Novidades sobre as OHP!!!

  • 134 Respostas
  • 32954 Visualizações
*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 10017
  • Recebeu: 1175 vez(es)
  • Enviou: 1684 vez(es)
  • +1022/-1412
(sem assunto)
« Responder #90 em: Outubro 24, 2005, 03:04:25 pm »
Citação de: "pedro"
e que tal um novo grupo os do que querem algo melhor que as perry e vaiam chatiar o ministro para negociar uns contra-torpedeiros e mande as perry dar uma volta os americanos que as vendam ao paquistao o a taiwan sela.
obrigado pela vossa atencao :wink: é que acho que nem se pode pôr essa questão, excepto no campo da ficção cientifica... :roll:
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

Miguel

  • Investigador
  • *****
  • 2454
  • Recebeu: 25 vez(es)
  • Enviou: 7 vez(es)
  • +14/-19
(sem assunto)
« Responder #91 em: Outubro 24, 2005, 06:32:58 pm »
Eu prefiro a "Dignidade"

E não andar a pedinchar sucatas aos comones....

Prefiro uma Armada reduzida "com Orgulho" :
3 Mekos Modernizadas em 2010(VLS etc...)
2 Submarinos SSk Novinhos a partir de 2009
10 NPO Novinhos para vigilancia
1 NavPol a partir de 2010
1 AOR modernizado

E em 2020 , substituimos as 3 Mekos por 3 Destroiers da ultima geração....

Eu chamo isto REALISMO (oposto a demagogia)
 

*

pedro

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #92 em: Outubro 24, 2005, 06:36:05 pm »
caro amigo P44 eu comprendo que a situacao e dificil isso esta fora de questao.
uma coisa e certa com o almirante nao me lenbra o nome :D
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7227
  • Recebeu: 624 vez(es)
  • Enviou: 253 vez(es)
  • +597/-2
(sem assunto)
« Responder #93 em: Outubro 24, 2005, 06:39:18 pm »
Dignidade é ter o maior número de meios e o mais polivalentes possivél...

Não se esqueça que a "sucata que os camones" entregam, apesar de tudo, é o que nos diferencia de termos umas forças armadas da "treta" como a Irlanda...ou acha que não fosse a NATO (aka EUA) tinhamos alguma espécie de equipamento militar pesado...

Cumprimentos
B. Pereira Marques
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7227
  • Recebeu: 624 vez(es)
  • Enviou: 253 vez(es)
  • +597/-2
(sem assunto)
« Responder #94 em: Outubro 24, 2005, 06:41:36 pm »
Pedro: e arranjar os tripulantes necessários e o €€€ para manter esses contra-torpedeiros....

Cumprimentos
B. Pereira Marques
 

*

pedro

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #95 em: Outubro 24, 2005, 06:47:54 pm »
sim e verdade mas para isso tem que se almentar o orcamento e recrutar mais pessoal.
pessoal eu nao acho que seja um problema porque com tantos decenpregados eu nao acho que seja um problema.
aqui na holanda fazem isso 8)
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7227
  • Recebeu: 624 vez(es)
  • Enviou: 253 vez(es)
  • +597/-2
(sem assunto)
« Responder #96 em: Outubro 24, 2005, 07:34:23 pm »
Aqui entramos em questões culturais muito complexas: estou a falar um pouco de cor, não sei as percentagens em concreto, mas penso que Portugal tem apenas 10% da população com o ensino secundário (Nivel III da UE) e outros 10% com o ensino superior...

Por outro lado, quer no ensino secundário, quer no ensino superior a maior parte dos alunos são de humanidades e ciências sociais, havendo déficit de formação na área das ciências, tecnologias, engenharias e saúde...

Mais... Portugal apesar de ser uma República, ainda tem muita pseudo-aristocracia "saloia", e todos os licenciados (em inglês será "bachelor", se isso o ajudar) em qualquer área (excepto arquitectura e engenharia) é tratado respeitosamente por "Sr. Dr.", ora como todos sabemos em qualquer país civilizado "Drs." são apenas os Médicos e os Professores Universitários com Doutoramento (PhD)...

Tudo isto para dizer que o ensino superior em Portugal é, acima de tudo, uma questão de prestígio social, de se pertencer a uma determinada "elite", e essa "pseudo-elite" encara todo o trabalho braçal, em que podemos grosso modo incluir as forças armadas, como algo desprestigiante...

