Israel vs Hezbollah no Libano

  • 674 Respostas
  • 110929 Visualizações
*

Azraael

  • Perito
  • **
  • 413
  • +0/-0
    • http://www.bgoncalves.com
(sem assunto)
« Responder #255 em: Julho 27, 2006, 04:56:34 pm »
Citar
Iranians volunteer to fight Israel


Group heads for 'holy war' in Lebanon

TEHRAN, Iran (AP) -- Surrounded by yellow Hezbollah flags, more than 60 Iranian volunteers set off Wednesday to join what they called a holy war against Israeli forces in Lebanon.

The group -- ranging from teenagers to grandfathers -- plans to join about 200 other volunteers on the way to the Turkish border, which they hope to cross Thursday. They plan to reach Lebanon via Syria on the weekend.

Organizers said the volunteers are carrying no weapons, and it was not clear whether Turkey would allow them to pass.

A Turkish Foreign Ministry official, speaking on condition of anonymity, would not say Wednesday if Turkey would allow them to cross. Iranians, however, can enter Turkey without a visa and stay for three months.

Iran says it will not send regular forces to aid Hezbollah, but apparently it will not attempt to stop volunteer guerrillas. Iran and Syria are Hezbollah's main sponsors.

"We are just the first wave of Islamic warriors from Iran," said Amir Jalilinejad, chairman of the Student Justice Movement, a nongovernment group that helped recruit the fighters. "More will come from here and other Muslim nations around the world. Hezbollah needs our help."

Military service is mandatory in Iran, and nearly every man has at least some basic training. Some hard-liners have more extensive drills as members of the Basiji corps, a paramilitary network linked to the powerful Revolutionary Guard.

Other volunteers, such as 72-year-old Hasan Honavi, have combat experience from the 1980-88 war with Iraq.

"God made this decision for me," said Honavi, a grandfather and one of the oldest volunteers. "I still have fight left in me for a holy war."

The group, chanting and marching in military-style formation, assembled Wednesday in a part of Tehran's main cemetery that is reserved for war dead and other "martyrs."

They prayed on Persian carpets and linked hands, with their shoes and bags piled alongside. Few had any battle-type gear and some arrived in dress shoes or plastic sandals.

Some bowed before a memorial to Hezbollah-linked suicide bombers who carried out the 1983 blast at Marine barracks in Beirut that killed 241 U.S. servicemen. An almost simultaneous bombing killed 56 French peacekeepers.

Speakers praised Hezbollah leader Sheik Hassan Nasrallah and laid scorn on Muslim leaders -- including their own government -- for not sending battlefield assistance to Hezbollah since the battles erupted two weeks ago.

Even if the volunteers fail to reach Lebanon, their mobilization is an example of how Iranians are rallying to Hezbollah through organizations outside official circles.

Iran insists it is not directly involved in the conflict on the military side, but it remains the group's key pipeline for money. Iran has dismissed Israel's claims that Hezbollah has been supplied with upgraded Iranian missiles that have reached Haifa and other points across northern Israel.

"We cannot stand by and watch out Hezbollah brothers fight alone," said Komeil Baradaran, a 21-year-old Basiji member. "If we are to die in Lebanon, then we will go to heaven. It is our duty as Muslims to fight."



http://www.cnn.com/2006/WORLD/meast/07/26/iran.volunteers.ap/index.html#
 

*

ricardonunes

  • Investigador
  • *****
  • 3564
  • Recebeu: 32 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +10/-5
(sem assunto)
« Responder #256 em: Julho 27, 2006, 05:39:48 pm »
Médio Oriente: A análise do general Loureiro dos Santos
Citar
O Governo de Israel decidiu não alargar, pelo menos nesta altura, a ofensiva em curso no Líbano. É uma informação anunciada hoje pelo Governo israelita.  

Na análise do General Loureiro dos Santos esta é, contudo, uma hipótese que pode voltar a ser encarada, porque Israel não está a conseguir atingir os seus objectivos.

Loureiro dos Santos lembra ainda que nunca Israel venceu um combate deste género.

Dado "que existe a consciência [por parte das forças israelitas] de que a actual situação não está a resolver o problema, uma hipótese é verificar-se uma alargamento do espaço geográfico onde decorrem as forças terrestres", explica o general.

