Transporte Aéreo Estratégico

  • 26 Respostas
  • 11709 Visualizações
*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +4/-0
(sem assunto)
« Responder #15 em: Junho 29, 2004, 10:10:08 pm »
emarques, tinha a ideia que o Beluga estava morto...

E este tema já foi debatido por aqui:

http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=49&postdays=0&postorder=asc&start=0

E continuo a dizer que o C-17 é uma solução desadequada da nossa realidade. Exemplos de elefantes brancos nas nossas F.A. já há muitos...
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Ricardo Nunes

  • Investigador
  • *****
  • 1256
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +2/-0
    • http://www.falcoes.net/9gs
(sem assunto)
« Responder #16 em: Junho 29, 2004, 10:12:38 pm »
Uma correcção: o update oferecido pela Boeing aos nossos C-130H não era um update para o standart "J". Era apenas um reforço da estrutura das asas e aviónicos e uns pequenos updates aos motores - muito significativo também.

Na altura fui defensor da hipótesse C-17 mas presentemente defendo a utilização do binómio C-130J + C-27J. Penso que é o suficiente, uma linha de logística praticamente igual.
Como o C-130J pode voar de Lisboa a Luanda sem reabastecimento penso que será justo dizer que este já é uma aeronave com características estratégicas.
Ricardo Nunes
www.forum9gs.net
 

*

emarques

  • Especialista
  • ****
  • 1177
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #17 em: Junho 29, 2004, 10:53:41 pm »
Citação de: "Spectral"
emarques, tinha a ideia que o Beluga estava morto...


Morto porquê? A Airbus continua a operar, por isso assumo que os 5 Beluga continuem a fazer o trabalho para que foram desenhados: transportar secções de fuselagem das várias fábricas da Airbus para a fábrica onde se faz a montagem final.

Sobre o A300-600ST : http://www.airbustransport.com/
Ai que eco que há aqui!
Que eco é?
É o eco que há cá.
Há cá eco, é?!
Há cá eco, há.
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +4/-0
(sem assunto)
« Responder #18 em: Junho 29, 2004, 11:01:16 pm »
Ah pois, mas eu estava-me mais a referir à intenção de transformar o Beluga num aparelho de carga geral, (e acho que até foi proposta uma versão militar)...
« Última modificação: Junho 29, 2004, 11:09:06 pm por Spectral »
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

emarques

  • Especialista
  • ****
  • 1177
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #19 em: Junho 29, 2004, 11:07:00 pm »
Bem, fizeram uma demonstração de carregamento de NH90 num Beluga em Berlim a 12 de Maio. Pelo menos é o que diz num press-release no sítio para onde apontei.

Não sei se existiram mais algumas evoluções a partir daí.

A ideia, segundo dizia o comunicado, era que, enquanto não há A400, os transportes se fossem fazendo com Belugas e Antonovs. A proposta é da Airbus Transport e da EADS.
Ai que eco que há aqui!
Que eco é?
É o eco que há cá.
Há cá eco, é?!
Há cá eco, há.
 

*

OPCOM

  • Membro
  • *
  • 67
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #20 em: Junho 29, 2004, 11:13:46 pm »
Obrigado Ricardo.
Pensava que era um upgrage ao padrão "J", acerca do motor li algures que se iram trocar mesmo os motores por inteiro. Acho que os nossos C´s vieram em principios dos anos 80, alguem me confirma? De qualquer dos modos não são muito antigos, e quanto a mim os mais polivalentes e robustos aviões de carga da classe. Justificavam bem o tal upgrade, já que para a maior parte das missõs da FAP é o suficiente e ainda ficavamos com mais 2 C-17.
 

*

FinkenHeinle

  • Membro
  • *
  • 186
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #21 em: Junho 29, 2004, 11:40:30 pm »
Citação de: "Lynx"
A minha escolha seria para o antonov 225 o maior avião de carga do mundo, aliás sempre que vamos para missões no estrangeiro, como em Timor para levermos os Allouete tivemos que alugar um antonov. Mas como é Russo ...

An-225



Por isso o indicado seria o C-17, os Americanos podiam-nos nos dar alguns C-17 pela cedência da Base das Lajes e mais um KC-135.


Ora, não seja por isso, a FAB tem 4 KC-137, é só oferecer um bom preço, hehehe... :wink:
Um Forte Abraço.
André Finken Heinle
_________________
"Em condições normais, corro para vencer e venço. Em situações adversas, também posso vencer. E, mesmo em condições muito desfavoráveis, ainda sou páreo." (AYRTON SENNA)
 

*

FinkenHeinle

  • Membro
  • *
  • 186
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #22 em: Junho 29, 2004, 11:44:21 pm »
Olá Pessoal,


Apenas como comparação, eu defendo, para a FAB, num futuro próximo, o binômio An-70/C-295, além é claro de uma aeronave REVO/Transporte, preferencialmente o A-330 MRTT ou o KC-767...
Um Forte Abraço.
André Finken Heinle
_________________
"Em condições normais, corro para vencer e venço. Em situações adversas, também posso vencer. E, mesmo em condições muito desfavoráveis, ainda sou páreo." (AYRTON SENNA)
 

*

JNSA

  • Analista
  • ***
  • 833
  • +1/-2
(sem assunto)
« Responder #23 em: Junho 30, 2004, 04:31:50 pm »
Bem, é ponto assente que necessitamos de um avião de transporte estratégico, mas algumas das sugestões são, no mínimo, irrealistas...

Linx, o An-225 seria um completo exagero. A FAP quase nunca utilizaria as capacidades deste avião, pelo que teríamos algo sobredimensionado e cujo custo de operação não seria compensado pelas suas características...

Já pensou porque é que países maiores do que o nosso, como a Espanha, a França ou a Alemanha não o usam?...

Quanto ao An-124, é um bom avião, mas sofre do mesmo problema que o Su-32 - é russo  :?

O C-5 Galaxy está a ficar velho, e talvez seja um pouco grande para as nossas necessidades, já para não dizer que os seus custos de operação são superiores a aviões mais modernos...

Para mim, a melhor escolha seriam 2 C-17 para complementar os C-130. O C-27J seria o substituto dos Aviocar. Esta parece-me ser a escolha mais adequada às nossas necessidades, mais realística do ponto de vista financeiro (embora os C-17 sejam caros...), e mais aceitável politicamente.

Outra alternativa, em vez dos C-17, seria a aquisição de aeronaves de REVO que também pudessem realizar transporte estratégico, como os A-310 ou A-330 MRTT  - teríamos uma frota mais eficiente, embora perdendo um pouco nas capacidades de aeroassalto e operação em pistas não preparadas.
 

*

Moi

  • Membro
  • *
  • 147
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #24 em: Julho 14, 2004, 12:00:53 pm »
Sou apologista do Antonov An-70

Penso que a fiabilidade dos aparelhos da Antonov é muito boa, são aparelhos que operam sobre as mais duras condições, nos limites e com manutenção deficiente. É claro que sempre que cai um, a palavra é fácil de decorar... Olha lá caiu mais um antonov (ou mesmo Tupolev)....

Quanto à falta de peças sobresselentes, acho que isso é uma falsa questão. Pois, existem milhares de Antonov a voar no mundo inteiro e a empresa está em plena produção.

Também gostaria mais do C-295, é de facto melhor que o C-27J, mas como já optamos (a meu ver mal) pelo C-130J e este tem os mesmo motores e avionicos...
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +4/-0
(sem assunto)
« Responder #25 em: Julho 14, 2004, 01:32:38 pm »
Hm, o Antonov An-70 ainda nem sequer voa, a não ser em protótipo. O governo russo desinterou-se, e com apenas a Ucrânia a suportar o projecto existem algumas ( muitas) dúvidas que ele chegue a entrar em produção. De qualquer maneira, se bem me lembro é um aparelho bastante parecido com o A-400M.

A comparação C-27J/CN-295 já foi feita aqui:

http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=478

e o consenso geral é que a única ( ou quase única) vantagem do CN é o seu menor preço. Mas sinta-se à vontade de  lá acrescentar qualquer coisa.  :wink:

Ah, e bem vindo!

Cumptos
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Moi

  • Membro
  • *
  • 147
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #26 em: Julho 14, 2004, 02:37:10 pm »
Obrigado Spectral

Já vi que realmente o C-27J Spartan oferece muitas vantagens, ainda que no «papel» e não testadas, mas que me parecem de todo correctas.

Acrescentaria que o C-295 leva mais uma palette standard de carga (ou para lançamento), mas de facto é irrelevante... se ela não chega tão longe.

Como já disse, com a escolha do C-130J é até lógica a adopção do C-27J, pena é mesmo a questão OGMA.

Cumpts