F-35 JSF

  • 850 Respostas
  • 167883 Visualizações
*

Smoke Trails

  • Perito
  • **
  • 328
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #120 em: Julho 14, 2008, 07:07:27 pm »
Meu amigo, vamos por os pontos nos is.
Ou não presta atenção ao que escrevo, ou está a gozar comigo.

Citação de: "Typhonman"
O F-35 vai ser o "work horse" da USAF/USMC/USN. Como você disse não poderá transportar internamente o "payload" do Typhoon, mas em quantos conflitos os aviões de combate foram "fully loaded"?

Em quase todos.

Tomemos como exemplo o F-16CJ, com dois depositos externos, um pod de ECM no suporte ventral, dois HARMs, dois Sidewinders e dois AMRAAM.

Tomemos como exemplo o F-16CG, com dois depositos externos, um pod de ECM no suporte ventral, duas ou quatro LGBs, ou, duas JDAMs, dois Sidewinders e dois AMRAAM.

Tomemos como exemplo o Jaguar inglês na Op. Desert Storm, com dois Sidewinders nos suportes sobre-alares, um deposito de combustivel no suporte ventral, dois pods de foguetes nos suportes internos sob-alares, ou quatro bombas de 1,000lbs, e um pod de ECM num dos suportes externo sub-alar e um pod de chaff no suporte oposto.

Tomemos como exemplo o Jaguar françês na Op. Desert Storm (Op. Daguet), com um deposito de combustivel no suporte ventral, quatro bombas nos suportes sub-alares internos e um Magic 2 num dos suportes sub-alares externos e um pod de ECM, ou, um pod de flares no suporte oposto.

Posso continuar, mas já me parecem exemplos suficientes de aviões de combate "fully loaded".


Citação de: "Typhonman"
Quanto a Situation Awarness de certeza que será bastante superior ao dos aviões de 4º geração como o Rafale, Typhoon etc.

Um claro exemplo de falta de atenção.
Não duvido, só questionei se ela iría estar disponivel nos modelos exportados.


Citação de: "Typhonman"
O radar do inimigo pode dizer ao inimgo que está a ser iluminado pelo F-22/F-35?

Outro exemplo de falta de atenção.
O Radar Warning Receiver pode detectar as emissões, e já aconteceu, mas o meu amigo não acredita.


Citação de: "Smoke Trails"
Nos Estados Unidos um Typhoon em testes foi detectado, a longa distancia, por um F-22; o piloto inglês não conseguiu detectar o F-22 no radar mas o RWR detectou as emissões de radar do F-22, o piloto quebrou a aquisição de radar do F-22; ao chegarem a curta distancia o Typhoon derrotou o F-22. Os americanos ficaram chocados e os combates previstos para o dia seguinte foram cancelados.

É a esta situação a que me refiro.


Citação de: "Typhonman"
O F-35 pode não usa Meteor (não cabe na "bomb bay") mas com o seu radar AESA e EOTS, ao adquirir o alvo antes que o oponente, poderá lançar um AIM-120C-7 ou o futuro AIM-120X (com alcance semelhante ao Meteor).

Por acaso o Reino Unido pediu a integração do Meteor.


Citação de: "Typhonman"
Talvez num "dog-fight" o F-35 seja inferior, mas este tem maior probabilidade de detectar e abater a aeronave inimiga antes que este se produza.


Pois pode. Ou então pode acontecer o que aconteceu entre o F-22 e o Typhoon na situação atrás referida.
« Última modificação: Julho 15, 2008, 06:26:31 pm por Smoke Trails »
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8372
  • Recebeu: 964 vez(es)
  • Enviou: 1131 vez(es)
  • +134/-45
(sem assunto)
« Responder #121 em: Julho 14, 2008, 10:42:23 pm »
É claro que o RWR detecta se está a ser iluminado pelo radar de tiro de um outro caça ou lança-misseis terrestre, isso não tem nada a ver com o avião ser furtivo ou não, de certo muitos foristas que já viram o Top Gun se lembram das cenas de combate de caças em que se começava a ouvir os "pi pi pi pi" de um caça a tentar marcar o outro no radar e do "piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii" de quando o alvo ficava marcado.

É claro que o piloto do Eurofigher também começa a ouvir o "pi pi pi" se tiver um F-35 ou F-22 ou F-16 atrás dele pois isso não tem nada a ver com o facto do avião ser furtivo ou não, mas sim com o seu computador de aquisição de alvos.

Agora eu pergunto é outra coisa:

- Será que se um Eurofigher se puser atrás de um F-22 ou F-35, o computador do Eurofighter consegue marcar o F-22 ou F-35 visto estes serem furtivos?

É claro que pode sempre usar o canhão :lol: ,
 

*

Smoke Trails

  • Perito
  • **
  • 328
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #122 em: Julho 15, 2008, 07:00:15 pm »
Citação de: "Typhonman"
Aqui ninguem está a gozar consigo, secalhar quem tem problemas de se expressar é você.

Desculpe, mas, no meu (por si considerado) polémico post, tal como o NVF referiu, eu não disse que o F-22 e o F-35 nao levavam instrumentos de designacao internos.

Basta ler com mais atenção os meus posts seguintes e verificará que deturpou aquilo que eu disse.


Citação de: "Typhonman"
Quanto ao "situation awarness" não me parece que os parceiros que integram o programa JSF e estão a contribuir com $$$ vão aceitar um avião "menos conseguido".

Não seria a primeira vez que os Estados Unidos não exportavam algum equipamento.
Veja por exemplo as pontas das caudas dos F-15A-D americanos e as pontas das caudas dos F-15A-D exporatdos e notará a diferença.

Quando o F-16ADF entrou em serviço, ele tinha o AIFF AN/APG-109.
A Noruega pediu esse sistem e foi-lhe recusado.


Citação de: "Lightning"
- Será que se um Eurofigher se puser atrás de um F-22 ou F-35, o computador do Eurofighter consegue marcar o F-22 ou F-35 visto estes serem furtivos?


O Eurofighter tém um sensor infravermelho.

Eu admito que gosto dos eurocanards, e, acho que o facto de poderem levar mais opções de armamento compensa a sua maior assinatura radar.

É claro que qualquer um deles poderá ser eventualmente abatido, quer em exercicios, quer em acção, por defesas anti-aéreas ou mesmo em combate aereo.

Não existe nenhum sistema de armas invencivel, quer seja em terra, mar ou ar.

Por isso vamos deixar as conjecturas e vamos aguardar que entrem em serviço e se enfrentem. Aí sim vamos tirar todas as duvidas.
Por enquanto, só no Reino Unido e em Italia o F-35 vai actuar com um dos eurocanards, por coincidencia o Typhoon, e, vamos ver o que dizem os pilotos.
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 472
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #123 em: Julho 16, 2008, 12:00:52 am »
Citação de: "Lightning"
É claro que o RWR detecta se está a ser iluminado pelo radar de tiro de um outro caça ou lança-misseis terrestre, isso não tem nada a ver com o avião ser furtivo ou não, de certo muitos foristas que já viram o Top Gun se lembram das cenas de combate de caças em que se começava a ouvir os "pi pi pi pi" de um caça a tentar marcar o outro no radar e do "piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii" de quando o alvo ficava marcado.

É claro que o piloto do Eurofigher também começa a ouvir o "pi pi pi" se tiver um F-35 ou F-22 ou F-16 atrás dele pois isso não tem nada a ver com o facto do avião ser furtivo ou não, mas sim com o seu computador de aquisição de alvos.

Agora eu pergunto é outra coisa:

- Será que se um Eurofigher se puser atrás de um F-22 ou F-35, o computador do Eurofighter consegue marcar o F-22 ou F-35 visto estes serem furtivos?

É claro que pode sempre usar o canhão :lol: ,


 O Top Gun já foi à vinte anos, desde ai a tecnologia evoluiu muitissimo...
 Hoje em dia um piloto de um "Tiffie" não vai ouvir um "piiiii", mas uma voz feminina ("Nagging Nora") a avisar que o avião recebeu um "Lock", mas o mais importante é que no monitor à sua frente vai aparecer um cone com a direcção precisa do "lock", o DASS consegue uma precisão inferior a um grau a uma distância de 100 km´s, se existirem dois ou três Typhoon´s na área o ponto de emissão vai ser automaticamente  localizado com precisão métrica através de triangulação. Portanto seja um F-8 Crusader ou um F-22, a utilização do radar tem de ser feita com conta, peso e medida, sob pena de ser localizado (e sim, eu tenho consciência do que é a signa "LPI" significa).
 Se a ideia do "puser atrás" é WVR, o ECR CAPTOR consegue fazer Locks a coisas com um RCS verdadeiramente minúsculo.
 
 Apenas mais um comentário, existe uma ENORME tendência para comparar os actuais Eurocanards  que estão ao serviço nos esquadrões AGORA com um aparelho que só vai atingir o IOC na Inglaterra e Itália DENTRO DE UMA DÉCADA, e em que a grande maioria das capacidades "exóticas" que costumam ser apregoadas pelo seu fabricante só vão estar disponiveis pós 2020, esse aparelho é o F-35A.  
 Agora comparem os sistemas propostos pela Industria para esses aviões Europeus de 2018 com o que é planeado pela "JSF Team" e se calhar a suposta "superioridade" dos aviônicos do Lightning II não só não existe, como em certos casos a inferioridade chega a ser clara (suite de networking do Gripen NG pós 2016, Radar AESA do Tiffie com uma antena maior em relação ao AN/APG-81 e móvel num arco de 120º, etc). A suposta vantagem que o F-35 gozaria em "Situational Awareness" não é, de forma alguma, um dado adquirido.


 O F-35A tem um RCS muito menor que os Eurocanards e uma muito maior "Fuel Fraction" o que lhe dá um alcance francamente superior, também tem capacidades dinâmicas inferiores (especialmente se comparado com o Tiffie), agora estamos a vários anos de podermos saber qual dos aparelhos terá uma mais completa/avançada suite de aviônicos e qual efectivamente terá uma maior capacidade de sobrevivência num meio aéreo contestado. Sim, porque a vantagem em termos de RCS do "Lightning II" pode ter ido para o "caixote do lixo" dentro de uma década. Apenas como exemplo, a empresa lider do esforço Britânico (que vale umas centenas de milhões de libras/ano) que trabalha em detecção "LO" e que o faz numa série de programas (SAMPSON, Radares Bi estáticos, CAAM, MBDA Meteor, Typhoon, etc)  é nem mais nem menos o unico parceiro "Tier 1" da "JSF Team", a BAE, que é ao mesmo tempo a empresa lider do Consórcio EUROFIGHTER GMBH...
 Em 2017/2018 os primeiros pilotos de F-35B da RN não vão achar facil lidar com os seus colegas da RAF a voarem em Typhoon´s Block 25, e vice versa.
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3795
  • Recebeu: 298 vez(es)
  • Enviou: 103 vez(es)
  • +465/-62
(sem assunto)
« Responder #124 em: Julho 16, 2008, 03:24:13 pm »
Caros amigos o conceito de furtividade não é só desaparecer dos radares .Ser furtivo é  apresentar o mínimo de detecção possível e por todos os meios seja por radar, por infravermelhos etc.
O F-35 tem uma RCS baixa, foi projectado para ter o minimo de assinatura de radar e de IR(infravermelhos) e ser dificil de detectar pelo IRST de um SU-35 ou Typhoon. Muito por causa do motor do JSF, o F-135 possuir um sistema de super arrefecimento  o qual possibilita uma maior eficiência na refrigeração dos componentes internos, permitindo que o motor trabalhe com temperaturas de combustão mais elevadas sem aumentar a assinatura IR.

Quanto a situation awarness, muito importante nos dias de hoje, lembro que o F-35/JSF possuirá um HDD (Head Down Display) "touch screen", permitindo ao piloto ter um completo controlo da situação, tendo acesso facilitado a todos os sistemas do avião, guerra electrónica, sistema de combate, radar AESA etc.
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8372
  • Recebeu: 964 vez(es)
  • Enviou: 1131 vez(es)
  • +134/-45
(sem assunto)
« Responder #125 em: Julho 16, 2008, 04:33:45 pm »
Citação de: "Sintra"
Apenas mais um comentário, existe uma ENORME tendência para comparar os actuais Eurocanards  que estão ao serviço nos esquadrões AGORA com um aparelho que só vai atingir o IOC na Inglaterra e Itália DENTRO DE UMA DÉCADA, e em que a grande maioria das capacidades "exóticas" que costumam ser apregoadas pelo seu fabricante só vão estar disponiveis pós 2020, esse aparelho é o F-35A.


