Ilhas Selvagens

  • 499 Respostas
  • 125084 Visualizações
*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2508
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +4/-42
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #465 em: Junho 29, 2010, 07:04:05 pm »
Citação de: "ShadIntel"
Ou foi muita má sorte, ou talvez algum tipo de sabotagem...

Terão sido os malvados castelhanos? :mrgreen:
 

*

Upham

  • Perito
  • **
  • 513
  • +0/-0
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #466 em: Junho 29, 2010, 07:04:29 pm »
Possivelmento com o balanço do mar, quanto pesa o Luso? Muita coisa pode correr mal.

Já tive a experiência de operar um mini ROV em ambiente controlado, e mesmo sendo o veiculo muito sensivel aos comandos, pode acontecer ficar preso ou até devido á pressão do cabo, se este tiver alguma torção, não obedecer ao comando ou voltar á posição  inicial.

Cumprimentos
"Nos confins da Ibéria, vive um povo que não se governa, nem se deixa governar."

Frase atribuida a Caio Julio César.
 

*

Upham

  • Perito
  • **
  • 513
  • +0/-0
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #467 em: Julho 08, 2010, 10:17:51 am »
Bom dia!

Já foi recuperado há dois dias. 3 milhões dele do dinheirinho da república não são brincadeira.

Citar
Robô submarino Luso recuperado hoje do fundo do mar
06.07.2010 - 11:37 Por Teresa Firmino

Votar
 |
 8 votos
1 de 1 notícias em Ciências
O veículo submarino não tripulado Luso, que se tinha afundado ao largo da Selvagem Grande, ilha do arquipélago da Madeira, foi recuperado esta manhã do fundo do mar, depois de uma primeira tentativa falhada levada a cabo anteontem. Foi resgatado às 11h. Está agora a bordo do navio oceanográfico “Almirante Gago Coutinho”, da Marinha portuguesa.
O robô estava no fundo do mar desde 23 de Junho (DR)
 
O Luso encontrava-se numa expedição às ilhas Selvagens, a 163 milhas a sul da Madeira, com o objectivo de inventariar a sua biodiversidade marinha. Na noite de 23 de Junho, quando regressava ao navio de um mergulho a cerca de 600 metros de profundidade, o cabo que ligava o Luso ao “Almirante Gago Coutinho” partiu-se e o veículo afundou-se. O que esteve na origem do problema não está ainda esclarecido.

Na operação de recuperação esteve envolvido outro robô submarino não tripulado pertencente à empresa norueguesa que vendeu o Luso a Portugal, em 2008. Anteontem, fez-se a primeira tentativa de resgate com a ajuda do veículo norueguês, que desceu até junto do aparelho português para soltar a sua alça de recuperação de emergência, a que depois prendeu um cabo com o seu braço robotizado.

Desta forma, o Luso, veículo operado remotamente (ou ROV) a partir do “Almirante Gago Coutinho”, e que consegue mergulhar até seis mil metros, ainda chegou a ser trazido quase até à superfície e pouco faltou para que regressasse ao convés do navio.

“Mas o gancho próprio para a recuperação trazido pelos noruegueses não funcionou bem e o ROV perdeu-se”, explica Paulo Neves Coelho, da Estrutura de Missão e Extensão da Plataforma Continental, que comprou o Luso.

O problema foi que, na segunda ida ao fundo, o ROV português já não emitia um sinal acústico, que permitiria saber a sua localização exacta. “As baterias gastaram-se. Tínhamos uma ideia do percurso para baixo, que não é linear. É como largar uma folha de papel de um quarto andar: vai andando por ali. Desconfiava-se que estava num raio de 250 metros.”

Foi portanto necessário procurar o Luso lá em baixo, através de uma sonda com múltiplos feixes sonoros no navio, que indicou vários ecos de dimensão equivalente ao Luso. Entrou em seguida em acção o ROV norueguês para ver se algum desses ecos correspondia ao veículo português e, ao final da tarde de ontem, o Luso era localizado.

Para que a segunda tentativa de recuperação não ocorresse de noite, as operações foram retomadas apenas esta manhã, agora com sucesso.

