Ainda Pearl Harbor

  • 6 Respostas
  • 3004 Visualizações
*

Normando

  • Perito
  • **
  • 339
  • +0/-0
Ainda Pearl Harbor
« em: Março 24, 2004, 10:00:53 pm »
Não sei se alguém teve a oportunidade de ver o episódio da série documental "Unsolve History" (em português chamam-lhe "Reescrevendo a História") dedicado ao ataque japonês a Pearl Harbor em 7 de Dezembro de 1941, que passou terça-feira no Discovery. Foi bastante interessante. Do que vi, extraí 3 ideias principais que nunca havia considerado:

1 - Mesmo que os indícios verificados pouco antes do bombardeamento começar (o aviso emitido pelo destroyer Ward sobre a presença de pelo menos um submarino hostil à entrada do porto; o alerta do operador da estação de radar de Opana) tivessem dado origem a uma reacção dos americanos, estes não teriam tempo para mobilizar as tripulações dos aviões e navios (metade estava de licença), aprontar os aviões e fazer os navios principais sair do porto. Para além disso, mesmo que os inadequados, e em alguns casos obsoletos (P-36), aviões americanos tivessem levantado voo, a superioridade dos Zeros japoneses ter-lhes-ia sido fatal.

2 - Existe uma foto aérea tirada por um dos aviões japoneses atacantes, na qual se pode ver, na opinião de muitos peritos e analistas, o quinto mini-submarino japonês, desaparecido desde o dia do ataque. Nessa foto, caso acreditemos que é de facto o mini-sub, pode ver-se o pequeno submergível a apontar à fila dos couraçados americanos atracados no porto. Baseando-se nesta foto incrível, há muita gente que afirma que descobriram uma nova falha americana: a rede anti-submarinos que existia à entrada do canal que ia dar ao porto falhou no seu propósito, e houve um submarino japonês que a furou, subiu o canal e foi torpedear os couraçados americanos.  

3 - Num cenário hipotético, caso os navios de guerra americanos tivessem conseguido sair de Pearl Harbor em direcção ao mar alto, defendem alguns especialistas, a derrota americana teria sido ainda mais estrondosa. Segundo estes experts, os bombardeiros e os aviões lança-torpedos japoneses teriam dizimado a maior parte dos grandes navios americanos em águas profundas (à semelhança do que viria a acontecer com o HMS Repulse eo HMS Prince of Wales ao largo de Singapura), o que teria inviabilizado a recuperação dos navios afundados (como aconteceu na realidade, à excepção do Arizona e do Oklahoma), e teria provocado mais baixas entre as respectivas tripulações (em Pearl Harbor houve muitos que se salvaram nadando para as margens próximas).

Por último, fiquei a saber que aconteceram vários episódios de "fogo amigo" durante e após o raide japonês. Por exemplo, durante a noite do dia 7, já após o final do ataque nipónico, enquanto os defensores americanos estavam agarrados às metralhadoras e canhões AA, seis caças Wildcat provenientes do porta-aviões Enterprise tentaram aterrar na ilha Ford e foram duramente atingidos (cinco foram mesmo abatidos) pelos nervosos artilheiros no solo, que esperavam uma terceira vaga japonesa de ataque que nunca chegou a acontecer.
"If you don't have losses, you're not doing enough" - Rear Admiral Richard K. Turner
 

*

komet

  • Investigador
  • *****
  • 1663
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #1 em: Março 24, 2004, 10:10:58 pm »
Como eu até gosto de polémicas, chamem-me homem da conspiração :wink:

Os japoneses atacaram de surpresa mas não tanto, o embargo do petróleo semppre foi uma declaração subtil (ou não!) de guerra ao Japão.

Acerca do contacto radar, dizia-se que o homenzinho pensou que eram uns B-17 que vinham do continente... ora bem, se vinham do continente supostamente viriam de Este, e nao Oeste, e depois, mesmo que fossem B-17 que foi feito deles? Nunca mais se ouviu falar no meio da história (inventados?)

Outra coisa é que ao que parece, muito pouco tempo antes dos ataques os porta-aviões foram retirados da base, e os navios que ficaram, como se sabe, estavam arrumadinhos como que em tempo de paz, prontinhos a ser rebentados.

