EMBRAER

  • 178 Respostas
  • 39712 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: Embraer: Notícias
« Responder #45 em: Julho 21, 2015, 03:26:24 pm »
Embraer alcança backlog recorde no 2º trimestre de 2015



No final do segundo trimestre de 2015 (2T15), a carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) da Embraer (NYSE: ERJ; BM&FBOVESPA: EMBR3) chegou ao patamar de USD 22,9 bilhões, o maior da história da Empresa. No final do trimestre anterior, em 31 de março de 2015, a carteira de pedidos firmes totalizava USD 20,4 bilhões.

No 2T15, a Embraer entregou 27 jatos para o mercado de aviação comercial e 33 para o de aviação executiva, totalizando 60 aeronaves – ante 58 aeronaves entregues no mesmo período no ano passado.



O principal destaque do trimestre foram os USD 2,6 bilhões em pedidos firmes, pelo atual preço de lista, anunciados durante o Paris International Air Show. O valor inclui sete E190 para a chinesa Colorful Guizhou Airlines; oito E175 para a americana SkyWest Airlines, que serão operadas pela Alaska Airlines; dez E175 para a United Express; além de 15 E190-E2 e dez E195-E2 para a empresa de leasing estadunidense Aircastle – sem considerar as opções e direito de compra previstos nos contratos.

Em maio, a Embraer já havia anunciado pedidos da Tianjin Airlines para 22 aeronaves (20 E195 e dois E190-E2), o que tornou a companhia a primeira aérea chinesa a adquirir os E-Jets E2. No mesmo período, outro contrato havia sido anunciado com a Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. para a venda firme de 30 jatos E195-E2.



Fonte: http://www.aereo.jor.br/2015/07/15/embr ... e-de-2015/
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5500
  • Recebeu: 1128 vez(es)
  • Enviou: 604 vez(es)
  • +383/-136
Re: Embraer: Notícias
« Responder #46 em: Agosto 03, 2015, 09:42:24 am »
http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2014/09/Su-24-foto-via-Expressen-580x323.jpg
Citar
A fabricante de aeronaves Embraer revisou para baixo sua previsão para a receita em 2015 nesta quinta-feira e estendeu o cronograma para seu jato de transporte militar KC-390, diante da redução do orçamento do governo federal para o setor em meio ao ajuste fiscal.

Com isso, a Embraer agora espera as primeiras entregas do cargueiro KC-390 no primeiro semestre de 2018 ante prazo originalmente estabelecido para o segundo semestre de 2016.

Após voo inaugural em fevereiro, a campanha de ensaios em voo do KC-390 agora está prevista para começar no terceiro trimestre de 2015 e deve durar em torno de 18 a 24 meses, recebendo a certificação até o final de 2017, disse a fabricante no balanço do segundo trimestre.

A empresa está trabalhando no cargueiro sob encomenda do governo brasileiro. O avião, o maior já desenvolvido e produzido no Brasil, é resultado de acordo firmado em 2009 com a Força Aérea Brasileira (FAB).

O presidente-executivo da Embraer, Frederico Curado, disse em teleconferência com analistas que os cortes de defesa estão concentrados no KC-390 e na modernização de caças, que terão seu escopo reduzido.

O governo ainda deve cerca de 370 milhões de dólares em recebíveis que a Embraer está trabalhando para obter, disse Curado.

O executivo acrescentou não esperar que as receitas de defesa se recuperem no ano que vem, mas que não vê “novas surpresas” do governo brasileiro afetando seus contratos de defesa no ano que vem. Além disso, afirmou que não deve haver novos cortes da projeção de receita no segmento de defesa da Embraer em 2015.

FONTE: Reuters (somente parte da matéria original foi transcrita)


Saudações
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: Embraer: Notícias
« Responder #47 em: Agosto 19, 2015, 07:17:54 pm »
Há 46 anos era criada a Embraer



A Embraer foi fundada em 19 de agosto de 1969 pelo engenheiro Ozires Silva, militar formado pelo ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica, com o desenvolvimento do primeiro avião chamado de Bandeirante.





Dez anos depois a Embraer conquistou grande relevância no cenário internacional com projetos dos aviões Brasília, Xingu e Bandeirante.

