A330 MRTT para a FAP ?

  • 155 Respostas
  • 5849 Visualizações
*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 6557
  • Recebeu: 2919 vez(es)
  • Enviou: 1500 vez(es)
  • +1385/-101
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #45 em: Julho 13, 2020, 06:53:29 pm »
Transportar m113 só se for de Santa Margarida para o Algarve para meter os "bifes na ordem" que para pouco mais servem. Agora o que me parte todo é AWACS (nomeadamente o E3) que em só em 1998 custava 270 milhões usd (e um serve para muito). Já agora, aplicações do MRTT numa nação que não tem por exemplo Lpd...  ::) ::)

















Cumprimentos

Mafets, nem vale a pena, Santa ignorância, é o que é com que então M113, Leopards, e Vamtacs, é só para isso que servirão os MRTT's, só para que conste, nenhum MRTT, consegue transportar uma viatura de 10 tons, pois as posições de carga não o permitem, quanto mais um Leo, mas explicar isso a algumas pessoas é muito dificil, se não entendem as diferenças entre  capacitado vs certificado, iriam lá agora entender o que significa a limitação de peso por estação/posição de carga, numa aeronave.

As valências dos MRTT's são um espanto, só de imaginar o que num voo se consegue transportar em termos de tipologias de carga e por exemplo, no voo de regresso, sem qualquer perda de tempo a adaptar a aeronave, qual KC390, efectuar o AAR a qualquer aeronave da FAP, com sistema de AAR, pois o MRTT vem equipado, com os dois sistemas de reabastecimento em serviço, maravilha !!!

Cheguei a ver por dentro um 310 MRTT, e imagino como serão os 330, um espanto

Abraços
« Última modificação: Julho 13, 2020, 06:56:46 pm por tenente »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3253
  • Recebeu: 740 vez(es)
  • Enviou: 164 vez(es)
  • +158/-62
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #46 em: Julho 13, 2020, 06:56:56 pm »
Vamos ser realistas ok...Portugal nao precisa deste tipo de aeronave ....aviao reabastecedor e transporte para as necessidades actuais que Portugal tem é insustentavel ter cá o mesmo e explico...o maffets ....o Dc entre outros esquecem que Portugal nao é uma Franca uma Alemanha uma Turquia ok ,,,primeiro nao temos dinheiro para loucuras deste genero,depois nos teatros actuais era este O MRTT que iria transportar Pandur?????Leopards....????M113?????uro vaMtacs????pah sejamos minimamente realistas e as Lajes e Porto Santo servem para que?????que eu saiba as mesmas sao estrategicas para este tipo de Missao...dar apoio reabastecer aeronaves vindas do continente correcto pergunto eu que ´nao entendo nada disto queremos aqui o MRTT para estar no Hangar e só de vez em quando sai para reabastecer os F-16 que nao passam da lituania?????pah acho que querem por Portugal muito acima daquilo que ele é e pode ser....os C130 ficavam no hangar?????os KC ficavam no hangar?????pah o MRTT faz tudo o que estes fazem mas peca numa coisa ...consome muito combustivel.....iria ser usado esporádicamente e é limitado no acomodar de meios  de tamanho L/XL...portanto e o custo deste?????200/300 milhoes????mais caro que um KC 310 é garantido ....nah 100 milhoes onde está esse numero ????e quantos defendem aqui os meus colegas 2/3 1????pois atrás destes 100 milhoes, amigos, existe o resto...um simulador....a aquisicao de sobresselentes.....manutencao do mesmo....criacao e preparacao de equipas de operacao....entre mais....enfim estamos a falar de valores proximos dos 200/300 milhoes por unidade/sobresselentes simulador etc....já aqui me atacaram que os P3 nao estao ultrapassados coisa nenhuma....por isso os ingleses os americanos os australianos ja estao ha muito a equipar com P8 e quando eu disse que os mesmos estavam a ficar já ligeiramente ultrapassados é a pura realidade Portugal anda no minimo com 10/15 de atraso relativamente a quem tem esta mesma plataforma é natural o que para nos hoje é otimo para nossos aliados é ultrapassado....e basta ver as mais valias do P8 poseidon....que nem vou expor aqui mas que dá um banho de bola ao P3 ui ui....lá longe ok....sei o que digo tambem me informo.....mais alguem aqui defendeu e bem a vinda de uma aeronave AWACS isso sim um E3 sentry.....ou já que falam muito da Embraer vejam o que por lá eles teem para este tipo de missao isto sim ....,antes este tipo do que um aviao reabastecedor/transporte de Mercadorias isso até o Kc390 faz ou um A400M....enfim.....KC130J----é me igual....para mim e realidade doa a quem doer defendo mais aeronaves nao tripuladas....UAVS....um Radar No Pico....e outro nas Lajes e a vinda de um AWACS.....mais daria tudo para ter mais um submarino aqui destacado permanentemente nos arquipelagos....isto sim faz cá mais falta do que um MRTT....

Vamos ser realistas, ter uma frota de duas aeronaves como os MRTT, não afundava o país. Gastam mais a manter relíquias com 50 a voar/navegar, do que nestas duas aeronaves.

Em segundo lugar, nos "teatros actuais" não tem era o MRTT a transportar esses veículos, tal como não é o C-130 nem será o KC, pois estes serviços têm sido encomendados a privados. Este argumento está completamente refutado, sem sequer falar que o MRTT não é para o lugar dos C-130, mas sim uma aeronave nova, para funções novas. No entanto alguém acha que são cargueiros.

Eu nem vou falar no transporte de Leopards que você enumerou... É que nenhuma aeronave na história da aviação nacional, nem nada do que se planeie comprar nos próximos milénios, é capaz de transportar esses CC. Mas algures na sua mente o 390 deve conseguir...  ::)

As Lajes e o Porto Santo são bases que precisam de ser protegidas dado o seu valor estratégico e táctico. E o MRTT permite que os F-16 o façam sem ter que se destacar nos respectivos arquipélagos mais caças. Não é por nada, mas o custo de destacar lá caças não ficaria propriamente baixo.

A história do MRTT ficar no hangar e só sair para abastecer F-16, é para rir, ou revela apenas ignorância/falta de vontade em perceber as demais missões que esta aeronave pode desempenhar.

O MRTT fica no hangar tanto tempo como um KC ou um C-130. Se calhar até ficava surpreendido com a quantidade de missões que esta aeronave aliviava da frota de cargueiros da FAP. É perguntar com que frequência os Cs e os futuros KCs transportam mais de 10 toneladas num voo. Se calhar é uma das razões por o pessoal preferir à redução do número de KC de para 3, e ganhar 2 MRTT para valências completamente novas.

E o MRTT consome muito combustível.  :mrgreen:
Estamos a falar de um A330 ou de um B-1? Agora fiquei baralhado!  ::)

Acho irónico falar dos custos de 2 MRTT, mas não ter problema nenhum com o preço dos KC e até defender a vinda do sexto avião... Afinal em que ficamos?

Deixe lá os P-3 em paz. Se não estou em erro, os nossos são de um padrão acima dos dos países que mencionou, e aguentam 10 anos ainda. Mas já que fala nos P-8, vá lá ver que método de abastecimento estas aeronaves usam... Quando vir, então o MRTT não abastecia do os F-16 e voltava para o hangar?

AWACS era bom sim, mas um E-3 será certamente mais caro de manter e operar que um MRTT, e antes de falarmos do E-3, existem outras opções mais baratas, como o E-99 da Embraer, ou até o C-295 AEW... Mas a prioridade ainda seria o MRTT, dada a sua multifuncionalidade.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 6557
  • Recebeu: 2919 vez(es)
  • Enviou: 1500 vez(es)
  • +1385/-101
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #47 em: Julho 13, 2020, 07:06:25 pm »
Vamos ser realistas ok...Portugal nao precisa deste tipo de aeronave ....aviao reabastecedor e transporte para as necessidades actuais que Portugal tem é insustentavel ter cá o mesmo e explico...o maffets ....o Dc entre outros esquecem que Portugal nao é uma Franca uma Alemanha uma Turquia ok ,,,primeiro nao temos dinheiro para loucuras deste genero,depois nos teatros actuais era este O MRTT que iria transportar Pandur?????Leopards....????M113?????uro vaMtacs????pah sejamos minimamente realistas e as Lajes e Porto Santo servem para que?????que eu saiba as mesmas sao estrategicas para este tipo de Missao...dar apoio reabastecer aeronaves vindas do continente correcto pergunto eu que ´nao entendo nada disto queremos aqui o MRTT para estar no Hangar e só de vez em quando sai para reabastecer os F-16 que nao passam da lituania?????pah acho que querem por Portugal muito acima daquilo que ele é e pode ser....os C130 ficavam no hangar?????os KC ficavam no hangar?????pah o MRTT faz tudo o que estes fazem mas peca numa coisa ...consome muito combustivel.....iria ser usado esporádicamente e é limitado no acomodar de meios  de tamanho L/XL...portanto e o custo deste?????200/300 milhoes????mais caro que um KC 310 é garantido ....nah 100 milhoes onde está esse numero ????e quantos defendem aqui os meus colegas 2/3 1????pois atrás destes 100 milhoes, amigos, existe o resto...um simulador....a aquisicao de sobresselentes.....manutencao do mesmo....criacao e preparacao de equipas de operacao....entre mais....enfim estamos a falar de valores proximos dos 200/300 milhoes por unidade/sobresselentes simulador etc....já aqui me atacaram que os P3 nao estao ultrapassados coisa nenhuma....por isso os ingleses os americanos os australianos ja estao ha muito a equipar com P8 e quando eu disse que os mesmos estavam a ficar já ligeiramente ultrapassados é a pura realidade Portugal anda no minimo com 10/15 de atraso relativamente a quem tem esta mesma plataforma é natural o que para nos hoje é otimo para nossos aliados é ultrapassado....e basta ver as mais valias do P8 poseidon....que nem vou expor aqui mas que dá um banho de bola ao P3 ui ui....lá longe ok....sei o que digo tambem me informo.....mais alguem aqui defendeu e bem a vinda de uma aeronave AWACS isso sim um E3 sentry.....ou já que falam muito da Embraer vejam o que por lá eles teem para este tipo de missao isto sim ....,antes este tipo do que um aviao reabastecedor/transporte de Mercadorias isso até o Kc390 faz ou um A400M....enfim.....KC130J----é me igual....para mim e realidade doa a quem doer defendo mais aeronaves nao tripuladas....UAVS....um Radar No Pico....e outro nas Lajes e a vinda de um AWACS.....mais daria tudo para ter mais um submarino aqui destacado permanentemente nos arquipelagos....isto sim faz cá mais falta do que um MRTT....

Vamos ser realistas, ter uma frota de duas aeronaves como os MRTT, não afundava o país. Gastam mais a manter relíquias com 50 a voar/navegar, do que nestas duas aeronaves.

Em segundo lugar, nos "teatros actuais" não tem era o MRTT a transportar esses veículos, tal como não é o C-130 nem será o KC, pois estes serviços têm sido encomendados a privados. Este argumento está completamente refutado, sem sequer falar que o MRTT não é para o lugar dos C-130, mas sim uma aeronave nova, para funções novas. No entanto alguém acha que são cargueiros.

Eu nem vou falar no transporte de Leopards que você enumerou... É que nenhuma aeronave na história da aviação nacional, nem nada do que se planeie comprar nos próximos milénios, é capaz de transportar esses CC. Mas algures na sua mente o 390 deve conseguir...  ::)

As Lajes e o Porto Santo são bases que precisam de ser protegidas dado o seu valor estratégico e táctico. E o MRTT permite que os F-16 o façam sem ter que se destacar nos respectivos arquipélagos mais caças. Não é por nada, mas o custo de destacar lá caças não ficaria propriamente baixo.

A história do MRTT ficar no hangar e só sair para abastecer F-16, é para rir, ou revela apenas ignorância/falta de vontade em perceber as demais missões que esta aeronave pode desempenhar.

O MRTT fica no hangar tanto tempo como um KC ou um C-130. Se calhar até ficava surpreendido com a quantidade de missões que esta aeronave aliviava da frota de cargueiros da FAP. É perguntar com que frequência os Cs e os futuros KCs transportam mais de 10 toneladas num voo. Se calhar é uma das razões por o pessoal preferir à redução do número de KC de para 3, e ganhar 2 MRTT para valências completamente novas.

E o MRTT consome muito combustível.  :mrgreen:
Estamos a falar de um A330 ou de um B-1? Agora fiquei baralhado!  ::)

Acho irónico falar dos custos de 2 MRTT, mas não ter problema nenhum com o preço dos KC e até defender a vinda do sexto avião... Afinal em que ficamos?

Deixe lá os P-3 em paz. Se não estou em erro, os nossos são de um padrão acima dos dos países que mencionou, e aguentam 10 anos ainda. Mas já que fala nos P-8, vá lá ver que método de abastecimento estas aeronaves usam... Quando vir, então o MRTT não abastecia do os F-16 e voltava para o hangar?

AWACS era bom sim, mas um E-3 será certamente mais caro de manter e operar que um MRTT, e antes de falarmos do E-3, existem outras opções mais baratas, como o E-99 da Embraer, ou até o C-295 AEW... Mas a prioridade ainda seria o MRTT, dada a sua multifuncionalidade.

DC, Bulls eye, na mouche !!

DC, Ainda comecei a elencar, os pontos a rebater num post, mas não vale a pena perder tempo, não há pachorra, é um desperdício, ainda bem que te antecipaste, obrigado.

Abraços 
« Última modificação: Julho 13, 2020, 07:08:13 pm por tenente »
 

*

luis simoes

  • Perito
  • **
  • 372
  • Recebeu: 6 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +1/-140
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #48 em: Julho 13, 2020, 07:45:48 pm »
Transportar m113 só se for de Santa Margarida para o Algarve para meter os "bifes na ordem" que para pouco mais servem. Agora o que me parte todo é AWACS (nomeadamente o E3) que em só em 1998 custava 270 milhões usd (e um serve para muito). Já agora, aplicações do MRTT numa nação que não tem por exemplo Lpd...  ::) ::)

















Cumprimentos
Mafets eu so enumerei alguns meios que Portugal dispoe e que hipoteticamente seriam enviados para um teatro de operacoes de guerra....mas temos Pandur uro vamtac e certamente no Mrtt nao cabem só dei um exemplo ....que nao é mais que a realidade....falei duma aeronave AWAC....e dei esse exemplo do Sentry mas nao precisas ir muito longe vais ao Brasil compra por lá uns Embraer 99 e essa situacao dos 200/300 milhoes é  rapidamente apagada da tua resposta dada á minha resposta....este embraer tem autonomia de ate 6 h na mesma area a ser patrulhada detecta até 300 alvos em simultaneo a distancias de até 350 klms ... pode voar tambem até abaixo dos  70  metros de altitude e te garanto que nao custa esses 200/300 milhoes,,,,
cumprimetos
« Última modificação: Julho 13, 2020, 07:53:33 pm por luis simoes »
 

*

luis simoes

  • Perito
  • **
  • 372
  • Recebeu: 6 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +1/-140
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #49 em: Julho 13, 2020, 08:03:58 pm »
o pessoal aqui poe coisas nas respostas que supostamente eu dei ...alguma vez eu disse que o MRTT poderia levar M113????Pandur????uro vamtac???estamos a falar de um aviao reabastecedor e de transporte....nada mais que isso tirando obviamente outras valencias que o mesmo pode faxer....como evacuacao medica....transporte de Militares ....e simplesmente Portugal nao precisa de ter este tipo de Aeronave neste momento....nao me parece ser uma boa aquisicao....quanto aos UAVs.....quanto aos Radares que para mim deveriam de ser colocados fosse no Pico....fosse onde fosse deveriamos de investir no Patrulhamento nestes arquipelagos com este tipo de equipamento....mais e sublinho uma aeronave para complementar a vasta area com caracteristicas AEW/AWAC existe no mercado em conta ....mas segundo consta Portugal irá ter tambem finalmente  um Satelite num futuro proximo portanto isto sim ha muito que deviamos de ter....e defendo mais um submarino caso a plataforma continental seja aceite e entregue á responsabilidade de Portugal isto é o que eu acho.....e obviamente mais NPO.....a Patrulhar esta area tambem segundo consta mais seis virao para se juntarem aos já existentes....
 

*

luis simoes

  • Perito
  • **
  • 372
  • Recebeu: 6 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +1/-140
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #50 em: Julho 13, 2020, 08:08:13 pm »
A encomenda nunca havia de ter mudado de 3 Ka-cês e 2 A400.

Nunca ouve essa encomenda.

Nunca, se bem que o Cravinho andou pela Alemanha esta semana.
Veio ver os H145M......ou os Blackhawks.....palpita.me
 

*

luis simoes

  • Perito
  • **
  • 372
  • Recebeu: 6 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +1/-140
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #51 em: Julho 13, 2020, 08:27:41 pm »
Vamos ser realistas ok...Portugal nao precisa deste tipo de aeronave ....aviao reabastecedor e transporte para as necessidades actuais que Portugal tem é insustentavel ter cá o mesmo e explico...o maffets ....o Dc entre outros esquecem que Portugal nao é uma Franca uma Alemanha uma Turquia ok ,,,primeiro nao temos dinheiro para loucuras deste genero,depois nos teatros actuais era este O MRTT que iria transportar Pandur?????Leopards....????M113?????uro vaMtacs????pah sejamos minimamente realistas e as Lajes e Porto Santo servem para que?????que eu saiba as mesmas sao estrategicas para este tipo de Missao...dar apoio reabastecer aeronaves vindas do continente correcto pergunto eu que ´nao entendo nada disto queremos aqui o MRTT para estar no Hangar e só de vez em quando sai para reabastecer os F-16 que nao passam da lituania?????pah acho que querem por Portugal muito acima daquilo que ele é e pode ser....os C130 ficavam no hangar?????os KC ficavam no hangar?????pah o MRTT faz tudo o que estes fazem mas peca numa coisa ...consome muito combustivel.....iria ser usado esporádicamente e é limitado no acomodar de meios  de tamanho L/XL...portanto e o custo deste?????200/300 milhoes????mais caro que um KC 310 é garantido ....nah 100 milhoes onde está esse numero ????e quantos defendem aqui os meus colegas 2/3 1????pois atrás destes 100 milhoes, amigos, existe o resto...um simulador....a aquisicao de sobresselentes.....manutencao do mesmo....criacao e preparacao de equipas de operacao....entre mais....enfim estamos a falar de valores proximos dos 200/300 milhoes por unidade/sobresselentes simulador etc....já aqui me atacaram que os P3 nao estao ultrapassados coisa nenhuma....por isso os ingleses os americanos os australianos ja estao ha muito a equipar com P8 e quando eu disse que os mesmos estavam a ficar já ligeiramente ultrapassados é a pura realidade Portugal anda no minimo com 10/15 de atraso relativamente a quem tem esta mesma plataforma é natural o que para nos hoje é otimo para nossos aliados é ultrapassado....e basta ver as mais valias do P8 poseidon....que nem vou expor aqui mas que dá um banho de bola ao P3 ui ui....lá longe ok....sei o que digo tambem me informo.....mais alguem aqui defendeu e bem a vinda de uma aeronave AWACS isso sim um E3 sentry.....ou já que falam muito da Embraer vejam o que por lá eles teem para este tipo de missao isto sim ....,antes este tipo do que um aviao reabastecedor/transporte de Mercadorias isso até o Kc390 faz ou um A400M....enfim.....KC130J----é me igual....para mim e realidade doa a quem doer defendo mais aeronaves nao tripuladas....UAVS....um Radar No Pico....e outro nas Lajes e a vinda de um AWACS.....mais daria tudo para ter mais um submarino aqui destacado permanentemente nos arquipelagos....isto sim faz cá mais falta do que um MRTT....

Vamos ser realistas, ter uma frota de duas aeronaves como os MRTT, não afundava o país. Gastam mais a manter relíquias com 50 a voar/navegar, do que nestas duas aeronaves.

Em segundo lugar, nos "teatros actuais" não tem era o MRTT a transportar esses veículos, tal como não é o C-130 nem será o KC, pois estes serviços têm sido encomendados a privados. Este argumento está completamente refutado, sem sequer falar que o MRTT não é para o lugar dos C-130, mas sim uma aeronave nova, para funções novas. No entanto alguém acha que são cargueiros.

Eu nem vou falar no transporte de Leopards que você enumerou... É que nenhuma aeronave na história da aviação nacional, nem nada do que se planeie comprar nos próximos milénios, é capaz de transportar esses CC. Mas algures na sua mente o 390 deve conseguir...  ::)

As Lajes e o Porto Santo são bases que precisam de ser protegidas dado o seu valor estratégico e táctico. E o MRTT permite que os F-16 o façam sem ter que se destacar nos respectivos arquipélagos mais caças. Não é por nada, mas o custo de destacar lá caças não ficaria propriamente baixo.

A história do MRTT ficar no hangar e só sair para abastecer F-16, é para rir, ou revela apenas ignorância/falta de vontade em perceber as demais missões que esta aeronave pode desempenhar.

O MRTT fica no hangar tanto tempo como um KC ou um C-130. Se calhar até ficava surpreendido com a quantidade de missões que esta aeronave aliviava da frota de cargueiros da FAP. É perguntar com que frequência os Cs e os futuros KCs transportam mais de 10 toneladas num voo. Se calhar é uma das razões por o pessoal preferir à redução do número de KC de para 3, e ganhar 2 MRTT para valências completamente novas.

E o MRTT consome muito combustível.  :mrgreen:
Estamos a falar de um A330 ou de um B-1? Agora fiquei baralhado!  ::)

Acho irónico falar dos custos de 2 MRTT, mas não ter problema nenhum com o preço dos KC e até defender a vinda do sexto avião... Afinal em que ficamos?

Deixe lá os P-3 em paz. Se não estou em erro, os nossos são de um padrão acima dos dos países que mencionou, e aguentam 10 anos ainda. Mas já que fala nos P-8, vá lá ver que método de abastecimento estas aeronaves usam... Quando vir, então o MRTT não abastecia do os F-16 e voltava para o hangar?

AWACS era bom sim, mas um E-3 será certamente mais caro de manter e operar que um MRTT, e antes de falarmos do E-3, existem outras opções mais baratas, como o E-99 da Embraer, ou até o C-295 AEW... Mas a prioridade ainda seria o MRTT, dada a sua multifuncionalidade.
DC quanto ao abastecimento dos P8 nao te atrapalhes que eles no continente abastecem o suficiente para fazer uns bons milhares de klms.... nao te atrapalhes com isso ,,,,o MRTT  nao fará grande diferenca para Portugal como somos mais pequenos a gente aguenta se com os KC  para se reabastecerem  entre eles, o que aumenta significativamente seu alcance ,,,sei que tens um odio terrivel pelo aviao mas deixa lá o mesmo, ainda nem sequer chegou....e quando chegar serás dos primeiros a ir ve.lo  :mrgreen:assim como eu e muitos mais aqui.....
Quanto ao transporte dos nossos meios sei que ha muito recorremos ou a privados ou aos aliados para nos fazer esse transporte mas ai sim ...defendia antes um meio que tivesse essas capacidades para poder transportar meios acima das 20 toneladas...mas nao estou a ver Portugal a comprar este tipo de Meio.... mais uma vez o mesmo teria que ser feito atraves do Mar  ou pelos já atrás citados....resumindo aqui cada um defende e quer o melhor para nossas FA e eu sou mais um...portanto bom forum lancem novos tópicos a gente tá cá para debater....
« Última modificação: Julho 13, 2020, 08:38:11 pm por luis simoes »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 6557
  • Recebeu: 2919 vez(es)
  • Enviou: 1500 vez(es)
  • +1385/-101
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #52 em: Julho 13, 2020, 08:59:59 pm »
fabuloso :rir: :rir: :rir: :rir: :rir:, sim senhor do melhor.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8355
  • Recebeu: 958 vez(es)
  • Enviou: 1118 vez(es)
  • +134/-44
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #53 em: Julho 13, 2020, 09:39:20 pm »
Eu não sou contra os MRTT, até são aeronaves com capacidades interessantes, o que me parece é que reduzir a utilidade delas às ilhas um sub-aproveitamento, para mim são aeronaves para projecção fora da nossa área, para Africa, médio-oriente, etc.

Antes de mais, os meios de defesa dos Açores estarem dependentes de lá poderem aterrar para reabastecer, é suicídio estratégico. Um míssil de cruzeiro que destrua as pistas, et voilá, seremos incapazes de defender este arquipélago. E até parece que uma aeronave "invasora" vai esperar que os nossos aviões abasteçam nas Lajes.

Depois, a inexistência de um radar nos Açores já devia ter sido resolvida há muito tempo. Mas mesmo assim, nem era preciso o típico edifício com um radar gigante, algo como o Giraffe AMB ou o 4A resolviam parte do problema.

Mas mesmo um radar em terra não resolvia o problema na totalidade, um radar como os que temos para controlo de espaço aéreo têm um alcance que supostamente ronda os 300/400km, mesmo que arredondemos para 500km, um Bear em aproximação às Lajes à velocidade de cruzeiro, demorava menos de uma hora a lá chegar desde a sua detecção, nem dava tempo para os F-16 irem do continente até lá para os interceptar. Mas já estou a divagar.

Voltando à detecção de ameaças, no caso de aeronaves militares, geralmente a FAP é informada por aliados da NATO da presença de aeronaves militares na zona, e só assim conseguiria interceptar.
Por outro lado, no caso específico dos Açores, a maior ameaça seria de aeronaves vindas do Sul, pois não há aliados que nos sirvam de "aviso antecipado".

Sim, era ai que eu ia chegar, qualquer ameaça do norte é primeiro detectada pela Noruega e Reino Unido, por isso não somos completamente apanhados com as calças na mão, não é o ideal mas é o que temos, no sul também não há grandes capacidades, o Brasil?

E em relação a um possível ataque de bombardeiro Bear, isso também seria um suicidio do ponto de vista russo não é? É que esse bombardeiro se atacar os Açores, no caminho de regresso tem metade da NATO à espera.

Citar
Mas ironicamente, a falta de meios de vigilância do espaço aéreo dos Açores, reforça ainda mais a necessidade que navios como NPOs tenham radares que permitam uma capacidade de busca aérea decente (50 a 100km).

Sim, seria uma boa ideia.

Citar
Voltando ao MRTT, é preciso ver que não teríamos um MRTT numa espécie de QRA, nos mesmos moldes que os F-16, teríamos sim um numa prontidão de talvez 2/3 horas para apoiar os F-16 se necessário. Às vezes podia ser a diferença entre os nossos caças conseguirem regressar à base.

Dou até um exemplo hipotético. Lançamos os F-16 para interceptar uma aeronave militar, as coisas dão para o torto e os nossos caças são obrigados a largar os drop tanks (menos peso e arrasto) para executar manobras de combate. Sem os drop tanks, e se os F-16 estivessem demasiado longe de qualquer base, o MRTT permitia que voltassem a casa. E isto para mim tem uma importância estratégica enorme.

Não sei como é que os pilotos de F16 fazem as contas, mas devem ter em conta possíveis locais de aterragem alternativos para não caírem no mar, nem que sejam civis, como aeroporto de Ponta Delgada ou Funchal ou Porto, mas entendo se um reabastecedor entrar na equação permite uma folga maior, temos é que ter a certeza que ele chega a tempo de safar os caças no meio do Atlântico, senão quem os safa é o EH101 ou o NPO numa missão SAR por se terem ejectado.
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3253
  • Recebeu: 740 vez(es)
  • Enviou: 164 vez(es)
  • +158/-62
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #54 em: Julho 13, 2020, 11:53:03 pm »
DC quanto ao abastecimento dos P8 nao te atrapalhes que eles no continente abastecem o suficiente para fazer uns bons milhares de klms.... nao te atrapalhes com isso ,,,,o MRTT  nao fará grande diferenca para Portugal como somos mais pequenos a gente aguenta se com os KC  para se reabastecerem  entre eles, o que aumenta significativamente seu alcance ,,,sei que tens um odio terrivel pelo aviao mas deixa lá o mesmo, ainda nem sequer chegou....e quando chegar serás dos primeiros a ir ve.lo  :mrgreen:assim como eu e muitos mais aqui.....
Quanto ao transporte dos nossos meios sei que ha muito recorremos ou a privados ou aos aliados para nos fazer esse transporte mas ai sim ...defendia antes um meio que tivesse essas capacidades para poder transportar meios acima das 20 toneladas...mas nao estou a ver Portugal a comprar este tipo de Meio.... mais uma vez o mesmo teria que ser feito atraves do Mar  ou pelos já atrás citados....resumindo aqui cada um defende e quer o melhor para nossas FA e eu sou mais um...portanto bom forum lancem novos tópicos a gente tá cá para debater....

Tens toda a razão, os americanos foram uns burros por incluir tal capacidade no P-8. No fim de contas, em missões de SAR ou ASW por exemplo, não há vantagem absolutamente nenhuma em ter capacidade de manter uma aeronave a voar numa determinada aérea durante mais tempo.  ::)
Nem falo no potencial que o binómio MRTT/P-8 pode ter na projecção de força, podendo ser um meio vital na protecção de uma força naval nacional, entre outras missões.

Já agora, se o MRTT, com todo o seu leque de missões e capacidades, não tem grande vantagem para a FAP, o KC, com os seus 12% de capacidade carga a mais face ao C-130, já trás grandes vantagens? Nem fale da capacidade AAR, pois temos apenas 4 Merlin que abastecem com aquele método, e mesmo assim nem os nossos helis, nem os seus pilotos, nem o KC-390 estão ainda certificados para o fazer.

E essa tanga dos KC reabastecerem entre eles é um pouco... Uma não-vantagem, e apenas prova a falta de alcance do KC, mas também a falta de lógica de se enviar 2 KC para fazer o trabalho de 1 A-400M. Mesmo ignorando o A-400 da equação, fazia mais sentido enviar um MRTT para abastecer o KC-390, pois tem mais alcance e pode ainda levar tropas lá dentro até ao TO.

Não é preciso odiar o KC, basta ver o valor desta aquisição face aos ganhos em capacidades que a FAP (não) vai ter. Para mim ~12% mais de capacidade de carga, não compensam os 850 milhões. Já o MRTT, que não substitui os C-130, ganha em tudo face ao KC, excepto na capacidade de carga. Todas as outras capacidades desta aeronave são um acréscimo para a FAP, e só não vê, quem não quer.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, tenente

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3253
  • Recebeu: 740 vez(es)
  • Enviou: 164 vez(es)
  • +158/-62
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #55 em: Julho 14, 2020, 12:13:52 am »
Eu não sou contra os MRTT, até são aeronaves com capacidades interessantes, o que me parece é que reduzir a utilidade delas às ilhas um sub-aproveitamento, para mim são aeronaves para projecção fora da nossa área, para Africa, médio-oriente, etc.

Antes de mais, os meios de defesa dos Açores estarem dependentes de lá poderem aterrar para reabastecer, é suicídio estratégico. Um míssil de cruzeiro que destrua as pistas, et voilá, seremos incapazes de defender este arquipélago. E até parece que uma aeronave "invasora" vai esperar que os nossos aviões abasteçam nas Lajes.

Depois, a inexistência de um radar nos Açores já devia ter sido resolvida há muito tempo. Mas mesmo assim, nem era preciso o típico edifício com um radar gigante, algo como o Giraffe AMB ou o 4A resolviam parte do problema.

Mas mesmo um radar em terra não resolvia o problema na totalidade, um radar como os que temos para controlo de espaço aéreo têm um alcance que supostamente ronda os 300/400km, mesmo que arredondemos para 500km, um Bear em aproximação às Lajes à velocidade de cruzeiro, demorava menos de uma hora a lá chegar desde a sua detecção, nem dava tempo para os F-16 irem do continente até lá para os interceptar. Mas já estou a divagar.

Voltando à detecção de ameaças, no caso de aeronaves militares, geralmente a FAP é informada por aliados da NATO da presença de aeronaves militares na zona, e só assim conseguiria interceptar.
Por outro lado, no caso específico dos Açores, a maior ameaça seria de aeronaves vindas do Sul, pois não há aliados que nos sirvam de "aviso antecipado".

Sim, era ai que eu ia chegar, qualquer ameaça do norte é primeiro detectada pela Noruega e Reino Unido, por isso não somos completamente apanhados com as calças na mão, não é o ideal mas é o que temos, no sul também não há grandes capacidades, o Brasil?

E em relação a um possível ataque de bombardeiro Bear, isso também seria um suicidio do ponto de vista russo não é? É que esse bombardeiro se atacar os Açores, no caminho de regresso tem metade da NATO à espera.

Citar
Mas ironicamente, a falta de meios de vigilância do espaço aéreo dos Açores, reforça ainda mais a necessidade que navios como NPOs tenham radares que permitam uma capacidade de busca aérea decente (50 a 100km).

Sim, seria uma boa ideia.

Citar
Voltando ao MRTT, é preciso ver que não teríamos um MRTT numa espécie de QRA, nos mesmos moldes que os F-16, teríamos sim um numa prontidão de talvez 2/3 horas para apoiar os F-16 se necessário. Às vezes podia ser a diferença entre os nossos caças conseguirem regressar à base.

Dou até um exemplo hipotético. Lançamos os F-16 para interceptar uma aeronave militar, as coisas dão para o torto e os nossos caças são obrigados a largar os drop tanks (menos peso e arrasto) para executar manobras de combate. Sem os drop tanks, e se os F-16 estivessem demasiado longe de qualquer base, o MRTT permitia que voltassem a casa. E isto para mim tem uma importância estratégica enorme.

Não sei como é que os pilotos de F16 fazem as contas, mas devem ter em conta possíveis locais de aterragem alternativos para não caírem no mar, nem que sejam civis, como aeroporto de Ponta Delgada ou Funchal ou Porto, mas entendo se um reabastecedor entrar na equação permite uma folga maior, temos é que ter a certeza que ele chega a tempo de safar os caças no meio do Atlântico, senão quem os safa é o EH101 ou o NPO numa missão SAR por se terem ejectado.

Mas nós aqui temos só falado ainda da parte mais "normal" dentro das missões da FAP. E quanto muito a questão de reabastecer outras aeronaves numa perspectiva "defensiva". Obviamente se analisarmos a coisa numa perspectiva "ofensiva", esta aeronave soma ainda mais pontos. Basicamente ganhamos capacidade de projecção de meios de combate aéreo, actualmente os F-16, para fora do nosso território. No futuro, possivelmente com F-35, em que o seu raio de acção estará sempre limitado pela necessidade ou não de manter a furtividade, o MRTT é outra grande mais valia.

Mas lá estou eu a pensar de forma estratégica.  :bang:

Já agora, os russos com um pouco de Vodka no sangue, fazem tudo. Em caso hipotético de conflito (único cenário previsível de eles atacaram as Lajes), dada a importância estratégica que este arquipélago tem pela sua posição geográfica, seria sempre uma vitória.

Do Sul, não só não creio que os brasileiros detectassem a ameaça, como não me parece que fosse a ameaça de um simples bombardeiro. Acho mais "plausível" um porta-aviões chinês com uns caças, caso a "coisa aqueça", do que um bombardeiro russo.

A questão é que se os pilotos de F-16 tiverem que se comprometer numa situação de combate, esta poderá ocorrer longe de qualquer uma das bases. E se não houver combustível suficiente, não têm outra solução.

E o MRTT tem inclusive outras valências, como COMINT, SIGINT e ELINT, além das já mencionadas neste tópico.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 6557
  • Recebeu: 2919 vez(es)
  • Enviou: 1500 vez(es)
  • +1385/-101
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #56 em: Julho 14, 2020, 05:11:34 am »
DC quanto ao abastecimento dos P8 nao te atrapalhes que eles no continente abastecem o suficiente para fazer uns bons milhares de klms.... nao te atrapalhes com isso ,,,,o MRTT  nao fará grande diferenca para Portugal como somos mais pequenos a gente aguenta se com os KC  para se reabastecerem  entre eles, o que aumenta significativamente seu alcance ,,,sei que tens um odio terrivel pelo aviao mas deixa lá o mesmo, ainda nem sequer chegou....e quando chegar serás dos primeiros a ir ve.lo  :mrgreen:assim como eu e muitos mais aqui.....
Quanto ao transporte dos nossos meios sei que ha muito recorremos ou a privados ou aos aliados para nos fazer esse transporte mas ai sim ...defendia antes um meio que tivesse essas capacidades para poder transportar meios acima das 20 toneladas...mas nao estou a ver Portugal a comprar este tipo de Meio.... mais uma vez o mesmo teria que ser feito atraves do Mar  ou pelos já atrás citados....resumindo aqui cada um defende e quer o melhor para nossas FA e eu sou mais um...portanto bom forum lancem novos tópicos a gente tá cá para debater....

Tens toda a razão, os americanos foram uns burros por incluir tal capacidade no P-8. No fim de contas, em missões de SAR ou ASW por exemplo, não há vantagem absolutamente nenhuma em ter capacidade de manter uma aeronave a voar numa determinada aérea durante mais tempo.  ::)
Nem falo no potencial que o binómio MRTT/P-8 pode ter na projecção de força, podendo ser um meio vital na protecção de uma força naval nacional, entre outras missões.

Já agora, se o MRTT, com todo o seu leque de missões e capacidades, não tem grande vantagem para a FAP, o KC, com os seus 12% de capacidade carga a mais face ao C-130, já trás grandes vantagens? Nem fale da capacidade AAR, pois temos apenas 4 Merlin que abastecem com aquele método, e mesmo assim nem os nossos helis, nem os seus pilotos, nem o KC-390 estão ainda certificados para o fazer.

E essa tanga dos KC reabastecerem entre eles é um pouco... Uma não-vantagem, e apenas prova a falta de alcance do KC, mas também a falta de lógica de se enviar 2 KC para fazer o trabalho de 1 A-400M. Mesmo ignorando o A-400 da equação, fazia mais sentido enviar um MRTT para abastecer o KC-390, pois tem mais alcance e pode ainda levar tropas lá dentro até ao TO.

Não é preciso odiar o KC, basta ver o valor desta aquisição face aos ganhos em capacidades que a FAP (não) vai ter. Para mim ~12% mais de capacidade de carga, não compensam os 850 milhões. Já o MRTT, que não substitui os C-130, ganha em tudo face ao KC, excepto na capacidade de carga. Todas as outras capacidades desta aeronave são um acréscimo para a FAP, e só não vê, quem não quer.

Ou, quem é fanático pelo 390 !!!
Dc, o 330 MRTT, não ganha ao 390 na capacidade de carga ?
Onde leste isso ?
Carga é todo o peso, que a aeronave consegue transportar, excepto o combustivel para consumo próprio.
O fuel OB para o AAR, faz parte do payload que a aeronave consegue transportar, logo transporta muito, mas muito mais carga que o 390, sem comparação.
O 330 MRTT, ganha em todas as vertentes/capacidades ao 390  !!

Abraços
« Última modificação: Julho 14, 2020, 09:22:54 am por tenente »
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3464
  • Recebeu: 1853 vez(es)
  • Enviou: 3571 vez(es)
  • +1357/-98
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #57 em: Julho 14, 2020, 06:17:30 am »
O 380 foi o avião mais confortável em que já viajei.  :mrgreen:

Eu sei que querias dizer 390. Estou só a meter-me contigo.
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 6557
  • Recebeu: 2919 vez(es)
  • Enviou: 1500 vez(es)
  • +1385/-101
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #58 em: Julho 14, 2020, 09:23:55 am »
O 380 foi o avião mais confortável em que já viajei.  :mrgreen:

Eu sei que querias dizer 390. Estou só a meter-me contigo.

Tú não perdes uma NVF, já corrigi para + 10...... ::)

Abraços
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 6052
  • Recebeu: 1345 vez(es)
  • Enviou: 652 vez(es)
  • +843/-161
Re: A330 MRTT para a FAP ?
« Responder #59 em: Julho 14, 2020, 10:14:13 am »
Se calhar para comentar sobre a hipotética vinda do MRTT para a FAP convêm conhecer o aparelho...  ::) ::)

https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com/2016/02/29/a330-200-multi-role-tanker-transport-mrtt/


Citar
A330 MRTT Upper Deck cargo version


Citar
A330 MRTT Lower deck @thinkdefence.co.uk









Citar
The A330 MRTT can carry a maximum payload of up to 45 tonnes, combining the passenger cabin and the lower deck: Up to 300 Passengers, MedEvac cabin layout with 40 stretchers, 20 seats for medical staff and 100 passengers, Up to 37 tonnes of cargo in the lower deck. 27 LD3 containers or 8 military pallets. Source airbus.com

Saudações
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

 

Qual as prioridades para a Força Aérea entre 2011-2020 ?

Iniciado por dc

Respostas: 38
Visualizações: 11074
Última mensagem Novembro 15, 2010, 02:34:53 pm
por bokaido
Concurso de aluguer de meios aereos para combate aos incendios 2020

Iniciado por luis simoes

Respostas: 15
Visualizações: 1339
Última mensagem Julho 15, 2020, 11:26:09 pm
por Red Baron
Sistemas de defesa antiaérea de longo alcance para Portugal

Iniciado por Tiger22

Respostas: 24
Visualizações: 12583
Última mensagem Agosto 21, 2006, 08:26:19 pm
por Pedro Monteiro
CDS propõe 12 anos de serviço para pilotos da Força Aérea

Iniciado por Marauder

Respostas: 19
Visualizações: 9391
Última mensagem Setembro 12, 2007, 02:40:44 am
por raphael
A voar contra o tempo para tentar salvar vidas

Iniciado por Jorge Pereira

Respostas: 21
Visualizações: 12121
Última mensagem Abril 01, 2010, 11:40:11 am
por Ricardo Nunes