Cruzadores Ticonderoga

  • 78 Respostas
  • 14345 Visualizações
*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1696
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #60 em: Junho 17, 2004, 01:52:44 pm »
Sim, não é barato.

Mas se os custos anuais para 2 navios destes seriam os tais 12 milhões de contos, se calhar é isso que a nossa Marinha gasta com as corvetas.

Mas como disse isto é apenas um sonho. :cry:
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 833
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #61 em: Junho 17, 2004, 02:08:13 pm »
Citação de: "Rui Elias"
Sim, não é barato.


Pois, Rui  :oops: )
-excluindo o preço das munições para os Phalanx e canhões de 127mm (não faço a mínima ideia qual a quantidade gasta por ano)
-incluindo os preços de operação durante 20 anos - 560.000.000 de dólares por navio
-incluíndo apenas o primeiro lote de mísseis (68 SM-2MR e 8 Harpoon) - 28.655.200 de dólares mais 3.796.872 de dólares

Ficaríamos com custos de 592.452.072 de dólares por navio, para vinte anos, ou 1.184.904.144 de dólares para dois navios :shock:  E reparem que eu excluí uma série de valores que não posso ou não sei quantificar... :?
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3510
  • Recebeu: 1895 vez(es)
  • Enviou: 3631 vez(es)
  • +1545/-102
(sem assunto)
« Responder #62 em: Junho 17, 2004, 02:14:50 pm »
Não fazia ideia que a sua operação fosse tão cara  :cry:
Talent de ne rien faire
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1696
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #63 em: Junho 17, 2004, 03:04:54 pm »
São capazes de ter razão quanto aos custos, embora ache que com a reorganização prevista das FA e com os novos patrulhões, que em princípio gastarão menos em manutenção, e se se prescindisse dos submarinos, e com algum esforço, não fosse impossível.

De qualquer modo os Tico não vêem, e pronto!

Paciência :cry:
 

*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2508
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +4/-42
Cruzadores Ticonderoga
« Responder #64 em: Junho 17, 2004, 08:27:30 pm »
Caros colegas de Forum
Em relação aos Tico há um assunto que ainda ninguém focou (eu sei que o amigo João Albuquerque partiu do pressuposto que os navios eram dados), que é o preço pedido por cada navio. Eu não sei qual é, mas basta termos em atenção que os EUA pediram a Taiwan mais de 800 milhões de dólares pelos 4 Kidd, para especularmos qual o preço pedido por navios como os Tico. Calculo que pelo menos 40/50 milhões de contos (200/250 milhões de euros), para mais e não para menos.
Será que vale a pena?
Cumprimentos
JLRC
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 833
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #65 em: Junho 17, 2004, 08:43:50 pm »
Citação de: "JLRC"
Caros colegas de Forum
Em relação aos Tico há um assunto que ainda ninguém focou (eu sei que o amigo João Albuquerque partiu do pressuposto que os navios eram dados), que é o preço pedido por cada navio. Eu não sei qual é, mas basta termos em atenção que os EUA pediram a Taiwan mais de 800 milhões de dólares pelos 4 Kidd, para especularmos qual o preço pedido por navios como os Tico. Calculo que pelo menos 40/50 milhões de contos (200/250 milhões de euros), para mais e não para menos.
Será que vale a pena?


Exacto, JLRC. Por muito que o Paulinho seja amigo do Rumsfeld, um par de Ticos dificilmente viria nas mesmas condições que as OHP... :?
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1696
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #66 em: Junho 18, 2004, 11:49:35 am »
Então e se fossem dois ou três destroyeres do tipo do USS Cole que foi alvo de um atentado no Yemen há uns anos e que parece que já foi reparado?




Já repararam que com o tempo, os EUA poderão despachar alguns desta classe e que se não puderem ser cruzadores tipo Ticonderoga, também não nos sairíamos mal com duas ou três unidades destas?

