Artilharia de Campanha, o que é?

  • 99 Respostas
  • 33144 Visualizações
*

TazMonster

  • Membro
  • *
  • 149
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #30 em: Março 05, 2008, 06:59:32 pm »
Vamos lá a ver...
Canhão não tem amortecimento de recuo.
o Canhão sem recuo... como por exemplo o Carl Gustav.
O Avenger colocado no A10, etc.

Os Obuses e peças, esses sim, têm sistema de amortecimento de recuo. São exemplo o M119.

Por exemplo. O M109A5 tem o que se chama de tubo canhão, que não é mais do que apenas o tubo M284, que está montado na estrutura de apoio M182 (em que esta é que tem o sistema de amortecimento de recuo).

Morteiros e Obuses nada têm a ver.

Os obuses devido a poderem fazer tiro curvo com trajectórias mergulhantes, têm um alcance muito superior.
Para a Infantaria é vantajoso ter morteiros porque precisam de apoio de fogos que bata o In na contra encosta.
Taz
 

*

Howitzer

  • 6
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #31 em: Março 05, 2008, 07:26:29 pm »
Boa noite a todos!

Para já deixo aqui as 3 regras necessárias para ser considerado OBUS.

Obus: Boca de Fogo de Artilharia de Campanha
- comprimento do tubo inferior a 30 calibres;
- disparos com velocidades iniciais inferiores a 500metros por segundo;
- possibilidade de efectuar tiro no 2º Arco, ou seja, acima de 800 milésimos.

Isto está tão certo como o sol nascer todos dias  :wink:

Existe ainda o PAO - Pelotão de Aquisição de Objectivos, que possui radares de detecção de alvos móveis, estação meteorológica e topografia. Estuda tudo que possa interferir com o tiro, entre outras coisas.

Sobre Vendas Novas, chama-se Escola Prática de Artilharia. Vendas Novas é uma cidade extremamente calma, bastante pequena, com muitas dificuldades para quem não tiver viatura própria. Apenas aconselho a quem estiver perto da área de residência.

Agora não me quero alongar mais, mas se tiverem curiosidades terei todo gosto em expor mais sobre a vida de uma Bateria de Bocas de Fogo ou sobre características e possibilidade/limitações da AC e do material.

Abraço.


p.s.: Cor de boina = Castanha do Exército. Na verdade em Leiria haviam tropas pára-quedistas de artilharia. Voltam dia 01 de Junho 2008 quando o comando do RA4 passar da BrigInt para a BRR  :roll:
« Última modificação: Março 05, 2008, 07:30:31 pm por Howitzer »
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 6971
  • Recebeu: 436 vez(es)
  • Enviou: 235 vez(es)
  • +367/-0
(sem assunto)
« Responder #32 em: Março 05, 2008, 07:30:04 pm »
Citação de: "Howitzer"
Sobre Vendas Novas, chama-se Escola Prática de Artilharia. Vendas Novas é uma cidade extremamente calma, bastante pequena, com muitas dificuldades para quem não tiver viatura própria. Apenas aconselho a quem estiver perto da área de residência.


Faltou a referência às famosas bifanas de Vendas Novas. :mrgreen:
 

*

Howitzer

  • 6
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #33 em: Março 05, 2008, 07:34:50 pm »
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "Howitzer"
Sobre Vendas Novas, chama-se Escola Prática de Artilharia. Vendas Novas é uma cidade extremamente calma, bastante pequena, com muitas dificuldades para quem não tiver viatura própria. Apenas aconselho a quem estiver perto da área de residência.

Faltou a referência às famosas bifanas de Vendas Novas. :P

Pois, foi lapso... Vendas Novas tem cafés e casas de bifanas que é uma coisa louca. Hehe... desconfio que na sua visita de hoje o General CEME terá parado algures para comer uma. Hehehe.
 

*

TazMonster

  • Membro
  • *
  • 149
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #34 em: Março 05, 2008, 07:46:38 pm »
Citação de: "Howitzer"
Isto está tão certo como o sol nascer todos dias  :wink:

Citação de: "Howitzer"
"Assegurar o apoio de fogos contínuos e oportunos ao Comandante da Força e integrar todo o apoio de fogos nas operações da força."


Assim o era e de facto quem não escrevia a missão da Artilharia de Campanha nos testes de táctica... levava logo desconto, mesmo que a pergunta não fosse feita.
Mas agora é...

"A AC executa fogos de supressão, neutralização e destruição, através dos seus sistemas de
armas e integra todo o apoio de fogos nas operações da força."

AMEN

 :D
Taz
 

*

Howitzer

  • 6
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #35 em: Março 05, 2008, 07:52:58 pm »
Citação de: "TazMonster"
Citação de: "Howitzer"
Isto está tão certo como o sol nascer todos dias  :wink:

Citação de: "Howitzer"
"Assegurar o apoio de fogos contínuos e oportunos ao Comandante da Força e integrar todo o apoio de fogos nas operações da força."


Assim o era e de facto quem não escrevia a missão da Artilharia de Campanha nos testes de táctica... levava logo desconto, mesmo que a pergunta não fosse feita.
Mas agora é...

"A AC executa fogos de supressão, neutralização e destruição, através dos seus sistemas de
armas e integra todo o apoio de fogos nas operações da força."

AMEN

 :D  Ora bolas... Amanhã tenho que ir actualizar os meus referenciais!
 :roll:

Abraço.
 

*

tyr

  • Analista
  • ***
  • 881
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #36 em: Março 05, 2008, 08:56:38 pm »
howitzer, não querias dizer superior a 30 calibre, a grande diferença entre um obus e um canhão ou um obus e um morteiro é o cano (os morteiros de 340mm que falei não são mais que obuses de cano curto, e o AMOS, morteiro automatico de 120mm só não é obus porcausa do cano (e respectiva baixa velocidade inicial do projectil)).

canhão sem recuo, é um lança granada foguete, por isso não é um verdadeiro canhão.
 o light gun (um canhão) tem recuo, os canhões 105mm montados em viaturas ligeiras têm recuo, até os canhões montados em muitos carros de combate têm recuo.

eu só meti os morteiros ao barulho para o pessoal (que tenha uma cultura militar minima) se aperceber que as vezes a diferença não é aquela que pensa. A maior parte do pessoal só conhece os morteiros de carregar pela boca (o tipico morteiro de infantaria, que não pode fazer tiro directo pois apesar de ter varios sistemas de percussão, funciona por gravidade(antes que digam qualquer coisa, tambem é usado pelas outras armas, sendo que no nosso pais a unica outra arma é a cavalaria)), e pensam que só esses é que são morteiros,  que é errado.
A morte só é terrivel para quem a teme!!
 

*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2508
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +4/-42
(sem assunto)
« Responder #37 em: Março 06, 2008, 12:16:09 am »
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "Howitzer"
Sobre Vendas Novas, chama-se Escola Prática de Artilharia. Vendas Novas é uma cidade extremamente calma, bastante pequena, com muitas dificuldades para quem não tiver viatura própria. Apenas aconselho a quem estiver perto da área de residência.

Faltou a referência às famosas bifanas de Vendas Novas. :wink:
 

*

TazMonster

  • Membro
  • *
  • 149
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #38 em: Março 06, 2008, 12:38:30 am »
Citação de: "tyr"
e o AMOS, morteiro automatico de 120mm só não é obus porcausa do cano (e respectiva baixa velocidade inicial do projectil)).

O AMOS utiliza granadas de morteiro normais... tem é a possibilidade de executar tiro directo e de usar trajectorias mergulhantes. (já acho ques estamos como a pescadinha de rabo na boca...)

Citação de: "tyr"
canhão sem recuo, é um lança granada foguete, por isso não é um verdadeiro canhão.
 o light gun (um canhão) tem recuo, os canhões 105mm montados em viaturas ligeiras têm recuo, até os canhões montados em muitos carros de combate têm recuo.


Claro que têm recuo... mas tambem têm um sistema de amortecimento de recuo. A massa recuante, vem a retaguarda por acção do disparo, é travada por acção do sistema amortecedor do recuo e entra novamente em bateria por acção do mecanismo de entrada em bateria. Este utlimo movimento, é por sua vez travado pelo freio de entrada em bateria.

E pronto... um OBUS e PEÇA têm isto tudo... o CANHÃO !!!NÃO!!! é carregar e fogo à peça...
Taz
 

*

tyr

  • Analista
  • ***
  • 881
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #39 em: Março 06, 2008, 06:06:31 pm »
Quando eu disse que os canhões tinham recuo, na verdade queria dizer sistemas de amortecimento por recuo do cano.

Não vamos para as munições, pois isso é outra guerra, e se algumas munições de morteiro ou de obus são bem distintas, existem as que poderiam ser de qualquer um deles (e só na arma é que se vê a diferença), pois tanto as granadas de morteiro como as de peças de artilharia, podem ter banda de guiamento e anel de rotação, ambas são regulandas no seu alcance por duas formas (quantidade de "sacetas" de polvora e inclinação do cano), ambas são propolcionadas pela deflagração de polvora fora do projectil, normalmente as granadas de morteiro têm aletas, mas podem não as ter e o oposto é verdade para as granadas de artilharia.

E relativamente a carregar um obus ou um canhão, posso dizer que existem canhões que por acaso o nosso exercito tem que na sequencia de disparo são iguaisinhos a um OBUS.
Os canhões são Bocas de Fogo com capacidade de fazer tiro tenso de forma ajustada, os obuses já não (podem ter sistemas de emergencia, mas, é só isso).