Hoje foi um dia em que cruzaram ameaças e declarações guerreiras. Primeiro foi o "número dois" do Hezbollah que, em entrevista a um jornal argelino, deixou a promessa de que o movimento vai lutar até à última gota de sangue.

Depois, o "número dois" da Al-Qaeda apelou a todos os muçulmanos para que se unam contra o que classifica como a "cruzada sionista" que está a ser levada a cabo no Líbano.

Numa gravação emitida esta manhã pela cadeia de televisão Al-Jazeera, este alto representante da Al-Qaeda garante que a organização não se vai manter de braços cruzados perante os ataques israelitas.

Na análise do General Loureiro dos Santos, este facto é mais um sinal de que a ofensiva israelita conseguiu, pelo menos nesta fase, unir todos os muçulmanos.

"A Al-Qeda limita-se a aproveitar a onda do estímulo que está a provocar este combate para chamar a atenção para o facto de que, independentemente de se ser sunita ou xiita, o que é importante é eliminar os judeus e os cruzados", revela ainda o general.
 
 


http://www.rr.pt/noticia.asp?idnoticia=171482
Potius mori quam foedari
 

*

RedWarrior

  • 235
  • +0/-0
    • http://rouxinol.blogspot.com/
(sem assunto)
« Responder #257 em: Julho 27, 2006, 06:13:51 pm »
Citação de: "Luso"
As esquerdas anti-semitas
a menos que anti-semitismo queira dizer "contra os judeus"....a menos que Israel represente todos os judeus...peço desculpa, mas vou ter que partir o artigo em mil bocados para desmontar o teatro argumentativo e reduzi-lo àquilo que ele é.
 Ontem na manifestação estavam 2 judeus que eu identifiquei e que também se manifestavam contra os crimes de Israel, serão esses 2 judeus "anti-semitas"??
 
Citação de: "Luso"
Logo a seguir ao 11 de Setembro
Realizado com a conivência da administração norte-americana.

Citação de: "Luso"
as esquerdas pós-soviéticas esfalfaram-se a explicar o baixíssimo nível de desenvolvimento das sociedades onde campeia o fanatismo islâmico, o que, como não podia deixar de ser, era da responsabilidade do Ocidente
Algumas esquerdas pós-soviéticas atribuem a inexistência de luta de classes nos países islâmicos à manipulação da religião, a religião é um excelente meio de controle das massas que garante uma oligarquia saudável e respeitada. Assim é complicado haver qualquer evolução.
 Outro problema seria a divisão internacional do trabalho que não é exclusivo aos países islâmicos, visto que noutros que não islâmicos e que vivem na mesma situação, também não se conseguem levantar.
 
Citação de: "Luso"
Disseram lamentar a chacina mas no íntimo rejubilaram.
O homem conhece a nossa intimidade...

Citação de: "Luso"
O poderio norte-americano, a democracia representativa, a civilização ocidental, tudo isso era posto em causa
Esta técnica argumentativa é extremamente eficaz, portanto se nós pusermos em causa o poderio norte-americano, temos ao mesmo tempo que pôr em causa a democracia representativa e a "civilização ocidental"...porque se pusessemos em causa apenas o poderio militar e os crimes que dele decorrem sem pormos em causa a democracia representativa estariamos a ser sensatos, coisa que não interessa a quem pretende defender a uma hegemonia americana no mundo.  

Citação de: "Luso"
Não faltaram os malabarismos intelectuais repugnantemente apologéticos.
os mesmos utilizados por quem escreveu este artigo
 
Citação de: "Luso"
No conflito palestiniano, os pós-soviéticos não se impressionam com a perda de vidas civis causada pelo terrorismo em Israel (e ainda menos com os sucessivos genocídios que têm vitimado milhões de seres humanos em África).
Esta é outra táctica...os erros dos outros vão justificar os nossos. Portanto para nós nos podermos manifestar contra os crimes do Estado de Israel, temos que ao mesmo tempo manifestar-nos contra todos os outros crimes ao cimo da terra...neste caso, segundo uma mesma relação, parte-se do princípio que porque nos estamos a manifestar contra os crimes de Israel...nos estamos a manifestar ao lado dos que atacam indiscriminadamente civis israelitas, e mesmo que condenemos esses ataques, o que é que acontece ?? Não estamos a ser sinceros porque o autor do texto sabe ler os nossos pensamentos íntimos.
 

