Forças Armadas e Segurança Interna

  • 109 Respostas
  • 12277 Visualizações
*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8352
  • Recebeu: 956 vez(es)
  • Enviou: 1117 vez(es)
  • +134/-44
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #60 em: Abril 03, 2020, 08:07:37 pm »
Boa tarde Trafaria, gostei do seu texto, fiquei a saber mais um pouco do trabalho de polícia, visto por dentro.

Eu nas leis tentava encontrar a legalidade de forças militares andarem armadas fora das quartéis em tempo de paz, e se um agente de autoridade policial se pode sobrepor à autoridade da hierarquia militar.

Quando se falou no oficial de polícia, foi devido ao artigo do CM que refere uma ordem transmitida às esquadras.

Concordo claramente, e mesmo que não concordasse está na lei, são as forças de segurança que mantém a lei e ordem na sociedade, os militares não têm nada que controlar ruas e pessoas, os militares têm que proteger os seus quartéis, navios, aeronaves, não é intervir na lei e ordem da sociedade e seria uma desgraça (lá se ia a boa publicidade que se procura) se um militar disparasse contra um civil.

Até acho esta situação algo contraditória, com o que tem sido todo o apoio militar às entidades civis, arriscava a dizer, será a excepção que  confirma a regra, tem sido tudo muito correcto, deve ser essa a imagem a ficar.

De um modo simplista penso que o apoio militar deve ser visto como uma reserva para situações fora do normal, e o exército até deve ter orgulho que não deve haver outra instituição que tenha tantas capacidades diferentes, e de apoiar tantas situações diferentes, incêndios, inundações, pandemias médicas, segurança interna, etc, mas este apoio deve ser pedido pelas entidades civis competentes, protecção civil, autoridades médicas, autoridades policiais, etc.

De um modo simplista também acho que em estado de paz (mesmo que seja de emergência), o apoio à protecção civil ou a autoridades médicas deve ser feita desarmada, enquanto as forças de segurança forem capazes de manter a lei e a ordem, não há necessidade de andar armado, é a tal situação dos militares serem a reserva para casos fora do normal, se fossem já para a rua sem ser necessário, se a situação piorar já não vai haver essa reserva, é como num jogo de cartas triunfar em cima do trunfo do nosso colega, estamos a desperdiçar recursos.

Alguma situação tipo a que desencadeou este caso, deve ser coordenada com a força policial da zona. Se for necessário apoiar forças de segurança e andar armado, ou se as FS tiverem demasiado ocupadas, pelo que já li, já existe procedimentos para isso, é cumprir com o que está definido.

Para o bem de Portugal, espero que a nossa segurança nunca fique mal ao ponto de ser necessário recorrer a militares para reforçar as forças policiais, tal como também espero nunca ver colunas de camiões militares cheios de caixões como se viu em Itália, mas esta esperança não impede os militares (e as polícias na parte deles) de estarem preparados para isso, por isso até tenho boa imagem das actuais lideranças das forças armadas e policiais pelo menos neste aspecto da coordenação e apoio a entidades civis.

http://assets.exercito.pt/SiteAssets/GabCEME/RCRPP/Comunicados/2019/Comunicado10_19.pdf
« Última modificação: Abril 03, 2020, 08:37:39 pm por Lightning »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Trafaria

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3743
  • Recebeu: 286 vez(es)
  • Enviou: 89 vez(es)
  • +463/-60
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #61 em: Abril 03, 2020, 08:20:46 pm »
Meus caros,


Vejam-se os países civilizados, aonde os Exércitos andam armados de arma de assalto em patrulhas com/sem polícias ao lado.


E nesses países não choca ninguém, mas cá em PT, pelos vistos há entidades que se acham os melhores/maiores cá do Burgo, pois acham que são os militares que lhes vão fazer algum tipo de concorrência.


Podemos por a questão ao contrário, por exemplo, porquê é que os GIPS vão apagar incêndios de Glock no coldre ?


Acham mesmo que vão apanhar algum incendiário lá pelo meio ?



Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

Trafaria

  • Investigador
  • *****
  • 2011
  • Recebeu: 76 vez(es)
  • Enviou: 77 vez(es)
  • +16/-0
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #62 em: Abril 03, 2020, 08:59:04 pm »
Convém começar por lembrar que Portugal é Portugal. Qualquer economista do 1º ano sabe como é que - a titulo de exemplo - o devastado Japão ou Singapura se tornaram nas potencias que são depois de arrasados na 2ª Guerra. Mas qualquer sociólogo amador lhe explica porque é que nunca cá conseguiríamos replicar essa experiência e esse sucesso. É que no Japão vivem japoneses, em Singapura vivem os Sigaporeans, e em Portugal vivem portugueses. Pode parecer-lhe uma anedota mas qualquer aprendiz de historiador lhe explica que essas coisas contam, imensamente.

Isso também é válido para a forma como nos relacionamos com as nossas forças armadas, com desconfiança, e não é uma irracionalidade, a história explica-o, e não desaparecerá de um dia para o outro, está cá para durar, porque também já é cultural. Somos portugueses.

Uma coisa pode tomar por garantida: episódios como esse de Vila Real não vêm ajudar mesmo nada. E aqueles militares que andam pelos sites das associações profissionais a dizer disparates, como a defenderem revoluções, golpes de estado, tomada do poder pelos generais... só contribuem para dar "munições" aos que andam pelas caixas de comentários dos jornais a destilar ódio contra as FA.

Vou jantar.





« Última modificação: Abril 03, 2020, 09:10:18 pm por Trafaria »
::..Trafaria..::
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8352
  • Recebeu: 956 vez(es)
  • Enviou: 1117 vez(es)
  • +134/-44
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #63 em: Abril 03, 2020, 10:01:00 pm »
Às vezes digo na brincadeira, Portugal é um bom país, o mal é viverem cá portugueses, se fossemos todos dinamarqueses ou suecos...  :mrgreen:

Ou algo do tipo, devia vir para cá um nórdico como primeiro-ministro colocar o país como deve ser, os nossos políticos também são portugueses, não podemos esperar que se comportem como os nórdicos.
« Última modificação: Abril 03, 2020, 10:03:31 pm por Lightning »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Trafaria, HSMW

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3743
  • Recebeu: 286 vez(es)
  • Enviou: 89 vez(es)
  • +463/-60
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #64 em: Abril 03, 2020, 11:18:53 pm »
Convém começar por lembrar que Portugal é Portugal. Qualquer economista do 1º ano sabe como é que - a titulo de exemplo - o devastado Japão ou Singapura se tornaram nas potencias que são depois de arrasados na 2ª Guerra. Mas qualquer sociólogo amador lhe explica porque é que nunca cá conseguiríamos replicar essa experiência e esse sucesso. É que no Japão vivem japoneses, em Singapura vivem os Sigaporeans, e em Portugal vivem portugueses. Pode parecer-lhe uma anedota mas qualquer aprendiz de historiador lhe explica que essas coisas contam, imensamente.

Isso também é válido para a forma como nos relacionamos com as nossas forças armadas, com desconfiança, e não é uma irracionalidade, a história explica-o, e não desaparecerá de um dia para o outro, está cá para durar, porque também já é cultural. Somos portugueses.

Uma coisa pode tomar por garantida: episódios como esse de Vila Real não vêm ajudar mesmo nada. E aqueles militares que andam pelos sites das associações profissionais a dizer disparates, como a defenderem revoluções, golpes de estado, tomada do poder pelos generais... só contribuem para dar "munições" aos que andam pelas caixas de comentários dos jornais a destilar ódio contra as FA.

Vou jantar.







O que mais descredibiliza actualmente os militares, é as manifs e outras, que só pedem/pensam em "direitos", não os vejo a pedirem a modernização dos equipamentos e o cumprimento das LPM.

Agora o episódio de VR não acho que descredibilize as FA, pois há muitos portugueses que nesta crise "pediram" as FA a vigiarem as fronteiras terrestes.

E como é óbvio não iriam fazer essa vigilância desarmados, pois os comentários iriam ser " mas que tropa é esta que nem armas tem" ?

Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8352
  • Recebeu: 956 vez(es)
  • Enviou: 1117 vez(es)
  • +134/-44
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #65 em: Abril 03, 2020, 11:24:48 pm »
Isso também é válido para a forma como nos relacionamos com as nossas forças armadas, com desconfiança, e não é uma irracionalidade, a história explica-o, e não desaparecerá de um dia para o outro, está cá para durar, porque também já é cultural. Somos portugueses.

