Viagem aos 70 anos do Desembarque na Normandia

  • 0 Respostas
  • 1430 Visualizações
*

jopeg

  • Membro
  • *
  • 53
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • +1/-0
Viagem aos 70 anos do Desembarque na Normandia
« em: Junho 30, 2015, 10:23:08 am »
Normandia 2014

Setenta anos depois ...


Preparação da viagem:

2014 foi um ano único para o assinalar de datas que marcaram o século XX: 100 anos da Primeira Guerra Mundial, 25 anos sobre a Queda do Muro de Berlim e os 70 anos do desembarque Aliado na Normandia, conhecido como o Dia D. Decidi estar presente nestes eventos.

Quis estar no dia 6 de Junho de 2014 junto às praias que 70 anos antes testemunharam o maior desembarque da história e a reviravolta no desenrolar da Segunda Guerra Mundial. Todas as décadas do aniversário são assinaladas com "pompa e circunstância" com a presença dos lideres mundiais. _Nesta edição estiveram presentes Barack Obama, rainha Elisabete II, Vladimir Putin, Angela Merlkl e François Hollande, entre outros.

Mas não é só de chefes de estado que vivem as comemorações, há também milhares de pessoas que se deslocam a esta zona para assinalar a data e os veteranos, os verdadeiros heróis do dia. Com cerca de vinte anos em 1944, hoje os veteranos têm à volta dos noventa anos e na próxima ocasião, em 2024, já não serão muitos os combatentes a marcar presença. Este foi o principal motivo pelo que decidi ir à Normandia neste 70º aniversário, ver e prestar a minha homenagem aos Veteranos de Guerra, pois se não fosse o seu sacrifício e coragem o mundo não seria igual ao que conhecemos no dias de hoje.

Comecei então a planear a viagem. O dia 6 de junho, foi uma sexta-feira pelo que escolhi iniciar a viagem no dia 5 e aproveitar o fim de semana, regressando a Portugal ao final da tarde de domingo. Já conhecendo as cinco praias do Desembarque, convinha ter outros motivos de interesse para justificar ainda mais a viagem. Olhando para o mapa e pesquisando umas coisas sobre a Normandia, descobri o Mont Saint Michel, um invulgar e turístico destino que ainda não conhecia.

A viagem começava a ganhar forma e este foi o planeamento final:
Dia 1 (5/JUN): Viagem Lisboa-Paris e viagem de carro alugado até à Normandia, parando em Rouen.
Dia 2 (6/JUN): Comemorações do 70º Aniversário do Dia D. Viagem para a Baixa Normandia ao final do dia.
Dia 3 (7/JUN): Visita ao Mont Saint Michel.
Dia 4 (8/JUN): Viagem para Paris, com paragem em Le Mans para visitar o Museu das 24h e voo de regresso a Lisboa.

Pensada a viagem, tinha que começar a tratar dos voos e hotéis. A opção mais lógica, pelos horários aceitáveis, preços acessíveis e sobretudo pela localização do aeroporto, seria voar para Paris Beauvais pela Raynair. Depois de ter comprado os bilhetes, recebi uma comunicação desta companhia a informar que o aeroporto BVA estaria encerrado devido a obras na pista. Pedi o reembolso do dinheiro e passei para uma alternativa que era voar na Aigle Azur para Paris Orly e regressar deste aeroporto com a Vueling. Para o alojamento, com os hotéis da Normandia há muito esgotados, restou-me marcar um hotel em Le Havre, a cerca de 1h da zona do Desembarque. O segundo hotel seria em Saint James, relativamente perto do Mont de Saint Michel.

Tudo tratado, restava-me esperar até junho para o inicio da viagem: Normandia 70 anos depois.


A visita:

--- 1º Dia ---

Voo até ao aeroporto de Paris Orly, levantar o carro alugado à Hertz e rumar a norte. O meu GPS deu uma ajuda fundamental nesta viagem, facilmente deixei a zona de Orly na periferia de Paris e apanhei a auto-estrada até Rouen.

A paragem em Rouen, uma possibilidade se tivesse tempo, teve por objetivo ver a sua espetacular catedral e o seu interessante centro histórico. Estacionei o carro no centro e parti rumo à praça da catedral passando por ruas com edifícios em "madeiramento". Não sendo uma cidade grande, Rouen tem umas belas ruas, mas o principal ponto de interesse é a sua catedral. Datada de 1145 foi construída em estilo Gótico com pormenores interessantes.  

Casas no centro de Rouen:


Uma igreja em estilo gótico:


A catedral:




O edifício da policia:


Depois de Rouen, o próximo destino foi Le Havre. Nada vi nada desta cidade, sei que é uma cidade industrial e sem grande beleza. Apenas cheguei ao hotel, tratei do jantar e deitei-me cedo.

--- 2º Dia ---

Nos dias anteriores comecei a pesquisar sobre as comemorações do Dia D, tendo chegado à conclusão que a visita não seria fácil. Com a presença de cerca de 200000 pessoas e, principalmente, os chefes de estado, o aparato policial seria enorme, com milhares de polícias e muitas estradas cortadas. Reparei na existência de uma "zona restrita", cujas estradas seriam encerradas às 6h00 da manhã. Solução: chegar lá antes dessa hora !

A 1 hora de distância, teria de acordar cerca das 4h30 da manhã para tentar passar os controlos policiais e entrar nessa área de segurança. Consegui ! Já com alguns policias nas estradas, lá consegui chegar a Rainville, por sinal a primeira localidade francesa a ser libertada. Tal como há 70 anos, este seria um longo dia.

Passagem por Rainville e fui estacionar o carro em Bénouville, atravessando a mítica Ponte Pegasus, uma ponte sobre o Canal de Caen e que devido à sua posição estratégica tornou-se um importante objetivo militar na madrugada de 06 de junho de 1944, tendo sido tomada por tropas britânicas transportadas por planadores.

Bénouville:


A famosa Ponte Pegasus:




Com tantas restrições de trânsito, quando estacionei o carro senti uma sensação de vitória por ter consigo chegar até aquele lugar. Valeu a pena ter acordado às 4h30 (3h30 em Portugal !). O segundo pensamento foi o que seria estar ali há exatamente 70 anos atrás a combater e fazer parte da história.  

Veículos históricos em exibição em Boneville:


Fui a pé para Rainville, cerca de 2km, e aqui assisti à primeira das comemorações: o desfile do para-quedistas ingleses da 6º companhia. Muitos militares no ativo e alguns veteranos. O desfile começou nas ruas da aldeia e dirigiu-se até ao Cemitério de Guerra Inglês. Aqui houve mais umas cerimónias.

Rainville, os militares britânicos:

 
O desfile militar:


Veteranos, os verdadeiros heróis do dia:


A cerimónia terminou no cemitério militar de Rainville:


A próxima paragem seria Bénouville, onde às 12h30 havia um desfile na Ponte Pegasus. Entretanto os lideres mundiais chegavam de helicóptero a um palácio nesta pequena localidade. Vi a passagem (da comitiva automóvel) do presidente dos EUA e o aparato policial é algo surreal, inimaginável !.

Preparativos para as comemorações:


Um dos muitos memoriais da zona:


Uma verdadeira multidão de pessoas quis assinalar este dia histórico:


Depois fui até Courseulles-sur-Mer, o ponto onde as tropas canadianas desembarcaram. Já não consegui ir a Arromanches, pois a policia tinha todas as estradas cortadas naquele momento. Fui até Bayeux, vi a catedral e o impressionante cemitério de guerra inglês onde Sua Majestade a Rainha, tinha estado de manhã numa cerimónia sempre marcante.

Concentração junto à igreja de Saint-Aubin-sur-Mer:


Um dos figurantes do dia:


Memorial:


Comemorações em Juno Beach:


Um dos vestígios da II Guerra Mundial preservado em Courseulles-sur-Mer:


Um bunker de proteção da costa:


Museu em Bayeux:


Catedral de Bayeux:


Cemitério da Commonwealth em Bayeux:


A Cruz do Sacrifício, uma presença constante nos cemitérios da CWGC:


Os britânicos são os principais turistas destas comemorações. A proximidade com o seu território e o enorme gosto que este povo tem pelo seu passado, fazem com que sejam aos milhares os britânicos presentes. Orgulhosos neste dia e nas suas tradições vivem estes dias com muita paixão, vaidade e respeito pela sua sua história. Consigo compreende-los.    

Ainda tentei ver um cemitério de guerra alemão, mas depois de sair da zona restrita e sem acreditação no carro a policia não me deixou voltar atrás. Prova que se não tivesse entrado nesta zona antes das 6h00 da manhã seria difícil ver qualquer coisa das comemorações.

Coloquei Saint James no GPS e foi até lá que levei o pequeno Chevrolet Spark alugado à Hertz. Ali seria a minha base durante duas noites, tendo escolhido para alojamento o Hotel Normandie.

Jantar no centro da cidade comida típica francesa e fui dormir, pois o dia tinha sido bem longo.

--- 3º Dia ---

No dia anterior reparei que na saída da auto-estrada para St. James havia a sinalética de um cemitério de guerra norte americano e reparei nas placas que indicavam o caminho para o local. Antes de partir rumo ao Mont Saint Michel, resolvi ir até lá ...

Uns escassos 3km separavam o hotel, que tinha escolhido desconhecendo este facto, e o Brittany American Cemetery, onde repousam os restos mortais de 4409 militares Norte Americanos e 498 desaparecidos.

Cemitério Norte Americano Brittany:










O cemitério está, como é hábito nestes povos que cuidam da sua história, impecavelmente cuidado. Desde a casa de receção, à capela, às sepulturas tudo está a 100%, não podendo apontar um defeito por mínimo que seja. Há comissões estatais encarregues da manutenção destes espaços e acredito que os orçamentos das mesmas não sejam baixos. Mas é a forma encontrada de homenagear aqueles que tombaram pelo país, de preservar a sua história e unir um povo. Feita a minha homenagem com a visita estava na hora de ir até ao Mont de Saint Michel.

O impressionante Mont de Saint Michel:


A primeira imagem da silhueta do monte e do seu casario é de facto marcante. Há medida que nos vamos aproximando vamos conhecendo as dimensões do mesmo. Os carros ficam estacionados nuns parques a cerca de 3km, bem caros por sinal, e há autocarros gratuitos até ao local. É a forma encontrada de controlar os acessos e o escassísimo estacionamento.

Os autocarros que levam os turistas dos parques de estacionamento ao monte:


Há um passadiço, turistas, infelizmente obras, e entramos nas muralhas. Restaurantes, lojas de sobretudo artesanato, muitos turistas e tudo a preços elevados.

A entrada no casario:


Muitas lojas de souvenirs:


Preços elevados para padrões portugueses:


Lugar de grande beleza:


Além dos edifícios históricos, o enquadramento natural é espetacular:


Apesar das obras, o Mont de Saint Michel é muito elegante:


Sai da ilha abadia e fui a Avranches, uma bonita vila antiga fica num penhasco rochoso sobre a baía do Mont St-Michel antes de regressar ao hotel em Saint James.

Memoriais da II Guerra Mundial são frequentes na Normandia:


Avranches:

--- 4º Dia ---

Para o ultimo dia de viagem e antes de deixar o carro ao final da tarde no aeroporto de Paris-Orly, escolhi visitar o museu dedicado às míticas 24h de Le Mans. De modo não ser um dia apenas dedicado à viagem para Paris (343km) decidi fazer uma paragem em Le Mans situada a meio caminho.

É nesta localidade que situa-se o circuito de La Sarthe onde tem lugar a mais famosa corrida de resistência do mundo, as 24h de Le Mans. A localidade dispõe de um museu onde se conta a história de uma prova de automobilismo com quase um século de existência.

Aqui, além da loja do museu que vende vários itens dedicados à corrida, podemos ver uma galeria dedicada aos heróis da corrida e os carros que fizeram a história da mesma. É uma viagem pela história do automobilismo.

A entrada do museu:


Miniaturas dos veículos vencedores:


A galeria dos notáveis:


A prova na comunicação social:


Uma maqueta do circuito:


Os primeiros veículos da prova:


A Ferrari também inscreveu o seu nome em Le Mans:


Ford GT40, os dos miticos carros desta prova de resistência:


As motas também fazem parte da história de Le Mans:


A Porsche não podia faltar quando se fala em 24h Le Mans:


Este Mazda foi o único japonês a vencer a prova:


A AUDI que ultimamente tem dominado a prova:


O museu contava com uma exposição temporária sobre a Matra:


Depois da visita ao museu segui para o aeroporto de Orly onde ao final da tarde tinha um voo da Vueling com destino a Lisboa. Assim terminou esta minha viagem a França onde o ponto alto foi sem duvida as comemorações dos 70 anos do Desembarque na Normandia.


Links:
Saber mais: https://pt.wikipedia.org/wiki/Desembarq ... _Normandia
Saber mais: https://pt.wikipedia.org/wiki/Monte_Saint-Michel
Turismo: http://www.travelfranceonline.com/d-day ... morations/
Turismo: http://es.normandie-tourisme.fr/bienven ... 109-5.html
Turismo: http://www.ot-montsaintmichel.com/index.htm


Em resumo:
Para quem como eu gosta destes temas da história foi marcante ter estado nas comemorações dos 70 anos do Desembarque na Normandia. A presença dos lideres mundiais provam a importância que o 06/06/1944 teve para o mundo em que vivemos.
O turístico Mont Saint-Michel merece uma visita pela sua singularidade e beleza.
Para a viagem ser ainda mais aliciante, terminei no museu das míticas 24h de Le Mans

 

Jopeg
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW, Crypter

 

60 anos da "batalha do Bulge"

Iniciado por Ricardo Nunes

Respostas: 2
Visualizações: 1959
Última mensagem Dezembro 20, 2004, 09:52:47 am
por JoseMFernandes
14 de Dezembro: 90 anos sobre o assassinato de Sidónio Pais

Iniciado por SmokeOn

Respostas: 0
Visualizações: 2616
Última mensagem Dezembro 14, 2008, 12:02:15 pm
por SmokeOn
OPERAÇÃO «NEMA» (QUIPEDRO-ANGOLA):50 ANOS DEPOIS

Iniciado por Miguel Silva Machado

Respostas: 0
Visualizações: 1379
Última mensagem Novembro 09, 2011, 12:59:23 pm
por Miguel Silva Machado
Fornecimento de equipamento militar a Angola nos anos 70

Iniciado por zé do bone

Respostas: 0
Visualizações: 2458
Última mensagem Abril 05, 2008, 06:44:39 pm
por zé do bone
1o. CONTIGENTE AÇORIANO Companhia Caç. 110 celebrou 50 anos

Iniciado por Duarte

Respostas: 0
Visualizações: 879
Última mensagem Julho 01, 2011, 05:16:19 pm
por Duarte