ForumDefesa.com

Economia => Mundo => Tópico iniciado por: Viajante em Janeiro 10, 2018, 02:36:56 pm

Título: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Janeiro 10, 2018, 02:36:56 pm
Vai comprar carro novo? Sistema ‘eCall’ obrigatório em março

Está a pensar comprar um carro novo? Se sim, então fique a saber que a partir de 31 de Março todos os veículos novos, vendidos a partir dessa data, têm de vir obrigatoriamente equipados com o eCall – sistema pan-europeu de chamadas de emergência. Apesar desta decisão já ter sido aprovada em 2013 pela União Europeia, só este ano é que entrará em vigor.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2018/01/eCall2-720x405.jpg)

O que é o sistema de emergência eCall?

O eCall é o sistema pan-europeu de chamadas de emergência. O sistema eCall irá contribuir para a redução do número de vítimas e feridos nas estradas portuguesas. Sempre que seja detetado um acidente, o dispositivo eCall, instalado nos veículos efetua uma chamada de emergência que é encaminhada para o Public Safety Answering Point (PSAP) mais adequado, de acordo com os dados recebidos (nomeadamente a localização precisa do veículo).

A chamada para o 112 pode ser desencadeada de forma automática, em caso de acidente grave, graças aos sensores instalados nos veículos, ou manualmente, pelos ocupantes.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2018/01/eCall-1.jpg)

O sistema ‘eCall’ tem que estar obrigatoriamente instalado em todos os novos modelos de veículos ligeiros de passageiros e comerciais à venda na União Europeia a partir de 31 de março de 2018. Em Portugal os centros operacionais nacionais do 112 já estão prontos desde novembro do ano passado para receber chamadas ‘eCall’.

Este sistema já está em total funcionamento na Holanda, Eslovénia, Suécia e Finlândia.

https://pplware.sapo.pt/informacao/vai-comprar-carro-novo-sistema-emergencia-ecall-obrigatorio-marco/
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 12, 2018, 03:05:41 pm
Fiat Chrysler transfere produção do México para os EUA


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 16, 2018, 12:23:47 pm
Carros sem condutor desfilam em Detroit


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 27, 2018, 11:17:32 am
Prós e contras da automatização do transporte rodoviário


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 06, 2018, 08:48:21 pm
Salão Automóvel de Genebra: Fabricantes procuram modelos mais ecológicos


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 19, 2018, 09:57:03 pm
Mulher morre atropelada por carro sem condutor da Uber nos EUA


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Abril 13, 2018, 06:57:16 pm
Volkswagen anuncia reestruturação



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Maio 07, 2018, 03:40:07 pm
Nissan vai deixar de vender carros a gasóleo na Europa


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Julho 09, 2018, 05:00:19 pm
Nissan admite ter adulterado testes de emissões poluentes


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Julho 20, 2018, 02:38:08 pm
Polícia luxemburguesa compra dois Tesla


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Julho 20, 2018, 04:30:17 pm
Tarifas sobre comércio automóvel e os empregos no setor


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Agosto 14, 2018, 03:18:41 pm
Não vai acreditar quanto a Ferrari ganha com cada carro vendido

(https://cdn.aquelamaquina.pt/images/2018-08/img_944x629$2018_08_08_15_32_00_113142.jpg)

A Ferrari é a marca que mais lucro tem por automóvel vendido e a Tesla a que tem menos… Mas sabe quanto cada uma ganha? Ferdinand Dudanhoffer, professor de economia em Duisburgo, na Alemanha, conduziu um estudo que revela quanto as fabricantes automóveis lucraram por carro vendido nos primeiros seis meses do ano.

A Ferrari foi quem mais ganhou, somando um lucro operacional de 69 mil euros por cada carro novo vendido. No outro lado do espectro aparece a Jaguar Land Rover, que "ganha" apenas 800 euros por cada carro entregue.

Mercedes, BMW e Audi somam um lucro por veículo vendido a rondar os 9 mil euros, pouco menos de metade do que ganha a Porsche, que lucra aproximadamente 17 mil euros com cada veículo que deixa a sua fábrica, em Estugarda.

O estudo de Dudanhoffer revela ainda que a Maserati ganha cerca de 5 mil euros com cada veículo novo vendido, ao passo que a Volvo consegue gerar um lucro ligeiramente inferior.

Mas não pense que todas as marcas ganham dinheiro com os carros novos que vendem. A Bentley, por exemplo, perde aproximadamente 17 mil euros com cada carro novo que vende e a Tesla soma 11 mil euros de prejuízo com cada modelo vendido.

Marcas como a Rolls-Royce ou a Lamborghini não entraram nestes estudo elaborado por Ferdinand Dudanhoffer, uma vez que mantém os seus resultados financeiros longe dos olhares do público.