Notícia actualizada às 13h09

http://www.publico.pt/Ci%C3%AAncias/robo-submarino-luso-recuperado-hoje-do-fundo-do-mar_1445411

Cumprimentos
"Nos confins da Ibéria, vive um povo que não se governa, nem se deixa governar."

Frase atribuida a Caio Julio César.
 

*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2213
  • Recebeu: 59 vez(es)
  • Enviou: 116 vez(es)
  • +26/-0
    • http://forumdefesa.com
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #468 em: Julho 22, 2013, 12:20:40 am »
Citar
O Presidente da República deslocou-se às Selvagens, na Madeira, para assinalar a "importância científica, ambiental e estratégica" do sub-arquipélago e o 50º aniversário da primeira expedição científica àquelas ilhas.

Cavaco Silva embarcou quinta-feira no navio oceanográfico "Gago Coutinho", passando depois a noite na Selvagem Grande.

Durante a visita, foram também apresentadas ao Presidente da República as actividades desenvolvidas no âmbito da Extensão da Plataforma Continental Portuguesa e da Estratégia Nacional para o Mar.

Terceiro presidente nas ilhas
Em missões de soberania visitaram esta parcela do território, os Presidentes da República Mário Soares (Setembro de 1991) e Jorge Sampaio (Abril de 2003). Em Maio de 2009, o ex-presidente da Assembleia da República, Jaime Gama também visitou as Selvagens.

A viagem de Jorge Sampaio, a bordo da fragata Corte Real, numa missão entendida como de reafirmação da soberania nacional na mais meridional parcela do território português, foi então considerada "oportuna" pelo presidente do governo regional da Madeira, Alberto João Jardim.

Não só porque "prestigia" a candidatura destas ilhas, de peculiar biodiversidade biológica, a Património Mundial Natural da UNESCO apresentada nessa altura, mas também devido às "tentativas de equívocos por parte de Madrid e até de Bruxelas", relativamente à administração daquela reserva natural com 3,6 km2 de área e situada a 160 milhas a sul da ilha da Madeira.

Reacção negativa teve o governante madeirense em relação à primeira vista de um Presidente da República às Selvagens, em Setembro de 1991, ao considerar "indesejada" a presença de Mário Soares naquelas pequenas ilhas, dois anos antes de o próprio Jardim, então já no seu quarto mandato, deslocar-se pela primeira vez àquele território sob sua jurisdição.


Anexadas por Espanha
A recente "anexação" espanhola das Selvagens, que figuravam no "site" oficial da Comissão Europeia, em Dezembro de 2002, como pertencentes ao arquipélago de Canárias, mereceu o protesto das autoridades nacionais e regionais junto do presidente Romano Prodi.

A questão torna-se relevante não pela extensão daquela reserva, mas pelas repercussões em matéria de direito internacional, nomeadamente para a definição da zona económica exclusiva, gestão de fundos marinhos e controlo de espaço aéreo. Goradas as pretensões de Espanha sobre as Selvagens, Jardim reconhece agora como "matéria indiscutível, face ao direito internacional" que aquela reserva natural é território nacional, sob jurisdição desta Região Autónoma.

A questão das Ilhas Selvagens fora levantado pelo governo da Madeira que, no período de pré-campanha para as eleições regionais de 1996 e na sequência de sobrevoos ilegais de aeronaves espanholas sobre a reserva natural, chegou a pedir a demissão do primeiro-ministro António Guterres, acusando-o de abdicar da soberania sobre este território, numa eventual cedência a reivindicações espanholas. Em apoio a Jardim, o então líder PSD, Marcelo Rebelo de Sousa, ameaçou apresentar uma moção de censura ao Governo.

Nessa mesma altura, aquando de uma visita de uma delegação da AR às Selvagens, especulou-se que a Espanha pretendia alterar o respectivo estatuto geoestratégico, no âmbito do comando sub-regional da NATO, atribuindo-lhes a classificação de rochedos e não de ilhas, o que reduziria os direitos portugueses em termos de Zona Económica Exclusiva (ZEE), isto porque as ilhas dão direito à ZEE, enquanto os rochedos não. Mas o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jaime Gama, esclareceu, então, que, durante os trabalhos conducentes à ratificação por Portugal da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, "nunca esteve em causa a alteração do estatuto das Selvagens como ilhas".

Portugal mantém intactos os seus direitos sobre estas ilhas, com a ratificação da Convenção das Nações Unidas sobre Direito do Mar, em 1997, pelo Governo e Assembleia da República (AR). Nesta resolução reafirma-se, para efeitos de delimitação do Mar Territorial, da Plataforma Continental e da Zona Económica Exclusiva, os direitos decorrentes da legislação interna portuguesa no que respeita ao território continental e aos arquipélagos e ilhas que os integram. E declara-se que, numa zona de 12 milhas marítimas contígua ao seu Mar Territorial, Portugal tomará as medidas de fiscalização que entenda por necessárias.

De acordo com as disposições da Convenção das Nações Unidas sobre Direito do Mar, Portugal goza de direitos soberanos e de jurisdição sobre uma Zona Económica Exclusiva de 200 milhas marítimas contadas desde a linha de base a partir da qual se mede a largura do Mar Territorial. Os limites de fronteiras marítimas entre Portugal e os estados cujas costas lhe sejam opostas ou adjacentes, são aqueles que se encontram historicamente determinados, com base no Direito Internacional.













Fonte das imagens: Marinha Portuguesa
Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

sputnick

  • Membro
  • *
  • 25
  • Enviou: 4 vez(es)
  • +2/-1
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #469 em: Setembro 01, 2013, 09:05:35 pm »
Citar
As Ilhas Selvagens voltararam a ganhar dimensão nacional. Cerca de duas semanas antes da visita do Presidente da República àquelas ilhas, num acto considerado como forma de marcação do território nacional, é agora notícia o pedido de Espanha na ONU para que a Zona Económica Exclusiva não seja da Madeira. Isto, apesar de os espanhóis não questionarem a soberania portuguesa.

A questão prende-se exclusivamente com a áera marítima afecta às Selvagens que amplia consideravelmente a Zona Económica da Madeira e, consequentemente, de Portugal.

A notícia foi ontem discretamente publicada no JM e hoje ganhou dimensões nacionais ao fazer a capa do DN-Lisboa.  "Espanha exige à ONU que mar das Selvagens não seja para Portugal", escreve o matutino que acrescenta que o pedido à ONU terá sido formalizado pouco tempo antes da visita de Cavaco Silva.

A iniciativa de Espanha é atribuída à Missão Permanente junto das Nações Unidas num documento que faz referência a outra acção semelhante do governo de Madrid já em 2009.

A nova tentativa espanhola é vista como mais uma forma de pressão junto de organismos internacionais depois de vários pequenos incidentes que marcam o apetite de Madrid sobre aquele território e essencialmente sobre a zona marítima que lhe está associado.


http://www.dnoticias.pt/actualidade/madeira/404059-espanha-insiste-no-mar-das-selvagens

http://ilhasselvagens.blogs.sapo.pt/72926.html
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1814
  • Recebeu: 238 vez(es)
  • Enviou: 449 vez(es)
  • +12/-1
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #470 em: Setembro 01, 2013, 09:19:21 pm »
Quando vi essa notícia ainda pensei cá comigo: querem ver que ainda vamos ver o Zé Povinho a dizer bem dos submarinos... É se há duas coisas que unem o Zé Povinho é sem duvida o futebol e os espanhóis.

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-4
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #471 em: Setembro 01, 2013, 10:23:25 pm »
Talvez esteja na altura de apoiarmos os inglêses em Gibraltar, talvez assim eles nos apoiem na questão das selvagens.
 

*

sputnick

  • Membro
  • *
  • 25
  • Enviou: 4 vez(es)
  • +2/-1
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #472 em: Setembro 02, 2013, 01:21:55 pm »
Citar
Ministério dos Negócios Estrangeiros vai reagir por escrito ao documento enviado às Nações Unidas pela Espanha no qual se afirma ser inaceitável dar a jurisdição a Portugal de 350 milhas em torno daquele grupo de ilhas.

http://www.dn.pt/inicio/tv/interior.aspx?content_id=3398525&seccao=Media
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-4
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #473 em: Setembro 02, 2013, 06:39:33 pm »
Vamos lá a ver se o Machete consegue defender tão bem os nossos interesses como os dele...
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 9482
  • Recebeu: 955 vez(es)
  • Enviou: 1498 vez(es)
  • +949/-891
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #474 em: Setembro 02, 2013, 09:03:02 pm »
Edu seu venenoso...  :twisted:  :twisted:  :mrgreen:



Citar
Machete anuncia resposta de Portugal a contestação espanhola sobre as ilhas Selvagens

José Maria Pinheiro e Tolentino de Nóbrega

02/09/2013 - 17:06

Portugal prepara-se para enviar documento à ONU onde reteira as suas intenções em relação à Zona Económica Exclusiva das Selvagens, tendo em conta o estatuto que defende para estas ilhas.


Rui Machete, ministro dos Negócios Estrangeiros, declarou hoje numa conferência de imprensa que Portugal se prepara para enviar um documento às Nações Unidas onde constata a hegemonia portuguesa sobre as ilhas Selvagens. Machete encontrava-se acompanhado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros de Angola, Georges Chicoti, que está em Portugal numa visita oficial até quarta-feira.

“Os termos do documento não serão divulgados”, afirmou Machete antes de se debruçar sobre outra temática, sem adiantar mais pormenores.

O Governo espanhol coloca em causa a vontade de Portugal em relação à sua Zona Económica Exclusiva (ZEE) em redor das Selvagens, tendo em conta o estatututo das ilhas.

“Não é de todo uma discussão bilateral entre os dois países, mas mais uma interpretação que cada um está a fazer”, finalizou Machete.

Espanha defende que as Selvagens não são “ilhas”, como se pode ler numa carta agora divulgada, mas sim “rochedos”, o que implica uma diminuição significativa da Zona Económica Exclusiva de Portugal.

Protesto de Espanha
A Nota à ONU, da autoria da Missão Permanente de Espanha junto das Nações Unidas, em Nova Iorque, está datada de 5 de Julho, duas semanas antes da deslocação do Presidente da República às ilhas Selvagens, e foi divulgada pelo investigador Pedro Martin Graça no seu blogue, na passada sexta-feira.

Na deslocação a este sub-arquipélago que confere a Portugal a maior ZEE da União Europeia, com 1,6 milhões de quilómetros quadrados, Cavaco Silva considerando pacífico o relacionamento com Espanha no que se refere às ilhas Selvagens, frisou que a sua visita não era uma "réplica" das anteriores missões de Mário Soares (1991) e Jorge Sampaio (2003) de reafirmação da soberania nacional, estando focada na valorização da investigação científica, da importância do mar e do património natural.

Mas a carta enviada por Espanha à ONU parece reacender a disputa que, nas últimas décadas, tem levado as autoridades espanholas a porem em causa a dimensão da Zona Económica Exclusiva de Portugal em redor das Selvagens, pelo facto de, afirmam os espanhóis, as mesmas não deverem ser classificadas como ilhas, mas sim como “rochas”.

A Missão espanhola escreve taxativamente que “Espanha não aceita que as Ilhas Selvagens criem, de modo algum, uma Zona Económica Exclusiva, aceitando, todavia, que as mesmas criem um mar territorial, uma vez que as considera como rochas com direito unicamente a mar territorial.”

Mais acrescenta a Missão castelhana junto da ONU que não existe acordo por parte de Espanha relativamente à delimitação da ZEE entre a Madeira e as Canárias.

Segundo Martin Graça, este entendimento de Espanha, expresso no aludido documento, e que pode ser visto como a reacção castelhana, em antecipação à recente visita do Presidente da República portuguesa às Selvagens, “contraria a Convenção de Montego Bay, de que Portugal e Espanha são Estados signatários”. E levaria, caso fosse sufragada, à diminuição da ZEE de Portugal em redor das Selvagens das cerca de 40 milhas náuticas (a distância entre as Selvagens e as Canárias é de 82 milhas, pelo que seriam divididas entre os dois países) para, apenas, 12 milhas (extensão do mar territorial).

