Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial

  • 866 Respostas
  • 159923 Visualizações
*

LM

  • Investigador
  • *****
  • 1563
  • Recebeu: 349 vez(es)
  • Enviou: 1331 vez(es)
  • +233/-8
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #840 em: Fevereiro 23, 2021, 05:57:46 pm »
Erro meu, lamento.

Mas na Marinha passar de uma fisga (mas com escudos balísticos "de marca") , manual, para um RWS de 30mm obrigava a colocar um capitão de fragata no comando.  :mrgreen:
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Pescador

*

Kalil

  • Perito
  • **
  • 393
  • Recebeu: 43 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +28/-8
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #841 em: Fevereiro 23, 2021, 06:56:05 pm »
Com a demora para lançar os novos navios dava tempo para reformular o desenho.

No NPO II:
- deck para o EH101, hangar para lynx e uav.
- rampa à popa para a lancha de intercepção,
- aumento da aérea multimissao sob o deck do helicóptero, uma das actuais mais valias dos navios.
- porta lateral com grua para lançamento/recolha de lanchas e veículos não tripulados. Abria a possibilidade de os patrulhas efectuarem outros tipos de missões, seja desminagem, apoio a mergulho ou outras.
- aumento da capacidade de embarcar elementos extra guarnição.
- radar, sensores e armamento apropriado...

O navio seria necessariamente maior, talvez mais 1000 toneladas que o actual, o que não implica à partida um aumento no custo proporcional.

Cumprimentos
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7558
  • Recebeu: 3269 vez(es)
  • Enviou: 1808 vez(es)
  • +2039/-147
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #842 em: Fevereiro 23, 2021, 07:24:33 pm »
Erro meu, lamento.

Mas na Marinha passar de uma fisga (mas com escudos balísticos "de marca") , manual, para um RWS de 30mm obrigava a colocar um capitão de fragata no comando.  :mrgreen:

Nada que já não tivesse acontecido, Já tivemos NPO comandados por CdF.

Abraços
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7558
  • Recebeu: 3269 vez(es)
  • Enviou: 1808 vez(es)
  • +2039/-147
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #843 em: Fevereiro 23, 2021, 07:37:50 pm »
Com a demora para lançar os novos navios dava tempo para reformular o desenho.

No NPO II:
- deck para o EH101, hangar para lynx e uav.
- rampa à popa para a lancha de intercepção,
- aumento da aérea multimissao sob o deck do helicóptero, uma das actuais mais valias dos navios.
- porta lateral com grua para lançamento/recolha de lanchas e veículos não tripulados. Abria a possibilidade de os patrulhas efectuarem outros tipos de missões, seja desminagem, apoio a mergulho ou outras.
- aumento da capacidade de embarcar elementos extra guarnição.
- radar, sensores e armamento apropriado...

O navio seria necessariamente maior, talvez mais 1000 toneladas que o actual, o que não implica à partida um aumento no custo proporcional.

Cumprimentos

Kalil o NPO nao necessita de deslocar mais 1000 Tons para executar tais missões.
Este Navio já tem capacidade para embarcar mais 40/50  extra crew;
As lanchas são largadas lateralmente pelo simples motivo que o NPO está preparado para operacoes de minagem;
Quanto ao heli se o deck for reforcado para operar o 101 falta espaço para hangar, logo nao ficará com a capacidade de ter heli embarcado;
Um heli de até 10 tons é suficientemente capaz para aumentar as valências do actual NPO, e poderá ser embarcado;
Quanto aos sensores e armamento mais capazes estou de acordo.

Abraços
« Última modificação: Fevereiro 23, 2021, 08:33:09 pm por tenente »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 4116
  • Recebeu: 993 vez(es)
  • Enviou: 222 vez(es)
  • +211/-140
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #844 em: Fevereiro 23, 2021, 09:26:40 pm »
Julgo que o problema no desenvolvimento do modelo da UAVision é terem a capacidade para levantar e aterrar na vertical - o que também é uma mais valia (especialmente para a Marinha), julgo. Agora nunca esquecer que "das 3 só 2: ou no prazo, ou funciona ou dentro do orçamento". Aparentemente a Tekever não tem modelo destes; mas "deitar fora" um programa Português, fruto de colaboração com as MGP e FAP, porque governo assinou contratos com prazos irreais e porque projecto necessita de tempo... é um erro, digo eu.