Citação de: "Luso"
É verdade que, da parte de Israel, há excessos condenáveis nessa repressão. Mas os pós-soviéticos descontextualizam tudo. Não perdoam a Israel que seja um Estado de Direito e lute firmemente pela sobrevivência.
Errado, o que condenamos é que não tenham negociado a libertação dos soldados raptados. Caso Israel fosse fosse invadido, era outro caso.

Citação de: "Luso"
Omitem que, desde há décadas, se deve ao mundo árabe uma tremenda sucessão de ataques, tanto militares como terroristas, com vista à aniquilação de Israel
Será isto verdade?? ou apenas mais uma pérola da imparcialidade do autor?

Citação de: "Luso"
e que os radicais islâmicos e palestinianos nunca aceitarão a existência do estado judeu.
O que fez Israel quando a OLP reconheceu o direito à existência do Estado de Israel??
 O que fez o mundo e a comunidade internacional quando o Likud no poder NÃO reconheceu a existência de um Estado Palestiniano. Terão sido apelidados de "terroristas" e "extremistas" ??

Citação de: "Luso"
mas não falam na responsabilidade do eleitorado que colocou um grupo terrorista no poder
Era a mesma coisa que bombardear Israel, apenas porque colocou lá o Likud.

Citação de: "Luso"
nas relações desse grupo com o Hezbollah, a Síria e o Irão
Da mesma maneira que Israel pede armas aos EUA

Citação de: "Luso"
nos propósitos explícitos e irrenunciados da fundação do Hezbollah e do Hamas para o extermínio de Israel
Será isto verdade?


Citação de: "Luso"
Ainda no sábado era noticiado que o Hamas tinha proposto, quanto a Gaza, um cessar-fogo condicionado, mas que dois grupos militares o não aceitavam…
Da mesma forma que na retirada dos colonatos, haviam israelitas que não queriam.

Citação de: "Luso"
Francisco José Viegas resume lapidarmente a posição dos pós-soviéticos: "Sim, dois estados soberanos. Desde que 1) Israel esteja disponível para ser alvo permanente do Hamas e do Hezzbollah e, 2) que o outro Estado soberano seja uma plataforma para que outros Estados soberanos ataquem Israel sempre que quiserem".
Reparem que o contrário...ou seja, o ataque de Israel ao outro Estado Soberano não é objecto de consciência.

Citação de: "Luso"
Na sua batota totalitária, desceram tão baixo que até já nem acham que a religião seja o ópio do povo!



Citação de: "Luso"
quando se alguma crítica há a fazer-lhe é a de ela ter andado a alimentar, pela ajuda humanitária, algumas das molas reais do conflito
Claro, enviar alimentos é um crime repugnante...assim os putos passam a dispôr de força para atirar pedras aos soldados israelitas.
 
Citação de: "Luso"
E nutrem um ódio étnico e torpe contra os judeus.
Satisfaz-me a curiosidade intelectual...os judeus são uma etnia que se transmite religiosamente :lol:
 Porque é que em vez de dizerem anti-semitas, não dizem antes anti-judeus :lol: pode não ter o mesmo efeito sonante, mas é mais correcto do ponto de vista etimológico

Citação de: "Luso"
A absoluta falta de escrúpulos do sinistro ditador levou-o a apoiar a fundação de Israel em 1948.
Um autêntico tiro no pé, só mesmo um sinistro ditador é que pode defender a segregação dos judeus num Estado afirmando que "estão inseguros"...é a lógica do medo, Israel é um falhanço porque se o objectivo era "uma terra sem povo para um povo sem terra" então esqueceram-se que os árabes já lá viviam. Se o objectivo era um sítio seguro para os judeus então falharam redondamente porque não existe hoje nenhum sítio mais inseguro para se viver que Israel.
 Obrigaram os judeus a ir contra a lei hebraica, desrespeitando a sua própria religião e obrigando-os a calar o bico e a fazerem-se ouvir pelos sionistas que não os defenderam na segunda guerra mundial, a menos que estes quisessem colonizar a Palestina.

