Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP

  • 404 Respostas
  • 37532 Visualizações
*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4661
  • Recebeu: 2144 vez(es)
  • Enviou: 819 vez(es)
  • +572/-73
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #120 em: Fevereiro 20, 2019, 05:54:16 pm »
Por outro lado o Koala tem todos os sistemas em duplicado...excepto a turbina...e tem um gasto de combustível infinitamente inferior em relação ao ALIII...90kg/h face a 225kg/h...de combustível entenda-se.

Epa, vou ficar com saudades de sentir aquele maravilhoso cheiro de jetfuel quando está a ser bombeado para o motor do Alouette III aquando da ignição do mesmo. É isso e ir a Monte Real sem tampões para os ouvidos, o resto que se lixe.  c56x1

…….e o silvo/assobio do motor do ALIII tão característico.

Abraços
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4661
  • Recebeu: 2144 vez(es)
  • Enviou: 819 vez(es)
  • +572/-73
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #121 em: Fevereiro 20, 2019, 06:28:32 pm »
Estes serão os numeros de serie da Fabrica e as Matriculas originais americanas dos nossos futuros cinco AW19Kx


   14959        29701: FAP d/d  17feb19, Esq552    N677SS: AgustaWestland, PA Sep18; 27jan19 first Koala pictured +
   14960        29702: FAP d/d  17feb19, Esq552    N681SS: AgustaWestland, PA Sep18
   14961        ?: FAP to be confirmed                      N674SS: AgustaWestland, PA Sep18
   14962        ?: FAP to be confirmed                      N982SS: AgustaWestland, PA Nov18
   14963        ?: FAP to be confirmed                      N960KP: AgustaWestland, PA Nov18

https://www.helis.com/database/modelorg/Portugal-Air-Force-AW119Kx/

Abraços
« Última modificação: Fevereiro 20, 2019, 06:31:24 pm por tenente »
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7657
  • Recebeu: 707 vez(es)
  • Enviou: 841 vez(es)
  • +109/-32
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #122 em: Fevereiro 20, 2019, 06:42:43 pm »
Em relação aos Koala terem ou não guincho, admito que também achei estranho, mas temos que perceber que nem tudo o que vemos, é tudo o que existe, tal como disse no post anterior, ainda faltam vir 3 aparelhos, e esta situação pode ter sido por várias razões, o guincho ser instalado conforme as necessidades e como estes primeiros eram dois, decidiram vir assim para mostrar o heli preparado para SAR e o heli preparado para instrução, por exemplo. Ou então até pode ser que sejam um certo numero com guincho fixo e outro numero sem guincho (mas acho pouco provável ser algo assim tão pouco flexível) e agora tenham vindo um de cada tipo. O que não acredito que seja, é que tenhamos comprado 1 Koala com guincho e 4 Koalas sem guincho (para instrução), o que a FAP sabe muito bem e à muitos anos, é que os aparelhos param para manutenção, por isso para termos sempre um Koala no AM1 em alerta SAR, ou o helicóptero (qualquer um dos 5) que for para lá destacado dá para instalar guincho, ou se for fixo tem que ser no mínimo 2 Koalas com guincho para se substituírem.

Também recordo que, se toda a relocalização de esquadras da FAP for para a frente, a esquadra 552 deve ser transferida de Beja para Sintra, e aqui podemos ter a oportunidade de também ai os Koala fazerem SAR costeiro na zona centro de Portugal, libertando os EH101 para missões mais "long range".

Em relação ao novo helicóptero, já no tempo dos NH-90 para o Exército, lembro-me do CEMFA da altura apoiar e até dizer que a FAP não tinha capacidade (penso que seja recursos humanos) para operar mais uma esquadra de voo, mas agora virem dizer que já conseguem operar este helicóptero, faz pensar. Mas se nos lembrarmos que já perdemos a esquadra dos Alpha Jet, isso já liberta recursos humanos, ou se este helicóptero for um modelo já usado (AW119) ou um que tivesse muito em comum que permitisse ser operado e mantido pela mesma esquadra (AW109), a segunda hipótese seria a mais agradável.

Se realmente forem AW119 os helis armados, a única coisa positiva é que quando não existir nenhuma missão terrestre para apoiar tipo RCA, até ficamos com um numero mais folgado de aparelhos para as missões nacionais.

