Guerra na Ucrânia

  • 4701 Respostas
  • 236100 Visualizações
*

asalves

  • Especialista
  • ****
  • 1019
  • Recebeu: 406 vez(es)
  • Enviou: 117 vez(es)
  • +227/-90
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #750 em: Janeiro 25, 2022, 10:06:25 am »
Para além dos países do Leste que devem estar em alerta máximo, alguém sabe se já houve um aumento no nível de Alerta do resto da Europa, e não estou a falar em destacamentos, estou a falar ao nível defesa nacional?

Exemplo: Dado o escalar das tensões não devia Portugal começar a preparar um destacamento de F-16 nos Açores ou simplesmente a aumentar o nível de readiness (não sei o melhor termo em PT) de algumas unidades (Fragatas (quais  :mrgreen:), Submarinos, ...)

Lá está eu não me preocupo de ter a FAP (caças) centralizados em Leiria em tempo de Paz, ou outras unidades, mas secalhar estamos a chegar à altura de acautelar um pouco, ou é Nossa Senhora de Fátima no comando?
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9650
  • Recebeu: 1655 vez(es)
  • Enviou: 1964 vez(es)
  • +310/-252
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #751 em: Janeiro 25, 2022, 11:24:34 am »
Dado o escalar das tensões não devia Portugal começar a preparar um destacamento de F-16 nos Açores

Isso era o espectável, mas a gente para enganar o inimigo vamos enviar os F-16 para a Islândia  :mrgreen:.
 

*

legionario

  • Investigador
  • *****
  • 1254
  • Recebeu: 258 vez(es)
  • Enviou: 261 vez(es)
  • +173/-1514
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #752 em: Janeiro 25, 2022, 11:29:10 am »
O legionario acha mal diversificarmos as fontes de energia, principalmente se vier dos EUA, já depender dos russos não parece haver problema nenhum...

Vindo de si esperava melhor, se é isso que pensa...
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9650
  • Recebeu: 1655 vez(es)
  • Enviou: 1964 vez(es)
  • +310/-252
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #753 em: Janeiro 25, 2022, 12:31:20 pm »
O legionario acha mal diversificarmos as fontes de energia, principalmente se vier dos EUA, já depender dos russos não parece haver problema nenhum...

Vindo de si esperava melhor, se é isso que pensa...

Cada pessoa pode ter as suas opiniões, eu posso gostar da NATO, outros podem não gostar. Eu pessoalmente não acho os americanos assim tão maus, mas nem tão bons como os filmes, basta ver a invasão do Iraque, mas os russos também não são anjinhos nenhuns, guerras hibridas, ataques cyber, etc, no fundo todos andam aqui a querer dominar, a culpa disso é muito a inacção da Europa, preferimos ser um protectorado dos EUA, eu preferia que a Europa fosse um bloco forte, aliado das restantes democracias, EUA, Canadá, Reino Unido, e com boas relações com a Rússia, os três pares, até podiamos ser a balança entre os EUA e a Rússia.

Na relação com a Rússia é quase incompreensível o desprezo pela UE, comparando a diferença abismal em população e PIB dos dois lados, não devia ser a europa a sentir-se intimidada.

Este site tem muita informação interessante, por exemplo a UE é o principal parceiro comercial da Rússia, 37% do comércio  e 75% do investimento estrangeiro vem da Europa, já o contrário é bem mais modesto, a Rússia compra aproximadamente 5% do que a Europa produz e investe 2%.
https://www.consilium.europa.eu/en/eu-russia-relations-facts-and-figures/

Mas também dá para ver os valores dos EUA em relação à Rússia, 4%, e que realmente as sanções económicas só serão fortes de convencerem os europeus.
« Última modificação: Janeiro 25, 2022, 12:32:13 pm por Lightning »
 

*

Tino

  • Membro
  • *
  • 38
  • Recebeu: 7 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +3/-3
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #754 em: Janeiro 25, 2022, 01:35:16 pm »
Portugal é o país mais ou dos mais afastados da Rússia na Europa. Contudo os nossos governantes não deviam esperar que os outros façam o nosso trabalho. Isso nunca funcionou nem nunca vai funcionar enquanto a UE não tiver uma política comum de defesa.
Não nos podemos esquecer que temos posição atlântica que deve estar bem guarnecida para defendermos as nossas ilhas e a nossa fronteira marítima. Nós sermos atacados ou a atacarmos, o nosso principal teatro de operações será o Atlântico. Para isso é importante ter uma marinha melhor preparada e um apoio aéreo decente.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning

*

MATRA

  • Analista
  • ***
  • 831
  • Recebeu: 560 vez(es)
  • Enviou: 826 vez(es)
  • +63/-15
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #755 em: Janeiro 25, 2022, 05:17:02 pm »
Citar
@usairforce
 airmen and civilians from the 436th Aerial Port Squadron prepare cargo in support of Ukraine at Dover Air Force Base, Del.





Javelins com fartura
“Hard times create strong men. Strong men create good times. Good times create weak men. And, weak men create hard times.”
G. Michael Hopf, Those Who Remain
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 11486
  • Recebeu: 2187 vez(es)
  • Enviou: 5958 vez(es)
  • +376/-211
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #756 em: Janeiro 25, 2022, 11:02:58 pm »

Esqueçam o supérfluo.. Os F-16 no Atlântico e uns Leopard da treta...

É necessário relembrar os acontecimentos na Ucrânia desde 2014 e os assassinatos políticos por parte da Rússia.
A Europa é refém da Rússia em matéria energética e não há quem nos salve.

O vídeo que coloquei é fulcral para se poder continuar a debater este tópico.
É tambem o mais esclarecedor até agora. E o mais preocupante...
https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 5978
  • Recebeu: 2208 vez(es)
  • Enviou: 531 vez(es)
  • +586/-395
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #757 em: Janeiro 26, 2022, 12:55:09 pm »
Para além dos países do Leste que devem estar em alerta máximo, alguém sabe se já houve um aumento no nível de Alerta do resto da Europa, e não estou a falar em destacamentos, estou a falar ao nível defesa nacional?

Exemplo: Dado o escalar das tensões não devia Portugal começar a preparar um destacamento de F-16 nos Açores ou simplesmente a aumentar o nível de readiness (não sei o melhor termo em PT) de algumas unidades (Fragatas (quais  :mrgreen:), Submarinos, ...)

Lá está eu não me preocupo de ter a FAP (caças) centralizados em Leiria em tempo de Paz, ou outras unidades, mas secalhar estamos a chegar à altura de acautelar um pouco, ou é Nossa Senhora de Fátima no comando?

Creio que o melhor termo em português para "readiness" é prontidão.

O nosso problema, é que não deve haver muita vontade para isso, ainda por cima não sabendo quanto tempo seria. É um "exercício" de logística, para o qual o orçamento da FAP não deve chegar, portanto era necessário aumentar (e alguém está a ver isso acontecer, com esta massa política?). Depois temos outro problema: não temos AMRAAM suficientes para sequer fingir que estamos em prontidão, quanto mais dividir o stock em 2. Era preciso comprar mais. Também era preciso AIM-9X, que os L já estão ultrapassados.

O que poderia/deveria ser feito em termos de prontidão, era reforço de stock de armamentos (para submarinos, F-16 e P-3), adquirindo mais Black Shark, Harpoons, AMRAAM, AIM-9X e eventualmente, um stock de JASSM/JASSM-ER (F-16) e/ou SLAM-ER (P-3 e F-16). Outro aspecto, era (finalmente) certificar os F-16 para lançamento de Harpoon. Também era importante levantar baterias anti-aéreas em pontos estratégicos (bases aéreas sobretudo), algo que infelizmente, não temos de todo. F-16 destacados nos Açores, e também 1 P-3 (Açores ou Madeira), faltava ter pelo menos mais um submarino, para se conseguir ter um no mar em permanência (em rotatividade).

Fora isso, as bases aéreas portuguesas são as mais afastadas da Rússia, sendo portanto as mais difíceis de atingir por mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos, talvez venham a ter uma importância acrescida para a NATO, já que ter tanta aeronave na Alemanha, Polónia, etc, facilita muito o trabalho aos russos.
 

*

Lusitan

  • Analista
  • ***
  • 691
  • Recebeu: 328 vez(es)
  • Enviou: 294 vez(es)
  • +262/-146
  • Hic et Ubique
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #758 em: Janeiro 27, 2022, 11:30:07 am »
https://www.bbc.com/news/world-europe-60130486

Fishermen plan to disrupt Russian military exercise off Irish coast

A group of fishermen is planning to peacefully disrupt Russia's plans to hold a military exercise off the coast of Ireland in February.

The chief executive of the Irish South and West Fish Producers Organisation (IS&WFPO) has said the area is "very important" for members.
Patrick Murphy says they want to protect biodiversity and marine life.
But Russia's Ambassador to Ireland says controversy around the exercise is "hugely overblown".
On Monday, Yury Filatov held a press conference at the Russian Embassy in Dublin.
He said the planned exercises by Russian naval vessels was "not in any way a threat to Ireland or anybody else" and that no harm was intended by it.
Mr Filatov said three or four ships would be involved, but he did not know if missiles or submarines would be used.
He said: "There is nothing to be disturbed, concerned or anguished about and I have extensively explained that to our Irish colleagues."
Mr Filatov also said the exercise was a "non-story" which has become part of a "propaganda campaign" about an alleged Russian threat to Europe.
Meanwhile, Mr Murphy said he spoke to an official of the Russian Embassy on Tuesday afternoon.
He said the official told him "it would be reckless" for the fishing organisation to send boats out to intervene with the exercise.
Mr Murphy said he assured the official that the fishermen's organisation would not be sending boats out to specifically engage with the Russian Navy.
"We are letting them know that we will be fishing in our traditional fishing areas and if this has an impact on their exercise this would be considered a peaceful protest," Mr Murphy added.