Citação de: "Luso"
Os pós-soviéticos, que nem sequer criticam o negacionismo dos nazis iranianos
Uma coisa é pedir investigações, outra é negar a existência de um plano destinado ao extermínio de judeus.

Citação de: "Luso"
mantiveram-se reverentemente impregnados até à medula desse anti-semitismo atávico.

 Deixem-me mostrar umas fotos de anti-semitas:







A primeira vítima de todas as guerras é a verdade
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5512
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +18/-0
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #258 em: Julho 27, 2006, 07:38:09 pm »
Red Warrior.

O que é que você quer provar exactamente ?

Com a sua técnica de dividir e repartir o texto, em vez de fazer um comentário contrutivo, você produziu uma quantidade de disparates sem nexo.

O seu objectivo parece ser o de dar a impressão de ter respondido ou contestado alguma coisa, quando na realidade se limitou a produzir uma quantidade de lugares comuns e comentários sem qualquer relevância.

Começa pela afirmação cretina de que os americanos foram responsáveis pelo 11 de Setembro.

Só faltou dizer que o Bin Laden de facto está na Area-51 e que é de facto o resultado do cruzamento de uma Zebra com um Macaco, que fugiu da prisão.

= = = = = = =

A aliança entre a esquerda neo-soviética e o terrorismo do Islão Nazi e criminoso, é evidente.

A esquerda neo-soviética, que ainda cheira a sangue e que ainda existe  nesses paraisos sobre a terra que são Cuba e a Coreia do Norte, sente-se no entanto orfã.

Já lá vão os dias das gloriosas paradas dos gloriosos tanques e mísseis das gloriosas classes trabalhadoras na gloriosa Praça Vermelha da gloriosa e patriótica cidade de Moscovo.
Já lá vão os dias em que demonstravam o seu poder com as paradas e com os mísseis como forma de afirmar a superioridade do sistema soviético.

Como essa esquerda não vive sem esse tipo de simbolos, adoptou os misseis da Coreia do norte, do Irão e até os do Hzebollah como seus.

Na manifestação anti-semita de Lisboa veio ao-de-cima o ódio mais fanático, mais vil e mais putrefacto que esses agentes debochados do nazismo vermelho disfarçados de esquerdistas - têm pela Democracia e pelo Estado de Direito.

O que eles odeiam de facto, há que dize-lo. não é Israel, mas sim o facto de se tratar do único país do Médio Oriente que tem uma democracia funcional, e ser uma demonstração de que a Democracía consegue vencer a força dos criminosos, comunistas, dos nazistas e de toda a corja da assassinos que poluem o ar do mundo com a sua nojenta presença!

Pretender que a esquerda-Caviar e o Bloco de Esquerda (no caso de Portugal) e a Frente Nacional e os grupelhos de criminosos Nazis não estão do mesmo lado, é deitar areia para os olhos das pessoas.
A verdade acaba por vir-ao-de-cima
 

*

Azraael

  • Perito
  • **
  • 413
  • +0/-0
    • http://www.bgoncalves.com
(sem assunto)
« Responder #259 em: Julho 27, 2006, 08:16:57 pm »
Citação de: "RedWarrior"
a menos que anti-semitismo queira dizer "contra os judeus"....a menos que Israel represente todos os judeus...
Realmente... onde e' que ja se viu associar anti-semismo com ser "contra os judeus"...
Citar
anti-semita
    adj. e s. 2 gén.,
        pessoa inimiga dos semitas, especialmente dos judeus.

 
Citação de: "RedWarrior"
Ontem na manifestação estavam 2 judeus que eu identifiquei e que também se manifestavam contra os crimes de Israel, serão esses 2 judeus "anti-semitas"??
A excepcao confirma a regra.
 
Citação de: "RedWarrior"
Citação de: "Luso"
Logo a seguir ao 11 de Setembro
Realizado com a conivência da administração norte-americana.
Tou a ver que ainda nao ganhaste juizo...

Citação de: "RedWarrior"
neste caso, segundo uma mesma relação, parte-se do princípio que porque nos estamos a manifestar contra os crimes de Israel...nos estamos a manifestar ao lado dos que atacam indiscriminadamente civis israelitas, e mesmo que condenemos esses ataques, o que é que acontece ??
Chamar de crime o direito de legitima defesa e' apoiar os terroristas que lhe deram razoes para se defender... E ainda estou para vos ver a condenar o terrorismo palestiniano.
 
 
Citação de: "RedWarrior"
Errado, o que condenamos é que não tenham negociado a libertação dos soldados raptados. Caso Israel fosse fosse invadido, era outro caso.
Negociar com terroristas e', no minimo, estupido... seria como estarem a dizer "sempre que quiserem alguma coisa, basta que raptem meia duzia de soldados nossos"

O que fez o Hamas apos israel ter retirado unilateralmente da faixa de gaza?


Citação de: "RedWarrior"
Era a mesma coisa que bombardear Israel, apenas porque colocou lá o Likud.
o Likud nao e' um grupo terrorista.

Citação de: "RedWarrior"
Citação de: "Luso"
nas relações desse grupo com o Hezbollah, a Síria e o Irão
Da mesma maneira que Israel pede armas aos EUA
Apoios entre estados soberanos e democraticos sao bem diferentes de apoios de estados a grupos terroristas.


Citação de: "RedWarrior"
Da mesma forma que na retirada dos colonatos, haviam israelitas que não queriam.
E se calhar foram dos poucos que viram em que e' que isso iria (e esta) a dar... a diferenca e' que a discordancia de civis numa democracia sao muito diferentes de discordancias de grupos terroristas que nao exitam em massacrar civis.

 
Citação de: "RedWarrior"
Uma coisa é pedir investigações, outra é negar a existência de um plano destinado ao extermínio de judeus.
O que tenho visto e' o Presidente Iraniano a nega-lo completamente...
 

*

RedWarrior

  • 235
  • +0/-0
    • http://rouxinol.blogspot.com/
(sem assunto)
« Responder #260 em: Julho 27, 2006, 08:19:46 pm »
Citação de: "papatango"
você produziu uyma quantidade de disparates sem nexo.
Disparates esses aos quais tu não soubeste contra-argumentar. E porquê?? porque sabes que não tens razão :D

Citação de: "papatango"
O seu objectivo parece ser o de dar a impressão de ter respondido ou contestado alguma coisa
Contestei todo o texto, começando pelo "anti-semitismo" que não aprofundei, mas que não é preciso porque a explicação do aparecimento desse termo está no wikipédia ( dêem-se ao trabalho de ler ). Contestei a apropriação de uma religião por um Estado que não a respeita e contestei a dualidade de critérios em relação aos crimes de uns e os crimes de outros.

Citação de: "papatango"
Começa pela afirmação cretina de que os americanos foram responsáveis pelo 11 de Setembro.
Existe um tópico aberto no forum sobre isso...se achas que a ideia é completamente descabida, vai lá mostrar preto no branco como é que tudo se passou.

Citação de: "papatango"
Só faltou dizer que o Bin Laden de facto está na Area-51 e que é de facto o resultado do cruzamento de uma Zebra com um Macaco, que fugiu da prisão.
A falta de argumentos tem destas coisas...

Citação de: "papatango"
Na manifestação anti-semita de Lisboa
INCRÍVEL!!!
 Uma manifestação que pede o cesar-fogo imediato tanto do hezbollah como de Israel e que exige o início das negociações é ( e corrijo-te no termo porque não aprendeste nada ) anti-judaica....mesmo havendo judeus na manifestação...

Citação de: "papatango"
veio ao-de-cima o ódio mais fanático, mais vil e mais putrefacto que esses agentes debochados do nazismo vermelho disfarçados de esquerdistas - têm pela Democracia e pelo Estado de Direito.
Reset!! Relembrar a parte do...

Citar
Esta técnica argumentativa é extremamente eficaz, portanto se nós pusermos em causa o poderio norte-americano, temos ao mesmo tempo que pôr em causa a democracia representativa e a "civilização ocidental"...porque se pusessemos em causa apenas o poderio militar e os crimes que dele decorrem sem pormos em causa a democracia representativa estariamos a ser sensatos, coisa que não interessa a quem pretende defender a uma hegemonia americana no mundo.

 Temos que ler para contra-argumentar
 
Citação de: "papatango"
O que eles odeiam de facto, há que dize-lo. não é Israel, mas sim o facto de se tratar do único país do Médio Oriente que tem uma democracia funcional

 Se quiseres abrir excepções nessa tua afirmação...estás à vontade.
A primeira vítima de todas as guerras é a verdade
 

*

ricardonunes

  • Investigador
  • *****
  • 3564
  • Recebeu: 32 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +10/-5
(sem assunto)
« Responder #261 em: Julho 27, 2006, 08:24:54 pm »
E começou mais uma campanha de estupidificação das massas Americanas.

http://www.youtube.com/watch?v=IliVelWh ... h=hezbolla

Ou será para justificar o apoio a Israel?
Potius mori quam foedari
 

*

Azraael

  • Perito
  • **
  • 413
  • +0/-0
    • http://www.bgoncalves.com
(sem assunto)
« Responder #262 em: Julho 27, 2006, 08:27:00 pm »
Citação de: "ricardonunes"
E começou mais uma campanha de estupidificação das massas Americanas.

http://www.youtube.com/watch?v=IliVelWh ... h=hezbolla

Ou será para justificar o apoio a Israel?
Vindo dos lados da FOX nao se pode esperar grande coisa... mas so nao se informa melhor quem nao quer...
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7508
  • Recebeu: 386 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +138/-194
(sem assunto)
« Responder #263 em: Julho 27, 2006, 09:03:27 pm »
Do Abrupto...
http://abrupto.blogspot.com/

"José Rodrigues dos Santos no telejornal da RTP1 das 20 horas disse as primeiras coisas sensatas aí ditas há muito tempo. São sensatas, evidentes e conhecidas de há muito, mas parecem blasfémias ditas nos noticiários mais anti-americanos e israelitas da televisão portuguesa. Disse que muitos libaneses sentem que o seu país está a ser violado por sírios e iranianos para o usarem para uma guerra estrangeira ao Líbano. Disse que era preciso cuidado com a utilização do termo "civis" porque o Hezbollah era só constituído por civis e que usava casas civis de famílias civis para esconder o armamento. Não é novidade nenhuma e não precisava de ir ao Líbano para nos dizer isto, mas no meio da contínua manipulação das palavras que constitui o grosso das notícias sobre o conflito foi um oásis, mais para o lado do jornalismo do que do "jornalismo de causas"."

Rédeuorior, saiba que para mim só há um tipo de diálogo consigo e com os seus. E por aqui me fico. Portanto não gaste mais o seu latim comigo.
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

ricardonunes

  • Investigador
  • *****
  • 3564
  • Recebeu: 32 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +10/-5
(sem assunto)
« Responder #264 em: Julho 27, 2006, 09:12:46 pm »
Muito se tem falado de terrorismo neste tópico, aqui fica um texto com uma definição de terrorismo.

Citar
O novo rosto do terrorismo
Alexandra Prado Coelho
Para os americanos é a rede de Bin Laden, para os russos são os separatistas tchetchenos, para os turcos são os guerrilheiros curdos, para Israel são os radicais palestinianos. Ninguém consegue concordar numa definição absoluta de terroristas. Como é que se trava então uma "guerra contra o terrorismo"?
 

O problema coloca-se muitas vezes aos jornalistas. A organização basca ETA deve ser apelidada de terrorista? E o IRA, na Irlanda do Norte? Ou o termo deve aplicar-se apenas aos grupos dissidentes do IRA? O Abu Sayyaf nas Filipinas? É um grupo de guerrilha? Deverão ser chamados separatistas? E quanto aos bombistas suicidas palestinianos? Apesar de usarem métodos terroristas não devem ser chamados terroristas porque têm uma causa que grande parte do mundo considera justa e porque não têm alternativas de combate?

As opiniões divergem. Os mesmos que defendem que determinado grupo é terrorista, recusam-se a usar a expressão quando se trata de outro. "Tal como a beleza, o terrorismo está nos olhos de quem o vê", escreve Grenville Byford na "Foreign Affairs". Mas afinal, não se cansam de repetir os EUA, estamos numa "guerra contra o terrorismo". O que é que estamos realmente a combater? Para os americanos é a Al-Qaeda, para os israelitas são os grupos palestinianos radicais, para os russos são os tchetchenos, para os argelinos são os islamistas armados. Se quisermos encontrar um critério é preciso começar pela definição - e esta está também longe de ser consensual.

