Aviação Naval Brasileira

  • 60 Respostas
  • 3026 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4464
  • Recebeu: 382 vez(es)
  • Enviou: 309 vez(es)
  • +1668/-1052
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #45 em: Fevereiro 27, 2019, 01:35:06 pm »
Helibras assina contrato com a Marinha do Brasil para fornecimento de três helicópteros H135


Dois dos três modelos serão os primeiros aptos a atuar em resgate aeromédico no País

Citar
São Paulo, 21 de fevereiro de 2019 – A Helibras assinou hoje um contrato com a Marinha do Brasil para entrega de três aeronaves modelo H135. Os helicópteros serão destinados ao 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1), onde cumprirão diversas missões. As aeronaves irão substituir os atuais AS355, Esquilo Biturbina, e poderão, em um futuro próximo, compor o Destacamento Aéreo da Missão Antártica Brasileira.

Entre suas principais missões destaca-se o apoio às operações especiais, transferência de pessoal ou carga (PICK-UP), reabastecimento vertical de carga (VERTREP), busca e salvamento (SAR), inspeção naval e, em especial, evacuação aeromédica (EVAM), pois duas das três aeronaves estarão com kits aeromédicos, as primeiras aeronaves com essa capacidade no Brasil.

O acordo contempla também o pacote de Suporte e Serviços e o PBH (em inglês, Parts By Hour), programa por hora de voo que assegura a disponibilidade das peças da frota. “Essa assinatura amplia e consolida a parceria de mais de 40 anos que temos com a Marinha do Brasil, ressaltando que também foi nosso primeiro cliente no País, com a aquisição dos Esquilos, em operação até hoje. O modelo possui um dos menores custos de operação de sua categoria e um excelente índice de disponibilidade, sendo o helicóptero ideal para atender as exigentes missões e necessidades da Marinha”, afirma Richard Marelli, presidente da Helibras e Head of Country da Airbus no Brasil.

As aeronaves passarão por adaptações na fábrica da Helibras, em Itajubá (MG), para atender aos requisitos de missões da Marinha, tais como instalação de gancho, flutuador, guincho, radar meteorológico, entre outros. Atualmente, cerca de 130 unidades desse modelo estão sendo utilizadas pelas Marinhas de vários países como Alemanha, Austrália, Espanha Japão e Reino Unido.

O H135 é uma aeronave de última geração, conhecida por sua alta resistência, baixos níveis de ruído e versatilidade. Possui capacidade para até 8 passageiros, conta com dois motores Arrius 2B2PLUS, da fabricante SAFRAN, equipados com FADEC, capacidade de voo por instrumentos (IFR), podendo pousar em praticamente qualquer terreno, sendo capaz de cumprir uma ampla gama de missões.


FONTE: https://www.naval.com.br/blog/2019/02/21/helibras-assina-contrato-com-a-marinha-do-brasil-para-fornecimento-de-tres-helicopteros-h135/
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11419
  • Recebeu: 408 vez(es)
  • Enviou: 230 vez(es)
  • +69/-59
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #46 em: Abril 11, 2019, 12:00:51 am »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4464
  • Recebeu: 382 vez(es)
  • Enviou: 309 vez(es)
  • +1668/-1052
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #47 em: Julho 25, 2019, 01:58:31 pm »
1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Norte recebe segundo UH-15


Citar
No dia 17 de julho, o Comando do 4º Distrito Naval (Com4ºDN) recebeu a segunda aeronave que vai compor o futuro 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Norte (1ºEsqdHU-41), a ser ativado pela Marinha, em Belém-PA, no dia 20 de novembro. A cerimônia foi realizada na Base Aérea de Belém (Ala 9) e contou com a presença de autoridades civis e militares.

A aeronave modelo UH-15 é um helicóptero de transporte tático de longo alcance, desenvolvido a partir dos modelos da família Super-Puma, podendo transportar até 31 passageiros, incluindo a tripulação. Ele possui 19,5 metros de comprimento, 4,97 metros de altura e 6.695 quilos.

O Núcleo de Implantação do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Norte (NI-EsqdHU-41) já está operando na área do 4º Distrito Naval (Amapá, Maranhão, Pará e Piauí), realizando ações de salvamentos, resgates, inspeções navais, em apoio a Capitanias dos Portos e aos navios do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte, em adestramentos do 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas, entre outros. Em breve, o NI-EsqdHU-41 vai receber um terceiro helicóptero UH-15, quando passará a operar com sua plena capacidade.