A vantagem do modelo da UAVision, é 100% ter capacidade VTOL. Esta capacidade é muito interessante para operar a partir de navios (apesar de já existir uma solução de recurso, usando catapulta para lançar e uma rede ou cabo para recuperar o UAV). A capacidade VTOL permite operar um UAV maior do que seria possível com outros modelos sem esta capacidade, a partir de um navio.

Em tudo o resto, existem meios melhores, incluindo nacionais. O nosso problema, é que se olhou para o Ogassa, como o UAV para solucionar todos os problemas (tal como o KC), "Tem um modelo VTOL e tudo, assim não precisamos de comprar mais nada", e a realidade é que vai sempre haver necessidade de mais modelos. A FAP poderia ter recebido um UAV já pronto e testado, para vigiar os incêndios, enquanto a Marinha continuava a testar o Ogassa nas duas versões. Mas isto já é off-topic.

Falando em convés de voo e UAVs e helicópteros, um modelo do NPO não chegou a ir no ano passado para a Holanda para testes aerodinâmicos? Soube-se alguma coisa disso?
 

*

Kalil

  • Perito
  • **
  • 393
  • Recebeu: 43 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +28/-8
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #845 em: Fevereiro 24, 2021, 12:20:30 am »
Não acredito minimamente que venha a existir helicóptero dedicado a esta classe mas, uma vez que o EH101 já cá está, acho que faz todo o sentido que este navios o possam suportar. Para aguentar um helicóptero pesado é inevitável esticar o comprimento do navio, e para ter portas laterais ainda mais. Não vejo que isso fosse um problema. As 1000 toneladas foram a olhometro, possivelmente não seria necessário tanto. Mesmo que reduzissem o número de navios para cumprir o orçamento, o benefício acredito que compensava.
Será impossível ter rampa à popa e poder lançar minas em simultâneo? A rampa permite destacar uma lancha mais rapidamente, e lanchas de maior dimensão.
Já agora, nós temos minas no arsenal? Curiosidade honesta.
 

*

JohnM

  • Perito
  • **
  • 385
  • Recebeu: 112 vez(es)
  • Enviou: 34 vez(es)
  • +16/-5
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #846 em: Fevereiro 24, 2021, 12:24:16 am »
Não sei se o projeto atual consegue levar um hangar telescópico para héli tripulado sem grandes alterações... para mim já era ótimo se o novo lote de 6 tivesse hangar telescópico para um UAV de médio porte, tipo um Schieber 100 ou algo um pouco maior...
 

*

Kalil

  • Perito
  • **
  • 393
  • Recebeu: 43 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +28/-8
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #847 em: Fevereiro 24, 2021, 12:29:37 am »
Duas humildes sugestões, para vossa consideração.

Como lancha orgânica do NPO:
https://youtu.be/FyW9puhdtGo

Como lancha para o corpo de fuzileiros mas capaz de ser embarcada e projectada pelo NPO:
https://youtu.be/Pf58AkKgmmk

Estou a falar de um investimento de menos de 20M por 6+6.

Cumprimentos

 

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 1440
  • Recebeu: 195 vez(es)
  • Enviou: 186 vez(es)
  • +95/-89
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #848 em: Fevereiro 24, 2021, 02:28:43 am »
Duas humildes sugestões, para vossa consideração.

Como lancha orgânica do NPO:
https://youtu.be/FyW9puhdtGo

Como lancha para o corpo de fuzileiros mas capaz de ser embarcada e projectada pelo NPO:
https://youtu.be/Pf58AkKgmmk

Estou a falar de um investimento de menos de 20M por 6+6.

Cumprimentos
ia contra a segunda via dos NPO, que são navios lança minas
 

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 271
  • Recebeu: 112 vez(es)
  • Enviou: 39 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #849 em: Fevereiro 24, 2021, 09:34:58 am »
Erro meu, lamento.

Mas na Marinha passar de uma fisga (mas com escudos balísticos "de marca") , manual, para um RWS de 30mm obrigava a colocar um capitão de fragata no comando.  :mrgreen:

Pois, esqueci-me do brutal aumento de complexidade que isso implica. Mas se metessem um radar passava a Comodoro e assim já tinham Navio nacional
 

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 271
  • Recebeu: 112 vez(es)
  • Enviou: 39 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #850 em: Fevereiro 24, 2021, 09:44:19 am »
Duas humildes sugestões, para vossa consideração.

Como lancha orgânica do NPO:
https://youtu.be/FyW9puhdtGo

Como lancha para o corpo de fuzileiros mas capaz de ser embarcada e projectada pelo NPO:
https://youtu.be/Pf58AkKgmmk

Estou a falar de um investimento de menos de 20M por 6+6.

Cumprimentos
ia contra a segunda via dos NPO, que são navios lança minas


Como lancha orgânica do NPO:
https://youtu.be/FyW9puhdtGo
Neste vídeo não é um Simbad que está na popa do navio Patrulha? Parece que sim. Grandes malucos!!!! 

No segundo vídeo essa lancha ou do género até para acumular com vigilância costeira parecem  boas. Na Costa sul pelo menos.

O problema é sempre a premissa de que gastando num lado falta noutro. E faz falta em muito lado porque se arrastou a situação.
Mas um NPO equilibrado faz sentido com radar militar, armas adequadas e uma plataforma que consiga suportar um helicóptero mesmo não sendo orgânico(nem existem suficientes e faz falta um intermédio), mas com base em terra como estão na Madeira por exemplo.
Enfim, um planeamento que tenha em conta o futuro feito agora.
« Última modificação: Fevereiro 24, 2021, 10:38:21 am por Pescador »
 

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 1440
  • Recebeu: 195 vez(es)
  • Enviou: 186 vez(es)
  • +95/-89
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #851 em: Fevereiro 24, 2021, 10:33:59 am »
Duas humildes sugestões, para vossa consideração.

Como lancha orgânica do NPO:
https://youtu.be/FyW9puhdtGo

Como lancha para o corpo de fuzileiros mas capaz de ser embarcada e projectada pelo NPO:
https://youtu.be/Pf58AkKgmmk

Estou a falar de um investimento de menos de 20M por 6+6.

Cumprimentos
ia contra a segunda via dos NPO, que são navios lança minas


Como lancha orgânica do NPO:
https://youtu.be/FyW9puhdtGo
Neste vídeo não é um Simbad que está na popa do navio Patrulha? Parece que sim. Grandes malucos!!!! 

No segundo vídeo essa lancha ou do género até para vigilância costeira parecem  boas. Na Costa sul pelo menos.

O problema é sempre a premissa de que gastando num lado falta noutro. E faz falta em muito lado porque se arrastou a situação.
Mas um NPO equilibrado faz sentido com radar militar, armas adequadas e uma plataforma que consiga suportar um helicóptero mesmo não sendo orgânico(nem existem suficientes e faz falta um intermédio), mas com base em terra como estão na Madeira por exemplo.
Enfim, um planeamento que tenha em conta o futuro feito agora.
« Última modificação: Fevereiro 24, 2021, 01:31:21 pm por Red Baron »
 

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 271
  • Recebeu: 112 vez(es)
  • Enviou: 39 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #852 em: Fevereiro 24, 2021, 10:40:08 am »

Simbad na popa do navio. vê-se aos 35 segundos e aos 1minuto e 15 segundos, o que parece o lançador com os misses. Pode ser impressão minha
« Última modificação: Fevereiro 24, 2021, 10:47:38 am por Pescador »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7558
  • Recebeu: 3269 vez(es)
  • Enviou: 1808 vez(es)
  • +2039/-147
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #853 em: Fevereiro 24, 2021, 10:49:49 am »
Exército cede material de Engenharia Militar e artigos de fardamento às Forças Armadas da República Democrática de São Tomé e Príncipe.
Este material foi cedido ao abrigo da Cooperação no domínio da Defesa com a República Democrática de São Tomé e Príncipe (RDSTP).
A Unidade de Apoio Geral de Material do Exército (UAGME) entregou o material na Base Naval de Lisboa, no Alfeite, com destino às Forças Armadas da RDSTP.
No local, estiveram envolvidas duas equipas da UAGME que, em conjunto com a tripulação do Navio Patrulha Oceânico Setúbal, executaram as operações de carregamento do navio.



https://www.facebook.com/ExercitoPortuguesPRT/photos/pcb.2728698314045516/2728697900712224/?type=3&theater

É para estas missões que os NPO servem e são utilizados, ainda se pedem mais seis NPO's para patrulhar a ZEE quando dos quatro existente um é usado neste tipo de Missões ???
Pelo que parece a nossa ZEE está devidamente patrulhada e até temos NPO's a MAIS !!!
E ainda vem o sr MDN dizer que o Atlântico nas Próximas décadas poderá ser uma área muito turbulenta, ele está a tratar do investimento em meios da Marinha para combater as possíveis turbulências mas em ST
.
Siga a Marinha !!!!

Abraços
« Última modificação: Fevereiro 24, 2021, 10:50:54 am por tenente »
 

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 271
  • Recebeu: 112 vez(es)
  • Enviou: 39 vez(es)
  • +30/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #854 em: Fevereiro 24, 2021, 11:40:48 am »
Exército cede material de Engenharia Militar e artigos de fardamento às Forças Armadas da República Democrática de São Tomé e Príncipe.
Este material foi cedido ao abrigo da Cooperação no domínio da Defesa com a República Democrática de São Tomé e Príncipe (RDSTP).
A Unidade de Apoio Geral de Material do Exército (UAGME) entregou o material na Base Naval de Lisboa, no Alfeite, com destino às Forças Armadas da RDSTP.
No local, estiveram envolvidas duas equipas da UAGME que, em conjunto com a tripulação do Navio Patrulha Oceânico Setúbal, executaram as operações de carregamento do navio.



https://www.facebook.com/ExercitoPortuguesPRT/photos/pcb.2728698314045516/2728697900712224/?type=3&theater

É para estas missões que os NPO servem e são utilizados, ainda se pedem mais seis NPO's para patrulhar a ZEE quando dos quatro existente um é usado neste tipo de Missões ???
Pelo que parece a nossa ZEE está devidamente patrulhada e até temos NPO's a MAIS !!!
E ainda vem o sr MDN dizer que o Atlântico nas Próximas décadas poderá ser uma área muito turbulenta, ele está a tratar do investimento em meios da Marinha para combater as possíveis turbulências mas em ST
.
Siga a Marinha !!!!

Abraços

Eu já lhe chamo pensão vitalícia.
Mas não tem grande piada, se pensarmos na quantidade de material que se tem dado, faltando algo elementar para equipar NPO e outras coisas.
É sistemático, os palop, Países independentes, estarem como os filhos adultos que são independentes, mas....sempre a mamar(mas esse são mesmo filhos).
Mas aqui a questão é outra, alguns mamam sim, em contactos. (Alguém precisa de um emprego para o filho engenheiro fala com o general em Luanda). Outros usam empresas de construção, que trabalham em Angola, para fazer belas mansões em Portugal, embora em Angola as empresas não recebam tudo e tem de ser o Estado Português a garantir depois(compromissos).
Uma série de coisas que sei alguns não serem alheios, porque quem lá esteve sabe.
Bilateral diz-se. Ok

Realmente para cargueiro não faz falta o EO e o canhão principal(cuidado com os piratas)

O Ministro disse umas coisas. Mas não dizem todos? SNS, MAI, etc , na mesma linha.

Quem irá patrulhar o Atlântico?
Uma colaboração bilateral com Espanha?
Talvez navios espanhóis e comodoros/almirantes portugueses no "comando" .
NPO "complexos" ou complexados?
Não se sabe.
Sabemos que damos o que não temos, como foi o caso em 2000 termos oferecido equipamento de hemodialise montando um ala inteira num Hospital em Luanda, que serve apensas quem tem dinheiro, que até para lá ficar internado tem de ser paga caução. Contudo em Portugal falta e pessoas tem de se deslocar mais de 150 km para tratamento.
Mas como eles(alguns bem relacionados) já vinham cá fazer à borla, assim nem precisam de vir(deu jeito).
No mesmo ano uma jornalista portuguesa foi corrida e tida com persona non grata, por denunciar alguns aspetos de corrupção. Foi enxovalhada num jornal local, por um  escritor angolano que passado pouco tempo recebia em Portugal um prémio literário qualquer nas mãos de Edite Estrela.
E este é só uns exemplo, há muitos.
No mesmo ano foram 7 milhões para arranjar estradas em Luanda(quais???)
Etc.
Sabemos isso nós que lá estivemos, se não andámos muito distraídos, não é?
O normal, afinal a subserviência é notória aqui e ali em certas ocasiões ou acontecimentos.

Voltando a navios e coisas de Marinha, mas tendo tudo a ver, porque é escandaloso, termos uns simples NPO despidos e depois andamos nisto.
Politicas claro, mas....alguns outros acompanham(sabe bem).

Ainda me correm daqui. Até lá, um grande abraço aos que têm Brio de uma Marinha de um País virado para o Mar(dizem)






« Última modificação: Fevereiro 24, 2021, 12:11:25 pm por Pescador »