Polícias Militares e Polícias Civis estaduais Brasileiras

  • 71 Respostas
  • 22310 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #30 em: Junho 03, 2017, 02:50:57 pm »
Grupo Especial de Reação (GER) - Polícia Civil do Estado de São Paulo


Episódio 3


Episódio 4
« Última modificação: Junho 03, 2017, 03:06:39 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #31 em: Junho 12, 2017, 07:35:37 pm »
4°BPChq Operações Especiais - 1ª Cia COE / Polícia Militar do Estado de São Paulo


O COE ou Comandos e Operações Especiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo é a 1ªCia do 4°BPChq Operações Especiais da PMESP, a última linha de ataque Paulista

Citar
A partir de 12 de dezembro de 2008, conforme Boletim Geral PMESP nº 236, foi criado o 4°BPCq Operações Especiais, com sede na cidade de São Paulo. Suas subunidades subordinadas são: 1ªCia COE, 2ªCia GATE e 3ªCia Canil Central. A 1ªCia COE tem um efetivo de aproximadamente 111 militares e é composta por 4 pelotões operacionais com regime de trabalho de prontidão e 1 pelotão de apoio que se divide em Sargenteação, Manutenção, Almoxarifado e Gabinete de Treinamento.

A 1ªCia COE, funciona como tropa reserva do Cmt Geral PMESP e tem por missões:

Operações Especiais Policiais Militares
Busca e captura de marginais homiziados em locais de difícil acesso
Busca e resgate de pessoas perdidas em locais inóspitos
Repressão a rebeliões graves em estabelecimentos prisionais
Ações onde hajam reféns, seqüestros, raptos em áreas rurais
Apoio a outras Unidades da Corporação ou Forças Armadas
Busca e Resgate de pessoas em aeronaves acidentadas em locais de difícil acesso ( como por exemplo, o acidente que vitimou o conjunto musical Mamonas Assassinas)
Escolta e segurança em Operações de Transporte de Valores (OTV)
Patrulhamento e repressão a grupos do crime organizado, em locais de alto risco
Apoio ao Corpo de Bombeiros no Resgate e Salvamento em catástrofe em randes acidentes, tais como, como incêndio dos Edifícios Andraus e Joelma, Grande Avenida, CESP, queda de aeronaves nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos entre outros.

Formação

O COE é composto por Policiais Militares voluntários e selecionados na Corporação que, após concluir o Curso de Comandos e Operações Especiais, ministrado pela própria unidade, passam a integrar os Pelotões de Operações Especiais. O curso abrange as disciplinas de doutrinas de comandos e operações especiais, orientações e navegações, tiro tático, mergulho livre, contra terrorismo, sobrevivência em mata, higiene, profilaxia e pronto socorrismo, técnicas não letais de intervenção policial, técnicas policiais em altura; explosivos; natação utilitária, técnicas de contra guerrilha urbana e rural; equipamentos e materiais de comandos e operações especiais e técnicas e táticas de comandos e operações especiais. Durante o curso os alunos são submetidos a situações de superação, próximas da realidade onde a tropa deverá operar, testando a sua rusticidade diante de obstáculos como o tempo, sono, fome, desgaste físico e mental, ferimentos, etc.

A Missão

Também é capaz de orientar e proteger a vida humana, a natureza, preservando a ecologia nas áreas de selva ou floresta, sempre superando as deficiências com denodo, criatividade, desprendimento, humildade e esforço no bem cumprir da sua missão, seguindo a premissa: "Com o Sacrifício da Própria Vida"; se assim, necessário for.

FONTE: http://dicionario.sensagent.com/Comando%20de%20Opera%C3%A7%C3%B5es%20Especiais/pt-pt/[/size]



















Créditos das fotos: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #32 em: Junho 12, 2017, 08:06:26 pm »
Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) - Polícia Militar do Estado de São Paulo


Citar
O Grupo de Ações táticas Especiais, GATE, é um grupamento policial de operações especiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo, no Brasil. Criada em 1988, o GATE da Polícia Militar de São Paulo, está subordinado ao 3º Batalhão de Polícia de Choque. O seu surgimento deu-se através de ex-integrantes das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA).

O GATE é um dos mais modernos grupos de Táticas Especiais do país, focando a sua atuação em situações de alto risco, como resgate de reféns e desarmamento de bombas.

Atualmente possui cerca de 83 policiais divididos em 3 equipes táticas de serviço, mais os quadros de apoio. Estão equipados com armamento dedicado - submetraladoras HK MP5A3 e HK MP5SD6; fuzis Colt M-16, M-4, variante do FAL com luneta telescópica para tiro de precisão; espingardas em Calibre 12 (CBC); e equipamentos menos-letais(não letais). Dispõe ainda de dois robôs para desmantelar artefatos explosivos.



























Créditos das fotos: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #33 em: Dezembro 08, 2017, 06:35:03 pm »
Brigada Militar (Polícia Militar) do Rio Grande do Sul










































 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #34 em: Janeiro 31, 2018, 11:44:46 pm »
Policiais do COE-PMSP passam por treinamento com oficiais da Espanha


Citar
Policiais do Batalhão de Ações Especiais, do COE e do GATE da Polícia Militar passam por treinamento em intercâmbio com a Guarda Civil Espanhola, em Campinas, no interior de São Paulo.

Ao todo são 45 policiais que após o curso estarão aptos a agir em situações de maior gravidade, com foco no crime organizado. O treino é feito por cinco oficiais espanhóis do GAR, que é o Grupo de Ação Rápida da Espanha, que atua contra o terrorismo.

O capitão do Baep, André Luiz, explica que essa formação será importante em atuações como grandes roubos que aconteceram no estado de São Paulo.

Sem esse tipo treinamento, o capitão reconhece a falta de preparo dos policiais.

Há dois anos se buscava esse intercâmbio entre policiais para aperfeiçoamento. Segundo o capitão André Luiz, na Espanha foi encontrado o perfil mais adequado.

Valentin Villamayor que é tenente coronel e chefe do GAR da Guarda Civil Espanhola traz a percepção que tem do Brasil – um país com grande potencial, mas que tem a criminalidade como um empecilho para o desenvolvimento.

FONTE: http://www.portalcbncampinas.com.br/2017/07/policiais-passam-por-treinamento-com-oficiais-da-espanha-em-campinas/
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11689
  • Recebeu: 472 vez(es)
  • Enviou: 235 vez(es)
  • +78/-65
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #36 em: Maio 19, 2019, 09:18:48 pm »
Frente Parlamentar deseja mudar regulamento da Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro


Citar
Uma Frente Parlamentar, em defesa da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) será instalada nesta segunda-feira (20), na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), com o objetivo de aprovar um novo regulamento disciplinar da corporação.

“O regulamento atual da PMERJ é do ano de 1983. É preciso que haja um mais moderno, em que o policial tenha seus direitos preservados, sem permitir arbitrariedades dos comandantes em detrimento aos praças”, defende o deputado Renato Zaca.

Também vão ser discutidas as escalas de trabalho, o RAS compulsório, as condições de trabalho, o estado dos hospitais da PM, a revisão de atos administrativos e a promoções dos militares.

Além dos números da corporação, principalmente na relação entre oficiais (que na maior parte do tempo ficam dentro dos quartéis) e praças, que fazem o trabalho ostensivo nas ruas.

Foi apurado que há na Polícia Militar mais coronéis do que a legislação prevê. O número de sargentos também é grande, por conta da regra de promoção automática do policial militar. A PMERJ tem hoje 43.800 policiais na ativa, segundo a própria corporação.

Mesmo com a expectativa da entrada de três mil novos agentes até o fim do ano, a reclamação dos policiais é que há mais PMs oficiais do que praças. Em abril, 28 coronéis foram promovidos, com isso, segundo fontes, a corporação ficou com 118 coronéis, acima dos 77 que a legislação determina.

A PMERJ não confirmou esse número. Para um policial ser promovido, ele não precisa fazer um novo concurso, basta cumprir o tempo de serviço, de acordo com a patente, chamada de promoção automática, ou merecer.

Em 2018, os números da corporação mostravam que havia 15.200 sargentos e 11.894 cabos. O excedente de sargentos, segundo fontes, acaba fazendo com que eles façam serviços que não condizem com suas patentes.

Ano passado, o Gabinete de Intervenção Federal (GIF) fez um estudo para alterar as regras de promoção dos oficiais da PM, de forma a amenizar a queda do efetivo atuante nas ruas, e também para ajudar o caixa estadual, por conta dos salários maiores de acordo com a patente.

Altos salários oneram a folha e a Previdência estadual, já que o estado tem que contribuir com o dobro do valor que o militar contribui para Previdência. O governo respondeu que “o estudo feito pelo Gabinete de Intervenção Federal ainda está sendo analisado”.


FONTE: https://www.defesa.tv.br/frente-parlamentar-deseja-mudar-regulamento-da-policia-militar-do-estado-do-rio-de-janeiro/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #37 em: Junho 02, 2019, 10:30:42 pm »
Força Nacional e polícias vão receber 106 mil novas pistolas


Citar
É a primeira vez que pasta promove uma licitação desse porte; custo de R$ 444 milhões será dividido com governos estaduais

Aguirre Talento e Renata Mariz – O Globo

BRASÍLIA — O Ministério da Justiça e Segurança Pública prepara uma megalicitação para a aquisição de 106 mil pistolas , que serão distribuídas para a Força Nacional e a policiais civis e militares dos estados. É a primeira vez que o órgão promove uma licitação desse tipo, que prevê a participação de empresas estrangeiras e tem custo estimado de R$ 444 milhões. Parte das armas será bancada pelo governo federal e outro montante terá de ser adquirido diretamente pelas secretarias de Segurança Pública dos estados.

No último dia 9 de maio, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), órgão subordinado à pasta, promoveu uma audiência pública com a participação de representantes de empresas do setor para apresentar um modelo preliminar do edital de licitação, obtido pelo GLOBO. Na ocasião, a Senasp acolheu sugestões de alterações, que está analisando para confeccionar o edital definitivo, a ser lançado no segundo semestre.

O objeto da licitação descreve o produto a ser adquirido da seguinte forma: “pistolas de calibre 9x19mm com quatro carregadores e uma maleta”. Serão cinco lotes divididos por região, na seguinte quantidade: 15.414 para o Norte, 29.117 para o Nordeste, 34.965 para o Centro-Oeste, 4.560 para a região Sudeste e 22.480 para o Sul.

TROCA DE CALIBRE

O Ministério da Justiça prepara uma grande licitação para a compra de pistolas destinadas a suprir a demanda da Força Nacional e das polícias estaduais.


FONTE:  https://www.forte.jor.br/2019/05/28/forca-nacional-e-policias-vao-receber-106-mil-novas-pistolas/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #38 em: Junho 14, 2019, 01:34:32 pm »
Polícia Militar do Estado de São Paulo

4º BPChq - Batalhão de Operações Especiais - Comandos e Operações Especiais (COE) - PMESP / Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE)










 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #39 em: Junho 14, 2019, 01:38:19 pm »









 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #40 em: Junho 14, 2019, 01:41:32 pm »







 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #41 em: Junho 14, 2019, 01:43:33 pm »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11689
  • Recebeu: 472 vez(es)
  • Enviou: 235 vez(es)
  • +78/-65
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #43 em: Junho 21, 2019, 07:03:19 pm »
BCMS entrega a segunda viatura blindada para a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro


Até o final de julho mais quatro veículos serão entregues pelo Batalhão

Citar
Rio de Janeiro (RJ) - O Gabinete de Intervenção Federal (GIF), através do Batalhão Central de Manutenção e Suprimento (BCMS) entregou, no dia 21 de maio, à Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), o segundo Veículo Blindado de Transporte de Pessoal (Maverick). Serão entregues pelo Batalhão, até o final de julho, mais quatro veículos manutenidos.


A entrega contou com a presença do Comandante do BCMS, Tenente-coronel Mário Antônio Pinto Cavalcante, que destacou: "Esses veículos são fundamentais para as operações realizadas pela PMERJ e apoiam não somente o Comando de Operações Especiais (COE), mas também as tropas convencionais, além de  proporcionar mobilidade e proteção blindada, permitindo chegar rapidamente ao objetivo com maior segurança para os policiais".

FONTE: http://www.cml.eb.mil.br/ultimas-noticias/1737-bcms-entrega-a-segunda-viatura-blindada-para-a-pmerj.html

 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5211
  • Recebeu: 493 vez(es)
  • Enviou: 352 vez(es)
  • +3400/-2532
Re: Polícias Militares e Polícias Civis Brasileiras
« Responder #44 em: Junho 26, 2019, 09:01:59 pm »
Polícia Militar de São Paulo lança edital para compra de arsenal variado


Citar
A Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) está lançando no Brasil e no exterior editais para a compra de arsenal variado, entre os quais 40 mil pistolas calibre .40, 1.300 fuzis calibres 5.56 e 7.62, dois fuzis de sniper (atirador de precisão) e 10 metralhadoras leves de calibre 7.62 mm.

Os equipamentos deverão ser entregues até o final de 2020 e custarão aproximadamente R$ 108,9 milhões. As informações foram dadas pelo secretário-executivo da PM junto à Secretaria de Segurança Pública, coronel Álvaro Camilo.

A PMSP não compra metralhadoras há mais de 60 anos. Elas serão usadas para a proteção de presídios e o combate a ataques a carros-fortes e empresas de transporte de valores.

“Não há restrição do Exército Brasileiro (EB) para a PMESP comprar metralhadora. Então, por que a PM não comprou mais metralhadora? Porque não é uma arma comum, que você precisa para ser utilizada a todo momento. Em tese, metralhadora é para dar rajada. Para você comprar metralhadora e usar como intermitente, está perdendo, porque ela é mais cara. Melhor você comprar um fuzil”, explica Camilo.

Entre os modelos de metralhadoras leves que poderão participar da concorrência, cuja previsão de publicação é agosto, estão alguns modelos preferidos pelos policiais paulistas, como a FN Minimi (utilizada pelas Forças Armadas brasileiras), a M249, a Heckler & Koch MG4 e a Negev NG7.


Fuzil que abate helicóptero

Todo este material já tem autorização pelo EB para ser adquirido, mas a corporação quer mais: pretende convencer os militares de que precisa comprar fuzis de calibres .30 e .50, restritos das Forças Armadas (FA), mas que são usados por criminosos, podendo perfurar veículos blindados, destruir paredes e até abater helicópteros.

Em 2010, a PMESP tentou comprar os fuzis de calibre .30 e .50, mas o EB não deixou. No entanto, diante da possibilidade de o Primeiro Comando da Capital (PCC) resgatar presidiários que estavam em unidades prisionais no interior do estado, o EB emprestou por 6 meses estes fuzis e treinou policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) para operar o equipamento.

A divulgação do plano de resgate da facção levou à interdição temporária do aeroporto da cidade de Presidente Venceslau, que abriga um presídio onde estava a alta cúpula do PCC, para evitar qualquer ação criminosa. Consequentemente, houve a transferência de detentos para penitenciárias federais em fevereiro de 2019.

“Na verdade, a PMESP já usou estes fuzis .30 e .50 por empréstimo e autorização do EB (neste período em que havia o risco de resgate da facção). As armas ficaram de sobreaviso do final do ano passado até março, abril deste ano. Tivemos um treinamento com a Rota no interior, preparando-se para caso precisasse usar. Foi devolvido, mas a qualquer momento podemos pegar novamente, pois existe uma interação muito forte com o Exército”, afirma o coronel.

“E a ideia agora é a polícia partir também para a compra deste equipamento para ocorrências mais graves, como assaltos a empresas de valores e carros-fortes. Não está prevista agora (a compra dos fuzis .30 e .50), estamos estudando como poderemos fazer”, salientou Camilo.

“Infelizmente, é importante a polícia ter este tipo de armamento não só em São Paulo, como em outros estados, para fazer frente a uma necessidade mais específica do crime”, disse ele.

“Primeiro, é para a criminalidade saber que a polícia tem (estas armas). E que, se precisar, ela pode usar. A ideia é se preparar para caso precisar usar. Não é intenção da polícia usar estes fuzis no dia a dia, mas em uma situação super excepcional, como foi o que aconteceu (quando havia a suspeita de resgate)”, disse o secretário-executivo.

Licitação internacional

Segundo Camilo, o governador João Doria, autorizou a compra de 40 mil pistolas semiautomáticas, sendo que pelo menos 8 mil devem ser entregues até dezembro. A licitação está sendo divulgada em outros países e tem previsão de publicação no Diário Oficial do Estado em 10 de julho, com a assinatura do contrato em novembro.

Há dois anos a PMESP fez a primeira licitação internacional para a compra de pistolas, quando a fabricante austríaca Glock sagrou-se vencedora. Até então, o monopólio do mercado pertencia à brasileira Taurus.

Isso acabou quando o armamento nacional passou a apresentar problemas, como disparos acidentais. “A PMESP compra Taurus porque não podia comprar outra arma, a verdade é esta. Sempre se tentou comprar outras”, salientou Camilo.

A partir do problema em São Paulo, o EB passou a autorizar as polícias de todo o Brasil a comprar pistolas do exterior. A Glock, já utilizada pela Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), sagrou-se vencedora em muitas licitações.

“A polícia vai investir pesado em armamento. Queríamos comprar armamento de fora, mas, por uma questão legal, não era permitido. Agora, com todos estes problemas que aconteceram com a empresa Taurus (inclusive, foi feita uma aquisição de quase 5 mil metralhadoras, que apresentaram problemas e foram recolhidas) o EB autorizou a compra internacional de armas”, disse Camilo.

Sobre o fato de os policiais passarem a usar nas ruas diferentes tipos de pistolas (alguns com Taurus, outros com Glock, e outros com outros tipos, que poderão ser adquiridos na nova licitação), o oficial diz não haver problema.

“Não existe padronização neste caso. Eu posso comprar armas que atendam aos requisitos específicos. Qualquer marca pode entrar nesta licitação, e há outras marcas, que não a Glock. Claro que há a probabilidade da Glock ganhar. Mas há outras empresas internacionais que poderão participar de igual para igual, e irão brigar pelo preço”, defendeu o secretário-executivo.

FONTE:  https://www.defesa.tv.br/policia-militar-de-sao-paulo-lanca-edital-para-compra-de-arsenal-variado/?fbclid=IwAR2tuHydN4d1ODXSyTvKuQYP6_f4J-J_36_JfMsHo3oDkpmP2DAiUE6ZXV0