ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Marinha Portuguesa => Tópico iniciado por: tenente em Março 09, 2019, 04:35:38 pm

Título: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Março 09, 2019, 04:35:38 pm
Estavamos em finais da década de 80, e a MdG possuía duas classes de fragatas as quatro João Belo e as três Fragatas da classe Pereira da Silva, concluiu que necessitava de substituir as três fragatas classe Almirante Pereira da Silva em virtude dos seus sensores e armamento não terem a eficácia necessárias para cumprir eficazmente a sua missão principal de luta anti submarina, no Atlântico.

A entrada ao serviço das sete escoltadores oceânicos que Portugal possuía, ocorreu entre 1966 e 1969, num espaço apenas de três anos.

Como bem sabemos foram as Fragatas VdG que no inicio da década de 90 vieram substituir as Pereira da Silva, ficando até cerca de 2008 ainda ao serviço, algumas das já há muito obsoletas João Belo.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/xDXbQn.jpg) (https://imageshack.com/i/pnxDXbQnj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/RRBhXv.jpg) (https://imageshack.com/i/pmRRBhXvj)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Jo%C3%A3o_Belo

https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Almirante_Pereira_da_Silva

Ora trinta anos depois, temos uma situação idêntica senão pior entre mãos.
Em 1989 a MdG possuía sete Fragatas, hoje a Marinha possui cinco fragatas;
Em 1989 a idade médias das fragatas era 22 anos, hoje é de 26 anos ;
A nossa ZEE em 1989 tinha menos metade da extensão da futura Plataforma Continental.
Que meios possui a MdG para patrulhar e efectuar eficazmente o SAR na futura Plataforma Continental Portuguesa ??
Que meios Possui a MdG para em caso de conflito empenhar na dita Plataforma ??
São os actuais meios de combate suficientes para um patrulhamento musculado da enorme extensão marítima;
É viável para a MdG empenhar meios de combate para efectuar patrulhamento musculado, se houver necessidade para tal missão ?
Caso os meios navais de combate sejam, como são, insuficientes, existe alguma classe de Navios que possa actuar como substituta das Fragatas quando em missão de patrulha musculada?
Não deveria a MdG possuir outra classe de Navios com capacidades de patrulha/SAR/Combate, mesmo de baixa intensidade, com menores guarnições, para poder empenhar caso fosse necessário ?
Não se deveria equacionar um aumento do numero de Navios de combate de superfície e sub-superfície ??

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/V5uVLS.jpg) (https://imageshack.com/i/plV5uVLSj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/o73UER.jpg) (https://imageshack.com/i/pmo73UERj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/cDqEvq.jpg) (https://imageshack.com/i/pocDqEvqj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/HobSOx.jpg) (https://imageshack.com/i/poHobSOxj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/RWunnQ.jpg) (https://imageshack.com/i/poRWunnQj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/tmAjZs.png) (https://imageshack.com/i/potmAjZsp)


Abraços
 

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Abril 17, 2019, 05:31:23 pm
Força Naval Portuguesa

22 fotos • Updated há 3 dias

A Força Naval Portuguesa terminou a fase de mar do exercício

INSTREX19/ALCANTARA19. Os principais objetivos do exercício, realizado pela Marinha, foram o treino de operações litorais em grupo-tarefa promovendo as relações bilaterais com a Marinha Real Marroquina e o United States Marine Corps, que também participaram.

O INSTREX19 foi conduzido segundo um cenário de crise regional que requer a intervenção de uma força-tarefa multinacional para a realização de uma operação destinada a contribuir para a segurança, estabilidade e paz da região, ao abrigo de um mandato do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/s6so2n.jpg) (https://imageshack.com/i/pls6so2nj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/DwxtUL.jpg) (https://imageshack.com/i/pnDwxtULj)

https://www.facebook.com/pg/MarinhaPortuguesa/photos/?tab=album&album_id=2329009687120201&__xts__%5B0%5D=68.ARBcQLejMMGRDooIpLMpCXVYdeimUiuJb8Ij9bT0836DvfUehy3nUwba-ef-UM4crhF_3d0ApFiZlwNraonjUiHreF6fdRt2DD3QXDxSznitLyoQh61KTH1_EGnCL-9WDcXetYNkBPqtH5vauwF6Tez4cwrqOQCT_8C3T0KrfhGjSrnbvZ0Ibr_oDwrsRpRspgX6gks05Eq0YfrW-k5_3lPJ650Oo3oa5i9OxTdPrm8wZpLOqD6ToQwJyFvTvxVY9D6dBc07l2xKTWIP1SsoWkdDYXKOcNNKCWqXyQmO83-NCCG9J7SS5jk4NjMwRB8bbsWfJvG0naLKNTLbVkPt5k9qd_3qmRhT3GuDqbGhx0QuJS3KhHf57l-6CsgHRJBwC2yokYFg5G86saeycLBPjgNQ-XENq7bmvyxX1V62DL98qdCnk5ZHXOiE_m9sY2zTkmbwkOOujgZPRy8&__tn__=-UC-R

PS : Ora aqui temos uma prova do que venho a afirmar do Zero Naval Português, então num exercício para contribuir para a Paz e estabilidade numa determinada região a marinha só tem para enviar uma fragata, quer dizer uma patrulha musculado, e dois NPO's, além do veteraníssimo NRP Bérrio ???

Então os NPO's segundo a definição das Pág da MdG não são : Navios com um deslocamento entre as 750 e as 2.000 toneladas utilizados, prioritariamente, em ações não combatentes. Desempenham, principalmente, missões no âmbito da segurança e autoridade do Estado no mar e missões de interesse público.????

Por este andar, algum iluminado vai chegar á conclusão que, Fragatas ????
Para que servem ??
Porque as temos de comprar se vamos para os exercícios com os Patrulhas Oceânicos ???

A única unidade que a marinha de Marrocos enviou para participar no Exercício, tem melhores sensores e armamento que os nossos três Navios, JUNTOS !!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/jEBewm.jpg) (https://imageshack.com/i/pnjEBewmj)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Abril 17, 2019, 09:35:05 pm
Eu vou continuar a insistir: a questão de fundo não é a simples incompetência, desinteresse e desleixo.
A questão subjacente é o deliberado desmantelamento dos estados nação e, demolir cultural e espiritualmente, as nações europeias, situação essa que passa pelo genocídio, presentemente "soft" dos povos indígenas.

Enquanto isso não for encarado de frente, as questões subsidiárias como esta do "zero naval" ou do "zero aéreo" ou do recruta zero vão ser repetidas ad nauseam.
Quem não vê isso apenas demonstra como a população foi subvertida, mais uma vez, e repito-o cultural e espiritualmente.

Os povos europeus estão a ser atacados.
E não são pelos árabes ou africanos, meros peões e carne para canhão nesta guerra.

Por isso digo-vos: acordem enquanto é tempo.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Abril 17, 2019, 10:10:31 pm
Eu acho que havia de se aumentar os meios de combate de superificie, especialmente o 3º Tridente e uma classe de 3 a 4 unidades de  "Fragatas Ligeiras" para aliviar as Fragatas das missões ao serviço da NATO e etc.
 ;)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 18, 2019, 04:53:25 pm
As Braunschweig alemãs? Sempre gostei da estética destas corvetas, e parecem-me um bom meio termo entre patrulhas oceânicos e fragatas. Preços não sei, alguém com mais conhecimento que esclareça. Ainda há a opção por algo que nunca vimos em serviço por cá: missile-boats. Há alguns navios interessantes deste género, e têm como vantagem a pequena guarnição que requerem para o poder de fogo (superfície-superfície) que carregam. Aquilo que eu temo é que, se algum dia se optasse por corvetas, isto fizesse com que se descorasse a aquisição de fragatas em número digno, como se substituindo as fragatas actuais por corvetas.

A Sigma Marroquina, apesar de mais moderna que as nossas fragatas, não representa um salto tecnológico assim tão grande relativamente às nossas fragatas. Mais concretamente no armamento. Já a FREMM deles... a conversa é outra.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Abril 18, 2019, 05:51:19 pm
Corvetas concebidas para o Báltico que custam quase 500 milhões, mal armadas e com inúmeros problemas mecânicos? Eu passava. Existem fragatas no mercado ao mesmo preço, com deslocamento adequado a operações no Atlantico Norte, com guarnições de 120/160 elementos mas, mais importante, com a capacidade de expansão que um navio pequeno não tem.

Só para se ter uma ideia da relação entre uma guarnição nominal e uma guarnição efectiva, no seguimento dos recentes acidentes no Pacífico com os destroyers Arleigh Burke, a US Navy decidiu reforçar as guarnições destes navios, cuja guarnição nominal é de cerca de 330 elementos mas, ao que consta, andavam guarnecidos com cerca de 200 elementos. Note-se que há missões em que as fragatas portuguesas operam com guarnições superiores a 200 elementos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Abril 18, 2019, 06:40:29 pm
Corvetas concebidas para o Báltico que custam quase 500 milhões, mal armadas e com inúmeros problemas mecânicos? Eu passava. Existem fragatas no mercado ao mesmo preço, com deslocamento adequado a operações no Atlantico Norte, com guarnições de 120/160 elementos mas, mais importante, com a capacidade de expansão que um navio pequeno não tem.

Só para se ter uma ideia da relação entre uma guarnição nominal e uma guarnição efectiva, no seguimento dos recentes acidentes no Pacífico com os destroyers Arleigh Burke, a US Navy decidiu reforçar as guarnições destes navios, cuja guarnição nominal é de cerca de 330 elementos mas, ao que consta, andavam guarnecidos com cerca de 200 elementos. Note-se que há missões em que as fragatas portuguesas operam com guarnições superiores a 200 elementos.

Ok, mas há corvetas como as 8313 da Damen que custam entre os 250/300 milhões de € e mantem uma capacidade de combate e sensores quase ao nivél de uma fragata e com uma tripulação de apenas 55 elementos.

(https://products.damen.com/-/media/Products/Images/Clusters-groups/Naval/Sigma-Corvette/Sigma-Corvette-8313/Sigma_Corvette_8313.jpg)

(https://products.damen.com/-/media/Products/Images/Clusters-groups/Naval/Sigma-Corvette/Sigma-Corvette-8313/3D-render/Sigma_Corvette.png?mw=1300)

(https://products.damen.com/-/media/Products/Images/Clusters-groups/Naval/Sigma-Corvette/Sigma-Corvette-8313/3D-render/Damen_Sigma_Corvette.png?mw=1300)

https://products.damen.com/en/ranges/sigma-frigate-and-corvette/sigma-corvette-8313

Projeção de força a um preço acessivel.

 ;)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Abril 18, 2019, 09:33:09 pm
Uma fragata, hoje em dia deve dispor entre 40 mísseis a 60 SAM (entre ESSM e Standard), mais CIWS (RAM, SeaRAM, Phalanx), 4 ou 6 tubos para torpedos, 8 a 16 SSM e, eventualmente, mísseis de cruzeiro. Nessa configuração, a SIGMA é pouco mais que uma lancha lança-mísseis com uma capacidade limitada de defesa aérea e uma capacidade ainda mais limitada para expansão. São bons navios para mares 'fechados' como o Báltico ou o Mar Negro, mas algo desadequados para o Atlântico.

Uma futura classe de fragatas terá que estar preparada para ser equipada com armas laser num horizonte de 10 a 15 anos e, eventualmente, SSM supersónicos que são, tipicamente, maiores que os SSM convencionais. Basta olhar para o que as outras marinhas NATO estão a adquirir; não é preciso reinventar a roda.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Abril 18, 2019, 11:19:30 pm
Ok, mas o minha idea é que nunca na vida vamos ter entre 7 a 9 fragatas, e as corvetas podem fazer um papel intermedio entre manutenções e certas missões que os patrulheiros não tem condições nem estão armados para isso.
Algumas das mesmas missões que estão neste momento a ser efectuadas pelos museus flutuantes como a João Roby e a Antonio Enes, e ambas essas deslocam menos tonelagem que esta.
Álem do mais, só por causa das coisas, eu ponho esta corveta, com um SMART-S MK2, 8 EXOCET MM40 Block 3, os 21 misseis RAM Block2 e dois lançadores de torpedos ligeiros (digamos o MU-90) e o CMS TACTICO da Thales ,ESM- Thales DR3000 , ECM- Racal Scorpion 2L, contra as nossas 5 fragatas e quero ver quem faz mais estragos. Mesmo as BDG "modernizadas".
 :Esmagar: max1x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Abril 19, 2019, 12:17:26 am
As nossas fragatas estão completamente ultrapassadas, especialmente a nível de sensores, pelo que qualquer comparação com SIGMA/Meko A100/Gowind é injusta. As nossas fragatas deslocam menos que as novas corvetas Tamandaré e qualquer fragata contemporânea de uma marinha oceânica da NATO desloca pelo menos 5.000 toneladas.

Também não acredito que algumas vez venhamos a ter 9 fragatas. A própria Marinha só contempla 7 nos seus planos. No entanto, mesmo as actuais 5 unidades talvez sejam demasiadas para o nosso orçamento. Quando uma Marinha como a holandesa que operava mais de 12 escoltas oceânicas está actualmente reduzida a metade — se bem que com melhores capacidades que as unidades anteriores — só nos resta cair na realidade. Mas se vamos ser forçados a reduzir o número de escoltas, ao menos que estas tenham um valor militar ao nível dos nossos pares.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 19, 2019, 02:35:35 am
Quando falei nas Braunschweig foi apenas um exemplo. Falar em Corvetas sub-armadas, e depois falar em Sigma, vai dar ao mesmo, visto que estas têm armamentos francamente fracos que pouco melhoram relativamente às actuais fragatas que possuímos. Quanto ao preço e problemas das corvetas alemãs, lá está, é para isso que isto é um forum, para se falar e discutir outros aspectos que por vezes escapam à primeira vista.

No meio disto, e tendo em conta a como está a ser feita a LPM, 300 milhões para um LPD (navio não combatente) é muito. A utilidade é indiscutível, mas há alternativas. Desde AOR multifunções, até a fragatas como as Absalon e até LPDs de menores dimensões e mais baratos de construir. Até os NPOs apresentam alguma capacidade decente (decente =/= ideal) para executar algumas missões do LPD.
Agora, do ponto de vista militar, se puser em cima da mesa a ideia de uma Absalon a juntar-se a outras 5 fragatas, riscando de vez o sonho do LPD, ficaríamos muito chateados e mal servidos? Penso que não. Agora ter um LPD todo xpto, ultra moderno, e escoltá-lo com fragatas que cada vez mais ficam em segundo plano do ponto de vista tecnológico, é ridículo.

Em termos de tripulações, e assumindo que o número de marinheiros se mantém antes e após a substituição das Corvetas por NPOs, e dos Cacine por Tejo/LFCs, então parte-se do princípio que "sobra gente". Já o substituto do Bérrio teria idealmente uma tripulação menor, suponho. Isto daria margem para eventualmente operar uma 6ª fragata. Em termos de custos, é para isso que a tecnologia serve, não me acredito que com um mesmo orçamento, se gaste mais em gota para os NPOs do que se gastava com as velhas Corvetas... E acredito que, nos tempos que correm, qualquer fragata mais moderna terá, digo eu, um custo de operação inferior ao das nossas fragatas, especialmente tendo motores mais eficientes, mais fiáveis, maior automação do navio, etc. Portanto, não vejo aqui um problema, já que em substituições "directas", os custos de operação em teoria seriam inferiores.
Resta portanto, os custos de aquisição. Aqui é que a porca torce o rabo. Cada vez mais, uma simples fragata custa cada vez mais dinheiro. Vemos hoje em dia projectos com preços abismais, se comparados com fragatas e destroyers topo de gama. Navios sub-armados a custar 300 milhões de euros unid. quando há uns anos por 600 milhões se adquiria uma Zeven Provincien topo de gama. Verdade que dito assim, 600 milhões é muito, é o dobro, mas vendo as capacidades de um e outro navio, dá para perceber que um é militarmente muito mais capaz e autónomo, tendo um poder de fogo superior a 2 ou até 3 navios dos de 300 milhões.

Na verdade, isto é muita conversa, e a realidade é bem pior. O que eu gostava? Ora um 3º Tridente. 2 fragatas de defesa aérea (novas de preferência), 3 fragatas multirole, com ênfase na guerra ASW e ASuW e 1 Absalon. Eventulamente 2 AAW, 2 ASW e 2 Absalon, mas isto são números abstractos. Acho que, qualquer que seja o projecto que se siga, novo ou usado, ficará sempre com um custo elevadíssimo, seja topo de gama agora, seja com 10 anos em atraso e com necessidade de modernização passado outros tantos. Vendo os valores que se dão para uma modernização séria às VdG, acaba por não compensar de todo, e ainda assim, mais tarde ou mais cedo teriam de ser substituídas por algo igualmente caro. Ou seja, iríamos gastar dinheiro 2 vezes, tornando-se valores em tudo idênticos a se comprássemos novo "já". Dá que pensar, comprando algo moderno, não teríamos de as substituir por um prazo de no mínimo 30 anos, e teriam com certeza uma margem para modernizar para durarem 35/40. Acho que de facto é começar a explorar o mercado, as feiras internacionais, procurar parceiros (Holanda e Bélgica nas novas M por exemplo), e começar a pensar como financiar as novas fragatas. Quem sabe, a própria NATO não nos brinda como fez com as VdG, pagando uma parte do custo.  :-X

De resto, que substitua o Bérrio (que seja em 2ª mão), que se complete a classe de NPOs (8 navios mínimo), mesmo que apenas equipados com as Marlin, já é melhor do que ter zero. Que se prossiga com as LFCs, 2 draga-minas. A partir daqui, fica tudo em ordem. Eventualmente melhore-se os NPOs com uns lançadores Mistral, um radar militar. Camcopter S-100 para os NPOs, e substituir os Lynx por Lynx Wildcat ou outro, que equipem todas as fragatas.

Não é difícil, é ter vontade. É ver que tanto os NPOs como as LFCs podem ter potencial, e eventuais vendas internacionais podem ajudar a orçamentar outras compras da Marinha. As actuais 5 fragatas, se vendidas antes de 2030, ainda devem valer alguns trocos para alguma marinha da América do Sul.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Abril 19, 2019, 04:10:32 pm
Caro dc, nesse aspecto discordo completamente da doutrina, ter fragatas especializadas só faz com que se alguma for abatida perde-se logo a valencia na qual era especializada.
A meu ver mais vale investir mais um pouco e ter todas as fragatas como GP (General Purpose) do que trocar certos sensores e armamentos dumas para as outras e ser mais provável de irem ao fundo e levarem a especialização com elas.
 ys7x9
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: jpthiran em Abril 19, 2019, 05:40:30 pm
se Portugal tivesse 5 M frigates, 2 Absalon e 3 submarinos, um reabastecedor, com os 10 NPO possíveis de converter em NCO, teríamos já muita coisa!...não estaríamos nada mal servidos e não seria uma despesa por aí além, considerando que os cascos seriam TODOS feitos em Portugal...um NPL é apenas um muito dispendioso e grande alvo que consumiria recursos (navios) a defender, pelo que seria um enorme embaraço que acabaria por ter de ficar em terra ou acabaria rapidamente no fundo!...seria sempre um navio dificílimo de defender...já as Absalon vem acrescentar capacidade combatente e de transporte...esses sim navios muito úteis...a uma marinha com poucos navios capazes!...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Abril 19, 2019, 07:48:03 pm
Eu vou continuar a insistir: a questão de fundo não é a simples incompetência, desinteresse e desleixo.
A questão subjacente é o deliberado desmantelamento dos estados nação e, demolir cultural e espiritualmente, as nações europeias, situação essa que passa pelo genocídio, presentemente "soft" dos povos indígenas.

Enquanto isso não for encarado de frente, as questões subsidiárias como esta do "zero naval" ou do "zero aéreo" ou do recruta zero vão ser repetidas ad nauseam.
Quem não vê isso apenas demonstra como a população foi subvertida, mais uma vez, e repito-o cultural e espiritualmente.

Os povos europeus estão a ser atacados.
E não são pelos árabes ou africanos, meros peões e carne para canhão nesta guerra.


Por isso digo-vos: acordem enquanto é tempo.

És um lírico.  :mrgreen: Vais levar com a "Marinha Europeia" e já gozas. Os maiores inimigos sentam~se em bruxelas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 19, 2019, 10:20:24 pm
se Portugal tivesse 5 M frigates, 2 Absalon e 3 submarinos, um reabastecedor, com os 10 NPO possíveis de converter em NCO, teríamos já muita coisa!...não estaríamos nada mal servidos e não seria uma despesa por aí além, considerando que os cascos seriam TODOS feitos em Portugal...um NPL é apenas um muito dispendioso e grande alvo que consumiria recursos (navios) a defender, pelo que seria um enorme embaraço que acabaria por ter de ficar em terra ou acabaria rapidamente no fundo!...seria sempre um navio dificílimo de defender...já as Absalon vem acrescentar capacidade combatente e de transporte...esses sim navios muito úteis...a uma marinha com poucos navios capazes!...

Quais M? As novas a ser desenvolvidas pelos Holandeses e Belgas ou iguais às BD?

Caro dc, nesse aspecto discordo completamente da doutrina, ter fragatas especializadas só faz com que se alguma for abatida perde-se logo a valencia na qual era especializada.
A meu ver mais vale investir mais um pouco e ter todas as fragatas como GP (General Purpose) do que trocar certos sensores e armamentos dumas para as outras e ser mais provável de irem ao fundo e levarem a especialização com elas.
 ys7x9

Actualmente pouca diferença se nota entre uma fragata de defesa aérea e uma multirole. A fragata AAW, regra geral, apresenta todas ou quase todas as capacidades de uma ASW/ASuW, e acresce-lhes uma capacidade excepcional de defesa aérea. Esta capacidade de defesa aérea faz-se sentir nos próprios radares a bordo, e nos mísseis. Os ESSM não fazem o mesmo que os SM, e um radar APAR e Smart-L serão sempre muito superiores se comparados com os radares "convencionais", por assim dizer.
Mas entendo o cepticismo, ainda para mais tendem a ser navios mais dispendiosos. Aqui a questão que lhe coloco, é que tipo de fragatas GP estariam em causa. Que armamentos e sensores possuiriam? Navios multi-missão há muitos, o problema é que nem todos estão armados como seria ideal. Alguns até abdicam de sistemas CIWS puros.

Agora, independentemente da solução pela qual se optasse, estou de acordo que seria preferível 1 ou 2 Absalon e esquecer o LPD de vez, e ter outras 4 fragatas modernas novas (acho que 5 fragatas convencionais mais 2 Absalon é um sonho muito longínquo, infelizmente).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: jpthiran em Abril 19, 2019, 11:59:53 pm
M frigates - as novas...e sim, se calhar o mais razoável seria 4 M frigates e 2 Absalons, sendo dos 10 NPO,  4 poderiam ser convertidos em NCO ou corvetas...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 25, 2019, 01:01:52 pm
Bem, a minha LPM para os navios combatentes de superfície, seria algo assim:

-Substituir as VdG o quanto antes, vendendo-as enquanto ainda têm algum valor. Substituir estas por 4 fragatas: 2 Absalon (servindo para substituir as VdG e em simultâneo tapar o buraco do LPD, aproveitando o orçamento deste último para este programa), e 2 Meko A200 ou Venator 110, ou até mesmo as Sigma 10514 (fragatas de baixo custo, pouca tripulação, com ESSM Block2, Harpoon/NSM, torpedos, CIWS).

-Substituir as BD mais tarde, visto estas estarem a decorrer de um processo de modernização. A sua substituição seria feita igualmente por 2 navios, do género das Iver Huitfeldt, FREMM ou as novas M.

Não sei como seria em termos de custos, mas 300 milhões que estão alocados ao pseudo-LPD, seriam postos nas Absalon, a venda das VdG ajudaria também a financiar a sua substituição. O conceito das Absalon seria até mais fácil de "vender ao povo", pelas suas capacidades de ajuda em catástrofes. Sendo duas, e tendo nós 2 arquipélagos, tornaria-se possível apoiar ambos, algo que nunca aconteceria com apenas 1 LPD, em caso de catástrofe. Já as fragatas leves/convencionais, teriam como objectivo manter as capacidades de combate, trazendo baixos custos de operação e tripulações mais reduzidas (permitindo operar um sexto navio de combate). A substituição das BD seria adiada para 5/10 anos depois, reduzindo os custos de uma substituição de todas as fragatas em simultâneo.

Devemos no entanto ficar atentos aos desenvolvimentos nos programas internacionais, como o FFG(X), os dois projectos britânicos, as novas M, etc. Muitas soluções podem ser apresentadas (vi num vídeo um lançador vertical de mísseis Hellfire, quem sabe daria para ser instalado nos NPOs, por exemplo), e os projectos vencedores destes programas poderão, eventualmente ter menores custos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Abril 25, 2019, 01:53:10 pm
Bem, a minha LPM para os navios combatentes de superfície, seria algo assim:

-Substituir as VdG o quanto antes, vendendo-as enquanto ainda têm algum valor. Substituir estas por 4 fragatas: 2 Absalon (servindo para substituir as VdG e em simultâneo tapar o buraco do LPD, aproveitando o orçamento deste último para este programa), e 2 Meko A200 ou Venator 110, ou até mesmo as Sigma 10514 (fragatas de baixo custo, pouca tripulação, com ESSM Block2, Harpoon/NSM, torpedos, CIWS).

-Substituir as BD mais tarde, visto estas estarem a decorrer de um processo de modernização. A sua substituição seria feita igualmente por 2 navios, do género das Iver Huitfeldt, FREMM ou as novas M.

Não sei como seria em termos de custos, mas 300 milhões que estão alocados ao pseudo-LPD, seriam postos nas Absalon, a venda das VdG ajudaria também a financiar a sua substituição. O conceito das Absalon seria até mais fácil de "vender ao povo", pelas suas capacidades de ajuda em catástrofes. Sendo duas, e tendo nós 2 arquipélagos, tornaria-se possível apoiar ambos, algo que nunca aconteceria com apenas 1 LPD, em caso de catástrofe. Já as fragatas leves/convencionais, teriam como objectivo manter as capacidades de combate, trazendo baixos custos de operação e tripulações mais reduzidas (permitindo operar um sexto navio de combate). A substituição das BD seria adiada para 5/10 anos depois, reduzindo os custos de uma substituição de todas as fragatas em simultâneo.

Devemos no entanto ficar atentos aos desenvolvimentos nos programas internacionais, como o FFG(X), os dois projectos britânicos, as novas M, etc. Muitas soluções podem ser apresentadas (vi num vídeo um lançador vertical de mísseis Hellfire, quem sabe daria para ser instalado nos NPOs, por exemplo), e os projectos vencedores destes programas poderão, eventualmente ter menores custos.

Ou seja três modelos completamente diferentes de fragatas, para conseguirmos ter seis unidades ???
E, achas que alguma vez se vão substituir as três VdG por quatro navios ???
Era bom era mas não aqui em Portugal, se as VdG forem substituídas unidade por unidade já seria muito bom, mas se as VdG fossem agora substituídas de certeza que eram por apenas duas unidades !

Abraços e bons sonhos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 25, 2019, 02:28:51 pm
Pois, mas matematicamente falando, é uma ideia para ajustar a substituição das VdG e ter as capacidades do LPD. Vejamos que, com um LPD, seria da mesma maneira um navio de uma classe diferente, tão ou mais dispendioso de operar que uma fragata, com maior tripulação que uma fragata, e com menor capacidade de responder a variadas missões.
Ter 3 tipos de fragata ia dar ao mesmo, com a diferença que, cada uma das fragatas teria capacidade para executar uma ENORME variedade de missões (ao contrário do LPD). Eu estaria de acordo ter 2 Absalon e 3/4 fragatas do mesmo tipo, mas como seria feita a substituição? 3 ou 4 fragatas novas para substituir as VdG, e depois 2 Absalon pelas BD? Isto seria trocar fragatas por navios com funções muito diferentes. Comprar 3 ou 4 Absalon seria um excesso, e substituir as VdG por 2 Absalon, limitava muito as nossas capacidades. Agradecia outra proposta, mas com a matemática feita para primeiro se substituir 3 fragatas (VdG) e depois 2 (BD), torna-se complicado.

Queria era que o Governo/Marinha desistissem de vez do LPD, não precisamos de um elefante branco a sugar os recursos limitados da Marinha para se usar uma vez por ano quando passar um furacão. Que se veja as Absalon, com olhos de ver, e se demonstre o interesse nestas, e eventualmente se negoceie o preço por 2 navios destes o quanto antes e, quem sabe, a construção de pelo menos 1 deles cá. Quanto às VdG, não aceito a sua substituição por apenas 2 navios, na pior das hipóteses, manter o número actual.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Abril 25, 2019, 03:41:16 pm
Pois, mas matematicamente falando, é uma ideia para ajustar a substituição das VdG e ter as capacidades do LPD. Vejamos que, com um LPD, seria da mesma maneira um navio de uma classe diferente, tão ou mais dispendioso de operar que uma fragata, com maior tripulação que uma fragata, e com menor capacidade de responder a variadas missões.
Ter 3 tipos de fragata ia dar ao mesmo, com a diferença que, cada uma das fragatas teria capacidade para executar uma ENORME variedade de missões (ao contrário do LPD). Eu estaria de acordo ter 2 Absalon e 3/4 fragatas do mesmo tipo, mas como seria feita a substituição? 3 ou 4 fragatas novas para substituir as VdG, e depois 2 Absalon pelas BD? Isto seria trocar fragatas por navios com funções muito diferentes. Comprar 3 ou 4 Absalon seria um excesso, e substituir as VdG por 2 Absalon, limitava muito as nossas capacidades. Agradecia outra proposta, mas com a matemática feita para primeiro se substituir 3 fragatas (VdG) e depois 2 (BD), torna-se complicado.

Queria era que o Governo/Marinha desistissem de vez do LPD, não precisamos de um elefante branco a sugar os recursos limitados da Marinha para se usar uma vez por ano quando passar um furacão. Que se veja as Absalon, com olhos de ver, e se demonstre o interesse nestas, e eventualmente se negoceie o preço por 2 navios destes o quanto antes e, quem sabe, a construção de pelo menos 1 deles cá. Quanto às VdG, não aceito a sua substituição por apenas 2 navios, na pior das hipóteses, manter o número actual.


Na melhor das hipoteses 3 fragatas GP tipo as Type 31/MEKO A-200/Venator 110 (ou similar) e duas Absalon. Com muita sorte.
 :P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Abril 25, 2019, 03:55:16 pm
Pois, mas matematicamente falando, é uma ideia para ajustar a substituição das VdG e ter as capacidades do LPD. Vejamos que, com um LPD, seria da mesma maneira um navio de uma classe diferente, tão ou mais dispendioso de operar que uma fragata, com maior tripulação que uma fragata, e com menor capacidade de responder a variadas missões.
Ter 3 tipos de fragata ia dar ao mesmo, com a diferença que, cada uma das fragatas teria capacidade para executar uma ENORME variedade de missões (ao contrário do LPD). Eu estaria de acordo ter 2 Absalon e 3/4 fragatas do mesmo tipo, mas como seria feita a substituição? 3 ou 4 fragatas novas para substituir as VdG, e depois 2 Absalon pelas BD? Isto seria trocar fragatas por navios com funções muito diferentes. Comprar 3 ou 4 Absalon seria um excesso, e substituir as VdG por 2 Absalon, limitava muito as nossas capacidades. Agradecia outra proposta, mas com a matemática feita para primeiro se substituir 3 fragatas (VdG) e depois 2 (BD), torna-se complicado.

Queria era que o Governo/Marinha desistissem de vez do LPD, não precisamos de um elefante branco a sugar os recursos limitados da Marinha para se usar uma vez por ano quando passar um furacão. Que se veja as Absalon, com olhos de ver, e se demonstre o interesse nestas, e eventualmente se negoceie o preço por 2 navios destes o quanto antes e, quem sabe, a construção de pelo menos 1 deles cá. Quanto às VdG, não aceito a sua substituição por apenas 2 navios, na pior das hipóteses, manter o número actual.

DC, bem podes esquecer as seis fragatas e pelo menos as Absalon teriam de ser novas, pois a Dinamarca não se desfaz delas tão depressa, porque nós pura e simplesmente não temos dinheiro, já andamos aflitos para manter o que temos, basta ver o tardio das melhorias nas BD e os metros cúbicos de agua que vão passar por debaixo das pontes deste país até que se decida o que fazer com as VdG, quanto mais acrescentar uma fragata ao nosso inventário !

O que é para ontem é a aquisição de um abastecedor de frota, essa sim a aquisição que já deveria ter sido há mais de uma década efectuada, e que imensa falta faz á MdG, olha que se escolha um navio semelhante ao novo AOR Norueguês que a brincar pode transportar viaturas blindadas e não só e também só 160 cabeças extra os 60 da guarnição, e por 300 milhões até tinhas dois Navios !!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/VQoS8U.jpg) (https://imageshack.com/i/pnVQoS8Uj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/mlbv0K.jpg) (https://imageshack.com/i/pmmlbv0Kj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/dIbJTO.jpg) (https://imageshack.com/i/pldIbJTOj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/p8V1wc.jpg) (https://imageshack.com/i/pmp8V1wcj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/4qdtik.jpg) (https://imageshack.com/i/po4qdtikj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/CD7rAm.jpg) (https://imageshack.com/i/plCD7rAmj)

Quanto ao LPD, o MRV/LPD Neo Zelandês, cá está mais uma marinha, além da Holandesa, e com apenas com onze Navios, menos de 1/3 dos cascos que a MdG possui, e que tem um LPD, mas dizia eu o Navio Kiwi, tem uma guarnição de 53 elementos, menos de um terço de uma Fragata das nossas e serve bem as necessidades Kiwis, agora, se o nosso Almirantado acha que o referido Navio/modelo não chega para o poderio Naval e militar Português, já são outros cinco tostões !!

https://en.wikipedia.org/wiki/HMNZS_Canterbury_(L421)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/uW7kBr.jpg) (https://imageshack.com/i/pouW7kBrj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/ALE3tR.jpg) (https://imageshack.com/i/pnALE3tRj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/E1bnRs.png) (https://imageshack.com/i/poE1bnRsp)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/Vc8wjw.jpg) (https://imageshack.com/i/pnVc8wjwj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/FlXyPr.jpg) (https://imageshack.com/i/pnFlXyPrj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/MWBvTR.jpg) (https://imageshack.com/i/pnMWBvTRj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/YyVowR.jpg) (https://imageshack.com/i/pnYyVowRj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/htrGuN.jpg) (https://imageshack.com/i/pohtrGuNj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/ECPPg7.jpg) (https://imageshack.com/i/pnECPPg7j)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/0YJKUs.jpg) (https://imageshack.com/i/pm0YJKUsj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/rqWW4b.jpg) (https://imageshack.com/i/pnrqWW4bj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/Lk2zhC.png) (https://imageshack.com/i/pnLk2zhCp)

Abraços

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Abril 25, 2019, 06:53:28 pm
@DC -- um LPD, da classe Enforcer, ou semelhante, é mais barato de operar que uma fragata. Isto foi amplamente discutido aquando da oportunidade perdida de adquirir o Siroco. O tamanho da guarnição é semelhante, mas o consumo de combustível é substancialmente menor. Tratam-se de navios flexíveis que, de acordo com a própria Marinha, podem substituir fragatas no cumprimento de missões internacionais. Além das capacidades anfíbias e de transporte, têm melhores condições para embarcar um estado-maior, maiores e melhores instalações médicas, maior capacidade de transporte, maior autonomia, maior capacidade de embarcar meios aéreos, podem dar apoio logístico a outros navios e certamente mais coisas que não me ocorrem agora. Claro que se pensarmos num LPD americano, com o dobro do deslocamento e da guarnição, os custos operacionais são muito maiores, mas esse tipo de LPD nunca foi equacionado para a nossa Marinha.

Concordo que os Absalon são um conceito híbrido muitíssimo interessante e extremamente flexível para uma marinha com poucos recursos como a nossa. Mas fazem sentido quando enquadrados por navios de combate poderosos como as IH. Agora tentar enquadrar Absalon com NPO's e corvetas não me parece ser um exercício muito útil. É extremamente urgente começar a trabalhar na substituição das actuais fragatas -- as MEKO, mas também as BD --, mas a opção por múltiplas classes de navios com pouca capacidade de expansão, que vão ter que operar 30 ou 40 anos, irá condenar a nossa Marinha à terceira divisão por muitas décadas. Se queremos que a nossa Marinha continue a integrar a SNMG1 e SNMG2, ou a escoltar o CdG, ou a operar lado a lado com a Armada espanhola, a RN, ou a MMI precisamos de fragatas modernas (> 5.000 toneladas, 32 VLS, etc.).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Abril 25, 2019, 07:09:06 pm
Também não vejo hipótese do conceito Absalon sem "pesos pesados"; mas vejo o LPD como um luxo que não comportamos - troco o LPD por "AOR Norueguês", capaz de transportar alguns veículos, uma CF, ter capacidades hospitalares e heli.

Atenção que o NPO - mesmo com o meu "sonho" de Radar + SIMBAD-RC + Altesse and Vigile LW - não é um navio de combate... há detalhes, muitos e caros, até o transformar em um navio de combate (corveta).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: jpthiran em Abril 25, 2019, 10:22:49 pm
Boa noite.
As futuras M-frigates não são navios adequados para Portugal?...
Segundo os Holandeses o navio devia ser bom na luta anti-submarina e capaz de ser defender sozinho de quaisquer outras ameaças...num navio relativamente compacto...não é isso que queremos para nós?...para além disso as fragatas Holandesas parece que tem provas dadas...quem poderá comentar mais sobre estes navios?...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 25, 2019, 10:44:18 pm
Atenção, eu nunca pus em cima da mesa que tendo as Absalon, os restantes navios armados tivessem que ser Corvetas/NPOs armados. Aquilo que mencionei foi precisamente ter fragatas, como as Meko A200, que não sendo um topo de gama como as FREMM, futuras M, etc, já representam um salto relativamente às VdG. Mas isto é uma ideia assim por alto, claro que o ideal seria tudo topo de gama, como as Iver Huitfeldt, mas todos sabemos que infelizmente não deverá haver dinheiro em momento algum dos próximos 10 anos para se comprar algo deste género ou melhor. Se gostava? Gostava pois, substituir as VdG por 3 fragatas da classe das FREMM, novas M... mas será possível? Gostava de crer que sim...

Quanto ao LPD, consome menos combustível que uma fragata com sistemas de propulsão contemporâneos? Ou essa comparação é feita com as nossas actuais fragatas?
Pronto, a Nova Zelândia também tem... um mini LPD, comparado com aquilo que a Marinha quer por 300(?) milhões. Um país muito mais sujeito a catástrofes naturais, e numa zona do planeta mais instável. Se tivessem que gramar com um bisonte como o Rotterdam por 300 milhões, ambos sabemos que não teriam tal meio.

A minha questão é mais esta, justifica-se a aquisição de um meio como o LPD, correndo o risco de, para o ter, a Marinha seja obrigada a reduzir o número de fragatas? E quando falam em capacidade deste substituir as fragatas em variadas missões da Nato, que missões falamos nós?

PS: Quando falo em Absalon, não era comprar em segunda mão as originais, era construir do zero. Nem me parece que os Dinamarqueses as fossem pôr à venda tão cedo.

O AOR, é talvez o meio mais fácil de adquirir. Não tem que ter nenhum tipo de armamento específico, sonares, radares, e algumas das opções presentes em segunda mão, são bastante interessantes. Não estou familiarizado com o AOR Norueguês, qual o nome do dito, para pesquisar?

As futuras M-frigates não são navios adequados para Portugal?...

As novas M têm sido amplamente mencionadas por aqui, até como um dos projectos preferidos da malta, havendo até quem defenda a entrada da Marinha neste projecto conjunto. Infelizmente, deixamo-nos ficar para trás, como sempre. O que receio mais nestes navios é, 1- o preço que podem atingir e 2- o ano em que seriam lançados, já que as VdG não podem esperar mais 10 anos sem que nada seja feito. Outro receio meu, era dar-nos uma de NH-90 e A-400, em que abandonamos o programa a meio/perto da sua conclusão, depois de investidos vários milhões.
A perspectiva é mais esta, ou investe-se pouco e compra-se navios mais contemporâneos, que representam uma melhoria relativamente às actuais fragatas, mas que não têm tanta margem de evolução, ou vai-se atrás de um projecto de maior escala, mais caro, mas que nos garante um futuro promissor. Em parte prefiro a segunda, mas há que ser realista, sempre que fomos ambiciosos nas FA portuguesas, o programa acaba por ser cancelado e ficamos anos à espera de solução. LPD, MLU das fragatas, subst. Al3, subst Alpha Jet, subst. da G3, NPO, LFC... O que observo ao longo destes anos é que, se não for comprado de imediato, raramente as aquisições militares seguem em frente.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Abril 26, 2019, 12:45:28 am
Citar
Pronto, a Nova Zelândia também tem... um mini LPD, comparado com aquilo que a Marinha quer por 300(?) milhões. Um país muito mais sujeito a catástrofes naturais, e numa zona do planeta mais instável. Se tivessem que gramar com um bisonte como o Rotterdam por 300 milhões, ambos sabemos que não teriam tal meio.

Isto não tem nada a ver com fragatas e LPD's, mas quanto a catástrofes naturais, acho que não ficamos a dever nada a ninguém, já que o sismo de 1755 foi um dos maiores da história, havendo muitos autores a estimar a sua magnitude como tendo sido superior a 9. Relativamente à instabilidade da zona, também discordo, já que a NZ está relativamente isolada, enquanto nós estamos na vizinhança de um dos 'choke points' mais importantes do mundo e bastante perto de uma zona com potencial para grande instabilidade (Norte de África).

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 26, 2019, 02:59:32 am
Tudo bem, mas basta ver quantas vezes é que (felizmente) tivemos nos últimos 100 anos uma catástrofe natural que se compare com muitas outras que vemos todos os anos por esse mundo fora. Não estou a dizer que vivemos num paraíso de mares e ventos calmos, mas a frequência de furacões, vulcões, tsunamis, etc é bastante baixa se compararmos com outras regiões.

Quanto à instabilidade na região, tem razão, estava a colocar a Nova Zelândia como se fosse a Indonésia (não é a Indonésia que tem navios do mesmo género? Na volta sou eu mesmo a fazer confusão.). No entanto, não deixa de ser aparente que o maior risco à soberania global é a China.

De momento, estamos de boas relações com Marrocos, em que a única situação potencialmente conflituosa a emergir entre os dois países seria a questão da Madeira. Mesmo assim, o LPD não seria a resposta, mas sim meios dissuasores, como navios combatentes, caças destacados naquele arquipélago, defesas anti-aéreas capazes, etc.

Resumindo, para sermos capazes de dar resposta a todas as potenciais situações no futuro, ter um LPD não é a solução. Há que dar também seguimento a outros programas igualmente essenciais. Um LPD sem escoltas, mais vale nem existir, senão não passa de um navio hospital com um grande convés de voo e hangar.

Fala-se muito no aspecto estratégico, mas não esquecer que por cá se negou completamente esse aspecto aquando da selecção do KC em vez do A-400. Este último em muitas das situações ajudaria a aliviar a falta de um LPD. Mas isto é outra história.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: jpthiran em Abril 26, 2019, 10:37:47 am
2 Absalon + um AOR com boa capacidade de carga e um convès razoável já permitiriam alguma logística...
se os 3 navios tiverem capacidade para suportar os H101 já não vamos mal de todo...
já se movimentavam alguns homens e algum equipamento...
em caso de necessidade uma força dessas ainda pode ser acompanhada / defendida por um submarino (sobretudo para defender o AOR)...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Abril 26, 2019, 11:02:51 am
2 Absalon + um AOR com boa capacidade de carga e um convès razoável já permitiriam alguma logística...
se os 3 navios tiverem capacidade para suportar os H101 já não vamos mal de todo...
já se movimentavam alguns homens e algum equipamento...
em caso de necessidade uma força dessas ainda pode ser acompanhada / defendida por um submarino (sobretudo para defender o AOR)...

Ou seja ao invês de empenhares um MRV com um escoltador ou dois vais ter de empenhar as duas absalon + o AOr para teres alguma capacidade de transportar pessoal para a intervenção.
E já agora como desembarcas o equipamento mais pesado, se não possuis lanchas de desembarque ???
Levas as absalon até ao porto para desembarcar ??
E se o porto tiver sido destruido pelas forças IN, ou por algum cataclismo ??
Como apoias as nossas tropas/forças em terra ??
Com o apoio de fogos dos navios, mantendo-os perto de terra e com o risco de contra fogos do IN ??
Onde fica o armamento/equipamento pesado??
Nos Navios ??
Entaõ se assim, só se comprova que o MRV/LPD não pode ser substituido por duas Absalon, o simples facto dos MRV/LPD possuirem lanchas de desembarque faz toda a diferença quanto á sua utilidade e emprego, é a unica maneira de dembarcar o armamento/equipamento/viaturas mais pesadas e que não são heli transportadas, caro dc.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/RRuym8.jpg) (https://imageshack.com/i/poRRuym8j)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/KAXcys.jpg) (https://imageshack.com/i/pnKAXcysj)

Quando um País como o nosso com uma tradição naval enorme, não consguiu manter uma simples LDG ao serviço é porque não está minimamente preocupado com a sua Marinha nem com as FFAA !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: jpthiran em Abril 26, 2019, 11:27:55 am
não há AOR com lanchas de desembarque para levar o material pesado ?...
penso que já vi vários por aqui...
penso que os da Damen tinham a capacidade de transportar e colocar lanchas na agua com gruas...
se estiver errado corrijam-me...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Abril 26, 2019, 12:21:23 pm
não há AOR com lanchas de desembarque para levar o material pesado ?...
penso que já vi vários por aqui...
penso que os da Damen tinham a capacidade de transportar e colocar lanchas na agua com gruas...
se estiver errado corrijam-me...

Haver há e em varios tamanhos do S ao XXL mas custarão quase tanto quanto um MRV/LPD e não os 150 milhões do novo AOR Norueguês, o MAUD !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 26, 2019, 01:22:02 pm
O MAUD, segundo a wiki, tem hangar para acomodar 2 NH-90... isto significa que consegue acomodar pelo menos 1 EH-101? E tem capacidade de lançar à água lanchas de desembarque?

Aqui o problema do LPD, é o mesmo de há anos. Sempre foi dito em notícias e entrevistas que, para financiar o LPD, seria adiado o MLU das fragatas, sendo o das VdG um MLU mais leve. Ora, tantos anos depois, nem MLU, nem LPD, nem nada! É como se a Marinha/MdN parassem no tempo à espera da solução do LPD para depois fazer o resto. Querem um LPD? Tudo bem, mas garantam que os restantes programas prossigam, como as Fragatas.
E em quanto é que está orçamentado (na LPM) a substituição do Bérrio?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Abril 26, 2019, 01:58:09 pm
Atenção que o adiamento, ou cancelamento, do mini-MLU às VdG só foi sugerido aquando da possibilidade de aquisição do Siroco. Nunca antes tal coisa havia sido sugerida, portanto o problema não tem a ver com o LPD em si. O problema é que quando o Siroco não deu nada algum 'esperto' se lembrou: olha já que sugeriram esta medida, vamos avançar com ela à mesma e sempre se poupam uns cobres.

O mais irritante nisto tudo é que se continua a discutir um eventual MLU merdoso a navios com 27/28 anos, que já devia ter acontecido há 10 ou 15 anos atrás. Pior, torpedearam o MLU tardio àquelas que seriam as 'fragatas para ambientes de alta intensidade', que devia ter sido planeado para acontecer 03 ou 04 anos após a sua aquisição.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 26, 2019, 11:59:36 pm
Sim, eu tenho noção que o adiamento do MLU das fragatas veio na altura do interesse no Siroco. E também me recordo de nessa altura se falar que, com o Siroco, as VdG receberiam apenas um MLU ligeiro. Mas o MLU das VdG tem vindo a ser adiado constantemente. Fazia parte da LPM de 2003 se não estou em erro, e nada foi feito. Actualmente, o MLU às VdG passaria a ser redundante, especialmente se for levado a cabo um MLU light. É deitar dinheiro fora que podia ser posto num projecto mais ambicioso, como as novas M. Infelizmente não há grande interesse em adquirir navios novos, até na própria Marinha vejo pouca pressão para se comprar algo.

E relativamente ao MLU das BD, ainda estou para ver o que aí vem. Parece-me também um MLU reles, que tirando a inclusão dos ESSM Block 2, não melhoram muito mais, que eu saiba.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Abril 28, 2019, 03:17:00 pm
Sim, eu tenho noção que o adiamento do MLU das fragatas veio na altura do interesse no Siroco. E também me recordo de nessa altura se falar que, com o Siroco, as VdG receberiam apenas um MLU ligeiro. Mas o MLU das VdG tem vindo a ser adiado constantemente. Fazia parte da LPM de 2003 se não estou em erro, e nada foi feito. Actualmente, o MLU às VdG passaria a ser redundante, especialmente se for levado a cabo um MLU light. É deitar dinheiro fora que podia ser posto num projecto mais ambicioso, como as novas M. Infelizmente não há grande interesse em adquirir navios novos, até na própria Marinha vejo pouca pressão para se comprar algo.

E relativamente ao MLU das BD, ainda estou para ver o que aí vem. Parece-me também um MLU reles, que tirando a inclusão dos ESSM Block 2, não melhoram muito mais, que eu saiba.

Ganham um mastro novo, todo bojudo e pelos vistos oco  :mrgreen: , mas impressiona quem não percebe nada da poda (a começar pelos nossos des-governantes)

Se não me falha a memória , aquando da novela mexicana do Sirocco, o que se falou era que ao invés de um MLU às CINCO fragatas, haveria um MLU ás 2 BD + 1 VdG (presumo que a Corte Real visto ser a mais recente...)

Passámos disso para um "MLU" (pelos vistos da treta) às 2 BD e mais népia (sempre a "involuir"), empurrando com a barriga para um "futuro" indefinido a aquisição de um AOR e de um LPD, que devem vir a ser tanto verdade como o  Porta-aviões dos anos 30.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Abril 28, 2019, 03:18:28 pm
O MAUD, segundo a wiki, tem hangar para acomodar 2 NH-90... isto significa que consegue acomodar pelo menos 1 EH-101? E tem capacidade de lançar à água lanchas de desembarque?

Aqui o problema do LPD, é o mesmo de há anos. Sempre foi dito em notícias e entrevistas que, para financiar o LPD, seria adiado o MLU das fragatas, sendo o das VdG um MLU mais leve. Ora, tantos anos depois, nem MLU, nem LPD, nem nada! É como se a Marinha/MdN parassem no tempo à espera da solução do LPD para depois fazer o resto. Querem um LPD? Tudo bem, mas garantam que os restantes programas prossigam, como as Fragatas.
E em quanto é que está orçamentado (na LPM) a substituição do Bérrio?

Não era (por favor não rir!) 20M€?  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 28, 2019, 04:18:18 pm
20 milhões? Isso dá quase para um Queen Elizabeth apetrechado de helicópteros e F-35...

Outro aparte, em quanto é que fica o orçamento das BD? Número oficial do contrato, se houver.

E algo que me esqueci de acrescentar antes. Já que os Tejo foram a solução barata/temporária, e já que se vai espremer a sua utilidade até ao fim da sua vida útil, devíamos aproveitar para melhorar o projecto das LFC o mais rápido e atenciosamente possível. Não sei exactamente as definições e configuração do projecto original, mas de um lado começar por corrigir alguns erros dos NPOs, nomeadamente a ausência de uma "doca" para uma lancha de abordagem.
-Modernizar o design, porque o design do navio, além de influenciar 1- a assinatura no radar e 2- instalação de novos equipamentos, também é um factor de venda.
-Pensar logo desde o início na capacidade de desenvolver uma versão draga-minas, instalado logo desde o início uma arma RWS, seja em que calibre for, de preferência 30mm, sensores ópticos/IR, mastro capaz de acomodar um radar militar caso fosse requisito do cliente sem grande necessidade de mudanças físicas no navio.
-Eventualmente, pensar numa parceria tanto entre 2 estaleiros nacionais, como alguma empresa/estaleiro estrangeiro, e até mesmo com outra Marinha.

Já que não se atingiu o potencial real dos NPOs, pode ser que agora com alguma margem de tempo que os Tejo nos asseguram, devíamos tentar aperfeiçoar as LFC ao máximo, tornando-as o mais apelativas possível para o mercado externo. Mercado para este tipo de navios não falta, talvez até mais que para os NPOs e seria uma bela forma de financiar outras aquisições da Marinha, ajudar a economia e a criação de empregos, e um grande incentivo para a indústria naval nacional.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Clausewitz em Abril 29, 2019, 05:23:17 pm
E em quanto é que está orçamentado (na LPM) a substituição do Bérrio?

Não era (por favor não rir!) 20M€?  :mrgreen:

A verba na LPM para substituição do reabastecedor é de 150 milhões de euros.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Abril 29, 2019, 07:12:48 pm
E em quanto é que está orçamentado (na LPM) a substituição do Bérrio?

Não era (por favor não rir!) 20M€?  :mrgreen:


A verba na LPM para substituição do reabastecedor é de 150 milhões de euros.

Isso é agora na nova proposta da LPM. Anteriormente, estavam previstos 20 milhões. Deves encontrar essa informação no tópico do Bérrio.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Clausewitz em Abril 29, 2019, 09:16:20 pm
E em quanto é que está orçamentado (na LPM) a substituição do Bérrio?

Não era (por favor não rir!) 20M€?  :mrgreen:


A verba na LPM para substituição do reabastecedor é de 150 milhões de euros.

Isso é agora na nova proposta da LPM. Anteriormente, estavam previstos 20 milhões. Deves encontrar essa informação no tópico do Bérrio.

Sim, eu sei que estavam 20 milhões, o preço tabela para todas as aquisições. Mas dado que a nova LPM foi aprovada na generalidade e aparentemente há acordo para aprovar na especialidade, o valor já não é esse, mas 150 milhões.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Abril 30, 2019, 02:15:20 am
O AOR norueguês não custou exactamente esse valor? Ou estou a fazer alguma confusão?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Abril 30, 2019, 03:38:14 pm
O AOR norueguês não custou exactamente esse valor? Ou estou a fazer alguma confusão?

Custou 140 milhões de Libras o que dá á volta de 160 milhões de €. Mas pelo navio que é acho que vale os 10 milhões a mais.
 c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 02, 2019, 03:05:21 pm
O AOR norueguês não custou exactamente esse valor? Ou estou a fazer alguma confusão?

Custou 140 milhões de Libras o que dá á volta de 160 milhões de €. Mas pelo navio que é acho que vale os 10 milhões a mais.
 c56x1

Assino por baixo. Não entendo porque não é tratado logo esse assunto. E os 10 milhões, talvez alguém os pagasse pelo Bérrio? Assim ficava conta certa, como o povo gosta.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Maio 02, 2019, 03:47:57 pm
10 milhões pelo Bérrio!? Depende do preço a que estiver o aço de sucata. Há uns tempos atrás eram 0.20 centimos o quilo, não sei se pesa que chegue pra chegar aos 10 milhões...
 ;D
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 02, 2019, 04:18:57 pm
E o cobre dos fios? E os motores? E o radar? E as peças de 20 mm? E o combustível que ainda estiver lá dentro?  :mrgreen:
Tostão a tostão chega-se lá!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Maio 02, 2019, 04:27:12 pm
E o cobre dos fios? E os motores? E o radar? E as peças de 20 mm? E o combustível que ainda estiver lá dentro?  :mrgreen:
Tostão a tostão chega-se lá!


Só se for pelo combustivél! O radar já era obsoleto quando chegou cá em 90 quanto mais! Só de for pra pôr em alguma traineira!
As peças de 20mm podem ir prós NPO´s visto que está dificil de chegarem as Oto Melara.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 02, 2019, 04:36:13 pm
Bom, há-de haver algum barco de pesca que precise de radar a preço de desconto! E depois o capitão do barco de pesca pode dizer que tem um radar que andou num navio da Marinha.  :mrgreen:

Fora de brincadeiras, não haveria algum país interessado naquele tipo de navio? Apesar de muito velho, as João Belo também o eram, e ainda assim arranjou-se comprador.  ::)

Já agora, alguém me arranja o link da notícia onde se fala do cancelamento do LPD por completo?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Maio 03, 2019, 10:21:07 am
10 milhões pelo Bérrio!? Depende do preço a que estiver o aço de sucata. Há uns tempos atrás eram 0.20 centimos o quilo, não sei se pesa que chegue pra chegar aos 10 milhões...
 ;D

6692 tons segundo https://en.wikipedia.org/wiki/Rover-class_tanker  = 1 338 400 € , nem de perto nem de longe :P


Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: diogo13350 em Maio 03, 2019, 11:15:36 am
Bom, há-de haver algum barco de pesca que precise de radar a preço de desconto! E depois o capitão do barco de pesca pode dizer que tem um radar que andou num navio da Marinha.  :mrgreen:

Fora de brincadeiras, não haveria algum país interessado naquele tipo de navio? Apesar de muito velho, as João Belo também o eram, e ainda assim arranjou-se comprador.  ::)

Já agora, alguém me arranja o link da notícia onde se fala do cancelamento do LPD por completo?
Ninguém fala do cancelamento do LPD, mas sim do alocamento de metade da verba para as VDG, dando a entender que ficam 150 milhoes para o dito LPD...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lancero em Maio 05, 2019, 01:20:50 pm
E em quanto é que está orçamentado (na LPM) a substituição do Bérrio?

Não era (por favor não rir!) 20M€?  :mrgreen:


A verba na LPM para substituição do reabastecedor é de 150 milhões de euros.

Isso é agora na nova proposta da LPM. Anteriormente, estavam previstos 20 milhões. Deves encontrar essa informação no tópico do Bérrio.

Sim, eu sei que estavam 20 milhões, o preço tabela para todas as aquisições. Mas dado que a nova LPM foi aprovada na generalidade e aparentemente há acordo para aprovar na especialidade, o valor já não é esse, mas 150 milhões.

O que estava previsto seria uma revisão por 20 milhões
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Maio 05, 2019, 01:24:05 pm
Antes eram 300 para o LPD

Agora são 150 para o LPD + 150 para as Meko
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 05, 2019, 01:31:38 pm
Acho que as Meko nem chegam aos 150, porque pelo menos 5 milhões iam para a Ciberdefesa.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Maio 05, 2019, 01:38:46 pm
Acho que as Meko nem chegam aos 150, porque pelo menos 5 milhões iam para a Ciberdefesa.

É verdade, as Meko são 45*3= 135
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 05, 2019, 01:44:16 pm
Não me recordo para onde iam os outros 10 milhões... mas não me admirava que fossem para os bolsos de alguém.  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Maio 24, 2019, 09:00:04 pm
Depois de saber que as VdG vao sofrer, quando tiverem a bonita idade de mais de trinta anos, uma treta de uns upgrades que em nada vão contribuir para um aumento de capacidades de combate, destes três Navios ainda haverá quem duvide que estamos a caminhar a passos largos, e bem largos, para o zero naval ??????

Nem dinheiro temos para duas tretas de dois sistemas Marlin, para não falar dos Classe Tejo, e da vergonha do tempo que estão a demorar a estar operacionais, pois só foram adquiridos em Julho de 2015 !!!!
Venham mas é mais Navios patrulha, que é o que os nossos politicozecos de pacotilha, e o Almirantado querem, pois são de duplo uso, como eles alegam, se bem que nunca entendi o que estes iluminados, querem dizer com duplo uso.

Enquanto isto se passa por cá, no Chile, a tal Nação que apenas tem sete fragatas e que nos irá surripiar, quando a altura chegar, as Zeven Provicien, acontece isto :

https://www.lockheedmartin.com/en-ca/chile.html

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Igor em Maio 24, 2019, 11:20:42 pm
Meus caros, cada vez mais se constata que vamos passar a dispor de uma guarda costeira do que propriamente de uma marinha de guerra, infelizmente é uma situacão comum aos 3 ramos das forças armadas. Cada vez os meios são em menor numero,  meios cada vez mais obsoletos, tem se  perdido várias valencias nos 3 ramos e etc, porém os nossos generais são complices das politicas dos nossos governantes, e assubiam para o lado. É a triste realidade tuga,
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Maio 25, 2019, 12:47:41 am
Depois de saber que as VdG vao sofrer, quando tiverem a bonita idade de mais de trinta anos, uma treta de uns upgrades que em nada vão contribuir para um aumento de capacidades de combate, destes três Navios ainda haverá quem duvide que estamos a caminhar a passos largos, e bem largos, para o zero naval ??????

Nem dinheiro temos para duas tretas de dois sistemas Marlin, para não falar dos Classe Tejo, e da vergonha do tempo que estão a demorar a estar operacionais, pois só foram adquiridos em Julho de 2015 !!!!
Venham mas é mais Navios patrulha, que é o que os nossos politicozecos de pacotilha, e o Almirantado querem, pois são de duplo uso, como eles alegam, se bem que nunca entendi o que estes iluminados, querem dizer com duplo uso.

Enquanto isto se passa por cá, no Chile, a tal Nação que apenas tem sete fragatas e que nos irá surripiar, quando a altura chegar, as Zeven Provicien, acontece isto :

https://www.lockheedmartin.com/en-ca/chile.html

Abraços

Não adianta espernear, as forças armadas vão se tornar iguais as da Irlanda, é um questão de tempo.

Os políticos não se querem "colar" ou estar associados a elevados gastos militares, ou compras que manchem a imagem " Paulo Portas e os Submarinos" por exemplo. Daí se comprarem equipamentos de "duplo uso", que possam ir para operações de apoio a paz ou de baixa intensidade, e que sirvam também para ações civis, daí cada vez mais estarmos a adquirir equipamentos com baixo valor militar e capacidade de combate.

Ou seja, no Exército, ( é o ramo mais penalizado pela LPM) e que "menos" pode fazer em relação ao duplo uso. Já a FAP e a Marinha, recebem equipamentos novos, mas em baixa quantidade e de valor militar duvidoso, mas que cumprem as missões civis sem grandes problemas.
Veja-se os A-119, os AW-101 ( só para SAR), estando o CSAR relegado para ultimo plano, os C-295M( avião civil e com missões quase todas civis), os KC-390, os OPV "Viana do Castelo" os "Tejo" etc.

Podemos tirar o cavalo da chuva relativamente a F-35 e outros que tais, pois simplesmente não há vontade nem é politicamente apelativo gastar dinheiro nas FA.

Cumprimentos,
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 25, 2019, 09:59:12 am
Não se esqueçam... algumas das fragatas são muito grandes! Se fossem do tamanho de NPOs é que seriam adequadas à Marinha!

Esta da dimensão das Type 23 vai ficar entalada por muitos anos... só se quem as acha muito grandes, enganou-se no número e pensou tratarem-se das Type-45...

Mas isto faz algum sentido, com uma das maiores ZEE do mundo, andarem a dizer que certos navios são demasiado grandes? Navega-se no Atlântico com botes de borracha querem ver...?
É o que digo, quando há tachos, cunhas e luvas envolvidos, já são equipamentos valorosos e de grande utilidade... não havendo nada disso, não servem.  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Maio 28, 2019, 10:28:31 am
Vocês  parece que se esquecem em que país é que vivem, em que o importante são os "cambalachos", e encher os bolsos dos amigos

De certeza que este "MLU" às VdG vai encher o c_u a muito menino e por isso é que vai para a frente!

Quando o AA cobra milhões por ter os Tejo acostados ao cais, estão à espera de quê????

Podem perder o tempo que quiserem com exercicios puramente ficcionais de navios que nunca iremos ter, mas não é mais do que isso, perda de tempo.

Eu já me cansei, não vale a pena numa república de bananas entregue aos bichos e aos primos...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 01, 2019, 06:21:01 pm
Volto a postar isto aqui, já que se tem falado um pouco de não se ter substituído as LDG.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.arsenal-alfeite.pt%2Fimages%2Fbloco509.jpg&hash=92c8859ef3e1fdc67b55bba4af49389e)

2 destes mais um Maud, e ficaríamos muito bem servidos tanto a nível de capacidade de desembarque, como para alívio de catástrofes. Resta saber se um módulo de combate à poluição poderia ser instalado num navio destes, e eventualmente capacidade de guerra de minas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 01, 2019, 06:49:28 pm
Duvido muito das capacidades náuticas deste tipo de embarcação — de pequeno calado — em águas como as do Atlântico. Em caso de mau tempo como é que esta lancha ia chegar às ilhas?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 01, 2019, 07:57:42 pm
Houvesse dinheiro para tal, podiam ser navios destacados nos arquipélagos de forma permanente. Quem diz estes, diz uma lancha semelhante. Em caso de cheias, podiam ser usados para evacuar a população entre as ilhas/para uma parte mais segura da ilha.

Isto se houvesse dinheiro claro.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 01, 2019, 10:30:19 pm
Nem actualmente tens navios militares permanentemente baseados nas ilhas e isso ia acontecer para ter lá umas lanchas de desembarque? E para quê? Para evacuar populações quando há navios civis (ferries) baseados nas ilhas que podem perfeitamente fazer isso?

A vantagem e versatilidade de um LPD/LSD/LHD é que pode transportar grandes quantidades de material e pessoal, tem capacidade de embarcar/desembarcar esse material e pessoal independentemente das infra-estruturas portuárias presentes, de operar e suster vários helicópteros de forma autónoma, capacidade de providenciar energia e água potável a terra, tem hospital próprio e centro de C3I. Ora põe lá isso tudo numa lancha de desembarque, numa fragata, num NPO, ou mesmo num AOR — algumas destas funções podem ser efectuadas por estas classes de navios, mas não todas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Miguel em Junho 01, 2019, 11:50:56 pm
Volto a postar isto aqui, já que se tem falado um pouco de não se ter substituído as LDG.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.arsenal-alfeite.pt%2Fimages%2Fbloco509.jpg&hash=92c8859ef3e1fdc67b55bba4af49389e)

2 destes mais um Maud, e ficaríamos muito bem servidos tanto a nível de capacidade de desembarque, como para alívio de catástrofes. Resta saber se um módulo de combate à poluição poderia ser instalado num navio destes, e eventualmente capacidade de guerra de minas.

Isto sim, 2 unidades, seria otimo em vez de sonhar com operacoes tipo overlord ou tarawa..
E que venha 1 AoR para apoiar as fragatas, e pensar na sua substituicao dentro de 10 anos. Penso que as Meko podem durar ate 2040. Com Mlus.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 12:33:42 am
Nem actualmente tens navios militares permanentemente baseados nas ilhas e isso ia acontecer para ter lá umas lanchas de desembarque? E para quê? Para evacuar populações quando há navios civis (ferries) baseados nas ilhas que podem perfeitamente fazer isso?

A vantagem e versatilidade de um LPD/LSD/LHD é que pode transportar grandes quantidades de material e pessoal, tem capacidade de embarcar/desembarcar esse material e pessoal independentemente das infra-estruturas portuárias presentes, de operar e suster vários helicópteros de forma autónoma, capacidade de providenciar energia e água potável a terra, tem hospital próprio e centro de C3I. Ora põe lá isso tudo numa lancha de desembarque, numa fragata, num NPO, ou mesmo num AOR — algumas destas funções podem ser efectuadas por estas classes de navios, mas não todas.

De acordo.
Mas e dinheiro para o dito LPD? É que nem algo como o Makassar (que cabia dentro do orçamento) querem, quando houve a possibilidade de adquirir o Siroco também não quiseram, e não resta dinheiro para algo maior e melhor que seria um elefante branco na Marinha. Qual a solução? Como se viu nem dinheiro para o Seawatcher existe, quanto mais para mais um navio e das dimensões do LPD que se quer...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 02, 2019, 02:15:18 am
Claro que há dinheiro. Podia-se perfeitamente adquirir uma LPD e um AOR usados por pouco mais de 100 milhões de euros e que durariam perfeitamente até 2040/2045. Eles andem aí e não é para overlords ou gaylords, é mesmo para operações reais. Já foram aqui discutidas inúmeras possibilidades, o problema é a usual falta de vontade das classes políticas e militares.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 12:54:14 pm
Eu reformulo o que disse. O dinheiro tem sido sucessivamente retirado das Forças Armadas, semanalmente aparece uma nova notícia de um corte aqui, um cancelamento ali... Depois o orçamento dos tais "4,7 mil milhões" dividido por 10 anos, está maioritariamente planeado para pós-2025, incluindo os programas urgentes como o AOR. Aliás, ainda não sei como é que fazem 4,7 mil milhões parecer tão pouco. Se são precisos 4,7 mil milhões para executar programas minúsculos como os apresentados na LPM, imagino quando fosse para substituir as 5 fragatas, e o MLU/substituição dos F-16, etc, tudo programas com um valor mínimo de várias centenas de milhões, em alguns casos podendo chegar aos 1,5 mil milhões ou mais.

Eu digo mesmo, pelo MLU que se espera das BD e depois das VdG, mais valia investir no 3º Tridente, que esse sim teria uma real capacidade militar. Quanto ao LPD, é o que digo, vale a pena se não puser em causa outros programas da MP e Forças Armadas, porque por cá é isso que acontece, ou A ou B, nunca os dois.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 02, 2019, 02:07:03 pm
Eu reformulo o que disse. O dinheiro tem sido sucessivamente retirado das Forças Armadas, semanalmente aparece uma nova notícia de um corte aqui, um cancelamento ali... Depois o orçamento dos tais "4,7 mil milhões" dividido por 10 anos, está maioritariamente planeado para pós-2025, incluindo os programas urgentes como o AOR. Aliás, ainda não sei como é que fazem 4,7 mil milhões parecer tão pouco. Se são precisos 4,7 mil milhões para executar programas minúsculos como os apresentados na LPM, imagino quando fosse para substituir as 5 fragatas, e o MLU/substituição dos F-16, etc, tudo programas com um valor mínimo de várias centenas de milhões, em alguns casos podendo chegar aos 1,5 mil milhões ou mais.

Eu digo mesmo, pelo MLU que se espera das BD e depois das VdG, mais valia investir no 3º Tridente, que esse sim teria uma real capacidade militar. Quanto ao LPD, é o que digo, vale a pena se não puser em causa outros programas da MP e Forças Armadas, porque por cá é isso que acontece, ou A ou B, nunca os dois.

O programa para substituir as VDG facilmente chega aos 1.5 mil milhões senão mais, visto que ninguém quer optar pelas fragatas "baratas".
É tudo de FREMM pra cima!

 c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 02:22:31 pm
https://newwars.wordpress.com/warship-costs/

Encontrei isto na net... até que ponto estarão estes valores certos?

Fazendo as contas, e assumindo que o preço das Meko A200 estará certo, não teria compensado mais na altura encomendar 2 destas fragatas ao invés de adquirir as KD? Ora façamos as contas, as BD custaram 240 milhões, certo? Mais este MLU que não ficará a menos de 50 milhões... 340 milhões no mínimo por dois navios que continuarão obsoletos e com relativamente poucos anos de vida comparado com navios novos... Não teria valido a pena esta opção? Ao invés do Umkhonto, optava-se pelo Mk-41 com ESSM, 2 Phalanx, Harpoon... Talvez isto esticasse o valor unitário para 400 milhões, mas ainda assim...

O programa para substituir as VDG facilmente chega aos 1.5 mil milhões senão mais, visto que ninguém quer optar pelas fragatas "baratas".
É tudo de FREMM pra cima!

 c56x1

Partindo do princípio que se substituiriam as 3 VdG por 3 navios novos, sim, não tenho dúvidas que o valor chegasse ou ultrapassasse os 1.5 mil milhões, sem ajudas externas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 02, 2019, 05:18:50 pm
DC — esses valores, a serem reais, não incluem armamento, treino, infraestrutura de suporte, etc. O valor que pagámos em 2006 por dois navios com 10 a 12 anos de serviço, armamento e formação, foram uma pechincha. Só os 30 Harpoon e 50 Sea Sparrow incluídos no negócio teriam custado mais de 100 milhões de euros se os tivéssemos adquirido novos.

E agora, bem conversadinhos podíamos adquirir rapidamente 01 Wave Knight por 30 milhões, o Rotterdam por 80 milhões, 08 Wildcat* por 200/220 milhões, 02 M com armamento dentro de 05 anos por 100 milhões (para substituir as VdG)**, 02 DZP com armamento nos próximos 08 a 10 anos por 400 milhões. É tudo uma questão de vontade e persuasão, pois as outras marinhas também têm falta de recursos humanos e financeiros para operar as frotas correntes e o que está planeado adquirir num futuro próximo. Basta recordar a história caricata da RN a pressionar a MB para adquirir o Ocean rapidamente, pois necessitavam da sua guarnição no QE. É tudo uma questão de aproveitar, ou criar, as oportunidades — haja vontade política, obviamente.

* Os 05 Super Lynx com o upgrade ficavam para treino e, depois de retirado o equipamento ASW, podiam servir para missões ASuW e VERTREP a partir do AOR e do LPD. Ficando assim a componente aeronaval da Marinha com um total de 13 helis, o que já é significativo.

** Dentro de 05 anos ainda conseguíamos vender as 03 VdG por 80 ou 100 milhões, com os Sea Sparrow, mas sem Harpoon e CIWS, a uma marinha sul americana (Brasil, Peru, Uruguay) ou asiática (Filipinas, Vietnam, Indonésia).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 05:33:46 pm
DC — esses valores, a serem reais, não incluem armamento, treino, infraestrutura de suporte, etc. O valor que pagámos em 2006 por dois navios com 10 a 12 anos de serviço, armamento e formação, foram uma pechincha. Só os 30 Harpoon e 50 Sea Sparrow incluídos no negócio teriam custado mais de 100 milhões de euros se os tivéssemos adquirido novos.

E agora, bem conversadinhos podíamos adquirir rapidamente 01 Wave Knight por 30 milhões, o Rotterdam por 80 milhões, 08 Wildcat* por 200/220 milhões, 02 M com armamento dentro de 05 anos por 100 milhões (para substituir as VdG)**, 02 DZP com armamento nos próximos 08 a 10 anos por 400 milhões. É tudo uma questão de vontade e persuasão, pois as outras marinhas também têm falta de recursos humanos e financeiros para operar as frotas correntes e o que está planeado adquirir num futuro próximo. Basta recordar a história caricata da RN a pressionar a MB para adquirir o Ocean rapidamente, pois necessitavam da sua guarnição no QE. É tudo uma questão de aproveitar, ou criar, as oportunidades — haja vontade política, obviamente.

* Os 05 Super Lynx com o upgrade ficavam para treino e, depois de retirado o equipamento ASW, podiam servir para missões ASuW e VERTREP a partir do AOR e do LPD. Ficando assim a componente aeronaval da Marinha com um total de 13 helis, o que já é significativo.

** Dentro de 05 anos ainda conseguíamos vender as 03 VdG por 80 ou 100 milhões, com os Sea Sparrow, mas sem Harpoon e CIWS, a uma marinha sul americana (Brasil, Peru, Uruguay) ou asiática (Filipinas, Vietnam, Indonésia).

Chegaram a vir 30 Harpoon?  :o Então quantos é que possuímos actualmente, entre as versões para as fragatas, para P-3 e para os Tridente?

Completamente de acordo, excepto na parte de se reduzir o número de fragatas para 4. Ora com 4 M não ficávamos assim tão melhores do que estamos actualmente, e teríamos menos 1 navio de combate. Aceitaria se em contrapartida viesse o terceiro submarino (cenário muito pouco provável), ficando a Armada com 4 fragatas e 3 submarinos. Isto foi pelo menos o que entendi daquilo que escreveu.
As DZP parecem-me a solução óbvia daqui a 8/10 anos, mas para substituir as VdG era preferível navios novos com idades diferentes das BD. Com 4 M ficávamos com o problema em mãos que teríamos 4 navios de combate com a mesma idade e padrão de armamento para substituir em 2030. 2 DZP não chegam para as substituir as 4, teríamos de tomar a decisão de, passado no máximo outros 5 anos, adquirir outras 2 ou 3 fragatas novas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 02, 2019, 05:44:17 pm
Bom, mas actualmente tens 05 navios que precisam ser substituídos por volta de 2035 (o ano de todos os perigos, como já aqui referi muitas vezes, pois os F-16 também expiram por essa altura e os C-295 e EH-101 vão necessitar de MLUs). Mas entre 2035 e 2040 podíamos adquirir novas M (ou outro navio semelhante, mas continuo a achar que devíamos aproveitar as sinergias dos holandeses e belgas) e entre 2045 e 2050 duas novas fragatas AAW para substituir as DZP. Ficávamos assim com duas classes de fragatas com um desfasamento de 10 anos e não o absurdo que é agora em que a totalidade da frota expira em simultâneo e, a continuar a ser esse o caso, vais ter uma redução permanente de 05 para 03 navios — isso é garantido! Prefiro uma redução de 05 para 04 durante alguns anos, com uma subida para 06 e que se mantenha assim por 30 ou 40 anos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 05:53:03 pm
Bom, mas actualmente tens 05 navios que precisam ser substituídos por volta de 2035 (o ano de todos os perigos, como já aqui referi muitas vezes, pois os F-16 também expiram por essa altura e os C-295 e EH-101 vão necessitar de MLUs). Mas entre 2035 e 2040 podíamos adquirir novas M (ou outro navio semelhante, mas continuo a achar que devíamos aproveitar as sinergias dos holandeses e belgas) e entre 2045 e 2050 duas novas fragatas AAW para substituir as DZP. Ficávamos assim com duas classes de fragatas com um desfasamento de 10 anos e não o absurdo que é agora em que a totalidade da frota expira em simultâneo e, a continuar a ser esse o caso, vais ter uma redução permanente de 05 para 03 navios — isso é garantido! Prefiro uma redução de 05 para 04 durante alguns anos, com uma subida para 06 e que se mantenha assim por 30 ou 40 anos.