Finalmente acerca da rede anti-torpedo, anti-submarino, sabe-se que a corrente que a prendia não estava presa no dia anterior ao ataque, citando....
Citar
One crew member of the 'Tangiers' also reported that the chain that was always put across the mouth at the entrance to Pearl Harbour at night for added security against a sea borne attack, was not secured on the night of December 6th.


http://www.historylearningsite.co.uk/pearl_harbour.htm
"History is always written by who wins the war..."
 

*

Ricardo Nunes

  • Investigador
  • *****
  • 1258
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +1/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #2 em: Março 24, 2004, 10:18:30 pm »
Eu não sou tão adepto de teorias de conspiração aqui como o Komet, mas algo que acho mais interessante do que a intenção dos EUA quererem entrar na guerra foi a vontade que os britânicos tinham que estes entrassem. Aliás, é do domínio público que os Britânicos sabiam da ocorrência do ataque ( muito devido a um submarino holandês no pacífico que detectou a frota japonesa transmintindo essa informação ao almirantado britânico ) e omitiram deliberadamente essa informação aos Estados Unidos de modo a forçar uma entrada destes no conflito.
Ricardo Nunes
www.forum9gs.net
 

*

Normando

  • Perito
  • **
  • 339
  • +0/-0
Conspirações e obsessões
« Responder #3 em: Março 25, 2004, 03:16:43 am »
Já li muito material e de diversas fontes àcerca da teoria conspirativa que se gerou em torno de Pearl Harbor. Já li algumas teorias bastante bem construídas até do ponto de vista lógico e teorético, contudo, as teses de contra-conspiração arrasam a argumentação conspirativa. O que fica para a história é que o Japão atacou os EUA, os EUA declararam guerra ao Japão e a Alemanha declarou guerra aos EUA. O resto já nós conhecemos: o gigante militar-industrial americano despertou (tal como o Almirante Yamamoto previra), Hitler sepultou os seus exércitos na União Soviética e o Eixo perdeu a guerra.

Se querem que vos diga, custa-me muito acreditar que o Presidente Roosevelt urdisse semelhante conspiração para convencer o Congresso a permitir a entrada dos EUA na guerra. Ponham-se no lugar dele: iam permitir que os japoneses bombardeassem à vontade a principal base do Pacífico? Arriscariam perder os couraçados mais recentes (da classe Colorado), grande nº de aviões, bases de submarinos, estaleiros importantes, bases de reparação de navios, depósitos vitais de combustível? Fariam isto sabendo que sem Pearl Harbor cairia todo o Pacífico (a começar pelas Filipinas)? Não me parece.

Relativamente aos B-17 (que vinham desarmados), pelo que sei, chegaram a Pearl Harbor durante o ataque japonês tendo um deles sido abatido e três outros seriamente danificados.

O mito dos porta-aviões estrategicamente afastados tb cai facilmente. Haviam três porta-aviões americanos no Pacífico: o Enterprise fora em Novembro entregar Wildcats a Wake e a 4 de Dezembro iniciou a viagem de regresso a Pearl Harbor; o Lexington partiu a 5 de Dezembro para entregar Vindicators em Midway; e o Saratoga estava em San Diego na California após reparações e vistorias. Os outros três porta-aviões da marinha dos EUA (Yorktown, Ranger e Wasp) estavam na frota do Atlântico. E o novíssimo Hornet estava em período de testes e exercícios na costa leste dos EUA.

Essa de dizer que em 1941 o Roosevelt já estava a esfregar as mãos de contente a pensar que ia brincar às bombas atómicas tb tem muito que se lhe diga: nessa altura a investigação atómica estava ainda atrasada e os EUA só testaram a 1ª bomba em Julho de 1945. Ou seja, o Roosevelt ia fiar-se numa arma que ainda não existia, nem sabia se alguma vez iria existir? Sejamos razoáveis.

Posso concordar que os britânicos estavam mortinhos para que os EUA entrassem no conflito; mas, se pensarmos bem, ao ocultar presumível informação sobre um ataque japonês iminente, Churchill garantia a declaração de guerra dos EUA ao Japão mas não à Alemanha de Hitler, e era esta última que o PM britânico mais temia.

