ForumDefesa.com

Geopolítica-Geoestratégia-Política de Defesa => Portugal => Tópico iniciado por: pedro em Dezembro 03, 2005, 01:21:18 pm

Título: Ilhas Selvagens
Enviado por: pedro em Dezembro 03, 2005, 01:21:18 pm
ola a todos.
caros amigos hoje ao visitar a wikipedia em espanhol vejo isto:  

Citar
España nunca ha reconocido la soberanía portuguesa pues los derechos de soberanía no están claros. Portugal ha respondido siempre con una política de hechos consumados.


fiquei super surpreendido :lol:
Título:
Enviado por: Tiger22 em Dezembro 03, 2005, 05:33:42 pm
Quando o primeiro avião espanhol for abatido ou um barco afundado nessa área, talvez eles passem a reconhecer a soberania portuguesa.
Título:
Enviado por: pedro em Dezembro 03, 2005, 06:04:35 pm
Tem razao eu ja vi num site sobre as ilhas selvagens que as vezes os guardas-florestais ouviam ruidos de f-18 da fuerza del aire espanhola,
e ouve uma vez que um puma espanhol tentou aterrar nas selvagens mas quando viram os guardas-florestas descolaram e foram aterrar na selvagem pequena eles comunicaram ao comando da madeira mas os f-16 portugueses chegaram tarde :lol:
Título:
Enviado por: TOMKAT em Dezembro 03, 2005, 10:04:21 pm
Espanha sofre duma doença incurável já há longos, looonnnngos anos
o "no hay reconocido"....

-Espanha nunca "ha reconocido" a soberania inglesa sobre Gibraltar.
-Espanha nunca "ha reconocido" o direito de soberania de Marrocos sobre as possessões espanholas do norte de África.
-Espanha nunca "ha reconocido" a soberania portuguesa de Olivença.
-Espanha nunca "ha reconocido" a soberania portuguesa sobre as selvagens.

Para combater essa doença incurável apenas toma "solo mias razons son verdaderas" misturado com "mia verdad es l'única verdad"...
...sem grandes melhoras á vista... :wink:
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: nestor em Dezembro 04, 2005, 02:40:26 am
Citação de: "pedro"
ola a todos.
caros amigos hoje ao visitar a wikipedia em espanhol vejo isto:  

Citar
España nunca ha reconocido la soberanía portuguesa pues los derechos de soberanía no están claros. Portugal ha respondido siempre con una política de hechos consumados.

ficei super surpreendido :lol:


Por favor ¿puedes poner el enlace?

Porque yo creo que es una frase fuera de contexto, pues lo que no reconoce España es la ZEE de 200 millas de las islas, no la soberania portuguesa sobre las islas y sus aguas jurisdiccionales que no tienen discusion.

Saludos.
Título:
Enviado por: NVF em Dezembro 04, 2005, 03:14:23 am
Tal como o Pedro disse esta' na Wikipedia em espanhol... basta procurar. Mas para nao ter muito trabalho, aqui vai:

http://es.wikipedia.org/wiki/Islas_Salvajes (http://es.wikipedia.org/wiki/Islas_Salvajes)

Segundo a pessoa que escreveu o artigo — presumo que de nacionalidade espanhola —, afinal parece que ate' sao consideradas ilhas  :).

Note-se que a Wikipedia nao representa as posicoes oficiais de paises ou organizacoes, mas sim as opinioes das pessoas que dao o seu contributo atraves da escrita dos artigos — e pode ser qualquer um de nos.

cumprimentos.
Título:
Enviado por: Leonidas em Dezembro 05, 2005, 03:34:06 am
Saudações guerreiras, Pedro.

Qaundo é que reparaste nesse pormenor? Foi á muito ou á pouco tempo?
Uma questão de dias antes de dares o alerta?

 Já agora muito obrigado por teres dado o aleta. :Soldado2:

Citação de: "NVF"
Note-se que a Wikipedia nao representa as posicoes oficiais de paises ou organizacoes, mas sim as opinioes das pessoas que dao o seu contributo atraves da escrita dos artigos — e pode ser qualquer um de nos.


Note-se que isto pode ser a ponta de um iceberg!!! Como é que as pessoas estão a ser instruidas em Espanha? Quais são as fontes? Se forem oficiais teremos seguramente um conflito diplomático!! Qual é o proprósito desta "verdade"? Será que os portugueses lhes escapa algo?
O que sabe Espanha que nós não sabemos? Porque não põem tudo em cima da mesa?

Se isto não dá que pensar então está o caldo entornado. Será que não se pode fazer nada para corrigir a "noticia"?

Cumprimentos.
Título:
Enviado por: typhonman em Dezembro 05, 2005, 04:30:39 pm
Citação de: "Tiger22"
Quando o primeiro avião espanhol for abatido ou um barco afundado nessa área, talvez eles passem a reconhecer a soberania portuguesa.


Tiger, os nossos polticos nunca teriam corajem para tanto, na prática era declarar guerra a espanha, abatendo um F18 ou um Harrier.
Título:
Enviado por: garrulo em Dezembro 05, 2005, 05:31:14 pm
Señores son ganas de dar vueltas al tema .España reconoce la soberania portuguesa de las islas,pero solo reconoce doce millas de espacio maritino,a eso se reduce la cosa. Y a proposito de esos derribosy afonamentos,¿con que medios?
Título:
Enviado por: pedro em Dezembro 05, 2005, 06:12:06 pm
leonidas foi no mesmo dia em que escrevi a mensagem 8)
e caro garrulo la esta claro: España nunca ha reconocido la soberanía portuguesa pues los derechos de soberanía no están claros. Portugal ha respondido siempre con una política de hechos consumados.
e tenho provas devido aquele reclame da uniao europeia!!!!!!!!!!!!!! :x  :evil:
Título:
Enviado por: Dinivan em Dezembro 05, 2005, 08:16:21 pm
Este tema ya se discutió hace un tiempo. Si no recuerdo mal el señor papatango esgrimió que hace mucho tiempo esos peñascos eran habitables hasta la llegada de un fuerte huracán y que por tanto deben tener las dichosas 200 millas. Pero como en realidad ese argumento no es válido, a la vez propuso crear allí una ciudad o algo por el estilo. En definitiva, que en estos momentos, les guste o no, España tiene razón.
Título:
Enviado por: NotePad em Dezembro 05, 2005, 08:41:30 pm
...
Título:
Enviado por: NVF em Dezembro 06, 2005, 01:58:16 am
E' mais do que patente que a Espanha tem sempre razao, especialmente no que toca a conflitos sobre soberania. Nao percebo e' como e'que ainda ha' paises que discordam da Espanha. Sera' que a Espanha nao esta' a passar bem a mensagem?

Para mim e' a unica explicacao, pois obviamente sao os outros paises que estao errados — outra coisa nao seria de esperar.

PS: modo ironico out.
Título:
Enviado por: Leonidas em Dezembro 06, 2005, 02:38:03 am
Saudações guerreiras.

O antes e o depois:

Citação de: " O ANTES que o espanhol"
Islas Salvajes
Las Islas Salvajes (Ilhas Selvagens en portugués) son un archipiélago formado por tres islas y varios islotes, situado en el Atlántico norte entre Madeira (de la que dista 280 kilómetros) y Canarias (a 165 kilómetros). Formado por dos grupos principales, en el del norte está la Isla Mayor o Salvaje Grande (Selvagem Grande). De forma aproximadamente rectangular, tiene kilómetro y medio de largo por kilómetro y medio de ancho en su parte más ancha, con costas muy escarpadas lo que dificulta el acceso a ella. El grupo del suroeste está formado por dos islas pequeñas, la Pitón Grande (Selvagem Pequena) y la Pitón Pequeña (Ilhéu de Fora). La distancia entre ambos grupos es de 15 kilómetros.
Políticamente forma parte de Madeira, dependiente de Portugal. Desde un punto de vista geobiológico, pertenece a la región Macaronésica (del griego, "afortunadas"), formada por cinco archipélagos, de origen volcánico, que de norte a sur son: Azores, Madeira, Islas Salvajes, Canarias y Cabo Verde.
 
Isla Salvaje Grande
España nunca ha reconocido la soberanía portuguesa pues los derechos de soberanía no están claros. Portugal ha respondido siempre con una política de hechos consumados.
La población se reduce a un habitante: un guardia, perteneciente al CVN (Cuerpo de Vigilantes de la Naturaleza) portugués.
En 1971 se creó la Reserva Natural de las Islas Salvajes (galardonada con el Diploma Europeo por el Consejo de Europa) siendo una de las Reservas Naturales más antiguas de Portugal; forma parte del Parque Natural de Madeira

Citação de: "O DEPOIS que o espanhol"
Las Islas Salvajes (Ilhas Selvagens en portugués) son un archipiélago formado por tres islas y varios islotes, situado en el Atlántico norte entre Madeira (de la que dista 280 kilómetros) y Canarias (a 165 kilómetros). Formado por dos grupos principales, en el del norte está la Isla Mayor o Salvaje Grande (Selvagem Grande). De forma aproximadamente rectangular, tiene kilómetro y medio de largo por kilómetro y medio de ancho en su parte más ancha, con costas muy escarpadas lo que dificulta el acceso a ella. El grupo del suroeste está formado por dos islas pequeñas, la Pitón Grande (Selvagem Pequena) y la Pitón Pequeña (Ilhéu de Fora). La distancia entre ambos grupos es de 15 kilómetros.
Políticamente forma parte de Madeira, dependiente de Portugal. Desde un punto de vista geobiológico, pertenece a la región Macaronésica (del griego, "afortunadas"), formada por cinco archipélagos, de origen volcánico, que de norte a sur son: Azores, Madeira, Islas Salvajes, Canarias y Cabo Verde.

 
Isla Salvaje Grande
España no reconoce formalmente la posesión de las islas por Portugal. Aunque reconozca que de hecho son territorio portugués. Todavía, España no reconoce estas islas como “islas”, sino como islotes. Con esta clasificación, mismo reconociendo a Portugal la posesión de las Salvajes, España no les reconoce el derecho a una Zona Económica Exclusiva. Pero, la verdad es que hay documentos que no solo compraban que las Salvajes han sido habitadas por portugueses, como compraban que han tenido población residente. De esta manera, están creadas las condiciones para comprobar que de hecho las islas tienen derecho a una Zona Económica Exclusiva propia, lo que España, por naturales intereses económicos se recusa a aceptar.La población se reduce a un grupo de guardias, pertenecientes al CVN (Cuerpo de Vigilantes de la Naturaleza) portugués.
En 1971 se creó la Reserva Natural de las Islas Salvajes (galardonada con el Diploma Europeo por el Consejo de Europa) siendo una de las Reservas Naturales más antiguas de Portugal; forma parte del Parque Natural de Madeira.

Citação de: "umas farpinhas que um espanhol não se esqueceu e"
España no reconoce formalmente la posesión de las islas por Portugal. Aunque reconozca que de hecho son territorio portugués. Todavía, España no reconoce estas islas como “islas”, sino como islotes. Con esta clasificación, mismo reconociendo a Portugal la posesión de las Salvajes, España no les reconoce el derecho a una Zona Económica Exclusiva.


Olho bem aberto, olho bem aberto!!!

Cumprimentos.
Título:
Enviado por: garrulo em Dezembro 06, 2005, 04:55:35 pm
Pedro, le estoy diciendo lo contrario. España RECONOCE la soberania portuguesa sobre las islas.No RECONOCE las 200 millas. Saludos.
Título:
Enviado por: papatango em Dezembro 06, 2005, 04:59:51 pm
Dinivan.

Custe-lhe ou não, a Espanha, como é normal, não tem razão.

Eu nunca disse que passou nenhum furacão nas Selvagens, quem está a inventar é você, como infelizmente também já é normal. :roll:  :roll:
Título:
Enviado por: garrulo em Dezembro 06, 2005, 05:04:33 pm
Señor papatango,le ruego que no abuse usted por estar en su casa,NO CONOZCO NINGUN ESTADO CASTELLANO.No cro esa postura muy propia de un moderador.
Título:
Enviado por: emarques em Dezembro 06, 2005, 05:07:36 pm
Citação de: "Dinivan"
Este tema ya se discutió hace un tiempo. Si no recuerdo mal el señor papatango esgrimió que hace mucho tiempo esos peñascos eran habitables hasta la llegada de un fuerte huracán y que por tanto deben tener las dichosas 200 millas. Pero como en realidad ese argumento no es válido, a la vez propuso crear allí una ciudad o algo por el estilo. En definitiva, que en estos momentos, les guste o no, España tiene razón.

Não ma parece que tenha existido nenhum furacão, nem a ilha é suficientemente pequena para que um furacão a tornasse inabitável.  Simplesmente, e embora a Selvagem Grande seja teóricamente habitável (afinal, tem mais terreno que certos países soberanos) e seja capaz de sustentar perfeitamente uma população significativa de mamíferos de porte médio (está infestada de cabras de que os guardas da reserva se tentam livrar)... quem é que quer viver naquele fim-de-mundo?

E hoje em dia, nem que quisessem, é Reserva Natural e duvido muito que alguém fosse dar autorização para que se construísse lá.
Título:
Enviado por: papatango em Dezembro 06, 2005, 05:13:30 pm
Eu estaria a faltar aos meus principios e convicções se utilizasse outra expressão.

Históricamente, a "Hespanha Bourbónica" é um Estado da Hispania, criado em volta e conforme os usos de Castela.

A Espanha foi criada como Estado Castelhano.

Leia a História Garrulo. É por causa da transformação da Espanha dos Habsburgos (por definição uma federação de estados independentes) em Estado Unitário, sob a égide de Castela, que quer Portugal quer a Catalunha se separam.

Aliás, Garrulo, basta ler a História, ler os escritos do Conde-Duque de Olviares, para enteder exactamente isso.

Os planos do Conde-Duque, foram praticamente todos colocados em prática, pelo Rei Filipe V de Bourbon, de origem francesa.

A actual Espanha, não passa disso. Um enorme império de Castela. O seu Estado, é de origem castelhana, chegando mesmo ao ponto de forçar os outros países a aceitar a lingua dos castelhanos, como língua oficial de uma península, onde nunca houve uma lingua ou uma cultura uniformes.

Estas questões já foram bastente discutidas e explicadas em vários sub-tópicos deste fórum. A expressão Estado-Castelhano, tem por isso, do meu ponto de vista razão de ser, quando se trata de referir uma determinada realidade ou "maneira de ser" muito "torera" normalmente associada aos espanhóis.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: garrulo em Dezembro 06, 2005, 05:22:21 pm
Puede usted argumentar todas las majaderias historicas que se le ocurran,yo y como yo muchos millones solo conocemos el ESTADO ESPAÑOL.
Título:
Enviado por: papatango em Dezembro 06, 2005, 05:39:35 pm
A psicologia, já tratou de explicar o que você aqui afirma.

Normalmente, um galego, sabe onde está a Galiza, um catalão, sabe onde está a Catalunha, um basco sabe onde está o País Basco.

Ao contrário, o castelhano, não sabe identificar Castela.

Para o castelhano, a SUA Castela é Espanha, porque Castela não reconhece os outros países como seus iguais.

Eu estou certo de que muitos castelhanos se sentem espanhóis. No entanto, a sua Espanholidad, nãoi deixa por isso de ser de origem castelhana.

Faça o que quiser, dê por onde der.

A prova é que você se expressa na lingua castelhana.

Por muito que a propaganda fascista, insista em chamar-lhe lingua espanhola. O "Espanholismo" é a palavra que encontraram para o castelhanismo.

A verdade acaba sempre por vir ao-de-cima, por muitas pessoas que acreditem em mentiras de séculos.

À Espanha, a verdadeira, que existia até 1715, todos os países ibéricos deveriam ter o direito de se referir da mesma maneira.

Mas essa Espanha, de séculos e milénios, a que já se referiam os romanos, e se referiu Camões, ESTÁ MORTA.

Foi assassinada!

Castela matou-a!

E para coroar o crime, ROUBOU-LE O NOME ! ! !

Cumprimentos
Título:
Enviado por: pedro em Dezembro 06, 2005, 06:16:47 pm
assim e que e papatango :lol:
caro garrulo buenas tardes.
eu como portugues defendo os ideais portugueses,nao e por ser portugues que digo que a espanha nao tem razao.
espanha defende os seus intereses mas algum dia ceuta e mellila vao ser intregues a marrocos e olivenca a portugal.
eu acredito que a de haver algum dia em que  um homem  leve portugal
ao seu respetivo sitio no mundo. :lol:
Título:
Enviado por: garrulo em Dezembro 06, 2005, 06:38:44 pm
MUCHOS DE USTEDES SON PENOSOS Y LLENOS DE PARANOIAS,SI RUMIANDO SU FALTA DE PRESENTE Y DE FUTURO ESTAN CONTENTOS ,ALLA USTEDES.
Título:
Enviado por: pedro em Dezembro 06, 2005, 07:06:30 pm
caro garrulo eu defendo o meu pais e os ideias e a razao do meu pais. :lol:
Título:
Enviado por: garrulo em Dezembro 06, 2005, 07:55:14 pm
A su pais nadie le ataca,esos ataques solo estan en la mente de algunos.
Título:
Enviado por: pedro em Dezembro 06, 2005, 08:09:56 pm
tambem nao disse que espanha ia invadir portugal se espanha fizer isso declara a morte dos soldados que passarem a fronteira portuguesa. :Esmagar:  :snip:  :N-icon-Gun:  :lol:
Título:
Enviado por: papatango em Dezembro 06, 2005, 08:33:22 pm
Citação de: "garrulo"
MUCHOS DE USTEDES SON PENOSOS Y LLENOS DE PARANOIAS,SI RUMIANDO SU FALTA DE PRESENTE Y DE FUTURO ESTAN CONTENTOS ,ALLA USTEDES.

Caro garulo,
nós podemos ser isso tudo.

No entanto, acima de tudo, somos pessoas que estamos num fórum de discussão e onde discutimos, e apresentamos ideias.

Você, ao contrário, eventualmente por absoluta falta de ideias, não é capaz de apresentar um único argumento, seja ele qual for.

Você não entende, qu a cada uma das suas frases, se limita a confirmar o que nós dizemos.

Não se apresse assim tanto a prognosticar a nossa falta de presente e futuro.
Nunca se sabe, quando não será você que tem que se preocupar.
Muito mais que nós.

Esperemos que não.

===
Quanto aos ataques, os ataques não são de carros de combate.
Os ataques são outros, que podemos verificar como no caso do Canal História.

Não estão na cabeça de ninguém, são absolutamente claros e límpidos, demonstrando a que vêm os castelhanos, e demonstrando que anos e anos passados, continuam arrogantes como sempre.

Felizmente a arrogância sempre foi a "perdição" de Castela.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: garrulo em Dezembro 06, 2005, 09:08:15 pm
siga...siga con su paranoia.
Título:
Enviado por: papatango em Dezembro 06, 2005, 09:14:45 pm
Muito obrigado pela sua opinião.
É realmente um ponto de vista de grande qualidade e profundidade intelectual...
:Bajular:  :Bajular:  :Bajular:  :Bajular:  :Bajular:
Título:
Enviado por: NVF em Dezembro 07, 2005, 12:31:45 am
Brutal  :lol:
Título:
Enviado por: NVF em Dezembro 07, 2005, 12:33:44 am
De facto, os argumentos apresentandos pelo Garrulo sao convicentes e redutores, cheios de referencias e 'enlaces'. Sem hipotese de serem contrariados.
Título:
Enviado por: Dinivan em Dezembro 07, 2005, 10:20:49 am
Garrulo, toma nota. Tú cuando veas un post escrito por un tal "papatango", directamente omítelo, como si no existiera. De lo contrario leerás mentiras, tergiversaciones, y mensajes llenos de odio. A los payasos, si no les miras, dejan de actuar.
En cuanto a las Islas Salvajes... estoy seguro que su país tiene mayores preocupaciones que el buscar la manera de volver a meter 100 cabras para poder reclamar las 200 millas. Hace poco leí una notícia que rebajaba las previsiones de crecimiento económico de Portugal (todavía más) mientras el resto de Europa se aceleraba... triste, ¿verdad?
Título:
Enviado por: papatango em Dezembro 07, 2005, 01:01:59 pm
Dinivan, suponho que você me está a chamar de mentiroso.

Solicito-lhe, que demonstre.

Caso falhe em demonstrar essas mentiras, terei que considerar que o que o move, é apenas a irritação por não ter argumentos perante as afirmações que são aqui produzidas.

Cumprimentos

PS:
Dinivan, o que você está a dizer sobre as Cabras, não tem sentido. As cabras não  têm que ser introduzidas, mas sim retiradas.


o que tem que se ouvir dos neo-fascistas  :roll:  :roll:
Título:
Enviado por: Churruca em Dezembro 07, 2005, 02:54:00 pm
Citação de: "papatango"
Dinivan.

Custe-lhe ou não, a Espanha, como é normal, não tem razão.

Eu nunca disse que passou nenhum furacão nas Selvagens, quem está a inventar é você, como infelizmente também já é normal. :roll:  :roll:



Vamos a ver si lo entiendo bien, PT....cuando nos interesa, vease caso de las islas Selvagem, apelamos a la legalidad. Tenemos derechos sobre ellas por una serie de motivos legales, que usted, con bien criterio, cita. Me parece bien. Que le parece si atendemos a la legalidad vigente para todo?


CONSTITUCIÓN
TÍTULO PRELIMINAR
   

Artículo 1

España se constituye en un Estado social y democrático de Derecho, que propugna como valores superiores de su ordenamiento jurídico la libertad, la justicia, la igualdad y el pluralismo político.

La soberanía nacional reside en el pueblo español, del que emanan los poderes del Estado.

La forma política del Estado español es la Monarquía parlamentaria.


   http://www.congreso.es/funciones/consti ... indice.htm (http://www.congreso.es/funciones/constitucion/indice.htm)


 Asi que, del mismo modo que usted esgrime argumentos legales para las selvagem, sera mucha molestia que acepte estos otros argumentos legales para referirse al Estado espannol?

Porque claro, si rompemos la baraja, la rompemos para todo....no le parece?

Ps. No soy castellano, soy asturiano, una pequena region al norte de Espanna....a pesar de ello, me considero espannol...puede usted entenderlo?

ps2.  Los comentarios despectivos con respecto a la ausencia de la palabra argumento en espannol, o sentido comun, o los toreros para arriba y para abajo...viniendo de un moderador del foro....no hacen mas que desprestigiarlo. A usted, y al foro.....foro que, por otra parte, dia a dia pierde calidad, probablemente porque muchos foristas, hartos de las mismas tonterias, lo abandonan por imposible. Flaco favor para el foro...
Título:
Enviado por: komet em Dezembro 07, 2005, 05:42:38 pm
Citar
La soberanía nacional reside en el pueblo español, del que emanan los poderes del Estado.


Ah boa, então o povo espanhol se um dia se lembra de decidir que os Açores são Espanha, temos que aceitar, porque está na vossa constituição que o espanhol é que sabe  :lol:
Título:
Enviado por: pedro em Dezembro 07, 2005, 05:55:54 pm
ja dizia eu os espanhois nao estao bem.
acho que eles precisão de uns julio de matos para la :lol:
Título:
Enviado por: alfsapt em Dezembro 07, 2005, 06:18:24 pm
...o problema do costume: não sabem onde acaba a constituição!

Marrocos não têm constituição? É que vai na volta algumas terras desta península podem vir a ter uma nova soberania...
Título:
Enviado por: Churruca em Dezembro 07, 2005, 06:53:30 pm
Citação de: "komet"
Citar
La soberanía nacional reside en el pueblo español, del que emanan los poderes del Estado.

Ah boa, então o povo espanhol se um dia se lembra de decidir que os Açores são Espanha, temos que aceitar, porque está na vossa constituição que o espanhol é que sabe  :lol:  :lol:

 Amigo, la constitucion espannola tiene vigencia en territorio espannol!!.....Las azores no son territorio espannol, asi que no se que pintan en la discusion!....y la soberania nacional reside en el pueblo, pero la nacional!!.....sabes distinguir entre soberania del territorio nacional, y lo que no es territorio nacional? O te tengo que poner un ejemplo con manzanas y peras?....

Y eso de que en nuestra constitucion esta escrito que el espannol sabe...se supone que es un chiste? :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: papatango em Dezembro 07, 2005, 07:10:15 pm
Churruca, você não se explicou correctamente.

Logo, não foi entendido.
Você não se pode queixar por ouvir (ler) comentários que podem não estar em consonância com o que escreveu, porque o que você escreveu, não foi devidamente explicado nem entendido.

Eu ainda estou para entender o que é que o aeroporto de Barajas tem a ver com as selvagens.

É você que tem que se explicar, se quer ser entendido.
Não somos nós quem tem que o entender, para depois produzir uma resposta a seu contento.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Churruca em Dezembro 07, 2005, 07:33:40 pm
Pues es muy sencillo PT. Usted apela a motivos legales para reclamar la soberania portuguesa sobre las Selvagems. Me parece muy bien.

Yo apelo a otros motivos legales (constitucion espannola) para recordarle la existencia del estado espannol. Asi que, lo del estado castellano, está de más.

Aunque claro, puede que la legalidad vigente esté muy bien para reafirmar la soberania portuguesa, pero no nos venga tan bien para aceptar la existencia del estado español.....

  Era tan sencillo como eso....y no me parece tan dificil de entender.


Esto :arrow:
Citar
Ah boa, então o povo espanhol se um dia se lembra de decidir que os Açores são Espanha, temos que aceitar, porque está na vossa constituição que o espanhol é que sabe


...es una autentica estupidez.

 Acaso la soberania portuguesa no reside en el pueblo portugues? Les permite eso levantarse un dia y decir que Alaska les pertenece? No, verdad? Pues a nosotros tampoco....pero me parece evidente, vaya...si lo quieren entender, bien.....y si no....pues bien tambien....
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 08, 2005, 01:26:44 am
Para desanuviar um pouco...algumas imagens do Earth Google

Selvagem Grande
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg175.imageshack.us%2Fimg175%2F5941%2Fselvagemgrande7sk.jpg&hash=48e5247f59a493d20fa5159ca608902f)
A meio caminho entre a Madeira e as Canárias
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg175.imageshack.us%2Fimg175%2F427%2Fselvagementremadeiracanarias5z.jpg&hash=c3426d828ad670ba0196cfdfe68caa30)
Cumprimentos
B. Pereira Marques
Título:
Enviado por: nestor em Dezembro 08, 2005, 02:00:06 am
Citação de: "Churruca"
Pues es muy sencillo PT. Usted apela a motivos legales para reclamar la soberania portuguesa sobre las Selvagems. Me parece muy bien.

Yo apelo a otros motivos legales (constitucion espannola) para recordarle la existencia del estado espannol. Asi que, lo del estado castellano, está de más.

Aunque claro, puede que la legalidad vigente esté muy bien para reafirmar la soberania portuguesa, pero no nos venga tan bien para aceptar la existencia del estado español.....

  Era tan sencillo como eso....y no me parece tan dificil de entender.


Esto :arrow:
Citar
Ah boa, então o povo espanhol se um dia se lembra de decidir que os Açores são Espanha, temos que aceitar, porque está na vossa constituição que o espanhol é que sabe

...es una autentica estupidez.

 Acaso la soberania portuguesa no reside en el pueblo portugues? Les permite eso levantarse un dia y decir que Alaska les pertenece? No, verdad? Pues a nosotros tampoco....pero me parece evidente, vaya...si lo quieren entender, bien.....y si no....pues bien tambien....



Pero aparte de que nosotros, los españoles, nos regimos por la Constitución a la que se ha hecho referencia, este Estado Español, o simplemente España, está reconocido por la ONU, UE, OTAN y cualquier otro organismo internacional, independientemente de que tambien está reconocida por todos los paises del mundo individualmente.

En base a lo anterior, nos trae sin cuidado lo que piensen 4 portugueses sobre España, como si quieren decir que es de otro planeta.

Saludos.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Dezembro 28, 2005, 12:22:24 pm
Pá:

Espanha quer o rochedo de Peregill.

Certo?

Então porque contestam a presença portuguesa nas Selvagens?

Por causa das 200 milhas da ZEE?

Não têm já mar que chegue?

Mas a culpa de tudo isto é nossa:

Portugal continua sempre a dormir à sombra da bananeira.
Título:
Enviado por: typhonman em Dezembro 28, 2005, 12:47:46 pm
As Selvagens são nossas, os espanhois que vão contar macacos.
Título:
Enviado por: sierra002 em Dezembro 28, 2005, 12:52:32 pm
¿Ha habido alguna reclamación oficial de España respecto a las Selvaghens?
Título:
Enviado por: Pantera em Dezembro 28, 2005, 01:42:30 pm
Citação de: "Typhonman"
As Selvagens são nossas, os espanhois que vão contar macacos.


Macacos contamos nós..olha são 230 macacos que temos neste país,não é preciso os espanhóis contarem-os. :mrgreen:
Título:
Enviado por: alfsapt em Dezembro 28, 2005, 04:25:48 pm
Citação de: "Typhonman"
As Selvagens são nossas, os espanhois que vão contar macacos.


Epá você nem dos macacos gosta!
Título:
Enviado por: Rui Elias em Dezembro 28, 2005, 05:16:10 pm
Citar
¿Ha habido alguna reclamación oficial de España respecto a las Selvaghens?


Não.

A Espanha contesta é as 200 milhas de ZEE à sua volta, já que tocam na ZEE das Canárias.

E no passado a Espanha já sobrevoou com meios militares as Selvagens, sem autorização de Portugal.
Título:
Enviado por: Doctor Z em Janeiro 28, 2006, 01:36:07 pm
Citação de: "Rui Elias"
Citar
¿Ha habido alguna reclamación oficial de España respecto a las Selvaghens?

Não.

A Espanha contesta é as 200 milhas de ZEE à sua volta, já que tocam na ZEE das Canárias.

E no passado a Espanha já sobrevoou com meios militares as Selvagens, sem autorização de Portugal.


Ola a todos,

Se fosse o contrario, os F16 portugueses a sobrevoar um ilha das Canarias, certamente que os espanhois reagiriam, mas quando é os espanhois a passarem por as aguas portuguesas sem autorização, esta tudo normal ...

(PS : estou a escrever desde um portatil, por isso, para produzir certos assentos torna-se dificil ...  :? )
Título:
Enviado por: pedro em Janeiro 28, 2006, 04:35:04 pm
Isto e que e uma vergonha.
cumprimentos
Título:
Enviado por: typhonman em Janeiro 28, 2006, 05:27:50 pm
No minimo havia uma chamada de atenção para a embaixada.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Janeiro 31, 2006, 03:55:22 pm
Citar
No minimo havia uma chamada de atenção para a embaixada.


Isto já foi há uns anos, e houve um protesto.

Depois disso, julgo que não voltaram a haver sobrevoos por parte dos espanhois.
Título:
Enviado por: pedro em Janeiro 31, 2006, 05:49:08 pm
Tal era o medo que eles tinham.
cumprimentos
Título:
Enviado por: sierra002 em Janeiro 31, 2006, 06:45:52 pm
Citar
A Espanha contesta é as 200 milhas de ZEE à sua volta, já que tocam na ZEE das Canárias.

El tema de la ZEE no tiene porque afectar a la soberania. Por lo que tengo entendio, España reclama que a las Selvaghens se las considere islotes y no islas, por ello tendrian derecho a aguas de soberania pero no a ZEE. La consideración de isla se obtiene cuando esta es capaz de sostener vida humana por sus propios medios. ¿Son capaces las Selvaghens de hacerlo?
Título:
Enviado por: emarques em Janeiro 31, 2006, 09:33:40 pm
Citar
El tema de la ZEE no tiene porque afectar a la soberania. Por lo que tengo entendio, España reclama que a las Selvaghens se las considere islotes y no islas, por ello tendrian derecho a aguas de soberania pero no a ZEE. La consideración de isla se obtiene cuando esta es capaz de sostener vida humana por sus propios medios. ¿Son capaces las Selvaghens de hacerlo?
O que a CNUDM (Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar) diz na 3ª alínea do Artigo 121 é que:

Citar
3-Os rochedos que, por si próprios, não se prestam à habitação humana ou à vida económica não devem ter zona económica exclusiva nem plataforma continental.

Segundo a Real Academia Espanhola:
Citar
islote.
   
   1. m. Isla pequeña y despoblada.
   2. m. Peñasco muy grande, rodeado de mar.

Parece-me que um "islote" não é forçosamente um rochedo, mesmo que um rochedo possa ser um "islote" (No texto em castelhano da convenção que encontrei dizia "roca", por falar nisso).

Mas de qualquer forma, dando uma vista de olhos ao "Google Earth" e usando a ferramenta de medição desse programa, vi que a Selvagem Grande (que até nem se vê mal) tem um perímetro de uns 7 ou 8 quilómetros (depende do nível de detalhe da linha traçada) e terá uma área de 1,5 a 2 km^2, pelo menos, ou seja, 150 a 200 ha. Parece ser bem mais que suficiente para sustentar não só habitação humana como também actividade económica. Infelizmente o nível de detalhe da Selvagem Pequena não tem qualquer comparação com o da Grande, por isso não posso exactamente andar com estas medições "às três pancadas", mas no mapa abaixo pode-se ver a proporção de tamanho entre as ilhas.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fthumb%2F9%2F91%2FSelvagens.png%2F413px-Selvagens.png&hash=0a8908375ceb06ea1a233d80a333b3eb)
Título:
Enviado por: Luso em Janeiro 31, 2006, 10:17:20 pm
Lição:

Um vidro partido hoje, zona degradada amanhã.

Que não haja precedentes.
Que todos nos demos ao respeito para sermos respeitados.
Título:
Enviado por: ferrol em Fevereiro 01, 2006, 10:11:51 am
Citação de: "emarques"
Parece ser bem mais que suficiente para sustentar não só habitação humana como também actividade económica.

Esta é unha idea debatida varias páxinas atrás. Unha illa ten dereito a 200 millas de ZEE se está (presente) habitada permanentemente. Se estivo (pasado) habitada e xa non o está (presente) a illa tivo (pasado) dereito a unha ZEE de 200 millas e xa non o ten (presente).

Logo:
1º.- As illas Salvaxes son de soberanía portuguesa.
2º.- Non están habitadas permanentemente
3º.- Consecuencia de 2º, teñen dereito a 12 millas de soberanía, pero non a 200 millas

Saúdos.
Título:
Enviado por: emarques em Fevereiro 01, 2006, 12:14:01 pm
Não, ferrol. Se se der ao trabalho de ler o que escrevi, encontra lá o que está escrito na "lei do mar" das Nações Unidas. Mas já agora cito-lhe todo o artigo:

Citar
Artigo 121.°

Regime das ilhas

1-Uma ilha é uma formação natural de terra, rodeada de água, que fica a descoberto na praia-mar.

2-Salvo o disposto no n.° 3, o mar territorial, a zona contígua, a zona económica exclusiva e a plataforma continental de uma ilha serão determinados de conformidade com as disposições da presente Convenção aplicáveis a outras formações terrestres.

3-Os rochedos que, por si próprios, não se prestam à habitação humana ou à vida económica não devem ter zona económica exclusiva nem plataforma continental.

Ou seja, se a ilha se presta a habitação humana, tem direito a ZEE, nem que, como no caso das Selvagens, não viva lá ninguém.

Se quiser também lhe ponho aqui o artigo em castelhano:

Citar
Art. 121 Régimen de las islas

1.                 Una isla es una extensión natural de tierra, rodeada de agua, que se encuentra sobre el nivel de ésta en pleamar.

2.                 Salvo lo dispuesto en el párrafo 3, el mar territorial, la zona contigua, la zona económica exclusiva y la plataforma continental de una isla serán determinados de conformidad con las disposiciones de esta Convención aplicables a otras extensiones terrestres.

3.                 La rocas no aptas para mantener habitación humana o vida económica propia no tendrán zona económica exclusiva ni plataforma continental.


Aptas para mantener, como pode ver. Não que mantengan, só que sejam aptas para mantener.
Título:
Enviado por: sierra002 em Fevereiro 01, 2006, 03:59:50 pm
Citar
tem um perímetro de uns 7 ou 8 quilómetros (depende do nível de detalhe da linha traçada) e terá uma área de 1,5 a 2 km^2, pelo menos, ou seja, 150 a 200 ha
¿Esas hectareas son explotables economicamente o son pedregales?

Citar
Ou seja, se a ilha se presta a habitação humana, tem direito a ZEE, nem que, como no caso das Selvagens, não viva lá ninguém.


Cuando hablamos de que se presta a habitación humana, creo que hablamos de condiciones normales, no de supervivencia.

Siendo muy estricto, podriamos decir que Perejil es una isla con toda las de la ley.

Contuvo vida humana. Durante la crisis hubo allí seis infantes de marina marroquies y despues un centenar de legionarios españoles.

Producia actividad económica. La isla contenia cabras cuya leche era muy aprecida en el vecino Marruecos.

Por todo ello, Perejil es una isla que debería tener ZEE.
Título:
Enviado por: ferrol em Fevereiro 01, 2006, 07:36:39 pm
Citação de: "emarques"
Não, ferrol. Se se der ao trabalho de ler o que escrevi, encontra lá o que está escrito na "lei do mar" das Nações Unidas. Mas já agora cito-lhe todo o artigo:
Aptas para mantener, como pode ver. Não que mantengan, só que sejam aptas para mantener.

Si, emarques. O traballo de le-la convención, como xa dixen, se fixo hai varias páxinas atrás, e a idea é que unha illa que non é apta para mantener non mantén.

As Salvaxes non manteñen, logo non son aptas para mantener, logo terán 12 millas de augas propias.
Título:
Enviado por: emarques em Fevereiro 01, 2006, 08:23:21 pm
Citação de: "sierra002"
Citar
tem um perímetro de uns 7 ou 8 quilómetros (depende do nível de detalhe da linha traçada) e terá uma área de 1,5 a 2 km^2, pelo menos, ou seja, 150 a 200 ha
¿Esas hectareas son explotables economicamente o son pedregales?
Selvagem Grande:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fselvagens.seawatching.net%2Fgalleries%2FGrande%2F11plateau_NH.jpg&hash=59f64eb2c04bb9688b6e30a493ab751b)
Note-se os muros, mostrando que já viveu lá gente. :)

Citar
Si, emarques. O traballo de le-la convención, como xa dixen, se fixo hai varias páxinas atrás, e a idea é que unha illa que non é apta para mantener non mantén.

As Salvaxes non manteñen, logo non son aptas para mantener, logo terán 12 millas de augas propias.

Desculpe, ferrol, mas essa posição não tem pés nem cabeça. Se não são aptas para manter não mantêm, é verdade, mas o contrário não o é. Lá porque não mantêm presentemente, não quer dizer que isso não seja possível. Só quer dizer que há sítios melhores.
Título:
Enviado por: pedro em Fevereiro 01, 2006, 10:07:11 pm
ferrol voce e galego?
saludos
Título:
Enviado por: Rui Elias em Fevereiro 02, 2006, 09:50:45 am
Pedro:

O Ferrol vive na cidade de Ferrol, na Galiza (onde há uma base naval), e a julgar pela lingua em que escrevem, julgo que é de facto galego.

Há por aqui outro galego, de Vigo, o Manuel Liste.
Título:
Enviado por: pedro em Fevereiro 02, 2006, 07:10:18 pm
Obrigado pela informacao rui elias. :wink:
e porque aquilo que o ferrol escrevia parecia galego agora ja tenho a certeza.
cumprimentos
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 03, 2006, 12:54:43 pm
Citar
Esta é unha idea debatida varias páxinas atrás. Unha illa ten dereito a 200 millas de ZEE se está (presente) habitada permanentemente. Se estivo (pasado) habitada e xa non o está (presente) a illa tivo (pasado) dereito a unha ZEE de 200 millas e xa non o ten (presente).

Logo:
1º.- As illas Salvaxes son de soberanía portuguesa.
2º.- Non están habitadas permanentemente
3º.- Consecuencia de 2º, teñen dereito a 12 millas de soberanía, pero non a 200 millas

As ilhas são portuguesas, logo compete a Portugal determinar o que fazer com elas.

O problema da argumentação do Ferrol é o seguinte:

As ilhas já foram habitadas, mas não há nada que diga que não podem ser habitadas.

As ilhas têm depositos de água, que permitem armazenar cerca de 100.000 litros de água, o que dá para suster uma população de 15 a 30 pessoas. TRata-se de depósitos de água da chuva, claro.

Ora, as ilhas não são neste momento habitadas, não porque não possam ser ou não tenham capacidade de ter vida auto-sustentada, mas sim porque são um parque natural.

A lei portuguesa não poermite a construção nas ilhas. Elas foram habitadas por muito tempo, e foram uma propriedade alugada a familias rurais, que viviam lá e cultivavam os seus productos.

Mas claro, era um lugar incrivelmente isolado. Mas o facto de ser isolado, não implica que não possam lá viver pessoas.

As pessoas que lá vivem neste momento são os guardas, e não estamos naturalmente à espera que os guardas se vão dedicar à agricultura, começando a cultivar, mesmo porque como todos sabemos ocorreu um desastre ecológico decorrente da multiplicação de Cabras que acabaram com grande parte da vegetação luxuriante da ilha.

O argumento do Ferrol cai por terra, porque segundo ele, as ilhas tinham gente (e logo teriam ZEE de 200 milhas), hoje não têm gente  (logo não têm ZEE).

O problema é que o Ferrol esquece de dizer o que acontecerá amanhã, se Portugal autorizar o repovoamento da ilha.

Logo, pelo raciocinio do Ferrol, as ilhas passaríam a ter novamente ZEE.

É uma argumentação absurda.

Há um principio básico do Direito que diz que as leis têm que ser universais. Logo, não podem mudar, conforme muda a população ou as regras de conservação da natureza, as quais dependem do governo da altura.

Logo, tendo Portugal a posse das ilhas (e isso não é discutido) É Portugal que pode determinar se as ilhas podem ou não ser povoadas.
Até agora, Portugal optou por não permitir a povoação das ilhas porque as transformou num parque natural e reserva de protecção da natureza.

Não se pode construir numa reserva de protecção da natureza, e é por isso que as Selvagens não são neste momento habitadas.

Qualquer empresa turistica daría milhões por uma ilha onde pode ser construido um pequeno aeroporto ou um heliporto, hoteis, campo de golfe, piscinas e pistas de tracking.

As ilhas dão perfeitamente para isso, e podem-se organizar expedições à selvagem pequena, que é espectacular para mergulho.

As ilhas são pura e simplesmente grandes demais para serem consideradas rochedos.

A posição espanhola advém absolutamente e exclusivamente da irritação espanhola com o facto de poder haver algum tipo de riqueza nas águas portuguesas.

Se amanhã descobrirem petroleo nas Selvagens, garanto que os espnhóis haverão de inventar qualquer mentira, para discutir "El Sagrado derecho Hispano a las islas españolas de las Feroces".

Quem não os conhecer que os compre... :mrgreen:
Título:
Enviado por: Luso em Fevereiro 03, 2006, 01:41:18 pm
Perejil também é densamente povoada...
Título:
Enviado por: JoseMFernandes em Fevereiro 03, 2006, 02:56:06 pm
Citação de: "Luso"
Perejil também é densamente povoada...


O nome geografico (e comum) que deveria ser citado correctamente em portugues é PERREXIL (a que, va la a saber-se porque, utilizamos nos nossos dias mais correntemente como SALSA, embora em ingles(parsley) ou frances(persil) e outros se mantenha obvia e logicamente o nome latino. :)
Cumprimentos
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 03, 2006, 03:08:26 pm
E salsa é molho em castelhano.

Ainda há McDonalds em que perguntam se queremos salsa, e não molho :mrgreen:
Título:
Enviado por: sierra002 em Fevereiro 03, 2006, 11:28:38 pm
Caro Papatango dijo:

Citar
As ilhas têm depositos de água, que permitem armazenar cerca de 100.000 litros de água, o que dá para suster uma população de 15 a 30 pessoas. TRata-se de depósitos de água da chuva, claro.


Haciendo un analisis del texto vemos que lo que se dice es que las Islas Selvaghens NO tienen agua.
Título:
Enviado por: sierra002 em Fevereiro 03, 2006, 11:30:31 pm
Una pregunta que me ha venido al aire de esta discusión.

¿Debe tener el principado de Sealand una ZEE?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.havenco.com%2Fphotos%2Fsealand_sm.jpg&hash=a3e6dccb8ece01a8627ac8841fe7e68c)

http://en.wikipedia.org/wiki/Sealand (http://en.wikipedia.org/wiki/Sealand)

Está habitado y tiene depósitos de agua.
Título:
Enviado por: emarques em Fevereiro 03, 2006, 11:57:30 pm
E é uma ilha artificial, que segundo a convenção não tem nem ZEE nem águas territoriais. Ou então é um navio afundado, e nem sequer é considerado terra firme. Mas se fosse uma ilha, e ainda que não possa sustentar a vida, pode sustentar actividade económica (parece que estava a ser ocupado por uma qualquer empresa de serviços internet), pelo que teria ZEE, acho.

Mas Sealand é um caso muito interessante para a jurisprudência, porque o caso tem uma série de peculiaridades complicadas.
Título:
Enviado por: ferrol em Fevereiro 04, 2006, 09:04:59 am
Ás veces, pt, parece que non lea vostede o que escribe... nin leu a parte onde dixo que os Harrier fundían o aceiro dos LPD coa sua turbina, nin leu a parte onde xuraba que España non ía ter tomahawks e agora non le a parte onde dí cousas como, e permítome citalo porque logo  non me cren cando o repito noutros lados:
Citação de: "papatango"
Há um principio básico do Direito que diz que as leis têm que ser universais.
Eso é mais falso que un euro de madeira. As leis nin son universais no tempo, ¿Ou apoia vostede as leis esclavistas de épocas pasadas?, nin son universais no espacio ¿Ou apoia vostede a Sharia musulmana vixente hoxe en dia en países islámicos?

Como avogado, francamente, pt, un fiasco. Adíquese ás súas pastillas, mellor  :mrgreen:[/quote]Como lle digo, pt, adíquese ás pastillas e a inventar historias, e deixe os sarcasmos e as "adivinacións" para eses momentos nos que ve luceciñas de cores ó tomar as pírulas  :lol:

Polo demáis, pasen unha boa fin de semana.
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 04, 2006, 11:27:26 am
As ilhas selvagens não têm RIOS.
Aliás isso acontece com várias ilhas no oceano Atlântico.

A ilha do corvo ou a ilha das flores também não têm rios e não é por isso que deixam de ser ilhas.
Aliás, várias ilhas das canárias também não têm água. Só têm pequenos riachos, no inverno desde que chova.

Quando chove nas selvagens, o que não ocorre com frequência, por causa das caracteristicas da ilha, torna.se relativamente facil preservar a água.
= = =
A comparação da selvagen grande com uma plataforma de petróleo é naturalmente ridicula.
O castelhano, à falta de argumentação inventa (não é nada de novo).

A Selvagem Grande, tem espaço para ter desde heliporto até vários (repito) VÁRIOS Hoteis, campos de golfe etc...
Eu gostava de saber onde é que o Sierra consegue colocar essas coisas na plataforma de petróleo :mrgreen: )

Cumprimentos
= = =

PS: A Espanha já recebeu algum Tomahawk?
Da ultima vez que ouvi, parece que as fragatas espanholas andavam com misseis alugados, e nenhum deles era Tomahawk.
Título:
Enviado por: sierra002 em Fevereiro 04, 2006, 11:50:04 am
Para empezar, Fort Rough (Sealanda) no fue una plataforma petrolifera. Precisamente puse el link para explicarlo.

Citar
A Selvagem Grande, tem espaço para ter desde heliporto até vários (repito) VÁRIOS Hoteis, campos de golfe etc...
Eu gostava de saber onde é que o Sierra consegue colocar essas coisas na plataforma de petróleo



(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.havenco.com%2Fphotos%2Fsealand_sm.jpg&hash=a3e6dccb8ece01a8627ac8841fe7e68c)

¿Ves esa plataforma verde? Es un helipuerto. Si te fijas, debajo hay una estructura con ventanas, dentro hay habitaciones donde se admiten huespedes.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.fruitsofthesea.demon.co.uk%2Fsealand%2Fimages%2Fsealnd12.jpg&hash=b0a9f19d523daa623b084b1981f7d6c0)

Y se ve que hay espacio para poner un campo de minigolf.

El tener capacidad de habitabilidad quiere decir que se pueda sostener vida humana en condiciones de vida, porque no es lo mismo vivir que seguir con vida. Las Selvaghens no tienen agua propia y su terreno no podría sustentar ni a las 15 o 20 personas que tú dices.


Citar
O preconceito e a xenofobia castelhano-fascista, toldam-lhe a vista Ferrol.
(Arriba España, Arriba Franco, Viva Tejero, Viva El Rey  )



Esas frases te descalifican a ti.
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 04, 2006, 12:14:39 pm
As regras do forum impedem-me de dizer o que me passou pela cabeça, sobre um fenómeno chamado imbecilidade, para referir a plataforma.

A menção ao caso de Seeland é um insulto à inteligência. Um insulto patético que pretende desconsiderar o caso.

= = =

As canárias Sierra002 têm falta de água. Não conseguem suportar vida da forma em que hoje ela é considerada.

Praticamente todas as ilhas têm que importar algum tipo de produto.

As ilhas Selvagens têm reservatórios de água há séculos, e alguns mais recentes. Foram esses reservatórios de água que permitiram à população viver, quando não havia aviões e os barcos andavam à vela. A capacidade de um lugar ser capaz de ter uma economia própria, depende não só da água, mas da capacidade de se desenvolverem actividades economicas autonomas. Ioso é perfeitamente possível.
A Selvagem grande é maior que países como o Mónaco. Se no Mónaco você tem uma economia fluorescente, imagine o que seria possivel de fazer nas selvagens.

Acho que os espanhóis, ou não entenderam OU NÃO QUEREM ENTENDER (o mais provavel) o tamanho das ilhas. A passo normal, demora até duas horas a percorrer o perímetro da Selvagem Grande.

Quanto à água o que você poderia argumentar é que hoje o clima é mais seco, mas isso também é válido para todas as restantes ilhas praticamente desertas.

Você já foi as Canárias ?
Acha que aquilo é muito diferente de deserto ?

Por curiosidade: Que água tem La Gomera?

= = =

Quanto às desqualificações ficam comigo, obrigado.
As suas, não o desqualificam a si, parecem mais desqualificar a sua inteligência. :roll:
Título:
Enviado por: sierra002 em Fevereiro 04, 2006, 12:32:16 pm
Citar
A capacidade de um lugar ser capaz de ter uma economia própria, depende não só da água, mas da capacidade de se desenvolverem actividades economicas autonomas. Ioso é perfeitamente possível.

