O GALE - Missões, Organização, Aeronaves

  • 544 Respostas
  • 130779 Visualizações
*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15121
  • Recebeu: 1046 vez(es)
  • Enviou: 978 vez(es)
  • +177/-170
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #510 em: Março 08, 2016, 03:36:29 pm »
Da BrigRR não aparece, mas da Unidade de Apoio já se encontra:

7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7544
  • Recebeu: 668 vez(es)
  • Enviou: 804 vez(es)
  • +105/-31
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #511 em: Março 08, 2016, 05:13:10 pm »
Da BrigRR não aparece, mas da Unidade de Apoio já se encontra:


Bem visto :G-beer2:, mas ai também aparece um GHE ;D.
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15121
  • Recebeu: 1046 vez(es)
  • Enviou: 978 vez(es)
  • +177/-170
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #512 em: Março 09, 2016, 10:13:47 am »
Ninguém pode afirmar com a certeza dos factos se há neste momento uma "Companhia de Transmissões", só mesmo que está em Tancos na UA. Esta imagem pode ter anos e estar desactulaizada, já que essa é a norma do site do Exército. ::)
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5500
  • Recebeu: 1128 vez(es)
  • Enviou: 604 vez(es)
  • +383/-136
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #513 em: Maio 11, 2017, 09:55:49 am »
Porque recordar é viver...  ::) ;D http://www.helis.com/news/2002/aeec635.htm
Citar
Friday August 23, 2002 :
Portugal cancels EC 635 contract

Portugal ( Janes Weekly Defence ) - The Portuguese Ministry of Defence has cancelled a contract with Eurocopter for the supply of nine EC 635 military helicopters on grounds that the French-German constructor failed to meet its contractual obligation to deliver the aircraft between August 2001 and April this year.

Wednesday August 14, 2002
Clarification by Eurocopter Concerning the Portuguese Defense Ministry's Decision to Cancel the Contract For Nine EC 635 Helicopters

MARIGNANE, France ( Eurocopter Press Release ) - Eurocopter has taken note of the decision made by the Portuguese Defense Ministry to cancel the contract for nine EC 635 helicopters.

Without making an advance judgment concerning the arbitration proceedings foreseen in the contract, Eurocopter would nonetheless like to make the following clarifications:
All the requests made by the Portuguese Defense Ministry concerning delivery time delays were accepted by Eurocopter, and furthermore, a new delivery schedule had been agreed on that was deemed satisfactory by the armed forces.
The cancellation is in fact due to a disagreement between the concerned parties over whether or not certain weapon system integration work was to be included in the tasks assumed by Eurocopter as part of the contract.
This cancellation is thus in no way due to any performance failure of the helicopter, nor is it due to any technical problems encountered during its military qualification.
Eurocopter would also like to emphasize the high quality of the work that was completed, both by its own teams and by its Portuguese industrial partners, who had a major role in the program.
The confirmed quality of this relationship with the Portuguese industries is now - and will be in the future - a key factor in the success of the NH90 program, in which Portugal is a participant.
And finally, the nine helicopters covered by this contract, worth approximately 30 million Euros, will rapidly be reassigned to customers in other countries. The demand continues to increase for helicopters in the EC135/EC635 family: more than 270 have already been ordered by 90 customers in 29 countries.
news: Portugal orders 9 EC635 [1999]
Eurocopter EC models
NHI NH90
Aerospatiale timeline


Saudações
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4176
  • Recebeu: 264 vez(es)
  • Enviou: 268 vez(es)
  • +54/-14
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #514 em: Maio 11, 2017, 08:50:47 pm »
Fiquei a saber que este heli foi desenvolvido especialmente para Portugal!