Desculpa lá mudar o assunto do tema, mas vou ter que desabafar, isso que disseste, que é verdade, essa desconfiada quase inconsciente, muitos nem sabem bem a razão, é porque é, é das piores características de alguns portugueses, juntamente com a inveja, mesquinhez, aldrabice, sabujice, dar o jeito, é mesmo do português pequenino, atrasado, provinciano. Na maioria da Europa não se vê isso, já sei não são portugueses, acho que outra razão foi termos escapado à 2a guerra mundial, ai muitos países foram resgatados pelas forças armadas aliadas, nesses povos o que ficou na genética já não foi desconfiança, foi confiança e agradecimento.

Cá deve ser algum medo que ficou dos golpes de estado do tempo da 1a República, muita gente nem deve ter consciência que a mentalidade dos militares mudou muito com a entrada para a NATO e influência americana, desde ai o único golpe foi para a democracia, surgiram pessoas como Humberto Delgado, Salgueiro Maia, Ramalho Eanes e não vieram da polícia nem da GNR, vieram das Forças Armadas.

Curioso como a GNR que defendeu a ditadura, não tem essa imagem.

Espero que a interacção dos portugueses com outros povos europeus seja um bom factor para irmos corrigindo estes defeitos do nosso povo, e já melhoramos muito, eu quando vejo noticias da América latina, imagino bem Portugal ali, a nossa sorte é estarmos na Europa, se fossemos um canto da América latina éramos iguais ou piores aqueles países.

Citar
E aqueles militares que andam pelos sites das associações profissionais a dizer disparates, como a defenderem revoluções, golpes de estado, tomada do poder pelos generais... só contribuem para dar "munições" aos que andam pelas caixas de comentários dos jornais a destilar ódio contra as FA.

Pois também temos desses, mas também já vi civis com essa conversa, só lhes digo assim, "os militares não têm que fazer o seu trabalho, se não gosta do governo vá às eleições e vote noutro."

Citar
Vou jantar.

Bom jantar, vou beber um digestivo e pensar em coisas positivas que já desabafei a azia lol, tudo a correr bem e cada um faça a sua parte para o país ultrapassar este desafio, seja a trabalhar, seja ficando em casa.
« Última modificação: Abril 03, 2020, 11:26:52 pm por Lightning »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW, Clausewitz

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8352
  • Recebeu: 956 vez(es)
  • Enviou: 1117 vez(es)
  • +134/-44
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #66 em: Abril 03, 2020, 11:40:52 pm »
O que mais descredibiliza actualmente os militares, é as manifs e outras, que só pedem/pensam em "direitos", não os vejo a pedirem a modernização dos equipamentos e o cumprimento das LPM.

Mas todas as classes profissionais fizeram manifestações e greves, até as forças de segurança subiram a escadaria da Assembleia da República, os militares estão proibidos de fazer greve, acho que fizeram um "passeio", já não sei bem, e alguns militares foram punidos por isso.

Os generais chefes de estado-maior, é que tem a responsabilidade de pedir o que quer que seja ao governo, todos abaixo não têm direito a opinião, apenas direito a executar as suas funções, faz parte da disciplina militar, e nesse ponto mesmo sendo um bocado auto-flagelante, as FA gabam-se de, mesmo com esforço extra do pessoal e com material desgastado, nenhuma missão ficar por fazer.

Citar
Agora o episódio de VR não acho que descredibilize as FA, pois há muitos portugueses que nesta crise "pediram" as FA a vigiarem as fronteiras terrestes.

E como é óbvio não iriam fazer essa vigilância desarmados, pois os comentários iriam ser " mas que tropa é esta que nem armas tem" ?

Ai tenho que voltar às más características dos portugueses, a preguiça e o dizer mal lolol, preguiça de entender o uso de militares nestas missões, como já falamos acima, e dizer mal pois às vezes dizem que são os militares que não querem fazer nada, como se isso dependesse apenas da vontade deles.

Ao menos não podem acusar os militares de serem os culpados de fronteiras fechadas terem as vedações mandadas abaixo ou o cerco sanitário a Ovar ter espaços pelos montes por onde há pessoal a passar, se calhar eram boas situações onde as forças de segurança podiam ser reforçadas com os militares, mas não vão ser os militares a decidir isso.
« Última modificação: Abril 03, 2020, 11:57:25 pm por Lightning »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3251
  • Recebeu: 739 vez(es)
  • Enviou: 164 vez(es)
  • +158/-62
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #67 em: Abril 04, 2020, 12:52:53 am »
Eu não creio que a visão do povo das forças armadas vá mudar muito, a não ser que surja um conflito qualquer que nos envolva directamente. A situação da Venezuela ainda podia ajudar um pouco a favor disto, caso fosse preciso usar os militares para ajudar na evacuação de portugueses deste país, ou até numa resposta bélica a um ataque.

Um problema que se observa de forma generalizada, é que a maioria da população acredita que nunca teremos inimigos, logo a utilidade das FA é nula. Temos a sorte de não ter sido alvo de um ataque terrorista, felizmente, em França é muito diferente, havendo por exemplo nos aeroportos militares armados com Famas. Por cá existe uma falsa sensação de segurança e se calhar até uma certa ingenuidade nas intenções de terceiros.

Outro problema que vejo, e acaba por ser uma contradição, ainda me lembro aquando da aparição de navios russos nas nossas águas, a reacção às notícias era sempre na ordem do às forças armadas serem inúteis porque se a Rússia nos quisesse atacar, não poderíamos fazer nada. Isto contradiz um pouco quando o mesmo tipo de pessoa diz que não vale a pena investir nas FA e depois tecem comentários a criticar as capacidades destas entidades.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8352
  • Recebeu: 956 vez(es)
  • Enviou: 1117 vez(es)
  • +134/-44
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #68 em: Abril 04, 2020, 01:40:23 am »
Dc algumas pessoas querem que sejamos sempre os pobres coitadinhos, assim dá sempre para esticar a mão a ver se caiem umas moedas da UE.

Por alguma razão já quase todos os países da Europa de Leste ultrapassaram Portugal.
https://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/portugal-deixou-se-apanhar-pelos-paises-do-leste-europeu

Mas esta tudo bem, é assim que gostamos de estar, que é para terem pena de nós.
« Última modificação: Abril 04, 2020, 01:42:34 am por Lightning »
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3460
  • Recebeu: 1852 vez(es)
  • Enviou: 3569 vez(es)
  • +1340/-98
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #69 em: Abril 04, 2020, 05:11:06 am »
Lighting, há razões mais abrangentes e lógicas para explicar o “boom” dos países de leste. A mais importante é, sem dúvida, a educação e qualificação das pessoas. Na boa tradição dos regimes comunistas, a educação continua a ser importantíssima nesses países, especialmente nas áreas científicas e técnicas.

Depois, culturalmente, muitos desses países fizeram durante séculos parte dos impérios germânico e austro-húngaro o que, obviamente, deixa marcas. Depois além dos apoios regulares da UE, muitos desses países receberam auxílios adicionais da Alemanha e dos EUA, que não foram só monetários, mas passaram por re-localização industrial, coisa que não aconteceu connosco — antes pelo contrário!

Depois adoptaram legislações laborais, que por aqui se designam de capitalismo selvagem. Por isso podes ter um PIB elevado mas que não se reflecte socialmente, porque a distribuição de riqueza é muito assimétrica e não existem salvaguardas sociais, nem um sistema de saúde robusto — que apesar de tudo ainda vamos tendo.
« Última modificação: Abril 04, 2020, 05:11:29 am por NVF »
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning, Clausewitz

*

FoxTroop

  • Investigador
  • *****
  • 1565
  • Recebeu: 395 vez(es)
  • Enviou: 299 vez(es)
  • +188/-500
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #70 em: Abril 04, 2020, 10:03:22 am »
Citar
Depois: imaginemos que para além dos supostos riscos associados à toxicidade dos produtos em causa existiam também preocupações reais de segurança, nomeadamente quanto à integridade física dos executantes e da sua maquinaria. O que fariam os PE’s encarregados do perímetro de segurança se um civil, um funcionário da casa, um residente naquela rua, ou outro qualquer, com boas ou más intenções, resolvesse atravessá-lo, violá-lo, testá-lo? Como procederiam sabendo que militar não pode dar ordens a civis? Poder dar, pode; o civil é que no espaço publico só lhe obedece se quiser. Abriam fogo, chamavam a policia? Mas chamavam antes ou depois de o balear?
Acontecendo essa desgraça, inteiramente possível, não tendo os militares qualquer cobertura legal que os proteja ou preveja essa situação, seria julgado pela lei geral penal, um homicídio, um sarilho monumental, interno e judicial, pelo que estou convencido desde o primeiro minuto de que a presença dos militares e a não comunicação às autoridades tem mesmo a ver com a perigosidade nula da operação. Nenhum comandante com dois neurónios a funcionar ia expor assim e desnecessariamente os seus soldados a apuros que lhe condicionariam o resto da vida – logo para começar, uns meses de preventiva estavam garantidos.

Já me alonguei demasiado, deixo a questão dos F16 e das fragatas da marinha, para outra ocasião.

Para concluir digo o seguinte:
Aquilo não foi mais nem menos que um aproveitamento publicitário por parte do exército, que tem de rentabilizar todas estas ocasiões e tempos de antena para aparecer, para se mostrar. Precisa imenso disso, as oportunidades não são muitas, e essa parte compreendo-a. Não precisa é de se esticar para com quem não anda para ali com fitas, que faz o seu trabalho naquelas ruas, todos os dias, haja ou não químicos, tenhamos ou não covid. Foi isso e acerca disso que o DN Magina e o CEME falaram.
Continuo a dizer, há leis que enquadram estas situações, podemos não gostar delas, mas enquanto existirem são para cumprir. Esteve muito bem a PSP

Estiveram bem as FA ao garantirem a segurança do seu material, coisa que fiz muitas vezes como militar em apoio a situações civis sem ver todo este celeuma (não havia o Correio das Mentiras TV), onde a GNR ou a PSP, estes últimos muito raramente pois foi quase sempre em áreas rurais que actuei, vinham verificar o que se passava, registavam e, calculo eu, passavam a informação a quem de direito, tal como lhes compete e bem, e todos seguiam a sua vida sem estes teatros. E se o militar tivesse de usar força letal, coisa extrema que só vejo possível no caso de alguém actuar de forma que fosse letal para os militares, haveria, tal como quando uma agente da autoridade o faz, todo um processo que decidiria o desfecho
Para mim isto é claramente um não assunto empolado por razões que eu quero fingir que não entendo.

Citar
Uma coisa pode tomar por garantida: episódios como esse de Vila Real não vêm ajudar mesmo nada. E aqueles militares que andam pelos sites das associações profissionais a dizer disparates, como a defenderem revoluções, golpes de estado, tomada do poder pelos generais... só contribuem para dar "munições" aos que andam pelas caixas de comentários dos jornais a destilar ódio contra as FA

Tantos esses militares que colocam esses comentários (uma minoria de grunhos), tal como uma minoria (de grunhos) agentes de autoridade que andam nas rede socias, perfeitamente identificados, a dizer que "essa malta do RSI era tudo a tiro" ou "pretalhada do c@r*lho, limpa-los todos" e agora com o estado de emergência então as pérolas ainda são melhores "devia ser com na India, porrada neles ou nas Filipinas, desobedece tiro nos cor%os", era processo disciplinar na hora. Um PSP/GNR que larga uma diarreia dessas sobre "#fiquememcasacaralho" e logo a seguir coloca uma foto sua junto com o percurso que fez no strava e a dizer "belo treino sem os atrasados do costume pelo caminho" era processo na hora!!

Talvez seja tempo de as FA e FS começarem seriamente a olhar para dentro e começarem a impor/incutir um certo espirito que anda um bocado perdido.
Desde que saí das FA já tive diversas profissões e, em todas as empresas que trabalhei, desde a oficina do "jaquim" à multinacional onde estou, o simples facto de um empregado colocar algo depreciativo sobre a empresa ou trabalho, é caso para despedimento por justa causa e perda de direitos de desemprego, etc, etc.
Não teria eu a mínima hesitação em chamar ao meu gabinete um cromo desses e fazer entender ao grunho que ou se comporta como militar/agente da autoridade, ou sair pois claramente não está satisfeito com a sua situação. Aliás, basta fazer cumprir os códigos e regulamentos, está lá bem explicadinho. Ou então não se faz nada, essa minoria de grunhos continua o processo de radicalização dentro das FA e FS e, daqui por menos tempo do que aquilo que julgamos, temos um sarilho bem grande para resolver.


Citar
Às vezes digo na brincadeira, Portugal é um bom país, o mal é viverem cá portugueses, se fossemos todos dinamarqueses ou suecos... 

Ou algo do tipo, devia vir para cá um nórdico como primeiro-ministro colocar o país como deve ser, os nossos políticos também são portugueses, não podemos esperar que se comportem como os nórdicos.

Não é preciso vir ninguém de fora. Temos muitos exemplos de portugueses dirigentes competentes em pontos e/ou empresas chave por esse mundo. Esse síndrome de D. Sebastião é justamente um dos maiores problemas da sociedade portuguesa. Esperar que venha alguém e resolva, um "salvador da pátria" um salazar qualquer de vão de escada, auto-personalizado agora por esse inominável grunho que responde pelo nome de André Ventura.

Viajei quase por todo o planeta, em muito país desenvolvido vi militares na rua, armados e equipados e não vi ninguém estranhar nem notei que houvesse qualquer atrito com as FS do sitio. Aqui a jorda da politica de quintinhas...... sobrepõe-se à Nação e Povo que deveria servir.



 

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Lightning, Clausewitz

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8352
  • Recebeu: 956 vez(es)
  • Enviou: 1117 vez(es)
  • +134/-44
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #71 em: Abril 04, 2020, 10:29:32 am »
Agora lixaste-me bem "síndrome do D. Sebastião", sou português, esta fica para refletir...

Bom fim de semana.
 

*

LM

  • Investigador
  • *****
  • 1297
  • Recebeu: 247 vez(es)
  • Enviou: 1170 vez(es)
  • +202/-6
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #72 em: Abril 04, 2020, 10:30:22 am »

Talvez seja tempo de as FA e FS começarem seriamente a olhar para dentro e começarem a impor/incutir um certo espirito que anda um bocado perdido.


  :palmas:
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 

*

Trafaria

  • Investigador
  • *****
  • 2011
  • Recebeu: 76 vez(es)
  • Enviou: 77 vez(es)
  • +16/-0
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #73 em: Abril 04, 2020, 09:03:45 pm »
O EMGFA, emitiu uma nota às suas forças onde clarificou que todos os militares empenhados em acções/operações em apoio à ANEPC/SNS, não transportam qualquer tipo de arma, seja colectiva, seja individual. Assunto resolvido.
« Última modificação: Abril 04, 2020, 10:04:45 pm por Trafaria »
::..Trafaria..::
 

*

goldfinger

  • Analista
  • ***
  • 892
  • Recebeu: 323 vez(es)
  • Enviou: 73 vez(es)
  • +116/-10
Re: Forças Armadas e Segurança Interna
« Responder #74 em: Abril 04, 2020, 10:23:32 pm »
Caros amigos, en Espanha se han desplegado decenas de miles de soldados de los tres  Ejércitos en casi todas las ciudades en patrullas con la Policia y la Guardia Civil, o solos, han detenido a personas, que han entregado a la Policía por saltarse el confinamiento, y creo que es una medida muy acertada.

Además están desinfectando numerosos lugares como estaciones de tren y autobús, residencias de mayores y zonas públicas





















https://twitter.com/EjercitoTierra/status/1242138585475747842

https://twitter.com/Defensagob/status/1241427926446477312

Aplausos a los militares en toda Espàña, menos en los 2 o tres sitios habituales, en algunos pueblos de Cataluña o el Pais Vasco, donde hay mas tontos por m2 que virus del COVID 19
A España servir hasta morir
 

 

Forças mecanizadas do exército Espanhol à beira de Portugal

Iniciado por dremanu

Respostas: 13
Visualizações: 5911
Última mensagem Maio 08, 2006, 12:40:15 pm
por carlovich
DN: Comando NATO de Oeiras tutela forças de reacção

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 0
Visualizações: 2139
Última mensagem Novembro 14, 2006, 11:38:41 am
por PereiraMarques
Forças Aeromóveis, opinião

Iniciado por typhonman

Respostas: 0
Visualizações: 1015
Última mensagem Outubro 13, 2009, 10:02:41 pm
por typhonman
Balanço desta Legislatura nas áreas da Defesa e Segurança

Iniciado por Jorge Pereira

Respostas: 5
Visualizações: 2570
Última mensagem Abril 10, 2009, 03:55:47 pm
por Jorge Pereira
Portugal na defesa da política de segurança europeia

Iniciado por comanche

Respostas: 3
Visualizações: 3011
Última mensagem Dezembro 05, 2008, 06:43:47 pm
por Lancero