Revolta no Mundo Árabe

  • 863 Respostas
  • 119494 Visualizações
*

brunopinto90

  • 159
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #135 em: Março 06, 2011, 05:21:11 pm »
Já ouviram falar da captura dos tres fuzileiros holandeses na libia, tenho estado a pesquisar mas nadam, alguém tem informações sobre isso?
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 9241
  • Recebeu: 1028 vez(es)
  • Enviou: 1989 vez(es)
  • +139/-46
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #136 em: Março 06, 2011, 05:30:48 pm »
Citar
Dutch soldiers hostage in Libya

by Roy Klopper
AMSTERDAM - Dutch Colonel Gaddafi holds three soldiers of the navy, their Lynx helicopter and a citizen of our country caught. They fell into the hands of his troops after a failed liberation in the Libyan city of Sirte.

Photo: Ministry of Defence

That the Ministry of Defence confirmed Wednesday night against The Times. The departments of Defense and Foreign Affairs is currently consulting feverishly with the Libyan authorities on the release of the detained three-man helicopter crew. Their families in the Netherlands has been informed of the tragic developments.

The two evacuees that the soldiers from the desert came to pick up a Dutchman and a European whose nationality is not disclosed, are now by the Libyan authorities safely delivered to the Dutch embassy in Tripoli, reports dDefensie-spokesman Otte Beeksma. From here they safely leave the country yesterday.

The trio, the three Dutch soldiers left Sunday at the end of the day with the helicopter aboard the frigate Hr. Ms. Tromp. This warship of the Royal Navy was two days earlier for the Libyan coast arrived. The trio was in Sirte, about 450 km east of the capital Tripoli, a Dutch citizen who pick up by the riot-stricken Arab country wanted to leave.
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

brunopinto90

  • 159
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #137 em: Março 07, 2011, 01:00:45 pm »
O EUA tem no mar vermelho o USS ENTERPRISE (só este porta-aviões é que anda?), tem um USS Kearsarge, "WASP LHD CLASS" e o USS PONCE, "Austin-class amphibious transport dock" cruzaram o canal do suez, tudo junto têm mais 110 aeronaves (se forem com todo o poderio, o que não acredito) e mais de 4,000 fuzileiros, grande poderio!

Ouvi e vi esta noticia na rtp1 e no site deles, alguém pode confirmar?

Já agora já abriram um tópico sobre os fuzileiros dos EUA, é que eles para mim não são totalmente "elite", eles são 240,000, é quase metade do exército, equanto no reino unido e nós nem chega a 10%
 

*

brunopinto90

  • 159
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #138 em: Março 07, 2011, 01:02:23 pm »
Chegaram ao Mar Mediterrâneo dois navios de guerra norte-americano. O objectivo dos Estados Unidos é pressionar cada vez mais a Líbia.

Fonte oficial confirmou que o «USS Ponce» e o «USS Kearsarge» que estavam no mar Vermelho atravessaram o canal do Suez na quarta-feira.

Entretanto o porta-aviões «USS Enterprise», que também se encontra no mar Vermelho, não recebeu indicação por parte do Governo norte-americano para se dirigir para o Mediterrâneo.

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=250291

 
E é capaz, dos EUA, transferir mais navios para a libia, já que a 6ª frota é baseada em nápoles, assim os EUA pode enviar muitos mais navios e helicópteros e não sei se têm lá fuzileiros, vamos ver como as coisas correm, já que os EUA só têm um navio na itália USS Mount Whitney (LCC-20).
« Última modificação: Março 07, 2011, 04:20:01 pm por brunopinto90 »
 