FONTE: Marinha do Brasil
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4464
  • Recebeu: 382 vez(es)
  • Enviou: 309 vez(es)
  • +1668/-1052
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #48 em: Agosto 30, 2019, 09:32:01 pm »
Novo helicóptero H135 da Marinha


Citar
A Helibras, subsidiária brasileira da Airbus Helicopters, participou ontem (29) do evento de comemoração do 103º aniversário da Aviação Naval, em São Pedro da Aldeia (RJ).

Na ocasião, a fabricante expôs o helicóptero biturbina leve H135 que será entregue à Marinha do Brasil até o fim do ano. A aeronave faz parte de um contrato para fornecimento de três H135 que serão dedicados a uma ampla gama de missões, incluindo operações especiais, transporte de tropas e carga, inspeção naval, busca e salvamento e resgate aeromédico.

O H135 será operado pelo 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1) e ficará baseado em São Pedro da Aldeia. O helicóptero será designado para a Operação Antártica, prevista para 2020.

Sobre a Helibras
A Helibras é a única fabricante brasileira de helicópteros, subsidiária da Airbus, líder mundial nos segmentos aeroespacial e de serviços relacionadas à defesa. Em seus 41 anos de atividades, a Helibras já entregou cerca de 800 helicópteros no país. É líder do mercado brasileiro com participação de 50% na frota de helicópteros a turbina e mantém instalações em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Atibaia e Brasília. Sua fábrica, que emprega cerca de 500 profissionais, produz as aeronaves H125 – Esquilo e H225/H225M, além de executar modernizações de aeronaves. A empresa também customiza diversos modelos que atendem os segmentos civil e militar. Em 2018, a Helibras registrou faturamento total de R$ 567 milhões.

DIVULGAÇÃO: JeffreyGroup Brasil – São Paulo/SP – Foto: Divulgação/Helibras

FONTE: https://www.naval.com.br/blog/2019/08/30/novo-helicoptero-h135-da-marinha/
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5854
  • Recebeu: 1252 vez(es)
  • Enviou: 617 vez(es)
  • +458/-150
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #49 em: Agosto 31, 2019, 12:19:05 am »
http://www.cavok.com.br/blog/marinha-emprega-super-cougar-para-apagar-focos-de-incendio-durante-operacao-verde-brasil/?fbclid=IwAR0ID0Txid65z6wkCEVnool81Uru2Js1MuoxDIO49nGJr14lCQ3BsU5ZfCs

Citar
O helicóptero UH-15 Super Cougar está sendo empregado na “Operação Verde Brasil” para combater focos de incêndio no município de Altamira, Pará, no norte do país.

Marinha emprega Super Cougar para apagar focos de incêndio durante “Operação Verde Brasil”



Saudações
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4464
  • Recebeu: 382 vez(es)
  • Enviou: 309 vez(es)
  • +1668/-1052
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #50 em: Setembro 19, 2019, 02:12:09 pm »
Marinha do Brasil recebe 5º caça-bombardeiro AF-1 modernizado pela Embraer


Citar
No dia 6 de setembro, com a entrega da aeronave modernizada AF-1B N-1013 ao Setor Operativo, foi concluída mais uma fase do contrato de modernização dos AF-1B/C.

A aeronave poderá ser empregada em operações de inteligência ao acompanhar alvos de superfície, uma vez que a N-1013 também apresentou evolução no quesito furtividade, por receber pintura que reduz a identificação visual. Destacam-se algumas funcionalidades do radar EL/M 2032, como os modos de operação: ar-ar, ar-mar, ar-solo e navegação, cuja principal tarefa é detectar e rastrear alvos aéreos e de superfície, além de fornecer a distância ar-solo para o subsistema de pontaria de armas. No modo TWS (Tracking While Scan) podem ser localizados e rastreados automaticamente 64 alvos de superfície ou terrestres simultaneamente e no modo SAR (Synthetic Aperture Radar) é possível fazer o mapeamento terrestre em missões de reconhecimento.

Essas capacidades, aliadas as existentes nos radares 997 Artisan do Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico”, permitirão o cumprimento de missões de interceptação e ataque, na defesa aérea da Força Naval, com maior eficiência.

O aumento da prontidão, da disponibilidade de aeronaves com sistemas modernos e da segurança dos voos resultam do sucesso do contínuo trabalho em parceria desempenhado pela Marinha do Brasil e a Embraer.