Em 1994, no governo do Itamar Franco, a economia do Brasil vivia uma crise. A estatal foi então privatizada. O presidente Ozires Silva liderou o leilão e reestruturou a administração da empresa. A Embraer se tornou a mais importante companhia negociada na Bolsa de Valores de São Paulo, a Bovespa, sendo denominada blue chips, que é a que mais rende a acionistas e funcionários.



Com uma receita líquida de mais de R$ 12 bilhões, a empresa passou em 2012 à quarta posição mundial no setor, abaixo da principal concorrente, a canadense Bombardier, da Airbus que é um consórcio europeu e da norte-americana Boeing.

Essa queda para a quarta posição foi uma decisão estratégica para ampliar o mercado na linha executiva e de defesa. Essa estratégia levou a Embraer a ser a empresa que mais cresceu, em 2012.



Hoje, é a terceira maior fabricante de jatos do mundo, perdendo apenas para a Boeing e a Airbus. É a maior empresa brasileira na área de exportação, além de ser líder mundial de vendas no mercado de jatos.



Com um patrimônio de mais de R$ 17 bilhões possui 46% de suas ações sendo negociadas na Bolsa de Valores de Nova York e 54% na Bovespa.







Por meio das empresas de segurança e defesa, a Embraer ajuda o Brasil a proteger as fronteiras. O maior cliente é a Força Aérea Brasileira, atuando no monitoramento de cerca de 650 km de fronteira nas divisas entre Brasil, Paraguai e Bolívia.



Fonte:  http://www.cavok.com.br/blog/ha-46-anos ... a-embraer/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Jorge Pereira

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: Embraer: Notícias
« Responder #48 em: Outubro 23, 2015, 03:17:22 pm »
EMBRAER REVELA PRIMEIROS DETALHES DO E190-E2



A aviação é um meio que suga dinheiro para poder transportar passageiros e cargas pelos céus, seja em curtas ou longas distâncias. O combustível é caro (e os preços não param de subir) e a manutenção de aeronaves exige peças valiosas e profissionais habilitados (e bem pagos). Para reduzir essa conta, as fabricantes nunca cessam as atualizações em seus aviões e sempre buscam formas de reduzir esses custos para continuar agradando seus clientes.

É o que a Embraer está fazendo neste momento com os jatos da série E-Jets, que em breve estreará a nova geração “E2”. O primeiro modelo, um E190-E2 na fase final de construção, foi apresentado nessa terça-feira (20), em São José dos Campos (SP), durante a “Conferência de Operadores Embraer”, que reuniu mais de 50 companhias aéreas e demais envolvidos no projeto.

A entrega do o primeiro E190-E2 está prevista para o primeiro semestre de 2018. O modelo E195-E2, o maior da família, tem estreia programada para 2019, enquanto o E175-E2, o “caçula”, deve voar em 2020 completando o programa de atualização dos E-Jets. O investimento da Embraer para atualizar os jatos comerciais é avaliado em US$ 1,7 bilhão.




 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Jorge Pereira

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #49 em: Fevereiro 03, 2016, 04:02:22 pm »
EMBRAER TEM MELHOR RESULTADO EM CINCO ANOS



Apesar da crise econômica no Brasil, a Embraer registrou em 2015 seu melhor resultado em cinco anos. A fabricante entregou 221 aeronaves no ano passado, sendo 101 jatos comerciais e 120 modelos executivos. O aparelho mais comercializado foi o E175, que somou 82 entregas.

Esse resultado final não seria possível graças a boa performance no último trimestre de 2015, quando a fabricante entregou 33 jatos comerciais e outros 45 modelos executivos, superando em uma unidade a meta estipulada.

Os destaques do último trimestre de 2015 foram a assinatura de um pedido firme para 19 jatos E175 efetuado pela companhia aérea SkyWest, que serão operados por meio de um acordo de compra de capacidade (CPA – Capacity Purchase Agreement, em inglês) com a Delta Airlines. Houve também a confirmação de duas opções por E175 adicionais para a KLM, do contrato com 17 pedidos firmes e 17 opções anunciado em março do ano passado.

Na aviação executiva, os destaques dos último três meses de 2015 foram o início das entregas do novo jato Legacy 450 e o contrato com a Emirates Flight Training Academy para cinco jatos Phenom 100E, com opção para mais cinco aeronaves do mesmo modelo. Ainda nesse período, a Embraer ainda entregou o primeiro Phenom 100E a um cliente na China.




E a Embraer também recebeu uma série de encomendas por novas aeronaves. Segundo comunicado, a empresa tem 513 pedidos firmes por aeronaves a entregar, entre modelos da linha atual E-Jet e a nova geração E-Jet 2, que tem estreia prevista para 2018. Os pedidos realizados em 2015 são avaliados em US$ 22,5 bilhões.

O melhor resultado da Embraer foi registrado em 2010, quando 246 aeronaves foram entregues. Os números divulgados pela empresa incluem apenas aviões comerciais e executivos. Modelos de uso militar, como o Super Tucano, não entram nesse balanço.


Fonte:    http://airway.uol.com.br/embraer-tem-melhor-resultado-em-cinco-anos/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #50 em: Fevereiro 03, 2016, 04:07:00 pm »
JACKIE CHAN É O PRIMEIRO CLIENTE DO LEGACY 500 NA CHINA

Segundo jato executivo Embraer adquirido pelo ator chinês pode voar por mais de 5.700 km e custa cerca de US$ 21 milhões



Jackie Chan se tornou o primeiro cliente a receber um jato executivo Embraer Legacy 500 na China, informou a Embraer nesta segunda-feira (1). Esse novo jato, aliás, já é o segundo adquirido pelo ator, que também é o embaixador da empresa no mercado chinês.

“Nos últimos anos, meu Legacy 650 trouxe-me experiências de viagem fantásticas e grande conveniência, permitindo-me fazer mais gravações e trabalhos filantrópicos pelo mundo. Tenho certeza de que o desempenho do novo Legacy 500 excederá novamente minhas expectativas, se tornando um confortável lar e escritório móvel para mim”, relata Jack Chan, em comunicado da Embraer.

A relação entre Jackie Chan e a Embraer vem desde 2012, quando ele recebeu um Legacy 650 como cliente-lançador dessa aeronave na China. “Acredito que a escolha do Jackie Chan reflete a mudança de pensamento entre os clientes chineses, de que um jato executivo de médio porte pode atender a maior parte das necessidades de negócios com alta eficiência e maior flexibilidade”, contou Gua Dongyuan, presidente da “Embraer China”.


Jackie Chan nas alturas

O Legacy 500 é considerado um dos jatos mais modernos de sua categoria, dos jatos executivos mid-size (médios). A aeronave, no mercado desde 2014, pode transportar entre oito a 10 passageiros e realizar longas viagens: o modelo tem autonomia de 5.788 km voando a 950 km/h de velocidade de cruzeiro.

O Legacy 500 é um dos poucos aviões civis do mundo equipado com controles “full fly-by-wire”, tecnologia que automatiza os comandos da aeronave – aeronaves convencionais utilizam sistemas hidráulicos e cabos. Em plena potência, os dois motores turbofan do Legacy geram mais de 3.100 kgfm de empuxo, o que permite ao jato pode passar dos 1.000 km/h.

A aeronave executiva da fabricante brasileira é avaliada em cerca de US$ 21 milhões.











Fonte: http://airway.uol.com.br/jackie-chan-e-o-primeiro-cliente-do-legacy-500-na-china/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #51 em: Fevereiro 03, 2016, 04:11:11 pm »
EMBRAER ENTREGA 300º JATO PHENOM 300

Jato executivo lançado em 2010 é o mais vendido no mundo na categoria de acesso ‘light’



Lançado em 2010, o “jatinho” Embraer Phenom 300 rapidamente se tornou um dos aviões mais vendidos do mundo e o preferido do setor executivo. E os números que o digam: a fabricante brasileira celebra nesta terça-feira (20) a entrega do 300º exemplar da aeronave, a um cliente particular nos Estados Unidos.

Entre janeiro e setembro deste ano, a Embraer já entregou 47 modelos Phenom 300, volume que deve aumentar até o final de 2015, uma vez que tradicionalmente a maior parte das entregas de novas aeronaves acontece no último trimestre do ano. Em 2014, a empresa entregou 73 unidades do jato executivo e no ano anterior foram mais 60 exemplares.



Com esse volume de vendas, a Embraer passou a liderar o segmento de jatos “light” (modelos de pequeno porte) e hoje detém cerca de 60% do mix na categoria.

Os 300 Phenom estão espalhados por 28 países em todos os continentes e, segundo a Embraer, a frota acumula mais de 250 mil horas de voo sem ocorrência de incidentes técnicos.

A carreira do principal jato executivo da Embraer permaneceu intacta até julho deste ano, quando um modelo Phenom 300 caiu nos arredores do aeroporto de Blackbushe, na Inglaterra, matando os quatro ocupantes a bordo, entre eles membros da família Bin Laden – relatório sobre o acidente apontam falha humana.

Receita de sucesso

A Embraer entrou há pouco tempo no setor de aeronaves executivas, mas já detém uma participação significativa e um variado leque de produtos. A empresa estrou no setor em 2001 com a série Legacy, que são aeronaves baseadas em modelos da família ERJ, responsáveis por inserir a fabricante brasileira no mercado da aviação comercial a jato.




Também foi criado o Lineage 1000, versão executiva do E 190, hoje um dos principais jatos comerciais da Embraer. Mas o produto que realmente recheou a carteira de pedidos da empresa foi o Phenom, atualmente oferecido nas versões ‘100’ e ‘300’.

O Phenom 100 estrou primeiro, com a primeira entrega em 2008, e teve ótima aceitação no mercado e em 2014 a Embraer já havia entregado mais de 300 unidades desse modelo. A versão 100 é o que se pode dizer de jato “de entrada” da empresa brasileira: custa cerca de US$ 4,2 milhões e na configuração normal transporta quatro passageiros.







O Phenom despertou a atenção do mercado por suas inovações. O jatinho da Embraer possui recursos de “jatões”: o principal são os controles ‘fly-by-wire’, que dão a aeronave um alto nível de automação, tornando os voos mais seguros e reduzindo o trabalho dos pilotos – não à toa o Phenom é certificado para ser operado somente por um piloto.

A versão 300, que hoje é o principal jato executivo da Embraer em volume de vendas, estreou em 2010 e roubou a cena dos principais produtos do segmento, como o Bombardier LearJet e o Cessna Citation, que lideram a categoria “light” por décadas.

Desempenho

O Phenom 300 é um dos jatos executivos de pequeno porte mais eficientes e versáteis do mundo, podendo ser operado em pequenos aeroportos. Tem autonomia para voar por 3.100 km e alcança a velocidade máxima de 840 km/h a 13.500 metros de altitude.




A cabine, em configuração normal, leva seis passageiros acomodados em poltronas executivas com sistema de entretenimento e opção de conversão em leitos. Como todos os outros jatos executivos da Embraer, o Phenom 300 pode ser customizado de acordo com o gosto do cliente, que pode ser um milionário procurando pelas próprias asas ou uma empresa de táxi aéreo, que oferece esse tipo de aeronave para transporte executivo.

O modelo custa aproximadamente US$ 8,5 milhões (cerca de R$ 23 milhões), um valor equivalente aos de seus concorrentes, que ainda utilizam tecnologias da geração anterior.



Fonte: http://airway.uol.com.br/embraer-entrega-300o-jato-phenom-300/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #52 em: Fevereiro 12, 2016, 08:39:37 pm »
EMBRAER: expansão em Portugal



A Embraer está expandindo as atividades das suas fábricas instaladas em Évora,Portugal, para atender a produção de peças e componentes para os novos aviões da companhia: o Legacy 450, o Legacy 500, da aviação executiva, os jatos comerciais E2 e o cargueiro militar KC-390. A empresa brasileira investirá 150 milhões de euros com o apoio de recursos de fundos liberados pela Comissão Europeia, como parte de um programa para estimular o investimento no país europeu, segundo Miguel Frasquilho, presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (Aicep). Pelo programa, a companhia poderá recuperar, ao final do processo, 25% do investimento na forma de benefícios fiscais, de acordo com Frasquilho.

A Embraer não confirmou a informação, mas declarou que os investimentos em Portugal fazem parte do alinhamento entre as prioridades deste país e a estratégia industrial da companhia. Frasquilho, porém, afirma que a empresa já se candidatou ao fundos. "A Embraer, que é um investidor de referência em Portugal, vai reforçar sua presença em nosso país com um investimento de 150 milhões de euros e concorre a esses fundos."

Segundo ele, a Comissão Europeia disponibilizou cerca de US$ 10 bilhões para subsidiar investimentos em tecnologia e inovação em Portugal, entre 2014 e 2020. Frasquilho esteve no Brasil no fim em maio para tentar estimular outras empresas brasileiras a se aproveitar dos fundos europeus e investir por lá. O Brasil foi a principal fonte de investimentos diretos em Portugal em 2014, com cerca de US$ 3,5 bilhões. "Nós gostaríamos de reforçar esse montante", disse.

Em 2012, a Embraer a também foi beneficiada com recursos de fundos comunitários de Portugal para realizar o investimento total de 177 milhões de euros, aplicado na construção das fábricas de Évora. Segundo a empresa, a criação dos dois centros de excelência em Évora contribuem para apoiar o governo de Portugal no plano de estabelecer, na sua base industrial, uma oferta competitiva em nível global para o setor aeronáutico. Inauguradas em 2012, as unidades de Évora são responsáveis pelo fornecimento de materiais compósitos e metálicos para os jatos E2 e jatos executivos.

Em Évora, a Embraer também produz as longarinas e os painéis  de revestimento das asas do KC-390, assim como o estabilizador vertical e o estabilizador horizontal da aeronaves. A fábrica da Ogma, em Alverca, uma subsidiária da Embraer em Portugal, também produz partes do KC-390. O fornecimento dos painéis da fuselagem central, carenagens para os trens de pouso, as portas dos trens de pouso principais e os profundores do KC-390 é feito em conjunto com a portuguesa EEA (Empresa de Engenharia Aeronáutica).

A Embraer explicou que a parceria industrial que fechou com Portugal para o programa do KC-390 está focada no trabalho com a EEA. A parceria foi motivada pela assinatura de uma carta de intenção de compra, pelo governo português, para seis aeronaves KC-390.

Segundo a mídia portuguesa, autoridades brasileiras querem levar o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho para o voo inaugural da aeronave, em visita que ele deve fazer a Brasília ainda neste ano.


FONTE: http://www.defesanet.com.br/embraer/noticia/19420/EMBRAER--expansao-em-Portugal/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Jorge Pereira

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #53 em: Fevereiro 17, 2016, 06:52:57 pm »
Embraer projeta demanda de 1.570 novos jatos de 70 a 130 assentos na região da Ásia-Pacífico nos próximos 20 anos



A Embraer Aviação Comercial divulgou hoje, no Singapore Airshow, a previsão de mercado para a região da Ásia-Pacífico, que inclui a China. A Companhia acredita que as companhias aéreas vão encomendar cerca de 1.570 novos jatos no segmento de 70 a 130 assentos nos próximos 20 anos (no valor de USD 75 bilhões, a preços de lista), o que representa 25% da demanda mundial para o segmento no período. De acordo com as perspectivas globais de mercado para o segmento de 70 a 130 assentos divulgadas pela Embraer, nas próximas duas décadas, todo o mercado vai demandar 6.350 novos jatos a categoria, que é avaliada em USD 300 bilhões no período.

O mercado da Ásia-Pacífico se tornará mais rico, competitivo e aberto, estimulando ainda mais as companhias aéreas a buscar maior eficiência do sistema, diferenciação de marca e melhores níveis de serviço. Neste contexto, o segmento de jatos de 70 a 130 assentos desempenhará papel fundamental no apoio ao desenvolvimento intra-regional na Ásia-Pacífico.

“Estamos mostrando às companhias aéreas o benefício de afastar-se de um mercado lotado e buscar oportunidades em mercados que estão atualmente carentes, ou sem serviço algum, onde os rendimentos são também mais fortes, passando de um a dois dígitos”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO, Embraer Aviação comercial.

A região da Ásia-Pacífico tem experimentado rápido desenvolvimento social e econômico nas últimas décadas. A expansão acima da média da economia da região, com uma taxa de crescimento anual do PIB projetada em 4,1% para os próximos 20 anos, combinada com o aumento da urbanização e mudanças nos padrões demográficos, resultará em aumento do rendimento familiar e aumento dos gastos discricionários, incluindo viagens aéreas.




Segundo aponta o estudo, a ascensão das companhias aéreas de baixo custo (Low Cost Carrier – LCC) foi uma resposta direta e natural para o aumento da demanda por viagens aéreas na região na última década. Porém, o grande aumento de capacidade tem influenciado os preços das passagens e criou uma nova dinâmica: um ciclo vicioso, onde rendimentos menores forçam custos unitários mais baixos, levando a aeronaves maiores que adicionam capacidade, o que leva a taxas de ocupação mais baixas e descontos maiores nas tarifas. Reduzir as tarifas para compensar a queda de passageiros tem limites, e concentrar-se principalmente nas receitas auxiliares não é uma estratégia de negócio sustentável. Já há sinais de saturação; apesar do crescimento de 8,6% no número de passageiros por quilômetro transportado (RPK, na sigla em inglês) em 2015, estima-se que as operadoras da região tenham obtido uma margem líquida que de apenas 2,9%, em média, impulsionado pelo preço mais baixo do petróleo. A rentabilidade permanece indefinida para as empresas asiáticas que enfrentam o desafio de excesso de capacidade.

A Embraer vê oportunidades inexploradas na Ásia-Pacífico, onde mais de 250 mercados, ou 30% dos mercados exclusivos de narrow-bodies, são servidos com menos de uma frequência diária. Mercados como estes seriam melhor servidos com jatos de 70 a 130 assentos, com base no número médio de passageiros por decolagem. Além disso, 37% da capacidade intra-regional é oferecida por turboélices em rotas com cerca de 400 quilômetros, que são mais adequados para operações com jatos, devido à maior produtividade, melhor economia operacional e conforto superior aos passageiros.

A substituição de frotas mais antigas é outra oportunidade na região, onde existem mais de 250 jatos na categoria de 50 a 150 assentos com mais de 10 anos de idade, que se tornarão alvos para substituição no futuro próximo.

A Embraer Aviação Comercial está presente em 11 países da Ásia-Pacífico, com mais de 20 clientes e mais de 200 aeronaves voando na região. A família de E-Jets já registrou mais de 1.700 pedidos e mais de 1.200 entregas até à data, e está em serviço com cerca de 70 clientes de 50 países. No segmento de 70 a 130 lugares, a Embraer tem uma participação global de mercado de 51% das encomendas e 62% das entregas desde 2004.



Fonte:  http://www.aereo.jor.br/2016/02/17/embraer-projeta-demanda-de-1-570-novos-jatos-de-70-a-130-assentos-na-regiao-da-asia-pacifico-nos-proximos-20-anos/
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11117
  • Recebeu: 387 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: EMBRAER
« Responder #54 em: Fevereiro 18, 2016, 12:03:19 pm »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Vitor Santos

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #55 em: Fevereiro 24, 2016, 01:50:11 pm »
Embraer E2, o novo jato da empresa brasileira,nos preparativos para o roll-out:

 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #56 em: Fevereiro 24, 2016, 01:53:32 pm »
Phenom 300 da Embraer é o jato executivo mais entregue no mundo pelo terceiro ano consecutivo



O Phenom 300 da Embraer foi o jato executivo mais entregue no mundo em 2015 pelo terceiro ano consecutivo, com 70 aeronaves sendo recebidas por clientes ao redor do globo.

“Gostaríamos de agradecer nossos clientes pela confiança e fidelidade, que possibilitou ao Phenom 300 ter aceitação global desde o seu lançamento”, disse Marco Tulio Pellegrini, Presidente e CEO da Embraer Aviação Executiva. “O projeto da família Phenom teve como base os mais sofisticados requisitos da indústria, combinando atributos de uma aeronave imbatível. Ter a aeronave mais entregue do mundo pelo terceiro ano consecutivo é um verdadeiro reconhecimento de que fomos fiéis ao compromisso de desenvolver aeronaves inovadoras para atender às necessidades dos operadores.”

Reconhecido como um dos mais desejados jatos leves por empresas de propriedade compartilhada, serviços de fretamento, departamentos de voos corporativos e pilotos proprietários, o Phenom 300 já possui uma frota de 320 jatos em operação em 28 países e acumula cerca de 300.000 horas de voo. O Phenom 300 também foi o jato executivo mais entregue em 2013 e 2014.