*

manuel liste

  • Especialista
  • ****
  • 1053
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #139 em: Março 08, 2011, 10:58:21 am »
El gobierno español devuelve a su país a 3000 refugiados egipcios, anuncia que seguirá repatriando a otros refugiados africanos desde Túnez y envía medicinas a los hospitales de Bengasi. La agencia oficial al desarrollo AECID pide abrir un pasillo de ayuda humanitaria hasta Bengasi, con permiso internacional

http://www.elmundo.es/elmundo/2011/03/0 ... 49795.html
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8204
  • Recebeu: 901 vez(es)
  • Enviou: 1060 vez(es)
  • +127/-43
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #140 em: Março 08, 2011, 12:10:09 pm »
Citação de: "brunopinto90"
Já agora já abriram um tópico sobre os fuzileiros dos EUA, é que eles para mim não são totalmente "elite", eles são 240,000, é quase metade do exército, equanto no reino unido e nós nem chega a 10%

Se quiseres podes comparar o USMC a um exército europeu, os US Marines são uma força expedicionária de meios combinados (meios navais, terrestres e aéreos), bem treinada (no combate convencional), bem equipada e capaz de operar autonomamente.

Na minha opinião é o que eu gostava que a NRF e os EUBG fossem, em sonhos, isto é, equiparaveis a um MEF e a um MEU respectivamente.
 

*

HaDeS

  • 223
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #141 em: Março 08, 2011, 05:57:14 pm »
O Ocidente e o seu velho vicio de bombardear países alheios, bom lá vamos nós de novo.
 

*

brunopinto90

  • 159
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #142 em: Março 08, 2011, 07:24:56 pm »
Citação de: "Lightning"
Citação de: "brunopinto90"
Já agora já abriram um tópico sobre os fuzileiros dos EUA, é que eles para mim não são totalmente "elite", eles são 240,000, é quase metade do exército, equanto no reino unido e nós nem chega a 10%

Se quiseres podes comparar o USMC a um exército europeu, os US Marines são uma força expedicionária de meios combinados (meios navais, terrestres e aéreos), bem treinada (no combate convencional), bem equipada e capaz de operar autonomamente.

Na minha opinião é o que eu gostava que a NRF e os EUBG fossem, em sonhos, isto é, equiparaveis a um MEF e a um MEU respectivamente.

eu não quero comparar nada os USMC aos europeus, eles tem:
Aviação
Logistica
Unidades Terrestres
Comando


eles organizam-se em Marine Air-Ground Task Force
MEF
MEU (special operations capable)

os USMC têm a aviação própria (os EUA têm dinheiro)

por exemplo com aviação da força aérea
com uma força de fuzileiros portugueses (se fôssemos 10,000 fuzileiros (3,000 era usado nisto), com mais uns de apoio -uma espécie de "3 Commando Brigade")
força de logística tipo com "troupes de marine" (se tivessemos, na minha imahginação fertil tem - não liguem a isto).
Comando (vários ramos   nisto tudo teriamos  para aí 30,000

com 3x30,000 teriamos 90,000 com mais 10,000 de apoio teriamos 100,000 fuzileiros)


isto tudo é uma brincadeira, não liguem a isto.



Citar
Na minha opinião é o que eu gostava que a NRF e os EUBG fossem, em sonhos, isto é, equiparaveis a um MEF e a um MEU respectivamente.

Apoiado!, mas com estas unidades de exército regular era possível estas unidades operar com autonomia.
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11443
  • Recebeu: 412 vez(es)
  • Enviou: 230 vez(es)
  • +70/-59
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #143 em: Março 09, 2011, 07:20:21 pm »
NATO analisará opções de intervenção militar na Líbia



Os ministros de Defesa da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) pretendem analisar na quinta-feira em Bruxelas as opções de intervenção militar na Líbia, entre as quais a possível imposição de uma zona de exclusão aérea, um bloqueio marítimo à entrada de armas e a criação de um corredor para fornecer ajuda humanitária.

A Aliança, por enquanto, não tem «nenhuma intenção» de empreender ações militares, repetiram os líderes da NATO nos últimos dias, mas quer estar preparada para fazê-lo rapidamente em caso de necessidade.

Por isso, os países encarregaram as autoridades militares da organização de estudar e planear «um amplo leque» de alternativas, que na quinta-feira serão apresentadas aos ministros.

A NATO, segundo fontes diplomáticas, adoptou três princípios que deveriam ser cumpridos antes de qualquer acção militar na Líbia: uma «necessidade demonstrável» de acção internacional, uma «clara base legal» e «um firme apoio regional».

O primeiro dos casos seria, por exemplo, caso se detectasse uma «grande necessidade humanitária» ou houvesse bombardeamentos em «grande escala» contra a população, afirmou hoje um importante oficial americano.

Já a base legal para intervenções militares requer principalmente a aprovação de um mandato do Conselho de Segurança das Nações Unidas, sobretudo no caso de opções como a zona de exclusão aérea.

Lusa
 

*

manuel liste

  • Especialista
  • ****
  • 1053
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #144 em: Março 10, 2011, 10:14:11 am »
http://www.elmundo.es/elmundo/2011/03/0 ... 93&numero=

Citar
Mohamed VI de Marruecos reformará la Constitución para dar más poder al Parlamento

Gran noticia para los marroquíes y también para España  :D
 

*

manuel liste

  • Especialista
  • ****
  • 1053
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #145 em: Março 10, 2011, 10:29:37 am »
http://www.elpais.com/articulo/espana/e ... inac_7/Tes

Citar
Un emisario de Zapatero se reunió con la cúpula insurgente en Libia
El Consejo Nacional pidió a Pablo Yuste el reconocimiento diplomático español

Citar
En contraposición, Zapatero se negó ayer a atender una llamada del propio Muamar el Gadafi. Fuentes gubernamentales explicaron que Gadafi telefoneó al presidente español como parte de una amplia ofensiva diplomática dirigida a frenar una posible intervención militar internacional, lo que incluyó el envío de emisarios a Portugal, Bruselas o Malta. Pero Zapatero, como otros mandatarios europeos, optó por no atender su llamada, por considerar que Gadafi -a quien el Consejo de Seguridad de la ONU ha llevado ante la Corte Penal Internacional por crímenes contra la humanidad- ya no es un interlocutor válido.
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11443
  • Recebeu: 412 vez(es)
  • Enviou: 230 vez(es)
  • +70/-59
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #146 em: Março 10, 2011, 08:09:52 pm »
Sonhos e realidades na revolta árabe
João Mattos e Silva *

A situação política nos países árabes da margem sul do mediterrâneo é explosiva: para os seus governos, quase todos ditaduras, para os seus povos, que sofrem uma nova onda de violência da repressão, para o equilíbrio geo-estratégico da região, já anteriormente periclitante, para Israel que se vê cada vez mais isolado e ameaçado, para a Europa e os EUA, uns vizinhos, outros aliados de regimes que agora se desmoronam como baralho de cartas, desde sempre viciadas.

Na Europa, e também nisso somos muito europeus, alguns políticos e a comunicação social praticamente toda, embandeiraram em arco com a revolta dos povos contra os seus governos, dizendo que clamam pela democracia e pela liberdade e que se revêem no modelo ocidental, que lhes vai chegando pela internet, pelas redes sociais e pelos mais modernos meios de comunicação, como os telefones portáteis, que usaram para convocar as manifestações pacíficas que, depois, degeneraram em violentas, depois da violência dos poderes ameaçados no seu combate. Apressada asserção, julgo eu. Esquecem-se ou ignoram ou querem fazer valer os seus ideais e valores sobre a realidade, que o fundamentalismo islâmico está em muitos casos visível por detrás da justa revolta dos povos oprimidos e que sem essa opressão – quer seja de chiitas sobre sunitas, quer seja laica - têm o campo aberto para impor regimes teocráticos. Não aprenderam nada com o derrube da monarquia persa, que não sendo um regime democrático de modelo ocidental era bem mais democrático e ocidental do que o dos ayatollhas que se lhe seguiu, com o aplauso geral e o apoio, mais ou menos disfarçado, de França e EUA.

É evidente que as ditaduras nesses países é, aos meus olhos de democrata ocidental, intolerável. É evidente, também, que o apoio dos países europeus e dos EUA a esses regimes por razões estratégicas e a sua condenação, agora, pelas mesmíssimas razões e na esperança de que o que se lhe seguir não se volte contra eles, é igualmente intolerável. Como também é intolerável que se não procure ver e compreender que, neste caso concreto, como noutros de outras latitudes, o modelo de democracia ocidental não é exportável para aplicação imediata, que há que contar com a cultura dos seus povos, com o percurso histórico que, devido a vários factores, entre os quais os religiosos, têm vindo a percorrer e que querer impor um modelo político – por mais desejável que aos nossos olhos seja – é um erro crasso que custará ao Ocidente mais do que muitos, porque irrealistas, poderão supor.

É curioso, nesta revolta que grassa nos países árabes, constatar que todas essas abomináveis ditaduras substituíram monarquias com o beneplácito ocidental, em nome da liberdade que nunca veio a existir depois e que, nas monarquias árabes, com excepção do Barhein e da Arábia Saudita (onde ainda não se registaram movimentos de revolta) e que são monarquias absolutas, as reivindicações não tiveram como objecto os regimes, mas os governos e as suas políticas, salvaguardando a figura dos seus reis. Se o Ocidente não quiser meter a cabeça na areia, especialmente os EUA que sempre apoiaram o derrube das monarquias com a única excepção do Japão e que é na Ásia a única democracia moderna, e não conseguir perceber o seu significado, esperemos que em nome da utopia não assistamos ao fim das monarquias jordana e marroquina e ao início de regimes teocráticos islâmicos, sem liberdade e uma terrível ameaça para o Ocidente e sobretudo para a Europa aqui tão perto.

Confundir os desejos e as ideologias – por mais belos e justos que possam parecer – com as realidades, é um erro que se paga caro.

* Nota: o texto publicado é da exclusiva responsabilidade do autor.

Diário Digital
 

*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2213
  • Recebeu: 59 vez(es)
  • Enviou: 116 vez(es)
  • +25/-0
    • http://forumdefesa.com
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #147 em: Março 17, 2011, 11:43:27 am »
E agora?

Depois dos EUA e a UE lhe tirarem (e bem) o tapete, Muamar Gadafi está prestes a esmagar a revolta (air power rules!). Não se conseguiu um consenso para uma zona de exclusão aérea. Gadafi resiste e mantém o poder.

E agora?
Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

GI Jorge

  • 617
  • +0/-0
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #148 em: Março 17, 2011, 12:45:05 pm »
Agora apertamos-lhe a mão, pedimos-lhe que venha até ao parlamento e pedimos um acordo quanto ao preço do petróleo.
Confunde-se em Portugal tantas vezes a justiça com a violência que é vulgar não haver reacções contra o crime e haver reacções contra a pena.

Oliveira Salazar
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 9241
  • Recebeu: 1028 vez(es)
  • Enviou: 1989 vez(es)
  • +139/-46
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Revolta no Mundo Árabe
« Responder #149 em: Março 17, 2011, 01:51:06 pm »
E ainda queriam que o Cavaco criticasse este conflito. Que apoiasse abertamente um dos lados.
Preferiu não se pronunciar e bem. Olhem a volta que isto deu!

Agora os supostos amigos que a Líbia tinha, desde o levantamento do embargo, prontamente se ofereceram para dar a facada nas costas.
Esses bem podem agora ir comprar petróleo aos to*****!

E nós como ficámos vistos no meio disto tudo?
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

 

al-Zarqawi - "Domínio muçulmano no mundo"

Iniciado por Ricardo Nunes

Respostas: 7
Visualizações: 2724
Última mensagem Junho 27, 2004, 09:26:50 pm
por Spectral
Revolta na Grécia e no Sul da Europa?

Iniciado por Miguel

Respostas: 2
Visualizações: 1437
Última mensagem Fevereiro 19, 2012, 09:33:00 pm
por VICTOR4810
Inverno Árabe

Iniciado por typhonman

Respostas: 6
Visualizações: 3370
Última mensagem Junho 23, 2019, 10:37:47 am
por mafets