Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil

  • 194 Respostas
  • 66412 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #45 em: Outubro 14, 2015, 05:56:32 pm »


 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #46 em: Outubro 22, 2015, 02:53:18 pm »






 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #47 em: Outubro 29, 2015, 01:32:27 pm »
Tropa de elite da Marinha enfrenta treinamento de guerra na Caatinga potiguar



Alunos do Comanf iniciaram atividade com caminhada em Lajes e percorreram cerca de 40 quilômetros até a cidade de Cerro Corá

A caatinga potiguar foi o cenário escolhido para o treinamento de guerra da tropa de elite da Marinha do Brasil. O Curso Especial de Comandos Anfíbios (Comanf) em solo norte-rio-grandense tem duração de três dias. Os alunos começaram a caminhada no município de Lajes e percorreram cerca de 40 quilômetros, passando pela localidade de Recanto, finalizando na cidade de Cerro Corá.

Com o intuito de preparar os militares para garantir a lei e a ordem, além de realizar operações contra facções criminosas, o treinamento é realizado em 25 semanas – não consecutivas -, com os alunos enfrentando situações adversas em todo o País, em cenários diversos como o Pantanal, Amazônia e regiões do Sul do país, nas proximidades das fronteiras com outros países sul-americanos.

O treinamento é dividido em três fases. A primeira é a que exige o maior esforço físico por parte dos alunos e que provoca, em geral, o maior número de desistências. A segunda abrange o conceito técnico. A parte reúne as duas partes iniciais num treinamento prático.

No início, a preparação contava com 43 alunos, mas o alto nível de exigência física e mental dos aspirantes ao grupo de elite fez com que apenas nove alunos chegassem ao desafio em solo potiguar, nesta 22ª semana de atividades. O grupo na fase final do curso é formado por cinco cabos, três oficiais e um sargento.

“Nossa intenção é que mais alunos finalizem o curso, mas o nível do grupo precisa ser alto e exigimos muito deles. Então, é natural que nem todos consigam”, destacou o encarregado pelo curso, o capitão de corveta Fabrício Barroso.

As principais dificuldades apontadas pelo Suboficial Martins, instrutor da disciplina Semi-árido, são o terreno que, no caso da Caatinga apresenta uma característica que atrapalha a locomoção, em razão da vegetação espinhosa.

O encerramento será realizado no Espírito Santo, na cidade de Marataízes, com treinamento específico em ambientes anfíbios – cenário de região pantanosa.

Peso nas costas

Se todas as dificuldades ao longo do percurso não fossem suficientes, os alunos ainda precisam lidar com um peso extra. Cada um carrega em suas costas uma mochila com cerca de 30 kg.

O conteúdo? Basicamente itens para a própria sobrevivência, como água, alimentação e equipamentos de comunicação. Além disso, os participantes carregam armamentos em punho.

Em relação à alimentação, o que mais chama atenção é para tipo de alimento. A bolsa especial que armazena a comida traz um cardápio “variado” com quatro refeições que vão desde um café da manhã com , passando por tabletes de cereais com frutas, rapadura, café com leite e açúcar, um almoço com picadinho de carne ao molho e arroz, até espaguete ao molho de carne e salsichas.

Comanf

Os Comandos Anfíbios são uma força de elite do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha brasileira. Eles congregam os fuzileiros navais especificamente preparados para realização de operações especiais.

Atualmente, os militares realizam ações no Haiti, país da América Central que enfrenta crise interna, no Líbano e na Angola.



















 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #48 em: Novembro 17, 2015, 05:47:41 pm »
































 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #49 em: Dezembro 01, 2015, 02:39:39 pm »
Operação UNITAS Amphibious 2015 simulou resgate de refugiados



A fase tática da Operação UNITAS Amphibious 2015 realizou uma incursão anfíbia, em ambiente hostil, simulando uma operação para libertar e prestar assistência humanitária a refugiados.

Para executa-la, os participantes foram divididos em três grupos. O primeiro correspondeu ao Posto de Comando da Força de Desembarque, unidade responsável pelo desembarque das tropas em determinado local, cujo propósito foi resgatar refugiados. O segundo, representado pelo Grupo de Controle, responsável por coordenar e controlar eventos, criou situações hipotéticas e modificou cenários, conforme andamento e as necessidades do exercício. O terceiro, denominado Centro de Controle de Evacuados, foi responsável por concentrar os refugiados em  local pré-determinado, para fornecer água e comida, além de prestar assistência médica.




Participaram da Operação cerca de mil fuzileiros navais do Brasil, Estados Unidos, Canadá, Chile, Colômbia, México, Paraguai e Peru.

Fonte:  http://tecnodefesa.com.br/operacao-unitas-amphibious-2015-simulou-resgate-de-refugiados/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #50 em: Dezembro 01, 2015, 03:45:37 pm »
Fuzileiros Navais encerram a Operação Unitas Amphibious 2015



No dia 24 de novembro foi realizada a cerimônia de encerramento da Operação Unitas Amphibious 2015. Iniciada no dia 15 de novembro, esta Operação foi um adestramento militar conjunto entre Fuzileiros Navais das Américas. Participaram do exercício cerca de 1000 Fuzileiros Navais, sendo: 350 do Brasil; 350 dos Estados Unidos; e 300 do Canadá, Chile, Colômbia, México, Paraguai e Peru.

No período de 16 a 18 de novembro, na Ilha do Governador, foram ministradas Oficinas de Adestramento, dentre elas: Operações Militares em Área Urbana, conduzida pelo Brasil e Peru; Operações com Helicópteros, conduzida pelo Brasil e EUA; Operações com Viaturas Anfíbias, conduzida pelo Brasil; e Oficina de Fogo e Movimento, conduzida pelos EUA e Canadá.

No período de 19 a 22 de novembro ocorreu a fase tática da Unitas Amphibious na Ilha da Marambaia, onde foi simulada uma Incursão Anfíbia, em ambiente hostil, para libertar e prestar assistência humanitária a refugiados. Para executar essa fase, houve a organização de uma Força de Desembarque, responsável pela projeção das tropas sobre terra, com o intuito de resgatar os refugiados, e de estabelecer um Centro de Controle de Evacuados, responsável por concentrar os refugiados, a fim de prestar a assistência necessária. Paralelamente, foi organizado um Grupo de Controle, responsável por coordenar e controlar eventos, criando situações hipotéticas e modificando cenários, conforme o andamento e as necessidades do exercício.

A Operação Unitas Amphibious teve como objetivo incrementar a interoperabilidade e a ampliação da confiança mútua e da capacidade de planejamento e execução de Operações Anfíbias entre as Forças dos países participantes, além de proporcionar a troca de informações e experiências.




Fonte: http://www.defesanet.com.br/br_usa/noticia/20981/Fuzileiros-Navais-encerram-a-Operacao-Unitas-Amphibious-2015/
« Última modificação: Dezembro 01, 2015, 04:00:38 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #51 em: Dezembro 01, 2015, 04:00:50 pm »
Unitas Amphibious 2015

































 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #53 em: Dezembro 23, 2015, 12:40:25 am »
Novos veículos anfíbios de assalto para os Fuzileiros Navais



A BAE Systems assinou contrato de US$ 82 milhões para modernizar 23 veículos anfíbios de assalto AAV7A1 para o Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil. Os veículos, que terão a confiabilidade, disponibilidade e características de manutenção do padrão RAM/RS (Reliability, Availability and Maintainability/Rebuild to Standard), vão melhorar significativamente as capacidades atuais dos fuzileiros navais.

“Estes novos veículos terão grandes melhorias de capacidade, já que possuem mais velocidade e confiabilidade do que a configuração atual”, disse Deepak Bazaz, diretor de Veículos Novos e Anfíbios da BAE Systems. “Temos um forte histórico de apoio aos militares brasileiros e continuaremos estreitando os laços de trabalho ao longo deste programa”.

Sob os termos do contrato, a BAE Systems disponibilizará os modelos AAV7A1 RAM/RS, assim como todas as ferramentas e equipamentos de teste para apoiar a manutenção das viaturas. A empresa também irá prover uma capacidade de sustentação inicial para o Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil para incluir peças de reposição e suporte de serviço de campo, bem como o treinamento para os condutores.

O padrão AAV7A1 RAM/RS possui motor e tração mais potentes, assim como um sistema de suspensão atualizada, permitindo que os veículos atendam ou excedam os requisitos originais de desempenho do AAV7A1. A variação RAM/RS também oferece capacidades melhoradas de mobilidade e de reparação no transporte de tropas e cargas de navios.

Os procedimentos do contrato acontecerão nas instalações da BAE Systems localizada na Pensilvânia, Estados Unidos. A produção está prevista para começar em junho próximo, com as entregas de veículos a partir de fevereiro de 2017. A entrega final para o Brasil está prevista para ocorrer até o fim de 2017, quando começará o treinamento e o apoio.

“A BAE Systems tem atuado junto aos militares brasileiros há mais de 15 anos e também está trabalhando em outros programas de aprimoramento de veículos aqui, como a conversão dos modelos M113B em M113A2 Mk1 para o Exército Brasileiro”, disse Marco Caffe, gerente geral da empresa no País. “No primeiro semestre deste ano, concluímos a atualização do 150º M113″.


Ivan Plavetz
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #55 em: Janeiro 25, 2016, 04:07:37 pm »
Operação Formosa — 2015




















































































« Última modificação: Janeiro 25, 2016, 04:22:43 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #56 em: Janeiro 25, 2016, 04:18:08 pm »
















 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #57 em: Janeiro 25, 2016, 08:32:39 pm »






 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #58 em: Fevereiro 11, 2016, 08:42:21 pm »
Batalhão de Operações Ribeirinhas



O Batalhão de Operações Ribeirinhas (BtlOpRib) é uma Unidade do Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil. Está subordinado ao 9º Distrito Naval da Marinha do Brasil. O BtlOpRib está organizado a 01 Companhia de Comando e Serviços (CiaCSv), 03 Companhias de Fuzileiros Navais (CiaFuzNav), e 01 Companhia de Apoio de Combate (CiaApCmb).

História

Foi criado pelo Decreto nº 91.870, de 4 de Novembro de 1985, com sede em Manaus e subordinado ao Com4ºDN; a seguir, foi criado o Núcleo de Ativação do GptFNMa, com funcionamento provisório na Estação Naval do Rio Negro.

Em decorrência Política de Defesa Nacional considerando avaliações prospectivas, a MB decidiu pela reestruturação do GptFNMa em uma unidade de valor batalhão, para emprego em Operações Ribeirinhas (OpRib). Esta reestruturação passou pela identificação de fatores condicionantes, definição da missão, conceito de emprego e organização na nova unidade, aqui denominada Batalhão de Operações Ribeirinhas ([BtlOpRib]), o qual deverá estar em condições de, juntamente com meios navais e aeronavais, integrar uma Força Pronta com mobilidade tática, constituída por pessoal e material adequados ao emprego no ambiente amazônico. A missão do atual BtlOpRib, evolução do antigo grupamento, é realizar operações ribeirinhas, prover guarda e proteção às instalações navais e civis de interesse da Marinha na região e realizar ações de segurança interna, a fim de contribuir para a segurança da área sob jurisdição do Com9ºDN e para a garantia do uso dos rios Solimões, Negro, Amazonas e das hidrovias secundárias, atingíveis a partir da calha principal desses três rios.




Heráldica

Num escudo boleado, encimado pela coroa naval, campo de ouro num cocar de azul e vermelho e cortado de vermelho, com dois fuzis de ouro passados em aspa com uma âncora superposta, em pala e do mesmo metal.Explicação: O cocar alude à denominação “Manaus – nome de tribo indígena -cidade onde está localizado o Batalhão em apreço, e o campo de ouro representa a riqueza da região amazônia; no cortado de vermelho, esmalte evocativo da bravura, denodo e intrepidez, predicados dos Fuzileiros Navais do Brasil, os fuzis e a âncora de ouro assim dispostos constituem seu próprio distintivo.

Propósito


Seu objetivo é prover guarda e proteção às instalações navais e civis de interesse da MB na região, realizar ações de Segurança Interna e formar Reservistas Navais, a fim de contribuir para a segurança da área sob jurisdição do 9ºDN e para a garantia do uso dos rios Solimões, Amazonas e das hidrovias secundária atingíveis a partir da calha principal desses rios. Além disso, provê apoio de segurança às Inspeções Navais e ministra o Curso Expedito de Operações Ribeirinhas.

Lema

“Aqui se forjam os Combatentes Ribeirinhos da Amazônia. Adsumus!“




Fonte:   http://www.planobrazil.com/batalhao-de-operacoes-ribeirinhas/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4118
  • Recebeu: 335 vez(es)
  • Enviou: 281 vez(es)
  • +637/-715
Re: Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil - 206 Anos
« Responder #59 em: Março 21, 2016, 02:55:36 pm »
Comando da Força de Fuzileiros da Esquadra realiza adestramento básico de equipe



O Comando da Força de Fuzileiros da Esquadra realizou, do dia 15 de fevereiro a 16 de março, um adestramento básico, o “ADEST-EQ 2016”, que reuniu cerca 3.500 fuzileiros navais no Centro de Avaliação da Ilha da Marambaia (CADIM). O “ADEST-EQ” ocorre anualmente e tem por finalidade treinar os militares nos procedimentos básicos e individuais de combate, com ênfase no tiro real com armamento individual e orgânico, possibilitando a confiança e o entrosamento entre os militares e suas equipes.

No dia 11 de março, o Comandante de Operações Navais, Almirante de Esquadra Sérgio Roberto Fernandes dos Santos, teve a oportunidade de presenciar e constatar a importância dos adestramentos de tiro de combate e fogo e movimento, além de outras atividades inerentes ao combatente anfíbio.


Fonte: https://www.marinha.mil.br/node/936
 

 

Acidente durante exercício de tiro entre Brasil e Argentina

Iniciado por Paisano

Respostas: 14
Visualizações: 7221
Última mensagem Dezembro 07, 2004, 11:52:51 pm
por papatango
Brasil Comprará Torpedo MK 48 Mod 6 Adv Tech

Iniciado por J.Ricardo

Respostas: 4
Visualizações: 5033
Última mensagem Maio 04, 2009, 11:41:33 pm
por 2dmaio
Marinha do Brasil incorpora navio-auxiliar "Pará"

Iniciado por J.Ricardo

Respostas: 3
Visualizações: 3175
Última mensagem Janeiro 24, 2005, 09:01:15 pm
por Paisano
Estação Antártica da Marinha do Brasil - Comandante Ferraz (EACF)

Iniciado por Vitor Santos

Respostas: 1
Visualizações: 415
Última mensagem Novembro 11, 2019, 02:25:18 am
por Vitor Santos
Piranha-III para a Marinha do Brasil

Iniciado por papatango

Respostas: 29
Visualizações: 9627
Última mensagem Novembro 22, 2008, 01:27:31 pm
por fealcap