Luís Amado assina contrato para lanchas costeiras

  • 102 Respostas
  • 20228 Visualizações
*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6935
  • Recebeu: 414 vez(es)
  • Enviou: 232 vez(es)
  • +333/-0
Luís Amado assina contrato para lanchas costeiras
« em: Dezembro 16, 2005, 04:38:18 am »
Fonte: Jose Eduardo (Forúm Armada/Forúm Militar Conjunto) ( http://p219.ezboard.com/fforumarmada203 ... =965.topic )
Citar
DN 15DEZ2005

manuel carlos freire

O ministro da Defesa, Luís Amado, desloca-se segunda-feira aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo para assinar o contrato de fabrico de cinco lanchas de fiscalização costeira, informou a porta-voz do Ministério, Paula Mascarenhas.

Este programa de modernização da Armada faz parte da Lei de Programação Militar (LPM) - em fase de reavaliação - e integra o contrato-quadro dos navios de patrulha oceânica (NPO), cuja construção se iniciou com o antecessor de Luís Amado, Paulo Portas. Em Outubro de 2002, o então primeiro-ministro Durão Barroso assinou o contrato de construção dos primeiros dois NPO (já colocados na água), tendo o ex-líder do CDS-PP rubricado em Maio de 2004 documento semelhante e relativo a duas plataformas de combate contra a poluição marítima.

As cinco lanchas de fiscalização costeira, de menores dimensões do que as plataformas dos NPO, vão substituir os patrulhas da classe Cacine (anos 1970).

Os NPO, cujas primeiras duas unidades começaram a ser contruídas em 2004, vão substituir as corvetas da classe João Coutinho (40 anos de vida), consideradas pela Armada como "um sorvedouro de recursos humanos e materiais".

A adjudicação do programa dos NPO aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo visou também dar um impulso decisivo à viabilidade e recuperação financeira da empresa - que Paulo Portas usou como bandeira de campanha eleitoral naquele distrito.

Luís Amado disse recentemente que a revisão da LPM, condicionada por grandes restrições financeiras e pelo novo tipo de missões que as Forças Armadas têm desempenhado nos últimos anos, consagrará novas prioridades no reequipamento militar. Inalteráveis são os dos helicópteros pesados da Força Aérea e o dos submarinos da Armada.

No topo da nova LPM estarão as novas viaturas blindadas de transporte de pessoal, até porque Lisboa teve de pedir emprestadas as que tem ao seu serviço no Afeganistão. A nova arma ligeira, para substituir a G3 e que vai equipar os três ramos das Forças Armadas, também será prioritária, adiantou uma das fontes ouvidas pelo DN.

FAP. O Chefe do Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA), general Taveira Martins, expressou na sua mensagem de Natal o "profundo reconhecimento" aos efectivos do ramo "pela generosa contribuição prestada no actual contexto", de grandes dificuldades financeiras, operacionais e profissionais.

Taveira Martins disse ainda estar "confiante e esperançado" em que "os sacrifícios requeridos à Força Aérea" em 2005 "possam ser compensados em anos futuros, permitindo assim caminhar no sentido de uma maior dignificação e melhoria da qualidade de vida" dos profissionais do ramo.
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Dezembro 16, 2005, 05:32:20 am »
um tiro nos NPO, 2 FFG ao fundo!...
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7547
  • Recebeu: 476 vez(es)
  • Enviou: 162 vez(es)
  • +185/-200
(sem assunto)
« Responder #2 em: Dezembro 16, 2005, 05:35:50 am »
Porque nos diz isso, Luis?
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Dezembro 16, 2005, 06:23:30 am »
Consagrará NOVAS PRIORIDADES no reequipamento militar. Inalteráveis são os dos helicópteros da Força Aérea eo dos submarinos da Armada.


Na minha análise as O.H.Perry não virão.Os P da classe Viana do Castelo, que eram para ser 10 e depois foram reduzidos para 8 podem ainda ser reduzidos para 6. Senão veja: 2 nos Açores, 2 + 2 NCP no Continente e 2 em manutenção/reparação = 6 NPO e 2 NCP. Tem lógica?
Resta o NAVPOL, que será bastante atrazado.
Só espero estar errado

Um abraço
Luis Filipe Silva
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

snakeye25

  • Membro
  • *
  • 133
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Dezembro 16, 2005, 06:43:50 am »
O ministro disse há dias que o NavPol é uma prioridade. Além disso, se parece estar a cumprir o contrato-programa dos NPO+LFC assumido pelo anterior governo, não é de esperar mais cortes nos NPO.
Um abraço,

André Carvalho
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #5 em: Dezembro 16, 2005, 07:30:22 am »
Esperemos que não!

Saudações
L.F.Silva
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

pedro

  • Investigador
  • *****
  • 1439
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #6 em: Dezembro 17, 2005, 12:08:48 am »
Alguem sabe que tipo de lanchas e que sao?
e que equipamento teram?
e armamento?
cumprimentos :lol:
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6935
  • Recebeu: 414 vez(es)
  • Enviou: 232 vez(es)
  • +333/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Dezembro 19, 2005, 10:54:53 am »
Pergunta meio estúpida :lol: ) é uma pista para helicopteros ou quê?

Cumprimentos
B. Pereira Marques
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #8 em: Dezembro 19, 2005, 01:22:37 pm »
Boa Jorge!...

Vejo com satisfação que afinal o navio será mesmo um patrulha costeiro em lugar de lancha de fiscalização.
Se não é uma pista para heli, pelo menos serve para VERTREP.
Parece ter à volta de 60 metros de comprimento.

Obrigado

Luis F. Silva
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Dezembro 19, 2005, 01:34:54 pm »
Eu cá tinha as minhas razões ácerca dos números:

Em 19 de Maio de 2004, e ao abrigo da Resolução do Conselho de Ministros n.º 68/2004, publicada no Diário da República, 2.ª série, n.º 140, de 16 de Junho de 2004, o Estado celebrou com os ENVC novo contrato de aquisição de dois navios-patrulha oceânicos e de combate à poluição.

Na fase actual, e tendo em conta o disposto na Lei de Programação Militar (Lei Orgânica n.º 1/2003, de 13 de Maio), em especial no respectivo anexo A («Quadro financeiro»), a importância da manutenção e reforço da capacidade de vigilância marítima e a sequência de fornecimentos já prevista no contrato relativo à aquisição dos dois primeiros navios-patrulha oceânicos, entende o Governo que deve ser formalizado um programa estruturado e completo de aquisição de navios, com definição clara e integral das respectivas condições de fornecimento, o qual será designado por Programa Relativo à Aquisição de Navios (PRAN).

Tal programa de aquisições contempla a aquisição de seis navios-patrulha oceânicos, bem como de cinco lanchas de fiscalização costeira.

in Portal do Governo
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6935
  • Recebeu: 414 vez(es)
  • Enviou: 232 vez(es)
  • +333/-0
(sem assunto)
« Responder #10 em: Dezembro 19, 2005, 02:37:17 pm »
Citação de: "luis filipe silva"
Tal programa de aquisições contempla a aquisição de seis navios-patrulha oceânicos, bem como de cinco lanchas de fiscalização costeira.


Pois é :? ...

Cumprimentos
B. Pereira Marques
 

*

Pedro Monteiro

  • Analista
  • ***
  • 875
  • Recebeu: 117 vez(es)
  • Enviou: 13 vez(es)
  • +13/-14
    • http://www.pedro-monteiro.com
(sem assunto)
« Responder #11 em: Dezembro 20, 2005, 12:29:45 am »
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "luis filipe silva"
Tal programa de aquisições contempla a aquisição de seis navios-patrulha oceânicos, bem como de cinco lanchas de fiscalização costeira.