Trata-se, conclui, de uma grave tomada de posição de Espanha que põe em causa a Zona Económica Exclusiva de Portugal relativamente à Madeira e que não pode deixar de merecer uma pronta reacção diplomática do Governo português no sentido da reafirmação da qualificação jurídica daquele território como ilhas.

http://www.publico.pt/portugal/noticia/ ... ns-1604671
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1331
  • Recebeu: 242 vez(es)
  • Enviou: 202 vez(es)
  • +41/-4
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #475 em: Setembro 02, 2013, 09:39:05 pm »
Citação de: "Edu"
Talvez esteja na altura de apoiarmos os inglêses em Gibraltar, talvez assim eles nos apoiem na questão das selvagens.

Tive que citar para expressar o meu "like" nesta afirmação! :twisted:
Um abraço
Raphael
__________________
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8353
  • Recebeu: 956 vez(es)
  • Enviou: 1117 vez(es)
  • +134/-44
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #476 em: Setembro 02, 2013, 10:01:01 pm »
Citação de: "raphael"
Citação de: "Edu"
Talvez esteja na altura de apoiarmos os inglêses em Gibraltar, talvez assim eles nos apoiem na questão das selvagens.

Tive que citar para expressar o meu "like" nesta afirmação! :mrgreen: .
 

*

Nuno Bento

  • Perito
  • **
  • 339
  • Recebeu: 7 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +2/-0
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #477 em: Setembro 02, 2013, 10:13:31 pm »
Citação de: "Lightning"
Citação de: "raphael"
Citação de: "Edu"
Talvez esteja na altura de apoiarmos os inglêses em Gibraltar, talvez assim eles nos apoiem na questão das selvagens.

Tive que citar para expressar o meu "like" nesta afirmação! :mrgreen: .

Como alguém dizia é só poeira, querem desviar as atenções da corrupção que lavra em larga escala no seu governo, e tentam inventar inimigos para unir o que já não tem união.

Seria uma boa altura para fazermos queixa deles na ONU por causa de Olivença, para ver ate que ponto chega a hipocrisia, falávamos tb com Marrocos pra fazer o mesmo, seria divicil para eles sustentar tanta retorica contraditoria.

Só mais um aparte off topic: Para os Americanos um hispânico é um latino americano (que fala espanhol, na maior parte das vezes mexicanos que são uma praga por aqueles lados) não incluem os portugueses e os espanhóis no grupo, para eles nos somos europeus. Eu assisti a atos de descriminação de hipanicos por parte de americanos e estes sempre me trataram aparte. (Inclusive quando os hispânicos saiam eles chegavam a comentar comigo que aqueles burros nem inglês falavam).
 

*

Jorge Pereira

  • Administrador
  • *****
  • 2213
  • Recebeu: 59 vez(es)
  • Enviou: 116 vez(es)
  • +26/-0
    • http://forumdefesa.com
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #478 em: Setembro 10, 2013, 05:33:49 pm »
Não pude responder mais cedo a esta questão por estar fora, mas acompanhei-a de muito perto.

Umas notas:

- Isto é mais uma prova (mais uma, de muitas ao longo da história) de que infelizmente não podemos confiar no nosso vizinho (refiro-me principalmente às suas elites). Foi um acto vergonhoso e de total deslealdade para um país que se diz aliado e amigo.

- O nosso Governo foi apanhado de surpresa e a irritação com tal atitude não foi em nada disfarçada, embora oficialmente diga que não fará deste incidente um “caso”.

- Os motivos podem ser muitos, mas o facto de isto ser provocado neste momento, em simultâneo com a questão de Gibraltar, pode perfeitamente estar relacionado com uma tentativa espúria de desviar as atenções para os problemas terríveis que a Espanha atravessa; destaco entre eles os problemas económicos (com o desemprego à cabeça e onde milhares de casais se encontram ambos em situação de desemprego), a tensões nacionalista na Catalunha, onde a situação está completamente fora de controlo e onde pela primeira vez sondagens independentes dão uma maioria confortável de pessoas à favor da independência da Catalunha, e mais recentemente de um escândalo de corrupção onde a cúpula do PP, entre eles o próprio presidente do governo, foram acusados, com provas, de que receberam “dinheiro negro” mas mesmo assim, fazem de conta que não é nada com eles, não se demitindo e aproveitando qualquer assunto para tentar desviar a atenção para este(s) caso(s) onde a última candidatura de Madrid aos jogos olímpicos de 2020 é um exemplo flagrante.

- Isto quanto a mim, acabou por ser muito positivo para nós. É que nunca tinha ouvido falar tanto de Olivença e da vergonha em que esta situação se tornou como agora, seja nos meios de comunicação, na rua, no café, etc. E por outro lado, em Gibraltar, assim como no Reino Unido, já se começou a gerar uma espécie campanha de informação para explicar ao comum dos mortais que a falta de coerência e de respeito da Espanha pelas leis e tratados internacionais, não se aplica só a Gibraltar ou ao Reino Unido. Também acontece com Portugal e até com Marrocos.

- Na minha opinião, foi uma jogada arriscada que vai ter consequências muito negativas para a Espanha. O tempo o dirá.

Deixo-vos a resposta do Governo português e um artigo de um jornal de Gibraltar.






Citar
SPAIN’S SAVAGE BID FOR SEA RIGHTS HITS PORTUGUESE

Spain has quietly lodged an official request with the United Nations to have Portugal’s southern-most territory, the Savage Islands, declared as rocks and not as islands.
According to a report in the Portugal news the demand issued by Madrid is aimed at reducing Portugal’s exclusive economic zone (EEZ), currently the largest of any European nation, and will allow Spanish vessels from the Canary Islands to venture closer to Madeira.

Measuring a mere 2.73 square kilometres or 20 hectares, although its highest point is 165 metres high, the Savage Islands are at the centre of an international dispute which Madrid has decided to take to the highest international level and seek a UN resolution.

The islands are located between Madeira and the Canary Islands, allowing Portugal’s territorial waters to reach within 40 nautical miles of the Spanish territory. In terms of distance, the Savage Islands are substantially closer to the Canaries than they are to Madeira.

These islands have been a Portuguese territory since 1438, the same year that a human being first set foot on Madeira, unlike the Canary Islands which was colonised by the Spanish.

They are inhabited only by a small team of wardens from the Madeira Nature Park, though the Portuguese navy has seized a series of Spanish fishing vessels over the years for breaching territorial borders.

Meanwhile, the town of Olivença, located south of Elvas in the Alentejo and Badajoz across the border, has been the centre of a dispute that has lasted two centuries.

The Portuguese Defence Force’s Geographical Institute (IGE) has repeatedly declined to draw the geographical line between Portugal and Spain where this town is situated, leaving a huge void along the border which divides the two countries.

The geographical omission by the Defence Force has been justified by the fact that Olivença is a Portuguese territory occupied by the Spanish and no lines will be drawn until Portugal wins the battle the Vienna Treaty said it had in 1817. It was then that Spain’s forces, backed by Napoleon were defeated after an occupation which had lasted 16 years.

Vienna thereby cancelled the Badajoz Treaty in 1801 which saw Portugal surrender Olivença to Spain and Napoleonic forces ending more than 500 years of Portugal rule, after it was founded in 1297.

Despite diplomatic scurries, the United Nations is only expected to issue a verdict on the Savage Islands in 2015, while the issue of Olivença is set to remain undecided.

Fonte

Um dos primeiros erros do mundo moderno é presumir, profunda e tacitamente, que as coisas passadas se tornaram impossíveis.

Gilbert Chesterton, in 'O Que Há de Errado com o Mundo'






Cumprimentos
 

*

Alvalade

  • Especialista
  • ****
  • 1045
  • Recebeu: 256 vez(es)
  • Enviou: 78 vez(es)
  • +18/-5
Re: Ilhas Selvagens
« Responder #479 em: Setembro 10, 2013, 08:43:27 pm »
Um exercício conjunto com a Royal Navy ao largo das selvagens   :mrgreen:
 

 

Portugal vende ilhas???

Iniciado por SANTACRUZ

Respostas: 17
Visualizações: 10856
Última mensagem Setembro 07, 2007, 09:02:23 am
por manuel liste