A mim só me faz comichão a redução para 4 navios. Como disse antes, faria sentido se fosse por 4 navios topo de gama, mas não é o caso. Defendia sim, era que com o MLU as BD ficavam um pouco melhor equipadas para durar até 2030. Enquanto isso, deixávamos as VdG sem MLU, e nos próximos 3 ou 4 anos no máximo começávamos a procurar um navio novo, 3 unidades de preferência, para as substituir, sem se gastar um cêntimo nesta estúpida modernização. BD com MLU e VdG sem, já dava uma diferença na sua data de substituição de pelo menos 5 anos, o que já é mais do que a situação actual. Gastar por gastar, mais valia ficarmos logo despachados das VdG, vendendo-as e adquirindo navios novos, que nos safavam no mínimo por 30 anos, e depois comprava-se 2 DZP para substituir as BD em 2028/30.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 02, 2019, 05:57:22 pm
Quanto ao armamento adquirido, podes ir ao site do SIPRI. Mas posso dizer-te que comprámos 50 Harpoon aos EUA e 30 à Holanda. Quanto aos Sea Sparrow, comprámos 48 aos EUA, 18 à Dinamarca e 50 à Holanda. Também comprámos 100 torpedos Mk46 aos EUA.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Junho 02, 2019, 06:00:14 pm
https://www.naval.com.br/blog/2019/06/02/confidencial-marinha-do-brasil-avalia-compra-de-navios-usados-da-australia-do-canada-dos-eua-e-do-japao/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 02, 2019, 06:02:06 pm
Já que falaram em misseis, no outro dia vi uma apresentação numa feira no Peru em que a marinha Peruana pegou nos Otomat MK2 que retirou dos navios que abateu e fizeram baterias costeiras com os misseis. Com 180 km de alcance não estão mal servidos.
Como o Harpoon já está mesmo nas lonas um projecto semelhante cá não seria má idea visto que a parte mais cara já temos que são os misseis, e para defesa costeira 120 km servem perfeitamente.

Ao minuto 6:38 :


 :)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 02, 2019, 06:02:47 pm
Esquece, não temos de 2.000, ou 2.500 milhões de euros para adquirir 03 fragatas nos próximos 05 anos. Isso é completamente irrealista. E entre 03 VdG, com ou sem MLU da treta, prefiro 02 M com o MLU completo (ao contrário das nossas). As VdG, com ou sem MLU, vão passar a ser NPOs musculados e vão deixar de fazer parte dos SNMG dentro de poucos anos, pois de pouco servem.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 06:27:10 pm
As Anzac vão ser retiradas tão cedo? Pensei que fossem só as Adelaide. Sendo assim, acho que preferia as Anzac, e até podiam ser adquiridas 3 unidades.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Junho 02, 2019, 07:48:02 pm
https://www.naval.com.br/blog/2019/06/02/confidencial-marinha-do-brasil-avalia-compra-de-navios-usados-da-australia-do-canada-dos-eua-e-do-japao/

Na minha opinião poderiamos negociar com os USA, " 2 Arleigh Buirk" Flight I, e não modernizar as MEKO.

Cump,
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Junho 02, 2019, 08:24:16 pm
https://www.naval.com.br/blog/2019/06/02/confidencial-marinha-do-brasil-avalia-compra-de-navios-usados-da-australia-do-canada-dos-eua-e-do-japao/

muito engraçado este artigo......sobre as prováveis escolhas do Brasil!

Os sensores, em particular os radares rotativos a serem adquiridos no quadro de um putativo MLU, com quase toda a certeza não poderão ser utilizados numa futura fragata que, espera-se, tenha radares AESA com antenas fixas. No entanto, certos elementos a nível de armamento poderão ser utilizados em futuras fragatas novas, o que se enquadra na declaração do CEMGFA: "preparar a compra de novas fragatas dentro de alguns anos". Exemplos: peça 127 mm BAE Mk 45 Mod 4, sistema Raytheon RAM Mk31 para 21 mísseis RAM Block 2 (posição B), torpedos Mk 54, Harpoon Block II, Mk 41 VLS para 32 ESSM Block 2, Protector RWS para M2 12.7 (ou outro RWS semelhante).


NVF, quanto ás opções de armamento que referes para as futuras modernizações das VdG, estou completamente de acordo, só não concordo com as modernizações das ditas Fragatas pois pecam por muitíssimo tardias !

Na minha opinião de leigo na Matéria, a hipótese da modernização das VdG nem se deveria colocar, deveria ter sido efectuada no máximo há dez anos não agora, ir modernizar três Navios já com trinta ou mais anos, quando a modernização terminasse, quantos anos teria a última das três Fragatas 36, 37 ???
Nem refiro a qualidade das modernizações que seriam efectuadas, basta ver o que está a acontecer ás BD, e aos Patrulhas classe Tejo, para vermos o que irá acontecer com as modernizações das VdG


(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/M91k2m.jpg) (https://imageshack.com/i/plM91k2mj)


De acordo com informações saídas da marinha do Chile, este País estaria interessado na aquisição de duas fragatas da classe Adelaide, as OZP da marinha Australiana e abandonaria a intenção de comprar as duas M Holandesas.

https://www.navalnews.com/naval-news/2019/02/chilean-navy-interested-in-the-adelaide-class-frigates/

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/Depz6M.jpg) (https://imageshack.com/i/pmDepz6Mj)

Se tal acontecer, penso que as VdG terão os seus dias contados, e, as duas M virão cá parar mas, a meu ver será cometer dois erros o primeiro serem apenas duas unidades a substituir três e segundo a idade das Fragatas em questão.

A não haver dinheiro para a compra de três fragatas Novas, bem podemos sonhar mas os Bancos irão continuar a sugar os nossos impostos,  a única opção será a aquisição de três Anzac Australianas, primeiro por serem pelo menos doze anos mais novas que as VdG, depois por já terem sido modernizadas, e terceiro por podermos substituir as três VdG por igual numero de Navios, e quarto vão começar a estar disponíveis daqui a cinco anos!!
As VdG estão modernizadas daqui a cinco anos ???
Não me parece !!


Com 30 anos só remotorizadas, com novos radares principais e NH90 (ou MH-60R). É uma pena, quanto a mim, o abandono das VdG sem se pensar em substitutos adequados. Pessoalmente, também acho que o desenho é melhor que o das M e com maior capacidade para melhoramentos (por ex, MK41 VLS).

Se olharmos com um pouco de atenção existe uma Marinha que, daqui a uns seis/oito anos começará a substituir as suas MEKO pelas Type 26 é só vermos se nos interessam.

.....Planned replacement

The RAN plans to begin removing their Anzacs from service from 2024 onwards.[75]
To replace them, the Hunter class of new frigates will be built under the SEA 5000 acquisition project.[75] The frigates are predicted to have a displacement of up to 7,000 tonnes (6,900 long tons; 7,700 short tons), and although they will be primarily oriented towards anti-submarine warfare, they are expected to be capable of also operating against air, sea-surface, and land targets.[75][76] Originally eight vessels were planned, but by August 2015, the number of planned ships had increased to nine, with an estimated cost of $20 billion.[75][77]
Construction is predicted to commence in 2020.[76]
The Abbott Government promised that the two-decade construction project will be headquartered in South Australia, with shipbuilding divided between ASC Pty Ltd in South Australia and BAE Systems' Williamstown Dockyard in Victoria.[77]
On 18 April 2016, Prime Minister Malcolm Turnbull (Abbott's successor) confirmed that BAE Systems' Type 26-class, Fincantieri's FREMM-class and a re-designed F-100-class frigate designed by Navantia had been shortlisted to replace the ANZAC-class in Australia. The Prime Minister confirmed that any frigate will be built in Adelaide and incorporate an Australian CEA phased array radar.
The program is estimated to be worth $35 billion.
In June 2018 it was confirmed that BAE Systems’s Type 26 had won the SEA5000 competition, with the in service date for the new vessels being set for 2027.[78]


Como informação adicional as três unidades mais " Novas " da classe ANZAC, são de 2006, 2005 e 2004 , agora com doze, treze e catorze anos, daqui a oito anos terão.........bem, menos idade que as M Holandesas, e também já foram modernizadas !!!

https://en.wikipedia.org/wiki/Anzac-class_frigate

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/Bds9q8.jpg) (https://imageshack.com/i/pmBds9q8j)

PS : também poderemos pensar em comprar, ou melhor ainda, construir em Portugal, três type 31, as versões pobres das Type 26, á BAe, por 250 Milhões de libras cada, são uma pechincha !!!!  ::) ;)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/ZRSs0l.jpg) (https://imageshack.com/i/pmZRSs0lj)

Abraços

NVF Claro que a comprar em 2ª Mão a minha escolha recairia sobre as de Zeven Provincien !!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/MkUUQm.jpg) (https://imageshack.com/i/plMkUUQmj)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Junho 02, 2019, 08:25:08 pm
As Anzac vão ser retiradas tão cedo? Pensei que fossem só as Adelaide. Sendo assim, acho que preferia as Anzac, e até podiam ser adquiridas 3 unidades.

Excelente artigo sobre todas as capacidades das ANZAC Australianas Pós modernização.

https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com/2016/08/25/anzac-class-frigate-australia/

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/n4SSIG.png) (https://imageshack.com/i/pnn4SSIGp)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/CfRw4t.png) (https://imageshack.com/i/pmCfRw4tp)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/Es5Xm1.png) (https://imageshack.com/i/poEs5Xm1p)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 02, 2019, 09:47:10 pm
As Anzac até estão em boa estado, modernas que baste e não são muito antigas, é pena não sairem de serviço mais cedo!
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 11:22:51 pm
https://www.naval.com.br/blog/2019/06/02/confidencial-marinha-do-brasil-avalia-compra-de-navios-usados-da-australia-do-canada-dos-eua-e-do-japao/

Na minha opinião poderiamos negociar com os USA, " 2 Arleigh Buirk" Flight I, e não modernizar as MEKO.

Cump,

Até que ponto é que 2 navios destes nos ficariam a um preço apelativo? Mesmo bem negociado, não deveriam ficar baratas... além do mais, devem ser caras de operar, manter e guarnecer.  :bang:
Mas em termos de capacidade... 2 destes faziam a vez de 3 ou 4 Karel Doorman.

As Anzac até estão em boa estado, modernas que baste e não são muito antigas, é pena não sairem de serviço mais cedo!
 :-P

Relativamente às Anzac, se de facto estiverem a planear retirá-las em 2024, acho que era um bom negócio para nós! Aliás, no mercado em segunda mão, por essa altura não vejo nada melhor. Nos tempos em que se falava num MLU a sério às VdG, sempre achei que este MLU fosse muito interessante.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 12:09:56 am
Não me acredito que eles se livrem de alguma tão cedo. As Arleigh Burke tem um custo muito alto de operar pra nossa carroça, guarnição á volta dos 300 e motorização COGAG...
Pra não falar que só em armamento cada uma leva tanto como a nossa marinha toda. 90 celulas VLS mk 31 + o mk 141 para os Harpoon nas Flight I.
4 turbinas pra alimentar, obviamente por terem um deslocamento tão grande, + de 8000 toneladas.
Não acredito nem que eles se desfaçam de umas, nem que a gente tenha arcaboiço pra operar navios daqueles.
Uma AB vale a vontade 2 a 3 KD!

 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 03, 2019, 01:46:31 am
É uma questão de ver quando é que os Australianos se livram das Anzac. Propunha até mesmo o cancelamento total do MLU das VdG, e deixar o dinheiro para quando ficassem disponíveis as Anzac.

Quanto às Arleigh Burke, seriam dos poucos casos em que se justificaria uma redução do número de navios, ficando 2 BD e duas AB. No entanto também acho pouco provável, a não ser que houvesse alguma negociação à séria por causa das Lajes, um eventual conflito com o Irão que fizesse com que esta base tomasse uma importância estratégica maior do que a que os americanos lhe dão actualmente.

Ora aqui imaginando a MP com 2 BD e 3 ou 4 Anzac... não ficávamos muito mal até 2030!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 02:28:39 pm
É preciso é deixar as duas mais velhas irem primeiro porque não estão equipadas pra lançar os ESSM.
Só a partir da Warramunga - FFG 152 é que tem os MLU´s feitos por completo!

"From Warramunga onwards, the frigates were launched with the ability to carry and fire the RIM-162 Evolved Sea Sparrow Missile (ESSM) as a replacement for the Sea Sparrow missile; these were quad-packed into the Mark 41 launcher for a payload of 32 missiles."

 :P

PS: Não percebo é porque carga d´agua é que os Australianos não puseram os Harpoon no mesmo local que todas as outras marinhas, ou seja atrás da ponte?
O espaço está lá!
Não creio que estar ali á frente sujeitos á carga do mar seja uma boa posição para fazer durar os misseis.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FAustralian-Navy%2FFrigate%2FFFH-150_DAT%2FAnzac-class-005.jpg&hash=1b3031aae532c91fe14f7fa8c40fcb7d)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.janes.com%2Fimages%2Fassets%2F013%2F61013%2F1526623_-_main.jpg&hash=41b6cfe42767b2f83fb6762ef65a27ef)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Junho 03, 2019, 02:58:37 pm
É preciso é deixar as duas mais velhas irem primeiro porque não estão equipadas pra lançar os ESSM.
Só a partir da Warramunga - FFG 152 é que tem os MLU´s feitos por completo!

"From Warramunga onwards, the frigates were launched with the ability to carry and fire the RIM-162 Evolved Sea Sparrow Missile (ESSM) as a replacement for the Sea Sparrow missile; these were quad-packed into the Mark 41 launcher for a payload of 32 missiles."

 :P

PS: Não percebo é porque carga d´agua é que os Australianos não puseram os Harpoon no mesmo local que todas as outras marinhas, ou seja atrás da ponte?
O espaço está lá!
Não creio que estar ali á frente sujeitos á carga do mar seja uma boa posição para fazer durar os misseis.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FAustralian-Navy%2FFrigate%2FFFH-150_DAT%2FAnzac-class-005.jpg&hash=1b3031aae532c91fe14f7fa8c40fcb7d)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.janes.com%2Fimages%2Fassets%2F013%2F61013%2F1526623_-_main.jpg&hash=41b6cfe42767b2f83fb6762ef65a27ef)

Porque ali não estraga a pintura dos navios ?  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 03, 2019, 02:58:44 pm
Oh Stalker, tens que alargar as tuas fontes. Então os aussies iam gastar aquele dinheiro todo em novos radares xpto e depois não colocavam os ESSM em todos os navios? Achas que eles sao tugas, ou quê?  :mrgreen:

Citar
Sea Sparrow has been replaced by the evolved Sea Sparrow missile (ESSM) in HMAS Warramunga, Stuart and Parramatta, increasing the capacity from eight to 32 missiles, and the weapon system was declared operational on these vessels in June 2004. ESSM will be retrofitted in the first two Australian ships. HMAS Warramunga was the first vessel in the world to be fitted with the ESSM.
https://www.naval-technology.com/projects/anzac/ (https://www.naval-technology.com/projects/anzac/)

Quanto à colocação dos Harpoon à frente da ponte, acho que teve a ver com a distribuição de massa, mas não tenho a certeza. No entanto, a wiki diz isto:

Citar
The Australian Anzacs were fitted for but not with the launchers, but the original planned location on 02 deck was found to be unsuitable, and the launchers were relocated to 01 deck, in front of the bridge.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: MATRA em Junho 03, 2019, 02:59:06 pm
E o pessoal a dar com as Arleigh Burke  :mrgreen:

1º Os EUA estão é a aumentar o número de AB, não se vão livrar delas.
2º Todos os Flight´s estão ter os upgrade´s necessários para ficarem no mínimo 45 anos ao serviço, possivelmente mais, uma vez que a Us Navy está a ver cada vez mais difícil conseguir ter no activo os 355 navios combatentes que a administração Thrump pretende.
3º Os EUA com certeza  não se importam de vender AB, mas, novas e construídas lá :) .

Citar
Navy Will Extend All DDGs to a 45-Year Service Life; ‘No Destroyer Left Behind’ Officials Say

https://news.usni.org/2018/04/12/navy-will-extend-ddgs-45-year-service-life-no-destroyer-left-behind-officials-say

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 03:08:40 pm
Oh Stalker, tens que alargar as tuas fontes. Então os aussies iam gastar aquele dinheiro todo em novos radares xpto e depois não colocavam os ESSM em todos os navios? Achas que eles sao tugas, ou quê?  :mrgreen:

Citar
Sea Sparrow has been replaced by the evolved Sea Sparrow missile (ESSM) in HMAS Warramunga, Stuart and Parramatta, increasing the capacity from eight to 32 missiles, and the weapon system was declared operational on these vessels in June 2004. ESSM will be retrofitted in the first two Australian ships. HMAS Warramunga was the first vessel in the world to be fitted with the ESSM.
https://www.naval-technology.com/projects/anzac/ (https://www.naval-technology.com/projects/anzac/)

Quanto à colocação dos Harpoon à frente da ponte, acho que teve a ver com a distribuição de massa, mas não tenho a certeza. No entanto, a wiki diz isto:

Citar
The Australian Anzacs were fitted for but not with the launchers, but the original planned location on 02 deck was found to be unsuitable, and the launchers were relocated to 01 deck, in front of the bridge.


Segundo a Wiki, as duas primeiras a Anzac FFG-150 e a Arunta FFG-151 não estão foram equipadas para lançar o ESSM.
Por isso é que só a partir da Warramunga FFG-152 é que estão aptas a lançar ditos misseis.
Se de facto foram feitos os upgrades retroactivamente não posso dizer com certeza.
 :-X
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 03:15:55 pm
Reparei foi mas é que as Anzac não estão equipadas com o Phalanx CIWS. Mas sendo do mesmo projecto que as nossas (basicamente) não deverá ser dificil a instalação dos mesmos, ou será!?

 :-\
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 03, 2019, 03:24:20 pm
Quanto à colocação dos Harpoon na posição à frente da ponte por causa da distribuição do peso... não seria o mesmo se fosse colocado naquela posição um lançador vertical Mk-41 ou um Phalanx/RAM ou SeaRAM? Em termos do espaço que ocupam, parece-me um desperdício de espaço para sistemas anti-míssil.

No entanto, se de facto tivermos os 2 Phalanx armazenados, e retirando os 3 das VdG antes de as vendermos, já dava para equipar as Anzac com os ditos.  ::)

Já agora... com a instalação dos ESSM Block 2 nas BD, não se torna redundante o segundo STIR atrás do mastro? Já que estes mísseis têm guiamento activo ao contrário dos Sea Sparrow...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 03, 2019, 05:16:49 pm
O ESSM Block I e o Sea Sparrow são ambos passivos. O ESSM Block II é misto: tem o seeker activo do AMRAAM, mas também aceita guiamento passivo como os seus antecessores, pelo que o STIR ainda tem alguma utilidade (os seekers dos mísseis têm, devido às limitações de tamanho inerentes a um míssil, um ângulo de 'visão' limitado, pelo que a ajuda que o iluminador pode dar ao míssil no caso de um alvo rápido a distâncias elevadas não é de descurar). O STIR serve também para a OTO 76.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 03, 2019, 06:17:19 pm
Sim era exactamente essa a minha questão, se o 2º STIR teria utilidade ou se se tornaria redundante após a integração dos ESSM Block 2.

Já agora, como funciona o guiamento dos mísseis do sistema RAM? É preciso algum "director" de tiro ou a informação dos radares do navio é suficiente?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 03, 2019, 07:10:55 pm
Tanto quanto sei o RAM é autónomo. O RAM é um míssil peculiar porque utiliza o seeker IR do Stinger, mais um sensor passivo anti-radiação que segue as emissões radar do míssil, ou aeronave, atacante.  Em teoria, com algumas modificações, podia ser adaptado a míssil anti-radar para aeronaves de pequeno porte como helicópteros.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Junho 03, 2019, 08:00:15 pm
Reparei foi mas é que as Anzac não estão equipadas com o Phalanx CIWS. Mas sendo do mesmo projecto que as nossas (basicamente) não deverá ser dificil a instalação dos mesmos, ou será!?

 :-\

Ou venderam aos Neozelandeses ou estão armazenados à espera do LPD, como um certo pais..  :mrgreen: :mrgreen:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.markfranklinarts.co.uk%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F09%2FANZAC-class-frigate-900x490.jpg&hash=7f63605fd1b7e71e25a870056aaf9a51)

Ah, espera... ;D ;D

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FAustralian-Navy%2FAmphibious%2FL-02_DAT%2FL02-Canberra-photo-022.jpg&hash=b505e1e49446046879f2f5282f9d2a30)

Saudações  ;) :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 09:36:00 pm
Tanto quanto sei o RAM é autónomo. O RAM é um míssil peculiar porque utiliza o seeker IR do Stinger, mais um sensor passivo anti-radiação que segue as emissões radar do míssil, ou aeronave, atacante.  Em teoria, com algumas modificações, podia ser adaptado a míssil anti-radar para aeronaves de pequeno porte como helicópteros.

O SEA RAM é independente como o Phalanx até porque usam os mesmos sensores, mas o RAM depende dos sensores do navio para saber de onde vem a ameaça.
 :-P

(https://images-wixmp-ed30a86b8c4ca887773594c2.wixmp.com/f/078cfdc5-5918-4532-a13c-f67c4de225b6/d5z5k66-fa83e6aa-4983-4014-b2ec-0232e3846811.png/v1/fill/w_1095,h_730,q_70,strp/searam_rim_116b_rolling_airframe_missile_ciws_by_eumenesofcardia_d5z5k66-pre.jpg?token=eyJ0eXAiOiJKV1QiLCJhbGciOiJIUzI1NiJ9.eyJzdWIiOiJ1cm46YXBwOjdlMGQxODg5ODIyNjQzNzNhNWYwZDQxNWVhMGQyNmUwIiwiaXNzIjoidXJuOmFwcDo3ZTBkMTg4OTgyMjY0MzczYTVmMGQ0MTVlYTBkMjZlMCIsIm9iaiI6W1t7ImhlaWdodCI6Ijw9MTgwMCIsInBhdGgiOiJcL2ZcLzA3OGNmZGM1LTU5MTgtNDUzMi1hMTNjLWY2N2M0ZGUyMjViNlwvZDV6NWs2Ni1mYTgzZTZhYS00OTgzLTQwMTQtYjJlYy0wMjMyZTM4NDY4MTEucG5nIiwid2lkdGgiOiI8PTI3MDAifV1dLCJhdWQiOlsidXJuOnNlcnZpY2U6aW1hZ2Uub3BlcmF0aW9ucyJdfQ.FlDy4xOaznCcrfjvZHBZhTuWP67AxumTF3vvuNhINbU)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fthumb%2F7%2F76%2FUS_Navy_090929-N-2515C-476_The_amphibious_transport_dock_ship_USS_Green_Bay_%2528LPD_20%2529_fires_a_surface-to-air_intercept_missile_from_the_Rolling_Airframe_Missile_%2528RAM%2529_launcher_during_Combat_System_Ship_Qualification_Trials_off_t.jpg%2F1024px-thumbnail.jpg&hash=1167035b6dfa87e66fc5fc215eab8689)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 03, 2019, 10:18:10 pm
45 milhões por cada um? É literalmente o valor do MLU para cada uma das fragatas ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 10:37:20 pm
45 milhões por cada um? É literalmente o valor do MLU para cada uma das fragatas ::)

Bem, o SEA-RAM custa 25 milhões, mais 11 missies a um milhão cada....
Mas isto são numeros da internet, não sei ao certo.
Por outo lado o RAM custa cerca de 12/15 milhões, mas leva 21 misseis....
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 03, 2019, 11:51:29 pm
O SEA RAM é independente como o Phalanx até porque usam os mesmos sensores, mas o RAM depende dos sensores do navio para saber de onde vem a ameaça.
 :-P

Stalker -- a resposta era a esta questão:

Já agora, como funciona o guiamento dos mísseis do sistema RAM? É preciso algum "director" de tiro ou a informação dos radares do navio é suficiente?

A pergunta não era orientada para os sistemas de aquisição, mas para os de 'direcção' e guiamento. O SeaRAM e o RAM utilizam ambos o míssil... RAM, pois então. As ilustrações são muito bonitas, mas o RAM continua a ser um míssil completamente autónomo após o lançamento.

Nota: quer o Phalanx quer o SeaRAM podem ser disparados manualmente.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 11:56:52 pm
Sorry, pensava que era para o sistema de deteção e aquisição dos alvos!
Lendo bem estava enganado! O missil em si é "fire & forget".
Olhei, mas não vi a pergunta correctamente. Retiro a afirmação!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 03, 2019, 11:59:51 pm
Desta vez passa, mas que isto não se repita.  ;D
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 04, 2019, 01:17:16 pm
Nos últimos dias têm-se falado muito por aqui de navios em segunda-mão para substituir as VdG. No seio da Marinha, é uma hipótese equacionada sequer? Como vê a Marinha a possibilidade das Anzac caso os australianos as vendessem em 2024/25?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 04, 2019, 04:07:06 pm
Nos últimos dias têm-se falado muito por aqui de navios em segunda-mão para substituir as VdG. No seio da Marinha, é uma hipótese equacionada sequer? Como vê a Marinha a possibilidade das Anzac caso os australianos as vendessem em 2024/25?


Acho que depende muito de quem estiver a governar na altura e de como andarem as finanças.
A substituição das VDG é um facto inevitável. Mas se formos pelo economico vai-se ás Anzac para mais 15/20 anos, se houver disponibilidade e dinheiro eram três novas.
 :P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 04, 2019, 04:41:56 pm
Nos últimos dias têm-se falado muito por aqui de navios em segunda-mão para substituir as VdG. No seio da Marinha, é uma hipótese equacionada sequer? Como vê a Marinha a possibilidade das Anzac caso os australianos as vendessem em 2024/25?


Acho que depende muito de quem estiver a governar na altura e de como andarem as finanças.
A substituição das VDG é um facto inevitável. Mas se formos pelo economico vai-se ás Anzac para mais 15/20 anos, se houver disponibilidade e dinheiro eram três novas.
 :P

A minha questão tem mais a ver com o facto de se falar que as VdG com o micro-MLU é suposto durarem até 2030, e a minha questão entra num contexto de, surgindo a oportunidade de compra das Anzac antes de 2030 (2024/2025), se existiria interesse da Marinha nelas. É verdade que, por 5 anos junta-se o dinheiro e depois manda-se construir navios novos... mas mesmo em 2030 não estou a ver isso acontecer, ainda para mais quando teríamos que substituir as BD ao mesmo tempo...

Metemo-nos numa alhada agora...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Junho 04, 2019, 05:33:56 pm
O "mini-MLU" das VdG Meko foi uma alteração de ultima hora ao plano existente, devido a um compromisso politico - um caso em que a ideia era boa (PSD exigiu que se desse atenção à força de fragatas, pois julgou 2 BD com MLU + 3 Meko "patrulhão" errado, mesmo conseguindo um LPD), mas o resultado (fazer um mini MLU às Meko, retirando verba do LPD) mau...

Duvido (espero eu) que seja para avançar com mini-MLU às Meko, os milhões devem ser utilizados para compra de oportunidade - assim o acordo com PSD é respeitado (aumento capacidade do "segmento" fragatas); talvez abandonando o LPD e talvez reduzindo o numero fragatas, no entanto (2 BD + 2 "?").   
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Junho 04, 2019, 06:07:07 pm
Os Aussies mantem a intenção de por volta de 2024, daqui a cinco anos, começarem a substituir as suas ANZAC.

Que alguém do nossos burgo, tome a iniciativa de os contactar para uma provável aquisição de três ou até quatro unidades e esqueçam a pseudo modernização das VdG, que só irá avante se for para engrossar os bolsos de alguns, pois como as compras de material NOVO, começaram a ser intermediadas pela NSPA, as luvas já não são tão fáceis de ocorrer !!

https://navaltoday.com/2017/04/13/australia-could-benefit-from-shorter-warship-service-life-study-suggests/

https://en.wikipedia.org/wiki/Anzac-class_frigate

From Warramunga onwards, the frigates were launched with the ability to carry and fire the RIM-162 Evolved Sea Sparrow Missile (ESSM) as a replacement for the Sea Sparrow missile; these were quad-packed into the Mark 41 launcher for a payload of 32 missiles.[5] Warramunga was the first ship in the world fitted with the ESSM, and the first test firing was conducted aboard on 21 January 2003.[55] The modifications entered operational service aboard three ships in June 2004.[48] A CEA Technologies solid-state continuous wave illuminator was also fitted as part of the ESSM system.[48]

From 2005 onwards, the RAN began fitting the Anzacs and the Adelaides with Harpoon Block II missiles in two quad-tube canister launchers.[59] The Australian Anzacs were fitted for but not with the launchers, but the original planned location on 02 deck was found to be unsuitable, and the launchers were relocated to 01 deck, in front of the bridge.[48] Around the same time, the RAN began to fit all frigates deploying to the Persian Gulf with two M2HB .50 calibre machine guns in Mini Typhoon mounts, installed on the aft corners of the hangar roof.[60] Two TopLite EO directors are used with the guns.[60]

The Mark 32 torpedo tubes aboard the Australian frigates were originally fitted with American Mark 46 anti-submarine torpedoes, but these were replaced with the French-Italian MU90 Impact torpedo prior to 2008.[61] Toowoomba was the first Australian ship to fire an MU90 torpedo, during a test firing in June 2008, and Stuart performed the first 'warshot' firing of an armed MU90.[61][62] .......

....... Planned replacement

The RAN plans to begin removing their Anzacs from service from 2024 onwards.[75] To replace them, the Hunter class of new frigates will be built under the SEA 5000 acquisition project.[75] The frigates are predicted to have a displacement of up to 7,000 tonnes (6,900 long tons; 7,700 short tons), and although they will be primarily oriented towards anti-submarine warfare, they are expected to be capable of also operating against air, sea-surface, and land targets.[75][76] Originally eight vessels were planned, but by August 2015, the number of planned ships had increased to nine, with an estimated cost of $20 billion.[75][77] Construction is predicted to commence in 2020.[76] The Abbott Government promised that the two-decade construction project will be headquartered in South Australia, with shipbuilding divided between ASC Pty Ltd in South Australia and BAE Systems' Williamstown Dockyard in Victoria.[77] On 18 April 2016, Prime Minister Malcolm Turnbull (Abbott's successor) confirmed that BAE Systems' Type 26-class, Fincantieri's FREMM-class and a re-designed F-100-class frigate designed by Navantia had been shortlisted to replace the ANZAC-class in Australia. The Prime Minister confirmed that any frigate will be built in Adelaide and incorporate an Australian CEA phased array radar. The program is estimated to be worth $35 billion. In June 2018 it was confirmed that BAE Systems’s Type 26 had won the SEA5000 competition, with the in service date for the new vessels being set for 2027.[78]

as três Fragatas que possivelmente nos interessarão são as : Ballarat, Toowoomba e Perth, respectivamente de 2004, 2005 e 2006.


(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/S96QUF.png) (https://imageshack.com/i/poS96QUFp)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/KcGoQh.png) (https://imageshack.com/i/plKcGoQhp)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/1uNE5O.png) (https://imageshack.com/i/pn1uNE5Op)


Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Junho 04, 2019, 07:08:09 pm
As opções de armamento das ANZAC incluem um CIWS, que seria colocado no deck onde, em geral, estão os Harpoon.


Specifications:
Builder: Tenix Defence, Williamstown, Australia
 
Length: 118 meters (387 feet) overall
Beam: 14,8 meters (49 ft)
Draft: 4,35 meters (14.3 ft)
Displacement: 3600 tons (full load)
Speed: 27 knots (50 km/h)
Range: 6000 NM (11000 km) at 18 knots (33 km/h)
Complement: 177

Propulsion: 
 CODOG (Combined Diesel or Gas)
 1 x General Electric LM2500-30 gas turbine (30172 hp / 22500 kW)
 2 x MTU 12V1163 TB83 diesel engines (8840 hp / 6590 kW, each)
2 shafts, 2 controllable pitch propellers

 
Armament / fitted:
  Mk-41 Mod.5 Vertical Launching System (VLS) - 8 cells
for
 RIM-7 Sea Sparrow SAM (1 per cell)
 RIM-162 Evolved Sea Sparrow Missile (ESSM) (4 per cell)
1 x  Mk-45 (Mod.2) 5”/54 caliber lightweight gun
2 x  Mk-32 Mod.5 triple-torpedo-tubes for   Mk-46 torpedoes
 
optional:
1 x Mk-15 Phalanx Close-in Weapon System (CIWS)
2 x  Mk-141 missile launcher for up to 8  RGM-84 Harpoon SSM
 another  Mk-41 Mod.5 Vertical Launching System (VLS)

Aviation:
flight deck and hangar for 1 helicopter (Sikorsky S-70B Seahawk or MH-60R Seahawk)

 Sensors and processing systems:
 Raytheon SPS-49(V)8 ANZ aerial search and long-range surveillance
 CEAFAR active phased array radar
 CEAMOUNT target illuminators
 Saab Systems Celsius Tech 9LV 453 combat data system
 Saab Systems Ceros 200 fire control director
 Kelvin Hughes SharpEyeTM I-Band navigation radar
 Thomson Sintra Spherion B hull-mounted bow sonar
 Thales UMS-5424 Petrel mine and obstacle avoidance sonar system
 Vampir NG infrared search & track system

 Electronic warfare & decoys:
Mark 36 SRBOC launchers
 SLQ-25A towed torpedo decoy
 BAE Systems Nulka decoy launchers
 Rascal Thorn modified Sceptre-A electronic support measures
 Telefunken PST-1720 Telegon 10 radar intercept unit

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/cNhxFS.jpg) (https://imageshack.com/i/pocNhxFSj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/KBqTCM.jpg) (https://imageshack.com/i/plKBqTCMj)(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/a1Aafp.jpg) (https://imageshack.com/i/poa1Aafpj)

http://www.seaforces.org/marint/Australian-Navy/Frigate/Anzac-class.htm

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 04, 2019, 09:24:15 pm
Na minha opinião, não há melhor opção para nós que esta, já que as Zeven Provincien ou semelhantes só estarão disponíveis perto de 2030. Não sei em quanto ficaria de preço, mas 3 Anzac parecem-me bastante dentro do orçamento, se comparado com navios novos, e não representam de todo limitações em termos de capacidades.

Relativamente aos navios em si, aquele Mk-41 poderia receber outras 8 células? Parece-me ter espaço ao lado das 8 já existentes. E a posição dos mísseis podia ser resolvida com a futura inclusão (teórica ainda) de mísseis LRASM, que podem ser lançados dos Mk-41. Isto permitia remover os lançadores dos Harpoon, e os mísseis em si, e eventualmente realizar o desejo que vi algures de se converter em baterias de artilharia costeira. Mas isto são outros 500. O espaço à frente da ponte poderia acomodar um dos Phalanx que temos em armazém.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 04, 2019, 09:33:33 pm
Na minha opinião, não há melhor opção para nós que esta, já que as Zeven Provincien ou semelhantes só estarão disponíveis perto de 2030. Não sei em quanto ficaria de preço, mas 3 Anzac parecem-me bastante dentro do orçamento, se comparado com navios novos, e não representam de todo limitações em termos de capacidades.

Relativamente aos navios em si, aquele Mk-41 poderia receber outras 8 células? Parece-me ter espaço ao lado das 8 já existentes. E a posição dos mísseis podia ser resolvida com a futura inclusão (teórica ainda) de mísseis LRASM, que podem ser lançados dos Mk-41. Isto permitia remover os lançadores dos Harpoon, e os mísseis em si, e eventualmente realizar o desejo que vi algures de se converter em baterias de artilharia costeira. Mas isto são outros 500. O espaço à frente da ponte poderia acomodar um dos Phalanx que temos em armazém.

Ápartida o espaço está lá. O problema é o comprimento, aquelas são "self- defense" de cerca de 4.5/5 metros, ou seja só levam Sea Sparrows e ESSM´s, para os LRAMS´s e outros como SM-2 caso se mantivesse os Harpoon tem de ser "Tactical Version", que são bastante mais fundos, no minimo 7 metros.
(Para não falar que são 13.500 kg)

 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 04, 2019, 09:40:10 pm
Quanto ao LPD, esquecia-se o dito, os fundos seriam canalizados para as Anzac, e o AOR executaria parcialmente as missões que seriam impostas ao LPD. Mais tarde quando se resolvessem estes problemas com os meios de superfície, aí sim pensava-se em adquirir/construir um LPD.

Na minha opinião, não há melhor opção para nós que esta, já que as Zeven Provincien ou semelhantes só estarão disponíveis perto de 2030. Não sei em quanto ficaria de preço, mas 3 Anzac parecem-me bastante dentro do orçamento, se comparado com navios novos, e não representam de todo limitações em termos de capacidades.

Relativamente aos navios em si, aquele Mk-41 poderia receber outras 8 células? Parece-me ter espaço ao lado das 8 já existentes. E a posição dos mísseis podia ser resolvida com a futura inclusão (teórica ainda) de mísseis LRASM, que podem ser lançados dos Mk-41. Isto permitia remover os lançadores dos Harpoon, e os mísseis em si, e eventualmente realizar o desejo que vi algures de se converter em baterias de artilharia costeira. Mas isto são outros 500. O espaço à frente da ponte poderia acomodar um dos Phalanx que temos em armazém.

Ápartida o espaço está lá. O problema é o comprimento, aquelas são "self- defense" de cerca de 4.5/5 metros, ou seja só levam Sea Sparrows e ESSM´s, para os LRAMS´s e outros como SM-2 caso se mantivesse os Harpoon tem de ser "Tactical Version", que são bastante mais fundos, no minimo 7 metros.
(Para não falar que são 13.500 kg)

 :-P

Não seja por isso, no lugar dos Harpoon coloca-se um segundo Mk-41.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Junho 05, 2019, 10:31:29 am
Alguém escreveu aqui no forum que o sonho molhado da MP eram as FREEM
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 05, 2019, 11:40:35 am
Alguém escreveu aqui no forum que o sonho molhado da MP eram as FREEM

Vai ser como o LPD. Tanto queriam um topo de gama todo xpto, que acabaram com nenhum.

Eu estou para ver é se, em 2024 surgir a oportunidade de adquirir as Anzac, não vão inventar uma desculpa qualquer na esperança de adquirir as FREMM... depois o governo dessa altura vai dizer que não há dinheiro e a MP fica apeada por mais uns anos...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 05, 2019, 01:30:57 pm
Alguém escreveu aqui no forum que o sonho molhado da MP eram as FREEM

Vai ser como o LPD. Tanto queriam um topo de gama todo xpto, que acabaram com nenhum.

Eu estou para ver é se, em 2024 surgir a oportunidade de adquirir as Anzac, não vão inventar uma desculpa qualquer na esperança de adquirir as FREMM... depois o governo dessa altura vai dizer que não há dinheiro e a MP fica apeada por mais uns anos...


"É muito grande"
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Major Alvega em Junho 05, 2019, 02:06:50 pm
(https://www.edrmagazine.eu/wp-content/uploads/2019/05/Trieste_04-300x200.jpg)

O que é que vocês dizem do LHD TRIESTE para a marinha portuguesa em 2055? Não era uma boa oportunidade? Digam lá!  ;)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 05, 2019, 02:08:05 pm
Alguém escreveu aqui no forum que o sonho molhado da MP eram as FREEM

Vai ser como o LPD. Tanto queriam um topo de gama todo xpto, que acabaram com nenhum.

Eu estou para ver é se, em 2024 surgir a oportunidade de adquirir as Anzac, não vão inventar uma desculpa qualquer na esperança de adquirir as FREMM... depois o governo dessa altura vai dizer que não há dinheiro e a MP fica apeada por mais uns anos...


"É muito grande"
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

"O hangar não dá para os Lynx, porque foi feito para o SH-60."  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Junho 05, 2019, 02:17:16 pm
(https://www.edrmagazine.eu/wp-content/uploads/2019/05/Trieste_04-300x200.jpg)

O que é que vocês dizem do LHD TRIESTE para a marinha portuguesa em 2055? Não era uma boa oportunidade? Digam lá!  ;)

Não são estes que vão substituir os S. Giorgio a partir de 2020 (dá para os Merlin como atestam as fotos 2 e 5)?  :mrgreen: :mrgreen:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FItalian-Navy%2FAmphibious-Ship%2FSan-Giorgio-class-Dateien%2Fimage019.jpg&hash=6a8ed4e430bf0a0793e024bd3b2b624b)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FItalian-Navy%2FAmphibious-Ship%2FSan-Giorgio-class-Dateien%2Fimage013.jpg&hash=1e5fb09d726466de8bb4102e8678110f)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FItalian-Navy%2FAmphibious-Ship%2FSan-Giorgio-class-Dateien%2Fimage015.jpg&hash=3f390d3edfa5b4dff1081d9b80553b96)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FItalian-Navy%2FAmphibious-Ship%2FSan-Giorgio-class-Dateien%2Fimage023.jpg&hash=6caf9625d93b5b97b260cd8e1e69c684)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FItalian-Navy%2FAmphibious-Ship%2FSan-Giorgio-class-Dateien%2Fimage025.jpg&hash=2cc6d9648791179cc925cdbdc5ba9489)

http://www.seaforces.org/marint/Italian-Navy/Amphibious-Ship/San-Giorgio-class.htm (http://www.seaforces.org/marint/Italian-Navy/Amphibious-Ship/San-Giorgio-class.htm)

Cumprimentos  c56x1 c56x1

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 05, 2019, 02:21:23 pm
Lá vinha o BE pedir esclarecimentos do porquê de termos adquirido um "porta-aviões"  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 05, 2019, 02:24:08 pm
Lá vinha o BE pedir esclarecimentos do porquê de termos adquirido um "porta-aviões"  :mrgreen:

Coitadito do "porta aviões", mal pode levar com os helicopteros quanto mais!
São pequeninos, mesmo.
 ;D
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 05, 2019, 02:32:26 pm
De facto é pequeno, mas o convés corrido tem vantagens na operação de um maior número de helis em simultâneo.
O nosso mal é que mal temos helis para ocupar o convés de voo por completo. Mas era uma questão que se resolvia com a aquisição de uns SH-60  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 05, 2019, 02:36:41 pm
Os San Giorgio não dão porque não têm hangar e não suportam os Leo 2.  :mrgreen:

Mas o mais irónico seria um dia ver o tal NPL, fabricado em Portugal, embarcado com os helis de evakuação (provavelmente os Koalhões), com uns VAMTAC ST5, Land Rovers e pick ups manhosas, porque o Exército não tem capacidade de projectar Leo 2, devido ao elevado número de carros imobilizados e a crónica falta de guarnições.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 05, 2019, 02:44:43 pm
Os San Giorgio não dão porque não têm hangar e não suportam os Leo 2.  :mrgreen:

Mas o mais irónico seria um dia ver o tal NPL, fabricado em Portugal, embarcado com os helis de evakuação (provavelmente os Koalhões), com uns VAMTAC ST5, Land Rovers e pick ups manhosas, porque o Exército não tem capacidade de projectar Leo 2, devido ao elevado número de carros imobilizados e a crónica falta de guarnições.

Se não tem hangar para quê o elevador para helis!? Partilham é o hangar com as viaturas.
E mesmo o mais recente já tem 25 anos... O San Giusto. Só se viesse mesmo ao preço da chuva e com uma modernização qualquer.
Vai ser retirado ao serviço em 2022.
Essa do NPL feito cá mais vale esperarmos sentados.... e numa poltrona pra não doer tanto na bolha.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 05, 2019, 02:45:36 pm
Os San Giorgio não dão porque não têm hangar e não suportam os Leo 2.  :mrgreen:

Mas o mais irónico seria um dia ver o tal NPL, fabricado em Portugal, embarcado com os helis de evakuação (provavelmente os Koalhões), com uns VAMTAC ST5, Land Rovers e pick ups manhosas, porque o Exército não tem capacidade de projectar Leo 2, devido ao elevado número de carros imobilizados e a crónica falta de guarnições.

Para não falar da ausência das versões de reparação e de apoio dos Leos, mais um IFV moderno para os acompanhar, mais a falta de AA móveis e modernas para os proteger. Ainda nos falta comer muita sopinha para podermos fazer um desembarque a sério em território hostil.

Venha um Maud, que já safa alguma coisa, depois venham uns helis para a FAP e Marinha, vende-se os Lynx, as VdG e vai-se buscar as Anzac. Depois esperemos em 2030 pelas DZP para vender as BD, e só depois disso, pensamos num LPD como deve ser.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 05, 2019, 03:03:50 pm
Se não tem hangar para quê o elevador para helis!? Partilham é o hangar com as viaturas.

Qual elevador? Há fotos desses elevadores, ou de helis no hangar dos navios dessa classe, ou talvez o link para algum site que confirme essas afirmações?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 05, 2019, 03:09:55 pm
Se não tem hangar para quê o elevador para helis!? Partilham é o hangar com as viaturas.

Qual elevador? Há fotos desses elevadores, ou de helis no hangar dos navios dessa classe, ou talvez o link para algum site que confirme essas afirmações?


Ultima imagem. Se não é para helicopteros será para quê!?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F67.205.157.234%2Fdrawings%2F3915%2Ffile&hash=6e6da0aa2bb17613cd5a9080cd7a15a1)

 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 05, 2019, 03:34:09 pm
Esses diagramas cuja proveniência pode ser de uma daqueles sites de fantasia, são anteriores às grandes modificações efectuadas aos dois navios originais. Mas pronto, existem diagramas de sites de confiança que mostram esse elevador e é claríssimo que não cabem lá helicópteros (talvez uns drones). Pelas dimensões do elevador é evidente que se destina ao transporte de munições, carga e daqueles tractores pequenos para reboque de aeronaves.

(https://www.globalsecurity.org/military/world/europe/images/san-giorgio-schem.gif)

Mas o elevador devia ser tão útil que não se encontra presente em fotos pós-upgrade. Tal como não se encontra presente no terceiro navio da classe, construído uns anos mais tarde.

(https://i2.wp.com/www.seaforces.org/marint/Italian-Navy/Amphibious-Ship/L-9893-ITS-San-Marco-Dateien/image017.jpg)

(https://external-preview.redd.it/vtB1EMPP7AmOkSkAs_SCR08xa3XhclEdr4jgGwELoQM.jpg?width=1200&height=628.272251309&auto=webp&s=29e6bd2af5f0ef52566555e1cb1b03159b92dc8c)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 05, 2019, 03:43:28 pm
Ok, então podem embarcar EH 101´s mas não têm hangar. Boa...
Não percebi a logica dos Italianos ai.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 05, 2019, 03:56:09 pm
Pela mesma razão que os LPD ingleses não tem hangar mas, tal como os San Giorgio, até podem operar com Chinook: porque dispõem de outros navios com hangares de ampla capacidade. No caso dos ingleses, era o Ocean e os Invincible e agora os QE. No caso dos Italianos, o Garibaldi e o Cavour. No entanto, os italianos caíram na real e os substitutos dos San Giorgio vão ser LHDs.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 06, 2019, 02:11:53 am
Não deve ser boa ideia deixar os baratíssimos Merlin à mercê das condições meteorológicas durante a viagem toda em alto mar. E não sei até que ponto seria um navio cujos custos de operação e manutenção estivessem dentro do nosso orçamento.

Venha um Maud... guarde-se dinheiro para as Anzac... só depois disso devíamos pensar em LPD, novo ou em segunda-mão.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 06, 2019, 09:39:04 am
Hahahahahahaha, e eu a pensar que o Titterington ia falar num terceiro submarino e na tal conversa de dotar no futuro os NPO de capacidade anti-submarina. A culpa é do NVF.  :mrgreen:

Citar
Portugal está “interessado e disponível” para reforçar capacidade submarina da NATO
05.06.2019 às 19h13

O ministro da Defesa Nacional destacou hoje que Portugal está "interessado e disponível" para reforçar a capacidade submarina da NATO, mas alertou que "não seria realista" para o país duplicar esforços, pedindo "coerência e complementaridade" com a defesa europeia.

O ministro da Defesa Nacional destacou hoje que Portugal está "interessado e disponível" para reforçar a capacidade submarina da NATO, mas alertou que "não seria realista" para o país duplicar esforços, pedindo "coerência e complementaridade" com a defesa europeia. João Gomes Cravinho falava na abertura do colóquio "Portugal e a NATO -- 70.º Aniversário da Organização do Tratado do Atlântico Norte", que decorreu na Assembleia da República, em Lisboa.

O ministro aproveitou a ocasião para elencar "três desafios que se colocam à aliança no seu futuro mais imediato, e nos quais Portugal está particularmente empenhado", entre os quais atualizar o Conceito Estratégico da NATO ou "assegurar a coerência e a complementaridade entre a NATO e a Defesa Europeia"."Portugal só tem um conjunto de Forças Armadas e não está disponível para duplicar esforços, não seria realista", destacou, acrescentando que "estão a ser dados passos importantes no sentido de aproximar as duas instituições ao nível estratégico e ao nível operacional, e isso é muito bem-vindo".

Outro dos desafios passa pelo "reforço da postura marítima da NATO e da centralidade do Atlântico", tendo Gomes Cravinho assinalado ser importante que esta aliança "mantenha uma estratégia atualizada e capacidades operacionais relevantes para proteger os espaços marítimos que circundam os seus membros" e assegure também a "segurança do coração da comunidade euro-atlântica", o Oceano Atlântico.

O ministro da Defesa Nacional salientou que, "quer a NATO, quer a União Europeia desenvolveram estratégias marítimas e a Aliança Atlântica, em particular, está atenta à importância de melhorar as suas capacidades de controlo e de proteção deste eixo vital"."A capacidade de os parceiros norte-americanos prestarem auxílio aos aliados europeus e vice-versa depende da liberdade de circulação neste espaço marítimo, incluindo a salvaguarda dos vitais cabos de comunicação que atravessam o Atlântico", sublinhou, notando que "a interrupção destes eixos de ligação entre os dois continentes colocaria irremediavelmente em causa" o artigo do Tratado do Atlântico Norte "no qual a defesa coletiva da Aliança assenta".

Assim, adiantou João Gomes Cravinho, "Portugal está particularmente interessado e disponível para reforçar a capacidade marítima da Aliança, nomeadamente a sua capacidade submarina", mostrando-se convicto de que o país poderá "reforçar a importância" deste contributo "no futuro próximo"."Com as responsabilidades extensas que Portugal assume na sua área de responsabilidade operacional e com a possível extensão da sua plataforma continental, é do nosso interesse ter capacidades que garantam o efetivo exercício da nossa soberania no mar", apontou o governante.

No ano em que se cumpre o 70.º aniversário da NATO, o ministro da Defesa apontou que a coesão interna da organização "pode estar em causa face à progressão de movimentos, e mesmo governos populistas e de natureza extremista, tornando-se urgente reforçar a comunidade de 'atlantistas', através da intensificação do diálogo e dos intercâmbios que reforçam o conhecimento mútuo". Na ótica de João Gomes Cravinho, "igualmente importante é a credibilidade da solidariedade transatlântica e da capacidade de a NATO exercer essa solidariedade", tendo o responsável vincado que "a segurança de Portugal, como a de quase todos os restantes membros, não pode ser garantida de forma credível sem o apoio da Aliança no seu conjunto".

Dizendo ser "liminarmente contra os discursos alarmistas que justificam os investimentos na defesa com base nos argumentos do medo", o ministro defendeu que "as dinâmicas internacionais hoje são novas e de contornos muito difíceis de prever", e que, por isso, os países não podem "ser complacentes"."A natureza das ameaças que podem afetar a nossa segurança e dos nossos aliados está a mudar rapidamente, como está a mudar também o contexto internacional em que a nossa segurança se define. Não atualizar, não modernizar, não inovar, quer ao nível doutrinal, quer ao nível tecnológico e operacional, seriam erros estratégicos da maior gravidade", advogou.

https://expresso.pt/politica/2019-06-05-Portugal-esta-interessado-e-disponivel-para-reforcar-capacidade-submarina-da-NATO


Complementaridade europeia e solidariedade transatlântica, enfim... já agora porque não colocar uma placa a dizer "Aluga-se ZEE"?  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cláudio C. em Junho 06, 2019, 10:59:08 am
A arte de muito falar e nada dizer...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ocastilho em Junho 06, 2019, 11:21:21 am
Ainda alguém liga ao que esses palermas dizem? A outra há dias dizia que os quadros não estavam desaparecidos, só não tinham localização precisa. Dizia o saudoso Pinheiro de Azevedo: "o povo é sereno, é só fumaça..."
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Junho 06, 2019, 12:24:12 pm
Hahahahahahaha, e eu a pensar que o Titterington ia falar num terceiro submarino e na tal conversa de dotar no futuro os NPO de capacidade anti-submarina. A culpa é do NVF.  :mrgreen:

Citar
Portugal está “interessado e disponível” para reforçar capacidade submarina da NATO
05.06.2019 às 19h13

O ministro da Defesa Nacional destacou hoje que Portugal está "interessado e disponível" para reforçar a capacidade submarina da NATO, mas alertou que "não seria realista" para o país duplicar esforços, pedindo "coerência e complementaridade" com a defesa europeia.

O ministro da Defesa Nacional destacou hoje que Portugal está "interessado e disponível" para reforçar a capacidade submarina da NATO, mas alertou que "não seria realista" para o país duplicar esforços, pedindo "coerência e complementaridade" com a defesa europeia. João Gomes Cravinho falava na abertura do colóquio "Portugal e a NATO -- 70.º Aniversário da Organização do Tratado do Atlântico Norte", que decorreu na Assembleia da República, em Lisboa.

O ministro aproveitou a ocasião para elencar "três desafios que se colocam à aliança no seu futuro mais imediato, e nos quais Portugal está particularmente empenhado", entre os quais atualizar o Conceito Estratégico da NATO ou "assegurar a coerência e a complementaridade entre a NATO e a Defesa Europeia"."Portugal só tem um conjunto de Forças Armadas e não está disponível para duplicar esforços, não seria realista", destacou, acrescentando que "estão a ser dados passos importantes no sentido de aproximar as duas instituições ao nível estratégico e ao nível operacional, e isso é muito bem-vindo".

Outro dos desafios passa pelo "reforço da postura marítima da NATO e da centralidade do Atlântico", tendo Gomes Cravinho assinalado ser importante que esta aliança "mantenha uma estratégia atualizada e capacidades operacionais relevantes para proteger os espaços marítimos que circundam os seus membros" e assegure também a "segurança do coração da comunidade euro-atlântica", o Oceano Atlântico.

O ministro da Defesa Nacional salientou que, "quer a NATO, quer a União Europeia desenvolveram estratégias marítimas e a Aliança Atlântica, em particular, está atenta à importância de melhorar as suas capacidades de controlo e de proteção deste eixo vital"."A capacidade de os parceiros norte-americanos prestarem auxílio aos aliados europeus e vice-versa depende da liberdade de circulação neste espaço marítimo, incluindo a salvaguarda dos vitais cabos de comunicação que atravessam o Atlântico", sublinhou, notando que "a interrupção destes eixos de ligação entre os dois continentes colocaria irremediavelmente em causa" o artigo do Tratado do Atlântico Norte "no qual a defesa coletiva da Aliança assenta".

Assim, adiantou João Gomes Cravinho, "Portugal está particularmente interessado e disponível para reforçar a capacidade marítima da Aliança, nomeadamente a sua capacidade submarina", mostrando-se convicto de que o país poderá "reforçar a importância" deste contributo "no futuro próximo"."Com as responsabilidades extensas que Portugal assume na sua área de responsabilidade operacional e com a possível extensão da sua plataforma continental, é do nosso interesse ter capacidades que garantam o efetivo exercício da nossa soberania no mar", apontou o governante.

No ano em que se cumpre o 70.º aniversário da NATO, o ministro da Defesa apontou que a coesão interna da organização "pode estar em causa face à progressão de movimentos, e mesmo governos populistas e de natureza extremista, tornando-se urgente reforçar a comunidade de 'atlantistas', através da intensificação do diálogo e dos intercâmbios que reforçam o conhecimento mútuo". Na ótica de João Gomes Cravinho, "igualmente importante é a credibilidade da solidariedade transatlântica e da capacidade de a NATO exercer essa solidariedade", tendo o responsável vincado que "a segurança de Portugal, como a de quase todos os restantes membros, não pode ser garantida de forma credível sem o apoio da Aliança no seu conjunto".

Dizendo ser "liminarmente contra os discursos alarmistas que justificam os investimentos na defesa com base nos argumentos do medo", o ministro defendeu que "as dinâmicas internacionais hoje são novas e de contornos muito difíceis de prever", e que, por isso, os países não podem "ser complacentes"."A natureza das ameaças que podem afetar a nossa segurança e dos nossos aliados está a mudar rapidamente, como está a mudar também o contexto internacional em que a nossa segurança se define. Não atualizar, não modernizar, não inovar, quer ao nível doutrinal, quer ao nível tecnológico e operacional, seriam erros estratégicos da maior gravidade", advogou.

https://expresso.pt/politica/2019-06-05-Portugal-esta-interessado-e-disponivel-para-reforcar-capacidade-submarina-da-NATO


Complementaridade europeia e solidariedade transatlântica, enfim... já agora porque não colocar uma placa a dizer "Aluga-se ZEE"?  ::)

Conversa para boi dormir, nada mais que isso !
É por estas e por outras que as minhas intervenções neste fórum serão cada vez menos, perder o meu tempo a comentar conversa de gente ignorante, já chega, deixo para outros !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 06, 2019, 01:26:34 pm
Enquanto uns falam em reforçar capacidades da NATO, com mais e melhores meios, por cá fala-se em solidariedade... Esse senhor quer coerência? Que as futuras aquisições das FA portuguesas sejam coerentes com o que a restante NATO tem. Em vez destas modernizações de treta de fragatas obsoletas e de navios com 50 anos. Queremos ser iguais aos outros, mas sem gastar um tostão? Devem querer milagres.

Entendo a parte da complementaridade, nesse aspecto complementamos a modernidade dos equipamentos da NATO, com meios obsoletos, assim os países de fora não olham para a NATO como um "grupinho de meninos ricos".
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 06, 2019, 01:36:18 pm
Mais palha para consumo interno, porque lá fora não conseguem enganar ninguém. Toda a gente, com dois dedos de testa, sabe que o resultado de duplicar zero é zero! Este Titteringtolas está a revelar-se tão útil quanto os seus predecessores no cargo.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Junho 06, 2019, 01:42:56 pm
Enquanto uns falam em reforçar capacidades da NATO, com mais e melhores meios, por cá fala-se em solidariedade... Esse senhor quer coerência? Que as futuras aquisições das FA portuguesas sejam coerentes com o que a restante NATO tem. Em vez destas modernizações de treta de fragatas obsoletas e de navios com 50 anos. Queremos ser iguais aos outros, mas sem gastar um tostão? Devem querer milagres.

Entendo a parte da complementaridade, nesse aspecto complementamos a modernidade dos equipamentos da NATO, com meios obsoletos, assim os países de fora não olham para a NATO como um "grupinho de meninos ricos".

As únicas frotas com que esses gajos se ralam são as de BMWs e Mercedes!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 06, 2019, 01:59:12 pm
Enquanto uns falam em reforçar capacidades da NATO, com mais e melhores meios, por cá fala-se em solidariedade... Esse senhor quer coerência? Que as futuras aquisições das FA portuguesas sejam coerentes com o que a restante NATO tem. Em vez destas modernizações de treta de fragatas obsoletas e de navios com 50 anos. Queremos ser iguais aos outros, mas sem gastar um tostão? Devem querer milagres.

Entendo a parte da complementaridade, nesse aspecto complementamos a modernidade dos equipamentos da NATO, com meios obsoletos, assim os países de fora não olham para a NATO como um "grupinho de meninos ricos".

As únicas frotas com que esses gajos se ralam são as de BMWs e Mercedes!

E para essas frotas a substituição é sempre atempada!  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Junho 06, 2019, 05:47:48 pm
Confesso que ainda não li a sério: => A esquadra de navios de superfície da Marinha em 2038 (https://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/24379)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Junho 06, 2019, 08:19:28 pm
Li cruzamente. Parece ser bem estruturado e fundamentado. As partes interessantes começam a partir da página 30.

O que me saltou à vista, foram as seguintes ideais-chave do autor:

Citar
− A necessidade de meios aéreos orgânicos tripulados (M. Correia, 2018a) sem
os quais a capacidade dos navios se reduz significativamente;
− A necessidade dos navios operarem veículos não tripulados (Amaral, 2018a),
assegurando a vantagem da exploração destes sistemas;
− A vantagem da modularidade (Ângelo, 2018a), permitindo reconfiguração e
facilidade na substituição e evolução dos sistemas mas também maior
flexibilidade na sua aquisição e como tal na exequibilidade do projeto;
− A necessidade de ponderar o eventual contributo para a BMD (Coelho, 2018a);
− A necessidade de ponderar facilidades para embarque de comando e estado-
maior de força naval (Ângelo, 2018a);
− A eventual necessidade de adaptação da Base Naval de Lisboa (BNL) e Arsenal
do Alfeite (AASA) para meios com maior deslocamento (Figueiredo, 2018a);
− A necessidade de ponderar um reforço de capacidades dos NPO, para emprego em MSO com maior probabilidade de violência (Gomes, 2018a) e na deteção
submarina (Melo, 2018a), relevante para controlo das áreas nacionais;
− A identificação de navios usados, atuais, atempadamente negociados (Correia,
2018a), como alternativa de exequibilidade;
− A necessidade de valorização da profissão militar para melhorar o
recrutamento e assegurar os recursos humanos necessários (Gomes, 2018a);
− A necessidade da Marinha estar mais próxima dos cidadãos e mostrar a sua relevância (Ramalheira, 2018a), contribuindo para o apoio dos portugueses às
políticas de investimento necessárias à edificação dos meios.

Citar
− Cinco navios, como opção pragmática entre a expetativa de aumento de empenhamentos e a necessidade de manter o teto financeiro o mais reduzido possível, o que poderá permitir maior exequibilidade, condicionada à vontade política para aumento do orçamento da Defesa. Este número de unidades respeita os compromissos e o nível de prontidão assumidos com a NATO, permite assegurar o núcleo naval da FRI com capacidade de combate e sustentar o nível de ambição político, o que não é alcançável com um número inferior de plataformas;
− Navios tipo “Fragata” pois garantem elevada capacidade de combate, grande flexibilidade de emprego e boa capacidade de sustentação, características não replicáveis com menores deslocamentos;
− Uma única classe, pelos menores custos, maior eficiência e simplificação de processos nas áreas da gestão do pessoal e do material;
− Todos os navios preparados para CAI, multi-propósito, com proteção Nuclear, Biológica, Química e Bacteriológica (NBQR), capacidade Anti-Air Warfare18
(AAW) capacidade Antisurface Warfare19 (ASUW), capacidade Antisubmarine Warfare (ASW), Electronic Warfare (EW) e Cyberspace Operations (CO), o que permite serem empenhados também em MSO, ao passo que o inverso não é verdade. Estes meios cumprem ainda um papel fundamental de dissuasão militar, contrariamente a navios com capacidade de combate limitada;
− Capacidade para operar helicópteros orgânicos, veículos não tripulados, embarcações orgânicas com dimensão para projeção de equipas para terra e abordagem, sendo aceitável aumento do deslocamento em função dos requisitos operacionais;
− Capacidade para embarque de comando e estado-maior de Força Naval;
− Construção modular que permita maior flexibilidade na aquisição e reconfiguração, substituição e evolução facilitada de sistemas;
− Capacidade de contribuir para o panorama BMD;
− Edificação em associação, em estaleiro com experiência comprovada e com participação relevante da indústria nacional.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Junho 06, 2019, 08:23:10 pm
Confesso que ainda não li a sério: => A esquadra de navios de superfície da Marinha em 2038 (https://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/24379)

111 páginas wow. Preciso de arranjar tempo para ler isto
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: diogo13350 em Junho 06, 2019, 09:52:36 pm
Confesso que ainda não li a sério: => A esquadra de navios de superfície da Marinha em 2038 (https://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/24379)

111 páginas wow. Preciso de arranjar tempo para ler isto
Pff em 2038 já não irá existir nada que se pareça com uma marinha! :N-icon-Axe: :N-icon-Axe:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Junho 09, 2019, 07:00:45 pm
Umas pinceladas de verde vómito, uma 12.7 à proa, et voilá

(https://i.ibb.co/9wFsNMb/image.jpg) (https://ibb.co/N18Zs49)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 09, 2019, 08:33:30 pm
É o futuro draga minas da Marinha.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Junho 11, 2019, 01:16:47 pm
Já que a China anda a oferecer fragatas de 1994:
https://www.janes.com/article/89153/sri-lankan-navy-receives-former-plan-frigate

Pode ser que nos ofereça algo em troca das receitas da EDP  :mrgreen: :diabo:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Clausewitz em Junho 11, 2019, 02:38:52 pm
Já que a China anda a oferecer fragatas de 1994:
https://www.janes.com/article/89153/sri-lankan-navy-receives-former-plan-frigate

Pode ser que nos ofereça algo em troca das receitas da EDP  :mrgreen: :diabo:

China e oferecer na mesma frase?

E em troca das receitas da EDP já ofereceram dinheiro na época da compra da posição do Estado, agora aquilo é deles. Receio que a China ofereça algo em troca de "centros de investigação" nos Açores e de "parcerias tecnológicas"...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Junho 16, 2019, 07:06:06 pm
O facebook do operacional partilhou uma imagem sobre o dia festivo da França, o 14 de Julho.

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/62647769_2580067472028142_4958995061304983552_n.jpg?_nc_cat=108&_nc_ht=scontent.fopo2-2.fna&oh=6e33d160931d04b3ed0c967ef9a2b5b6&oe=5D96E792)

Parece que fazemos parte do consorcio das FREMM e do Mistral??
Mas se olharmos com atenção, até no patch das festividades vem a bandeira de Portugal...
Mas é verdade que ultimamente estamos muito virados para o apoio à França, temos pessoal no Mali, RCA, tivemos Fuzileiros no Mistral, tivemos uma Fragata na escolta do Charles de Gaulle...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 16, 2019, 07:10:07 pm
Maravilha! Então onde andam as nossas FREMM e o nosso Mistral!?
 c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Junho 16, 2019, 07:37:39 pm
O facebook do operacional partilhou uma imagem sobre o dia festivo da França, o 14 de Julho.

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/62647769_2580067472028142_4958995061304983552_n.jpg?_nc_cat=108&_nc_ht=scontent.fopo2-2.fna&oh=6e33d160931d04b3ed0c967ef9a2b5b6&oe=5D96E792)

Parece que fazemos parte do consorcio das FREMM e do Mistral??
Mas se olharmos com atenção, até no patch das festividades vem a bandeira de Portugal...
Mas é verdade que ultimamente estamos muito virados para o apoio à França, temos pessoal no Mali, RCA, tivemos Fuzileiros no Mistral, tivemos uma Fragata na escolta do Charles de Gaulle...

Não entendo o porquê...

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Junho 16, 2019, 08:00:56 pm
O facebook do operacional partilhou uma imagem sobre o dia festivo da França, o 14 de Julho.

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/62647769_2580067472028142_4958995061304983552_n.jpg?_nc_cat=108&_nc_ht=scontent.fopo2-2.fna&oh=6e33d160931d04b3ed0c967ef9a2b5b6&oe=5D96E792)

Parece que fazemos parte do consorcio das FREMM e do Mistral??
Mas se olharmos com atenção, até no patch das festividades vem a bandeira de Portugal...
Mas é verdade que ultimamente estamos muito virados para o apoio à França, temos pessoal no Mali, RCA, tivemos Fuzileiros no Mistral, tivemos uma Fragata na escolta do Charles de Gaulle...

Calma só dizer que os mistral estão certificados para operações com Portugal e que as fremm pertencem a Rapid Reaction Corps-France. 8)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: diogo13350 em Junho 28, 2019, 09:52:57 pm
https://www.noticiasaominuto.com/pais/1278214/marinha-portuguesa-voltou-a-lancar-misseis-10-anos-depois-do-ultimo?utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer&utm_content=geral (https://www.noticiasaominuto.com/pais/1278214/marinha-portuguesa-voltou-a-lancar-misseis-10-anos-depois-do-ultimo?utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer&utm_content=geral) 

Não sabia em que tópico colocar,mas fica aí a noticia,usamos metade do stock dos sea sparrow  ;D
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 02, 2019, 06:22:50 pm
Este conceito para a Armada Portuguesa é que era.

https://www.shephardmedia.com/news/imps-news/rafaels-unique-360-multi-layer-defence-solution-ma/


Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Novembro 09, 2019, 08:15:36 pm
(https://scontent.flis8-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/s960x960/75540268_1847074802102658_7672817847189372928_o.jpg?_nc_cat=109&_nc_oc=AQkPYYmaDFlEPdxJ17K3FN4gnpzAV453LNlvc88fn3bLrHjsu7dChkAyoUkVseFK4MM&_nc_ht=scontent.flis8-1.fna&oh=44b3f18a2d1326ee6a6da49a8257c239&oe=5E5F60E0)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 12, 2019, 10:22:09 am
https://www.janes.com/article/92467/bulgaria-purchases-two-used-tripartite-class-minehunters

1M € cada

Cá anda-se de zebro ou a pedir boleia
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ocastilho em Novembro 12, 2019, 10:28:28 am
https://www.janes.com/article/92467/bulgaria-purchases-two-used-tripartite-class-minehunters

1M € cada

Cá anda-se de zebro ou a pedir boleia

Muito militarista tu és! Então tu agora queres ter uma marinha de guerra? É que a malta só lá quer é ir buscar o seu. De preferência era só uma ou duas traineiras para estar perto de casa e fazer uma patrulhazinha...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 12, 2019, 08:22:48 pm
https://www.janes.com/article/92467/bulgaria-purchases-two-used-tripartite-class-minehunters

1M € cada

Cá anda-se de zebro ou a pedir boleia

Muito militarista tu és! Então tu agora queres ter uma marinha de guerra? É que a malta só lá quer é ir buscar o seu. De preferência era só uma ou duas traineiras para estar perto de casa e fazer uma patrulhazinha...

Mil desculpas  :'(

Entusiasmei-me  :P :-[
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Novembro 13, 2019, 03:58:04 pm
Este tópico devia aparecer em destaque no topo deste fórum.

A marinha Portuguesa neste momento é, sem qualquer sombra de dúvidas, o ramo que mais envergonha das nossas FA.

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 14, 2019, 01:05:49 am
Isto é à vez. Ora actualmente é a Marinha, depois dará lugar a outro ramo no que respeita ao "pior". Os 214 bem tentam dar um ar da sua graça, mas 2 são poucos e falta o resto para os complementar nas outras vertentes.

Mas lá está, esta é uma marinha de grandezas. LPDs com mais de 170 metros, reabastecedores novinhos em folha, NPOs do melhor que se vê lá fora, fragatas a par das dos aliados... mas é tudo da boca para fora, pensar em tudo e não se fazer nada, ou quando se faz, já é tarde, vem feito às três pancadas e é com pensamento de curto prazo, porque daqui a 20 anos, outros que resolvam a m****.

Pior disto tudo, é que Portugal não é uma Bélgica, que está reduzida ao seu quintal. Além da enorme ZEE, temos interesses nomeadamente em África e cidadãos portugueses espalhados pelo mundo. Além da história que temos e da influência que tivemos em tempos. Não vejo neste momento capacidade de defender os nossos interesses em caso de conflito em África, ou em caso de uma postura abusiva face ao nosso território continental, ilhas e/ou ZEE.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 14, 2019, 01:39:55 pm
Já que as Marlin não vêm , ao menos tinham posto uma 40mm dos Cacine no Sines e no Setúbal, como fizeram inicialmente no Viana do Castelo

Mesmo que não funcionassem, ao menos impunham respeito...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ocastilho em Novembro 14, 2019, 01:44:47 pm
Já que as Marlin não vêm , ao menos tinham posto uma 40mm dos Cacine no Sines e no Setúbal, como fizeram inicialmente no Viana do Castelo

Mesmo que não funcionassem, ao menos impunham respeito...

O problema é que provavelmente funcionavam, mas era preciso mais gente para as operar, dava um ar bélico, era preciso puxar pela cabeça. E a malta só está lá para ganhar o seu e não ter muito trabalho. E os que estão para trabalhar -porque também os há- fod*m-se sempre.

Mas como dizia o nosso colega dc, nós somos o tipo que só tem dinheiro para o corsa, mas quer MB, então anda a pé, porque as mãos dele não conduzem carro de plebe.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 14, 2019, 01:46:04 pm
Já que as Marlin não vêm , ao menos tinham posto uma 40mm dos Cacine no Sines e no Setúbal, como fizeram inicialmente no Viana do Castelo

Mesmo que não funcionassem, ao menos impunham respeito...

O problema é que provavelmente funcionavam, mas era preciso mais gente para as operar, dava um ar bélico, era preciso puxar pela cabeça. E a malta só está lá para ganhar o seu e não ter muito trabalho. E os que estão para trabalhar -porque também os há- fod*m-se sempre.

pOIS É... :-[ :-\  lá ia a imagem de marca dos iates cinzentos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ocastilho em Novembro 14, 2019, 01:54:29 pm

pOIS É... :-[ :-\  lá ia a imagem de marca dos iates cinzentos

É só palhaçada, a ultima foram os "sistemas portáteis", porque os "fixos "ainda não tinham chegado, mas os "fixos" não eram bem necessários e então põe-se se a pergunta para que é que são precisos os "fixos" ou "portáteis"...

Todos sabemos as restrições orçamentais que existem, mas pelo menos o que se fazia, fazia-se bem... E não nos tentavam fazer de parvos, como com os sistemas ditos "portáteis".
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 14, 2019, 03:14:16 pm
A ideia dos NPO low cost e pouco armados era precisamente de permitir livrar as fragatas das missões de cariz mais civil/interesse público, podendo estas focar-se nas missões militares. O problema é que vemos desinvestimento em ambos os sistemas de armas, ao contrário do prometido/planeado.

Até entendia como desculpa se a falta de armamento nos NPO fosse para que se pudesse investir na substituição atempada dos Lynx, ou para entrar num programa de novas fragatas. Tal como entendia o MLU low cost às BD para se poupar dinheiro para substituir brevemente as VdG por navios novos e mais poderosos. Mas não é nenhum destes casos, é pura e simplesmente desinteresse.

Os Tejo é algo que cada vez menos me preocupa. A asneira maior não é não terem armamento, é não terem outros módulos de missão que dariam muito jeito à MP. Mas sempre se vendeu o peixe que seria uma solução temporária para 15 anos, até se iniciar a construção das tão desejadas LFC (as tais com um design todo moderno e com uma arma controlada remotamente).

Nem vale a pena mencionar o LPD ou o AOR, já que opções em conta há, e todos os anos surgem novas alternativas, mas nunca nada é feito.

Recentemente veio à tona o tópico da LDG. Mais outro caso em que nada foi feito, porque desde o início dos anos 2000 já se esperava o santo e milagroso LPD.

Mas este é um país que preferiu pagar 1000 milhões por 2 submarinos, quando por pouco mais de 1100 milhões teria vindo o terceiro, não houvessem as ditas luvas.

Também é um país que pagou sei lá quantos milhões em multas pelos NH-90, mas não tem mais que 57 milhões para helis de evacuação.

Por cada boa decisão tomada nas forças armadas, são tomadas três más.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 14, 2019, 03:22:58 pm
Isto aqui é tudo uma questão de vontades e não de falta de dinheiro.
Estão procupados é só em manter o minimo dos minimos para garantir os tachos e mais nada.
Dinheiro não falta, só agora vão mais 600 milhões de € pro novo banco e veem alguem no governo a ganir por isso!?
Isso é tudo tanga, se quem governa estivesse mesmo preocupado em actualizar,adquirir ou modernizar meios isso era feito e não precisava de ser ás mijinhas ou pelo minimo possivél.
 >:(
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 14, 2019, 03:40:38 pm
Infelizmente a mentalidade por cá só vai mudar quando romper um conflito a sério. E mais tarde ou mais cedo vai romper, só não sabemos os intervenientes. Enquanto isso, nós continuaremos parados no tempo.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 21, 2019, 11:33:01 am
LCFs vão começar a ser substituidas quando atingirem 25 anos (!!!!!)

https://mobile.twitter.com/D__Mitch/status/1197477132940828673
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 21, 2019, 12:29:05 pm
Façam-se já ao bife, antes que cheguem outros compradores!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 21, 2019, 01:10:43 pm
LCFs vão começar a ser substituidas quando atingirem 25 anos (!!!!!)

https://mobile.twitter.com/D__Mitch/status/1197477132940828673

Ora bem se assim for as fragatas estarão disponíveis de 2027, a 2030 á razão de uma/ano.

Se houver planeamento á séria nessas datas as nossas VdG terão para os respectivos quatro anos as bonitas idades de 46, 47, 48 ou 49 anos de serviço e as BD terão 43, 44, 45 e 46 anos de serviço.