Todas estas caracteristicas las reune Sealand.

Citar
As canárias Sierra002 têm falta de água. Não conseguem suportar vida da forma em que hoje ela é considerada.

Las Canarias estaban pobladas desde antes de Cristo. ¿Has oido hablar de los Guanches? Estos no importaban agua de la Peninsula.

Citar
Quanto às desqualificações ficam comigo, obrigado.
As suas, não o desqualificam a si, parecem mais desqualificar a sua inteligência.

Yo no te he descalificado, ni te insultado. Simplemente he dicho que una frase como esta:

Citar
O preconceito e a xenofobia castelhano-fascista, toldam-lhe a vista Ferrol.
(Arriba España, Arriba Franco, Viva Tejero, Viva El Rey )


Descalifican al que las dice. Y a fe mi que es cierto. ¿Te imaginas que pusiera un cartelito que dijera?:

Portugal =Fascistas=Estado Novo
¡VIVA SALAZAR! ¡VIVA CAVACO!
Título:
Enviado por: emarques em Fevereiro 04, 2006, 02:21:11 pm
Citação de: "ferrol"
Os tratados firmados por Portugal din claramente que se non se prestan a ser habitadas, as illas non deben ter 200 millas, só 12. As Salvaxes non se prestan a soster por sí mesmas unha poboación estable, logo non teñen dereito a 200 millas.
¿Por qué non se prestan a soster poboación?Porque non a sosteñen.

Máis sinxelo, imposible. Incluso vostede o entenderá.
Os condicionais, "podería soster" ou os pasados "sostivo", non se poden aplicar a leis reais do mundo actual, porque nin somos adiviños, como vosted falando dos tomahawks españois, nin somos historiadores, como vostede explicando que Carlos V non sabía español.

Novamente, ferrol, esta argumentação é uma (editado à espera que o ferrol diga que adjectivo quer ver aqui, mas desde já o aviso de que não aceito "maravilha" :).). Se esse fosse o critério a seguir, os autores da lei teriam escrito "as rochas não habitadas" e não "as rochas não habitáveis".

A terminologia usada no texto da convenção é bastante clara: As rochas incapazes de suster a vida humana ou actividade económica própria não têm ZEE. O critério é a capacidade, não o estado presente.

Imagine que eu tenho uma garrafa que já conteve 1 litro de vinho, mas que só contém meio litro neste momento. Segundo a sua lógica, isso prova que é impossível ter um litro de vinho na garrafa.
Título:
Enviado por: Dinivan em Fevereiro 04, 2006, 04:10:57 pm
Citar
As canárias Sierra002 têm falta de água. Não conseguem suportar vida da forma em que hoje ela é considerada.


Que yo sepa las Islas Canarias en conjunto no importan agua, tienen grandes depósitos naturales, además de plantas desalinizadoras. Creo que se confunde con las Islas Baleares, que de forma excepcional han recibido suministro de agua por barco desde la península.
Título:
Enviado por: NVF em Fevereiro 04, 2006, 09:45:01 pm
E' isso, deve ser para essas ilhas que a Madeira vende anualmente umas centenas ou milhares de toneladas de agua. Pois e', as Baleares, aquelas ao pe' da Madeira, nao e'?
Título:
Enviado por: Paulo em Fevereiro 06, 2006, 01:09:14 am
Qual é exactamente a questão? As Selvagens são 1 arquipélago português. Descobrimo-las, habitámo-las e, hoje, temos lá uma reserva, que, por agora, impede a construção. Porque não tem direito a uma ZEE?
Título:
Enviado por: ferrol em Fevereiro 06, 2006, 08:54:16 am
Citação de: "emarques"
Novamente, ferrol, esta argumentação é uma cretinice.
Debo deducir que os cretinos din cretinices, ¿verdade? Logo pensa voste que son un cretino ¿nonsi?
Supoñamos que fose vostede unha persoa cunha mínima educación e non insultase a ninguén, como ninguén o ten insultado deica o de agora. Se a suposición fose correcta, vostede borraría este parágrafo, se non fose correcta, vostede non a correxiría.

Rectificación aceptada. Retiro o apelativo de imbécil e obrígome a repetir que hai normas no foro contra os insultos persoais.
Título:
Enviado por: manuel liste em Fevereiro 06, 2006, 10:15:57 am
Un poco de sensatez. Nadie pone en causa que las Salvajes sean portuguesas. Ahora bien: unas islas minúsculas que son un espacio de protección natural y que no tienen actividad económica, no pueden generar ZEE. Tienen derecho, como toda isla, a un mar territorial y a su zona adyacente, con un radio total de 24 millas. Eso tendría que ser suficiente.

Lo que se puede discutir es si las actividades económicas llevadas a cabo fuera de ese perímetro podrían influenciar sobre ese espacio natural singular. Yo creo que el gobierno portugués tiene todo el derecho a preocuparse por esa cuestión, y el gobierno español también.

Respecto a los criterios para definir la ZEE, el de España es claro. La isla española de Alborán no tiene ZEE, porque no tiene actividad económica y es un espacio natural protegido. Esa isla tiene 5 km2 de superficie y está a medio camino entre la Península y las costas de Marruecos.

http://www.reei.org/reei6/VL.Gutierrez(reei).pdf

Ya que Portugal y España son paises de la UE, lo lógico es que haya unidad de criterios, sean cuales sean. Si un día las islas Salvajes volviesen a ser habitadas y generasen actividad económica, la situación  podría cambiar y podrían tener derecho a ZEE. Mientras eso no suceda no tiene mucho sentido. Pero que no lo tenga ahora no quiere decir que no lo pueda tener jamás, creo que me explico.
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 06, 2006, 02:44:09 pm
Citação de: "Ferrol"
Debo deducir que os cretinos din cretinices, ¿verdade? Logo pensa voste que son un cretino ¿nonsi?
Supoñamos que fose vostede unha persoa cunha mínima educación e non insultase a ninguén, como ninguén o ten insultado deica o de agora. Se a suposición fose correcta, vostede borraría este parágrafo, se non fose correcta, vostede non a correxiría.
Ferrol, o que foi dito é que a sua argumentação é uma cretinice.
Isso, não quer dizer que você seja um cretino, apenas quer dizer que você está errado e está a apresentar argumentaçãoes que não fazem nehyuim sentido, nem segundo o direito internacional, nem segundo as mais básicas regras do bom senso.

Citação de: "Dinivan"
Que yo sepa las Islas Canarias en conjunto no importan agua, tienen grandes depósitos naturales, además de plantas desalinizadoras
Dinivan, as Canárias importam água, e não têm capacidade para suster a população. É por isso que têm as de-salinizadoras.

Ora, podemos concluir que se as Selvagens tiverem uma de-salinizadora, já passam a ter ZEE?

A argumentação que até agora tem sido apresentada, é incrivelmente pobre.

Citação de: "emarques"
Imagine que eu tenho uma garrafa que já conteve 1 litro de vinho, mas que só contém meio litro neste momento. Segundo a sua lógica, isso prova que é impossível ter um litro de vinho na garrafa.
é uma das analogias mais demonstrativas do erro do Ferrol no raciocinio que nos tem apresentado.

Ele parte do principio que mesmo que a garrafa já tenha estado cheia, neste momento, não estando, isso é razão para achar que já não se pode voltar a encher.

Ora, a garrafa está lá, leva um litro, e por razões que nada têm a ver com a garrafa, decidiu-se que era melhor não a encher.

Confesso a minha dificuldade em entender a contra-argumentação espanhola, por tão absolutamente fraca.

As Selvagens são um último refugio para várias espécies, que migravam para as Canárias e Madeira vindas da costa africana. É ali que colocam os ovos e os chocam. Há espécies que correm risco de desaparecer se as Selvagens deixarem de ser uma zona protegida.

Se a ilha voltar a ser habitada, as obras que lá se teríam que fazer inevitavelmente afastariam as aves, e reduziriam tremendamente as possibilidades de reprodução por absoluta falta de um lugar para nidificação.

Mas claro, provavelmente esta argumentção é muito complicada.
 :roll:  :roll:  :roll:


Citação de: "Manuel Liste"
Mientras eso no suceda no tiene mucho sentido. Pero que no lo tenga ahora no quiere decir que no lo pueda tener jamás, creo que me explico.
Mas é aí que entra o conceito de unicversalidade das regras.
As Selvagens, têm tamanho para serem habitadas. Já foram habitadas, podem sustentar vida própria. O facto de presentemente isso não acontecer, não pode alterar as regras.

Caso contrário, teríamos uma ZEE flutuante, que sería alterada à vontade do governo português, ou seja:
Quando o governo português quisesse a ZEE ds Selvagens, madava habitar as ilhas, quando isso não lhe interessasse, voltavam as ilhas a ser um parque natural. Se no governo seguinte alguém achasse que as ilhas deveriam ter ZEE, voltava outra vez a povoar-se.

A ZEE das selvagens não pode ser mutante. Ou existe, ou não existe.

Se as ilhas nunca tivesse sido habitadas, se fossem uns rochedos inóspitos (e não são, porque senão não havia tantas aves nas ilhas), se não fossem tão grandes, então eu acharia que era muito dificil provar que evidentemente tinham ZEE.

Mas nas actuais corcunstâncias, pura e simplesmente não faz sentido afirmar o contrário.

A Espanha só o faz em defesa dos seus interesses económicos, e não porque lhe assista algum direito sobre a ZEE das ilhas Selvagens.

Eu não critico os espanhois pelo facto de argumentarem em favor dos seus direitos econonomicos, mas a defesa desses direitos não se baseia em regras aceitáveis.
Título:
Enviado por: sierra002 em Fevereiro 06, 2006, 03:04:18 pm
Un apunte para invalidar el razonamiento de Papatango:

Citar
Dinivan, as Canárias importam água, e não têm capacidade para suster a população. É por isso que têm as de-salinizadoras.


Las Canarias tienen agua y siempre han tenido capacidad de sustentar población y por ello, siempre lo han hecho. Otra cosa es que hablemos de si puede dar de beber por si solas a toda la población que vive actualmente. Estamos hablando de que la visitan millones de turistas de todo el mundo.
Título:
Enviado por: emarques em Fevereiro 06, 2006, 03:08:09 pm
Citação de: "ferrol"
Citação de: "emarques"
Novamente, ferrol, esta argumentação é uma cretinice.
Debo deducir que os cretinos din cretinices, ¿verdade? Logo pensa voste que son un cretino ¿nonsi?
Supoñamos que fose vostede unha persoa cunha mínima educación e non insultase a ninguén, como ninguén o ten insultado deica o de agora. Se a suposición fose correcta, vostede borraría este parágrafo, se non fose correcta, vostede non a correxiría.

Por eso vou agardar a ve-lo que fai con este texto para responderlle. Porque se eu son un cretino, non merece a pena que lle responda a un imbécil (outra cretinice  :? )

Non estou aquí para aguantar prepotencias de ninguén que se cre superior para xulgarme coma "cretino".

Os cretinos dizem cretinices, é verdade. Mas não são os únicos a faze-lo, e não é necessário apontar-lhes isso, porque se assume que qualquer coisa que digam o é. Mas quando uma pessoa normalmente inteligente diz algo que me parece uma cretinice, não vejo porque lho não possa apontar, na esperança de que clarifique a sua argumentação em vez se ofender com algo que não foi dito ou pensado.

Ou seja, eu não o chamei cretino, nem considero que o seja, mas continuo a considerar que o argumento "se ninguém vive num sítio, esse sítio é inabitável" não faz qualquer sentido (e escusa de começar agora a dizer que eu o chamei insensato, refiro-me a este argumento e a nada mais).

Mas se o adjectivo usado o ofende realmente, estou perfeitamente disposto a usar outro qualquer. Não penso retirar o parágrafo todo, porque continuo à espera que me explique melhor os seus argumentos, incluíndo porque é que na convenção se usou usou uma definição de inabitável se o critério era inabitada.
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 06, 2006, 03:22:50 pm
Citação de: "Sierra002"
Un apunte para invalidar el razonamiento de Papatango:
Com "apuntes" invalidatórios desse tipo, não vai longe  :roll:
Título:
Enviado por: manuel liste em Fevereiro 06, 2006, 03:23:05 pm
Citação de: "papatango"
Mas é aí que entra o conceito de unicversalidade das regras.
As Selvagens, têm tamanho para serem habitadas. Já foram habitadas, podem sustentar vida própria. O facto de presentemente isso não acontecer, não pode alterar as regras.

Caso contrário, teríamos uma ZEE flutuante, que sería alterada à vontade do governo português, ou seja:
Quando o governo português quisesse a ZEE ds Selvagens, madava habitar as ilhas, quando isso não lhe interessasse, voltavam as ilhas a ser um parque natural. Se no governo seguinte alguém achasse que as ilhas deveriam ter ZEE, voltava outra vez a povoar-se.

A ZEE das selvagens não pode ser mutante. Ou existe, ou não existe.

Se as ilhas nunca tivesse sido habitadas, se fossem uns rochedos inóspitos (e não são, porque senão não havia tantas aves nas ilhas), se não fossem tão grandes, então eu acharia que era muito dificil provar que evidentemente tinham ZEE.


Las ZEE son creadas mediante acciones de gobierno, hace falta una ley para hacerlas valer, de lo contrario no existen. El hecho de que la legislación del mar permita la creación de ZEE, no quiere decir que la ZEE exista por naturaleza. Las ZEE's creadas también pueden ser protestadas ante el tribunal correspondiente de derecho internacional del mar.

Eso quiere decir que la naturaleza jurídica que crea una ZEE puede mutar. En las actuales circunstancias, las Salvajes son espacio natural protegido y no comprendo la razón por la cual podrían reivindicar un aprovechamiento económico de un espacio protegido y deshabitado. Si las circunstancias cambiasen y el espacio pasase a ser habitado, Portugal podría reivindicar la ZEE del archipiélago para uso económico de los residentes.

El caso de las Salvajes se parece al de la isla española de Alborán, y esa isla no tiene ZEE.
Título:
Enviado por: emarques em Fevereiro 06, 2006, 05:21:13 pm
Citação de: "manuel liste"
Respecto a los criterios para definir la ZEE, el de España es claro. La isla española de Alborán no tiene ZEE, porque no tiene actividad económica y es un espacio natural protegido. Esa isla tiene 5 km2 de superficie y está a medio camino entre la Península y las costas de Marruecos.
Francamente, não percebo como é que os autores desse documento calculam áreas.

Segundo o "El Mundo":
Citar
Se llama Alborán y es una isla. Un trozo de tierra española arrancado del continente. 90.000 metros cuadrados de roca volcánica y guano. Un erial de contorno piriforme de 642 metros de longitud, 265 de anchura máxima y 16 metros de altura máxima. (...)
En Alborán la tierra es mala. No hay árboles ni agua potable ni crecen las plantas que han intentado sembrar.

90.000 m^2 (9 hectares) não são exactamente 5km^2... Na verdade, são 0,09 km^2, ou seja, Alborán é algo como 20 vezes mais pequena que a Selvagem Grande.

Esqueci-me de por uma ligação ao artigo que citei...
http://www.el-mundo.es/larevista/num162 ... albo1.html (http://www.el-mundo.es/larevista/num162/textos/albo1.html)
Título:
Enviado por: Paulo em Fevereiro 06, 2006, 06:54:06 pm
Então, para o Governo espanhol Alboran é uma ilha ou um ilhote?
Título:
Enviado por: NVF em Fevereiro 07, 2006, 12:45:56 am
Citação de: "emarques"
Segundo o "El Mundo":
Se llama Alborán y es una isla. Un trozo de tierra española arrancado del continente. 90.000 metros cuadrados de roca volcánica y guano[/size]



A comparacao e' de facto absurda, ate' porque ao contrario de Alboran, as Selvagens nao sao feitas de merda.  :D
Título:
Enviado por: Marauder em Fevereiro 10, 2006, 08:35:42 pm
Boas

A Zona Económica Exclusiva ou ZEE é uma das zonas consideradas na Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM ou UNCLOS), também conhecida como Lei do Mar. Nesta zona que pode ir até 200 milhas marítimas (cerca de 350 km) a partir da linha base da costa o estado marítimo tem direitos e deveres.
A importância da ZEE prende-se primariamente com motivos económicos, ligados aos recursos pesqueiros, geológicos e valor turístico, espólio arqueológico mas também com razões de natureza ambiental, geoestratégica e de segurança interna.

de:
http://gasa.dcea.fct.unl.pt/infozee/4.htm (http://gasa.dcea.fct.unl.pt/infozee/4.htm)

 Não vejo nada que impeça uma ZEE das ilhas Selvagens, a não ser o aval das Nações Unidas. Acho que sim, que as Selvagens devem ter ZEE, porque são ilhas "a sério" ao contrário de Albóran.

    Saudações
Título:
Enviado por: sierra002 em Fevereiro 10, 2006, 10:16:31 pm
Lo mejor sería someter el asunto a un tribunal internacional y que dicha institución imparcial decida si las Selvaghens merecen ZEE o no.
Título:
Enviado por: pedro em Março 11, 2006, 04:55:13 pm
Caro Sierra entao que  a Espanha perderia porque oficialmente as selvagens tem duas ilhas e nao ilheus.
Saludos :lol:
Título:
Enviado por: ferrol em Março 14, 2006, 10:26:00 am
Citação de: "Marauder"
Não vejo nada que impeça uma ZEE das ilhas Selvagens, a não ser o aval das Nações Unidas.
Non ten unha poboación fixa, logo non teñen dereito a ZEE (Montego Bay).
Título:
Enviado por: Marauder em Março 14, 2006, 10:56:38 am
Citação de: "ferrol"
Citação de: "Marauder"
Não vejo nada que impeça uma ZEE das ilhas Selvagens, a não ser o aval das Nações Unidas.
Non ten unha poboación fixa, logo non teñen dereito a ZEE (Montego Bay).

Citar
:arrow: The limits of the territorial sea, the exclusive economic zone and continental shelf of islands are determined in accordance with rules applicable to land territory, but rocks which could not sustain human habitation or economic life of their own would have no economic zone or continental shelf;


de:
http://www.un.org/Depts/los/convention_ ... ention.htm (http://www.un.org/Depts/los/convention_agreements/convention_overview_convention.htm)

   Ou seja, a questão não é ter ou não ter população fixa, que por acaso até têm...uns 2 ou 3 guardas florestais lol. A questão que se deve perguntar é se as ilhas são habitáveis..


 Cumprimentos

ps: Convenção: http://www.un.org/Depts/los/convention_ ... /part5.htm (http://www.un.org/Depts/los/convention_agreements/texts/unclos/part5.htm)
Título:
Enviado por: ferrol em Março 15, 2006, 07:46:17 am
Citação de: "Marauder"
Ou seja, a questão não é ter ou não ter população fixa, que por acaso até têm...uns 2 ou 3 guardas florestais lol. A questão que se deve perguntar é se as ilhas são habitáveis..

Non sei de onde saca eso. Da súa propia cita:
Citar
rocks which could not sustain human habitation or economic life of their own would have no economic zone or continental shelf;
É dicir, pedras que non poden soste-la vida humana, non poden ter ZEE. As Salvaxes non sosteñen vida humana ningunha, logo non teñen ZEE.
Título:
Enviado por: papatango em Março 15, 2006, 10:59:03 am
Eu acho que devemos ser todos incrivelmente parvos  :roll:  :roll:  :roll:
Título:
Enviado por: Marauder em Março 15, 2006, 11:52:34 am
Citação de: "ferrol"
Citação de: "Marauder"
Ou seja, a questão não é ter ou não ter população fixa, que por acaso até têm...uns 2 ou 3 guardas florestais lol. A questão que se deve perguntar é se as ilhas são habitáveis..

Non sei de onde saca eso. Da súa propia cita:
Citar
rocks which could not sustain human habitation or economic life of their own would have no economic zone or continental shelf;
É dicir, pedras que non poden soste-la vida humana, non poden ter ZEE. As Salvaxes non sosteñen vida humana ningunha, logo non teñen ZEE.


 Meu caro colega, se afirma que não sabe de onde eu arrangei isso, que compre lunetas/oculos...porque não sei como ser mais explícito. Se reparar por debaixo da citação está 1 link do site da ONU, portanto não se faça de cegeta.

E tal como o Papatango afirmou, a questão não é ser habitada, a questão é ser habitável, o que são!!
Título:
Enviado por: pedro em Março 15, 2006, 05:20:08 pm
Caro Ferrol as ilhas SAO habitaveis voce e que ainda nao entendeu.
Saludos :lol:
Título:
Enviado por: ferrol em Março 15, 2006, 06:27:22 pm
Citar
E tal como o Papatango afirmou, a questão não é ser habitada, a questão é ser habitável, o que são!!

Ben, agora falemos do tempo dos verbos.

Segundo eu o vexo, as leis regulan a realidade. E a realidade das Salvaxes é que non teñen poboación, logo non teñen dereito a ZEE.

Se vostede me di "poderían ter poboación" eu lle direi "poderían ter ZEE"
como non "teñen poboación", non "teñen ZEE".

Xa ve, todo se reduce a ser congruente cos verbos. En presente, non hai ZEE, en pasado sí, e en futuro, Deus dirá.

Un saúdo.
Título:
Enviado por: JLRC em Março 15, 2006, 08:04:15 pm
Citação de: "ferrol"
En presente, non hai ZEE, en pasado sí, e en futuro, Deus dirá.

Un saúdo.


Ó Ferrol, mas que afirmação idiota. Então a ZEE é uma coisa que ora se tem ora se não tem? Eu tenho evitado entrar na discussão porque depois dos disparates que vocês (os malvados castelhanos) escreveram no Defesa Brasil achei que não merecia a pena gastar tempo com quem à falta de argumentos escreve barbaridades mas agora não me contive perante tamanho disparate. Aliás se o artigo diz que as ilhas têm de ter condições de habitabilidade então só temos de analisar esta condição. As ilhas (e não rochas como você depreciativamente e desrespeitosamente escreveu) têm capacidade para sustentarem população? Têm. Então têm direito a ZEE. Ponto final parágrafo e fim da discussão.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 15, 2006, 09:25:55 pm
Isto já vem de há décadas, mas os espanhóis nunca foram muito bons a compreender outras línguas. Eles nem o Basco entendem.
Além disso não se escreve SALVAGES nem XXXELVAXES (ou lá o que é).
Escreve-se SELVAGENS.
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Março 15, 2006, 11:00:28 pm
Só uma pergunta:

Alguém me pode mostrar um documento, site ou discurso de um político ou diplomata espanhol que coloque em causa a legitimidade de as Selvagens terem ZEE ?
Título:
Enviado por: Marauder em Março 15, 2006, 11:43:59 pm
Meus amigos.....é impossivel aplicar uma ZEE de 200 milhas às ilhas desertas porque.....se isso acontecer....uma parte das Canárias fica em águas portuguesas :lol:  :lol:


Site com informação mundial das ZEE, esta de Marrocos onde se pode perceber a relativa proximidade das Canárias e Madeira. As desertas não aparecem, mas dá para perceber onde estão pelo formato da nossa ZEE.
http://www.seaaroundus.org/eez/summaryInfo.aspx?eez=504 (http://www.seaaroundus.org/eez/summaryInfo.aspx?eez=504)

No máximo, o que se poderia tentar fazer era diminuir a ZEE espanhola, um pouco da direita e um pouco da esquerda, mas penso que é dispensável.....até ao dia em que se encontra petróleo por lá hehehhe

 Cumprimentos
Título:
Enviado por: JLRC em Março 16, 2006, 12:15:49 am
Citação de: "Marauder"
Meus amigos.....é impossivel aplicar uma ZEE de 200 milhas às ilhas desertas porque.....se isso acontecer....uma parte das Canárias fica em águas portuguesas :lol:  :lol: ) é que as Selvagens não deverão ter nenhuma ZEE mas somente as 12 milhas das águas territoriais.
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Março 16, 2006, 12:24:59 am
Citação de: "JLRC"
Citação de: "Marauder"
Meus amigos.....é impossivel aplicar uma ZEE de 200 milhas às ilhas desertas porque.....se isso acontecer....uma parte das Canárias fica em águas portuguesas :lol:  :lol: ) é que as Selvagens não deverão ter nenhuma ZEE mas somente as 12 milhas das águas territoriais.


Exactamente JLRC.

Há um site de um membro do fórum, o João Firmino, que é uma referência e onde podemos encontrar todas as repostas relacionadas com esta questão.

É de leitura obrigatória:

 :arrow: http://insoniasoniricas.net/selvagens.htm (http://insoniasoniricas.net/selvagens.htm)
Título: Tempo de voo da Madeira às Ilhas Selvagens
Enviado por: Get_It em Março 16, 2006, 01:08:09 am
Alguém poderia me dizer ao certo o tempo que demora um avião que descola da Madeira até à Selvagem Grande?

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 16, 2006, 01:14:39 am
De facto um excelente trabalho.
Título: Re: Tempo de voo da Madeira às Ilhas Selvagens
Enviado por: Lightning em Março 16, 2006, 11:32:21 pm
Citação de: "Get_It"
Alguém poderia me dizer ao certo o tempo que demora um avião que descola da Madeira até à Selvagem Grande?

Cumprimentos,


Penso que não existe nenhum aeroporto na Selvagem grande para um avião lá poder aterrar  :Amigos:
Agora a viagem de barco não sei quanto tempo demora.
Título: Re: Tempo de voo da Madeira às Ilhas Selvagens
Enviado por: JLRC em Março 16, 2006, 11:43:54 pm
Citação de: "Hélder"
Citação de: "Get_It"
Alguém poderia me dizer ao certo o tempo que demora um avião que descola da Madeira até à Selvagem Grande?

Cumprimentos,

Penso que não existe nenhum aeroporto na Selvagem grande para um avião lá poder aterrar  :Amigos:
Agora a viagem de barco não sei quanto tempo demora.


Penso que o Get-It queria saber era quanto tempo um avião ou um helicóptero demoraria da Madeira às Selvagens em caso de necessidade e não propriamente em aterrar nas Selvagens.
Título:
Enviado por: emarques em Março 17, 2006, 12:08:30 am
A distância da Madeira às Selvagens é de cento e sessenta "e picos" milhas marítimas, uns 300 km. Agora depende do avião. Um C-295 não demora o mesmo tempo que um F-16. :mrgreen:
Título:
Enviado por: ferrol em Março 17, 2006, 07:57:09 am
Citação de: "JLRC"
Ó Ferrol, mas que afirmação idiota.
Ahí, ahí, con argumentos... :cry:
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Março 17, 2006, 01:42:22 pm
Citação de: "ferrol"
Citação de: "JLRC"
Então a ZEE é uma coisa que ora se tem ora se não tem?
Pois xa ve que sí. Se hai condicións para que a teña, pois a ten, e se non, non a ten. De todos xeitos, as Salvaxes non tiveron nunca ZEE, posto que a creación destas zonas de soberanía é posterior ó abandono da poboación das illas.

Pense no caso dalgunha illa volcánica habitada, tipo Krakatoa, habitada e próspera. Esta illa tería unha propia ZEE de 200 millas para alimentar á súa poboación. Cando estalou, deixou de estar habitada, por desgracia moitos habitantes morreron ou foron evacuados, polo que a illa deixou de ter ZEE, xa que non era necesaria para o sostemento da poboación.

Como as Salvaxes non teñen poboación, non son necesarias nin terras que cultivar, nin estradas que comunicar, nin 200 millas de ZEE que vixiar. Eso sí, hai 12 millas de soberanía inherentes.

Ademáis as illas non poden soster poboación propia, logo non teñen ZEE, como tampouco a teñen as illas antárticas con bases permanentes de científicos rusos ou americanos.

E un detalle final. Cómo ve, JLRC, nin o insultei a vostede nin ás súas ideas. Que vostede insulte as miñas ideas, logo a mín, dame unha perspectiva xeral do séu pensamento e da súa educación. Unha mágoa.  :roll:

 :arrow: http://insoniasoniricas.net/selvagens.htm (http://insoniasoniricas.net/selvagens.htm)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 17, 2006, 02:00:22 pm
Ferrol escreveu

Citar
Como as Salvaxes non teñen poboación, non son necesarias nin terras que cultivar, nin estradas que comunicar, nin 200 millas de ZEE que vixiar. Eso sí, hai 12 millas de soberanía inherentes.


Infelizmente nem isso é respeitado, quer por civis(paisanos) nem por militares.
Título:
Enviado por: JLRC em Março 17, 2006, 02:12:18 pm
Citação de: "ferrol"
 E un detalle final. Cómo ve, JLRC, nin o insultei a vostede nin ás súas ideas. Que vostede insulte as miñas ideas, logo a mín, dame unha perspectiva xeral do séu pensamento e da súa educación. Unha mágoa.  :cry:


Olhe Ferrol

Por ser educado é que não tenciono mais responder aos seus posts provocatórios nem mostrar-lhe que você à falta de ideias joga com as palavras e deturpa intencionalmente o que escrevemos/escrevi.
Tinha outra ideia a seu respeito. Lamento ter-me enganado.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Março 17, 2006, 05:15:53 pm
Mas afinal o que pretende a Espanha?

Que Portugal abdique das 200 milhas, já que se sobrepõem às 200 milhas das Canárias.

Certo?

E portanto, para os espanhois, Portugal ficaria com as 12 milhas e pronto.

Certo?

Estariam os espanhois dispostos a ficar ao redor das Canárias tambem apenas com as 12 milhas, prescindindo das 200?  :wink:

É que nestas coisas se há para uns, também terá que haver para os outros.

P.S:

Ferrol:


Eu tenho a convicção de que o JLRC quando escreve, sabe argumentar.

Se os argumentos dele não se encaxam nas pretenções, ou desejos de Espanha, já é outra coisa.

Mas Portugal, por enquanto ainda é um país soberano.
Título:
Enviado por: pedro em Março 17, 2006, 05:47:27 pm
Caro Ferrol se nao lhe agrada o nosso forum entao nao venha por ca.
Saludos :lol:
Título:
Enviado por: Dinivan em Março 18, 2006, 12:14:02 am
Citar
Estariam os espanhois dispostos a ficar ao redor das Canárias tambem apenas com as 12 milhas, prescindindo das 200? Wink

É que nestas coisas se há para uns, também terá que haver para os outros.


Las Islas Salvajes no son habitables (si, es cierto que ahí podrían meter 500 personas en un pueblo, pero eso también se puede hacer en el Peñon del Perejil construyendo un rascacielos, y no por eso es una isla que merece tener 200 millas), mientras que las Islas Canarias tienen 1.900.000 habitantes. Esa comparación es tan absurda como la que hacen de Olivenza y Gibraltar.
Título:
Enviado por: JLRC em Março 18, 2006, 12:31:52 am
Citação de: "Dinivan"
Citar
Estariam os espanhois dispostos a ficar ao redor das Canárias tambem apenas com as 12 milhas, prescindindo das 200? Wink

É que nestas coisas se há para uns, também terá que haver para os outros.

Las Islas Salvajes no son habitables (si, es cierto que ahí podrían meter 500 personas en un pueblo, pero eso también se puede hacer en el Peñon del Perejil construyendo un rascacielos, y no por eso es una isla que merece tener 200 millas), mientras que las Islas Canarias tienen 1.900.000 habitantes. Esa comparación es tan absurda como la que hacen de Olivenza y Gibraltar.


Quando não convém a Espanha as comparações são sempre absurdas
Título:
Enviado por: Marauder em Março 18, 2006, 02:20:16 am
Citação de: "Dinivan"
Citar
Estariam os espanhois dispostos a ficar ao redor das Canárias tambem apenas com as 12 milhas, prescindindo das 200? Wink

É que nestas coisas se há para uns, também terá que haver para os outros.

Las Islas Salvajes no son habitables (si, es cierto que ahí podrían meter 500 personas en un pueblo, pero eso también se puede hacer en el Peñon del Perejil construyendo un rascacielos, y no por eso es una isla que merece tener 200 millas), mientras que las Islas Canarias tienen 1.900.000 habitantes. Esa comparación es tan absurda como la que hacen de Olivenza y Gibraltar.


    Dinivan....faça 1 favor...antes de postar...leia os comentários já postados.....as Selvagens são habitaveis....não são é habitadas!!
    E relativamente a isso dos 500 habitantes....lamento informar mas Portugal tem ilhas com menos do que isso...como por exemplo a ilha do Corvo nos Açores, com 400 habitantes. É habitável, mas como é claro, necessita de uma ligação por navio para receber mantimentos. Agora voce vai dizer que o Corvo também não merece ZEE? É a mesma situação com as selvagens :D  :twisted:  :twisted: )
Título:
Enviado por: Marauder em Março 18, 2006, 02:44:29 am
Área do Corvo                 :   17,45km2
   Área da Selvagem Grande:   5km2


    Ok, Corvo é cerca de 3,45 vezes maior..

   As selvagens permaneceram desabitadas porque....foram sempre de cariz privado, eram ilhas com dono que foram passando de mão em mão, ao contrário de outras ilhas pequenos como o Corvo (que também teve algumas dificuldades na colonização) está um pouco longe de ilhas habitadas,e terceiro, recentemente pela sua importante fauna e flora foram compradas pelo Estado Português e transformadas em Reserva Natural...senão....

  ....Poderia-vos garantir que nesta altura existiria lá 1 hotel de luxo e uma pequeníssima vila...

    Ora bolas, gente de Espanha...desde quando é que é possivel colonizar reservas naturais assim do nada? Também existe por esse mundo muita boa ilha que teve uma pequena população no passado, as chamadas estações de apoio à pesca da baleia....também vão dizer que são inabitáveis? Se assim for teriamos que entregar muitas medalhas ou louvores a muita boa gente...."Parabéns...conseguiram habitar por X anos aquelas ilhas inabitáveis".. Muitas perderam os habitantes mas por outros factores...factores similares à desertificação (sim...quem é que gosta de viver em ilhas com somente 40 caramelos no meio do nada???)

   Un Cordial Saluto..
Título:
Enviado por: Dawizz em Maio 17, 2006, 07:17:50 pm
Citação de: "Tiger22"
Quando o primeiro avião espanhol for abatido ou um barco afundado nessa área, talvez eles passem a reconhecer a soberania portuguesa.


 :G-bigun:  Sim senhor,assim é que se fala!! abaixo com eles.
Título:
Enviado por: pedro em Maio 17, 2006, 08:22:38 pm
Eu acho que uma pequena vila naquela zona ate dava jeito.
Cumprimentos :lol:
Título:
Enviado por: Lightning em Maio 17, 2006, 09:24:24 pm
Citação de: "pedro"
Eu acho que uma pequena vila naquela zona ate dava jeito.
Cumprimentos :lol:
Título:
Enviado por: carlovich em Maio 18, 2006, 09:39:17 am
Tiger22 escreveu:
Quando o primeiro avião espanhol for abatido ou um barco afundado nessa área, talvez eles passem a reconhecer a soberania portuguesa.

Ja,ja,ja...cuando el primer avión español sea abatido Portugal se puede ir despidiendo de las Madeira.Portugal no tiene capacidad para enfrentarse a España en el continente cuanto menos a 2000 km.Y para colmo las fragatas "más modernas" son pagadas con dinero alemán y que no se pueden usar en caso de guerra con aliados.

Lo teneis muy chungo.chungo...y con una F100 aegis colocada a 50 km de Canarias no llega ningún suministro aéreo a Porto Santo. :banana:
Título:
Enviado por: Rui Elias em Maio 18, 2006, 09:58:54 am
Carlovith:

A soberba e a arrogância que demonstra acaba por dar razão a alguns do argumentos do Papatango, e que tão contestados são por alguns dos colegas espanhóis.

Num plano mais "militar", direi que é um grande erro para quem ataca, substimar as capacidade do IN.
Título:
Enviado por: Aponez em Maio 18, 2006, 10:52:40 am
Citação de: "Dawizz"
Citação de: "Tiger22"
Quando o primeiro avião espanhol for abatido ou um barco afundado nessa área, talvez eles passem a reconhecer a soberania portuguesa.

 :G-bigun:  Sim senhor,assim é que se fala!! abaixo com eles.



Eso eso, os 2 F-16 que hai en Madeira conseguirian abater a un dos nosos avións ou mandar para o fundo a un dos nosos barcos pero ¿canto durarian eses 2 F-16 despois? e o máis importante ¿pensas que nos iamos a quedar sen fazer nada despois de ser atacados? Unha vez Portugal abatese ese avión ou afondase ese barco vería:

1.- Destrucción dos 2 F-16 que hai en Madeira.
2.- Peche das fronteiras entre España e Portugal
3.- Peche dos embalses que dende España permiten que chegue auga a Portugal.
4.- Deportación a Portugal de TODOS os portugueses que se atopasen no territorio español.

Así que ja sabem, poden TENTAR, que unha cousa é tentalo e outra conseguir fazelo, abater un dos nosos avións ou afondar un dos nosos barcos, que ó final serán voces os que peor rematen.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 18, 2006, 01:58:04 pm
citação:
Citar
Eso eso, os 2 F-16 que hai en Madeira conseguirian abater a un dos nosos avións ou mandar para o fundo a un dos nosos barcos pero ¿canto durarian eses 2 F-16 despois? e o máis importante ¿pensas que nos iamos a quedar sen fazer nada despois de ser atacados? Unha vez Portugal abatese ese avión ou afondase ese barco vería:

Caro Aponez.

Não sei a sua idade, mas você já tem 14 anos? Já sabe ler?

O que se escreveu aqui, foi que se sobre o TERRITORIO português for abatido um avião espanhol ou de qualquer nação ou afundado um navio, estamos no nosso direito ABSOLUTO de exercer a nossa soberania.
Talvez o seu neurónio não saiba que primeiro são feitos protestos diplomáticos, e se não resultar usa-se a força.
Pronto!.. Não chore!.. Vá lá brincar com a Playstation.

Saudações

Luis F. Silva
 
Caro Carlovich
Citar
Y para colmo las fragatas "más modernas" son pagadas con dinero alemán y que no se pueden usar en caso de guerra con aliados.


Por acaso as fragatas não foram pagas com dinheiro alemão. Foram pagas em 60% pela NATO, e 40% por Portugal.
Também a Espanha teve porta aviões, submarinos,  destroyeres,  navios de desembarque, e draga-minas emprestados ou oferecidos pelos EUA.
Vocês parecem "novos ricos", quando têm um Euro a mais, ninguém os atura.

Saudações
Luis F. Silva
Título:
Enviado por: Aponez em Maio 18, 2006, 02:15:10 pm
Citação de: "luis filipe silva"
citação:
Citar
Eso eso, os 2 F-16 que hai en Madeira conseguirian abater a un dos nosos avións ou mandar para o fundo a un dos nosos barcos pero ¿canto durarian eses 2 F-16 despois? e o máis importante ¿pensas que nos iamos a quedar sen fazer nada despois de ser atacados? Unha vez Portugal abatese ese avión ou afondase ese barco vería:

Caro Aponez.

Não sei a sua idade, mas você já tem 14 anos? Já sabe ler?

O que se escreveu aqui, foi que se sobre o TERRITORIO português for abatido um avião espanhol ou de qualquer nação ou afundado um navio, estamos no nosso direito ABSOLUTO de exercer a nossa soberania.
Talvez o seu neurónio não saiba que primeiro são feitos protestos diplomáticos, e se não resultar usa-se a força.
Pronto!.. Não chore!.. Vá lá brincar com a Playstation.

Saudações


Saudações
Luis F. Silva


1.- Tenho bastante máis de 14 anos, vocé non sei pero pareceme que non chega nin ós 5.
2.- Tiger so fai referencia a "abater un avión ou afondar un barco nesa zona", é dizer se é dentro das 12 millas dacordo Portugal esta a actuar dentro da sua soberania, se é entre as 12 e as 200 ja é diferento posto que España non reconhece esas 200 millas.
3.- Eu nin choro nin jogo coa Playstation, tenho a XBOX non a PS2, pero se quer pode ir vocé a chorar ou a jogar coa sua
4.- O que pasa é que vocé ten envidia de que nos possamos pagar o armamento que precisamos mentres outros tenhen de mendigar que sejan outros paises os que lhes pagen todo ou parte, España sempre pagou o armamento que tivo ja que os destructores, portaavións, avións e demais eran entregados como parte dos pagos pelo uso das bases.

Saudos
Título:
Enviado por: pedro em Maio 18, 2006, 02:17:09 pm
Espanha nao se mente nisso porque sabe que a Inglaterra defenderia Portugal e os Estados Unidos tambem nao iam ficar a olhar. :lol:
Cumprimentos
Título:
Enviado por: Aponez em Maio 18, 2006, 02:27:25 pm
Citação de: "pedro"
Espanha nao se mente nisso porque sabe que a Inglaterra defenderia Portugal e os Estados Unidos tambem nao iam ficar a olhar. :lol:
Cumprimentos


E Portugal confia demasiado en Inglaterra e os USA, en caso de guerra entre aliados da NATO a actitude tando de Inglaterra coma de USA sería a de sempre, deijar que os aliados se den entre eles e o amanhen entre eles, e na propia historia ten un caso muito claro a guerra en 1974 entre Turquia e Grecia.

Non subestimamos a Portugal se aqui alguen subestima a alguen son os portugueses a  España, e non se preocupen eses portugueses que se hai unha guerra van poder morrer pela patria portuguesa, melhor para nos se son voces os que morren e non nos :lol:
Título:
Enviado por: papatango em Maio 18, 2006, 02:51:52 pm
Aponez:
Não sei se você anda a ler o "La Razón" ou alguma publicação da Falange, mas de facto é a conclusão mais lógica que se pode retirar dos disparates que produziu.

= = =

Aponez:
Os Estados Unidos, mesmo quando vendem equipamentos militares colocam restrições à sua utilização.

Logo, se Portugal tivesse algum tipo de restrição relativamente à utilização de armas, muito mais teria a Espanha, que tem uma marinha de guerra criada, paga e subsidiada quase inteiramente pelos Estados Unidos.

Não há nenhuma marinha de guerra europeia, que esteja mais dependente dos americanos quea marinha espanhola.
Todos os seus navios têm sistemas americanos e foram desenhados pelos americanos.

Para lhe dar o exemplo simples, o "Principe de Asturias", esteve "parado" enquanto o governo espanhol não se submeteu e não entrou na linha (quando Felipe Gonzalez vhegou ao poder).

As fragatas F-100, são 100% sistemas americanos e metal espanhol.
40 a 45% do navio é electrónca e a electrónica é toda americana.

Eu nem devia perder tempo com os disparates aqui produzidos, porque não há grande coisa a fazer.
As F-100, por exemplo, utilizam motores MTU alemães, mas na Espanha chama-lhes motores "Bazan". Até as turbinas das fragatas F-100, idênticas às das fragatas Vasco da Gama, eu já vi referidas como produto espanhol. Alguns espanhóis não se enxergam, e não entendem, que chegam a ser ridiculos.

Felizmente, que a maioria até nem é assim.

Aponez: Um pouco menos de "soberbia", porque você acaba por cair no ridiculo. Você não conhece os factos, baseia os seus conhecimentos de Portugal na comunicação social espanhola, não entende o que nós dizemos, e depois só sai disparate.

Tente pelo menos informar-se um pouco, e mude de ares, em vez de continuar contaminado pela comunicações social castelhana.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Nadie em Maio 18, 2006, 03:33:57 pm
Citar
Las Islas Salvajes no son habitables (si, es cierto que ahí podrían meter 500 personas en un pueblo, pero eso también se puede hacer en el Peñon del Perejil construyendo un rascacielos, y no por eso es una isla que merece tener 200 millas), mientras que las Islas Canarias tienen 1.900.000 habitantes. Esa comparación es tan absurda como la que hacen de Olivenza y Gibraltar.

En Canarias ya somos mas de 2.000.000 millones de habitantes lo q viene a ser el 20% de la poblacion Portuguesa, cada año la poblacion aumenta en 50.000 personas :D
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 18, 2006, 04:00:51 pm
Ultimamente tem aparecido umas personagens que querem a toda a força mostrar que Espanha só não invade porque não quer, que as desertas devem ser Espanholas, etc.

Meus senhores há uma coisa que eu exijo de qualquer pessoa a que eu chamo"amigo", ou aliado, que é a HONRA! Ora se o Aponez acha que Espanha deve invadir as desertas, deve saber que ao fazê-lo o seu país iria faltar à sua palavra. Ora quando um homem ou país não tem palavra de honra, afinal o que é que tem? Não é por terem F-100, F-18 e outros Fs, que Espanha deve faltar à sua palavra. No caso das Desertas, é um exemplo claro disso. Portugal tem direitos territoriais sobre as desertas porque tal foi acordado com o Governo Espanhol. Outras coisas do género aconteceram ao longo da história, umas o governo Espanhol fez o que estava acordado, outras nem por isso. Acho que numa altura em que Portugal e Espanha são aliados e amigos, tais especulações só vos ficam mal. Eu prefiro olhar para o meu país e dizer somos pobres mas honestos, somos fracos nos momentos na paz, mas fortes em tempos de crise…
Estas afirmações que eu tenho lido neste post tem me deixado bastante triste com toda a arrogância mostrada por vocês. Sabem o que distingue alguém de carácter superior? Quando está por cima sabe continuar a ser humilde, onde é que está a humildade nas vossas afirmações?
Título:
Enviado por: Rui Elias em Maio 18, 2006, 04:41:28 pm
Cabeça:

Eu seria capaz de assinar a tua intervenção     :G-beer2:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 18, 2006, 04:47:36 pm
volto a citar:

Citar
O que se escreveu aqui, foi que se sobre o TERRITORIO português for abatido um avião espanhol ou de qualquer nação ou afundado um navio, estamos no nosso direito ABSOLUTO de exercer a nossa soberania.


Quer que soletre?
Título:
Enviado por: manuel liste em Maio 18, 2006, 04:53:46 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Ultimamente tem aparecido umas personagens que querem a toda a força mostrar que Espanha só não invade porque não quer, que as desertas devem ser Espanholas, etc.

Meus senhores há uma coisa que eu exijo de qualquer pessoa a que eu chamo"amigo", ou aliado, que é a HONRA! Ora se o Aponez acha que Espanha deve invadir as desertas, deve saber que ao fazê-lo o seu país iria faltar à sua palavra. Ora quando um homem ou país não tem palavra de honra, afinal o que é que tem? Não é por terem F-100, F-18 e outros Fs, que Espanha deve faltar à sua palavra. No caso das Desertas, é um exemplo claro disso. Portugal tem direitos territoriais sobre as desertas porque tal foi acordado com o Governo Espanhol. Outras coisas do género aconteceram ao longo da história, umas o governo Espanhol fez o que estava acordado, outras nem por isso. Acho que numa altura em que Portugal e Espanha são aliados e amigos, tais especulações só vos ficam mal. Eu prefiro olhar para o meu país e dizer somos pobres mas honestos, somos fracos nos momentos na paz, mas fortes em tempos de crise…
Estas afirmações que eu tenho lido neste post tem me deixado bastante triste com toda a arrogância mostrada por vocês. Sabem o que distingue alguém de carácter superior? Quando está por cima sabe continuar a ser humilde, onde é que está a humildade nas vossas afirmações?


A indignação que você sente também a senti eu em outras ocasiões. A falta de respeito neste foro é assombrosa, e só a tinha visto em webs juvenis. Quando um lê que seu país não existe, que deveria ser despedaçado, invadido... que reação se pode esperar? Quando é agitado um trapo vermelho num prado, antes ou depois aparecerá um touro...

O fracasso dos moderadores deste lugar em seu labor leva a estas situações. Terão que expulsar aos usuários espanhóis uno a um, até que não fiquemos nenhum. E os que fiquemos, não participaremos.

Pode que muitos usuários portugueses o vejam bem. A mim também não me preocupa muito.
Título:
Enviado por: Dawizz em Maio 18, 2006, 06:53:50 pm
Ao meu ver esta historia toda sobre as Selvagens é culpa de Portugal,culpa por não por lá un destacamento militar ( homens e/ó um navio patrulha). Culpa por não "forçar"  que as ediciões internacionais de atlas a mostrar que as ilhas são Portuguesas,culpa por não mostrar aos pescadores de espanha quem é que manda,mesmo que tenha que utilizar a forza militar. Se Portugal fisser isso vão ver se Espanha pão lá os pes.
Título:
Enviado por: Luso em Maio 18, 2006, 09:18:27 pm
Citação de: "manuel liste"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Ultimamente tem aparecido umas personagens que querem a toda a força mostrar que Espanha só não invade porque não quer, que as desertas devem ser Espanholas, etc.

Meus senhores há uma coisa que eu exijo de qualquer pessoa a que eu chamo"amigo", ou aliado, que é a HONRA! Ora se o Aponez acha que Espanha deve invadir as desertas, deve saber que ao fazê-lo o seu país iria faltar à sua palavra. Ora quando um homem ou país não tem palavra de honra, afinal o que é que tem? Não é por terem F-100, F-18 e outros Fs, que Espanha deve faltar à sua palavra. No caso das Desertas, é um exemplo claro disso. Portugal tem direitos territoriais sobre as desertas porque tal foi acordado com o Governo Espanhol. Outras coisas do género aconteceram ao longo da história, umas o governo Espanhol fez o que estava acordado, outras nem por isso. Acho que numa altura em que Portugal e Espanha são aliados e amigos, tais especulações só vos ficam mal. Eu prefiro olhar para o meu país e dizer somos pobres mas honestos, somos fracos nos momentos na paz, mas fortes em tempos de crise…
Estas afirmações que eu tenho lido neste post tem me deixado bastante triste com toda a arrogância mostrada por vocês. Sabem o que distingue alguém de carácter superior? Quando está por cima sabe continuar a ser humilde, onde é que está a humildade nas vossas afirmações?

A indignação que você sente também a senti eu em outras ocasiões. A falta de respeito neste foro é assombrosa, e só a tinha visto em webs juvenis. Quando um lê que seu país não existe, que deveria ser despedaçado, invadido... que reação se pode esperar? Quando é agitado um trapo vermelho num prado, antes ou depois aparecerá um touro...

O fracasso dos moderadores deste lugar em seu labor leva a estas situações. Terão que expulsar aos usuários espanhóis uno a um, até que não fiquemos nenhum. E os que fiquemos, não participaremos.

Pode que muitos usuários portugueses o vejam bem. A mim também não me preocupa muito.


Como moderador, assumo as minhas culpas por ter permitido que muitas discussões se tenham desvirtuado. Ao assumir que seria interessante ter registos de posições antagónicas veementes, mas sobretudo das inoportunas, permiti que a faísca ateasse o fogo. Pois bem: saberei ser inflexível na gestão do "diálogo". Óbviamente que as visitas deverão saber comportar-se em casa alheia, o que é elementar num comportamento civilizado.

Luso dixit.
Título:
Enviado por: nestor em Maio 20, 2006, 01:53:46 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Ultimamente tem aparecido umas personagens que querem a toda a força mostrar que Espanha só não invade porque não quer, que as desertas devem ser Espanholas, etc.

Meus senhores há uma coisa que eu exijo de qualquer pessoa a que eu chamo"amigo", ou aliado, que é a HONRA! Ora se o Aponez acha que Espanha deve invadir as desertas, deve saber que ao fazê-lo o seu país iria faltar à sua palavra. Ora quando um homem ou país não tem palavra de honra, afinal o que é que tem? Não é por terem F-100, F-18 e outros Fs, que Espanha deve faltar à sua palavra. No caso das Desertas, é um exemplo claro disso. Portugal tem direitos territoriais sobre as desertas porque tal foi acordado com o Governo Espanhol. Outras coisas do género aconteceram ao longo da história, umas o governo Espanhol fez o que estava acordado, outras nem por isso. Acho que numa altura em que Portugal e Espanha são aliados e amigos, tais especulações só vos ficam mal. Eu prefiro olhar para o meu país e dizer somos pobres mas honestos, somos fracos nos momentos na paz, mas fortes em tempos de crise…
Estas afirmações que eu tenho lido neste post tem me deixado bastante triste com toda a arrogância mostrada por vocês. Sabem o que distingue alguém de carácter superior? Quando está por cima sabe continuar a ser humilde, onde é que está a humildade nas vossas afirmações?



No creo que nadie en España, ni los españoles  que intervienen en este foro, ponga en duda la soberania portuguesa sobre las Salvajes y las Desiertas.

Lo que ponen en cuestión, de todas formas negociable entre vecinos, es si las Salvajes deben tener ZEE o no en base a que no son islas que en la actualidad esten habitadas.

Estos litigios suelen darse en todos los paises que comparten fronteras terrestres o maritimas.

Por cierto ¿alguien sabe si aviones o buques portugueses invaden territorio español de forma esporadica?

Saludos.
Título:
Enviado por: Falcão em Maio 21, 2006, 12:12:45 am
Não há nenhum tipo de dúvidas em relação à ZEE das selvagens.

Volto a colocar um site já várias vezes referido que explica em pormenor essa questão:


 :idea: http://insoniasoniricas.net/selvagens.htm (http://insoniasoniricas.net/selvagens.htm)
Título:
Enviado por: TOMKAT em Maio 21, 2006, 01:27:03 am
Citação de: "nestor"

Por cierto ¿alguien sabe si aviones o buques portugueses invaden territorio español de forma esporadica?

Saludos.


Nestor aponta os casos se os houver...

E a acontecerem,.... de forma esporádica..., nunca se poderão comparar às violações espanholas por estas serem muito mais que esporádicas.

Chamar-lhe sistemáticas não será nenhum exagero.
Título:
Enviado por: nestor em Maio 21, 2006, 02:00:34 am
Citar
Chamar-lhe sitemáticas não será nenhum exagero.


Me refiero a buques y aviones militares, no civiles.

Segun el enlace puesto amablemente por Falçao, la intrusión en el espacio aereo de las Salvajes datan de hace diez años, 4 veces los F-18 y una vez un helicoptero SAR.

¿Consideras esos casos sistemáticos en la cantidad y en el tiempo?

Otra duda que tengo es si se considera invasión territorial volar o navegar por la ZEE o solamente sobre las 12 millas jurisdiccionales.

Saludos.
Título:
Enviado por: TOMKAT em Maio 21, 2006, 04:54:57 am
Da edição online do Jornal da Madeira de 21.05.06

Citar
Almirante Comandante Naval, sobre as necessidades da Zona Marítima da Madeira

"Se for preciso vem reforço"  

Se houver necessidade, Coelho Cândido pode mandar vir para a Madeira reforços para a sua acção na Zona Marítima. A garantia foi dada durante a visita à Região do Almirante Vargas de Matos, Comandante Naval que garantiu todo o apoio ao homem que a partir de agora comanda a ZMM.  

A vinda para a Região Autónoma da Madeira dos novos patrulhas oceânicos actualmente em construção nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo é uma incógnita, até porque a execução desses trabalhos está atrasada.
A operação de desmantelamento da mina que na semana passada apareceu no mar ao largo do Porto Santo correu bem, no entender do Almirante, porque houve que tomar decisões que evitassem que o engenho fosse projectado para terra, o que estava a acontecer.
A vinda para a Região, em poucas horas, de especialistas na inactivação daquele e de outros tipos de minas, deu para aferir a boa capacidade de resposta da Armada, num processo acompanhado de perto pelo nosso jornal.
A outro nível, questionado sobre alguns “recados” ao novo comandante, Coelho Cândido, sobre necessidades que achar por bem suprimir, Vargas de Matos salientou que de o novo comandante da ZonaMarítima da Madeira pode pedir, se achar necessário, os meios que achar indispensáveis ao bom desempenho da sua missão à frente da Zona.
Pode ser preciso, lembrou o Almirante, por questões de “fiscalização, seja nas Ilhas Selvagens ou outra razão qualquer que o comandante entenda, porque tem o controlo e o conhecimento operacional local do que se passa, basta pedir, porque temos a disponibilidade para mandar para cá um navio para complementar o trabalho do que é feito pelo que já cá está”.
Recorde-se que ao “patrulha” atribuído à Zona Marítima da Madeira, costuma juntar-se, durante o Verão, a lancha rápida da Marinha.
Título:
Enviado por: carlovich em Maio 23, 2006, 10:29:00 am
Papatango escribió:

"Logo, se Portugal tivesse algum tipo de restrição relativamente à utilização de armas, muito mais teria a Espanha, que tem uma marinha de guerra criada, paga e subsidiada quase inteiramente pelos Estados Unidos. "


Creo que la misma lógica que aplicas para otros temas
no la aplicas  con este tipo de comentario "ilógico".

Postugal solo pago el 40% de las VdG porque son para que puedan cumplir sus misiones en la OTAN, SOLO para eso; en cambio, España, desde hace más de 20 años, paga el 120% del precio real del armamento extranjero que compra para NO tener restricciones en su uso y además, contruirlo en España (se adquiere know-how=conocimientos).

Los F-18 y las F100 pueden atacar cualquier objetivo que se les ordene por parte del gobierno español; las VdG, F-16 y hasta los alphajet necesitan la aprobación de la OTAN porque son financiados por ellos.

Incluso el software de los F18 se hace en España lo cual nos garantiza el poder incorporar cualquier armamento que queramos (por ejemplo el Taurus) sin necesidad  de pedir permiso a USA; Portugal no puede porque "no sabe" ni "produce" armamento bajo licencia.

La filosofía de la Armada Española es copia de la de la US Navy porque es la mejor marina del mundo y tenemos unas necesidades similares; gracias a esta filosofia podemos defender nuestras lineas marítimas de abastecimiento, nuestras islas a 2000 km, y hasta podemos invadir otras ya que podemos proyectar fuerza sobre las costas y, escucha, todos los barcos son "made in Spain", aunque tengan electrónica USA.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 23, 2006, 10:37:18 am
Eu não sei se a marinha da Espanha ou de Portugal é ou não subsidiada pela NATO ou pelos EUA. Agora é engraçado ver que até nisso fazemos as coisas diferentes, se a Marinha Espanhola vê os EUA como modelo, já em Portugal é mais o Reino Unido. Isso pode ver-se nos nossos Fuzileiros, Mergulhadores, etc. Todas estas unidades foram extremamente influênciadas pela Marinha Britânica.

Para não haver más interpretações, eu não estou a dizer que um sistema é superior ao outro, apenas que há uma diferença entre as duas marinhas.
Título:
Enviado por: sierra002 em Maio 23, 2006, 11:54:35 am
Quede claro que si España se ha asegurado el uso 100% sin restricciones de su armamento no es para invadir Portugal. Es por si acaso hay problemas con otro país amigo de USA que está mas al sur.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 23, 2006, 12:19:12 pm
Vocês e os Mouros são ainda piores que nós Portugueses e vocês...  :wink:
Título:
Enviado por: Rui Elias em Maio 23, 2006, 05:02:11 pm
Citar
(...)en cambio, España, desde hace más de 20 años, paga el 120% del precio real del armamento extranjero que compra para NO tener restricciones en su uso y además, contruirlo en España (se adquiere know-how=conocimientos).



Em que região de Espanha é que descobriram petróleo?
Título:
Enviado por: carlovich em Maio 23, 2006, 07:26:22 pm
Estimado Rui Elias, cuando se han comprado los Leopard2, los tigers, los typhoon, las f100, etc el costo es bastante superior al real ya que España quiere construirlos en el pais; esto supone una transferencia de tecnología que hay que pagarla (pero que sirve para fabricar productos nuevos, por ejemplo submar. S80, pizarros, Barracuda,etc).

Además hay que crear utillaje, fabricas,etc que aumentan el costo final por unidad aunque también se crean empleos y tejido industrial y, sobre todo, independencia en armamento.

Algo similar que lo que estais haciendo con las NPO pero con mayor tecnología.

saludos.
Título:
Enviado por: papatango em Maio 23, 2006, 11:20:34 pm
Citar
Postugal solo pago el 40% de las VdG porque son para que puedan cumplir sus misiones en la OTAN, SOLO para eso; en cambio, España, desde hace más de 20 años, paga el 120% del precio real del armamento extranjero que compra para NO tener restricciones en su uso y además, contruirlo en España (se adquiere know-how=conocimientos).


A Espanha paga 120% do preço,. porque tem uma industria estatizada, completamente incapaz de concorrer em condições normais.

A Espanha tem uma economia tão protegida quanto possível, para tentar salvaguardar empregos e empresas que de outra forma acabariam por fechar.
http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?nrnot=123
A Espanha nega-se a aceitar um mercado livre de defesa exactamente por causa disso.

Portanto, não me venha com disparates cretinos sobre a autorização ou não autorização.

Portugal utilizou fragatas Vasco da Gama em Timor, utilizou fragatas Vasco da Gama na Guiné-Bissau em 1998, sem que tivesse que pedir autorização a quem quer que fosse.

Que eu saiba, a NATO não chega à Guiné nem a Timor (pelo menos na altura não chegava) :roll:  :roll:  :roll:

Mas enfim...
Título:
Enviado por: carlovich em Maio 24, 2006, 10:00:58 am
Otra vez te equivocas, el PdA tienen origen USA pero la ingenieria se desarrolló en España (somos el único pais que ha construido y vendido a otro pais un portaviones de 1ª mano, a Tailandia); las F100 llevan el aegis porque salía bastante más barato que el AMPAR y acertamos (además se han exportado 5 F-310 a Noruega por +2000 M$ y está como 2ª opción para el diseño final de Australia) además de ser la envidia de todas las marinas europeas; a Venezuela se le ha vendido barcos por 2 M$ que se van a empezar a construir ahora y se están construyendo subs scorpene (junto con Francia) para Chile, Malasia y la India además de diseñar el S80 (que llevará un sistema de combate USA).Los LPD están diseñados junto a Holanda y son de lo mejor del mundo y el BPE es diseño 100% spanish y es el preferido por Australia.

España, por su tamaño y presupuesto de defensa no puede diseñar cazas ni radares tipo AEGIS, por ahora, ya que no es rentable (que se lo digan a Francia con el Rafale) pero la mayoría de los equipos se fabrican o montan aquí y cada vez más electrónica también se diseña aquí (sistema SCOMBA para modernizar las F80, F100, PdA, o el sistema de contramedidas Aldebaran que equipa las F100, o los radares 3d de Indra que se han vendido a Portugal,etc,etc...).

Poco a poco se van haciendo las cosas pero se hacen......¿y vosotros?
Título:
Enviado por: Rui Elias em Maio 24, 2006, 01:05:26 pm
Citar
Estimado Rui Elias, cuando se han comprado los Leopard2, los tigers, los typhoon, las f100, etc el costo es bastante superior al real ya que España quiere construirlos en el pais; esto supone una transferencia de tecnología que hay que pagarla (pero que sirve para fabricar productos nuevos, por ejemplo submar. S80, pizarros, Barracuda,etc).


Amigo Carlovitch:

Mas para além de petróleeo, também decobriram minas de diamantes?

Em que região?
Título: Portuga l!?!?!?
Enviado por: carlospires em Maio 24, 2006, 03:38:58 pm
Meus amigos,
Eu não gosto dos "espanhas" , ( não todos) , mas dos que fazem da sua sobranceria o seu modo de vida...
Mas o nosso amigo Carlovitch tem razão,nós somos um país pobre,sem recursos naturais ( a não ser o vento , o sol e a água  ) e mesmo assim não os aproveitamos como deve ser... todo o dinheiro que temos recebido da UE ao longos destes anos todos e das ajudas  em termos materiais e logisticos por parte dos EUA e da RFA , não tem sido correctamente aproveitado...Porquê ? porque está incutido na mentalidade do povo português a corrupção e o " primeiro eu,depois ,eu e só então depois os outros....se ainda houver..." Se todos os nossos recursos tivessem sido aproveitados correctamente pelos nossos governantes ( e entidades patronais ) de certeza que teriamos um nivel de vida bem melhor hoje em dia e um país mais desenvolvido...Se calhar também tenho culpa,pois em tempos também votei nos que nos governam,mas infelizmente já vi que não adianta ir votar...todos comem da mesma gamela...Eu vejo pelas industrias qu existem aqui por Coimbra e arredores...são quaze todas espanholas ou geridas por "nuestros hermanos.."
Infelizmente ele tem razão...por muito que nos custe aceitar isto...
Um abraço
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Junho 28, 2006, 02:11:02 pm
Citar
Garantir a soberania e proteger os vigilantes  
Fuzileiros da Marinha a caminho das Selvagens  
Os Fuzileiros da Armada chegam esta manhã às Ilhas Selvagens. A Polícia Marítima também enviou elementos e as patrulhas entre as duas ilhas serão feitas em botes. Coelho Cândido confirmou a informação do Jornal e garantiu que esta acção vai ter repetições durante os próximos meses.  

 
Uma força de fuzileiros da Marinha de Guerra Portuguesa chega esta manhã as Ilhas Selvagens. O motivo é o mesmo do ano passado, quando entre o final de Agosto e meados de Setembro uma força semelhante esteve estacionada na Selvagem Grande em virtude das “investidas” cada vez mais frequentes das embarcações de pesca espanholas que, em casos já não raros, pescam em águas da Zona Economia Exclusiva madeirense e, consequentemente em águas portuguesas.
As duas corvetas da Armada portuguesa que estão presentemente nas nossas águas fizeram ontem o transporte dos fuzileiros e de vários elementos da Polícia Marítima rumo à Selvagem Grande, que com a Selvagem Pequena fazem parte da Reserva Integral que inclusivamente faz parte das áreas protegidas pelo Conselho da Europa desde os anos 90.
De qualquer forma, este argumento não parece ser suficiente para demover os pescadores de outras nacionalidade que, cada vez mais, escolhem o nosso mar territorial para pescar, fazendo com que a Marinha, nesta altura do ano, envie forças especiais para as ilhas mais a sul de Portugal.
Coelho Cândido, o comandante da Zona Marítima da Madeira, confirmou a nossa informação, tendo acrescentado que esta operação vai ser repetida durante os próximos meses.

Dissuadir
os pescadores

No fundo, este envio de fuzileiros para a Selvagem, fará com que se torne um hábito “ver” armas nas Selvagens cada vez que o Ministério da Defesa assim o entender e até que os armadores das embarcações de pesca percebam que não podem deitar as artes no nosso território, ainda que esse não pareça propriamente vigiado.
A intenção, revelou Coelho Cândido, acaba por traduzir-se na dissuasão de “visitantes” que podem ver que, dessa forma, o Governo Regional continua preocupado em zelar pela reserva, pelas nossas águas e, sobretudo, pelas vidas dos homens que durante todo o ano trocam a vida da cidade pelo espaço que é de todos nós.


Corvetas abertas a visitas no Funchal
As duas corvetas da Armada que estão na Madeira ficarão atracadas no porto do Funchal a partir da próxima sexta-feira, dia 30 de Junho. Os meios navais vieram às nossas águas em viagem de instrução dos alunos da Escola Naval, ficando abertos a visitas nos três dias em que estiverem por estes lados. A João Roby e a João Coutinho aproveitam para mostrar aos madeirenses o que de bom se pode fazer na Armada e o que pode ser uma saída profisisonal para quem ainda pode reunir as condições de concorrer à Escola Naval. Estes dois navios da Armada iniciam no próximo dia 2 o resto da viagem, ficando o porto a contar apenas com a presença do NRP Zaire, que
será rendido no dia 26 de Julho pelo seu “gémeo” NRP Save, que vem acompanhado de uma lancha, à semelhança do que aconteceu no ano passado nas comissões que os meios navais fizeram entre Abril e Agosto e Agosto e Outubro


www.jornaldamadeira.pt/not2005.php?Seccao=17&id=43225 (http://www.jornaldamadeira.pt/not2005.php?Seccao=17&id=43225)
Título:
Enviado por: pedro em Junho 28, 2006, 06:16:19 pm
Eu acho que os espanhois agora nao vao la tao depressa. :lol:
Título:
Enviado por: Doctor Z em Junho 30, 2006, 12:36:31 pm
Porquê não respeitam a nossa ZEE ?
Título:
Enviado por: pedro em Junho 30, 2006, 01:10:01 pm
Porque eles nao respeitam a soberania portuguesa sobre as selvagens.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: Migas em Junho 30, 2006, 01:21:00 pm
Citação de: "pedro"
Porque eles nao respeitam a soberania portuguesa sobre as selvagens.


Eles quem? O Estado Castelhano ou os pescadores furtivos?
Título:
Enviado por: pedro em Junho 30, 2006, 01:23:27 pm
Caro Migas nem os pescadores furtivos nem o estado castelhano.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: Migas em Junho 30, 2006, 01:26:46 pm
Já agora alguém sabe se existem pescadores portugueses a utilizar essa ZEE das Ilhas Selvagens e qual tem sido a postura espanhola?
Título:
Enviado por: pedro em Junho 30, 2006, 01:28:48 pm
Caro Migas aqui vai mais informacao:

As Ilhas Selvagens formam um pequeno arquipélago no Oceano Atlântico Norte entre a Madeira (250 km a sul) e as Canárias (165 km). Tal como quase todas as ilhas da Macaronésia, as Selvagens têm origem vulcânica. O arquipélago tem duas ilhas e várias ilhotas.

Oficialmente, o arquipélago faz parte da Madeira (concelho do Funchal), mas o governo português tem feito estudo para criar um concelho para as ilhas (estas ilhas têm apenas um habitante, um guarda).

O arquipélago tem uma área total de 273 hectares.

Apesar de serem remotas e isoladas, as ilhas já receberam visitas oficiais de dois presidentes da república portuguesa, Mário Soares e Jorge Sampaio, para reforçar a soberania nacional e para mostrar o estatuto das ilhas como reserva nacional. Para o Governo espanhol as ilhas formam parte do arquipélago das canárias, mas isso não é um problema nacional nem em Espanha nem nas Canárias.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Migas em Junho 30, 2006, 01:30:47 pm
Obrigado pela atenção Pedro mas isso não respode à minha pergunta!  :)
Título:
Enviado por: pedro em Junho 30, 2006, 01:51:20 pm
Caro Migas por o que eu sei as selvagens sao uma area protegida, por isso os portugueses vao la pescar mas longe da costa das ilhas.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: Doctor Z em Junho 30, 2006, 02:28:01 pm
Citação de: "pedro"
Porque eles nao respeitam a soberania portuguesa sobre as selvagens.
Cumprimentos


Nem aliás, a nossa própria soberania ... Já houve várias vezes que aviões
militares espanhoís violaram o nosso espaço aéreo ...

Nem é preciso ir tão longe, no Algarve, custamavam ir pescar para as
nossas águas (sem autorização, claro ...)

Será que já violamos também o espaço aéreo espanhol ?
Título:
Enviado por: pedro em Junho 30, 2006, 04:36:52 pm
Que eu saiba nao?
Cumprimentos
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 30, 2006, 05:19:45 pm
Citar
Já agora alguém sabe se existem pescadores portugueses a utilizar essa ZEE das Ilhas Selvagens e qual tem sido a postura espanhola?

Caro Migas.

Quanto á primeira pergunta, é provável que sim, pois toda a gente tenta a ilegalidade.
Quanto à segunda, Espanha não tem que ter postura em relação ao caso anterior, porque a sede do governo português é em Lisboa, e não em Madrid.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 07, 2006, 04:32:39 pm
Artigo sobre as Ilhas Selvagens realzado por dois jovens investigadores em Geografia:
http://ceged.ulusofona.pt/Publicacoes/2 ... vagens.pdf (http://ceged.ulusofona.pt/Publicacoes/2006/IlhasSelvagens.pdf)
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Setembro 04, 2006, 08:04:19 am
Cóboiada nas Selvagens??

Citar
Fuzileiros fazem "farra" com tiros à mistura  
Vigilantes e nautas que estavam nas Selvagens sentiram medo quando os "fuzos" dispararam para o ar  
Data: 04-09-2006  

Foram para as Selvagens com a missão de assinalar a presença e soberania portuguesa sobre daquelas ilhas e ajudar à preservação do riquíssimo património, mas acabaram por se constituir como a maior ameaça, deixando uma imagem deplorável da Marinha.

Desembarcados a 12 de Agosto, os oito fuzileiros e dois polícias marítimos tinham uma missão de três semanas, com o regresso marcado para sábado. Durante as duas primeiras semanas tudo decorreu normalmente, não fosse o facto dos fuzileiros gostarem de ouvir música muito alto, o que numa reserva natural, em que algumas das espécies de aves marinhas voam à noite, constituía uma ameaça.

Na noite, madrugada de sexta-feira para sábado uma jantarada na parte traseira da casa dos vigilantes, junto a uma gruta onde há um forno, virou uma farra com contornos inadmissíveis. Com música muito alta e munidos de tampas de panela, os fuzileiros fizeram um barulho ensurdecedor até o sol nascer, não se coibindo de disparar tiros para o ar.

Para surpresa dos tripulantes de sete iates fundeadas na enseada das Cagarras - em frente à casa - a paródia contou com um "strobe", uma luz pisca-pisca que funcionava como as "psicadélicas" de uma discoteca, com os fuzileiros a efectuarem uma exibição de fogo real.

A circunstância de estar mau tempo no mar (levadia) levou a que os tripulantes dos iates visitantes se revezassem em "quartos" de vigilância, facto que levou a que muitos deles tivessem testemunhado a sessão de tiro, que deixou os marinheiros e os vigilantes assustados.

Perto das três horas ouviu-se um tiro isolado, disparo que se repetiu perto das cinco da manhã. Mas o pior estava para vir. Pelas seis da manhã, o som de uma rajada ecoa, com todos surpreendidos pela trajectória de balas no céu, descritas como tracejantes por uma das testemunhas que é conhecedor do equipamento usado, que garante terem sido usadas balas reais e não de salva.

Incrédulos, sentindo-se mesmo ameaçados, vigilantes e nautas temeram pela sua segurança, pois era evidente que o comportamento dos fuzileiros - não todos, pois houve quem se recusasse a entrar na farra - era anormal e o estado de euforia era tal, que era impossível prever os excessos até onde poderiam ir.

Para além do susto que todos apanharam, o comportamento dos fuzileiros da Marinha portuguesa constituiu-se uma surpresa para os biólogos e ornitólogos estrangeiros que estavam nas Selvagens, que ficaram escandalizados, não estando descartada uma queixa e a divulgação internacional deste incidente. Nota curiosa para o facto de uma cagarra ter surgido morta, no mar.

Os oito fuzileiros e dois polícias marítimos envolvidos nestes incidentes regressam ontem ao Funchal, a bordo da fragata "Jacinto Cândido" que, por sua vez, deixou nas Selvagens outros oito fuzileiros e dois polícias marítimos.

Coelho Cândido desmente

O comandante da Zona Marítima da Madeira, Coelho Cândido, desmente a ocorrência de disparos nas Selvagens, mas confirma a instauração de um inquérito. Confrontado com os elementos que recolhemos, Coelho Cândido responde de imediato: «Não houve disparos nenhuns. Não lhe posso dizer o que se passou porque não sei, mas posso garantir que não houve disparos. Como deve calcular as munições são contadas, pelo que será fácil para nós apurar se houve ou não disparos».

Com dezenas de testemunhas, o incidente já foi reportado ao Parque Natural pelos seus vigilantes, com o DIÁRIO a apurar que o Governo Regional já é conhecedor deste grave incidente.
 


https://www.dnoticias.pt/Default.aspx?f ... 0205040906 (https://www.dnoticias.pt/Default.aspx?file_id=dn04010205040906)
Título:
Enviado por: Viriato - chefe lusitano em Setembro 04, 2006, 04:37:17 pm
Desconhecia que se encontravam forças militares "Portuguesas" nas selvagens.

Espero que tenha levado o sistema Lançador Portátil de Míssil AA Stinger ou porque não uma Metralhadora AA Bitubo 20mm m/81; para mandar para casa algum F18 ou outro tipo de aeronaves Espanholas .
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 04, 2006, 04:44:20 pm
Caro Viriato, mas que filmes você faz. Acha mesmo que neste momento Portugal ia mesmo fazer algo do género? Nós nem temos F-16 na Madeira quanto mais anti-aéreas nas Desertas.

PS: neste caso é como sempre me disseram, não há maus soldados, apenas maus comandantes...
Título:
Enviado por: Viriato - chefe lusitano em Setembro 04, 2006, 05:08:56 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Caro Viriato, mas que filmes você faz. Acha mesmo que neste momento Portugal ia mesmo fazer algo do género? Nós nem temos F-16 na Madeira quanto mais anti-aéreas nas Desertas.

PS: neste caso é como sempre me disseram, não há maus soldados, apenas maus comandantes...



Ora bem, não temos anti-aéreas nas desertas mas podemos telas (Afinal de contas é territorio nacional e como tal.....), mas é logico que tenho a certeza que não iamos fazer algo do genero.
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Setembro 04, 2006, 05:33:04 pm
Colegas, os fuzos estão nas Ilhas Selvagens e não nas Desertas.......
Existe uma grande diferença ( aprox. 250 Km ).
Penso que não existem Stingers na ZMM e seria complicado transportar e desembarcar o Bitubo na Selvagem Grande já que não tem cais suficientemente grande......
E depois tem aquela questão de ser Reserva Natural
Título:
Enviado por: Viriato - chefe lusitano em Setembro 04, 2006, 05:36:29 pm
Citação de: "Bravo Two Zero"
Colegas, os fuzos estão nas Ilhas Selvagens e não nas Desertas.......
Existe uma grande diferença ( aprox. 250 Km ).
Penso que não existem Stingers na ZMM e seria complicado transportar e desembarcar o Bitubo na Selvagem Grande já que não tem cais suficientemente grande......
E depois tem aquela questão de ser Reserva Natural


Obrigado pelos esclarecimentos :G-beer2:
Título:
Enviado por: Leonidas em Setembro 09, 2006, 03:30:24 am
Saudações guerreiras

Se aquilo que se noticiou foi verdade, então estas atitudes revelam que ainda há muito a fazer na questão da educação em Portugal. Existem lá pessoas para proteger, não para fazerem o que acham que podem fazer. Se têm dúvidas perguntem. Alguém deve chegar á frente, na formatura.

Cagarras, o que são?
http://www.spea.pt/MIBA/index.php?op=e2

Cumprimentos
Título: INCREIBLE
Enviado por: Iñaki em Setembro 14, 2006, 10:22:00 am
francamente estoy alucinando con las opiniones d nuestros vecinhos portugueses, que nos veis como ogros al acecho d territorios bajo vuestra ilegal ocupación (Islas Salvajes, españolas d facto/ portuguesas en la práctica) fruto d una política d hechos consumados y d la irresponsabilidad d nuestros políticos pasados, soamente unha cousa, NAO Á GUERRA NA IBERIA.... simplemente rendédevos antes d que seña máis tarde XD adeus meus amigos peninsulares  :D
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 14, 2006, 11:55:21 am
Desculpa, mas estás a dizer exactamente o quê? Todo o território nacional foi conquistado com muito sacrificio do povo Português. O que não foi conquistado à força foi através de acordos territoriais com os governos de Castela/Espanha. Como tal não te preocupes, desde que Espanha se comporte como um vizinho honrado e amigo, nós também nos comportaremos como tal!  :wink:
Título:
Enviado por: Iñaki em Setembro 14, 2006, 12:03:04 pm
és que ese es el principal problema, que debemos ver la península en que vivimos bajo una misma bandera y una misma entidad política, mucho más fuerte en la Unión Europea y en el ámbito internacional, no creéis? un país de 56 millones d habitantes (in crescendo) al mismo nivel d Francia o Italia, y sobre todo como medio d disuasión frente al enemigo común del sur, bueno, creo k keda claro este proyecto d siglo XXI d una Unión Ibérica, satisfactorio para todos nosotros, excepto franceses, británicos, marroquíes...pero eso es su problema  :twisted:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 14, 2006, 12:11:47 pm
Meu caro, aqui em Portugal nós gostamos muito do nosso país com os seus 800 anos de história! Somos (os Portugueses) um povo, com uma língua, com uma identidade nacional muito forte. Achas mesmo que os Portugueses querem pertencer a Espanha? Houve muitas guerras porque havia exactamente pessoas do teu país que pensavam assim! Nós podemos ser muita coisa, agora Espanhóis é que não! Cada sabe de si, e nós Portugueses (eu acho que a maior parte da população Portuguesa pensa da mesma maneira), gostamos muito da nossa independência, porque basta ver nos livros de história para ver que estas unificações não dão resultado. Já se experimentou uma vez e depois de décadas de dominio dos Filipes de Espanha Portugal revoltou-se. Bastou-nos essa experiência!
Título:
Enviado por: Iñaki em Setembro 14, 2006, 12:19:46 pm
entiendo tu postura nacionalista, pero hay que mirar por la economía, la política exterior y militar, ahora no estamos en el siglo XVII para estar con esas caralladas, somos pueblos europeos modernos, y dentro d España (eu som galego de orixe vasca) y somos un estado multicultural, en el que portugal también tiene cabida respetando un status especial como autonomía nº 18 y también sabrás que hay compatriotas tuyos deseosos d esa anexión a la Corona Española, que os sacará d la crisis económica y del atraso total al igual que Alemania federal sacó a la del Este, que máis queredes???  :wink:
Título:
Enviado por: Marauder em Setembro 14, 2006, 12:37:04 pm
Em termos económicos voces não querem Portugal pois não? Para além de hoje em dia ser desnecessário tal gesto devido ao facto de Portugal e Espanha pertencerem à União Europeia (logo já existe a mesma liberdade para investir nos outros países), a introdução de Portugal numa dita "União Ibérica" seria um tiro no pé para Espanha. Para já, porque muitas regiões de Portugal estão sub-desenvolvidas, podendo se equacionar algo 1 pouco como a Alemanha de Leste.

Ao que lhe digo Iñaki, que a Alemanha do leste ainda está pobre, a Alemanha Ocidental ainda não conseguiu "sacar" a do leste. E ainda vai demorar muito tempo.

Segundo, a par da Catalunia, a "região" de Portugal seria a mais forte ou das mais fortes da União Ibérica. Muitos espanhóis até falam desta com a capital em Lisboa. Eu penso que o pessoal de Madrid não gosta da ideia de ser esmagado entre Lisboa e Barcelona.

A nível de política externa traria algumas vantagens...isto se portugueses e espanhóis se entendessem a este nível.

A União Ibérica é um projecto arriscado, desnecessário, e pessoalmente, uma afronta para quem derramou tanto sangue para ser independente.

Se a malta já "engole" a UE com muitas reticencias, então tal união seria recebida aos tiros (sim, porque nesta Portugal como Estado-nação desaparece!!)

Cumprimentos,

PS: A Espanha há 100 anos atrás reconhecia as Selvagens como portuguesas de forma implícita :wink:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 14, 2006, 01:17:01 pm
Caro Iñaki, eu não sou nacionalista, sou patriota,há uma diferença. Se fosse nacionalista nem podia ver Espanhóis à minha frente, mas como não sou, falo dailogo e debato idéias. Acho que é isso que nós estamos aqui a fazer. Talvez uns de uma forma mais directa, mais agressiva do que outros, mas básicamente é isso que nós estamos a fazer. Como eu já disse anteriormente, a população Portuguesa em geral tem muito respeito aos Espanhóis, mas até querer uma unificação a Espanha vai um longo passo. Em relacção aos Franceses, Ingleses e Marroquinos, nós não temos qualquer problema com eles. Temos com todos uma excelente relação (como temos uma excelente relação com Espanha).  :wink:
Título:
Enviado por: manuel liste em Setembro 14, 2006, 03:02:49 pm
Citação de: "Iñaki"
entiendo tu postura nacionalista, pero hay que mirar por la economía, la política exterior y militar, ahora no estamos en el siglo XVII para estar con esas caralladas, somos pueblos europeos modernos, y dentro d España (eu som galego de orixe vasca) y somos un estado multicultural, en el que portugal también tiene cabida respetando un status especial como autonomía nº 18 y también sabrás que hay compatriotas tuyos deseosos d esa anexión a la Corona Española, que os sacará d la crisis económica y del atraso total al igual que Alemania federal sacó a la del Este, que máis queredes???  :wink: , deja a los portugueses tranquilos que los vas a revolucionar. Si quisieran formar parte de un país más grande ya tendrían a mano a Brasil, que tiene bastante más que 56 millones de habitantes y aún por encima hablan en su misma (más o menos) lengua.

Nosotros bastante tenemos con desarrollar nuestras extremaduras -y galicias- como para preocuparnos por las de los demás. Yo prefiero que Galicia se parezca a Alemania Occidental mucho antes que Portugal, y aún nos queda, vaya si nó.

Saúdos e apertas  :D
Título:
Enviado por: Iñaki em Setembro 14, 2006, 06:05:51 pm
weno, presento mi rendición incondicional...capitulo  :lol:  adeus a todos  :wink:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 14, 2006, 07:23:03 pm
Eu pensava que vinhas para o fórum trocar ideias, opiniões, etc. Se te ofendes por alguém ter uma opinião contrária...acho que não vais longe na vida. Tens que compreender que eu pelo menos não tenho nenhum sentimento de ódio ou recentimento em relação a Espanha. Acho que a tua capacidade de diálogo é muito fraca...
Título:
Enviado por: Iñaki em Setembro 14, 2006, 07:29:17 pm
xa o sei, tes toda a razao, mais o dixen de broma, porke sei k o k digo e proponho nom o inventei eu, casualmente lino nun semanario portugués d empresarios k abogaban pola fusión peninsular (cousa k a min particularmente nom m afecta pra nada) pero k vexo inevitable keiramos ou nom os portugueses e os espanhois, e k vai ser por vias diplomáticas tamén stou seguro, nom vai correr o sangue por esa parvada (digo eu vaia  :shock: )
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 14, 2006, 07:45:02 pm
A sério? Não estou a duvidar da tua palavra, mas sabes dizer-me qual é o semanário e quando isso foi? Gostava de ver quem foram as "alminhas".
Quanto a uma possível unificação...já vistes à quantos séculos Portugal é um país independente de tudo e de todos? Já vistes quantos países se tornaram independentes ultimamente na Europa? Meu caro, não leves a mal, mas 800/900 anos de história não se apagam assim!
Título:
Enviado por: JLRC em Setembro 15, 2006, 12:53:29 am
Citação de: "Iñaki"
entiendo tu postura nacionalista, pero hay que mirar por la economía, la política exterior y militar, ahora no estamos en el siglo XVII para estar con esas caralladas, somos pueblos europeos modernos, y dentro d España (eu som galego de orixe vasca) y somos un estado multicultural, en el que portugal también tiene cabida respetando un status especial como autonomía nº 18 y también sabrás que hay compatriotas tuyos deseosos d esa anexión a la Corona Española, que os sacará d la crisis económica y del atraso total al igual que Alemania federal sacó a la del Este, que máis queredes???  :wink:


Iñaki

Você já tomou o Prozac hoje? É que com tanto disparate você não deve estar bom da cabeça. Será que ainda não percebeu que Marrocos não é nosso inimigo, antes pelo contrário? E que se vocês o têm por inimigo é porque estão a ocupar ilegalmente terrotório marroquino? Assim como estão a ocupar ilegalmente território português? Quanto às Selvagens nunca foram castelhanas e muito menos espanholas por isso é melhor que reveja os seus conceitos de história porque alguém o andou a enganar.
Você de uma penada destruíu tudo o que o Manuel Liste, o Menacho e outros foristas espanhóis andaram a fazer, a querer mostrar que Espanha e Portugal devem caminhar juntos mas respeitando-se mutuamente. Você veio mostrar aquilo que muitos neste forum receiam, a sobranceria espanhola e a tentativa, embora com falinhas mansas e manhosas, de anexar Portugal. Desengane-se, os portugueses gostam de ir a Espanha, comerem, beberem, curtirem com as espanholas e depois voltarem para o seu jardim à beira mar plantado, independente, orgulhosamente independente já lá vão 800 anos (tirando aqueles malditos 60 anos em que tivemos 3 reis austriacos, Felipe I, Felipe II e Felipe III).
É claro que pode sonhar com a união ibérica, mas aconselho-o a contratar uma empresa de criogenia para o congelarem porque certamente vão passar muitos séculos sem que tal aconteça.
Título:
Enviado por: Lisander em Setembro 15, 2006, 12:07:53 pm
É realmente incrivel, como é que os espanhois  atribuem tamanha importancia a unificação com Portugal, por favor há coisas que nem voces podem apagar, e os nossos politicos podem andar sempre a dormir, mas os Portugueses jamais esquecem, podemos ser muito criticos e temos razões para isso mas se há povo que ama o seu país são os Portugueses...mais depresa acredito que Catalunha, País Basco e etc, se tornem realmente nações e aí sim os espanhois terão razões para preocupações.




 Pequenos mas Grandes         :)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 15, 2006, 12:21:06 pm
Epá, tenho que dizer que em relação a Ceuta...fomos nós que conquistamos aquilo, se não somos nós lá, então que sejam os Espanhóis.
Não quero ver a nossa bandeira subsitituida por pela verde de Marrocos (em Ceuta a bandeira da cidade ainda é a dos Portugueses).

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ceuta (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ceuta)
Título:
Enviado por: Iñaki em Setembro 15, 2006, 08:26:33 pm
sólo una cosa: LA UNIÓN HACE LA FUERZA, eso sí entre iguales, para eso está la UE y su objetivo de crear un megaestado como USA, ¿tendrían los lusitanos algún problema en unirse en esa Confederación o tendría que abandonarla España para que ustedes ingresen? deduzcan... boas noites :lol:
Título:
Enviado por: Marauder em Setembro 15, 2006, 09:04:05 pm
Citação de: "Iñaki"
sólo una cosa: LA UNIÓN HACE LA FUERZA


Sólo otra cosa: se isso é verdad, enton porque é que a grande Jugoslávia de Tito já acabou?
Título:
Enviado por: carlovich em Setembro 15, 2006, 11:51:33 pm
Uff...Portugal nunca puede formar parte de España.

No somos parecidos en casi nada (los más parecidos quizas los gallegos).España es un pais "mediterraneo" y Portugal siempre ha estado aislado y dandonos las espalda, cara al Atlántico y aislándose del resto de Europa.

A España no le interesa esta unión porque no aporta nada (el menor de los problemas sería el idioma) y los portugueses, son muy recelosos con su "independencia" y los españoles son demasiado "ESPAÑOLES".Habría problema en esta unión

Lo mejor es donde estamos, en la U.E, juntos pero no revueltos.
Título:
Enviado por: Marauder em Setembro 16, 2006, 09:00:40 am
Citação de: "carlovich"
Uff...Portugal nunca puede formar parte de España.

No somos parecidos en casi nada (los más parecidos quizas los gallegos).España es un pais "mediterraneo" y Portugal siempre ha estado aislado y dandonos las espalda, cara al Atlántico y aislándose del resto de Europa.

A España no le interesa esta unión porque no aporta nada (el menor de los problemas sería el idioma) y los portugueses, son muy recelosos con su "independencia" y los españoles son demasiado "ESPAÑOLES".Habría problema en esta unión

Lo mejor es donde estamos, en la U.E, juntos pero no revueltos.


Apoiado :!:
Título:
Enviado por: sierra002 em Setembro 16, 2006, 11:57:06 pm
Apoiado.
Título:
Enviado por: Rui Conceicao em Setembro 17, 2006, 01:50:18 am
Apoiado
Título:
Enviado por: Viriato - chefe lusitano em Setembro 17, 2006, 10:09:56 am
Um castelhano esperto.
Título:
Enviado por: vaz_f em Outubro 09, 2006, 08:49:33 pm
... Só mais uma achega, aqui fica uma foto de uma das casa que há na ilha Selvagens (Baia das Cagarras). Esta casa faz parte do Parque Natural, lá habita 2 guardas da natureza, por vezes alguns biologos e naturalistas e dois agentes da Polícia Marítima. Está também lá acampado uma tenda no topo da ilha com um pelotão de fuzileiros (em rotação permanente).

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg48.imageshack.us%2Fimg48%2F713%2Fdscf2682dc1.jpg&hash=b79b8d21a90a5a0ac22cf5fcaa5bc32c)
Título:
Enviado por: Migas em Outubro 09, 2006, 09:55:12 pm
Grande foto vaz_f.

Parabéns!!!

Já agora, se tiveres mais vai colocando!  :wink:
Título:
Enviado por: Doctor Z em Outubro 10, 2006, 12:13:38 pm
Citação de: "Viriato - chefe lusitano"
Um castelhano esperto.


Sempre vai equilibrando com o Iñaki ...  :twisted:

Quanto a ti vaz_f, concordo com o Migas, se tiveres mais fotos, publica !
Título:
Enviado por: vaz_f em Outubro 10, 2006, 09:09:08 pm
Ok, aqui vai mais uma... o Heli da FAP o novo MERLIM a largar agentes da PM nestas Ilhas.....
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg261.imageshack.us%2Fimg261%2F3913%2Fpmnasselvagens2ob3.jpg&hash=a82259d3c96ea87620f6b7c8433fd1ce)
Título:
Enviado por: Creoula em Outubro 11, 2006, 03:28:31 pm
Alguem sabe que arma é a que o agente da Policia Maritima tem nas mãos?
Cumprimentos
 max1x1
Título:
Enviado por: Lancero em Outubro 11, 2006, 03:34:54 pm
Citar
Pescadores furtivos em embarcação rápida na Selvagem Pequena  
Marinha persegue lancha  
Embarcação rápida estava a pescar, inclusivamente com mergulhadores, na Selvagem Pequena, mas com a velocidade que o motor consegue imprimir, 30 nós, torna-se fácil escapar da Armada portuguesa com o fundo rasinho de peixe. O navio-patrulha “Save” esteve nas Selvagens a garantir, uma vez mais, a nossa soberania.  

 
O navio balizador “Schultz Xavier” esteve, no ano passado, envolvido em diversas operações de fiscalização e chegou a apresar duas embarcações ao largo da Selvagem Pequena. Pelos vistos, a Armada continua a não ter descanso e o “NRP Save” chegou à ilha na madrugada de segunda-feira.

O NRP “Save”, da Armada Portuguesa, esteve durante cerca de 40 horas em torno da Selvagem Pequena, depois de, no domingo à tarde, ter sido avisado pelo Comando de Zona Marítima da Madeira da presença de lanchas semi-rígidas, provavelmente espanholas, nas águas territoriais portuguesas.
O alerta tinha sido dado pelos dois vigilantes da Natureza que se encontram neste momento na Selvagem Pequena, que em contacto com os colegas do Parque Natural da Madeira baseados na Selvagem Grande foram passando a informação disponível relativa ao avistamento dos visitantes.
O navio que neste momento está afecto à nossa Zona Marítima, esteve durante todo o dia de segunda-feira a patrulhar as águas das Selvagens, mas a embarcação avistada ao amanhecer deixou de ser perceptível.
Ao fim do dia de segunda-feira, julgando que o “NRP Save” já não estaria em redor da Selvagem Pequena, uma lancha rápida, com quatro homens a bordo, alguns dos quais mergulhadores, aproximou-se de novo das águas madeirenses, e naturalmente portuguesas, o que fez com que a guarnição comandada pelo primeiro-tenente Vasconcelos de Andrade tivesse de os “acompanhar” até ter certeza de que estariam fora das nossas águas territoriais.
O comandante da Zona Marítima da Madeira, Coelho Cândido, referiu ontem ao Jornal da Madeira que a rapidez com que os pescadores conseguem fugir das nossas águas com embarcações que navegam a 30 nós, faz com que cheguem a Canárias em cerca de duas horas. Como não há lota naquelas ilhas, é fácil vender o produto da “pesca” num restaurante, o que se revela um negócio lucrativo, se for bem sucedido.
Navegando a essa velocidade, o apresamento dos “intrusos” acaba por ser quase impossível, mas ficaram na posse da Armada as fotografias que documentam que uma embarcação estava, efectivamente, a pescar numa reserva integral, o que é proibido por lei.
Esta não é a primeira vez que uma situação destas acontece, o que leva a que, de vez em quando, a Armada Portuguesa mande para as Selvagens elementos dos fuzileiros navais.  


Cristina Costa e Silva

http://www.jornaldamadeira.pt/not2005.p ... p=0&sdata= (http://www.jornaldamadeira.pt/not2005.php?Seccao=2&id=50722&sup=0&sdata=)
Título:
Enviado por: ricardonunes em Outubro 11, 2006, 03:57:49 pm
Citação de: "Creoula"
Alguem sabe que arma é a que o agente da Policia Maritima tem nas mãos?
Cumprimentos
 max1x1


Parece-me uma Walther MPK

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg90.imageshack.us%2Fimg90%2F3479%2Fwalthermpk8562jq4.jpg&hash=d03e5ca8229e2c39f50ef9bf5b46a7f8)
Título:
Enviado por: Doctor Z em Outubro 12, 2006, 10:33:15 am
Citação de: "Lancero"
Citar
Pescadores furtivos em embarcação rápida na Selvagem Pequena  
Marinha persegue lancha  
Embarcação rápida estava a pescar, inclusivamente com mergulhadores, na Selvagem Pequena, mas com a velocidade que o motor consegue imprimir, 30 nós, torna-se fácil escapar da Armada portuguesa com o fundo rasinho de peixe. O navio-patrulha “Save” esteve nas Selvagens a garantir, uma vez mais, a nossa soberania.  

 
O navio balizador “Schultz Xavier” esteve, no ano passado, envolvido em diversas operações de fiscalização e chegou a apresar duas embarcações ao largo da Selvagem Pequena. Pelos vistos, a Armada continua a não ter descanso e o “NRP Save” chegou à ilha na madrugada de segunda-feira.

O NRP “Save”, da Armada Portuguesa, esteve durante cerca de 40 horas em torno da Selvagem Pequena, depois de, no domingo à tarde, ter sido avisado pelo Comando de Zona Marítima da Madeira da presença de lanchas semi-rígidas, provavelmente espanholas, nas águas territoriais portuguesas.
O alerta tinha sido dado pelos dois vigilantes da Natureza que se encontram neste momento na Selvagem Pequena, que em contacto com os colegas do Parque Natural da Madeira baseados na Selvagem Grande foram passando a informação disponível relativa ao avistamento dos visitantes.
O navio que neste momento está afecto à nossa Zona Marítima, esteve durante todo o dia de segunda-feira a patrulhar as águas das Selvagens, mas a embarcação avistada ao amanhecer deixou de ser perceptível.
Ao fim do dia de segunda-feira, julgando que o “NRP Save” já não estaria em redor da Selvagem Pequena, uma lancha rápida, com quatro homens a bordo, alguns dos quais mergulhadores, aproximou-se de novo das águas madeirenses, e naturalmente portuguesas, o que fez com que a guarnição comandada pelo primeiro-tenente Vasconcelos de Andrade tivesse de os “acompanhar” até ter certeza de que estariam fora das nossas águas territoriais.
O comandante da Zona Marítima da Madeira, Coelho Cândido, referiu ontem ao Jornal da Madeira que a rapidez com que os pescadores conseguem fugir das nossas águas com embarcações que navegam a 30 nós, faz com que cheguem a Canárias em cerca de duas horas. Como não há lota naquelas ilhas, é fácil vender o produto da “pesca” num restaurante, o que se revela um negócio lucrativo, se for bem sucedido.
Navegando a essa velocidade, o apresamento dos “intrusos” acaba por ser quase impossível, mas ficaram na posse da Armada as fotografias que documentam que uma embarcação estava, efectivamente, a pescar numa reserva integral, o que é proibido por lei.
Esta não é a primeira vez que uma situação destas acontece, o que leva a que, de vez em quando, a Armada Portuguesa mande para as Selvagens elementos dos fuzileiros navais.  


Cristina Costa e Silva

http://www.jornaldamadeira.pt/not2005.p ... p=0&sdata= (http://www.jornaldamadeira.pt/not2005.php?Seccao=2&id=50722&sup=0&sdata=)


Porquê Portugal não apresenta queixas das infracções repetidas pelos os
espanhoís a Bruxelas ?
Título:
Enviado por: Migas em Outubro 12, 2006, 10:42:49 am
Porquê a Bruxelas?

Que eu saiba os pescadores furtivos não têm nenhuma conexão com o Estado Espanhol.


Trata-se de um caso de polícia e espero que haja cooperação entre ambas as Marinhas de forma a capturar esses pulhas.
Título:
Enviado por: Doctor Z em Outubro 12, 2006, 11:40:56 am
Enquanto não houver um policiamento eficaz das Selvagens, esta situação
vai repetir-se ...  :roll:
Título:
Enviado por: vaz_f em Outubro 12, 2006, 10:16:28 pm
:D não está deserto e não é nenhum rochedo, a ilha é bem grande.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg243.imageshack.us%2Fimg243%2F9200%2F1st4.jpg&hash=1fd0012dc074e32d6972ad221b3885d9)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg243.imageshack.us%2Fimg243%2F176%2F5lw4.jpg&hash=dae5c612c87e3c007902f3332a3b4619)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg243.imageshack.us%2Fimg243%2F2876%2F12op3.jpg&hash=ac1aa8a0823d3a98bcaafc1693403a4f)
Casa da selvagem pequena. Vigilante mais os fuzos e um PM.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg243.imageshack.us%2Fimg243%2F5519%2F9dc6.jpg&hash=fb40444b4c8bec1cb5ea2a048eef8c05)
Fuzos e agentes da Polícia Marítima de regresso de uma patrulha.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg243.imageshack.us%2Fimg243%2F1483%2F13kw8.jpg&hash=d7af160accb9027a491dcb27bd1713e1)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg243.imageshack.us%2Fimg243%2F7492%2F1oi2.jpg&hash=e19e7a3e7e67f38d5c7b903455c0ccf5)
Título:
Enviado por: Leonidas em Outubro 13, 2006, 04:01:33 am
Saudações guerreiras

Citação de: "Doctor Z"
Enquanto não houver um policiamento eficaz das Selvagens, esta situação
vai repetir-se ...
 :Soldado2:

Cumprimentos
Título:
Enviado por: pedro em Outubro 13, 2006, 08:52:15 am
Por mim tinham sido todos presos.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: pedro em Dezembro 27, 2006, 01:27:52 pm
Alguem tem novas noticias sobre as ilhas selvagens?
Cumprimentos
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 17, 2007, 07:13:50 pm
A TVI acabou de dar no Jornal Nacional mais uma violação do espaço aéreo português por um avião militar que fez um voo rasante às Selvagens. Isto numa época de importante nidificação.

