Empresas de Defesa Portuguesas

  • 134 Respostas
  • 37947 Visualizações
*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 2936
  • Recebeu: 649 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +139/-55
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #120 em: Janeiro 16, 2020, 10:38:43 pm »
Não serve para as Forças Armadas Portuguesas? A Tekever tem uns UAVs interessantes, e nacionais, transcende-me como é que não se adquire meios destes para ajudar na vigilância do nosso mar. Já o AR4 era bastante interessante, mas este parece-me ter ainda mais potencial como drone militar.
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1795
  • Recebeu: 230 vez(es)
  • Enviou: 447 vez(es)
  • +11/-1
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #121 em: Janeiro 17, 2020, 12:46:39 am »
Escolham vocês:
1. Falta de interesse político em investir dinheiro nessa área;
2. A tecnologia não está assim tão fiável e evoluída para garantir a comunicação entre os drones e o posto de comando, especialmente quando em condições meteorológicas adversas;
3. Evolução contínua da tecnologia; hoje investe-se neste modelo, apanha de manhã já está obsoleto;
4. (Ligado ao ponto/opção 3) Preferência actualmente global por subcontratar/fazer leasing de meios não tripulados ao invés de os adquirir;
5. Receio que o emprego de drones leve ao desinvestimento em meios mais versáteis como os C-295 e P-3;

Não tinha sido por volta de 2016/2017 que tinha saído para aí uma notícia ou artigo sobre a eventual criação de uma esquadra com meios não tripulados? :mrgreen:

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

asalves

  • Perito
  • **
  • 529
  • Recebeu: 181 vez(es)
  • Enviou: 67 vez(es)
  • +34/-9
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #122 em: Janeiro 17, 2020, 09:47:54 am »
Escolham vocês:
1. Falta de interesse político em investir dinheiro nessa área;
2. A tecnologia não está assim tão fiável e evoluída para garantir a comunicação entre os drones e o posto de comando, especialmente quando em condições meteorológicas adversas;
3. Evolução contínua da tecnologia; hoje investe-se neste modelo, apanha de manhã já está obsoleto;
4. (Ligado ao ponto/opção 3) Preferência actualmente global por subcontratar/fazer leasing de meios não tripulados ao invés de os adquirir;
5. Receio que o emprego de drones leve ao desinvestimento em meios mais versáteis como os C-295 e P-3;

Não tinha sido por volta de 2016/2017 que tinha saído para aí uma notícia ou artigo sobre a eventual criação de uma esquadra com meios não tripulados? :mrgreen:

Cumprimentos,

Marinha quer embarcar primeiro destacamento de drones aéreos ainda este ano
https://observador.pt/2019/09/20/marinha-quer-embarcar-primeiro-destacamento-de-drones-aereos-ainda-este-ano/

Segundo li em várias noticias existe vários drones a serem usados pela Forças Armadas e que pertencem a Tekever

Entretanto na Tekever:
https://visao.sapo.pt/exameinformatica/noticias-ei/mercados/2019-05-17-tekever-tribunal-suspende-ceo-socios-alegam-desvio-de-10-milhoes/
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 2936
  • Recebeu: 649 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +139/-55
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #123 em: Janeiro 17, 2020, 01:07:36 pm »
Segundo sei, as FA só operam mini-UAVs, nada de UAVs médios e pesados, nem VTOL como o Camcopter S100.

Escolham vocês:
1. Falta de interesse político em investir dinheiro nessa área;
2. A tecnologia não está assim tão fiável e evoluída para garantir a comunicação entre os drones e o posto de comando, especialmente quando em condições meteorológicas adversas;
3. Evolução contínua da tecnologia; hoje investe-se neste modelo, apanha de manhã já está obsoleto;
4. (Ligado ao ponto/opção 3) Preferência actualmente global por subcontratar/fazer leasing de meios não tripulados ao invés de os adquirir;
5. Receio que o emprego de drones leve ao desinvestimento em meios mais versáteis como os C-295 e P-3;

Não tinha sido por volta de 2016/2017 que tinha saído para aí uma notícia ou artigo sobre a eventual criação de uma esquadra com meios não tripulados? :mrgreen:

Cumprimentos,

Se calhar é uma mistura desses pontos todos, se bem que um UAV com autonomia de 20h, imagina o que se poupava no custo de horas de voo comparado com um C-295 ou P-3? Permitia até que estes 2 meios executassem missões mais longe da costa, e internacionais, como muitas vezes vemos os P-3 lá fora, sem termos "medo" de ficar sem aeronaves suficientes para patrulhar a ZEE.

Acho que ainda assim é mais um certo estigma sobre os "drones". Na cabeça da populaça, drones matam pessoas, e vão dominar o mundo, e essa chouriçada toda.

1: Esta é capaz de ser a opção mais acertada, desinteresse político em investes nas FA.
2: Está fiável o suficiente para muitos dos nossos aliados irem usando estes meios em diversas funções, incluindo ataque.
3: É verdade que é uma tecnologia que está a evoluir muito, mas também é verdade que se tivermos este pensamento para tudo, nunca se compra nada, ninguém compra carro porque no ano seguinte vai sair um modelo novo, e melhor. Uns 3 AR5 já permitiam criar valências no emprego deste tipo de aeronave e treinar futuros operadores de UAVs mais caros e complexos, como um Global Hawk (que os americanos supostamente vão retirar de serviço).
4: Nem isso acontece, mais depressa se usa um C-295 MPA para vigiar rente à costa, do que se faz leasing ou aquisição de um UAV.
5: Acredito que sim, mas aqui é perceber o conceito de "complementaridade". Neste caso possuir um meio mais barato para missões que não requeiram o uso das outras duas aeronaves, poupando horas de voo das células e disponibilizando-as para outras missões em que sejam necessárias-
 

*

goldfinger

  • Analista
  • ***
  • 799
  • Recebeu: 280 vez(es)
  • Enviou: 68 vez(es)
  • +112/-4
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #124 em: Maio 22, 2020, 07:24:37 am »
Portugal se adhiere al proyecto brasileño del nuevo ATL 100, un nuevo avión de 19 plazas



Citar
El portugués Centro de Ingeniería y Desarrollo de Productos (CEIIA) con sede en Matosinhos, Oporto, y la brasileña DESAER Desenvolvimento Aeronáutico,  han firmado un acuerdo para el desarrollo, industrialización y comercialización del avión de transporte ligero ATL 100.

El ATL-100 es un avión para uso civil y militar, con configuraciones para el transporte de pasajeros (hasta 19 pasajeros) y para carga (2,5 toneladas, con rampa trasera), que busca satisfacer las necesidades de transporte regional en áreas ya densamente pobladas  y en regiones más remotas, que requieren poco soporte de infraestructura en tierra y exigen aterrizar en pistas cortas y sin pavimentar.

La fase de desarrollo del proyecto, ahora con una participación decisiva de CEIIA, se llevará a cabo en 3 años, seguirán luego las fases de industrialización y comercialización, el proyecto se llevará a cabo por profesionales portugueses y brasileños, en instalaciones ubicadas en Portugal y Brasil. El desarrollo del ATL-100 se basará en un enfoque  sostenible, aseguran sus promotores,  con la perspectiva de utilizar nuevas tecnologías, como motores eléctricos en el futuro.

CEIIA y DESAER entienden que esta asociación, que agrega habilidades complementarias al sector aeroespacial en Portugal y Brasil, es un proyecto importante para la innovación tecnológica y la creación de ingresos y empleos en ambos países, con especial relevancia ahora, como un contraataque a los efectos dañinos en la economía mundial causados por la crisis de Covid-19.

La brasileña Desaer había presentado el proyecto  en 2018 y competiría con el Viking Twin Otter 400 y el Cessna 408 Skycourier, de próximo lanzamiento.

defensa
A España servir hasta morir
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8218
  • Recebeu: 905 vez(es)
  • Enviou: 1067 vez(es)
  • +127/-43
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #125 em: Maio 22, 2020, 08:42:41 am »
Pelo aspecto parece o Aviocar, talvez um bocado maior pelo número de passageiros.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 6082
  • Recebeu: 2733 vez(es)
  • Enviou: 1221 vez(es)
  • +1054/-95
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #126 em: Maio 22, 2020, 10:50:28 am »
Mas que utilidade teria este tipo de aeronave para a FAP ???
 

*

Lusitan

  • Perito
  • **
  • 376
  • Recebeu: 106 vez(es)
  • Enviou: 103 vez(es)
  • +142/-11
  • Hic et Ubique
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #127 em: Maio 22, 2020, 11:07:52 am »
Mas que utilidade teria este tipo de aeronave para a FAP ???