Recorde-se que estes números pouco ou nada mudaram relativamente ao ano passado. Em Março de 2017 a Bloomberg escreveu que a Ferrari estava a lucrar 77 mil euros por cada carro vendido e a Porsche quase 15 mil euros.

http://www.aquelamaquina.pt/noticias/actualidade/detalhe/nao-vai-acreditar-quanto-a-ferrari-ganha-com-cada-carro-vendido.html

Quero ver se o Trump também vai multar a Tesla, como fez com a portuguesa Navigator acusada de praticar dumping, por perder 11.000 euros em cada carro vendido!!!!!!
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Agosto 17, 2018, 11:50:20 am
Elon Musk assume problemas na liderança da Tesla: “Este foi o ano mais difícil e doloroso da minha carreira”

Com a Tesla mergulhada em agitação depois de um tweet do empresário, Musk dá entrevista emotiva ao New York Times onde assume exaustão e admite passar as rédeas a outro.

(https://imageproxy-observadorontime.netdna-ssl.com/800x,q85/https://s3cdn-observadorontime.netdna-ssl.com/wp-content/uploads/2018/08/17083455/GettyImages-111674160_770x433_acf_cropped.jpg)

“Este ano foi o mais difícil e mais doloroso da minha carreira.” A admissão é feita pelo próprio milionário Elon Musk, numa entrevista feita pelo New York Times, numa altura em que a sua empresa, a Tesla, enfrenta falta de liquidez e uma investigação do regulador da bolsa norte-americana.

A instabilidade da empresa tem sido agravada pelos comentários impulsivos de Musk, que o próprio justifica ao jornal como fruto da exaustão. “Houve vezes em que não saí da fábrica durante três ou quatro dias, dias em que não fui à rua”, declarou, emocionado. “O preço a pagar é que não vejo os meus filhos, nem os meus amigos.”

O último solavanco na situação da produtora de carros elétricos ocorreu a sete de agosto, quando o próprio Musk publicou um tweet enigmático dizendo que pretendia retirar a empresa da bolsa e o preço a que iria vender cada ação (420 dólares, cerca de 350 euros).

Am considering taking Tesla private at $420. Funding secured.

    — Elon Musk (@elonmusk) August 7, 2018


O primeiro problema surgiu com a Security and Exchanges Commission (SEC), o regulador norte-americano, que abriu uma investigação à empresa por suspeitas de ação especulativa — já que, na sequência do tweet de Musk, as ações da Tesla dispararam.

O segundo problema é que, a acontecer, uma saída de bolsa terá de ser financiada por alguém, já que teria custos à volta dos 70 mil milhões de euros, como explica a Vox. Musk, contudo, assegura que tem “financiamento assegurado”. Em causa poderá estar um investimento do Governo da Arábia Saudita, que têm neste momento quase 5% das ações da Tesla e que podem estar interessados em adquirir mais.

No entanto, como diz a CNN, se Musk não quiser que os sauditas adquiram uma fatia da empresa maior do que o próprio fundador, terá de arranjar mais investidores. “Se trouxer mais investidores, estes vão querer mais controlo”, explicou à cadeia de televisão Todd Boudreau, do grupo financeiro Foley & Lardner.

Se eles estiverem de acordo com o que [Musk] quiser fazer, é ideal. Mas a dinâmica pode mudar muito rapidamente. No caso mais extremo, ele pode estar de saída amanhã”, afirmou o especialista.

A Tesla tem tido problemas com o fabrico do carro Model 3, que tem sido repetidamente atrasado, e em março um condutor de um dos seus carros automáticos, o Model X, morreu num acidente. As ações da empresa têm caído na sequência destes eventos. A isto soma-se a falta de liquidez da empresa, que a Bloomberg notou em abril, mencionado que existe “um risco genuíno” da Tesla ficar sem dinheiro ainda em 2018.

A todos estes problemas somam-se os tweets e comentários do próprio Musk, que provocam muitas vezes uma tempestade de relações públicas. Foi o caso do recente tweet onde chamou “pedófilo” a um dos mergulhadores responsável pelo resgate da Tailândia e dos comentários sobre perguntas de analistas de Wall Street que classificou de “aborrecidas” — tendo o preço das ações da Tesla caído imediatamente mais de 5%.

“De um ponto de vista pessoal, o pior ainda está para vir”, diz Musk

O New York Times garante que durante a entrevista Elon Musk se emocionou várias vezes, tendo “alternado entre o riso e as lágrimas”. Um dos momentos mais intensos foi quando o empresário admitiu que tem trabalhado 120 horas por semana e que não tira mais de uma semana seguida de férias desde 2001. Este ano, garante, passou as 24 horas inteiras do seu aniversário a trabalhar. “Toda a noite — nada de amigos, nada”, declarou. “Pensava que o pior já tinha passado”, afirmou. “Para a Tesla o pior já passou, de um ponto de vista operacional”, esclareceu. “Mas de um ponto de vista pessoal, o pior ainda está para vir.”

As palavras do milionário podem estar relacionadas com informação avançada pelo jornal de que alguns membros do conselho da Tesla estão preocupados com a situação de Musk. Duas fontes próximas do conselho disseram ao Times estar preocupadas com o uso habitual de Ambien (um medicamento usado para as insónias) por parte de Musk, dizendo que o medicamento por vezes “contribui para as sessões noite dentro no Twitter” de Musk.

O jornal também avança que os executivos da Tesla têm tentado contratar uma pessoa para servir de número dois a Musk, absorvendo parte das responsabilidades do fundador, que é atualmente chairman e presidente executivo. O próprio empresário assumiu que Sheryl Sandberg, executiva do Facebook, foi abordada pela Tesla.

Daquilo que sei”, disse Musk, “não há nenhuma pesquisa ativa neste momento” para encontrar essa pessoa.

Oficialmente, a Tesla desmentiu os “rumores falsos e irresponsáveis” sobre o conselho da Tesla, sublinhando o “compromisso e dedicação” de Elon Musk à empresa. O empresário garante que não tem planos para já para abandonar os cargos que ocupa na Tesla. “Se souberem de alguém que consiga fazer um trabalho melhor, avisem-me. Podem ficar com o lugar”, assegura Musk, deixando claro que por agora considera não haver ninguém. “Há por aí alguém que consiga fazer um trabalho melhor? Se sim, podem ficar já com as rédeas.”

https://observador.pt/2018/08/17/elon-musk-assume-problemas-na-lideranca-da-tesla-este-foi-o-ano-mais-dificil-e-doloroso-da-minha-carreira/
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 22, 2018, 12:05:45 pm
Kalashnikov produz veículos elétricos


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 28, 2018, 08:55:19 pm
Indústria automóvel frusta combate à poluição do ar


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 29, 2018, 04:50:04 pm
Condutores europeus enganados em 150 mil milhões de euros


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Agosto 30, 2018, 10:54:19 am
Tesla voador!!!!


https://pplware.sapo.pt/informacao/video-mostra-acidente-espetacular-de-um-tesla-model-s/
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 10, 2018, 10:11:05 pm
Investidores levam VW a tribunal e exigem indemnizações


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 18, 2018, 09:32:32 pm
Gigantes alemãs do setor automóvel investigadas pela CE por alegado pacto


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 30, 2018, 04:30:19 pm
Elon Musk obrigado a deixar presidência do conselho de administração da Tesla


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 02, 2018, 07:00:39 pm
Alemanha salva o diesel


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 03, 2018, 06:37:03 pm
Indústria Automóvel da Europa teme Brexit sem acordo


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 07, 2018, 08:53:24 pm
Marcas de automóveis apostam nos elétricos


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 20, 2018, 05:05:05 pm
O futuro complexo de Renault, Nissan e Mitsubishi


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 21, 2018, 02:05:13 pm
Detenção de Ghosn deixa Nissan em maus lençóis


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 28, 2018, 07:48:04 pm
Adaptação de carros a diesel gera polémica na Alemanha


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 07, 2019, 07:43:16 pm
Venda de automóveis em queda no Reino Unido


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 10, 2019, 05:11:50 pm
Jaguar Land Rover vai suprimir 4500 postos de trabalho


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 18, 2019, 09:18:51 pm
Carlos Ghosn afunda-se em ilegalidades


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 27, 2019, 04:40:40 pm
Reforma milionária do presidente da Daimler-Mercedes



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 30, 2019, 06:38:48 pm
Carlos Ghosn diz que foi vítima de conspiração


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 18, 2019, 06:32:13 pm
Honda poderá fechar fábrica no sudoeste de Inglaterra


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 26, 2019, 05:32:50 pm
Grupo PSA anunciou lucros recorde


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 01, 2019, 02:05:20 pm
Tesla anuncia encerramento de concessionários


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 04, 2019, 11:45:28 pm
Jaguar vence prémio de "Carro do Ano"


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 06, 2019, 10:12:04 am
Fantasma do Brexit no Salão Automóvel de Genebra


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 06, 2019, 10:40:09 am
Carlos Ghosn saiu da prisão sob fiança



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 06, 2019, 12:07:07 pm
Salão Automóvel Genebra: O fio elétrico chega cada vez mais longe


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 06, 2019, 11:47:33 pm
As tecnologias para a mobilidade do futuro


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 12, 2019, 01:03:58 pm
"Novo começo" para a Nissan-Renault pós Carlos Ghosn


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 12, 2019, 07:03:35 pm
Volkswagen aposta forte nos carros elétricos



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Março 13, 2019, 04:28:05 pm
Volkwagen: 12 mil milhões de lucros e 7 mil supressões de empregos



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Abril 04, 2019, 11:14:44 am
Carlos Ghosn volta atrás das grades



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Abril 07, 2019, 08:00:05 pm
Fiat-Chrysler poderá integrar Tesla na sua frota


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Abril 09, 2019, 01:20:38 pm
Carlos Ghosn diz-se vítima de "conspiração"



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Abril 09, 2019, 04:06:37 pm
Carros clássicos com motores elétricos


