Programa de substituição do C-130

  • 2336 Respostas
  • 428726 Visualizações
*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4300
  • Recebeu: 3744 vez(es)
  • Enviou: 2308 vez(es)
  • +5003/-2489
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2250 em: Novembro 12, 2021, 11:31:32 am »
A400M da Luftwaffe esta semana em Tancos. 8)



o nosso " 03 " tem feito horas de voo que é mato.
Não há uma única semana, que pelo menos uma vez, não escale o AT1.
Um segundo C operacional, fazia muito jeito, mas melhor só mesmo um par de Atlas ao serviço da FAP !!!

Abraços

Não quero estar a exagerar, mas penso ver o 16803 quase todos os dias a passar de um lado para o outro, até ao fim-de-semana. Bela quantidade de horas deve estar aquela célula a acumular. E continuo convicto que um par de A400M na FAP será somente uma questão de tempo. ;)

Este Atlas 54+29 tem estado em Tancos a apoiar o treino de pára-quedistas germânicos, juntamente com 2 PZL M-28 Skytruck, embora curiosamente se encontre estacionado no aeroporto do Porto. 
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"I'll miss the sea, but a person needs new experiences. They jar something deep inside, allowing him to grow. Without change something sleeps inside us, and seldom awakens. The sleeper must awaken."
Duke Leto Atreides (Dune, Frank Herbert)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente

*

Subsea7

  • Analista
  • ***
  • 754
  • Recebeu: 559 vez(es)
  • Enviou: 920 vez(es)
  • +1287/-1410
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2251 em: Novembro 12, 2021, 11:35:20 am »
A400M da Luftwaffe esta semana em Tancos. 8)



o nosso " 03 " tem feito horas de voo que é mato.
Não há uma única semana, que pelo menos uma vez, não escale o AT1.
Um segundo C operacional, fazia muito jeito, mas melhor só mesmo um par de Atlas ao serviço da FAP !!!

Abraços

Não quero estar a exagerar, mas penso ver o 16803 quase todos os dias a passar de um lado para o outro, até ao fim-de-semana. Bela quantidade de horas deve estar aquela célula a acumular. E continuo convicto que um par de A400M na FAP será somente uma questão de tempo. ;)

Este Atlas 54+29 tem estado em Tancos a apoiar o treino de pára-quedistas germânicos, juntamente com 2 PZL M-28 Skytruck, embora curiosamente se encontre estacionado no aeroporto do Porto.

Boa tarde,
O que o leva a dizer isso ?
Cps,
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4300
  • Recebeu: 3744 vez(es)
  • Enviou: 2308 vez(es)
  • +5003/-2489
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2252 em: Novembro 12, 2021, 11:53:15 am »
Boa tarde,
O que o leva a dizer isso ?
Cps,

A dizer o quê, concretamente?
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"I'll miss the sea, but a person needs new experiences. They jar something deep inside, allowing him to grow. Without change something sleeps inside us, and seldom awakens. The sleeper must awaken."
Duke Leto Atreides (Dune, Frank Herbert)
 

*

Subsea7

  • Analista
  • ***
  • 754
  • Recebeu: 559 vez(es)
  • Enviou: 920 vez(es)
  • +1287/-1410
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2253 em: Novembro 12, 2021, 11:55:04 am »
Boa tarde,
O que o leva a dizer isso ?
Cps,

A dizer o quê, concretamente?

O par de A-400M para a FA.
Cps,
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4300
  • Recebeu: 3744 vez(es)
  • Enviou: 2308 vez(es)
  • +5003/-2489
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2254 em: Novembro 12, 2021, 12:20:32 pm »
O par de A-400M para a FA.
Cps,

É uma convicção que tenho, apenas isso. É certo e sabido que o KC-390 Millennium não tem pernas muito longas, nem uma capacidade de carga por aí além se comparado com o Hércules, e pese embora o Afeganistão tenha deixado de ser um destino para missões expedicionárias, outras missões em outros cenários e outros continentes tornam uma aeronave como o A400M indispensável, ou pelo menos recomendada, nos dias de hoje. E sem estar a falar em algo como um A330 MRTT que, esse sim, seria ouro sobre azul para um leque enorme de missões, actuais e futuras.

Há 2 clientes que possuem células em excesso e já informaram a Airbus que as pretendem alienar: Espanha e Alemanha, logo é uma questão de haver vontade, antes de mais nada, e depois tentar-se um bom negócio ou estar atento a uma oportunidade. Continuamos sem qualquer aeronave com capacidade estratégica, mais tarde ou mais cedo terá de ser algo adereçado se não nos quisermos tornar ainda mais irrelevantes, tanto a nível nacional como em relação às organizações às quais pertencemos. E pese embora o Atlas não seja indicado ou destinado ao combate de FF, o conceito de duplo-uso tão querido aos nossos governantes e chefias seguidistas pode ser aqui aplicado pela capacidade que este aparelho tem para transportar e/ou evacuar pessoal e carga em situação de socorro a catástrofes, por exemplo, entre tantos outros cenários possíveis.