NOTA DO EDITOR: As fotos do post foram feitas na ALA 2, em Anápolis – GO. São as primeiras imagens do avião feitas após a entrega. O AF-1B participou do desfile aéreo no Dia da Independência.
FONTE: Marinha do Brasil / FOTOS: Samuel Barros Pysklyvicz/ https://www.naval.com.br/blog/2019/09/18/marinha-do-brasil-recebe-5o-caca-bombardeiro-af-1-modernizado-pela-embraer/
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5854
  • Recebeu: 1252 vez(es)
  • Enviou: 617 vez(es)
  • +458/-150
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #51 em: Janeiro 15, 2020, 10:20:41 pm »
Para operar do NAE S. Paulo com os Trader e os A4...  :mrgreen: :mrgreen:

https://www.naval.com.br/blog/2020/01/15/exclusivo-marinha-estuda-compra-de-cacas-f-a-18-hornet-por-oportunidade/

Citar
O assunto emergiu na manhã da sexta-feira, 10, durante a cerimônia de troca de comando na Diretoria Geral do Material da Marinha (DGMM), que aconteceu no auditório do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro: o atual Comandante da Força, almirante de esquadra Ilques Barbosa Junior (que presidiu a solenidade), estaria propenso a (1) descontinuar os gastos com a revitalização das aeronaves A-4 do Esquadrão VF-1 Falcão, e (2) apressar o reequipamento da Aviação de Combate da Marinha por meio da compra “de oportunidade” de jatos bimotores multifunção americanos F/A-18 Hornet – aeronaves usadas, portanto.



Cumprimentos  c56x1 c56x1

P.S. A Amarc ainda tem F4 em stock. Também voam bem...  :mrgreen: :mrgreen:

https://www.amarcexperience.com/ui/index.php?option=com_content&view=article&id=205&Itemid=274

"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Red Baron

  • Especialista
  • ****
  • 954
  • Recebeu: 136 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +85/-41
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #52 em: Janeiro 17, 2020, 08:00:45 pm »
Para operar do NAE S. Paulo com os Trader e os A4...  :mrgreen: :mrgreen:

https://www.naval.com.br/blog/2020/01/15/exclusivo-marinha-estuda-compra-de-cacas-f-a-18-hornet-por-oportunidade/

Citar
O assunto emergiu na manhã da sexta-feira, 10, durante a cerimônia de troca de comando na Diretoria Geral do Material da Marinha (DGMM), que aconteceu no auditório do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro: o atual Comandante da Força, almirante de esquadra Ilques Barbosa Junior (que presidiu a solenidade), estaria propenso a (1) descontinuar os gastos com a revitalização das aeronaves A-4 do Esquadrão VF-1 Falcão, e (2) apressar o reequipamento da Aviação de Combate da Marinha por meio da compra “de oportunidade” de jatos bimotores multifunção americanos F/A-18 Hornet – aeronaves usadas, portanto.



Cumprimentos  c56x1 c56x1

P.S. A Amarc ainda tem F4 em stock. Também voam bem...  :mrgreen: :mrgreen:

https://www.amarcexperience.com/ui/index.php?option=com_content&view=article&id=205&Itemid=274



Parece que estão interessados nos F-18 do Kuwait, eles já foram buscar os A-4 ao Kuwait, parece que ficaram com  boas lembranças dos vendedores.
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 2595
  • Recebeu: 547 vez(es)
  • Enviou: 117 vez(es)
  • +116/-44
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #53 em: Janeiro 17, 2020, 09:36:36 pm »
Tendo em conta as lacunas que têm na MB, e tendo em conta que não têm porta-aviões, não seria mais lógico passar esta unidade aérea para a FAB, mesmo que temporariamente, para poupar recursos e conferir aos pilotos horas de voo, eventualmente adquirindo Gripen C/D, ao invés de ir buscar ainda outro caça diferente?
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4464
  • Recebeu: 382 vez(es)
  • Enviou: 309 vez(es)
  • +1668/-1052
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #54 em: Janeiro 28, 2020, 06:09:40 pm »
Tudo isso não passa de especulações, senhores.

As prioridades da Marinha do Brasil são: SSK (Classe Riachuelo), Corvetas/Fragatas leves (Classe Tamandaré) e Navios-Patrulha da Classe "Macaé".

 
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5854
  • Recebeu: 1252 vez(es)
  • Enviou: 617 vez(es)
  • +458/-150
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #55 em: Janeiro 29, 2020, 11:11:23 am »
Tudo isso não passa de especulações, senhores.

As prioridades da Marinha do Brasil são: SSK (Classe Riachuelo), Corvetas/Fragatas leves (Classe Tamandaré) e Navios-Patrulha da Classe "Macaé".
Mas continua a modernizar os A4 e os Trader (estes últimos devem voar em Março).  c56x1 c56x1



Saudações

« Última modificação: Janeiro 29, 2020, 11:13:09 am por mafets »
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 2595
  • Recebeu: 547 vez(es)
  • Enviou: 117 vez(es)
  • +116/-44
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #56 em: Janeiro 29, 2020, 12:17:44 pm »
Tendo em conta que actualmente estes caças operam de bases em terra e não de navios, questiono se não ficariam melhor servidos com alguns F-5 da FAB à medida que fossem substituídos pelos Gripen.
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5854
  • Recebeu: 1252 vez(es)
  • Enviou: 617 vez(es)
  • +458/-150
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #57 em: Janeiro 29, 2020, 02:12:42 pm »
« Última modificação: Janeiro 29, 2020, 02:13:58 pm por mafets »
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4464
  • Recebeu: 382 vez(es)
  • Enviou: 309 vez(es)
  • +1668/-1052
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #58 em: Março 09, 2020, 12:55:45 pm »
Integração do míssil antinavio Harpoon aos caças AF-1 da MB

Um míssil Harpoon sob a fuselagem de um TA-4F Skyhawk no Pacific Missile Test Center, em 1982. Observar o nariz da aeronave modificado para abrigar uma antena de radar maior

Citar
Na lista de documentos desclassificados pela Marinha do Brasil em 2019 aparecem dois que descrevem a integração do míssil Harpoon nas aeronaves modernizadas AF-1/1A”.

O primeiro, Seq. 1492, tem a descrição “Planos e Operações estratégicas. Integração do míssil Harpoon para as aeronaves modernizadas AF-1/1A. Ofício nº 310/DAerM, de 13 de setembro de 2013.

O segundo, Seq. 3285, tem a descrição “Integração do Míssil Harpoon nas Aeronaves Modernizadas AF1/1A”.

Como não tivemos acesso ao conteúdo dos documentos, não sabemos se a integração do míssil foi concluída.

Se a integração do Harpoon foi realizada com sucesso, os caças AF-1 da MB poderão engajar navios de guerra inimigos a distâncias de até 150 milhas.

É bom lembrar que a Força Aérea Brasileira já emprega os mísseis Harpoon em seus aviões P-3AM Orion.

Uma informação interessante é que um TA-4F Skyhawk do Esquadrão VX-4 da US Navy realizou testes de integração do míssil Harpoon AGM-84 no Pacific Missile Test Center, Naval Air Station Point Mugu, na Califórnia, em 1982.

Nas fotos, o TA-4F do VX-4 com o míssil Harpoon sob a fuselagem.



 :arrow:  https://www.naval.com.br/blog/2020/03/06/integracao-do-missil-antinavio-harpoon-aos-cacas-af-1-da-mb/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4464
  • Recebeu: 382 vez(es)
  • Enviou: 309 vez(es)
  • +1668/-1052
Re: Aviação Naval Brasileira
« Responder #59 em: Março 09, 2020, 12:58:18 pm »
Força Aeronaval revitaliza caça AF-1B com apoio da FAB


Citar
A Força Aeronaval da Marinha do Brasil (MB), por meio do Grupo Aéreo Naval de Manutenção, atuou, em fevereiro, em conjunto com a Força Aérea Brasileira (FAB) para a revitalização da AF-1B N-1001.

Durante a ação, quatro militares do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo estiveram no 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque para apoiar a realização de um tratamento de corrosão na asa do caça da MB.

O serviço permitiu o avanço nos trabalhos de reparo da aeronave e também contribuiu para a economicidade de recursos. A ação conjunta reafirma os laços de interoperabilidade entre as Forças.

Militares tratam corrosão na asa do caça

 :arrow: https://www.naval.com.br/blog/2020/03/07/forca-aeronaval-revitaliza-caca-af-1b-com-apoio-da-fab/
 

 

Comando Naval de Operações Especiais (CoNavOpEsp)

Iniciado por Vitor Santos

Respostas: 0
Visualizações: 231
Última mensagem Outubro 03, 2019, 01:13:30 pm
por Vitor Santos