'These warships shouldn't be having war games'
Speaking on RTÉ's Morning Ireland, Mr Murphy said there were currently "half a billion tonnes" of blue whiting in the area that move up along the coastline, representing "a one million tonne fishery".
"This is a very important ground where fish come to spawn... and we don't know what's going on out here.
"We should be entitled to go fishing there, and if we're fishing there then these boats, these warships, shouldn't be having war games."
Mr Murphy said an issue of "real concern" was that their fishing gear at the back of their boats could get tangled with a submarine.
He has called for the government to intervene.
Labour Leader Alan Kelly has contacted Mr Murphy to say he will raise the matter in the Dáil (Irish Parliament).
On Monday, Tánaiste (Deputy Prime Minister) Leo Varadkar said he would be briefed on the situation by Foreign Affairs Minister Simon Coveney, and that the minister would also brief the Cabinet on Tuesday.
Mr Varadkar said: "While the Russian military can, within the law, carry out these exercises off our waters and in our economic zone, they are certainly unwelcome and that has been communicated to the authorities."

Precisamos é de ter mais barcos de pesca para patrulhar as nossas águas...  ;D
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 13386
  • Recebeu: 2884 vez(es)
  • Enviou: 3420 vez(es)
  • +2189/-5339
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #759 em: Janeiro 27, 2022, 03:11:26 pm »
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

asalves

  • Especialista
  • ****
  • 1019
  • Recebeu: 406 vez(es)
  • Enviou: 117 vez(es)
  • +227/-90
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #760 em: Janeiro 27, 2022, 04:36:43 pm »


Politiquices a parte que só servem para política, qualquer que fosse o Presidente Americano ia reagir da mesma maneira a esta situação ou pior.

Biden está a fazer o máximo que pode para não ter que enviar tropas, pois é um presidente que está politicamente fragilizado, e que acabou por passar por um episódio desastroso no Afeganistão.
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2865
  • Recebeu: 1591 vez(es)
  • Enviou: 767 vez(es)
  • +2633/-2177
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #761 em: Janeiro 28, 2022, 10:56:58 am »
Conflito na Ucrânia: Portugal recebeu pedido da NATO para preparar meios militares



A NATO pediu às forças armadas portuguesas que fossem preparando meios militares, na eventualidade de ser necessário intervir para travar a crise na Ucrânia, avança o jornal ‘Expresso’.

Segundo a mesma publicação, que cita fontes próximas do assunto, apesar de não ter existido um pedido de meios concretos, a Marinha e a Força Aérea estão a acelerar a preparação de submarinos, fragatas, caças F-16 e aviões de transporte C-295.

Os ramos das forças armadas portuguesas deram ordens para que as tropas acelerassem a preparação de meios, inclusive daqueles que se encontravam em manutenção, adianta o jornal.

O objetivo é garantir a operacionalidade de todos os meios tão depressa quanto possível, para agir de imediato em caso de necessidade. Contudo, isto pode ser difícil de cumprir, uma vez que Portugal está em processo de eleições.

Segundo o ‘Expresso’, nesta altura tanto o Governo como o Presidente da República preferem esperar por soluções mais firmes na frente diplomática, bem como pelas conclusões que vão sair das reuniões na NATO na próxima semana.

Depois disso, e se houver efetivamente uma mobilização de meios, o Executivo, em conjunto com o Presidente, terá de chegar a um acordo, podendo para isso convocar um Conselho Superior de Defesa Nacional, de forma a discutir as missões no estrangeiro.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, já tinha dito esta semana que “qualquer agressão contra a Ucrânia, qualquer violação por parte da Rússia da soberania e da integridade territorial da Ucrânia terá uma consequência pesada que motivará uma resposta”.

“No caso da UE, uma resposta muito pesada em termos políticos e económicos. Estamos preparados para essa resposta caso ela seja necessária”, afirmou adiantando que seriam “sanções pesadas”.

https://multinews.sapo.pt/noticias/conflito-na-ucrania-portugal-recebeu-pedido-da-nato-para-preparar-meios-militares/
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9650
  • Recebeu: 1655 vez(es)
  • Enviou: 1964 vez(es)
  • +310/-252

*

MATRA

  • Analista
  • ***
  • 831
  • Recebeu: 560 vez(es)
  • Enviou: 826 vez(es)
  • +63/-15
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #763 em: Janeiro 28, 2022, 11:48:02 am »


Aquele "Q" em destaque, não me parece coincidência.  :mrgreen:
“Hard times create strong men. Strong men create good times. Good times create weak men. And, weak men create hard times.”
G. Michael Hopf, Those Who Remain
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 5978
  • Recebeu: 2208 vez(es)
  • Enviou: 531 vez(es)
  • +586/-395
Re: Guerra na Ucrânia
« Responder #764 em: Janeiro 28, 2022, 02:06:10 pm »
Convinha era que a política de Defesa em Portugal mudasse. Isto de "fazer frente" aos russos com fragatas dos anos 90, e F-16 com AIM-9L e uma dúzia de AMRAAM não dá com nada. Já deviam era ter começado a certificar os F-16 com Harpoon, e a adquirir AIM-9X, AMRAAM, SDB/SDB-II e JASSM.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: typhonman, LM