O Light Gun, não é um obus, mas é uma peça de artilharia, o Light gun é um Canhão (que consegue fazer tiro indirecto, tipico de artilharia, mas pode ser usado tambem como canhão anticarro ou anti pessoal/material).
A morte só é terrivel para quem a teme!!
 

*

TazMonster

  • Membro
  • *
  • 149
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #40 em: Março 06, 2008, 06:30:38 pm »
Citação de: "tyr"
Quando eu disse que os canhões tinham recuo, na verdade queria dizer sistemas de amortecimento por recuo do cano.

Não vamos para as munições, pois isso é outra guerra, e se algumas munições de morteiro ou de obus são bem distintas, existem as que poderiam ser de qualquer um deles (e só na arma é que se vê a diferença), pois tanto as granadas de morteiro como as de peças de artilharia, podem ter banda de guiamento e anel de rotação, ambas são regulandas no seu alcance por duas formas (quantidade de "sacetas" de polvora e inclinação do cano), ambas são propolcionadas pela deflagração de polvora fora do projectil, normalmente as granadas de morteiro têm aletas, mas podem não as ter e o oposto é verdade para as granadas de artilharia.

E relativamente a carregar um obus ou um canhão, posso dizer que existem canhões que por acaso o nosso exercito tem que na sequencia de disparo são iguaisinhos a um OBUS.
Os canhões são Bocas de Fogo com capacidade de fazer tiro tenso de forma ajustada, os obuses já não (podem ter sistemas de emergencia, mas, é só isso).

O Light Gun, não é um obus, mas é uma peça de artilharia, o Light gun é um Canhão (que consegue fazer tiro indirecto, tipico de artilharia, mas pode ser usado tambem como canhão anticarro ou anti pessoal/material).


No que respeita as munições... nada de mais errado me diz. As munições de Artilharia podem ser semi-encartuchadas (M119 LG) ou de carregamento separado (M109A5). As de morteiro têm todas a aleta que contem no interior o primário para deflagrar as cargas (que tb só se colocam se necessário)

O Light GUN É um Obus. Como já disse, as definições actualmente chocam um pouco. Basicamente o que define Obus é o facto de ser empregue pela Artilharia de Campanha.
Este Obus, só é usado na execução e tiro directo em caso de emergência para a defesa da posição. Qualquer outra situação seria desviar a arma da sua missão primária.

Acredite no que lhe digo. Tive 17 a Táctica.
Taz
 

*

tyr

  • Analista
  • ***
  • 881
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #41 em: Março 06, 2008, 06:55:48 pm »
Relativamente a canhão ou obus (como não sou artilheiro), da ultima vez que  me informei o Lightgun era canhão, mas se simplificaram a cadeira nas definições então terei que me render.

Relativamente as munições, eu não falo só das muniçoes usadas em portugal actualmente, pois ai distinguem se bem.
E eu ja tirei alguns cursos onde me davam definições incompletas, como por exemplo (Morteiro, arma de tiro curvo de carregar pela boca), isto esta errado pois existem morteiros de armar  pela culatra. Quando quem dá o curso não tem a informação completa, ensina de forma incompleta (eu gosto destes debates, pois ocasionalmente fazem me olhar para coisas que não teria olhado de outra forma).
A morte só é terrivel para quem a teme!!
 

*

zecouves

  • Perito
  • **
  • 345
  • +0/-0
Re: que granel
« Responder #42 em: Março 07, 2008, 12:11:10 pm »
Citação de: "anti-sistema"
[esse "morteiro" não será antes um lança-foguetes? é que se dispararmos um morteiro "em linha" com o alvo o recuo pode ser mais danoso para nós que o tiro para o inimigo(se falhar o alvo). além de que a maioria dos morteiros exige que a munição seja colocada pela boca e caia pelo tubo até bater no percutor. Usos menos ortodoxos de uma arma não a caracterizam nem definem qualquer regra, pelo contrário. isto vale também para o obús 155mm .
Eu nunca afirmei que o apontador apontava o tubo do morteiro ao alvo como se fosse uma bazuca. Eu afirmei que o apontador aponta o morteiro recorrendo ao aparelho de pontaria, o que é bastante diferente.


Citar
Ainda relativamente aos morteiros, o tiro pode ser directo, indirecto e mascarado. Não avanço mais detalhes quanto a cada um porque agora não os tenho de memória. No entanto, se a mona não me falha, a diferença entre tiro mascarado e o indirecto é na localização do Observador Avançado relativamente ao plano de tiro
Citação de: "anti-sistema"
essa caracterização não diz respeito à trajectória, na realidade só há tiro directo e o seu inverso, o indirecto.


O que disse no meu post em relação às caracteristicas das trajéctórias dos morteiros, obuses, etc, reafirmo. Mais à frente no meu post, quando falei da parte da Infantaria e dos seus morteiros já estava a falar de modalidades de tiro e não de trajectórias. O tiro Directo e Indirecto são modalidades de tiro, que implicam técnicas especificas quanto à forma como o tiro é efectuado.

Podes confirmar isso no post do Ricardo Nunes de 05 Março que contem 3 links bastante esclarecedores. Os links são power points e outros elementos de estudo da cadeira de armamento e tiro da Academia Militar.

Quando dizes que o tiro Indirecto é o inverso do Tiro Directo parece um pouco estranho como definição ...


Lê com mais atenção este post do que lêste o meu post anterior.
 

*

piri-piri

  • 6
  • +0/-0
Re: que granel
« Responder #43 em: Março 10, 2008, 10:30:18 pm »
Citar
Eu nunca afirmei que o apontador apontava o tubo do morteiro ao alvo como se fosse uma bazuca. Eu afirmei que o apontador aponta o morteiro recorrendo ao aparelho de pontaria, o que é bastante diferente.
o que é o procedimento normal, de tiro indirecto


Citar
O que disse no meu post em relação às caracteristicas das trajéctórias dos morteiros, obuses, etc, reafirmo. Mais à frente no meu post, quando falei da parte da Infantaria e dos seus morteiros já estava a falar de modalidades de tiro e não de trajectórias. O tiro Directo e Indirecto são modalidades de tiro, que implicam técnicas especificas quanto à forma como o tiro é efectuado.
é de facto, mas não confundamos a arma com a prática do tiro.



Citar
Quando dizes que o tiro Indirecto é o inverso do Tiro Directo parece um pouco estranho como definição ...

não é uma definição, serve apenas para estabelecer o par lógico.
o contrário de directo é indirecto, isto excui outras hipóteses.
 

*

zecouves

  • Perito
  • **
  • 345
  • +0/-0
Re: que granel
« Responder #44 em: Março 11, 2008, 09:39:31 am »
Esta estória do tiro já percebi que se calhar não chega a lado nenhum, no entanto aqui vai.

Citação de: "piri-piri"
Citar
Eu nunca afirmei que o apontador apontava o tubo do morteiro ao alvo como se fosse uma bazuca. Eu afirmei que o apontador aponta o morteiro recorrendo ao aparelho de pontaria, o que é bastante diferente.
o que é o procedimento normal, de tiro indirecto.

O procedimento normal no tiro indirecto é apontar às estacas e não directamente ao alvo, julgo eu. Mas posso estar errado.

Citar
O que disse no meu post em relação às caracteristicas das trajéctórias dos morteiros, obuses, etc, reafirmo. Mais à frente no meu post, quando falei da parte da Infantaria e dos seus morteiros já estava a falar de modalidades de tiro e não de trajectórias. O tiro Directo e Indirecto são modalidades de tiro, que implicam técnicas especificas quanto à forma como o tiro é efectuado.
Citação de: "piri-piri"
é de facto, mas não confundamos a arma com a prática do tiro..

Não confundamos antes o que é tido como uma pratica doutrináriamente aceite e o que pode realmente ser conseguido. Há relatos na 1ª invasaõa do Libano por Israel (1982, salvo erro) de ter sido feito tiro indirecto com canhão sem-recuo 10,6 mm. É canónico? Não! Tirou-se o melhor partido da arma? Não! Mas possivelmente houve uma ou outra situação que funcionou como recurso.

Citar
Quando dizes que o tiro Indirecto é o inverso do Tiro Directo parece um pouco estranho como definição ...
Citação de: "piri-piri"
[não é uma definição, serve apenas para estabelecer o par lógico.
o contrário de directo é indirecto, isto excui outras hipóteses.


No caso não funcionou porque nos morteiros também existe o tiro mascarado.

És o anti-sistema a apimentar o forum? :wink:
 

 

Artilharia do exercito portugues na guerra colonial?

Iniciado por Asa

Respostas: 2
Visualizações: 3111
Última mensagem Junho 07, 2007, 02:56:06 pm
por Duarte
Regimento Artilharia de Costa de Parede

Iniciado por anareis

Respostas: 2
Visualizações: 1598
Última mensagem Janeiro 20, 2011, 12:40:57 pm
por anareis
Artilharia Costeira

Iniciado por GMAR

Respostas: 3
Visualizações: 2408
Última mensagem Abril 26, 2004, 02:47:13 pm
por Rui Elias
Artilharia do Exército

Iniciado por dremanu

Respostas: 491
Visualizações: 135099
Última mensagem Junho 24, 2020, 10:33:17 am
por dc
Fotos de Obuses e peças de Artilharia de Campanha durante a Guerra Colonial

Iniciado por tenente

Respostas: 1
Visualizações: 186
Última mensagem Maio 10, 2020, 09:29:45 pm
por tenente