Portanto acho que o que se devia fazer era adquirir as quatro fragatas holandesas, ou pelo menos três para substituir as VdG, e entrarmos num consórcio de construção de novas fragatas para, na mesma altura se adquirirem duas unidades novas, o ideal seria três, mas já sabemos o que vai acontecer.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 21, 2019, 01:26:59 pm
25 anos pelas contas da nossa Marinha é como novo! É já a seguir!
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 21, 2019, 01:43:01 pm
Até podia fazer parte do negócio a "contrapartida" de termos reservadas 2, 3 ou até mesmo as 4 DZP, e entrarmos no programa das novas M. Mas como a visão não é o nosso forte, provavelmente vão ignorar os navios holandeses a serem retirados, ou porque são muito grandes, ou porque a verba vai estar guardada para o NAVPOL fantasma...

Mas podemos sonhar, adquirindo as 4, e em 2030 adquirir mais 2 novas M... que bela Marinha que tínhamos, com 6 fragatas!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 21, 2019, 01:49:54 pm
Até podia fazer parte do negócio a "contrapartida" de termos reservadas 2, 3 ou até mesmo as 4 DZP, e entrarmos no programa das novas M. Mas como a visão não é o nosso forte, provavelmente vão ignorar os navios holandeses a serem retirados, ou porque são muito grandes, ou porque a verba vai estar guardada para o NAVPOL fantasma...

Mas podemos sonhar, adquirindo as 4, e em 2030 adquirir mais 2 novas M... que bela Marinha que tínhamos, com 6 fragatas!

As FFAA da Holanda tem vários items que nos podem interessar além destas quatro excelentes fragatas, a saber os CV9030/35, os leos de desempanagem e lança pontes e a hipótese de bem conversadinho com os vizinhos alemães, podermos vir a adquirir alguns leo2A7 para o 2º ECC do GCC.

E se o Rotterdam pudesse fazer parte dum imaginário pacote Fragatas/NPL, era ouro sobre azul.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 21, 2019, 02:02:27 pm
Para quê ter visão e pensamento crítico? Isso não dá luvas a ninguém.  ::)

Uns 18 A7+ vindos da Alemanha era ouro sobre azul, ainda mais se incluísse a modernização dos actuais A6. E os holandeses não terão alguns Pzh-2000 para vender, além das versões lança-pontes e recuperação dos Leo?  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: MATRA em Novembro 21, 2019, 03:11:09 pm
Visão nunca foi o forte das nossas forças armadas, mas acredito que algum planeamento de futuro, esbarre vezes sem conta nos cata-ventos dos políticos que nos governam.

Todo o país é governando com "navegação à vista", nada se faz a pensar além dos 4 anos de legislatura, tachos e tachinhos que alimentam as clientelas sedentas do anos de poder, e as forças armadas não são diferentes, quer tenham culpa ou não.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 21, 2019, 03:52:50 pm
A culpa é de várias partes, incluindo a nível cultural e da forma como o povo vê as forças armadas como um "gasto sem retorno". Também diga-se de passagem que o povo só pensa no que tem retorno, e isto reflecte-se nas escolhas políticas, basta prometer um aumento de 5 euros no salário mínimo e já têm votos garantidos.

Voltando à Marinha, a aquisição das DZP, de preferência as 4, e a substituição das duas BD por dois navios novos, permitia não só desfasar a substituição de ambas as classes de navios mais tarde (diria cerca de 15/20 anos de diferença), também permitia o desenvolvimento de novas tecnologias, e de amadurecimento das tecnologias que hoje estão a ser desenvolvidas, nomeadamente os lasers de alta potência que requerem navios com grande capacidade de produzir energia para os operar.

O LPD, entre algo em segunda-mão ou algo novo de menores dimensões do que "o que se quer", não faltam opções e futuros derivados dessas opções. Só não temos porque não queremos, e se na presente LPM há dinheiro para aviões de carga que custam 900 milhões, também havia metade desse valor para começar ainda hoje a construção em estaleiros nacionais tanto de um derivado do Makassar como de um Maud. Aqui também traria benefícios à economia nacional, geraria empregos e know-how nesta vertente, exactamente o mesmo argumento que favorece os ditos "cargueiros" de 900 milhões.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 21, 2019, 04:31:46 pm
Estão aqui listados alguns upgrades que eu acredito que devido ás datas previstas para o abate da classe entre 2027 e 2030, não venham a ser instalados nos Navios, pois não faz sentido instalá-los para uma vida útil de dois a cinco anos.

https://www.navalnews.com/naval-news/2019/03/thales-smart-l-mm-radar-installed-on-hnlms-de-zeven-provincien-frigate/

bem pelos menos o radar SMART-L já foi instalado no mastro, este não oco........


Modernization

The De Zeven Provinciën-class ships will get the new SMART-L Mk2 radar that can detect ballistic missiles at a range of 2,000 km (1,200 mi). The Dutch minister promised also that the APAR radar will have a bigger range than 400 km (250 mi) as the Netherlands is the first country to participate as an active missile shield for NATO.
In late 2011, the Ministry of Defence announced a modernization program to upgrade the SMART-L early-warning radar so that De Zeven Provinciën-class frigates can detect and track ballistic missiles at extended range. In 2018 plans were announced to acquire the BMD-capable SM-3 surface-to-air missiles as the ships are provisioned for an extra 8-cell vertical launch module, De Zeven Provinciën-class frigates can pass on the tracking and detection data to other sea-based or land-defense BMD assets, including U.S. Navy's warships, that can deal with a ballistic missile threat. This modernization program is scheduled for completion by late 2017 for the entire De Zeven Provinciën class.

On 3 May 2018 the Dutch Secretary of Defence, Barbara Visser, informed the Dutch national parliament that the evolved sea sparrow missile (ESSM) aboard the De Zeven Provinciën-class frigates will be upgraded from block 1 to block 2. This upgrade will be completed by 2024 and will allow the frigates to deal with the growing threat of modern anti-ship missiles. ESSM Block 2 allows the four frigates to defend against missiles that have greater speed, agility and perform unexpected movements. The current Harpoon surface-to-surface missile (SSM) will also be replaced with a new SSM by 2024. Furthermore, the 127mm-cannon will be replaced with a new similar cannon. The current cannons are over 50 years old and originate from Canadian ships. The new cannon must be able to fire multiple types of ammunition, including in the future precision-guided ammunition. The project costs between € 100 million and € 250 million, and will be take place between 2018 and 2023. Lastly, the Goalkeepers will be upgraded to a new version and all ships will have two installed as originally designed, they will eventually be replaced after 2025 by a new system.

https://en.wikipedia.org/wiki/De_Zeven_Provinci%C3%ABn-class_frigate#Modernization

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 21, 2019, 04:46:43 pm
Eu como engracei com as "Type 31", vou fazer lóbi às mesmas cá no fórum.*

Cada uma sai por 291,85 milhões de euros, sendo que 3 ficavam por 875,55 milhões de euros, ou seja, o preço de uma única boa Fragata (ex.:F110)



























* - o número da minha conta offshore é ...  c56x1 :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 21, 2019, 11:29:43 pm
Esse upgrade às DZP esse sim é um MLU a sério! Ou seja, se conseguirmos comprar os navios mal sejam abatidos ao serviço, teremos navios bastante poderosos.

Eu como engracei com as "Type 31", vou fazer lóbi às mesmas cá no fórum.*

Cada uma sai por 291,85 milhões de euros, sendo que 3 ficavam por 875,55 milhões de euros, ou seja, o preço de uma única boa Fragata (ex.:F110)

Pelo preço parecem ser excelentes navios, mas será que o preço seria igual para exportação?
Assumindo que sim, continuo a achar que seriam navios pouco poderosos e com pouca margem de evolução... no entanto, pelo preço, parece-me possível adquirir 4, e depois para substituir as BD ia-se buscar duas fragatas AAW.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Novembro 21, 2019, 11:34:01 pm
Atenção que o gajo do blog diz que a fase de construção dos novos navios vai durar sete anos (entre 2026 é 2033). A substituição não é portanto à razão de uma por ano, é mais uma a cada dois anos. Ainda assim, são a melhor opção para substituir as BD, mas entretanto necessitamos de três fragatas novas paras substituir as VdG. E concordo como CdM que as Type 31 seriam uma excelente opção, baseada num desenho robusto para os nossos mares.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 22, 2019, 09:38:18 am
Atenção que o gajo do blog diz que a fase de construção dos novos navios vai durar sete anos (entre 2026 é 2033). A substituição não é portanto à razão de uma por ano, é mais uma a cada dois anos. Ainda assim, são a melhor opção para substituir as BD, mas entretanto necessitamos de três fragatas novas paras substituir as VdG. E concordo como CdM que as Type 31 seriam uma excelente opção, baseada num desenho robusto para os nossos mares.

Se as datas se confirmarem então apenas uma das fragatas será substituída com 25 anos, as seguintes terão 26, 27 e 28 anos de serviço quando forem substituídas/abatidas.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 22, 2019, 09:42:31 am
Esse upgrade às DZP esse sim é um MLU a sério! Ou seja, se conseguirmos comprar os navios mal sejam abatidos ao serviço, teremos navios bastante poderosos.

Eu como engracei com as "Type 31", vou fazer lóbi às mesmas cá no fórum.*

Cada uma sai por 291,85 milhões de euros, sendo que 3 ficavam por 875,55 milhões de euros, ou seja, o preço de uma única boa Fragata (ex.:F110)

Pelo preço parecem ser excelentes navios, mas será que o preço seria igual para exportação?
Assumindo que sim, continuo a achar que seriam navios pouco poderosos e com pouca margem de evolução... no entanto, pelo preço, parece-me possível adquirir 4, e depois para substituir as BD ia-se buscar duas fragatas AAW.

Penso que ficarão um pouco + caras, acho que as opções do armamento que o pessoal aqui do fórum mais gosta, não estarão todas incluídas nesse valor de €291,85 milhões.
Esse valor será para um navio equipado como este do artigo que anexo.

The broadside is back

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/p7sZrF.jpg) (https://imageshack.com/i/pmp7sZrFj)

In the era of the ‘swarm attack’ either by small boats or UAVs, light-medium calibre gunnery is back in fashion. The Type 31 will mount at least 3 modern gun systems which are well suited to dealing with multiple small targets.

The heaviest weapon will be a Bofors medium-calibre 57mm Mk 110 Mod 0 gun which is already in service with the US and several other navies. It can deliver up to 4 rounds per second and has a range of about 17km. The whole system, including 1,000 rounds weighs around 14 tonnes. This is a very different weapon to the much heavier 114mm (4.5”) Mk 8 that delivers a single shell every 2 seconds and has equipped the majority of RN frigates since the 1970s.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/XkyYHP.jpg) (https://imageshack.com/i/plXkyYHPj)

The Mk 110 is not optimised for supporting troops ashore but for multiple and unpredictable targets. Different ammunition types can be readily reselected, including Pre-fragmented, Programmable and Proximity-fused (3P) ammunition. It has a useful airburst mode to defend against boat swarms but could switch to defend against aircraft or missiles using proximity fuses or heavier targets using delayed action fuses. (The vast range of sophisticated modern ammunition types are a complex subject well beyond the scope of this article).

Its high rate of fire means the 57mm actually delivers a greater weight of explosive onto the target than the latest Oto Melara 76mm gun. The gun mount holds 120 rounds but can be replenished by a 3-man crew in the gun bay on the deck below.

The Type 31 will not be fitted with 20mm Phalanx CIWS but instead will mount two Bofors 40mm Mk 4 guns. These lightweight 2.3-tonne, non-deck penetrating mounts can deliver 5 rounds per second out to about 12.5km and are designed to respond rapidly at a wide range of elevations. By delivering heavier shells further away from the ship the Mk 4 is superior to Phalanx in some ways. They provide defence against air and missile attack but use the same sophisticated 3P type ammunition as the 57mm so can quickly change to engage small boat or UAV threats. 100 rounds are held in the gun ready to fire with the ability to shift between different types of ammunition.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/vvGOXE.jpg) (https://imageshack.com/i/povvGOXEj)

Bofors is owned by BAE Systems so the Type 31 decision is not all bad news for the company, with an order for at least 15 gun systems and ammunition coming for manufacture in Scandinavia and the US.

Arrowhead hits the target

Both the Navy and contractor are clear that the £250M price fully covers the production cost and will deliver a complete warship. There are other costs in building new warships and early expectations were that Type 31 would be heavily reliant on government-furnished equipment (GFE) to keep within budget. It is surprising how little of the primary systems are likely to be migrated from the Type 23 frigates but this is certainly desirable as it will reduce the need to decommission ships earlier so their equipment can be removed. It also reduces the potentially complex integration challenges of moving equipment between very different platforms.

Every item in service requires its own training and support pipeline so commonality is usually considered a priority. The RN will now have to support 3 new gun systems in service, each with its own ammunition. The Type 26 is being fitted with the very capable, but very expensive 127mm Mk 45 Mod 4 and the Type 31 will introduce two new gun calibres to the fleet.

Assessing this frigate design overall, it seems to be well-armed for its intended role in low-medium intensity conflict. For maritime security operations, it is especially well equipped while being capable of stepping up to defend itself and other vessels from air and missile attack. The 57mm and 40mm guns do have something of an overlapping capability but a heavier main gun would probably have been unaffordable. This ship will be able to throw up a wall of lethal shrapnel around itself quicker than you can say “Iranian gunboat”.

Type 31 could also make credible second-tier escorts for the carrier strike group. Anti-submarine capability is pretty limited, probably on a par with a Type 45 destroyer, although this could perhaps be partially mitigated in future with off-board unmanned ASW systems carried in the boat bays. A big advantage of Arrowhead is the generous margin of space and weight to add additional weapons and sensors including interim or future anti-ship/land-attack missiles.

13 Type 26 frigates might be preferable but are not affordable. The Type 31 should deliver 5 frigates for little more than the cost of a single Type 26 while diversifying the industrial base. There is still much more detail to emerge but it is safe to say, although Arrowhead is far from perfect, the RN can be satisfied it is getting a credible platform, allaying early the fears that Type 31 would deliver a warmed-over corvette.


https://www.savetheroyalnavy.org/more-details-of-the-royal-navys-type-31-frigate-emerge/


Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 22, 2019, 10:01:59 am
Eu como engracei com as "Type 31", vou fazer lóbi às mesmas cá no fórum.*

Cada uma sai por 291,85 milhões de euros, sendo que 3 ficavam por 875,55 milhões de euros, ou seja, o preço de uma única boa Fragata (ex.:F110)

* - o número da minha conta offshore é ...  c56x1 :mrgreen:

A minha preferência vai para as Novas MEKO, A.200, serão mais caras é certo, mas possuem sistemas de combate ASW e AAW muito melhores que as Type31 !

https://www.savetheroyalnavy.org/in-focus-the-meko-a-200-type-31e-frigate-candidate/

https://www.thyssenkrupp-marinesystems.com/en/meko-a-200-frigate.html

PS não consigo ver o numero da tua conta. :mrgreen:
Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 22, 2019, 10:14:26 am
LCFs vão começar a ser substituidas quando atingirem 25 anos (!!!!!)

https://mobile.twitter.com/D__Mitch/status/1197477132940828673

Já estou arrependido de ter postado isto aqui,o pessoal mete-se nos copos e começa a delirar e a ver unicórnios e elefantes cor de rosa  :mrgreen:

Vá, regressem à Terra e dêem é os parabéns a esta jovem que completa hoje 28 aninhos  :mrgreen:

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/2767558679931964/?app=fbl
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Novembro 22, 2019, 10:26:27 am
Nem nunca me ocorreu que a Type 31 a ser adoptada pela Marinha tivesse a mesma configuração que o modelo da RN. Mas prefiro o desenho da Arrowhead/IH por ser um navio maior e com maior capacidade de adaptação a sistemas novos. Mas também para o tipo de MLUs que se fazem por cá é cagativo e a MEKO sendo mais pequenina também fica melhor na fotografia como navio pacifista/NPO/duplo ou triplo uso.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 22, 2019, 11:36:52 am
Eu como engracei com as "Type 31", vou fazer lóbi às mesmas cá no fórum.*

Cada uma sai por 291,85 milhões de euros, sendo que 3 ficavam por 875,55 milhões de euros, ou seja, o preço de uma única boa Fragata (ex.:F110)

* - o número da minha conta offshore é ...  c56x1 :mrgreen:

A minha preferência vai para as Novas MEKO, A.200, serão mais caras é certo, mas possuem sistemas de combate ASW e AAW muito melhores que as Type31 !

https://www.savetheroyalnavy.org/in-focus-the-meko-a-200-type-31e-frigate-candidate/

https://www.thyssenkrupp-marinesystems.com/en/meko-a-200-frigate.html

PS não consigo ver o numero da tua conta. :mrgreen:
Abraços

Acho que seriam duas excelentes opções, mas se fosse a "Type 31", nunca seria exactamente igual já que por exemplos os misseis anti-aéreos seriam os ESSM Block 2.

Não consegues ver o número da conta porque não és financiador da minha actividade como "Influencer" (é uma coisa que esta geração nova chama aos que não fazem uma ponta de um corno, não sabem nada da vida mas tiram muitas fotografias e metem na net, ganhando um bom dinheiro com isso).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Novembro 22, 2019, 12:05:48 pm
As DZP... 2 já era excelente - sim, atirei a "toalha ao chão" e 2 + 2 fragatas é o que eu vejo no futuro...

Mas qual o projecto que as vão substituir? Porque as "novas" M não são do mesmo "segmento", certo?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 22, 2019, 12:57:57 pm
As DZP... 2 já era excelente - sim, atirei a "talha ao chão" e 2 + 2 fragatas é o que eu vejo no futuro...

Mas qual o projecto que as vão substituir? Porque as "novas" M não são do mesmo "segmento", certo?

Pelo que percebi as substitutas ainda não estão escolhidas. O tweet original diz:

"The replacement of the four Air Defense and Command Frigates (LCFs) has been postponed for five years by financial setbacks from the F-35. "

https://mobile.twitter.com/marineschepen/status/1197470461472464897

Ou seja, era previsto serem substituídas ainda mais cedo, com pouco mais de 20 anos (!!!!)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 22, 2019, 01:40:01 pm
O problema das Arrowhead é serem um "tapa buracos" na RN. Navios com aquelas dimensões, mereciam uma peça de 127mm, duas Oerlikon Millenium como CIWS (ou um Phalanx tirado de cada VdG mais um RAM/SeaRAM novo), Mk-41 para ESSM e LRASM e melhor capacidade anti-submarina. Se não fosse assim, teríamos que gastar mais dinheiro para ter navios poderosos. Nunca percebi a lógica de muitos navios actuais não terem sistemas CIWS nas suas fragatas. E estas Type-31 parecem-me mais uma adaptação britânica dos LCS do que um concorrente para as FREMM e companhia.

Seja como for, se conseguíssemos fazer um bom negócio, era ajustar as Arrowhead aos nossos requisitos (os daqui do fórum, não dos levaram a NPOs desarmados), e negociar o quanto antes com a Marinha Holandesa as DZP, sejam 2, 3 ou as 4 para substituir as BD. Numa situação ideal, conseguíamos as 4 a um bom preço e tínhamos tripulação para todas, mais 3 Arrowhead.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 22, 2019, 02:27:13 pm
O problema das Arrowhead é serem um "tapa buracos" na RN. Navios com aquelas dimensões, mereciam uma peça de 127mm, duas Oerlikon Millenium como CIWS (ou um Phalanx tirado de cada VdG mais um RAM/SeaRAM novo), Mk-41 para ESSM e LRASM e melhor capacidade anti-submarina. Se não fosse assim, teríamos que gastar mais dinheiro para ter navios poderosos. Nunca percebi a lógica de muitos navios actuais não terem sistemas CIWS nas suas fragatas. E estas Type-31 parecem-me mais uma adaptação britânica dos LCS do que um concorrente para as FREMM e companhia.
Citar

O armamento que foi pensado para as "Type 31" é:

(https://www.savetheroyalnavy.org/wp-content/uploads/2019/09/Type-31-Frigate-Indicative-general-arrangement-2028x823.jpg)

Bofors 57mm, capaz de atacar alvos navais e aéreos;
2 Bofors 40mm Mk 4 capazes de atingir alvos aéreos a 12.5km.

Ambas as peças disparam isto: https://www.baesystems.com/en/product/fuze-3p-ammunition

Segundo consta as peças Bofors 40mm são superiores às Phalanx CIWS porque têm mais alcance e poder destrutivo.

Citar
Seja como for, se conseguíssemos fazer um bom negócio, era ajustar as Arrowhead aos nossos requisitos (os daqui do fórum, não dos levaram a NPOs desarmados), e negociar o quanto antes com a Marinha Holandesa as DZP, sejam 2, 3 ou as 4 para substituir as BD. Numa situação ideal, conseguíamos as 4 a um bom preço e tínhamos tripulação para todas, mais 3 Arrowhead.

E quais seriam os requisitos do fórum?

Em vez da 57mm colocava-se as 75mm? Em vez do Sea Ceptor colocava-se os ESSM Block 2?

De resto não estou a ver mais nada de relevante.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 22, 2019, 03:29:22 pm
Pelo desenho, parece-me faltar mísseis anti-navio e torpedos, logo aqui seria um grande tiro no pé se os nossos não os tivessem. Para mísseis anti-navio, a solução era bastante simples, trocar o lançador do Sea Ceptor pelo Mk-41 capaz de lançar tanto os ESSM block 2 (quad-pack) e LRASM. Depois é fazer as alterações necessárias para acomodar os lançadores de torpedos (e um sonar rebocado?).

A peça de 57mm é pouco, e se pretendíamos adquirir navios com uma peça de 127mm (DZP?), fica a questão, manter dois calibres (127 e 76) ou uniformizar? Retirava também os dois canhões de 40mm e colocava CIWS a sério, fossem dois Oerlikon, dois Phalanx ou um misto Phalanx/RAM.

O hangar para o Merlin parece-me bem, pelo simples facto de podermos lá encaixar um dos nossos caso fosse necessário. Senão, SH-60 ou NH-90 NFH serviam perfeitamente.

De sensores e tudo o resto parece-me bem.

Este navio parece-me excelente para substituir as VdG, se forem feitas as devidas alterações e não ficarem muito mais caros por isso.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Novembro 22, 2019, 03:34:35 pm
Se esse desenho (ou outro) viesse para Portugal podiam reciclar-se muitos equipamentos, desde os Harpoon (de preferência com upgrade Bock 2), Phalanx, torpedos Mk46 (de preferência actualizados para Mk54), o sistema de comunicações ICSS da EID e mais coisas que agora não me ocorrem.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 22, 2019, 03:50:12 pm
Pode ser a base para uma fragata nova nacional, mas aquele desenho tem de mudar bastante de armamento.
A base é a da Iver e é sólida, mas os sistemas de armamento deixam muito a desejar, especialmente Bofors de 40mm em vez de sistemas CIWS dedicados, lançador de sea sceptor em vez de Mk 41 VLS, colocar os lançadores de Harpoons (de preferencia até seria um missil novo, que o Harpoon já é material VCC)  e pelo menos uma peça de 76mm super rapide.
Ao menos os sensores já são minimamente decentes...
Isto no minimo, porque no maximo...
 :mrgreen: :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 22, 2019, 03:59:27 pm
Os Phalanx e Torpedos sem dúvida. Os Harpoon não poderiam ser modificados/modernizados para serem lançados a partir dos Tridente? Assim uniformizava-se os mísseis das fragatas, com LRASM para todas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 22, 2019, 04:30:06 pm
Pelo desenho, parece-me faltar mísseis anti-navio e torpedos, logo aqui seria um grande tiro no pé se os nossos não os tivessem. Para mísseis anti-navio, a solução era bastante simples, trocar o lançador do Sea Ceptor pelo Mk-41 capaz de lançar tanto os ESSM block 2 (quad-pack) e LRASM. Depois é fazer as alterações necessárias para acomodar os lançadores de torpedos (e um sonar rebocado?).

A peça de 57mm é pouco, e se pretendíamos adquirir navios com uma peça de 127mm (DZP?), fica a questão, manter dois calibres (127 e 76) ou uniformizar? Retirava também os dois canhões de 40mm e colocava CIWS a sério, fossem dois Oerlikon, dois Phalanx ou um misto Phalanx/RAM.

O hangar para o Merlin parece-me bem, pelo simples facto de podermos lá encaixar um dos nossos caso fosse necessário. Senão, SH-60 ou NH-90 NFH serviam perfeitamente.

De sensores e tudo o resto parece-me bem.

Este navio parece-me excelente para substituir as VdG, se forem feitas as devidas alterações e não ficarem muito mais caros por isso.

dc, bem podes esquecer este ou outro modelo de fragata nova para substituir as VdG.
As VdG vão estar ao serviço mais vinte anos, quando fizerem 50 anos de serviço, então sim, alguém irá começar a pensar em substituir as ditas Fragatas.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 22, 2019, 04:37:43 pm
dc, bem podes esquecer este ou outro modelo de fragata nova para substituir as VdG.
As VdG vão estar ao serviço mais vinte anos, quando fizerem 50 anos de serviço, então sim, alguém irá começar a pensar em substituir as ditas Fragatas.

Abraços

Enquanto ainda não começarem o grandioso MLU às VdG, ainda há esperança desta ideia ser colocada no lixo e darem uma olhadela nas Arrowhead.  ::)
Deixa lá o pessoal sonhar e fazer a lista de prendas para o Natal.  :mrgreen:

https://www.savetheroyalnavy.org/the-type-31e-frigate-candidates-compared/ (https://www.savetheroyalnavy.org/the-type-31e-frigate-candidates-compared/)

Segundo esta comparação, a Arrowhead tem provisão para receber o Mk-41 Strike Length (de 32 células), se não estou em erro, é a versão que pode lançar também os Tomahawk?  8)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 22, 2019, 04:48:11 pm
dc, bem podes esquecer este ou outro modelo de fragata nova para substituir as VdG.
As VdG vão estar ao serviço mais vinte anos, quando fizerem 50 anos de serviço, então sim, alguém irá começar a pensar em substituir as ditas Fragatas.

Abraços

Enquanto ainda não começarem o grandioso MLU às VdG, ainda há esperança desta ideia ser colocada no lixo e darem uma olhadela nas Arrowhead.  ::)
Deixa lá o pessoal sonhar e fazer a lista de prendas para o Natal.  :mrgreen:

https://www.savetheroyalnavy.org/the-type-31e-frigate-candidates-compared/ (https://www.savetheroyalnavy.org/the-type-31e-frigate-candidates-compared/)

Segundo esta comparação, a Arrowhead tem provisão para receber o Mk-41 Strike Length (de 32 células), se não estou em erro, é a versão que pode lançar também os Tomahawk?  8)

Pelo que sei é a versão que referes.
Continua a sonhar. ;)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 22, 2019, 06:40:05 pm
dc, bem podes esquecer este ou outro modelo de fragata nova para substituir as VdG.
As VdG vão estar ao serviço mais vinte anos, quando fizerem 50 anos de serviço, então sim, alguém irá começar a pensar em substituir as ditas Fragatas.

Abraços

Enquanto ainda não começarem o grandioso MLU às VdG, ainda há esperança desta ideia ser colocada no lixo e darem uma olhadela nas Arrowhead.  ::)
Deixa lá o pessoal sonhar e fazer a lista de prendas para o Natal.  :mrgreen:

https://www.savetheroyalnavy.org/the-type-31e-frigate-candidates-compared/ (https://www.savetheroyalnavy.org/the-type-31e-frigate-candidates-compared/)

Segundo esta comparação, a Arrowhead tem provisão para receber o Mk-41 Strike Length (de 32 células), se não estou em erro, é a versão que pode lançar também os Tomahawk?  8)


Strike lenght... Já ficava contente com a self defense lenght para ESSM´s, VL-asroc, etc, e 16 celulas bastavam. É preciso poupar gente!!!
 c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 22, 2019, 07:29:48 pm
Fica aqui a minha configuração para uma fragata "light", seja a Arrowhead ou a MEKO 200:

1 × Oto Melara 127/64 LW 127 mm
2 x RWS
8 x SSM´s, preferencia ou SAAB RBS 15MK3 / NSM/ Exocet MM40 block 3
2 x lançadores de torpedos Mk 32 (reciclados VDG)
1 x Phalanx CIWS (reciclados VDG)
16 x VLS Mk 41 para ESSM´s, VL-Asroc, etc.

Sensores principais:

Thales NS 200
2 x SAAB Ceros 200 - directores de fogo
Sonar Thales Kingclip Mk 2
Sonar de arrasto (Thales Captas 4 talvez)

De resto puxem pela imaginação.
 c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 22, 2019, 11:07:49 pm
Oh Stalker, com os LRASM nem precisas de cannisters externos para lançar os mísseis, visto serem lançados dos Mk-41. Além de que têm maior alcance e são mais stealth que os outros! O Mk-41 strike length (32 células por navio claro  8)) também permitia acomodar futuras actualizações de armamento que requeiram os módulos mais longos, sem ter que modificar o navio.

O espaço na fragata onde era suposto instalar os lançadores dos NSM/Harpoon ou o que fosse, podiam virar um espaço recreativo para a tal história do duplo uso.  ::) Sei lá, uma tendazinha para as campanhas políticas ou algo do género.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 22, 2019, 11:38:31 pm
Oh Stalker, com os LRASM nem precisas de cannisters externos para lançar os mísseis, visto serem lançados dos Mk-41. Além de que têm maior alcance e são mais stealth que os outros! O Mk-41 strike length (32 células por navio claro  8)) também permitia acomodar futuras actualizações de armamento que requeiram os módulos mais longos, sem ter que modificar o navio.

O espaço na fragata onde era suposto instalar os lançadores dos NSM/Harpoon ou o que fosse, podiam virar um espaço recreativo para a tal história do duplo uso.  ::) Sei lá, uma tendazinha para as campanhas políticas ou algo do género.

A minha configuração é pro "light", ou seja pra tesos. Se começar aqui a puxar pela cachimonia a minha fragata vira um Destroyer!
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 25, 2019, 08:23:56 am
Mais um para reforçar a frota

https://www.dn.pt/mundo/submarino-com-toneladas-de-droga-que-tera-saido-de-portugal-encalha-em-vigo-11548161.html
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 25, 2019, 08:51:04 am
Mais um para reforçar a frota

https://www.dn.pt/mundo/submarino-com-toneladas-de-droga-que-tera-saido-de-portugal-encalha-em-vigo-11548161.html

Esta é mais uma situação que prova a falta de aeronaves e especialmente navios, devidamente equipados, para o patrulhamento efectivo, da nossa ZEE.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Novembro 25, 2019, 01:42:21 pm
Saído de Portugal??  Não me digam que tava um submarino estacionado ali na Figueira da Foz e ninguém desconfiou de nada! 😱

Não, submarino veio da América do Sul e navegou paralelo a Portugal até ter problemas perto da Costa da Galiza onde as autoridades os conseguiram
interceptar.
Podem ler mais aqui:  https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/espanha-guarda-civil-interceta-submarino-com-tres-mil-quilos-de-cocaina
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 25, 2019, 02:16:36 pm
Mais um para reforçar a frota

https://www.dn.pt/mundo/submarino-com-toneladas-de-droga-que-tera-saido-de-portugal-encalha-em-vigo-11548161.html

Esta é mais uma situação que prova a falta de aeronaves e especialmente navios, devidamente equipados, para o patrulhamento efectivo, da nossa ZEE.

Abraços


Falta de aeronaves!? Olhe aqui uma boa oportunidade:


 c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 25, 2019, 02:25:12 pm
Mais um para reforçar a frota

https://www.dn.pt/mundo/submarino-com-toneladas-de-droga-que-tera-saido-de-portugal-encalha-em-vigo-11548161.html

Esta é mais uma situação que prova a falta de aeronaves e especialmente navios, devidamente equipados, para o patrulhamento efectivo, da nossa ZEE.

Abraços

É agora que temos argumento para comprar o terceiro 214. Venha ele!  :mrgreen:

Falta de aeronaves!? Olhe aqui uma boa oportunidade:


 c56x1

Quando vi esse vídeo, pensei logo que poderia ser uma excelente compra de oportunidade. Nem eram precisos muitos, 3 ou 4 e ficávamos muito bem servidos. E ainda se abria caminho para a versão Triton no futuro.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 25, 2019, 03:15:19 pm
Pensando agora um pouco na situação, não é que desta vez foi droga, amanhã pode ser um grupo terrorista com o objectivo de, por exemplo, fazer um atentado a um navio de cruzeiro, ou um petroleiro? Ou até mesmo fazer um atentado contra uma base naval militar ou um porto de elevada importância económica? De um lado temos o problema dos mini UAVs "kamikaze", agora de submarinos que passam por toda a nossa ZEE e não são detectados... algum dia há-de correr mal.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Novembro 25, 2019, 04:00:18 pm
Vamos lá ter calma e pensar um pouco.

Nas noticias que li sobre o assunto refere que o "submarino" já estava a ser seguido, tanto é que sabiam o percurso da viagem desde a Colúmbia e tudo. A informação sobre o submarino proveio da agência Americana para o trafico de droga.

Muito provavelmente o "submarino" foi seguido enquanto passou pela costa Portuguesa tal com estava a ser seguido enquanto passava pela Costa Espanhola. Segundo as noticias as autoridades Espanholas há 3 dias que estava a seguir o submarino, e pelo que percebi só o intercetaram quando este avariou, deviam estar a vigiar e recolher informações para saber qual o paradeiro do mesmo e quem é que estava envolvido.

No combate ao trafico de droga hoje em dia o objetivo principal muitas vezes nem é impedir o transporte da dita droga mas sim recolher informações que depois permitam desmantelar o máximo possível da rede de trafico.

Contudo isto sou eu a especular  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 26, 2019, 08:45:46 am
(https://i.ibb.co/TgmxZZK/EKSQPFIWs-AAYBs9.jpg) (https://ibb.co/P6wvRRT)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: goldfinger em Novembro 27, 2019, 08:17:14 am
Mais um para reforçar a frota

https://www.dn.pt/mundo/submarino-com-toneladas-de-droga-que-tera-saido-de-portugal-encalha-em-vigo-11548161.html

Esta é mais uma situação que prova a falta de aeronaves e especialmente navios, devidamente equipados, para o patrulhamento efectivo, da nossa ZEE.

Abraços

Parece ser que un P8 de la Us Navy estuvo siguiendolo hasta cerca de la costa de Portugal:

https://twitter.com/GDarkconrad/status/1197657414889353217
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 27, 2019, 08:21:25 am
Mais um para reforçar a frota

https://www.dn.pt/mundo/submarino-com-toneladas-de-droga-que-tera-saido-de-portugal-encalha-em-vigo-11548161.html

Esta é mais uma situação que prova a falta de aeronaves e especialmente navios, devidamente equipados, para o patrulhamento efectivo, da nossa ZEE.

Abraços

Parece ser que un P8 de la Us Navy estuvo siguiendolo hasta cerca de la costa de Portugal:

https://twitter.com/GDarkconrad/status/1197657414889353217

Goldfinger só vens confirmar o que eu  referi quanto à falta de meios, a nossa ZEE, não e devidamente patrulhada.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ocastilho em Novembro 27, 2019, 09:54:07 am


Goldfinger só vens confirmar o que eu  referi quanto à falta de meios, a nossa ZEE, não e devidamente patrulhada.

Abraços

Esta história de que a missão é sempre cumprida é conversa de embalar meninos. O facto é que as ameaças são cada vez mais e de diferente tipo e nós caminhamos para uma marinha de patrulhões com radar civil...

Mas não se esqueçam somos um pais de marinheiros.  ::) ::) ::)

M
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 27, 2019, 10:10:56 am
Vendo bem as coisas, entregava já tudo aos "aliados", patrulha e fiscalização da ZEE

Sobrava mais dinheiro para os "sócrates" desta vida
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Novembro 27, 2019, 10:41:24 am
Então, os P3 servem para quê?!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Novembro 27, 2019, 01:25:51 pm
O único operacional/única guarnição disponível devem estar a operar em Espanha, ou noutro país qualquer do Mediterrâneo, numa dessas missões da UE.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: goldfinger em Novembro 27, 2019, 01:56:31 pm
(https://i.ibb.co/TgmxZZK/EKSQPFIWs-AAYBs9.jpg) (https://ibb.co/P6wvRRT)

Imágenes reales.......se habla de 4500 kgs de cocaina de gran pureza... :amazing:

(https://estaticos.elperiodico.com/resources/jpg/7/6/narcosubmarino-hundido-galicia-remolcado-puerto-1574786958067.jpg)

(https://www.lavanguardia.com/r/GODO/LV/p6/WebSite/2019/11/27/Recortada/20191127-637104516201006289_20191127114502-kEAE-U4719187361096D-992x558@LaVanguardia-Web.jpg)

(https://s1.latercera.com/wp-content/uploads/2019/11/Narcosubmarino.jpg)

(https://www.elprogreso.es/media/elprogreso/images/2019/11/26/2019112618531816769.jpg)

(https://www.diariodepontevedra.es/media/diariodepontevedra/images/2019/11/27//2019112710143663636.jpg)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg2.rtve.es%2Fv%2F5452166%3Fw%3D1600%26amp%3Bpreview%3D1574612183170.jpg&hash=d4751f83e3f61424d679031861d25b86)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 27, 2019, 03:26:23 pm
Se um P-8 seguiu o submarino até cá, questiono-me qual terá sido a resposta da nossa parte para continuar a seguir o submarino, se é que houve alguma resposta ou deixou-se andar.

Podemos falar nos P-3 e nos NPOs, mas nesta situação de um semi-submersível (não me parece que submerja na totalidade, mantendo o cockpit de fora?), o meio mais adequado para seguir este navio, não seria um UAV de longo alcance? Um Triton de preferência, mas julgo que até um Predator ou derivado faria o trabalho mantendo-se a grande altitude e não sendo detectado pela tripulação do submarino (ao contrário do que aconteceria com um NPO ou fragata).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 27, 2019, 03:42:02 pm
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Novembro 27, 2019, 04:51:40 pm
Se um P-8 seguiu o submarino até cá, questiono-me qual terá sido a resposta da nossa parte para continuar a seguir o submarino, se é que houve alguma resposta ou deixou-se andar.

Podemos falar nos P-3 e nos NPOs, mas nesta situação de um semi-submersível (não me parece que submerja na totalidade, mantendo o cockpit de fora?), o meio mais adequado para seguir este navio, não seria um UAV de longo alcance? Um Triton de preferência, mas julgo que até um Predator ou derivado faria o trabalho mantendo-se a grande altitude e não sendo detectado pela tripulação do submarino (ao contrário do que aconteceria com um NPO ou fragata).

A questão não é tanto o meio mas a capacidade de detetar.

O recurso a um radar de superfície normal (NPO) secalhar não é suficiente para detectar "cockpit", o uso do infrared secalhar pode não ser suficiente a grandes distancias no meio da agua.

Por isso secalhar o uso do P8 que tem sensores que são capazes de detectar objectos debaixo de agua ou pequenas saliências a superfície da agua.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 27, 2019, 05:08:24 pm
Se um P-8 seguiu o submarino até cá, questiono-me qual terá sido a resposta da nossa parte para continuar a seguir o submarino, se é que houve alguma resposta ou deixou-se andar.

Podemos falar nos P-3 e nos NPOs, mas nesta situação de um semi-submersível (não me parece que submerja na totalidade, mantendo o cockpit de fora?), o meio mais adequado para seguir este navio, não seria um UAV de longo alcance? Um Triton de preferência, mas julgo que até um Predator ou derivado faria o trabalho mantendo-se a grande altitude e não sendo detectado pela tripulação do submarino (ao contrário do que aconteceria com um NPO ou fragata).


A questão não é tanto o meio mas a capacidade de detetar.

O recurso a um radar de superfície normal (NPO) secalhar não é suficiente para detectar "cockpit", o uso do infrared secalhar pode não ser suficiente a grandes distancias no meio da agua.

Por isso secalhar o uso do P8 que tem sensores que são capazes de detectar objectos debaixo de agua ou pequenas saliências a superfície da agua.

Um bom sensor de infra vermelhos dava com ele. Afinal de contas o escape tem de estar acima do nivel da agua.
É o suficiente.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Novembro 27, 2019, 06:12:03 pm
O único operacional/única guarnição disponível devem estar a operar em Espanha, ou noutro país qualquer do Mediterrâneo, numa dessas missões da UE.

Não me fo###!

de 5 unidades P3 só temos 1 operacional??
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 27, 2019, 07:01:57 pm
O único operacional/única guarnição disponível devem estar a operar em Espanha, ou noutro país qualquer do Mediterrâneo, numa dessas missões da UE.

Não me fo###!

de 5 unidades P3 só temos 1 operacional??

Mesmo que tivessemos os 5 operacionais só temos uma (1) tripulação completa pelos vistos, por isso acaba por ir dar ao mesmo!
 :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 27, 2019, 10:49:37 pm
Se um P-8 seguiu o submarino até cá, questiono-me qual terá sido a resposta da nossa parte para continuar a seguir o submarino, se é que houve alguma resposta ou deixou-se andar.

Podemos falar nos P-3 e nos NPOs, mas nesta situação de um semi-submersível (não me parece que submerja na totalidade, mantendo o cockpit de fora?), o meio mais adequado para seguir este navio, não seria um UAV de longo alcance? Um Triton de preferência, mas julgo que até um Predator ou derivado faria o trabalho mantendo-se a grande altitude e não sendo detectado pela tripulação do submarino (ao contrário do que aconteceria com um NPO ou fragata).

A questão não é tanto o meio mas a capacidade de detetar.

O recurso a um radar de superfície normal (NPO) secalhar não é suficiente para detectar "cockpit", o uso do infrared secalhar pode não ser suficiente a grandes distancias no meio da agua.

Por isso secalhar o uso do P8 que tem sensores que são capazes de detectar objectos debaixo de agua ou pequenas saliências a superfície da agua.

Penso que o Triton terá capacidades de detecção semelhantes às do P-8, tirando a capacidade de detecção de sub-superfície.[quote

O único operacional/única guarnição disponível devem estar a operar em Espanha, ou noutro país qualquer do Mediterrâneo, numa dessas missões da UE.

Não me fo###!

de 5 unidades P3 só temos 1 operacional??

Mesmo que tivessemos os 5 operacionais só temos uma (1) tripulação completa pelos vistos, por isso acaba por ir dar ao mesmo!
 :mrgreen:

Se de facto se verificar esta situação, como é possível? Sei que neste caso o C-295 Vimar fazia o mesmo, mas noutras situações não, por isso como é possível ter 5 aviões como o P-3 e só ter tripulação para 1?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 27, 2019, 11:57:42 pm
DC, graças a deus, tamos em Portugal!!!
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !d
Enviado por: NVF em Novembro 28, 2019, 02:15:38 am
Para quem não percebeu, estava a ser irónico. Mas se já tivemos somente 03 ou 04 guarnições completas de Merlin, 01 Lynx operacional, cerca de 20 pilotos de F-16 e, no passado recente, havia somente um ou dois binómios P-3/guarnição disponíveis, não vejo o espanto perante a eventualidade de actualmente termos somente um P-3 operacional.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Novembro 28, 2019, 05:48:36 am
Quero começar por dizer que não faço ideia de quantas tripulações de P-3 temos, mas caso seja mesmo apenas uma, será que esse pessoal tenta coordenar as férias?  :mrgreen:

Porque basta um dos pilotos, um dos navegadores, o técnico das sono-bóias, etc, faltar, que mais vale os restantes elementos também irem de férias lolol.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 28, 2019, 08:52:28 am
Lá andam eles de Uber

https://mobile.twitter.com/DK_NATO/status/1199677662316388352
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 28, 2019, 10:30:19 am
Há algo que escapa-me, como é que vocês sabem que a Marinha ou a FAP não estava a par dos acontecimentos e também auxiliou na detecção da dita embarcação?

Citar
As investigações, que contam com a colaboração das autoridades de Portugal, dos Estados Unidos e do Brasil, começaram quando o Centro de Análise e Operações de Drogas alertou o Centro Antiterrorismo e Crime Organizado de que um submarino estava a atravessar o Atlântico em direção a Espanha e estava carregado de cocaína.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: jpthiran em Novembro 28, 2019, 11:27:18 am
e um dos nossos submarinos não terá seguido o submersível ?

ninguém sabe se não fez esse trabalho

e se calhar a marinha nem o vai dizer
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Novembro 28, 2019, 11:54:23 am
A FAP tem (mesmo com problemas de tripulações) equipamentos com capacidade, com os "P-3C CUP+" e os "C-295M VIMAR"... mas é na Marinha e na falta de capacidade dos NPO que temos um problema - é neste tipo de situações (não falando de fazer patrulhas no Golfo da Guiné) que não ter radar vigilância militar e boas capacidades EO provam que o barato pode sair caro.     
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 28, 2019, 12:02:41 pm
A FAP tem (mesmo com problemas de tripulações) equipamentos com capacidade, com os "P-3C CUP+" e os "C-295M VIMAR"... mas é na Marinha e na falta de capacidade dos NPO que temos um problema - é neste tipo de situações (não falando de fazer patrulhas no Golfo da Guiné) que não ter radar vigilância militar e boas capacidades EO provam que o barato pode sair caro.   

Ora aí está mas pelos visto vai haver 700 milhões para o novo banco, uma vez mais………

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 28, 2019, 12:05:40 pm
Se os NPOs tivessem pelo menos uns UAVs como o Fire Scout, já ajudava qualquer coisita.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 28, 2019, 12:31:48 pm
(https://the-drive.imgix.net/https%3A%2F%2Fapi.thedrive.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2019%2F11%2Fnarco-sub-spain-top.jpg%3Fquality%3D85?w=1440&auto=compress%2Cformat&ixlib=js-1.4.1&s=42ad36e29422cf86408a38e067acd572)

https://www.thedrive.com/the-war-zone/31248/the-first-narco-submarine-ever-seized-off-a-european-coast-is-a-monster
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Novembro 28, 2019, 02:20:52 pm
A FAP tem (mesmo com problemas de tripulações) equipamentos com capacidade, com os "P-3C CUP+" e os "C-295M VIMAR"... mas é na Marinha e na falta de capacidade dos NPO que temos um problema - é neste tipo de situações (não falando de fazer patrulhas no Golfo da Guiné) que não ter radar vigilância militar e boas capacidades EO provam que o barato pode sair caro.   

Ora aí está mas pelos visto vai haver 700 milhões para o novo banco, uma vez mais………

Abraços

Ai isso nunca há stress ou "restrições orçamentais". Não quero que ninguem entre em panico!!!
PODEM TER A CERTEZA QUE NUNCA FALTARÁ GUITA PARA COBRIR A ME**A QUE OS BANCOS FAZEM!
Já podem dormir descansados á noite....
FDP...
 >:( >:( >:(
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 04, 2019, 11:17:15 am
Mais uma marinha pobre que operava All3

https://mobile.twitter.com/JanesINTEL/status/1202180819101638656
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 04, 2019, 03:23:34 pm
Porque se fala tanto aqui do AlIII "naval"?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Dezembro 04, 2019, 03:41:09 pm
Porque se fala tanto aqui do AlIII "naval"?

Deve ser para usar nos NPO.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 04, 2019, 03:55:43 pm
Agora já vão tarde, que estão a ser substituídos.  :mrgreen:
Mas para os NPO, já me dava por contente com Fire Scout ou até com o Camcopter S100. Em termos de sensores muito melhores que o AlIII.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 04, 2019, 06:50:14 pm
Porque se fala tanto aqui do AlIII "naval"?

Deve ser para usar nos NPO.

 ;)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 05, 2019, 10:07:42 am
Porque se fala tanto aqui do AlIII "naval"?

Era só para provar (mais uma vez) que somos um país de ricos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 05, 2019, 04:19:01 pm
Porque se fala tanto aqui do AlIII "naval"?

Era só para provar (mais uma vez) que somos um país de ricos.

Mas que possui umas FFAA que estão nas Lonas em termos de Praças e equipamentos !!!!

Mas que consegue parir uma LPM de dez em dez anos, Mas que dos  milhares de milhões que " oferecem " ás FFAA, nem metade é concretizado em investimentos/compras para as ditas !

Mas, em vez dessas merdas de LPM's, fomentadas pela classe politica que de matéria de defesa nada percebe, se os orçamentos anuais fossem cumpridos na INTEGRA, as FFAA estavam muito bem equipadas e até o seu total podia estar muito próximo dos 40.000 efectivos, basta fazer as contas a 1,5% do PIB, €3.100 milhões/ano !!!

Mas, com LPM's é melhor, dá a sensação que os Politicos até gostam das FFAA, sabem o porquê da necessidade do País ter de possuir as ditas pois até lhes dão grandes quantias de dinheiro, de X em X tempo, para elas se reequiparem.

Mas, a realidade é bem outra, basta perguntar onde param os muitos milhões de todas as LPM's que foram fabricadas para reequipar as FFAA, ou perguntar onde estão esses equipamentos/armamentos, que foram comprados com esses milhões, e porque raio os equipamentos das FFAA estão a roçar a obsolescência depois de tantos milhões alocados nas LPM's para a compra de equipamentos ???

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 05, 2019, 07:16:04 pm
Aprendam como se faz

Citar
Spain funds F-110 frigate

David Ing, Madrid - Jane's Defence Weekly
04 December 2019


The Spanish government has given its approval for a loan of up to EUR1.63 billion (USD1.8 billion) to begin financing the F-110 frigate project.

Construction work is due to start on the five-ship programme late next year once the final concept has been approved, builder Navantia told Jane's on 3 December. The loan from the Ministry of Industry and Commerce will enable the state-owned shipbuilder to push ahead with the programme, with the frigates scheduled to be delivered in 2026-31

Authorising the move on 29 November, the Spanish cabinet said it would cover the digitalisation of construction at Navantia up to the Industry 4.0 standard and contribute to making the company a "world leader" in the frigate market.

https://www.janes.com/article/93005/spain-funds-f-110-frigate
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Dezembro 05, 2019, 07:20:28 pm
Acho que o nosso governo não quer fazer isso, nós é mais ao contrário lol.

Os espanhóis metem dinheiro na defesa através de outros ministérios, nós fingimos que metemos dinheiro na defesa, mas na verdade vai para as finanças  :mrgreen:.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 05, 2019, 07:24:54 pm
Aprendam como se faz

Citar
Spain funds F-110 frigate

David Ing, Madrid - Jane's Defence Weekly
04 December 2019


The Spanish government has given its approval for a loan of up to EUR1.63 billion (USD1.8 billion) to begin financing the F-110 frigate project.

Construction work is due to start on the five-ship programme late next year once the final concept has been approved, builder Navantia told Jane's on 3 December. The loan from the Ministry of Industry and Commerce will enable the state-owned shipbuilder to push ahead with the programme, with the frigates scheduled to be delivered in 2026-31

Authorising the move on 29 November, the Spanish cabinet said it would cover the digitalisation of construction at Navantia up to the Industry 4.0 standard and contribute to making the company a "world leader" in the frigate market.

https://www.janes.com/article/93005/spain-funds-f-110-frigate

Por acaso já tinha visto a noticia e pensei para comigo, querem ver que ainda vamos ás compras e ficamos com as F100 ???

https://en.wikipedia.org/wiki/%C3%81lvaro_de_Baz%C3%A1n-class_frigate

Não temos mesmo hipótese alguma de ter um planeamento como o de Nuestros Hermanos, o nivel de corrupção e imobilismo que grassa por cá é enorme a tal ponto que se a nossa corrupção fosse idêntica á que existe na Alemanha, o crescimento do nosso PIB seria reforçado em 1,7% anual, apenas isso !

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 05, 2019, 08:56:28 pm
Já nem digo nada....  SE por ventura ficassemos com as F100 chamem-lhe um figo!
 :(
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Dezembro 05, 2019, 09:44:35 pm
Já nem digo nada....  SE por ventura ficassemos com as F100 chamem-lhe um figo!
 :(

Se ficarmos com as DZP já não é nada mau. O que se fala à boca pequena no Alfeite é que a intenção é ficar com 3, mas como o Chile também estará interessado nelas urge agir com rapidez se se quiser ter um substituto minimamente credível para as VdG.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 06, 2019, 12:20:12 am
Já nem digo nada....  SE por ventura ficassemos com as F100 chamem-lhe um figo!
 :(

Se ficarmos com as DZP já não é nada mau. O que se fala à boca pequena no Alfeite é que a intenção é ficar com 3, mas como o Chile também estará interessado nelas urge agir com rapidez se se quiser ter um substituto minimamente credível para as VdG.

As F110 não são para substituir as OHP espanholas? Ou estou a fazer confusão? Ou vão optar por ter apenas uma única classe de F110?

Elah, já se fala nas DZP? Logo 3 e para substituir as VdG? Ora se isso se suceder (preferia ao contrário, substituir mais tardar até 2025 as VdG e depois virem as DZP para substituir as BD), teremos a última das VdG a operar até 2030 pelo menos, certo?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Dezembro 06, 2019, 12:33:11 am
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 06, 2019, 07:40:57 am
Roménia e Polónia? Esses ainda conseguem ser piores que nós

Os polacos só agora conseguiram por ao serviço o novo OPV lançado à 18 anos e que era suposto ser armado como uma fragata

https://mobile.twitter.com/navalnewsnet/status/1201954239850921984

...


Quer dizer que no Alfeite a conversa passou das FREEM para as DZP?  :mrgreen:

O Chile vai receber as 2 OHPs australianas para substituir as type L, ficam com mais as KD e as inglesas...será que tem capacidade de juntar mais 3 DZP ao seu arsenal?

A lei do cobre ou sei lá qual minério que dava 10% ás FAs deles não foi revogada? Acho que li algo acerca disso
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 06, 2019, 07:58:58 am
Ah, e as F110 são para substituir as Santa Maria (OHP)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Dezembro 06, 2019, 09:33:04 am
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 06, 2019, 10:29:19 am
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.

Ainda acaba por vir tudo  :mrgreen:

Pai Natal dá aí uma ajudinha
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 06, 2019, 11:08:58 am
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.

Ainda acaba por vir tudo  :mrgreen:

Pai Natal dá aí uma ajudinha

Não me faças rir as quatro DZP a vir para Portugal???
Só mesmo em sonhos.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 06, 2019, 01:09:27 pm
Não me faças rir as quatro DZP a vir para Portugal???
Só mesmo em sonhos.

Abraços

Acho que se referia a virem as DZP e as FREMM.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.

Não faz muito sentido porquê? Se a ideia é não reduzir o número de fragatas, é o que faz mais sentido.  ???
Mas o que fazia realmente muito sentido, era virem as 4, já que os holandeses não querem vender 3 e ficar com uma apeada, e nós não queremos só 2...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Dezembro 06, 2019, 02:22:27 pm
Já nem digo nada....  SE por ventura ficassemos com as F100 chamem-lhe um figo!
 :(
F100??? Ainda levam é com as Santa Maria...  :mrgreen: :mrgreen:

(https://www.martinvillen.com/wp-content/uploads/2015/03/PICT1844.jpg)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FSpanish-Navy%2FFrigate%2FF82_DAT%2FF82-Victoria-04.jpg&hash=d358f813b1ccc62692f55f623d864726)

Cumprimentos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: MATRA em Dezembro 06, 2019, 02:33:59 pm
Nahhh, OHP já nos tentaram impingir.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 06, 2019, 05:13:02 pm
Se fosse para receber as Santa Maria/OHP mais valia fazer um MLU a sério às VdG que mais depressa recebiam um Mk-41, ESSM e SMART-S Mk.2 e mais uns quantos brinquedos novos...

Mas gosto da ideia das DZP, vinham logo as 4 e reduzia-se a encomenda de NPOs em 2 (para 6? Ou para 8? Nem sei quantos estão planeados adquirir).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 06, 2019, 06:55:14 pm
2 DZP para nós e 2 para o Chile e não se fala mais nisso  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 06, 2019, 06:57:07 pm
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.

Ainda acaba por vir tudo  :mrgreen:

Pai Natal dá aí uma ajudinha

Não me faças rir as quatro DZP a vir para Portugal???
Só mesmo em sonhos.

Abraços

Natal é sempre que um homem quiser, seu descrente!  :Esmagar:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 06, 2019, 07:09:32 pm
2 DZP para nós e 2 para o Chile e não se fala mais nisso  :mrgreen:

Fica-nos a faltar um navio, se a ideia é virem substituir as VdG. E como sou generoso, arredondamos para 4 DZP, e os chilenos que se danem.  c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Dezembro 07, 2019, 12:47:15 pm
Dois DZP chegam, depois ficas com as 05 Lafayette francesas para “baixa intensidade” e ASW.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 07, 2019, 02:34:45 pm
Dois DZP chegam, depois ficas com as 05 Lafayette francesas para “baixa intensidade” e ASW.

As Lafayette nem são más, mas a arma de 100mm, lixo. O Crotale ou upgrade pra versão NG/VT-1 ou lixo e substituir por um RAM block 2.
E os Exocet upgrade pro Block 3 ou então mais valia os Harpoon!
 :-\
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 07, 2019, 05:06:50 pm
As Lafayette para serem credíveis tinham de levar um mega upgrade, e daqueles sem mastros ocos. Aquele radar também é lixo, armamento no seu todo idem. Antes ficássemos com 6 navios, 4 DZP e 2 fragatas novas (AH140 ou mesmo as 120, ou Meko A200). Ficava-te mais barato que teres de modernizar as fragatas francesas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 07, 2019, 06:42:35 pm
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.

Ainda acaba por vir tudo  :mrgreen:

Pai Natal dá aí uma ajudinha

Não me faças rir as quatro DZP a vir para Portugal???
Só mesmo em sonhos.

Abraços

Natal é sempre que um homem quiser, seu descrente!  :Esmagar:

Dá-lhe, que ele está a trabalhar nesse dia. :mrgreen:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 07, 2019, 06:45:37 pm
As Lafayette para serem credíveis tinham de levar um mega upgrade, e daqueles sem mastros ocos. Aquele radar também é lixo, armamento no seu todo idem. Antes ficássemos com 6 navios, 4 DZP e 2 fragatas novas (AH140 ou mesmo as 120, ou Meko A200). Ficava-te mais barato que teres de modernizar as fragatas francesas.

Deixem-se de tretas, e vão mas é à Austrália buscar umas ANZAC deles, para substituir as VdG !!!! ;)
Andamos com tantas opções e afins para substituir as VdG, que o que vai acontecer é ainda apanharmos com as duas M holandesas ou mesmo as Belgas, bem essas pelo menos não tem os mastros ocos ::) !

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 08, 2019, 01:22:41 pm
Deus queira que não. De todas as opções, acabarmos com as 4 M para operar até 2035/2040, era a pior de todas. Pior mesmo só se nos ficássemos pelos navios que temos actualmente, que ainda assim seriam 5, de resto não vejo vantagens nenhumas e mais valia esperar 2 ou 3 anos pelas DZP. As Anzac já foram muito faladas por aqui, e seriam igualmente bons navios. Mas quando se fala das Arrowhead a custarem metade do valor das concorrentes, é daquelas questões que, valor por valor e capacidade vs capacidade, mais vale gastar um pouco mais e ter 2 ou 3 AH140 novas. As DZP consideraria obrigatórias, dadas as suas capacidades e sobretudo poder de fogo.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 08, 2019, 01:34:31 pm
Quando estou esmorecido adoro vir aqui ler obras de ficção :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Dezembro 08, 2019, 03:52:56 pm
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.

3 FREEM mais as 2 M ?

Cumprimentos,
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 08, 2019, 05:23:50 pm
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.

3 FREEM mais as 2 M ?

Cumprimentos,

e porque não as duas DZP serão para substituir as nossas BD, pelo menos é o que a malta do fórum deseja !!!

Para mim eram três ANZAC em 2025/26/27 para substituir as VdG, como as ANZAC já operam os Romeo, quando houvesse guito, e os lynx estivesse a dar o peido mestre, comprávamos quatro Romeo, e por volta de 2028/30, íamos ás compras á holanda, e ficávamos com duas DZP, e comprávamos mais três Romeo, para termos no mínimo, sete helis navais.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimagizer.imageshack.us%2Fv2%2Fxq90%2F924%2FS96QUF.png&hash=70e247b36c4cfcd4181d154402f76706) (https://imageshack.com/i/poS96QUFp)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimagizer.imageshack.us%2Fv2%2Fxq90%2F921%2FKcGoQh.png&hash=c6da1ba563b6cb3e79757d99ae09d0c0) (https://imageshack.com/i/plKcGoQhp)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimagizer.imageshack.us%2Fv2%2Fxq90%2F924%2F0jh4Lx.jpg&hash=95ea9ec096d255475a8a3c2ab19fa155) (https://imageshack.com/i/po0jh4Lxj)(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimagizer.imageshack.us%2Fv2%2Fxq90%2F921%2FMkUUQm.jpg&hash=adf272de5fd99e3667a1a58ff9851e8e) (https://imageshack.com/i/plMkUUQmj)

Tal compra além de nos proporcionar navios com upgrades minimamente credíveis já efectuados permitiria que apenas possuíssemos peças de 127mm, como armamento mais pesado das nossas fragatas.

Já quanto á idade das cinco unidades, se fossem adquiridas nos anos que mencionei + coisa menos ano, e escolhendo os navios com menos anos, as ANZAC teriam 21 anos e as DZP tinham 24 anos. 

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 09, 2019, 08:08:56 am
3? Ou duas, ou quatro! Mas alguém acha que os holandeses vão vender 03 navios a Portugal só porque nos dá jeito, arriscando ficar com um mono nas mãos? Claro que há sempre Marrocos, ou o Egipto, para comprarem um único navio de uma classe, mas essas marinhas são excepções. Vender as DZP aos pares é certamente mais vantajoso do ponto vista financeiro e há ainda que considerar a componente geopolítica — por exemplo, vender 02 a Portugal e 02 à Roménia, ou à Polónia, manteria quatro navios importantes nos arsenais da NATO.

É verdade, 3 é um número que não faz muito sentido, quase como se fosse para substituir as VdG na proporção 1 por 1, todavia é do que se fala. As FREMM também continuam em cima da mesa.

3 FREEM mais as 2 M ?

Cumprimentos,

É Natal, ninguém leva a mal  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 23, 2019, 10:09:18 am
Ponham-se a pau que os brasileiros vão tentar as DZP...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 23, 2019, 11:27:28 am
Ponham-se a pau que os brasileiros vão tentar as DZP...

Lá vamos às compras à Austrália....... :G-beer2:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 23, 2019, 12:31:29 pm
Ponham-se a pau que os brasileiros vão tentar as DZP...

Eles que vão buscar outro São Paulo e deixem as fragatas para nós.  ::)

PS: Isto é um alerta para iniciarmos já conversações neste sentido com os holandeses.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 23, 2019, 02:04:38 pm
Ponham-se a pau que os brasileiros vão tentar as DZP...

Eles que vão buscar outro São Paulo e deixem as fragatas para nós.  ::)

PS: Isto é um alerta para iniciarmos já conversações neste sentido com os holandeses.

A Marinha Brasileira, se optar por comprar as DZP, irá, concerteza licitar pelas quatro unidades, e não apenas por duas, como será o caso da Marinha Portuguesa, logo terá vantagem sobre nós !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Dezembro 23, 2019, 02:31:37 pm
Mas é garantido que daqui a 07 ou 08 anos, quando ocorrer essa venda, os EUA irão aprovar a venda dos ESSM e SM-2 ao Brasil? O Brasil tem um historial algo negativo com autorizações de Washington para a venda de certos equipamentos. Aliás, reside nesse facto muita da vontade em ter uma indústria bélica autónoma, ou optar por equipamentos europeus ou russos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Dezembro 26, 2019, 11:24:08 am
Ponham-se a pau que os brasileiros vão tentar as DZP...

Eles que vão buscar outro São Paulo e deixem as fragatas para nós.  ::)

PS: Isto é um alerta para iniciarmos já conversações neste sentido com os holandeses.

A Marinha Brasileira, se optar por comprar as DZP, irá, concerteza licitar pelas quatro unidades, e não apenas por duas, como será o caso da Marinha Portuguesa, logo terá vantagem sobre nós !!

Abraços

Não sei, ao que parece aliados da NATO têm prioridade
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 26, 2019, 02:22:27 pm
Ponham-se a pau que os brasileiros vão tentar as DZP...

Eles que vão buscar outro São Paulo e deixem as fragatas para nós.  ::)

PS: Isto é um alerta para iniciarmos já conversações neste sentido com os holandeses.

A Marinha Brasileira, se optar por comprar as DZP, irá, concerteza licitar pelas quatro unidades, e não apenas por duas, como será o caso da Marinha Portuguesa, logo terá vantagem sobre nós !!

Abraços

Não sei, ao que parece aliados da NATO têm prioridade


Espero que isso tambem se aplique a AOR´s ingleses...
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: nelson38899 em Dezembro 26, 2019, 02:52:29 pm
Os parceiros  da NATO têm  prioridade quando tem €€€€€.

Coisa que para estes lados não abunda.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 26, 2019, 05:21:26 pm
Ponham-se a pau que os brasileiros vão tentar as DZP...

Eles que vão buscar outro São Paulo e deixem as fragatas para nós.  ::)

PS: Isto é um alerta para iniciarmos já conversações neste sentido com os holandeses.

A Marinha Brasileira, se optar por comprar as DZP, irá, concerteza licitar pelas quatro unidades, e não apenas por duas, como será o caso da Marinha Portuguesa, logo terá vantagem sobre nós !!

Abraços

Não sei, ao que parece aliados da NATO têm prioridade

Para as mesmas condições de venda claro que tem,  agora se os Brazucas quiserem as quatro DZP e nós apenas duas achas que alguma vez teremos prioridade ???

Boas festas
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: zawevo em Dezembro 27, 2019, 04:05:24 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Dezembro 27, 2019, 04:27:47 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter

Os LCS não diria mas o Germantown que é um navio multipropósito com 36 anos encaixava que nem uma luva na nossa Marinha.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 27, 2019, 04:30:51 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter


Aguentar aguentam, mas não são grande espiga em termos de armamento e não serão tão baratos quanto isso.
E falta ver se seriam vendidos com os sensores todos.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: zawevo em Dezembro 27, 2019, 04:49:02 pm
Gostei deste artigo. Coloco aqui como poderia ter colocado na FAP ou no Exército.

https://rr.sapo.pt/2019/12/27/francisco-sarsfield-cabral/o-problema-militar/artigo/176508/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 27, 2019, 05:02:49 pm
Gostei deste artigo. Coloco aqui como poderia ter colocado na FAP ou no Exército.

https://rr.sapo.pt/2019/12/27/francisco-sarsfield-cabral/o-problema-militar/artigo/176508/


No comment, já é mais que sabido que pro tio Centeno e o resto da gangada no governo e afins, se não dá pra mostrar pro voto é despesa a mais.
Um dia havemos de pagar incurias destas bem caro. A historia já provou isso.
 >:(
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 27, 2019, 05:03:42 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter

Então não aguentam ?????
são bem melhores que os NPO's pois podem transportar mais botijas de gás, e zebros além de que com o hangar que possuem até podem transportar uma FFZ, era só vantagens estes navios que até passavam por LPD's !!
No entanto acho, que há um problema com esta classe, é demasiado recente para a nossa Marinha. ::)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 27, 2019, 05:56:46 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter

Então não aguentam ?????
são bem melhores que os NPO's pois podem transportar mais botijas de gás, e zebros além de que com o hangar que possuem até podem transportar uma FFZ, era só vantagens estes navios que até passavam por LPD's !!
No entanto acho, que há um problema com esta classe, é demasiado recente para a nossa Marinha. ::)

Abraços

"São muito grandes e não são "standard" da NATO"....
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 27, 2019, 06:26:56 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter


Aguentar aguentam, mas não são grande espiga em termos de armamento e não serão tão baratos quanto isso.
E falta ver se seriam vendidos com os sensores todos.
 :-P

Pelo contrário, têm potencial para receber bom armamento, quase tanto como as nossas actuais fragatas, e teriam ainda o potencial de desempenhar as tais missões de combate à pirataria na costa africana que os NPOs têm vindo a empenhar (desarmados).
Eu pessoalmente questionava era quanto custava operar este tipo de navio comparativamente às nossas fragatas. Mas se fosse mais barato, e se por algum milagre chovesse dinheiro, até se podia equacionar reduzir o número de NPOs previstos (ficando o total em 6), reduzia-se o número de fragatas para quatro, viabilizando a compra das 4 DZP, que seriam complementadas por 2 ou até os 4 LCS em questão. A principal vantagem destes LCS, é terem menos de metade da tripulação das fragatas, acho que até é um terço.

Agora, presumo que esses 4 navios, sejam das duas classes, o que complica o aspecto da "uniformização" caso se adquirissem todas.

Mas com uma Marinha com as 4 DZP e 2 LCS (qual o vosso modelo preferido?  :mrgreen:), não ficávamos mal para os próximos 15 anos. Na lista dos módulos que gostaria que viessem, obviamente os módulos com os NSM, Hellfire e eventualmente módulos ASW. AAW ficaria encarregue das muito mais poderosas DZP.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 27, 2019, 06:37:07 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter


Aguentar aguentam, mas não são grande espiga em termos de armamento e não serão tão baratos quanto isso.
E falta ver se seriam vendidos com os sensores todos.
 :-P

Pelo contrário, têm potencial para receber bom armamento, quase tanto como as nossas actuais fragatas, e teriam ainda o potencial de desempenhar as tais missões de combate à pirataria na costa africana que os NPOs têm vindo a empenhar (desarmados).
Eu pessoalmente questionava era quanto custava operar este tipo de navio comparativamente às nossas fragatas. Mas se fosse mais barato, e se por algum milagre chovesse dinheiro, até se podia equacionar reduzir o número de NPOs previstos (ficando o total em 6), reduzia-se o número de fragatas para quatro, viabilizando a compra das 4 DZP, que seriam complementadas por 2 ou até os 4 LCS em questão. A principal vantagem destes LCS, é terem menos de metade da tripulação das fragatas, acho que até é um terço.

Agora, presumo que esses 4 navios, sejam das duas classes, o que complica o aspecto da "uniformização" caso se adquirissem todas.

Mas com uma Marinha com as 4 DZP e 2 LCS (qual o vosso modelo preferido?  :mrgreen:), não ficávamos mal para os próximos 15 anos. Na lista dos módulos que gostaria que viessem, obviamente os módulos com os NSM, Hellfire e eventualmente módulos ASW. AAW ficaria encarregue das muito mais poderosas DZP.

Não seja pela tripulação que são só 40. Ou seja menos de um terço de uma fragata. De resto são duas turbinas e dois diesel como as fragatas.
Numeros ao certo deve haver alguem aqui que saiba melhor que eu.
Mas que são navios bastante polivalentes são. Até tem rampa lateral para embarcar veiculos!
 c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 28, 2019, 11:08:23 am
O programa esteve desde o inicio rodeado de polémica e problemas de toda a ordem. lembro-me de ler um artigo em que dizia que a guarnição destes navios andavam sempre de rastos devido ao excesso de trabalho. Pelos vistos a automatização não foi o suficiente para manter ou reduzir a carga de trabalho para níveis aceitáveis.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Dezembro 28, 2019, 12:18:36 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter

Esse artigo tem vários tipos de navios.

3 class Whidbey Island(LSD) - Não temos nenhum, e não sabemos quando o NRP Don Sebastião vais estar pronto. Mas o mais novo tem 31 anos.

2 Class Freedom - São uns Tejo gigantes e o Freedom em particular tem varias falhas de construção.

2 Class Independence - Só da problemas, mas é bem equipado para combate costeiro e tem um deck de voo extra grade. Pode operar o Merlin e pode ser útil em missões de proteção civil /desastre.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Get_It em Dezembro 28, 2019, 01:24:28 pm
3 class Whidbey Island(LSD) - Não temos nenhum, e não sabemos quando o NRP Don Sebastião vais estar pronto. Mas o mais novo tem 31 anos.
Prontinho a estrear.

Mas para mim não dá. :mrgreen: Tem doca e eu não quero com doca (https://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=82.msg251885;topicseen#msg251885). Demora muito a encher (https://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=82.msg251896;topicseen#msg251896) e o navio torna-se num alvo fácil. Mais vale um sem doca que fica mais barato.

Esses navios vão ser colocados à venda ou vão apenas passar à reserva?

Cumprimentos,
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 28, 2019, 03:21:49 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter

Esse artigo tem vários tipos de navios.

3 class Whidbey Island(LSD) - Não temos nenhum, e não sabemos quando o NRP Don Sebastião vais estar pronto. Mas o mais novo tem 31 anos.

2 Class Freedom - São uns Tejo gigantes e o Freedom em particular tem varias falhas de construção.

2 Class Independence - Só da problemas, mas é bem equipado para combate costeiro e tem um deck de voo extra grade. Pode operar o Merlin e pode ser útil em missões de proteção civil /desastre.

Os Freedom uns Tejo gigantes? Quem nos dera a nós ter os Tejo com um dos módulos com canhão de 30mm, quanto mais contabilizar a peça de 57, RAM, o radar 3D, convés de voo + hangar e o espaço para outros armamentos e ainda a "doca" para lanchas de abordagem.  ::)

Pessoalmente, para navios deste tipo, preferia as Visby, mas como isso nunca aconteceria, nem as trago para o assunto. Reduzindo aos LCS, pelo design prefiro também os Independence, resta a duvida das suas capacidades oceânicas. De resto, gerindo bem a coisa, e se eles os pusessem à venda, e tendo os problemas resolvidos, não seria uma excelente aquisição, reduzindo-se a classe de NPOs a 6 navios, as fragatas para 4 DZP, e complementando ambas as classes, com 2 LCS Independence?

Quanto ao LSD, aposto que ficava mais caro adquirir, manter e operar um desses LSD, do que simplesmente comprar um Makassar novo, que certamente precisará de menos tripulação e durará muito mais anos. A capacidade "expedicionária" da Marinha com um Makassar, mais um Maud, mais dois LCS Independence, seria extraordinária.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 28, 2019, 03:44:36 pm
Os independence tinham um problema a nivel da carga de trabalho da tripulação é certo. Mas isso seria na marinha dos estado unidos, aqui é mais um dia como os outros.
Pois os portugueses já estão habituados a cargas de trabalho fora de horas. Se fosse trabalhar pouco é que era estranho.
O mais grave problema nos Independence era a corrosão galvanica, mas a Austal garantiu que estavam já revistos novos procedimentos e tratamentos anti corrosão para a construção do USS Coronado.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Dezembro 28, 2019, 04:43:39 pm
Será que estes navios aguentam o mar dos Açores?

https://www.defensenews.com/naval/2019/12/24/us-navy-proposes-decommissioning-first-4-lcs-more-than-a-decade-early/?fbclid=IwAR3nbPj5pcr9p7wt7CUjDyceIKGJ9tZsOpzHsUgiPUaySnKfBSXj0_VyRtw#.XgUk7zazL98.twitter

Esse artigo tem vários tipos de navios.

3 class Whidbey Island(LSD) - Não temos nenhum, e não sabemos quando o NRP Don Sebastião vais estar pronto. Mas o mais novo tem 31 anos.

2 Class Freedom - São uns Tejo gigantes e o Freedom em particular tem varias falhas de construção.

2 Class Independence - Só da problemas, mas é bem equipado para combate costeiro e tem um deck de voo extra grade. Pode operar o Merlin e pode ser útil em missões de proteção civil /desastre.

Os Freedom uns Tejo gigantes? Quem nos dera a nós ter os Tejo com um dos módulos com canhão de 30mm, quanto mais contabilizar a peça de 57, RAM, o radar 3D, convés de voo + hangar e o espaço para outros armamentos e ainda a "doca" para lanchas de abordagem.  ::)

Pessoalmente, para navios deste tipo, preferia as Visby, mas como isso nunca aconteceria, nem as trago para o assunto. Reduzindo aos LCS, pelo design prefiro também os Independence, resta a duvida das suas capacidades oceânicas. De resto, gerindo bem a coisa, e se eles os pusessem à venda, e tendo os problemas resolvidos, não seria uma excelente aquisição, reduzindo-se a classe de NPOs a 6 navios, as fragatas para 4 DZP, e complementando ambas as classes, com 2 LCS Independence?

Quanto ao LSD, aposto que ficava mais caro adquirir, manter e operar um desses LSD, do que simplesmente comprar um Makassar novo, que certamente precisará de menos tripulação e durará muito mais anos. A capacidade "expedicionária" da Marinha com um Makassar, mais um Maud, mais dois LCS Independence, seria extraordinária.

o Tejo quando ainda era Flyvefisken-class estava equipado com OTO Melara 76 mm e tinha kit´s de missão que incluía Harpon e Sea Sparow e torpedos MU90. Se agora a Marinha acha que uma .50 já chega é outra historia.

Tal como os Tejo as Freedom são navios de patrulha costeira não são OPV.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Dezembro 28, 2019, 10:18:26 pm
Os independence tinham um problema a nivel da carga de trabalho da tripulação é certo. Mas isso seria na marinha dos estado unidos, aqui é mais um dia como os outros.
Pois os portugueses já estão habituados a cargas de trabalho fora de horas. Se fosse trabalhar pouco é que era estranho.
O mais grave problema nos Independence era a corrosão galvanica, mas a Austal garantiu que estavam já revistos novos procedimentos e tratamentos anti corrosão para a construção do USS Coronado.
 :-P

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/dZavf3.png) (https://imageshack.com/i/pldZavf3p)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Dezembro 28, 2019, 11:25:10 pm
o Tejo quando ainda era Flyvefisken-class estava equipado com OTO Melara 76 mm e tinha kit´s de missão que incluía Harpon e Sea Sparow e torpedos MU90. Se agora a Marinha acha que uma .50 já chega é outra historia.

Tal como os Tejo as Freedom são navios de patrulha costeira não são OPV.