Edit:

A notícia está no Diário de Notícias, edição da Madeira, de hoje.
http://www.dnoticias.pt/diario/graficos ... diario.pdf (http://www.dnoticias.pt/diario/graficos/170607/01diario.pdf)

Citar
Espanhóis em voo rasante criam 'guerra' nas Selvagens  
Avião militar espanhol fez um voo rasante sobre as Selvagens, ameaçando as aves marinhas em plena época de nidificação  
O sobrevoo das Selvagens é interdito e, mesmo em situações excepcionais, não deve ser feito a menos de 2.000 pés de altitude.  
Data: 17-06-2007  

Há uma nova 'guerra' nas Selvagens. Entre a Força Aérea de Espanha e os milhares de cagarras e outras aves marinhas que nesta altura do ano escolhem aquelas ilhas para nidificar. Tudo porque um avião militar fez um voo rasante numa área protegida, reserva integral portuguesa, e que os nossos vizinhos teimam em não respeitar.

O incidente, potencialmente perigoso numa altura em que nas Selvagens estão mais de 60 mil aves - cagarras, alma-negra e roque-de-castro, sobretudo -, está a ser abordado com muita discrição e reservas por parte das entidades locais, que inicialmente procuraram evitar confirmar a informação recolhida pelo DIÁRIO.

Interpelado o comandante da Zona Marítima da Madeira e capitão do Porto do Funchal, Coelho Cândido escusou-se a confirmar a existência do incidente que denunciamos. A mesma reacção teve Manuel António Correia, o secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais.

A circunstância de o jornalista saber em pormenor as condições em que se deu o incidente levou o governante madeirense a ser um pouco mais expansivo. "Não sabemos bem o que aconteceu, pois estamos a efectuar a averiguação de um relato que nos foi feito".

Deixando claro que um incidente desta natureza extravasa o âmbito de competência do governo a que pertence, "pois as questões de soberania e a relação entre Estados são da competência do Governo da República", Manuel António não perdeu o ensejo de pedir ao Estado "para que cumpra as suas obrigações. Não temos razões de queixa da colaboração que temos tido da Marinha e da Força Aérea, mas todos sabemos que os meios disponíveis não garantem a defesa dos interesses nacionais, tal como ficou provado quando no passado um grupo de pescadores furtivos atacou os nossos vigilantes, ameaçando a vida de pessoas".

Sem confirmação oficial, o DIÁRIO apurou que uma aeronave de grande porte sobrevoou a baixa altitude as Selvagens, num voo perigoso para as aves e que desrespeita, sobretudo, as regras que uma reserva integral e área protegida obriga.

Recorde-se que o sobrevoo das ilhas das Desertas e Selvagens está interdito pela circunstância do seu estatuto, admitindo-se em casos excepcionais uma aproximação que não permitiria, contudo, um sobrevoo a uma altitude inferior a 2.000 pés em zonas (cerca de 600 metros), limites que a aeronave espanhola deverá ter violado, a julgar pelos primeiros relatos.

Resta acrescentar que, ao contrário de incidentes anteriores, as autoridades regionais estão a evitar qualquer conflito público com Canárias, um vizinho que a Madeira pretende ter como parceiro.

Voos, pesca furtiva e mapas em contenda por sanar

O histórico de conflitos entre Portugal e Espanhha por causa das ilhas Selvagens é antigo. Para além da contenda histórica e institucional, são conhecidos inúmeros conflitos, bem como gaffes.

Espanha no passado já fez uma tímida tentativa de anexar, administrativamente, as duas ilhas ao seu território. Portugal, por seu vez, esqueceu-se de integrar as Selvagens no Programa Nacional da Política do Ordenamento do Território.

Nos últimos 20 anos são diversos os incidentes a envolver infracções várias por parte de cidadãos e de militares residentes ou destacados em Canárias. Desde a aterragem de um helicóptero militar, passando por voos de carácter ofensivo, numa provocação exibicionista.

Tem sido no âmbito das pescas que os problemas sobem de tom. Porque os pescadores de Tenerife, sobretudo - estão a 90 milhas apenas -, não se coíbem de pescar em águas protegidas ou mesmo desembarcar para caçar aves marinhas.

O aprisionamento de barcos de pesca ou a perseguição feita, no ano passado, a lanchas rápidas com pescadores furtivos, que chegaram a ameaçar com armas os vigilantes, são outros exemplos.

 
Miguel Torres Cunha  
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 17, 2007, 08:50:08 pm
Para quando uma atitude com tomates de parte de Portugal?  :G-bigun:  :G-bigun:  
Já não basta termos dado as Ilhas Canárias a eles antes agora ainda querem mais só porque dizem que estão muito próximo das Canárias...
Título:
Enviado por: xenical_ em Junho 17, 2007, 08:55:30 pm
:lol: ...se calhar uns stingerzitos.... ou então uma bateria chaparral para treinar em alvos mais modernos!! :lol:  :lol:


Just kiding!

Cumprimentos
Paulo Mariano
Título:
Enviado por: Centurião em Junho 17, 2007, 09:28:54 pm
Este é do tipo de notícias que me deixa a cuspir fogo.

Algumas questões que gostaria de colocar a quem pudesse e soubesse responder:

Como está a questão do radar na Madeira?

Como anda a questão do destacamento de F-16 em Porto Santo?

Será que esses idiotas não conhecem isto?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.etronics.com.br%2Fimagens%2Fgps276c_1.jpg&hash=5068b7ff0a2791ed18241d4e0aad0c0d)


Acho que conhecem, a questão é que isto é uma provocação. Pobres imbecis!
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Junho 17, 2007, 09:46:20 pm
Citação de: "Centurião"
Este é do tipo de notícias que me deixa a cuspir fogo.

Algumas questões que gostaria de colocar a quem pudesse e soubesse responder:

Como está a questão do radar na Madeira?

Como anda a questão do destacamento de F-16 em Porto Santo?

Será que esses idiotas não conhecem isto?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.etronics.com.br%2Fimagens%2Fgps276c_1.jpg&hash=5068b7ff0a2791ed18241d4e0aad0c0d)



Bem, seria um bimotor ( Fokker F-27, CN-235  ) da base aérea de Gando ?

Quanto ao radar, o que sei é que já está adjudicada a empreitada.
Destacamento de F-16 em Porto Santo ? Não existe, somente umas estadias esporádicas........
Título:
Enviado por: comanche em Junho 17, 2007, 11:46:28 pm
O governo tem de ter meios verdadeiramente dissuasores, um radar e meios aéreos em Porto Santo penso que seria a maneira de a soberania de Portugal nessas paragens ser levada um pouco mais a sério por esses pulhas a tempos a tempos a invadem.
Se isso não fosse suficiente, Portugal deveria abandonar a ideia das selvagens serem exclusivamente um reserva natural, e construir uma estação militar na selvagem grande, e ao mesmo tempo preservando toda a vida animal e vegetal que fosse possível na parte da ilha que não fosse ocupada e nas restantes selvagens.
Título:
Enviado por: p_shadow em Junho 18, 2007, 02:18:43 am
E os colegas castelhanos, não têm nada a dizer?
 :roll:


Cumptos
Título:
Enviado por: ricardo_m em Junho 18, 2007, 01:04:59 pm
Mandem para lá um "voluntário" do RAAA1 com o seu stinger às costas, ou será que o orçamento não dá para isso??? A Espanha não gosta é? Chamem-lhe "destacamento de treino em aéreas isoladas" ou outra tanga qualquer....

Não é para abater nada... pode ser que baste aparecerem umas luzes vermelhas do IRW/RFW no cockpit para certas atitudes serem alteradas!

 :?
Título:
Enviado por: SSK em Junho 18, 2007, 01:58:14 pm
Já nos tiraram Olivença! Já agora as Selvagens, não querem mais nada...
Título:
Enviado por: ACabral em Junho 18, 2007, 03:10:22 pm
Duas imagens daquilo que precisamos urgentemente:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg510.imageshack.us%2Fimg510%2F2825%2Fradarse1.gif&hash=106d9aad6b98421cd7f077c39bc09e70)

O radar destinado à Madeira. É mesmo o radar em causa e não um parecido.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg165.imageshack.us%2Fimg165%2F7153%2Fsa7011875jr.jpg&hash=bda7b310f4afdcc77ab79e5c4ae27b14)

Destacamento permanente em Porto Santo e não esporádico como aquele a que se refere a foto.

Fotos obtidas do fórum 9g’s.



E já agora, eu juntaria isto.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.fas.org%2Fman%2Fdod-101%2Fsys%2Fland%2Fstinger_02.jpg&hash=978685b21e24b3b2497fa629ff9005c2)


Basta um lançador. É o suficiente.

Depois admiram-se de porque é que ninguém os suporta. São os americanos, os sul-americanos, os portugueses, o resto dos europeus, enfim. Talvez um pouco de introspecção ajudaria.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 18, 2007, 04:10:26 pm
Estam-se a esquecer da padeira de Aljubarrota  :lol: (estou no gozo!)
Título:
Enviado por: SSK em Junho 18, 2007, 04:27:23 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Estam-se a esquecer da padeira de Aljubarrota  :wink:  é que eles passam tão baixinho que possivelmente uma Pá de padeiro chegave e era mais barata que um míssil :lol:
Título:
Enviado por: Tiger22 em Junho 18, 2007, 09:37:05 pm
O cerne da questão:

Será que o nosso Governo vai tomar uma posição digna, que afaste definitivamente as tristes cumplicidades e declarações do passado (Mário Lino, prioridades da política externa, etc.) e vai fazer um protesto junto do Governo de Madrid

Ou

Terá que ser uma vez mais o Presidente da República a levantar esta questão?


Esperemos para ver quem cumpre e faz cumprir a Constituição da República Portuguesa.
Título:
Enviado por: typhonman em Junho 18, 2007, 09:42:37 pm
Rapier/Jernas é a solução.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 18, 2007, 10:03:45 pm
"Rapier/Jernas é a solução."

???
Título:
Enviado por: typhonman em Junho 18, 2007, 10:15:32 pm
E um sistema anti-aéreo.
Título:
Enviado por: comanche em Junho 18, 2007, 11:07:51 pm
Esse sistema não tem alcance efectivo para abater aviões intrusos que sobrevoem as Selvagens, se estiver sediado em Porto Santo, tinha de ser colocado directamente na Selvagem Grande ou na pequena.





(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi151.photobucket.com%2Falbums%2Fs156%2Fratodobosque%2Fjernas2.jpg&hash=637f73dd87afef92c04808dd23e63706)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi151.photobucket.com%2Falbums%2Fs156%2Fratodobosque%2FJernas.jpg&hash=aa66e6fcecf6abc9359bf010f45a3b97)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi151.photobucket.com%2Falbums%2Fs156%2Fratodobosque%2FJERNAS011.jpg&hash=c06c19d778f28b8d00e69ae302e0be19)
Título:
Enviado por: p_shadow em Junho 19, 2007, 04:08:39 am
Basta o radar.

A informação dele proveniente serve como prova, o que é extremamente importante como devem calcular (não são notícias de jornal que servem de prova em diplomacia!!)

Acreditem que um simples radar em funcionamento é suficiente para que isto deixe de acontecer, pelo menos desta forma. E como a implantação da extensão do SICCAP na Madeira* está-se a desenrolar e estará concluído em breve*, o governo nem se preocupa em relatar estes casos.

*O radar já está construído à algum tempo, e tem sido alvo de testes entretanto. Há no forum quem melhor poderá explicar como está este processo (assim o queira fazer), mas parece-me a mim que algo está a "emperrar" a sua implantação.


Cumptos
Título:
Enviado por: ferrol em Junho 19, 2007, 11:02:40 am
Citação de: "p_shadow"
E os colegas castelhanos, não têm nada a dizer?
 :lol:

Porque tampouco é cousa de poñernos serios e preguntarnos cómo se sabía que era un avion militar español...ou se acaso o xornal sabe ou non se tiña permiso para voar sobre o illote, ou se acaso tivo que pasar por riba tan baixo porque ía avariado, ou porque estaba nalgún exercicio...ou porqué o incidente carece de importancia para os demáis medios, ou se houbo incidente, posto que os enlaces que se colocan non acceden á "información" que supostamente se quere dar...ou se era un avión de transporte con mediciñas...ou se era un avión de información xeográfica facendo un mapa aéreo...

En fin, para qué facer traballa-lo cerebro, podendo chamarnos idiotas e facer do suposto incidente unha causa máis a favor das incribles pretensións pseudo-colonialistas, invasoras, masonas, imperialistas dos españois...que estamos no foro que estamos, por Deus, non pidamos peras ó olmeiro, ou sexa, non pidamos racionalidade neste foro...  :wink:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 19, 2007, 11:23:14 am
Por acaso quero saber a explicação Espanhola acerca deste caso e o que o nosso governo diz acerca disto. Acho estranho ainda não ter havido (que eu saiba), uma nota oficial.

Se provar que aconteceu é muito grave!!!

Se provar que aconteceu, então alguém vai ter que pedir desculpa a Portugal por uma violação grosseira do espaço aéreo Português...mas isso é se provar que aconteceu. Até agora só vi foi uma noticia num jornal. Se calhar o governo nem quer que isto se saiba, sei lá... :roll:
Título:
Enviado por: SSK em Junho 19, 2007, 01:22:00 pm
Citar
A passagem de um avião espanhol sábado por cima das Selvagens "deveu-se a uma missão de busca e salvamento", não tendo havido "qualquer invasão da soberania nacional", garantiu ontem fonte da Marinha ao 24horas. O "Diário de Notícias da Madeira" revelou ontem que um avião espanhol fez um voo rasante sobre as Selvagens, o que é proibido e perturba a nidificação das aves marinhas.
 
in  24 Horas
 
18 de Junho de 2007
Título:
Enviado por: Centurião em Junho 19, 2007, 01:45:13 pm
Citação de: "SSK"
Citar
A passagem de um avião espanhol sábado por cima das Selvagens "deveu-se a uma missão de busca e salvamento", não tendo havido "qualquer invasão da soberania nacional", garantiu ontem fonte da Marinha ao 24horas. O "Diário de Notícias da Madeira" revelou ontem que um avião espanhol fez um voo rasante sobre as Selvagens, o que é proibido e perturba a nidificação das aves marinhas.
 
in  24 Horas
 
18 de Junho de 2007

Citar
Nos últimos 20 anos são diversos os incidentes a envolver infracções várias por parte de cidadãos e de militares residentes ou destacados em Canárias. Desde a aterragem de um helicóptero militar, passando por voos de carácter ofensivo, numa provocação exibicionista.

Tem sido no âmbito das pescas que os problemas sobem de tom. Porque os pescadores de Tenerife, sobretudo - estão a 90 milhas apenas -, não se coíbem de pescar em águas protegidas ou mesmo desembarcar para caçar aves marinhas.

O aprisionamento de barcos de pesca ou a perseguição feita, no ano passado, a lanchas rápidas com pescadores furtivos, que chegaram a ameaçar com armas os vigilantes, são outros exemplos.


Nada muda. Os antecedentes existem!
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 19, 2007, 02:16:20 pm
Não estam lá os Fuzos? Se os botes não chegam metam lá um semi-rigido, se não chega metam lá uma lancha, se não chega metam lá uma corveta, se não chega metam lá uma fragata. Haverá sempre violações enquanto nós (Portugal) permitir-mos. Eu sou o primeiro a ficar puto da vida quando isso acontece, agora já é desleixo e incuria, devia haver mais meios destacados. Se há antecedentes à que acabar com o mal pela raíz!

Se for realmente uma missão SAR...realmente eles ficam mais perto do acontecimento, mas afinal para que é que servem os EH-101? Os Pumas Espanhóis a fazerem resgates em águas territoriais Portuguesas?! dassss, entreguem o país aos Espanhóis se for esse o caso! :evil:
Título:
Enviado por: papatango em Junho 19, 2007, 02:43:08 pm
Sinceramente não entendo qual é o problema.

Afinal para que serve a Força Aérea da grande Patria Hispana ?

Os nossos cinco F-16 servem para participar em desfiles e para enviar para algum acontecimento internacional, para fingir que Portugal existe.

A Fuerza Aerea Hispana, é quem tem o direito de controlar o nosso espaço aéreo.

Como nós não conseguimos resolver os nossos próprios problemas, chamamos os espanhóis...

Arriba España!
Título:
Enviado por: SSK em Junho 19, 2007, 02:52:28 pm
Cum Catano, vai buscar...

As verdades doem, mas é assim a vida...
Título:
Enviado por: ELN/88 em Junho 19, 2007, 06:07:11 pm
Que lindo que isto está realmente, até os pescadores Espanhois ameaçam os vigilantes da natureza com armas e claro a resposta portuguesa, desde os vigilantes até a quem deve mandar é zero, isto realmente está mesmo a saque
Título:
Enviado por: tentador em Junho 19, 2007, 08:37:14 pm
Pois vos vai sair por un ollo da cara por un antiaereo nas salvaxes, unhas illas dehabitadas sen ningún valor, so para impedir que os avión españois lles de SUPOTAMENTE por pasar por elí....
Por certo ¿onde estan as provas que certifican estas informacións?
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 19, 2007, 08:49:03 pm
É preciso cuidado nas rapadas às Selvagens. Não vá ocorrer um bird-strike. Ouvi dizer que as cagarras são danadas.
Título:
Enviado por: typhonman em Junho 19, 2007, 08:58:15 pm
Vergonhoso, no minimo, resultado dos politicos que temos, e da falta de poder das nossas Forças Armadas, queria ver se fosse a Turquia a fazer isto a Grécia, se a passividade continuava. :lol:
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 19, 2007, 08:58:48 pm
Citar
2007-06-18 - 00:00:00

Fauna selvagem perturbada por aviões
Espanhóis violam espaço aéreo nas ilhas Selvagens

Um avião militar da Força Aérea espanhola em voo rasante criou uma ‘guerra’ na reserva natural das ilhas Selvagens, na Madeira, numa altura em que milhares de aves marinhas ali fazem nidificação.

“Há uma nova ‘guerra’ nas ilhas Selvagens entre a Força Aérea de Espanha e os milhares de cagarras e outras aves marinhas que nesta altura do ano escolhem aquelas ilhas para nidificar”, avançou ontem o Diário de Notícias do Funchal. Em causa está um voo rasante de um avião militar espanhol numa área protegida, reserva integral portuguesa e que “os espanhóis teimam em não respeitar”, acrescenta aquele diário.

Entretanto, o deputado Pedro Quartin Graça fez um requerimento à Assembleia da República, onde pede esclarecimentos aos ministro da Defesa e dos Negócios Estrangeiros.

Aquele responsável do Partido da Terra questiona o Governo no sentido de saber se “o referido avião foi detectado pelos meios de vigilância existentes na região da Madeira?”

É igualmente questionado o Governo sobre “quais as medidas que irá desencadear no sentido de obstar que violações do território nacional, em concreto, do espaço aéreo da Madeira, venham a ocorrer no futuro”.
A.P.D

Fonte (http://http)


Citar
(...)

Apesar de um avião de busca e não um avião militar ter sobrevoado Selvagens
Estado deve dar resposta capaz

A questão do sobrevôo das Ilhas Selvagens por uma aeronave espanhola foi abordada pelo secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais.
Manuel António Correia garantiu que está a ser recolhida informação que permite aferir que “houve um voo a baixa altitude, não rasante e mais uma vez é imperioro que o Estado assuma as suas responsabilidades nesta matéria”. “É que não é a primeira vez que sucedem situações que põem em causa não só a gestão e a defesa do património natural daquela reserva, mas também a segurança dos vigilantes da Natureza”.
É necessário, disse o governante, que o Estado “crie equipamentos e meios de resposta suficientes capazes de actuar em devido tempo”, porque apesar de reconhecer o trabalho da Marinha na Região, alerta que “os meios que existem são claramente insuficientes e é necessário que o Estado assuma as suas obrigações”.
De qualquer forma, questionado sobre a possibilidade de se tratar de um avião de busca e salvamento de Canárias, que não está atribuída à Força Aérea Espanhola, logo ao Ministério da Defesa, mas ao Ministério do Fomento, o governante disse que estava a ser reunida informação. De qualquer forma, independentemente desta questão concreta, faltam meios para a defesa e a preservação da integralidade do território português.
De qualquer forma e porque em termos de busca e salvamento a zona das Selvagens está “sob” a protecção imediata do Centro de Busca e Salvamento de Canárias, o avião, ao que apurou o Jornal, estava a efectuar uma missão desse tipo, não obstante o facto de o piloto ter feito uma rota proibida, que é o sobrevoo de terra.
Mas efectivamente não era um avião militar e isso foi confirmado ao Jornal por uma fonte do Comando de Zona Marítima da Madeira, depois de contactos entre os centros de busca e salvamento de Lisboa e de Canárias acontecidos durante o fim-de-semana para esclarecer a situação. n


Fonte (http://http)
Título:
Enviado por: manuel liste em Junho 19, 2007, 10:26:17 pm
Tengo una duda: ¿lanzar misiles contra un avión de salvamento podría asustar a las aves marinas?  :?:
Título:
Enviado por: Upham em Junho 19, 2007, 10:43:40 pm
Boa noite!

Tranquilo!................ os nossos misseis não acertam em aviões. :twisted:

Cumprimentos!
Título:
Enviado por: typhonman em Junho 19, 2007, 11:02:16 pm
Chaparral não , esta mais que  provado, Stinger não sei.. Talvez os secretos Hawk :lol:
Título:
Enviado por: nestor em Junho 19, 2007, 11:56:38 pm
Citação de: "manuel liste"
Tengo una duda: ¿lanzar misiles contra un avión de salvamento podría asustar a las aves marinas?  :?:


Depende si el avión fuese en misión de salvamento de marineros portugueses o españoles. Digo yo.

Porque es posible que en Canarias se recibiese un mensaje de auxilio de algun pesquero portugues... y esa era la ruta mas corta.

Lo que no tiene desperdicio, de la noticia inicial, es que los pescadores de Tenerife van a las Salvajes a cazar aves marinas, como si no tuviesen que hacer otra cosa, como si aves marinas no hubiese en otros lados.  ¿Que aves cazan, como lo hacen y para que las emplean?

Saludos.
Título:
Enviado por: Upham em Junho 20, 2007, 12:19:22 am
Boa noite!

Eu também tenho uma duvida.

Se eu combinasse com uns amigos irmos a Coto Donhana caçar e pescar e de caminho ameaçassemos e dessemos algumas chapadas aos guardas do parque (que supostamente representam a autoridade do estado Espanhol), o que me acontecia?

Cumprimentos!
Título:
Enviado por: comanche em Junho 20, 2007, 12:34:39 am
Também tenho uma dúvida, se gostam de dizer que a ilha é assim tão pequena, afirmação muito ao gosto dos castelhanos, com o oceano tão imenso, porque de raio tinham de sobrevoar especificamente aquela zona onde está a ilha e ainda por cima em voo rasante, com tanto mar em redor, terá sido coincidência? Irem justamente sobrevoar uma zona interdita?
Olhe que não, olhe que não

Como se costuma dizer, de boas intenções está o inferno cheio.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 20, 2007, 12:55:12 am
Citação de: "nestor"
Citação de: "manuel liste"
Tengo una duda: ¿lanzar misiles contra un avión de salvamento podría asustar a las aves marinas?  :roll:
Título:
Enviado por: nestor em Junho 20, 2007, 04:06:41 am
Citação de: "Upham"
Boa noite!

Eu também tenho uma duvida.

Se eu combinasse com uns amigos irmos a Coto Donhana caçar e pescar e de caminho ameaçassemos e dessemos algumas chapadas aos guardas do parque (que supostamente representam a autoridade do estado Espanhol), o que me acontecia?

Cumprimentos!



Sin duda mandariamos helicopteros Tigre armados con Spike para destruir tu coche, con todos los ocupantes dentro :roll:

O...

Se haria como con todos aquellos que cometen un delito ecologico, siendo detenidos por la Guardia Civil y puestos a disposición judicial.

Es que aqui se está mezclando lo que supuestamente hacen personas particulares y lo que supuestamente hacen aeronaves militares o civiles.

Entre vecinos son normales estos casos de violación del espacio aereo. Lo hacen los marroquies, los españoles y seguramente tambien los portugueses. La diferencia es la repercusión y la importancia que cada uno de a este tipo de incidentes. Desde luego la solución está en la via diplomatica y no en convertirlo en un nuevo conflicto como el de Grecia y Turquia, que a nadie beneficia.

Saludos
Título:
Enviado por: ferrol em Junho 20, 2007, 08:50:46 am
Citação de: "nestor"
La diferencia es la repercusión y la importancia que cada uno de a este tipo de incidentes. Desde luego la solución está en la via diplomatica y no en convertirlo en un nuevo conflicto como el de Grecia y Turquia, que a nadie beneficia.
Amén.
De todos modos, si un avión en misión SAR pasa por encima de no se qué islote perdido, tampoco veo yo que haya ni que pedir permiso, no sea que entre que lo pides, te lo dan y vas para allá se hunda un pesquero o una patera...eso sí, avisar de que se va, para no chocar con otro avion.

Pero vamos, que desde mi punto de vista no hay ningún incidente que solucionar diplomáticamente. Se salvan vidas con lo vuelos SAR, y eso es seguramente más importante que el anidamiento de los alcatraces o pasar por encima de una piedra en el océano...digo yo...
Título:
Enviado por: manuel liste em Junho 20, 2007, 09:00:53 am
Desgraciadamente, en las aguas que rodean las Canarias hay que hacer muchas misiones SAR debido a la inmigración ilegal y a ser aguas muy frecuentadas por el tráfico marítimo. Alguien tiene que asumir esa responsabilidad, y bien caro que le sale a España asumirla. ¿No se podrán hacer misiones SAR cerca de las Salvajes? Pues que las haga Portugal, que las haga la guarnición de las Salvajes, por ejemplo.

Lo lógico es que Portugal no ponga el menor problema a que haya vuelos SAR cerca o sobre las Salvajes, como también haría España en su lugar. Eso sí: molestando lo menos posible a las aves marinas  :?:  hecho bastante curioso), recomiendo que las autoridades portuguesas les detengan. No veo donde está el problema.
Título:
Enviado por: ferrol em Junho 20, 2007, 09:07:41 am
Citação de: "manuel liste"
En cuanto a los pescadores españoles que van a las Salvajes a cazar aves marinas ( :?:  hecho bastante curioso), recomiendo que las autoridades portuguesas les detengan. No veo donde está el problema.
También me llama la atención...es que no sé a que sabe una gaviota frita o un cormorán al pil-pil... en todo caso, pues eso, si hacen algo ilegal, pues detención y multa, o cárcel...
Título:
Enviado por: ELN/88 em Junho 20, 2007, 10:33:46 am
Concordo com a resposta agressiva a actos agressivos, se alguém fosse numa de dar umas chapadas a algum vigilante da natureza em Espanha, era capaz de levar uns bofetões a sério, com umas bastonadas á mistura, e se puxasse de arma era capaz de levar  um fogacho de .38 ou 357 no lombo, cá miseravelmente,quem não tiver o "previlégio" de ser militar ou equiparado, orgão de soberania e afins, anda de 6,35 ou .32 longo, loooongo, porque o .32 H&R Magnum já era.Enfim, temos o que merecemos, desde o governo aos politicos e politicas e  mais não digo, porque senão ainda levo com um processo disciplinar :shock:
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 20, 2007, 10:51:57 am
"... xa se fala da non sei qué padeira..."

Aí poder das mulheres portuguesas tremem logo   :twisted:
Título:
Enviado por: manuel liste em Junho 20, 2007, 10:54:45 am
La Guardia Civil española tiene un servicio de protección de la naturaleza, también tiene un servicio marítimo con barcos patrulla.

Que Portugal envíe la GNR a las Salvajes si tienen problemas con los furtivos. Deberían hacerlo, nadie va a protestar por eso. También en España se lucha contra los furtivos y contra la pesca ilegal  :idea:
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 20, 2007, 11:36:17 am
O 'assunto' dos pescadores espanhóis que actuam ilegalmente nas águas portuguesas das Selvagens está resolvido. Não há registos de casos desde que para lá foi destacada a Armada.
A parte de pescadores caçarem aves não sei de onde apareceu. Devo estar distraído ou os pescadores espanhóis andam a fumar coisinhas para rir... Pensava que iam lá por ser um mar rico em peixe.
Qualquer aeronave tem que comunicar o plano de voo e esperar que o mesmo seja aprovado, pelo menos é assim em Portugal, pelo que essa é aqui a única questão - a par do sobrevoo de uma zona proíbida. Se o voo tivesse sido comunicado seria com toda a certeza autorizado, desde que não passasse abaixo da altitude permitida sobre o 'santuário natural' das Selvagens.
Para mim o que está em causa é isso: decisão unilateral de sobrevoar as Selvagens sem comunicação e autorização do dono da birosca.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 20, 2007, 03:07:35 pm
Deixem-me repetir outra vez, S O B E R A N I A!!!

Querem fazer missões SAR? Muito bem, façam-no dentro da ZEE Espanhola. Querem entrar no nosso espaço aéreo? Porreiro, sem problemas, só têm que dizer às autoridades competentes (coisa que pelos vistos não fizeram).

É uma questão de legalidade e não de nacionalismos bacocos. Se acham normal a vossa Força Aérea entrar ilegalmente no Espaço Aéreo de um outro país...então já estamos a falar de uma outra coisa...

A Força Aérea Espanhola ainda à pouco teve num outro país a protegê-lo deste tipo de situações por parte dos Russos e agora fazem isto?!

Se a história não for tal e qual como é apresentada eu serei o primeiro a pedir desculpa, mas se for realmente como estão a dizer...então quero ouvir um pedido de desculpas OFICIAIS por parte do governo Espanhol!

A boa vizinhança é algo que deve ser cultivada todos os dias, senão pode murchar e morrer. Com este tipo de atitudes só estão a dar mais argumentos a muito boa pessoa cá em Portugal e no resto do mundo que não vos gramam nem pintados de ouro!
Título:
Enviado por: Upham em Junho 20, 2007, 03:23:12 pm
Boa tarde!

Citar
Sin duda mandariamos helicopteros Tigre armados con Spike para destruir tu coche, con todos los ocupantes dentro  

O que? Destruir o meu Renaultzinho que me custou tanto a pagar com misseis Spike e helicópteros Tigre? Malandros, pérfidos, militaristas! :twisted: , para defender ou proteger o que? A pista de aterragem das gaivotas?
Agora sim sou da opinião que deveria haver uma presença permanente de alguns aviões da FAP em Porto Santo o que em conjunto com o radar de vigilância aérea da Madeira já permite um controlo eficaz do espaço aereo, porque é ao nosso país que compete o controle e defesa do nosso espaço aéreo. Mainada.

Cumprimentos!
Título:
Enviado por: manuel liste em Junho 20, 2007, 03:43:48 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Deixem-me repetir outra vez, S O B E R A N I A!!!

Querem fazer missões SAR? Muito bem, façam-no dentro da ZEE Espanhola. Querem entrar no nosso espaço aéreo? Porreiro, sem problemas, só têm que dizer às autoridades competentes (coisa que pelos vistos não fizeram).

É uma questão de legalidade e não de nacionalismos bacocos. Se acham normal a vossa Força Aérea entrar ilegalmente no Espaço Aéreo de um outro país...então já estamos a falar de uma outra coisa...

A Força Aérea Espanhola ainda à pouco teve num outro país a protegê-lo deste tipo de situações por parte dos Russos e agora fazem isto?!

Se a história não for tal e qual como é apresentada eu serei o primeiro a pedir desculpa, mas se for realmente como estão a dizer...então quero ouvir um pedido de desculpas OFICIAIS por parte do governo Espanhol!

A boa vizinhança é algo que deve ser cultivada todos os dias, senão pode murchar e morrer. Com este tipo de atitudes só estão a dar mais argumentos a muito boa pessoa cá em Portugal e no resto do mundo que não vos gramam nem pintados de ouro!


No se deben pedir disculpas cuando el gobierno portugués no se considera perjudicado. Si el gobierno portugués no se considera perjudicado, es que la aeronave tenía su autorización expresa o tácita. Ignorar ese hecho es practicar el alarmismo y el sensacionalismo.

Si es cierto lo que dice la noticia no se trataba de una aeronave militar, sino una aeronave civil del SASEMAR (Salvamento Marítimo) español, aeronaves destinadas al auxilio de náufragos y de embarcaciones en dificultades.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 20, 2007, 05:53:35 pm
Se o governo Português baixou as calças e nada faz...bem de certeza que não voto num governo assim!

SASEMAR é uma instituição civil tal como a PSP o é, no entanto responde perante o governo Espanhol. Os nossos EH-101 são militares no entanto fazem acima de tudo missões SAR.

Ainda não ouvi foi uma explicação que tire esta situação a limpo.

Atenção, eu não estou a dizer que é tudo uma conspiração para anexar as Desertas, estou sim, a dizer que foi uma falta de respeito para com Portugal. De certo que o dito aparelho até estava a fazer algo de importante (salvar vidas), mas a SASEMAR TEM que explicar essa passagem não autorizada pelo espaço aéreo Português.
Título:
Enviado por: ferrol em Junho 20, 2007, 06:02:13 pm
Citação de: "SSK"
Citar
A passagem de um avião espanhol sábado por cima das Selvagens "deveu-se a uma missão de busca e salvamento", não tendo havido "qualquer invasão da soberania nacional", garantiu ontem fonte da Marinha ao 24horas.

Ben, vista a explicación colocada por SSK, e se a Marinha admite que non houbo violación da soberanía, non sei de qué estamos a falar aquí, a verdade...é máis, como ben di manuel, o avión seguramente será civil, e visto o erro de identificación, non podemos estar seguros de que non se tivese dado permiso para sobrevoa-lo illote polo avión español.
Título:
Enviado por: Upham em Junho 20, 2007, 07:34:41 pm
Boa tarde!

Porque será que esta é uma "ilhota"?

[img=http://img158.imageshack.us/img158/2893/ilhaselvagemcn5.th.jpg] (http://http)

E esta já é uma ilha?

[img=http://img187.imageshack.us/img187/8930/islaconilleradi5.th.jpg] (http://http)

É o novo jogo. Descubra as diferenças! :conf:

Cumprimentos!
Título:
Enviado por: manuel liste em Junho 20, 2007, 08:23:48 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Se o governo Português baixou as calças e nada faz...bem de certeza que não voto num governo assim!

SASEMAR é uma instituição civil tal como a PSP o é, no entanto responde perante o governo Espanhol. Os nossos EH-101 são militares no entanto fazem acima de tudo missões SAR.

Ainda não ouvi foi uma explicação que tire esta situação a limpo.

Atenção, eu não estou a dizer que é tudo uma conspiração para anexar as Desertas, estou sim, a dizer que foi uma falta de respeito para com Portugal. De certo que o dito aparelho até estava a fazer algo de importante (salvar vidas), mas a SASEMAR TEM que explicar essa passagem não autorizada pelo espaço aéreo Português.


Tienen que ser las autoridades portuguesas las que den su versión de lo ocurrido, si algo tienen que decir. Logicamente, SASEMAR no va a explicarlo si nadie se lo pide.

Si para tí el gobierno portugués es cobarde por no pedir explicaciones, tu problema. Yo creo que si el gobierno portugués no pide explicaciones es porque no necesita pedirlas.
Título:
Enviado por: comanche em Junho 20, 2007, 09:52:42 pm
Reparem nos termos usados por este anti pátria portuguesa, desse foreiro galego castelhanizado para se referir á ilha Selvagem Grande nos ultimos post´s deste tópico:

"illote", "islote perdido" (se é perdido provavelmente nem tem dono), "piedra"(mas que grande pedra :D , pedra esta maior que alguns países).

O objectivo deste faccioso, com a suas constantes provocações é retirar o titulo de ilhas (facto reconhecido internacionalmente) e rabaixá-lo ao nível de ilheu com o fim de lhe retirar a ZEE já reconhecida internacionalmente, só agora resolvi falar, porque queria ver se ele mudava a opinião, mas não manteve os seus termos abusivos contra as ilhas.

As Selvagens têm 2.73 Km2
Vaticano: 0.44 Km2
Monaco:1.95 Km2
portanto dois países são mais pequenos que as Ilhas Selvagens

Os próprios espanhois que ocupam as ilhas Chafarinas no norte de África que são:

Isla del Congreso: 0.256 Km2 (máxima altitud: 137 msnm en Isla Congreso)
Isla Isabel II: 0.15 Km2
Isla del Rey: 0.12 Km2

http://es.wikipedia.org/wiki/Islas_Chafarinas

Se os próprios espanhois as consideram ilhas e sendo a maior de elas 9 vezes inferior que a Selvagem Grande (2.40 Km2), e até menores que a Selvagem Pequena, porque é que este tipo insiste em tentar desclassificar as Selvagens de ilhas a ilheus ou pior ainda a rochas?

Quer este faccioso utilizar para dois pesos duas medidas?

Chega de hipocrisia, para não lhe chamar outra coisa.
Título:
Enviado por: Migas em Junho 28, 2007, 12:51:53 pm
Para os espanhóis até aquelas plataformas ao largo de Benidorm são consideradas ilhas.  :lol:
Título:
Enviado por: ferrol em Junho 29, 2007, 09:59:36 am
Citação de: "comanche"
O objectivo deste faccioso, com a suas constantes provocações é retirar o titulo de ilhas (facto reconhecido internacionalmente) e rabaixá-lo ao nível de ilheu
http://www.aicopa.pt/content/estudos_turismo.pdf
Citar
A Macaronésia é um termo que resume o que os gregos baptizaram como “Ilhas Felizes”, que abrange o conjunto dos arquipélagos formados pelos Açores, Madeira, Canárias e Cabo Verde,
incluindo os ilhotes conhecidos como ilhas Selvagens
http://www.fishbase.org/Summary/SpeciesSummary.php?id=11820&lang=Spanish
Citar
O Atlântico Oriental: incluindo a Madeira, Açores, Ilheus Selvagens, as Ilhas Canárias, Cabo Verde, e Senegal
http://www.srrh-recursoshumanos.pt/anossa.htm
Citar
O Arquipélago é formado pelas Ilhas da Madeira e do Porto Santo e pelos Ilhéus Selvagens e Desertas, e tem como capital a Cidade do Funchal
http://www.receitasemenus.net/content/section/5/161/
Citar
Este arquipelago é constituido[...]e pelos ilheus Selvagens(Grande, Pitao Grande e Pitaio Pequeno)
http://homepage.oninet.pt/907mcj/Conteudos.html
Citar
Também no Oceano Atlântico encontra-se o arquipélago da Madeira, este constituido pela Ilha da Madeira, Porto Santo e dos Ilhéus Selvagens
http://www.eb1-cortes-meio.rcts.pt/arquipelago_da_madeira.htm
Citar
O arquipélago é formado pelas ilhas da Madeira e do Porto Santo, e pelos ilhéus Selvagens (Grande Pitão Grande e Pitão Pequeno) e Desertas (Grande, Bugio e chão)

http://www.naturetrek.co.uk/reports/The ... 0(Apr%2006 (http://www.naturetrek.co.uk/reports/The%20Canary%20Islands%20-%20tour%20report%20(Apr%2006)).pdf

Citar
the nominate subspecies, is found on the Ilheus Selvagens as well as on the Canary Islands. It is endemic to the Macaronesian Islands as it is also found on Madeira.

www.madeiraislands.travel/pls/madeira/w ... fr&p_sub=1 (http://www.madeiraislands.travel/pls/madeira/wsmwdet0.detalhe_conteudo?p_cot_id=100&p_lingua=fr&p_sub=1)

Citar
Les îles Selvagens sont constituées de deux groupes d’îlots

Citação de: "comanche"
Reparem nos termos usados por este anti pátria portuguesa, desse foreiro galego castelhanizado para se referir á ilha Selvagem Grande nos ultimos post´s deste tópico:
Citar
Reparem nos termos usados por este anti pátria portuguesa, desse foreiro portugués americanizado para se referir ó ilhote Selvagem Grande nos ultimos post´s deste tópico...
:rir: :wink:
Título:
Enviado por: comanche em Junho 29, 2007, 01:59:07 pm
Citação de: "ferrol"
Citar
O objectivo deste faccioso americanizado, com a suas constantes provocações é retirar o titulo de ilhotes (facto reconhecido nacionalmente) e aumentalo ao nível de ilha com o fim de lhe otorgar a ZEE nunca reconhecida internacionalmente, só agora resolvi falar, porque queria ver se ele mudava a opinião, mas não manteve os seus termos abusivos contra os ilhotes


ZEE nunca reconhecida internacionalmente ?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi151.photobucket.com%2Falbums%2Fs156%2Fratodobosque%2FZEEMadeira.png&hash=9d13e7f45397cef4ec7a4431588305d9)
http://www.seaaroundus.org/eez/summaryInfo.aspx?EEZ=620A

Parece que afinal a ZEE é reconhecida por organismos internacionais. :wink:


Citar
Las Islas Salvajes (Ilhas Selvagens en portugués) son un archipiélago formado por tres islas principales y varios islotes, situado en el Atlántico septentrional, y ubicadas entre las islas de Madeira (de las que distan 280 kilómetros) y las islas Canarias (a 165 kilómetros). Formado por dos grupos principales, en el del norte está la Isla Mayor o Salvaje Grande (Selvagem Grande).

http://es.wikipedia.org/wiki/Islas_Salvajes



Citar
The Savage Islands (Portuguese: Ilhas Selvagens,  consist of a small archipelago in the North Atlantic Ocean roughly midway between Madeira Islands and the Canary Islands at 30.01° N 15.52° W. The archipelago is comprised of two islands and several islets and consists the extreme southern region of Portugal.

http://en.wikipedia.org/wiki/Savage_Islands



Citar
Les
Îles Sauvages (Ilhas Selvagens en portuguais) sont un archipel constitué de trois îles principales et plusieurs îlots.

http://fr.wikipedia.org/wiki/%C3%8Eles_Selvagens


Citar
As Ilhas Selvagens são um pequeno arquipélago português pertencente à Região Autónoma da Madeira. Situam-se a 250 km ao sul da cidade do Funchal (Madeira), a cerca de 250 km a oeste da costa Africana.
O arquipélago consiste em dois grupos. O grupo nordeste compreende a "Ilha Selvagem Grande" e duas pequenas ilhotas, "Palheiro da Terra" e "Palheiro do Mar". O grupo sudeste compreende a "Ilha Selvagem Pequena" e o "Ilhéu de Fora" entre numeroso ilhéus mais pequenos que incluem o "Alto", o "Comprido", o "Redondo" e o pequeno grupo dos "Ilhéus do Norte".

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ilhas_Selvagens


Citar
La región macaronésica está compuesta por los siguientes archipiélagos (de norte a sur) con el número de islas habitadas:

Islas Azores (Portugal) Madeira (Portugal)
Islas Salvajes (Portugal)
Islas Canarias (España)
Islas de Cabo Verde (Cabo Verde)

http://es.wikipedia.org/wiki/Macaronesia






Citar
Se presenta una lista actualizada de los áfidos del archipiélago de Madeira e islas Salvajes con la indicación de la primera cita para cada una de isas islas.

http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2247988

Citar
Las  islas Salvajes están formadas por dos grupos de pequeñas islas, la Salvaje Grandey la Salvaje Pequeña y se localizan a cerca de 180 millas de la Islada Madeira.
 

http://www.madeiratourism.com/pls/madeira/wsmwdet0.detalhe_conteudo?p_cot_id=434&p_lingua=es&p_sub=1


Citar
Las islas de Madeira y Porto Santo y las inhabitadas Islas Salvajes y Desiertas, constituyen el archipiélago de Madeira que en 1418 fue descubierto por los portugueses. Se encuentra situado en el océano Atlántico a una distancia de 500 km. de la costa africana y 1.000 km. del continente europeo, distancia que representa 90 minutos de vuelo desde Lisboa

http://www.mitraviajes.com.ar/blog/index.php?entry=entry070622-140441


Citar
Macaronesia, que es un grupo de archipiélagos con características climáticas, de fauna y flora endémicas formada por Cabo Verde, Azores, Canarias, Madeira e Islas Salvajes,

http://islademadeira.blogspot.com/


Citar
Las Islas Canarias por sus características medio ambientales se engloba en una región en el Atlántico centro-oriental conocida como Macaronésica y en la cual se encuentran también los Archipiélagos de las Azores, Cabo Verde, Madeira y las Islas Salvajes.


http://www.rinconcitocanario.com/mapa/Islas.htm


Citar
la   Isla Grande, que como su propio nombre indica es la isla más grande del archipiélago de las Islas Salvajes. Dejamos atrás a los guardas portugueses y sus fados y cruzamos el pequeño estrecho que separa la Pitón Grande de la Pitón Pequeña, las islas menores de las Salvajes.

http://lamoragayelespeto.blogia.com/2007/enero.php
Título:
Enviado por: ferrol em Junho 29, 2007, 06:49:31 pm
Citação de: "comanche"
http://www.seaaroundus.org/eez/summaryInfo.aspx?EEZ=620A

Parece que afinal a ZEE é reconhecida por organismos internacionais. :wink:

1º.- Seguro que me pode dicir qué "organismo internacional" é o "seaaroundus" que confirme eso de que os illotes teñen ZEE...

2º.- Cómo pode ver, hai quen lle chama illa e quen lle chama illote...eu lle chamo illote, como moitos portugueses dos enlaces que puxen...que non por iso son facciosos. Agora ben, se vostede pretende seguir a insultar, agora chamándome "ignorante", saiba que non lle sae ben... que todos o leen e saben de que tipo de educación é a que ten vostede, perdon, a que non ten...  :rir:
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 29, 2007, 07:08:57 pm
O Ferrol é um anjinho.
Não é provocador nem nada  :?

Não é sério quem quer, apenas quem pode.
Título:
Enviado por: SSK em Junho 29, 2007, 07:20:46 pm
Citação de: "Lancero"
O Ferrol é um anjinho.
Não é provocador nem nada  :?

Não é sério quem quer, apenas quem pode.


 :Palmas:

E já agora as ilhotas têm ZEE sim, a ZEE portuguesa da qual fazem parte enquanto território nacional... :?
Título:
Enviado por: Aponez em Junho 30, 2007, 01:42:07 am
Citação de: "Lancero"
O Ferrol é um anjinho.
Não é provocador nem nada  :?

Não é sério quem quer, apenas quem pode.


Isso tambem debería de se aplicar a Comanche ja que sempre que alguem utiliza a versión española da Wikipedia el sempre esta a dizer que non é valida e agoar utilizaa ele pelo visto agora que lhe dan a razón as fontes españolas si som validas ¿se non estiveran de acordo con ele tambem o serían? :roll:
Título:
Enviado por: comanche em Junho 30, 2007, 02:59:13 am
Citação de: "Aponez"
Citação de: "Lancero"
O Ferrol é um anjinho.
Não é provocador nem nada  :?

Não é sério quem quer, apenas quem pode.

Isso tambem debería de se aplicar a Comanche ja que sempre que alguem utiliza a versión española da Wikipedia el sempre esta a dizer que non é valida e agoar utilizaa ele pelo visto agora que lhe dan a razón as fontes españolas si som validas ¿se non estiveran de acordo con ele tambem o serían? :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: Aponez em Junho 30, 2007, 08:26:09 am
Citação de: "comanche"
Citação de: "Aponez"
Citação de: "Lancero"
O Ferrol é um anjinho.
Não é provocador nem nada  :?

Não é sério quem quer, apenas quem pode.

Isso tambem debería de se aplicar a Comanche ja que sempre que alguem utiliza a versión española da Wikipedia el sempre esta a dizer que non é valida e agoar utilizaa ele pelo visto agora que lhe dan a razón as fontes españolas si som validas ¿se non estiveran de acordo con ele tambem o serían? :lol:  :lol:



Wikipedia inglesa.-

Baijas portuguesas.- 4.000 mortos e feridos ¿leer sabe verdade :roll:
Título:
Enviado por: Lince em Junho 30, 2007, 01:57:54 pm
Atenção ao tópico :!:
Título:
Enviado por: comanche em Junho 30, 2007, 02:49:39 pm
Citação de: "Aponez"
Baijas portuguesas.- 3.786 mortos e feridos
Baijas españolas.-  433 mortos e 375 feridos

O ejército portugues contraataca e recupera parte das bagajes e a artilleria, despois do qual se RETIRA, o ejército español queda dono do campo con parte das bagajes.


Citar
Os mais prisioneiros padeceram em Granada os excessos mais escandalosos que em tempo algum se experimentaram entre católicos, prevalecendo o ódio contra a piedade e comiseração de que sempre foram dotados os castelhanos. Perderam eles na batalha os mestres de campo D. José de Pulgar, D. Francisco de Luna, corregedor de Badajoz, D. Diogo Giraldino, irlandês, e João Rodrigues de Oliveira, português; nove capitães de cavalos, quarenta e cinco de infantaria, outros muitos oficiais e mais de três mil soldados. Fora maior a perda se a nossa cavalaria voltara à batalha, como no bosque teve determinado.Recolheu Matias de Albuquerque 4.500 armas dos castelhanos mortos e dos que as largaram quando fugiram.  

http://www.arqnet.pt/portal/historiografia/ericeira_montijo.html

Os portugueses recuperaram as suas bagagens e artilharia, como as armas dos castelhanos que foram mortos e dos que fugiram.

Citação de: "Aponez"
Outra cousa a ter en conta tanto no enlace que eu dei como na wikipedia inglesa aparecen os tamaños dos 2 ejércitos

Portugal.- 7,000 infantry, 1,600 cavalry, 6 guns
España.- 4,400 infantry, 1,700 cavalry, 4 guns

 grande enciclopédia portuguesa e brasileira (felizmente eu tenho em casa, mas todas as bibliotecas a têm)
os factos narrados estão no volume 17 pág. 777 (esta é mais completa da língua portuguesa, e já considerada a 3ª melhor do mundo a seguir á Grande enciclopédia inglesa e á francesa.

A Batalha deu-se no municipio espanhol do Montijo (portanto fora de Portugal) em 26-V-1644 entre as forças portuguesas e espanholas.

Forças portuguesas- 7000 homens comandadas por Matias de Albuquerque
Forças espanholas- 8500 homens comandadas pelo Marquês de Torrecusa, tendo em chefe o Barão de Mollingen.

ou

Portugal and Dutch allies                                  
Commanders  
Matias de Albuquerque                                    
Strength  
6,000 infantry                                              
1,100 cavalry                                                            

Spain
Commanders  
Baron of Mollingen
Strength  
6,000 infantry
2,500 cavalry



Estes eram os dados da Wikipédia inglesa pelo menos até 20 August 2006 (acerca do numero de soldados a vitória portuguesa não é posta em causa), mas pelos visto o numero de soldados foi alterado depois de isso o que não me parece correcto, nem sei quem foi a pessoa que procedeu a esta alteração.

http://www.glosk.com/PO/Montijo/-3004323/pages/Battle_of_Montijo/47244_en.htm

                                                                 
 
Citação de: "Aponez"
Marques de Torrecuso recusou perseguir ó ejército portugues por se voltaba a se dar outra mostra de indisciplina entre as suas milicias como a que se tinha dado en Montijo, onde en vez de seguir as ordes e completar a aniquilación do ejército portugues comezaron a saquear as bagagems deijadas pelos portugueses na sua espantada, perfecto.

Sim estavam a saquear as bagagens dos portugueses, e o que aconteceu depois como resposta foi......( conforme relatado na  grande enciclopédia portuguesa e brasileira)
Citar
Albuquerque mostrou então as suas grandes qualidades de comando; sem se deixar abater moralmente, reuniu toda a sua escolta alguns dos seus subalternos e, á frente de formações menos atingidas (certamente as de reserva), lançou-se «com as espadas nas mãos», contra as forças inimigas mais desorganizadas, que foram surprendidas. Este impulso inesperado conseguiu dar certa coordenação ás forças abaladas e daqui veio a recuperação da artilharia e a seguir um ataque impetuoso ás forças espanholas, ás quais a preocupação do triunfo dera desagregação fatal que lhes não deixou resistir nem procurar coesão.
Seguiu-se o que sempre acontece em casos idênticos: a matança e fuga dos surpreendidos. Moliingen conseguiu reunir os restos do seu exército e atravessar á pressa o Guadiana.


http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=4880&postdays=0&postorder=asc&start=32


O exército espanhol fugiu do campo de batalha em debandada no momento em que já estava a ser aniquilado pelo exército português.
Grande vitória teve Portugal naquele dia! :D
Título:
Enviado por: ferrol em Julho 02, 2007, 09:33:51 am
Citação de: "Lancero"
O Ferrol é um anjinho.
Não é provocador nem nada  :?

Não é sério quem quer, apenas quem pode.
Anímoo efusivamente a que me indique onde dixen eu que seaarounds é unha páxina oficial de algunha institución pública internacional, tal e como pretende facernos convencer o indio de pradería...

E por certo, como moderador que é, vostede ou lince, xa poderían estar advertindo a comanche polos reiterados insultos dos que fun obxecto e que as reglas do forum prohíben. Pero supoño que segui-las reglas só é para os que non pensamos coma vostedes, ¿ou me equivoco?
Título: Ilhas Selvagens.
Enviado por: zocuni em Julho 02, 2007, 03:22:30 pm
Tudo bem,

Desculpem me meter em conversa dos outros,mas li coisas incríveis.O Sr.da Galiza "Ferrol",região que muito admiro e com pessoas extremamente cordiais,mas socorro.As ilhas Selvagens,além de serem portuguesas nos confere o direito a ampliar nossa ZEE.Já não basta andarem a pescar nas nossas barbas,agora querem as Ilhas Selvagens,a quem denominam de ilhota,viram quando tentaram invadir um rochedo no Gibraltar,é que com mais razão lidaram com a Inglaterra.Depois nos quiseram empurrar o Prestige,para nossa costa,ó esperteza saloia.De uns tempos para cá,senão em toda a história os espanhóis sempre tiveram um problema com falta de espaço crónico,já agora podiam nos devolver Olivença,pois aí não poderá ser reclamado ZEE.É cada absurdo que leio,que francamente.Agora se Portugal,detecta embarcações,voos etc,tem que tacar fogo,por invasão territorial,é isso que devemos fazer e acabasse a conversa de uma vez por todas.

Abraços,
Zocuni
Título:
Enviado por: SSK em Julho 02, 2007, 03:31:51 pm
Caro zocuni, acho que tem alguma razão mas não vale a pena abater nenhum meio porque aí é que perderiamos muita da nossa razão. Afinal isto até é tudo Europa... :?
Título:
Enviado por: Aponez em Julho 02, 2007, 08:44:13 pm
En primeiro lugar Zocuni o nome é Galicia non Galiza, isso é cousa dos lusistas que hai no BNG

Olivenza pensaba que ja estaba claro que non vamos a "devolver" a ninguem algo que é noso, se non a querían perder non deberon de permitir o uso do seu territorio para atacar o noso ou ainda máis fácil, en vez de se render defender a cidade :twisted:
Título:
Enviado por: papatango em Julho 02, 2007, 09:05:19 pm
Não tem a ver com o tópico, mas estamos num fórum português!!!

O nome em português é Galiza, da mesma forma que em português se diz EspaNHa, SeviLHA, Londres ou Nova Iorque...
Título:
Enviado por: SSK em Julho 02, 2007, 10:31:47 pm
Citação de: "papatango"
Não tem a ver com o tópico, mas estamos num fórum português!!!

O nome em português é Galiza, da mesma forma que em português se diz EspaNHa, SeviLHA, Londres ou Nova Iorque...

Ou até mesmo OlivenÇa...

Tanta arrogância que vem com esses maus ventos e maus casamentos...

Citar
Isso de abater avións, por nos perfecto, pero despois acepten as consecuencias dos seus actos e non choren como con Olivenza


São tão mauzões que Portugal é independente e é isso que vos custa... Uma pedra tão pequenita que tanto incomoda um sapato tão grande... :oops:
Título:
Enviado por: JLRC em Julho 03, 2007, 02:54:45 am
Citação de: "Aponez"
En primeiro lugar Zocuni o nome é Galicia non Galiza, isso é cousa dos lusistas que hai no BNG

Olivenza pensaba que ja estaba claro que non vamos a "devolver" a ninguem algo que é noso, se non a querían perder non deberon de permitir o uso do seu territorio para atacar o noso ou ainda máis fácil, en vez de se render defender a cidade :roll: .



Em primeiro lugar Aponez o nome é Olivença e não Olivenza, que é o nome que os usurpadores lhe deram.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: ferrol em Julho 03, 2007, 08:47:37 am
Citação de: "JLRC"
Em primeiro lugar Aponez o nome é Olivença e não Olivenza, que é o nome que os usurpadores lhe deram.
Perdon, perdon, perdon...Olivenza foi unha cesión de Alfonso IX de Leon ós templarios en recompensa pola axuda na campaña de Badajoz contra os árabes en 1.230, e que pasou a Portugal en 1.297 no Tratado de Alcañices. Así que, en todo caso, o nome orixinal é Olivenza, que foi o que lle deron os fundadores templarios, non Olivença, que non deixa de ser unha adaptación á grafía portuguesa da verba castellana...
Título: Re: Ilhas Selvagens.
Enviado por: ferrol em Julho 03, 2007, 08:57:40 am
Citação de: "zocuni"
Desculpem me meter em conversa dos outros,mas li coisas incríveis.O Sr.da Galiza "Ferrol",região que muito admiro e com pessoas extremamente cordiais,mas socorro.As ilhas Selvagens,além de serem portuguesas nos confere o direito a ampliar nossa ZEE.Já não basta andarem a pescar nas nossas barbas,agora querem as Ilhas Selvagens,a quem denominam de ilhota,viram quando tentaram invadir um rochedo no Gibraltar,é que com mais razão lidaram com a Inglaterra.Depois nos quiseram empurrar o Prestige,para nossa costa,ó esperteza saloia.De uns tempos para cá,senão em toda a história os espanhóis sempre tiveram um problema com falta de espaço crónico,já agora podiam nos devolver Olivença,pois aí não poderá ser reclamado ZEE.É cada absurdo que leio,que francamente.Agora se Portugal,detecta embarcações,voos etc,tem que tacar fogo,por invasão territorial,é isso que devemos fazer e acabasse a conversa de uma vez por todas.

Por alusións... :lol:
1º.- As illas salvaxes son portuguesas, pero non teñen dereito a ZEE porque non están permanente habitadas nin poden soster por sí vida humana... levamos anos discutindo esto...
2º.- Eu non denomino "illota", eu denomino illote, porque son libre de facelo e porque en moitos lugares portugueses o fan...como xa amosei un par de páxinas atrás...
3º.- O Prestige afundiu diante das costas galegas a moitas millas das portuguesas, e se se levara a afundir en augas portuguesas sería sempre co permiso das autoridades locais...
4º.- España ten tanta necesidade de espacio como Portugal en Angola...
5º.- Non se pode devolver Olivenza, como non se pode devolver Maiorca ós ingleses...nin a Florida a España...
6º.- Tamén hai pescadores portugueses ilegais en Huelva e ninguén fala de afundilos, só de metelos no cárcere
Título: Re: Ilhas Selvagens.
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 03, 2007, 10:37:04 am
Citação de: "ferrol"
Por alusións... :shock:  :roll:
Título:
Enviado por: SSK em Julho 03, 2007, 11:14:06 am
Citar
3º.- O Prestige afundiu diante das costas galegas a moitas millas das portuguesas, e se se levara a afundir en augas portuguesas sería sempre co permiso das autoridades locais...

Realmente deve ser humor da cor do crude, bem negro...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg413.imageshack.us%2Fimg413%2F8782%2Fdscf0023nj3.th.jpg&hash=b1707b55685ba7b6cdb861e359b739f6) (http://http)(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg505.imageshack.us%2Fimg505%2F4230%2Fdscf0018sf4.th.jpg&hash=f7fca6c2f4f1e91d0907c91aae8956e2) (http://http)
Título: Re: Ilhas Selvagens.
Enviado por: manuel liste em Julho 03, 2007, 11:17:17 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
 
Citar
3º.- O Prestige afundiu diante das costas galegas a moitas millas das portuguesas, e se se levara a afundir en augas portuguesas sería sempre co permiso das autoridades locais...

Como? Vou fingir que não escreves-te isto...a sério, mais vale fingir que não escreves-te isso! :roll:


Tengo que decirlo una vez más: el Prestige tuvo un accidente mientras pasaba a pocas millas de la costa gallega por culpa de un temporal. Se dió orden de alejarlo de la costa y enviarlo después a aguas tranquilas, donde se podría trasvasar el petróleo a otro buque. Para cumplir la primera órden (alejarlo de la costa) se tomó rumbo Noroeste tras detener al capitán por obstrucción, y para cumplir la segunda (enviarlo a aguas tranquilas para el trasvase del petróleo) se tomó rumbo Sudoeste, la dirección contraria a los temporales que azotaban el mar Cantábrico, tan habituales en esa época del año (noviembre).

Nadie dió jamás orden de hundirlo o de enviarlo ante las costas portuguesas, y desde luego que nadie pidió permiso a las autoridades portuguesas para hundirlo ante su costa (qué barbaridad  :roll: ). El hundimiento fue accidental, ya que el buque estaba en muy malas condiciones debido a un mal mantenimiento y a que era un buque muy viejo y monocasco. De hecho era su último viaje rumbo al desguace.

Nos tocó a nosotros como pudo tocarle a Portugal, a Francia, a Alemania, a Marruecos o a cualquier otro país de su ruta. La limpieza de su vertido nos costó mucho dinero, y el rescate del petróleo hundido con el buque también. La extracción del petróleo a miles de metros de profundidad fue una operación pionera en el mundo, pues jamás se había hecho antes. Pagada por los ciudadanos españoles.

Si se hubiera hundido en otro sitio, y no ante las costas de Galicia, ese petróleo seguiría dentro del buque hundido hoy. Si se hubiera metido dentro de una ria gallega, miles de personas (pescadores y mariscadores) se hubieran quedado sin trabajo porque el interior de las rías se utiliza para acuicultura (producimos la mayor parte de la acuicultura de España). Hubiera sido un desastre sin precedentes.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 03, 2007, 11:42:59 am
Manuel desculpa-me mas todos nós sabemos que o petroleiro pediu para ir para a Galiza reparar-se, mas como estava em vias de ocorrer o naufrágio as autoridades Espanholas disseram ao comandante para ir para Portugal fazer essas reparações. Ou seja, tentaram empurrar o problema para Portugal. Isso são factos que até os próprios Galegos reconhecem, de tal maneira que eu lembrom-me perfeitamente numa reportagem acerca destes acontecimentos um galego a dizer que tinha vergonha no seu governo por causa das suas atitudes.
Se queres branquear os actos do teu governo...isso é lá contigo.
Título:
Enviado por: manuel liste em Julho 03, 2007, 11:44:19 am
Un último comentario: las autoridades locales de Vigo protestaron hace poco porque Salvamento Marítimo hizo un ejercicio de rescate de un petrolero averiado dentro de la Ría de Vigo. Y era un ejercicio, no un accidente real. Sencillamente, la idea de meter un petrolero accidentado delante de nuestra costa es inaceptable: aquí vive medio millón de personas a pocos metros del mar, aquí no hay industrias relacionadas con el petróleo ni puerto petrolero, aquí se crian mejillones, almejas, rodaballos, lubinas, doradas y otras clases de pescados y mariscos. El negocio acuícola mueve cientos de millones de euros al año. Por otra parte, Vigo es el primer puerto pesquero de Europa y aquí no puede accidentarse un petrolero porque nadie querría pescado procedente de nuestro puerto. Me refiero a miles de puestos de trabajo y a miles de millones de euros. Es inaceptable que entre un petrolero en un sitio así, accidentado o no.

Que los lleven a otra parte o en mitad del Océano, pero no aquí  :!:
Título:
Enviado por: manuel liste em Julho 03, 2007, 11:55:01 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Manuel desculpa-me mas todos nós sabemos que o petroleiro pediu para ir para a Galiza reparar-se, mas como estava em vias de ocorrer o naufrágio as autoridades Espanholas disseram ao comandante para ir para Portugal fazer essas reparações. Ou seja, tentaram empurrar o problema para Portugal. Isso são factos que até os próprios Galegos reconhecem, de tal maneira que eu lembrom-me perfeitamente numa reportagem acerca destes acontecimentos um galego a dizer a dizer que tinha vergonha no seu governo por causa das suas atitudes.
Se queres branquear os actos do teu governo...isso é lá contigo.


Es falso, y el rumbo del buque lo demuestra. La dirección del buque era Oeste-Sudoeste, muy lejos de la costa portuguesa y desde luego muy lejos de cualquier astillero portugués.

El objetivo era llevar al buque lejos de los temporales, que estaban en dirección NE.

La opción de entrar en puerto a reparar se valoró al inicio porque así lo querían el capitán y la naviera. Esa opción hubiera supuesto conservar la propiedad del buque y de su cargamento, mientras que en caso de rescate la hubieran perdido. Las autoridades se negaron a dejar entrar en puerto con los riesgos que eso suponía, y cuando el capitán desobedeció la orden de alejar el buque fue detenido y encarcelado.
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 03, 2007, 12:41:54 pm
Citar
Operação “PRESTIGE”

O Comando Naval e o Incidente do Navio “PRESTIGE”

Eram 1345 (horas portuguesas) do dia 13 de Novembro quando o petroleiro “Prestige”, de pavilhão das Bahamas, e pertencente a uma companhia da Libéria, a cerca de 28 milhas a oeste do cabo Finisterra, lançou um sinal de socorro em virtude de estar sem máquinas, à deriva, e com um rombo no casco.

Apesar do incidente ocorrer em águas de responsabilidade de busca e salvamento espanholas o MRCC Lisboa foi informado da situação no dia 14 de Novembro às 1053, tendo desde logo salvaguardado a eventualidade de necessidade de apoio para a acção SAR em curso.

Após terem sido retirados, na tarde de dia 13, pelo helicóptero espanhol “Pesca I”, 31 tripulantes (ficando apenas a bordo o comandante e mais três tripulantes que desembarcaram dia 18 às 1649 no mesmo helicóptero), o navio começou a ser rebocado para NE e depois (tarde de dia 14) para NW pelos rebocadores espanhóis “Ria de Vigo”, “Charuca Silveira” e “Alonso Chaves” e pelo rebocador chinês “Deda”. Ao fim da tarde de 14 o reboque alterou o rumo para SW até dia 18 às 2240, altura em que se encontrava a cerca de 35 milhas da ZEE nacional. Nessa altura, já se encontrava nas proximidades, no limite norte da nossa ZEE, o N.R.P. “João Coutinho” que havia chegado ao local no dia 18 ás 2040, com a missão de impedir o “Prestige” de entrar na mencionada zona económica.

Às 1023 horas do dia 19, na posição 42º 13’N - 012º 04’W, o navio partia-se em dois, tendo-se afundado às 1520 na posição 42º 11’N - 012º 04’W. Uma enorme quantidade de fuel foi então libertada.

Na sequência do desastre ambiental e da ameaça à costa nacional, foi estabelecido um gabinete de acompanhamento dirigido pelo MEDN e composto por representantes de diversos ministérios, englobando-se o CN, DGAM, e o Instituto Hidrográfico (IH) na representação do MDN.
 

Ao CN coube acompanhar a situação no local através de meios de superfície, recolher, compilar e difundir todas as informações da situação do derrame e da localização das manchas de poluição através das observações dos meios de superfície, dos aéreos, e de dados fornecidos pelo elemento da DGAM junto do gabinete de crise da Corunha – Espanha. Diariamente foram empenhados meios de superfície e aéreos para a monitorização e caracterização das manchas de poluição, envolvendo observação visual, medição de volumetria da poluição, recolha de amostras e recolha de poluição. Após  a compilação da informação recolhida, esta foi sendo enviada diariamente para o IH, DGAM, Gabinete do CEMA e Estado-Maior da Armada.

Foram empenhados 11 meios navais e aeronaves da Força Aérea Portuguesa (FAP) num total de 48 missões aéreas (até 27 de Dezembro).

Sob o comando e controlo operacional do CN, operaram os seguintes navios (até 27 de Dezembro):

• N.R.P.”João Coutinho” – 18 a 21 e 29 a 30 de Novembro – combate à poluição, efectuando acompanhamento da situação e recolha de amostras.

• N.R.P.”João Roby” – 30 de Novembro a 01 de Dezembro – combate à poluição, efectuando acompanhamento da situação e recolha de amostras.

• N.R.P.”Sacadura Cabral” – 19 a 24 de Novembro – combate à poluição, efectuando acompanhamento da situação e recolha de amostras.

• N.R.P.”Afonso Cerqueira” – 25 e 26 de Novembro – combate à poluição, efectuando acompanhamento da situação e recolha de amostras.

Os meios navais empenhados, sob o controlo operacional do Comando de Zona Marítima do Norte (CZMN), foram:

• N.R.P.”Shultz Xavier” – 05 a 28 de Dezembro – combate à poluição. Equipado com equipamento de recolha de poluição.

• N.R.P.”Bacamarte” – 11 a 19 de Dezembro – combate à poluição. Equipado com equipamento de recolha de poluição.

• N.R.P.”Andrómeda” – 12 a 19 de Dezembro – combate à poluição.

 • N.R.P.”Limpopo” – 24 Novembro a 10 de Dezembro – combate à poluição, efectuando controlo das operações superfície, monitorizando poluição através comunicações com aéreo.

• N.R.P.”Save” – 09 a 29 de Dezembro – combate à poluição, efectuando controlo das operações superfície, monitorizando poluição através de comunicações com aeronaves.

• N.R.P.”Zaire” – 20 a 25 de Novembro – combate à poluição, efectuando controlo das operações superfície, monitorizando poluição através de comunicações com aeronaves.

• N.R.P.”Rio Minho” – Colocação de barreiras de protecção.

É de referir também o empenhamento do navio norueguês “Northern Corona” na recolha de poluição, designadamente no dia 14 de Dezembro, quando recolheu duas bolsas com cerca de 80 CUM’s, que se encontravam a cerca de 5 milhas da costa portuguesa, a oeste de Viana do Castelo.

Um dos pontos dignos de realce emergentes de toda esta situação foi o excelente relacionamento e colaboração entre as várias entidades  e organismos envolvidos – A DGAM, a FAP, o CZMN, o IH e o Centro de crise na Corunha.

Actualmente, mantém-se o acompanhamento da situação, estando a poluição libertada junto à posição de afundamento sob atenta vigilância, não oferecendo, desde já, perigo para a nossa orla costeira.


 
Revista da Armada - Fevereiro 2003 (http://http)
Título:
Enviado por: papatango em Julho 03, 2007, 12:56:28 pm
Eu vinha colocar uns pontos nos 'i' mas o post anterior creio que esclarece as dúvidas.

Da mesma maneira que os franceses "empurraram" o problema para águas espanholas sem se preocupar muito, também o governo espanhol fez a mesma coisa, só que no caso para águas portuguesas.

O governo da Galiza pouco ligou ao problema, e o governo em Madrid então pura e simplesmente nem quis saber do assunto.

É nestas alturas, que se entende melhor porque razão é que é melhor ser um estado soberano.
Ser um Estado Soberano quer dizer exactamente isto:
Em última instância esse Estado tem o direito de utilizar meios violentos para garantir a defesa dos seus interesses.

A Galiza não o podia fazer, e o próprio governo espanhol não parecia muito interessado...
Saiu-lhes o tiro pela culatra...

É natural que como sempre, a visão que «eles» apresentam da acção do governo português é a pior possível.
Num documentário que já vi num dos canais temáticos (Odisseia, Discovery ou National Geographic) a ideia que se dá é de que a culpa é toda de Portugal ao impedir que o navio entrasse na nossa ZEE, como se isso impedisse o Prestige de se afundar.
Título: Resposta
Enviado por: zocuni em Julho 03, 2007, 01:07:31 pm
Tudo bem,

Primeiro vamos por partes,como diria "Jacques o Estripador".Infelizmente,o nível dos participantes da Galiza,não estão no nivel a que me habituei no site da Agal,realmente e usando uma terminologia nautica,estão a léguas.
O Sr.Apolez,chega a ter presunção de vir num site lusófono vir a seus participantes dar aulas de ortografia,ora pretensão e água benta cada uma toma a que quer.Quantos aos lusistas do BNG.felizmente são inumeros e por isso deve andar um pouco atormentado,assim como a Galiza,assim como a Guiné-Equatorial estarem próximos de setoornarem membros da CPLP,onde até poderão nos próximos jogos da lusófonia,como membros observadores.Sei que está sentindo o chão fugir,paciência é a vida.Quanto às suas ameaças de se despejarmos fogo em cima dos piratas que pescam em nossa águas,pode estar descansado,que Portugal aguenta perfeitamente,aguentamos 8 séculos inumeras batalhas e confrontos e a contabilização é bem favorável a nós,portanto pode colocar as suas ameaças onde muito bem lhe apetecer.
Quanto ao Sr.Ferrol,penso que sua teoria é tão furada sobre a nossa ZEE,que nem vejo necessidade de me pronunciar perante tão absurdo pensamento neo-colonialista.Quantos aos pescadores ilegais em Huelva portugueses,fazem muito bem.Quando diz que temos tanta falta de espaço como vocês em relação a nós,não entendi de nós em relação a Angola,não pescamos lá,nem exploramos seu petróleo!
Quanto à história de Olivença pode ler neste link,para sua informação.

http://www.geocities.com/capitolhill/2382/brevhist.htm


Só para finalizar,se o lusismo vos atrapalha tanto porque vêm cá,nos encher a paciência e escrever tanta asneirada.Realmente,deveriam se expressar em português,assim como nós vamos a Espanha se não arranharmos espanhol,passamos maus bocados.
Nosso Portugal é pequeno,mas é uno e indivisivel,não somos um Estado fictício,que tende á sua auto-destruição,mesmo sem interferência externa.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: SSK em Julho 03, 2007, 02:18:11 pm
Quanto ao prestige, quem acompanhou no mar a situação sabe o que aconteceu o que vem nos jornais de cada país, normalmente, é o que as pessoas querem ler ou ouvir. Mas o post do Lancero é bastante real do que se viveu bem lá juntinho ao prestige!
Título:
Enviado por: manuel liste em Julho 03, 2007, 02:22:07 pm
Citar
Ao fim da tarde de 14 o reboque alterou o rumo para SW até dia 18 às 2240, altura em que se encontrava a cerca de 35 milhas da ZEE nacional. Nessa altura, já se encontrava nas proximidades, no limite norte da nossa ZEE, o N.R.P. “João Coutinho” que havia chegado ao local no dia 18 ás 2040, com a missão de impedir o “Prestige” de entrar na mencionada zona económica.


Correcto, no contradice lo que he dicho. Estaba siendo remolcado en dirección Oeste-Suroeste hacia aguas tranquilas. Las autoridades portuguesas no quisieron que entrase en su ZEE y ordenaron un cambio de rumbo. Como dice la nota, 10 horas después de esa orden el buque se hundió.

Las autoridades portuguesas estaban en su derecho de impedir que entrase en su ZEE, y las autoridades españolas en el suyo de remolcarlo  lejos de la costa.
Título:
Enviado por: manuel liste em Julho 03, 2007, 02:39:32 pm
El único puerto gallego preparado para recibir petroleros es el de La Coruña. Las autoridades del puerto coruñés logicamente se negaron a recibir a un buque en esas condiciones (sin gobierno, escorado y con una gran fuga de combustible). Además toda la costa noroccidental gallega estaba azotada por un gran temporal. El acceso al puerto de Coruña es estrecho, e imposible para un buque en esas condiciones. La ciudad de Coruña ha sufrido varios accidentes de petroleros, alguno de los cuales puso en serio riesgo la vida de la población. Hicieron bien en negarse

Ningún otro puerto gallego podía recibir ese buque, así que la única alternativa era llevarlo a Alta mar

Lo más importante del tema es que algo parecido puede volver a pasar. Sólo espero que ustedes no tengan que enfrentarse a un problema así, verse envueltos en una situación que ustedes no han creado por la codicia y la negligencia criminal de un naviero.

Nuestro país ha reforzado los medios para la lucha contra la contaminación marina. Hay buques nuevos, nuevos remolcadores más potentes, buques especializados en la recogida de fuel del mar, oceanográficos con minisubmarinos.

¿Y Portugal está preparado para otro 'Prestige'?  :?:
Título:
Enviado por: tentador em Julho 03, 2007, 05:41:29 pm
Citar
Realmente,deveriam se expressar em português,assim como nós vamos a Espanha se não arranharmos espanhol,passamos maus bocados
Perdoa, ti se queres vir a España podes falar portugues, se es capaz de amañarte ou non por suposto non he o nosso problema.

Citar
A Galiza não o podia fazer, e o próprio governo espanhol não parecia muito interessado...
Falas como se Galicia e España foran cousas distintas, como se os galegos fóramos uns esclavos oprimidos de Madrid, Galicia non necesita defenderse de España violentamente porque Galicia é España, pareceme que non entediches o sistema de autonomias. O governo fixo todo o que puido para evitar a catástrofe acertada eou dehacertadamente, tocounos os galegos como lle puido tocar aos valeciáns

Citar
um Estado fictício
Iso é unha falta de respeto

Citar
que tende á sua auto-destruição
E iso é unha estupidez.

Non vexo porque España se está a autodestruir, o que si vexo é isto:
Citar
Respecto a los logros económicos alcanzados en la actual legislatura, consideró que 'España es un país con más riqueza' dado que el PIB se ha incremento en más de 100.000 millones de euros y un crecimiento medio del 3,7 por ciento desde 2004, año desde el que se han ido acumulando superávit y reduciendo la deuda en más de nueve puntos.

 la inflación está por debajo de la del 2004 y el diferencial con la UE está en el entorno del medio punto.

Recordó que hay 400.000 desempleados menos que al inicio de la legislatura y que el número de ocupados 'ha roto la barrera histórica' de los veinte millones, de los que ocho son mujeres.

Dijo que la productividad se sitúa en el uno por ciento, casi el doble del promedio de los ocho años precedentes y que la contribución negativa del sector exterior se ha reducido un tercio.

Los españoles, subrayó, disponen hoy de mayor renta y poder adquisitivo que nunca, con una media de 1.740 euros más que en 2004, descontada la inflación.

Además, destacó que se han reducido los impuestos, más de medio millón de familias se han beneficiado de ayudas la vivienda y se ha aprobado el Estatuto del Trabajador Autónomo, que reconoce los derechos de 3,5 millones de trabajadores.

http://actualidad.terra.es/nacional/art ... 687899.htm (http://actualidad.terra.es/nacional/articulo/economia_zapatero_nacion_1687899.htm)

Toma autodestruccion :wink:

Saudos
Título: Falta de respeito.
Enviado por: zocuni em Julho 03, 2007, 06:06:58 pm
Tudo bem,

Sr.Tentador,falta de respeito,não me faça rir.Falta de respeito é vir para aqui postar em espanhol ou castelhano,em vez de postarem em português,quando vou em sites de outras proveniências,me expresso na língua nativa,senão domino me reduzo à minha insignificância,isso denota falta de cultura e educação.Vir para aqui afirmarem que as Ilhas Selvagens,não dão direito a ZEE.Vir para aqui afirmarem aos quatro ventos que Olivença,é espanhola,virem fazer correções ortográficas por não escrever Galicia.ora meu amigo,dá vontade de mandar para aquele lugar.Nós portugueses,somos muito cordiais,muito educados mas existem limites da boa vizinhança.
Aliás devo acrescentar,para ficar por aqui que não mais responderei a respostas em espanhol,aqui se escreve na língua de Camões,e ponto final no assunto,pois já foi longa demais.

Até sempre,
Título:
Enviado por: tentador em Julho 03, 2007, 06:27:49 pm
Citar
não mais responderei a respostas em espanhol

Non se preocupe que eu para facilitar a lectura porla  vosa parte escribo en galego e non en español, non sei se te diches conta, así que poderás reponderme sen problemas  :wink:

Saudos
Título: Galego.
Enviado por: zocuni em Julho 03, 2007, 06:42:21 pm
Tudo bem,

Ficarei muito satisfeito que se pronuncie em galego.Afinal é a origem de nossa língua,podemos chamar de comum entre portugueses e galegos,espanhol para mim é como inglês,tailandês,javanês é tudo estrangeiro.Responderei com todo gosto em galego,sem problema.

Abraços,
Título:
Enviado por: garrulo em Julho 03, 2007, 06:55:43 pm
Zocuni, ¿no te das cuenta que estás mas lejos de Portugal que yo?.
Título: Re: Galego.
Enviado por: Paisano em Julho 03, 2007, 07:15:03 pm
Citação de: "zocuni"
Tudo bem,

Ficarei muito satisfeito que se pronuncie em galego.Afinal é a origem de nossa língua,podemos chamar de comum entre portugueses e galegos,espanhol para mim é como inglês,tailandês,javanês é tudo estrangeiro.Responderei com todo gosto em galego,sem problema.

Abraços,


Prezado zocuni,

Como brasileiro, me permita, por favor, dar-lhe um conselho: Não se envolva nessas eternas discussões(?) entre portugueses e espanhóis.

Um abraço.
Título: Briga alguma
Enviado por: zocuni em Julho 03, 2007, 07:47:48 pm
Tudo bem,

Sr.Paisano,moramos perto um do outro,mora em Volta Redonda,cidade do aço.Em primeiro não se trata de briga alguma,pelo menos de minha parte,era só o que faltava,as divergências não se resolvem assim.Agora se não me meto nessas brigas vou-me meter em que briga,é que sou português.Minha língua é o português,venho num site português e não vim aqui para ser achincalhado por uns lambe botas de Madrid.Volto a repetir,não responderei a provocações em espanhol,minha língua é lusitana.Somos muito condescendentes nisso,quando saímos de Portugal temos de nos comunicar na língua dos outros,e está correto e o inverso é o que peço,será que é de tão dificil entendimento.
Agora,realmente nem vale a pena estar perdendo tempo com espanhóis,geralmente são muito folgados.

Abraços,
Título: Re: Briga alguma
Enviado por: Paisano em Julho 03, 2007, 07:54:11 pm
Se você é portugues, então, eu calo a minha boca. Ok? :shock:
Título: Rio de Janeiro
Enviado por: zocuni em Julho 03, 2007, 08:21:06 pm
Tudo bem,Paisano

Não precisa calar a boca,mas o debate é tão inutil como desnecessário,é só cada um saber-se situar.É um conceito tão básico quanto isso.
Bem,vivo no Rio de Janeiro mais precisamente em Copacabana,por isso somos quase vizinhos.Este mundo informático tem coisas fantásticas.

Abraços,
Título:
Enviado por: Paisano em Julho 03, 2007, 08:30:15 pm
zocuni, voce por acaso já visitou Volta Redonda?

Eu vou ao Rio a trabalho e, também (raramente), para ver os jogos do Fogão no Maracanã.
Título: Volta Redonda
Enviado por: zocuni em Julho 03, 2007, 08:48:04 pm
E aí,Fogão

Mais uma afinidade,além de sermos vizinhos,torcemos pelo Botafogo.Muito bom.Não vemos ninguém à nossa frente,por enquanto.Como o Botafogo,tudo acontece,vamos ver o que dá.Sim,já fui duas vezes,mas faz mais de 10 anos.Ultimamente,devido a problemas familiares,não tenho ido para muito longe,embora Volta Redonda seja logo ali.

Abraços,
Título: Re: Volta Redonda
Enviado por: Paisano em Julho 03, 2007, 08:56:54 pm
Citação de: "zocuni"
E aí,Fogão

Mais uma afinidade,além de sermos vizinhos,torcemos pelo Botafogo.Muito bom.Não vemos ninguém à nossa frente,por enquanto.Como o Botafogo,tudo acontece,vamos ver o que dá.Sim,já fui duas vezes,mas faz mais de 10 anos.Ultimamente,devido a problemas familiares,não tenho ido para muito longe,embora Volta Redonda seja logo ali.

Abraços,


Mais um tuga que não é vascaino. :lol:

Faz mais de 10 anos? Então você não irá reconhecer a cidade, que mudou e melhorou muito. :G-beer2:
Título: Re: Galego.
Enviado por: Aponez em Julho 03, 2007, 09:18:37 pm
Citação de: "zocuni"
Tudo bem,

Ficarei muito satisfeito que se pronuncie em galego.Afinal é a origem de nossa língua,podemos chamar de comum entre portugueses e galegos,espanhol para mim é como inglês,tailandês,javanês é tudo estrangeiro.Responderei com todo gosto em galego,sem problema.

Abraços,


Galego é galego e portugues é portugues, son duas cousas distintas, nos estamos contentos coa nosa lingua e con o que somos o portugues é estrangeiro para un galego tanto se vocé gosta como se non
Título: Galego
Enviado por: zocuni em Julho 03, 2007, 09:36:49 pm
Tudo bem,

Pelos vistos sabe escrever em galego,e por isso responderei.O português é um galego aperfeiçoado,mas a base linguistica do português é o galaico-português,e isso não me soa a estranho.Diferente,mas com algo em comum,já a hispanofonia não me diz absolutamente nada,só presto atenção neles pois infelizmente são nossos vizinhos e que por norma costumam ter mais olhos que barriga.
De qualquer forma como galego,o respeitarei de uma forma civilizada,pode estar tranquilo.
Você deve ser da ala RAG.Mas tudo bem,opiniões são opiniões e viva o direito à diferença.

Abraços,
Título:
Enviado por: tentador em Julho 03, 2007, 11:44:20 pm
Citar
como galego,o respeitarei de uma forma civilizada

¿Enton se fora un compatriota madrileño non me repeitarías de forma civilizada?
Título: Re: Resposta
Enviado por: ferrol em Julho 05, 2007, 07:05:15 pm
Citação de: "zocuni"
Infelizmente,o nível dos participantes da Galiza,não estão no nivel a que me habituei no site da Agal,realmente e usando uma terminologia nautica,estão a léguas.
Pois moitas gracias...pero ós galegos deste foro non nos gusta que menosprece vostede ós galegos doutros foros...os menosprezos (des)califican a quen os fai non a quen os le... lo3x4

Citação de: "zocuni"
felizmente são inumeros e por isso deve andar um pouco atormentado,
Moi inumeros non deben ser, porque hai 3000 rexistrados na páxina de AGAL... o cal entre 4 millóns de galegos, fai que os innúmeros queden ben contados... :roll:

Citação de: "zocuni"
Quanto ao Sr.Ferrol,penso que sua teoria é tão furada sobre a nossa ZEE,que nem vejo necessidade de me pronunciar perante tão absurdo pensamento neo-colonialista.Quantos aos pescadores ilegais em Huelva portugueses,fazem muito bem.
Entón, os ilegais españois en augas portuguesas hai que afundilos, e os ilegais portugueses en Huelva "facem muito bem"... :roll:


Citação de: "zocuni"
Realmente,deveriam se expressar em português,assim como nós vamos a Espanha se não arranharmos espanhol,passamos maus bocados.
¿Deberíamos expresarnos en portugués?Xa me gustaría expresarme en portugués, ou alemán ,ou hindi...pero élle o que hai, se vostede quere entender, entenda, se non quere, non entenda... se non lle gusta a cor verde, non coma verdura, pero logo non se queixe de que ten o colesterol alto... :lol:

Citação de: "zocuni"
Nosso Portugal é pequeno,mas é uno e indivisivel,não somos um Estado fictício,que tende á sua auto-destruição,mesmo sem interferência externa.
Si, en fin, supoño que insulta o que pode, non o que quere..."Estado ficticio"...agora resulta que Matrix o inventaron os Reis Católicos..."uno e indivisivel"... que todos sabemos o que hai nas illas...

Veña, un saudiño e 2 bicos...
Título: Re: Resposta
Enviado por: PereiraMarques em Julho 05, 2007, 07:35:50 pm
Citação de: "ferrol"
... que todos sabemos o que hai nas illas...


Ai sim, o que é que há nas ilhas? Podia indicar-me alguns dos seguintes dados:
- Quais os partidos políticos autonomistas/independentistas nos arquipélagos portugueses?
- Quais os dirigentes políticos que advogam essa situação?
- Qual a percentagem, nem que seja estimada, da população desses territórios que deseja essa situação?
- Qual o fundamento histórico, cultural ou linguístico para advogar essa "possível" independência?

Por último, sendo este fórum um espaço em que qual espanhol pode dar livremente as suas opiniões, por mais "discutiveis" que sejam, e existindo vários foristas portugueses naturais e/ou residentes nos arquipélagos, porque é que nunca surgiu nenhum a defender essa independência, nem existe conhecimento de alguém ter sido advertido ou expulso do presente fórum por defender esse ponto de vista?
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 05, 2007, 07:42:45 pm
O Ferrol é político  :roll:
Título: Galiza
Enviado por: zocuni em Julho 05, 2007, 08:26:52 pm
Tudo bem,

A Galiza na qual tenho simpatia.Não me revejo nos lambe-botas de Madrid.Não gosto de comer migalhas,gosto de comer o prato principal.Este movimento não é de 3000 pessoas,como podem ver está muito longe disso,estrá crescendo e recomenda-se.Quando se começa a querer provocar e a se usar de tácticas evasivas,são o sinal claro e inequivoco do peso da derrota.Quanto aos factos não existem argumentos.A Galiza há-de gozar de sua liberdade autonomica e cultural,e a "Dinastia Bourbonica" há-de ser um facto passado.

http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_galega


Abraços,
Título: Re: Galiza
Enviado por: SSK em Julho 05, 2007, 08:32:26 pm
Citação de: "zocuni"
Tudo bem,

A Galiza na qual tenho simpatia.Não me revejo nos lambe-botas de Madrid.Não gosto de comer migalhas,gosto de comer o prato principal.Este movimento não é de 3000 pessoas,como podem ver está muito longe disso,estrá crescendo e recomenda-se.Quando se começa a querer provocar e a se usar de tácticas evasivas,são o sinal claro e inequivoco do peso da derrota.Quanto aos factos não existem argumentos.A Galiza há-de gozar de sua liberdade autonomica e cultural,e a "Dinastia Bourbonica" há-de ser um facto passado.

http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_galega


Abraços,


Acredita mesmo no que diz?!? E então as outras regiões que lutam pelo mesmo?!? Daqui a pouco a visinha espanha está dividida em pequenos "Jardins", não creio mesmo nessas autonomias...
Título: SSK
Enviado por: zocuni em Julho 05, 2007, 09:03:58 pm
Tudo bem,

SSK,não se trata de querer a Espanha dividida,penso já ter dado a minha opinião noutro tema deste fórum.Não pretendo,aliás nem poderia pois isso diz respeito às regiões e seus habitantes.Claro que respeito outras regiões separatistas,mas tenho mais afinidades pela da Galiza,penso que dá para entender.Este movimento,pelo menos da Galiza,não é separatista apenas quer que a lei das autonomias sejam respeitadas,ora já coloquei noutro tema,para os galegos aprenderem galego,têm de pedir autorização a Madrid,e ainda são apelidados de subversivos.É essa autonomia que os iberistas defendem e alguns ilustres portugueses.O que quero passar,é que na Galiza o galego é uma língua oficial,mas asfixiada pelo poder madrilista,nós em Portugal penso que já sentimos como esse poder á algo asfixiador,mas abrimos muito as portas seria bom fechá-la,nem que fosse um pouco.Veja-se o resultado que tivemos na "União Ibérica",que quase sumiram com nosso império e até mesmo com Portugal.Felizmente não sei se conhece aquela frase do Prof.Agostinho da Silva que afirma que "todos os países do mundo podem conquistar Portugal,menos a Espanha".Sinceramente não estou nem aí para a Espanha,mas acontece que eles depois de muito tempo estão com uns índices ligeiramente melhores que nós,se bem se lembram em antes da nossa revolução 1974,a Espanha vivia muito pior que nós,lembro-me de ir a Espanha e até vendiam bacalhau nos Bancos,não faz tanto tempo assim.Claro que o problema nosso não foi a revolução,mas nossa transição truculenta ao contrário deles com serenidade.Mas por isso estou notando muita soberba nos espanhóis,e que me desculpem não estão com essa bola toda que pensam.A mim eles não me incomodam nem um pouco,temos quase 9 séculos de história e tirando essa união forçada por crise dinástica,nunca nos atrapalharam em nada.
Agora se em porugal tem uma turma que é por quem dá mais,diria muito pouco mais,só sinto muito,não faço parte dessa turma.
Quanto a Porugal,deve traçar seu caminho como sempre fez e melhor noutras épocas que agora,e a Espanha que seja muito feliz.Agora tem de existir reciprocidade,se eles se estabelecem em Portugal com a maior das facilidades,porque razão temos a maior dificuldade em abrir alguma coisa do lado lá.

Abraços,
Título:
Enviado por: tentador em Julho 05, 2007, 11:32:57 pm
Citar
para os galegos aprenderem galego,têm de pedir autorização a Madrid
Menntira, o estatudo de autonomia deixa ben claro que o galego e cooficial en galicia así como a lingua propia da mesma, ademais as competencias en educacion están transferidas, desgraciadamente. O governo só pon certos minimos.

Citar
s,porque razão temos a maior dificuldade em abrir alguma coisa do lado lá.

Non é certo, de feito se queredes que as vosa empresas paguen aqui os impostos e que os vosos traballadores coticen a nosa seguridade social inda mais podedes vir sen problema.
Título: O enensino do Galego.
Enviado por: zocuni em Julho 05, 2007, 11:45:06 pm
Sr.Tentador

Coloquei um video algures por aí,sobre o estado do ensino do galego,também penso que isto não tem nada haver com as Ilhas Selvagens,por isso postei noutro fórum.Mas pelos vistos,parece que anda desatento.aqui vai um texto bem esclarecedor.



 
Campaña "En galego, Galiza ten futuro"

Dezaseis organizacións de diferentes ámbitos da sociedade galega (político, sindical, estudantil, xuventil, etc.) están a desenvolver unha campaña de promoción do uso da língua galega e de reivindicación dunha nova política lingüística, máis eficaz e que modifique as actuais tendéncias de regresión no uso social do galego.

En rolda de prensa, Concha Costas, presidente da Mesa pola Normalización Lingüística, e Manuel Mera, presidente da Confederación Intersindical Galega (CIG), acompañados de Ramiro Oubiña da Executiva Confederal da CIG, deron conta do porqué desta campaña e da convocatória para o dia 16 de maio dunha manifestación en Santiago de Compostela.

En primeiro lugar, ambos os intervenientes avaliaron brevemente a actual situación lingüística, 15 anos despois de promulgada a Lei de Normalización Lingüística de Galiza, incidindo, evitando todo dramatismo, na realidade dun retroceso no uso social do galego, singularmente nas xeracións máis novas. Asi mesmo, constataron a sua preocupación polo escaso impulso que o galego está a ter por parte da administración (e en concreto, por parte do partido no goberno, o PP) nos diferentes ámbitos da sociedade (administración, mundo socioeconómico, ensino, medios de comunicación, mundo xudicial, novas tecnoloxías...).

Logo informaron dos contidos da campaña e do "Manifesto polo futuro da língua galega", o cal está a ser distribuído por todo o país, campaña que terá o seu cume nunha manifestación para o sábado 16 de maio ás 12 horas en Compostela. Asi mesmo, informaron da recollida de pronunciamentos, en favor da extensión do uso do galego, que se están a producir en plenos de concellos, claustros de colexios e institutos e comitÈs de empresa de toda Galiza.

Finalmente, demandaron unha viraxe na actual polÌtica lingüística do goberno do PP, para que este asuma de vez a promoción real do uso do noso idioma en todos os ámbitos da sociedade, e animaron a participar a toda a sociedade galega desta convocatoria.




--------------------------------------------------------------------------------

A Mesa pola Normalización Lingüística, Asemblea Nacional de Obxección de Consciéncia, Asociación para a Defensa Ecolóxica de Galiza, Asociación Sócio-Pedagóxica Galega, Bloque Nacionalista Galego, Comités de Solidariedade, Comités Abertos de Estudantes, Comités Abertos de Faculdade, Coordinadora de Traballadores/as de Normalización Lingüística, Confederación Intersindical Galega, Frente Popular Galega, Galiza Nova, Movimento Estudantil Universitário, Nova Escola Galega, Plataforma por unha Universidade Normalizada, Sindicato Labrego Galego


MANIFESTO polo FUTURO da LÍNGUA GALEGA

Cando xa van transcorridos 15 anos desde a aprobación e posterior promulgación, en xuño de 1983, da Lei de Normalización Linguüística de Galiza, que declaraba o galego como língua própria do noso país e que dispuña a sua oficialidade, constatamos con enorme preocupación que o uso social do noso idioma está a sofrer un retroceso, singularmente na xente máis nova, que é o garante do porvir da língua galega. De feito, nestes 15 anos a LNL case nen tivo o desenvolvimento regulamentário que caberia agardar (que foi nulo, se exceptuamos o caso do decreto no ensino e a lei de uso do galego nas entidades locais) nen contou coa vontade institucional para ser cumprida na sua extensión.

Por outra banda, por primeira vez, o galego conta con estudos amplos e obxectivos que dan conta da vitalidade do noso idioma. Estes estudos concretan-se no Mapa Sociolingüístico de Galiza, realizado polo Seminário de Sociolingüística da Real Académia Galega e no que se descrebe o estado actual da língua galega, tanto no que atinxe á língua inicial e competéncia lingüística das cidadás e cidadáns galegos, como nos usos lingüísticos e nas atitudes que manteñen a respeito da língua galega. As conclusións máis xerais que se poden tirar deste estudo poden-se resumir nunha certa vitalidade do noso idioma (máis de dous terzos dos galegos empregan maioritária e preferentemente a língua própria), que contrasta cunha máis que preocupante tendéncia desgaleguizadora nas xeracións máis novas, curiosamente as primeiras que teñen contacto co galego no ensino desde os nÌveis primários. Asi mesmo, tamén se constata a existéncia dunha atitude moi favorábel á potenciación do galego por parte da sociedade galega, atitude que non está a ser correspondida polos responsábeis directos de tal potenciamento: a Xunta de Galiza e o governo do Partido Popular.

A desídia institucional, que se concreta na falta dun modelo de normalización lingïística para Galiza, está a definir a polÌtica lingüística do PP, abeirada nunha suposta formulación filosófica sen desenvolvimento teórico, o "bilingüismo harmónico". Esta desídia está a producir un impasse no proceso normalizador que necesariamente ten que acometer a administración galega e a sociedade no seu conxunto.

Preocupa-nos, como parte activa da sociedade galega, o estancamento e mesmo o retroceso que vimos observando na utilización do galego nas diferentes administracións de Galiza, especialmente na administración autonómica, que debera ser modélica en canto ao emprego normal da nosa língua e na defensa dos direitos lingüísticos da cidadania galega.

Preocupa-nos a escasa presenza do galego no eido socioeconómico e a falta de medidas governamentais que garantan esta presenza da lÌngua própria nun eido que nos afecta a todos os cidadáns e cidadás e que é fundamental en calquer proceso normalizador.

Preocupa-nos que nos meios de comunicación a língua galega estea a ocupar un lugar cada vez máis marxinal, que se agrava co pouco respeito pola língua e pola sua normalización que se apreza na rádio e mais na televisión públicas de Galiza. Preocupa-nos a escasÌsima presenza que o galego está a ter nas novas tecnoloxias, en especial nas relacionadas co mundo da informática e a cibernética, e a caréncia total de iniciativas que o governo manifesta.

Preocupa-nos que o ensino en Galiza non sexa un ámbito galeguizador que incorpore á língua própria ás xeracións máis novas, as que máis están a padecer a perda de usos do noso idioma.

Preocupa-nos que no mundo xudicial apenas se dean avanzos a prol do uso normal do galego, nun ámbito fundamental e no que a nosa lÌngua cumpre un triste papel subsidiário.

Preocupa-nos que os nomes dos nosos lugares se vexan deturpados unha e outra vez, mália a própria Lei de Normalización Lingïística, que dispón que a nosa toponímia teña como única forma oficial a galega.

Preocupa-nos, ademais, a falta de planificación que o actual governo do PP mantén respeito da língua galega, alleo ás demandas sociais dunha política lingüística firme e audaz que free o retroceso social do galego e gañe novos espazos para a língua.

Preocupa-nos, en definitiva, o futuro do galego.

De aí que demandemos un cámbio de rumo na política lingüística do governo do PP, unha mudanza que modifique e subverta a actual tendéncia desgaleguizadora e planifique a plena normalización dos usos sociais do idioma galego.




