Aviação Comercial

  • 313 Respostas
  • 77950 Visualizações
*

goldfinger

  • Especialista
  • ****
  • 1117
  • Recebeu: 417 vez(es)
  • Enviou: 90 vez(es)
  • +140/-19
Re: Aviação Comercial
« Responder #255 em: Abril 26, 2020, 09:43:41 am »






A España servir hasta morir
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2184
  • Recebeu: 933 vez(es)
  • Enviou: 411 vez(es)
  • +927/-46
Re: Aviação Comercial
« Responder #256 em: Abril 27, 2020, 10:07:47 pm »
Air France-KLM vai receber apoio governamental de 11 mil milhões

Do lado holandês, o apoio à KLM vai oscilar entre 2 a 4 mil milhões de euros, segundo anunciou o governo dos Países Baixos. Já França comprometeu-se a entregar 7 mil milhões à Air France.





A companhia aérea Air France-KLM vai receber até 11 mil milhões de euros de apoio financeiro da parte dos governos francês e holandês, numa altura em que a pandemia de coronavírus está a empurrar muitos destes negócios para a falência.

Do lado holandês, o apoio à KLM vai oscilar entre 2 a 4 mil milhões de euros, segundo anunciou o governo dos Países Baixos. Já França comprometeu-se a entregar 7 mil milhões à Air France.

Esta iniciativa está ainda sujeita à aprovação das entidades responsáveis pela regulação da concorrência e não chega sem nenhum senão. Esta ajuda pressupõe condições como a não distribuição de dividendos ou prémios durante o período no qual a empresa esteja a auferir do apoio. Os trabalhadores também terão de ver reduzido o salário.

Os apoios surgem depois de, na semana passada, a Associação de Transportes Aéreos Internacionais – IATA ter dito que a perda de receitas das companhias aéreas europeias poderia chegar aos 89 mil milhões de dólares este ano, e que a procura poderia cair 55% em relação aos níveis de 2019, colocando 6,7 milhões de empregos em risco.

https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/transportes/aviacao/detalhe/air-france-klm-vai-receber-apoio-governamental-de-11-mil-milhoes
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7307
  • Recebeu: 3184 vez(es)
  • Enviou: 1703 vez(es)
  • +1823/-142
Re: Aviação Comercial
« Responder #257 em: Abril 28, 2020, 06:40:13 am »
Air France-KLM vai receber apoio governamental de 11 mil milhões

Do lado holandês, o apoio à KLM vai oscilar entre 2 a 4 mil milhões de euros, segundo anunciou o governo dos Países Baixos. Já França comprometeu-se a entregar 7 mil milhões à Air France.





A companhia aérea Air France-KLM vai receber até 11 mil milhões de euros de apoio financeiro da parte dos governos francês e holandês, numa altura em que a pandemia de coronavírus está a empurrar muitos destes negócios para a falência.

Do lado holandês, o apoio à KLM vai oscilar entre 2 a 4 mil milhões de euros, segundo anunciou o governo dos Países Baixos. Já França comprometeu-se a entregar 7 mil milhões à Air France.

Esta iniciativa está ainda sujeita à aprovação das entidades responsáveis pela regulação da concorrência e não chega sem nenhum senão. Esta ajuda pressupõe condições como a não distribuição de dividendos ou prémios durante o período no qual a empresa esteja a auferir do apoio. Os trabalhadores também terão de ver reduzido o salário.

Os apoios surgem depois de, na semana passada, a Associação de Transportes Aéreos Internacionais – IATA ter dito que a perda de receitas das companhias aéreas europeias poderia chegar aos 89 mil milhões de dólares este ano, e que a procura poderia cair 55% em relação aos níveis de 2019, colocando 6,7 milhões de empregos em risco.

https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/transportes/aviacao/detalhe/air-france-klm-vai-receber-apoio-governamental-de-11-mil-milhoes

olhó, de-icing………… :mrgreen:

Abraços
 

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 759
  • Recebeu: 38 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +13/-1
Re: Aviação Comercial
« Responder #258 em: Abril 28, 2020, 10:23:19 am »
Parece-me melhor que ter financiamento de um banco chines.
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2184
  • Recebeu: 933 vez(es)
  • Enviou: 411 vez(es)
  • +927/-46
Re: Aviação Comercial
« Responder #259 em: Abril 28, 2020, 10:45:41 am »
Parece-me melhor que ter financiamento de um banco chines.

Sobre o financiamento da Banca, fiquei a saber à dias que os bancos quase cortaram o financiamento ao crédito-habitação para se dedicarem ao financiamento das empresas! Explicaram-me que dentro dos bancos já assumem que muita gente vai perder os seus empregos!!!!!

Mas fiquei curioso porque é que os bancos nacionais preferem apostar mais nas empresas (mais arriscado) do que nas pessoas. Ontem ao ver e ouvir o Prós e Contras da RTP1 fiquei esclarecido (minuto 29 da 1ª parte: https://www.rtp.pt/play/p6599/pros-e-contras), o Presidente Executivo do BCP Miguel Maya assume que o Estado Português garante entre 80 a 90% dos empréstimos feitos às empresas!!!! Ou seja, podemos vir a pagar aos bancos todas as falências que aí vêem de futuro! Apesar de perceber o que disse o Presidente do BCP, que refere que o Estado não podia dar dinheiro a todas as Empresas, então decidiu contratar os bancos para filtrarem as empresas que podem ser salvas, com regras menos rígidas e com garantias de 80 a 90% dos empréstimos concedidas em nome de todos os portugueses!!!!

Por esse motivo, a TAP pode recorrer ao financiamento da banca nacional, não precisa da banca chinesa (apesar do BCP ter a Fosun como principal accionista)! A não ser que a TAP queira o financiamento garantido pelo estado a 100%!!!!
« Última modificação: Abril 28, 2020, 10:48:28 am por Viajante »
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1837
  • Recebeu: 252 vez(es)
  • Enviou: 453 vez(es)
  • +13/-1
Re: Aviação Comercial
« Responder #260 em: Abril 28, 2020, 05:19:18 pm »
Apesar de perceber o que disse o Presidente do BCP, que refere que o Estado não podia dar dinheiro a todas as Empresas, então decidiu contratar os bancos para filtrarem as empresas que podem ser salvas, com regras menos rígidas e com garantias de 80 a 90% dos empréstimos concedidas em nome de todos os portugueses!!!!
Mas e qual é a motivação para os bancos filtrarem realmente as empresas que podem ser salvas, visto ter já à partida regras menos rígidas e que o Estado vai pagar todas as falências aos bancos?

Não vai isso motivar é os bancos a darem empréstimos a torto e a direito?

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2184
  • Recebeu: 933 vez(es)
  • Enviou: 411 vez(es)
  • +927/-46
Re: Aviação Comercial
« Responder #261 em: Abril 28, 2020, 06:13:18 pm »
Apesar de perceber o que disse o Presidente do BCP, que refere que o Estado não podia dar dinheiro a todas as Empresas, então decidiu contratar os bancos para filtrarem as empresas que podem ser salvas, com regras menos rígidas e com garantias de 80 a 90% dos empréstimos concedidas em nome de todos os portugueses!!!!
Mas e qual é a motivação para os bancos filtrarem realmente as empresas que podem ser salvas, visto ter já à partida regras menos rígidas e que o Estado vai pagar todas as falências aos bancos?

Não vai isso motivar é os bancos a darem empréstimos a torto e a direito?

Cumprimentos,

Precisamente, mas o estado ao colocar sem garantia 10 a 20%, coloca de alguma forma um travão a isso. O que é certo é que os bancos estão a ser acusados de não facilitarem e serem muito esquisitos (tenho experiência própria na aprovação de um crédito-habitação....... não imagina a burocracia e os meses que demora, comprovativos de tudo, desde poupanças, extractos bancários com o meu histórico, declarações de IRS, recibos, declarações das entidades empregadoras........ em 2003 o meu 1º empréstimo-habitação e era tudo muito mais simples).

O que acusam é de os bancos transferirem empréstimos de risco que já tinham e passam para a nova modalidade com garantia do Estado!!!!! Quem é que controla isso? Imagine, um empresário tinha um empréstimo de 50 milhões de euros e já estava a falhar os pagamentos, o banco esperto, faz um novo empréstimo de 50 milhões e resolve 2 problemas, o estado garante que vai recuperar pelo menos 80% + as garantias que já tinha dado a empresa!!!! É só ganhar!!!!!
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1757
  • Recebeu: 114 vez(es)
  • Enviou: 32 vez(es)
  • +174/-2088
Re: Aviação Comercial
« Responder #262 em: Abril 28, 2020, 07:52:56 pm »
IAG arrastada pelo coronavírus perde 535 milhões e prepara 12 mil despedimentos
https://executivedigest.sapo.pt/iag-arrastada-pelo-coronavirus-perde-535-milhoes-e-prepara-12-mil-despedimentos/
Citar
A IAG, holding constituída pela British Airways e Iberia, informou, esta terça-feira, que no primeiro trimestre registou perdas operacionais de 535 milhões de euros, que comparam com os 135 milhões positivos obtidos no mesmo período do ano anterior. Estes são dados preliminares, sendo que os finais serão publicados a 7 de maio.

O grupo, que reduziu a faturação em 13%, para 4,6 biliões de euros, prevê que a recuperação do tráfego “levará vários anos”, razão pela qual propôs aos sindicatos uma reestruturação que “poderá resultar na redução até 12 mil postos de trabalho”.

Fontes da IAG esclarecem que estas demissões, a concretizarem-se, afetarão apenas a British Airways.

Atualmente, o grupo tem vários processos de lay-off (suspensão temporária dos contratos de trabalho) a decorrer e que afetam cerca de 22 mil pessoas na British Airways e cerca de 14 mil funcionários da Iberia, e ainda cerca de 4 mil pilotos e tripulantes da Vueling.

Diante do atual contexto, o grupo de companhias aéreas considera que o segundo trimestre produzirá dados “significativamente” piores (em abril e maio, reduziu sua capacidade em 94%) e garante que não tem dados suficientemente consistentes para avançar alguma indicação sobre os resultado anuais.

A IAG garante uma liquidez de 9.500 milhões de euros, que inclui 6.950 milhões de euros em dinheiro, ativos líquidos equivalentes e depósitos remunerados.

Mesmo com apoio governamental, infelizmente vai ser assim um pouco por todo o mundo na aviação, vai haver muitos despedimentos.
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1757
  • Recebeu: 114 vez(es)
  • Enviou: 32 vez(es)
  • +174/-2088
Re: Aviação Comercial
« Responder #263 em: Abril 28, 2020, 08:15:58 pm »
Sobre o financiamento da Banca, fiquei a saber à dias que os bancos quase cortaram o financiamento ao crédito-habitação para se dedicarem ao financiamento das empresas! Explicaram-me que dentro dos bancos já assumem que muita gente vai perder os seus empregos!!!!!

Eu pessoalmente não creio que muita gente venha a perder o emprego na Banca.
Por dois motivos primeiro, os bancos estão mais capitalizados e têm mais liquidez do que no passado, segundo, os empréstimos concedidos às empresas vão ter garantia do Estado entre 80 a 90%, logo não vejo como sempre,  grande risco para a Banca para que muita gente venha a perder seus empregos.
Não esquecer que a maioria dos Bancos em Portugal fez uma restruturação ao nível de pessoal.
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1757
  • Recebeu: 114 vez(es)
  • Enviou: 32 vez(es)
  • +174/-2088
Re: Aviação Comercial
« Responder #264 em: Abril 28, 2020, 08:45:19 pm »
Companhia aérea Icelandair anuncia redução de 2.000 trabalhadores
https://24.sapo.pt/economia/artigos/companhia-aerea-icelandair-anuncia-reducao-de-2-000-trabalhadores

Citar
“Para enfrentar a situação, o grupo Icelandair está a adotar medidas importantes (…) incluindo uma redução considerável do número de funcionários e mudanças na sua organização”, anunciou a companhia, num contexto de crise sanitária que continuará a atingir as viagens aéreas e “num futuro imprevisível”.

A Icelandair indicou que está a preparar-se para “um período prolongado de operações mínimas”.

A redução de pessoal anunciada afeta membros de tripulações, serviços de manutenção e operações em terra.

O grupo precisou que “a maioria dos trabalhadores que ficam vai continuar a trabalhar a tempo parcial” e que os que continuam a tempo inteiro têm reduções salariais.

“Estas medidas são muito dolorosas, mas necessárias”, afirmou o presidente executivo da companhia, Bogi Nils Bogason, citado em comunicado.

Em 2018, a Icelandair tinha cerca de 4.600 trabalhadores e transportou 4,4 milhões de passageiros, segundo números da companhia.

Infelizmente é sempre aos mil.
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.
 

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 759
  • Recebeu: 38 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +13/-1
Re: Aviação Comercial
« Responder #265 em: Abril 28, 2020, 10:22:26 pm »
Parece-me melhor que ter financiamento de um banco chines.
Por esse motivo, a TAP pode recorrer ao financiamento da banca nacional, não precisa da banca chinesa (apesar do BCP ter a Fosun como principal accionista)! A não ser que a TAP queira o financiamento garantido pelo estado a 100%!!!!

Eu a preferiria que a partir de um certo montante fosse 100% através de títulos de dívida convertíveis em açoes/ quotas se esta nao fosse paga, com o estado a nomear alguém para o board de maneira a manter certas restriçoes como: distribuiçao de dividendos, reduçao de salarios dos gestores, proibiçao de despedimentos etc.
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2184
  • Recebeu: 933 vez(es)
  • Enviou: 411 vez(es)
  • +927/-46
Re: Aviação Comercial
« Responder #266 em: Abril 29, 2020, 12:46:12 am »
Parece-me melhor que ter financiamento de um banco chines.
Por esse motivo, a TAP pode recorrer ao financiamento da banca nacional, não precisa da banca chinesa (apesar do BCP ter a Fosun como principal accionista)! A não ser que a TAP queira o financiamento garantido pelo estado a 100%!!!!

Eu a preferiria que a partir de um certo montante fosse 100% através de títulos de dívida convertíveis em açoes/ quotas se esta nao fosse paga, com o estado a nomear alguém para o board de maneira a manter certas restriçoes como: distribuiçao de dividendos, reduçao de salarios dos gestores, proibiçao de despedimentos etc.

Eu não seria tão socialista :)

Impedir uma companhia aérea de despedir, vai empurrar ainda mais a empresa para a falência.
Neste caso temos de ser pragmáticos e esquecer ideologias, principalmente de esquerda que só iriam agravar o problema. Sejamos realistas, o sector da aviação comercial está a sofrer um golpe nunca visto e tão cedo não vão recuperar, porque não há confiança para isso (as pessoas têem medo de viajar nos próximos tempos), pode confirmar o que digo com o que se passa com todas as companhias!!!!! Há demasiados aviões para tão pouca gente a transportar!!!!! E isto vai arrastar-se muitos meses...... quando der conta o verão já acabou e vem aí o Inverno e possivelmente mais um pico na pandemia...... as companhias vão passar pelo inferno! Além disso a TAP já tinha muitos problemas antes do COVID-19.

Pelas minhas contas, a TAP precisa de 300 a 400 milhões de euros/mês para sobreviver, tem uma frota de mais de 100 aviões a pagar em leasing, tem 9 ou 10 000 pessoas e não tem trabalho para todas, por muito que custe mais vale fazer o corte já de funcionários que a empresa não precisa, porque o risco de tentarem manter todos, é depois a empresa ser completamente inviável e ter que fechar as portas e...... nesse caso não são 1 000, 2 000 ou 3 000 a perderem o emprego, são todos!!!!!!