Então a comparação nesse caso é feita com a classe original, e não a versão low-cost portuguesa. Mesmo assim as Flyvefisken aproximam-se mais de Missile Boats do que de navios patrulha.  Aliás, muito do seu equipamento coincide com o dos Missile Boat turcos, japoneses, alemães, entre outros. E nesta categoria, gosto dos Skjold noruegueses.  :mrgreen: As Flyvefisken foram feitas para fazer face à ameaça da frota soviética, já os LCS são feitos para combater a ameaça assimétrica em zonas costeiras.

Mas se o argumento for o armamento, as BD são as Flyvefisken em ponto gigante, já que partilha de todo o seu armamento, à excepção do Goalkeeper.  ::)

Ainda assim, qualquer coisa que flutue, com média de anos no casco reduzida, e com mais armamento que os NPO era excelente para a MP, esta é a realidade.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Janeiro 10, 2020, 01:18:11 pm
Lembram-se do projeto das LFC? Nem isto conseguimos fazer!

https://www.janes.com/article/93550/vietnam-to-deliver-patrol-boats-to-african-customers
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Janeiro 10, 2020, 01:31:28 pm
As LFCs que iam substituir os Cacine antes de virem os Tejo? Não foram para a frente por causa dos cortes e da situação dos ENVC que, inclusive, adiaram a construção do segundo par de NPO por vários anos.

O projecto tinha potencial, e com a aquisição dos Tejo, daria tempo para amadurecer e modificar o projecto para as necessidades actuais e das próximas décadas. Podia-se inclusive ter adquirido variados módulos dos Flyvefisken para os Tejo, e construir as LFC com "estações" para estes mesmos módulos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Janeiro 10, 2020, 01:45:02 pm
As LFCs que iam substituir os Cacine antes de virem os Tejo? Não foram para a frente por causa dos cortes e da situação dos ENVC que, inclusive, adiaram a construção do segundo par de NPO por vários anos.

O projecto tinha potencial, e com a aquisição dos Tejo, daria tempo para amadurecer e modificar o projecto para as necessidades actuais e das próximas décadas. Podia-se inclusive ter adquirido variados módulos dos Flyvefisken para os Tejo, e construir as LFC com "estações" para estes mesmos módulos.

Pois, essas

E o AA também tinha um projeto
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Janeiro 10, 2020, 07:33:10 pm
As LFCs que iam substituir os Cacine antes de virem os Tejo? Não foram para a frente por causa dos cortes e da situação dos ENVC que, inclusive, adiaram a construção do segundo par de NPO por vários anos.

O projecto tinha potencial, e com a aquisição dos Tejo, daria tempo para amadurecer e modificar o projecto para as necessidades actuais e das próximas décadas. Podia-se inclusive ter adquirido variados módulos dos Flyvefisken para os Tejo, e construir as LFC com "estações" para estes mesmos módulos.

essa decisão teria sido a ideal, e poderiamos aproveitar ao máximo os módulos dos Tejo, para as futuras construções das LFC, e inclusive caso fossem ainda actuais em termos de sensores/armamento até para as futuras fragatas, se estas possuíssem estações para os receber, vejam o que acontece na Dinamarca.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Janeiro 17, 2020, 06:01:56 pm
Já foram dar uma vista de olhos ao site da Damen? Eles sozinhos com os seus produtos já resolviam os problemas todos da Marinha Portuguesa, e quando digo todos, são mesmo todos (tirando talvez os draga-minas, lacunas nos Fuzileiros e esquadrilha de helicópteros da Marinha).

LPD? Têm 8 variantes do Enforcer, que variam entre os 176 e os 121 metros.
Navios de desembarque? Check, vão desde os 40 metros aos 120, os maiores incluindo lanchas de desembarque.
Lanchas de desembarque? Check também, 1 modelo para pessoal e outro capaz de desembarcar veículos.
AOR? Quantos querem? Quatro modelos entre as 16 mil e as 40 mil toneladas, alguns dos modelos incluem também capacidade de largar lanchas de desembarque.
Fast Attack Craft? Têm um modelo baseado nas Sigma um pouco mais pequeno que os NPO, mas muito mais bem equipado para cenários de baixa/média intensidade.
Fragatas ligeiras e Corvetas? É só escolher.
Fragatas de grande deslocamento? Certamente farão parte do projecto das novas M e construíram as DZP que serão opção futura para substituir as nossas fragatas.
Navios multi-role? Desde o JSS (junção de LPD+AOR) e a série Crossover 131/139 (LPD + Fragata).

Escolha não falta, e deixávamos de discutir o "Zero Naval" que dá nome a este tópico. Vejam, e reparem que vários destes navios podiam muito bem ser construídos cá.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Janeiro 17, 2020, 06:42:21 pm
Já foram dar uma vista de olhos ao site da Damen? Eles sozinhos com os seus produtos já resolviam os problemas todos da Marinha Portuguesa, e quando digo todos, são mesmo todos (tirando talvez os draga-minas, lacunas nos Fuzileiros e esquadrilha de helicópteros da Marinha).

LPD? Têm 8 variantes do Enforcer, que variam entre os 176 e os 121 metros.
Navios de desembarque? Check, vão desde os 40 metros aos 120, os maiores incluindo lanchas de desembarque.
Lanchas de desembarque? Check também, 1 modelo para pessoal e outro capaz de desembarcar veículos.
AOR? Quantos querem? Quatro modelos entre as 16 mil e as 40 mil toneladas, alguns dos modelos incluem também capacidade de largar lanchas de desembarque.
Fast Attack Craft? Têm um modelo baseado nas Sigma um pouco mais pequeno que os NPO, mas muito mais bem equipado para cenários de baixa/média intensidade.
Fragatas ligeiras e Corvetas? É só escolher.
Fragatas de grande deslocamento? Certamente farão parte do projecto das novas M e construíram as DZP que serão opção futura para substituir as nossas fragatas.
Navios multi-role? Desde o JSS (junção de LPD+AOR) e a série Crossover 131/139 (LPD + Fragata).

Escolha não falta, e deixávamos de discutir o "Zero Naval" que dá nome a este tópico. Vejam, e reparem que vários destes navios podiam muito bem ser construídos cá.

Pois podiam ser cá construídos, mas o Novo banco tem enorme primazia sobre os futuros, se é que os vai haver num futuro próximo, navios da Marinha !
De um orçamento de 800 milhões, para o dito banco, de um momento para o outro, vão arranjar mais 600 milhões para lá enterrar, e sem pestanejar !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Fevereiro 29, 2020, 06:46:59 pm
Continuemos para bingo, já são dois navios que vão ser desactivados/abatidos em 2020, e, sem nenhum substituto á vista, de 36 Navios a Armada passa de uma assentada para 34,  ( e, claro que estou a contar com o NRP Zaire ) !

(https://imagizer.imageshack.com/v2/640x480q90/922/tt0qth.jpg) (https://imageshack.com/i/pmtt0qthj)

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/29-fev-2020/mais-um-navio-da-marinha-em-fim-de-vida-corveta-joao-roby-vai-ser-abatida-11870151.html

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 29, 2020, 08:22:11 pm
Continuemos para bingo, já são dois navios que vão ser desactivados/abatidos em 2020, e, sem nenhum substituto á vista, de 36 Navios a Armada passa de uma assentada para 34,  ( e, claro que estou a contar com o NRP Zaire ) !

(https://imagizer.imageshack.com/v2/640x480q90/922/tt0qth.jpg) (https://imageshack.com/i/pmtt0qthj)

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/29-fev-2020/mais-um-navio-da-marinha-em-fim-de-vida-corveta-joao-roby-vai-ser-abatida-11870151.html

Abraços

O Zaire não volta.

Supostamente ele era para ser substituído pelos Tejo, e por este andar este ano não haverá o quarto navio desta classe para ninguém.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Fevereiro 29, 2020, 08:24:55 pm
O lado positivo do abate a esses dois navios é que a média de idades da frota melhora um bocadinho :mrgreen:.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Fevereiro 29, 2020, 09:15:57 pm
Começa a ser escandaloso demais
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Março 02, 2020, 01:34:30 am
Começa a ser escandaloso demais

Alguma vez? Estamos a seguir estritamente o padrão Nato, seguindo o exemplo de países como a Holanda, Espanha, França, Itália... que como todos sabemos, também deixam a sua frota chegar a este ponto e na hora de retirar de serviço, não os substituem....  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Março 02, 2020, 11:51:16 am
Começa a ser escandaloso demais

Alguma vez? Estamos a seguir estritamente o padrão Nato, seguindo o exemplo de países como a Holanda, Espanha, França, Itália... que como todos sabemos, também deixam a sua frota chegar a este ponto e na hora de retirar de serviço, não os substituem....  ::)

Não me importava nada que a nossa Marinha tivesse, METADE dos meios Navais que Espanha tem, tanto em numero como nas classes de Navios, que possui e com as mesmas idades, tínhamos uma bela Marinha !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Março 02, 2020, 12:23:54 pm
Também pode ser uma maneira de pressionar o governo.

Estes navios já têm 50 anos, em muitos países navios com 30 anos saiem de serviço, já muito remendo se pôs na manta estes 20 anos, aliás a manta já deve ter mais remendos que tecido, já é remendos em cima de remendos. Já não dá mais para remendar, o governo tem que assumir, ou substituir estes navios ou a Marinha acaba.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Março 02, 2020, 01:20:17 pm
Também pode ser uma maneira de pressionar o governo.

Estes navios já têm 50 anos, em muitos países navios com 30 anos saiem de serviço, já muito remendo se pôs na manta estes 20 anos, aliás a manta já deve ter mais remendos que tecido, já é remendos em cima de remendos. Já não dá mais para remendar, o governo tem que assumir, ou substituir estes navios ou a Marinha acaba.

E esses canalhas ralados, até ajuda a que o centelho mostre mais "excedente orçamental" aos seus donos de Bruxelas.

Depois pedimos aos espanhois e outros "amigos" que fiscalizem a ZEE e a "plantaforma continental" , já que se fartam de encher a boca com isso...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 02, 2020, 03:30:52 pm
Depois pedimos aos espanhois e outros "amigos" que fiscalizem a ZEE e a "plantaforma continental" , já que se fartam de encher a boca com isso...

Realmente às vezes parece estarem a querer fazer à Marinha um downgrade de "blue-water" para "brown-water navy", perdendo capacidades atrás de capacidades.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Março 02, 2020, 04:54:01 pm
Depois pedimos aos espanhois e outros "amigos" que fiscalizem a ZEE e a "plantaforma continental" , já que se fartam de encher a boca com isso...

Realmente às vezes parece estarem a querer fazer à Marinha um downgrade de "blue-water" para "brown-water navy", perdendo capacidades atrás de capacidades.

"Parece"... :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Março 02, 2020, 05:13:54 pm
Mas também ninguém na Marinha se pronuncia. O Bérrio já nem tema é, daqui a uma semana esta história das corvetas também passa ao esquecimento. Enquanto isso, importa é sonhar com os "NPOs topo de gama" cujo contrato de construção dos próximos 2, 4 ou 6 é assinado. Devem estar a avaliar as melhorias que devem fazer, que no fim de contas serão... nenhumas.  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Março 03, 2020, 06:43:56 am
Mas também ninguém na Marinha se pronuncia. O Bérrio já nem tema é, daqui a uma semana esta história das corvetas também passa ao esquecimento. Enquanto isso, importa é sonhar com os "NPOs topo de gama" cujo contrato de construção dos próximos 2, 4 ou 6 é assinado. Devem estar a avaliar as melhorias que devem fazer, que no fim de contas serão... nenhumas.  ::)
cortaram-lhes nas mordomias? Então tá tudo bem

O que vale é que vamos todos morrer com o corona e já não vai ser preciso Marinha para nada.

Há que ter pensamento positivo
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Março 03, 2020, 10:12:02 am
Depois pedimos aos espanhois e outros "amigos" que fiscalizem a ZEE e a "plantaforma continental" , já que se fartam de encher a boca com isso...

Realmente às vezes parece estarem a querer fazer à Marinha um downgrade de "blue-water" para "brown-water navy", perdendo capacidades atrás de capacidades.

Brown Water Navy? Vejamos...  :mrgreen: :mrgreen:

(https://i.redd.it/rmbj0mtvje511.jpg)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcRmQzBc6HSjiiGCVF0aXaJ34cnYQN5lgTOTK1aK-OrRv8XaPZT0)

(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/g66K5mpML6Wq-YQJM6S3j_IC2LOheoBdONRTSltDuspLtluQ1QPxcC_9HnKk86GqXR_IdPLWku_7rtHFtGpG)

(https://farm4.static.flickr.com/3862/14394245306_58eb8e84d2_b.jpg)

(https://pbs.twimg.com/media/CELfX8xVAAAV6dO.jpg)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.spsnavalforces.com%2Fimages%2F442.jpg&hash=cbb5a47b45871ca5ecc06454470029f5)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/8/87/Israel_Navy_Strike_Gaza_from_the_Sea_%2814737264901%29.jpg/500px-Israel_Navy_Strike_Gaza_from_the_Sea_%2814737264901%29.jpg)

(https://www.revistaoperacional.com.br/wp-content/uploads/2014/07/paf-iv3.jpg)

(https://i.pinimg.com/474x/0d/9e/75/0d9e7553e6d1547b0ae2c005f9a8a4e0.jpg)

(https://live.staticflickr.com/7142/27119533252_586a340ab5_b.jpg)

(https://www.marinha.mil.br/com6dn/sites/www.marinha.mil.br.com6dn/files/field/image/Paraguassu%20realizando%20opera%C3%A7%C3%A3o%20com%20helic%C3%B3ptero_1.jpg)

(https://www.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2017/08/HU-4-44.jpg)

Saudações  :mrgreen: :mrgreen:

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Março 03, 2020, 10:13:21 am
Já estou a imaginar uns 200 Tejo armados com 12,7 mm  :banana: :banana: :banana:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Março 03, 2020, 10:22:38 am
Realmente às vezes parece estarem a querer fazer à Marinha um downgrade de "blue-water" para "brown-water navy", perdendo capacidades atrás de capacidades.

É obvio que dada a trampa de almiratado que temos, a nossa "navy" ficará contente em navegar nestas "brown waters".
(https://www.aguasdoalgarve.pt/sites/aguasdoalgarve.pt/files/infraestrutura/etar_lagos/bacia-de-lamas.jpg)
O que interessa é o tacho assegurado.
E o triste é que já está, e mesmo assim...
- Cobardes!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Março 03, 2020, 10:23:41 am
Já estou a imaginar uns 200 Tejo armados com 12,7 mm  :banana: :banana: :banana:

Até o velhote usa uma 76mm...  :-P c56x1

(https://www.marinha.mil.br/com6dn/com6dn/sites/www.marinha.mil.br.com6dn/files/field/image/Exercicio-de-Tiro-Agata11-MParna%C3%ADba.jpg)

Mas vamos a coisas mais modernas...  :mrgreen: :mrgreen:

(https://images.jpost.com/image/upload/f_auto,fl_lossy/t_JD_ArticleMainImage/227399)

(https://www.armytimes.com/resizer/QX0N_g-QJxeus2WhsEGbCliB8ow=/1200x0/filters:quality(100)/arc-anglerfish-arc2-prod-mco.s3.amazonaws.com/public/XLMQOI44OVBBVPPDUTX5P5FYUA.jpg)

(https://i.ytimg.com/vi/Qtc2Wjpk0Zk/maxresdefault.jpg)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcR_E68_-R7u74-XfdsmVXI6kDd9B6dZQgFLjeXZiVIChVFaMkG0)

(https://cdnph.upi.com/svc/sv/i/7541557944610/2019/1/15579448387215/Israeli-navy-tests-unmanned-sonar-mine-sweeping-vessel.jpg)

(https://www.israelhayom.com/wp-content/uploads/2019/07/WhatsApp_Image_2019-06-19_at_12.08.00_2_1-640x400.jpeg)

Cumprimentos  c56x1 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Março 03, 2020, 10:56:52 am
Espero que estejam a colocar modelos para a UCC da GNR... a Marinha, nesta evolução para "Brown Water Navy", fica com os NPO e os faróis.  :bang:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Março 03, 2020, 12:41:34 pm
Espero que estejam a colocar modelos para a UCC da GNR... a Marinha, nesta evolução para "Brown Water Navy", fica com os NPO e os faróis.  :bang:

Meu caro, compare só o armamento e sensores destas embarcações com os NPO, Tejo e Lanchas de Fiscalização. Desde as estações autónomas das calibre 0.50, à peça de 76mm, passando pelo Flir, Misseis, entre outros sensores e armamento...  ;) ;)

(https://photos.fleetmon.com/vessels/kdb-darulaman_0_2327881_Medium.jpg)

(https://media.defense.gov/2011/Nov/17/2001168308/-1/-1/0/092201-W-WIR65-002.jpg)

(https://i.ytimg.com/vi/3CzUsKwOlLg/maxresdefault.jpg)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcQmHAV8h8kxrYMPDf3Wj-FjQBnzM7s45gvc8fI2HZEta3L_CPKF)

(https://chuckhillscgblog.files.wordpress.com/2019/04/missilefiring.jpg)

(https://defence.az/photos/2020/01/1579505668.jpg)

(https://thaimilitaryandasianregion.files.wordpress.com/2016/07/s_dvora_mk_iii-t.jpg?w=560)

(https://beegeagle.files.wordpress.com/2012/04/onka-33.jpg)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcSVdUntDJD4urglwmC5nY7aGJhQnpYfIH06P0ax3tI0N4_-psJP)

(https://1.bp.blogspot.com/-UvKK_FufGaQ/WcVLaUhxvQI/AAAAAAAAKU8/D9If4b_mO7AEObDL3JFYDxR2jfqxANphACLcBGAs/s1600/Armidale%2Bclass%2B2017.jpg)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/3/3e/Hai_Ou_Class_missile_boat.jpg/1200px-Hai_Ou_Class_missile_boat.jpg)

Saudações
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Março 03, 2020, 12:51:11 pm
Expliquei-me mal: não estou a dizer que este tipo de navio devia ser da UCC da GNR... estou a dizer que, tendo em conta o que está acontecer, navios destes só se for para a GNR, porque a Marinha nem estes consegue, será reduzida a NPO / Faróis...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 03, 2020, 12:56:47 pm
Espero que estejam a colocar modelos para a UCC da GNR... a Marinha, nesta evolução para "Brown Water Navy", fica com os NPO e os faróis.  :bang:

Meu caro, compare só o armamento e sensores destas embarcações com os NPO, Tejo e Lanchas de Fiscalização. Desde as estações autónomas das calibre 0.50, à peça de 76mm, passando pelo Flir, Misseis, entre outros sensores e armamento...  ;) ;)

(https://photos.fleetmon.com/vessels/kdb-darulaman_0_2327881_Medium.jpg)

(https://media.defense.gov/2011/Nov/17/2001168308/-1/-1/0/092201-W-WIR65-002.jpg)

(https://i.ytimg.com/vi/3CzUsKwOlLg/maxresdefault.jpg)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcQmHAV8h8kxrYMPDf3Wj-FjQBnzM7s45gvc8fI2HZEta3L_CPKF)

(https://chuckhillscgblog.files.wordpress.com/2019/04/missilefiring.jpg)

(https://defence.az/photos/2020/01/1579505668.jpg)

(https://thaimilitaryandasianregion.files.wordpress.com/2016/07/s_dvora_mk_iii-t.jpg?w=560)

(https://beegeagle.files.wordpress.com/2012/04/onka-33.jpg)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcSVdUntDJD4urglwmC5nY7aGJhQnpYfIH06P0ax3tI0N4_-psJP)

(https://1.bp.blogspot.com/-UvKK_FufGaQ/WcVLaUhxvQI/AAAAAAAAKU8/D9If4b_mO7AEObDL3JFYDxR2jfqxANphACLcBGAs/s1600/Armidale%2Bclass%2B2017.jpg)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/3/3e/Hai_Ou_Class_missile_boat.jpg/1200px-Hai_Ou_Class_missile_boat.jpg)

Saudações

Com Penguin é golpe baixo e só serve para achincalhar ainda mais a Briosa.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: nelson38899 em Março 03, 2020, 01:35:13 pm
A meu ver, a GNR vai ficar com a defesa da costa até as 12 milhas  e logo a marinha o mais certo é não ter argumentos para contrapor aos da GNR, assim sendo eu diria que as lanchas da classe centauro irão desaparecer.

Outra das valências que acredito que a marinha perca no futuro serão os faróis, não faz sentido a GNR já controlar as estações de radar e não controlar também os farois.

Por isso, a marinha num futuro próximo será mais ou menos uma guarda policial em alto mar, com meia dúzia de NPOs e  um ou dois NPOs mais musculados e com alcance até Itália, ou Angola para agradar à NATO.

Neste sentido eu diria que  competências como fuzos deveriam passar para a GNR ou quanto muito para o exercito exercito.

Os submarinos podem simplesmente passar para a PJ, pois são eles que mais os utilizam.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Março 03, 2020, 04:27:46 pm
Estou a ver aqui muitas fotos de Missile Boats e Fast Attack Crafts, algo que é errado comparar com os nossos NPOs e Tejo. Se os NPO mereciam mais armamento e melhores sensores, aos Tejo faz falta sim módulos como o combate à poluição e draga-minas. Transformar os Tejo em Missile Boat numa fase em que nem se fez manutenção a pequenas lanchas rápidas em 9 anos seria um erro. Aliás, o custo de uma única Marlin, dava para comprar praticamente 1 CB-90. O problema dos Tejo é que quando os compraram, a ideia que nos venderam foi que são uma "solução temporária até à construção das LFC". Antes de investir mais dinheiro nos Tejo, iniciava já a construção das novas LFC e quanto muito convertia pelo menos um par de Tejos para draga-minas, com a compra dos módulos.

O Zero Naval não está nos Tejo, mas sim no estado de tudo o resto. Se algum político ou jornalista lesse este tópico agora, ainda achavam que a solução para a MP está na conversão dos Tejo para Missile Boats e o resto ficava na mesma.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 03, 2020, 04:49:22 pm
Meio on/off-topic, mas ninguém consegue por acaso aqui reproduzir o que veio este sábado no semanário Expresso na pág. 12? Na capa era adiantado que o Marcelo quer mais dinheiro para a Defesa, e talvez fosse interessante saber o que o artigo diz.

(https://imgs.vercapas.com/covers/expresso/expresso-2020-02-29-2c6242.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Março 03, 2020, 10:03:07 pm
Por quem sois.  :mrgreen:

Citar
Marcelo quer prioridade às Forças Armadas para o ano

O OE para 2021 tem de dar esse sinal. Generais surpreendidos com resposta do PR

Os generais e almirantes na reforma, do Grupo de Reflexão Estratégica Independente (GREI), que no fim de janeiro entregaram uma carta de oito páginas ao Presidente da República a denunciar a situação de “pré-falência” das Forças Armadas, ficaram “surpreendidos” por Marcelo Rebelo de Sousa lhes ter respondido. “Só o facto de o ter feito marca uma posição clara”, diz um dos oficiais-generais. As opiniões ouvidas pelo Expresso junto de vários membros do GREI — alguns deles antigos chefes de Estado-Maior — são no sentido de compreenderem as limitações do comandante supremo. “Dentro das circunstâncias, o Presidente disse o que podia dizer. Entendemos que não podia ir mais além.” Outro militar afirma ter sido “bom” que Marcelo reconhecesse as razões das antigas chefias, “mas quem tem de resolver os problemas é o Governo”. Só uma das fontes contactadas pelo Expresso diz não ter ficado satisfeita, porque Marcelo “sabe muito”. Nas entrelinhas: foi hábil na resposta para não comprometer o Governo.

Na verdade, Marcelo Rebelo de Sousa deu um ano de tréguas ao ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, e viu com bons olhos a criação de uma Secretaria de Estado dos Recursos Humanos para atacar um dos problemas mais graves das Forças Armadas: a falta de efetivos. O Presidente tem aceitado os argumentos do ministro, sobretudo os que têm a ver com a necessidade de recuperar dos atrasos de outros governos, e deu-lhe tempo. No entanto, sabe o Expresso, Marcelo quer que as Forças Armadas sejam uma prioridade para o ano — e tem essa expectativa. No primeiro OE do novo Executivo, Marcelo aceitou que as emergências fossem outras, com a Saúde no topo da agenda. Mas o Presidente quer muita atenção ao sector militar já no próximo Orçamento. O Governo ainda não se pronunciou sobre as críticas dos generais. António Costa almoçou ontem com as chefias militares em São Bento, depois de assinar um protocolo entre a tropa e as Forças de Segurança, mas não se pronunciou sobre a crise denunciada pelas altas patentes na reforma.

O comandante supremo, porém, deu recentemente dois sinais muito claros de que está atento e preocupado com o descontentamento instalado entre os militares: o primeiro foi em agosto, quando promulgou o novo estatuto remuneratório dos magistrados judiciais e alertou para “o acentuar da desigualdade de tratamento em relação a outras carreiras com evidentes afinidades, nomeadamente a das Forças Armadas e as das forças de segurança”; o segundo foi em setembro, vésperas de legislativas, quando o PR discursou no Dia do Estado-Maior-General das Forças Armadas e considerou “essencial que o Governo que saia das eleições de outubro concretize os passos esboçados e que se impõem em matéria militar”, relevando “a importância de proporcionar as condições indispensáveis às Forças Armadas com mais efetivos e mais adequado estatuto às missões que desempenham”.

A carta do GREI — noticiada pelo “Diário de Notícias” no último sábado — foi levada em mão ao chefe da Casa Militar, em Belém, mas chegou a ser equacionada uma estratégia mais agressiva, como uma carta aberta. Os generais e almirantes, porém, optaram pela via mais institucional e não mostraram o conteúdo da carta às chefias militares — embora considerem que fizeram eco das suas preocupações junto do Presidente. O almirante Melo Gomes, ex-chefe do Estado-Maior da Armada, o general Pinto Ramalho, ex-chefe do Estado-Maior do Exército, o general Taveira Martins, ex-chefe do Estado-Maior da Força Aérea, e o general Luís Sequeira, antigo secretário-geral do Ministério da Defesa, assinaram a missiva.

Na carta-resposta que dirigiu aos generais, o Presidente subscreve as preocupações expostas, diz que até considera a descrição feita pelos oficiais “benévola” em relação ao “ambiente de segurança” que, no seu entender, é “ainda mais complexo e exigente”. Marcelo também fala da “necessidade de reforço da prioridade política da Defesa Nacional e da decorrente valorização das nossas Forças Armadas”, mas acaba por poupar o Governo, sinalizando articulação com o Executivo nesta matéria. A relação de Marcelo com o atual ministro da Defesa tem corrido “bastante bem”, sublinham no Palácio de Belém. E na carta que escreveu aos generais, Marcelo deixou um reconhecimento ao Ministério da Defesa pelo “esforço apreciável para equacionar, encontrar pistas de solução e acelerar essa solução, tentando ultrapassar atrasos já estruturalizados”.

A confirmar que o Presidente não alinha em abrir uma guerra com o Executivo por pressão dos militares está o facto de, na mesma carta, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhar que o problema e as carências nas Forças Armadas não é de hoje, vem de trás e decorre do facto de “essa prioridade política” (as FA) ter “deixado de existir há décadas”, “enraizando-se na sociedade portuguesa” “uma insensibilidade e uma lassidão” relativamente à importância do sector. Aos generais, Marcelo pediu que não desistam: “Perante este panorama, o que importa é não renunciar, não desistir, não abdicar, mas tudo fazer para ir apoiando os passos dados e ir exigindo mais passos e mais lestos.” No fundo, o que Marcelo lhes pede é que aguentem.

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 04, 2020, 07:34:03 am
Thanks N.  ;)

Para o ano é que é? Pois, 'tá bem...  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Março 04, 2020, 08:33:22 am
Por quem sois.  :mrgreen:

Citar
Marcelo quer prioridade às Forças Armadas para o ano

O OE para 2021 tem de dar esse sinal. Generais surpreendidos com resposta do PR

Os generais e almirantes na reforma, do Grupo de Reflexão Estratégica Independente (GREI), que no fim de janeiro entregaram uma carta de oito páginas ao Presidente da República a denunciar a situação de “pré-falência” das Forças Armadas, ficaram “surpreendidos” por Marcelo Rebelo de Sousa lhes ter respondido. “Só o facto de o ter feito marca uma posição clara”, diz um dos oficiais-generais. As opiniões ouvidas pelo Expresso junto de vários membros do GREI — alguns deles antigos chefes de Estado-Maior — são no sentido de compreenderem as limitações do comandante supremo. “Dentro das circunstâncias, o Presidente disse o que podia dizer. Entendemos que não podia ir mais além.” Outro militar afirma ter sido “bom” que Marcelo reconhecesse as razões das antigas chefias, “mas quem tem de resolver os problemas é o Governo”. Só uma das fontes contactadas pelo Expresso diz não ter ficado satisfeita, porque Marcelo “sabe muito”. Nas entrelinhas: foi hábil na resposta para não comprometer o Governo.

Na verdade, Marcelo Rebelo de Sousa deu um ano de tréguas ao ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, e viu com bons olhos a criação de uma Secretaria de Estado dos Recursos Humanos para atacar um dos problemas mais graves das Forças Armadas: a falta de efetivos. O Presidente tem aceitado os argumentos do ministro, sobretudo os que têm a ver com a necessidade de recuperar dos atrasos de outros governos, e deu-lhe tempo. No entanto, sabe o Expresso, Marcelo quer que as Forças Armadas sejam uma prioridade para o ano — e tem essa expectativa. No primeiro OE do novo Executivo, Marcelo aceitou que as emergências fossem outras, com a Saúde no topo da agenda. Mas o Presidente quer muita atenção ao sector militar já no próximo Orçamento. O Governo ainda não se pronunciou sobre as críticas dos generais. António Costa almoçou ontem com as chefias militares em São Bento, depois de assinar um protocolo entre a tropa e as Forças de Segurança, mas não se pronunciou sobre a crise denunciada pelas altas patentes na reforma.

O comandante supremo, porém, deu recentemente dois sinais muito claros de que está atento e preocupado com o descontentamento instalado entre os militares: o primeiro foi em agosto, quando promulgou o novo estatuto remuneratório dos magistrados judiciais e alertou para “o acentuar da desigualdade de tratamento em relação a outras carreiras com evidentes afinidades, nomeadamente a das Forças Armadas e as das forças de segurança”; o segundo foi em setembro, vésperas de legislativas, quando o PR discursou no Dia do Estado-Maior-General das Forças Armadas e considerou “essencial que o Governo que saia das eleições de outubro concretize os passos esboçados e que se impõem em matéria militar”, relevando “a importância de proporcionar as condições indispensáveis às Forças Armadas com mais efetivos e mais adequado estatuto às missões que desempenham”.

A carta do GREI — noticiada pelo “Diário de Notícias” no último sábado — foi levada em mão ao chefe da Casa Militar, em Belém, mas chegou a ser equacionada uma estratégia mais agressiva, como uma carta aberta. Os generais e almirantes, porém, optaram pela via mais institucional e não mostraram o conteúdo da carta às chefias militares — embora considerem que fizeram eco das suas preocupações junto do Presidente. O almirante Melo Gomes, ex-chefe do Estado-Maior da Armada, o general Pinto Ramalho, ex-chefe do Estado-Maior do Exército, o general Taveira Martins, ex-chefe do Estado-Maior da Força Aérea, e o general Luís Sequeira, antigo secretário-geral do Ministério da Defesa, assinaram a missiva.

Na carta-resposta que dirigiu aos generais, o Presidente subscreve as preocupações expostas, diz que até considera a descrição feita pelos oficiais “benévola” em relação ao “ambiente de segurança” que, no seu entender, é “ainda mais complexo e exigente”. Marcelo também fala da “necessidade de reforço da prioridade política da Defesa Nacional e da decorrente valorização das nossas Forças Armadas”, mas acaba por poupar o Governo, sinalizando articulação com o Executivo nesta matéria. A relação de Marcelo com o atual ministro da Defesa tem corrido “bastante bem”, sublinham no Palácio de Belém. E na carta que escreveu aos generais, Marcelo deixou um reconhecimento ao Ministério da Defesa pelo “esforço apreciável para equacionar, encontrar pistas de solução e acelerar essa solução, tentando ultrapassar atrasos já estruturalizados”.

A confirmar que o Presidente não alinha em abrir uma guerra com o Executivo por pressão dos militares está o facto de, na mesma carta, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhar que o problema e as carências nas Forças Armadas não é de hoje, vem de trás e decorre do facto de “essa prioridade política” (as FA) ter “deixado de existir há décadas”, “enraizando-se na sociedade portuguesa” “uma insensibilidade e uma lassidão” relativamente à importância do sector. Aos generais, Marcelo pediu que não desistam: “Perante este panorama, o que importa é não renunciar, não desistir, não abdicar, mas tudo fazer para ir apoiando os passos dados e ir exigindo mais passos e mais lestos.” No fundo, o que Marcelo lhes pede é que aguentem.


Havia um cromo bancário, quer dizer, Banqueiro, que na TV há uns anos dizia, " ai aguenta, aguenta ", o nosso PR já vai pelo mesmo caminho, é como o outro neste artigo diz " Marcelo sabe muito " e eu continuo, á pois sabe, sabe.

Vai ser mais do mesmo, nada de bom vai ocorrer nas FFAA, os politicos vão dar mais umas migalhitas ás FFAA, assim tipo vamtacs, ou tipo Kualita CIVIL, ou tipo NPO desarmado e sem sensores dignos desse nome, para os ir mantendo entretidos, e calmos, e enganando o pagode aqui e ali, lei-a-se os orçamentos das FFAA e as famosas LPM's, os gajos, os politicos, esses energúmenos e parasitas, esses, vão fugindo dos pingos da chuva, mantendo-se nos poleiros, sempre ACIMA da LEI, continuando com as situações corruptas, como esta de alterar a lei para que se possa fazer o apeadeiro no Montijo, ou a de adicionar as " rendas " das instalações Militares para aumentar a despesa na Defesa, vejam bem o que estes politicos se dão ao trabalho de fazer como trafulhices, o tempo disponível que tem para concretizar ideias destas em vez de o tempo ser utilizado em prol das FFAA, ainda será preciso mais comentários, cambada de corruptos e aldrabões, mas quanto á defesa Nacional Real e propriamente dita, non passa nada, pois o que é mais que certo, é que vamos continuar não para o Zero Naval mas para o Zero Militar.

O descrédito nos políticos é total, só uma minoria de oportunistas e amigalhaços deste regime podre é que os apoia, na esperança de chegar ao poder !

Daqui a uns anitos vamos ver como estará a GNR quanto a novos equipamentos para as novas missões e poderemos comparar com a situação das FFAA, que estará bem pior que hoje !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Março 04, 2020, 10:04:41 am
Estou a ver aqui muitas fotos de Missile Boats e Fast Attack Crafts, algo que é errado comparar com os nossos NPOs e Tejo. Se os NPO mereciam mais armamento e melhores sensores, aos Tejo faz falta sim módulos como o combate à poluição e draga-minas. Transformar os Tejo em Missile Boat numa fase em que nem se fez manutenção a pequenas lanchas rápidas em 9 anos seria um erro. Aliás, o custo de uma única Marlin, dava para comprar praticamente 1 CB-90. O problema dos Tejo é que quando os compraram, a ideia que nos venderam foi que são uma "solução temporária até à construção das LFC". Antes de investir mais dinheiro nos Tejo, iniciava já a construção das novas LFC e quanto muito convertia pelo menos um par de Tejos para draga-minas, com a compra dos módulos.

O Zero Naval não está nos Tejo, mas sim no estado de tudo o resto. Se algum político ou jornalista lesse este tópico agora, ainda achavam que a solução para a MP está na conversão dos Tejo para Missile Boats e o resto ficava na mesma.

Não estamos a comparar navios mas sim equipamento face à sua tonelagem. Qualquer lancha tem um estação remota com flir mesmo de uma calibre 0.50, os Tejo é à Manápula. Patrulhas com menos tonelagem que os Npo e a arma e a Bofors de 57mm ou mesmo a OM de 76mm. Até as lancha de fiscalização tem torres remotas de 25mm e as nossas nicles. Se formos então comparar sensores é a desgraça. Além disso as patrulhas de Israel ou americanas são modulares e podem disparar Helfire e Stinger, ou simplesmente fazer patrulha com as suas armas e sensores. Portanto qualquer chasso, é mais versátil, bem armado e com melhores sensores até que um NPO cá no burgo (o MarkVI que uma simples lancha de patrulha é a prova disso).

(https://cdn.dvidshub.net/media/thumbs/photos/1910/5831396/1000w_q95.jpg)

Os Tejo precisavam de sensores e módulos. Deveriam ter os 8 tipos mas como cá isso é exigir demais, pelo menos os Hidrográficos, Desminagem e combate à poluição deviam ter sido comprados. Uma boa solução para o quinto Tejo era ser convertido como fizeram os dinamarqueses para apoio aos nossos mergulhadores que bem merecem.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F8%2F2%2F4%2F2688428.jpg&hash=2a3c0e9e964b3a5c1df4ff9c25851020)
(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/ZGGHm7yeE8prZCwB5nVYK4ASlocgSVMFwvmpYgzqa1BE7NaMPPBXyH6qu6S6egKar8o2h7xT9Ol28w41EPuC2MH6TZs7epqFZzcqm4J_D8MQdTQ)

As LFC é uma prova de incompetência política e militar pura. Existindo pelo menos dois projectos e sendo o do Alfeite uma "Classe Vigilante", maior e aumentada (L145), só a incongruência de políticos e alguns militares coloca um NAVPOL à frente das LFC e pasme-se do AOR...  >:( ::)

(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/GpjpQHzfhHR1-tvduJ4N4kGhHL7PzTS-YiaZ7_LvojddVWub7WiOjFwjC-6jFUeOng0LbrrvH54Ii0BR2n-A3k3Mo8zBofa-RMFBDBLeKZFC3prbWd78zbTRzPNUETuA8jmB)

Saudações





Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 04, 2020, 11:17:06 am
Estou a ver aqui muitas fotos de Missile Boats e Fast Attack Crafts, algo que é errado comparar com os nossos NPOs e Tejo. Se os NPO mereciam mais armamento e melhores sensores, aos Tejo faz falta sim módulos como o combate à poluição e draga-minas. Transformar os Tejo em Missile Boat numa fase em que nem se fez manutenção a pequenas lanchas rápidas em 9 anos seria um erro. Aliás, o custo de uma única Marlin, dava para comprar praticamente 1 CB-90. O problema dos Tejo é que quando os compraram, a ideia que nos venderam foi que são uma "solução temporária até à construção das LFC". Antes de investir mais dinheiro nos Tejo, iniciava já a construção das novas LFC e quanto muito convertia pelo menos um par de Tejos para draga-minas, com a compra dos módulos.

O Zero Naval não está nos Tejo, mas sim no estado de tudo o resto. Se algum político ou jornalista lesse este tópico agora, ainda achavam que a solução para a MP está na conversão dos Tejo para Missile Boats e o resto ficava na mesma.

Não estamos a comparar navios mas sim equipamento face à sua tonelagem. Qualquer lancha tem um estação remota com flir mesmo de uma calibre 0.50, os Tejo é à Manápula. Patrulhas com menos tonelagem que os Npo e a arma e a Bofors de 57mm ou mesmo a OM de 76mm. Até as lancha de fiscalização tem torres remotas de 25mm e as nossas nicles. Se formos então comparar sensores é a desgraça. Além disso as patrulhas de Israel ou americanas são modulares e podem disparar Helfire e Stinger, ou simplesmente fazer patrulha com as suas armas e sensores. Portanto qualquer chasso, é mais versátil, bem armado e com melhores sensores até que um NPO cá no burgo (o MarkVI que uma simples lancha de patrulha é a prova disso).

(https://cdn.dvidshub.net/media/thumbs/photos/1910/5831396/1000w_q95.jpg)

Os Tejo precisavam de sensores e módulos. Deveriam ter os 8 tipos mas como cá isso é exigir demais, pelo menos os Hidrográficos, Desminagem e combate à poluição deviam ter sido comprados. Uma boa solução para o quinto Tejo era ser convertido como fizeram os dinamarqueses para apoio aos nossos mergulhadores que bem merecem.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F8%2F2%2F4%2F2688428.jpg&hash=2a3c0e9e964b3a5c1df4ff9c25851020)
(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/ZGGHm7yeE8prZCwB5nVYK4ASlocgSVMFwvmpYgzqa1BE7NaMPPBXyH6qu6S6egKar8o2h7xT9Ol28w41EPuC2MH6TZs7epqFZzcqm4J_D8MQdTQ)

As LFC é uma prova de incompetência política e militar pura. Existindo pelo menos dois projectos e sendo o do Alfeite uma "Classe Vigilante", maior e aumentada (L145), só a incongruência de políticos e alguns militares coloca um NAVPOL à frente das LFC e pasme-se do AOR...  >:( ::)

(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/GpjpQHzfhHR1-tvduJ4N4kGhHL7PzTS-YiaZ7_LvojddVWub7WiOjFwjC-6jFUeOng0LbrrvH54Ii0BR2n-A3k3Mo8zBofa-RMFBDBLeKZFC3prbWd78zbTRzPNUETuA8jmB)

Saudações

Confiram-se as diferenças:

SF300 dinamarquesa
(https://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2018/09/Flyvefisken-8.jpg)

SF300 lituana
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/1/15/P12_Dz%C5%ABkas.jpeg/640px-P12_Dz%C5%ABkas.jpeg)

SF300 portuguesa
(https://scontent.flis8-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14364833_1036714193117150_1793626564718891538_n.jpg?_nc_cat=100&_nc_sid=e007fa&_nc_oc=AQl9HIOP4xyqEjuQsoCEhQT1h73DCL6JuyVbvuiNg4HDar-3cfCBpTXmHKLZqT4g_ODCE4J_nvpAkkUTfyJv9u5E&_nc_ht=scontent.flis8-2.fna&oh=97ef2e9fd55d88d1663881590b75dd2e&oe=5E99ABE0)

 ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Março 04, 2020, 01:11:04 pm
Não estamos a comparar navios mas sim equipamento face à sua tonelagem. Qualquer lancha tem um estação remota com flir mesmo de uma calibre 0.50, os Tejo é à Manápula. Patrulhas com menos tonelagem que os Npo e a arma e a Bofors de 57mm ou mesmo a OM de 76mm. Até as lancha de fiscalização tem torres remotas de 25mm e as nossas nicles. Se formos então comparar sensores é a desgraça. Além disso as patrulhas de Israel ou americanas são modulares e podem disparar Helfire e Stinger, ou simplesmente fazer patrulha com as suas armas e sensores. Portanto qualquer chasso, é mais versátil, bem armado e com melhores sensores até que um NPO cá no burgo (o MarkVI que uma simples lancha de patrulha é a prova disso).

Os Tejo precisavam de sensores e módulos. Deveriam ter os 8 tipos mas como cá isso é exigir demais, pelo menos os Hidrográficos, Desminagem e combate à poluição deviam ter sido comprados. Uma boa solução para o quinto Tejo era ser convertido como fizeram os dinamarqueses para apoio aos nossos mergulhadores que bem merecem.

As LFC é uma prova de incompetência política e militar pura. Existindo pelo menos dois projectos e sendo o do Alfeite uma "Classe Vigilante", maior e aumentada (L145), só a incongruência de políticos e alguns militares coloca um NAVPOL à frente das LFC e pasme-se do AOR...  >:( ::)

Sim, concordo, mas temos de perceber uma coisa, por um lado os NPO, por serem construído novinhos em folha (e serem topo de gama como todos sabemos) deveriam receber mais armamento e melhores sensores (e certificações do convés de voo), e eventualmente algum tipo de hangar telescópico. Já os Tejo seriam colocados em segundo-plano neste caso. Porque apesar de gostar das SF300 com peça de 76mm, radar militar e mísseis Harpoon por exemplo, é impossível gastarem dinheiro nisso, quando há lanchas simples há 9 anos à espera de manutenção. Se fosse uma decisão tomada aquando da aquisição dos Tejo, sim, viessem todos os módulos em que pudéssemos meter a mão, mas como nem isso fizeram, foram pelos mínimos dos mínimos, agora estamos a "bater no ceguinho" a falar disto.

Pessoalmente não tenho qualquer esperança que um dia algum Almirante ou MDN se lembre "vamos à Dinamarca buscar os módulos das SF300". Não vai acontecer, assim sendo, prefiro focar a minha "esperança" em melhorar os NPOs ou decidirem-se me construir as LFC.

Quanto aos Mark IV e afins, quem nos dera! Mas também se formos a ver as Marinhas que os operam, são de países cuja capacidade de combate de superfície está assegurada com navios modernos, com AORs, LPDs, etc. Enquanto isso, nós nem no Seawatcher gastámos dinheiro, ou no FLIR dos Lynx. Gostava de ter em Portugal tanto as CB-90, para os fuzos, como as Mark IV para patrulha e combate à pirataria (especialmente destacados em África outros locais onde temos interesses). Fora isso, não tenha expectativa nenhuma de ver os Tejo com RWS de qualquer tipo, muito menos radar militar ou mísseis.

As LFC simplesmente dão-me pena. Um conceito interessante e que não seria caro por aí além de construir, e beneficiava a construção nacional.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Março 04, 2020, 01:46:09 pm
pArA o aNo É qUe vAI SeR
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Março 04, 2020, 02:48:04 pm
pArA o aNo É qUe vAI SeR

Haja fé. Este ano não pode ser porque o ano já está perto do fim, coitados não têm tempo para ir ver o Wave nos 9 meses que ainda faltam de 2020.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 04, 2020, 02:51:07 pm
Ultimamente só tem saído más noticias da nossa "Armada"!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Março 04, 2020, 03:31:20 pm
Sem dúvida, e pior é que parece que ninguém quer melhorar a situação.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Março 04, 2020, 03:47:03 pm
pArA o aNo É qUe vAI SeR

Haja fé. Este ano não pode ser porque o ano já está perto do fim, coitados não têm tempo para ir ver o Wave nos 9 meses que ainda faltam de 2020.

nove meses??
Epá tú andas mesmo rápido, ainda só estamos a dia 04 Março, e já estás no fim do dito mês ???

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Março 04, 2020, 03:48:32 pm
Ultimamente só tem saído más noticias da nossa "Armada"!

Nem todas, os atletas da Armada tem conseguido boas qualificações nas provas físicas internacionais, ao que parece é uma das vertentes em que a armada é boa, a correr……….

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Março 04, 2020, 03:51:18 pm
pArA o aNo É qUe vAI SeR

pois vai, vai ser do melhor………... todos os navios um ano mais velhos, o abate de mais uma corveta e se calhar de mais uma ou duas lanchas de fiscalização, daquela classe que sabemos, por falta de manutenção, melhor que 2021 só mesmo 2022 e por aí a diante !!!
Siga a Marinha !!!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Março 04, 2020, 03:52:03 pm
Ultimamente só tem saído más noticias da nossa "Armada"!

Nem todas, os atletas da Armada tem conseguido boas qualificações nas provas físicas internacionais, ao que parece é uma das vertentes em que a armada é boa, a correr……….

Abraços


Isso é porque os MLU´s devem ficar baratissimos, senão....
 :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Março 04, 2020, 04:53:31 pm
Até o AR anda pela hora da morte, seus más línguas
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Março 04, 2020, 08:43:03 pm
pArA o aNo É qUe vAI SeR

Haja fé. Este ano não pode ser porque o ano já está perto do fim, coitados não têm tempo para ir ver o Wave nos 9 meses que ainda faltam de 2020.

nove meses??
Epá tú andas mesmo rápido, ainda só estamos a dia 04 Março, e já estás no fim do dito mês ???

Abraços

Não te esqueças que na segunda-metade de Dezembro os ministros tiram todos férias, já não vai dar para aquisições, e viagens, só mesmo as de férias.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Abril 30, 2020, 11:44:18 pm
pArA o aNo É qUe vAI SeR

ja nao vai ser para o ano!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Maio 11, 2020, 05:45:33 pm
lá vai mais um Navio para o Abate, sempre a reduzir o numero de Navios e sem serem substituídos.

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/29-fev-2020/mais-um-navio-da-marinha-em-fim-de-vida-corveta-joao-roby-vai-ser-abatida-11870151.html

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Maio 11, 2020, 07:12:23 pm
Posso sugerir a fusão deste tópico com o do Reapetrechamento da Marinha? Estão a convergir rapidamente... :bang:

Abraço
João
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Maio 11, 2020, 07:46:27 pm
lá vai mais um Navio para o Abate, sempre a reduzir o numero de Navios e sem serem substituídos.

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/29-fev-2020/mais-um-navio-da-marinha-em-fim-de-vida-corveta-joao-roby-vai-ser-abatida-11870151.html

Abraços


Não há stress, fica lá acostado na BNL ao lado dos poucos que estão operacionais pra parecer que temos muitos.
Isso já deve dissuadir muita gente.....
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Maio 11, 2020, 08:00:42 pm
Posso sugerir a fusão deste tópico com o do Reapetrechamento da Marinha? Estão a convergir rapidamente... :bang:

Abraço
João

E porque é que estao a convergir ?

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Maio 11, 2020, 08:51:18 pm
Posso sugerir a fusão deste tópico com o do Reapetrechamento da Marinha? Estão a convergir rapidamente... :bang:

Abraço
João

E porque é que estao a convergir ?

Abraços

Porque o reapetrechamento da Marinha esta a decorrer a um ritmo que vai levar rapidamente ao Zero Naval...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 11, 2020, 09:43:51 pm
lá vai mais um Navio para o Abate, sempre a reduzir o numero de Navios e sem serem substituídos.

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/29-fev-2020/mais-um-navio-da-marinha-em-fim-de-vida-corveta-joao-roby-vai-ser-abatida-11870151.html

Abraços

Actualmente há falta de pessoal, mas por este andar, com cada vez menos navios no activo, vão ter que despedir por termos demasiados marinheiros.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Maio 13, 2020, 08:29:16 am
Faltam meios á marinha disse o PR em 05 Maio de 2016, e ??????
Passados quatro anos, a Marinha tem menos meios, e os que tem, estão bem mais obsoletos, que em 2016 !
Estamos em Maio de 2020 e, nem os quatro Tejo, simples Patrulhas Costeiros, estão operacionais, impressionante, foram adquiridos há cinco anos !! :bang:
Concluindo, só discursos de ocasião e nada mais, em Prol da Marinha, nada se fez !!!! :down: :down: :down:


https://expresso.pt/politica/2016-05-05-Faltam-meios-na-Marinha-disse-Marcelo.-E-evidente-responde-Azeredo-Lopes

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/Kk4mdT.jpg) (https://imageshack.com/i/pnKk4mdTj)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Maio 13, 2020, 08:52:30 am
lá vai mais um Navio para o Abate, sempre a reduzir o numero de Navios e sem serem substituídos.

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/29-fev-2020/mais-um-navio-da-marinha-em-fim-de-vida-corveta-joao-roby-vai-ser-abatida-11870151.html

Abraços

Actualmente há falta de pessoal, mas por este andar, com cada vez menos navios no activo, vão ter que despedir por termos demasiados marinheiros.

A guarnição do NRP Bérrio deve andar na desinfeção e a entregar EPI's nas Escolas.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Maio 13, 2020, 10:06:18 am
Ou em layoff  :-X
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Maio 13, 2020, 10:46:22 am
Porque convém vincar...

(https://i.ibb.co/9492VBY/MP-2020.png)

E SEM perspectivas reais de mudar.

(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/JUNLqULIyHClvF1i0dD9u9yjBi6HidUjKv4ZWgrRSV3_s0qL9GVJuXYSlRfo8lcvRviolJDbQqd3cUVeoLEBusjFyPhH0vN93ztn7VGgLgTOFUE-HKQs8-lafEQBExRkhbGahEAxk20aAYtAlsmqLnlm2ikL)

superintendente do Material em outubro de 2015.  Em outubro de 2016 tomou posse como Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, cargo que desempenhou em acumulação com o de Superintendente do Material até março de 2017

- Está-se bem?

(https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5a7c63940cf23a7ad7ff09ee/1024)

- Tá-se!

(https://cdn.sabado.pt/images/2018-09/img_797x448$2018_09_03_14_11_49_353681.jpg)

(https://cdn1.newsplex.pt/fotos/2018/5/17/639814.jpg?type=Artigo)

(https://funchalnoticias.net/wp-content/uploads/2018/03/silva-ribeiro.jpg)

(https://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&guid=859aabb8-8bb4-4b1c-965f-ded195adb18f&w=800&h=450&t=20190304082755)

- Ena, tanta medalha, Srs. Almirantes! Devem ter afundado muitos navios ao inimigo!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Maio 13, 2020, 11:02:31 am
Efetivos militares dos quadros permanentes na estrutura orgânica da Marinha
 
Almirante…….....….. 2
Vice-almirante........ 6
Contra-almirante...10
Comodoro…...……...12
total…...……………....30

Já falta muito pouco, apenas abater mais quatro Navios, para termos um Almirante, Vice-Almirante, Contra-Almirante ou Comodoro/Navio.

https://dre.pt/application/conteudo/129160712

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Maio 13, 2020, 11:23:31 am
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1321677128021524&set=pcb.1321685764687327&type=3&__tn__=HH-R&eid=ARCEvG4GVP5GrnhHuaRpwO_xCLB_EKBy6SbmD020Cx81eb1v1Q7BunPifxJ82-ib0HXQGkunkgxr8vT9
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 13, 2020, 11:33:48 am
(https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1321677128021524&set=pcb.1321685764687327&type=3&__tn__=HH-R&eid=ARCEvG4GVP5GrnhHuaRpwO_xCLB_EKBy6SbmD020Cx81eb1v1Q7BunPifxJ82-ib0HXQGkunkgxr8vT9)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: nelson38899 em Maio 13, 2020, 03:09:00 pm
A ideia que tenho é que só vão entregar o último tejo, com a entrega do navio  que se encontra em África aos Santomenses.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ocastilho em Maio 13, 2020, 03:18:49 pm
A ideia que tenho é que só vão entregar o último tejo, com a entrega do navio  que se encontra em África aos Santomenses.

Claro, estavam à espera de quê? Estamos pertissimo de atingir o rácio de 2 oficiais generais/navio e íamos agora estragar tudo atrás de um conceito pífio como "operacionalidade"?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 13, 2020, 03:23:42 pm
A ideia que tenho é que só vão entregar o último tejo, com a entrega do navio  que se encontra em África aos Santomenses.

Qual é o navio em questão que vai ser entregue a São Tomé?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 13, 2020, 03:56:23 pm
A ideia que tenho é que só vão entregar o último tejo, com a entrega do navio  que se encontra em África aos Santomenses.

Qual é o navio em questão que vai ser entregue a São Tomé?

https://www.publico.pt/2019/12/27/politica/opiniao/nrp-zaire-seguranca-maritima-sao-tome-principe-1898366

Video - https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/videos/nrp-zaire-em-miss%C3%A3o-em-s%C3%A3o-tom%C3%A9-e-pr%C3%ADncipe/1940435129310994/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Maio 13, 2020, 03:59:22 pm
Outros que precisam ser substituidos devido a serem material VCC.
Mais valia oferece-las a São Tomé a ver se andavam com uns novos pra cá....
 :-\
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Maio 13, 2020, 05:30:35 pm
A ideia que tenho é que só vão entregar o último tejo, com a entrega do navio  que se encontra em África aos Santomenses.

Não há tripulação para o 4° Tejo, e esta vai transitar do Zaire, é isso?

Alguém faz alguma ideia de quando o Zaire vai ser entregue? Na altura do começo da missão acho que li que seria ao fim de um ano, mas acho que já lá vão dois ou mais...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ocastilho em Maio 13, 2020, 05:48:59 pm
Alguém faz alguma ideia de quando o Zaire vai ser entregue? Na altura do começo da missão acho que li que seria ao fim de um ano, mas acho que já lá vão dois ou mais...

E se calhar ainda vão haver mais uns anos. Infelizmente, muita gente em Portugal gosta de falar dos PALOPs sem fazer a mínima ideia das carências que existem. Sem conhecimento nenhum do caso, não me admira nada que andemos quase a formar desde a escola primária à operação do navio.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: nelson38899 em Maio 13, 2020, 09:07:36 pm
Alguém faz alguma ideia de quando o Zaire vai ser entregue? Na altura do começo da missão acho que li que seria ao fim de um ano, mas acho que já lá vão dois ou mais...

E se calhar ainda vão haver mais uns anos. Infelizmente, muita gente em Portugal gosta de falar dos PALOPs sem fazer a mínima ideia das carências que existem. Sem conhecimento nenhum do caso, não me admira nada que andemos quase a formar desde a escola primária à operação do navio.

Já está acontecer. Ainda fizemos o mesmo em Timor, mas a lancha era tão pequena, que eles decidiram comprar casca de nozes chinesas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Maio 17, 2020, 05:33:14 pm
 :arrow: https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/marinha-portuguesa-envelhecida-perde-poder-de-fogo (https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/marinha-portuguesa-envelhecida-perde-poder-de-fogo)


Jé em 2018...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Maio 18, 2020, 12:10:11 pm
Entretanto a Classe Argos em 2021 faz 30 anos de serviço...Algum substituto na calha ou só se vai a começar a pensar nisso lá para 2035?  :mrgreen: Saliento que pelo facto de terem também duas .50 Browning podem ser consideradas "mini-NPO"  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 18, 2020, 01:07:05 pm
Substituição dessas lanchas? Com 30 anos ainda são novas! Só quando chegarem ao estado do Bérrio é que pensam nisso!

E por falar nas Argos e Centauro, não eram estas as lanchas que estavam há 7 anos sem uma revisão aprofundada? Por este andar, não aguentam muito mais tempo...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Maio 18, 2020, 01:23:01 pm
Era o que constava naquele artigo do DN de fevereiro, que iam começar a ser abatidas por falta de manutenção
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 18, 2020, 01:43:13 pm
Pois, depois disso só importou o covid, o assunto lanchas e Bérrio passou a não ter qualquer importância.  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Maio 18, 2020, 02:10:58 pm
Pois, depois disso só importou o covid, o assunto lanchas e Bérrio passou a não ter qualquer importância.  ::)

Se fosse só isso que ficou para trás.
só os milhares de operações consultas que não se realizaram…….

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Maio 18, 2020, 02:46:07 pm
O tema Bérrio deu muito que falar antes da pandemia. Era noticiado todos os dias sobre isso, hoje no pasa nada... Agora imagine-se as restantes situações das FA que não tiveram tanto mediatismo.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Junho 05, 2020, 09:56:10 am
Pelo modo.
Como os MLU's das fragatas estão a ser efectuados;
Como as manutenções das classes Argos e Centauro estão a ser feitas;
Como as construções dos NPO's estão a ser executadas, e foram compradas as duas Marlin em falta já quase há dois anos;
Como o substituto do Berrio já foi encontrado, comprado, ou iniciada a sua construção;
Como os upgrades dos cinco lynx foram feitos e terminados, e já temos alguns operacionais;
Como foram colocados operacionais os Patrulhas Classe Tejo;
Como o CF recebeu novos armamentos individuais e no mínimo algumas VBL, já que nunca recebeu os 20 Pandur previstas,

posso concluir que a nossa venerável marinha caminha, a todo o vapor, para o seu zero naval ou para isto:

(https://media3.giphy.com/media/l2Je3n9VXC8z3baTe/200.gif)

Abraços e que siga a marinha
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Major Alvega em Junho 05, 2020, 05:09:14 pm
 Quem viu com atenção a prestação do CEMA na última CPD. O tipo estava tão preocupado com a situação calamitosa e de degradação da Marinha como eu estava preocupado se chove amanhã nas berlengas ou não.
 O mandato é para cumprir sem levantar muitas ondas, acatando e aceitando tudo e ir gerindo o declínio da instituição. E ir para a reforma com condições e benefícios estratosféricos (isso sim de marinha rica) que é o preço do silêncio. E a seguir vem outro com o mesmo propósito e assim sucessivamente. É tipo as chefias militares de certos países sul americanos que são pagas com imensos privilégios para se manterem fieis ao regime. Mera gestão de carreira e aposentação.

Isto que se está a passar é surreal. Lançam ao mar navios sem radares, armamento e sensores adequados. Nem a merda de uma arma ligeira nova ou um veículo blindado com o minimo de protecção para dos Fuzileiros cumprirem minimamente as missões investem. Nem o básico. No outro dia assistimos nos Açores ao ridículo que foi descarregar pacotes de leite à corda para um zebro todo descascado.
O regime vai deixar apodrecer, agora foi aquele chaço do reabastecedor. A seguir são as VdG, depois aquelas lanchas manhosas Argos e Centauro. Depois vai começar a ficar mais tempo na doca um dos submarinos. As BD com o MLU fake com mais de 30 anos vão começar a ir mais vezes também à doca etc.
O regime que alguns aqui mais ingénuos suspiram. Não tem qualquer plano ou pensamento estratégico para o futuro do país e muito menos da marinha. É deixar apodrecer.


 
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Junho 05, 2020, 05:40:57 pm
Planeamento estratégico, isso deve ser alguma modernice. Importa é o hoje, enquanto tenho o cargo, depois disso, desenrasquem-se.

Pior é que nem aceitam críticas, nem esclarecem dúvidas nas redes sociais, havendo até um nível de censura no YouTube.

Já a falta de planeamento, é bem evidente quando conseguem fazer uma LPM em 2019, que visa a substituição do Bérrio em 2027, e nem um ano depois da LPM entrar em vigor, "descobrem" que afinal não é viável ter Bérrio a operar até tão tarde. Depois perante uma opção óbvia em segunda-mão, continuam com o sonho de construir um navio novo, que só entraria ao serviço passado 3 anos no mínimo e provavelmente passaria o orçamento.

Por falar em grandezas, continua a dar-lhe com o grandioso LPD, numa Marinha que tem outras prioridades, e que podia muito bem contentar-se com um navio mais pequeno, estilo LST, e ainda sobrava orçamento para outros programas, como a urgente substituição das VdG.

Outro exemplo primordial de planeamento, é ser suposto o contrato para mais NPOs ter sido assinado no fim do ano passado, e agora a meio do ano, mesmo com apoio de partidos anti-FAs, não há meio de assinar o contrato.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Junho 05, 2020, 05:58:51 pm
Calma, que é só o Centeno sair... depois, até rail guns vêm...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Junho 05, 2020, 06:27:17 pm
Calma, que é só o Centeno sair... depois, até rail guns vêm...

(https://media.tenor.com/images/385716da1f314f84e27102b70f7e046f/tenor.gif)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Julho 23, 2020, 01:19:06 am
 :mrgreen: Todas as semanas sai palhaçadas deste calibre na OA...mas para rir um bocado...o "zero naval" também é isto!...



O SAJ E Silva de Almeida evidenciou, ao longo deste período no Corpo de Fuzileiros, ser possuidor de sólidos conhecimentos técnicos e profissionais, os quais, aliados à sua capacidade de trabalho, o tornaram num dos principais responsáveis pelo sucesso do seu Núcleo.
Destaca-se desde logo, a recuperação faseada de quase toda a iluminação pública da Unidade, levada a cabo por este militar e pela sua equipa, permitindo que, atualmente, se consigam obter frutos dessa tarefa, através da ativação de postes anteriormente inoperacionais e aplicação de luminárias LED de última geração.
Realça-se, também, a colaboração da sua equipa, na edificação da instalação elétrica da casa de banho de Praças que foi totalmente recuperada por mão de obra do Corpo de Fuzileiros.

[...]

Assim, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo o 408087 Sargento-ajudante E INÁCIO MANUEL SILVA DE ALMEIDA, pelo extraordinário desempenho e elevada competência, contribuindo, assim, para o cumprimento da missão do Corpo de Fuzileiros, do Comando Naval e, consequentemente, da Marinha.

[...]

------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 30 de junho de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 13 de janeiro de 2020, pelo 20979 Vice-almirante HENRIQUE EDUARDO PASSALÁQUA DE GOUVEIA E
MELO, Comandante Naval, à 9318100 Cabo TFD VÂNIA SOFIA GOMES NORA QUEIRÓS TEIXEIRA, o qual se publica:
Vai em breve destacar a 9318100 Cabo TFD VÂNIA SOFIA GOMES NORA QUEIRÓS TEIXEIRA que, ao longo dos últimos quatro anos, exerceu o cargo de Copeiro, no Gabinete do Comandante Naval.
Militar de notável profissionalismo, exerceu meticulosamente a sua função, antecipando e preparando os eventos com diligência e distinção, tanto no Salão Nobre como na sala de refeições do Comandante Naval. Atenta e segura, a maioria das vezes
sem necessitar de ordens externas, recorreu ao seu saber, tendo preparado, em articulação com a Base Naval de Lisboa, todos os detalhes das diversas refeições servidas diariamente no Palácio do Alfeite, bem como na preparação de inúmeros eventos protocolares decorrentes de cerimónias oficiais, com entidades nacionais e estrangeiras. Releva-se o reconhecimento da Cabo Vânia Teixeira por diversas personalidades civis e militares no cumprimento das suas funções, assim como a sua cortesia de bem servir, que contribuiu para dignificar a qualidade do pessoal que serve a Marinha e o setor do Comando Naval.
Possuidora de um elevado sentido das responsabilidades, permanente disponibilidade, sólidos conhecimentos profissionais, competência técnica e grande capacidade de organização, aplicou a suas qualidades pessoais ao serviço do Gabinete
do Comandante Naval, contribuindo para o seu bom funcionamento e cumprimento da missão.
Assim, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo a 9318100 Cabo TFD VÂNIA SOFIA GOMES NORA QUEIRÓS TEIXEIRA, pela forma como desempenhou as suas funções, bem como
pelo conjunto de qualidades técnicas, profissionais e pessoais que evidenciou ao longo de todo o período e que em muito contribuíram para o prestígio e cumprimento da missão do Comando Naval e, consequentemente, da Marinha.

[...]

Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 30 de junho de
2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
408087 Sargento-ajudante E INÁCIO MANUEL SILVA DE ALMEIDA

[...]

Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 30 de junho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
9318100 Cabo TFD VÂNIA SOFIA GOMES NORA QUEIRÓS TEIXEIRA
[...]

https://www.marinha.pt/pt/informacao-instituicional/Lists/PM_DocsOrdens/OA1_043_20.pdf
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 23, 2020, 08:04:37 am
 :mrgreen:

Epa eu ia dizer qualquer coisa

Mas é melhor ficar calado (*pun intended*)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Julho 23, 2020, 09:30:51 am
O mais engraçado é pessoal da Marinha a dizer que não existe nada disto nas unidades. Nota-se bem...  :mrgreen: :mrgreen:

Cumprimentos

P.S. Já os Tejo e 2 últimos NPO são isto (0 naval on the way)...  :bang: :bang:

(https://www.marinha.pt/pt/os_meios/patrulhas/Douro%20%20Imagens/20170924_175230.jpg)

(https://www.marinha.pt/pt/os_meios/patrulhasoceanicos/Sines%20%20Imagens/04_.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 23, 2020, 10:51:47 am
O mais engraçado é pessoal da Marinha a dizer que não existe nada disto nas unidades. Nota-se bem...  :mrgreen: :mrgreen:

Cumprimentos

P.S. Já os Tejo e 2 últimos NPO são isto (0 naval on the way)...  :bang: :bang:

(https://www.marinha.pt/pt/os_meios/patrulhas/Douro%20%20Imagens/20170924_175230.jpg)

(https://www.marinha.pt/pt/os_meios/patrulhasoceanicos/Sines%20%20Imagens/04_.jpg)

Armamento nos Patrulhas para quê ?

O que interessa é combater o covid e distribuir refeições, e depois dar cruzes da marinha pelos copeiros e pelos que andaram a substituir lâmpadas pois isto de louvores já não chega, o cúmulo do ridículo  !!

O CNA, Clube Naval do Alfeite no seu melhor!  :N-icon-Axe:

Siga a Marinheca !! :bang:

.Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Julho 23, 2020, 11:46:59 am
Qualquer dia "cai" a Armada e fica só a AMN, aka Guarda Costeira, chefiada pelo CEMAMN, ou Camané para os amigos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 23, 2020, 12:54:09 pm
Isto já nem é zero naval, é mais uma Armada Administrativa. Até admira não ser lançado outro despacho para premiar a pessoa que faz a censura nos comentários do YouTube da Marinha.

Noutros países são condecorados militares por actos nobres/heróicos, por cumprimento de missões de elevado risco. Aqui premeia-se organização de ementas em jantares. Qualquer dia premeiam alguém por "ter mijado na sanita sem salpicar para fora".

É ridículo.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Julho 23, 2020, 02:04:52 pm
(https://i.imgflip.com/495zz2.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Julho 23, 2020, 04:08:39 pm
O tipo que abrir minis (que não sejam daquelas de abertura fácil) com os dentes leva logo uma Torre e Espada  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Julho 23, 2020, 07:24:45 pm
Eu não sei o que é pior se atribuir medalhas por mudar lampadas, ou pelo desleixo total de deixar os wc sem iluminação e falta de iluminação publica para chegar ao ponto do Inácio das lampadas se fartar de ver aquilo assim e ser ele a resolver a situação.

PS: Nós somos muito má lingua, estamos sempre a deitar a baixo a nossa marinha tão moderna, até os Leds são da ultima geração e do melhor que se faz no mundo, quiçá até tem a complexidade de uma central elétrica.

Citar
Destaca-se desde logo, a recuperação faseada de quase toda a iluminação pública da Unidade, levada a cabo por este militar e pela sua equipa, permitindo que, atualmente, se consigam obter frutos dessa tarefa, através da ativação de postes anteriormente inoperacionais e aplicação de luminárias LED de última geração.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 23, 2020, 08:53:05 pm
O tipo que abrir minis (que não sejam daquelas de abertura fácil) com os dentes leva logo uma Torre e Espada  :mrgreen:

(https://3.bp.blogspot.com/-RLI05Sdv9VQ/TY93FfPl3XI/AAAAAAAABH8/GF1g2bUmFrA/s1600/animado-imagens-gifs-animadas-para-celular-para-orkut-animados-em-movimento-animada-cuspi-me-todo.gif)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 24, 2020, 01:29:15 am
Espingardas com mais de 50 anos "modernizadas", mas pelo menos os Leds são de última geração!

Espero que pelo menos a poupança que estes Leds ultra-modernos possibilitam, seja encaminhada para novas armas para os Fuzos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 25, 2020, 11:30:12 am
Venham mas é umas Corvetas destas, para a Marinha, que a malta até agradece, e muito..... :mrgreen:


.....é que por cá, já nem destes se vão construindo, miséria Franciscana :bang:

(https://www.marinha.pt/pt/os_meios/patrulhasoceanicos/Sines%20%20Imagens/04_.jpg)
Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Julho 25, 2020, 02:38:43 pm
Tenente, pra isso temos as EPC, isto se algum iluminado se lembrar de entrar para o consorcio antes que seja tarde....
É que essas 2200 tão a sair a 440 milhões cada.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Julho 25, 2020, 02:51:41 pm
Tenente, pra isso temos as EPC, isto se algum iluminado se lembrar de entrar para o consorcio antes que seja tarde....
É que essas 2200 tão a sair a 440 milhões cada.
 :-P

Temos as Gowind 2500, a 300 milhões cada.

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 25, 2020, 03:34:34 pm
Tenente, pra isso temos as EPC, isto se algum iluminado se lembrar de entrar para o consorcio antes que seja tarde....
É que essas 2200 tão a sair a 440 milhões cada.
 :-P

mais ou menos o preço que ficaria cada Type 31 !

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Julho 25, 2020, 04:35:01 pm
Tenente, pra isso temos as EPC, isto se algum iluminado se lembrar de entrar para o consorcio antes que seja tarde....
É que essas 2200 tão a sair a 440 milhões cada.
 :-P

mais ou menos o preço que ficaria cada Type 31 !

Abraços


Ou umas MEKO 200 AN novas se não nos esticassemos muito...
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 25, 2020, 04:40:24 pm
Tenente, pra isso temos as EPC, isto se algum iluminado se lembrar de entrar para o consorcio antes que seja tarde....
É que essas 2200 tão a sair a 440 milhões cada.
 :-P

mais ou menos o preço que ficaria cada Type 31 !

Abraços


Ou umas MEKO 200 AN novas se não nos esticassemos muito...
 :-P

Completamente de acordo, entre as duas fragatas a MEKO 200AN, é a minha preferida.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Julho 25, 2020, 05:09:13 pm
esticar? já  agora...  :mrgreen: :mrgreen:

(https://i.pinimg.com/originals/b7/1e/c6/b71ec60275b55a94eb9604f3f31e4e4e.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 25, 2020, 05:21:15 pm
Vocês gostam muito de "navegar na maionese", como dizem os brasileiros
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 25, 2020, 05:56:53 pm
esticar? já  agora...  :mrgreen: :mrgreen:

(https://i.pinimg.com/originals/b7/1e/c6/b71ec60275b55a94eb9604f3f31e4e4e.jpg)

Cumprimentos

Tenho da Skywave a 1/700, una maravilha de modelo.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 25, 2020, 05:59:30 pm
esticar? já  agora...  :mrgreen: :mrgreen:

(https://i.pinimg.com/originals/b7/1e/c6/b71ec60275b55a94eb9604f3f31e4e4e.jpg)

Cumprimentos

Os Arleigh Burke sempre são mais bonitos.  :mrgreen:

As Meko A200 são bons navios, mas para ficarem navios como deve ser de "primeira linha", precisavam de modificações.

Acho é que estar aqui a falar de navios com um custo unitário acima dos 400 milhões já não vale a pena. Se recusaram as FREMM, que viriam depressa e com formato de pagamento bastante interessante, e o mais certo é mandarem as AB irem passear porque "não cabem no Alfeite", navios estes que ficariam os 2 pelo mesmo que uma única A200/Tyoe 31, etc... Em 2030 lá esperamos pelo milagre financeiro.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Julho 25, 2020, 06:01:00 pm
Este era 2 em 1, cruzador e LPD.  :mrgreen:


Ainda em relação as FREEM, não havia vontade de soltar os EUR, mas a Marinha também não devia estar muito receptiva a ter de operar e manter nova linhagem de misseis "europeus".


Abraços,


(Vou ajudar a combater o fogo que lavra aqui na zona, depois falamos melhor).  :-\
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Observador em Julho 25, 2020, 09:14:22 pm
Perspetiva-se que possa vir a haver futuramente alguma transferência de competências da marinha para o IPMA?

Citar
Na passada 6.ª feita, dia 17 de julho de 2020, foi assinado um contrato que vai garantir equipamento de mapeamento do fundo marinho e coluna de água ao navio "Mar Portugal", contando com financiamento do Programa EEA Grants / Crescimento Azul 2014-2021. O IPMA tem como parceiro neste Projeto o Institute of Marine Research, da Noruega.

http://www.ipma.pt/pt/media/noticias/news.detail.jsp?f=/pt/media/noticias/textos/Cerimonia_contrato_mar_portugal

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Julho 25, 2020, 09:16:08 pm
Perspetiva-se que possa vir a haver futuramente alguma transferência de competências da marinha para o IPMA?

Citar
Na passada 6.ª feita, dia 17 de julho de 2020, foi assinado um contrato que vai garantir equipamento de mapeamento do fundo marinho e coluna de água ao navio "Mar Portugal", contando com financiamento do Programa EEA Grants / Crescimento Azul 2014-2021. O IPMA tem como parceiro neste Projeto o Institute of Marine Research, da Noruega.

http://www.ipma.pt/pt/media/noticias/news.detail.jsp?f=/pt/media/noticias/textos/Cerimonia_contrato_mar_portugal


Não me parece.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Julho 26, 2020, 03:02:36 pm
(https://i.ibb.co/ZxzJqwg/a2.png)

Deem mais lanchas aos homens da GNR. 8)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Julho 26, 2020, 07:02:23 pm
Só para reforçar:


https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/marinha-portuguesa-envelhecida-perde-poder-de-fogo (https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/marinha-portuguesa-envelhecida-perde-poder-de-fogo)


(https://imagizer.imageshack.com/v2/636x478q90/924/98Msdc.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 27, 2020, 10:11:48 am
Só para reforçar:


https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/marinha-portuguesa-envelhecida-perde-poder-de-fogo (https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/marinha-portuguesa-envelhecida-perde-poder-de-fogo)


(https://imagizer.imageshack.com/v2/636x478q90/924/98Msdc.jpg)

seis fragatas e 7 helis???? Gandas malucos  :mrgreen: e 4 draga-minas?????  ::)

Mas depois o dinheiro deve ter sido gasto em jipes e jantaradas
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 27, 2020, 10:13:02 am
(https://i.ibb.co/ZxzJqwg/a2.png)

Deem mais lanchas aos homens da GNR. 8)

Um LPD  c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 27, 2020, 04:07:43 pm
Só para reforçar:


https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/marinha-portuguesa-envelhecida-perde-poder-de-fogo (https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/marinha-portuguesa-envelhecida-perde-poder-de-fogo)


(https://imagizer.imageshack.com/v2/636x478q90/924/98Msdc.jpg)

seis fragatas e 7 helis???? Gandas malucos  :mrgreen: e 4 draga-minas?????  ::)

Mas depois o dinheiro deve ter sido gasto em jipes e jantaradas

Esta imagem já deve ter uns bons anos. Ainda incluía as JB! Desde então que a ambição foi sempre a descer.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Julho 27, 2020, 10:42:36 pm
Era uma boa ideia, traduzida para os dias de hoje 4 MEKOA200 ou Type 26 e 2 Arleigh Buirke.  :G-beer2:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 28, 2020, 09:09:51 am
Era uma boa ideia, traduzida para os dias de hoje 4 MEKOA200 ou Type 26 e 2 Arleigh Buirke.  :G-beer2:

Não sei o que é que vocês andam a fumar mas também quero
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 28, 2020, 09:17:55 am
Era uma boa ideia, traduzida para os dias de hoje 4 MEKOA200 ou Type 26 e 2 Arleigh Buirke.  :G-beer2:

Não sei o que é que vocês andam a fumar mas também quero

já somos dois. :G-beer2:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Julho 28, 2020, 11:50:58 am
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

(https://worldbranddesign.com/wp-content/uploads/2019/08/CharroBrewingCompany-CervezaCharro3.jpg)

(https://i2.wp.com/www.polemicaparaiba.com.br/wp-content/uploads/2019/12/Homem-fuma-charro-de-meio-quilo-para-provar-as-autoridades.jpg?fit=1280%2C800&quality=95&strip=all&ssl=1)

Cumprimentos

P.S. Umas M Belgas ou Holandesas já era bom (até pode vir o Al III)...  :-P ;)

(https://2.bp.blogspot.com/-EdEwE3MFd7c/WR3o8xAF9PI/AAAAAAAAJoo/DsPt4q0n6WodYLlj3sUT4ZD9hQRQuL2AwCEw/s1600/Karel%2BDoorman%2Bclass%2BNetherlands.jpg)

(https://2.bp.blogspot.com/-4D2GUzllFFM/WR3o818qb8I/AAAAAAAAJos/Xw9tP7O7LPcrdviRRAWnHEOC4zBXASM0QCEw/s1600/Karel%2BDoorman%2Bclass%2BBelgium.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 28, 2020, 12:56:31 pm
Era uma boa ideia, traduzida para os dias de hoje 4 MEKOA200 ou Type 26 e 2 Arleigh Buirke.  :G-beer2:

Nem sei como contavam fazer na altura, substituir as JB por 3 fragatas? Ou pelas duas M e iam comprar uma 6a fragata ASW? Ou era o plano de há 15 anos atrás, pré-crise, substituir as VdG e as então futuras BD, por 6 fragatas?

Nos dias que correm, 4 fragatas modernas já era um sonho, em vez de 5 chaços cujo valor militar se dirige a passos largos para meros "alvos". Actualmente 6 combatentes de superfície só se fossem 4 EPC mais 2 fragatas de outro "modelo", ou até os tais Arleigh Burke. Mas mesmo isto é sonhar.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Julho 28, 2020, 01:55:23 pm
Era uma boa ideia, traduzida para os dias de hoje 4 MEKOA200 ou Type 26 e 2 Arleigh Buirke.  :G-beer2:

Não sei o que é que vocês andam a fumar mas também quero

Eu fumo erva daninha.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 28, 2020, 02:17:58 pm
Era uma boa ideia, traduzida para os dias de hoje 4 MEKOA200 ou Type 26 e 2 Arleigh Buirke.  :G-beer2:

Nem sei como contavam fazer na altura, substituir as JB por 3 fragatas? Ou pelas duas M e iam comprar uma 6a fragata ASW? Ou era o plano de há 15 anos atrás, pré-crise, substituir as VdG e as então futuras BD, por 6 fragatas?

Nos dias que correm, 4 fragatas modernas já era um sonho, em vez de 5 chaços cujo valor militar se dirige a passos largos para meros "alvos". Actualmente 6 combatentes de superfície só se fossem 4 EPC mais 2 fragatas de outro "modelo", ou até os tais Arleigh Burke. Mas mesmo isto é sonhar.

Estás a sonhar e bem primeiro dois AB,  como se isso fosse alguma vez viável e segundo seis navios combatentes de superfície sejam eles quais forem. ::)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Julho 28, 2020, 02:48:30 pm
5 fragatas NOVAS + 2/3 EPC´s, o AOR "novo", o LPD e um terceiro tridente.
Era o que eu gostava de ver. O resto de lanchas e barquinhos e tal, isso é brincadeira de meninos e só não fazem porque não querem, tanto para a marinha como para a GNR.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 28, 2020, 04:38:57 pm
5 fragatas e mais 2/3 EPC nunca vai acontecer. Só se as 5 fragatas fossem tipo NPOs, aí sim é capaz.

Era uma boa ideia, traduzida para os dias de hoje 4 MEKOA200 ou Type 26 e 2 Arleigh Buirke.  :G-beer2:

Nem sei como contavam fazer na altura, substituir as JB por 3 fragatas? Ou pelas duas M e iam comprar uma 6a fragata ASW? Ou era o plano de há 15 anos atrás, pré-crise, substituir as VdG e as então futuras BD, por 6 fragatas?

Nos dias que correm, 4 fragatas modernas já era um sonho, em vez de 5 chaços cujo valor militar se dirige a passos largos para meros "alvos". Actualmente 6 combatentes de superfície só se fossem 4 EPC mais 2 fragatas de outro "modelo", ou até os tais Arleigh Burke. Mas mesmo isto é sonhar.

Estás a sonhar e bem primeiro dois AB,  como se isso fosse alguma vez viável e segundo seis navios combatentes de superfície sejam eles quais forem. ::)

Abraços

Por 400 milhões não arranjas melhor que dois AB. Talvez se encomendasses 2 fragatas chinesas. De resto, a melhor opção eram as duas FREMM italianas, que recusaram. A segunda melhor são os 2 AB. A terceira qual é?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Julho 30, 2020, 11:09:50 am
Este como é pintor e canalizador merece...  :mrgreen:

Citar

[...]

Dos diversos projetos de iniciativa do 1SAR FZ Pais Cabral, destacam-se as obras de execução, como a beneficiação das casas de banho de PAN Tróia para o exercício REP 19, a recuperação da antiga oficina de eletricidade para a Loja do Fuzileiro, pintura do muro da Escola de Fuzileiros, recuperação e transformação do antigo edifício da "Casa dos Cadetes" no edifício funcional para a áreas das operações, designado por "Serviço de Experimentação, Treino e Avaliação (SETA)".
De realçar também, a sua ação nos trabalhos de recuperação da rede de esgotos do edifício de alojamentos de sargentos e praças do Ponto de Apoio Naval de Troia, na reparação da rede do perímetro e no aprontamento das infraestruturas daquele Ponto de Apoio Naval, para a realização do exercício de grande visibilidade como foi o "Tridente Juncture 2015", que muito prestigiou a imagem do Corpo de Fuzileiros. Naturalmente, que como chefe, esteve envolvido nas atividades de apoio à Câmara Municipal do Barreiro, que foram alvo de rasgados elogios por parte do município, conforme ficou refletido na qualidade dos trabalhos de requalificação e pintura do Convento Madre Deus da Verderena e o apoio a Câmara Municipal do Barreiro na cobertura do canil municipal.

[...]
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 30 de junho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
1565091 Primeiro-sargento FZ ANTÓNIO JOÃO PAIS CABRAL
[...]

Mais um gajo que faz um cozido à portuguesa mesmo à maneira...

Citar
[...]
O Cabo-Mor TFD Dinis aliou os seus sólidos conhecimentos técnicos e de relacionamento humano, à forma extraordinariamente dedicada e cuidadosa como avaliou diariamente os resultados do rancho, pela permanente análise da satisfação e bem-estar que era percecionado pelos militares, militarizados e civis que tomam as refeições na Comissão Cultural de Marinha.
O Cabo-Mor TFD Dinis foi ainda responsável pela organização de diversos eventos de cerimónia da Comissão Cultural de Marinha, que foram sempre alvo das melhores referências, com impacto na representação da Marinha.
Assim, é com grande satisfação que, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo o, 343287 Cabo-Mor TFD RUI ALEXANDRE LEMOS DINIS, pelo conjunto de excecionais qualidades evidenciadas e pela forma extremamente zelosa e dedicada como desempenhou as suas funções, contribuindo de forma muita significativa para o prestígio e o cumprimento da missão na Comissão Cultural e, consequentemente da Marinha.

[...]
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 22 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
343287 Cabo-mor TFD RUI ALEXANDRE LEMOS DINIS



Mas este louvor ao pintor / bate-chapas deve ser dos mais "coloridos" que já vi...

Citar
[...]
Militar essencial no apoio à operacionalidade dos meios do Corpo de Fuzileiros, através das suas ações de manutenção, a sua polivalência como pintor auto também ficou notabilizada pela forma como preparou as chapas dos veículos para a pintura, fossem elas táticas ou administrativas, fossem pequenas, médias ou grandes viaturas, atrelados, motoquatro, fosse qual fosse a tipologia, assim como pelos arranjos de bate chapa que executou, a substituição de peças e as afinações que realizou, bem como as noções de pintura que empregou qualquer que tivesse sido o padrão ou a cor necessários. É exemplo elucidativo do seu desempenho a excelente apresentação das viaturas empenhadas nos dispositivos estáticos e nos desfiles motorizados, acrescentado dignidade e brio aos demais eventos e cerimónias em que as Forças de Fuzileiros participaram, como foram os vários dias da Marinha e de Portugal, assim como todo o aprontamento de viaturas para a Força Nacional Destacada 2018 na Lituânia.
De realçar, ainda, o brio e empenho do CAB FZV Marques Carriço na recuperação das duas viaturas para o transporte do Presidente da República no dia de Portugal em 2019.
[...]

------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 30 de junho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
1576291 Cabo FZ FERNANDO JOSÉ CARAPINHA MARQUES CARRIÇO
[...]


Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Julho 30, 2020, 01:03:50 pm
FODA-SE! Uma das tropas mais bem preparadas do país e os seus militares são relegados para estas tarefas da treta. Estes generais e almirantes de algibeira deviam levar com um pano encharcado nas trombas e irem para a grandessíssima que os pariu!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Julho 30, 2020, 01:33:10 pm
Citar
Exercícios ao largo da Costa Vicentina

No âmbito do estágio de embarque do Curso de Especialização de Oficiais de Ação Tática no NRP Álvares Cabral estão a realizar-se, ao largo da Costa Vicentina, diversos exercícios de modo a aplicar e treinar as componentes práticas nas áreas de comunicações, artilharia, navegação e armas submarinas, assim como a resposta do navio às diversas situações que podem ocorrer durante as suas missões.

Os exercícios irão decorrer durante toda a semana, onde serão aplicadas as componentes práticas nas mais diversas áreas operacionais, que serão praticadas em exercícios de defesa aérea, superfície e subsuperfície, em conjunto com o NRP Tridente, o NRP Figueira da Foz e a uma aeronave da Força Aérea Portuguesa.

Durante o dia de hoje, a guarnição do navio pôs em prática táticas e procedimentos de defesa aérea, contando com a participação de duas aeronaves F16 da Força Aérea Portuguesa.

Os cadetes do terceiro ano da Escola Naval prosseguem a viagem de instrução, participando ativamente nas atividades diárias de bordo.

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/posts/3385689798118846

Fotos da defesa aérea ou de superfície?...Se calhar até era é de subsuperfície  :mrgreen:

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/116704239_3385689464785546_820916596502655100_n.jpg?_nc_cat=100&_nc_sid=110474&_nc_eui2=AeERCXvmWPhYSHo8k8_FbuRrYoSlE0YDtQBihKUTRgO1ACTOVhW1z3Y1c8Zg8AhwkUJyjlEKnGERLERovuZ7jJgN&_nc_ohc=YlM_DrSLHvoAX8a26Vo&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=2c28b9e7d8969e2a4c70d6ee27a92f7f&oe=5F46AACC)

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/115521638_3385689554785537_3540883392550219822_n.jpg?_nc_cat=109&_nc_sid=110474&_nc_eui2=AeFZCjAmKhHbHqiGGg_Ja3_MWQD5BhwjskdZAPkGHCOyR1z61sQZXMtfAZY062q6LHXz-wCeTWCi2JGnsBrlURgt&_nc_ohc=U6WuF7AOGlcAX-plyPn&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=8728c898bbc00ebf945513c57f0f2533&oe=5F46BAC0)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Julho 30, 2020, 02:14:11 pm
Não querem colocar o Cabo FZ FERNANDO JOSÉ CARAPINHA MARQUES CARRIÇO a trabalhar na "recuperação" dos NPO NRP Sines e Setúbal? Com as suas notáveis capacidades ainda transforma aquilo num Kirov...  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

(https://www.marinha.pt/pt/media-center/Noticias/Imagens%20Noticias/NAVIOS/NRP%20Set%C3%BAbal/53362521_2280049585349545_3541821321535029248_o.jpg)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/36/Kirov-class_battlecruiser.jpg)

Cumprimentos  :-P ;)

P.S. Segue a Marinha das "medalhas"....  ::) ::)

(https://l.rapimg.com/upload_tmp/46/360/img_225636046_1445027017_abig.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 30, 2020, 02:47:00 pm
FODA-SE! Uma das tropas mais bem preparadas do país e os seus militares são relegados para estas tarefas da treta. Estes generais e almirantes de algibeira deviam levar com um pano encharcado nas trombas e irem para a grandessíssima que os pariu!

A partir de uma certa idade eles só podem mesmo fazer este tipo de serviços.

Muito sinceramente não percebo a indignação, cada um leva um louvor porque mostrou trabalho na área a que estava destacado. Se na tropa fossem todos assim a coisa corria muito melhor.

O que é que esperam, quando não há guerra, a guerra é outra, tais como manter o barco à tona, mesmo quando não há pessoal ou orçamento para isso.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Julho 30, 2020, 02:56:18 pm
FODA-SE! Uma das tropas mais bem preparadas do país e os seus militares são relegados para estas tarefas da treta. Estes generais e almirantes de algibeira deviam levar com um pano encharcado nas trombas e irem para a grandessíssima que os pariu!

A partir de uma certa idade eles só podem mesmo fazer este tipo de serviços.

Em países com maior tradição de tropas profissionais há cabos com 40 - 50 anos ou usam sistema "para cima ou para fora"?   
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Julho 30, 2020, 03:24:14 pm
Os louvores, descontando a forma ridícula como são escritos, ainda são compreensíveis...agora condecorações?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 30, 2020, 03:24:45 pm
FODA-SE! Uma das tropas mais bem preparadas do país e os seus militares são relegados para estas tarefas da treta. Estes generais e almirantes de algibeira deviam levar com um pano encharcado nas trombas e irem para a grandessíssima que os pariu!

A partir de uma certa idade eles só podem mesmo fazer este tipo de serviços.

Em países com maior tradição de tropas profissionais há cabos com 40 - 50 anos ou usam sistema "para cima ou para fora"?   

Que países EUA, RU?...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 30, 2020, 03:33:51 pm
FODA-SE! Uma das tropas mais bem preparadas do país e os seus militares são relegados para estas tarefas da treta. Estes generais e almirantes de algibeira deviam levar com um pano encharcado nas trombas e irem para a grandessíssima que os pariu!

A partir de uma certa idade eles só podem mesmo fazer este tipo de serviços.

Muito sinceramente não percebo a indignação, cada um leva um louvor porque mostrou trabalho na área a que estava destacado. Se na tropa fossem todos assim a coisa corria muito melhor.

O que é que esperam, quando não há guerra, a guerra é outra, tais como manter o barco à tona, mesmo quando não há pessoal ou orçamento para isso.

Muitos destes louvores estão a ser dados por trabalhos que seriam desempenhados por terceiros. Ou vais dizer que dentro dos Fuzileiros há alguém com a função de mudar lâmpadas? Ou vais dizer que aquela que "escolheu as ementas e organizou um almoço" fez algo que mereça um louvor?

Espero que as medalhas sejam de alumínio reciclado, senão é mais um "esbanjar de recursos" de país rico.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 30, 2020, 04:53:55 pm
Os louvores, descontando a forma ridícula como são escritos, ainda são compreensíveis...agora condecorações?

Ora bem, louvores, completamente de acordo, agora condecorações pelo que fizeram ????
Ridículo !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Julho 30, 2020, 05:04:51 pm
FODA-SE! Uma das tropas mais bem preparadas do país e os seus militares são relegados para estas tarefas da treta. Estes generais e almirantes de algibeira deviam levar com um pano encharcado nas trombas e irem para a grandessíssima que os pariu!

A partir de uma certa idade eles só podem mesmo fazer este tipo de serviços.

Em países com maior tradição de tropas profissionais há cabos com 40 - 50 anos ou usam sistema "para cima ou para fora"?   

Que países EUA, RU?...

Sim, mas porque são os que associo à ideia de maior experiência 
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 30, 2020, 05:31:32 pm
Do que lembro-me do que li num Trabalho de Investigação Aplicada de um cadete, no RU ele começam como Soldado e se tiverem capacidade podem continuar a sua progressão até ao topo da carreira como Sargentos. Os que não mostram capacidade e ficam-se por Cabos antes de poderem se reformar são corridos. Havia uma excepção que era o pessoal do 22º SAS, mas acho que até nisso eles acabaram. As funções... não faço menor ideia, mas é o que faz sentido e foi isso mesmo que eu li nesse trabalho. Ou seja, o pessoal mais velho (Praças QP) teriam que obrigatoriamente passar a funções mais de apoio com o passar dos anos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Julho 30, 2020, 07:01:24 pm
Este como é pintor e canalizador merece...  :mrgreen:

Citar

[...]

Dos diversos projetos de iniciativa do 1SAR FZ Pais Cabral, destacam-se as obras de execução, como a beneficiação das casas de banho de PAN Tróia para o exercício REP 19, a recuperação da antiga oficina de eletricidade para a Loja do Fuzileiro, pintura do muro da Escola de Fuzileiros, recuperação e transformação do antigo edifício da "Casa dos Cadetes" no edifício funcional para a áreas das operações, designado por "Serviço de Experimentação, Treino e Avaliação (SETA)".
De realçar também, a sua ação nos trabalhos de recuperação da rede de esgotos do edifício de alojamentos de sargentos e praças do Ponto de Apoio Naval de Troia, na reparação da rede do perímetro e no aprontamento das infraestruturas daquele Ponto de Apoio Naval, para a realização do exercício de grande visibilidade como foi o "Tridente Juncture 2015", que muito prestigiou a imagem do Corpo de Fuzileiros. Naturalmente, que como chefe, esteve envolvido nas atividades de apoio à Câmara Municipal do Barreiro, que foram alvo de rasgados elogios por parte do município, conforme ficou refletido na qualidade dos trabalhos de requalificação e pintura do Convento Madre Deus da Verderena e o apoio a Câmara Municipal do Barreiro na cobertura do canil municipal.

[...]
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 30 de junho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
1565091 Primeiro-sargento FZ ANTÓNIO JOÃO PAIS CABRAL
[...]

Mais um gajo que faz um cozido à portuguesa mesmo à maneira...

Citar
[...]
O Cabo-Mor TFD Dinis aliou os seus sólidos conhecimentos técnicos e de relacionamento humano, à forma extraordinariamente dedicada e cuidadosa como avaliou diariamente os resultados do rancho, pela permanente análise da satisfação e bem-estar que era percecionado pelos militares, militarizados e civis que tomam as refeições na Comissão Cultural de Marinha.
O Cabo-Mor TFD Dinis foi ainda responsável pela organização de diversos eventos de cerimónia da Comissão Cultural de Marinha, que foram sempre alvo das melhores referências, com impacto na representação da Marinha.
Assim, é com grande satisfação que, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo o, 343287 Cabo-Mor TFD RUI ALEXANDRE LEMOS DINIS, pelo conjunto de excecionais qualidades evidenciadas e pela forma extremamente zelosa e dedicada como desempenhou as suas funções, contribuindo de forma muita significativa para o prestígio e o cumprimento da missão na Comissão Cultural e, consequentemente da Marinha.

[...]
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 22 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
343287 Cabo-mor TFD RUI ALEXANDRE LEMOS DINIS



Mas este louvor ao pintor / bate-chapas deve ser dos mais "coloridos" que já vi...

Citar
[...]
Militar essencial no apoio à operacionalidade dos meios do Corpo de Fuzileiros, através das suas ações de manutenção, a sua polivalência como pintor auto também ficou notabilizada pela forma como preparou as chapas dos veículos para a pintura, fossem elas táticas ou administrativas, fossem pequenas, médias ou grandes viaturas, atrelados, motoquatro, fosse qual fosse a tipologia, assim como pelos arranjos de bate chapa que executou, a substituição de peças e as afinações que realizou, bem como as noções de pintura que empregou qualquer que tivesse sido o padrão ou a cor necessários. É exemplo elucidativo do seu desempenho a excelente apresentação das viaturas empenhadas nos dispositivos estáticos e nos desfiles motorizados, acrescentado dignidade e brio aos demais eventos e cerimónias em que as Forças de Fuzileiros participaram, como foram os vários dias da Marinha e de Portugal, assim como todo o aprontamento de viaturas para a Força Nacional Destacada 2018 na Lituânia.
De realçar, ainda, o brio e empenho do CAB FZV Marques Carriço na recuperação das duas viaturas para o transporte do Presidente da República no dia de Portugal em 2019.
[...]

------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 30 de junho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
1576291 Cabo FZ FERNANDO JOSÉ CARAPINHA MARQUES CARRIÇO
[...]




Que orgia de medalhas.

Lindo !
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Julho 30, 2020, 10:31:33 pm
(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/115521638_3385689554785537_3540883392550219822_n.jpg?_nc_cat=109&_nc_sid=110474&_nc_eui2=AeFZCjAmKhHbHqiGGg_Ja3_MWQD5BhwjskdZAPkGHCOyR1z61sQZXMtfAZY062q6LHXz-wCeTWCi2JGnsBrlURgt&_nc_ohc=U6WuF7AOGlcAX-plyPn&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=8728c898bbc00ebf945513c57f0f2533&oe=5F46BAC0)

Está ali um à esquerda, fogo, fogo. :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Julho 30, 2020, 10:35:32 pm
O pessoal quando pega nas metralhadoras .50 para fazer defesa aérea deve imaginar coisas destas :mrgreen:.


Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 31, 2020, 07:27:03 am
A vizinha do mirones assumiu o comando do SNMG1, isso dá direito a quantas medalhas?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3391409360880223/

Imagino os camones a rirem a bom rir, ao olhar para o "navio almirante"
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 31, 2020, 08:21:44 am
A vizinha do mirones assumiu o comando do SNMG1, isso dá direito a quantas medalhas?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3391409360880223/

Imagino os camones a rirem a bom rir, ao olhar para o "navio almirante"

Epá, estás preocupado com aquelas duas embarcações que aparecem em segundo plano na foto ??
Os mastros estão OCOS, não tem nada dentro, não são como os nossos novos mastros das BD, repletos de gadgets !!! :bang:
A pelintrice no seu AUGE, o pessoal da guarnição até se deve sentir mal, digo eu !!!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/hKD0yG.jpg) (https://imageshack.com/i/pohKD0yGj)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Barlovento em Julho 31, 2020, 08:54:11 am
A vizinha do mirones assumiu o comando do SNMG1, isso dá direito a quantas medalhas?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3391409360880223/

Imagino os camones a rirem a bom rir, ao olhar para o "navio almirante"

Este Almirante ya mandó anteriormente la Operación Atalanta. Debe ser un marino de prestigio internacional.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 31, 2020, 09:00:59 am
A vizinha do mirones assumiu o comando do SNMG1, isso dá direito a quantas medalhas?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3391409360880223/

Imagino os camones a rirem a bom rir, ao olhar para o "navio almirante"

Este Almirante ya mandó anteriormente la Operación Atalanta. Debe ser un marino de prestigio internacional.

Barlovento, este Sr vai longe, escreve o que te digo.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Julho 31, 2020, 09:27:05 am
A vizinha do mirones assumiu o comando do SNMG1, isso dá direito a quantas medalhas?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3391409360880223/

Imagino os camones a rirem a bom rir, ao olhar para o "navio almirante"

Devem é ter inveja da garrafeira. c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 31, 2020, 09:31:25 am
A vizinha do mirones assumiu o comando do SNMG1, isso dá direito a quantas medalhas?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3391409360880223/

Imagino os camones a rirem a bom rir, ao olhar para o "navio almirante"

As nossas fragatas são tão más quando comparadas com as dos aliados, que já só servem para navios de comando. Se tivéssemos o Wave, não teria grandes dúvidas que na NATO prefeririam ter este navio no SNMG1 do que uma das fragatas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 31, 2020, 10:11:13 am
A vizinha do mirones assumiu o comando do SNMG1, isso dá direito a quantas medalhas?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3391409360880223/

Imagino os camones a rirem a bom rir, ao olhar para o "navio almirante"

Este Almirante ya mandó anteriormente la Operación Atalanta. Debe ser un marino de prestigio internacional.

Ui, deve ser cá um "prestigio" em lambe-botismo  :-X
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Julho 31, 2020, 10:13:57 am
Algures nos inícios dos anos 80 fui, levado pelo meu Pai que achava graça ao meu entusiasmo por navios de guerra - e tão complicado era ter informação naqueles tempos - visitar uma Força NATO em Lisboa... visitamos uma fragata da MGP (sei lá qual) e uma fragata do Canadá. Passaram uns 40 anos (sim, a idade já pesa) e nunca esqueci o marinheiro português a lamentar-se que quando trocavam de navios durante a missão verificava a diferença tecnológica para as nossas fragatas ("carregam em um botão e ficamos a "ver" tudo em redor")...

Estamos rapidamente a voltar a essa altura... 

 
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Julho 31, 2020, 10:31:19 am
Como o mundo é pequeno! Também fui ver esses navios, da então STANAVFORLANT. O navio português e o canadiano estavam atracados juntos, bordo-a-bordo. Não me recordo da fragata portuguesa, mas acho que era uma Pereira da Silva.

O navio canadiano deixou-me intrigado devido às suas chaminés. Mais tarde, depois de consultar o Jane’s (vantagem de ter almirantes como vizinhos), conclui que era um contratorpedeiro da classe Iroquois.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 31, 2020, 10:51:31 am
Como o mundo é pequeno! Também fui ver esses navios, da então STANAVFORLANT. O navio português e o canadiano estavam atracados juntos, bordo-a-bordo. Não me recordo da fragata portuguesa, mas acho que era uma Pereira da Silva.

O navio canadiano deixou-me intrigado devido às suas chaminés. Mais tarde, depois de consultar o Jane’s (vantagem de ter almirantes como vizinhos), conclui que era um contratorpedeiro da classe Iroquois.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/4Dp3cx.png) (https://imageshack.com/i/po4Dp3cxp)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/YPoQg9.jpg) (https://imageshack.com/i/poYPoQg9j)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Julho 31, 2020, 11:42:06 am
Algures nos inícios dos anos 80 fui, levado pelo meu Pai que achava graça ao meu entusiasmo por navios de guerra - e tão complicado era ter informação naqueles tempos - visitar uma Força NATO em Lisboa... visitamos uma fragata da MGP (sei lá qual) e uma fragata do Canadá. Passaram uns 40 anos (sim, a idade já pesa) e nunca esqueci o marinheiro português a lamentar-se que quando trocavam de navios durante a missão verificava a diferença tecnológica para as nossas fragatas ("carregam em um botão e ficamos a "ver" tudo em redor")...

Estamos rapidamente a voltar a essa altura... 

 

Hoje em dia já se nota essa disparidade tecnológica. Basta comparar consolas analógicas das nossas fragatas com consolas digitais dos navios modernos. Para não falar nos sensores, armamento, helis sem FLIR. Aliás, há uns meses publicaram aqui uma foto de uma VdG ao lado de uma Álvaro Bazan, e bem se notava a diferença de dimensão e "imponência" do navio espanhol, fora claro a evolução nos designs modernos.

Certamente que é um factor que também afecta a retenção dos militares.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Julho 31, 2020, 12:30:28 pm
@tenente — Era a configuração do perfil de baixo, com as chaminés em v, a peça OTO Melara de 127 (as mesmas que actualmente equipam as DZP), Sea Sparrow e morteiro ASW.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Julho 31, 2020, 01:27:09 pm
Como o mundo é pequeno! Também fui ver esses navios, da então STANAVFORLANT. O navio português e o canadiano estavam atracados juntos, bordo-a-bordo. Não me recordo da fragata portuguesa, mas acho que era uma Pereira da Silva.

O navio canadiano deixou-me intrigado devido às suas chaminés. Mais tarde, depois de consultar o Jane’s (vantagem de ter almirantes como vizinhos), conclui que era um contratorpedeiro da classe Iroquois.

Também eu! :D

Confesso é que no navio canadiano (penso que era mesmo o Iroquois) mandei as "chaminés esquisitas" passear e obriguei o meu pai a levar-me a ver o Sea King. :mrgreen: :-[
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 31, 2020, 03:53:54 pm
Como o mundo é pequeno! Também fui ver esses navios, da então STANAVFORLANT. O navio português e o canadiano estavam atracados juntos, bordo-a-bordo. Não me recordo da fragata portuguesa, mas acho que era uma Pereira da Silva.

O navio canadiano deixou-me intrigado devido às suas chaminés. Mais tarde, depois de consultar o Jane’s (vantagem de ter almirantes como vizinhos), conclui que era um contratorpedeiro da classe Iroquois.

Bem, então falando em coincidências,eu visitei o Athabaskan (282)  :mrgreen: em 1982 com o meu saudoso avô...

Lembro-me de também ter visitado uma Kortenaer (F810) e uma Leander inglesa, cujo nome e número já não me lembro...mas não me lembro de nessa altura estar lá alguma fragata portuguesa.

Em 1989 lembro-me de ter visitado o USS King (DDG 41)

Fiz mais visitas mas essas são as que me lembro mais
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Julho 31, 2020, 03:58:34 pm
E já que estamos numa de nostalgia (até porque o futuro se apresenta negro), aqui fica uma imagem de uma stanavforlant que descubri pelo Google, com uma Pereira da Silva ali no meio

(https://i.ibb.co/5FVq0nK/RM2609-753-B.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Julho 31, 2020, 04:15:38 pm
Como o mundo é pequeno! Também fui ver esses navios, da então STANAVFORLANT. O navio português e o canadiano estavam atracados juntos, bordo-a-bordo. Não me recordo da fragata portuguesa, mas acho que era uma Pereira da Silva.

O navio canadiano deixou-me intrigado devido às suas chaminés. Mais tarde, depois de consultar o Jane’s (vantagem de ter almirantes como vizinhos), conclui que era um contratorpedeiro da classe Iroquois.

Bem, então falando em coincidências,eu visitei o Athabaskan (282)  :mrgreen: em 1982 com o meu saudoso avô...

Lembro-me de também ter visitado uma Kortenaer (F810) e uma Leander inglesa, cujo nome e número já não me lembro...mas não me lembro de nessa altura estar lá alguma fragata portuguesa.

Em 1989 lembro-me de ter visitado o USS King (DDG 41)

Fiz mais visitas mas essas são as que me lembro mais

A Kortenaer (F810) diz-me qualquer coisa - quase que juro que deram-me um panfleto que guardei religiosamente durante anos... outra visita, que valeu-me um poster, que esteve anos no quarto:

(https://northendwaterfront.com/wp-content/uploads/2017/07/unnamed.jpg)   
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Julho 31, 2020, 04:47:57 pm
@tenente — Era a configuração do perfil de baixo, com as chaminés em v, a peça OTO Melara de 127 (as mesmas que actualmente equipam as DZP), Sea Sparrow e morteiro ASW.

Lá por causa disso não quero que fiques triste, aqui vão duas fotos das chaminés tortas. :mrgreen:

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/6rFiWE.jpg) (https://imageshack.com/i/po6rFiWEj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/xjF3TO.jpg) (https://imageshack.com/i/pnxjF3TOj)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Julho 31, 2020, 11:18:45 pm
 :G-beer2: Obrigado, amigo tenente! Curiosamente, iríamos ter mais tarde chaminés com esse formato nas VdG.

Também me recordo de estar lá uma Leader nessa ocasião, mas não me recordo de ter ido a bordo. O Iroquois impressionou-me pela sua dimensão e pelas chaminés, claro.  ;D
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 01, 2020, 10:04:58 am
Como o mundo é pequeno! Também fui ver esses navios, da então STANAVFORLANT. O navio português e o canadiano estavam atracados juntos, bordo-a-bordo. Não me recordo da fragata portuguesa, mas acho que era uma Pereira da Silva.

O navio canadiano deixou-me intrigado devido às suas chaminés. Mais tarde, depois de consultar o Jane’s (vantagem de ter almirantes como vizinhos), conclui que era um contratorpedeiro da classe Iroquois.

Bem, então falando em coincidências,eu visitei o Athabaskan (282)  :mrgreen: em 1982 com o meu saudoso avô...

Lembro-me de também ter visitado uma Kortenaer (F810) e uma Leander inglesa, cujo nome e número já não me lembro...mas não me lembro de nessa altura estar lá alguma fragata portuguesa.

Em 1989 lembro-me de ter visitado o USS King (DDG 41)

Fiz mais visitas mas essas são as que me lembro mais

A Kortenaer (F810) diz-me qualquer coisa - quase que juro que deram-me um panfleto que guardei religiosamente durante anos... outra visita, que valeu-me um poster, que esteve anos no quarto:

(https://northendwaterfront.com/wp-content/uploads/2017/07/unnamed.jpg)

Eu também me lembro de darem panfletos, e de os guardar, já não sei é onde é que andam :(
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 01, 2020, 12:50:48 pm
Panfletos/booklets de algumas das minhas visitas na decada de 70.
quando a RN ainda tinha uma força permanente no Oriente e o AOR era da classe Rover ! ;)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/kaqugR.jpg) (https://imageshack.com/i/pmkaqugRj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/0oLl4f.jpg) (https://imageshack.com/i/pn0oLl4fj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/CiOmAg.jpg) (https://imageshack.com/i/poCiOmAgj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/qfYk4S.jpg) (https://imageshack.com/i/pmqfYk4Sj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/OQipqI.jpg) (https://imageshack.com/i/poOQipqIj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/jsZVec.jpg) (https://imageshack.com/i/pmjsZVecj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/U4r6tR.jpg) (https://imageshack.com/i/pnU4r6tRj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/RXKsKz.jpg) (https://imageshack.com/i/pnRXKsKzj)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 01, 2020, 11:54:19 pm
A Roberto Ivens podia receber um helicóptero a bordo? Isso é claramente um caso de publicidade enganosa. :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 02, 2020, 12:41:38 pm
A Roberto Ivens podia receber um helicóptero a bordo? Isso é claramente um caso de publicidade enganosa. :mrgreen:

Já nessa altura eram aldrabões  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 02, 2020, 01:13:30 pm
A Roberto Ivens podia receber um helicóptero a bordo? Isso é claramente um caso de publicidade enganosa. :mrgreen:

Já nessa altura eram aldrabões  :mrgreen:

Se não me engano nem engano ninguém, li algures que se a torre à  popa, estivesse rodada a 90* era possivel um ALII ou um ALIII operar numa fragata JB.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 02, 2020, 01:33:17 pm
cá está, o que tinha referido atrás, um ALIII a preparar-se para operar numa das fragatas de classe joão Belo.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/1yhJfS.jpg) (https://imageshack.com/i/pm1yhJfSj)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 02, 2020, 01:53:00 pm
cá está, o que tinha referido atrás, um ALIII a preparar-se para operar numa das fragatas de classe joão Belo.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/1yhJfS.jpg) (https://imageshack.com/i/pm1yhJfSj)

Abraços

Pois, está aqui no Barco à Vista. Só me pergunto como é que as pás do rotor principal do Alouette III não atingiam a peça de popa mesmo estando virada a 90º.

https://barcoavista.blogspot.com/2009/06/fragatas-classe-joao-belo-tipo-de-navio.html


E é melhor nem olhar para os planos para um hangar telescópico, Sea Sparrow e Exocet...  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 02, 2020, 02:07:26 pm
cá está, o que tinha referido atrás, um ALIII a preparar-se para operar numa das fragatas de classe joão Belo.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/1yhJfS.jpg) (https://imageshack.com/i/pm1yhJfSj)

Abraços

Pois, é melhor......

Abraços

Pois, está aqui no Barco à Vista. Só me pergunto como é que as pás do rotor principal do Alouette III não atingiam a peça de popa mesmo estando virada a 90º.

https://barcoavista.blogspot.com/2009/06/fragatas-classe-joao-belo-tipo-de-navio.html


E é melhor nem olhar para os planos para um hangar telescópico, Sea Sparrow e Exocet...  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Turlu em Agosto 02, 2020, 03:19:07 pm
cá está, o que tinha referido atrás, um ALIII a preparar-se para operar numa das fragatas de classe joão Belo.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/1yhJfS.jpg) (https://imageshack.com/i/pm1yhJfSj)

Abraços

Pois, está aqui no Barco à Vista. Só me pergunto como é que as pás do rotor principal do Alouette III não atingiam a peça de popa mesmo estando virada a 90º.

https://barcoavista.blogspot.com/2009/06/fragatas-classe-joao-belo-tipo-de-navio.html


E é melhor nem olhar para os planos para um hangar telescópico, Sea Sparrow e Exocet...  ::)

A tolda a ré da peça é relativamente grande. Nos dois anos de embarque na Hermenegildo Capelo nunca vi um helicóptero aterrar, embora tenha visto e fotografado vários vertrep's.

(https://scontent.fpdl1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/561624_562011107198284_1736362796_n.jpg?_nc_cat=100&_nc_sid=cdbe9c&_nc_ohc=SrNLbPX6S0YAX9D84sq&_nc_ht=scontent.fpdl1-1.fna&oh=e9466451d14d0d9b59ad952e70a996a0&oe=5F4D1464)

 Se não me falha a memória já vi uma fotografia de um navio desta classe com um helicóptero pousado, julgo que numa das antigas colónias.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 04, 2020, 04:15:47 pm
Na baía de Luanda,sim, lembro-me de ver essa foto
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 06, 2020, 01:28:05 pm
Hoje não vou dar no copy-paste... Vejam as sras. administrativas que tratam muito bem da papelada e são muito simpáticas, a do fotografo também é engraçada... Levam todos louvor da treta e medalhita de cortiça.

https://www.marinha.pt/pt/informacao-instituicional/Lists/PM_DocsOrdens/OA1_045_20.pdf
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 06, 2020, 05:12:48 pm
36 páginas disso. E nem um relatório de uma página sobre a substituição do Bérrio à vista. Prioridades.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 06, 2020, 06:36:59 pm
A marinheca é uma anedota pegada
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 06, 2020, 07:01:55 pm
36 páginas disso. E nem um relatório de uma página sobre a substituição do Bérrio à vista. Prioridades.

Relatório sobre o Bérrio na Ordem da Armada? Tá certo...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 06, 2020, 08:12:15 pm
Um relatório sobre o Bérrio que demonstrasse interesse e trabalhos que visassem a sua substituição. Nada a ver com a Ordem da Armada, algo que nem sequer mencionei. Apenas mencionei a falta de vontade de trabalhar na substituição de um navio que já nem navega, mas haver tempo para 36 páginas de "parlapiê".
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 06, 2020, 08:42:57 pm
O estudo mais recente que me lembro é este:
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/17361/1/TII%20Favinha_Estudo%20prospetivo%20sobre%20as%20capacidades%20de%20proje%c3%a7%c3%a3o%20militar.pdf
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 06, 2020, 08:56:31 pm
Eles querem lá saber do substituto do Bérrio
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 06, 2020, 09:10:11 pm
As FA são o reflexo da Nação.

Enquanto grupos criminosos dominarem o país não esperem nada de melhor. (já nem digo governar)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Agosto 06, 2020, 10:29:45 pm
As FA são o reflexo da Nação.

Enquanto grupos criminosos dominarem o país não esperem nada de melhor. (já nem digo governar)


(https://i.kym-cdn.com/photos/images/facebook/000/566/702/3f2.jpeg)
 ;)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 07, 2020, 06:42:03 pm
O estudo mais recente que me lembro é este:
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/17361/1/TII%20Favinha_Estudo%20prospetivo%20sobre%20as%20capacidades%20de%20proje%c3%a7%c3%a3o%20militar.pdf

Estudo feito há 4 anos atrás. O que o mundo mudou desde então!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 07, 2020, 09:04:17 pm
E deve haver mais recente eu é que não encontrei.... :-\
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 08, 2020, 07:24:59 pm
Tradutor deficiente mas mesmo assim texto algo interessante:

Portugal: quer, mas tem déficeS Portugal apresentou em 2009 às Nações Unidas um pedido de alargamento da Zona Económica Exclusiva (ZEE). As águas cobertas pela nova ZEE de Portugal serão 44 vezes maiores do que o país após a aprovação da
ONU,e lisboa conta comisso. Um país que, aliás, tem o dobro do tamanho dos Países Baixos em termos de área. 
 
Com uma ZEE maior, vêm também obrigações maiores. Mesmo que isso seja apenas porque a Espanha não concorda com este alargamento, vários navios de pesca espanhóis já foram expulsos da "sua" ZEE por Portugal. Modernizar e expandir, é isso que Portugal quer. A Marinha Portuguesa navega atualmente com duas antigas fragatas M holandesas e três fragatas ALEMÃES MEKO. Portugal está muito satisfeito com as fragatas M e também muito satisfeito com o Programa de Conservação (IP) da sua primeira fragata M. Atualmente, a segunda fragata M em Den Helder também está localizada para um IP. Mas as pessoas querem mais. Durante anos. Portugal tem bons planos com a Marinha e saiu-se bem da crise anterior. Em 2019, os planos para fortalecer a frota portuguesa foram retomados com seis novos navios-patrulha, um Navio Logístico Multiusos (ou LPD) e um navio de abastecimento. O grande problema, no entanto, é o dinheiro. Os navios-patrulha estão a ser construídos, mas os planos para uma Doca da Plataforma de Aterragem (LPD) estão em vigor desde 2003 e um desenho do Scheldt tem sido há muito o principal candidato. No entanto, não havia orçamento para o mesmo, a compra do navio foi agora transferida para 2022.
 

Conversações sobre cooperação sobre novas fragatas para Portugal e para a Holanda.
A imagem é uma fragata portuguesa, antes da modernização. (Fonte: Twitter) Um dos poucos projetos que Portugal tem prosseguido é a modernização das fragatas M. Embora haja ruídos que também foram reduzidos na modernização.
No entanto, a modernização é importante para a Marinha Portuguesa, porque as fragatas devem continuar a navegar pelo menos até à década de 1930.
Então a substituição está no programa. Portugal quer duas a quatro novas fragatas.
Em 2018, houve discussões entre a DMO e Portugal sobre uma possível cooperação no domínio das novas fragatas. Portugal, Marineschepen.nl entendido por uma fonte em 2019, teria um interesse sério.
Se Portugal quisesse comprar novas fragatas no início da década de 1930, isso encaixa-se bem com o programa dos Países Baixos e da Bélgica.
Mas, mais uma vez, os orçamentos da defesa portuguesa não inundam.
Com programas de longo prazo há sempre incertezas, com Portugal parece haver ainda mais do que estamos habituados nos Países Baixos.
Veja a procura de 17 anos por um LPD português. Depois, há a incerteza da crise corona. Portanto, há uma carta de Portugal, resta saber se as encomendas virão de Portugal.

Portugal: wants to, but has shortages
Portugal filed a claim with the United Nations in 2009 for the extension of the Economic Exclusive Zone (EEZ). The waters covered by Portugal's new EEZ will, after approval by the UN, and Lisbon expects to be as much as 44 times larger than the country. A country that is double that of the Netherlands in terms of surface area.

With a larger EEZ there will also be greater obligations. If only because Spain does not agree with this increase, several Spanish fishing vessels have already been chased away by Portugal from 'their' EEZ. Modernization and expansion, that is what Portugal wants.

The Portuguese Navy is currently sailing with two former Dutch M frigates and three German MEKO frigates. Portugal is very satisfied with the M-frigates and also very happy with the Conservation Program (IP) of their first M-frigate. The second M frigate is currently in Den Helder for an IP as well.

But people want more. For years. Portugal has good plans for the navy and emerged well from the previous crisis. In 2019, plans were therefore resumed to reinforce the Portuguese fleet with six new patrol vessels, a Multipurpose Logistic Ship (or LPD) and a supply ship. The big problem, however, is money. The patrol ships are being built, but plans for a Landing Platform Dock (LPD) have been in place since 2003 and a design of the Scheldt has long been the main contender. However, there was no budget for this, the purchase of the ship has now been moved to 2022.

Kreiter
Discussions about cooperation on new frigates for Portugal and the Netherlands. The photo shows a Portuguese M frigate, even before the modernization. (Source: Twitter)

One of the few projects that Portugal has pursued is the modernization of the M frigates. Although there are reports that modernization has also been skimped on. However, the modernization is important for the Portuguese navy, because the frigates must in any case continue to sail until the 1930s. Then replacement is on the program. Portugal wants two to four new frigates.

In 2018 there were talks between DMO and Portugal about possible cooperation in the field of new frigates. Portugal, Marineschepen.nl understood from a source in 2019, would have serious interest. If Portugal wanted to purchase new frigates in the early 1930s, this would fit in nicely with the program of the Netherlands and Belgium.

But, again, Portuguese defense budgets are not overflowing. With such lengthy programs there are always uncertainties, with Portugal there seem to be even more than we are used to in the Netherlands. See the seventeen year long quest for a Portuguese LPD. Added to this is the uncertainty of the corona crisis. So a letter comes from Portugal, it remains to be seen whether orders will also come from Portugal


https://marineschepen.nl/dossiers/Wie-van-de-drie-derde-land-vervanging-M-fregatten050820.html

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 09, 2020, 12:55:53 am
1930s  :mrgreen:

Resumindo, no money no party!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 09, 2020, 08:44:41 am
Por outro lado,fragatas de 1930s devem ser baratuchas  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 09, 2020, 11:57:19 am
Pelo preço de um NPO construíam pelo menos 10.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 09, 2020, 10:37:07 pm
Então e os Buirke ?  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 10, 2020, 12:03:43 am
As VdG são melhores, especialmente na sua capacidade AAW e BMD! Para os estrategas deste país, comprar destroyeres Aegis seria regredir face às fragatas super complexas que temos hoje!  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Agosto 10, 2020, 01:47:46 am
Por outro lado,fragatas de 1930s devem ser baratuchas  :mrgreen:

E o pessoal ia adorar os 10 de Junho, um navio com tantos canhões, de certeza ia fazer furor ...  :mrgreen:

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 10, 2020, 09:32:13 am
Então e os Buirke ?  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

Foram pôr matrículas novas
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 10, 2020, 10:17:10 am
Os dois únicos meios de combate da marinha, e não só, com algum poder de dissuasão!!!


Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 10, 2020, 01:44:46 pm
E vem aí mais 6 navios complexos,
por  352 milhões.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 10, 2020, 01:47:17 pm
E vem aí mais 6 navios complexos,
por  352 milhões.

Não me digas que é agora que vem os AB/VdC ??? ::)

Abraços

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 10, 2020, 02:02:45 pm
E vem aí mais 6 navios complexos,
por  352 milhões.

Os grandiosos NPO 2000 ?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Agosto 10, 2020, 02:09:53 pm
São 350 milhões MUITO bem gastos, para mantermos uma frota pesqu..., quer dizer, uma marinha em topo de prontidão com tamanho poder de fogo e de capacidades que os NPO´s oferecem.
Afinal de contas, pensem nos acionistas da Martifer.
 c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Agosto 10, 2020, 03:12:30 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Agosto 10, 2020, 03:25:48 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

eh eh eh

Vou já preparar o tlm para tirar fotos deles a passar por baixo da 25 de Abril. :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Agosto 10, 2020, 03:32:03 pm
Vais ter que esperar, pelo menos, dois anos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: nelson38899 em Agosto 10, 2020, 03:59:51 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Qual é a previsão da ida da comissão para visitar os navios???
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 10, 2020, 04:54:09 pm
E vem aí mais 6 navios complexos,
por  352 milhões.

Ai vem? Muito me contas
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 10, 2020, 04:54:55 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Tópico Cavani do Fórum Defesa  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Agosto 10, 2020, 05:06:23 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Tópico Cavani do Fórum Defesa  :mrgreen:

Mais depressa vejo o Cavani no Glorioso...  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Agosto 10, 2020, 05:41:56 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Fonte? E o Mahan e o McFaul são Flight II, entrados ao serviço em 1998 e, portanto, só expiram os 35 anos de vida útil sem modernização em 2033... a US Navy iria mesmo concordar em abater dois navios com 20 e poucos anos?

Ab
João
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 10, 2020, 08:42:47 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Tópico Cavani do Fórum Defesa  :mrgreen:

Isto tornou-se no Fórum Delírios...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 10, 2020, 08:56:10 pm
Vou dar uma de Rui Pedro Brás e avançar em primeira mão que segundo fontes muito confiáveis virá também com os AB o USS Nimitz ( NRP D. Sebastião)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 10, 2020, 09:02:33 pm
Vou dar uma de Rui Pedro Brás e avançar em primeira mão que segundo fontes muito confiáveis virá também com os AB o USS Nimitz ( NRP D. Sebastião)

Assim já acredito nessas aquisições, é que estava a faltar algo, e trazem munições de 30mm também,  ou ficam para uma segunda encomenda ?? :mrgreen:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 10, 2020, 09:04:24 pm
E carregado com F-35B e radar de Banda Z (porque quanto mais para o fim do alfabeto estiver a letra melhor é o radar).
1000 Km de alcance (isso da curvatura da terra não interessa para nada.)

E já me esquecia!
Se não vier com a peça do Yamato nem vale a pena falar mais disso...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 10, 2020, 09:06:22 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

A cabeça diz que é sarcasmo/gozo, o coração diz que é verdade.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 10, 2020, 09:10:23 pm
E carregado com F-35B e radar de Banda Z (porque quanto mais para o fim do alfabeto estiver a letra melhor é o radar).
1000 Km de alcance (isso da curvatura da terra não interessa para nada.)

E já me esquecia!
Se não vier com a peça do Yamato nem vale a pena falar mais disso...

Ora foda-se quem fala assim não é gago, APOIADO !!! :G-beer2:
Essa merda da curvatura da terra para nos é " PEANURS ". :rir:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 10, 2020, 09:47:09 pm
E carregado com F-35B e radar de Banda Z (porque quanto mais para o fim do alfabeto estiver a letra melhor é o radar).
1000 Km de alcance (isso da curvatura da terra não interessa para nada.)

E já me esquecia!
Se não vier com a peça do Yamato nem vale a pena falar mais disso...

Desculpa, mas estás equivocado. A compra dos F-35B vem contemplada na compra do Wasp. O Nimitz vem, segundo fontes oficiais, com F-35C.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 10, 2020, 11:12:01 pm
(https://i.ibb.co/NYzZy6M/FB-IMG-15970973210451744.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 10, 2020, 11:21:10 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Fontes credíveis?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Agosto 11, 2020, 01:29:47 am
(https://images.impresa.pt/sicnot/2019-12-22-NUNO-ROGEIRO.JPG/fb/wm)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Agosto 11, 2020, 03:47:22 am
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Fonte? E o Mahan e o McFaul são Flight II, entrados ao serviço em 1998 e, portanto, só expiram os 35 anos de vida útil sem modernização em 2033... a US Navy iria mesmo concordar em abater dois navios com 20 e poucos anos?

Ab
João

Os rumores sempre referiram que se tratavam de navios entrados ao serviço em 98. E, ao que parece, a USN quer desfazer-se de todos os AB mais antigos por se tratarem de navios com radares banda S, que só garantem cobertura até à curvatura da terra. Ao que parece trata-se se uma ordem directa do presidente Trump.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 11, 2020, 04:33:25 am
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Tópico Cavani do Fórum Defesa  :mrgreen:

As minhas fontes são fidedignas!
Melhores que as do Rui  Pedro Bazado.
E os rumores já vem de outras « Silly seasons »
 :mrgreen:

Vamos todos rir, porque se choramos vamos todos morrer de depressão.
Mas que nunca acabe o vinho!

http://www.rtp.pt/madeira/sociedade/marinha-portuguesa-vai-ter-mais-seis-navios-patrulha-oceanicos-video_3515 (http://http://www.rtp.pt/madeira/sociedade/marinha-portuguesa-vai-ter-mais-seis-navios-patrulha-oceanicos-video_35153)

PS: porra! O link não abre!
Já parecem os comentadores do glorioso a apagar post’s sobre o JJ de 2015 e 2016.


Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Agosto 11, 2020, 07:22:31 am
e radar de Banda Z (porque quanto mais para o fim do alfabeto estiver a letra melhor é o radar).
1000 Km de alcance (isso da curvatura da terra não interessa para nada.)

Previlegios de se membro da "flat earth community", tens logo acesso a tecnologia vedada a outros.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: nelson38899 em Agosto 11, 2020, 09:01:23 am
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Fonte? E o Mahan e o McFaul são Flight II, entrados ao serviço em 1998 e, portanto, só expiram os 35 anos de vida útil sem modernização em 2033... a US Navy iria mesmo concordar em abater dois navios com 20 e poucos anos?

Ab
João

Os rumores sempre referiram que se tratavam de navios entrados ao serviço em 98. E, ao que parece, a USN quer desfazer-se de todos os AB mais antigos por se tratarem de navios com radares banda S, que só garantem cobertura até à curvatura da terra. Ao que parece trata-se se uma ordem directa do presidente Trump.

Não me parece que vamos ter sorte.

Citar
https://news.usni.org/2020/03/12/navy-considers-reversing-course-on-arleigh-burke-class-life-extension
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 11, 2020, 09:10:42 am
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Fonte? E o Mahan e o McFaul são Flight II, entrados ao serviço em 1998 e, portanto, só expiram os 35 anos de vida útil sem modernização em 2033... a US Navy iria mesmo concordar em abater dois navios com 20 e poucos anos?

Ab
João

Os rumores sempre referiram que se tratavam de navios entrados ao serviço em 98. E, ao que parece, a USN quer desfazer-se de todos os AB mais antigos por se tratarem de navios com radares banda S, que só garantem cobertura até à curvatura da terra. Ao que parece trata-se se uma ordem directa do presidente Trump.

Não me parece que vamos ter sorte.

Citar
https://news.usni.org/2020/03/12/navy-considers-reversing-course-on-arleigh-burke-class-life-extension

Exato,ainda por cima com a meta miníma de 355 navios.

Mas é "Bem feito" para não andarmos sempre atrás das ofertas dos outros, o estado e o MDN tem de decidir, se querem uma força naval dissuasora, ou capaz, ou se uma guarda costeira com NPO serve, se assim for, não vale a pena gastar mais saliva com isto.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 11, 2020, 09:11:11 am
(https://images.impresa.pt/sicnot/2019-12-22-NUNO-ROGEIRO.JPG/fb/wm)

: )
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 11, 2020, 09:20:02 am
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Fonte? E o Mahan e o McFaul são Flight II, entrados ao serviço em 1998 e, portanto, só expiram os 35 anos de vida útil sem modernização em 2033... a US Navy iria mesmo concordar em abater dois navios com 20 e poucos anos?

Ab
João

Os rumores sempre referiram que se tratavam de navios entrados ao serviço em 98. E, ao que parece, a USN quer desfazer-se de todos os AB mais antigos por se tratarem de navios com radares banda S, que só garantem cobertura até à curvatura da terra. Ao que parece trata-se se uma ordem directa do presidente Trump.

Não me parece que vamos ter sorte.

Citar
https://news.usni.org/2020/03/12/navy-considers-reversing-course-on-arleigh-burke-class-life-extension

Exato,ainda por cima com a meta miníma de 355 navios.

Mas é "Bem feito" para não andarmos sempre atrás das ofertas dos outros, o estado e o MDN tem de decidir, se querem uma força naval dissuasora, ou capaz, ou se uma guarda costeira com NPO serve, se assim for, não vale a pena gastar mais saliva com isto.

Mas o que é falado na notícia em nada impede que disponibilizem 2 AB, nem que optemos nós pelo upgrade para os 45 anos de vida útil. Aliás, o custo deste upgrade não é nada por aí além.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 11, 2020, 10:25:25 am
Nivel de Trollanço: Épico!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 11, 2020, 12:23:21 pm
O pessoal desliza na maionese com uma facilidade assustadora tal é o estado da Defesa em Portugal... ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 11, 2020, 12:28:26 pm
O pessoal desliza na maionese com uma facilidade assustadora tal é o estado da Defesa em Portugal... ::)

Acredito tanto nesses ABs como no coelho da Páscoa  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 11, 2020, 12:30:40 pm
Não acredito que o NVF viesse para aqui "trollar", no entanto, se a "fonte" é o Nuno Rogeiro, acabei de ficar com sérias dúvidas....  :bang:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 11, 2020, 01:16:02 pm
O pessoal desliza na maionese com uma facilidade assustadora tal é o estado da Defesa em Portugal... ::)

Acredito tanto nesses ABs como no coelho da Páscoa  :mrgreen:

Estava a ver que era só eu, assim fico mais descansado..... :bang:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 11, 2020, 02:24:09 pm
Vendo os últimos dois NPO, os Patrulhas, a modernização das Bartolomeu Dias e dos Lynx, acho que pudemos dizer com alguma certeza de que isso não vai acontecer.

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Agosto 11, 2020, 03:02:30 pm
Com a vinda dos 2 AB Rabat até treme car****!!!!  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 11, 2020, 03:14:58 pm
Equipados com uns Tomahawks, imaginem a freedom que vamos espalhar por esse mundo fora!!  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Agosto 11, 2020, 03:29:15 pm
É o Quinto Império!!!  :headb:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Agosto 11, 2020, 03:34:43 pm
Já foram escolhidos: USS Mahan DDG-72 (futuro NRP Afonso de Albuquerque) e USS McFaul DDG-74 (futuro NRP Duarte Pacheco Pereira).

Fonte? E o Mahan e o McFaul são Flight II, entrados ao serviço em 1998 e, portanto, só expiram os 35 anos de vida útil sem modernização em 2033... a US Navy iria mesmo concordar em abater dois navios com 20 e poucos anos?

Ab
João

Os rumores sempre referiram que se tratavam de navios entrados ao serviço em 98. E, ao que parece, a USN quer desfazer-se de todos os AB mais antigos por se tratarem de navios com radares banda S, que só garantem cobertura até à curvatura da terra. Ao que parece trata-se se uma ordem directa do presidente Trump.

Não tem nada a ver com desejos ou ordens do homem laranja, até porque só a partir do Flight III os AB vão passar after radar AESA, o AMDR; todos os outros 62 (and counting...) incluindo os Flight IIA a terminarem de serem produzidos actualmente têm radar SPY-1 PESA de banda S que não faz controlo de tiro... o que se passa é que a US Navy não tem dinheiro para tudo, especialmente com os custos dos Columbia que vão começar a doer a sério já este ano, e a forma que encontraram de reduzir custos e pressionar o congresso, foi abandonar os planos de extensão de vida dos AB I e II dos 35 para os 45 anos, abatendo-os à medida que chegarem aos 35 anos de vida entre 2025 e 2034. É claro que já há confusão por aqui, porque isso põe em causa o objectivo dos 355 navios... O CNO até já foi chamado ao Congresso para se explicar... mas essa é a principal razão porque acho que as notícias da possível vinda de 2 deles para Portugal  até podem ser verdade... a US Navy quer desfazer-se deles, mas veria com muitos bons olhos mantê-los nas ordens de batalha de aliados (também se fala de um negócio semelhante para a Grécia), os quais seriam responsáveis pelas modernizações e extensões de vida... agora, se nós vamos querer, ou se somos demasiado “finos”, isso são outros  quinhentos...

Quanto ao Mahan e McFaul, são ambos Flight II, com extensão de vida poderiam ir até 2043, o que seria ótimo, só não sei se a US Navy quereria ficar já sem eles, quando ainda têm mais de 10 anos da vida útil original e já estão os dois modernizados e preparados para ABM (o McFaul de certeza, mas acho que o Mahan também)... parece-me muita fruta... eu apostaria em navios mais antigos, Flight I ou, a virem estes dois, o mais provável seria quando se acabar a vida útil dos NPO VdG, lá para 2030...

Ab
Joao
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Agosto 11, 2020, 04:17:29 pm
Só mais uma achega relativamente a este assunto: o negócio poder-se-ia fazer sem despesa adicional para o Estado  Português.

A extensão de vida custa $170 milhões por navio; assumindo que também teríamos que comprar os ESSM em quantidade suficiente (porque os SM-2 III A/B podem vir dos stocks da US Navy, que os está a substituir por IIIC de guiagem ativa e por SM-6), a coisa ficaria sempre abaixo dos 400 milhões €... De onde poderia vir este dinheiro?

1. A “modernização” da VdG tem atribuídos 135 milhões.

2. A venda das 3 VdG poderia render mais uns 80-90 milhões.

3. Desistir do LPM e transferir esses dinheiro para este negócio são mais 150 milhões.

4.  Resolverem comprar um Ruler seriam mais uns 50-75 milhões, no máximo, o que libertaria mais outros 75-100.

E pronto, se houvesse vontade, comprava-se um Ruler e libertavam-se cerca de 450 milhões € para os AB, o que chega e sobra... ainda dava para as Marlin dos VdC...

Concluindo, dinheiro há, agora seria preciso haver vontade...

Ab
Joao

P.S.- Os AB com extensão de vida reduzem a guarnição para cerca de 250 pessoas, pelo que as três guarnições das VdG chegam para dois AB sem haver lugar a despesa adicional com pessoal ou a necessidade de recrutar mais gente...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Agosto 11, 2020, 04:24:27 pm
Só por curiosidade, por 450 milhões haverá nos próximos 3/5 anos algo no mercado...? E, após modernização, temos navios para quantos anos de navegação?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Agosto 11, 2020, 04:50:01 pm
Só por curiosidade, por 450 milhões haverá nos próximos 3/5 anos algo no mercado...? E, após modernização, temos navios para quantos anos de navegação?
A extensão de vida é para 45 anos... o Mahan e o McFaul entraram ao serviço em 1998, portanto estamos a falar de extensão até 2043, pelo menos...

E nos próximos anos no mercado de usados não vai haver nada por este preço e muito menos com esta capacidade...

Ab
João
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 11, 2020, 05:31:55 pm
Uma Marinha que pelas aparências não tem dinheiro para 2 marlin 30mm nem para pôr o quarto Tejo operacional, vai operar 2 ABs?

Não me levem a mal, até gostaria que fosse verdade, mas pura e simplesmente não acredito nem por um segundo nisso!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Agosto 11, 2020, 06:10:42 pm
Uma Marinha que pelas aparências não tem dinheiro para 2 marlin 30mm nem para pôr o quarto Tejo operacional, vai operar 2 ABs?

Não me levem a mal, até gostaria que fosse verdade, mas pura e simplesmente não acredito nem por um segundo nisso!
O papel de forae como este é gerar discussão (saudável) entre entusiastas de um assunto... se fôssemos ficar presos à realidade, não haveria fórum, porque pouca gente se interessa por assuntos de defesa, não dá votos, pelo que não se consegues ter uma política de aquisição pró-activa, mas apenas reactiva, para tapar buracos... eu acho sinceramente que um tópico que falta aqui é sobre “fantasy fleets”, onde o pessoal possa dar largas à imaginação...

Ab
João
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 11, 2020, 06:21:57 pm
Uma Marinha que pelas aparências não tem dinheiro para 2 marlin 30mm nem para pôr o quarto Tejo operacional, vai operar 2 ABs?

Não me levem a mal, até gostaria que fosse verdade, mas pura e simplesmente não acredito nem por um segundo nisso!

Mas quem é que acredita nessa mais que impossível aquisição ???
Mas algum dia a marinha tinha verba para adquirir e manter os dois destroyers, quando a Marinha não tem capacidade financeira de comprar duas marlin, de colocar operacional o quarto Tejo, de reequipar com armamento individual novo e dotar de VBTP o CF, e de comprar em segunda mão o substituto do NRP Bérrio, esta ultima prioridade das prioridades ??

Abraços
Quem nos alcunhou de lunáticos agora deve estar a rir a bandeiras despregadas, e com toda a razão.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Agosto 11, 2020, 06:31:50 pm
Uma Marinha que pelas aparências não tem dinheiro para 2 marlin 30mm nem para pôr o quarto Tejo operacional, vai operar 2 ABs?

Não me levem a mal, até gostaria que fosse verdade, mas pura e simplesmente não acredito nem por um segundo nisso!

Mas quem é que acredita nessa mais que impossível aquisição ???
Mas algum dia a marinha tinha verba para adquirir e manter os dois destroyers, quando a Marinha não tem capacidade financeira de comprar duas marlin, de colocar operacional o quarto Tejo, de reequipar com armamento individual novo e dotar de VBTP o CF, e de comprar em segunda mão o substituto do NRP Bérrio, esta ultima prioridade das prioridades ??

Abraços
Quem nos alcunhou de lunáticos agora deve estar a rir a bandeiras despregadas, e com toda a razão.
Acho que, infelizmente, todos concordamos com essa verdade óbvia , mas isso não é impeditivo que se debatam outros cenários em forae como este... A não ser que um de nós passe a MinDef, só vamos andar aqui por carolice... se só vamos andar armados em Calimeros (lembram-se?), andamos aqui a debater nestes tópicos todos para quê, só para dizer mal e libertar frustrações? Para isso prefiro dizer mal das coisas a beber uns copos, pelo menos divirto-me... 😁

Ab
João
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 11, 2020, 10:49:57 pm
Só por curiosidade, por 450 milhões haverá nos próximos 3/5 anos algo no mercado...? E, após modernização, temos navios para quantos anos de navegação?

Haver até era capaz de haver, mas navios muito pouco capazes e cuja evolução seria mínima face aos actuais navios. Falo das duas restante M holandesas, 2/3 Type 23 (talvez os melhores dentro das possibilidades, mas com armamentos completamente diferentes dos que usamos), as Anzac caso os Australianos as despachassem mais cedo... Melhor que isto, teríamos de esperar por 2030, altura em que DZPs, Álvaro Bazans e companhia, mas mesmo nessa altura, seria tudo navios com praticamente 30 anos.

Uma Marinha que pelas aparências não tem dinheiro para 2 marlin 30mm nem para pôr o quarto Tejo operacional, vai operar 2 ABs?

Não me levem a mal, até gostaria que fosse verdade, mas pura e simplesmente não acredito nem por um segundo nisso!

Mas quem é que acredita nessa mais que impossível aquisição ???
Mas algum dia a marinha tinha verba para adquirir e manter os dois destroyers, quando a Marinha não tem capacidade financeira de comprar duas marlin, de colocar operacional o quarto Tejo, de reequipar com armamento individual novo e dotar de VBTP o CF, e de comprar em segunda mão o substituto do NRP Bérrio, esta ultima prioridade das prioridades ??

Abraços
Quem nos alcunhou de lunáticos agora deve estar a rir a bandeiras despregadas, e com toda a razão.

Isso é tudo mito. Porque o dinheiro há, as Marlin do segundo par de NPO, os Tejo e o upgrade das BD já estavam planeados e contratualizados bem antes da presente LPM, se não foram cumpridos, ainda antes da pandemia, foi por falta de vontade e não de dinheiro. No caso das Marlin por exemplo, não estamos a falar de algo estupidamente dispendioso e que iria afundar a economia, não compraram porque não quiseram.

Quanto aos AB, sim, a probabilidade não está a nosso favor, mas isto aplica-se a qualquer aquisição militar que represente um ganho qualitativo. Mas uma coisa é certa, terão de se tomar decisões face às VdG, pois neste momento são OPVs glorificados e dispendiosos, e gastar 135 milhões no seu upgrade é um desperdício completo, ou vêm ABs ou não vem nada e vamos continuar com 3 Meko iguais ao seu estado original nos anos 90.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Agosto 11, 2020, 10:59:45 pm
Bem, duas AB sempre davam pra mater pelo menos Rabat ao longe.
"Ai e tal nós temos uma FREMM"
That´s cute.

(https://i1.ytimg.com/vi/J0jD8Swl3h8/maxresdefault.jpg)

 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 11, 2020, 11:03:59 pm
Uma Marinha que pelas aparências não tem dinheiro para 2 marlin 30mm nem para pôr o quarto Tejo operacional, vai operar 2 ABs?

Não me levem a mal, até gostaria que fosse verdade, mas pura e simplesmente não acredito nem por um segundo nisso!

Concordo! Já viste caro P44 qual não seria o custo da modernização e adaptação às especificidades da Marinha portuguesa!??
Ter que retirar o AEGIS ..... trocar o VLS por dois canhões de água..... muito trabalho e muito custoso!
Seria uma modernização muito cara!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 11, 2020, 11:20:49 pm
Só por curiosidade, por 450 milhões haverá nos próximos 3/5 anos algo no mercado...? E, após modernização, temos navios para quantos anos de navegação?

Haver até era capaz de haver, mas navios muito pouco capazes e cuja evolução seria mínima face aos actuais navios. Falo das duas restante M holandesas, 2/3 Type 23 (talvez os melhores dentro das possibilidades, mas com armamentos completamente diferentes dos que usamos), as Anzac caso os Australianos as despachassem mais cedo... Melhor que isto, teríamos de esperar por 2030, altura em que DZPs, Álvaro Bazans e companhia, mas mesmo nessa altura, seria tudo navios com praticamente 30 anos.

Uma Marinha que pelas aparências não tem dinheiro para 2 marlin 30mm nem para pôr o quarto Tejo operacional, vai operar 2 ABs?

Não me levem a mal, até gostaria que fosse verdade, mas pura e simplesmente não acredito nem por um segundo nisso!

Mas quem é que acredita nessa mais que impossível aquisição ???
Mas algum dia a marinha tinha verba para adquirir e manter os dois destroyers, quando a Marinha não tem capacidade financeira de comprar duas marlin, de colocar operacional o quarto Tejo, de reequipar com armamento individual novo e dotar de VBTP o CF, e de comprar em segunda mão o substituto do NRP Bérrio, esta ultima prioridade das prioridades ??

Abraços
Quem nos alcunhou de lunáticos agora deve estar a rir a bandeiras despregadas, e com toda a razão.

Isso é tudo mito. Porque o dinheiro há, as Marlin do segundo par de NPO, os Tejo e o upgrade das BD já estavam planeados e contratualizados bem antes da presente LPM, se não foram cumpridos, ainda antes da pandemia, foi por falta de vontade e não de dinheiro. No caso das Marlin por exemplo, não estamos a falar de algo estupidamente dispendioso e que iria afundar a economia, não compraram porque não quiseram.

Quanto aos AB, sim, a probabilidade não está a nosso favor, mas isto aplica-se a qualquer aquisição militar que represente um ganho qualitativo. Mas uma coisa é certa, terão de se tomar decisões face às VdG, pois neste momento são OPVs glorificados e dispendiosos, e gastar 135 milhões no seu upgrade é um desperdício completo, ou vêm ABs ou não vem nada e vamos continuar com 3 Meko iguais ao seu estado original nos anos 90.

Dc, com vontade ou nao o que aconteceu foi que nenhuma das necessidades da Marinha, afloradas por mim foi concretizada, essa é a verdade e vocês ainda sonham com AB com um custo nunca inferior a 450 milhões fora upgrades??

Pelo amor da Santa, haja um pouco de realismo quanto à situação em que a marinha se encontra, adquirir dois navios cujos custos de operação e mnt sao proibitivos para uma marinha como a nossa que nem um AOR possui ?

Mas vocês andam a fumar o quê ?

As duas trampas das duas marlin foram orcamentadas em 2017 e tu falas em falta vontade?
Os dois NPO andam desarmados há N tempo e falam em falta de vontade?

Os fuzos não tem Pandur nem viaturas decentes, nem armamento actual e falam em falta de vontade ?

Nao se substituí um AOR E falam em falta de vontade ?

Nao há dinheiro para por operacional uma merda de uma LFC, e é falta de vontade?

Epa vejam bem a realidade das nossas FFAA e reflitam um pouco, deixem se de ideias e planos  não concretizaveis.

Construam a casa pela base e não pelo telhado. :mrgreen:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Clausewitz em Agosto 11, 2020, 11:26:45 pm
eu acho sinceramente que um tópico que falta aqui é sobre “fantasy fleets”, onde o pessoal possa dar largas à imaginação...

Todos os tópicos deste fórum são sobre fantasy fleets, fantasy air forces, fantasy armies e fantasy wars e o que não falta aqui é dar largas à imaginação. De Apaches a HIMARS, de Avengers a A330 é um vê se te avias.

Sobre o tema das Arleigh Burke, deixa-me ver se eu entendo, a Marinha passaria directamente de fragatas de 3000 tn de deslocamento para uma bisarma de 9000 tn sem passar pela casa partida, reduzindo o número de cascos nos principais meios combatentes da esquadra (escolta e luta anti-submarina). A Marinha que anda com NPOs e Patrulhas capados e nos mínimos de equipamento, com as fragatas presas por arames e com modernizações para as calendas gregas, sem AOR, com os Fuzileiros de G3 e Toyota de caixa aberta. É esta Marinha certo? Que outras coisas ficariam pelo caminho para terem narta para atestar os bichos e pôr aquilo a navegar?
Eu sinceramente acho que faz sentido e compreendo o entusiasmo do fórum. Isto é o equivalente ao tuga pelintra que não tem onde cair morto mas compra um mercedes dos anos 90 com 350 mil km rodados. Não tem dinheiro para seguro, manutenção, tem uma casa abarracada, mas alto lá que não é qualquer carro que lhe passa pelas mãozinhas. Tuga vintage.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 12, 2020, 12:28:42 am
Só um fantasy acabar com esta corja corrupta que tomou conta do país, é que não há...

Porque enquanto isso não mudar esqueçam qualquer investimento, reforma ou modernização digna desse nome.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 12, 2020, 08:32:23 am
Só um fantasy acabar com esta corja corrupta que tomou conta do país, é que não há...

Porque enquanto isso não mudar esqueçam qualquer investimento, reforma ou modernização digna desse nome.

Ou seja, nunca.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 12, 2020, 09:41:08 am
Só por curiosidade, por 450 milhões haverá nos próximos 3/5 anos algo no mercado...? E, após modernização, temos navios para quantos anos de navegação?

Haver até era capaz de haver, mas navios muito pouco capazes e cuja evolução seria mínima face aos actuais navios. Falo das duas restante M holandesas, 2/3 Type 23 (talvez os melhores dentro das possibilidades, mas com armamentos completamente diferentes dos que usamos), as Anzac caso os Australianos as despachassem mais cedo... Melhor que isto, teríamos de esperar por 2030, altura em que DZPs, Álvaro Bazans e companhia, mas mesmo nessa altura, seria tudo navios com praticamente 30 anos.

Uma Marinha que pelas aparências não tem dinheiro para 2 marlin 30mm nem para pôr o quarto Tejo operacional, vai operar 2 ABs?

Não me levem a mal, até gostaria que fosse verdade, mas pura e simplesmente não acredito nem por um segundo nisso!

Mas quem é que acredita nessa mais que impossível aquisição ???
Mas algum dia a marinha tinha verba para adquirir e manter os dois destroyers, quando a Marinha não tem capacidade financeira de comprar duas marlin, de colocar operacional o quarto Tejo, de reequipar com armamento individual novo e dotar de VBTP o CF, e de comprar em segunda mão o substituto do NRP Bérrio, esta ultima prioridade das prioridades ??

Abraços
Quem nos alcunhou de lunáticos agora deve estar a rir a bandeiras despregadas, e com toda a razão.

Isso é tudo mito. Porque o dinheiro há, as Marlin do segundo par de NPO, os Tejo e o upgrade das BD já estavam planeados e contratualizados bem antes da presente LPM, se não foram cumpridos, ainda antes da pandemia, foi por falta de vontade e não de dinheiro. No caso das Marlin por exemplo, não estamos a falar de algo estupidamente dispendioso e que iria afundar a economia, não compraram porque não quiseram.

Quanto aos AB, sim, a probabilidade não está a nosso favor, mas isto aplica-se a qualquer aquisição militar que represente um ganho qualitativo. Mas uma coisa é certa, terão de se tomar decisões face às VdG, pois neste momento são OPVs glorificados e dispendiosos, e gastar 135 milhões no seu upgrade é um desperdício completo, ou vêm ABs ou não vem nada e vamos continuar com 3 Meko iguais ao seu estado original nos anos 90.

Dc, com vontade ou nao o que aconteceu foi que nenhuma das necessidades da Marinha, afloradas por mim foi concretizada, essa é a verdade e vocês ainda sonham com AB com um custo nunca inferior a 450 milhões fora upgrades??

Pelo amor da Santa, haja um pouco de realismo quanto à situação em que a marinha se encontra, adquirir dois navios cujos custos de operação e mnt sao proibitivos para uma marinha como a nossa que nem um AOR possui ?

Mas vocês andam a fumar o quê ?

As duas trampas das duas marlin foram orcamentadas em 2017 e tu falas em falta vontade?
Os dois NPO andam desarmados há N tempo e falam em falta de vontade?

Os fuzos não tem Pandur nem viaturas decentes, nem armamento actual e falam em falta de vontade ?

Nao se substituí um AOR E falam em falta de vontade ?

Nao há dinheiro para por operacional uma merda de uma LFC, e é falta de vontade?

Epa vejam bem a realidade das nossas FFAA e reflitam um pouco, deixem se de ideias e planos  não concretizaveis.

Construam a casa pela base e não pelo telhado. :mrgreen:

Abraços


E a culpa disso é de quem? Se as peças eram para ser adquiridas em 2017, só não se comprou por incompetência, o que é completamente diferente de falta de dinheiro. Aqui no fórum resta-nos exigir um pouco menos de incompetência a quem manda, e isso não se resolve deixando de discutir opções que consideremos ou não adequadas para as FAs.

Além disso, o custo de aquisição dos AB não é assim tão absurdo quanto se pensa. Ora se os navios forem "cedidos" ou vendidos por um valor simbólico, esses 450 milhões são para o upgrade (na verdade é menos que isso, sendo 450 já a contar com algumas dezenas de ESSM Block 2). Por este valor, mesmo que arredondemos para 500 milhões o valor final, ficávamos mal servidos até 2043? Certamente que não já que a outra opção é, inevitavelmente, navegar às Meko até apodrecerem. As Marlin, o Wave, as armas ligeiras dos Fuzos e respectivos 4x4 blindados, é de fácil execução, haja, lá está, vontade. Com os 150 milhões para o AOR "novo", realizavam todos estes programas e ainda sobrava 50 milhões ou mais.

Já os custos de operação destes dois navios, que é o maior problema, não devia ser para uma Marinha que quer ter 5 fragatas envelhecidas e relativamente caras de operar (face às suas capacidades), mais um LPD de 170 metros...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 12, 2020, 10:46:04 am
eu acho sinceramente que um tópico que falta aqui é sobre “fantasy fleets”, onde o pessoal possa dar largas à imaginação...

Todos os tópicos deste fórum são sobre fantasy fleets, fantasy air forces, fantasy armies e fantasy wars e o que não falta aqui é dar largas à imaginação. De Apaches a HIMARS, de Avengers a A330 é um vê se te avias.

Sobre o tema das Arleigh Burke, deixa-me ver se eu entendo, a Marinha passaria directamente de fragatas de 3000 tn de deslocamento para uma bisarma de 9000 tn sem passar pela casa partida, reduzindo o número de cascos nos principais meios combatentes da esquadra (escolta e luta anti-submarina). A Marinha que anda com NPOs e Patrulhas capados e nos mínimos de equipamento, com as fragatas presas por arames e com modernizações para as calendas gregas, sem AOR, com os Fuzileiros de G3 e Toyota de caixa aberta. É esta Marinha certo? Que outras coisas ficariam pelo caminho para terem narta para atestar os bichos e pôr aquilo a navegar?
Eu sinceramente acho que faz sentido e compreendo o entusiasmo do fórum. Isto é o equivalente ao tuga pelintra que não tem onde cair morto mas compra um mercedes dos anos 90 com 350 mil km rodados. Não tem dinheiro para seguro, manutenção, tem uma casa abarracada, mas alto lá que não é qualquer carro que lhe passa pelas mãozinhas. Tuga vintage.

O problema é que este pelintra, tem dinheiro para ir ao casino, casa com garagem dupla, com piscina, e ainda uma segunda casa de férias no Algarve, ou seja, luxos e manias, mas depois diz que não tem dinheiro para comer e anda de Fiat Uno sem uma das rodas, tinta de ferrugem, etc. Se não há dinheiro para dois AB, então não há dinheiro para as N empresas que dão prejuízo ao Estado, e muito menos para a renovação da frota de carros do Estado.

Nós esquecemo-nos que há 15 anos atrás, num país que não era rico, só nas forças armadas andávamos com 7 corvetas, 5 fragatas, sei lá quantos Cacine, e tantos outros meios navais, aéreos e terrestres que eram tudo menos baratos de operar e manter. Com o mesmo orçamento que havia para tudo isso há 15 anos atrás, hoje conseguias operar 8 NPO, 2 BD, 2 AB, 2/3 Tridente, 1 AOR, 1 LST, 5 LFC e se calhar ainda sobrava. É avaliar a poupança em custos de operar ao passar de Corvetas para NPO, Cacine para LFC, 3 VdG para 2 AB, AOR de 50 anos para AOR de 15/20...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 13, 2020, 12:54:56 am
 :arrow: https://www.defensenews.com/naval/2020/03/17/cost-of-upgrading-the-arleigh-burke-destroyers-may-not-be-worth-it-navy-says/ (https://www.defensenews.com/naval/2020/03/17/cost-of-upgrading-the-arleigh-burke-destroyers-may-not-be-worth-it-navy-says/)


 :arrow: https://www.naval.com.br/blog/2010/08/03/bae-systems-vai-modernizar-destroieres-da-classe-arleigh-burke/ (https://www.naval.com.br/blog/2010/08/03/bae-systems-vai-modernizar-destroieres-da-classe-arleigh-burke/)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Agosto 13, 2020, 05:24:28 pm
Vocês falam mal, mas a malta anda cansada de acumular cargos:
Citar
Segundo-tenente da classe de Administração Naval SARA ALEXANDRA MORAIS MAGALHÃES,onde desempenhou, de forma exemplar, os cargos de Chefe de Serviço de Abastecimento e Diretora da Cantina, em acumulação com os cargos de Oficial de Relações Públicas e Flight Deck Officer (FDO).

São uns que valem por três. c56x1
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2020, 06:03:17 pm
a função de FDO deve ter sido a mais exigente de todas com a quantidade de helis que operaram no navio.

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 14, 2020, 11:15:03 am
Da para formar um Battle Group de zebros, para ir ajudar a Ex colônia tomada de assalto por extremistas do ISIS??

Ups! A ex potência marítima com um império global,  hoje em dia não consegue ir mais longe que  Cabo Verde.....
Um  ultraje à nossa história!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 14, 2020, 11:37:08 am
Ainda ressuscitam o Bérrio só para dar gasosa aos nossos poderosos NPO. Os rebeldes do ISIS vêem um navio cinzento com duas .50 a aproximar-se do porto, borram-se todos!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 14, 2020, 12:26:12 pm
Ainda ressuscitam o Bérrio só para dar gasosa aos nossos poderosos NPO. Os rebeldes do ISIS vêem um navio cinzento com duas .50 a aproximar-se do porto, borram-se todos!

Chegam là mais depressa os franceses para protegerem as dezenas de biliões de contratos  da TOTAL no Gaz natural .
Talvez a gente possa ir na Task Force como tradutores!

 :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 14, 2020, 02:50:51 pm
Ainda ressuscitam o Bérrio só para dar gasosa aos nossos poderosos NPO. Os rebeldes do ISIS vêem um navio cinzento com duas .50 a aproximar-se do porto, borram-se todos!

Chegam là mais depressa os franceses para protegerem as dezenas de biliões de contratos  da TOTAL no Gaz natural .
Talvez a gente possa ir na Task Force como tradutores!

 :mrgreen:

Tradutores de maconde, de suaíli ou de árabe?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 14, 2020, 03:35:39 pm
Ainda ressuscitam o Bérrio só para dar gasosa aos nossos poderosos NPO. Os rebeldes do ISIS vêem um navio cinzento com duas .50 a aproximar-se do porto, borram-se todos!

Chegam là mais depressa os franceses para protegerem as dezenas de biliões de contratos  da TOTAL no Gaz natural .
Talvez a gente possa ir na Task Force como tradutores!

 :mrgreen:

Desculpa discordar, mas os navios franceses não são complexos o suficiente para a missão. Exige-se capacidades de topo, e só os NPO cumprem! Imagina ter que desembarcar uma força anfíbia de um Mistral? Até parecia mal!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 14, 2020, 06:47:02 pm

Chegam là mais depressa os franceses para protegerem as dezenas de biliões de contratos  da TOTAL no Gaz natural .


Ora finalmente alguém que toca no tema que realmente interessa!  ;)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: magator em Agosto 14, 2020, 09:01:31 pm
os françeses sabem onde se situa a costa do moçambique , sobretudo a empresa total , so que no momento em que isto se passa a frança ja tem muito para fazer no mali , no libano , e agora com a turquia . nao se esquecer que a franca tem muitos territorios do ultramar como a isla da réunion y otras ao lado da zona maritima do moçambique. e o que se passa na isla Maurice tambèm a franca envio um navio de apoio logistico na zona onde o barco japonese se afundo . so para lembrar a gente que tudo isto esta sob controlo  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 14, 2020, 09:17:15 pm

Chegam là mais depressa os franceses para protegerem as dezenas de biliões de contratos  da TOTAL no Gaz natural .


Ora finalmente alguém que toca no tema que realmente interessa!  ;)

Meu caro HSMW
Não é difícil tirar conclusões.
Ha um total de 60 biliões de dólares em contratos de exploração de Gaz a serem negociados em Cabo Delgado

Em 17 de julho a Total  fechou um financiamento de 23 biliões de US$ num Projeto de exploração de Gaz
A ExxonMobile  preparava-se para investir o dobro.
Um mês depois o região cai em mãos de insurgentes........
É só somar 1+1 

Alguém usa e muito bem estes patetas acéfalos pseudo extremistas islâmicos, como os do vídeo no Twitter para servir os seu interesses.
É assim em todo lado.

Parece mais uma cena do gato fedorento.
Repara no artista da esquerda em chinelos.
http://twitter.com/emorier/status/1243082181100163072?s=20 (http://twitter.com/emorier/status/1243082181100163072?s=20)

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Agosto 16, 2020, 02:56:37 pm
AB? Nem as Marlin de 6 milhões aparecem (nem falo nos 2 Tejo que continuam encostados)...  :mrgreen: :mrgreen:

(https://www.marinha.pt/pt/media-center/Noticias/Imagens%20Noticias/NAVIOS/NRP%20Sines/sines.jpg)

(https://pescazores.com/wp-content/uploads/2016/05/56486790-1-404x227@2x.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 16, 2020, 03:43:57 pm
Segundo o nosso amigo VB  360,


https://twitter.com/Defence360/status/1293120269113008128?s=20 (https://twitter.com/Defence360/status/1293120269113008128?s=20)
 :bang: :bang: :bang: :bang:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 16, 2020, 04:42:44 pm
Que desperdício de verbas para as VdG.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 16, 2020, 05:33:39 pm
Por isso esqueçam os AB, vai ser Vdg até o casco apodrecer!


Grandes pensadores na nossa MdG e MDN !  :G-beer2:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 16, 2020, 05:59:48 pm
 ::)

https://www.facebook.com/113227210143207/posts/197687881697139/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 16, 2020, 06:02:11 pm
Segundo o nosso amigo VB  360,


https://twitter.com/Defence360/status/1293120269113008128?s=20 (https://twitter.com/Defence360/status/1293120269113008128?s=20)
 :bang: :bang: :bang: :bang:

Gostava de saber detalhes da modernização ( o quê mais precisamente) mas já se sabe que nesta Marinha poderosíssima com meios ultra modernos isso nunca vai acontecer, nem vale a pena perguntar
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 16, 2020, 06:03:12 pm
Que desperdício de verbas para as VdG.

Como é que sabes que é desperdício? Nem sabes o que é que vai ser modernizado :-X
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 16, 2020, 09:04:10 pm
::)

https://www.facebook.com/113227210143207/posts/197687881697139/

Mais um problema para ser resolvido com o MLU. Isto mais o paiol de vinho, vai metade do orçamento.  ::)

Segundo o nosso amigo VB  360,


https://twitter.com/Defence360/status/1293120269113008128?s=20 (https://twitter.com/Defence360/status/1293120269113008128?s=20)
 :bang: :bang: :bang: :bang:

Gostava de saber detalhes da modernização ( o quê mais precisamente) mas já se sabe que nesta Marinha poderosíssima com meios ultra modernos isso nunca vai acontecer, nem vale a pena perguntar

Confidencial, por aquele valor o engenho tuga transforma aquilo num Ticonderoga (ou um Tio com droga).

Que desperdício de verbas para as VdG.

Como é que sabes que é desperdício? Nem sabes o que é que vai ser modernizado :-X

Porque com 40 milhões/navio, não fazes grande coisa, é só mesmo pra encher chouriços.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Agosto 16, 2020, 10:00:49 pm
Mania de dizer mal.   :mrgreen: :mrgreen: 40 milhões/navio só ficam para aí a 80 milhões do upgrade mais barato (o grego).  :mrgreen: :mrgreen:

https://en.wikipedia.org/wiki/Hydra-class_frigate (https://en.wikipedia.org/wiki/Hydra-class_frigate)

Citar
The Navy had proposed a mid-life modernization program with a cost of 400 million

(https://www.seaforces.org/marint/Hellenic-Navy/Frigate/Hydra-class_DAT/Hydra-class-armament-02.jpg)

(https://1.bp.blogspot.com/-T5ztko7nUQs/Xc12X3dvYuI/AAAAAAAAPL8/cPijyMXFChAIqYLKa7BOHv99gB3E4aVmQCNcBGAsYHQ/s1600/Upgrade%2BMEKO%2B200HN.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 16, 2020, 10:58:22 pm
O que eu estou a ver é estes génios dizerem "não" às opções em segunda-mão aqui faladas, sob a premissa deste pseudo-MLU às VdG e no fim, em 2030, nem MLU nem navios novos/semi-novos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Agosto 16, 2020, 11:11:02 pm
Segundo o nosso amigo VB  360,


https://twitter.com/Defence360/status/1293120269113008128?s=20 (https://twitter.com/Defence360/status/1293120269113008128?s=20)
 :bang: :bang: :bang: :bang:

Gostava de saber detalhes da modernização ( o quê mais precisamente) mas já se sabe que nesta Marinha poderosíssima com meios ultra modernos isso nunca vai acontecer, nem vale a pena perguntar

A modernização das VdG foi pedida pelos políticos(oposição) e não pedida pelos militares, O que vai ser atualizado foi o que a Thales Portugal pediu.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 17, 2020, 04:04:05 pm
O que eu estou a ver é estes génios dizerem "não" às opções em segunda-mão aqui faladas, sob a premissa deste pseudo-MLU às VdG e no fim, em 2030, nem MLU nem navios novos/semi-novos

As VdG vão durar 40+ anos "as is", como aconteceu com as João Belo e com as corvetas.

No máximo retiram-lhes equipamentos.

Até parece que não sabem o que a casa gasta
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 18, 2020, 11:22:06 pm
Calado se vai longe, assim como as Vdg. :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 19, 2020, 10:23:07 am
A modernização deve ser um upgrade da messe dos oficiais com aumentos das capacidades de volume da garrafeira do whisky...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 19, 2020, 01:49:09 pm
A julgar pelas notícias das condecorações, o principal upgrade será a instalação de Leds de última geração, e tudo feito in-house, já sabemos por quem.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 19, 2020, 01:58:38 pm
Pelos electricistas da Marinha, através do seu centro de excelência naval. :bang:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 19, 2020, 02:41:11 pm
A modernização deve ser um upgrade da messe dos oficiais com aumentos das capacidades de volume da garrafeira do whisky...

Na Marinha não sei...mas na Força Aérea  :mrgreen:

http://www.base.gov.pt/Base/pt/Pesquisa/Contrato?a=6741860
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Agosto 19, 2020, 03:50:01 pm
A modernização deve ser um upgrade da messe dos oficiais com aumentos das capacidades de volume da garrafeira do whisky...

Na Marinha não sei...mas na Força Aérea  :mrgreen:

http://www.base.gov.pt/Base/pt/Pesquisa/Contrato?a=6741860

Gasta mais a Força aérea em Binho que a Marinha a "modernizar" as G3!!! ;D
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 20, 2020, 02:42:33 am
Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 17 de julho de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 14 de fevereiro de 2020, pelo 22286 Capitão-de-mar-e-guerra FZ ROGÉRIO PAULO FIGUEIRA MARTINS DE BRITO, 2.º Comandante do Corpo de Fuzileiros, ao 537694 Primeiro-sargento L LUÍS MIGUEL DIAS COELHO, o qual se publica:
[...]
É de realçar, neste particular, a sua intervenção em vários projetos internos, como a introdução de novos artigos disponíveis na cantina e a existência de um maior número de máquina de vending espalhadas por toda a Unidade, tendo em vista a melhoria do atendimento e a satisfação da guarnição, dos formandos e das inúmeras visitas recebidas. Regista-se, ainda, o seu papel facilitador na concretização do projeto da lavandaria self-service, da criação da medalha de representação da EF e da edificação da Loja do Fuzileiro, espaço recentemente criado como pólo da Cantina.
[...]
Medalha Militar da Cruz Naval – 4.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 22 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas,
aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
537694 Primeiro-sargento L LUÍS MIGUEL DIAS COELHO

https://www.marinha.pt/pt/informacao-instituicional/Lists/PM_DocsOrdens/OA1_047_20.pdf
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 20, 2020, 08:15:34 am
P'lo mor de deus  :bang:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 20, 2020, 08:22:55 am
P'lo mor de deus  :bang:

é o que vamos tendo, do melhor, já não chegam louvores, são necessárias medalhas !!!!!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 20, 2020, 09:42:17 am
Bem...é 2020 , já nada me admira
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Agosto 20, 2020, 10:25:42 am
 max1x1 :toto: :toto:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 20, 2020, 03:46:24 pm
Começo a achar que é de propósito mesmo para gozar connosco. Acontecer uma vez ainda vá, agora qualquer trampa é digna de louvor... Vejam lá se não querem dar louvor a quem mete os guardanapos no lado certo do prato.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 21, 2020, 04:17:30 pm
Que inveja

(https://i.ibb.co/6wvP70p/FB-IMG-15980229595543553.jpg)

:'(
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Agosto 21, 2020, 05:06:09 pm
Eu descobri esta semana pelo Facebook do Zero naval, que a água potável dos navios afinal não é potável, e que à falta de água potável existe um negocio de venda de garrafas de água.

E ao que parece esta situações é recorrente, tão recorrente que se considera normal.

Desculpem, mas isto sim é bater no fundo. Eu agora acredito em tudo, isto está mal de tantos sentidos que parece irreal.

Depois querem ter praças embarcados a receber salários miseráveis, ainda muito bem anda isto. Cada vez tenho mais respeito pelos que lá andam e mais desprezo pelos que lá mandam.

PS: Desculpem mas tive que desabafar, eu não compreendo tanta passividade.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Agosto 22, 2020, 01:45:09 am
E pelo que dizem não é de agora, é uma situação que se arrasta há anos. Mas o que preocupa os senhores almirantes são os paióis de vinho e a qualidade do uísque.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 22, 2020, 01:29:28 pm
Basicamente a marinheca tornou-se uma empresa típica portuguesa, onde se paga o mínimo possível, tratam-se os "colaboradores" como cães, e levam um chuto no cu assim que fôr possível. Enquanto isso os managers continuam de cu restofado em bmws e Mercedes.

I can relate.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 22, 2020, 02:16:10 pm
Que inveja

(https://i.ibb.co/6wvP70p/FB-IMG-15980229595543553.jpg)

:'(

Essas corvetas não são as Braunschweig? O pessoal não gosta muito delas, ficavam com mais inveja se fosse uma foto da Marinha Holandesa.  :mrgreen:

Relativamente à conversa das garrafas de água, importa é espalhar louvores a quem escolhe ementas e arruma as vending machines. Não ter nenhum Lynx operacional deve ser positivo neste aspecto, já viram o espaço para paletes de garrafas de água que um hangar vazio proporciona?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Agosto 22, 2020, 02:36:41 pm
Pra mim essa de não ter agua potavel a bordo só pra vender garrafas de agua já entrava no ambito da Judiciaria militar....
Mas isso é só a minha opinião.
 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Agosto 22, 2020, 03:43:41 pm
Leio atentamente tudo isto, até daqueles que aparecem a defender o indefensável, qual advogados do diabo ou quiçá simplesmente, mais rémoras que se alimentam de restos de tubarão.
Até me arde os olhos.

O que motivará gente assim irresponsável na frente de Instituições seculares?
A sua qualidade de vida, onde se gabam e pavoneiam nas sua mansões, casas de férias, belos viaturas, etc?
A sério que é disso que hoje é feito a massa de lideres?

Então a liderança de  Marinha de Guerra(e não só) é hoje uns envaidecidos cheios de  lascismo a coçar para dentro?

Vi um programa no Discovery onde todos os helicópteros da policia de LA têm Flir e, contudo na Marinha de Guerra Portuguesa acham isso luxo desnecessário e substituível por tretas, tanto em helicópteros como em navios patrulha.

Presos, era o mínimo a esta gente, por lesa Pátria.

 350 milhas. A sério??????????????????????????????
Para quê?

Só se for para "pipis doce" se gabarem em casa e a amigos e meterem fotos no Face(alguns casos deviam ficar por mais antigas, a vida complexa engorda muito)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 22, 2020, 04:09:22 pm
Isso das garrafas de agua deve ser apenas a ponta do icebergue...
Mas não se admirem porque é assim em TODO o lado! Vimos o caso das messes da Força Aérea.
No Exército é mais do mesmo! Ou porque acham que existem tantos impedimentos para que se possa receber a alimentação a dinheiro?

Estava tudo a mamar na antiga Manutenção Militar! Então aqueles civis que lá trabalhavam eram os piores.
Agora a escala é mais pequena, mas continua.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 22, 2020, 08:14:07 pm
O Major Batatas fez escola.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 22, 2020, 08:47:00 pm
Isso das garrafas de agua deve ser apenas a ponta do icebergue...
Mas não se admirem porque é assim em TODO o lado! Vimos o caso das messes da Força Aérea.
No Exército é mais do mesmo! Ou porque acham que existem tantos impedimentos para que se possa receber a alimentação a dinheiro?

Estava tudo a mamar na antiga Manutenção Militar! Então aqueles civis que lá trabalhavam eram os piores.
Agora a escala é mais pequena, mas continua.

O saco azul, é muito grande e sem fundo HSMW.

Nas unidades por onde passei, quando estava de Oficial de dia, nunca sobrava comida, enquanto houvesse pessoal que quisesse repetir e houvesse morfos, era até deixarem de querer mais.
Não foi uma nem duas nem três vezes que fui chamado á atenção por diversos 2ºs Cmdts das unidades, mas continuei a fazer sempre o mesmo.

Comigo como Oficial de dia, todo o pessoal de serviço comia todo no refeitório das Praças, e os cozinheiros de dia tinham ordens para alterar o menu, quando nos fins de semana, mandava fazer, bifes, e lá comiam satisfeitos havendo quem trocasse os serviços de piquete/guarda/reforço, quando sabiam que aqui o tenente estava escalado.

Poderia contar várias Estórias, mas deixo apenas aqui uma.
Um belo fim de semana em Vendas Novas depois de ter assistido ás pesagens dos generos para o dia seguinte, saí da cozinha em direcção ao Gab do Of de dia, e a meio do caminho notei que me tinha esquecido da esferográfica, dada pelo meu pai, e voltei atrás.
Quando estava quase a entrar na cozinha reparo que dois impedidos da cozinha, estavam a empurrar dois carrinhos com alguns fardos de bacalhau, dos que tinham sido pesados, de volta ao depósito dos géneros.
Claro que saiu logo uma caralhada da ordem e os dois praças ficaram brancos como a cal da parede, e quando perguntei para onde ia o bacalhau disseram-me que de volta ao deposito, por ordem do capitão, vagomestre da Escola.

Tudo ficou quieto que nem rato morto, e mandei chamar o cozinheiro para voltar a colocar o bacalhau onde deveria estar, e depois mandei chamar o furriel do piquete, com dois homens, ordenei que caso alguém retirasse, uma batata da cozinha as ordens eram para enfiar um tiro num pé/perna no portador da dita.

Claro está que no dia seguinte, depois do render da parada, lá foi o tenente chamado ao cmdt da unidade para esclarecer o sucedido, pois o sr capitão tinha-se queixado, mas coitado alguns dias depois foi agarrado por mim a tentar sair da unidade com o seu Ford Taunos, carregado até mais não e as consequências do não concretizado, desvio de bens, para o sr capitão do serviço geral, não foram nada meigas.

Desculpem a lenga lenga, mas é apenas para reforçar os comentários do HSMW, a história do gamanço repete-se !!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 23, 2020, 08:31:42 am
Vai-se a ver, alguém tem um Seawatcher em casa.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 23, 2020, 12:21:11 pm
Eu descobri esta semana pelo Facebook do Zero naval, que a água potável dos navios afinal não é potável, e que à falta de água potável existe um negocio de venda de garrafas de água.

E ao que parece esta situações é recorrente, tão recorrente que se considera normal.

Desculpem, mas isto sim é bater no fundo. Eu agora acredito em tudo, isto está mal de tantos sentidos que parece irreal.

Depois querem ter praças embarcados a receber salários miseráveis, ainda muito bem anda isto. Cada vez tenho mais respeito pelos que lá andam e mais desprezo pelos que lá mandam.

PS: Desculpem mas tive que desabafar, eu não compreendo tanta passividade.

Eu também li o mesmo e fiquei pasmo, mas de uma outra perspectiva ao mesmo tempo nada espantado pois só assim percebi o porquê de certas coisas. É que nos dias antes da partida de um navio, ou navios, a água engarrafada nos supermercados na zona de Almada mais próxima ao Alfeite quase que desaparecia das prateleiras. Já parece a história dos marinheiros dos navios da Marinha Chinesa que quando passam por Lisboa "limpam" o leite em pó porque no seu país o mesmo está geralmente contaminado com chumbo. ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 23, 2020, 02:25:02 pm
Vai-se a ver, alguém tem um Seawatcher em casa.

E a Marlin do Sines e do Setúbal! E os FLIR dos devem ter sido convertidos em sistemas de vídeo-vigilância nas mansões.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 23, 2020, 03:19:43 pm
Olha... dêem uma medalhinha ao moço!

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3463302133690945/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Agosto 23, 2020, 11:24:02 pm
Eu descobri esta semana pelo Facebook do Zero naval, que a água potável dos navios afinal não é potável, e que à falta de água potável existe um negocio de venda de garrafas de água.

E ao que parece esta situações é recorrente, tão recorrente que se considera normal.

Desculpem, mas isto sim é bater no fundo. Eu agora acredito em tudo, isto está mal de tantos sentidos que parece irreal.

Depois querem ter praças embarcados a receber salários miseráveis, ainda muito bem anda isto. Cada vez tenho mais respeito pelos que lá andam e mais desprezo pelos que lá mandam.

PS: Desculpem mas tive que desabafar, eu não compreendo tanta passividade.

Eu também li o mesmo e fiquei pasmo, mas de uma outra perspectiva ao mesmo tempo nada espantado pois só assim percebi o porquê de certas coisas. É que nos dias antes da partida de um navio, ou navios, a água engarrafada nos supermercados na zona de Almada mais próxima ao Alfeite quase que desaparecia das prateleiras. Já parece a história dos marinheiros dos navios da Marinha Chinesa que quando passam por Lisboa "limpam" o leite em pó porque no seu país o mesmo está geralmente contaminado com chumbo. ::)

Falta aqui o Boy de serviço para comentar esta noticia. E os outros que dizem que culpa é só dos políticos  ...PqP... ::) ::)
 

Cumprimento

P. . Eram quantos os NPO?   :bang: :bang:  https://www.dn.pt/poder/marinha-recebe-navio-novo-ainda-sem-canhoes-9614051.html (https://www.dn.pt/poder/marinha-recebe-navio-novo-ainda-sem-canhoes-9614051.html)

Citar

Manuel Carlos Freire

20 Julho 2018 — 07:14


O porta-voz da Marinha, comandante Pereira da Fonseca, confirmou ao DN que a guarnição do novo navio vai operar com armas pesadas Browning de calibre 12,7 mm em vez dos previstos canhões de 30 mm. Além do sistema de artilharia MARLIN-WS, do fabricante italiano Leonardo, o NPO Sines também ainda não recebeu o sistema eletro-ótico Medusa MK4 (para controlo de tiro e com sensores de vigilância) do mesmo construtor.

A aquisição desses sistemas, para o Sines e para o NPO Setúbal (que a Marinha recebe em janeiro de 2019), foi autorizada em setembro passado pelo ministro da Defesa. O processo foi lançado através da NSPA, a agência especializada da NATO para apoiar os países aliados na escolha e compra de material de guerra, com um custo de 6,5 milhões de euros.

Contudo, "a falta de financiamento" inviabilizou a compra desses sistemas, pelo que a conclusão do processo ainda vai levar alguns meses, admitiu Pereira da Fonseca. Já as lanchas semirígidas colocadas a bordo para operações de busca e salvamento são usadas - pertencem a corvetas - e vão estar em uso até à receção das novas, provavelmente em outubro.

(https://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&guid=4664dcdc-3ad8-49c1-bedf-b617d7c76f53&t=20180720125618)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 24, 2020, 08:39:40 am
ARMAS PESADAS BROWNING 12,7mm, as únicas num NPO de 1850 Tons. ::) :bang:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Agosto 24, 2020, 02:19:35 pm
Eu descobri esta semana pelo Facebook do Zero naval, que a água potável dos navios afinal não é potável, e que à falta de água potável existe um negocio de venda de garrafas de água.

E ao que parece esta situações é recorrente, tão recorrente que se considera normal.

Desculpem, mas isto sim é bater no fundo. Eu agora acredito em tudo, isto está mal de tantos sentidos que parece irreal.

Depois querem ter praças embarcados a receber salários miseráveis, ainda muito bem anda isto. Cada vez tenho mais respeito pelos que lá andam e mais desprezo pelos que lá mandam.

PS: Desculpem mas tive que desabafar, eu não compreendo tanta passividade.

Tenho há algum tempo a tentar perceber as razões dos desaires nacionais mais recentes, ao nível militar (da 1.ª Guerra em diante) e estou convicto que a podridão vem já antes da 1.ª República, mas com origens nas invasões napoleónicas).
Quem estudar a história constata que são demasiadas as altas patentes a fazer jogo que interessa sobretudo aos mesmos: a plutocracia anglo-saxónica (leia-se sionista - e que, tal como a pescada, antes de o ser já o era).
É impossível negar esse facto.

A probabilidade das altas patentes serem traidoras/mercenárias é, na minha opinião extremamente elevada e não terão problemas em vender-se.
Vou arriscar-me (ou talvez não) em dizer que as Farsas Desarmadas que existem em Portugal não passam de fachada para consumo interno para dar a ideia "quisto" ainda é um país ao pessoal que ainda aprecia essa ideia mas não quer pensar muito para além disso.

As minhas leituras recentes acerca da Grande Traição e do atentado a Sá Carneiro, além do progressivo processo de degradação da instituição militar com a conivência das altas patentes (não só militares como civis), levam-me a ter a presunção que as Forças Armadas não existem mas apenas uma fachada habitada por actores e farsantes, mercenários traidores.
Ou seja, a "estrutura militar" existente hoje em Portugal é uma farsa IRREFORMÁVEL que NÃO MERECE QUALQUER CREDIBILIDADE.

Mais dois achegas:

- Virá um dia em que a nossa ZEE, que os farsantes dizem querem defender, será vendida por estes, com o alto patrocínio das personagens de topo de um qualquer governo E presidência da república (como no 25 do A, antes e depois).

- Lembro-me de um documentário da RTP, de 1994 salvo erro, da comercialização dos "Tesouros do Mar Português", do património cultural subaquático e que tinha como lobbystas uns bons almirantes e um deputado. Se procurarem o doc está no youtube. Isto só corrobora o carácter mercenário do topo da hierarquia "militar-mafiosa" que temos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Agosto 24, 2020, 03:04:50 pm
- Virá um dia em que a nossa ZEE, que os farsantes dizem querem defender, será vendida por estes, com o alto patrocínio das personagens de topo de um qualquer governo E presidência da república (como no 25 do A, antes e depois).


Já está a ser vendida, quando faz um acordo coma  China para ..."investigação" na ZEE dos Açores.
Ou seja, eles podem mapear,investigar os fundos, a flora e fauna, guardando os dados e dizendo o que quiserem.
De caminho com o equipamento adequado montado nos seus navios de "estudo", podem até ficar a conhecer o sinal acústico dos meios navais nacionais e outros que por cá andem.
Todo inocências permitidas por um governo que....cada vez parece menos afirmado defender interesses verdadeiramente nacionais.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Agosto 24, 2020, 03:47:18 pm
- Virá um dia em que a nossa ZEE, que os farsantes dizem querem defender, será vendida por estes, com o alto patrocínio das personagens de topo de um qualquer governo E presidência da república (como no 25 do A, antes e depois).


Já está a ser vendida, quando faz um acordo coma  China para ..."investigação" na ZEE dos Açores.
Ou seja, eles podem mapear,investigar os fundos, a flora e fauna, guardando os dados e dizendo o que quiserem.
De caminho com o equipamento adequado montado nos seus navios de "estudo", podem até ficar a conhecer o sinal acústico dos meios navais nacionais e outros que por cá andem.
Todo inocências permitidas por um governo que....cada vez parece menos afirmado defender interesses verdadeiramente nacionais.

À medida que vou investigando as coisas dou comigo a dar razão aos "maluquinhos das conspirações". Alías, parece-me que quem acusa alguém de ser um teórico de conspiração é uma de  duas coisas: agente de desinformação ou não quer fazer o trabalho de casa.
Digo isto porque é relativamente novo para mim a ideia que a ONU não passa de um coio onde os traidores de todos os países se juntam para dar cabo disto tudo, em benefício de alguns plutocratas. Eu julgava que esta ideia era coisa de excessos da extrema-direita americana, mas tenho a constatar que a ideia é verdadeira e que afinal essa "extrema-direita" afinal não o é.

Não é à toa que o Freitas ocupou o posto de Presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas.
Paga por diversos serviços prestados?

Mais uma vez perdoe-me o desvio ao tópico, mas a verdade é que a Marinheca não tem assunto algum.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 24, 2020, 08:42:45 pm
- Virá um dia em que a nossa ZEE, que os farsantes dizem querem defender, será vendida por estes, com o alto patrocínio das personagens de topo de um qualquer governo E presidência da república (como no 25 do A, antes e depois).


Já está a ser vendida, quando faz um acordo coma  China para ..."investigação" na ZEE dos Açores.
Ou seja, eles podem mapear,investigar os fundos, a flora e fauna, guardando os dados e dizendo o que quiserem.
De caminho com o equipamento adequado montado nos seus navios de "estudo", podem até ficar a conhecer o sinal acústico dos meios navais nacionais e outros que por cá andem.
Todo inocências permitidas por um governo que....cada vez parece menos afirmado defender interesses verdadeiramente nacionais.

Ligações submarinas de fibra ótica com os continentes e inter-ilhas...
Frequências e capacidades de abastecimento por via marítima...

Dos eventos em que estive com militares chineses posso dizer que fotografam tudo o que for informação que lhes possa ser de interesse.  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Agosto 24, 2020, 10:17:51 pm
https://sol.sapo.pt/artigo/637717/chineses-ja-controlam-mar-dos-acores

https://beachcam.meo.pt/newsroom/2018/12/china-chega-aos-acores-atraves-da-investigacao-maritima/
"Primeiro a energia, depois a banca, aviação e seguros. Agora, e depois de entrarem no nosso país para controlar vários setores económicos, a China também já chegou aos Açores. Portugal e China estabeleceram recentemente acordos que permitem aos asiáticos a entrada na Base das Lajes, mas não para fim militar, apenas para investigação marítima.
A notícia foi destacada no passado sábado pelo jornal “Sol” e adianta que António Costa tornou possível o acordo de cooperação para o estudo subaquático da plataforma marítima portuguesa, durante a primeira visita oficial que fez como primeiro-ministro de Portugal à China."

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Agosto 24, 2020, 10:31:41 pm
Querem forças armadas para quê?
Os políticos entregam isto de mão beijada ao inimigo!

É o mar dos Açores para os chineses...
É dar nacionalidade a terroristas vindos da Síria...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Agosto 26, 2020, 03:55:11 am
Negociações avançadas para adquirir 23 embarcações destas via FMS. Não é claro o propósito de tal aquisição, nem o racional por trás deste número específico de embarcações.

https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/ (https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/)

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 26, 2020, 05:59:36 am
Negociações avançadas para adquirir 23 embarcações destas via FMS. Não é claro o propósito de tal aquisição, nem o racional por trás deste número específico de embarcações.

https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/ (https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/)

Finalmente algo à medida do orçamento da LPM !
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Agosto 26, 2020, 06:11:10 am
Negociações avançadas para adquirir 23 embarcações destas via FMS. Não é claro o propósito de tal aquisição, nem o racional por trás deste número específico de embarcações.

https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/ (https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/)

Claro, são os rebocadores específicos para os AB. :rir: :rir: :rir:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 26, 2020, 11:27:55 am
Negociações avançadas para adquirir 23 embarcações destas via FMS. Não é claro o propósito de tal aquisição, nem o racional por trás deste número específico de embarcações.

https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/ (https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/)

Se os NPO são "mini-LPD" estes, por silogismo, são "mini-NPO"  8)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Crypter em Agosto 26, 2020, 02:41:26 pm
Negociações avançadas para adquirir 23 embarcações destas via FMS. Não é claro o propósito de tal aquisição, nem o racional por trás deste número específico de embarcações.

https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/ (https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/)

com um preço previsivel de 100 mil dolares iriam gastar 2,3 milhões nisto?... A marinha?!!! Que "kitou" 36 G3?!?!?  ;D :D :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 26, 2020, 03:30:26 pm
Negociações avançadas para adquirir 23 embarcações destas via FMS. Não é claro o propósito de tal aquisição, nem o racional por trás deste número específico de embarcações.

https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/ (https://www.popularmechanics.com/military/navy-ships/a33766522/tiny-boat-smallest-ship-us-navy/)

Se os NPO são "mini-LPD" estes, por silogismo, são "mini-NPO"  8)

Mas com complexidade de cruzadores
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 27, 2020, 02:46:57 am
Este a lançar balancetes é um valente...um verdadeiro Rambo!  :mrgreen:

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 7 de maio de 2020, pelo 23487 Capitão-de-mar-e-guerra AN LUÍS MIGUEL PEREIRA GONÇALVES, Diretor de Administração Financeira, ao 9314004 Primeiro-sargento L NUNO EMANUEL PIRES CASTANHEIRA, o qual se publica:
Após uma comissão de quatro anos e um mês, irá brevemente destacar para uma nova comissão, o 9314004 Primeiro-sargento L NUNO EMANUEL PIRES CASTANHEIRA que, desde 28 de março de 2016 desempenha o exigente cargo de Controlador Orçamental da Secção de Gestão Orçamental da Divisão de Planeamento Financeiro e Controlo Orçamental da Direção de Administração Financeira.
Militar de elevada capacidade intelectual, experiente e extremamente competente, revelou ao longo da sua comissão uma notável capacidade de análise, espírito crítico e grande pragmatismo, qualidades estas que, alicerçadas nos seu sólidos conhecimentos
técnico-profissionais, se traduziram num excelente desempenho e nos assinaláveis resultados alcançados.
No desempenho das suas vastas e exigentes funções, destacam-se os seus aprofundados conhecimentos de Excel, SIGDN, gestão orçamental, tratamento e análise de dados e ainda a capacidade de operar com múltiplas plataformas eletrónicas no âmbito da
gestão orçamental da Marinha, e das necessidades de reporte à Direção-Geral do Orçamento (DGO) do Ministério das Finanças, Ministério da Defesa Nacional (MDN) e outras entidades da administração pública.
Esta distinta combinação de qualidades e competências permitiram-lhe a execução de um extenso conjunto de tarefas fulcrais no âmbito da gestão orçamental da Marinha, de elevada complexidade técnica, das quais se destacam, entre outras, o controlo dos fundos disponíveis mensais, a emissão dos Documentos Únicos de Cobrança (DUC) de todos os orçamentos de despesa com compensação em receita (ODCCR) da Marinha e da Autoridade Marítima Nacional, registo, tratamento e controlo da receita dos EGM, LPM, FND e LIM, designadamente a transferência de saldos de duplo cabimento, a emissão de RAP e RNAP, participação no processo de validação de consistência entre o SIGDN (MDN) e o SCC (MF-DGO), compilação dos dados orçamentais comparativos das Propostas Orçamentais das UEO, em apoio à atividade da Secção de Planeamento e Estatística, e preparação da informação necessária à elaboração do relatório anual de execução orçamental. A sua profícua e atempada ação garantiu a disponibilidade de informação de gestão com o rigor requerido, designadamente, em apoio à tomada de decisão superior, especialmente durante
as fases mais críticas dos ciclos mensais de execução orçamental.
A par das suas excelentes qualidades técnico-profissionais e domínio da globalidade dos processos da Secção de Gestão Orçamental, o Primeiro-sargento Castanheira demonstrou uma elevada capacidade de adaptação e inaudito espírito de cooperação, ao assumir por diversas vezes e por longos períodos de tempo, a realização de tarefas e condução de processos que não lhe competiam diretamente, de modo a garantir a continuidade do serviço face a destacamentos sem rendição imediata ou devido ao
mecanismo da mobilidade da função pública. Esta atitude positiva, cordata e colaborante também ficou amplamente demonstrada na forma como acolheu, enquadrou e apoiou todos os elementos que prestam serviço na Secção de Gestão Orçamental, tendo naturalmente granjeado o respeito, estima e consideração de todos os que consigo tiveram o privilégio de privar, bem como o reconhecimento das diversas unidades e órgãos que apoiou no âmbito da gestão orçamental da Marinha e Autoridade Marítima Nacional.
Assim, é com agrado e sentido de justiça que fazendo uso da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo o 9314004 Primeiro-sargento L NUNO EMANUEL PIRES CASTANHEIRA, pelas suas relevantes
qualidades técnico-profissionais, morais e militares, amplamente evidenciadas na forma extremamente dedicada e eficiente com que desempenhou as suas funções ao longo da sua comissão, contribuindo, de modo determinante para a missão da Direção de Administração Financeira e da Marinha, considerando que os serviços por si prestados o creditam como um militar de muito e elevado mérito.
[...]
Medalha Militar de Mérito Militar – 4.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea d) do artigo 22.º e do número 1 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar de Mérito Militar de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
9314004 Primeiro-sargento L NUNO EMANUEL PIRES CASTANHEIRA

https://www.marinha.pt/pt/informacao-instituicional/Lists/PM_DocsOrdens/OA1_048_20.pdf

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 27, 2020, 02:53:39 am
Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 43/2020, de 26 de agosto:
Abate da UAM 304 Sever ao efetivo das Unidades Auxiliares da Marinha.

Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 44/2020, de 26 de agosto:
Abate da UAM 907 Coura ao efetivo das Unidades Auxiliares da Marinha.

Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 45/2020, de 26 de agosto:
Abate da UAM 908 Paiva ao efetivo das Unidades Auxiliares da Marinha.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 27, 2020, 07:28:26 am
Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 43/2020, de 26 de agosto:
Abate da UAM 304 Sever ao efetivo das Unidades Auxiliares da Marinha.

Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 44/2020, de 26 de agosto:
Abate da UAM 907 Coura ao efetivo das Unidades Auxiliares da Marinha.

Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 45/2020, de 26 de agosto:
Abate da UAM 908 Paiva ao efetivo das Unidades Auxiliares da Marinha.

Parece-me bem, esse metal todo derretido deve dar para muitas medalhas
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 27, 2020, 10:18:14 am
A verdadeira questão é, se quem decidiu pelo mastro oco e respectiva posição dos faróis na BD recebeu um louvor pela sua genialidade, está para quando o louvor a quem decidiu que os NPO Mk-2 não precisavam das Marlin? No fim de contas, os conhecimentos técnico-tácticos em Engenharia Naval e das Leis da Física permitiram que, com a não instalação da arma principal, o NRP Sines e o NRP Setúbal obtiveram ganhos notórios aerodinâmicos, com claras vantagens no consumo de combustível e vel. máxima, e melhorias no centro de gravidade dos navios, tornando-os mais ágeis.

Peço que se faça justiça.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Agosto 27, 2020, 11:09:57 am
A verdadeira questão é, se quem decidiu pelo mastro oco e respectiva posição dos faróis na BD recebeu um louvor pela sua genialidade, está para quando o louvor a quem decidiu que os NPO Mk-2 não precisavam das Marlin? No fim de contas, os conhecimentos técnico-tácticos em Engenharia Naval e das Leis da Física permitiram que, com a não instalação da arma principal, o NRP Sines e o NRP Setúbal obtiveram ganhos notórios aerodinâmicos, com claras vantagens no consumo de combustível e vel. máxima, e melhorias no centro de gravidade dos navios, tornando-os mais ágeis.

Peço que se faça justiça.

Isso e quem arranjou o esquema de venda de garrafas de água nos navios, pois permite dinamizar a economia nacional. E se estas forem vendidas em águas internacionais tecnicamente estamos a aumentas as exportações  :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Viajante em Agosto 27, 2020, 11:12:14 am
Este a lançar balancetes é um valente...um verdadeiro Rambo!  :mrgreen:

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 7 de maio de 2020, pelo 23487 Capitão-de-mar-e-guerra AN LUÍS MIGUEL PEREIRA GONÇALVES, Diretor de Administração Financeira, ao 9314004 Primeiro-sargento L NUNO EMANUEL PIRES CASTANHEIRA, o qual se publica:
Após uma comissão de quatro anos e um mês, irá brevemente destacar para uma nova comissão, o 9314004 Primeiro-sargento L NUNO EMANUEL PIRES CASTANHEIRA que, desde 28 de março de 2016 desempenha o exigente cargo de Controlador Orçamental da Secção de Gestão Orçamental da Divisão de Planeamento Financeiro e Controlo Orçamental da Direção de Administração Financeira.
Militar de elevada capacidade intelectual, experiente e extremamente competente, revelou ao longo da sua comissão uma notável capacidade de análise, espírito crítico e grande pragmatismo, qualidades estas que, alicerçadas nos seu sólidos conhecimentos
técnico-profissionais, se traduziram num excelente desempenho e nos assinaláveis resultados alcançados.
No desempenho das suas vastas e exigentes funções, destacam-se os seus aprofundados conhecimentos de Excel, SIGDN, gestão orçamental, tratamento e análise de dados e ainda a capacidade de operar com múltiplas plataformas eletrónicas no âmbito da
gestão orçamental da Marinha, e das necessidades de reporte à Direção-Geral do Orçamento (DGO) do Ministério das Finanças, Ministério da Defesa Nacional (MDN) e outras entidades da administração pública.
Esta distinta combinação de qualidades e competências permitiram-lhe a execução de um extenso conjunto de tarefas fulcrais no âmbito da gestão orçamental da Marinha, de elevada complexidade técnica, das quais se destacam, entre outras, o controlo dos fundos disponíveis mensais, a emissão dos Documentos Únicos de Cobrança (DUC) de todos os orçamentos de despesa com compensação em receita (ODCCR) da Marinha e da Autoridade Marítima Nacional, registo, tratamento e controlo da receita dos EGM, LPM, FND e LIM, designadamente a transferência de saldos de duplo cabimento, a emissão de RAP e RNAP, participação no processo de validação de consistência entre o SIGDN (MDN) e o SCC (MF-DGO), compilação dos dados orçamentais comparativos das Propostas Orçamentais das UEO, em apoio à atividade da Secção de Planeamento e Estatística, e preparação da informação necessária à elaboração do relatório anual de execução orçamental. A sua profícua e atempada ação garantiu a disponibilidade de informação de gestão com o rigor requerido, designadamente, em apoio à tomada de decisão superior, especialmente durante
as fases mais críticas dos ciclos mensais de execução orçamental.
A par das suas excelentes qualidades técnico-profissionais e domínio da globalidade dos processos da Secção de Gestão Orçamental, o Primeiro-sargento Castanheira demonstrou uma elevada capacidade de adaptação e inaudito espírito de cooperação, ao assumir por diversas vezes e por longos períodos de tempo, a realização de tarefas e condução de processos que não lhe competiam diretamente, de modo a garantir a continuidade do serviço face a destacamentos sem rendição imediata ou devido ao
mecanismo da mobilidade da função pública. Esta atitude positiva, cordata e colaborante também ficou amplamente demonstrada na forma como acolheu, enquadrou e apoiou todos os elementos que prestam serviço na Secção de Gestão Orçamental, tendo naturalmente granjeado o respeito, estima e consideração de todos os que consigo tiveram o privilégio de privar, bem como o reconhecimento das diversas unidades e órgãos que apoiou no âmbito da gestão orçamental da Marinha e Autoridade Marítima Nacional.
Assim, é com agrado e sentido de justiça que fazendo uso da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo o 9314004 Primeiro-sargento L NUNO EMANUEL PIRES CASTANHEIRA, pelas suas relevantes
qualidades técnico-profissionais, morais e militares, amplamente evidenciadas na forma extremamente dedicada e eficiente com que desempenhou as suas funções ao longo da sua comissão, contribuindo, de modo determinante para a missão da Direção de Administração Financeira e da Marinha, considerando que os serviços por si prestados o creditam como um militar de muito e elevado mérito.
[...]
Medalha Militar de Mérito Militar – 4.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea d) do artigo 22.º e do número 1 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar de Mérito Militar de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
9314004 Primeiro-sargento L NUNO EMANUEL PIRES CASTANHEIRA

https://www.marinha.pt/pt/informacao-instituicional/Lists/PM_DocsOrdens/OA1_048_20.pdf

Esperem lá! Então queixam-se da falta de investimentos na Marinha e vão louvar um forreta?  :mrgreen:

E sim, trabalhar na área financeira, dá muito jeito ser expert em excel, fazer lançamentos na contabilidade e orçamental......!!!!!!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ocastilho em Agosto 27, 2020, 11:46:41 am
A verdadeira questão é, se quem decidiu pelo mastro oco e respectiva posição dos faróis na BD recebeu um louvor pela sua genialidade, está para quando o louvor a quem decidiu que os NPO Mk-2 não precisavam das Marlin? No fim de contas, os conhecimentos técnico-tácticos em Engenharia Naval e das Leis da Física permitiram que, com a não instalação da arma principal, o NRP Sines e o NRP Setúbal obtiveram ganhos notórios aerodinâmicos, com claras vantagens no consumo de combustível e vel. máxima, e melhorias no centro de gravidade dos navios, tornando-os mais ágeis.

Peço que se faça justiça.

Isso e quem arranjou o esquema de venda de garrafas de água nos navios, pois permite dinamizar a economia nacional. E se estas forem vendidas em águas internacionais tecnicamente estamos a aumentas as exportações  :mrgreen: :mrgreen:

Negativo, caro Colega, as operações realizadas nos navios da Republica (das bananas) Portuguesa, para fins estatísticos, são consideradas como se fossem realizadas em território nacional. Mas isso nem é problema, pq todas estas operações devem ser realizadas contra numerário e contra numerário é sempre para o bolso. Mas, segundo alguns, o que interessa é o dinheiro girar....
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Agosto 27, 2020, 12:42:01 pm
E o vinho para os Almirantes a bordo dos navios, também são eles que pagam ou é "oferta da casa"? Se os outros pagam a água, mas estes não pagam o vinho...  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Agosto 27, 2020, 03:27:37 pm
A verdadeira questão é, se quem decidiu pelo mastro oco e respectiva posição dos faróis na BD recebeu um louvor pela sua genialidade, está para quando o louvor a quem decidiu que os NPO Mk-2 não precisavam das Marlin? No fim de contas, os conhecimentos técnico-tácticos em Engenharia Naval e das Leis da Física permitiram que, com a não instalação da arma principal, o NRP Sines e o NRP Setúbal obtiveram ganhos notórios aerodinâmicos, com claras vantagens no consumo de combustível e vel. máxima, e melhorias no centro de gravidade dos navios, tornando-os mais ágeis.

Peço que se faça justiça.

Isso e quem arranjou o esquema de venda de garrafas de água nos navios, pois permite dinamizar a economia nacional. E se estas forem vendidas em águas internacionais tecnicamente estamos a aumentas as exportações  :mrgreen: :mrgreen:

Negativo, caro Colega, as operações realizadas nos navios da Republica (das bananas) Portuguesa, para fins estatísticos, são consideradas como se fossem realizadas em território nacional. Mas isso nem é problema, pq todas estas operações devem ser realizadas contra numerário e contra numerário é sempre para o bolso. Mas, segundo alguns, o que interessa é o dinheiro girar....

É verdade dentro do navio é considerado território nacional, bolas pah, logo agora que estava com esperança em ver mais um louvor.  :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 30, 2020, 11:31:04 am
Brevemente, a espinha dorsal da poderosíssima esquadra

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3484751801545978/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Agosto 30, 2020, 11:51:44 am
Brevemente, a espinha dorsal da poderosíssima esquadra

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3484751801545978/ (https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3484751801545978/)

Que palhaçada !

Mas os comentadores que lá vão, ainda aplaudem, uns ignorantes, outros "tachistas", outros burros mesmo !


Recordando...


https://www.dn.pt/poder/antonio-costa-anuncia-mais-sete-novos-navios-para-a-marinha-nos-proximos-seis-a-oito-anos--9616684.html (https://www.dn.pt/poder/antonio-costa-anuncia-mais-sete-novos-navios-para-a-marinha-nos-proximos-seis-a-oito-anos--9616684.html)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 30, 2020, 01:33:31 pm
Brevemente, a espinha dorsal da poderosíssima esquadra

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3484751801545978/ (https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3484751801545978/)

Que palhaçada !

Mas os comentadores que lá vão, ainda aplaudem, uns ignorantes, outros "tachistas", outros burros mesmo !


Recordando...


https://www.dn.pt/poder/antonio-costa-anuncia-mais-sete-novos-navios-para-a-marinha-nos-proximos-seis-a-oito-anos--9616684.html (https://www.dn.pt/poder/antonio-costa-anuncia-mais-sete-novos-navios-para-a-marinha-nos-proximos-seis-a-oito-anos--9616684.html)

Os comentários são de uma tristeza, revelam bem o quão burro e ignorante este povo é
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 30, 2020, 01:40:42 pm
US Navy: 3 ships decommissioned this week
VESSELS
August 21, 2020, by Naida Hakirevic
The US Navy’s Avenger-class mine countermeasure ships USS Champion (MCM 4), USS Scout (MCM 8) and USS Ardent (MCM 12) recognized nearly 30 years of naval service during decommissioning ceremonies onboard Naval Base San Diego this week.

Champion will officially decommission on Aug. 25, Scout on Aug. 26, and Ardent on Aug. 27.

https://www.navaltoday.com/2020/08/21/us-navy-3-ships-decommissioned-this-week/

para nós calhavam que nem ginjas  :-X
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Agosto 30, 2020, 11:21:30 pm
US Navy: 3 ships decommissioned this week
VESSELS
August 21, 2020, by Naida Hakirevic
The US Navy’s Avenger-class mine countermeasure ships USS Champion (MCM 4), USS Scout (MCM 8) and USS Ardent (MCM 12) recognized nearly 30 years of naval service during decommissioning ceremonies onboard Naval Base San Diego this week.

Champion will officially decommission on Aug. 25, Scout on Aug. 26, and Ardent on Aug. 27.

https://www.navaltoday.com/2020/08/21/us-navy-3-ships-decommissioned-this-week/

para nós calhavam que nem ginjas  :-X

Tens um negocio de sucatas? :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 31, 2020, 12:31:46 am
US Navy: 3 ships decommissioned this week
VESSELS
August 21, 2020, by Naida Hakirevic
The US Navy’s Avenger-class mine countermeasure ships USS Champion (MCM 4), USS Scout (MCM 8) and USS Ardent (MCM 12) recognized nearly 30 years of naval service during decommissioning ceremonies onboard Naval Base San Diego this week.

Champion will officially decommission on Aug. 25, Scout on Aug. 26, and Ardent on Aug. 27.

https://www.navaltoday.com/2020/08/21/us-navy-3-ships-decommissioned-this-week/

para nós calhavam que nem ginjas  :-X

Tens um negocio de sucatas? :mrgreen:

Mau negócio!
O P44 tem muito ano disto não se metia nessas funduras.

 Descontaminar um navio desse tipo. E com todas as exigências ambientais fica mais caro que o valor do salvado.
Se fosse bom negócio a marinha já se tinha visto livre de toda a sucata  que tem fundeada no Alfeite e arredores!

A última moda era vendê-los para recifes artificiais, com a descontaminação paga pelo comprador.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 31, 2020, 12:25:06 pm
Oh seus descrentes :mrgreen:

Além de servirem para guerra de minas, coisa que já não temos há milénios (cada vez que olho para a frota de draga minas oceânicos e costeiros que tivemos dá-me uma coisinha má!), escusando de andar a pedir caridade e boleias aos belgas e outros que tais, ainda serviriam para patrulha da ZEE, visto que os restantes 6 NPOs vão ser tão verdade como sair-me o Euromilhões sem jogar... :snip:

Mas pronto, já sei, nada serve ....o melhor mesmo é ficar...calado  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Agosto 31, 2020, 12:31:11 pm
Só por causa desta já não levam os Arleigh Burke,que é para aprenderem!  >:(
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Agosto 31, 2020, 01:14:18 pm
Oh seus descrentes :mrgreen:

Além de servirem para guerra de minas, coisa que já não temos há milénios (cada vez que olho para a frota de draga minas oceânicos e costeiros que tivemos dá-me uma coisinha má!), escusando de andar a pedir caridade e boleias aos belgas e outros que tais, ainda serviriam para patrulha da ZEE, visto que os restantes 6 NPOs vão ser tão verdade como sair-me o Euromilhões sem jogar... :snip:

Mas pronto, já sei, nada serve ....o melhor mesmo é ficar...calado  :mrgreen:


Faz sentido.

Já que os NPO andam armados que nem paquetes com gajos com caçadeiras para tiro aos pratos e espreguiçadeiras, com a indispensável carta de líquidos de convívio.
Em vez desses paquetes de turismo, construir uns draga minas,  que acabariam por também ser presença em patrulha, não seria de todo descabido.
Uma  arma adequada estabilizada  e o equipamento para a função de dragas minas e o indispensável EO.


Pronto mais 4 desses, que os políticos fofinhos até iam perceber que é para fins ....científicos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Agosto 31, 2020, 10:27:34 pm
Para guerra de minas já temos os NPO’s
Já todos esqueceram que o navio complexo vem preparado para guerra de minas?
Com o respetivo contentor podendo ser colocado no convés de voo.
E as rampas de lançamento colocadas debaixo do respetivo Convés

É o que diz o folheto informativo dos fabricantes.
O NPO só não faz de reabastecedor porque é muito pequeno!
  :mrgreen:  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Red Baron em Setembro 01, 2020, 10:52:57 pm
Se Portugal não conseguir sacar uns navios desta crise Grécia /Turquia ,é  muita incompetência
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Setembro 02, 2020, 12:05:41 am
Se Portugal não conseguir sacar uns navios desta crise Grécia /Turquia ,é  muita incompetência

Não entendi.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: ICE 1A+ em Setembro 02, 2020, 06:43:44 am
Brevemente, a espinha dorsal da poderosíssima esquadra

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3484751801545978/

Discordo! A futura espinha dorsal da marinha portuguesa é construída em Viana do Castelo.
E vai-se chamar polícia marítima:

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Setembro 02, 2020, 01:34:15 pm
Para guerra de minas já temos os NPO’s
Já todos esqueceram que o navio complexo vem preparado para guerra de minas?
Com o respetivo contentor podendo ser colocado no convés de voo.
E as rampas de lançamento colocadas debaixo do respetivo Convés

É o que diz o folheto informativo dos fabricantes.
O NPO só não faz de reabastecedor porque é muito pequeno!
  :mrgreen:  :mrgreen:


Sempre pode reabastecer de outros líquidos mais na linha boa pinga
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 02, 2020, 02:23:05 pm

Sempre pode reabastecer de outros líquidos mais na linha boa pinga

(https://anoticia.pt/wp-content/uploads/2020/07/Moscatel-Roxo-Sagres.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Setembro 02, 2020, 03:45:37 pm

Sempre pode reabastecer de outros líquidos mais na linha boa pinga

(https://anoticia.pt/wp-content/uploads/2020/07/Moscatel-Roxo-Sagres.jpg)

não fora estes patrocinios e a marinheca já nem existia.......  :rir:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 02, 2020, 08:03:20 pm
Como já tem vindo a ser habitual, 4.ª feira é dia de comédia  :jok:

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 26 de junho de 2020, pelo 22278 Vice-almirante JORGE MANUEL NOVO PALMA, Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, ao 20698 Capitão-tenente ALEXANDRE ROGÉRIO DA SILVA ALGARVIO, o qual se publica:
Por ter sido escolhido para uma comissão de serviço no Gabinete do Almirante Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, o 20698, Capitão-tenente ALEXANDRE ROGÉRIO DA SILVA ALGARVIO vai destacar do Estado-Maior da Armada, onde exerceu, durante 36 meses, as exigentes funções de Chefe do Núcleo de Representação, Diplomacia e Protocolo, da Divisão de Relações Externas.
Oficial muito competente, com elevado sentido das responsabilidades, revelou grande experiência, superior conhecimento e uma invulgar sensibilidade para lidar com os assuntos com que a Divisão de Relações Externas contacta e se depara numa base diária. Dotado de excelentes qualidades militares, com uma exemplar capacidade de organização e de perceção para distinguir o importante do acessório, relevam ainda a elevada capacidade de trabalho e uma rara aptidão para trabalhar sob pressão.
Na área da diplomacia, propôs, planeou e executou, vários programas anuais de atividades a desenvolver com os Adidos de Defesa acreditados em Portugal, o que, sem dúvida, contribuiu para elevar os níveis de confiança e de colaboração, entre a Marinha e os
representantes, em Portugal, das respetivas Forças Armadas, bem como para aumentar a comunicação e cooperação entre a Marinha Portuguesa e as suas congéneres estrangeiras.
Na área protocolar, foi responsável pela coordenação e acompanhamento de inúmeros e relevantes assuntos protocolares, garantiu uma contínua e indispensável coordenação com o EMGFA, os outros Ramos, e os vários sectores da Marinha, com vista ao planeamento é execução, de eventos de diversa natureza, muitos deles com elevado destaque e a maior relevância, para a imagem e prestígio da Marinha. De realçar a forma como contribuiu para a condução das comemorações da celebração do “Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas” (10 de Junho) de 2019 em Portalegre, onde a Marinha foi a entidade primariamente responsável pela condução das Atividades Militares Complementares e da Cerimónia Militar. Considero ainda digno de realce o seu desempenho específico na organização da Cerimónia de Entrega de Comando da EUROMARFOR, em setembro de 2017, da Cerimónia Comemorativa dos 700 anos da Marinha, em dezembro de 2017, da cerimónia do Centenário do Armistício da I Grande Guerra, e das Cerimónias do Dia da Marinha 2018, em Peniche, e 2019, em Coimbra, sublinho ainda o seu papel preponderante na coordenação da participação da Marinha no Programa de Divulgação das Forças Armadas.
O comandante Silva Algarvio demonstrou ser um oficial dinâmico, proactivo, e focado no objetivo, com sólidos conhecimentos, revelando extrema dedicação e invulgar capacidade e autonomia na resolução de problemas, antecipando dificuldades e avançando soluções nos eventos de natureza militar, cultural e social, em que participou como Chefe do Núcleo de Representação Diplomacia e Protocolo, da Divisão de Relações Externas do Estado-Maior da Armada.
Assim, é com grande satisfação e de inteira justiça que, ao abrigo da competência conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo o 20698 Capitão-tenente ALEXANDRE ROGÉRIO DA SILVA ALGARVIO, pelo superior conjunto de qualidades pessoais e profissionais patenteadas num desempenho de excelência concretizado nó [sic] exercício das suas funções como Chefe do Núcleo de Representação, Diplomacia e Protocolo da Divisão de Relações Externas do Estado-Maior da Armada, considerando os serviços por si prestados como extraordinários, relevantes e distintos.
[...]
Medalha Militar de Serviços Distintos - Prata
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos do artigo 16.º e do n.º 1 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar de Serviços Distintos, grau prata, aos seguintes militares:
[...]
20698 Capitão-tenente ALEXANDRE ROGÉRIO DA SILVA ALGARVIO
[...]
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 03, 2020, 09:54:02 am
Medalhas para quem muda os rolos de papel higiénico nos WCs não há porquê? Racistas
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Setembro 03, 2020, 10:06:15 am
Medalhas para quem muda os rolos de papel higiénico nos WCs não há porquê? Racistas

isto de limpeza EFICAZ de CÚS tem muito que se lhe diga, não é para qualquer um, pois não é tão simples como parece.  ;)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Setembro 03, 2020, 12:48:35 pm
Exige muito trabalho de língua  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Setembro 03, 2020, 04:46:13 pm
Medalhas para quem muda os rolos de papel higiénico nos WCs não há porquê? Racistas

Medalha para ti.  :mrgreen: :mrgreen:

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0c/Cruznaval.jpg)

Qual é que será o orçamento para medalhas e louvores na Marinha?  :razz: :wink:

(https://www.marinha.pt/pt/media-center/Noticias/PublishingImages/171106-N-UY653-257.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Setembro 03, 2020, 06:35:56 pm
Não querendo estar a defender os ridículos textos dos louvores elaborados na Marinha que destacam até o insignificante mas...

Os militares são avaliados anualmente, só que parece que na Marinha houve um "atraso" nas avaliações e é por isso que estamos a ver louvores referentes a funções desempenhadas em 2016 e 2017.

Portanto chegaria a altura da avaliação para serem, ou não, promovidos e não havia notas nem louvores.

Foi o que me disseram...

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 04, 2020, 06:46:16 am
Medalhas para quem muda os rolos de papel higiénico nos WCs não há porquê? Racistas

isto de limpeza EFICAZ de CÚS tem muito que se lhe diga, não é para qualquer um, pois não é tão simples como parece.  ;)

Abraços

Lambidelas contam? Para isso não devem faltar medalhas  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 11, 2020, 03:06:45 pm
Já viram que fomos uma Marinha rica?

Tivemos submarinos que serviram durante apenas 16 anos!!!!

https://www.facebook.com/groups/lusitania.historiaemilitaria/permalink/1437012546469296/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Setembro 12, 2020, 10:31:44 am
E vem aí mais 6 navios complexos,
por  352 milhões.


Alguém que altere de 6 para 4 navios e gastem o mesmo valor. Os gajos do BE nem notam. É NPO na mesma. Metem radares de jeito e digam que é para pesquisa e protecção das aves marinhas nas Selvagens.
Pior é se gastam em casas no Guincho
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Setembro 12, 2020, 11:06:47 am
Nota a Armada, que entre radares ou postos e "quantidade" prefere a 2a hipótese...  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Setembro 12, 2020, 12:16:27 pm
Nota a Armada, que entre radares ou postos e "quantidade" prefere a 2a hipótese...  ::)

Tive agora quase o que se chamaria uma epifania  ;D ;D
Alguém dê a ideia a um Almirante para este justificar aquisição de radares de jeito nos NPO com a necessidade de detectar capazmente os migrantes nos seus botes.
Assim além dos radares que se esperaria terem Navios Patrulha Oceânicos e não traineiras, ainda alguém leva uma medalha e um louvor.
 :D :D
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 15, 2020, 08:44:15 am
Não vou estar aqui com grandes preâmbulos pois neste caso não há qualquer necessidade disso. Este extenso artigo de hoje publicado no Diário de Notícias podia estar no tópico ligado às indústrias de Defesa, porém assenta muito melhor neste para atestar o zero naval onde a Marinha se encontra e que corre o risco de se perpetuar por esta década e não só.

Citar
Arsenal do Alfeite. Vai o histórico estaleiro recuperar ou afundar-se de vez?
Sangria de quadros, obras adiadas, construções atrasadas, a degradação do estaleiro do Alfeite compromete as missões da Marinha e a nova administração já está em rutura com diretores e chefes.

Valentina Marcelino
15 Setembro 2020 — 00:42

"Há uma missão, uma estratégia, uma equipa, um relacionamento natural com a Armada, abertura ao mundo", afirmou o Presidente da República na sua única visita ao estaleiro do Alfeite, em julho de 2017. Deixou uma "mensagem de confiança e esperança" no futuro deste histórico estaleiro e assinalou como "viragem histórica" o plano em curso na empresa. Tibério Rodrigues e António Pereira, da comissão de trabalhadores da Arsenal do Alfeite, S.A., recordam estas palavras com alguma nostalgia e, principalmente, com desalento. "Desde que fomos transformados numa empresa com capitais públicos, em 2009, já vamos na quinta administração. Há promessas, planos, estudos, mas o que vemos é o estaleiro cada vez mais degradado e a esperança a morrer", sublinham.

Na última década, a saída de quadros, técnicos e operários, tem sido dramática, esvaziando o estaleiro da mão-de-obra qualificada essencial para a confiança dos clientes nacionais e internacionais. Obras, como a de uma nova doca que permitiria receber mais navios para reparação, não saíram do papel. Até a tão promovida e anunciada construção de dois novos salva-vidas, com material moderno e tecnologia de ponta, está muito atrasada: o prazo de conclusão era final de 2018, mas só um dos dois navios está agora em fase de testes. A Marinha, a sofrer diretamente com sucessivos atrasos na manutenção dos seus navios, cada vez mais recorre a estaleiros estrangeiros, ficando dependente das prioridades das armadas de outros países. "Sem o Arsenal do Alfeite capaz a breve prazo, tenho a certeza de que a Marinha ficará inoperacional em pouco tempo, em meia dúzia de meses. E estamos perto disso. É preciso uma administração que conheça o negócio da indústria naval e que modernize o Arsenal com equipamentos e pessoas. Neste ano, praticamente, a Marinha não vai navegar. É inacreditável", assevera o ex-chefe do Estado-Maior da Armada, Melo Gomes.


Nem planos nem estratégias

Com uma nova administração desde maio passado, não se conhece ainda estratégia nem planos concretos. Quando substituiu a administração anterior, dirigida por um oficial superior da Marinha, o contra-almirante José Garcia Belo (2018-2020), o Ministério da Defesa justificou o seu afastamento, seis meses antes do final da comissão de serviço, para "reorientar" o estaleiro. A equipa de Belo conseguira aumentar em 48% o volume de negócios e reduzir num ano o prejuízo de estaleiro de 4,5 para 1,9 milhões de euros. Na opinião de várias fontes ouvidas pelo DN, militares e civis que prestam e prestaram serviço no Arsenal e na Marinha, o seu trabalho estava a conseguir reconquistar a confiança do mercado nacional e internacional da indústria naval. A própria comissão de trabalhadores reconhece que, neste período, "havia bastante trabalho com a Marinha" e se sentiu "alguma mudança".

Garcia Belo também não quis falar ao DN, mas numa audição parlamentar, a pedido do PCP, em julho passado, não deixou de assinalar que não recebeu "nenhuma orientação estratégica" do Ministério da Defesa, desde que tomou posse, em 2018. No balanço do seu mandato, desde 2018, o almirante destacou, perante os deputados da comissão de Defesa, o "alinhamento" do Arsenal "com a Marinha", dado que antes "estavam de costas voltadas", e a capacitação para fazer a manutenção dos dois submarinos - Arpão e Tridente -, resultado de um contrato com um estaleiro alemão". O novo presidente, José Miguel Fernandes, escolhido pelo Ministério da Defesa, não quis falar ao DN. Pela primeira vez na história, o conselho de administração (CA) não integra nenhum oficial da Marinha. José Fernandes era administrador executivo da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova e já presidiu o organismo do Tribunal Constitucional que fazia o controlo dos financiamentos dos partidos políticos. Em 2013, tinha sido vogal do CA da Arsenal do Alfeite, S.A., de onde saiu marcado por várias decisões polémicas, como despedimentos de técnicos especializados e em rutura com a Marinha, incluindo conflitos com o então comandante da base do Alfeite.


Tensão com os quadros superiores

A sua ação está a ser acompanhada à lupa pelos trabalhadores e pelos dirigentes mais antigos da casa, a quem não causou uma primeira boa impressão. No início do mês provocou já alguns momentos de tensão, ainda não sanados, quando chamou diretores, chefes de serviço e chefes de divisão, para propor um reajustamento de contratos que levaria a reduções salariais. Alguns pediram demissão, em protesto. Estão em causa, em boa parte dos casos, quadros altamente experientes, militares e civis. Os vários interlocutores que partilharam com o DN as suas preocupações dizem que a sangria de quadros tem sido dramática e é apontada como uma das causas para o declínio das capacidades do estaleiro. Antes de 2009, quando o Arsenal se tornou uma sociedade anónima, havia mais de 1200 trabalhadores, entre quadros técnicos e operários. Logo a seguir, regista a comissão de trabalhadores, os recursos humanos ficaram reduzidos a cerca de 700, e atualmente são 465. "Há uma grande instabilidade social nos estaleiros", afiança António Pereira, técnico com mais de 20 anos de trabalho no Arsenal, que receia também que haja cortes na área da produção, onde estão os operários qualificados.

Fonte oficial do gabinete do ministro da Defesa tranquiliza a comissão de trabalhadores: "Não se prevê qualquer redução no efetivo dos trabalhadores do Arsenal, muito pelo contrário, pretende-se estancar o processo de perda de efetivos que ocorreu na última década. É preciso implementar uma política de recursos humanos de captação, formação e retenção de mão-de-obra qualificada e captação de técnicos especializados, com vista a dar resposta às futuras exigências que procederão da nova estratégia a implementar no âmbito da economia de Defesa", responde. Quanto à situação dos quadros superiores, o gabinete de João Gomes Cravinho alega que "não se verificou qualquer proposta de redução salarial. Verificou-se, sim, um ajustamento ao nível das comissões de serviço, harmonizando as mesmas no sentido de serem mais coerentes com, precisamente, as demais categorias profissionais". Segundo ainda esta fonte oficial, a razão para esta medida está no "facto de a reestruturação organizacional, desenhada pela atual administração, ter em vista a melhoria do funcionamento do estaleiro, o que implica, entre muitos outros aspetos, otimizar direções e divisões, para potenciar uma maior eficiência".


Marinha debilitada

A principal vítima da situação no estaleiro é mesmo a Marinha. Neste momento, confirmaram ao DN fontes do ramo, "já há missões a ser recusadas devido ao acumular de navios inoperacionais". Ao que o DN apurou, junto do fontes militares, pelo menos até meio da passada semana, a frota estava em mínimos históricos: estavam a navegar apenas a fragata Corte Real (das cinco existentes), um navio-patrulha oceânico (dos quatro) - quatro lanchas de fiscalização (em nove) e um dos dois submarinos Tridente (o Arpão está na doca do Alfeite em manutenção, já a derrapar prazos). "Como exemplo do extremo a que se chegou na exiguidade de meios, na Madeira, à falta de lanchas de fiscalização, este trabalho está a ser feito por uma lancha hidrográfica. Além de a sua tripulação ser constituída essencialmente por cientistas, tem a particularidade de não navegar a mais de oito nós (cerca de 14 km/h), enquanto qualquer pequeno pesqueiro anda a mais de 14 nós", sublinha um oficial ouvido pelo DN. É impossível dissociar do declínio do estaleiro dos públicos e assumidos atrasos na manutenção e reparação dos navios da nossa Armada.

"A manutenção dos navios da Marinha constitui uma das preocupações centrais, procurando-se inverter a tendência dos últimos 15 anos de acumulação de défice de manutenção dos meios navais", dizia ao DN, em fevereiro passado, o porta-voz do chefe do Estado-Maior da Armada, almirante Mendes Calado. Apontava o caso das corvetas, cujos atrasos de manutenção "variam entre um e três anos". No caso das lanchas de fiscalização e hidrográficas, a situação era ainda mais grave, com "um défice de manutenção acumulado, que varia entre os dois e os nove anos". Desta vez, o gabinete do CEMA não quis responder ao DN sobre a relação com a Arsenal do Alfeite e o trabalho previsto.

Por outro lado, como assinala uma outra fonte do setor, a dependência da Marinha de estaleiros estrangeiros vai aumentando. "Não é conhecida nenhuma medida para o estaleiro vir a ganhar competências nos novos meios da Marinha, nomeadamente a MLU [Mid-Life Upgrade], em curso na Holanda, dos navios da classe Bartolomeu Dias. Pode significar que a médio prazo o Alfeite deixe de aceitar trabalhos tecnológicos, o que já vai acontecendo por falta de formação. E sublinhe-se que o Arsenal tem qualificações únicas na reparação de sistemas de armas, torpedos e mísseis. Isto coloca a Marinha numa situação de dependência de estaleiros estrangeiros, como os da Marinha holandesa, ou de empresas privadas", reflete este quadro superior da construção naval. Alerta esta fonte que, "por um lado, a Marinha dependerá do estrangeiro para o cumprimento das suas missões, o que leva a questões de soberania nacional; por outro, esta dependência pode fazer que os preços subam e, quando se entra no mundo das empresas privadas, cujo principal objetivo é o lucro, várias questões se põem: e se, no meio, surgir um cliente que pague melhor? No contrato seguinte, será diferente? Ou muda o orçamento cobrado à Marinha?"

Lembra ainda que "a maior dependência de fabricantes estrangeiros implica uma vida útil de equipamentos muito mais curta. Para os fabricantes, a estratégia é vender novo, não manter o velho. Daí que, ao fim de cinco anos, um equipamento é descontinuado, e ao fim de dez é obsoleto. No mercado de consumo pode não ser crítico, mas na indústria militar, onde os preços são muitíssimo elevados, é fatal". Esta fonte interroga-se: "Haverá intenção de entregar o apelativo orçamento para manutenção da Marinha a privados? Se assim for, em menos de uma década, a Marinha ficará altamente dependente de terceiros, que dificilmente alinharão a sua estratégia empresarial com a estratégia da Marinha e do país."



Governo promete investimento

Confrontado pelo DN, o gabinete de Gomes Cravinho assegura que "a Arsenal do Alfeite, S.A. vai continuar a ter a Marinha como parceiro estratégico, não estando prevista qualquer alteração nesse domínio. O Arsenal é uma empresa cujo acionista único é e continuará a ser o Estado português, através da IdD - Portugal Defence, S.A., que opera no mercado da Defesa e que tem como missão principal manter a esquadra da Marinha". Quanto à falta dos essenciais recursos humanos, modernização de equipamentos e novas docas, fonte oficial avança que "o investimento no Alfeite passará, entre outros aspetos, pelo reforço da capacidade de alagem para várias unidades ao longo dos próximos anos. A par deste aspeto, a empresa terá também como prioridade a estabilização dos aspetos ligados à manutenção, assegurando autofinanciamento e capacidade para dar retorno ao investimento que nela tem sido feito". Sobre o facto de a Marinha ter de recorrer cada vez mais a estaleiros no estrangeiro para reparar os seus navios, o gabinete diz que "a questão deverá ser colocada à Marinha" - que, como foi referido, não respondeu. No entanto, sublinha, "Portugal tem um know-how ímpar no setor naval e o objetivo é criar um cluster naval que inclua competências únicas que sejam reconhecidas nacional e internacionalmente". Solicitadas informações sobre os investimentos que estão previstos para os estaleiros, a mesmo porta-voz indica que "estão a ser estudados vários projetos que implicarão investimentos no curto, médio e longo prazo, que irão sendo anunciados".


Erro histórico?

Quando Marcelo visitou o estaleiro em 2017 viviam-se momentos de algum alento, após anos de grandes dificuldades financeiras e sem perspetivas de negócios. Nesta altura, havia seis milhões de euros em cofre para alargar uma doca, obra fulcral para a aumentar a capacidade do Arsenal. Havia uma carteira de encomendas, que incluía a modernização das fragatas da Marinha, a construção de lanchas salva-vidas e a reparação dos submarinos Tridente. Mas a verba para o cais ficou cativada pelo Ministério das Finanças e nunca foi feita até hoje. A falta desta nova doca é crítica para o estaleiro, pois limita drasticamente a sua capacidade para receber mais navios. Neste momento, o único espaço disponível para acolher embarcações de grandes dimensões está ocupado com o submarino Arpão, para uma manutenção durante 18 meses. Deveria estar pronto neste ano, mas não deverá estar, também por atrasos provocados pela pandemia. Os estaleiros não pararam, mas os técnicos alemães que integravam a equipa não vieram. Depois será a vez do outro submarino, estando previsto o mesmo tempo de permanência na doca. "A manutenção dos dois submarinos é o projeto prioritário, no entanto não gera receitas condizentes com o impacto que tem nos restantes trabalhos do estaleiro. Desde logo a impossibilidade de docar uma fragata. A ocupação de 18 meses da única doca de grande dimensão que um estaleiro dispõe para faturar apenas cinco milhões de euros é um negócio de vantagem duvidosa", sublinha um antigo quadro superior do Alfeite que acompanhou o processo.

O desinvestimento na modernização de equipamentos, espaços e mão-de-obra acabou por ser fatal para a construção dos dois salva-vidas. O contrato, no valor de três milhões de euros, foi assinado com a Marinha em fevereiro de 2017, e anunciava-se a sua entrega ao Instituto de Socorros a Náufragos até ao final de 2018. "Tivemos de equipar tudo de novo, pois a construção destes salva-vidas implicava tecnologia e material que não tínhamos. Foi demorado", explica um ex-dirigente do Arsenal. Estamos em setembro de 2020 e ainda nenhum dos salva-vidas foi entregue. Ao que o DN apurou, está um único construído em fase de testes.

O enigma sobre o futuro do Arsenal do Alfeite mantém-se indecifrável. Como tinha sublinhado, já cética, a comissão de trabalhadores, as declarações de boas intenções não chegam e já foram muitas. "Estes estaleiros têm 81 anos e capacidades técnicas únicas no país. Existindo a Marinha, tem de existir o Arsenal. São indissociáveis. A transformação do Arsenal do Alfeite em empresa sociedade anónima foi um erro histórico", concluem os representantes dos trabalhadores.

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/15-set-2020/arsenal-do-alfeite-vai-o-historico-estaleiro-recuperar-ou-afundar-se-de-vez-12715680.html
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Setembro 15, 2020, 10:31:43 am
lá se vai a MNT dos nossos 214, feita por estaleiro Nacional.

Muito bom é preciso poupar para arranjar mais cobres, se calhar o novo banco do Fomento, ou até a TAP, poderão precisar, de ajudas, daqui a uns anos !!!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 15, 2020, 10:59:04 am
Depois de ler atentamente o artigo, fiquei com a sensação que se pode depreender do mesmo que o atraso no MLU da(s) BD se deve a outras prioridades nos estaleiros de Den Helder, neste caso colocando (e bem) a Marinha Holandesa em primeiro lugar em detrimento dos pelintras portugueses. Seria caso para dizer "vejam e aprendam", mas com um Ministro da Defesa que quando há questões e polémicas com os ramos diz à CS para ir perguntar aos mesmos, penso que não é preciso dizer mais nada pois assim não se vai mesmo a lugar algum. ::)


(https://thumbs.gfycat.com/KindheartedLiquidBilby-small.gif)

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 15, 2020, 11:07:29 am
Nos tempos idos em que se começou a falar do mluzito das BD, acho que li que a BD seria modernizada na Holanda e a FdA em Portugal, logo suponho que no AA.

Responsabilidades por isso não ter acontecido? Ninguém sabe, ninguém viu.

Venham mais umas medalhas
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Setembro 15, 2020, 02:55:47 pm
Para memória futura:

Arsenal do Alfeite. Vai o histórico estaleiro recuperar ou afundar-se de vez?
15 SET 2020
https://www.dn.pt/edicao-do-dia/15-set-2020/arsenal-do-alfeite-vai-o-historico-estaleiro-recuperar-ou-afundar-se-de-vez-12715680.html

Arsenal do Alfeite. Vai o histórico estaleiro recuperar ou afundar-se de vez?
Sangria de quadros, obras adiadas, construções atrasadas, a degradação do estaleiro do Alfeite compromete as missões da Marinha e a nova administração já está em rutura com diretores e chefes.


© Paulo Spranger/Global Media

"Há uma missão, uma estratégia, uma equipa, um relacionamento natural com a Armada, abertura ao mundo", afirmou o Presidente da República na sua única visita ao estaleiro do Alfeite, em julho de 2017. Deixou uma "mensagem de confiança e esperança" no futuro deste histórico estaleiro e assinalou como "viragem histórica" o plano em curso na empresa.

Tibério Rodrigues e António Pereira, da comissão de trabalhadores da Arsenal do Alfeite, S.A., recordam estas palavras com alguma nostalgia e, principalmente, com desalento. "Desde que fomos transformados numa empresa com capitais públicos, em 2009, já vamos na quinta administração. Há promessas, planos, estudos, mas o que vemos é o estaleiro cada vez mais degradado e a esperança a morrer", sublinham.

Na última década, a saída de quadros, técnicos e operários, tem sido dramática, esvaziando o estaleiro da mão-de-obra qualificada essencial para a confiança dos clientes nacionais e internacionais. Obras, como a de uma nova doca que permitiria receber mais navios para reparação, não saíram do papel.

Até a tão promovida e anunciada construção de dois novos salva-vidas, com material moderno e tecnologia de ponta, está muito atrasada: o prazo de conclusão era final de 2018, mas só um dos dois navios está agora em fase de testes.

A Marinha, a sofrer diretamente com sucessivos atrasos na manutenção dos seus navios, cada vez mais recorre a estaleiros estrangeiros, ficando dependente das prioridades das armadas de outros países.

"Sem o Arsenal do Alfeite capaz a breve prazo, tenho a certeza de que a Marinha ficará inoperacional em pouco tempo, em meia dúzia de meses. E estamos perto disso. É preciso uma administração que conheça o negócio da indústria naval e que modernize o Arsenal com equipamentos e pessoas. Neste ano, praticamente, a Marinha não vai navegar com as fragatas. É inacreditável", assevera o ex-chefe do Estado-Maior da Armada, Melo Gomes.

Nem planos nem estratégias
Com uma nova administração desde maio passado, não se conhece ainda estratégia nem planos concretos. Quando substituiu a administração anterior, dirigida por um oficial superior da Marinha, o contra-almirante José Garcia Belo (2018-2020), o Ministério da Defesa justificou o seu afastamento, seis meses antes do final da comissão de serviço, para "reorientar" o estaleiro.

A equipa de Belo conseguira aumentar em 48% o volume de negócios e reduzir num ano o prejuízo de estaleiro de 4,5 para 1,9 milhões de euros. Na opinião de várias fontes ouvidas pelo DN, militares e civis que prestam e prestaram serviço no Arsenal e na Marinha, o seu trabalho estava a conseguir reconquistar a confiança do mercado nacional e internacional da indústria naval.

A própria comissão de trabalhadores reconhece que, neste período, "havia bastante trabalho com a Marinha" e se sentiu "alguma mudança".

Garcia Belo também não quis falar ao DN, mas numa audição parlamentar, a pedido do PCP, em julho passado, não deixou de assinalar que não recebeu "nenhuma orientação estratégica" do Ministério da Defesa, desde que tomou posse, em 2018.

No balanço do seu mandato, desde 2018, o almirante destacou, perante os deputados da comissão de Defesa, o "alinhamento" do Arsenal "com a Marinha", dado que antes "estavam de costas voltadas", e a capacitação para fazer a manutenção dos dois submarinos - Arpão e Tridente -, resultado de um contrato com um estaleiro alemão".

O novo presidente, José Miguel Fernandes, escolhido pelo Ministério da Defesa, não quis falar ao DN. Pela primeira vez na história, o conselho de administração (CA) não integra nenhum oficial da Marinha.

José Fernandes era administrador executivo da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova e já presidiu o organismo do Tribunal Constitucional que fazia o controlo dos financiamentos dos partidos políticos.

Em 2013, tinha sido vogal do CA da Arsenal do Alfeite, S.A., de onde saiu marcado por várias decisões polémicas, como despedimentos de técnicos especializados e em rutura com a Marinha, incluindo conflitos com o então comandante da base do Alfeite.

Tensão com os quadros superiores
A sua ação está a ser acompanhada à lupa pelos trabalhadores e pelos dirigentes mais antigos da casa, a quem não causou uma primeira boa impressão.

No início do mês provocou já alguns momentos de tensão, ainda não sanados, quando chamou diretores, chefes de serviço e chefes de divisão, para propor um reajustamento de contratos que levaria a reduções salariais. Alguns pediram demissão, em protesto. Estão em causa, em boa parte dos casos, quadros altamente experientes, militares e civis.

Os vários interlocutores que partilharam com o DN as suas preocupações dizem que a sangria de quadros tem sido dramática e é apontada como uma das causas para o declínio das capacidades do estaleiro.

Antes de 2009, quando o Arsenal se tornou uma sociedade anónima, havia mais de 1200 trabalhadores, entre quadros técnicos e operários. Logo a seguir, regista a comissão de trabalhadores, os recursos humanos ficaram reduzidos a cerca de 700, e atualmente são 465.

"Há uma grande instabilidade social nos estaleiros", afiança António Pereira, técnico com mais de 20 anos de trabalho no Arsenal, que receia também que haja cortes na área da produção, onde estão os operários qualificados.

Fonte oficial do gabinete do ministro da Defesa tranquiliza a comissão de trabalhadores: "Não se prevê qualquer redução no efetivo dos trabalhadores do Arsenal, muito pelo contrário, pretende-se estancar o processo de perda de efetivos que ocorreu na última década. É preciso implementar uma política de recursos humanos de captação, formação e retenção de mão-de-obra qualificada e captação de técnicos especializados, com vista a dar resposta às futuras exigências que procederão da nova estratégia a implementar no âmbito da economia de Defesa", responde.

Quanto à situação dos quadros superiores, o gabinete de João Gomes Cravinho alega que "não se verificou qualquer proposta de redução salarial. Verificou-se, sim, um ajustamento ao nível das comissões de serviço, harmonizando as mesmas no sentido de serem mais coerentes com, precisamente, as demais categorias profissionais".

Segundo ainda esta fonte oficial, a razão para esta medida está no "facto de a reestruturação organizacional, desenhada pela atual administração, ter em vista a melhoria do funcionamento do estaleiro, o que implica, entre muitos outros aspetos, otimizar direções e divisões, para potenciar uma maior eficiência".

Marinha debilitada
A principal vítima da situação no estaleiro é mesmo a Marinha. Neste momento, confirmaram ao DN fontes do ramo, "já há missões a ser recusadas devido ao acumular de navios inoperacionais".

Ao que o DN apurou, junto do fontes militares, pelo menos até meio da passada semana, a frota estava em mínimos históricos: estavam a navegar apenas a fragata Corte Real (das cinco existentes), um navio-patrulha oceânico (dos quatro) - quatro lanchas de fiscalização (em nove) e um dos dois submarinos Tridente (o Arpão está na doca do Alfeite em manutenção, já a derrapar prazos).

"Como exemplo do extremo a que se chegou na exiguidade de meios, na Madeira, à falta de lanchas de fiscalização, este trabalho está a ser feito por uma lancha hidrográfica. Além de a sua tripulação ser constituída essencialmente por cientistas, tem a particularidade de não navegar a mais de oito nós (cerca de 14 km/h), enquanto qualquer pequeno pesqueiro anda a mais de 14 nós", sublinha um oficial ouvido pelo DN.

É impossível dissociar do declínio do estaleiro dos públicos e assumidos atrasos na manutenção e reparação dos navios da nossa Armada.

"A manutenção dos navios da Marinha constitui uma das preocupações centrais, procurando-se inverter a tendência dos últimos 15 anos de acumulação de défice de manutenção dos meios navais", dizia ao DN, em fevereiro passado, o porta-voz do chefe do Estado-Maior da Armada, almirante Mendes Calado.

Apontava o caso das corvetas, cujos atrasos de manutenção "variam entre um e três anos". No caso das lanchas de fiscalização e hidrográficas, a situação era ainda mais grave, com "um défice de manutenção acumulado, que varia entre os dois e os nove anos".

Desta vez, o gabinete do CEMA não quis responder ao DN sobre a relação com a Arsenal do Alfeite e o trabalho previsto.

Por outro lado, como assinala uma outra fonte do setor, a dependência da Marinha de estaleiros estrangeiros vai aumentando. "Não é conhecida nenhuma medida para o estaleiro vir a ganhar competências nos novos meios da Marinha, nomeadamente a MLU [Mid-Life Upgrade], em curso na Holanda, dos navios da classe Bartolomeu Dias. Pode significar que a médio prazo o Alfeite deixe de aceitar trabalhos tecnológicos, o que já vai acontecendo por falta de formação. E sublinhe-se que o Arsenal tem qualificações únicas na reparação de sistemas de armas, torpedos e mísseis. Isto coloca a Marinha numa situação de dependência de estaleiros estrangeiros, como os da Marinha holandesa, ou de empresas privadas", reflete este quadro superior da construção naval.

Alerta esta fonte que, "por um lado, a Marinha dependerá do estrangeiro para o cumprimento das suas missões, o que leva a questões de soberania nacional; por outro, esta dependência pode fazer que os preços subam e, quando se entra no mundo das empresas privadas, cujo principal objetivo é o lucro, várias questões se põem: e se, no meio, surgir um cliente que pague melhor? No contrato seguinte, será diferente? Ou muda o orçamento cobrado à Marinha?"

Lembra ainda que "a maior dependência de fabricantes estrangeiros implica uma vida útil de equipamentos muito mais curta. Para os fabricantes, a estratégia é vender novo, não manter o velho. Daí que, ao fim de cinco anos, um equipamento é descontinuado, e ao fim de dez é obsoleto. No mercado de consumo pode não ser crítico, mas na indústria militar, onde os preços são muitíssimo elevados, é fatal".

Esta fonte interroga-se: "Haverá intenção de entregar o apelativo orçamento para manutenção da Marinha a privados? Se assim for, em menos de uma década, a Marinha ficará altamente dependente de terceiros, que dificilmente alinharão a sua estratégia empresarial com a estratégia da Marinha e do país."

Governo promete investimento
Confrontado pelo DN, o gabinete de Gomes Cravinho assegura que "a Arsenal do Alfeite, S.A. vai continuar a ter a Marinha como parceiro estratégico, não estando prevista qualquer alteração nesse domínio. O Arsenal é uma empresa cujo acionista único é e continuará a ser o Estado português, através da IdD - Portugal Defence, S.A., que opera no mercado da Defesa e que tem como missão principal manter a esquadra da Marinha".

Quanto à falta dos essenciais recursos humanos, modernização de equipamentos e novas docas, fonte oficial avança que "o investimento no Alfeite passará, entre outros aspetos, pelo reforço da capacidade de alagem para várias unidades ao longo dos próximos anos. A par deste aspeto, a empresa terá também como prioridade a estabilização dos aspetos ligados à manutenção, assegurando autofinanciamento e capacidade para dar retorno ao investimento que nela tem sido feito".

Sobre o facto de a Marinha ter de recorrer cada vez mais a estaleiros no estrangeiro para reparar os seus navios, o gabinete diz que "a questão deverá ser colocada à Marinha" - que, como foi referido, não respondeu.

No entanto, sublinha, "Portugal tem um know-how ímpar no setor naval e o objetivo é criar um cluster naval que inclua competências únicas que sejam reconhecidas nacional e internacionalmente".

Solicitadas informações sobre os investimentos que estão previstos para os estaleiros, a mesmo porta-voz indica que "estão a ser estudados vários projetos que implicarão investimentos no curto, médio e longo prazo, que irão sendo anunciados".

Erro histórico?
Quando Marcelo visitou o estaleiro em 2017 viviam-se momentos de algum alento, após anos de grandes dificuldades financeiras e sem perspetivas de negócios. Nesta altura, havia seis milhões de euros em cofre para alargar uma doca, obra fulcral para a aumentar a capacidade do Arsenal.

Havia uma carteira de encomendas, que incluía a modernização das fragatas da Marinha, a construção de lanchas salva-vidas e a reparação dos submarinos Tridente. Mas a verba para o cais ficou cativada pelo Ministério das Finanças e nunca foi feita até hoje.

A falta desta nova doca é crítica para o estaleiro, pois limita drasticamente a sua capacidade para receber mais navios. Neste momento, o único espaço disponível para acolher embarcações de grandes dimensões está ocupado com o submarino Arpão, para uma manutenção durante 18 meses.

Deveria estar pronto neste ano, mas não deverá estar, também por atrasos provocados pela pandemia. Os estaleiros não pararam, mas os técnicos alemães que integravam a equipa não vieram. Depois será a vez do outro submarino, estando previsto o mesmo tempo de permanência na doca.

"A manutenção dos dois submarinos é o projeto prioritário, no entanto não gera receitas condizentes com o impacto que tem nos restantes trabalhos do estaleiro. Desde logo a impossibilidade de docar uma fragata. A ocupação de 18 meses da única doca de grande dimensão que um estaleiro dispõe para faturar apenas cinco milhões de euros é um negócio de vantagem duvidosa", sublinha um antigo quadro superior do Alfeite que acompanhou o processo.

O desinvestimento na modernização de equipamentos, espaços e mão-de-obra acabou por ser fatal para a construção dos dois salva-vidas. O contrato, no valor de três milhões de euros, foi assinado com a Marinha em fevereiro de 2017, e anunciava-se a sua entrega ao Instituto de Socorros a Náufragos até ao final de 2018.

"Tivemos de equipar tudo de novo, pois a construção destes salva-vidas implicava tecnologia e material que não tínhamos. Foi demorado", explica um ex-dirigente do Arsenal. Estamos em setembro de 2020 e ainda nenhum dos salva-vidas foi entregue. Ao que o DN apurou, está um único construído em fase de testes.

O enigma sobre o futuro do Arsenal do Alfeite mantém-se indecifrável. Como tinha sublinhado, já cética, a comissão de trabalhadores, as declarações de boas intenções não chegam e já foram muitas.

"Estes estaleiros têm 81 anos e capacidades técnicas únicas no país. Existindo a Marinha, tem de existir o Arsenal. São indissociáveis. A transformação do Arsenal do Alfeite em empresa sociedade anónima foi um erro histórico", concluem os representantes dos trabalhadores."


Comentário:

1.º A Marinha é mesmo para desmantelar;

2.º Todos os orgãos de soberania, começando no Tio Celito, assim como o topo das chefias militares são objectivamente incompetentes e negligentes e/ou  traidores:

(https://cdn.cmjornal.pt/images/2019-12/img_1280x720$2019_12_03_22_24_34_906903.jpg) - Tio Celito - Presidente da República;

(https://bordalo.observador.pt/400x,q85/https://s3.observador.pt/wp-content/uploads/2020/09/12202243/16976313-scaled_770x433_acf_cropped-1.jpg) Kosta do Castelo, PM

(https://bordalo.observador.pt/500x,q85/https://s3.observador.pt/wp-content/uploads/2019/12/09172832/27563383_770x433_acf_cropped.jpg)~Tio Titi, Ministro da Defesa

(https://ominho.pt/wp-content/uploads/2020/01/Marco-Ant%C3%B3nio-Costa-1.jpg?v=1579014817) Marco António Costa - Presidente da Comissão Parlamentar Permanente de Defesa Nacional;

(https://cdnimages01.azureedge.net/renascenca/almirante_silva_ribeiro_chefe_estado_maior_das_forcas_armadas_foto_daniel_rodrigues_publico_115276402defaultlarge_1024.jpg). Almirante Silva Ribeiro  - CEMFA;

(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/ZQGFe9sQHY8vLrILycSwuoiJU0XNg1PSV0SCUGiQrtzP_jjWjIvoO4kAWJifOwTTxl6KuwCx3f3ANoNshgb8VsxRnQV-iKj4cPEHzmcQ9IY89HUwceuv2wUT7F6ybaRGp4z-L3M3ssJLvJOJlNKjWQacdrcU)- Almirante Calado - CEMA
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 15, 2020, 03:04:58 pm
Isto não é puxar a brasa à minha sardinha, longe disso, mas ainda ninguém reparou que esta é a segunda vez que se partilha a notícia em outros tantos tópicos após aqui o ter feito pouco antes das 9h?  :-\
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Setembro 15, 2020, 03:14:24 pm
Isto não é puxar a brasa à minha sardinha, longe disso, mas ainda ninguém reparou que esta é a segunda vez que se partilha a notícia em outros tantos tópicos após aqui o ter feito pouco antes das 9h?  :-\

Lamento se estou aqui a repetir o que alguém já fez. Todavia pergunto: o artigo já foi aqui copipeistado?
É que um link é um link (links há muitos!) e um texto e este é um - oh que texto!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lusitaniae em Setembro 15, 2020, 03:29:47 pm
Entretanto o Porto de Sines encomenda lá fora o que podia ser feito no Alfeite.

https://twitter.com/SafehavenMarine/status/1305733342441213952
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 15, 2020, 03:56:57 pm
Isto não é puxar a brasa à minha sardinha, longe disso, mas ainda ninguém reparou que esta é a segunda vez que se partilha a notícia em outros tantos tópicos após aqui o ter feito pouco antes das 9h?  :-\

Lamento se estou aqui a repetir o que alguém já fez. Todavia pergunto: o artigo já foi aqui copipeistado?
É que um link é um link (links há muitos!) e um texto e este é um - oh que texto!

Não faz mal Luso, é só mesmo para a notícia não andar espalhada por diferentes tópicos. E sim, neste mesmo tópico volta só uma página atrás que está lá devidamente colocado e sublinhado. ;)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Setembro 15, 2020, 04:08:09 pm
Isto não é puxar a brasa à minha sardinha, longe disso, mas ainda ninguém reparou que esta é a segunda vez que se partilha a notícia em outros tantos tópicos após aqui o ter feito pouco antes das 9h?  :-\

Lamento se estou aqui a repetir o que alguém já fez. Todavia pergunto: o artigo já foi aqui copipeistado?
É que um link é um link (links há muitos!) e um texto e este é um - oh que texto!

Não faz mal Luso, é só mesmo para a notícia não andar espalhada por diferentes tópicos. E sim, neste mesmo tópico volta só uma página atrás que está lá devidamente colocado e sublinhado. ;)

Charlie, o texto é magnífico porque é revelador da atitude do regime perante o tema da Defesa Nacional.
A meu ver, a "essência da coisa" encaixa-se em coisas como a privatização do treino de pilotos, se necessário até em Espanha.
https://www.jn.pt/nacional/forca-aerea-contrata-empresa-espanhola-para-formar-pilotos-11824222.html

O artigo do DN desfaz, na minha opinião, os discurso pantomineiro das chefias político-militares e revela definitivamente a irrelevância e negligência do Presidente da República e do Parlamento. Tudo isto revela que sistema político português falhou em toda a linha, sem existir ninguém a fazer os escrutínios que deve fazer.
Pudera: são todos globalistas (PR. , presidente da assembleia da república, oposição, etc).
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 15, 2020, 04:09:29 pm
E já agora aproveitando o ensejo, depois de se ler com atenção o artigo de hoje no DN sobre o Arsenal e o estado actual da Marinha, é com descrença ou humor que se deve ler sobre as Grandes Opções do Plano para 2021 em diante. ::)

Citar
Grandes Opções do Plano: Investimento na Defesa com "papel fundamental" na recuperação pós-pandemia
13.09.2020 às 22h00

Lusa

O investimento na economia da Defesa poderá ter "um papel fundamental na tarefa prioritária de recuperação da crise pandémica" a partir de 2021, assinala o Governo nas Grandes Opções do Plano (GOP), prometendo "continuar a investir" nas Forças Armadas

"A despesa em defesa é, em primeiro lugar, um investimento nas capacidades necessárias para garantir a liberdade, a segurança e a salvaguarda da vida dos portugueses, mas é igualmente um investimento no tecido económico, na inovação tecnológica, em empresas pequenas, médias e grandes, em novos empregos, e numa maior capacidade exportadora", lê-se no documento que será debatido e votado no parlamento em conjunto com o Orçamento de Estado para 2021. O Governo considera "fundamental continuar a investir em meios e equipamentos para que as Forças Armadas possam cumprir cabalmente as suas missões" e se assumam como "um eficaz garante último da segurança e do bem-estar da população e atuem como uma reserva estratégica indispensável à resiliência do Estado face a emergências complexas". No documento, o executivo realça que a política de Defesa Nacional é "um indispensável instrumento da política externa e de afirmação de Portugal no mundo".

A nível bilateral, o executivo destaca "o papel da política de Cooperação no Domínio da Defesa, principalmente no relacionamento com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e com a República Democrática de Timor-Leste, para a eficácia e a unidade da política externa portuguesa e para o reforço da credibilidade e visibilidade de Portugal no quadro internacional". Por outro lado, as GOP sublinham a necessidade de "prosseguir a adaptação da Defesa Nacional e a transformação das Forças Armadas, por forma a responder tanto aos desafios da inovação tecnológica cada vez mais acelerada, incluindo as novas ameaças decorrentes da utilização abusiva do ciberespaço, como aos compromissos assumidos com os nossos aliados, que representam uma garantia coletiva vital na dissuasão de ameaças à nossa segurança"."O investimento em defesa gerará também valor acrescentado na investigação, na indústria e na inovação e contribuirá para a recuperação, a renovação e a internacionalização da economia portuguesa" e "será ainda crucial na projeção internacional do país, assegurando a interoperabilidade com aliados e o cumprimento cabal das missões de paz e segurança internacionais com que nos comprometemos, nomeadamente no quadro da ONU, da UE e da NATO".

No documento, o Governo reitera a intenção de promover o alargamento do Regime de Contrato Especial e a conclusão do estudo de viabilidade sobre a criação de um quadro permanente de Praças no Exército e na Força Aérea, assinalando também a importância de procurar "novas soluções de recrutamento, retenção e requalificação, a par da aposta na formação, que permitam dar resposta nomeadamente às exigências de áreas tecnologicamente mais densas, como a ciberdefesa e o domínio espacial". Na área do património, as GOP manifestam a intenção do executivo em ampliar a relação com as autarquias, uma vez que "os municípios são um parceiro privilegiado para que os imóveis disponíveis para rentabilização continuem a servir o interesse público, e a sua rentabilização possa prosseguir os interesses, protegidos por lei, das Forças Armadas".

Além do investimento em meios, equipamentos e nos recursos humanos, o Governo sublinha que a Lei de Programação Militar será executada de forma a gerar valor que se "traduza num efeito multiplicador da capacidade operacional, nomeadamente apostando em programas conjuntos e de duplo uso, isto é, que tenham uma aplicabilidade em missões civis, como a experiência da resposta à covid-19 mostrou ser fundamental".

https://expresso.pt/politica/2020-09-13-Grandes-Opcoes-do-Plano-Investimento-na-Defesa-com-papel-fundamental-na-recuperacao-pos-pandemia

P.S. Deixei de ler quando logo no início está escrito que o Governo considera fundamental continuar a investir em meios para as Forças Armadas poderem continuar a cumprir cabalmente a sua missão. Mas pronto, com a manutenção da lenga-lenga do duplo uso pode ser que se materializem o LPD, helicópteros de evacuação, etc, etc. Só os F-35 é que não estou a ver qual poderia ser o seu uso civil... ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Setembro 15, 2020, 04:19:29 pm
Apagar fogos com JDAM´s!  :mrgreen:

(https://i.insider.com/4f64e5c56bb3f7944d000008?width=1100&format=jpeg&auto=webp)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Setembro 15, 2020, 04:26:55 pm
Citar

https://expresso.pt/politica/2020-09-13-Grandes-Opcoes-do-Plano-Investimento-na-Defesa-com-papel-fundamental-na-recuperacao-pos-pandemia

P.S. Deixei de ler quando logo no início está escrito que o Governo considera fundamental continuar a investir em meios para as Forças Armadas poderem continuar a cumprir cabalmente a sua missão. Mas pronto, com a manutenção da lenga-lenga do duplo uso pode ser que se materializem o LPD, helicópteros de evacuação, etc, etc. Só os F-35 é que não estou a ver qual poderia ser o seu uso civil... ::)


O artigo "Alfeite" condena como reles propaganda de nível municipal toda essa palheta sobre a defesa nacional.
O sistema todo é um embuste. Não há hoje mais motivos para pensar o contrário e muito menos para conceder o benefício da dúvida.
Aldrabões de quinta categoria. Meros vigaristas, Não passam disso.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Setembro 15, 2020, 05:30:29 pm
E já agora aproveitando o ensejo, depois de se ler com atenção o artigo de hoje no DN sobre o Arsenal e o estado actual da Marinha, é com descrença ou humor que se deve ler sobre as Grandes Opções do Plano para 2021 em diante. ::)

Citar
Grandes Opções do Plano: Investimento na Defesa com "papel fundamental" na recuperação pós-pandemia
13.09.2020 às 22h00

Lusa

O investimento na economia da Defesa poderá ter "um papel fundamental na tarefa prioritária de recuperação da crise pandémica" a partir de 2021, assinala o Governo nas Grandes Opções do Plano (GOP), prometendo "continuar a investir" nas Forças Armadas

"A despesa em defesa é, em primeiro lugar, um investimento nas capacidades necessárias para garantir a liberdade, a segurança e a salvaguarda da vida dos portugueses, mas é igualmente um investimento no tecido económico, na inovação tecnológica, em empresas pequenas, médias e grandes, em novos empregos, e numa maior capacidade exportadora", lê-se no documento que será debatido e votado no parlamento em conjunto com o Orçamento de Estado para 2021. O Governo considera "fundamental continuar a investir em meios e equipamentos para que as Forças Armadas possam cumprir cabalmente as suas missões" e se assumam como "um eficaz garante último da segurança e do bem-estar da população e atuem como uma reserva estratégica indispensável à resiliência do Estado face a emergências complexas". No documento, o executivo realça que a política de Defesa Nacional é "um indispensável instrumento da política externa e de afirmação de Portugal no mundo".

A nível bilateral, o executivo destaca "o papel da política de Cooperação no Domínio da Defesa, principalmente no relacionamento com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e com a República Democrática de Timor-Leste, para a eficácia e a unidade da política externa portuguesa e para o reforço da credibilidade e visibilidade de Portugal no quadro internacional". Por outro lado, as GOP sublinham a necessidade de "prosseguir a adaptação da Defesa Nacional e a transformação das Forças Armadas, por forma a responder tanto aos desafios da inovação tecnológica cada vez mais acelerada, incluindo as novas ameaças decorrentes da utilização abusiva do ciberespaço, como aos compromissos assumidos com os nossos aliados, que representam uma garantia coletiva vital na dissuasão de ameaças à nossa segurança"."O investimento em defesa gerará também valor acrescentado na investigação, na indústria e na inovação e contribuirá para a recuperação, a renovação e a internacionalização da economia portuguesa" e "será ainda crucial na projeção internacional do país, assegurando a interoperabilidade com aliados e o cumprimento cabal das missões de paz e segurança internacionais com que nos comprometemos, nomeadamente no quadro da ONU, da UE e da NATO".

No documento, o Governo reitera a intenção de promover o alargamento do Regime de Contrato Especial e a conclusão do estudo de viabilidade sobre a criação de um quadro permanente de Praças no Exército e na Força Aérea, assinalando também a importância de procurar "novas soluções de recrutamento, retenção e requalificação, a par da aposta na formação, que permitam dar resposta nomeadamente às exigências de áreas tecnologicamente mais densas, como a ciberdefesa e o domínio espacial". Na área do património, as GOP manifestam a intenção do executivo em ampliar a relação com as autarquias, uma vez que "os municípios são um parceiro privilegiado para que os imóveis disponíveis para rentabilização continuem a servir o interesse público, e a sua rentabilização possa prosseguir os interesses, protegidos por lei, das Forças Armadas".

Além do investimento em meios, equipamentos e nos recursos humanos, o Governo sublinha que a Lei de Programação Militar será executada de forma a gerar valor que se "traduza num efeito multiplicador da capacidade operacional, nomeadamente apostando em programas conjuntos e de duplo uso, isto é, que tenham uma aplicabilidade em missões civis, como a experiência da resposta à covid-19 mostrou ser fundamental".

https://expresso.pt/politica/2020-09-13-Grandes-Opcoes-do-Plano-Investimento-na-Defesa-com-papel-fundamental-na-recuperacao-pos-pandemia

P.S. Deixei de ler quando logo no início está escrito que o Governo considera fundamental continuar a investir em meios para as Forças Armadas poderem continuar a cumprir cabalmente a sua missão. Mas pronto, com a manutenção da lenga-lenga do duplo uso pode ser que se materializem o LPD, helicópteros de evacuação, etc, etc. Só os F-35 é que não estou a ver qual poderia ser o seu uso civil... ::)

CG, somos geridos por um grupelho de politicozecos, incompetentes, oportunistas, aldrabões e também corruptos do melhor.

Como é possivel que as FFAA, se encontrem no estado de operacionalidade e efectivos que actualmente tem, quando anualmente, o Orçamento que possuem é de cerca de 2500/2900 milhões ??

Só é possivel com um massivo desvio de verbas, as ditas cativações, e com uma aplicação errada das verbas que são alocadas aos poucos projectos de reequipamento, pois, tais valores, se totalmente/devidamente e atempadamente aplicados seriam suficientes para equipar e muito bem umas FFAA de mais de 38.000 efectivos, quando actualmente não possuimos mais de 26.000 !!

Os exemplos aqui aflorados, sobre modernizações e aquisições, bem demonstram o interesse que os ditos responsáveis sejam eles politicos ou Militares, tem na manutenção das diversas instituições Militares, nenhuns, apenas querem manter os seus interesses enquanto podem, nada mais !!!

É por este e outros motivos que eu simplesmente deixei intervir em alguns tópicos, pois a merda é sempre a mesma só as moscas é que mudam, todos os partidos que compoêm ou já fizeram parte de governos, e, os diversos PR, o objectivo é só um, desmembrar, destruir as FFAA Nacionais, demore o tempo que demorar.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Setembro 15, 2020, 05:38:57 pm
Depois de ler atentamente o artigo, fiquei com a sensação que se pode depreender do mesmo que o atraso no MLU da(s) BD se deve a outras prioridades nos estaleiros de Den Helder, neste caso colocando (e bem) a Marinha Holandesa em primeiro lugar em detrimento dos pelintras portugueses. Seria caso para dizer "vejam e aprendam", mas com um Ministro da Defesa que quando há questões e polémicas com os ramos diz à CS para ir perguntar aos mesmos, penso que não é preciso dizer mais nada pois assim não se vai mesmo a lugar algum. ::)


(https://thumbs.gfycat.com/KindheartedLiquidBilby-small.gif)

Eu acho é que tem a ver mais com guito do que outra coisa, certamente existe um contrato com um prazo de execução, e duvido que os estaleiros não cumpram esse prazo de execução.

Secalhar o guito ainda não chegou (como o guito para alargar a doca), ou o desconto no preço foi tão grande que é tipo as oficinas que tem aqueles carros para ir arranjando quando há buracos.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Setembro 15, 2020, 08:04:03 pm
Mas o contrato não tem caderno de encargos? O prazo de pagamento não é a 90 dias após a conclusão dos trabalhos?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Kalil em Setembro 16, 2020, 11:32:51 am
Isto não é puxar a brasa à minha sardinha, longe disso, mas ainda ninguém reparou que esta é a segunda vez que se partilha a notícia em outros tantos tópicos após aqui o ter feito pouco antes das 9h?  :-\

Mea culpa, eu postei no tópico das notícias da Marinha sem confirmar se já tinha sido colocada a notícia antes noutro tópico.
Foi somente uma hora depois, mas, de facto, o artigo encaixa nos dois tópicos, é uma notícia sobre o zero naval..
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 16, 2020, 09:02:11 pm
Desta vez calhou à dentista  :mrgreen:

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020,cfoi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 20 de fevereiro de 2020 pela 7100497 Capitão-de-mar-e-guerra MN MARIA CORREIA DINIZ JÚDICE HALPERN DINIZ, Diretora do Centro de Medicina Naval, à 9100697 Primeiro-tenente TSN-MD ANA CATARINA PAIS MAMEDE RAMOS NUNES, o qual se publica:
A 9100697 Primeiro-tenente Técnica Superior Naval, Médica Dentista ANA CATARINA PAIS MAMEDE RAMOS NUNES destacou, após mais de quatro anos de comissão no Centro de Medicina Naval (CMN) para o Instituto Universitário Militar a fim de frequentar o Curso de Promoção a Oficial Superior.
Durante a sua longa comissão, desempenhou as funções de Chefe da Unidade de Saúde Oral (USO) e foi evidente a forma diligente, organizada e eficaz com que liderou a equipa de médicos dentistas e aí assistentes operacionais auxiliares de ação médica, sob a sua chefia direta, acumulando ainda, a prestação de cuidados de saúde aos utentes do CMN.
No contexto específico do Departamento de Cuidados de Saúde Primários (DCSP), demonstrou elevado espírito de iniciativa no seu desempenho profissional, tendo participado em todas as atividades do DCSP, nomeadamente na revisão de protocolos, na atualização e implementação das diretrizes para OS aprontamentos médico-sanitários, em conformidade com os STANAG’S em vigor, com elevado impacto ao nível da prontidão operacional dos militares assistidos. Teve ainda participação fundamental ao nível da organização logística do seu serviço e acompanhamento das obras de remodelação da USO. Estabeleceu novas regras de gestão de material, de acordo com normativo vigente, reorganizou as aquisições de material estabelecendo com a Direção de Saúde e o seu Departamento Logístico Sanitário relações de cordialidade transparência e eficácia, que se traduziram numa redução significativa do desperdício de material, otimização dos consumos, relativamente aos seus prazos de validade e à demora-média das correntes de abastecimento.
A sua proatividade, traduziu-se também, na promoção das atividades de formação contínua da sua equipa e por um contributo significativo no planeamento de oportunidades formativas para todos os médicos dentistas da unidade, quer a nível específico (especialização complementar em periodontologia e endodontia) bem como na indigitação para cursos no âmbito capacidade de formação da Marinha. De salientar ainda o seu empenho pessoal na formação específica das assistentes operacionais auxiliares de ação médica, na área da assistência dentária e processos de esterilização do material da USO, no sentido de as promover profissional e pessoalmente, contribuindo assim para o desiderato da Direção do CMN que pretendia estimular o desenvolvimento pessoal de cada um.
Além da sua permanente disponibilidade, excelente formação técnico-profissional, dinamismo e elevada vontade de bem servir, a 1TEN TSN-MD Ana Ramos Nunes distingue-se, pela sua enorme empatia e espírito de camaradagem demonstrado, tendo granjeado a estima de todos os utentes, colaboradores e camaradas do CMN.
Assim, é com grande satisfação e justiça que, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo a 9100697 Primeiro-tenente TSN Médica Dentista ANA CATARINA PAIS MAMEDE RAMOS NUNES, pela
forma muito competente e profissional como desempenhou as exigentes e relevantes funções de Chefe de Unidade de Saúde Oral, que contribuíram significativamente para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão do Centro de Medicina Naval e, consequentemente, da Marinha.

[...]
Medalha Militar da Cruz Naval – 3.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea c) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas,
aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 3.ª Classe, aos seguintes militares:
9100697 Primeiro-tenente TSN MD ANA CATARINA PAIS MAMEDE RAMOS NUNES
[...]


Mais uma do "protocolo"...

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 25 de junho de 2020, pelo 24581 Contra-almirante CARLOS MANUEL PARREIRA COSTA OLIVEIRA SILVA, Chefe do Gabinete do Chefe do Estado-Maior da Armada, à 9101009 Segundo-tenente TSN-COM ANA FILIPA PINHO GOMES, o qual se publica:
A 9101009 Segundo-tenente Técnica Superior Naval de Comunicação ANA FILIPA PINHO GOMES, presta serviço no Gabinete do Chefe do Estado-Maior da Armada há cerca de três anos, desempenhando a função de Adjunta do Chefe do Serviço de Protocolo.
Militar muito dedicada, bastante competente e com uma elevada capacidade de organização, alia um vasto conjunto de qualidades pessoais e profissionais a uma experiência, conhecimento e saber acumulado, que a distinguem na exigente área do protocolo.
A tenente Ana Gomes teve um papel determinante na preparação e execução dos eventos associados às comemorações do Dia da Marinha, nomeadamente no Dia da Marinha de 2018, em Peniche, e no Dia da Marinha de 2019, que pela primeira vez se realizou numa cidade do interior, em Coimbra. As cerimónias e os diferentes eventos associados constituíram um enorme desafio de organização e preparação, atenta a especificidade própria de cada região, e o facto de terem contribuído para a promoção da imagem externa da Marinha.
Ao longo deste período houve ainda um número significativo de efemérides que tiveram a coordenação do Gabinete, ou a intervenção e apoio próximo do Gabinete, tanto na área cultural com a realização de concertos pela Banda da Armada, como operacional com as cerimónias de batismo de novos navios, bem como a comemoração de datas relevantes como os 700 anos da Marinha, os 100 anos da Aviação Naval e muitos outros eventos, que exigiram a coordenação interna e externa de diferentes fases do processo de planeamento e execução.
O planeamento das diversas ações de representação, a organização de visitas de altas entidades nacionais e estrangeiras, e os inúmeros eventos e ações protocolares realizados durante o período da sua comissão, constituíram um enorme desafio para a tenente Ana Gomes, sendo reveladores de uma militar competente, disponível, e com qualidades pessoais e militares que se distinguem e que muito contribuem para a promoção da imagem da Marinha no exterior.
Assim, é-me particularmente grato dar público testemunho do meu apreço e consideração pela 9101009 Segundo-tenente TSN-COM ANA FILIPA PINHO GOMES, pelo elevado mérito alcançado no trabalho por si realizado, pela dedicação ao serviço e pela
competência profissional demonstrada de uma forma consistente ao longo de toda a comissão, cujas ações muito têm contribuído para o prestígio e o cumprimento da missão do Gabinete do Chefe do Estado-Maior da Armada e, consequentemente, da Marinha.

[...]
Medalha Militar da Cruz Naval – 3.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea c) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas,
aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 3.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
9101009 Segundo-tenente TSN COM ANA FILIPA PINHO GOMES


E das Relações Públicas...

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 1 de julho de 2020, pelo 22278 Vice-almirante JORGE MANUEL NOVO PALMA, Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, à 9100316 Subtenente TSN-RP ANDREIA SOFIA SEQUEIRA CORREIA, o qual se publica:
Presta serviço no Estado-Maior da Armada desde 2 agosto de 2016 a 9100316 Subtenente da classe de Técnico Superior Naval — Relações Públicas ANDREIA SOFIA SEQUEIRA CORREIA.
Durante este período, desempenhou, com reconhecida eficácia e eficiência, as funções de oficial de Estado-maior adjunta do Chefe da Área de Representação, Diplomacia e Protocolo da Divisão de Relações Externas e, desde março de 2018, as exigentes funções de Ajudante de Ordens do Vice-almirante Vice-chefe do Estado-Maior da Armada.
Oficial muito responsável e competente, a tenente Andreia Correia evidencia um excelente conjunto de qualidades e aptidões pessoais das quais se destacam a capacidade de organização, dedicação, determinação, iniciativa, eficácia e espírito de cooperação,
correspondendo de forma pronta e meritória aos desafios que lhe são colocados, o que concorre determinantemente para os elevados níveis de desempenho mostrados.
No cumprimento das suas atribuições, a tenente Andreia Correia vem demonstrando ser uma oficial muito leal e aprumada, com uma extraordinária vontade de bem servir, o que aliado a uma sólida formação profissional, contribuiu significativamente para a boa imagem da Marinha, designadamente durante as ações de representação em diversas atividades com destaque para as do âmbito do Plano Anual de Atividades do Grupo de Adidos, assim como as de natureza protocolar associadas ao programa de celebração do Dia da Marinha e do Dia de Portugal. Igualmente, é de inteira justiça realçar o apoio ao secretariado da Comissão de
Acompanhamento para a participação da Marinha nas Comemorações do 5.º Centenário da Viagem de Circum-Navegação de Fernão de Magalhães, apoiando diretamente a coordenação dos projetos da Divisão de Relações Externas em Enterprise Project Managemém (EPM). Já nas escrupulosas funções de Ajudante de Ordens do Vice-almirante Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, evidencia um grande profissionalismo, iniciativa, elevada determinação e rigor na preparação e execução dos processos, a que acresce; um espírito de cooperação exemplar, recentemente patenteado no apoio à organização das reuniões periódicas para a resposta da Marinha à COVID-19, afirmando-se como uma briosa oficial de Estado-maior.
As suas qualidades pessoais e sociais, reconhecidas e enaltecidas pela comunidade dos adidos acreditados em Portugal e também por todos os que com ela privaram neste Estado-Maior, contribuíram para um excelente espírito de camaradagem e bom funcionamento das divisões e do gabinete de apoio ao Vice-chefe do Estado-Maior da Armada.
Assim, é com particular agrado e de inteira justiça que, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo a 9100316 Subtenente da classe de Técnico Superior Naval - Relações Públicas ANDREIA SOFIA SEQUEIRA CORREIA, pelas qualidades pessoais, militares e profissionais evidenciadas no desempenho das suas funções no Estado-Maior da Armada que contribuíram de forma muito significativa para o cumprimento da missão do Estado-Maior da Armada e, consequentemente, da Marinha.

[...]
Medalha Militar da Cruz Naval – 3.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea c) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas,
aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 3.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
9100316 Subtenente TSN RP ANDREIA SOFIA SEQUEIRA CORREIA


E claro...mais um copeiro!

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 16 de setembro de 2019, pelo 21085 Capitão-de-mar-e-guerra ARMANDO PEREIRA DA COSTA VALENTE TINOCO, Comandante da Base Naval de Lisboa, ao 604190 Cabo TFD CARLOS ALBERTO PEREIRA GONÇALVES, o qual se publica:
Após cumprir quatro anos e meio de comissão na Base Naval de Lisboa vai destacar o 604190 Cabo TFD CARLOS ALBERTO PEREIRA GONÇALVES que ao longo deste período desempenhou as funções inerentes ao cargo de Copeiro da Messe de Oficiais, nas quais
manifestou elevado aprumo, rigor e empenho.
O Cabo TFD Gonçalves demonstrou uma robusta formação e experiência profissional e grande capacidade de trabalho, em que a atenção aos detalhes de execução e o elevado brio colocado nas tarefas, aliados ao grande sentido das responsabilidades, fizeram com que se constituísse, no dia-a-dia, uma referência e uma mais-valia para a Messe de Oficiais e para o apoio aos eventos desenvolvidos pela Base Naval de Lisboa em ações de protocolo do Comando Naval.
Para além de um excelente desempenho, o elevado espírito de cooperação e camaradagem que o Cabo TFD Gonçalves sempre evidenciou no trabalho de equipa muito contribuíram para os resultados alcançados pela Subsecção do Rancho, conquistando pela
sua conduta, a confiança, o respeito e a admiração de todos aqueles que com ele trabalharam.
Militar exemplar, disciplinado, possuidor de uma elevada integridade de caráter e um profundo sentido do dever, atitudes que aliadas a uma grande dedicação ao serviço, lhe granjearam o respeito e a consideração dos superiores, pares e subordinados, tornando-o digno de ser apontado como um exemplo a seguir.
Assim, é com grande satisfação e de inteira justiça que, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Militar, louvo o 604190 Cabo TFD CARLOS ALBERTO PEREIRA GONÇALVES, pelas suas elevadas qualidades militares, profissionais e humanas, amplamente reveladas no desempenho das funções que lhe foram atribuídas, que muito contribuíram para o prestígio e cumprimento da missão da Base Naval de Lisboa e, consequentemente, da Marinha.

Medalha Militar da Cruz Naval – 4.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 28 de julho de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas,
aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
604190 Cabo TFD CARLOS ALBERTO PEREIRA GONÇALVES
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Setembro 17, 2020, 11:51:00 am
Só por curiosidade, são dados louvores e medalhas aos militares que vão realmente para as missões no exterior? É que até agora só se tem visto pessoal em funções civis a ser condecorado.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 17, 2020, 11:53:49 am
Eu só meto...as mais ridículas  :mrgreen: ... 
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Setembro 17, 2020, 12:08:56 pm
Pronto, ao menos isso.  :mrgreen:
Mas olha que já não me admirava!

Com tanta medalha e louvor, o peso disso tudo somado, deve tornar a nossa Marinha uma das maiores em termos de tonelagem! É muito metal!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 17, 2020, 02:19:01 pm
Neste momento ainda não atingimos o zero naval... mas estamos perto! :bang:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 17, 2020, 02:42:53 pm
Saiu a Gazeta da Medalha? :mrgreen:

Qualquer dia até nós somos condecorados
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 17, 2020, 03:08:58 pm
Saiu a Gazeta da Medalha? :mrgreen:

Qualquer dia até nós somos condecorados

Mas é que é já a seguir  :mrgreen: ...

Citar
------- Por despacho do Administrador do Fórum Defesa, de 17 de setembro de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 16 de setembro de 2020, pelo 00769 Moderador PEREIRA MARQUES, Chefe da Tasca, ao 666 Cabo TFD P44, o qual se publica:
Após cumprir 16 anos e meio de mandar postas de pescada no Fórum Defesa vai destacar o 666 Cabo TFD P44 que ao longo deste período desempenhou as funções inerentes ao cargo de Má-Língua-Mor, nas quais manifestou elevado aprumo, rigor e empenho.
O Cabo TFD P44 demonstrou uma robusta formação e experiência profissional e grande capacidade de trabalho, em que a atenção aos detalhes de execução e o elevado brio colocado nas tarefas, aliados ao grande sentido das responsabilidades, fizeram com que se constituísse, no dia-a-dia, uma referência e uma mais-valia para a Tasca e para o apoio aos eventos de Maledicência.
Para além de um excelente desempenho, o elevado espírito de cooperação e camaradagem que o Cabo P44 sempre evidenciou no trabalho de equipa muito contribuíram para os resultados alcançados pela Tasca, conquistando pela sua conduta, a confiança, o respeito e a admiração de todos aqueles que com ele maldisseram.
Maledicente exemplar, disciplinado, possuidor de uma elevada integridade de caráter e um profundo sentido do dever, atitudes que aliadas a uma grande dedicação ao serviço, lhe granjearam o respeito e a consideração dos marrecos, coxos e chibos, tornando-o digno de ser apontado como um exemplo a seguir.
Assim, é com grande satisfação e de inteira justiça que, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Maledicente, louvo o 666 Cabo TFD P44, pelas suas elevadas qualidades maledicentes, de aguentar bem a bebida e de tomar banho uma vez por semana, amplamente reveladas no desempenho das funções que lhe foram atribuídas, que muito contribuíram para o prestígio e cumprimento da missão da Tasca e, consequentemente, do Fórum Defesa.

[...]
Medalha Militar do Carlos C(r)uz – 4.ª Classe
------- Por despacho do Administrador do Fórum Defesa, de 17 de setembro de 2020:
O Administrador do Fórum Defesa faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha da Treta e das Medalhas de Cortiça das Farsas Desarmadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 69/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar do Carlos C(r)uz de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
666 Cabo TFD P44
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lightning em Setembro 17, 2020, 04:31:36 pm
Eu só meto...as mais ridículas  :mrgreen: ...

Podias pôr uma seria, deve haver alguma de um PQ na RCA por exemplo.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 17, 2020, 04:45:52 pm
Para não ficares triste...

Citar
Louvo o Cap Inf (05953802) Jonathan Cardoso de Miranda, pela elevada competência profissional e eficiência no cumprimento das suas funções de Oficial de Ligação, quando integrou a 4.ª FND
(Conj)/MINUSCA no âmbito do aprontamento e missão de serviço no Teatro de Operações (TO) da República Centro Africana (RCA), sob a égide das Nações Unidas - MINUSCA.
Durante o aprontamento para a 4.ª FND (Conj)/MINUSCA demonstrou excecionais qualidades e virtudes militares na forma como desempenhou as Funções de Oficial de Pessoal do 2BIPara, tendo apoiado exemplarmente o Comandante na gestão dos Recursos Humanos. Pautou sempre a sua atuação pela afirmação constante de elevados dotes de caráter em que se releva a lealdade, abnegação, espírito de sacrifício e de obediência, constituindo-se como um importante auxiliar para o Comandante do 2BIPara. O seu empenho, altruísmo e dedicação ficaram bem patentes em todas as solicitações que lhe foram feitas em especial na preparação e decorrer da CREVAL e exercício final de aprontamento “BANGUI 182”.
Já no TO da RCA o seu extraordinário desempenho foi manifestamente comprovado na forma empenhada e muito responsável como desempenhou a sua função de Oficial de Ligação. Em acumulação desempenhou também as funções Oficial CIMIC e Informação Pública da Força. Caracterizando-se por ser um militar extremamente organizado e meticuloso incutindo um detalhe e uma minúcia assinaláveis, bem patente na permanente preocupação de divulgação da imagem da Força nos mais diversos Órgãos de Comunicação Social. No âmbito das principais projeções e operações militares da MINUSCA, como por exemplo “OPERATION OUAKA” e “OPERATION BEKPA II”, contribuiu de forma indireta mas fundamental para o cabal cumprimento das tarefas táticas atribuídas á Força nas Operações “Whiplash”, “Wrangler”, “Mustang”, “Common Unicorn” e “Tired Mule”, mantendo uma precisa e assertiva ligação com o escalão Superior assegurando a ligação ao escalão projetado da força em operações, que mesmo sujeito ao ambiente internacional e multicultural das Nações Unidas aliado a um TO em convulsão, manteve sempre a coerência e capacidade de alcançar as tarefas determinadas e ainda contribuir para o incremento do bem estar e apoio às crianças carenciadas de Bangui na condução de ações de doação de material escolar e outros bens durante as ações CIMIC desenvolvidas. Demonstrou ser elemento imprescindível para o cabal cumprimento da missão de acordo com as diretivas do Comandante da Força.
Militar muito disciplinado e imbuído de relevantes qualidades pessoais, mostrou ser portador de uma grande lealdade, humildade e espírito de bem fazer e servir. Este conjunto de fatores torna o Capitão Jonathan Miranda num excelente militar, visto como um exemplo pelos seus superiores e inferiores hierárquicos.
Face ao anteriormente exposto, é de toda a justiça reconhecer publicamente as excecionais qualidades e virtudes militares e pessoais que creditam o Capitão Jonathan Miranda como merecedor deste público louvor, contribuindo significativamente para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão do Exército e das Forças Armadas ao serviço da Paz.
17 de julho de 2020. — O Chefe do Estado-Maior do Exército, José Nunes da Fonseca, General.


Mas também têm do "protocolo"  :mrgreen:

Citar
Louvo o SAj Inf (08121492) Jorge Humberto Nunes da Silva, pela forma extraordinariamente competente e responsável como desempenhou, ao longo de três anos e cinco meses, as funções que lhe foram confiadas na Repartição de Comunicação, Relações Públicas e Protocolo (RCRPP), do Gabinete do Chefe do Estado-Maior do Exército.
No desempenho das funções de Sargento Adjunto da Secção de Apoio e Imagem e de Sargento Adjunto da Secção de Protocolo, Organização de Eventos e Apoio, revelou um elevado espírito de missão, abnegação e perseverança, desenvolvendo um intenso e rigoroso trabalho de coordenação, concorrendo com a sua elevada competência profissional para a qualidade patenteada em todos os processos que lhe foram confiados.
O profundo conhecimento que demonstrou possuir das especificidades da RCRPP constituiu um fator decisivo para a eficiente utilização interna do sistema de gestão documental, sendo de realçar a importante intervenção que teve na simplificação de procedimentos e na desmaterialização de processos,
autonomizando e partilhando conteúdos adaptados a esta realidade, contribuindo deste modo para o incremento da produtividade e economia de recursos, num exercício continuo de boa gestão, em plena sintonia com os objetivos superiormente definidos.
A firmeza e segurança nas atitudes e procedimentos, assentes na forma simples, clara e objetivamente sustentada como sempre apresentou as propostas relativas aos assuntos a seu cargo, por força do excelente domínio das normas e regulamentos em vigor, permitiram evidenciar a sua capacidade de execução, inteligência e grande experiência acumulada.
Com grande pragmatismo e sentido do dever, soube sempre compreender as atribuições que lhe estavam cometidas, desenvolvendo um trabalho pleno de rigor, assegurando respostas seguras e fundamentadas às diferentes entidades civis que solicitaram informações através do correio eletrónico (info@exercito.pt) e da linha telefónica de atendimento ao público do Exército, contribuindo para o reforço da perceção positiva da imagem pública da Instituição.
Militar dotado de excecionais virtudes militares, com apurado pensamento crítico, forte determinação e invulgar objetividade, desenvolveu e concretizou, de forma assertiva e proficiente, inúmeras atividades em simultâneo, propondo sempre diferentes modalidades de ação e abordagens para a resolução de problemas, identificando as melhores soluções a apresentar superiormente.
Por tudo o que precede e pela afirmação constante de elevados dotes de caráter e lealdade, o Sargento-Ajudante Nunes da Silva soube conquistar a estima e consideração de todos os que com ele privam, tornando-se digno de ser apontado como um exemplo a seguir, merecedor de ocupar cargos de maior exigência e responsabilidade, devendo os serviços por si prestados ser publicamente reconhecidos e considerados como extraordinários, relevantes e distintos, dos quais resultaram honra e lustre para o Gabinete do Chefe do Estado-Maior do Exército e para o Exército.
06 de julho de 2020. — O Chefe do Estado-Maior do Exército, José Nunes da Fonseca, General
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 17, 2020, 06:31:32 pm
Saiu a Gazeta da Medalha? :mrgreen:

Qualquer dia até nós somos condecorados

Mas é que é já a seguir  :mrgreen: ...

Citar
------- Por despacho do Administrador do Fórum Defesa, de 17 de setembro de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 16 de setembro de 2020, pelo 00769 Moderador PEREIRA MARQUES, Chefe da Tasca, ao 666 Cabo TFD P44, o qual se publica:
Após cumprir 16 anos e meio de mandar postas de pescada no Fórum Defesa vai destacar o 666 Cabo TFD P44 que ao longo deste período desempenhou as funções inerentes ao cargo de Má-Língua-Mor, nas quais manifestou elevado aprumo, rigor e empenho.
O Cabo TFD P44 demonstrou uma robusta formação e experiência profissional e grande capacidade de trabalho, em que a atenção aos detalhes de execução e o elevado brio colocado nas tarefas, aliados ao grande sentido das responsabilidades, fizeram com que se constituísse, no dia-a-dia, uma referência e uma mais-valia para a Tasca e para o apoio aos eventos de Maledicência.
Para além de um excelente desempenho, o elevado espírito de cooperação e camaradagem que o Cabo P44 sempre evidenciou no trabalho de equipa muito contribuíram para os resultados alcançados pela Tasca, conquistando pela sua conduta, a confiança, o respeito e a admiração de todos aqueles que com ele maldisseram.
Maledicente exemplar, disciplinado, possuidor de uma elevada integridade de caráter e um profundo sentido do dever, atitudes que aliadas a uma grande dedicação ao serviço, lhe granjearam o respeito e a consideração dos marrecos, coxos e chibos, tornando-o digno de ser apontado como um exemplo a seguir.
Assim, é com grande satisfação e de inteira justiça que, ao abrigo da competência que me é conferida pelo n.º 2 do artigo 64.º do Regulamento de Disciplina Maledicente, louvo o 666 Cabo TFD P44, pelas suas elevadas qualidades maledicentes, de aguentar bem a bebida e de tomar banho uma vez por semana, amplamente reveladas no desempenho das funções que lhe foram atribuídas, que muito contribuíram para o prestígio e cumprimento da missão da Tasca e, consequentemente, do Fórum Defesa.

[...]
Medalha Militar do Carlos C(r)uz – 4.ª Classe
------- Por despacho do Administrador do Fórum Defesa, de 17 de setembro de 2020:
O Administrador do Fórum Defesa faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha da Treta e das Medalhas de Cortiça das Farsas Desarmadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 69/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar do Carlos C(r)uz de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
[...]
666 Cabo TFD P44

Obrigado Pereira Marques 😃 ☺️☺️

Verti uma lágrima

(Mais até, de tanto rir)

Obrigado estava a precisar,foi um dia de m...🙏🙏💪👍
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 18, 2020, 12:02:03 pm
Ainda anda por aqui o nosso amigo do Correio da Manhã? Eu gostaria de saber mais algumas coisas acerca da empresa ADOCEQUIPA - EQUIPAMENTOS, com o NIPC 504725360...É que aparentemente só trabalha para uma entidade...

http://www.base.gov.pt/Base/pt/ResultadosPesquisa?type=contratos&query=adjudicatariaid%3D83893

Falamos apenas de 115 contratos no valor total de 114,874,63€  :o
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 21, 2020, 09:44:05 am
Quantos almirantes cabem num zebro?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3554398117914679
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Setembro 21, 2020, 11:09:22 am
Quantos almirantes cabem num zebro?

https://www.facebook.com/159252640762594/posts/3554398117914679

Depende se for complexo ou não  ;D
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 21, 2020, 01:33:25 pm
Talvez as Filipinas nos possam vender umas fuscas para os NPOs

https://www.facebook.com/1866135733630340/posts/2739684679608770/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 21, 2020, 03:25:12 pm
 :mrgreen:


https://www.facebook.com/113227210143207/posts/206977737434820/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Setembro 25, 2020, 10:07:42 am
https://rr.sapo.pt/2020/09/24/pais/forcas-armadas-metade-das-vagas-para-quadros-permanentes-sao-para-oficiais/noticia/208315/
Forças Armadas. Metade das vagas para quadros permanentes são para oficiais
Citar
24 set, 2020 - 11:59 • Ana Rodrigues
Associação de Praças mostra-se descontente e avisa: “a pirâmide está a ficar invertida”. Despacho foi publicado na segunda-feira.



Durante este ano, vão abrir 530 vagas nas Forças Armadas, mas 263 são para oficiais – ou seja, praticamente metade. O despacho foi publicado em Diário da República dia 21 (segunda-feira) e fixa, para este ano, o número de vagas para admissão aos cursos tirocínios ou estágios para ingresso, nas várias categorias dos quadros permanentes das Forças Armadas.

Para a categoria de praças, só são abertas 47 vagas, todas na Marinha já que é o único ramo com praças nos quadros permanentes. Na Força Aérea e no Exército, onde se enquadra a grande fatia de praças, o regime é de contratos a prazo.

Segundo dados a que a Renascença teve acesso, existem nesta altura 853 praças em regime de contrato na Marinha, mas só 47 podem entrar para os quadros permanentes.

“Mais uma má medida”

O despacho n.º 9015/2020 é assinado pelo Ministério das Finanças e da Defesa Nacional e é visto pela Associação de Praças como “mais uma má medida, inadmissível nesta altura e que vai trazer graves consequências para a instituição militar”.

Em declarações à Renascença, Paulo Amaral diz que “os homens e mulheres que servem como praças na Marinha são cada vez menos e têm de continuar as fazer as mesmas funções”.

Acrescenta o presidente da associação, que os “oficiais vão continuar a dar ordens aos praças, porque essa é a sua função, mas vão tendo cada vez menos praças para executar as tarefas que lhes pedem.”

Paulo Amaral diz que, “mais uma vez, há mais oficiais a entrar nos quadros permanentes, apesar de o ministro da Defesa e dos chefes militares virem constantemente a público dizer que há défice de praças nos quadros permanentes. A situação não se altera e a pirâmide está a ficar invertida”.

Ou seja, diz o representante da Associação de Praças, “há cada vez mais oficiais no topo da pirâmide em vez de ser ao contrário, porque os oficiais precisam de militares de outras categorias como sargentos e praças para executar as tarefas que lhes estão destinadas”.

Ministério justifica-se com pandemia

Confrontado pela Renascença, fonte do gabinete do ministro João Gomes Cravinho fez saber que a abertura de 263 vagas para oficiais, num total de 530 (ou seja, praticamente metade nos três ramos) deve-se à necessidade de reforçar o quadro com médicos e enfermeiros para fazer face à pandemia.

A mesma fonte dá ainda conta que, em relação ao ano passado, houve um aumento de vagas para praças e que este é um ano atípico.

Adianta ainda ficará definida uma realidade diferente em breve no despacho sobre os efetivos necessários para cada ramo. Aí, refere o Ministério da Defesa, cerca de 80% das vagas que vão abrir serão precisamente para a categoria de praças.

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 26, 2020, 08:32:42 pm
Só para relembrar

https://sol.sapo.pt/artigo/638056/chineses-ja-controlam-mar-dos-acores

https://www.supplychainmagazine.pt/2019/09/23/china-interessada-em-centro-de-negocios-na-base-das-lajes/

https://www.google.com/amp/s/www.cmjornal.pt/mundo/amp/china-quer-ter-centro-de-negocios-na-base-das-lajes-nos-acores
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Setembro 27, 2020, 02:07:38 pm
E os Arleigh Buirke aonde andam ?  :bang: 8) 8)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Stalker79 em Setembro 27, 2020, 02:35:59 pm
Mais vale mandar f**er isso. Devia demorar muito até a China tentar militarizar o "centro de negocios" de alguma maneira, nem que fosse para receber aviões militares chineses e depois tinhamos os americas ai á perna.
Nada disso. as prostitutas que nos governam que tirem as cabeças dos off-shores e pensem no barulho em que nos metem antes de fazerem merda....
 >:(
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lusitaniae em Setembro 28, 2020, 12:43:19 am
7 frigates from: Belgium 🇧🇪 Canada 🇨🇦 Denmark 🇩🇰 France 🇫🇷 and Portugal 🇵🇹 will arrive at King George V Docks in Glasgow this week prior to the start of ex Joint Warrior #JW202

https://twitter.com/NavyLookout/status/1310108445626990593?s=20
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Observador em Setembro 28, 2020, 03:37:09 pm
O Zero Naval também passa por estas pequenas coisas.

https://www.facebook.com/NavalZERO/posts/208316567300937?__tn__=-R

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/120313936_208311840634743_2339752640492548898_n.jpg?_nc_cat=100&_nc_sid=8024bb&_nc_ohc=nm9NTJiJ1TIAX-3Cdck&_nc_oc=AQn9KBsm4q7PPMYhQ9Sl2BLyEo7VZIakD5V4KsTWZxvYdD-TyU8HKR-RiurIakg24D0&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=594a3b22ae52273b0ed3ee9572282c12&oe=5F972CEC)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Setembro 29, 2020, 09:41:09 am
O Zero Naval também passa por estas pequenas coisas.

https://www.facebook.com/NavalZERO/posts/208316567300937?__tn__=-R

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/120313936_208311840634743_2339752640492548898_n.jpg?_nc_cat=100&_nc_sid=8024bb&_nc_ohc=nm9NTJiJ1TIAX-3Cdck&_nc_oc=AQn9KBsm4q7PPMYhQ9Sl2BLyEo7VZIakD5V4KsTWZxvYdD-TyU8HKR-RiurIakg24D0&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=594a3b22ae52273b0ed3ee9572282c12&oe=5F972CEC)

Que circo
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Setembro 29, 2020, 12:45:36 pm
Mais um que vai levar louvor pela "abenegação" em condições climatéricas adversas.  :bang:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Setembro 29, 2020, 02:20:43 pm
Quando vemos políticos a andar de Mercedes (muitas vezes para meras deslocações de poucos kms dentro de Lisboa) e vemos esta situação acima, dá para perceber o contraste. Eu já nem ficava surpreendido se tivesse sido um dos militares a comprar o guarda-sol para desenrascar.  :bang:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 01, 2020, 01:14:56 am
Não vou dar ao trabalho do copy paste  :mrgreen: https://www.marinha.pt/pt/informacao-instituicional/Lists/PM_DocsOrdens/OA1_053_20.pdf




Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 01, 2020, 09:17:02 am
É a nova doutrina LGBT?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 01, 2020, 09:42:11 am
O Zero Naval também passa por estas pequenas coisas.

https://www.facebook.com/NavalZERO/posts/208316567300937?__tn__=-R

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/120313936_208311840634743_2339752640492548898_n.jpg?_nc_cat=100&_nc_sid=8024bb&_nc_ohc=nm9NTJiJ1TIAX-3Cdck&_nc_oc=AQn9KBsm4q7PPMYhQ9Sl2BLyEo7VZIakD5V4KsTWZxvYdD-TyU8HKR-RiurIakg24D0&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=594a3b22ae52273b0ed3ee9572282c12&oe=5F972CEC)

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/21992965_10212559686701652_6750084624795762905_o.jpg?_nc_cat=102&_nc_sid=730e14&_nc_ohc=Kx9Hm9-RN04AX-OkPo8&_nc_ht=scontent.fopo1-1.fna&oh=d5b0dd55e9e27580404554ad834db5e3&oe=5F9A21DD)

Fonte: Serrano Rosa
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 01, 2020, 12:50:30 pm
Mais umas medalhas

https://pplware.sapo.pt/gadgets/marinha-portuguesa-compra-drone-de-858-mil-euros-que-nao-funciona/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 01, 2020, 02:36:07 pm
Mas o da Marinha não foi comprado meses antes? E não estava a ser usado como "plataforma de testes"? Se sim, como é que só agora se souberam dos problemas do aparelho, tendo a FAP comprado um modelo igual meses mais tarde? Que timing do caraças!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 01, 2020, 03:19:40 pm
O dinheiro não é deles
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Outubro 01, 2020, 03:31:56 pm
Desconfio que - à imagem de muitos estados / FA NATO e em outros lados - estamos a investir em um projecto... aliás no site escrevem:

"It was initially developed to address a requirement of the Portuguese Navy, for maritime and ship-based operations.
Based on the proven and established OGS42 platform the OGS42V version immediately demonstrate its operational versatility by no longer need a runway for taking-off and landing."

E sem um organismo tipo Forças Armadas a utilizar nunca iria ser exportado, desconfio também... agora o uso operacional é diferente de testes e ainda deve estar algo "verde".
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 01, 2020, 05:56:40 pm
Desconfio que - à imagem de muitos estados / FA NATO e em outros lados - estamos a investir em um projecto... aliás no site escrevem:

"It was initially developed to address a requirement of the Portuguese Navy, for maritime and ship-based operations.
Based on the proven and established OGS42 platform the OGS42V version immediately demonstrate its operational versatility by no longer need a runway for taking-off and landing."

E sem um organismo tipo Forças Armadas a utilizar nunca iria ser exportado, desconfio também... agora o uso operacional é diferente de testes e ainda deve estar algo "verde".

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: asalves em Outubro 01, 2020, 06:42:04 pm
Mas o da Marinha não foi comprado meses antes? E não estava a ser usado como "plataforma de testes"? Se sim, como é que só agora se souberam dos problemas do aparelho, tendo a FAP comprado um modelo igual meses mais tarde? Que timing do caraças!

O artigo foi escrito por quem não percebe nada nem está a par do "normal" funcionamento das instituições nem do normal procedimentos chamado porta do cavalo.

No artigo reclamam por causa do preço e comparam com os drones comprados para a FAP, mas não percebem que o material de apoio é diferente, muitos menos não entendem com é que primeiro se compra algumas coisas antes de outras, nem os contratos fictícios para justificar pagamentos de honorários ou outras coisas, tudo coisas normalmente feitas para evitar concursos públicos.

Tal como aconteceu na FAP maior parte do pessoal pensa que os drones são iguais aqueles que se compram na fnac por 300€, e não entende que se está a desenvolver tecnologia e equipamentos.

Culpa também das FA's que não explicam ou inventam procedimentos estranhos para "fugir" a burocracia normal
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Lusitaniae em Outubro 02, 2020, 04:09:17 pm
7 frigates from: Belgium 🇧🇪 Canada 🇨🇦 Denmark 🇩🇰 France 🇫🇷 and Portugal 🇵🇹 will arrive at King George V Docks in Glasgow this week prior to the start of ex Joint Warrior #JW202

https://twitter.com/NavyLookout/status/1310108445626990593?s=20

Aqui está ele na Escocia!
(https://i2-prod.dailyrecord.co.uk/incoming/article22776664.ece/ALTERNATES/s615b/0_DNP_PDE_011020warships_01JPG.jpg)

https://www.dailyrecord.co.uk/news/warships-make-way-up-river-22776627

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 02, 2020, 04:33:52 pm
E esse barquito para os Fuzos, não? Sempre transporta mais gente que um Zebro.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 02, 2020, 06:04:38 pm
E esse barquito para os Fuzos, não? Sempre transporta mais gente que um Zebro.  :mrgreen:

Não será demasiado complexo? 🤔
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Outubro 02, 2020, 08:33:01 pm
Desconfio que - à imagem de muitos estados / FA NATO e em outros lados - estamos a investir em um projecto... aliás no site escrevem:

"It was initially developed to address a requirement of the Portuguese Navy, for maritime and ship-based operations.
Based on the proven and established OGS42 platform the OGS42V version immediately demonstrate its operational versatility by no longer need a runway for taking-off and landing."

E sem um organismo tipo Forças Armadas a utilizar nunca iria ser exportado, desconfio também... agora o uso operacional é diferente de testes e ainda deve estar algo "verde".


Então e este TEK 3 da Tekever, não esteve em testes também?
https://uas.tekever.com/ar3/

E o TEK 5 que tem dado que falar lá fora, não servia para a Força Aérea?
https://uas.tekever.com/ar5/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 03, 2020, 11:37:17 am
E esse barquito para os Fuzos, não? Sempre transporta mais gente que um Zebro.  :mrgreen:

Não será demasiado complexo? 🤔

É capaz, mas vê lá o vinho que aquilo transportava? Os almirantes podiam ir para as caraíbas e ter o vinho entregue na praia!

Então e este TEK 3 da Tekever, não esteve em testes também?
https://uas.tekever.com/ar3/

E o TEK 5 que tem dado que falar lá fora, não servia para a Força Aérea?
https://uas.tekever.com/ar5/


Eu até compreendo a intenção de ter um UAV VTOL no NPO. Mas mesmo esse TEK 3 já era bastante interessante pois nem precisa de um navio com convés de voo. O TEK 5 servia perfeitamente para vigiar durante a época de incêndios e ainda patrulha marítima no resto do ano. Com jeitinho, havendo suficientes, ainda podia fazer missões militares. Mas se os concursos são feitos à medida para um tipo de aeronave, torna-se difícil.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Outubro 04, 2020, 01:34:57 pm
E esse barquito para os Fuzos, não? Sempre transporta mais gente que um Zebro.  :mrgreen:

Não será demasiado complexo? 🤔




É capaz, mas vê lá o vinho que aquilo transportava? Os almirantes podiam ir para as caraíbas e ter o vinho entregue na praia!

Então e este TEK 3 da Tekever, não esteve em testes também?
https://uas.tekever.com/ar3/

E o TEK 5 que tem dado que falar lá fora, não servia para a Força Aérea?
https://uas.tekever.com/ar5/


Eu até compreendo a intenção de ter um UAV VTOL no NPO. Mas mesmo esse TEK 3 já era bastante interessante pois nem precisa de um navio com convés de voo. O TEK 5 servia perfeitamente para vigiar durante a época de incêndios e ainda patrulha marítima no resto do ano. Com jeitinho, havendo suficientes, ainda podia fazer missões militares. Mas se os concursos são feitos à medida para um tipo de aeronave, torna-se difícil.

Eu vi um vídeo com o TEK  3 a ser operado a bordo de um NPO.
Mas agora não encontro o vídeo.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 04, 2020, 03:04:09 pm
Eu acredito que sim, usando uma rede como forma de "aterrar" no navio. Só por dizer que o navio tendo convés de voo, já justifica um UAV VTOL maior e mais complexo. Mas mesmo o Tek 3 podia/devia ser utilizado a partir de navios mais pequenos e sem convés de voo. Não sei se os Tejo conseguem operar este UAV, mas sempre era uma mais valia para a sua capacidade de vigilância.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Duarte em Outubro 05, 2020, 02:45:30 am
E esse barquito para os Fuzos, não? Sempre transporta mais gente que um Zebro.  :mrgreen:

Da para colocar uma 76mm naquilo? :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Outubro 08, 2020, 01:52:43 pm
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

(https://external-preview.redd.it/wHtYPeTylfLAHeqVqr6g6wkeC9PgmJRORxrizRiHodg.jpg?auto=webp&s=8c12e97d296e4848cd356a655342de4e7bccb971)

(https://img5.goodfon.com/wallpaper/nbig/7/2d/beregovaia-okhrana-storozhevik-vms-danii.jpg)

Cumprimentos  c56x1 :-P
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 08, 2020, 02:14:39 pm
E esse barquito para os Fuzos, não? Sempre transporta mais gente que um Zebro.  :mrgreen:

Não será demasiado complexo? 🤔




É capaz, mas vê lá o vinho que aquilo transportava? Os almirantes podiam ir para as caraíbas e ter o vinho entregue na praia!

Então e este TEK 3 da Tekever, não esteve em testes também?
https://uas.tekever.com/ar3/

E o TEK 5 que tem dado que falar lá fora, não servia para a Força Aérea?
https://uas.tekever.com/ar5/


Eu até compreendo a intenção de ter um UAV VTOL no NPO. Mas mesmo esse TEK 3 já era bastante interessante pois nem precisa de um navio com convés de voo. O TEK 5 servia perfeitamente para vigiar durante a época de incêndios e ainda patrulha marítima no resto do ano. Com jeitinho, havendo suficientes, ainda podia fazer missões militares. Mas se os concursos são feitos à medida para um tipo de aeronave, torna-se difícil.

Eu vi um vídeo com o TEK  3 a ser operado a bordo de um NPO.
Mas agora não encontro o vídeo.

Talvez:

https://www.facebook.com/tekever/videos/271417880778573/

O navio parece-me muito pequeno para ser um NPO.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Outubro 08, 2020, 02:45:29 pm
E esse barquito para os Fuzos, não? Sempre transporta mais gente que um Zebro.  :mrgreen:

Não será demasiado complexo? 🤔




É capaz, mas vê lá o vinho que aquilo transportava? Os almirantes podiam ir para as caraíbas e ter o vinho entregue na praia!

Então e este TEK 3 da Tekever, não esteve em testes também?
https://uas.tekever.com/ar3/

E o TEK 5 que tem dado que falar lá fora, não servia para a Força Aérea?
https://uas.tekever.com/ar5/


Eu até compreendo a intenção de ter um UAV VTOL no NPO. Mas mesmo esse TEK 3 já era bastante interessante pois nem precisa de um navio com convés de voo. O TEK 5 servia perfeitamente para vigiar durante a época de incêndios e ainda patrulha marítima no resto do ano. Com jeitinho, havendo suficientes, ainda podia fazer missões militares. Mas se os concursos são feitos à medida para um tipo de aeronave, torna-se difícil.

Eu vi um vídeo com o TEK  3 a ser operado a bordo de um NPO.
Mas agora não encontro o vídeo.

Talvez:

https://www.facebook.com/tekever/videos/271417880778573/

O navio parece-me muito pequeno para ser um NPO.



Exacto cá está o Tekever AR 3 no NPO
https://www.facebook.com/tekever/videos/611448472865825/
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 08, 2020, 03:26:26 pm
E esse barquito para os Fuzos, não? Sempre transporta mais gente que um Zebro.  :mrgreen:

Não será demasiado complexo? 🤔




É capaz, mas vê lá o vinho que aquilo transportava? Os almirantes podiam ir para as caraíbas e ter o vinho entregue na praia!

Então e este TEK 3 da Tekever, não esteve em testes também?
https://uas.tekever.com/ar3/

E o TEK 5 que tem dado que falar lá fora, não servia para a Força Aérea?
https://uas.tekever.com/ar5/


Eu até compreendo a intenção de ter um UAV VTOL no NPO. Mas mesmo esse TEK 3 já era bastante interessante pois nem precisa de um navio com convés de voo. O TEK 5 servia perfeitamente para vigiar durante a época de incêndios e ainda patrulha marítima no resto do ano. Com jeitinho, havendo suficientes, ainda podia fazer missões militares. Mas se os concursos são feitos à medida para um tipo de aeronave, torna-se difícil.

Eu vi um vídeo com o TEK  3 a ser operado a bordo de um NPO.
Mas agora não encontro o vídeo.

Talvez:

https://www.facebook.com/tekever/videos/271417880778573/

O navio parece-me muito pequeno para ser um NPO.

O convés de voo parece-me ser verde, acho que nenhum navio da Marinha tem um convés de voo pintado desta cor, muito menos um NPO.  Seja como for, assumindo que os Tejo teriam espaço para tal, seria algo a ter em conta.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Outubro 08, 2020, 04:40:42 pm
Penso que o Navio em questão era o NRP Gago Coutinho.

https://www.researchgate.net/figure/AUV-and-UAV-operations-from-the-NRP-Gago-Coutinho-in-the-Azores-in-July-2015_fig1_328540954

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 08, 2020, 05:20:08 pm
O convés de voo do Gago Coutinho é verde?  ???
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Outubro 09, 2020, 12:11:36 pm
https://rep15.lsts.pt/blog/nrp-gago-coutinho-air-and-harbour-survey (https://rep15.lsts.pt/blog/nrp-gago-coutinho-air-and-harbour-survey)

(https://rep15.lsts.pt/sites/rep15.lsts.pt/files/blog/Canon_X8-03_feup_flight.JPG)

Citar
July 2015

First day on the ship for FEUP UAV team

NRP Gago Coutinho and support rhib aerial shot, taken by FEUP X8-03 UAV

(https://rep15.lsts.pt/sites/rep15.lsts.pt/files/blog/IRcamera_X8-03_feup_flight.png)
Citar
NRP Gago Coutinho and support rhib infrared aerial shot, taken by FEUP X8-03 UAV

Cumprimentos
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Outubro 09, 2020, 01:57:53 pm
Penso que o Navio em questão era o NRP Gago Coutinho.

https://www.researchgate.net/figure/AUV-and-UAV-operations-from-the-NRP-Gago-Coutinho-in-the-Azores-in-July-2015_fig1_328540954

Abraços


https://www.facebook.com/tekever/videos/611448472865825/

Aqui é um NPO
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 09, 2020, 02:43:23 pm
Então o navio de convés de voo verde, é um terceiro navio, provavelmente civil?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Outubro 09, 2020, 03:04:51 pm
Penso que o Navio em questão era o NRP Gago Coutinho.

https://www.researchgate.net/figure/AUV-and-UAV-operations-from-the-NRP-Gago-Coutinho-in-the-Azores-in-July-2015_fig1_328540954

Abraços


https://www.facebook.com/tekever/videos/611448472865825/

Aqui é um NPO

afirmativo, no NRP Setúbal, quando sob o comando da futura primeira mulher, Almirante da Marinha Portuguesa. ;)
Excelentes imagens.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Outubro 09, 2020, 03:05:29 pm
Então o navio de convés de voo verde, é um terceiro navio, provavelmente civil?

às tantas.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Outubro 09, 2020, 08:42:51 pm
Penso que o Navio em questão era o NRP Gago Coutinho.

https://www.researchgate.net/figure/AUV-and-UAV-operations-from-the-NRP-Gago-Coutinho-in-the-Azores-in-July-2015_fig1_328540954

Abraços


https://www.facebook.com/tekever/videos/611448472865825/

Aqui é um NPO

afirmativo, no NRP Setúbal, quando sob o comando da futura primeira mulher, Almirante da Marinha Portuguesa. ;)
Excelentes imagens.

Abraços

Está explica a "complexidade " do Navio
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: zawevo em Outubro 11, 2020, 12:56:59 pm
Ainda a história dos UAV para a Marinha.

A versão da Marinha sobre os drones. Sistema não atingiu ainda "maturidade"
Num documento enviado à Comissão de Defesa do parlamento, o gabinete do Chefe de Estado-Maior da Armada tenta esclarecer algumas dúvidas levantadas pelo DN sobre os drones que a Força Aérea também comprou.
Este é um processo exigente e complexo, o qual tem um caminho longo, resultante da própria natureza inovadora e experimental do projeto, que não atingiu, ainda, o adequado nível de maturidade que permita a plena capacidade operacional", é concluído num documento enviado pelo gabinete do Chefe de Estado-Maior da Armada (CEMA) à Comissão de Defesa Nacional, com o objetivo de esclarecer dúvidas levantadas pelo artigo do DN, publicado no passado dia 30 de setembro.
Conforme escreveu o DN, há cerca de um ano a Marinha iniciou o processo de compra de um sistema de drones designados Ogassa VTOL (vertical take-off and landing), que se distinguem pela sua capacidade de levantar e aterrar na vertical, idênticos a seis dos 12 que a Força Aérea Portuguesa veio a adquirir este ano para a vigilância florestal e prevenção de incêndios.
Como é assumido pela própria FAP, apenas quatro das 12 aeronaves adquiridas estiveram a operar, nenhuma delas os VTOL - pelo menos até há uma semana.
Neste memorando, a que o DN teve acesso, a Marinha vem agora dizer que a FAP comprou à mesma empresa um sistema que, segundo a Marinha, ainda não atingiu a "maturidade" na sua adaptação aos navios.
O caderno de encargos definido pela FAP exigia que fossem fornecidos seis VTOL, equipamentos que só uma empresa estava a desenvolver em Portugal
O caderno de encargos definido pela FAP exigia que fossem fornecidos seis VTOL de asa fixa, equipamentos que só uma empresa estava a desenvolver em Portugal, acabando por ser com esta que a FAP fez o contrato - a mesma da Marinha.
Drones de oferta
Na missiva, de oito páginas - que não está assinada, mas tem como remetente o email do chefe de gabinete de Mendes Calado - com o título "Clarificação relativa à notícia publicada pelo Diário de Notícias - Drones falharam à Força Aérea e Marinha comprou sistema igual por quase o triplo do preço", a Marinha - que não respondeu até hoje às várias perguntas e pedidos de esclarecimento do DN - relaciona a compra destes drones com um projeto que está a desenvolver e que prevê "a edificação de quatro destacamentos de veículos não tripulados (VENT) aéreos, para utilização a partir de unidades navais, a par de veículos não tripulados submarinos".
A Marinha já recebeu de oferta drones de duas empresas, uma das quais a que escolheu para comprar depois, por ajuste direto, em dezembro de 2019
A Marinha refere a assinatura de protocolos com faculdades e empresas nacionais, salientando que, no âmbito dos mesmos já recebeu de oferta drones de duas empresas, uma das quais a que escolheu para comprar depois, por ajuste direto, em dezembro de 2019, o Ogassa VTOL que está a desenvolver.
Sobre ofertas, determina o Código de Contratação Pública, nomeadamente o artigo 113º, ponto 5: "não podem igualmente ser convidadas a apresentar propostas entidades que tenham executado obras, fornecido bens móveis ou prestado serviços à entidade adjudicante, a título gratuito, no ano económico em curso ou nos dois anos económicos anteriores, exceto se o tiverem feito ao abrigo do Estatuto do Mecenato."
O gabinete do almirante CEMA, Mendes Calado, assinala que "o processo de desenvolvimento e experimentação foi longo e, das várias experiências realizadas, a Marinha concluiu considerar essencial, para garantir uma operação mais eficiente e segura a bordo das unidades navais, a necessidade de dispor de capacidade de descolagem e aterragem vertical (VTOL)", justifica.
"Dificuldades de compatibilidade"
Os problemas surgiram quando a Marinha quis começar a usar este drone, pela primeira vez, na Fragata Corte-Real, "como navio-chefe da SNMG1 (Standing NATO Maritime Group One), no segundo semestre de 2020, projetando uma imagem de modernidade e de competência da indústria nacional durante esta missão, não apenas junto das marinhas aliadas, mas, também, nos locais do itinerário desta força da NATO".
O 'Ogassa' levanta e aterra na vertical como um helicóptero
PREVENÇÃO
Incêndios. Drones made in Portugal nascem a contrarrelógio
Com este objetivo, frisa o gabinete do CEMA aos deputados, "foi iniciado, com o apoio da Força Aérea, o processo de certificação técnica do meio e dos operadores, o qual ainda não se encontra concluído, pois os primeiros operadores só ficarão certificados no final de outubro de 2020.
Por outro lado, reconhece a Marinha, "o processo de integração do Ogassa VTOL a bordo do NRP Corte-Real enfrentou dificuldades de compatibilidade eletromagnética, resultado do ambiente eletromagnético saturado em redor do navio, que obrigaram a estudos em parceria da Marinha com a UAVISION, os quais sofreram atraso em resultado da crise pandémica, com impacto no planeamento inicial, o que veio a inviabilizar a concretização do objetivo de embarque".
O estudo de compatibilidade eletromagnética só foi encomendado e adquirido quase seis meses depois do drone ter sido comprado
Recorde-se que, conforme o DN escreveu, o estudo de compatibilidade eletromagnética só foi encomendado e adquirido quase seis meses depois do drone ter sido comprado, o que levou a questionar a Marinha sobre a sequência dos contratos - e que nunca foi respondido. (ver todas as perguntas feitas em baixo)
O dobro e não quase o triplo do preço
Neste ofício é dito que o valor total da aquisição deste sistema atingiu os 680 mil euros não cerca de 859 mil, como noticiou o DN. A Marinha isola a compra do drone, no valor de 350 mil euros, para refutar que o seu sistema custou quase o triplo da média de cada uma das 12 aeronaves do contrato da FAP, que foi 4,5 milhões de euros.
No entanto, apesar do preço médio por cada um dos drones ter ficado em 375 mil euros, a verba paga pela FAP inclui, além dos 12 UAV, também 4 sistemas de C3 (comando, controlo e comunicações), viaturas, formação e treino de um número consideravelmente superior de pilotos, entre outros.
Os 680 mil euros totalizam as aquisições relacionadas com o drone que a Marinha comprou e por isso quase o dobro do da FAP.
Os 680 mil euros totalizam as aquisições relacionadas com o sistema do drone VTOL que a Marinha comprou e por isso quase o dobro dos da FAP.
De facto, por falta de resposta atempada da Marinha, o DN tinha incluído na conta dois contratos, no valor de 178 mil euros, relativos à compra de um sistema de C3 para operação a partir de unidades navais e uma gimbal (uma câmara estabilizada) para os drones que tinham sido oferecidos pela empresa.
"Ganhos de escala"
A Marinha nega que tenha havido fracionamento das despesas, com intenção de se "subtrair" às regras do CCP. "Os processos de aquisição seguiram o calendário de desenvolvimento dos sistemas, decorrente da implementação de soluções inovadoras, num processo incremental, em que os requisitos operacionais da Marinha influenciam as soluções técnicas e a experiência obtida na sua exploração operacional induz alterações, melhoramentos e evoluções nos produtos à medida que vão sendo produzidos", alega.
"O processo de aquisição de um meio aéreo apenas obriga a que a aeronave a adquirir seja, genericamente, compatível com o espectro eletromagnético dos navios"
Diz ainda, sobre o facto do estudo de compatibilidade eletromagnética ter sido adquirido depois do drone comprado, que "o processo de aquisição de um meio aéreo apenas obriga a que a aeronave a adquirir seja, genericamente, compatível com o espetro eletromagnético dos navios, uma vez que não é possível aos fabricantes testarem as suas aeronaves perante os diferentes espetros eletromagnéticos de todos os navios da Marinha Portuguesa. Assim, só após a decisão de alargar a integração dos sistemas disponíveis a outras plataformas, neste caso as fragatas da classe "Vasco da Gama", é que fazia sentido desenvolver os estudos de compatibilidade eletromagnética para cada um dos navios onde a aeronave em apreço iria operar".
Sobre todas as compras terem sido por ajuste direto, o CEMA justifica pela necessidade de "conseguir ganhos de escala, evitando duplicação de sistemas instalados a bordo, de formação, de treino, de certificações e, em última análise, de custos"
Sobre todas as compras terem sido por ajuste direto, o gabinete doCEMA justifica pela necessidade de "conseguir ganhos de escala, evitando duplicação de sistemas instalados a bordo, de formação, de treino, de certificações e, em última análise, de custos", sendo "fundamental para a Marinha" que o VTOL fossem compatíveis com as plataformas de comando adquiridas à mesma empresa, visando também "proteger direitos exclusivos".
Ajuste direto em causa?
De facto, o CCP tem regras claras sobre os ajustes diretos e os seus limites. Um jurista especializado em contração pública ouvido pelo DN, explica que "havendo fundamentação legal para a escolha de um procedimento de ajuste direto por um critério material (ex: direitos exclusivos, motivos técnicos, ou outros), o tema do fracionamento perde relevância".
No entanto, "o fracionamento poderá ter relevância apenas na perspetiva do órgão competente para aprovação da despesa". Ou seja, quanto mais aumenta a despesa, mais sobe a responsabilidade de autorizar essa despesa.
Imagem obtida pelo drone que está a operar a partir de Beja.
COMBATE A INCÊNDIOS
Drones contra incêndios. Factos, logros e interrogações. Afinal o que está a correr mal?
Segundo o CCP, até 99 579, 58 euros, podem ser os diretores-gerais ou equiparados, a autorizar; até 199 519,6 euros já terão que ser "os órgãos máximos dos organismos dotados de autonomia administrativa e financeira; e até 3.740.983,87 euros, os ministros.
"Ora, verifica-se que o valor total dos 3 contratos celebrados pela UAVISION, incluindo o IVA, é superior ao valor indicado para diretores-gerais ou equiparados, tal como para os órgãos máximos, pelo que a competência para aprovar a referida despesa caberia ao Ministro responsável pela área respetiva (Ministro da Defesa Nacional)", sublinha este jurista.
Da mesma forma, acrescenta, "parece que cada um dos contratos individualmente considerados (com exceção do sistema C3) excede o valor relativo à competência atribuída aos órgãos máximos dos organismos dotados de autonomia administrativa e financeira, com ou sem personalidade jurídica, o que poderá ter justificado o referido fracionamento".
Esta semana o ministro da Defesa João Cravinho foi ouvido no Parlamento sobre a controversa aquisição dos drones pela Força Aérea. O ministro sublinhou que "a edificação desta capacidade nova, tecnologicamente avançada está em linha com a modernização das Forças Armadas" e "não se esgota em 2020".
Cravinho salientou que se trata de "um processo complexo" e justificou os atrasos na entrega das aeronaves (só quatro das 12 adquiridas estão a operar) com o facto de a FAP ter "verificado a não-conformidade de um propulsor elétrico em alguns dos drones" e solicitado "a sua substituição".
João Cravinho não respondeu à questão do deputado Duarte Marques sobre se ia ou não promover um inquérito para apurar responsabilidades em relação ao concurso da FAP, cujos objetivos falharam.
Sobre o processo da Ogassa VTOL da Marinha, assegurou não ter "razão para pensar que a Marinha tenha agido de forma indevida", lembrando que "há mecanismos de fiscalização", não indicando quais.
As perguntas enviadas pelo DN e que ficaram sem resposta:
Segundo os contratos que pudemos consultar na plataforma base.gov, esta aquisição (do drone VTOL) foi repartida por várias fases, que passo a indicar:
1- A 24/10/2019, aquisição pela Direção de Navios, de sistema C3 Vent Aer para o NRP Sines, por 116.108,00 euros
2-A 2/12/2019, aquisição pela Direção de Abastecimentos, de um UAV asa fixa Vtol. por 284. 552,00 euros
3- A 3/7/2020, aquisição pela Direção de Navios, de implementação SB_UA UAVIoo2-01 Gimbal Replacement, por 28.600,00 euros
4- A 8/6/2020, aquisição pela Marinha, de Determinação EMC Ogassa Vtol, por 34.500,00 euros
5- A 3/7/2029, aquisição, pela Marinha, de um Estudo de viabilidade EMCEMI Plataforma-VGAM, por 10 mil euros
6- A 6/7/2020, aquisição, pela Direção de Abastecimento, de um sistema C3 Vent AER, por 223.602,50 euros

O total é 698.362, 50 euros, acrescidos de IVA, uma despesa total que perfaz 858.985, 375 euros,

Perante este dados, que são públicos, agradecia que me esclarecessem as seguintes questões:
1- Qual é neste momento o emprego deste sistema?
2- Porque foram as despesas da aquisição fracionadas, quer em valores, quer por três departamentos diferentes?
3- Porque teve de ser substituído o Gimbal?
4- Porque foi adquirido um C3 antes da aquisição do drone?
5- Porque foi adquirido um serviço de avaliação de compatibilidade eletromagnética (Determinação EMC) depois da aquisição do drone?
6- Porque foi adquirido um Estudo de Viabilidade do sistema, com o prazo de execução de um dia, seis meses depois do equipamento ter sido adquirido
7- Porque todas estas aquisições foram feitas por ajuste direto?

https://www.dn.pt/poder/a-versao-da-marinha-sobre-os-drones-sistema-nao-atingiu-maturidade-12903778.html
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 14, 2020, 12:23:21 pm
Estão quase prontos  :mrgreen:


(https://i.ibb.co/Sr0ShMy/FB-IMG-16026743888655206.jpg)







...para serem transferidos dos EUA para a base naval de Rota

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 14, 2020, 01:26:11 pm
https://amp.expresso.pt/politica/2020-10-13-Defesa-com-menos-23-milhoes-em-relacao-ao-previsto-no-OE-para-este-ano

Lá estão os mágicos 20 milhões 🤣🤣🤣🤣

Venham mais baldes de areia
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Outubro 14, 2020, 01:45:11 pm
Estão quase prontos  :mrgreen:


(https://i.ibb.co/Sr0ShMy/FB-IMG-16026743888655206.jpg)







...para serem transferidos dos EUA para a base naval de Rota



Ar muito militar, não servem !
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 19, 2020, 07:10:27 am
Comemoração dos 90 anos

(https://i.ibb.co/DRHqz0B/IMG-20201019-065527347-2.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Outubro 19, 2020, 07:51:24 am
É mais do mesmo, andamos toda a nossa história na penúria Militar !!!!

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 19, 2020, 08:38:44 am
É mais do mesmo, andamos toda a nossa história na penúria Militar !!!!

Abraços

Um loop permanente, a glitch in the matrix
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 19, 2020, 08:50:31 am
Não deve tardar muito para estarem melhor que nós.
LPD já têm

(https://i.ibb.co/S0pXb7D/FB-IMG-16030933913310778.jpg)
(https://i.ibb.co/rZn30z4/FB-IMG-16030933837055368.jpg)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 19, 2020, 11:25:39 am
Analisando cronologicamente os períodos de "modernização" da Marinha, encontramos:
Década de 30 - Contratorpedeiros Tejo + Submersiveis
Década de 60 - Fragatas Pereira da Silva, João Belo e submarinos Albacora
Década de 90 - Fragatas Vasco da Gama
Década de 2000 - Fragatas Bartolomeu Dias e submarinos Tridente
Década de 2010 - NPOs

E o futuro?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 23, 2020, 03:29:21 pm
Como o pessoal já estava cheio de saudades  :mrgreen: ...

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 23 de setembro de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 24 de julho de 2020, pelo 20485 Capitão-de-mar-e-guerra ANTÓNIO PEDRO FERREIRA MOREIRA, Comandante da Escola de Tecnologias Navais, à 26320589 Assistente Operacional - Auxiliar de Limpeza MARIA EUGÊNIA ROIOS MORAIS SOBRAL, o qual se publica:
A 26320589 Assistente Operacional - Auxiliar de Limpeza, MARIA EUGÊNIA ROIOS MORAIS SOBRAL, presta serviço na Escola de Tecnologias Navais (ETNA) desde a sua criação, prosseguindo as funções que desempenhava no ex-Grupo N.º 2 de Escolas da Armada, desde o dia 18 de dezembro de 1989.
No desempenho das suas funções enquanto auxiliar de limpeza, destaco a elevada entrega e primor, essenciais para o normal funcionamento desta Unidade. As suas qualidades profissionais e morais, juntamente com a simpatia, delicadeza e elevada capacidade de adaptação são características enaltecidas por quem com ela priva, desde os elementos da guarnição, formandos e até entidades civis.
Realço com toda justiça a sua nomeação para Auxiliar de Medicina Dentária no Serviço de Saúde desta Escola, que mesmo não tendo qualificações específicas para tal função, resultou da sua extraordinária capacidade de adaptação e do seu elevado sentido de dever.
Tal facto não impediu, no entanto, que abraçasse esta nova função com elevado profissionalismo, sentido de responsabilidade e competência, sabendo dar resposta plena a todas as solicitações. Exalto com toda a convicção que o seu apoio tem sido fundamental para o bom funcionamento do Serviço de Saúde da Escola, particularmente no que respeita à saúde oral.
Destaco ainda as elevadas qualidades pessoais que em sintonia com o seu desempenho, a proatividade, a conduta, a honestidade e a lealdade, assim como a permanente boa disposição e o elevado sentido do humano, contribuem de forma decisiva para o bom ambiente e produtividade do serviço.
Assim, é com profundo sentido de justiça que louvo a 26320589 Assistente Operacional - Auxiliar de Limpeza MARIA EUGÊNIA ROIOS MORAIS SOBRAL, pelas extraordinário desempenho e relevantes qualidades pessoais e profissionais que foram contributo significativo para a eficiência, prestígio e cumprimentos da missão da Escola de Tecnologias Navais e, consequentemente, da Marinha.

[...]

Medalha Militar da Cruz Naval – 4.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 23 de setembro 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 e do n.º 2 ambos do artigo 27.º, bem como do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes civis:
[...]
26320589 Assistente Operacional AUXLIM MARIA EUGÊNIA ROIOS MORAIS SOBRAL
[...]
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Outubro 23, 2020, 05:14:45 pm
O Will Hunting também era auxiliar de limpeza no MIT. Quem sabe se esta moça, além dos dotes orais, não resolveu alguns problemas científicos e de engenharia na ETN.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Outubro 28, 2020, 12:22:28 am
Para rir um pouco:


http://cedis.fd.unl.pt/wp-content/uploads/2018/04/CEDIS-working-paper_PDEMar_A-marinha-de-guerra-portuguesa-e-as-pot%C3%AAncias-mundiais.pdf
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 28, 2020, 01:12:35 am
Trabalhinho de copy paste dos sites das diferentes marinhas...ao nível do secundário.  :mrgreen:

Então as conclusões  ::) ...Jesus!

Citar
3. Conclusões
A questão que nos cabe aqui tentar resolver é, por qual é a razão que a nossa marinha não consegue alcançar um patamar mais elevado a nível de poder.
Ou seja, temos uma extraordinária dimensão marítima que, embora sejamos um país de extrema pacificidade, temos (em comparação com os países em estudo) uma marinha pequena.
Ora, esta questão, parece-nos pertinente, mas pode ter uma contradição que nós próprios acabámos de mencionar: não temos guerras nem distúrbios de maior, logo, não será necessário construir um arsenal de dimensões semelhantes ao dos Estados Unidos
ou da Rússia. No entanto, é necessário incutir aqui a ideia de que estamos tremendamente bem servidos para as nossas necessidades. Pois o objeto deste estudo não é concluir que a nossa marinha é fraca, muito pelo contrário; o objeto aqui passa por fazer ver ao leitor (ou tentar) que não devemos criticar de modo tão intenso as nossas forças, neste caso especifico a Marinha. Há muito mais do que apenas estes navios dentro da Base Naval de Lisboa; existem todos os dias centenas de pessoas a trabalhar para que o nosso mar esteja sempre protegido. Não deixa, no entanto, de ser interessante fazer esta pequena comparação com algumas das maiores potências, no que à marinha diz respeito que temos no mundo. É tudo uma questão de perspetiva, mas, a ideia fundamental aqui é valorizar os meios que temos ao nosso dispor todos os dias.
A Marinha Portuguesa auxilia, muitas vezes estas grandes potências nos seus mares, assim como caso seja necessário, esperamos que as mesmas nos ajudem a nós.
É muito importante que se perceba que temos praticamente tudo o que faz falta para nos sentirmos seguros quando saímos numa embarcação para pescar ou, até quando verificamos que os nossos sistemas de GPS não funcionam mais e estamos em pleno navio; até aqui, quando tudo falha dentro de um navio e os seus tripulantes não sabem para onde ir, a Marinha está presente para nos auxiliar: dando-nos a localização de terra através dos faróis. São imensos os que temos ao longo da nossa costa e, todos os dias
quando o sol se põe eles estão lá para auxiliar quem ande pelos mares
.

Já está uma Medalha da Cruz Naval na calha para a Sôtora Leninha  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Outubro 28, 2020, 01:28:34 am
Ao nível de uma qualquer Venezuela ou Coreia do Norte!! ???
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: JohnM em Outubro 28, 2020, 02:08:30 am
Poético! Acho mesmo que me veio uma lagrimita ao canto do olho... até me emocionei quando pensei nos mareantes salvos pelos faróis... faróis esses que têm a complexidade de submarinos nucleares, claro...

Ab
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 28, 2020, 06:15:20 am
Uma sidenote

Lembram-se da sides e da George Philip que em tempos estiveram para vir para Portugal trazidas pelo Paulinho das feiras?

(https://i.ibb.co/N6Ppk70/FB-IMG-16038654180454093.jpg)
Fonte navsource
http://www.navsource.org/archives/07/0714.htm

Citar

July 2015: New Orleans, La. - A shot of ex-George Philip, ex-Sides and ex-Jarrett await scrapping while chained at the scrapping yard of EMR Southern Scrap near Lake Charles. Unfortunately, we can't tell which ship is which.

From Peter E. Skoutas, ENC, USN, now serving in DDG 69: I wanted to identify the 3 FFG's grouped together on the FFG pages of 12, 14 and 33 (also attached) where it says they can't be identified. If you look at the last picture on the FFG-14 page, it shows 12 and 14 moored together. They are both missing their MK92 fire control radar and 12 is missing the 49 air search radar. So in the picture of the 3 moored together, ex-Jarrett is in the middle because it has the MK92 fire control radar, ex-Sides is to the starboard side of Jarrett because it has it's 49 radar and ex-George Philip is to the port side of Jarrett because it's missing it's 49 radar. So from the left of the pic to the right it's ex-Sides, ex-Jarrett and ex-George Philip.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Outubro 28, 2020, 06:59:12 am
Uma sidenote

Lembram-se da sides e da George Philip que em tempos estiveram para vir para Portugal trazidas pelo Paulinho das feiras?

(https://i.ibb.co/N6Ppk70/FB-IMG-16038654180454093.jpg)
Fonte navsource


July 2015: New Orleans, La. - A shot of ex-George Philip, ex-Sides and ex-Jarrett await scrapping while chained at the scrapping yard of EMR Southern Scrap near Lake Charles. Unfortunately, we can't tell which ship is which.

Mas que belos Hostels se faziam destes Navios.
Esta Imagem faz-me lembrar um belíssimo paquete que Portugal teve.......... :bang:

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/GexBff.jpg) (https://imageshack.com/i/pmGexBffj)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Outubro 28, 2020, 08:50:20 am
Poético! Acho mesmo que me veio uma lagrimita ao canto do olho... até me emocionei quando pensei nos mareantes salvos pelos faróis... faróis esses que têm a complexidade de submarinos nucleares, claro...

Ab

Eu chorei mesmo!

D + !
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 28, 2020, 11:22:19 am
Trabalhinho de copy paste dos sites das diferentes marinhas...ao nível do secundário.  :mrgreen:

Então as conclusões  ::) ...Jesus!

Citar
3. Conclusões
A questão que nos cabe aqui tentar resolver é, por qual é a razão que a nossa marinha não consegue alcançar um patamar mais elevado a nível de poder.
Ou seja, temos uma extraordinária dimensão marítima que, embora sejamos um país de extrema pacificidade, temos (em comparação com os países em estudo) uma marinha pequena.
Ora, esta questão, parece-nos pertinente, mas pode ter uma contradição que nós próprios acabámos de mencionar: não temos guerras nem distúrbios de maior, logo, não será necessário construir um arsenal de dimensões semelhantes ao dos Estados Unidos
ou da Rússia. No entanto, é necessário incutir aqui a ideia de que estamos tremendamente bem servidos para as nossas necessidades. Pois o objeto deste estudo não é concluir que a nossa marinha é fraca, muito pelo contrário; o objeto aqui passa por fazer ver ao leitor (ou tentar) que não devemos criticar de modo tão intenso as nossas forças, neste caso especifico a Marinha. Há muito mais do que apenas estes navios dentro da Base Naval de Lisboa; existem todos os dias centenas de pessoas a trabalhar para que o nosso mar esteja sempre protegido. Não deixa, no entanto, de ser interessante fazer esta pequena comparação com algumas das maiores potências, no que à marinha diz respeito que temos no mundo. É tudo uma questão de perspetiva, mas, a ideia fundamental aqui é valorizar os meios que temos ao nosso dispor todos os dias.
A Marinha Portuguesa auxilia, muitas vezes estas grandes potências nos seus mares, assim como caso seja necessário, esperamos que as mesmas nos ajudem a nós.
É muito importante que se perceba que temos praticamente tudo o que faz falta para nos sentirmos seguros quando saímos numa embarcação para pescar ou, até quando verificamos que os nossos sistemas de GPS não funcionam mais e estamos em pleno navio; até aqui, quando tudo falha dentro de um navio e os seus tripulantes não sabem para onde ir, a Marinha está presente para nos auxiliar: dando-nos a localização de terra através dos faróis. São imensos os que temos ao longo da nossa costa e, todos os dias
quando o sol se põe eles estão lá para auxiliar quem ande pelos mares
.

Já está uma Medalha da Cruz Naval na calha para a Sôtora Leninha  :mrgreen:

Basicamente é isto:
(https://cdn.pensador.com/img/frase/pa/ul/paulo_tch_c_isaac_valoriza_te_e_os_outros_farao_o_mesmo_l600ve0.jpg)

No fim de contas, o problema da Marinha afinal não são os navios serem escassos e obsoletos, é o pessoal não lhes dar o devido valor. Ou seja, pensamento positivo faz dos NPOs o mesmo que os Arleigh Burke.

#mentalidades #pensapositivo #valorizate

PS: Os faróis ao longo da costa têm a complexidade do Aegis Ashore!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Outubro 28, 2020, 11:40:54 am
Citar
3. Conclusões
A questão que nos cabe aqui tentar resolver é, por qual é a razão que a nossa marinha não consegue alcançar um patamar mais elevado a nível de poder.
Ou seja, temos uma extraordinária dimensão marítima que, embora sejamos um país de extrema pacificidade, temos (em comparação com os países em estudo) uma marinha pequena.
Ora, esta questão, parece-nos pertinente, mas pode ter uma contradição que nós próprios acabámos de mencionar: não temos guerras nem distúrbios de maior, logo, não será necessário construir um arsenal de dimensões semelhantes ao dos Estados Unidos
ou da Rússia. No entanto, é necessário incutir aqui a ideia de que estamos tremendamente bem servidos para as nossas necessidades. Pois o objeto deste estudo não é concluir que a nossa marinha é fraca, muito pelo contrário; o objeto aqui passa por fazer ver ao leitor (ou tentar) que não devemos criticar de modo tão intenso as nossas forças, neste caso especifico a Marinha. Há muito mais do que apenas estes navios dentro da Base Naval de Lisboa; existem todos os dias centenas de pessoas a trabalhar para que o nosso mar esteja sempre protegido. Não deixa, no entanto, de ser interessante fazer esta pequena comparação com algumas das maiores potências, no que à marinha diz respeito que temos no mundo. É tudo uma questão de perspetiva, mas, a ideia fundamental aqui é valorizar os meios que temos ao nosso dispor todos os dias.
A Marinha Portuguesa auxilia, muitas vezes estas grandes potências nos seus mares, assim como caso seja necessário, esperamos que as mesmas nos ajudem a nós.
É muito importante que se perceba que temos praticamente tudo o que faz falta para nos sentirmos seguros quando saímos numa embarcação para pescar ou, até quando verificamos que os nossos sistemas de GPS não funcionam mais e estamos em pleno navio; até aqui, quando tudo falha dentro de um navio e os seus tripulantes não sabem para onde ir, a Marinha está presente para nos auxiliar: dando-nos a localização de terra através dos faróis. São imensos os que temos ao longo da nossa costa e, todos os dias
quando o sol se põe eles estão lá para auxiliar quem ande pelos mares
.

Espero que a Dr.ª Leninha perceba mais de direito do que Marinha (ou estará a tentar tacho na DN). De resto ao nível dos novos mestrados em cursos dados às 5 pancadas (com o patrocínio de Bruxelas)...  :mrgreen: :mrgreen:

(https://so-rir.net/wp-content/uploads/2012/03/meme-do-aluno-socializar.jpg)

Tendo em conta a zona exclusiva económica portuguesa.

(https://imagens.publico.pt/imagens.aspx/832737?tp=UH&db=IMAGENS&type=JPG)

E a Marinha Lusa:

(https://i.pinimg.com/564x/9f/30/42/9f30426e66208099e65ca50615eb36e6.jpg)

Conclui se que a Dr.ª nem sabe olhar para os bonecos (ou então é pitosga).  :mrgreen: :mrgreen:

(https://so-rir.net/wp-content/uploads/2015/10/esqueceu-se-dos-oculos.jpg)

Cumprimentos



Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Outubro 28, 2020, 03:30:08 pm
Para rir um pouco:


http://cedis.fd.unl.pt/wp-content/uploads/2018/04/CEDIS-working-paper_PDEMar_A-marinha-de-guerra-portuguesa-e-as-pot%C3%AAncias-mundiais.pdf

Se eu não tivesse lido não me acreditaria.
Não sei mesmo o que dizer das conclusões.

Decididamente, cada vez menos sei o que dizer.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Viajante em Outubro 28, 2020, 03:50:23 pm
Podem pesquisar mais trabalhos da autora......... https://grupolusofona.academia.edu/HelenaCoelho
Ainda há lá mais um trabalho: HELENA DANIEL COELHO REGIME PORTUGUÊS DA SALVAÇÃO MARÍTIMA E AUTORIDADES MARÍTIMAS PORTUGUESAS (FISCALIZAÇÃO DO ESPAÇO MARÍTIMO
 :mrgreen:

É por estas e por outras que nunca mais quis saber de concluir o meu doutoramento. Eu é que me lixava e pagava tudo e os outros é que ficavam com as medalhas para chegarem a Catedráticos!!!!!!!
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 28, 2020, 07:49:36 pm
Calma que ela nunca acabou o Mestrado, não aparece nada no RENATES - Registo Nacional de Teses e Dissertações, nem no RUN - Repositório Institucional da UNL.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 29, 2020, 08:07:43 am
Para rir um pouco:


http://cedis.fd.unl.pt/wp-content/uploads/2018/04/CEDIS-working-paper_PDEMar_A-marinha-de-guerra-portuguesa-e-as-pot%C3%AAncias-mundiais.pdf

Se eu não tivesse lido não me acreditaria.
Não sei mesmo o que dizer das conclusões.

Decididamente, cada vez menos sei o que dizer.

Faz como eu, não digas nada e passa à frente
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 29, 2020, 10:32:54 am
Para rir um pouco:


http://cedis.fd.unl.pt/wp-content/uploads/2018/04/CEDIS-working-paper_PDEMar_A-marinha-de-guerra-portuguesa-e-as-pot%C3%AAncias-mundiais.pdf

Se eu não tivesse lido não me acreditaria.
Não sei mesmo o que dizer das conclusões.

Decididamente, cada vez menos sei o que dizer.

Desculpa, mas o que raio é isto? Eu com dois neurónios faria um trabalho um pouco melhor do que esta coisa. :o
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 29, 2020, 11:12:06 am
Acho que devemos ter em conta 3 aspetos:
1) Isto é um working paper, ou seja, um trabalho preliminar, em progresso;
2) Nada indica que a Sra. tenha concluído o Mestrado;
3) A Sra. é Licenciada pela Lusófona  :mrgreen: .
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Outubro 29, 2020, 02:29:05 pm
Entretanto a "Unidade de Meios de Desembarque dos Fuzileiros" tem novo Comandante. Não sei a que meios eles se referem  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

Citar
Marinha Portuguesa
20 h  ·
Unidade de Meios de Desembarque dos Fuzileiros tem novo Comandante
O primeiro-tenente fuzileiro Nuno Arvins Fernandes tomou posse esta terça-feira como novo Comandante da Unidade de Meios de Desembarque (UMD) dos Fuzileiros.
Numa cerimónia presidida pelo Comandante do Corpo de Fuzileiros, comodoro Silva Ribeiro, o novo Comandante da UMD rendeu no cargo o primeiro-tenente fuzileiro Pinheiro dos Santos.
Desejamos as maiores felicidades pessoais e profissionais a ambos os militares nos próximos desafios e recordamos: Se fosse fácil… estariam cá outros.

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa (https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa)

Cumprimentos

P.S Ah, são estes...  ::)

(https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/106364639_3297229460298214_4012039613450647352_n.jpg?_nc_cat=105&ccb=2&_nc_sid=8bfeb9&_nc_ohc=5bBlEUTHHuIAX_yuTZm&_nc_ht=scontent.flis5-1.fna&oh=503b4cdf37dbd2d46da1fa7dd1f836ec&oe=5FC08390)

(https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/106043419_3297229573631536_3578694452939441533_n.jpg?_nc_cat=103&ccb=2&_nc_sid=8bfeb9&_nc_ohc=aHf7WK0cetQAX-8E611&_nc_ht=scontent.flis5-1.fna&oh=2ac1edd8ed52da75e5fe929fb7d46f32&oe=5FC1B823)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Claust em Outubro 29, 2020, 02:30:33 pm
Nova embarcação para portugueses comandarem.

 ESPS Reina Sofia

https://www.marinha.pt/pt/media-center/Noticias/Paginas/Marinha-Portuguesa-vai-comandar-Forca-Naval-Europeia-no-Corno-de-Africa-.aspx

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 29, 2020, 02:48:56 pm
Quando há falta de navios da Marinha para comandar...

Pior que isto, é que depois ainda virá alguém dizer que "isto demonstra o valor dos nossos militares", quando o seu valor devia ser demonstrado possuindo meios para eles usarem.  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 29, 2020, 03:07:03 pm
Que orgulho, andar a mendigar para ir à boleia dos outros...a caridadezinha como dizia o outro

Palhaços do crl
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Outubro 29, 2020, 03:12:49 pm
Continua a exportação de talento, a grande sina deste país.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 29, 2020, 03:22:27 pm
E os espanhóis também não se ficam atrás na incompetência. Enviar uma fragata para combater pirataria, quando um NPO com duas .50 chega perfeitamente...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 29, 2020, 03:41:51 pm
E os espanhóis também não se ficam atrás na incompetência. Enviar uma fragata para combater pirataria, quando um NPO com duas .50 chega perfeitamente...

E eles têm NPO bastante mais armados e equipados do que nós, mas também um navio desses não pode ser navio-chefe de uma força.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Outubro 29, 2020, 03:47:03 pm
Se fosse com os Tugas ias ver se não mandavam um NPO desarmado como navio chefe.  :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Outubro 29, 2020, 04:28:41 pm
E os espanhóis também não se ficam atrás na incompetência. Enviar uma fragata para combater pirataria, quando um NPO com duas .50 chega perfeitamente...

E eles têm NPO bastante mais armados e equipados do que nós, mas também um navio desses não pode ser navio-chefe de uma força.

Um BAM não podia? Aquilo só falta misseis para ser uma fragata (de superficie o heli leva)... :mrgreen: :mrgreen:

(https://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2012/02/BAM.jpg)

(https://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/05/BAM-OPV-Meteoro-foto-Armada-Espanhola.jpg)

https://en.wikipedia.org/wiki/Meteoro-class_offshore_patrol_vessel (https://en.wikipedia.org/wiki/Meteoro-class_offshore_patrol_vessel)

Em ultimo caso um OPV da classe Descubierta. É só volta a instalar os misseis.  :mrgreen: :mrgreen:

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/b/b4/RMNS_Lieutenant_Colonel_Errhamani_%28F_501%29.jpg/1024px-RMNS_Lieutenant_Colonel_Errhamani_%28F_501%29.jpg)

(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/oArlvyJRbe3xdBYFaHBfBxRhNnFGa1RjmF9FU1hbP0SKC_MBgcbQm4arKY_ZEeWVZtkX5_yKFYpQXkleJpGxW4aMJfO4r0w1BpdVnlFMWrm0vdy9f2k)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Descubierta (https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Descubierta)

Cumprimentos

Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Outubro 29, 2020, 04:34:34 pm
E os espanhóis também não se ficam atrás na incompetência. Enviar uma fragata para combater pirataria, quando um NPO com duas .50 chega perfeitamente...

E eles têm NPO bastante mais armados e equipados do que nós, mas também um navio desses não pode ser navio-chefe de uma força.

Um BAM não podia? Aquilo só falta misseis para ser uma fragata (de superficie o heli leva)... :mrgreen: :mrgreen:

(https://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2012/02/BAM.jpg)

(https://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/05/BAM-OPV-Meteoro-foto-Armada-Espanhola.jpg)

https://en.wikipedia.org/wiki/Meteoro-class_offshore_patrol_vessel (https://en.wikipedia.org/wiki/Meteoro-class_offshore_patrol_vessel)

Em ultimo caso um OPV da classe Descubierta. É só volta a instalar os misseis.  :mrgreen: :mrgreen:

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/b/b4/RMNS_Lieutenant_Colonel_Errhamani_%28F_501%29.jpg/1024px-RMNS_Lieutenant_Colonel_Errhamani_%28F_501%29.jpg)

(https://lh3.googleusercontent.com/proxy/oArlvyJRbe3xdBYFaHBfBxRhNnFGa1RjmF9FU1hbP0SKC_MBgcbQm4arKY_ZEeWVZtkX5_yKFYpQXkleJpGxW4aMJfO4r0w1BpdVnlFMWrm0vdy9f2k)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Descubierta (https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Descubierta)

Cumprimentos

Os hermanos, ainda são mais incompetentes que nós, conseguem ter helis disponíveis, e, para os embarcar em OPV's.:bang:
Mas nós é que somos os srs Inteligentes !!!! :mrgreen:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Outubro 30, 2020, 06:03:17 am
Continua a exportação de talento, a grande sina deste país.

Não há para aí nenhuma Marinha com défice de almirantes?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Outubro 30, 2020, 11:17:39 am
Até se podia fazer um acordo de troca de almirantes por navios.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Outubro 30, 2020, 12:55:12 pm
Até se podia fazer um acordo de troca de almirantes por navios.

Essa troca é que era de implementar ASAP.
Com o valor dos nossos almirantes, cada um deverá valer por pelo menos um contratorpedeiro, ou duas fragatas, ou um NPL + três helis de 10 Tons, ou um AOR + um heli de dez Tons, ou dois submarinos.......se passassem á reserva uns cinco ficavamos com o problema das fragatas resolvido, um AOR novo,  e um NPL a estrear, excelente negócio, pense nisso sr MDN.

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Novembro 04, 2020, 04:58:38 am
E porque o mar italiano é muito maior que o mar português e porque para receber financiamento comunitário é preciso investir...

EU Finances the Construction of 3 New Hydrographic Vessels for the Italian Navy

https://www.navalnews.com/naval-news/2020/11/eu-finances-the-construction-of-3-new-hydrographic-vessels-for-the-italian-navy/ (https://www.navalnews.com/naval-news/2020/11/eu-finances-the-construction-of-3-new-hydrographic-vessels-for-the-italian-navy/)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 04, 2020, 09:48:36 am
E porque o mar italiano é muito maior que o mar português e porque para receber financiamento comunitário é preciso investir...

EU Finances the Construction of 3 New Hydrographic Vessels for the Italian Navy

https://www.navalnews.com/naval-news/2020/11/eu-finances-the-construction-of-3-new-hydrographic-vessels-for-the-italian-navy/ (https://www.navalnews.com/naval-news/2020/11/eu-finances-the-construction-of-3-new-hydrographic-vessels-for-the-italian-navy/)

E também convém não esquecer que a Marinha Italiana, precisa mais de novos navios, que a Marinha Portuguesa, daí necessitar desta ajuda Europeia. :mrgreen: :N-icon-Axe: :bang:

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 04, 2020, 10:16:55 am
É o que dá a Itália ter uma frota envelhecida e andarem navios a ser abatidos sem substituto nos próximos anos.  ::)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: LM em Novembro 04, 2020, 10:21:48 am
Caros... a palavra chave é ajuda - por aqui investir só a 100% a fundo perdido (mas também gostamos de empréstimos a longo prazo, que as próximas gerações logo resolvem) ou em tranches de 20 milhões :mrgreen:
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 04, 2020, 11:15:28 am
De facto, quando aqui nem para os restantes NPOs se assina contrato, algo que ainda não se percebeu muito bem o porquê, especialmente quando todos os partidos estão a favor dos ditos, e estes navios aparentam não vir a receber grandes melhorias...
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: mafets em Novembro 04, 2020, 11:42:56 am
Não podemos candidatar os restantes NPO a Fundos Comunitários (a fundo perdido)? Eles também passam tempo significativo em missões internacionais e da UE...  :mrgreen: :mrgreen:

https://www.marinha.pt/pt/media-center/Noticias/Paginas/NRP-Viana-do-Castelo-conclui-missao-no-Canada-.aspx (https://www.marinha.pt/pt/media-center/Noticias/Paginas/NRP-Viana-do-Castelo-conclui-missao-no-Canada-.aspx)

https://www.mundoportugues.pt/nrp-viana-do-castelo-em-missao-no-golfo-da-guine-e-costa-ocidental-africana/ (https://www.mundoportugues.pt/nrp-viana-do-castelo-em-missao-no-golfo-da-guine-e-costa-ocidental-africana/)

https://expresso.pt/internacional/2019-10-28-Navio-portugues-deteta-embarcacao-com-15-migrantes-a-sul-de-Espanha (https://expresso.pt/internacional/2019-10-28-Navio-portugues-deteta-embarcacao-com-15-migrantes-a-sul-de-Espanha)

https://sicnoticias.pt/pais/2015-07-29-Marinha-portuguesa-em-missao-em-Espanha-para-controlar-fluxos-migratorios (https://sicnoticias.pt/pais/2015-07-29-Marinha-portuguesa-em-missao-em-Espanha-para-controlar-fluxos-migratorios)

(https://pescazores.com/wp-content/uploads/2014/11/10734014_847468438607674_1963998190984093375_n-1.jpg)

(https://cdn.cmjornal.pt/images/2014-12/img_1280x720$2014_12_05_08_45_35_421940.jpg)

Saudações
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Novembro 04, 2020, 01:45:09 pm
E porque o mar italiano é muito maior que o mar português e porque para receber financiamento comunitário é preciso investir...

EU Finances the Construction of 3 New Hydrographic Vessels for the Italian Navy

https://www.navalnews.com/naval-news/2020/11/eu-finances-the-construction-of-3-new-hydrographic-vessels-for-the-italian-navy/ (https://www.navalnews.com/naval-news/2020/11/eu-finances-the-construction-of-3-new-hydrographic-vessels-for-the-italian-navy/)

Portugal não precisa o Costa já deixou os Chineses investigarem o ZEE dos Açores. Agora é só o resto.
Os Chineses agradecem, o Costa lava as mãos e o resto da maralha andam a dormir que permitem atentados à Soberania e até questões com os Aliados da NATO
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Turlu em Novembro 04, 2020, 02:05:53 pm
Portugal não precisa o Costa já deixou os Chineses investigarem o ZEE dos Açores. Agora é só o resto.
Os Chineses agradecem, o Costa lava as mãos e o resto da maralha andam a dormir que permitem atentados à Soberania e até questões com os Aliados da NATO
[/quote]

Os Chineses foram os últimos a cá chegar. Todos os anos tem andado por aqui Holandeses, Franceses, Alemães e, diga-se que também Portugal tem vindo a investigar o mar dos Açores.
Normalmente nos navios estrangeiros que por cá andam também participam nas campanhas investigadores de universidades portuguesas, como observadores ou também participando ativamente nos projetos.

MC
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: HSMW em Novembro 04, 2020, 08:57:01 pm
https://www.marinetraffic.com/en/ais/home/shipid:254474/zoom:16


Basta ver quem está hoje atracado em Ponta Delgada.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Turlu em Novembro 05, 2020, 09:44:07 am
https://www.marinetraffic.com/en/ais/home/shipid:254474/zoom:16


Basta ver que está hoje atracado em Ponta Delgada.

Este já é cliente frequente.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Pescador em Novembro 05, 2020, 09:57:18 am
Portugal não precisa o Costa já deixou os Chineses investigarem o ZEE dos Açores. Agora é só o resto.
Os Chineses agradecem, o Costa lava as mãos e o resto da maralha andam a dormir que permitem atentados à Soberania e até questões com os Aliados da NATO

Os Chineses foram os últimos a cá chegar. Todos os anos tem andado por aqui Holandeses, Franceses, Alemães e, diga-se que também Portugal tem vindo a investigar o mar dos Açores.
Normalmente nos navios estrangeiros que por cá andam também participam nas campanhas investigadores de universidades portuguesas, como observadores ou também participando ativamente nos projetos.

MC
[/quote]

É verdade, mas eu sem ser preconceito, vejo diferença entre países que pertencem a Aliança e outros opostos.
Se calhar estou a ver "coisas no ar", mas andar por cá navios com tecnologia que possam ficar saber muito mais do que peixes não é de admirar, nomeadamente relativo a assinaturas acústicas e mais.

Seja como for mostra mais uma vez o défice na aposta nacional.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: AtInf em Novembro 09, 2020, 09:00:05 am
Calma.... muita calma!
 As mentes superiores, depois do "encontro" entre o draga minas grego e porta contentores tuga, devem estar a imaginar que com dois fisgas a Desarmada Tuga vai dominar os 7 mares e arredores :mrgreen:
 
https://www.janes.com/defence-news/news-detail/two-injured-as-greek-minesweeper-collides-with-container-ship-near-piraeus (https://www.janes.com/defence-news/news-detail/two-injured-as-greek-minesweeper-collides-with-container-ship-near-piraeus)
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 12, 2020, 12:59:50 am
 :mrgreen:

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 16 de outubro de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 16 de setembro de 2020, pelo 20485 Capitão-de-mar-e-guerra ANTÓNIO PEDRO FERREIRA MOREIRA, Comandante da Escola de Tecnologias Navais, ao 9802195 Cabo FZ MEF JOÃO MANUEL ARRUDA COSTA, o qual se publica:
Louvo o 9802195 Cabo FZ MEF JOÃO MANUEL ARRUDA COSTA, pelo extraordinário empenho, elevada dedicação e espírito de missão, ao apresentar e desenvolver a iniciativa que contribuiu para manter a capacidade física dos militares, militarizados e civis da Marinha, durante a fase de confinamento decorrente da pandemia do SARS-CoV2.
Militar discreto, mas bastante empenhado, revelou grande engenho, disponibilidade e um elevado espírito de missão, fatores muito bem patentes ao ter apresentado, mercê da sua especialidade como monitor de educação física, a iniciativa de realizar aulas de atividades físicas online, acompanhadas na plataforma ZOOM, totalmente suportada por si, inicialmente para todos os militares e civis da Escola de Tecnologias Navais (ETNA) e, posteriormente, alargando a toda a Marinha.
A recetividade que obteve, nesta que foi a sua iniciativa particular, obteve uma grande adesão, tendo culminado com centenas de participantes, que diariamente assistiram às suas aulas, beneficiando por essa via de um importante escape, distração e oportunidade de ligação à distância com os seus camaradas, para além da evidente possibilidade da manutenção da condição física e mental, durante o período de confinamento decorrente do novo coronavírus COVID-19.
Pelas razões enunciadas e ainda pela forma excecional como, por sua iniciativa, se prestou a colocar as suas capacidades individuais em benefício do seu próximo, considero ser de inteira justiça dar o meu público reconhecimento pela ação do 9802195 Cabo FZ MEF
JOÃO MANUEL ARRUDA COSTA, pelo excelente desempenho, profissionalismo e permanente disponibilidade demonstrados durante a situação pandémica vivida, considerando que contribuiu de forma muito significativa para o bem estar de muitos militares, militarizados e civis, com evidente benefício para a moral e coesão da família naval em situação de excecional dificuldade, dando assim um significativo aporte para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão da ETNA e, consequentemente, da Marinha.

[...]

Medalha Militar da Cruz Naval – 4.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 16 de outubro de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas,
aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
9802195 Cabo FZ MEF JOÃO MANUEL ARRUDA COSTA
[...]
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: NVF em Novembro 12, 2020, 01:20:04 am
Pelo menos está uns níveis a cima de mudar lâmpadas ou das máquinas de vending.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Novembro 12, 2020, 09:26:14 am
:mrgreen:

Citar
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 16 de outubro de 2020, foi considerado como dado por si próprio o louvor concedido, em 16 de setembro de 2020, pelo 20485 Capitão-de-mar-e-guerra ANTÓNIO PEDRO FERREIRA MOREIRA, Comandante da Escola de Tecnologias Navais, ao 9802195 Cabo FZ MEF JOÃO MANUEL ARRUDA COSTA, o qual se publica:
Louvo o 9802195 Cabo FZ MEF JOÃO MANUEL ARRUDA COSTA, pelo extraordinário empenho, elevada dedicação e espírito de missão, ao apresentar e desenvolver a iniciativa que contribuiu para manter a capacidade física dos militares, militarizados e civis da Marinha, durante a fase de confinamento decorrente da pandemia do SARS-CoV2.
Militar discreto, mas bastante empenhado, revelou grande engenho, disponibilidade e um elevado espírito de missão, fatores muito bem patentes ao ter apresentado, mercê da sua especialidade como monitor de educação física, a iniciativa de realizar aulas de atividades físicas online, acompanhadas na plataforma ZOOM, totalmente suportada por si, inicialmente para todos os militares e civis da Escola de Tecnologias Navais (ETNA) e, posteriormente, alargando a toda a Marinha.
A recetividade que obteve, nesta que foi a sua iniciativa particular, obteve uma grande adesão, tendo culminado com centenas de participantes, que diariamente assistiram às suas aulas, beneficiando por essa via de um importante escape, distração e oportunidade de ligação à distância com os seus camaradas, para além da evidente possibilidade da manutenção da condição física e mental, durante o período de confinamento decorrente do novo coronavírus COVID-19.
Pelas razões enunciadas e ainda pela forma excecional como, por sua iniciativa, se prestou a colocar as suas capacidades individuais em benefício do seu próximo, considero ser de inteira justiça dar o meu público reconhecimento pela ação do 9802195 Cabo FZ MEF
JOÃO MANUEL ARRUDA COSTA, pelo excelente desempenho, profissionalismo e permanente disponibilidade demonstrados durante a situação pandémica vivida, considerando que contribuiu de forma muito significativa para o bem estar de muitos militares, militarizados e civis, com evidente benefício para a moral e coesão da família naval em situação de excecional dificuldade, dando assim um significativo aporte para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão da ETNA e, consequentemente, da Marinha.

[...]

Medalha Militar da Cruz Naval – 4.ª Classe
------- Por despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, de 16 de outubro de 2020:
O Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada faz saber que, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 26.º, da alínea d) do n.º 1 do artigo 27.º e do n.º 3 do artigo 34.º, todos do Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas,
aprovado pelo Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de dezembro, concede a Medalha Militar da Cruz Naval de 4.ª Classe, aos seguintes militares:
9802195 Cabo FZ MEF JOÃO MANUEL ARRUDA COSTA
[...]
:D :D :D :D :D :D :D :D :D :D :D 
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 12, 2020, 02:01:11 pm
F*da-se
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: typhonman em Novembro 15, 2020, 09:32:32 pm
Vinha à procura de pontos de situação de projectos em curso na armada, o que encontrei ... exercicio fisico via zoom, 1 louvor, muita azaia dos foristas dos costume, ZERO de debate de defesa sobre a ARMADA.... acho que o tópico devia ser renomeado de "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !" ... para "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval e o Zero de debate de defesa!"--- enquanto o(s) administradores não entrarem a matar e a apagar todos os post "off topic" "insultuosos" "e má lingua" (onde se inclui este meu ... que disponham para denúnciar e apagar) o "forumdefesa" não melhora a sua credibilidade... a "forumdefesa" não é uma caixa de ressonância de frustacções (de poucos ou muitos) é no meu entendimento o local de debate do panorama de defesa nacional e dos seus desafios e das soluções existentes ...mas às vezes é so spam... :( :( :(

A carapuça dos louvores serve ao Fcosta?

Então, na sua opinião, quais são as opções para a substituição das fragatas ?

Cump,
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: Luso em Novembro 15, 2020, 09:32:55 pm
Vinha à procura de pontos de situação de projectos em curso na armada, o que encontrei ... exercicio fisico via zoom, 1 louvor, muita azaia dos foristas dos costume, ZERO de debate de defesa sobre a ARMADA.... acho que o tópico devia ser renomeado de "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !" ... para "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval e o Zero de debate de defesa!"--- enquanto o(s) administradores não entrarem a matar e a apagar todos os post "off topic" "insultuosos" "e má lingua" (onde se inclui este meu ... que disponham para denúnciar e apagar) o "forumdefesa" não melhora a sua credibilidade... a "forumdefesa" não é uma caixa de ressonância de frustacções (de poucos ou muitos) é no meu entendimento o local de debate do panorama de defesa nacional e dos seus desafios e das soluções existentes ...mas às vezes é so spam... :( :( :(

Amigo, spam são os seus posts e de todos aqueles que assobiam para o lado apesar das evidências.
E com a falta de credibilidade deste fórum podemos nós bem. Não podemos é com a falta credibilidade da des"Armada", mais conhecida, no ramo por "Marinheca", por mérito próprio, já que é a mesma que o anuncia alarvemente.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 15, 2020, 09:56:04 pm
É a habitual dose de desinformação. A quantidade de páginas e tempo despendido pelo pessoal do Fórum a discutir assuntos importantes, que no fim não deu em nada, é tanto, que o pessoal simplesmente se cansou de falar do mesmo e constatar o óbvio.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: RABN em Novembro 15, 2020, 10:11:44 pm
Vinha à procura de pontos de situação de projectos em curso na armada, o que encontrei ... exercicio fisico via zoom, 1 louvor, muita azaia dos foristas dos costume, ZERO de debate de defesa sobre a ARMADA.... acho que o tópico devia ser renomeado de "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !" ... para "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval e o Zero de debate de defesa!"--- enquanto o(s) administradores não entrarem a matar e a apagar todos os post "off topic" "insultuosos" "e má lingua" (onde se inclui este meu ... que disponham para denúnciar e apagar) o "forumdefesa" não melhora a sua credibilidade... a "forumdefesa" não é uma caixa de ressonância de frustacções (de poucos ou muitos) é no meu entendimento o local de debate do panorama de defesa nacional e dos seus desafios e das soluções existentes ...mas às vezes é so spam... :( :( :(

Ora que bom é ver o FCosta por estas bandas navais! Aproveitando a sua presença no tópico, deixe me fazer lhe algumas perguntas genéricas de debate sobre a marinha portuguesa:
-Qual a sua opinião genérica sobre a parte da atual LPM destinada à Marinha? Considerando os mesmos valores, que alterações propunha?
-Qual a sua opinião relativamente às fragatas Vasco da Gama? Substituir agora (horizonte 2025) fazer MLU e substituir após 2030,  ou manter como está (difícil) e substituir até 2030?
-Caso o MLU seja efetivamente feito, quais deviam ser na sua opinião as prioridades? (Excluindo reparações mecânicas e estruturais claro)
-Caso defenda a substituição próxima das VdG, quais seriam na sua opinião as fragatas que melhor serviam os interesses da Marinha?
-No caso do AOR, que tanta falta faz neste momento, qual é a sua opinião? Devemos avançar para a comprar um em segunda mão, resolvendo uma grande lacuna atual, ou devemos procurar construir um mais moderno e à nossa medida, mas ficando vários anos sem essa capacidade?
-No caso do LPD, a verba atual da LPM foi feita com o objetivo de comprar um em segunda mão. Concorda com esse prisma? Que outras opções sugere de forma a colmatar essa valência?
-Relativamente aos Patrulhas Classe Viana do Castelo, qual a sua opinião? Deverá a marinha investir num segundo batch dos mesmos com evoluções, como dita a LPM, ou deveria a Marinha optar por um projeto mais moderno e mais capaz?
No caso de se avançar para um segundo batch de VdC, que alterações sugere? Deve a marinha manter os planos iniciais de ter 10NPO, ou deverá rever esses planos e optar por 4 unidades (em vez das 6 programadas) e utilizando a verba dos outros  2 NPO para construir 4 mais capazes e mais próximos de uma “corveta”.
-Relativamente aos atuais VdC, que alterações sugere para os mesmos?
-Relativamente aos classe Tejo, que alterações sugere? E quanto à sua substituição, qual a sua opinião?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: tenente em Novembro 15, 2020, 10:22:52 pm
Vinha à procura de pontos de situação de projectos em curso na armada, o que encontrei ... exercicio fisico via zoom, 1 louvor, muita azaia dos foristas dos costume, ZERO de debate de defesa sobre a ARMADA.... acho que o tópico devia ser renomeado de "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !" ... para "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval e o Zero de debate de defesa!"--- enquanto o(s) administradores não entrarem a matar e a apagar todos os post "off topic" "insultuosos" "e má lingua" (onde se inclui este meu ... que disponham para denúnciar e apagar) o "forumdefesa" não melhora a sua credibilidade... a "forumdefesa" não é uma caixa de ressonância de frustacções (de poucos ou muitos) é no meu entendimento o local de debate do panorama de defesa nacional e dos seus desafios e das soluções existentes ...mas às vezes é so spam... :( :( :(

Ora que bom é ver o FCosta por estas bandas navais! Aproveitando a sua presença no tópico, deixe me fazer lhe algumas perguntas genéricas de debate sobre a marinha portuguesa:
-Qual a sua opinião genérica sobre a parte da atual LPM destinada à Marinha? Considerando os mesmos valores, que alterações propunha?
-Qual a sua opinião relativamente às fragatas Vasco da Gama? Substituir agora (horizonte 2025) fazer MLU e substituir após 2030,  ou manter como está (difícil) e substituir até 2030?
-Caso o MLU seja efetivamente feito, quais deviam ser na sua opinião as prioridades? (Excluindo reparações mecânicas e estruturais claro)
-Caso defenda a substituição próxima das VdG, quais seriam na sua opinião as fragatas que melhor serviam os interesses da Marinha?
-No caso do AOR, que tanta falta faz neste momento, qual é a sua opinião? Devemos avançar para a comprar um em segunda mão, resolvendo uma grande lacuna atual, ou devemos procurar construir um mais moderno e à nossa medida, mas ficando vários anos sem essa capacidade?
-No caso do LPD, a verba atual da LPM foi feita com o objetivo de comprar um em segunda mão. Concorda com esse prisma? Que outras opções sugere de forma a colmatar essa valência?
-Relativamente aos Patrulhas Classe Viana do Castelo, qual a sua opinião? Deverá a marinha investir num segundo batch dos mesmos com evoluções, como dita a LPM, ou deveria a Marinha optar por um projeto mais moderno e mais capaz?
No caso de se avançar para um segundo batch de VdC, que alterações sugere? Deve a marinha manter os planos iniciais de ter 10NPO, ou deverá rever esses planos e optar por 4 unidades (em vez das 6 programadas) e utilizando a verba dos outros  2 NPO para construir 4 mais capazes e mais próximos de uma “corveta”.
-Relativamente aos atuais VdC, que alterações sugere para os mesmos?
-Relativamente aos classe Tejo, que alterações sugere? E quanto à sua substituição, qual a sua opinião?

RABN, se nao te importares, eu também gostaria de expor quais as minhas opções mas, para não perturbar, eu espero. ;)

Abraços
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: P44 em Novembro 16, 2020, 07:25:34 am
O emissário da marinheca tá a chorare?

Chateia que aqui se desmascare a farsa que é a marinheca, é isso?
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: dc em Novembro 16, 2020, 04:32:56 pm
Um detalhe. Não podemos planear a substituição das VdG (ou qualquer outro meio das FAs), com dependência de "a quem vamos vender". Não tem lógica querer vender os navios, sem estes terem substitutos. Se fosse assim, como faziam? Abriam negociações com um futuro comprador, tudo em ordem e no fim "agora esperem lá 10/15 anos até nós decidirmos os navios que as vêm substituir"? Isso é, aliás, um risco enorme, já que sabendo o que a casa gasta, a Marinha ia ficar corrida a 2 fragatas, com as VdG vendidas sem substituto. Veja-se a situação do Bérrio, das corvetas que não são substituídas, dos Cacine, LDG, Draga-minas.

Havendo um contrato já assinado para a compra/construção de novas fragatas, aí sim valia a pena pensar em vender as VdG. As oportunidades de venda, dependem, obviamente de quando as colocássemos à venda. Uma coisa é colocar à venda os navios nos próximos 5 anos, na pior das hipóteses, outra é em 2030/35.

Fazer um upgrade para vender, só se fosse lucrativo. Gastar 50 milhões por navio (por exemplo), e vender por 55 milhões, é um desperdício de tempo. Muitos países na Europa, nomeadamente membros mais recentes da NATO, como os Estados do Báltico, não têm qualquer capacidade oceânica, e fragatas Meko seriam um achado pelo preço certo. Imaginem uma situação do género, Portugal vender as VdG por 30/40 milhões cada (50 com sorte), e a NATO financiar o seu upgrade para um destes países passarem a ter navios minimamente capazes.
Título: Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
Enviado por: RABN em Novembro 16, 2020, 05:38:28 pm
Vinha à procura de pontos de situação de projectos em curso na armada, o que encontrei ... exercicio fisico via zoom, 1 louvor, muita azaia dos foristas dos costume, ZERO de debate de defesa sobre a ARMADA.... acho que o tópico devia ser renomeado de "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !" ... para "Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval e o Zero de debate de defesa!"--- enquanto o(s) administradores não entrarem a matar e a apagar todos os post "off topic" "insultuosos" "e má lingua" (onde se inclui este meu ... que disponham para denúnciar e apagar) o "forumdefesa" não melhora a sua credibilidade... a "forumdefesa" não é uma caixa de ressonância de frustacções (de poucos ou muitos) é no meu entendimento o local de debate do panorama de defesa nacional e dos seus desafios e das soluções existentes ...mas às vezes é so spam... :( :( :(

Ora que bom é ver o FCosta por estas bandas navais! Aproveitando a sua presença no tópico, deixe me fazer lhe algumas perguntas genéricas de debate sobre a marinha portuguesa:
-Qual a sua opinião genérica sobre a parte da atual LPM destinada à Marinha? Considerando os mesmos valores, que alterações propunha?
-> Se esta a referir-se aos 1 283 M Eur (LPM 2019-2030 para a Marinha) https://www.defesa.gov.pt/pt/comunicacao/documentos/Lists/PDEFINTER_DocumentoLookupList/10_Lei-de-Programacao-Militar.pdf (https://www.defesa.gov.pt/pt/comunicacao/documentos/Lists/PDEFINTER_DocumentoLookupList/10_Lei-de-Programacao-Militar.pdf) para começar considerando o situação actual em termos de estado de ciclo de vida do equipamento, que não é famosa, não é o melhor ponto de partida para esta década de mudança ... para mim isto não é um orçamento de gestão, é um orçamento de "damage control" e de nivelamento da "ambição" por baixo... donde a minha opinião só pode ir nesse sentido, senão era irrealista ... dizia tipo 5x AB + 10x SH60 colocava umas fotos e iam-me embora... as alterações, seriam cortes, adaptações, stop gaps, mas mas também tinha de se alterar o paradigma "orgânico FINANCEIRO da armada" ... isto é, se alguns foristas estão sempre a queixar-se das "rendas" do ministério das finanças ... a armada também tem de passar "rendas" para o ministério da agricultura e pescas, para o ministério da administração interna ou para qualquer outro onde as missões que desempenha configuram mais uma colaboração com estes outros  "serviços/ministérios do estado" numa "colaboração" "para public" do que num desempenho de missões puramente militares... resumindo, para mim a "nível estratégico" nem é saltar para os equipamentos, para mim a "nível estratégico" é  saltar para os enquadramentos financeiros, porque eles é que vão ser determinates nos critérios de decisões seguintes... que explico mais à frente... mas já de maneira básica ... do valor acima, parte dele a marinha tinha de "fazer uma cativação", sim não estou a gozar, tinha de "fazer uma cativação" de uma parte para aquilo que é a "componente militar prioritária" ... cada ramo é que tem de decidir o que isso é, qual é a sua lista de topo em que não se pode mexer.... para mim na armada são 1º 2 x Submarinos (componente dissuasora), 2º Fragatas n x BD? ou n x VdG ? ...aquilo que é a parte "CENTRAL E ESSÊNCIAL" que a "DEFINE" em termos militares e que tem de ser "mantida". 

     
-Qual a sua opinião relativamente às fragatas Vasco da Gama? Substituir agora (horizonte 2025) fazer MLU e substituir após 2030,  ou manter como está (difícil) e substituir até 2030?
-> Quando o Sr está a pensar em "substituir", o que me vem à cabeça não é nada disso, o que me vem á cabeça é a "quem vamos vender" as VdG (com ou sem MLU) temos de começar por ai (já entende que não tenho o seu mind set, por isso discordamos tanto)..."o mais cedo possível" ... a ucrania quer pegar nelas? a romenia? as filipinas? a indonesia? o chile? a argentina? a angola ? a taiwan?   ... após metade do ciclo de vida tem de se começar a pensar em "vender" porque sabendo a quem "vender" (e não é vender ao peso do aço) é que vai definir o calendário e até a forma (que pode incluir reciclagem de alguns componentes) da "substituição"... A minha resposta é a "venda" está apalavrada? Não ... então tem de estar para se poder responder sobre MLU e ou Substituição...
Já sobre o tipo de escolhar para substituir sou adepto das fragatas FLEX da dinamarca... com mais ou menos adaptação / adição / melhoria por modulos e não necessáriamente com MLUs (demorados e caros)... a dualidade das classes:
Iver Huitfeldt-class frigate / Absalon-class command and support ship ... acho que as Absalon foram convertidas em fragatas recentemente... mas o que acho interessante é o paradigma de transformação (fitted for but not with). 
https://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/213843/danish-navy-redesignates-absalon_class-support-ships-as-asw-frigates.html (https://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/213843/danish-navy-redesignates-absalon_class-support-ships-as-asw-frigates.html)
Iver HuitfeldtCost:   US$325M/ship
Absalon-class Cost:   DKK2.5bn (total),[1] (~US$225m/ship) excluding weapon modules

-Caso o MLU seja efetivamente feito, quais deviam ser na sua opinião as prioridades? (Excluindo reparações mecânicas e estruturais claro)
-> Nem sei se as MLU devem ser feitas, ou se devem ser feitas à medida e em coordenação com o seu futuro destinatário...  a "quem vamos vender"...


-Caso defenda a substituição próxima das VdG, quais seriam na sua opinião as fragatas que melhor serviam os interesses da Marinha?
-> Hupps antecipei-me: Iver Huitfeldt-class frigate / Absalon-class command and support ship...


-No caso do AOR, que tanta falta faz neste momento, qual é a sua opinião? Devemos avançar para a comprar um em segunda mão, resolvendo uma grande lacuna atual, ou devemos procurar construir um mais moderno e à nossa medida, mas ficando vários anos sem essa capacidade?
-> 1º porque vamos ficar vários anos sem essa capacidade ... há tantas formas de stop gap... não somos os primeiros a ficar "descalços" ... e precisamos de 365 dias por ano de tanker?! ... ver RCaN ... de um exemplo de stop gap...  https://www.defensenews.com/naval/2015/07/11/canada-s-navy-rents-chilean-resupply-ship/ (https://www.defensenews.com/naval/2015/07/11/canada-s-navy-rents-chilean-resupply-ship/)
-> 2º ... os vários anos?!  Podem ser 1 ou 2 depende a quem e se o projecto é novo ou não?! depende do que está no mercado ou vai entrar no mercado ... etc.... The Norwegian Navy ordered HNoMS Maud in June 2013 for NOK1,320m (~£140m)...."First steel for Maud was cut on 14 April 2015.[18] Delivery was planned for 30 September 2016"... teve problemas? Teve! E só entrou muito mais tarde, mas não rebata o prazo de construção com o prazo de testes e aceitação, ... mas uma nova encomenda tem as lessons learned desse.

-No caso do LPD, a verba atual da LPM foi feita com o objetivo de comprar um em segunda mão. Concorda com esse prisma? Que outras opções sugere de forma a colmatar essa valência?
-> Se surgir um compra de oportunidade por <80 M ok ou um low cost  tipo    Makassar-class landing platform dock  Cost:   USD$37.5 million ~ USD$45 million, mas não sou um fan desta configuração de navio dedicado porque se arrisca a ser um "elefante branco na armada" encostado >300 dias por ano (invento eu) ... as opções chame-me louco ... é a mesma que para a VdG .... é mais um navio da classe Absalon-class .... sim não um LPD ... uma fragata, uma "fragata disfarçada" ou com mission modules de "support ship" ... :mrgreen: :mrgreen: 

-Relativamente aos Patrulhas Classe Viana do Castelo, qual a sua opinião? Deverá a marinha investir num segundo batch dos mesmos com evoluções, como dita a LPM, ou deveria a Marinha optar por um projeto mais moderno e mais capaz?
-> Para mim as VdC são um "erro de casting" ... não por são maus OPV, mas porque têm um mau rácio custo / eficácia.... isto é são muito caros - 60 M unid - para aquilo que entregam com OPV não faz sentido... o problema não é o projecto, o problema é o custo!! .... mudo logo de opinião se custassem 35-40 M e tivessem um Vel max de 28 nós (para mim ser "mais capaz" é ter