Pois é :? ...

Cumprimentos
B. Pereira Marques


Olhe que, salvo erro, a encomenda dos dois primeiros NPO havia sido feita antes. Ou seja, estes dois NPO em construção eram essa encomenda. Depois encomendou-se os NPC e depois, e bem, fez-se um contrato-quadro para seis NPO. Eram para ser 12, ficaram 10. Pelas minhas contas...
Cumprimentos,
Pedro Monteiro
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6935
  • Recebeu: 414 vez(es)
  • Enviou: 232 vez(es)
  • +333/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Dezembro 20, 2005, 12:32:09 am »
Hoje no "TeleJornal" da RTP1 passou uma reportagem sobre a vista do Ministro da Defesa aos ENVC e a assinatura do contrato das cinco lanchas de fiscalização costeira...

Sobre os NPO confirma-se a construção dos 10 previstos...a grande "bomba" refere-se ao Navio Polivalente Logístico , em que foi referido que se estava a espera da revisão da LPM :?

Cumprimentos
B. Pereira Marques
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5510
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +308/-2
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #13 em: Dezembro 21, 2005, 03:40:29 pm »
Tanto quanto sei, o dinheiro para os dois primeiros NPO's e os dois NCP's não faz parte do pacote que inclui os restantes.
Ou seja, os dados que tenho dizem que há uma primeira construção de duas unidades, a que se junta uma segunda construção de 6 NPO + 5 patrulhas.

Pacote-1:
2 NPO (Já lançados) + 2 NCP

Pacote-2:
6 NPO + 5 lanchas de fiscalização

Este pacote-2, era para 8 NPO's, e foi reduzido para 6 + 2 lanchas de fiscalização.

Isto pelo menos é o que tenho registado nos meus "canhânhos".

Se alguém tiver alguma informação diferente, agradeço que confirme.

Cumprimentos
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2051
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #14 em: Dezembro 21, 2005, 05:46:31 pm »
estive a ler melhor o que vinha escrito no Portal do Governo, e é isso que o PapaTango diz.

Só é pena que o tempo de construção seja tão dilatado. Quando o último estiver pronto, já os primeiros chegaram quase a meia-vida.
Bem! De navios patrulha ficamos bem servidos.
E de combate? se não vierem as O. H. Perry e a Marinha se aguentar só com as VG, a partir daí o efectivo de fragatas manter-se-á sempre em 3,
porque o LPD não precisa de mais que um escoltador nos cenários africanos, e noutros estaremos sempre inseridos em forças NATO ou
EUROMARFOR. Além disso os políticos apontarão sempre o exemplo da Bélgica que está a desarmar a sua marinha.

Um bom Natal

Luis Filipe Silva
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

 

Novos Radares para as "Novas" "M"?

Iniciado por Sintra

Respostas: 6
Visualizações: 5573
Última mensagem Maio 23, 2007, 08:52:59 pm
por Sintra
Fragatas antiaéreas para Portugal: Qual a escolha certa?

Iniciado por Tiger22

Respostas: 32
Visualizações: 12004
Última mensagem Fevereiro 25, 2005, 10:39:38 pm
por papatango
É possivel entrar para os fuzileiros fazendo parte do exercito?

Iniciado por G.O.C

Respostas: 4
Visualizações: 2061
Última mensagem Setembro 17, 2016, 08:07:01 pm
por G.O.C
Fará sentido comprar mais EH-101 para a marinha?

Iniciado por papatango

Respostas: 28
Visualizações: 10760
Última mensagem Setembro 12, 2005, 05:04:26 pm
por Rui Elias
Um LHC Usado Classe Tarawa para a Marinha Portuguesa

Iniciado por Rvsantinho

Respostas: 20
Visualizações: 8683
Última mensagem Janeiro 20, 2011, 09:01:46 pm
por ICE 1A+