Notícias da Força Aérea Brasileira

  • 891 Respostas
  • 242289 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #840 em: Dezembro 22, 2019, 07:02:39 pm »
Novo avião de transporte leve: FAB e Embraer assinam memorando


A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Embraer Defesa e Segurança (EDS) assinaram Memorando de Entendimentos para desenvolverem uma aeronave leve de transporte de carga e passageiros – ideia é de um avião com propulsão híbrida e capacidade para operar em pistas curtas e 3 toneladas de carga

Força Aérea participará de desenvolvimento conceitual de novo vetor de transporte leve
O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, recebeu, nesta quinta-feira (19/12), o Presidente da Embraer Defesa e Segurança, Jackson Schneider, para celebrar um Memorando de Entendimentos com o objetivo de formalizar a intenção da Embraer em desenvolver uma aeronave leve para transporte de carga e passageiros, contando com a contribuição da Força Aérea Brasileira (FAB) no que tange ao compartilhamento de expertises e necessidades militares globais para aeronaves dessa classe.

De acordo com o Tenente-Brigadeiro Bermudez, a contribuição da FAB no projeto será na área de desenvolvimento conceitual. “O objetivo desse memorando foi formalizar a intenção da Embraer em desenvolver uma aeronave leve para transporte de carga e pessoal. Esse projeto conta com a participação da Força Aérea no que tange, principalmente, ao compartilhamento de expertises, do que nós já desenvolvemos em parceria, em atendimento às necessidades operacionais da Força Aérea”, afirmou.

Também estiveram presentes na ocasião o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira, o Vice-Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues, o Chefe da Sexta Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Sérgio Roberto de Almeida e o Chefe do Gabinete do Comandante da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic. O Presidente da Embraer Defesa e Segurança falou sobre o projeto a ser desenvolvido em cooperação com a FAB. “É mais um passo nessa longa história de relacionamento fraterno entre a FAB e a Embraer, que nasceu dentro da FAB e continua extremamente ligada à FAB. Essa assinatura de hoje é extremamente importante para a Embraer”, disse.

Características do projeto a ser desenvolvido pela Embraer

Voltado para servir localidades remotas com pistas curtas, estreitas e não pavimentadas, o novo vetor levará em consideração diversas necessidades operacionais, como transporte de carga e pessoal  em áreas de selva, alcance a principais aeroportos da América do Sul, lançamento de paraquedistas, extração de pallets e transporte de enfermos. Algumas características da aeronave são a capacidade de decolar com carga máxima útil de ao menos 3 mil quilos, a partir de uma pista de até 1,2 mil metros, e operar em ambiente amazônico.

A aeronave é conceitualmente híbrida incorporando motores de características turboélice e elétricos, deve ser resistente, econômico e vanguarda tecnológica.

Aeronave híbrida

Um dos conceitos a serem implantados no desenvolvimento da aeronave é o da sustentabilidade, como explica o Tenente-Brigadeiro Amaral. “Será um produto moderno, disruptivo, uma vez que se pretende utilizar dessas tecnologias de sustentabilidade, que hoje estão tão em voga, trabalharmos com o meio ambiente. Uma aeronave que atenda a operação nesses diversos ambientes que temos no nosso país, desde pistas não preparadas até pistas totalmente equipadas.”


Embraer e Força Aérea Brasileira estudam desenvolvimento conjunto de nova aeronave leve de transporte militar

Brasília, 19 de dezembro de 2019 – A Embraer e a Força Aérea Brasileira (FAB) assinaram hoje um memorando de entendimento que permite viabilizar o estudo de um potencial desenvolvimento para uma nova aeronave leve de transporte militar. O estudo busca identificar alternativas e soluções para atender às necessidades operacionais da FAB, especialmente na região Amazônica, em pistas extremamente curtas, estreitas, não pavimentadas, desprovidas de infraestrutura e em localidades remotas.

Utilizando-se do alto grau de inovação e competência tecnológica da Embraer, o estudo buscará também explorar alternativas na aplicação de novas tecnologias que trarão respostas ainda mais eficientes às demandas extremas da FAB, como diferentes arquiteturas de sistemas, soluções inovadoras de plataforma, propulsão hibrida-elétrica, entre outras.

A FAB, que recebeu em 2019 as primeiras unidades do moderno KC-390 Millennium, avião de transporte militar tático multimissão, busca com este estudo complementar e modernizar sua capacidade de transporte nos segmentos inferiores, visando atender de forma abrangente e completa as necessidades do país. Baseado no forte histórico de cooperação que une a capacidade de execução com excelência da Embraer e a elaboração de requisitos inovadores e de alto desempenho da FAB, o estudo buscará cobrir também o atendimento às demandas atuais do mercado global.

Pelo acordo firmado, a Embraer realizará os estudos de mercado para desenvolvimento da nova aeronave enquanto a FAB compartilhará a vasta experiência que possui na operação de aviões nesse segmento. “Estamos certos de que a experiência da Força Aérea Brasileira nos ajudará a estabelecer os requisitos mais adequados para esse estudo, resultando em um avião extremamente capaz”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “A Embraer está mais do que à altura do desafio. Nosso mais novo produto, o avião de transporte multimissão C-390 Millennium, está entrando em operação e esse novo projeto será de grande importância para manter e aprimorar as capacidades de engenharia e tecnologia da Embraer para atender às desafiadoras demandas da FAB e de seus demais clientes em todo o mundo”.

“O objetivo desse memorando foi formalizar a intenção da Embraer em desenvolver uma aeronave leve para transporte de carga e pessoal. Esse projeto conta com a participação da Força Aérea no que tange, principalmente, ao compartilhamento de expertises, do que nós já desenvolvemos em parceria, em atendimento às necessidades operacionais da Força Aérea”, disse o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar, Antonio Carlos Moretti Bermudez.

FOTOS: FAB (Soldado Wilhan Campos/CECOMSAER) - https://www.aereo.jor.br/2019/12/20/novo-aviao-de-transporte-leve-fab-e-embraer-assinam-memorando/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #841 em: Janeiro 07, 2020, 01:19:32 pm »
Retrospectiva 2019


Alguns dos avanços tecnológicos, incorporação de sistemas de armas, desenvolvimentos e aquisições de tecnologias para a FAB e a indústria aeroespacial brasileira

Projeto de aeronave I-X

Último dos quatro aviões certificados na versão de inspeção de vôo. Os dois primeiros foram recebidos em 2016 e o terceiro em 2018. Até novembro de 2021, ainda está planejado o prazo para rescisão do contrato, catalogação, treinamento da tripulação e atualização do Treinamento Baseado em Computador (CBT). . no treinamento da tripulação.

A aeronave de registro IU-50 FAB 3604 será operada pelo Grupo Especial de Inspeção de Voo localizado no Rio de Janeiro (RJ).



