Adeus MARSOPA

  • 26 Respostas
  • 8542 Visualizações
*

radar2

  • Membro
  • *
  • 21
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #15 em: Março 24, 2006, 03:35:04 pm »
SCORPENE
 
Eslora total  63,50 m  
Manga  6,20 m  
Calado  5,40 m  
Diámetro de casco  6,20 m  
Desplazamiento en superficie  1.430 tn  
Desplazamiento sumergido  1.570 tn  
Velocidad en superficie  12 kn  
Velocidad sumergido  21 nudos  
Autonomía  > 8.500 nm  



- S - 80
 
Eslora total  71,05 m  
Eslora casco resistente  51,37 m  
Diámetros casco resistente  7,3 m  
Desplazamiento inmersión  2.345 m3  
Desplazamiento superficie  2.122 m3  
Flotabilidad  9,5%  
Potencia propulsora (MEP)  3.500 kW  
Número de elementos de batería  360  
Potencia generadores  3.600 kW  
Dotación  32 personas (+8)  

 

*

sharkzi

  • Membro
  • *
  • 13
  • +0/-0
interessante
« Responder #16 em: Março 24, 2006, 04:57:40 pm »
Pelos vistos houve uma inversão nas intenções politicas espanholas.

De facto é muito interessante, a Navantia entra para a DCN e formam o consórcio scorpene... mas agora o projecto para a Armada espanhola é totalmente diferente do scorpene!  :P  (vejam-se as peças de 100mm das nossas Vasco da Gama  :( )

Irei tentar informar-me sobre esse projecto S-80. Despertou-me a curiosidade!

Cmpts, Sharkzi
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 2943
  • Recebeu: 1329 vez(es)
  • Enviou: 2806 vez(es)
  • +512/-91
(sem assunto)
« Responder #17 em: Março 24, 2006, 05:35:52 pm »
Ate' podem ser projectos diferentes, mas se querem fazer comparacoes,  convem que os parametros a comparar sejam os mesmos. Pelo que aqui foi mostrado, os barcos tem dimensoes e deslocamentos diferentes (apesar de os cascos serem muito parecidos  :) ), mas nao sao comparadas as performances nem os equipamentos.

Mais uma vez, parece que os nossos amigos espanhois tentam esconder as origens dos equipamentos que produzem. Sinceramente, nao entendo qual o problema de se desenvolver um navio que tem origem num outro. A Espanha, actualmente, produz muitos equipamentos originais — de concepcao exclusivamente espanhola —, ou desenvolvidos em parceria com outros paises, qual e' a necessidade de menosprezar ou minorizar os restantes parceiros de desenvolvimento? So' pode ser explicado por uma necessidade de afirmacao bacoca.
Everyone you will ever meet knows something that you don't.
- Bill Nye
 

*

old

  • Especialista
  • ****
  • 913
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #18 em: Março 24, 2006, 05:42:00 pm »
tiene en comun parte del diseño de la plataforma del Scorpene diseñado por navantia y Dcn ( 66% DCN- Francia-33% Navantia- España), el resto va por caminos diferentes.

El S-80A es un producto diseñado con las especificaciones de la Armada Española y producido 100% por Navantia.

Se preve o supone una segunda serie de 2 unidades mas(S-80B) al finalizar el programa, algo similar al programa F100, con dos series.

Esquema:

 

*

ferrol

  • Analista
  • ***
  • 717
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #19 em: Março 27, 2006, 08:05:41 am »
Citação de: "NVF"
nao sao comparadas as performances nem os equipamentos.
Porque non se poden comparar nin sequera os equipos de cada Scorpene, posto que cada país pide os que pode pagar ou os que considera necesarios. Logo a comparación dos Scorpenes chilenos será diferente da dos malaios, por exemplo. Ademáis, cada país pode por equipos locais se o considera necesario, polo que as comparacións fanse máis difíciles aínda.

Citação de: "NVF"
Mais uma vez, parece que os nossos amigos espanhois tentam esconder as origens dos equipamentos que produzem. Sinceramente, nao entendo qual o problema de se desenvolver um navio que tem origem num outro.
Penso que se trata de poñe-lo todo na súa xusta medida. As F-100 son españolas, por moito que usen un radar americano que representa só unha pequena porcentaxe do custo.
Os Leopard son españois, posto que se fan en España cunha importante presencia de equipos locais e variacións de deseño sobre o orixinal alemán.
E os S-80 son españois, porque se fan en España con deseño español e equipos en parte españoles.