--------------------------------------------------------------------------------


MANIFESTACIÓN sábado 16 de maio ás 12 horas na Alameda de Santiago
 

Volver

Abraços,
Título:
Enviado por: Lince em Julho 05, 2007, 11:49:41 pm
Tópico: Ilhas Selvagens :!:
Título: Re: Resposta
Enviado por: nestor em Julho 06, 2007, 06:04:11 am
Citar
Por último, sendo este fórum um espaço em que qual espanhol pode dar livremente as suas opiniões, por mais "discutiveis" que sejam, e existindo vários foristas portugueses naturais e/ou residentes nos arquipélagos, porque é que nunca surgiu nenhum a defender essa independência, nem existe conhecimento de alguém ter sido advertido ou expulso do presente fórum por defender esse ponto de vista?

Y de todos los gallegos que aqui participan ¿cuantos independentistas hay?

Citar
Acredita mesmo no que diz?!? E então as outras regiões que lutam pelo mesmo?!? Daqui a pouco a visinha espanha está dividida em pequenos "Jardins", não creio mesmo nessas autonomias...



Pues lo siento mucho, pero ningun forista de los que aqui escriben verá eso.

Saludos.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Julho 06, 2007, 10:23:37 am
E porque que não algumas citações de Alberto João Jardim, a defender/propôr a independência da Madeira? Acho que ficariamos todos mais ilucidados. Um manifesto político do seu partido, que por acaso até é um partido de âmbito nacional, a defender tal situação, algo?
Título:
Enviado por: jconc em Julho 06, 2007, 01:46:56 pm
Citação de: "Lince"
Tópico: Ilhas Selvagens :D  :D
Título:
Enviado por: ferrol em Julho 06, 2007, 06:43:27 pm
Citação de: "Lancero"
O Ferrol é político  :roll:
E ademáis ten a paciencia suficiente para seguir pedindo que os moderadores obriguen á rectificación a comanche polos varios insultos que me ten adicado ó longo deste e doutros fíos do forum...

Que encantado podo repetir se a moderación quere, ou lle queda tempo despois de compartir connosco os sentimentos profundos que lle provocan os outros foristas...  :lol:
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 06, 2007, 08:01:50 pm
Você deita-se na cama que faz.


Já agora, e para manter o assunto do tópico, mais uma fonte com mapas das ZEE.

FLANDERS MARINE INSTITUTE (http://http)
Título:
Enviado por: ferrol em Julho 09, 2007, 08:01:12 am
Citação de: "Lancero"
Você deita-se na cama que faz.
Non entendo...¿Debo supoñer que non teño dereito a protestar polos insultos recibidos?
Título: os espanhois não têm uma posição congruente sobre o assunto
Enviado por: HJERONIMO em Agosto 31, 2007, 09:25:13 pm
Sem querer ofender ng mas gostava de assinalar uma posição que acho um pouco hipócrita nos sucessivos governos espanhois ; Espanha não devolve a cidade de Olivença conquistada por si durante as invasões napoleónicas mas exige Gibraltar aos Ingleses que a obtiveram no mesmo periodo , outro caso , Espanha não reconhece a soberanida portuguesa sobre a ZEE das ilhas selvagens chegando mesmo a afirmar na UE que considera o local não ilhas mas ilhotes mas reage de forma militar a uma ocupação marroquina a uma ilhita de uns miseros 500 metros de comprido que fica a menos de 1km da costa marroquina ..... não me parece que seja coerente nas posições que toma .

Em resposta ao desafio indicado por um nuestro hermano sobre que meios teriamos para afirmar a nossa soberania ...bom ..é melhor não entrar por esta linha de pensamentos pois o 11 de Março foi feito por emigrantes iletrados ou o que a ETA vos tem feito ao longo de todos estes anos ..mas enfim ....devemos todos dar-nos bem , respeitarmo-nos e ajudarmo-nos nas adversidades e não rir sobre o azar ou infortunio dos outros ... mais a mais vizinhos que se querem de boas relações ...
Título:
Enviado por: Tuga em Agosto 31, 2007, 10:20:15 pm
Citação de: "pedro"
Espanha nao se mente nisso porque sabe que a Inglaterra defenderia Portugal e os Estados Unidos tambem nao iam ficar a olhar. :lol:
Cumprimentos


Citando um texto escrito por mim no meu antigo blog (já não existe infelizmente):

"Olá a todos!

Vejam aqui a arvore genealógica das super potências do Mundo até hoje:

Na minha opinião,

Na antiguidade houve muitas super potências, mas não contam, porque eram só super potências Regionais (Grécia; Roma, e muito mais…).

A 1ª super potência do Mundo foi Portugal porque iniciou os Descobrimentos e assim deu origem à Globalização, ou seja, criou um Império que detinha 60% de todo o Mundo (até hoje nenhum império em todo o Mundo conseguiu superar o tempo de império de Portugal que foram 200 anos e também nenhum império até hoje conseguiu superar o território mundial que era 60% que Portugal possuía), (antes de Portugal nenhuma nação detinha um Império Mundial).
Portugal foi o 1º no Mundo a descobrir as Américas muito antes do Português de nome falso “Cristóvão Colombo”.
E Portugal também descobriu a Austrália.

A 2ª super potência do Mundo foi a Espanha porque Portugal assim quis, dando à Espanha para que ela começa-se o seu Império as Ilhas das Canárias.

A 3º super potência do Mundo foi a Inglaterra ( a filha adoptiva de Portugal) porque Portugal lhe deu quase todo o seu Império Mundial e lhe ensinou a arte da navegação por mar, por isso se pode dizer que Portugal fez da Inglaterra a super potência do Mundo que foi no passado e que ainda é hoje, embora já esteja um bocado adormecida.

A 4º super potência do Mundo foi a Holanda porque ROUBOU as ilhas das Especiarias (hoje a Indonésia) e o Cabo da Boa Esperança (situado na África do Sul) a Portugal e assim dominou as especiarias durante algum tempo e o Mundo também tornando-se durante pouquíssimo tempo uma super potência Mundial.

A 5º super potência do Mundo foi a França porque ROUBOU territórios gigantescos de África a Portugal e com eles os utilizou para se “afirmar” super potência Mundial.

A 6º super potência do Mundo foi e ainda é a Rússia porque tem um território muito extenso cheio de recursos naturais (gás, petróleo, e muito mais…) extremamente necessários para o Mundo, participou na 1º e 2º guerras mundiais (tendo ganho a 2º guerra mundial) e tem uma forte influência diplomática no Médio Oriente.

A 7º super potência do Mundo foi e é os Estados Unidos da América (o neto adoptivo de Portugal) porque utilizaram na maior parte das vezes, “cérebros” estrangeiros para desenvolverem a sua tecnologia militar (um grande exemplo de um desses “cérebros” estrangeiros foi Albert Einstein que desenvolveu a bomba atómica).
Os Estados Unidos da América podem ter “superioridade militar” sobre quase todos os países do Mundo, mas de nada adianta porque em todas mas em todas as guerras que entraram nunca as ganharam (eu sei que a 1º guerra e 2º guerra mundial dizem que foi os Estados Unidos que as ganharam mas isso não é verdade, porque na 1º guerra mundial foi Portugal e a Inglaterra que derrotaram a Alemanha na Batalha de La Lys e assim ganharam a guerra e na 2º guerra mundial foi a Rússia que derrotou a Alemanha e assim ganhou a guerra, e a Rússia foi a 1ª a entrar em Berlim, a capital da Alemanha).

As potências do futuro serão:

China; índia e Brasil"

Com este texto pretendo demonstrar exactamente o que o membro pedro diz, ou seja, Portugal tem familia poderosa...

A Espanha que pense duas vezes, antes de invadir Portugal...

 :G-bigun:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 31, 2007, 10:35:36 pm
Citação de: "Tuga"
A 3º super potência do Mundo foi a Inglaterra ( a filha adoptiva de Portugal) porque Portugal lhe deu quase todo o seu Império Mundial e lhe ensinou a arte da navegação por mar, por isso se pode dizer que Portugal fez da Inglaterra a super potência do Mundo que foi no passado

A 7º super potência do Mundo foi e é os Estados Unidos da América (o neto adoptivo de Portugal)

porque na 1º guerra mundial foi Portugal e a Inglaterra que derrotaram a Alemanha na Batalha de La Lys e assim ganharam a guerra


Bravo, não via um chorrilho de baboseiras tão grande há já muito tempo... :oops:
Título:
Enviado por: André em Agosto 31, 2007, 11:00:57 pm
Citação de: "Tuga"


Citando um texto escrito por mim no meu antigo blog (já não existe infelizmente):

A 7º super potência do Mundo foi e é os Estados Unidos da América... Os Estados Unidos da América podem ter “superioridade militar” sobre quase todos os países do Mundo, mas de nada adianta porque em todas mas em todas as guerras que entraram nunca as ganharam (eu sei que a 1º guerra e 2º guerra mundial dizem que foi os Estados Unidos que as ganharam mas isso não é verdade, porque na 1º guerra mundial foi Portugal e a Inglaterra que derrotaram a Alemanha na Batalha de La Lys e assim ganharam a guerra e na 2º guerra mundial foi a Rússia que derrotou a Alemanha e assim ganhou a guerra, e a Rússia foi a 1ª a entrar em Berlim, a capital da Alemanha).


Mas que teoria mais parva, durante a 1ª Guerra Mundial se não fosse a entrada dos EUA, as potências europeias continuariam a lutar durante muito anos, quem ganhou essa guerra foram os EUA e o Impêrio Britânico. Em relação a 2ª Guerra Mundial quem ganhou foi indiscutivelmente os EUA, apesar da URSS ter conquistado a capital do Terceiro Reich, os EUA sairam da guerra apenas com um arranhão no seu território que foi o bombardeamento de Pearl Harbour e com a economia mais poderosa do Mundo, tendo um papel preponderante na reconstrução e recuperação econômica da Inglaterra, França e Alemanha Ocidental. E esqueceste que os EUA derrotaram o Japão quase sozinhos, tiveram apenas uma pequena ajuda da Austrália e do Reino Unido. :wink:
Título:
Enviado por: Lancero em Setembro 01, 2007, 12:09:48 am
Pifa  :shock:
Título:
Enviado por: unpredictable em Setembro 01, 2007, 04:07:14 pm
É pá .... então somos a  1ª Super potência!!?!??!?era bom era!! :lol:  :lol: , caro forista Tuga,acho que deve ir investigar melhor nos manuais de história Mundial!! :wink:
Título:
Enviado por: Sintra em Setembro 02, 2007, 10:39:44 pm
Citar
A 1ª super potência do Mundo foi Portugal porque iniciou os Descobrimentos e assim deu origem à Globalização, ou seja, criou um Império que detinha 60% de todo o Mundo (até hoje nenhum império em todo o Mundo conseguiu superar o tempo de império de Portugal que foram 200 anos e também nenhum império até hoje conseguiu superar o território mundial que era 60% que Portugal possuía), (antes de Portugal nenhuma nação detinha um Império Mundial).
Portugal foi o 1º no Mundo a descobrir as Américas muito antes do Português de nome falso “Cristóvão Colombo”.
E Portugal também descobriu a Austrália.


 :shock:

 Além de uns livros de história, também lhe aconselho vivamente os de Geografia, os do secundário. Se a minha professora de 9º Ano o apanhava a dizer uma dessas, chumbava-o...
Título:
Enviado por: Doctor Z em Setembro 03, 2007, 12:03:31 pm
Citação de: "Sintra"
Citar
A 1ª super potência do Mundo foi Portugal porque iniciou os Descobrimentos e assim deu origem à Globalização, ou seja, criou um Império que detinha 60% de todo o Mundo (até hoje nenhum império em todo o Mundo conseguiu superar o tempo de império de Portugal que foram 200 anos e também nenhum império até hoje conseguiu superar o território mundial que era 60% que Portugal possuía), (antes de Portugal nenhuma nação detinha um Império Mundial).
Portugal foi o 1º no Mundo a descobrir as Américas muito antes do Português de nome falso “Cristóvão Colombo”.
E Portugal também descobriu a Austrália.

 :!:
Título:
Enviado por: jconc em Setembro 03, 2007, 01:37:14 pm
60% do mundo,apenas protegidas por alguns soldaditos e umas minusculas feitorias, ao largo das costas das terras descobertas :!:  :!:
Título:
Enviado por: ferrol em Setembro 03, 2007, 05:55:37 pm
Unha imaxe do imperio inglés:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.tcnj.edu%2F%7Efisk2%2FBritish-Empire.gif&hash=a06a8ed778c21568dd4bbc1438540268)

Unha imaxe do español:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.tcnj.edu%2F%7Efisk2%2FT014755A.gif&hash=5783185b6b5a96ac4f5c17e62374f6d8)

E outra do portugués, pintada en lila, e co español en amarelo:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.tcnj.edu%2F%7Efisk2%2Fmap25.gif&hash=3349dca31f9bbf5c24d87e4005929c5d)

O mapa inglés é atemporal, é dicir, recolle tódalas posesións que nalgún día foron do país, aínda que non coincidisen no tempo...

Parece claro que hai que explicar bastante eso do 60%...nin Brasil é o 60% de América, nin Angola o 60% de África, nin Macao o 60% Asia, nin Portugal o 60% de Europa, creo...

tódolos mapas proceden de institucións educativas.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 03, 2007, 06:36:07 pm
Provavelmente deve ser uma referência ao Tratado de Tordesilhas e à percentagem de terras emersas que, "teoricamente", estariam sobre domínio de cada um dos Países Penínsulares.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcarreiradaindia.net%2Fwp-content%2Fmapatratadotordesilhas.gif&hash=a1ccd46da722f2c767f45947584b94d5)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.bairrodoipiranga.com%2FtratadoTordesilhas.jpg&hash=a97a0c37209de319fce8395e703c5c09)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww2.crb.ucp.pt%2Fhistoria%2Fabced%C3%A1rio%2Ftordesilhas%2FA%2520B%2520C%2520da%2520Expans%C3%A3o%2520Portuguesa_ficheiros%2Fimage002.jpg&hash=7d17f52ccdd133bd7b2ab465ba6dfbe3)
Título:
Enviado por: ferrol em Setembro 04, 2007, 08:14:31 am
Citação de: "PereiraMarques"
Provavelmente deve ser uma referência ao Tratado de Tordesilhas e à percentagem de terras emersas que, "teoricamente", estariam sobre domínio de cada um dos Países Penínsulares.
Pois podería ser, claro...pero ¿non lle parece raro que a moi prudente verba do teóricamente, coa que estou dacordo, non apareza nas mensaxes do forista "Tuga"...? É que talmente parece que asegura que Portugal dominou nalgún tempo o 60% das terras emerxidas, das submerxidas e os aires e ventos que as rodean  :wink:
Título:
Enviado por: aladino em Setembro 14, 2007, 11:52:26 pm
Se recuarmos pelo menos 200 anos na história em relação a 1770 teriamos que incluir a India na sua totalidade ao Império Português que como pais já tinha quase 400 anos de existencia enquanto a Espanha como pais tinha acabado de nascer e estava a crescer.....resultante da união dos vários reinos existentes e quase por imposição de Castela,......, confude-se muito Castela com Espanha,......., não sei porque será .....!  :roll:  :roll:

 cpts
Título:
Enviado por: Alfré em Setembro 18, 2007, 12:49:35 am
Actualmente existe España y tu confusion puede ser porque dentro de esta existen dos castillas, una se llama leon y otra la mancha :wink:

Sobre la cuestion de las islitas pienso que son unas islas robadas pertenecientes a España, de todas maneras es una tonteria temer perder su soberania, anexionandose vuestro pais a España toda la peninsula Iberica seria vuestra al igual que todos los archipielagos que tenemos, en el tema de defensa pasariais a ser una potencia media..

Que seria de ustedes y las salvajes si no hubieramos echado a los moros apestosos..
Título:
Enviado por: ferrol em Setembro 18, 2007, 12:03:29 pm
Citação de: "aladino"
Se recuarmos pelo menos 200 anos na história em relação a 1770 teriamos que incluir a India na sua totalidade ao Império Português que como pais já tinha quase 400 anos de existencia enquanto a Espanha como pais tinha acabado de nascer e estava a crescer.....resultante da união dos vários reinos existentes e quase por imposição de Castela
En 1770, que eu saiba, Portugal podería ter na India, como moito, Goa, Daman e Diu, que entre todos eles non fan nin o 2% do territorio hindi actual...para calquera outra aclaración, un mapiña seguro que explica as cousas perfectamente. O méu, na wikipedia commons...

España acababa de nacer...no 1492, cando se expulsou ós mouros de Granada...a unión dos reinos se fixo, como se facía naquelas épocas, por matrimonios (¿Sóanlle os Reis Católicos, Isabel de Castela, Fernando de Aragón?) ou herdanzas destes...

Pero iso é Historia, e seguro que xa o sabe....
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 18, 2007, 01:18:35 pm
Caro Ferrol

Atenção as leituras na diagonal :!:

Citar
Se recuarmos pelo menos 200 anos na história em relação a 1770
Título: Uma cronologia interessante
Enviado por: Lisander em Dezembro 20, 2007, 11:47:08 pm
* 1881 - During a meeting of the Maritime Sinalization Commission the Spanish government requested that Portugal cooperate with the installation of a lighthouse in the islands. The Portuguese commission recognized the importance of the lighthouse to the sea route to the Canary Islands, but could not contribute to the project at that particular moment due to the involvement in the Portuguese coast signalization, which was absorbing all available funds. The Spanish Foreign Affairs Ministry stated during the meeting that "...it is not clear if the sovereignty of the island belongs to Spain or Portugal".
    * 1911 - In September the Portuguese government received an official communication from the Spanish government in which it was stated that Spain would build a lighthouse in the islands and had decided to include them in the Canary archipelago. Portuguese administration protested and it was agreed not to take any actions that might endanger a friendly solution to the dispute.
    * 1913 - Admiral Schultz Xavier conducted a survey of the Selvagem Grande Island and recommended Pico da Atalaia as the best location for the lighthouse.
    * 1929 - Rear Admiral Gago Coutinho clarifies, in a document, that the islands were always under Madeira administration, and therefore, were Portuguese.
    * 1932 - The Portuguese government legislated over the islands and declared them under a special regimen of hunt in favor of the owner.
    * 1938 - The Permanent Commission of International Maritime Law declares Portugal as the legitimate sovereign over the islands on February 15. A hydrographic survey mission proceeded to survey the islands and established several geodesic survey points.
    * 1972 - Two Spanish fishing boats, “San Pedro de Abona” and “Áries”, are arrested near the islands for illegal fishing.
    * 1975 - Canary Islands sailors disembark in the Savages and there they waved a Spanish flag, but the administration did not support them.
    * 1976 - Spanish fishing boat “Ecce Homo Divino” is arrested for illegal fishing.
    * April 8, 1996 - Spanish F-18 fighters flew over the islands.
    * August 2, 1996 - A helicopter Puma SA-330J from the Spanish Air Force simulated a landing on Selvagem Grande Island committing a double infraction: violation of the Portuguese air space and flying below 200m over the reserve.
    * October 16, 1996 - Spanish F-18 fighters flew over the islands, but this time were filmed by the Portuguese RTP TV channel. Following these actions the Portuguese Foreign Affairs Ministry protested.

NRP Schultz Xavier anchored near Selvagem Pequena Island
NRP Schultz Xavier anchored near Selvagem Pequena Island

    * May 1997 - The Portuguese Ministry of Defense signed an agreement with the Spanish government to restrain these actions.
# August 1, 1997 - The flyby actions happened again. The Portuguese Foreign Affairs Ministry reminded the agreement to the Spanish government.
# September 24, 1997 - Spanish fighters again flew over the islands at low altitude. Spanish ambassador to Portugal apologized for the actions. Portugal reinforced the islands with the Portuguese Navy, armed with AA batteries.
# July 8, 2005 - One of the guards in Selvagem Grande Island and a biologist are threatened by a group of Spanish fisherman. A group of 10 marines was placed in the island during a month.[5]
# June 2007 - One Spanish fighter again flew over the islands at low altitude

cumprimentos e um bom natal lool
Título:
Enviado por: typhonman em Dezembro 21, 2007, 07:21:39 pm
Para quando F-16MLU em Porto Santo?
Título:
Enviado por: Mueda em Dezembro 22, 2007, 01:13:12 am
Estes Castelhanos deviam era preocupar-se mais com o que se passa dentro das fronteiras do seu Reino.

Isto é...ver se conseguem arrumar a casa  :D de Bilbao a Gibraltar ... desculpem o involuntário erro ... de Madrid a Algeciras. :lol:  :lol:

Mueda
Título:
Enviado por: Iris-t em Dezembro 22, 2007, 01:20:48 pm
Vaya con el error, primero llama castellanos a los españoles y después no sabe delimitar el territorio de Castilla, vamos más que un error es no tener ni p*** idea de lo que escribe.
Título:
Enviado por: Jose M. em Dezembro 23, 2007, 07:25:12 am
Citação de: "Mueda"
Estes Castelhanos deviam era preocupar-se mais com o que se passa dentro das fronteiras do seu Reino.

Isto é...ver se conseguem arrumar a casa  :D de Bilbao a Gibraltar ... desculpem o involuntário erro ... de Madrid a Algeciras. :lol:  :lol:

Mueda


Mueda:

Portugal puede hablar con España cuando quiera sin esperar al Juicio Final. De hecho ya llevan hablando desde hace mucho.

 La República Portuguesa sabe que España tiene arreglada la casa desde Bilbao a la Isla del Hierro y desde Ibiza a Olivenza.

Mueda, no tenga complejo de inferioridad que los 11.000.000 de portugueses pueden hablar tranquilamente con todos los 45.000.000 de españoles. ¿Para qué charlar sólo con unos 4.000.000 de castellanos?

Te recuerdo que en otro hilo estoy esperando que aportes unos datos que decías conocer.

Recibe un saludo.
Título:
Enviado por: Mueda em Dezembro 23, 2007, 09:10:50 am
Caro "amigo",

Portugal não possui esse complexo de inferioridade tal como o não possuem outros Povos Ibéricos, apenas não gostamos de Castelhanos incorrectos.

Nestas circunstâncias apenas temos de vos colocar nos seus devidos lugares, isto é, a fazer o que bem entenderem desde que não nos chateiem a nós !

Isto é algo que deveriam ter sempre presente, mas infelizmente nem a História que vos ensinam ajuda porque infelizmente apenas se trata de um instrumento destinado a justificar, a engrandecer e procurar propagandear a falsa união da Coroa Espanhola.

Por outro lado eu também irei recordar-me sempre que o Estado Espanhol tem a casa arrumada de cada vez que uma das Nações Ibéricas promulgar mais uma Lei destinada apenas a se aproximar da Independência.

O mesmo sucederá sempre que mais uma Bomba da ETA explodir ou quando mais um servidor da Coroa Espanhola for morto.

Mueda
Título:
Enviado por: Jose M. em Dezembro 23, 2007, 10:23:48 am
Querido Mueda:


En Extremadura no nos gustan los castellanos incorrectos, ingleses borrachos, ni portugueses bocazas. El resto de castellanos, ingleses y portugueses son bienvenidos y apreciados. Los extremeños somos así.

Si vienes a cenar a casa estas Navidades te regalaré algunos libros para que adquieras conocimientos. Lamento no poder regalarte sentido común porque soy un simple mortal y eso queda reservado a los dioses.

En el lote de libros incluiré " La Constitución del 78 explicada a los niños" para que no te asustes de lo que significa Autonomía  y respeto a las distintas culturas.

La estructura del Estado en España (Gobierno Central y Autonómico) no es demasiado complicada para ser comprendida, simplemente es necesario un mínimo de inteligencia para ello.

Hablas mucho de los delincuentes de ETA y sus bombas y parece que comprendes muy bien sus razones contra los servidores de la "Corona de España".  Además te produce risa. Los delincuentes (a tí te produce risa que les llame delincuentes) de ETA han matado a 25 niños y herido (mutilado) a más de 60. Enhorabuena por tu sentido del humor.
Título:
Enviado por: Daniel em Dezembro 23, 2007, 11:16:24 am
Jose M.
Citar
Mueda, no tenga complejo de inferioridad que los 11.000.000 de portugueses pueden hablar tranquilamente con todos los 45.000.000 de españoles. ¿Para qué charlar sólo con unos 4.000.000 de castellanos?


Caro Jose M. nós nunca tivemos nem temos compleso de inferioridade, esse numero de 45 milhões faz rir, será que defacto vc pode contar com todos :lol: meu amigo não temos medo de números, só dizer nos somos PORTUGAL , creio que este nome diz tudo fim.  :wink:  c34x
Título:
Enviado por: Jose M. em Dezembro 23, 2007, 12:18:45 pm
Citação de: "Daniel"
Jose M.
Citar
Mueda, no tenga complejo de inferioridad que los 11.000.000 de portugueses pueden hablar tranquilamente con todos los 45.000.000 de españoles. ¿Para qué charlar sólo con unos 4.000.000 de castellanos?

Caro Jose M. nós nunca tivemos nem temos compleso de inferioridade, esse numero de 45 milhões faz rir, será que defacto vc pode contar com todos :lol: meu amigo não temos medo de números, só dizer nos somos PORTUGAL , creio que este nome diz tudo fim.  :wink:  c34x


Daniel, como puede comprobar me refería a un presunto complejo de inferioridad del tal Mueda, no de los portugueses que nunca lo han tenido ni tienen motivos para tenerlo.

Era una simple respuesta a un xenófobo anticastellano y filoterrorista, no un ataque contra Portugal.

Saludos.
Título:
Enviado por: Iris-t em Dezembro 23, 2007, 12:58:08 pm
Yo vuelvo a preguntar al Sr. bocazas, perdón Mueda si sabe delimitar el territorio de Castilla, porque a parte de escribir idioteces, filoterroristas como dice José M. y payasadas que ni un niño de 10 años suscribiría, me da toda la sensación de que desconoce el territorio "histórico" de Castilla, vamos que no sabe lo que escribe, a parte de chorradas absurdas.
Título:
Enviado por: macer em Dezembro 23, 2007, 05:55:59 pm
será que ainda sou o unico a acreditar no pai natal? (estados unidos europeus)

o caminho da europa é e tem de ser a uniao temos mais em comum com espanha do que com qualquer outa naçao no mundo pelo menos esta é a minha opiniao

julgo que nos devemos deixar destes jogos de palavras que n servem para nada ou melhor servem para promover o odio entre paises  

eu fico orgulhoso quando um pais europeu é mencionado na cena internacional creio que nós europeus somos uma "especie" em extinçao e temos o nosso cantinho e devemos-o manter creio que para tal pede-se um bloco forte

desculpem o off-topic mas fico revoltado quando leio certas barbaridades
Título:
Enviado por: Rui Conceicao em Dezembro 23, 2007, 07:35:28 pm
Penso que a União Europeia foi feita para fazer frente aos USA, a nível económico, e penso que no futuro a China.
Eu sou sempre por Portugal e como tal, sei ver quando é necessário alianças, quer económicas ou militares.
Os países  europeus se quiserem continuar a ter voz tem que se aliar, o passado de grandes potencias passou a muito.
Título:
Enviado por: Mueda em Dezembro 24, 2007, 01:53:37 am
Caros "picados" Castelhanos,

Acho divertido que a vossa argumentação tenha que se basear sempre no mais vulgar insulto.

Beijinhos  :lol:
Mueda
Título:
Enviado por: Iris-t em Dezembro 24, 2007, 01:15:21 pm
Por mi parte insulto ninguno, sólo califico los hechos, osea las tonterías que escribes.

Feliz Navidad.
Título:
Enviado por: Mueda em Dezembro 25, 2007, 12:48:05 am
Tratem mas é de resolver a questão de Gibraltar  e depois falamos :)

Um abraço e bom Natal !!!
MUEDA
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Dezembro 26, 2007, 08:50:33 am
Chego a este tópico um pouco tarde, mas aqui vai:

As Ilhas Selvagens fazem parte da Região Autónoma da Madeira e são território português. Mas pelos vistos esses espanhóis de trazer por casa não o sabem. As Selvagens são tão portuguesas que foram visitas por Mário Soares e Sampaio. Porém o Governo português está tão atento que quando esses espanhóis idiotas fazem voos razantes proibidos com os seus caças aéreos, o Governo português tapa os ouvidos e para o outro lado. Isto tem de acabar. As Selvagens são e serão sempre de Portugal.

P.S.: Gostava de saber se esses espanhóis entrassem de voo razante por Lisboa o Governo não faria nada?
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Dezembro 26, 2007, 09:00:43 am
Citação de: "Rui Elias"
[E no passado a Espanha já sobrevoou com meios militares as Selvagens, sem autorização de Portugal.


Para não falar de pescadores que espanhóis que lá pescam ilegalmente e ameçam com armas os fuzileiros e guardas naturais que lá vivem. Sou madeirense e conhecço muito bem esta realidade.

P.S.: Visitem e registem-se em Diário de Notícias da Madeira (http://http) e façam uma pesquisa no próprio site com a palavra Selvangens. Aí em Lisboa a comunicação social pouco liga ao assunto pois parece ter medo do próprio Embaixador do Reino de Espanha.
Título:
Enviado por: zocuni em Janeiro 05, 2008, 05:50:29 pm
Tudo bem,Supremo Alquimista

Que meios de fiscalização existem para o Arquipélago da Madeira?Que meios considera como indispensáveis para tal missão.

Abraços,
Título:
Enviado por: Iris-t em Janeiro 05, 2008, 06:22:53 pm
Citação de: "Supremo Alquimista"
Chego a este tópico um pouco tarde, mas aqui vai:

As Ilhas Selvagens fazem parte da Região Autónoma da Madeira e são território português. Mas pelos vistos esses espanhóis de trazer por casa não o sabem. As Selvagens são tão portuguesas que foram visitas por Mário Soares e Sampaio. Porém o Governo português está tão atento que quando esses espanhóis idiotas fazem voos razantes proibidos com os seus caças aéreos, o Governo português tapa os ouvidos e para o outro lado. Isto tem de acabar. As Selvagens são e serão sempre de Portugal.

P.S.: Gostava de saber se esses espanhóis entrassem de voo razante por Lisboa o Governo não faria nada?


Podías insultar a quien yo me sé, a parte de eso me niego a contestar a tales estupideces, por cierto quien es responsable OTAN en ese área del atlántico, porque a lo mejor es la ineficacia y la falta de medios que hacen que nosotros con nuestro dinero tengamos que dar cobertura a Portugal.
Título:
Enviado por: pedro em Janeiro 05, 2008, 06:29:53 pm
Nao te esqueças que é espaço aereo portugues, por isso voces nao tem nada a fazer nas selvagens.
Título:
Enviado por: Lancero em Janeiro 05, 2008, 06:52:46 pm
Citação de: "Iris-t"
Podías insultar a quien yo me sé, a parte de eso me niego a contestar a tales estupideces, por cierto quien es responsable OTAN en ese área del atlántico, porque a lo mejor es la ineficacia y la falta de medios que hacen que nosotros con nuestro dinero tengamos que dar cobertura a Portugal.


Essa é para rir. Certo?

Já viu a área que o comando que está na terra dos incapazes - com os meios dos incapazes, que os incapazes pagam - cobre?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Finsoniasoniricas.net%2Fimages%2Fimages_selvagens%2Fotan.jpg&hash=f63bfa712d9af0ab280b616c5bc9f465)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.jc-lisb.nato.int%2Fuploads%2FImagens%2FAboutUs%2Fstructure.gif&hash=708da848264fff79e59a327e8af8f2a7)
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Janeiro 05, 2008, 07:44:20 pm
Citação de: "zocuni"
Tudo bem,Supremo Alquimista

Que meios de fiscalização existem para o Arquipélago da Madeira?Que meios considera como indispensáveis para tal missão.

Abraços,


Que eu saiba os meios são muito poucos. Existem fuzileiros nas Selvagens permanentemente (mas são poucos) é necessário que o Governo arranje meios, não me pergunte quais pois não sou perito na matéria, para proteger os cidadãos portugueses que habitam nas Selvagens assim como a fauna e a flora.
O Dr. Alberto João Jardim há muito que tem alertado para este assunto, mas Lisboa só faz orelhas moucas. Quando um militar ou um guarda natural for vítima de pescadores espanhóis com espingardas e barcos mais rápidos que o dos fuzileiros, quero ver como é que é.
Título:
Enviado por: Johnnie em Janeiro 05, 2008, 09:11:14 pm
Terás brevemente os "Viper" em Porto Santo a fazer QRA tem calma
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Janeiro 05, 2008, 11:12:10 pm
Citação de: "Johnnie"
Terás brevemente os "Viper" em Porto Santo a fazer QRA tem calma


Sou um pouco leigo na matéria. O que são "Viper" e o que é "fazer QRA"?
Obrigado e desculpa lá a minha ignorância. :oops:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 05, 2008, 11:16:44 pm
F-16 e Quick Reaction Alert (Alerta de Reacção Rápida)
Título:
Enviado por: JLRC em Janeiro 05, 2008, 11:27:46 pm
Citação de: "Johnnie"
Terás brevemente os "Viper" em Porto Santo a fazer QRA tem calma


Isso é um desejo seu ou vai mesmo ser realizado? E nos Açores? Também teremos lá os F-16 a fazerem QRA? Já agora, já está resolvido o problema de falta de pilotos para os Merlin?
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Janeiro 05, 2008, 11:53:23 pm
Citação de: "PereiraMarques"
F-16 e Quick Reaction Alert (Alerta de Reacção Rápida)


Obrigado.
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Janeiro 05, 2008, 11:54:18 pm
Citação de: "Johnnie"
Terás brevemente os "Viper" em Porto Santo a fazer QRA tem calma


Óptimo!!
Título:
Enviado por: Iris-t em Janeiro 06, 2008, 02:15:33 am
Citação de: "Johnnie"
Terás brevemente os "Viper" em Porto Santo a fazer QRA tem calma


Si vamos tranquilísimos, si España quisiera invadir las Salvages a ver que iban  a hacer un par de F-16 en QRA contra todo un escuadrón de F-18 de Canarias (24), la paranoia de algunos ya es que roza el ridículo.
Título:
Enviado por: zocuni em Janeiro 06, 2008, 02:35:04 am
Citação de: "Iris-t"

Si vamos tranquilísimos, si España quisiera invadir las Salvages a ver que iban  a hacer un par de F-16 en QRA contra todo un escuadrón de F-18 de Canarias (24), la paranoia de algunos ya es que roza el ridículo.


Ridiculo é você e patético.Quanto a vocês quererem invadir seja lá o que for,a incompetência é tal que até dá risos.Não escreve asneiras.Felizmente seu crédito por estas paragens é nulo.

Abraços,
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Janeiro 06, 2008, 09:09:20 am
Parece que os únicos espanhóis que entendem que Portugal é e deve continuar a ser independente são os membros da Família Real Espanhola.
Título:
Enviado por: pedro em Janeiro 06, 2008, 02:17:29 pm
Meu caro Iris-t veja la se consegue meter isto na cabeça Portugal é Portugal e Espanha é Espanha.
Eu sei que olhar para o mapa e ver Portugal como pais indepedente é duro para voces, estao entalado, mas é a vida.
Voces perderam agora deixem-nos viver a vida.
Cumprimentos/Saludos :wink:
Título:
Enviado por: Iris-t em Janeiro 06, 2008, 04:44:04 pm
Citação de: "pedro"
Meu caro Iris-t veja la se consegue meter isto na cabeça Portugal é Portugal e Espanha é Espanha.
Eu sei que olhar para o mapa e ver Portugal com pais indepedente é duro para voces, estavos entalado, mas é a vida.
Voces perderam agora deixem-nos viver a vida.
Cumprimentos/Saludos :wink:


1º A mí me parece perfecto que Portugal sea un país independiente.

2º Para mí Portugal no es España, y ningún español, que yo conozca, al menos, se considera iberista.

3º Hay argumentos, más o menos interesantes o creíbles, pero decir en primer lugar que España quiere apropiarse de las Salvajes y posteriormente que con un par de F-16 (no sabemos si MLU o no), ya se está mucho más tranquilo, ES PARA PARTIRSE DE LA RISA, ni 2, ni 4, ni la mitad de la flota de F-16 portugueses, tienen nada que hacer con los F-18 de Gando (Canarias).

Cada uno es cada uno, y hay que respetar sus ideas, pero permitirme que a pesar de mi crédito nulo según zocuni, me siga riendo un rato más de las estupideces que tengo que leer.
Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 06, 2008, 05:20:53 pm
Portugal deve fazer a QRA nas Selvagens logo que tenha condições para o fazer, Portugal não deve ceder a chantagens, provocações ou intimidações por parte dos espanhois, seja de 24 F18  ou 100 ou 1000 F18 que sejam!

Invasões territoriais do espaço marítimo, terreste ou aéreo português sem autorização, são atitudes hostis contra Portugal, se algum F18 espanhol atacar um F16 em patrulha em espaço aéreo português, então aí....

Pode ser o rastilho para se iniciar mais um conflito, a juntar aos muitissimos que tivemos no passado com castela/Espanha.
Título:
Enviado por: zocuni em Janeiro 06, 2008, 06:10:13 pm
Citação de: "Iris-t"
Cada uno es cada uno, y hay que respetar sus ideas, pero permitirme que a pesar de mi crédito nulo según zocuni, me siga riendo un rato más de las estupideces que tengo que leer.


É você pode rir do que que quiser,vem para aqui em tons provocadores e debochados pensando que se acha um ser de outra galáxia.Respeite para ser respeitado.
Título:
Enviado por: JPM em Janeiro 06, 2008, 10:50:59 pm
Citação de: "comanche"
Pode ser o rastilho para se iniciar mais um conflito, a juntar aos muitissimos que tivemos no passado com castela/Espanha.


Com o governo Federalista que temos, mais depressa pedem desculpas aos Espanhóis por terem o F-16 no ar e se oferecem para pagar um novo míssil para substituir o que foi gasto...
Título:
Enviado por: Iris-t em Janeiro 06, 2008, 10:57:36 pm
Y que quiere Sr. zocuni, usted no es que falte al respeto, al menos no sólo, sino que falta a la inteligencia de cualquier persona que lea tal retaila de estupideces seguidas, primero España va a invadir las Salvajes, luego 2 F-16 en QRA van a parar la invasión, después el Sr. Comanche predice un conflicto armado por una isla deshabitada y con cuatro guardas forestales, si es que son ustedes de risa, lo peor es que para más de un compatriota suyo deben ser de llanto.


Me parece increíble que alguien pueda creerse sus propias mentiras de manera tan ridícula, y no sólo eso sino todavía pedir respeto, bueno hallá ustedes mismos con sus cosas, pero vamos los españoles estamos preocupadísimos. :D
Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 06, 2008, 11:35:10 pm
Citação de: "Iris-t"
Sr. Comanche predice un conflicto armado por una isla deshabitada y con cuatro guardas forestales, si es que son ustedes de risa, lo peor es que para más de un compatriota suyo deben ser de llanto.


As Selvagens são território português, se achas motivo de riso Portugal defender uma arquipélago com 2,73 Km2, e com uma grande importância estratégica e económica, então deves achar um completo absurdo e uma estupidez a atitude e preocupação de Espanha em impedir a ocupação dos  0,15 km2 da  ilha desabitada, e sem qualquer riqueza ou importância estratégica, estou a falar do recente conflito com Marrocos pela ilha de Perijil, aí sim, aí já podes rir. :wink:

Quanto ao pranto, é a sina de milhões de habitantes de Espanha, milhões esses que gostariam de viver em um país como Portugal.
Título:
Enviado por: Iris-t em Janeiro 06, 2008, 11:41:03 pm
Citação de: "comanche"

Quanto ao pranto, é a sina de milhões de habitantes de Espanha, milhões esses que gostariam de viver em um país como Portugal.


Bueno si usted lo dice, pues será así, pero vamos no veo la frontera llena de vehículos deseando vivir en Portugal, debe ser cosa mía, pero vamos que no lo veo. Si me apura más bien es al revés.

P.D. En Perejil no hubo ninguna guerra, sólo hubo una intervención de operaciones especiales, no aviones en QRA, desafiando a una fuerza de combate 7 veces superior tanto cuantitativa como cualitativamente, pero en fin, si esa es su opinión pues muy bien, pero vamos que no me preocupa.
Título:
Enviado por: Supremo Alquimista em Janeiro 07, 2008, 09:54:08 am
Citação de: "JPM"
Com o governo Federalista que temos...

Nós temos um Governo Federalista, mas sim Centralista.
Título:
Enviado por: pedro em Janeiro 07, 2008, 04:39:31 pm
Meus amigos Portugal ainda nao esta destruido ainda ha homens para lutar pela patria.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: typhonman em Junho 29, 2008, 02:40:27 am
Citar
D.R.  

Luís Amado e Miguel Moratinos29 Junho 2008 - 00h30

Relações Luso-espanholas
Espanha evita sobrevoar ilhas Selvagens
O ministro espanhol dos Negócios Estrangeiros garantiu ontem no Funchal que a Força Aérea espanhola vai evitar todos os voos sobre as ilhas Selvagens, no arquipélago da Madeira.


Este foi um dos temas focados na reunião que decorreu hoje na capital madeirense entre os ministros dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Luís Amado, e Espanha, Luís Moratinos.

Luís Amado admitiu que "de vez em quando há incidentes destes e Portugal apresenta o seu protesto" pela violação da soberania portuguesa, tendo o homólogo espanhol afirmado que se trata de voos de treino que "vão ser totalmente evitados".

Miguel Moratinos garantiu que chamará a atenção do Ministério da Defesa espanhol sobre este assunto.

Lusa


A ver se começam a respeitar a nossa soberania, deve ser o primeiro acto de insurgência deste governo contra as acções espanholas. Bem haja, mas mesmo assim convêm ter F-16 em Porto Santo.


 :arrow: http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... 0000000090 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=E8C2A4D8-790D-47AD-B60A-1412B36C2E41&channelid=00000090-0000-0000-0000-000000000090)
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Junho 29, 2008, 03:23:56 am
Citar
Moratinos promete a su homólogo portugués que no habrá más vuelos militares españoles sobre las Islas Salvajes

El ministro de Asuntos Exteriores, Miguel Ángel Moratinos, aseguró hoy a su homólogo portugués, Luis Amado, que no se producirán más vuelos militares españoles sobre el archipiélago de las Islas Salvajes, unas pequeñas islas sin población civil situadas entre Madeira y las Canarias. Esta ha sido una de las principales peticiones planteadas por Amado durante la visita de Moratinos a Funchal, la capital de Madeira.

LISBOA, 28 (EUROPA PRESS)

Amado admitió que "de vez en cuando hay incidentes de este tipo y Portugal ha presentado sus protestas" por la violación de la soberanía portuguesa. Moratinos, por su parte, aseguró que se trata simplemente de vuelos de práctica, aunque dijo que "van a evitarse totalmente", según informa el diario 'Jornal de Notícias'.

Además, Moratinos se comprometió a llamar la atención del ministro de Defensa sobre la cuestión. "Asumimos el compromiso de que no haya más vuelos sobre las Islas Salvajes", dijo Moratinos.
Título:
Enviado por: legionario em Julho 01, 2008, 09:09:16 am
Sem as ilhas selvagens, a nossa ZEE  teria que superficie ?
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 01, 2008, 09:42:49 am
boas

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fc%2Fc6%2FPortugal_Exclusive_Economic_Zone.png&hash=3dbd1a2b441849ec28db9df220b18164)
Título:
Enviado por: legionario em Julho 01, 2008, 10:40:20 am
Obrigado ;)

A nossa ZEE actual, 1,7 M Km2, ficaria com que superficie  :

- se as pretençoes portuguesas para 2009 forem satisfeitas ?      

             ou

- se as pretençoes espanholas de nao considerar as selvagens na delimitaçao das nossas aguas forem aceites, neste caso, a nossa ZEE, ficaria com que area ?
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 01, 2008, 11:20:25 am
Só têm é que aceitar as selvagens... mas para isso é necessário mais qualquer coisa que ainda não temos.
Título:
Enviado por: old em Julho 01, 2008, 12:15:42 pm
Citação de: "nelson38899"
boas

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fc%2Fc6%2FPortugal_Exclusive_Economic_Zone.png&hash=3dbd1a2b441849ec28db9df220b18164)


Luego se quejan que no les toman en serio.

Menuda fantasia de ZEE, ya de paso extiendanla hasta las mismisimas Canarias, para que andar con cosas pequeñas.. :roll:

Eso no lo va a reconocer nadie. Es una fantasia.
Título:
Enviado por: Ataru em Julho 01, 2008, 12:29:31 pm
Fantasia??? deves.... nós já temos o maior espaço aereo europeu e um dos 5 maiores do mundo, a ZEE inevitavelmente tambem vai crescer não só o que está delineado na foto exposta mas tambem aquele triangilo entre os arquipelagos e o continente que não esta delineado. Ainda há uns meses anexamos muitos kilometros de fundo do mar em pleno atlantico.
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 01, 2008, 01:37:57 pm
Citação de: "old"
Citação de: "nelson38899"
boas

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fc%2Fc6%2FPortugal_Exclusive_Economic_Zone.png&hash=3dbd1a2b441849ec28db9df220b18164)

Luego se quejan que no les toman en serio.

Menuda fantasia de ZEE, ya de paso extiendanla hasta las mismisimas Canarias, para que andar con cosas pequeñas.. :rir:
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 01, 2008, 01:48:25 pm
Não se esqueçam que houve umas alminhas que assinaram um acordo de pescas em 2003 que prevê a redução da ZEE dos Açores de 200 para 100 milhas... :roll:

O Governo Regional é o único que anda a ver se luta contra isso, metendo recursos nos tribunais europeus...que parecem não estar dispostos a os aceitar...
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 01, 2008, 02:46:09 pm
Citação de: "old"
Citação de: "nelson38899"
boas

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fc%2Fc6%2FPortugal_Exclusive_Economic_Zone.png&hash=3dbd1a2b441849ec28db9df220b18164)

Luego se quejan que no les toman en serio.

Menuda fantasia de ZEE, ya de paso extiendanla hasta las mismisimas Canarias, para que andar con cosas pequeñas.. :roll:

Eso no lo va a reconocer nadie. Es una fantasia.


Não só vai reconhecer, como já começou a reconhecer - 'Rainbow' ao largo dos Açores (o que fez de Portugal o primeiro País do mundo a ter jurisdição sobre uma área superior a 200 milhas)
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 01, 2008, 02:48:57 pm
Citação de: "legionario"
Obrigado ;)

A nossa ZEE actual, 1,7 M Km2, ficaria com que superficie  :

- se as pretençoes portuguesas para 2009 forem satisfeitas ?      

             ou

- se as pretençoes espanholas de nao considerar as selvagens na delimitaçao das nossas aguas forem aceites, neste caso, a nossa ZEE, ficaria com que area ?

Citar
No cenário optimista, o fundo do mar português poderá alargar-se em 1,3 milhões de quilómetros quadrados - o que é 14,9 vezes a área de Portugal continental. O cenário menos favorável é o dos 240 mil quilómetros quadrados já prospectados (2,6 vezes a área continental).


Fonte (http://http)

Site (http://http) da EMEPC - Estrutura de Missão Para a Extensão da Plataforma Continental
Título:
Enviado por: old em Julho 02, 2008, 11:20:05 am
Tengo muy malas noticias para ustedes:

Ministro de exteriores de España, 28/06/2008 en relacion a los vuelos militares sobre las Islas Salvajes:

Evitaria realizar vuelos militares  ""totalmente"" sobre las islas Salvajes.

Algo asi como que parcialmente se seguiran realizando maniobras y ejercicios.

Asi que me temo que seguiran pasando F18s realizando ejercicios de entrenamientos.

http://www.univision.com/contentroot/wi ... 24760.html (http://www.univision.com/contentroot/wirefeeds/world/7524760.html)

Sobre la ampliacion de la ZEE visto lo visto, : Ni en sueños.
Y eso que el actual misnitros de exteriores tienes fama de blando.

El actual mapa es este y sinceramente no creo que cambie.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg355.imageshack.us%2Fimg355%2F3184%2Fportugalexclusiveeconommx3.jpg&hash=b85d4caa0ba99fc71fc50bf3eceac83b)
Título:
Enviado por: raphael em Julho 02, 2008, 11:47:19 am
Estive a ler estes ultimos posts... e não há por acaso uma confusão entre ZEE e FIR (Flight Information Region) em que a FIR nacional vai até próximo das Canárias?
E um aparte, no Tratado de Lisboa o Sócrates não entrega a gestão da ZEE à UE?
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Julho 02, 2008, 12:12:02 pm
Citação de: "old"
Tengo muy malas noticias para ustedes:

Ministro de exteriores de España, 28/06/2008 en relacion a los vuelos militares sobre las Islas Salvajes:

Evitaria realizar vuelos militares  ""totalmente"" sobre las islas Salvajes.

Algo asi como que parcialmente se seguiran realizando maniobras y ejercicios.

Asi que me temo que seguiran pasando F18s realizando ejercicios de entrenamientos.

http://www.univision.com/contentroot/wi ... 24760.html (http://www.univision.com/contentroot/wirefeeds/world/7524760.html)


Sinceramente não percebi o que quis dizer. :conf:  Podia elucidar-nos melhor?
Título:
Enviado por: tgcastilho em Julho 02, 2008, 12:23:07 pm
Citação de: "old"
Tengo muy malas noticias para ustedes:

Ministro de exteriores de España, 28/06/2008 en relacion a los vuelos militares sobre las Islas Salvajes:

Evitaria realizar vuelos militares  ""totalmente"" sobre las islas Salvajes.

Algo asi como que parcialmente se seguiran realizando maniobras y ejercicios.

Asi que me temo que seguiran pasando F18s realizando ejercicios de entrenamientos.

http://www.univision.com/contentroot/wi ... 24760.html (http://www.univision.com/contentroot/wirefeeds/world/7524760.html)

Sobre la ampliacion de la ZEE visto lo visto, : Ni en sueños.
Y eso que el actual misnitros de exteriores tienes fama de blando.

El actual mapa es este y sinceramente no creo que cambie.




Actualmente,Actualmente a ZEE Portuguesa é esta:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmcmc2006.isr.ist.utl.pt%2Fcontent_files%2Fvenue%2FPortuguese_EEZ.jpg&hash=e89cb2f8123dd40405088e9a04ccab6b)
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 02, 2008, 01:14:49 pm
Citação de: "tgcastilho"
Citação de: "old"
Tengo muy malas noticias para ustedes:

Ministro de exteriores de España, 28/06/2008 en relacion a los vuelos militares sobre las Islas Salvajes:

Evitaria realizar vuelos militares  ""totalmente"" sobre las islas Salvajes.

Algo asi como que parcialmente se seguiran realizando maniobras y ejercicios.

Asi que me temo que seguiran pasando F18s realizando ejercicios de entrenamientos.

http://www.univision.com/contentroot/wi ... 24760.html (http://www.univision.com/contentroot/wirefeeds/world/7524760.html)

Sobre la ampliacion de la ZEE visto lo visto, : Ni en sueños.
Y eso que el actual misnitros de exteriores tienes fama de blando.

