Portugal comecerá a recuperar?

  • 625 Respostas
  • 140064 Visualizações
*

GI Jorge

  • 617
  • +0/-0
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #510 em: Novembro 11, 2010, 09:50:17 pm »
Citação de: "Edu"
A marca Tsunami que pertence à J.P. Sá Couto faz portáteis, desktops, notebooks, workstations, servidores, etc. Atenção isto é só um exemplo que sei de cor, há muito mais empresas em Portugal e colocar este tipo de produtos no mercado.

Se me perguntar assim, mas estas empresas fazem todos os componentes dos computadores que comercializam, é obvio que não, mas ai eu peço-lhe que me cite uma empresa no mundo que comercialise computadores e produza todos os componentes.

A questão aqui é a seguinte, devia o governo criar uma empresa nesta área? Eu respondo não. Se existe iniciativa privada que cobre este sector não existe necessidade de o governo ir fazer concorrencia aos privados.
Peço desculpa, mas não sabia que a Tsunami pertencia à J.P. Sá Couto. Sendo assim, também acho que não faria sentido o estado criar uma empresa nesta área.
E também não sabia que havia mais empresas portuguesas a comercializar este tipo de produtos, mas sei que existem muitas na área de software.
Confunde-se em Portugal tantas vezes a justiça com a violência que é vulgar não haver reacções contra o crime e haver reacções contra a pena.

Oliveira Salazar
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 9699
  • Recebeu: 1197 vez(es)
  • Enviou: 2820 vez(es)
  • +181/-54
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #511 em: Novembro 11, 2010, 10:11:16 pm »
A par da Tsunami temos também a Insys da nacional Inforlândia.
Portanto quando quiserem um portátil novo tenham em conta a produção nacional.
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-4
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #512 em: Novembro 11, 2010, 10:14:26 pm »
Não precisa de pedir desculpa, concordo totalmente consigo quando diz que o plano tecnologico (e todos os planos do estado, diria eu) devia incluir produção nacional   :wink: .

Quanto a pen's é algo tão simples de fazer que para uma empresa é um simples acessorio, basta juntar uma flash-memory (que antes eram feitas na quimonda), uma tomada USB e um invólucro plástico de cores sortidas e têm-se uma pen.
 

*

GI Jorge

  • 617
  • +0/-0
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #513 em: Novembro 12, 2010, 02:37:46 pm »
Citação de: "HSMW"
A par da Tsunami temos também a Insys da nacional Inforlândia.
Portanto quando quiserem um portátil novo tenham em conta a produção nacional.

A Insys por acaso sabia que era portuguesa. Não sabia é que os computadores eram feitos em Portugal. É, no entanto, uma pena que os portáteis do E-escolas não recaiam sobretudo nos Tsunami e nos Insys.
Confunde-se em Portugal tantas vezes a justiça com a violência que é vulgar não haver reacções contra o crime e haver reacções contra a pena.

Oliveira Salazar
 

*

linergy

  • 204
  • +0/-0
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #514 em: Novembro 12, 2010, 03:43:34 pm »
Os computadores não são feitos em Portugal, no máximo são montados aqui, o Magalhães é o Intel classmate Pc http://www.intel.com/intel/learningseries.htm, e na tecnologia não sei se te ajudas a comprar nacional, porque primeiro há que comprar material com qualidade e muitas vezes chapéu, o que é nacional não é tão bom (porque é chinês com uma etiqueta Portuguesa)..
Mas obviamente que noutras áreas o nacional é muito melhor, só que a embalagem do estrangeiro tem mais cores, mais açúcar e passa na tv a toda a hora..
 

*

sergio21699

  • Especialista
  • ****
  • 933
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • +1/-0
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #515 em: Novembro 12, 2010, 07:46:41 pm »
Citação de: "GI Jorge"
Citação de: "HSMW"
A par da Tsunami temos também a Insys da nacional Inforlândia.
Portanto quando quiserem um portátil novo tenham em conta a produção nacional.

A Insys por acaso sabia que era portuguesa. Não sabia é que os computadores eram feitos em Portugal. É, no entanto, uma pena que os portáteis do E-escolas não recaiam sobretudo nos Tsunami e nos Insys.