Também sobre este assunto, teria que rever a recente ida do CEMFA ao parlamento, mas do que me lembro, até é curioso que falaram neste helicóptero e a sua designação quase variava conforme a pessoa que falava, uns diziam helicóptero armado, outros blindado, outros "de recuperação", quase como se não estivesse bem definido, ou fosse algo "sensível" sobre o qual não queriam falar muito. Mas não me lembro de qualquer pessoa lhe chamar, helicóptero de transporte táctico, ou transporte de tropas, etc, isto é, provavelmente nunca teve ambição de transportar um grupo de combate, talvez só uma ou duas macas, até tenho ideia do CEMFA falar no potencial uso de aparelhos EH101 nessas funções de transporte, mas como disse no acima, teria que rever o video para confirmar.
« Última modificação: Fevereiro 20, 2019, 06:46:27 pm por Lightning »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4661
  • Recebeu: 2144 vez(es)
  • Enviou: 819 vez(es)
  • +572/-73

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2572
  • Recebeu: 1380 vez(es)
  • Enviou: 839 vez(es)
  • +772/-172
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #124 em: Fevereiro 20, 2019, 08:56:40 pm »
Para a configuração SAR estar completa falta ali o farol de busca que tem de ser instalado sob a cauda do Koala.



Ainda tive esperança que aquele "penduricalho" prateado sob a porta do piloto fosse o suporte do FLIR, mas tendo em conta o vídeo da entrega e esta foto de um Koala idêntico pertencente à NYPD parece ser evidente que não se trata disso. Aliás, o Koala da polícia de Nova Iorque está mais bem equipado para já que o nosso.

Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4661
  • Recebeu: 2144 vez(es)
  • Enviou: 819 vez(es)
  • +572/-73
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #125 em: Fevereiro 21, 2019, 07:19:02 am »
Turbina P&WC's PT6B-37A dos AW119Kx da FAP



Abraços
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4145
  • Recebeu: 28 vez(es)
  • +60/-0
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #126 em: Fevereiro 21, 2019, 04:47:52 pm »
Estas duas fotos do 119, até me metem medo.
Se os iluminados as topam, toca a ir comprar a versão de ataque deste monomotor, pelo simples motivo que já temos o mesmo modelo/tipo, mas para outras missões !!





Parece-me que as Cruzes de Cristo e o palavreado vão ser encolhidos !

Abraços

https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/portugal--vai-ter-seis-helis-de-ataque

A notícia vinda de onde vem, vale o que vale.

De facto.

Quanto aos helicópteros AW119MK II -- "Koala", João Gomes Cravinho considerou que são aparelhos "muito modernos" e "de última geração", acrescentando que os cinco que foram adquiridos pelo Estado português custaram no total 20 milhões de euros.
O ministro revelou que o Estado pode vir a comprar mais dois helicópteros deste modelo, observando que a decisão, que "vai depender de um conjunto de factores", sem precisar quais, será tomada "no final deste ano ou durante o ano de 2020".
"Existe também a possibilidade de, no futuro, termos helicópteros de protecção para as nossas Forças Armadas, como as que estão actualmente destacadas na República Centro Africana", revelou, sublinhando que está a ser equacionada a compra de um "igual a este, mas blindado".

https://www.publico.pt/2019/02/18/politica/noticia/novos-helis-forca-aerea-nao-integram-ano-dispositivo-combate-incendios-1862459#gs.Zxir5NM0

"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4661
  • Recebeu: 2144 vez(es)
  • Enviou: 819 vez(es)
  • +572/-73
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #127 em: Fevereiro 21, 2019, 07:22:24 pm »
Desculpem mas vou ter que escalpelizar algumas passagens deste discurso, pois para quem advoga a utilização de equipamentos militares para duplo uso, a escolha do Heli ligeiro Blindado/Armado,  HLBA, deixa bastante a desejar, senão vejamos:


https://www.publico.pt/2019/02/18/politica/noticia/novos-helis-forca-aerea-nao-integram-ano-dispositivo-combate-incendios-1862459#gs.WJTvJRVA

" O governante falava aos jornalistas na Base Aérea N.º 11, em Beja, depois de assistir à cerimónia de recepção de dois dos cinco novos helicópteros AW119MK II -- "Koala", comprados pelo Estado português, e da homenagem ao Chefe de Estado Maior da Força Aérea, general Manuel Teixeira Rolo. Segundo o ministro, os novos "Koala" vão substituir os Alouette III, que estiveram ao serviço da FAP durante 56 anos e que chegaram a participar na guerra colonial, tendo como principais funções "busca e salvamento, formação e instrução e protecção civil".