Os problemas de juventude deste sistema de armas estão a ser colmatados, a taxa de operacionalidade/prontidão constantemente a subir, e o A400M é uma visão cada vez mais comum nos nossos céus, veja-se o caso da evacuação de Kabul em Agosto. E é por essa razão que digo que ver um par de A400M na FAP, lá para o final desta década após o phase-out dos C-130, é um cenário que faz todo o sentido... embora tal não signifique que se venha a concretizar, obviamente. If wishes were horses...  ::)
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"I'll miss the sea, but a person needs new experiences. They jar something deep inside, allowing him to grow. Without change something sleeps inside us, and seldom awakens. The sleeper must awaken."
Duke Leto Atreides (Dune, Frank Herbert)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, tenente

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 7400
  • Recebeu: 2335 vez(es)
  • Enviou: 910 vez(es)
  • +3977/-4667
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2255 em: Novembro 12, 2021, 01:34:52 pm »
De repente lembrei-me que os boches ainda não pagaram as dívidas de guerra aqui aos tugas...  :mrgreen:



https://expresso.pt/blogues/blogue_paulo_gaiao/alemanha-deve-23-mil-milhoes-de-euros-a-portugal-por-indemnizacoes-da-i-guerra=f799714

Citar
O historiador Filipe Ribeiro de Meneses recorda que o Tratado de Versalhes fixou em cerca de mil milhões de marcos-ouro o valor a pagar pela Alemanha a Portugal.

Porém, "pouco deste dinheiro entrou nos cofres do Estado devido às sucessivas revisões da dívida alemã" adianta o historiador.

Saudações  :mrgreen: :mrgreen:
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1983
  • Recebeu: 346 vez(es)
  • Enviou: 456 vez(es)
  • +33/-44
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2256 em: Novembro 12, 2021, 03:17:28 pm »
É uma convicção que tenho, apenas isso. É certo e sabido que o KC-390 Millennium não tem pernas muito longas, nem uma capacidade de carga por aí além se comparado com o Hércules, e pese embora o Afeganistão tenha deixado de ser um destino para missões expedicionárias, outras missões em outros cenários e outros continentes tornam uma aeronave como o A400M indispensável, ou pelo menos recomendada, nos dias de hoje. E sem estar a falar em algo como um A330 MRTT que, esse sim, seria ouro sobre azul para um leque enorme de missões, actuais e futuras.



Entretanto, hoje foi renovado por mais cinco anos o contrato entre a NSPA e a Antonov para o uso de An-124 no SALIS.

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Subsea7

  • Analista
  • ***
  • 754
  • Recebeu: 559 vez(es)
  • Enviou: 920 vez(es)
  • +1287/-1410
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2257 em: Novembro 12, 2021, 03:28:38 pm »
É uma convicção que tenho, apenas isso. É certo e sabido que o KC-390 Millennium não tem pernas muito longas, nem uma capacidade de carga por aí além se comparado com o Hércules, e pese embora o Afeganistão tenha deixado de ser um destino para missões expedicionárias, outras missões em outros cenários e outros continentes tornam uma aeronave como o A400M indispensável, ou pelo menos recomendada, nos dias de hoje. E sem estar a falar em algo como um A330 MRTT que, esse sim, seria ouro sobre azul para um leque enorme de missões, actuais e futuras.



Entretanto, hoje foi renovado por mais cinco anos o contrato entre a NSPA e a Antonov para o uso de An-124 no SALIS.

Cumprimentos,

Para que comprar A-400M ?
O mesmo se passa com A-330MRTT, vocês sonham aqui.
As Forças Armadas não possuem nem há intenções que possuam qualquer capacidade acrescida as atuais, as quais se consideram mais que suficientes, pois o único objetivo a médio prazo é aprontar FNDs e garantir equipamento mínimo para as mesmas, assim como os mínimos NATO, (dos mínimos).
O resto é para cair de podre...
Ups, já falei mais do que devia....
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4866
  • Recebeu: 560 vez(es)
  • Enviou: 441 vez(es)
  • +324/-1769
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2258 em: Novembro 12, 2021, 03:30:55 pm »
Falar não falaste de mais, isto é evidente em todos os departamentos públicos!
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4300
  • Recebeu: 3744 vez(es)
  • Enviou: 2308 vez(es)
  • +5003/-2489
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2259 em: Novembro 12, 2021, 06:00:20 pm »
Para que comprar A-400M ?
O mesmo se passa com A-330MRTT, vocês sonham aqui.
As Forças Armadas não possuem nem há intenções que possuam qualquer capacidade acrescida as atuais, as quais se consideram mais que suficientes, pois o único objetivo a médio prazo é aprontar FNDs e garantir equipamento mínimo para as mesmas, assim como os mínimos NATO, (dos mínimos).
O resto é para cair de podre...
Ups, já falei mais do que devia....

Claro que não, para quê não é? O nível de ambição que graça na Defesa Nacional só nos permite mesmo sonhar, nada mais do que isso, e ainda assim... e enquanto essa cultura continuar a ser perpetuada, vamos continuar a assistir de forma triste ao colapso das Forças Armadas Portuguesas, ao estado de irrelevância da instituição em cujo os portugueses mais confia(va)m.

Assiste-se no mundo actualmente a um esforço colectivo de reequipamento, mais até do que propriamente de armamento, e Portugal vai seguindo no sentido oposto. Nem inimigos, adversários, conflito imprevisto, auxílio a catástrofes dentro e fora do nosso território ou manutenção da soberania nacional, nada faz mover a ambição da classe política ou das chefias militares, estas últimas mais interessadas em não fazer ondas e manter o status quo porque é mais r€ntáv€l ao fim do mês e na reforma.

Porque se esta farsa é para manter, se é este o nível de ambição para existir doravante, então muito sinceramente mais vale tornarmo-nos na Islândia do Sul da Europa, com uma Guarda Costeira, uns radares, uns centros de controlo e comando, e bases aéreas e navais de onde os aliados da NATO possam operar para vigilância e protecção do nosso espaço aéreo e águas territoriais. Ou então vender tudo a Espanha e o último que apague a luz. ::)
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"I'll miss the sea, but a person needs new experiences. They jar something deep inside, allowing him to grow. Without change something sleeps inside us, and seldom awakens. The sleeper must awaken."
Duke Leto Atreides (Dune, Frank Herbert)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: typhonman, P44, tenente, Subsea7

*

Subsea7

  • Analista
  • ***
  • 754
  • Recebeu: 559 vez(es)
  • Enviou: 920 vez(es)
  • +1287/-1410
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2260 em: Novembro 13, 2021, 12:03:44 pm »
Para que comprar A-400M ?
O mesmo se passa com A-330MRTT, vocês sonham aqui.
As Forças Armadas não possuem nem há intenções que possuam qualquer capacidade acrescida as atuais, as quais se consideram mais que suficientes, pois o único objetivo a médio prazo é aprontar FNDs e garantir equipamento mínimo para as mesmas, assim como os mínimos NATO, (dos mínimos).
O resto é para cair de podre...
Ups, já falei mais do que devia....

Claro que não, para quê não é? O nível de ambição que graça na Defesa Nacional só nos permite mesmo sonhar, nada mais do que isso, e ainda assim... e enquanto essa cultura continuar a ser perpetuada, vamos continuar a assistir de forma triste ao colapso das Forças Armadas Portuguesas, ao estado de irrelevância da instituição em cujo os portugueses mais confia(va)m.

Assiste-se no mundo actualmente a um esforço colectivo de reequipamento, mais até do que propriamente de armamento, e Portugal vai seguindo no sentido oposto. Nem inimigos, adversários, conflito imprevisto, auxílio a catástrofes dentro e fora do nosso território ou manutenção da soberania nacional, nada faz mover a ambição da classe política ou das chefias militares, estas últimas mais interessadas em não fazer ondas e manter o status quo porque é mais r€ntáv€l ao fim do mês e na reforma.

Porque se esta farsa é para manter, se é este o nível de ambição para existir doravante, então muito sinceramente mais vale tornarmo-nos na Islândia do Sul da Europa, com uma Guarda Costeira, uns radares, uns centros de controlo e comando, e bases aéreas e navais de onde os aliados da NATO possam operar para vigilância e protecção do nosso espaço aéreo e águas territoriais. Ou então vender tudo a Espanha e o último que apague a luz. ::)

Como diz o HSWM, o que interessa é a "família", que se dane a capacidade estratégica, tática, etc, INTERESSA a muita gente manter os mínimos, Governo, MDN (que só não foi despedido, porque há eleições em Janeiro), CEMES,CEMAS e CEMFAS, chefias intermédias e o zé praça, está tudo em conluío.
É aguardar pela nova geração de oficiais (já ouço isto desde os anos 80).....
Cps,
 

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 2240
  • Recebeu: 399 vez(es)
  • Enviou: 283 vez(es)
  • +124/-271
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2261 em: Novembro 13, 2021, 01:13:46 pm »
É uma convicção que tenho, apenas isso. É certo e sabido que o KC-390 Millennium não tem pernas muito longas, nem uma capacidade de carga por aí além se comparado com o Hércules, e pese embora o Afeganistão tenha deixado de ser um destino para missões expedicionárias, outras missões em outros cenários e outros continentes tornam uma aeronave como o A400M indispensável, ou pelo menos recomendada, nos dias de hoje. E sem estar a falar em algo como um A330 MRTT que, esse sim, seria ouro sobre azul para um leque enorme de missões, actuais e futuras.