A TMN tem/tinha 2 ou 3 portateis da Insys para escolha, houve uma altura que só tinha mesmo portateis da Insys.
-Meu General, estamos cercados...
-Óptimo! Isso quer dizer que podemos atacar em qualquer direcção!
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-4
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #516 em: Novembro 13, 2010, 12:41:27 am »
Citação de: "linergy"
Os computadores não são feitos em Portugal, no máximo são montados aqui, o Magalhães é o Intel classmate Pc http://www.intel.com/intel/learningseries.htm, e na tecnologia não sei se te ajudas a comprar nacional, porque primeiro há que comprar material com qualidade e muitas vezes chapéu, o que é nacional não é tão bom (porque é chinês com uma etiqueta Portuguesa)..
Mas obviamente que noutras áreas o nacional é muito melhor, só que a embalagem do estrangeiro tem mais cores, mais açúcar e passa na tv a toda a hora..

Caro linergy, sinceramente não sei se tem noção do que é fazer um computador. Deixe-me que lhe diga que nenhum producto moderno actualmente é produzido totalmente num país, e isto ainda é mais verdade nos computadores.
Primeiro deixe-me que lhe diga que existem muitos componentes informaticos fabricados em Portugal, a caixa obviamente e os plásticos são obviamente cá feitos (lembro que temos uma exelente industria de moldes), motherboards (aqui não estou completamente certo disto) mas penso que também são cá feitas, placas de circuitos também existe produção nacional e por fim memórias eram cá feitas na falecida Quimonda. Bem daqui pouco mais fica a faltar para um computador, falta os ecrãns de LCD que não faço ideia se são cá feitos e o processador que não temos tecnologia para tal mas curiosamente mais nenhum outro país da Europa tem essa capacidade, apenas os EUA.

Curiosamente nem os EUA, que têm capacidade de produzir todos os componentes informaticos, os produzem a todos, a grande parte dos componentes mais basicos são feitos em países asiaticos.

Conclusão, os nossos computadores são tão chineses como os computadores feitos em qualquer outro país da Europa, se calhar até são menos chineses, porque até fechar a Quimonda eramos o unico país Europeu a produzir memórias (pelo menos era o que dizia a comunicação social na altura do fecho da quimonda). Por isso comprar computadores Portuguses é mesmo comprar computadores Portugueses e não chineses como afirmou.
Nós fazemos cá parte dos componentes e montamos tudo cá, de acordo com as exigencias dos consumidores Portugueses e de consumidores de outros países para onde possamos exportar, logo atrevo-me a dizer que são computadores Portugueses.

E nem que fossem só cá montados, se eles têm de ser montados em algum lado ao menos que sejam montados cá.
 

*

armando30

  • 95
  • +0/-0
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #517 em: Novembro 13, 2010, 02:37:40 am »
a notícia de hoje (sexta-feira) é que a economia Portuguesa cresceu mais de 1% em relação ao mesmo trimestre do ano passado.
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1821
  • Recebeu: 244 vez(es)
  • Enviou: 451 vez(es)
  • +13/-1
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #518 em: Novembro 13, 2010, 06:21:07 am »
Citação de: "sergio21699"
A TMN tem/tinha 2 ou 3 portateis da Insys para escolha, houve uma altura que só tinha mesmo portateis da Insys.
Sinceramente nunca na vida recomendaria um Insys a alguém. Tiveram foi muita sorte com isto do e-escolas.

Citação de: "Edu"
motherboards (aqui não estou completamente certo disto) mas penso que também são cá feita
A nível de motherboards existem algumas empresas portuguesas que as desenvolvem, mas os casos que conheço é tudo trabalho de consultadoria para outras empresas (chegavam vir cá dezenas de técnicos chineses por ano só para acompanhar os trabalhos; e não é por acaso que em alguns ditos-Silicon Valleys em Portugal existam logo ao lado hotéis) e a produção é sempre feita na China ou Taiwan.

Citação de: "Edu"
Conclusão, os nossos computadores são tão chineses como os computadores feitos em qualquer outro país da Europa, se calhar até são menos chineses, porque até fechar a Quimonda eramos o unico país Europeu a produzir memórias (pelo menos era o que dizia a comunicação social na altura do fecho da quimonda). Por isso comprar computadores Portuguses é mesmo comprar computadores Portugueses e não chineses como afirmou.
Não fez muito sentido para mim.
É uma realidade que todas as empresas mandam construir os componentes na China. Afinal é impossível não fazer quando é só chegarmos a uma expo ver as especificações dos modelos, comparar os preços e mandar produzir. Dizer que um computador é português só porque é montado cá e a parte das caixas é produzida cá acho muito irrealista.
Antes de mais nada, qualquer trabalho que continue a sustentar a nossa indústria de moldes é muito bem vindo pois é uma indústria onde estamos muito avançados e devemos continuar a desenvolver essa indústria para que nos tornemos numa preferência para as empresas estrangeiras tal como elas preferem mandar fabricar componentes electrónicos na China.
Agora, em relação ao resto não vejo muita diferença entre uma empresa nacional e uma multinacional. Isto porque as empresas nacionais que "produzem"/montam este tipo de produtos cá a única coisa que muitas vezes fazem é comprar os projectos a uma empresa estrangeira (seja ela norte-americana, alemã, etc.) ir à "loja dos chineses" encomendar um milhão de componentes de acordo com o projecto e mandar fazer umas embalagens com a imagem do produto em português. E depois claro que há a parte do suporte dado por estas empresas, mas isso é já outro post.
O motivo pelo que acho irrealista e até ridículo dizer que estes produtos são portugueses é que estas empresas não estão a ajudar em nada a criação de produtos deste género realmente nacionais. E atenção que não estou a falar do fabrico dos componentes (motherboards, placas, memórias, etc.) em terras lusas mas na criação dos projectos. É que em muitos casos estas empresas em vez de irem às universidades (e escolas profissionais até) buscar o pessoal com cabeça para desenvolver estes projectos vão simplesmente buscar mão-de-obra para colocar uma placa e passar para a próxima estação. Isto considero a mesma coisa que matar o know-how que temos e também até certo ponto fazer com quem tenha capacidade de desenvolver projectos pegarem nas suas coisinhas e resolverem ir para a Inglaterra, França ou Espanha trabalhar. Se os chineses não utilizam engenheiros para montar computadores porque raio é que estamos nós?
Enquanto isto as empresas que temos que reconhecem que o nosso pessoal tem capacidade de criar este tipo de projectos estão a desenvolve-los para a China e as multinacionais estrangeiras -- depois não fiquem surpreendidos quando as empresas chinesas aparecem no mercado com um produto com a mesma qualidade que os ocidentais.

Talvez pensado bem nas coisas chegamos à conclusão que se comprarmos um computador made in Portugal estaremos a comprar algo montado em Portugal, mas ao comprarmos algo de uma marca multinacional poderemos estar a comprar algo que chegou a ser desenvolvido por técnicos portugueses que fizeram muito mais que aparafusar uma placa, que olhando ao reconhecimento dado à indústria de moldes até pode ter componentes totalmente fabricados em Portugal.

Citação de: "Edu"
Nós fazemos cá parte dos componentes e montamos tudo cá, de acordo com as exigencias dos consumidores Portugueses e de consumidores de outros países para onde possamos exportar, logo atrevo-me a dizer que são computadores Portugueses.
Nem sempre, ainda há por aí muita tralha que é basicamente montada no estrangeiro e a única que se faz quando chega cá é chapar com um autocolante, empacotar com um manual em português (do Brasil) e já está.

E já agora tinha a ideia que a JP Sá Couto tinha sido subcontratada para montar computadores para outras marcas multinacionais além de montar os seus próprios produtos.

Edu também não vejo necessidade nenhuma de o governo criar uma empresa nesta área, vejo é necessidade da indústria portuguesa se aliar e andar para a frente com um projecto (seja de desktop, portátil ou servidor) que seja desenvolvido (pensado, planeado e desenhado) em Portugal e que se tiver de se mandar fazer a produção dos componentes na China com a Intel e outras parecidas fazem então que o seja, desde que o projecto seja de raiz português e depois a montagem final se faça cá.

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

sergio21699

  • Especialista
  • ****
  • 933
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • +1/-0
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #519 em: Novembro 13, 2010, 03:21:58 pm »
Citação de: "Get_It"
Citação de: "sergio21699"
A TMN tem/tinha 2 ou 3 portateis da Insys para escolha, houve uma altura que só tinha mesmo portateis da Insys.
Sinceramente nunca na vida recomendaria um Insys a alguém. Tiveram foi muita sorte com isto do e-escolas.

Nem eu disse isso, só disse que estavam disponiveis, e eu tambem não o recomendo prefiro de longe muito longe um Toshiba por exemplo.
-Meu General, estamos cercados...
-Óptimo! Isso quer dizer que podemos atacar em qualquer direcção!
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 16233
  • Recebeu: 1434 vez(es)
  • Enviou: 1340 vez(es)
  • +229/-242
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #520 em: Novembro 13, 2010, 04:58:24 pm »
Citação de: "soultrain"
ECONOMIA
Responsável do ING defende Portugal em carta enviada ao "Financial Times"
12 Novembro 2010 | 18:24
Jornal de Negócios Online - negocios@negocios.pt
Peter Nabney enumera as razões pelas quais Portugal está em melhor situação do que a Irlanda. E diz que a percepção contrária dos mercados é que está a provocar problemas de liquidez à banca portuguesa.
Os apuros da Irlanda e de Portugal não são sequer semelhantes. É este o título de uma carta enviada ao “Financial Times” por Peter Nabney, responsável do ING Groep em Portugal.

Nesta carta, que o “FT” hoje publica, Peter Nabney lamenta o facto de o jornal britânico “ter caído na mesma armadilha que o mercado, que está a pôr a Irlanda e Portugal no mesmo saco” e exemplifica, nomeadamente, com o editorial de 9 de Novembro do “FT”, intitulado “Periphery planning”.

“Na qualidade de actual residente em Portugal, e tendo vivido anteriormente na Irlanda, não consigo identificar semelhanças, a menos – claro- que se seja um ávido leitor do ‘Financial Times’”, diz aquele responsável do banco holandês na missiva endereçada ao jornal.

“Os factos não têm nada que enganar: os apuros da Irlanda são o resultado directo da prodigalidade dos bancos irlandeses nos empréstimos ao sector imobiliário, o que levou a um cenário de bolha/estoiro da bolha. Os indicadores deficitários daí resultantes condenam, essencialmente, a Irlanda a pedir ajuda internacional, mas, para tal, também seria necessária uma milagrosa reviravolta na economia norte-americana”, salienta Peter Nabney.

E prossegue: “os apuros de Portugal residem numa assustadora perda de competitividade, mas uma vez que isto sucedeu num contexto de crescimento económico, embora moroso, as instituições do país continuam sólidas”.

“Ironicamente, a tensão em termos de liquidez sobre os bancos portugueses resulta deste tipo de percepção ‘do mesmo saco’, quando afinal a realidade é bastante diferente”, afirma.

“Obviamente que Portugal tem de proceder a reformas, mas a diferença em relação à Irlanda está no tempo e na escala. Ao passo que, no caso da Irlanda, a economia tem sido inundada pela profunda escala do défice e o tempo não está do seu lado, com Portugal a questão tem mais a ver com o recalibrar do ‘mix’ receitas/despesas e, em simultâneo, com a resolução dos problemas competitivos de mais longo prazo”, refere o responsável do ING em Portugal.

No entanto, conclui a carta enviada ao “FT”, “como tão bem o sabemos, se a Irlanda pedir ajuda, o mercado irá virar-se para a vítima que se segue em termos de vulnerabilidade, um processo que já começou”.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Menacho

  • Investigador
  • *****
  • 2816
  • Recebeu: 298 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +6/-50
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #521 em: Novembro 13, 2010, 05:16:53 pm »
Portugal podría abandonar el euro si fracasa el pacto de Gobierno

Citar
El ministro de Exteriores portugués, Luis Amado, ha advertido de que el fracaso del pacto de Gobierno contra la crisis económica podría desembocar en la salida del país de la moneda europea, dado lo "extremo" de la situación de la economía lusa.

