ou a quem não importa estes meios porque depois mata-se o negócio dos incêndios de vez!

O UAV não faz milagres, mas causa danos sérios à organização criminosa dedicada ao negócio dos incêndios, disso não tenho dúvidas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 03, 2017, 10:23:47 pm
O global hawk está a 131 milhões usd. Força nisso ( isso de depois ter dinheiro para adquirir e capacidade mais vontade de o operar e não acabar encaixotado, é como o outro diz: peanuts).  ;D ::)

http://www.northropgrumman.com/Capabilities/GlobalHawk/Pages/default.aspx (http://www.northropgrumman.com/Capabilities/GlobalHawk/Pages/default.aspx)

Já agora, o p3c cub apareceu um dia depois do incêndio em Pedrogão Grande, apesar de se saber que meteorologicamente existiam condições adversas que poderiam dar em incêndio, porquê?

Cumprimentos

Oh mafets, mas porque é que o GH é sempre metido ao barulho? O Heron ou o Super Heron, por exemplo, custam entre 10 e 20 milhões de USD (bom para o actual MDN) e podem voar por mais de 48 horas a altitudes superiores a 30,000 pés.
Isso no máximo dava para 2. Cá no burgo os 20 milhões têm de ser no mínimo para 5 com mais um de opção. ;D :nice:

Cumprimentos
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 10, 2017, 12:52:14 pm
Essa dos UAVs nos incendios... :o

Deviamos era ter cada vez mais meios de ataque ampliado, pois os fogos são cada vez mais violentos, ou seja, Canadairs, Fire-Boss, Kamov e meios pesados de ataque indireto, C-130 com MAFFS, por exemplo.

Os UAV nada acrescentam !

O UAV bom tem a capacidade de detecção precoce de pontos de ignição quer de dia ou de noite com um raio de vigilância enorme. Não só detecta onde começou o ponto de ignição podendo assim a protecção civil accionar meios apropriados rapidamente, como pode ainda indicar se o fogo se deu devido a condições climatéricas ou se por engenho pirotécnico. E finalmente pode perseguir o criminoso, quer ele esteja apeado ou num veículo,
Obviamente só não vê isto quem desconhece as tecnologias que actualmente bons UAV's já possuem ou a quem não importa estes meios porque depois mata-se o negócio dos incêndios de vez!

O UAV não faz milagres, mas causa danos sérios à organização criminosa dedicada ao negócio dos incêndios, disso não tenho dúvidas.

Discordo parcialmente. Sim, UAV's para vigilância florestal dão muito jeito, ninguém coloca isso em causa, mas o que é necessário neste momento é a aquisição de meios aéreos pesados como os Canadair/Bombardier, e em número significativo.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 20, 2017, 01:54:45 pm
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20988565_10156513463363662_4585857703822489280_o.jpg?oh=6e71e16bb4ff29dac3b82b295241aeaa&oe=59EBB043)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20901699_10156513463608662_3808520550446636502_o.jpg?oh=991d00aaaede5bf9906d6749d3125336&oe=5A2FB73F)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20900816_10156513463613662_7349711213695479594_o.jpg?oh=4ce57e70efd430b157ce44df7f97f9ac&oe=5A1AAD48)

Três Cougar suíços enviados para Portugal para ajudar no combate aos incêndios.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 20, 2017, 02:17:25 pm
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20988565_10156513463363662_4585857703822489280_o.jpg?oh=6e71e16bb4ff29dac3b82b295241aeaa&oe=59EBB043)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20901699_10156513463608662_3808520550446636502_o.jpg?oh=991d00aaaede5bf9906d6749d3125336&oe=5A2FB73F)
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20900816_10156513463613662_7349711213695479594_o.jpg?oh=4ce57e70efd430b157ce44df7f97f9ac&oe=5A1AAD48)

Três Cougar suíços enviados para Portugal para ajudar no combate aos incêndios.
Andavam para aí uns "papagaios dos fogos" a dizer que não prestavam nem serviam para nada ::).  Devem estar a engolir em seco... 

http://observador.pt/2017/08/19/avioes-da-forca-aerea-com-camaras-termicas-reforcam-meios-de-combate-a-incendios-ate-segunda-feira/ (http://observador.pt/2017/08/19/avioes-da-forca-aerea-com-camaras-termicas-reforcam-meios-de-combate-a-incendios-ate-segunda-feira/)
Citar
Aviões da Força Aérea com câmaras térmicas reforçam meios de combate a incêndios até segunda-feira
19/8/2017, 18:201.718
12
Os aviões da Força Aérea que reforçam os meios previstos pela calamidade pública estão equipados com câmaras usadas em patrulhamentos de combate à imigração ilegal ou tráfico de droga.
O que devia ter sido feito antes de Pedrogão Grande, mas só aconteceu um dia depois.  :-[

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.obsnocookie.com%2Fs%3Dw800%2Cpd1%2Fo%3D80%2Fhttp%3A%2F%2Fs3cdn.observador.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2017%2F08%2F19181928%2F22611075_770x433_acf_cropped.jpg&hash=659a0ea122952af43e5ada64112155d2)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Major Alvega em Agosto 20, 2017, 04:33:38 pm
 Obviamente que a ajuda dos outros países no combate aos incêndios, nomeadamente com meios aéreos pesados é extremamente bem-vinda. Agora não sejamos de todo ingénuos, esses países que nos ajudam têm um enorme interesse em cá vir combater os fogos. Visto ser uma oportunidade única para eles de treinarem intensamente as suas tripulações em cenário real.

 E não têm em mais nenhum lugar da Europa com estas características, um sitio onde exista tanta incompetência e descoordenação na prevenção e combate aos fogos florestais. Onde há sempre incêndios gigantescos para poderem testar os seus meios e treinar essas tripulações num cenário real tão exigente.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: perdadetempo em Agosto 20, 2017, 05:31:17 pm
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20988565_10156513463363662_4585857703822489280_o.jpg?oh=6e71e16bb4ff29dac3b82b295241aeaa&oe=59EBB043)

Citar
Andavam para aí uns "papagaios dos fogos" a dizer que não prestavam nem serviam para nada ::).  Devem estar a engolir em seco...

http://www.scramble.nl/orbats/switzerland (http://www.scramble.nl/orbats/switzerland)
Como se pode ver no link acima estes helicópteros são os AS352UL da Lufttransportstaffel 4(pelo menos o que aparece nesta fotografia) que foram adquiridos já no Sec XXI e têm uma capacidade de levantar pesos de 4500kg.  Não têm muito a ver com os aparelhos a operar em Portugal Continental, Açores e Madeira a partir da década de 70 e que  por esta altura se os voltarem  a pôr a voar já deverão ter mais de 5-7000h de voo, mas que a FAP achava ideais para substituir os KAMOV  ::)


E deste papagaio é tudo  ;D

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Agosto 20, 2017, 09:50:53 pm
(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/20988565_10156513463363662_4585857703822489280_o.jpg?oh=6e71e16bb4ff29dac3b82b295241aeaa&oe=59EBB043)

Citar
Andavam para aí uns "papagaios dos fogos" a dizer que não prestavam nem serviam para nada ::).  Devem estar a engolir em seco...

http://www.scramble.nl/orbats/switzerland (http://www.scramble.nl/orbats/switzerland)
Como se pode ver no link acima estes helicópteros são os AS352UL da Lufttransportstaffel 4(pelo menos o que aparece nesta fotografia) que foram adquiridos já no Sec XXI e têm uma capacidade de levantar pesos de 4500kg.  Não têm muito a ver com os aparelhos a operar em Portugal Continental, Açores e Madeira a partir da década de 70 e que  por esta altura se os voltarem  a pôr a voar já deverão ter mais de 5-7000h de voo, mas que a FAP achava ideais para substituir os KAMOV  ::)


E deste papagaio é tudo  ;D

Cumprimentos,
Só para esclarecer que os "Papagaios" em  questão referiam-se a estes mesmos meios (e não aos Puma portugueses). Segundo os mesmos "rapazes" num debate com cerca de um ano, diziam eles que o país em questão só os usa para demonstrações pois não têm fogos e são piores que outros meios, no combate aos fogos florestais. Aparentemente, cá estão eles a bombar no "lindo Portugal". E devem servir para algo senão não eram aceites.  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F_ntmC4gow1j4%2FTLhEydkgS6I%2FAAAAAAAAB78%2FChLtdwDhrU4%2Fs1600%2FSchweizer%2BLuftwaffe%2B-%2BEurocopter%2BTH89%2BAS332M-1%2BSuper%2BPuma%2B-%2BT-325%2B-%2B5611%2BNET.jpg&hash=86a6efeea86eae0f78a83a3c3d780330)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.airteamimages.com%2Fpics%2F21%2F21426_big.jpg&hash=c7f52f0a13d52cf590d83bac9b90c9e4)

Mas já agora e por falar em Pumas da FAP ;)
(https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/21032513_1793490930665784_1015837393724874828_n.jpg?oh=0063d164b8fe9fff7c63c1851f1cf3e5&oe=5A272CBD)
Citar
27ABR17 2 PUMA SA330 em viagem da BA11 (Beja) com destino que se desconhece mas fala-se que uma empresa privada na Inglaterra os adquiriu para SAR.
Oxalá seja verdade...
Hoje, crê-se que estavam a preparar outro para sair. Se assim for, serão os 3 PUMA que estavam nas Lajes e que vieram a voar para Beja via Porto Santo quando terminaram a sua vida activa.
Fotos: Gonçalo Figueiredo
Grupo: Associação Aeronáutica do Algarve

https://www.facebook.com/groups/portugalspotters/ (https://www.facebook.com/groups/portugalspotters/)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 21, 2017, 12:59:54 pm
Mudando momentaneamente a actual direcção do tópico, mas alguém conhece a matrícula do Écureil operado pela Everjets que ontem teve o trágico acidente em Castro Daire? Seria um dos AS350B3 ex-EMA ou outro aparelho idêntico?
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Agosto 21, 2017, 02:14:19 pm
Mudando momentaneamente a actual direcção do tópico, mas alguém conhece a matrícula do Écureil operado pela Everjets que ontem teve o trágico acidente em Castro Daire? Seria um dos AS350B3 ex-EMA ou outro aparelho idêntico?

Se ninguém te disser antes..... amanhã á tarde, quando estiver no Aeroporto já te digo !!

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Viajante em Agosto 21, 2017, 02:56:22 pm
Mudando momentaneamente a actual direcção do tópico, mas alguém conhece a matrícula do Écureil operado pela Everjets que ontem teve o trágico acidente em Castro Daire? Seria um dos AS350B3 ex-EMA ou outro aparelho idêntico?

....."O helicóptero modelo Ecureuil é um monomotor concebido para executar missões em condições climatéricas e geográficas extremas, nomeadamente no combate a incêndios, a verificação de linhas eléctricas e salvamentos. Tem capacidade para um piloto e cinco passageiros. Tem 12,94 metros de comprimento e 3,76 metros de altura. A velocidade máxima é de 287 km/h."

Ou seja, é um Eurocopter AS350 B3+ Ecureuil
https://www.publico.pt/2017/08/20/sociedade/noticia/helicoptero-caiu-no-combate-a-fogo-em-castro-daire-1782836
http://www.everjets.com/pt/Frota/Eurocopter-AS350-B3mais-Ecureuil

Qual era ainda não descobri.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Agosto 21, 2017, 03:21:34 pm
Mudando momentaneamente a actual direcção do tópico, mas alguém conhece a matrícula do Écureil operado pela Everjets que ontem teve o trágico acidente em Castro Daire? Seria um dos AS350B3 ex-EMA ou outro aparelho idêntico?

http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9414.msg290798#msg290798
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 21, 2017, 06:00:14 pm
Mudando momentaneamente a actual direcção do tópico, mas alguém conhece a matrícula do Écureil operado pela Everjets que ontem teve o trágico acidente em Castro Daire? Seria um dos AS350B3 ex-EMA ou outro aparelho idêntico?

http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=9414.msg290798#msg290798

Obrigado HSMW.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 22, 2017, 04:45:52 pm
Os Super Puma Suiços estão a operar a partir da BA5 Monte Real.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Agosto 24, 2017, 08:12:16 pm
Força Aérea faz vigilância da floresta, com as botas no chão.

