Arquipélago da Madeira

  • 196 Respostas
  • 36569 Visualizações
*

antoninho

  • Perito
  • **
  • 562
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #45 em: Janeiro 28, 2008, 11:15:48 pm »
Então e os palhaços que INFLAMAO o continente e aqueles que nem se dignam a cumprir o tempo de actuação no "circo", mais aqueles que prometem uma actuação e depois fazem uns "mimos" ao pessoal das bancadas e actuam duma maneira nada profissional, com conversa das "virgens arrependidas", dizendo tem que ser assim...apertem o cinto...no fim altos cargos em outros circos, tudo à custa dos palhaços que votaram neles...estes por acaso merecem o quê?????
 

*

Bravo Two Zero

  • Especialista
  • ****
  • 1009
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • Enviou: 16 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #46 em: Janeiro 29, 2008, 01:43:52 am »
Citação de: "papatango"
Citar
A Madeira é um bom exemplo do que seria este país com todas as regiões autónomas, o circo de Lisboa perderia alguns artistas mas o país arrancaria em direcção ao futuro e não teríamos esta palhaçada de alguns artistas a percorrer o país a distribuir esmolas que por sinal até foram "outros" a doar....

Mais circo que o deprimente circo do palhaço Jardim é dificil.

Os resultados da Madeira têm a ver com uma coisa: Estabilidade governativa e governos que prosseguem uma política.

Qualquer política, mesmo uma má política, tem possibilidades de mostrar resultados se lhe derem tempo e neste país normalmente não damos tempo aos políticos para mostrarem o que valem.

Ou seja:
Uma Madeira com estabilidade política, mas sem o palhaço do Joao Jardim, também obteria bons resultados. Afinal a MAdeira tem algumas vantagens competitivas que os Açores não têm. É mais fácil governar duas  ilhas que nove.

No entanto também estou de acordo que a palhaçada de Lisboa está a transformar-se numa vergonha nacional.

Infelizmente o tonto do Funchal, não é exemplo para ninguém. Ele é apenas uma excrescência do regime.
Acredito que é provável que se houvesse vergonha em Portugal, à muito que o João Jardim e a sua clique da FLAMA estariam na cadeia.

Cumprimentos



 :Palmas:
Caro pt, como já é seu apanágio, direito ao assunto......
Cumprimentos de um ilhéu farto de palhaçadas.....

Edit (para não levar a sério, vá lá saber-se porquê.....)
Quanto aos meus compatriotas insulares, nada de chibos na Rua do Netos  :twisted:
"Há vários tipos de Estado,  o Estado comunista, o Estado Capitalista! E há o Estado a que chegámos!" - Salgueiro Maia
 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +15/-0
(sem assunto)
« Responder #47 em: Janeiro 29, 2008, 02:11:03 pm »
PS acusa Jardim de se inspirar em Augusto Pinochet ao propor o cargo de «Presidente da Região»

Citar
O secretário-geral do PS-M, Jaime Leandro, considera que o cargo de «Presidente da Região» proposto na moção de Alberto João Jardim ao XII Congresso Regional do PSD-M, «é um fato à sua medida e uma forma de se eternizar no poder».

«Acho que o Dr. Alberto João Jardim quer eternizar-se no poder seguindo o modelo de Augusto Pinochet», disse o porta-voz do PS-M, Jaime Leandro.

Para este socialista, Alberto João Jardim tem se insinuado a cargos a nível nacional e na Europa «mas ninguém lhe faz propostas e, por isso, quer fazer a transição no PSD-M mas continuar como o manda-chuva».

«É um fato à sua medida», comenta ainda.

Para o dirigente comunista, Leonel Nunes, a criação daquele cargo «é impossível com esta Constituição» por isso acha que é «mais uma coisa para divertir o pessoal que, por acaso, até coincide com o Carnaval».

