Votação

QUAL O NUMERO TOTAL DE AERONAVES NOS ARQUIPELAGOS

10/ 15 AERONAVES
10 (71.4%)
15/30
4 (28.6%)

Votos totais: 14

Votação encerrada: Setembro 23, 2006, 02:56:04 am

Criação de uma nova Esquadra de reacção nos arquipelagos

  • 21 Respostas
  • 6593 Visualizações
*

luis simoes

  • Perito
  • **
  • 306
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 37 vez(es)
  • +1/-88
Criação de uma nova Esquadra de reacção nos arquipelagos
« em: Setembro 23, 2006, 02:56:04 am »
BEM VINDOS E OBRIGADO POR ESTE ASSUNTO VOS CHAMAR  À ATENÇÃO.TODOS NÓS SABEMOS QUE  POSSUIMOS UM TERRITORIO MAGNIFICO  E VASTO MAS QUE POR VEZES ESQUECEMOS DE FACTO AS ILHAS MADEIRA E AÇORES E É NESTE CONTEXTO  E TODOS ACORDA-MOS QUE DE FACTO ESTA REGIÃO DE FACTO PECA PELA AUSENCIA DE RADARES, ETC... IMAGINANDO QUE ESTE DOSSIER SERIA  ABERTO BREVEMENTE QUAIS AS AERONAVES QUE AQUI IRIAM SER COLOCADAS
PARA AS DIFERENTES MISSÕES A MEU VER DETECÇAÕ, FISCALIZAÇÃO PATRULHAMENTO, SALVAMENTO E DEFESA AEREA...  ELEGI AS SEGUINTES:

EH-101/ P-3 ORION/C295/E-3 AWAC

F -16 N  "VERSÃO NAVAL" / F-18E SUPER HORNET


ALGUMAS JÁ EXISTEM NA FAP OUTRAS VIRAM A CAMINHO E TIVE O CUIDADO DE OPINAR NO AWAC ACHO UMA AERONAVE FUNDAMENTAL DEVIDO À AUSENCIA DE RADARES NESTA ZONA E NO SUPERHORNET NUMA POSSIVEL OFERTA POR  PARTE DOS EUA POR USUFRUIREM DA BASE AEREA DAS LAJES SÓ NESSA SITUAÇÃO OU ENTÃO PELOS F-16 N  
PODEM COMENTAR E ATÉ DIZER UM NUMERO TOTAL DESTA  FORMAÇÃO  COLOCADA  NOS ARQUIPELAGOS UM ABRAÇO...
 

*

NBSVieiraPT

  • Perito
  • **
  • 348
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Setembro 23, 2006, 04:19:25 am »
Citar
BEM VINDOS E OBRIGADO POR ESTE ASSUNTO VOS CHAMAR Á ATENÇÃO.


Pudera... tudo em caps lock! ;)
 

*

p_shadow

  • Perito
  • **
  • 448
  • +1/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #2 em: Setembro 23, 2006, 05:55:11 am »
Para mim este tópico duraria apenas até as pessoas se informarem do que vai ser realmente o dispositivo da FAP nas ilhas para os próximos 15/20 anos no mínimo.

Ou então entramos no mundo das "wish-lists" e ainda acaba por aparecer aqui alguém a defender a compra de uma frota de Boeing Business Jets para o Alberto João...!

 :mrgreen:

Cumptos
A realidade não alimenta fóruns....
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 472
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Setembro 23, 2006, 03:43:48 pm »
Oh não...
 Existe uma coisa chamada "netiqueta"... Quando se escreve em maiusculas frases inteiras, isso significa que estamos a gritar... Acabei de ficar surdo.
 Alguém é capaz de me explicar o que é isso de um F 16 Naval?!!!!
 Alguém é capaz de me explicar de onde é que vem o dinheiro para mais uma esquadra de caças?
 Alguém é capaz de me explicar porque é que a FAP iria ponderar adquirir outro tipo de caça que não um Viper para a próxima década?
 Alguém é capaz de de imaginar a FAP a adquirir E 3 Sentry´s, com o orçamento actual?
 Etc, etc, etc, etc...
 Decididamente, os Boeing´s para o Alberto João são um cenário muito mais realista...   :wink:
 

*

luis simoes

  • Perito
  • **
  • 306
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 37 vez(es)
  • +1/-88
resposta ao Sintra
« Responder #4 em: Setembro 24, 2006, 10:42:46 pm »
Caro Sintra não se trata aqui só uma questão de opinar, é preciso tambem imaginar um cenário possivel, visto o que aqui expus, não passa mesmo  de uma possibilidade, em relação á compra de um novo Caça eu não exprimi essa situação, ponderei uma hipotese de os Americanos cederem o Super hornet ou o F-16 N, que como sabe não é mais que um modelo utilizado em Defesa da Frota Maritima ou  ambientes de guerra  no Mar...pela utilização da Base Aerea das Lajes,  isto é só uma ideia .
Em relação ao E-3 Sentry defendo que deveria-mos de ter uma plataforma para AEW "Guerra Electronica" dada a ausencia de radares na zona dos Arquipelagos" Madeira e Açores" para assim, em tempo real perseguir detectar forças hostis  entre outras ameaças e encaminhar por fim a Força de Reacção Rápida ali Estacionados, dependendo tal está, o tipo de ameaça, caso se assim o exigisse, não defendo afincadamente que seja esta aeronave, mas uma com as mesmas caracteristicas e o recente protocolo assinado entre a FAP e a Embraeer,  poderá facilitar uma possivel compra, tudo depende do Governo é uma hipotese entre outras mas obrigado por estar atento alguma coisa responda terei muito gosto .
 

*

Menacho

  • Investigador
  • *****
  • 2818
  • Recebeu: 297 vez(es)
  • Enviou: 60 vez(es)
  • +6/-50
(sem assunto)
« Responder #5 em: Setembro 24, 2006, 10:55:01 pm »
O F-16N, solo se usan de sparring para entrenamiento, como en la academia Top Gun, no tienen armamento, ni siquiera cañon..........

Sustituyeron a los 21 IAI Kffir, y a los A4 Skyhawk.

Cumprimentos.
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1776
  • Recebeu: 222 vez(es)
  • Enviou: 443 vez(es)
  • +10/-1
(sem assunto)
« Responder #6 em: Setembro 25, 2006, 01:19:19 am »
Não é preciso estar a comprar aviões da Embraer ou E-3 Sentry para termos alguma capacidade AEW, mesmo com os CASA já podemos ter alguma capacidade, ou até mesmo, comprando simplementes pods para os actuais F-16 - penso que foi neste mesmo fórum que li sobre estes pods.

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 472
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +2/-0
Re: resposta ao Sintra
« Responder #7 em: Setembro 25, 2006, 03:21:46 pm »
Citação de: "luis simoes"
Caro Sintra não se trata aqui só uma questão de opinar, é preciso tambem imaginar um cenário possivel, visto o que aqui expus, não passa mesmo  de uma possibilidade, em relação á compra de um novo Caça eu não exprimi essa situação, ponderei uma hipotese de os Americanos cederem o Super hornet ou o F-16 N, que como sabe não é mais que um modelo utilizado em Defesa da Frota Maritima ou  ambientes de guerra  no Mar...pela utilização da Base Aerea das Lajes,  isto é só uma ideia .
Em relação ao E-3 Sentry defendo que deveria-mos de ter uma plataforma para AEW "Guerra Electronica" dada a ausencia de radares na zona dos Arquipelagos" Madeira e Açores" para assim, em tempo real perseguir detectar forças hostis  entre outras ameaças e encaminhar por fim a Força de Reacção Rápida ali Estacionados, dependendo tal está, o tipo de ameaça, caso se assim o exigisse, não defendo afincadamente que seja esta aeronave, mas uma com as mesmas caracteristicas e o recente protocolo assinado entre a FAP e a Embraeer,  poderá facilitar uma possivel compra, tudo depende do Governo é uma hipotese entre outras mas obrigado por estar atento alguma coisa responda terei muito gosto .



 Caro luis simoes

 Bom, por onde é que eu começo?
 Os F16 N eram Viper´s block 30 aligeirados de todo e qualquer equipamento que não fizesse parte da missão de "agressor´s", ou seja  já em 1987 quando foram entregues à US Navy não tinham qualquer valor militar excepto o treino. Foram utilizados de uma forma tão intensiva que foram retirados menos de uma década depois e de navais não tinham nada.
 Para mais informações aqui: http://www.f-16.net/f-16_users_article24.html
 Cenários possiveis.
 Sejamos honestos, alguém consegue imaginar um cenário na próxima década em que devam estar 20 a 30 caças estacionados nas ilhas?- Mais aviões AEW?!!  :shock:
 Vamos ser invadidos?
 Olhemos lá com atenção para o orçamento de Estado Português e especificamente para o do nosso Mindef, tenhamos em atenção que mais de 80% é comido pelos ordenados dos militares, juntemos as despesas de manutenção de equipamento, as missões no exterior e os contratos de reequipamento já assinados e descobrimos que existe um défice de "massa" para a próxima década e meia.
 A pergunta é, aonde é que raios vamos buscar dinheiro  para pagar uma ou duas esquadras de caças?- É  que os aparelhos de caças atingem tais valores em dólares que os Americanos pura e simplesmente não nos vão ceder caças novos. Quanto a usados, em segunda mão, o nosso ministro da defesa quer vender um terço dos existentes na FAP...
 Apenas como lembre-te, um ÚNICO F16 block 52 novo vai ficar ao Paquistão por 83 milhões de dólares, a US Navy está a pagar sensivelmente 95 milhões de dólares por cada Super Hornet, um Typhoon ultrapassa a barreira dos 100 milhões de dólares, estes valores ultrapassam o dinheiro que o nosso exercito tem para investimento em  material novo POR ANO. Uma outra comparação seria a seguinte, uma esquadra completa equivaleria a mais coisa menos coisa, a todas as transferências monetárias que o Estado Português efectuou para a Região Autónoma da Madeira desde o 25 de Abril...
 Uma aeronave AEW pode perfeitamente ficar por valores quatro vezes superiores aos citados, e eu estou a falar de um R99 Erieye. O equivalente a um E3 é muito mais dispendioso, quase que paga uma esquadra de caças completa
 Das duas uma, ou se corta nas missões exteriores, renega-se os contratos dos submarinos, faz-se a mesma coisa com os pandur, esquece-se os Leos, as KD e a nova arma ligeira, ou então fecha-se umas quantas Universidades, Hospitais, etc, ou ainda aumenta-se os impostos da malta toda... É este o custo de 30 caças mais aeronaves AEW novas nos Açores e na Madeira. Este valor é justificado SE existir uma ameaça militar credivel aos mesmos, mas isso é coisa que não existe, (a não ser que os Marroquinos decidam atravessar o Atlântico a nado e de alfange na boca, o que é francamente duvidoso).
 Da forma como isto anda, vai ser um grande milagre se pudermos contar com duas esquadras de Viper´s MLU na próxima década, estacionados em Monte Real, quanto mais nas ilhas. Quanto aos Radares nas ilhas, o Sistema de Comando e Controlo Aéreo de Portugal já prevê o Radar na Madeira e está em curso os estudos para um Radar nos Açores.

 Cumprimentos
 

*

luis simoes

  • Perito
  • **
  • 306
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 37 vez(es)
  • +1/-88
rseposta ao tópico pelo sr Sintra
« Responder #8 em: Setembro 25, 2006, 09:23:09 pm »
Caro Sintra mais uma vez obrigado por seguir atentamente e desde já agradeço o seu  depoimento está provado e em tempo de guerra que apetrechar aeronaves com esse mesmo Pod vai limitar  a aeronave para outras funções  ou então e esta-mos a falar do nosso F-16 limita a sua Autonomia visto este mesmo ser colocado no ventre da nossa aeronave não tenho certeza mas se estiver enganado corrija-me pois do lado direito da entrada de ar leva FLIR tem o caso do Irão  que utiliza o TOMCAT para esses fins, pois devido aos cortes por parte dos EUA ou o mau relacionamento estes não podem de dispor de um meio aereo eficaz utilizando os velhinhos MIG-21 para defesa aerea, e aproveitam o fabuloso alcance do radar do F-14 para o efeito AEW como sabe, eu sei que para este tipo de missão AEW  e RECON não é necessário muito armamento a não ser misseis SIDEWINDER e o fabuloso canhão e muitas vezes á a ausencia destes corrija-me se estiver errado defendo que sim que tenha-mos uma aeronave especifica para AEW mas como voce e bem diz é certo que tere-mos de futuro radar nos Arquipelagos sendo desnecessário a compra do mesmo concordo plenamente é certo que em relação ao tal F-16 N era uma ratoeira e até á data foi um unico a reparar pois não trocaria o nosso MLU por este tipo de aeronave mas defendo uma nova esquadra para os Arquipelagos e para isso temos outra solução já que tanto mal dizem do maravilhoso AlphaJet  que tal pegar em 25 destas Aeronaves e troca-las pelo menos por  6  F-18 Superhornet  uma vez que em   nosso território não compensa tê-los ou por ultimo transferir estes mesmos para os Arquipelagos  pode opinar muito obrigado...um abraço
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1696
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Setembro 26, 2006, 10:23:46 am »
Julgo saber que é intenção da FAP em destacar para Porto Santo um grupo de 3 ou 4 F-16.

Quanto ao ideal, acho que isso teria a ver com o nº de caças que teremos efectivamente no futuro, se os 40 F-16 MLU e mais longinquamente outros que os substituam, ou se se concretizará essa ideia peregrina de vender 12 aparelhos MLU, e ficarmos por cá com os "básicos".

Portanto esse destacamento terá muito a ver com o nº de aparelhos disponíveis na FAP, o que tem a ver com o dispositivo, e também com o grau/taxa de operacionalidade desses.


Quanto à matéria em si, acho muito bem que pelo menos no Porto Santo haja uma capacidade de intercepção estacionada, e julgo que um nº a rondar os 3 aparelhos seria suficiente, e para os Açores já não creio que essa fosse uma necessidade premente, a menos que o clima mundial "aquecesse" muito.

Julgo que para as ilhas e triângulo Continente/Açores/Madeira faria mais sentido reforçar a presença naval.
 

*

Hollywood

  • 31
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #10 em: Setembro 26, 2006, 02:20:35 pm »
Trocar 25 alpha jet por 6 F-18 superhornet?  c34x  

Quanto à questão orçamental acho que o Sintra disse tudo, mais claro não poderia ser.

Em relação à esquadra de caças nas ilhas, na minha opinião enquanto não houver "aquecimento global" não há necessidade imediata para possuir uma ali.
Apto mais Apto não há!
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5510
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +305/-2
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #11 em: Setembro 26, 2006, 02:32:38 pm »
Mas, uma pergunta:

Qual é o objectivo da colocação de mais que um numero simbólico de aeronaves de combate nas ilhas?

Além de demonstrar a nossa capacidade para os operar a partir das ilhas, depois de feita a demonstração, para que serve ter aeronaves com capacidade para atacar navios?

Que navios vamos atacar?

Estamos a falar de meios militares. Logo quem é o inimigo?
Quando pretendemos gastar dinheiro do contribuinte, é bom que se possa explicar a quem paga, exactamente qual é o objectivo não?

= = =

Neste momento, o mais importante do ponto de vista português é a demonstração de que mais ninguém está em melhores condições de patrulhar e gerir as águas do Atlântico entre os Açores e a Europa.

Essa afirmação faz-se com meios de patrulha e não com meios de guerra.

A nossa contribuição para a defesa neste momento, pode ser excepcional, com a utilização de meios de patrulha e para isso, há a compra dos EH-101, a aquisição de C-295 de patrulha marítima e a subsituição das corvetas pelos (eventuais) Navios de Patrulha Oceânica e a construção de mais cinco patrulhas médios.

Essa capacidade será reforçada futuramente com dois submarinos.

Logo, o dominio dos ceus no Atlântico, não é primordial no momento actual, pelo que acho que sería deitar  dinheiro fora.

Cumprimentos
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 472
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Setembro 26, 2006, 02:55:06 pm »
Completamente de acordo com o Papatango.
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5510
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +305/-2
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #13 em: Setembro 26, 2006, 03:16:34 pm »
Mas claro.

Se for para demonstrar caacidade para controlar militarmente o Atlântico entre Portugal e os Açores e a Madeira. Se houvesse necessidade aí:

Sou favorável à aquisição de 6 a 12 caça-bombardeiros SU-34.

A ver quem é que se atreve a atravessar  :twisted:  :twisted:
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1438
  • +3/-0
(sem assunto)
« Responder #14 em: Setembro 26, 2006, 07:20:11 pm »
Citar
Sou favorável à aquisição de 6 a 12 caça-bombardeiros SU-34.


Isto fez-me lembrar daquela nossa discussão há uns anos atrás sobre este mesmo tema (com o JNSA). :|?
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

 

"Bisontes" Esquadra 501 celebram 30º aniversário

Iniciado por comanche

Respostas: 2
Visualizações: 3772
Última mensagem Setembro 16, 2007, 12:48:55 pm
por zocuni
SAR: Esquadra 751 atinge o marco das 2751 vidas salvas

Iniciado por Ricardo Nunes

Respostas: 14
Visualizações: 6488
Última mensagem Outubro 30, 2017, 01:30:28 am
por Lightning
2ª Esquadra F-16 / Esq. 301

Iniciado por Miguel

Respostas: 429
Visualizações: 82870
Última mensagem Novembro 30, 2011, 06:39:19 pm
por Charlie Jaguar
FAP - NOVA ESQUADRA

Iniciado por Instrutor

Respostas: 0
Visualizações: 1905
Última mensagem Dezembro 22, 2014, 02:07:44 pm
por Instrutor