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20953927_1027190100754147_6714140074538809231_n.jpg?oh=5f7bfd6a9bdcf76c104b90ed504b3b80&oe=5A291463)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20953933_1027190114087479_8505197299620630791_n.jpg?oh=5a30c35f80afc26ca77516514c2eda50&oe=5A2CBDC2)

imagens do Facebook da Força Aérea Portuguesa
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Anthropos em Outubro 16, 2017, 04:57:14 pm
Entretanto, com outro dia terrível, finalmente alguns politicos começam a tomar nota das verdadeiras capacidades perdidas pela Força Aérea.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.com%2Fa%2Fimg924%2F5079%2F9EmmmA.png&hash=4da0e0839b5da9423c63911d121c3ea5)

É com estas e com outras que os portugueses acreditam no que acreditam  ::)

P.S. - Deixei o nome do sr. porque me parece apenas justo associar um nome a estas afirmações. Se tal for contra as regras, peço desculpa.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Outubro 16, 2017, 05:07:01 pm
Entretanto, com outro dia terrível, finalmente alguns politicos começam a tomar nota das verdadeiras capacidades perdidas pela Força Aérea.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.com%2Fa%2Fimg924%2F5079%2F9EmmmA.png&hash=4da0e0839b5da9423c63911d121c3ea5)

É com estas e com outras que os portugueses acreditam no que acreditam  ::)

P.S. - Deixei o nome do sr. porque me parece apenas justo associar um nome a estas afirmações. Se tal for contra as regras, peço desculpa.

Anthropos com o devido respeito esquece o C130 ou acft semelhantes para o Combate aos FF o tempo perdido em reabastecer de retardante/agua ou o que quer que seja torna este equipamento nada adequado e apenas uma perda de tempo/dinheiro se alguma vez operar nos ditos Combates aos FF !
Os meios médios/pesados tem de possuir capacidade de atestar os tanques em rios/lagos/lagoas/mar etc o que torna os ditos equipamentos muito mais adequados e eficazes nas suas missões !!!
Quanto aos Helis apesar de na foto teres um 101, acho que sim são uma mais valia não só como unidades de combate mas como unidades para posicionar as equipas de combate inicial aos FF, também.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Anthropos em Outubro 16, 2017, 05:21:39 pm
Anthropos com o devido respeito esquece o C130 ou acft semelhantes para o Combate aos FF o tempo perdido em reabastecer de retardante/agua ou o que quer que seja torna este equipamento nada adequado e apenas uma perda de tempo/dinheiro se alguma vez operar nos ditos Combates aos FF !
Os meios médios/pesados tem de possuir capacidade de atestar os tanques em rios/lagos/lagoas/mar etc o que torna os ditos equipamentos muito mais adequados e eficazes nas suas missões !!!

Não te preocupes que não duvido disso, nunca fui defensor dessa coisa de pôr os C130 a combater incêndios, até porque me parece uma simples coisa de "pessoal, se for eu que mande, é já pôr a FA a combater incêndios!". Politiquices vazias de quem pouco ou nada sabe.
 
Quanto aos Helis apesar de na foto teres um 101, acho que sim são uma mais valia não só como unidades de combate mas como unidades para posicionar as equipas de combate inicial aos FF, também.

Abraços

Eu vou explicar o contexto, que me falhou. O sr Miguel Mattos Chaves é um prof universitário, e militante do CDS que está sempre com ideias espectaculares. Uma delas é "meter a FA toda contra os incêndios", e naquele post fala de porque é que os Puma já não estão a fazer combate aos incêndios. Entretanto mete um EH101 nos comentários como exemplo de um Puma.
Ou seja, este, para mim, é um exemplo das politiquices de quem pouco sabe mas que muito quer mandar. Era só essa a minha questão.

Abraço e peço desculpa pela confusão  ;D
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: tenente em Outubro 16, 2017, 05:49:39 pm
Anthropos com o devido respeito esquece o C130 ou acft semelhantes para o Combate aos FF o tempo perdido em reabastecer de retardante/agua ou o que quer que seja torna este equipamento nada adequado e apenas uma perda de tempo/dinheiro se alguma vez operar nos ditos Combates aos FF !
Os meios médios/pesados tem de possuir capacidade de atestar os tanques em rios/lagos/lagoas/mar etc o que torna os ditos equipamentos muito mais adequados e eficazes nas suas missões !!!

Não te preocupes que não duvido disso, nunca fui defensor dessa coisa de pôr os C130 a combater incêndios, até porque me parece uma simples coisa de "pessoal, se for eu que mande, é já pôr a FA a combater incêndios!". Politiquices vazias de quem pouco ou nada sabe.
 
Quanto aos Helis apesar de na foto teres um 101, acho que sim são uma mais valia não só como unidades de combate mas como unidades para posicionar as equipas de combate inicial aos FF, também.

Abraços

Eu vou explicar o contexto, que me falhou. O sr Miguel Mattos Chaves é um prof universitário, e militante do CDS que está sempre com ideias espectaculares. Uma delas é "meter a FA toda contra os incêndios", e naquele post fala de porque é que os Puma já não estão a fazer combate aos incêndios. Entretanto mete um EH101 nos comentários como exemplo de um Puma.
Ou seja, este, para mim, é um exemplo das politiquices de quem pouco sabe mas que muito quer mandar. Era só essa a minha questão.

Abraço e peço desculpa pela confusão  ;D

Desculpas não aceites pois não há motivo algum para pedires desculpas.

Abraços
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: mafets em Outubro 16, 2017, 10:33:52 pm
Por falar em meios, estes voltaram a ficar em terra com temperaturas de 30 graus em Outubro porque (em Agosto, depois de Pedrogão, foram activados)?  :o >:(

https://www.dn.pt/lusa/interior/pedrogao-grande-aviao-p3-c-da-forca-aerea-vai-apoiar-na-monitorizacao-do-incendio-8571793.html (https://www.dn.pt/lusa/interior/pedrogao-grande-aviao-p3-c-da-forca-aerea-vai-apoiar-na-monitorizacao-do-incendio-8571793.html)
Citar
Os aviões da Força Aérea que reforçam os meios previstos pela calamidade pública decretada até segunda-feira estão equipados com câmaras que detetam calor e são usados em patrulhamentos de combate à imigração ilegal ou tráfico de droga.

“Conseguimos detetar movimentos humanos e de animais à noite, até silhuetas, e pequenos reacendimentos”, explicou ao primeiro-ministro, António Costa, o tenente Marco Silva, a bordo de um C295 que costuma estar ao serviço da Frontex, a Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas.

Este avião aterrou hoje em Vila Real para patrulhar a região norte até segunda-feira às 24:00, quando termina o período decretado de calamidade pública com efeitos preventivos devido ao risco acrescido de incêndio, tendo seguido um avião P3 para o Algarve.

O C295 e o P3 vão ajudar a detetar focos de incêndio e possível atividade criminosa de fogo posto à noite, através do sistema FITS, a sigla inglesa para Fully Integrated Tactical System, que também colabora com investigações da Polícia Judiciária.

O tenente Marco Silva contou que, recentemente, esteve quase oito horas numa ação de vigilância a um barco suspeito de tráfico de droga, numa região costeira, tendo permanecido incógnito durante toda a operação, dada a altitude a que consegue atuar.

Demonstrando o nível de definição que as câmaras alcançam, os militares mostraram nos ecrãs não só focos de incêndio como, por exemplo, como é possível perseguir um carro em movimento, entre outros alvos.

Marco Silva esclarece que a nitidez não chega para identificar o rosto de uma pessoa, embora, quando se está a sobrevoar mar, como nas suas missões da Frontex, já tenha sido possível identificar o angariador das embarcações de migrantes.

À noite, os militares têm de ter o cuidado de despistar focos de calor que são somente a terra quente que ainda liberta calor, explicou o tenente Marco Silva.