Phenom EV U-100

Recepção de dois aviões modelo Phenom EV U-100 pelo 6º Esquadrão de Transporte Aéreo (6º ETA), conhecido como Esquadrão Guará, em Brasília (DF).

A aeronave oferece tecnologia avançada, antecipa necessidades, minimiza a carga de trabalho e aumenta a conscientização situacional. O modelo representa um novo nível estratégico que se encaixa no 6º ETA, uma unidade que cumpre mais de 40% das missões da FAB de equipamentos de transporte de órgãos e transplantes médicos.




Avião multi-missão KC-390

A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu (09/04), na Asa 2, em Anápolis (GO), a primeira aeronave multi-missão KC-390. O 1º GTT será o esquadrão de operadores KC-390.

A aeronave, resultado de uma parceria entre a FAB e a Embraer, foi estabelecida como um novo padrão de aeronave para emprego militar no cenário mundial. O presidente da Embraer, Jackson Schneider, fez o ato formal de entregar o avião à FAB. O executivo destacou os resultados positivos da cooperação entre as duas instituições, que já dura mais de 50 anos. “Uma interação longa e proveitosa. Temos orgulho da Embraer, da Força Aérea e, acima de tudo, temos orgulho do Brasil ", afirmou.

O comandante da Força Aérea, tenente-general da Brigada Bermúdez, elogiou as capacidades operacionais da nova aeronave multi-missão. "Hoje, a FAB possui a maior aeronave militar produzida no Brasil, o KC-390. Representa um marco na excelência do processo da FAB e certamente impulsionará a Base de Defesa Industrial do Brasil", afirmou.

Capacidade operacional

A maior aeronave militar desenvolvida e fabricada no hemisfério sul, o KC-390 é capaz de realizar transporte aéreo logístico, reabastecimento de vôo (REVO), evacuação, busca e salvamento aéreo, busca e resgate, ajuda humanitária e missões de combate a incêndio, entre outros.

O KC-390 foi desenvolvido para atender aos requisitos operacionais da FAB, proporcionando mobilidade estratégica às Forças de Defesa do Brasil. As primeiras unidades da nova aeronave multi-missão serão baseadas na asa 2 em Anápolis (GO). Segundo o comandante da ala 2, o coronel da aviação Antonio Marcos Godoy Soares Mioni Rodrigues, o recebimento do novo vetor será um marco na FAB. “Este momento é um marco para a Força Aérea. O KC-390 nos dará maior velocidade, maior carga útil e maior alcance ", afirmou.




Segunda unidade da aeronave multi-missão KC-390 Millennium

A Força Aérea Brasileira recebeu (13/12) a segunda unidade da aeronave multi-missão KC-390 Millennium. A aeronave de registro FAB 2854 na asa 2, Organização Militar da FAB com sede em Anápolis (GO)

"Hoje, recebemos o segundo avião KC-390, FAB 2854. Com dois aviões, podemos acelerar o treinamento de nossos pilotos e mantenedores na operação do novo vetor.

É importante destacar o aumento da capacidade logística que teremos na Força Aérea com a ativação e operação das aeronaves KC-390 Millennium recebidas ", afirmou o tenente-coronel Ferraz.


SC-105 se junta ao pelotão FAB Pelican

A nova aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), modelo SC-105, FAB 6551, ingressou oficialmente no 2º / 10º Grupo de Aviação, Pelicano Squadron. A cerimônia ocorreu no domingo (24/11), na ala 5, em Campo Grande (MS).

O FAB 6551 é a primeira aeronave do projeto entregue com o sistema de reabastecimento em voo, o que permitirá que seja reabastecido em pleno voo e amplie sua capacidade operacional.

E-99M

A aeronave E-99M fez, nesta sexta-feira (16/08), em Gavião Peixoto (SP), o primeiro vôo após o processo de modernização iniciado pela Embraer. Este é um vôo experimental que marca a conclusão de outra etapa do projeto.

O E-99M será operado pelo Guardian Squadron (2º / 6º GAV) na asa 2 em Anápolis (GO). Segundo o comandante da esquadra, tenente-coronel aviador Felipe Francisco Espinha, o lucro operacional será relevante.

"A modernização permitirá uma melhor visualização do tráfego, captura mais informações, um aumento na capacidade de agir em um ambiente de guerra eletrônica, além de uma melhoria na coordenação de sistemas integrados", diz ele.



Missão

A aeronave E-99 é capaz de detectar alvos aéreos e transmitir informações de detecção para os centros de controle em terra. Além disso, realiza missões de controle de vôo e alarme, com a participação de aviões de combate em defesa aérea, vôos de busca e salvamento e vigilância e controle do espaço aéreo.
"O E-99M expandiu sua capacidade de integração com as novas plataformas da FAB, como o F-39 Gripen e o KC-390", conclui o coronel Wilson.


Míssil A-Darter de quinta geração

O míssil A-Darter de quinta geração acaba de passar na fase final de teste para certificação, que o preparará para a comercialização. Neste mês, testes decisivos e bem-sucedidos foram realizados na África do Sul, país que desenvolve o projeto em cooperação com o Brasil.

O sistema ar-ar A-Darter tem a capacidade de identificar autonomamente um alvo após o lançamento (LOAL); contramedidas eletrônicas (capazes de identificar e negar explosões); longo alcance para esta categoria de mísseis (8-12 km); e identificação e lançamento bem-sucedido de objetivos em uma posição relativa de 90 graus. Todas as versões demonstraram conformidade do produto com seus requisitos.


A missão técnica do projeto A-Darter foi concluída em 20 de novembro de 2019, a análise dos testes de queima de banco dos protótipos de motores de mísseis A-Darter desenvolvidos pela Avibras.

Foram realizadas 26 queimaduras bancárias dos protótipos, 10 dos quais relacionados à fase de desenvolvimento e 16 à fase de qualificação do motor. Ao final dessas 26 queimaduras, foi demonstrado que a Avibras, que representa a indústria nacional, é capaz de produzir motores de foguete compatíveis com os requisitos dos mísseis da categoria A-Darter, ou seja, mísseis de quinta geração. O resultado materializa o processo de transferência de tecnologia realizado durante o contrato de desenvolvimento do A-Darter com a Denel South Africa.


CONTINUA...
« Última modificação: Janeiro 07, 2020, 01:20:24 pm por Vitor Santos »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #842 em: Janeiro 07, 2020, 01:31:49 pm »
FX-2

A empresa sueca Saab entregou à Força Aérea Brasileira (FAB) o primeiro dos 36 caças Gripen comprados pelo governo brasileiro em 2014 para modernizar a frota da Força Aérea Brasileira. A cerimônia de entrega ocorreu nesta manhã (10/09), na cidade de Linköping, na Suécia, e contou com a presença do ministro da Defesa Fernando Azevedo, comandante da Força Aérea, tenente-brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermúdez e as autoridades. Brasileiro e sueco.


