Notícias em Geral

  • 1306 Respostas
  • 166360 Visualizações
*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #120 em: Julho 12, 2009, 05:21:42 pm »
Hipopótamos de Pablo Escobar sob ameaça de morte


Hipopótamos que o narcotraficante colombiano Pablo Escobar albergava na sua luxuosa vivenda estão a enfrentar uma séria ameaça de morte após autorização governamental para lhes ser dada caça, o que suscitou duras críticas dos defensores de animais.

Esta autorização foi suspensa provisoriamente, na esperança de que algum jardim zoológico colombiano tome a seu cargo os animais, informou o director da Corporação Regional de Antioquia (departamento do noroeste colombiano), Alfonso Escobar.

O problema é o que fazer com as mais de duas dezenas de hipopótamos que já se reproduziram nas enseadas do rio Magdalena e assaltam os cultivos dos agricultores.

A controvérsia sobre estes de animais provenientes da África, que os canais da droga levaram até à região de Medellin no início dos anos 80, começou em Junho passado quando caçadores e soldados abateram o hipopótamo macho que escapara em 2006 com uma fêmea da Hacienda Nápoles, propriedade de Pablo Escobar, abatido a tiro em finais de 1993.

A fêmea e uma cria, que já nasceu e cresceu em liberdade durante estes últimos anos, continuam a deambular pela região de Port Berrio.

A Hacienda Nápoles, que foi propriedade de Pablo Escobar e é hoje um destino turístico, tem 3.000 hectares, alberga hotéis, 20 lagos artificiais, uma pista de aterragem para aviões Hércules e até uma réplica da avioneta de turismo usada por Escobar para fazer sair da Colômbia a sua primeira carga de cocaína.

Entre todas as excentricidades reunidas no complexo, uma das mais atractivas é o zoológico que o "barão" do cartel Medellin povoou com mais de 1.500 espécies animais importadas de diferentes lugares do mundo por processos de corrupção.

Desde o abandono e posterior expropriação da Hacienda Nápoles pelo Estado colombiano, alguns exemplares escaparam do recinto, como estes hipopótamos, outros foram roubados e alguns morreram por falta de cuidados.

Ainda assim, as tarefas de reabilitação permitiram que na magnífica propriedade tenham subsistido ecossistemas de peixes, borboletas, répteis e de pássaros, assim como uma comunidade de hipopótamos que continuam a reproduzir-se.

A partir da fuga dos dois cavalos-marinhos começaram a chover denúncias de destruições de culturas, pesca e gado por parte de pescadores e camponeses de Port Berrio.

Foi feito apelo aos jardins zoológicos colombianos para adopção dos hipopótamos que andam a monte, mas estes declinaram a oferta por serem muito altos os custos financeiros de manutenção destes mamíferos gigantes, agravado por dúvidas sobre o seu estado de saúde.

As organizações de protecção de animais teceram fortes críticas à iniciativa do Governo de abrir a caça aos hipopótamos de Pablo Escobar e apelaram à comunidade internacional acolhimento para estes animais em risco de vida.

Segundo o director da Corporação Regional de Antioquia, foram recebidos nos últimos dias algumas ofertas de acolhimento por parte de alguns zoológicos, o que constitui a última oportunidade de sobrevivência para estas mascotes do "barão" da droga colombiano.

Ionline

 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #121 em: Julho 13, 2009, 03:02:47 pm »
Pistola de Saddam pode acabar no museu de George W. Bush


Foi capturada com o antigo ditador iraquiano, e tornou-se um dos objectos preferidos de Bush; deverá ser exposta no seu museu presidencial.

Durante os anos que passaram na Casa Branca, muitos presidentes dos EUA guardaram objectos que prezavam especialmente. Franklin D. Roosevelt gostava muito de um modelo do século 19 do navio USS Constitution. Um dos objectos preferidos de Dwight Eisenhower era uma taça de vidro Steuben gravada, que lhe tinha sido oferecida pelos membros do seu governo. E, pousado sobre a secretária de John F. Kennedy, na Sala Oval, estava um pisa-papéis feito a partir de uma casca de coco que ele tinha gravado com uma mensagem de pedido de socorro quando o seu navio foi afundado na Segunda Guerra Mundial.

Os objectos foram doados ao povo americano e estão expostos nas bibliotecas e nos museus dos diferentes ex-presidentes. Assim, quando a biblioteca de George W. Bush abrir em 2013 no campus da Southern Methodist University, em Dallas, os visitantes vão muito provavelmente poder ver um dos seus tesouros mais preciosos: a pistola de Saddam Hussein.

A arma, uma Glock 18C de 9mm, foi encontrada no esconderijo subterrâneo onde o Presidente iraquiano foi capturado, em Dezembro de 2003 por soldados da Delta Force, que a ofereceram mais tarde a Bush. A pistola tornou-se um dos presentes preferidos de Bush,  entre os milhares  que recebeu enquanto presidente por ser uma recordação do momento crucial da guerra do Iraque.

Antes de deixar a Casa Branca, em Janeiro, Bush tomou medidas para que a arma fosse enviada para um armazém dos arquivos nacionais a menos de 30 km da sua nova morada em Dallas. A Fundação disse que ainda não tinha sido decidido se a arma vai ficar guardada na biblioteca presidencial. No entanto, os seus colaboradores e os visitantes da Casa Branca afirmam que Bush lhes tinha comunicado a intenção de a expor lá.

"Ele apanhou o vilão”. Durante quase cinco anos, Bush manteve a pistola montada e guardada numa caixa de vidro, exposta na Sala Oval ou no seu escritório privado adjacente. Mostrava-a com orgulho, especialmente a oficiais das Forças Armadas, dizem as mesmas fontes.

"Estávamos a preparar-nos para deixar a Sala Oval quando ele nos disse: "Esperem um momento, rapazes, quero mostrar-vos uma coisa’”, recorda Pete Hegseth, secretário-geral dos Vets for Freedom, que descreveu uma visita realizada em Julho de 2007. "O Presidente foi até ao seu escritório privado e voltou com a caixa que continha a pistola. E disse: "Os tipos da Delta Force sacaram-na ao Saddam". Ele tinha muito orgulho nela."

A pistola é um dos 40 mil artigos e presentes que os Bush tinham reunido, entre os quais o megafone com que o Presidente se dirigiu ao pessoal de busca e salvamento na “zona zero” de Nova Iorque.
Douglas Brinkley, autor e professor de História da Universidade de Rice, diz que a pistola revela o modo como Bush via a sua presidência.

“Tem a ver com aquela concepção texana em que os heróis levam a melhor sobre os vilões e ficam com o troféu”, diz Brinkley. “Para o Presidente Bush, a pistola representa o seu maior momento de triunfo, tal como a arma de Dillinger guardada pelo FBI. Ele quer que sucessivas gerações de pessoas vejam a pistola e digam "Ele apanhou o vilão"."
Mark Langdale, presidente da Fundação George W. Bush, diz que a biblioteca vai servir-se de vários objectos para ilustrar 25 das decisões presidenciais de Bush. "A pistola é um objecto interessante e diz-nos que os EUA capturaram Saddam Hussein e o desarmaram, literalmente", afirma Langdale. “De que maneira é que isso se coaduna com a decisão de partirmos para a guerra… ainda não chegámos aí."

O George W. Bush Presidential Centre vai custar 150 milhões de euros. Segundo vários amigos de Bush, as doações já recebidas somam mais de 70 milhões. O antigo presidente angariou muito desse dinheiro em pequenas reuniões de almoços e jantares.

"O presidente está a trabalhar arduamente e o dinheiro continua a aparecer", diz um amigo. “As pessoas adoram-no, acham que ele fez um trabalho magnífico e sabem que a biblioteca é muito importante para ele.”

Ionline

 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #122 em: Julho 13, 2009, 07:10:36 pm »
Dizer palavrões ajuda a enfrentar a dor física


Um estudo britânico a ser publicado em Agosto no jornal científico NeuroReport conclui que dizer palavrões ajuda a lidar com a dor. Proferir impropérios acelera o ritmo cardíaco e transporta o indivíduo para um estado de maior resistência.

Segundo o estudo da Universidade Keele, do Reino Unido, dizer palavrões é uma reacção natural à dor física e está agora comprovado que ajuda a tolerar melhor o fenómeno.

Mais de 60 voluntários foram divididos em dois grupos e submetidos a testes de resistência à dor. No primeiro, os voluntários punham a mão num balde de água gelada e estavam impedidos de dizer palavrões. Já o segundo grupo podia reagir de forma menos apropriada à provação.

O teste foi repetido, desta vez com as condições contrárias. Os resultados foram claros. Enquanto cada voluntário pôde dizer palavrões, a resistência à dor foi maior. Quando a educação foi regra, os voluntários retiraram a mão da água gelada muito mais cedo.

A conclusão surpreende os investigadores, que esperavam o resultado contrário, partindo do princípio de que quem diz um palavrão percepciona a dor como sendo maior do que na verdade seria.

Os investigadores consideram agora que dizer insultos gera uma reacção de aceleração do ritmo cardíaco, tornando o indivíduo apto para responder a situações de stress como a dor.

SOL

 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #123 em: Julho 14, 2009, 12:00:40 am »
Português atravessa Estreito de Gibraltar a nado em 3 horas e 32 minutos


O português Miguel Arrobas cumpriu hoje a travessia do Estreito de Gibraltar em 3:32.30 horas, um tempo que o nadador considerou óptimo, apesar das más condições atmosféricas no último terço do percurso.

"Se tivesse apanhado condições boas, teria feito muito próximo do recorde do Mundo, o que era fantástico. Mas foi fantástico também, foi um tempo óptimo. 3:32 horas são muito poucos os que o fazem", referiu Miguel Arrobas.

Em declarações à Agência Lusa, o nadador de águas abertas disse que a travessia "correu bem", porque cumpriu os seus dois objectivos: "chegar ao outro lado" e "conseguir um tempo entre três e quatro horas".

"O que correu menos bem, mas isso não posso controlar, foram o muito vento e as muitas ondas. Foram condições que o próprio piloto considerou muito difíceis. Ele chegou a apontar que o ritmo a que eu nadava dava para 2:45, o que seria fantástico", revelou.

As condições atmosféricas no último terço da prova obrigaram mesmo Miguel Arrobas a mudar o cabo de destino, tendo de nadar mais um pouco, num percurso de cerca de 19 quilómetros.

"Não consegui ir para o cabo previsto e tive de ir para outro, que não era o mais próximo e tive de nadar mais um pouco. Tive a companhia dos golfinhos, dos peixes lua. Deu para estar entretido no meio das dificuldades", disse.

Para o futuro, Miguel Arrobas diz que quer dedicar o próximo ano às águas lusitanas, revelando que em Outubro ou Novembro queria nadar em Macau.

"O próximo ainda não é certo, mas seria a possibilidade de fazer Hong Kong a Macau, na altura do aniversário da passagem de Macau para a China. É uma coisa que não está nas minhas mãos, está nas autoridades chinesas", afirmou.

Lusa

 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #124 em: Julho 20, 2009, 12:32:19 am »
Tinha que sere unhe rapaz do Nuorte a tere a melhore pontuassom. Ebidenteménte.

Citar
Matemática: Portugal conquista primeira medalha de prata nas Olimpíadas Internacionais
Ontem

Lisboa, 19 Jul (Lusa) - A equipa portuguesa conseguiu este ano os melhores resultados de sempre nas Olimpíadas Internacionais de Matemática (IMO), conquistando a primeira medalha de prata, três de bronze e menções honrosas para o resto da equipa, de seis alunos no total.

Pedro Vieira, aluno do 12.º ano do Externato Ribadouro, no Porto, conquistou a primeira medalha de prata portuguesa nas IMO, as mais antigas olimpíadas internacionais de ciências do mundo, que se realizam desde 1959.

A equipa portuguesa, de seis alunos, fica também para a história por, além de conquistar a primeira medalha de prata portuguesa, ter conseguido a melhor pontuação de sempre, 99 pontos, e a melhor posição na tabela geral, em 33.º lugar. Em 20 anos de participação, a melhor classificação portuguesa na tabela tinha sido em 1989, em 44.º lugar, no ano da sua primeira participação.


http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Interio ... id=1312202
"Ask DNA"
 

*

legionario

  • Especialista
  • ****
  • 1079
  • Recebeu: 53 vez(es)
  • Enviou: 59 vez(es)
  • +50/-69
(sem assunto)
« Responder #125 em: Julho 20, 2009, 06:57:05 am »
quem foram os primeiros ?
A pior das ditaduras é a que se disfarça de democracia
 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #126 em: Julho 20, 2009, 05:53:59 pm »
Princesa saudita recebe asilo no Reino Unido para não ser apedrejada até à morte


Uma princesa saudita, que teve um filho com um amante, recebeu asilo no Reino Unido depois de garantir que podia ser condenada a ser apedrejada até à morte se voltasse a Riade.

A jovem, cujo nome não foi divulgado, obteve a condição de refugiada. O jornal The Independent avança que este é apenas um caso dos vários protagonizados por cidadãs sauditas no Reino Unido.

Vários outros casos, escreve o jornal, permanecem em segredo porque os governos dos dois países tratam estes assuntos com confidencialidade.

A mulher, que pertence a uma família saudita muito rica, conheceu um inglês não muçulmano durante uma visita a Londres e manteve relações sexuais com ele. Depois de engravidar, convenceu o marido a deixá-la dar à luz no Reino Unido, por estar preocupada com o que lhe poderia acontecer no seu país.

Depois do parto, a princesa convenceu os tribunais que tanto ela quanto o filho corriam risco de serem condenados à morte. Desde que fugiu do país árabe, a sua família rompeu todos os laços com a princesa, que recebeu um visto de residência permanente no Reino Unido.

Fontes do Ministério do Interior britânico recusaram comentar o caso.

Segundo fonte diplomáticas britânicas, a denúncia por parte das autoridades britânicas evidenciaria a perseguição de que são alvo as mulheres na Arábia Saudita e seria interpretada como uma crítica aberta à Casa Real saudita.

SOL

 

*

Chicken_Bone

  • 488
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #127 em: Julho 20, 2009, 09:50:18 pm »
Caragooooooo

Citar
A criança mais pesada do mundo
Dzhamkik Khatokhov tem nove anos e pesa 133 quilos

Tem apenas 9 anos, pesa 133 quilos e acredita-se que é a criança mais pesada do mundo. Dzhamkik Khatokhov é fanático por wrestling e não tem intenções de perder peso. A criança afirma estar feliz com o seu tamanho, de acordo com o que conta o «Daily Mail».

A mãe, Nelya, insiste que Jambik, como gosta de lhe chamar, é igual a qualquer outra criança saudável e recusa mesmo que este faça dieta, apesar dos avisos médicos.

«É assim que ele é, foi assim que Deus o criou», disse Nelya, ao jornal «The Sun». «Ele precisa de comida, ele faz desporto e é activo todo o dia», acrescenta. «E não come só fast food, gelado ou doces», garante a mãe.

Jambik, criança russa, pesa o equivalente a um elefante bebé e vive com os irmãos mais velhos, Rezvan, de 21 e Mukhamed, de 17, que são magros e têm peso médio.

«Desde muito pequeno que ele realizou vários exames, porque o facto de ser grande sempre intrigou os médicos que o acompanharam», conta a mãe Jambik. «Nenhum deles conseguiu», acrescenta.

Jambik diz que «gosta de ser grande». «Quero ser desportista quando crescer. Ou melhor, quero ser campeão olímpico», revela.


http://diario.iol.pt/internacional/tvi2 ... -4073.html - tem foto do puto
"Ask DNA"
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15539
  • Recebeu: 1195 vez(es)
  • Enviou: 1132 vez(es)
  • +194/-183
(sem assunto)
« Responder #128 em: Julho 21, 2009, 05:20:29 pm »
Incidente em central nuclear espanhola

A central nuclear de Asco I, Tarragona, Espanha, sofreu uma paragem não-programada segunda-feira à noite que se prolongou por várias horas mas, assegurou a direcção, o incidente não representou qualquer risco para a população ou ambiente.

O Conselho de Segurança Nuclear (CSN), de Espanha, informou que o incidente foi provocado por erro humano e classificado no nível zero da escala internacional de incidentes nucleares (INES).

No momento da paragem, a central estava a funcionar a cerca de 45 por cento de potência.

Segundo o órgão regulador, todos os sistemas de segurança da central funcionaram correctamente.

 :arrow: http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Mundo/I ... id=1313659
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #129 em: Julho 21, 2009, 07:07:35 pm »
Actor de Harry Potter é condenado a trabalho comunitário por plantar cannabis




Um juiz condenou o actor Jamie Waylett, que representa o aluno agressivo Vincent Crabbe nos filmes Harry Potter, a 120 horas de trabalho comunitário, depois de o jovem de 20 anos ter admitido que cultivou cannabis na casa da sua mãe.

O tribunal considerou que o cultivo era feito em escala pequena, mas sofisticada. «Sr. Waylett, reconheço que sua plantação de cannabis era em pequena escala e que não foi de maneira alguma um empreendimento comercial da sua parte», afirmou o juiz.

«Apesar disso, o senhor usou um sistema sofisticado de cultivo», disse. «Louvo o facto de ter reconhecido a sua culpa logo na primeira oportunidade, por ter cooperado com a polícia e por se ter mostrado até hoje um homem de bom carácter. Pretendo resolver esta questão impondo-lhe uma sentença de 120 horas de trabalho não remunerado».

Waylett foi detido com um amigo depois de fotografar agentes da polícia quando os dois passaram de carro ao lado deles. Quando estes revistaram o carro do amigo, encontraram vários sacos de erva. Mais tarde, 10 plantas de cannabis foram encontradas na casa da mãe de Jamie Waylett, em Kilburn, na zona noroeste de Londres.

O amigo de Waylett, John Innis, que admitiu a posse ilegal de 11 sacos de cannabis e uma faca, foi sentenciado a seis semanas de detenção numa instituição para infractores menores de idade e teve que pagar multa de 500 libras.

SOL

 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #130 em: Julho 22, 2009, 08:06:10 pm »
Terramoto aproxima Nova Zelândia e Austrália em 35 cm


Um forte terramoto ocorrido esta terça-feira na Nova Zelândia provocou uma deformação em uma das ilhas do país que a aproximou da Austrália em 35 centímetros, segundo um centro de pesquisas do governo neozelandês.

O centro GEO Science registou um terramoto de 7,8 graus no sudeste da Nova Zelândia – o mais forte em 80 anos no país. Os cientistas neozelandeses afirmam que foi o tremor de terra mais forte do mundo neste ano.

A Nova Zelândia tem duas ilhas principais: a do Norte e a do Sul. Com o sismo, a Ponta Puysegur, na Ilha do Sul, deformou-se, com uma expansão de 35 centímetros em direcção à Austrália. Cientistas afirmam que a aproximação é irrelevante, já que os países continuam a mais de 2,2 mil quilómetros de distância.

O tremor aconteceu às 9h22 da noite de terça-feira no horário local, no fiorde Dusky Sound, na ponta sudoeste da Ilha do Sul.

«O terramoto eclodiu a cerca de 30 quilómetros de profundidade e movimentou-se para cima até ao sul, concentrando energia fora do litoral», afirma um comunicado da GEO Science.

«O movimento foi mais um rolamento do que um rompimento. [...] Isso explica que os danos tenham sido muito menores do que o esperado para um tremor desta magnitude».

«Isso e a localização remota do epicentro significam que a Nova Zelândia teve muita sorte – se este terramoto tivesse acontecido em qualquer outro lugar, ele teria provocado danos imensos», refere o documento.

Lusa

 

*

ShadIntel

  • Investigador
  • *****
  • 1510
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #131 em: Julho 23, 2009, 07:12:43 pm »
Nao encontrei a notícia em nenhum OCS lusófono...

Citar
Guinea-Bissau native runs for office in Russia

By Anna Smolchenko (AFP) – 1 day ago

MOSCOW — For Joaquim Crima, the stark divisions that frequently define politics in Russia may not be as black and white as most believe.

The 37-year-old native of Guinea-Bissau, shrugging off deep-seated prejudice in a society where the rare sight of a black man turns heads, says he will run for public office in the small central Russian village where he lives.

And in the process, Crima, who has acquired Russian citizenship, will put his adopted country's claims to being a modern, colour-blind democracy to the kind of test that it is, well, just not too accustomed to facing.

"I have a chance to change some things for the better and I have an obligation to do so," he said, pointing to the dire state of roads and drinking water in the village of Srednyaya Akhtuba where he lives.

"If this is a democracy, then why should I withdraw?" Crima asked, talking to AFP in a telephone interview.

"Let the people decide!"

Those people are already getting an eyeful of the choice they could face when they go to the polls on October 11 to elect a new chief for a district in the Volgograd region.

A billboard shows a white-shirted, necktie-sporting Crima -- he has adopted the Russian name Vasily Ivanovich -- standing beside a winding river, the words "Vasily Crima -- New District Chief" emblazoned across the side and bottom.

Local election officials however say Crima, who hails from the city of Bolama in the former Portuguese colony, faces an uphill battle just to be taken seriously in Russia.

"There is an impression that he is laughing at himself, saying 'I am a Russian Obama'," Viktor Sapozhnikov, chief of the district election commission, said.

If he goes through with his plan to run for office, said Sapozhnikov, voters would cast ballots for him either "for the sake of a joke" or as an act of protest against Russia's moribund political life.

Crima, who speaks calmly and intelligently, is reluctant to compare himself too closely to Barack Obama, the first black US president and one with roots in Africa, but he says there are relevant parallels in their situations.

"This process has already started," he says, referring specifically to the ascendency of black politicians in societies long governed by white men.

"Sooner or later Russia will be ready."

Crima, who lives with his Armenian wife and their nine-year-old son, first came to Russia in the waning days of the Soviet Union, studying to become a teacher at a university in Volgograd.

He speaks Russian with an easy fluency, but despite his educated background currently earns a living selling watermelons grown and supplied by his father-in-law.

Though there are several Russians of African origin who are well known in contemporary and historical Russia -- Russia's most beloved poet, Alexander Pushkin, had African ancestry -- few, if any, have been elected to any office.

Despite the political odds, and the ever-present threat of racially-motivated violence directed against him, Crima says he is not intimidated.

The populist tabloid Tvoi Den, one of the few newspapers to write about Crima's political plans, quoted him as saying with intentional irony that he "will slave like a negro" for the benefit of his constituents if elected.

Crima told AFP he was not uncomfortable using this racial stereotype.

"If Russians are accustomed to calling dark-skinned people 'negroes' then so be it. I am not in the least bit offended because you have to be proud of who you are."

Registration for candidates in the Srednyaya Akhtuba district election begins Saturday.
 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #132 em: Julho 24, 2009, 12:37:07 am »
Portugueses defendem prioridade à democracia e direitos humanos, diz estudo


Cerca de dois terços dos portugueses consideram que a política externa portuguesa deve dar prioridade à defesa da democracia e dos direitos humanos e concordam com a missão da NATO no Afeganistão, segundo um estudo apresentado hoje.

Questionados sobre quais as principais orientações que a política externa portuguesa pode ter, 60% dos inquiridos apontam a defesa da democracia e dos direitos humanos, 36% a procura de oportunidades de negócios para as empresas portuguesas e 28% a defesa contra ameaças, como o terrorismo e as armas de destruição maciça.

Menos apoio recolhem prioridades habituais da diplomacia portuguesa como a defesa dos interesses das comunidades portuguesas no estrangeiro, apontada por apenas 23%, ou a manutenção de boas relações com os países de língua oficial portuguesa, escolhida por 17%.

Os inquiridos no estudo, realizado pelo Centro de Estudos de Opinião da Universidade Católica, a pedido da embaixada do Reino Unido em Lisboa, apontam prioritariamente como países com os quais Portugal deve manter uma estreita colaboração Angola (42%), Estados Unidos (33%), Espanha (30%), Brasil (24%) e Alemanha (19%).

Relativamente a organizações internacionais de que Portugal é membro, mais de dois terços dos inquiridos dizem saber o que é a NATO (69%) e, destes, quase três quartos apoiam a missão da Aliança no Afeganistão (72%) e apoiam o alargamento da organização a países como a Geórgia (72%) e a Ucrânia (73%).

Quanto à ONU, três em cada quatro consideram o seu papel no mundo "mais positivo que negativo" (76%) e quatro em cada cinco (83%) acham "importante" ou "muito importante" que Portugal integre o Conselho de Segurança para defender os interesses do país (48%) porque tem uma contribuição a dar (25%) ou por questões de prestígio do país (17%).

Outra vertente do estudo recolhe as opiniões sobre a globalização, que 61% consideram trazer "mais vantagens que desvantagens para Portugal". Entre as vantagens, as mais referidas são a livre circulação (17%) e a comunicação (13%), e entre as desvantagens os inquiridos apontam sobretudo o desemprego (10%) e a perda de identidade (10%).

Em matéria de crise económica, mais de metade dos inquiridos (54%) responsabiliza os governos pela situação actual, 26% culpam os bancos e 17% os consumidores em geral.

Confrontados com o valor gasto por Portugal em 2007 em ajuda ao desenvolvimento (343 milhões de euros ou 0,5% do Orçamento de Estado), quase metade dos inquiridos (43%) consideram que Portugal deveria gastar menos, 37% que deveria manter o mesmo nível de despesa e apenas 20% pensam que deveria gastar mais.

Entre os países destinatários dessa ajuda, os inquiridos apontam prioritariamente Angola (24%), Moçambique (14%), Guiné-Bissau (14%), Cabo Verde (10%) e Timor-Leste (9%).

O inquérito aborda ainda a questão das alterações climáticas, que é considerada muito grave por 74%, grave por 20% e pouco grave por 6%, em relação às quais 70% dos inquiridos consideram que deveria ser reforçado o nível dos recursos disponíveis para as combater.

Este estudo foi realizado pelo Centro de Estudos de Opinião da Universidade Católica, em Abril, junto de 977 indivíduos residentes em Portugal maiores de 18 anos.

Segundo a ficha técnica, o estudo tem uma margem de erro máxima de 3,1% e um nível de confiança de 95%.

Ionline

 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3570
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +18/-0
(sem assunto)
« Responder #133 em: Julho 24, 2009, 01:43:51 pm »
Itália recusa encomenda por iates de luxo por parte da Coreia do Norte


Governo de Berlusconi recusou  encomenda de 12,5 milhões de euros. Para respeitar sanções decretadas pela ONU a Pyongyang

O Governo italiano anulou a encomenda de dois iates de luxo para a Coreia do Norte devido a fortes suspeitas de que as embarcações se destinavam ao líder do regime comunista. Segundo a edição de ontem do Financial Times, a encomenda tinha o valor de 17,7 milhões de dólares (o equivalente a 12,5 milhões de euros) e acabou por ser anulada na sequência de uma investigação do Ministério do Desenvolvimento italiano, em colaboração com a polícia antifraude. "Atendendo ao tipo de bens envolvidos no contrato e ao país em causa [Coreia do Norte], suspeitámos que os iates eram destinados ao 'Querido Líder' [nome pelo qual o ditador norte-coreano, Kim Jong-il, é conhecido no seu país], apesar de não termos provas concretas a esse respeito", revelou um porta-voz do ministério italiano.

De acordo com o Financial Times, o contrato foi rescindido já este mês no âmbito das sanções internacionais decretadas ao regime de Pyongyang pelo desenvolvimento da sua política nuclear em claro desrespeito pelas resoluções das Nações Unidas.

O Governo italiano decidiu confiscar um depósito que havia sido pago pelos norte-coreanos para o início da construção dos iates à empresa Azimut-Benetti, líder no sector das embarcações de luxo. Mas a empresa não está a ser alvo de qualquer investigação por irregularidades.

Segundo o jornal britânico, a cooperação da Azimut com as autoridades antifraude italianas tem vindo a ser total.

A Coreia do Norte é um dos países mais pobres do mundo e cerca de um terço dos seus habitantes tem sérios problemas alimentares. Apesar disso, a elite do regime mais secreto do globo vive rodeada do maior luxo, de acordo com os relatos dos raros dissidentes que têm conseguido fugir do país, fundado em 1948 por Kim Il-sung, pai do actual ditador.

DN

 

*

TOMSK

  • Investigador
  • *****
  • 1468
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #134 em: Julho 24, 2009, 03:25:49 pm »
Ainda a propósito da Coreia do Norte,

O "estúpido" comunismo...

:arrow: http://www.youtube.com/watch?v=5ajTMHhWb-8
 

 

SIC Notícias suspende Plano Inclinado de Mário Crespo

Iniciado por P44

Respostas: 15
Visualizações: 5099
Última mensagem Março 01, 2011, 06:20:55 pm
por papatango
Noticias sobre Defesa (antigas)

Iniciado por typhonman

Respostas: 0
Visualizações: 1598
Última mensagem Junho 25, 2008, 02:24:09 am
por typhonman
Detectar Notícias Falsas

Iniciado por Viajante

Respostas: 13
Visualizações: 3260
Última mensagem Dezembro 22, 2018, 08:25:44 pm
por Viajante
Notícias

Iniciado por Gina

Respostas: 2
Visualizações: 1348
Última mensagem Julho 16, 2008, 05:30:24 pm
por Gina
Guterres vence votação para secretário-geral da ONU

Iniciado por Alvalade

Respostas: 1
Visualizações: 1113
Última mensagem Outubro 06, 2016, 12:50:34 am
por Lusitano89