"Este país necesita una gran coalición que le permita superar la situación actual", indicó Amado en una entrevista al semanario portugués Expresso. "Creo que los partidos entienden que la alternativa a la situación a la que nos enfrentamos podría ser la salida del euro, una situación que los mercados podrían terminar imponiéndonos".

Estas declaraciones tiene lugar después de que el Gobierno socialista, en minoría, y la oposición socialdemócrata alcanzaran un acuerdo para la aprobación de los presupuestos públicos de 2011. No obstante, los inversores todavía no han mostrado su respaldado a la iniciativa y aguardan pacientes a la versión que se aprobará finalmente, que se conocerá el próximo 24 de noviembre.

El primer ministro portugués, José Sócrates, aseguró posteriormente "comprender" las declaraciones de Amado, y recordó que el país "necesita de estabilidad política". "Ni desistiremos ni desviaremos de nuestro compromiso para defender el país, enfrentarnos a la crisis y dar a los portugueses un Gobierno que superará la crisis internacional y colocará a Portugal en el camino de la recuperación económica", añadió
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 16233
  • Recebeu: 1434 vez(es)
  • Enviou: 1340 vez(es)
  • +229/-242
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #522 em: Novembro 13, 2010, 05:48:56 pm »
Estes tipos são tão...não vou continuar a frase porque ia arrepender-me.

Eles falam em estabilidade politica, quando são eles a criar essa mesma instabilidade. O que é que no estrangeiro vão pensar quando ouvem membros de um governo a falar assim, que Portugal vai abaixo em breve. Palhaços!!! :new_argue:  do poder! JÁ!!!
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2213
  • Recebeu: 59 vez(es)
  • Enviou: 116 vez(es)
  • +26/-0
    • http://forumdefesa.com
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #523 em: Novembro 13, 2010, 08:35:23 pm »
Fizeram a porcaria toda, afundaram o país no pântano das dívidas e da corrupção apesar dos avisos constantes, foram miseravelmente arrogantes, negando o óbvio, agora querem parceiros para dividir responsabilidades…


Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

FoxTroop

  • Investigador
  • *****
  • 1571
  • Recebeu: 402 vez(es)
  • Enviou: 300 vez(es)
  • +190/-701
Re: Portugal comecerá a recuperar ?
« Responder #524 em: Novembro 13, 2010, 08:48:44 pm »
Citação de: "Jorge Pereira"
Fizeram a porcaria toda, afundaram o país no pântano das dívidas e da corrupção apesar dos avisos constantes, foram miseravelmente arrogantes, negando o óbvio, agora querem parceiros para dividir responsabilidades…



Têm os dias contados e estão a fazer a parte deles. Agarrar-se a qualquer coisa que os ajude a manter o "tacho" e que possam usar como desculpa para as acções deles. Na ansia cega por uma "linha salva-vidas" pode ser que agarrem a corrente da âncora  :twisted:   :twisted:
 

 

Iniciativa "Compromisso Portugal"

Iniciado por Tiger22

Respostas: 0
Visualizações: 2686
Última mensagem Fevereiro 11, 2004, 04:12:19 pm
por Tiger22
Portugal Confidencial - " A pista da energia" ...

Iniciado por dremanu

Respostas: 5
Visualizações: 3700
Última mensagem Abril 27, 2004, 11:28:13 am
por ferrol
Rede Logística Nacional / Portugal "Logístico"

Iniciado por Marauder

Respostas: 0
Visualizações: 2020
Última mensagem Julho 15, 2006, 09:20:16 am
por Marauder
Portugal pode cair na dependência assistida como Sul Itália

Iniciado por Marauder

Respostas: 8
Visualizações: 3166
Última mensagem Maio 09, 2006, 11:55:00 pm
por NVF
El Corte Ingles abre o segundo centro comercial em Portugal

Iniciado por Nadie

Respostas: 4
Visualizações: 3923
Última mensagem Maio 24, 2006, 06:05:52 pm
por Marauder