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Abril 15, 2019, 04:37:32 pm
Antigo presidente da Volkswagen enfrenta até 10 anos de prisão


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Abril 25, 2019, 06:11:27 pm
Extrema-direita alemã defende Gasóleo


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Abril 29, 2019, 10:24:55 am
Tesla Model 3 produz mais CO2 do que um carro a diesel, diz novo estudo alemão

A emissão de dióxido de carbono e de outros poluentes atmosféricos, bateu recordes em 2017. As (muitas) consequências estão à vista. Nesse sentido, a aposta em veículos eléctricos, como o Tesla Model 3, para diminuir as emissões poluentes, parece ser uma das muitas acções a tomar.
Segundo um novo estudo alemão, os carros eléctricos dificilmente ajudarão a reduzir as emissões de CO2 nos próximos anos.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/04/tesla_poluidor00.jpg)

Emissões de CO2 são mais altas nos eléctricos que nos carros a diesel

Segundo o estudo apresentado pelo Centro de Estudos Económicos da Alemanha, os veículos eléctricos não são uma panaceia para as mudanças climáticas.
Assim, considerando o actual mix de energia na Alemanha e a quantidade de energia usada na produção de baterias, as emissões de CO2 dos carros eléctricos a bateria são, na melhor das hipóteses, ligeiramente superiores às de um motor a diesel, e são muito maiores.
Quem afirma isto são alguns especialistas em energia do Instituto de Pesquisa Económico (Ifo), docentes de física da Universidade de Colónia e da Universidade de Munique.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/04/tesla_poluidor01.jpg)

Tesla Model 3 produz mais CO2 do que um Mercedes C 220D
Os investigadores realizaram vários cálculos detalhados. Para isso usaram exemplos concretos. Colocaram lado a lado um eléctrico moderno, um Model 3 e um moderno carro a diesel, um Mercedes C 220D.
Além das emissões de CO2 da produção de baterias, eles analisaram as fontes de energia alternativas para a electricidade, de modo a calcular o impacto dos veículos eléctricos sobre as emissões de CO2.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/04/tesla_poluidor02.jpg)

Segundo os especialistas, mesmo com a tecnologia actual, as emissões totais de um motor a combustão movido a gás natural já são quase um terço menores do que as de um motor a diesel.
A longo prazo, a tecnologia de hidrogénio-metano oferece uma vantagem adicional: permite que o excedente de energia eólica e solar gerada durante picos, seja armazenada, e esses excedentes terão um aumento acentuado à medida que a participação dessa energia renovável crescer.
Explicou Christoph Buchal, professor de física na Universidade de Colónia e membro da Associação Helmholtz, um dos centros alemães de investigação, e um dos maiores centros de investigação interdisciplinar da Europa.
O estudo, por exemplo, estima que conduzir um Tesla Model 3 na Alemanha é responsável por 156 a 181 gramas de CO2 por quilómetro. Isso é mais do que um Mercedes C 220D movido a diesel que produz apenas 141 gramas por quilómetro.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/04/tesla_poluidor03.jpg)

Estudo critica fortemente a UE
Nos estudos, os autores também criticam o facto de que a legislação da UE permite que veículos eléctricos sejam incluídos nos cálculos de emissões de frotas com um valor “zero” de emissões de CO2, pois, isso sugere que os veículos eléctricos não geram tais emissões.
Contudo, a realidade é que, além das emissões de CO2 geradas na produção de veículos eléctricos, quase todos os países da UE geram emissões significativas de CO2 na carga das baterias dos veículos usando os seus mixes nacionais de produção de energia.
Os autores também têm uma visão crítica da discussão sobre carros eléctricos na Alemanha. Segundo eles a discussão gira em torno de veículos movidos a bateria quando outras tecnologias também oferecem grande potencial. Assim, os eléctricos movidos a hidrogénio ou com motores de combustão movidos a metano verde, também devem ser considerados.
A tecnologia de metano é ideal para a transição de veículos a gás natural com motores convencionais para motores que um dia funcionarão com metano a partir de fontes de energia livres de CO2. Sendo este o caso, o governo federal alemão deve tratar todas as tecnologias igualmente e promover também as soluções de hidrogénio e metano.
Enfatizou Hans-Werner Sinn, professor jubilado da Universidade Ludwig Maximilian de Munique.

Várias vozes contra o que chama de emissões zero
Este não é o primeiro estudo crítico dos VEs da Alemanha. A consultora automobilística alemã Berylls Strategy Advisors divulgou uma advertência similar. Foi em Outubro do ano passado que referiu que os EVs não são os heróis ambientais como são considerados.
Em síntese, parece que as considerações estão a ganhar voz na Alemanha. O país é actualmente o terceiro maior produtor de carros eléctricos depois dos EUA e da China.

https://pplware.sapo.pt/motores/tesla-model-3-produz-mais-co2-do-que-um-carro-a-diesel-diz-novo-estudo-alemao/
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Maio 07, 2019, 02:52:10 pm
Amesterdão proíbe carros com 15 ou mais anos a partir de 2020



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Maio 08, 2019, 02:53:24 pm
Alemanha abre a primeira estrada electrificada para camiões com sistema da Siemens

Os veículos eléctricos ligeiros estão a alcançar um compromisso interessante, contudo, nos pesados ainda não se vislumbra uma alternativa viável. Além disso, quando se fala em poluição, este meio de transporte é um dos mais poluentes. Nesse sentido, a Alemanha, que está num processo enérgico contra as emissões, vai abrir uma estrada electrificada para pesados.
Um sistema de catenárias foi desenvolvido pela Siemens e permite que os pesados sejam alimentados de energia por essas linhas eléctricas.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/05/alemanha_energia02.jpg)

eHighway – Siemens cria sistema de catenárias idêntico aos comboios
Os camiões e os pesados, em geral, estão a consumir cada vez mais diesel. Comportamento que poluiu mais as cidades e originam a temida, mas garantida, alteração climática. A Alemanha entende que poderá ter encontrado resposta a este factor recorrendo a linhas eléctricas aéreas sustentadas por grandes plataformas.
Esta não é, contudo, uma ideia nova. Já em 2016, na Suécia, a Scania modificou os seus camiões para, em determinados troços, aproveitar a energia fornecida também pelas catenárias. Em abono da verdade, desde então, nunca houve um eco de grande sucesso.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/05/alemanha_energia03.jpg)

Alemanha fornece energia eléctrica que vem sobretudo de fontes poluidoras
Segundo informações, a Alemanha recebe grande parte da sua energia gerada através de centrais que consomem combustíveis fósseis e nucleares. Mesmo estando a fazer um esforço para aumentar a produção de energias renováveis, o carvão, o  lignite e o gás natural são os mais utilizados.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/05/alemanha_energia01.jpg)

Portanto, a energia eléctrica é ainda bastante poluidora. Contudo, o país tem metas justas para diminuir drasticamente a utilização dos combustíveis fósseis até 2030. Este sistema é mais um passo nessa direcção.
 
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2FCami%C3%B5es+extraem+energia+dos+cabos+a%C3%A9reos+por+cima+das+estradas&hash=916678c8866eb0807e3f95a74e950229)
A Siemens criou um sistema que permite aos pesados extrair energia eléctrica de cabos aéreos. Este método já entrou em operação num troço de 10 quilómetros nesta passada terça-feira, de acordo com o governo alemão.
A tecnologia foi desenvolvida pela Siemens e o sistema permite que grandes plataformas com equipamentos especiais montados nos seus tejadilhos se liguem às linhas eléctricas enquanto viajam a velocidades de até 90 quilómetros por hora.
Os camiões funcionam com motores eléctricos quando ligados às linhas aéreas e um sistema híbrido quando voltam à estrada tradicional. Os sensores detectam quando os fios aéreos estão disponíveis.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/05/alemanha_energia04.jpg)

Sistema permite uma redução acentuada de emissões de CO2
A gigante alemã de tecnologia refere que o sistema eHighway combina a eficiência com a flexibilidade do transporte por camião. Outro benefício é uma redução acentuada nas emissões de CO2 e óxidos de nitrogénio.
Além dos benefícios para o ambiente, a empresa refere que o sistema pode ser adaptado à infraestrutura rodoviária existente. Assim, torna-se uma forma prática de reduzir as emissões e o consumo de energia em locais onde as ferrovias não são viáveis.
O trecho da estrada inaugurado na terça-feira faz parte de um elo crucial entre o aeroporto de Frankfurt, um centro global de cargas e um parque industrial próximo. Mais dois trechos da rodovia com o sistema serão abertos em breve.
O governo alemão gastou 70 milhões de euros para desenvolver camiões que possam usar o sistema. Deste modo, a Siemens referiu que o proprietário de um camião poderia economizar € 20.000 em combustível ao longo de 100.000 quilómetros.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/05/alemanha_energia05.jpg)

Impulso ambiental
O transporte por camiões é a fonte de procura de petróleo que mais cresce no mundo, de acordo com o Fórum Internacional de Transporte, que faz parte da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). Segundo o grupo, o transporte rodoviário de mercadorias também responderá por 15% do aumento projectado das emissões globais de CO2 até 2050.
Reduzir as emissões de carbono do transporte, é uma parte fundamental do Acordo Climático de Paris de 2015.
Projectos como o da Alemanha podem ser parte de uma solução que inclui o aumento do uso de veículos eléctricos e ferroviários.

https://pplware.sapo.pt/motores/alemanha-abre-a-primeira-estrada-eletrica-para-camioes/
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Maio 08, 2019, 05:18:16 pm
Porsche condenada a multa de mais de 500 milhões de euros



Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Maio 20, 2019, 07:26:15 pm
Ford despede sete mil trabalhadores em todo o mundo


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Maio 21, 2019, 10:12:40 am
Morreu Niki Lauda, lenda da Fórmula 1

Três vezes campeão em Fórmula 1 e sobrevivente a um grave acidente em 1976, o piloto austríaco que também se destacou na aviação morreu esta segunda-feira.

(https://i2-prod.irishmirror.ie/incoming/article16175455.ece/ALTERNATES/s615b/2_Niki-Lauda.jpg)

Niki Lauda, antigo tricampeão de Fórmula 1, morreu na noite de segunda-feira aos 70 anos, informou a família do piloto à imprensa austríaca.

“Com imensa tristeza, anunciamos que o nosso querido Niki morreu em paz, rodeado pela sua família, esta segunda-feira”, lê-se num comunicado. A lenda do desporto automóvel tinha sido submetida a um transplante pulmonar em 2018.
Lauda sagrou-se campeão de Fórmula 1 pela primeira vez em 1975. Sobreviveu a um grave acidente com o seu Ferrari no Grande Prémio da Alemanha de 1976, tendo sofrido extensas queimaduras que o deixaram desfigurado e que o obrigaram a múltiplas cirurgias. Passou a usar um boné para ocultar as cicatrizes na cabeça, e o assessório tornar-se-ia parte da sua imagem de marca. Apesar da seriedade das sequelas, regressou rapidamente às pistas e conquistou o seu segundo título em 1977. E ainda um terceiro em 1984.
Era desde 2012 director não executivo da equipa da Mercedes. Antes disso, liderou a Jaguar e foi consultor da Ferrari.
Fora das pistas, destacou-se na aviação. Fundou as companhias aéreas Lauda Air e Niki, entretanto extintas, e manteve até 2018 uma participação na Lauda, uma subsidiária austríaca da Ryanair.
Nascido em Viena a 22 de Fevereiro de 1949, no seio de uma família de classe alta, Lauda contrariou a vontade dos pais e dedicou-se cedo ao automobilismo, chegando à Fórmula 1 em 1971. Casado duas vezes, foi pai de cinco filhos, incluindo Mathias Lauda, piloto da Aston Martin no Campeonato Mundial de Resistência.
A sua vida, e sobretudo a sua rivalidade histórica com o piloto britânico James Hunt, foram retratadas no filme Rush - Duelo de Rivais (2013) de Ron Howard.


https://www.publico.pt/2019/05/21/desporto/noticia/morreu-niki-lauda-lenda-formula-1-1873464?utm_term=Niki+Lauda%2C+a+morte+de+uma+lenda+da+F1.+As+horas+extras+do+Ministerio+da+Educacao&utm_campaign=PUBLICO&utm_source=e-goi&utm_medium=email
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Maio 23, 2019, 12:22:30 pm
Primeiro Porsche vai a leilão


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Maio 27, 2019, 12:45:27 pm
Fiat Chrysler propõe fusão com a Renault


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Maio 29, 2019, 03:48:27 pm
Último adeus a Niki Lauda


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Maio 29, 2019, 06:46:39 pm
Nissan não se opõe a fusão


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Junho 06, 2019, 03:24:57 pm
Ford vai encerrar fábrica no Reino Unido


Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Agosto 16, 2019, 11:32:13 am
Atestar com combustível sintético? Agradeça à F1

A F1 é mais do que um espectáculo, desenvolvendo tecnologias que, mais cedo ou mais tarde, chegam aos automóveis de todos os dias. A nova aposta é a gasolina sintética: mesma potência, zero emissões.

(https://bordalo.observador.pt/400x,q85/https://s3.observador.pt/wp-content/uploads/2019/08/14235027/car-at-fuel-pump_770x433_acf_cropped.jpg)

A Fórmula 1 (F1) é o pináculo do desporto automóvel. Há quem prefira os tempos em que os seus motores tinham 10 ou 12 cilindros e gritavam desalmadamente com uma sonoridade que nos ficava na memória semanas depois da corrida a que tínhamos assistido. Mas a verdade é que mesmo os motores actuais, os pequenos 1.6 V6 turbo, ajudados por dois motores eléctricos, são capazes de surpreender pela eficiência energética, pois conseguem transformar 50% da energia disponível no combustível em potência. Isto quando o melhor motor de série tem dificuldade em atingir 30%…

Porque quando se está no topo, em matéria de tecnologia, é necessário continuar a avançar para evitar ficar para trás, o responsável pela competição, o norte-americano Chase Carey, anunciou que a nova meta passa por reduzir as emissões de CO2 das mecânicas mais sofisticadas do mundo. E há apenas duas formas de reduzir o dióxido de carbono: ou cortando o consumo, o que reduziria também a potência, ou passando a utilizar um combustível diferente, sintético e não fóssil, que seja neutro em carbono.

O que é combustível sintético?

A gasolina sintética é o Santo Graal dos combustíveis. Ao contrário da ‘normal’, extraída do subsolo de um qualquer país, a maioria árabe, é produzida em laboratório. Todas as gasolinas (e elas variam consoante a origem do crude que é refinado para lhes dar origem) são compostas por uma molécula com 6 a 12 átomos de carbono, outros tantos de hidrogénio (na realidade, n+2), além de resíduos de enxofre, azoto, impurezas e tudo o resto que não deveria existir na gasolina, pois serve apenas para gerar chuvas ácidas, NOx e partículas durante a queima.

Quando se produz sinteticamente a gasolina, o combustível não inclui os componentes de que não necessita. Mas o progresso mais importante tem a ver com a origem do carbono utilizado na produção do combustível. Não se sabe ainda qual a solução preconizada pelos responsáveis da F1, mas se buscam um combustível mais amigo do ambiente, então, o que faz sentido é retirar o CO2 da atmosfera, combatendo assim o aquecimento global e as variações climáticas. E caso a energia a utilizar neste processo tivesse origem em fontes renováveis, então tínhamos um hidrogénio extraído da água e um CO2 retirado do ar, que depois de queimado regressaria ao ar, sendo por isso neutro e não elevando a percentagem que existe na atmosfera – na realidade, o objectivo final.

(https://s3.observador.pt/wp-content/uploads/2019/08/14233242/skysports-sky-f1-garage_4601408.jpg)

Os F1 vão ser menos rápidos?

Nada disso. Os combustíveis sintéticos podem ter a mesma energia dos fósseis, o que significa que podem gerar a mesma potência quando queimados no mesmo motor. No limite, os motores até podem funcionar melhor. Um pouco à semelhança dos lubrificantes sintéticos que os F1 também utilizam, que não são derivados do petróleo, o que não os impede de desempenhar na perfeição o seu papel.

Independentemente dos motores que vão ser provados nos próximos anos, a F1 está determinada a que, em 2021, os motores dos carros que animam as corridas sejam mais sustentáveis, reagindo assim a quem acusava a disciplina rainha do desporto automóvel de não ter a mínima preocupação ambiental. Aliás, o mesmo teve de fazer a Fórmula E que, apesar de recorrer a motores eléctricos alimentados por bateria, viu-se obrigada a garantir que a energia com que recarregava as baterias tinha uma proveniência amiga do ambiente.

O que vai ganhar o automobilista com isto?

Muito! Os combustíveis sintéticos podem ter um futuro risonho, desde que se aposte a sério na sua produção em larga escala. Espera-se que em 2030, fruto dos compromissos impostos por Bruxelas, 30% dos veículos sejam eléctricos, o que significa que 70% irá continuar a recorrer a motores a gasolina ou a gasóleo, ainda que a maioria certamente ajudada por soluções híbridas ou híbridas plug-in. Imagine-se agora que todos esses 70% dos veículos que se vão vender daqui a 10 anos, muitos deles certamente híbridos ou híbridos plug-in, podiam queimar combustíveis sintéticos, neutros em carbono, que não acrescentassem mais um grama de CO2 à atmosfera.

As equipas de F1 têm os melhores engenheiros do mundo – isto e uns orçamentos de perder a cabeça! Se juntarmos um e outro, é mais que provável que os técnicos consigam fazer evoluir os combustíveis sintéticos mais depressa do que muitos julgariam possível.

De momento, gasolina e gasóleo sintéticos já estão a ser fabricados em diversas universidades, em colaboração com alguns fabricantes, sendo conhecida aquela em que a Audi está envolvida. O envolvimento da F1 neste projecto faria maravilhas aos avanços da tecnologia, um pouco à semelhança do que aconteceu com os turbo-compressores, com sistemas de controlo das válvulas, das injecções e de tudo o mais que fez os motores dos veículos comuns avançarem tão rapidamente nestas últimas décadas.

A Bosch antecipa que esta solução “pode evitar a libertação de mais 2,8 gigatoneladas de CO2 para a atmosfera, entre 2025 e 2050”, enquanto estima que os custos da fabricação tenderão a cair com o incremento da produção, num movimento similar à geração de energia através das células foto-voltaicas. Recorde-se que em 2000 eram caras, quando a produção mundial rondava 4 gigawatts, tornando-se substancialmente mais acessíveis a partir de 2017, ano em que superaram os 227 GW.

https://observador.pt/2019/08/15/f1-aposta-na-gasolina-sintetica-com-igual-potencia-e-zero-emissoes/
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Setembro 11, 2019, 09:45:45 am
BMW está a desenvolver um carro movido a hidrogénio. Veja o protótipo!

A BMW tem sido das marcas alemãs mais activas na mobilidade eléctrica. Na sua gama já conta com um carro eléctrico e em breve poderemos ver a chegada de um carro movido a hidrogénio à marca da Baviera!

No IAA Salão de Frankfurt, a marca anunciou o protótipo BMW i Hydrogen NEXT que recorre a uma célula de combustível para se mover.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/09/BMW-i-Hydrogen-Next-fuel-cell-4-1.jpg)

A mobilidade eléctrica tem cada vez mais relevância no mundo automóvel e as marcas avançam em várias frentes, para esta realidade. A Tesla, por exemplo, está a investir – e com sucesso – em carros com motores eléctricos alimentados por baterias de iões de lítio.

