Empire Total War

  • 185 Respostas
  • 79805 Visualizações
*

TOMSK

  • Investigador
  • *****
  • 1445
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #90 em: Abril 17, 2009, 07:47:16 pm »
Batalha Naval de São Tomé
14 de Novembro de 1700


O mês de Outubro começou com a nota enviada ao Governo pelos nossos navios mercantes que se encontravam da Costa do Marfim, alertando para a existência de piratas nessa zona de África, e que já haviam mesmo começado as suas acções de saque e abordagem, nomeadamente aos nossos navios vindos de Goa.



Depois de reunido o Conselho de Ministros e informado o Rei de Portugal, decidiu-se então enviar uma esquadra portuguesa para controlar e expulsar pela força, se necessário, as acções de pirataria naquela área.



Debaixo das ordens do experiente Almirante Frederico Teixeira, a quem foi dado o comando da missão, zarparam de Lisboa:
Duas fragatas de 5º nível ( O navio-almirante "Santiago" e a "São Carlos")
Duas corvetas ( A "Santo André" e a "St Sebastine")
Uma brigantina (A "Santo Agostinho")  


A manhã do dia 14 foi surgir fria e nebulosa. Já nos dias anteriores tínhamos preparado tudo, e assim, depois da discussão do plano de batalha, a esquadra fez-se ao mar a toda à vela, formando uma linha liderada pelos maiores navios, o "Santiago" e o "São Carlos", para assim levarmos a batalha até ao piratas que nos assolavam o comércio...
[/i]

Piratas!
Vinham na nossa direcção, e com o vento de feição, fomos ao encontro deles, por bombordo, a posições de combate!



Manter a formação...


No convés inferior do "Santiago", os marinheiros e os artilheiros aguardavam impacientemnte as ordens, sabendo que eram eles quem iriam iniciar o ataque.


Os navios inimigos começavam a virar para estibordo...
Sinal que se preparavam para nos atingir!



Está quase, manter a calma...


-"Santiago", fogo!


Aqui deu-se uma impontente troca de fogo entre os nossos e os piratas. O Almirante Frederico Teixeira já tinha ordenado que se carregasse os canhões com pelouros de corrente, para destruír as velas e mastros dos piratas.


Assim se desenrolava a batalha...


Os estragos da artilharia portuguesa...


Os piratas abandonavam agora a formação para nos atacar individualmente...


Sem hesitar, os navios portugueses ripostaram, arrancando completamente os mastros aos xebeques piratas, que assim se rendiam...
A estratégia do Almirante Teixeira surtiu efeito!



Depois de um navio pirata rendido e outro a afundar-se, restava manobrar para alcançar o navio-almirante "Mysére", o mais poderoso navio pirata daquela batalha....


Mas aqui ocorreu horroroso acontecimento!
Estando a corveta "St. Sebastine" navegando junto à fragata "São Carlos", enquanto perseguiam o "Mysére", este, aproveitando a mudança de vento, consegui se colocar a bombordo da "St.Sebastine". Estando o "São Carlos" impossibilitado de disparar os seus canhões devido à presença da corveta portuguesa ao seu lado, o "Mysére" fez disparar os seus poderosos canhões na frágil corveta...



Atingindo o depósito de munições, a corveta explodiu, e em pouco tempo se afundava junto ao "São Carlos"


Desfraldando a invicta bandeira, o "Santiago" avançou para junto do "Mysére", decidido a a mostrar a valentia portuguesa dos mares!


Lado a lado...


Carregar!


Fogo!


Esta poderosa descarga da artilharia do "Santiago" destruí um dos mastros do "Mysére", fazendo grande estrago no navio...
Entre as vitímas encontrava-se o próprio Almirante Joseph Culliford...



Sem possibilidades de continuar a batalha dignamente, o Mysére rendeu-se à vista da bandeira portuguesa...


Estava assim decidida a sorte da batalha contra a pirataria, com o prejuízo de uma corveta portuguesa e a tomada como prémio de um xebeque pirata..
A comércio na Costa de África podia assim continuar seguro, não apenas para Portugal, mas para toda a Europa...
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7643
  • Recebeu: 599 vez(es)
  • Enviou: 196 vez(es)
  • +239/-675
(sem assunto)
« Responder #91 em: Abril 17, 2009, 08:00:31 pm »
O TOMSK é um bom contador de histórias.
Muito obrigado pelo seu esforço, meu amigo! :G-beer2:
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

komet

  • Investigador
  • *****
  • 1662
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #92 em: Abril 17, 2009, 08:02:37 pm »
Realmente as batalhas navais dão um gozo que não via desde o Sid Meyer's Pirates  :D
"History is always written by who wins the war..."
 

*

Thiago

  • 5
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #93 em: Abril 19, 2009, 12:05:36 am »
ei TOMSK eu baixei o empire total war e tentei usar os ficheiros pra poder jogar com portugal mas eu não consegui, eu consigo escolher portugal como pais mas na hora de entrar na campanha o jogo fecha sozinho.

tem como conseguir aquele ficheiro que você falou??   :D
 

*

TOMSK

  • Investigador
  • *****
  • 1445
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #94 em: Abril 19, 2009, 12:09:47 am »
 

*

Thiago

  • 5
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #95 em: Abril 19, 2009, 08:26:32 pm »
brigadão TOMSK  :wink:

mas TOMSK vc tem uma previsão de qnd vai lançar o mod que vai ter o brasil e outros lugares?

vlw!!
 

*

TOMSK

  • Investigador
  • *****
  • 1445
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #96 em: Abril 20, 2009, 06:47:57 pm »
Batalha Naval da Ilha das Flores, Índias Orientais
2 de Junho de 1702


"Protestando veementemente junto da República Holandesa pela sua inactividade no que concerne ao combate à pirataria nas Índias Orientais, debalde apresentar uma poderosa frota nessas paragens, o Governo Português, através do Governador da Índia, fez sair de Goa expedição naval que viesse a marcar presença nesse teatro de operações, e se necessário, inciar hostilidades com navios piratas"



Para levar a cabo essa missão foi escolhido o Almirante dos Mares da Índia Roberto Fernandes, liderando um força composta por 3 fragatas e 1 corveta. Em fins de Maio chegaram às Ilhas das Especiarias, zarpando a partir daí para o Mar das Flores, onde foram interceptados por uma esquadra pirata, capitaneada por Frederico Calles, composta por 1 fragata e 3 xebeques.

Sem demora, tomaram-se posições de batalha e inicou-se o duelo de artilharia...


Aproveitando sempre o sopro de vento, e numa linha compacta e segura, a esquadra portuguesa avançou, ziguezageando, sem cessar o fogo da sua artilharia


Já com alguns xebeques para trás, sofrendo os estragos da pesada artilharia portuguesa, que lhe arrancava os mastros e assim os deixava fora de combate, a poderosa fragata pirata ia-se aproximando de esquadra lusa, que entretanto tinha também perdido uma corveta...


Cruzando os sectores de fogo entre si, era preciso manter a ordem, e disparar sem cessar!


Entretanto, incapaz de se mover rapidamente, e cercada pelas embarcações portuguesas, a fragata inimiga via-se agora também sem os seus 3 mastros!


Agora sem capacidade de navegar, era necessário libertar a fúria dos nossos canhões nas bordas da fragata, e rapidamente avançar..


Acabando por se render a fragata pirata cessou os seus disparos...
A esquadra portuguesa movimentou-se agora de encontro os 3 xebeques que se encontravam a poucos metros atrás, imobilizados...



Fundeando os navios a uma distância segura dos disparos inimigos, e na sua rectaguarda, foi fácil aos lusos acabarem em pouco tempo, com a última resistência pirata...


E em pouco tempo terminou a batalha, com a captura de 4 navios inimigos, que fazem agora parte da Armada Portuguesa, e estão ao melhor serviço de Sua Majestade, o Rei de Portugal...



Entretanto, a milhares que quilómetros de distância, na Capital do Império discutem-se os novos passos da expansão ultramarina portuguesa, onde duas "ondas" se tem destacado especialmente...

Os "africanistas", que exaltam o ataque a Marrocos e consequente expansão norte-africana...
e
Os "comercialistas", que defendem a expansão para Oeste, nas Américas, tomando as bases operacionais dos piratas...



Não percam o próximo episódio....
 

*

Crypter

  • Especialista
  • ****
  • 1191
  • Recebeu: 194 vez(es)
  • Enviou: 228 vez(es)
  • +27/-6
(sem assunto)
« Responder #97 em: Abril 20, 2009, 07:38:28 pm »
Muito bom Tomsk!!
És um contador de histórias nato!!
Continua que a malta está ansiosa pelos novos capítulos :D!
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5460
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +1500/-3
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #98 em: Abril 20, 2009, 10:29:16 pm »
O meu computador anda sempre uma geração atrasado...  :cry:
 

*

komet

  • Investigador
  • *****
  • 1662
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #99 em: Abril 21, 2009, 02:02:53 am »
Citação de: "papatango"
O meu computador anda sempre uma geração atrasado...  :wink:
"History is always written by who wins the war..."
 

*

Heraklion

  • Membro
  • *
  • 299
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #100 em: Abril 21, 2009, 11:46:56 am »
Tudo a seu tempo...Penso que seria melhor começar pelas Américas, e depois começares a expandir o Império no velho mundo.
Já agora, como sempre, boa cronica!! :G-Ok:  :G-Ok:
Nos liberi sumus;
Rex noster liber est;
Manus nostrae nos liberverunt
 

*

cromwell

  • Especialista
  • ****
  • 1100
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #101 em: Abril 21, 2009, 09:15:38 pm »
Citação de: "TOMSK"
Batalha Naval da Ilha das Flores, Índias Orientais
2 de Junho de 1702


"Protestando veementemente junto da República Holandesa pela sua inactividade no que concerne ao combate à pirataria nas Índias Orientais, debalde apresentar uma poderosa frota nessas paragens, o Governo Português, através do Governador da Índia, fez sair de Goa expedição naval que viesse a marcar presença nesse teatro de operações, e se necessário, inciar hostilidades com navios piratas"



Para levar a cabo essa missão foi escolhido o Almirante dos Mares da Índia Roberto Fernandes, liderando um força composta por 3 fragatas e 1 corveta. Em fins de Maio chegaram às Ilhas das Especiarias, zarpando a partir daí para o Mar das Flores, onde foram interceptados por uma esquadra pirata, capitaneada por Frederico Calles, composta por 1 fragata e 3 xebeques.

Sem demora, tomaram-se posições de batalha e inicou-se o duelo de artilharia...


Aproveitando sempre o sopro de vento, e numa linha compacta e segura, a esquadra portuguesa avançou, ziguezageando, sem cessar o fogo da sua artilharia


Já com alguns xebeques para trás, sofrendo os estragos da pesada artilharia portuguesa, que lhe arrancava os mastros e assim os deixava fora de combate, a poderosa fragata pirata ia-se aproximando de esquadra lusa, que entretanto tinha também perdido uma corveta...


Cruzando os sectores de fogo entre si, era preciso manter a ordem, e disparar sem cessar!


Entretanto, incapaz de se mover rapidamente, e cercada pelas embarcações portuguesas, a fragata inimiga via-se agora também sem os seus 3 mastros!


Agora sem capacidade de navegar, era necessário libertar a fúria dos nossos canhões nas bordas da fragata, e rapidamente avançar..


Acabando por se render a fragata pirata cessou os seus disparos...
A esquadra portuguesa movimentou-se agora de encontro os 3 xebeques que se encontravam a poucos metros atrás, imobilizados...



Fundeando os navios a uma distância segura dos disparos inimigos, e na sua rectaguarda, foi fácil aos lusos acabarem em pouco tempo, com a última resistência pirata...


E em pouco tempo terminou a batalha, com a captura de 4 navios inimigos, que fazem agora parte da Armada Portuguesa, e estão ao melhor serviço de Sua Majestade, o Rei de Portugal...



Entretanto, a milhares que quilómetros de distância, na Capital do Império discutem-se os novos passos da expansão ultramarina portuguesa, onde duas "ondas" se tem destacado especialmente...

Os "africanistas", que exaltam o ataque a Marrocos e consequente expansão norte-africana...
e
Os "comercialistas", que defendem a expansão para Oeste, nas Américas, tomando as bases operacionais dos piratas...



Não percam o próximo episódio....



Pois eu sou um comercialista.
Conquiste os territórios piratas e um território nativo-americano na América do Norte.
"A Patria não caiu, a Pátria não cairá!"- Cromwell, membro do ForumDefesa
 

*

Heraklion

  • Membro
  • *
  • 299
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #102 em: Abril 21, 2009, 11:01:33 pm »
Carta de D.Heraklion a D.Tomsk:

 -------------------------------------------------------------------------------------
Vejo pois, ó Grande Capitão que tens levado algum tempo mostrando a mim, ao Rei e á nação os teus recentes feitos.
Rogo-vos, deliciai este Fórum com relatos dos feitos de armas dos portugueses nesse jogo que, em muito aspectos, nomeadamente a coragem dos que lutam pelo estandarte luso tanto se assemelha á realidade.
Comenta o povo, pelas ruas das tuas praças o que dirás na próxima crónica que fizerdes.
Comenta a corte d'El Rey se a quantidade de ouro, de almas e de vitórias  que trarás desta vez é tão grande como aquelas que trouxeste d'outras vezes.
Senhor, tornai os nossos dias e a nossa propria existencia de pobres Foristas um pouco melhor.
Se não p'lo FD, fá-lo por Deus, pela nação e por El Rei!!!
Com os melhores cumprimentos;
Um humilde leitor ansioso;
D.Heraklion Conde de uma bela praça que é inutil nomear.
-------------------------------------------------------------------------------------

PS: Vamos lá ver se resulta..Fez a ultima ontem mas já estou muiiii ansioso....  :P  :lol:
Nos liberi sumus;
Rex noster liber est;
Manus nostrae nos liberverunt
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7643
  • Recebeu: 599 vez(es)
  • Enviou: 196 vez(es)
  • +239/-675
(sem assunto)
« Responder #103 em: Abril 22, 2009, 12:10:42 am »
- A caminho do V Império!
Ao menos nisto... :(
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Heraklion

  • Membro
  • *
  • 299
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #104 em: Abril 22, 2009, 12:31:46 am »
Caro Luso, com uma Monarquia já tinhamos V Império e muito mais :)
Cumprimentos
Nos liberi sumus;
Rex noster liber est;
Manus nostrae nos liberverunt