Notícias da FAP

  • 881 Respostas
  • 225800 Visualizações
*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 8676
  • Recebeu: 4016 vez(es)
  • Enviou: 2819 vez(es)
  • +3982/-539
Re: Notícias da FAP
« Responder #840 em: Maio 26, 2021, 02:14:14 pm »

The EU Defence Agency Inzpire Limited MTD (Helicopter Mission Training Device) helicopter tactical flight simulator will be formally inaugurated on 26 May. The MHTC is located at the Air Base No. 1 in Sintra.



https://twitter.com/Defence360/status/1397266138753609736/photo/1

Abraços




Quando um Povo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9022
  • Recebeu: 1315 vez(es)
  • Enviou: 1454 vez(es)
  • +185/-61
Re: Notícias da FAP
« Responder #841 em: Maio 28, 2021, 05:03:22 pm »
Penso que ainda não foi colocada esta notícia no fórum.
https://www.facebook.com/277993702401379/posts/1661201310747271/
 

*

LM

  • Investigador
  • *****
  • 1841
  • Recebeu: 515 vez(es)
  • Enviou: 1649 vez(es)
  • +306/-16
Re: Notícias da FAP
« Responder #842 em: Maio 28, 2021, 05:37:19 pm »
O MHTC (Multinational Helicopter Training Centre), para além de ser a "base logística" (em um sitio bonito, já que moro aqui posso ser parcial) é o quê? Tem um simulador, mas os simuladores não têm que ser referentes aos aparelhos que os alunos vão voar? E os aparelhos, os "alunos" trazem os seus?
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Subsea7

*

Subsea7

  • Membro
  • *
  • 180
  • Recebeu: 63 vez(es)
  • Enviou: 126 vez(es)
  • +140/-129
Re: Notícias da FAP
« Responder #843 em: Junho 11, 2021, 07:43:05 pm »
O MHTC (Multinational Helicopter Training Centre), para além de ser a "base logística" (em um sitio bonito, já que moro aqui posso ser parcial) é o quê? Tem um simulador, mas os simuladores não têm que ser referentes aos aparelhos que os alunos vão voar? E os aparelhos, os "alunos" trazem os seus?

Only simulator...
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9022
  • Recebeu: 1315 vez(es)
  • Enviou: 1454 vez(es)
  • +185/-61
Re: Notícias da FAP
« Responder #844 em: Junho 11, 2021, 08:01:17 pm »
Já sou eu a inventar mas, não é possível um simulador que simule diferentes tipos de helicóptero?

Se for tudo ecrãs tacteis, é ter software que faça isso.
« Última modificação: Junho 11, 2021, 08:02:33 pm por Lightning »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 8676
  • Recebeu: 4016 vez(es)
  • Enviou: 2819 vez(es)
  • +3982/-539
Re: Notícias da FAP
« Responder #845 em: Junho 11, 2021, 09:12:22 pm »
Já sou eu a inventar mas, não é possível um simulador que simule diferentes tipos de helicóptero?

Se for tudo ecrãs tacteis, é ter software que faça isso.

Não, não é!!!!
Talvez daqui a uns dez anos.......

Abraços


Quando um Povo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 10853
  • Recebeu: 1722 vez(es)
  • Enviou: 4710 vez(es)
  • +278/-136
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Notícias da FAP
« Responder #846 em: Junho 11, 2021, 10:26:19 pm »
Já sou eu a inventar mas, não é possível um simulador que simule diferentes tipos de helicóptero?

Se for tudo ecrãs tacteis, é ter software que faça isso.

Não, não é!!!!
Talvez daqui a uns dez anos.......

Abraços

Tenho a ideia que esses são os mais básicos. É tudo no computador com ecrãs ou RV.

Agora simuladores a sério para o nível de um centro destes devem replicar todos os comandos da aeronave e outras capacidades.





É só escolher.


https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7375
  • Recebeu: 740 vez(es)
  • Enviou: 269 vez(es)
  • +821/-11
Re: Notícias da FAP
« Responder #847 em: Junho 16, 2021, 10:26:05 pm »
 :o Aquisição de gravador de chamadas telefónicas   Estado Maior da Força Aérea   MRA Instrumentação, S.A.   15.167,00 €   06-06-2021https://www.base.gov.pt/Base4/pt/detalhe/?type=contratos&id=7696521
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 5274
  • Recebeu: 1638 vez(es)
  • Enviou: 412 vez(es)
  • +342/-244
Re: Notícias da FAP
« Responder #848 em: Junho 16, 2021, 10:41:53 pm »
Gravador de chamadas topo de gama esse. Personalizado talvez? Quiçá banhado a ouro?  ::)
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 10853
  • Recebeu: 1722 vez(es)
  • Enviou: 4710 vez(es)
  • +278/-136
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Notícias da FAP
« Responder #849 em: Junho 16, 2021, 11:18:56 pm »
E deve ter envio directo para o SIS...

Vocês andam a ligar para lá a reclamar ou quê??  :mrgreen:
https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 6917
  • Recebeu: 1813 vez(es)
  • Enviou: 810 vez(es)
  • +3464/-2519
Re: Notícias da FAP
« Responder #850 em: Junho 17, 2021, 11:46:29 am »
Deve vir incluído com "secretária" e respectiva "manutenção"... :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:



Cumprimentos  :mrgreen: :mrgreen:

P.S.


Citar
Esquadra Falcões 201 está em Montanha do Pico.
13 h  ·
🇵🇹 Termina hoje a Operação Atlântida 2021. Um Destacamento Aéreo das Esquadras @201_falcoes e @301_jaguares .
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2514
  • Recebeu: 1241 vez(es)
  • Enviou: 579 vez(es)
  • +2141/-775
Re: Notícias da FAP
« Responder #851 em: Junho 17, 2021, 04:50:33 pm »
Força Aérea na missão das Nações Unidas no Mali
Entrevista do CEMGFA

Em 2021, Portugal honra, uma vez mais, os compromissos assumidos com a ONU, tendo empenhado no Mali, desde 15 de maio e por seis meses, uma aeronave de transporte C295M e 65 militares da FAP.

A República do Mali tem sido afetada por uma crise com graves consequências políticas, económicas, sociais e de segurança. Em 2013, para conter tais efeitos, a Organização das Nações Unidas estabeleceu uma operação de apoio à paz, na qual a Força Aérea Portuguesa (FAP) realiza missões de transporte aéreo, evacuações aeromédicas e lançamento aéreo de ajuda humanitária.

A operação de paz, denominada Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para Estabilização do Mali (MINUSMA), foi mandatada para apoiar a restauração da governação democrática e da ordem constitucional no Mali, monitorizar os acordos de cessar-fogo e a reconciliação entre o governo e os grupos armados, bem como promover os direitos humanos, a assistência humanitária e os projetos de estabilização.

A intervenção inicial das Nações Unidas no Mali permitiu que a situação no terreno evoluísse favoravelmente até ao final de 2013. Todavia, a instabilidade e a insegurança intensificaram-se em 2014, em parte pelo recrudescimento dos atentados terroristas, da violência indiscriminada e dos raptos. Estas ações motivaram um significativo número de baixas entre a população e nos militares das Nações Unidas. Para além disso, colocaram em perigo as deslocações por via terrestre e afetaram a distribuição de ajuda humanitária. Nestas circunstâncias, face ao sentimento generalizado de insegurança e ao agravamento das condições humanitárias, foi necessário reforçar o empenhamento de meios aéreos de transporte, essenciais para cumprir o mandato das Nações Unidas.

Foi neste contexto que, em 2014, Portugal passou a atribuir um destacamento aéreo à MINUSMA, por períodos de 3 a 6 meses, nos quais têm sido empenhadas aeronaves de transporte C-130H e C-295M da FAP, que já realizaram quatro missões no Mali.

Em 1 de setembro de 2014 iniciou-se o primeiro empenhamento na MINUSMA. A complexidade deste teatro de operações, bem como a crescente instabilidade e insegurança, obrigaram à preparação meticulosa da projeção de 47 militares da FAP e de uma aeronave C-130H, da Esquadra 501 “Bisontes”. Durante 3 meses foram realizadas 249 horas de voo, em 42 missões de transporte aéreo de passageiros e carga, incluindo uma evacuação aeromédica. Este empenhamento permitiu operacionalizar, pela primeira vez, uma estrutura de comando e controlo para a adequada articulação do destacamento aéreo com o Estado-Maior-General das Forças Armadas e com a MINUSMA. A força regressou a Portugal no dia 30 de novembro de 2014, com o seu contributo para a estabilização do Mali reconhecido publicamente pelas Nações Unidas.

Em 12 de janeiro de 2015, 41 militares da FAP, 6 do Exército e uma aeronave C-295M, da Esquadra 502 “Elefantes”, integraram o segundo destacamento aéreo nacional atribuído à MINUSMA. Este empenhamento englobou operações aéreas de transporte de passageiros e carga, a partir do aeroporto internacional Modibo Keita, e o lançamento aéreo de ajuda humanitária, realizado com o apoio da Equipa de Abastecimento Aéreo do Exército. Dada a exigência das missões, muitas das quais realizadas em condições climatéricas adversas, em 15 de março de 2015 foi efetuada a rendição do destacamento aéreo, desta vez com o empenhamento de uma aeronave C-130H. Em quatro meses de missão ao serviço das Nações Unidas no Mali, a FAP realizou 299 horas de voo, em 52 missões de transporte de passageiros e carga, incluindo um lançamento aéreo de ajuda humanitária.



Em 2015, a situação securitária no Mali agravou-se novamente, como consequência dos atentados terroristas ocorridos em Bamako, que obrigaram à reavaliação do empenhamento dos meios aéreos de transporte das Nações Unidas, procurando soluções mais robustas para fomentar a segurança e a cooperação neste complexo teatro de operações. Em consequência, as autoridades norueguesas propuseram às Nações Unidas a celebração de um acordo, entre a Bélgica, a Dinamarca, a Suécia e Portugal, para a utilização do campo militar Bifrost, em Bamako, construído pela Noruega em 2013. Com o intuito de prestar apoio aos militares de várias nacionalidades ao serviço da MINUSMA e de criar um centro de operações de aeronaves de transporte, em regime de rotação semestral de destacamentos aéreos, foi obtida a aprovação política dos cinco países para se operar, continuamente, a partir da capital do Mali, assegurando o transporte de passageiros e carga, as evacuações aeromédicas e o lançamento aéreo de ajuda humanitária.

Assim, o terceiro empenhamento da FAP na MINUSMA, que ocorreu de 27 de novembro de 2016 a 26 de maio de 2017, foi já realizado ao abrigo deste novo acordo, ao qual se seguiriam os destacamentos dinamarquês e sueco, garantindo, desta forma, a presença contínua de aeronaves de transporte no Mali. Durante seis meses o destacamento aéreo nacional, composto por 60 militares da FAP, 6 do Exército e uma aeronave C-130H, assumiu, pela primeira vez, o comando do campo Bifrost. O empenhamento nacional englobou a realização de operações aéreas de transporte de passageiros e carga, evacuações aeromédicas e lançamento aéreo de ajuda humanitária, contando, este último, com o apoio da Equipa de Abastecimento Aéreo do Exército. À data de regresso a Portugal tinham sido realizadas 450 horas de voo, em 78 missões, tendo as Nações Unidas realçado o profissionalismo e o desempenho dos militares portugueses.

A 1 de julho de 2020 teve início o empenhamento de um novo destacamento aéreo, a partir do campo Bifrost, desta vez constituído por 63 militares da FAP e uma aeronave de transporte C-295M. Num ambiente securitário débil, devido a ataques terroristas recentes, foi efetuado o transporte aéreo de passageiros e carga, bem como algumas evacuações aeromédicas. Para isso realizaram 232 horas de voo, em 45 missões, nos seis meses de operação.



Embora a instabilidade no Mali fosse constante, os militares portugueses permaneceram seguros e focados no cumprimento do mandato da MINUSMA. O seu regresso a Portugal ocorreu no dia 31 de dezembro de 2020, tendo vivenciado um Natal maliano diferente, longe das suas famílias, mas com uma vincada satisfação de missão cumprida. Este sentimento foi reforçado pela visita do Ministro da Defesa Nacional aos militares portugueses destacados em África, na qual expressou o amplo reconhecimento do país e da comunidade internacional, pelo trabalho que tem sido desenvolvido pela FAP no Mali.

Em 2021 Portugal honra, uma vez mais, os compromissos assumidos com as Nações Unidas, tendo empenhado no Mali, desde 15 de maio e por um período de 6 meses, uma aeronave de transporte C295M e 65 militares da FAP, para assegurarem o transporte aéreo, as evacuações aeromédicas e o lançamento aéreo de ajuda humanitária.

O contributo para a segurança europeia, através do empenhamento militar em África, constitui uma prioridade da política de defesa nacional. Por isso, a defesa avançada face ao terrorismo, que não respeita fronteiras, beneficia do empenhamento da FAP na MINUSMA, em mais um relevante contributo de Portugal para a estabilização do Mali e da região do Sahel, essencial à segurança da Europa.

https://observador.pt/opiniao/forca-aerea-na-missao-das-nacoes-unidas-no-mali/
 

*

redkukulkane

  • Membro
  • *
  • 118
  • Recebeu: 40 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +6/-11
Re: Notícias da FAP
« Responder #852 em: Julho 15, 2021, 01:50:54 pm »
26 lotes de peças do F-16,C-130,P3,vão para hasta publica. c56x1

Despacho n.º 6976/2021
 Publicação: Diário da República n.º 136/2021, Série II de 2021-07-15
 Emissor:Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
 Tipo de Diploma:Despacho
 Parte:C - Governo e Administração direta e indireta do Estado
 Número:6976/2021
 Páginas:61 - 61
 Versão pdf: Descarregar
SUMÁRIO
Alienação a título oneroso de 26 lotes de material sobressalente dos sistemas de armas F-16, C-130 e P-3

TEXTO
Despacho n.º 6976/2021

Sumário: Alienação a título oneroso de 26 lotes de material sobressalente dos sistemas de armas F-16, C-130 e P-3.

Considerando que a Força Aérea Portuguesa manifestou a intenção de proceder à alienação de material sobressalente de três sistemas de armas organizados em 16 (dezasseis) lotes de componentes F-16, 6 (seis) lotes de componentes C-130 e 4 (quatro) lotes de componentes P-3, em estado utilizável ou reparável, não necessário à mobilização das Forças Armadas;

Considerando a necessidade de se proceder com celeridade à alienação dos referidos bens, sob pena da sua contínua depreciação e consequente prejuízo para o erário público e interesse nacional;

Considerando que, conforme previsto no artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 48/89, de 22 de fevereiro, com a redação dada pelo Decreto-Lei n.º 223/92, de 20 de outubro, o Conselho de Chefes de Estado-Maior emitiu parecer favorável à alienação de uma lista de material de guerra das aeronaves F-16, C-130 e P-3, incluindo os lotes agora em alienação;

Nos termos e ao abrigo do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 48/89, de 22 de fevereiro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 223/92, de 20 de outubro, que disciplina a alienação de material de guerra, naval, terrestre ou aéreo, e demais equipamentos militares desnecessários às Forças Armadas, determino o seguinte:

1 - Autorizo a abertura do procedimento para a alienação, a título oneroso, de 16 (dezasseis) lotes de componentes F-16, 6 (seis) lotes de componentes C-130 e 4 (quatro) lotes de componentes P-3 em estado utilizável ou reparável da Força Aérea Portuguesa, mediante a adoção do procedimento do tipo hasta pública com negociação, previsto no n.º 2 do artigo 266.º-C do Código dos Contratos Públicos, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de janeiro, na sua redação atual, aplicável com as necessárias adaptações.

2 - Delego no diretor-geral de Recursos da Defesa Nacional, Dr. Vasco Manuel Dias Costa Hilário, a competência para a prática de todos os atos necessários à condução e supervisão do procedimento de alienação até à sua conclusão, incluindo a competência para nomeação do júri do procedimento, aprovação das peças do procedimento, adjudicação, aprovação da minuta e outorga do contrato, nos termos do disposto nos artigos 44.º a 50.º do Código de Procedimento Administrativo, aprovado em anexo ao Decreto-Lei n.º 4/2015, de 7 de janeiro, na sua redação atual, e do artigo 109.º do Código dos Contratos Públicos, aplicável com as necessárias adaptações.

3 - Nos termos do disposto nos artigos 44.º a 50.º do Código de Procedimento Administrativo e do artigo 109.º do Código dos Contratos Públicos, aplicável com as necessárias adaptações, delego no General Joaquim Manuel Nunes Borrego, Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, com faculdade de subdelegação, as competências necessárias para o acompanhamento e fiscalização da execução do contrato.

4 - Autorizo a consignação do produto da venda, a dar entrada nos cofres do Estado, para inscrição ou reforço das verbas afetas à Força Aérea, considerando o disposto no artigo 5.º do Decreto-Lei n.º 48/89, de 22 de fevereiro, com a redação dada pelo Decreto-Lei n.º 223/92, de 20 de outubro.

5 - O presente despacho produz efeitos na data da sua assinatura.

6 de julho de 2021. - O Ministro da Defesa Nacional, João Titterington Gomes Cravinho.
 

*

oi661114

  • Perito
  • **
  • 349
  • Recebeu: 81 vez(es)
  • Enviou: 391 vez(es)
  • +28/-330
Re: Notícias da FAP
« Responder #853 em: Julho 16, 2021, 09:55:09 pm »
26 lotes de peças do F-16,C-130,P3,vão para hasta publica. c56x1

Despacho n.º 6976/2021
 Publicação: Diário da República n.º 136/2021, Série II de 2021-07-15
 Emissor:Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
 Tipo de Diploma:Despacho
 Parte:C - Governo e Administração direta e indireta do Estado
 Número:6976/2021
 Páginas:61 - 61
 Versão pdf: Descarregar
SUMÁRIO
Alienação a título oneroso de 26 lotes de material sobressalente dos sistemas de armas F-16, C-130 e P-3

TEXTO
Despacho n.º 6976/2021

Sumário: Alienação a título oneroso de 26 lotes de material sobressalente dos sistemas de armas F-16, C-130 e P-3.

Considerando que a Força Aérea Portuguesa manifestou a intenção de proceder à alienação de material sobressalente de três sistemas de armas organizados em 16 (dezasseis) lotes de componentes F-16, 6 (seis) lotes de componentes C-130 e 4 (quatro) lotes de componentes P-3, em estado utilizável ou reparável, não necessário à mobilização das Forças Armadas;

Considerando a necessidade de se proceder com celeridade à alienação dos referidos bens, sob pena da sua contínua depreciação e consequente prejuízo para o erário público e interesse nacional;

Considerando que, conforme previsto no artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 48/89, de 22 de fevereiro, com a redação dada pelo Decreto-Lei n.º 223/92, de 20 de outubro, o Conselho de Chefes de Estado-Maior emitiu parecer favorável à alienação de uma lista de material de guerra das aeronaves F-16, C-130 e P-3, incluindo os lotes agora em alienação;

Nos termos e ao abrigo do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 48/89, de 22 de fevereiro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 223/92, de 20 de outubro, que disciplina a alienação de material de guerra, naval, terrestre ou aéreo, e demais equipamentos militares desnecessários às Forças Armadas, determino o seguinte:

1 - Autorizo a abertura do procedimento para a alienação, a título oneroso, de 16 (dezasseis) lotes de componentes F-16, 6 (seis) lotes de componentes C-130 e 4 (quatro) lotes de componentes P-3 em estado utilizável ou reparável da Força Aérea Portuguesa, mediante a adoção do procedimento do tipo hasta pública com negociação, previsto no n.º 2 do artigo 266.º-C do Código dos Contratos Públicos, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de janeiro, na sua redação atual, aplicável com as necessárias adaptações.

2 - Delego no diretor-geral de Recursos da Defesa Nacional, Dr. Vasco Manuel Dias Costa Hilário, a competência para a prática de todos os atos necessários à condução e supervisão do procedimento de alienação até à sua conclusão, incluindo a competência para nomeação do júri do procedimento, aprovação das peças do procedimento, adjudicação, aprovação da minuta e outorga do contrato, nos termos do disposto nos artigos 44.º a 50.º do Código de Procedimento Administrativo, aprovado em anexo ao Decreto-Lei n.º 4/2015, de 7 de janeiro, na sua redação atual, e do artigo 109.º do Código dos Contratos Públicos, aplicável com as necessárias adaptações.

3 - Nos termos do disposto nos artigos 44.º a 50.º do Código de Procedimento Administrativo e do artigo 109.º do Código dos Contratos Públicos, aplicável com as necessárias adaptações, delego no General Joaquim Manuel Nunes Borrego, Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, com faculdade de subdelegação, as competências necessárias para o acompanhamento e fiscalização da execução do contrato.

4 - Autorizo a consignação do produto da venda, a dar entrada nos cofres do Estado, para inscrição ou reforço das verbas afetas à Força Aérea, considerando o disposto no artigo 5.º do Decreto-Lei n.º 48/89, de 22 de fevereiro, com a redação dada pelo Decreto-Lei n.º 223/92, de 20 de outubro.

5 - O presente despacho produz efeitos na data da sua assinatura.

6 de julho de 2021. - O Ministro da Defesa Nacional, João Titterington Gomes Cravinho.

Ao ponto que já chegámos! Vender peças para puder ter verbas...

 ::)
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 10853
  • Recebeu: 1722 vez(es)
  • Enviou: 4710 vez(es)
  • +278/-136
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Notícias da FAP
« Responder #854 em: Julho 17, 2021, 12:06:13 am »
Então? Era melhor mandar para a sucata?
A alienação de material excedentário não é de agora e é comum em praticamente todas as FA.
https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."