Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial

  • 796 Respostas
  • 152732 Visualizações
*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3769
  • Recebeu: 893 vez(es)
  • Enviou: 205 vez(es)
  • +187/-90
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #795 em: Janeiro 10, 2021, 10:31:04 pm »
Toda esta conversa vem no decorrer do que "seria bom se". Mas como já se sabe, não acontecerá nada do género, porque NPO com duas .50, são claro o meio mais eficaz.
 

*

Pescador

  • Membro
  • *
  • 181
  • Recebeu: 88 vez(es)
  • Enviou: 27 vez(es)
  • +26/-0
Re: Classe Viana do Castelo Melhorias ao Projecto Inicial
« Responder #796 em: Janeiro 11, 2021, 06:43:03 pm »
Vocês são uns sonhadores........já falam em equipar os NPO, com as OM76 com capacidade vulcano e não só, quando nem para umas simples 30 mm a Marinha tem dinheiro, e tanto assim é que andam a navegar há já mais de dois anos dois NPO sem o armamento principal.
Se todos os NPO, tivessem as marlin e duas RSW 12,7 nas asas da Ponte, era uma festa, já era muito bom.

A 20 de Julho de 2018, durante a inauguração do NPO Sines, foi anunciado pelo Primeiro-ministro António Costa a construção de mais seis Navios Patrulha Oceânicos para a Marinha portuguesa, a construir pelos estaleiros da West Sea. [28]

Unidades
Número de amura   Nome   Variante   Aumento ao efetivo   Estado
P 360   NRP Viana do Castelo   NPO   2011   No ativo
P 361   NRP Figueira da Foz   NPO   2013   No ativo
P 362   NRP Sines                   NPO   2018   No ativo
P 363   NRP Setúbal                   NPO   2018   No ativo
P 364   NRP Funchal   NPO   2022   Aguarda assinatura Contrato
P 365   NRP Aveiro   NPO   2024   Aguarda assinatura Contrato
P 366      ???           NPO   2026   Aguarda assinatura Contrato
P 367      ???           NPO   2027   Aguarda assinatura Contrato
P 368      ???           NPO   2028   Aguarda assinatura Contrato
P 369      ???           NPO   2029   Aguarda assinatura Contrato


https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Viana_do_Castelo

Abraços

É verdade. mas é uma conversa sobre a realidade de uma Marinha Militar, não marinha em passeio.
Mas existe um conjunto alargados de indícios que a Soberania, não é grande factor de interesse neste País. O Económico que passa por colocações de personagens do interesse politico, sim.
Por isso o desinvestimento, até na Marinha, pois seria de esperar outro olhar para a Marinha, já que temos 200 milhas marítimas e interessam em ter 300 ou 350. A não ser que o interesse seja em depois meter cá outros no atlântico, como já andam os chineses na ZEE dos Açores e com isso arrecadar mais algum.

Correndo o risco de me repetir, mas por ter estado um pouco dentro da coisa, isto dos NPO com aquela bagageira toda é bom é para viagens aos Palop, assegurar a boa continuação de contactos empresariais e pessoais, que mesmo dando prejuízo ao Estado, dê lucro aos outros.
Explicando: durante muito tempo algumas empresas convidadas pelo estado, têm construído em Angola e depois não lhes são pagas as empreitadas. Tendo depois o Estado de as calçar(ao abrigo desses tal acordos) para a empresas não falirem cá.
Paga o contribuinte com os impostos e recebem os envolvidos seja do negocio, seja no "resto".
Tem sido assim há muitos anos. Como se diz "uma mão lava a outra". Quem diz lavar diz belas casas.
Não faltam são favores e boas vontades em todos envolvidos. Tudo isento, claro. Até em Vistos.

Por isso dois NPO nesse estado há mais de 2 anos, por causa de 6 milhões não lhes parece ridículo, ou mesmo lhes dá preocupação,  quanto à capacidade de executar a missão de forma cabal e em segurança. O conceito do ridículo fica depois de interesses pessoais. E a missão "primária" é cumprida(protocolo).
Outros calam ou ocasionalmente  fazem um discurso inconsequente e a coisa vai andando.

Entretanto 4 Fragatas encostadas, 5 helis, idem, dois NPO que são uma vergonha, outros dois à rasquinha. Olhando para o exterior alguma coisa se passa, que se investe como nunca nestes últimos anos, mesmo em Países ditos menos relevantes.

Mas mais coisas de relevância nacional  para têm ficado abandonadas e agora diz-se que é culpa do covid. Serve bem para encobrir fraquezas antes existentes e para agora vir muito dinheiro para distribuir e "distribuir"