Espanha e França: Cavalos de Tróia Muçulmanos?

  • 74 Respostas
  • 32795 Visualizações
*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5510
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +590/-2
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #15 em: Setembro 25, 2006, 12:32:32 am »
Eu acho que 1.5% da população é considerando a população legalizada. Ha muitos ilegais que são normalemnte do norte de áfrica, por isso a estimativa devará ultrapassar ligeiramente os 2% (Já li 2.2% da população) o que correspondería a cerca de 1.000.000 de pessoas.

= = =

A comunidade muçulmana em Portugal é composta por um tipo muito diferente de muçulmanos, que não são nem de origem árabe ou pouco influenciados pelas visões mais fundamentalistas.

Muitos dos muçulmanos vieram e são descendentes de pessoas que vieram de Moçambique e do Estado da Índia. Também há pessoas da Guiné Bissau, que é o país de lingua portuguesa com maior percentagem de população muçulmana.

Calcula-se que a população muçulmana em Portugal seja 30.000 a 40.000 pessoas, que vivem essencialmente na região de Lisboa. O valor embora seja pequeno (menos de 0.4%) aumentou bastante nos últimos tempos. O valor era de um pouco mais de 0.2% em 2000.

O numero de muçulmanos originarios do norte de África, é residual.

Cumprimentos
 

*

manuel liste

  • Especialista
  • ****
  • 1053
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #16 em: Setembro 25, 2006, 10:55:48 am »
580.000 ciudadanos marroquíes y argelinos censados a 1 de enero de 2006, sin considerar su situación legal. Se puede estar censado, y no tener permiso de residencia. Los inmigrantes ilegales se censan para poder acceder a prestaciones sociales, así que se considera un dato bastante realista sobre la cantidad total.

A ellos hay que agregar los musulmanes provinientes de otras zonas, sobre todo pakistaníes, senegaleses y algunos nigerianos. Puede que sobrepasen en total los 600.000 por poco, pero sin duda menos de 1 millón en total incluyendo a los que tienen nacionalidad española.

Pese a ser musulmanes, hay que darles la presunción de inocencia. No seré yo quien califique a los musulmanes de terroristas, ni creo que sean un peligro público por el mero hecho de ser musulmanes.

Hay que ser prudentes con esas cosas..
 

*

Coby

  • 16
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #17 em: Setembro 26, 2006, 01:34:32 am »
Por cada musulmán que llega a España llegan cuatro o cinco cristianos. España no es ningún caballo de troya.
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5510
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +590/-2
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #18 em: Setembro 26, 2006, 02:01:48 am »
Segundo o Aznar, hoje no canal RTP-1, em apenas 6 anos a população espanhola passou de 39 para 44 milhões, por causa da imigração, porque o crescimento da população espanhola autoctone está em queda.

Aznar disse que os emigrantes são 10% da população e já vi estimativas que diziam que a população muçulmana foi estimada em 25 a 35% dos migrantes (consoante os casos). Isto quer dizer que poderá haver 2.5% a 3.5% de muçulmanos em Espanha.

Ou seja 1.540.000 muçulmanos. Mais que a antiga população do Reino de Granada. Não adianta preparar a marinha contra Tarik.

Eles já chegaram e já desembarcaram e os espanhóis, mais uma vez abriram-lhes as portas.
 

*

manuel liste

  • Especialista
  • ****
  • 1053
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #19 em: Setembro 26, 2006, 09:50:57 am »
Citação de: "papatango"
Segundo o Aznar, hoje no canal RTP-1, em apenas 6 anos a população espanhola passou de 39 para 44 milhões, por causa da imigração, porque o crescimento da população espanhola autoctone está em queda.

Aznar disse que os emigrantes são 10% da população e já vi estimativas que diziam que a população muçulmana foi estimada em 25 a 35% dos migrantes (consoante os casos). Isto quer dizer que poderá haver 2.5% a 3.5% de muçulmanos em Espanha.

Ou seja 1.540.000 muçulmanos. Mais que a antiga população do Reino de Granada. Não adianta preparar a marinha contra Tarik.

Eles já chegaram e já desembarcaram e os espanhóis, mais uma vez abriram-lhes as portas.


Esas cifras no son correctas. Puede ver cifras reales (no estimaciones) en el INE español.

La cifra del 10% de población inmigrante es correcta grosso modo, pero de esos casi cuatro millones de extranjeros, casi la mitad son europeos y 1/3 son latinoamericanos. Los restantes son musulmanes, pero también chinos, africanos negros, etc. hasta completar el resto. Musulmanes unos 600.000, o un poco más.
 

*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4146
  • Recebeu: 29 vez(es)
  • +61/-0
(sem assunto)
« Responder #20 em: Setembro 26, 2006, 12:12:06 pm »
Citar
17 enero, 2006
Extranjeros en España
La población total de España supera los 44 millones de habitantes a 1 de enero de 2005. Pero de estos, casi cuatro millones (3.730.610) son extranjeros, representando un 8,5% de la población total española.

En el último año el número de inmigrantes que viven en España creció un 23 % (casi 700.000 personas), según los datos que se recogen en el Padrón actualizado del INE (Instituto Nacional de Estadística).


El Mediterráneo y Madrid las zonas preferidas por los extranjeros

El litoral mediterráneo y Madrid atraen el mayor porcentaje de población extranjera. Todas la comunidades han incrementado el número de residentes extranjeros salvo Melilla (-4,2%). La información recopilada por el INE apunta también que Alicante es la provincia donde viven más cantidad de "inmigrantes" mayores de 65 años. En Alicante ya hay 10 municipios con más del 25% de la población de origen extranjero (inmigrantes y jubilados).

Extranjeros: nacionalidades más importantes en España

De entre las nacionalidades de los extranjeros más numerosos en España se encuentran:

Marruecos: con 511.294 marroquíes en España
Ecuador: con 497.799 ecuatorianos
Rumanía: con 317.366 rumanos
Colombia: con 271.239 colombianos
Reino Unido: con 227.187 británicos
Argentina: con 152.975 argentinos
Alemania: con 133.588 alemanes
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

manuel liste

  • Especialista
  • ****
  • 1053
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #21 em: Setembro 26, 2006, 12:28:29 pm »
ine.es

Población extranjera por sexo y país de nacionalidad. Padrón a 1 de enero de 2006. Datos provisionales
 
Total 3.884.573  
     Nacionalidades europeas 1.561.747  
     Unión Europea (25) 916.113  
     Alemania 150.157  
     Austria 7.754  
     Bélgica 29.429  
     Dinamarca 9.956  
     Finlandia 9.310  
     Francia 89.719  
     Grecia 3.021  
     Holanda 39.342  
     Irlanda 11.443  
     Italia 115.443  
     Luxemburgo 520  
     Portugal 80.280  
     Reino Unido 274.042  
     Suecia 18.035  
     Chipre 132  
     Eslovenia 616  
     Estonia 781  
     Hungría 3.327  
     Letonia 1.721  
     Lituania 15.747  
     Malta 129  
     Polonia 45.573  
     República Checa 5.142  
     República Eslovaca 4.494  
     Otros países europeos 644.205  
     Armenia 8.543  
     Bosnia y Herzegovina 1.701  
     Bulgaria 93.757  
     Moldavia 10.715  
     Noruega 14.068  
     Rumanía 381.955  
     Rusia 36.697  
     Ucrania 64.171  
     Suiza 15.276  
     Serbia y Montenegro 3.165  
     Georgia 5.809  
     Albania 1.190  
     Andorra 968  
     Bielorrusia 3.066  
     Croacia 1.631  
     Turquía 1.493  
     Resto de nacionalidades europeas 1.429  
     Nacionalidades africanas 741.580  
     Angola 2.106  
     Argelia 43.842  
     Cabo verde 2.665  
     Camerún 3.510  
     Congo 1.705  
     Costa de Marfil 1.392  
     Ghana 12.379  
     Gambia 16.817  
     Guinea 8.452  
     Guinea Bissau 4.732  
     Guinea Ecuatorial 11.915  
     Egipto 2.443  
     Liberia 727  
     Mali 14.277  
     Marruecos 535.009  
     Mauritania 9.049  
     Nigeria 28.472  
     Senegal 33.299  
     Sudáfrica 713  
     Sierra Leona 1.127  
     Túnez 1.483  
     Rep. Democrática del Congo 966  
     Resto de nacionalidades africanas 4.500  
     Nacionalidades americanas 1.376.410  
     América central 117.313  
     Costa Rica 1.115  
     Cuba 41.740  
     El Salvador 2.983  
     Guatemala 1.887  
     Honduras 8.523  
     Nicaragua 2.475  
     Panamá 1.435  
     República Dominicana 56.086  
     Resto de nacionalidades de América Central 1.069  
     América del Norte 44.709  
     Canadá 2.469  
     Estados Unidos 21.949  
     México 20.291  
     América del Sur 1.214.388  
     Argentina 135.961  
     Bolivia 132.444  
     Brasil 67.528  
     Colombia 238.582  
     Chile 35.482  
     Ecuador 399.585  
     Paraguay 27.696  
     Perú 86.912  
     Uruguay 42.777  
     Venezuela 47.354  
     Resto de nacionalidades de América del Sur 67  
     Nacionalidades asiáticas 202.083  
     China 98.097  
     Bangladesh 5.845  
     Filipinas 17.732  
     India 19.304  
     Irán 875  
     Israel 2.371  
     Irak 1.597  
     Japón 4.405  
     Jordania 1.065  
     Líbano 1.143  
     Pakistán 39.612  
     Siria 2.085  
     República de Corea 2.507  
     Resto de nacionalidades de Asia 5.445  
     Oceanía 2.160  
     Australia 1.485  
     Resto de países de Oceanía 675  
     Apátridas 593
 

*

Varilarguero

  • 21
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #22 em: Outubro 02, 2006, 12:43:59 am »
Citação de: "papatango"
Segundo o Aznar, hoje no canal RTP-1, em apenas 6 anos a população espanhola passou de 39 para 44 milhões, por causa da imigração, porque o crescimento da população espanhola autoctone está em queda.

Aznar disse que os emigrantes são 10% da população e já vi estimativas que diziam que a população muçulmana foi estimada em 25 a 35% dos migrantes (consoante os casos). Isto quer dizer que poderá haver 2.5% a 3.5% de muçulmanos em Espanha.

Ou seja 1.540.000 muçulmanos. Mais que a antiga população do Reino de Granada. Não adianta preparar a marinha contra Tarik.

Eles já chegaram e já desembarcaram e os espanhóis, mais uma vez abriram-lhes as portas.


Mas bién los españoles estamos especializados en cerrar puertas al islám, en nuestra tierra y fuera(Lepanto).

En cambio ustedes portugueses, la única vez que se enfrentaron a los moros en batalla campal no salieron muy bién parados(Alcazarquivir).

Si la morisma vuelve a cruzar el estrecho en pie de guerra será nuestro ejercito el que los frene en seco. es cierto que tenemos un gobierno "donjulianista" llegado al poder gracias a terroristas musulmanes que puede cometer errores, pero aunque tengamos que volver a refugiarnos en las montañas, recuperaremos nuestra tierra(y los portugueses os volvereis a aprovechar subsidiariamente sin aportar nada a la lucha).
Llora como mujer lo que no supistes defender como hombre.
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7563
  • Recebeu: 498 vez(es)
  • Enviou: 174 vez(es)
  • +202/-209
(sem assunto)
« Responder #23 em: Outubro 02, 2006, 09:45:32 am »
Quem é este ignorante?
Só mesmo a ignorância pode sustentar tanta parvoíce.
Este fica para ti, Papatango. :twisted:
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2213
  • Recebeu: 59 vez(es)
  • Enviou: 116 vez(es)
  • +25/-0
    • http://forumdefesa.com
(sem assunto)
« Responder #24 em: Outubro 02, 2006, 01:10:26 pm »
Rendição :?:

Citar
Maomé fora de festas com medo de reacções


Duas aldeias espanholas renunciaram, este ano, a destruir "gigantones" de cartão e cola que simbolizam o profeta Maomé nas suas tradicionais festas de "mouros e cristãos", por temor de reacções islamistas, escrevia, ontem, o jornal "El Periódico de Catalunha". Falando de "autocensura", o jornal de Barcelona assegura que o polémico processo das caricaturas de Maomé incitou as duas localidades da região de Valença a amenizar essa sua festa popular anual.

Estas festas tradicionais, muito populares na Catalunha, nas Ilhas Baleares e na região de Valença, põem em cena figurantes mascarados que reconstituem as batalhas que opuseram cristãos e muçulmanos durante a reconquista dos reinos mouriscos da Península Ibérica pelos Reis Católicos (718-1492).

Pela primeira vez este ano, os organizadores da festa em Bocairent, uma aldeia com cerca de 4.500 habitantes, renunciaram em Janeiro a uma parte das celebrações, que consistia em fazer explodir com petardos a cabeça em cartão moldado de um "gigantone" com a figura do profeta Maomé.

"A polémica com o islamismo faz com que estas coisas dêem que falar, mas nós queremos evitá-lo", afirmou Agustín Belda, ex-presidente da comissão de festas de mouros e cristãos de Boicarent. "Tal como estão agora os ânimos, convém andar com pés de lã. Esta é uma pequena aldeia e, em princípio, o que acontece aqui não tem repercussões. Mas nunca se sabe..."

A aldeia de Beneixama, com 1.800 habitantes, procedeu da mesma forma durante a sua festa de "mouros e cristãos" em Setembro último, pelos mesmos motivos. "Duvido que uma tradição que se vem repetindo desde há imenso tempo possa desaparecer, mas também há outros elementos da festa que vão evoluindo", explica María Mercedes Molina, membro da comissão de festas de Beneixama. "Se toca a modernizar, então modernizemos, desde que a festa não se desvirtue". Este ano, a "modernização" consistiu em não colocar os petardos na cabeça da efígie

O periódico refere que estas duas localidades eram, até agora, as únicas em Espanha a perpetuar uma prática medieva, mas abandonada após o Concílio Vaticano II, que apelava ao respeito da Igreja Católica para com os muçulmanos.

"Ninguém os ameaçou ou advertiu", sublinha o jornal, assegurando que a destruição dos 'gigantones' com a figura de Maomé "não era, contudo, um acto anti-muçulmano e não possuía conotações religiosas".

"Mas como os podemos reprovar, se até a Deutsche Opera (a ópera de Berlim) retirou da sua programação, igualmente por temor, uma ópera de Mozart porque

aparecia em cena uma cabeça decapitada de Maomé", interroga-se o jornal em editorial.

Curiosamente, nas duas aldeias é difícil encontrar alguém que queira falar e opinar publicamente sobre o assunto. Os habitantes de ambas as aldeias adiantam que quanto mais se falar do assunto mais polémica surgirá e mais atenção recairá sobre eles.

Fonte

Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

manuel liste

  • Especialista
  • ****
  • 1053
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #25 em: Outubro 02, 2006, 03:39:57 pm »
¿Cabalo de Troia musulmán? Nunca!!

O noso exército ha-lo impedir:  :wink:



...o bastemento estará asegurado polo noso escalón loxístico:  :D
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5510
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +590/-2
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #26 em: Outubro 02, 2006, 03:48:22 pm »
Citar
Quem é este ignorante?
Só mesmo a ignorância pode sustentar tanta parvoíce.
Este fica para ti, Papatango.


Valerá a pena  :roll:  :twisted:  :twisted:  :twisted:  :mrgreen:

Cumprimentos
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15620
  • Recebeu: 1230 vez(es)
  • Enviou: 1161 vez(es)
  • +200/-186
(sem assunto)
« Responder #27 em: Outubro 02, 2006, 07:43:42 pm »
Não conhecia essa tradição. No entanto lembro-me de ver na RTP1, uma reportagem em que o padre de uma aldeia do interior, em que ele tinha recusado participar numa tradição em que se queimava um boneco representando os Judeus. Ele achou uma coisa bárbara e sem sentido numa altura de dialogo inter-religioso.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Varilarguero

  • 21
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #28 em: Outubro 02, 2006, 08:54:49 pm »
Papatango, durante el reino visigodo existía Portugal? La herencia visigótica, para bién y para mal, es común para España y Portugal, pues en ambos tiempos anbos paises formaban una sola nación, asi que menos lobos...

Las tropas moras de Franco eran simple carne de cañón, yo mismo te he leido decir que su calidad era baja. Y para usarlos como carne de cañón, antes tuvimos que someterlos, cosa que ustedes fueron incapaces de hacer, pues cuando vuestro ejercito intentó conquistar Marruecos, los antepasados de esos mismos moros que Franco doblegó os aniquilaron por completo. Que no quedo vivo ni el rey, vamos.

No es lo mismo ir a Abisinia con arcabuces a enfrentarse con unos beduinos que huían al escuchar las detonaciones de pólvora que enfrentarse a los moros de poder a poder en batalla campal...
Llora como mujer lo que no supistes defender como hombre.
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2093
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #29 em: Outubro 02, 2006, 09:56:15 pm »
Citação de: "Varilarguero"
No es lo mismo ir a Abisinia con arcabuces a enfrentarse con unos beduinos que huían al escuchar las detonaciones de pólvora que enfrentarse a los moros de poder a poder en batalla campal...


Batalha Navas de Tolosa?
Ceuta, etc etc...(sim...eram mouros, não aqueles que vivem além Douro mas mouros a sério!)
 

 

Cenário de guerra: A Espanha invade as Desertas

Iniciado por Rui Elias

Respostas: 69
Visualizações: 31748
Última mensagem Maio 12, 2009, 05:09:34 pm
por ZADOK
Guerra entre Portugal e Espanha?

Iniciado por Miguel

Respostas: 1598
Visualizações: 261159
Última mensagem Dezembro 28, 2017, 11:33:21 am
por Viajante
Conflito Espanha-Marrocos?

Iniciado por Miguel

Respostas: 243
Visualizações: 70464
Última mensagem Novembro 23, 2010, 10:46:23 am
por Cabeça de Martelo
Portugal e Espanha vs Marrocos

Iniciado por Mueda

Respostas: 44
Visualizações: 11482
Última mensagem Dezembro 11, 2010, 03:19:37 pm
por Cabeça de Martelo