Embora já esteja nas mãos da aeronáutica, o F-39 Gripen deve chegar ao Brasil até 2021, já que, a partir de hoje, o caça começa a passar pelo programa de testes na Suécia. Durante os próximos dois anos, a caçada será submetida a uma série de testes para provar que atende às expectativas contratuais. Um primeiro voo experimental ocorreu em agosto deste ano. Foi um vôo inaugural de aproximadamente uma hora que serviu aos engenheiros para avaliar o manuseio básico, o comportamento do lutador em diferentes altitudes e velocidades e a operação dos sistemas ativos.



O contrato inicial prevê um pagamento de 39,3 bilhões de coroas suecas (cerca de US $ 4.050 milhões a preços atuais) para o desenvolvimento e produção de 36 aeronaves e inclui um programa de transferência de tecnologia para permitir que a indústria aeroespacial brasileira domine o mercado. tecnologia e conhecimento necessários para manter e desenvolver o Gripen no Brasil no futuro.

Segundo a Saab, este foi "o maior negócio da história da empresa". Segundo a Saab, na prática, o programa de transferência de tecnologia começou em outubro de 2015, quando os 50 primeiros engenheiros brasileiros, funcionários das empresas associadas da Saab no Brasil, se mudaram para a Suécia para passar uma temporada de treinamento.


Projeto IFFM4BR

O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) enviou a SAAB AB em Linköping (Suécia), entre 16 de dezembro de 2019, membros da equipe de desenvolvimento do Projeto IFFM4BR, que visa fornecer uma capacidade de classificação segura do IFF para as plataformas militares das Forças Armadas, incluindo os navios da Marinha do Brasil e as baterias antiaéreas do exército brasileiro. No entanto, a primeira plataforma capaz de operar o Sistema Nacional da IFF será o Gripen E / F, desenvolvido pela SAAB.

O protótipo testado na Suécia foi totalmente desenvolvido no IAE (São José dos Campos) usando a última geração de tecnologia de comunicação segura. Os resultados apresentados pela equipe brasileira foram muito acima do esperado e impressionaram os engenheiros da SAAB pela maturidade tecnológica apresentada. O IAE é estabelecido como a primeira instituição pública brasileira a desenvolver equipamentos aviônicos, que deve passar por uma rigorosa campanha de testes para receber um certificado de produto aeronáutico pelo IFI (Instituto de Coordenação e Desenvolvimento Industrial).


MICLA BR (míssil de cruzeiro de longo alcance)

A Força Aérea Brasileira confirmou o desenvolvimento do míssil de cruzeiro de longo alcance em associação com a Avibras durante uma sessão especial da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Congresso Nacional em Brasília (DF).

O MICLA-BR terá um alcance esperado de 300 quilômetros e pode ser lançado a partir de aviões e plataformas de superfície. O prazo para concluir este programa estratégico da Força Aérea não foi divulgado, mas sabe-se que está em andamento desde o final de 2018. Este míssil de cruzeiro aéreo terá um guia composto usando sinal GPS, sensor infravermelho e radar de rastreamento do solo.



Saab inaugura o simulador de desenvolvimento Gripen no Brasil

Em 25 de novembro, foi inaugurada a chamada S-Rig, abreviação de Systems-Rig, o primeiro simulador de desenvolvimento Gripen fora da Suécia, na Rede Gripen de Design e Desenvolvimento (GDDN), planta da Embraer em Gavião Peixoto, Estado de São Paulo. A implantação faz parte do programa de transferência de tecnologia do novo caça brasileiro, em parceria entre Saab, Embraer, Atech, AEL Sistemas e Força Aérea Brasileira (FAB).


A inauguração do S-Rig é um marco importante no Programa Gripen, pois confere ao GDDN maior autonomia para realizar mais projetos de desenvolvimento no Brasil. O simulador será usado para testes de desenvolvimento e verificação de sistemas, subsistemas e funcionalidades do Gripen no Brasil, especialmente sistemas desenvolvidos pelos parceiros Saab, Embraer, Atech e GDDN, mas também pode ser usado para testar a funcionalidade produzida em outros lugares por outras empresas. Parceiros brasileiros do programa. O S-Rig também apoiará as atividades do Gripen Flight Test Center (GFTC), que será instalado no GDDN em 2020.

“Ou o S-Rig é um simulador completo de uma aeronave que permitirá ao Brasil ou ter capacidade total para testar todos os sistemas Gripen. Ou o Brasil é o único país com essa capacidade para a Suíça. Esse é um grande diferencial para a indústria de defesa brasileira ”, diz Mikael Franzén, vice-presidente e chefe da unidade de negócios Gripen Brasil da Saab Aeronautics.

Torre de controle remoto de aeródromo

A Torre de Controle do Aeródromo Remoto entrou em operação na asa 12 em 18 de outubro deste ano, sendo a primeira da América Latina. A apresentação da nova estrutura ocorreu durante a cerimônia em referência ao Aviator Day e à Força Aérea Brasileira, realizada em Brasília (DF).


Com a Torre de Controle Remota de Aeródromo, a visão do Controlador de Tráfego Aéreo da torre convencional pode ser substituída por monitores de rastreamento que reproduzem imagens de um conjunto de câmeras localizadas perto da pista, o que dá ao agente de controle visualização completa

A estrutura instalada em Santa Cruz é composta por 16 câmeras fixas, duas delas com a tecnologia Pan Tilt Zoom (PTZ), a partir das quais é possível ampliar a imagem até 24 vezes, para focar em objetos localizados a quilômetros de distância. . As câmeras externas são interconectadas com 14 monitores de alta definição de 55 polegadas, que fornecem uma visão de 360 ​​graus da área a ser controlada.

As câmeras PTZ também podem rastrear automaticamente aviões ou bandos de pássaros e animais em pistas de taxi e pista de pouso, o que ajuda a reduzir o risco de colisão de animais selvagens. O sistema também permite rastrear pesquisas, bem como posições estratégicas como pontos de espera.

Projetos Estratégicos da FAB


Conclusão, além da aquisição de sistemas de armas de ponta pela FAB, a indústria aeroespacial brasileira também avançou significativamente no desenvolvimento, teste e conclusão de vários projetos estratégicos, como evidenciado pelas notícias anteriores.

Os principais projetos estratégicos continuaram avançando, dando à indústria aeroespacial brasileira por meio de centros de pesquisa e desenvolvimento acadêmicos como ITA, DCTA, IAE, IPEV e o robusto Parque Industrial Aeronáutico Nacional, com empresas poderosas como Embraer, Avibras, AEL, entre muitas outras que elas se refletem nas capacidades e tecnologias com um alto grau de independência tecnológica disponível para a Força Aérea Brasileira.

