Remessas de emigrantes superam apoios comunitários

  • 2 Respostas
  • 1297 Visualizações
*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2093
  • +1/-0
Remessas de emigrantes superam apoios comunitários
« em: Fevereiro 13, 2006, 02:32:43 pm »
Citar
Remessas de emigrantes superam apoios comunitários  
 
Situação deve-se à diminuição dos apoios da União Europeia a Portugal
   
O dinheiro que entrou em Portugal através dos emigrantes durante 2005 ultrapassou os montantes enviados pela União Europeia. Por outro lado, as remessas dos imigrantes para o estrangeiro ultrapassam o valor do financiamento corrente que entra no nosso país proveniente de Bruxelas.  

Os dados disponíveis indicam que, até Novembro de 2005, os emigrantes tinham enviado para Portugal dois mil milhões de euros, enquanto que os fundos de Bruxelas alcançaram apenas os 1,4 milhões.

De acordo com o Diário Económico, desde 2002 que as remessas dos emigrantes não ultrapassavam o valor dos fundos comunitários. A situação deve-se à queda das contribuições de Bruxelas, uma vez que o III Quadro Comunitário de Apoio está a chegar ao fim.

O Diário Económico afirma que o facto de muitos pagamentos dos fundos comunitários serem enviados em Dezembro não deve alterar a tendência.

Remessas dos imigrantes ultrapassam fundos correntes

Ao mesmo tempo, os montantes que as comunidades imigrantes residentes em Portugal enviam para fora do país são superiores às verbas recebidas da União Europeia em termos de fundos correntes (excluindo os fundos estruturais).

Segundo dados do Banco de Portugal, o país recebeu 380 milhões de euros de Bruxelas em fundos comunitários correntes, face a remessas dos imigrantes na ordem dos 493 milhões de euros.

O ex-governador do Banco de Portugal, José Silva Lopes, disse ao Diário Económico que a situação não o surpreende.

Silva Lopes explica que esta realidade se deve ao facto de Portugal importar mão-de-obra para funções que os portugueses não querem exercer, ao mesmo tempo que coloca “enormes entraves aos mais qualificados”.

Na opinião de Silva Lopes, a solução para o problema está na regulação do trabalho e na promoção da produtividade nacional.


de:
http://sic.sapo.pt/online/noticias/dinh ... tarios.htm

   Ai grandes tugas...alguém por acaso me pode dar um numero concreto de quantos portugueses existem no mundo? Em Portugal somos 10.5m...mas e no mundo??

     Cumprimentos
 

*

Leonidas

  • Analista
  • ***
  • 618
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +1/-2
(sem assunto)
« Responder #1 em: Fevereiro 18, 2006, 03:47:15 pm »
Saudações guerreiras

Não me admira nada. Para mim existem dois fatores que influenciam o que se está a passar:

1º Os emigrantes das décadas de 60 e 70 estão a regressar, mas não vêm de mãos a abanar, trazem o Mercedes e a sua (boa) reforma. Á espera só está uma “bruta” duma vivenda.  :mrgreen:  

2º Portugal ainda é - e cada vez mais será ainda - um país de emigrantes, dada a carência de oportunidades para todos os estratos sociais. Basta ver as ordas de desempregados das fábricas têxteis e calçados que se formaram, desde que muitas dessas empresas revolveram fechar o barraco aqui.

Cumprimentos
 

*

JoseMFernandes

  • Perito
  • **
  • 394
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Remessas de emigrantes superam apoios comunitários
« Responder #2 em: Fevereiro 18, 2006, 05:12:11 pm »
Citar
alguém por acaso me pode dar um numero concreto de quantos portugueses existem no mundo? Em Portugal somos 10.5m...mas e no mundo??


Lembro-me de ha alguns anos (  +/- inicio do milénio) ver apontado um numero superior a seis milhoes de portugueses fora de Portugal(compreenda-se... detentores de Passaporte/BI nacional/inscriçao consular).Nao posso porém garantir nem a fiabilidade nem a veracidade desta estatistica, que estou a citar de memoria.Presumo que o numero de 'portugueses naturais expatriados' ou 'emigrantes' conforme preferirem, possa representar perto de metade desse valor.Como exemplo os registos nos consulados portugueses, mesmo na Europa, de que o Benelux é um caso tipico, nao tem por vezes inscritos nem metade dos 'portugueses' presentes nas suas areas de actuaçao.
Suponho que algum organismo estatal tera dados ou projecçoes recentes, mesmo que sejam sempre por larga aproximaçao, pois nao existe controlo eficaz sobre as alteraçoes constantes, e naturais, a esta situaçao.Seria interessante ( e importante) que  sobretudo agora com a alteraçao da lei da nacionalidade, se tentasse apesar das obvias dificuldades, ter uma posiçao mais clara sobre isto.Arriscaria considerar sermos entre 13 a 14 milhoes tendo como portuguesa a sua 'unica nacionalidade'.Mas havera outros membros do Forum com numeros mais concretos.  
Por comparaçao a Bélgica, (que até ha poucos anos nao permitia dupla nacionalidade) com populaçao semelhante a portuguesa, tem bem menos de um milhao dos seus nacionais fora das suas fronteiras (6 a 7% da pop. total).
Cumprimentos