Bem sem comentar o português que aqui aparece, o sr MDN deveria ter conhecimento que os ALIII, durante o conflito ultramarino, primordialmente, foram utilizados em heli assaltos, evacuações e missões de reabastecimento de destacamentos das nossas tropas em zonas isoladas sem pistas de aviação.

Se porventura tivéssemos de utilizar os 119 em heli assaltos, seria de todo improvável que essas missões fossem bem sucedidas apenas pelo facto do numero de helis envolvidos poder apenas transportar, no máximo, cerca de trinta homens, que apesar de ser um numero semelhante ao transportado por seis ALIII, em operações de combate, não pode ser comparável pois como bem sabemos os heli assaltos efectuados pressupunham que fossem empregues sempre um numero maior de helis de transporte, para que a primeira vaga de assalto pudesse ser composta por pelo menos um ou mais grupos de combate, não me refiro ás equipas de cinco homens dos CMDS, GE's e GEP's que cada heli transportava, cada um com +/- 40 homens, que para serem heli transportados necessitavam de pelo menos oito ou mais helis, apoiados por uma parelha de Lobos Mau, ALIII  H/C, o numero total de helis empregue nunca seria inferior a 10 unidades, exactamente o dobro daqueles que, numa primeira fase iremos possuir. 




O ministro revelou que o Estado pode vir a comprar mais dois helicópteros deste modelo, observando que a decisão, que "vai depender de um conjunto de factores", sem precisar quais, será tomada "no final deste ano ou durante o ano de 2020".


A avaliação que MDN se refere só pode ser a que vai ser feita depois das cinco aeronaves estarem operacionais, tendo em linha de conta o cumprimento em simultâneo, na aviação poderia comparar a um teste de performance de uma aeronave, de todos as cinco missões primárias e secundárias, ou seja em situação de necessidade de empenhar os cinco helis em simultâneo nas diversas frentes como é que o dispositivo FAP reage ? Quais as probabilidades de numa dessas situações ter de se empenhar uma ou mais unidades, daquelas que não temos ? Quais as probabilidades de termos aeronaves em MNT que possam por em risco a execução de uma ou mais missões ? São elevadas ? Os custos de tais incumprimentos das missões colocam em risco vidas humanas ?   

"Existe também a possibilidade de, no futuro, termos helicópteros de protecção para as nossas Forças Armadas, como as que estão actualmente destacadas na República Centro Africana", revelou, sublinhando que está a ser equacionada a compra de um "igual a este, mas blindado".

Para mim este ponto é de todos o que revela algum desconhecimento e insensibilidade quanto ao meio aéreo que estamos a falar.
Se já abordamos o facto da aeronave ser muito limitada devido não só ao factor do payload ser muito reduzido, cerca de 1300/1400 kgs, e em termos de transporte quero crer que se tiver de transportar pessoal devidamente equipado para combate, armamento individual, respectivas munições, mochilas e afins só conseguira transportar seis homens, mas o principal factor redutor deste heli é o facto de ser monomotor. Ora se tal limitação em missões de SAR limita a operação do heli até ás 20/25 milhas off coast, imaginemos a segurança que transmite ao PilAv, e a alguns dos seus ocupantes, os que porventura souberem as implicações deste facto, num heliassalto. Não nos podemos esquecer que este heli veio, cinquenta e seis anos depois, substituir os ALIII, e apresenta exactamente a mesma, a maior limitação que o seu antecessor possuía !



Ora se se optar por comprar um heli, semelhante, com o objectivo de o blindar, e ou o armar, não será preciso ser muito inteligente para adivinhar que os payloads disponíveis, não permitirão fazer um excelente trabalho nos 119 por motivos óbvios, falta de peso disponível para tal, porque para o blindar/armar a aeronave vou-lhe retirar a capacidade de transporte e o raio de acção.



Seria de todo conveniente, aliás mandatório, adquirir não só uma aeronave bimotora, com uma unidade de maior capacidade de transporte para que ao ser blindada podesse oferecer mais opções de armamento disponível para ser colocado e manter uma capacidade de transporte nunca inferior a uma secção de atiradores, ( relembro que o numero reduzido de helis assim o exige de outro modo quando forem empregues em heli assaltos, os efectivos das subunidades de manobra serão tão reduzidos que as probabilidades de sucesso serão reduzidas ou implicarão baixas elevadas), o que não acontecia com o ALIII devido aos seus números empregues.



O futuro heli blindado a ser adquirido, se fosse uma aeronave na casa das 4/5 tons, poderia e deveria ser empregue também em missões SAR, ficando este tipo de heli entre os 119 e os trimotores 101 que a FAP opera, podendo em muitas situações substituir o 101, tornando essas missões bem mais económicas para a nossa querida FAP e a sua Excelente Esq 751.





Se a escolha recair num monomotor seja ele qual for, mal de nós em especial dos nossos Miltares, pois as limitações serão exactamente as mesmas que as apresentadas referentes aos actuais 119, aliás corrijo-me, as limitações desse monomotores serão maiores devido aos pesos acrescidos das blindagens, ( os armamentos poderão/deverão ser removidos para o emprego desses helis noutras missões, Ex: Evac/SAR) evidenciadas em menores raio de acção e payload disponíveis, portanto não haverá quaisquer vantagens quanto ao seu emprego nas ditas missões civis em relação aos actuais 119 da FAP .

"Estes dois novos aparelhos vão ficar localizados na Base Aérea N.º 1, em Sintra, no distrito de Lisboa, tal como os Alouette, enquanto os aviões de instrução e formação Epsilon e os C295 passam para a base de Beja, no "pressuposto" de avançar o Aeroporto Complementar de Lisboa, no Montijo, disse."

Quanto ao aeroporto do montijo, "que venha o diabo e escolha ", pois se tal acontecer eu continuo a afirmar que os voos que a FAP opera na BA6 poderiam normalmente continuar a ser efectuados mesmo com a infra-estrutura aeronáutica a funcionar em pleno !

Desculpem o discurso deste gajo da aviação.

Abraços
« Última modificação: Fevereiro 23, 2019, 08:47:33 pm por tenente »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, NVF, Charlie Jaguar, oi661114, jorgeshot1

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1217
  • Recebeu: 44 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +56/-959
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #128 em: Fevereiro 22, 2019, 09:32:43 am »


Apenas uma questão, essa cor meio rosa,  ;D :-P no Motor e na parte de trás é para ficar ? Se sim, qual a sua finalidade, motivo? Acho que o Heli devia ter apenas uma cor.
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2572
  • Recebeu: 1380 vez(es)
  • Enviou: 839 vez(es)
  • +772/-172
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #129 em: Fevereiro 22, 2019, 10:18:47 am »


Apenas uma questão, essa cor meio rosa,  ;D :-P no Motor e na parte de trás é para ficar ? Se sim, qual a sua finalidade, motivo? Acho que o Heli devia ter apenas uma cor.

O "meio rosa" a que se refere é o chamado "day-glo ou dayglo" que pode ser mais vermelho ou alaranjado conforme o tempo de exposição ao sol; serve para aumentar a visibilidade do aparelho, nomeada e maioritariamente naquelas aeronaves vocacionadas para missões de treino e/ou de busca e salvamento.

Houve uma excepção famosa nos anos 60 e 70 no uso do "day-glo" com os aviões e helicópteros tácticos da Luftwaffe, mas apenas por duas razões: maior visibilidade em mau tempo e fracas condições de visibilidade e luminosidade (sobretudo durante o Inverno), e para evitar uma possível confusão por parte das tropas em terra e defesas anti-aéreas com um qualquer aparelho oriundo da Força Aérea da RDA (e não só).  ;)

Espero que os "Koala a esteróides" não o usem, era mais uma ajuda para lhe colocar uma mira em cima...  ::)
« Última modificação: Fevereiro 22, 2019, 10:24:47 am por Charlie Jaguar »
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 

*

guadiana

  • Membro
  • *
  • 3
  • +0/-0

*

Lusitaniae

  • Membro
  • *
  • 213
  • Recebeu: 45 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +16/-180
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #131 em: Fevereiro 22, 2019, 05:22:32 pm »
http://www.air-cosmos.com/leonardo-prepare-une-version-combat-de-son-aw119-koala-120701

Abraços

Isso significa que Portugal vai ser o primeiro pais a ter estes heli de combate, até pode sair daí uma surpresa agradável a baixo custo!
De acordo com a noticia 53 Milhões por 6 heli dá 8.83 cada unidade, mas me parece muito caro comparado com o H125M que segundo consta fica por menos de 3 Milhões. É esperar novos pormenores.


aqui está a noticia traduzida.

"O Ministério da Defesa Português está claramente interessado em uma versão de combate do helicóptero Koala Leonardo AW119 em desenvolvimento. Um montante de 53 M € já foi provisionado para a compra de seis cópias desta nova versão do Koala Leonardo AW119 com o objetivo de "entregas a partir de 2022". Para Leonardo , o objetivo é equipar o helicóptero com a capacidade de realizar várias missões: suporte de fogo para tropas terrestres, observação, evacuação médica tática e até CSAR.

Outra versão do AW119 Koala é oferecido atualmente no mercado: o TH-119 para a versão e pilotos militares para substituir o TH-57 Sea Faixa da Marinha dos EUA. Enquanto espera para receber sua AW119 Koala na versão de combate da Força Aérea Português tomou a entrega do primeiro de dois AW119 Koala MkII um pedido firme de cinco exemplares mais duas opções. Os dispositivos vão substituir gradualmente o Airbus Helicopters SE3160 Alouette III para executar os mesmos tipos de missão ao adicionar nova formação, investigação e salvamento costeira, evacuação médica (EMS) e da luta contra incêndios.

Concorrente da Airbus helicópteros H125, Leonardo AW119 MkII Koala podem levar 7 passageiros e um piloto (ou 6 e 2), está equipado com um guincho de cabo com uma capacidade de carga de 200 kg e a sua versão à prova de fogo pode tomar 900 litros de água por missão. Em sua versão EMS, ele ainda pode levar 4 passageiros."
« Última modificação: Fevereiro 22, 2019, 05:35:45 pm por Lusitaniae »
Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4661
  • Recebeu: 2144 vez(es)
  • Enviou: 819 vez(es)
  • +572/-73
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #132 em: Fevereiro 22, 2019, 06:23:12 pm »
Com que então um aw119 armado/blindado, um heli monomotor, comprado 56 anos depois da compra dos ALIII, em que é que a FAP vai melhorar quanto á frota de helis ligeiros comparando-a com a anterior ??
SE ao menos fosse do mesmo tipo, mas biturbina, por exemplo o aw109 TREKKER, eu até me calava mas monomotor ????



Só mesmo para ver, e se acontecer é como eu venho afirmando, quando toca a compras para as FFAA a opção é comprar o menor numero de unidades possível, o mais barato possível, que implica serem também os de menor qualidade.
Se avançar a compra desse modelo, só vai comprovar o que eu digo, depois veremos quem tem razão !

Abraços
« Última modificação: Fevereiro 22, 2019, 06:28:59 pm por tenente »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4661
  • Recebeu: 2144 vez(es)
  • Enviou: 819 vez(es)
  • +572/-73
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #133 em: Fevereiro 22, 2019, 06:40:52 pm »
a FAP até já tem direito a fotos publicitárias com a descriminação das matriculas das cinco unidades dos 119 que completarão a frota  " Kualita ".

https://www.helis.com/database/modelorg/Portugal-Air-Force-AW119Kx/

Abraços
« Última modificação: Fevereiro 22, 2019, 06:43:57 pm por tenente »
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2572
  • Recebeu: 1380 vez(es)
  • Enviou: 839 vez(es)
  • +772/-172
Re: Leonardo AW119 Mk.II Koala na FAP
« Responder #134 em: Fevereiro 22, 2019, 08:50:00 pm »
http://www.air-cosmos.com/leonardo-prepare-une-version-combat-de-son-aw119-koala-120701

Abraços

O EC635 também era a versão militarizada do EC135, idealizada e pensada para o Exército Português, e depois viu-se o fim que o Portas lhes deu. Somos sempre uns pioneiros, só que desta feita é com o Koala monomotor, muito bom.  :mrgreen:
« Última modificação: Fevereiro 23, 2019, 09:23:23 am por Charlie Jaguar »
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, tenente, oi661114