ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Marinha Portuguesa => Tópico iniciado por: tsahal em Agosto 29, 2004, 01:07:04 pm

Título: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tsahal em Agosto 29, 2004, 01:07:04 pm
Gostaria de receber a ajuda dos amigos do Forum Defesa para um trabalho sobre os Fuzileiros da Armada Portuguesa. Para isso gostava de saber que meios de comunicações, viaturas, armamentos e outros equipamentos sao utilizados por esta unidade militar.

Obrigado a todos.
Título:
Enviado por: Spectral em Agosto 29, 2004, 10:48:19 pm
O site militaryzone ( do Pedro Monteiro acho eu), tem uma página bastante completa:

 :arrow: http://www.geocities.com/militaryzone_portugal/fuzos.htm
Título: MZ.
Enviado por: tsahal em Agosto 29, 2004, 11:00:21 pm
Obrigado mas o MZ em termos de equipamentos pouco traz. Podemos apenas ver os equipamentos que todos sabem que os FZs utilizam. Vou dar um exemplo de alguns que raramente aparecem.

MB UNIMOG U4000
Rabintex Industries Ltd RBH 103 (Capacete dos Fuzileiros)
International Technologies Lasers Ltd N/CROS MK3 (Night Compass Rangefinder Operation System)
Toyota Land Cruiser HZJ 73LV
Viatura  táctica de transporte Land Rover Defender 90 TDI equipada com base para antenas Harris SB V16F, antena Harris AT 1011U, Harris RF 39802,  radio emissor/receptor Racal  PRM 4700A e Racal Mobilcal  TA 47903A (High Power VIU).
Viatura  táctica de transporte de pessoal  6x6 Mercedes Benz  2628A com guincho
Viatura  táctica de transporte de pessoal  4x4 Mercedes Benz 1117A
Heckler & Koch GmbH GMG (Grenade Machine Gun Cal. 40mm x 53)
Heckler & Koch GmbH MP5SD Cal. 9mm x 19 NATO
Heckler & Koch GmbH G36Kv
LIW VEKTOR M6  60 mm Long Range Mortar System
Mercedes Benz UNIMOG U 1550L/37 4x4
MBDA MILAN F2
Accuracy International Ltd AW 50
EID/Rhode & Schwarz P/GRC-525/M3TR
Título: Aproveitando..
Enviado por: ferrol em Dezembro 14, 2004, 02:59:37 pm
Aproveitando este fío do forum, simplemente dicir que este mes na revist a "Soldiers", dase unha ampla reportaxe sobre os "fuzileiros" portugueses, onde o periodista estivo seguindo os seus entrenos durante algunhas xorndas. Como resumo, o periodista insistía na boa disposición dos solddos,  alta moral, o bo entreno que recibíron, así como algún material que posuín (visores e lanzadores contracarros) que contrastaban con outros armamentos maís antigos, nomeadamente o G3.

Un saúdo.
Título: Re: Aproveitando..
Enviado por: Ricardo Nunes em Dezembro 14, 2004, 05:19:11 pm
Citação de: "ferrol"
Aproveitando este fío do forum, simplemente dicir que este mes na revist a "Soldiers", dase unha ampla reportaxe sobre os "fuzileiros" portugueses, onde o periodista estivo seguindo os seus entrenos durante algunhas xorndas. Como resumo, o periodista insistía na boa disposición dos solddos,  alta moral, o bo entreno que recibíron, así como algún material que posuín (visores e lanzadores contracarros) que contrastaban con outros armamentos maís antigos, nomeadamente o G3.

Un saúdo.


Caro ferrol, poderia-me dizer o site da referida revista?

Um abraço,
Título: Fuzileiros.
Enviado por: tsahal em Dezembro 14, 2004, 05:25:24 pm
De facto, a ultima Soldiers traz dois optimos trabalhos, mais a nivel fotografico sobre os Fuzileiros e outro sobre o DAE. A publicacao refere  a aquisicao do MISTRAL ATLAS, falta saber se e verdade. Tenho duvidas sobre isto. Por otro lado mostra o sistema Thales SOPHIE. Muito bom equipamento.
Título: Cómo non Ricardo.
Enviado por: ferrol em Dezembro 15, 2004, 02:29:38 pm
Hola Ricardo:

Pois o enderezo da páxina é o de soldiers.es, pero non atopei a portada nin os contidos da revista deste mes, por desgracia.

Pero polo que conta tsahal, parece que a revista tamén se atopa nalgúns quioscos portugueses, polo que será cuestión de buscala. Sinto non poder axudalo máis.

Un saúdo.
Título:
Enviado por: dero em Dezembro 17, 2004, 05:10:37 pm
olá a loja da soldiers é na baixa na rua na R. Correeiros se nao me engano no nome é a que desce o transito da PRAÇA DA FIGUEIRA E A REPORTAGEM ESTÁ MUITO BOA É SOBRE OS FUZILEIROS E O PELOTÃO DE ABORDAGEM NAO É SOBRE O DAE COMO FOI DITO ATRAS A DO DAE JÁ FOI NUM Nº ANTERIOR COMO JÁ SE FEZ DOS PARAS RANGERS ETC.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Miguel Silva Machado em Janeiro 06, 2006, 10:11:37 am
Citação de: "tsahal"
Gostaria de receber a ajuda dos amigos do Forum Defesa para um trabalho sobre os Fuzileiros da Armada Portuguesa. Para isso gostava de saber que meios de comunicações, viaturas, armamentos e outros equipamentos sao utilizados por esta unidade militar.

Obrigado a todos.


Se me permite uma sugestão, pergunte à Marinha (www.marinha.pt (http://www.marinha.pt)). Se quer fazer uma trabalho sério tem que se basear em fontes oficiais e não em informações particulares, por mais bem intencionadas que sejam, o que ninguém duvida. Quem senão a Marinha sabe o que os seus fuzileiros usam hoje em dia?
Um Abraço,
MMachado
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 14, 2006, 04:40:53 pm
Jorge como é que tun consegues todas estas imagens?
FANTÁSTICO!  :wink:
Título:
Enviado por: Lightning em Fevereiro 24, 2006, 12:46:10 am
À um tempo andava eu ai a navegar pela net quando esbarro no site da Marinha Real Britânica e apercebi-me de uma coisa, a Brigada dos Royal Marines Commandos e apoiada pelo menos nas especialidades de artilharia e engenharia por unidades do exército k tem uma especie de "curso básico naval" ou coisa do genero.
Pk é k cá n s faz o mesmo? Sempre se ganhava uns tantos Fuzileiros a sério pos Batalhões operacionais, talvez até formar mesmo uma Brigada de Fuzileiros a 3 batalhões de combate apoiada por unidades do exercito.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 24, 2006, 10:26:26 am
Era bom para o número, mas péssimo para o espirito de corpo!
Os Fuzileiros têm um elevado Espirito de Corpo porque pertencem à marinha e têm um treino acima da média, não queres que aconteça o mesmo que nos Pára-quedistas pois não?! A presença de arremachos foi e é uma coisa que mina o Espirito de Corpo.
Título:
Enviado por: Lightning em Fevereiro 24, 2006, 10:31:20 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Era bom para o número, mas péssimo para o espirito de corpo!
Os Fuzileiros têm um elevado Espirito de Corpo porque pertencem à marinha e têm um treino acima da média, não queres que aconteça o mesmo que nos Pára-quedistas pois não?! A presença de arremachos foi e é uma coisa que mina o Espirito de Corpo.


É verdade (volta velhinho RCP Regimento de Caçadores Para-quedistas da FAP tás perdoado) n kero insultar nenhum militar mas enquanto os Paras da FAP eram estilo o Regimento de Paras Britânico, a actual Brigada Aerotransportada mais s parece nas 82ªDivisão Aerotransportada Americana. :cry:
Título:
Enviado por: Lightning em Março 12, 2006, 01:36:31 am
Gostava de saber mais sobre os Fuzileiros durante a Guerra Colonial, vou aqui colocar o que sei mas espero que venha a ter mais detalhes por parte de outros.

Os Fuzileiros tem a sua origem no Regimento Naval Real formado em 1618, desactivado em 1890, reactivado em 1924 mas desactivado de novo 2 anos depois, até 1961 quando aparecem como a força existente actualmente. Quase exclusivamente recrutada, formada e treinada em Portugal, as Companhias de Fuzileiros de 150 homens(CF) zelavam pela segurança costeira e apoio fluvial. As operações especiais eram efectuadas pelos Destacamentos de Fuzileiros Especiais de 80 homens(DFE), no seu auge em 1971 existiam 11 DFE (880 Fuzileiros Especiais) e 8 CF (1200) dando o total de 2.080 Fuzileiros.
Apenas na Guiné, em 1970, se formaram 2 Destacamentos de Fuzileiros Especiais africanos, DFE 21 e DFE 22.

Aguardo mais informações dos "Fuzos" em África, obrigado porque até o site oficial da Armada é muito fraquinho neste tema. :?
Título:
Enviado por: Lightning em Março 23, 2006, 10:25:31 pm
Alguém sabe de bons sites sobre os Fuzileiros?

O Site oficial da Armada é muito pobresinho nesse capitulo.

eu conheço este

http://www.fuzileiros.tk/ (http://www.fuzileiros.tk/)
Título: reportagem da soldiers/raids nº 111 de 12/2004
Enviado por: antoninho em Abril 01, 2006, 12:15:57 am
Reportagem da revista soldiers-raiders nº111 de 12/2004

Se houver erros é porque algumas palavras castelhanas são erradamente
reconhecidas pelao programa do scanjet

 

"Tres vehículos todo ,terreno ligeros se mueven por una pista a
toda velocidad. Llegan a una encrucijada del camino y toman rumbos
diferentes pero se detienen poco después.
El primero está armado con una ametralladora pesada Browning M-2 y
una media MG-3, armas que comienzan a hacer fuego y vomitan, con
cadencia elevada, salvas de municiones del calibre 12,70x99 mm (.50
Browning) y 7,62x51 mm (.308 Winchester).

(autor da reportagem) Octavio Díez Cámara


Mientras que los que las manejan concentran sus disparos en un punto
situado a unos trescientos metros, los companieros del segundo vehículo se
afanan por alimentar un lanzagranadas automático de 40 mm, abriendo fuego
con rapidez sobre el mismo lugar.
Entonces es cuando entra en acción el tercero de los anteriores, éste
equipado con un afuste para el misilcontracarro "Milan" que simula una
acción de fuego sobre una columna que se aproxima en la lejanía.
No han pasado treinta segundos desde que llegaran a la zona y ya se
retiran, con la misma celeridad que llegaron. Su aportación, en términos de
fuego puntual, ha sido notoria para romper la progresión de un supuesto
adversario que se dirigía hacia las líneas propias."
Son los hombres del Pelotão Anti-Carro integrados en la Companhia de
Apoio de Fogos (CAF) del Corpo de Fuzileiros portugués, la Infantería de
Marina de la Armada lusa. Poco después, vuelven a la posición de partida y
se detienen, l0 cual nos permite observar en detalle la configuración de esos
vehículos.
Han optado por plataformas de porte mediano que se mueven bien incluso en zonas
estrechas y que gozan de una notoria movilidad en todo tipo de terrenos; la
adaptación específica a su tarea viene determinada por la colocación de barras
antivuelco y algunos soportes de armas se aprovechan incluso los primeros para
dar sujeción a
definidas y su aporte a la acciónde asalto anfibio puede ser concluyente, sobre
todo teniendo en cuenta que ellos son una Fuerza de entidad ligera que,
usualmente, se tendrá que enfrentar a defensas que les pueden superar en número
y capacidad.
Con ellos, y con otros elementos de su Companía, hemos estado para preparar
este reportaje que les ofrecemos en SOldiers-Raids.
Curiosamente, y contra l0 que cabría esperar en un principio, se trata
de un elemento modélico por su organización, capacidades y hasta por la
dotación de equipos; en Portugal, han optado por aglutinar una serie de nece-
sidades y adaptarlas a sus propios requerimientos, optando por la espe-
cialización y la calidad frente a la cantidad.

Apoyo de fuego

La misión básica de 1a CAF, que tiene en plantilla unos ciento sesenta
efectivos - en la práctica son más porque están reorganizando algunos de
sus elementos más característicos- y aglutina una veintena de vehículos todo
terreno para dar movilidad a los elementos más pesados, es asegurar el
apoyo de combate a un Batallón Ligero de Desembarco (BLD, Batalhâo Ligeiro
Desembarque).
En la búsqueda de cumplimentar ese cometido a la mayor perfección posible,
la CAF está organizada con un elemento de Mando, uno de Mando y Servicios y
una serie de pelotones especializados que son totalmente diferentes y, en
determinados supuestos, se complementan entre sí.
El primero - no están numerados como tales - es el Pelotâo de Morteiros
que cubre fundamentalmente acciones de apoyo de fuego indirecto, hasta 5,5
kilómetros, del BLD con piezas medias y pesadas, tanto en ofensiva como
defensiva.
Bajo la dependencia de un Comandante, y con unas plantillas próximas al medio
centenar de efectivos, se mantienen organizados sendos equipos de Observación
y Control de Fuegos (FDC, Fire Direction Center), que realizan cometidos en
relación con los cálculos relativos al apuntamiento de los morteros disponen
para ello de
equipos automáticos y manuales-, y dos secciones, estas últimas con el
cometido del fuego propiamente dicho.
En cada una de las anteriores se engloban, bajo la supervisiôn de un
suboficial, tres equipos organizados sobre una estructura similar, con dos
piezas, sus servidores y el equipo necesario para emplearlas en continui-
dad. Todos los equipos pueden usar el modelo espanol ECIA (Esperanza y
Companía) de tipo medio o los Tampella israelíes de tipo pesado -está
programado aumentar el número actual de seis de cada una de las anteriores
armas a ocho, totalizando dieciséis morteros.
Para evitar las acciones de contrabatería, y para facilitar el transporte
autônomo de aquellas municiones que requieran en sus acciones de tiro, tie-
nen asignados un número suficiente de vehículos ligeros todo terreno -uno por
pieza más el del FDC- que sirven para darles una mayor movilidad táctica y
prestarles determinados apoyos logísticos.
El segundo es el Pelotào Anti-Carro, elemento que reúne el concurso de un
oficial, cinco suboficiales y unos cincuenta soldados. La organizaciôn de
este último está transformándose para conseguir organizar cuatro secciones
Contracarro de Armas Combinadas incluyéndose cuatro equipos en cada una de ellas.
Dos de estos ultimos tienen asignados sendos lanzadores de misiles con-
tracarro de tipo medio, con capacidad de emplear sus armas en un rango de
dos kilómetros de distancia, tanto dedía como de noche.
Otro se encarga de operar una ametralladora pesada dei calibre .50
Browning y el último un lanzagranadas automático de 40 mm y gran capacidad
de fuego directo e indirecto; además,en su transición hacia la orgánica defi-
nitiva, mantienen en servicio ocho lanzacohetes medios que les permiten
atacar distintos tipos de objetivos, tanto blindados en movimiento como posicio-
nes de armas fijas.
La combinación de todos los sistemas anteriores permite materializar el
cometido principal: garantizar Ia protección dei BLD contra acciones ofensivas
de blindados de las fuerzas adversarias; como secundario, está el cubrir
apoyos de fuego puntuales en beneficio de las fuerzas propias y, en espe-
cial, de las companias de Fuzileiros.
Lo más usual en sus acciones es que lancen ataques rápidos sobre objetivos
específicos, usando en su beneficio Ia movilidad que les confieren sus
diecisiete vehículos todo-terreno ligeros y el poder de los distintos modelos
de armas instalados en ellos.
En esa función, también pueden efectuar reconocimientos por el fuegohasta los
límites externos de Ia zona de influencia dei BLD; así mismo, de ellos es la
responsabilidad de garantizar la movilidad y la protección sobre los ejes
de aproximación de blindados dei enemigo.
Un tercer elemento de la CAF es el pelotâo de Reconhecimento en el quê,
de momento, se agrupan algo más de treinta efectivos.
Un oficial actúa como Comandante y es responsable del trabajo de un
Equipo de Comunicaciones y de dos secciones de Reconocimiento, con dos
equipos de Reconocimiento y uno de Sniper en cada una de las anteriores;
sobre esa base, se tiende a organizar un total de ocho equipos mixtos que,
principalmente, cubrirían acciones de reconocimiento y tiro.
En su concurso se ha programado adquirir ocho vehículos muy ligeros que
estarán armados con ametralladoras medias del calibre 7 ,62 mm, en concre-
to las sólidas y efectivas MG-3 del 7,62mm. Con esos elementos se asumirían
acciones rápidas, potentes y certeras.
Asimismo, se contempla incorporar apuntadores láser con los que facilitar
el que determinadas armas -misiles o proyectiles de Artillería- impacten en
puntos concretos de los objetivos, para apoyar a las acciones CAS { Close Air
Support) de apoyo aéreo cercano.
Las misiones de esos hombres se basan en su especial preparación que les permite
trabajar en territorio hostil por largos períodos y proyectarse hasta la zona de
despliegue con el apoyo de helicópteros o de embarcaciones ligeras de superficie.
Sus capacidades son bastante amplias. Entre otras posibilidades de utilización se
incluyen: la realización de reconocimientos en tierra que les sean requeridos
desde el BLD, incluso en condiciones meteorológicas adversas;
la ejecución de acciones de reconocimiento de largo radio de acción y la trans-
misión de la información que sean capaces de obtener; el guiado terminal de
aeronaves para el ataque a objetivos determinados con mayor precisión,
y Ilevar acabo el control a distancia de los distintos elementos propios que se
hayan desplegado en una zona concreta.
En proceso de organización se encuentra el Pelotâo Anti-Aéreo que
suma unos veinticinco hombres al mando de un Comandante que cuenta
en su apoyo de un adjunto. Bajo su responsabilidad, y para garantizar
la protección próxima de los elementos más importantes dei BLD.
Está previsto que trabajen seis equipos Antiaéreos provistos de lanza-
dores para misiles portátiles de tipo ligero, siendo uno de los que
han contemplado el Matra "Mistral" francés, el mismo que se usa en
Espana por la Infantería de Marina y por otras fuerzas de élite.
Una ampliación de su potencial implica la constitución de una Sección
de Vigilancia del Campo de Batalla (VCB) y otra de Zapadores, disponien-
do ya de buena parte del equipo para este último que incluirá a nueve espe-
cialistas.
La primera incluirá trece personas repartidas en tres equipos provistos
con sistemas de obtención de información: uno provisto con un radar de
exploración tridimensional se encargará de detectar amenazas aéreas y
enviar la información a otras organizaciones propias, y los otros dos dotados
con radares de detección terrestre y elementos de vigilancia como cámaras
térmicas y otros equipos de la más moderna factura.

Más capacidad

Este proceso de transformación, a hora en curso, contempla potenciar su
entidad y sus capacidades siguiendo l0 que ellos denominan como la máxima
3R: Reestructuración, Reequipamiento y Reorganización.
Por ejemplo, de veintiún vehículos ligeros y medios pasarán a tener cerca
de cincuenta; el rango de su mando se transformará desde capitán a coman-
dante, y el número de efectivos en plantilla pasará de los ciento cuarenta y
nueve actuales hasta alcanzar cerca de doscientos: seis oficiales, dieciocho
suboficiales y el resto de tropa.
Gracias a ello, y siguiendo l0 establecido en el artículo número 38 del
Decreto Reglamentar nQ 29/94 de 1 de septiembre, podrán cumplimentar
acciones de reconocimiento, de Zapadores, de vigilancia del campo de
batalla, de apoyo de fuegos y otras.
Además, y como misión secundaria, tendrán la capacidad de apoyar aquelias
actividades de instrucción y entrenamiento de las distintas unidades de los
Fuzileiros.
Vamos a centrarnos en las primeras -las básicas- a la hora de detallar sus
capacidades y potencial. Una de las misiones más características de esta
Unidad es la que les lleva a obtener todo tipo de Información relacionada
con la zona donde tenga que actuar el Batallón Ligero de Desembarco al que
dan cobertura, tanto de las condiciones físicas del lugar como de los elementos
enemigos que allí se puedan encontrar; usualmente, y aprovechando sofistica-
dos equipos digitales que Ilevarán con ellos, podrán obtener fotografías y
enviarias en tiempo real hasta los órganos de Mando, facilitando el análisis
inmediato de los datos obtenidos.
Incluso, podrán desplegarse en profundidad para recabar aquellos recono-
cimientos que puedan requerírseles.
Durante sus actuaciones optarán por moverse en pequenos grupos y hacer-
l0 con el máximo sigilo para que su presencia no sea detectada.
Una segunda gran misión de la CAF es la relacionada con el apoyo de fuego
propiamente dicho, tanto de tipo directo como indirecto.
Básicamente, los primeros se concentran en Ia capacidad de determi-
nadas armas que Ilevan consigo, en concreto ametralladoras pesadas y
lanzacohetes con las que pueden cubrir el ataque preciso en un rango de
unos mil metros; con as primeras concentrarán ráfagas puntuales y con los
segundos batirán todo tipo de blancos, tanto de día como de noche pues
emplean cámaras térmicas asociadas a estos sistemas.
Las de tipo indirecto son asignadas a los lanzagranadas automáticos de 40mm
que gracias a la potencia de sus granadas pueden hacer estragos en
formaciones motorizadas y blindadas,con un alcance eficaz de casi
dos kilómetros.
Los morteros medios y pesados, que se solapan en cuanto a sus radios
de tiro, son mucho más contundentes porque los efectos de sus granadas
sobre todo las de 120 mm- son comparables alas de piezas artilleras lige-
ras, con los beneficios que de ello se puedan aportar; en contra de los mis-
mos, senalar que su alcance es limitado pues no supera los seis kilómetros,
aunque podrían incorporarse municiones de gran capacidad con las que sol-
ventar ese inconveniente.
Otra capacidad propia, sobre todo gracias al empleo de ocho sistemas
lanzadores de misiles filoguiados de segunda generación, es la lucha con-
tracarro propiamente dicha, o contra todo tipo de blindados. En una distan-
cia de dos kilómetros, y tanto de día como de noche, pueden neutralizar
buena parte de los ingenios más modernos, porque emplean misiles
renovados;la movilidad de sus lanzadores está pensada para que les ofrez-
ca un mayor grado de supervivencia.
Por último, el tiro de precisión que se consigue con los rifles que tienen
asignados les permite materializar aquellas actividades especiales en las
que sea preciso dejar "fuera de combate" a una persona de especial interés o
a un determinado sistema, pese a que sus rifles dei 7,62 mm no son especial-
mente efectivos en este último cometido; por ello, recientemente se han
adquirido los del .338 Lapua Magnum que tienen un alcance notable y unas
capacidades ampliamente probadas.
Para poder cumplimentar ese tipo de actividades se trabaja en torno a
una organización pequena, con grupos altamente especializados y motivados.
El personal, que en más dei sesenta por ciento de los casos es profesio-
nal, sigue un proceso de formación bastante estructurado por cometidos,
buscando con su especialización el que obtenga un mayor rendimiento de los
sistemas que se le han asignado.
Por otra parte, todos ellos trabajan un aspecto que es muy importante: la
formación física en el más amplio sentido de la palabra. Se cuida de manera
especial el potencial humano y su capacidad para desplazarse durante
largos periodos llevando con ellos el equipo más característico; también se
plantean clases de lucha cuerpo a cuerpo que mejoran la capacidad de
reacción de los hombres en el caso que tengan que enfrentarse con otros
adversarios sin más recurso que un cuchillo o sus punos.
En cuanto al equipamiento, senalar que es de l0 mejor que hemos visto en
una Unidad de su tipo: variado, bastante moderno y perfectamente adaptado
a los cometidos que se plantean.
En el segmento dei equipo personal, además de su uniformidad propia,
hay que destacar que es común el usode elementos de ocultación, desde tra-
jes tipo guillie suit hasta pequenas redes miméticas con las que cubrir
posiciones de determinadas armas; también puede senalarse la diferencia
de elementos que, en función de las especialidades, caracterizan las vesti-
mentas de unos y otros soldados, con profusión de nuevos elementos.
El armamento personal es un ámbito curioso porque mantienen en servi-
cio varias "glorias" históricas. La pistola Walther P1 dei 9x19 mm Parabellum es
de fabricación local y derivada de la germana P-38; el fusil de asalto no es
otro que el robusto y eficaz G-3 alemán, un arma del 7,62x51 mm que con-
serva intactas sus cualidades pese a los muchos anos que lleva en activo,
mientras que como ametralladora ,siguen confiando en la sólida y efectiva
MG-3, del mismo calibre que el anterior.
Volviendo al fusil de asalto, senalar que los que usan presentan sobre sus
superficies metálicas un curioso aspecto como derivación de las condiciones
ambientales -salitre marino- que tienen que soportar en sus ejercicios y des-
pliegues, siendo dei tipo compacto pues incluyen culata retráctil.
Algunos fusiles de asalto han recibido en su guardamanos un apuntador
láser AN/PAQ-2 mientras que otros incluyen visores de punto rojo, visores
ópticos o sistemas de puntería nocturna como los visores F7000 y F7001 de
moderna factura; son un producto de ITT Industries, incluyen un tubo capta-
dor de tercera generación y, respectivamente, ofrecen 4 y 6 aumentos.
Estos últimos también son habituales en las ametralladoras pesadas,
para 10 cual incluyen un anclaje superior.
De empleo general, es la cámara térmica francesa "sophie", un equipo
compacto y ligero que se puede emplear de forma individual o asociado a un
determinado sistema de armas, permitiendo así su empleo nocturno, como
sucede con los lanzacohetes y lanza-misiles.
En cuanto a las armas de apoyo, senalar que emplean la ametralladora
Browning M-2, el lanzagranadas automático de 40 mm de Heckler & Koch,
os lanzacohetes tipo "Carl Gustav" o os morteros Ecia de 81 mm, además
je los Tampella de 120 mm. El parque de vehículos es eminentemente ligero y
se concentra alrededor del todo terreno Toyota "Land Cruiser" que se muestra
Muy adecuado para el uso que se les encomienda.
Otro equipo que usan incluye los rifles de precisión Mauser 86SR del
7,62x51 mm y los Accuracy AW del
plegables para cavar pequenos agujeros; los visores nocturnos noruegos
"Simrad" del tipo KN; un pequeno número de cámaras fotográficas digita-
les con ópticas de gran potencia (600mm); algunos ordenadores portátiles;
diversos sistemas de transmisión de HF (High Frequency) y VHF (Very High
Frequency) y un largo etcétera de otros elementos necesarios para sus múlti-
pies actividades.

Eficiencia y eficacia

La transformación emprendida en los últimos meses en el seno de esta
Companía permite asegurar que sus cometidos se incrementarán de forma
sustancial, así como sus capacidades.
Todo ello, de una forma muy meditada y racional, y, lo que también es impor-
tante, con unos costes contenidos si se valoran los recursos con que se
espera implementar sus misiones.
Los Fuzileiros de la Armada portuguesa son una organización que puede
considerarse como modélica porque han optado por unas dimensiones y
capacidades que se corresponden con lo que son capaces de cubrir, mantener
y proyectar. Esa cualidad, les permite contar con unos recursos muy eficien-
tes y adecuadamente dimensionados, lo cual a la larga se demuestra más
positivo que negativo.
La impresión que Soldiers-Raids se ha llevado con lo que vimos durante
nuestra visita a su Base próxima a Lisboa se puede valorar como muy
positiva. Espíritu de trabajo elevado; buen equipamiento y esperando reno-
var aquellos sistemas más antiguos; proyección de transformación para
cubrir los retos que se puedan presentar, y unas capacidades de lo más váli-
do, un "cóctel" adecuado y digno de elogio.
Por su especial predisposición para realizar ese artículo les damos las gra-
cias a todos ellos, sin hacer mención especial de ninguna de las personas
que nos acompanaron porque fueron muchos los que tuvieron su aportación
positiva.
Desde aquí les animamos a seguir trabajando con el impulso que hoy les
caracteriza.

CORPO DE FUZILEIROS


La organización general de esta Fuerza, que tiene una dependencia directa del Comando Naval, incluye un Mando con
elementos subordinados: un Estado Mayor, la Escuela de Fuzileiros, los órganos de Apoyo, la Base de Fuzileiros y las
fuerzas de Fuzileiros - los batallones 1 y 2, la Unidad de Policía Naval, el Destacamento de Acciones Especiales, y otras-
can las que conformar el BLD, o Batalhâo Ligeiro Desembarque. Este último es la organización operativa que se activa
en el caso de tener que dar cobertura a una misión real 0 para ejercicios, participando en el mismo diversos elementos
en función de la entidad que tenga la tarea asignada. Básicamente, su orgánica incluye un elemento de Mando asesa-
rado por el Estado Mayor y una serie de servicias complementarias.
A saber: un Elemento de Maniobra conformado por el Batallón de infantes propiamente dicho -usualmente tres compa-
nías de fusiles de unos ciento veinte efectivos- que totaliza cerca de cuatracientas hombres; un Elemento de Apoyo de
Combate organizado con aportaciones de la CAF que protaganiza estas páginas; un Elemento de Apoyo de Servicios
que cubre tareas como el transporte, seguridad, protección NBQ (Nuclear, Biológica y Química) o Ias abastecimientas;
un Elemento de Asalto Anfibio que engloba grupos de embarcaciones neumáticas, lanchones de desembarco LCM y
vehículos LARC, y otras refuerzos que se considere necesario incluir.
Can todos esos medios, las principales tareas atribuidas al BLD son: constituirse como fuerza de desembarco con capa-
cidad de ejecutar operaciones anfibias, llevar acabo operaciones especiales para la protección o evacuación de ciuda-
danos nacionales o participar en fuerzas multinacionales empenadas en la resolución de conflictos de diversa intensi-
dad.
Esa predisposición les ha llevado a cubrir misiones operativas en Zaire o Guinea Bissau, la primera durante 1997 y la
segunda al ano siguiente. En el 2002 fueran destacados, durante un mes, a una misión humanitaria ala República de
Mozambique y también han pasado por Bosnia-Herzegovina (2000) dentro de COMSFOR y Timor (2000-2004) bajo la auto-
ridad de la Organización de Naciones Unidas (ONU).
Ellos mismos senalan, que sus limitaciones actuales implican una limitada capacidad de medias de desembarque, la ine-
xistencia de medios blindados, el limitado alcance de las armas de apoyo ala reducida capacidad logística fuera del
ambiente naval; ese reconocimiento se basa en Ia decisión de poner soluciones imaginativas para paliarlas, contem-
plando a ese respecto un reequipamiento -apoyado por la 2ª Lei da Programaçâo Militar- de l0 más amplio o la incar-
poración de una nave tipo LPD que mejore su capacidad de proyección.

FORJA DE OFICIALES

Todos aquellos que quieren llegar a ser oficiales del Corpo de Fuzileiros
portugués deben haber superado las pruebas de acceso a la universidad y
cumplimentar un estricto examen físico y diversas pruebas escritas,
con especial hincapié en todo 10 relacionado con las matemáticas.
Admitidos en la Escuela Naval, pasan un periodo de evaluación pre-
vio que se dilata durante cinco semanas, con salidas al campo en grupos
pequenos. Es una selección común para todos los cadetes y sirve para
pulir el grupo.
Durante su primer ano de carrera todos los alumnos de la Escuela
siguen un programa con disciplinas idénticas, aunque ya se conoce cual
será la especialidad por la que opta cada uno de ellos. Se toma especial
énfasis en regulamentos militares, natación, psicología operacional,....
y es bastante duro, pues de los sesenta o setenta que inicia sólo
acaban la mitad.
En el segundo ano ya comienzan a impartirse algunas disciplinas que
van dirigidas sólo a parte del contingente. Se suelen hacer bastantes
salidas al campo para aprender a liderar grupos de hombres, para lo
cual cuentan con el apoyo de personal de la Escola do Fuzileiros que
está localizada a unos treinta kilómetros de Lisboa.
La filosofía de las clases toma un camino diferente con la llegada del
tercer ano, centrándose la preparación de aquellos que van a ir desti-
nados a los Fuzileiros en más materias específicas y menos generales,
para comenzar a forjar su especialización. Lo mismo, sucede el cuarto,
periodo en el que se toma contacto con asignaturas que incluye la
Hidrografía, la Oceanografia o las Comunicaciones.
El quinto, y último, lo dedican a cubrir cuatro o cinco mini cursos de
especialización y a realizar un periodo de aclimatación en la Escola do
Fuzileiros para adaptarse a las disciplinas propias: tiro de combate,
supervivencia o lucha en áreas urbanizadas.
A mediados de febrero de ese último ano, les darán la boina que les iden-
tifica -hasta entonces eran aspirantes a oficial- y pasan destinados al
Batallón 2 como adjuntos de los comandantes de Pelotón de las companías.


Vou tentar um dia destes por as fotos da reportagem.
Título: Re: reportagem da soldiers/raids nº 111 de 12/2004
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 03, 2006, 01:38:15 pm
Citação de: "antoninho"
Reportagem da revista soldiers-raiders nº111 de 12/2004

Se houver erros é porque algumas palavras castelhanas são erradamente
reconhecidas pelao programa do scanjet

 

"Tres vehículos todo ,terreno ligeros se mueven por una pista a
toda velocidad. Llegan a una encrucijada del camino y toman rumbos
diferentes pero se detienen poco después.
El primero está armado con una ametralladora pesada Browning M-2 y
una media MG-3, armas que comienzan a hacer fuego y vomitan, con
cadencia elevada, salvas de municiones del calibre 12,70x99 mm (.50
Browning) y 7,62x51 mm (.308 Winchester).

(autor da reportagem) Octavio Díez Cámara


Mientras que los que las manejan concentran sus disparos en un punto
situado a unos trescientos metros, los companieros del segundo vehículo se
afanan por alimentar un lanzagranadas automático de 40 mm, abriendo fuego
con rapidez sobre el mismo lugar.
Entonces es cuando entra en acción el tercero de los anteriores, éste
equipado con un afuste para el misilcontracarro "Milan" que simula una
acción de fuego sobre una columna que se aproxima en la lejanía.
No han pasado treinta segundos desde que llegaran a la zona y ya se
retiran, con la misma celeridad que llegaron. Su aportación, en términos de
fuego puntual, ha sido notoria para romper la progresión de un supuesto
adversario que se dirigía hacia las líneas propias."
Son los hombres del Pelotão Anti-Carro integrados en la Companhia de
Apoio de Fogos (CAF) del Corpo de Fuzileiros portugués, la Infantería de
Marina de la Armada lusa. Poco después, vuelven a la posición de partida y
se detienen, l0 cual nos permite observar en detalle la configuración de esos
vehículos.
Han optado por plataformas de porte mediano que se mueven bien incluso en zonas
estrechas y que gozan de una notoria movilidad en todo tipo de terrenos; la
adaptación específica a su tarea viene determinada por la colocación de barras
antivuelco y algunos soportes de armas se aprovechan incluso los primeros para
dar sujeción a
definidas y su aporte a la acciónde asalto anfibio puede ser concluyente, sobre
todo teniendo en cuenta que ellos son una Fuerza de entidad ligera que,
usualmente, se tendrá que enfrentar a defensas que les pueden superar en número
y capacidad.
Con ellos, y con otros elementos de su Companía, hemos estado para preparar
este reportaje que les ofrecemos en SOldiers-Raids.
Curiosamente, y contra l0 que cabría esperar en un principio, se trata
de un elemento modélico por su organización, capacidades y hasta por la
dotación de equipos; en Portugal, han optado por aglutinar una serie de nece-
sidades y adaptarlas a sus propios requerimientos, optando por la espe-
cialización y la calidad frente a la cantidad.

Apoyo de fuego

La misión básica de 1a CAF, que tiene en plantilla unos ciento sesenta
efectivos - en la práctica son más porque están reorganizando algunos de
sus elementos más característicos- y aglutina una veintena de vehículos todo
terreno para dar movilidad a los elementos más pesados, es asegurar el
apoyo de combate a un Batallón Ligero de Desembarco (BLD, Batalhâo Ligeiro
Desembarque).
En la búsqueda de cumplimentar ese cometido a la mayor perfección posible,
la CAF está organizada con un elemento de Mando, uno de Mando y Servicios y
una serie de pelotones especializados que son totalmente diferentes y, en
determinados supuestos, se complementan entre sí.
El primero - no están numerados como tales - es el Pelotâo de Morteiros
que cubre fundamentalmente acciones de apoyo de fuego indirecto, hasta 5,5
kilómetros, del BLD con piezas medias y pesadas, tanto en ofensiva como
defensiva.
Bajo la dependencia de un Comandante, y con unas plantillas próximas al medio
centenar de efectivos, se mantienen organizados sendos equipos de Observación
y Control de Fuegos (FDC, Fire Direction Center), que realizan cometidos en
relación con los cálculos relativos al apuntamiento de los morteros disponen
para ello de
equipos automáticos y manuales-, y dos secciones, estas últimas con el
cometido del fuego propiamente dicho.
En cada una de las anteriores se engloban, bajo la supervisiôn de un
suboficial, tres equipos organizados sobre una estructura similar, con dos
piezas, sus servidores y el equipo necesario para emplearlas en continui-
dad. Todos los equipos pueden usar el modelo espanol ECIA (Esperanza y
Companía) de tipo medio o los Tampella israelíes de tipo pesado -está
programado aumentar el número actual de seis de cada una de las anteriores
armas a ocho, totalizando dieciséis morteros.
Para evitar las acciones de contrabatería, y para facilitar el transporte
autônomo de aquellas municiones que requieran en sus acciones de tiro, tie-
nen asignados un número suficiente de vehículos ligeros todo terreno -uno por
pieza más el del FDC- que sirven para darles una mayor movilidad táctica y
prestarles determinados apoyos logísticos.
El segundo es el Pelotào Anti-Carro, elemento que reúne el concurso de un
oficial, cinco suboficiales y unos cincuenta soldados. La organizaciôn de
este último está transformándose para conseguir organizar cuatro secciones
Contracarro de Armas Combinadas incluyéndose cuatro equipos en cada una de ellas.
Dos de estos ultimos tienen asignados sendos lanzadores de misiles con-
tracarro de tipo medio, con capacidad de emplear sus armas en un rango de
dos kilómetros de distancia, tanto dedía como de noche.
Otro se encarga de operar una ametralladora pesada dei calibre .50
Browning y el último un lanzagranadas automático de 40 mm y gran capacidad
de fuego directo e indirecto; además,en su transición hacia la orgánica defi-
nitiva, mantienen en servicio ocho lanzacohetes medios que les permiten
atacar distintos tipos de objetivos, tanto blindados en movimiento como posicio-
nes de armas fijas.
La combinación de todos los sistemas anteriores permite materializar el
cometido principal: garantizar Ia protección dei BLD contra acciones ofensivas
de blindados de las fuerzas adversarias; como secundario, está el cubrir
apoyos de fuego puntuales en beneficio de las fuerzas propias y, en espe-
cial, de las companias de Fuzileiros.
Lo más usual en sus acciones es que lancen ataques rápidos sobre objetivos
específicos, usando en su beneficio Ia movilidad que les confieren sus
diecisiete vehículos todo-terreno ligeros y el poder de los distintos modelos
de armas instalados en ellos.
En esa función, también pueden efectuar reconocimientos por el fuegohasta los
límites externos de Ia zona de influencia dei BLD; así mismo, de ellos es la
responsabilidad de garantizar la movilidad y la protección sobre los ejes
de aproximación de blindados dei enemigo.
Un tercer elemento de la CAF es el pelotâo de Reconhecimento en el quê,
de momento, se agrupan algo más de treinta efectivos.
Un oficial actúa como Comandante y es responsable del trabajo de un
Equipo de Comunicaciones y de dos secciones de Reconocimiento, con dos
equipos de Reconocimiento y uno de Sniper en cada una de las anteriores;
sobre esa base, se tiende a organizar un total de ocho equipos mixtos que,
principalmente, cubrirían acciones de reconocimiento y tiro.
En su concurso se ha programado adquirir ocho vehículos muy ligeros que
estarán armados con ametralladoras medias del calibre 7 ,62 mm, en concre-
to las sólidas y efectivas MG-3 del 7,62mm. Con esos elementos se asumirían
acciones rápidas, potentes y certeras.
Asimismo, se contempla incorporar apuntadores láser con los que facilitar
el que determinadas armas -misiles o proyectiles de Artillería- impacten en
puntos concretos de los objetivos, para apoyar a las acciones CAS { Close Air
Support) de apoyo aéreo cercano.
Las misiones de esos hombres se basan en su especial preparación que les permite
trabajar en territorio hostil por largos períodos y proyectarse hasta la zona de
despliegue con el apoyo de helicópteros o de embarcaciones ligeras de superficie.
Sus capacidades son bastante amplias. Entre otras posibilidades de utilización se
incluyen: la realización de reconocimientos en tierra que les sean requeridos
desde el BLD, incluso en condiciones meteorológicas adversas;
la ejecución de acciones de reconocimiento de largo radio de acción y la trans-
misión de la información que sean capaces de obtener; el guiado terminal de
aeronaves para el ataque a objetivos determinados con mayor precisión,
y Ilevar acabo el control a distancia de los distintos elementos propios que se
hayan desplegado en una zona concreta.
En proceso de organización se encuentra el Pelotâo Anti-Aéreo que
suma unos veinticinco hombres al mando de un Comandante que cuenta
en su apoyo de un adjunto. Bajo su responsabilidad, y para garantizar
la protección próxima de los elementos más importantes dei BLD.
Está previsto que trabajen seis equipos Antiaéreos provistos de lanza-
dores para misiles portátiles de tipo ligero, siendo uno de los que
han contemplado el Matra "Mistral" francés, el mismo que se usa en
Espana por la Infantería de Marina y por otras fuerzas de élite.
Una ampliación de su potencial implica la constitución de una Sección
de Vigilancia del Campo de Batalla (VCB) y otra de Zapadores, disponien-
do ya de buena parte del equipo para este último que incluirá a nueve espe-
cialistas.
La primera incluirá trece personas repartidas en tres equipos provistos
con sistemas de obtención de información: uno provisto con un radar de
exploración tridimensional se encargará de detectar amenazas aéreas y
enviar la información a otras organizaciones propias, y los otros dos dotados
con radares de detección terrestre y elementos de vigilancia como cámaras
térmicas y otros equipos de la más moderna factura.

Más capacidad

Este proceso de transformación, a hora en curso, contempla potenciar su
entidad y sus capacidades siguiendo l0 que ellos denominan como la máxima
3R: Reestructuración, Reequipamiento y Reorganización.
Por ejemplo, de veintiún vehículos ligeros y medios pasarán a tener cerca
de cincuenta; el rango de su mando se transformará desde capitán a coman-
dante, y el número de efectivos en plantilla pasará de los ciento cuarenta y
nueve actuales hasta alcanzar cerca de doscientos: seis oficiales, dieciocho
suboficiales y el resto de tropa.
Gracias a ello, y siguiendo l0 establecido en el artículo número 38 del
Decreto Reglamentar nQ 29/94 de 1 de septiembre, podrán cumplimentar
acciones de reconocimiento, de Zapadores, de vigilancia del campo de
batalla, de apoyo de fuegos y otras.
Además, y como misión secundaria, tendrán la capacidad de apoyar aquelias
actividades de instrucción y entrenamiento de las distintas unidades de los
Fuzileiros.
Vamos a centrarnos en las primeras -las básicas- a la hora de detallar sus
capacidades y potencial. Una de las misiones más características de esta
Unidad es la que les lleva a obtener todo tipo de Información relacionada
con la zona donde tenga que actuar el Batallón Ligero de Desembarco al que
dan cobertura, tanto de las condiciones físicas del lugar como de los elementos
enemigos que allí se puedan encontrar; usualmente, y aprovechando sofistica-
dos equipos digitales que Ilevarán con ellos, podrán obtener fotografías y
enviarias en tiempo real hasta los órganos de Mando, facilitando el análisis
inmediato de los datos obtenidos.
Incluso, podrán desplegarse en profundidad para recabar aquellos recono-
cimientos que puedan requerírseles.
Durante sus actuaciones optarán por moverse en pequenos grupos y hacer-
l0 con el máximo sigilo para que su presencia no sea detectada.
Una segunda gran misión de la CAF es la relacionada con el apoyo de fuego
propiamente dicho, tanto de tipo directo como indirecto.
Básicamente, los primeros se concentran en Ia capacidad de determi-
nadas armas que Ilevan consigo, en concreto ametralladoras pesadas y
lanzacohetes con las que pueden cubrir el ataque preciso en un rango de
unos mil metros; con as primeras concentrarán ráfagas puntuales y con los
segundos batirán todo tipo de blancos, tanto de día como de noche pues
emplean cámaras térmicas asociadas a estos sistemas.
Las de tipo indirecto son asignadas a los lanzagranadas automáticos de 40mm
que gracias a la potencia de sus granadas pueden hacer estragos en
formaciones motorizadas y blindadas,con un alcance eficaz de casi
dos kilómetros.
Los morteros medios y pesados, que se solapan en cuanto a sus radios
de tiro, son mucho más contundentes porque los efectos de sus granadas
sobre todo las de 120 mm- son comparables alas de piezas artilleras lige-
ras, con los beneficios que de ello se puedan aportar; en contra de los mis-
mos, senalar que su alcance es limitado pues no supera los seis kilómetros,
aunque podrían incorporarse municiones de gran capacidad con las que sol-
ventar ese inconveniente.
Otra capacidad propia, sobre todo gracias al empleo de ocho sistemas
lanzadores de misiles filoguiados de segunda generación, es la lucha con-
tracarro propiamente dicha, o contra todo tipo de blindados. En una distan-
cia de dos kilómetros, y tanto de día como de noche, pueden neutralizar
buena parte de los ingenios más modernos, porque emplean misiles
renovados;la movilidad de sus lanzadores está pensada para que les ofrez-
ca un mayor grado de supervivencia.
Por último, el tiro de precisión que se consigue con los rifles que tienen
asignados les permite materializar aquellas actividades especiales en las
que sea preciso dejar "fuera de combate" a una persona de especial interés o
a un determinado sistema, pese a que sus rifles dei 7,62 mm no son especial-
mente efectivos en este último cometido; por ello, recientemente se han
adquirido los del .338 Lapua Magnum que tienen un alcance notable y unas
capacidades ampliamente probadas.
Para poder cumplimentar ese tipo de actividades se trabaja en torno a
una organización pequena, con grupos altamente especializados y motivados.
El personal, que en más dei sesenta por ciento de los casos es profesio-
nal, sigue un proceso de formación bastante estructurado por cometidos,
buscando con su especialización el que obtenga un mayor rendimiento de los
sistemas que se le han asignado.
Por otra parte, todos ellos trabajan un aspecto que es muy importante: la
formación física en el más amplio sentido de la palabra. Se cuida de manera
especial el potencial humano y su capacidad para desplazarse durante
largos periodos llevando con ellos el equipo más característico; también se
plantean clases de lucha cuerpo a cuerpo que mejoran la capacidad de
reacción de los hombres en el caso que tengan que enfrentarse con otros
adversarios sin más recurso que un cuchillo o sus punos.
En cuanto al equipamiento, senalar que es de l0 mejor que hemos visto en
una Unidad de su tipo: variado, bastante moderno y perfectamente adaptado
a los cometidos que se plantean.
En el segmento dei equipo personal, además de su uniformidad propia,
hay que destacar que es común el usode elementos de ocultación, desde tra-
jes tipo guillie suit hasta pequenas redes miméticas con las que cubrir
posiciones de determinadas armas; también puede senalarse la diferencia
de elementos que, en función de las especialidades, caracterizan las vesti-
mentas de unos y otros soldados, con profusión de nuevos elementos.
El armamento personal es un ámbito curioso porque mantienen en servi-
cio varias "glorias" históricas. La pistola Walther P1 dei 9x19 mm Parabellum es
de fabricación local y derivada de la germana P-38; el fusil de asalto no es
otro que el robusto y eficaz G-3 alemán, un arma del 7,62x51 mm que con-
serva intactas sus cualidades pese a los muchos anos que lleva en activo,
mientras que como ametralladora ,siguen confiando en la sólida y efectiva
MG-3, del mismo calibre que el anterior.
Volviendo al fusil de asalto, senalar que los que usan presentan sobre sus
superficies metálicas un curioso aspecto como derivación de las condiciones
ambientales -salitre marino- que tienen que soportar en sus ejercicios y des-
pliegues, siendo dei tipo compacto pues incluyen culata retráctil.
Algunos fusiles de asalto han recibido en su guardamanos un apuntador
láser AN/PAQ-2 mientras que otros incluyen visores de punto rojo, visores
ópticos o sistemas de puntería nocturna como los visores F7000 y F7001 de
moderna factura; son un producto de ITT Industries, incluyen un tubo capta-
dor de tercera generación y, respectivamente, ofrecen 4 y 6 aumentos.
Estos últimos también son habituales en las ametralladoras pesadas,
para 10 cual incluyen un anclaje superior.
De empleo general, es la cámara térmica francesa "sophie", un equipo
compacto y ligero que se puede emplear de forma individual o asociado a un
determinado sistema de armas, permitiendo así su empleo nocturno, como
sucede con los lanzacohetes y lanza-misiles.
En cuanto a las armas de apoyo, senalar que emplean la ametralladora
Browning M-2, el lanzagranadas automático de 40 mm de Heckler & Koch,
os lanzacohetes tipo "Carl Gustav" o os morteros Ecia de 81 mm, además
je los Tampella de 120 mm. El parque de vehículos es eminentemente ligero y
se concentra alrededor del todo terreno Toyota "Land Cruiser" que se muestra
Muy adecuado para el uso que se les encomienda.
Otro equipo que usan incluye los rifles de precisión Mauser 86SR del
7,62x51 mm y los Accuracy AW del
plegables para cavar pequenos agujeros; los visores nocturnos noruegos
"Simrad" del tipo KN; un pequeno número de cámaras fotográficas digita-
les con ópticas de gran potencia (600mm); algunos ordenadores portátiles;
diversos sistemas de transmisión de HF (High Frequency) y VHF (Very High
Frequency) y un largo etcétera de otros elementos necesarios para sus múlti-
pies actividades.

Eficiencia y eficacia

La transformación emprendida en los últimos meses en el seno de esta
Companía permite asegurar que sus cometidos se incrementarán de forma
sustancial, así como sus capacidades.
Todo ello, de una forma muy meditada y racional, y, lo que también es impor-
tante, con unos costes contenidos si se valoran los recursos con que se
espera implementar sus misiones.
Los Fuzileiros de la Armada portuguesa son una organización que puede
considerarse como modélica porque han optado por unas dimensiones y
capacidades que se corresponden con lo que son capaces de cubrir, mantener
y proyectar. Esa cualidad, les permite contar con unos recursos muy eficien-
tes y adecuadamente dimensionados, lo cual a la larga se demuestra más
positivo que negativo.
La impresión que Soldiers-Raids se ha llevado con lo que vimos durante
nuestra visita a su Base próxima a Lisboa se puede valorar como muy
positiva. Espíritu de trabajo elevado; buen equipamiento y esperando reno-
var aquellos sistemas más antiguos; proyección de transformación para
cubrir los retos que se puedan presentar, y unas capacidades de lo más váli-
do, un "cóctel" adecuado y digno de elogio.
Por su especial predisposición para realizar ese artículo les damos las gra-
cias a todos ellos, sin hacer mención especial de ninguna de las personas
que nos acompanaron porque fueron muchos los que tuvieron su aportación
positiva.
Desde aquí les animamos a seguir trabajando con el impulso que hoy les
caracteriza.

CORPO DE FUZILEIROS


La organización general de esta Fuerza, que tiene una dependencia directa del Comando Naval, incluye un Mando con
elementos subordinados: un Estado Mayor, la Escuela de Fuzileiros, los órganos de Apoyo, la Base de Fuzileiros y las
fuerzas de Fuzileiros - los batallones 1 y 2, la Unidad de Policía Naval, el Destacamento de Acciones Especiales, y otras-
can las que conformar el BLD, o Batalhâo Ligeiro Desembarque. Este último es la organización operativa que se activa
en el caso de tener que dar cobertura a una misión real 0 para ejercicios, participando en el mismo diversos elementos
en función de la entidad que tenga la tarea asignada. Básicamente, su orgánica incluye un elemento de Mando asesa-
rado por el Estado Mayor y una serie de servicias complementarias.
A saber: un Elemento de Maniobra conformado por el Batallón de infantes propiamente dicho -usualmente tres compa-
nías de fusiles de unos ciento veinte efectivos- que totaliza cerca de cuatracientas hombres; un Elemento de Apoyo de
Combate organizado con aportaciones de la CAF que protaganiza estas páginas; un Elemento de Apoyo de Servicios
que cubre tareas como el transporte, seguridad, protección NBQ (Nuclear, Biológica y Química) o Ias abastecimientas;
un Elemento de Asalto Anfibio que engloba grupos de embarcaciones neumáticas, lanchones de desembarco LCM y
vehículos LARC, y otras refuerzos que se considere necesario incluir.
Can todos esos medios, las principales tareas atribuidas al BLD son: constituirse como fuerza de desembarco con capa-
cidad de ejecutar operaciones anfibias, llevar acabo operaciones especiales para la protección o evacuación de ciuda-
danos nacionales o participar en fuerzas multinacionales empenadas en la resolución de conflictos de diversa intensi-
dad.
Esa predisposición les ha llevado a cubrir misiones operativas en Zaire o Guinea Bissau, la primera durante 1997 y la
segunda al ano siguiente. En el 2002 fueran destacados, durante un mes, a una misión humanitaria ala República de
Mozambique y también han pasado por Bosnia-Herzegovina (2000) dentro de COMSFOR y Timor (2000-2004) bajo la auto-
ridad de la Organización de Naciones Unidas (ONU).
Ellos mismos senalan, que sus limitaciones actuales implican una limitada capacidad de medias de desembarque, la ine-
xistencia de medios blindados, el limitado alcance de las armas de apoyo ala reducida capacidad logística fuera del
ambiente naval; ese reconocimiento se basa en Ia decisión de poner soluciones imaginativas para paliarlas, contem-
plando a ese respecto un reequipamiento -apoyado por la 2ª Lei da Programaçâo Militar- de l0 más amplio o la incar-
poración de una nave tipo LPD que mejore su capacidad de proyección.

FORJA DE OFICIALES

Todos aquellos que quieren llegar a ser oficiales del Corpo de Fuzileiros
portugués deben haber superado las pruebas de acceso a la universidad y
cumplimentar un estricto examen físico y diversas pruebas escritas,
con especial hincapié en todo 10 relacionado con las matemáticas.
Admitidos en la Escuela Naval, pasan un periodo de evaluación pre-
vio que se dilata durante cinco semanas, con salidas al campo en grupos
pequenos. Es una selección común para todos los cadetes y sirve para
pulir el grupo.
Durante su primer ano de carrera todos los alumnos de la Escuela
siguen un programa con disciplinas idénticas, aunque ya se conoce cual
será la especialidad por la que opta cada uno de ellos. Se toma especial
énfasis en regulamentos militares, natación, psicología operacional,....
y es bastante duro, pues de los sesenta o setenta que inicia sólo
acaban la mitad.
En el segundo ano ya comienzan a impartirse algunas disciplinas que
van dirigidas sólo a parte del contingente. Se suelen hacer bastantes
salidas al campo para aprender a liderar grupos de hombres, para lo
cual cuentan con el apoyo de personal de la Escola do Fuzileiros que
está localizada a unos treinta kilómetros de Lisboa.
La filosofía de las clases toma un camino diferente con la llegada del
tercer ano, centrándose la preparación de aquellos que van a ir desti-
nados a los Fuzileiros en más materias específicas y menos generales,
para comenzar a forjar su especialización. Lo mismo, sucede el cuarto,
periodo en el que se toma contacto con asignaturas que incluye la
Hidrografía, la Oceanografia o las Comunicaciones.
El quinto, y último, lo dedican a cubrir cuatro o cinco mini cursos de
especialización y a realizar un periodo de aclimatación en la Escola do
Fuzileiros para adaptarse a las disciplinas propias: tiro de combate,
supervivencia o lucha en áreas urbanizadas.
A mediados de febrero de ese último ano, les darán la boina que les iden-
tifica -hasta entonces eran aspirantes a oficial- y pasan destinados al
Batallón 2 como adjuntos de los comandantes de Pelotón de las companías.


Vou tentar um dia destes por as fotos da reportagem.


Bom trabalho, eu tb já fiz transcrições de textos para o forum do nosso caro colega Miguel Machado sobre a história dos Pára-quedistas Portugueses e da Companhia de Precursores. Dá um trabalhão não é?!
Título: Re: reportagem da soldiers/raids nº 111 de 12/2004
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 03, 2006, 01:48:01 pm
Citação de: "antoninho"
Reportagem da revista soldiers-raiders nº111 de 12/2004

Se houver erros é porque algumas palavras castelhanas são erradamente
reconhecidas pelao programa do scanjet

 

"Tres vehículos todo ,terreno ligeros se mueven por una pista a
toda velocidad. Llegan a una encrucijada del camino y toman rumbos
diferentes pero se detienen poco después.
El primero está armado con una ametralladora pesada Browning M-2 y
una media MG-3, armas que comienzan a hacer fuego y vomitan, con
cadencia elevada, salvas de municiones del calibre 12,70x99 mm (.50
Browning) y 7,62x51 mm (.308 Winchester).

(autor da reportagem) Octavio Díez Cámara


Mientras que los que las manejan concentran sus disparos en un punto
situado a unos trescientos metros, los companieros del segundo vehículo se
afanan por alimentar un lanzagranadas automático de 40 mm, abriendo fuego
con rapidez sobre el mismo lugar.
Entonces es cuando entra en acción el tercero de los anteriores, éste
equipado con un afuste para el misilcontracarro "Milan" que simula una
acción de fuego sobre una columna que se aproxima en la lejanía.
No han pasado treinta segundos desde que llegaran a la zona y ya se
retiran, con la misma celeridad que llegaron. Su aportación, en términos de
fuego puntual, ha sido notoria para romper la progresión de un supuesto
adversario que se dirigía hacia las líneas propias."
Son los hombres del Pelotão Anti-Carro integrados en la Companhia de
Apoio de Fogos (CAF) del Corpo de Fuzileiros portugués, la Infantería de
Marina de la Armada lusa. Poco después, vuelven a la posición de partida y
se detienen, l0 cual nos permite observar en detalle la configuración de esos
vehículos.
Han optado por plataformas de porte mediano que se mueven bien incluso en zonas
estrechas y que gozan de una notoria movilidad en todo tipo de terrenos; la
adaptación específica a su tarea viene determinada por la colocación de barras
antivuelco y algunos soportes de armas se aprovechan incluso los primeros para
dar sujeción a
definidas y su aporte a la acciónde asalto anfibio puede ser concluyente, sobre
todo teniendo en cuenta que ellos son una Fuerza de entidad ligera que,
usualmente, se tendrá que enfrentar a defensas que les pueden superar en número
y capacidad.
Con ellos, y con otros elementos de su Companía, hemos estado para preparar
este reportaje que les ofrecemos en SOldiers-Raids.
Curiosamente, y contra l0 que cabría esperar en un principio, se trata
de un elemento modélico por su organización, capacidades y hasta por la
dotación de equipos; en Portugal, han optado por aglutinar una serie de nece-
sidades y adaptarlas a sus propios requerimientos, optando por la espe-
cialización y la calidad frente a la cantidad.

Apoyo de fuego

La misión básica de 1a CAF, que tiene en plantilla unos ciento sesenta
efectivos - en la práctica son más porque están reorganizando algunos de
sus elementos más característicos- y aglutina una veintena de vehículos todo
terreno para dar movilidad a los elementos más pesados, es asegurar el
apoyo de combate a un Batallón Ligero de Desembarco (BLD, Batalhâo Ligeiro
Desembarque).
En la búsqueda de cumplimentar ese cometido a la mayor perfección posible,
la CAF está organizada con un elemento de Mando, uno de Mando y Servicios y
una serie de pelotones especializados que son totalmente diferentes y, en
determinados supuestos, se complementan entre sí.
El primero - no están numerados como tales - es el Pelotâo de Morteiros
que cubre fundamentalmente acciones de apoyo de fuego indirecto, hasta 5,5
kilómetros, del BLD con piezas medias y pesadas, tanto en ofensiva como
defensiva.
Bajo la dependencia de un Comandante, y con unas plantillas próximas al medio
centenar de efectivos, se mantienen organizados sendos equipos de Observación
y Control de Fuegos (FDC, Fire Direction Center), que realizan cometidos en
relación con los cálculos relativos al apuntamiento de los morteros disponen
para ello de
equipos automáticos y manuales-, y dos secciones, estas últimas con el
cometido del fuego propiamente dicho.
En cada una de las anteriores se engloban, bajo la supervisiôn de un
suboficial, tres equipos organizados sobre una estructura similar, con dos
piezas, sus servidores y el equipo necesario para emplearlas en continui-
dad. Todos los equipos pueden usar el modelo espanol ECIA (Esperanza y
Companía) de tipo medio o los Tampella israelíes de tipo pesado -está
programado aumentar el número actual de seis de cada una de las anteriores
armas a ocho, totalizando dieciséis morteros.
Para evitar las acciones de contrabatería, y para facilitar el transporte
autônomo de aquellas municiones que requieran en sus acciones de tiro, tie-
nen asignados un número suficiente de vehículos ligeros todo terreno -uno por
pieza más el del FDC- que sirven para darles una mayor movilidad táctica y
prestarles determinados apoyos logísticos.
El segundo es el Pelotào Anti-Carro, elemento que reúne el concurso de un
oficial, cinco suboficiales y unos cincuenta soldados. La organizaciôn de
este último está transformándose para conseguir organizar cuatro secciones
Contracarro de Armas Combinadas incluyéndose cuatro equipos en cada una de ellas.
Dos de estos ultimos tienen asignados sendos lanzadores de misiles con-
tracarro de tipo medio, con capacidad de emplear sus armas en un rango de
dos kilómetros de distancia, tanto dedía como de noche.
Otro se encarga de operar una ametralladora pesada dei calibre .50
Browning y el último un lanzagranadas automático de 40 mm y gran capacidad
de fuego directo e indirecto; además,en su transición hacia la orgánica defi-
nitiva, mantienen en servicio ocho lanzacohetes medios que les permiten
atacar distintos tipos de objetivos, tanto blindados en movimiento como posicio-
nes de armas fijas.
La combinación de todos los sistemas anteriores permite materializar el
cometido principal: garantizar Ia protección dei BLD contra acciones ofensivas
de blindados de las fuerzas adversarias; como secundario, está el cubrir
apoyos de fuego puntuales en beneficio de las fuerzas propias y, en espe-
cial, de las companias de Fuzileiros.
Lo más usual en sus acciones es que lancen ataques rápidos sobre objetivos
específicos, usando en su beneficio Ia movilidad que les confieren sus
diecisiete vehículos todo-terreno ligeros y el poder de los distintos modelos
de armas instalados en ellos.
En esa función, también pueden efectuar reconocimientos por el fuegohasta los
límites externos de Ia zona de influencia dei BLD; así mismo, de ellos es la
responsabilidad de garantizar la movilidad y la protección sobre los ejes
de aproximación de blindados dei enemigo.
Un tercer elemento de la CAF es el pelotâo de Reconhecimento en el quê,
de momento, se agrupan algo más de treinta efectivos.
Un oficial actúa como Comandante y es responsable del trabajo de un
Equipo de Comunicaciones y de dos secciones de Reconocimiento, con dos
equipos de Reconocimiento y uno de Sniper en cada una de las anteriores;
sobre esa base, se tiende a organizar un total de ocho equipos mixtos que,
principalmente, cubrirían acciones de reconocimiento y tiro.
En su concurso se ha programado adquirir ocho vehículos muy ligeros que
estarán armados con ametralladoras medias del calibre 7 ,62 mm, en concre-
to las sólidas y efectivas MG-3 del 7,62mm. Con esos elementos se asumirían
acciones rápidas, potentes y certeras.
Asimismo, se contempla incorporar apuntadores láser con los que facilitar
el que determinadas armas -misiles o proyectiles de Artillería- impacten en
puntos concretos de los objetivos, para apoyar a las acciones CAS { Close Air
Support) de apoyo aéreo cercano.
Las misiones de esos hombres se basan en su especial preparación que les permite
trabajar en territorio hostil por largos períodos y proyectarse hasta la zona de
despliegue con el apoyo de helicópteros o de embarcaciones ligeras de superficie.
Sus capacidades son bastante amplias. Entre otras posibilidades de utilización se
incluyen: la realización de reconocimientos en tierra que les sean requeridos
desde el BLD, incluso en condiciones meteorológicas adversas;
la ejecución de acciones de reconocimiento de largo radio de acción y la trans-
misión de la información que sean capaces de obtener; el guiado terminal de
aeronaves para el ataque a objetivos determinados con mayor precisión,
y Ilevar acabo el control a distancia de los distintos elementos propios que se
hayan desplegado en una zona concreta.
En proceso de organización se encuentra el Pelotâo Anti-Aéreo que
suma unos veinticinco hombres al mando de un Comandante que cuenta
en su apoyo de un adjunto. Bajo su responsabilidad, y para garantizar
la protección próxima de los elementos más importantes dei BLD.
Está previsto que trabajen seis equipos Antiaéreos provistos de lanza-
dores para misiles portátiles de tipo ligero, siendo uno de los que
han contemplado el Matra "Mistral" francés, el mismo que se usa en
Espana por la Infantería de Marina y por otras fuerzas de élite.
Una ampliación de su potencial implica la constitución de una Sección
de Vigilancia del Campo de Batalla (VCB) y otra de Zapadores, disponien-
do ya de buena parte del equipo para este último que incluirá a nueve espe-
cialistas.
La primera incluirá trece personas repartidas en tres equipos provistos
con sistemas de obtención de información: uno provisto con un radar de
exploración tridimensional se encargará de detectar amenazas aéreas y
enviar la información a otras organizaciones propias, y los otros dos dotados
con radares de detección terrestre y elementos de vigilancia como cámaras
térmicas y otros equipos de la más moderna factura.

Más capacidad

Este proceso de transformación, a hora en curso, contempla potenciar su
entidad y sus capacidades siguiendo l0 que ellos denominan como la máxima
3R: Reestructuración, Reequipamiento y Reorganización.
Por ejemplo, de veintiún vehículos ligeros y medios pasarán a tener cerca
de cincuenta; el rango de su mando se transformará desde capitán a coman-
dante, y el número de efectivos en plantilla pasará de los ciento cuarenta y
nueve actuales hasta alcanzar cerca de doscientos: seis oficiales, dieciocho
suboficiales y el resto de tropa.
Gracias a ello, y siguiendo l0 establecido en el artículo número 38 del
Decreto Reglamentar nQ 29/94 de 1 de septiembre, podrán cumplimentar
acciones de reconocimiento, de Zapadores, de vigilancia del campo de
batalla, de apoyo de fuegos y otras.
Además, y como misión secundaria, tendrán la capacidad de apoyar aquelias
actividades de instrucción y entrenamiento de las distintas unidades de los
Fuzileiros.
Vamos a centrarnos en las primeras -las básicas- a la hora de detallar sus
capacidades y potencial. Una de las misiones más características de esta
Unidad es la que les lleva a obtener todo tipo de Información relacionada
con la zona donde tenga que actuar el Batallón Ligero de Desembarco al que
dan cobertura, tanto de las condiciones físicas del lugar como de los elementos
enemigos que allí se puedan encontrar; usualmente, y aprovechando sofistica-
dos equipos digitales que Ilevarán con ellos, podrán obtener fotografías y
enviarias en tiempo real hasta los órganos de Mando, facilitando el análisis
inmediato de los datos obtenidos.
Incluso, podrán desplegarse en profundidad para recabar aquellos recono-
cimientos que puedan requerírseles.
Durante sus actuaciones optarán por moverse en pequenos grupos y hacer-
l0 con el máximo sigilo para que su presencia no sea detectada.
Una segunda gran misión de la CAF es la relacionada con el apoyo de fuego
propiamente dicho, tanto de tipo directo como indirecto.
Básicamente, los primeros se concentran en Ia capacidad de determi-
nadas armas que Ilevan consigo, en concreto ametralladoras pesadas y
lanzacohetes con las que pueden cubrir el ataque preciso en un rango de
unos mil metros; con as primeras concentrarán ráfagas puntuales y con los
segundos batirán todo tipo de blancos, tanto de día como de noche pues
emplean cámaras térmicas asociadas a estos sistemas.
Las de tipo indirecto son asignadas a los lanzagranadas automáticos de 40mm
que gracias a la potencia de sus granadas pueden hacer estragos en
formaciones motorizadas y blindadas,con un alcance eficaz de casi
dos kilómetros.
Los morteros medios y pesados, que se solapan en cuanto a sus radios
de tiro, son mucho más contundentes porque los efectos de sus granadas
sobre todo las de 120 mm- son comparables alas de piezas artilleras lige-
ras, con los beneficios que de ello se puedan aportar; en contra de los mis-
mos, senalar que su alcance es limitado pues no supera los seis kilómetros,
aunque podrían incorporarse municiones de gran capacidad con las que sol-
ventar ese inconveniente.
Otra capacidad propia, sobre todo gracias al empleo de ocho sistemas
lanzadores de misiles filoguiados de segunda generación, es la lucha con-
tracarro propiamente dicha, o contra todo tipo de blindados. En una distan-
cia de dos kilómetros, y tanto de día como de noche, pueden neutralizar
buena parte de los ingenios más modernos, porque emplean misiles
renovados;la movilidad de sus lanzadores está pensada para que les ofrez-
ca un mayor grado de supervivencia.
Por último, el tiro de precisión que se consigue con los rifles que tienen
asignados les permite materializar aquellas actividades especiales en las
que sea preciso dejar "fuera de combate" a una persona de especial interés o
a un determinado sistema, pese a que sus rifles dei 7,62 mm no son especial-
mente efectivos en este último cometido; por ello, recientemente se han
adquirido los del .338 Lapua Magnum que tienen un alcance notable y unas
capacidades ampliamente probadas.
Para poder cumplimentar ese tipo de actividades se trabaja en torno a
una organización pequena, con grupos altamente especializados y motivados.
El personal, que en más dei sesenta por ciento de los casos es profesio-
nal, sigue un proceso de formación bastante estructurado por cometidos,
buscando con su especialización el que obtenga un mayor rendimiento de los
sistemas que se le han asignado.
Por otra parte, todos ellos trabajan un aspecto que es muy importante: la
formación física en el más amplio sentido de la palabra. Se cuida de manera
especial el potencial humano y su capacidad para desplazarse durante
largos periodos llevando con ellos el equipo más característico; también se
plantean clases de lucha cuerpo a cuerpo que mejoran la capacidad de
reacción de los hombres en el caso que tengan que enfrentarse con otros
adversarios sin más recurso que un cuchillo o sus punos.
En cuanto al equipamiento, senalar que es de l0 mejor que hemos visto en
una Unidad de su tipo: variado, bastante moderno y perfectamente adaptado
a los cometidos que se plantean.
En el segmento dei equipo personal, además de su uniformidad propia,
hay que destacar que es común el usode elementos de ocultación, desde tra-
jes tipo guillie suit hasta pequenas redes miméticas con las que cubrir
posiciones de determinadas armas; también puede senalarse la diferencia
de elementos que, en función de las especialidades, caracterizan las vesti-
mentas de unos y otros soldados, con profusión de nuevos elementos.
El armamento personal es un ámbito curioso porque mantienen en servi-
cio varias "glorias" históricas. La pistola Walther P1 dei 9x19 mm Parabellum es
de fabricación local y derivada de la germana P-38; el fusil de asalto no es
otro que el robusto y eficaz G-3 alemán, un arma del 7,62x51 mm que con-
serva intactas sus cualidades pese a los muchos anos que lleva en activo,
mientras que como ametralladora ,siguen confiando en la sólida y efectiva
MG-3, del mismo calibre que el anterior.
Volviendo al fusil de asalto, senalar que los que usan presentan sobre sus
superficies metálicas un curioso aspecto como derivación de las condiciones
ambientales -salitre marino- que tienen que soportar en sus ejercicios y des-
pliegues, siendo dei tipo compacto pues incluyen culata retráctil.
Algunos fusiles de asalto han recibido en su guardamanos un apuntador
láser AN/PAQ-2 mientras que otros incluyen visores de punto rojo, visores
ópticos o sistemas de puntería nocturna como los visores F7000 y F7001 de
moderna factura; son un producto de ITT Industries, incluyen un tubo capta-
dor de tercera generación y, respectivamente, ofrecen 4 y 6 aumentos.
Estos últimos también son habituales en las ametralladoras pesadas,
para 10 cual incluyen un anclaje superior.
De empleo general, es la cámara térmica francesa "sophie", un equipo
compacto y ligero que se puede emplear de forma individual o asociado a un
determinado sistema de armas, permitiendo así su empleo nocturno, como
sucede con los lanzacohetes y lanza-misiles.
En cuanto a las armas de apoyo, senalar que emplean la ametralladora
Browning M-2, el lanzagranadas automático de 40 mm de Heckler & Koch,
os lanzacohetes tipo "Carl Gustav" o os morteros Ecia de 81 mm, además
je los Tampella de 120 mm. El parque de vehículos es eminentemente ligero y
se concentra alrededor del todo terreno Toyota "Land Cruiser" que se muestra
Muy adecuado para el uso que se les encomienda.
Otro equipo que usan incluye los rifles de precisión Mauser 86SR del
7,62x51 mm y los Accuracy AW del
plegables para cavar pequenos agujeros; los visores nocturnos noruegos
"Simrad" del tipo KN; un pequeno número de cámaras fotográficas digita-
les con ópticas de gran potencia (600mm); algunos ordenadores portátiles;
diversos sistemas de transmisión de HF (High Frequency) y VHF (Very High
Frequency) y un largo etcétera de otros elementos necesarios para sus múlti-
pies actividades.

Eficiencia y eficacia

La transformación emprendida en los últimos meses en el seno de esta
Companía permite asegurar que sus cometidos se incrementarán de forma
sustancial, así como sus capacidades.
Todo ello, de una forma muy meditada y racional, y, lo que también es impor-
tante, con unos costes contenidos si se valoran los recursos con que se
espera implementar sus misiones.
Los Fuzileiros de la Armada portuguesa son una organización que puede
considerarse como modélica porque han optado por unas dimensiones y
capacidades que se corresponden con lo que son capaces de cubrir, mantener
y proyectar. Esa cualidad, les permite contar con unos recursos muy eficien-
tes y adecuadamente dimensionados, lo cual a la larga se demuestra más
positivo que negativo.
La impresión que Soldiers-Raids se ha llevado con lo que vimos durante
nuestra visita a su Base próxima a Lisboa se puede valorar como muy
positiva. Espíritu de trabajo elevado; buen equipamiento y esperando reno-
var aquellos sistemas más antiguos; proyección de transformación para
cubrir los retos que se puedan presentar, y unas capacidades de lo más váli-
do, un "cóctel" adecuado y digno de elogio.
Por su especial predisposición para realizar ese artículo les damos las gra-
cias a todos ellos, sin hacer mención especial de ninguna de las personas
que nos acompanaron porque fueron muchos los que tuvieron su aportación
positiva.
Desde aquí les animamos a seguir trabajando con el impulso que hoy les
caracteriza.

CORPO DE FUZILEIROS


La organización general de esta Fuerza, que tiene una dependencia directa del Comando Naval, incluye un Mando con
elementos subordinados: un Estado Mayor, la Escuela de Fuzileiros, los órganos de Apoyo, la Base de Fuzileiros y las
fuerzas de Fuzileiros - los batallones 1 y 2, la Unidad de Policía Naval, el Destacamento de Acciones Especiales, y otras-
can las que conformar el BLD, o Batalhâo Ligeiro Desembarque. Este último es la organización operativa que se activa
en el caso de tener que dar cobertura a una misión real 0 para ejercicios, participando en el mismo diversos elementos
en función de la entidad que tenga la tarea asignada. Básicamente, su orgánica incluye un elemento de Mando asesa-
rado por el Estado Mayor y una serie de servicias complementarias.
A saber: un Elemento de Maniobra conformado por el Batallón de infantes propiamente dicho -usualmente tres compa-
nías de fusiles de unos ciento veinte efectivos- que totaliza cerca de cuatracientas hombres; un Elemento de Apoyo de
Combate organizado con aportaciones de la CAF que protaganiza estas páginas; un Elemento de Apoyo de Servicios
que cubre tareas como el transporte, seguridad, protección NBQ (Nuclear, Biológica y Química) o Ias abastecimientas;
un Elemento de Asalto Anfibio que engloba grupos de embarcaciones neumáticas, lanchones de desembarco LCM y
vehículos LARC, y otras refuerzos que se considere necesario incluir.
Can todos esos medios, las principales tareas atribuidas al BLD son: constituirse como fuerza de desembarco con capa-
cidad de ejecutar operaciones anfibias, llevar acabo operaciones especiales para la protección o evacuación de ciuda-
danos nacionales o participar en fuerzas multinacionales empenadas en la resolución de conflictos de diversa intensi-
dad.
Esa predisposición les ha llevado a cubrir misiones operativas en Zaire o Guinea Bissau, la primera durante 1997 y la
segunda al ano siguiente. En el 2002 fueran destacados, durante un mes, a una misión humanitaria ala República de
Mozambique y también han pasado por Bosnia-Herzegovina (2000) dentro de COMSFOR y Timor (2000-2004) bajo la auto-
ridad de la Organización de Naciones Unidas (ONU).
Ellos mismos senalan, que sus limitaciones actuales implican una limitada capacidad de medias de desembarque, la ine-
xistencia de medios blindados, el limitado alcance de las armas de apoyo ala reducida capacidad logística fuera del
ambiente naval; ese reconocimiento se basa en Ia decisión de poner soluciones imaginativas para paliarlas, contem-
plando a ese respecto un reequipamiento -apoyado por la 2ª Lei da Programaçâo Militar- de l0 más amplio o la incar-
poración de una nave tipo LPD que mejore su capacidad de proyección.

FORJA DE OFICIALES

Todos aquellos que quieren llegar a ser oficiales del Corpo de Fuzileiros
portugués deben haber superado las pruebas de acceso a la universidad y
cumplimentar un estricto examen físico y diversas pruebas escritas,
con especial hincapié en todo 10 relacionado con las matemáticas.
Admitidos en la Escuela Naval, pasan un periodo de evaluación pre-
vio que se dilata durante cinco semanas, con salidas al campo en grupos
pequenos. Es una selección común para todos los cadetes y sirve para
pulir el grupo.
Durante su primer ano de carrera todos los alumnos de la Escuela
siguen un programa con disciplinas idénticas, aunque ya se conoce cual
será la especialidad por la que opta cada uno de ellos. Se toma especial
énfasis en regulamentos militares, natación, psicología operacional,....
y es bastante duro, pues de los sesenta o setenta que inicia sólo
acaban la mitad.
En el segundo ano ya comienzan a impartirse algunas disciplinas que
van dirigidas sólo a parte del contingente. Se suelen hacer bastantes
salidas al campo para aprender a liderar grupos de hombres, para lo
cual cuentan con el apoyo de personal de la Escola do Fuzileiros que
está localizada a unos treinta kilómetros de Lisboa.
La filosofía de las clases toma un camino diferente con la llegada del
tercer ano, centrándose la preparación de aquellos que van a ir desti-
nados a los Fuzileiros en más materias específicas y menos generales,
para comenzar a forjar su especialización. Lo mismo, sucede el cuarto,
periodo en el que se toma contacto con asignaturas que incluye la
Hidrografía, la Oceanografia o las Comunicaciones.
El quinto, y último, lo dedican a cubrir cuatro o cinco mini cursos de
especialización y a realizar un periodo de aclimatación en la Escola do
Fuzileiros para adaptarse a las disciplinas propias: tiro de combate,
supervivencia o lucha en áreas urbanizadas.
A mediados de febrero de ese último ano, les darán la boina que les iden-
tifica -hasta entonces eran aspirantes a oficial- y pasan destinados al
Batallón 2 como adjuntos de los comandantes de Pelotón de las companías.


Vou tentar um dia destes por as fotos da reportagem.


Bom trabalho, eu tb já fiz transcrições de textos para o forum do nosso caro colega Miguel Machado sobre a história dos Pára-quedistas Portugueses e da Companhia de Precursores. Dá um trabalhão não é?!
Título: fotos da revista da soldiers
Enviado por: antoninho em Abril 06, 2006, 01:01:07 am
http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot1.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot1.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot2.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot2.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot3.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot3.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot4.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot4.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot5.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot5.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot6.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot6.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot7.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot7.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot8.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot8.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... 1/fot9.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot9.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... /fot10.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot10.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... /fot11.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot11.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... /fot12.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot12.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... /fot13.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot13.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... /fot14.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot14.jpg)

http://i61.photobucket.com/albums/h52/a ... /fot15.jpg (http://i61.photobucket.com/albums/h52/antoninho1/fot15.jpg)
Título:
Enviado por: Yosy em Abril 06, 2006, 07:10:20 pm
Grandes fotos  :D
Título:
Enviado por: TOMKAT em Abril 07, 2006, 09:28:28 am
Comemora-se hoje dia 7 de Abril, o 44º aniversário da formação da  1ª Companhia de Fuzileiros, resultado da reactivação da classe de Fuzileiro, com carácter permanente, iniciada em 1961, devido ao início da Guerra Colonial.

Até 1975, mais de 14.000 fuzileiros combateram nos diversos teatros de operações da Guiné, Angola e Moçambique.

A mais antiga unidade militar de elite portuguesa, cujas origens remontam a 1621, ao então chamado Terço da Armada da Coroa de Portugal considerada já então uma unidade de elite, sendo inclusivé responsável pela guarda pessoal do Rei de Portugal.
Título: fotos
Enviado por: dero em Abril 07, 2006, 02:54:44 pm
tenho uma excelente foto e um momento de descanso dos fuzos mas nao sei por jorge manda me o teu mail q eu te envio a foto
Título:
Enviado por: TOMKAT em Maio 27, 2006, 11:16:36 pm
Citação de: "Bravo Two Zero"

O que sabem desta Chaimite com tão boa pinta :?:  :?


Pinta velha,... demasiado velha para ainda andar a fazer figurões pelas paradas nacionais.

Já o conheço há mais de 20 anos... desde os tempos em que andei a "navegar" para os lados de Vale de Zebro e do Corpo de Fuzileiros no Alfeite...

Já na altura era célebre por, dizia-se nos "mentideros", ser fruto da arte de um sargento Fuzo, habilidoso em transformações desse tipo.
Título:
Enviado por: Johnnie em Maio 29, 2006, 05:01:40 pm
De baixo para cima, HK MP5 em diversas variantes, depois a mitica HK G3. Na 3ª foto, mais algumas G3, uma shotgun que agora n tenho presente o modelo, uma M4 e uma HK G36C, a primeira foto parece-me a versão sniper da G3 mas posso estar enganado...Quando chegar a casa consulto as minhas cabulas e já edito este post.Abraço
Título:
Enviado por: Luso em Maio 29, 2006, 05:56:01 pm
Sem querer criticá-lo Johnnie pessoalmente, permita-me corrigi-lo: "shotgun" é escopeta ou caçadeira. Pergunto-me que diabo de cultura é esta quando fomos dos primeiros povos a utilizar armas de fogo e temos necessidade de utilizar estrangeirismos para designar uma arma de fogo de cano não estriado. É falta de cultura.
A crítica vai direitinha para os jornalistas, essas sapiências. Não para o nosso Johnnie! :wink:
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Maio 29, 2006, 06:02:27 pm
A   caçadeira :?
Título:
Enviado por: Johnnie em Maio 29, 2006, 07:53:08 pm
Ou uma Winchester  :oops:
Título:
Enviado por: NotePad em Maio 29, 2006, 10:48:20 pm
...
Título:
Enviado por: NotePad em Maio 29, 2006, 10:58:48 pm
...
Título:
Enviado por: snakeye25 em Maio 30, 2006, 03:28:21 pm
:roll:
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Junho 03, 2006, 12:19:12 am
O camião parece-me um velhinho Mercedes LA1113 ou LA911...........uma reliquia.............
O jipe é um Mercedes classe GD penso que continua em serviço
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Junho 03, 2006, 12:24:20 am
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg375.imageshack.us%2Fimg375%2F4894%2F31tu.th.jpg&hash=a929f6d5fd0dfcbe96bfe5e2088eb4c1)


Não será o canhão sem recuo Carl Gustaf de 84 mm???? :conf:
Título:
Enviado por: snakeye25 em Junho 03, 2006, 01:14:56 am
Não aparenta ser um Carl Gustaf. Apontaria mais para a tradicional M20A1 Super Bazooka ou derivados...  :roll:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 03, 2006, 10:19:32 am
Citação de: "Bravo Two Zero"
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg375.imageshack.us%2Fimg375%2F4894%2F31tu.th.jpg&hash=a929f6d5fd0dfcbe96bfe5e2088eb4c1)


Não será o canhão sem recuo Carl Gustaf de 84 mm???? :conf:


Sem dúvida que é a bazuca.
Título:
Enviado por: TOMKAT em Junho 03, 2006, 12:07:50 pm
A velhinha bazuca pois então, talvez a arma que impressionava mais da primeira vez que se utilizava, pelo espalhafato de chama que fazia... :(

Sabiam que numa pequena praia próximo dessa zona exista uma fenda na rocha junto à praia, se entra por ela e se sai cá em cima no planalto a mais de 1km da costa ?
Ainda recordo com saudades os entalanços dos "sarjolas" mais redondos em zonas mais apertadas da dita fenda... :)
Título:
Enviado por: Ricardo em Outubro 01, 2006, 04:57:08 pm
Num documentário da RTP: "Filhos da Escola", surge no exercício em áreas edificadas e na marcha de 60 km, soldados com um sistema de armas anti-carro (julgo eu ser), que assemelha-se ao panzergranadier alemão da 2ª guerra mundial, dado ter também uma espécie de chapa do lado esquerdo acoplada na tubagem da peça!

Alguém consegue reconhecer o sistema de armas e tem conhecimento se o mesmo ainda é utilizado?
Título:
Enviado por: Lancero em Outubro 08, 2006, 12:18:47 am
Não tinha ainda visitado a galeria do site do emgfa. Encontrei lá esta foto: uma G36 com carregador de 100 munições.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emgfa.pt%2FElementos%2FImagens%2F48%2F1521171292003G36%2520DAE%2520100%2520net.jpg&hash=9101de81d041d2707ece6e35787ad21a)
Título:
Enviado por: Spectral em Outubro 08, 2006, 11:29:23 am
Citar
Num documentário da RTP: "Filhos da Escola", surge no exercício em áreas edificadas e na marcha de 60 km, soldados com um sistema de armas anti-carro (julgo eu ser), que assemelha-se ao panzergranadier alemão da 2ª guerra mundial, dado ter também uma espécie de chapa do lado esquerdo acoplada na tubagem da peça!

Alguém consegue reconhecer o sistema de armas e tem conhecimento se o mesmo ainda é utilizado?


Canhão sem recuo Carl Gustav de 84mm, também usado em Portugal pelos páras e por muitas outras forças ligeiras no estrangeiro. Uma espécie de equivalente ocidental do famoso RPG-7.

http://en.wikipedia.org/wiki/Carl_Gustav_recoilless_rifle
Título:
Enviado por: Ricardo em Outubro 11, 2006, 04:01:00 pm
Citação de: "Spectral"
Citar
Num documentário da RTP: "Filhos da Escola", surge no exercício em áreas edificadas e na marcha de 60 km, soldados com um sistema de armas anti-carro (julgo eu ser), que assemelha-se ao panzergranadier alemão da 2ª guerra mundial, dado ter também uma espécie de chapa do lado esquerdo acoplada na tubagem da peça!

Alguém consegue reconhecer o sistema de armas e tem conhecimento se o mesmo ainda é utilizado?

