Dien Bien Phu

  • 18 Respostas
  • 6426 Visualizações
*

fgomes

  • Perito
  • **
  • 475
  • +0/-0
Dien Bien Phu
« em: Maio 08, 2004, 10:43:54 am »
Passaram ontem 7 de Maio 50 anos, que a base francesa neste local foi conquistada pelo Vietminh, o que teve como consequência a retirada francesa da Indochina.

Ao contrário das anedotas que hoje circulam por aí, os franceses (principalmente Páras e Legião Estrangeira) bateram-se bem, em muitos casos até ao último homem. Os prisioneiros foram cruelmente tratados, entre 60% a 70% morreram no cativeiro, devido à "reeducação" a que foram submetidos.

Os campos de prisioneiros acabaram por ser também uma "escola" para os sobreviventes que aplicaram as suas experiências na guerra da Argélia.
Para compreender a experiência francesa nas guerras da Indochina e da Argélia, existem 2 livros fundamentais:
"Os Centuriões" e os "Pretorianos" de Jean Lárteguy.
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1438
  • +4/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Maio 08, 2004, 12:37:30 pm »
"Os Centuriões" foi passado a filme não foi ?
Com o Anthony Quinn acho eu...

Um dos clássicos dos filmes de guerra.
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

fgomes

  • Perito
  • **
  • 475
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #2 em: Maio 08, 2004, 12:41:52 pm »
Foi passado a filme, mas foi uma adaptação muito pobre, que pouco tem a ver com o livro.
 

*

JQT

  • Membro
  • *
  • 265
  • Recebeu: 11 vez(es)
  • +0/-0
Re:
« Responder #3 em: Maio 12, 2004, 11:38:18 pm »
Citar
Para compreender a experiência francesa nas guerras da Indochina e da Argélia, existem 2 livros fundamentais:
"Os Centuriões" e os "Pretorianos" de Jean Lárteguy.


Tenho os dois mas ainda não arranjei tempo para os ler.

Esta noite deu um excelente - e impressionante - documentário na TV5 sobre Dien Bien Phu. No final, os EUA estiveram para lançar um grande bombardeamento para tentar salvar os franceses, que recorreria também a armas nucleares. Seriam usados B-52 baseados na Filipinas. Mas só avançariam se os
ingleses também participassem; mas Churchill recusou.

Renderam-se 10 mil franceses, só 3 mil sobreviveram ao cativeiro e aos "tribunais revolucionários".

80% do custo do esforço de guerra francês foi sustentado pelos EUA. Se ao menos tivessem feito o mesmo por nós em África em vez de apoiarem a FNLA e fazerem-nos um embargo...

JQT
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 833
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #4 em: Maio 12, 2004, 11:43:41 pm »
Curiosamente, parece que em Dien Bien Phu estavam presentes muitos membros das SS nazis, e outros antigos soldados do exército alemão, perseguidos por crimes de guerra, e que acabaram por encontrar o anonimato entre as fileiras da Legião Estrangeira...

As voltas que este mundo dá  :roll:
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7625
  • Recebeu: 573 vez(es)
  • Enviou: 191 vez(es)
  • +231/-504
(sem assunto)
« Responder #5 em: Maio 13, 2004, 12:05:50 am »
Aí morreu também um Legionário português...
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

rjales

  • 43
  • +0/-0
Numeros
« Responder #6 em: Maio 14, 2004, 03:27:05 pm »
Do lado Francês são 17 batalhões que participam na batalha de Dien Bien Phu, ou seja 15700 homens.

Até a rendição as percas são de 3400 mortos ou desaparecidos, 1100 desertores, e 5200 feridos.

10000 vão para o cativeiro, 850 feridos graves são entregues à cruz vermelha. So 3300 regressem a casa. O resto morre ou, no que toca aos prisoneiros de origem vietnamita, são enviados para campos de trabalho e talvez libertados mais tarde.

Do lado do Vietminh, 33 batalhões (49000 homens) procedem ao cerco das forças francesas. As percas são estimadas em 8000 mortos e 15000 a 20000 feridos (estimativas do estado maior francês) . E nem se fala da participação de mais de 50000 homens e mulheres no esforço logistico... De certeza que as percas terão sido mais elevadas.

http://www.dienbienphu.org/

Rogério
 

*

dremanu

  • Investigador
  • *****
  • 1254
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +7/-12
(sem assunto)
« Responder #7 em: Maio 14, 2004, 05:17:08 pm »
Uma pergunta para os participantes do forum:

O que fariam numa situação semelhante a esta? Preferiam lutar até à morte, ou renderem-se ao inimigo?

Pessoalmente, e neste caso que se luta contra um povo diferente do povo europeu, acho melhor lutar até ao último homem. Os ásiaticos nunca foram de tratar muito bem prisioneiros de guerra, logo aí para quê se render, o mais certo é que se vai morrer de qualquer forma, sendo assim mais vale a pena morrer a lutar, do que morrer num campo de prisioneiros.
"Esta é a ditosa pátria minha amada."
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7625
  • Recebeu: 573 vez(es)
  • Enviou: 191 vez(es)
  • +231/-504
(sem assunto)
« Responder #8 em: Maio 14, 2004, 09:38:27 pm »
Eu pessoalmente não lhe sei responder. Se calhar rendia-me mais rápido que qualquer francês ou então batia-me nem que fosse à dentada ou à cuspidela. Só estando nelas!
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Guilherme

  • Perito
  • **
  • 379
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Maio 14, 2004, 09:50:50 pm »
Pena que a França não teve como fazer um bombardeio massivo a uma grande cidade vietnamita, à maneira que os americanos faziam em 1968.
 

*

dremanu

  • Investigador
  • *****
  • 1254
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +7/-12
(sem assunto)
« Responder #10 em: Maio 14, 2004, 10:23:19 pm »
Citação de: "Luso"
Eu pessoalmente não lhe sei responder. Se calhar rendia-me mais rápido que qualquer francês ou então batia-me nem que fosse à dentada ou à cuspidela. Só estando nelas!


De facto, só estando nas situações é que se pode saber o que se faria...No entanto, eu penso que provavelmente os Francêses adotaram uma postura típicamente europeia. Viram-se cercados, e provavelmente pensaram, para quê lutar, vamos nos render e esperar que o nosso governo negocie para nos libertar.

Será que eles lutaram até à última bala...eu sou da opinião que enquanto se pode lutar não se deve desistir, porque alguma coisa pode aconteçer que reverte a situação a nosso favor. Acho que os Francêses são um povo que tende a desistir facilmente em situações difíceis. Acho nós Portuguêses somos muito mais tenaciosos que os Francêses, pena é que temos um país e uma população pequenina, o que limita os nossos recursos.
"Esta é a ditosa pátria minha amada."
 

*

emarques

  • Especialista
  • ****
  • 1177
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #11 em: Maio 14, 2004, 10:26:03 pm »
Ó dremanu, "A Guarda morre mas não se rende". Bons soldados há em todo o lado. E maus soldados também.
Ai que eco que há aqui!
Que eco é?
É o eco que há cá.
Há cá eco, é?!
Há cá eco, há.
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1438
  • +4/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Maio 14, 2004, 10:51:42 pm »
É, emarques. Parece que há gente para quem a história militar começou no século XX...
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

dremanu

  • Investigador
  • *****
  • 1254
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +7/-12
(sem assunto)
« Responder #13 em: Maio 15, 2004, 10:57:11 pm »
Sim, bons e maus soldados há em todos os exércitos, mas não me convenço que os Francêses sejam dos melhores. Os Francêses o que têm sempre a favor deles é bom material, e numeros elevados de tropas. Mas capacidade de resistência, e tenacidade na face de dificuldades e complicações, não creio ser algo que eles têm em abundância.
"Esta é a ditosa pátria minha amada."
 

*

JACARÉ

  • 23
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #14 em: Novembro 04, 2006, 08:40:58 am »
Para quem está interessado na Indochina eu tenho um grupo Yahoo sobre o conflicto com muita informação disponível:

http://games.groups.yahoo.com/group/guerredindochine/
 

 

Dien-Bien-Phu e as descolonizações

Iniciado por Carlos Rendel

Respostas: 9
Visualizações: 2413
Última mensagem Janeiro 30, 2013, 11:33:24 pm
por mafets