Limitar o salário da gestão não resolver nada, só faz com que afaste gestores profissionais da empresa e tenha de levar com profissionais políticos pela frente!!!!! O melhor exemplo que temos é o das Finanças, há um antes e um depois da entrada do Dr Paulo Macedo, antes as Finanças eram uma desgraça, com a entrada dele, as Finanças mudaram radicalmente e passaram a ser uma máquina de fazer dinheiro. E sabe que o salário dele já era muito elevado, mais de 23 000€ por mês!!!!! (era o salário dele enquanto Director do BCP, quando o Estado foi lá buscá-lo). Inclusivé os funcionários das Finanças chamavam-no "maluco"!!!! Para ver ao ponto do que ele fazia com os chefes das Finanças, cortou-lhes muitas vantagens ilegítimas, como por exemplo os chefes de finanças que ficavam com dinheiro dos impostos durante 1 semana, ou mais e recebiam os juros destes investimentos!!!! Muitos ganhavam muito dinheiro desta forma!!!!

Quer saber outra? (contado por um ex-chefe de Finanças e actual Director) O Paulo Macedo enviava um mail a 1 chefe de Finanças a pedir qualquer informação ou porque caducavam processos sem executar os caloteiros, ou...... se o chefe de Finanças não respondesse em 2 horas, era o próprio Paulo de Macedo que ligava a perguntar porque é que não lhe respondeu ao mail!!!!!

Agora se você limitar os salários da gestão de uma empresa.... sujeita-se a ter os acólitos dos partidos!!!! E não sei se o que poupa nos salários consegue recuperar pela incompetência a gerir uma empresa que factura mais de 3 mil milhões de euros por ano!!!!!!!

Há contudo uma boa notícia para a FAP..... palpita-me que nos próximos tempos a sangria de pilotos estanque!!!!
« Última modificação: Abril 29, 2020, 01:30:59 am por Viajante »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 759
  • Recebeu: 38 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +13/-1
Re: Aviação Comercial
« Responder #267 em: Abril 29, 2020, 08:26:41 am »
Pois eu tenho imensos problemas com salários tao grandes em Portugal, acho que nao se adequam á realidade portuguesa e fazia-me menos confusao se  fossem mais baixos, mas os bónus fossem maiores. Nao minha opiniao, os gestores deviam ser pagos de acordo com a sua performance e a riqueza que produzem. É certo que salários mais baixos afugentam os melhores, mas também tem o reverso da medalha que é motivar o parasitismo.

Quando me refiro a despedimentos refiro-me ao pessoal que está efectivo, pois quem nao está nos quadros irá de qualquer maneira.
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11694
  • Recebeu: 474 vez(es)
  • Enviou: 235 vez(es)
  • +78/-65
Re: Aviação Comercial
« Responder #268 em: Abril 29, 2020, 07:22:59 pm »
Airbus com prejuízo de 481 milhões de euros


 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1757
  • Recebeu: 114 vez(es)
  • Enviou: 32 vez(es)
  • +174/-2088
Re: Aviação Comercial
« Responder #269 em: Maio 04, 2020, 09:14:46 am »
Rolls-Royce planeia cortar até 8.000 postos de trabalho
https://24.sapo.pt/economia/artigos/rolls-royce-planeia-cortar-ate-8-000-postos-de-trabalho

Citar
O grupo industrial britânico Rolls-Royce planeia suprimir até 8.000 postos de trabalho devido à queda do tráfego aéreo provocada pela pandemia do novo coronavírus, indicou hoje fonte próxima do processo à agência France Presse.O número representa cerca de 15% da mão-de-obra do fabricante de motores de aviões.

“O impacto da covid-19 não tem precedentes. Tomámos medidas rápidas para aumentar a nossa liquidez, reduzir drasticamente as nossas despesas (…) Mas precisamos de ir além disso”, indicou um porta-voz do grupo, precisando que decorrem negociações com os sindicatos e que as decisões sobre os empregos devem ser anunciadas até ao final de maio.

Os cortes planeados na Rolls-Royce seguem-se ao anúncio, na sexta-feira, de 3.000 despedimentos na empresa irlandesa Ryanair e de 12.000 na British Airways.

A Virgin Atlantic também diz lutar pela sua sobrevivência e pediu, até agora em vão, a ajuda do governo britânico.

A Rolls-Royce já tinha cancelado a distribuição de lucros em abril e alertado para o impacto significativo da epidemia nos seus resultados.

Desde 2018, a empresa cortou 4.600 postos de trabalho, essencialmente administrativos. O corte agora planeado deve afetar principalmente os trabalhadores na área de motores para a aviação civil.
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.