União Europeia

  • 101 Respostas
  • 8203 Visualizações
*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #15 em: Fevereiro 15, 2021, 03:33:21 pm »
A produção industrial caiu 8% na União Europeia em 2020


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #16 em: Fevereiro 16, 2021, 07:52:04 pm »
UE vai continuar a ignorar os seus paraísos fiscais?


 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2692
  • Recebeu: 336 vez(es)
  • Enviou: 115 vez(es)
  • +536/-6538
Re: União Europeia
« Responder #17 em: Fevereiro 27, 2021, 01:00:54 pm »
Inflação faz soar alarmes. Mas há razão para preocupação?
https://eco.sapo.pt/2021/02/27/inflacao-faz-soar-alarmes-mas-ha-razao-para-preocupacao/
Citar
Não se fala de outra coisa: a subida da inflação virá no pós-Covid e essa expectativa já é visível nos juros de longo prazo. Mas vai concretizar-se? A incerteza não permite dar uma resposta clara.

Não é claro qual foi o catalisador, mas a preocupação à volta da subida da inflação regressou às discussões económicas no arranque de 2021. Nos EUA, esse regresso pode ser atribuído ao novo pacote de estímulos de 1,9 biliões de dólares do novo presidente Joe Biden enquanto na Europa foi o líder do Bundesbank (banco central alemão), Jens Weidmann, a tocar no assunto para defender uma eventual subida dos juros. As expectativas sobre a “reflação” já tiveram impacto em algumas partes dos mercados financeiros, mas virá mesmo aí ou é só conversa? Os economistas ouvidos pelo ECO admitem que, na verdade, ninguém sabe.

É o tema da “moda” que tem dominado vários researchs do mundo financeiro e até obrigou o presidente da Reserva Federal e a presidente do Banco Central Europeu a falar do assunto para “acalmar” os mercados. Powell disse que não é uma “ameaça” e Lagarde, mais preocupada com os juros da dívida dos países da Zona Euro, disse que estava a “monitorizar de perto” a situação. O otimismo de alguns investidores com o processo de vacinação leva-os a apostar numa subida generalizada dos preços. Porquê? A aposta é que a reabertura das economias provoque uma explosão de consumo, alimentada pela liquidez dos bancos centrais e os apoios orçamentais dos Estados, desequilibrando a relação entre a procura e a oferta.
Na década passada, nas economias avançadas, a procura ficou aquém da oferta, mantendo a inflação em níveis historicamente baixos e obrigando a política monetária a manter-se expansionista desde a crise financeira. Esta crise pandémica está a ser, até ao momento, mais uma crise da procura, por causa do confinamento (menos consumo), do que de oferta (à exceção de alguns casos particulares como bens médicos). Contudo, o receio é que a situação mude rapidamente para um estado de inflação alta e essa expectativa já se começa a refletir no mercado da dívida com os juros a subir nas maturidades mais longas.

O que virá aí? Ao ECO, Ricardo Reis, professor da London School of Economics e economista especializado em política monetária (já foi convidado pelo BCE para falar no Fórum de Sintra), assume que “neste momento há bastante incerteza acerca do que vai acontecer à inflação, o que quer dizer que tanto podemos ter uma inflação a subir como podemos ter uma inflação que desce muito, ou seja, deflação”. Desafiado a dizer qual o cenário mais provável, Ricardo Reis considera que os dois cenários têm uma probabilidade semelhante, acrescentando que esta divisão de opiniões sobre o futuro da inflação também é visível nas áreas dos mercados financeiros em que se faz apostas sobre a evolução dos preços (com derivados ou seguros).
Filipe Garcia, economista da IMF, também se encontra na posição intermédia, admitindo que possa haver “indícios” mas que é “demasiado cedo” para se saber. “Já vi este filme muitas vezes desde 2008“, economista da IMF, ao ECO, referindo-se a períodos na última década em que nos mercados financeiros se falava da subida da inflação na Europa por causa da ação do BCE, o que não se veio a concretizar. Filipe Garcia não tem dúvidas de que “um dia a inflação virá”, mas “é difícil de argumentar que há um défice de oferta” neste momento.

O economista antevê que, “se tudo correr bem” com a pandemia, a pressão a curto prazo será “mais inflacionista do que deflacionista”. Porém, esta será “temporária e não estrutural” porque “com alguma facilidade voltaremos do excesso da oferta”. Na Alemanha, por exemplo, o aumento da inflação este ano deverá estar ligado à subida do IVA, um imposto que tinha descido em 2020 para ajudar a economia, e, de forma mais geral na Zona Euro, à recuperação do preço do petróleo que compara com os meses em que colapsou no ano passado. No entanto, não se pode excluir que se transforme em estrutural por causa do “impacto de toda a liquidez que chegou aos mercados”, a qual pode ir “parar à economia se as pessoas gastarem e as empresas e o Estado investirem” muito mais do que nos últimos anos, alerta Filipe Garcia.

A dúvida poderá estar na perceção e confiança dos agentes económicos, o que tem consequência nas suas ações. “Um dos principais fatores que tem mantido a inflação tão estável nos últimos anos tem a ver com o enorme sucesso dos bancos centrais, ganho com lágrimas e suor durante os anos 80/90, que foi estabilizar a inflação nos 2%, de tal forma que a maior parte das pessoas atualmente não presta atenção à inflação”, explica Ricardo Reis. No pós-pandemia, isso poderá mudar: o economista admite que “nos próximos 12 meses, com a reabertura da pandemia, vai haver muita volatilidade nos preços relativos”, com setores onde os preços “vão subir 10%” e outros em que “vão descer 10% ou 20%”.

Perante isto, Reis considera que é “perfeitamente plausível que as pessoas, confundidas com estas variações de preços, comecem a reavaliar para onde é que vai a inflação”, o que poderá afetar “as expectativas de inflação” da população face às do banco central. Isto é, os agentes económicos podem passar a dar atenção à evolução dos preços e achar que vão começar a subir mais do que os 1% ou 2% (objetivo do banco central) que são “normais” atualmente. Acresce o receio com problemas orçamentais e o “papão da inflação”, o que não é “implausível” dado o nível de dívida pública. Dito isto, “há razões para preocupações”, reconhece.
Juros dificilmente subirão para conter inflação

Se não há consenso sobre o que acontecerá à inflação nos próximos tempos, há mais certezas sobre o que farão os bancos centrais: (quase) nada. Ricardo Reis considera que a política monetária está de mãos atadas na Europa: “O Banco Central Europeu terá dificuldade em fazer seja o que for“, diz, ressalvando que “nenhum banco central admitirá que não tem instrumentos”. A expectativa do economista é que os juros diretores fiquem inalterados durante pelo menos mais “um ou dois anos”.

Por um lado, aumentar as taxas de juro para combater a inflação mais elevada — “se tivesse ferramentas era o que o BCE faria” — podia criar um problema na gestão da dívida pública de alguns países europeus. O impacto em países como Portugal e Itália “era assustador”, classifica, destacando o “efeito assimétrico” na Zona Euro que não se verificaria nos EUA. Por outro lado, os juros já estão tão baixos e aproxima-se o limite da aquisição de dívida pública pelo que há pouca margem para dar mais estímulos monetários à economia na eventualidade de deflação.
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #18 em: Março 02, 2021, 05:30:04 pm »
UE quer mais transparência fiscal


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #19 em: Março 03, 2021, 07:50:04 pm »
Bruxelas mantém suspensão das regras do PEC


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #20 em: Março 16, 2021, 09:23:12 pm »
Regras da austeridade não regressarão tão cedo à UE


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #21 em: Maio 06, 2021, 04:11:41 pm »
UE aprova primeiro produto derivado de insectos


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #22 em: Junho 17, 2021, 03:15:40 pm »
Comissão Europeia aprova plano de recuperação grego


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #23 em: Julho 12, 2021, 09:02:02 pm »
UE desenvolve alternativa que promete fazer sombra à Nova Rota da Seda


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12901
  • Recebeu: 692 vez(es)
  • Enviou: 238 vez(es)
  • +556/-402
Re: União Europeia
« Responder #24 em: Julho 13, 2021, 04:50:39 pm »
PRR de Portugal tem "luz verde" de ministros das Finanças da UE


 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3006
  • Recebeu: 1697 vez(es)
  • Enviou: 848 vez(es)
  • +2767/-2642
Re: União Europeia
« Responder #25 em: Julho 13, 2021, 05:38:23 pm »
PRR de Portugal tem "luz verde" de ministros das Finanças da UE



Faço parte de um grupo que está a fazer um levantamento dos equipamentos necessários para criar melhores condições para as Escolas com cursos profissionais (públicas e privadas). O PRR tem previstos quase 450 milhões de euros, 100% a fundo perdido.......
Muito bem, descobrimos à dias, que uma das condições é que as Escolas tenham Polos Tecnológicos!!!! O que é um Pólo Tecnológico? É uma Escola que tenha no mínimo 2 turmas da mesma área e no mesmo ano (25 + 25 alunos)!!!!! Conclusão, praticamente nenhuma Escola do interior é elegível! Só algumas Escolas nos maiores centros urbanos ou as Escolas de magnatas que têem Pólos em várias cidades!!!!!!

São poucas as Universidades que se podem dar ao luxo de ter 2 turmas da mesma área no mesmo ano, quanto mais uma Minúscula Escola!!!!!!

As grandes Escolas vão ficar com tudo e as mais pequenas ficam a olhar para o festival!!!!!!!

Depois ainda nos vão acusar de não nos candidatarmos aos fundos....... pois pudera, não cumprimos os requisitos mínimos que os xuxas estão a magicar às escondidas!!!!!!!!!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning, HSMW

*

MATRA

  • Especialista
  • ****
  • 920
  • Recebeu: 663 vez(es)
  • Enviou: 888 vez(es)
  • +70/-17
Re: União Europeia
« Responder #26 em: Julho 13, 2021, 06:35:14 pm »
Isso é grave, quando me licenciei, durante um ano, fui professor numa pequena escola no interior, e fazia pena as dificuldades que haviam para aqueles miúdos terem as coisas mais básicas, que nas escolas dos grandes centros urbanos eram dadas como adquiridas.

sexta9@rtp.pt  com isso!
“Hard times create strong men. Strong men create good times. Good times create weak men. And, weak men create hard times.”
G. Michael Hopf, Those Who Remain
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning, Viajante

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 13917
  • Recebeu: 3234 vez(es)
  • Enviou: 3737 vez(es)
  • +2321/-5902
Re: União Europeia
« Responder #27 em: Julho 15, 2021, 08:54:11 am »
Os xuxas já se babam todos com os milhões que vão meter ao bolso
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9482
  • Recebeu: 4703 vez(es)
  • Enviou: 3393 vez(es)
  • +4412/-1010
Re: União Europeia
« Responder #28 em: Julho 15, 2021, 10:31:55 am »
Os xuxas já se babam todos com os milhões que vão meter ao bolso

Vão ter de gastar uns belos milhões com as dezenas de milhar de Tugas que vão regressar da Afrika du Sul.....

Abraços
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3006
  • Recebeu: 1697 vez(es)
  • Enviou: 848 vez(es)
  • +2767/-2642
Re: União Europeia
« Responder #29 em: Julho 17, 2021, 10:52:14 am »
Os xuxas já se babam todos com os milhões que vão meter ao bolso

Vão ter de gastar uns belos milhões com as dezenas de milhar de Tugas que vão regressar da Afrika du Sul.....

Abraços

Ao contrário dos refugiados traficados para Portugal e Europa em geral, com estes sim devemos ajudar todos os 450 mil portugueses e luso-descendentes, se pedirem ajuda!
Já estamos habituados a impactos destes, a seguir ao 25 de Abril, quem mandava neste país, abandonou literalmente 600 000 portugueses e descendentes (e até alguns desejaram que morressem, como o próprio Tenente já colocou aqui um testemunho) à sua sorte.
Agora não temos responsabilidade no que se passa na África do Sul, mas devemos prestar toda a ajuda aos portugueses que dela necessitem!
E também temos de estar atentos ao que se passa na Venezuela e ajudar aos portugueses e luso-descendentes que peçam apoio. São sensivelmente em mesmo número que na África do Sul.