"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5500
  • Recebeu: 1128 vez(es)
  • Enviou: 604 vez(es)
  • +383/-136
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #515 em: Maio 12, 2017, 09:33:04 am »
Recordar é viver II (Bela frota tinha este valor dado, a ver se pelo menos dá desconto nos ligeiros para a FAP).
Citar
Portugal já gastou mais de 120 milhões com helicópteros que nunca receberá. Saiba tudo sobre este tema e conheça a história com 24 anos atribulados

Governo efetuou na última semana de 2014 o pagamento de 35 milhões de euros à NATO Helicopter Industries (NHI), o consórcio de fabricantes que está a produzir uma série dessas aeronaves para vários países da Aliança Atlântica. A verba não corresponde a uma qualquer tranche de pagamento por algum dos dez helicópteros, encomendados em 2001, pelo Estado português, com o objetivo de dotar a há muito existente Unidade de Aviação Ligeira do Exército (UALE) dos respetivos meios aéreos - mas sim ao pagamento de uma indemnização por ter desistido do contrato. A essa verba somam-se os, pelo menos, 87 milhões que Portugal já investiu naquele programa, entre 2011 e 2012.

Iniciada em meados de 2012, a denúncia do contrato só foi selada em outubro passado, quando uma resolução do Conselho de Ministros anunciava que o Governo teria firmado um acordo com a agência de gestão de projetos de helicópteros da NATO (NAHEMA) e a NHI, que terminaria "definitivamente" com a participação de Portugal no projeto cooperativo de desenvolvimento de aparelhos NH90 que envolve a Alemanha, França, Holanda e Itália. Nessa resolução, o Governo autorizava a que se realizasse uma despesa destinada a suportar os encargos decorrentes da desistência, até um total de 37 milhões de euros.

CUSTOS ELEVADOS
Segundo o Governo, os encargos decorrentes do projeto tinham-se tornado incomportáveis. A continuação da participação portuguesa no programa NH90 implicaria encargos num total nunca inferior a 580 milhões de euros, a pagar até 2028. Em 2012, quando foi anunciada a rescisão do contrato, pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e pelo ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco, falava-se em 420 milhões.

O programa NH90 implicava o envolvimento de Portugal no desenvolvimento, produção, aquisição e apoio logístico ao longo do ciclo de vida dos helicópteros.

Os argumentos para a desistência prendem-se com a escassez de recursos financeiros e com os avultados custos da participação, além do escasso retorno económico para Portugal. Apesar de estarem envolvidas as empresas nacionais OGMA (aeronáutica), Edisoft (software) e MPV (mecânica de precisão), a quota de produção portuguesa no projeto foi apenas de 1,2 por cento - muito aquém das quotas dos parceiros: 30,9% por cento para a França (representada pela Eurocopter), 31,6% para a Itália (AgustaWestland), 30,85% para a Alemanha (Eurocopter Deutschland) e 5,5% para a Holanda (Stork Fokker).

SOBRESSALTOS
O certo é que, à data da desistência o contribuinte português já tinha enterrado 87 milhões de euros, desde que, em meados 2001, Portugal assinou, em Lebourget (perto de Paris, França), o memorando de entendimento em que se comprometeu a comprar dez aparelhos, e que lhe permitiu aderir à organização de helicópteros da NATO (NAHEMO)
 - a entidade multinacional que gere a NAHEMA e todo o programa dos NH90.

Desde então, o processo sofreu vários sobressaltos, e os já referidos 87 milhões incluirão multas, pelo facto de, a pedido do Estado, as entregas terem sido adiadas. A do primeiro aparelho esteve prevista para 2008, mas, dois anos antes, o Governo Sócrates pediu para que fosse recalendarizada para 2012.

A intenção de dotar o Exército de meios de transporte tático aéreos tem quase um quarto de século. E o referido contrato já é o segundo a "borregar", para utilizar uma expressão de calão castrense. Até 2002, houve um contrato com os franceses da Eurocopter, para o fornecimento de nove aparelhos ligeiros EC-635, mas a encomenda acabou por ser cancelada por atrasos no fornecimento. O País investiu, ao longo de duas décadas, na "cavalaria aérea". A UALE foi criada e existe. Está localizada em Tancos e é uma unidade com atribuições de regimento, dispondo, assim, de unidades de apoio e de diversos esquadrões e de unidades operacionais, entre elas um grupo de helicópteros. Só não tem é aeronaves.

24 anos atribulados

http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/os-milhoes-que-voaram=f806357


Saudações
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: perdadetempo

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4246
  • Recebeu: 2002 vez(es)
  • Enviou: 769 vez(es)
  • +554/-71
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #516 em: Maio 12, 2017, 11:34:40 am »
Recordar é viver II (Bela frota tinha este valor dado, a ver se pelo menos dá desconto nos ligeiros para a FAP).
Citar
Portugal já gastou mais de 120 milhões com helicópteros que nunca receberá. Saiba tudo sobre este tema e conheça a história com 24 anos atribulados

Governo efetuou na última semana de 2014 o pagamento de 35 milhões de euros à NATO Helicopter Industries (NHI), o consórcio de fabricantes que está a produzir uma série dessas aeronaves para vários países da Aliança Atlântica. A verba não corresponde a uma qualquer tranche de pagamento por algum dos dez helicópteros, encomendados em 2001, pelo Estado português, com o objetivo de dotar a há muito existente Unidade de Aviação Ligeira do Exército (UALE) dos respetivos meios aéreos - mas sim ao pagamento de uma indemnização por ter desistido do contrato. A essa verba somam-se os, pelo menos, 87 milhões que Portugal já investiu naquele programa, entre 2011 e 2012.

Iniciada em meados de 2012, a denúncia do contrato só foi selada em outubro passado, quando uma resolução do Conselho de Ministros anunciava que o Governo teria firmado um acordo com a agência de gestão de projetos de helicópteros da NATO (NAHEMA) e a NHI, que terminaria "definitivamente" com a participação de Portugal no projeto cooperativo de desenvolvimento de aparelhos NH90 que envolve a Alemanha, França, Holanda e Itália. Nessa resolução, o Governo autorizava a que se realizasse uma despesa destinada a suportar os encargos decorrentes da desistência, até um total de 37 milhões de euros.

CUSTOS ELEVADOS
Segundo o Governo, os encargos decorrentes do projeto tinham-se tornado incomportáveis. A continuação da participação portuguesa no programa NH90 implicaria encargos num total nunca inferior a 580 milhões de euros, a pagar até 2028. Em 2012, quando foi anunciada a rescisão do contrato, pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e pelo ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco, falava-se em 420 milhões.

O programa NH90 implicava o envolvimento de Portugal no desenvolvimento, produção, aquisição e apoio logístico ao longo do ciclo de vida dos helicópteros.

Os argumentos para a desistência prendem-se com a escassez de recursos financeiros e com os avultados custos da participação, além do escasso retorno económico para Portugal. Apesar de estarem envolvidas as empresas nacionais OGMA (aeronáutica), Edisoft (software) e MPV (mecânica de precisão), a quota de produção portuguesa no projeto foi apenas de 1,2 por cento - muito aquém das quotas dos parceiros: 30,9% por cento para a França (representada pela Eurocopter), 31,6% para a Itália (AgustaWestland), 30,85% para a Alemanha (Eurocopter Deutschland) e 5,5% para a Holanda (Stork Fokker).

SOBRESSALTOS
O certo é que, à data da desistência o contribuinte português já tinha enterrado 87 milhões de euros, desde que, em meados 2001, Portugal assinou, em Lebourget (perto de Paris, França), o memorando de entendimento em que se comprometeu a comprar dez aparelhos, e que lhe permitiu aderir à organização de helicópteros da NATO (NAHEMO)
 - a entidade multinacional que gere a NAHEMA e todo o programa dos NH90.

Desde então, o processo sofreu vários sobressaltos, e os já referidos 87 milhões incluirão multas, pelo facto de, a pedido do Estado, as entregas terem sido adiadas. A do primeiro aparelho esteve prevista para 2008, mas, dois anos antes, o Governo Sócrates pediu para que fosse recalendarizada para 2012.

A intenção de dotar o Exército de meios de transporte tático aéreos tem quase um quarto de século. E o referido contrato já é o segundo a "borregar", para utilizar uma expressão de calão castrense. Até 2002, houve um contrato com os franceses da Eurocopter, para o fornecimento de nove aparelhos ligeiros EC-635, mas a encomenda acabou por ser cancelada por atrasos no fornecimento. O País investiu, ao longo de duas décadas, na "cavalaria aérea". A UALE foi criada e existe. Está localizada em Tancos e é uma unidade com atribuições de regimento, dispondo, assim, de unidades de apoio e de diversos esquadrões e de unidades operacionais, entre elas um grupo de helicópteros. Só não tem é aeronaves.

24 anos atribulados

http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/os-milhoes-que-voaram=f806357


Saudações

É por estas e outras situações idênticas a este negócio, eu pessoalmente não acredito que esta situação, e outras como esta, tenham sido criada por acaso, que digo e reafirmo que os decisores políticos e algumas chefias Militares, que temos tido, nos últimos anos, não valem um caracol e são incompetentes, ignorantes, oportunistas  e também corruptos!!!

Nesta situação particular, acredito que terão recebido luvas e oferecido também, para que este negócio não se tivesse concretizado, mas, mais grave que isso para mim, ainda são os milhões pagos por todos nós, sem qq recebimento de equipamento como contrapartida, nem ter sido acautelada devidamente a opção desses valores puderem ser alocados a outras aquisições de equipamentos, oriundos das ditas empresas fabricantes, neste caso de material aeronautico.

São estes exemplos que me fazem afirmar que os superiores interesses da Nação, neste caso na vertente da defesa, não são devidamente acautelados.

Estas pseudo transacções são uma completa fantochada, o seu desfecho é antecipadamente conhecido de alguns, internamente e externamente falando, e os (IR)responsáveis locais, civis e Militares, muitas vezes sabem que devem mas não querem, adicionar clausulas nos contratos que penalizem de algum modo os fabricantes, por exemplo o caso dos Pandur entre outros, pelas falhas ou incumprimentos dos contratos, porque existem ligações particulares que falam mais alto que o esbanjamento do nosso dinheiro em negócios de compras que muitas vezes deveriam ser efectuados no mercado interno favorecendo as empresas/grupos nacionais, mas é melhor assim os paraísos fiscais e os bolsos dos corruptos agradecem !!!

Deve ser melhor entregar/dar 120 milhões em troca de NADA que trocar 580 milhões por nove ou dez Helis, enfim só gostaria de saber se o dinheiro fosse dos pseudo decisores, a decisão seria a mesma ????????
Penso que não !!!!


Abraços

PS que o PAPA venha cá muitas vezes para vermos como os meios das FFAA/FFSS são alocados em quantidades abundantes e sem qq tipo de restrições.
« Última modificação: Maio 12, 2017, 12:25:54 pm por tenente »
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3062
  • Recebeu: 131 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +128/-32
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #517 em: Maio 13, 2017, 11:27:48 am »
Ao menos que viessem os 10 Black Hawk, que quase estiveram a ser comprados em 2002... ::)
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2470
  • Recebeu: 1250 vez(es)
  • Enviou: 743 vez(es)
  • +713/-172
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #518 em: Maio 13, 2017, 12:24:42 pm »
Ao contrário do que sucedeu na Grécia, onde a austeridade foi ainda mais forte do que em Portugal, no nosso país uma das instituições que pagou de forma cara a factura da patranha que nos quiseram vender de que estávamos a viver acima das nossas possibilidades foi a castrense.

Seja por razões históricas (conflito com a Turquia), ou políticas (resquícios nas Forças Armadas helénicas do espírito do Regime dos Coronéis), a Grécia durante todo este tempo, e a caminho do terceiro resgate, manteve os seus militares fortes, bem equipados, e constantemente em processo de novas aquisições e modernizações. E cá?

Enquanto a democraticamente analfabeta população portuguesa continuar a acreditar no evangelho pregado por políticos de que gastar dinheiro da Defesa é deitá-lo à rua porque é mais preciso noutras esferas da sociedade, continuaremos a assistir a casos como este de uma unidade sem meios.  ::)
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15121
  • Recebeu: 1046 vez(es)
  • Enviou: 978 vez(es)
  • +177/-170
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #519 em: Maio 13, 2017, 03:12:11 pm »
Charlie, por lá também houve cortes, mas como eles têm equipamentos e armamentos para dar e vender, as mesmas quase que passam despercebidas ao comum dos mortais. Só para perceberes, houve manifestações de militares à civil em Atenas (cortes brutais nos salarios).
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3062
  • Recebeu: 131 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +128/-32
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #520 em: Maio 13, 2017, 05:41:01 pm »
Cá em Portugal ninguem pedia frotas de AH-64D, nem AEW, nem 12 SSK..

Mas sim os meios minimos...

Ningúem é responsabilizado por termos enterrado mais de 120 milhoes de euros, no programa NH-90 e não termos comprado nenhum ?


Onde anda o ex ministro Aguiar Branco ?
 :o :o




Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 2470
  • Recebeu: 1250 vez(es)
  • Enviou: 743 vez(es)
  • +713/-172
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #521 em: Maio 13, 2017, 10:19:32 pm »
Fiquei a saber que este heli foi desenvolvido especialmente para Portugal!

É verdade Nélson, a versão EC635 foi especificamente desenvolvida para Portugal a partir de 1996/7 pela Eurocopter. Os nossos nove aparelhos seriam designados EC635 T2.

Algumas imagens dos mesmos, desconheço o autor.

19102 (c/n 0183 D-HECH) nas OGMA depois de vir da oficina de pintura



Imagem daquele que seria o 19109 (c/n 0202 D-HECU) ainda na Alemanha
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 

*

jorgeshot1

  • Membro
  • *
  • 78
  • Recebeu: 6 vez(es)
  • Enviou: 478 vez(es)
  • +2/-0
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #522 em: Maio 13, 2017, 10:41:28 pm »
Alguém me pode explicar o que se passou com os helicópteros que íamos ter e não tivemos ? Os EC 365. Desculpem-me a ignorância.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7544
  • Recebeu: 668 vez(es)
  • Enviou: 804 vez(es)
  • +105/-31
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #523 em: Maio 13, 2017, 11:41:05 pm »
Acho que faltava a certificação dos misseis anti-carro que ele devia levar.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4246
  • Recebeu: 2002 vez(es)
  • Enviou: 769 vez(es)
  • +554/-71
Re: O GALE - Missões, Organização, Aeronaves
« Responder #524 em: Maio 14, 2017, 09:36:21 pm »
Fiquei a saber que este heli foi desenvolvido especialmente para Portugal!

É verdade Nélson, a versão EC635 foi especificamente desenvolvida para Portugal a partir de 1996/7 pela Eurocopter. Os nossos nove aparelhos seriam designados EC635 T2.

Algumas imagens dos mesmos, desconheço o autor.

19102 (c/n 0183 D-HECH) nas OGMA depois de vir da oficina de pintura



Imagem daquele que seria o 19109 (c/n 0202 D-HECU) ainda na Alemanha


A Jordânia agradeceu a nossa desistência, pois ficou com os 09 Helis, foi melhor assim, uma vez mais os nossos pseudo decisores e (IR)responsáveis no seu melhor, patacoada atrás de patacoada, trafulhice atrás de trafulhice !!!!!!

https://en.wikipedia.org/wiki/Eurocopter_EC635

Abraços
« Última modificação: Maio 14, 2017, 09:39:23 pm por tenente »
 

 

Nova organização do nosso Exército

Iniciado por Miguel

Respostas: 1101
Visualizações: 208361
Última mensagem Abril 01, 2016, 05:11:18 pm
por Lightning
BI Paraquedista - Organização/ Equipamento/ Doutrina

Iniciado por LM

Respostas: 0
Visualizações: 1625
Última mensagem Janeiro 29, 2007, 02:01:41 pm
por LM
BI Paraquedista - Organização/ Equipamento/ Doutrina

Iniciado por LM

Respostas: 80
Visualizações: 38834
Última mensagem Dezembro 10, 2009, 10:58:00 am
por nelson38899
Organização do Exército com a reserva operacional

Iniciado por Lightning

Respostas: 12
Visualizações: 3715
Última mensagem Fevereiro 22, 2013, 07:42:43 pm
por Lightning
Organização dos Batalhões

Iniciado por RAP1

Respostas: 135
Visualizações: 46904
Última mensagem Maio 20, 2007, 02:43:15 pm
por Duarte