O dicionário de Inglês de Oxford descreve um terrorista como "alguém que tenta impor os seus pontos de vista através de um sistema de intimidação coerciva (...) O termo aplica-se geralmente aos membros de uma organização clandestina ou estrangeira que pretende pressionar um governo legítimo através de actos de violência contra ele ou os seus súbditos".

Um dos problemas desta definição é excluir o chamado "terrorismo de Estado". O Departamento de Estado norte-americano também não refere o terrorismo de Estado, o que se, por um lado facilita a vida aos EUA e aos seus aliados, por outro torna mais difícil acusar outros Estados "inimigos" ou "hostis". O problema foi contornado com outra definição, que permite até às Administrações norte-americanas a elaboração de uma lista: a dos "Estados que apoiam o terrorismo".

Outro problema do dicionário de Oxford é que, quando passa para os exemplos, cita casos como o da Resistência francesa durante a II Guerra Mundial, o Congresso Nacional Africano (ANC) na África do Sul, os nacionalistas irlandeses ou os cipriotas gregos.

Depois do 11 de Setembro, também a União Europeia (UE) quis adaptar a sua legislação à nova luta contra o terrorismo, mas deparou-se com o problema da definição dado que muito poucos países tinham definido terrorismo nas suas leis nacionais. A legislação adoptada pelos Quinze traça uma longa lista de crimes que podem ser considerados terroristas, desde os assassínios e raptos até ao uso de substâncias de contaminação ou às interferências em sistemas de computadores.

Mas a UE não define os objectivos por detrás das acções terroristas, como podendo ser políticos, ideológicos ou religiosos (é isso que distingue um terrorista de um hooligan, no caso do futebol, ou do membro de uma organização mafiosa). E não faz, por exemplo, uma distinção que é frequentemente utilizada: a de os alvos do terrorismo serem civis ou militares. Há quem defenda que quando os alvos são militares se trata de uma acção legítima de combate ou de guerrilha.

Veja-se o caso da Palestina. Alguns defendem que uma acção pode ser considerada terrorismo se se tratar de um bombista suicida que mata dezenas de pessoas num mercado. Mas, já não será terrorismo se for um ataque contra soldados israelitas. Outra distinção possível tem a ver com o espaço físico do ataque: dentro dos territórios ocupados é "resistência", dentro de Israel é "terrorismo", defendem outros. Mas há também quem argumente que, não tendo os palestinianos outros meios de se defenderem, qualquer acção é "resistência". O caso da ETA, por exemplo, é mais polémico, porque são muito menos os que pensam que se trata de uma causa justa, em que os fins justificariam os meios.

Uma das características principais do terrorismo, de acordo com os peritos, seria o facto de os alvos serem aleatórios. Sendo que o objectivo principal é a intimidação, a possibilidade de qualquer pessoa ser uma potencial vítima cria um clima de terror que serve precisamente o objectivo dos terroristas.

O exemplo mais evidente é o do 11 de Setembro, que criou nos americanos a sensação de total vulnerabilidade e o receio de que qualquer pessoa possa ser morta a qualquer momento através de um método inesperado e surpreendente. Mas o mesmo se passa em Israel, onde as pessoas têm medo de frequentar os cafés, de andar de autocarro ou de entrar num centro comercial.

Quase todas as pessoas reconhecem um atentado terrorista quando vêem um. O problema está em dar-lhe esse nome quando sabem quem o cometeu ou em nome de que causa foi cometido. Costuma dizer-se que o "terrorista" para um Estado é o "combatente pela liberdade" para outro.

A dificuldade em encontrar uma definição filosófica - que ultrapasse uma tipologia dos crimes que podem ser considerados terrorismo - leva a constatações cínicas como a de Brian Whitaker, que escreve no "Guardian" que "talvez a mais simples e honesta definição de terrorismo seja esta: é a violência cometida por aqueles que nós não aprovamos".

Ou, dito de forma menos cínica, por Grenville Byford na "Foreign Affairs": "A maior parte de nós não fará um julgamento moral de qualquer combatente sem ter em conta os fins que ele pretende alcançar. Aos combatentes com uma causa bastante decente podem ser perdoadas muitas coisas. Aos combatentes com objectivos nobres e sem alternativas pode, até, ser perdoado tudo".
Potius mori quam foedari
 

*

Miguel

  • Investigador
  • *****
  • 2439
  • Recebeu: 25 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +13/-16
(sem assunto)
« Responder #265 em: Julho 27, 2006, 09:15:27 pm »
As fotos do Red Warrior são falsificadas!

Alerto os moderadores para impedir a colocação dessas Fotos!
 

*

ricardonunes

  • Investigador
  • *****
  • 3564
  • Recebeu: 32 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +10/-5
(sem assunto)
« Responder #266 em: Julho 27, 2006, 09:20:10 pm »
Não estou aqui a defender o "vermelhão" do Red Warrior, mas consultando o site http://www.nkusa.org/, aparecem algumas fotos que ele publicou, o que pode suceder é que o site seja uma fraude, como muita coisa que é publicada na net.
Potius mori quam foedari
 

*

RedWarrior

  • 235
  • +0/-0
    • http://rouxinol.blogspot.com/
A primeira vítima de todas as guerras é a verdade
 

*

RedWarrior

  • 235
  • +0/-0
    • http://rouxinol.blogspot.com/
(sem assunto)
« Responder #268 em: Julho 27, 2006, 10:00:03 pm »
"The Jewish people were sent into exile by Divine decree. They where then expressly commanded by the Almighty, not to attempt to leave their exilic existence through any human intervention. They were expressly forbidden to create their own state, such as the Zionist state of "Israel". (Talmud, Tractate Kesuboth, p.111)."

"The Jewish people are forbidden to oppress another people. The creation of the State of "Israel" came about through, the theft from, subjugation and oppression of, the Palestinian people."

 Eu que acho que a religião é o ópio do povo é que me dou ao trabalho de ler o Torah.

‘Not through army and through strength, but through My spirit, said Hashem, Master of Legions’” [Zecharia 4:6].

 Israel já quebrou todas as regras!

 Algumas coisas que escapam aqui aos meninos sobre os sionistas:

 “Se soubesse que seria possível salvar todas as crianças da Alemanha transportando-as para Inglaterra ou apenas metade delas levando-as para Eretz Israel, eu optaria pela segunda alternativa”, pp 855-56 in Shabtai Teveth's Ben-Gurion 1938

Citação de: "luso"
saiba que para mim só há um tipo de diálogo consigo e com os seus

 Falta de argumentos é tramado :wink:
A primeira vítima de todas as guerras é a verdade
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3069
  • Recebeu: 133 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +129/-32
(sem assunto)
« Responder #269 em: Julho 27, 2006, 10:06:03 pm »
É impressionante os comunistas têm sempre argumentos para tudo.. mesmo que sejam falsos..

Quando um deputado da bancada do PCP diz que a Coreia do Norte é uma democracia, tudo o que vocês comunistas e sanguinários dizem não merece consideração.
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

 

Israel aceita com condições a independência para a Palestina

Iniciado por Pimenta

Respostas: 1
Visualizações: 2366
Última mensagem Novembro 30, 2012, 09:01:02 am
por P44
Resolução do Conselho de Segurança condena Israel

Iniciado por JNSA

Respostas: 17
Visualizações: 4334
Última mensagem Junho 07, 2004, 12:51:26 pm
por Rui Elias
Israel e Palestina anunciam cessar-fogo

Iniciado por Ricardo Nunes

Respostas: 3
Visualizações: 1963
Última mensagem Março 22, 2005, 07:31:56 pm
por Normando
Estará Israel a ganhar a Intifada ?

Iniciado por fgomes

Respostas: 0
Visualizações: 1155
Última mensagem Dezembro 10, 2004, 06:13:49 pm
por fgomes
Israel compra misseis Patriot PAC-3

Iniciado por antoninho

Respostas: 8
Visualizações: 5669
Última mensagem Setembro 16, 2008, 03:10:32 pm
por nelson38899