Citar
FONTES:

http://www.iae.cta.br/index.php/slideshow/616-queima-em-banco-do-missil-a-darter

http://agenciabrasil.ebc.com.br/ger...imeiro-dos-36-cacas-gripen-comprados-para-fab

http://www.iae.cta.br/index.php/sli...-do-projeto-iff-nacional-superam-expectativas

https://www.infodefensa.com/latam/2019/10/02/noticia-brasil-prueba-miclabr-avibras-tiger.html

https://www.aereo.jor.br/2019/11/25/saab-inaugura-simulador-de-desenvolvimento-do-gripen-no-brasil/
« Última modificação: Janeiro 07, 2020, 01:33:46 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #843 em: Janeiro 08, 2020, 11:50:31 am »
Militares da FAB participam do Exercício Silver Flag nos Estados Unidos

Treinamento possibilita uma visão mais ampla sobre a atuação operacional dos engenheiros em diferentes cenários de combate


Citar
Militares da Diretoria de Infraestrutura da Aeronáutica (DIRINFRA) participaram, no período de 07 a 13 de dezembro, do Exercício Silver Flag na Base Aérea de Tyndall, na cidade de Panama City, Flórida, nos Estados Unidos da América. O Major Engenheiro Ricardo Miranda Cordovil e o Capitão Engenheiro Iran Rosa Xavier participaram como observadores, representando a Força Aérea Brasileira (FAB).

O Exercício Silver Flag consiste em um treinamento organizado pelo Centro de Engenharia da Força Aérea dos Estados Unidos (Air Force Civil Engineer Center) para engenheiros da Força Aérea do país e Forças Aéreas aliadas que precisam operar em situações de contingência, tais como operações bélicas, de calamidade pública ou de desenvolvimento de bases desdobradas.

Foram realizados treinamentos práticos sobre comando e controle; combate a incêndio; gerenciamento e resposta a ataques químico, biológico, radiológico e nuclear; descontaminação de explosivos em pista de pouso; reparos rápidos em pavimentos; sinalização luminosa de emergência para aeródromo e barreira móvel de retenção de aeronaves.


“Participar de um treinamento como esse nos possibilita uma visão mais ampla sobre a atuação operacional dos engenheiros em diferentes cenários de combate. As estratégias e técnicas que identificamos aqui serão muito úteis para aperfeiçoar a Engenharia de Campanha no âmbito da FAB”, destacou o Major Engenheiro Cordovil.

No ano passado, militares da Força Aérea dos Estados Unidos visitaram a Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA) para compreender como os engenheiros da FAB atuam na construção de aeródromos em regiões isoladas e inóspitas do território nacional.


Foto: DIRINFRA
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #844 em: Fevereiro 16, 2020, 04:00:52 pm »
Os Mi-35 da FAB podem estar a Caminho de Benghazi


Publicação francesa Intelligence Online dá nota que os helicópteros AH-2 Sabre (Mi-35) podem estar sendo vendidos para a Líbia em uma operação triangular com os Emirados Árabes Unidos

Segundo a publicação francesa Intelligence Online, em informe datado, de 12FEV2020, está em negociação uma operação triangular para que as forças do General Khalifa Haftar (Libyan National Army), recebam um número não especificado dos helicópteros russos Mi-35 (AH-2 Sabre), operados pela Força Aérea Brasileira.


10 helicóteros de ataque AH-2 Sabre (MI-35) do Esquadrão Poti (2º/8º GAV), em 2015

A nota fala nos mais antigos, provavelmente pode ser os seis primeiros Mi-35, que vieram dos estoques da Federação Russa. As aeronaves foram recebidas para equilibrar a balança comercial entre os dois países, amplamente favorável ao Brasil pela exportação de commodities agrícolas. Foram recebidos em linhas gerais dois lotes de 6 helicópteros cada e são operados pelo Esquadrão Poti (2º/8º GAV), baseado em Porto Velho, Rondônia, pela nova denominação ALA6.

A operação seria conduzida pela Corporação russa  Rosoboronexport e financiada de forma generosa pelos Emirados Árabes.

O general rebelde tem adquirido grande lote de material militar na sua luta contra o rival Governo de Trípoli. Recentemente foi adquirida uma frota de drones chineses CH-4 da Força Aérea da Jordânia.

A negociação pode ser de interesse da FAB em se ver livre do Mi-35 que sofrem com um apoio logístico deficiente por parte da Rússia. E um custo operacional muito alto. Para os líbios e russos o interesse é que a parte de manutenimento da FAB é excelente o que possibilitaria coloca-los em capacidade operacional em curto espaço de tempo.

Porém, mesmo com uma disponibilidade operacional baixa, devido a crônica falta de peças, eles são os únicos helicópteros de ataque do Inventário Militar do Brasil.

Além da complexidade da concretização do negócio, visto as relações internacionais e comerciais envolvidas (Observar que os motores dos Mi-35 da FAB são produzidos pela Motor Simch da Ucrânia). A perda de uma plataforma como o Mi-35 (mesmo com a incerteza da disponibilidade), pode bloquear a negociação.

O governo brasileiro formalizou, em 13FEV2020, com a publicação no Diário Oficial, Acordo de Parceria Estratégica com os Emirados Árabes Unidos.

Este acordo prevê em vários artigos a possibilidade legal de abrigar uma negociação como esta anunciada pela publicação francesa.


O presidente Jair Bolsonaro e o xeique Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe de Abu Dhabi, concordaram em expandir o comércio entre Brasil e os Emirados Árabes Unidos e ampliar parcerias envolvendo fundos de investimentos em setores como agronegócio, infraestrutura, energia e defesa, de acordo com declaração conjunta divulgada neste domingo. Os países assinaram acordos nos campos de inteligência artificial, meio ambiente, defesa, comércio e cooperação aduaneira. Outubro 2019

A alternativa de os helicópteros Mi-35, que forem repassados para o LNA  serem substituídos na FAB, por mais modernos, financiados pelos Emirados / Rússia é incerto nas atuais condições geopolíticas em especial da América Latina.

Nota DefesaNet

Na FAB os AH-2 Sabre realizam missões inéditas, graças a sua grande velocidade conseguem relizar interceptações de aeronave a baixa altura.

O Esquadrão Poti (2º/8º GAV) encerrou na quarta-feira (07OUT2015) o Exercício Operacional Zarabatana VI após 17 dias de atividades no estande de tiros do Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV). Os militares empregaram pela primeira vez os armamentos reais míssil, canhão e foguete. A unidade aérea também realizou a manutenção operacional dos seus pilotos em todas as modalidades de emprego armado.

 :arrow:   http://www.defesanet.com.br/br_arabia/noticia/35777/Exclusivo-%E2%80%93-Os-Mi-35-da-FAB-podem-estar-a-Caminho-de-Benghazi/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #845 em: Fevereiro 17, 2020, 01:24:16 pm »
Helicópteros Mi-35 da FAB não estão à venda


Citar
A publicação francesa Intelligence Online informou que os helicópteros AH-2 Sabre (Mi-35) estariam sendo vendidos para a Líbia em uma operação triangular com os Emirados Árabes Unidos.

