KC-390 na FAP

  • 403 Respostas
  • 24675 Visualizações
*

luis simoes

  • Membro
  • *
  • 183
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 9 vez(es)
  • +0/-53
Re: KC-390 na FAP
« Responder #390 em: Novembro 20, 2019, 06:12:27 pm »
Boa tarde Forum
sim de facto um Tom cinza muito lindo e que com uns retoques de encarnado nas portas ...janelas….e  motores  ficara melhor .. e com os  simbolos de cristo  ficara espectacular atrevo me  a dizer um dos cargueiros mais lindos a voar por esta Europa fora ----
saudacoes
« Última modificação: Novembro 20, 2019, 06:34:38 pm por luis simoes »
 

*

Tikuna

  • Membro
  • *
  • 61
  • Recebeu: 48 vez(es)
  • Enviou: 10 vez(es)
  • +13/-206
Re: KC-390 na FAP
« Responder #391 em: Novembro 21, 2019, 04:32:55 pm »
Só para encerrar os assuntos de custos:

Citar
New Zealand – C-130J Aircraft

A nova zelandia faz um RFP para 5 C-130J por US$ 1.4 Bi

WASHINGTON, November 20, 2019 - The State Department has made a determination approving a possible
Foreign Military Sale to New Zealand of five (5) C-130J aircraft and related equipment for an estimated cost of
$1.4 billion. The Defense Security Cooperation Agency delivered the required certification notifying Congress
of this possible sale today.
The Government of New Zealand has requested to buy five (5) C-130J aircraft; twenty-four (24) Rolls Royce
AE-2100D3 turboprop engines (20 installed, 4 spares); fifteen (15) Embedded Global Positioning System
(GPS)/Inertial Navigation Systems (INS) (EGIs) with GPS security devices, airborne (10 installed, 5 spares);
eight (8) Multi-Information Distribution System (MIDS)/Link-16 Low Video Terminal (LVT)-BU2 (5
installed, 3 spares); thirteen (13) AN/AAQ-24(V)N LAIRCM (Large Aircraft Infrared Countermeasures)
System Processor Replacement (LSPR) (10 installed, 3 spares); and nineteen (19) Guardian Laser Transmitter
Assembly for LAIRCM (15 installed, 4 spares). Also included are eight (8) AN/AAR-47 Missile Warning
System (MWS); eight (8) AN/APN-241 Low Power Color Radar; eight (8) AN/ALR-56M Missile Warning
System Receiver; fifteen (15) AN/ALE-47 Countermeasures Dispensing System; six (6) MX-20HD ElectroOptical/Infrared Imaging System; forty-four (44) Missile Warning Sensor, LAIRCM; Control Interface Unit
Replacement, LAIRCM; classified memory cards, LAIRCM; Low Volume Terminal Cryptographic Modules
KIV-55; AN/ARC-210 RT-1990A(C) Radio; AN/ARC- 164(V) RT-1518 Radio; AN/ARC-153 Tactical Air
Navigation; AN/ARN-147 VHF Receiver; AN/ARC-190 HF Radio; AN/ARC-222 VHF Radio
w/SINCGARS; Classified Tactical Manuals; Cartridge Activated Devices/Propellant Activated Devices;
M206 Flares; MJU-64/B Decoy; BBU-35A/B Impulse Carts; Joint Mission Planning System; Classified
Computer Identification Numbers; Electronic Combat International Security Assistance Program (ECISAP)
support, support and test equipment, publications and technical documentation, personnel training and
training equipment, U.S. Government and contractor engineering, technical and logistics support services;
and other related elements of logistical and program support. The total estimated value is $1.4 billion.
This proposed sale will support the foreign policy and national security of the United States by helping to
improve the security of a major ally that is a force for political stability, and economic progress in the AsiaPacific region. The proposed sale will improve New Zealand's capability to meet current and future threats
by enhancing its current airlift capability.
This proposed sale will provide the capability to support national, United Nations, and other coalition
operations. This purchase also includes sensors and performance improvements that will assist New Zealand
during extensive maritime surveillance and reconnaissance as well as improve its search and rescue
capability. Additionally, the extra cargo capacity and aircraft performance will greatly increase New
Zealand's Antarctic mission capabilities while simultaneously increasing safety margins. New Zealand

https://www.dsca.mil/sites/default/files/mas/new_zealand_19-69.pdf
« Última modificação: Novembro 21, 2019, 04:33:58 pm por Tikuna »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: luis simoes

*

luis simoes

  • Membro
  • *
  • 183
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 9 vez(es)
  • +0/-53
Re: KC-390 na FAP
« Responder #392 em: Novembro 21, 2019, 05:59:52 pm »
Só para encerrar os assuntos de custos:

Citar
New Zealand – C-130J Aircraft

A nova zelandia faz um RFP para 5 C-130J por US$ 1.4 Bi

WASHINGTON, November 20, 2019 - The State Department has made a determination approving a possible
Foreign Military Sale to New Zealand of five (5) C-130J aircraft and related equipment for an estimated cost of
$1.4 billion. The Defense Security Cooperation Agency delivered the required certification notifying Congress
of this possible sale today.
The Government of New Zealand has requested to buy five (5) C-130J aircraft; twenty-four (24) Rolls Royce
AE-2100D3 turboprop engines (20 installed, 4 spares); fifteen (15) Embedded Global Positioning System
(GPS)/Inertial Navigation Systems (INS) (EGIs) with GPS security devices, airborne (10 installed, 5 spares);
eight (8) Multi-Information Distribution System (MIDS)/Link-16 Low Video Terminal (LVT)-BU2 (5
installed, 3 spares); thirteen (13) AN/AAQ-24(V)N LAIRCM (Large Aircraft Infrared Countermeasures)
System Processor Replacement (LSPR) (10 installed, 3 spares); and nineteen (19) Guardian Laser Transmitter
Assembly for LAIRCM (15 installed, 4 spares). Also included are eight (8) AN/AAR-47 Missile Warning
System (MWS); eight (8) AN/APN-241 Low Power Color Radar; eight (8) AN/ALR-56M Missile Warning
System Receiver; fifteen (15) AN/ALE-47 Countermeasures Dispensing System; six (6) MX-20HD ElectroOptical/Infrared Imaging System; forty-four (44) Missile Warning Sensor, LAIRCM; Control Interface Unit
Replacement, LAIRCM; classified memory cards, LAIRCM; Low Volume Terminal Cryptographic Modules
KIV-55; AN/ARC-210 RT-1990A(C) Radio; AN/ARC- 164(V) RT-1518 Radio; AN/ARC-153 Tactical Air
Navigation; AN/ARN-147 VHF Receiver; AN/ARC-190 HF Radio; AN/ARC-222 VHF Radio
w/SINCGARS; Classified Tactical Manuals; Cartridge Activated Devices/Propellant Activated Devices;
M206 Flares; MJU-64/B Decoy; BBU-35A/B Impulse Carts; Joint Mission Planning System; Classified
Computer Identification Numbers; Electronic Combat International Security Assistance Program (ECISAP)
support, support and test equipment, publications and technical documentation, personnel training and
training equipment, U.S. Government and contractor engineering, technical and logistics support services;
and other related elements of logistical and program support. The total estimated value is $1.4 billion.
This proposed sale will support the foreign policy and national security of the United States by helping to
improve the security of a major ally that is a force for political stability, and economic progress in the AsiaPacific region. The proposed sale will improve New Zealand's capability to meet current and future threats
by enhancing its current airlift capability.
This proposed sale will provide the capability to support national, United Nations, and other coalition
operations. This purchase also includes sensors and performance improvements that will assist New Zealand
during extensive maritime surveillance and reconnaissance as well as improve its search and rescue
capability. Additionally, the extra cargo capacity and aircraft performance will greatly increase New
Zealand's Antarctic mission capabilities while simultaneously increasing safety margins. New Zealand

https://www.dsca.mil/sites/default/files/mas/new_zealand_19-69.pdf
temos de ter cuidado com o que expomos aqui porque e dislikes atras de dislikes olha dei  te nota positiva e ja nao e a primeira vez quando se gosta do assunto ha que elogiar a Pessoa e quando n se gosta pah nao se gosta mas enfim sao treze anos deste Forum que aqui ponho e exponho minhas ideas e irei continuar
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 471
  • Recebeu: 7 vez(es)
  • +2/-0
Re: KC-390 na FAP
« Responder #393 em: Novembro 21, 2019, 06:42:05 pm »
 O valor da aquisição do KC-390 pela FAP é perfeitamente concorrencial com qualquer oferta que a Lockheed Martin tenha feito a quem quer que seja na ultima década (com uma excepção, que suponho confirme a regra, a França), isso não é novidade.

https://www.dsca.mil/major-arms-sales/new-zealand-c-130j-aircraft
https://www.dsca.mil/major-arms-sales/brunei-c-130j-aircraft
https://www.dsca.mil/major-arms-sales/france-c-130j-aircraft
https://www.dsca.mil/major-arms-sales/india-c-130j-aircraft
https://www.dsca.mil/major-arms-sales/germany-c-130j-and-kc-130j-aircraft

A aquisição do KC-390 pela FAP é uma deliberada escolha por parte do Governo em obter uma determinada capacidade a um preço ligeiramente inferior ao que a concorrência (neste caso a Lockheed Martin) oferece, mantendo parte do dinheiro em Portugal (nas OGMA) e fazendo uma aposta que as OGMA vão manter o papel de construtor de parte do avião para todo e qualquer contrato com quem quer que seja e que este aparelho vai ser um sucesso técnico e comercial. Por contra o aparelho da Lockheed é uma aposta totalmente segura, perfeitamente conhecido da FAP, com uma pool de utilizadores na NATO gigantesca, em suma "nobody gets fired by buying a PC from IBM", também seria sempre uma aquisição através do Foreign Military Sales, contrapartidas seriam zero. É jogada com algum risco, mas pode vir a ser um sucesso (ou não).
 Também estou desconfiado que qualquer governo Português (fosse PS, PSD, outro qualquer) teria um enormissimo problema politico para resolver quando aparecesse uma manchete no Expresso do tipo "Portugal vai gastar 1.4 mil milhões de dólares em material militar com o Governo de Trump".
Alguém sugeriu uma aquisição de material em segunda mão, assim de repente os unicos aparelhos que deviam interessar eram os C-130J da RAF, se agarrassemos cinco não teria sido mau (e tinha ficado muitissimo mais barato), já têm quase vinte anos em cima (muito uso) e "têm sido cinco cães a um osso" de forças aereas a tentarem obter os ditos cujos, mas não tinha sido nada mau.
« Última modificação: Novembro 21, 2019, 06:43:53 pm por Sintra »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, Cabeça de Martelo, luis simoes, Crypter, perdadetempo

*

luis simoes

  • Membro
  • *
  • 183
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 9 vez(es)
  • +0/-53
Re: KC-390 na FAP
« Responder #394 em: Novembro 21, 2019, 06:50:19 pm »
Boa noite sintra agradecer sua resposta de facto o kc390 sera um belissimo aviao a voar com as nossas cores….acho a meu ver uma Boa aposta do nosso governo...
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 7803
  • Recebeu: 381 vez(es)
  • Enviou: 665 vez(es)
  • +250/-235
Re: KC-390 na FAP
« Responder #395 em: Novembro 22, 2019, 01:18:16 pm »
O Sintra ainda é vivo  :o :o :o :o :o
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, nelson38899

*

perdadetempo

  • Perito
  • **
  • 499
  • Recebeu: 167 vez(es)
  • Enviou: 312 vez(es)
  • +29/-1
Re: KC-390 na FAP
« Responder #396 em: Novembro 23, 2019, 06:15:03 pm »
Aviso à navegação, isto é apenas uma opinião com muito poucos factos

Como nos últimos posts se estão a discutir questões  como os custos de aquisição aviões em questão, deixo aqui um link para um artigo do flight global:

https://www.flightglobal.com/news/articles/embraer-kc-390-vs-the-lockheed-martin-c-130j-458256/
e que na verdade acaba por resumir o problema que eu tenho com o  KC-390aparelho e que nesta fase do campeonato é um risco que se fosse eu o responsável me recusava assumir(1).

O risco é apenas o facto de actualmente não ser possivel ter qualquer perspectiva credível sobre qual vai ser o custo de operação do avião, ou sequer para quem se está nas tintas para os números (grupo no qual se incluem normalmente os elementos da administração publica em fatinho ou uniforme), a operacionalidade do avião ( vamos ter um pronto para voar?2?3?0?).

É que mesmo que confiemos que a Embraer ainda é dirigida por engenheiros, em vez de gestores/especialistas em lobby, e que se(2) houver problemas técnicos  inesperados, não haverá atrasos ou custos acrescidos a realidade é que as únicas unidades que se encontram com contratos assumidos e que serão construídas são as 27 unidades para Brasil e as 5 unidades para Portugal(3).
Tudo o resto continuam a ser cartas de intenções e uma coisa que tem muita influencia nos preços que se pagam é se o artigo em questão é fabricado em massa ou num atelier para meia duzia de clientes. No caso de peças para a sua manutenção para pequenas séries o problema é ainda pior.
É certo que segundo a Jane´s isto inclui 12 anos de apoio logístico, mas sem saber quais os termos desse apoio isso quer dizer muito pouco.

Tudo esta história me faz lembrar um avião que eu considero um verdadeiro A400M antes do seu tempo  (35 ton capacidade compartimento de carga 19,5mX5,45mX3,5-4,5m?)e que acabou com apenas uma dezena de unidades construidas:

https://www.airliners.net/aircraft-data/short-belfast/355

https://www.tangmere-museum.org.uk/aircraft-month/short-belfast

Eu neste caso particular até gostava de estar completamente errado porque simpatizo com o brinquedo, e pelo menos as vítimas que tiverem que viajar nele irão de certeza apreciar o relativo conforto e rapidez com que chegarão ao destino comparado com aquele misto de máquina de massagens vibratória/chocolateira infernal conhecidada por C-130H.

Cumprimentos,

(1) Claro que neste País isso não é problema pois quem vier a seguir que se amanhe e a culpa morre sempre solteira ou, no pior dos casos, manda-se para cima de algo chamado "Políticos" embora raramente seja mencionado qual o "Politico" em particular ou quais os seus "conselheiros".

(2) Isto é um grande SE se verificarmos todos os problemas que se têm observado em todos os contractos militares ou  civis da industria Aeronáutica nas ultimas duas décadas.

(3) SE o Brasil mantiver os seus problemas económicos sob controle de maneira a que não haja atrasos/soluços nos prazos de entrega/pagamento dos aviões contratados. Em relação a Portugal já todos conhecemos o filme.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, tenente

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3064
  • Recebeu: 131 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +128/-32
Re: KC-390 na FAP
« Responder #397 em: Novembro 24, 2019, 02:56:56 pm »
O valor da aquisição do KC-390 pela FAP é perfeitamente concorrencial com qualquer oferta que a Lockheed Martin tenha feito a quem quer que seja na ultima década (com uma excepção, que suponho confirme a regra, a França), isso não é novidade.

https://www.dsca.mil/major-arms-sales/new-zealand-c-130j-aircraft
https://www.dsca.mil/major-arms-sales/brunei-c-130j-aircraft
https://www.dsca.mil/major-arms-sales/france-c-130j-aircraft
https://www.dsca.mil/major-arms-sales/india-c-130j-aircraft
https://www.dsca.mil/major-arms-sales/germany-c-130j-and-kc-130j-aircraft

A aquisição do KC-390 pela FAP é uma deliberada escolha por parte do Governo em obter uma determinada capacidade a um preço ligeiramente inferior ao que a concorrência (neste caso a Lockheed Martin) oferece, mantendo parte do dinheiro em Portugal (nas OGMA) e fazendo uma aposta que as OGMA vão manter o papel de construtor de parte do avião para todo e qualquer contrato com quem quer que seja e que este aparelho vai ser um sucesso técnico e comercial. Por contra o aparelho da Lockheed é uma aposta totalmente segura, perfeitamente conhecido da FAP, com uma pool de utilizadores na NATO gigantesca, em suma "nobody gets fired by buying a PC from IBM", também seria sempre uma aquisição através do Foreign Military Sales, contrapartidas seriam zero. É jogada com algum risco, mas pode vir a ser um sucesso (ou não).
 Também estou desconfiado que qualquer governo Português (fosse PS, PSD, outro qualquer) teria um enormissimo problema politico para resolver quando aparecesse uma manchete no Expresso do tipo "Portugal vai gastar 1.4 mil milhões de dólares em material militar com o Governo de Trump".
Alguém sugeriu uma aquisição de material em segunda mão, assim de repente os unicos aparelhos que deviam interessar eram os C-130J da RAF, se agarrassemos cinco não teria sido mau (e tinha ficado muitissimo mais barato), já têm quase vinte anos em cima (muito uso) e "têm sido cinco cães a um osso" de forças aereas a tentarem obter os ditos cujos, mas não tinha sido nada mau.

Sintra, antes demais bem vindo de novo ao fórum !
Espero que seja para ficar.
Em relação a estas questões, penso que a opção mais segura seria o C-130J/J30, incluindo a suite de guerra eletrónica que foi vendida aos clientes europeus recentes.
Na minha opinião, na altura ( 2004), devia-se ter optado pelo trinómio C-130J,C-27J e ATR-42 para VIMAR, possuindo motores comuns e facilitando a logística.

Cumprimentos,
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 7803
  • Recebeu: 381 vez(es)
  • Enviou: 665 vez(es)
  • +250/-235
Re: KC-390 na FAP
« Responder #398 em: Novembro 26, 2019, 10:16:02 am »
afffff

Citar
Air Platforms
Norway disposes of stored C-130H aircraft

Charles Forrester, London - Jane's Defence Weekly
26 November 2019


The Norwegian Defence Material Agency (NDMA) announced on 25 November that it has sold five Lockheed Martin C-130H Hercules aircraft to US firm Coulson Aviation.

Under the deal, the aircraft will be sold for a total of USD4.5 million and will be handed over in late 2019 or early 2020.

The Norwegian government has sold five stored Lockheed Martin C-130H Hercules aircraft to Coulson Aviation. (Forsvarsmateriell)The Norwegian government has sold five stored Lockheed Martin C-130H Hercules aircraft to Coulson Aviation. (Forsvarsmateriell)

Coulson Aviation will modify the aircraft to become aerial firefighting platforms and will modernise them with new glass cockpits and other equipment for aerial firefighting.

The five C-130Hs have been stored at Davis-Monthan Air Force Base, 309th Aerospace Maintenance and Regeneration Group (AMARG) in Tucson, Arizona, since 2008. The Royal Norwegian Air Force (RNoAF) had operated six C-130H aircraft between 1969 and 2008, with the sixth currently held as a museum piece in Norway.

https://www.janes.com/article/92821/norway-disposes-of-stored-c-130h-aircraft
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15122
  • Recebeu: 1046 vez(es)
  • Enviou: 980 vez(es)
  • +177/-170
Re: KC-390 na FAP
« Responder #399 em: Novembro 30, 2019, 12:39:09 pm »
KC-390 Millennium realiza ensaio inédito de lançamento de chaff e flare
Os lançamentos são feitos a partir de seis pontos ao longo da aeronave multimissão


https://defesabrasilnoticias.blogspot.com/2019/11/kc-390-millennium-realiza-ensaio.html
« Última modificação: Novembro 30, 2019, 12:39:30 pm por Cabeça de Martelo »
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 1279
  • Recebeu: 278 vez(es)
  • Enviou: 36 vez(es)
  • +62/-20
Re: KC-390 na FAP
« Responder #400 em: Novembro 30, 2019, 01:16:28 pm »
Qual é a pancada de chamarem esta aeronave de transporte, de aeronave multi-missão? É que quando leio isto em cabeçalhos e títulos de notícia, vejo o quão estúpido é dar este adjectivo à aeronave, quando todos os equipamentos militares da história da humanidade tem, em alguma forma ou feitio, capacidade "multi-missão". Sei que é marketing e "fica bem dizer", mas uma pessoa que perceba do assunto olha para isto e pensa logo que é uma autêntica parvoíce.

Infelizmente no tempo da aquisição dos U-214, ninguém se lembrou de adjectivar os submarinos de "multi-missão" (surprise surprise, conseguem desempenhar uma variedade tão grande ou maior de missões que os KC-390)... se assim fosse, hoje tínhamos pelo menos 5.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Tikuna

  • Membro
  • *
  • 61
  • Recebeu: 48 vez(es)
  • Enviou: 10 vez(es)
  • +13/-206
Re: KC-390 na FAP
« Responder #401 em: Dezembro 01, 2019, 01:56:19 am »
Qual é a pancada de chamarem esta aeronave de transporte, de aeronave multi-missão?

Por acaso a própria Airbus, a Boeing e a LM não chama as aeronaves delas de "Multi Role"? é só o termo em português para isso, não há "pancada" nenhuma.
« Última modificação: Dezembro 01, 2019, 09:28:51 am por Tikuna »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 1279
  • Recebeu: 278 vez(es)
  • Enviou: 36 vez(es)
  • +62/-20
Re: KC-390 na FAP
« Responder #402 em: Dezembro 01, 2019, 01:09:29 pm »
Qual é a pancada de chamarem esta aeronave de transporte, de aeronave multi-missão?

Por acaso a própria Airbus, a Boeing e a LM não chama as aeronaves delas de "Multi Role"? é só o termo em português para isso, não há "pancada" nenhuma.

Caças, sim! Mas nos caças é uma distinção importante, pois há modelos destinados a superioridade aérea (F-15), outros modelos destinados a ataque (A-10) e outros multirole (F-16, F-18). Com certeza que não chamam a tudo o que tem asas de multi-missão, e caracterizam a aeronave para a sua função principal, C-130 aeronave de transporte, C-17 aeronave de transporte estratégico, P-3 e P-8 aeronaves de patrulha marítima e luta anti-submarina e por aí em diante. O leque de missões do P-3 é maior que o do 390, e não é vendido como "aeronave multi-missão", já que este título é um truque barato para "vender" a aeronave ao público e massa política. Até porque se formos justos, o C-130 passa a ser igualmente uma aeronave multi-missão, retirando um "selling point" ao 390. Mas o C-130 não o tratam como tal... porque será?  ::)

"Jack of all trades, master of none", já ouviu esta expressão? Multirole assenta em grande parte, nisto.

Nos navios de guerra é o mesmo, tens navios ASW, AAW e multi-missão, e a distinção é novamente importante pois alguns destes navios apresentam um maior foco/especialização em determinada missão. No entanto, uma fragata AAW possui capacidades ASW e ASuW, apoio a populações, etc, significa que é uma fragata multi-missão? Lá está, as definições específicas ainda servem para alguma coisa, senão é tudo "navio multi-missão" "aeronave multi-missão".
 

*

Tikuna

  • Membro
  • *
  • 61
  • Recebeu: 48 vez(es)
  • Enviou: 10 vez(es)
  • +13/-206
Re: KC-390 na FAP
« Responder #403 em: Hoje às 01:04:06 pm »
Qual é a pancada de chamarem esta aeronave de transporte, de aeronave multi-missão?

Por acaso a própria Airbus, a Boeing e a LM não chama as aeronaves delas de "Multi Role"? é só o termo em português para isso, não há "pancada" nenhuma.

Caças, sim! Mas nos caças é uma distinção importante, pois há modelos destinados a superioridade aérea (F-15), outros modelos destinados a ataque (A-10) e outros multirole (F-16, F-18). Com certeza que não chamam a tudo o que tem asas de multi-missão, e caracterizam a aeronave para a sua função principal, C-130 aeronave de transporte, C-17 aeronave de transporte estratégico, P-3 e P-8 aeronaves de patrulha marítima e luta anti-submarina e por aí em diante. O leque de missões do P-3 é maior que o do 390, e não é vendido como "aeronave multi-missão", já que este título é um truque barato para "vender" a aeronave ao público e massa política. Até porque se formos justos, o C-130 passa a ser igualmente uma aeronave multi-missão, retirando um "selling point" ao 390. Mas o C-130 não o tratam como tal... porque será?  ::)

"Jack of all trades, master of none", já ouviu esta expressão? Multirole assenta em grande parte, nisto.

Nos navios de guerra é o mesmo, tens navios ASW, AAW e multi-missão, e a distinção é novamente importante pois alguns destes navios apresentam um maior foco/especialização em determinada missão. No entanto, uma fragata AAW possui capacidades ASW e ASuW, apoio a populações, etc, significa que é uma fragata multi-missão? Lá está, as definições específicas ainda servem para alguma coisa, senão é tudo "navio multi-missão" "aeronave multi-missão".

E por acaso os reabastecedores não são os MRTT, que cumprem basicamente transporte e reabastecimento, assim como o KC-390, que apesar de carregar bem menos pode instalar os maffs e POD's?
Se você olhar no site da LM eles tratam sim o C-130 dessa forma: "Proven Multirole, Multimission Capabilities." Reclame com eles, mas eles não estão errados nem a Embraer.
Não querer a aeronave é uma coisa, agora reclamar de chamarem de "multi missão" ai já é querer problematizar demais.