EH-101

  • 805 Respostas
  • 186633 Visualizações
*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3742
  • Recebeu: 2023 vez(es)
  • Enviou: 3855 vez(es)
  • +1838/-110
Re: EH-101
« Responder #795 em: Novembro 20, 2020, 10:50:27 am »
O 19612 é um Mk516. Será que estarão a “poupar” as células por não haver dinheiro para manutenção? E nós aqui com conjecturas sobre o tipo de heli de evacuação que irá (eventualmente) ser adquirido, quando não há sequer dinheiro, nem pessoal, para operar as duas principais frotas da nossa minúscula frota de helicópteros: a dos Merlin e a dos Super Lynx.

Mas infelizmente, estes são temas demasiado prosaicos para preocupar o nosso generalato. Assuntos como remunerações, benefícios, estatuto, discurso de género, as putas das boinas, os louvores e, principalmente, o lambe-botismo ao poder político-maçónico têm prioridade absoluta.
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Major Alvega, tenente, mayo

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7307
  • Recebeu: 3185 vez(es)
  • Enviou: 1703 vez(es)
  • +1824/-142
Re: EH-101
« Responder #796 em: Novembro 20, 2020, 11:21:29 am »
É por estas e por outras situações em que muitos equipamentos/armamentos das FFAA, se encontram, IE por falta de MNT, que eu não acredito que exista verba para serem adquiridos os helis de EvaKuação.

Se o estado em que encontram, pelo menos dois dos 101 das fotos, o 506 e o 512, são os apresentados, e, muito provavelmente assim estarão por falta não só de tripulações, mas e também por falta de verba para manter as restantes unidades da frota, pois pelo que me apercebo as duas unidades estão despidas de motores, rotores e demais equipamento, só podem estar neste estado para fornecer peças aos restantes helis da 751 !!!
Ao que parece na Frota 101 já existem as tais VACAS, aeronaves adquiridas somente para fornecer peças ás aeronaves operacionais, o que revela bem as consequências do contrato de MNT celebrado entre o estado Português e a entidade fornecedora desse serviço !

Estes Helis, agora já com dez anos de idade, custaram balúrdios ao Erário público e estão como estão ??
Se estão desactivados é porque não fazem falta e as missões atribuidas á 751, pois são cumpridas apenas com dez unidades, isto se forem só duas as unidades INOP.

Esta situação revela bem que o comum do cidadão não pode nem deve acreditar no que os ditos responsáveis vem afirmando quanto ás reformas que em termos de equipamentos tem sido feitas nas FFAA !!

Lamentável, o estado a que parte da Frota 101 chegou, mais grave é não haver gentinha responsável por esta situação !!

Cumprimentos

« Última modificação: Novembro 20, 2020, 11:34:09 am por tenente »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, HSMW

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3830
  • Recebeu: 905 vez(es)
  • Enviou: 208 vez(es)
  • +189/-94
Re: EH-101
« Responder #797 em: Novembro 20, 2020, 12:35:21 pm »
Bem, quando vemos lanchas da Marinha (que nada têm de complexo) sem manutenção durante 10 anos por falta de dinheiro, é fácil perceber que a mesma "doença" se alastra aos restantes ramos, agora com os EH, e sabe-se lá mais o quê.

O que acho ainda mais absurdo, é como é que um meio que presta serviços a N ministérios, não tem verba para assegurar a sua manutenção. E como é que umas formas armadas de "duplo-uso", não têm orçamento adequado às suas missões. Querem uma aposta que, mesmo que a FAP tenha meios de combate aos incêndios próprios, os seus custos continuarão a ser comportados pelo actual (e curto) orçamento?
 

*

imaginário

  • Membro
  • *
  • 25
  • Recebeu: 7 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +1/-1
Re: EH-101
« Responder #798 em: Novembro 20, 2020, 02:18:15 pm »
Por acaso gostava de saber qual a justificação da FAP em relação ao estado destes dois aparelhos! O contrato de manutenção dos EH-101 não tinha sido revisto há um ano e seria as OGMA a fazer o mesmo?  O 19612 já está imobilizado há algum tempo, salvo erro, por causa de um incidente numa aterragem nos Açores, agora mais uma unidade a servir de "vaca" (19605) e com a desculpa de duplo uso, gostava de saber qual a justificação!
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3830
  • Recebeu: 905 vez(es)
  • Enviou: 208 vez(es)
  • +189/-94
Re: EH-101
« Responder #799 em: Novembro 20, 2020, 03:11:41 pm »
Será mais um caso mítico de "falta de pagamento", como temos visto noutros lados?
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3742
  • Recebeu: 2023 vez(es)
  • Enviou: 3855 vez(es)
  • +1838/-110
Re: EH-101
« Responder #800 em: Novembro 21, 2020, 01:18:49 am »
São os Kamov da FAP.
Talent de ne rien faire
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 4088
  • Recebeu: 346 vez(es)
  • Enviou: 251 vez(es)
  • +488/-362
Re: EH-101
« Responder #801 em: Dezembro 20, 2020, 11:01:42 am »
Talent de rien fair
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8538
  • Recebeu: 1029 vez(es)
  • Enviou: 1200 vez(es)
  • +144/-46
Re: EH-101
« Responder #802 em: Dezembro 20, 2020, 12:24:26 pm »
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/21465/1/46_CapJoaoConde_TII_VF.pdf

Por aqui se vê que ainda falta muito, e sem tripulações suficientes de nada vale o heli todo equipado.

Concordo com o artigo que sugere os pilotos da 751 efectuarem os cursos tácticos da EDA, e tentar acordar um Pilot Exchange com esquadras EH101 na Europa, que possuam uma componente táctica amadurecida, por exemplo da Dinamarca, talvez a mais parecida com a nossa 751, viu-se com a experiência dos F-16 que esses procedimentos fazem evoluir muito as esquadras, seria um muito importante primeiro passo.

A seguir a isto seria resolver as questões difíceis, modernizar os EH101 e aumentar o número de tripulações.
« Última modificação: Dezembro 20, 2020, 12:27:33 pm por Lightning »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7307
  • Recebeu: 3185 vez(es)
  • Enviou: 1703 vez(es)
  • +1824/-142
Re: EH-101
« Responder #803 em: Dezembro 27, 2020, 09:55:01 am »
PARA QUE OUTROS VIVAM !!!!
A EXCELENTE 751 JÁ CONTA COM 4000 VIDAS SALVAS!!!!






https://www.facebook.com/Esquadra751/photos/a.356495651050810/4005342606166078/?type=3&theater

Abraços
« Última modificação: Dezembro 27, 2020, 09:56:34 am por tenente »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Cabeça de Martelo, oi661114

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7307
  • Recebeu: 3185 vez(es)
  • Enviou: 1703 vez(es)
  • +1824/-142
Re: EH-101
« Responder #804 em: Janeiro 26, 2021, 07:15:09 pm »
CELEBRATING 15 YEARS OF SAR EXCELLENCE IN PORTUGAL

This year the Portuguese Air Force (PtAF) is celebrating the major milestone of 15 years of the EH101 Search and
Rescue (SAR) helicopter in-service. The first two of 12 EH101 (the previous designation of the AW101) helicopters
arrived in Portugal on 11th February 2005 and entered operations in the following year. Six were originally configured
for SAR (Mk 514), four for Combat SAR (Mk516) and two for fisheries protection (Mk515).
The fleet has now achieved over 24,200 flight hours with more than 2,458 lives saved. The Portuguese SAR Region has
an area of over 5 million square kilometres; the largest in Europe and second-largest in the world after Canada. Lengthy
and challenging rescue missions over the years have amply demonstrated the motto of Esquadra 751, Para Que Outros
Vivam (So Others May Live).




In 2011 the PtAF rescued a group of sailors from the Kea with the EH101, comprising 9 hours and 30 minutes of actual
flying time. This rescue is the PtAF’s longest ever SAR mission, both in terms of flight time, and the distance covered of
980 nautical miles, departing from their base in the Azores, including 720 nautical miles of non-stop flight.
Another notable rescue mission involving Esquadra 751 occurred in February 2013. This long-range rescue of a
yachtsman participating in the Vendee Globe round the world race was carried out in heavy sea conditions and at night,
with the total mission time being 8 hours and 30 minutes, and 912 nautical miles being covered.


The PtAF have also used their EH101 aircraft to transport various VIPs such as their president, and, in 2010 and 2017, the Pope, where the preparation, planning and installation of a special VIP cabin fit was completed in record time and to the highest standards.

In 2015, Esquadra 751 was awarded by Helicopter Association International the Sikorsky Humanitarian Service Award. This was only the second time in the history of this US-led award that it had been presented to a non-US-based organisation.

During all of this time we have played a key role in providing support through traditional arrangements – most recently a ten-year in-service support arrangement (the Fully Integrated Support Solution, FISS). This has been delivered at Monitjo Airbase, working with our Industry partner OGMA.
Looking to the future, we are taking the opportunity to collaborate more closely with the PtAF to design and implement a new in-service support solution within a new commercial framework. It is hoped that this arrangement will be adapted as necessary to meet future challenges such as obsolescence.

Paul Clempson, Head of Military Export Customer Services Management at Leonardo Helicopters, Yeovil, said: “The valued and trusted long-term friendship with Portugal will only serve the EH101 programme well, as we work together to create new opportunities to support 751 Squadron in the long term.”
With a successful product, and a well-established and excellent relationship with our Portuguese customers, it is hoped that the EH101 Programme will continue for another 15 years, alongside of course the other Leonardo platforms Portugal currently operates – the AW119Kx and, soon, the upgraded Lynx Mk95A to be operated by the Portuguese Air Force.

https://www.leonardocompany.com/documents/20142/10370612/AWNewsletter_%2329_Spring2020.pdf/a2b7260e-cdf8-1fbb-60d7-717dc3efaf55?t=1592979564561

Abraços

« Última modificação: Janeiro 26, 2021, 07:21:52 pm por tenente »
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3742
  • Recebeu: 2023 vez(es)
  • Enviou: 3855 vez(es)
  • +1838/-110
Re: EH-101
« Responder #805 em: Janeiro 26, 2021, 09:58:57 pm »
O trabalho notável da 751 continua a ser manchado por falsas alegações (a segunda maior SRR do mundo) e pelo encobrimento da constante falta de recursos humanos e materiais (02 Merlin “kamovizados” há vários anos).
Talent de ne rien faire