Pelo que percebi é um projecto inteiramente civil.
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15617
  • Recebeu: 1229 vez(es)
  • Enviou: 1160 vez(es)
  • +200/-186
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #128 em: Maio 22, 2020, 11:08:01 am »
Para os Cursos de Paraquedismo Militar davam jeito, porque o número de formandos é relativamente pequeno e se calhar ficava mais barato.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 6082
  • Recebeu: 2733 vez(es)
  • Enviou: 1221 vez(es)
  • +1054/-95
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #129 em: Maio 22, 2020, 11:13:25 am »
Mas que utilidade teria este tipo de aeronave para a FAP ???

Pelo que percebi é um projecto inteiramente civil.

Deus queira que se fique por aí.

Abraços
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 2936
  • Recebeu: 649 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +139/-55
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #130 em: Maio 22, 2020, 11:52:40 am »
Para os Cursos de Paraquedismo Militar davam jeito, porque o número de formandos é relativamente pequeno e se calhar ficava mais barato.

Mas isso seria uma necessidade de nicho, não fazia sentido operar mais uma aeronave de transporte, do ponto de vista logístico. Então operar o A-400 (que faz muito mais falta) em conjunto com o KC seria inviável financeiramente, mas isto já não teria problema...

Mas que utilidade teria este tipo de aeronave para a FAP ???

Pelo que percebi é um projecto inteiramente civil.

Deus queira que se fique por aí.

Abraços

Se apagar fogos vais ver que vem uns 10!!!  ::)
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8218
  • Recebeu: 905 vez(es)
  • Enviou: 1067 vez(es)
  • +127/-43
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #131 em: Maio 23, 2020, 12:36:39 am »
Mas quem disse que a Força Aérea quer este avião para alguma coisa? Não é por algo ter participação de uma empresa nacional que significa que o vamos ter. Pelo Cabeça de Martelo se calhar é mais o exército a querer, ainda vamos ter aviação ligeira do exército... Com asa fixa lol.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 6082
  • Recebeu: 2733 vez(es)
  • Enviou: 1221 vez(es)
  • +1054/-95
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #132 em: Maio 29, 2020, 09:19:18 am »
e este drone da Tekever a pairar a 650 FT, no canal da mancha???



Abraços
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 2936
  • Recebeu: 649 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +139/-55
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #133 em: Maio 29, 2020, 12:09:04 pm »
Deve ser o tal AR5 cuja notícia foi postada no fórum há uns meses. Seria bem mais útil para patrulha marítima e vigilância florestal na época de incêndios, do que mini-UAVs.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8218
  • Recebeu: 905 vez(es)
  • Enviou: 1067 vez(es)
  • +127/-43
Re: Empresas de Defesa Portuguesas
« Responder #134 em: Maio 29, 2020, 12:28:58 pm »
Deve ser o tal AR5 cuja notícia foi postada no fórum há uns meses. Seria bem mais útil para patrulha marítima e vigilância florestal na época de incêndios, do que mini-UAVs.

E é verdade, os jornais é que baralham tudo, se calhar de propósito.

http://www.passarodeferro.com/2020/05/ministerio-da-defesa-esclarece-questao.html?m=1
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: dc

 

Novo código de conduta no mercado europeu da Defesa

Iniciado por Marauder

Respostas: 0
Visualizações: 2045
Última mensagem Agosto 02, 2006, 09:19:11 am
por Marauder
Estados Europeus maior cooperação na área da Defesa

Iniciado por Mazagão

Respostas: 1
Visualizações: 2967
Última mensagem Junho 29, 2007, 02:03:09 pm
por SSK
Defesa: MDN e Microsoft criam em Portugal Centro de Inovação

Iniciado por comanche

Respostas: 5
Visualizações: 4819
Última mensagem Agosto 15, 2008, 06:18:51 pm
por jmg
Como reduzir carga tributaria em produtos de defesa

Iniciado por Cezar

Respostas: 5
Visualizações: 1839
Última mensagem Maio 31, 2011, 04:37:02 pm
por Cabeça de Martelo
Desenvolvimento da Base Tecnológica e Industrial de Defesa

Iniciado por Ana Magalhães

Respostas: 4
Visualizações: 5112
Última mensagem Agosto 17, 2008, 01:10:56 am
por Chicken_Bone