Pero ninguén dubida que o máis importante das F-100 é un radar americano, que os Leopard II son os mellores tanques alemanes e que probablemente, sen o proxecto Scorpene para aprender, Navantia non se atrevería en solitario co S-80, e probablemente remataría como a Fincatieri, facendo U-212 nos seus asteleiros.

Pero cada cousa na súa medida, non se oculta nada, pero tampouco se pode infravalorar nada.

Saúdos.
Tu régere Imperio fluctus, Hispane memento
"Acuérdate España que tú registe el Imperio de los mares”
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 2943
  • Recebeu: 1329 vez(es)
  • Enviou: 2806 vez(es)
  • +512/-91
(sem assunto)
« Responder #20 em: Março 28, 2006, 05:20:44 am »
Citação de: "ferrol"
Citação de: "NVF"
nao sao comparadas as performances nem os equipamentos.
Porque non se poden comparar nin sequera os equipos de cada Scorpene, posto que cada país pide os que pode pagar ou os que considera necesarios. Logo a comparación dos Scorpenes chilenos será diferente da dos malaios, por exemplo. Ademáis, cada país pode por equipos locais se o considera necesario, polo que as comparacións fanse máis difíciles aínda.


Voce deve ter um problema. Deixe-me dar-lhe um conselho: experimente nao truncar os textos e talvez seja mais facil perceber o que os outros querem dizer — se e' que isso e' importante para si. Agora se voce trunca textos, ainda por cima, escritos numa lingua que nao e' a sua, torna-se mais dificil compreende-los.

Para ilustrar o que eu queria dizer na frase truncada que voce cita, vou dar-lhe este exemplo — que espero que voce consiga perceber —, de como nao faz nenhum sentido efectuar comparacoes baseando-se em paramentros diferentes:



Aviao americano
    * Length: 62 ft 1 in (18.9 m)
    * Wingspan: 44 ft 6 in (13.6 m)
    * Height: 16 ft 8 in (5.08 m)
    * Loaded weight: 60,000 lb (27,000 kg)
    * Maximum gross takeoff weight: 80,000 lb (37,000 kg)
    * Maximum speed: >Mach 2.42 (1,842 mph, 2,600 km/h)
    * Range: 2,000 mi (3,200 km)



Aviao espanhol
    * Crew: 1 or 2
    * Length: 15.96 m (52 ft 5 in)
    * Wingspan: 10.95 m (35 ft 11 in)
    * Height: 5.28 m (17 ft 4 in)
    * Wing area: 50 m² (540 ft²)
    * Loaded weight: 15,550 kg (34,280 lb)
    * Maximum gross takeoff weight: 21,000 kg (46,300 lb)
    * Powerplant: 2× Eurojet EJ200 afterburning turbofans, 60 kN dry, 90 kN with afterburner (13,500 lbf / 20,200 lbf) each
    * Maximum speed: Mach 2.0+, 2,390 km/h at high altitude, Mach 1.2 at sea level (1,480 mph at high altitude)

Por comparacao directa, o aviao espanhol aparenta levar a melhor, pois leva mais tripulantes (1 ou 2 contra nenhum do americano), a potencia dos seus motores e' superior (60 kN contra 0 kN) e e' mais pequeno e leve (mais dificil de detectar). As vantagens do aviao americano face ao europeu sao a maior autonomia (3200 km versus 0 km), maior economia (motores menos potentes, 0 contra 60 kN) e maior velocidade (presume-se que em queda livre, pois nao tem motores).

Acha que isto faz sentido? Eu acho que nao e, pelas mesmas razoes, tambem achei que o exemplo do seu compatriota radar2 tambem nao fazia muito sentido.

Quanto ao resto, nem vale a pena discutir pois nao vale a pena. Mas nao queria deixar passar em claro algo basico, como fazer comparacoes usando parametros diferentes.
Everyone you will ever meet knows something that you don't.
- Bill Nye
 

*

radar2

  • Membro
  • *
  • 21
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #21 em: Março 28, 2006, 07:39:18 pm »
Diferencias:

Desplazamiento
S-80           2500 TM
Scorpene     1500 TM

Sistema de Combate
S-80         Norteamericano
Scorpene   Frances

Torpedos
S-80          Alemanes
Scorpene    Franceses
 

*

balburdio

  • Perito
  • **
  • 307
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #22 em: Março 29, 2006, 04:50:18 pm »
O S-80 é um submarino de projecto espanhol, baseado em tecnologia francesa, mas não necessariamente nos Scorpene.

De facto a DCN é o "prime contractor" da Navantia, fornece aos estaleiros espanhois toda a tecnologia necessária, o que lhes permite desenvolver um projecto deste género.