Não obstante, há outras marcas a investir em mais tecnologias. A Mercedes investiu bastante nos carros movidos a hidrogénio e parece que a sua eterna rival BMW se irá juntar nesta corrida! A marca da Baviera confirmou no Salão de Frankfurt que está a desenvolver um carro eléctrico movido a célula de combustível.
Com base na última geração do SUV BMW X5, este veículo visualiza os futuros esforços da fabricante em gerar energia com base no hidrogénio. Além disso, o i Hydrogen NEXT vai buscar ainda influência ao BMW iX3.

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/09/P90364753_highRes_bmw-i-hydrogen-next-1.jpg)

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/09/P90364750_highRes_bmw-i-hydrogen-next-1.jpg)

(https://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2019/09/P90364748_highRes_bmw-i-hydrogen-next-1.jpg)

A fabricante acredita que no futuro teremos vários tipos de mobilidade e por isso quer investir em todos eles para os utilizadores terem um BMW como opção na procura pelo próximo carro. Ressalva ainda as vantagens deste tipo de solução: carregamentos similares aos dos carros com motor a combustão, autonomia elevada, não abdica de atributos no conforto e não depende de condições climatéricas.

Assim, o seu i Hydrogen NEXT vai continuar em desenvolvimento até 2022, enquanto esperam até 2025 ter veículos de produção movidos com esta tecnologia actualmente em concept.

BMW em parceria com Toyota

Segundo o comunicado da BMW, o desenvolvimento da célula de combustível e das tecnologias inerentes está a ser feito em parcerias com a Toyota. As duas fabricantes começaram este acordo em 2013 e desde então tem sido reforçado devido a acreditarem nesta solução de mobilidade.

Será que a célula de combustível de hidrogénio pode ser assim uma alternativa aos carros eléctricos que recorrem a baterias? Ou deverão ser vistas como tecnologias complementares? Deixe a sua opinião nos comentários!

https://pplware.sapo.pt/motores/bmw-desenvolver-carro-hidrogenio-prototipo/comment-page-1/
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Viajante em Outubro 30, 2019, 11:08:32 am
Peugeot dispara para máximos de 2008 após confirmação de negociações com a Fiat Chrysler

Os grupos PSA e Fiat Chrysler estão em conversações com vista a uma fusão. A informação já foi confirmada pelas empresas, o que está a elevar as ações. A Peugeot disparou para máximos de mais de 11 anos. Já a Fiat Chrysler já esteve a subir mais de 10%.

(https://cdn2.jornaldenegocios.pt/images/2019-08/img_796x493$2019_08_11_23_44_22_359224.jpg)

A agência Dow Jones revelou ainda na terça-feira que a PSA, liderada pelo português Carlos Tavares, e a Fiat Chrysler estão em conversações para um possível fusão. Uma notícia que já foi confirmada esta quarta-feira pelas empresas.

 

"Estão a decorrer discussões com o objetivo de criar um dos maiores grupos mundiais", revelou a Fiat em comunicado, citado pela Bloomberg. A PSA emitiu um comunicado semelhante, confirmando a existência de negociações entre os dois grupos.

Uma fusão entre os dois grupos criaria a segunda maior fabricante automóvel, por vendas, na Europa. E daria origem a uma cotada cujo valor de mercado ascende a 47 mil milhões de dólares, revela a Bloomberg.

 

O grupo automóvel francês PSA é liderado por Carlos Tavares e engloba marcas como Peugeot, Citroën, DS e Opel. Já a ítalo-americana Fiat Chrysler (FCA) tem sido notícia por diversas vezes devido a eventuais fusões. A última foi com a Renault, mas a Nissan – que tem uma aliança com a francesa – acabou por inviabilizar esta operação.
 

As ações das cotadas estão a reagir às novidades. A PSA está a subir 6,38% para 26,51 euros, tendo chegado a subir mais de 8,5% para o valor mais alto desde junho de 2008.

(https://cdn.jornaldenegocios.pt/images/2019-10/OriginalSize$2019_10_30_09_02_27_363858.png)

Já a Fiat Chrysler está a subir 8,27% para 12,722 euros, tendo chegado a apreciar mais de 10,5% para níveis de maio deste ano.

(https://cdn.jornaldenegocios.pt/images/2019-10/OriginalSize$2019_10_30_09_02_26_363857.png)

Os comunicados não adiantam mais informação, mas ainda ontem, o Financial Times revelava que o plano é deixar na liderança da empresa que surgir desta fusão Carlos Tavares.

https://www.jornaldenegocios.pt/trading/detalhe/peugeot-dispara-para-maximos-de-2008-apos-confirmacao-de-negociacoes-com-a-fiat-chrysler?ref=HP_DestaquesPrincipais
Título: Re: Sector Automóvel
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 28, 2019, 03:34:54 pm
Turquia lança primeiros carros elétricos de produção nacional