Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo

  • 635 Respostas
  • 106599 Visualizações
*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9022
  • Recebeu: 1315 vez(es)
  • Enviou: 1454 vez(es)
  • +185/-61
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #630 em: Setembro 03, 2021, 07:53:11 pm »
Cada vez mais querem ser "fofinhos" e "duplo uso", em Chaves, andou a equipa local a fazer treino militar no RI19, tendo sido publicitado com pompa e circustância, agora quando há 10 recrutas a fazer juramento de bandeira, nem por isso....

Que equipa local?

desportivo de Chaves ????

Ahhh, ok, ao contrário do comum português a minha mente não deriva logo para o desporto rei 😁, até pensava que seria alguma coisa da proteção civil 😄.
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2243
  • Recebeu: 234 vez(es)
  • Enviou: 51 vez(es)
  • +289/-4119
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #631 em: Outubro 18, 2021, 02:28:42 pm »
Aeroporto de Lisboa. Concurso para avaliação ambiental
https://ionline.sapo.pt/artigo/749829/aeroporto-de-lisboa-concurso-para-avaliacao-ambiental?seccao=Dinheiro_i
Citar
O Governo anunciou, esta segunda-feira, o lançamento do concurso público internacional para a realização da avaliação ambiental estratégica da futura solução aeroportuária de Lisboa. De acordo com o ministério de Pedro Nuno Santos, o concurso “visa encontrar a entidade que vai desenvolver a Avaliação Ambiental Estratégica relativa ao plano de ampliação da capacidade aeroportuária da Região de Lisboa”.

O prazo para a apresentação das propostas ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), responsável pelo concurso, é de 60 dias a contar do dia do envio para publicação (15 de outubro), explica a tutela. O Governo anunciou, em março, que iria avançar com um processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) para avaliar três soluções com o objetivo de reforçar a capacidade aeroportuária da região de Lisboa. Isto, depois de a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) ter ‘chumbado’ a apreciação prévia da construção.

Esta avaliação fará uma avaliação que compare as seguintes três soluções de entre as diferentes infraestruturas aeroportuárias desta região: a atual solução dual, em que o Aeroporto Humberto Delgado terá o estatuto de aeroporto principal e o Aeroporto do Montijo o de complementar; uma solução dual alternativa, em que o aeroporto do Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de aeroporto principal e o Aeroporto Humberto Delgado o de complementar; e, a construção de um novo aeroporto internacional de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete.Ainda na semana passada, o presidente da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), Luis Ribeiro, alertou para a urgência de ser fechada uma solução para a expansão aeroportuária da região de Lisboa, sublinhando que este projecto “não pode mais” ser adiado.

Mais um concurso, que vai ganhar dinheiro desta vez? Vira o disco e toca o mesmo.
 

*

asalves

  • Analista
  • ***
  • 724
  • Recebeu: 261 vez(es)
  • Enviou: 87 vez(es)
  • +51/-13
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #632 em: Outubro 18, 2021, 03:07:04 pm »
Aeroporto de Lisboa. Concurso para avaliação ambiental
https://ionline.sapo.pt/artigo/749829/aeroporto-de-lisboa-concurso-para-avaliacao-ambiental?seccao=Dinheiro_i
Citar
O Governo anunciou, esta segunda-feira, o lançamento do concurso público internacional para a realização da avaliação ambiental estratégica da futura solução aeroportuária de Lisboa. De acordo com o ministério de Pedro Nuno Santos, o concurso “visa encontrar a entidade que vai desenvolver a Avaliação Ambiental Estratégica relativa ao plano de ampliação da capacidade aeroportuária da Região de Lisboa”.

O prazo para a apresentação das propostas ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), responsável pelo concurso, é de 60 dias a contar do dia do envio para publicação (15 de outubro), explica a tutela. O Governo anunciou, em março, que iria avançar com um processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) para avaliar três soluções com o objetivo de reforçar a capacidade aeroportuária da região de Lisboa. Isto, depois de a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) ter ‘chumbado’ a apreciação prévia da construção.