Entretanto, hoje foi renovado por mais cinco anos o contrato entre a NSPA e a Antonov para o uso de An-124 no SALIS.

Cumprimentos,

Por acaso acho estranho que quer a NATO quer a EU nunca tenham apresentados estudos para a conversão do A380 para transporte estratégico.
 

*

Subsea7

  • Analista
  • ***
  • 754
  • Recebeu: 559 vez(es)
  • Enviou: 920 vez(es)
  • +1287/-1410
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2262 em: Novembro 13, 2021, 02:09:17 pm »
É uma convicção que tenho, apenas isso. É certo e sabido que o KC-390 Millennium não tem pernas muito longas, nem uma capacidade de carga por aí além se comparado com o Hércules, e pese embora o Afeganistão tenha deixado de ser um destino para missões expedicionárias, outras missões em outros cenários e outros continentes tornam uma aeronave como o A400M indispensável, ou pelo menos recomendada, nos dias de hoje. E sem estar a falar em algo como um A330 MRTT que, esse sim, seria ouro sobre azul para um leque enorme de missões, actuais e futuras.



Entretanto, hoje foi renovado por mais cinco anos o contrato entre a NSPA e a Antonov para o uso de An-124 no SALIS.

Cumprimentos,

Por acaso acho estranho que quer a NATO quer a EU nunca tenham apresentados estudos para a conversão do A380 para transporte estratégico.

????
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9753
  • Recebeu: 1728 vez(es)
  • Enviou: 2119 vez(es)
  • +322/-284
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2263 em: Novembro 13, 2021, 04:32:25 pm »
Por acaso acho estranho que quer a NATO quer a EU nunca tenham apresentados estudos para a conversão do A380 para transporte estratégico.

Porque se calhar tem muitas limitações em relação aos locais onde pode aterrar...
« Última modificação: Novembro 13, 2021, 04:33:43 pm por Lightning »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9487
  • Recebeu: 4711 vez(es)
  • Enviou: 3399 vez(es)
  • +4412/-1010
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2264 em: Novembro 13, 2021, 05:27:41 pm »
É uma convicção que tenho, apenas isso. É certo e sabido que o KC-390 Millennium não tem pernas muito longas, nem uma capacidade de carga por aí além se comparado com o Hércules, e pese embora o Afeganistão tenha deixado de ser um destino para missões expedicionárias, outras missões em outros cenários e outros continentes tornam uma aeronave como o A400M indispensável, ou pelo menos recomendada, nos dias de hoje. E sem estar a falar em algo como um A330 MRTT que, esse sim, seria ouro sobre azul para um leque enorme de missões, actuais e futuras.

Entretanto, hoje foi renovado por mais cinco anos o contrato entre a NSPA e a Antonov para o uso de An-124 no SALIS.

Cumprimentos,

Por acaso acho estranho que quer a NATO quer a EU nunca tenham apresentados estudos para a conversão do A380 para transporte estratégico.

Não tem nada de estranho !!!

A transformação de um 380 para transporte estratégico é impossivel e impraticável de ser efectuada tais seriam os custos envolvidos e, que obrigaria a alterar toda a estrutura interna da aeronave logo ter de a redesenhar na totalidade !!

Basta reparar na altura da aeronave ao solo, mais precisamente nos dois decks, para ter uma ideia da impossibilidade da aeronave conseguir (des)carregar viaturas e ou equipamentos de mais de quinze ou vinte toneladas !!

Mesmo o 124 cuja fuselagem está a pouco mais de um metro do solo necessita de rampas de acesso para (des)carregar os equipamentos e ou viaturas mais pesadas, e possui um main deck corrido que permite posicionar as viaturas muito facilmente para que a aeronave permaneça centrada.

Num 380 nem quero pensar nos custos da transformação, reforço dos upper e lower decks para receber carga e viaturas de maior tonelagem, já para não falar que apenas poderiam ser aberto um acesso, porta de carga, no nariz da aeronave, o que dificultaria as operações de (des)carregamento, devido á centragem da aeronave, quem trabalha com aeronaves sabe os riscos associados com a centragem, nem permitiria a operação simultânea nos dois decks da aeronave, enquanto os 124 podem usar as duas portas de carga simultâneamente, expeditando e acima de tudo, mantendo os niveis de segurança, durante as ditas operações.

Cumprimentos
« Última modificação: Novembro 13, 2021, 05:52:59 pm por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: typhonman, Charlie Jaguar, Lightning, HSMW