Pois isso também importa, é que enquanto o Eurofighter, o Rafale e o Gripen são já se encontram em unidades operacionais, 146 Eurofighters, 58 Rafales e 199 Gripens, o F-35 ainda não existem nenhum, destes existem 13 aeronaves para testes.

Espero que o F-35 venha a ser um optimo caça operacional, e que seja um digno sucessor do F-16, Harrier e todos os outros aviões que venha a substituir, mas ainda não é.

PS: Os numeros são do wikipédia por isso podem não ser muito actuais :lol: .
 

*

Smoke Trails

  • Perito
  • **
  • 328
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #126 em: Julho 16, 2008, 07:09:01 pm »
Citação de: "Sintra"
Apenas mais um comentário, existe uma ENORME tendência para comparar os actuais Eurocanards  que estão ao serviço nos esquadrões AGORA com um aparelho que só vai atingir o IOC na Inglaterra e Itália DENTRO DE UMA DÉCADA, e em que a grande maioria das capacidades "exóticas" que costumam ser apregoadas pelo seu fabricante só vão estar disponiveis pós 2020, esse aparelho é o F-35A.

Essa tendência existe porque o F-22, o F-35 e os Eurocanards visam substituir os aparelhos actualmente em serviço.

O F-22 foi concebido ainda na guerra fria, quando havia mais dinheiro e a substituição dos F-15A-D começava a ser uma prioridade.

Nos anos 90 com o fim da guerra fria, e, a redução de forças que se lhe seguiu, e o consequente corte no investimento em armamento o JSF foi ficando para trás.


Citação de: "Typhonman"
Quanto a situation awarness, muito importante nos dias de hoje, lembro que o F-35/JSF possuirá um HDD (Head Down Display) "touch screen", permitindo ao piloto ter um completo controlo da situação, tendo acesso facilitado a todos os sistemas do avião, guerra electrónica, sistema de combate, radar AESA etc.


Todos eles têm no minimo três ou quatro MFDs, e o facto de não serem "touch screens" não lhes diminui o controlo e o acesso aos sistemas.

A realidade é esta. A tecnologia no F-22, e, nos Eurocanards está operacional, enquanto que a do F-35 só existe no papel, pois ainda não foi integrada na plataforma para a qual foi concebida.

Os americanos gostam de apregoar a superioridade das suas armas.

O AH-64 era muito bom mas vários foram abatidos no Iraque.
O sistema AEGIS era muito sofisticado mas detectou um Airbus A310 a subir e disse que era um F-14 a descer.
O M1 Abhrams éra o melhor MBT do mundo, mas vários já foram destruidos no Iraque por RPGs. No entanto desvalorizam o Challenger inglês, e, houve pelo menos dois carros desses que sofreram multiplos impactos de RPGs sem que a sua blindagem fosse comprometida.
Se há um sistema de armas que faz jús ás suas capacidades é o A-10 Thunderbolt II. Vários foram bastante danificados e trouxeram os seus pilotos de volta sãos e salvos.
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3795
  • Recebeu: 298 vez(es)
  • Enviou: 103 vez(es)
  • +465/-62
(sem assunto)
« Responder #127 em: Julho 17, 2008, 01:30:19 am »
Citar
Os americanos gostam de apregoar a superioridade das suas armas.

O AH-64 era muito bom mas vários foram abatidos no Iraque.
O sistema AEGIS era muito sofisticado mas detectou um Airbus A310 a subir e disse que era um F-14 a descer.
O M1 Abhrams éra o melhor MBT do mundo, mas vários já foram destruidos no Iraque por RPGs. No entanto desvalorizam o Challenger inglês, e, houve pelo menos dois carros desses que sofreram multiplos impactos de RPGs sem que a sua blindagem fosse comprometida.
Se há um sistema de armas que faz jús ás suas capacidades é o A-10 Thunderbolt II. Vários foram bastante danificados e trouxeram os seus pilotos de volta sãos e salvos.
 
 


Os AH-64D foram abatidos porque? Não me diga que acredita que foram os guerrilheiros com AK-47... Nessa operação, o principal erro foi o mau planeamento da missão, mandaram os helicopeteros para a frente das linhas inimigas e ainda por cima com uma enorme tempestade de areia e houve alguns Apaches que aterraram de emergência, não foram abatidos.
Até porque depois um deles (aquele que o guerrilheiro afirmou ter abatido)  :lol: foi destruido por um avião, com o lançamento de uma JDAM ou GBU.

Quanto ao sistema AEGIS, como sabe nem todos os sistemas são perfeitos, você propio o disse num post anterior. Já agora aonde viu isso?

Quanto ao M-1, não concordo que seja o melhor MBT do mundo, é o LEOPARD2-A6.

Relativamente ao A-10C estamos em pleno acordo.


Quanto a questão do F-35 estar no papel,é certo que sim, mas no devido tempo estpu certo que vai mostrar as suas capacidades.
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

tyr

  • Analista
  • ***
  • 881
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #128 em: Julho 17, 2008, 11:51:52 am »
A minha experiencia com material americano é que no papel é 10 vezes melhor que na realidade (tirando algumas exepções).
o JSF ainda pode vir a ter o mesmo destino do "Sergeant York" ou do "MBT 70", ou ser cancelado para reverter o dinheiro para outras prioridades (que entretanto apareçam), como aconteceu ao "AH66 Comanche".
e relativamente a superioridade do material, isso é engraçado, por exemplo com o dinheiro de um F22 compras dois Typhoon, se um f22 tem vantagem no BVR contra um typhoon, no dogfight ja esta em desvantagem, mas como por cada f22 compras dois Typhoon, ele nunca tem hipotesse em ninhum dos cenarios a não ser passando escondido e evitando qualquer confronto.
A morte só é terrivel para quem a teme!!
 

*

Rui Conceicao

  • Membro
  • *
  • 78
  • +0/-0
F35
« Responder #129 em: Julho 17, 2008, 12:45:05 pm »
Sendo assim existe muita gente que pensa que o F35 não vai para a frente.
O F16, F18, e Harrier estão a ficar velhos, e com desgaste.
Os Americanos vão substitui-los por que avião?
Isto foi para fazer ver certos  foristas que tem que cair na realidade.
Para alem que vai trazer muitos postos de trabalho na América.
Hoje dia 12 de Junho de 2006, dois F 18 Espanhois
faziam exercicios sobre territorio Portugues(concelho de Mértola, entre 8am e 9am)
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4283
  • Recebeu: 291 vez(es)
  • Enviou: 284 vez(es)
  • +56/-26
(sem assunto)
« Responder #130 em: Julho 17, 2008, 12:52:12 pm »
Opinião pessoal, o F35 tem todos os requisitos para avançar, além de ser o natural substituto do f16 e f18, faz o thyphoon, rafale e griphen não fazer que é Vstol e isso é uma vantagem muito grande num campo de batalha. Pelo que pude ler, o f35 tem boas capacidades em voo.
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Smoke Trails

  • Perito
  • **
  • 328
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #131 em: Julho 17, 2008, 01:02:45 pm »
É o meu inimigo de estimação neste forum.


Citação de: "Typhonman"
Não acredito que o RWR tenha detectado as emissões? Acredito sim, mas ha sistemas para fazer "jamming" a esses mesmos sistemas RWR.

O RWR pode ser empastelado?
É um sistema passivo que se limita a comparar as emissões que recebe, com uma livraria, indicando ao piloto de onde provém a ameaça e de que tipo se trata.
O empastelamento não serão apenas mais emissões para ele identificar?


Citação de: "Typhonman"
Os AH-64D foram abatidos porque? Não me diga que acredita que foram os guerrilheiros com AK-47... Nessa operação, o principal erro foi o mau planeamento da missão, mandaram os helicopeteros para a frente das linhas inimigas e ainda por cima com uma enorme tempestade de areia e houve alguns Apaches que aterraram de emergência, não foram abatidos.
Até porque depois um deles (aquele que o guerrilheiro afirmou ter abatido)  :lol: foi destruido por um avião, com o lançamento de uma JDAM ou GBU.

Foram abatidos Apaches em diversas situações.

Mau planeamento e erro humano; infelizmente, pareçe que os americanos querem fazer disso imagem de marca.


Citação de: "Typhonman"
Quanto ao sistema AEGIS, como sabe nem todos os sistemas são perfeitos, você proprio o disse num post anterior. Já agora aonde viu isso?

Aonde vi o quê? O facto de o Airbus ter sido abatido por um navio americano, ou, o facto de ele ter sido confundido com um F-14?

A explicação oficial da marinha para o incidente com o Airbus iraniano no Golfo Pérsico, durante a guerra Irão/Iraque foi de que o sistema tinha detectado um F-14 a descer em direcção ao navio.

Por acaso eu vi á uns anos atrás um documentário feito por uma equipa de televisão que estava a bordo do navio na altura do incidente. O navio desviou-se da sua rota para atacar uns boghammers que até se encontravam a alguma distancia. Depois detectaram o Airbus, e, após a identificação tentaram disparar dois misseis; digo tentaram porque não foi logo á primeira, ao ponto de que quando os misseis forma disparados o alvo se encontrava muito próximo do alcance minimo.

Após o impacto, viu-se a tripulação a comemorar como se o país deles tivesse marcado um golo no europeu ou no mundial.

Quando chegaram ao local da queda viram destroços e corpos de adultos e de crianças.

No regresso o comandante do navio foi condecorado.

Se tivesse sido um avião comercial americano a ser abatido por um navio iraniano o que acontecería?

O que é curioso é que um ou dois anos mais tarde voltei a ver o mesmo documentario e houve partes cortadas, nomeadamente as várias tentativas para disparar os misseis.

Talvez alguem neste, ou noutro, forum possa confirmar ou explicar melhor este incidente.

Realmente, nem todos os sistemas são perfeitos, mas do seu ponto de vista o F-35, que só recentemente voou, é.


Citação de: "Typhonman"
Quanto ao M-1, não concordo que seja o melhor MBT do mundo, é o LEOPARD2-A6.

Também tenho a mesma opinião, mas não é isso que os americanos dizem.


Citação de: "Typhonman"
Relativamente ao A-10C estamos em pleno acordo.

Eu digo relativamente ao A-10 porque a sua modernização apenas o tornou melhor.


Citação de: "Smoke Trails"
Os americanos gostam de apregoar a superioridade das suas armas.

Basta ver qualquer documentário realizado por americanos ou ouvir um americano a falar sobre o sistema de armas com que lida ou alguem de qualquer empresa ligada á produção de equipamento militar.
Não me diga que vemos documentários e lemos livros e artigos diferentes?

Quero salientar que mesmo entre os americanos há aqueles que reconhecem os meritos e os defeitos dos sistemas independemente da sua origem.

Aquilo que nós pensamos pouco lhes interessa.


Citação de: "Typhonman"
Quanto a questão do F-35 estar no papel,é certo que sim, mas no devido tempo estou certo que vai mostrar as suas capacidades.

É bom que sim pois tem sido um autentico aspirador de fundos, quer americanos, quer europeus.

Quanto á questão da transferencia de tecnologia, quero recordar-lhe que á cerca de um ano ou um ano e meio, o Reino Unido ponderou abandonar o projecto e começou a reconsiderar o Rafale ou mesmo uma variante naval do Typhoon. Se eles fizeram isto ao seu aliado de mais confiança na NATO, o que farão aos outros membros menos conceituados da aliança ou mesmo aos outros membros que nem á NATO pertencem?

Quando o Reino Unido pediu a integração do Meteor os americanos começaram a por entraves e sugeriram o AMRAAM.

Mesmo nos Estados Unidos o F-35 não reune consenso. O General Mosley, entretanto dispensado por falar demais (dizendo as verdades incomodas), referiu-se ao F-35 como a 10ª Prioridade, e, disse que já era um programa demasiado grande para ser parado.

Referiu como prioridades a modernização dos F-15E para apoiarem o F-22, o novo avião tanque, o futuro avião de apoio para substituir o A-10 novos helicopteros de CSAR, e disse que gostaría de ter 380 F-22s.


Admiro a sua profunda admiração e o seu enorme deslumbramento pelo F-35.

O meu amigo vive e respira F-35 por todos os poros, mas nos seus posts parece insinuar que a tecnologia presente no JSF vai funcionar contra os seus adversários e que a tecnologia dos seus adversários vai ser ineficaz contra o JSF. No entanto, como diz o Sintra, a tecnologia dos Eurocanards poderá não ser a actual.

Eu, ao menos já admiti que o Typhoon pode ser derrotado em combate aéreo, tanto em exercicios como em situações reais.

Tem que compreender que nem todos temos os mesmos gostos e as mesmas opiniões, logo isso não lhe dá o direito de ser criticar tudo o que alguem escreva sobre o que quer que seja só porque no passado já disse alguma coisa contra o seu F-35.


Citação de: "Typhonman"
Quanto a Situation Awarness de certeza que será bastante superior ao dos aviões de 4º geração como o Rafale, Typhoon etc.

Citação de: "Typhonman"
O radar do inimigo pode dizer ao inimgo que está a ser iluminado pelo F-22/F-35?

Okay, então cabe ao inimigo procura-los, e não deve ser tarefa fácil.

Citação de: "Typhonman"
Aqui ninguem está a gozar consigo, se calhar quem tem problemas de se expressar é você.

Citação de: "Typhonman"
Quanto ao sistema AEGIS, como sabe nem todos os sistemas são perfeitos, você proprio o disse num post anterior. Já agora aonde viu isso?


Perante afirmações destas é que me pergunto se estamos a falar a serio ou não.
Quanto a problemas de expressão, estou descansado, pois o Sintra e o NVF entenderam o que eu quis dizer.
« Última modificação: Julho 17, 2008, 06:11:54 pm por Smoke Trails »
 

*

Smoke Trails

  • Perito
  • **
  • 328
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #132 em: Julho 17, 2008, 05:56:24 pm »
Citação de: "Lightning"
É claro que pode sempre usar o canhão :lol: ,


O canhão é, e vai continuar, a ser uma arma importante.
Podem contar-se os conflitos nos quais foram utilizados misseis ar-ar e não se registaram victórias ar-ar com canhões.
 

*

tyr

  • Analista
  • ***
  • 881
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #133 em: Julho 17, 2008, 09:34:36 pm »
O F35 ja esta num estagio de desenvolvimento que é muito dificil ser cancelado, mas não é impossivel (pois todos os que eu referi na altura eram conciderados prioritarios, mas alterações no panorama internacional ou aumento galopante de custos cancelaram esses projectos), mas saliento que duvido muito que este projecto seja cancelado, pois os americas estão a meter todos os ovos neste cesto e se este não for para avante vão ficar com um parque de aeronaves envelhecido.

e agora é que li, como é que se empastela um sistema que sómente detecta (estou a falar do RWR)? mandando outro sinal para ser mais facilmente referenciado??

para o nelson38899, o vtol dos f35 sera só nas versões desenvolvidas para os marines e para os ingleses (pois apresenta varias desvantagens a nivel de desempenho da missão, que são menor alcance e menor capacidade de carga).
A morte só é terrivel para quem a teme!!
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3795
  • Recebeu: 298 vez(es)
  • Enviou: 103 vez(es)
  • +465/-62
(sem assunto)
« Responder #134 em: Julho 18, 2008, 02:07:51 am »
Citar
É o meu inimigo de estimação neste forum.

Com esta afirmação conseguiu que perdesse o respeito que tinha por si, apesar das nossas opiniões divergentes. Continuando...

Citar
Foram abatidos Apaches em diversas situações.

Mau planeamento e erro humano; infelizmente, pareçe que os americanos querem fazer disso imagem de marca.

Quem o ouvisse falar ficava com a sensação que foi "one shot one kill"... :lol:  :lol:
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele