Polícias Militares e Polícias Civis estaduais Brasileiras

  • 55 Respostas
  • 19264 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #45 em: Junho 26, 2019, 09:01:59 pm »
Polícia Militar de São Paulo lança edital para compra de arsenal variado


Citar
A Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) está lançando no Brasil e no exterior editais para a compra de arsenal variado, entre os quais 40 mil pistolas calibre .40, 1.300 fuzis calibres 5.56 e 7.62, dois fuzis de sniper (atirador de precisão) e 10 metralhadoras leves de calibre 7.62 mm.

Os equipamentos deverão ser entregues até o final de 2020 e custarão aproximadamente R$ 108,9 milhões. As informações foram dadas pelo secretário-executivo da PM junto à Secretaria de Segurança Pública, coronel Álvaro Camilo.

A PMSP não compra metralhadoras há mais de 60 anos. Elas serão usadas para a proteção de presídios e o combate a ataques a carros-fortes e empresas de transporte de valores.

“Não há restrição do Exército Brasileiro (EB) para a PMESP comprar metralhadora. Então, por que a PM não comprou mais metralhadora? Porque não é uma arma comum, que você precisa para ser utilizada a todo momento. Em tese, metralhadora é para dar rajada. Para você comprar metralhadora e usar como intermitente, está perdendo, porque ela é mais cara. Melhor você comprar um fuzil”, explica Camilo.

Entre os modelos de metralhadoras leves que poderão participar da concorrência, cuja previsão de publicação é agosto, estão alguns modelos preferidos pelos policiais paulistas, como a FN Minimi (utilizada pelas Forças Armadas brasileiras), a M249, a Heckler & Koch MG4 e a Negev NG7.


Fuzil que abate helicóptero

Todo este material já tem autorização pelo EB para ser adquirido, mas a corporação quer mais: pretende convencer os militares de que precisa comprar fuzis de calibres .30 e .50, restritos das Forças Armadas (FA), mas que são usados por criminosos, podendo perfurar veículos blindados, destruir paredes e até abater helicópteros.

Em 2010, a PMESP tentou comprar os fuzis de calibre .30 e .50, mas o EB não deixou. No entanto, diante da possibilidade de o Primeiro Comando da Capital (PCC) resgatar presidiários que estavam em unidades prisionais no interior do estado, o EB emprestou por 6 meses estes fuzis e treinou policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) para operar o equipamento.

A divulgação do plano de resgate da facção levou à interdição temporária do aeroporto da cidade de Presidente Venceslau, que abriga um presídio onde estava a alta cúpula do PCC, para evitar qualquer ação criminosa. Consequentemente, houve a transferência de detentos para penitenciárias federais em fevereiro de 2019.

“Na verdade, a PMESP já usou estes fuzis .30 e .50 por empréstimo e autorização do EB (neste período em que havia o risco de resgate da facção). As armas ficaram de sobreaviso do final do ano passado até março, abril deste ano. Tivemos um treinamento com a Rota no interior, preparando-se para caso precisasse usar. Foi devolvido, mas a qualquer momento podemos pegar novamente, pois existe uma interação muito forte com o Exército”, afirma o coronel.

“E a ideia agora é a polícia partir também para a compra deste equipamento para ocorrências mais graves, como assaltos a empresas de valores e carros-fortes. Não está prevista agora (a compra dos fuzis .30 e .50), estamos estudando como poderemos fazer”, salientou Camilo.

“Infelizmente, é importante a polícia ter este tipo de armamento não só em São Paulo, como em outros estados, para fazer frente a uma necessidade mais específica do crime”, disse ele.

“Primeiro, é para a criminalidade saber que a polícia tem (estas armas). E que, se precisar, ela pode usar. A ideia é se preparar para caso precisar usar. Não é intenção da polícia usar estes fuzis no dia a dia, mas em uma situação super excepcional, como foi o que aconteceu (quando havia a suspeita de resgate)”, disse o secretário-executivo.

Licitação internacional

Segundo Camilo, o governador João Doria, autorizou a compra de 40 mil pistolas semiautomáticas, sendo que pelo menos 8 mil devem ser entregues até dezembro. A licitação está sendo divulgada em outros países e tem previsão de publicação no Diário Oficial do Estado em 10 de julho, com a assinatura do contrato em novembro.

Há dois anos a PMESP fez a primeira licitação internacional para a compra de pistolas, quando a fabricante austríaca Glock sagrou-se vencedora. Até então, o monopólio do mercado pertencia à brasileira Taurus.

Isso acabou quando o armamento nacional passou a apresentar problemas, como disparos acidentais. “A PMESP compra Taurus porque não podia comprar outra arma, a verdade é esta. Sempre se tentou comprar outras”, salientou Camilo.

A partir do problema em São Paulo, o EB passou a autorizar as polícias de todo o Brasil a comprar pistolas do exterior. A Glock, já utilizada pela Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), sagrou-se vencedora em muitas licitações.

“A polícia vai investir pesado em armamento. Queríamos comprar armamento de fora, mas, por uma questão legal, não era permitido. Agora, com todos estes problemas que aconteceram com a empresa Taurus (inclusive, foi feita uma aquisição de quase 5 mil metralhadoras, que apresentaram problemas e foram recolhidas) o EB autorizou a compra internacional de armas”, disse Camilo.

Sobre o fato de os policiais passarem a usar nas ruas diferentes tipos de pistolas (alguns com Taurus, outros com Glock, e outros com outros tipos, que poderão ser adquiridos na nova licitação), o oficial diz não haver problema.

“Não existe padronização neste caso. Eu posso comprar armas que atendam aos requisitos específicos. Qualquer marca pode entrar nesta licitação, e há outras marcas, que não a Glock. Claro que há a probabilidade da Glock ganhar. Mas há outras empresas internacionais que poderão participar de igual para igual, e irão brigar pelo preço”, defendeu o secretário-executivo.

FONTE:  https://www.defesa.tv.br/policia-militar-de-sao-paulo-lanca-edital-para-compra-de-arsenal-variado/?fbclid=IwAR2tuHydN4d1ODXSyTvKuQYP6_f4J-J_36_JfMsHo3oDkpmP2DAiUE6ZXV0

 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #46 em: Junho 28, 2019, 02:26:14 pm »
Tenente PM Mayara se torna primeira mulher comandante de helicóptero da Polícia Militar do Estado de São Paulo


Citar
O dia 26 de junho entra na história da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) pois nessa data, a 1º Tenente Mayara Roberta Mieko Tanaka de Moraes, se tornou a primeira mulher a ser comandante de helicóptero da PMESP.

A Oficial foi declarada apta a assumir o comando das aeronaves “Águias” pelo Conselho de Voo da unidade, presidido pelo coronel PM Paulo Luiz Scachetti Júnior, Comandante da Aviação da PMESP, após cumprir com êxito todas as etapas de ascensão de comando, que envolvem o treinamento de voo avançado e o programa de voos avaliados.

O inicio

Em 2005, aos 17 anos, a então jovem Mayara ingressou na Academia da Polícia Militar do Barro Branco (APMBB), pela influência do pai, que foi policial, mas saiu da corporação nos anos de 1990 para trabalhar no Japão.

“Mas aí ficou meio que um arrependimento de ter saído, eu acho, aí ele incentivou a gente a entrar”, lembrou a tenente. “Ele sempre comentava como era o serviço na polícia e isso influenciou e muito. Tanto que sou tenente e meu irmão também. Então nós dois seguimos a carreira que seria do meu pai”, contou.

“Ingressei em 2005, com 17 anos, era bem nova, mas a polícia me ensinou muita coisa. A formação na polícia ensina muita coisa. Então, apesar de ter ingressado bem jovem, a gente tem bastante ocorrência, bastante vivência, que fazem a gente amadurecer um pouco mais rápido por causa dessas situações que a gente acaba vivendo”, declarou.

Quando se formou, em 2008, a tenente Mayara passou a trabalhar no 18º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPM/I), em Presidente Prudente, e um ano depois seguiu para o 42º BPM/I, em Presidente Venceslau. Em 2013, a oficial ingressou no Grupamento Aéreo, sendo que desde 2015 atua na Base de Aviação de Presidente Prudente.

FONTE: https://www.defesa.tv.br/tenente-pm-mayara-se-torna-primeira-mulher-comandante-de-helicoptero-da-policia-militar-do-estado-de-sao-paulo/



 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #47 em: Agosto 23, 2019, 01:58:15 pm »
Glock vence licitação e venderá 40 mil pistolas para a PM de SP


Citar
Corporação importará armas por R$ 891,66 cada, com economia que chegará a R$ 53 milhões aos cofres públicos

A fabricante austríaca Glock venceu uma licitação internacional da Polícia Militar de São Paulo e fornecerá 40 mil pistolas semiautomáticas calibre .40 para a corporação.

A previsão inicial era pagar até R$ 2 mil por cada arma. Mas, após pós 28 rodadas de lances, a Glock fez a melhor oferta com o valor de R$ 891,66, ficando classificada em primeiro lugar.

A estimativa é que a compra resulte uma economia de R$ 53 milhões aos cofres públicos, conforme o Centro de Material Bélico da corporação.

Na última aquisição de pistolas Taurus, em 2011, a PM pagou R$ 1.901 por cada. Segundo oficias ouvidos pela reportagem, a corporação já teria chegado a pagar quase R$ 5 mil por uma pistola, o preço individual de mercado para pessoas físicas.

Disputa

Participaram da disputa, além da Glock, a italiana Beretta e a fabricante turca Canik. A brasileira Taurus não participou da disputa. Atualmente, a fabricante responde a processos administrativos e judiciais por parte da PM de SP e de outros estados por falhas em pistolas e submetralhadoras, mas não há restrições a sua participação em licitações.

A proposta inicial da Beretta era de R$ 1.727,55 por cada pistola, enquanto que a inicial da Glock ficava em torno de R$ 1.988. A Canik não foi credenciada por falhas na documentação.

A sessão pública de propostas, realizada na quarta-feira (21) foi suspensa após a classificação final da proposta e, agora, a Glock terá 10 dias, após a publicação do resultado no Diário Oficial, para a apresentação de amostras, com as quais serão realizadas testes de qualidade do equipamento.

O G1 questionou se a Glock gostaria de se manifestar sobre a competição, e aguarda retorno.

Mais compras

Além das 40 mil pistolas calibre .40, a PM de São Paulo irá comprar também 1.300 fuzis calibres 5.56 e 7.62, dois fuzis de sniper (atirador de precisão) e 10 metralhadoras leves de calibre 7.62 mm.

Os equipamentos serão entregues até o final de 2020 e custarão R$ 108,9 milhões.

FONTE: G1 - https://www.forte.jor.br/2019/08/22/glock-vence-licitacao-e-vendera-40-mil-pistolas-para-a-pm-de-sp/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #48 em: Setembro 13, 2019, 02:35:23 pm »
Beretta vence licitação internacional e fornecerá 300 fuzis à PMESP


A compra faz parte de um programa de modernização do armamento da corporação, que inclui ainda 40 mil pistolas, armas de choque, 1.300 fuzis e 10 metralhadoras, que somarão mais de R$ 109 milhões.

A fabricante de armas italiana Beretta venceu uma licitação internacional da Polícia Militar de São Paulo e fornecerá 300 fuzis de assalto (menor, mais dinâmico e operacional) no calibre 5.56mm para a tropa. O valor unitário de cada arma ultrapassa R$ 10.525.

A PM paulista queria um fuzil diferente, que está entre um dos modelos mais modernos no mundo, a plataforma Adaptive Combat Rifle, chamada de ACR (da sigla em inglês, rifle de combate adaptável) e tem como referência um programa de modernização de armamento do Exército dos Estados Unidos.

Os novos fuzis serão usados pelas tropas do policiamento do Choque, como o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e as Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), além dos batalhões especiais táticos localizados no interior do estado (Baeps).

A plataforma confere adaptabilidade ao fuzil para diversas situações no terreno e nas ruas, podendo ser empregado em diferentes tipos de operações. Também é possível a troca de cano e de calibre sem a necessidade da arma passar por manutenções diferenciadas.

As empresas nacionais fabricantes de fuzis – Imbel e Taurus – não participaram da concorrência, pois não possuem armas na plataforma ACR pedida pela PM.

Além da vencedora Beretta, participaram da licitação a FN Herstal (procedente da Bélgica) e a CZ (da República Tcheca). A empresa CZ não foi credenciada devida a falhas na documentação.


Na fase de propostas, realizada na quarta-feira (11), a Beretta ofereceu o fuzil ARX 160 no valor de € 2.339,00 (R$ 10.543,98) e a FN incluiu na disputa o fuzil SCAR L, com valor de € 4.610,89 (R$ 20.785,43).

As disputas em lances prosseguiram até que a Beretta fosse considerada vencedora com a proposta de € 2.335,00 (R$ 10.525,95) e a FN Herstal foi classificada em segundo lugar, com a oferta de € 4.610,89 (R$ 20.785,43). Agora, a fabricante italiana terá 15 dias para entregar à PM amostras dar armas, que serão submetidas a diversos testes.

Mais encomendas e compras

A PM também comprará 40 mil pistolas calibre .40, em cuja licitação internacional saiu-se vencedora a fabricante austríaca Glock, que já fornece pistolas para a Polícia Federal e outras polícias no Brasil.

A previsão inicial era pagar até R$ 2 mil por cada arma. Mas, após pós 28 rodadas de lances, a Glock fez a melhor oferta com o valor de R$ 891,66, ficando classificada em primeiro lugar.

A estimativa é que a compra resulte uma economia de R$ 53 milhões aos cofres públicos, conforme o Centro de Material Bélico da corporação.

Participaram da disputa, além da Glock, a italiana Beretta e a fabricante turca Canik. A brasileira Taurus não participou da disputa. Atualmente, a fabricante responde a processos administrativos e judiciais por parte da PM de SP e de outros estados por falhas em pistolas e submetralhadoras, mas não há restrições a sua participação em licitações.

Com informações da PMESP, Beretta via redação Orbis Defense.

FONTE: https://www.defesa.tv.br/beretta-vence-licitacao-internacional-e-fornecera-300-fuzis-a-pmesp/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #49 em: Setembro 25, 2019, 02:07:42 pm »
Taurus vence licitação internacional e fornecerá fuzis para a Polícia Civil de São Paulo

As profundas transformações na empresa, o novo cenário político, econômico e social brasileiro, a entrada em operação da nova fábrica nos Estados Unidos, a real possibilidade do estabelecimento de uma fábrica na Índia e a agressiva conquista de importantes mercados internacionais têm tudo para tornar a próxima década uma era de ouro na história da companhia. Nesse cenário, não seria exagero afirmar que, para a empresa, essa poderá ser uma verdadeira Era Taurus.

Citar
A fabricante de armas Taurus, uma das principais fornecedoras de armamentos para instituições policiais no Brasil e no mundo, venceu mais uma licitação internacional e fornecerá fuzis modelo T4 no calibre 5.56mm NATO para a Polícia Civil de São Paulo.

O fuzil T4 da Taurus foi escolhido por atender a todos os requisitos técnicos do pregão, realizado na última quinta-feira (19), e por ser a melhor proposta econômica, com metade do preço da concorrência.

“Vencemos a licitação nas especificações técnicas e nossa proposta foi a metade do preço do concorrente internacional, isso mostra a nossa competitividade em qualidade e custos. A Taurus está preparada para atender as polícias no mundo e, em especial, aos nossos policiais brasileiros”, diz Salesio Nuhs, presidente da Taurus.

Ideal para o uso militar e policial, o fuzil T4 é baseado na consagrada plataforma M4/M16, amplamente empregada pelas Forças Militares em todo mundo e principalmente pelos países membros da OTAN, por ser considerada uma arma extremamente confiável, leve, de fácil emprego e manutenção.

O Fuzil de Assalto Taurus T4 é mais um projeto que utiliza a plataforma consagrada do M4 em calibre 5,56 mm.

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/taurus-vence-licitacao-internacional-e-fornecera-fuzis-para-a-policia-civil-de-sao-paulo/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #50 em: Novembro 03, 2019, 03:06:58 pm »
Polícia Militar do Estado de São Paulo adquire novos fuzis como parte do seu programa de modernização


Citar
A Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) lançou no dia 16 de outubro, Sessão Pública do PREGÃO PRESENCIAL INTERNACIONAL N° CMB-340/0009/19, que visou à aquisição de dois fuzis de precisão. A aquisição destas novas armas faz parte do Programa de Modernização das Armas da PMESP instituído pelo Governo do Estado.

Apresentou-se para o Credenciamento a empresa STEYR, tradicional fabricante austríaco de armas. Após análise da documentação a empresa foi credenciada a prosseguir para a etapa de análise de proposta, tendo ofertado o valor unitário inicial de US$ 76.380,00 (R$ 316.885,34), para fuzis modelo SSG M1.

O valor do dólar americano de referência foi de R$ 4,1488, conforme fechamento do mesmo em 15 de outubro, valor apurado no website do Banco Central do Brasil. Iniciado a etapa de negociação com à empresa o valor unitário foi reduzido para US$ 69.123,90 (R$ 286.781,23).

O valor foi considerado aceito pelo Pregoeiro. Os documentos de Habilitação estavam corretos, sendo a empresa declarada vencedora do certame. Os novos fuzis serão adquiridos com acessórios e conjuntos de reposição imediata, e serão destinados ao 4° Batalhão de Polícia de Choque (4° BPChq).


FONTE:  https://www.defesa.tv.br/policia-militar-do-estado-de-sao-paulo-adquire-novos-fuzis-como-parte-do-seu-programa-de-modernizacao/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #51 em: Novembro 18, 2019, 06:32:15 pm »
ABOPESP confirma encontro nacional durante o COP 2020


Citar
A Associação Brasileira de Operações Especiais ( ABOPESP ) anunciou esta semana que seu tradicional Encontro de Profissionais de Operações Especiais será realizado junto ao Congresso Internacional de Operações Policiais.

O COP 2020 acontecerá no final do próximo verão em Florianópolis, reunindo forças policiais de todo o mundo. O encontro visa debater a atividade técnica de operações especiais, doutrina mundial e emprego de novas tecnologias.

Com objetivo de integrar a sociedade civil junto à segurança pública e a justiça, o evento espera superar a marca da primeira edição, com expectativa de 5 mil visitantes/dia e 11 palestrantes de seis países.

Segundo o organizador João Sansone, o COP debate a segurança pública de forma macro. “Assim como acontece em grandes eventos na Ásia, Estados Unidos e Europa, a feira integra a sociedade com a realidade e o dia-a-dia dos profissionais de segurança, além da exposição de empresas do setor bélico e de tecnologia”, salienta.


O Congresso Internacional de Operações Policiais acontecerá entre os dias 17 e ‪19 de março de 2020 no Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, em Canasvieiras. O evento é gratuito e doará mais de quatro toneladas de alimentos não-perecíveis para as entidades SEOVE e Igreja Bola de Neve.

FONTE:  http://tecnodefesa.com.br/abopesp-confirma-encontro-nacional-durante-o-cop-2020/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis estaduais Brasileiras
« Responder #52 em: Novembro 30, 2019, 07:57:05 pm »
1.000 novos Fuzis FN Scar H 7.62 para a Polícia Militar do Estado de São Paulo


A compra, realizada por meio de processo licitatório internacional, contempla 1 mil unidades de fuzis calibre .7,62 e 300 unidades de fuzis calibre .5.56. Durante realização de pregão público para o fornecimento dos modelos, a italiana Beretta apresentou propostas com menor valor. A fabricante, porém, não entregou os modelos para avaliação dentro do período previsto no edital sendo, portanto, sucedida pela empresa belga FN Herstal.

A fabricante da Bélgica apresentou proposta de R$ 13.497,60 (€ 3.000) por cada unidade do fuzil calibre .7,62 modelo Scar-H, e uma proposta de R$ 12.220,91 (€ 2.711) por cada unidade do fuzil calibre .5.56 modelo Scar-L. Se os modelos forem aprovados na fase de testes, o investimento para a aquisição dos 1,3 mil novos fuzis será de R$ 17,1 milhões.

O modelo Scar-L, calibre .5.56, foi apresentado na terça-feira, 15 de outubro, no Centro de Material Bélico da Polícia Militar. A fase de testes foi iniciada no estande de tiros da Academia de Polícia Militar do Barro Branco. Esta etapa terá duração de 10 dias, quando serão reproduzidas avaliações que constam na norma OTAN AC/225D/14. Trata-se de uma padronização de controle de qualidade internacional específica para as chamadas “armas leves”.

De acordo com o tenente-coronel Marco Valério, do Centro de Material Bélico da Polícia Militar, atender a estes critérios é fundamental para garantir maior segurança, qualidade e durabilidade na aquisição e no manuseio dos fuzis. Ao término dos 10 dias de testes com o modelo, terá início a fase de testes com os fuzis calibre .7,62.

Enquanto o fuzil .556 é mais leve e apropriado para operar em ambientes urbanos, o .7,62 dispara projéteis maiores e capazes de percorrer distâncias mais longas. Trata-se de uma arma de apoio, principalmente para os Batalhões de Choque e para os Baeps, unidades vocacionadas ao enfrentamento do crime organizado.

Testes para a compra de 1,3 mil fuzis, no estande de tiros da Academia de Polícia Militar do Barro Branco. Imagem via PMESP.

Programa de modernização

Essas aquisições fazem parte do Programa de Modernização das Armas, do Governo do Estado de São Paulo, que é responsável pela aquisição de 40 mil pistolas .40 e 1 mil armas de incapacitação neuro-muscular. Estão previstas ainda licitações para compra de 10 metralhadoras leves, 1 mil submetralhadoras, 4 mil coletes de proteção balística, dois fuzis de precisão (sniper) e munições, tanto para os fuzis de precisão quanto para calibre .12. A aquisição faz parte de um pacote de investimento de R$ 108,9 milhões

“Estamos adquirindo ferramentas de trabalho. Isso é um respeito ao profissional que passa a ter melhores condições de trabalho”, disse o Secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, durante a cerimônia de assinatura de compra de 40 mil pistolas semiautomáticas, na segunda-feira (14).

A modernização do arsenal das forças públicas de segurança do Estado de São Paulo vem de encontro à necessidade de melhorar ainda mais as condições de enfrentamento ao crime. Apenas neste ano de 2019, até o mês de julho, mais de 7 mil armas de fogo haviam sido apreendidas e retiradas de circulação em todo o Estado. Deste total, 156 eram fuzis que estavam em poder de criminosos.

“Esta política de segurança objetiva que a Polícia Militar do Estado de São Paulo seja uma referência internacional tanto na adoção de boas práticas quanto na qualidade de seus equipamentos”, diz o tenente-coronel Marco Valério.

Sobre o FN SCAR

O FN SCAR (em inglês: Fabrique Nationale Special Operations Forces Combat Assault Rifle) é um fuzil de auto-carregamento a gás (pistão de gás de curso curto) com um parafuso rotativo. Ele é construído para ser extremamente modular, incluindo mudança de cano para alternar entre calibres. O fuzil foi desenvolvido pela fabricante belga FN Herstal (FNH) para o Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos (SOCOM) para satisfazer os requisitos da competição SCAR. Esta família de fuzis consistem em dois tipos principais. O SCAR-L, para “light” (leve), está embutido em cartucho 5.56×45mm NATO e o SCAR-H, para “heavy” (pesado), está embutido em 7.62×51mm NATO. Ambos estão disponíveis nas variantes Close Quarters Combat (CQC), Standard (STD) e Long Barrel (LB).

No início de 2004, o Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos (USSOCOM) emitiu uma solicitação para uma família de Forças de Operações Especiais de Fuzis de Combate Assalto, o chamado SCAR, projetado em torno de dois calibres diferentes, mas com alta semelhança de peças e ergonomia idêntica. O sistema FN SCAR concluiu os testes de produção inicial de baixa taxa em junho de 2007. Após alguns atrasos, os primeiros fuzis começaram a ser emitidos para unidades operacionais em abril de 2009 e um batalhão do US 75th Ranger Regiment foi a primeira grande unidade implantada em combate com 600 dos fuzis em 2009. O Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos cancelou mais tarde a compra do SCAR-L e planejou remover o fuzil de seu inventário até 2013. No entanto, eles continuarão a comprar a versão SCAR-H e também planejam comprar kits de conversão de 5,56 mm para o SCAR-H, permitindo que ele substitua o SCAR-L.