Canhão sem recuo Carl Gustav de 84mm, também usado em Portugal pelos páras e por muitas outras forças ligeiras no estrangeiro. Uma espécie de equivalente ocidental do famoso RPG-7.


O canhão s/recuo Carl Gustav de 84mm, conheço bem, não se trata deste dado que tal como disse, no documentário o que aparece é um sistema de armas que tem uma espécie de chapa do lado esquerdo acoplada na tubagem da peça!
Título:
Enviado por: Lancero em Outubro 11, 2006, 05:02:58 pm
De que ano é esse documentário?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 11, 2006, 05:27:08 pm
Já cá tinhamos debatido isto, e segundo eu me lembro era uma Bazuca. Sim uma bazuca das antigas! É que para treinar não é preciso o topo de gama, basta algo para fazer peso, por isso é que o pessoal na ETP anda de G-3 durante a recruta, é só para fazer peso mesmo!  :wink:
Título:
Enviado por: Creoula em Outubro 13, 2006, 11:41:19 pm
http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/6A45 ... Congo2.wmv (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/6A45905C-F17A-49F5-AB77-5FA3F597ABE4/3000/Congo2.wmv)

De acordo com a noticia publicada no site da Marinha, trata-se de um video do DAE dos Fuzileiros efectuando treinos de tiro para "...preparação no âmbito das missões que lhes estão atribuídas...".  max1x1
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 14, 2006, 12:04:43 pm
Obrigado pelo video, é a primeira vez que eu o vejo.  :wink:
Título:
Enviado por: Yosy em Outubro 14, 2006, 09:34:56 pm
Bom vídeo  :G-bigun:
Título:
Enviado por: ricardonunes em Outubro 14, 2006, 09:41:39 pm
Esse exercicio de tiro não foi filmado cá?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 16, 2006, 12:19:36 pm
Citar
Operação "MAR PORTUGUÊS"
 
Publicado em:
 2006-10-03



No passado dia 29 de Setembro, a Marinha numa operação conjunta com a Polícia Judiciária e a Força Aérea, denominada "Mar Português", interceptou a 180 milhas a Oeste da costa portuguesa uma embarcação que transportava 82 volumes de cocaína, com destino declarado para Granada, nas Caraíbas.

Nesta operação estiveram envolvidos agentes da Polícia Judiciária, a Fragata "Vasco da Gama", uma equipa de Fuzileiros e um P3 Orion da Força Aérea.
A operação consistiu na inserção de cinco Fuzileiros através do helicóptero Lynx, projectado a partir da fragata, com técnica de abordagem por "fast rope" (inserção vertical por cabo) e em simultâneo de três Fuzileiros por semi-rígido, por técnica de abordagem directa. Os quatro tripulantes foram surpreendidos pelos Fuzileiros, enquanto dormiam, eliminando assim capacidade de resposta e tornando a embarcação segura.
As técnicas de abordagem em mar alto fazem parte das perícias dos Fuzileiros e da utilização de uma Marinha de duplo uso empregando para o efeito o binómio fragata / helicóptero.
O iate depois de ser considerado seguro e controlado pela equipa de Fuzileiros, foi vistoriado por dois inspectores da polícia Judiciária que embarcaram por semi-rígido.
Da vistoria resultou a apreensão de cerca de 800 Kg de Cocaína que se encontrava escondida dentro dos forros entre a ponte de comando e a ponte descoberta.

O iate de 18 metros com o nome "Lady Mary" de pavilhão das Ilhas Virgens Britânicas, tinha uma tripulação composta por 4 elementos de nacionalidade canadiana, os quais foram detidos e apresentados à autoridade judiciária competente.


http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FA40 ... et_wmv.wmv (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FA40BC91-FA3F-4603-994C-8BD563D789AD/2941/LanchaCocaina_Internet_wmv.wmv)
Título:
Enviado por: Lancero em Outubro 23, 2006, 02:22:08 pm
Citar
RDCongo/Eleições: Militares portugueses no Gabão vão 3ª feira para Kinshasa

Lisboa, 23 Out (Lusa) - Os fuzileiros portugueses da missão militar europeia para a República Democrática do Congo (RDCongo) estacionados no Gabão vão para Kinshasa terça-feira para reforçar a segurança no terreno, disse hoje à Agência Lusa o comandante Jorge Lourenço.

      "Este reforço de militares (à) não se baseia em nenhuma previsão da ocorrência de graves problemas de segurança em concreto", afirmou o comandante português.

      Segundo a mesma fonte, o reforço "decorre de uma preocupação da EUFOR (força militar da União Europeia) em ter no terreno as condições e capacidades para enfrentar qualquer desenvolvimento mais violento ou degradação das condições de segurança".

      O comandante Jorge Lourenço, oficial superior de ligações, referiu igualmente que a Força de Operações Especiais dos Fuzileiros da Marinha vai permanecer em Kinshasa até 04 de Novembro, podendo "ser de novo projectada" para a capital da RDCongo entre 18 e 23 de Novembro.

      A EUFOR foi criada para apoiar aos 17.000 capacetes azuis da força militar da ONU (MONUC) estacionados no país durante o processo eleitoral na RDCongo.

      A missão militar da UE é composta por cerca de 2.000 homens de nacionalidade alemã, francesa, espanhola, polaca, portuguesa, sueca, belga, italiana, grega e britânica.

      Comandados a partir de Potsdam, na Alemanha, 1200 soldados estão em Kinshasa, enquanto os restantes 800 se encontram estacionados no Gabão.

      O reforço do número de efectivos militares europeus em Kinshasa ocorre durante a campanha para a segunda volta das eleições presidenciais, prevista para o próximo domingo, de acordo com o processo de transição democrática no país, iniciado após um acordo de paz que terminou com a guerra civil.

      O actual Presidente do país, Joseph Kabila, e Jean-Pierre Bemba, principal líder da oposição, disputam a segunda volta, pois foram os mais votados na primeira volta a que concorreram mais 30 candidatos.

      A guerra civil na RDCongo começou em Agosto de 1998 entre dois grupos rebeldes, apoiados pelo Ruanda, Uganda e Burundi, e as forças governamentais, apoiadas pelos exércitos angolano, namibiano e zimbabueano.

      O conflito, que durou quatro anos, provocou cerca de três milhões de mortos e mais de quatro milhões de deslocados.
Título:
Enviado por: fealcap em Outubro 23, 2006, 02:38:37 pm
Citação de: "Lancero"
Não tinha ainda visitado a galeria do site do emgfa. Encontrei lá esta foto: uma G36 com carregador de 100 munições.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emgfa.pt%2FElementos%2FImagens%2F48%2F1521171292003G36%2520DAE%2520100%2520net.jpg&hash=9101de81d041d2707ece6e35787ad21a)


Para ser exactos es el G-36K con el cargador C-MAG

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.model1sales.com%2Fimages%2Fcmag.gif&hash=6562045612024c0846021afb0462b923)

Saludos
Título:
Enviado por: Tropinha em Outubro 25, 2006, 01:25:10 pm
Chiça...Isso quantas balas dispara por minuto??100?

Cumprimentos,

Tropinha
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 25, 2006, 02:02:32 pm
Tropinha se esta versão da G-36 dispara-se 100 munições por minuto era muitissimo lenta. Ela tem é um tambor que leva 100 munições.  :wink:
Título:
Enviado por: Tropinha em Outubro 25, 2006, 03:16:51 pm
Madre!!!!!!100 munições é lenta??Ve-se bem que não pesco nada disto=P...mas quero aprender..lol

E sabes quantas dispara num minutos?

Cumprimentos,

Tropinha
Título:
Enviado por: ricardonunes em Outubro 25, 2006, 04:34:28 pm
Citação de: "Tropinha"
Madre!!!!!!100 munições é lenta??Ve-se bem que não pesco nada disto=P...mas quero aprender..lol

E sabes quantas dispara num minutos?

Cumprimentos,

Tropinha


De acordo com o fabricante 750 rpm (disparos por minuto).

http://www.heckler-koch.de/core.php?dat ... VGbGFzaD0x (http://www.heckler-koch.de/core.php?dat=Y29tcG9uZW50PWFydGljbGVzJmFjdGlvbj1zaG93JnhJRD1wcm9kdWN0QXJ0aWNsZXMmY2F0SUQ9MTMwMiZuYXZpZ2F0aW9uSUQ9NzI4JnBhcmVudElEPTcyNCZsYW5nSUQ9NSZ1c2VGbGFzaD0x)
Título:
Enviado por: Tropinha em Outubro 25, 2006, 06:16:19 pm
Isso equivale a 750 munições num minuto????

E muita bala pa uma arma...lol

Cumprimentos,

Tropinha
Título:
Enviado por: Get_It em Outubro 25, 2006, 06:28:16 pm
Citação de: "Tropinha"
Isso equivale a 750 munições num minuto????

E muita bala pa uma arma...lol

Cumprimentos,

Tropinha


Então a Tavor com o seu rate of fire entre os 750—900 disparos por minuto... :roll:

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Tropinha em Outubro 25, 2006, 06:38:45 pm
Meu deus...isso sao muitas balas...ainda eu pensava que 100 balas num minuto era muito :shock: ...lol

Cumprimentos,

Tropinha
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 25, 2006, 07:41:23 pm
Citar
A guerra colonial contada pelos comandantes

Manuel Carlos Freire    
 
A história e evolução da guerra colonial em África (1961-1974), vista pelos comandantes das unidades de fuzileiros que andavam no mato, vai estar no centro das cerimónias do próximo dia 10 de Novembro na sua escola, em Vale de Zebro, Coina.

O papel de António de Spínola no emprego das unidades de fuzileiros na Guiné, que mudou por completo com a chegada a Bissau (1968) do novo governador militar desse território, é um dos aspectos que maior curiosidade suscitam nessa história. "Não dou opinião, falo pelos comandantes" e pelos almirantes que se viram obrigados a aceitar as regras daquele brigadeiro do Exército, disse ao DN o comandante Luís Sanches de Baena, autor da obra (em quatro volumes) que é lançada a 10 de Novembro.

"Há um antes e um depois" de Spínola na história dos fuzileiros na Guiné, sendo este segundo período traduzido pelo profundo "desalento" contido numa carta escrita pelo então chefe do Estado-Maior da Armada, almirante Reboredo e Silva, e que Luís Baena cita de memória: "Só me resta registar e sofrer...."

O evento de 10 de Novembro, que deverá atrair milhares de antigos e actuais membros daquele corpo de forças especiais, junta diversas efemérides: o aniversário dos 45 anos da partida do primeiro destacamento para a guerra em África, o da criação da Escola de Fuzileiros (também em 1961) e a sua condecoração com a grã-cruz da Ordem de Aviz - atribuída pelo Presidente da República, Cavaco Silva - ou o Dia do Corpo de Fuzileiros.

Um momento particularmente significativo desse dia será o descerrar das lápides com os nomes dos 74 fuzileiros mortos em combate - na parada da escola dos fuzos. As originais "desapareceram" a seguir ao 25 de Abril e as que depois foram mandadas fazer estavam "no fundo do museu" dos fuzileiros, um edifício do tempo de D. Afonso IV recuperado nos anos 1980 e onde se faziam os biscoitos com que se alimentavam as guarnições das naus portuguesas.

A par do desfile de cerca de 800 militares da chamada infantaria de Marinha vão ser lançados também os volumes da obra com que Luís Baena documenta a participação dos fuzileiros - entre 7500 e 8000 - na guerra colonial. Os relatórios diários dos comandantes dos destacamentos de fuzos - nem sempre rigorosos, segundo antigos combatentes - permitiram construir, quase em paralelo, a história do envolvimento dos fuzileiros nas guerras de Angola, Moçambique e, principalmente, na Guiné.

"Fuzileiros, factos e feitos na guerra de África 1961-1974" revela ainda histórias desconhecidas do Corpo de Fuzileiros nesse período, como, por exemplo, as que envolviam o transporte das lanchas de desembarque por centenas de quilómetros de picadas até aos rios do Leste de Angola - que não tinham água em grande parte do ano.

Segundo o comandante José Rodrigues de Castro , que ajudou Baena, o trabalho acaba por ser o testemunho que os poucos elementos da "última geração de fuzileiros que esteve em África" ainda em actividade deixam aos novos membros do corpo. "Eles só sabem andar na guerra com telemóveis, computadores, tendas com ar condicionado. Não fazem ideia do que [a guerra colonial] era", em termos de privações e improvisação.

As cerimónias de 10 de Novembro culminam um ano de consolidação dos fuzileiros como força operacional, de que é exemplo a sua presença na missão na RD Congo.  

Fonte: http://dn.sapo.pt/2006/10/25/nacional/a ... _coma.html (http://dn.sapo.pt/2006/10/25/nacional/a_guerra_colonial_contada_pelos_coma.html)
Título:
Enviado por: Lancero em Novembro 21, 2006, 06:23:49 pm
Citar
RDCongo: Fuzileiros portugueses começam a chegar a Kinshasa

Lisboa, 21 Nov (Lusa) - Quinze fuzileiros das Forças Especiais da Marinha Portuguesa, integrados na Eufor para a República Democrática do Congo e estacionados no Gabão, chegaram hoje a Kinshasa para reforçar a segurança, disse à Agência Lusa o comandante Jorge Lourenço.

      Segundo a mesma fonte, os restantes 13 dos 28 elementos chegam quarta-feira à capital da República Democrática do Congo (RDCongo), ficando na cidade até ao próximo dia 27.

      A tensão em Kinshasa tem aumentado, tendo sido hoje registados confrontos junto do Supremo Tribunal de Justiça de Kinshasa na sequência de uma audição ao candidato Jean-Pierre Bemba, que denunciou irregularidades na segunda volta das presidenciais, realizadas a 27 de Outubro e que deram a vitória ao actual Presidente do país, Joseph Kabila.

      Segundo o comandante português, os apoiantes de Bemba concentraram-se junto aos escritórios do candidato, dirigindo- se depois para junto das instalações do tribunal.

      "Um efectivo da Polícia Nacional Congolesa utilizou gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes que aumentaram e desenvolveram atitudes hostis contra elementos da MONUC (Missão das Nações Unidas no país), destacados para manter a segurança no local", afirmou Jorge Lourenço.

      Por outro lado, elementos da DPP (força de segurança de Bemba) dirigiram-se para o local e começaram a disparar para o ar, tendo saqueado e incendiado uma viatura da Polícia da União Europeia (EUPOL).

      A EUPOL é comandada por um superintendente português e coopera com diferentes unidades da polícia congolesa.

      O comandante Jorge Lourenço disse também que um grupo de manifestantes conseguiu "furar a segurança do tribunal e pegar fogo a alguns documentos".

      "Não chegaram a ser queimados boletins de voto", sublinhou.

      "Para estabilizar a situação chegou a sair do seu aquartelamento e a patrulhar a zona um pequeno efectivo das Forças Armadas da RDCongo, que, no entanto, não teve outra intervenção e voltou ao respectivo aquartelamento", acrescentou o comandante português, salientando que "agora a situação está calma".

      Segundo a mesma fonte, até ao momento só há registo de um ferido ligeiro e a MONUC reforçou o patrulhamento na cidade.

      A EUFOR, destacada para ajudar a MONUC, não chegou a intervir nos confrontos registados junto ao Supremo Tribunal de Justiça.
Título:
Enviado por: Lancero em Novembro 29, 2006, 04:11:48 pm
Citar
RDCongo: Contingente militar português regressa sábado

Lisboa, 29 Nov (Lusa) - O contingente militar português que integrou a missão da União Europeia (EUFOR) durante o processo eleitoral na República Democrática do Congo (RDCongo, ex-Zaire) regressa sábado a Portugal, anunciou hoje o Estado-Maior General das Forças Armadas.

      Em comunicado, o EMGFA precisa que a força portuguesa regressa num avião C-130 à base aérea nº6, no Montijo, com chegada prevista para as 09:00 de sábado.

      O grupo de militares que regressa inclui 24 fuzileiros do destacamento de acções especiais da Marinha e 17 militares da Força Aérea.

      Na cerimónia da chegada dos militares estarão presentes os comandantes operacionais na Marinha, vice-almirante Vargas de Matos, e da Força Aérea, tenente-general Mendes de Oliveira.

      Os militares portugueses que integraram a EUFOR desde Julho, ficaram estacionados no Gabão, mas deslocaram-se várias vezes à República Democrática do Congo, para operações no terreno.

      A EUFOR, cujo papel era dar apoio aos 17.000 homens da missão das Nações Unidas no país (MONUC), era composta por cerca de 2.000 militares de nacionalidade alemã, francesa, espanhola, polaca, portuguesa, sueca, belga, italiana, grega e britânica.

      A UE vai continuar a apoiar a RDCongo mesmo depois da retirada dos militares, nomeadamente a nível da reforma das instituições policiais e militares.

      O ministro da Defesa português, Nuno Severiano Teixeira, afirmou em meados deste mês, após uma reunião com os seus homólogos dos 25 em Bruxelas, que os europeus desempenharam um papel "decisivo" nas eleições, principalmente quanto à garantia de condições de segurança.

      "A forma como as coisas decorreram permite dizer que foi um sucesso", afirmou Severiano Teixeira.

      O Supremo Tribunal da RDCongo divulgou segunda-feira os resultados oficiais da segunda volta das presidenciais, realizada a 29 de Outubro, de que saiu vitorioso o Presidente cessante, Joseph Kabila, com 58,05 por cento dos votos, contra 41,95 por cento obtidos pelo vice-presidente Jean-Pierre Bemba.

      O tribunal recusou a impugnação do escrutínio, pedida por Bemba, que alegava fraude eleitoral.

      O candidato derrotado já aceitou os resultados e afirmou-se disposto a trabalhar na oposição, factor que contribuiu para aliviar a tensão gerada com a divulgação dos resultados, com confrontos entre apoiantes dos dois candidatos.

      Kabila, no poder desde Janeiro de 2001, após o assassínio do pai, Laurent-Désiré Kabila, toma posse a 10 de Dezembro, tornando-se o primeiro chefe de Estado da RDCongo democraticamente eleito nos últimos 40 anos.

      Com estas eleições, termina um período de transição iniciado após a assinatura do acordo de paz em 2002, que pôs termo a quatro anos de guerra civil.

      O conflito, que opôs grupos rebeldes, apoiados pelo Ruanda, Uganda e Burundi, e as forças governamentais, sustentadas pelos exército de Angola, Namíbia e Zimbabué, provocou cerca de três milhões de mortos e mais de quatro milhões de refugiados.
Título:
Enviado por: p_shadow em Novembro 30, 2006, 04:32:46 am
Considero que esta missão foi um excelente treino para os homens do DAE.
Certamente que puderam praticar operações de inserção e vigilância, entre outras, num ambiente mais próximo de um conflito "real" que qualquer exercício.


Cumptos
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 30, 2006, 11:49:38 am
Citação de: "p_shadow"
Considero que esta missão foi um excelente treino para os homens do DAE.
Certamente que puderam praticar operações de inserção e vigilância, entre outras, num ambiente mais próximo de um conflito "real" que qualquer exercício.


Cumptos


Shadow eles não treinaram, eles fizeram; essa é a diferença entre um exercicio militar e uma missão real. O pessoal pensa que estas missões são umas autênticas férias, mas não são, longe disso.  :wink:
Título:
Enviado por: Lancero em Novembro 30, 2006, 07:25:10 pm
Exactamente Cabeça de Martelo


Fuzileiros chegam da República Democrática do Congo  
 
Publicado em:
 2006-11-30



Citar
No próximo sábado dia 2 de Dezembro chegam a Portugal os Fuzileiros que desde 14 de Julho cumpriram uma missão de apoio à República Democrática do Congo (RD Congo) no âmbito da União Europeia (EUFOR RD Congo) com o objectivo de garantir no terreno as condições e os meios necessários a uma situação de estabilidade e segurança no decorrer do período eleitoral até à confirmação de resultados.
Na cerimónia de recepção ao contingente português estará presente S. Exa. o Ministro da Defesa Nacional, Professor Nuno Severiano Teixeira, e S. Exa. o Almirante CEMA, Almirante Fernando Melo Gomes.
Os 30 Fuzileiros Portugueses das Forças de Operações Especiais da Marinha foram Integrados na Companhia de Operações Especiais da Missão da União Europeia, conjuntamente com os seus congéneres Franceses e Suecos, num total de 150 Homens.
Nesta missão a Força foi empregue em diversas tarefas, sendo de realçar as de reconhecimento especial:
- Em meados de Julho de 2006, ainda antes de atingida a Full Operational Capability, na parte Sul da Província do Katanga;
- Entre 10 e 13 de Agosto, nas imediações da cidade de Kananga, na província do Kassai Ocidental;
- Entre 09 e 13 de Setembro os Fuzileiros marcaram presença nas imediações da cidade de Lubumbashi (próximo da fronteira com a Zâmbia), na província do Katanga (a mais rica em recursos naturais do país).

Durante os período de permanência em Kinshasa os Fuzileiros mantiveram-se sempre em prontidão para possíveis missões de acção directa e ou missões de reconhecimento especial, com destaque para a última presença compreendida entre 21 e 25NOV.
O fim do mandato da União Europeia na RD Congo e consequente término do empenhamento operacional teve lugar na passada segunda-feira, altura em que foi dado início à retracção da Força Portuguesa.
Recorde-se que as missões de acção directa podem envolver resgate de reféns, protecção de entidades e outras acções militares mais delicadas e complexas como sejam acções de inserção e evacuação em fases de conflito armado.
Nos períodos em que a força não esteve na Capital da RD Congo, foram desenvolvidos exercícios específicos e treinos conjuntos com vista à articulação e interoperabilidade com as outras Forças de Operações Especiais utilizando para o efeito os meios aéreos dedicados (Meios todo o terreno, Helicópteros e Aeronaves de Asa Fixa).
A força de Fuzileiros operou conjuntamente com o destacamento da Força Aérea Portuguesa consubstanciado numa aeronave de transporte C 130.
A chegada está prevista para o dia 2 de Dezembro, Sábado, pelas 09h00, à Base Aérea nº 6, localizada no Montijo.


http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/N ... npublished (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/NoticiasAgenda/Noticias/fuzileiros_congo.htm?wbc_purpose=Basic&WBCMODE=PresentationUnpublished)
Título:
Enviado por: p_shadow em Dezembro 02, 2006, 03:45:45 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Shadow eles não treinaram, eles fizeram; essa é a diferença entre um exercicio militar e uma missão real. O pessoal pensa que estas missões são umas autênticas férias, mas não são, longe disso.  :wink:


Mas foi o que eu disse, "...esta missão foi um excelente treino para os homens do DAE".

Acho é que não se pode comparar esta missão com outras mais "escuras", onde não é suposto militares portugueses estarem envolvidos, por exemplo.


Cumptos
Título:
Enviado por: TOMKAT em Dezembro 03, 2006, 01:54:51 am
Citação de: "p_shadow"
Mas foi o que eu disse, "...esta missão foi um excelente treino para os homens do DAE".

Deve ter sido um pouco mais que um "treino"... no mínimo foi um "treino" em situação real e num ambiente adverso.

Citar
Uma missão reservada

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg182.imageshack.us%2Fimg182%2F7351%2Fdaeti2.jpg&hash=edc1520bd4ab0cbc17593e6e90892bdd)

A força portuguesa que regressou do Gabão, no âmbito da monotorização das eleições no Congo, era constituída por unidades especiais do Corpo de Fuzileiros e tripulações de C-130 e foi realizada no âmbito da União Europeia. E o facto de grande parte desses elementos ser constituída pelo Destacamento de Acções Especiais justificou que na Base Aérea do Montijo, a maioria dos militares recém-chegados de África viessem encapuzados. Foi uma medida de precaução face à presença da comunicação social, para não divulgar o rosto de homens que muitas vezes são usados em missões, no mínimo, de carácter reservado. Mais uma vez assim aconteceu, tanto que o ministro da Defesa saudou a capacidade dos militares em realizar algumas missões de carácter complexo, mas sem deixar escapar qualquer pormenor. E o mesmo aconteceu com o comandante da força especial, um total de cerca de 30 homens, que admitiu algumas dificuldades na realização de determinadas missões, mas recusando também entrar em elementos concretos. É que a força portuguesa estava também integrada num módulo de operações especiais, algo que não é comum, mas que reforça a reserva da missão.

http://jn.sapo.pt/2006/12/03/nacional/governo_rever_subsidio_seria_atribui.html
Título:
Enviado por: Get_It em Dezembro 03, 2006, 02:31:30 am
Citação de: "Jornal de Notícias"
Foi uma medida de precaução face à presença da comunicação social, para não divulgar o rosto de homens que muitas vezes são usados em missões, no mínimo, de carácter reservado. Mais uma vez assim aconteceu, tanto que o ministro da Defesa saudou a capacidade dos militares em realizar algumas missões de carácter complexo, mas sem deixar escapar qualquer pormenor.

Para o Ministério da Defesa deixar escapar pormenores de qualquer negócio da compra de material militar teria de acontecer um milagre, então só para deixar escapar pormenores de operações especiais... não podia, é impossível.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Lancero em Dezembro 05, 2006, 08:36:01 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi97.photobucket.com%2Falbums%2Fl224%2FLancero1%2FLis1234126.jpg&hash=89dbd54ad56d3afc619232fdbdf5a841)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi97.photobucket.com%2Falbums%2Fl224%2FLancero1%2FLis1234128.jpg&hash=8bd6f7242a1b7faa728b4302cc4adab4)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi97.photobucket.com%2Falbums%2Fl224%2FLancero1%2FLis1234135.jpg&hash=5aacf606aeb5b07e98a713d1e6dc5da5)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi97.photobucket.com%2Falbums%2Fl224%2FLancero1%2FLis1234136.jpg&hash=c792237b10c05f7dda6fc1e77fcab4d3)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi97.photobucket.com%2Falbums%2Fl224%2FLancero1%2FLis1234162.jpg&hash=9a0e97b0c3fef79ace2d52618024c58b)

Citar
MONTIJO - SETUBAL - PORTUGAL
O Ministro da Defesa Nuno Severiano Teixeira conversa com o Almirante Mendes Cabecadas apos o contigente militar portugues que esteve integrado na EUFOR em missao na Republica Democratica do Congo, ter regressado a Portugal, Sabado, 2 Dezembro 2006 na Base Aerea do Montijo. ANDRE KOSTERS/LUSA
LUSA / STF / ANDRE KOSTERS
Título:
Enviado por: Lancero em Dezembro 05, 2006, 09:02:53 pm
A Marinha colocou isto no site - com três fotos. Gosto muito do novo navio da Armada que está ao longe na última...

Citar
Fuzileiros cumpriram mais uma missão
 
Publicado em:
 2006-12-05

No sábado chegaram a Portugal os Fuzileiros que estiveram durante quatro meses na República Democrática do Congo e que cumpriram uma missão militar de apoio à União Europeia (EUFOR RD Congo) com o objectivo de garantir no terreno as condições e capacidades de segurança durante as eleições que se realizaram naquele país. Na recepção ao contingente português esteve presente S. Exa o Ministro da Defesa Nacional, Professor Nuno Severiano Teixeira.
Esta missão surge no seguimento das várias presenças fora de Portugal a que os Fuzileiros são chamados a intervir, como foram o caso da Bósnia-Herzegovina, da Guiné-Bissau e mais recentemente em Timor-Leste.
Também no seguimento de uma Marinha de duplo uso, os Fuzileiros têm actuado no nosso País em missões de Serviço Público, como é o caso da prevenção de incêndios e em caso de cheias, para além das missões militares que lhe estão incumbidas e para as quais a prontidão revelada pelos “fuzos” é sempre máxima.
A Boina azul ferrete continua a ser uma marca importante da presença da Marinha nos mais variados teatros, daí que ao longo dos anos muitos jovens tenham querido pertencer a esta força de elite que tem como lema “Fuzileiro uma vez … Fuzileiro para sempre”.
Os jovens interessados em ingressar nos fuzileiros têm agora oportunidade já que estão a decorrer concursos nas categorias de oficial (concurso termina a 12 de Janeiro de 2007) e de praça (concurso termina a 15 de Dezembro de 2006), os requisitos podem ser consultados em www.marinha.pt (http://www.marinha.pt).

Fuzileiros_foto1
http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FD30 ... 7/025a.jpg (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FD30CD25-8D30-445E-83CE-CA6C9E3B1A1F/3197/025a.jpg)

Fuzileiros_foto2
http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FD30 ... 8/027a.jpg (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FD30CD25-8D30-445E-83CE-CA6C9E3B1A1F/3198/027a.jpg)

Fuzileiros_foto3
http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FD30 ... 9/028a.jpg (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FD30CD25-8D30-445E-83CE-CA6C9E3B1A1F/3199/028a.jpg)
Título:
Enviado por: Get_It em Dezembro 06, 2006, 01:16:45 am
Citação de: "Lancero"
A Marinha colocou isto no site - com três fotos. Gosto muito do novo navio da Armada que está ao longe na última...

De facto, também gostei muito do novo navio (http://http). Mas andou alguém na Marinha a brincar com o Photoshop, ou essa fotografia foi durante um exercício ou no Congo juntamente com outras forças?

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Creoula em Dezembro 06, 2006, 01:51:33 am
Citar
A Marinha colocou isto no site - com três fotos. Gosto muito do novo navio da Armada que está ao longe na última...

É uma foto futurista :amazing:  max1x1
Título:
Enviado por: Pantera em Dezembro 06, 2006, 08:58:34 am
parabens ao DAE pela boa missão lá fora
Título:
Enviado por: psychocandy em Dezembro 06, 2006, 12:33:54 pm
Onde eh que esta' a dizer que o navio eh da Armada ? Eu nao vejo, nem  vejo qual seja o problema. Se a foto foi tirada num exercicio, censuram-se em photoshop os navios aliados ?
Alias no site do Exercito, na galeria tambem estao soldados a desembarcar feridos de um Blackhawk.
Secalhar tambem se deviam censurar, visto que os NH 90 ainda nao chegaram. Ai o autoflagelo.
Título:
Enviado por: snakeye25 em Dezembro 06, 2006, 11:10:58 pm
Essa foto remonta ao exercício Swordfish 2003. O navio é o SPS Castilla.
Título:
Enviado por: Creoula em Dezembro 07, 2006, 01:18:35 am
Citar
Onde eh que esta' a dizer que o navio eh da Armada ?
Em lado nenhum! Nem precisa de estar, todos sabemos que não é!
Citar
Eu nao vejo, nem vejo qual seja o problema.
Não há problema nenhum! Aliás, há o problema de ainda não termos um "bicho" daqueles.
Citar
Se a foto foi tirada num exercicio, censuram-se em photoshop os navios aliados ?
Claro que não! Mas porquê a pergunta?
Citar
Ai o autoflagelo.
Ai o mau humor!

O psychocandy não considera normal brincar-se com a dita fotografia? Eu gostaria muito que o que nela se vê fosse 100% nosso. Mas podemos dizer umas piadas ou não? Sem magoar...

Citar
O navio é o SPS Castilla.
Obrigado snakeye25, desconfiava que fosse.

Cumprimentos
 max1x1
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Dezembro 07, 2006, 01:27:44 am
Qual novo navio. Este??????
http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FD30 ... 7/025a.jpg (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/FD30CD25-8D30-445E-83CE-CA6C9E3B1A1F/3197/025a.jpg)
 :lol:  :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: migbar2 em Dezembro 08, 2006, 04:11:29 am
:mrgreen:  :mrgreen:  :mrgreen:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 05, 2007, 01:29:36 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fextra%2Frevista%2Fra_jan2007%2Fcapag.jpg&hash=058657d703ecf3bb6ca47201bc2816a5)
http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_ ... pag_7.html (http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_jan2007/pag_7.html)
Título: revista armada
Enviado por: dero em Janeiro 05, 2007, 02:10:33 pm
alguem me pode dizer locais onde adquirir a revista da armada?
a mais alto encontra se em alguns quiosques mas a da armada nunca vi
obrigado
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Janeiro 05, 2007, 04:53:44 pm
Há coisas que eu não percebo.  Por muito que tente, não consigo perceber mesmo.

Esta parte dos militares se apresentarem em Lisboa com um gorro que tapa a cara ( no meu tempo havia o bom passa-montanhas ), mesmo perante o Almirante CEMA é coisa que eu não percebo.

E ouvindo todas as explicações que já ma facultaram, então é que não percebo mesmo. Há que ter a noção das coisas para não se cair no exagero...

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 05, 2007, 04:57:34 pm
Eles são do DAE, as suas entidades têm que ser mantidas em segredo porque são uma unidade anti-terrorista. Os GOE também nunca revelam a cara pelo mesmo motivo.
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Janeiro 05, 2007, 05:06:17 pm
O DAE têm tanto de unidade anti-terrorista como eu de alpinista de alta montanha...

São uma boa unidade e que eu tive o gosto de os ver nascer do zero.

São exageros que cada vez há mais.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 05, 2007, 05:29:06 pm
Citação de: "João Oliveira Silva"
O DAE têm tanto de unidade anti-terrorista como eu de alpinista de alta montanha...

São uma boa unidade e que eu tive o gosto de os ver nascer do zero.

São exageros que cada vez há mais.


Eu não vou armar-me em esperto e dizer que sei mais do que si, mas todas as reportagens desta força, todos os artigos que falam dela e mesmos os próprios militares dessa unidade dizem todos que a unidade de anti-terrorismo maritima em Portugal é o DAE.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 05, 2007, 05:34:09 pm
Perto do Museu da Marinha, em Belém, no âmbito do Lisboa-Dakar, os Fuzos têm em exibição um veículo TT (Nissan Patrol?) e uma moto4, um dos militares FZ estava com um camuflado DPM, em vez do tradicional "Lagarto" e, espante-se, com um patch no ombro da missão no Congo...(portanto secretismos :roll: )
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Janeiro 05, 2007, 06:34:13 pm
Cabeça de martelo:

Para jovens de 20 anos a noção das coisas é uma. Oficiais com 50 anos de idade já terão que necessáriamente ter outra perspectiva da realidade, ver aquilo que os jovens de 20 anos têm dificuldade em aceitar.

Os jovens de 20 anos têm muitas qualidades. O próprio DAE nasceu do entusiasmo de sub-tenentes e 2º tenentes, a sua quase totalidade hoje RN. Em 1981 e 1982, na messe da Força ou na Escola, era tema recorrente.

Isto vem a propósito apenas disso: tudo o que é exagero fácilmente pode cair no ridiculo. Compete a quem já cá anda há mais anos " amaciar " o entusiasmo e muito em especial Oficiais superiores ou Generais não devem ser envolvidos no exagero, por causa do perigo do ridiculo.

Cumprimentos e bom fim-de-semana.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 05, 2007, 07:20:30 pm
Tudo bem, como já disse cá no fórum, sei da minha tropa...e mal. No entanto acho que estamos a concentrar no supérfulo (eu incluindo), o importante é que eles cumpriram com a sua missão e voltaram todos inteiros. O resto é para Inglês ver.

PS: tenho 27, mas estava lá perto.
Título:
Enviado por: sniper14 em Janeiro 06, 2007, 02:09:44 pm
Com os devidos respeitos julgo que devo esclarecer alguns aspectos:
1-Nenhum dos militares que regressou da R.D.Congo escondeu a cara para as entidades que os receberam, mas apenas para a comunicação social. Assim que terminou a sessão de fotografias, os passa montanhas foram retirados por todos. Nessa altura procedeu-se aos cumprimentos às entidades.
2- A necesidade de protecção da identidade dos elementos do DAE advém duma directiva do CCF e que está promulgada pelo CEMA. Pode não se concordar com ela mas deve ser respeitada.
3- O senhor João Oliveira Silva tem razão o DAE não é uma unidade anti terrorista. É uma unidade de contra terrorismo maritimo. É um conceito diferente que sugiro aprofundem.
4- Se o senhor João OLiveira Silva viu nascer o DAE como diz, provavelmente não tem acompanhado de perto a sua evolução nos ultimos anos e por isso acha que "é um exagero...perigo de ridiculo".É a sua opinião e é obviamente respeitável, mas julgo que essa não é a melhor forma de defender e respeitar aquilo que viu nascer. O conceito de emprego de Unidades de Operações Especiais expresso na directiva do CEMGFA 12/99 tem vindo a evoluir a passos largos e é natural que quem não acompanhe o processo ache que isto são exageros.
5- Quanto ao elemento que está na exposição é apenas um figurante que demonstra capacidades do Corpo de Fuzileiros. Não deve ser do DAE e mesmo que fosse não haveria problema desde que não fosse conotado como tal.
respeitosamente
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 06, 2007, 04:55:14 pm
Obrigado pela explicação sniper14, acho que já deu para perceber um pouco melhor a situação.
Título: Mentalidades dificeis de mudar
Enviado por: CABAKAS em Janeiro 19, 2007, 09:25:05 pm
Assino por baixo do esclarecimento dado por o sniper14 em relação aos respeitosos mas EXAGERADOS comentarios das mensagens de João Oliveira Silva que nas mesmas demonstra que para alem de  estar completamente desactualizado em relaçao a realidade desta unidade de prestigio impar em Portugal e na Europa demonstra dar pouco valor ao que diz ter visto crescer.
Sem conhecer e reconhecer os feitos do passado não podemos ir longe no futuro, mas daí até ficarmos parados no tempo vai uma diferença abismal, não podemos ficar presos nos pantanos e no capim da Africa Ultramarina, temos sim de os relembrar e aprender para evoluirmos.
Foi a primeira vez que uma unidade de operações especiais portuguesa foi requesitada para constituir conjuntamente com congeneres Suecos e Franceses uma  força de operações especiais europeia (Quem os terá requesitado?????Será que foi sorte??? Ou como se diz ... Foi ao calhas!!).
Estamos a falar de operações especiais e isso engloba para alem do profissionalismo (...e não entusiasmo...), conhecimentos especificos em multiplas areas(...incluindo alpinismo....), equipamento e meios do melhor que existe a  nivel Mundial.
Não me parece que as directivas superiores para  protecção da identidade destes homens sejam exageros nos  é que ainda não estamos preparados para mudar a nossa mentalidade e aceitar de uma forma simples e natural algo como a Foto da Capa da Revista da Armada que no meu entender é perfeitamente normal estes elementos estarem de gorro (passa montanhas) pois dali a uns dias estão noutra das muitas missões que lhes são atribuidas (ex:combate ao narcotráfico).
Em relação a exposição do Lisboa-Dakar apenas quero frisar que os Militares presentes podem ser de qualquer Unidade dos Fuzileiros tive a oportunidade de  ver algumas dessas exposições e não me parece que o DAE tenha elementos operacionais seus presentes.

Obrigado!!
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 19, 2007, 11:06:46 pm
Bom exemplo cívico :Soldado2:

Citar
Fuzileiros detiveram dois indivíduos em fuga
 
Publicado em:
 2007-01-19

Ontem cerca das 15h15, militares da Marinha que se encontravam em exercício na área da Ponta dos Corvos detiveram dois indivíduos que se haviam colocado em fuga após queda de um carro ao Rio Tejo.
Os fuzileiros, chefiados pelo Comandante Fernandes Gil, interpelaram os dois homens que não apresentaram qualquer justificação plausível para o ocorrido, de imediato foi contactada a Guarda Nacional Republicana (GNR) com vista a tomar conta da ocorrência. Viria a apurar-se que a viatura lançada ao rio tinha sido furtada.

Fonte: http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/N ... leiros.htm (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/NoticiasAgenda/Noticias/fuzileiros.htm)
Título:
Enviado por: Lightning em Janeiro 21, 2007, 12:25:33 pm
http://www.youtube.com/watch?v=QidCamIW-M0&eurl= (http://www.youtube.com/watch?v=QidCamIW-M0&eurl=)

Que tal uns quantos destes carregados de Fuzileiros... :? .
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 31, 2007, 11:36:15 pm
Citar
Militar da Marinha perseguiu e colaborou na captura de um ladrão
 
Publicado em:
 2007-01-31



Hoje, cerca das 12h30, em frente ao Gabinete de Divulgação da Marinha, situado na Praça do Comércio, o Marinheiro Filipe Florêncio, ouviu o som de vidros a partir e detectou um indivíduo em movimentações suspeitas junto a uma viatura que se encontrava estacionada em frente a este gabinete de recrutamento da Marinha.

De imediato, aproximou-se do indivíduo para averiguar o que estava a acontecer e ele pôs-se em fuga levando consigo material retirado da viatura.

O Fuzileiro Florêncio encetou uma perseguição de cerca de 600 metros culminou na Rua da Madalena, próximo do Castelo de S. Jorge, onde em conjunto com um agente da PSP o interceptaram. O indivíduo foi encaminhado pelo carro patrulha até à esquadra mais próxima.

Filipe Florêncio tem 23 anos e ingressou na Marinha em 2001, escolheu ser Fuzileiro pelo seu espírito de aventura e pelo desafio que esta carreira exige. Durante o tempo em que esteve na força de elite da Marinha teve oportunidade de participar em várias missões, com destaque para a missão realizada em Timor. Desempenha desde Outubro de 2006 funções no Serviço de Relações Públicas da Marinha.
http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/0E5A ... C_2488.JPG (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/0E5A2573-4285-498F-AF12-76731751839F/3269/DSC_2488.JPG)

Fonte: http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/N ... rencio.htm (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/NoticiasAgenda/Noticias/florencio.htm)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 17, 2007, 03:08:31 pm
Citar
Operação AGRAFE
Apreensão de embarcação com elevada quantidade de cocaína em alto mar
 
2007-02-14

A Marinha numa operação conjunta com a Polícia Judiciária, através da Direcção Central de Investigação do Tráfico de Estupefacientes (DCITE) e a Força Aérea, procedeu à abordagem e apreensão de uma embarcação de recreio que transportava no seu interior elevada quantidade de cocaína, bem como à detenção dos seus tripulantes.
A embarcação apreendida, um veleiro de 20 metros de pavilhão espanhol, denominado Blaus Septimo, era alvo de investigação e vigilância desde Novembro de 2006.
Operava a partir da ilha da Madeira, transportando o material estupefaciente posteriormente para o continente europeu, através de Espanha e Portugal.
Na madrugada do dia 13, a embarcação suspeita, que navegava em águas internacionais
 a cerca de 100 milhas a Noroeste do arquipélago da Madeira, foi localizada e seguida, com o recurso a meios aeronavais portugueses.
Face aos fortes indícios de que pudesse transportar produto estupefaciente, foi interceptado por uma equipa conjunta da Marinha e da PJ, que procederam a uma busca ao seu interior, onde foram encontrados 67 fardos de cocaína. Estima-se que o peso da cocaína apreendida seja superior a 1500 kg.
Foram detidos os três elementos da tripulação do sexo masculino, de nacionalidade grega com idades entre os 45 e os 61 anos.
A embarcação foi custodiada por uma corveta da Marinha, e os elementos da embarcação serão presentes à autoridade judiciária competente na cidade do Funchal.
É de realçar as sinergias existentes entre as várias entidades que participaram nesta operação, contribuindo para o sucesso alcançado nesta missão de grande risco e complexidade operacional agravada pelo mau estado do mar.


fotos: http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/E8CC ... 140014.JPG (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/E8CC715A-E3D4-401C-AD66-F0CEB0E49A80/3288/P2140014.JPG)


http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/E8CC ... 140006.JPG (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/E8CC715A-E3D4-401C-AD66-F0CEB0E49A80/3287/P2140006.JPG)
Título:
Enviado por: Tropinha em Fevereiro 19, 2007, 12:37:38 pm
os fuzileiros participaram nessa operação? :?
Título:
Enviado por: Get_It em Fevereiro 19, 2007, 02:33:06 pm
Sim, os fuzileiros participaram nesta operação. Segundo o telejornal há já alguns dias atrás, foram oito fuzileiros que abordaram a embarcação utilizando apenas lanchas, ou seja, não foram utilizados helicópteros Lynx.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 19, 2007, 07:48:56 pm
Destacamento de Acções Especiais!  :wink:
Título:
Enviado por: Tropinha em Fevereiro 19, 2007, 07:58:46 pm
Ah..bom..DAEs..

Embora nao tivesse sequer reparado que houvesse Fuzileiros nesta operação..

Cumprimentos,

Tropinha
Título:
Enviado por: Ricardo em Março 27, 2007, 12:47:11 am
O Corpo de Fuzileiros participou no 25 de Abril?
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Março 27, 2007, 04:22:50 pm
Citar
O Corpo de Fuzileiros participou no 25 de Abril?

Participou e participou muito activamente. Quer no próprio 25 de Abril, quer na preparação do 25 de Abril e, depois, em muito do que se passou no " verão quente ".

A sede da DGS, na António Maria Cardoso, e a escola, em Sete Rios, foram tomadas pelos Fuzileiros. Na Sede, pela tarde, os agentes encurralados e em desespero abriram fogo para a multidão e mataram cinco civis. São os únicos mortos do 25 de Abril. Caxias também foi " por conta " dos fuzileiros.

O Almirante Pinheiro de Azevedo, então CMG, era ao 25 de Abril comandante da Escola de Fuzileiros.

A partir daí, a marinha em geral e os fuzileiros em particular passaram a ser considerados como " vermelhos " ( se calhar com toda a razão... ). Muito do que aconteceu em 1975 era condicionado à posição dos fuzileiros. É um facto relatado por diversos historiadores que, a 25 de Novembro, Eanes e Jaime Neves só avançaram porque tinham garantias que a ala vermelha dos fuzileiros ( a dominante ) não se oporia aos comandos. Os páras estavam anulados desde o auto-suicidio de 11 de Março, pelo que quem se lhes opôs foram os lanceiros. Com isto, a história tomou o curso que se lhe conhece.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Yosy em Março 27, 2007, 07:46:11 pm
Participaram - esquecime da sede da DGS.  :oops:
Título:
Enviado por: Ricardo em Março 27, 2007, 10:22:19 pm
Os Fuzileiros ou a Marinha participou na Nauticampo deste ano?

Qual é a função do futuro Destacamento HUMINT dos Fuzileiros?
Título:
Enviado por: Ricardo em Abril 03, 2007, 12:26:46 pm
- Neste video os efectivos do DAE surgem com um capacete preto, semelhante aos jogadores de hóquei no gelo:

http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/6A45 ... Congo2.wmv (http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/6A45905C-F17A-49F5-AB77-5FA3F597ABE4/3000/Congo2.wmv)

o mesmo é somente de protecção contra choques, ou está também certificado como blindado?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 03, 2007, 03:00:19 pm
Parecem-me capacetes "Hi-Tech", muito usados nos cursos de Pára-quedismo civis, serve só para proteger de impactos mais fortes.
Título:
Enviado por: Tropinha em Abril 05, 2007, 12:31:26 am
Boas

Apesar de nao ter nada haver com o assunto "no ar", e como arranjei um tempo para dar uma palavrinha aos camaradas militares aqui do forum (ficaria transtornado se nao o fizesse), aqui vai:

Para quem viu no youtube aqueles videos sobre a recruta, e por la não passou, tirem da ideia que aquilo é o mar de rosas que ali mostram..e pode confirmar quem por la passou..

Nestas 3 semanas de recruta, ja chorei, suei e sangrei..apesar de ter consciencia que nao é o suficiente, são 3 ingredientes fundamentais para ser um Fuzileiro..Sangue, Suor e Lágrimas..e sei que - e se deus quiser la chegarei - no final do curso, dos meus 5 litros de sangue que tenho no corpo, poderei dizer com orgulho que 3 ou 4 ficaram na escola de Fuzileiros...

Esta semana estou de férias, o que ate achei estranho, mas enfim, optei por aumentar o ritmo com um camarada aqui de Braga que esta no 4º mes de curso, e todos os dias tenho treinado..visto que em 3 semanas nao estar assim la muito bem fisicamente..

Para quem conhece a escadaria do bom jesus de braga, ontem com a irma do meu camarada (+- 43 Kg) as carrachuchas, cheguei ao topo, e fizemos 1 completa 50 (flexões, abdominais e agachamentos)..ou seja, para quem ja subiu aquilo a andar, sabe mais ou menos aquilo que suei..

Da parte da tarde vou 1 horita para o ginasio, para obter resistencia muscular, pois as flexoes la sao lentas, ou seja, mais desgastantes..

Ainda nao me arrependi de me ter inscrito, e espero nem sequer pensar no assunto muitas vezes..

Temos tido cenas caricatas, mas que terão de ficar para quando tiver mais tempo livre, porque por enquanto é dificil arranjar tempo para a namorada, familia, amigos, camaradas aqui do forum..enfim..o tempo ca fora voa..

Aproveito para agradeçer a todos os camaradas que puderam ajudar quando solicitei ajuda aqui no forum, devido a que a vida militar me ser desconhecida..

A todos, um bem haja, e até uma próxima.

Cumprimentos,

Tropinha
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 05, 2007, 12:11:05 pm
Por causa da Páscoa vocês tiveram uma semana de pausa na recruta?! :wink:
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Abril 05, 2007, 10:23:27 pm
Citar
Tropinha Colocada: Qua 04 Abr, 2007 11:31 pm    Assunto:  

--------------------------------------------------------------------------------
 
Boas
 
 


Jovem. Bem vindo.
Aproveita bem a semana, óbviamente passando pouco aqui pelo forum.
Cumprimentos e boa sorte para o que falta.
Título:
Enviado por: Ricardo em Abril 12, 2007, 08:16:55 pm
Alguém sabe o nome deste sistema de comunicações utilizado pelo Corpo de Fuzileiros?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg231.imageshack.us%2Fimg231%2F9935%2Fcomunicat1hh1.th.jpg&hash=bf388a3a1a2e929723b94e156d620756) (http://http)
Título:
Enviado por: Ricardo em Abril 16, 2007, 07:59:32 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg384.imageshack.us%2Fimg384%2F6161%2Fchaimite7mt.th.jpg&hash=310080da1f2be7cd10a6fd2d77ba016b)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg442.imageshack.us%2Fimg442%2F6648%2F066hj2.th.jpg&hash=27ac3d88e48c8b0f3b2da2ad102f5150) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg248.imageshack.us%2Fimg248%2F662%2F065sn3.th.jpg&hash=cd2998addf6dd13ec663e58c8e4b2484) (http://http)
Título:
Enviado por: Lightning em Abril 17, 2007, 06:41:18 pm
Boas, gostava se fosse possivel de saber mais pormenores sobre a evolução dos Fuzileiros pós 25 de Abril. A unica coisa que sei é que com o fim da guerra colonial criou-se uma comando para todas as forças de fuzileiros que é o Corpo de Fuzileiros, actualmente ainda existe o Corpo de Fuzileiros com diversas sub-unidades, Batalhão de Fuzileiros nº1, Batalhão de Fuzileiros nº2, Companhia de Apoio de Fogos com pelotão anti-carro, pelotão de morteiros, pelotão de reconhecimento, e talvez outros. Companhia de Apoio de Transporte Táctico com camiões e outros veiculos, Unidade de Meios de Desembarque com LDM, botes e veiculos anfíbios Larc-5. Unidade de Policia Naval e DAE.
O Corpo de Fuzileiros em caso de necessidade pode agrupar várias destas unidades e formar o BLD.

Mas eu sei que não estou a daar novidade nenhuma ao pessoal aqui do forum, o que eu gostava de saber era quais as unidades que já foram criadas, extintas ou alteradas de qualquer forma dentro do Corpo de Fuzileiros, desde os anos 70 até aos dias de hoje.

Já algum tempo que se fala em adicionar à CAF 1 pelotão de engenharia e 1 pelotão de defesa áerea, que tal é que vai isso? E os Pandur vão para onde, UMD? Alguém sabe a provavel ORBAT dos fuzileiros num futuro proximo?
Título:
Enviado por: Pedro Monteiro em Abril 18, 2007, 09:48:24 pm
Citação de: "Lightning"
(...) E os Pandur vão para onde, UMD? (...)

Há cerca de dois, aquando da aquisição das Pandur II, falou-se oficialmente na constituição de um Pelotão de Viaturas Blindadas Anfíbias.

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título:
Enviado por: Duarte em Abril 19, 2007, 12:17:29 am
Seria mais sensato os fuzos terem um Esquadrão de Reconhecimento..

O Corpo de Fuzileiros deveria ter:
Comando
Escola de Fuzileiros
DAE
Unidade de PN
e
Brigada de Fuzileiros:
esta com Comando e CCS
2 BFuzos (CCS, 3 CFuzos, CApoioFogos)
ERec
C Morteiros Pesados
PelEng
Pel. Trms.
Unidade de Apoio de Serviços
Unidade de Meios de Desembarque/Aquáticos
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 19, 2007, 11:13:45 am
Duarte, compreendo o que defendes, mas infelizmente não há vontade politica para aumentar dessa forma o Corpo de Fuzileiros. Um 1º Batalhão é para defender as Bases navais e os navios da marinha, o 2º é que é o batalhão pelo qual se forma o BLD. Neste caso sendo apenas um batalhão não achas um exagero criar um ERec?! A BRR, a BI e a BM têm cada uma um ERec.
Título:
Enviado por: Duarte em Abril 19, 2007, 12:19:51 pm
Citar
Duarte, compreendo o que defendes, mas infelizmente não há vontade politica para aumentar dessa forma o Corpo de Fuzileiros. Um 1º Batalhão é para defender as Bases navais e os navios da marinha, o 2º é que é o batalhão pelo qual se forma o BLD. Neste caso sendo apenas um batalhão não achas um exagero criar um ERec?! A BRR, a BI e a BM têm cada uma um ERec.


Exagero? Talvez... ou não. O BLD já é uma mini-brigada em si. Muitas destas unidades já existem..basta expandir um pouco.

Os Fuzos terão Pandur suficientes para equipar um ERec.. Acho que faz tanto sentido como meter os Pandur todos num Pel. de Viaturas Blindadas e distriubruí-los pelas subunidades do BLD.

Concentrar as VB no ERec e ter mais algumas (3-4 por companhia de Fuzos) faria mais sentido
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 19, 2007, 12:30:42 pm
Olha que não, olha que não...
Título:
Enviado por: Pedro Monteiro em Abril 20, 2007, 04:28:21 pm
As Pandur II num ERec implicava que as mesmas fossem usadas sobretudo em missões de reconhecimento. Ora, a maioria das viaturas da frota são na versão de transporte e serão usadas para essa mesma função. Existem ainda as viaturas porta-morteiro e posto de comando que, na prática, apoiarão o Batalhão Ligeiro de Desembarque e não unidades de reconhecimento.

Aliás, o Corpo de Fuzileiros já possui uma unidade dedicada a reconhecimento - o Pelotão do Reconhecimento - com uma doutrina própria.

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título:
Enviado por: Lightning em Abril 20, 2007, 05:57:05 pm
O que me confunde um bocado é falarem em  20 viaturas organizadas num pelotão... não deveria ser uma companhia???
Título:
Enviado por: Duarte em Abril 20, 2007, 06:37:22 pm
De facto o que mais acho estranho é esta atribuição de viaturas a uma só undidade.  É algo estranho.. Neste caso, existe também um Pelotão de Viaturas Não-blindadas?

Deveriam ser orgânicas do BLD (x no Pel. Rec., x no Pel. Morteiros, x por CFuzos)..
Título:
Enviado por: Lightning em Abril 20, 2007, 06:43:56 pm
O mais parecido que existe é a Companhia de Apoio de Transportes Tácticos com camiões e outros veiculos não blindados, e a Unidade de Meios de Desembarque que possui todos os meios anfibios do Corpo de Fuzileiros como LDM, botes, Larc-5.

Acho que tinha logica se os Pandur II fossem atribuidos à UMD.
Título:
Enviado por: Lightning em Maio 17, 2007, 10:34:54 am
Elemento do DAE em exercicios da EUFOR com outras forças de operações especiais (França e Suécia???) antes da missão no RD Congo.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.casimages.com%2Fimg%2Fjpg%2Fmini_0705021040446766527715.jpg&hash=31d66184a5ff66e373d7b58aed683ab1) (http://http)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 17, 2007, 12:35:10 pm
E ao largo estavam os Polacos e salvo erro os Espanhóis.
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 08, 2007, 12:10:16 pm
Citar
Faltam missões aos fuzileiros
 
A falta de uma missão no exterior no âmbito das operações de apoio à paz está a suscitar grandes preocupações aos fuzileiros, que ontem realizaram o seu 6º Encontro Nacional, na Escola de Fuzileiros, em Vale de Zebro, no Barreiro.

Em causa estão os níveis de motivação desta força de elite das Forças Armadas e que faz de Marinha de Guerra. São cerca de dois mil homens, cujo emprego está limitado ao território nacional, a unida força de elite que está nestas condições há mais de sete anos.

As cerimónias, organizadas pela Associação de Fuzileiros (AF), foram presididas pelo comandante naval, vice-almirante Vargas de Matos, e onde esteve também presente o vice-almirante Reis Rodrigues. Se a falta de missões no exterior não foi referida oficialmente, a verdade é que foi este factor que dominou o dia.

Ainda recentemente, na revista "Desembarque", o presidente da Associação e capitão-mar-e-guerra na reserva, António Mateus, deu conta destas preocupações ao escrever "Ter forças de elite, bem preparadas e equipadas e altamente motivadas (como sempre foram e são actualmente os fuzileiros), não lhe cometendo missões significa ausência de potencialização de recursos".

Em declarações ao JN, António Mateus reiterou a posição assumida publicamente na "Desembarque" e expressou preocupações quanto ao futuro desta unidade de elite. Não quis, no entanto, especificar quais as razões subjacentes, tendo em conta a sua condição de militar.

O JN sabe, porém, que um dos maiores problemas se prende com a eventual falta de voluntários a prazo, uma vez que o factor operações no exterior é dos mais importantes para o chamamento dos jovens. Em última análise, no entanto, é a própria motivação dos fuzileiros que fica em causa, quando se vêem relegados para um plano secundário, por comparação com forças do mesmo nível, os pára-quedistas e os comandos.

A última operação onde os fuzileiros estiveram envolvidos foi no ano passado no Congo, mas a força restringiu-se a não mais de 30 elementos, num período de quatro meses e numa missão quase específica de forças especiais. Quanto às missões que envolvem maior protagonismo, têm até agora ficado reservadas ao Exército, não obstante a insistência do Estado-Maior da Armada junto dos escalões superiores para alterar a situação.

A situação, consideram os militares, é mais absurda quando têm sido gastos milhões de euros no reequipamento dos fuzileiros pelo erário público, sem que haja um retorno para o Estado a nível do produto operacional.


Fonte (http://http)
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 10, 2007, 12:07:34 pm
Já que se está a falar dos Fuzileiros deixo aqui um observação.

Será que a nossa juventude está a perder os "tomates" para ingressar nas forças armadas? Digo isto porque fui agora fazer as provas para o 2º concurso de FZ-RC-P-2007 e só se inscreveram para este concurco 147 candidatos para cerca de 100 vagas é muito pouco, considerando ainda que só no dia em que fui realizar as provas chumbaram 17. Estima-se que este concurso nem 100 "alunos" vai ter. A isto se juntar-mos as desistencias que acontecem ao longo da recruta e posteriormente ao longo do curso.
Não terá o governo e a Armada culpas na cativação de jovens nos concursos? Ou será que os "Morangos com Açucar" são mais aliciantes?

Não será este número pequeno para manter uma força de 1800 homens pronta em 48hrs como se pretende? (Lí algures)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 10, 2007, 06:46:36 pm
Cabecinhas eu cheguei a ter camaradas que tinham sido voluntários para os Fuzileiros mas como eles estavam em missão houve um excesso de voluntários. Basta haver noticia que os Fuzileiros estão no estrangeiro para aumentar o número de voluntários. O dinheiro é sempre um factor muito importante no momento de se dar como voluntário.  :wink:
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 11, 2007, 04:11:27 pm
Citar
UE/Presidência: Soldados portugueses em Paris transportam bandeira da União no 14 de Julho    

   Paris, 11 de Jul (Lusa) - Trinta e oito militares portugueses, fuzileiros,  desfilaram hoje na Avenida dos Campos Elísios, em Paris, num ensaio para  as comemorações do 14 de Julho.  

   É a primeira vez que militares estrangeiros participam no desfile comemorativo  da tomada da Bastilha, que marcou o inicio à revolução francesa em 1789.  

   O presidente francês, Nicolas Sarkozy, decidiu este ano convidar todos  os 27 paises da União Europeia para as comemorações, e como Portugal detém  a presidência da UE neste semestre, coube aos militares portugueses a honra  especial de transportarem a bandeira da União Europeia.  

   "É uma grande honra em estar a desfilar e estamos a fazer o melhor para  sermos os melhores", resume o capitão Antonio Tanganha, relações públicas  do pelotão.  

   "Numa altura em que Portugal assume a presidencia da UE, vamos participar,  em termos de disposiçao de forças, numa posiçao cimeira, à frente de todos  os outros paises, o que nos dà maior destaque. Como tal, não só eu como  todos os militares nacionais que participam no desfile estão orgulhosos",  refere Tiago Catela, comandante do pelotão.  

   O protagonismo dos soldados portugueses, além do orgulho, acarreta também  dificuldades: "O mais difícil foi adaptarmo-nos aos pelotões que estão ao  nosso lado. Adaptámo-nos facilmente ao ritmo da música francesa, que é muito  parecido com o nosso ritmo. Foi mais complicado adaptarmo-nos aos dois pelotões  que estão ao nosso lado, a Alemanha e a Eslovénia", remata o Capitão Antonio  Tanganha.  

   O primeiro-ministro português, José Socrates, chega a Paris na madrugada  do dia 14 para se juntar ao presidente Sarkozy e ao presidente da Comissão  Europeia, Durão Barroso, na mesa de honra das festividades.  

     



Lista das unidades em desfile (retirada do MP.net)

Germany : 261th Battalion of Para Fighters (Based in Lebach, Länder of Sarre).

Austria: Section of the Guard’s Battalion (Based in Vienna).

Belgium: 2nd and 4th Regiment of Fighters on Horseback (Based in Saive).

Bulgaria: Unknown.

Cyprus:Commando Regiment (based in Nicosia).

DenmarkUnknown.

Spain:3rd Regiment Don Juan of Austria, Spanish Legion.

Estonia: Estonian National Defense College (ENDC based in Tartu).

Finland: Superior School of National Defense (based in Helsinki).

France: 2nd Hussar (based in Sourdun 77).

Greece: 71st Airmobile brigade.

Hungary: Honor Battalion of the Hungarian Armed Forces (based in Budapest).

Ireland: Unknown.

Italy:1st Regiment of Sardinian’s Grenadiers (based in Rome).

Latvia: Unknown.

Lithuania: Company of the Honor’s Guard (based in Vilnius).

Luxembourg: Members of the Military Center (Centre Militaire, based in Diekirch).

Malta: 4 Members of the Armed forces of Malta, the smallest European Army represented.

Netherlands: 42nd Tank Battalion of Hussars Prince d’Orange and the Royal Marechaussee.

Poland: Representation Battalion (based in Varsovia), the firsts to answer the invitation of the French Government.

Portugal: Marine Corp (based in Alfeite).

Romania:30th Regiment of the Guard “Michel le Brave” (based in Bucharest).

United Kingdom: Queen’s colour squadron 63rd Squadron of the Royal Air Force (RAF based at Station Uxbridge – Middlesex).

Slovakia: Unknown.

Slovenia: Unknown.

Sweden: Guard Company of the Royal Guard (based in Stockholm).

Czech Republic: Unknown.

Video (http://http)


EDIT: Vídeo alterado
Título:
Enviado por: Boina_Verde em Agosto 17, 2007, 03:17:38 am
é verdade que estao a pensar em criar uma unidade de engenharia e outra de artilharia anti-aérea???

se sim...que meio era melhor para a unidade AA? na minha opiniao...o stinger
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 17, 2007, 09:45:06 am
Já agora de onde surgiu esta ideia ou boato? Pode divulgar?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 17, 2007, 10:19:12 am
Por acaso já li qualquer coisa de semelhante na revista Espanhola "Soldiers". Foi num artigo a falar sobre o Corpo de Fuzileiros, em que se falava sobre o presente e o futuro dessa unidade. Acho que se falava de sub-unidades do escalão de pelotão.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 17, 2007, 02:50:25 pm
"Los que forman parte del Pelotâo [sic] de Reconhecimento (PELREC) están adscritos a la Companhia de Apoio de Fogos (CAF) - ver SOLDIERS-RAIDS nº 111 de diciembre de 2004-, una Unidad especialmente potente y polivalente. Un comandante dirige la actividad de peltones especializados en el Reconocimiento, la lucha Contra Carro, el Apoyo de Fuego con morteros, la Defensa Antiáerea, la Vigilancia del Campo de Batalla o en las actividades de Zapadores, aunque algunas de estas capacidades están en processo de constitución" (DÍEZ CÁMARA, 2007: 19)

Fonte: DÍEZ CÁMARA, Octavio (2007) "Pelotâo [sic] de Reconhecimento", in SOLDIERS-RAIDS n.º 137 - Febrero de 2007, Madrid: EUROSURCAM, pp. 16-23.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 17, 2007, 03:42:14 pm
Exacto!  :wink:
Título:
Enviado por: Boina_Verde em Agosto 20, 2007, 12:08:06 am
eu vi isso neste site

http://militaryzone.home.sapo.pt/fuzos.htm (http://militaryzone.home.sapo.pt/fuzos.htm)
Título:
Enviado por: Lancero em Outubro 04, 2007, 11:34:20 am
Os meus sentimentos à instituição e aos familiares do fuzileiro morto esta madrugada no IP1 num acidente que envolveu uma coluna militar.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 04, 2007, 11:54:37 am
Não tinha ouvido nada...é sempre triste quando um jovem morre.
Título:
Enviado por: Lancero em Outubro 04, 2007, 02:34:55 pm
Citar
Acidente de viação grave envolve viatura dos Fuzileiros

Publicado em:
 2007-10-04



Hoje, dia 4 de Outubro, cerca da uma da manhã, em Alcácer do Sal, ocorreu um acidente de viação que envolveu uma viatura militar e outra civil, de que resultaram um morto e quatro feridos muito graves. O acidente aconteceu quando duas viaturas militares UNIMOG, que transportavam um pelotão de fuzileiros, regressavam, à Base de Fuzileiros no Alfeite, após a conclusão de um exercício de tiro em Pinheiro da Cruz.


O acidente terá ocorrido na sequência da viatura ligeira civil ter entrado em contramão, quando se cruzava com as duas viaturas militares, que transitavam em coluna. A  primeira viatura, apercebendo-se da existência de um veículo ligeiro em contramão, conseguiu evitar a colisão, mas tal não foi possível à segunda viatura.

 Do acidente, além do falecimento de um militar e de ferimentos muito graves em  quatro outras pessoas (três militares e o condutor da viatura civil), contam-se ainda quatro feridos graves e quatro feridos ligeiros, todos eles militares.

Os acidentados foram socorridos pelo INEM e pelos bombeiros de Alcácer do Sal. Dos militares em estado muito grave, um foi transportado, de ambulância, para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, enquanto os outros dois foram transportados, de helicóptero, para o Hospital de Santa Maria, também em Lisboa. O condutor da viatura civil foi encaminhado para o Hospital Garcia da Horta, em Almada, tendo sido posteriormente transferido para o Hospital de São Francisco Xavier.
Dos quatro feridos graves que deram entrada no Hospital de Setúbal com fracturas dos membros inferiores, um foi posteriormente evacuado para o Hospital de Santa Maria. Finalmente, os quatro feridos ligeiros foram encaminhados para o Hospital Garcia da Horta, em Almada, onde permanece um internado, os outros três militares já receberam alta hospitalar.

O corpo da vítima mortal foi encaminhado para o Hospital de Santiago do Cacém, onde aguarda autópsia.
Os familiares de todos os militares envolvidos no acidente foram entretanto informados. A Brigada de Investigação Criminal da GNR abriu um inquérito, enquanto a Marinha através do Comando do Corpo de Fuzileiros também procederá a abertura de um processo de averiguações sobre o acidente.

www.marinha.pt (http://www.marinha.pt)
Título:
Enviado por: elite86 em Outubro 08, 2007, 06:30:09 pm
Boas camaradas.

Dia 2 de Outubro fui á Escola de Fuzileiros fazer as provas de classificação e selecção para prestar serviço nos Fuzileiros. O meu espanto foi quando soube que fui eliminado na prova de aptidão para o meio aquático com um "inapto" quando eu sei nadar perfeitamente bruços e crawl. Fiquei bastante chateado pois sempre quiz ser fuzileiro e desta forma vejo a porta "fechada" para este ramo.
Parece que a situação já não é novidade, já me tinham avisado que eles estavam a reprovar gente a torto e a direito na natação. No meu grupo eramos 30 e muitos e só passaram 9.
O que acham disto. Penso que esta situação nunca aconteceu em anos anteriores, até porque tenho amigos que não eram grandes nadadores e estão lá.

Cumprimentos a todos
Título:
Enviado por: Ricardo em Outubro 09, 2007, 11:30:43 am
Existe alguma sub-unidade de sapadores no Corpo de Fuzileiros?
No caso afirmativo, tal é equipada com detectores de metais/minas ou procede a colocação e inactivação de minas anti-passoal / anti-carro?

E a metralhadora-ligeira HK-21 ainda é utilizada nas secções de atiradores de Fuzileiros?
Título:
Enviado por: TMEsteves em Outubro 09, 2007, 10:45:59 pm
Citação de: "elite86"
Boas camaradas.

Dia 2 de Outubro fui á Escola de Fuzileiros fazer as provas de classificação e selecção para prestar serviço nos Fuzileiros. O meu espanto foi quando soube que fui eliminado na prova de aptidão para o meio aquático com um "inapto" quando eu sei nadar perfeitamente bruços e crawl. Fiquei bastante chateado pois sempre quiz ser fuzileiro e desta forma vejo a porta "fechada" para este ramo.
Parece que a situação já não é novidade, já me tinham avisado que eles estavam a reprovar gente a torto e a direito na natação. No meu grupo eramos 30 e muitos e só passaram 9.
O que acham disto. Penso que esta situação nunca aconteceu em anos anteriores, até porque tenho amigos que não eram grandes nadadores e estão lá.

Cumprimentos a todos


  Boas, elite86, eu fui fazer os mesmos testes que tu mas foi no dia 25/Set ,realmente tem chumbado muita gente na natação, mas não tem sido só neste concurso, porque também fui prestar provas em Julho, e mesmo aí foi onde chumbou mais gente.
  Isso do nadar perfeitamente pode levar um bocado ao engano na altura de fazer a prova de natação, dou-te um exemplo de um camarada que chumbou nessa mesma prova e era nadador-salvador, tinha boa técnica, só que talvez para "impressionar" fez os 25m crawl em apneia e nos bruços fez respiração de 2 em 2 braçadas, logo, como não era isso que lhe tinha sido pedido,chumbou.
  Não te esqueças que quem nos está a avaliar são monitores de Educação Fisica, que têem formação específica para fazer uma boa avaliação do desempenho de cada um de nós.
  Para acabar, sendo o "86" do nick o teu ano de nascimento, ainda tens 2 anos de provas para tentar entrar.
  Cumprimentos!
Título:
Enviado por: Ricardo em Novembro 13, 2007, 03:23:04 pm
Alguém consegue identificar estas espingardas (marca & modelo) e quais as subunidade dos Fuzileiros que as utilizam?

 (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg127.imageshack.us%2Fimg127%2F6539%2Fdsc02171dz2.th.jpg&hash=b7b59118928bfc41a1cde90e4449991b) (http://http)
Título:
Enviado por: Ricardo em Novembro 13, 2007, 03:24:01 pm
Qual é a especialidade desta viatura?
http://img405.imageshack.us/my.php?imag ... 229dm6.jpg (http://img405.imageshack.us/my.php?image=imgp0229dm6.jpg)
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 13, 2007, 04:31:22 pm
Tendo em consideração que os elementos que seguem no camião estão equipados com factos de protecção NBQ(R) (Nuclear, Biológica e Química (e Radiológica)) deve ser uma unidade de descontaminação.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 03, 2008, 08:09:11 pm
Citar
Despacho do Almirante Chefe de Estado-Maior da Armada nº 29 111/2007, de 21 de Dezembro

No uso da autorização que me é conferida pelo Despacho nº 202/MDN/07 de 26SET, do Ministro da Defesa Nacional, e ao abrigo dos artigos 35º e 36º do Código do Procedimento Administrativo, subdelego no Superintendente dos Serviços do Material, Vice-almirante JOSÉ JOAQUIM CONDE BAGUINHO, as competências relativas à execução dos testes de aceitação provisória e à assinatura dos protocolos de aceitação da recepção provisória das Viaturas Blindadas de Rodas 8X8 anfíbias.

(Publicado no Diário da República, II Série, nº 246, de 21 de Dezembro de 2007, pelo Ministério da Defesa Nacional – Marinha – Gabinete do Chefe de Estado-Maior da Armada)
Título:
Enviado por: tsahal em Janeiro 03, 2008, 10:14:14 pm
sim é uma viatura equipada com um sistema de descontaminação Karcher, inclusive o atrelado claro.
Título:
Enviado por: zeNice em Fevereiro 12, 2008, 03:48:39 pm
Boas pessoal, só uma pergunta:

Nas notícias de missões no estrangeiro só se houve é Páraquedistas, Comandos e GNR...
os Fuzileiros não participam em missões no estrangeiro?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 12, 2008, 04:31:29 pm
Já foram a Timor-Leste, Bósnia, a última missão foi à pouco tempo quando o DAe foi ao Congo.
Título:
Enviado por: Ricardo em Fevereiro 13, 2008, 12:36:20 pm
Que lança-granadas de 37mm é este da UPN?
Permite de facto tal como a legenda, somente lançar projecteis não letais (borracha e gás lacrimogéneo), como os do CI da PSP / GNR ou também munições de fragmentação AP?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg231.imageshack.us%2Fimg231%2F6162%2F64343028kp4.th.jpg&hash=c42b67a3c9638ed55b8086a7e908279a) (http://http)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 13, 2008, 12:50:24 pm
Pelo que me parece é mesmo assim, é como os do CI/BOE, só dão para lançar projecteis não letais.
Título:
Enviado por: Ricardo em Fevereiro 13, 2008, 03:31:21 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Pelo que me parece é mesmo assim, é como os do CI/BOE, só dão para lançar projecteis não letais.


Obrigado, e qual é a marca / modelo?
Título:
Enviado por: Tilt em Fevereiro 14, 2008, 10:57:52 am
Caro Morkanz como este e 1 país de "quintinhas" so os corpos especiais do exercito vao para missoes............
Título:
Enviado por: Lancero em Fevereiro 14, 2008, 11:04:04 am
Citação de: "Tilt"
Caro Morkanz como este e 1 país de "quintinhas" so os corpos especiais do exercito vao para missoes............


Tais como unidades de Engenharia, ou a Brigada de Intervenção ou a Brigada Mecanizada  :roll:
Título:
Enviado por: Tilt em Fevereiro 15, 2008, 05:34:19 pm
Temos de ser realistas so quem tem a logistica pode fazer missoes no estrangeiro.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 15, 2008, 06:09:29 pm
Os Comandos têm logistica? Não me parece, por isso é que há militares de outras unidades no Afeganistão a apoiá-los.
Título:
Enviado por: Tilt em Fevereiro 15, 2008, 07:00:54 pm
Comandos =Exercito estava m a referir aos Fuzos ja nao fazerem missoes agora so vai o exercito e as tropas especiais do exercito.
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Fevereiro 15, 2008, 07:59:02 pm
Alguém consegue arranjar o brasão dos fuzileiros com pelo menos 150px.
Título:
Enviado por: Lancero em Fevereiro 15, 2008, 08:41:52 pm
O melhor que encontro, para já.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg167.imageshack.us%2Fimg167%2F3024%2Ffuzossy4.jpg&hash=a865ca62dfb54ef83e0a78a9065b5663)
Título:
Enviado por: Ricardo em Fevereiro 16, 2008, 05:45:12 pm
Citação de: "Tilt"
Temos de ser realistas so quem tem a logistica pode fazer missoes no estrangeiro.

Citação de: "Tilt"
Comandos =Exercito estava m a referir aos Fuzos ja nao fazerem missoes agora so vai o exercito e as tropas especiais do exercito.


Está enganado, ao Comando do Corpo de Fuzileiros incumbe aprontar por via da Base de Fuzileiros, o apoio necessário de serviços técnicos e logísticos ao respectivo Grupo de Comando e Serviços (corresponde às CCS do Exército) de cada unidade dos Fuzileiros, quando destacada.

Além disso, só para dar o exemplo, o CF está provido com um pelotão de comunicações, serviço de informática, secções médicas, secções de descontaminação NBQ, uma secção de cães-de-guerra.
Título:
Enviado por: Tilt em Fevereiro 16, 2008, 05:56:29 pm
Caro Ricardo tem razao em tudo o k diz..........mas na pratica os Fuzileiros têm sempre  de ir em reforço dos batalhoes do exercito,se estiver enganado refira m kual a missao no estrangeiro em k so havia Fuzileiros?!?
Título:
Enviado por: Ricardo em Fevereiro 16, 2008, 08:17:48 pm
Citação de: "Tilt"
Caro Ricardo tem razao em tudo o k diz..........mas na pratica os Fuzileiros têm sempre  de ir em reforço dos batalhoes do exercito,se estiver enganado refira m kual a missao no estrangeiro em k so havia Fuzileiros?!?


Toda a missão envolve serviços de logísticos, no entanto se restringir ao ramo militar, salvo erro, foi o caso nas seguintes missões exteriores:
- Em 1992, colocados em Angola por precaução juntamente com a fragata "Vasco da Gama", após os acontecimentos violentos que se desenrolaram depois das eleições, para caso se justifique evacuar o corpo diplomático português;
- Em 1997 na «Operação Forez», evacuação de cidadãos nacionais do conflito da República do Zaire;
- Em 1998 na «Operação Crocodilo» evacuação de civis e militares nacionais em situação precária e na «Operação Falcão» providenciando segurança a Embaixada Portuguesa da Guiné-Bissau;
- Em 2000, missões SAR e de ajuda humanitária as vítimas das cheias do Rio Save, em Moçambique;
- Em 2006, missão militar de apoio ao processo político pós-eleições da República Democrática do Congo, integrando a componente das operações especiais da força da União Europeia - EUFOR RD CONGO.

Não esquecer que as missões "caseiras" logicamente também envolve logística!
Título:
Enviado por: Tilt em Fevereiro 16, 2008, 09:50:16 pm
Ricardo a ultima foi do DAE  nao conta :wink:
Todas as outras que referiste sao com o apoio dos meios de superficie ...........e todas de curta duraçao .Não vais encontrar nenhuma de longa duração em terra sem o apoio e incorporados no exercito,temos de aceitar essa realidade e lutar para que se altere.
Título:
Enviado por: Ricardo em Março 06, 2008, 12:01:42 pm
A Revista da Armada este mês apresenta artigos interessantes sobre o Corpo de Fuzileiros!
Título:
Enviado por: Lightning em Março 09, 2008, 08:56:09 pm
Eu sei que os fuzileiros portugueses são uma força anfíbia ligeira estilo os Royal Marines e não como os Marines Americanos que são uma força anfíbia mecanizada, não acham que ao equipar o Corpo de Fuzileiros com os Pandur que se está a mudar a filisofia de actuação de um genero para o outro? Os britânicos possuem a 3ª Brigada de Comandos com 8.000 homens dos Royal Marines e Exército e não possui nenhum blindado anfíbio desse género, preferem o uso de lanchas e helicopteros...

Caso isso acontecesse podiamos imitar a organização dos MEU? (Marine Expeditionary Units) com a exepção dos meios aéreos. O efectivo até é parecido com o do Corpo de Fuzileiros, cerca de 2.000 homens, era mais fácil do que formar a tal Brigada Anfíbia que certos foristas falaram, penso eu...

http://en.wikipedia.org/wiki/MEU (http://en.wikipedia.org/wiki/MEU)

A typical MEU (SOC) structure has 2,100 Marines and sailors. It is equipped with:

7 to 16 light armored vehicles
eight 81 mm mortars
eight TOW missile systems
eight Javelin missile launchers
15 amphibious assault vehicles
six 155 mm howitzers
four M1A1 main battle tanks
two KC-130 re-fueler/transport aircraft (podia ser 2 C-130 da FAP para a parte do transporte)
two reverse osmosis water purification units
one LMT 3000 water purification unit
one sea tractor
four TRAMs (10,000-pound capacity forklifts)
two 4,000 pound capacity forklifts
three D-7 bulldozers
30 5-ton or 7-ton/12-ton trucks
one dump truck
four Mk48 logistical vehicle systems
seven 500 gallon water containers
63 HMMWVs.
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Março 09, 2008, 10:18:25 pm
Citar
Eu sei que os fuzileiros portugueses são uma força anfíbia ligeira estilo os Royal Marines e não como os Marines Americanos que são uma força anfíbia mecanizada, não acham que ao equipar o Corpo de Fuzileiros com os Pandur que se está a mudar a filisofia de actuação de um genero para o outro?


Para se ter uma força anfibia mecanizada digna desse nome, os vinte previstos Pandur possívelmente seriam o efectivo de carros adstritos à instrução de condutores. E depois para as unidades de combate, apoio, serviços, médicas, fogos, etç, onde estão os Pandur?
Vamos ser realistas. Os fuzileiros são uma força anfíbia ligeira estilo Royal Marines, centrada no valor do próprio fuzileiro, enquanto combatente austero, pouco dispendioso, mas muito eficaz. São e vão continuar a ser até porque não é preciso mais e também porque as finanças não dão para muito mais.
Tudo isto custa dinheiro, muito dinheiro e mudar a filosofia tipo implica investimentos enormes ( sobretudo em equipamentos e crâneos ) que não são compensadores na relação custo/beneficio, isto é: custam muito e melhoramos pouco.
Portanto, acho que vamos continuar a ter - e ainda bem - uma força anfibia razoável, cuja mais-valia  assenta no valor do elemento humano e não na carissima tecnologia. O pouco equipamento que tem serve o fuzileiro e não é o equipamento que se serve do fuzileiro para o operar. Os 20 Pandur's estão nesta linha.
Precisamos é de meios de projecção de forças, quer aéreos, quer navais ( hello navpol... ) porque o que há serve, mas é escasso.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: sniper14 em Março 10, 2008, 09:35:42 pm
Completamente de acordo sobre a sua definição de Fuzileiro  só é pena que o ramo a que pertencem não os vejam dessa forma, mas apenas e principalmente como alguem que faz aquilo que mais ninguem quer, pode ou consegue.
Título:
Enviado por: Lancero em Março 10, 2008, 10:19:52 pm
Citação de: "Ricardo"
A Revista da Armada este mês apresenta artigos interessantes sobre o Corpo de Fuzileiros!



Citar
Corpo de Fuzileiros

No mar e onde necessário

Nunca é demais lembrar o Decreto Régio que em 1621 criou o Terço da Armada da Coroa de Portugal, a mais antiga força militar com carácter permanente em Portugal, tendo os Marinheiros do Fuzil, estado presentes em acções de combate, do Brasil ao Mediterrâneo, ganhando por direito próprio a honra de serem designados por D. João IV como a sua guarda pessoal. Já no reinado de D. Maria, o Terço é reorganizado, sendo criada a Brigada Real de Marinha que, aquando das invasões napoleónicas, acompanhou a Família Real na partida para o Brasil, dando origem ao actual Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil 1. Em 1961, foram recriados os Fuzileiros, sendo os Destacamentos de Fuzileiros Especiais, vocacionados para as acções de assalto lançadas a partir do meio aquático, e as Companhias de Fuzileiros Navais orientadas para a guarda e defesa de instalações navais em terra, tendo estado envolvidos em todos os teatros cerca de 12.500 homens dando continuidade à heroicidade, capacidade de sacrifício e espírito de corpo apanágio dos “Soldados da Armada”2. Em 1974 foi criado o Comando do Corpo de Fuzileiros (CCF), que com a LOMAR 3 passou para a dependência do Vice-almirante Comandante Naval. Ao CCF 4 incumbe promover o aprontamento e apoio logístico e administrativo das forças, unidades e meios operacionais que lhe estejam atribuídos e assegurar as acções de formação que lhe estejam cometidas.

Relembramos as missões desempenhadas por Forças de Fuzileiros (FFZ) no Zaire (1996), na Guiné-Bissau (1998/1999), na Bósnia-Herzegovina (2000), em Timor-Leste (2000 a 2004), Moçambique (2000) e na R.D. Congo (2006). Além destes importantes empenhamentos externos, é de realçar a responsabilidade e participação do Corpo de Fuzileiros na formação dos fuzileiros e dos militares que ingressam na Marinha, na cooperação técnico-militar, na protecção de força a instalações, forças e unidades navais, nas escoltas e nas cerimónias protocolares. A colaboração com a Policia Judiciária no combate ao narcotráfico e a cooperação com a Autoridade Marítima são outras tarefas frequentes. Reforçaram-se as sinergias na ligação às restantes componentes da Esquadra através do embarque de FFZ em diversas unidades navais, em missões NATO, no dispositivo naval na Zona Marítima dos Açores, em missões de soberania nacional, nomeadamente nas Ilhas Selvagens, no âmbito da segurança europeia, via FRONTEX 5, nas missões HERA, e ainda noutras missões e exercícios em que a Força Tarefa da Marinha (POTG) foi activada.

Chegados ao Presente, caracterizado por uma envolvente de algumas restrições e dificuldades, em especial nos recursos financeiros e de pessoal, foram adoptadas medidas experimentais de reorganização dalgumas unidades e do estado-maior 6 e tomadas medidas de racionalização interna, que irão prosseguir pois é imperioso continuar a cumprir as missões atribuídas, com maior eficiência, onde possível, melhorando os elevados padrões de desempenho já alcançados, quando possível, mas garantindo sempre a elevada prontidão que nos é exigida. A recuperação e a melhoria das infra-estruturas das Unidades do Corpo de Fuzileiros  está em curso, com impacte positivo na imagem, desempenho e bem-estar do pessoal. As suas capacidades estão também a ser reforçadas, fruto do investimento realizados nos últimos anos, através da Lei de Programação Militar (LPM) o que, aliado à qualidade dos militares que acabam os seus cursos de formação na Escola de Fuzileiros, área onde se continua a investir de forma decisiva, e à qualidade das acções de treino e adestramento realizadas, reforçou o seu valor operacional.

O Futuro já é uma certeza. A entrada ao serviço das viaturas blindadas ligeiras anfíbias (VBLA) 7 e das viaturas tácticas ligeiras com blindagem (VTLB) 8, a participação no Battle Group Anfíbio da União Europeia,  o contributo para as NATO Reaction Force, o crescimento do Destacamento de Acções Especiais e do Pelotão de Abordagem, o início da operação das Lanchas de Assalto Rápido a partir de terra ou com o apoio das Lanchas de Fiscalização Costeiras, a edificação da capacidade de recolha de informações por meios humanos (HUMINT 9) e a continuação do reequipamento do BLD 10 com meios prioritários para os cenários de actuação previsíveis, no âmbito dos compromissos nacionais com a NATO e a UE, permite-nos afirmar que, no espectro das Operações de Combate, de Estabilização ou de Apoio, o Corpo de Fuzileiros, está em evolução para uma força com maior potencial (de comando e combate) e maior mobilidade, mas  como sempre, pronto e disponível para actuar, no mar ou onde necessário, conforme é seu apanágio e tradição.

Os Fuzileiros orgulham-se do seu passado, vivem o presente de forma intensa e acreditam no futuro. Como sempre, preservam os valores da camaradagem, lealdade, espírito de sacrifício, coragem, disciplina e espírito de bem servir, fazendo parte de uma comunidade de elite de reconhecido valor, afirmam-se como actores imprescindíveis no carácter expedicionário da Esquadra, que será reforçado pelo Navio Polivalente Logístico, do tipo LPD 11, com capacidade de projecção autónoma e sustentação credível, permitindo não só o emprego no litoral e nas águas adjacentes, mas também noutros teatros e em outros tipos de operações, nomeadamente de resposta a crises, incluindo o apoio às populações civis em situações de catástrofe ou de calamidades naturais. Para isso, através da implementação do processo de lições aprendidas e tendo presente o incremento de equipamentos e sistemas de armas cada vez mais sofisticados, desenvolvem-se novas doutrinas (incluindo a revisão do  POA 1 (A) 12), treinam-se e experimentam-se novas Tácticas, Técnicas e Procedimentos, validadas nas avaliações operacionais, em apoio dos comandantes na prossecução dos seus objectivos.  Com um investimento seguro na formação será possível prosseguir na senda da excelência, fazendo dos Fuzileiros combatentes mais preparados para as incertezas do mundo moderno e ombreando com os seus congéneres.

Em suma, com uma postura preocupada sempre com a melhor solução, ou seja, orientada para o futuro, o Corpo de Fuzileiros, com os meios operacionais à sua disposição, trabalha e treina a condução de operações a partir do mar com um único objectivo – estar pronto e assim contribuir para o produto operacional da Marinha – procurando como sempre, honrar dignamente o passado, gerir bem o presente e preparar sabiamente o futuro.

 

João da Cruz de Carvalho Abreu

CALM


--------------------------------------------------------------------------------

Notas

1 O Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil comemora este ano, a 07 de Março, o seu Bicentenário.

2 Sobre a Guerra de África foi recentemente lançada a obra “FUZILEIROS – Factos e Feitos na Guerra de África 1961/1974” da autoria do CFR FZE Sanches de Baêna.

3 LOMAR – Lei Orgânica da Marinha (Decreto-Lei Nº 49/93 de 26 de Fevereiro).

4 As atribuições, organização e competências do CCF constam do Decreto Regulamentar nº 29/94 de 01 de Setembro.

5 FRONTEX – Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas.

6 A Unidade de Polícia Naval foi “integrada” no BF1 e foi criada a Secção de Treino e Avaliação no EM/CCF.

7 Modelo PANDUR II, 20 Unidades com previsão de inicio de entrega para o 1º semestre de 2009 (ver Revista da Armada nº406).

8 VTLB – viaturas tácticas com blindagem tipo HUMVVEE.

9 HUMINT - Human Intelligence.

10 BLD – Batalhão Ligeiro de Desembarque.

11 LPD - Landing Platform Dock.

12 POA 1(A) – Requisitos Operacionais das Forças e Unidades de Fuzileiros
 



Citar
Escola de Fuzileiros

15 anos de formação em liderança
 

 

Génese
 

No início da década de noventa, o malogrado CALM Jorge Mendes, então Director do Serviço de Formação, identificou a liderança como uma necessidade estratégica de formação da Marinha, sustentada pelos acidentes marítimos ocorridos na época e ainda pelos novos desafios, no âmbito da liderança e coordenação de equipas, que representavam as novas fragatas da classe “Vasco da Gama”.

Após uma pesquisa em várias marinhas da Aliança Atlântica, foi escolhido o modelo Inglês, pois era o único que integrava três aspectos essenciais: tarefa, grupo e indivíduo. Por outro lado, estava consolidado na marinha Inglesa desde 1947 e alguns modelos ingleses tinham já sido testados pelos CMG Correia Jesuíno e CMG MN Gouveia Pereira em anteriores estudos efectuados junto dos fuzileiros.

Assim, em 1992, o então 1SAR FZ Machado foi nomeado para frequentar o curso ”Petty Officer Leadership Course” na ”Royal Navy Leadership School” em Bath, actualmente extinta e transferida para Collingwood, tendo sido nomeado para seu tutor e responsável pela delegação portuguesa o então 1TEN Machado da Silva.

Em 1993, foi criado o Gabinete dos Cursos de Aperfeiçoamento em Liderança (CAL), actual Departamento de Formação em Comportamento Organizacional (DFCO). A Escola de Fuzileiros foi o local escolhido pela razão de dispor de espaço físico, quer no interior quer no exterior, para que fosse implementada a componente prática do modelo. Na fase inicial foram sentidas grandes dificuldades orçamentais, quer para equipar os gabinetes e salas de aulas, quer para a construção das pistas de liderança. A maioria dos materiais utilizados nas tarefas de liderança provinha e ainda provém do Depósito de Recuperáveis e Inúteis. Os tanques eram construídos em buracos cavados e reforçados com plásticos que necessitavam de ser reabastecidos após cada tarefa realizada.

No entanto, os pioneiros, que haviam sido reforçados com mais três elementos, enfrentaram com engenho e tenacidade as dificuldades inerentes à concepção de novos cursos dirigidos a todas as classes de Praças a frequentar o Curso de Formação de Sargentos (APL04) e de Sargentos a frequentar o Curso de Promoção a Sargento Chefe (APL05). A utilidade e funcionalidade dos cursos foram posteriormente validadas pela dissertação de Mestrado do então 1TEN Machado da Silva, director dos CAL, comprovando que o modelo escolhido se adequava à visão estratégica da Marinha.
 

eVOLUÇÃO
 

Ao longo do tempo, foram construídas novas pistas de liderança e melhoradas as infra-estruturas existentes, proporcionando deste modo condições singulares para a realização de exercícios práticos em grupo.

Em 1998, foi criado o Curso de Potencialização de Recursos Humanos – Vector de Liderança (APL07), em regra um por ano, dirigido a oficiais da Marinha e equiparados. E ainda, por convite, a entidades externas à Marinha, tais como Oficiais das Forças Militarizadas e de Segurança, quadros médios e superiores da Administração Pública, e também gestores e quadros dirigentes de organizações privadas. No total, o curso já foi frequentado por 77 formandos externos à Marinha.

Em 2005, a Marinha e o Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE) estabeleceram um protocolo de cooperação na área da formação, o qual contempla a realização anual de um módulo de liderança dirigido aos alunos do E-MBA, cuja vertente prática se tem desenrolado na EF.
 

O módulo já foi frequentado por 120 alunos que exercem funções de administração e gestão de empresas dos mais variados sectores de actividade. Com efeito, este tipo de formação acrescentou não só mais responsabilidade ao DFCO atendendo à natureza dos formandos, como também notoriedade, comprovada pelo crescente número de interpelações feitas por organismos da Administração Pública e Empresas do sector privado, no sentido de averiguar a viabilidade da realização de acções de formação.
 

Tarefa Prática de Liderança (TPL).
 



Prova de planeamento.
 Desde 2005, o DFCO tem ministrado anualmente formação em liderança aos oficiais dos três ramos das Forças Armadas envolvidos na divulgação do Dia de Defesa Nacional, perfazendo o total de 97 militares.

No ano passado, o DFCO deu igualmente formação a 40 funcionários e quadros dirigentes do Banco Santander Totta, à Selecção Nacional de Rugby no âmbito do estágio de preparação para o mundial da modalidade e ainda a uma equipa de oito elementos do Grupo de Operações Especiais da PSP no âmbito da preparação para uma competição no estrangeiro.
 

ACTUALIDADE
 

O DFCO dispõe actualmente de um efectivo de seis militares, que permite funcionar, em simultâneo, com 2 equipas de formação. Cada equipa é composta por um oficial a exercer as funções de Chefe de Equipa e Director de Curso, e dois sargentos, um responsável pela área da liderança e o outro pela área da educação física. O oficial mais antigo, que exerce as funções de Chefe de Departamento, possui o mestrado em Comportamento Organizacional (CO). Os dois sargentos da área de liderança frequentaram o curso ”Petty Officer Leadership Course” em Inglaterra e os restantes têm a especialização na área de Educação Física. Ao quantitativo atrás referido, acresce ainda periodicamente dois elementos, um sargento e uma praça, responsáveis por assegurar o apoio logístico do departamento.

Apesar da diversidade ser uma das mais valias de um grupo, existe um conjunto de critérios absolutos de preferência, denominados de valores, que funcionam como elemento aglutinador do grupo, e por isso devem ser aceites e partilhados por todos. Assim, no caso do DFCO, padrões superiores de qualidade, apoio aos formandos, evolução permanente, camaradagem entre formadores e exceder as expectativas são os valores que têm dado sentido à forma como os seus membros se comportam e desempenham as funções atribuídas.
 



Nota: Os cursos têm um número máximo de 24 formandos
 

 
 

A formação ministrada tem por finalidade habilitar os formandos a exercer funções de liderança ao nível de grupos de trabalho, aplicando de forma integrada os conhecimentos de CO. Além disso, favorece o auto-conhecimento e a eventual mudança ao nível das atitudes e dos comportamentos por parte dos formandos. Outra vantagem é o facto de todos os formandos assumirem de forma alternada os papéis de líder e de liderado, o que permite desenvolver a empatia, uma competência essencial no relacionamento interpessoal.
 

Formandos do E-MBA a executar uma TPL.
 

Além de uma componente teórica, composta por inúmeros temas transversais ao CO, os cursos possuem uma vertente prática muito acentuada, que contempla várias provas. As comunicações formais são provas em que cada formando executa uma apresentação, com duração de 10 ou 15 minutos, sobre um tema à sua escolha, para melhorar a eficácia comunicacional.

As tarefas práticas de liderança são as provas que evidenciam mais as capacidades do líder, pois os formandos apenas tomam conhecimento da tarefa, dois minutos antes da sua execução. Dispõem de um tempo limitado, devendo para o efeito erigir soluções criativas e exequíveis com a ajuda do grupo, bem como motivar e coordenar, sob a pressão do tempo, o grupo na execução da tarefa. No caso das provas de planeamento, os formandos têm conhecimento prévio (de vários dias) da prova que irão realizar, pelo que lhes é exigido que elaborem um plano de acção escrito, antes de dirigir e coordenar a execução da prova. A maioria das provas ocorre durante o dia, porém existe uma que se realiza no arco nocturno, na qual os formandos além de fazerem orientação ao longo de um percurso predefinido, têm igualmente de executar um conjunto de tarefas inopinadas.

Nos cursos de aperfeiçoamento de Liderança, de 20 dias úteis, inseridos no Curso de Formação de Sargentos, compete igualmente aos formandos a realização de uma prova de representação baseada no patrono de curso escolhido previamente pelo grupo. As provas têm lugar no anfiteatro da escola e têm como principais objectivos fortalecer a identidade de grupo e promover o trabalho de grupo. Com efeito, o esforço colectivo é determinante para a consecução das provas e distribui-se por várias etapas e tarefas, que vão desde a concepção do guião, das indumentárias e dos cenários, passando pela criação dos efeitos sonoros e luminosos, até à atribuição e ensaio dos papeis, e culminando com a apresentação da prova. A título de curiosidade, a primeira prova, que remonta a 1993, foi baseada na obra “Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente. Desde então, têm vindo a ser encenadas cerca de sete provas por ano, sendo que as quatro mais recentes, duas apresentadas em Outubro e as outras duas em Novembro do ano passado, retrataram respectivamente algumas obras de Eça de Queirós, os feitos do Almirante Lord Nelson na batalha naval de Trafalgar, o reinado de D. João VI e, por último, a viagem de Vasco da Gama à Índia.

Existem também provas de animação desportiva, transversais a todos os cursos, que se destinam não só a melhorar a condição física dos formandos, mas, acima de tudo, a promover a competição intergrupal e assim contribuir para a consolidação do espírito de grupo. É justo salientar o apoio que tem sido prestado pela Unidade de Meios de Desembarque na realização das provas de remo em botes.

Em suma, em todas as provas, o acento tónico recai no trabalho de grupo, favorecendo deste modo a interacção contínua dos formandos e a consequente coesão de grupo.
 

PERSPECTIVAS PARA O FUTURO
 

O DFCO tem como principal objectivo de médio e longo prazo, elevar a qualidade da sua formação e reforçar a sua posição de unidade formadora de referência na Marinha. Procura igualmente, de forma sustentada, oferecer novos cursos e alargar o espectro de formandos.
 

Nesta óptica, considera-se oportuno a possibilidade do DFCO vir a agarrar algumas das oportunidades de formação, que têm surgido, pois este poderá ser um potencial caminho para se estreitarem relações com a sociedade civil. No âmbito interno, perspectiva-se a partir de 2008, o alargamento das acções de formação às praças a frequentar o Curso de Promoção de Marinheiros e aos cadetes a frequentar o mestrado integrado da Escola Naval.
 

Encerramento do 9º e 10º CAL 2007 (APL04).
 

Testemunhos acerca do Curso de Potencialização de Recursos Humanos – Vector de Liderança
 

Testemunho da formanda Dra. Ana Paula Pardal (Subdirectora do Estabelecimento Prisional do Pinheiro da Cruz)

É com muito gosto e prazer que recordo uma das experiências que mais me marcou enquanto formanda. Posso até dizer, com toda a justiça, que foi o curso mais gratificante e que maior gozo me deu em frequentar. Quando soube que a minha inscrição havia sido aceite, o receio e a ansiedade tomaram conta de mim…Eis que cheguei a um mundo que me é completamente desconhecido: uma civil no meio de “gente fardada”! Contudo, após o acolhimento fantástico por parte de todos, formadores e formandos, no final do primeiro dia tinha já a sensação de que pertencia àquela casa desde há muito. Quando vesti a farda, no segundo dia, Pensei: “Sinto-me da casa. Este é o meu grupo”. E foi com a maior vontade, gosto, motivação e satisfação que aderi e trabalhei com pessoas excepcionais, cujos comportamentos, atitudes e posturas profissionais são dignos dos maiores elogios. Não raras vezes recordo as experiências pelas quais passei no curso, situações de grande aprendizagem e reflexão interior. Foram duas semanas extraordinárias de enriquecimento humano e profissional.

 

Testemunho do formando Intendente Manuel Silva Comandante do GOE / PSP

O curso foi muito bem organizado e foi muito interessante. A componente prática foi uma mais valia importante e contribuiu para cimentar os conhecimentos teóricos ministrados que de outra forma rapidamente se diluiriam. As tarefas de campo propostas foram muito bem organizadas e sempre com objectivos concretos em vista. Por outro lado, o facto de existir elementos oriundos de diversos sectores da sociedade e com experiências diversas enriqueceu o curso. Por fim, em minha opinião este tipo de formação é melhor aproveitada por pessoas já com alguma experiência profissional, uma vez que pessoas em início de carreira ou em formação inicial podem não perceber a importância da liderança e da gestão de recursos humanos, na actividade profissional futura.

 

DFCO – Escola de Fuzileiros
 
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 11, 2008, 10:19:50 am
Citar
Eu sei que os fuzileiros portugueses são uma força anfíbia ligeira estilo os Royal Marines e não como os Marines Americanos que são uma força anfíbia mecanizada, não acham que ao equipar o Corpo de Fuzileiros com os Pandur que se está a mudar a filisofia de actuação de um genero para o outro? Os britânicos possuem a 3ª Brigada de Comandos com 8.000 homens dos Royal Marines e Exército e não possui nenhum blindado anfíbio desse género, preferem o uso de lanchas e helicopteros...


RMC:

http://www.royalmarines.mod.uk/weapons- ... /index.php (http://www.royalmarines.mod.uk/weapons-and-equipment/index.php)

Clica em Viking. :wink:
Título:
Enviado por: Lancero em Março 14, 2008, 05:46:30 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2F20080314171532PTLUS8112693120551493.jpg&hash=5a40ed33cc9dd83ad7de818371b92a88)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2F20080314171252PTLUS8112664120551477.jpg&hash=a017adde7402c00db3162fd56221bc9c)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2F20080314171017PTLUS8112627120551461.jpg&hash=37ce4d90f9d4df41b17778374ce5956c)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2F20080314170835PTLUS8112606120551451.jpg&hash=d7aa30ce3ce93dee0c9921f3e613df4e)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2F20080314170559PTLUS8112605120551435.jpg&hash=c9a0eaa3dbff94320be38de0092adfae)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2F20080314171709PTLUS8112618120551502.jpg&hash=b4d7cfd65b99d17a3b42af7dc3bb11f7)

Citar

Exercicio de treinos dos fuzileiros navais com vista a missoes de paz e tecnicas de combate, 14 Março 2008, na Penisula de Setubal. André Kosters/Lusa








Citar
Defesa: Secretário de Estado da Defesa em exercícios de treino dos Fuzileiros Navais    

   Lisboa, 14 Mar (Lusa) - O secretário de Estado da Defesa Nacional e  dos Assuntos do Mar, João Mira Gomes, assiste hoje ao exercício de ®aprontamento¯  dos Fuzileiros que decorre, desde o início da semana, em Pinheiro da Cruz,  na Península de Tróia.  

 

   O governante é acompanhado pelo chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante  Melo Gomes, durante a visita à Marinha e ao exercício dos Fuzileiros Navais.  

 

   O exercício ®FTX BLD¯, de ®aprontamento¯ dos Fuzileiros, termina a 17  de Março e visa a certificação da Força de Fuzileiros, pertencente à componente  naval, que irá ser atribuída à Força de Reacção Rápida (FRI), a partir de  Abril, o treino de técnicas de combate em áreas urbanas, no âmbito de missões  de paz, e a realização de operações anfíbias no Estuário do Sado, entre  outros.    

 

   O exercício militar anfíbio envolve 480 fuzileiros da Marinha Portuguesa.  
Título:
Enviado por: Lightning em Março 14, 2008, 09:24:26 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
http://www.royalmarines.mod.uk/weapons- ... /index.php (http://www.royalmarines.mod.uk/weapons-and-equipment/index.php)

Clica em Viking. :D
Título:
Enviado por: Lancero em Março 14, 2008, 10:04:30 pm
Mais umas



(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2FPicture005.jpg&hash=404ec664d39fd8df4600c7260d2f2580)



(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2FPicture002.jpg&hash=b92067463a3e8c07d81409af5fb90f6a)



(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2FPicture004.jpg&hash=794af803ba777d21dfc7ef18f65003f0)



(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2FPicture003.jpg&hash=5b02acb0c5ae864dd15ee0f3a6ceeb14)



(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2FPicture001.jpg&hash=919cd660a871d8d8dced82fe959a5952)



Crédito: Marinha Portuguesa
Título:
Enviado por: Tilt em Março 15, 2008, 02:28:42 pm
O C.E.M.A de boina  :shock:  pura imitação inglesa......... e pena so copiarem o que nao interessa............
Título:
Enviado por: Harapan em Março 21, 2008, 08:58:40 pm
Fico contente por ver o devido reconhecimento aos operacionais!
Alguem consegue arranjar a reportagem que passou na tvi?
E....aquelas lanchas com os dois motores de 250 são as apreendidas da droga não são?
Título:
Enviado por: Ricardo em Março 25, 2008, 10:34:20 am
Que equipamento é este?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi184.photobucket.com%2Falbums%2Fx105%2Flancero_photos%2Fmarco%2FPicture003.jpg&hash=5b02acb0c5ae864dd15ee0f3a6ceeb14)
Título:
Enviado por: HCardoso em Março 25, 2008, 06:20:18 pm
Boa tarde

A sua resposta é câmera termica de origem francesa "sophie"

Ate mais
Título:
Enviado por: mikecharlie em Março 25, 2008, 07:18:28 pm
Nop, lamento.
é o telemetro laser NCROS israelita. Usado pelos observadores avançados das Companhias de Fuzileiros, do PelREC e do DAE.
Boas
Título:
Enviado por: HCardoso em Março 25, 2008, 09:19:43 pm
Boa noite

mikecharlie obrigado pela correcção, tem total razão é o "telemetro laser NCROS israelita"

Ricardo desculpa pelo engano.

Alguem tem imagens do equipamento que eu referi?

desde ja obrigado

ate mais
Título:
Enviado por: sturzas em Março 29, 2008, 01:54:43 am
Viva a todos:

Câmara Térmica "Sophie":

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg206.imageshack.us%2Fimg206%2F9139%2Freconhecimento12ie5.th.jpg&hash=07a57a40c7ac83c0ba57c5d775d0eb58) (http://http)

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Ricardo em Março 31, 2008, 12:24:34 pm
Alguma das empresas estrangeiras associadas à Fabrequipa têm nos seus "catálogos", viaturas tácticas ligeiras 4x4 baseadas ou congéneres do HUMVEE?

Em caso afirmativo, as viaturas em apreço são passiveis de serem apetrechadas com blindagem e dotadas de alguma capacidade anfíbia?
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Abril 02, 2008, 02:00:45 pm
Citação de: "Bravo Two Zero"
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg375.imageshack.us%2Fimg375%2F4894%2F31tu.th.jpg&hash=a929f6d5fd0dfcbe96bfe5e2088eb4c1)


Não será o canhão sem recuo Carl Gustaf de 84 mm???? :D
cumps.
CS
Título:
Enviado por: ricardonunes em Abril 02, 2008, 02:06:32 pm
LGF ou RPG

Não são "coisas" diferentes :conf:
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Abril 02, 2008, 02:07:57 pm
Citação de: "Supremo Alquimista"
Alguém consegue arranjar o brasão dos fuzileiros com pelo menos 150px.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg508.imageshack.us%2Fimg508%2F518%2Fbrasaoccf1gt4.jpg&hash=74bab196252a20386979f507109dee39) (http://http)
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Abril 02, 2008, 02:09:56 pm
RPG é em inglês
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lan%C3%A7a ... as-foguete (http://pt.wikipedia.org/wiki/Lan%C3%A7a_granadas-foguete)
Título:
Enviado por: ricardonunes em Abril 02, 2008, 02:12:10 pm
Citação de: "fuzo 90"
RPG é em inglês
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lan%C3%A7a ... as-foguete (http://pt.wikipedia.org/wiki/Lan%C3%A7a_granadas-foguete)


Grato pelo esclarecimento  :wink:
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Abril 02, 2008, 06:17:36 pm
Carl Gustav 84mm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg404.imageshack.us%2Fimg404%2F8894%2Ffuzileiros063of8.png&hash=7cacf3ca37acd82ff652f6cc75ddcb37) (http://http)
Título:
Enviado por: zeNice em Abril 06, 2008, 11:07:10 pm
Uma grande dúvida que sempre tive:

Nas Notícias de Militares Portugueses enviados para o estrangeiro "só" se houve falar em Páraquedistas, Comandos, etc mas nunca ouvi falar em Fuzileiros em Missões no estrangeiro a não ser os DAE no Congo.

Fuzileiros actualmente também participam em Missões no estrangeiro?
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Abril 06, 2008, 11:36:02 pm
Actualmente não, mas já tiveram unidades de escalão companhia na Bósnia e Timor.
Título:
Enviado por: Lancero em Abril 07, 2008, 11:12:51 am
Citar
"Especiais" da Marinha com pistolas eléctricas


Carlos Varela
As forças especiais da Marinha de Guerra, integradas nos Fuzileiros, vão começar a receber pistolas eléctricas já durante esta semana, tornando-se no primeiro ramo das Forças Armadas a optar por armamento não letal, segundo soube o JN junto de fonte militar.

A opção constitui uma verdadeira revolução na mentalidade militar, uma vez que as armas destinadas aos ramos militares são - eram até aqui - de características letais.

A arma eléctrica em causa é a 'Taser', que já equipa a GNR e a PSP, e é concebida para imobilizar um adversário através de uma descarga eléctrica, que atinge o sistema nervoso e os músculos.

O Estado-Maior da Armada confirmou a informação recolhida pelo JN e justificou a opção tendo em conta as missões que estão atribuídas aos fuzileiros, por vezes associadas ao combate ao tráfico de droga e terrorismo, com intervenções no mar.

As unidades que vão receber a nova arma são o Destacamento de Acções Especiais (DAE) e o Pelotão de Abordagem, sendo ainda previsível a entrega de algumas destas armas não letais à Polícia Marítima. O número de armas é de natureza reservada, mas o JN sabe que serão cerca de 100, num valor unitário que se aproxima de 800 euros.

Quer o DAE quer o Pelotão de Abordagem são unidades integradas no Corpo de Fuzileiros que são com frequência empenhadas em acções de combate ao tráfico de droga, em apoio armado à Polícia Judiciária.

Normalmente, as operações militares do género são enquadradas pela PJ e correspondem ao chamado "boarding" - a entrada forçada num navio suspeito de transportar materiais ilícitos, ou em que a actividade seja ela própria ilegal. Até hoje, os militares vão armados com pistolas e pistolas-metralhadoras, de nove milímetros, equipadas preferencialmente com projécteis tangíveis - que se desfazem quando embatem em materiais mais duros, como o aço dos navios, para evitar baixas colaterais.

No entanto, os militares têm dado conta de que lhes faria falta nas equipas de abordagem um ou dois homens equipados com uma arma não letal, que evitasse o emprego da arma de fogo e uma eventual morte desnecessária, permitindo, ao mesmo tempo, a anulação de um adversário potencialmente perigoso.

Foi assim que a opção recaiu sobre a pistola eléctrica 'Taser', uma arma testada na GNR e na PSP e já usada em situações reais, até agora com bons resultados, levando à detenção de indivíduos sem pôr em perigo a sua vida nem a dos elementos de segurança.

A Polícia Marítima também vai receber esta arma tendo em conta que esta força integrada na Marinha tem como competência a manutenção da ordem pública na orla costeira.


Fonte (http://http)
Título:
Enviado por: turkiko em Abril 07, 2008, 03:42:27 pm
Boa tarde,

Uma dúvida, e desculpem a minha ignorância em relação a esta arma, esta poderá ser emergida, ou existem protecções á prova de água, para sua segurança?

Obrigado,

Francisco Pereira
Título:
Enviado por: zeNice em Abril 11, 2008, 01:58:10 pm
Um Fuzileiro pode ser destacado para onde?

Só  para o Vale do Zebro?
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Abril 11, 2008, 02:24:52 pm
Vale de Zebro é apenas a Escola de Fuzileiros, a unidade operacional, Base de Fuzileiros, está localizada no Alfeite.

Por outro lado, os Fuzileiros actuam também como Polícia Militar da Armada e fazem protecção de instalações da própria Armada (ex.: Estações Radiofarol (ainda existem :?: )) e da OTAN (Depósito de Munições NATO e CINCSOUTHLANT - Oeiras).
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Abril 11, 2008, 09:53:27 pm
Citação de: "Morkanz"
Um Fuzileiro pode ser destacado para onde?

Só  para o Vale do Zebro?

um barreirense :Soldado: e és colocado na base de Fuzileiros no Alfeite, tens uma vedeta da marinha que te leva e trás para o Barreiro todos os dias, e serves Portugal numa tropa " especial"
Título:
Enviado por: Tilt em Abril 11, 2008, 10:03:54 pm
Lancero sera que me pode dar a data do jn onde vinha a noticia que publicou?
 Antes de penssarem em comprar estas "armas" deviam penssar em equipar todos os elementos dos citados grupos com o armamento devido(arma principal e de recurso) e so depois nestas ditas armas.
Pelo que sei o taser tem de ser usado em contacto directo com o opunente,nao sei se sera o equipamente mais eficaz para estes grupos,para nao falar do problema deste equipamento poder entrar em contacto com agua salgada.....
Os grupos citados ja usam armas nao letais como bastão extensivel e cartuxos de borraxa nas shotgun,devo dizer que existe 1 treino real da parte dos militares por forma a utilizaçao o mais degura possivel destas armas por forma a serem mesmo nao letais.
Penssem 1º em equipar totalmente as equipas e um bom stock de sobresselentes.
Título:
Enviado por: zeNice em Abril 11, 2008, 11:53:26 pm
Citação de: "fuzo 90"
Citação de: "Morkanz"
Um Fuzileiro pode ser destacado para onde?

Só  para o Vale do Zebro?
um barreirense :Soldado: e és colocado na base de Fuzileiros no Alfeite, tens uma vedeta da marinha que te leva e trás para o Barreiro todos os dias, e serves Portugal numa tropa " especial"


Estudo em Lisboa e vou sempre nos barcos da Soflusa, e deliro quando vejo esse barco :wink:  fico ao pé de Casa.

Obrigado pelos Esclarecimentos.
Título:
Enviado por: Tilt em Abril 12, 2008, 10:16:45 am
Morkans as hipotses de seres destacado como praça pelo menos para outro local do territorio nacional sao defacto poucas,mas mentalizate que apartir do momento em que jurares bandeira e acabares o curso nao te podes negar a ir para onde te mandarem,temos que aceitar as ordens.
Título:
Enviado por: old em Abril 12, 2008, 11:08:34 am
Podrian decirme cuantos Fuzileiros Navales se van a Brasil de maniobras con una flota Española?

Lo que he leido habla de 1 compañia pero de cuantos ni de que medios llevan, ni en que buques van.

http://www.armada.mde.es (http://www.armada.mde.es)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 12, 2008, 11:48:48 am
Se calhar vamos à boleia do Galicia. :roll:
Título:
Enviado por: sniper14 em Abril 12, 2008, 12:54:41 pm
... e como é que queriam que fossem???
 no Bérrio... :oops:
Título:
Enviado por: Lancero em Abril 12, 2008, 04:36:14 pm
Citação de: "Tilt"
Lancero sera que me pode dar a data do jn onde vinha a noticia que publicou?


07 de Abril
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Abril 22, 2008, 04:02:29 pm
Citação de: "Ricardo"
Do stand da Marinha na Exponor:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg178.imageshack.us%2Fimg178%2F309%2Fcimg0548fk6.th.jpg&hash=7fa8a1ebe8f55ce0c6d318a904028564) (http://http)   (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg87.imageshack.us%2Fimg87%2F633%2Fcimg0549lz1.th.jpg&hash=6d232d5b24ef29f86d9a2beeb42afb32) (http://http) (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg87.imageshack.us%2Fimg87%2F5299%2Fcimg0551xq1.th.jpg&hash=27a8d4e31faca65ad00d9df4c4508600) (http://http)  (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg516.imageshack.us%2Fimg516%2F3093%2Fcimg0554hr1.th.jpg&hash=2818586a24abc90809b57c4494515e8d) (http://http)   (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg87.imageshack.us%2Fimg87%2F3586%2Fcimg0556xk5.th.jpg&hash=b90a72caaec35bd8555b9b52ea9b1c08) (http://http)
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Abril 24, 2008, 11:17:48 pm
fotos dos fuzileiros
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg234.imageshack.us%2Fimg234%2F5822%2Fdscf0001gb5.jpg&hash=49df17bda9a344f687994ed2460ad2f0) (http://http)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg106.imageshack.us%2Fimg106%2F228%2Fdscf0004il8.jpg&hash=5776c34c4a310b373efbdb1272db786f) (http://http)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg106.imageshack.us%2Fimg106%2F9715%2Fdscf0005xz4.jpg&hash=44e8a8481520c7429c844a7d0ab677f9) (http://http)
Título:
Enviado por: Ricardo em Maio 05, 2008, 07:57:34 pm
Artigo da Revista da Armada:

http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_ ... ag_11.html (http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_mai2008/pag_11.html)
Título:
Enviado por: zeNice em Maio 06, 2008, 02:42:06 pm
espectáculo

A Revista de Armada pode ser comprada onde? qualquer papelaria poder ter?
Título:
Enviado por: zeNice em Maio 12, 2008, 05:53:32 pm
Olá Pessoal, a minha dúvida é a seguinte:

Para Praça Fuzileiro

Faz-se a recruta que tem de duração 4 semanas, depois o Curso de Fuzileiro que tem de duração 9 semanas, depois disso já se é Fuzileiro.
E depois, o que fazem? na base do Alfeite a fazer treinos?
Passado 6 anos se não se conseguir entrar nos Quadros Permanentes sai da Marinha com subsidio de desemprego podendo depois entrar em alguma Força de Segurança dependendo da idade.

Está certo?
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 12, 2008, 06:04:37 pm
Não sei onde é que viste esses tempos, mas é assim.
Tens 5+1 semanas de recruta, +1 porque a primeira semana para eles não conta é a chamada semana 0, depois começas logo o curso que é de sensivelmente 11 meses a contar com as férias. Findo o curso tens 3 semanas de estágio na BF. Só depois é que és fuzileiro, antes do estágio recebes a boina... :Soldado2:
Título:
Enviado por: zeNice em Maio 12, 2008, 06:09:22 pm
Obrigado pelo esclarecimento

Já agora, sua alcunha não é mesmo Cabeças e não é de Alhos Vedros?
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 12, 2008, 07:02:14 pm
Não a minha alcunha não é Cabeças, eu chamo-me Cabecinhas e a minha namorada é de Alhos Vedros, és é capaz de ter ouvido pessoal a chamar-me Cabeças só porque é mais curto.
Título:
Enviado por: Lince em Maio 14, 2008, 07:08:26 pm
Citação de: "2Fast4You"
Boas amigos, precisava aqui de conselhos sobre o ingresso nos Fuzileiros.
Tendo eu 23 anos e 12º ano, e querendo poder vir a ingressar nos QP como sargento, que conselhos me dão pra conseguir esse objectivo? Tipo, quais os melhores caminhos a percorrer para obter tal objectivo?

Neste momento sou praça do exército com 2 anos de serviço. Atirador/explorador - Cavalaria.



Conto convosco  :wink:
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 14, 2008, 10:21:45 pm
Tens que acabar o curso de CFP FZ RC depois aguentares-te 4 anos a contracto e só a partir desta fase é que podes concorrer ao curso de sargento.

Agora tenta-te informar bem se com a tua idade tens a certeza que te renovam o contracto pelo menos 2 vezes para poderes concorrer...
Título:
Enviado por: 2Fast4You em Maio 16, 2008, 12:01:09 am
hmm ok, vou tentar informar-me disso. Mas era bom que algum fuzileiro aqui me dissesse...é que quem está dentro do corpo de fuzos sabe bem como se processam as cenas, digo eu..
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 16, 2008, 12:03:53 am
... ou então não!

Conselho-te a ires ao Centro de Recrutamento da Armada em Alcântara e tenta explicares a tua situação, mas explica mesmo e não te fiques só pelas meias respostas.
Título:
Enviado por: 2Fast4You em Maio 16, 2008, 12:06:06 am
ok, vou então orientar isso..
obrigado.
Título:
Enviado por: zocuni em Maio 18, 2008, 03:30:05 pm
Tudo bem,

Li algures neste tópico que se equaciona ou se equacionou a criação de uma Companhia de defesa-aérea e outra de engenharia para o Corpo de Fuzileiros.Achei interessante,reparei que os fuzileiros holandeses têm essas Companhias específicas.
Seria bom existir isso nos nossos fuzileiros,acrecentaria algo?E, já agora para quem me poder responder que meios técnico-operacionais seriam usados?Daria para me explicarem.
Além dos meios humanos envolvidos e dos recursos financeiros que penso serem grandes,do resto pouco sei.Agradeço a cooperação.

Abraços,
Título:
Enviado por: Tilt em Maio 18, 2008, 10:13:33 pm
2fast4you o cabecinhas esqueceu se de referir que ainda teras de frequentar o CPM( curso de promoção a 1ºmainheiro) e so depois de 4 anos de serviço efectivo poderas concorer ao CFS curso formação de sargentos,espero ter complementado a resposta do cabecinhas.
Zacuni e verdade que se equacionou a hipotse não de 1 companhia mas sim de 1 pelotão de defesa anti-aérea mas segundo sei esse armaneto a vir  :lol:
seria incorporado no peloão anti-carro por razões de pessoal e logistica(viaturas).
Quanto a engenharia ja existe alguma coisa encorporada no EASC(elemento de apoio de serviços em combate) mas apenas o suficiente para o nosso amado BLD(batalhão ligeiro de desembarque)
Título:
Enviado por: zocuni em Maio 20, 2008, 02:35:43 am
Citação de: "Tilt"
Zacuni e verdade que se equacionou a hipotse não de 1 companhia mas sim de 1 pelotão de defesa anti-aérea mas segundo sei esse armaneto a vir  :lol:
seria incorporado no peloão anti-carro por razões de pessoal e logistica(viaturas).
Quanto a engenharia ja existe alguma coisa encorporada no EASC(elemento de apoio de serviços em combate) mas apenas o suficiente para o nosso amado BLD(batalhão ligeiro de desembarque)


Obrigado,Tilt

Boa sua correcção realmente trata-se de pelotões e não companhias.Saberia-me responder caso viesse esse armamento de defesa-aérea,que tipo de armamento seriam usados?
Devem ser materiais muito caros e o orçamento é muito curto.Esperemos então.

Abraços,
Título:
Enviado por: Johnny em Maio 25, 2008, 08:52:22 pm
Alguém consegue arranjar imagens o Pelotão de Reconhecimento?
Título:
Enviado por: Tilt em Maio 25, 2008, 11:43:03 pm
Zocuni pelo que ouvi dizer seria igual ao do exercito (chaparral)mas sabe como e fala se muito........
O recon são mais especialistas em tirar fotos do que a ser fotografados...... :twisted:  mas vamos ver......
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 25, 2008, 11:57:54 pm
Citação de: "Tilt"
Zocuni pelo que ouvi dizer seria igual ao do exercito (chaparral)mas sabe como e fala se muito.........


O quê?  :roll:
Título:
Enviado por: Ricardo em Maio 26, 2008, 12:12:39 pm
A CAF em tempos chegou a testar o MISTRAL montado nas viaturas orgânicas, mas depois o CCF não chegou adquirir.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 27, 2008, 10:56:20 pm
Citar
Portarias, Directivas e Despachos do Chefe do Estado-Maior da Armada

PATRIMÓNIO HISTÓRICO DOS DESTACAMENTOS DE FUZILEIROS ESPECIAIS, N.os 8, 7 E 5.

Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 17/08, de 15 de Maio:

Nos anos de 1964 e 1968, foram concedidas condecorações, por acções em combate, aos Destacamentos de Fuzileiros Especiais n.os 8, 7 e 5;
Considerando que, com a extinção dos Destacamentos de Fuzileiros Especiais, em 25 de Fevereiro de 1977, a autorização do uso das referidas condecorações transitou para a Força de Fuzileiros do Continente, em 3 de Novembro de 1978.

Considerando, ainda, que com a extinção da Força de Fuzileiros do Continente, em 1994, as forças e unidades de fuzileiros passaram a estar na dependência do Comando do Corpo de Fuzileiros.

Considerando, finalmente, a importância de perpetuar os feitos relevantes das unidades de Fuzileiros, e que é o estandarte do Comando do Corpo de Fuzileiros que maior uso tem nas cerimónias militares públicas, permitindo uma visibilidade acrescida à Marinha.

Assim, no uso da competência que me é conferida pelo número 2, do artigo 67.º do Decreto-Lei n.º 316/2002, de 27 de Dezembro, determino:
O património histórico dos Destacamentos de Fuzileiros Especiais n.os 8, 7 e 5, designadamente as condecorações concedidas, transita para o Comando do Corpo de Fuzileiros.


 :arrow: http://www.marinha.pt/OrdensBD/GetPDF.a ... ea203f1a27 (http://www.marinha.pt/OrdensBD/GetPDF.aspx?ID=2fb73a05-7cfd-4ffb-9237-3dea203f1a27)
Título:
Enviado por: Ricardo em Maio 29, 2008, 04:59:45 pm
Qual é a versão do míssil MILAN com que a CAF está apetrechada:
 M1 / 2T ou 3?
Título:
Enviado por: LM em Maio 29, 2008, 06:13:03 pm
Eu, que não aprecio especialmente quando colocam projectos de compras "porque gosto desta arma e acho que era bom para Portugal comprar", neste caso vou fazer uma excepção...

Aproveitando o facto de os Pandur (dos fuzos) trazerem Spike era uma oportunidade para "vender" os Milan aos paras e comprar Spike-LR e Matador para os fuzos... tudo em nome da normalização...
Título:
Enviado por: Lightning em Maio 29, 2008, 07:16:38 pm
Citação de: "LM"
... tudo em nome da normalização...


Uniformização :wink: .
Título:
Enviado por: major-alvega em Maio 29, 2008, 07:52:49 pm
a armada portuguesa não ia adquirir umas corvetas novas???
Título:
Enviado por: ShadIntel em Maio 29, 2008, 08:00:22 pm
Citação de: "major-alvega"
a armada portuguesa não ia adquirir umas corvetas novas???

Major, as tais "corvetas" são os NPO, e existe um extenso tópico que trata do assunto:
http://www.forumdefesa.com/forum/viewto ... start=1335 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=42&start=1335)
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 02, 2008, 04:33:30 pm
Como se chama a unidade de elite dos Fuzileiros polacos?
Título:
Enviado por: AMRAAM em Junho 02, 2008, 06:04:28 pm
Citação de: "Ricardo"
Como se chama a unidade de elite dos Fuzileiros polacos?

Si no me equivoco,GROM. :wink:
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 02, 2008, 06:56:05 pm
Citação de: "AMRAAM"
Citação de: "Ricardo"
Como se chama a unidade de elite dos Fuzileiros polacos?
Si no me equivoco,GROM. :wink:


É verdade que a principal unidade de operações especiais na Polonia se chama GROM, mas não são fuzileiros nem pertencem à Marinha.

A infantaria naval polaca é uma força de defesa das instalações da Marinha polaca, equipas de abordagem, etc, mas não possuem forças anfíbias.

O GROM é maioritariamente pessoal do Exército apesar de possuir algum pessoal da Marinha, como por exemplo mergulhadores.

http://en.wikipedia.org/wiki/GROM (http://en.wikipedia.org/wiki/GROM)
Título:
Enviado por: AMRAAM em Junho 02, 2008, 07:59:35 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "AMRAAM"
Citação de: "Ricardo"
Como se chama a unidade de elite dos Fuzileiros polacos?
Si no me equivoco,GROM. :wink:
Título:
Enviado por: SSK em Junho 04, 2008, 11:09:54 pm
Este ano existe a possibilidade de entrar mulheres para a classe de fuzileiros no concurso à Escola Naval.

Que acham???
Título:
Enviado por: zocuni em Junho 04, 2008, 11:24:13 pm
Nada contra.
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 04, 2008, 11:33:51 pm
Desde que não haja "testes especiais" tudo bem também, tem é que fazer o mesmo que um homem.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 05, 2008, 12:30:16 am
Por mim desde que se aguentem à bomboca sem facilitismos é na boa! Agora não sei até que ponto é que, por exemplo, o treino em prisioneiros de guerra será igual para ambos os sexos.
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 05, 2008, 12:38:16 am
Citação de: "Cabecinhas"
Por mim desde que se aguentem à bomboca sem facilitismos é na boa! Agora não sei até que ponto é que, por exemplo, o treino em prisioneiros de guerra será igual para ambos os sexos.


Pergunte à Força Aérea  :lol: . Há pilotos homens e mulheres e todos fazem a prova de fuga e evasão e de sobrevivencia no mar e em terra.
Título:
Enviado por: tyr em Junho 05, 2008, 01:03:13 am
As mulheres têm um grande defeito, (em certos cursos), pois se lhes chamamoscertos nomes, ou obrigamos a fazer certas coisas, vão haver umas que dizem que é assedio ou instal- se o granel (e o que observei desde a entrada das mulheres é que os instrutores autocensuram se muitas vezes e o nivel da instrução cai de forma vertiginosa).
por exemplo haviam coisas que antigamente os militares faziam Nus que agora é impensavel fazer, e se puxar pela cabeça consigo arranjar mil e um exemplos.
se houverem mulheres que não permitam serem tratadas de modo diferente dos homens e que em simultaneo não provoquem problemas nos homens (na engenharia aconteceu o caso de numa obra todos terem parado de trabalhar só para ver uma camarada feminina a trabalhar, (t-shirt suada mesmo com sutien tem esses efeitos)) então têm todo o meu apoio para os cursos onde este tipo de chatices possam acontecer.
Título:
Enviado por: LuisC em Junho 05, 2008, 02:03:48 am
Viva as mulheres nas FAs…de preferência suadas e de t-shirt! :lol:
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 05, 2008, 10:33:50 am
Citação de: "LuisC"
Viva as mulheres nas FAs…de preferência suadas e de t-shirt! :lol:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 05, 2008, 10:45:20 am
Eu já dei a minha opinião aqui várias vezes, só a favor da possibilidade das mulheres entrarem em qualquer especialidade/arma/ramo desde que não haja descriminação positiva.

Exemplo:

Citar
PROVAS DE ADMISSÃO

CANDIDATOS CIVIS HOMENS (a efectuar com equipamento de ginástica)


·  5 Elevações do corpo numa barra fixa
·  35 Flexão e extensão de pernas
·  20 Flexão e extensão de braços no solo
·  40 Abdominais em 2’
·  Passagem de pórtico duplo de 5 e 8 metros de altura
·  Salto da vala com 3 metros
·  Passagem de túnel encurvado com 10 metros de extensão
·  Salto do muro com 90 cm
·  Corrida 2.500 metros no tempo máximo de 12 minutos
·  Salto da torre
·  Prova de agressividade


CANDIDATOS CIVIS MULHERES (a efectuar com equipamento de ginástica)


·  30 flexões e extensões de pernas
·  14 flexões e extensões de braços no solo
·  35 abdominais em 2 minutos
·  Passagem de pórtico duplo de 5 e 8 metros de altura
·  Salto da vala com 2,8 metros
·  Passagem de túnel encurvado com 10 metros de extensão
·  Salto do muro de 70 cm de altura
·  Corrida de 2.500 metros no tempo máximo de 13 minutos e 30 segundos
·  Salto da torre


E outras coisas...
Título:
Enviado por: tyr em Junho 05, 2008, 01:39:18 pm
eu tambem sou total apoiante das mulheres poderem concorrer a tudo, desde que não sejam tratadas de modo diferente ou que a instrução não seja afrouxada (ou reajustada) para elas acabarem.
infelizmente ambas as coisas aconteceram no nosso exercito (a juntar ao tratamente diferencial dado por muitos instrutores as camaradas femininas).
eu sou daqueles que pode dizer que ja viu uma semana de campo ter um intervalo para as meninas irem tratar da higiene pessoal (tomarem banho) e os rapazes tambem benificiaram disto (mal seria que não fossem).
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 05, 2008, 02:15:30 pm
Na semana de campo na minha recruta as diferenças que houveram foram:

Sempre que as meninas tinham que ir ao buraco (urinar...) tinham 2 latagões a fazer protecção para evitar que algum engraçadinho fizesse #$%&

Não fez a marfor de Santa Guida para a ETAT com o resto do ppl.

De resto fez tudo.


PS: sim, era só uma galinha para mais de 200 bacanos. :lol:


PS2:Já vi fotos de cursos de Pára-quedismo recentes que não havia uma unica galinha.
Título:
Enviado por: zocuni em Junho 05, 2008, 11:38:41 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"

PS2:Já vi fotos de cursos de Pára-quedismo recentes que não havia uma unica galinha.


Como assim,Cabeça.Também temos galinhas paraquedistas.Já tinha ouvido falar de nossos pombos suicidas,mas galinhas... :conf:

Abraços,
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 05, 2008, 11:55:06 pm
Citação de: "zocuni"
Citação de: "Cabeça de Martelo"

PS2:Já vi fotos de cursos de Pára-quedismo recentes que não havia uma unica galinha.

Como assim,Cabeça.Também temos galinhas paraquedistas.Já tinha ouvido falar de nossos pombos suicidas,mas galinhas... :conf:

Abraços,


Então o amigo não sabe que as galinhas não voam? É claro que precisam de um pára-quedas senão como era ao sair do avião :lol: ...
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 06, 2008, 10:45:43 am
Jornal Diario de noticias:

Armada em risco de perder 1/5 dos soldados Fuzileiros (ingresso nas forças de segurança)
Título:
Enviado por: Renato Ferreira em Junho 06, 2008, 05:39:09 pm
para poder entrar nos fuzos é preciso ter o 12ª ? E se for um kurso de ekivalencia ao 12ª tambem da :conf:  :conf:
Citar
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 06, 2008, 05:40:44 pm
Citação de: "Renato Ferreira"
para poder entrar nos fuzos é preciso ter o 12ª ? E se for um kurso de ekivalencia ao 12ª tambem da :conf:  :conf:
Citar


... ou curso de equivalencia...
Título:
Enviado por: Renato Ferreira em Junho 06, 2008, 05:49:55 pm
É o que eu digo á muita pouca informação e nao se fala nas forcas especiais (DAE)nem metade dos portugueses conhece,devia haver mais informação depois á falta de efectivos.Se nao fosse por akaso eu ter descoberto este forum nunca me teria passado pela cabeca seguir carreira militar   :Soldado2:
Citar
Título:
Enviado por: Renato Ferreira em Junho 06, 2008, 05:52:51 pm
Obrigado pelo esclarecimento  :D
Citar
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 06, 2008, 10:10:13 pm
Penso que ate sem o 9º ano se pode concorrer a praça.
Gostaria bastante de ver 1 mulher a entrar na pista de lodo as 5 da manha em pleno mes de janeiro e partir aquela pelicula de gelo que tao bem caracteriza o 1º obstaculo ou fazer tambem 1 raide nocturno no rio as 3 da manha tambem no inverno a chover e trovejar(1 das minhas melhores memorias) so com aquele ponchinho que e so buracos....sol apique mochila e equipamento as costas,capacete na cabeça e 1 nuvem de melgas a volta da cara e 1 so cantil de agua para todo o dia e mts mts kms pela frente numa bela patrulha de reconhecimento.....queria ver .....mas ja nao vai ser na minha era que vou ver essa visao  :twisted:
Título:
Enviado por: Renato Ferreira em Junho 06, 2008, 11:11:22 pm
Fogo isso é que é dureza  :domador:
Citar
Título:
Enviado por: tyr em Junho 07, 2008, 10:48:36 am
Se os fuzileiros fizerem o mesmo que os comandos, nunca lá hão de ter mulheres.  Tratam nas exactamente igual aos homens e a nivel de mulheres ha de ser uma num milhão a conseguir aguentar a carga fisica (exigencia das tarefas e exaustão) e psicologica (stress, deprivação de sono, humilhação, etc...).
Título:
Enviado por: tyr em Junho 07, 2008, 10:55:41 am
se elas com diferenciação ja se vêm muitas vezes a rasca (a maior parte das mulheres que eu formei tinha problemas a atravessar o portico (e quando congelam não se pode berrar, pois ai transformam se em lapas) e/ou saltar o muro (mais baixo que o dos homens) e/ou a saltar a vala (mais pequena que a dos homens) e/ou a passar a paliçada (mais baixa que a dos homens), para alem de nas marchas existir sempre uma proporção de elementos femininos que têm que passar o equipamento delas aos camaradas e/ou serem puxadas).
como são tropas de elite podem bater o pé e não alterar o curso um milimetro pois pode comprometer a sua missão.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 07, 2008, 10:59:06 am
Citação de: "tyr"
se elas com diferenciação ja se vêm muitas vezes a rasca (a maior parte das mulheres que eu formei tinha problemas a atravessar o portico (e quando congelam não se pode berrar, pois ai transformam se em lapas) e/ou saltar o muro (mais baixo que o dos homens) e/ou a saltar a vala (mais pequena que a dos homens) e/ou a passar a paliçada (mais baixa que a dos homens), para alem de nas marchas existir sempre uma proporção de elementos femininos que têm que passar o equipamento delas aos camaradas e/ou serem puxadas).
como são tropas de elite podem bater o pé e não alterar o curso um milimetro pois pode comprometer a sua missão.


Diz isso aos Páras... :(

Atenção, como já disse antes, eu não tenho nenhum problema em aceitar mulheres nos Páras e nas Forças Armadas em geral, agora o que me custa aceitar é a descriminação positiva.

Deve ser os mesmos parametros para todos!
Título:
Enviado por: tyr em Junho 07, 2008, 11:04:39 am
eu ja dei formação a muitos paras (e 90% deles têm a PDM, mas ja faz parte), a nivel de elementos femininos, ja apanhei raparigas paras muito boas, mas tambem apanhei raparigas que não consigo imaginar acabarem a recruta quanto mais o curso de paraquedismo ou combate (devem ter passado o curso as costas de algum desgraçado e na enfermaria).
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 07, 2008, 11:10:08 am
....e não digo mais.
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 07, 2008, 01:21:26 pm
Xicote nao mas chuva que se bebia de pe e sol que secava o proprio suor,mas o melhor mesmo e andar debaixo dos megafones dos instrutores a ouvir tudo o que numca aceitariamos ouvir de outra pessoa e e levar alguns "carinhos a alta velocidade",so algumas noites seguidas so mesmo para ver quem quer ser FUZILEIRO OU NAO.........
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Junho 11, 2008, 12:32:23 pm
Citação de: "SSK"
Este ano existe a possibilidade de entrar mulheres para a classe de fuzileiros no concurso à Escola Naval.

Que acham???


 :arrow: http://dre.pt/pdf2sdip/2008/06/111000000/2566425664.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2008/06/111000000/2566425664.pdf)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 11, 2008, 12:35:18 pm
Também não estava a ver os Fuzileiros a deixarem mulheres entrarem para os seus quadros (ainda por cima QP). :lol:
Título:
Enviado por: ricardonunes em Junho 11, 2008, 12:44:48 pm
Por falar em Fuzos, hoje encontrei um autocarro da marinha cheio "deles", a entrar na ETP.

E fiquei curioso :conf:

Isto tudo porque tenho a ideia que quem tem especialidade "calhau" nos Fuzos, são os DAE.

Ou será que é extensível aos restantes  :?:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Junho 11, 2008, 12:57:22 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Também não estava a ver os Fuzileiros a deixarem mulheres entrarem para os seus quadros (ainda por cima QP). :lol:


O que diz na rectificação do concurso é precisamente o contrário. A alteração foi ter saído a "chamada de atenção" em que referia que a especialidade de Fuzileiros era só para candidatos do sexo masculino.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg365.imageshack.us%2Fimg365%2F73%2Ffznr8.jpg&hash=07b60e3e0393f95e11dafa5e897deb23)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 11, 2008, 02:21:56 pm
Citação de: "ricardonunes"
Por falar em Fuzos, hoje encontrei um autocarro da marinha cheio "deles", a entrar na ETP.

E fiquei curioso :conf:

Isto tudo porque tenho a ideia que quem tem especialidade "calhau" nos Fuzos, são os DAE.

Ou será que é extensível aos restantes  :?:


Que eu saiba é só os militares do DAE é que têm o curso, no entanto não me importava mesmo nada que os militares do PelRec também tivessem (o que até faz sentido).

Pode ser muita coisa, inclusive saltos para a água com a Companhia de Precursores e o DAE (como já aconteceu).
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 11, 2008, 05:34:09 pm
Que arma, aparelho e ferramentas são estas?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg150.imageshack.us%2Fimg150%2F811%2Fdsc00031wt5.th.jpg&hash=6038d987461698ff7772fecd2238ef0a) (http://http)   (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg175.imageshack.us%2Fimg175%2F4229%2Faparelhokd1.th.jpg&hash=7853af6e5b694aee0963c2c709f6c694) (http://http)   (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg526.imageshack.us%2Fimg526%2F5734%2Fimg0054bn4.th.jpg&hash=794ccab784a4e65598517431a0a5438e) (http://http)

Equipa NBQ!? pertence a que Companhia de Fuzileiros?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg89.imageshack.us%2Fimg89%2F4845%2Fimg0063fc7.th.jpg&hash=cf70a123d4865b2bd2dd7a55e1a929a1) (http://http) (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg74.imageshack.us%2Fimg74%2F4904%2Fimg0062tm5.th.jpg&hash=11a61ea4c50eebaf91689248348a82d5) (http://http)
Título:
Enviado por: Johnny em Junho 11, 2008, 08:38:31 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg65.imageshack.us%2Fimg65%2F6071%2Fimg0053ub1.th.jpg&hash=51dccfb13a3e5aa783662e2d9ccc834d) (http://http)


Quem são estes????PelRec?
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Junho 11, 2008, 09:56:05 pm
Se está lá um elemento com fato de mergulhador, o mais provável é ser do DAE...
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 11, 2008, 11:02:43 pm
Johnny esses sao mesmo o DAE alem do mergulhador de cobate tambem esta o sniper ,o elemento terrestre de assalto bem como 1 elemento de abordagem.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 11, 2008, 11:27:12 pm
http://www.youtube.com/watch?v=3emu0Hsoynk

No contexto da discussão.

PS: As imagens dos fuzileiros em curso já são muito antigas, pois vejo ali um grumete (o mais pequeno que vai à frente de óculos) que hoje é cabo!!!
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 12, 2008, 09:25:21 pm
Ricardo essa arma e a Mauser 7.62;o aparelho e 1 descodificador de cripto que esta acopulado a 1 radio rceptor; as ferramentas pertencem ao kit de arrombamento do DAE e do Pelboard constituido por 1 alicate de corte ,pe de cabra e alavanca e 1 maxado de corte;a equipa NBQ e constituida por elementos do BF1 e UPN e esta integrada no EASC.
Espero nao ter dito nada de errado,mais alguma duvida e so dizer.
 c34x
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 12, 2008, 10:00:57 pm
Alguém tem pormenores sobre esse EASC? É o equivalente a uma CCS para os Fuzileiros?
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 12, 2008, 10:42:50 pm
Citação de: "Lightning"
Alguém tem pormenores sobre esse EASC? É o equivalente a uma CCS para os Fuzileiros?


Julgo que sim: apoio administrativo-logístico de uma Força em campanha
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 13, 2008, 09:39:32 pm
Nao querendo que saibam mais que eu :roll: )
Título:
Enviado por: Duarte em Junho 13, 2008, 11:21:04 pm
Citação de: "Tilt"
Nao querendo que saibam mais que eu :roll: )


Estas subunidades são pelotões? Ou outra designação?
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 14, 2008, 01:40:00 pm
Vão do simples grupo ate ao maximo de pelotao conforme assim seja exigido.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 14, 2008, 07:43:37 pm
Alguém aqui já ouviu falar da C.O.N.A (Curso de Operações Nocturnas da Armada) ? :oops:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Junho 14, 2008, 07:49:44 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Alguém aqui já ouviu falar da C.O.N.A (Curso de Operações Nocturnas da Armada) ? :rir:  :rir:  :rir:  :rir:  :rir:  :rir:
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 14, 2008, 07:54:22 pm
Acho que esse curso apareceu por influencia das mulheres que querem ser Fuzileiros :lol: .
Título:
Enviado por: Sousa em Junho 14, 2008, 09:01:06 pm
Essa é uma resposta típica machista!
(Lightning)
 :evil:
Título:
Enviado por: HSMW em Junho 14, 2008, 09:10:24 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "Cabecinhas"
Alguém aqui já ouviu falar da C.O.N.A (Curso de Operações Nocturnas da Armada) ? :rir:  :rir:  :rir:  :rir:  :rir:  :rir:  :rir:  :N-icon-Axe:
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 14, 2008, 09:14:19 pm
Citação de: "Sousa"
Essa é uma resposta típica machista!
(Lightning)
 :evil:


Está bem, não quero ofender niguém, não fui eu que inventei o Curso de Operações Norturnas da Armada.
Título:
Enviado por: sniper14 em Junho 14, 2008, 10:18:23 pm
Citação de: "Sousa"
Essa é uma resposta típica machista!
(Lightning)
 :evil:
homens e mulheres são diferentes ( e ainda bem  :shock:
querer pô-las à força nas FA's em todas as áreas para agradar a uns quantos politicos e pensadores de pacotilha sacrificando o produto operacional não me parece o caminho a seguir.
mas enfim há quem ache que não permitir mulheres nos Fuzileiros, Comandos, Mergulhadores, Submarinos ou OE's é descriminação, mas depois vão inventar tabelas fisicas à parte e exercicios de campo mais curtos e com menor grau de exigencia quando isso é que é descriminação.
Que país este... nunca nada está bem  :cry:
Título:
Enviado por: tyr em Junho 14, 2008, 10:31:59 pm
Mulheres em submarinos do tipo que portugal usa é impensavel (a não ser que a tripulação seja toda ela feminina), pois a privacidade é nula.
Mulheres nos OE, tambem não estou a ver uma mulher enfiada num buraco com mais 3 homens enfiados num buraco durante duas semanas a comer, fazer necessidades fisiologicas e a tratar da higiene juntos (e acho que não é preciso mais exempos).
Nos comandos ou fuzos não tenho nada contra as mulheres (desde que façam tudo o que os homens façam (sem exepção) e aguentem (sobretudo as partes de humilhação, que para muitas serão intrepretadas como assedio sexual)).
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 15, 2008, 12:54:59 pm
por acaso, quantas lanchas de desembarque (de desembarque grande)têm os fuzileiros?
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 15, 2008, 05:28:23 pm
So existe 1 LDG(lancha de desmbarque grande) a Bacamarte.
Tyr parece me muito bem ir para 1 buraco com mais 3 mulheres durante 2 semanas,fazem a comida,mantem o buraco limpo e arrumado e ate me podem dar banho :wink:
Título:
Enviado por: tyr em Junho 15, 2008, 11:58:35 pm
Eu não queria dizer isso, Tilt, eu sou estava a referir me a especialidades que conseguem facilmente justificar a proibição de elementos femininos, os comandos e os fuzos, não têm missões (exepto nas oe dos fuzos) que necessitem de privacidade 0.
claro que duvido que uma mulher que seja, termine o curso de Fz ou Comandos, se não o alterarem um milimetro.
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 17, 2008, 11:05:36 am
Site da Associação de Fuzileiros:

http://www.associacaofuzileiros.pt/ (http://www.associacaofuzileiros.pt/)

Boletins informativos:
http://www.associacaofuzileiros.pt/desembarque.html (http://www.associacaofuzileiros.pt/desembarque.html)
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 17, 2008, 05:54:56 pm
Qual é a marca e modelo destas duas espingardas de Sniper:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg181.imageshack.us%2Fimg181%2F3033%2Fdsc02171xd9.th.jpg&hash=2d677ce0c29243ab1253af9ef0672f47) (http://http)
Título:
Enviado por: ricardonunes em Junho 17, 2008, 06:07:44 pm
A primeira parece-me uma SIG-Sauer SSG 3000, a segunda é que não sei mesmo  :?
Título:
Enviado por: HSMW em Junho 17, 2008, 06:31:52 pm
A azul é uma Accuracy
Título:
Enviado por: sniper14 em Junho 17, 2008, 09:01:56 pm
de cima para baixo

Mauser 86 SR 7,62mm com silenciador
HK MSG 90 7,62mm semi automatica
Sig SSG 3000 7,62mm com silenciador
Accuracy Super Magnum .338

 :wink:
Título:
Enviado por: Ryan em Junho 18, 2008, 02:54:29 am
Camaras podem me aconselhar ???

Eu tinha me candidatado a Marinha a pouco tempo mas fui eliminado nas provas médicas e depois disso, passado alguns dias recebi uma carta em casa a dizer que tinha sido classificado de inapto conforme o estabelecido no parágrafo 3 do Artigo 25º do Regulamento da Lei do serviço Militar na Marinha Portuguesa por não satisfazer os requesitos psicofísicos exigidos de acordo com o estabelecido no nº.030 da Tabela B das Tabelas Gerais de Inaptidão e de incapacidade para o serviço nas Forças Armadas.



Alguêm me sabe dizer o que isto significa ???
se la os médicos não gostam de mim eu não tenho culpa nenhuma !
Mas parado é que eu não fico , e já me candidatei novamente e espero ter melhor sorte desta vez.  
Escolhi Fuzileiros , agora estou a espera de ser chamado , ouvi dizer que é muito duro e difícil de entrar mas eu estou feliz com a escolha que fiz e ainda ficava melhor se conseguir entrar.  


Seja o que Deus Quiser
Dos meus sonhos é que eu não desisto
Elogios não me elevam , críticas não me demovem
Eu sou homem e sei o que quero
Pela Pátria Lutar e contra os canhões Marchar
como se diz nos Comandos:
                           "A sorte protege os Audazes"
Título:
Enviado por: typhonman em Junho 18, 2008, 12:49:21 pm
Citação de: "Ryan"
Camaras podem me aconselhar ???

Eu tinha me candidatado a Marinha a pouco tempo mas fui eliminado nas provas médicas e depois disso, passado alguns dias recebi uma carta em casa a dizer que tinha sido classificado de inapto conforme o estabelecido no parágrafo 3 do Artigo 25º do Regulamento da Lei do serviço Militar na Marinha Portuguesa por não satisfazer os requesitos psicofísicos exigidos de acordo com o estabelecido no nº.030 da Tabela B das Tabelas Gerais de Inaptidão e de incapacidade para o serviço nas Forças Armadas.



Alguêm me sabe dizer o que isto significa ???
se la os médicos não gostam de mim eu não tenho culpa nenhuma !
Mas parado é que eu não fico , e já me candidatei novamente e espero ter melhor sorte desta vez.  
Escolhi Fuzileiros , agora estou a espera de ser chamado , ouvi dizer que é muito duro e difícil de entrar mas eu estou feliz com a escolha que fiz e ainda ficava melhor se conseguir entrar.  


Seja o que Deus Quiser
Dos meus sonhos é que eu não desisto
Elogios não me elevam , críticas não me demovem
Eu sou homem e sei o que quero
Pela Pátria Lutar e contra os canhões Marchar
como se diz nos Comandos:
                           "A sorte protege os Audazes"


Oh caro colega, então você ja chumbou nos psicoténicos do exército e vai tentar na marinha para quê?
Você é que sabe, mas não tenha esperanças, por a aptidão psicologica não se compra nem mesmo por "cunha", é uma coisa que nasce com a pessoa...
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 18, 2008, 01:55:09 pm
Citação de: "Typhonman"
Oh caro colega, então você ja chumbou nos psicoténicos do exército e vai tentar na marinha para quê?
Você é que sabe, mas não tenha esperanças, por a aptidão psicologica não se compra nem mesmo por "cunha", é uma coisa que nasce com a pessoa...


Ele chumbou foi para a Marinha e agora quer ir para os Fuzileiros.
Título:
Enviado por: Harapan em Junho 18, 2008, 06:59:50 pm
é perfeitamente possivel!!!!! Conheço casos em que na segunda candidatura conseguem passar, tendo chumbado nos psicotecnicos na 1ª tentativa.Coisas da vida!!!!!
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 18, 2008, 07:21:06 pm
Citação de: "Harapan"
é perfeitamente possivel!!!!! Conheço casos em que na segunda candidatura conseguem passar, tendo chumbado nos psicotecnicos na 1ª tentativa.Coisas da vida!!!!!


Pois claro e como ainda por cima quer mudar de especialidade, é possivel que consiga entrar pois as caracteristicas necessárias para uma função podem ser diferentes das caracteristicas para outra diferente.
Título:
Enviado por: Renato Ferreira em Junho 20, 2008, 04:14:18 pm
Alguem me pode dizer que tipo de provas os medicos fazem nos exames pesicotecnicos para os fuzos?
Título:
Enviado por: Ricardo em Julho 01, 2008, 10:59:45 pm
Qual é o equipamento utilizado por uma unidade FAC (Forward Air Controler)?
Título:
Enviado por: Ryan em Julho 03, 2008, 07:39:56 pm
Concorri para os Fuzileiros no mês a seguir ao qual eu  tinha sido eliminado na marinha.  Será que vou ser chamado novamente ?

Eu tenho esta dúvida porque ouvi dizer que só era possível recandidatar-se passado 9 meses , será verdade ?  Obrigado pela atenção
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 03, 2008, 11:37:41 pm
Pois é pessoal concorri novamente ao curso de fuzileiro, mas desta vez para o CFO... fazer os 6 meses de curso que me faltam  c34x
Título:
Enviado por: Harapan em Julho 05, 2008, 11:36:55 am
Alguem com Fotos do dia 3 julho da imposição de boinas na Escola de Fuzileiros?
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 16, 2008, 09:46:18 pm
Pois é ontem fui novamente fazer os testes para o curso CFO e houve a visita da praxe ao Museu dos Fuzileiros ou Museu do Fuzileiro (não sei o nome ao certo  :oops: ) e não é o meu espanto quando o marinheiro que está a fazer a visita guiada afirma que a arma que vai substituir a G3 é a MP-5, eu ainda perguntei-lhe se ele estava a fazer confusão com a G-36. Ele responde que não e ainda diz que a Base de Fuzileiros está só a espera que elas cheguem e que tenham a devida instrução.
Agora é que fiquei baralhado...
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 17, 2008, 10:12:33 am
Deve ser mesmo confusão. :?
Título:
Enviado por: tyr em Julho 17, 2008, 11:37:07 am
Possivelemente o marinheiro enganou-se e depois não quis dar o braço a trocer.
Título:
Enviado por: Tilt em Julho 17, 2008, 10:12:19 pm
Gostava de saber quem e esse Marinheiro :?:  Ele devia era estar na divulgação pois tem muita imaginação
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 17, 2008, 11:06:37 pm
É um marinheiro...  :wink:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Julho 17, 2008, 11:57:20 pm
O "Fuzo" que estava a mostrar a G-36 a esta Sub-Tenente/Guarda-Marinha (ou a "engata-la" :roll: ....

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg507.imageshack.us%2Fimg507%2F3334%2Fim000533ub5.jpg&hash=2e0b81c05f077fedd11727c36532f777)

No outro dia também estive a "discutir" com um tipo que tinha andado dois anos no Exército e dizia que a G-3 era a melhor arma do mundo e que até podia usar fitas de munições :roll:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 18, 2008, 10:19:07 am
Se eu fosse dizer algumas barbaridades que alguns colegas meus (atiradores no arremacho) disseram em relação a armamento...ai santa ignorância! :roll:

Neste caso foi do arremacho, porque também vi muito menino das "Tropas Especiais" a meter os pés pelas mãos em diversos assuntos das Forças Armadas de uma forma que não se compreende. Eu confesso que muitas vezes também algumas barbaridades, lembro-me de um colega do fórum a perguntar acerca de uma foto (era um radar) e eu indicar-lhe um que na verdade era outro com uma função bastante diferente e um grande etc. Actualmente pouco ou nada sei da realidade vivida na ETP e muito menos na BRR, muitas coisas que se fala aqui (e eu incluindo) é pura especulação...afinal são poucos os militares no activo aqui no fórum.
Título:
Enviado por: zeNice em Julho 19, 2008, 09:24:41 pm
Dia 16 Janeiro 2009 estarei Na Base do Alfeite  :D  Dia Nacional da Defesa.

Muitos dizem que é uma grande seca mas estou desejoso para chegar ao dia.
Título:
Enviado por: Xô Valente em Julho 21, 2008, 12:00:48 pm
Boas!
Se esta pergunta já foi respondida peço imensa desculpa mas não a vi.
Alguém sabe dizer-me quais as habilitações literárias necessárias para ser-se sargento fuzileiro em QP? Sei que sargento na marinha é necessário o 11º ano para o QP, mas para os fuzileiros não sei.
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: DC 38 em Julho 22, 2008, 07:57:35 pm
Citação de: "Xô Valente"
Sei que sargento na marinha é necessário o 11º ano para o QP, mas para os fuzileiros não sei.
Cumprimentos.


Os Fuzileiros fazem parte da Marinha!!!

Assim sendo os critérios são os mesmos para as várias especialidades, sejam eles Fuzileiros, ET's, MQ's, R's, T's ou outra qualquer.

E vê bem, pois julgo que neste momento já é pedido o 12º ano.
Título:
Enviado por: Tilt em Julho 22, 2008, 11:37:21 pm
xo Valente para se ser sar fz e necessario o 12º ano +4anos de serviço efectivo e estar hablitado com o cpm(curso de promoção a 1º marinheiro)
DC tudo o que disse e correcto os criterios são os mesmos os cursos e que são muito diferentes.
Título:
Enviado por: Xô Valente em Julho 23, 2008, 12:40:35 pm
Ok. Obrigado pelo esclarecimento mas é que no site da marinha falam em 11º ano para sargento da armada.
Título:
Enviado por: FFAP em Agosto 06, 2008, 08:44:45 am
Boas


 Parece que qualquer dia vamos ter mulheres nos fuzileiros...

http://dn.sapo.pt/2008/08/06/nacional/m ... eres_.html (http://dn.sapo.pt/2008/08/06/nacional/marinha_obrigada_a_aceitar_mulheres_.html)
Título:
Enviado por: raphael em Agosto 06, 2008, 09:23:52 am
Se mantiverem as tabelas de testes físicos iguais (assim deve ser) ponho as minhas dúvidas em que fiquem aptas...
Título:
Enviado por: Cruz de Cristo em Agosto 06, 2008, 10:27:53 am
Grande dia! Grande passo rumo ao fim da discriminação... negativa e positiva! As candidaturas de jovens do sexo feminino vão finalmente ser aceites para ingresso nos Fuzileiros! Não interessa se alguma vai passar nos testes ou não (também concordo que se mantenham as exigências), o que interessa é que finalmente se põe fim a uma incivelmente duradoura inconstitucionalidade!

Porque a igualdade de oportunidades em TODAS as situações está prevista na nossa Constituição, é com grande orgulho no meu País que assisto a este momento histórico.

Próximo passo... Comandos e Operações Especiais!
Título:
Enviado por: Lightning em Agosto 06, 2008, 10:30:14 am
Citação de: "Cruz de Cristo"
Próximo passo... Comandos e Operações Especiais!


Concordo com tudo o que disse, mas olhe que para os Comandos já houve mulheres a concorrer, só que foram eliminadas.
Título:
Enviado por: Cruz de Cristo em Agosto 06, 2008, 10:43:27 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Cruz de Cristo"
Próximo passo... Comandos e Operações Especiais!

Concordo com tudo o que disse, mas olhe que para os Comandos já houve mulheres a concorrer, só que foram eliminadas.


Reformulo então...

Próximo passo... Operações Especiais e fim da enorme hipocrisia que é aceitar as candidaturas para os Comandos mas não permitir o ingresso!
Título:
Enviado por: nelson38899 em Agosto 06, 2008, 10:57:38 am
Muito bem, então aceitam-se as mulheres, Mas mantendo a igualdade nos exercícios físicos e na carga psicológica. Não fazendo como nos paraquedistas em que as mulheres tinha menos carga física só para poderem entrar.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 06, 2008, 11:38:25 am
Ó pessoal mas aqui alguém acredita que o mulherio aguentava um curso de combate se elas mamassem o mesmo? Se elas fizessem desde o inicio a mesma PAF que os mancebos, provavelmente que nenhuma entra-se. Na minha recruta eramos mais de 200 e só tinhamos uma galinha! Então como é que há tantas fotos com mulheres Pára-quedistas? Simples, a essas que fazem a recruta juntava-se as que já eram prontas e engrenavam no Curso de Pára-quedismo. Ou seja, 5 semanas a arranhar e 2 a saltar e ganhavam a Boina Verde. Alguém daqui acha que elas são realmente militares de elite? Eu não!

Acho que a coisa mudou e agora para se poder envergar a Boina Verde é preciso ter passado o Curso de Combate, talvez por isso nos últimos cursos de Pára-quedismo nem uma mulher aparecia na foto.


PS: os Cursos de Pára-quedismo estão a ter cada vez militares...é assustador ver cursos com pouco mais de 15/20 Pára-quedistas. Ainda por cima sabendo que ainda têm que aguentar o curso de Combate. :(
Título:
Enviado por: Ermit em Agosto 06, 2008, 01:00:18 pm
O curso que acabou praí à 3/4 meses só foram ao curso de combate 10 e só acabaram 8, os únicos finalistas. De dizer tambem que esses 10 que chegaram ao curso de combate eram de 12 só que aguentaram até o JB.
Depois disto só digo que comandos, páras, op. especiais e fuzos estão em crise, está a entrar pouco pessoal e a aguntar pouco.
E só de pensar que daqui para a frente vai começar a entar a fase da geração morangos c/ aduçante ir , xiii vão entar 20 e só vai chegar ao fim o instrutor.  :lol: vai ser triste o futuro. Mas vale apostar nos que lá estão.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 06, 2008, 01:33:48 pm
Basta que haja uma maior abertura ao público para se darem a conhecer, que haverá mais gente a concorrer
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 06, 2008, 03:02:57 pm
Se há unidade do Exército Português que aposta na divulgação são os Pára-quedistas Portugueses, mesmo assim a ETO está às moscas.

O problema é que os brilhantes do governo decidiram que a profissionalização das Forças Armadas passaria por diminuir o tempo possível de contracto (ao contrário do que acontece um pouco por todo o lado).
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 06, 2008, 03:25:05 pm
A duração dos contratos é um pau de 2 bicos...
Agora o máximo é de 6 com o ano de RV dá para ir até 7.
Se entrar com 20 para a tropa saio com 26/27 e depois?...
Que qualificações úteis lá fora levo da tropa?
Infelizmente conheço muitos casos destes...
A solução era mesmo um QP de Praças como na Marinha.
Título:
Enviado por: Cruz de Cristo em Agosto 06, 2008, 03:29:09 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Ó pessoal mas aqui alguém acredita que o mulherio aguentava um curso de combate se elas mamassem o mesmo? Se elas fizessem desde o inicio a mesma PAF que os mancebos, provavelmente que nenhuma entra-se. Na minha recruta eramos mais de 200 e só tinhamos uma galinha!




Como mulher e como militar gostava de lhe agradecer o "mulherio" e o "galinha", dois termos excelentemente aplicados e bom exemplo da categoria de raciocinio que reina nas nossas Forças Armadas.

Depois gostava de o parabenizar! É que saber com toda a certeza que nenhuma mulher portuguesa consegue "mamar" um curso de combate é uma demostração de conhecimento que faria corar a base de dados mais completa!

E por fim gostava de referir, mais uma vez, que pode até nunca vir a haver nenhuma mulher fuzileira (o que eu duvido), mas hoje foi dado um passo dos mais importantes que se podem dar em democracia, passou a cumprir-se aquilo que há muito a Constituição mandava cumprir.

Resta-me acrescentar que em geral o problema não é tanto a falta força é mais a falta de espirito!
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 06, 2008, 03:33:52 pm
Concordo em pleno.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 06, 2008, 03:43:46 pm
Temos o exemplo dos Comandos em que o concurso já está aberto para as mulheres ao tempo mas ainda nenhuma conseguiu acabar o curso.
Eu queria muito acreditar que há mulheres capazes de acabar um curso de tropa especial com os mesmo critérios que existe sem haver ajustes.
Passando pelo simples rapar de cabelo durante o tempo de curso, à privação de banho na altura do mês que as caracteriza e não só. Peguei só nestes dois exemplos.
Eu queria acreditar, mas custa. Quando a primeira mulher tiver ganho uma boina azul ferrete com a mesma dualidade de critérios eu passo a acreditar. Até lá fica a "esperança"!

A igualdade de direitos que as mulheres tanto apregoam é uma espada de dois gumes para elas próprias, há actividades mais talhadas para homens outras para mulheres e isso não podemos fugir.
Eu não estou a ser machista!
Título:
Enviado por: raphael em Agosto 06, 2008, 03:47:30 pm
Se a solução/intenção fosse QP para Praças já tinham tomado essa decisão há muito.
Agora estão a voltar à ideia dos soldados com o 9ºano para algumas especialidades (falo do caso da FAP).
Também está na mesa a ideia de prolongar contratos para algumas especialidades.
Essa noção que após os 6 anos de contrato, o militar em RC sai com 26/27 é optimista porque se há pessoal que entra com 18 também o há que entra com os 23(penso que é a idade limite). Se uma pessoa não tiver hipóteses seja de concorrer aos quadros de sargento ou oficial (com a devida escolaridade isso é possível) ou pelo menos tire um curso superior (por muito dificil que seja de conjugar em algumas das especialidades dos três ramos) ou que no mínimo a formação obtida nas forças armadas se traduza em Reais Oportunidades no mercado de trabalho, em que o que escrevem nas leis de incentivos se cumpra.
Título:
Enviado por: Manecas em Agosto 06, 2008, 09:06:58 pm
Uma coisa é a Constituição, outra coisa é a natureza humana. Se até fuzileiros com duas e três comissões "no lombo" já se viam em grandes dificuldades em muitas situações em África, quanto mais as senhoras com o presente facilitismo (inaceitável, a meu ver) que se verifica nas FA e que vai sendo relatado aqui e em muitos outros locais. Mulheres nas OE? Se nem no estrangeiro se faz uma brincadeira dessas, quanto mais em Portugal.
A ideia de querer aplicar a CRP a tudo é um erro crasso, como qualquer jurista competente diria. Quando digo jurista competente, digo de Coimbra ou de Lisboa, e não imbecis de escolas de segunda categoria ao serviço do poder político.
E como se tem dito nesta thread, mudem o acesso às carreiras em todas, repito todas as categorias (para ambos os sexos) e depois logo se vê o que fazer quanto à "desigualdade" e "discriminação".
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 06, 2008, 10:21:49 pm
Igualdade de direitos nas forças armadas, sou totalmente a favor, desde que não seja ao preço da redução da qualidade da instrução (que é o que se verifica) ou à dualidade de criterios (coitadinhas das mulheres, são deficientes, por isso no tempo que um militar precorre 6000m uma militar feminina só tem que precorrer 4000m).

eu ja estive numa companhia de instrução que a nivel de pessoal de apoio tinha 3 mulheres e um homem (teoricamente todos com funções semelhantes), quando era altura de trabalhar fora do aquartelamento, advinhem quantas praças trabalhavam enquanto as restantes 3 tratavam de papeladas (para o qual uma pessoa ja era demais) ou ficavam na amena cavaqueira não fazendo nada, pois "não tinham caparro"?
tambem ja senti no pelo o que é levar uma militar feminina as costas em marchas, mas quando é a avaliação ela tira sem dificuldade mais 2 valores que eu (pois coitadinhas, não se podem esforçar).

eu apoio mulheres nas forças armadas, mas que sejam tratadas como militares e não como deficientes.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 07, 2008, 10:50:12 am
Citação de: "tyr"
Igualdade de direitos nas forças armadas, sou totalmente a favor, desde que não seja ao preço da redução da qualidade da instrução (que é o que se verifica) ou à dualidade de criterios (coitadinhas das mulheres, são deficientes, por isso no tempo que um militar precorre 6000m uma militar feminina só tem que precorrer 4000m).

eu ja estive numa companhia de instrução que a nivel de pessoal de apoio tinha 3 mulheres e um homem (teoricamente todos com funções semelhantes), quando era altura de trabalhar fora do aquartelamento, advinhem quantas praças trabalhavam enquanto as restantes 3 tratavam de papeladas (para o qual uma pessoa ja era demais) ou ficavam na amena cavaqueira não fazendo nada, pois "não tinham caparro"?
tambem ja senti no pelo o que é levar uma militar feminina as costas em marchas, mas quando é a avaliação ela tira sem dificuldade mais 2 valores que eu (pois coitadinhas, não se podem esforçar).

eu apoio mulheres nas forças armadas, mas que sejam tratadas como militares e não como deficientes.


 :G-beer2:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 07, 2008, 03:57:07 pm
Citar
Candidata a ‘fuzileira’

Desde o passado dia 11 de Junho – data em que a alteração foi publicada em Diário da República – que as mulheres já podem candidatar-se às três vagas de ingresso nos fuzileiros. A força de elite da Marinha, que só aceitava homens, poderá ter o primeiro elemento do sexo feminino, já este ano, na categoria de praça. Basta que a única candidata inscrita até ao momento tenha uma boa classificação, depois de passar nos testes físicos.


Até agora apenas uma mulher pôs os fuzileiros como hipótese de ingresso na Marinha, mas o CM apurou que a força de elite não é a sua prioridade, pelo que poderá entrar noutra classe da Marinha.

A possibilidade de admissão de mulheres aconteceu depois de o deputado do PPM, Nuno da Câmara Pereira, ter pedido explicações ao ministro da Defesa, Nuno Severiano Teixeira, sobre a interdição às mulheres nos fuzileiros, e de ter interposto uma providência cautelar junto do Tribunal Administrativo de Lisboa. "A Marinha decidiu alterar o concurso", diz ao CM, o comandante João Barbosa das relações públicas d a Marinha.

Em todos os navios existem mulheres e uma delas comanda uma lancha de fiscalização rápida. "Não há discriminação, mas tivemos de fazer alterações logísticas, como mudar as camaratas e as casas de banho", explica João Barbosa.

59 SÃO PÁRA-QUEDISTAS

O Exército é o ramo das Forças Armadas que tem mais elementos do sexo feminino. São 2952, as mulheres que desempenham funções de praças, oficiais e sargentos. Destas, 260 pertencem à Brigada de Reacção Rápida da força especial e 59 são pára-quedistas operacionais. Já nos Comandos a presença feminina é nula.

"Não há qualquer interdição, mas não existem candidatas femininas, talvez pelo rigor físico exigido", diz ao CM, o tenente coronel Perdigão das Relações Públicas.Estes militares enfrentam situações de elevado risco em teatros de guerra como o Afeganistão e têm de conseguir carregar um camarada ferido às costas, por exemplo. Na Força Aérea existem apenas cinco mulheres pilotos, mas nenhuma delas pilotam os caças F16.
Título:
Enviado por: Pimenta em Agosto 07, 2008, 07:08:54 pm
Citar
Igualdade de direitos nas forças armadas, sou totalmente a favor, desde que não seja ao preço da redução da qualidade da instrução (que é o que se verifica) ou à dualidade de criterios (coitadinhas das mulheres, são deficientes, por isso no tempo que um militar precorre 6000m uma militar feminina só tem que precorrer 4000m).

eu ja estive numa companhia de instrução que a nivel de pessoal de apoio tinha 3 mulheres e um homem (teoricamente todos com funções semelhantes), quando era altura de trabalhar fora do aquartelamento, advinhem quantas praças trabalhavam enquanto as restantes 3 tratavam de papeladas (para o qual uma pessoa ja era demais) ou ficavam na amena cavaqueira não fazendo nada, pois "não tinham caparro"?
tambem ja senti no pelo o que é levar uma militar feminina as costas em marchas, mas quando é a avaliação ela tira sem dificuldade mais 2 valores que eu (pois coitadinhas, não se podem esforçar).

eu apoio mulheres nas forças armadas, mas que sejam tratadas como militares e não como deficientes.



A verdade é que uma mulher não tem a mesma capacidade fisica do homem (salvo algumas excepções).

Na minha opinião deviam criar uma tropa especial só para mulheres, de maneira a explorar algumas aptidões em que a mulher é melhor que o homem por natureza (salvo algumas excepções :lol:).
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 07, 2008, 08:23:24 pm
Citar
A verdade é que uma mulher não tem a mesma capacidade fisica do homem (salvo algumas excepções).


Pois em combate tem de ter.
Ou será que numa situação real os obstáculos vão ser mais baixos, vai ter de correr menos ou a mochila e as armas menos pesadas ?
Título:
Enviado por: Lightning em Agosto 07, 2008, 09:13:49 pm
Ainda não houve nenhuma piloto de F-16 mas já houve uma piloto de Alpha Jet.
Título:
Enviado por: Pimenta em Agosto 07, 2008, 09:30:23 pm
Citar
Pois em combate tem de ter.
Ou será que numa situação real os obstáculos vão ser mais baixos, vai ter de correr menos ou a mochila e as armas menos pesadas ?


Concordo.
Título:
Enviado por: pedro calixto em Agosto 07, 2008, 11:39:04 pm
Citação de: "Cruz de Cristo"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Ó pessoal mas aqui alguém acredita que o mulherio aguentava um curso de combate se elas mamassem o mesmo? Se elas fizessem desde o inicio a mesma PAF que os mancebos, provavelmente que nenhuma entra-se. Na minha recruta eramos mais de 200 e só tinhamos uma galinha!



Como mulher e como militar gostava de lhe agradecer o "mulherio" e o "galinha", dois termos excelentemente aplicados e bom exemplo da categoria de raciocinio que reina nas nossas Forças Armadas.

Depois gostava de o parabenizar! É que saber com toda a certeza que nenhuma mulher portuguesa consegue "mamar" um curso de combate é uma demostração de conhecimento que faria corar a base de dados mais completa!

E por fim gostava de referir, mais uma vez, que pode até nunca vir a haver nenhuma mulher fuzileira (o que eu duvido), mas hoje foi dado um passo dos mais importantes que se podem dar em democracia, passou a cumprir-se aquilo que há muito a Constituição mandava cumprir.

Resta-me acrescentar que em geral o problema não é tanto a falta força é mais a falta de espirito!


camarada á certas coisas de deviam ficar como estao
Título:
Enviado por: pedro calixto em Agosto 07, 2008, 11:47:19 pm
Citação de: "Cruz de Cristo"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Ó pessoal mas aqui alguém acredita que o mulherio aguentava um curso de combate se elas mamassem o mesmo? Se elas fizessem desde o inicio a mesma PAF que os mancebos, provavelmente que nenhuma entra-se. Na minha recruta eramos mais de 200 e só tinhamos uma galinha!



Como mulher e como militar gostava de lhe agradecer o "mulherio" e o "galinha", dois termos excelentemente aplicados e bom exemplo da categoria de raciocinio que reina nas nossas Forças Armadas.

Depois gostava de o parabenizar! É que saber com toda a certeza que nenhuma mulher portuguesa consegue "mamar" um curso de combate é uma demostração de conhecimento que faria corar a base de dados mais completa!

E por fim gostava de referir, mais uma vez, que pode até nunca vir a haver nenhuma mulher fuzileira (o que eu duvido), mas hoje foi dado um passo dos mais importantes que se podem dar em democracia, passou a cumprir-se aquilo que há muito a Constituição mandava cumprir.

Resta-me acrescentar que em geral o problema não é tanto a falta força é mais a falta de espirito!



Olha camarada a GI JANE foi em hollywood e como toda a gente que pensa e tem juiso sabe bem que as coisas dos filmes nao sao a mesma da realidade . NAO existe a super mulher para poder passar um curso de FUZOS quanto mais de outras OE .
Sou maxista NAO .
Mas nao tanbem nao gosto de trabalhar com mulheres é essa a realidade e como eu a MUITOS .
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 08, 2008, 11:39:33 am
A maioria das mulheres militares (que eu considero competentes) não gostam de trabalhar com outras mulheres (e isso ja indica algo).

uma coisa gira que aconteceu num turno de instrução, foi que devido a uns comportamentos menos correctos de alguns militares, a meio da noite recompensou-se a camarata de instrução feminina com uma alvorada festiva e um farda desfarda com premio as 2 da manhã.
foi a coisa mais hileriante que eu vi, poi se no caso dos homens, eles  ajudam se uns aos outros e mandam um calduço a um mais cromo para se despachar, no caso das militares femininas (com uma ou outra exepção) era só chamarem nomes umas as outras, a dizerem que a culpa era desta e daquela e cada uma por si, ou seja um farda desfarda que para homens costuma durar uma horita ou horita e meia, neste caso saldou se por 3 horas e uns pozinhos.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 09, 2008, 11:29:49 am
Citação de: "Cruz de Cristo"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Ó pessoal mas aqui alguém acredita que o mulherio aguentava um curso de combate se elas mamassem o mesmo? Se elas fizessem desde o inicio a mesma PAF que os mancebos, provavelmente que nenhuma entra-se. Na minha recruta eramos mais de 200 e só tinhamos uma galinha!



Como mulher e como militar gostava de lhe agradecer o "mulherio" e o "galinha", dois termos excelentemente aplicados e bom exemplo da categoria de raciocinio que reina nas nossas Forças Armadas.

Depois gostava de o parabenizar! É que saber com toda a certeza que nenhuma mulher portuguesa consegue "mamar" um curso de combate é uma demostração de conhecimento que faria corar a base de dados mais completa!

E por fim gostava de referir, mais uma vez, que pode até nunca vir a haver nenhuma mulher fuzileira (o que eu duvido), mas hoje foi dado um passo dos mais importantes que se podem dar em democracia, passou a cumprir-se aquilo que há muito a Constituição mandava cumprir.

Resta-me acrescentar que em geral o problema não é tanto a falta força é mais a falta de espirito!


Talvez não saiba mas "galinhas" é como se chama as recrutas femininas nos Páras (não sei se é assim no resto da tropa), aos homens chamam de catatuas. :lol:

Eu acredito que haver diferenças na instrução entre os militares só porque uns são homens e outros são mulheres é erradissimo e muito perigoso. Estarei errado, ou concorda com esta situação?

Eu tenho uma irmã que sei que aguenta TUDO o que eu passei e muito mais. Aposto que se a colocassem nas mesmas circustâncias ela até aguentava melhor do que eu, mas ela é do grupo das tais 1% que fazem a diferença. Podia contar-lhe toda uma série de histórias que eu presenciei pessoalmente que não são nada favoráveis às mulheres nas Forças Armadas, mas prefiro ficar-me por aqui.
Título: Acerca das mulheres nas OE
Enviado por: EPI em Agosto 10, 2008, 03:43:11 pm
Citação de: "Cruz de Cristo"
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Cruz de Cristo"
Próximo passo... Comandos e Operações Especiais!

Concordo com tudo o que disse, mas olhe que para os Comandos já houve mulheres a concorrer, só que foram eliminadas.

Reformulo então...

Próximo passo... Operações Especiais e fim da enorme hipocrisia que é aceitar as candidaturas para os Comandos mas não permitir o ingresso!


Cara Cruz de Cristo:
Parece-me que está a ver a coisa ao contrário.
Entao quer dizer, concorda com as candidaturas de mulheres para as OE, mas depois diz que hipocrisia nao permitir o ingresso? Mas minha cara, para se ser OE nao basta parece-lo, tem de se ser. Ou a senhora acha que ser OE é apenas ter uma boina na cabeça?
Se nos Comandos ainda nenhuma mulher acabou o curso isso nao é hipocrisia, é a constataçao do facto de nenhuma mulher ter conseguido até agora aguentar o curso.
E se a Cruz de Cristo efectivamente quer acabar com a discriminaçao, antes de mais deveria ser da opiniao de que as provas e tabelas físicas fossem iguais para todos os cidadaos, homens ou mulheres.
E entao, aí sim, acabava-se com a discriminaçao que permite que as mulheres tenham melhores classificaçoes que os homens, simplesmente porque as tabelas físicas sao diferentes.
Cara Cruz de Cristo, sabe o que sao os Comandos, sabe o que sao os Rangers, sabe o que sao os Fuzileiros, sabe o que eram os verdadeiros Pára-Quedistas?
Nao, nao sabe.
Minha cara, ninguém deve querer ser aquilo que nao é. É triste que se queira ser uma coisa à força. Sentia-se bem com uma boina e com um crachá que nao merecesse?
Minha cara, nada tenho contra si que nem conheço, nem contra as mulheres, mas sinceramente acho que deve reflectir...
Quando falou da hipocrisia de nao deixarem ingressar mulheres nos Comandos errou, hipocrisia seria deixar ser Comando alguém que nao mereça, independentemente de ser homem ou mulher. Eu, que sou homem, assumo que nao tenho capacidade para isso.
E digo-lhe mais: ainda que apareça uma mulher que tenha a capacidade física para ser operacional das OE, será que tal realidade se coaduna com o período menstrual, com a gravidez? Que seria de uma unidade como os GOE da PSP se um dos seus snipers fosse uma mulher grávida? Os bandidos suspendiam os crimes à espera?
Cruz de Cristo, quem verdadeiramente ama a sua Pátria serve-a a fazer aquilo que melhor sabe e pode.
Título:
Enviado por: sniper14 em Agosto 10, 2008, 07:28:07 pm
:Palmas: Concordo inteiramente
chega de hipocrisias e de tretas do politicamente correcto
Título:
Enviado por: Ermit em Agosto 10, 2008, 07:58:41 pm
Citação de: "sniper14"
:Palmas: Concordo inteiramente
chega de hipocrisias e de tretas do politicamente correcto


X2  :Palmas:
Título:
Enviado por: Luso em Agosto 10, 2008, 08:33:21 pm
Para certas pessoas, as causas políticamente correctas são mais importantes que a eficiência militar da qual depende a Nação.
Mas não seja por isso: a URSS tinha bastantes "snipers" mulheres. Mas dêem-lhes uma pressão de ar e vejam quantas gostam.
E quantas aguentam uma caminhada a sério sem reclamar e sem perguntar "- Falta muito?"
Seriam mais úteis a cuidar do lar e dos filhos, cada vez mais sujeitos a distracções pouco ou nada produtivas.

Às mulheres dão-se as maiores resposabilidades e elas recusam. :roll:
E cada vez mais grosseironas! :evil:
Título:
Enviado por: Sousa em Agosto 11, 2008, 02:36:24 pm
Desculpem a pergunta mas qual é a diferença entre homens e mulheres quando estes ingressam nas forças armadas? ( já sei que as provas e tabelas físicas são diferentes)
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 12, 2008, 12:20:13 am
Citar
qual é a diferença entre homens e mulheres

 :mrgreen:
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 12, 2008, 11:30:16 am
A diferença não devia ser nenhuma... mas!
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 16, 2008, 11:54:57 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Pois é pessoal concorri novamente ao curso de fuzileiro, mas desta vez para o CFO... fazer os 6 meses de curso que me faltam  c34x


Afinal a minha aposta em entrar para o CFO saiu-me mal... fiquei de reserva e não fui chamado.
Mais vale um passaro na mão do que dois a voar!
Se estivesse ficado quieto no curso de grumetes agora estava a um mês de ganhar a boina, mas não quiz mais a meio do campeonato, lixei-me. Agora acabou, a idade não me permite voltar a concorrer novamente.
É acabar a meia dúzia de disciplinas que me falta e ver uma especialidade em que se enquadre o meu curso.

Foi bom enquanto lá andei, muitas saudades vou ter daquela escola, tenho pena de não ter ido para lá mais cedo.

Felicidades a todos os fuzileiros!
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 17, 2008, 12:25:07 am
Mas há a hipotesse de ser chamado ser ouver desistências ou não?
Eu também estava na reserva para o CFS e uns dias depois fui chamado.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 17, 2008, 12:32:14 am
O curso começou na 4ºf telefonei para o CRA na 5ºf e disseram que tudo o que era de reservas já foi chamado (eu ainda continuo mas sei que não vai dar em nada). É caso para dizer o burro sou eu!
Título:
Enviado por: Tilt em Agosto 17, 2008, 09:55:11 pm
Quantos começaram o curso de cfo? Tem esperança cabecinhas a 2 cursos atras entrou 1 cadete no curso que no dia seguinte ja estava a sair, disse aos instrutores que penssava que era 1 ambiente mais tranquilo  :lol:
Título: Re: MZ.
Enviado por: JISAS em Agosto 22, 2008, 04:53:59 pm
Citação de: "tsahal"
Obrigado mas o MZ em termos de equipamentos pouco traz. Podemos apenas ver os equipamentos que todos sabem que os FZs utilizam. Vou dar um exemplo de alguns que raramente aparecem.

MB UNIMOG U4000
Rabintex Industries Ltd RBH 103 (Capacete dos Fuzileiros)
International Technologies Lasers Ltd N/CROS MK3 (Night Compass Rangefinder Operation System)
Toyota Land Cruiser HZJ 73LV
Viatura  táctica de transporte Land Rover Defender 90 TDI equipada com base para antenas Harris SB V16F, antena Harris AT 1011U, Harris RF 39802,  radio emissor/receptor Racal  PRM 4700A e Racal Mobilcal  TA 47903A (High Power VIU).
Viatura  táctica de transporte de pessoal  6x6 Mercedes Benz  2628A com guincho
Viatura  táctica de transporte de pessoal  4x4 Mercedes Benz 1117A
Heckler & Koch GmbH GMG (Grenade Machine Gun Cal. 40mm x 53)
Heckler & Koch GmbH MP5SD Cal. 9mm x 19 NATO
Heckler & Koch GmbH G36Kv
LIW VEKTOR M6  60 mm Long Range Mortar System
Mercedes Benz UNIMOG U 1550L/37 4x4
MBDA MILAN F2
Accuracy International Ltd AW 50
EID/Rhode & Schwarz P/GRC-525/M3TR


Sobre o equipamento, vi numas fotos da expo na fil, umas moto 4 yamaha algu+ém me pode dar mais info sobre isso? (modelo/utilização)

Estou a fazer pesquisa sobre a utilização de motociclos nas forças armadas, tenho um post sobre isso na secção SISTEMAS DE ARMAS/EXÉRCITO.
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Agosto 22, 2008, 10:25:28 pm
seram estas ?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg117.imageshack.us%2Fimg117%2F299%2Fdscf0124ne6.th.jpg&hash=aa51a098065af2439d41c5b8ac08ae3f) (http://http)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg360.imageshack.us%2Fimg360%2F166%2Fdscf0125yf0.th.jpg&hash=eea8bd4c9e09b0daa3185380c0c7d9fe) (http://http)
Título:
Enviado por: Tilt em Agosto 22, 2008, 10:35:19 pm
Como informação preleminar posso te fornecer a utilização , a moto 4 e usada nas deslocações de sniprs e como estafetas no transporte de msg e outros materiais entre o posto de comando e onde quer que seja necessario; na pratica tem sido utilizadas na prevenção aos incendios na serra da arrabida numa das missões de apoio a comunidade por parte dos FZs,dps mando marca e modelo :wink:
Título:
Enviado por: JISAS em Agosto 23, 2008, 03:21:32 am
FUZO 90 E TILT, Muito Obrigado pelas pics e Info, vai ser útil.

Grande Abraço.
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Agosto 24, 2008, 12:06:32 am
fotos do piranha III
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg120.imageshack.us%2Fimg120%2F2483%2Fimage15ax8.th.jpg&hash=2e59adabfd03039877ffdb5f7e4db509) (http://http)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg392.imageshack.us%2Fimg392%2F7800%2Fimage17cy2.th.jpg&hash=043c37e9be19f1e86a6a034646841691) (http://http)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg144.imageshack.us%2Fimg144%2F9476%2Fimage103no6.th.jpg&hash=1b2cca11f54efb41c97cb2122abc119a) (http://http)
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 24, 2008, 12:26:59 am
"Nós" temos piranha III???
Título:
Enviado por: Lightning em Agosto 24, 2008, 12:30:23 am
Citação de: "Cabecinhas"
"Nós" temos piranha III???


Não, isso são fotos dos testes que foram feitos ao Piranha, ao Pandur e ao Patria AMV, concorrentes à substituição da Chaimite, penso que todos devem saber quem foi o vencedor por isso...
Título:
Enviado por: jmg em Agosto 24, 2008, 11:21:13 am
A versão do PANDUR reservada aos fuzileiros vem com algum tratamento específico contra corrosão, agua do mar e afins?
Todos sabemos como o ambiente máritimo pode ser exigente e até as areias para os sensores das torres de armamento.
Título:
Enviado por: Pedro Monteiro em Agosto 24, 2008, 12:22:09 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Cabecinhas"
"Nós" temos piranha III???

Não, isso são fotos dos testes que foram feitos ao Piranha, ao Pandur e ao Patria AMV, concorrentes à substituição da Chaimite, penso que todos devem saber quem foi o vencedor por isso...

Na verdade, são de uma demonstração anterior da Mowag ao Corpo de Fuzileiros com um Piranha IIIC. Na altura, foi publicado um trabalho pelo Military Zone com mais fotos:
http://www.geocities.com/militaryzone_p ... -fuzos.htm (http://www.geocities.com/militaryzone_portugal/armour-fuzos.htm)

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 25, 2008, 12:59:47 am
Engraçado.
"Armada Portuguesa na actualidade" (2004)
Bem já lá vão 4 anos.  :roll:
Título:
Enviado por: Pedro Monteiro em Agosto 25, 2008, 08:05:50 am
Citação de: "HSMW"
Engraçado.
"Armada Portuguesa na actualidade" (2004)
Bem já lá vão 4 anos.  :wink: Felizmente, esse artigo já precisava de algumas actualizações.  :)

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 25, 2008, 04:07:23 pm
Citação de: "Pedro Monteiro"
Citação de: "HSMW"
Engraçado.
"Armada Portuguesa na actualidade" (2004)
Bem já lá vão 4 anos.  :wink: Felizmente, esse artigo já precisava de algumas actualizações.  :)

Cumprimentos,
Pedro Monteiro


É pena porque tem um artigos muito interessantes.
E o dossier da 2ª Guerra Mundial deu-me uma grande ajuda para um trabalho de História e Geografia Militar na ESE.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 25, 2008, 04:37:51 pm
Em relação às condições de recrutemento para o CFO FZ existe um parâmetro que é diferente de qualquer CFO existente das nossas Forças Armadas (pelo menos não ví mais nenhum), que é o facto de ser só necessário possuir-se como habilitações literárias o 12º ano.
A minha questão prendesse em saber quais as vantagens e desvantagens do CFO FZ admitir pessoas que tenham o 12º.
Só acho estranho assim ser, porque o CFO OE (espero não me ter enganado no nome) pessoas com o bacharelato só são admitidas para o curso de sargentos.

PS: Já aqui tinha colocado um post sobre esta questão, mas desapareceu  :?
Título:
Enviado por: João Beja Coelho em Agosto 27, 2008, 07:24:11 pm
Vái ao site da Marinha portuguesa, escolher anfíbios e ver historial tens lá toda a informação
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Agosto 27, 2008, 10:15:23 pm
alguem sabe aonde foram tiradas estas fotos? :D
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 27, 2008, 10:20:26 pm
Citação de: "João Beja Coelho"
Vái ao site da Marinha portuguesa, escolher anfíbios e ver historial tens lá toda a informação


Estive a ler o que me indicou e não conseguí ver esclarecida a minha questão, que é o porquê de o CFO FZ ser o único curso de oficiais das forças armadas onde se pode concorrer só com o 12º ano (Excepto claro está as academias)
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 28, 2008, 06:41:36 am
Porque possivelmente, devido à falta de oficias RV/RC Fz, não terem subido a fasquia.

No exército ha bem pouco tempo ainda se entrava para oficial RV/RC só com o 12º ano, mas como o numero de pessoal a concorrer a oficial foi aumentando (e em simultaneo a necessidade de oficias contratados diminuindo), tambem aumentaram o nivel de escolaridade exigido.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 28, 2008, 12:32:21 pm
Sim isso foi a conclusão a que eu cheguei, mas por exemplo se aumentassem a idade para quem tem licenciatura (mestrado pós-bolonha) para o CFO FZ talvez assim houvesse uma maior escolaridade os FZ.

Agora a minha dúvida não se prende com o facto das escolaridade em sí, mas em quais as vantagens que isso acarreta e desvantagem.

A meu ver um oficial que não tenha frequentado um curso superior ou curso técnico superior, não consiguirá o mesmo respeito que estes.
Um miudo que vá para uma das academias, antes de poder comandar o quer que seja leva no lombo 5 anos de estudos superiores e só quando tem uma idade mínima de 23 anos sensívelmente é que terá a seu cargo homens para comandar. Enquanto um míudo que saia do 12º ano e vá para um CFO terá em muitos ds casos 18-19 anos e passados alguns meses terá à sua resposabilidade um pelotão.
Não estou com isto a querer menosprezar as pessoas que tenham o 12º ano, cada um sabe de sí e a vida por vezes não permite às pessoas ter semelhante escolaridade ou ingressar no ensino superior.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 28, 2008, 12:33:01 pm
Sim isso foi a conclusão a que eu cheguei, mas por exemplo se aumentassem a idade para quem tem licenciatura (mestrado pós-bolonha) para o CFO FZ talvez assim houvesse uma maior escolaridade os FZ.

Agora a minha dúvida não se prende com o facto das escolaridade em sí, mas em quais as vantagens que isso acarreta e desvantagem.

A meu ver um oficial que não tenha frequentado um curso superior ou curso técnico superior, não consiguirá o mesmo respeito que estes.
Um miudo que vá para uma das academias, antes de poder comandar o quer que seja leva no lombo 5 anos de estudos superiores e só quando tem uma idade mínima de 23 anos sensívelmente é que terá a seu cargo homens para comandar. Enquanto um míudo que saia do 12º ano e vá para um CFO terá em muitos ds casos 18-19 anos e passados alguns meses terá à sua resposabilidade um pelotão.
Não estou com isto a querer menosprezar as pessoas que tenham o 12º ano, cada um sabe de sí e a vida por vezes não permite às pessoas ter semelhante escolaridade ou ingressar no ensino superior.
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 28, 2008, 01:37:08 pm
A universidade não torna as pessoas ,mas inteligentes (eu dou baile a muitos licenciados a falar da area deles (que obviamente é diferente da minha), pois tiraram o curso ou com a tecnica ficha (apos cada exame fazem a descarga à terra) ou uzando a tecnica alcool e borga.
quem acaba o 12º ano ja tem uma bagagem cultural mais que suficiente para poder assimilar o que precisa saber para ser oficial.
o factor idade, esse concordo, pois um individuo de 25 anos ja não tera muitos impulsos de adolescente (apesar de ser mais dificil de endoutrinar).
Título:
Enviado por: jmg em Agosto 28, 2008, 09:11:20 pm
Eu não iria tanto por aí.
Enquanto eu concordo que para ser comandante de homens a formação académica de 12º possa ser suficiente e cursos superiores civis não fazem a diferença, acho por outro lado que a formação superior ministrada nas academias fornecem muitas ferramentas necessárias (nem sempre aplicadas da melhor maneira).
Mas também convem relembrar um passado recente da nossa historia.
No conflito das ex-colonias quem dava cartas no mato eram principalmente os milicianos e não o pessoal da academia.
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 28, 2008, 11:27:49 pm
eu estava só a referir-me a pessoal com formação univeritaria civil.
Obviamente que na academia se recebe uma bagagem muito superior para o desempenho da função (e o mesmo vai para a ESE no caso dos sargentos).
Título:
Enviado por: Almeida em Agosto 29, 2008, 09:16:01 pm
Alguem me sabe explicar a diferença entre um Fuzileiro e um Oficial Fuzileiro?
Tenho esta dúvida á muito tempo, e gostava de a ver esclarecida e vejo que só neste forúm a informação pode ser boa.
O que gostava de saber são as diferenças, as posições que têm, os cargos, os treinos.
O que me intriga é saber o que faz um Oficial Fuzileiro.

Peço desculpa a todos por não saber muito ainda sobre a Marinha, mas penso ingressar nela, só que as dúvidas aparecem e gostava de as esclarecer.
Desde já demonstro o meu enorme respeito por estes homens. Parabens pelo grupo de elite que têm, a coragem e a força.
 
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Almeida em Agosto 29, 2008, 09:16:56 pm
Alguem me sabe explicar a diferença entre um Fuzileiro e um Oficial Fuzileiro?
Tenho esta dúvida á muito tempo, e gostava de a ver esclarecida e vejo que só neste forúm a informação pode ser boa.
O que gostava de saber são as diferenças, as posições que têm, os cargos, os treinos.
O que me intriga é saber o que faz um Oficial Fuzileiro.

Peço desculpa a todos por não saber muito ainda sobre a Marinha, mas penso ingressar nela, só que as dúvidas aparecem e gostava de as esclarecer.
Desde já demonstro o meu enorme respeito por estes homens. Parabens pelo grupo de elite que têm, a coragem e a força.
 
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 30, 2008, 10:25:39 am
Citação de: "Almeida"
Alguem me sabe explicar a diferença entre um Fuzileiro e um Oficial Fuzileiro?
Tenho esta dúvida á muito tempo, e gostava de a ver esclarecida e vejo que só neste forúm a informação pode ser boa.
O que gostava de saber são as diferenças, as posições que têm, os cargos, os treinos.
O que me intriga é saber o que faz um Oficial Fuzileiro.

Peço desculpa a todos por não saber muito ainda sobre a Marinha, mas penso ingressar nela, só que as dúvidas aparecem e gostava de as esclarecer.
Desde já demonstro o meu enorme respeito por estes homens. Parabens pelo grupo de elite que têm, a coragem e a força.
 
Cumprimentos.


Mas é preciso fazer a mesma pergunta em 500 tópicos diferentes? Pensa um pouco, está bem?!

Nas Forças Armadas há três classes: a de Oficiais, Sargentos e praças.
Título:
Enviado por: FoxTroop em Agosto 30, 2008, 11:22:54 am
Sobre a escolaridade para se poder ingressar no CFO-FZ, penso que o 12º ano chega perfeitamente. Uma formação académica não tem nenhum impacto positivo ou negativo no desempenho das funções. Um oficial FZ/RC, além da limitação no posto que pode atingir (2TEN) tem funções muito limitadas à área operacional, onde esse tipo de formação conta muito pouco para não dizer nada. No campo operacional o que vale é decisão, rapidez de ideias e a capacidade de reagir sobre pressão e isso são coisas que se tem ou não, independentemente da formação. Para as áreas das informações, planeamento e etc... os oficiais são geralmente QP (formados da EN) e aí sim é precisa uma formação de outro nivel.
Título:
Enviado por: Almeida em Agosto 30, 2008, 12:37:38 pm
Muito obrigado pela informação FoxTroop.
Cumps
Título:
Enviado por: Almeida em Agosto 30, 2008, 12:39:47 pm
Cabeça de Martelo, peço desculpa se o prejudiquei ou qualquer coisa deste tipo, mas so gostava de ter varias opinioes.
Mas obrigado na mesma  :wink:
Cumps
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 30, 2008, 02:45:38 pm
Almeida a mim não me atingiste em nada, só que repetires a mesma pergunta em inúmeros tópicos não é nada simpático.

Já agora percebeste a resposta à tua pergunta?
Título:
Enviado por: Almeida em Agosto 30, 2008, 05:31:16 pm
Sim percebi que fazem exactamente o mesmo que os fuzileiros mas ainda sao cabeças pensantes.
Certo?
Cumps
Título:
Enviado por: jmg em Agosto 31, 2008, 10:34:47 am
Citação de: "Almeida"
Sim percebi que fazem exactamente o mesmo que os fuzileiros mas ainda sao cabeças pensantes.
Certo?
Cumps

Isso é válido para praticamente todas as especialidades das FFAA.
O tenente de Infantaria é um infante com responsabilidades de comando.
O alferes de Cavalaria é um cavaleiro com responsabilidades de comando.
Etc.....
Título:
Enviado por: Markkos em Agosto 31, 2008, 11:26:03 am
Necessitava de uma informação.

Sou filho de um falecido fuzileiro (mais de 30 anos de serviço), e gostava de saber, como poderia ter acesso á caderneta militar, onde registam os louvores, e todo o seu percurso militar.

Na data do seu falecimento dizeram-me que após 10 anos poderia ter acesso, mas como o posso fazer, e qual o departamento que o disponibiliza?

Um Abraço
ML
Título:
Enviado por: jmg em Agosto 31, 2008, 12:08:26 pm
Se fosse no Exército era no Arquivo geral do Exército.
Não sei se a Armada tem uma Unidade equivalente.
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 31, 2008, 05:37:45 pm
Citação de: "Markkos"
Necessitava de uma informação.

Sou filho de um falecido fuzileiro (mais de 30 anos de serviço), e gostava de saber, como poderia ter acesso á caderneta militar, onde registam os louvores, e todo o seu percurso militar.

Na data do seu falecimento dizeram-me que após 10 anos poderia ter acesso, mas como o posso fazer, e qual o departamento que o disponibiliza?

Um Abraço
ML


DIRECÇÃO DO SERVIÇO DE PESSOAL
SECÇÃO DE REGISTOS - Subsecção de Documentação Individual  213 945 522
ou então
REPARTIÇÃO DE RESERVAS E REFORMADOS - 213 945 474
Título:
Enviado por: Markkos em Agosto 31, 2008, 06:48:21 pm
Citação de: "SSK"

DIRECÇÃO DO SERVIÇO DE PESSOAL
SECÇÃO DE REGISTOS - Subsecção de Documentação Individual  213 945 522
ou então
REPARTIÇÃO DE RESERVAS E REFORMADOS - 213 945 474


Muito Obrigado

Vou tentar ligar para ver se podem ajudar, vamos ver se tenho sorte.

Um Abraço
ML
Título:
Enviado por: Tilt em Setembro 04, 2008, 04:33:27 pm
Fuzo 90 não estas a reconhecer ai nas fotos a parada da base de FZ`s :wink:
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Setembro 04, 2008, 08:11:40 pm
Mas se alguma coisa correr mal em termos de pelotão que leva a porrada será sempre o oficial... Daí talvez a minha questão em termos de falta de responsabilidade para tal função de um tal cachopo.

Mais uma vez faço questão de mencionar que não quero denegrir ninguém com as minhas opiniões.
Título:
Enviado por: FoxTroop em Setembro 04, 2008, 09:03:51 pm
Em termos operacionais, o oficial é o responsável, claro. Eu digo que o 12º ano serve perfeitamente, porque na função especifica de FZ aos chefes de equipa (1MAR, CAB) e os chefes de secção (2SAR, 1SAR) são dadas grandes liberdades de decisão em situação operacional. É isso que permite a excelente fluidez e rapidez de actuação dos FZ's.

Ao contrario das forças mais convencionais em que cada acção tem de ser sancionada por um oficial e que torna a fluidez em combate bastante mais reduzida.
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Setembro 07, 2008, 10:01:00 pm
Citação de: "Tilt"
Fuzo 90 não estas a reconhecer ai nas fotos a parada da base de FZ`s :wink:

é claro que sei :D , FFC, agora é BF, isto foi num exercicio com os marines americanos "GALERA"
Título:
Enviado por: Ricardo em Setembro 11, 2008, 03:33:20 pm
Uma supresa está para breve!... :wink:
 
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg357.imageshack.us%2Fimg357%2F4406%2Findex0qo7.th.jpg&hash=71debf3e39a41d9d2ccf23a4fe7758c9) (http://http)
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Setembro 11, 2008, 10:36:53 pm
isso bem feito :D
Título: Fuzileiros
Enviado por: sniper14 em Setembro 12, 2008, 03:01:16 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi297.photobucket.com%2Falbums%2Fmm202%2Fcoemar%2FD-07-TRN-04-0415.jpg&hash=d3ccc45b54d25e5c9e5c82270648bdf8)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi297.photobucket.com%2Falbums%2Fmm202%2Fcoemar%2FD-07-TRN-04-0192.jpg&hash=03dcd018c438d3e0ed3a895aead3ca4e)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi297.photobucket.com%2Falbums%2Fmm202%2Fcoemar%2FIM000142.jpg&hash=a4287d6704b238d874c1687df1750cb0)
Título:
Enviado por: jmg em Setembro 13, 2008, 03:26:12 pm
Boas fotos. :G-Ok:
Título:
Enviado por: Ricardo em Setembro 15, 2008, 01:51:01 pm
Qual é a contribuição do Corpo de Fuzileiros para a Força de Reacção Imediata?
Título:
Enviado por: Ricardo em Setembro 16, 2008, 11:33:23 pm
Citação de: "fuzo 90"
isso bem feito :D


Não será minha, é institucional :D
Título:
Enviado por: Dead_Corpse em Setembro 17, 2008, 10:55:41 pm
Citação de: "Ricardo"
Citação de: "fuzo 90"
isso bem feito :D

Não será minha, é institucional :D


e que surpresa será essa??? para quando ao certo???
Título:
Enviado por: Ricardo em Setembro 20, 2008, 12:57:38 am
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg223.imageshack.us%2Fimg223%2F6627%2Fcrachatc6.th.jpg&hash=8bbbaf8038f3f5d76e42631c51dd3b36) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg221.imageshack.us%2Fimg221%2F45%2Fatiradorcomvisornoturnoih0.th.jpg&hash=5cb2459c12c7a4f6157cb813a9f32e92) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F6735%2Fcattunimogon8.th.jpg&hash=2d2ffbde8a7f94459f8e14d47a283404) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg209.imageshack.us%2Fimg209%2F3775%2Fequipaassaltonaviomi9.th.jpg&hash=0da014a4869bb507e2ebbb231f70b1be) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg209.imageshack.us%2Fimg209%2F4950%2Ffastropepn9.th.jpg&hash=a77dbfdd9c2b3f6cbec596561ac84c88) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg209.imageshack.us%2Fimg209%2F4052%2Fcerimoniabf1pp7.th.jpg&hash=79a030b21f22a6b2caaf23dee2f4f10b) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg221.imageshack.us%2Fimg221%2F1264%2Fantimotim2ms1.th.jpg&hash=59c6667d8f83434723316611e7e74229) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F1557%2Fboarding1fh0.th.jpg&hash=1f800dab90f43815095b7ca914b0c070) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg221.imageshack.us%2Fimg221%2F4438%2Fdae4nc1.th.jpg&hash=4d3b8c085c30cf4b0491e19915835ec0) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F8920%2Fequipasalvamento5bm8.th.jpg&hash=7c02b95768e1270e4aa6d6a5dc3982c1) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F9479%2Fequipamorteiros5nk6.th.jpg&hash=311158d4936f3bf4b7acf4c6b17b7f63) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F9693%2Fbrigadareal12yg3.th.jpg&hash=5979f050101dcf433877b9d78202a22f) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F3298%2Fcinotecnicajc6.th.png&hash=4476b8de92c912ca33b459e5391af838) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg209.imageshack.us%2Fimg209%2F6028%2Fefmonumentohomenagemmormm0.th.jpg&hash=ad79f9716555cc249804b669ef5330cf) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F7093%2Ftimorbaucaufestanataloo5.th.jpg&hash=c3b76f696c8c6e75132b71b5950eb679) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F7460%2Fdiadamarinharx3.th.jpg&hash=f47b9f549b8716dc7abf37c0367417cc) (http://http)

Promete dar que falar :D
Título:
Enviado por: Nuno Bento em Setembro 20, 2008, 11:28:00 am
Citação de: "Ricardo"


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg141.imageshack.us%2Fimg141%2F9693%2Fbrigadareal12yg3.th.jpg&hash=5979f050101dcf433877b9d78202a22f) (http://http):D


Que Farda é esta :?:
Título:
Enviado por: Lancero em Setembro 20, 2008, 12:35:19 pm
Penso que é um uniforme histórico dos Fuzileiros da Marinha do Brasil - que comemoram este ano 200 anos da sua criação a partir da Brigada Real da Marinha que viajou com a família real para o Brasil

(https://www.mar.mil.br/cgcfn/museu/imagens/historicofn/soldado1808.jpg)

(https://www.mar.mil.br/cgcfn/museu/imagens/index/museu1.jpg)
Título:
Enviado por: simonov em Setembro 29, 2008, 06:29:20 am
Citação de: "Cabecinhas"
Em relação às condições de recrutemento para o CFO FZ existe um parâmetro que é diferente de qualquer CFO existente das nossas Forças Armadas (pelo menos não ví mais nenhum), que é o facto de ser só necessário possuir-se como habilitações literárias o 12º ano.
A minha questão prendesse em saber quais as vantagens e desvantagens do CFO FZ admitir pessoas que tenham o 12º.
Só acho estranho assim ser, porque o CFO OE (espero não me ter enganado no nome) pessoas com o bacharelato só são admitidas para o curso de sargentos.

PS: Já aqui tinha colocado um post sobre esta questão, mas desapareceu  :?


Bem camarada posso he responder, a essa questao.

Aquando do SEN, poder-se ia pertencer á classe de oficial, todos os que tivessem frquentado a universidade (nem que fosse so um ano) e quem tivesse o 12º e boas capacidades demonstradas durantes as suas provas. Quem tivesse o 11º ou 12º e umas capacidades relativas seria enviado para a classe de sarfentos (furrieis).

Depois do fim do SEN, viu-se durante um tempo essas regras continuarem a ser aplicadas. Particularmente no caso dos Oficais das Forças Especiais, pk?

Ate á poucos anos, via-se CFO's para os Paraquedistas, OE's, e presumo Comandos, em que a habilitaçao literaria minima era o 12º ano. Isso actualmente ja nao acontece pk?!?! Porque a meu ver o Exercito, forma muitos Oficiais proveniente da AM capazes de prencher essas necessidades (20 a 30 por ano) e para as resntantes funçoes de Tropa regular seria apenas necessario pessoa com formaçao superior para fazer o trabalho de subalterno durante uns anos... podem se quisesse concorrer aos CFO's de OE CMD e PQ se quisesse... por sua conta e risco!!

No Caso dos Fuzileiros e diferente!! A escola Naval so forma 2 a 3 Oficiais por ano, o que e manifestamente pouco para prencher as vagas necessarias de oficiais subalternos no Corpo de Fuzileiros que compreende 2000 homens, em varias unidades e diferentes funçoes!

Dai se abrir concurso para um CFO Fz a pessoal externo, para prencherem essas lacunas, servirem como subalternoe e depois... rua... venham outros!!

Porque o 12º ano??? Compreendo a pergunta.. alias eu ja me a fiz a mim mesmo ( eu fui CAD FZ RC).. mas tive a resposta rapido!! SAbe quantos licenciados se apresentaram no concurso?? se foi 1... foi muito!!! Porque?? Concorrer a Fuzileiro... nao e andar nao e um emprego assim tao desejavel para um Licenciado.. a nao ser que tenha algum desejo Masoquista!!

Pois a realidade e que a licenciatura de nada iria servir ao Cadete! Vai Aprender materias que nunca lhe surgiram na frente e vai ter de sabe-las, quer queira quer nao (a custa de fins de semana, e de uns "incentivos"). Vai Lhe sair muito caro do pelo.. e duvido que na faculdade tenha feito muito exercicio fisico, nao contando com o levantamento do copo. Vai ver que ser digno de usar a boina azul ferrete e muito mais complicado e vai pensar duas vezes.. de vale memso a pena passar por akilo tudo.. para receber o memos que iria receber no Exercito Regular.. como oficial!!! Provavelmente mandaria akilo tudo dar uma curva!!

E isso e coisa que nao se quer num Oficial Fuzileiro.. podi pede-se determinação, valor, coragem, desembaraço fisico e capacidade mental, camaradagem e todas akelas coisas que nao infelizmente se ensinam na faculdade!!

O Corpo de Fuzileiros precisa de Oficiais contractados... pois nao tem quadro para muitos oficias do QP. E quem tem essa determinaçao de lutar tanto...mais por um ideal e sonho que por uma realidade.. sao akeles que saem da escola secundaria, sem futuro á vista ou estao no desmprego e querem fazer algo que se orgulhem um dia mais tarde.. e nesse patamar nao estao os licenciados!!!

So tenho pena e que esses valentes.. nao tenham a direito akilo que merecem... porque realmente serao 6 anos e rua!!! Com uma mo a frente e outra atras... depois de darem tanto por um sonho!!

bem cumps
Título:
Enviado por: FoxTroop em Setembro 29, 2008, 11:07:16 am
Simonov estou a 100000% contigo. Infelizmente a ideia é mesmo essa. Sugar tudo o que, de boa vontade e com muito orgulho, esses jovens dão e depois rua. Que se desenrasquem depois. Quando saí dessa casa, todas as valencias adquiridas durante os anos que aí passei serviram para nada cá fora, na realidade serviram de impecilho a muita coisa. Requalificação profissional e prioridade no acesso a GNR's ou PSP's é tudo um belo conto mas a verdade é que quem pertenceu a forças especiais tem dificuldades acrescidas no ingresso. Ao fim de quase um ano a ser chamado ao centro de emprego e nada dava vontade era de aplicar o que tão bem me ensinaram contra quem tão covardemente foge á lei que cria. Tive de ir para onde uma boa folha de serviço militar conta (estrangeiro). Infelizmente é assim o nosso País.
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Setembro 29, 2008, 12:16:50 pm
Citar
So tenho pena e que esses valentes.. nao tenham a direito akilo que merecem... porque realmente serao 6 anos e rua!!!


Este assunto já tem barbas, aqui pelo forum.
Vamos lá, mais uma vez, entrar por este caminho.
Estas afirmações eu não percebo.
Alguém foi enganado? Alguém induziu os incautos falsas expectativas?
Creio que não. Toda a gente já sabe que é assim e já há muito tempo. Já em 1980, quando eu lá estive, era mais ou menos assim.
Agora, quem quer pertencer aos quadros vai para a EN e segue. Toda a gente sabe o caminho, só não vai quem não quer ( ou não pode...).
O mundo está cheio de precaridade, concorde-se com ela ou não. Portugal também. A vida nas empresas também é assim e muitas vezes muito mais selvagem.
Cumprimentos,
Título:
Enviado por: simonov em Setembro 29, 2008, 08:16:17 pm
Sim Sr Silva... eu percebo que este assunto tem barbas!! E nao tou aki para me alongar, no facto de nos sabermos de antemao no que vai ali fazer!!

Eu proprio fui a esse concurso, e por muitas discordancias com o sistema decidi nao continuar, porque penso nao ser justo para ninguem!!

Os meus filhos de escola continuaram e hoje sao AspOf's Fz..  e tenho muito orgulho neles.. mas como me dizia um camarada que me abriu os olhos.. "orgulho nao me vai alimentar a familia depois!".

Eu nao sou contra o facto de serem 6 anos no maximo de serviço.. epa percebe-se se que sao contractados, e porque é que existe esse quadro, como eu ja expliquei... mas.. confesso que depois de 6 ou 8 anos de serviço á patria as Forças Armadas deveriam pagar a qualificaçao profissional a esses elementos, principalmente quem nao teve especialidades que de nada servem e que muito exigem dos militares que sao os atiradores (Exercito) e Forças Especiais.

Sei que isso ta previsto nos incentivos, mas na realidade.. como nos confessou um tenente fz durante uma aula de armamento e tiro.. o tempo para estudar e muito relativo... porque tem de se candidatar um curso pos laboral.. e muitas vezes os professores nao sao compreensivos com a situaçao!!

Epa... eu sou da opiniao que ao fim de 8 anos de Serviço.. o Militar devia ter a opção de tirar um curso profissional.. dado por um instituto das Forças Armadas em conjunto (caso ja tivesse uma especialidade profissionalizante como por ex. Transmissoes.. receberia uma adaptao á vida civil) e sairia com uma formaçao profissional para a vida civil!!

Se o pessoal das Academia ao fim de 8 ou 10 anos pode mandar o Ramo militar a fava... porque e que as FA's nao fazem um serviço á comunidade, ao País e utilizam a sua estrutura em prol daqueles que desejam servir a patria.. e posterioemente sair qualificados com espirito de trabalho e empenho!!!

Epa... iria custar dinheiro?? sim... mas depois de 8 anos dados `Instituiçao... acho que se merece!!! O que acontecia... ser militar e mais uma opçao de vida.. e com futuro... pois a disciplina e os valores militares pasam a estar implementados na dotrinaçao dos novos tecnicos provenientes dessa escola... tal como todas os outros Estabelecimentos Militares de Ensino.. como os Pupilos deo Exercito, Colegio militar etc!!

Epa... claro que muito iam recusar... ok.. MAs tem essa opçao na mesa!! Recebem os duadecimos a que tem direito!! Os que querema formação
tem direitoa tirar uma formaçao a sua escolha.. seguindo as regras dos restantes estabelicimentos... e sai das forças armadas de cabeça erguida!!

So ia melhorar tb a imagem que as nossas FA's tem na sociedades civil, porque pela primeira vez eram vistas como uma insituçao que se interessa com os seus elementos menos graduados, e que se preocupa em formar homens e mulheres para enfrentarem e ajudarem o nosso pais numa frente de batalha moderna.. que e a especializaçao tecnologica necessaria à evoluçao e incutir uma etica de trabalho, nesses elementso provenientes das fileiras das FA's, que reflectisse os valores militares!!

Epa nao acho que seja muito a pedir e todos teriam a ganhar!!

Cumps
Título:
Enviado por: typhonman em Setembro 29, 2008, 09:49:10 pm
simonov escreveu:

Citar
Pois a realidade e que a licenciatura de nada iria servir ao Cadete! Vai Aprender materias que nunca lhe surgiram na frente e vai ter de sabe-las, quer queira quer nao (a custa de fins de semana, e de uns "incentivos"). Vai Lhe sair muito caro do pelo.. e duvido que na faculdade tenha feito muito exercicio fisico, nao contando com o levantamento do copo. Vai ver que ser digno de usar a boina azul ferrete e muito mais complicado e vai pensar duas vezes.. de vale memso a pena passar por akilo tudo.. para receber o memos que iria receber no Exercito Regular.. como oficial!!! Provavelmente mandaria akilo tudo dar uma curva!!



Ha muito boa gente que na faculdade faz mais exercicio fisico do que o levantamento do copo.
Estou a estudar engenharia e ao acabar o curso planeio concorrer a CFO/RC para a FAP sei que as possibilidades de ficar nos QP são baixas, mas mesmo que isso não se verifique não irei ter problemas em arranjar emprego na vida civil.
Por isso o curso funciona como "seguro de vida", digamos que é um bocado triste servir a pátria e ao fim de uns anos levar um "chuto no cu"...

Penso que nos folhetos informativos deveriam ser publicadas as tabelas com o numero de Oficiais e outras patentes que quando acabam o dito contrato ingressam nos QP... Seria um acto de rigor e transparência..
Título:
Enviado por: simonov em Setembro 29, 2008, 11:12:04 pm
De certeza que o senhor nao ponderou o que eu referi!!

O Senhor tem uma licenciatura como Eng, e vai para a FAP fazer uso desse seu curso que para si e uma muito boa experiencia proficional... mas quer agora comparar com um CFO FZ???

O senhor faz exercicio fisico, mas tem consciencia que muitos dos seus pares, essa questao nao se coloca.. e quano refiro exercicio fisico... nao estava a referir um curso qq... e um o CFO FZ!!!

Num CFO FZ o grau de exigencia e muitooooo superior como se espera de uma Curso para a categoria de uma força Especial!!!

MAs  facto de voces ser Licenciado, nao lhe ia servir de nada no CFO FZ.. porque que eu saiba... voces nao aprendeu.. armamento e tiro, nem infantaria de combate, nem ordens e regulamentso militares... e duvido muito que os seus conhecimentos de engenharia.. lhe deem alguma capacidade extra para carregar com um tronco de pinheiro durante 20 e tal Km, que lhe ensine como comandar o seu pelotao durante um contacto.. etc!!! Ou seja neste curso.. o facto de voce ser licenciado.. nao tras nada de novo!!!

Ha malta que aprende isto por gosto.. e que mostram o que valem... e simplesmente sao oe mlhores... e custa-me ver a nata da juventude portuguesa... rapazes que se fizeram homens donos da sua vontade.. serem descartados ao fim de 6 anos.. como se nada mais fossem do que mera carne para canhao!! Quando me refiro ao CFO FZ.. refiro-me ao CFP FZ... aos comandos aos OE's e tb Paras!!!

Atençao que nao quero referir que os licenciados sao.. demasiado maus para akilo... o que seria ofensivo e nao corresponderia a verdade!! Mas... limitar o concurso  de CFO FZ seria mau.. porque depressa estaram sem oficiais FZ RC para meterem la!!! PK?? Quando comessassem a ver a vida a andar para tras... sem prespectiva de estagio e qualquer qualificação futura... iam mandar akilo á fava!!!

cumps
Título:
Enviado por: typhonman em Setembro 29, 2008, 11:36:32 pm
Eu entendo a dureza do curso de CFO/ Fuzileiros, entendo pelo que ouço falar e de forums na net.

Se houver forma física decente e VONTADE de acabar o CURSO, o qual engloba ordem unida,tiro etc penso que seria capaz de fazer o mesmo.
Passando as provas físicas e havendo resistencia mental tudo se consegue. Concordo consigo que os conhecimentos do curso de engenharia de pouco devem servir, no meu caso ate podem ter alguma utilidade a nivel de desminagem ou similar.

O meu objectivo sempre foi a FAP, vamos ver se consigo  :wink:
Título:
Enviado por: tyr em Setembro 29, 2008, 11:49:08 pm
o que é que engenharia tem a ver com desminagem????????????
Título:
Enviado por: typhonman em Setembro 30, 2008, 12:07:07 am
Citação de: "tyr"
o que é que engenharia tem a ver com desminagem????????????

Citar
A Arma de Engenharia do Exército Português, actualmente exerce a sua actividade nas seguintes áreas funcionais:

Construções Verticais e Horizontais;
Transposição de Cursos de Água;
Vigilância e Contra-Vigilância;
Explosivos, Destruições, Minas e Armadilhas;
Defesa Nuclear, Biológica e Química e Protecção Ambiental.
Como Unidades de engenharia da Estrutura Base do Exército existem actualmente:

Escola Prática de Engenharia;
Regimento de Engenharia Nº 1;
Regimento de Engenharia Nº 3.

fonte: wikipedia
Os oficiais que comandam a Engenharia no EP são formados na AM em Engenharia Militar, equivalente a Engenharia Civil, havendo diferenças como é obvio, tive cadeiras na area da topografia, toponomia etc
So queria dizer que posso ter alguns conhecimentos uteis, mas que obviamente teriam de ser complementados por um curso de Engenharia Militar /CFO.
Título:
Enviado por: Renato Ferreira em Outubro 02, 2008, 07:35:44 pm
kunto se ganha nos fuzileiros se nao fizer provas para nada enkunto se espera pelos 20 para ir para a policia
Citar
Título:
Enviado por: HSMW em Outubro 02, 2008, 07:44:41 pm
Citação de: "Renato Ferreira"
kunto se ganha nos fuzileiros se nao fizer provas para nada enkunto se espera pelos 20 para ir para a policia
Citar

 :?:
Título:
Enviado por: Lightning em Outubro 02, 2008, 08:46:42 pm
Citação de: "HSMW"
Citação de: "Renato Ferreira"
kunto se ganha nos fuzileiros se nao fizer provas para nada enkunto se espera pelos 20 para ir para a policia
Citar
:?:


Em português, se faz favor.
Título:
Enviado por: JLRC em Outubro 03, 2008, 01:44:45 am
Citação de: "Renato Ferreira"
kunto se ganha nos fuzileiros se nao fizer provas para nada enkunto se espera pelos 20 para ir para a policia



 :?:
Título:
Enviado por: simonov em Outubro 03, 2008, 05:36:04 pm
Acho que aqui o Sr Ferreira, kis referir que mai vale a pena esperar pelos 20 anos e ir para a policia... que se ganh mais!!

Se nao for isso que me corrija sff!!

Sinceramente... concordo! Da maneira que as coisas estao.. ser militar por vezes so nos atrasa mais a vida!!

cumps
Título:
Enviado por: HSMW em Outubro 03, 2008, 05:43:32 pm
Citação de: "simonov"
ser militar por vezes so nos atrasa mais a vida!!

cumps

Ou então torna-se a nossa vida...  :twisted:
Título:
Enviado por: abatista em Outubro 03, 2008, 07:46:49 pm
Calma! Já percebi! Ele quer saber quanto se ganha nos fuzos. Porque ele quer ser fuzo enquanto espera pelos 20 anos, para depois ir para a polícia!
Título:
Enviado por: Ricardo em Outubro 06, 2008, 06:04:03 pm
É verdade que os Fuzileiros participaram no "Verão Quente de 1975" com Chaimites?
Título:
Enviado por: tyr em Outubro 06, 2008, 06:54:45 pm
typhonman, reformulo a minha questão.

O que é que qualquer curso civil de engenharia tem a ver com desminagem, para ser uma mais valia nesse campo? (atenção eu sou militar de engenharia e dou instrução de desminagem entre outras coisas)
Título:
Enviado por: HSMW em Outubro 06, 2008, 10:36:37 pm
Ou "Inginheiro" ?  :(  :lol:
Título:
Enviado por: typhonman em Outubro 06, 2008, 11:35:52 pm
Citação de: "tyr"
typhonman, reformulo a minha questão.

O que é que qualquer curso civil de engenharia tem a ver com desminagem, para ser uma mais valia nesse campo? (atenção eu sou militar de engenharia e dou instrução de desminagem entre outras coisas)


Ok caro tyr já entendi.  :wink:
Título:
Enviado por: Ricardo em Outubro 07, 2008, 05:26:54 pm
EIS O SITE OFICIAL DO CORPO DE FUZILEIROS:

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/site/pt (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/site/pt)

Ainda está a ser apetrechado... mas promete!
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 07, 2008, 06:22:31 pm
"Porreiro, pá..."

Já foi para o fórum dos "cámones": http://www.militaryphotos.net/forums/sh ... tcount=509 (http://www.militaryphotos.net/forums/showpost.php?p=3601185&postcount=509)
Título:
Enviado por: Xô Valente em Outubro 07, 2008, 06:27:03 pm
Muito boas fotos.  :wink:
Título:
Enviado por: Lightning em Outubro 08, 2008, 12:03:31 am
Citação de: "Ricardo"
EIS O SITE OFICIAL DO CORPO DE FUZILEIROS:

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/site/pt (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/site/pt)

Ainda está a ser apetrechado... mas promete!


Muito bem, parabens, bom site :lol: .

Então por esse site já temos novidades:

A CAF compreende:
O Pelotão de Morteiros
O Pelotão Anti-carro
O Pelotão Anti-aéreo
O Pelotão de Reconhecimento

A CATT compreende:
O Pelotão de Transportes Tácticos
O Pelotão de Veículos Blindados de Transporte de Pessoal
Título:
Enviado por: Ricardo em Outubro 08, 2008, 05:50:27 pm
FUZILEIROS NO AFEGANISTÃO

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... C3%83O.htm (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/Noticias/FUZILEIROS+NO+AFEGANIST%C3%83O.htm)
Título:
Enviado por: HSMW em Outubro 08, 2008, 07:42:57 pm
É a bela da missão de estado-maior para os senhores Oficias...  :evil:
Título:
Enviado por: jmg em Outubro 08, 2008, 09:30:22 pm
Citação de: "HSMW"
É a bela da missão de estado-maior para os senhores Oficias...  :lol: (E contra mim falo).....
Título:
Enviado por: Dead_Corpse em Outubro 08, 2008, 10:21:53 pm
Para os praças então é que não há mesmo nada...  :?  :roll:
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Outubro 08, 2008, 10:41:02 pm
Se tiveres o 11º e 4 anos de serviço tens o curso de Sargentos, se tiveres 12º tens muita coisa desde que tenhas idade...











 :cry:  :cry:  :cry:
Título:
Enviado por: fuzo 90 em Outubro 08, 2008, 11:18:13 pm
Citação de: "PereiraMarques"
"Porreiro, pá..."

Já foi para o fórum dos "cámones": http://www.militaryphotos.net/forums/sh ... tcount=509 (http://www.militaryphotos.net/forums/showpost.php?p=3601185&postcount=509)

bom trabalho :D  :D
Título:
Enviado por: Tilt em Outubro 09, 2008, 09:15:58 am
Apos alguma ausencia e apos ler o que foi anteriormente escrito em relação ao cfo venho apenas colocar aqui 1 caso real que aconteceu durante 1 não muito antigo cfo.
O exercicio Mar Verde (exercicio de final de curso) encontrava se a meio e apos se terem realizado as patrulhas o pelotão regressou a BTE em Troia para o unico banho e refeição a caldeira do exercicio, todo o pelotão estava sentado a mesa e 1 grumete levanta se e apos falar com o aspof vai a linha da refeição e tras 2 sobremesas  e dirige se novamente ao seu lugar. Um dos oficiais instrutores estranha esta situação e intrepela o grumete que responde ter se esquecido da sobremesa e o aspof ter pedido para lhe trazer mais 1 sobremesa( e proibido comer mais que 1 sobremesa), o of instrutor chama o aspof e confronta o com a resposta do grumete, o aspof nega repetidamente ter feito tal pedido ao grumete,o grumete começa a chorar pois ja sabe o que lhe pode acontecer se tiver a mentir. O of instrutor chama o cabo que estava sentado junto ao aspof que estava a tirar o cfs para tirar as duvidas e o cabo confirma as palavras do grumete. Apos uma reprimenda do of.instrutor ao aspof ficalhe o aviso que tal atitude iria trazer lhe 1 surpresa.
A surpresa que ele teve foi dois dias antes da entrega de boinas mandaram lhe arrumar as coisas e ir para casa,pois 1 oficial que não se responsabiliza pela ordem ao grumete por causa de 1 doce então se for outra coisa mais grave tambem não assumiria.
Esta historia e veridica pois eu presencieia, não se pedem oficiais maquinas de guerra no cfo pois não o são a maior parte fisicamente são muito fracos tirando alguns militares de outros ramos que entram.
Pede se lhes responsabilidade pelos actos assumidos e determinação nas acções(muitas vezes tive de ditarlhes  os brifings para eles darem aos comandantes antes de 1 operação)em prol do pelotão.
Título:
Enviado por: abatista em Outubro 09, 2008, 04:36:20 pm
Citação de: "Tilt"
Apos alguma ausencia e apos ler o que foi anteriormente escrito em relação ao cfo venho apenas colocar aqui 1 caso real que aconteceu durante 1 não muito antigo cfo.
O exercicio Mar Verde (exercicio de final de curso) encontrava se a meio e apos se terem realizado as patrulhas o pelotão regressou a BTE em Troia para o unico banho e refeição a caldeira do exercicio, todo o pelotão estava sentado a mesa e 1 grumete levanta se e apos falar com o aspof vai a linha da refeição e tras 2 sobremesas  e dirige se novamente ao seu lugar. Um dos oficiais instrutores estranha esta situação e intrepela o grumete que responde ter se esquecido da sobremesa e o aspof ter pedido para lhe trazer mais 1 sobremesa( e proibido comer mais que 1 sobremesa), o of instrutor chama o aspof e confronta o com a resposta do grumete, o aspof nega repetidamente ter feito tal pedido ao grumete,o grumete começa a chorar pois ja sabe o que lhe pode acontecer se tiver a mentir. O of instrutor chama o cabo que estava sentado junto ao aspof que estava a tirar o cfs para tirar as duvidas e o cabo confirma as palavras do grumete. Apos uma reprimenda do of.instrutor ao aspof ficalhe o aviso que tal atitude iria trazer lhe 1 surpresa.
A surpresa que ele teve foi dois dias antes da entrega de boinas mandaram lhe arrumar as coisas e ir para casa,pois 1 oficial que não se responsabiliza pela ordem ao grumete por causa de 1 doce então se for outra coisa mais grave tambem não assumiria.
Esta historia e veridica pois eu presencieia, não se pedem oficiais maquinas de guerra no cfo pois não o são a maior parte fisicamente são muito fracos tirando alguns militares de outros ramos que entram.
Pede se lhes responsabilidade pelos actos assumidos e determinação nas acções(muitas vezes tive de ditarlhes  os brifings para eles darem aos comandantes antes de 1 operação)em prol do pelotão.
ys7x9  yu23x1
Título:
Enviado por: raphael em Outubro 09, 2008, 05:02:32 pm
Isso ovelhas negras há em todo o lado seja militar ou não, mas essa da sobremesa, foi preciso o jovem chegar a aspof para perceberem que o dito não tinha perfil para assumir as coisas que faz ou manda fazer? Mas essa do grumete desatar a chorar também tem que se lhe diga...
Tilt depois de ditares os briefings aos dignissimos eles no mínimo agradeceram??
Sorry pelo off-topic.
Título:
Enviado por: Tilt em Outubro 09, 2008, 06:57:37 pm
Caro raphael no cfo os alunos começam como cadetes e apos jurarem bandeira passam automaticamente a aspof(1 novo incentivo) mas so são considerados FZ apos o fim do curso e ganharem a boina, so prova que ate ao lavar dos cestos e a vindima o grumete provavelmente sabia melhor o que lhe acontecia se fosse responsabilizado pelo sucedidoe não se esqueça que o grumete esta sobre 1 carga psicologica mais elevada( estava no ultimo exercicio, alinha em todas as actividades do pelotao, das operaçoes as seguranças) ; prefiro 1 pupilo chorão que 1 aspof aldrabão :roll:
Título:
Enviado por: Renato Ferreira em Outubro 09, 2008, 09:18:04 pm
Em relação á quilo que eu disse eu tou um pouco a divagar porque não sei como aquilo é,mas não descarto a pocibilidade da policia,porque penco que se ganha mais é que uma pessoa nao vive de ar e vento apesar de não ser o mais inportante eu vou mas é pela aventura assima de tudo.Mas vou informarme que um individo da minha freguesia acabou a recruta nos fuzileros vou lhe perguntar como é o sistema,se vale a pena ficar ou ir para a policia.
Citar
Título:
Enviado por: simonov em Outubro 10, 2008, 08:37:59 pm
Citação de: "Tilt"
Apos alguma ausencia e apos ler o que foi anteriormente escrito em relação ao cfo venho apenas colocar aqui 1 caso real que aconteceu durante 1 não muito antigo cfo.
O exercicio Mar Verde (exercicio de final de curso) encontrava se a meio e apos se terem realizado as patrulhas o pelotão regressou a BTE em Troia para o unico banho e refeição a caldeira do exercicio, todo o pelotão estava sentado a mesa e 1 grumete levanta se e apos falar com o aspof vai a linha da refeição e tras 2 sobremesas  e dirige se novamente ao seu lugar. Um dos oficiais instrutores estranha esta situação e intrepela o grumete que responde ter se esquecido da sobremesa e o aspof ter pedido para lhe trazer mais 1 sobremesa( e proibido comer mais que 1 sobremesa), o of instrutor chama o aspof e confronta o com a resposta do grumete, o aspof nega repetidamente ter feito tal pedido ao grumete,o grumete começa a chorar pois ja sabe o que lhe pode acontecer se tiver a mentir. O of instrutor chama o cabo que estava sentado junto ao aspof que estava a tirar o cfs para tirar as duvidas e o cabo confirma as palavras do grumete. Apos uma reprimenda do of.instrutor ao aspof ficalhe o aviso que tal atitude iria trazer lhe 1 surpresa.
A surpresa que ele teve foi dois dias antes da entrega de boinas mandaram lhe arrumar as coisas e ir para casa,pois 1 oficial que não se responsabiliza pela ordem ao grumete por causa de 1 doce então se for outra coisa mais grave tambem não assumiria.
Esta historia e veridica pois eu presencieia, não se pedem oficiais maquinas de guerra no cfo pois não o são a maior parte fisicamente são muito fracos tirando alguns militares de outros ramos que entram.
Pede se lhes responsabilidade pelos actos assumidos e determinação nas acções(muitas vezes tive de ditarlhes  os brifings para eles darem aos comandantes antes de 1 operação)em prol do pelotão.


Eu comprovo essa historia...

foi nos referida no nosso CFBO pelo Sr Marinheiro, nosso monitor de instrução!

Confirmo tb que depois de jrar bandera o cadete e graduado a Aspirante a oficial, ou seja, passa a usufruir do posto de aspof e respectivo ordenado. Essa situaçao acontece pelo facto de ser um curso RC, em que os seus elementos assinam um contracto de trabalho no final do CFBO em que a partir da data em que assinam esse contracto deveram ser remunerados.

Para nao haver conflicos com os cadetes de Escola Naval, que recebem manifestamente muito menos, mas por outro lado usufreuem de possibilidades muito melhores (nomeadamente QP), permitesse que esses cadetes RC, no fim do CFBO, sejam graduados (e nao promovidos) a aspof...

A graduação e temporaria, e se revogada o cadete perde todas as regalias ate ali utilizdas nao contando tb para antiguidade no posto. E uma das maneiras de se garantir um salario aos formadondos do CFO.

Quando á parte fisica, nao posso comentar... mas pelo que sei, os cadetes fazem exactamente o mesmo que os grumetes.. mas com varias diferenças especificas... o curso e muito mais intenso... pois no CFBO quando se espera que o grumete va uma vez ao mato.. o cadete vai 4 vezes, quando um grumete faz 3km de cross matinal o aspof fara 6km...

Ali nao se formam makinas de guerra... mas os oficiais nao sao makinas  guerra!! A categoria de oficiais nunca foi pensada para ser a classe combatente... mas sim a classse de comando, organização logistico e operacional dos exercitos/Forças Armadas. Os Sargentos seram sim os especialistas no combate... principalmente os sargentos fuzileiros!!! Pois estes passam por pelo menos 3 recrutas de de FZ...

MAs como se sabe.. é preciso mais que 30 elevaçoes para se comandar... é preciso espirito de equipa, muita responsabilidade, humanidade... e muito sentido de abnegação e altruismo!!

NA minha visao das coisas um oficial nao serve para mandar.. serve para servir...e com isto nao digo ser servil.. mas sim tratar os seus homens como seus irmao mais novos, tratar das suas tarefas como se de uma cruzada se trata-se!!

Bem nao me vou adiantar muito mais

abraço
Título:
Enviado por: SSK em Outubro 10, 2008, 10:59:09 pm
E que tal para Oficial da Marinha escrever bem português. Sempre foi uma das regras da nossa casa, o "Talan de bien faire"...

Melhores cumprimentos Camarada
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Outubro 11, 2008, 03:05:52 am
SSK escreveu:
Citar
E que tal para Oficial da Marinha escrever bem português

E o "nosso" aspirante a fuzileiro e polícia, vai-se ver aflito a passar uma multa, pois nem português sabe!.... É triste....
Título:
Enviado por: Dead_Corpse em Outubro 11, 2008, 12:06:15 pm
Citação de: "simonov"
Citação de: "Tilt"
Ali nao se formam makinas de guerra... mas os oficiais nao sao makinas  guerra!! A categoria de oficiais nunca foi pensada para ser a classe combatente... mas sim a classse de comando, organização logistico e operacional dos exercitos/Forças Armadas. Os Sargentos seram sim os especialistas no combate... principalmente os sargentos fuzileiros!!! Pois estes passam por pelo menos 3 recrutas de de FZ...



Então que me diz que faz um oficial a comandar um pelotão de atiradores em plena acção de combate? não tem de combater? vai fcar no topo da colina que nem um napoleão ou Júlio César?
Claro que tem de combater, e claro que tem de comandar e coordenar todas as acções. E claro que têm de confiar nos elementos mais antigo tal como os sargentos e chefes de equipa que já têm bastante mais calo nessas paragens... A dificuldade de comandar na guerra está ai mesmo ter de fazer várias coisas ao mesmo tempo, comandar, coordenar, avaliar a situação, decidir...
Título:
Enviado por: Lightning em Outubro 11, 2008, 07:25:43 pm
European Amphibious Initiative

http://www.cdef.terre.defense.gouv.fr/p ... s/art4.pdf (http://www.cdef.terre.defense.gouv.fr/publications/Objdoc/objdoc36/article_us/art4.pdf)
Título:
Enviado por: Harapan em Outubro 11, 2008, 09:26:10 pm
Citação de: "SSK"
E que tal para Oficial da Marinha escrever bem português. Sempre foi uma das regras da nossa casa, o "Talan de bien faire"...

Melhores cumprimentos Camarada


Escrever bem o Português e o Francês!

"Talent de Bien Faire", assim é que é!
Título:
Enviado por: SSK em Outubro 11, 2008, 11:22:47 pm
Citação de: "Harapan"
Citação de: "SSK"
E que tal para Oficial da Marinha escrever bem português. Sempre foi uma das regras da nossa casa, o "Talant de bien faire"...

Melhores cumprimentos Camarada

Escrever bem o Português e o Francês!

"Talent de Bien Faire", assim é que é!


Está tudo explicado!!! O senhor nunca passou pela Escola Naval, pois não?!?... Tanta arrogância!!! Existe escrito das duas maneiras.

Antigamente era assim:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fjspmac62.home.sapo.pt%2FAlunos2004.JPG&hash=6ce8cf812c9c52f3167d9e3c776c1ff2)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.photobucket.com%2Falbums%2Fv224%2FRioabaixo%2FCertificados%2FEscolaNaval.png&hash=ed4b520ff39e90610a0bce321c8be635)

Só quando a Marinha mudou para a actual heráldica naval é que passou a escrever "Talent de Bien Faire" no símbolo heráldico.
Se procurar vai encontrar heráldica de navios do tempo da pré-revolução bem diferentes da actual, como por exemplo:
 
http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_set_out2008/default.html
Título:
Enviado por: Ricardo em Outubro 18, 2008, 12:21:01 am
O Comandante do Corpo de Fuzileiros visita a CF11 no exercício FTX 0803:

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... X+0803.htm (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/Noticias/CF11_FTX+0803.htm)
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Outubro 18, 2008, 10:22:37 pm
Perdoem-me mas não resisti a contar uma piada muito velhinha, mas perfeitamente adequada ao contexto do post do luis filipe silva-

Depois de um acidente grave, dois policias/GNR, pergunta um ao outro.
O Joaquim, como é que se escreve passeio. Com dois ss, ou com c com cedilha?
O colega retorquiu, não sei! Então o outro num gesto repentino diz: cabeça na estrada!

Um Abraço.
Título:
Enviado por: simonov em Outubro 21, 2008, 01:42:10 am
Citação de: "Dead_Corpse"
Citação de: "simonov"
Citação de: "Tilt"
Ali nao se formam makinas de guerra... mas os oficiais nao sao makinas  guerra!! A categoria de oficiais nunca foi pensada para ser a classe combatente... mas sim a classse de comando, organização logistico e operacional dos exercitos/Forças Armadas. Os Sargentos seram sim os especialistas no combate... principalmente os sargentos fuzileiros!!! Pois estes passam por pelo menos 3 recrutas de de FZ...


Então que me diz que faz um oficial a comandar um pelotão de atiradores em plena acção de combate? não tem de combater? vai fcar no topo da colina que nem um napoleão ou Júlio César?
Claro que tem de combater, e claro que tem de comandar e coordenar todas as acções. E claro que têm de confiar nos elementos mais antigo tal como os sargentos e chefes de equipa que já têm bastante mais calo nessas paragens... A dificuldade de comandar na guerra está ai mesmo ter de fazer várias coisas ao mesmo tempo, comandar, coordenar, avaliar a situação, decidir...


E isso tudo... mas percebeu onde quis chegar?!?!?! certo???

Para mim nao ha maquinas de guerra, não ha herois, não nada dessas coisas..

Como diz Sun Tsu na sua "Arte da Guerra": "A ordemou desordem so dependem da organização, a coragem ou cobardia, das circunstancias, a força ou fraqueza das disposiçoes." e como Li ch'uan arremata " Quando as tropas adquirem uma situação favoravel, o cobarde e bravo; se ela se perda o bravo torna-se cobarde."

AS tropas de elite sao mais imunes a estas circunstancias, devido ao seu treino, preparaçao, e mentalidade guerreira. Mas... mesmo assim sao apenas homens!!

Apenas referi que de um oficial nao se espera que seja aquele que corra mais, ou que tenha o melhor atirador, ou o com mais resistencia... apenas pede-se que seja aquele que numa situaçao de stress seja capaz de ler as disposiçoes do combate e comandar as suas forças de forma a estas conseguire uma posiçao favoravel. Claro que no decorrer disto tera de combater, mas esta nao é o papel principal de um comandante.

cumps
Título:
Enviado por: Patriot em Outubro 25, 2008, 04:58:24 pm
epa, voces desculpem la a minha impertinencia, eu sou fuzileiro e acabei de me registar no forum vou ter de contestar aquilo que o nosso amigo simonov disse!

Simonov, como é que és capaz de dizer que os cadetes ou os aspirantes a tirar o curso de fz passam pior do que os grumetes? tu tens noção de que isso é o maior postal que já vi à venda?! o CFG é o curso mais duro da marinha logo a seguir aos COEMAR, são os grumetes no CFG que são os militares mais bem preparados, não é o CPM, nem o CFS nem o CFO!

disseste que os cadetes fazem exatamente o que os grumetes fazem, mentira pois têm um tratamento muito mais soft por parte dos instrutores!

dizes que um grumete vai uma vez ao mato e o cadete vai 4 vezes? looool essa entao nem comento...

um grumete faz 3kms de cross matinal quando não calha mais e por vezes calha uma pista de lodo às 6 da manha pa abrires a pestana po cross matinal, e agora dizes-me tu que um ASPOF faz mais?! no meu CFG estava a decorrer ao mesmo tempo o curso de aspirante/FZ por isso sei bem o que é que eles passaram, não digo que também não tenham passado mal mas daí a serem comparados ao CFG mãe do céu ainda vai uma boa distância... e enganem-se aqueles que pensam que no CFG é tudo carne para canhão pois muitas vezes em exercicios com os aspirantes eram os grumetes que tinham de ensinar aos aspirantes como fazer as coisas, no caso dos cadetes da escola naval já é um bocado diferente, sabem comandar bastante melhor...

enfim, foi so um desabafo, não quero com isto ferir susceptibilidades a ninguem...

cumprimentos
Título:
Enviado por: FoxTroop em Outubro 25, 2008, 11:53:04 pm
Sim, sei...... Sei que os CFG desde algum tempo para cá até fazem cross matinal todos os dias.

E também sei que os intrutores não andam a arrastar lá o pessoal sem os poder mandar para casa por perfeita incapacidade para as funções de FZ só porque "por motivos superiores" um X de elementos tem de terminar o curso.

Não nego que muitas vezes os Grumetes tenham de "ensinar" uns quantos aspof's, eu proprio assisti. Mas a nível fisico..........

Bem vi nos ultimos anos em que estive ao serviço dessa grande casa. É que se antes apontavamos os (poucos) elementos menos bons que terminavam o CFG agora apontamos os bons e isso diz tudo.
Título:
Enviado por: Patriot em Outubro 26, 2008, 02:14:12 pm
não concordo, continuam-se a fazer ,muitos bons militares assim como se faziam há 5 anos atrás! no meu curso eramos 130 ao inicio e so acabaram 67, desses 67 quaze metade é tudo pessoal bastante operacional, e alguns deles já com instrução de outras tropas antes de frequentarem o CFG!
Título:
Enviado por: Menacho em Outubro 30, 2008, 06:07:04 pm
:D  jacuzzi en una fragata:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg82.imageshack.us%2Fimg82%2F6058%2Fimage003ai1.jpg&hash=d1e6dda2562b7de6153514129d2c6f48)
Título:
Enviado por: HSMW em Outubro 30, 2008, 08:10:15 pm
:shock:
Título:
Enviado por: Tilt em Outubro 30, 2008, 09:16:25 pm
Não sei se sabem mas os navios da Armada são equipados com os botes Zebro tipo 3 produzidos em Vale de Zebro e portanto os militares que se encontram na foto não tem de ser Fuzileiros(não reconheço nimguem na referida foto como sendo fuzileiro)
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 30, 2008, 09:52:12 pm
Citação de: "Tilt"
(não reconheço nimguem na referida foto como sendo fuzileiro)


O Tilt deve ser tipo o Sargento-Mor lá da Escola de Fuzileiros...para conhecer toda a gente que é/foi Fuzileiro... :mrgreen:
Título:
Enviado por: sniper14 em Outubro 30, 2008, 10:06:59 pm
isto é a prova de como é possivel retirar uma situação dum determinado contexto e utilizá-la para fins proprios (conscientes ou não...) e deixar que um bando de ******* diga mal duma organização por causa disso.
deve ser aquilo que chamam hoje em dia; "O poder dos media"
É pena... tanta gente tão manipulável
Título:
Enviado por: Lightning em Outubro 30, 2008, 10:22:56 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "Tilt"
(não reconheço nimguem na referida foto como sendo fuzileiro)

O Tilt deve ser tipo o Sargento-Mor lá da Escola de Fuzileiros...para conhecer toda a gente que é/foi Fuzileiro... :lol: teve piada mas foi mauzinho  :twisted: , penso que o que o Tilt quis dizer é que nenhum desses homens está identificado como Fuzileiro, podem ser marinheiros doutras especialidades.
Título:
Enviado por: tyr em Outubro 31, 2008, 05:12:03 pm
e ninguem tem que levar a mal, pois pode ser uma cerimonia de passagem do equador, ou uma graça só para a fóto.
quem acha que uma brincadeira denigre uma força...
Título:
Enviado por: Trafaria em Outubro 31, 2008, 05:26:55 pm
As "brincadeiras" da passagem do equador - hoje também um hábito de outras armadas - foram uma "criação" portuguesa.

Mas acho que começou por ser uma coisa séria!
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 31, 2008, 05:58:32 pm
Citação de: "Menacho"
:D  jacuzzi en una fragata:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg82.imageshack.us%2Fimg82%2F6058%2Fimage003ai1.jpg&hash=d1e6dda2562b7de6153514129d2c6f48)


Uma imagem engraçada...é a única coisa que posso dizer acerca desta foto. Acho que se é Fuzo ou não é perfeitamente secundário.
Título:
Enviado por: João Sintra em Outubro 31, 2008, 06:25:50 pm
sendo eu marinheiro mas nao FZ, nao vejo nenhum mal nessa foto, aliás c34x
Título:
Enviado por: Ricardo em Outubro 31, 2008, 07:00:40 pm
Fotos dos FZ no Afeganistão: http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... ub=Missoes (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/GaleriaDigital/Fotografias/?sub=Missoes)

Qual é o armamento destas Chaimites dos FZ, apenas uma Browning 12.7 mm, correcto?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg352.imageshack.us%2Fimg352%2F6804%2Fultramared9.th.jpg&hash=fcb0dd8b6b97ff9ecfd979f2073843c3) (http://http)(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg352.imageshack.us%2Fimages%2Fthpix.gif&hash=28491e508b6e403dd65e98859b913007) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg412.imageshack.us%2Fimg412%2F808%2Fdiadamarinhack7.th.jpg&hash=21ad50855e84101639ab4e592bc990c7) (http://http)(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg412.imageshack.us%2Fimages%2Fthpix.gif&hash=c1b90ac5db8cdfaedbbf4850290c3190) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg352.imageshack.us%2Fimg352%2F4974%2Frevistadaarmadan60uj7.th.jpg&hash=082d4f52ae5a66588d2da5506bc78c05) (http://http)(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg352.imageshack.us%2Fimages%2Fthpix.gif&hash=28491e508b6e403dd65e98859b913007) (http://http)
Título:
Enviado por: SSK em Outubro 31, 2008, 08:44:56 pm
Citação de: "Menacho"
:D  jacuzzi en una fragata:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg82.imageshack.us%2Fimg82%2F6058%2Fimage003ai1.jpg&hash=d1e6dda2562b7de6153514129d2c6f48)


Operação Crocodilo em 98 na Guiné, esta situação aconteceu a bordo de uma corveta, no regresso a casa após mais uma missão cumprida!
Título:
Enviado por: Nuno em Novembro 01, 2008, 03:50:16 am
Daí as cervejas Sagres  :twisted:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Novembro 01, 2008, 05:45:04 am
Continuo a não perceber qual o motvo de indignação de alguns foristas, acerca desta foto. Uma bricadeira desonra uma instituição?
Já vi marinheiros nus dependurados num heli canadiano, na despedida da Stanaforlant (hoje SNMG 1) e que iam sendo regados com potentes mangueiras ao passar pelos outros navios da força.
Aquela brincadeira que tanto os choca, foi feita nas horas de folga daqueles elementos, e com cerveja paga por eles, ao contrário de muita gente respeitável no nosso país, que come muito bem, bebe melhor e passeia muito melhor ainda, à conta dos contribuintes.
Umas largas dezenas de pessoas confinadas a um espaço relativamente pequeno que é um navio, e a levar "porrada do mar e "outros", tem de descontrair. Os comandos não interferem porque é bom para elevar a moral.
Título:
Enviado por: Tilt em Novembro 02, 2008, 09:32:40 am
PereiraMarques era bom era "Sargento -Mor" que luxo, ganhar o belo e não fazer nenhum c34x .
Luis filipe siva estou inteiramente de acordo contigo,essa missão Guine98 não foi "pera doce"
Título:
Enviado por: Ricardo em Novembro 07, 2008, 06:42:12 pm
O site do Corpo de Fuzileiros foi actualizado com novos artigos e fotos.  :wink:

Que opinião têm do site?

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/site/pt (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/site/pt)
Título:
Enviado por: Daniel em Novembro 07, 2008, 08:55:36 pm
Está bastante bom, só não encontrei os Pandur como fazendo parte dos Meios do fuzos (viaturas) , mas nos meios de desembarque tem o LPD. c34x
Título:
Enviado por: Ricardo em Novembro 30, 2008, 06:12:49 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg246.imageshack.us%2Fimg246%2F8017%2Flarclh5.th.gif&hash=a4332aabd1f1bf17e246ca29b03c449a) (http://http)
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 14, 2008, 11:03:56 pm
Elementos da Armada Portuguesa envolvidos na formação do Exército Afegão. De notar a diferença de tons de azul entre as boinas do pessoal Fuzileiro e não-Fuzileiro.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg139.imageshack.us%2Fimg139%2F6886%2Fresize2bh3.jpg&hash=1eda1ff771375259e78c36639e5604f0)
Título:
Enviado por: HSMW em Dezembro 14, 2008, 11:39:15 pm
Com "camuflados" do Exército  :?
Título:
Enviado por: alphaiate em Dezembro 15, 2008, 01:19:34 am
sera este o novo camuflado da marinha?
pessoalmente acho que era bom se assim fosse!
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Dezembro 15, 2008, 01:02:20 pm
Engraçado que o único militar que tem as "famosas" botas de combate dos fuzileiros é um "marinha de pau".

PS:  não quero ofender ninguém
Título:
Enviado por: Dead_Corpse em Dezembro 15, 2008, 04:16:32 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Engraçado que o único militar que tem as "famosas" botas de combate dos fuzileiros é um "marinha de pau".

PS:  não quero ofender ninguém


Muito provavelmente porque não sabe a bela bosta que leva calçado. LOL  
Aquela bota é fornecida pela corrente de abastecimentos a todos os que sigam em missão integrados numa força de Fuzileiros, mas muito facilmente as arranjas por fora...
Título:
Enviado por: raphael em Dezembro 15, 2008, 06:59:37 pm
Os outros são inteligentes, usam calçado que é de algum modo confortável e cumpre os requisitos! :twisted:
Título:
Enviado por: HSMW em Dezembro 15, 2008, 07:18:32 pm
Citação de: "raphael"
Os outros são inteligentes, usam calçado que é de algum modo confortável e cumpre os requisitos! c34x
Título:
Enviado por: Lightning em Dezembro 15, 2008, 07:47:54 pm
Citação de: "HSMW"
Com "camuflados" do Exército  :?


Nos primeiros destacamentos do C-130 o pessoal da Força Aérea também levava esses camuflados, só desde que começou a ir o TACP é que se lembraram de arranjar camuflados de deserto.
Título:
Enviado por: Ricardo em Dezembro 23, 2008, 04:53:06 pm
O site do Corpo de Fuzileiros foi novamente actualizado!  

Está interessante :wink:

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/site/pt (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/site/pt)
Título:
Enviado por: RFCP em Dezembro 24, 2008, 04:37:33 pm
antes demais boas a todos

gostaria de saber se na classe de praças fuzileiros eles sao muito exigentes nos testes medicos no campo da visao.

e que eu tenho 7/10 e 8/10 poderei ser rejeitado por causa da percentagem d visao q tenho??

agradeço respostas e boas festas
Título:
Enviado por: ShadIntel em Janeiro 15, 2009, 12:59:45 pm
Citação de: "JaCinTo"
Boas gostava que me esclarecessem algumas duvidas se possível.

Desde pequeno que me interessei pelas forças armadas, e agora com 17 estou a pesquisar e a tentar informar-me de quais as opções.

Se Fuzileiro na Marinha ou se Ranger (Operações Especiais) no exercito?!

Estou indeciso pois até a pouco tempo tinha uma inclinação pelos Rangers, mas a pouco tempo vi um vídeo no youtube sobre os Fuzileiros DAE (Destacamento de acções especiais) e fiquei de “boca aberta” pois são muito parecidos com os Navy Seals e vi também que só os melhores dos melhores conseguem para lá entrar…

Por isso se houver alguém que me possa explicar mais pormenorizadamente, quais as actividades e tipos de missões dos Rangers e Fuzileiros DAE eu agradecia pois iria ajudar-me muito a decidir e preparar-me…

Obrigado  :P

Citação de: "Dead_Corpse"
Desde já te posso informar que só depois de concluido o curso de fuzileiro é que podes concorrer ao CAOEMAR que é o que neste momento dá acesso ao Destacamento.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Fevereiro 10, 2009, 11:16:22 pm
Ouvi hoje na rádio publicidade aos Fuzileiros. Será que assim conseguem ter mais pessoal a concorrer, esperemos que sim.
Título:
Enviado por: HSMW em Fevereiro 10, 2009, 11:23:50 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Ouvi hoje na rádio publicidade aos Fuzileiros. Será que assim conseguem ter mais pessoal a concorrer, esperemos que sim.


Também já tinha ouvido à algum tempo...
Mas se fizessem umas demonstrações com desembarques na praia, era capaz de ter mas sucesso.
Título:
Enviado por: Xô Valente em Fevereiro 11, 2009, 10:38:07 am
Eu penso que devia haver mais divulgação das forças armadas no geral. Uns anuncios na televisão, na rádio, como foi dito anteriormente, a referencia por parte da comunicação social, imprensa, etc. de modo a chamar mais pessoal para as fileiras.
Mas também antes de isso, deveria ser incutida cultura de defesa e patriotismo por parte das entidades governamentais e estatais. Coisa que não há. :(
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Ricardo em Fevereiro 15, 2009, 11:04:20 pm
Alguém sabe que peça de artilharia é esta e as suas respectivas características?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg9.imageshack.us%2Fimg9%2F6672%2Fpeafm9.th.png&hash=643da4a7a8fec3079d614ed16500bc76) (http://http)
Título:
Enviado por: Lancero em Fevereiro 16, 2009, 10:16:18 pm
O modelo ao certo não tenho presente, mas é o que anglo-saxónicos chamam field gun. Provavelmente artilharia de montanha.
Julgo estar uma igual no museu dos Fuzileiros.
Título:
Enviado por: Ricardo em Fevereiro 20, 2009, 12:46:44 pm
A arma que o 1.º Fuzileiro da esquerda transporta é uma LGF Bazooka?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg14.imageshack.us%2Fimg14%2F3889%2F1001wt7.th.jpg&hash=f063e1e00e7d9d6d55c37d66b569a8bb) (http://http)
Título:
Enviado por: Xô Valente em Fevereiro 25, 2009, 10:08:54 am
Boas!
Sabem dizer-me se os Fuzileiros, além das suas missões terrestres e anfíbias, também embarcam em missões em navios como os da Classe João Coutinho e Vasco da Gama?
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: TOMSK em Fevereiro 25, 2009, 11:24:53 am
Citação de: "Xô Valente"
Boas!
Sabem dizer-me se os Fuzileiros, além das suas missões terrestres e anfíbias, também embarcam em missões em navios como os da Classe João Coutinho e Vasco da Gama?
Cumprimentos.


Sim. Normalmente embarca uma equipa de fuzileiros e mergulhadores.
Título:
Enviado por: Xô Valente em Fevereiro 25, 2009, 01:15:40 pm
Ok. Obrigado. :wink:
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Dead_Corpse em Fevereiro 25, 2009, 04:23:05 pm
Citação de: "Ricardo"
A arma que o 1.º Fuzileiro da esquerda transporta é uma LGF Bazooka?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg14.imageshack.us%2Fimg14%2F3889%2F1001wt7.th.jpg&hash=f063e1e00e7d9d6d55c37d66b569a8bb) (http://http)



É um lança granadas foguete Mod. 58B
Calibre ---------- 88,9mm
Comprimento total ----- 1,78m
Peso --------------------- 8,8Kg (Aprox)
Título:
Enviado por: Ricardo em Fevereiro 26, 2009, 01:58:11 pm
Citação de: "Dead_Corpse"
Citação de: "Ricardo"
A arma que o 1.º Fuzileiro da esquerda transporta é uma LGF Bazooka?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg14.imageshack.us%2Fimg14%2F3889%2F1001wt7.th.jpg&hash=f063e1e00e7d9d6d55c37d66b569a8bb) (http://http)


É um lança granadas foguete Mod. 58B
Calibre ---------- 88,9mm
Comprimento total ----- 1,78m
Peso --------------------- 8,8Kg (Aprox)


Grato pela resposta, porventura será possível saber mais dados sobre este sistema de armas, nomeadamente em que época foi utilizado pelas FA?
Título:
Enviado por: Duarte em Fevereiro 26, 2009, 02:22:17 pm
Citação de: "Ricardo"
Grato pela resposta, porventura será possível saber mais dados sobre este sistema de armas, nomeadamente em que época foi utilizado pelas FA?


Sei que foi usado na guerra no ultramar. Acho que é uma arma que originou durante a II GM, teve várias versões e já não é utilizada por ser obsoleta e velha.

http://en.wikipedia.org/wiki/Bazooka (http://en.wikipedia.org/wiki/Bazooka)
Título:
Enviado por: Ricardo em Fevereiro 27, 2009, 03:46:59 pm
Já agora, sabe se o sistema de armas presente na capa deste livro é a mesma?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.hailerpublishing.com%2Fimages%2Fbrownwaters.jpg&hash=e53cea7057418f1e3b03554d43b4ad18)
Título:
Enviado por: Dead_Corpse em Fevereiro 27, 2009, 03:49:09 pm
parece ser...
Título:
Enviado por: Lancero em Fevereiro 28, 2009, 12:09:10 am
Parece ter protecção para o atirador. Não me lembro de nenhuma bazuca (M9A1 ou M20, designações US) o ter.
Título:
Enviado por: Tilt em Fevereiro 28, 2009, 06:55:36 pm
Lancero não é nenhuma protecção para o atirador; visto esta arma se desmontar em 2as partes,trata se de 1 pano que serve para impedir que o cano(tubo) se suje. Ainda ontem estive com uma na mão  :D
Título:
Enviado por: Lancero em Fevereiro 28, 2009, 09:34:09 pm
Ok, esclarecido. Obrigado :)
Título:
Enviado por: Tilt em Março 02, 2009, 09:43:40 pm
Gostaria de responder melhor o xo Valente apesar da resposta do Tomsk ser correcta.
Nos navios embarca normalmente uma equipa de FZ sendo o efectivo desta equipa variavel conforme a missão.
Os Fuzileiros têm na sua organica o Pelotão de Abordagem com 40 elementos neste momento cabendo a este normalmente os embarques nos navios (outros pelotões e unidades também embarcam).
Os elementos do Pelbord executam  segurança bem como Bording a outros navios quando tal é requerido.
Assim apoiam as unidades navais nas seguintes missões: Fiscalização da pesca; Assistência ao mestre de uma embarcação em caso de disturbios na tripulação; Controlo da imigração; Defesa de portos e ancoradouros Anti-contrabando; Controlo de zonas de exclusão; Anti-pirataria; Combate ao terrorismo ; Operações de bloqueio; Verificação de alegadas avarias para justificar procedimentos proibidos; Furto de mebarcações.
Espero ter dado uma resposta mais abrangente :D
Título:
Enviado por: Xô Valente em Março 02, 2009, 10:46:25 pm
Muito obrigado pelo esclarecimento Tilt. :wink:
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Ricardo em Março 05, 2009, 07:22:43 pm
Que tipo de munição são os ALG's?

Já existiu silenciadores no tempo da Guerra Colonial?
Título:
Enviado por: Xô Valente em Março 05, 2009, 07:24:11 pm
Penso que sim. Se já na 2ª Guerra Mundial era usados...
Título:
Enviado por: Instrutor em Abril 26, 2009, 10:30:49 pm
Alguns videos dos fuzus... apreciem...

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... al/Filmes/ (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/GaleriaDigital/Filmes/)
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Abril 26, 2009, 11:02:02 pm
Se há imagens que a mim me impressionam é a dos patrões de bote a entrar no mar  :lol:
Título:
Enviado por: Instrutor em Abril 27, 2009, 03:36:05 pm
Sendo a especialidade dos fuzileiros desembarques e tomada de navios em alto mar, estes tem tb outras valencias, neste caso o salto de C-130 dos DAE, fuzileiros altamente especializados treinados para combater em qualquer ponto do mundo em qualquer circunstancia.  :wink:
Título:
Enviado por: Stavares em Junho 04, 2009, 08:17:01 pm
Citar
Se o Exército acumula problemas com os atrasos na entrega do blindados Pandur, na Marinha a situação é mais negra e os Fuzileiros nem um único têm, dos 20 previstos. Dos nove para este ano, a entrega encolheu para quatro.

A informação foi recolhida pelo JN na sequência do exercício que ontem decorreu nas imediações da cadeia de Pinheiro da Cruz, com o desembarque de uma força anfíbia, protegida por meios navais, entre os quais a nova fragata "Bartolomeu Dias", das duas a entregar pela Holanda. O exercício, designado Contex/Fibex, onde esteve presente o ministro da Defesa, Severiano Teixeira, previa um cenário de intervenção de uma força de fuzileiros num cenário de conflito, com recurso a armas pesadas.

Mas se o exercício deu bons resultados, era bem visível que os fuzileiros criaram uma testa de ponte, progrediram na zona de costa para enfrentar um inimigo fictício, mas nem sequer dispunham de um único blindado para dar protecção aos homens ou proteger o movimento pelo fogo.

E o escalão de forças empenhadas era o mais alto do Corpo de Fuzileiros, ou seja, pressupunha o emprego do Batalhão Ligeiro de Desembarque (BLD) - no exercício era de 340 homens, mas que pode crescer até 800 -, o que normalmente faria supor já o emprego de meios blindados.

Foi, aliás, neste sentido que a Marinha quis entrar no programa de aquisição do Pandur, ao lado do Exército, em benefício dos Fuzileiros, para aquisição de um total de 20 viaturas blindadas. Para este ano estava prevista a entrega de nove blindados, mas os últimos dados dão conta de que, afinal, só chegarão quatro e em Dezembro.

Em causa estarão problemas associados à capacidade anfíbia destes blindados, uma questão que parece ter a ver com o facto de o Pandur ter sido escolhido pelo nosso país ainda na fase de protótipo e a fábrica austríaca Styer - que produz o blindado - ainda não ter encontrado uma solução técnica que corresponda aos requisitos da Armada.
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 06, 2009, 09:01:08 pm
Alguém conhece os meios do Pelotão de Engenharia do Corpo de Fuzileiros?
Título:
Enviado por: Raul Neto em Junho 07, 2009, 04:39:22 pm
Retro-escavadora, um Unimog S-411? com uma pá à frente é tudo o que conheço.

http://www.youtube.com/watch?v=ZMis0irfHj4 (http://www.youtube.com/watch?v=ZMis0irfHj4) :roll:

Há uma máquina de rastos que surge no vídeo, mas pela pintura desconheço se será da Armada Portuguesa, ou da Armada Francesa (parece-me haver uma diferença na pintura, um verde um pouco mais claro que o das viaturas dos fuzileiros). Não sei se o camião-grua (MB Actros 6x6?) é da referida unidade.
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 09, 2009, 12:36:06 pm
Grato pela resposta Raul Neto :wink:

Já agora, alguém sabe de que se trata o equipamento metálico que se encontra junto da corda de abordagem?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg244.imageshack.us%2Fimg244%2F3781%2F08reu06248.th.jpg&hash=d9d21aa596b9ed10dc59190e117c1749) (http://http)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 09, 2009, 02:06:57 pm
Com aqueles ganchos, mais parece uma escada para prender ao navio que está a ser abordado (talvez, não sei). :oops:
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 10, 2009, 11:14:16 pm
E mesmo isso cabeça de Martelo, é 1 escada de abordagem; mas em proximos static display vai ser apresentado um novo prototipo :D
Título:
Enviado por: nelson38899 em Junho 16, 2009, 02:13:10 pm
Citar
The Portuguese Navy (Marinha Portuguesa) Marine corp “Corpo de Fuzileiros da Armada´´ will receive the first PANDUR II 8×8 armoured vehicle in December. At that time, four amphibian configured armoured vehicles called VBLA (Viatura Blindada Ligeira Anfíbia) with the Navy, will be received from Steyr Daimler  Puch Spezialfahrzeug GmbH (part of General Dynamics European Land Systems) and its Portuguese partner Fabrequipa Sociedade Industrial de Equipamento Rodoviário Lda.

Portugal has ordered 20 vehicles for the Navy service, 13 Infantry Carrier Vehicles (ICVs) fitted with 12.7mm heavy machine guns, 3 Command Post (PC) vehicles fitted with EID Empresa de Investigação e Desenvolvimento de Electrónica SA PRC 525 tactical communications systems, 2 Mortar Carrier (PM) vehicles fitted with the Soltam Systems Ltd CARDOM 120 mortar system and as well 2 Infantry Fighting Vehicles (IFVs) vehicles fitted with the Elbit Systems Ltd UT-30 (Unmanned Turret) remotely operated weapon station coupled to an Alliant Techsystems Inc MK-44 30mm automatic gun and the Rafael Advanced Defence Systems Ltd SPIKE LR (Long Range) multi-purpose missile.

.The Navy has as well expressed the necessity of 33 4×4 light tactical armoured vehicles to the Ministry of Defence procurement agency DGAED under the VTLB (Viatura Táctica Ligeira com Blindagem) programme.
http://poadu.wordpress.com/ (http://poadu.wordpress.com/)
Título:
Enviado por: cromwell em Junho 16, 2009, 03:38:34 pm
Citação de: "nelson38899"
Citar
The Portuguese Navy (Marinha Portuguesa) Marine corp “Corpo de Fuzileiros da Armada´´ will receive the first PANDUR II 8×8 armoured vehicle in December. At that time, four amphibian configured armoured vehicles called VBLA (Viatura Blindada Ligeira Anfíbia) with the Navy, will be received from Steyr Daimler  Puch Spezialfahrzeug GmbH (part of General Dynamics European Land Systems) and its Portuguese partner Fabrequipa Sociedade Industrial de Equipamento Rodoviário Lda.

Portugal has ordered 20 vehicles for the Navy service, 13 Infantry Carrier Vehicles (ICVs) fitted with 12.7mm heavy machine guns, 3 Command Post (PC) vehicles fitted with EID Empresa de Investigação e Desenvolvimento de Electrónica SA PRC 525 tactical communications systems, 2 Mortar Carrier (PM) vehicles fitted with the Soltam Systems Ltd CARDOM 120 mortar system and as well 2 Infantry Fighting Vehicles (IFVs) vehicles fitted with the Elbit Systems Ltd UT-30 (Unmanned Turret) remotely operated weapon station coupled to an Alliant Techsystems Inc MK-44 30mm automatic gun and the Rafael Advanced Defence Systems Ltd SPIKE LR (Long Range) multi-purpose missile.

.The Navy has as well expressed the necessity of 33 4×4 light tactical armoured vehicles to the Ministry of Defence procurement agency DGAED under the VTLB (Viatura Táctica Ligeira com Blindagem) programme.
http://poadu.wordpress.com/ (http://poadu.wordpress.com/)


Não sabia que o programa da compra de veículos 4x4 abrangia os fuzileiros.
Título:
Enviado por: Tilt em Junho 17, 2009, 07:45:28 pm
Cromwell novas missões requerem novos veiculos, incluindo 4x4 com protecção balistica. A ver vamos se esta compra se vai efectivar :roll:
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 18, 2009, 03:34:46 pm
Esta viatura Land-Rover do CF está apetrechada com um sistema no topo de formato redondo, julgo tratar-se de uma antena, será de comunicações ou de Guerra Electrónica?

Alguém tem conhecimento de dados sobre a mesma?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg218.imageshack.us%2Fimg218%2F7726%2F3634179872cb8839e587.th.jpg&hash=16c5ba9e91e4971bb4a71b2b8b802ff4) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg218.imageshack.us%2Fimg218%2F8725%2F363417988260baa9a198.th.jpg&hash=7d5d69aebf7617131f534d532509cef3) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg218.imageshack.us%2Fimg218%2F9632%2F3634179888dc82a5a6ea.th.jpg&hash=2c8241471f0ceaaa2629665437e0fc26) (http://http)

esta foto permite verificar melhor o formato:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg218.imageshack.us%2Fimg218%2F2552%2F3636186131c783e80cc7.th.jpg&hash=61e9a72f3682106fcb7b4e6ea6f60a7f) (http://http)
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 21, 2009, 08:31:42 pm
Ninguém? :cry:

Citação de: "Ricardo"
Esta viatura Land-Rover do CF está apetrechada com um sistema no topo de formato redondo, julgo tratar-se de uma antena, será de comunicações ou de Guerra Electrónica?

Alguém tem conhecimento de dados sobre a mesma?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg218.imageshack.us%2Fimg218%2F7726%2F3634179872cb8839e587.th.jpg&hash=16c5ba9e91e4971bb4a71b2b8b802ff4) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg218.imageshack.us%2Fimg218%2F8725%2F363417988260baa9a198.th.jpg&hash=7d5d69aebf7617131f534d532509cef3) (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg218.imageshack.us%2Fimg218%2F9632%2F3634179888dc82a5a6ea.th.jpg&hash=2c8241471f0ceaaa2629665437e0fc26) (http://http)

esta foto permite verificar melhor o formato:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg218.imageshack.us%2Fimg218%2F2552%2F3636186131c783e80cc7.th.jpg&hash=61e9a72f3682106fcb7b4e6ea6f60a7f) (http://http)
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 22, 2009, 01:26:05 pm
Queria alertar para mais uma desactualização da página da Marinha

Reparar a diferença nas Condições de Acesso:

http://www.marinha.pt/PT/carreira/categ ... eiros.aspx (http://www.marinha.pt/PT/carreira/categoriaeclasses/regimecontrato/oficiais/Pages/OficiaisFuzileiros.aspx)

http://www.marinha.pt/PT/carreira/concu ... ET2009.pdf (http://www.marinha.pt/PT/carreira/concursos/Documents/NormasConcursoOficiaisFZSET2009.pdf)

Refiro-me às habilitações literárias
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 24, 2009, 08:03:53 pm
Citação de: "JD92"
Uma dúvida que me vai na cabeça é sobre a missão dos Fuzileiros. Eles são Tropas Especiais, especialmente treinadas. Pois bem, e quando se acaba a recruta e o Fuzileiro recebe a boina, qual será a sua missão? Quero eu dizer, qual será o seu dia-a-dia? Ficam embarcados numa fragata? Ou ficam apenas no quartel a treinar etc.?
Muito obrigado desde já. Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 25, 2009, 11:21:20 am
O Pelboard no combate à Pirataria Somali:

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... Somali.htm (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/Not%C3%ADcias/O+Pelboard+no+combate+%C3%A0+Pirataria+Somali.htm)

Fragata Côrte-Real - Acção do Pelotão de Abordagem:

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... e+2009.htm (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/Not%C3%ADcias/PELBOARD_22+June+2009.htm)
Título:
Enviado por: JD92 em Junho 25, 2009, 02:13:50 pm
Citação de: "Ricardo"
O Pelboard no combate à Pirataria Somali:

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... Somali.htm (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/Not%C3%ADcias/O+Pelboard+no+combate+%C3%A0+Pirataria+Somali.htm)

Fragata Côrte-Real - Acção do Pelotão de Abordagem:

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... e+2009.htm (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/Not%C3%ADcias/PELBOARD_22+June+2009.htm)

Muito forte a presença e a acção de Portugal no combate á pirataria da Somália, sem dúvida. O "problema" é que nem todos os Fuzileiros ficam embarcados, ou estou errado?
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 26, 2009, 03:11:29 pm
Citação de: "Lancero"
Citação de: "JD92"
Eles são Tropas Especiais, especialmente treinadas. Pois bem, e quando se acaba a recruta e o Fuzileiro recebe a boina, qual será a sua missão? Quero eu dizer, qual será o seu dia-a-dia? Ficam embarcados numa fragata? Ou ficam apenas no quartel a treinar etc.?
Muito obrigado desde já. Cumprimentos.


A boina recebe-se no fim do curso de Fuzileiro, não é no fim da recruta, mas adiante.

A missão dos Fuzileiros varia consoante a sub-unidade em que for colocado após concluir o curso.

(Unidades de Fuzileiros)

http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiro ... /Unidades/ (http://fuzileiros.marinha.pt/CFuzileiros/Site/PT/Unidades/)
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 28, 2009, 07:28:01 pm
Citar
28 Junho 2009 - 00h30

Comemorações: Convívio reúne em Vale de Zebro diferentes gerações
 
Fuzileiros com falta de voluntários

O Dia do Fuzileiro foi ontem celebrado com pompa e circunstância em Vale de Zebro, Barreiro, reunindo diferentes gerações de militares. Foram inúmeras as actividades – desfile militar, baptismo da parada e almoço – que marcaram aquele que é considerado "o grande dia" da instituição, que vê com alguma preocupação o futuro.




'Os jovens não estão aderir aos fuzileiros tanto quanto desejávamos. Estamos aquém, mas é um problema de todos os ramos das Forças Armadas', disse ao CM o comandante do Corpo de Fuzileiros, contra-almirante Luís Miguel Picciochi. 'Como somos uma força especial, o curso é muito exigente a nível físico e psicológico, o que leva a que também haja um elevado número de desistências.'

O responsável dos fuzileiros diz que estar na instituição 'não é um trabalho nada fácil', mas que os que tomam contacto com ela 'ficam de imediato motivados'. 'Uma coisa é certa: quem acaba o curso fica preparado para enfrentar qualquer missão.'

Ontem, nas comemorações, muitos fuzileiros que estiveram no Ultramar marcaram presença, casos de António Costa, José Ribeiro e José Santos, do destacamento 13 que, entre 1965 e 67, combateu em Angola. 'Fomos 75 e viemos 74. Só um morreu lá. Mas parece que hoje ainda vibramos mais com os fuzileiros', disse José Santos. 'Hoje não há guerra, mas o espírito entre os fuzileiros mantém-se inalterável.'

PORMENORES

DESFILE MILITAR

As cerimónias ficaram marcadas pelo desfile de 450 fuzileiros e de veículos da força.

BAPTISMO DA PARADA

Até então sem nome, a parada foi baptizada de ‘Almirante Roboredo e Silva’, um dos nomes mais importantes dos fuzileiros.

LIVRO APRESENTADO

O dia ficou ainda marcado pela apresentação do livro ‘Memórias de um Guerreiro Colonial’

João Tavares


http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... 0000000010 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=4DC2F054-BB30-423F-B920-B6443AE74201&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010)
Título:
Enviado por: SSK em Junho 28, 2009, 08:28:39 pm
Um dos maiores combatentes de Portugal vai lançar um livro. O autor tem o nome de Gomes Talhadas e o lançamento será em Vale de Zebro durante os festejos do dia do Fuzileiro.
Título:
Enviado por: ShadIntel em Junho 28, 2009, 09:57:25 pm
Citação de: "SSK"
Um dos maiores combatentes de Portugal vai lançar um livro. O autor tem o nome de Gomes Talhadas e o lançamento será em Vale de Zebro durante os festejos do dia do Fuzileiro.
Então a esperança concretizou-se.  :wink:
Artigo do DN de 1997, sobre o sargento-chefe Gomes Talhadas:

Citar
Não somos uma geração de vencidos

"Não me interessava se a guerra era justa ou injusta. A Nação nessa altura precisava de mim e eu disse presente. Pensava que ia lutar por uma boa causa - ia defender a minha pátria."

Foi com esse  espírito que o ex-marinheiro fuzileiro especial José Talhadas enfrentou quatro comissões: duas em Angola e duas na Guiné. Das primeiras, prefere não falar: "Em Angola, vi muita coisa desagradável. "Estava ansioso por colocar no terreno tudo o que tinha aprendido no curso especial de fuzileiros. Quando foi mobilizado, acatou a decisão com grande satisfação. "Tinha terminado um curso árduo. Fui preparado fisica e psicologicamente para aquilo que íamos enfrentar."

Primeiro esteve em Angola. Mas foi na Guiné que encontrou uma guerra "mais a sério, mais dura, mas também mais leal". O Destacamento 12 chegou a Bissau em 1967. Os dois primeiros meses,  passados nas Instalações Navais de Bissau, foram de adaptação ao clima e ao território. Mas já aí enfrentavam alguns perigos. "Nas chamadas operacões PTO [Preparação Técnica Operacional], tivemos algum contacto com o inimigo. Quando saíamos para o mato, íamos com outra unidade que já lá estava e que nos dava um certo apoio. De Bissau eram levados para vários pontos da Guiné. "Fazíamos operacões de helicóptero e de lancha e ambas nos permitiam percorrer quase toda a Guiné." Uma vez aptos para o combate, seguiram para o Norte. Ganture passou a ser a base. Ficava situada a 2,5 quilómetros de uma unidade do Exército.  O rio Cacheu era minuciosamente patrulhado por José Talhadas e pelos camaradas. Era essa  a sua  missão. Durante a noite usavam a técnica de emboscada, aproveitando o denso arvoredo para se camuflarem. Com o auxílio dos pequenos botes,  tentavam impedir o inimigo de transportar o armamento de  uma margem para outra. "Por vezes tínhamos sorte e apanhávamos algumas embarcações. Havia contacto de fogo entre as forças e conseguíamos apanhar alguma cambança." Enquanto um destacamento de fuzileiros (cerca de 80 homens) patrulhava o rio, o outro actuava no terreno. Entre as várias missões que tinham, cabia-lhes também apoiar as forças do Exército, que por vezes eram sistematicamente bombardeadas. Foi o que aconteceu em Buba. "Uma unidade do Exército que estava a ser atacada há duas  ou três semanas pediu reforço ao meu destacamento. Na noite em que fomos lá colocados, houve um ataque fortíssimo. No dia seguinte, fomos emboscar em itinerários por onde poderiam passar. Por sorte caíram numa emboscada. Houve tiroteio, mas nós estávamos em vantagem. Ao retirar, deixaram duas baixas e nós apanhámos o armamento."

Usar a G3 foi coisa que nunca lhe colocou problemas de consciência. Até porque era a sua vida que estava em causa: "Quando combatemos, se não matamos, morremos." É com o orgulho de ser fuzileiro que nos  diz que as unidades de que fez parte sofreram poucas baixas. Era o resultado da intensa preparação dada a estes homens. Alguns truques para enganar o inimigo também ajudavam. "Tomávamos o procedimento do adversário. Por vezes utilizavámos armamento igual. Tínhamos dois camaradas negros que nestas alturas iam à frente. Quando o inimigo via um grupo em progressão com estas características, criava-se-lhe uma  indecisão grande." Apesar das poucas baixas sofridas, José Talhadas não pode deixar de lembrar o dia em que comandava uma seccão (12 homens). Ele e os camaradas passaram um mau bocado. Aconteceu em Samboia, uma zona perigosa  a que chamavam o "cemitério dos fuzileiros". A picada que tinham que atravessar depois de desembarcar não era mais convidativa - era a temida "zona da morte". "Ao desembarcar, fomos detectados pelo inimigo, que logo abriu fogo sobre nós. Refugiamo-nos na mata. Na manhã seguinte, entrámos no acampamento deles. Já não estava ninguém. Recebemos ordens para nos mantermos na zona até o helicóptero ir buscar o material deixado pelo inimigo. A "zona da morte" estava cercada e não tivemos possibilidade de nos defender. Se não tivesse sido o apoio aéreo, teríamos morrido muitos mais." É neste clima de más recordações que o nosso entrevistado enaltece o apoio dado pelas "senhoras para-quedistas" que iam buscar os mortos e os feridos. "Aproveitavam sempre para nos dar uma  palavra de incentivo." Importante também eram as visitas de Spínola, por quem Talhadas tinha grande admiração. "Não era um homem apenas de secretária. Ele ia ao terreno de combate para nos dar força e ânimo." Já do povo português não tem a mesma opinião. "Não considerem a minha geração uns vencidos, porque não fomos. E aquela não foi uma guerra da catana como já lhe ouvi chamar. Era uma guerra em que o inimigo possuía armas e experiência superiores às nossas. Mas, mesmo assim, em Angola e Moçambique  nós tínhamos o domínio da guerra."

Talhadas foi e será sempre orgulhosamente fuzileiro. É com a emoção estampada no rosto que ouve a Marcha da Associação de Fuzileiros com que se despediu de nós. E acrescenta: "Talvez assim compreendam o meu sentido de ser fuzileiro."

"Importante é estar  no local certo no momento certo"

José Talhadas é um homem de armas. Nunca se julgou um herói: "Os mais verdadeiros heróis morreram em pleno combate." "Ao obter as condecorações, não quer dizer que eu seja melhor que os meus camaradas. Às vezes, se estivermos no local certo no momento certo, somos capazes de fazer coisas maravilhosas. Foi o que aconteceu comigo."  A medalha de Valor Militar talvez seja a condecoração de que  mais se possa orgulhar. Esta medalha, como o  próprio nome diz, "não é o reconhecimento de uma acção em particular, mas sim de um conjunto de actos". A título de exemplo, eis um dos casos, que ocorreu durante uma acção de intervenção em Canjaja. Talhadas seguia à frente do seu grupo de assalto quando este contactou com os guerrilheiros, que sofreram três baixas e ficaram com algum armamento apreendido. Pouco depois, o grupo de assalto foi atacado, sofrendo três feridos graves. Apesar de ter sido também ferido, o marinheiro fuzileiro especial "demonstrou um total desprezo pela vida, lançando-se arrojadamente  a peito descoberto sobre o grupo inimigo. Arrastou com o seu exemplo os camaradas, daí resultando a debandada do grupo inimigo".


JOSÉ GOMES TALHADAS
Fuzileiro especial

Actualmente com 51 anos, José Talhadas é natural de Moura, no Baixo Alentejo. Descendente de uma família humilde, fez a 4a. classe e cedo se iniciou no mundo do trabalho. Aos 16 anos entrou como voluntário naquela que considera ser a sua outra família – os fuzileiros. Enquanto jovem, morava na Baixa  da Banheira, estando por isso perto da Escola de Fuzileiros. Lembra-se bem de como ele e os colegas ouviam falar da Marinha: "Dizia-se que tinha uma maneira diferente de tratar os seus homens." Maneira essa que ele próprio quis ver como era. Lutou pela pátria em duas das "províncias ultramarinas" - Angola e Guiné.
Atarefado com tanta comissão, conseguiu ainda arranjar tempo para casar por procuração com Dinora - a actual mulher e mãe do seu filho. Fez parte de duas companhias operacionais nos momentos conturbados  do pós-25 de Abril. Regressou à Escola de Fuzileiros, onde  tirou o curso de sargento. Deu instrução aos fuzileiros, ajudando a preparar "boas máquinas de combate". Presentemente, encontra-se ainda no activo, seguindo a máxima que o próprio orgulhosamente utiliza: "Fuzileiro uma vez, fuzileiro para sempre." É sargento-chefe na Escola Naval do Alfeite. E é lá que ajuda a preparar jovens oficiais.

José Talhadas guarda ainda a esperança de um dia, com a ajuda de alguém, vir a escrever um livro. Este  servirá para recordar as experiências vividas em oito anos de intenso combate. O amor que sente pelo continente africano fará provavelmente parte desse mesmo livro. Diz-nos com um brilho no olhar: "Tenho  África no coração e gostaria de voltar lá um dia, mas não como militar."

Diário de Notícias  23/11/97
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 08, 2009, 09:44:19 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2FConteudos_Externos%2FRevistaArmada%2F433%2FHTML%2Fimages%2Fpage11_zoom.jpg&hash=6846502783a308acb54c0bbd213f5c46)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2FConteudos_Externos%2FRevistaArmada%2F433%2FHTML%2Fimages%2Fpage12_zoom.jpg&hash=c3e6f0f8625dee122d5aeffac172da1a)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: zeNice em Setembro 29, 2009, 04:29:51 pm
Os Fuzileiros também fazem algum tipo de curso de Páraquedismo?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 29, 2009, 04:44:22 pm
Citação de: "zeNice"
Os Fuzileiros também fazem algum tipo de curso de Páraquedismo?

Os militares do DAE, sendo de uma unidade de Operações Especiais, têm o curso de Pára-quedismo militar feito na ETP.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: zeNice em Setembro 29, 2009, 04:54:28 pm
Já saiu o calendário de concursos !!

http://www.marinha.pt/PT/carreira/concu ... visao.aspx (http://www.marinha.pt/PT/carreira/concursos/Pages/Calendariodosconcursospara2010Previsao.aspx)

Tenho o 12º ano, quero concorrer nos Fuzileiros mas estou indeciso se concorro a Praça ou Oficial, não me importo com o dinheiro ou a patente.

Em qual dos dois tenho mais hipóteses de fazer missões no estrangeiro?
Em qual dos dois tenho mais hipóteses de entrar nos Quadros Permanentes?

Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: zeNice em Março 08, 2010, 02:35:25 pm
http://www.flickr.com/photos/39092705@N ... 453254007/ (http://www.flickr.com/photos/39092705@N04/sets/72157623453254007/)

Álbum dedicado aos Fuzileiros no flickr da Marinha Portuguesa.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Março 08, 2010, 02:52:14 pm
qual é a missao da brigada real?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffarm5.static.flickr.com%2F4046%2F4416932284_7dabfc8fc5_o.jpg&hash=678e2cdd5d35a07d26f8c36bb7a676f6)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffarm3.static.flickr.com%2F2707%2F4416932366_f3d641b130_o.jpg&hash=66f65105dd7d8e7579d289bbed89c01e)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 09, 2010, 04:09:45 pm
É uma unidade que já não existe.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Março 09, 2010, 04:24:24 pm
Ok. Obrigado
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabecinhas em Março 09, 2010, 04:35:39 pm
Não há rei...
Título: Re: Ingresso no Exército
Enviado por: moser em Março 11, 2010, 02:35:50 pm
Ora boas, queria aqui tirar uma duvida.

Eu sou brasileiro e ja ca estou desde os 13 anos, gostaria de saber se após a obtenção de nacionalidade portuguesa posso concorrer aos fuzileiros, visto ser esse o meu objectivo de vida e seria com enorme orgulho que representaria a Pátria!
Porque o que importa não é a patria em que nascemos, mas a que nos acolhe!

eu sei que as condições para admissão é ter nacionalidade portuguesa, mas as vezes é melhor perguntar, poderia haver alguma regra ou algo do género.

Cumprimentos a todos.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Março 11, 2010, 02:52:51 pm
depois de teres a nacionalidade és um portugues como qualquer um de nós
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: moser em Março 11, 2010, 03:05:30 pm
Citação de: "sergio21699"
depois de teres a nacionalidade és um portugues como qualquer um de nós

obrigado amigo sergio.

é mesmo essa a minha escolha.

Cumprimentos e obrigado novamente.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: zeNice em Março 30, 2010, 11:34:10 am
As provas de ingresso iniciaram dia 18 de Fevereiro e terminaram dia 12 de Março de 2010. Incorporação dia 30 de Abril.

Quando deverão sair os resultados? Agora no inicio de Abril ou só uma semana antes da data de Incorporação?

Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sniper14 em Abril 11, 2010, 07:05:22 pm
Na passada sexta feira dia 9 de Abril comemorou-se o dia do Corpo de Fuzileiros e uma cerimónia de imposição de boinas na Escola de Fuzileiros.
 :D  :D  :D
Alguém tem fotos ou noticias??
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Abril 19, 2010, 12:08:38 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffarm3.static.flickr.com%2F2762%2F4439159089_f8dd02e28a_b.jpg&hash=ce170ea94fbe56b029c307ca9e545151)

alguem sabe se os fuzos ja tiveram algum interesse em comprar, um brinquedo destes???
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 30, 2010, 03:41:37 pm
Para? Não estou a ver a necessidade operacionbal dos Fuzos Portugueses para um navio destes. Os Brasileiros estiveram para comprar, mas como era caro continuam a usar as velhinhas lanchas que sempre usaram.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Abril 30, 2010, 04:37:01 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Para? Não estou a ver a necessidade operacionbal dos Fuzos Portugueses para um navio destes. Os Brasileiros estiveram para comprar, mas como era caro continuam a usar as velhinhas lanchas que sempre usaram.

capacidade de ataque tanto no mar como no rio, a barcos e a pontos de defesa em terra. Estes veículos permitem  deixar uma força equipada de fuzos  em terra dando ao mesmo tempo protecção e sem dar muito nas vistas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Maio 01, 2010, 10:01:07 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Para? Não estou a ver a necessidade operacionbal dos Fuzos Portugueses para um navio destes. Os Brasileiros estiveram para comprar, mas como era caro continuam a usar as velhinhas lanchas que sempre usaram.

Para operações nos rios da Guiné devem dar jeito mas... a guerra colonial já acabou :mrgreen:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Maio 01, 2010, 11:50:55 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Para? Não estou a ver a necessidade operacionbal dos Fuzos Portugueses para um navio destes. Os Brasileiros estiveram para comprar, mas como era caro continuam a usar as velhinhas lanchas que sempre usaram.

Para operações nos rios da Guiné devem dar jeito mas... a guerra colonial já acabou :mrgreen:

Mas que eu saiba o rio douro, Tejo, Mondego, Minho, Lima, Sado e Guadiana são navegáveis.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ranger Rebelde em Junho 07, 2010, 09:05:55 am
Aviso n.º 11215/2010. D.R. n.º 109, Série II de 2010-06-07 (http://http)
Ministério da Defesa Nacional - Marinha - Superintendência dos Serviços do Pessoal - Direcção do Serviço de Pessoal Repartição de Recrutamento e Selecção
Abertura de concurso para admissão de voluntários de ambos os sexos para a prestação de serviço militar no regime de contrato na categoria de oficiais da classe de fuzileiros
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Junho 09, 2010, 02:08:30 pm
Artigo sobre a Sala-Museu do Fuzileiro: http://barcoavista.blogspot.com/ (http://barcoavista.blogspot.com/)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Junho 09, 2010, 08:28:41 pm
Estou a ver uma AR10 nesta foto!! Os Fuzos também tiveram destas armas??

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F_8vV4aVw1DhI%2FTAeSwM3rdoI%2FAAAAAAAAA5g%2FHVVmWD9EB8I%2Fs1600%2FMARINHA003.jpg&hash=dfd1ffed24608e4b4aaf80da9188e50b)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Junho 09, 2010, 08:36:03 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Para? Não estou a ver a necessidade operacionbal dos Fuzos Portugueses para um navio destes. Os Brasileiros estiveram para comprar, mas como era caro continuam a usar as velhinhas lanchas que sempre usaram.

capacidade de ataque tanto no mar como no rio, a barcos e a pontos de defesa em terra. Estes veículos permitem  deixar uma força equipada de fuzos  em terra dando ao mesmo tempo protecção e sem dar muito nas vistas.

Parece-me bem que os Fuzileiros precisam de muita coisa antes de precisarem deste barco...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Junho 09, 2010, 09:14:55 pm
Boa pergunta, caro ACADO. Realmente não tenho a mínima ideia de uso da AR-10 por parte dos DFE's ou CF's detacadas no Ultramar. Sempre pensei que as poucas fornecidas tinha ido para os Páras.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Junho 09, 2010, 11:33:52 pm
Citação de: "ACADO"
Estou a ver uma AR10 nesta foto!! Os Fuzos também tiveram destas armas??

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F_8vV4aVw1DhI%2FTAeSwM3rdoI%2FAAAAAAAAA5g%2FHVVmWD9EB8I%2Fs1600%2FMARINHA003.jpg&hash=dfd1ffed24608e4b4aaf80da9188e50b)

 :arrow: http://forumdefesa.com/forum/viewtopic. ... 5bc951b38a (http://forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?p=61171&sid=6014858b3ca5514d0685a25bc951b38a)

Citar
Um membro do nosso fórum, que leu a obra completa, teve a gentileza de rectificar que não foram os "fuzos" os primeiros a usar a AR-10. O que está referido no livro é que as primeiras armas usadas pelos Fuzileiros Especiais foram um pequeno lote de AR-10, mais tarde cedidas à Força Aérea/Paraquedistas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Junho 10, 2010, 12:09:29 pm
Ok. Obrigado
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Junho 21, 2010, 12:07:59 am
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "ACADO"
Estou a ver uma AR10 nesta foto!! Os Fuzos também tiveram destas armas??

 :wink:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: zeNice em Julho 30, 2010, 11:20:36 am
Sai esta 2ºfeira os resultados do concurso a Praça RC?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Agosto 04, 2010, 07:32:56 pm
Carro que participou na Marcha das Gualterianas em honra daqueles que tiveram e têm o prazer de ter servido na Marinha, em especial nos Fuzileiros.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg835.imageshack.us%2Ff%2Ffuzosgualterianas1.png%2F&hash=f33a374bf2f85103995e02a32bc00986)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg594.imageshack.us%2Fi%2Ffuzosgualterianas.png%2F&hash=64bfe0e438ac387e5f638e6a1bd9dc5e)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg844.imageshack.us%2Fi%2Ffuzosgualterianas2.png%2F&hash=0e3b1d1ad7a732e8e681a3201ac5b3eb)

edit: não sei porque não aparecem as imagens, pelo menos no meu pc não funciona, por isso deixo aqui os links:
http://img835.imageshack.us/i/fuzosgualterianas1.png/
http://img594.imageshack.us/i/fuzosgualterianas.png/
http://img844.imageshack.us/i/fuzosgualterianas2.png/
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 05, 2010, 09:49:46 am
Citar
Aviso n.º 15510/2010. D.R. n.º 151, Série II de 2010-08-05

Ministério da Defesa Nacional - Marinha - Superintendência dos Serviços do Pessoal - Direcção do Serviço de Pessoal - Repartição de Recrutamento e Selecção

Abertura de concurso para admissão de voluntários para prestação de serviço militar no regime de contrato, na categoria de praças da classe de fuzileiros

 :arrow: http://www.dre.pt/util/getpdf.asp?s=dia ... 2010043278 (http://www.dre.pt/util/getpdf.asp?s=diad&serie=2&iddr=151.2010&iddip=2010043278)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Agosto 05, 2010, 09:55:21 am
Citação de: "sergio21699"
Carro que participou na Marcha das Gualterianas em honra daqueles que tiveram e têm o prazer de ter servido na Marinha, em especial nos Fuzileiros.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg835.imageshack.us%2Ff%2Ffuzosgualterianas1.png%2F&hash=f33a374bf2f85103995e02a32bc00986)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg594.imageshack.us%2Fi%2Ffuzosgualterianas.png%2F&hash=64bfe0e438ac387e5f638e6a1bd9dc5e)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg844.imageshack.us%2Fi%2Ffuzosgualterianas2.png%2F&hash=0e3b1d1ad7a732e8e681a3201ac5b3eb)

edit: não sei porque não aparecem as imagens, pelo menos no meu pc não funciona, por isso deixo aqui os links:
http://img835.imageshack.us/i/fuzosgualterianas1.png/
http://img594.imageshack.us/i/fuzosgualterianas.png/
http://img844.imageshack.us/i/fuzosgualterianas2.png/

penso que o problema está no formato da imagem. Tens que converter para jpeg e não png.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Agosto 05, 2010, 07:49:35 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "sergio21699"
Carro que participou na Marcha das Gualterianas em honra daqueles que tiveram e têm o prazer de ter servido na Marinha, em especial nos Fuzileiros.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg835.imageshack.us%2Ff%2Ffuzosgualterianas1.png%2F&hash=f33a374bf2f85103995e02a32bc00986)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg594.imageshack.us%2Fi%2Ffuzosgualterianas.png%2F&hash=64bfe0e438ac387e5f638e6a1bd9dc5e)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg844.imageshack.us%2Fi%2Ffuzosgualterianas2.png%2F&hash=0e3b1d1ad7a732e8e681a3201ac5b3eb)

edit: não sei porque não aparecem as imagens, pelo menos no meu pc não funciona, por isso deixo aqui os links:
http://img835.imageshack.us/i/fuzosgualterianas1.png/
http://img594.imageshack.us/i/fuzosgualterianas.png/
http://img844.imageshack.us/i/fuzosgualterianas2.png/

penso que o problema está no formato da imagem. Tens que converter para jpeg e não png.

Não sabia disso, de qualquer maneira pelo link dá para as visualisar  :)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 15, 2010, 12:55:47 am
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg140.imageshack.us%2Fimg140%2F6012%2F76153668.jpg&hash=5984e9c3d3a1c997d492a128228ab8fb)

http://www.marinha.pt/PT/noticiaseagend ... /RA445.pdf (http://www.marinha.pt/PT/noticiaseagenda/revistadaarmada/Documents/RA445.pdf)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Novembro 15, 2010, 01:05:38 am
Porta-Carregadores para G36 em Portugal para testes

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fsphotos.ak.fbcdn.net%2Fhphotos-ak-snc4%2Fhs963.snc4%2F75646_493804426825_606786825_6847109_6896205_n.jpg&hash=3decab5b9475d8bebd339f6acc59639f)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: GI Jorge em Novembro 18, 2010, 05:44:23 pm
Citação de: "ACADO"
Porta-Carregadores para G36 em Portugal para testes

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fsphotos.ak.fbcdn.net%2Fhphotos-ak-snc4%2Fhs963.snc4%2F75646_493804426825_606786825_6847109_6896205_n.jpg&hash=3decab5b9475d8bebd339f6acc59639f)

E esses porta carregadores serão práticos?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 18, 2010, 05:50:05 pm
Jorge isso aí é uma aquisição do ACADO, os Fuzos, os Páras Espanhóis e as unidades dos ínúmeros tópicos onde ele colocou esta foto, não têm disto.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: GI Jorge em Novembro 18, 2010, 07:20:52 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Jorge isso aí é uma aquisição do ACADO, os Fuzos, os Páras Espanhóis e as unidades dos ínúmeros tópicos onde ele colocou esta foto, não têm disto.

Pensava que estavam a pensar equipar unidades com eles.  :oops:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Novembro 19, 2010, 03:52:43 am
Citação de: "GI Jorge"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Jorge isso aí é uma aquisição do ACADO, os Fuzos, os Páras Espanhóis e as unidades dos ínúmeros tópicos onde ele colocou esta foto, não têm disto.

Pensava que estavam a pensar equipar unidades com eles.  :oops:

Sim, estao para testes para possivel futura aquisicao em Portugal e Espanha.
E sim, sao os mais praticos que conheco. Todos os outros que existem nao conseguem levar carregadores individualmente e tem uma tampa com aqueles pinchavelhos ou com velcro ou ambos.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: chaimites em Novembro 19, 2010, 09:12:41 am
Pronto ; Os nossos rapazes vao começar a perder o material pelo caminho! :mrgreen:

Nao me digam que essa m&#$  é importada!

A confeção de "vao de escada" aqui da vizinha fazia uma coisinha melhor!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: armando30 em Novembro 19, 2010, 07:08:44 pm
Citação de: "GI Jorge"
Citação de: "ACADO"
Porta-Carregadores para G36 em Portugal para testes

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fsphotos.ak.fbcdn.net%2Fhphotos-ak-snc4%2Fhs963.snc4%2F75646_493804426825_606786825_6847109_6896205_n.jpg&hash=3decab5b9475d8bebd339f6acc59639f)

E esses porta carregadores serão práticos?
neste fórum foi dada a notícia que os carregadores originais da G36 seriam substituídos (quando anunciaram no fórum acho que seria para todos os países utilizadores da G36) por carregadores americanos, principalmente porque os originais são tidos como pouco práticos.
qual seria a vantagem de comprar esses porta carregadores (para os carregadores originais da G36) se os carregadores que agora vão ser usados são diferentes?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Novembro 20, 2010, 01:08:17 pm
Citação de: "armando30"
Citação de: "GI Jorge"
Citação de: "ACADO"
Porta-Carregadores para G36 em Portugal para testes

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fsphotos.ak.fbcdn.net%2Fhphotos-ak-snc4%2Fhs963.snc4%2F75646_493804426825_606786825_6847109_6896205_n.jpg&hash=3decab5b9475d8bebd339f6acc59639f)

E esses porta carregadores serão práticos?
neste fórum foi dada a notícia que os carregadores originais da G36 seriam substituídos (quando anunciaram no fórum acho que seria para todos os países utilizadores da G36) por carregadores americanos, principalmente porque os originais são tidos como pouco práticos.
qual seria a vantagem de comprar esses porta carregadores (para os carregadores originais da G36) se os carregadores que agora vão ser usados são diferentes?

Se disse bem que vao fazer novos carregadores novos, esqueceu-se de dizer que o poco do carregador tambem sera diferente. Ou seja, ou todos compram pocos de carregadores novos pra todas as armas ou continuam a usar os antigos.
Ja pra nao falar que este porta carregadores e originalmente pra carregadores de Ar15 e que foram feitas versoes para G3/Fal/M14 e agora para G36.
Ninguem fazia porta carregadores de jeito para G36, chegaram agora, mas ainda estao em testes para ver pros e cons e serem feitas melhorias.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Novembro 20, 2010, 01:13:16 pm
Citação de: "chaimites"
Pronto ; Os nossos rapazes vao começar a perder o material pelo caminho! :mrgreen:

Nao me digam que essa m&#$  é importada!

A confeção de "vao de escada" aqui da vizinha fazia uma coisinha melhor!

Mas porque e que esta a dizer barbaridades e falar mal de uma coisa que nem sequer conhece??

Ao dizer tais coisas demonstra a sua falta de conhecimentos na area e assim a sua opiniao deixa de ter qualquer valor para este forum. Nao tinha necessidade...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Novembro 20, 2010, 09:34:33 pm
Citação de: "ACADO"
Se disse bem que vao fazer novos carregadores novos, esqueceu-se de dizer que o poco do carregador tambem sera diferente. Ou seja, ou todos compram pocos de carregadores novos pra todas as armas ou continuam a usar os antigos.
Ja pra nao falar que este porta carregadores e originalmente pra carregadores de Ar15 e que foram feitas versoes para G3/Fal/M14 e agora para G36.
Ninguem fazia porta carregadores de jeito para G36, chegaram agora, mas ainda estao em testes para ver pros e cons e serem feitas melhorias.

Mas é assim tão complicado fazer carregadores?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Novembro 23, 2010, 09:54:48 am
Citação de: "sergio21699"
Citação de: "ACADO"
Se disse bem que vao fazer novos carregadores novos, esqueceu-se de dizer que o poco do carregador tambem sera diferente. Ou seja, ou todos compram pocos de carregadores novos pra todas as armas ou continuam a usar os antigos.
Ja pra nao falar que este porta carregadores e originalmente pra carregadores de Ar15 e que foram feitas versoes para G3/Fal/M14 e agora para G36.
Ninguem fazia porta carregadores de jeito para G36, chegaram agora, mas ainda estao em testes para ver pros e cons e serem feitas melhorias.

Mas é assim tão complicado fazer carregadores?

Ahahah
Pergunte aos engenheiros da HK que nao sao muito bons engenheiros mas de combate nao percebem um cu e fizeram aqueles trambolhos.
Nao faco ideia se e dificil ou nao, mas que sao uma das principais razoes porque as armas encravam, sao. Veja os exemplos das AR15 ou das Kalashnikov, ha centenas de carregadores para elas, mas so alguns funcionam como deve ser. Alguma dificuldade deve ter...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Novembro 23, 2010, 05:29:42 pm
Cães de Guerra no Corpo de Fuzileiros: http://barcoavista.blogspot.com/ (http://barcoavista.blogspot.com/)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 29, 2010, 11:03:35 pm
Foi preciso esperar 30 ou 35 anos para se "legalizar" uma prática que já existe há....

Citar
Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, n.º 57/10, de 29
de Dezembro:

DISTINTIVO ALUSIVO AO CURSO DE FUZILEIRO

Atenta a importância profissional da adopção de um distintivo alusivo à habilitação
com o curso de fuzileiro.

Considerando necessário dotar os militares habilitados com esse curso de um distintivo
que os identifique, para além da boina, como militares daquele corpo de tropas especiais.
Atendendo ao facto do distintivo actualmente em uso para os fuzileiros especiais se
assumir, simbolicamente, como o que melhor identifica os fuzileiros.

Determino:
1. É aprovado o distintivo alusivo à habilitação com o curso de fuzileiro, com o formato
que consta em anexo e que provém do actualmente atribuído à especialização em
Fuzileiro Especial.

2. Este distintivo, usado do lado direito do peito, destina-se a ser utilizado por todos os
militares que, desde 1975, concluíram com aproveitamento o curso de fuzileiro
.

3. O Estado-Maior da Armada elabora a inerente proposta de alteração legislativa por
forma a actualizar em conformidade o Regulamento de Uniformes dos Militares da
Marinha (RUMM).

4. O presente despacho entra em vigor no prazo de 60 dias após a sua publicação, e
caduca com a publicação em Diário da República da alteração à portaria que aprova
o RUMM

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg441.imageshack.us%2Fimg441%2F4065%2F29147781.jpg&hash=bf2d43cd982bd8f1a09bad495acb4ffb)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Sid87 em Dezembro 29, 2010, 11:50:09 pm
Alguém me sabe dizer quando abre o próximo curso de fuzileiros? Obrigado!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Dezembro 30, 2010, 12:07:46 am
Citação de: "PereiraMarques"
Foi preciso esperar 30 ou 35 anos para se "legalizar" uma prática que já existe há....

Citar
Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, n.º 57/10, de 29
de Dezembro:

DISTINTIVO ALUSIVO AO CURSO DE FUZILEIRO

Atenta a importância profissional da adopção de um distintivo alusivo à habilitação
com o curso de fuzileiro.

Considerando necessário dotar os militares habilitados com esse curso de um distintivo
que os identifique, para além da boina, como militares daquele corpo de tropas especiais.
Atendendo ao facto do distintivo actualmente em uso para os fuzileiros especiais se
assumir, simbolicamente, como o que melhor identifica os fuzileiros.

Determino:
1. É aprovado o distintivo alusivo à habilitação com o curso de fuzileiro, com o formato
que consta em anexo e que provém do actualmente atribuído à especialização em
Fuzileiro Especial.

2. Este distintivo, usado do lado direito do peito, destina-se a ser utilizado por todos os
militares que, desde 1975, concluíram com aproveitamento o curso de fuzileiro
.

3. O Estado-Maior da Armada elabora a inerente proposta de alteração legislativa por
forma a actualizar em conformidade o Regulamento de Uniformes dos Militares da
Marinha (RUMM).

4. O presente despacho entra em vigor no prazo de 60 dias após a sua publicação, e
caduca com a publicação em Diário da República da alteração à portaria que aprova
o RUMM

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg441.imageshack.us%2Fimg441%2F4065%2F29147781.jpg&hash=bf2d43cd982bd8f1a09bad495acb4ffb)

Como Fuzileiro não posso de deixar de expressar a minha completa discordancia com isto. Se queriam um distintivo para diferenciar o pessoal FZ das restantes classes da Armada, arranjassem um diferente. Esse distintivo é o de Fuzileiro Especial e não é para ser desapreciado assim. E se agora é necessário fazer a distinção entre os FZ's e as restantes classes, não andassem a dar boinas azuis a todo o efectivo da Armada (coisa assaz interessante, visto que tantas vezes chegaram a querer retirar as boinas ao pessoal FZ que servia em outras unidades e enfiar-lhe o Panamá). É que alguém para ter uma boina azul ferrete, tinha de penar uns meses em Vale de Zebro, a massacrar o cabedal e lixar a moleirinha e só depois lhe era atribuida essa honra, em vez de lhe ser entregue junto com as "cuecas" e restante fardamento.

É que tenho aqui na aldeia dois FZE's, daqueles que bateram o bem duro em várias comissões no Ultramar e, nos convivios, nunca por nunca conseguiria aparecer ao lado deles com esse distintivo, nem eu nem os outros FZ's que por aqui existem. Mas que esperar, quando deixam os recrutas entrar na cantina e comprar o distintivo dos DAE para se armarem aos cágados.  :evil:   :evil:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Desertas em Dezembro 30, 2010, 11:24:04 am
"FOXTROOP escreveu :

Como Fuzileiro não posso de deixar de expressar a minha completa discordancia com isto. Se queriam um distintivo para diferenciar o pessoal FZ das restantes classes da Armada, arranjassem um diferente. Esse distintivo é o de Fuzileiro Especial e não é para ser desapreciado assim. E se agora é necessário fazer a distinção entre os FZ's e as restantes classes, não andassem a dar boinas azuis a todo o efectivo da Armada (coisa assaz interessante, visto que tantas vezes chegaram a querer retirar as boinas ao pessoal FZ que servia em outras unidades e enfiar-lhe o Panamá). É que alguém para ter uma boina azul ferrete, tinha de penar uns meses em Vale de Zebro, a massacrar o cabedal e lixar a moleirinha e só depois lhe era atribuida essa honra, em vez de lhe ser entregue junto com as "cuecas" e restante fardamento."

Na minha opinião as boinas não deveriam ser uma "moda" , mas sim um simbolo. Algo que fosse conquistado , não oferecido. Não sei se lembram-se das palavras de JFK quando autorizou oficialmente o uso de boina pelas forças especiais :
 "The green beret is a symbol of excellence, a badge of courage, a mark of distinction in the fight for freedom."

Lembro-me que em 2001 quando o exercito dos E.U.A. adoptou a boina preta para uso geral , até então a boina preta era exclusiva dos Rangers , causou descontentamento , sendo que chegaram a haver marchas de protesto em Washington .Como não existia uma autorização presidencial para o uso exclusivo da boina preta , os Rangers mudaram de boina, sendo que agora utilizam uma boina de cor beige .

Um abraço
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 30, 2010, 11:50:54 am
Citação de: "Desertas"
Na minha opinião as boinas não deveriam ser uma "moda" , mas sim um simbolo. Algo que fosse conquistado , não oferecido. Não sei se lembram-se das palavras de JFK quando autorizou oficialmente o uso de boina pelas forças especiais :
 "The green beret is a symbol of excellence, a badge of courage, a mark of distinction in the fight for freedom."

Lembro-me que em 2001 quando o exercito dos E.U.A. adoptou a boina preta para uso geral , até então a boina preta era exclusiva dos Rangers , causou descontentamento , sendo que chegaram a haver marchas de protesto em Washington .Como não existia uma autorização presidencial para o uso exclusivo da boina preta , os Rangers mudaram de boina, sendo que agora utilizam uma boina de cor beige .

Um abraço

Eu quando li na primeira vez que a Marinha ia começar a distribuir Boinas a todos os seus militares fui logo contra essa medida. É verdade que a tonalidade é diferente, mas isso não importa, a um marinheiro a boina não beneficia em nada, mas a um Fuzileiro que andou a arranhar como poucos isso é quase um insulto. Se o pessoal da minha tropa não gosta de ver os Rangers com a Boina Verde e eles são uma unidade de Operações Especiais, imaginem um Fuzo... :N-icon-Axe:  :twisted:

Em relação ao distintivo, não digo nada, deixo isso para o pessoal dessa tropa.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Dezembro 30, 2010, 01:06:29 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Em relação ao distintivo, não digo nada, deixo isso para o pessoal dessa tropa.

Eu quando li esta noticia do simbolo pensei numa outra que já tinha lido no passado, que era referente a militares de Tropas Especiais que tinham entrado na GNR, PSP, ou outros entidades que usam uniformes, em que os Fuzileiros não tinham um simbolo para usar no peito que pudessem usar nesta nova farda que indicasse que estas pessoas tinham sido Fuzileiros ao  contrário das outras Tropas Especiais em que os pára-quedistas tem as asas, os Comandos tem o crachá dos Comandos e as Operações Especiais usam uma placa com duas espadas cruzadas (penso eu), mas os Fuzileiros não tinham nada para os identificar como tal.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fclientes.netvisao.pt%2Fboinaverde%2Fbrevet.gif&hash=3e283d35f827e4a700a2861bcc4e47fc)
Brevet do curso de Pára-quedismo

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fen%2Fb%2Fb1%2FPortugueseArmyCommandosLogo.png&hash=de05ce8177a866f324c86a3f75d3b94c)
Crachá Comando

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fclientes.netvisao.pt%2Fboinaverde%2Foe.jpg&hash=c7303d1e1f394c836f2985f92619380b)
Crachá de Operações Especiais
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Janeiro 16, 2011, 11:31:48 am
Citar
Ex-fuzileiro português entra no Guiness
João Dias desceu o cabo de Ribeira de Pena suspenso só com a força das mãos

Um antigo fuzileiro entrou, este sábado, para o Guiness, ao descer o cabo de Ribeira de Pena em slide show, isto é, suspenso só com a força das mãos. Trata-se do maior cabo suspenso por gravidade do mundo, com mais de 1,5 quilómetros de comprimento e 150 de altura.

Para conseguir a proeza, João Dias teve de ganhar resistência física e perder 12 quilos em dois meses de preparação.


Podem ver a reportagem com video aqui: http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/fuzil ... -4071.html (http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/fuzileiro-ex-fuzileiro-guiness-salto-ribeira-da-pena-tvi24/1226217-4071.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Tilt em Janeiro 16, 2011, 10:31:34 pm
Por um lado esta se a culmatar uma lacuna, não existia um distintivo de curso. Por outro é uma forma de o distintivo de FZE não acabar. No fim fica a consciência de cada um...... :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Janeiro 16, 2011, 11:54:24 pm
Citação de: "Tilt"
Por um lado esta se a culmatar uma lacuna, não existia um distintivo de curso. Por outro é uma forma de o distintivo de FZE não acabar. No fim fica a consciência de cada um...... :G-beer2:

Tilt, concordo que havia uma lacuna, agora pegar num distintivo, com a carga que esse tem, e chapar o mesmo no peito de todo e qualquer Fuzileiro é quase sacrilégio. Não sei como é que a Casa está agora por dentro (tirando umas conversas com Filhos da Escola quando nos reunimos) mas existia um extraordinário respeito pelos FZ's que usavam esse distintivo ao peito, eles eram FZE's. Um respeito só comparável ao que auferiam os membros do DAE. Mística não é para ser banalizada porque isto só faz lembrar aquela história do Exercito atribuir a boina a toda a tropa e dizer que a partir daquele momento passavam todos a ser "especiais".
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Tilt em Janeiro 17, 2011, 10:08:25 pm
FoxTroop a "casa" ja não tem esses "pais" que orgulhosamente tinham esse distintivo no peito. Continuo com a minha ideia de ser uma forma de perpetuar um simbolo. E se deve explicar a cada novo FZ  a razão e a história que ele apartir desse novo dia vai trazer ao peito.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Fevereiro 23, 2011, 03:07:03 pm
pessoal, alguem me sabe dizer qual é a faca de combate usada pelos fuzos?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabecinhas em Fevereiro 23, 2011, 07:07:50 pm
Sabre
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Maio 13, 2011, 03:02:03 pm
- FORMAÇÃO EM "ROYAL MARINES COMMANDOS" NO REINO UNIDO:
http://barcoavista.blogspot.com/2011/04 ... os-no.html (http://barcoavista.blogspot.com/2011/04/formacao-em-royal-marines-commandos-no.html)

- FUZILEIROS NA GUERRA COLONIAL:
http://barcoavista.blogspot.com/2011/03 ... onial.html (http://barcoavista.blogspot.com/2011/03/fuzileiros-na-guerra-colonial.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 13, 2011, 04:16:16 pm
Excelente Ricardo! :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: TOMSK em Maio 13, 2011, 05:09:33 pm
Provavelmente este não é o tópico para colocar esta questão, mas também não encontro outro mais adequado, nem vou estar a criar um só por uma pergunta.
Alguém me sabe dizer qual é o nome desta música que se houve* durante a imposição das boinas, (3:35 até 5:30) ?


Obrigado!

* houve é do verbo haver, ouve é que é do verbo ouvir.

(Tem razão, foi um lapso sem desculpa. Escusava era de me "humilhar" aqui a lápis vermelho e tudo, por momentos senti que voltei aos bancos da primária... :P )
Título: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: LidiaMatias7 em Maio 24, 2011, 09:58:32 pm
Eu tenho 13 anos, sou rapariga. Os fuzileiros sempre me seduziram imenso. Quando atingir a idade adequada, gostaria de ingressar nos Fuzileiros. Portanto, gostava de vos pedir alguns conselhos. Tanto dos que já são fuzileiros, tanto como dos que serão.

UMA VEZ FUZILEIRO, FUZILEIRO PARA SEMPRE!

Cumprimentos,
a vossa maior fã
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Maio 24, 2011, 10:09:07 pm
Daqui a 5 anos, até ter 18 anos pode mudar muita coisa...mas os Fuzileiros não aceitam senhoras...Durante vários anos, pura e simplesmente não podiam concorrer, há uns anos o deputado Nuno Câmara Pereira fez uma queixa e descobriu-se que não se podia impedir as senhoras de concorrer...Conclusão: a Marinha colocou tanta pressão e tanto nível de exigência às poucas senhoras que concorreram que as mesmas ou desistiam da candidatura ou eram eliminadas das provas...Portanto,é só tirar as devidas conclusões...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Maio 24, 2011, 10:57:50 pm
Umas curiosidades do Dia da Marinha:

Oficial Fuzileiro com Curso dos Comandos:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg84.imageshack.us%2Fimg84%2F556%2Foutroscursos2.jpg&hash=b4cea053e64173b94a2e0fd8d5c46473)

Oficial Fuzileiro com cursos espanhóis de paraquedismo militar e operações especiais:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg43.imageshack.us%2Fimg43%2F4313%2Foutroscursos1.jpg&hash=7ef9b51fd99739556b95a41f75d7df38)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabecinhas em Maio 25, 2011, 01:30:24 am
Vejo ali o do DAE... Este é máquina!  c34x
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 03, 2011, 06:19:19 pm

Citar
A Escola de Fuzileiros foi criada a 03 de Junho de 1961, com o objectivo de formar Fuzileiros, missão que cumpre há 50 anos. Nas instalações actuais da EF, funcionavam na época as instalações Navais de Vale de Zebro. Este local foi escolhido para a sua implantação por se situarem junto à confluência do Rio Coina com a Ribeira do Zebro onde existia um cais que facilitava a formação e treino com botes de assalto e lanchas de desembarque, pelas zonas lodosas envolventes e a sua proximidade à Mata da Machada.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Junho 10, 2011, 08:07:37 pm
Não sei se é aqui que devo fazer esta pergunta..
Finalmente decidi que quero fazer parte dos fuzileiros (estava indeciso entre outras forças), mas não sei o que tenho que fazer para entrar nem quando tenho de fazer exames ou provas nem onde... Se alguém me pudesse ajudar agradecia muito :)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Junho 13, 2011, 02:47:10 pm
OS PRIMEIROS CURSOS DE FUZILEIROS : http://barcoavista.blogspot.com/2011/06 ... _6615.html (http://barcoavista.blogspot.com/2011/06/os-primeiros-cursos-de-fuzileiros_6615.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 15, 2011, 05:05:58 pm
Citar
FORMAÇÃO EM "ROYAL MARINES COMMANDOS" NO REINO UNIDO

A partir dos anos 50 do século passado, a evolução política do continente africano, com despertar dos «Nacionalismos Africanos», nomeadamente com a criação de novos Estados independentes com assento na ONU, ex-colónias de países europeus e a crise originada pelo Presidente do Egipto Coronel Gamal Abdel Nasser ao nacionalizar o Canal do Suez em 1956, originaram o fomento e reorganização da Marinha Portuguesa em África.
          As alterações na política de Defesa Nacional em 1959, face a percepção latente das potenciais ameaças à soberania nacional nas colónias africanas, determinou a atribuição da primeira prioridade de intervenção nos mesmos territórios, revendo-se conceitos de estratégia e táctica adoptados até à data.
          Tal mutação teve consequências para a Armada, entre elas destaca-se os contactos efectuados pelo então Sub-CEMA CMG Roboredo e Silva nos inícios de 1959 a franceses e a britânicos, com o escopo de solicitar apoio à formação de um pequeno quadro de futuros Oficiais e Sargentos instrutores de Infantaria Naval.

          Tal solicitação materializou-se sob a forma de pedido de proposta de treino, primeiro ao Comando da "École des Fusiliers Marins du Centre Siroco" em Cabo Matifou - Argélia, a 1.ª escolha do Sub-CEMA, cujo aprovação do pedido foi retransmitido a 3 de Fevereiro de 1959 por intermédio do Adido Militar da Embaixada de Portugal em Paris, para a ser frequentado por: um 2.º Tenente, 1 Sargento e 5 Praças, com a condição de os instruendos frequentarem um período de treino básico de 8 meses para Oficiais, mais 2 meses adicionais de especialização em "Commando Marine", e um período de treino básico de 5 meses para pessoal recrutado.          
Atendendo à longa duração do treino proposto pelos franceses, no mesmo dia (3 de Fevereiro de 1959), o Sub-CEMA envia também uma proposta de treino ao Comando dos "Royal Marines" da Marinha Real Britânica (criados em 1942 durante a 2.ª Guerra Mundial), por intermédio do Adido Naval da Embaixada de Portugal em Londres, recebendo a 3 de Abril de 1959 por resposta a proposta de frequência de um curso de instrução especializada em "Comandos", com a duração de 9 semanas.

arrow: http://barcoavista.blogspot.com/2011/04 ... os-no.html (http://barcoavista.blogspot.com/2011/04/formacao-em-royal-marines-commandos-no.html)

Estive a pesquisar sobre o que eram os Fusiliers Marins da marinha francesa e descobri isto:

http://en.wikipedia.org/wiki/Fusiliers_Marins (http://en.wikipedia.org/wiki/Fusiliers_Marins)

http://en.wikipedia.org/wiki/Naval_commandos_(France (http://en.wikipedia.org/wiki/Naval_commandos_(France))

http://www.defense.gouv.fr/marine/carri ... ers-marins (http://www.defense.gouv.fr/marine/carriere/ecoles-et-formation/ecoles-de-specialistes/ecole-des-fusiliers-marins/ecole-des-fusiliers-marins)

Como podem ver há duas unidades, uma que mais parece a Policia Aérea da Força Aérea Portuguesa e outra de Mergulhadores de Combate ao estilo do Destacamento de Acções Especiais. Como é visível, se a cooperação com os Franceses tivesse ido para a frente, o Corpo de Fuzileiros teria sido bastante diferente, não só na sua estrutura, como na própria natureza da unidade.
Da mesma forma que a PA tem a UPF, esta força teria uma força de protecção/policiamento e uma unidade de Operações Especiais e mais nada. Pessoalmente só mais favorável à actual situação do Corpo de Fuzileiros, já que em Portugal não há uma tropa como a Infanterie de marine (unidade do Exército Francês).

http://en.wikipedia.org/wiki/Troupes_de_Marine (http://en.wikipedia.org/wiki/Troupes_de_Marine)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: SSK em Junho 15, 2011, 09:40:41 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Daqui a 5 anos, até ter 18 anos pode mudar muita coisa...mas os Fuzileiros não aceitam senhoras...Durante vários anos, pura e simplesmente não podiam concorrer, há uns anos o deputado Nuno Câmara Pereira fez uma queixa e descobriu-se que não se podia impedir as senhoras de concorrer...Conclusão: a Marinha colocou tanta pressão e tanto nível de exigência às poucas senhoras que concorreram que as mesmas ou desistiam da candidatura ou eram eliminadas das provas...Portanto,é só tirar as devidas conclusões...

Podem concorrer, simplesmente os testes são exatamente os mesmos que para os militares do sexo feminino, seja Fuzileiros, Mergulhadores, Pilotos-navais ou Submarinistas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Força aerea em Junho 23, 2011, 09:12:00 pm
Boa noite.

Desde pequeno tenho muito respeito pelas forças armadas do nosso país e gostava de entrar nos fuzileiros, daqui a 2 anos.

Uma dúvidas- eles operam por terra, mar e pelo céu correcto?
Alguma aqui me pode esclarecer o destacamento de acções especiasi (DAE) - uma verdadeira unidadde de elite e é um sonho meu fazer parte deste grupo exclusívo. Eles são uma unidade dentro dos fuzileiros?

Agradecia que me fornecessem com informações.

Muito obrigado,
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Junho 23, 2011, 09:30:53 pm
Citação de: "Força aerea"
Boa noite.

Desde pequeno tenho muito respeito pelas forças armadas do nosso país e gostava de entrar nos fuzileiros, daqui a 2 anos.

Uma dúvidas- eles operam por terra, mar e pelo céu correcto?
Alguma aqui me pode esclarecer o destacamento de acções especiasi (DAE) - uma verdadeira unidadde de elite e é um sonho meu fazer parte deste grupo exclusívo. Eles são uma unidade dentro dos fuzileiros?

Agradecia que me fornecessem com informações.

Muito obrigado,

Por céu apenas os DAE, que sim, são uma unidade dentro dos fuzileiros (uma elite dentro de outra elite).
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: LuisC em Junho 24, 2011, 01:24:49 am
E por falar no DAE, Reportagem Especial no Jornal da Noite da SIC…a partir do minuto 8.30:

http://sicnoticias.sapo.pt/programas/jo ... 642381.ece (http://sicnoticias.sapo.pt/programas/jornaldanoite/article642381.ece)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Junho 28, 2011, 04:51:18 pm
Pessoal, tenho uma dúvida.
 Os fuzileiros têm de passar certos periodos de tempo no mar ou trabalham nas bases militares como as outras tropas especiais?
 se eu for para os fuzileiros fico na base do alfeite ou poderei ser obrigado a ir para outra base?
 desde já os meus agradecimentos :)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Junho 28, 2011, 10:25:55 pm
Citação de: "sergio21699"
Por céu apenas os DAE, que sim, são uma unidade dentro dos fuzileiros (uma elite dentro de outra elite).

Pelo céu não é só o DAE, por pára-quedas sim, mas de helicoptero há outros também fazem.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Junho 29, 2011, 05:01:06 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "sergio21699"
Por céu apenas os DAE, que sim, são uma unidade dentro dos fuzileiros (uma elite dentro de outra elite).

Pelo céu não é só o DAE, por pára-quedas sim, mas de helicoptero há outros também fazem.

 :oops: Não me lembrei dos helicopteros.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 29, 2011, 05:19:34 pm
É por isso que não se deve dizer "ar", "mar" ou "terra". O pessoal da Companhia de Precursores faz saltos para a água e até alguns fazem o curso de mergulhador, os Rangers também têm um curso no seu seio de Mergulhadores de Combate, etc.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Junho 30, 2011, 08:59:52 pm
Os fuzileiros têm de passar certos periodos de tempo no mar ou trabalham nas bases militares como as outras tropas especiais?
se eu for para os fuzileiros fico na base do alfeite ou poderei ser obrigado a ir para outra base?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Julho 02, 2011, 11:32:19 pm
Citar
Presidente da República inaugurou no Barreiro Monumento ao Fuzileiro
O Presidente da República presidiu, no Barreiro, à Cerimónia de Inauguração do Monumento ao Fuzileiro, numa organização conjunta da Associação de Fuzileiros e da Câmara Municipal local.

Na ocasião, o Presidente proferiu uma intervenção alusiva.

http://www.presidencia.pt/?idc=10&idi=55281 (http://www.presidencia.pt/?idc=10&idi=55281)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0039.jpg&hash=e2cbacecd903d4c690d9955c1532b0de)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0082.jpg&hash=4d3a80d721effa33633ed8093efbbb89)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0135.jpg&hash=7eded287f4cc4aadc9a6fb49420d0d09)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0143.jpg&hash=fa76ff0e940245b51f14ee6e86eb5bd6)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0166.jpg&hash=960ad6369535a3a89e43077b81a7f315)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0220.jpg&hash=207148ad464c37f54cd23bc676f27fb8)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0228.jpg&hash=cbba88fd73d0219027aff059bed83387)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0266.jpg&hash=7a5231bcc7b5e78633730ea3663e6b34)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0412.jpg&hash=6eb7967b1e2a5799919ce3742c2c3911)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0536.jpg&hash=88997c72960bd09eedaa7ab226a092ec)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F110702-PR-0546.jpg&hash=f848fa1770d56cd22366831e6f5e2572)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Julho 03, 2011, 12:54:48 am
Os fuzileiros têm de passar certos períodos de tempo no mar ou trabalham nas bases militares como as outras tropas especiais?
se eu for para os fuzileiros fico na base do alfeite ou poderei ser obrigado a ir para outra base?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Julho 03, 2011, 01:06:36 am
Existem Fuzileiros embarcados em vários navios. Além da Base de Fuzileiros no Alfeite, existe a Escola de Fuzileiros em Vale do Zebro. Os Fuzileiros (Batalhão n.º 1 / Unidade de Polícia Naval) funcionam como Polícia Militar da Armada e portanto podem ser destacados para vigilância e protecção das unidades da Armada espalhadas pelo país.

Também de forma rotativa com as Polícias Militares dos outros ramos (PA e PE) fazem a vigilância e protecção do MDN/EMGFA e guardas de honra ao Monumento aos Militares em Belém, eventualmente ainda noutros sítios.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Julho 03, 2011, 02:10:17 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Citar
Presidente da República inaugurou no Barreiro Monumento ao Fuzileiro
O Presidente da República presidiu, no Barreiro, à Cerimónia de Inauguração do Monumento ao Fuzileiro, numa organização conjunta da Associação de Fuzileiros e da Câmara Municipal local.

Na ocasião, o Presidente proferiu uma intervenção alusiva.

Foi interessante, estive presente na tribuna e posteriormente na EF.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Julho 03, 2011, 07:49:26 pm
Citação de: "Ricardo"
Citação de: "PereiraMarques"
Citar
Presidente da República inaugurou no Barreiro Monumento ao Fuzileiro
O Presidente da República presidiu, no Barreiro, à Cerimónia de Inauguração do Monumento ao Fuzileiro, numa organização conjunta da Associação de Fuzileiros e da Câmara Municipal local.

Na ocasião, o Presidente proferiu uma intervenção alusiva.

Foi interessante, estive presente na tribuna e posteriormente na EF.

Já agora se poder, ponha cá fotos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Julho 04, 2011, 11:10:08 am
Belas fotos..agora a publicidade ao Continente...! :G-bigun:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Julho 05, 2011, 01:36:26 pm
Citar
A Marinha, através do Corpo de Fuzileiros, está a participar nas acções de prevenção dos incêndios florestais até 30 de Setembro. Nesta missão de apoio à Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) e desenvolvida em estreita colaboração com o Centro Distrital de Operações de Socorro de Setúbal, o Corpo de Fuzileiros está a efectuar o patrulhamento e vigilância do Parque Natural da Serra da Arrábida, da Mata da Machada e da Mata dos Medos.


O período compreendido entre 1 de Julho e 30 de Setembro, corresponde à época do ano em que o risco de incêndio é mais elevado e durante a qual os meios de combate elevam os níveis de prontidão e serão activados progressivamente de acordo com a avaliação diária do perigo e do risco. Para desempenho desta missão, os fuzileiros serão distribuídos por três escalões: o primeiro, constituído por uma equipa de seis militares, assumirá uma prontidão de uma hora; o segundo, com uma prontidão de doze horas, é constituído por trinta militares, duas viaturas UNIMOG e uma viatura ligeira; o terceiro assumirá uma prontidão de vinte e quatro horas, é constituído por sessenta e cinco militares e contará com uma ambulância e demais meios motorizados. As equipas estão dotadas de equipamento diverso de vigilância diurna e nocturna, máquinas fotográficas e meios de comunicação.

Estar ao serviço das populações e contribuir para a conservação de uma das mais importantes reservas naturais do País, onde se encontram espécies únicas no mundo, prevenindo calamidades como os fogos florestais, são actividades a que a Marinha atribui grande importância, enquadrando-se nas missões de interesse público atribuídas.

http://www.rostos.pt/inicio2.asp?cronica=261132&mostra=2&seccao=moldura&titulo=Serra-da-Arrabida-em-Setubal-e-Mata-da-M
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Julho 08, 2011, 12:03:04 am
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "Ricardo"
Citação de: "PereiraMarques"
Citar
Presidente da República inaugurou no Barreiro Monumento ao Fuzileiro
O Presidente da República presidiu, no Barreiro, à Cerimónia de Inauguração do Monumento ao Fuzileiro, numa organização conjunta da Associação de Fuzileiros e da Câmara Municipal local.

Na ocasião, o Presidente proferiu uma intervenção alusiva.

Foi interessante, estive presente na tribuna e posteriormente na EF.

Já agora se poder, ponha cá fotos

Eu colocava, mas não tirei uma sequer...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Julho 08, 2011, 12:05:25 am
Artigos sobre os Fuzileiros actualizados:
- A BOINA DOS FUZILEIROS: http://barcoavista.blogspot.com/2010/05/boina-dos-fuzileiros.html

- SALA-MUSEU DO FUZILEIRO: http://barcoavista.blogspot.com/2010/06 ... leiro.html (http://barcoavista.blogspot.com/2010/06/sala-museu-do-fuzileiro.html)

- OS PRIMEIROS CURSOS DE FUZILEIROS: http://barcoavista.blogspot.com/2011/06 ... _6615.html (http://barcoavista.blogspot.com/2011/06/os-primeiros-cursos-de-fuzileiros_6615.html)

- FUZILEIROS NA GUERRA COLONIAL: http://barcoavista.blogspot.com/2011/03/fuzileiros-na-guerra-colonial.html

- CÃES DE GUERRA NO CORPO DE FUZILEIROS: http://barcoavista.blogspot.com/2010/10 ... eiros.html (http://barcoavista.blogspot.com/2010/10/caes-de-guerra-no-corpo-de-fuzileiros.html)

- GRUPO DE LANCHAS ANFÍBIAS LARC-5: http://barcoavista.blogspot.com/2010/12/grupo-de-lanchas-anfibias-larc-5.html

- LANCHAS DE DESEMBARQUE MÉDIAS: http://barcoavista.blogspot.com/2009/10 ... edias.html (http://barcoavista.blogspot.com/2009/10/lanchas-de-desembarque-medias.html)

- LANCHAS DE DESEMBARQUE GRANDE CLASSE "BOMBARDA": http://barcoavista.blogspot.com/2009/07 ... lasse.html (http://barcoavista.blogspot.com/2009/07/lancha-de-desembarque-grande-classe.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Julho 12, 2011, 01:14:46 am
Pessoal, alguém sabe mais ou menos quando abrirá novamente o concurso para fuzileiro? como não vai haver este ano fiquei um pouco sem saber o que fazer da vida, lol.
 Já agora, há facilidade de tirar enfermagem através dos fuzos?
Se antes de ingressar nos fuzileiros, tirar o curso de enfermagem é possível depois exercer enfermagem como membro dos fuzos? e de pertencer ao quadro permanente?
Se eu começar a tirar enfermagem agora fora dos fuzileiros e fizer o primeiro ano, posso parar os estudos para me tornar membro dos fuzileiros e depois prosseguir os estudos a partir do segundo ano pagos pelos fuzileiros?
Obrigado
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 12, 2011, 05:49:29 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Agosto 13, 2011, 09:12:35 pm
Artigo no blog Barco à vista sobre EFEMÉRIDADES NOS FUZILEIROS PÓS 25 DE ABRIL DE 1974:
-  http://barcoavista.blogspot.com/2011/08 ... de_12.html (http://barcoavista.blogspot.com/2011/08/efemeridades-nos-fuzileiros-pos-25-de_12.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Força aerea em Setembro 19, 2011, 09:14:27 pm
Pessoal em relação à entrada nos fuzileiros, existe alguma restrição contra tatuagens?

Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: SSK em Setembro 20, 2011, 07:31:32 pm
Sim. À semelhança da restantes classes e especialidades.

Se encontrar coloco aqui.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Setembro 20, 2011, 11:02:59 pm
Que me recorde, qualquer tatuagem visível com os uniformes de "Verão" é motivo de exclusão do candidato. A melhor maneira de verificar isso nos braços (parte superior dos braços) é dobrar o braço a 90º, colocar a mão cobre o cotovelo de modo a que o mindinho fique sobre o osso do cotovelo e ver se a tatuagem alcança a mão.

Tatuagens no pescoço ou em outra zona visível não passam. Se as regras não mudaram, é assim.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: brunopinto90 em Novembro 03, 2011, 07:55:46 pm
Eu estive a ver a página do Royal Marines e do Netherlands Marine Corps no wikipédia, o seu treino básico (enlisted) era de 32-33 semanas, sendo o mais longo treino básico da NATO, mas estive a ver o treino básico dos Fuzileiros Portugueses, e vi que era de 42 semanas, mas sendo os RM de 33 semanas, como é que este treino é o maior da NATO? Há alguns valores mal ou não estou a ver bem! :shock:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 03, 2011, 11:03:08 pm
Citação de: "brunopinto90"
Eu estive a ver a página do Royal Marines e do Netherlands Marine Corps no wikipédia, o seu treino básico (enlisted) era de 32-33 semanas, sendo o mais longo treino básico da NATO, mas estive a ver o treino básico dos Fuzileiros Portugueses, e vi que era de 42 semanas, mas sendo os RM de 33 semanas, como é que este treino é o maior da NATO? Há alguns valores mal ou não estou a ver bem! :shock:

Não sei ao certo o que quer dizer "treino básico", é a recruta? É o curso? É toda a instrução, recruta+curso? Talvez a diferença esteja ai...

Talvez o tempo ai referido dos Royal Marines seja apenas do curso de Royal Marine, e o tempo dos Fuzileiros Portugueses seja o tempo todo que demora um civil a tornar-se um Fuzileiro, que é a recruta+curso...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: brunopinto90 em Novembro 05, 2011, 09:26:59 pm
Então temos a formação geral comum (recruta de 12 semanas) e depois temos o curso de fuzileiros de 30 semanas, certo?
O nosso curso tem a formação tipo royal marine commando?

Os Royal Marines tem um especialização de comando (duração de 9 semanas - semelhante ao ALL ARMS COMMANDO COURSE) certo, mas não são comandos puros, nunca vão ser tipo US Rangers, Australian Commando Regiments ou os nossos comandos, pois não?

A Legião Francesa também tem uma especialização comando?

US RANGERS tem um treino de 9 semanas (parece-me tão pouco que é semelhante aos Royal Marines, apenas não têm cursos de paraquedismo e outros cursos) certo, os ROYAL MARINES não podem ser equiparados aos RANGERS (US), pois não?

Qual a Diferença entre o nossos fuzileiros entre os nossos comandos e entre os ROYAL MARINES?

Desculpem ter estas dúvidas, mas faz-me muita confusão toda esta informação! :oops:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 06, 2011, 12:30:29 am
Citação de: "brunopinto90"
Então temos a formação geral comum (recruta de 12 semanas) e depois temos o curso de fuzileiros de 30 semanas, certo?
O nosso curso tem a formação tipo royal marine commando?

Em Portugal os Fuzileiros "modernos" (porque em termos historicos a Marinha já diversas vezes criou e extinguiu unidades de infantaria), foram criados à imagem dos Royal Marines, por isso é que os primeiros Fuzileiros foram ao Reino Unido fazer esse curso e depos tornaram-se instrutores de Fuzileiros, mas isso não quer dizer que o nosso curso seja igual ao deles, de certeza que há coisas iguais mas pode ter havido coisas que cá não se podia ou não se axou necessário fazer, além disso isso foi à 50 anos, actualmente nem o curso Royal Marine nem o de Fuzileiro deve ser igual ao que era à 50 anos, cada um evoluiu à sua maneira.

Citar
Os Royal Marines tem um especialização de comando (duração de 9 semanas - semelhante ao ALL ARMS COMMANDO COURSE) certo, mas não são comandos puros, nunca vão ser tipo US Rangers, Australian Commando Regiments ou os nossos comandos, pois não?

No Reino Unido não há Royal Marines que não sejam Comando (exepto os musicos da banda dos Royal Marines :oops:[/quote]

A maior confusão que por ai anda é os nomes, cada pais poe o nome que quer às suas tropas, uns são Ranger, outros são Comando, outros outra coisa qualquer, em Portugal também há Rangers mas não fazem as mesma coisas que os Rangers Americanos.

Há exepções, mas a regra é, (pondo de parte as operações especiais) se a força é da Marinha então é anfíbia (Fuzileiros), se é do Exército é Comando ou Pára-quedista, isto aqui há muitas variações de pais para pais, há paises que tem Comandos mas não tem Pára-quedistas, há paises que tem Pára-quedistas mas não tem Comandos, há paises que tem os dois, há paises que tem Pára-Comandos, é à vontade do freguês :mrgreen: .
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: brunopinto90 em Novembro 06, 2011, 01:04:44 am
Brigado!

A grande dúvida que tinha era as diferenças dos nossos Fuzos e dos RMC, mas pronto já foi eslclarecido e já agora poderia-me dizer qual a duração do curso de fuzileiros modernos, quantas semanas tem.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: TMEsteves em Novembro 07, 2011, 09:58:03 pm
5 semanas de recruta que acaba com o Juramento de Bandeira, depois são 36 semanas de curso até á Imposição de Boinas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 07, 2011, 11:43:46 pm
Tropas Especiais (III): Guerreiros no mar e em terra

Em 1961, com vista ao combate nas províncias ultramarinas, foram criados os fuzileiros – têm origem no corpo de tropas mais antigo do país (1621), os Marinheiros do Fuzil. Estão preparados para operar no mar e onde for necessário.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02163019_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%2441c1b5a2-c8dc-4410-98e1-8562aa3ccd66%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=0bb352cc22f7484b434379706650a7d9)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02162056_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%249dd23fc8-4564-473a-8132-ff17fe3edfc8%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=9f6fe1e25ffc634c9619e421e71787c3)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02162253_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%24da40a7ff-d0e6-4ba8-99e8-fc1b22104b28%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=0974dbfc558fa6a4a39783aa7a80e94b)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02162402_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%242036cf62-8195-4ee7-afa8-70fbddbaa95a%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=89cc194261f694018011a7f2046798dc)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02162500_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%241f9ff1b3-20d5-4da7-a623-516d6ef2e1da%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=7932e43312d1cab95b9d67e1c03f340e)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02162554_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%24975dcd0e-7fef-45b9-9a3e-17c17f9a81bc%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=25e2daf5d19e3cb86b5f006dcd9a5390)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02162651_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%24dbfbeee6-8829-402a-80fb-f248f90e7a2e%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=9b28aeea73b7772ad3b81bbf91c9e65c)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02162843_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%242a67288d-682c-4ec2-b3ea-d8aee85ee78a%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=7c00d6c3e458ab680da07cc7e4532d15)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimgs.cmjornal.xl.pt%2Fimgs%2Fshare%2F2011-12%2F2011-12-02162943_F52330CD-3D25-4E40-A308-C9108B0FF014%24%2497eeaf1d-4c72-4809-b1e5-bd44dd9ad3a8%24%24bab8ba9c-88dc-4045-9d5e-50a1c9d9ad0c%24%24img_dest_noticiaFoto%24%24pt%24%241.jpg&hash=f9c2e5925a47a655e6bd3f48ae931fb5)

http://www.cmjornal.xl.pt/detalheMultim ... 78089c0e9e (http://www.cmjornal.xl.pt/detalheMultimedia.aspx?tipo=fotogaleria&contentid=9ed4d8a4-6e63-44f4-ba57-28999b5c404c&channelid=bd192698-2c68-43b8-8210-3178089c0e9e)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cap.Almandir em Dezembro 29, 2011, 12:06:47 pm
Boas pessoal

Eu estou muito interessado em concorrer para fuzileiro, mas como oficial, ou seja, tou a terminar o 12º ano, e gostaria de ingressar na escola naval no curso de fuzileiro, tou a par das provas e de tudo isso, mas gostaria de saber como é a vida de um fuzileiro!

se alguem me poder responder... tenho intençoes de concorrer tambem para DAE caso seja possivel... :)
Título: Vida De Fuzileiro
Enviado por: Cap.Almandir em Dezembro 30, 2011, 06:33:12 pm
Boas, eu estou muito interessado em ingressar na escola naval no curso de fuzileiro, estou a par das provas fisicas e de tudo o resto.

gostava muito de saber, como é a vida de fuzileiro durante e depois do curso...

Alguem que possa partilhar, por experiencia propria, ou de outre, as suas experiencias, e o seu conhecimento nesta area, estaria interessado em saber :D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: SSK em Janeiro 06, 2012, 07:32:17 pm
Meu Caro,

Durante o Curso os Cadetes Fuzileiros passam por percurso académico que tentarei explicar de um modo sucinto:
 :arrow: 2º ao 4º ano têm uma parte académica comum e especifica académica e tem contacto com o "corpo" e escola de fuzileiros em exercicios e formação. :arrow: 5º ano fazem uma pequena parte comum de pequenos estágios e visitas pelas várias unidades da Marinha e em seguida enquanto as outras classes partem para os navios os Fuzileiros vão para a escola de fuzileiros estagiar. fazem a viagem de instrução.

A vida de oficial passará pelas unidades tipicas de fuzileiros, tendo uns a oportunidade de ir para os DAE e os outros epals diversas unidades e companhias de fuzos. E ainda têm outras unidades como é o caso da Escola Naval, Estado-Maior, etc...

Espero ter ajudado.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cap.Almandir em Janeiro 07, 2012, 05:32:26 pm
Sim, ajudaste :) o que ouvi dizer por outras pessoas é que os fuzos nao teem assim muitas missoes... confirma-se isso? ou é apenas boato?

Que tipo de actividades se faz durante os 5 anos de formaçao na escola naval como fuzileiro?

Cap. Almandir
Título: Há aqui algum fuzileiro?
Enviado por: Miguel Guima em Janeiro 18, 2012, 07:28:51 pm
Oi gostava de saber se há por ai no fórum algum fuzileiro que nos possa esclarecer as duvidas sobre o curso de fuzileiro. Se houver, agradeço que me responda para eu começar a fazer perguntas!  :D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabecinhas em Janeiro 20, 2012, 07:47:00 am
Mais do mesmo... dá uma vista de olhos por esta 43 páginas de tópico.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Miguel Guima em Janeiro 20, 2012, 07:01:51 pm
Pois, eu sei, mas como eu nao queria procurar no topico td ou msm no forum por um fuzo, achei mais facil perguntar :D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Fevereiro 19, 2012, 01:55:15 am
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-9Iw4dAlBjzU%2FTzsCpZOfISI%2FAAAAAAAAWwM%2FlCvqkVKA4ek%2Fs1600%2FDSC_2214.JPG&hash=3178854d0b193fb43fd155f8e83300b3)
http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/2 ... alvao.html (http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/2012/02/cais-alpoim-calvao.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Aníbalbarca em Março 10, 2012, 01:05:59 pm
Boas. Uma questão?

Quantas patentes há nos fuzileiros?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Março 10, 2012, 01:07:54 pm
As mesmas da Armada.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Aníbalbarca em Março 10, 2012, 02:07:42 pm
Eu posso ser praça e depois candidatar-me a Sargento não posso? Desculpem lá a ignorância.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Março 10, 2012, 05:24:53 pm
Podes.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Aníbalbarca em Março 10, 2012, 05:37:38 pm
Citação de: "sergio21699"
Podes.

E sobre a recruta tive a ver e são 5 semanas. Essas 5 semanas são passadas inteiramente na base certo?
E a formação, são umas 32 semanas, também são passadas na base sem poder sair de lá?
Depois de terem as boinas pretas, como são os treinos e isso, tenho periodicamente de ir para a base e ficar algum tempo lá?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Março 10, 2012, 07:33:15 pm
Citação de: "Aníbalbarca"
Citação de: "sergio21699"
Podes.

E sobre a recruta tive a ver e são 5 semanas. Essas 5 semanas são passadas inteiramente na base certo?
Por norma vens a casa aos fins-de-semana embora isso possa não acontecer uma vez ou outra.

Citar
E a formação, são umas 32 semanas, também são passadas na base sem poder sair de lá?
Igual à recruta.

Citar
Depois de terem as boinas pretas, como são os treinos e isso, tenho periodicamente de ir para a base e ficar algum tempo lá?
Tens que ir todos os dias cumprir o teu horário de trabalho e por norma tens os fins-de-semana livres.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Aníbalbarca em Março 10, 2012, 08:20:02 pm
Muito Obrigado.
Já agora, sobre isso do horário de trabalho. Conheço um tipo que anda na universidade e que conhece um gajo que é fuzo também. Como é que isso é possível? O Horário de trabalho dá para conciliar as coisas?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Março 11, 2012, 11:08:40 am
É possivel ter o estatuto trabalhador-estudante.

Citar
Estatuto do Trabalhador-Estudante
Aplicação do Estatuto Trabalhador-Estudante ressalvadas determinadas situações específicas. Os militares em RC serão dispensados, se o horário escolar assim o exigir, até oito horas semanais e podem ter dois dias de licença pela prestação de cada prova de avaliação;

http://www.marinha.pt/pt/carreira/pages/incentivoseregalias.aspx
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Aníbalbarca em Março 11, 2012, 02:03:01 pm
Muito obrigado pela ajuda!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sergio21699 em Março 11, 2012, 05:20:10 pm
De nada  :wink:
Título: Fuzileiros
Enviado por: André10 em Maio 02, 2012, 03:53:16 pm
Boa tarde a todos os utilizadores do Fórum de Defesa!
Gostaria de saber se alguém me pode ajudar!
Eu tenho apenas 14 anos, mas o meu sonho é ser Fuzileiro, como estou no 9º ano e tenho de decidir para que curso irei estudar, peço que alguém me ajude e se me pode dizer qual é o melhor curso para mais tarde entrar nos Fuzileiros?
Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Maio 02, 2012, 09:22:05 pm
Para Praça, e enquanto não alterarem, basta ter o 6.º ano de escolaridade;
Para Oficial do Regime de Contrato, e enquanto não começarem a pedir licenciatura como as outras especialidades, basta o 12.º ano de escolaridade de qualquer área;
Para Oficial do Quadro Permanente, o 12.º ano de escolaridade pode ser de qualquer área, mas têm de ter realizado o exame de Matemática A ou Matemática B (atenção que aquela "matemática light" (Matemática Aplicada às Ciências Sociais) não vale).
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: militar03 em Junho 10, 2012, 12:34:21 am
Citação de: "Aníbalbarca"
Citação de: "sergio21699"
Podes.

E sobre a recruta tive a ver e são 5 semanas. Essas 5 semanas são passadas inteiramente na base certo?
E a formação, são umas 32 semanas, também são passadas na base sem poder sair de lá?
Depois de terem as boinas pretas, como são os treinos e isso, tenho periodicamente de ir para a base e ficar algum tempo lá?

as boinas não são pertas, são azul ferrete....
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Julho 03, 2012, 06:41:51 pm
Citação de: "BrunoLopes"
Boa tarde a todos
Sou o Bruno e fiz este mes 18 anos, quero entrar para os fuzileiros, e um sonho entrar para os fuzos.
Nao sei se ajuda muito mas fui nadador, mas tive que sair.
Gostaria de saber se me podem ajudar, dizendo-me que exercicios posso fazer em casa para ir treinando e claro alguns conselhos.
Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Julho 06, 2012, 12:57:40 pm
Não sei se será o mais correcto, mas eu costumo fazer este exercicio http://www.youtube.com/watch?v=ZlMP6rIr ... 5779D7F266 (http://www.youtube.com/watch?v=ZlMP6rIrmtI&feature=BFa&list=PL08679D5779D7F266)
 Espero ter ajudado :)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: BrunoLopes em Julho 06, 2012, 01:21:12 pm
toda a ajuda é bem vinda, muito obrigado :)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Julho 08, 2012, 11:29:48 am
Citar
Dia do Fuzileiro em Vale de Zebro: «Fuzileiro uma vez, fuzileiro para sempre»Por Rui Miguel Melo
A-  A  A+

«Fuzileiro uma vez, fuzileiro para sempre. Não há ex-fuzileiros.» A frase é do contra-almirante Luís Picciochi, comandante do Corpo de Fuzileiros e explica a manhã deste sábado. O Dia do Fuzileiro levou centenas de pessoas à Escola de Fuzileiros, em Vale de Zebro, no Barreiro. Um dia de convívio e de homenagens.

Foi a quarta vez que a Marinha Portuguesa e o Corpo de Fuzileiros organizaram a celebração. Todos os fins de semana chegam “fuzos” e respetivas famílias a Vale de Zebro para visitarem o local, onde está situado o Museu do Fuzileiro. Vai daí, as duas entidades resolveram organizar um dia, com caráter oficial, para juntar antigos e atuais membros do corpo.

A manhã foi de encontros e reencontros, de partilha de experiências, de voltar a contar histórias outrora esquecidas. Uma manhã de memória, de homenagem aos fuzileiros já mortos, que perderam a vida em defesa da Pátria. À entrada da Escola lá está o Monumento do Fuzileiro, em tributo aos que já partiram.

O contra-almirante Luís Picciochi e membros da Associação Nacional de Fuzileiros depositaram uma coroa de flores em homenagem aos mortos. Cantou-se o Hino Nacional e nem a chuva impediu a cerimónia. «Chuva civil não molha militares», lembraram.

E porque a manhã foi de memória, foi inaugurada uma placa toponímica com o nome do vice-almirante Bustorff Guerra, antigo comandante do Corpo e da Escola de Fuzileiros. Coube à viúva Bustorff Guerra descerrar a placa.

O futuro do Corpo
«Fuzileiro uma vez, fuzileiro para sempre», já aqui se disse. Não há nada mais sagrado para um fuzileiro do que o Corpo, simbolizado pela boina, símbolo de um curso passado. O sentimento reinante é o de irmandade, como se ser «fuso» fosse algo que só quem passou por isso sabe. O próprio comandante do Corpo tem dificuldades em explicar a mística.

«Não é fácil de explicar. O curso de fuzileiro, como o de outra tropa especial qualquer, é duro e exigente. É preciso união para ultrapassar os obstáculos e a boina é o símbolo do final de curso. É uma enorme escola de vida», sintetiza Luís Picciochi.

Atualmente existem cerca de 1500 fuzileiros. O setor tem sofrido com os cortes orçamentais, mas, segundo o comandante do Corpo de Fuzileiros, têm faltado candidatos com as condições mínimas exigidas pelo Corpo. E nem a crise parece motivar os possíveis “fuzos”.

«Não temos o número de candidatos desejável ou expectável. Em altura de crise, era de esperar mais. Mas mantemos os nossos padrões de exigência», concluiu Luís Picciochi.

abola.pt
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Julho 08, 2012, 01:55:31 pm
então mas se não abre curso..... como é que pode haver candidatos?.....
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Julho 10, 2012, 03:27:56 pm
Atualmente existem cerca de 1500 fuzileiros. Pensei que esta força fosse bem menor.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Julho 10, 2012, 03:43:05 pm
Os dois batalhões entre si só têm cinco companhias, mas as restantes companhias independentes e outras unidades independentes de apoio e instrução devem fazer um número de elementos equivalentes a outras cinco companhias.  :?:

http://fuzileiros.marinha.pt/PT/unidade ... fault.aspx (http://fuzileiros.marinha.pt/PT/unidades/Pages/default.aspx)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: BrunoLopes em Julho 20, 2012, 11:30:51 am
alguem sabe se este ano vao abrir o curso de fuzileiros?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: c.marques em Outubro 14, 2012, 10:17:47 pm
alguem me pode esclarecer a duvida, entao mas os DAE tambem tem plotao de abordagem ou e so um 1º batalhao dos fuzileiros
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Outubro 15, 2012, 12:07:16 am
Citação de: "c.marques"
alguem me pode esclarecer a duvida, entao mas os DAE tambem tem plotao de abordagem ou e so um 1º batalhao dos fuzileiros

pesquisa um bocadinho aqui:
http://fuzileiros.marinha.pt/PT/Pages/home.aspx (http://fuzileiros.marinha.pt/PT/Pages/home.aspx)

o organograma:
http://fuzileiros.marinha.pt/PT/comando ... zacao.aspx (http://fuzileiros.marinha.pt/PT/comando/Pages/organizacao.aspx)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: c.marques em Outubro 15, 2012, 10:48:25 pm
eles tiram os cursos que querem tipo reconhecimento, assaltos a embarcações etc,...

 :G-bigun:  :snipersmile:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 20, 2012, 07:42:33 pm
Boa noite a todos.

Eu para o ano penso, para alem de concorrer ao exercito, também à marinha, como voluntario na classe de fuzileiros.

Em primeiro, nao escrevo esta pergunta para me abençoarem como "sim está bem preparado bla bla". Pretendo que sejam sinceros.

Sou excelente em força, natação e marcha. E tb na corrida, mas continuo sempro e com receio sobre ela.

Por isso, queria perguntar se correr uma boa hora e meia, sempre a um ritmo constante e sem comer durante 8 horas antes, é o suficiente para me acalmar com este receio... Isto é, se é o suficiente ou muito pouco, para que tenha sucesso no curso, porque, para alem disso, é ncessário estar bem preparado, mas ninguem vai para lá para ser atleta maratonista, não é verdade?     :)

Por isso, peço respostas sinceras, porque só tenho este grande tormento...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: militar03 em Outubro 21, 2012, 01:12:24 am
epá, foste meter quase a mesma pergunta em 2 tópicos diferentes, FUZILEIROS E NAS TE DO EXE..

ainda nem sabes o que ,nem para onde ir ,para além de demonstrares já falta de confiança...deixo-te o mesmo conselho que deixei no EXE


"                                                                                                                                                                                "
um bom conselho para ti, tenta amadurecer mais um pouco, que a pergunta que fizeste não tém ponta por onde pegue  
militar03
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 21, 2012, 01:54:22 pm
ó senhor militar03, quando as respostas nao têm o conteudo pretendido para a questão, tenta-se noutros sitios... não verdade? Da procura sistemática, surgirá alguem que responderá... para alem disso, sou o irmao do Gambow.


Mas voltando ao tema...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Outubro 21, 2012, 03:47:23 pm
Eu não sou militar gambow, sou só um curioso como tu deves ser. Mas do pouco que vejo em documentários e do que leio, acho que é mais importante a resistencia do que a velocidade na corrida. mas se tentares aumentar a velocidade aos poucos, mantendo o tempo de corrida que fazes, de certeza que é melhor. De qualquer forma parece me que corres mais do que a media das pessoas, o que é bastante bom :)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 21, 2012, 04:27:03 pm
Pois, é que em tudo o que é prova militar, tudo o que interessa, é resistência... duas horas de corrida para mim nao é estranho, pois mantenho um ritmo estável... com algumas dores à mistura, claro, mas é sempre normal, não?

Eu sou bastante veloz em corridas de 100m mas na resistencia sou normal, em termos de velocidade...

Isto tudo foi porque, quando corro com o meu amigo, ele dá-lhe no duro durante 30 min depois desfalece e eu ultrapassou-o...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 21, 2012, 07:53:23 pm
Mas que raio de conversa, o amigo corre x tempo, eu ao fim de x tempo ultrapasso-o, conversa sem sentido nenhum, vá dizer isso lá para os avaliadores pode ser que eles o passem sem precisar de correr...
É claro que não, o amigo não é para aqui chamado, o que interessa é distância, quantos km faz em 30min? e em 2 horas? Isso é que interessa, mais nada.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 23, 2012, 07:29:32 pm
Aqui está: em 1h30 min corri ontem 15 km... que tal, senhor lighting (pode-me tratar por tu, sem problema...)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Outubro 23, 2012, 08:39:25 pm
Citação de: "Gambow"
Aqui está: em 1h30 min corri ontem 15 km... que tal, senhor lighting (pode-me tratar por tu, sem problema...)

isso é pouco, deverias fazer isso em 1 hora
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 23, 2012, 09:22:21 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "Gambow"
Aqui está: em 1h30 min corri ontem 15 km... que tal, senhor lighting (pode-me tratar por tu, sem problema...)

isso é pouco, deverias fazer isso em 1 hora

Gambow, eu trato por tu e não me trates por senhor que eu ainda sou um jovem :mrgreen: , prefiro correr em terra, então devido aos meus gostos costumo ir correr para o monte, consoante as preferencias de cada um, vai haver estilos de corrida diferentes. Mas estou a falar em relação a treinares por ti, porque depois na tropa vais ter que correr o tempo que te mandarem, no sitio que te mandarem, da maneira que te mandarem.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 24, 2012, 07:56:24 pm
E a pensar que isto era extraordinario... é o seguinte: de todos os meus 8 colegas que querem ir para a tropa, 4 deles ja correram a maratona e tudo, eu sou o que mais aguento, e um inclusive ja foi comando... mas isto está assim tão mau??? Eu ja faço corrida desde à 3 anos, e sempre foi este o meu marco... Quer dizer que se entrar nos fuzos ou oe vou-me ver à rasca???

Epá, deixaram-me abalado sinceramente para prefiro saber as verdades...  :D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 25, 2012, 12:30:58 pm
15 km numa hora e meio é fraquito, eu fazia-o numa hora antes de ir para a tropa.

A corrida na tropa é muito simples, há uns "pastores" que levam o rebanho a passear, basta tu manteres-te no meio do rebanho que vais bem, nunca fiques nem à frente nem atrás.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 25, 2012, 08:48:40 pm
Mas será fator impeditivo caso entre nos cursos do fuzos ou oe? É algo que me irá destruir de ser algum deles?  Eu passo as provas de admissão sem problemas mas o meu ritmo de corrida fará com que chumbe????

Gostei, Cabeça de Martelo :P
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Outubro 25, 2012, 10:55:59 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
15 km numa hora e meio é fraquito, eu fazia-o numa hora antes de ir para a tropa.

A corrida na tropa é muito simples, há uns "pastores" que levam o rebanho a passear, basta tu manteres-te no meio do rebanho que vais bem, nunca fiques nem à frente nem atrás.

Mas quando a companhia ou pelotão ia a correr pela estrada em direcção a Constância havia uma que nunca me saía da cabeça: - Quando é que este "chico" manda voltar para trás!!!  :D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Outubro 25, 2012, 10:58:40 pm
Gambow,
Toda a tropa, incluindo as ditas forças especiais, é só para homens normais.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Outubro 26, 2012, 12:28:07 am
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "Gambow"
Aqui está: em 1h30 min corri ontem 15 km... que tal, senhor lighting (pode-me tratar por tu, sem problema...)

isso é pouco, deverias fazer isso em 1 hora

Isso é pouco, sem duvida. Quando passei pela Escola, cross de 15 km em terreno de areia solta e com o equipamento de assalto em 1h30, era nota negativa e há segunda igual, patins calçados.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 26, 2012, 05:43:08 pm
Acho que um factor psicológico importante é não "perder a cabeça" a pensar se vais conseguir ou não fazer a prova de amanhã, ou a prova da sexta porque tens medo que se correr mal não tenhas dispensa no fim de semana, etc, isso é mau porque te distrais com o que no momento não interessa, e na instrução o que interessa é a proxima prova que tens que ser bem sucedido e não com a prova que vais ter dali a x tempo. É como uma escadaria, não olhes para o ultimo degrau, olha para o primeiro, depois de subires esse olhas para o seguinte e assim sucessivamente.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 26, 2012, 06:34:53 pm
Eu tenho uma imagem das tropas especiais de homens sobre-humanos... tento SEMPRE ser melhor em tudo: mais forte, mais rapido, mais resistente, mais inteligente....

ò lighting, nao deverias ai ir para psiocologo????  :)

Malta, esqueçam o valor que vos disse: Ontem fui correr e em 1h:30 fiz 25 km... que tal agora?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Duarte em Outubro 26, 2012, 08:27:20 pm
Citação de: "Gambow"
Malta, esqueçam o valor que vos disse: Ontem fui correr e em 1h:30 fiz 25 km... que tal agora?

Isto não é nada. No meu tempo de tropa corriamos 35 kms em 1h30, descalços sobre lâminas.  :twisted:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 27, 2012, 11:21:54 am
Citação de: "Trafaria"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
15 km numa hora e meio é fraquito, eu fazia-o numa hora antes de ir para a tropa.

A corrida na tropa é muito simples, há uns "pastores" que levam o rebanho a passear, basta tu manteres-te no meio do rebanho que vais bem, nunca fiques nem à frente nem atrás.

Mas quando a companhia ou pelotão ia a correr pela estrada em direcção a Constância havia uma que nunca me saía da cabeça: - Quando é que este "chico" manda voltar para trás!!!  :G-beer2:

Gambow, vi camaradas que no primeiro que fizemos ficaram para trás e só chegaram ao final porque foram carregados. O primeiro cross foi a coisa mais fácil que eu fiz na tropa e mesmo assim...coitados. O importante é o que tens dentro da cabeça, se tens ou não força de vontade para continuar em frente.

PS: Trafaria, lembras-te da dita subida do pára-quedista? Foi aí que eles ficaram sem forças... :twisted:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 27, 2012, 12:16:32 pm
entao eu vou continuar a fazer musculação e corrida com calma pq as minhas fasquias tao boas....


e pelo que percebi, o que conta é o factor psicologico não é?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Outubro 27, 2012, 02:03:24 pm
Sim o psicológico conta e muito!
Quando caíres e não conseguires levantar, quando as pernas não obedecerem, quando os prazos que te dão parecem impossíveis de cumprir, quando o sono não te deixa pensar, começas a pensar que tanto treino afinal não serviu para nada, que estás pesado de mais, que afinal és uma mer**... Mas que a culpa é dos outros...

Aqui o psicológico decide o que és...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 27, 2012, 04:51:15 pm
Sim senhor, HSMW, gostei!!!!!  :D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 28, 2012, 04:28:55 pm
Citação de: "Gambow"
ò lighting, nao deverias ai ir para psiocologo????  :new_argue: .
 :G-beer2:

Disse-te o que também me disseram, e como eu tentava organizar a minha mente para não me distrair com o que não é essencial. Mas nunca fui de nenhuma tropa especial, só espero não induzir ninguém em erro :mrgreen: .
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Outubro 30, 2012, 07:04:13 pm
Qual a diferença entre coemar e dae?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Outubro 31, 2012, 03:20:09 am
Citação de: "Gambow"
Qual a diferença entre coemar e dae?

usa o google....a wikipedia....o youtube....
http://pt.wikipedia.org/wiki/Curso_de_O ... de_Marinha (http://pt.wikipedia.org/wiki/Curso_de_Opera%C3%A7%C3%B5es_Especiais_de_Marinha)

http://fuzileiros.marinha.pt/PT/unidade ... fault.aspx (http://fuzileiros.marinha.pt/PT/unidades/dae/Pages/default.aspx)

http://www.youtube.com/watch?v=o_FJULmhePc (http://www.youtube.com/watch?v=o_FJULmhePc)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Destacamen ... _Especiais (http://pt.wikipedia.org/wiki/Destacamento_de_Ac%C3%A7%C3%B5es_Especiais)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Novembro 03, 2012, 10:39:20 am
Queria so fazer outra pergunta: Que outros cross e provas poderiam-me dizerem-me que se efectuam no curso de fuzileiros?^?' :)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabecinhas em Novembro 03, 2012, 08:36:55 pm
Citação de: "Gambow"
Queria so fazer outra pergunta: Que outros cross e provas poderiam-me dizerem-me que se efectuam no curso de fuzileiros?^?' :)

Limpeza da messe, limpeza da parada, limpeza da camarata...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Novembro 04, 2012, 09:05:39 pm
Desculpem-lá aqui comentar isto: mas hoje fomos hoje, eu e 5 amigos, mais um ex-comando, fazer o cross de 15 km. Eu terminei e 1h e 5min eles so dp da 1h:30 min...

So queria comentar o seguinte: deve ser uma prova que retira muita gente do curso, não??? :D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Novembro 04, 2012, 10:34:49 pm
Acho que devias esquecer as Forças Armadas e dedicares-te ao atletismo...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Novembro 05, 2012, 12:15:21 am
Já se viu que és uma maquina. Acho que podes deitar-te agora a descansar, porque és excelente em tudo.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Novembro 05, 2012, 10:49:02 am
Citação de: "White_lynx"
Já se viu que és uma maquina. Acho que podes deitar-te agora a descansar, porque és excelente em tudo.

tem só atenção aos psicotécnicos!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Camuflage em Novembro 05, 2012, 07:57:08 pm
Citação de: "Gambow"
Desculpem-lá aqui comentar isto: mas hoje fomos hoje, eu e 5 amigos, mais um ex-comando, fazer o cross de 15 km. Eu terminei e 1h e 5min eles so dp da 1h:30 min...

So queria comentar o seguinte: deve ser uma prova que retira muita gente do curso, não??? :D

Se eu fosse candidato estaria mais preocupado em saber o quão em forma estou e não em saber quantos melros vão ficar pelo caminho.

Deixo o desafio:

3Km em 11.5 minutos
5Km em 20 minutos
10Km em 42 minutos
20Km em 88 minutos
42.2Km em 3h15 minutos
Nadar 2Km em 40 minutos
Completar 40Km com uma mochila de 20Kg às costas em menos de 7h
Realizar 80 flexões
Realizar 100 abdominais
Realizar no mínimo 12 elevações na barra

Quando achares que estás mesmo em forma faz: 64Km com mochila de 20kg às costas numa montanha.

Daqui por uns meses dá noticias quando tiveres próximo de conseguir algum dos feitos, até lá não vale a pena apareceres para este tipo de comentários.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Novembro 06, 2012, 04:52:08 pm
Senhor Camuflage, gostei!!

Donde retirou estes desafios???
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: chaimites em Novembro 06, 2012, 05:16:56 pm
Citar
Quando achares que estás mesmo em forma faz: 64Km com mochila de 20kg às costas numa montanha

 Cuidado com o mal de montanha!!

 pode ser fatal !  a falta de oxigéneo é perigosissima,

 Podes detetar os primeiros sintomas  quando nao conseguires contar de 1 a 10 de forma decrescente!  ou nao conseguires dizer o alfabeto de forma correta!
faz esse teste a ti mesmo consoante vais subindo! se os detetares  desce imediatamente da montanha! e usa a garrafa de oxigeneo!

O "mal de montanha" mata mesmo os mais bem preparados fisicamente!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 07, 2012, 12:21:09 am
Montanha talvez não seja ter que subir a serra da estrela :lol: , neste caso deve ser ir para terreno florestal, andar em caminhos de terra, com subidas e descidas, arvores, ribeiras, etc.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Camuflage em Novembro 07, 2012, 09:51:55 pm
O objectivo é mesmo ir por zonas montanhosas e pisos irregulares, não é propriamente escalar o everest.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Novembro 08, 2012, 10:59:56 am
Citação de: "Camuflage"
O objectivo é mesmo ir por zonas montanhosas e pisos irregulares, não é propriamente escalar o everest.

Dar uso às botas ali para a zona de Castelo Branco, tipo Serra da Malcata, por exemplo! :twisted:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 08, 2012, 05:44:03 pm
Citação de: "raphael"
Dar uso às botas ali para a zona de Castelo Branco, tipo Serra da Malcata, por exemplo! :mrgreen: .
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: militar03 em Novembro 08, 2012, 11:22:18 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "raphael"
Dar uso às botas ali para a zona de Castelo Branco, tipo Serra da Malcata, por exemplo! :mrgreen: .


xiiii esses gajos são muita maus, se te apanham (e apanham sempre) fazem-te num oito :mrgreen:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Novembro 10, 2012, 08:38:56 pm
Senhores sabedores, queria fazer 1 questão:

Após começar com um plano fisico rigoroso, começou dolorosas dores nos lados do corpo, mas eu continuo sempre em frente... mas queria perguntar se essas dores estarão SEMPRE presentes nesta vida militar e se o truque está em saber seguir em frente?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: chaimites em Novembro 10, 2012, 09:33:21 pm
Treino rigoroso sob orientão de quem ?
 continue assim que  ainda pode concorrer aos proximos  paralímpicos!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Novembro 11, 2012, 01:23:26 am
Para. Se tiveres de aguentar a dor aguenta quando estiveres lá. Nunca treines se não estiveres bem. Eu antes também fazia isso, e por causa disso tive de parar uns tempos por causa de lesões.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Novembro 11, 2012, 12:25:42 pm
Fico estarrecido....... Correm este mundo e o outro e ainda metade do que há-de vir a seguir?!!! Parabéns, isso vale baldes. Se for preciso mandar alguém ir a correr com o Unimog às costas porque se avariou, já temos homens  :lol:

Quando estiverem a ração de combate à mais de 5 dias, sem tomar banho à outros tantos, com meia dúzia de horas dormidas durante esse tempo, com água que não chega sequer para matar a sede da parte da manhã, é esse atletismo que vos vai valer.

No meu CFG  sabem quem foram os tipos que se aguentaram bem à jarda aquando o Hércules e o Atlas? Os "zezinhos" alentejanos que trabalhavam na cortiça e nos campos desde que se lembravam. Os "maneis" das Beiras que passaram a vida a subir montes, ao frio e à chuva, atrás de rebanhos. Os "indios" da Musgueira, Casal Ventoso, Pedreira dos Húngaros, etc, que sabiam o custo da vida e habituados a andar à chapada numa base diária.

Agora "burberrys e ralph laurentes" da vida, que julgam que se se faz uma IOP e depois se vai tomar um banhinho de água quentinha, tomar os seus batidinhos energéticos e roncar descansadinho para o dia a seguir vão penar a bom penar. Por muito que sejam capazes de correr, saltar e piruetas de cu para o ar.

E têm a sorte (sorte para eles, azar para a Instituição) de agora a instrução ser dada numa base "positiva", pois são poucos e todos são precisos, por mais batatinhas que sejam. Quando entravam 400 e só eram necessários pouco mais de 100 no fim, durariam muito por lá.

Vontade, vontade e vontade e depois então mais vontade de querem e conseguirem.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Novembro 11, 2012, 12:32:38 pm
ok ok, muito bem, eu pararei, mas nao há minima dor...

treino fisico é rigoroso por é muito restrito: x distancia em y tempo...

era só um comentário...

agora uma coisa mais direta: quem ja aqui pertenceu às tropas especiais ou fuzileros e me sabe dizer as provas mais duras? Quero esta vida e graças a deus que exite este forum...

:D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Novembro 11, 2012, 02:07:07 pm
Foxtroop, sem querer tirar credibilidade ao que disse, tenho lhe a dizer que os indios da musgueira que conheci não estavam habituados a andar à batatada no dia-a-dia. Estavam habituados sim a andar em bando pelos bairros e pela escola a dar calduços nos putos mais fracos e que não tinham um bando também para lhes aquecer as cotas. Eu como nunca fui fraco ao ponto de mudar para o grupo dos gandulos para não levar nas orelhas, nem tinha paciencia de levar e calar (e por causa disso muitas vezes levei uns bons enxertos, quando podia ter levado só um estalo), tinha de andar muitas vezes à batatada com eles, e digo lhe, que sozinhos a maioria deles não valiam nada.
   Só digo isto porque o seu post pareceu me um pouco apologista desse tipo de (desculpem me o termo) sacana (não estou a dizer que o senhor os apoia, apenas que o post podia induzir a isso).
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabecinhas em Novembro 12, 2012, 03:20:10 pm
Citação de: "White_lynx"
Foxtroop, sem querer tirar credibilidade ao que disse, tenho lhe a dizer que os indios da musgueira que conheci não estavam habituados a andar à batatada no dia-a-dia. Estavam habituados sim a andar em bando pelos bairros e pela escola a dar calduços nos putos mais fracos e que não tinham um bando também para lhes aquecer as cotas. Eu como nunca fui fraco ao ponto de mudar para o grupo dos gandulos para não levar nas orelhas, nem tinha paciencia de levar e calar (e por causa disso muitas vezes levei uns bons enxertos, quando podia ter levado só um estalo), tinha de andar muitas vezes à batatada com eles, e digo lhe, que sozinhos a maioria deles não valiam nada.
   Só digo isto porque o seu post pareceu me um pouco apologista desse tipo de (desculpem me o termo) sacana (não estou a dizer que o senhor os apoia, apenas que o post podia induzir a isso).


X2... não digo Musgueira, mas outras paragens.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Novembro 12, 2012, 05:51:03 pm
Por exemplo, naquele cross de 15 km em menos de 1h20, queria saber o seguinte: eu faço em menos de hora e vou gerindo o esforço, isto é, reduzo o ritmo de vez em quando e dp volto a aumentar. Queria perguntar se é isto que se faz, isto é, uma gestão de esforço nestas provas e na tropa ou é tudo à bruta, sem paragens...? É que acho muito dificil fazer sem estas reduçoes e aumentos de ritmo...

Agradeço RESPOSTA !
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: luis filipe silva em Novembro 12, 2012, 08:41:56 pm
Caro Gambow.

Vejo em si um atributo que não favorece ninguém que queira ingressar numa força especial, que é a sua insegurança. A partir desta fase, perguntaria no Fórum se o inimigo usa armas, se as dispararia, e qual a velocidade das balas. Sinceramente...

Citar
Queria perguntar se é isto que se faz, isto é, uma gestão de esforço nestas provas e na tropa ou é tudo à bruta, sem paragens...? É que acho muito dificil fazer sem estas reduçoes e aumentos de ritmo...
Claro que não. Existem pelo caminho umas roulotes onde podem descansar e comer umas bifanas :mrgreen:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Novembro 12, 2012, 09:37:26 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Claro que não. Existem pelo caminho umas roulotes onde podem descansar e comer umas bifanas :rir:  :rir:  :rir:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: chaimites em Novembro 13, 2012, 12:40:55 am
OH santo homem de Deus!

Eu ja te mendei uns bitaites e alguns fora do baralho......enfim a ver se chegavas la!


 Reduçoes e acelarações é que te partem todo!!!

 procura o teu ritmo e mantem-no  para ganhares resistencia

mantem esse ritmo dias, semanas ate te sentires confortável   a fazer essa distancia!!!

 apartir do momento em que te sintas confortavel  vai aumentando o ritmo grandualmente  ate te sentires confortável novammente
 mas isto demora meses !!  
 compra um pedometro para te controlares e saberes a quantas andas!

Devias falar com um preparador fisico ou um fisiologista. ele explicava-te como funciona e como reage o corpo ao treino e como subir gradualmente os niveis de exigencia!!!  

A dor que sentes pode ser positiva ou negativa, se saõ os musculos a reagir ao treino é positiva  eles estão  a adaptar-se á nova carga que lhes pedes   com o tempo deixa de doer  
Agora se  os rebentaste  pode ser muito mau!

Abraço!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Gambow em Novembro 13, 2012, 07:20:48 pm
Eu estou satisfeito com o meu desempenho... agora a minha referência passou a ser fazer o cross de 15 km em menos de hora e consigo só que vou progressivamente, ao longo da corrida, aumentando e diminuindo o ritmo, mas agora sei o que fazer, obrigado sr. chaimites...

eu corro agora todos os fim.de.semanas e quartas que quando tenha as tardes livres... nao posso correr mais pq o secundario nao deixa mas nas ferias é todos dia...

ja ouvi para ai que a minha insegurança nao é boa bla bla... nao é insegurança, é quer ser bom e sempre melhor, e nao tenho ninguem que me oriente, a nao ser a irregularidade de alguma alma caridosa me responder...

Haverá algum problema ou ficarei muito prejudicado se nao correr todos os dias? É que quero acabar o 12º ano e isso envolve empenho...  Irá arruinar o meu ingresso na marinha ou exercito, e posteriormente nos fuzos ou operações especiais?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Novembro 13, 2012, 08:25:36 pm
Olha, acabar o 12º ano é a melhor maneira de assegurares o teu ingresso, quer na Armada quer no Exército. Não queiras ser o melhor, o "mais bom", etc. Isso é mais de meio caminho andado para acabares no esterco. Quando entrares, se entrares, cumpre com o que te mandam o melhor que tu, e a situação, o permitir sem te armares. O resto vem por acréscimo.

Quanto à corrida, se corres em pista, não entendo o porque das variações de ritmo, agora se corres ao "livre" é normal haver variações. O piso, a inclinação do terreno, a paisagem, a "mula" toda grossa que um gajo até se esquece que vai a correr, etc, não te preocupes com isso.

Quanto às provas mais duras, depende. Mas não te preocupes com isso. O limite do cansaço é o desmaio e enquanto isso não acontece é porque ainda não foi duro o suficiente e prova dura nos Fuzileiros é carregar o Unimog às costas e dar a volta à parada em passo acelerado. Coisa que nunca os vi mandar fazer.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Edu em Novembro 14, 2012, 12:42:05 am
Caro Gambow, permita-me que lhe diga que 90% do que aqui escreve não tem grande sentido.

O senhor quer entrar numa instituição militar, sem duvida fez bem em vir tirar duvidas aqui ao forum defesa, isso não está em causa.

Mas vir para aqui dizer, que consegue fazer isto e aquilo, e que está muito satisfeito consigo e mais não sei quê não faz sentido nenhum.

Isto é, diferentes ramos e especialidades têm requisitos minimos diferentes, o senhor vê aquilo que quer, procura saber quais os requisitos minimos e treina para eles, tão simples quanto isto, tenta fazer na zona onde vive ou treina aquilo que se pede ou mais. Se consegue fazer mais sabe que provavelmente entra, se não consegue sabe que provavelmente não vai entrar.

Os requisitos minimos encontram-se facilmente na internet, mas se não encontra sem duvida que pode perguntar aqui. Também não tem mal perguntar melhores formas de treino.

Agora vir para aqui dizer que o consegue fazer, e que consegue mais que os amigos e perguntar se é bom ou mau, a mim sinceramente parece-me que o senhor está à espera de ouvir de alguém que é um espectaculo de atleta e que nunca apareceu em Portugal ninguém como o senhor. É que mesmo que fosse esse o caso acredite que ninguém lhe iria dizer isso porque ninguém iria acreditar em alguém que vem para foruns contar proezas.
Para mim o senhor anda um pouco à procura de atenção e que alguém lhe diga que é muito bom. O problema é que não é isso que o vai fazer entrar em lado algum.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 07, 2013, 12:11:43 pm
O CONTRA-ALMIRANTE CORTES PICCIOCHI FALA AO “OPERACIONAL”

Numa altura em que se avizinham grandes mudanças nas Forças Armadas e também no Corpo de Fuzileiros da Marinha Portuguesa, o “Operacional” esteve na Base de Fuzileiros e falou com o Contra-Almirante Cortes Picciochi, comandante desta força de elite desde 2008.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2013%2F02%2F1-calmirante-picciochi.jpg&hash=59b6952f37ce32d33bf7ed7a4b468049)
Ao Contra-Almirante Cortes Picciochi cabe liderar esta força de elite da Marinha Portuguesa em tempos de mudança. Também nos fuzileiros, à semelhança da generalidade da instituição militar em Portugal, as reduções de efectivos e de meios são uma realidade

 :arrow: http://www.operacional.pt/o-contra-almi ... eracional/ (http://www.operacional.pt/o-contra-almirante-cortes-picciochi-fala-ao-operacional/)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jurista em Fevereiro 07, 2013, 01:16:38 pm
Excelente entrevista!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Março 23, 2013, 10:46:11 pm
Umas fotos de actividades operacionais da minha CFz  :)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1112.photobucket.com%2Falbums%2Fk483%2FZehfiro%2FImage-122.jpg&hash=5788c70cd799e08702f880f9ef738267)

Fotos iluminantes sobre a carreira de tiro no Pinheiro da Cruz.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1112.photobucket.com%2Falbums%2Fk483%2FZehfiro%2FImage-94.jpg&hash=94f9fab9852494829de2533fdb4fc364)

Exercício de treino a reacção a contacto por fogo. De notar que fazíamos esses exercícios e manobras com munição real .


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1112.photobucket.com%2Falbums%2Fk483%2FZehfiro%2F67410011.jpg&hash=890f577af8d812a0693764f3a18bf941)

Exercício multinacional. A aguardar após o desembarque.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1112.photobucket.com%2Falbums%2Fk483%2FZehfiro%2F67410005.jpg&hash=57f718c62269b4e4456878b68f27c17c)

À espera de heli-transporte.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Março 23, 2013, 11:22:31 pm
Excelentes fotos!  :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Abril 14, 2013, 03:32:05 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1112.photobucket.com%2Falbums%2Fk483%2FZehfiro%2FTIROGLAMOC_3.jpg&hash=6cdb5c3c531a72e9457608323bb3464c)

Em patrulha ao serviço da SFOR-Bósnia


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1112.photobucket.com%2Falbums%2Fk483%2FZehfiro%2FTIROGLAMOC_4.jpg&hash=12efbf0083034811d48628b03515aaae)

SFOR-Bósnia. Fogos reais em Glamoc.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1112.photobucket.com%2Falbums%2Fk483%2FZehfiro%2FMostar1.jpg&hash=37c575ddb0cdb8d5d1f4140e61d8b1f2)

Chegada a Mostar para a operação Joint Resolve
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Abril 14, 2013, 07:49:21 pm
Grandes fotos, Muito Obrigado!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Abril 14, 2013, 07:51:19 pm
Venham mais!!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Ricardo em Abril 16, 2013, 10:21:08 am
FUZILEIROS NA BÓSNIA-HERZEGOVINA: http://barcoavista.blogspot.pt/2012/05/ ... ovina.html (http://barcoavista.blogspot.pt/2012/05/fuzileiros-na-bosnia-herzegovina.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sniper14 em Abril 20, 2013, 09:03:58 am
Amphibia Challenge 2013

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Abril 23, 2013, 01:19:44 am
Os Fuzileiros que foram com a Fragata Alvares Cabral para o Indico agora andam de camuflado de deserto. Alguma razão em especial?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Feunavfor.eu%2Fwp-content%2Fuploads%2F2013%2F04%2FALVC_BoardingTeam-623x393.jpg&hash=adf40d881609d0125a6cc221809693d1)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: militar03 em Abril 25, 2013, 03:21:27 pm
eu acho que o pessoal do destacamento do p3 da fap, também foi com esse fardamento para lá...... deve ser padrão
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Abril 25, 2013, 11:04:34 pm
Citação de: "militar03"
eu acho que o pessoal do destacamento do p3 da fap, também foi com esse fardamento para lá...... deve ser padrão

É verdade
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-XMZMSI8J52M%2FTdwqu4kassI%2FAAAAAAAAGRM%2FT1N5G03MR7A%2Fs1600%2Frendicao_comado_fotogrupol.jpg&hash=74643afcbf7c1752b4634bca8f4df372)

Mas as Seychelles não são nenhum deserto, tal como se vê na imagem, por isso a razão não pode ser estarem num ambiente desértico como o Afeganistão, nem é o fardamento padrão para missões internacionais porque as missões na europa (Kosovo, Lituânia, Islândia) são com o padrão normal verde, talvez seja o fardamento padrão para climas quentes?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Maio 14, 2013, 08:08:26 pm
(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc1/944290_574933659194488_1048842847_n.jpg)
(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/969627_574933662527821_1473492293_n.jpg)
(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-snc6/180234_574933665861154_1760832808_n.jpg)
Citar
Na semana passada, os militares que frequentam o Curso de Sargentos Fuzileiros receberam formação nos módulos de “Armamento e Tiro”, “Comunicações” e “Operações Terrestres”. Neste último módulo os futuros Sargentos Fuzileiros tiveram a oportunidade de praticar operações em ambientes de guerra química e biológica.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Maio 14, 2013, 08:20:14 pm
Desconhecia que existiam cursos de sargentos fuzileiros...
É que nunca ouvi falar em cursos de sargentos comandos, de páras ou OE.... há penas o curso da ESE para todo o ramo, não é?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Maio 15, 2013, 08:09:03 am
Porque a ESE não tem nada a ver com com essas tropas para o ingresso no QP.
Há um ano comum, e depois um especifico à area (Infantaria, Cavalaria, Administração, etc...) mas após isso qualquer um pode fazer o curso que quiser, ou vários ou nenhum.

O que existe são cursos de Comando, para-quedista ou OpEsp na categoria de Of/Sarg QP/RC.


Corrigam-me se estiver enganado mas o CFS Fuzileiros abre com certo numero de vagas a que podem concorrer apenas Praças já Fuzileiros?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 15, 2013, 10:46:29 am
Pelo que eu ouvi dizer, sim. Este curso um CFS QP que só pode concorrer Fuzileiros da classe de Praças. O Fox que explique se estamos todos a ver bem ou mal a situação.

HSMW, posso estar desactualizado, mas salvo erro os únicos cursos que só podem fazer militares do QP são o COE para militares do QP, e o Curso de Precursor, de resto os cursos são iguais para QP e contratados.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Maio 15, 2013, 11:27:22 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
HSMW, posso estar desactualizado, mas salvo erro os únicos cursos que só podem fazer militares do QP são o COE para militares do QP, e o Curso de Precursor,
Sim, por isso é que coloquei:
Citação de: "HSMW"
na categoria de Of/Sarg QP/RC.

Citar
de resto os cursos são iguais para QP e contratados.
"Quase" iguais mas com F grande.  :wink:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 15, 2013, 02:53:48 pm
No meu tempo a única diferença entre QP e voluntários/contratados no Curso de Pára-quedismo eram as PAF (muito mais exigentes para os QP). No resto dos cursos não sei dizer-te.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Maio 15, 2013, 08:51:05 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Pelo que eu ouvi dizer, sim. Este curso um CFS QP que só pode concorrer Fuzileiros da classe de Praças. O Fox que explique se estamos todos a ver bem ou mal a situação.

HSMW, posso estar desactualizado, mas salvo erro os únicos cursos que só podem fazer militares do QP são o COE para militares do QP, e o Curso de Precursor, de resto os cursos são iguais para QP e contratados.

É correcto, apenas podem concorrer ao CFS/FZ praças fuzileiros já QP's, ou seja 1MAR/FZ ou CAB/FZ. Contudo, isso na altura em que me vim embora pois antes apenas Cabos e já com uns anos valentes é que podiam concorrer, sendo a média de idades dos Sar/FZ bastante elevada mas compensando com uma boa tarimba. O CFS/FZ é bastante curto em duração, se compararmos com os CFS dos outros Ramos, justamente devido à malta já ter o CFG (Curso de Formação de Grumetes), após 2 anos concorrer e tirar o CFM (Curso de Formação de Marinheiros) e, após mais uns anos como QP poder concorrer ao CFS, ou seja, não ter de formar um suí....   errrrr....    quer dizer, um sargento directamente a partir de um "civilóide"  :twisted:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Maio 15, 2013, 10:40:42 pm
Simplificando, e formulando a pergunta de outra maneira, pois parece que nem todos me entenderam:
Na marinha não existe uma unica via e um único curso de promoção a sargento à semelhança do que existe no exercito (ESE), os fuzileiros têm a sua via e o seu próprio curso de acesso à classe, é isso?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Maio 15, 2013, 10:53:29 pm
Correcto, cada classe da Armada tem o seu próprio CFS.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Maio 16, 2013, 08:16:07 am
Citação de: "FoxTroop"
O CFS/FZ é bastante curto em duração, se compararmos com os CFS dos outros Ramos, justamente devido à malta já ter o CFG (Curso de Formação de Grumetes), após 2 anos concorrer e tirar o CFM (Curso de Formação de Marinheiros) e, após mais uns anos como QP poder concorrer ao CFS, ou seja, não ter de formar um suí....   errrrr....    quer dizer, um sargento directamente a partir de um "civilóide"  :twisted:

E qual o CFS QP que admite civis?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Maio 16, 2013, 11:55:37 am
Citação de: "HSMW"
Citação de: "FoxTroop"
O CFS/FZ é bastante curto em duração, se compararmos com os CFS dos outros Ramos, justamente devido à malta já ter o CFG (Curso de Formação de Grumetes), após 2 anos concorrer e tirar o CFM (Curso de Formação de Marinheiros) e, após mais uns anos como QP poder concorrer ao CFS, ou seja, não ter de formar um suí....   errrrr....    quer dizer, um sargento directamente a partir de um "civilóide"  :twisted:

E qual o CFS QP que admite civis?

Que eu tenha conhecimento nenhum...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Maio 16, 2013, 01:37:01 pm
Antigamente os civis podiam concorrer ao curso de sargentos do exercito desde que tivessem cumprido o SMO. Desconheço se e quando acabou.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Maio 16, 2013, 02:18:31 pm
Citação de: "Trafaria"
Antigamente os civis podiam concorrer ao curso de sargentos do exercito desde que tivessem cumprido o SMO. Desconheço se e quando acabou.

Não seria CFS/RC? é que diretamente para QP não é comum, pelo menos em Sargento. Já para oficial em algumas especialidades é comum isso acontecer.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Maio 16, 2013, 03:28:05 pm
O ultimo CFS QP em que isso aconteceu foi para aí à 15 anos. Agora só militares (dos 3 ramos) concorrem à ESE.
Mais fotos:
 :arrow: https://www.facebook.com/MarinhaPortugu ... ion=stream (https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa?ref=stream&hc_location=stream)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Maio 18, 2013, 01:27:03 am
Citação de: "FoxTroop"
Correcto, cada classe da Armada tem o seu próprio CFS.

É como na Força Aérea, por regra cada especialidade tem o seu curso de sargento QP especifico, havendo sempre algumas exepções.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Maio 19, 2013, 08:19:59 pm
Boa tarde
Peço desde já desculpa por estar a utilizar este tópico para fazer esta pergunta, mas não encontrei outro mais apropriado.
  Não sei se isto acontece a mais alguem, mas quando faço abdominais, após algumas séries, começo a ficar com uma dor  no cóccix. Já chegou a fazer mesmo ferida. Alguem sabe se isto é normal ou conhece alguem a que aconteça o mesmo? existe alguma forma de o evitar?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Maio 19, 2013, 09:28:43 pm
É normal, a mim acontecia o mesmo. Faz abdominais em piso macio.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Maio 19, 2013, 09:31:48 pm
Conheci quem tivesse de usar pensos higiénicos... e não eram mulheres.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 21, 2013, 10:45:12 am
Pensos de senhora vi muito fulano a usar...nas botas, na mochila, etc. Aí... nunca! :shock:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Maio 21, 2013, 01:47:15 pm
Sim, também nesse sitio, lembro-me de um caso ou dois.  
Nas botas também experimentei... mas não funcionou, enrolavam. Nada como boas meias com uma elevada percentagem de algodão.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Camuflage em Maio 21, 2013, 10:29:36 pm
Há algumas pessoas que têm o cóccix mais proeminente e outras que fazem abdominais de maneira incorrecta, daí surgirem as lesões, nestes casos deve-se tentar perceber se os abdominais estão a ser feitos correctamente, caso não estejam, não só não desenvolvem nada como ainda desenvolvem lesões que podem não só aleijar o cóccix como noutros casos dar cabo da cervical.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 24, 2013, 01:22:01 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Julho 29, 2013, 11:03:49 pm
(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn1/1014053_608810825806771_128775149_n.jpg)
(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc1/q71/s720x720/1006290_608810959140091_235501637_n.jpg)
(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash3/q73/s720x720/579554_608810822473438_493649629_n.jpg)
(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/q74/s720x720/1000563_608810819140105_612220930_n.jpg)

Citar
Durante a última semana os formandos continuaram a formação nos módulos de “Operações Terrestres”, “Marinharia”, “Meios de Desembarque” e iniciaram o módulo de “Operações Anfíbias”. — 1ª Edição do Curso de Formação de Praças Fuzileiros 2013

https://www.facebook.com/media/set/?set ... 594&type=3 (https://www.facebook.com/media/set/?set=a.608810629140124.1073741952.159252640762594&type=3)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 31, 2013, 05:06:34 pm
Citar
Um militar FZ do contingente português no Afeganistão participou numa prova de crossfit chamada Spartan 300, onde entraram militares de vários países e arrecadou o primeiro lugar para Portugal.
Já á 2 anos outro militar FZ ganhou a Marcha Militar trazendo também o primeiro lugar para o nosso país.

Quem quiser ver o video da prova (não completo) é só carregar no link:
http://www.facebook.com/photo.php?v=556825301004719 (http://www.facebook.com/photo.php?v=556825301004719)

E a cerimónia do 1º lugar:
http://www.facebook.com/photo.php?v=556806011006648 (http://www.facebook.com/photo.php?v=556806011006648)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 02, 2013, 01:56:46 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 09, 2013, 04:54:07 pm
Bote "FUZOS" tipo III

 :arrow: http://fuzileiros.marinha.pt/PT/noticia ... FUZOS.aspx (http://fuzileiros.marinha.pt/PT/noticias/Pages/BoteFUZOS.aspx)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Agosto 09, 2013, 06:10:46 pm
Vídeo interessante esse dos fuzileiros.
Gostei especialmente da Chaimite a lavrar aos 03:04 e das imagens de Timor.  :wink:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Agosto 24, 2013, 04:01:22 pm
Fuzos a treinar com royal marine commandos.

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn1/935961_622913317729855_1559149148_n.jpg)

Alguém me sabe dizer, se os fuzos têm lancha de desembarque mais pequenas ou é apenas o bacamarte???
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 24, 2013, 06:16:04 pm
Essas lanchas são da Royal Navy, e devem pertencer a um LPD inglês. Nunca seriam a Bacamarte, porque aí estão duas
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Agosto 25, 2013, 12:17:24 am
Citação de: "luis filipe silva"
Essas lanchas são da Royal Navy, e devem pertencer a um LPD inglês. Nunca seriam a Bacamarte, porque aí estão duas

não me expressei bem. Eu gostava de saber se os fuzos, têm lanchas iguais/similares??
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 25, 2013, 01:13:36 am
Esta lista é antiga (2008), mas as UAM atribuídas ao Comando do Corpo de Fuzileiros (CCF) provavelmente são Lanchas de Desembarque, uma está mesmo identificada como LDM (Lancha de Desembarque Médio).

http://www.marinha.pt/OrdensBD/OA1/Fich ... arinha.pdf (http://www.marinha.pt/OrdensBD/OA1/Ficheiros/Efectivos_Unidades_Auxiliares_Marinha.pdf)

A UAM 122 a navegar:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-nS8xiQsDCDQ%2FTgejcBkx-XI%2FAAAAAAAABTk%2FrmgitnCLXpI%2Fs1600%2FP6250004.jpg&hash=3166198a35a6916d23e4989ca9e426b2)

Fonte: http://barcoavista.blogspot.pt/2009/10/ ... edias.html (http://barcoavista.blogspot.pt/2009/10/lanchas-de-desembarque-medias.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 17, 2013, 05:02:00 pm
Resolvi escrever aqui porque a Policia Naval é uma sub-unidade do Corpo de Fuzileiros.

Então se temos a Policia Naval a exercer as funções de Policia Militar na Marinha... quem é que são estes?
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADc ... da_Marinha (http://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADcia_dos_Estabelecimentos_da_Marinha)

É que o que aqui diz que a PEM faz, eu pensava que era a Policia Naval que fazia. No fundo o que pretendo é a distinção entre Policia Naval e Policia dos Estabelecimentos da Marinha.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Duarte em Novembro 18, 2013, 01:09:02 pm
Sempre pensei que a PEM fosse mais um corpo de segurança/ vigilância para instalações da Marinha, se exercem funções de policia criminal desconhecia.
Acho uma duplicação desnecessária, se temos a PN.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Novembro 18, 2013, 05:23:37 pm
A haver sobreposição é com a PM e nao com a PN. A primeira é Orgão de Policia Criminal...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 18, 2013, 06:13:46 pm
Citação de: "Trafaria"
A haver sobreposição é com a PM e nao com a PN. A primeira é Orgão de Policia Criminal...

Acho que não, a Policia Marítima tem autoridade sobre as atividades ilegais no mar, pescas, poluição, emigrantes ilegais, motins nos navios :mrgreen: , etc. Mas não investiga crimes que ocorram nas unidades militares, quem faz isso é a Policia Judiciária Militar.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADc ... ia_Militar (http://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADcia_Judici%C3%A1ria_Militar)

Não vi em lado nenhum dizer que tem funções de policia criminal, diz sim que fiscaliza os estabelecimentos da Marinha e que tem funções de "policia" dentro das unidades, penso que com isto queiram dizer, a manutenção da ordem e do cumprimento dos regulamentos.

A PN parece que é mais para andar na "rua"... Isso no tempo do SMO ainda se justificava, havia muitos militares, as estações de comboios estavam sempre cheias deles, a PE e PA também faziam esse serviço.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 18, 2013, 06:21:27 pm
Citação de: "Duarte"
Sempre pensei que a PEM fosse mais um corpo de segurança/ vigilância para instalações da Marinha.

E no artigo é isso que diz que eles fazem, eu pergunto é, então o que é que a PN faz?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Trafaria em Novembro 18, 2013, 07:57:51 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Trafaria"
A haver sobreposição é com a PM e nao com a PN. A primeira é Orgão de Policia Criminal...

Acho que não, a Policia Marítima tem autoridade sobre as atividades ilegais no mar, pescas, poluição, emigrantes ilegais, motins nos navios :mrgreen:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Duarte em Novembro 18, 2013, 08:16:43 pm
Citação de: "Lightning"
E no artigo é isso que diz que eles fazem, eu pergunto é, então o que é que a PN faz?

Segurança e Defesa de instalações da Marinha, OTAN, MDN, operações de policia militar em combate, tipo processamento de prisioneiros de guerra, segurança de retaguarda, coordenação de circulação rodoviária, serviço de estafetas, etc.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 18, 2013, 10:53:57 pm
Citação de: "Trafaria"
Se não sabe o que é um OPC como pode achar que não?  :lol:

Eu sei o que leio, e nunca li nada a afirmar que a Policia Maritima investigava crimes ocorridos na Marinha, ramo das Forças Armadas.
O que eu sei é que nos anos que tenho de militar, todos os crimes que aconteceram, foram investigados pela PJM, nunca vi GNR, PSP, nem nada parecido nas unidades. Mas como eu não estou nas unidades todas ao mesmo tempo :mrgreen: .

Mas se estiver enganado esclareça-me.

O que quero dizer é, não é necessário ser OPC para se fazer segurança a instalações militares, PA, PE, PN, PEM, pelotões do Exército em geral nos respectivos quarteis, não são OPC. Mas para interagir com a população civil, multar, prender, etc, já tem que ser, como a Policia Marítima é.

Em relação à PEM vs PN, realmente eu estava a tentar fazer uma comparação com a Força Aérea em que existe a PA (Policia Aérea) que executa ambas as funções, neste caso então a PN está mais na linha da PE (Policia do Exército), que também não faz segurança às instalações todas do Exército.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 18, 2013, 11:00:37 pm
Citação de: "Duarte"
Segurança e Defesa de instalações da Marinha

Mas no artigo da PEM diz que isso são eles que fazem. Só se existirem unidades em que é a PEM e outras que é a PN. Ou algum sistema de rotação entre ambos?

Citar
OTAN, MDN

Isso é em conjunto com a PE e PA, como aguarda do monumento aos mortos de ultramar.

Citar
operações de policia militar em combate, tipo processamento de prisioneiros de guerra, segurança de retaguarda

Isso é daquelas coisas que fica bem na lista mas, não acontece. Só se for em treinos.

Citar
coordenação de circulação rodoviária, serviço de estafetas, etc.

Isso sim, é como eu disse acima, é mais na linha das funções da PE, não tanto da PA que também é responsável pela segurança das instalações da Força Aérea.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Novembro 21, 2013, 10:45:53 am
(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/996989_666344550053398_242793824_n.jpg)

Gostei de ver que os fuzileiros dispõem de mísseis anti-carro.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 21, 2013, 04:16:43 pm
É claro que têm! Já agora, adoro o que os Fuzos fizeram às CG. c34x
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Novembro 21, 2013, 11:24:11 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
É claro que têm! Já agora, adoro o que os Fuzos fizeram às CG. c34x

CG????
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 22, 2013, 12:00:16 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
É claro que têm! Já agora, adoro o que os Fuzos fizeram às CG. c34x

O que é que eles fizeram?

CG = canhão sem recuo Carl Gustav
http://fuzileiros.marinha.pt/PT/meios/P ... e84mm.aspx (http://fuzileiros.marinha.pt/PT/meios/Pages/CanhaosemrecuoCarlGustafde84mm.aspx)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 22, 2013, 05:31:19 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-MfyWLFW-QJI%2FTbwnH9eLQBI%2FAAAAAAAAIKk%2FLKMJZzLaN-M%2Fs1600%2Ffot2_fuzos01.jpg&hash=10528afe5b68f521e1ddae8aea259194)

 :arrow: http://barcoavista.blogspot.pt/2011/12/ ... a-caf.html (http://barcoavista.blogspot.pt/2011/12/pelotao-anti-carro-da-caf.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Dezembro 03, 2013, 12:03:56 am
Citação de: "nelson38899"
(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/996989_666344550053398_242793824_n.jpg)

Gostei de ver que os fuzileiros dispõem de mísseis anti-carro.

"Para nos roubar as armas, sem ser detetado em tempo útil....(tem que...."
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Dezembro 03, 2013, 04:00:24 pm
:twisted:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 10, 2013, 02:08:18 pm

Pelos vistos no PelRec estão a usar os coletes táticos que tinham sido feitos para o DAE. Faz sentido, visto que no DAE estão a usar material ainda mais recente.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: JQT em Dezembro 11, 2013, 12:36:23 am
Eu só pergunto é quando é que as RP da Marinha se resolvem a arranjar alguém com mais de 15 anos de idade para fazer os vídeos? Isto é uma vergonha. Quando vemos vídeos de RP das forças armadas congéneres (ou das RP da NATO, ou da UE), vemos trabalhos sérios, profissionais, destinados a informar, a documentar e a passar uma imagem positiva. Por cá, vemos estes vídeos próprios de adolescentes para mostrar aos amigos da escola, que não informam, não documentam, e são uma exibição de edição de imagem e som para fazer um filmezinho de guerra. Relações Públicas são um assunto sério! Isto não só não cumpre a função como dá uma péssima imagem da Marinha!

JQT
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Camuflage em Dezembro 11, 2013, 08:58:13 pm
Como quem está no topo das FA's não aceita de maneira nenhuma o fim do SMO nem está virado para a profissionalização, as mesmas não apostam em relações públicas e permanecem na mediocridade nessa área, não conseguem ver a importância da publicidade e relações públicas para a captação de elementos ou divulgação dos seus trabalhos desenvolvidos junto da sociedade civil.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: typhonman em Dezembro 19, 2013, 05:09:31 pm
A mim o que mais me custa a ver, é que não haja coletes com placas ceramicas incorporadas nas nossas FA´s do tipo molle, á excepção dos comandos no A STAN, DAE´s e alguns elementos da UPF.

Mas até escolherem uma nova arma de assalto, também não vale a pena ... :roll:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Feathers em Janeiro 29, 2014, 03:47:31 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "FoxTroop"
Correcto, cada classe da Armada tem o seu próprio CFS.

É como na Força Aérea, por regra cada especialidade tem o seu curso de sargento QP especifico, havendo sempre algumas exepções.

E não esquecer o facto de que na Marinha, especialidades de praça...uma vez nelas não se poderá mudar para outras. Contudo, para sargento poderá mudar de especialidade mas só para especialidade que  exista na classe de sargento, como por exemplo Enfermeiro, Maquinista Naval, Artifice de Comunicações, Artilharia etc....Por exemplo sendo praça de comunicações só pode concorrer ao CFS de comunicações (propria especialidade) ou das especialidades da classe de sargentos que referi. E antigamente só com 4 anos de QP's é que se poderia concorrer ao CFS estando como é obvio sujeito a vagas e processos de selecção ou concurso. Hoje em dia idade limite 34 anos, 4 anos de serviço efectivo e 12º ano, concorrer à propria especialidade!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 27, 2014, 03:38:42 pm
(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/t1/1978871_713676171986902_630699353_n.jpg)

Citar
Embarque de Fuzileiros Portugueses na aeronave MV-22 “Osprey” da 22nd MEU para inserção no terreno.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: GUARDA em Fevereiro 28, 2014, 12:01:49 am
Citação de: "Lightning"
Resolvi escrever aqui porque a Policia Naval é uma sub-unidade do Corpo de Fuzileiros.

Então se temos a Policia Naval a exercer as funções de Policia Militar na Marinha... quem é que são estes?
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADc ... da_Marinha (http://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADcia_dos_Estabelecimentos_da_Marinha)

É que o que aqui diz que a PEM faz, eu pensava que era a Policia Naval que fazia. No fundo o que pretendo é a distinção entre Policia Naval e Policia dos Estabelecimentos da Marinha.

 Boas a todos, "estes" de que se fala aqui, são Guardas da Policia dos Estabelecimentos de Marinha, pertencem ao grupo 2 do Quadro de pessoal Militarizado de Marinha. São actualmente, o corpo de Policia mais antigo de Portugal (1854), oriundos do corpo de policia do arsenal de marinha, passando por várias alterações de estatuto, foram civis até 1975,passando a Militarizados(dec Lei nº282/76) quando passaram a designar-se Corpo de Policia dos Estabelecimentos de Marinha (CPEM), onde foram absorvidos os guardas de museu de Marinha, guardas do Aquário Vasco da Gama, Mateiros e fiscais de alfândega. Aquando desta fusão de funções, tinham, alem de outras, a seu cargo, investigação policial do chamado pequeno crime, tipo zaragatas, pequenos furtos,etc...nunca como órgão de Policial Criminal, essa função sempre foi exclusiva da PJM e sempre dentro da jurisdição das unidades militares, excepcionalmente, no seguimento de uma ação, podem ainda hoje, intervir no exterior.
 A partir de 1995, deixaram de ter a designação de Corpo, passando apenas a PEM, continuando a exercer funções policias e segurança, no interior das unidades guarnecidas por estes elementos, representando DIRECTAMENTE a AUTORIDADE directa do comandante ou director da unidade, assim como a autoridade do estado, no que respeita a pessoal civil, funcionários, visitantes etc...No caso mais visivel, Base Naval de Lisboa, actuam como autoridade fiscalizadora do transito automovel e respectivo código de estrada, sendo neste caso, o 1º comandante quem aplica as sanções ao pessoal militar e o Tribunal de Comarca ao pessoal civil.
 Quanto á Policia Naval, em caso algum, se sobrepõem funções em relação á PEM, são duas forças distintas, a PN é uma policia MILITAR, actua como autoridade em casos muito especificos, perfeitamente defenidos, a PEM funciona como uma força mais civilizada, mais virada para o atendimento, encaminhamento de pessoas, com formação profissional especifica nessas áreas, a PN é mais o hard-work c34x , funcionando as duas forças com o mesmo objectivo, proteger pessoas e bens militares, se deveriam estar juntas, tal como a PA??? Em minha opinião desde sempre :wink:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: GUARDA em Fevereiro 28, 2014, 12:22:14 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Trafaria"
Se não sabe o que é um OPC como pode achar que não?  :lol:

Eu sei o que leio, e nunca li nada a afirmar que a Policia Maritima investigava crimes ocorridos na Marinha, ramo das Forças Armadas.
O que eu sei é que nos anos que tenho de militar, todos os crimes que aconteceram, foram investigados pela PJM, nunca vi GNR, PSP, nem nada parecido nas unidades. Mas como eu não estou nas unidades todas ao mesmo tempo :mrgreen: .

Mas se estiver enganado esclareça-me.

O que quero dizer é, não é necessário ser OPC para se fazer segurança a instalações militares, PA, PE, PN, PEM, pelotões do Exército em geral nos respectivos quarteis, não são OPC. Mas para interagir com a população civil, multar, prender, etc, já tem que ser, como a Policia Marítima é.

Em relação à PEM vs PN, realmente eu estava a tentar fazer uma comparação com a Força Aérea em que existe a PA (Policia Aérea) que executa ambas as funções, neste caso então a PN está mais na linha da PE (Policia do Exército), que também não faz segurança às instalações todas do Exército.

Camarada, a policia Maritima, não tem qualquer jurisdição no interior nas unidades militares, nem PSP GNR SEF ou outras, a autoridade maxima dentro da area das unidades é do COMANDANTE da mesma, em caso de crime, a PJM é o Orgão de Policia Criminal com competência para fazer a investigação e consequente pericia policial. No caso por ex. da Base Naval de Lisboa, a PEM, tem como função fiscalizar, policiar,reportar, o que de anormal aconteça, nomeadamente, alteração da ordem, infrações várias( codigo da estrada, RDM, CJM, etc...), em caso de alteração da ordem publica flagrante, tem autoridade para intervir( conforme determinado nas IP´s), podendo deter um militar, de qualquer patente, até ser presente ao OF.Dia á Unidade, assim como usar de todos os meios para repelir qualquer ameaça extrerna ou interna, á segurança da unidade, sendo que em casos mais graves é solicitado a intervenção da força bruta( POLICIA NAVAL ou FUZILEIROS)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Março 01, 2014, 09:41:08 pm
http://www.passarodeferro.com/2014/02/f ... cicio.html (http://www.passarodeferro.com/2014/02/fuzileiros-portugueses-em-exercicio.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Março 21, 2014, 11:39:45 pm
Mais Phiblex 2014
E o 1º Tenente se falasse em português fazia melhor figura que estar tentar a palrar em portunhol...  :N-icon-Axe:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Alvalade em Março 22, 2014, 10:31:35 am
Citação de: "HSMW"
Mais Phiblex 2014
E o 1º Tenente se falasse em português fazia melhor figura que estar tentar a palrar em portunhol...  :lol:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 29, 2014, 04:25:37 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sivispacem em Maio 22, 2014, 11:32:30 pm
Boa noite,

Reparei há pouco no portal da Marinha que os capacetes dos fuzileiros são diferentes dos usados nos outros ramos das FA's (e não estou a falar do DAE).

São de introdução recente? Ou estou a ver mal a coisa? :)

Obrigado
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 23, 2014, 10:34:27 am
Os Fuzos também usam (ou usaram) capacetes Israelitas. Mas mete aí o link da fotografia para se tirar as dúvidas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sivispacem em Maio 23, 2014, 11:07:25 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Os Fuzos também usam (ou usaram) capacetes Israelitas. Mas mete aí o link da fotografia para se tirar as dúvidas.


Viva, C Martelo!

No link abaixo vê-se bem, mesmo no caso em que os capacetes estão coberto por camuflagem.

http://www.marinha.pt/pt-pt/media-cente ... junto.aspx (http://www.marinha.pt/pt-pt/media-center/noticias-destaques/Paginas/Fuzileiros-e-Marines-treinam-em-conjunto.aspx)


Ah. e já agora os coletes tácticos também parecem ser diferentes (para melhor, felizmente!)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 23, 2014, 12:13:41 pm
Salvo erro esses são os capacetes comprados em Israel. Se são melhores ou piores do que os que são usados na generalidade do Exército... isso já não sei dizer, visto que eu nunca trabalhei com esse material.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: regueira em Maio 23, 2014, 03:13:47 pm
Uma pergunta , ouvi dizer que nos proximos tempos nao irião haver novas incorporações para os fuzileiros , é verdade?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Maio 28, 2014, 12:11:27 am
(https://fbcdn-photos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/t1.0-0/10299073_309363429232607_1652896423514246372_n.jpg)

Acompanhem a revista The Way of the Warrior(s) no facebook, brevemente com fotos inéditas do corpo de Fuzileiros. E também em www.warriors.pt (http://www.warriors.pt)

(https://fbcdn-photos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/t1.0-0/10325641_309090205926596_528529926736508555_n.jpg)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Junho 10, 2014, 08:39:36 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwarriors.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2014%2F06%2FIMG_1895-3-150x150.jpg&hash=61c740afa00f646e2d3241a783de978e)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 01, 2014, 02:22:26 pm
(https://scontent-b.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/t1.0-9/10489763_776669639020888_7995518017639576073_n.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t1.0-9/10441934_776669769020875_1539591116800064327_n.jpg)

(https://scontent-a.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t1.0-9/10501855_776670145687504_5376785407444409770_n.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/t1.0-9/p240x240/10455228_775676765786842_8594787242402706232_n.jpg)

Fonte: Marinha
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mafets em Julho 01, 2014, 04:23:15 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
(https://scontent-b.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/t1.0-9/10489763_776669639020888_7995518017639576073_n.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t1.0-9/10441934_776669769020875_1539591116800064327_n.jpg)

(https://scontent-a.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t1.0-9/10501855_776670145687504_5376785407444409770_n.jpg)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/t1.0-9/p240x240/10455228_775676765786842_8594787242402706232_n.jpg)

Fonte: Marinha
Citar
Força de Fuzileiros participou em exercício em Espanha

Realizou-se de 22 a 28 de junho de 2014, o exercício MARFIBEX 41 no sul de Espanha, tendo em vista efetuar a certificação de uma força combinada para integrar a European Amphibious Battle Group (EUABG) no 2º semestre deste ano.

O exercício contou com a participação de uma Força de Fuzileiros que está designada para este Battle Group, constituída por uma unidade de escalão Companhia reforçada com elementos de apoio de combate, de apoio de serviços em combate e de elemento de assalto anfíbio provenientes de várias unidades de Fuzileiros, e que foi integrada no Primero Batallón de Desembarco de Infantería de Marina espanhol. Completaram a comitiva nacional vários elementos da Marinha para o estado-maior do COMGRU2 e da BRIMAR.
Com a Área do Objetivo Anfíbio centrada na Sierra del Retín os Fuzileiros portugueses participaram em três operações anfíbias distintas utilizando na projeção o navio anfíbio espanhol SPS CASTILLA bem como os vários meios de desembarque em uso pelos espanhóis, nomeadamente os AAV, as semi-rígidas SCAT e os helicópteros Seaking.
https://www.facebook.com/groups/171295294376/

Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tostao em Julho 08, 2014, 07:26:59 pm
boas, eu queria alistar-me na marinha mas eu tenho uma tatuagem no antebraço e gostava de saber se posso tapar a tatuagem com pensos ou algo assim?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Camuflage em Julho 12, 2014, 08:42:19 pm
Comando dos 'Fuzos' ordenou inquérito, após grupo ter perturbado o arriar da bandeira: http://www.sabado.pt/Ultima-hora/Socied ... deira.aspx (http://www.sabado.pt/Ultima-hora/Sociedade/30-fuzileiros-retidos-por-desonrar-bandeira.aspx)

Alguém percebe ou sabe o que se passou?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Julho 12, 2014, 10:00:49 pm
Não consigo perceber... Continência em simultâneo?
E um pelotão para o arriar da bandeira? Mas que diz no texto que é o estandarte?!  :shock:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Julho 12, 2014, 11:14:36 pm
Há aí algo muito mal explicado. O arriar da bandeira na Base leva apenas uma pequena guarda de honra (normalmente era uma equipa). Ou a malta limitou-se a fazer continencia e seguiu sem esperar pelo toque final, ou nem sequer parou para prestar honras. Na base a malta não anda formada para ir e vir do refeitório e como tal todo e qualquer militar presta honras como estando isolado. Sinceramente não percebo o que se passou nem ninguém me soube explicar....
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 15, 2014, 12:15:06 pm
Toda a história é meia bizarra. :?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Agosto 31, 2014, 07:37:08 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi279.photobucket.com%2Falbums%2Fkk144%2FHSMW%2F10Jul14%2FDSC01555_zps00b84adf.jpg&hash=97738e8249aeda35f14bf14c17ba242a)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi279.photobucket.com%2Falbums%2Fkk144%2FHSMW%2F10Jul14%2FDSC01556_zpsc6120919.jpg&hash=1239078be78d403a6520917046c54ec9)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi279.photobucket.com%2Falbums%2Fkk144%2FHSMW%2F10Jul14%2FDSC01557_zpsf8eaaebe.jpg&hash=a6746632992c83f1f042819c5246ae6b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi279.photobucket.com%2Falbums%2Fkk144%2FHSMW%2F10Jul14%2FDSC01567_zps692fae32.jpg&hash=5187ddaec13647969155917ba7df7959)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi279.photobucket.com%2Falbums%2Fkk144%2FHSMW%2F10Jul14%2FDSC00605_zps6e6a679a.jpg&hash=cd36e2cc854f74c6ad5663cdeed9318a)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mtavares16 em Setembro 02, 2014, 02:48:45 pm
Bem eu tenho 16 anos e estou em ciencias e adorava seguir a escola naval para ingressar nos fuzileiros mas como vi esse curso para os oficiais no qp ja nao esta disponivel, voces sabem quando fica novamente disponivel?
P.S- e um sonho!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: SSK em Setembro 08, 2014, 03:08:16 pm
Tenho pena mas acho que fechou de vez. Mas a voz da abita diz que de futuro será uma especialização como hoje em dia é o Piloto, Submarinista, Comunicações, Armas Subamrinas, entre outras...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Setembro 08, 2014, 04:02:42 pm
Citação de: "SSK"
Tenho pena mas acho que fechou de vez. Mas a voz da abita diz que de futuro será uma especialização como hoje em dia é o Piloto, Submarinista, Comunicações, Armas Subamrinas, entre outras...

Também tinha essa ideia...precisava era de confirmação. É uma especialidade para a qual abriam muito poucas vagas na AM e a taxa de atrição até ao final do curso era elevada, logo ficava um curso bastante dispendioso. Assim fazem a formação em Marinha e no final do curso a especialização em FZ...assim já não há marchas noturnas à chuva, topográficas com emboscadas a meio da noite durante a semana, enquanto os restantes cadetes estavam descansadinhos no quentinho a estudar na EN.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Setembro 08, 2014, 04:27:30 pm
Citação de: "raphael"
É uma especialidade para a qual abriam muito poucas vagas na AM

Os oficiais QP para os Fuzileiros frequentam a Academia Militar (Exército)? Pensava que a formação-base deles era toda na Escola Naval e Escola de Fuzileiros.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 08, 2014, 09:19:59 pm
Foi apenas um lapso de certeza! De qualquer maneira os futuros Oficiais da Classe Marinha com especialização em Fuzileiros sempre terão outras espectativas de carreira. Poderão ser Oficiais Generais, ao contrário dos atuais Oficiais da Classe Fuzileiros, que em termos estatutários (EMFAR) apenas podem chegar a Capitão-de-Mar-e-Guerra. Em termos de carreira operacional poderão sempre alterar entre o serviço de navegação e o serviço em unidades de Fuzileiros...Por fim, a médio prazo, será expetável que o Comandante do Corpo de Fuzileros ao menos tenha o curso de especialização em Fuzileiros, ao contrário da situação atual em que têm Exmos. Srs. Contra-Almirantes, oriundos da Classe Marinha, que devem perceber tanto de Fuzileiros como eu de lagares de azeite  :mrgreen:  .
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Setembro 08, 2014, 09:44:02 pm
Tal como já acontece no Exército onde qualquer Oficial ou militar em geral pode ir (tentar) fazer o curso Comando, Para-Quedista ou OE.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Setembro 08, 2014, 11:34:06 pm
Citação de: "PereiraMarques"
será expetável que o Comandante do Corpo de Fuzileros ao menos tenha o curso de especialização em Fuzileiros, ao contrário da situação atual em que têm Exmos. Srs. Contra-Almirantes, oriundos da Classe Marinha.

Exacto, eu até pensava que o Comandante do Corpo de Fuzileiros fosse um oficial de carreira Fuzileiro, mas afinal ainda é pior do que eu imaginava.

Citar
que devem perceber tanto de Fuzileiros como eu de lagares de azeite  :mrgreen: .
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Setembro 09, 2014, 12:25:10 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "raphael"
É uma especialidade para a qual abriam muito poucas vagas na AM

Os oficiais QP para os Fuzileiros frequentam a Academia Militar (Exército)? Pensava que a formação-base deles era toda na Escola Naval e Escola de Fuzileiros.

My bad...queria dizer EN!
Quanto aos fuzileiros propriamente ditos, preferem ser comandados por um capitão-de-mar-e-guerra do que propriamente por um oficial general oriundo de outra especialidade.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: xalugoe em Outubro 03, 2014, 06:26:45 pm
Boas,tenho uma tatuagem pequena no ante-braço. posso nao ficar apto para entrar nos fuzileiros?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 03, 2014, 06:38:55 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Outubro 11, 2014, 06:30:57 pm
Novo Vídeo Fuzileiros em emboscada nocturna


http://youtu.be/0NAQ7Rb9TJY?list=UUiUdehDRezfcLmv4Ijr2uug
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 13, 2014, 03:53:55 pm

Está porreiro o video. :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 27, 2014, 03:26:39 pm
Faleceu no final da semana o Comandante Maxfredo Costa Campos um dos fundadores da atual Escola de Fuzileiros, em 1961 em Vale de Zebro.
À família, amigos e camaradas as nossas condolências.
Recorde a história da Casa Mãe dos Fuzileiros contada pelo próprio no vídeo que celebrou os 50 anos da Escola de Fuzileiros, realizado há três anos.

(Declarações do Comandante Maxfredo aos 5 minutos e 20 segundos.)

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Digo em Novembro 14, 2014, 12:49:16 am
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 14, 2014, 11:28:16 am
(https://scontent-b.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/10600464_846558132032038_5672486727766018015_n.jpg?oh=281487d1c11fa32603ce4c72dd328e38&oe=551A9AA2)

(https://scontent-a.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/1609936_846559682031883_1268055010434589548_n.jpg?oh=04cb70cac6e846f6e0e784fc6effc850&oe=54EC1181)

(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/16422_846559978698520_1162883904081447604_n.jpg?oh=54fd96ef41a6e8dd73cb9fe67f7a2dc3&oe=54D5CAF1&__gda__=1424257420_6412ddf48df35b15440cdee986ee3f5a)

(https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/10351246_846559995365185_8672925974925903349_n.jpg?oh=959ba174e2873e053ecf5a7e58a66a48&oe=551D7F34&__gda__=1427716748_ad4e5f1abd76455949a792b1a806d376)

(https://scontent-a.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/10689951_846559975365187_9009099500578290011_n.jpg?oh=0993197d35b7d858f4827f5ea697064d&oe=54D62297)

Citar
Os Aspirantes da classe de Fuzileiros viveram na sexta-feira em Vale de Zebro um dos momentos mais aguardados por quem deseja ser Fuzileiro - a imposição da Boina.
Parabéns e votos de muito sucesso.

Fonte: canal do face da Armada
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Novembro 25, 2014, 12:52:30 pm
(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/154575_378281479007468_9075273081850131355_n.jpg?oh=cf5c0180fa99008f525ddf40f8fc7136&oe=54D33973&__gda__=1427479950_83f8ca287c5e62b9db1e46433ad30047)

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/1002656_375498792619070_5679749871271482147_n.jpg?oh=f8bf91eafdb0ad00fa9d3714c3978d48&oe=54D98E63&__gda__=1423682466_30924a5a8cecaef9a775a5b8e000ca5d)

(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/10616471_346954218806861_2598564322343033945_n.jpg?oh=e261d01029e8d04fb23c73d5d0578f0c&oe=551D59CF&__gda__=1427548325_ad6a7e04f3774295aee78b16dd39d855)

(https://scontent-a-mad.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/1526614_321272788041671_2769546028343835065_n.jpg?oh=00c56de40bf355321ac7da0f80631720&oe=55191A21)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 07, 2015, 04:02:44 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Fevereiro 16, 2015, 02:44:56 pm
Citar
Elemento de Apoio de Serviços (Formação Comando DAP, Pelotão de Abastecimento, Pelotão de Manutenção, Pelotão de Transportes, Pelotão de Saúde, Pelotão de Polícia Naval, Secção de Descontaminação NBQ);

http://barcoavista.blogspot.pt/2010/02/ ... stico.html (http://barcoavista.blogspot.pt/2010/02/navio-polivalente-logistico.html)

O que é a Formação Comando DAP?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Março 02, 2015, 09:56:44 pm
Saiu um artigo sobre os Fuzileiros Portugueses na Soldier of Fortune de Março

(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/s526x395/10934035_1093781300638807_6517930962630792135_n.jpg?oh=15cb456dbe5d591919a78fd0b6ef4cfe&oe=55B17877&__gda__=1433933746_c801f0f96e90064ea7668a2444a4c534)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 20, 2015, 12:49:14 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Março 20, 2015, 01:40:52 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"

Fuzileiros com uns "infiltrados"! :twisted:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 20, 2015, 03:40:42 pm
Os putos (Páras, Comandos, Fuzos e Rangers) já não se podem portar mal no autocarro que vem logo o revisor (UPF) a manda vir!... cortes! :lol:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: BARCO À VISTA em Abril 02, 2015, 08:38:05 pm
EXERCÍCIOS ANFÍBIOS DOS FUZILEIROS DA SÉRIE GALERA NOS ANOS 80 E 90: http://barcoavista.blogspot.pt/2015/03/ ... os-da.html (http://barcoavista.blogspot.pt/2015/03/exercicios-anfibios-dos-fuzileiros-da.html)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: NRSMiguel em Abril 10, 2015, 06:24:04 pm
Os Fuzileiros a ensinarem umas coisas aos Marines!  :snipersmile:  :lol:



http://observador.pt/2015/04/10/fuzilei ... alcochete/ (http://observador.pt/2015/04/10/fuzileiros-e-marines-treinam-combate-ao-terrorismo-em-africa-entre-sobreiros-de-alcochete/)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Abril 10, 2015, 07:53:24 pm
Citação de: "NRSMiguel"
Os Fuzileiros a ensinarem umas coisas aos Marines!  :snipersmile:  :lol:



http://observador.pt/2015/04/10/fuzilei ... alcochete/ (http://observador.pt/2015/04/10/fuzileiros-e-marines-treinam-combate-ao-terrorismo-em-africa-entre-sobreiros-de-alcochete/)

a noticia desapareceu..
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Alvalade em Abril 10, 2015, 08:03:42 pm
Citação de: "Crypter"
Citação de: "NRSMiguel"
Os Fuzileiros a ensinarem umas coisas aos Marines!  :snipersmile:  :lol:



http://observador.pt/2015/04/10/fuzilei ... alcochete/ (http://observador.pt/2015/04/10/fuzileiros-e-marines-treinam-combate-ao-terrorismo-em-africa-entre-sobreiros-de-alcochete/)

a noticia desapareceu..


Citar
Fuzileiros e 'marines' treinam combate ao terrorismo em África entre sobreiros de Alcochete



Numa herdade de sobreiros e pinheiros mansos, perto de Alcochete, cerca de 180 fuzileiros portugueses e ‘marines’ norte-americanos realizaram esta sexta uma missão de treino de combate ao terrorismo em África mandatada pelas Nações Unidas.

Descendo em corda rápida de um Osprey MV22, um helicóptero de grandes dimensões utilizado na guerra do Afeganistão e na Líbia, os militares portugueses e norte-americanos atacaram durante quinze minutos um edifício ocupado por terroristas.

“Esta é uma ação tática muito rápida e de execução precisa, num exercício contra forças terroristas”, afirmou à agência Lusa o comandante Martins de Brito, que liderou a companhia de fuzileiros portugueses.

Num país fictício e em guerra civil há mais de dois anos, num cenário semelhante ao que se vive atualmente em várias regiões do norte de África, os militares atuam no contexto de uma missão internacional com mandato da ONU.

O objetivo da missão “é fazer um ‘raid’ surpresa e com elevado poder de fogo consolidar a área de ação, dando-a como limpa”, acrescentou o comandante dos fuzileiros.

O comandante Martins de Brito explicou ainda que a companhia de fuzileiros que participa no exercício, que decorreu desde segunda-feira na zona de Tróia, está atribuída à Força de Reação Imediata, sob a dependência do chefe das Forças Armadas e que atua em situações de emergência para evacuações, ajuda humanitária ou apoio em casos de catástrofe.

Já os ‘marines’ norte-americanos integram uma força sediada em Móron, Espanha, preparada para reforçar a segurança das embaixadas no norte de África, criada com o aparecimento das primaveras árabes.

“O mundo é um lugar perigoso, os Estados Unidos não podem ser o polícia do mundo e por isso temos de trabalhar com os nossos parceiros. Os portugueses têm sido bons parceiros, este é um exercício muito importante para nós”, afirmou aos jornalistas o embaixador norte-americano em Lisboa, Robert Sherman.

O comandante dos militares norte-americano, coronel Thomas Savage considerou que esta foi “uma grande oportunidade de treino: “Os meus ‘marines’ aprenderam bastante com os fuzileiros portugueses e com a sua capacidade tática e profissional”.



Era o artigo da Lusa

http://i.imgur.com/iYtJbJt.png (http://i.imgur.com/iYtJbJt.png)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Abril 11, 2015, 04:04:50 pm
(https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/1506910_925500824137768_1427767725216424551_n.jpg?oh=50155b63edd13190ed8e37931ccd672a&oe=55B56C36&__gda__=1436188589_9656dfbf8f473e0a20603d75f6f5e571)
(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/11038476_925502534137597_3777025233906034660_n.jpg?oh=368055fce203ae0af3bccac01ec412d3&oe=559FA120&__gda__=1437758972_895cd1ad938f3519fc4be48f70fb89b9)
(https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/v/t1.0-9/10613008_925502340804283_3485932604061511660_n.jpg?oh=94dd88402d74542308a7e21a5736e2fe&oe=55B50268&__gda__=1437580468_121de59f284f816c8396c35858a2a941)
(https://scontent-mad.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/11073390_925502047470979_4482245271526823556_n.jpg?oh=5120ffb94b742d383d76b0a78d51419c&oe=559C0F3D)
(https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xft1/v/t1.0-9/10409369_925500767471107_4789259382751709620_n.jpg?oh=5822851ea417e5e00ba9c45e8af187d4&oe=55AD2896&__gda__=1440608028_a960c42356648dd74905ddc037b2188f)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Bravo Two Zero em Abril 11, 2015, 05:59:02 pm
Da mesma notícia:

http://prntscr.com/6shdx7 (http://prntscr.com/6shdx7)

Não sou perito, mas parece-me que aquele trambolho metálico deve influenciar o manuseamento e equilíbrio da arma. Porque não usar tambores em material sintético?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Abril 11, 2015, 11:33:41 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnewsavia.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F04%2FExercicioBilateralFuzileiros_011-_AndreGarcez.jpg&hash=1abae051794f1a7d2e4258f984c2892f)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnewsavia.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F04%2FExercicioBilateralFuzileiros_005-_AndreGarcez.jpg&hash=123aa07fa88d13fc738e06ca72d1cf58)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnewsavia.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F04%2FExercicioBilateralFuzileiros_016-_AndreGarcez.jpg&hash=4962422b5e74d3ffff034decb95524e6)

fonte

http://newsavia.com/militares-portugueses-e-norte%C2%AD%E2%80%90americanos-combatem-terrorismo/
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Bandeiras em Abril 12, 2015, 02:44:05 pm
Olá Boa dia, eu tenho uma questão que é se é possivel entrar nos QP dos fuzileiros apenas com o 12º ano e quais as provas teóricas que serão pedidas!!
Obrigado ;)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Abril 12, 2015, 05:52:24 pm
Reportagem da TVI

http://www.tvi24.iol.pt/pesquisa/videos ... f01a835d/1 (http://www.tvi24.iol.pt/pesquisa/videos/marines/marines-dos-eua-e-fuzileiros-em-exercicio-conjunto-em-alcochete/552919b80cf24e6df01a835d/1)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Abril 14, 2015, 10:44:43 pm
O video do canal da Marinha.
 :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 15, 2015, 03:44:06 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs12.postimg.org%2F66qqsfngt%2F1874100.jpg&hash=83f1a1178284bd61fa09b05f6bb06dfe)
Citar
U.S. Marines with Special-Purpose Marine Air-Ground Task Force Crisis Response-Africa, maneuver towards an objective during a simulated room clearing training exercise near Lisbon, Portugal, April 8, 2015. The Portuguese Marines are known as Fuzileiros and the U.S. Marines are currently deployed to Moron, Spain with SPMAGTF-CR-AF. After a week of training together, Marines and Fuzileiros were more familiarized with each other’s tactics and operating procedures in case of future joint operations. (U.S. Marine Corps photograph by Lance Cpl. Christopher Mendoza/Released)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs27.postimg.org%2Fcvfonnckz%2F1874106.jpg&hash=402dd064f253d93dd79b6db9a8fe662c)
Citar
U.S. Marine Corps Lance Cpl. Austin Linehan, a rifleman with Special-Purpose Marine Air-Ground Task Force Crisis Response-Africa, posts security during a simulated room clearing exercise near Lisbon, Portugal, April 8, 2015. The Portuguese Marines are known as Fuzileiros and the U.S. Marines are currently deployed to Moron, Spain with SPMAGTF-CR-AF. After a week of training together, Marines and Fuzileiros were more familiarized with each other’s tactics and operating procedures in case of future joint operations. (U.S. Marine Corps photograph by Lance Cpl. Christopher Mendoza/Released)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs22.postimg.org%2Fw1bqvfppt%2F1874109.jpg&hash=3307afe1d56fc3d2bc220f39352a9628)
Citar
U.S. Marine Corps Cpl. Phillip Figueroa, a mortorman with Special-Purpose Marine Air-Ground Task Force Crisis Response-Africa, practices room clearing movements with a Portuguese Marine before conducting a simulated room clearing training exercise near Lisbon, Portugal, April 8, 2015. The Portuguese Marines are known as Fuzileiros and the U.S. Marines are currently deployed to Moron, Spain with SPMAGTF-CR-AF. After a week of training together, Marines and Fuzileiros were more familiarized with each other’s tactics and operating procedures in case of future joint operations. (U.S. Marine Corps photograph by Lance Cpl. Christopher Mendoza/Released)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs29.postimg.org%2F5fyxp8qrr%2F1874110.jpg&hash=3746994ee43fc70169bfa839fccb2693)
Citar
U.S. Marines with Special-Purpose Marine Air-Ground Task Force Crisis Response-Africa and Portuguese Marines, the Fuzileiros, move to clear a room during a simulated training exercise near Lisbon, Portugal, April 8, 2015. The Portuguese Marines are known as Fuzileiros and the U.S. Marines are currently deployed to Moron, Spain with SPMAGTF-CR-AF. After a week of training together, Marines and Fuzileiros were more familiarized with each other’s tactics and operating procedures in case of future joint operations. (U.S. Marine Corps photograph by Lance Cpl. Christopher Mendoza/Released)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs9.postimg.org%2F3ozljwwm7%2F1874112.jpg&hash=855ad53e6294b5fd972208350b152d6a)
Citar
A Portuguese Marine, the Fuzileiros, prepares to clear a room with U.S. Marines with Special-Purpose Marine Air-Ground Task Force Crisis Response-Africa during a simulated training exercise near Lisbon, Portugal, April 8, 2015. The Portuguese Marines are known as Fuzileiros and the U.S. Marines are currently deployed to Moron, Spain with SPMAGTF-CR-AF. After a week of training together, Marines and Fuzileiros were more familiarized with each other’s tactics and operating procedures in case of future joint operations. (U.S. Marine Corps photograph by Lance Cpl. Christopher Mendoza/Released)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs9.postimg.org%2Fjfkodjfvj%2F1874114.jpg&hash=27914bcd9547e004013847819bfa6a5d)
Citar
A Portuguese Marine, Fuzileiros, prepares to clear a room with U.S. Marine Corps Lance Cpl. Jaquan Dale, right, a rifleman with Special-Purpose Marine Air-Ground Task Force Crisis Response-Africa, during a simulated training exercise near Lisbon, Portugal, April 8, 2015. The Portuguese Marines are known as Fuzileiros and the U.S. Marines are currently deployed to Moron, Spain, with SPMAGTF-CR-AF. After a week of training together, Marines and Fuzileiros were more familiarized with each other’s tactics and operating procedures in case of future joint operations. (U.S. Marine Corps photograph by Lance Cpl. Christopher Mendoza/Released)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs12.postimg.org%2F43u3pzrt9%2F1874115.jpg&hash=ce360f1741b8bd563d42a0f28101ce74)
Citar
Portuguese Marines, the Fuzileiros, move through a building with U.S. Marines with Special-Purpose Marine Air-Ground Task Force Crisis Response-Africa during a simulated training exercise near Lisbon, Portugal, April 8, 2015. The Portuguese Marines are known as Fuzileiros and the U.S. Marines are currently deployed to Moron, Spain with SPMAGTF-CR-AF. After a week of training together, Marines and Fuzileiros were more familiarized with each other’s tactics and operating procedures in case of future joint operations. (U.S. Marine Corps photograph by Lance Cpl. Christopher Mendoza/Released)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Abril 15, 2015, 06:22:07 pm
É normal pessoal de unidades diferentes estarem assim misturados? Pensaria que seria algo do género, 2 pelotões (1 português e 1 americano), cada
um a fazer o seu trabalho e não 2 pelotões luso-americanos.

É que operar assim misturado penso que seja complicado, as técnicas podem ter diferenças, os soldados falarem uns com os outros, a logística, por exemplo munições diferentes.

Acho que isto foi só para os jornalistas e políticos verem que os militares dos dois paises trabalham "ombro a ombro"  :mrgreen: .

Vê-se Fuzileiros com outro capacete sem ser o israelita, porquê?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 15, 2015, 06:48:53 pm
Porque eles têm mais modelos. Aquilo são Combat shirts?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Abril 15, 2015, 06:53:58 pm
Citação de: "Lightning"
É normal pessoal de unidades diferentes estarem assim misturados? Pensaria que seria algo do género, 2 pelotões (1 português e 1 americano), cada
um a fazer o seu trabalho e não 2 pelotões luso-americanos.

É que operar assim misturado penso que seja complicado, as técnicas podem ter diferenças, os soldados falarem uns com os outros, a logística, por exemplo munições diferentes.

Acho que isto foi só para os jornalistas e políticos verem que os militares dos dois paises trabalham "ombro a ombro"  :mrgreen: .

Vê-se Fuzileiros com outro capacete sem ser o israelita, porquê?

Por isso e que se treina, de modo a um dia, se for necessario, incorporar elementos de um lado para o outro.
Isso la fora faz-se constantemente...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 15, 2015, 11:12:17 pm
Lá fora e não só.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Abril 17, 2015, 05:00:34 pm
Video: U.S. Marines and Portuguese Fuzileiros manuever and fire B-Roll

https://www.dvidshub.net/video/398734/u ... TEtVSFVikq (https://www.dvidshub.net/video/398734/us-marines-and-portuguese-fuzileiros-manuever-and-fire-b-roll#.VTEtVSFVikq)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Abril 17, 2015, 07:51:04 pm
Citação de: "Lightning"
Video: U.S. Marines and Portuguese Fuzileiros manuever and fire B-Roll

https://www.dvidshub.net/video/398734/u ... TEtVSFVikq (https://www.dvidshub.net/video/398734/us-marines-and-portuguese-fuzileiros-manuever-and-fire-b-roll#.VTEtVSFVikq)

O titulo devia ser. US Marines manuervers.. pq dos fuzos não vi nada!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Clausewitz em Abril 18, 2015, 02:42:35 pm
Mais um video do exercício, este é mais longo e os Fuzileiros aparecem bastante. Tem dois depoimentos no final.

https://www.dvidshub.net/unit/USMCFE#.VTHGkCFViko (https://www.dvidshub.net/unit/USMCFE#.VTHGkCFViko)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Abril 19, 2015, 03:28:52 pm
O mesmo video mas no aiirsource.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Abril 21, 2015, 11:55:29 am
MAis uma compilacao de imagens

https://vimeo.com/channels/605852/125518019

https://youtu.be/dp0qwK6-CMw

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: CruzSilva em Abril 22, 2015, 01:49:03 am
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 22, 2015, 10:51:05 am
Citação de: "ACADO"
MAis uma compilacao de imagens

https://vimeo.com/channels/605852/125518019

https://youtu.be/dp0qwK6-CMw


Acado não pode ser o link curto:

 :arrow: https://www.youtube.com/watch?v=dp0qwK6-CMw (https://www.youtube.com/watch?v=dp0qwK6-CMw)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Abril 22, 2015, 04:21:09 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citação de: "ACADO"
MAis uma compilacao de imagens

https://vimeo.com/channels/605852/125518019

https://youtu.be/dp0qwK6-CMw


Acado não pode ser o link curto:

 :arrow: https://www.youtube.com/watch?v=dp0qwK6-CMw (https://www.youtube.com/watch?v=dp0qwK6-CMw)

Obrigado
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Maio 07, 2015, 10:42:26 am
Marinha "abandona" definitivamente qualquer "ideia" de vir a receber Pandur...

Citar
AQUISIÇÃO DE VIATURAS BLINDADAS DE RODAS 8x8. MISSÃO DE
ACOMPANHAMENTO E FISCALIZAÇÃO (MAF) – EXTINÇÃO DA MAF DE MARINHA.
------- De acordo com o Despacho n.º 13963/2014, de 18 de novembro, que altera o Despacho n.º 52/MDN/2008, de 15 de abril, alterado pelo Despacho n.º 879/2011 (1), de 12
de janeiro, deixaram de estar nomeados para a Missão de Acompanhamento e Fiscalização (MAF) do contrato de aquisição de viaturas blindadas de rodas 8x8 e do contrato de
fornecimento de sobressalentes para as viaturas blindadas de rodas 8x8, os seguintes militares:
302076 Capitão-de-mar-e-guerra FZ RES ABEL DE SOUSA RIBEIRO
394277 Capitão-de-mar-e-guerra FZ ALBERTO ANTÓNIO OVA CORREIA
20686 Capitão-de-fragata EN-MEC JOÃO HERNÂNI ANDRADE SANTOS
25789 Capitão-tenente EN-MEC JOSÉ ANTÓNIO PEREIRA LOPES
418982 Sargento-ajudante MQ RES JOAQUIM LUÍS MARTINS LEONARDO
771785 Sargento-ajudante FZ FRANCISCO JOSÉ GONÇALVES DE MATOS
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Maio 07, 2015, 10:45:55 am
Que navio é este? Alguém sabe?

Citar
------- Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, n.º 16/15, de 6
de maio:
IDENTIFICAÇÃO E AUMENTO AO EFETIVO DA UAM DESTEMOR.
Ao abrigo do artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 193/81, de 8 de Julho, determino que seja aumentada ao efetivo das Unidades Auxiliares da Marinha, em 6 de maio de 2015, e
atribuída ao Comando Naval - Comando do Corpo de Fuzileiros (CCF), a embarcação semirrígida, com os seguintes elementos de identificação, características e guarnição:
Elementos de identificação:
- Nome DESTEMOR
- Indicativo de chamada visual ou número de amura UAM 103
- Indicativo de chamada radiotelefónico DESTEMOR
Características:
- Comprimento total 8,50 m
- Boca máxima 3,20 m
- Calado médio 0,80 m
- Deslocamento normal / carregado 4,5 ton / 5,5 ton
- Lotação 10 pessoas
- Comunicações VHF / UHF
Guarnição:
- 1 patrão e 1 proeiro.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mafets em Maio 07, 2015, 10:57:32 am
Não será deste tipo? Esta é a UAM 102 e pelas características postadas atrás parece corresponder na integra.  :wink:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffuzileiros.marinha.pt%2FPT%2Fnoticias%2FPublishingImages%2FDIA%2520DA%2520UMD%2FDIA%2520DA%2520UMD%2520lar%2520doc%2520p.JPG&hash=c58c22b8ac13923e2123a3fa94cf5f40)
Citar
http://fuzileiros.marinha.pt/PT/Pages/home.aspx

Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Maio 07, 2015, 11:37:38 am
Citação de: "mafets"
Não será deste tipo? Esta é a UAM 102 e pelas características postadas atrás parece corresponder na integra.  :wink:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffuzileiros.marinha.pt%2FPT%2Fnoticias%2FPublishingImages%2FDIA%2520DA%2520UMD%2FDIA%2520DA%2520UMD%2520lar%2520doc%2520p.JPG&hash=c58c22b8ac13923e2123a3fa94cf5f40)
Citar
http://fuzileiros.marinha.pt/PT/Pages/home.aspx

Cumprimentos

Eu concordo com o Mafets!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: diogo13350 em Maio 08, 2015, 06:38:33 pm
novas armas e equipamento em 2017~??
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 08, 2015, 06:50:19 pm
Citação de: "diogo13350"
novas armas e equipamento em 2017~??

As únicas noticias em relação à substituição das G3, é a possível compra para o Exército de 10.000 espingardas-automáticas em 5.56mm.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: diogo13350 em Maio 08, 2015, 08:41:40 pm
nao hà programa  de modernização do equipamento individual nos fuzos?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Maio 09, 2015, 12:24:14 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citação de: "diogo13350"
novas armas e equipamento em 2017~??

As únicas noticias em relação à substituição das G3, é a possível compra para o Exército de 10.000 espingardas-automáticas em 5.56mm.

O calibre já está decidido??
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 09, 2015, 10:47:21 am
Citação de: "diogo13350"
nao hà programa  de modernização do equipamento individual nos fuzos?

O anterior era ao nível das Forças Armadas, o actual segundo li nas noticias é só para o Exército.
Citação de: "Crypter"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citação de: "diogo13350"
novas armas e equipamento em 2017~??

As únicas noticias em relação à substituição das G3, é a possível compra para o Exército de 10.000 espingardas-automáticas em 5.56mm.

Citar
O calibre já está decidido??

5.56mm.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: dc em Maio 09, 2015, 10:54:40 am
Oficialmente penso que não, mas pode-se assumir já que vai ser quase de certeza 5.56... Não me parece que se vá optar por um calibre diferente dos outros...
A questão que eu tenho é onde é que está escrito que as armas adquiridas serão exclusivamente para o exército.

Edit: O problema é que pode ser apenas um lapso jornalistico, como é comum nas notícias sobre as forças armadas, portanto até haver algum tipo de comunicado oficial ou assim, não se pode assumir grande coisa. E a meu ver não faz grande sentido não dotar uma das unidades mais operacionais das FA com a nova arma...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Pedro Monteiro em Julho 18, 2015, 01:01:31 am
No recente exercício naval "Contex/Phibex", em Junho, os Fuzileiros embarcaram a bordo do navio anfíbio "Juan Carlos I" onde constituíram com forças espanholas, dois batalhões combinados, um com comando português e outro espanhol.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.photobucket.com%2Falbums%2Fv293%2Filha113%2Ffuzileiroslhd_zps1aieoxk2.jpg&hash=26a43aab7621540ef708a65d1afb8c31) (http://http)

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mafets em Julho 19, 2015, 11:23:26 am
http://defesanacionalpt.blogspot.pt/2015/07/unidade-de-meios-de-desembarque-do.html
Citar
No passado dia 28 de Junho a Unidade de Meios de Desembarque (UMD) do Corpo de Fuzileiros comemorou o seu 36º aniversário.

As comemorações como já vem sendo prática realizaram-se no sábado,27 de Junho, para que os militares da UMD pudessem trazer os seus familiares e amigos e assim tomar contacto com a actividade que realizam ao serviço do País, na Marinha.

Para assinalar esta efeméride durante o dia realizaram-se várias actividades lúdicas como passeios de Bote de assalto, LARC e de LAR UAM 101 “Vale de Zebro” para os militares da guarnição e seus familiares.

Teve lugar ainda uma celebração litúrgica na capela da Escola de Fuzileiros, pelo Capelão Licínio Silva.

O almoço de convívio decorreu no refeitório geral da Escola de Fuzileiros, o qual contou com a presença de antigos comandantes da UMD e com a presença do 2º Comandante do Corpo de Fuzileiros, CMG FZ Teixeira Moreira. Após esse agradável convívio, realizou-se o corte do bolo de aniversário pela praça mais antiga presente e o Quartel-Mestre da UMD.

Por fim, foi realizada uma demonstração cinotécnica por parte da secção de cães de guerra e realizada uma visita ao museu da Escola de Fuzileiros. (CF)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-i0npu91FSMI%2FVakmbLi-IRI%2FAAAAAAAAT4k%2F7EFDRWJJC38%2Fs1600%2FLAR_web%252BGR.jpg&hash=6e8b548c89a1c6fc156c8c204f2bfb52)

Saudações
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 29, 2015, 06:02:46 pm
1º Curso Elementar de Combate em Áreas Edificadas de 2015

Decorreu no dia 18 Maio de 2015 na “Sala Elíptica” da Escola das Armas, a cerimónia de abertura do 1º Curso Elementar de Combate em Áreas Edificadas de 2015 (1ºCECAE15). O Curso é constituído por 12 formandos de diversa U/E/O do Exército Português, 3 formandos da Marinha, do Corpo de Fuzileiros, e um formando da Força Aérea. O curso tem a duração de 15 dias uteis de formação (DUF) e destina-se a habilitar os militares para o desempenho da função de formador nas matérias de Combate em Áreas Edificadas.  

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.exercito.pt%2Fsites%2FEA%2FPublicacoes%2FDocuments%2FNewsletter%2F2015%2Fmai15%2Fimg%2Fnew14.jpg&hash=0960aab34680b2f233f02575c1d7771f)

Fonte: Escola das Armas
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Agosto 03, 2015, 10:37:15 pm
Fotografias da CAF:

http://warriors.pt/category/galerias/fotos/2015-fotos/

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwarriors.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F07%2FIMG_7088-2-604x270.jpg&hash=11024328b3685adfa33146c3992f48c3)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Menacho em Setembro 13, 2015, 06:06:51 pm
Citar
Cuando 007 hablaba portugués

El régimen del Estado Novo organizó en 1970 una operación de comando contra un dictador africano para matarlo, y para matar también a un líder guerrillero durante la guerra colonial que mantuvo durante casi 14 años.

Cuando las potencias europeas comprendieron que EEUU y la URSS habían decidido la desaparición de los imperios coloniales, la mayoría de ellas aceptó el ocaso de su poder y arrió las banderas, como hicieron Bélgica, Gran Bretaña, Francia (salvo en Argelia), España, Italia y Holanda. Londres y sobre todo París se las apañaron para controlar algunos de los nuevos presidentes mediante apoyo militar, sobornos o la Francofonía. Sin embargo, dos países se atrevieron a oponerse a los mandatos de la ONU, a las superpotencias y al signo de los tiempos: Sudáfrica y Portugal.
El régimen sudafricano se anexionó de hecho el África del Sudoeste, antigua colonia alemana conquistada en la Gran Guerra, y apoyó a los blancos de Rodesia y, además, a los portugueses, aunque en Lisboa gobernaba una dictadura cuando Sudáfrica era una democracia (limitada a los blancos) parlamentaria. El régimen salazarista se había negado a conceder la autodeterminación a sus inmensas colonias africanas: Angola, Mozambique, Guinea y Cabo Verde (casi 2.100.000 kilómetros de extensión conjunta) y en Asia mantenía Macao en China, cerca de Hong-Kong, y Timor Oriental; por el contrario había perdido Goa y el resto sus enclaves en la India en 1961 ante una invasión militar ordenada por el primer ministro Pandit Nehru.
Sin su imperio, Portugal es “un escollo de España”

El portugués Antonio María Salazar, cabeza de la dictadura portuguesa, explicó al periodista italiano Indro Montanelli que su oposición a la independencia de las colonias constituía un asunto de supervivencia nacional: “Sin su imperio de ultramar, ¿qué sería este escollo adherido a España en el que se habla un dialecto español?”.
Por ello, entre 1961 y 1975 el pequeño Portugal libró guerras a miles de kilómetros de sus costas, movilizó a docenas de miles de soldados, desplazó población europea a África (en Angola se pasó de 44.000 portugueses blancos en 1940 y 172.000 en 1960 a 400.000 en 1970) y aceptó aislarse del Occidente. Tanto EEUU como otros miembros de la OTAN, a la que el país luso pertenecía, afeaban al Gobierno su empecinamiento y se negaban a suministrarle armamento y tecnología. Incluso la España franquista acabó separándose de su vecino en las votaciones de la ONU. El Estado Novo respondió con un eslogan, pronunciado por Salazar en 1965: “orgulhosamente sós” (“orgullosamente solos”).
Asombrosamente, el pobre Portugal organizó un enorme ejército (en 1973 alcanzó los 170.000 hombres y consumió el 43% del presupuesto nacional) y desarrolló una estrategia que le llevó a vencer en el campo de batalla en Angola y Mozambique: concentrar la población en las comarcas más productivas y dejar el territorio infecundo a las guerrillas. En 1970, Angola fue el cuarto productor mundial de café y exportó 200.000 toneladas.
La única colonia donde la victoria militar se resistía era Guinea-Bissau, la más pequeña y cercana a la metrópoli. La principal razón era la situación de la Guinea portuguesa entre Senegal y Guinea-Conakry, desde donde se prestaba apoyo a los guerrilleros del Partido Africano por la Independencia de Guinea y Cabo Verde (PAIGCV), dirigido por Amílcar Cabral.
Respecto a Senegal, las fuerzas aéreas portuguesas bombardearon varias veces posiciones artilleras desde las que se disparaba contra sus camaradas de tierras y en 1969 se envió un grupo de comandos para destruir varias baterías. Las incursiones portuguesas fueron condenadas varias veces desde 1963 por el Consejo de Seguridad de la ONU.
El enfrentamiento con la República de Guinea no se podía solucionar solo con escaramuzas. Su dictador, Ahmed Sekú Turé, era presidente desde la independencia de Francia en 1958 y lo fue hasta su muerte en EEUU en 1984. Era uno de los caudillos más antieuropeos de África, se declaró marxista, rompió con Francia y se alió con la URSS. Cada cierto tiempo recurría a purgas en su Gobierno, su partido y su Ejército, de modo que se calcula que el número de asesinados durante su régimen ronda las 50.000 personas. Turé no sólo asilaba a Cabral, sino que daba armas a sus guerrilleros e incitaba a los africanos a golpear a los portugueses de todas las maneras.
Menos de nueve horas en Conakry

El mando portugués diseñó una operación de comando con varios objetivos: matar a Turé y su huésped Cabral, rescatar a unas decenas de prisioneros portugueses y destruir las lanchas que usaba el PAIGCV para atacar la colonia lusa. Se trataría de una operación anfibia dirigida por el capitán de los fuzileiros (infantería de marina) Alpoim Calvao.

El gobernador de la Guinea portuguesa, era el general Antonio de Spínola, que había participado en el sitio de Leningrado en el lado alemán. En 1974, Spínola participó en el derrocamiento de la dictadura y se presentó convertido en demócrata, pero en 1970 aprobó Mar Verde.
El momento escogido para el golpe fue la noche del 21 al 22 de noviembre de 1970. En Mar Verde participaron unos 220 soldados portugueses blancos y negros (infantes de marina y comandos), más 200 guineanos. Los invasores, vestidos con uniformes del ejército de Turé, se acercaron en varias embarcaciones a Conakry y pasada la medianoche desembarcaron en distintos puntos de la ciudad.
En cuestión de minutos alcanzaron sus objetivos: destruyeron seis lanchas del PAIGCV y ocuparon la residencia de Turé, la sede del PAIGCV, el estado mayor guineano y la principal fábrica de alimentos de la ciudad. Los portugueses liberaron a 26 de sus camaradas prisioneros en el cuartel general del PAIGCV, pero no encontraron una emisora de radio ni pudieron matar o capturar ni a Cabral ni a Turé, porque no se hallaban en los edificios que atacaron. Al comprobar esto último, Alpoim Calvao, dio la orden de retirada antes de que las tropas de Turé fuesen más fuertes que la fuerza atacante. A las nueve de la mañana del 22, todos los atacantes estaban a bordo de sus naves y regresando a la Guinea portuguesa.
Los portugueses tuvieron ocho muertos, mientras que en el bando guineano el número de caídos oscila entre unos 50 y casi 500.
Una consecuencia no buscada de la que se llamó ‘invasión portuguesa de Guinea’ fue que Turé realizó una de sus purgas habituales: decenas de ejecuciones legales y desapariciones que se prolongaron durante meses. Cabral fue asesinado por camaradas de su partido en enero de 1973.
Los efectos políticos de Mar Verde fueron mucho más negativos que los militares. Aunque Lisboa negó haber atacado Conakry y atribuyó la operación a una revuelta contra Turé, el Consejo de Seguridad y la Organización para la Unidad Africana aprobaron sendas condenas a Portugal, por la que la dictadura europea cayó en su mayor aislamiento internacional. Además, la URSS desplazó varios buques de guerra a la zona para evitar nuevos desembarcos, lo que constituyó un motivo de fricción entre la OTAN y el Pacto de Varsovia.
El jefe de la operación, expulsado de las FFAA

Los primeros documentos oficiales sobre la operación se desclasificaron en 2006. El jefe del comando, Alpoim Calvao, anticomunista convencido, se negó a unirse a la Revolución de los Claveles, pero participó en el contragolpe de Spínola de marzo de 1975; huyó a España al fracasar a éste y se le expulsó de las Fuerzas Armadas. Regresó a Portugal en 1978 y el Gobierno de centro-derecha de Aníbal Cavaco Silva le reintegró a la Armada. En 2010 recibió su última condecoración y falleció en 2014.
Sin duda Mar Verde inspiró al novelista Frederick Forsyth el plan de ataque de sus mercenarios en Los perros de la guerra: un desembarco en un muelle de la capital y la certeza de que el presidente estaría en su palacio; por eso escogió como día-D la víspera de la independencia.

De haber realizado esta operación un comando que hablase inglés en vez de portugués, ya había alguna película sobre ella, y Hollywood sería capaz incluso de reescribir la historia, como ha hecho con Rambo y con Argo, donde sendas derrotas de EEUU, la guerra de Vietnam y la ocupación de su embajada en Teherán, se presentan como victorias.

http://gaceta.es/noticias/007-hablaba-p ... 92015-0837 (http://gaceta.es/noticias/007-hablaba-portugues-11092015-0837)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Setembro 25, 2015, 10:52:02 pm
A reportagem que está a dar que falar..

Citar
Um 'fuzo' esquecido junto aos mortos do Corubal

Há quase meio século que um homem espera sentado numa canoa na margem do rio Corubal. Não tem nada. Apenas a mágoa de ter sido abandonado, uma revista antiga e um velho cartão de combatente. Espera pelos antigos companheiros que o venham buscar, junto às águas que servem de cemitério para dezenas de portugueses

5 DE FEVEREIRO DE 1969, CHECHE
Aquele rio parece calmo. Mas tem mortos e vivos que querem ser levados para cá. Em fevereiro de 1969, nove meses após ter sido nomeado governador militar da Guiné, Spínola manda retirar de Madina do Boé. Era um esforço militar inútil. Um quartel isolado a sul de Nova Lamego (hoje, Gabu), cortado por um rio, constantemente fustigado pelo PAIGC, colado à fronteira com Conacri. Essa pequena língua de terra não valia o esforço militar. Mas a travessia do rio Corubal iria ficar associada a uma das maiores tragédias militares portuguesas. E Madina do Boé seria o local onde se proclamaria unilateralmente a independência, em 1973.

Ainda hoje é uma longa e penosa viagem até à passagem do rio Corubal. De Bissau aponta-se a Leste até Gabu e é tudo alcatrão. Umas horas de viagem. Depois, em pista de terra vermelha, vira-se a sul de Conacri para Cheche. Queríamos chegar a Madina do Boé. Mais precisamente ao antigo quartel e ao monumento da independência que lá dizem existir. Mas o Corubal não quis. Do lado de lá está a jangada que consegue transportar viaturas. Mas não atravessa porque o rio está cheio e a corrente forte de mais. Só em outubro. E o que atravessa? São canoas, escavadas a um tronco, com um remador. Levam até motorizadas, mulheres com bebés. É uma operação de risco. O remador avança furiosamente em direção a montante e é arrastado pela corrente até um ponto neutro. Depois desse ziguezague é preciso repetir a operação até conseguir chegar à margem de lá. Uns 200 metros.

Na margem do rio Corubal
É assim que se percebe o poder brutal da corrente do Corubal, que levou a vida a 47 militares portugueses na noite de 5 para 6 de fevereiro de 1969. A companhia de Caçadores 1790 já tinha percorrido os 30 quilómetros entre o quartel e a margem, com forte apoio aéreo para não ser atacada. O atravessamento do material militar e das viaturas foi feito exatamente com pirogas dessas, com lacas de madeira e um zebro de borracha a empurrar. Foram 28 viaturas pesadas, 100 toneladas de munições, três autometralhadoras e 500 homens. Já de madrugada, na última passagem, quando a jangada vinha carregada de homens, o comandante da operação decide mandar umas morteiradas para uns alegados locais do PAIGC. Os homens a meio do rio entram em pânico por não saberem de onde vem a fogachada. A barcaça começa a cuspir homens vestidos e carregados de munições. Morreram 47. A maioria ficou para sempre naquele rio. Alguns foram enterrados nas margens.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fexpresso%2F2015-09-22-Fuzileiro_Esquecido_Corubal.jpg%2Foriginal%2Fmw-680&hash=8cd4151d29e994a5936ec297149a3d53)

Antigo fuzileiro português com um exemplar da revista "Combatente"
E, contudo, há ali um que espera que o venham buscar. Está sentado numa canoa. Aliás, disse-o logo: “Sou fuzileiro especial português Silai, curso NATO, quero ir para Portugal. Estou à espera que me venham buscar.” Esta é uma das muitas histórias que se misturam em remoinho na margem do rio Corubal. Não tem nada. Ou melhor, tem mágoa por ter sido abandonado pelos seus camaradas fuzileiros. Mostra uma revista “Combatente” já muito usada com uma foto de uma reunião de antigos ‘fuzos’ da Guiné: “Somos colegas.” Esteve fugido 20 anos para não ser morto. “Andei pelo Burkina Faso.” E o Burkina é muito longe.


E chegam outras pessoas que querem contar histórias. No início, nada. Agora saem como numa nascente de água, às golfadas. Sobre a morte dos portugueses. De como nos dias seguintes à tragédia apareceram uns helicópteros e não conseguiram levantar os corpos do rio, de como durante anos aparecerem malas e objetos...

Fonte: http://expresso.sapo.pt/internacional/2 ... do-Corubal (http://expresso.sapo.pt/internacional/2015-09-16-Um-fuzo-esquecido-junto-aos-mortos-do-Corubal)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 24, 2015, 10:36:33 am
(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/12119037_1015734935114356_6995295494933180437_n.jpg?oh=217384d647070b6f06243684251c499f&oe=56B82BF7)

(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/v/t1.0-9/10384687_1016626165025233_2491742315603767646_n.jpg?oh=c2d52644e4e781b40c551ed6b922507d&oe=56B77F13)

(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/12046946_1016626215025228_6457821263204986089_n.jpg?oh=04c4364fb194d2c029ec5ab83de4c856&oe=56CC7D67)

(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xtf1/v/t1.0-9/12065878_431183800415701_3831992087478584572_n.jpg?oh=ab704e66874c7ea9b7f2dc2a6b4e97de&oe=56CC2129)

(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/v/t1.0-9/1932225_431183790415702_4163590150673019867_n.jpg?oh=932c4926fc43a91645b864b577f73779&oe=56BE87BF)

(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xfl1/v/t1.0-9/10537036_431183780415703_3087657618507334061_n.jpg?oh=ab7d1a10135c52fbf901af82af46e1ba&oe=56CE061B)

(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/12032980_431183773749037_6875010596754291638_n.jpg?oh=e3b4d9c0c8881c9ef6fdcb51df7fb477&oe=568D4BDB)

(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xtf1/v/t1.0-9/10404513_431183817082366_3897297161246026810_n.jpg?oh=838ac753e9f3789cd570f371953a879b&oe=56C44F77)

(https://scontent.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/12072605_431183857082362_3319838772763836376_n.jpg?oh=4cd751678e829379448d9556e5b2d7de&oe=5689DF94)

Fonte: Marinha e Estado Maior das Forças Armadas.
Fonte: Marinha Portuguesa
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 27, 2015, 10:42:32 pm
(https://scontent-cdg2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/12109274_1058464370839832_2409752029002841741_n.jpg?oh=ca16587933c2c3d99cb84a6bcc7a550e&oe=56C110B4)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: BARCO À VISTA em Dezembro 02, 2015, 02:18:20 pm
O Corpo de Fuzileiros está a implementar um novo conceito de estrutura orgânica, as designadas "Forças de FZ's", tendo sido extintas já diversas Unidades: EMA do CCF, UMD, CATT, UMD, outras se seguiram...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 02, 2015, 02:22:31 pm
Agora deixou-me curioso. Segue artigo a explicar as "Forças de FZ's"? :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 06, 2016, 12:51:23 pm
De que massa se faz um fuzileiro?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fexpresso%2F2016-01-06-Trident-Juncture%2Foriginal%2Fmw-860&hash=1f6cd0740e3e935b2b99347569a15a1a)
JOSÉ CARIA

Os dois fuzileiros que estiveram desaparecidos cerca de 20 horas frequentam desde 21 de dezembro um curso de 100 dias úteis em que, além das provas de orientação, têm também exercícios de tiro

CARLOS ABREU

O curso de formação de oficiais fuzileiros tem uma duração prevista de 895 horas distribuídas por 100 dias úteis à razão de cerca de nove horas por dia durante os quais os cadetes adquirem, sobretudo, formação teórica. Além do horário escolar, durante estes 100 dias os cadetes têm ainda de executar, ao longo de 446 horas, exercícios de tiro e de orientação noturnos, como aqueles em que desapareceram dois jovens a rondar os 20 anos, este domingo, localizados são e salvos ao final da tarde desta terça-feira.

Segundo o porta-voz da Marinha, onde está integrado o Corpo de Fuzileiros, trata-se de uma “prova para testar a capacidade que os militares das forças especiais têm para se orientar à noite sem qualquer auxílio de instrumentos [bússola, GPS, telemóvel] ou de pessoas, durante o qual deverão manter-se incógnitos [isto é, invisíveis para os instrutores que se encontram no terreno] e que decorre normalmente entre a Lagoa de Albufeira e a Escola de Fuzileiros” em Vale de Zebro, Barreiro.

Segundo o comandante Rodrigues Vicente, os dez homens que frequentam este curso “foram largados no domingo à noite e normalmente teriam chegado até ao fim da manhã do dia seguinte, segunda-feira. Há relatos de outros cursos em que muitas vezes, por qualquer motivo, os cadetes se atrasam e não conseguem completar neste tempo”.

Para aqui chegar, estes dez homens tiveram de ser os melhores entre 69 candidatos que este ano decidiram concorrer ao “concurso de admissão de voluntários para prestação de serviço na categoria de oficiais na classe de fuzileiros”, publicado em Diário da República a 14 de setembro do ano passado (aviso n.º 10401/2015). Caso concluam a formação com sucesso e conquistem a ambicionada boina “azul ferrete” serão promovidos a aspirantes e, por se encontrarem em regime de contrato, estarão ao serviço do Estado português entre dois a seis anos, no máximo.

Durante o concurso, além de documentação que tiveram de entregar, com especial destaque para o atestado médico de robustez física logo no primeiro dia do curso (para aqueles que são admitidos, claro) e de um longo autoquestionário de saúde que têm de preencher online, os candidatos, que têm de ter no mínimo o 12.º ano, são ainda submetidos a diversas provas de classificação e seleção com “caráter eliminatório e duração prevista de três dias”.

Têm, por exemplo, para obterem positiva nestas provas (entenda-se dez em 20 valores), de serem capazes de correr “2400 metros em terreno sensivelmente plano” em menos de 12 minutos, fazer cinco elevações na trave com as mãos em pronação (isto é, com as costas da mãos viradas para o rosto, em vez das palmas) e 30 abdominais em menos de um minuto. Mas isto é só o princípio.

Os candidatos têm ainda de executar um salto para a rede de abordagem a partir de uma posição elevada agarrados a um cabo e descer pela malha até ao solo e executar uma descida em slide pequeno com alça e ficar em pé quando chegarem ao solo, estando a base de lançamento a nove metros de altura e o cabo cerca de 25 metros de comprimento.

Tratando-se de militares vocacionados para as operações anfíbias, claro que não poderiam faltar provas de natação. Dentro da piscina, os candidatos terão de nadar 25 metros com controlo respiratório em qualquer estilo ventral (bruços, crawl ou mariposa), sem apoios nem paragens e mergulhar para recolher uma manilha de 200 a 500 gramas colocada a uma profundidade entre dois e 2,5 metros.

A destreza física é classificada em quatro graus, tendo os dez candidatos admitidos este ano obtido médias positivas em todas as provas.

As aulas começaram a 21 de dezembro. Este domingo, os cadetes estavam de regresso a Vale de Zebro depois de terem passado as festas junto das famílias. Esta foi a primeira prova de fogo que tiveram de enfrentar numa instrução com “um certo grau de rusticidade”, tal como lembrou esta terça-feira de tarde aos jornalistas o comandante da Escola de Fuzileiros, Pacheco dos Santos.

 :arrow: http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-01-05-De-que-massa-se-faz-um-fuzileiro-
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Fevereiro 26, 2016, 09:15:29 am
A revista da Armada deste mês possui um artigo sobre a participação dos Fuzileiros no exercicio NATO Trident Juncture, e pelo que está lá escrito já estiveram organizados em Forças de Fuzileiros.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 26, 2016, 04:00:27 pm
Aparentemente trata-se de um conceito próximo dos (sub)agrupamentos tácticos já utilizados pelo Exército (?).

Citar
A participação do Corpo de Fuzileiros, na sua capacidade de Projeção de Força, foi assegurada pelo Batalhão Ligeiro de Desembarque (BLD), edificado pela Força de Fuzileiros nº 1 (FFZ1), pela Força de Fuzileiros nº 2 (FFZ2), pelo Elemento de Apoio de Serviços em Combate (gerado pelo novo Departamento de Apoio Geral – DAG – do Corpo de Fuzileiros), pelo Elemento de Assalto Anfíbio (agora sedeado no BF1/Unidade de Meios de Desembarque) e pelo Elemento de Comando que foi gerado a partir do Comando e do Núcleo de Programação, Controlo e Registo (PCR) do Batalhão de Fuzileiros nº 2 (BF2), reforçado por elementos do
PCR da FFZ1.

(...)

A participação do BLD neste exercício terminou no dia 5 de novembro com um papel bastante preponderante no Sea Day que decorreu em Troia, através da realização de um static display representativo das suas principais capacidades (com o emprego da FFZ2 na configuração para o Conjunto Modular de Forças), bem como a participação na demonstração naval combinada através de uma força (FFZ1) que efetuou um desembarque anfíbio no estuário do Rio Sado juntamente com uma Companhia dos USMC (Americanos) e outra dos Royal Marines (Ingleses). Paralelamente e devido às responsabilidades que Portugal assumiu como Nação Hospedeira, também a FFZ3 (apesar de não ter integrado o BLD por se encontrar em aprontamento) teve um forte empenhamento em tarefas de segurança, cenarização e
apoio real, quer em PANTROIA quer em Pinheiro da Cruz com a simulação de forças opositoras, tanto para o BLD como para a Componente de Operações Especiais onde o DAE esteve integrado.

Fonte: http://www.marinha.pt/Conteudos_Externos/RevistaArmada/_FlipVersion/2016/505/files/assets/common/downloads/publication.pdf
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: White_lynx em Março 02, 2016, 01:13:59 pm
Bom dia.  Estou interessado em concorrer para os fuzileiros e tenho ligado para o número verde, de recrutamento, e dirigi-me inclusive ao centro de recrutamento em Alcântara. No entanto não fiquei muito esclarecido uma vez que recebi informações contrárias...  Sendo assim gostaria de fazer algumas perguntas na esperança que o pessoal do forum me soubesse esclarecer xD.
   Entrando nos fuzileiros, como praça, quais as opçôes para a passagem para os quadros permanentes? É possível ingressar na escola de sargentos, à semelhança do exercito? Quantos anos de serviço em regime de contrato tenho de prestar? Se sim, qual a idade limite?
   À entrada na marinha, em classe de fuzileiros, a idade "congela" por dois anos, à semelhança do exercito?
    Da ultima vez que liguei para o número verde informaram-me ainda que ainda que os seis anos de contrato acabem, e tenha de sair da marinha para a reserva, me posso candidatar posteriormente para sargento, até aos 36 anos, podendo tornar a ser fuzileiro. Alguém me confirma esta informação?

  Por outro lado deixo aos interessados a informação que recebi no centro de recrutamento de que está revista a abertura de candidaturas para o curso de fuzileiros em Abril/Maio, começando este provavelmente em Outubro ;).
 
 Desde já agradeço todas as respostas.

 Cumprimentos
   
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Março 03, 2016, 10:07:28 pm
Fuzileiros, MV-22 dos US Marines e FAC da Força Aérea no exercicio Real Thaw 2016

https://www.flickr.com/photos/forcaaereaportuguesa/sets/72157664799333530
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Março 08, 2016, 07:52:49 pm
Fuzileiros no Real Thaw.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 15, 2016, 02:21:31 pm
O Sargento Ludgero Silva, um dos primeiros quatro Fuzileiros Especiais, fez recentemente a doação à Marinha da sua boina verde, conquistada no Royal Marines Commando. A entrega da boina realizou-se na Escola de Fuzileiros, onde estará patente ao público na Sala-Museu do Fuzileiro.
Obrigado Sargento Ludgero Silva.

(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xft1/v/t1.0-9/1909890_1087407381280444_1323042441992239987_n.jpg?oh=43bf24dc6491fdfe315fabe52adceb9f&oe=575B8BBB)

(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xpl1/v/t1.0-9/1609658_1087407444613771_5173574289132576321_n.jpg?oh=42344ce5ab525119e1748390e8189c19&oe=575CE1C7)

(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xfl1/v/t1.0-9/10273435_1087407514613764_8248742408462125598_n.jpg?oh=fc27284a3734d4f54a2e692413a235c2&oe=57927C05)

Marinha Portuguesa
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: AD17 em Abril 19, 2016, 12:51:38 pm
Começa a partir de maio, a nova estrutura do Corpo de Fuzileiros com as tão faladas Forças de Fuzileiros (unidades mais móveis, também disponíveis para combate urbano e contra-terrorismo)... é só esperar para informações mais detalhadas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 19, 2016, 04:39:50 pm
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xpt1/v/t1.0-9/13000136_1112625672091948_5298798551611413491_n.jpg?oh=9ddabb3a379e8fcb5d05d249786fff8d&oe=57AD8489)

395 anos - O braço às armas feito.
Estão a decorrer as celebrações que assinalam mais um aniversário do Corpo de Fuzileiros e que envolve várias atividades, hoje mostramos-lhe a formatura geral.
Deixe a sua mensagem de parabéns pelos 395 anos ao serviço de Portugal do Corpo de Fuzileiros.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 20, 2016, 04:37:13 pm
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/a/a2/Korps_Mariniers_en.png/800px-Korps_Mariniers_en.png)

Será que esta foi o modelo inspirador das novas "Forças de Fuzileiros"?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Abril 20, 2016, 05:12:24 pm
Será que esta foi o modelo inspirador das novas "Forças de Fuzileiros"?

Acho que não, isso dos Marine Combat Groups são Batalhões autenticos, as nossas Forças de Fuzileiros devem ser unidades tipo Companhia.

Eu diria que, até por causa da quantidade de treinos conjuntos, que pode ser alguma organização parecida com a dos Marines do SPMAGTF em Moron.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 20, 2016, 05:33:17 pm
Olha que não sei, até porque há um dos "Esquadrões" (Companhias) que até é Paraquedista e pelo nome até parecem que têm alguma autonomia... mas como não conheço posso estar apenas a dizer meia dúzia de bacoradas.

Em relação ao SPMAGTF, eu penso que seja uma unidade Inter-Armas, certo?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Abril 20, 2016, 06:15:46 pm
Olha que não sei, até porque há um dos "Esquadrões" (Companhias) que até é Paraquedista e pelo nome até parecem que têm alguma autonomia... mas como não conheço posso estar apenas a dizer meia dúzia de bacoradas.

Não sei como é que pelo nome sabes se uma força é mais ou menos autonoma ;D, estou a ver que na Holanda toda a gente quer ser para-quedista, primeiro foi a Brigada de Assalto Aéreo e agora os Fuzos deles.
O que eu vejo na organização deles é que até tem uma componente grande de apoio enquanto que os nossos, pelo que já aqui foi dito, muito disso desapareceu, a UMD, a CAF, etc, não consigo ver onde está a similaridade entre eles.

Só se quiseres usares o exemplo Holandês, mas nós num escalão abaixo, por cada companhia deles nós temos um Pelotão, talvez.. talvez...

Citar
Em relação ao SPMAGTF, eu penso que seja uma unidade Inter-Armas, certo?

Sim, mas eu nem me refiro a helicopteros e tal, só puramente a força terrestre, mas a organização deles não a encontro, deve ser confidencial 8).
Eu falei nos Marines porque eles tem treinado juntos e anteriormente até disseram que as novas forças seriam
Citar
"unidades mais móveis, também disponíveis para combate urbano e contra-terrorismo"
, isso para mim aponta tudo para algo tipo o SPMAGTF e não para Brigadas/Batalhões como os Holandeses estão organizados.

Claro que nada impede que os Holandeses ou qualquer outro pais que tenha unidades anfibias faça uma unidade tipo a nossa para cumprir uma determinada missão, nós também tinhamos o BLD e ele nunca foi "completo" para lado nenhum, foram sempre forças menores.

Eu também posso estar a dizer bacoradas :G-beer2:.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Srgdoido em Abril 20, 2016, 06:18:29 pm
Os fuzileiros já compraram novos coletes balísticos, mas ainda utilizam os antigos taticos, alguém sabe porque?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 21, 2016, 11:34:21 am
Olha que não sei, até porque há um dos "Esquadrões" (Companhias) que até é Paraquedista e pelo nome até parecem que têm alguma autonomia... mas como não conheço posso estar apenas a dizer meia dúzia de bacoradas.

Não sei como é que pelo nome sabes se uma força é mais ou menos autonoma ;D, estou a ver que na Holanda toda a gente quer ser para-quedista, primeiro foi a Brigada de Assalto Aéreo e agora os Fuzos deles.
O que eu vejo na organização deles é que até tem uma componente grande de apoio enquanto que os nossos, pelo que já aqui foi dito, muito disso desapareceu, a UMD, a CAF, etc, não consigo ver onde está a similaridade entre eles.

Só se quiseres usares o exemplo Holandês, mas nós num escalão abaixo, por cada companhia deles nós temos um Pelotão, talvez.. talvez...

Citar
Em relação ao SPMAGTF, eu penso que seja uma unidade Inter-Armas, certo?

Sim, mas eu nem me refiro a helicopteros e tal, só puramente a força terrestre, mas a organização deles não a encontro, deve ser confidencial 8).
Eu falei nos Marines porque eles tem treinado juntos e anteriormente até disseram que as novas forças seriam
Citar
"unidades mais móveis, também disponíveis para combate urbano e contra-terrorismo"
, isso para mim aponta tudo para algo tipo o SPMAGTF e não para Brigadas/Batalhões como os Holandeses estão organizados.

Claro que nada impede que os Holandeses ou qualquer outro pais que tenha unidades anfibias faça uma unidade tipo a nossa para cumprir uma determinada missão, nós também tinhamos o BLD e ele nunca foi "completo" para lado nenhum, foram sempre forças menores.

Eu também posso estar a dizer bacoradas :G-beer2:.

Do Wiki:

Citar
Each Marine Combat Group is commanded by a Lieutenant Colonel and fields 726 men, with the Command Staff consisting of 30 men. The RSTA Squadrons is commanded by a Major and consists of 87 men: the RSTA squadron staff acts also as the Joint Fires Cell for its Marine Combat Group coordinating all types of fire support. Each RSTA Sqn fields an Forward Observer Troop with four Fire Support Teams of six men each, an Unmanned Aerial Vehicle System section with AeroVironment RQ-11 Raven UAV's, a Reconnaissance Sniper Troop, a Mortar Troop with L16 81mm mortars and a Low Altitude Air Defense section. The Raiding Squadrons are commanded by Majors and consist of 108 men. The Raiding Squadrons each field three Raiding Troops with two Raiding Sections of 16 men each per troop.

Já fui ao "the mess" perguntar acerca das Companhias Paraquedistas nas duas brigadas e depois pergunto isso. ;)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 21, 2016, 02:03:15 pm
Marines e fuzileiros voltam a combater. Lado a lado

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fexpresso%2F2016-04-19-Fuzileiros%2Foriginal%2Fmw-960&hash=097dceeb746f5a282769eaedeac7cefa)
O contra-almirante Luís Sousa Pereira e o major Craig Collings (ao centro na imagem) explicam o quinto exercício entre Fuzileiros e Marines

http://expresso.sapo.pt/politica/2016-04-19-Marines-e-fuzileiros-voltam-a-combater.-Lado-a-lado
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Abril 21, 2016, 02:09:34 pm
Já fui ao "the mess" perguntar acerca das Companhias Paraquedistas nas duas brigadas e depois pergunto isso. ;)

Ui o The Mess, ia lá muito quando era MP.Net, mas quando passou para The Mess, não me adaptei, deixei de lá ir.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: dc em Abril 21, 2016, 02:36:18 pm

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fexpresso%2F2016-04-19-Fuzileiros%2Foriginal%2Fmw-960&hash=097dceeb746f5a282769eaedeac7cefa)


O que está aí o Wayne Rooney a fazer?  ;D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 21, 2016, 02:48:45 pm
Já fui ao "the mess" perguntar acerca das Companhias Paraquedistas nas duas brigadas e depois pergunto isso. ;)

Ui o The Mess, ia lá muito quando era MP.Net, mas quando passou para The Mess, não me adaptei, deixei de lá ir.

Também eu, eu de vez enquanto ainda lá vou ver as novidades e pouco mais.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 21, 2016, 02:49:27 pm
Os fuzileiros já compraram novos coletes balísticos, mas ainda utilizam os antigos taticos, alguém sabe porque?

Quantos coletes balísticos eles adquiriram? Dúvido que fossem muitos.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Abril 21, 2016, 05:12:42 pm
Os fuzileiros já compraram novos coletes balísticos, mas ainda utilizam os antigos taticos, alguém sabe porque?

A quantidade adquirida é um fator relevante (conforme questionou o "Cabeça de Martelo"), por outro lado, preservaria as unidades novas para o que é realmente importante...operações reais e continuaria a usar os antigos táticos nos exercícios.
Mas  cada um é como cada qual.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 21, 2016, 05:30:50 pm
Resposta em relação ao que se tinha debatido:

Citação de: Cabeça de Martelo
I have a question for you. The Dutch Marines have in each Battalion a Airborne capable Company, that happens the same in the 11 Luchtmobiele Brigade. I'm confused, are these companies are to operate independently or together?

Citar
The Marines have different tasks, I don't know the details exactly just that they only cooperate at the Defence Para School with the Belgians. You see them once in a while at the Air Assault to do heli-ops courses like fastrope,basic heli training,LPC,LPF or HHI. For the rest they have their own tasks.
 Assault has 3 para companies one in each battalion, besides that the Recce's and the pathfinders ofcourse are para. The engineers and logistical companies have aswell a good amount of para's.
 How the future will look like is still a question, for an instance the Ranger bt.
 The Air Assault are purely designed for the Army docterine and contributions to things like the VJTF.
 The Marines are a completely different expeditonairy field. They are both very independent, but somewhat compaditors..

Citar
11 LMB has different tasks as Jumper said. Both are light infantry, but LMB (or rather Air Maneuvre Brigade, AMB) is originally meant as a highly maneuverable force with integrated helicopter transport and support able to carry out a brigade level attack. The task of the marines is (mainly, and theoretically) to focus on operations on the sea or close to it so there is more emphasis on both blue and brown-water operations where as the LMB trains mainly on brown-water operations. The size of the marines is smaller (about half that of the AMB), meant for "raiding" rather than traditional warfare and while they both train in various types of environment around the world I feel that the marines are more familiar with "global" concept due to more emphasis being placed on it. With the small force of today the operational use of both units has more or less become the same though. The one thing I can think of that makes the marines different from the AMB is that the marines are meant to be capable of deploying anywhere in the world within 48 hours while the AMB has a deployment time of 5-20 days. They have more vehicles and aircraft than the marines would have available which takes time to fly in.

 For the para units of both it's a little bit of a different story, though I still think that the marines would be the first choice to drop in case of an emergency. With more time available it would depend on the intended nature and goal of the operation.

Citação de: Cabeça de Martelo
This means that these Raiding Squadrons have greater autonomy for example, a company of “11 Luchtmobiele Brigade”?

Citar
Yes, in theory and depending on the type of mission/conflict, though I wouldn't count on any strict separation since there aren't any units standing around doing nothing because of budget cuts. It's what's available, not what is most suited, that will matter most. All marine units are Special Operations Capable or in the process of becoming SOC unlike the AMB. The most significant change that brings is that every man will have a speciality besides being a rifleman (common in Special Operations).

 Both units share basics on what they can do, but the heavier armament of the AMB means they can do more things than the marines can against a wider range of opponents, but also with a far larger logistics train and deployment time and the marines are more specialized towards some tasks.

 Think of it as the 101st Airborne vs Force Recon (where the Dutch marines have also the capability to merge units and conduct a traditional assault from the sea). Yes, I know it's a somewhat skewed comparison
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Srgdoido em Abril 21, 2016, 06:07:16 pm
Os fuzileiros já compraram novos coletes balísticos, mas ainda utilizam os antigos taticos, alguém sabe porque?

Quantos coletes balísticos eles adquiriram? Dúvido que fossem muitos.
Nao sei o numero mas não foram assim tao poucos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jonyfra em Abril 21, 2016, 11:40:43 pm
Deixo como informação...
Hoje liguei para a parte de recrutamento e foi-me informado que está prevista a abertura de concurso para praças de fuzileiro no próximo mês! ;)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: AD17 em Maio 02, 2016, 09:20:09 pm
Em relação ao SPMAGTF, eu penso que seja uma unidade Inter-Armas, certo?

É uma força de marinheiros e marines. Como o nome indica, serve para responder a crises em todo o mundo. Ultimamente, são usados para apoiar Embaixadas ou evacuar civis. A Organização Geral é difícil de encontrar mas encontrei um esquema com a estrutura do Spain-Based SPMAGTF e do Africa SPMAGTF. Respondem diretamente ao SECNAV
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Srgdoido em Maio 06, 2016, 04:41:29 pm
Alguma novidade em relação a nova organização do corpo de fuzileiros??
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jonyfra em Maio 10, 2016, 02:24:52 pm
Alguém vai concorrer ao concurso que vai haver agora? Temos 290 vagas é muita coisa.
Alguém sabe se existe algum motivo para a abertura de tanta vaga?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 10, 2016, 05:23:09 pm
O congelamento das vagas dos últimos anos e a falta crónica de militares no Corpo de Fuzileiros... só para começar.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Maio 10, 2016, 05:26:54 pm
Alguém vai concorrer ao concurso que vai haver agora? Temos 290 vagas é muita coisa.
Alguém sabe se existe algum motivo para a abertura de tanta vaga?

Qual é a dúvida...necessitam e muito de pessoal...as entradas que têm havido não garantem os meios necessários para as necessidades da Armada e do Corpo de Fuzileiros.

São 290 vagas, o que não quer dizer que as preencham todas, tudo depende da vontade dos candidatos, que têm de se esforçar, ninguém vai estender a passadeira vermelha.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: AD17 em Maio 10, 2016, 06:54:02 pm
E não só... com esta nova organização, vão-se dar muitas mais missões e aproveitar todas as utilidades desta Força! Venham Fuzos!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Srgdoido em Maio 19, 2016, 08:06:38 pm
Aqui está...
http://fuzileiros.marinha.pt/PT/noticias/Pages/AReestrutura%C3%A7%C3%A3odoCorpodeFuzileiros.aspx
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Maio 20, 2016, 10:15:49 am
Agora só falta substituir a G-3, e como os Fuzos andam tão amigos dos Marines, eles até vão substituir as M16A4 por M4, não se arranjam umas 1000 M16A4 em bom estado para os amigos portugueses? ;D. E já agora, umas quantas M249 que eles também estão a deixar de usar.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 20, 2016, 10:38:52 am
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffuzileiros.marinha.pt%2FPT%2Fnoticias%2FPublishingImages%2Freestrutura%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520CCF%2Freestrutura%25C3%25A7%25C3%25A3o%2520fig3.png&hash=17890e98702f53eb6ebd729b7556b6ba)

Pensar e fazer diferente

A opção de gerar e manter «forças constituídas e ativadas em permanência» difere da anterior lógica de configurar respostas operacionais a partir de «elementos de força» que se encontravam dispersos por unidades independentes. Se pensarmos que até agora os elementos «manobra», «morteiros», «anticarro», «reconhecimento» e «mobilidade terrestre» se encontravam dispersos pelo Batalhão de Fuzileiros número dois (BF2), pela Companhia de Apoio de Fogos (CAF) e pela Companhia de Apoio de Transportes Táticos (CATT), funcionando e treinando segundo requisitos próprios, o treino de força resultava incipiente enquanto tal, e era apenas conduzido durante os grandes exercícios sob a égide do COMNAV. O CF assegurava que os elementos de força desenvolviam proficiências básicas, mas o emprego de uma força-tarefa que agregasse diferentes elementos estaria sempre dependente de um treino dedicado (específico para a missão). Na realidade não seria possível assegurar os elevados níveis de prontidão operacional com tal modelo de geração de forças. Aumentar a prontidão implica maior disponibilidade, maior exigência na manutenção dos padrões de prontidão, e maior estabilidade na constituição temporal das forças. Alterar a configuração das forças significa mudar a forma de gerar efeitos: há que repensar os conceitos de emprego, as modalidades de ação, o pensamento tático, e, em consequência, a forma como treinamos.


Na ótica das forças e dos efeitos, as FFZ estão especialmente vocacionadas para a projeção além horizonte a partir dos navios da esquadra, fazendo uso dos botes de assalto e de pequenos contentores para levar equipamento / armamento «pesado». Conduzem prioritariamente incursões anfíbias, limitadas no espaço e no tempo à autonomia que lhes é dada por aquilo que podem levar consigo (rações, água, munições, etc.). Pretendemos explorar modalidades de emprego próprias da especificidade operacional dos fuzileiros – onde naturalmente se incluem as operações em rios e águas interiores e a dispersão / concentração de força –, procurando gerar efeitos de grande letalidade mas reduzir a pegada (footprint) em terra. Afastamo-nos por isso de lógicas de ocupação do terreno, para nos concentrarmos em algo que é específico e credível para forças anfíbias no contexto das limitações que temos.


Já na perspetiva da organização, centralizar serviços e concentrar infraestruturas (como paióis, escotarias, etc.) significa retirar responsabilidades aos comandantes e transferi-las para a estrutura de funcionamento. Ao nível das unidades e das forças deixa de fazer sentido a figura de «quartel-mestre», mas houve que criar e implementar todo um novo conjunto de normas e de procedimentos para permitir atribuir e controlar o armamento e o equipamento. Deixando de dispor de material a cargo e de escotarias e paióis para guardar, puderam ser desativados os grupos de serviço nos Batalhões e criado um grupo de serviço único em cada um dos polos, Alfeite e Vale de Zebro (EF)[5]. Tal significa, por exemplo, adaptar procedimentos para monitorizar espaços de lazer e alojamentos fora das horas normais de serviço, a fim de garantir a disciplina e o respeito pelos horários de serviço/descanso.


A centralização de serviços possibilita ainda gerar mais-valias funcionais importantes que se podem traduzir em ganhos não só de eficiência mas também de eficácia. A centralização das secretarias e a implementação de um «Gabinete de Apoio ao Utente» permite aumentar o controlo e uniformizar procedimentos, mas reflete uma lógica totalmente nova de tratar os assuntos relativos ao pessoal que requer grande capacidade de adaptação dos comandantes. A centralização das oficinas auto e do planeamento das atividades de manutenção reflete-se num, mais que desejável, «achatamento» da organização e permite-nos ambicionar por melhorias significativas ao nível da manutenção programada, mas porque reduz os níveis de decisão e retira autonomia a alguns atores no processo, gera desconforto e resistências.

No plano dos RH existe hoje uma muito maior racionalidade no emprego dos militares que fazem parte do universo do CF, quer pela divisão de tarefas entre os BF1, BF2 e DAE, a que já se aludiu, quer por se assegurar um maior aproveitamento das perícias e competências individuais e coletivas, o que traz implicações na gestão das pessoas.

Dispondo as FFZ de quatro pelotões que de base são todos gerados e edificados como «pelotões de manobra», dois desses pelotões desenvolvem posteriormente, através de treino dedicado, valências suplementares em anticarro, morteiros e reconhecimento. Estando os FZV, militares fuzileiros habilitados a conduzir viaturas táticas, integrados nos pelotões, eles podem desempenhar funções em qualquer equipa, incluindo, por exemplo, as equipas de morteiros. Atenta a diversidade de sistemas e de configurações operacionais a adotar, e pensando que as Secções desses novos pelotões funcionam com menos uma praça, em que o sargento comandante de Secção se assume como responsável pela primeira equipa, o destacamento de um qualquer elemento torna virtualmente inoperante uma dessas formações, e, no extremo, pode mesmo redundar na perda de uma valência da própria força. Por isso, se o impacte do destacamento de um FZV no encargo operacional do CF era difícil de quantificar quando estas praças se encontravam colocadas na CATT, onde o seu emprego primário era o de condutor, hoje, dando o melhor uso ao conjunto alargado de competências de que dispõem, são sobretudo empenhados como fuzileiros, pelo que qualquer falha é facilmente refletida nos efeitos que são, ou não, gerados pela força a que pertencem.

A racionalização dos RH não se traduz assim e apenas na redução de efetivos: tem igual significado num aproveitamento mais polivalente das pessoas, que se reflete no facto de grande parte dos militares passar a ter um encargo operacional: ou direto, porque se encontra atribuído ao dispositivo de forças, ou em CE, para permitir gerar estruturas de estado-maior e de apoio não permanentes (como o Elemento de Apoio de Serviços em Combate (EASC), responsável por parte significativa das funções logísticas em teatro). A consequência é uma muito maior dependência da estabilidade dos quadros de lotação, o que seria de esperar quando se passa de perto de 2.000 efetivos para uma proposta que não chega aos 1.300. Trata-se, além disso, de um enorme esforço que exige muito das pessoas, não só na perspetiva da alteração das suas rotinas, mas principalmente na forma de pensar a organização e o seu funcionamento. Mais do que assumir funções cuja designação se afasta daquelas que tradicionalmente faziam parte da gíria do CF, e com que sempre se habituaram a viver, a maior dificuldade está no compreender e adaptar-se a formas diferentes de pensar e de agir.

Estando conscientes do enorme desafio que esta reestruturação representa, sabemos que somos capazes de a concretizar e de elevar o CF e os fuzileiros a novos patamares de excelência. Para isso temos contado com uma enorme prova de confiança do Almirante CEMA e com grande apoio do Vice-almirante Comandante Naval, sem os quais nada do que conseguimos até hoje teria sido possível. É assim importante que se reconheça que o CF não pode mudar sozinho, e que a transformação seja acompanhada pelos órgãos de gestão superior da Marinha, sem os quais qualquer alteração, por muito bem-intencionada que seja, fica votada ao insucesso.



 Luís Carlos de Sousa Pereira
 Contra-almirante
Comandante do Corpo de Fuzileiros


Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Maio 28, 2016, 01:22:46 am
Agora só falta substituir a G-3, e como os Fuzos andam tão amigos dos Marines, eles até vão substituir as M16A4 por M4, não se arranjam umas 1000 M16A4 em bom estado para os amigos portugueses? ;D. E já agora, umas quantas M249 que eles também estão a deixar de usar.

Os MArines são a unica força que não quer deixar de ter M16. Estão só a substituir algumas.
Quanto às m249, também só estão a substituir algumas nas secções de assalto.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Maio 28, 2016, 01:23:33 am
(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/t31.0-8/13320502_611939218975025_2115253803216371145_o.jpg)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Maio 28, 2016, 01:26:02 am
Alguma novidade em relação a nova organização do corpo de fuzileiros??

Nº14 – Maio de 2016
A Reestruturação do Corpo de Fuzileiros
http://warriors.pt/wp-content/uploads/2016/05/Revista-Warriors-n%C2%BA14-Reest-FUZ.pdf (http://warriors.pt/wp-content/uploads/2016/05/Revista-Warriors-n%C2%BA14-Reest-FUZ.pdf)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Junho 15, 2016, 09:36:35 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jonyfra em Junho 17, 2016, 06:00:28 pm
Alguém a ir ás provas dia 26?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jonyfra em Junho 28, 2016, 09:37:05 pm
Fiquei aprovado em todas as provas exceto nas médicas porque pelo que me disseram tenho Escoliose dorso-lombar por isso tenho de fazer uma radiografia extralonga da coluna vertebral para a medição do ângulo.
Alguém me sabe dizer qual é o máximo de ângulo que eu posso ter para entrar?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 29, 2016, 10:26:15 am
Eu nem sei o que isso é, mas duvido que isso apareça no site da Marinha. Só mesmo eles é que sabem disso (presumo).
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Junho 29, 2016, 11:28:25 am
Eu nem sei o que isso é, mas duvido que isso apareça no site da Marinha. Só mesmo eles é que sabem disso (presumo).

Cabeça de Martelo, no nosso tempo os únicos ângulos que conhecia eram os de quando fazia queda facial, e, ficava em prancha pronto para encher até morrer,  :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir:

Abraços
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Junho 29, 2016, 11:30:24 am
Alguém vai concorrer ao concurso que vai haver agora? Temos 290 vagas é muita coisa.
Alguém sabe se existe algum motivo para a abertura de tanta vaga?

Deve ser para haver efectivos que justifiquem a aquisição do LPD, só pode................ :G-beer2: ::) ::) ::) ::) ::) ::)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: AD17 em Julho 01, 2016, 09:07:40 pm
Finalmente, fazem um concurso com um número de vagas digo desta Força! Lembro-me de em dezembro de 2015 ir à Escola de Fuzileiros e estar um membro do DAE a fazer serviço no portão, a pedir a identificação às pessoas.

"Então e o Sr. é do DAE e está aqui?"
"Falta de pessoal... Toda a gente tem que fazer tudo, Sr. Comandante"

Lembro-me de ouvir esta conversa!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jonyfra em Julho 02, 2016, 12:01:11 am
Muitas vagas mas o pessoal parece não querer aproveitar....  Só ~250 é que enviaram a documentação toda.

No meu grupo éramos +/- 30. Só 11 fomos para a escola de fuzileiros prestar as provas físicas destes, 2 reprovaram aqui. Dos restantes, 3 passaram em tudo e em Outubro estão lá e depois há 2 ( 1 deles sou eu) que têm de enviar radiografias a pedido do médico.

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 02, 2016, 10:34:06 am
Finalmente, fazem um concurso com um número de vagas digo desta Força! Lembro-me de em dezembro de 2015 ir à Escola de Fuzileiros e estar um membro do DAE a fazer serviço no portão, a pedir a identificação às pessoas.

"Então e o Sr. é do DAE e está aqui?"
"Falta de pessoal... Toda a gente tem que fazer tudo, Sr. Comandante"

Lembro-me de ouvir esta conversa!

Se pensas que isso só acontece na Escola de Fuzileiros, estás muito bem enganado. Faz espécie... mas é a vida.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Julho 03, 2016, 04:43:30 am
Finalmente, fazem um concurso com um número de vagas digo desta Força! Lembro-me de em dezembro de 2015 ir à Escola de Fuzileiros e estar um membro do DAE a fazer serviço no portão, a pedir a identificação às pessoas.

"Então e o Sr. é do DAE e está aqui?"
"Falta de pessoal... Toda a gente tem que fazer tudo, Sr. Comandante"

Lembro-me de ouvir esta conversa!

E então?? Antes de ser DAE não é Fuzileiro? Se querem que na Escola e Base de Fuzileiros sejam estes a fazer segurança e controlo de acessos...não vejo nada de extraordinário.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Julho 03, 2016, 12:48:29 pm
Finalmente, fazem um concurso com um número de vagas digo desta Força! Lembro-me de em dezembro de 2015 ir à Escola de Fuzileiros e estar um membro do DAE a fazer serviço no portão, a pedir a identificação às pessoas.

"Então e o Sr. é do DAE e está aqui?"
"Falta de pessoal... Toda a gente tem que fazer tudo, Sr. Comandante"

Lembro-me de ouvir esta conversa!

E então?? Antes de ser DAE não é Fuzileiro? Se querem que na Escola e Base de Fuzileiros sejam estes a fazer segurança e controlo de acessos...não vejo nada de extraordinário.

Se achas que não é nada de extraordinário, depois do investimento que é feito para formar um DAE colocá-lo na Porta D'armas, no controlo de acessos, OK, mas que está errado está  !
É a mesma coisa que colocar uma VdG ou BD a fazer patrulha á nossa ZEE.......

Abraços
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: NVF em Julho 03, 2016, 03:57:30 pm
Ou um operacional do GOE a fazer de segurança num centro comercial...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Julho 03, 2016, 08:37:45 pm
Ou um operacional do GOE a fazer de segurança num centro comercial...

Correcto e afirmativo !!!!! :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Julho 04, 2016, 12:01:45 am
Nao estou por dentro do dia-a-dia nos Fuzileiros, mas se formos ver outras forças, será que no CTOE os militares OE não fazem serviços? Será que na ETP os Precs não fazem serviços, então e os do abastecimento aéreo, cães militares, dobradores, os com o curso prec devem ser previlegiados em relação aos que têm outros cursos?

Nesse caso pergunto, o que faz esse Fuzileiro na Escola de Fuzileiros? É lá que está a unidade DAE, ele é um operacional dessa força ou está noutra função? Se calhar está lá na instrução, ou noutra coisa qualquer, porque é que não ha-de fazer serviços como os outros Fuzileiros?

Eu nos Açores vi um Tenente-Coronel Pilav, Comandante de Grupo (equivale a Batalhão) qualificado em piloto de Pumas que fazia serviço de alerta SAR como todos os outros pilotos, mas ele fazia porque queria lool, já tinha uma posição e posto que não exigia isso.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 05, 2016, 11:13:49 am
Finalmente, fazem um concurso com um número de vagas digo desta Força! Lembro-me de em dezembro de 2015 ir à Escola de Fuzileiros e estar um membro do DAE a fazer serviço no portão, a pedir a identificação às pessoas.

"Então e o Sr. é do DAE e está aqui?"
"Falta de pessoal... Toda a gente tem que fazer tudo, Sr. Comandante"

Lembro-me de ouvir esta conversa!

E então?? Antes de ser DAE não é Fuzileiro? Se querem que na Escola e Base de Fuzileiros sejam estes a fazer segurança e controlo de acessos...não vejo nada de extraordinário.

Se achas que não é nada de extraordinário, depois do investimento que é feito para formar um DAE colocá-lo na Porta D'armas, no controlo de acessos, OK, mas que está errado está  !
É a mesma coisa que colocar uma VdG ou BD a fazer patrulha á nossa ZEE.......

Abraços

mas de vez enquando elas fazem isso mesmo... e na minha casa no meu tempo os Auxiliares de Precursores tinham que chegar-se à frente como todos os outros e se fores a qualquer outra Tropa Especial o mesmo acontece.

Ou um operacional do GOE a fazer de segurança num centro comercial...

Para ser mais correcto, seria como termos um Agente do GOE na entrada da UEP e salvo erro eles fazem isso mesmo (tal como qualquer operacional da dita unidade).
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Julho 07, 2016, 07:43:13 pm
Finalmente, fazem um concurso com um número de vagas digo desta Força! Lembro-me de em dezembro de 2015 ir à Escola de Fuzileiros e estar um membro do DAE a fazer serviço no portão, a pedir a identificação às pessoas.

"Então e o Sr. é do DAE e está aqui?"
"Falta de pessoal... Toda a gente tem que fazer tudo, Sr. Comandante"

Lembro-me de ouvir esta conversa!

E então?? Antes de ser DAE não é Fuzileiro? Se querem que na Escola e Base de Fuzileiros sejam estes a fazer segurança e controlo de acessos...não vejo nada de extraordinário.

Se achas que não é nada de extraordinário, depois do investimento que é feito para formar um DAE colocá-lo na Porta D'armas, no controlo de acessos, OK, mas que está errado está  !
É a mesma coisa que colocar uma VdG ou BD a fazer patrulha á nossa ZEE.......

Abraços

Se o DAE não está em aprontamento ou formação para nenhuma missão, se a segurança das Unidades de Fuzileiros são feitas por Fuzileiros...a alternativa seria deixa-lo sossegadinho no ginásio a treinar o dia todo..como alguns o fazem.
Serviços H24 ou H12 calha a todos.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Julho 07, 2016, 08:21:03 pm
Finalmente, fazem um concurso com um número de vagas digo desta Força! Lembro-me de em dezembro de 2015 ir à Escola de Fuzileiros e estar um membro do DAE a fazer serviço no portão, a pedir a identificação às pessoas.

"Então e o Sr. é do DAE e está aqui?"
"Falta de pessoal... Toda a gente tem que fazer tudo, Sr. Comandante"

Lembro-me de ouvir esta conversa!

E então?? Antes de ser DAE não é Fuzileiro? Se querem que na Escola e Base de Fuzileiros sejam estes a fazer segurança e controlo de acessos...não vejo nada de extraordinário.

Se achas que não é nada de extraordinário, depois do investimento que é feito para formar um DAE colocá-lo na Porta D'armas, no controlo de acessos, OK, mas que está errado está  !
É a mesma coisa que colocar uma VdG ou BD a fazer patrulha á nossa ZEE.......

Abraços

Se o DAE não está em aprontamento ou formação para nenhuma missão, se a segurança das Unidades de Fuzileiros são feitas por Fuzileiros...a alternativa seria deixa-lo sossegadinho no ginásio a treinar o dia todo..como alguns o fazem.
Serviços H24 ou H12 calha a todos.

O que é que achas ???
será que o Exército alemão quando liberta os seus elementos operacionais desse tipo de serviços e, coloca elementos para militares e outros de empresas de segurança a fazer a guarda a certas unidades, estará a agir erradamente ?????

Nós apenas não temos dinheiro para admitir mais pessoal para as funções básicas/segurança da unidade em questão e como nosso apanágio, lá colocamos os DAE nesses serviços.
Não é que caiam os parentes na lama aos ditos, nem que sejam superiores aos demais Fuzos, mas......... convenhamos !!!

Por exemplo, será correcto colocar elementos da PSP nas cozinhas ao invés de esses organismos serem operados por outros elementos, libertando os agentes para as funções para as quais foram formados ?

Foi aqui aflorado o caso de um TenCor PilAv como chefe de esquadra efectuar os serviços de escala de SAR, da sua esquadra, e isso estará errado ?
Será comparável ao caso do DAE ???   
Não, não está errado nem é comparável como o caso do DAE!
Antes de ser tenCor e cmdt de esq, é pilAv e porque quer, continua  a executar missões, para as quais foi formado/treinado. :G-beer2:
Não tenho dúvidas que se o mesmo oficial quisesse não as faria o facto de ser cmdt de esquadra o libertaria de tais funções operacionais, é de louvar a sua atitude, mas, no caso do DAE ele que se negue ao controlo de acessos, que vai ver como é !! :G-bigun:

Claro que, ao invés de o DAE estar na porta de Armas, devia estar a executar funções, como dizes treinos, seja no ginásio, na CT, num MarCor enfim no que quiseres, mas para que quando necessário, e forem chamados a executar uma missão tenham ainda mais valências, competências e estejam ainda melhor preparados para as executar com maior facilidade e menor risco de terem baixas nas suas subunidades.
È apenas a minha opinião e vale o que vale.

Abraços
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Julho 07, 2016, 08:40:34 pm
Ser DAE não significa estar no DAE. Ao contrario de muitas línguas por este planeta, a Língua Portuguesa faz um distinção bem vincada entre o verbo Ser e Estar (to be or to be)  ;)

Como tal, conheci muitos DAE que não estando no DAE, estavam integrados noutras unidades e, como tal, mamavam a bucha tal como qualquer outro militar dessas unidades. E nunca caiu um braço a nenhum deles por estar a mamar serviço de intervenção no BF2 ou postos fixos na OTAN no BF1.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Julho 07, 2016, 10:12:11 pm
Ser DAE não significa estar no DAE. Ao contrario de muitas línguas por este planeta, a Língua Portuguesa faz um distinção bem vincada entre o verbo Ser e Estar (to be or to be)  ;)

Como tal, conheci muitos DAE que não estando no DAE, estavam integrados noutras unidades e, como tal, mamavam a bucha tal como qualquer outro militar dessas unidades. E nunca caiu um braço a nenhum deles por estar a mamar serviço de intervenção no BF2 ou postos fixos na OTAN no BF1.

Completamente de acordo, isso nem está em questão nos meus posts, penso que deixei bem explicita a minha posição e os exemplos dados, acho que, os ser ou estar dos DAE's estão implícitos no que escrevi !!
Se estão integrados noutras unidades então cheguem-se á frente, mais nada, quando sai de Lamego e fui colocado no RALIS fui comandar uma bataria de instrução e fogo á peça.....
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Julho 07, 2016, 10:49:05 pm
Foi aqui aflorado o caso de um TenCor PilAv como chefe de esquadra efectuar os serviços de escala de SAR, da sua esquadra, e isso estará errado ?

O amigo enganou-se, eu disse comandante de Grupo, é hierarquicamente acima de esquadra, equivalente a Batalhão, já não está integrado em nenhuma esquadra de voo, pode continuar a voar mas já não necessitaria de estar na escala de alerta H24.

Citar
Será comparável ao caso do DAE ???1
Não, não está errado nem é comparável como o caso do DAE!
Antes de ser tenCor e cmdt de esq, é pilAv e porque quer, continua  a executar missões, para as quais foi formado/treinado. :G-beer2:

Eu queria dizer que se houve um Tenente-Coronel PILAV numa escala de serviço, não vejo o drama de um Fuzileiro DAE estar numa escala de serviço.

Citar
Claro que, ao invés de o DAE estar na porta de Armas, devia estar a executar funções, como dizes treinos, seja no ginásio, na CT, num MarCor enfim no que quiseres, mas para que quando necessário, e forem chamados a executar uma missão tenham ainda mais valências, competências e estejam ainda melhor preparados para as executar com maior facilidade e menor risco de terem baixas nas suas subunidades.
È apenas a minha opinião e vale o que vale.

A minha questão é a mesma do Foxtroop, se esse Fuzileiro DAE está na Escola de Fuzileiros, significa que continua ou não a estar no DAE? Se calhar não.

Acredito que a maioria dos Fuzileiros que integram o DAE não façam os serviços "tradicionais" pois é pessoal que precisa de uma grande disponibilidade, podem ser chamados a qualquer momento, e um militar "preso" a um serviço de 24h não se pode ausentar para ir fazer uma missão, e no fim do serviço também não estará na sua melhor condição física e psíquica, mas se saírem do DAE e forem para outras funções, já é diferente.

Eu até pensava que na Marinha quem fazia porta de armas eram aquele pessoal militarizado, Policia dos Estabelecimentos da Marinha.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Julho 07, 2016, 11:27:36 pm
será que o Exército alemão quando liberta os seus elementos operacionais desse tipo de serviços e, coloca elementos para militares e outros de empresas de segurança a fazer a guarda a certas unidades, estará a agir erradamente ?????

Podem fazer isso, dinheiro não falta, a Força Aérea Holandesa faz o mesmo, eles não tem nada como a Policia Aérea, eles tem um grupo civil de seguranças que fazem o controlo de entradas e segurança, e para tratar de crimes e outros problemas existe uma força policial tipo a GNR que tem essa responsabilidade a nível das Forças Armadas Holandesas.

Mas a Alemanha em muita coisa não é exemplo, basta ver que num exercício NATO na Noruega eles regressaram à Alemanha com o exercício a meio pois já tinham feito as horas todas da semana.
http://www.independent.co.uk/news/world/europe/german-soldiers-forced-to-leave-nato-exercise-early-due-to-overtime-limits-a6978766.html
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mafets em Julho 08, 2016, 09:17:03 am
será que o Exército alemão quando liberta os seus elementos operacionais desse tipo de serviços e, coloca elementos para militares e outros de empresas de segurança a fazer a guarda a certas unidades, estará a agir erradamente ?????

Podem fazer isso, dinheiro não falta, a Força Aérea Holandesa faz o mesmo, eles não tem nada como a Policia Aérea, eles tem um grupo civil de seguranças que fazem o controlo de entradas e segurança, e para tratar de crimes e outros problemas existe uma força policial tipo a GNR que tem essa responsabilidade a nível das Forças Armadas Holandesas.

Mas a Alemanha em muita coisa não é exemplo, basta ver que num exercício NATO na Noruega eles regressaram à Alemanha com o exercício a meio pois já tinham feito as horas todas da semana.
http://www.independent.co.uk/news/world/europe/german-soldiers-forced-to-leave-nato-exercise-early-due-to-overtime-limits-a6978766.html
Ora bem. E mais acrescento.  ;)
Citar
The end of the Cold War and withdraw of the Red Army from Eastern Europe was a boon for European security. The National Volksarmee of East Germany and the Bundeswehr merged into a new national army. Inventories of ships, aircraft and armored vehicles were cut by up to seventy five percent, and the German defense budget was cut further. Germany now spends just 1.2% of GDP on defense, far below the NATO recommended 2%.

http://nationalinterest.org/feature/germanys-military-dying-13748 (http://nationalinterest.org/feature/germanys-military-dying-13748)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnationalinterest.org%2Ffiles%2Fstyles%2Fmain_image_on_posts%2Fpublic%2Fmain_images%2F1024px-Leopard_2_A5_der_Bundeswehr.jpg%3Fitok%3DWlihGAxA&hash=82232d04c8eae10fe8c756c1a3c67733)
Citar
It won't be a loss on the battlefield that destroys Berlin's armed forces, but rather massive underfunding.
http://carnegieeurope.eu/strategiceurope/?fa=56819 (http://carnegieeurope.eu/strategiceurope/?fa=56819)
Citar
As 150 German soldiers were preparing to return home from serving in Afghanistan, they were told their aircraft had broken down.

Under normal circumstances, the commander would have called for another military transport plane. But there were none available. They weren’t fit to fly. If necessary, the government’s plane, used by German Chancellor Angela Merkel, was on standby.

All this would be laughable were it not so serious.

Germany’s poorly equipped armed forces have serious implications. They hamper the country from meeting its responsibilities that Joachim Gauck has been advocating since becoming German president in March 2012.

Germany’s military shortcomings also affect the EU’s security and defense strategy. If Europe’s largest economy cannot even provide transportation for its troops, then how on earth can it contribute to the EU’s hard- and soft-power tools?
The grounded soldiers in Afghanistan are just one example of the sorry state of the Bundeswehr, Germany’s armed forces. The country’s military is in such bad shape that Berlin would find it difficult to patrol the skies over the Baltic states, a task NATO has taken on. Germany cannot even provide two helicopters to support the EU’s antipiracy mission off the coast of Somalia.

And when in September Germany agreed to train and supply weapons to the Kurds in northern Iraq, German Defense Minister Ursula von der Leyen traveled in advance of the mission, only to discover none of the trainers or equipment had arrived.

The mission’s military transport plane had broken down; so had the two replacement planes. On top of that, the first batch of guns and antitank missiles was delayed—the Dutch transport plane used to carry them wasn’t feeling well either!

So what’s wrong with Germany’s armed forces? Lack of money? Hardly. Germany spent $49 billion on defense in 2013, the equivalent of 1.3 percent of the country’s GDP. Even though it falls way short of the 2 percent benchmark set by NATO, that still is a huge amount of money. Per capita, Germany’s defense spending amounted to $505 in 2013. The average for European NATO members was $401.

If money is not the real problem, then priorities are. Half of the German defense budget goes to personnel costs, compared with 35.0 percent in the UK and 36.5 percent in the United States.

There have been shifts in the allocation of the defense budget. Soldiers deployed in Afghanistan had complained about poor equipment and protection. That was remedied by Karl-Theodor zu Guttenberg, the flamboyant defense minister who scrapped military conscription but who resigned in 2011 for plagiarizing his PhD thesis.

However, Germany paid too little attention to restructuring its armed forces, a task that Guttenberg’s successor, Thomas de Maizière, hardly tackled. Above all, a top-heavy bureaucracy combined with more protection for German troops failed to notice (or ignored?) the fact that money was not being spent on spare parts. Hence the problems with maintaining helicopters and other air transport for the army and navy.

These shortcomings came to light in September during a hearing of the German parliament’s defense committee, in which top military officers were quizzed. It turned out that only 24 of Germany’s 56 transport planes and sixteen of its 83 helicopters could function. And when Germany sent Patriot missiles to Turkey to protect the country against any possible attack by Syrian government forces, only half of the Patriot systems were in working order.

As for fighter jets, only 42 out of 109 Eurofighters and 38 out of 89 Tornados can be used. After promising 60 Eurofighters to patrol the skies over the Baltic states, von der Leyen said Germany would not be able to meet its NATO commitment.

Von der Leyen, who has been in the job for just over a year, has been quick to deflect criticism, saying she inherited many of the military’s problems, which is true. But now she is going to need much political support to fix things in a defense ministry that is notorious for destroying political careers.

All the reports about the miserable state of Germany’s armed forces could be turned to von der Leyen’s advantage. This is her chance to explain how the Bundeswehr works, what the money is spent on, and why security matters to German and European citizens. Otherwise, the pleas by Gauck and von der Leyen that Germany should take on more responsibilities will remain just rhetoric—much to the disappointment of the country’s allies.
(https://img.washingtonpost.com/wp-apps/imrs.php?src=https://img.washingtonpost.com/blogs/worldviews/files/2015/02/10_10_25_70_.jpg&w=1484)
Citar
The German army has faced a shortage of equipment for years, but the situation has recently become so precarious that some soldiers took matters into their own hands.

On Tuesday, German broadcaster ARD revealed that German soldiers tried to hide the lack of arms by replacing heavy machine guns with broomsticks during a NATO exercise last year. After painting the wooden sticks black, the German soldiers swiftly attached them to the top of armored vehicles, according to a confidential army report which was leaked to ARD.

[Related: The German military faces a major challenge from disrepair]

A defense ministry spokesperson said the use of broomsticks was not a common practice, and that the decision of the involved soldiers was "hard to comprehend." According to the ministry, the armored vehicles were furthermore not supposed to be armed. It remains unclear how many broomsticks were substituted for machine guns.

The awkward revelation on Tuesday came at the worst possible moment for Germany's defense ministry. The same day, Ukraine's army was about to suffer a defeat in the town of Debaltseve, putting a renewed focus on the question whether Europe's NATO allies would be able to manage the crisis militarily – without an American intervention, if necessary.

To make matters worse, the broom-equipped German soldiers belong to a crucial, joint NATO task force and would be the first to be deployed in case of an attack. Opposition politicians have expressed concerns about Germany's ability to defend itself and other European allies, given that even some of the most elite forces lack basic equipment.

The central European country was the world's third-largest arms exporter in 2013, but when it comes to Germany's own defense politicians have been unwilling to invest. In 2013, Germany spent only 1.3 percent of its GDP on defense -- a ratio which was below the average spending of the European members of NATO.

In an interview with local German newspaper Neue Osnabrücker Zeitung, the head of the country's green party Cem Özdemir argued that it was not only the lack of funding that posed a problem. "The financial resources are not being used efficiently," Özdemir said last September. According to him, Europe's armies only have one tenth of the strength of the U.S. Army, although they cost half of the defense budget of the United States.

The lack of equipment does not come as a surprise to close observers of the German army. Last year, the parliamentary defense committee was informed that out of 89 German fighter jets, only 38 were ready for use. The list of damaged items also included helicopters, as well as a variety of weapons.

https://www.washingtonpost.com/news/worldviews/wp/2015/02/19/germanys-army-is-so-under-equipped-that-it-used-broomsticks-instead-of-machine-guns/ (https://www.washingtonpost.com/news/worldviews/wp/2015/02/19/germanys-army-is-so-under-equipped-that-it-used-broomsticks-instead-of-machine-guns/)
(https://img.rt.com/files/2016.01/original/569e3582c3618878308b45d5.jpg)
Citar
The six Tornado jets Germany deployed for anti-terrorist missions in Syria cannot fly night reconnaissance because their cockpit lighting is too bright and blinds the pilots, Bild newspaper reported on Tuesday.
Tornados are equipped with advanced high-resolution infrared surveillance equipment and are supposed to be capable to conduct reconnaissance sorties in any weather, at any time of day. Germany sent its warplanes to assist the US-led coalition in a strictly information-gathering capacity in response to the November terrorist attacks in Paris.

A Defense Ministry spokesman confirmed that there was "a small technical problem that has to do with the cockpit lighting" and that the problem would be resolved within the next two weeks, Deutsche Welle reported.

He added that there was no need for the German Tornados to fly at night in Syria.

https://www.rt.com/news/329436-german-tornado-night-missions/ (https://www.rt.com/news/329436-german-tornado-night-missions/)

Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 01, 2016, 01:32:44 pm
http://www.rtp.pt/noticias/pais/robert-sherman-elogia-as-forcas-armadas-portuguesas_v937605
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Agosto 02, 2016, 09:32:04 pm
http://www.rtp.pt/noticias/pais/robert-sherman-elogia-as-forcas-armadas-portuguesas_v937605

Quanto a mim é conversa para encanar a perna á rã, ou para boi dormir mas enfim...... cá vamos cantando e rindo, como os outros cantavam, LOL, LOL, LOL !!!!

Abraços
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 03, 2016, 12:25:59 pm
O que era para ser e não foi...

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi224.photobucket.com%2Falbums%2Fdd141%2Fcmbv79%2FFuzileiros%2FSem%2520Tiacutetulo_zpsdvg0ztcl.jpg&hash=5343011d64f64b4b0ab0892420ad9eb7)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi224.photobucket.com%2Falbums%2Fdd141%2Fcmbv79%2FFuzileiros%2FSem%2520Tiacutetulo1_zps3qbqthys.jpg&hash=3e5c761556d748a1b987448c71a9bc3d)

Fonte: https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/12733/1/BE%201%20TEN%20Esquetim%20Marques.pdf
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jonyfra em Agosto 21, 2016, 10:30:10 pm
Depois de concluir o curso de fuzileiro e já com boina qual o destino de um fuzileiro, isto é, o que é que ele pode fazer?
Missões no estrangeiro e?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 23, 2016, 11:51:05 am
Depois de concluir o curso de fuzileiro e já com boina qual o destino de um fuzileiro, isto é, o que é que ele pode fazer?
Missões no estrangeiro e?

Pode fazer muita coisa, desde guardar o Alfeite/Escola de Fuzileiros ou qualquer instalação que a Armada o queira, pode fazer exercícios, pode fazer cursos, pode...

Missões ultimamente e pelo que eu tenho visto tem sido principalmente para o pessoal do Pelotão de Abordagem, mas antes disso tinha havido pessoal das Companhias de Fuzileiros a ir para o Afeganistão e futuramente de certeza que haverá mais missões.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Agosto 23, 2016, 06:11:42 pm
Pode ser que ainda vão dar uma volta à Republica Centro Africana...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Setembro 14, 2016, 07:27:02 pm
Curso oficiais Fuzileiros
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 28, 2016, 02:09:40 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Setembro 30, 2016, 06:55:37 pm
A Força de Fuzileiros nº3 vai participar no exercício anfíbio Emerald Move 2016 (ERMO16), que irá decorrer na Ilha da Sardenha (Itália) de 4 a 13 de outubro e envolve um total de 90 militares. Este exercício pretende demonstrar a capacidade europeia de projeção anfíbia (escalão Brigada), no contexto da European Amphibious Initiative (organização a que Portugal pertence na qualidade de associate member desde 2015).
A Força de Fuzileiros embarcou em Rota (Espanha) no dia 25 de setembro, no Navio Espanhol de Projeção Anfíbia “Juan Carlos I”, constituindo um Batalhão Combinado com a Infantería de Marina para a execução do Exercício.

facebook da Marinha
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 01, 2016, 10:12:53 am
A Força de Fuzileiros nº3 vai participar no exercício anfíbio Emerald Move 2016 (ERMO16), que irá decorrer na Ilha da Sardenha (Itália) de 4 a 13 de outubro e envolve um total de 90 militares. Este exercício pretende demonstrar a capacidade europeia de projeção anfíbia (escalão Brigada), no contexto da European Amphibious Initiative (organização a que Portugal pertence na qualidade de associate member desde 2015).
A Força de Fuzileiros embarcou em Rota (Espanha) no dia 25 de setembro, no Navio Espanhol de Projeção Anfíbia “Juan Carlos I”, constituindo um Batalhão Combinado com a Infantería de Marina para a execução do Exercício.

facebook da Marinha

Embarque no Navio Espanhol de Projeção Anfíbia Juan Carlos I

(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14463277_1225373564150491_2745308874864094383_n.jpg?oh=0a0c28da586b8e2f3c4ee780bc56950f&oe=5878BC38)

(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14463068_1225373570817157_8902020707125079100_n.jpg?oh=1889fd6cce9379e7cd814119db8d1b90&oe=587924FE)

(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14517503_1225373547483826_8247469767296974378_n.jpg?oh=d76ca63b725e0ea88c0320652796420d&oe=58665A0E)

(https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14517482_1225373580817156_7458457104915985676_n.jpg?oh=6556c067fa6a7b418ecb85a0a2ae1bbf&oe=586D2D6E)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Outubro 01, 2016, 10:49:14 am
Estando pendente a substituição da G3 no exército e pelo que se fala não estando previsto essa substituição abranger os Fuzileiros, vamos ficar com uma FOE em pleno séc XXI com um equipamento dos anos 60 enquanto as restantes actualizam-se?? Ou será que existe alguma surpresa na manga para substituir o armamento nas forças especiais da marinha?

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 01, 2016, 03:17:28 pm
O DAE tem equipamento moderno.

Mas espero que as outras unidades dos Fuzileiros também não demore a receber uma espingarda moderna.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Major Alvega em Outubro 01, 2016, 04:23:45 pm
 Como sempre à boleia dos outros. O país participa numa manobra militar anfíbia conjunta e só leva 80 homens? O que é que são 80 homens? Nem as ilhas Vanuatu ou Malta.
 Estamos reduzidos ao ridículo, à mera insignificância e à indigência.
 Humilhante ver os nossos soldados nesta situação com todo aquele material e equipamento obsoleto.

Já agora aquele distinto membro deste fórum , o tal (dos EH101 que dobram todos as pás e que tem sonda de reabastecimento) que me acusa de só criticar e falar mal. O que é que tem a dizer sobre isto?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 01, 2016, 04:56:13 pm
Major Alvega, os Fuzos Espanhóis já chegaram a serem representados cá em exercícios militares, com apenas um pelotão...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Outubro 01, 2016, 06:46:46 pm
Major Alvega, os Fuzos Espanhóis já chegaram a serem representados cá em exercícios militares, com apenas um pelotão...

Até os americanos cá quando trouxeram os Marines trazem unidades mais pequenas...de que adianta andar com mais de 80 homens? Só o pesadelo logístico dos movimentos... não é só estalar os dedos.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Major Alvega em Outubro 01, 2016, 09:19:17 pm
 
Acredito que estes exercícios conjuntos servirão para formar, treinar e melhorar as capacidades operacionais dos militares. Se levam só oitenta, ficam muitas centenas de fora.
Não estou em condições neste momento para saber se foi este um caso desses excepcional. Se levaram 80 porque sim ou por penúria, por aquilo que conheço, inclino-me mais para a segunda hipótese.
O que é um facto é que isto é vergonhoso e embaraçoso para um país com a nossa responsabilidade marítima e membro da NATO. Andarmos "pendurados" nos meios dos outros e os nossos militares com equipamento obsoleto.

 
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 01, 2016, 10:40:58 pm
Onde é que está escrito que são 80?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Major Alvega em Outubro 01, 2016, 11:12:19 pm
Onde é que está escrito que são 80?

No FB da Marinha
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Outubro 01, 2016, 11:17:57 pm
Não são 80. São 90 militares  ;D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 02, 2016, 12:18:01 am
Também foi o que eu tinha visto no fb da Marinha, mas até podia ser o caso de alguém com acesso a informação privilegiada.

Eu em relação à participação dos Fuzileiros até fico contente pois é muito raro participarmos em exercícios internacionais, só fazemos os que acontecem em Portugal.

Em relação à força que foi enviada, é o tamanho realista, os Fuzileiros não tem divisões ou brigadas, tem 3 unidades escalão companhia, se enviamos uma, é 1/3 da força de combate. Os Espanhóis vão enviar um batalhão, não vai toda a Brigada. Até o exército que tem um efectivo muito superior ao Corpo de Fuzileiros envia unidades escalão companhia para exercícios na Lituânia. Em irmos à boleia, pois ou vamos à boleia ou não vamos pois não temos nenhum navio do tipo, eu gostava que tivéssemos, mas não temos, tem que se solucionar o problema, eu sei que os fuzos são pessoal rijo mas por favor, não os mandem a remar em zebros até Itália.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Major Alvega em Outubro 02, 2016, 02:46:42 am
Também foi o que eu tinha visto no fb da Marinha, mas até podia ser o caso de alguém com acesso a informação privilegiada.

Eu em relação à participação dos Fuzileiros até fico contente pois é muito raro participarmos em exercícios internacionais, só fazemos os que acontecem em Portugal.

Em relação à força que foi enviada, é o tamanho realista, os Fuzileiros não tem divisões ou brigadas, tem 3 unidades escalão companhia, se enviamos uma, é 1/3 da força de combate. Os Espanhóis vão enviar um batalhão, não vai toda a Brigada. Até o exército que tem um efectivo muito superior ao Corpo de Fuzileiros envia unidades escalão companhia para exercícios na Lituânia. Em irmos à boleia, pois ou vamos à boleia ou não vamos pois não temos nenhum navio do tipo, eu gostava que tivéssemos, mas não temos, tem que se solucionar o problema, eu sei que os fuzos são pessoal rijo mas por favor, não os mandem a remar em zebros até Itália.

Penso não haverá informação mais priviligiada do que a veiculada por um orgão de comunicação oficial da Marinha.

Podemos minimizar ou não valorizar a situação, argumentando que os espanhóis isto ou aquilo, que nada altera a realidade.
Por "paninhos quentes" ou tentar "tapar o sol com a peneira" na situação confrangedora que existe actualmente, não resolve a situação nenhuma. 

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: FoxTroop em Outubro 02, 2016, 12:40:19 pm
A Armada enviou 1/3 do seu efectivo FZ em prontidão. É pouco em números reais, sim é, mas é que que existe. Não se trata de disfarçar um problema grave mas mesmo no tempo das "vacas gordas" nunca se enviou mais que o efectivo de uma CFz (~120 efectivos) para este tipo de exercícios (bastante comuns na década de 80).

Não esquecer que isto também apanha o Corpo de Fuzileiros no meio de uma reestruturação e após vários anos de inexistência de cursos ou de cursos muito reduzidos em pessoal que não colmataram as saídas dos contractados.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Major Alvega em Outubro 02, 2016, 03:04:33 pm
A Armada enviou 1/3 do seu efectivo FZ em prontidão. É pouco em números reais, sim é, mas é que que existe. Não se trata de disfarçar um problema grave mas mesmo no tempo das "vacas gordas" nunca se enviou mais que o efectivo de uma CFz (~120 efectivos) para este tipo de exercícios (bastante comuns na década de 80).

Não esquecer que isto também apanha o Corpo de Fuzileiros no meio de uma reestruturação e após vários anos de inexistência de cursos ou de cursos muito reduzidos em pessoal que não colmataram as saídas dos contractados.

Caro Fox Troop, se a Armada levou 1/3 do seu efectivo, estamos a falar que o efectivo é de 270. O que a força de fuzileiros é actualmente apenas uma força simbólica.
Bom! Poderia ser uma força simbólica mas bem equipada, com uniformes e equipamento de protecção modernos e armas pessoais actualizadas. Reduz-se o nº efectivos para canalizar verbas para a modernização. Não!  É uma força simbólica com equipamento dos anos 70.

Falou em "vacas gordas", mas houve nos fuzileiros em particular ou nas FA's em geral algum período de vacas gordas? Eu não dei por isso. O que houve foi desinvestimento acentuado por parte do poder político para desviar essas verbas para outras actividades que nada têm a ver com os interesses do país e transformarem-nos no Paraguai da Europa.

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 04, 2016, 02:46:52 pm
Esercitazione anfibia Emerald Move 2016
http://www.analisidifesa.it/2016/09/al-via-lesercitazione-anfibia-emerald-move-2016/
(forças participantes, está em italiano mas penso que dá para perceber)

Citar
L’Italia partecipa con Nave Cavour, sede di comando e controllo della costituita forza anfibia, nave Carabiniere, nave San Giorgio, il sommergibile Venuti, una aliquota di 400 fucilieri della Brigata Marina San Marco e 71 lagunari del Reggimento Lagunari Serenissima di Venezia.

Citar
Gli altri Paesi partecipanti sono la Francia con la LHD FS Mistral e 200 marines, l’Olanda con la LPD HNLMS Rottherdam e 117 marines, la Spagna con la LHD SPS Juan Carlos I, la FFG SPS Numancia e 400 marines, la Turchia con la LST Osmangazi e 80 marines, il Regno Unito con 28 marines, il Portogallo con 90 marines ed il Belgio con 121 marines.

Noutros sites também refere a Finlandia e Suécia, mas deve ser só com observadores ou pessoal de Estado-Maior, pois em nenhum lado refere forças anfibias.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 04, 2016, 03:47:54 pm
São uns bandalhos esses Britânicos, só enviaram um Pelotão e foram a reboque... 8)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 04, 2016, 08:03:04 pm
São uns bandalhos esses Britânicos, só enviaram um Pelotão e foram a reboque... 8)

Eu gostava de saber é quem são os Marines belgas lol.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Outubro 06, 2016, 10:40:58 am
São uns bandalhos esses Britânicos, só enviaram um Pelotão e foram a reboque... 8)

Eu gostava de saber é quem são os Marines belgas lol.

Devem ter dupla nacionalidade e na realidade são Holandeses por nascimento....................... :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir:
Quanto aos Bifes é uma vergonha, somente um pelotão, uma Nação daquelas, com uma força menor que a nossa, devem andar a juntar umas libras para os novos Porta-Aviões, só pode.

Abraços
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Outubro 06, 2016, 10:45:50 am
Esercitazione anfibia Emerald Move 2016
http://www.analisidifesa.it/2016/09/al-via-lesercitazione-anfibia-emerald-move-2016/
(forças participantes, está em italiano mas penso que dá para perceber)

Citar
L’Italia partecipa con Nave Cavour, sede di comando e controllo della costituita forza anfibia, nave Carabiniere, nave San Giorgio, il sommergibile Venuti, una aliquota di 400 fucilieri della Brigata Marina San Marco e 71 lagunari del Reggimento Lagunari Serenissima di Venezia.

Citar
Gli altri Paesi partecipanti sono la Francia con la LHD FS Mistral e 200 marines, l’Olanda con la LPD HNLMS Rottherdam e 117 marines, la Spagna con la LHD SPS Juan Carlos I, la FFG SPS Numancia e 400 marines, la Turchia con la LST Osmangazi e 80 marines, il Regno Unito con 28 marines, il Portogallo con 90 marines ed il Belgio con 121 marines.

Noutros sites também refere a Finlandia e Suécia, mas deve ser só com observadores ou pessoal de Estado-Maior, pois em nenhum lado refere forças anfibias.

Bem para o nosso lado, o efectivo que empenhamos até nem está muito mal pois das restantes Nações envolvidas, apenas os Franciús e os Castelhanos, enviaram pessoal em grande número os restantes participantes, estão, exceptuando o RU, ao nosso nível, uma companhia !!

Abraços

Abraços
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 06, 2016, 11:26:31 am
Devem ter dupla nacionalidade e na realidade são Holandeses por nascimento....................... :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir:

Lol, eu acho que devem ser ou os pára-comandos (aquela super tropa especial que faz tudo) ou alguma unidade de infantaria ligeira, que deve ter andado nos últimos meses a treinar com os Marines Holandeses como sair de uma lancha de desembarque só para este exercício.

Citar
Quanto aos Bifes é uma vergonha, somente um pelotão, uma Nação daquelas, com uma força menor que a nossa, devem andar a juntar umas libras para os novos Porta-Aviões, só pode.

Também fiquei desapontado, toda a gente sabe a força que eles tem, só mostra a importância que eles dão ao exercício europeu, se fosse um exercício com os US Marines se calhar já iam em força.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: NVF em Outubro 06, 2016, 03:26:51 pm
Os RM sempre estiveram muito focados na Noruega e no Mar do Norte. Um simples exercício no Mediterrâneo não lhes deve dizer muito, daí a participação simbólica. Se tivessem enviado um navio anfíbio, o contingente de RM seria, certamente, maior
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: perdadetempo em Outubro 06, 2016, 06:54:45 pm
A marinha francesa actualmente também não tem forças de fuzileiros que façam desembarques anfíbios. O que eles têm é uma força de fuzileiros (fuzilier marin) que fazem a segurança das bases navais e das embarcações e as forças comando (comando marine) que são companhias de operações especiais tipo navy seals, special boat service etc... que podem operar a partir de qualquer meio.

Quem normalmente desembarca nas praias é o pessoal do exército, dos regimentos de infantaria da marinha (antigas tropas coloniais)  e que estão habilitados e habituados a desembarcar a partir dos navios anfíbios.

Cumps.

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 06, 2016, 09:38:51 pm
Quem normalmente desembarca nas praias é o pessoal do exército, dos regimentos de infantaria da marinha (antigas tropas coloniais)  e que estão habilitados e habituados a desembarcar a partir dos navios anfíbios.

Cumps.

E deve ser desses regimentos os 200 Marines franceses.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 07, 2016, 02:21:36 pm
Marcelo: “Missões dos fuzileiros são altamente prestigiantes”

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages-cdn.impresa.pt%2Fexpresso%2F2016-10-06-Marcelo-nos-Fuzileiros-outubro-de-2016%2Foriginal%2Fmw-960&hash=9279cb426661afd0a5bb209c0be06dc0)

Presidente da República aproveitou a visita desta manhã ao Corpo de Fuzileiros para prestar homenagem ao trabalho desenvolvido por estes militares, dentro e fora de Portugal

CARLOS ABREU
O Presidente da República homenageou esta manhã o trabalho que os Fuzileiros têm desenvolvido ao longo dos anos, naquela que foi a sua primeira visita na qualidade de chefe de Estado a esta força especial da Marinha.

"A sua presença, por exemplo, no centro de África, e as missões cumpridas ao longo da sua história nos últimos anos são altamente prestigiantes para as Forças Armadas e para Portugal. E na primeira vez que o Presidente da República vem aqui aos Fuzileiros, ele tem a obrigação de agradecer em nome dos portugueses aquilo que é devido a uma realidade muitas vezes pouco conhecida, mas altamente operacional", disse Marcelo Rebelo de Sousa durante uma visita, na manhã desta quinta-feira, ao Corpo dos Fuzileiros.

O Presidente da República destacou ainda a formação contínua em que a corporação se encontra, dando como exemplo o trabalho que os seus militares estão a fazer em conjunto com as forças italianas, e o que possivelmente farão na Colômbia, "dependendo não só da evolução da situação naquele país, mas também da deliberação de hoje do Conselho Superior de Segurança Nacional que se realizará a bordo da Sagres [o navio-escola]".

Cerca de 90 Fuzileiros participam até 13 de outubro no exercício anfíbio Emerald Move 2016 (ERMO 16), que decorre na ilha italiana da Sardenha. Os militares portugueses, pertecem à força de Fuzileiros nº3, embarcarm a 25 de setembro em Rota, no Sul de Espanha, no navio de projeção anfíbia Juan Carlos I. Além de Portugal e Espanha, também participam no ERMO 16 forças de França, Itália, Holanda, Reino Unido, Bélgica e Turquia.

 :arrow: http://expresso.sapo.pt/politica/2016-10-06-Marcelo-Missoes-dos-fuzileiros-sao-altamente-prestigiantes
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 19, 2016, 11:31:34 am
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mayo em Outubro 23, 2016, 04:10:17 pm
Uma pergunta, qual é a cor da farda da marinha, preto ou azul ?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Outubro 23, 2016, 05:16:56 pm
Uma pergunta, qual é a cor da farda da marinha, preto ou azul ?

Depende de qual do tipo de fardamento a que te referes...não esquecer também a branca e claro o uniforme de campanha....
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mayo em Outubro 23, 2016, 06:17:57 pm
A farda de oficiais , aquela que tem o chapéu branco .
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mayo em Outubro 23, 2016, 06:23:05 pm
http://www.marinha.pt/pt-pt/marinha/organizacao/cema-amn/Paginas/cema-amn.aspx (http://www.marinha.pt/pt-pt/marinha/organizacao/cema-amn/Paginas/cema-amn.aspx)

Esta farda !
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Outubro 23, 2016, 07:11:30 pm
A farda de oficiais , aquela que tem o chapéu branco .

Essa é preta.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mayo em Outubro 23, 2016, 07:23:11 pm
Obrigado pela resposta.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jonyfra em Outubro 28, 2016, 12:09:48 pm
Recebi hoje a carta convocatória para ingressar no dia 7, alguém daqui também vai?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jonyfra em Outubro 28, 2016, 12:57:06 pm
Já agora, alguém sabe como devo fazer para ir para a escola de fuzileiros? Vou do Porto de comboio.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 28, 2016, 01:44:30 pm
https://www.facebook.com/emgfa/videos/561506687383411/
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Novembro 04, 2016, 11:35:30 pm
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/t31.0-8/14991312_1260002727354241_2437058365603066653_o.jpg)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/t31.0-8/14918835_1260002724020908_8147203281607933180_o.jpg)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/t31.0-8/14889847_1260002720687575_1304962009474510519_o.jpg)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/t31.0-8/14940108_1260003037354210_7784994297365782876_o.jpg)


https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/posts/1260003467354167
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: JPMM em Novembro 05, 2016, 01:05:37 pm
Na ultima foto, a arma da direita não é uma HK41?. desconhecia o uso no BF2! :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jorgeshot1 em Novembro 05, 2016, 02:11:04 pm
Pois também desconhecia por completo o uso dessa arma nos fuzileiros !! Mas será uma HK 416 ou 417 ? E tem uma mira excelente, uma VCOG, não é ?  :G-beer2: :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 05, 2016, 02:17:00 pm
Parece que sim. Uma Trijicon VCOG ou semelhante.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: JPMM em Novembro 06, 2016, 10:49:37 am
É uma HK416A5 com cano de 14.5" e silenciador
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 22, 2016, 06:07:33 pm
A Força de Fuzileiros nº3 prossegue em Espanha, no exercício Gruflex

Na primeira semana do exercício a FFZ3 esteve integrada no navio da Armada Espanhola Juan Carlos I e realizou vários treinos combinados em conjunto com a Brigada de Infanteria de Marina.
Esta semana realiza-se a fase de execução do Exercício, que exigirá um planeamento rigoroso para o desenvolvimento de ações a executar em curto prazo, com recurso a meios aéreos e anfíbios por parte da Brigada Anfíbia Ibérica.

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/15203113_1277397048948142_590343952507774357_n.jpg?oh=18bf29ffee1787a0865e29b54690014f&oe=58B5A563)

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/15178068_1277397052281475_5501915893146006692_n.jpg?oh=df95c1512d5ed25f1e89208a867338f2&oe=58B460D8)

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/15181294_1277397045614809_4653678003015101983_n.jpg?oh=aae75d29207d82515b575ca034a4e0bb&oe=5887B295)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: LM em Novembro 23, 2016, 10:12:38 am
A Força de Fuzileiros nº3 prossegue em Espanha, no exercício Gruflex

Brigada Anfíbia Ibérica.


E isto é...?!

Já agora, a nível de doutrina os nossos fuzileiros estão próximos dos Royal Marines (ou Korps Mariniers) do que a Infanteria de Marina, certo?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 23, 2016, 10:32:28 am
Vendo como o Corpo de Fuzileiros está estruturado, digo (sem perceber nada disto) que a unidade mais parecida com os nossos são os Korps Mariniers. Eles apesar de serem um Corpo muito maior que o nosso, também têm Forças de Fuzileiros de escalão Companhia, comandados por um Major e com toda uma série de especialidades que não são comuns em unidades deste escalão (FAC, Snipers, etc). O Corpo de Fuzileiros Espanhol, parece-me fortemente influenciado pelo modelo Norte-Americano, dito isto, tanto uns como os outros vêm cá a Portugal e os nossos vão a Espanha fazer exercícios. Na verdade qual foi a última vez que tivemos um exercício com os Britânicos?

Os Fuzos do fórum que se cheguem à frente e digam a sua opinião.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 23, 2016, 01:28:25 pm
Na verdade qual foi a última vez que tivemos um exercício com os Britânicos?

No Trident Juncture 2015 os Royal Marines estiveram cá, os nossos Fuzos até desembarcaram das lanchas deles num dos dias de show off para os politicos.

Com os Holandeses é que acho que nunca treinamos. O que temos é uma origem comum que são os Royal Marines do Reino Unido, mas acho que não temos exercicios com eles.

Temos muitos exercicios é com os Espanhois e com os Americanos (estacionanos em Espanha), mas ai também tem a ver a proximidade geográfica.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 23, 2016, 01:32:29 pm
Citar
Brigada Anfíbia Ibérica.

E isto é...?!

Também não conhecia, mais uma invenção.
Até agora só conhecia a SIAF (Spanish Italian Amphibious Force), de que também fazemos parte.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 23, 2016, 02:41:28 pm
Na verdade qual foi a última vez que tivemos um exercício com os Britânicos?

No Trident Juncture 2015 os Royal Marines estiveram cá, os nossos Fuzos até desembarcaram das lanchas deles num dos dias de show off para os politicos.

Com os Holandeses é que acho que nunca treinamos. O que temos é uma origem comum que são os Royal Marines do Reino Unido, mas acho que não temos exercicios com eles.

Temos muitos exercicios é com os Espanhois e com os Americanos (estacionanos em Espanha), mas ai também tem a ver a proximidade geográfica.

Tens razão, realmente houve esse exercício militar em que ambas as unidades participaram. Na prática os grandes parceiros de exercícios militares dos nossos Fuzos têm sido as unidades anteriormente mencionadas. Duvido que no curto médio prazo esse panorama mude, na verdade espero que não mude, já pelo menos eles mostram-se mais na TV, vêm as últimas novidades a nível de armamento e equipamento que são usadas lá fora, etc. Ver os poucos que chegaram ao fim no último curso uma pessoa fica a pensar como é que é possível manter uma unidade dessas operacional com tão pouco sangue novo. O que digo para os Fuzileiros digo também para os Paraquedistas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Novembro 23, 2016, 03:20:36 pm
Eu acho que ter unidades com filosofia diferente não é propriamente mau, significa que nos exercicios as forças se complementam, e até que o pessoal vai vendo outras maneiras de resolver os mesmos problemas, é tudo experiencia que se ganha.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jorgeshot1 em Dezembro 04, 2016, 12:59:04 am
Do 10 segundos aos 14 segundos é possível ver uma HK 416 e uma HK 417 certo ?
Alguém sabe quantas é que os fuzileiros têm ? E foram adquiridas recentemente ??

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/videos/1285219571499223/
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: NVF em Dezembro 04, 2016, 01:23:36 pm
A arma do primeiro fuzileiro não consegui perceber, mas a do terceiro fuzileiro tem um carregador de munição 7.62, sendo portanto uma Hk417.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Barlovento em Dezembro 05, 2016, 06:19:17 pm

Ejercicio GRUFLEX-61

Tras dos semanas de intensa actividad en la mar finaliza el ejercicio GRUFLEX-61

Han participado más de 3.000 militares en aguas del golfo de Cádiz, Almería y Baleares.
viernes, 25 de noviembre de 2016



Hoy ha finalizado el ejercicio GRUFLEX-61, desarrollado en la Bahía de Cádiz se ha realizado en dos fases; en la primera fase comprendida entre el día 14 y 18 de noviembre, las unidades participantes realizaron una serie de ejercicios y actividades programadas enfocadas al adiestramiento de los Estados Mayores embarcados y los buques participantes.

A continuación, en una segunda fase “táctica”, entre el 21 y el 25, mediante la ejecución de un escenario ficticio, se pusieron en prácticas las capacidades adquiridas por estos Estados Mayores y unidades, llevando a cabo el cometido principal de esta fuerza como es la proyección del poder naval sobre tierra.

El número de unidades y medios participantes en este ejercicio, son una muestra de su magnitud e importancia, con más de 20 unidades navales, “Juan Carlos I”, “Galicia”, 8 Lanchas de desembarco (LCMs), Fragatas “Blas de Lezo”, “Numancia” y “Victoria”, el patrullero “Vencedora” y los cazaminas “Segura”, “Sella”, “Turia” y “Duero”, diferentes unidades de la Fuerza de Acción Marítima, “Las Palmas”, “Mar Caribe” y “La Graña”, los buceadores de Medidas Contraminas y de la Unidad de Buceadores de Cádiz, y una unidad de la Fuerza de Guerra Naval Especial. Destacar también la participación del Submarino “Tridente” de la Marina Portuguesa.

También se contó con un gran número de aeronaves tanto de la Armada como del Ejército del Aire y Ejército de Tierra, que posibilitaron la realización de este ejercicio; 6 aviones Harrier, 3 SH3D, 1 SH60, 1 AB212 de la Armada, 3 helicópteros Cougar de Ejército de Tierra y F18, C101 y Eurofighters del Ejército del Aire.

La Fuerza de desembarco de la Infantería de Marina estuvo compuesta por más de 1200 personas y 120 vehículos, destacando la participación de una compañía de Fusileiros Portugueses.

El ejercicio finalizó con el desembarco anfibio de la Fuerza de Infantería de Marina en el Retín, que continuará realizando actividades en el marco del ejercicio FIMEX.

http://www.armada.mde.es/ArmadaPortal/page/Portal/ArmadaEspannola/conocenos_noticias/prefLang_es/00_noticias
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 04, 2017, 06:21:28 pm
(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/15823090_1327866643901182_8792895611162001518_n.jpg?oh=ffed7e28f13a124d98ff0ebc66d79f1d&oe=58E2A4D6)

Cooperação: Marinha presta apoio na formação dos fuzileiros de Timor-Leste

Decorreu no último trimestre de 2016, na Base Naval de Hera em Timor-Leste, o 4° curso de formação de fuzileiros que contou com a participação de 2 formadores da Marinha portuguesa.

O curso, inserido no programa quadro de cooperação técnico-militar de 2014-2016 com Timor-Leste, incidiu na formação de fuzileiros e especialidades navais, nas áreas de manobras, eletricistas e artilheiros.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: P44 em Janeiro 13, 2017, 12:40:38 pm
Marinha Portuguesa
January 10 at 5:47pm ·
Fuzileiros treinam cenário de crise
Está a decorrer até ao dia 12 de janeiro na Base Naval de Lisboa e bacia hidrográfica do rio Tejo um treino de manutenção de padrões de prontidão operacional da Força de Fuzileiros N.º2 (FFZ2).
Estes exercícios têm como objetivo preparar a Força de Fuzileiros para responder com prontidão a um cenário real de crise, de forma a garantir a segurança e o conforto das populações.
No teatro de operações cabe à força assegurar o socorro às vítimas, fazer um reconhecimento e busca nos escombros; a recuperação e salvamento em locais de difícil acesso; distribuir água, alimentos e manter a ordem pública. O apoio é prestado por botes, através da projeção para terra de pessoas, material e equipamento a partir dos navios.

(https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/15941323_1333028456718334_1246631545620846083_n.jpg?oh=0293cd7e909ec99a9a8972cf6e0a2f44&oe=591EDBE0)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 25, 2017, 03:11:09 pm
FUZILEIROS TESTAM PADRÕES DE PRONTIDÃO

A Força de Fuzileiros nº3 (FFZ3) realiza, durante esta semana, um treino de manutenção dos padrões de prontidão operacional, na área de Pinheiro da Cruz e Península de Tróia, visando a condução de operações de amplo espetro, com incidência no treino anfíbio.

25 JAN 2017, 11:00
​O treino da FFZ3 comporta operações ribeirinhas e desembarques em costa aberta, tiro de combate e luta anti-carro em apoio às operações em que pode ser empregue.

Com uma elevada prontidão para ser projetada em qualquer região ou cenário de conflito onde se exija a condução de operações militares, tanto num quadro de segurança cooperativa como de defesa coletiva, ou em apoio à diáspora, esta força de Fuzileiros garante a Portugal uma resposta imediata e credível, respeitando os compromissos assumidos no âmbito das várias alianças que também integra.

A Força de Fuzileiros nº3 participou, no último semestre, em dois exercícios internacionais, o EMERALD MOVE na Sardenha e o GRUFLEX em Espanha, ambos integrados num Batalhão Espanhol, tendo sido reconhecida pelas forças congéneres pela forma como cumpriu a missão que lhe foi atribuída.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fnoticias-destaques%2FPublishingImages%2FFuzileiros%2Ftreino_25jan_edited.jpg%3Fw%3D1600&hash=168e06c3464c8f0f328f04bd9bdccb96)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fnoticias-destaques%2FPublishingImages%2FFuzileiros%2Ftreino_25jan_2.JPG&hash=ea4f7531a996a9edff2ee65358fe8d43)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fnoticias-destaques%2FPublishingImages%2FFuzileiros%2Ftreino_25jan_3.JPG&hash=deef17414a8cbb603f86a7805ae4a7c8)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fnoticias-destaques%2FPublishingImages%2FFuzileiros%2Ftreino_25jan_4.JPG&hash=6f7ec033a62c3b2aaedad6f2c31a3837)

Fonte: Marinha
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Janeiro 29, 2017, 10:53:07 am
Reportagem sobre o Pelotão de Abordagem no Fala Portugal

https://www.facebook.com/falaportugal/videos/1395145187171410/?hc_ref=PAGES_TIMELINE
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 31, 2017, 02:20:13 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jarvanthefour em Fevereiro 19, 2017, 08:32:09 pm
Boas, vou enviar a mensagem para aqui pois acho que este topico tem a ver com a minha pergunta  :)
 Estou a completar o 12ºano no curso ciencias e tecnologias e queria mesmo muito ir para os fuzileiros. N estou interessado em receber bem, estou interessado apenas em ficar nos fuzileiros bastante tempo (mesmo muito tempo) sem ser aqueles contratos q enviam as pessoas pra casa ao fim de algum tempo de serviço .. Mas n sei o q necessito ter para entrar: tenho q ir pra escola naval pra poder ter um futuro duradouro nos fuzileiros, ou posso ir sem ter ido pra escola naval?     Adoro msm o mar e adoraria de coraçao pertencer ao corpo de fuzileiros espero q compreendam caso a minha pergunta tenha respostas obvias mas precisava msm de receber respostas  ;D ;D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 14, 2017, 05:56:00 pm
Citar
Os formandos do curso de formação de oficiais fuzileiros efetuaram a travessia da lagoa da Mata da Machada a nado e com módulo de marcha. Por forma a realizar o exercício com segurança, a atividade foi realizada durante o dia e com apoio do monitor de educação física dentro de água. A chuva foi uma constante durante grande parte do exercício o que facilitou a entrada dentro de água.

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/17264127_1397684410252738_7486270219193242102_n.jpg?oh=9e90491c6120c00dfe4db3f6e24fd830&oe=595D63AC)

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/17264592_1397684423586070_6711519050980214297_n.jpg?oh=16151b39c93eadbd23717968b996c775&oe=596E8CF8)

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/17103824_1397684416919404_5047694496407821960_n.jpg?oh=00f28fec2afb5d03087ba9037a3466d1&oe=596BF2FF)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 18, 2017, 12:02:47 pm
(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/17351998_1405065046181341_7649579700761588014_n.jpg?oh=af91b756706199486be462e590139cd9&oe=5955502E)

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/17362566_1405064566181389_2404464546189968940_n.jpg?oh=9292b0c7aed1d7a7b358e743a36541ec&oe=5965AFF9)

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/17264628_1404901516197694_1844898695453079124_n.jpg?oh=13f6a118d6f9f5de6936f44d39a7b8a2&oe=5927CA89)

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/17264148_1404901276197718_4133708701733263633_n.jpg?oh=71855d2c32f31690a8e7889696f3585d&oe=596EE374)

Citar
O Dr. António Costa teve oportunidade ainda de observar um dispositivo estático com meios dos fuzileiros, dos mergulhadores e do Instituto Hidrográfico, e onde estiveram também presentes meios da Autoridade Marítima Nacional. Seguidamente visitou as instalações e as capacidades tecnológicas e de comando e controlo do Centro de Operações Marítimas (COMAR) e do Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Março 21, 2017, 05:18:48 pm
Tiro Carl Gustav e MG3

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Março 21, 2017, 05:19:31 pm
Treino de Check point

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 11, 2017, 05:31:07 pm
Fuzileiros : 1621/2012 quatro séculos de história.


Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Maio 22, 2017, 09:25:28 am
Fuzileiros no dia da Marinha 2017 (exepto DAE)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18447551_1468620279825817_5840433547390958223_n.png?oh=fbb224eecf7f146a545e0a77713e71b5&oe=59B5FC7B)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18527868_1468620133159165_4548192353252610260_n.png?oh=df9f7f21cb3ad57fc8a1176b84834209&oe=59BBCEE7)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18664274_1471069522914226_1972138718348212226_n.jpg?oh=574aaacc0d12b95da9809c534bee2216&oe=59B2781B)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18620079_1471071602914018_2186181053992255703_n.jpg?oh=d1b13678e9634d65956c537a86910ff9&oe=59B09196)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18581709_1471069102914268_6005317500582171108_n.jpg?oh=80c0db115f8ebdd215ec8e3b9d4e1378&oe=59A788C1)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18556089_1471071786247333_5694073570217063455_n.jpg?oh=cad7769687b9b95c4f5f9064c76a8fde&oe=59B4012A)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18556004_1471070179580827_5574793432975378075_n.jpg?oh=7b17b9190245e13ad0351db5afa7fd41&oe=599F83E7)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18557501_1471070046247507_2170591567787785754_n.jpg?oh=26b67aed8f182be50f37d5f02e1de4fc&oe=59AAF4A9)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18582237_1471072116247300_8450683076977691817_n.jpg?oh=e96868e096d2a126c95552c301660f85&oe=59B538DD)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18582201_1471070632914115_8916409709462413241_n.jpg?oh=996be11db4262ab1cd5c326cdc53cb22&oe=599DCD76)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18581636_1471070562914122_6019266030277948483_n.jpg?oh=7466b682b691507af6141ce07d63e7f3&oe=59A9F132)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18622484_1471070446247467_3949939830410987629_n.jpg?oh=feb5ff19536d74e9bfb6a840f4060ce2&oe=59B2289E)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18556111_1471070542914124_5400524897868904129_n.jpg?oh=11163e98a0ced5c174a872033bf7b76b&oe=59B600F9)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: jorgeshot1 em Maio 22, 2017, 08:25:48 pm
Fuzileiros no dia da Marinha 2017 (exepto DAE)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18447551_1468620279825817_5840433547390958223_n.png?oh=fbb224eecf7f146a545e0a77713e71b5&oe=59B5FC7B)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18527868_1468620133159165_4548192353252610260_n.png?oh=df9f7f21cb3ad57fc8a1176b84834209&oe=59BBCEE7)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18664274_1471069522914226_1972138718348212226_n.jpg?oh=574aaacc0d12b95da9809c534bee2216&oe=59B2781B)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18620079_1471071602914018_2186181053992255703_n.jpg?oh=d1b13678e9634d65956c537a86910ff9&oe=59B09196)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18581709_1471069102914268_6005317500582171108_n.jpg?oh=80c0db115f8ebdd215ec8e3b9d4e1378&oe=59A788C1)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18556089_1471071786247333_5694073570217063455_n.jpg?oh=cad7769687b9b95c4f5f9064c76a8fde&oe=59B4012A)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18556004_1471070179580827_5574793432975378075_n.jpg?oh=7b17b9190245e13ad0351db5afa7fd41&oe=599F83E7)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18557501_1471070046247507_2170591567787785754_n.jpg?oh=26b67aed8f182be50f37d5f02e1de4fc&oe=59AAF4A9)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18582237_1471072116247300_8450683076977691817_n.jpg?oh=e96868e096d2a126c95552c301660f85&oe=59B538DD)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18582201_1471070632914115_8916409709462413241_n.jpg?oh=996be11db4262ab1cd5c326cdc53cb22&oe=599DCD76)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18581636_1471070562914122_6019266030277948483_n.jpg?oh=7466b682b691507af6141ce07d63e7f3&oe=59A9F132)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18622484_1471070446247467_3949939830410987629_n.jpg?oh=feb5ff19536d74e9bfb6a840f4060ce2&oe=59B2289E)

(https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18556111_1471070542914124_5400524897868904129_n.jpg?oh=11163e98a0ced5c174a872033bf7b76b&oe=59B600F9)
Sem dúvida excelentes fotos !! :G-bigun: :G-bigun: :G-beer2: :G-beer2:
Os coletes balísticos presentes na 10 foto sao novos ? Não sabia da existência dos mesmos !!  :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 03, 2017, 12:51:54 pm
Citar
Os futuros fuzileiros colocaram mais uma vez à prova os conhecimentos adquiridos até agora, desta vez no exercício Escorpião, que se realizou na zona industrial do Barreiro e na área do Outão.
Inserido no combate em áreas edificadas, este exercício tem como objetivo a avaliação da técnica individual, das técnicas de inserção em edifícios, controlo de arruamentos, planeamento e execução de ações de combate de alta intensidade, de elevada precisão e cirúrgicos.
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18881887_1482877328400112_3926147426387547454_n.jpg?oh=f7aece3676d6539feb5e8e813249cccd&oe=59A22F21)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18893300_1482877015066810_2356096223183444240_n.jpg?oh=067b5867eee03177bbc8fb8e718faf37&oe=59DF69C9)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18835955_1482877051733473_8616926080178229027_n.jpg?oh=c8a20dc546b8cd65c53538313c8c333f&oe=599D3114)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18814380_1482877038400141_4125656534894436171_n.jpg?oh=2c0719f2d8e89cd4d6079de6cefa234a&oe=59B20738)

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Junho 28, 2017, 11:34:45 am
Incêndios em Pedrógão Grande | Fuzileiros reconhecimento e Resgate



Incêndios em Pedrógão Grande | Fuzileiros reconhecimento e vigilância em Moto4

Citar
Apoio da Força de Marinha á Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e Camara Municipal de Pedrógão.
Montagem de lonas em habitações danificadas.

Um total de 230 militares da Marinha estarão envolvidos nestas ações.

Fuzileiros do Batalhão de Fuzileiros nº 2, pertencentes à Força de Reação Imediata (FRI)


Atenção que o que vemos aqui já é feio há muito tempo e não apenas pelos Fuzileiros.
Simplesmente a divulgação da Marinha é a melhor.  :G-beer2:
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Junho 28, 2017, 02:12:42 pm
Atenção que o que vemos aqui já é feio há muito tempo e não apenas pelos Fuzileiros.
Simplesmente a divulgação da Marinha é a melhor.  :G-beer2:

Claro, pelo menos saiu em jornais a falar em equipas de vigilância e de rescaldo.

Achei curioso foi ser a Marinha a enviar uma cozinha de campanha e não o Exército. Tenho duas hipoteses, ou o Exército tinha esse material todo empenhado, por exemplo no Orion, outra hipotese, mais polémica, é que a Marinha enviou essa força por sua própria iniciativa e depois ninguém na Protecção Civil teve coragem de dizer que não os tinha pedido ;D, a população ainda fazia um motim se eles obrigassem os Fuzos a ir embora ;).
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Junho 28, 2017, 10:49:04 pm
Sim os meios estavam praticamente todos empenhados no Orion.
E sabes que nestas coisas não há iniciativas próprias. O envio, rendição e retração do meios é coordenado pelo CFT. A Marinha deve ter um sistema semelhante.


Incêndio em Pedrógão Grande | Registo de necessidades da população | CIMIC
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Agosto 10, 2017, 08:52:43 pm
Marinha vai ter 52 novos fuzileiros

https://www.rtp.pt/noticias/pais/marinha-vai-ter-52-novos-fuzileiros_v1020185

Não percebi bem foi a duração do curso, pois dizem que já treinam à quase 9 meses e que ainda tem mais 2 pela frente até receberem a boina, será que estão a incluir a recruta nesse tempo todo, ou será só o curso de Fuzileiro?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 11, 2017, 10:41:50 am
Marinha vai ter 52 novos fuzileiros

https://www.rtp.pt/noticias/pais/marinha-vai-ter-52-novos-fuzileiros_v1020185

Não percebi bem foi a duração do curso, pois dizem que já treinam à quase 9 meses e que ainda tem mais 2 pela frente até receberem a boina, será que estão a incluir a recruta nesse tempo todo, ou será só o curso de Fuzileiro?

O curso para Praças é 10 meses o que se junta as 5 semanas de recruta (penso eu).
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 12, 2017, 10:53:39 am
NOVOS FUZILEIROS PASSAM PROVA FINAL

Terminou esta semana a marcha final do exercício “Mar Verde” dos Cursos de Formação de Oficiais Fuzileiros e de Praças Fuzileiros.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fnoticias-destaques%2FPublishingImages%2FFuzileiros%2F11ago17_02.JPG%3Fw%3D1600&hash=6e8c612d9df8cdf12ec4e8b1d70e7563)

11 AGO 2017, 15:30
A marcha teve início dia 9 pelas 19h30 na praia de Albarquel (Setúbal) e terminou na Escola de Fuzileiros dia 10 às 05h30 ​ após percorridos cerca de 53 km que incluíram atravessar a Serra da Arrábida.

Representando o fim do exercício “Mar Verde”, também ele o culminar da formação técnica específica de Fuzileiro, a marcha exige dos alunos um particular espírito de sacrifício e de entreajuda, bem como a revelação do querer e da capacidade de se superar própria dos Fuzileiros.

À chegada à Escola de Fuzileiros, numa cerimónia simples mas cheia de significado junto ao monumento do Fuzileiros, os formandos receberam das mão dos seus formadores o distintivo do Curso de Fuzileiros que passarão em breve, orgulhosamente, a ostentar no seu peito.
Falta agora a imposição da tão desejada Boina Azul Ferrete que ocorrerá em cerimónia na Escola de Fuzileiros a 04 de outubro.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fnoticias-destaques%2FPublishingImages%2FFuzileiros%2Fmarverde_11ago17.JPG&hash=22b0338c7d334642d361c752d2ac54f4)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Camuflage em Setembro 11, 2017, 07:20:07 pm
Três mulheres à prova no curso de Fuzileiros (http://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/tres-mulheres-a-prova-no-curso-de-fuzileiros')
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Setembro 12, 2017, 11:23:33 pm
Marinha abre o maior concurso para Fuzileiros do ano
http://www.dnoticias.pt/madeira/marinha-abre-o-maior-concurso-para-fuzileiros-do-ano-CE2006721

http://recrutamento.marinha.pt/PT/Pages/home.aspx
230 vagas para praça
12 vagas para oficial/RC

Citar
“Estes são os primeiros concursos a abrir após o novo despacho relativo à ‘Apresentação do Pessoal da Marinha’ que permite aos militares da Marinha terem tatuagens, desde que não visíveis com o uniforme de saída. Ou seja, os jovens poderão ter tatuagens com excepção da cabeça, pescoço e mãos”

Também está aberto concurso para mergulhador, 4 vagas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Setembro 25, 2017, 02:07:57 pm
Chefes militares analisaram missões para o próximo ano
http://www.dn.pt/portugal/interior/chefes-militares-analisaram-missoes-para-o-proximo-ano-8786001.html

Neste artigo, apesar de algo confuso, refere a possibilidade de companhias de fuzileiros também começarem a participar em missões internacionais, do Afeganistão ou RCA em rotação com as companhias de pára-quedistas e de comandos.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: night_runner em Setembro 25, 2017, 08:22:52 pm
Nao é o facto do próximo CEMGFA ser proveniente da Marinha que está ou vai mudar alguma coisa no que toca a missões. É o descontentamento e mau-estar que existe no Corpo e é a puniçao daqueles que estao acusados de o demonstrar ao escrever nos muros da Escola ou pelo levantar da hipotese de boicote a desfiles...
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Kratus41 em Setembro 26, 2017, 10:25:14 pm
alguem  aqui que vá prestar provas para o próximo concurso de praças fz ?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mafets em Setembro 27, 2017, 01:24:23 pm
(https://scontent-lhr3-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-0/p280x280/21766752_1684498674918364_8147947664803143532_n.jpg?oh=da8a4fb2f390c34963fb0a56c1cd3d89&oe=5A48B155)
Citar
Uma das raras fotos existentes da acção do DAE dos Fuzileiros e dos Lynx na Guiné em 1998. O comandante Fernando Seuanes (piloto de vôo) está aos comandos enquanto o DAE embarca refugiados no Porto de Bissau (Foto Miranda Neto).

http://www.operacional.pt/as-asas-da-marinha-portuguesa/ (http://www.operacional.pt/as-asas-da-marinha-portuguesa/)

Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 02, 2017, 08:23:31 pm
52 FUZILEIROS RECEBEM A BOINA
http://www.marinha.pt/pt-pt/media-center/noticias-destaques/Paginas/CONVITE-AOS-OCS-52-fuzileiros-recebem-a-boina.aspx
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 04, 2017, 11:08:51 am
O regresso dos fuzileiros às missões expedicionárias

Quatorze anos após a última missão de uma companhia de fuzileiros em Timor, as forças especiais da Marinha vão para a Lituânia.

A Lituânia vai ser o próximo teatro de operações dos Fuzileiros, numa missão da NATO e 14 anos após Portugal empenhar pela última vez uma companhia dessas forças especiais no estrangeiro, soube o DN junto de fontes militares.

Com 52 novos fuzileiros a receberem hoje a boina da especialidade, numa cerimónia em Vale de Zebro (Barreiro) presidida pelo ministro da Defesa, a decisão do poder político deverá concretizar-se no segundo trimestre de 2018 e por um período de quatro meses.

Os fuzileiros foram empregues numa única missão de seis meses - em 2000, na Bósnia - durante os quase 20 anos ininterruptos de presença das Forças Armadas nos Balcãs. Timor-Leste, em 2004, foi o último teatro de operações em que a chamada infantaria de Marinha teve companhias em serviço no exterior.

"Os Fuzileiros têm sido subaproveitados nas missões expedicionárias que as Forças Armadas cumprem" desde 1996, quando voltaram ao exterior após o fim da guerra colonial, disse ontem Miguel Machado, tenente-coronel paraquedista na reforma e responsável pelo site especializado www.operacional.pt.

"O Corpo de Fuzileiros é uma unidade de elite, deve ser empregue nos teatros de operações da actualidade onde Portugal está empenhado sob pena das suas capacidades, e mesmo motivação, se degradarem", adiantou o militar ao DN, lembrando que "há muitos anos que não cumprem uma única missão expedicionária, tipo Força Nacional Destacada [FND]".

O regresso dos fuzileiros ao exterior coincide com a nomeação de um novo almirante como chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), a partir de março de 2018. Note-se que a Marinha, que se escusou a confirmar o caso, lhes tem dado visibilidade nos últimos meses, suscitando mesmo reservas a nível político com as ações de vigilância nas praias. O apoio à Proteção Civil e às autarquias afetadas pelos fogos em Pedrógão Grande foi outro exemplo.

A próxima FND na Lituânia terá cerca de 120 efetivos e para emprego no quadro das "medidas de tranquilização" da NATO em países aliados junto das fronteiras da Rússia. Desde 2015 que só têm sido enviadas unidades do Exército para os Bálticos.

A última, uma companhia de Atiradores Mecanizada, chegou sexta-feira a Lisboa após quatro meses em missões de treino e exercícios multinacionais com forças de outros países da NATO.

O regresso das Forças Armadas ao Afeganistão em 2018, no âmbito da missão Apoio Resoluto (RSM, sigla em inglês), a par da presença na República Centro Africana (RCA) ao serviço da ONU, explicam a necessidade de o país voltar a usar fuzileiros nas FND.

Com a falta de efetivos nos Comandos a impedir uma terceira unidade consecutiva na RCA, serão os Paraquedistas a cumprir a próxima rotação. Isso explica também o envio dos paras para o Afeganistão em abril, com duas dezenas e meia de instrutores de Artilharia.

https://www.dn.pt/portugal/interior/o-regresso-dos-fuzileiros-as-missoes-expedicionarias-8818335.html
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Outubro 04, 2017, 11:48:21 am
O regresso dos fuzileiros às missões expedicionárias

Quatorze anos após a última missão de uma companhia de fuzileiros em Timor, as forças especiais da Marinha vão para a Lituânia.

A Lituânia vai ser o próximo teatro de operações dos Fuzileiros, numa missão da NATO e 14 anos após Portugal empenhar pela última vez uma companhia dessas forças especiais no estrangeiro, soube o DN junto de fontes militares.


E a missão no Afeganistão em 2007 ou 2008 não conta?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 04, 2017, 11:56:46 am
Há 23 mulheres a concorrer para os fuzileiros

Concurso para oficiais e praças fechou sexta-feira. Esta manhã é entregue a última bandeira nacional arriada no quartel dos Fuzileiros em Luanda, em 1975

Vinte e três mulheres candidataram-se aos próximos cursos de fuzileiros, 12 para a categoria de oficiais e 11 para a de praças, disse esta quarta-feira fonte oficial ao DN.

A Marinha recebeu 509 candidaturas para os dois cursos até à passada sexta-feira. Desse total, 170 são para as 12 vagas de oficiais e 339 destinam-se às 230 vagas de praças, referiu o porta-voz do ramo, comandante Coelho Dias.

A informação coincide com o dia da cerimónia de entrega de boinas a 52 novos fuzileiros, oito oficiais e 4 praças (?!), que se realiza na Escola de formação dessas forças especiais em Vale de Zebro, Barreiro.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: sivispacem em Outubro 04, 2017, 02:06:18 pm
O regresso dos fuzileiros às missões expedicionárias

Quatorze anos após a última missão de uma companhia de fuzileiros em Timor, as forças especiais da Marinha vão para a Lituânia.

A Lituânia vai ser o próximo teatro de operações dos Fuzileiros, numa missão da NATO e 14 anos após Portugal empenhar pela última vez uma companhia dessas forças especiais no estrangeiro, soube o DN junto de fontes militares.


E a missão no Afeganistão em 2007 ou 2008 não conta?

Espero bem que haja então um reequipamento profundo dos meios dos FZ.

É que enviar uma força de infantaria ligeira para lá, deficientemente motorizada (já nem falo de viaturas blindadas) e sem apoio de fogos digno desse nome nem meios de desembarque adequados.... enfim....

Só se for para serem A QRF de algum aeródromo de retaguarda....
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 04, 2017, 08:23:21 pm
A informação coincide com o dia da cerimónia de entrega de boinas a 52 novos fuzileiros, oito oficiais e 4 praças (?!), que se realiza na Escola de formação dessas forças especiais em Vale de Zebro, Barreiro.

Se vires o link que eu coloquei sobre essa noticia na pagina anterior, do site da Marinha, lá diz 44 praças, deve ter sido a pressa.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 04, 2017, 08:28:24 pm
Espero bem que haja então um reequipamento profundo dos meios dos FZ.

É que enviar uma força de infantaria ligeira para lá, deficientemente motorizada (já nem falo de viaturas blindadas) e sem apoio de fogos digno desse nome nem meios de desembarque adequados.... enfim....

Só se for para serem A QRF de algum aeródromo de retaguarda....

Na Lituânia? Vão participar em exercícios tal como as forças do exército quando vão para lá tem feito.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 04, 2017, 08:30:29 pm
E a missão no Afeganistão em 2007 ou 2008 não conta?

É verdade, mas por alguma razão eles só estão a referir as missões onde enviaram unidades de manobra escalão companhia, no Afeganistão a missão foi de protecção e seriam quantos? Um Pelotão? Dois?
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 04, 2017, 08:44:01 pm
Marinha congratula-se com "apoio político" ao empenho dos fuzileiros em missões no exterior
https://www.dn.pt/lusa/interior/marinha-congratula-se-com-apoio-politico-ao-empenho-dos-fuzileiros-em-missoes-no-exterior-8820158.html

Citar
O CEMA disse ainda que em 2018 serão "reforçadas as capacidades de comando e controlo" do corpo de fuzileiros e a sua "mobilidade tática", implicando novos investimentos, incluindo a compra de equipamento de comunicações.

mobilidade táctica significa viaturas certo?

Citar
Para além desta participação, está previsto para 2018 o empenhamento da força de fuzileiros em "missões no Golfo da Guiné, na operação Mar Aberto, em navios nacionais com um destacamento de 50 fuzileiros e em navios das Marinhas francesa e espanhola, na ordem dos 120 a 140" militares.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Outubro 04, 2017, 10:38:46 pm
Marinha congratula-se com "apoio político" ao empenho dos fuzileiros em missões no exterior
https://www.dn.pt/lusa/interior/marinha-congratula-se-com-apoio-politico-ao-empenho-dos-fuzileiros-em-missoes-no-exterior-8820158.html

Citar
O CEMA disse ainda que em 2018 serão "reforçadas as capacidades de comando e controlo" do corpo de fuzileiros e a sua "mobilidade tática", implicando novos investimentos, incluindo a compra de equipamento de comunicações.

mobilidade táctica significa viaturas certo?

Citar
Para além desta participação, está previsto para 2018 o empenhamento da força de fuzileiros em "missões no Golfo da Guiné, na operação Mar Aberto, em navios nacionais com um destacamento de 50 fuzileiros e em navios das Marinhas francesa e espanhola, na ordem dos 120 a 140" militares.

Portugal deve ser dos países com a maior  número de forças especiais por metro quadrado!

Mesmo assim privilegia-se sempre os comandos.

Se os outros não são capazes que se acabem com eles.

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 05, 2017, 12:45:50 am

Portugal deve ser dos países com a maior  número de forças especiais por metro quadrado!

Mesmo assim privilegia-se sempre os comandos.

Se os outros não são capazes que se acabem com eles.

Não é verdade. Dito isso quem achas que vai ter a prioridade, uma unidade da Marinha ou outra do Exército?!

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 05, 2017, 03:44:44 am
Se os outros não são capazes que se acabem com eles.

Se não fossem capazes não eram enviados.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Outubro 05, 2017, 08:49:24 pm
Se os outros não são capazes que se acabem com eles.

Se não fossem capazes não eram enviados.

Sim é verdade, mas as outras forças só avançam porque os comandos não têm gente, caso contrário, tantos os fuzos como os páras ficavam em casa.

novo equipamento do fuzos

https://www.facebook.com/fuzileiros.dourolitoral/videos/1572787309452751/?hc_ref=ARQXC0Q4orck-Kp0nkH6W4rNwpaRt7LaUO9-xWg5j6ysHkmTUiZcqrUOaKjsb1hXTxs&fref=gs&hc_location=group (https://www.facebook.com/fuzileiros.dourolitoral/videos/1572787309452751/?hc_ref=ARQXC0Q4orck-Kp0nkH6W4rNwpaRt7LaUO9-xWg5j6ysHkmTUiZcqrUOaKjsb1hXTxs&fref=gs&hc_location=group)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 05, 2017, 09:01:20 pm
Sim é verdade, mas as outras forças só avançam porque os comandos não têm gente, caso contrário, tantos os fuzos como os páras ficavam em casa.

Mas isso não quer dizer que não sejam capazes, só quer dizer que na gestão de unidades a enviar o Exército dá prioridade aos Comandos, e em relação aos Fuzos isso já mete o poder político. Esta missão na Lituânia tem sido "terrestre" e se o Exército continuasse a poder enviar uma força sua, era o que faria, a Marinha deve ter feito "lobby" no governo para os Fuzileiros terem uma missão terrestre e o governo deve ter dito ao Exército para largar uma (Lituânia, Afeganistão ou RCA) para os Fuzileiros fazerem e o Exército "largou" a Lituânia, ou então a preparação para Afeganistão e RCA já estavam em andamento e para não parar esses treinos a meio, decidiu-se enviar os Fuzos para a Lituânia pois a preparação é mais simples e demora menos, suponho eu.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: perdadetempo em Outubro 05, 2017, 09:57:33 pm
Sim é verdade, mas as outras forças só avançam porque os comandos não têm gente, caso contrário, tantos os fuzos como os páras ficavam em casa.

Mas isso não quer dizer que não sejam capazes, só quer dizer que na gestão de unidades a enviar o Exército dá prioridade aos Comandos, e em relação aos Fuzos isso já mete o poder político. Esta missão na Lituânia tem sido "terrestre" e se o Exército continuasse a poder enviar uma força sua, era o que faria, a Marinha deve ter feito "lobby" no governo para os Fuzileiros terem uma missão terrestre e o governo deve ter dito ao Exército para largar uma (Lituânia, Afeganistão ou RCA) para os Fuzileiros fazerem e o Exército "largou" a Lituânia, ou então a preparação para Afeganistão e RCA já estavam em andamento e para não parar esses treinos a meio, decidiu-se enviar os Fuzos para a Lituânia pois a preparação é mais simples e demora menos, suponho eu.

Só uma questão que me está a deixar uma grande duvida. Isto significa que entre este trimestre e o próximo ano a marinha vai ao shopping às compras para equipar os fuzileiros? É que não me parece que eles tenham sido uma prioridade nos últimos anos.

Cumprimentos,
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Outubro 06, 2017, 12:45:31 am
Sim é verdade, mas as outras forças só avançam porque os comandos não têm gente, caso contrário, tantos os fuzos como os páras ficavam em casa.

Mas isso não quer dizer que não sejam capazes, só quer dizer que na gestão de unidades a enviar o Exército dá prioridade aos Comandos, e em relação aos Fuzos isso já mete o poder político. Esta missão na Lituânia tem sido "terrestre" e se o Exército continuasse a poder enviar uma força sua, era o que faria, a Marinha deve ter feito "lobby" no governo para os Fuzileiros terem uma missão terrestre e o governo deve ter dito ao Exército para largar uma (Lituânia, Afeganistão ou RCA) para os Fuzileiros fazerem e o Exército "largou" a Lituânia, ou então a preparação para Afeganistão e RCA já estavam em andamento e para não parar esses treinos a meio, decidiu-se enviar os Fuzos para a Lituânia pois a preparação é mais simples e demora menos, suponho eu.

Se for dessa forma, só mostra que a quintinha dos comandos é a mais forte, porque parece que só eles é que sabem combater!

Não vejo qual é o problema em dividir as missões pelas forças existentes.

Numas forças armadas de tamanho tão reduzido, os lobbies vão acabar por destrui-las por dentro!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Outubro 06, 2017, 05:29:33 pm
Não vejo qual é o problema em dividir as missões pelas forças existentes.

Eu também não, talvez isto seja o inicio disso. :)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: valentim17 em Outubro 06, 2017, 08:00:16 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Outubro 16, 2017, 12:39:29 am
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/22448516_1620467844641059_4985332959414366997_n.jpg?oh=94d69109bdd907d75a5379738a5174f9&oe=5A742043)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/22406099_1620467847974392_1604650184771870539_n.jpg?oh=5349f1c134c21be9f15652a01db06ceb&oe=5A6F3FBE)
(https://scontent.flis2-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/22384316_1620467851307725_3735229242309959942_o.jpg?oh=ae4c2ec3e7b2aebb2edfb446ada936f6&oe=5A6EBD14)

Citar
A bordo da fragata "D. Francisco de Almeida", que se encontra a apoiar a Operação da NATO Sea Guardian no Mediterrâneo central, as equipas de Fuzileiros do Pelotão de Abordagem operam como elementos especializados, atuando em caso de necessidade para conter a ameaça de tripulantes de navios suspeitos de ligações a atividades criminosas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: tenente em Novembro 21, 2017, 07:19:33 pm
Descobri este vídeo da década de 60:


Abraços
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: HSMW em Dezembro 03, 2017, 09:58:55 pm
Citar
Desfile Militar - 700 anos da Armada Portuguesa
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: BARCO À VISTA em Dezembro 07, 2017, 01:57:41 pm
TESTE A SUA FUZOCULTURA!
https://barcoavista.blogspot.pt/2017/12/teste-sua-fuzocultura.html
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 21, 2017, 02:45:11 pm
Marinha: 80 recrutas juram bandeira em Vale de Zebro

Cerimónia que marca o fim da primeira parte da instrução militar decorre esta manhã na Escola de Fuzileiros

Setenta militares da Marinha vão iniciar em janeiro o curso de praças fuzileiros e outros cinco o curso de oficiais, na especialidade em que o ramo tem mais falta de pessoal, admitindo abrir novos concursos.

Esta quarta-feira, vão jurar bandeira 80 novos militares da Marinha que terminaram o Curso de Formação Básica, numa cerimónia que marca o fim da primeira parte da instrução militar, na Escola de Fuzileiros, em Vale do Zebro, Barreiro.

Desses, 70 vão frequentar o curso de praças fuzileiros, cinco o curso de oficiais fuzileiros, num concurso que foi aberto para 242 vagas.

Terminaram também a formação básica quatro militares do curso de praças mergulhadores e um formando para a classe de praças músicos, anunciou esta quarta-feira a Marinha.

Ao todo, tinham-se candidatado ao curso de fuzileiros 357 militares, 13 dos quais mulheres, para 230 vagas na categoria de praças e 12 na categoria de oficiais, no maior concurso do ano que visava suprir as necessidades do ramo.

Contactado pela Lusa, o porta-voz da Marinha, comandante Coelho Dias, frisou que a taxa de atração do curso de fuzileiros "é elevada", superando os 20 por cento.

"Este ano foi o que teve mais candidatos, mas teremos que abrir mais concursos para as necessidades da Marinha", admitiu à Lusa Coelho Dias.

O curso de fuzileiros começa em janeiro e tem a duração de nove meses.

Nenhuma das mulheres que se candidatou ao curso de fuzileiros passou a primeira fase de seleção, que inclui provas médicas e físicas, adiantou.

No passado dia 12, o chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA), Silva Ribeiro, admitiu "alguma dificuldade" em conseguir incorporar o número de fuzileiros suficiente para as necessidades do ramo, apesar de este ano ter havido mais voluntários a candidatarem-se.

O almirante Silva Ribeiro lembrou que em 2018 e ao fim de 14 anos, os fuzileiros voltarão a integrar Forças Nacionais Destacadas, desta vez na Lituânia, estando também previsto o empenhamento em missões na região do Golfo da Guiné, em parceria com as marinhas de França e Espanha.

O corpo de fuzileiros conta atualmente com 1.130 militares, 92 oficiais, 269 sargentos e 769 praças. Do total, 694 pertencem ao quadro permanente e 75 em regime de contrato, disse à Lusa o porta-voz do ramo, Coelho Dias.

http://expresso.sapo.pt/politica/2017-12-20-Marinha-80-recrutas-juram-bandeira-em-Vale-de-Zebro
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Dezembro 31, 2017, 04:10:47 pm
(https://scontent.flis8-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/25188964_897579313744346_6221706281334476474_o.jpg?oh=1482713ea1ae3693a057420c65aa2b82&oe=5AF4E820)

(https://scontent.flis8-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/25299954_897579407077670_4899832872105691141_o.jpg?oh=390e884825df54a6b7e1912fd73239ec&oe=5AFBBCC3)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Dezembro 31, 2017, 04:12:02 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Dezembro 31, 2017, 04:14:22 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Dezembro 31, 2017, 04:16:33 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 05, 2018, 11:41:13 am
Fuzileiros voltam a usar fardas criadas no século XIX em cerimónias oficiais

(https://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&guid=ecc4b92d-6f3d-499e-b1c5-836b38895b5e&w=728&t=20180205005700)
https://www.dn.pt/portugal/interior/fuzileiros-voltam-a-usar-fardas-criadas-no-seculo-xix-em-cerimonias-oficiais-9097264.html
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Luso em Fevereiro 05, 2018, 04:12:54 pm
Fuzileiros voltam a usar fardas criadas no século XIX em cerimónias oficiais

(https://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&guid=ecc4b92d-6f3d-499e-b1c5-836b38895b5e&w=728&t=20180205005700)
https://www.dn.pt/portugal/interior/fuzileiros-voltam-a-usar-fardas-criadas-no-seculo-xix-em-cerimonias-oficiais-9097264.html

Folclore, portanto.
E porquê 1807?
Porque não a farda do Terço da Armada?
Porquê a fantochada?
Se o ridículo matasse...
São estas as prioridades dos chefes militares, aqueles que acabam e fazer o seu manifestozinho cobarde contra a indigência de efectivos...
Não estivesse habituado a estas palhaçadas ainda estaria mais indignado.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 06, 2018, 10:49:46 am
Qual foi o primeiro uniforme regulamentado? Penso que deveria ser esse, até porque é o que é historicamente o mais relevante.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: César em Fevereiro 07, 2018, 03:29:14 am
Qual foi o primeiro uniforme regulamentado? Penso que deveria ser esse, até porque é o que é historicamente o mais relevante.

Verde com amarelo... em 1664... nao sei se foi a primeira, mas isto foi ainda durante a Guerra da Restauracao... tempo em que nao havia uniformes regulamentares em Portugal, só em algumas unidades. Os fuzileiros e o Regimento (Terço) de Lisboa tinham as suas cores. Depois quando se trocou os capacetes e a moda de usar chapeus de aba larga dos anos 1600s para os chapeus apaneleirados (Tricornio) nos anos 1700s, tambem as botas desapareceram por sapatinhos e meias brancas, e os casacos que já tinham sido mudados nos fins de 1600s para acompanhar a moda europeia do tempo que pareciam pijamas, ainda eram verdes com forros de amarelo.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Fevereiro 08, 2018, 09:53:20 pm
A revista da Armada de Fevereiro tem um artigo onde explica a nova teoria de operação das Forças de Fuzileiros, é o conceito de operações rápido e leve.

Resumidamente é utilizar Fragatas e NPOs, com forças de 50 ou mais Fuzileiros, fazerem raids de curta duração de forma a influenciar a situação em terra, contra grupos armados, resgate de civis, etc, a força deve ser motorizada, a capacidade anti-aérea deve ser fornecida pelos meios navais ou meios portáteis a transportar pelos fuzileiros.

Não me parece algo que se possa fazer numa região onde haja uma força opositora grande e bem organizada, deve ser mais para sítios tipo Somália e sem capacidade marítima para o navio navegar impune ao longo da costa.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Clausewitz em Fevereiro 08, 2018, 11:00:44 pm
A revista da Armada de Fevereiro tem um artigo onde explica a nova teoria de operação das Forças de Fuzileiros, é o conceito de operações rápido e leve.

No fundo o conceito nunca deixou de ser esse. Aliás nem poderia ser outro face aos meios disponíveis. É o caso em que a doutrina é adaptada aos meios e não o contrário.

Resumidamente é utilizar Fragatas e NPOs, com forças de 50 ou mais Fuzileiros, fazerem raids de curta duração de forma a influenciar a situação em terra, contra grupos armados, resgate de civis, etc, a força deve ser motorizada, a capacidade anti-aérea deve ser fornecida pelos meios navais ou meios portáteis a transportar pelos fuzileiros.

A força deve ser motorizada a partir de fragatas e NPOs? Acho que o certo é a força ser botorizada/zebrorizada.

Não me parece algo que se possa fazer numa região onde haja uma força opositora grande e bem organizada, deve ser mais para sítios tipo Somália e sem capacidade marítima para o navio navegar impune ao longo da costa.

O problema é que mesmo em cenários tipo Somálias será possível encontrar opositores relativamente bem armados.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Fevereiro 08, 2018, 11:15:28 pm
No fundo o conceito nunca deixou de ser esse. Aliás nem poderia ser outro face aos meios disponíveis. É o caso em que a doutrina é adaptada aos meios e não o contrário.

Quando se queria adquirir Pandurs anfibios seria para uma doutrina mais convencional.

Citar
A força deve ser motorizada a partir de fragatas e NPOs? Acho que o certo é a força ser botorizada/zebrorizada.

As duas, acho que há para ai vídeos ou fotos dos fuzos a colocar num zebro uma daquelas novas viaturas tácticas pequeninas. Só pode ser isso.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Fevereiro 08, 2018, 11:36:16 pm
Mas percebo o que quer dizer, em vez de andarmos com o "temos isto (forças escalão companhia), mas queremos ter isto (Batalhão Ligeiro de Desembarque, Pandurs anfíbios, LPD).

Passamos para o "temos isto (forças escalão companhia), e vamos ver o melhor que podemos fazer com essas forças" que equipamentos precisam para poderem operar hoje com o que existe na Marinha, mas sem grandes ambições, nem estar a contar com o meio x ou y que não existem como LPD ou Lanchas de Desembarque.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Lightning em Fevereiro 09, 2018, 12:50:14 am
Acho que o video do exercício é o seguinte

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/videos/1534113236609854/

Mas a tal viatura é colocada na praia por um Lynx.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Fevereiro 10, 2018, 10:27:36 am
Presença dos Fuzileiros no Real Thaw 18

(https://scontent.flis8-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/27504007_925311320971145_8660609021714937843_o.jpg?oh=68ab14198369f40833aa7317ba2bd7b2&oe=5B232502)

(https://scontent.flis8-1.fna.fbcdn.net/v/t31.0-8/27907655_925787264256884_4632320919132992810_o.jpg?oh=c434d76abc0e7e24261fb5fe35a17269&oe=5B1FFC12)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Fevereiro 10, 2018, 10:28:59 am
A revista da Armada de Fevereiro tem um artigo onde explica a nova teoria de operação das Forças de Fuzileiros, é o conceito de operações rápido e leve.

Resumidamente é utilizar Fragatas e NPOs, com forças de 50 ou mais Fuzileiros, fazerem raids de curta duração de forma a influenciar a situação em terra, contra grupos armados, resgate de civis, etc, a força deve ser motorizada, a capacidade anti-aérea deve ser fornecida pelos meios navais ou meios portáteis a transportar pelos fuzileiros.

Não me parece algo que se possa fazer numa região onde haja uma força opositora grande e bem organizada, deve ser mais para sítios tipo Somália e sem capacidade marítima para o navio navegar impune ao longo da costa.

Se quiserem ler sobre a reestruturação dos Fuzileiros:
http://warriors.pt/revistas/no14-maio-de-2016/ (http://warriors.pt/revistas/no14-maio-de-2016/)
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mafets em Fevereiro 10, 2018, 10:43:38 am
Sempre podemos colocar à Argentina...  ;D  :jok:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.planobrazil.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2016%2F06%2FLarcveiculosendoretiradodopor%25C3%25A3o.jpg&hash=4f53b80ad3a60cd5dc183d7803f28038)

Ainda adaptam uma Vasco da Gama a este conceito (enfim, para onde caminhamos...  ::)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-OO3GSZV8jMk%2FU6mTP64wLfI%2FAAAAAAAAAUs%2Fxq-LmAVe9aE%2Fs1600%2FARA%2BHercules.jpg&hash=326265f95ce21c7c671a29233ad725f0)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-O4d_XHxkSu4%2FUg-tEWAms0I%2FAAAAAAAAGnU%2FenSZ_LbjNck%2Fs1600%2F341hercc.jpg&hash=685ea873d41f1c5b971f2e4ab2374aa6)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fk36.kn3.net%2FFB8C547F0.jpg&hash=04abfe434b982e690453ed1a895067f2)

Cumprimentos
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: ACADO em Fevereiro 26, 2018, 09:23:07 pm
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Luso em Fevereiro 28, 2018, 12:26:39 pm
"A revista da Armada de Fevereiro tem um artigo onde explica a nova teoria de operação das Forças de Fuzileiros, é o conceito de operações rápido e leve."

"Nova teoria"...
Pois eu também tenho uma teoria: a de inventar teorias para enquadrar e legitimar a indigência do ramo.
Enfim, o que esperar de carreiristas e de meios de propaganda como a "Revista da (des)Armada"?

Farto disto e dos fan boys que encobrem a situação.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: NVF em Fevereiro 28, 2018, 10:19:38 pm
Apesar de todas as m**das, estou convicto de que a Marinha e a FAP conseguem 'maior produto operacional' (como os 'especialistas' gostam de dizer) que o Exército.

Se vires aquela tabela que o Martelo 'postou' no tópico sobre o desmantelamento das FFAA, rapidamente se chega à conclusão que o efectivo da BRR é, mais coisa menos coisa, equivalente ao efectivo dos fuzos — e os fuzos têm a vantagem de serem maioritariamente profissionais. No entanto, quando chega à altura de mandar forças para o estrangeiro. os fuzos são quase sempre preteridos em favor dos 'batalhões' de páras e comandos.

Mas quanto às cúpulas, é tudo a mesma bosta, independentemente do ramo — nisso dou-te toda a razão!
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mafets em Março 01, 2018, 09:53:15 am
Tenho a ideia que determinados chefes e políticos por cá andam a ler umas coisas sobre as F.A. Argentinas...

(https://k60.kn3.net/taringa/B/8/1/B/3/E/WilliamA23/CF5.jpg)

(https://k60.kn3.net/taringa/6/5/9/4/3/7/WilliamA23/A25.jpg)

(https://k60.kn3.net/taringa/3/1/B/9/F/9/juancho_98/F6A.jpg)

(https://k60.kn3.net/taringa/3/5/2/4/7/5/juancho_98/F14.jpg)

(https://k60.kn3.net/taringa/7/4/5/4/C/F/juancho_98/DEA.jpg)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fstatic.ellitoral.com%2Fum%2Ffotos%2F192826_8f8.jpg&hash=d4c7377e37d133fb61880bc9f9501fe8)

Errr... quer dizer, nem tudo.

(https://k60.kn3.net/taringa/5/3/5/E/E/B/WilliamA23/C44.jpg)

(https://k60.kn3.net/taringa/7/2/7/C/C/0/juancho_98/F19.jpg)

(https://k36.kn3.net/7A7E00AE4.jpg)

(https://k39.kn3.net/1A35FCA26.jpg)

https://www.taringa.net/posts/imagenes/16445453/Estructura-y-Unidades-de-la-Infanteria-de-Marina-Argentina.html (https://www.taringa.net/posts/imagenes/16445453/Estructura-y-Unidades-de-la-Infanteria-de-Marina-Argentina.html)

http://www.defensa.com/argentina/ejercicios-infanteria-marina-argentina-extremos-sur-continente (http://www.defensa.com/argentina/ejercicios-infanteria-marina-argentina-extremos-sur-continente)

Para efeitos comparativos...

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fthumbs.web.sapo.io%2F%3Fepic%3DNGRlJngatX4FZz2jMvMomKsU4HEysROcOZfSlRuabkmOIEE6cF74OqYgCAtJZ4AY7ckv6hMRnEwCY8cFaduRcrsgBf4XP9uveNkXW56NoQvXXfc%3D%26amp%3BW%3D800%26amp%3BH%3D0%26amp%3Bdelay_optim%3D1&hash=1dd46ce6aefba4c66d0adc29b3835dd8)

(https://2.bp.blogspot.com/_8vV4aVw1DhI/SxLeLZVwLqI/AAAAAAAAAqM/X8xyV1lNfRU/s1600/corv1.jpg)

(https://4.bp.blogspot.com/_8vV4aVw1DhI/TRN0Vf_BlTI/AAAAAAAABFU/PZSN3yOHr6U/s1600/telas.jpg)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffuzileiros.marinha.pt%2FPT%2Fdestaques%2FPublishingImages%2Fberrio%2520formados.jpg&hash=3d6745a4e561615c379ede7c3ae7c229)

Saudações
 
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Luso em Março 01, 2018, 10:16:52 am
Eu concluo a minha participação neste tópico - que já me mete nojo, como todos os outros que se referem às nossas Farsas Armadas - afirmando que qualquer exercício especulativo com o objectivo de encontrar respostas racionais, é um acto completamente inútil, já que ignora que as Farsas Armadas são tão irreformáveis como o regime que as reduz ao que objectivamente são: uma farsa.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: nelson38899 em Março 12, 2018, 10:53:28 pm
novos brinquedos

http://www.defensa.com/otan-y-europa/corpo-fuzileiros-marina-portuguesa-dota-quads-can-am-traxter
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 21, 2018, 10:30:04 am
Futurália 2018

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/29386882_1784816271539548_5046813666953405530_n.jpg?oh=b99a0b0e70d49282c559178a87432b0e&oe=5B314732)

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/29340070_1784833751537800_4773522482399094245_n.jpg?_nc_cat=0&oh=0a31bc1a34c2a90e984a6c6b76abfd95&oe=5B2B4679)

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/29356658_1784833191537856_5562662008587999334_n.jpg?_nc_cat=0&oh=798b477500902d2322ff696971780ee5&oe=5B290C0D)

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/29356902_1784833188204523_8745123598240441010_n.jpg?oh=f7d20f24fbd7e883649ed3fea6dfae2d&oe=5B341739)

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/29342719_1784834804871028_4045188764753888773_n.jpg?_nc_cat=0&oh=e0faa281b0765b5048f89bc68d1ac006&oe=5B3F48C3)

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/29425911_1784833091537866_1658349454289092801_n.jpg?_nc_cat=0&oh=e70eacf3d2f475e7cccf9617ad5de0f0&oe=5B2B063C)

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/29342351_1784833838204458_1070697982628146309_n.jpg?oh=4aa675428e129a446a66240d9f7dddb4&oe=5B41C080)

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/29339920_1784834981537677_5845188081922607816_n.jpg?_nc_cat=0&oh=720c311af39128fbb161a4c0528d8101&oe=5B3E9E5C)

Fonte: Marinha Portuguesa
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Março 21, 2018, 10:36:40 am
G36 nos fuzileiros??

Isto é literalmente, enganar as pessoas  ;D :D
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: mafets em Março 21, 2018, 11:05:17 am
G36 nos fuzileiros??

Isto é literalmente, enganar as pessoas  ;D :D

Quando fiz a pesquisa apareceu-me isto: http://www.operacional.pt/calibre-762mm-versus-556mm/ (http://www.operacional.pt/calibre-762mm-versus-556mm/)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F09%2F9-dae-hk-g36-2006-copy.jpg&hash=d34d1f6e3eec7960cb7fdb6c85534ce2)
Citar
Elemento do Destacamento de Acções Especiais do Corpo de Fuzileiros com a HK G-36 calibre 5.56mm, a qual usam quer em Portugal (acções anti-droga, por exemplo) quer no exterior. As G-36 devem usar munição M855 ou FNM m/369 para que se consiga obter a máxima eficiência deste calibre.

Saudações

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 21, 2018, 11:25:09 am
Sim, o Corpo de Fuzileiros tem G36 à uns bons anos, assim como algumas HK416. As quantidades é que não são grande coisa, já que as mesmas foram adquiridas para o DAE.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Março 21, 2018, 11:49:50 am
Sim, o Corpo de Fuzileiros tem G36 à uns bons anos, assim como algumas HK416. As quantidades é que não são grande coisa, já que as mesmas foram adquiridas para o DAE.

Tens de descontar as que foram desviadas da exposição (e substituidas no local por réplicas de airsoft) há uns anos atrás...e que ainda não apareceram.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 21, 2018, 02:18:12 pm
Sim, o Corpo de Fuzileiros tem G36 à uns bons anos, assim como algumas HK416. As quantidades é que não são grande coisa, já que as mesmas foram adquiridas para o DAE.

Tens de descontar as que foram desviadas da exposição (e substituidas no local por réplicas de airsoft) há uns anos atrás...e que ainda não apareceram.

Desapareceram no total duas espingardas-automáticas, duas pistolas-metralhadoras e duas pistolas.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Crypter em Março 21, 2018, 04:14:46 pm
Sim, o Corpo de Fuzileiros tem G36 à uns bons anos, assim como algumas HK416. As quantidades é que não são grande coisa, já que as mesmas foram adquiridas para o DAE.

Tá certo, faz lá as contas e diz-me qual é a probabilidade de um recruta que entre nos fuzileiros de meter as mãos numa G36?

Para mim é mais uma ilusão no momento da recruta que outra coisa. Mas prontos.. vamos andando de ilusão em ilusão..

Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 21, 2018, 04:28:13 pm
Numa recruta também não metes as mãos numa Carl Gustav, aquilo ali é mesmo para atrair rapaziada para a Marinha e por isso o show off faz parte.
Título: Re: Fuzileiros da Armada Portuguesa
Enviado por: raphael em Março 21, 2018, 04:38:30 pm
Sim, o Corpo de Fuzileiros tem G36 à uns bons anos, assim como algumas HK416. As quantidades é que não são grande coisa, já que as mesmas foram adquiridas para o DAE.

Tá certo, faz lá as contas e diz-me qual é a probabilidade de um recruta que entre nos fuzileiros de meter as mãos numa G36?

Para mim é mais uma ilusão no momento da recruta que outra coisa. Mas prontos.. vamos andando de ilusão em ilusão..

O fator de atracção para os Fuzileiros não é "meter as maõs" nesta ou naquela arma...o desafio é após terminar a recruta,