Aliás, tendo em conta que em Portugal o ensino secundário é aceite como base para aceder a oficial, para arranjarmos pessoal para esses contra-torpedeiros teriamos de encher os navios de oficiais e praticamente não haveriam sargentos e praças...

Espero que o texto não esteja muito confuso...

Cumprimentos
B. Pereira Marques
 

*

Miguel

  • Investigador
  • *****
  • 2454
  • Recebeu: 25 vez(es)
  • Enviou: 7 vez(es)
  • +14/-19
(sem assunto)
« Responder #97 em: Outubro 24, 2005, 07:47:52 pm »
Citação de: "PereiraMarques"
Dignidade é ter o maior número de meios e o mais polivalentes possivél...

Cumprimentos
B. Pereira Marques


Como nos temps do Pacto de Varsovia???

Eu prefiro ter menos e não andar a pedinchar......

As fragatas Meko200 tem capacidades:
AntiAerea com Misseis Sea Sparrow,Phalanx
AntiMissil com Phalanx e SRBOCconta-medidas
AntiNavio com Harpoons e canhão100mmDP
ASubmarinos com torpedos e Helis
ApoioTerrestre com canhão 100mmDP
SAR com seus Hélis etc...

As fragatas Meko 200 e actualmente, o melhor meio polivalente para a nossa Armada, a acquisição das latas(OHP) pode por em risco a modernização destas unidades,sem trazer uma mais valia.

NUNCA teremos capacidade para ter + de 3 Fragatas Modernas e 3 Submarinos

Parece que os nossos Almirantes ainda são da epoca da ExURSS e gostem de ver unidades em parada(mesmo todas podres)
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7227
  • Recebeu: 624 vez(es)
  • Enviou: 253 vez(es)
  • +597/-2
(sem assunto)
« Responder #98 em: Outubro 24, 2005, 10:48:10 pm »
Fazendo uma pequena brincadeira com as palavras do Miguel:

Citar
As fragatas Meko200 tem capacidades:
AntiAerea com Misseis Sea Sparrow,Phalanx
AntiMissil com Phalanx e SRBOCconta-medidas
AntiNavio com Harpoons e canhão100mmDP
ASubmarinos com torpedos e Helis
ApoioTerrestre com canhão 100mmDP
SAR com seus Hélis etc...

Citar
As fragatas OHP tem capacidades:
AntiAerea com Misseis SM-1, Phalanx
AntiMissil com Phalanx e SRBOCconta-medidas
AntiNavio com Harpoons e canhão76mm
ASubmarinos com torpedos e Helis
ApoioTerrestre com canhão 76mm
SAR com seus Hélis etc...


Onde é que estão as diferenças...

Cumprimentos
B. Pereira Marques

PS: Como já alguém disse "a quantidade tem uma qualidade muito própria"...
 

*

E-migas

  • Membro
  • *
  • 123
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #99 em: Outubro 24, 2005, 11:22:02 pm »
Citação de: "PereiraMarques"
PS: Como já alguém disse "a quantidade tem uma qualidade muito própria"...


Exacto! Na "mouche"!

No minimo devemos ter 6 Fragatas...

Se querem DDG's e CG's...Comprem modelos da Revell ou doutras boas marcas de modelos de escala reduzida  :lol:
Cumprimentos,
e-Migas
---------------------------------------------------
Una Salus Victus
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 10017
  • Recebeu: 1175 vez(es)
  • Enviou: 1684 vez(es)
  • +1022/-1412
(sem assunto)
« Responder #100 em: Outubro 25, 2005, 11:17:11 am »
Bravo E-migas.

eu nem sequer ponho a hipótese de DDGs, isso é desejo que nunca se concretizará...

Venham as OHPs, pode ser que daqui a uns anos haja algo mais no mercado :twisted:  :oops:  )
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

MERLIN

  • Membro
  • *
  • 254
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #101 em: Outubro 25, 2005, 03:10:52 pm »
Colegas do forum,
Se quase todos concordamos que as OHP não são a solução ideal, mas sim a solução possivel, concordo com P44, antes as OHP do que nada. 3 VdG, mesmo modernizadas colega Miguel, não são suficientes para manter uma força operacional minimamente credivel (1 VdG na NATO, 1 de reserva e 1 em manutenção). Além disso, a diferença de capacidades entre as VdG e as OHP não é muita. A capacidade AA das OHP é superior (mesmo equipando as VdG com ESS / o ESS não é um subsituto do SM1!) e a capacidade anti-navio e ASW é similar.
cumprimentos.
"Se serviste a patria e ela te foi ingrata, tu fizestes o que devias, ela o que costuma"
Padrea Antonio Vieira
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 10017
  • Recebeu: 1175 vez(es)
  • Enviou: 1684 vez(es)
  • +1022/-1412
(sem assunto)
« Responder #102 em: Outubro 25, 2005, 03:33:19 pm »
A ver se a gente se entende....



ESSM

Citar
The Evolved Sea Sparrow Missile (ESSM) is a short range missile intended to provide self-protection for surface ships. It is expected to be available to the fleet around 2002. It will provide each ship with the capability to engage a variety of antiship cruise missiles (ASCMs) and aircraft to support self defense. It will be more capable against low observable highly maneuverable missiles, have longer range, and can make flight corrections via radar and midcourse uplinks. ESSM is a coordinated effort with numerous nations in the North Atlantic Treaty Organization (NATO). This coordinated effort allows all NATO countries to have the same self defense capability and at the same time, reduce the cost to each country associated with developing and testing new systems.

On Aegis ships, ESSM will be launched from the MK 41 Vertical Launch System, requiring a thrust vector control system on the ESSM rocket. On non-Aegis ships (aircraft carriers, amphibious assault ships, other surface combatants), it will be fired from other launch systems. ESSM uses an 8 inch diameter forebody that includes a modified guidance section from the in-service RIM-7P Sea Sparrow. The guidance section, which includes a radome-protected antenna for semiactive homing, attaches to a new warhead section. The forebody is attached to a new 10 inch diameter rocket motor which provides higher thrust for longer duration than predecessor Sea Sparrow missiles. ESSM will use skid-to-turn steering (tail control) whereas earlier Sea Sparrows were wing-controlled. ESSM will retain capability of the RIM-7P missile but will also have capability against maneuvering anti-ship missiles. ESSM is being developed as a multinational cooperative effort with several allied nations.


ESSM
Credit: via Andreas Parsch

Data for RIM-162A:

Length 3.66 m (144 in)
Diameter 0.254 m (10 in)
Weight 280 kg (620 lb)
Speed Mach 4+
Range 50+ km (27+ nm)
Propulsion MK 143 MOD 0 solid-fueled rocket
Warhead 39 kg (66 lb) blast-fragmentation

..............
SM-1

http://www.globalsecurity.org/military/ ... -specs.htm

 :?:  :?:  :?:
http://www.globalsecurity.org/military/ ... ons/sm.htm

Citar
The Standard Missile is one of the most reliable in the Navy's inventory. Used against missiles, aircraft and ships, it first came into the fleet more than a decade ago. It replaced Terrier and Tartar missiles and is part of the weapons suit of more than 100 Navy ships. The SM-2 (MR) is a medium range defense weapon for Ticonderoga-class AEGIS cruisers, Arleigh Burke-class AEGIS destroyers, California and Virginia-class nuclear cruisers and Kidd-class destroyers with NTU conversions. Oliver Hazard Perry-class frigates use the SM-1 MR.

Citar
Specifications
 RIM-66  
 SM-1 Medium Range

Range  15-20 nautical miles
(17-23 statute miles)


http://www.globalsecurity.org/military/ ... -specs.htm

 :?:  :?:  :?:


AGORA é QUE JÁ NÃO PERCEBO NADA :!:  :?
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

NotePad

  • Perito
  • **
  • 578
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #103 em: Outubro 25, 2005, 03:34:30 pm »
A capacidade asw das vdg é superior à capacidade das OHP mesmo modernizadas.
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 10017
  • Recebeu: 1175 vez(es)
  • Enviou: 1684 vez(es)
  • +1022/-1412
(sem assunto)
« Responder #104 em: Outubro 25, 2005, 03:40:39 pm »
Citação de: "NotePad"
A capacidade asw das vdg é superior à capacidade das OHP mesmo modernizadas.


Mas acho que isso nunca esteve em questão, as VdG seriam para ASW e as OHP para AAW.

Agora exclareçam-me:

ESSM vs. SM-1, afinal qual é o melhor :?:  :?
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas