Guerra contra o terrorista Kadafi

  • 350 Respostas
  • 51797 Visualizações
*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 8589
  • Recebeu: 653 vez(es)
  • Enviou: 1100 vez(es)
  • +508/-528
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #120 em: Março 23, 2011, 10:40:47 am »
20 Março 2011
O que diz o Gurkha sobre a Líbia

Tenho um empregado Gurkha, sim, daquela "raça marcial" que serviu o Raj britânico e ainda possui uma brigada de elite no exército de Sua Majestade. Hoje, tinha a tv acesa e o noticiário debitava as imagens dos bombardeamentos que ontem a USAF, a RAF e a FAF lançaram sobre o exército líbio em nome de um qualquer direito supostamente outorgado pelas Nações Unidas. O direito, concerteza, é o da força e não o de qualquer princípio outro.

O homem olhou demoradamente, baixou os olhos e enquanto trabalhava disse sem a mínima alteração do habitual tom de voz calmo: "boss, eles querem dar a liberdade aos líbios e em troca pedem o petróleo. A partir de hoje o boss podia cortar-me o salário e dar-me democracia. Se eu não aceitasse a democracia em troca do trabalho sem ordenado, o boss batia-me até eu aceitar ser livre". E há quem diga que as almas simples como a do Guran não encerram mais conhecimento que todos os cartapácios de ciência política e relações internacionais !

Resumindo os últimos episódios.

1. Dá-se um levantamento espontâneo do "povo líbio" contra o tirano. O povo que se dizia armado apenas de convicções democráticas leva tudo de vencida e chega às portas de Tripolí. Desarmados, combatem o exército líbio durante três semanas. As tv's afluem à Líbia e os pacíficos protestantes estão armados até aos dentes e nos últimos episódios até já pilotam aviões.

2. O tirano, porém, não abandona o seu posto e reconquista o terreno. As tv's começam, então, a apresentar o governo líbio alternativo existente em Londres e afirmam a pés juntos que é uma distinta plêiade de estadistas de craveira que vai levar à Líbia a liberdade. Lembro-me dos notáveis líderes da oposição a Saddam que vieram nos contentores da "força internacional" que invadiu o Iraque e tem dado àquele país anos de abundância, paz e felicidade.

3. Agora, como os líbios não se sabem libertar, fala-se num corpo expedicionário que os libertará das agruras do despotismo.

Olha, o Gurkha tem razão. Por que razão não há bombardeamentos libertadores sobre a Costa do Marfim ? E as Nações Unidas, tão distraídas estavam quando permitiram o genocídio no Ruanda ...


Publicada por Combustões em 20.3.11
http://combustoes.blogspot.com/
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

linergy

  • 204
  • +0/-0
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #121 em: Março 23, 2011, 11:54:31 am »
Evitem poluir o planeta com lixo nuclear!
"Statement on the potential use of depleted uranium in Libya"
http://www.uruknet.info/?p=m76085&hd=&size=1&l=e
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5510
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +284/-2
    • http://www.areamilitar.net
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #122 em: Março 23, 2011, 02:42:48 pm »
Se foi publicado pelo Blog combustões, e não é uma opinião de um participante do fórum, que por isso não pode defender o ponto de vista aqui, creio que bastaria um link em vez de mais uma intrusão de lixo ideológico.

Pior, é lixo ideológico baseado em distorção e mentira pura e simples.
Exemplos

Citar
Dá-se um levantamento espontâneo do "povo líbio" contra o tirano. O povo que se dizia armado apenas de convicções democráticas leva tudo de vencida e chega às portas de Tripolí.
O autor tenta dar a impressão de que o levantamento não é espontâneo.
Claro, que os levantamentos na Tunisia, no Egipto, na Siria ou no Yemen também não são espontâneos. Não têm nada a ver uns com os outros...
Tudo o que aconteceu nas últimas semanas no mundo árabe, passou ao lado do autor do texto, que devia estar a tomar qualquer coisa forte.

Desmontar as mentiras:

A revolta começa em vários pontos da Libia.
O ditador, sabe que não conta com o apoio de vários sectores das forças armadas e por isso as forças armadas não são a força mais operacional.
Quando a revolta começa em Benghazi (a região menos favorável a Kadafi), o principal centro militar da cidade, a Katiba é tomado utilizando tractores agricolas para deitar abaixo os muros (as imagens estão disponíveis na BBC e na Al-Jazeera). Conforme afirmam os populares,  A KATIBA FOI TOMADA À PEDRADA.
http://english.aljazeera.net/indepth/spotlight/libya/2011/03/20113175840189620.html

Kadafi, como todo o ditador marxista, está convencido de que o povo o apoia e não tem meios eficazes para debelar rapidamente a revolta. Os rebeldes desde Benghazi avançam até Ajdabiya.
Ajdabiya é da maior importância porque está ali o principal deposito de material de guerra do leste da Libia.

É então que os rebeldes, muitos deles militares que mudaram de lado, passam a controlar algum armamento. Trata-se de armamento secundário e que eles não podem manter. Quando avaria fica no lugar.
É mentira que tenham avançado até às portas de Triplo. Entre Tripoli E Ajdabiya distam 800KM, repito OITOCENTOS QUILOMETROS.  Os rebeldes, avançaram desde Ajdabiya e são detidos às portas de Bin-Jawad, a 560km de Tripoli, quanto ainda falta percorrer 70% do caminho.

Os rebeldes que teríam chegado às portas de Tripoli, percorreram na realidade 240km dos 800km que separam a fonte de armas dos rebeldes da capital da Líbia. Pode-se ser mais mentiroso.

Pode. Pode sempre

As cidades a ocidente, especialmente Misratah e Zawiya também se revoltaram, mas como não conseguiram tomar conta de nenhumas armas, tiveram que assumir posições defensivas. Noutras cidades, como foi o caso de Sabratah a revolta foi esmagada pelo ditador. Zawiya ainda resistiu duas semanas, mas foi tomada.
Nunca mais houve notícias sobre o que aconteceu nessa cidade.
Misratah, está cercada desde que a revolta teve inicio e apenas AK-47 e alguns RPG impedem os tanques de Kadafi de entrar na cidade. A artilharia, neste caso têm sido peças de 122mm soviéticas (a leste a artilharia é constituida pr sistemas Palmaria de 155mm).

São estes os militares armados que chegaram às portas de Tripoli...

Citar
Olha, o Gurkha tem razão. Por que razão não há bombardeamentos libertadores sobre a Costa do Marfim ? E as Nações Unidas, tão distraídas estavam quando permitiram o genocídio no Ruanda .
Finalmente o típico argumento do Ladrão !
Porque não bombardeiam a Costa do Marfim ?

A mesma coisa perguntaram os bandidos do complexo do Alemão no Rio de Janeiro.
Com tantas favelas, tantos traficantes, no Rio e no Brasil, porque razão fomos nós, os humildes traficantes do Complexo do Alemão, que fomos atacados pelo exército ?


Para haver justiça no mundo, a Policia só deveria agir contra os bandidos, quando conseguisse agir contra todos ao mesmo tempo.
É hipocrisia, pura hipocrisia dos governos e da policia, porque apenas dão a impressão de que controlam a situação.



Enfim, palavras para quê,
A mentira tem perna curta.
A hipocrisia anda de avião a jacto.
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11411
  • Recebeu: 408 vez(es)
  • Enviou: 230 vez(es)
  • +67/-57
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #123 em: Março 23, 2011, 05:45:50 pm »
Obama rejeita categoricamente invasão terrestre da Líbia



O presidente norte-americano, Barack Obama, rejeitou hoje categoricamente uma eventual invasão terrestre da Líbia para derrubar o líder Muammar Kadhafi, no quinto dia da ofensiva aérea da coligação internacional contra alvos militares no país.  Obama acrescentou que esta semana os Estados Unidos vão retirar-se da liderança das operações da coligação, que visam evitar que as forças de Kadhafi ataquem civis.

Obama foi questionado numa entrevista à rede espanhola Univision se estava a contemplar uma invasão terrestre da Líbia caso a operação aérea falhasse no objectivo de derrubar Kadhafi do poder, ao que respondeu: «Está absolutamente fora de questão».

Nos ataques aéreos de hoje por parte da coligação, os mísseis lançados por caças F-15 destruíram os lança mísseis de Kadhafi nos arredores de Tripoli.

Em duas cidades onde as forças de Kadhafi tinham cercado civis, as forças internacionais atingiram depósitos de munições, em Misrata, enquanto aviões atacaram forças terrestres nos arredores de Ajdabiya, disseram responsáveis miliatres sob anonimato.

Residentes de Misrata disseram que os ataques da coligação forçaram as tropas governamentais a retirar dali os tanques.

Lusa
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3444
  • Recebeu: 215 vez(es)
  • Enviou: 57 vez(es)
  • +293/-43
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #124 em: Março 23, 2011, 06:34:58 pm »
Citação de: "Lusitano89"
Obama rejeita categoricamente invasão terrestre da Líbia



O presidente norte-americano, Barack Obama, rejeitou hoje categoricamente uma eventual invasão terrestre da Líbia para derrubar o líder Muammar Kadhafi, no quinto dia da ofensiva aérea da coligação internacional contra alvos militares no país.  Obama acrescentou que esta semana os Estados Unidos vão retirar-se da liderança das operações da coligação, que visam evitar que as forças de Kadhafi ataquem civis.

Obama foi questionado numa entrevista à rede espanhola Univision se estava a contemplar uma invasão terrestre da Líbia caso a operação aérea falhasse no objectivo de derrubar Kadhafi do poder, ao que respondeu: «Está absolutamente fora de questão».

Nos ataques aéreos de hoje por parte da coligação, os mísseis lançados por caças F-15 destruíram os lança mísseis de Kadhafi nos arredores de Tripoli.

Em duas cidades onde as forças de Kadhafi tinham cercado civis, as forças internacionais atingiram depósitos de munições, em Misrata, enquanto aviões atacaram forças terrestres nos arredores de Ajdabiya, disseram responsáveis miliatres sob anonimato.

Residentes de Misrata disseram que os ataques da coligação forçaram as tropas governamentais a retirar dali os tanques.

Lusa

O caça que aparece en 1º plano na foto, foi o que se despenhou na Líbia... LN,91-304.
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 3444
  • Recebeu: 215 vez(es)
  • Enviou: 57 vez(es)
  • +293/-43
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #125 em: Março 23, 2011, 06:44:22 pm »
Citação de: "papatango"
A questão que levantei foi a de que missão os nossos F-16 desempenhariam se participassem nesta operação.
Ainda que tenham capacidade de ataque, o mais provável é que se limitassem a missões de escolta (como aconteceu na antiga Jugoslávia com os F-16A/B).
Como os F-16AM/BM são mais sofisticados, é de considerar que operassem próximo à costa da Líbia em missões de patrulha e interdição, que tanto quanto sei é o que fizeram os dinamarqueses e farão os noruegueses se decidirem participar.

Aliás é curioso, que os noruegueses tenham dito que ficarão sob comando americano. Os dois Mirage do Qatar vão operar em conjunto com os Mirage-2000 franceses. As necessidades acabam por ditar a forma como as coisas se organizam.
Quem depende dos americanos, se estes saírem e se limitarem às operações de apoio logístico e reconhecimento acho que fica a pé...

Os F-16AM da Dinamarca já foram avistados com JDAM´s de 2000 Kg...penso que será algo mais do que missões de escolta.
Artigo 308º

Traição à Pátria

Quem, por meio de violência, ameaça de violência, usurpação ou abuso de funções de soberania:

a) Tentar separar da Mãe-Pátria, ou entregar a país estrangeiro ou submeter à soberania estrangeira, todo o território português ou parte dele
 

*

Requiem

  • 1
  • +0/-0
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #126 em: Março 23, 2011, 11:20:27 pm »
Saudações a todos.
Tenho acompanhado este forum há já algum tempo, com grande interesse, apesar de nunca ter participado activamente.
Muito interessante tem sido, especialmente, a discussão neste tópico.
A propósito dos fundamentos estratégicos de Sakorzy para a intervenção militar, e deitando mais uma "acha na fogueira", lembro que uma das questões internas que o PM francês sempre quis resolver prende-se com o excesso de populações norte-africanas a residir na França...  
Não será a instauração de regimes democráticos nesses países norte-africanos a melhor forma de impulsionar o regresso às origens de parte dessas populações?
 

*

PILAO251

  • 184
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #127 em: Março 24, 2011, 09:15:13 am »
Democracia (tipo ocidental, com direitos e liberdades perfeitamente definidos na constituição) em países de tradição e cultura muçulmanas, uhmmmmmmmmmmmmmmmm,

Mais depressa vejo o profeta a comer bacon e a virar copos de 3.

E mesmo que isso aconteça, nunca aceitarão a democracia tal como nós a concebemos, mas isto escapa totalmente ao comum dos europeus, democratas, politicamente correctos, etcetera e tal  
Att
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11411
  • Recebeu: 408 vez(es)
  • Enviou: 230 vez(es)
  • +67/-57
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #128 em: Março 24, 2011, 12:11:39 pm »
Kadhafi pede a mediação de grupo dos BRICs


O governo da Líbia pediu ajuda do Brasil e outros membros do Bric para negociar o fim dos bombardeamentos ao país.
Com esse objectivo, foram convocados há poucos dias os embaixadores do grupo, formado pelo Brasil, Rússia, Índia e China, para uma reunião em Tripoli.

Embora tenham sido convidados em bloco, os diplomatas também receberam pedidos individuais aos seus países, como o envio de observadores.

O regime de Muammar Kadhafi disse que aceita negociar o futuro da Líbia, mas apenas após o fim dos ataques da coligação.

A mão estendida à diplomacia reforça a impressão entre diplomatas em Tripoli de que Kadhafi adopta uma táctica dupla: enquanto promete lutar até ao fim e inflama a população para ganhar pontos na disputa interna, tenta uma saída diplomática.

Mesmo antes da imposição da zona de exclusão aérea pela ONU (Organização das Nações Unidas), Kadhafi já tinha manifestado interesse em recorrer aos BRICs como mediadores. Com a abstenção dos quatro na votação da resolução, o interesse auemntou.

Terça-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Antonio Patriota, disse que espera ver uma «transição benigna» na Líbia, a exemplo do que ocorreu no Egipto, onde o ditador Hosni Mubarak renunciou.

Foi a primeira vez que o Brasil insinuou ser favorável à saída de Kadhafi. Tal posição, entretanto, não foi comunicada oficialmente ao regime líbio.

Sem aliados, Tripoli também tem cada vez menos interlocutores. Há 10 dias, o número de embaixadores no país caíra para 70.

Hoje, está em cerca de 40, disse o embaixador do Brasil, George Ney de Souza Fernandes, ainda em Tripoli.

Segundo um diplomata brasileiro, a permanência do embaixador na Líbia foi por determinação da presidente Dilma Rousseff, que defende manter um canal de diálogo.

Lusa
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5510
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +284/-2
    • http://www.areamilitar.net
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #129 em: Março 24, 2011, 12:59:58 pm »
Citação de: "Pilao"
Democracia (tipo ocidental, com direitos e liberdades perfeitamente definidos na constituição) em países de tradição e cultura muçulmanas, uhmmmmmmmmmmmmmmmm,
Mais depressa vejo o profeta a comer bacon e a virar copos de 3.
E mesmo que isso aconteça, nunca aceitarão a democracia tal como nós a concebemos, mas isto escapa totalmente ao comum dos europeus, democratas, politicamente correctos, etcetera e tal
É um argumento interessante, embora existam países muçulmanos onde existe separação de poderes e liberdades e direitos expressos na constituição.
O caso mais conhecido é o da Turquia.

O problema serão não os muçulmanos, mas os árabes.

No entanto, ainda assim, poderemos pensar no seguinte:

Durante o século XX, ocorreram em Portugal três grandes processos revolucionários. 1910, 1926 e 1974. Em todos estes casos, foram as elites e as forças armadas que iniciaram o processo.
O que vemos nos países árabes, são pessoas de todas as classes sociais, que efectivamente se revoltaram e curiosamente, o que pedem é mais liberdade.
Na maioria dos casos os movimentos islâmicos aparentam estar relativamente fora do processo - ainda que o possam tentar controlar e aproveitar-se dele.

Nestes últimos meses, os árabes têm feito muito mais pelo direito à liberdade e lutado de forma muito mais efectiva por essa liberdade, que nós, portugueses, ao longo de todo um século, em que nos limitámos a ir atrás das revoluções de pequenos grupos sociais.

A pergunta que deixo é simples:

Se há dois ou três anos atrás, alguém neste fórum dissesse que em 2011 haveria revoltas nas ruas dos países árabes e que governos ditatoriais árabes seriam derrubados por manifestações populares de gente que defende a liberdade e até não queima bandeiras americanas por desporto, quem acreditaria e quem diria que era impossível ?
 

*

cromwell

  • Especialista
  • ****
  • 1105
  • +1/-0
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #130 em: Março 24, 2011, 09:32:28 pm »
Citar
Se há dois ou três anos atrás, alguém neste fórum dissesse que em 2011 haveria revoltas nas ruas dos países árabes e que governos ditatoriais árabes seriam derrubados por manifestações populares de gente que defende a liberdade e até não queima bandeiras americanas por desporto, quem acreditaria e quem diria que era impossível ?

Espero que aconteça no futuro o mesmo cá em Portugal, quando o povo aprender de vez e pedir o fim deste regime jacobino, restaurando o legitimo regime deste país.
"A Patria não caiu, a Pátria não cairá!"- Cromwell, membro do ForumDefesa
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4251
  • Recebeu: 283 vez(es)
  • Enviou: 275 vez(es)
  • +56/-24
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #131 em: Março 25, 2011, 09:22:15 am »
Citação de: "cromwell"
Citar
Se há dois ou três anos atrás, alguém neste fórum dissesse que em 2011 haveria revoltas nas ruas dos países árabes e que governos ditatoriais árabes seriam derrubados por manifestações populares de gente que defende a liberdade e até não queima bandeiras americanas por desporto, quem acreditaria e quem diria que era impossível ?

Espero que aconteça no futuro o mesmo cá em Portugal, quando o povo aprender de vez e pedir o fim deste regime jacobino, restaurando o legitimo regime deste país.

de 4 em 4 anos há eleições, é nessa altura que o povo tem mais poder, senão exerce esse poder é porque não quer!
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11411
  • Recebeu: 408 vez(es)
  • Enviou: 230 vez(es)
  • +67/-57
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #132 em: Março 25, 2011, 01:08:30 pm »
Países discutem transição e eleições com regime de Kadhafi


Membros da União Africana (UA) e dos governos de Rússia, China, Estados Unidos e França participam hoje em Adis-Abeba numa reunião com representantes do Kadhafi, para tentar encontrar uma saída pacífica para o conflito líbio.
A UA defende um período de transição no país, que leve a eleições democráticas, como uma forma de encerrar a guerra entre as tropas de Kadhafi e os rebeldes da oposição.

A aliança africana convidou ainda os líderes do Conselho Nacional de Transição (CNT), embora não tenha sido confirmada a sua presença.

Os rebeldes rejeitaram até ao momento todas as ofertas de negociação enquanto Kadhafi, no poder há quase 42 anos, não renunciar.

Hoje, os rebeldes afirmaram que entre 8.000 e 10 mil pessoas morreram desde o início da revolta. Tripoli não divulga um saldo oficial de vítimas.

O presidente da Comissão da UA, Jean Ping, disse que Kadhafi aceitou o convite para o encontro na Etiópia e enviou Mohamad Zawi, porta-voz do Congresso Popular da Líbia.

«Com esta convocação, a UA tenta chegar à raiz do conflito líbio através de conversações entre as partes em confronto, o que deveria levar à realização de eleições para nomear instituições democráticas no país», frisou Ping.

Acrescentou que a ideia do encontro é desenhar um mapa do caminho para a Líbia e que é inevitável que inclua reformas políticas.

Disse ainda acreditar num consenso entre os rebeldes e o regime e classificou de «legítimas» as aspirações do povo líbio.

«Estamos convencidos de que existe uma base suficiente para alcançar um acordo e encontrar uma solução duradoura na Líbia», acrescentou.

Lusa
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15531
  • Recebeu: 1190 vez(es)
  • Enviou: 1126 vez(es)
  • +193/-181
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #133 em: Março 25, 2011, 04:01:54 pm »
Para onde ia o petróleo:


7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

chaimites

  • 1663
  • Recebeu: 61 vez(es)
  • Enviou: 2 vez(es)
  • +5/-0
Re: Guerra contra o terrorista Kadafi
« Responder #134 em: Março 25, 2011, 06:11:17 pm »
Boas!

Nao queria abrir um topico sobre o assunto, mas,  alguem  entendido pode explicar-me   qual o objectivo das balas tracejantes?  elas revelam o local do atirador que vantagem tem?

desculpem a ignorancia!
 

 

"Memórias da Guerra - 1961-1974"

Iniciado por Lancero

Respostas: 11
Visualizações: 41211
Última mensagem Junho 15, 2007, 04:28:40 pm
por Lancero
Guerra Colonial: Fotos dos "gun trucks"

Iniciado por sprint1050

Respostas: 0
Visualizações: 3946
Última mensagem Agosto 17, 2008, 02:35:53 pm
por sprint1050
Guerra da Cisplatina - O único "revés" militar do Brasil

Iniciado por Vitor Santos

Respostas: 1
Visualizações: 2673
Última mensagem Janeiro 31, 2017, 01:13:01 pm
por Vitor Santos
O último amante de Mata-Hari morreu na guerra de Espanha

Iniciado por AlcaideFaria

Respostas: 0
Visualizações: 2518
Última mensagem Maio 21, 2008, 09:14:23 pm
por AlcaideFaria
II GRANDE GUERRA: PORQUE A ALEMANHA NUNCA ATACOU OS EUA ?

Iniciado por Rui Elias

Respostas: 23
Visualizações: 9207
Última mensagem Novembro 20, 2006, 10:53:47 pm
por Sniper