Mais uma vez se demonstra que os nossos vizinhos são espertos, dado que conseguem não só projectar um submarino próprio, como ainda o vão produzir localmente.
É certo que as contrapartidas dos U-209PN são muito atrativas, mas seria muito melhor se tivessemos desenvolvido uma parceria deste género.

Os S-80 tem basicamente o mesmo desenho e arquitectura dos scorpene, mas com diferenças substanciais nos sistemas internos.

Antes de mais a AIP não é a MESMA, mas um sistema de "células de combustível" de bioetanol, projectada pela empresa Abengoa a partir de tecnologia argentina(sistema de conversão bioetanol-hidrogénio da LPC) e alemã(células de combustível Siemens).

O bioetanol possui uma maior relação energia/volume que o hidrogénio pelo que os S-80 não necessitam de grandes depósitos de combustível para a AIP.

O sistema de combate é desenvolvido pela Lockeed Martin que tb desenvolveu o Subics 900 da classe Virginia, será baseado neste contudo não é igual nem poderia ser dada a diferença enorme entre as duas classes, começando pelo tamanho. Aliás o projecto terá a participação da Indra e da Faba.

O sonar é desenvolvido pela EDO, também americana

Os submarinos poderão ser armados com mísseis harpoon e torpedos, e eventualmente com o tomahawk.
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 2943
  • Recebeu: 1329 vez(es)
  • Enviou: 2806 vez(es)
  • +512/-91
(sem assunto)
« Responder #23 em: Março 29, 2006, 08:09:52 pm »
Finalmente alguem esclareceu cabalmente este assunto, com detalhe e sem preconceitos. Faz toda a diferenca uma explicacao bem fundamentada versus uma do tipo "e' assim porque e".

Obrigado balburdio.
Everyone you will ever meet knows something that you don't.
- Bill Nye
 

*

Nuno Bento

  • Perito
  • **
  • 340
  • Recebeu: 7 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #24 em: Maio 03, 2006, 08:10:36 am »
É engraçado que no site

http://www.deagel.com/pandora/scorpene- ... 84003.aspx

Refiram que a espanha vai construir 4 scorpene  AIP

Citar
The modular Scorpene-class submarines feature reduced acoustic emissions for stealth, integrated weapon system to achieve improved performance over previous generations, and automated systems to reduce the crew requested to operate the vessel. The Mesma Air Independent Propulsion (AIP) system, provided to the Scorpene submarines, extends the submerged endurance 3 to 4 times.

Chile and Malaysia have ordered two Scorpene submarines each. The Malaysian Scorpenes will be delivered in 2007 and 2008, and the Chilean in 2005 and 2007. O'Higgins class is the Chilean designation for the Scorpene-class submarines. India and Spain could be the next export customers for the Scorpene submarine with 6+6 and 3 vessels expected respectively. As of 2004, Spain signed up for four firm boats to be built by IZAR.

Each Scorpene submarine features six 533mm bow located torpedo tubes with 18 weapons between torpedoes, mines (up to 30) and missiles. The Scorpene's torpedo tubes are compatible with F17 and Mk48 torpedoes and Exocet missiles. These submarines can perform anti-submarine warfare (ASW), anti-surface warfare (ASuW), reconnaissance and intelligence, mine laying and special operations missions.

The Scorpene Basic-AIP has been designed to perform a wide range of missions with a secondary Mesma AIP propulsion system for extended submerged endurance.

In 2003 the Spanish government ordered 4 Scorpene-AIP submarines worth €1,756 million under S-80 program to be built by IZAR. The Spanish Navy will replace current Agosta-class submarine fleet with four S-80 submarines.

In early January 2006, Lockheed Martin was awarded a contract by Avantia for the development in partnership with other Spanish industrial leaders of an advanced combat system for the Spanish Navy's S-80A diesel submarines which would be built by Avantia. Lockheed Martin was responsible for the development of core combat system as a partner
 

*

benjamin

  • 4
  • +0/-0
Crucero de Despedida del Submarino Marsopa S 63
« Responder #25 em: Junho 21, 2006, 03:23:13 pm »
Saludos a todos. El Marsopa llegó a Ceuta el 07-03-2006, procedente de Melilla y con destino a Lisboa.
Todo por la Patria
 

*

SSK

  • Moderador Global
  • *****
  • 1523
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #26 em: Junho 29, 2007, 05:07:35 pm »
E por cá passou e se depediu da Marinha Portuguesa com esta passagem pela BNL...
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo