Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial

  • 859 Respostas
  • 158702 Visualizações
*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7491
  • Recebeu: 3249 vez(es)
  • Enviou: 1770 vez(es)
  • +1980/-147
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #780 em: Janeiro 08, 2021, 06:35:07 pm »
A Revista da Armada, no balanço das actividades de 2020, clarifica que os 2 últimos NPO construídos são considerados uma "2.ª série de NPO" (apesar das diferenças serem mais equipamentos do mesmo segmento mas de modelos diferentes, por os fabricantes os terem deixado de produzir, devido ao tempo passado entre a construção dos navios); mas também, mais interessante, que para a 3.ª série desde 2019 decorrem trabalhos de actualização do Conceito de Emprego (IOA605) e dos Requisitos Operacionais (POA21)... ora, tudo indica, que esta 3.ª série vai mesmo ser diferente em capacidades - e há aí tanto passível de ser melhorado, sem considerar o construir corvetas!     


É uma 2ª classe por estarem equipadas com uma peça principal de uns magníficos 12,7mm.

A 3ª série às tantas ainda vem com uma HK11....

 :snip: :snip: :N-icon-Gun: :N-icon-Gun: :N-icon-Gun:

HK21  :mrgreen:

 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3819
  • Recebeu: 2071 vez(es)
  • Enviou: 3954 vez(es)
  • +1990/-114
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #781 em: Janeiro 08, 2021, 11:18:32 pm »
Um detalhe interessante na página 8:

Citar
..., efectuou análises a 385 munições, de 30 mm da Força Aérea Portuguesa.

Presumo que sejam munições excedentes do canhão dos Alpha Jet, para serem reaproveitadas para as Marlin?  ???

Os canhões dos Alpha Jet eram Mauser 27 mm.
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: dc

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7642
  • Recebeu: 599 vez(es)
  • Enviou: 196 vez(es)
  • +239/-674
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #782 em: Janeiro 08, 2021, 11:27:38 pm »
Um detalhe interessante na página 8:

Citar
..., efectuou análises a 385 munições, de 30 mm da Força Aérea Portuguesa.

Presumo que sejam munições excedentes do canhão dos Alpha Jet, para serem reaproveitadas para as Marlin?  ???


Os canhões dos Alpha Jet eram Mauser 27 mm.

Certamente dos DEFA dos Fiat G91r/3 (30mm x 113B)
« Última modificação: Janeiro 08, 2021, 11:28:27 pm por Luso »
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 4056
  • Recebeu: 981 vez(es)
  • Enviou: 220 vez(es)
  • +208/-132
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #783 em: Janeiro 08, 2021, 11:49:20 pm »
Um detalhe interessante na página 8:

Citar
..., efectuou análises a 385 munições, de 30 mm da Força Aérea Portuguesa.

Presumo que sejam munições excedentes do canhão dos Alpha Jet, para serem reaproveitadas para as Marlin?  ???

Os canhões dos Alpha Jet eram Mauser 27 mm.

Tens razão, eu é que quando li aquilo, não me estava a ocorrer mais nada com um calibre tão grande dentro da FAP.  ;)
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 9927
  • Recebeu: 1283 vez(es)
  • Enviou: 3209 vez(es)
  • +187/-58
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #784 em: Janeiro 09, 2021, 12:40:49 am »


Basta tirar o caruncho e estão prontas a utilizar...
Estas foram gastas o ano passado.  8)
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 253
  • Recebeu: 108 vez(es)
  • Enviou: 38 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #785 em: Janeiro 09, 2021, 05:03:39 pm »
A velocidade dos NPO está dentro do normal para navios deste género. Os Holland, que são anos-luz mais "complexos", têm uma velocidade máxima de 21.5 nós, para contextualizar. De entre todas as melhorias necessárias, a velocidade não deverá estar no topo das prioridades.

Relembro também, a manter-se a expectativa de construir 6 novos NPO, e com base no orçamentado (na LPM, vale o que vale), o valor por navio não excederá os 60 milhões, logo a margem para melhorias é relativamente reduzida.

Certo, é a comum e para velocidade decerto teria de levar alguma turbina, como existem em alguns.

Mas eu referia-me dentro de contexto do assunto agora mencionado da grande modificação do NPO e como me pareceu estar inerente a ideia de já não serem necessárias corvetas, porque o NPO "ainda mais" complexo, chegava.
Não me parece que tenha algo a ver esse tal NPO, com as corvetas que se falam por aqui, mais pronto. Se são só NPO basta, desde que tenham aquilo que é adequado e não o presente.

Desde que não implique algum iluminado dizer que depois basta 3 fragatas para a Nato e está feito, que o NPO com esteróides é corveta (EPC)com complexidade de contratorpedeiro.

« Última modificação: Janeiro 09, 2021, 05:04:45 pm por Pescador »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 4056
  • Recebeu: 981 vez(es)
  • Enviou: 220 vez(es)
  • +208/-132
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #786 em: Janeiro 09, 2021, 08:33:42 pm »
O que foi dito foi, fazer melhorias ao NPO sem que se torne numa "corveta".

Eu também não quero que, com aquela ideia absurda de considerar as VdG para baixa intensidade (como se uma Marinha pequena como a nossa se pudesse dar ao luxo de subdividir as apenas 5 fragatas em baixa e alta intensidade), ainda se lembrem de as despachar e colocar os NPO "Mk-3" a desempenhar as suas funções. Esperemos que a burrice não chegue a tanto.

Quanto a mim a melhoria mais pesada que se poderia fazer aos NPO, seria um hangar (fixo ou telescópico), para Lynx ou UAVs. Mas como os helicópteros navais por cá não abundam... De resto, melhores sensores e ligeiro reforço no armamento e já me contentava.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 253
  • Recebeu: 108 vez(es)
  • Enviou: 38 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #787 em: Janeiro 09, 2021, 10:41:46 pm »
O que foi dito foi, fazer melhorias ao NPO sem que se torne numa "corveta".

Eu também não quero que, com aquela ideia absurda de considerar as VdG para baixa intensidade (como se uma Marinha pequena como a nossa se pudesse dar ao luxo de subdividir as apenas 5 fragatas em baixa e alta intensidade), ainda se lembrem de as despachar e colocar os NPO "Mk-3" a desempenhar as suas funções. Esperemos que a burrice não chegue a tanto.

Quanto a mim a melhoria mais pesada que se poderia fazer aos NPO, seria um hangar (fixo ou telescópico), para Lynx ou UAVs. Mas como os helicópteros navais por cá não abundam... De resto, melhores sensores e ligeiro reforço no armamento e já me contentava.

Pois era isso que me referia, serem as Corvetas complexas do futuro.
Hangar fixo era capaz de até dar para meter em cima uma .50 estabilizada com direcção de tiro EO, para dar protecção à ré. Ou eventualmente 20 mm, ou um LG 40mm, como usam em alguns casos os américas nos navios ao lado da .50, se não for armas demais para a sensibilidade.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 4056
  • Recebeu: 981 vez(es)
  • Enviou: 220 vez(es)
  • +208/-132
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #788 em: Janeiro 09, 2021, 10:54:07 pm »
Mesmo sem hangar, é possível colocar, na configuração actual (talvez com algumas ligeiras modificações) em cada lado da chaminé, uma RWS .50. Armas essas que, naquela posição, conseguiriam cobrir todos os ângulos mortos da Marlin.

Esta configuração, Marlin + 2 RWS .50, já era bastante melhor que a actual. Óbvio que uma configuração "ideal", seria uma arma mais poderosa no lugar da Marlin, um canhão de 57mm ou 76mm (a Oto Melara desenvolveu ou está a desenvolver uma versão deste canhão que não necessita de perfuração do deck), e posterior colocação da Marlin na posição mais elevada, imediatamente à frente da ponte. Óbvio que uma configuração destas, era super complexa, por isso nem vou por aí.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Pescador

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 253
  • Recebeu: 108 vez(es)
  • Enviou: 38 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #789 em: Janeiro 09, 2021, 10:56:44 pm »
Mesmo sem hangar, é possível colocar, na configuração actual (talvez com algumas ligeiras modificações) em cada lado da chaminé, uma RWS .50. Armas essas que, naquela posição, conseguiriam cobrir todos os ângulos mortos da Marlin.

Esta configuração, Marlin + 2 RWS .50, já era bastante melhor que a actual. Óbvio que uma configuração "ideal", seria uma arma mais poderosa no lugar da Marlin, um canhão de 57mm ou 76mm (a Oto Melara desenvolveu ou está a desenvolver uma versão deste canhão que não necessita de perfuração do deck), e posterior colocação da Marlin na posição mais elevada, imediatamente à frente da ponte. Óbvio que uma configuração destas, era super complexa, por isso nem vou por aí.

Pois, super complexa pode ser fatal para a sensibilidade.

Só acabar de expor o assunto lança granadas usado em navio americanos vai um texto tirado do "Operacional" sobre a arma, que usa uma boa variedade de munições com espoletas seja de impacto ou de aproximação, detonando próximo dos alvos:
A arma propriamente dita é no fundo uma metralhadora para granadas de 40mm, composta por um cano, uma caixa onde funciona o conjunto da culatra, o sistema de alimentação e os elementos de comando (gatilho, alavanca de carregamento, selector de tiro – segurança, tiro a tiro, rajada). O sistema de alimentação por fita (granadas de 40mm ligadas por elos), pode ser usado de ambos os lados da arma não sendo necessário o uso de ferramentas para fazer essa mudança, mesmo que, visivelmente seja necessário boa proficiência no manuseamento do material para o fazer com sucesso e em pouco tempo. A arma também pode disparar as granadas, sem elos, uma a uma, colocadas manualmente.

Em alguns exércitos o GMG também é usado em sistemas RWS (Remote Weapon System) para conferir mais protecção aos operadores, à semelhança do que por exemplo a BrigInt tem na Pandur II 8X8 com a Browning 12,7mm. Este sistema é sem dúvida bom mas tem no entanto a limitação do municiador para substituir a caixa de munições ter que ficar exposto.

[u]É uma arma em que não é difícil fazer tiro com grande precisão e logo nos disparos iniciais como verificamos. Permite tiro (diurno e nocturno) sobre uma grande variedade de alvos[/b][/b][/u] – pessoal, viaturas, abrigos –  até uma distância muito considerável (1.500m ou mesmo mais), quer em situação defensiva (tipicamente com tripé) ou ofensiva, naturalmente acoplada a viaturas.

Dados Técnicos do fabricante

Calibre: 40mm x 53 NATO

Alimentação por fita (que pode ser usada pela esquerda ou direita, para permitir o uso da arma em vários apoios, posições, torres de veículos, etc); pode fazer fogo tiro a tiro e rajada; cadência de tiro – 350 granadas por minuto; alcance máximo – 2.200m; efectivo com mira Reflex – 1.500m

Comprimento: 1.180mm; largura (com caixa munições) – 920mm; altura (com mira Reflex) – 540mm; altura com a mínima elevação do tripé – 550mm; altura com máxima elevação do tripé – 1.495mm

Peso da arma – 29Kg; peso do Tripé – 15Kg; peso do apoio superior (com mira Reflex) – 12,3Kg; peso de caixa de munições (com 32 granadas) – 20,2Kg; peso do sistema com todos os acessórios e caixa munições carregada: 78,6kg

« Última modificação: Janeiro 09, 2021, 11:14:57 pm por Pescador »
 

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 253
  • Recebeu: 108 vez(es)
  • Enviou: 38 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #790 em: Janeiro 10, 2021, 01:26:32 am »
40 mm was used in the new OPV from Viana do Castelo class but only for a short time, since was substituted in a par of years for the 30 mm Marlin (3 millions each), operated with remote control from the main bridge. But when Portugal brought from Denmark the ancient SF300 class, the ships came without the main gun, and the solution was only to put a manual 0.50 caliber with two sailors operating the gun, because there's no money for more.

Figuras que se fazem

http://mimilitary.blogspot.com/2018/06/how-to-modernize-40mm-old-boffors-gun.html


 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 4056
  • Recebeu: 981 vez(es)
  • Enviou: 220 vez(es)
  • +208/-132
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #791 em: Janeiro 10, 2021, 11:45:52 am »
O tuga sempre a dar o exemplo.
 

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 253
  • Recebeu: 108 vez(es)
  • Enviou: 38 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #792 em: Janeiro 10, 2021, 06:27:42 pm »
Mesmo sem hangar, é possível colocar, na configuração actual (talvez com algumas ligeiras modificações) em cada lado da chaminé, uma RWS .50. Armas essas que, naquela posição, conseguiriam cobrir todos os ângulos mortos da Marlin.

Esta configuração, Marlin + 2 RWS .50, já era bastante melhor que a actual. Óbvio que uma configuração "ideal", seria uma arma mais poderosa no lugar da Marlin, um canhão de 57mm ou 76mm (a Oto Melara desenvolveu ou está a desenvolver uma versão deste canhão que não necessita de perfuração do deck), e posterior colocação da Marlin na posição mais elevada, imediatamente à frente da ponte. Óbvio que uma configuração destas, era super complexa, por isso nem vou por aí.

Existe já é o "Savraponte"
The 76/62 Sovraponte ("over deck") is a new compact lightweight mount for the 76/62 gun. The system is around 30-40% lighter than the standard Super Rapid and its installation requires no penetration of the deck below; the mount houses 76 ready-to-fire rounds and is available for sale both with or without the Strales system. The Sovraponte mount was installed for the first time on the Thaon di Revel-class patrol vessel of the Italian Navy, positioned above the roof of the helicopter hangar

É uma ideia boa esse 76   e mais atras o Marlin, ou em alternativa o Marlin na ré por cima do hangar fixo(melhor distribuído a poder de fogo) e logo atrás do 76mm uma .50  operada remotamente. Ou...o tal sistema Mistral, mesmo o  modelo lançador mais ligeiro(mas isso é um abuso  :D )
Não faltam soluções desde que exista vontade e, acima de tudo perspetiva realista dos assuntos., em vez de "filmes fofinhos" do Mundo das fantasias infantis.
« Última modificação: Janeiro 10, 2021, 06:32:03 pm por Pescador »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 4056
  • Recebeu: 981 vez(es)
  • Enviou: 220 vez(es)
  • +208/-132
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #793 em: Janeiro 10, 2021, 07:28:44 pm »
Sim, é essa mesmo a versão a que me referia. A vantagem deste, é sobretudo o tipo de munições que pode utilizar, nomeadamente VULCANO, PFF e DART, o que conferia aos navios alguma capacidade de autodefesa (anti-míssil com munição DART e PFF) e ofensiva (ataque a alvos em terra, com munição VULCANO).

Mas isto entra numa categoria do "demasiado bélico", e já sabemos como é.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7491
  • Recebeu: 3249 vez(es)
  • Enviou: 1770 vez(es)
  • +1980/-147
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #794 em: Janeiro 10, 2021, 08:37:48 pm »
Vocês são uns sonhadores........já falam em equipar os NPO, com as OM76 com capacidade vulcano e não só, quando nem para umas simples 30 mm a Marinha tem dinheiro, e tanto assim é que andam a navegar há já mais de dois anos dois NPO sem o armamento principal.
Se todos os NPO, tivessem as marlin e duas RSW 12,7 nas asas da Ponte, era uma festa, já era muito bom.

A 20 de Julho de 2018, durante a inauguração do NPO Sines, foi anunciado pelo Primeiro-ministro António Costa a construção de mais seis Navios Patrulha Oceânicos para a Marinha portuguesa, a construir pelos estaleiros da West Sea. [28]

Unidades
Número de amura   Nome   Variante   Aumento ao efetivo   Estado
P 360   NRP Viana do Castelo   NPO   2011   No ativo
P 361   NRP Figueira da Foz   NPO   2013   No ativo
P 362   NRP Sines                   NPO   2018   No ativo
P 363   NRP Setúbal                   NPO   2018   No ativo
P 364   NRP Funchal   NPO   2022   Aguarda assinatura Contrato
P 365   NRP Aveiro   NPO   2024   Aguarda assinatura Contrato
P 366      ???           NPO   2026   Aguarda assinatura Contrato
P 367      ???           NPO   2027   Aguarda assinatura Contrato
P 368      ???           NPO   2028   Aguarda assinatura Contrato
P 369      ???           NPO   2029   Aguarda assinatura Contrato


https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Viana_do_Castelo

Abraços
« Última modificação: Janeiro 10, 2021, 09:25:48 pm por tenente »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44