Os seis helicópteros Mi-35 mais antigos da FAB seriam destinados às forças do General Khalifa Haftar (Libyan National Army).

A operação seria conduzida pela agência russa Rosoboronexport e financiada pelos Emirados Árabes Unidos.

Os AH-2 Sabre são os primeiros helicópteros de ataque genuínos em operação nas Forças Armadas brasileiras e começaram a ser utilizados em 2009. Em novembro de 2014, o esquadrão recebeu os três últimos exemplares da sua frota de doze helicópteros.

Cada AH-2 conta com um canhão de 23 mm capaz de disparar até três mil tiros em um minuto. Para se ter uma ideia, cada tiro de 23mm causa o mesmo impacto de quase 100 tiros de uma arma calibre 7,62mm, como os fuzis utilizados por tropas no solo.

Com peso de 12 toneladas, os helicópteros têm blindagens em partes essenciais, como no tanque de combustível. A cabine dos pilotos, além de blindada, também é vedada para o caso de contaminação química ou biológica.

A possível venda foi negada ontem pelo brigadeiro Baptista Junior no Twitter:

:arrow:  https://www.aereo.jor.br/2020/02/17/helicopteros-mi-35-da-fab-nao-estao-a-venda/
 


*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #847 em: Abril 11, 2020, 03:16:34 pm »
Operação Covid-19: KC-390 Millennium e C-105 Amazonas realizam Transporte Aéreo Logístico


Citar
Foram transportados para Manaus (AM) e Fortaleza (CE) materiais de saúde para o enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus

Duas aeronaves da Força Aérea Brasileira realizaram missão durante essa sexta-feira (10/04). O KC-390 Millennium, avião multimissão da FAB, decolou às 12h da Ala 11 - Base Aérea do Galeão (RJ) com destino à Ala 8 - Base Aérea de Manaus (AM), transportando 6,9 toneladas de equipamentos hospitalares e uma ambulância. Já o C-105 Amazonas decolou às 15h da Base Aérea de São Paulo, em Guarulhos (SP), para Fortaleza (CE), com 30 respiradores hospitalares, aproximadamente uma tonelada de carga.

Esta é mais uma ação de enfrentamento ao novo Coronavírus, deflagrada pelo Governo Federal. A missão interministerial, coordenada pelo COMAE junto ao Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa, em apoio ao Ministério da Saúde, visa transportar equipamentos e insumos a diversas regiões do Brasil, para auxiliar no combate à COVID-19. 

Missão do KC-390 Millennium

Na manhã desta sexta-feira (10/04), o KC-390 Millennium decolou de Anápolis (GO) e seguiu para o Rio de Janeiro (RJ), onde realizou o carregamento do material de saúde, seguindo para Manaus (AM).

Os tripulantes do avião multimissão da FAB estão em instrução de operação da aeronave.

A missão de transporte de material foi feita em aproveitamento, tendo atendido a uma das demandas da Operação COVID-19. Neste caso, houve a participação do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), no acionamento das missões de Transporte Aéreo Logístico, e do Comando de Preparo (COMPREP), responsável pelo desenvolvimento da doutrina utilizada no preparo operacional dos tripulantes.


A Diretora do Hospital de Aeronáutica de Manaus (HAMN), Tenente-Coronel Rosieny Santos Batalha, comenta a importância de receber os materiais e equipamentos neste momento. “Aqui no Estado, o crescimento da COVID-19 é substancial e essa carga que recebemos vai aumentar a capacidade de internação do nosso hospital”, garante.

Esquadrão Zeus

Operado pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) – Esquadrão Zeus, sediado na Ala 2 – Base Aérea de Anápolis (GO), o KC-390 Millennium realiza, a partir deste mês, voos em rota para o Rio de Janeiro (RJ), Guarulhos (SP), Manaus (AM), Belém (PA), Natal (RN), além de Canoas e Santa Maria (RS). Em aproveitamento de missão, as aeronaves poderão fazer transporte de cargas.

De acordo com o Comandante do Esquadrão Zeus, Tenente-Coronel Aviador Luiz Fernando Rezende Ferraz, a previsão é de que a capacitação ocorra até junho. “Em março, terminamos a fase básica do treinamento dos nossos pilotos, que eram os voos locais, e começamos agora os voos de Transporte Aéreo Logístico. Nesses voos em rota, estamos treinando pilotos, mecânicos e Mestres de Carga, no carregamento e descarregamento de cargas”, esclarece.


Para o Chefe da Seção de Operações do 1º GTT, Major Aviador Daniel Silva Fortes, a tarefa de sair da fase básica de formação dos tripulantes e iniciar os voos em rota foi muito estudada. “Estamos em coordenação estreita com o COMPREP e com o COMAE para poder viabilizar, tanto o treinamento dos pilotos, quanto o transporte de material e pessoal em proveito desses voos de instrução com o KC-390”, afirmou.

O Mecânico de Voo, Sargento Cleber Pereira dos Santos Junior, também participa desta fase do treinamento. “O mecânico tem a responsabilidade de realizar toda preparação da aeronave e entregar o avião pronto para os pilotos, bem como acompanhar o funcionamento dos sistemas durante o voo”, esclarece.

KC-390 Millennium

Maior avião militar desenvolvido e fabricado no hemisfério sul, o KC-390 Millennium tem capacidade de realizar missões de Transporte Aéreo Logístico, Reabastecimento em Voo (REVO), Evacuação Aeromédica, Busca e Salvamento, Combate a Incêndio em Voo, dentre outras. A aeronave foi desenvolvida para atender aos requisitos operacionais da FAB, provendo mobilidade estratégica às Forças de Defesa do Brasil.

A aeronave já conquistou o 63º Prêmio Laureate Awards 2020, na categoria Melhor Produto Novo , em inglês “Best New Product”, por ser a maior e mais sofisticada aeronave de defesa já produzida pela Embraer. Além disso, realizou ensaio inédito de lançamento de chaff e flare, na Ala 3, em Canoas (RS).

Atuação do C-105 Amazonas

Os 30 respiradores hospitalares destinados à Fortaleza (CE) chegaram à Base Aérea de São Paulo (BASP) por volta das 12h de hoje. A aeronave C-105 utilizada no transporte, é operada pelo Primeiro Esquadrão do Décimo Quinto Grupo de Aviação (1º/15º GAv) – Esquadrão Onça, sediado na Ala 5 – Base Aérea de Campo Grande (MS). O Comandante da missão, Capitão Aviador Marcelo Augusto Xavier de Almeida, disse que esta é mais uma missão da FAB no combate à COVID-19. “É com muita satisfação que realizamos essa missão de Transporte Aéreo Logístico, possibilitando que mais brasileiros possam receber os cuidados necessários”, comentou.


Para o Mestre de Cargas da aeronave, Sargento Gabriel Heringer Klein Pinheiro, este é mais um momento em que o Brasil precisa da Força Aérea para o transporte de materiais e equipamentos. “É muito importante poder contribuir com o transporte dessa carga e colaborar no esforço de combate à pandemia”, considera.


 :arrow:  http://www.fab.mil.br/noticias
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #848 em: Abril 12, 2020, 05:34:40 pm »
KC-390 entra no combate à Covid-19


Citar
Com a primeira unidade de KC-300 recebida em setembro, o 1º Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) da Força Aérea Brasileira estreou o uso de seus KC-390 Millenium em missões para beneficiar a sociedade. A aeronave desenvolvida e fabricada no Brasil transportou 6,9 toneladas de equipamentos hospitalares e uma ambulância do Rio de Janeiro (RJ) até Manaus (AM). A missão ocorreu nesta sexta-feira (10 de abril).

O 1º GTT já possui dois KC-390, estando sediado em Anápolis (GO). Atualmente, são as maiores aeronaves militares em uso no Brasil, pois o Boeing 767 alugado foi devolvido. A FAB tem um contrato para a aquisição de 28 KC-390, que devem substituir e suplantar a frota de C-130 Hércules, uma vez que são mais rápidos, levam mais carga e podem cumprir uma maior variedade de missões quando comparados com seus antecessores.

Ainda assim, havia planos para a aquisição de pelo menos um par de aeronaves de maior porte, como o Boeing 767 ou o Airbus A330MRTT, como os utilizados por países como Chile, Colômbia, Estados Unidos, Austrália e França. Esse tipo de avião pode levar cerca de 45 toneladas de carga, contra um máximo de 23 do KC-390.

No combate à pandemia de Covid-19 a FAB também utiliza outras aeronaves, como o C-105 Amazonas e até um VC-99 Legacy, que teve seu interior VIP retirado para permitir o transporte de carga.

“Esquadrão Zeus”

A FAB divulgou que os militares do 1º GTT que operam o KC-390 passaram a se identificar como “Esquadrão Zeus”. No passado, o 1º GTT era dividido em dois esquadrões, o “Coral” e o “Cascavel”. Porém, ao contrário do que circulou pela internet há alguns meses, o nome “Zeus” não se refere ao KC-390. A aeronave fabricada pela Embraer foi batizada de “Millenium”.

 :arrow:  https://www.edrotacultural.com.br/kc-390-entra-no-combate-a-covid-19/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #849 em: Abril 12, 2020, 05:38:16 pm »
Jato da FAB para transporte VIP vira cargueiro contra Covid-19


Citar
Uma aeronave Legacy da Força Aérea Brasileira utilizada para transporte de autoridades do Governo Federal ganhou uma nova missão por conta da pandemia de Covid-19. A configuração interna de luxo foi retirada e a aeronave agora faz parte do esforço nacional para combater a doença. Onde antes voavam ministros, parlamentares e suas comitivas, hoje é possível carregar até 4 toneladas de carga.

A primeira missão da aeronave em sua nova configuração aconteceu no dia 6 de abril. A aeronave saiu de Brasília (DF) com destino a Macapá (AP) com escala em Palmas (TO) com 2.800 doses de vacinas tetravalente e contra gripe. Na volta, foram embarcados 18 respiradores que serão reparados no Centro de Inovação e Tecnologia do SENAI-FIEMG (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), em Belo Horizonte (MG).


Desginado VC-99C, o avião é um ERJ 135LR, recebido em setembro de 2008. Na configuração tradicional, leva até 14 passageiros. A operação está a cargo do Grupo de Transporte Especial (GTE).

FAB prepara aviões para atuação nacional

A Força Aérea Brasileira, até o momento, desempenha a missão de transporte logístico em apoio ao combate à Pandemia. Além de levar material hospital, vacinas e respiradores, também foi feita uma redistribuição de forças: as aeronaves envolvidas ficarão concentradas em Brasília (DF) e no Rio de Janeiro (RJ), de onde devem partir missões para todo o território nacional. Aeronaves sediadas em Canoas (RS), Campo Grande (MS), Belém (PA), Recife (PE) e Natal (RN) foram deslocadas.

Poderão ser acionadas aeronaves C-99, C-95 Bandeirante, C-97 Brasília, C-130 Hércules, U-35 Learjet, U-55 Learjet, U-100 Phenom, C-98 Caravan e C-105 Amazonas. Todas possuem características distintas e serão utilizadas conforme necessidades de carga e de alcance.


 :arrow: https://www.edrotacultural.com.br/jato-da-fab-para-transporte-vip-vira-cargueiro-contra-covid-19/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #850 em: Abril 23, 2020, 11:08:40 pm »
FAB não parou e prepara futuros pilotos de Gripen e KC-390


Citar
Em meio ao período de isolamento social em todo o Brasil, a Força Aérea Brasileira não parou e conduz a formação de futuros pilotos. Em Natal (RN), foram iniciados os cursos de especialização de novos pilotos de transporte e de caça.

Neste ano, 24 Aspirantes-a-Oficial formados no ano passado na Academia da Força Aérea participam do curso de futuros pilotos de caça. Ao longo do ano eles serão postos à prova em aviões A-29 Super Tucano. Se obtiverem sucesso, seguirão para uma das unidades de combate da FAB, onde voarão aeronaves como o F-5, A-1, o próprio A-29 ou, em breve, o F-39 Gripen.Em meio ao período de isolamento social em todo o Brasil, a Força Aérea Brasileira não parou e conduz a formação de futuros pilotos. Em Natal (RN), foram iniciados os cursos de especialização de novos pilotos de transporte e de caça.

Neste ano, 24 Aspirantes-a-Oficial formados no ano passado na Academia da Força Aérea participam do curso de futuros pilotos de caça. Ao longo do ano eles serão postos à prova em aviões A-29 Super Tucano. Se obtiverem sucesso, seguirão para uma das unidades de combate da FAB, onde voarão aeronaves como o F-5, A-1, o próprio A-29 ou, em breve, o F-39 Gripen.


Outros 42 colegas vão passar por uma formação semelhante, mas em aeronaves C-95 Bandeirante. O foco é formar especialistas na aviação de transporte. Futuramente estarão apostos a dominar aeronaves como C-130 Hércules, C-99 e KC-390 Millenium, dentre outras.

“O preparo teórico, dedicação e padronização é primordial para o êxito ao final dos oito meses de curso”, diz o Comandante do Esquadrão Rumba, Tenente-Coronel Ailton David Cabral Júnior, um dos instrutores de C-95. Já o Tenente-Coronel José de Almeida Pimentel Neto, Comandante do Esquadrão Joker e instrutor de A-29, ressaltou a importância do jovem Aspirante dominar a aeronave. “Essa é a fase na qual os alunos aprendem o básico da operação da aeronave. Somente com esse conhecimento bem sedimentado é possível que os procedimentos saiam de maneira natural. Assim, estarão aptos a desempenharem manobras e procedimentos cada vez mais complexos nas fases futuras do curso, características da aviação de caça”, completou.

Primeira missão de caça

O próprio Tenente-Coronel Pimental foi o instrutor do primeiro voo do curso de 2020, realizado na segunda-feira, dia 13. Na nacele estava com ele o Aspirante Breno Daneliu Ficagna Tavares, que conclui com sucesso um mês de aulas teóricas sobre a aeronave A-29 Super Tucano.

Nessa fase inicial de voo, o piloto verifica o comportamento da aeronave em diversas situações de voo, seja na decolagem, no pouso, nos exercícios, nas manobras e nas acrobacias, que ajudam a desenvolver precisão e coordenação com os comandos. “O mais importante é conhecer o avião que voamos e a missão que vamos voar. Sem isso, não tem como operar da forma correta e segura”, afirmou o Aspirante.

Neste ano, além dos 24 militares da FAB, um oficial da Marinha do Brasil e um oficial da Força Aérea do Paraguai estão em Natal para participarem do curso. Mesmo os que estão há mais tempo na vida militar serão postos a prova: para conhecer o A-29 Super Tucano e as missões da aviação de caça os alunos são exigidos ao máximo nos aspectos cognitivo e psicológico. “O rigor na instrução é necessário para que, ao final, o piloto esteja preparado para atuar em todas as missões e explorar ao máximo as capacidades das aeronaves no combate”, avalia o Aspirante Ficagna.


Voo multimotor

Na quarta-feira, dia 15, foi a vez da primeira instrução do curso de aviação de transporte. Depois de voar nos treinadores T-25 Universal e T-27 Tucano na Academia da Força Aérea, o primeiro aluno a voar, Aspirante Igor Lettieri Dias, teve o desafio de dominar uma aeronave com dois motores. Na primeira fase, são realizados exercícios de adaptação a pilotagem em diversas situações, como táxi, decolagem, voo monomotor e pouso. Depois virão as missões de adaptação noturna, voo por instrumentos, navegação em rota e voo em formatura. Por fim, acontecem o pouso noturno com balizamento tático (PNBT), navegação à baixa altura, lançamento de carga e de paraquedistas.

Outro desafio para quem vai dominar grandes aeronaves é o chamado Crew Resource Management (CRM). “O gerenciamento das situações é feito em conjunto com a tripulação para tomar a melhor decisão possível, e não mais sozinho como era feito na instrução aérea na Academia da Força Aérea”, relatou o Aspirante Lettieri.

 :arrow:   https://www.edrotacultural.com.br/fab-nao-parou-e-prepara-futuros-pilotos-de-gripen-e-kc-390/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #851 em: Abril 26, 2020, 03:13:00 am »
Operação COVID-19 já envolve mais militares brasileiros que a Segunda Guerra Mundial


Citar
A Força Aérea Brasileira, o Exército e a Marinha já empregam no combate à Covid-19 mais de 29 mil militares. O número supera o contingente de 25 mil enviados à Itália para combater o nazi-fascismo, entre 1944 e 1945.

Na Operação COVID-19, o número exato de militares empenhados em ações de combate à pandemia já chega a 29.286. Além do pessoal, as Forças Armadas também já envolveram 1.022 viaturas, 102 embarcações e 27 aeronaves.


O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, destacou o emprego das Forças Armadas no enfrentamento à COVID-19 desde o resgate dos brasileiros em Wuhan, na China, com a Operação Regresso à Pátria Amada Brasil. “Trata-se de uma guerra e as Forças Armadas estão nela. Desde aquele momento, o Ministério da Defesa, com outros ministérios, tem atuado com muita força, por determinação do presidente”, disse em evento no Rio de Janeiro (RJ), na última quinta-feira (16).

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

 :arrow:  https://www.edrotacultural.com.br/operacao-covid-19-ja-envolve-mais-militares-brasileiros-que-a-segunda-guerra-mundial/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #852 em: Maio 02, 2020, 10:15:28 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #853 em: Maio 22, 2020, 04:01:22 am »
FAB irá reativar seus COMAR e comandos de Bases Aéreas


Citar
Depois de passar por uma reestruturação entre 2016 e 2018, a Força Aérea Brasileira mais uma vez irá modificar sua organização. A principal novidade é a reativação dos Comandos Aéreos Regionais (COMAR) e dos comandos de bases aéreas. E será criado um novo COMAR, com sede em Campo Grande (MS). As Alas, criadas na última reeestruturação, continuarão a existir. A conclusão para o novo processo de mudanças deve ocorrer até o fim de 2021.

De acordo com a Diretriz para o Aprimoramento da Reestruturação do Comando da Aeronáutica – Projeto Piloto (DCA 19-5/2020) o processo já começou. A mudança começa no Rio de Janeiro e no Nordeste, e depois será replicada em outras regiões do país. O principal destaque será a criação do Comando Aéreo do Oeste (COMAR VIII), em Campo Grande (MS). Os demais receberão novos nomes, parecidos com as designações dos comandos regionais do Exército Brasileiro.

O COMAR I, em Belém (PA), será o Comando Aéreo Norte. O COMAR II, no Recife (PE), terá o nome de Comando Aéreo Nordeste. O COMAR III, do Rio de Janeiro (RJ), será o Comando Aéreo Leste. O COMAR IV, em São Paulo (SP), será o Comando Aéreo Sudeste. O COMAR V, em Canoas (RS), será o Comando Aéreo Sul. Em Brasília (DF), o COMAR VI terá o nome de Comando Aéreo Planalto. Manaus (AM) será a sede do Comando Aéreo Amazônico, o COMAR VII. E, como dito acima, Campo Grande (MS) foi selecionada para receber o Comando Aéreo do Oeste, o COMAR VIII. Todos devem ser comandados por um Oficial General, prefererencialmente Major-Brigadeiro do Ar (três estrelas).

De acordo com o Comando da Aeronáutica, nova mudança acontece para “resgatar a referência e a representatividade do Comando da Aeronáutica (COMAER) no nível regional, além da separação efetiva das atividades operacionais e administrativas das Organizações da FAB”. A reestruturação iniciada em 2016 havia estabelecido a criação das Alas e dos Grupamentos de Apoio (GAP), sendo as primeiras responsáveis pela parte operacional das unidades aéreas e também pela representação regional da instituição.

As Alas continuarão a existir, porém subordinados ao respectivo Comando Aéreo Regional e reforçadas pelos novos comandos das Bases Aéreas, que haviam sido descontinuados onde há uma Ala em operação. Pelo divulgado, na fase inicial se prevê que os GAPs serão incorporados às estruturas dos novos comandos das Bases Aéreas.

De acordo com a DCA 19-5/2020, o objetivo será adequar ainda mais as Alas à atividade operacional, com redução dos encargos administrativos. A proposta inicial é de que as Alas 2 (Anápolis), 8 (Manaus) e 10 (Natal) deverão ser comandadas por Brigadeiro do Ar. As Alas 1 (Brasília), 3 (Canoas), 4 (Santa Maria), 5 (Campo Grande), 11 (Galeão) e 12 (Santa Cruz) deverão ser comandadas por Coronel Aviador e as Alas 6 (Porto Velho), 7 (Boa Vista) e 9 (Manaus) poderão ser comandadas por Tenente-Coronel Aviador.

Um resultado prático será o aumento da hierarquia regional da Força Aérea Brasileira. Em Campo Grande (MS), por exemplo, até 2015 a autoridade máxima da instituição naquela cidade era um Coronel-Aviador, com subordinação ao então Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR) e ao então COMAR IV, localizados em Brasília (DF) e em São Paulo (SP), respectivamente. Com a reestruturação de 2016, a Ala 5 passou a ser comandada por um Brigadeiro do Ar.

Agora, com a nova mudança, a cidade terá um oficial-general de três estrelas para o Comando Aéreo Oeste e um Coronel-Aviador para a Ala. O mesmo ocorrerá em Manaus, com um oficial de duas estrelas para a Ala e um de três para Comando Aéreo. Em Anápolis e Natal continuará a haver a representação de um Brigadeiro de duas estrelas, porém reforçados por seus comandantes regionais de três estrelas, em Brasília (DF) e Recife (PE).

A nova mudança não significará mudança no efetivo. Porém, serão necessárias adaptações nas sedes. O projeto-piloto, a ser iniciado já em 2020, prevê que a antiga sede do COMAR III, que havia passado à administração do DECEA, voltará a ser a sede do COMAR III. Já o Comando da Ala 12 irá ceder seu prédio para o novo Comando da Base Aérea de Santa Cruz, que absorverá o GAP-SC. O documento não deixa claro se o comando da Ala 12 funcionará no mesmo local que o comando da BASC.

No Recife, o Comando do CINDACTA III, que havia ocupado o antigo prédio do comando da BARF, volta para o CINDACTA III, pois o comando da BARF será reativado, incoporando à sua estrutura o GAP-RF. Em Natal, o GAP-NT será incoporado à estrutura regimental do novo comando da BANT. Já o comando da Ala 10 permanecerá ativo no Setor Oeste daquela área militar.

 :arrow:  https://www.edrotacultural.com.br/fab-ira-reativar-seus-comar-e-comandos-de-bases-aereas/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4938
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 338 vez(es)
  • +2644/-1904
Re: Notícias da Força Aérea Brasileira
« Responder #854 em: Maio 31, 2020, 09:07:21 pm »
Esquadrão Falcão realiza resgate de vítima de acidente em navio


Citar
A evacuação aeromédica foi realizada por um helicóptero do 1º/8º GAV - Esquadrão Falcão

O Esquadrão Falcão (1º/8º GAV), sediado na Ala 10, em Parnamirim (RN),  resgatou, nesta sexta-feira (29), um homem que sofreu acidente em um navio estrangeiro que navega na costa brasileira. O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), organização da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável pela coordenação de missões aéreas, acionou o Esquadrão após o contato do SALVAERO Recife.

Antes da decolagem do helicóptero, militares do Esquadrão de Saúde de Natal analisaram as informações recebidas  pelo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo (SALVAMAR) sobre o estado da vítima, que apresentava fratura exposta na perna esquerda. O navio, oriundo de Malta, foi localizado a cerca de 470km da costa brasileira, na direção da cidade de Natal (RN).

A aeronave H-36 Caracal decolou de Parnamirim (RN)  para Fernando de Noronha (PE), onde realizou pouso técnico e, em seguida, voou até a posição do navio para realizar o resgate. O helicóptero manteve o voo pairado enquanto os homens de resgate  SAR (do inglês Search And Rescue - Busca e Salvamento)  desceram até o convés, imobilizaram a vítima e a içaram em uma maca. Ao final, o Esquadrão transportou o paciente  para a capital do Rio Grande do Norte para receber atendimento médico especializado. Toda a operação durou aproximadamente cinco horas.

A tripulação do helicóptero, formada por 11 militares, sendo 2 pilotos, 3 operadores de equipamentos, 3 homens de resgate, 2 médicas e 1 enfermeira, usou trajes especiais para minimizar o risco de qualquer contaminação.


De acordo com o Major Aviador Átila Miranda Alves de Campos, Chefe da Seção de Operações do Esquadrão Falcão, o tempo de resposta da missão foi muito importante devido ao estado delicado de saúde da vítima, que, caso não fosse resgatado a tempo, poderia evoluir rapidamente para um quadro mais crítico.

O Sargento Diogo Ramos, homem de resgate que participou desse voo, disse que devolver a esperança à vítima lhe traz satisfação de participar de missões como essa. “Para mim, é um momento muito gratificante fazer parte disso”, destacou.

O piloto da aeronave, Tenente Aviador Alan Dickson Brito de Medeiros, falou que o momento mais difícil foi ter feito a manobra até o convés, que é um exercício mais complexo. “Nessa hora, nós temos que manter a posição do helicóptero em relação ao navio, que está em movimento, já que você precisa de certa precisão para poder fazer o embarque e o desembarque da vítima pelo guincho”, contou o piloto.


PREPARO

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da FAB realizam treinamentos constantes. Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem seu papel destacado. Como Comando Operacional encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica, também coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à Força Aérea Brasileira.

Fotos: Sargento Marcella / Ala 10

Infográfico: SDPP/CECOMSAER

 

 

Esquadrão de Demonstração Aérea - Esquadrilha da Fumaça

Iniciado por Vitor Santos

Respostas: 3
Visualizações: 637
Última mensagem Maio 03, 2019, 03:11:50 pm
por Vitor Santos
FAB e Força Aérea Portuguesa com um Caça de 5º Geração

Iniciado por Leonardo Besteiro

Respostas: 28
Visualizações: 13740
Última mensagem Outubro 04, 2015, 11:21:29 pm
por luis simoes
Reunião da Aviação de Caça (Força Aérea Brasileira)

Iniciado por jambock01

Respostas: 3
Visualizações: 2268
Última mensagem Maio 27, 2006, 11:21:18 am
por Cabeça de Martelo
Modernização da Força Aérea Brasileira

Iniciado por silversantis

Respostas: 50
Visualizações: 24865
Última mensagem Junho 22, 2011, 05:40:41 pm
por HSMW