Seria preciso planeamanto financeiro atempado, preparação e treinamento de recursos humanos, um bom porto para as atracar, mas julgo que com um planeamento a 8 anos não seria impossível.

Espera-se que com a reestruturação das FA e com a redução dos efectivos e dos quarteis, apesar destes passarem a estar profissionalizadas (o que até será bom para que os custos em formação possam ser rentabilizados).

Com essa poupança, poderíamos pensar nisto.

Ou acham irrealista?

Desculpem estar sempre a insitir nisto, mas é que  actual LPM não augura nada de bom em relação ao futuro da nossa força de fragatas.
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 833
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #67 em: Junho 18, 2004, 11:58:48 am »
Rui, o USS Cole faz parte da classe Arleigh Burke, que já aqui foi discutida. São dos melhores navios do mundo, na sua classe (a par dos Type 45 ingleses, quando estes sairem, e melhores que as F-124/F-100,LCF), e só estarão disponíveis daqui a pelo menos 15 anos. Antes disso só pagando (e muito... :? )
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1696
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #68 em: Junho 18, 2004, 12:53:28 pm »
JNSA:

 :sil:  :sil:  :sil:

Acho que estou um pouco sonhador em relação ao futuro.
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 833
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #69 em: Junho 18, 2004, 01:01:01 pm »
Citação de: "Rui Elias"
JNSA:

 :sil:  :sil:  :wink:
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1438
  • +4/-0
(sem assunto)
« Responder #70 em: Junho 18, 2004, 01:24:38 pm »
Citar
São dos melhores navios do mundo, na sua classe (a par dos Type 45 ingleses, quando estes sairem, e melhores que as F-124/F-100,LCF),


Para as nossas necessidades militares,  a capacidade extra das Burke ( principlamente a nível do maior número de VLSs ) é completamente desnecessária.
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 833
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #71 em: Junho 18, 2004, 02:10:51 pm »
Citação de: "Spectral"
Para as nossas necessidades militares, a capacidade extra das Burke ( principlamente a nível do maior número de VLSs ) é completamente desnecessária.


Nunca disse o contrário... Limitei-me a constatar um facto... :wink:
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1696
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #72 em: Junho 18, 2004, 04:19:51 pm »
Reparem no seguinte: uma coisa é a plataforma e uns sistemas de armas associados.

Outra é a plataforma em si.

No caso das Perry's não acham que a plataforma já está um pouco envelhecida, ainda que possa dar para mais uns anos e que se lhe coloquem uns mísseis e uns radares modernos?

Mas também se poderiam adquirir plataformas maiores e com capacidades à nossa medida, mesmo sem os VLS, sistemas caríssimos como o AEGIS, etc.

O que acham?
 

*

lf2a

  • Membro
  • *
  • 103
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #73 em: Junho 18, 2004, 05:23:07 pm »
Citar
Mas também se poderiam adquirir plataformas maiores e com capacidades à nossa medida, mesmo sem os VLS, sistemas caríssimos como o AEGIS, etc.


Olá Rui,
Há nesta afirmação uma pequena contradição: O maior tamanho de uns navios em relação aos outros tem, directamente, a ver com a necessidade de integrar mais sistemas (logo mais volume ocupado e mais peso). Se pegarmos num cruzador e lhe tirarmos esses sistemas, como propõe, então deixaremos de necessitar de ter um navio daquele tamanho pois bastará ter o casco de uma corveta ou de um NPO. :wink:

Cmpts,
LF2A
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 833
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #74 em: Junho 18, 2004, 05:32:21 pm »
Também há outra alternativa, semelhante à que os ingleses estão a adoptar com os Type 45 - não havendo dinheiro para tudo à partida, compra-se uma plataforma com muito espaço para crescimento, equipa-se com o armamento e radares possíveis, e mais tarde completa-se o navio...

Mas para fazer isto, é preciso ter capacidade de pensar para o futuro, coisa que não se costuma fazer muito nas Forças Armadas Portuguesas...  :?