Esta avaliação fará uma avaliação que compare as seguintes três soluções de entre as diferentes infraestruturas aeroportuárias desta região: a atual solução dual, em que o Aeroporto Humberto Delgado terá o estatuto de aeroporto principal e o Aeroporto do Montijo o de complementar; uma solução dual alternativa, em que o aeroporto do Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de aeroporto principal e o Aeroporto Humberto Delgado o de complementar; e, a construção de um novo aeroporto internacional de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete.Ainda na semana passada, o presidente da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), Luis Ribeiro, alertou para a urgência de ser fechada uma solução para a expansão aeroportuária da região de Lisboa, sublinhando que este projecto “não pode mais” ser adiado.

Mais um concurso, que vai ganhar dinheiro desta vez? Vira o disco e toca o mesmo.

A questão é porque motivo só agora, tivemos 2020 e quase 2021 sem fazer nada pk? depois vem com a desculpa que é urgente.

E novamente pk motivo não seguiram os conselhos dos especialistas, em vez da 2ª opção em estudo (que não faz sentido) que tal: Alcochete começar como secundário e progressivamente tornar-se aeroporto principal (diminuindo o custo e tempo inicial necessário para a obra) e Portela tornar-se secundário até fechar?
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2243
  • Recebeu: 234 vez(es)
  • Enviou: 51 vez(es)
  • +289/-4119
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #633 em: Outubro 23, 2021, 03:08:40 pm »
Avaliação ambiental estratégica do aeroporto de Lisboa entregue em 2023
https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/avaliacao-ambiental-estrategica-do-aeroporto-de-lisboa-entregue-em-2023-799680
Citar
O secretário de Estado Adjunto das Comunicações, Hugo Santos Mendes, adiantou esta sexta-feira que avaliação ambiental estratégica das três hipóteses de localização do novo aeroporto de Lisboa deverá ser entregue em 2023.

“A avaliação ambiental estratégica deverá ser entregue em 2023. É importante que este processo decorra de forma estável e com o menor ruído à volta”, afirmou Hugo Santos Mendes, no encerramento da Conferência Internacional de Controlo de Tráfego Aéreo, referindo que os trabalhos de análise terão início em 2022.

Segundo o governante, em cima da mesa estão três opções – a Portela + Montijo, uma solução alternativa em que o Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de infraestrutura principal, enquanto o Aeroporto Humberto Delgado se tornará complementar e ainda a construção de um novo aeroporto internacional no campo de tiro de Alcochete.

Esta notícia só pode ser brincadeira, PQP só em 2023, alguém ainda vai mamar muito dinheiro até lá, é que além da lentidão, em Portugal são precisos sempre muitos estudos.
 

*

asalves

  • Analista
  • ***
  • 724
  • Recebeu: 261 vez(es)
  • Enviou: 87 vez(es)
  • +51/-13
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #634 em: Outubro 25, 2021, 09:35:49 am »
Avaliação ambiental estratégica do aeroporto de Lisboa entregue em 2023
https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/avaliacao-ambiental-estrategica-do-aeroporto-de-lisboa-entregue-em-2023-799680
Citar
O secretário de Estado Adjunto das Comunicações, Hugo Santos Mendes, adiantou esta sexta-feira que avaliação ambiental estratégica das três hipóteses de localização do novo aeroporto de Lisboa deverá ser entregue em 2023.

“A avaliação ambiental estratégica deverá ser entregue em 2023. É importante que este processo decorra de forma estável e com o menor ruído à volta”, afirmou Hugo Santos Mendes, no encerramento da Conferência Internacional de Controlo de Tráfego Aéreo, referindo que os trabalhos de análise terão início em 2022.