Concluindo, podemos navegar na net em busca de teoria da conspiração, conluios, cabalas e segredos diplomáticos, mas tb encontramos quem desmistifique tudo isso. Em última análise, nós acreditamos no que  queremos acreditar. Não é assim?
"If you don't have losses, you're not doing enough" - Rear Admiral Richard K. Turner
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1438
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Março 25, 2004, 10:17:00 pm »
Se os americanos tivessem sido avisados com umas horas de antecedência tudo poderia ter sido diferente. Provavelmente a Frota do Pacífico sofreria à mesma um golpe pesado, embora sem as proporções do que aconteceu, e as baixas nos aparelhos e pilotos japoneses ( eram a elite) seriam muito maiores.
A artilharia anti-aérea americana estaria pronta a disparar, os marinheiros e o pessoal de terra estaria nos seus postos, evitando as carnificinas que ocorreram, e todos os aparelhos estariam no ar, para evitarem ser destruídos no solo como "sitting ducks" e para oferecerem (alguma) resistência aos ataques aéreos.

Quanto ao estado de preparação da Armada para se defender ou zarpar do porto, não se esqueçam que era domingo de manhã, e que uma boa parte dos americanos devia estar a curar a ressaca de sábado à noite  :roll: ), mas se o governo sabia do ataque, que necessidade haveria  de não informar a frota, e deixar ocorrer esta catástrofe? Bastava que um único tiro  japonês fosse disparado ali, para os americanos terem toda a legitimidade do mundo para entrarem na guerra...

ah e dps o Hitler  fez o jogo dos aliados, ao declarar guerra aos States sem motivo aparente...


Citar
Concluindo, podemos navegar na net em busca de teoria da conspiração, conluios, cabalas e segredos diplomáticos


Eu diria que a net está minada de teorias de conspiração!! E há para aí alguns sites que dão uma boa gargalhada :nice:

cumptos
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

emarques

  • Especialista
  • ****
  • 1177
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #5 em: Março 25, 2004, 11:49:09 pm »
Em relação à foto do 5º mini-sub, já vi uns artigos sobre isso (desculpem, mas não procurei ligações, daqui a pouco acrescento) em que se falava de uma foto (bastante bonita, por sinal) tirada de um "Kate" em que alegadamente se vê o submarino. Acontece que seria bastante difícil ver o submarino se ele estivesse lá (as águas de Pearl Harbour têm muito lodo suspenso), e a tal fotografia foi sujeita a grande quantidade de tratamento informático. O mais provável é que se trate apenas de um pico de interferência entre duas ondas, segundo o que li.

EDIT: bolas, procurar por "kate photo pearl harbor" só dá quantidades industriais de páginas sobre a Kate Beckinsale. Não é que tenha nada contra ela ;), mas não era bem do que estava à procura.
Ai que eco que há aqui!
Que eco é?
É o eco que há cá.
Há cá eco, é?!
Há cá eco, há.
 

*

komet

  • Investigador
  • *****
  • 1663
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #6 em: Março 26, 2004, 12:38:17 am »
Citar
EDIT: bolas, procurar por "kate photo pearl harbor" só dá quantidades industriais de páginas sobre a Kate Beckinsale. Não é que tenha nada contra ela , mas não era bem do que estava à procura.


Caso encontre boas fotos dessa rapariga não se acanhe em postar  :banana:
"History is always written by who wins the war..."
 

 

Ainda aquela velha história...

Iniciado por TazMonster

Respostas: 1
Visualizações: 1163
Última mensagem Dezembro 28, 2005, 08:19:34 pm
por papatango
Pearl Harbour e Ataque Doolittle

Iniciado por André

Respostas: 12
Visualizações: 5450
Última mensagem Julho 12, 2007, 11:03:47 pm
por Spectral
Foi o ataque a Pearl Harbor deixado acontecer?

Iniciado por Fernando Negro

Respostas: 1
Visualizações: 1426
Última mensagem Novembro 07, 2012, 07:27:21 am
por Fernando Negro
Pearl Harbor,7 de Dezembro de 1941

Iniciado por Carlos Rendel

Respostas: 1
Visualizações: 3013
Última mensagem Dezembro 20, 2010, 11:05:54 am
por João Vaz