A Associação dos Fabricantes de Aviação Geral (GAMA, na sigla em inglês) divulgou recentemente o seu relatório anual referente às entregas e faturamento do setor em 2015, mostrando que a participação de mercado da Embraer Aviação Executiva, em termos de entregas, subiu para 17%. No ano passado, a Empresa entregou 120 jatos executivos, incluindo aeronaves da família Phenom, Legacy e Lineage, o maior volume dos últimos cinco anos.


Sobre o Phenom 300

O Phenom 300 tem desempenho entre os melhores jatos da categoria light, com velocidade máxima de cruzeiro de 453 nós (839 km/h) e um alcance de 3.650 quilômetros (1,971 milhas náuticas) com seis ocupantes nas condições NBAA IFR. Com a melhor razão de subida e desempenho de pista da sua classe, o Phenom 300 tem custos de operação e de manutenção menor do que seus concorrentes. A aeronave voa a uma altitude de 45 mil pés (13.716 metros), propulsionada por dois motores Pratt & Whitney Canada PW535E, com 3.360 libras de empuxo cada.

O Phenom 300 oferece uma cabine espaçosa, projetada em parceria com o BMW Group DesignworksUSA e o maior bagageiro de sua categoria. As maiores janelas de sua classe proporcionam luz natural abundante na cabine e no toalete. O conforto dos assentos, com capacidade de reclínio e amplo movimento é acentuado pela melhor pressurização de cabine entre os jatos leves (altitude máxima de 6.600 pés). O Phenom 300 oferece zonas de temperatura distintas para pilotos e passageiros, uma ampla galley, opções de comunicação de voz e de dados e um sistema de entretenimento.

A cabine de comando permite operação por um só piloto e oferece a opção avançada Prodigy Touch Flight Deck. Os recursos tipicamente encontrados em categorias superiores são ponto único de reabastecimento, manutenção externa do toalete e uma elegante escada.








FONTE: http://www.aereo.jor.br/2016/02/23/phenom-300-da-embraer-e-o-jato-executivo-mais-entregue-no-mundo-pelo-terceiro-ano-consecutivo/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #57 em: Fevereiro 24, 2016, 01:55:15 pm »
Irã quer comprar 50 aviões da Embraer em negociações com governo brasileiro, diz fonte



O governo iraniano tem interesse em comprar 50 aviões da fabricante brasileira Embraer EMBR3.SA e mais de 100 mil táxis a gás de montadoras brasileiras, informou à Reuters uma fonte do Palácio do Planalto nesta segunda-feira.

O governo do Irã também quer comprar ônibus e caminhões brasileiros, em um pacote de negócios que começou a ser tratado em outubro, quando o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, foi ao Irã com uma comitiva de 30 empresários. A negociação teve sequência há duas semanas, em um encontro entre a presidente Dilma Rousseff e o embaixador do Irã no Brasil, Mohammad Ali Ghanezadeh Ezabadi.

Na semana passada, Monteiro afirmou em entrevista à Reuters que o Brasil pretende triplicar o comércio com o Irã nos próximos três anos, especialmente na área de alimentos, proteínas e transportes, e considera aceitar o uso de outras moedas nas transações em vez do dólar, como o euro, para evitar barreiras financeiras. A meta é alcançar uma corrente comercial de 5 bilhões de dólares nesse período.

A compra de aviões da Embraer já está em negociação. O Irã precisa repor toda a frota de aviação, depois de anos de embargo em que foi impedido de fazer importações. Depois de fechar um negócio de 114 Airbus, o país precisa também repor a frota de aviação regional.

Além disso, o país precisa repor toda a frota de táxis, caminhões e ônibus do país. Inicialmente, a fonte havia informado que seriam 60 mil táxis, mas depois retificou o número para mais de 100 mil.

De acordo com a fonte palaciana, estão sendo negociados ainda acordos nas áreas de nanotecnologia, microbiologia e aeroespacial. Há, ainda, a possibilidade de investimentos iranianos na compra de refinarias no Brasil.


FONTE: Reuters
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 4112
  • Recebeu: 329 vez(es)
  • Enviou: 278 vez(es)
  • +633/-714
Re: EMBRAER
« Responder #58 em: Fevereiro 25, 2016, 09:01:33 pm »
E190-E2 rollout




































 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Cabeça de Martelo

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11117
  • Recebeu: 387 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-47
Re: EMBRAER
« Responder #59 em: Fevereiro 26, 2016, 07:03:04 pm »