Sistemas de Aeronave Remotamente Pilotada (SARP) do Exército Brasileiro

  • 2 Respostas
  • 329 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6142
  • Recebeu: 745 vez(es)
  • Enviou: 419 vez(es)
  • +7870/-7021
XMobots entregará em breve o sistema Nauru 1000C ao Exército Brasileiro


Citar
A fabricante brasileira de drones XMobots entregará em breve o primeiro SARP CAT 2 Nauru 1000C ao Exército Brasileiro. Este sistema possui três unidades do RPA VTOL Nauru 1000C , duas unidades intercambiáveis ​​do sensor XSIS 222A EO/MWIR gimbal (desenvolvido pela Xmobots), dois radares intercambiáveis, um do tipo Ground Moving Target Indicator (GMTI) e outro do tipo sintético tipo de abertura (SAR) , terminais de comunicação, estações de controle montadas em um abrigo em um contêiner autodesmontável.


Formação de futuros operadores

A XMobots atuou conjuntamente não só na fabricação do sistema mas também na formação de futuros operadores do SARP CAT 2 Nauru 1000C , tanto no domínio da tecnologia utilizada como nas funcionalidades e modos de funcionamento dos sensores. e equipamento.

Completo com mais de 660 horas de treinamento teórico e 200 horas de treinamento prático (voo, manutenção e operação), o treinamento ministrado pela empresa à equipe do Exército abrangeu sete fases. As primeiras fases são para voos VLOS (Visual-Line-Of-Sight) abaixo de 400 pés e BVLOS (Beyond-Visual-Line-Of-Sight) acima de 400 pés, ambos realizados com RPAS classe 3 (até 25 kg) de XMobots: Arator 5C e Nauru 500C .

Após essas fases, o treinamento continua com as operações com drones classe 2 (com peso de decolagem entre 25kg e 150kg), neste caso, o Nauru 1000C .


Segundo Giovani Amianti , CEO da XMobots, um fato relevante neste treinamento é que, como a empresa possui examinadores oficiais credenciados pela Agência Nacional de Aviação Civil ( ANAC ) para o treinamento de pilotos de RPAS, pela primeira vez no Brasil , foi realizado um controle de piloto de drone por examinador credenciado para obtenção de licença e habilitação para voos acima de 400 pés, no espaço aéreo F e G - sendo concedidas aos militares do Exército as certificações para voos VLOS e BVLOS acima de 400 pés, com classe RPAS 3.

"Esta verificação foi realizada pela equipe no final de fevereiro, sendo a primeira verificação de piloto de drone realizada sem a presença da ANAC, mas com examinador credenciado por ela. Para a XMobots, sem dúvida é motivo de orgulho", ele enfatizou Amianti.


“Este é um momento histórico para a XMobots e o mercado brasileiro de drones. Após uma longa preparação, desenvolvendo metodologias em colaboração com a ANAC, tive o privilégio de realizar o controle de operadores militares de RPAS como examinador credenciado pela ANAC. E a equipe de candidatos não poderia ser melhor", disse Moisés Pedrici , responsável pelo treinamento.

Na opinião de Pedrici, a disciplina, o conhecimento técnico e a inteligência na tomada de decisões demonstradas pela equipe do Exército Brasileiro são importantes indícios de que o sistema Nauru 1000C será utilizado em todo o seu potencial pelos militares brasileiros.

Tecnologia de ponta no continente

O Nauru 1000C - CAT2da XMobots pode atuar em missões de segurança, vigilância e monitoramento de fronteiras terrestres, sendo a única do gênero desenvolvida e fabricada na América Latina para este fim, até o momento.
Sendo um RPA VTOL (Vertical Take-Off and Landing) , o Nauru 1000C realiza decolagens e aterrissagens verticais automáticas, facilitando as operações.


O Nauru possui tanque de combustível de 50 litros, e o sistema VTOL elétrico é baseado na eficiência de 8 motores com baterias independentes; sua estrutura é feita de alumínio e materiais compostos.
Com peso máximo de decolagem de 150 kg e alcance máximo de 60 km, o Nauru 1000C realiza diversos tipos de vigilância aérea por até 10 horas de operação, em missões diurnas ou noturnas.

O modelo é muito versátil, pois foi desenvolvido para missões que exigem operações em diversos cenários, suportando chuva leve, neblina leve ou neblina.

O sistemaO Nauru 1000C está equipado com tecnologia de ponta e inclui uma torre estabilizada com ótica no espectro visível (EO), infravermelho médio (MWIR), telêmetro a laser (LRF) e designador a laser (LP) para vigilância, reconhecimento , inteligência e missões de aquisição.


O sensor XSIS (XMobots Stabilized Imaging System) , desenvolvido pela XMobots, é composto por um sistema estabilizador de 85 microrradianos de alta performance, responsável por estabilizar os seguintes componentes: sensor EO (câmera eletro-óptica); sensor IR (câmera infravermelha de comprimento de onda médio MWIR); sensor telêmetro (telêmetro a laser para calcular a distância até o alvo) Ponteiro laser IR.

Este sistema permite a captura de imagens estabilizadas em altíssima definição, tanto em ambientes iluminados quanto no escuro, por meio de sua câmera térmica.

Além disso, o sensor XSIS permite a determinação das coordenadas geográficas dos alvos, o rastreamento automático de alvos fixos e móveis, bem como a designação e marcação de alvos usando lasers invisíveis.


Apresentando vasta experiência no desenvolvimento de sistemas aviônicos, a XMobots desenvolveu o Nauru 1000C com dois pilotos automáticos, garantindo redundância em todos os sistemas do aeronaves, oferecendo assim maior segurança nas operações.
O sistema Nauru 1000C também possui uma estação de controle para o FW150 e o sistema de cardan XSIS, projetado como um contêiner e desenvolvido pela XMobots.
Da mesma forma, é possível controlar o sistema a partir de um Shelter de 2,5 toneladas como sua unidade móvel, projetada para ser rebocada por veículos.

O container com seu checkpoint tem acesso por impressão digital, luzes de emergência, ar condicionado e assentos ergonômicos. É um conforto que garante a redução do estresse do operador durante as missões.
O GCS multifuncional foi desenvolvido para substituir o laptop tradicional em missões onde a ergonomia e os equipamentos de vigilância são essenciais para reduzir a carga de trabalho do piloto.

Ficha técnica - Nauru 1000C

Dimensões: envergadura 7,7m | comprimento 2,9m | altura 0,98m
Peso máximo de decolagem (MTOW): 150 kgf
Peso máximo da carga útil: 18,0 kgf
Aeronaves VTOL: asa fixa + multirotor
Propulsão híbrida: combustão e elétrica (monomotor de asa fixa, octacopter multi-rotor)
Autonomia: 10 horas
Velocidade de cruzeiro: 111 km/h
Teto operacional: 10.000 pés
MTOW: 150kg


 :arrow:  https://www.infodefensa.com/texto-diario/mostrar/3488971/xmobots-entregara-proximamente-sistema-nauru-ejercito-brasil
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: PTWolf

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6142
  • Recebeu: 745 vez(es)
  • Enviou: 419 vez(es)
  • +7870/-7021
Re: Sistemas de Aeronave Remotamente Pilotada (SARP) do Exército Brasileiro
« Responder #1 em: Março 19, 2022, 09:16:03 pm »


 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6142
  • Recebeu: 745 vez(es)
  • Enviou: 419 vez(es)
  • +7870/-7021
Re: Sistemas de Aeronave Remotamente Pilotada (SARP) do Exército Brasileiro
« Responder #2 em: Maio 29, 2022, 03:01:03 pm »
A empresa brasileira XMobots busca integrar o míssil MBDA Enforcer em seu UAV Nauru 1000C


Citar
Por meio de comunicado oficial, a empresa brasileira XMobots anunciou sua intenção de integrar o míssil MBDA Enforcer com seu UAV Nauru 1000C. Isso se manifestou com a assinatura de um Memorando de Entendimento (MoU) em 17 de maio entre a XMobots e o consórcio europeu fabricante de mísseis MBDA.

O Nauru 1000C é um dos mais recentes desenvolvimentos e conquistas da empresa XMobots, líder no segmento de drones na América Latina. Trata-se de um UAV de 150 quilos do tipo VTOL (Vertical Take-Off and Landing). Possui tanque de combustível de 50 litros, o que permite atingir distâncias de até 60 quilômetros. O Nauru 1000C foi recentemente selecionado pelo Exército Brasileiro como uma de suas futuras plataformas para realizar missões ISTAR (Inteligência, Vigilância, Aquisição de Alvos e Reconhecimento).


Por meio do memorando de entendimento assinado com a MBDA, a XMobots busca trabalhar para realizar provas de conceito para a integração do Nauru 1000C com o míssil Enforcer . Por sua vez, com base no que foi expresso pelo CEO da XMobots, Giovani Amianti, o memorando também inclui possibilidades de cooperação industrial e compensação do tipo offset para a empresa brasileira .

O Enforcer é um míssil de baixo peso (aproximadamente 7 kg) projetado e desenvolvido pela MBDA. Ele foi projetado como um sistema para ser usado por tropas em terra por meio de um lançador. Nesta versão, encomendada para as forças armadas alemãs em 2019, tem um alcance de 1.800 metros. Destina-se a destruir alvos levemente blindados ou para a destruição de obstáculos em ambientes urbanos.

Sobre a XMobots:


A XMobots sempre se destacou no mercado de drones civis e por suas certificações ANAC (CAA brasileira), tornando-se a única empresa de drones RPAS certificada pela ANAC a voar acima de 400 pés (aproximadamente 122 metros) ou BVLOS a uma distância de 30 km. A entrada no mercado de Defesa em 2019 teve como objetivo atender as demandas recorrentes das Forças Armadas Sul-Americanas. Essa aliança com a MBDA consolida nossa capacidade tecnológica, colocando o Brasil em um grupo diferenciado de países que desenvolvem e produzem drones armados ”, indicou Amianti.

 :arrow:  MBDA e XMobots