Também o deputado do BE-M, Paulo Martins, critica a proposta e lembra que «não é nova» e traduz a ideia de que o «país deveria ser um Estado federado dado que o Presidente da Região ficaria também com as competências do representante da República, de assinar e promulgar leis».

Paulo Martins destaca ainda que esta ideia aparece sempre que os problemas entre a Região e a República se agudizam e teme que seja «um expediente para distrair os madeirenses dos verdadeiros problemas da Madeira».

Opinião diferente comunga o dirigente do MPT-M, João Isidoro, que considera a proposta «interessante» desde que as funções atribuídas aos órgãos de governo próprio - Presidente e Assembleia Legislativa - e do Representante da República «estejam bem clarificadas».

João Isidoro defende ainda a eleição do Presidente da Região pelo universo do eleitorado e «não pelos deputados», como propõe João Jardim.

José Manuel Rodrigues, líder do CDS/PP-M, admite discutir o novo quadro constitucional do sistema autonómico mas, adverte, «desde que esse cargo não seja para uma pessoa em concreto».

A moção de Alberto João Jardim ao XII Congresso Regional do PSD-M que se realiza a 5 e 6 de Abril propõe a criação do cargo de «Presidente da Região» que, para além das funções estritamente governativas, assumiria também as competências do Representante da República de assinar e promulgar leis.

O «Presidente da Região» seria eleito pelos seus pares deputados à Assembleia Legislativa.

A fiscalização da constitucionalidade das leis seria, no entanto, uma incumbência do Tribunal Constitucional.

Lusa / SOL

 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4145
  • Recebeu: 28 vez(es)
  • +60/-0
(sem assunto)
« Responder #48 em: Janeiro 29, 2008, 02:39:48 pm »
Citação de: "Bravo Two Zero"
Edit (para não levar a sério, vá lá saber-se porquê.....)
Quanto aos meus compatriotas insulares, nada de chibos na Rua do Netos  :wink:
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

Viriato - chefe lusitano

  • Membro
  • *
  • 140
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #49 em: Janeiro 29, 2008, 04:40:49 pm »
Penso que se dá muita importância a este ditador, se todos os Concelhos/Cidades deste pais com muito mais população do que a ilha da Madeira pedissem o mesmo que ele então de certeza que passava-mos de uma republica para uma federação de micro-estados. De uma vez por todas façam lá (Madeira) um referendo à Independência, se bem que só ouço ao AJJ e mais um ou outro falarem em tal facto...............
"Viriato, ao Pretor romano Caio Vetílio lhe degolou 4000 soldados; a Caio Lucitor matou 6000; a Caio Plaucio matou Viriato mais de 4000 e prendeu 2000 soldados, Pretor Cláudio Unimano lhe deu batalha e de todo foi destruído por Viriato da Lusitânia..."
 

(sem assunto)
« Responder #50 em: Janeiro 29, 2008, 10:01:32 pm »
Citação de: "Viriato - chefe lusitano"
Penso que se dá muita importância a este ditador, se todos os Concelhos/Cidades deste pais com muito mais população do que a ilha da Madeira pedissem o mesmo que ele então de certeza que passava-mos de uma republica para uma federação de micro-estados. De uma vez por todas façam lá (Madeira) um referendo à Independência, se bem que só ouço ao AJJ e mais um ou outro falarem em tal facto...............


Vocês cubanos, têm medo da regionalização e dos seus efeitos positivos como o diabo da cruz. Portugal deveria ter as seguintes regiões autónomas: Madeira, Açores, Entre Douro e Minho, Trás os Montes e Alto, Douro, Beira Interior, Beira Litoral, Estremadura e Ribatejo, Região de Lisboa e Setúbal, Alentejo, Algarve.
Uma vez que Portugal esteja regionalizado será um passo para o desenvolvimento económico, isto porque os políticos cubanos vêem Lisboa como Portugal e o resto é paisagem.
Nós madeirenses queremos ser portugueses e não independentes. O que o Dr. Alberto João Jardim disse foi para irritar o políticos cubanos que vocês elegem.
http://deepestsolitude.blogspot.com/
Exceptis excipiendis.
Est autem fides credere quod nondum vides; cuius fidei merces est videre quod credis.
Mea mihi conscientia pluris est quam omnium sermo.
 

(sem assunto)
« Responder #51 em: Janeiro 29, 2008, 10:03:21 pm »
Ditador têm vocês: o Sócrates.
http://deepestsolitude.blogspot.com/
Exceptis excipiendis.
Est autem fides credere quod nondum vides; cuius fidei merces est videre quod credis.
Mea mihi conscientia pluris est quam omnium sermo.
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15126
  • Recebeu: 1050 vez(es)
  • Enviou: 983 vez(es)
  • +177/-170
(sem assunto)
« Responder #52 em: Janeiro 30, 2008, 10:28:58 am »
Vocês quem? Eu pensava que o Sócrates é 1º Ministro de Portugal, a Região Autónoma da Madeira já declarou independência e eu não fiquei a saber?! :evil:
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

(sem assunto)
« Responder #53 em: Janeiro 30, 2008, 11:41:00 am »
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Vocês quem? Eu pensava que o Sócrates é 1º Ministro de Portugal, a Região Autónoma da Madeira já declarou independência e eu não fiquei a saber?! :?


E eu a pensar que podia ir passar férias à Madeira, acho melhor não antes que declarem a época de caça aos "cubanos"... :evil:


Felizmente o Sócrates não põe a mão na Madeira tão facilmente, graças a Deus somos região autónoma por alguma razão. Não se esqueçam que a criação das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores foram criada por aclamação (ou seja todos os deputados da AR votaram a favor).
Não se preocupe pode vir à Madeira que ninguém o caça, só o caçam se disser como os políticos de Lisboa (em especial os do PS, PCP e BE) que as regiões autónomas só servem para mamar dinheiro ao Estado. Todos vós são bem-vindos à Madeira.

P.S.: Cubanos = em geral políticos e população lisboeta de mentalidade colonialista com inveja dos resultados eleitorais na Madeira que tem por costume acusar os Governos Regionais de sugadores de dinheiro (em especial o Governo da Madeira) e que preconiza o centralismo de poder em detrimento da regionalização de Portugal (pois tem medo que percam o poder). São também chamados de cubanos aqueles que com inveja do Dr. Alberto João Jardim o acusam de ditador por ter desenvolvido a Madeira muito mais do que qualquer zona do interior do país.
http://deepestsolitude.blogspot.com/
Exceptis excipiendis.
Est autem fides credere quod nondum vides; cuius fidei merces est videre quod credis.
Mea mihi conscientia pluris est quam omnium sermo.
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15126
  • Recebeu: 1050 vez(es)
  • Enviou: 983 vez(es)
  • +177/-170
(sem assunto)
« Responder #54 em: Janeiro 30, 2008, 12:19:03 pm »
Meu caro, eu pelo menos nunca ouvi dizer isso das Regiões Autonomas, mas sim do AJJ, repetidas vezes! É claro que irei à Madeira assim que puder, mas não será tão cedo, é que este ano fui a uma das regiões mais lindas de Portugal...Açores, terra de meu pai. :lol:

Eu já cá disse antes, sou contra a regionalização, mas sou feroz defensor da Municipalização (quem não se lembra de estudar sobre os Concelhos na escola). É uma solução bem mais Portuguesa e mais indicada para o tamanho do país. Acho que há uma razão palpável de existir as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, agora mais do que isso, esqueçam.

Sócrates manda em todo o país, ele é 1º Ministro de Portugal, quer queira quer não, para o bem e para o mal, ele manda em TODO o país.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +18/-0
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #55 em: Janeiro 30, 2008, 01:02:24 pm »
Sr. Alquimista, abstenha-se de etiquetar as pessoas.

A maior parte das pessoas que critica o Chavez do Funchal não é de Lisboa.

A regionalização é um Cancro. Serve para uma clique de bandidos roubar o povo com mais facilidade e sem escrutínio e para criar mais lugares na administração pública para o VolksPartei.

O badameco que desfila no carnaval em cuecas, utiliza a expressão colonialismo para esconder a sua obscena incompetência e MENTE como todos o ditadores e proto-ditadores que acham que o voto do povo serve para legitimar o roubo.

O populismo fácil, é utilizado pelos politicos ladrões e corruptos, como a fatinha de Felgueiras, o Májor Valentão o João Jardim, e uma clique de bestas que temos a governar alguns lugares.

O João Jardim ainda está na Madeira não por amor ao povo madeirense, mas sim porque não conseguiu tacho no contenente.

Quando e se o conseguir, veremos como são as coisas...
 

(sem assunto)
« Responder #56 em: Janeiro 30, 2008, 01:15:34 pm »
Sr. Papatango, não fale do que não sabe.
Se tivesso visto a Madeira à 30 anos não acreditaria que era o mesmo lugar que é hoje. Toda a vida os políticos de Lisboa virão o país como sendo a capital e o resto como sendo paisagem. É por isso que o interior está como está porque Portugal é Lisboa e o resto é paisagem. Acha que a litoralização é um fenómeno acidental vindo por obra a graça de apenas factores económicos. Nenhum político cubano fez pelo interior do país o que o Dr. Alberto João Jardim fez pela Madeira. Vocês tiveram fundos comunitários e esptatifaram-nos em vivendas, carros de luxo, etc... O Governo Regional aplicou-os e o resultado está à vista.
Se para si a Regionalização é um cancro, então o melhor é o senhor começar a fazer quimioterapia, pois quem tem cancro é você.
Um Portugal regionalizado teria um governo por região, como é óbvio, governo esse que saberia concretamente os problemas dessa região e agiria por forma e melhorar o desenvolvimento dessa região, o dinheiro seria canalizado mais correctamente. Os políticos de Lisboa tem a vista enevoada pelos lobbies e pelas lutas de poder, pensam que Lisboa (que para eles é Portugal) gira à volta deles e o resto que se lixe.
As Regiões da Madeira e dos Açores são um exemplo para uma futura regionalização deste país à beira mar plantando.
O Dr. Alberto João Jardim, nunca quis nenhum cargo no continente, sempre quis servir os madeirenses e a terra que o viu nascer, coisa que muitos cubanos não fazem com vergonha das suas origens.
Acredite num governo centralizado e continuará assistir à decandência deste país.
http://deepestsolitude.blogspot.com/
Exceptis excipiendis.
Est autem fides credere quod nondum vides; cuius fidei merces est videre quod credis.
Mea mihi conscientia pluris est quam omnium sermo.
 

*

comanche

  • Investigador
  • *****
  • 1799
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #57 em: Janeiro 30, 2008, 01:42:21 pm »
LUDGERO MARQUES CONTRA A REGIONALIZAÇÃO

Citar
Os argumentos de Ludgero Marques contra a Regionalização são, no essencial, os que tenho defendido por considerar a Regionalização um disparate e uma falácia política. É com prazer que divulgo no meu Blog as suas afirmações num debate promovido pelo PS de Cedofeita (citações do "Primeiro de Janeiro" On Line, 29/10/07):


Portugal nunca teve "alguma vez uma divisão do próprio país".


"Conhece-se muitos países que têm regiões mas elas são o resultado de processos históricos, de dialectos e línguas diferentes, de fronteiras de reinados e condados que existiram".


              Este aspecto é muito importante, mas os defensores da regionalização contornam-no, não por desconhecimento, mas com a intenção deliberada de a apresentarem aos portugueses como mera reforma burocrática, escondendo os perigos desagregadores que comporta.


               O empresário, Presidente da Associação Empresarial de Portugal, defende:


"a fixação no interior de condições para a fixação das populações, dos interesses económicos, dos interesses sociais e culturais, privilegiando o aparecimento de cinco ou seis grandes metrópoles no interior que pudessem originar a fixação de interesses de vária ordem que dessem uma capacidade de intervenção a essas metrópoles".


              O Empresário diz ainda, referindo-se aos incentivos dados anteriormente à fixação de empresas no interior:



"As empresas ou não tinham gás, ou não tinham electricidade correcta, não tinham quadros, lojas onde pudessem comprar certos produtos necessários à manutenção. Aí era preciso, não a regionalização, mas que houvesse centros populacionais suficientemente abrangentes no que respeita às suas capacidades de forma a que pudessem fixar as populações"



              Relativamente ao Norte, que conhece bem, disse:


"As dificuldades do Norte existem, não por falta de regionalização, mas por uma perda de influências tremenda por parte do Norte. Eles (os protagonistas políticos do Norte) deslocaram-se para Lisboa, vivem em Lisboa, lisbonizaram-se, e portanto já não têm a mesma forma de actuação perante os problemas que tanto falavam há uns anos. Ninguém ouve um político do Norte a defender as questões do Norte".


              Ludgero Marques afirmou que não é a regionalização que soluciona, mas a pressão sobre os políticos eleitos pelas regiões, defendendo os seus interesses  para o que foram eleitos mandatários, e que a regionalização fará o país "gastar mais dinheiro"   e que "já gastámos demasiado dinheiro mal gasto".


"Os nortenhos têm muitas razões de queixa, mas não é a regionalização que vai resolver os problemas, é o Governo, os poderes políticos".



"Tentamos esconder o sol com uma peneira, porque o problema não está na regionalização mas na governação. Se fôssemos mais bem governados podíamos estar muito melhor", dise o empresário, referindo-se aos sucessivos governos.



http://camaradita.blogs.sapo.pt/4312.html
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4145
  • Recebeu: 28 vez(es)
  • +60/-0
(sem assunto)
« Responder #58 em: Janeiro 30, 2008, 02:39:42 pm »
Supremo Alquimista, gostava que explicasse - com tranquilidade - a razão de ser das últimas Legislativas nacionais (2005) na Madeira.
Recordo-o: o PS (Sócrates) teve 34,98% (49123 votos) - o mesmo número de mandatos (3) que o PSD.
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 7817
  • Recebeu: 384 vez(es)
  • Enviou: 675 vez(es)
  • +251/-235
(sem assunto)
« Responder #59 em: Janeiro 30, 2008, 03:13:46 pm »
Citação de: "papatango"
Sr. Alquimista, abstenha-se de etiquetar as pessoas.

A maior parte das pessoas que critica o Chavez do Funchal não é de Lisboa.

A regionalização é um Cancro. Serve para uma clique de bandidos roubar o povo com mais facilidade e sem escrutínio e para criar mais lugares na administração pública para o VolksPartei.

O badameco que desfila no carnaval em cuecas, utiliza a expressão colonialismo para esconder a sua obscena incompetência e MENTE como todos o ditadores e proto-ditadores que acham que o voto do povo serve para legitimar o roubo.

O populismo fácil, é utilizado pelos politicos ladrões e corruptos, como a fatinha de Felgueiras, o Májor Valentão o João Jardim, e uma clique de bestas que temos a governar alguns lugares.

O João Jardim ainda está na Madeira não por amor ao povo madeirense, mas sim porque não conseguiu tacho no contenente.

Quando e se o conseguir, veremos como são as coisas...


quem fala assim naum é gago....

assina um "cubano" c34x
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

 

RESPONSABILIDADE SOCIAL – OPERAÇÃO NA MADEIRA

Iniciado por Miguel Silva Machado

Respostas: 0
Visualizações: 696
Última mensagem Março 29, 2010, 08:28:39 am
por Miguel Silva Machado
A (falta de) democracia na Madeira

Iniciado por Marauder

Respostas: 37
Visualizações: 9336
Última mensagem Maio 16, 2007, 09:19:52 pm
por Lancero