O primeiro-ministro viajou no C295 para Vila Real para visitar o dispositivo de patrulhas da Marinha, Exército, GNR, PSP e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, no âmbito da declaração da situação de calamidade pública com efeitos preventivos.

António Costa sublinhou que o C295 e o P3 são “aviões muito importantes para detetarem precocemente qualquer foco de incêndio, mas também muito importantes para a vigilância em período noturno, porque permite deteção de movimentações suspeitas” na prevenção de fogo posto.

“A vigilância, designadamente em período noturno, é muito importante. Este ano temos tido um número muito anormal de início de incêndios em período noturno, quando, obviamente, as questões climatéricas não são a causa natural desses incêndios”, afirmou.

António Costa esteve acompanhado pela ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, o secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrello, e vários responsáveis militares, designadamente o Chefe de Estado Maior do Exército.

Nas operações dos próximos dias estão envolvidos 1041 militares, divididos por 347 equipas, 199 das quais em permanência no terreno 24 horas por dia, de acordo com dados do Comandante Nacional da Proteção Civil, Rui Esteves.

Neste período, a GNR reforçou o seu dispositivo com 870 militares (145 patrulhas em permanência 24 horas), tendo a PSP contribuído com um reforço de 164 agentes (51 patrulhas permanentes) e o Corpo Nacional de Agentes Florestais com 31 equipas de 155 efetivos, segundo a mesma fonte.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.obsnocookie.com%2Fs%3Dw800%2Cpd1%2Fo%3D80%2Fhttp%3A%2F%2Fs3cdn.observador.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2017%2F08%2F19181928%2F22611075_770x433_acf_cropped.jpg&hash=659a0ea122952af43e5ada64112155d2)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emfa.pt%2Fwww%2Fconteudos%2Fgaleria%2Faeronaves%2Fp3%2Fp3-9_1236.jpg&hash=46e021062d19d9b7c848018a024ed712)

Saudações
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Charlie Jaguar em Outubro 18, 2017, 12:00:50 pm
Mas mesmo se viermos a comprar Canadairs, porque já não falo nos helicópteros atribuidos à ANPC visto o seu futuro continuar a ser uma incógnita, existirão tripulações de voo e de terra suficientes para operar os mesmos? Creio que não. Se estamos nos 28 mil efectivos nesta altura e quer-se 32 mil, e ainda assim continuará a ser muito pouco para as reais necessidades, teremos capacidade de "absorver" estes meios aéreos na estrutura existente? Tenho sérias dúvidas.

E onde os iríamos estacionar? O Montijo, onde ainda ontem aterraram os meios de combate a incêndios vindos de Itália, tem infelizmente os dias contados, Tancos e Sintra com a reordenação devem ficar lotados, Beja é muito longe das zonas mais sensíveis a fogos florestais, Monte Real já está ameaçado, agora não pelo fogo mas antes pela vontade de querer abrir a base também ao tráfego civil, por isso restará o quê, a Ota?  ::)
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Outubro 18, 2017, 03:27:00 pm
por isso restará o quê, a Ota?  ::)

E o Aeródromo de Manobra nº1 - Ovar.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Luso em Outubro 18, 2017, 04:17:58 pm
por isso restará o quê, a Ota?  ::)

E o Aeródromo de Manobra nº1 - Ovar.

Não esquecer a base do Regimento de Infantaria n.º 10, ex BOTP-2, (S. Jacinto) Ex base da Aviação Naval, tendo operado... hidroaviões.
Eu já vi Canadairs a operar na Ria de Aveiro, portanto, a potencialidade está toda lá.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: asalves em Outubro 18, 2017, 04:24:19 pm
Penso que os Meios aéreos a ficarem na fap vão ter que ficar espalhados pelo Pais, podem ter uma base central para o Inverno mas durante o Verão terão que ficar espalhados por aeródromos e heliportos. Não faz sentido estarem a grandes distancias (+100km) dos fogos, e ai a FAP vai ter que encontrar uma solução económica de operar estes meios sem estarem centralizados.
Durante o Inverno até podem ficar em Beja ou Leiria se houver meios com capacitados para vários tipos de acção.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: HSMW em Outubro 18, 2017, 04:59:31 pm
Destacamentos com rotação de meios e pessoal. Fora da fase de incêndios voltam à base principal ou a outra função.  :G-beer2:
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Get_It em Outubro 18, 2017, 05:29:05 pm
Mas mesmo se viermos a comprar Canadairs, porque já não falo nos helicópteros atribuidos à ANPC visto o seu futuro continuar a ser uma incógnita, existirão tripulações de voo e de terra suficientes para operar os mesmos? Creio que não. Se estamos nos 28 mil efectivos nesta altura e quer-se 32 mil, e ainda assim continuará a ser muito pouco para as reais necessidades, teremos capacidade de "absorver" estes meios aéreos na estrutura existente? Tenho sérias dúvidas.
Compreendo o ponto de vista e está totalmente certo. Agora, sendo optimista, há que criar as condições necessárias. Está na hora de fazer pressão para que isso aconteça.

Venham daí as aeronaves que depois os títulos na imprensa «Canadairs da FAP parados por falta de verbas» ajuda a resolver o resto com o tempo. É preciso é que seja dado o primeiro passo.

Cumprimentos,
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: Lightning em Outubro 18, 2017, 08:14:05 pm
Não esquecer a base do Regimento de Infantaria n.º 10, ex BOTP-2, (S. Jacinto) Ex base da Aviação Naval, tendo operado... hidroaviões.

Isso já não é militar, depois da FAP sair passou a aeródromo municipal de Aveiro. Mas nada que uns acordos bilaterais não resolvam.

As aeronaves estrangeiras tem operado da BA5 Monte Real, por ser central e pela capacidade de apoio às aeronaves e ao pessoal destacado (combustível, alimentação, alojamento,etc). E parece-me que os Canadairs dali chegavam à maior parte das áreas necessitadas. Os Canadairs alugados pela ANPC pelo que vi no DECIF costumam operar de um aeródromo em Seia. Talvez não seja tão necessário espalhar meios, mas sim, localizar aeródromos onde estes meios podem abastecer durante o dia, mas isso basta ver o DECIF, ao fim do dia até convém regressar à base mãe para fazerem alguma reparação que seja necessário para no dia seguinte estar de novo pronto, se os Canadairs estiverem espalhados, tem que haver equipas de manutenção nesses locais todos ou com capacidade para se deslocarem lá.

Os helicópteros é que talvez devido à pequena autonomia e velocidade, tem que estar estar mais perto das áreas ardidas.
Título: Re: Combate a fogos pela F.A.P.
Enviado por: perdadetempo em Outubro 18, 2017, 09:20:37 pm
Mas mesmo se viermos a comprar Canadairs, porque já não falo nos helicópteros atribuidos à ANPC visto o seu futuro continuar a ser uma incógnita, existirão tripulações de voo e de terra suficientes para operar os mesmos? Creio que não. Se estamos nos 28 mil efectivos nesta altura e quer-se 32 mil, e ainda assim continuará a ser muito pouco para as reais necessidades, teremos capacidade de "absorver" estes meios aéreos na estrutura existente? Tenho sérias dúvidas.
Compreendo o ponto de vista e está totalmente certo. Agora, sendo optimista, há que criar as condições necessárias. Está na hora de fazer pressão para que isso aconteça.

Venham daí as aeronaves que depois os títulos na imprensa «Canadairs da FAP parados por falta de verbas» ajuda a resolver o resto com o tempo. É preciso é que seja dado o primeiro passo.

Cumprimentos,

Boa noite em relação a este assunto permitam-me dizer que a questão dos efectivos é uma falsa questão. A titulo de exemplo a Gendarmerie francesa com um frota de 25 helicópteros mono-motores e 30 bimotores só necessita de 450 pessoas. Isto para uma organização com 19 bases de operação e que se responsabiliza pelo treino e certificação dos seus pilotos e mecânicos e pela manutenção dos seus meios aéreos. Em termos da quantidade do pessoal existente o problema não se deveria pôr.

http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/ (http://www.operacional.pt/meios-aereos-no-combate-a-incendios-florestais/)
Tirado do artigo acima, e à falta de outra informação, recomend