El actual mapa es este y sinceramente no creo que cambie.



Actualmente,Actualmente a ZEE Portuguesa é esta:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmcmc2006.isr.ist.utl.pt%2Fcontent_files%2Fvenue%2FPortuguese_EEZ.jpg&hash=e89cb2f8123dd40405088e9a04ccab6b)

Y..amigos portugueses..¿no creeis que es un poco bastante abusiva esa gran ZEE que rodea  el archipielago de Madeira y que colinda con con las Islas Canarias?Porque ¿que ocurriria el dia,en que las Islas Canarias tuvieran su propia ZEE?La cual ademas es una de las reivindicaciones mas o menos continuas que se realizan desde aquel archipielago hacia Madrid.Por no comentar que hace poco,salio la noticia de un posible hallazgo petrolifero por aquella zona,cifrado en unos 1000 millones de barriles de crudo,lo que sin lugar a dudas podria provocar un conflicto de intereses en aquella zona entre España,Portugal y Marruecos.
Título:
Enviado por: papatango em Julho 02, 2008, 01:27:26 pm
Os impérios normalmente vêm com maus olhos, que países pequenos tenham direitos maiores que aqueles que os impérios acham que eles deveriam ter.

A ZEE portuguesa é resultado da aplicação da Lei internacional e não de qualquer imposição portuguesa.

Portugal tem direito à sua ZEE, tal como a Espanha tem direito à sua.
Acontece que a ZEE das Canárias está condicionada pela posição geográfica que ocupam. Próximo à ZEE da Madeira e próximo à ZEE de Marrocos.

As ZEE são uma consequência da geografia e não da política.

Os países com costa marítima têm direito a considerar como águas territoriais uma faixa de aproximadamente 21km (12 milhas náuticas) contada a partir da costa, e uma faixa de 200 milhas náuticas para Zona Económica Exclusiva, tendo direito e jurisdição sobre a exploração economica dessas áreas.

A ZEE da Madeira colide com a das Canárias, da mesma forma que a das Canárias colide com a ZEE da Madeira.
O perímetro da ZEE da Madeira aliás, conta com a existência dessa ZEE, considerando  um ponto equidistante entre as ilhas do arquipélago das Canárias e as do arquipélago da Madeira.

O que é mais curioso, é que entre países que supostamente são amigos e aliados, e perante uma Espanha qu afirma que as relações entre os dois países são melhores que nunca, continue a ser preciso o ministro dos negócios estrangeiros espanhol afirmar que vai dar ordens para que a Espanha deixe de violar o nosso espaço aéreo...

Afinal que país aliado e amigo é este que viola constantemente o nosso território, quando afirma que é o nosso maior aliado ?
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 02, 2008, 02:32:43 pm
Outra coisa e que ja muito se discutiu noutro tópico. Os senhores espanhois também não acham muito abusivo a ocupação de território que não é vosso.
Por isso e como já se disse anteriormente, a nossa ZEE é por direito nossa e não por ocupação
Título:
Enviado por: old em Julho 02, 2008, 03:21:46 pm
Citação de: "tgcastilho"
Citação de: "old"
Tengo muy malas noticias para ustedes:

Ministro de exteriores de España, 28/06/2008 en relacion a los vuelos militares sobre las Islas Salvajes:

Evitaria realizar vuelos militares  ""totalmente"" sobre las islas Salvajes.

Algo asi como que parcialmente se seguiran realizando maniobras y ejercicios.

Asi que me temo que seguiran pasando F18s realizando ejercicios de entrenamientos.

http://www.univision.com/contentroot/wi ... 24760.html (http://www.univision.com/contentroot/wirefeeds/world/7524760.html)

Sobre la ampliacion de la ZEE visto lo visto, : Ni en sueños.
Y eso que el actual misnitros de exteriores tienes fama de blando.

El actual mapa es este y sinceramente no creo que cambie.



Actualmente,Actualmente a ZEE Portuguesa é esta:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmcmc2006.isr.ist.utl.pt%2Fcontent_files%2Fvenue%2FPortuguese_EEZ.jpg&hash=e89cb2f8123dd40405088e9a04ccab6b)


Falso.

España no reconoce esa ZEE tan desproporcionada.  Portugal puede pintar como si quiere el oceano entero, pero de nada le sirve. Actualmente el mapa de la ZEE Portuguesa es este: Lo que usted pone es una propuesta unilateral que no aceptaria nadie.

De echo España considera la ZEE de las Islas Salvajes como propia y la utiliza para realizar maniobras militares sobre espacio Aereo Español.

Las negociaciones actualmente estan paradas y no existe Zee para las Salvajes. Y Si existe pertenece a España que es quien lo esta usando. Porque todavia no he visto aviones Portugueses sobrevolando la zona...lo que supone un reconocimiento explicito de que la ZEE pertenece a España.

http://www.realinstitutoelcano.org/documentos/121.asp (http://www.realinstitutoelcano.org/documentos/121.asp)



(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg366.imageshack.us%2Fimg366%2F6628%2Fportugueseeezgk6.jpg&hash=eed7f43c573d7643636eb1fc6940f745)
Título:
Enviado por: tgcastilho em Julho 02, 2008, 03:45:49 pm
Citação de: "old"
Citação de: "tgcastilho"
Citação de: "old"
Tengo muy malas noticias para ustedes:

Ministro de exteriores de España, 28/06/2008 en relacion a los vuelos militares sobre las Islas Salvajes:

Evitaria realizar vuelos militares  ""totalmente"" sobre las islas Salvajes.

Algo asi como que parcialmente se seguiran realizando maniobras y ejercicios.

Asi que me temo que seguiran pasando F18s realizando ejercicios de entrenamientos.

http://www.univision.com/contentroot/wi ... 24760.html (http://www.univision.com/contentroot/wirefeeds/world/7524760.html)

Sobre la ampliacion de la ZEE visto lo visto, : Ni en sueños.
Y eso que el actual misnitros de exteriores tienes fama de blando.

El actual mapa es este y sinceramente no creo que cambie.



Actualmente,Actualmente a ZEE Portuguesa é esta:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmcmc2006.isr.ist.utl.pt%2Fcontent_files%2Fvenue%2FPortuguese_EEZ.jpg&hash=e89cb2f8123dd40405088e9a04ccab6b)

Falso.

España no reconoce esa ZEE tan desproporcionada.  Portugal puede pintar como si quiere el oceano entero, pero de nada le sirve. Actualmente el mapa de la ZEE Portuguesa es este: Lo que usted pone es una propuesta unilateral que no aceptaria nadie.

De echo España considera la ZEE de las Islas Salvajes como propia y la utiliza para realizar maniobras militares.



O seu Ministro não diz o mesmo.Repito para o caso de o senhor não tenha lido bem,o mapa que eu coloquei é representativo da actual,actual ZEE.
Título:
Enviado por: old em Julho 02, 2008, 04:10:21 pm
Citar
O seu Ministro não diz o mesmo.Repito para o caso de o senhor não tenha lido bem,o mapa que eu coloquei é representativo da actual,actual ZEE.


Digame donde reconoce España la ZEE de las Islas Salvajes, porque que yo sepa es un asunto pendiente.. ;)

Saludos
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 02, 2008, 04:24:36 pm
Penso que aquilo que o old está a dizer (e bem) é que não há nada assinado entre Portugal e Espanha a delimitar a ZEE, na zona entre a Madeira e as Canárias. E isso é verdade. Se uns dizem que as Selvagens são ilhas, se outros dizem que são ilhéus, é claro que cada um está a puxar para o seu lado. Afinal, ainda é um espaço jeitoso de mar.

Agora, caro old, se reparar no próprio link que deixou, e na "hipotética" ZEE Espanhola, num desenho de um professor espanhol, diga lá que não encaixa com aquela que está a ser veiculada aqui como sendo a ZEE portuguesa...
Título:
Enviado por: tgcastilho em Julho 02, 2008, 05:20:06 pm
Citação de: "old"
Citar
O seu Ministro não diz o mesmo.Repito para o caso de o senhor não tenha lido bem,o mapa que eu coloquei é representativo da actual,actual ZEE.

Digame donde reconoce España la ZEE de las Islas Salvajes, porque que yo sepa es un asunto pendiente.. ;)

Saludos
Espanha não reconhece já a Comunidade Internacional reconhece como sendo Portuguesa.Quando eu falei o ministro estava a referir ao assunto dos voos militares sobre as selvagens.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: garrulo em Julho 02, 2008, 05:34:00 pm
España reconoce doce millas en torno a las Salvages, pero solo doce millas.
Título:
Enviado por: pedro em Julho 02, 2008, 06:09:48 pm
Esta visto que o direito internacional para voce so existe quando é para a defesa da Espanha?? :roll:
Tipo gibraltar etc..
Saludos
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 02, 2008, 07:15:07 pm
Para quien tenga interes y tiempo aqui les dejo un enlace ,en donde se trata la ZEE alrededor de Canarias y sus problemas relacionados con el derecho internacional del mar actualmente vigente.
http://www.realinstitutoelcano.org/documentos/203.asp
SALUDOS!! :wink:
Título:
Enviado por: garrulo em Julho 02, 2008, 08:12:35 pm
Por eso verán sobrevolar sus islas  a los F18 en maniobras conjuntas y pasar a 12 millas a nuestros aviones cuando les de la gana.
Opónganse por la fuerza o por la ley.
No hay más.
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Julho 02, 2008, 10:34:56 pm
Citação de: "garrulo"
Por eso verán sobrevolar sus islas  a los F18 en maniobras conjuntas y pasar a 12 millas a nuestros aviones cuando les de la gana.
Opónganse por la fuerza o por la ley.
No hay más.


Promete, caro Garrulo ?

Por momentos esqueci-me que alguns dos "nuestros hermanos" acreditam piamente que a sua pátria está acima de qualquer convenção internacional.......o tal "cuando les de la gana".
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 03, 2008, 11:12:01 pm
Em Espanha a idiotice paga imposto. Por isso é que andam tão folgados financeiramente  :mrgreen:
Título:
Enviado por: garrulo em Julho 04, 2008, 03:05:08 pm
Lancero,usted es moderador?.
Título:
Enviado por: garrulo em Julho 04, 2008, 03:07:50 pm
Me da la impresion que mis hermanos no me estan entendiendo o yo no me explico bien.
Quiero decir que para ese tema hay dos soluciones.
1ª La fuerza
2ª La ley
Título:
Enviado por: Ataru em Julho 04, 2008, 03:12:33 pm
A lei tá do nosso lado... quanto á força... utilizem na se quiserem, mas no fim ganhamos nós como é óbvio...
Título:
Enviado por: garrulo em Julho 04, 2008, 03:49:51 pm
....Obivio?.
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 04, 2008, 06:28:50 pm
Citação de: "garrulo"
....Obivio?.

¡¡SI..porque cuentan con el apoyo sobrenatural de la virgen de Fatima!!!
 :mrgreen:  :mrgreen:
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 04, 2008, 06:43:03 pm
Citar
¡SI..porque cuentan con el apoyo sobrenatural de la virgen de Fatima!!!


Eu acredito mais na padeira...  :moca:
Título:
Enviado por: garrulo em Julho 04, 2008, 07:36:04 pm
Pues yo recuerdo la conquista de Olivenza sin disparar un tiro.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 04, 2008, 10:50:37 pm
Citar
Pues yo recuerdo la conquista de Olivenza sin disparar un tiro.


 :roll: Aproveitem enquanto podem!
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 04, 2008, 11:16:57 pm
Citação de: "garrulo"
Lancero,usted es moderador?.

Anda esquecido, é?

O que quer que eu desabafe quando alguém teima isto (1- o regojizo e leviandade por alguém violar espaço aéreo soberano. 2- a insistência em colocar um mapa falso da ZEE portuguesa):

Citação de: "old"
Tengo muy malas noticias para ustedes:

Ministro de exteriores de España, 28/06/2008 en relacion a los vuelos militares sobre las Islas Salvajes:

Evitaria realizar vuelos militares  ""totalmente"" sobre las islas Salvajes.

Algo asi como que parcialmente se seguiran realizando maniobras y ejercicios.

Asi que me temo que seguiran pasando F18s realizando ejercicios de entrenamientos.

http://www.univision.com/contentroot/wi ... 24760.html (http://www.univision.com/contentroot/wirefeeds/world/7524760.html)

Sobre la ampliacion de la ZEE visto lo visto, : Ni en sueños.
Y eso que el actual misnitros de exteriores tienes fama de blando.

El actual mapa es este y sinceramente no creo que cambie.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg355.imageshack.us%2Fimg355%2F3184%2Fportugalexclusiveeconommx3.jpg&hash=b85d4caa0ba99fc71fc50bf3eceac83b)
Título:
Enviado por: comanche em Julho 04, 2008, 11:46:13 pm
Citação de: "legionario"
Sem as ilhas selvagens, a nossa ZEE  teria que superficie ?


Se os espanhois alguma vez usurpassem as selvagens, perderiamos perto de 100000 Km2, um área aproximada ao tamanho de Portugal.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 04, 2008, 11:51:13 pm
Citação de: "Lancero"
Citação de: "garrulo"
Lancero,usted es moderador?.

Anda esquecido, é?

O que quer que eu desabafe quando alguém teima isto (1- o regojizo e leviandade por alguém violar espaço aéreo soberano. 2- a insistência em colocar um mapa falso da ZEE portuguesa):

Citação de: "old"
Tengo muy malas noticias para ustedes:

Ministro de exteriores de España, 28/06/2008 en relacion a los vuelos militares sobre las Islas Salvajes:

Evitaria realizar vuelos militares  ""totalmente"" sobre las islas Salvajes.

Algo asi como que parcialmente se seguiran realizando maniobras y ejercicios.

Asi que me temo que seguiran pasando F18s realizando ejercicios de entrenamientos.

http://www.univision.com/contentroot/wi ... 24760.html (http://www.univision.com/contentroot/wirefeeds/world/7524760.html)

Sobre la ampliacion de la ZEE visto lo visto, : Ni en sueños.
Y eso que el actual misnitros de exteriores tienes fama de blando.

El actual mapa es este y sinceramente no creo que cambie.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg355.imageshack.us%2Fimg355%2F3184%2Fportugalexclusiveeconommx3.jpg&hash=b85d4caa0ba99fc71fc50bf3eceac83b)


Ao menos podiam ser mais discretos e colocar lá a Madeira...  :shock:
Título:
Enviado por: tyr em Julho 05, 2008, 12:06:44 am
Acho piada a parte dos espanhois (parte, quer dizer que não são todos, muito pelo contrario) que frequentam este forum. Pois revelam traços de extrema direita, ou seja quando não conseguem provar o seu ponto de vista, mentem e deturpam factos e grande parte dos restantes espanhois acreditam nas petas.

Como diz um velho ditado portugues:
   De Espanha, nem bom vento, nem bom casamento (apesar de ter um trisavô espanhol e a minha maria ser bisneta de um espanhol tambem :P ).
Título:
Enviado por: comanche em Julho 05, 2008, 12:12:17 am
Estes ultranacionalistas espanhois andam loucos.


Olhem para a nossa ZEE, na Madeira,

http://www.seaaroundus.org/eez/SummaryInfo.aspx?EEZ=621

é linda não é? :wink:

A zona ZEE é reconhecida pela comunidade internacional, e isso é o que verdadeiramente interessa.
Título:
Enviado por: MDN em Julho 05, 2008, 12:15:18 am
temos que admitir com os ef2000 e os f18 deles, deve ser complicado estar a voar no espaço aereo deles e terem que virar.. porque EXISTE PORTUGAL!!!! EHEHEHEEHEHEH

porque aparentemente para onde eles vão.. estámos já lá!!!!!

e não se preocupem com a defesa das selvagens, estão lá 100.000 coelhos que saberão dar conta do recado contra os espanhois.... afinal eles até têm má experiência com os animais portugueses....

em s miguel depois da derrota de alcacer-quibir e com a invasão dos espanhóis eles lembraram-se de os invadirem.... parece que se lembraram de largar uns touros sobre os espanhois quando estavam a desembarcar e foi um espectáculo... pena não existir o youtube.....
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 05, 2008, 11:05:00 am
Citação de: "comanche"
Citação de: "legionario"
Sem as ilhas selvagens, a nossa ZEE  teria que superficie ?

Se os espanhois alguma vez usurpassem as selvagens, perderiamos perto de 100000 Km2, um área aproximada ao tamanho de Portugal.


O mapa já foi anteriormente colocado cá no fórum. A diferença seria entre Y (o actual e verdadeiro) e X (passando só as 12 milhas em redor das Selvagens a ser portuguesas)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Finsoniasoniricas.net%2Fimages%2Fimages_selvagens%2Fzeescomparadasxy.jpg&hash=09ac879e75a6b43f74913e099329e21f)
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 05, 2008, 11:45:43 am
Citação de: "MDN"
em s miguel depois da derrota de alcacer-quibir e com a invasão dos espanhóis eles lembraram-se de os invadirem.... parece que se lembraram de largar uns touros sobre os espanhois quando estavam a desembarcar e foi um espectáculo... pena não existir o youtube.....


Foi na Ilha Terceira e não em S.Miguel...os "japoneses" renderam-se aos espanhóis e foi lá onde a armada espanhola se reuniu... :roll:

Vide "Batalha da Salga (http://http)"...
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 05, 2008, 06:44:34 pm
Bueno,pues parece que Portugal no va a ser el unico pais con una ZEE maxima de 350 millas... :twisted:

Citar
España depende de Galicia para ampliar su soberanía marina

Los fondos oceánicos de la comunidad reúnen los requisitos para integrarse en el mar patrimonial del Estado

En mayo del 2009 presentará a la ONU una propuesta para extender a 350 millas su zona económica exclusiva



Límite, 200 millas. Desde la costa hasta mar adentro, esta es el área marina máxima sobre la que se extiende la soberanía de un Estado ribereño y en la que puede ejercer los derechos de exploración y explotación de sus recursos. Es lo que se conoce como zona económica exclusiva o mar patrimonial. Sin embargo, y bajo condiciones excepcionales y documentadas científicamente, la Convención de las Naciones Unidas sobre el Derecho del Mar permite ampliar esta jurisdicción hasta las 350 millas. Y es a esta excepción a la que confía en acogerse España, que espera valerse de las condiciones morfológicas de profundidad y geológicas de los fondos marinos próximos a Galicia, en especial al oeste del denominado banco de Galicia, para ampliar su soberanía en el océano.

La propuesta deberá ser presentada de forma oficial, en este caso por el Ministerio de Asuntos Exteriores, antes de mayo del próximo año.

Universidades gallegas

Pero ¿por qué Galicia? Un grupo de investigadores liderados por el Instituto Oficial de Oceanografía (IEO) y el Hidrográfico de La Marina, en colaboración con universidades, entre ellas las de Vigo y A Coruña, y distintos centros de investigación de toda España, lleva ya desde 1995 realizando la cartografía de la zona económica exclusiva de toda la costa Española. Pero, salvo la zona atlántica del oeste de Galicia, ninguna otra área tiene probabilidades de extender sus dominios, bien por la proximidad con otros países vecinos o porque incumplen los criterios técnicos que se exigen. Este último puede ser el caso de Canarias, en donde la profundidad cae «muy en picado por dentro de las 200 millas, y los materiales son basaltos volcánicos oceánicos», según explica el oceanógrafo y geólogo del IEO Juan Acosta. Galicia, por el contrario, es muy probable que cumpla con las condiciones de profundidad de las aguas o de sedimentos de origen continental. «Sí hay posibilidades de que al oeste del banco de Galicia se puedan determinar puntos que permitan una ampliación de las 200 millas», explica Acosta, quien subraya que desde el año 2000 en la comunidad se están haciendo campañas específicas a bordo del buque Hespérides para reunir de forma fidedigna la cartografía oceanográfica, geofísica e hidrográfica de la zona. Toda esta documentación será la que se remita a la ONU. En la actualidad, todos los datos recogidos a lo largo de sucesivas campañas se están procesando, pero no se descarta que, de aquí a antes de mayo del 2009, se lleven a cabo acciones puntuales para ampliar la documentación en caso de que sea necesario.

¿Cuánta superficie podría ganarse? Con los datos que existen ahora es prácticamente imposible calcularlo, según admite Juan Acosta, aunque no se descarta que puedan alcanzar varios miles de kilómetros cuadrados.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg2.freeimagehosting.net%2Fuploads%2F89b960bc91.jpg&hash=f841767a9eecf133b6d7425c860597dd)

http://www.lavozdegalicia.es/sociedad/2008/07/05/0003_6961737.htm
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 05, 2008, 07:51:15 pm
O que Portugal e Espanha estão a propor não é nada de extraordinário. Ainda recentemente a Austrália foi acrescentada em 2.5 milhões de kms2.
Título:
Enviado por: JLRC em Julho 05, 2008, 10:56:50 pm
Citação de: "pmdavila"
 
...os "japoneses" renderam-se aos espanhóis e foi lá onde a armada espanhola se reuniu... :nice:  :nice:  :nice:

Há já uns tempos que não ouvia essa expressão. Tenho um ex-camarada de armas que é de Ponta Delgada e só o conheço pelo japonês :lol:
Aprendi com um também ex-camarada de armas que é da Terceira
Título:
Enviado por: Ataru em Agosto 16, 2008, 02:25:39 pm
Há alguns meses que não via noticias sobre as Selvagens, acreditei mesmo que os castelhanos tinham ganho juizo ao ponto de enterrar a questão, mas parece que não...

Citar
Site espanhol acusa Portugal de “ocupar” as Ilhas Selvagens
ANTÓNIO JORGE PINTO

10 Agosto 2008
 
O site usuarios.lycos.es/islassalvajesgas/ não faz a coisa por menos: “Las Islas Selvajes, un archipiélago español perteneciente a Canarias que está ocupado por Portugal.” Depois do acinte, segue-se um texto (vide site) com toda a história secular das cobiçadas ilhas pertença da Região Autónoma da Madeira.

É o arrastar e relançar da polémica que periodicamente lançam alguns circuitos espanhóis das ilhas Canárias e também de Madrid, sempre inconformados com as decisões dos organismos internacionais que reconhecem a soberania portuguesa sobre as Selvagens. O facto é que são comuns as notícias de voos rasantes levados a cabo pela Força Aérea Espanhola, atritos e provocações de pescadores espanhóis para com os guardas e vigilantes do Parque Natural da Madeira em serviço nas Selvagens, outrossim artigos de opinião, reportagens e declarações do lado espanhol a reclamar a soberania das ilhas entretanto classificadas como Reserva Natural protegida por legislação portuguesa e da União Europeia. Também é frequente as Ilhas Selvagens surgirem integradas em mapas do Arquipélago de Canárias, e até Bruxelas já cometeu a imprudência de as apresentar na cartografia espanhola e em documentos oficiais.

Foco permanente de conflitos entre Lisboa e Madrid, as Ilhas Selvagens valem sobretudo pelo seu património natural, com especial revelo para a fauna autóctone e espécies marinhas e pelo seu posicionamento geográfico através do qual consagra a Portugal e à Região Autónoma da Madeira uma vasta e cobiçada área de mar (Zona Económica Exclusiva) que os espanhóis gostariam de explorar e sulcar.

Ainda recentemente o embaixador de Espanha em Lisboa, de visita ao Funchal e após audiência concedida por Alberto João Jardim, na Quinta Vigia, garantia à saída que a questão das Selvagens era assunto encerrado para Madrid (aliás, a soberania portuguesa do pequeno arquipélago foi reconhecida por Espanha), mas o facto é que as autoridades castelhanas parecem sentir dificuldades em estancar ímpetos revanchistas, como parece ser aquele que o referido site apresenta agora.

Foi precisamente para sublinhar e acentuar a soberania portuguesa das Ilhas Selvagens que dois anteriores Presidentes da República (Mário Soares, em 1988, e Jorge Sampaio, em 2003) se deslocaram ao pequeno arquipélago. Foi também imbuído do mesmo espírito que o antigo deputado do PS e vice-presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Fernão Freitas, promoveu e integrou uma deputação às Selvagens. Mas, como se vê, as “provocações” espanholas não cessam, parecendo que a diplomacia portuguesa prefere usar pinças quando se trata de tomar posição sobre esta recorrente situação.
Título:
Enviado por: legionario em Agosto 19, 2008, 07:36:00 pm
as ilhas pertencem a quem as ocupa  : Portugal !
contra factum, argumentum non sunt (se bem me lembro dos meus tempos de seminario, acho que é assim que se escreve)  :):):)
Título:
Enviado por: Kawa em Agosto 20, 2008, 01:12:00 am
Citação de: "legionario"
as ilhas pertencem a quem as ocupa  : Portugal !
contra factum, argumentum non sunt (se bem me lembro dos meus tempos de seminario, acho que é assim que se escreve)  c34x
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 20, 2008, 09:20:42 am
Mas olivença é reconhecido internacionalmente como parte de portugal e tem descendentes portugueses (que para todos os efeitos são cidadãos portugueses, sob o jugo de uma potencia ocupante), enquanto que as selvagens nunca foram espanholas.
Título:
Enviado por: old em Agosto 20, 2008, 12:22:04 pm
http://nozul.blogspot.com/2007/08/sobre-lusitania.html (http://nozul.blogspot.com/2007/08/sobre-lusitania.html)
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 20, 2008, 01:38:30 pm
Se não fosse pelas questões de olivença e das selvegens, não haveria qualquer motivo de fricção, ou verdadeiras bandeiras para as extremas direitas de cada pais pegarem contra o outro.
era bom que não houvessem inimizades entre dois paises vizinhos e que a nivel de herança genetica, são um só povo, mas os seculos em que portugal olhou para castela como o invasor que nos queria esmagar, mas que graças à nossa força de vontade nunca conseguiu, apesar da superioridade numerica (os portugueses ainda olham para espanha, como se espanha fosse castela) e em simultano os seculos em que espanha (antes disso castela) olhou para portugal como uma provincia rebelde que abandonou a patria mãe (qua na verdade não era uma patria, mas sim um imperio, pois tinhamos varios povos sobre um rei/imperador) e que sempre a tentou trazer de volta, fez com que nos olhemos com desconfiança e com desconhecimento das culturas uns dos outros.
Título:
Enviado por: legionario em Agosto 20, 2008, 08:14:38 pm
tambem acho que esses dois motivos de discordia que sao as Selvagens e Olivença deveriam ser postos de lado em nome de "valores mais altos" que sao a amizade entre os povos hispanicos. ;)
Título:
Enviado por: Mike23 em Agosto 20, 2008, 08:46:29 pm
Citação de: "legionario"
tambem acho que esses dois motivos de discordia que sao as Selvagens e Olivença deveriam ser postos de lado em nome de "valores mais altos" que sao a amizade entre os povos hispanicos. :evil:

Santa ignorância :Ups:
Título:
Enviado por: legionario em Agosto 20, 2008, 09:21:37 pm
Citação de: "Mike23"
Citação de: "legionario"
tambem acho que esses dois motivos de discordia que sao as Selvagens e Olivença deveriam ser postos de lado em nome de "valores mais altos" que sao a amizade entre os povos hispanicos. :evil:

Santa ignorância :):):)
a unica terra em Portugal com lingua oficial inglesa!
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 20, 2008, 10:38:32 pm
a peninsula iberica, na altura romana era conhecida como peninsula Hispanica, e a actual espanha só tem esse nome, porque os reis catolicos de castela queriam justificar a sua pretenção a toda a peninsula iberica (sendo que quando mudaram o nome para espaha, toda a hispania era deles, obviamente exepto um pequeno terreno (a beira mar plantado) com ferverosos descendentes de celtas :lol: )
Título:
Enviado por: legionario em Agosto 20, 2008, 11:01:42 pm
Chame-se o que se quiser, eu sou completamente favoravel à amizade Luso-espanhola ! ta melhor assim ? :):)
Título:
Enviado por: othelo em Agosto 20, 2008, 11:14:33 pm
Tudo bem. Amizade amizade, mas eles lá e nós cá

Mas só uma coisinha. Tirando aquela bosta que todos nós conhecemos e que proclama a independência das Ilhas, somos e continuamos a ser uma nação não corroida por independentismos, autonomias e afins. Será que os Espanhois podem dizer o mesmo?

NNNNNAAAAAAAAAAAAAAAAAAA me parece
Título:
Enviado por: André em Agosto 20, 2008, 11:18:11 pm
Citação de: "legionario"
Chame-se o que se quiser, eu sou completamente favoravel à amizade Luso-espanhola ! ta melhor assim ? :D  :wink:
Título:
Enviado por: JLRC em Agosto 20, 2008, 11:59:00 pm
Citação de: "Mike23"
 
Desde quando o povo português é hispânico? :Ups:


Ó seu marafado :lol: . Então os portugueses não são hispânicos? Se pertencemos à península Hispânica somos o quê? Escandinavos?
Título:
Enviado por: JLRC em Agosto 21, 2008, 12:02:49 am
Citação de: "tyr"
a peninsula iberica, na altura romana era conhecida como peninsula Hispanica, e a actual espanha só tem esse nome, porque os reis catolicos de castela queriam justificar a sua pretenção a toda a peninsula iberica


Não foram os reis católicos (Isabel e Fernando) mas sim Filipe V de Bourbon no sec. XVIII.
Título:
Enviado por: Kawa em Agosto 21, 2008, 12:08:17 am
Citação de: "tyr"
Mas olivença é reconhecido internacionalmente como parte de portugal e tem descendentes portugueses (que para todos os efeitos são cidadãos portugueses, sob o jugo de uma potencia ocupante), enquanto que as selvagens nunca foram espanholas.


Si, como dice es reconocido internacionalmente, podrá enumerarme los países que dicen que pertenece a Portugal y no a España y además podrá mostrar documentos que así lo acrediten ¿verdad? :)
Título:
Enviado por: Mike23 em Agosto 21, 2008, 12:22:54 am
Citação de: "JLRC"
Citação de: "Mike23"
 
Desde quando o povo português é hispânico? :Ups:

Ó seu marafado :lol: . Então os portugueses não são hispânicos? Se pertencemos à península Hispânica somos o quê? Escandinavos?



A designação geográfica Hispánica ou Hespérica já não se utiliza nem faz sentido há muito tempo. Mais precisamente a partir do momento que Castela se apodera da designação geográfica para criar um estado imperial.

Na actualidade os hispânicos referem-se à Espanha e a quem tem por língua comum o castelhano.

Como tal não temos nada a ver com essa designação!!!
Título:
Enviado por: JLRC em Agosto 21, 2008, 12:51:22 am
Citação de: "Mike23"
 
A designação geográfica Hispánica ou Hespérica já não se utiliza nem faz sentido há muito tempo. Mais precisamente a partir do momento que Castela se apodera da designação geográfica para criar um estado imperial.

Na actualidade os hispânicos referem-se à Espanha e a quem tem por língua comum o castelhano.

Como tal não temos nada a ver com essa designação!!!


Como queira mas não é por sua vontade que deixamos de ser hispanicos.
Título:
Enviado por: comanche em Agosto 21, 2008, 03:05:47 am
Embora não faça parte do tema, acho importante este esclarecimento,

Hispano

Citar
El término hispano denota una derivación cultural o física de España. Según las definiciones que da la Real Academia Española del término "hispano", estos serían fundamentalmente los habitantes de la antigua Hispania romana, es decir los españoles de la península ibérica, y los ciudadanos de las naciones de Hispanoamérica, entre las que se incluyen España y los países hispanohablantes de América, África y Asia así como los habitantes de Estados Unidos que sean originarios de alguno de estos países. El término hispanoamericano viene a significar lo mismo en sus distintas definiciones ya que agrupa a españoles y americanos de lengua castellana.

Principalmente en Estados Unidos, se utiliza el término hispano para nombrar a todos los hablantes de español o castellano (en vez de llamarles hispanohablantes), independientemente de su raza, grupo étnico y nacionalidad. Así, en Estados Unidos, un cubano de origen africano, un argentino de origen italiano, un chileno de origen británico, alemán o indígena, un mexicano de origen europeo, un boliviano de origen amerindio o incluso un mismo español (ciudadano de España), son todos ellos hispanos ante la sociedad mayoritaria (anglosajones y de otras procedencias europeas), pues su lengua es el castellano español./b] Sin embargo, entre ellos mismos no se identificarían así, prefiriendo hacerlo por su país de origen (cubano-americano, peruano-americano, chileno-americano, etc.) o por latinoamericano o ibero (Español o Portugués) en general. El término hispano e hispánico tiene fuertes connotaciones colonizadoras hispanas, osea Españolas, y es por eso que debe evitarse su utilización en forma errónea. Los filipinos no están dentro de esta consideración que los anglo-estadounidenses (iniciada sobre todo por los de origen mezclado con los de origen mexicanos (centro administrativo de la colonia española) o de origen español) hacen del término "hispano", puesto a que la gran mayoría de los llegados de Filipinas hablan inglés y un número muy escaso el español, independientemente de si llevan nombre o apellido español o no, y a esto se agrega que serían hispanos sólo los que tienen raíz española parcial o totalmente. La definición de "hispano" en los EE.UU. es intencionalmente racista y prueba del grado de ignorancia de quienes la usan, puesto que una persona de raza blanca y de descendencia europea nacida por ejemplo en Argentina, que es considerada como de raza Blanca en Argentina, pasa a ser de una subdivisión racista llamada "hispano" en los EE.UU.

Volviendo al término hispano, este uso de la palabra no ocurre en Latinoamérica, donde la gente primero se identifica por su nacionalidad, y los únicos que se nombran como hispanos son los que tienen completa ascendencia española. El uso erróneo del término hispano en Estados Unidos ha sido combatido en los últimos años por grupos de iberoamericanos de origen no español, como los de origen portugues, que no se identifican como hispanosdadas las connotaciones colonizadoras españolas de dicho término. Por otro lado, muchos países americanos castellanohablantes, aun que tengan parte de la herencia hispana, no desean ser asociados con España, ya que colonizaron por cientos de años sus tierras en América. A demás, el término hispano o ibero no incluye otros grupos europeos, fuera de los colonizadores (España y Portugal), que también han formado el origen de los paises americanos de habla castellana española.

El término hispano antes se usaba en el censo estadounidense como una identificación racial dentro de una lista excluyente de categorías en la que se incluían, por ejemplo, blanco, negro o amerindio. En la actualidad hispano en dicho censo se encaja en una categoría independiente, la de etnia, la cual identifica si la persona es de origen de un país donde la mayoría son hispanos o hispano-hablantes. De esa forma, ahora se requiere identificar dos o tres categorías, raza, etnia e idioma nativo. Por ejemplo, un español residiendo en EE.UU. podría ser un "hispano blanco" (White Hispanic), denotando así su raza (blanca) y su origen (o etnia) de un país de mayoría hispana (en este caso España, que es 95% White Hispanic).

En América latina, dada la inmigración histórica de españoles, hispano se refiere a los habitantes de ascendencia española, no incluyendo a personas latinoamericanas de ascendencia portuguesa o francesa, o de etnia africana o amerindia. Por lo tanto, hispano no puede ser usado como un sinónimo de latino o latinoamericano, tampoco de iberoamericano, puesto que incluiría a Brasil. El conjunto de países donde la población hispana es la mayoritaria se conoce como Hispanoamérica, cuyo término tiene una fuerte connotación colonial española. Es por eso, que este término es difundido por los españoles, más que los propios países americanos de habla castellana española. Muchos de los cuales se sienten forzados a ser incluídos dentro de un término colonizador que no reconoce la diversidad de sus tierras americanas independientes de Europa.

De esta forma, hispana, es solamente cualquier persona cuyo linaje, en total o en gran parte, proceden de la gente de España. En este sentido, hablando de una población hispana, los implicados son españoles (de España), criollos (latinoamericanos de ascendencia española; españoles nacidos en América), mestizos (mezcla de español y amerindio), y mulatos (mezcla de español y africano). Se excluyen los indígenas y los descendientes solo de africanos u otros pueblos no españoles independientemente de si ellos ahora usan el español como su primera o única lengua.



http://es.wikipedia.org/wiki/Hispano


Entretanto nos U.S.A depois dos protestos de portugueses e Brasileiros e outros povos falantes da língua portuguesa, nos recenciamentos americanos.
Citar
Portuguese speakers, however, are not considered "Hispanic" by the U.S. Census Bureau.

http://en.wikipedia.org/wiki/Hispanic


Citar
Os hispânicos (em castelhano hispano, hispánico) são pessoas cuja ascendência remonta à Espanha ou, no seu uso mais freqüente, são cidadãos residentes nos Estados Unidos da América que sejam originários de países de língua espanhola da América Latina.

O conceito de hispânico muitas vezes confunde-se com o de latinos, sendo muitas vezes os termos usados como se fossem sinônimos: o termo hispânico acaba sendo erroneamente usado para identificar brasileiros, já que o senso comum estadunidense por vezes faz crer que toda a América Latina fala espanhol [1].


http://pt.wikipedia.org/wiki/Hisp%C3%A2nicos


Por exemplo quando se fala de acordos comerciais entre portugal e Espanha ou referentes a pessoas por ex.

diz-se :
Luso-espanhol ou hispano-português, nunca vi espanhol-português,
sempre que a primeira palavra é referente a Espanha, diz-se Hispano, de Hispania.

Hispano-Francês
Hispano- Inglês
Hispano- Alemão
etc...


para Portugal, usa-se o termo Luso ou português

Luso-Francês ou Franco-Português
Luso-Italiano ou Italo-português.
etc..
Em todo o mundo é reconhecido, que Hispanico é uma pessoa que tem por língua nativa o castelhano, inclusive nos U.S.A não consideram as Filipinas (antiga colónia espanhola) como um país Hispanico, uma vez que  sua população já não fala castelhano, um português português que se assuma como Hispânico, anula a língua portuguesa perante um estrangeiro, antes de castela se apropiar do nome Espanha (de Hespanha, Hispania) era correcto, uma vez que era só uma designação geográfica, depois de 1714 com a passagem a designação politica, do nome Espanha, todos os termos geográficos Hispania, Hespanha, Espanha, usado anteriormente,  deixaram de ser usados para designar Portugal, uma vez que perderam a validade.
Título:
Enviado por: Kawa em Agosto 21, 2008, 03:53:05 am
¿Quien dice que en Filipinas no se haba español?

http://en.wikipedia.org/wiki/Spanish_la ... hilippines (http://en.wikipedia.org/wiki/Spanish_language_in_the_Philippines)

Reinstaurado este año como idioma oficial por la presidenta filipina ya que cerca de 700.000 personas lo hablan en el país :roll:
Título:
Enviado por: tyr em Agosto 21, 2008, 09:11:26 am
o termo hispanico não é usado por nós portugueses, pois associamo lo logo a espanha (e a nivel institucional é uma forma de não sermos confundidos, pois hispania e espanha são demasiado semelhantes).

a mim tambem me soa mal o termo hispanico (pois associo o logo a falantes de castelhano), mas não deixa de estar correto.
Título:
Enviado por: manuel liste em Agosto 21, 2008, 10:19:01 am
Citação de: "legionario"
Chame-se o que se quiser, eu sou completamente favoravel à amizade Luso-espanhola ! ta melhor assim ? :wink:

A amizade já é uma realidade desde há muitos anos, o extranho é que ainda tenhamos pessoas na procura de briga na nossa Península. Amigos iremos lonxe

É melhor reservar a palavra "hispánico" para Espanha

O título de "Rei de Espanha" foi utilizado primeiro por Afonso II de Astúrias no século IX. A súa Corte estaba cheia de refuxiados visigodos na procura da Reconquista Cristã de toda a Península, loitabam sós fronte aos musulmáns e por isso os reis de Astúrias comezaron a utilizar o título fronte o intento musulmán de utilizar a palavra árabe Al-Andalus para nomear a toda a Península. Foi uma coisa política e de propaganda, tomada em herdança polos reis de Leão e a seguir polos de Castela (e Leão).

Os asturianos (e visigóticos) procuraban ser os heredeiros lexítimos do reino visigodo de Espanha, por eso o nome de Espanha (mudado desde a "Hispania" do latín clássico) foi conservado nos seus títulos, ainda que os reis de Navarra e os condes aragoneses e catalães não o aceptaban porque eles também eram espanhóis e não aceptaban a lexitimidade dos astur-leoneses.

Issa é a história do tema.
Título:
Enviado por: comanche em Agosto 21, 2008, 02:54:14 pm
Citação de: "Kawa"
¿Quien dice que en Filipinas no se haba español?

http://en.wikipedia.org/wiki/Spanish_la ... hilippines (http://en.wikipedia.org/wiki/Spanish_language_in_the_Philippines)

Reinstaurado este año como idioma oficial por la presidenta filipina ya que cerca de 700.000 personas lo hablan en el país :roll:

Lendo a página que indicaste leio,
Citar
According to the 1990 Philippine census, there are 2,658 native Spanish speakers


São menos os falantes, além disso os que a falam, falam-na como terceira ou quarta língua, depois do filipino e do inglês, ou até outras línguas.
2658 falantes nativos de castelhano num população de 90 milhões não me parece significativo.


Aonde diz que o castelhano é língua oficial das Filipinas?

Population:    
92,681,453 (July 2008 est.)  
 
Nationality: noun: Filipino(s)
adjective: Philippine  

Languages:  
Filipino (official; based on Tagalog) and English (official); eight major dialects - Tagalog, Cebuano, Ilocano, Hiligaynon or Ilonggo, Bicol, Waray, Pampango, and Pangasinan.

 
https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/rp.html#People


Official languages Filipino and English
Recognised regional languages Tagalog, Bikol, Cebuano, Ilocano, Hiligaynon, Kapampangan, Pangasinan, Waray-Waray[1]

National language: Filipino

http://en.wikipedia.org/wiki/Philippines
Título:
Enviado por: comanche em Agosto 21, 2008, 03:12:27 pm
Citação de: "tyr"
o termo hispanico não é usado por nós portugueses, pois associamo lo logo a espanha


Não somos só os portugueses que associam, o termos hispanico, a Espanha, e á língua castelhana, mas sim todo os povos do mundo o associam, seja francês, seja americano, seja chinês, seja inglês, seja japonês, seja indiano, seja argentino, seja nigeriano, seja italiano, seja russo, etc....

O termo hispânico está associado ao colonialismo de Espanha.
Título:
Enviado por: comanche em Agosto 21, 2008, 03:27:02 pm
Temos de chegar até ao séc. XVIII, para castela formar um país chamado Espanha,

http://uk.youtube.com/watch?v=3ZYhyHYdEHk

http://uk.youtube.com/watch?v=S1ujK76BaX4
Título:
Enviado por: Kawa em Agosto 21, 2008, 04:58:40 pm
Comanche, si nos vamos a segunda, tercera o cuarta lengua como pone ahí son casi 3 millones, son 2568 que lo tienen como lengua nativa y 607.200 que tienen como lengua nativa el chavacano que es una variante así que como ve, hablar se habla, y desde este año es lengua oficial también, así que mejor se informa antes de hablar.

¿Leer sabe verdad? :twisted:
Título:
Enviado por: comanche em Agosto 21, 2008, 08:58:47 pm
Acerca da formação Espanha, os videos que deixei são muito claros.

Relativamente ao assunto, das línguas oficiais nas Filipinas

Citação de: "Kawa"
Comanche, si nos vamos a segunda, tercera o cuarta lengua como pone ahí son casi 3 millones, son 2568 que lo tienen como lengua nativa y 607.200 que tienen como lengua nativa el chavacano que es una variante así que como ve, hablar se habla, y desde este año es lengua oficial también, así que mejor se informa antes de hablar.


¿Leer sabe verdad? :roll:

Citar
Spanish was abolished as an official language in 1973 during the Marcos regime and as a compulsory school subject between 1987 and 2008 (abolished by Corazon Aquino, reinstated by Gloria Macapagal Arroyo).


Acabo de ler a página oficial do governo das Filipinas, e diz o seguinte:
ás 20 horas e 50 minutos, hora de Portugal, dia 21 de Agosto de 2008

Citar
LANGUAGE

Two official languages --- Filipino and English. Filipino, which is based on Tagalog, is the national language. English is also widely used and is the medium of instruction in higher education.

Eight (8) major dialects spoken by majority of the Filipinos: Tagalog, Cebuano, Ilocano, Hiligaynon or Ilonggo, Bicolano, Waray, Pampango, and Pangasinense.

Filipino is that native language which is used nationally as the language of communication among ethnic groups. Like any living language, Filipino is in a process of development through loans from Philippine languages and non-native languages for various situations, among speakers of different social backgrounds, and for topics for conversation and scholarly discourse. There are about 76 to 78 major language groups, with more than 500 dialects.




http://www.gov.ph/aboutphil/general.asp


Continuas a afirmar que o castelhano é língua oficial das Filipinas?
Título: aqui está toda a verdade sobre as invasões às ilhas...
Enviado por: dinis manuel em Setembro 03, 2008, 08:07:48 pm
http://insoniasoniricas.net/selvagens.htm (http://insoniasoniricas.net/selvagens.htm)
Título:
Enviado por: Doctor Z em Setembro 04, 2008, 09:38:09 am
Boas,

Apesar de ser interessante este debate acerca das Filipinas, não me parece
que façam parte das ilhas Selvagens...  :wink:
Título:
Enviado por: Tiger22 em Fevereiro 05, 2009, 02:23:58 am
Estes nossos "amigos"

Que sirva de exemplo para alguns tontinhos líricos:

Citar
Por cierto, rezo todos los días para que no se descubra nada cerca de las Islas Salvajes.

Citar
Caso hipotético uno:
España fuerza superior. Un conflicto con Portugal por el descubrimiento de recursos gasísticos en aguas al norte de la Canarias mueve al gobierno a ordenar la ocupación de las islas Salvajes. Superioridad total de superficie y aérea desde Gando. Ahora bien, Portugal envia dos submarinos AIP (ya tiene uno, pronto tendrá el segundo) a Madeira y comienzan a operar. ¿Sería capaz la Armada Española de emular a la Royal Navy en 1982 frente a la superioridad aérea argentina y enfrentar la amenaza?



http://www.militar.org.ua/foro/submarin ... 8-900.html (http://www.militar.org.ua/foro/submarinos-de-la-armada-espanola-t11708-900.html)
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lusitano89 em Junho 07, 2010, 06:20:32 pm
Missão de 70 cientistas parte amanhã para as Selvagens


Investigadores portugueses vão inventariar fauna, flora e habitats marinhos das ilhas madeirenses.

Uma delegação de 70 cientistas do continente e da Madeira parte na noite de terça-feira para as ilhas Selvagens, onde permanecerá cerca de 20 dias em investigações desde a linha de costa até aos 2000 metros de profundidade.

“As ilhas Selvagens são muito conhecidas e estudadas a nível terrestre mas a sua parte marinha ainda é desconhecida”, disse, à Lusa, Paulo Oliveira, director do Parque Natural da Madeira.

“Vai ser feito um levantamento na área da biodiversidade marinha”, explicou ainda.

A anteceder a partida dos investigadores haverá um briefing que contará com a presença dos secretários de Estado da Defesa e do Ambiente.

Ciência na Extensão da Plataforma Continental

O director do Parque Natural da Madeira considera “importante” a missão científica às ilhas Selvagens no âmbito da Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) de Portugal para além das 200 milhas náuticas.

A proposta portuguesa foi apresentada em Abril à Comissão de Limites para a Extensão da Plataforma Continental das Nações Unidas.

Esta missão integra-se na campanha EMEPC/M@rBis/Selvagens 2010, organizada em três vertentes: terra, mar e linha de costa, para as Ilhas Selvagem Grande e Selvagem Pequena.

Segundo a EMPC, nas vertentes terra e mar, será realizada “uma inventariação exaustiva da fauna, flora e habitats marinhos desde os 70 metros de altitude até aos 2000 metros de profundidade”.

As Selvagens fazem parte do arquipélago da Madeira, em Portugal, e localizam-se a 165 quilómetros a norte das Canárias, pertencentes a Espanha, a 250 quilómetros ao sul da cidade do Funchal e a cerca de 250 quilómetros da costa africana.

Ciência Hoje
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Upham em Junho 28, 2010, 09:43:08 pm
Upsssssssssss!

Submarino robô
Afundamento "não põe em causa" investigação
por LÍLIA BERNARDESHoje



O submarino ROV (remotly operated vehicle) da Marinha Portuguesa, baptizado com o nome de Luso, afundou-se ao largo da Selvagem Grande (Madeira) ao partir-se o cabo que o ligava ao navio Gago Coutinho. O Luso, uma mais-valia para a comunidade científica e para o País, está agora a 615 metros de profundidade.

A continuidade dos trabalhos que decorrem desde dia 8 "não está posta em causa", garantiu ao DN Nuno Lourenço, coordenador de investigação. "A expedição tinha três componentes. Uma em terra, outra baseada em mergulho. Essas continuam a decorrer normalmente. Só o subdital profundo, ou seja, só o mar profundo, fica prejudicado com esta situação do ROV", afirmou.

Neste momento, todos os esforços estão focalizados na recuperação deste equipamento. Para isso, os investigadores precisam da ajuda de um submarino norueguês também comandado à distância que proceda ao resgate mas também diagnostique a situação. Desconhece-se se há danos estruturais, pois não foi sujeito a queda livre, isto é, "à partida a integridade do ROV não está em causa. Só depois de resolver o problema é que a missão continua" para os Açores.

O trabalho previsto no navio Gago Coutinho são mergulhos ROV, recolha de amostras biológicas e imagens de vídeo com o objectivo de caracterizar a biodiversidade.

http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interi ... id=1604701 (http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1604701)

Alguem terá mais informações?
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: ShadIntel em Junho 29, 2010, 01:38:56 pm
Parece incrível.
Como é possível que todos os dispositivos tenham partido ao mesmo tempo ? Pelo que sei, para além do cabo principal de ligação, há pelo menos mais dois ou três cabos de segurança.

Ou foi muita má sorte, ou talvez algum tipo de sabotagem...
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: JLRC em Junho 29, 2010, 07:04:05 pm
Citação de: "ShadIntel"
Ou foi muita má sorte, ou talvez algum tipo de sabotagem...

Terão sido os malvados castelhanos? :mrgreen:
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Upham em Junho 29, 2010, 07:04:29 pm
Possivelmento com o balanço do mar, quanto pesa o Luso? Muita coisa pode correr mal.

Já tive a experiência de operar um mini ROV em ambiente controlado, e mesmo sendo o veiculo muito sensivel aos comandos, pode acontecer ficar preso ou até devido á pressão do cabo, se este tiver alguma torção, não obedecer ao comando ou voltar á posição  inicial.

Cumprimentos
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Upham em Julho 08, 2010, 10:17:51 am
Bom dia!

Já foi recuperado há dois dias. 3 milhões dele do dinheirinho da república não são brincadeira.

Citar
Robô submarino Luso recuperado hoje do fundo do mar
06.07.2010 - 11:37 Por Teresa Firmino

Votar
 |
 8 votos
1 de 1 notícias em Ciências
O veículo submarino não tripulado Luso, que se tinha afundado ao largo da Selvagem Grande, ilha do arquipélago da Madeira, foi recuperado esta manhã do fundo do mar, depois de uma primeira tentativa falhada levada a cabo anteontem. Foi resgatado às 11h. Está agora a bordo do navio oceanográfico “Almirante Gago Coutinho”, da Marinha portuguesa.
O robô estava no fundo do mar desde 23 de Junho (DR)
 
O Luso encontrava-se numa expedição às ilhas Selvagens, a 163 milhas a sul da Madeira, com o objectivo de inventariar a sua biodiversidade marinha. Na noite de 23 de Junho, quando regressava ao navio de um mergulho a cerca de 600 metros de profundidade, o cabo que ligava o Luso ao “Almirante Gago Coutinho” partiu-se e o veículo afundou-se. O que esteve na origem do problema não está ainda esclarecido.

Na operação de recuperação esteve envolvido outro robô submarino não tripulado pertencente à empresa norueguesa que vendeu o Luso a Portugal, em 2008. Anteontem, fez-se a primeira tentativa de resgate com a ajuda do veículo norueguês, que desceu até junto do aparelho português para soltar a sua alça de recuperação de emergência, a que depois prendeu um cabo com o seu braço robotizado.

Desta forma, o Luso, veículo operado remotamente (ou ROV) a partir do “Almirante Gago Coutinho”, e que consegue mergulhar até seis mil metros, ainda chegou a ser trazido quase até à superfície e pouco faltou para que regressasse ao convés do navio.

“Mas o gancho próprio para a recuperação trazido pelos noruegueses não funcionou bem e o ROV perdeu-se”, explica Paulo Neves Coelho, da Estrutura de Missão e Extensão da Plataforma Continental, que comprou o Luso.

O problema foi que, na segunda ida ao fundo, o ROV português já não emitia um sinal acústico, que permitiria saber a sua localização exacta. “As baterias gastaram-se. Tínhamos uma ideia do percurso para baixo, que não é linear. É como largar uma folha de papel de um quarto andar: vai andando por ali. Desconfiava-se que estava num raio de 250 metros.”

Foi portanto necessário procurar o Luso lá em baixo, através de uma sonda com múltiplos feixes sonoros no navio, que indicou vários ecos de dimensão equivalente ao Luso. Entrou em seguida em acção o ROV norueguês para ver se algum desses ecos correspondia ao veículo português e, ao final da tarde de ontem, o Luso era localizado.

Para que a segunda tentativa de recuperação não ocorresse de noite, as operações foram retomadas apenas esta manhã, agora com sucesso.

Notícia actualizada às 13h09

http://www.publico.pt/Ci%C3%AAncias/robo-submarino-luso-recuperado-hoje-do-fundo-do-mar_1445411

Cumprimentos
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Jorge Pereira em Julho 22, 2013, 12:20:40 am
Citar
O Presidente da República deslocou-se às Selvagens, na Madeira, para assinalar a "importância científica, ambiental e estratégica" do sub-arquipélago e o 50º aniversário da primeira expedição científica àquelas ilhas.

Cavaco Silva embarcou quinta-feira no navio oceanográfico "Gago Coutinho", passando depois a noite na Selvagem Grande.

Durante a visita, foram também apresentadas ao Presidente da República as actividades desenvolvidas no âmbito da Extensão da Plataforma Continental Portuguesa e da Estratégia Nacional para o Mar.

Terceiro presidente nas ilhas
Em missões de soberania visitaram esta parcela do território, os Presidentes da República Mário Soares (Setembro de 1991) e Jorge Sampaio (Abril de 2003). Em Maio de 2009, o ex-presidente da Assembleia da República, Jaime Gama também visitou as Selvagens.

A viagem de Jorge Sampaio, a bordo da fragata Corte Real, numa missão entendida como de reafirmação da soberania nacional na mais meridional parcela do território português, foi então considerada "oportuna" pelo presidente do governo regional da Madeira, Alberto João Jardim.

Não só porque "prestigia" a candidatura destas ilhas, de peculiar biodiversidade biológica, a Património Mundial Natural da UNESCO apresentada nessa altura, mas também devido às "tentativas de equívocos por parte de Madrid e até de Bruxelas", relativamente à administração daquela reserva natural com 3,6 km2 de área e situada a 160 milhas a sul da ilha da Madeira.

Reacção negativa teve o governante madeirense em relação à primeira vista de um Presidente da República às Selvagens, em Setembro de 1991, ao considerar "indesejada" a presença de Mário Soares naquelas pequenas ilhas, dois anos antes de o próprio Jardim, então já no seu quarto mandato, deslocar-se pela primeira vez àquele território sob sua jurisdição.


Anexadas por Espanha
A recente "anexação" espanhola das Selvagens, que figuravam no "site" oficial da Comissão Europeia, em Dezembro de 2002, como pertencentes ao arquipélago de Canárias, mereceu o protesto das autoridades nacionais e regionais junto do presidente Romano Prodi.

A questão torna-se relevante não pela extensão daquela reserva, mas pelas repercussões em matéria de direito internacional, nomeadamente para a definição da zona económica exclusiva, gestão de fundos marinhos e controlo de espaço aéreo. Goradas as pretensões de Espanha sobre as Selvagens, Jardim reconhece agora como "matéria indiscutível, face ao direito internacional" que aquela reserva natural é território nacional, sob jurisdição desta Região Autónoma.

A questão das Ilhas Selvagens fora levantado pelo governo da Madeira que, no período de pré-campanha para as eleições regionais de 1996 e na sequência de sobrevoos ilegais de aeronaves espanholas sobre a reserva natural, chegou a pedir a demissão do primeiro-ministro António Guterres, acusando-o de abdicar da soberania sobre este território, numa eventual cedência a reivindicações espanholas. Em apoio a Jardim, o então líder PSD, Marcelo Rebelo de Sousa, ameaçou apresentar uma moção de censura ao Governo.

Nessa mesma altura, aquando de uma visita de uma delegação da AR às Selvagens, especulou-se que a Espanha pretendia alterar o respectivo estatuto geoestratégico, no âmbito do comando sub-regional da NATO, atribuindo-lhes a classificação de rochedos e não de ilhas, o que reduziria os direitos portugueses em termos de Zona Económica Exclusiva (ZEE), isto porque as ilhas dão direito à ZEE, enquanto os rochedos não. Mas o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jaime Gama, esclareceu, então, que, durante os trabalhos conducentes à ratificação por Portugal da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, "nunca esteve em causa a alteração do estatuto das Selvagens como ilhas".

Portugal mantém intactos os seus direitos sobre estas ilhas, com a ratificação da Convenção das Nações Unidas sobre Direito do Mar, em 1997, pelo Governo e Assembleia da República (AR). Nesta resolução reafirma-se, para efeitos de delimitação do Mar Territorial, da Plataforma Continental e da Zona Económica Exclusiva, os direitos decorrentes da legislação interna portuguesa no que respeita ao território continental e aos arquipélagos e ilhas que os integram. E declara-se que, numa zona de 12 milhas marítimas contígua ao seu Mar Territorial, Portugal tomará as medidas de fiscalização que entenda por necessárias.

De acordo com as disposições da Convenção das Nações Unidas sobre Direito do Mar, Portugal goza de direitos soberanos e de jurisdição sobre uma Zona Económica Exclusiva de 200 milhas marítimas contadas desde a linha de base a partir da qual se mede a largura do Mar Territorial. Os limites de fronteiras marítimas entre Portugal e os estados cujas costas lhe sejam opostas ou adjacentes, são aqueles que se encontram historicamente determinados, com base no Direito Internacional.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg855%2F2864%2Fj5zs.jpg&hash=bb1cb00502c93a92077faad5caca0c93)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg40%2F9287%2Fv402.jpg&hash=4c3c28a7805f134c207075f1d13603b6)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg7%2F5837%2Fncax.jpg&hash=e5909456406f5de7fb82771e1de3635a)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg27%2F5707%2F9i69.jpg&hash=2328fe4855afef9a57e47031ab5be320)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg42%2F7867%2Fs4f3.jpg&hash=fdded38552f410884b3f6b732c525dc3)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg196%2F5818%2F4aja.jpg&hash=29f3a2430ad96ea8f95c73200d935ba1)

Fonte das imagens: Marinha Portuguesa
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: sputnick em Setembro 01, 2013, 09:05:35 pm
Citar
As Ilhas Selvagens voltararam a ganhar dimensão nacional. Cerca de duas semanas antes da visita do Presidente da República àquelas ilhas, num acto considerado como forma de marcação do território nacional, é agora notícia o pedido de Espanha na ONU para que a Zona Económica Exclusiva não seja da Madeira. Isto, apesar de os espanhóis não questionarem a soberania portuguesa.

A questão prende-se exclusivamente com a áera marítima afecta às Selvagens que amplia consideravelmente a Zona Económica da Madeira e, consequentemente, de Portugal.

A notícia foi ontem discretamente publicada no JM e hoje ganhou dimensões nacionais ao fazer a capa do DN-Lisboa.  "Espanha exige à ONU que mar das Selvagens não seja para Portugal", escreve o matutino que acrescenta que o pedido à ONU terá sido formalizado pouco tempo antes da visita de Cavaco Silva.

A iniciativa de Espanha é atribuída à Missão Permanente junto das Nações Unidas num documento que faz referência a outra acção semelhante do governo de Madrid já em 2009.

A nova tentativa espanhola é vista como mais uma forma de pressão junto de organismos internacionais depois de vários pequenos incidentes que marcam o apetite de Madrid sobre aquele território e essencialmente sobre a zona marítima que lhe está associado.


http://www.dnoticias.pt/actualidade/madeira/404059-espanha-insiste-no-mar-das-selvagens

http://ilhasselvagens.blogs.sapo.pt/72926.html
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Get_It em Setembro 01, 2013, 09:19:21 pm
Quando vi essa notícia ainda pensei cá comigo: querem ver que ainda vamos ver o Zé Povinho a dizer bem dos submarinos... É se há duas coisas que unem o Zé Povinho é sem duvida o futebol e os espanhóis.

Cumprimentos,
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Edu em Setembro 01, 2013, 10:23:25 pm
Talvez esteja na altura de apoiarmos os inglêses em Gibraltar, talvez assim eles nos apoiem na questão das selvagens.
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: sputnick em Setembro 02, 2013, 01:21:55 pm
Citar
Ministério dos Negócios Estrangeiros vai reagir por escrito ao documento enviado às Nações Unidas pela Espanha no qual se afirma ser inaceitável dar a jurisdição a Portugal de 350 milhas em torno daquele grupo de ilhas.

http://www.dn.pt/inicio/tv/interior.aspx?content_id=3398525&seccao=Media
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Edu em Setembro 02, 2013, 06:39:33 pm
Vamos lá a ver se o Machete consegue defender tão bem os nossos interesses como os dele...
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: P44 em Setembro 02, 2013, 09:03:02 pm
Edu seu venenoso...  :twisted:  :twisted:  :mrgreen:



Citar
Machete anuncia resposta de Portugal a contestação espanhola sobre as ilhas Selvagens

José Maria Pinheiro e Tolentino de Nóbrega

02/09/2013 - 17:06

Portugal prepara-se para enviar documento à ONU onde reteira as suas intenções em relação à Zona Económica Exclusiva das Selvagens, tendo em conta o estatuto que defende para estas ilhas.


Rui Machete, ministro dos Negócios Estrangeiros, declarou hoje numa conferência de imprensa que Portugal se prepara para enviar um documento às Nações Unidas onde constata a hegemonia portuguesa sobre as ilhas Selvagens. Machete encontrava-se acompanhado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros de Angola, Georges Chicoti, que está em Portugal numa visita oficial até quarta-feira.

“Os termos do documento não serão divulgados”, afirmou Machete antes de se debruçar sobre outra temática, sem adiantar mais pormenores.

O Governo espanhol coloca em causa a vontade de Portugal em relação à sua Zona Económica Exclusiva (ZEE) em redor das Selvagens, tendo em conta o estatututo das ilhas.

“Não é de todo uma discussão bilateral entre os dois países, mas mais uma interpretação que cada um está a fazer”, finalizou Machete.

Espanha defende que as Selvagens não são “ilhas”, como se pode ler numa carta agora divulgada, mas sim “rochedos”, o que implica uma diminuição significativa da Zona Económica Exclusiva de Portugal.

Protesto de Espanha
A Nota à ONU, da autoria da Missão Permanente de Espanha junto das Nações Unidas, em Nova Iorque, está datada de 5 de Julho, duas semanas antes da deslocação do Presidente da República às ilhas Selvagens, e foi divulgada pelo investigador Pedro Martin Graça no seu blogue, na passada sexta-feira.

Na deslocação a este sub-arquipélago que confere a Portugal a maior ZEE da União Europeia, com 1,6 milhões de quilómetros quadrados, Cavaco Silva considerando pacífico o relacionamento com Espanha no que se refere às ilhas Selvagens, frisou que a sua visita não era uma "réplica" das anteriores missões de Mário Soares (1991) e Jorge Sampaio (2003) de reafirmação da soberania nacional, estando focada na valorização da investigação científica, da importância do mar e do património natural.

Mas a carta enviada por Espanha à ONU parece reacender a disputa que, nas últimas décadas, tem levado as autoridades espanholas a porem em causa a dimensão da Zona Económica Exclusiva de Portugal em redor das Selvagens, pelo facto de, afirmam os espanhóis, as mesmas não deverem ser classificadas como ilhas, mas sim como “rochas”.

A Missão espanhola escreve taxativamente que “Espanha não aceita que as Ilhas Selvagens criem, de modo algum, uma Zona Económica Exclusiva, aceitando, todavia, que as mesmas criem um mar territorial, uma vez que as considera como rochas com direito unicamente a mar territorial.”

Mais acrescenta a Missão castelhana junto da ONU que não existe acordo por parte de Espanha relativamente à delimitação da ZEE entre a Madeira e as Canárias.

Segundo Martin Graça, este entendimento de Espanha, expresso no aludido documento, e que pode ser visto como a reacção castelhana, em antecipação à recente visita do Presidente da República portuguesa às Selvagens, “contraria a Convenção de Montego Bay, de que Portugal e Espanha são Estados signatários”. E levaria, caso fosse sufragada, à diminuição da ZEE de Portugal em redor das Selvagens das cerca de 40 milhas náuticas (a distância entre as Selvagens e as Canárias é de 82 milhas, pelo que seriam divididas entre os dois países) para, apenas, 12 milhas (extensão do mar territorial).

Trata-se, conclui, de uma grave tomada de posição de Espanha que põe em causa a Zona Económica Exclusiva de Portugal relativamente à Madeira e que não pode deixar de merecer uma pronta reacção diplomática do Governo português no sentido da reafirmação da qualificação jurídica daquele território como ilhas.

http://www.publico.pt/portugal/noticia/ ... ns-1604671 (http://www.publico.pt/portugal/noticia/machete-anuncia-resposta-de-portugal-a-contestacao-espanhola-sobre-as-ilhas-selvagens-1604671)
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: raphael em Setembro 02, 2013, 09:39:05 pm
Citação de: "Edu"
Talvez esteja na altura de apoiarmos os inglêses em Gibraltar, talvez assim eles nos apoiem na questão das selvagens.

Tive que citar para expressar o meu "like" nesta afirmação! :twisted:
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lightning em Setembro 02, 2013, 10:01:01 pm
Citação de: "raphael"
Citação de: "Edu"
Talvez esteja na altura de apoiarmos os inglêses em Gibraltar, talvez assim eles nos apoiem na questão das selvagens.

Tive que citar para expressar o meu "like" nesta afirmação! :mrgreen: .
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Nuno Bento em Setembro 02, 2013, 10:13:31 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "raphael"
Citação de: "Edu"
Talvez esteja na altura de apoiarmos os inglêses em Gibraltar, talvez assim eles nos apoiem na questão das selvagens.

Tive que citar para expressar o meu "like" nesta afirmação! :mrgreen: .

Como alguém dizia é só poeira, querem desviar as atenções da corrupção que lavra em larga escala no seu governo, e tentam inventar inimigos para unir o que já não tem união.

Seria uma boa altura para fazermos queixa deles na ONU por causa de Olivença, para ver ate que ponto chega a hipocrisia, falávamos tb com Marrocos pra fazer o mesmo, seria divicil para eles sustentar tanta retorica contraditoria.

Só mais um aparte off topic: Para os Americanos um hispânico é um latino americano (que fala espanhol, na maior parte das vezes mexicanos que são uma praga por aqueles lados) não incluem os portugueses e os espanhóis no grupo, para eles nos somos europeus. Eu assisti a atos de descriminação de hipanicos por parte de americanos e estes sempre me trataram aparte. (Inclusive quando os hispânicos saiam eles chegavam a comentar comigo que aqueles burros nem inglês falavam).
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Jorge Pereira em Setembro 10, 2013, 05:33:49 pm
Não pude responder mais cedo a esta questão por estar fora, mas acompanhei-a de muito perto.

Umas notas:

- Isto é mais uma prova (mais uma, de muitas ao longo da história) de que infelizmente não podemos confiar no nosso vizinho (refiro-me principalmente às suas elites). Foi um acto vergonhoso e de total deslealdade para um país que se diz aliado e amigo.

- O nosso Governo foi apanhado de surpresa e a irritação com tal atitude não foi em nada disfarçada, embora oficialmente diga que não fará deste incidente um “caso”.

- Os motivos podem ser muitos, mas o facto de isto ser provocado neste momento, em simultâneo com a questão de Gibraltar, pode perfeitamente estar relacionado com uma tentativa espúria de desviar as atenções para os problemas terríveis que a Espanha atravessa; destaco entre eles os problemas económicos (com o desemprego à cabeça e onde milhares de casais se encontram ambos em situação de desemprego), a tensões nacionalista na Catalunha, onde a situação está completamente fora de controlo e onde pela primeira vez sondagens independentes dão uma maioria confortável de pessoas à favor da independência da Catalunha, e mais recentemente de um escândalo de corrupção onde a cúpula do PP, entre eles o próprio presidente do governo, foram acusados, com provas, de que receberam “dinheiro negro” mas mesmo assim, fazem de conta que não é nada com eles, não se demitindo e aproveitando qualquer assunto para tentar desviar a atenção para este(s) caso(s) onde a última candidatura de Madrid aos jogos olímpicos de 2020 é um exemplo flagrante.

- Isto quanto a mim, acabou por ser muito positivo para nós. É que nunca tinha ouvido falar tanto de Olivença e da vergonha em que esta situação se tornou como agora, seja nos meios de comunicação, na rua, no café, etc. E por outro lado, em Gibraltar, assim como no Reino Unido, já se começou a gerar uma espécie campanha de informação para explicar ao comum dos mortais que a falta de coerência e de respeito da Espanha pelas leis e tratados internacionais, não se aplica só a Gibraltar ou ao Reino Unido. Também acontece com Portugal e até com Marrocos.

- Na minha opinião, foi uma jogada arriscada que vai ter consequências muito negativas para a Espanha. O tempo o dirá.

Deixo-vos a resposta do Governo português e um artigo de um jornal de Gibraltar.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg812%2F9559%2Fsegb.jpg&hash=f9c08cce63ef47d82e6bbcfc07c2cd95)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimageshack.us%2Fa%2Fimg827%2F3329%2Fuvmm.jpg&hash=b8f0730cdade2ce5b3e6bfbd6d3a35ec)


Citar
SPAIN’S SAVAGE BID FOR SEA RIGHTS HITS PORTUGUESE

Spain has quietly lodged an official request with the United Nations to have Portugal’s southern-most territory, the Savage Islands, declared as rocks and not as islands.
According to a report in the Portugal news the demand issued by Madrid is aimed at reducing Portugal’s exclusive economic zone (EEZ), currently the largest of any European nation, and will allow Spanish vessels from the Canary Islands to venture closer to Madeira.

Measuring a mere 2.73 square kilometres or 20 hectares, although its highest point is 165 metres high, the Savage Islands are at the centre of an international dispute which Madrid has decided to take to the highest international level and seek a UN resolution.

The islands are located between Madeira and the Canary Islands, allowing Portugal’s territorial waters to reach within 40 nautical miles of the Spanish territory. In terms of distance, the Savage Islands are substantially closer to the Canaries than they are to Madeira.

These islands have been a Portuguese territory since 1438, the same year that a human being first set foot on Madeira, unlike the Canary Islands which was colonised by the Spanish.

They are inhabited only by a small team of wardens from the Madeira Nature Park, though the Portuguese navy has seized a series of Spanish fishing vessels over the years for breaching territorial borders.

Meanwhile, the town of Olivença, located south of Elvas in the Alentejo and Badajoz across the border, has been the centre of a dispute that has lasted two centuries.

The Portuguese Defence Force’s Geographical Institute (IGE) has repeatedly declined to draw the geographical line between Portugal and Spain where this town is situated, leaving a huge void along the border which divides the two countries.

The geographical omission by the Defence Force has been justified by the fact that Olivença is a Portuguese territory occupied by the Spanish and no lines will be drawn until Portugal wins the battle the Vienna Treaty said it had in 1817. It was then that Spain’s forces, backed by Napoleon were defeated after an occupation which had lasted 16 years.

Vienna thereby cancelled the Badajoz Treaty in 1801 which saw Portugal surrender Olivença to Spain and Napoleonic forces ending more than 500 years of Portugal rule, after it was founded in 1297.

Despite diplomatic scurries, the United Nations is only expected to issue a verdict on the Savage Islands in 2015, while the issue of Olivença is set to remain undecided.

Fonte (http://http)

Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Alvalade em Setembro 10, 2013, 08:43:27 pm
Um exercício conjunto com a Royal Navy ao largo das selvagens   :mrgreen:
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 10, 2013, 09:53:14 pm
Governo espanhol diz desconhecer qualquer questão nova sobre as Selvagens


O ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol manifestou hoje surpresa quando questionado sobre eventuais reivindicações sobre a soberania das Ilhas Selvagens feitas junto da ONU pelo Governo espanhol. «É a primeira notícia que ouço sobre isso esta manhã. E dormi suficientemente pouco para não conseguir agora refletir sobre isso», disse, questionado pela Lusa sobre uma carta remetida por Espanha à ONU relativa à soberania das Selvagens.

O chefe da diplomacia espanhola falava depois de participar em Madrid num debate organizado pelo Nueva Economia Forum, depois do qual manifestou surpresa sobre as notícias referentes à posição espanhola.

No passado dia 02 de setembro o chefe da diplomacia portuguesa, Rui Machete, disse que Portugal encaminharia «em breve» às Nações Unidas um documento para reafirmar a soberania portuguesa sobre as Ilhas Selvagens.

«Estamos a preparar [o documento] e seguirá em breve», disse Machete que na próxima quinta-feira se desloca a Madrid, onde terá um almoço de trabalho com o seu homólogo espanhol e um encontro com o rei Juan Carlos.

A reação portuguesa surge depois de a Espanha ter voltado a contestar junto das Nações Unidas a pretensão de Portugal de alargar a sua Zona Económica Exclusiva de 200 para 350 milhas com base na jurisdição sobre as Ilhas Selvagens.

«É uma questão jurídica que será discutida a propósito da Convenção do Direito do Mar. Não é uma discussão bilateral entre Portugal e Espanha», disse Rui Machete.

No final de agosto o Diário de Notícias divulgou uma carta enviada a 05 de julho pela missão da Espanha junto das Nações Unidas em que se dizia que o Governo espanhol «não aceita que as Ilhas Selvagens venham a gerir de alguma maneira uma zona económica exclusiva».

A Espanha alega que as Selvagens não podem ser consideradas «ilhas», mas «rochedos», o que significaria uma redução substancial da Zona Económica Exclusiva de Portugal.

Lusa
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 04:23:14 pm
Citação de: "Jorge Pereira"
The Portuguese Defence Force’s Geographical Institute (IGE) has repeatedly declined to draw the geographical line between Portugal and Spain where this town is situated, leaving a huge void along the border which divides the two countries.

The geographical omission by the Defence Force has been justified by the fact that Olivença is a Portuguese territory occupied by the Spanish and no lines will be drawn until Portugal wins the battle the Vienna Treaty said it had in 1817. It was then that Spain’s forces, backed by Napoleon were defeated after an occupation which had lasted 16 years.

Portuguese Defense Forces???  :mrgreen:

Isso em inglês fica giro mas em português não aconselho. Forças de Defesa Portuguesas (FDP), é que isso também dá para Filho Da P....
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 11, 2013, 09:15:32 pm
Machete desdramatiza diferendo sobre as ilhas Selvagens


O ministro dos Negócios Estrangeiros desdramatizou hoje em Bruxelas o diferendo com Espanha em torno das ilhas Selvagens, na véspera de um encontro em Madrid com o seu homólogo espanhol, com quem eventualmente "trocará impressões" sobre a matéria.

Em declarações à imprensa à saída de um encontro com o presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, Rui Machete afirmou que "o diferendo é uma diferença de opiniões, que em princípio é resolvido no órgão próprio da interpretação da Convenção do Direito do Mar, que é na ONU, não é propriamente um conflito grave entre Estados que têm as melhores relações".

"Não há nenhum dramatismo nem nenhuma questão que seja similar a outras que, por vezes, se põem mesmo com Estados da União Europeia, portanto não há que dramatizar e não há que estar preocupado com isso. Há-de resolver-se na altura devida. Nós pensamos que a nossa interpretação é a correta, se os nossos vizinhos e amigos espanhóis pensarem que a deles é que é a correta, teremos de discutir isso nos sítios convenientes, mas sem que isso prejudique as boas relações de entendimento, que são efetivamente muito importantes", disse.

Rui Machete garantiu que a questão não faz parte da reunião que terá com o ministro espanhol, José Manuel Margallo, até porque "são problemas técnico-jurídicos especializados", para mais tarde "resolver pelos meios adequados que estão previstos".

"São muito mais os interesses comuns que os interesses que nos dividem", insistiu, reforçando que o diferendo sobre as Selvagens é um "problema sem particular significado nas relações" entre "vizinhos que se estimam".

O chefe da diplomacia portuguesa disse a 02 de setembro que Portugal encaminharia "em breve" para as Nações Unidas um documento para reafirmar o direito de Portugal alargar a sua jurisdição em águas à volta das Ilhas Selvagens.

A reação portuguesa surgiu depois de Espanha ter voltado a contestar junto das Nações Unidas a pretensão de Portugal de alargar a sua Zona Económica Exclusiva de 200 para 350 milhas com base na jurisdição sobre as Ilhas Selvagens.

Espanha alega que as Selvagens não podem ser consideradas "ilhas", mas "rochedos", o que significaria uma redução substancial da Zona Económica Exclusiva de Portugal.

No final de agosto o Diário de Notícias divulgou uma carta enviada a 5 de julho pela missão da Espanha junto das Nações Unidas que dava conta de que o Governo espanhol "não aceita que as Ilhas Selvagens venham a gerir de alguma maneira uma zona económica exclusiva".

Lusa
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Jorge Pereira em Setembro 14, 2013, 07:43:14 pm
Citar
Portugal Telecom leva telefone fixo às ilhas Selvagens

14/09/2013 | 00:00 | Dinheiro Vivo
A partir de agora os vigilantes da natureza em permanência nas ilhas Selvagens já podem ligar e receber chamadas de todo o mundo através da rede fixa. Terá isso impacto no reforço da soberania portuguesa nas ilhas? Zeinal Bava responde com os indicativos a usar: “O +351, de Portugal, e o 291 da Madeira.” “Que eu saiba, os rochedos não têm telefone”, reforçou o presidente da Região Autónoma da Madeira, Alberto João Jardim, numa referência ao estatuto que Espanha reivindica para as Selvagens - e que Portugal contesta.

A instalação de comunicações via satélite nas Selvagens resulta de um dos protocolos ontem assinado por Zeinal Bava, presidente da PT Portugal, nas instalações do Centro de Formação e Certificação Técnica da PT na Cancela (Santa Cruz), com entidades públicas e privadas, como o Parque Natural da Madeira.

  Nos últimos cinco anos a Portugal Telecom investiu cerca de 50 milhões de euros - uma média de 10 milhões por ano, recordou o presidente executivo da PT Portugal no ato de assinatura dos vários protocolos, alguns de cariz social (disponibilização do MEO Kanal a IPSS) e no âmbito da Fundação PT. Investimento que se justifica, insiste Zeinal Bava, pela importância estratégica que a região autónoma da Madeira tem para a empresa.

A PT tem vindo a privilegiar a Madeira, nomeadamente na construção da rede de nova geração Fiber to the Home e melhoria da rede de interligação através da implementação de um anel de fibra ótico à volta da ilha, permitindo o acesso dos madeirenses a serviços de alto débito e de elevada qualidade. Um contact center vocacionado para o Atendimento e Apoio ao Cliente está a ser implementado na sede da PT no Funchal, infraestruturado com tecnologia de última geração de Customer Relationship Management e com 70 posições de atendimento - o equivalente a cerca de 200 postos de trabalho. Deverá entrar em funcionamento no final deste ano.

Nesta visita rápida à região, o homem forte da PT demonstrou “o trabalho estrutural que está a ser feito para melhorar a qualidade de serviço que a empresa presta aos seus clientes”, colocando especial ênfase no Centro de Formação e Certificação Técnica na Madeira, que confere habilitação em telecomunicações a colaboradores e service providers da PT. Esta certificação  é “obrigatória”, tendo já sido certificados cerca de 100 técnicos de field force, número médio anual que a PT pretende manter.

“Esta capacitação das pessoas vai-lhes permitir, também, sonhar mais alto e, quem sabe, fazer trabalhos noutras partes do mundo. O que muito orgulho nos daria, porque levaria uma parte do expertise português para outras paragens”, afirmou Zeinal Bava.  A Madeira sempre foi privilegiada no que se refere a investimentos da PT, tendo sido das primeiras regiões do país a passar do sistema analógico para o digital, a usufruir de cabines públicas de cartão telefónico e rede de fibra ótica e tendo sido campo experimental para o lançamento da televisão por cabo em Portugal. Investimentos de várias décadas reconhecidos por Alberto João Jardim e que colocaram a Madeira no topo do ranking das telecomunicações.

Entre os protocolos assinados ontem, é ainda de destacar o acordo firmado com o Serviço Regional de Proteção Civil, através do qual a PT assegura a instalação de 25 telefones satélite em pontos estratégicos da região autónoma, dotando-a de uma rede de emergência de último recurso. A nível das soluções core foi garantido um memorando de entendimento com a Datarede e uma empresa madeirense de engenharia de sistemas, com vista ao desenvolvimento de uma parceria na área de pagamentos móveis de estacionamento, gestão de concessões e soluções aplicacionais de gestão de empresas.

Fonte (http://http)

 
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: papatango em Novembro 29, 2013, 03:08:10 pm
Citar
O ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol manifestou hoje surpresa quando questionado sobre eventuais reivindicações sobre a soberania das Ilhas Selvagens feitas junto da ONU pelo Governo espanhol.

Há a juntar a isto o problem da falta de conhecimento por parte dos jornalistas.

Desde há uns anos a esta parte que a questão sobre a propriedade, ou soberania sobre as ilhas ficou resolvida, quando ficou claro que os portugueses tinham chegado primeiro e possuiam documentos onde se referiam as ilhas e onde até se referia a cobrança de impostos sobre os proprietários dos terrenos.

Tendo a questão da soberania ficado discutida, pois em qualquer tribunal internacional dificilmente Portugal perderia a causa, os espanhóis avançaram com algo muito diferente, que é a alegação de que as ilhas selvagens não são ilhas mas sim rochedos.

Se são rochedos, não têm direito às 200 milhas marítimas de ZEE, e neste momento é aqui que está o problema.

Se forem ilhas os espanhóis têm que aceitar uma linha divisória entre as ZEE de cada um dos países que é equidistante entre a Selvagem grande e o ponto mais a norte-nordeste da ilha de Tenerife.
Caso contrário, a ZEE espanhola será medida até meio caminho entre a ilha de Tenerife e a ilha da Madeira ficando sempre as selvagens como território português, mas dentro da ZEE espanhola.

É claro que os espanhóis são peritos em desconversar e em tentar passar os assuntos por debaixo do pano.
NÃO HÁ UMA QUESTÃO DE SOBERANIA RELATIVA ÀS SELVAGENS. O que há é uma tentativa de transformar as ilhas em rochedos, tornando as Selvagens absolutamente irrelevantes para a determinação da ZEE.
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Get_It em Dezembro 08, 2013, 04:42:18 pm
Entretanto no Japão...
Citar
Japanese town in bid to upgrade status of rocks to islands in East China Sea

A local government in south-west Japan has announced it will apply to Tokyo to upgrade the status of three uninhabited rocks in the East China Sea to islands in order to enlarge and protect the nation’s exclusive economic zone.

Reclassifying the outcrops as islands is likely to be a further bone of contention in an area where China, South Korea and Japan are already making competing claims to airspace and the areas of the ocean that they cover.

The local authority in the town of Goto, a community on the island of Fukue that earns a living primarily from fishing, intends to change the name of Kita Iwa - meaning North Rock - to Kita Kojima, which is translated as North Small Island.

Similarly, Middle Rock will become Middle Island and South Rock will be known as South Small Island.
Fonte: http://www.scmp.com/news/asia/article/1374447/japanese-town-bid-upgrade-status-rocks-islands-east-china-sea

Cumprimentos,
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Carlos Rendel em Dezembro 13, 2013, 11:38:14 pm
A questão em apreço remete para a definição de rochedos e ilhas.

    Um aglomerado de rochas sem terra arável e água é isso mesmo um rochedo.

    Se considerarmos  que decide lá viver e nutrir-se de produção local, um casalinho de portugueses,mais o cão,o gato e o

    canário,podemos fácilmente admitir um rebanho de cabras, três ou quatro nascentes de água,então já ninguém  lhe

    chamará  rocha. Naturalmente ainda ninguém teve a ideia ou autorização  de "andar para a frente" e convenhamos

   que agora tal gesto seria visto como  provocação ao país  vizinho.Que se goste ou não  as Selvagens  vão continuar

   desertas por muitos e longos anos.cr  :new_argue: posting.php?mode=reply&f=10&t=2705&sid=2bd8caecdb7e06d3f7b71f198eee4712# (http://www.forumdefesa.com/forum/posting.php?mode=reply&f=10&t=2705&sid=2bd8caecdb7e06d3f7b71f198eee4712#)
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 29, 2014, 09:55:53 am
(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/t1/1620884_198322627042408_767714037_n.jpg)
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Daniel em Setembro 23, 2014, 07:47:41 pm
Activistas espanhóis "ocupam" Selvagens em protesto

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmediaserver2.rr.pt%2Fnewrr%2F20140922_13311081949499_664x373.jpg&hash=6cdefcaaff6aec5ebe61d6ae46f80333)

Um grupo de militantes espanhóis da Alternativa Nacionalista Canária (ANC) está nas Ilhas Selvagens desde segunda-feira num protesto pela reivindicação de soberania sobre o arquipélago português e contra as possíveis explorações petrolíferas na zona.

O alerta foi dado pelos vigilantes do parque natural da Madeira, que comunicaram às autoridades marítimas que os espanhóis içaram a bandeira das Canárias no local, disse à Renascença o porta-voz da Armada, Paulo Rodrigues Vicente.

"Esta é uma acção de protesto. É um grupo que se auto-intitula Alternativa Nacionalista Canária. Chega ao local, cerca das 22h00, o navio patrulha da Marinha Portuguesa que tem a bordo também dois agentes da Polícia Marítima e que se dirigem para o local para tomar conta da ocorrência, perceberem o que se está a passar e falarem com as pessoas que lá estão”, adiantou o porta-voz da Armada.

O grupo exige falar com autoridades portuguesas. "Somos independentistas. O tema das Selvagens tem que ser resolvido com Portugal. Temos que aplicar a lei do mar e traçar uma linha mediana com a Madeira, o que colocaria as Selvagens em águas das Canárias. Tal como o fazemos com as linhas medianas com Marrocos", afirmou Pedro Gonzalez, porta-voz da ANC, à agência Lusa.

Gonzalez explicou, contudo, que a acção não pretende “abrir qualquer conflito com Portugal” - que tem a soberania sobre as Selvagens - mas antes “sensibilizar os portugueses para o problema das prospecções petrolíferas.”

Espanhóis fugiram "ao controlo" dos vigilantes
O comandante da Capitania do Porto do Funchal confirma o envio de um navio patrulha para as ilhas Selvagens.

Félix Marques acrescenta que os vigilantes da natureza, que estão ao serviço do Parque Natural da Madeira, naquele território, "comunicaram a presença de dois espanhóis das Canárias que terão efectuado uma acção de protesto, içando a bandeira de Espanha no local". O comandante adianta que já comunicou a situação ao chefe de Estado-Maior da Armada.

O responsável salienta que "nada impede, com autorização do Parque Natural, que as pessoas possam desembarcar e visitar a ilha", mas que neste caso o desembarque aconteceu na segunda-feira. Os espanhóis fugiram "ao controlo" dos vigilantes.

Discórdia entre Portugal e Espanha
O facto de estas ilhas se encontrarem mais próximas do arquipélago das Canárias do que do da Madeira (165 quilómetros a norte das Canárias e a 250 quilómetros a sul da cidade do Funchal) tem provocado alguma discórdia entre Portugal e Espanha.

Em Setembro do ano passado o Governo espanhol enviou uma carta às Nações Unidas, na qual questionava a jurisdição do arquipélago e considerava as Selvagens não como ilhas, mas como rochedos, o que significaria uma redução substancial da Zona Económica Exclusiva portuguesa.

Uma semana depois Portugal contestou o documento, explicando que a "plataforma continental portuguesa além das 200 milhas náuticas na região Leste, para Oeste do arquipélago da Madeira, constitui o natural prolongamento do território da ilha da Madeira e do território de Portugal Continental", portanto, assim assumindo que as Selvagens são portuguesas.
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Alvalade em Setembro 23, 2014, 08:25:50 pm
Há gente que não tem mesmo nada para fazer na vida  :roll:

Edit: E se querem falar de leis do Mar não se podem esquecer que a Comissão Permanente de Direito Marítimo Internacional atribuiu a soberania das Ilhas Selvagens a Portugal .
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Menacho em Setembro 23, 2014, 09:36:52 pm
4 tontos hay en todos sitios..... :domador:
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: WTTJungle em Setembro 24, 2014, 04:10:00 pm
Eu não percebo nada disto mas... não poderiam dar estatuto especial às ilhas de àrea/base militar (ou um estado qualquer); de facto ocupar com guarnição permanente (coisa pequena mas suficiente); e exercer soberania sobre a àrea que passava a ser interdita a civis (com as devidas exceções, claro)?
Em relação a linhas medianas: as Selvagens são componente do Arquipélago da Madeira, portanto, quanto muito, as medianas seriam traçadas tendo em conta os dois pontos mais próximos entre os dois territórios (o Espanhol e o Português [nas Ilhas Selvagens]). Porque essa história do "as Selvagens ficam mais perto das Canárias do que da Madeira" é paleio para quem ganha com isso; se calhar Badajoz fica mais perto de Lisboa do que de Madrid também.... [mas fiquem lá com Badajoz que não me interessa para nada. No entanto, as Selvagens são parte integrante do território nacional e lá porque os senhores procuram a independencia depois de arranjar ali mais umas ilhas não quer dizer que o possam fazer.].
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Edu em Dezembro 29, 2014, 03:17:15 pm
Espanha pede à ONU território português
Nuno Escobar de Lima | 29/12/2014

Citar
A Espanha apresentou à Organização das Nações Unidas (ONU) um proposta para acrescentar quase 300 mil quilómetros quadrados ao seu território marítimo. Um plano que inclui o território português das Ilhas Selvagens – visitadas por Cavaco Silva em Julho de 2013 e que administrativamente pertencem a uma freguesia da Madeira – e uma aérea também reivindicada num semelhante pedido português de expansão territorial.

“É a maior ampliação de soberania desde Cristóvão Colombo”, disse ao El País Luis Somoza Losada, líder da equipa espanhola encarregada de redigir o plano apresentado à ONU a 17 de Dezembro. Madrid, à semelhança do que havia ido feito por Portugal em 2009, aproveita assim a norma da ONU sobre os Direitos do Mar para ampliar a sua zona económica exclusiva de 200 para 350 milhas desde as fronteiras terrestres.

Segundo o diário espanhol, são cerca de 10 mil os quilómetros quadrados incluídos no plano que também são reclamados por Portugal. Parte deles, as ilhas selvagens, já fazem parte do território português, mas o novo plano espanhol abre uma nova disputa, na zona marítima situada a Oeste da Madeira.

O responsável pelo plano espanhol antecipa que o problema será resolvido com negociações bilaterais, que poderão levar à divisão dos territórios disputados. Previsão semelhante à de uma investigadora portuguesa do Centro de Estudos Jurídicos Económicos e Ambientais citada no mesmo artigo do El País.

Os espanhóis assumem ainda que o plano tem como objectivo a “exploração dos recursos naturais” das áreas pretendidas. Somoza Losada diz que a existência de gás na região é certa, faltando saber se é “rentável extrai-lo”. “Também pode haver petróleo”, diz o coordenador de uma equipa de sete civis e seis militares formada pelo Governo espanhol para desenvolver o plano.

http://www.sol.pt/noticia/121155

Como é que o governo Português vai responder a isto?
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Crypter em Dezembro 29, 2014, 09:52:06 pm
Algo que já era previsível já há uns anos..

Aliás, um dos maiores opositores na hora da compra dos submarinos era a Espanha. Pq seria?

Sinceramente, se tivesse o PS ou BE no poder tinha mais receio.. ;)!
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 31, 2014, 08:28:37 pm
Portugal e Espanha vão assinar tratado bilateral sobre as Ilhas Selvagens


O Ministério dos Negócios Estrangeiros português informou segunda-feira que “Portugal e Espanha deverão chegar a um acordo sobre o domínio de 10 mil quilómetros quadrados da zona económica exclusiva das ilhas Selvagens. Os dois países intentaram junto da Organização das Nações Unidas (ONU) um pedido de apreciação para extensão das respectivas plataformas marítimas.

Num comunicado, o gabinete liderado por Rui Machete revelou que “os processos em causa não são passíveis de negociação entre os estados de acordo com a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar”. No entanto, o Ministério dos Negócios Estrangeiros acrescenta que “estes processos não prejudicam a questão da delimitação de fronteiras marítimas entre os estados, que podem ser objecto de um processo negocial autónomo e bilateral”.

A diplomacia portuguesa esclarece ainda que “a sobreposição de área existente nas duas propostas não tem qualquer consequência para a extensão da plataforma continental além das 200 milhas marítimas de ambos os países, devendo ser objecto de uma posterior negociação em sede de delimitação de fronteiras marítimas”.
Por fim, o comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros diz que “em caso de sobreposição de áreas além das 200 milhas marítimas, tanto Portugal como Espanha deverão resolver bilateralmente a questão das fronteiras marítimas”.

No entendimento dos responsáveis espanhóis, a proposta proveniente de Madrid representa “a maior ampliação de soberania desde Cristóvão Colombo”. A equipa espanhola que efectuou o pedido junto da ONU é liderada por Luiz Somoza Losada e composta por mais 12 pessoas.

Lusa
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: P44 em Janeiro 03, 2015, 03:34:52 pm
http://sol.pt/noticia/121155 (http://sol.pt/noticia/121155)

Espanha pede à ONU território português

A Espanha apresentou à Organização das Nações Unidas (ONU) um proposta para acrescentar quase 300 mil quilómetros quadrados ao seu território marítimo. Um plano que inclui o território português das Ilhas Selvagens – visitadas por Cavaco Silva em Julho de 2013 e que administrativamente pertencem a uma freguesia da Madeira – e uma aérea também reivindicada num semelhante pedido português de expansão territorial.

“É a maior ampliação de soberania desde Cristóvão Colombo”, disse ao El País Luis Somoza Losada, líder da equipa espanhola encarregada de redigir o plano apresentado à ONU a 17 de Dezembro. Madrid, à semelhança do que havia ido feito por Portugal em 2009, aproveita assim a norma da ONU sobre os Direitos do Mar para ampliar a sua zona económica exclusiva de 200 para 350 milhas desde as fronteiras terrestres.

Segundo o diário espanhol, são cerca de 10 mil os quilómetros quadrados incluídos no plano que também são reclamados por Portugal. Parte deles, as ilhas selvagens, já fazem parte do território português, mas o novo plano espanhol abre uma nova disputa, na zona marítima situada a Oeste da Madeira.

O responsável pelo plano espanhol antecipa que o problema será resolvido com negociações bilaterais, que poderão levar à divisão dos territórios disputados. Previsão semelhante à de uma investigadora portuguesa do Centro de Estudos Jurídicos Económicos e Ambientais citada no mesmo artigo do El País.

Os espanhóis assumem ainda que o plano tem como objectivo a “exploração dos recursos naturais” das áreas pretendidas. Somoza Losada diz que a existência de gás na região é certa, faltando saber se é “rentável extrai-lo”. “Também pode haver petróleo”, diz o coordenador de uma equipa de sete civis e seis militares formada pelo Governo espanhol para desenvolver o plano.
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lusitano89 em Junho 06, 2016, 03:00:27 pm
Governo abre "esquadra" da Polícia Marítima nas Ilhas Selvagens


O secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrello, anunciou hoje, no Funchal, que o Governo vai abrir uma extensão permanente da Polícia Marítima da Madeira nas Ilhas Selvagens no final de agosto.

"É nosso objetivo deixar bem claro que aquelas ilhas têm condições de habitabilidade, têm condições para o desenvolvimento de atividades económicas e o reforço da presença do Estado melhora as condições para o exercício da autoridade do Estado", afirmou o governante, após uma audiência com o presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque.

Marcos Perestrello explicou que a extensão da delegação da Polícia Marítima será permanente, 365 dias por ano e 24 horas por dia, contando com dois elementos, um polícia marítimo e um militarizado da Marinha, e dotada de duas lanchas aptas a promover a vigilância, o controlo e a fiscalização da área, em coordenação com os vigilantes da natureza que já lá estão sediados.

A extensão ficará na Selvagem Grande e poderá desenvolver todos os atos típicos de qualquer Capitania, como a emissão de licenças de pesca e o registo de embarcações.

"Isso reforçará e não deixará dúvidas sobre aquela que é a intensão clara do Estado português em relação às Selvagens", afirmou Marcos Perestrello.

"Pretendemos reforçar a presença e exercer os ossos direitos soberanos sobre aquelas águas e sobre aquela plataforma continental", afirmou.

O secretário de Estado disse, por outro lado, que esta decisão enquadra-se na estratégia de desenvolvimento das potencialidades do mar.

A extensão da Polícia Marítima da Madeira nas Ilhas Selvagens implica, ainda, a instalação de um radar, que permitirá vigiar as águas até às 24 milhas com grande precisão, e o reforço do sistema de comunicações, bem como das atuais instalações do Parque Natural, tarefa que competirá ao Governo Regional.

O sub-arquipélago das Selvagens, composto por duas ilhas (Selvagem Grande e Selvagem Pequena) e vários ilhéus, faz parte da Região Autónoma da Madeira e situa-se a cerca de 300 quilómetros a sul do Funchal, tendo já sido visitado por três Presidentes da República (Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva)

O secretário de Estado da Defesa participa, entretanto, esta tarde na cerimónia de entrega do estandarte heráldico regional ao comando regional da Polícia Marítima da Madeira, um símbolo da sua identidade e do reforço do seu prestígio.

>>> http://www.dn.pt/portugal/interior/governo-abre-esquadra-da-policiapoliciamaritima-nas-ilhas-selvagens-5213654.html
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lightning em Junho 20, 2016, 11:59:44 am
Citar
Dez toneladas para polícia nas Selvagens

Polícia Marítima vai ter 2 elementos em permanência nas ilhas.

http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/dez_toneladas_para_policia_nas_selvagens.html
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lusitano89 em Junho 13, 2017, 02:45:17 pm
Marinha reforça posição nas Selvagens


O capitão-de-mar-e-guerra Paulo Silva Ribeiro já assumiu o cargo de Comandante da Zona Marítima da Madeira e apesar e satisfeito com os meios que dispõe na Região admite um eventual reforço desde que seja encarado como uma mais-valia para as ações que a Marinha realiza. Ministro da Defesa vai em Julho às Selvagens.


Silva Ribeiro é cumulativamente diretor do subcentro de busca e salvamento marítimo do Funchal, capitão do porto do Porto Santo e comandante local da polícia marítima da Madeira e do Porto Santo.

O novo Comandante da Zona Marítima da Madeira desloca-se esta semana às Selvagens e considera que os meios colocados na Região ao serviço da Marinha “são os adequados à missão e são aqueles que é possível termos”.

Falando no final de uma audiência com o Representante da República, Silva Ribeiro admitiu a possibilidade de poder haver um “eventual reforço de meios para a Região desde que tal seja entendido como uma mais-valia e uma necessidade para as missões que a Marinha desenvolve na Madeira.

A deslocação às Selvagens, prende-se com a disponibilização pela marinha de uma lancha anfíbia preparada para operar naquele território.

Ministro da Defesa vai às Selvagens

O novo comandante da Zona Marítima da Madeira confirmou que em Julho será inaugurado o novo posto da Marinha na Selvagem Grande cerimónia que contará com a presença do Ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes.

Natural de Lisboa, o Capitão-de-mar-e-guerra Paulo Jorge da Silva Ribeiro nasceu em Lisboa, em 1962, tendo exercido, entre outras, as funções de Chefe de serviço e de Oficial de ação tática nas fragatas Magalhães Correa e Comandante Roberto Ivens. Foi Comandante dos navios patrulha Cuanza e Cacine, e da fragata Comandante Sacadura Cabral, tendo realizado três comissões na Zona Marítima da Madeira, entre 1992 e 1995. Realizou diversas missões nas Ilhas Desertas e Selvagens, no apoio ao Parque Natural da Madeira.

Foi Capitão do Porto e da Polícia Marítima de Peniche.

Prestou serviço na Divisão de Operações do Estado-Maior Internacional do Comité Militar da NATO, no quartel-general em Bruxelas, Reino da Bélgica.

É especializado em Artilharia Naval.

Está habilitado com o Curso Geral Naval de Guerra e com o Curso de Promoção a Oficial General.

 
>>>>>   http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/marinha-reforca-posicao-nas-selvagens-171289?utm_source=dlvr.it&utm_medium=facebook
Título: Re: Ilhas Selvagens
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 17, 2017, 01:42:22 pm
Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar