Notícias do Exército Português

  • 1584 Respostas
  • 399020 Visualizações
*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 1685
  • Recebeu: 364 vez(es)
  • Enviou: 56 vez(es)
  • +82/-25
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1575 em: Dezembro 21, 2019, 11:11:47 pm »
https://nation-creation.fandom.com/wiki/Modern_Day_Military_Pricing_List

Está aqui uma longa lista de preços hipotéticos de diversos equipamentos militares. Segundo dizem na introdução, estes valores já incluem treino, spare parts, etc. Ora, aqui dá o preço do M-777 como 4.5 milhões, do Caesar como 5.5, o Archer como 6+ e o ATMOS 2000 como 4.5/5 milhões.

Estarão estes valores correctos? Ou actualizados sequer? Caso estejam remotamente certos, já dá para ter uma ideia, supondo-se que a solução AP mais barata possa ser a Israelita.
 

*

perdadetempo

  • Perito
  • **
  • 522
  • Recebeu: 169 vez(es)
  • Enviou: 330 vez(es)
  • +30/-2
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1576 em: Dezembro 22, 2019, 01:12:52 am »
https://nation-creation.fandom.com/wiki/Modern_Day_Military_Pricing_List

Está aqui uma longa lista de preços hipotéticos de diversos equipamentos militares. Segundo dizem na introdução, estes valores já incluem treino, spare parts, etc. Ora, aqui dá o preço do M-777 como 4.5 milhões, do Caesar como 5.5, o Archer como 6+ e o ATMOS 2000 como 4.5/5 milhões.

Estarão estes valores correctos? Ou actualizados sequer? Caso estejam remotamente certos, já dá para ter uma ideia, supondo-se que a solução AP mais barata possa ser a Israelita.

Em relação ao ATMOS-2000 155mm é dificil encontrar o custo dos contratos já realizados. Tanto as empresas israelitas envolvidas como os países que compraram (Arzebijão e Tailândia) são muito envergonhados quando se trata de cifrões. Segundo as notícias terão-se vendido 5 canhões para o primeiro e dezoito para a Tailândia.

https://www.israeldefense.co.il/en/content/elbit-systems-atmos-arrived-thailand

https://adex.az/en-opennews/6957.41.html

Os polacos após conversações com o grupo NEXTER (o do CAESAR 155mm) terão optado por uma adaptação do ATMOS por que supostamente seria mais barato que  o material françês. Trata-se do programa Kryl onde se criaria uma versão adaptada ao exército polaco, mas a história tem-se prolongado sem fim à vista...

https://www.defence24.com/armed-forces/kryl-going-through-a-renaissance

Em relação ao FH-77 BW L52 ARCHER a BAE recebeu um contrato no valor de 200M USD para construir 48 canhões por parte da Suécia e da Noruega. A Noruega acabou por abandonar o barco justificando quebra do contrato entre outras coisas e a Suécia acabou por assumir os custos e a produção ficando com as 48 peças. Teóricamente 200M USD/48= 4,16 M USD/unidade.

https://www.defenseindustrydaily.com/sweden-norway-to-cooperate-on-archer-artillery-project-05142/

http://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/177282/sweden-to-buy-up-norway%E2%80%99s-24-archer-sp-howitzers.html

Um detalhe o ARCHER tem como dimensões 14,1mX3mX4m e um peso de 30TON. Não é compativel com o C-130 ou o seu substituto.

Cumprimentos,
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 15225
  • Recebeu: 1071 vez(es)
  • Enviou: 1003 vez(es)
  • +180/-172
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1577 em: Dezembro 28, 2019, 05:37:10 pm »
Militar pagou 91 mil euros para poder deixar o Exército
Por Executive Digest 10:00, 28 Dez 2019

A desmotivação, os melhores salários no privado e a qualidade de vida civil têm levado muitos militares do quadro permanente a desembolsar milhares de euros para deixarem as Forças Armadas — cada vez com mais problemas com a falta de pessoal, avança o Expresso na edição deste sábado.

O Semanário dá o exemplo de Ângela Pedro, major e médica, que pagou €91.000 ao Estado para deixar o Exército e passar a dedicar-se à clínica privada. Pediu o abate aos quadros, o Exército fez as contas aos cursos e formações que deu à major ao longo da carreira — para indemnizar o Estado desse investimento segundo uma fórmula de cálculo prevista na lei — e Ângela Pedro engrossou as fileiras de médicos militares a deixar a instituição.

Na Força Aérea, há pilotos a pagar entre €180.000 e €300.000 para ingressarem nas companhias comerciais, explica ao Expresso o tenente-coronel António Mota, da Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA). No grupo do Facebook Naval Zero há relatos de praças da Marinha (que ganham pouco mais do que o salário mínimo) a pagarem entre €1500 e €5000 para ‘comprar’ o abate aos quadros.

Dados do Ministério da Defesa citados pela Renascença, revelam que mais de 15 mil militares saíram das Forças Armadas por vontade própria ou por rescisão dos contratos a termo certo, entre 2014 e 2018. No último ano, mais de três mil militares abandonaram os cargos e oito em cada dez partiram antes do tempo previsto. O Exército é o ramo que vive a situação mais preocupante. Segundo o Almirante Silva Ribeiro, faltam 4.100 praças no Exército, 535 na Marinha e 950 na Força Aérea.

Os representantes dos militares falam numa situação limite e traçam cenários negros para as Forças Armadas, caso não sejam adotadas medidas para reforçar o recrutamento e conter as saídas. Como o aumento de salários – um soldado aufere o ordenado mínimo – e a criação de um quadro permanente de praças na Força Aérea e no Exército, o ramo que mais efetivos tem perdido.

Mas no Orçamento não há aumentos salariais nem mudanças nas carreiras. É uma política de médio prazo. Estão em curso “medidas que visam reverter o longo ciclo de desinvestimento nas Forças Armadas”, diz ao Expresso fonte oficial do Ministério da Defesa, que cita o Plano de Ação para a Profissionalização, um documento que o Governo lançou em abril, onde sobretudo se planeiam estudos para tomar decisões “nos próximos cinco anos”.

https://executivedigest.sapo.pt/militar-pagou-91-mil-euros-para-poder-deixar-o-exercito/
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Red Baron

  • Perito
  • **
  • 482
  • Recebeu: 86 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +80/-22
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1578 em: Dezembro 31, 2019, 11:22:39 am »
Militar pagou 91 mil euros para poder deixar o Exército
Por Executive Digest 10:00, 28 Dez 2019

A desmotivação, os melhores salários no privado e a qualidade de vida civil têm levado muitos militares do quadro permanente a desembolsar milhares de euros para deixarem as Forças Armadas — cada vez com mais problemas com a falta de pessoal, avança o Expresso na edição deste sábado.

O Semanário dá o exemplo de Ângela Pedro, major e médica, que pagou €91.000 ao Estado para deixar o Exército e passar a dedicar-se à clínica privada. Pediu o abate aos quadros, o Exército fez as contas aos cursos e formações que deu à major ao longo da carreira — para indemnizar o Estado desse investimento segundo uma fórmula de cálculo prevista na lei — e Ângela Pedro engrossou as fileiras de médicos militares a deixar a instituição.

Na Força Aérea, há pilotos a pagar entre €180.000 e €300.000 para ingressarem nas companhias comerciais, explica ao Expresso o tenente-coronel António Mota, da Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA). No grupo do Facebook Naval Zero há relatos de praças da Marinha (que ganham pouco mais do que o salário mínimo) a pagarem entre €1500 e €5000 para ‘comprar’ o abate aos quadros.

Dados do Ministério da Defesa citados pela Renascença, revelam que mais de 15 mil militares saíram das Forças Armadas por vontade própria ou por rescisão dos contratos a termo certo, entre 2014 e 2018. No último ano, mais de três mil militares abandonaram os cargos e oito em cada dez partiram antes do tempo previsto. O Exército é o ramo que vive a situação mais preocupante. Segundo o Almirante Silva Ribeiro, faltam 4.100 praças no Exército, 535 na Marinha e 950 na Força Aérea.

Os representantes dos militares falam numa situação limite e traçam cenários negros para as Forças Armadas, caso não sejam adotadas medidas para reforçar o recrutamento e conter as saídas. Como o aumento de salários – um soldado aufere o ordenado mínimo – e a criação de um quadro permanente de praças na Força Aérea e no Exército, o ramo que mais efetivos tem perdido.

Mas no Orçamento não há aumentos salariais nem mudanças nas carreiras. É uma política de médio prazo. Estão em curso “medidas que visam reverter o longo ciclo de desinvestimento nas Forças Armadas”, diz ao Expresso fonte oficial do Ministério da Defesa, que cita o Plano de Ação para a Profissionalização, um documento que o Governo lançou em abril, onde sobretudo se planeiam estudos para tomar decisões “nos próximos cinco anos”.

https://executivedigest.sapo.pt/militar-pagou-91-mil-euros-para-poder-deixar-o-exercito/


« Última modificação: Dezembro 31, 2019, 11:22:54 am por Red Baron »
 

*

Trafaria

  • Investigador
  • *****
  • 1962
  • Recebeu: 43 vez(es)
  • Enviou: 57 vez(es)
  • +3/-0
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1579 em: Janeiro 02, 2020, 02:37:08 am »
Há exagero, é um bocado rebuscado de mais este senhor da AOFA.
Uma médica não é paradigma da classe de oficiais, é um caso muito especifico nada generalizável.

Os caso dos pilotos já é outra estória, mas a mesma, velha e antiga. Também ela muito especifica de um grupo muito particular.

Isto para dizer que gostaria era de ver quantos oficiais de infantaria, cavalaria ou artilharia pediram o abate aos quadros. Alguns haverá, há sempre, mas aposto que o numero será irrelevante.

Por mais que esperneiem o povo não vê problemas nenhuns nas FA.
Há falta de praças, admito que sim, mas nao me venham dizer que não conhecem as causas.

« Última modificação: Janeiro 02, 2020, 02:40:24 am por Trafaria »
::..Trafaria..::
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, NVF, HSMW

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 4718
  • Recebeu: 2161 vez(es)
  • Enviou: 828 vez(es)
  • +581/-73
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1580 em: Janeiro 08, 2020, 01:42:16 pm »
como é que alguém pode afirmar que " Os militares Portugueses Estão fora de qualquer perigo " na actual situação que se vive no Iraque ??

O ministro da Defesa Nacional declarou, durante a manhã desta terça-feira, que os militares portugueses no Iraque estão "fora de qualquer tipo de perigo", aquartelados a mais de 200 quilómetros dos locais onde esta madrugada duas bases foram atacadas com mísseis.

https://www.noticiasaominuto.com/pais/1389546/militares-portugueses-no-iraque-com-medidas-de-seguranca-reforcadas

Abraços
« Última modificação: Janeiro 08, 2020, 01:43:08 pm por tenente »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 1685
  • Recebeu: 364 vez(es)
  • Enviou: 56 vez(es)
  • +82/-25
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1581 em: Janeiro 08, 2020, 02:08:27 pm »
Ele deve ter o conhecimento dos mísseis usados no ataque, como tal deve saber se os mísseis têm alcance suficiente para chegar à "nossa" base a 200km de distância.  ::)

Mas tendo em conta que a base conta com portugueses, espanhóis e canadianos (?), o própria Irão não deve querer arrastar mais países da NATO para a festa/retaliar contra países que não tiveram nada a ver com o ataque americano. Mas isto sou eu na esperança que tenham bom-senso.
 

*

asalves

  • Perito
  • **
  • 494
  • Recebeu: 167 vez(es)
  • Enviou: 57 vez(es)
  • +25/-9
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1582 em: Janeiro 08, 2020, 05:22:15 pm »
Regra numero 1 em caso de perigo iminente: nunca dizer a verdade

Quem minimamente percebe disto e as próprias tropas no terreno o sabem que nestas situações nada é seguro, de um momento para outro pode ir tudo a vida. Contudo o perigo é relativo e não vale a pena criar alarme, tanto aos de cá que não percebem nada como principalmente ás famílias.

E para além disso admitir que existe um risco para os militares que lá estão implica tomar a decisão de os trazer para casa, o que provavelmente essa decisão não passa apenas por Portugal.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, HSMW

*

Srgdoido

  • Membro
  • *
  • 79
  • Recebeu: 10 vez(es)
  • Enviou: 81 vez(es)
  • +11/-0

*

smg

  • Membro
  • *
  • 72
  • Recebeu: 97 vez(es)
  • +43/-1
Re: Notícias do Exército Português
« Responder #1584 em: Janeiro 17, 2020, 09:07:16 pm »
Boa noite . Deixo aqui neste tópico esta notícia porque não sabia muito bem onde enquadrar isto . Esta semana a ministra da defesa francesa , a senhora Parly , anunciou que este domingo irá visitar as tropas francesas no Sahel na companhia dos ministros da defesa da Suécia ,da Estónia e de Portugal . Tem-se falado da força Takuba , unidades de forças especiais que devem formar e acompanhar no terreno as forças locais . Não sei se  é uma visita preparatória para uma eventual participação portuguesa ou não .
Para quem não acompanha as notícias vindas daquela zona , é preciso dizer que nestas últimas semanas ocorreram vários ataques a campos militares na região das três fronteiras , Mali , Niger e Burkina Faso , por grupos de centenas de djihadistas causando de cada vez dezenas de mortos de parte a parte . França anunciou um reforço de 220 militares para breve . Um abraço .
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, MATRA

 

Unidades do Exército a "criar"

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 0
Visualizações: 2881
Última mensagem Junho 16, 2006, 01:28:18 pm
por PereiraMarques
Qual deveria ser a prioridade para o Exército até 2015-2020?

Iniciado por HSMW

Respostas: 265
Visualizações: 45240
Última mensagem Maio 04, 2016, 04:47:56 pm
por paraquedista
Novo sistema Anti-Carro para o Exército

Iniciado por typhonman

Respostas: 2
Visualizações: 2704
Última mensagem Julho 27, 2004, 09:27:57 pm
por Spectral
Qual o helicóptero para o gale? - Helicópteros do Exército

Iniciado por antoninho

Respostas: 49
Visualizações: 18994
Última mensagem Junho 24, 2006, 10:15:48 am
por fealcap
Relação Unidades do Exército face à ultima reestruturação

Iniciado por PereiraMarques

Respostas: 62
Visualizações: 18247
Última mensagem Março 02, 2007, 09:56:51 pm
por Artic Fusion