Variantes militares

SCAR-L – fuzil de assalto 5.56×45mm NATO
SCAR-L CQC (Close Quarters Combat) – Cano de 250 mm (10 pol.)
SCAR-L STD (Padrão) – Cano de 360 mm (14 pol.)
SCAR-L LB (Cano Longo) – Cano de 460 mm (18 pol.)
SCAR PDW – Variante de arma de defesa pessoal 5.56×45mm NATO com um comprimento de cano de 170 mm (6,5 pol.)
SCAR-SC- Carabina subcompactada 5.56×45mm NATO. Pesa 3,1kilos (cerca de 6,8 libras), tem um cano de 7,5 polegadas e tem um punho de pistola sem descanso de dedo. Possui um alcance efetivo menor de 200m. Uma versão de 300 blackout que também será lançada. Estará disponível até meados de 2018.
SCAR-H – fuzil de batalha 7.62×51mm NATO
SCAR-H CQC (Close Quarters Combat) – Cano de 330 mm (13 pol.)
SCAR-H STD (Padrão) – Cano de 410 mm (16 pol.)
SCAR-H LB (Cano Longo) – Cano de 510 mm (20 pol.)
Sniper Support Rifle (SSR) – designated marksman rifle 7.62×51mm NATO
Precision Rifles (7.62×51mm NATO)
FN SCAR-H PR (Fuzil de precisão) – Cano de 510 mm (20 pol.), gatilho de partida de dois estágios, estoque dobrável e punho da pistola M16A2.
FN SCAR-H TPR (Fuzil de precisão tática) – Cano de 510 mm (20 pol.), gatilho de combinação de dois estágios, estoque fixo ajustável e punho da pistola M16A2.
Com informações da PMESP e FN Herstal via redação Orbis Defense.


 :arrow: https://www.defesa.tv.br/1-000-novos-fuzis-fn-scar-h-7-62-para-a-policia-militar-do-estado-de-sao-paulo/
« Última modificação: Novembro 30, 2019, 07:59:05 pm por Vitor Santos »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Cabeça de Martelo

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis estaduais Brasileiras
« Responder #53 em: Dezembro 04, 2019, 03:36:44 am »
Regimento de Polícia Montada 9 de Julho - Polícia Militar do Estado de São Paulo




 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 2941
  • Recebeu: 1327 vez(es)
  • Enviou: 2801 vez(es)
  • +509/-91
Re: Polícias Militares e Polícias Civis estaduais Brasileiras
« Responder #54 em: Dezembro 05, 2019, 03:57:56 am »
A PMSP está a armar-se bem. Foi uma sorte a Beretta não ter entregue o equipamento dentro do prazo; ficam melhor servidos com as SCAR.
Everyone you will ever meet knows something that you don't.
- Bill Nye
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 330 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +634/-714
Re: Polícias Militares e Polícias Civis estaduais Brasileiras
« Responder #55 em: Dezembro 05, 2019, 01:57:55 pm »
A PMSP está a armar-se bem. Foi uma sorte a Beretta não ter entregue o equipamento dentro do prazo; ficam melhor servidos com as SCAR.

As SCAR atualmente equipa os Comandos e Operações Especiais (COE) e o Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) do 4º Batalhão de Polícia de Choque  (4º BPChq - Operações Especiais) da PMESP:



 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

 

Militares das Forças Armadas nas ruas

Iniciado por Primy

Respostas: 128
Visualizações: 17985
Última mensagem Dezembro 24, 2010, 01:13:48 am
por Trafaria
Cinco militares da GNR na Palestina

Iniciado por Normando

Respostas: 3
Visualizações: 2116
Última mensagem Novembro 23, 2005, 12:44:43 am
por Nuno Bento
G.N.R Só para militares?

Iniciado por Pedro Sousa

Respostas: 63
Visualizações: 13380
Última mensagem Maio 10, 2009, 11:09:30 pm
por jeka
Jovens das favelas brasileiras criam nova criminalidade

Iniciado por SmokeOn

Respostas: 29
Visualizações: 7766
Última mensagem Maio 04, 2009, 09:11:47 pm
por Linkxx
"Polícias com stress"

Iniciado por Lancero

Respostas: 22
Visualizações: 9591
Última mensagem Fevereiro 01, 2008, 09:34:41 pm
por Areopago