Segundo o governante, em cima da mesa estão três opções – a Portela + Montijo, uma solução alternativa em que o Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de infraestrutura principal, enquanto o Aeroporto Humberto Delgado se tornará complementar e ainda a construção de um novo aeroporto internacional no campo de tiro de Alcochete.

Esta notícia só pode ser brincadeira, PQP só em 2023, alguém ainda vai mamar muito dinheiro até lá, é que além da lentidão, em Portugal são precisos sempre muitos estudos.

Normalmente são estudo que levam pelo menos 1 ano no terreno, faz-se a contagem de aves, mamíferos,...., estuda-se os padrões migratórios, ... um sem numero de parâmetros pelo menos durante um ano, isto para ter uma ideia exata.

Eu acho é que o problema é que este estudo devia ter sido feito já há anos ou devia ter começado logo quando começaram com a palhaçada do Montijo, entretanto andou-se a brincar, tivemos 1 ano e tal parados por causa do covid e agora é que vão começar.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2243
  • Recebeu: 234 vez(es)
  • Enviou: 51 vez(es)
  • +289/-4119
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #635 em: Novembro 14, 2021, 06:08:11 pm »
Novo aeroporto. Decisão judicial afasta Alcochete como alternativa ao Montijo
https://ionline.sapo.pt/artigo/752863/novo-aeroporto-decisao-judicial-afasta-alcochete-como-alternativa-ao-montijo?seccao=Dinheiro_i
Citar
Com caducidade da declaração de impacte ambiental para o Campo de Tiro de Alcochete, por sentença judicial, o caminho fica livre para que a base aérea do Montijo seja a escolha óbvia para o novo aeroporto de Lisboa.

O novo aeroporto de Lisboa é um processo que se arrasta há décadas. Quando acontecerá e onde será construído são as duas principais questões em cima da mesa. Para a primeira, a resposta mais consensual é que não deverá ser decidido antes de 2023, mas a baliza temporal para uma nova infraestrutura aeroportuária operacional pode ir até 2035/2040, tal como já tinha referido o presidente do conselho de administração da ANA — Aeroportos de Portugal. Quanto à segunda incógnita, o mais certo é que passe por uma solução no Montijo. Isto porque no passado dia 8 de novembro, a declaração de impacte ambiental favorável ao aeroporto de Alcochete foi declarada «caducada» pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria.

De acordo com o despacho judicial a que o Nascer do SOL teve acesso, a ADASE – Associação para a Defesa Ambiental de Santo Estêvão, deu entrada de uma petição naquele tribunal, a 3 de março de 2011, contra o Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território e a empresa proponente do projeto, entretanto extinta, a NAER – Novo Aeroporto S. A., em que requeria «a declaração de nulidade ou anulação da declaração de impacte ambiental emitida pelo secretário de Estado do Ambiente», no âmbito do projeto designado por Novo Aeroporto de Lisboa.

Esta declaração de impacte ambiental do projeto pensado para o Campo de Tiro de Alcochete foi emitida a 9 de dezembro de 2010, por Humberto Delgado Rosa, secretário de Estado do Ambiente do Governo de José Sócrates.
Contudo, e segundo o tribunal considerou agora provado, a sua validade caducou a 8 de dezembro de 2020, tal como comprovou a APA – Agência Portuguesa do Ambiente, junto da Justiça. Motivo esse que levou a ADASE a peticionar a nulidade da declaração e ao qual o Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria deu razão.

Em 2020, um grupo de cidadãos ligados à margem Sul, entre eles sete presidentes de câmara eleitos pelo PCP na Área da Grande Lisboa, ainda escreveu uma carta aos ministros das Infraestruturas e do Ambiente e Ação Climática a tentar travar a caducidade da declaração de impacte ambiental. Mas o pedido de extensão de validade foi negado pela APA, porque  os termos da lei não permitiam fazer nova prorrogação, uma vez que o prazo já tinha sido estendido por duas vezes em dez anos.